PLANEJAMENTO DAS AÇÕES DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PLANEJAMENTO DAS AÇÕES DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE"

Transcrição

1 PLANEJAMENTO DAS AÇÕES DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE

2 CONCEITO DE SAÚDE Saúde é a resultante das condições de alimento, habitação, educação, renda, meio ambiente, trabalho, transporte, emprego, lazer, liberdade, acesso e posse de terra e acesso aos serviços de saúde. VIII CONFERÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE NO BRASIL, 1986

3 PROCESSO SAÚDE-DOENÇA Agente Hospedeiro DOENÇA Meio Tempo

4 CONCEITO DE EDUCAÇÃO Processo de transformar atitudes e comportamentos através de métodos e técnicas de ensino-aprendizagem.

5 A Educação é a base para o desenvolvimento de um país, pois através dela as pessoas têm subsídios para exigir seus direitos e cumprir os seus deveres.

6 Educar não é informar, educar é pensar com seus próprios pensamentos e dos outros como mudar a trajetória da vida. Pereira, 2001

7 Empresas Entidades religiosas Entidades de classes Escolas Secretaria de Saúde Participação comunitária Equipes de profissionais da saúde pública ONGS

8 Toda situação educativa deve considerar: Presença de sujeitos: educador e educando; Objetos do conhecimento: conteúdos; Objetivos mediatos e imediatos: diretividade da educação; Métodos, processos, técnicas de ensino, materiais didáticos.

9 Metodologia Participativa e Problematizadora Objetivos: pensar, refletir, transformar-se, transformar O processo de conhecimento é socialmente construído.

10 Metodologia Participativa e Problematizadora *Observação da realidade *Causas dos problemas encontrados *Alternativas de solução *Prática das soluções

11 Toda atividade educativa deve considerar: Para quem se destina a ação educativa; Conteúdos, objetivos e metodologia; A participação ativa, crítica e reflexiva dos atores envolvidos no processo educativo.

12 CONCEITO DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE: Processo de ensinoaprendizagem que ajuda os indivíduos a corrigir hábitos do seu comportamento e adotar atitudes sadias para com a vida, buscando a desalienação e a formação de cidadania.

13 De que se trata a Educação em Saúde: Promover a saúde; Evitar riscos à saúde; Restaurar a saúde; Prevenir as doenças. Educação em Saúde nada mais é que o exercício de construção da cidadania.

14 PLANEJAMENTO DAS AÇÕES Conceito É o processo de decidir o que fazer. É a escolha organizada dos melhores meios e maneiras de se alcançar os objetivos propostos. Ministério da Saúde, 1994

15 PLANEJAMENTO DAS AÇÕES Conceito O planejamento é uma função administrativa, é a definição de estratégias para se conseguir excelentes resultados no futuro, é um método de sobrevivência no mercado dinâmico, sendo um processo contínuo e permanente.

16 PLANEJAMENTO DAS AÇÕES Conceito Planejar é propor o desenvolvimento, não apenas um crescimento em curto prazo, é envolver o máximo de atores possíveis, planejar é reduzir o número possível de alternativas àquelas que melhor se ajustem aos fins propostos e aos meios disponíveis.

17 PLANEJAMENTO DAS AÇÕES Consiste: Apreciação objetiva Apreciação realista

18 PLANEJAMENTO DAS AÇÕES Por que e para que planejamos? Evitar improvisações; Prever e superar dificuldades; Organizar antecipadamente o trabalho; Adequar o tempo; Estabelecer prioridades, propósitos e metas; Elaborar um plano de ação.

19 PLANEJAMENTO DAS AÇÕES Diagnóstico Execução Plano de Ação Avaliação

20 PLANEJAMENTO DAS AÇÕES DIAGNÓSTICO SITUACIONAL Diagnóstico: vem do grego diagnosis Estudo profundo e detalhado de uma dada situação.

21 PLANEJAMENTO DAS AÇÕES DIAGNÓSTICO SITUACIONAL 1. Coleta de dados: identificação dos problemas 2. Discussão: causas, consequências, características 3. Análise e interpretação dos dados 4. Estabelecimento de prioridades

22 PLANEJAMENTO DAS AÇÕES PLANO DE AÇÃO 1. Objetivos: o que esperamos alcançar? 2. População-alvo: quem? 3. Metodologia: como? 4. Recursos: o que precisamos? 5. Cronograma das atividades: em quanto tempo? em que local?

23 PLANEJAMENTO DAS AÇÕES EXECUÇÃO Operacionalização do plano de ação

24 PLANEJAMENTO DAS AÇÕES AVALIAÇÃO Verificação de que os objetivos propostos foram ou não alcançados

25 TIPOS DE PLANEJAMENTO 1. Planejamento centralizado 2. Planejamento participativo

26 PLANEJAMENTO CENTRALIZADO Quando apenas a equipe de saúde pensa e decide o que deve ser feito *É mais rápido; *Permite o controle pelo gestor de saúde; *Atende às necessidades de natureza epidemiológica, mas, frequentemente não reflete as necessidades mais sentidas pela população, e nem sempre permite a participação social no controle e fiscalização das ações.

