ECLIPSE. Indice ÁCIDO ÚRICO 3 ALBUMINA 4

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ECLIPSE. Indice ÁCIDO ÚRICO 3 ALBUMINA 4"

Transcrição

1

2 Indice ÁCIDO ÚRICO 3 ALBUMINA 4 α-amilase 5 BILIRRUBINA DIRETA 6 BILIRRUBINA TOTAL 7 CÁLCIO 8 CÁLCIO AZUL DE METILTIMOL 9 CLORETO 10 COLESTEROL 11 COLESTEROL HDL 12 CREATININA 13 CREATINO KINASE MB (CK-MB) 14 CREATINO KINASE (CK-NAC) 15 DESIDROGENASE LÁTICA (LDH) 16 FERRO 17 FOSFATASE ALCALINA 18 FÓSFORO 19 GAMMA GT (γ-gt) 20 GLICOSE 21 PROTEÍNAS TOTAIS 22 AST / TGO 23 ALT / TGP 24 TRIGLICÉRIDES 25 URÉIA 26

3 ÁCIDO ÚRICO Enzimático - espectrofotométrico URICASE / PEROXIDASE O Ácido Úrico existente na amostra, forma um complexo colorido medido a 520 nm mediante a ação das enzimas Uricase e Peroxidase. Soro, plasma, urina. Verificar preparo das amostras na bula do Kit. Reagente pronto para uso - Linearidade: 20 mg/dl. - Interferências: Hemoglobina (< 1 g/l), ácido ascórbico (< 0.3 mmol/l) e bilirrubina (< 15 mg/dl) não interferem. Lipemia pode afetar os resultados A.ÚRICO FILTER: 505 mg/dl H. ABS.: CAL # DELAY: 4 INC. TIME: 600 S. VOLUME: 10 R. REF. LOW: 2 REF. HIGH: 6 H. ABS.: 20 / FACTOR (º)

4 ALBUMINA Espectrofotométrico VERDE DE BROMOCRESOL A Albumina da amostra reage com o verde de bromocresol em meio ácido, formando um complexo colorido que pode ser medido espectrofotometricamente. Soro, plasma. Estável por 3 dias a 2-8 ºC. Reagente pronto para uso - Linearidade: 6 g/dl. - Interferências: Hemoglobina (> 1 g/l) e bilirrubina (> 25 mg/dl) interferem. ALBUMINA FILTER: 505 g/dl H. ABS.: CAL # DELAY: 10 INC. TIME: 120 S. VOLUME: 5 R. REF. LOW: 3.5 REF. HIGH: 4.8 H. ABS.: 6 / fator (º)

5 α-amilase Continuo Espectrofotometrico SUBSTRATO DIRETO - CNPG A α-amilase catalisa a hidrólise do 2-cloro-4-nitrofenil-αgalactosilmatóside Reagente pronto para uso. (Gal-G2-α-CNP) liberando 2-cloro-4- nitrofenol. A quantidade de 2-cloro-4-nitrofenol liberada é medida a 405 nm, sendo proporcional à atividade da enzima no soro. Soro, plasma ou urina. - Linearidade: até 1038 U/L (soro) A α-amilase em soro, plasma ou urina é estável por pelo - Interferências: Fluoreto, oxalato, citrato e EDTA como menos 5 dias a 2-8 C. a heparina não interfere como anticoagulante. A dosagem da amilase urinária deve ser feita em urina de 24 anticoagulantes interferem. - A temperatura de incubação interfere. A detrerminação deve efetuar-se a 37ºC. horas, mantida entre 2 e 8ºC, sem conservantes. AMILASE Kinetc FILTER: 405 U/L R. BLANK: No CAL None NR.: - CONC.: - REPLIC.: - FACTOR: 6950 DELAY: 20 0 INC. TIME: 60 S. VOLUME: 5 R. REF. LOW: 0 REF. HIGH: 86 H. ABS.: 2.300

6 BILIRRUBINA DIRETA Espectrofotométrico SULFANÍLICO DIAZOTADO A bilirrubina direta presente na amostra reage com o ácido "REAGENT": Use o reativo A-D sulfanílico diazotado originando um complexo colorido que "START REAGENT 1": Misture 10 partes de reativo A-D + 1 pode ser determinado espectrofotometricamente. O termo parte do reativo B. Estável 01 dia. direta e total refere-se às características da reação em presença ou ausência de solubilizantes (aceleradores) e equivalem apenas de forma aproximada as frações conjugadas e não conjugadas. Soro, estável até 2 dias a 2-8ºC protegido da luz. - Linearidade: até 20 mg/dl. BILI DIR FILTER: 550 mg/dl H. ABS.: CAL # DELAY: 4 INC. TIME: 600 S. VOLUME: 5 R. REF. LOW: 0,0 REF. HIGH: 0,2

7 BILIRRUBINA TOTAL Espectrofotométrico SULFANÍLICO DIAZOTADO A bilirrubina total presente na amostra reage com o ácido "REAGENT": Use o reativo A-T sulfanílico diazotado originando um complexo colorido que "START REAGENT 1": Misture 30 partes de reativo B pode ser determinado espectrofotometricamente. O termo parte do reativo B-2. Estável 01 dia. direta e total refere-se às características da reação em presença ou ausência de solubilizantes (aceleradores) e equivalem apenas de forma aproximada as frações conjugadas e não conjugadas. Soro, estável até 2 dias a 2-8ºC protegido da luz. - Linearidade: até 15 mg/dl. BILI DIR FILTER: 550 mg/dl H. ABS.: CAL # DELAY: 4 INC. TIME: 600 S. VOLUME: 25 R. REF. LOW: 0,1 REF. HIGH: 1,2

8 CÁLCIO Espectrofotométrico CRESOLFTALEÍNA O composto o-cresolftaleína reage com o cálcio presente na Reativo de trabalho: misturar a proporção de 1 ml de Reativo amostra em meio alcalino originando um complexo colorido A + 15 µl de Reativo B. que se pode quantificar espectrofotomatricamente. Estável 01 dia à temperatura ambiente. Soro ou urina. - Linearidade: até 20 mg/dl. Cálcio em soro é estável por 10 dias a 2-8 ºC. - Interferências: triglicérides acima de 900 mg/dl podem Urina: coletar todo o volume de 24 horas. Homogeneizar ocasionar resultados falsamente elevados. bem, separar 5,0 ml e adicionar uma gota de HCl concentado. CALCIO FILTER: 578 TEMP.: 25 mg/dl H. ABS.: CAL # DELAY: 4 INC. TIME: 600 S. VOLUME: 5 R. VOLUME: 900 REF. LOW: 8.5 REF. HIGH: 10.5 H. ABS.: 20 / fator (º)

9 CÁLCIO Espectrofotométrico METILTIMOL AZUL (AZUL DE METILTIMOL) O cálcio presente na amostra reage com o azul de metiltimol em meio alcalino originando um complexo colorido que pode ser medido espectrofotometricamente. A presença de hidroxiquinoleína no reativo evita a interferência do magnésio. Soro, plasma heparinizado, urina. Cálcio em soro ou plasma é estável por 10 dias a 2-8 ºC. Recolher a urina de 24 horas com 10 ml de ácido nítrico a 50% (v/v). Estável 10 dias a 2-8 C. Centrifugar ou filtrar e diluir ½ com água destilada antes de iniciar a determinação. Multiplicar o resultado obtido por 2. Reagente de trabalho: misturar volumes iguais de Reativo A e Reativo B. Homogeneizar. Estável 2 dias a 2-8 C. - Linearidade: até 15 mg/dl. - Interferências: Hemoglobina (1.5 g/l), bilirrubina (20 mg/dl) magnésio (10 mg/dl), e fosfato (20 mg/dl) não interferem. CALCIO FILTER: 620 mg/dl H. ABS.: CAL # DELAY: 10 INC. TIME: 120 S. VOLUME: 5 R. REF. LOW: 9 REF. HIGH: 11 H. ABS.: 15 / fator (º)

10 CLORETO Colorimétrico MERCÚRIO - TIOCIANATO O íon cloreto reage com o íon mercúrico liberando uma Reagente pronto para uso. quantidade equivalente de íon tiocianato, que em presença do ferro trivalente forma um complexo colorido violeta. A intensidade da coloração do complexo é proporcional a concentração do íon cloreto presente na amostra. Soro ou Urina de 24 horas - Linearidade: até 200 meq/l. Diluir a urina 1:2. Multiplicar o resultado obtido por 2. - Interferências: para amostras lipêmicas, ictéricas, e hemolizadas; fazer o branco da amostra com água destilada. CLORETO FILTER: 505 TEMP.: 25 meq/l H. ABS.: CAL # DELAY: 4 INC. TIME: 300 S. VOLUME: 5 R. VOLUME: 1000 REF. LOW: 98 REF. HIGH: 110 H. ABS.: 200 / fator (º)

11 COLESTEROL Enzimático - Espectrofotométrico Colesterol Oxidase / Peroxidase : Tanto o colesterol livre como o esterificado presentes na Reagente pronto para uso amostra dão origem, segundo suas reações, a complexos coloridos que podem ser determinados espectrofotometricamente. : Soro. - Linearidade: até 800 mg/dl. Plasma heparinizado ou com EDTA. - Interferências: ácido ascórbico (>0,3mmol/L), hemoglobina (>3 g/l) e bilirrubina(>0,25 mmol/l) interferem. A lipemia não afeta os resultados. COLEST. FILTER: 505 mg/dl H. ABS.: CAL # DELAY: 4 INC. TIME: 600 S. VOLUME: 5 R. REF. LOW: 140 REF. HIGH: 240 H. ABS.: 800 / fator (º)

