Descrição Competências Organizacionais

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Descrição Competências Organizacionais"

Transcrição

1

2 Descrição Competências Organizacionais Orientação para Resultados Sustentáveis Disciplina Operacional Competência Técnica Adaptabilidade e Flexibilidade Relacionamento e Colaboração Realiza tarefas dentro do prazo Executa as tarefas seguindo a orientação do gestor, normas, procedimentos e diretrizes técnicas Possui conhecimento técnico. É flexível frente às mudanças da área ou da empresa Trabalha em equipe e colabora com as outras áreas. Entrega resultados com qualidade, preocupandose com saúde e segurança, meio ambiente e Demonstra atenção e disciplina para realizar a tarefa e percebe o perigo iminente. Tem clareza de seus deveres e Possui escuta aberta Atua com empatia. Demonstra empresa (sentimento de dono) Compromete-se com a eficiência operacional, respeitando as regras de Saúde e Segurança Utiliza ferramentas e técnicas apropriadas. É engajado e adapta-se à mudança Relaciona-se com integridade, respeito e ética. Prioriza atividades críticas Identifica problemas e propõe soluções e melhorias Demonstra interesse pela empresa e área onde atua. Aceita novas atividades para atender a mudança Comunica-se com transparência. Evita desperdícios, gastos e retrabalho Faz a manutenção de ferramentas e equipamentos Preocupa-se com seu autodesenvolvimento e busca feedback. Atua para reduzir os riscos da mudança associados a saúde e segurança, meio ambiente e Demonstra cuidado ativo genuíno (cuidar de si, do outro e deixar que os outros cuidem de você). Atuação com foco em Saúde e Segurança

3 Competênci a Orientação para Resultados Sustentáveis Na maioria das vezes, descumpriu os prazos de suas tarefas. Quando entrega resultados, o faz com pouca qualidade, sem se preocupar com saúde e Não demonstra empresa (sentimento de dono) Não prioriza atividades críticas, necessitando de constante supervisão. Gera desperdícios, gastos e retrabalho frequentemente. 2- Em_desenvolvimento Eventualmente perde prazos de algumas tarefas. Entrega resultados parcialmente, com necessidade de aprimoramento na qualidade e apoio nas questões de saúde e Às vezes não demonstra claramente seu empresa (sentimento de dono). Prioriza atividades, mas sob supervisão constante. 3- Atende_as_expectativas Realiza tarefas dentro do prazo. Entrega resultados com qualidade, preocupando-se com saúde e segurança, meio ambiente e Demonstra comprometimento com a empresa (sentimento de dono). Prioriza atividades críticas Evita desperdícios, gastos e retrabalho. 4- Supera_as_expectativas Frequentemente supera às expectativas quanto ao prazo de entrega de suas tarefas. Entrega resultados com qualidade acima do esperado, priorizando saúde e Atua como dono da empresa. Identifica proativamente prioridades e oportunidades de melhoria nas suas atividades. Age preventivamente para evitar desperdícios, gastos e retrabalho nas suas atividades. Finaliza a maioria dos trabalhos antes do prazo acordado e sugere formas mais eficazes de realizá-las. É referência na entrega de resultados com qualidade, e no foco em saúde e segurança, meio ambiente e Atua como dono da empresa e influencia os demais para terem o mesmo comportamento. Auxilia os demais na identificação de prioridades e oportunidades de melhoria. Ajuda os outros a evitar desperdícios, gastos e retrabalho. Apresenta oportunidade de melhoria na execução de suas tarefas para evitar desperdícios, gastos e retrabalho.

4 Competência Disciplina Operacional Não conhece a maioria das normas, procedimentos e diretrizes técnicas e não segue as orientações do gestor na execução das tarefas. Demonstra falta de atenção e disciplina para realizar a tarefa e não percebe o perigo iminente, necessitando de supervisão constante. Não está comprometido com a eficiência operacional e não se preocupa com as regras de Saúde e Segurança. Não identifica problemas e não propõe soluções e melhorias. Não se preocupa com a conservação/limpeza e organização das ferramentas e equipamentos. 2- Em_desenvolvimento Conhece parcialmente as normas, procedimentos e diretrizes técnicas e necessita de ajuda para seguir as orientações do gestor na execução das tarefas. Às vezes se distrai na realização de uma tarefa e depende que os outros o alerte para o perigo iminente. Precisa demonstrar maior eficiência operacional e se preocupar mais com as regras de Saúde e Segurança. Ainda não é capaz de identificar problemas e propor soluções e melhorias sozinho Precisa de orientação sobre a conservação e limpeza de ferramentas e equipamentos. 3- Atende_as_expectativas Executa as tarefas seguindo a orientação do gestor, normas, procedimentos e diretrizes técnicas Demonstra atenção e disciplina para realizar a tarefa e percebe o perigo iminente. Compromete-se com a eficiência operacional, respeitando as regras de Saúde e Segurança Identifica problemas e propõe soluções e melhorias. Faz a manutenção de ferramentas e equipamentos. 4- Supera_as_expectativas Domina as normas, procedimentos e diretrizes técnicas para a execução das tarefas, auxiliando os outros Demonstra atenção e disciplina acima da média para realizar as tarefas e percebe o perigo iminente antes dos Possui foco em eficiência operacional e Saúde e Segurança, atuando proativamente nas inconformidades. Atua de forma inovadora na identificação de problemas e na sugestão de soluções e melhorias. Excede às expectativas quanto a manutenção de ferramentas e equipamentos, conservando-os sempre limpos e organizados. É uma referência interna na execução de tarefas, servindo de exemplo para a definição de normas, procedimentos e diretrizes técnicas. Demonstra atenção e disciplina exemplares para realizar as tarefas e age preventivamente para evitar o perigo iminente. É referência em eficiência operacional, priorizando Saúde e Segurança e influenciando os Identifica problemas e propõe soluções e melhorias para as áreas de interface. Ensina os outros a fazer a correta manutenção de ferramentas e equipamentos, conservando-os sempre limpos e organizados.