27 PLANEJAMENTO PARTICIPATIVO A população junto com a equipe de saúde discute seus problemas e encontra as soluções para as suas reais necessidades *É mais próxima da proposta para a participação nas ações de saúde (planejamento, execução e avaliação); *Processo dialógico, bidirecional e democrático; * Flexibilidade: reformulação das ações planejadas quando necessário.

28 PLANEJAMENTO PARTICIPATIVO O paradigma da gestão participativa, interpretado como uma estratégia de promoção da cidadania, insere-se no contexto dos direitos e deveres dos cidadãos bem como os interesses políticos e econômicos dos grupos sociais que estão localizados ao redor de recursos limitados. Por isto, geralmente nas regiões com prática democrática consolidada, a participação da sociedade constitui um dos principais momentos da vida das instituições governamentais, executivas e legislativas.

29 PLANEJAMENTO PARTICIPATIVO Processo de organização social regional onde um conjunto diversificado de atores sociais assume mais intensamente a condição de sujeito no direcionamento de ações estratégicas.

30 PLANEJAMENTO PARTICIPATIVO O modelo participativo de planejamento baseia-se na ampliação da base de decisões autônomas por parte dos atores locais, gerando a capacidade de harmonizar as sinergias locais com um plano de desenvolvimento que produza raízes e identidades regionais e com a consciência coletiva de pertencer ao território comum, onde o conceito de espaço seja entendido como um meio constante de transformação.

31 Uma equipe é mais que um grupo de pessoas. É a soma de muitas energias; é mais que a divisão de tarefas. É a união em torno da concretização de objetivos

Metodologia do Ensino

Metodologia do Ensino Metodologia do Ensino Prof. Eduardo Henrique de M. Lima Definições: - Planejamento é uma necessidade constatnte em todas as áreas da atividade humana; - Planejar é analisar uma dada realidade, refletindo

Leia mais

Projeto: Valorização do Trabalho e dos Trabalhadores do MS COLETIVO MS Ministério da Saúde Secretaria Executiva

Projeto: Valorização do Trabalho e dos Trabalhadores do MS COLETIVO MS Ministério da Saúde Secretaria Executiva Valorização do Trabalho e dos Trabalhadores do MS 2011 2014 Ministério da Saúde Secretaria Executiva O Coletivo MS é um grupo de trabalhadores do Ministério da Saúde, coordenado pela Secretaria Executiva,

Leia mais

A EDUCAÇÃO PERMANENTE EM SAÚDE. Profª Fabiana

A EDUCAÇÃO PERMANENTE EM SAÚDE. Profª Fabiana A EDUCAÇÃO PERMANENTE EM SAÚDE Profª Fabiana Principais Legislações que regem a Educação Permanente em Saúde : 8ª Conferência Nacional de Saúde - 1986 Constituição Brasileira de 1988 Lei 8080, de 19 de

Leia mais

Índice. 1. O Processo de Organização Escolar Pensando para a Prática Grupo Módulo 8

Índice. 1. O Processo de Organização Escolar Pensando para a Prática Grupo Módulo 8 GRUPO 5.1 MÓDULO 8 Índice 1. O Processo de Organização Escolar...3 1.1. Pensando para a Prática... 3 2 1. O PROCESSO DE ORGANIZAÇÃO ESCOLAR O processo de organização escolar dispõe de etapas a fim de que

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 7º

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 7º PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Gestão Escolar IV Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 7º 1 - Ementa (sumário, resumo) Dimensões da participação: política,

Leia mais

OS DIFERENTES NÍVEIS DE ABRANGÊNCIA DO PLANEJAMENTO PEDAGÓGICO

OS DIFERENTES NÍVEIS DE ABRANGÊNCIA DO PLANEJAMENTO PEDAGÓGICO OS DIFERENTES NÍVEIS DE ABRANGÊNCIA DO PLANEJAMENTO PEDAGÓGICO O QUE É O PLANEJAMENTO? O planejamento escolar é um processo de reflexão sobre os desafios do cotidiano tendo em vista o comprometimento com

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Gestão Escolar I Carga Horária Semestral: 40 horas Semestre do Curso: 4º 1 - Ementa (sumário, resumo) Evolução e tendências da administração

Leia mais

CONSELHO DE CLASSE: O ANO TODO E AGORA EM ESPECIAL NO FINAL DO ANO LETIVO

CONSELHO DE CLASSE: O ANO TODO E AGORA EM ESPECIAL NO FINAL DO ANO LETIVO TEXTO 2 http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/2310-6.pdf acesso em http://pt.wikipedia.org/wiki/conselho_de_classe 09 de outubro de 2014 CONSELHO DE CLASSE: O ANO TODO E AGORA EM ESPECIAL

Leia mais

Iniciar uma discussão sobre a elaboração de uma. Estratégia Nacional de Comunicação e Educação Ambiental. no âmbito do