12 COLESTEROL HDL Precipitante / Enzimático Espectrofotométrico Fosfotungstato / Mg 2+ - Colesterol oxidase / peroxidase Os quilomicrons e as lipoproteínas de baixíssima densidade Reagente pronto para uso (VLDL) e de baixa densidade (LDL) presentes na amostra precipitam em presença de fosfotungstato e íons magnésio. O sobrenadante de centrifugação contém as lipoproteínas de elevada densidade (HDL), cujo colesterol quantifica-se espectrofotometricamente. Soro. - Linearidade: até 150 mg/dl - Interferências: ácido ascórbico (>0,3 mmol/l), hemoglobina (>3 g/l) e bilirrubina (>0,25 mmol/l) interferem. A lipemia não afeta os resultados. COLEST. HDL - PREC FILTER: 505 mg/dl H. ABS.: CAL # DELAY: 4 INC. TIME: 600 S. VOLUME: 50 R. REF. LOW: 45 REF. HIGH: 55 H. ABS.: 150 / fator (º)

13 CREATININA Cinético espectrofotométrico PICRATO ALCALINO A creatinina presente na amostra reage com o picrato em meio alcalino originando um complexo colorido. Mede-se a velocidade de formação em períodos iniciais curtos, eviandose assim a interferência de outros compostos. Soro, plasma, urina. A Creatinina em soro ou plasma é estável 24 horas a 2-8ºC. Anticoagulantes como Heparina, EDTA, oxalato e fluoreto não interferem. Diluir a urina 1/50 com água destilada. Multiplicar o resultado obtido por 50. Misture volumes iguais do Reativo A e do Reativo B. homogeneizar. Estável 10 dias a 2-8 C. - Linearidade: 20 mg/dl. - Interferências: Hemoglobina (0,1 g/l), bilirrubina (10 mg/dl) proteína e compostos cetônicos não interferem. A determinação pode ser afetada por concentrações elevadas de substâncias redutoras. CREATININA Two Point FILTER: 505 U/L R. BLANK: No CAL # H. ABS.: DELAY: 12 MEAS: 60 INC. TIME: 30 S. VOLUME: 50 R. REF. LOW: 0.5 REF. HIGH: 1.1 H. ABS.: 2.300

14 CREATINO KINASE MB (CK-MB) Imunoinibição CINÉTICO - UV As sub-unidades M da Creatino Kinase (CK) são inibidas por um anticorpo específico que não afeta as unidades B. a concentração catalítica de CK-B, corresponde a metade da atividade CK-MB, é determinada pelas reações acopladas da hexoquinase (HK) e glicose-6-fosfato de desidrogenase (G6P- DH), a partir da velocidade de formação do NADPH, medido à 340 nm. água. Soro. A CK-MB em soro é estável pelo menos 7 dias a 2-8 C. Reagente de Trabalho: 4 partes do Reagente A + 1 parte do Reagente B. Estável 10 dias a 2-8 o C. Mantê-lo protegido da luz. Descartar o reativo de trabalho quando a Abs for superior a 0,700 medido a 340 nm com branco de - Linearidade: 1000 U/L - Interferências: A hemólise interfere. Concentrações de CK-MM superiores a 1500 U/L não são inibidas pelo anticorpo e interferirão na determinação. CK-MB Kinetic FILTER: 405 U/L R. BLANK: No CAL None NR.: - CONC.: - REPLIC.: - FACTOR: 1350 DELAY: 600 MEAS: - INC. TIME: 300 S. VOLUME: 25 R. REF. LOW: 0 REF. HIGH: 25 H. ABS.: 2.300

15 CREATINO KINASE (CK-NAC) Contínuo Espectrofotométrico IFCC A Creatino Quinase (CK) catalisa a fosfatização do ADP pelo Reagente de Trabalho: 4 partes do Reagente A + 1 parte do fosfato de creatino, obtendo-se creatino ATP. A concentração Reagente B. catalítica é observada, empregando-se as reações acopladas Estável 20 dias a 2-8 o C. da hexoquinase e glicose-6-fosfato desidrogenase, a partir da Mantê-lo protegido da luz. velocidade de formação do NADPH, medido a 340 nm. Soro. A CK-NAC em soro é estável pelo menos 7 dias a 2-8 C. - Linearidade: 2023 U/L - Interferências: A hemólise interfere. CKNAC Kinetc FILTER: 340 U/L R. BLANK: No CAL None NR.: - CONC.: - REPLIC.: - FACTOR: 8095 DELAY: 20 0 INC. TIME: 60 S. VOLUME: 10 R. REF. LOW: 10 REF. HIGH: 195 H. ABS.: 2.300

16 DESIDROGENASE LÁTICA (LDH) Contínuo Espectrofotométrico PIRUVATO O lactato desidrogenase (LD) catalisa a redução do piruvato Reagente de trabalho: 4 partes do Reativo A + 1 parte do por NADH obtendo-se lactato e NAD. A concentração Reativo B. catalítica é determinada a partir da velocidade de desaparecimento do NADH, medido a 340 Estável 30 dias a 2-8 C. nm. Soro ou plasma A desidrogenase lática em soro é estável pelo menos 24 horas a 2-8 C. a heparina não interfere como anticoagulante - Linearidade: 4000 U/L. - Interferências: devido a elevada concentração de LD nos eritrócitos, uma separação tardia do soro ou a hemólise, ocasionam resultados elevados. LDH Kinetc FILTER: 340 U/L R. BLANK: No CAL None NR.: - CONC.: - REPLIC.: - FACTOR: DELAY: 20 0 INC. TIME: 60 S. VOLUME: 10 R. REF. LOW: 207 REF. HIGH: 414 L. ABS.: H. ABS.: 2.300

17 FERRO Espectrofotométrico FERROZINE : O íon férrico presente na amostra e unido à transferrina é liberado por ação do guanidinio e reduzido a ferroso pela hidroxilamina. O íon ferroso forma um complexo colorido com a ferrozina que se pode quantificar através de leitura espectrofotométrica. : Soro ou plasma heparinizado. Estável por 7 dias a 2-8 ºC. Verifique a preparação do Reativo de Trabalho, na bula do Kit. - Linearidade: até 500 μg/dl. - Interferências: Não devem ser utilizados soros lipêmicos, ictéricos ou hemolizados FERRO FEZ FILTER: 546 mg/dl L. ABS.: H. ABS.: CAL # S. BLANK: Yes DELAY: 4 INC. TIME: 600 S. VOLUME: 90 R. VOLUME: 400 Cuvete VOLUME: (manual) REF. LOW: 50 REF. HIGH: 150 H. ABS.: 500 / fator (º)

18 FOSFATASE ALCALINA Contínuo Espectrofotométrico DGKC - DEA 4-Nitrofenilfosfato + H 2 O FAL 4-Nitrofenol + fosfato Reagente de Trabalho: 4 ml de Reativo A + 1 ml de Reativo B. Estável 30 dias a 2-8º C. Soro ou plasma. A fosfatase alcalina em soro ou plasma é estável ao menos 7 dias a 2-8 C. A heparina não interfere como anticoagulante. - Linearidade: 2000 U/L. - Interferências: Os anticoagulantes fluoreto, oxalato, citrato e EDTA interferem. A hemólise interfere devido a fosfatase alcalina entrocitária. FALC Kinetic FILTER: 405 U/L R. BLANK: No CAL None NR.: - CONC.: - REPLIC.: - FACTOR: 2757 DELAY: 20 0 INC. TIME: 30 S. VOLUME: 10 R. REF. LOW: 27 REF. HIGH: 100 H. ABS.: 2.600

19 FÓSFORO Espectrofotométrico FOSFOMOLIBIDATO / UV O fósforo inorgânico presente na amostra reage com o molibidato em meio ácido, originando um complexo que se quantifica espectrofotometricamente. Soro, plasma ou urina O fósforo em soro ou plasma é estável por 7 dias a 2-8 C. Os anticoagulantes como EDTA e fluoreto não interferem. Recolher a urina de 24 horas com ácido clorídrico 10% (v/v). Estável 10 dias a 2-30 C. Centrifugar ou filtrar e diluir 1/10 com água destilada antes de iniciar a determinação. Multiplicar o resultado obtido por 10. Reagente pronto para uso. - Linearidade: 18 mg/dl. - Interferências: Não devem ser utilizados soros lipêmicos. Valores do branco elevados indicam contaminação. Se os valores forem superiores a 0,600 A, frente a água destilada, desprezar o reativo. FOSFORO FILTER: 340 mg/dl H. ABS.: CAL # DELAY: 4 INC. TIME: 600 S. VOLUME: 5 R. REF. LOW: 2.5 REF. HIGH: 7 H. ABS.: 18 / fator (º)

20 GAMMA GT (γ-gt) Contínuo - espectrofotométrico IFCC A gama-glutamiltransferase (γ-gt) catalisa a transferência do grupo γ-glutamilo da γ-glutamil-3-carboxi-4-nitroanilida a glicilglicina, liberando 5-amino-2-nitrobenzoato. A concentração catalítica é determinada a partir da velocidade de formação do 5-amino-2-nitrobenzoato. apresentar Abs maior que 0,850 a 405 nm. Soro, não emolizado Plasma. EDTA e eparina podem ser utilizados como anticoagulantes. A γ-gt em soro é estável pelo menos 7 dias a 2-8 C. Reagente de trabalho: 4 partes do Reativo A + 1 parte do Reativo B. Estável 6 semanas a 2-8 C. Descartar o Reagente de Trabalho quando este - Linearidade: 1000 U/L - Interferências: não são descritas interferências analíticas. O etanol e vários fármacos induzem a síntese hepática da γ- GT. GGT Kinetc FILTER: 405 U/L R. BLANK: No CAL None NR.: - CONC.: - REPLIC.: - FACTOR: 1158 DELAY: 20 0 INC. TIME: 60 S. VOLUME: 40 R. VOLUME: 400 REF. LOW: 10 REF. HIGH: 47 H. ABS.: 2.300