5 Competência Competência Técnica Não possui conhecimento técnico necessário. Não compreende seus deveres e Não utiliza ferramentas e técnicas apropriadas. Não demonstra interesse pela empresa e área onde atua. Não se preocupa com seu autodesenvolvimento e não busca feedback. 2- Em_desenvolvimento 3- Atende_as_expectativas 4- Supera_as_expectativas Possui conhecimento técnico parcial Conhece de forma limitada seus deveres e Tem dúvidas sobre quais são as ferramentas e técnicas apropriadas para utilizar. Às vezes não demonstra claramente interesse pela empresa e área onde atua. Preocupa-se com seu autodesenvolvimento e busca feedback apenas quando cobrado. Possui conhecimento técnico Tem clareza de seus deveres e Utiliza ferramentas e técnicas apropriadas. Demonstra interesse pela empresa e área onde atua. Preocupa-se com seu autodesenvolvimento e busca feedback. Possui conhecimento técnico acima do necessário. Demonstra amplo conhecimento dos seus deveres e responsabilidades e atua com autonomia. Utiliza ferramentas e técnicas apropriadas e aprende com facilidade. Possui conhecimento sobre a empresa e área onde atua e compartilha informações com a equipe. É focado no seu autodesenvolvimento e busca feedback. Exerce naturalmente liderança técnica por ser referência em conhecimento técnico. Atua além dos seus deveres e responsabilidades, auxiliando os demais através de seu conhecimento diferenciado. É exemplo para os demais quanto ao uso das ferramentas e técnicas apropriadas e os auxilia quanto ao uso das mesmas. Possui profundo conhecimento sobre a empresa e área onde atua e busca referências externas. Frequentemente está insatisfeito com seu nível de conhecimento e busca autodesenvolvimento e feedback continuamente.

6 Competência Adaptabilidade e Flexibilidade Demonstra inflexibilidade frente às mudanças da área ou da empresa. Não possui escuta aberta, dando mais importância para as suas opiniões do que a dos outros. Não se compromete com a mudança e apresenta dificuldades de adaptação É resistente em aceitar novas atividades para atender a mudança Não contribui para reduzir os riscos da mudança associados a saúde e 2- Em_desenvolvimento 3- Atende_as_expectativas 4- Supera_as_expectativas Demora a aceitar e responder às mudanças da área ou da empresa Nem sempre possui escuta aberta e evita opiniões diferentes das suas. Necessita de apoio para entender os motivos da mudança e assim engajarse e adaptar-se Aceita novas atividades para atender a mudança, mas sente-se desconfortável. Contribui pouco para reduzir os riscos da mudança associados a saúde e segurança, meio ambiente e É flexível frente às mudanças da área ou da empresa Possui escuta aberta É engajado e adapta-se à mudança Aceita novas atividades para atender a mudança Atua para reduzir os riscos da mudança associados a saúde e Demonstra flexibilidade acima da média frente às mudanças da área ou da empresa Possui escuta aberta e busca diferente opiniões Facilmente engaja-se e adaptase à mudança Oferece-se para novas atividades para atender a mudança Identifica os riscos da mudança associados a saúde e sustentabilidade e atua para reduzi-los. É exemplo de flexibilidade frente às mudanças da área ou da empresa. Respeita, valoriza e prioriza a opinião dos outros. Auxilia o gestor como facilitador da mudança, influenciando a equipe a adaptar-se a mudança rapidamente. Tem interesse e frequentemente se oferece para novas atividades para atender a mudança Identifica preventivamente os riscos da mudança associados a saúde e sustentabilidade e atua proativamente para eliminá-los.

7 Competência 2- Em_desenvolvimento 3- Atende_as_expectativas 4- Supera_as_expectativas Referência_Interna Relacionamento e Colaboração Trabalha sozinho e não colabora com as outras áreas. Não atua com empatia. Não relaciona-se com integridade e ética. Possui dificuldades de comunicação. Não demonstra cuidado ativo genuíno (não cuida de si, do outro e não deixa que os outros cuidem de você). Às vezes trabalha em equipe, mas prefere trabalhar sozinho e colabora com as outras áreas somente quando solicitado. Esforça-se para atuar com empatia. Nem sempre demonstra relacionar-se com integridade e ética. Precisa de apoio na comunicação. Por vezes esquece do cuidado ativo genuíno (cuidar de si, do outro e deixar que os outros cuidem de você). Trabalha em equipe e colabora com as outras áreas. Atua com empatia. Relaciona-se com integridade, respeito e ética. Comunica-se com transparência. Demonstra cuidado ativo genuíno (cuidar de si, do outro e deixar que os outros cuidem de você). Prioriza o trabalho em equipe e colaboração com as outras áreas. Atua com empatia com frequência, questionando-se sobre seu comportamento constantemente. Relaciona-se com integridade, respeito e ética, destacando-se dos demais Demonstra facilidade para comunicar-se com transparência Demonstra cuidado ativo genuíno (cuidar de si, do outro e deixar que os outros cuidem de você) acima da média. Busca a e incentiva o trabalho em equipe e colabora proativamente com outras áreas Escolhe sempre atuar com empatia, ensinando os É reconhecido como referência de integridade, respeito e ética nas relações, influenciando os Comunica-se com transparência, sendo o porta-voz da área. É exemplo de cuidado ativo genuíno (cuidar de si, do outro e deixar que os outros cuidem de você) e cobra este comportamento dos

Avaliação de Desempenho do Técnico Administrativo em Educação

Avaliação de Desempenho do Técnico Administrativo em Educação Avaliação de Desempenho do Técnico Administrativo em Educação ANEXO I CAMPUS AUTO AVALIAÇÃO DO SERVIDOR 2016 Nome do Servidor: Cargo: Classe: Nível: Padrão: Período de Avaliação: / / a / / Lotação: Função

Leia mais

Roteiro Trabalho de RH

Roteiro Trabalho de RH Roteiro Trabalho de RH Fase I - Caracterização de Empresa -Histórico -Porte -Setor/Posição de Mercado/Atuação (local, regional, nacional e internacional) -Principais Produtos ou Serviços - Organograma

Leia mais

Plataforma da Informação. Fundamentos da Excelência

Plataforma da Informação. Fundamentos da Excelência Plataforma da Informação Fundamentos da Excelência Modelo de Excelência em Gestão Fundamentos da Excelência O Modelo de Excelência em Gestão estimula e apoia as organizações no desenvolvimento e na evolução

Leia mais

Este ciclo refere-se ao período do 1º ao 10º mês de estágio probatório

Este ciclo refere-se ao período do 1º ao 10º mês de estágio probatório SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO E GESTÃO DE PESSOAL 1º CICLO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DO SERVIDOR DOCENTE EM ESTÁGIO PROBATÓRIO Este ciclo refere-se

Leia mais

Formulário de Avaliação de Desempenho UNIMED CAMPINA GRANDE. Registro funcional: Diretoria / Gerencia: Data da Avaliação:

Formulário de Avaliação de Desempenho UNIMED CAMPINA GRANDE. Registro funcional: Diretoria / Gerencia: Data da Avaliação: Formulário de Avaliação de Desempenho UNIMED CAMPINA GRANDE Nota Final: Para uso do RH Nome do Avaliado: Cargo: Registro funcional: Diretoria / Gerencia: Data da Avaliação: Nome do Avaliador: Cargo: ASSIDUIDADE

Leia mais

FORMULÁRIOS PARA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO GERENCIAL SERVIDOR MATRÍCULA CARGO SETOR CAMPUS PERÍODO DE AVALIAÇÃO

FORMULÁRIOS PARA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO GERENCIAL SERVIDOR MATRÍCULA CARGO SETOR CAMPUS PERÍODO DE AVALIAÇÃO FORMULÁRIOS PARA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO GERENCIAL SERVIDOR MATRÍCULA CARGO SETOR CAMPUS PERÍODO DE AVALIAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO 1. IDENTIFICAÇÃO DO SERVIDOR Servidor

Leia mais

LISTA DE COMPETÊNCIAS TÉCNICO SUPERIOR E TÉCNICO

LISTA DE COMPETÊNCIAS TÉCNICO SUPERIOR E TÉCNICO LISTA DE COMPETÊNCIAS TÉCNICO SUPERIOR E TÉCNICO N.º ORIENTAÇÃO PARA RESULTADOS: Capacidade para concretizar com eficácia e eficiência os objectivos do serviço e as tarefas e que lhe são solicitadas. 1

Leia mais

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO FICHA DE AUTO AVALIAÇÃO ASSISTENTE OPERACIONAL

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO FICHA DE AUTO AVALIAÇÃO ASSISTENTE OPERACIONAL AGRUPAMENTO DE ESCOLAS VIEIRA DE ARAÚJO ESCOLA EB/S VIEIRA DE ARAÚJO VIEIRA DO MINHO SIADAP 3 AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO FICHA DE AUTO AVALIAÇÃO ASSISTENTE OPERACIONAL Avaliado Carreira/Categoria Unidade

Leia mais

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Avaliação de: Sr. Antônio Modelo Preparada por: Consultor Caliper consultor@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Especialistas The

Leia mais

Gestão por Competência

Gestão por Competência Gestão por Competência Vera Gobetti 04/05/2017 GESTÃO POR COMPETÊNCIAS É UMA EVOLUÇÃO DA GESTÃO DE PESSOAS A Competência é sustentada em 3 pilares: 1- Conhecimento 2- Habilidades 3- Atitudes Aspectos Fundamentais

Leia mais

Gestão de Pessoas e Avaliação por competências

Gestão de Pessoas e Avaliação por competências Gestão de Pessoas e Avaliação por competências quer a empresa que não existe! Funcionário quer o profissional que não existe! Empresa A visão evolutiva da área de Gestão de Pessoas... 1930 Surgem departamentos

Leia mais

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DE ESTÁGIO PROBATÓRIO PARA SERVIDOR DOCENTE

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DE ESTÁGIO PROBATÓRIO PARA SERVIDOR DOCENTE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DE ESTÁGIO PROBATÓRIO PARA SERVIDOR DOCENTE FORMULÁRIO I IDENTIFICAÇÃO Nome: Matrícula SIAPE: Cargo: Função: Classe: Nível: Lotação: Data da Nomeação: / / Período de Estágio Probatório:

Leia mais

NÃO EXISTE GESTÃO SEM COMUNICAÇÃO DANIEL COSTA

NÃO EXISTE GESTÃO SEM COMUNICAÇÃO DANIEL COSTA NÃO EXISTE GESTÃO SEM COMUNICAÇÃO DANIEL COSTA O que é engajamento? Engajamento no trabalho é uma forma de agir em que o indivíduo, motivado por uma causa, expressa sua vontade e predisposição de fazer

Leia mais

Acordo de Acionistas NORMA DE da CPFL Energia S.A. ENGAJAMENTO

Acordo de Acionistas NORMA DE da CPFL Energia S.A. ENGAJAMENTO Acordo de Acionistas NORMA DE da CPFL Energia S.A. ENGAJAMENTO Atual DE Denominação PÚBLICOS Social DE da Draft II Participações INTERESSE S.A. Sumário Introdução 3 Objetivo da Norma 4 Conceitos básicos

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL DO TUTOR DE CURSOS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

PERFIL PROFISSIONAL DO TUTOR DE CURSOS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA PERFIL PROFISSIONAL DO TUTOR DE CURSOS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Área profissional: Educação Segmento tecnológico: Educação a Distância Qualificação profissional: Tutor de Cursos de Educação a Distância

Leia mais

Curso do Superior de Tecnologia em Marketing

Curso do Superior de Tecnologia em Marketing Curso do Superior de Tecnologia em Objetivos do curso 1.5.1 Objetivo Geral O Curso Superior de Tecnologia em na modalidade EaD da universidade Unigranrio, tem por objetivos gerais capacitar o profissional

Leia mais

MANUAL DO CLIENTE. Certificado NBR ISO 9001

MANUAL DO CLIENTE. Certificado NBR ISO 9001 MANUAL DO CLIENTE Certificado NBR ISO 9001 SEJA BEM VINDO À PRATIKA Prezado cliente, este é o Manual do Cliente Prátika, que apresenta o nosso compromisso com a qualidade e o respeito por quem se relaciona

Leia mais

I Fórum ABRH-Brasil de Sustentabilidade O papel do RH na promoção da cultura da sustentabilidade

I Fórum ABRH-Brasil de Sustentabilidade O papel do RH na promoção da cultura da sustentabilidade I Fórum ABRH-Brasil de Sustentabilidade O papel do RH na promoção da cultura da sustentabilidade Anna Paula Rezende Diretora Executiva de Talentos & Sustentabilidade 17 de Novembro de 2015 Quem somos Uma

Leia mais

Clique para editar os estilos do texto mestre

Clique para editar os estilos do texto mestre Clique para editar os estilos do texto mestre HB System - RHU 2000 ESCOLHA DO COLABORADOR DE VALOR Recursos Humanos Comunicação Corporativa Outubro de 2011 27/10/2011 1 O Colaborador de Valor será o reconhecimento

Leia mais

Aqui você escolhe o curso que deseja fazer de acordo com o seu momento empreendedor e as necessidades de sua empresa.