Iniciar uma discussão sobre a elaboração de uma. Estratégia Nacional de Comunicação e Educação Ambiental. no âmbito do OBJETIVO Iniciar uma discussão sobre a elaboração de uma Estratégia Nacional de Comunicação e Educação Ambiental no âmbito do Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza - SNUC DOCUMENTOS DE

Leia mais

FUNDAMENTOS DA SUPERVISÃO ESCOLAR

FUNDAMENTOS DA SUPERVISÃO ESCOLAR FUNDAMENTOS DA SUPERVISÃO ESCOLAR Profª. Carla Verônica AULA 03 SUPERVISÃO E PLANEJAMENTO PEDAGÓGICO Identificar os princípios da gestão participativa; Analisar a dialética do ambiente escolar; Perceber

Leia mais

PLANEJAMENTO ESCOLAR. Dra. Regina Magna Bonifácio de Araújo Disciplina DEEDU 517 ICHS - UFOP

PLANEJAMENTO ESCOLAR. Dra. Regina Magna Bonifácio de Araújo Disciplina DEEDU 517 ICHS - UFOP PLANEJAMENTO ESCOLAR Dra. Regina Magna Bonifácio de Araújo Disciplina DEEDU 517 ICHS - UFOP Planejamento e Plano Planejar é uma necessidade constante em todas as áreas da atividade humana. Planejar é analisar

Leia mais

18/06/2015. Didática Aula 3. O que é PLANEJAR? O que é PLANEJAR?

18/06/2015. Didática Aula 3. O que é PLANEJAR? O que é PLANEJAR? Didática Aula 3 Planejamento de Ensino O que é PLANEJAR? Planejar é analisar dada realidade, refletindo sobre as condições existentes, e prever as formas alternativas de ação para superar as dificuldades

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL

PLANO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL PLANO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL 2010 2013 INSTRUMENTOS TÉCNICOS DO CICLO ORÇAMENTÁRIO CONSIDERAÇÕES INICIAIS A Constituição de 1988 introduziu significativa alteração no sistema de planejamento e

Leia mais

Política Nacional de Mobilidade Urbana (Lei /2012) e os Planos de Mobilidade

Política Nacional de Mobilidade Urbana (Lei /2012) e os Planos de Mobilidade Política Nacional de Mobilidade Urbana (Lei 12.587/2012) e os Planos de Mobilidade Criação da Política Nacional de Mobilidade Urbana Durante o século XX, o automóvel passou a dominar as cidades brasileiras,

Leia mais

CONSTRUINDO O PLANO MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE

CONSTRUINDO O PLANO MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE 2009 PROGRAMA NACIONAL DE CAPACITAÇÃO DE GESTORES AMBIENTAIS PNC/PR Elias Araujo Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos CONSTRUINDO O PLANO MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE Texto de apoio

Leia mais

FUNDAMENTOS DA GESTÃO ESCOLAR: AS ATRIBUIÇÕES PROFISSIONAIS DO PEDAGOGO ENQUANTO GESTOR

FUNDAMENTOS DA GESTÃO ESCOLAR: AS ATRIBUIÇÕES PROFISSIONAIS DO PEDAGOGO ENQUANTO GESTOR FUNDAMENTOS DA GESTÃO ESCOLAR: AS ATRIBUIÇÕES PROFISSIONAIS DO PEDAGOGO ENQUANTO GESTOR Kely-Anee de Oliveira Nascimento Universidade Federal do Piauí kelyoliveira_@hotmail.com INTRODUÇÃO A escola é a

Leia mais

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO PPP. Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Escola de Conselhos Prof. Dr. PAULO C. DUARTE PAES.

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO PPP. Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Escola de Conselhos Prof. Dr. PAULO C. DUARTE PAES. PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO PPP Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Escola de Conselhos Prof. Dr. PAULO C. DUARTE PAES pdpaes@yahoo.com.br De acordo com o Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo

Leia mais

ANEXO I ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS FMIG 2016

ANEXO I ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS FMIG 2016 ANEXO I ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS FMIG 2016 Cada projeto deve conter no máximo 20 páginas 1. APRESENTAÇÃO Faça um resumo claro e objetivo do projeto, considerando a situação do idoso, os dados

Leia mais

Gestão Pública Democrática

Gestão Pública Democrática Gestão Pública Democrática Apoio Parceria Coordenação Técnica Iniciativa Gestão Pública Democrática Conceito de gestão Tem origem na palavra latina gestione que se refere ao ato de gerir, gerenciar e administrar.

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO PDI: Documento elaborado pela Equipe de Assessoria da Pró-reitoria de Planejamento da UEMA

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO PDI: Documento elaborado pela Equipe de Assessoria da Pró-reitoria de Planejamento da UEMA ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO PDI: Documento elaborado pela Equipe de Assessoria da Pró-reitoria de Planejamento da UEMA Agosto de 2015 INTRODUÇÃO O Ministério de Educação (MEC) através do Sistema Nacional

Leia mais

Acreditamos no seu envolvimento e dedicação à sua realização e confiamos no seu sucesso.