21 GLICOSE Enzimático - espectrofotométrico GLICOSE OXIDASE / PEROXIDASE A glicose presente na amostra tem origem, segundo reações, um complexo colorido que pode ser quantificado espectrofotometricamente. Soro límpido, obtido no máximo duas horas após a coleta, por centrifugação, para evitar a glicólise (falso baixo) ou plasma obtido com anticoagulante fluoretado. Reativo pronto para uso - Linearidade: 500 mg/dl - Interferências: ácido ascórbico (5 mg/dl), hemoglobina (0,2 g/dl) e bilirrubina (40 mg/dl) não interferem. A lipemia moderada não interfere no resultado. - A cor é estável durante 30 minutos. GLICOSE FILTER: 505 mg/dl H. ABS.: CAL # DELAY: 4 INC. TIME: 600 S. VOLUME: 5 R. REF. LOW: 60 REF. HIGH: 110 H. ABS.: 500 / fator (º)

22 PROTEÍNAS TOTAIS Espectrofotométrico BIURETO A proteína presente na amostra reage com os íons Cobre (II), em meio alcalino, formando um complexo colorido que pode ser medido espectrofotometricamente. Soro ou plasma heparinizados. Estável por 8 dias a 2-8 C. Reativo pronto para uso. - Linearidade: até 12 g/dl - Interferências: hemoglobina (0,2 g/l) e a bilirrubina (15 mg/dl) interferem. A lipemia moderada não interfere. A presença de dextrano (utilizado como expansor do plasma) ocasiona uma floculação da mistura de reação que pode ser separada por centrifugação, sem que afete os resultados. PROT. TOT FILTER: 505 g/dl H. ABS.: CAL # DELAY: 10 INC. TIME: 900 S. VOLUME: 10 R. REF. LOW: 6.0 REF. HIGH: 8.0 H. ABS.: 12 / fator (º)

23 AST / TGO Contínuo - espectrofotométrico IFCC A Aspartato Aminotransferase (AST ou TGO) catalisa a transferência do grupo amino do aspartato a 2-oxo gllutarato, formando oxalacetato e glutamato. A concentração catalítica se determina, empregando a reação acoplada de malato desidrogenase (MDH), a partir da velocidade de desaparecimento do NADH, medido espectrofotometricamente Soro. Estável 3 dias entre 2 8 O C. NÃO CONGELAR. Reagente de Trabalho: 4 partes de Reativo A + 1 parte de Reativo B. Estável 2 semanas entre 2-8 o C. Proteger Reagente de Trabalho da luz - Linearidade: 350 U/L - Interferências: o piruvato elevado consome NADH em período de pré-incubação. TGO Kinetic FILTER: 340 U/L R. BLANK: No CAL None NR.: - CONC.: - REPLIC.: - FACTOR: DELAY: 20 0 INC. TIME: 60 S. VOLUME: 45 R. VOLUME: 450 REF. LOW: 10 REF. HIGH: H. ABS.: 2.300

24 ALT / TGP Contínuo - espectrofotométrico IFCC A Alanina Aminotransferase (ALT ou TGP) catalisa as transferências do grupo amino da alanina a 2-oxoglutarato, formando piruvato e glutamato. A concentração catalítica se determina, empregando a reação acoplada de lactato desidrogenase (LDH), a partir da velocidade de desaparecimento do NADH, medido espectrofotometricamente. Soro. Estável 3 dias entre 2 8 O C. NÃO CONGELAR. Reagente de Trabalho: 4 partes de Reativo A + 1 parte de Reativo B. Estável 2 semanas entre 2-8 o C. Proteger Reagente de trabalho da luz. - Linearidade: 500 U/L - Interferências: o piruvato elevado consome NADH em período de pré incubação TGP Kinetic FILTER: 340 U/L R. BLANK: No CAL None NR.: - CONC.: - REPLIC.: - FACTOR: DELAY: 20 0 INC. TIME: 60 S. VOLUME: 45 R. VOLUME: 450 REF. LOW: 10 REF. HIGH: H. ABS.: 2.300

25 TRIGLICÉRIDES Enzimático Espectrofotométrico GLICEROL FOSFATO OXIDASE / PEROXIDASE Os Triglicérides presentes na amostra tem origem, segundos as reações, um complexo colorido que pode ser medido espectrofotometricamente. Soro ou plasma. Estável por 3 dias a 2-8 o C Reagente pronto para uso - Linearidade: até 1000 mg/dl. - Interferências: Hemoglobina (3 g/l), ácido ascórbico (0.3 mmol/l) e bilirrubina (0,25 mmol/l) não interferem. Lipemia não afeta os resultados TRIGLI FILTER: 505 mg/dl H. ABS.: CAL # DELAY: 4 INC. TIME: 600 S. VOLUME: 5 R. REF. LOW: 30 REF. HIGH: 170 H. ABS.: 1000 / fator(º)

26 URÉIA EnzImático Espectrofotométrico ULTRAVIOLETA A Uréia presente na amostra consome NADH que se quantifica espectrofotometricamente. Soro, plasma ou urina Estável por 7 dias a 2-8 o C. Recomenda-se a heparina como anticoagulante. Urina: A urina de 24h deve ser colhida em frasco contendo 2,0 ml de HCl 50% (v/v). Centrifugar antes de processar. - Diluir a urina fresca 1/50 com água destilada. Multiplicar o resultado obtido por 50. Em caso de Reagente de Trabalho, verifique a bula do Kit. - Linearidade: até 250 mg/dl. - Interferências: não deve utilizar-se sais de amônia como anticoagulantes, já que interferem na reação UREIA UV Two Point FILTER: 340 U/L R. BLANK: No CAL # H. ABS.: DELAY: 15 MEAS: 60 INC. TIME: 15 S. VOLUME: 5 R. REF. LOW: 15 REF. HIGH: 40 H. ABS.: 250 / fator (º)

Programações de Automação Biotécnica Clinline 150

Programações de Automação Biotécnica Clinline 150 Indice ÁCIDO ÚRICO - MONO 3 ALBUMINA 4 α-amilase 5 ALT / TGP 6 AST / TGO 7 BILIRRUBINA DIRETA 8 BILIRRUNINA TOTAL 9 CÁLCIO ASX 10 CÁLCIO 11 CK NAC 12 CK MB 13 CLORO 14 COLESTEROL 15 CREATININA 16 DESIDROGENASE

Leia mais

REVISÃO: 06 (04/2012) A SLOTEST TURBIDIMÉTRICO CKMB T P CRTEST TURBIDIMÉTRICO

REVISÃO: 06 (04/2012) A SLOTEST TURBIDIMÉTRICO CKMB T P CRTEST TURBIDIMÉTRICO Manual de Automação VITALAB ECLIPSE PLUS REVISÃO: 06 (04/2012) A SLOTEST TURBIDIMÉTRICO CKMB MICROALBUMINÚRIA T URBIDIMÉTRICO P CRTEST TURBIDIMÉTRICO ÍNDICE REVISÃO: 06 (04/2012) KIT PÁGINA ALBUMINA...01

Leia mais

PROTOCOLO DE APLICAÇÃO TARGA 3000

PROTOCOLO DE APLICAÇÃO TARGA 3000 ÁCIDO ÚRICO ENZIMÁTICO CÓDIGO VOLUME (ml) Nº. TESTES 100/100-100 100 333 100/100-200 200 666 AUR Pt. Final Único Filtros (A/B) 510 mg/dl Trinder Number of Needle Washes 1 Incub. Reagentes (Sec) 300 Tempo

Leia mais

Preparo para Exames Laboratoriais

Preparo para Exames Laboratoriais Preparo para Exames Laboratoriais Seção: Bioquímica 1) Dosagem de Colesterol 1.1) Dosagem de colesterol (sangue) :Dosagem de Colesterol Total 2.1) Permanecer em jejum, à exceção de água, durante 12 a 14

Leia mais

Programa Nacional de Controle de Qualidade Ltda. PNCQ Patrocinado pela SOCIEDADE BRASILEIRA DE ANÁLISES CLÍNICAS - SBAC

Programa Nacional de Controle de Qualidade Ltda. PNCQ Patrocinado pela SOCIEDADE BRASILEIRA DE ANÁLISES CLÍNICAS - SBAC Àcido Lático Ácido Úrico Albumina Alfa 1 Glicoproteína Lactato Oxidase mg/dl 20,2 3,7 TODOS OS PARTICIPANTES mg/dl 18,6 5,2 mg/dl 18,7 5,2 DE mg/dl 13,4 9,1 Fosfotungstato mg/dl 3,2 0,6 Uricase colorimétrico

Leia mais

Protocolos de Aplicação

Protocolos de Aplicação Protocolos de Aplicação IN VITRO Diagnóstica MEGA Rua Cromita 278 - Distrito Industrial - Itabira - MG Telefax: 31 3834-6400 e.mail: dsa@invitro.com.br ÁCIDO ÚRICO ENZIMÁTICO Cat: 10687 Volume: 100 ml