Aqui você escolhe o curso que deseja fazer de acordo com o seu momento empreendedor e as necessidades de sua empresa. Aqui você escolhe o curso que deseja fazer de acordo com o seu momento empreendedor e as necessidades de sua empresa. Aprender a Empreender Objetivo: Desenvolver conhecimentos, habilidades e atitudes sobre

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico ETEC ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: SÃO CARLOS Eixo Tecnológico: GESTÃO E NEGÓCIOS Habilitação Profissional: TÉCNICO EM RECURSOS

Leia mais

ISO Sistema de gestão para a sustentabilidade de eventos

ISO Sistema de gestão para a sustentabilidade de eventos ISO 20121 Sistema de gestão para a sustentabilidade de eventos ISO 20121 Objetivo ISO 20121 - Sistemas de gestão de sustentabilidade de eventos. Requisitos e linhas de orientação A ISO 20121 tem como finalidade

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO PRESSUPOSTOS BÁSICOS INSTRUÇÕES

IDENTIFICAÇÃO PRESSUPOSTOS BÁSICOS INSTRUÇÕES ESTÁGIO PROBATÓRIO - FORMULARIO I INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO IDENTIFICAÇÃO 1 NOME MATRÍCULA DENOMINAÇÃO DO CARGO CURSO (o qual tomou posse) PERIODOS DE AVALIAÇÃO 1 ) 2 Semestre letivo de 2015 (Agosto a dezembro)

Leia mais

A importância da liderança como diferencial competitivo. Leonardo Siqueira Borges 29 de Setembro de 2015

A importância da liderança como diferencial competitivo. Leonardo Siqueira Borges 29 de Setembro de 2015 A importância da liderança como diferencial competitivo Leonardo Siqueira Borges 29 de Setembro de 2015 Ellebe Treinamento em Gestão Organizacional A Ellebe atua em empresas públicas e privadas nas áreas

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio

Ensino Técnico Integrado ao Médio Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL Plano de Trabalho Docente 015 ETEC: Mairiporã Código: 71 Município: Mairiporã EE: Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnico

Leia mais

FORMULÁRIOS DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO INDIVIDUAL SERVIDOR MATRÍCULA CARGO SETOR CAMPUS PERÍODO DE AVALIAÇÃO

FORMULÁRIOS DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO INDIVIDUAL SERVIDOR MATRÍCULA CARGO SETOR CAMPUS PERÍODO DE AVALIAÇÃO FORMULÁRIOS DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO INDIVIDUAL SERVIDOR MATRÍCULA CARGO SETOR CAMPUS PERÍODO DE AVALIAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO FORMULÁRIO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA EQUIPE

Leia mais

Celpa. serviços. Código de ética do prestador de serviços da Celpa

Celpa. serviços. Código de ética do prestador de serviços da Celpa Código de ética do prestador de da Índice Apresentação... 04 Missão, visão e valores... 04 Bom senso... 06 Abrangência... 06 Definição de Prestador de Serviços... 06 1. Conflito de interesses 1.1. Recursos

Leia mais

FORMULÁRIO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO INDIVIDUAL PARA SERVIDORES TÉCNICOS ADMINISTRATIVOS DA UNEAL

FORMULÁRIO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO INDIVIDUAL PARA SERVIDORES TÉCNICOS ADMINISTRATIVOS DA UNEAL SERVIDOR CARGO FORMULÁRIO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO INDIVIDUAL PARA SERVIDORES TÉCNICOS ADMINISTRATIVOS DA UNEAL Anexo III da Lei Estadual Nº.0/0 MATRÍCULA FONE LOTAÇÃO CHEFE IMEDIATO CARGO MATRÍCULA

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO E GESTÃO DE PESSOAL ANEXO IV

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO E GESTÃO DE PESSOAL ANEXO IV SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO E GESTÃO DE PESSOAL ANEXO IV FORMULÁRIO DE ACOMPANHAMENTO SEMESTRAL DO SERVIDOR DOCENTE EM ESTÁGIO PROBATÓRIO Esta ficha

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA. Senac-RS

CÓDIGO DE ÉTICA. Senac-RS CÓDIGO DE ÉTICA Senac-RS APRESENTAÇÃO Reconhecida como uma das maiores instituições de ensino profissionalizante do país, o Senac-RS adota uma postura clara e transparente no que diz respeito aos objetivos

Leia mais

O novo modelo de Gestão de Desempenho por Competências tem o objetivo de melhorar os resultados e propiciar o desenvolvimento de todos os servidores.

O novo modelo de Gestão de Desempenho por Competências tem o objetivo de melhorar os resultados e propiciar o desenvolvimento de todos os servidores. O novo modelo de Gestão de Desempenho por Competências tem o objetivo de melhorar os resultados e propiciar o desenvolvimento de todos os servidores. O que é o novo modelo de Gestão do Desempenho por Competências?

Leia mais

MENSAGEM DO PRESIDENTE

MENSAGEM DO PRESIDENTE MENSAGEM DO PRESIDENTE A Ética sempre se fez historicamente presente no ambiente corporativo da Schulz S/A, gerando relações exitosas e, por isso, duradouras entre clientes e fornecedores. A elaboração

Leia mais

Avaliação 360 Graus. Relatório Individual John Smith Example

Avaliação 360 Graus. Relatório Individual John Smith Example Queremos que nossos relatórios tenham impacto em você, mas não no meio ambiente. Por favor, imprima somente as páginas que precisar. Avaliação 360 Graus Relatório Individual John Smith Example Quantidade

Leia mais

Motivação no trabalho

Motivação no trabalho Motivação no trabalho Um dos maiores desafios que todas as empresas enfrentam é manter a motivação de seus profissionais alta no dia a dia, afinal de contas, todos os resultados são obtidos com os esforços

Leia mais

Pesquisa de Satisfação. Uso Estratégico na Entidade

Pesquisa de Satisfação. Uso Estratégico na Entidade Pesquisa de Satisfação Uso Estratégico na Entidade RESPOSTAS São cruciais para o crescimento e sustentabilidade de qualquer negócio. Como saber o que quer e o que pensa o Participante? Como saber se está

Leia mais

MANUAL Avaliação de Indicadores

MANUAL Avaliação de Indicadores MANUAL Avaliação de Indicadores Revisão do Planejamento Estratégico e desdobramentos Sumário Apresentação Etapas de revisão do Planejamento Conceitos e desafios 03 04 Revisão/avaliação de Indicadores Metodologia

Leia mais

POR QUE É IMPORTANTE ATRAIR CLIENTES?... 3 A IMPORTÂNCIA DE SE COLECIONAR CLIENTES... 4 É POSSÍVEL FAZER ESTOQUE DE CLIENTES?... 5