Acreditamos no seu envolvimento e dedicação à sua realização e confiamos no seu sucesso. ATIVIDADE INTEGRADORA CURSO: LICENCIATURA EM PEDAGOGIA DISCIPLINA: ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM GESTÃO ESCOLAR CIRCUITO: 9 PERIODO: 7º Caro (a) aluno (a), Esta atividade deverá ser desenvolvida individualmente

Leia mais

TEORIA CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO

TEORIA CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO TGA II TEORIA CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO Henri Fayol (1841-1925) TEORIA CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO As Funções Básicas da Empresa Funções técnicas: relacionadas com a produção de bens ou serviços da empresa.

Leia mais

ANEXO PLANO DE AÇÃO PROFESSOR

ANEXO PLANO DE AÇÃO PROFESSOR ANEXO 5.2.2. PLANO DE AÇÃO PROFESSOR Rua Bruxelas, nº 169 São Paulo - SP CEP 01259-020 Tel: (11) 2506-6570 escravonempensar@reporterbrasil.org.br www.escravonempensar.org.br O que é o plano de ação? O

Leia mais

Relações pedagógicas. Professor aluno. Ensino aprendizagem. Teoria e prática. Objetivo e avaliação. Conteúdo e método

Relações pedagógicas. Professor aluno. Ensino aprendizagem. Teoria e prática. Objetivo e avaliação. Conteúdo e método Relações pedagógicas Professor aluno Ensino aprendizagem Teoria e prática Objetivo e avaliação Conteúdo e método A linha mestra que norteia qualquer ação na educação está relacionada à relação humana.

Leia mais

EB1/PE DE ÁGUA DE PENA

EB1/PE DE ÁGUA DE PENA EB1/PE DE ÁGUA DE PENA 2010 2014 1.Introdução 2.Enquadramento legal 3.Diagnóstico avaliação do projecto anterior 4.Identificação de prioridades de intervenção 5.Disposições finais 6.Avaliação 1.Introdução

Leia mais

EIXO 1 ESTADO, SOCIEDADE E DEMOCRACIA. Disciplina: D 1.1 O Estado Contemporâneo e suas Transformações (16h) Professor: Wagner Pralon Mancuso

EIXO 1 ESTADO, SOCIEDADE E DEMOCRACIA. Disciplina: D 1.1 O Estado Contemporâneo e suas Transformações (16h) Professor: Wagner Pralon Mancuso EIXO 1 ESTADO, SOCIEDADE E DEMOCRACIA Disciplina: D 1.1 O Estado Contemporâneo e suas Transformações (16h) Professor: Wagner Pralon Mancuso Aulas 3 e 4 07 a 10 de setembro de 2011 Com base nos textos de

Leia mais

Aluno(a): / / Cidade Polo: CPF: Curso: ATIVIDADE AVALIATIVA PESQUISA E EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA (PED)

Aluno(a): / / Cidade Polo:   CPF: Curso: ATIVIDADE AVALIATIVA PESQUISA E EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA (PED) Aluno(a): / / Cidade Polo: E-mail: CPF: Curso: ATIVIDADE AVALIATIVA PESQUISA E EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA (PED) Preencha o GABARITO: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Observação: Nesta atividade há 10 (dez) questões de múltipla

Leia mais

A Liderança das Mulheres no Terceiro Milênio

A Liderança das Mulheres no Terceiro Milênio A Liderança das Mulheres no Terceiro Milênio ANITA PIRES EMAIL: anitap@matrix.com.br FONE/FAX: (48) 223 5152 Características Históricas Ontem: Relações autoritárias; Trabalho escravo; Patrimônio: tangível

Leia mais

PROPOSTA DE FORMAÇÃO SOCIOAMBIENTAL NO CONTEXTO DA FISCALIZAÇÃO

PROPOSTA DE FORMAÇÃO SOCIOAMBIENTAL NO CONTEXTO DA FISCALIZAÇÃO PROPOSTA DE FORMAÇÃO SOCIOAMBIENTAL NO CONTEXTO DA FISCALIZAÇÃO outubro/2012 Beatriz Alves Rodrigo Machado PRESSUPOSTOS Campo Ambiental Campo Educacional Campo Educacional Educação Ambiental Campo Ambiental

Leia mais

PLANEJAMENTO E DIDÁTICA: DIALOGANDO E CONSTRUINDO CONHECIMENTO PARA A PRÁTICA PEDAGÓGICA NO ENSINO FUNDAMENTAL

PLANEJAMENTO E DIDÁTICA: DIALOGANDO E CONSTRUINDO CONHECIMENTO PARA A PRÁTICA PEDAGÓGICA NO ENSINO FUNDAMENTAL PLANEJAMENTO E DIDÁTICA: DIALOGANDO E CONSTRUINDO CONHECIMENTO PARA A PRÁTICA PEDAGÓGICA NO ENSINO FUNDAMENTAL Maria Gorete Pereira Camboim - UFPB gorettevinas@hotmail.com Joselucia Rodrigues - UFPB joseluciarodrigues@gmail.coml

Leia mais

UMA NOVA EXPERIÊNCIA DE CONSELHO PARTICIPATIVO NA ESCOLA DE ENSINO INTEGRAL. Sala 11 Temas Diversos EF II Integral

UMA NOVA EXPERIÊNCIA DE CONSELHO PARTICIPATIVO NA ESCOLA DE ENSINO INTEGRAL. Sala 11 Temas Diversos EF II Integral UMA NOVA EXPERIÊNCIA DE CONSELHO PARTICIPATIVO NA ESCOLA DE ENSINO INTEGRAL Sala 11 Temas Diversos EF II Integral E.E.CARLOS MAXIMILIANO PEREIRA DOS SANTOS Professores Apresentadores: M Maria Emilia A.S.