Leia mais

ÁCIDO ÚRICO Liquiform Página 1 Determinações Catálogo Monoreagente Bi-reagente 73-4/30 480 400 73-2/100 800 666 Revisão: 31/01/07

ÁCIDO ÚRICO Liquiform Página 1 Determinações Catálogo Monoreagente Bi-reagente 73-4/30 480 400 73-2/100 800 666 Revisão: 31/01/07 ÁCIDO ÚRICO Liquiform Página 1 Determinações Catálogo Monoreagente Bi-reagente 73-4/30 480 400 73-2/100 800 666 Revisão: 31/01/07 O número de determinações (brancos, calibradores e amostras) corresponde

Leia mais

APLICAÇÕES GOLD ANALISA PARA O ECLIPSE PLUS

APLICAÇÕES GOLD ANALISA PARA O ECLIPSE PLUS ALBUMINA PP - Cat. 419 500 Determinações - Volume: 250 ml Antes da execução da metodologia, é importante uma leitura atenciosa das Instruções de Uso do produto. ALBUMINA ENDPOINT Filter 620 Temp 25 g/dl

Leia mais

MEGA ÍNDICE. Manual de Automação - Mega LANÇAMENTOS! CÁLCIO ARSENAZO MICROPROTE pirogalol KIT PÁGINA

MEGA ÍNDICE. Manual de Automação - Mega LANÇAMENTOS! CÁLCIO ARSENAZO MICROPROTE pirogalol KIT PÁGINA Manual de Automação MEGA LANÇAMENTOS! CÁLCIO ARSENAZO MICROPROTE pirogalol * ÍNDICE KIT PÁGINA ALBUMINA...01-02 ALT/TGP CINÉTICA...03-04 AMILASE CNPG...05-06 AST/TGO CINÉTICA...07-08 CÁLCIO ARSENAZO (LANÇAMENTO)...09-10

Leia mais

Programa Nacional de Controle de Qualidade Ltda. PNCQ Patrocinado pela SOCIEDADE BRASILEIRA DE ANÁLISES CLÍNICAS - SBAC

Programa Nacional de Controle de Qualidade Ltda. PNCQ Patrocinado pela SOCIEDADE BRASILEIRA DE ANÁLISES CLÍNICAS - SBAC Íon Seletivo mg/dl 6,9 2,0 Lactato Oxidase mg/dl 7,3 1,0 Roche mg/dl 7,6 0,4 Siemens Advia mg/dl 6,6 0,5 Ácido Lático Siemens Dimension mg/dl 6,1 1,0 U.V. mg/dl 7,4 1,4 TODOS OS PARTICIPANTES mg/dl 7,2

Leia mais

Programa Nacional de Controle de Qualidade Ltda. PNCQ Patrocinado pela SOCIEDADE BRASILEIRA DE ANÁLISES CLÍNICAS - SBAC

Programa Nacional de Controle de Qualidade Ltda. PNCQ Patrocinado pela SOCIEDADE BRASILEIRA DE ANÁLISES CLÍNICAS - SBAC Íon Seletivo mg/dl 7,1 0,4 Lactato Oxidase mg/dl 7,1 0,8 Bioclin U.V. mg/dl 7,4 0,8 Johnson & Johnson mg/dl 6,3 1,5 Roche mg/dl 7,1 0,5 Ácido Lático Siemens Advia mg/dl 6,2 0,7 Siemens Dimension mg/dl

Leia mais

ÁCIDO ÚRICO Liquiform Ref. 73

ÁCIDO ÚRICO Liquiform Ref. 73 ÁCIDO ÚRICO Liquiform Ref. 73 Princípio O ácido úrico é oxidado pela uricase à alantoína e peróxido de hidrogênio. O peróxido de hidrogênio na presença da peroxidase reage com o DHBS e a 4-aminoantipirina,

Leia mais

APLICAÇÕES GOLD ANALISA PARA O QUICK LAB

APLICAÇÕES GOLD ANALISA PARA O QUICK LAB ÁCIDO ÚRICO - PP - Cat. 451 200 Determinações - Volume: 200 ml Técnica de Análise: Seguir as Instruções de Uso do produto. Calibração Para a calibração, usar o (1) do kit ou o Calibrador Gold Analisa Cat.

Leia mais

QUICK LAB / Drake ÁCIDO ÚRICO MONOREAGENTE. NOME ÁCIDO ÚRICO Preparo do Reagente de Cor: MODO PONTO FINAL O Reagente está pronto para uso.

QUICK LAB / Drake ÁCIDO ÚRICO MONOREAGENTE. NOME ÁCIDO ÚRICO Preparo do Reagente de Cor: MODO PONTO FINAL O Reagente está pronto para uso. ÁCIDO ÚRICO MONOREAGENTE NOME ÁCIDO ÚRICO Preparo do Reagente de Cor: MODO PONTO FINAL O Reagente está pronto para uso. LEITURA MONOCROMÁTICA FILTRO 546 nm Estabilidade do Reagente de Uso: TEMPERATURA

Leia mais

FISIOLOGIA ANIMAL II

FISIOLOGIA ANIMAL II DEPARTAMENTO DE ZOOLOGIA FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DE COIMBRA FISIOLOGIA ANIMAL II AULAS e 3 DETERMINAÇÃO DA CONCENTRAÇÃO DE GLICOSE E LÍPIDOS NO SANGUE POR COLORIMETRIA CAETANA CARVALHO,

Leia mais

KATAL. BTS 302 a 310 BioSystems ACIDO URICO. SAC INTERTECK KATAL : (_11) LOCALIDAD...* PUNTO FINAL COM ESTANDAR

KATAL. BTS 302 a 310 BioSystems ACIDO URICO. SAC INTERTECK KATAL : (_11) LOCALIDAD...* PUNTO FINAL COM ESTANDAR ACIDO URICO : mg/dl MODO LECTURA : MONOCROMÁTICA : 546nm TIEMPO ESTABIL. : 1 VOL.ASP. :800 TIPO DE REACCION : CRESCIENTE ESTANDAR : * Reagente de trabalho: Pronto para uso. Estabilidade: 18 meses, se armazenado

Leia mais

Determinação quantitativa in vitro da atividade catalítica da CKMB em soro e plasma humano.

Determinação quantitativa in vitro da atividade catalítica da CKMB em soro e plasma humano. POP n.º: B07 Página 1 de 5 1. Sinonímia: CKMB, MB. Mnemônico: MB 2. Aplicabilidade: Bioquímicos do setor de bioquímica do LAC-HNSC. 3. Aplicação clínica: Determinação quantitativa in vitro da atividade

Leia mais

ÁCIDO ÚRICO. REAGENTES Primary Inject (A): Reagente de Cor O reagente está pronto para uso. Aconselhamos a leitura das Instruções de Uso.

ÁCIDO ÚRICO. REAGENTES Primary Inject (A): Reagente de Cor O reagente está pronto para uso. Aconselhamos a leitura das Instruções de Uso. ÁCIDO ÚRICO Primary Inject (A): Reagente de Cor O reagente está pronto para uso. Aconselhamos a leitura das Instruções de Uso. # Usar os calibrador protéico da Katal. Verificar os parâmetros da aplicação

Leia mais

LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS. Dúvidas Técnicas: Telefone: PABX (011) 3053-6611 Ramal: 2028

LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS. Dúvidas Técnicas: Telefone: PABX (011) 3053-6611 Ramal: 2028 Telefone PABX (011) 3053-6611 e-mail hcor@hcor.com.br Dúvidas Técnicas Telefone PABX (011) 3053-6611 Ramal 2028 EQUIPE CLINIC CHECK UP Num. Pedido 050802886 10/08/2005 060000 Emissão 11/08/2005 135055

Leia mais

Material: Sangue c/edta Método..: Citometria/Automatizado e estudo morfológico em esfregaço corado

Material: Sangue c/edta Método..: Citometria/Automatizado e estudo morfológico em esfregaço corado HEMOGRAMA COMPLETO Material: Sangue c/edta Método..: Citometria/Automatizado e estudo morfológico em esfregaço corado ERITROGRAMA V.R: Homens Mulheres Hemacias em milhoes/mm3...: 5,08 4,5 a 5,9 4,0 a 5,4

Leia mais

CONTROLE DE COPIA: PT-LB-BQ-010 BILIRRUBINA TOTAL 22/10/2015

CONTROLE DE COPIA: PT-LB-BQ-010 BILIRRUBINA TOTAL 22/10/2015 1/6 1. INTRODUÇÃO A bilirrubina é o produto da quebra da hemoglobina. Depois de formada pelo sistema reticuloendotelial, ela circula no sangue sob a forma não-conjugada ligada à albumina (bilirrubina indireta).

Leia mais

Curso: FARMÁCIA Disciplina: Bioquímica Clínica Título da Aula: Doseamento de Uréia, Creatinina, AST e ALT. Professor: Dr.