POR QUE É IMPORTANTE ATRAIR CLIENTES?... 3 A IMPORTÂNCIA DE SE COLECIONAR CLIENTES... 4 É POSSÍVEL FAZER ESTOQUE DE CLIENTES?... 5 ÍNDICE POR QUE É IMPORTANTE ATRAIR CLIENTES?... 3 A IMPORTÂNCIA DE SE COLECIONAR CLIENTES... 4 É POSSÍVEL FAZER ESTOQUE DE CLIENTES?... 5 COMO ANDA SEU RELACIONAMENTO COM AS PESSOAS?... 6 PROFISSIOMAIS

Leia mais

Padrões de Desempenho Profissional Parte 1 Modelo de Competências. Visão de Negócios. Educação continuada do. candidato. Competência Técnica

Padrões de Desempenho Profissional Parte 1 Modelo de Competências. Visão de Negócios. Educação continuada do. candidato. Competência Técnica IBCO Instituto Brasileiro dos Consultores de Organização ICMCI - TheInternational Council of Management Consulting Institutes Professional Standards Committee (PSC) Modelo de Competências e de Verificação

Leia mais

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica e inovadora. O que são

Leia mais

POLITICA DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Vigência: 01/07/2015 a 30/06/2016 Abrangência: CORPORATIVO Macroprocesso/ Processo:

POLITICA DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Vigência: 01/07/2015 a 30/06/2016 Abrangência: CORPORATIVO Macroprocesso/ Processo: POLITICA DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Vigência: 01/07/2015 a 30/06/2016 Abrangência: CORPORATIVO Macroprocesso/ Processo: Executivo /Gerir a Comunicação. MANUAIS VINCULADOS CÓD./ORG.

Leia mais

Perfil Caliper de Vendas. The Inner Seller Report

Perfil Caliper de Vendas. The Inner Seller Report Perfil Caliper de Vendas The Inner Seller Report Avaliação de: Sr. João Vendedor Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Perfil Caliper de Vendas The Inner Seller Report Página 1

Leia mais

Responsabilidade da Direção

Responsabilidade da Direção 5 Responsabilidade da Direção A gestão da qualidade na realização do produto depende da liderança da alta direção para o estabelecimento de uma cultura da qualidade, provisão de recursos e análise crítica

Leia mais

Anexo II - Princípios das Normas ISO aplicáveis a organizações de saúde

Anexo II - Princípios das Normas ISO aplicáveis a organizações de saúde Anexo II - Princípios das Normas ISO aplicáveis a organizações de saúde 95 96 Princípios das Normas ISO aplicáveis a organizações de saúde Princípio 1 Foco no cliente: dado que as organizações dependem

Leia mais

LNT L N. evantamento. ecessidade. reinamento

LNT L N. evantamento. ecessidade. reinamento Por dentro do LNT LNT L N evantamento T ecessidade reinamento Gestão de Pessoas o conceito Um conjunto de políticas e práticas que permitem a conciliação de expectativas entre as organizações e as pessoas

Leia mais

Mapa da Matriz de Competências Corporativas

Mapa da Matriz de Competências Corporativas Mapa da de Competências Corporativas Dados Principais de Competências Corporativas O que é É o conjunto de competências definido pela empresa alinhada à estratégia do negócio. Para que serve Para verificar

Leia mais

B1 B2 B3 B4 B5 Troca informações internamente, em assuntos relacionados a sua área de atuação, visando colaborar com o estabelecimento das rotinas.

B1 B2 B3 B4 B5 Troca informações internamente, em assuntos relacionados a sua área de atuação, visando colaborar com o estabelecimento das rotinas. 1.1 TRABALHO EM EQUIPE: Interage e mantém o bom relacionamento com seus colegas, superiores e subordinados (se houver). Respeita os papéis de cada membro da equipe e contribui para a atuação positiva dos

Leia mais

Remuneração e Recompensa

Remuneração e Recompensa Remuneração e Recompensa Disciplina: Gestão por Competências Prof. Joel Dutra Alunas: Cristina Leme Elizângela de Jesus Oliveira Fernanda Ferrari Agenda Contexto / Conceitos Apresentação Empresa Objeto

Leia mais

Gestor Departamento de Planejamento, Orçamento e Controle (DPOC)

Gestor Departamento de Planejamento, Orçamento e Controle (DPOC) Título Norma de Responsabilidade Socioambiental Gestor Departamento de Planejamento, Orçamento e Controle (DPOC) Abrangência Agências, Departamentos, Empresas Ligadas e Unidades no Exterior Sinopse Diretrizes

Leia mais

42,5% 46 de participação do mercado de planos de saúde no RS (ANS Setembro/2016) 6,3 mil. 720 mil. 359 pontos de atendimento UNIMED PORTO ALEGRE

42,5% 46 de participação do mercado de planos de saúde no RS (ANS Setembro/2016) 6,3 mil. 720 mil. 359 pontos de atendimento UNIMED PORTO ALEGRE UNIMED PORTO ALEGRE 42,5% 46 de participação do mercado de planos de saúde no RS (ANS Setembro/2016) Municípios em sua área de atuação 6,3 mil médicos cooperados Mais de 720 mil clientes 359 pontos de

Leia mais

MENSAGEM DOPRESIDENTE

MENSAGEM DOPRESIDENTE CÓDIGO DE ÉTICA SUMÁRIO INTRODUÇÃO 2 MENSAGEM DO PRESIDENTE 3 DIRECIONADORES - MISSÃO, VISÃO E VALORES 4 COMPROMISSOS DA PLASTIMARAU 5 Desenvolvimento e Remuneração 5 Compromissos com Clientes 5 Compromissos

Leia mais

III Benchmarking de Segurança 2015

III Benchmarking de Segurança 2015 III Benchmarking de Segurança 2015 INOVAÇÃO. EDUCAÇÃO. COMPORTAMENTO Karla M. P. de Carvalho e Rubens Kuhl GERDAU AO REDOR DO MUNDO MISSÃO, VISÃO, VALORES E CÓDIGO DE ÉTICA Missão Gerar valor para nossos

Leia mais

Código de Conduta do Grupo Cindapa

Código de Conduta do Grupo Cindapa Código de Conduta do Grupo Cindapa A MARCA DA SEGURANÇA 1 NOSSAS DIRETRIZES Nossa Missão Fornecer soluções em segurança patrimonial privada, mitigando os riscos e evitando perdas, por meio de uma Gestão

Leia mais

SUMÁRIO. O que é o Programa Anjo da Guarda? Quais são os objetivos do programa? Quais são as Responsabilidades do Anjo da Guarda?