Leia mais

O desenvolvimento do Planejamento Estratégico está dividido em 5 fases principais até a sua conclusão: Figura 1 - Fases do Planejamento Estratégico

O desenvolvimento do Planejamento Estratégico está dividido em 5 fases principais até a sua conclusão: Figura 1 - Fases do Planejamento Estratégico O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO A Assessoria de Planejamento (ASPLAN) está se dedicando à elaboração do Planejamento Estratégico da SEDESE. Este projeto surge como uma demanda do Secretário André Quintão para

Leia mais

LEI DE RESPONSABILIDADE EDUCACIONAL

LEI DE RESPONSABILIDADE EDUCACIONAL Câmara dos Deputados Audiência Pública LEI DE RESPONSABILIDADE EDUCACIONAL Prof. João Ferreira de Oliveira - UFG joao.jferreira@gmail.com Representando: ANPEd e ANFOPE - Associação Científica Fundada em

Leia mais

Em falar nisso, você tem realizado PLANEJAMENTO de suas atividades?

Em falar nisso, você tem realizado PLANEJAMENTO de suas atividades? O mundo globalizado nos impõem grandes mudanças é precisamos estar sempre atualizados e preparados para enfrentar os novos desafios. Para tanto é preciso saber onde estamos, observar os acontecimentos

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, DESENVOLVIMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE GOVERNANÇA, SISTEMAS E INOVAÇÃO

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, DESENVOLVIMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE GOVERNANÇA, SISTEMAS E INOVAÇÃO MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, DESENVOLVIMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE GOVERNANÇA, SISTEMAS E INOVAÇÃO MODELO DE GESTÃO Estratégia de Governança Digital 1. OBJETIVO

Leia mais

PLANO DE GESTÃO ESCOLAR PLEITO A 2018

PLANO DE GESTÃO ESCOLAR PLEITO A 2018 PLANO DE GESTÃO ESCOLAR PLEITO - 2016 A 2018 NOVA ANDRADINA MS SETEMBRO/2015 ABMAEL ROCHA JUNIOR ROSIMEIRE DA SILVA OLIVEIRA E. E. PROFESSORA FÁTIMA GAIOTTO SAMPAIO PROJETO GESTÃO ESCOLAR PLEITO 2016 A

Leia mais

Planejamento Educacional. Prof. Carlinhos Costa

Planejamento Educacional. Prof. Carlinhos Costa Planejamento Educacional Prof. Carlinhos Costa PLANEJAMENTO Planejar é muito mais do que preencher formulários, porque o conhecimento da realidade exige do professor uma relação interativa de ação-reflexão-ação

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL DO TUTOR DE CURSOS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

PERFIL PROFISSIONAL DO TUTOR DE CURSOS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA PERFIL PROFISSIONAL DO TUTOR DE CURSOS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Área profissional: Educação Segmento tecnológico: Educação a Distância Qualificação profissional: Tutor de Cursos de Educação a Distância

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA-GERAL DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA NACIONAL DE ARTICULAÇÃO SOCIAL

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA-GERAL DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA NACIONAL DE ARTICULAÇÃO SOCIAL PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA-GERAL DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA NACIONAL DE ARTICULAÇÃO SOCIAL TERMO DE ADESÃO AO COMPROMISSO NACIONAL PELA PARTICIPAÇÃO SOCIAL O Município (NOME), representado

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico. Qualificação: Auxiliar Administrativo

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico. Qualificação: Auxiliar Administrativo Administração Central Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico Etec : ETEC PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: GESTÃO E NEGÓCIOS Habilitação Profissional: Técnico em

Leia mais

REFLEXÃO DA EDUCAÇÃO PERMANENTE NA SAÚDE. BERNARDES, Ana Paula Fugazza¹ GASDA, Vera Lúcia Podewils 1 PEZENTI, Daiana¹ PINHEIRO, Shirla Regina²

REFLEXÃO DA EDUCAÇÃO PERMANENTE NA SAÚDE. BERNARDES, Ana Paula Fugazza¹ GASDA, Vera Lúcia Podewils 1 PEZENTI, Daiana¹ PINHEIRO, Shirla Regina² REFLEXÃO DA EDUCAÇÃO PERMANENTE NA SAÚDE BERNARDES, Ana Paula Fugazza¹ GASDA, Vera Lúcia Podewils 1 PEZENTI, Daiana¹ PINHEIRO, Shirla Regina² Introdução: Em fevereiro de 2004, o Ministério da Saúde institui