Curso: FARMÁCIA Disciplina: Bioquímica Clínica Título da Aula: Doseamento de Uréia, Creatinina, AST e ALT. Professor: Dr. Curso: FARMÁCIA Disciplina: Bioquímica Clínica Título da Aula: Doseamento de Uréia, Creatinina, AST e ALT. Professor: Dr. Fernando Ananias NOME: RGM: ATIVIDADE PRÁTICA 2 1) DETERMINAÇÃO DE URÉIA E CREATININA

Leia mais

APLICAÇÕES GOLD ANALISA PARA O BIO 2000

APLICAÇÕES GOLD ANALISA PARA O BIO 2000 ÁCIDO ÚRICO - Cat. 430M ÁCIDO ÚRICO - Cat. 430 100 Determinações - Volume: 100 ml 200 Determinações - Volume: 200 ml 3-Para a Calibração, usar o Padrão do kit ou Calibrador Gold Analisa Cat. 410. 4-É importante

Leia mais

BIO PLUS / BIO 2000 PROTOCOLOS DE APLICAÇÃO

BIO PLUS / BIO 2000 PROTOCOLOS DE APLICAÇÃO α-amilase 027 120 ml 120 MODO: CIN IMPRESSÃO: EXTENSA WL1: 405 INTERVALO CINÉTICO: 60 WL2: - Nº INTERVALOS: 2 BLANK: NÃO DA/min: 0.220 BLANK- AMOSTRA / PAD: NAO % LIM. LIN: 20 CUB. FLUXO: SIM DIR: INCR

Leia mais

Isaac de Melo Xavier Junior Fernando Jose Goncalves Cardoso

Isaac de Melo Xavier Junior Fernando Jose Goncalves Cardoso 535C5710 «$E9T"J0 03.362451.01.41:15 Setor Técnico Urinalise Emissão 03/10/2008 SUMARIO DE URINA Coleta: 03/10/2008 ASPECTOS FÍSICO-QUÍMICOS Valores de referência Cor Amarelo claro Amarelo claro - amarelo

Leia mais

PERFIL BIOQUÍMICO DO SANGUE

PERFIL BIOQUÍMICO DO SANGUE Perfil bioquímico: PERFIL BIOQUÍMICO DO SANGUE Professora: Ms. Renata Aparecida Fontes Medicina Veterinária Período: 3 Metabolismo energético: Glicose, colesterol e ácidos graxos livres Ruminantes: β-hidroxibutirato

Leia mais

SORO CONTROLE CONTROLE INTERNO. NF 3P Novembro / 2006 Volume ANVISA/REBLAS ANALI-036

SORO CONTROLE CONTROLE INTERNO. NF 3P Novembro / 2006 Volume ANVISA/REBLAS ANALI-036 CONTROLE INTERNO SORO CONTROLE Lote Validade NF 3P Novembro / 2006 Volume 3.0 ml ANVISA/REBLAS ANALI-036 CNPJ 29.511.607/0001-18 Rua Ana Neri, 416 Benfica Rio de Janeiro/RJ CEP 20911-442 Tel (21) 3891-9900

Leia mais

ÁCIDO ÚRICO 1 ml de soro refrigerado Jejum de 4 horas Refrigerada(2-8 ºC): 3 dias;

ÁCIDO ÚRICO 1 ml de soro refrigerado Jejum de 4 horas Refrigerada(2-8 ºC): 3 dias; EXAME BIOQUÍMICOS MATERIAL CONDIÇÕES DE COLETA ESTABILIDADE DA AMOSTR ÁCIDO ÚRICO 1 ml de soro refrigerado Jejum de 4 horas Refrigerada(2-8 ºC): 3 dias; Congelada(-20 ºC): 6 meses. ALBUMINA 1 ml de soro

Leia mais

São investimentos como estes que consolidam cada vez mais a marca Bioclin.

São investimentos como estes que consolidam cada vez mais a marca Bioclin. LINHA DE PRODUTOS A Quibasa/Bioclin tem empregado todos os seus esforços no desenvolvimento contínuo e no aprimoramento tecnológico para fornecer as melhores soluções em diagnóstico in vitro, visando contribuir

Leia mais

Material: Sangue c/edta Método..: Citometria/Automatizado e estudo morfológico em esfregaço corado

Material: Sangue c/edta Método..: Citometria/Automatizado e estudo morfológico em esfregaço corado HEMOGRAMA COMPLETO Material: Sangue c/edta Método..: Citometria/Automatizado e estudo morfológico em esfregaço corado ERITROGRAMA V.R: Homens Mulheres Hemacias em milhoes/mm3...: 5,38 4,5 a 5,9 4,0 a 5,4

Leia mais

Programações de Automação Biotécnica COBAS MIRA S

Programações de Automação Biotécnica COBAS MIRA S Página 1 Página 2 Indice ÁCIDO ÚRICO 03 ALBUMINA 04 -AMILASE 05 ALT/TGP 06 AST/TGO 07 BILIRRUBINA DIRETA (MONO) 08 BILIRRUBINA DIRETA (BI) 09 BILIRRUBINA TOTAL (MONO) 10 BILIRRUBINA TOTAL (BI) 11 CÁLCIO

Leia mais

REVISÃO: 14 (11/2013) CKMB HDLD LDL D C C EMOGLOBINA ICROALBUMINÚRIA. HbA1c URBIDIMÉTRICO P P

REVISÃO: 14 (11/2013) CKMB HDLD LDL D C C EMOGLOBINA ICROALBUMINÚRIA. HbA1c URBIDIMÉTRICO P P Manual de Automação A15 REVISÃO: 14 (11/2013) M A F R C SLOTEST C P P H T OLESTEROL OLESTEROL T U URBIDIMÉTRICO T HDLD LDL D T IRETO IRETO ERRITINA TURBIDIMÉTRICA EMOGLOBINA ICROALBUMINÚRIA CRTEST CRTEST

Leia mais

Importância da codificação de métodos, equipamentos, reagentes e calibradores

Importância da codificação de métodos, equipamentos, reagentes e calibradores Guia de utilização do Livro de Codificação de Química Clínica O livro de codificação serve para consulta e deverá ser guardado no laboratório para utilização sempre que tiver de preencher o seu formulário

Leia mais

Coombs Indireto Soro Jejum desnecessário Fibrinogênio Plasma Jejum desnecessário Grupo Sangüíneo Sangue total com EDTA e K3 Jejum desnecessário

Coombs Indireto Soro Jejum desnecessário Fibrinogênio Plasma Jejum desnecessário Grupo Sangüíneo Sangue total com EDTA e K3 Jejum desnecessário HEMATOLOGIA: Células LE Sangue sem anticoagulante Jejum desnecessário Coombs Direto Sangue total com EDTA Jejum desnecessário Coombs Indireto Soro Jejum desnecessário Fibrinogênio Plasma Jejum desnecessário

Leia mais

DETERMINAÇÃO DA CONCENTRAÇÃO PLASMÁTICA DE TRIGLICÉRIDOS E COLESTEROL

DETERMINAÇÃO DA CONCENTRAÇÃO PLASMÁTICA DE TRIGLICÉRIDOS E COLESTEROL DETERMINAÇÃO DA CONCENTRAÇÃO PLASMÁTICA DE TRIGLICÉRIDOS E COLESTEROL Determinação da concentração plasmática de triglicéridos por um método enzimático O conteúdo em triglicéridos pode ser determinado

Leia mais

BIOQUÍMICA E A G E N. R E A G E N T E S Linha completa de reagentes e equipamentos para todas as rotinas laboratoriais E Q U I P A M E IMUNOLOGIA

BIOQUÍMICA E A G E N. R E A G E N T E S Linha completa de reagentes e equipamentos para todas as rotinas laboratoriais E Q U I P A M E IMUNOLOGIA T BIOQUÍMICA R BIOLOGIA MOLECULAR E A AUTOIMUNIDADE IMUNOLOGIA G E N E IMUNO-HEMATOLOGIA URINÁLISE R E A G E N T E S Linha completa de reagentes e equipamentos para todas as rotinas laboratoriais S COAGULAÇÃO

Leia mais

Labtest. Reagentes Labtest TRADIÇÃO, INOVAÇÃO E EXCELÊNCIA EM DIAGNÓSTICOS LABORATORIAIS.

Labtest. Reagentes Labtest TRADIÇÃO, INOVAÇÃO E EXCELÊNCIA EM DIAGNÓSTICOS LABORATORIAIS. LINHA DE REAGENTES Labtest Uma empresa moderna, certificada e reconhecida nacional e internacionalmente. A Labtest Diagnóstica é referência no mercado de diagnósticos in vitro. Instalada em um parque industrial

Leia mais

Elaborado por: Karina Salvador Revisado por: Hilda Helena Wolff Aprovado por: Andréa Cauduro

Elaborado por: Karina Salvador Revisado por: Hilda Helena Wolff Aprovado por: Andréa Cauduro ANTI- 1 Manual CAMBRIDGE BIOTECH -1 POP: BM 05 Página 1 de 7 1. Sinonímia ANTI, TESTE CONFIRMATÓRIO. 2. Aplicabilidade Aos bioquímicos e técnicos do setor de imunologia. 3. Aplicação clínica Os testes

Leia mais

Órgão/Entidade : SECRETARIA DA SAUDE Unidade Licitação : FUNDO ESTADUAL DE SAUDE - HOSPITAL GERAL DO ESTADO. Preço Total: Preço Total: Preço Total:

Órgão/Entidade : SECRETARIA DA SAUDE Unidade Licitação : FUNDO ESTADUAL DE SAUDE - HOSPITAL GERAL DO ESTADO. Preço Total: Preço Total: Preço Total: Licitação : PP154/2014 Data e Hora da Entrega das Propostas: 03/10/2014-09:00 Grupo :027-Materiais e Equip. de Uso Hospitalar, Odontológico, Veterinário e de Laboratório Órgão/Entidade : SECRETARIA DA

Leia mais

ALBUMINA BOVINA 22% PROTHEMO. Produtos Hemoterápicos Ltda. PARA TESTES EM LÂMINA OU TUBO SOMENTE PARA USO DIAGNÓSTICO IN VITRO