SUMÁRIO. O que é o Programa Anjo da Guarda? Quais são os objetivos do programa? Quais são as Responsabilidades do Anjo da Guarda? SUMÁRIO 4 5 6 O que é o Programa Anjo da Guarda? Quais são os objetivos do programa? Quais são as Responsabilidades do Anjo da Guarda? Quais são as Responsabilidades do Novo Colaborador? Quais são as Responsabilidades

Leia mais

DESAFIO PELA BUSCA DA EXCELÊNCIA MODELO ASSISTENCIAL Hospital Alemão Oswaldo Cruz

DESAFIO PELA BUSCA DA EXCELÊNCIA MODELO ASSISTENCIAL Hospital Alemão Oswaldo Cruz DESAFIO PELA BUSCA DA EXCELÊNCIA MODELO ASSISTENCIAL Hospital Alemão Oswaldo Cruz Perfil O Hospital Alemão Oswaldo Cruz é uma associação civil de direito privado, sem fins econômicos ou lucrativos de caráter

Leia mais

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Avaliação de: Sr. Mario Exemplo Preparada por: Consultor Caliper consultor@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Especialistas The Inner

Leia mais

COMPETÊNCIAS COLABORATIVAS Garantir Resultados Diferenciados por meio das Competências Colaborativas

COMPETÊNCIAS COLABORATIVAS Garantir Resultados Diferenciados por meio das Competências Colaborativas COMPETÊNCIAS COLABORATIVAS Garantir Resultados Diferenciados por meio das Competências Colaborativas Rogerio Leme rogerio@lemeconsultoria.com.br www.facebook.com/rogeriolemeoficial Rogerio Leme Diretor

Leia mais

Tópico 6 Compreender e gerenciar o risco clínico

Tópico 6 Compreender e gerenciar o risco clínico Tópico 6 Compreender e gerenciar o risco clínico 1 1 Por que o risco clínico é relevante para a segurança do paciente A gestão do risco clínico preocupa-se especificamente com a melhoria da qualidade e

Leia mais

Relatório de Competências de Nataly Lopez (Perfil Natural) Autoconfiança. Autocontrole. Busca de Informação. Capacidade de Negociação.

Relatório de Competências de Nataly Lopez (Perfil Natural) Autoconfiança. Autocontrole. Busca de Informação. Capacidade de Negociação. IMPORTANTE: Em ótimas condições do ambiente, a grande maioria das pessoas pode ter a capacidade de desempenhar-se adequadamente em quaisquer das seguintes competências. Referimo-nos a "ótimas condições"

Leia mais

Gestão de Desempenho: a experiência do Grupo Águas do Brasil

Gestão de Desempenho: a experiência do Grupo Águas do Brasil Gestão de Desempenho: a experiência do Grupo Águas do Brasil Agenda Objetivos da G. Desempenho Conceitos estruturantes O Modelo concebido para o grupo Águas do Brasil Relato da Experiência e dos Resultados

Leia mais

Perspectivas da Gestão Estratégica de Pessoas para as Organizações Públicas

Perspectivas da Gestão Estratégica de Pessoas para as Organizações Públicas Perspectivas da Gestão Estratégica de Pessoas para as Organizações Públicas Aleksandra Pereira dos Santos Doutora em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações UnB Coordenadora-Geral de RH Previc

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Plano de Trabalho Docente 2014

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL Plano de Trabalho Docente 2014 ETEC PAULINO BOTELHO Código: 091.6 Município: São Carlos EE: Prof. Arlindo Bittencourt Eixo Tecnológico: Gestão e

Leia mais

PROPOSTA DE PLANO DE AÇÃO DA NOVA GESTÃO. Presidente Joilson Barcelos

PROPOSTA DE PLANO DE AÇÃO DA NOVA GESTÃO. Presidente Joilson Barcelos PROPOSTA DE PLANO DE AÇÃO DA NOVA GESTÃO Presidente Joilson Barcelos RESGATANDO NOSSA HISTÓRIA 1963 1964 a 2015 2016 Fundada em 30 de maio, fruto de um movimento nacional, com a finalidade de fortalecer

Leia mais

LIDERANÇA EM ENFERMAGEM E GERÊNCIA DO CUIDADO EM UTI NEONATAL

LIDERANÇA EM ENFERMAGEM E GERÊNCIA DO CUIDADO EM UTI NEONATAL 1 LIDERANÇA EM ENFERMAGEM E GERÊNCIA DO CUIDADO EM UTI NEONATAL Drª. Zenith Rosa Silvino e Drª. Bárbara Pompeu Christovam Curso: II Curso de Assistência de Enfermagem em Unidade de Terapia Intensiva Neonatal

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO SATISFAÇÃO DOS COLABORADORES 2014

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO SATISFAÇÃO DOS COLABORADORES 2014 I ENQUADRAMENTO GERAL O presente relatório tem como finalidade apresentar os resultados de avaliação realizada aos colaboradores da Instituição. Esta avaliação foi executada mediante a aplicação de um

Leia mais

SANTANDER INVESTIMENTO SOCIAL PRIVADO

SANTANDER INVESTIMENTO SOCIAL PRIVADO SANTANDER INVESTIMENTO SOCIAL PRIVADO DASHBOARD CICLO DE 3 ANOS DE AVALIAÇÃO NOSSA CAUSA Inclusão social e econômica da população brasileira. DIRETRIZES Fortalecer políticas públicas e não se perder em

Leia mais

3. O Framework é um manual/guia de como elaborar o relato integrado? Justifique.

3. O Framework é um manual/guia de como elaborar o relato integrado? Justifique. Questões Relato Integrado 1. O que é A4S? De que forma essa organização influenciou a criação do relato integrado. A4S é o projeto do príncipe de Gales Accounting for Sustainability, foi a organização

Leia mais

TERMO DE CONDUTA E COMPROMISSO DO ALUNO NO MAKER SPACE UNIMONTE

TERMO DE CONDUTA E COMPROMISSO DO ALUNO NO MAKER SPACE UNIMONTE TERMO DE CONDUTA E COMPROMISSO DO ALUNO NO MAKER SPACE UNIMONTE 1 Introdução O Centro Universitário UNIMONTE dispõe, para os seus alunos e integração comunidade/instituição, o MAKER SPACE, sendo este um

Leia mais

APÊNDICE A Questionários Aplicados

APÊNDICE A Questionários Aplicados APÊNDICE A Questionários Aplicados CPA Comissão Própria de Avaliação 60 INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO CAMPUS SERTÃOZINHO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA AUTOAVALIAÇÃO

Leia mais

Fonte: Foster Fonte: Innoscience Fonte: Mckinsey Fonte: HBR A inovação é exclusividade de startups? Fonte: Anthony O que é uma Startup? Startup é uma instituição humana desenhada para desenvolver um produto