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Plano de Trabalho Docente Qualificação: Técnico em Administração Módulo :III -A

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Plano de Trabalho Docente Qualificação: Técnico em Administração Módulo :III -A Plano de Trabalho Docente 2013 ETEC PAULINO BOTELHO Ensino Técnico Código: 091 Município: São Carlos Eixo tecnológico: Gestão Habilitação Profissional: Técnico em Administração Qualificação: Técnico em

Leia mais

Limites e possibilidades de uma política pública de avaliação da educação profissional e tecnológica na perspectiva emancipatória

Limites e possibilidades de uma política pública de avaliação da educação profissional e tecnológica na perspectiva emancipatória Limites e possibilidades de uma política pública de avaliação da educação profissional e tecnológica na perspectiva emancipatória Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Brasília/DF, jun. 2015

Leia mais

TRABALHO COLABORATIVO DE UMA PROFESSORA ESPECIALISTA EM EDUCAÇÃO ESPECIAL EM UMA ESCOLA COM EDUCAÇÃO EM TEMPO INTEGRAL

TRABALHO COLABORATIVO DE UMA PROFESSORA ESPECIALISTA EM EDUCAÇÃO ESPECIAL EM UMA ESCOLA COM EDUCAÇÃO EM TEMPO INTEGRAL TRABALHO COLABORATIVO DE UMA PROFESSORA ESPECIALISTA EM EDUCAÇÃO ESPECIAL EM UMA ESCOLA COM EDUCAÇÃO EM TEMPO INTEGRAL Josemaris Aparecida Martinelli - Universidade Estadual de Londrina Josemaris2012@gmail.com

Leia mais

Rodrigo da Rocha Loures Presidente do CONIC-FIESP. São Paulo,07de Outubrode 2014

Rodrigo da Rocha Loures Presidente do CONIC-FIESP. São Paulo,07de Outubrode 2014 Estratégias para a Inovação e Empreendedorismo Ecossistemas Regionais de Inovação, por meio do Empreendedorismo de Base Tecnológica e empresas Startups de Classe Mundial Visão de Futuro (2022), Competitividade

Leia mais

1ª CONFERÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE AMBIENTAL

1ª CONFERÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE AMBIENTAL 1ª CONFERÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE AMBIENTAL A ação humana sobre a natureza faz parte da história da civilização. Neste inicio de século, porém, a consciência sobre os impactos desta intervenção tem adquirido

Leia mais

Oficina de Planejamento Municipal em Saúde: Estratégia de Gestão Participativa na construção da Programação Anual da Saúde de Crateús 2012

Oficina de Planejamento Municipal em Saúde: Estratégia de Gestão Participativa na construção da Programação Anual da Saúde de Crateús 2012 2º SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE INOVAÇÃO SOBRE PARTICIPAÇÃO E CONTROLE SOCIAL NA ELABORAÇÃO E MONITORAMENTO DAS POLÍTICAS, AÇÕES E SERVIÇOS DE SAÚDE Oficina de Planejamento Municipal em Saúde: Estratégia

Leia mais

Gestão de Processos. Tópico 4. Ferramentas de Qualidade: PDCA

Gestão de Processos. Tópico 4. Ferramentas de Qualidade: PDCA Gestão de Processos Tópico 4 Ferramentas de Qualidade: PDCA Sumário 1. O que é o Ciclo PDCA... 3 2. Importância do Ciclo PDCA... 3 3. Etapas do Ciclo PDCA... 3 3.1 Planejar (PLAN)... 3 3.1.1 Qual é o problema/processo

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE MOBILIDADE URBANA DE VOTORANTIM / SP

PLANO MUNICIPAL DE MOBILIDADE URBANA DE VOTORANTIM / SP PLANO MUNICIPAL DE MOBILIDADE URBANA DE VOTORANTIM / SP 1ª Conferência - março de 2016 tema: lançamento do processo de elaboração do Plano O QUE É MOBILIDADE URBANA? Mobilidade é a forma de deslocamento

Leia mais

Gestão de Projetos. Aula 1. Organização da Disciplina. Organização da Aula 1. Contextualização. Fatos sobre Projetos. O Projeto

Gestão de Projetos. Aula 1. Organização da Disciplina. Organização da Aula 1. Contextualização. Fatos sobre Projetos. O Projeto Gestão de Projetos Organização da Disciplina Planejamento, projeto e Aula 1 viabilidades Estrutura do projeto Profa. Dra. Viviane M. P. Garbelini Dimensionamento e riscos do projeto Organização da Aula

Leia mais

Objeto de Aprendizagem. Bases Legais do SUS: Leis Orgânicas da Saúde

Objeto de Aprendizagem. Bases Legais do SUS: Leis Orgânicas da Saúde Objeto de Aprendizagem Bases Legais do SUS: Leis Orgânicas da Saúde Bases Legais do SUS: Leis Orgânicas da Saúde Objetivo: Apresentar sucintamente a Lei Orgânica de Saúde nº 8080 de 19 de setembro de 1990,