ALBUMINA BOVINA 22% PROTHEMO. Produtos Hemoterápicos Ltda. PARA TESTES EM LÂMINA OU TUBO SOMENTE PARA USO DIAGNÓSTICO IN VITRO ALBUMINA BOVINA 22% PROTHEMO Produtos Hemoterápicos Ltda. PARA TESTES EM LÂMINA OU TUBO SOMENTE PARA USO DIAGNÓSTICO IN VITRO Conservar entre: 2º e 8ºC Não congelar Conservante: Azida de Sódio 0,1 % Responsável

Leia mais

CONTROLE DE COPIA: PT-LB-BQ-023 CREATININA 22/10/2015

CONTROLE DE COPIA: PT-LB-BQ-023 CREATININA 22/10/2015 1/6 1. INTRODUÇÃO A creatinina e a ureia são provas de função renal que avaliam o funcionamento dos rins. Rins e Coração funcionam de forma paralela, uma vez que o coração gera a propulsão sanguínea até

Leia mais

REGULAÇÃO HIDROELETROLÍTICA FUNÇÃO RENAL

REGULAÇÃO HIDROELETROLÍTICA FUNÇÃO RENAL REGULAÇÃO HIDROELETROLÍTICA FUNÇÃO RENAL Bioquímica Profa. Dra. Celene Fernandes Bernardes Referências Bioquímica Clínica M A T Garcia e S Kanaan Bioquímica Mèdica J W Baynes e M H Dominiczack Fundamentos

Leia mais

T3 - TRIIODOTIRONINA Coleta: 18/11/2005 06:28. T3 LIVRE Coleta: 18/11/2005 06:28. T4 - TETRAIODOTIRONINA Coleta: 18/11/2005 06:28

T3 - TRIIODOTIRONINA Coleta: 18/11/2005 06:28. T3 LIVRE Coleta: 18/11/2005 06:28. T4 - TETRAIODOTIRONINA Coleta: 18/11/2005 06:28 AUTENTICIDADE: 755339 Set.Tecnico Imunoensaio T3 - TRIIODOTIRONINA Coleta: 18/11/2005 06:28 Resultado 108.6 ng/dl Referencial: Criancas ate 5 anos 105.0 a 269.0 ng/dl 5 a 10 anos 94.0 a 241.0 ng/dl Maiores

Leia mais

GLICÉMIA E GLICOSÚRIA

GLICÉMIA E GLICOSÚRIA GLICÉMIA E GLICOSÚRIA A glucose é o principal açúcar existente no sangue, que serve como "fonte de energia" aos tecidos. A glicémia é a taxa de glucose existente no sangue, e o seu nível é em geral mantido

Leia mais

Data de liberação: 20/01/ :31

Data de liberação: 20/01/ :31 SOROLOGIA PARA CITOMEGALOVIRUS Anticorpos de Classe IgG: Superior a 250.0 UA/mL Anticorpos de Classe IgM: Não Reagente Método: Imunoensaio por Quimioluminescência Valores de Referência IgG: Não reagente:

Leia mais

EXAMES BIOQUÍMICOS. Profa Dra Sandra Zeitoun Aula 3

EXAMES BIOQUÍMICOS. Profa Dra Sandra Zeitoun Aula 3 EXAMES BIOQUÍMICOS Profa Dra Sandra Zeitoun Aula 3 Íons/Eletrólitos do plasma No plasma existem diversos eletrólitos positivos: Na+, K+, Ca², Mg² E eletrólitos negativos: Cl-, HCO3-, fosfatos e proteínas.

Leia mais

Declaração de Conflitos de Interesse. Nada a declarar.

Declaração de Conflitos de Interesse. Nada a declarar. Declaração de Conflitos de Interesse Nada a declarar. URINÁLISE CONSENSOS E CONTROVÉRSIAS Exame Físico - Químico Kaline Maria Nogueira de Lucena Fonseca Centro de Patologia Clínica Natal - RN Exame de

Leia mais

ENZIMAS. Enzimas são proteínas especializadas que funcionam na aceleração de reações químicas. Função: catalisadores biológicos.

ENZIMAS. Enzimas são proteínas especializadas que funcionam na aceleração de reações químicas. Função: catalisadores biológicos. ENZIMAS Enzimas são proteínas especializadas que funcionam na aceleração de reações químicas. Função: catalisadores biológicos. exceção: grupo de RNA catalítico (ribozimas) Importância da catálise: Sem

Leia mais

Nome que consta no Site Nome Correto (conforme Linha de Produtos) Nomes dos arquivos para acrescentar. Anti - HBc --- Anti - HBs ---

Nome que consta no Site Nome Correto (conforme Linha de Produtos) Nomes dos arquivos para acrescentar. Anti - HBc --- Anti - HBs --- Ácido Úrico Uric Acid AFP AFP Albumina 001 Albumina AlfaAmilase a-amilase Amilase 002 Amilase Anti - HBc --- Anti - HBs --- Anti - HCV Anti-HCV Anti-HCV Double Spot Test --- Anti-n-DNA quick teste SLE

Leia mais

HEMOGRAMA TATIANA MATIAS MAFRA EDUARDO MIGUEL SCHMIDT

HEMOGRAMA TATIANA MATIAS MAFRA EDUARDO MIGUEL SCHMIDT HEMOGRAMA ERITROGRAMA Hemácias milhões/mm3...: 4,48 3,90 a 5,40 Hemoglobina g/dl...: 12,70 11,00 a 16,10 Hematócrito %...: 38,00 35,00 a 47,00 Vol. Glob. Média em fl...: 84,82 80,00 a 98,00 Hem. Glob.

Leia mais

M E T B O L I S M O CATABOLISMO ANABOLISMO

M E T B O L I S M O CATABOLISMO ANABOLISMO METABOLISMO É o conjunto das reações químicas que ocorrem num organismo vivo com o fim de promover a satisfação de necessidades estruturais e energéticas. ...metabolismo Do ponto de vista físico-químico,

Leia mais

Preparação e estabilidade do reagente de trabalho: utilizar as instruções de uso.

Preparação e estabilidade do reagente de trabalho: utilizar as instruções de uso. Úrico Ácido Úrico Padrão 4 20 Reduzir 10 Pto final Onda primária 505 Reag. Nulo 16 20 Tempo reação 38 42 Decimal 0.1 mg/dl Int linear 0 20 Serum inferior/superior 3,6---8,2 Water + topkal ALB Albumina

Leia mais

Aos bioquímicos, técnicos de laboratório e estagiários do setor de imunologia e hematologia.

Aos bioquímicos, técnicos de laboratório e estagiários do setor de imunologia e hematologia. POP n.º: I70 Página 1 de 5 1. Sinonímia Teste rápido Anti-, VIKIA Biomeriéux. 2. Aplicabilidade Aos bioquímicos, técnicos de laboratório e estagiários do setor de imunologia e hematologia. 3. Aplicação

Leia mais

O Laboratório Clínico do D.A.V. do Jockey Club de São Paulo conta com amplo e bem estruturado espaço, além de equipamentos modernos que conferem

O Laboratório Clínico do D.A.V. do Jockey Club de São Paulo conta com amplo e bem estruturado espaço, além de equipamentos modernos que conferem O Laboratório Clínico do D.A.V. do Jockey Club de São Paulo conta com amplo e bem estruturado espaço, além de equipamentos modernos que conferem fidedignidade aos resultados. Seu principal objetivo é assegurar

Leia mais

INTRODUÇÃO AO CONTROLE DE LABORATÓRIO CLÍNICO

INTRODUÇÃO AO CONTROLE DE LABORATÓRIO CLÍNICO INTRODUÇÃO AO CONTROLE DE LABORATÓRIO CLÍNICO Laboratório Clínico Professor Archangelo P. Fernandes www.profbio.com.br Padronização no Laboratório Clínico Etapa pré analítica Etapa analítica Etapa pós-analítica

Leia mais

Valores para o cálculo dos Intervalos. < 1mg/dL: faixa 1 mg/dl: ± 20% Potássio ± 10% T4 Total ± 20%

Valores para o cálculo dos Intervalos. < 1mg/dL: faixa 1 mg/dl: ± 20% Potássio ± 10% T4 Total ± 20% BIOQUÍMICA I Lote Validade Apresentação QGH-3N Março/2012 5 x 3,0 ml TGH-3P Outubro/2012 5 x 3,0 ml ANVISA/REBLAS ANALI-036 CNPJ 29.511.607/0001-18 Rua Ana Neri, 416 Benfica Rio de Janeiro/RJ CEP 20911-442

Leia mais

Publicações Resumidas CFE. L. º M. ART. 98, 3º em 05/08/2008 Publicado em: 06/agosto/2008

Publicações Resumidas CFE. L. º M. ART. 98, 3º em 05/08/2008 Publicado em: 06/agosto/2008 Publicações Resumidas CFE. L. º M. ART. 98, 3º em 05/08/2008 Publicado em: 06/agosto/2008 Contrato nº 114/08 Prorrogação ao contrato 255/08 para construção civil do Ginásio de Esportes da Escola Municipal

Leia mais

Anexo Técnico de Acreditação Nº E0009-1 Accreditation Annex nr.