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A ESPECIALISTA EM TURISMO DE AR LIVRE

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A ESPECIALISTA EM TURISMO DE AR LIVRE PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A ESPECIALISTA EM TURISMO DE AR LIVRE Publicado no Boletim do Trabalho do Emprego (BTE) nº 4 de 29 de janeiro de 2013 com entrada em vigor a 29 de janeiro de 2013. Publicação

Leia mais

LISTA DE COMPETÊNCIAS TÉCNICO SUPERIOR

LISTA DE COMPETÊNCIAS TÉCNICO SUPERIOR LISTA DE COMPETÊNCIAS TÉCNICO SUPERIOR N.º ORIENTAÇÃO PARA RESULTADOS: Capacidade para concretizar com eficácia e eficiência os objetivos do serviço e as tarefas e que lhe são solicitadas. 1 2 3 Estabelece

Leia mais

Estágios de Liderança Braskem Competências de Cultura

Estágios de Liderança Braskem Competências de Cultura Estágios de Liderança Braskem ------------------------- Competências de Cultura 01 Clarificando Estágios de Liderança Braskem o PA do Líder 01 Estágios de Liderança Braskem Os Estágios de Liderança Braskem

Leia mais

FORMULÁRIOS DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO INDIVIDUAL SERVIDOR MATRÍCULA CARGO SETOR CAMPUS PERÍODO DE AVALIAÇÃO

FORMULÁRIOS DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO INDIVIDUAL SERVIDOR MATRÍCULA CARGO SETOR CAMPUS PERÍODO DE AVALIAÇÃO FORMULÁRIOS DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO INDIVIDUAL SERVIDOR MATRÍCULA CARGO SETOR CAMPUS PERÍODO DE AVALIAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO FORMULÁRIO DE AUTO-AVALIAÇÃO DO SERVIDOR

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico ETEC PROFESSOR MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: Tupã Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de Técnico

Leia mais

Analista de Negócio 3.0

Analista de Negócio 3.0 Conteúdo do Primeiro Módulo Fundamentos da Análise de Negócio: Neste módulo apresentaremos os principais problemas que afetam a maioria das empresas, por que as empresas precisam de um profissional como

Leia mais

TQM Total Quality Management

TQM Total Quality Management TQM Total Quality Management Professor: Leandro Zvirtes UDESC/CCT O que é TQM? Administração da Qualidade Total total quality management (TQM) Pode ser visto como uma extensão lógica da maneira como a

Leia mais

Gerenciamento das Partes Interessadas (PMBoK 5ª ed.)

Gerenciamento das Partes Interessadas (PMBoK 5ª ed.) Gerenciamento das Partes Interessadas (PMBoK 5ª ed.) Este é o capítulo 13 do PMBoK e é uma área muito importante para o PMI, pois antes de levar em consideração o cumprimento dos prazos, orçamento e qualidade,

Leia mais

/ desafios para a integração de um executivo

/ desafios para a integração de um executivo tabulação do questionário / desafios para a integração de um executivo setembro 2015 01. Assinale os maiores desafios enfrentados nesta fase de integração: (múltipla escolha) / entender a cultura da organização

Leia mais

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DE ESTÁGIO PROBATÓRIO PARA SERVIDOR TÉCNICO-ADMINISTRATIVO FORMULÁRIO I

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DE ESTÁGIO PROBATÓRIO PARA SERVIDOR TÉCNICO-ADMINISTRATIVO FORMULÁRIO I AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DE ESTÁGIO PROBATÓRIO PARA SERVIDOR TÉCNICO-ADMINISTRATIVO FORMULÁRIO I NOME IDENTIFICAÇÃO Nº SIAPE COD. CATEGORIA/CARGO CLASSE REF./PADRÃO DENOMINAÇÃO DO CARGO DENOMINAÇÃO DO ÓRGÃO

Leia mais

ANEXO I GUIÃO PARA AS ENTREVISTAS

ANEXO I GUIÃO PARA AS ENTREVISTAS ANEXO I GUIÃO PARA AS ENTREVISTAS i A Comunicação Estratégica no âmbito da Mudança Organizacional Guião para as Entrevistas 2 Caracterização da Organização e Entrevistado Tipo ORGANIZAÇÃO Atividade Breve

Leia mais

Equipe. Diretoria de Comunicação e Relacionamento Diretora: Marcela Conceição. Diretoria de Tecnologia da Informação Diretor: Victor Marcelino

Equipe. Diretoria de Comunicação e Relacionamento Diretora: Marcela Conceição. Diretoria de Tecnologia da Informação Diretor: Victor Marcelino Equipe Diretoria de Comunicação e Relacionamento Diretora: Marcela Conceição Diretoria de Tecnologia da Informação Diretor: Victor Marcelino Diretoria Administrativo e Financeira Diretor: Vitor Bahia Apresentação

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO INTERNA POR COMPETÊNCIAS MATRIZ DE COMPETÊNCIA DE ASSISTENTE DE DIRETOR DE SECRETARIA

EDITAL DE SELEÇÃO INTERNA POR COMPETÊNCIAS MATRIZ DE COMPETÊNCIA DE ASSISTENTE DE DIRETOR DE SECRETARIA EDITAL DE SELEÇÃO INTERNA POR COMPETÊNCIAS MATRIZ DE COMPETÊNCIA DE ASSISTENTE DE DIRETOR DE SECRETARIA ASSISTENTE DE DIRETOR DE SECRETARIA (FC-5) Área: Judiciária Unidade: Vara do Trabalho ATIVIDADE PRINCIPAL:

Leia mais

Construindo um Plano de Cargos e Salários

Construindo um Plano de Cargos e Salários O que é: Um Plano de Cargos e Salários é um modelo da estrutura da onde estão descritas as atribuições, deveres e responsabilidades de cada cargo além da especificação do salário para cada um desses cargos.

Leia mais

POLÍTICA DE AQUISIÇÃO DE BENS E SERVIÇOS

POLÍTICA DE AQUISIÇÃO DE BENS E SERVIÇOS 13/5/2016 Informação Pública ÍNDICE 1 OBJETIVO... 3 2 ABRANGÊNCIA... 3 3 REFERÊNCIA... 3 4 PRINCÍPIOS... 4 5 DIRETRIZES... 5 6 RESPONSABILIDADES... 6 7 INFORMAÇÕES DE CONTROLE... 8 13/5/2016 Informação

Leia mais

Cooperativa de Trabalho na Área da Saúde e Assistência Social.