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2016 Ensino Técnico Plano de Curso n.º 206 aprovado pela portaria Cetec nº 733 de 10/09/2015 Etec Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão e

Leia mais

A GESTÃO PARTICIPATIVA NA CONSTRUÇÃO DA CIDADANIA

A GESTÃO PARTICIPATIVA NA CONSTRUÇÃO DA CIDADANIA A GESTÃO PARTICIPATIVA NA CONSTRUÇÃO DA CIDADANIA Teresa Leopoldina dos Santos Ribeiro 1 Anelise Bravo Friedriczewski 2 Resumo: A gestão escolar, com o viés participativo e democrático, demonstra-se cada

Leia mais

CIDADANIA NAS ONDAS DO RÁDIO

CIDADANIA NAS ONDAS DO RÁDIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CURSO MÍDIAS NA EDUCAÇÃO GEORGIA STELLA RAMOS DO AMARAL CIDADANIA NAS ONDAS DO RÁDIO Santa Cruz do Sul 2009 Abrangência Comunidade escolar de uma determinada escola.

Leia mais

PARTICIPAÇÃO SOCIAL DANIELY VOTTO, GERENTE DE GOVERNANÇA URBANA

PARTICIPAÇÃO SOCIAL DANIELY VOTTO, GERENTE DE GOVERNANÇA URBANA PARTICIPAÇÃO SOCIAL DANIELY VOTTO, GERENTE DE GOVERNANÇA URBANA Um produto do WRI Ross Centro para Cidades Sustentáveis Um produto do WRI Ross Centro para Cidades Sustentáveis PARTICIPAÇÃO SOCIAL Definição:

Leia mais

OBJETIVOS DO CURSO DE ENFERMAGEM

OBJETIVOS DO CURSO DE ENFERMAGEM FACULDADE DO NORTE GOIANO OBJETIVOS DO CURSO DE ENFERMAGEM Objetivos do curso O Curso de Graduação em Enfermagem tem por objetivo formar bacharel em enfermagem (enfermeiro) capaz de influenciar na construção

Leia mais

O Diretor Geral do Instituto Federal Catarinense Câmpus Rio do Sul, no uso das suas atribuições,

O Diretor Geral do Instituto Federal Catarinense Câmpus Rio do Sul, no uso das suas atribuições, INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CAMPUS RIO DO SUL Nº 01/2012 Dispõe sobre as normas para elaboração, trâmite, análise e aprovação dos Planos de Ensino dos Cursos de Educação Profissional Técnica de Nível

Leia mais

1º Ciclo. Competências Gerais do Ensino Básico

1º Ciclo. Competências Gerais do Ensino Básico 1º Ciclo Ao longo do 1º ciclo do Ensino Básico, todos os alunos devem desenvolver as competências gerais do Ensino Básico. Competências Gerais do Ensino Básico 1. Mobilizar saberes culturais, científicos

Leia mais

Gerenciamento da Qualidade

Gerenciamento da Qualidade Gerenciamento da Qualidade Aula 09 Prof. Ewerton Monti Objetivo principal das empresas: Satisfação das necessidades das pessoas. Incluindo consumidores, empregados, acionistas, sociedade, fornecedores

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010 PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Avaliação do Ensino Aprendizagem Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 8º 1 - Ementa (sumário, resumo) Contextualização histórica

Leia mais

PLANO PLURIANUAL

PLANO PLURIANUAL Maio de 2011 É POR AQUI O Maranhão avança com o processo democrático. Esta oportunidade de mobilização é muito valiosa para o exercício da cidadania, afinal nem sempre conseguimos reunir tantas pessoas

Leia mais

PRINCIPIOS NORTEADORES PARA ELABORAÇAO DO TRABALHO

PRINCIPIOS NORTEADORES PARA ELABORAÇAO DO TRABALHO PRINCIPIOS NORTEADORES PARA ELABORAÇAO DO TRABALHO Identificar situação-problema : no âmbito das atribuições de coordenar, acompanhar e monitorar o processo de educação integral na Secretaria de Educação.

Leia mais

Planejamento Ambiental

Planejamento Ambiental Universidade de São Paulo PHD2344 Manejo de recursos Naturais Escola Politécnica da Universidade de São Paulo Planejamento Ambiental Aula 2 Prof. Dr. Arisvaldo V. Méllo Júnior Enga. Carla Voltarelli da

Leia mais

O Ensino de Ciências: história e tendências

O Ensino de Ciências: história e tendências O Ensino de Ciências: história e tendências Ensino de Química III 2011 Profª Tathiane Milaré Década de 60 Período marcante e crucial na história do Ensino de Ciências Guerra Fria Interesse dos EUA em vencerem

Leia mais

SAÚDE MENTAL, PESQUISAS E PROGRAMAS

SAÚDE MENTAL, PESQUISAS E PROGRAMAS Seminário Motivações para o Início e o Fim do Consumo de Drogas: uma análise das comunidades virtuais relacionadas ao tema SAÚDE MENTAL, PESQUISAS E PROGRAMAS Arthur Guerra de Andrade Coordenação da Área