Anexo Técnico de Acreditação Nº E0009-1 Accreditation Annex nr. Tel +351.212 948 21 Fax +351.212 948 22 Anexo Técnico de Acreditação Nº E9-1 A entidade a seguir indicada está acreditada como Laboratório Clínico, segundo a norma NP EN ISO 15189:27 Endereço Address Contacto

Leia mais

ANTI-A ANTI-B ANTI-AB

ANTI-A ANTI-B ANTI-AB ANTI-A ANTI-B ANTI-AB Monoclonal Murino IgM PROTHEMO Produtos Hemoterápicos Ltda. Reagentes para classificação do sistema sangüíneo ABO PARA TESTES EM LÂMINA OU TUBO Somente para Uso Diagnóstico IN VITRO

Leia mais

GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO HOSPITAL NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO C.R. LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS SETOR DE BIOQUÍMICA

GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO HOSPITAL NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO C.R. LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS SETOR DE BIOQUÍMICA POP n.º: B111 Página 1 de 8 1. Sinonímina: Eletroforese de Hemoglobina em ph ácido. 2. Aplicabilidade: Bioquímicos do setor de Bioquímica do LAC-HNSC. 3. Aplicação Clínica: A eletroforese de hemoglobina

Leia mais

GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO HOSPITAL NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO C.R. LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS SETOR DE BIOQUÍMICA

GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO HOSPITAL NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO C.R. LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS SETOR DE BIOQUÍMICA POP n.º: B35 Página 1 de 6 1. Sinonímia: FOLATO Mnemônico: FOL 2. Aplicabilidade: Bioquímicos do setor de bioquímica do LAC-HNSC. 3. Aplicação clínica: Determinação quantitativa in vitro do Ácido Fólico

Leia mais

Enzimologia clínica - Introdução

Enzimologia clínica - Introdução Enzimologia clínica Introdução AS ENZIMAS DO PLASMA Função fisiológica: renina factores de coagulação Libertadas das células resultante: do turnover normal da célula (intervalo de referência) da lesão

Leia mais

BIOQUÍMICA EXPERIMENTAL

BIOQUÍMICA EXPERIMENTAL Departamento de Bioquímica Instituto de Química USP Apostila de protocolos BIOQUÍMICA EXPERIMENTAL QBQ 06N 0 Professores Carlos T. Hotta Ronaldo B. Quaggio Eduardo M. Reis Esta apostila foi desenvolvida

Leia mais

GUIA TÉCNICO - BIOQUÍMICA

GUIA TÉCNICO - BIOQUÍMICA GUIA TÉCNICO - BIOQUÍMICA A Labtest, sempre pensando em educação continuada e em melhor atender às demandas dos clientes, idealizou o Guia Técnico para suas linhas de produto. A maioria das informações

Leia mais

Valores de Referencia (Adultos - Homens) HEMACIAS: 4.85 milhoes/mm3. Relativo (%) /mm3 VR (%) VR (mm3) LEUCOCITOS: 4.400

Valores de Referencia (Adultos - Homens) HEMACIAS: 4.85 milhoes/mm3. Relativo (%) /mm3 VR (%) VR (mm3) LEUCOCITOS: 4.400 Resultados Página: 1/13 HEMOGRAMA ERITROGRAMA Valores de Referencia (Adultos - Homens) HEMACIAS: 4.85 milhoes/mm3 04.50 a 06.10 HEMOGLOBINA: 13.5 g/dl 13.00 a 16.50 HEMATOCRITO: 41.1 % 36.00 a 54.00 VCM:

Leia mais

SÓDIO: 140 meq/l [DATA DA COLETA : 19/11/13 07:00] Método...: Fotometria de chama Vlor. Ref.: 135 a 145 meq/l Material..: sangue

SÓDIO: 140 meq/l [DATA DA COLETA : 19/11/13 07:00] Método...: Fotometria de chama Vlor. Ref.: 135 a 145 meq/l Material..: sangue GLICEMIA DE JEJUM: 115 mg/dl Método...: Enzimático Vlor. Ref.: 65 a 99 mg/dl Material..: Plasma fluoretado RESULTADOS ANTERIORES: 06/09/13 = 110 mg/dl 02/08/13 = 97 mg/dl URÉIA: 32 mg/dl Método...: Enzimático

Leia mais

MANUAL DE COLETA PARA ANÁLISES CLÍNICAS

MANUAL DE COLETA PARA ANÁLISES CLÍNICAS MANUAL DE COLETA PARA ANÁLISES CLÍNICAS O material coletado e conservado adequadamente torna-se de grande valor, proporcionando informações importantes para o clínico chegar a um diagnóstico. Uma coleta

Leia mais

FOSFATO DISSÓDICO DE DEXAMETASONA

FOSFATO DISSÓDICO DE DEXAMETASONA FSFAT DISSÓDIC DE DEXAMETASNA Dexamethasoni natrii phosphas H H H P Na Na F H C 22 H 28 FNa 2 8 P 516,41 02821 Fosfato dissódico de 9-fluoro-11β,17 diidroxi-16α-metil-3, 20- dioxopregna- 1,4 dieno-21-il

Leia mais

GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO HOSPITAL NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS

GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO HOSPITAL NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS 1. Sinonímia VIDAS DUO 2. Aplicabilidade Aos bioquímicos do setor de imunologia. 3. Aplicação clínica POP n.º: I 56 Página 1 de 7 O vírus da imunodeficiência humana () é um retrovírus RNA, transmitido

Leia mais

CÁLCULO: amostra/padrão x 800 = mg/di NORMAL: 500 a 750 mg/di.

CÁLCULO: amostra/padrão x 800 = mg/di NORMAL: 500 a 750 mg/di. ANEXOS A-ÁCIDO ÚRICO ANEXOS PRINCÍPIO: O ácido úrico é oxidado enzimaticamente pela uricase A alantoina com produção de dióxido de carbono e Água oxigenada, a qual, em união com o reativo peroxidase/4-aminofenazona

Leia mais

1. NOME DO TESTE A hemoglobina glicada é também chamada de hemoglobina glicosilada, hemoglobina A1c ou simplesmente, HbA1c.

1. NOME DO TESTE A hemoglobina glicada é também chamada de hemoglobina glicosilada, hemoglobina A1c ou simplesmente, HbA1c. 1/5 1. NOME DO TESTE A hemoglobina glicada é também chamada de hemoglobina glicosilada, hemoglobina A1c ou simplesmente, HbA1c. 2. APLICAÇÃO CLÍNICA Hemoglobina Glicada, também abreviada como Hb A1c, é

Leia mais

Anti HBc Ref. 414. Controle Negativo

Anti HBc Ref. 414. Controle Negativo Anti HBc Ref. 414 Sistema para a determinação qualitativa de anticorpos totais contra o antígeno core do vírus da hepatite B (anti-hbc) em soro ou plasma. ELISA - Competição PREPARO DA SOLUÇÃO DE LAVAGEM

Leia mais

Tabela de Exames. Anatomia Patológica. Exame Amostra Valor Prazo Histopatológico. Citologia. Lâminas de punção aspirativa ou líquido refrigerado.

Tabela de Exames. Anatomia Patológica. Exame Amostra Valor Prazo Histopatológico. Citologia. Lâminas de punção aspirativa ou líquido refrigerado. Tabela de Exames - Novos valores válidos a partir de 01 de SETEMBRO de 2012 - Qualquer dúvida quanto ao acondicionamento e envio das amostras favor entrar em contato pelos nossos telefones (19) 3342-9312

Leia mais

CREATININA PROTEÍNAS TOTAIS E FRAÇÕES

CREATININA PROTEÍNAS TOTAIS E FRAÇÕES _ CREATININA Valor de Referncia CREATININA: 0,6 mg/dl 0,5 a 1,1 mg/dl erfg: 137 erfg Afrodescendente: 166 erfg Doença Renal Crônica: < 60 ml/min/1,73m2 erfg Insuficiência Renal : < 15 ml/min/1,73m2 Obs.:

Leia mais

Bioenergética. Profa. Kalyne de Menezes Bezerra Cavalcanti

Bioenergética. Profa. Kalyne de Menezes Bezerra Cavalcanti Bioenergética Profa. Kalyne de Menezes Bezerra Cavalcanti Natal/RN Fevereiro de 2011 Substratos para o exercício O corpo utiliza nutrientes carboidratos, gorduras e proteínas consumidos diariamente para

Leia mais

BIOQUÍMICA CONTROLE INTERNO. AHH-3N Mar/2014 5 x 3,0 ml. BHH-3P Jun/2014 5 x 3,0 ml. Apresentação Soro humano liofilizado.