Cooperativa de Trabalho na Área da Saúde e Assistência Social. Cooperativa de Trabalho na Área da Saúde e Assistência Social. 01 SOBRE Qualidade com parcerias de sucesso. A Mitra é uma cooperativa de trabalho que oferece serviços e soluções para sua área de Recursos

Leia mais

Comunicação + Informações + Workflow Adequado = Qualidade e Eficiência

Comunicação + Informações + Workflow Adequado = Qualidade e Eficiência Marcos Luiz Del Carlo MHA Engenharia Guilherme Augusto Brito Neves Comunicação + Informações + Workflow Adequado = Qualidade e Eficiência Objetivo de aprendizado Ao final desta palestra você terá condições

Leia mais

Administração do Relacionamento com os

Administração do Relacionamento com os Unidade II Administração do Relacionamento com os Clientes Prof. MSc. Marcelo S. Zambon Objetivos da Disciplina Neste módulo: Entendimento e importância da segmentação de mercado: O que são atributos valorizados

Leia mais

Engineering Solutions Consulting. Consulting

Engineering Solutions Consulting. Consulting Engineering Solutions Consulting Consulting Missão e compromisso A nossa missão é proporcionar uma abordagem inovadora, diferenciadora e que aporte valor, com uma equipa jovem, dedicada, empenhada e qualificada,

Leia mais

MANUAL DO VOLUNTÁRIO. Empowering People MANUAL DO VOLUNTÁRIO

MANUAL DO VOLUNTÁRIO. Empowering People MANUAL DO VOLUNTÁRIO MANUAL DO VOLUNTÁRIO 1 Índice 1. Identidade do Voluntário... 3 2. Voluntariado... 3 3. Áreas de intervenção... 3 4. Valores Princípios do Voluntariado... 4 5. Direitos do Voluntário... 4 6. Deveres do

Leia mais

INSPETOR. defesa da sociedade. Importante aliado na DO CREA SP ANOS INSPETORES

INSPETOR. defesa da sociedade. Importante aliado na DO CREA SP ANOS INSPETORES INSPETOR DO CREA SP Importante aliado na defesa da sociedade ANOS C O M V O C Ê INSPETORES 1 Inspetor do Crea-SP: nosso importante aliado na defesa da sociedade Para garantir a segurança da sociedade e

Leia mais

Perfil Caliper SUPER de Vendas The Inner Seller Report

Perfil Caliper SUPER de Vendas The Inner Seller Report Perfil Caliper SUPER de Vendas The Inner Seller Report Avaliação de: Sr. João Vendedor Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Copyright 2012 Caliper & Tekoare. Todos os direitos

Leia mais

DPS1035 Gestão Ambiental e Sustentabilidade. CGEP - Morgana Pizzolato, Dr a.

DPS1035 Gestão Ambiental e Sustentabilidade. CGEP - Morgana Pizzolato, Dr a. DPS1035 Gestão Ambiental e Sustentabilidade CGEP - Morgana Pizzolato, Dr a. P + L O resíduo é inerente ao processo? NÃO, ele é um indicativo da ineficiência A identificação e análise do resíduo dão início

Leia mais

Fulano de Tal. Relatório de Feedback 360 Extended DISC FINXS

Fulano de Tal. Relatório de Feedback 360 Extended DISC FINXS O Feedback 360 é um instrumento projetado para fornecer um foco desenvolvimentista a respeito dos pontos fortes das habilidades comportamentais específicas e suas necessidades de desenvolvimento. Este

Leia mais

CATÁLOGO REGIONAL PALESTRAS, OFICINAS E CURSOS

CATÁLOGO REGIONAL PALESTRAS, OFICINAS E CURSOS CATÁLOGO REGIONAL PALESTRAS, OFICINAS E CURSOS GET GERÊNCIA DE EDUCAÇÃO PARA O TRABALHADOR SESI/DRMG MINAS GERAIS 2015 www.fiemg.com.br SUMÁRIO 1. PALESTRAS 1.1 MAIS INFORMAÇÕES... 4 2. OFICINAS 2.1 ÉTICA

Leia mais

Feedback. Conceito de. Sumário. Conceito de Feedback. Escuta ativa. Obstáculos (dar / receber feedback) Feedback STAR

Feedback. Conceito de. Sumário. Conceito de Feedback. Escuta ativa. Obstáculos (dar / receber feedback) Feedback STAR Sumário Conceito de Feedback Escuta ativa Obstáculos (dar / receber feedback) Feedback STAR Recomendações para eficácia de sua sessão de feedback Conceito de Feedback Feedback é o retorno que alguém obtém

Leia mais

Gestão de Pessoas para

Gestão de Pessoas para III SEMINÁRIO DE GESTÃO DE PESSOAS: O DESAFIO DE LIDERAR E MOTIVAR EQUIPES DE SUCESSO Gestão de Pessoas para Resultados Luciano Lima 30/05/2012 MOTIVAÇÃO = MOTIVO PARA... As pessoas podem ter motivos diferentes

Leia mais

APOSTILA SEIKETSU: Senso de Higiene e Saúde

APOSTILA SEIKETSU: Senso de Higiene e Saúde APOSTILA SEIKETSU: Senso de Higiene e Saúde Apostila criada para o desenvolvimento do projeto 5S, da Universidade Federal do Pampa, tendo como objetivo auxiliar na aplicação da ferramenta nos laboratórios

Leia mais

Introdução aos Princípios da Gestão Empresarial

Introdução aos Princípios da Gestão Empresarial Faculdade de Tecnologia Senac Pelotas Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Unidade Curricular Gestão Empresarial ADS 2 M/N Introdução aos Princípios da Gestão Empresarial

Leia mais

CRÉDITO PARA SER FELIZ.

CRÉDITO PARA SER FELIZ. CRÉDITO PARA SER FELIZ. QUEM SOMOS A Finnance atua no mercado financeiro desde 2004 como Correspondente Bancário trabalhando com transparência, credibilidade e profissionais qualificados. Com 12 anos de

Leia mais

A RELAÇÃO ENTRE A EDUCAÇÃO AMBIENTAL E A FORMAÇÃO ACADÊMICA DO DESIGNER

A RELAÇÃO ENTRE A EDUCAÇÃO AMBIENTAL E A FORMAÇÃO ACADÊMICA DO DESIGNER ARTIGO A RELAÇÃO ENTRE A EDUCAÇÃO AMBIENTAL E A FORMAÇÃO ACADÊMICA DO DESIGNER MARINHO, A, L.; JANISSEK, P, R.; GODOI, R, H, M. Mestrado em Gestão Ambiental - Centro Universitário Positivo Unicenp ricardo.godoi@unicenp.edu.br

Leia mais