BIOQUÍMICA CONTROLE INTERNO. AHH-3N Mar/2014 5 x 3,0 ml. BHH-3P Jun/2014 5 x 3,0 ml. Apresentação Soro humano liofilizado. CONTROLE INTERNO Lote Validade Apresentação AHH-3N Mar/2014 5 x 3,0 ml BHH-3P Jun/2014 5 x 3,0 ml CNPJ 29.511.607/0001-18 Rua Ana Neri, 416 Benfica Rio de Janeiro/RJ CEP 20911-442 Tel (21) 3891-9900 Fax

Leia mais

Enzimas. Profª Eleonora Slide de aula

Enzimas. Profª Eleonora Slide de aula Enzimas Profª Eleonora Slide de aula Enzimas São proteínas capazes de promover catálise de reações biológicas. Possuem alta especificidade e grande poder catalítico. Especificidade: o substrato sofre ação

Leia mais

UREIA CREATININA...: Nome...: CESAR AUGUSTO CAVALARI Prontuário.: Destino...: HZS - PS (PÓS CONSULTA)

UREIA CREATININA...: Nome...: CESAR AUGUSTO CAVALARI Prontuário.: Destino...: HZS - PS (PÓS CONSULTA) Destino...: HZS - PS (PÓS CONSULTA) Pág.: 1 /8 UREIA Material: Soro Coletado em: 11/01/2017 13:16 Método: Enzimático Automatizado URÉIA...: 15 mg/dl 10 a 52 mg/dl CREATININA CREATININA...: 0,73 mg/dl TGO

Leia mais

ANTI D IgM +IgG Monoclonal (Humano)

ANTI D IgM +IgG Monoclonal (Humano) ANTI D IgM +IgG Monoclonal (Humano) PROTHEMO Produtos Hemoterápicos Ltda. Reagente para classificação do fator Rh PARA TESTES EM LÂMINA OU TUBO Somente para Uso Diagnóstico IN VITRO Conservar entre: 2-8

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Unidade Universitária: CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE Curso: FARMÁCIA Disciplina: Bioquímica Clínica Professor(es): Fernanda Barrinha Fernandes (teórica) Daniela de Oliveira Toyama (prática Carga

Leia mais

Perfil Hepático FÍGADO. Indicações. Alguns termos importantes

Perfil Hepático FÍGADO. Indicações. Alguns termos importantes FÍGADO Perfil Hepático glândula do corpo quadrante superior direito do abdômen Funções do FígadoF Receber os nutrientes absorvidos no intestino transformar a estrutura química de medicamentos e outras

Leia mais

Não existem valores de referência estabelecidos para essa faixa etária

Não existem valores de referência estabelecidos para essa faixa etária 30/01/2017 0818 DN 25/10/1946 / 70a 3m Página 1 de 7 Protocolo 1701.001.083-6 Documento ACIDO URICO 7,5 mg/dl Enzimático. EXAME REVISTO E CONFIRMADO. 2,5 6,5 mg/dl

Leia mais

Interpretação de exames laboratoriais Lactato desidrogenase (LDH)

Interpretação de exames laboratoriais Lactato desidrogenase (LDH) Interpretação de exames laboratoriais Lactato desidrogenase (LDH) Nathália Krishna O que é? NAD+ está presente em quantidades somente catalíticas na célula e é um cofator essencial para a glicólise,dessa

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PATY DO ALFERES PREFEITURA MUNICIPAL DE PATY DO ALFERES

PREFEITURA MUNICIPAL DE PATY DO ALFERES PREFEITURA MUNICIPAL DE PATY DO ALFERES SULLAB COMÉRCIO DE PRODUTOS HOSPITALARES LTDA ME. Marca / Modelo Medida Qtde Preço Preço Total 4. 6515.001.0156.003 - AGULHA - Agulha siliconizada para coleta múltipla para sistema à vácuo, medindo 25X8,

Leia mais

Dimension. Andrea Nocelli. Copyright Siemens AG 2008. Todos os direitos reservados

Dimension. Andrea Nocelli. Copyright Siemens AG 2008. Todos os direitos reservados Sistema de Química Clínica Dimension Andrea Nocelli Dimension i História i e Herança Visão Geral das Características Sistema de Reagentes e Informações do Método Software e Informática Conclusão Herança

Leia mais

Determinação quantitativa in vitro do hormônio luteinizante em soro ou plasma humano.

Determinação quantitativa in vitro do hormônio luteinizante em soro ou plasma humano. POP n.º: B44 Página 1 de 6 1. Sinonímia:, HORMÔNIO LUTEINIZANTE. Mnemônico: 2. Aplicabilidade: Bioquímicos do setor de bioquímica do LAC-HNSC. 3. Aplicação clínica: Determinação quantitativa in vitro do

Leia mais

Dra. Kátia R. P. de Araújo Sgrillo. Sgrillo.ita@ftc.br

Dra. Kátia R. P. de Araújo Sgrillo. Sgrillo.ita@ftc.br Dra. Kátia R. P. de Araújo Sgrillo Sgrillo.ita@ftc.br A conversão do fluxo de elétrons em trabalho biológico requer transdutores moleculares (circuito microscópico), análogos aos motores elétricos que

Leia mais

APLICAÇÕES DE ESTUDOS BIOQUÍMICOS QUANTITATIVOS EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE. Marcus Vinícius Paiva de Oliveira 1

APLICAÇÕES DE ESTUDOS BIOQUÍMICOS QUANTITATIVOS EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE. Marcus Vinícius Paiva de Oliveira 1 1 APLICAÇÕES DE ESTUDOS BIOQUÍMICOS QUANTITATIVOS EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE 1. Marcus Vinícius Paiva de Oliveira 1 Bacharel e Licenciado em Biologia; Mestre em Biologia área de concentração Biologia

Leia mais

PSA - ANTÍGENO ESPECÍFICO Coleta: 20/11/ :05 PROSTÁTICO LIVRE. PSA - ANTIGENO ESPECÍFICO Coleta: 20/11/ :05 PROSTÁTICO TOTAL

PSA - ANTÍGENO ESPECÍFICO Coleta: 20/11/ :05 PROSTÁTICO LIVRE. PSA - ANTIGENO ESPECÍFICO Coleta: 20/11/ :05 PROSTÁTICO TOTAL AUTENTICIDADE: 31BA47 Set.Tecnico Imunoensaio PSA - ANTÍGENO ESPECÍFICO Coleta: 20/11/2004 07:05 PROSTÁTICO LIVRE Resultado 0.15 ng/ml Metodo: Eletroquimioluminescência (ECLIA) Referencial: Até 0.72 ng/ml

Leia mais

Resultados Anteriores:89.0[19/04/2016];91.0[30/09/2015];113.0[09/09/2015];101.0[28/07/2015];85.0[26/06/2015];

Resultados Anteriores:89.0[19/04/2016];91.0[30/09/2015];113.0[09/09/2015];101.0[28/07/2015];85.0[26/06/2015]; Pag.: 1 de 7 GLICOSE (GLICEMIA JEJUM) 84.0 mg/dl MÉTODO:CINÉTICO ENZIMÁTICO - ADVIA 1800 - SIEMENS VALORES DE REFERÊNCIA: 60-99 mg/dl Resultados Anteriores:89.0[19/04/2016];91.0[30/09/2015];113.0[09/09/2015];101.0[28/07/2015];85.0[26/06/2015];

Leia mais

INDICE. Introdução 03. Reagentes para Pesquisa Visual ou Qualitativa 03 Reagentes para Análise Quantitativa 03

INDICE. Introdução 03. Reagentes para Pesquisa Visual ou Qualitativa 03 Reagentes para Análise Quantitativa 03 1 INDICE Introdução 03 Reagentes para Pesquisa Visual ou Qualitativa 03 Reagentes para Análise Quantitativa 03 A Água como Reagente 04 Destilação 04 Deionização 04 Osmose Reversa 04 Filtração através de

Leia mais

3 METODOLOGIA EXPERIMENTAL

3 METODOLOGIA EXPERIMENTAL 43 3 METODOLOGIA EXPERIMENTAL 3. 1 METODOLOGIAS DE ANÁLISES 3.1.1 Método de Quantificação de Surfactantes (MBAS) em Águas 3.1.2 Princípio e aplicabilidade Os surfactantes aniônicos SLS (Lauril Sulfato

Leia mais

FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO I BIOENERGÉTICA: CICLO DE KREBS

FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO I BIOENERGÉTICA: CICLO DE KREBS FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO I BIOENERGÉTICA: CICLO DE KREBS Ciclo de Krebs Considerações Gerais Esta denominação decorre da homenagem ao bioquímico Hans Krebs, a qual lhe valeu o Prémio Nobel de Fisiologia

Leia mais

HEMOGRAMA COMPLETO

HEMOGRAMA COMPLETO ERITROGRAMA HEMOGRAMA COMPLETO REFERENCIAIS PARA ADULTOS ------------------------- Homem Mulher Hemácias em Milhoes/mL...: 4,58 4,5 a 6,5 3,9 a 5,8 Hemoglobina em gdl...: 14,7 13,5 a 18,0 11,5 a 16,4 Hematócrito

Leia mais

ENZIMAS. Células podem sintetizar enzimas conforme a sua necessidade.

ENZIMAS. Células podem sintetizar enzimas conforme a sua necessidade. ENZIMAS As enzimas são proteínas, catalisadores (aumenta a velocidade de uma determinada reação química) biológicos (proteínas) de alta especificidade. Praticamente todas as reações que caracterizam o

Leia mais

Metabolismo da Bilurribina e Icterícia

Metabolismo da Bilurribina e Icterícia Metabolismo da Bilurribina e Icterícia Degradação do heme da hemoglobina (tb dos citocromos) Bilirrubina Bilirrubina conjugada Transf. bactérias UDP-Glucuronil transferase R E S Sangue F í g a d o Excreção

Leia mais

LABORATÓRIO BOM JESUS

LABORATÓRIO BOM JESUS GLICEMIA...: 74 Metodo: Colorimetrico Valor de Referencia: 70 a 110,0 mg/dl UREIA...: 32 Metodo : Urease/GluDH Valor de Referencia: 15 a 38 mg/dl CREATININA...: 0,65 Metodo : Picrato Alcalino Homens :

Leia mais

Manual de Métodos de Análises de Bebidas e Vinagres

Manual de Métodos de Análises de Bebidas e Vinagres 1. MÉTODO Titulométrico (Método Eynon Lane) 2. PRINCÍPIO Os açúcares redutores reagem com os íons cúpricos da solução de Fehling, reduzindo-se a íons cuprosos, sob a ação do calor em meio alcalino. Ao

Leia mais