Leia mais

Qualificação da Gestão

Qualificação da Gestão Qualificação da Gestão O que é o SUS Instituído pela Constituição de 1988, o Sistema Único de Saúde SUS é formado pelo conjunto das ações e serviços de saúde sob gestão pública Com direção única em cada

Leia mais

O Sistema de Avaliação da Educação Superior no Brasil

O Sistema de Avaliação da Educação Superior no Brasil O Sistema de Avaliação da Educação Superior no Brasil Jacqueline Moreno Theodoro Silva Outubro/2016 Avaliação Educacional Avaliar é o ato de atribuir valor ou mérito a alguma coisa. Avaliação educacional:

Leia mais

2) O SUS foi desenvolvido em razão do artigo 198 da Constituição Federal, com base nos seguintes princípios, exceto:

2) O SUS foi desenvolvido em razão do artigo 198 da Constituição Federal, com base nos seguintes princípios, exceto: QUESTÕES DO SUS ) São objetivos do SUS: a) identificação de fatores que condicionem à saúde; b) política financeira de incentivo à saúde; c) ação de ordem social que vise arrecadação de recursos; d) identificação

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2016 Ensino Técnico Plano de Curso nº 246 aprovado pela portaria Cetec nº 181 de 26/09/2013 Etec Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios

Leia mais

EDUCAÇÃO EM DIREITOS NA ESCOLA: RELATO DE EXPERIÊNCIA DA DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO PARANÁ - CIANORTE BOAS PRÁTICAS INSTITUCIONAIS

EDUCAÇÃO EM DIREITOS NA ESCOLA: RELATO DE EXPERIÊNCIA DA DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO PARANÁ - CIANORTE BOAS PRÁTICAS INSTITUCIONAIS EDUCAÇÃO EM DIREITOS NA ESCOLA: RELATO DE EXPERIÊNCIA DA DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO PARANÁ - CIANORTE Por Aline Daniele Hoepers Juscilene Galdino da Silva Tânia Cristina Cordeiro Aldivino BOAS PRÁTICAS

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA REGULAMENTO

CURSO DE PEDAGOGIA REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE PEDAGOGIA REGULAMENTO CAPÍTULO I - DA DEFINIÇÃO DO ESTÁGIO Artigo 01 - O Estágio Supervisionado constitui disciplina obrigatória do Currículo dos Cursos de Licenciatura.

Leia mais

O DESPERTAR PARA UM TRÂNSITO MAIS SEGURO

O DESPERTAR PARA UM TRÂNSITO MAIS SEGURO O DESPERTAR PARA UM TRÂNSITO MAIS SEGURO 2016 1. JUSTIFICATIVA O Projeto de Educação no Trânsito O despertar para um trânsito mais seguro, vem conscientizar que é possível ser reduzido o número de acidentes

Leia mais

Prof. Dr. Paulo Gomes Lima Faculdade de Educação U F G D

Prof. Dr. Paulo Gomes Lima Faculdade de Educação U F G D Prof. Dr. Paulo Gomes Lima Faculdade de Educação U F G D - 2009 1. construção qualitativa do processo educacional como um todo; 2. a escola, como instituição de formação de indivíduos deve priorizar o

Leia mais

Processo de planejamento participativo do Plano Diretor Aspectos metodológicos

Processo de planejamento participativo do Plano Diretor Aspectos metodológicos Processo de planejamento participativo do Plano Diretor Aspectos metodológicos Não existe no Estatuto das Cidades uma discrição minuciosa de um procedimento a ser seguido para elaboração dos Planos Diretores,

Leia mais

Carlos Hoyos, Paisaje Cultural Cafetero, Colombia Iniciativa Regional da Paisagem: proposta ou estratégia que serve de origem, nesse caso, para promover o reconhecimento, a valorização, a proteção, o planejamento

Leia mais

O GT de Conflitos Fundiários Urbanos do Conselho das Cidades apresenta para uma primeira discussão pública a seguinte proposta:

O GT de Conflitos Fundiários Urbanos do Conselho das Cidades apresenta para uma primeira discussão pública a seguinte proposta: DOCUMENTO DE REFERÊNCIA DA POLÍTICA NACIONAL DE PREVENÇÃO E MEDIAÇÃO DE CONFLITOS FUNDIÁRIOS URBANOS Esta proposta preliminar é resultado de um esforço coletivo do Grupo de Trabalho de Conflitos Fundiários

Leia mais

CURSO: ACOMPANHAMENTO DA PRÁTICA EDUCATIVA

CURSO: ACOMPANHAMENTO DA PRÁTICA EDUCATIVA CURSO: ACOMPANHAMENTO DA PRÁTICA EDUCATIVA Introdução Uma pesquisa realizada pela Fundação Carlos Chagas indica que a maioria dos coordenadores pedagógicos deixam de fazer o acompanhamento da prática educativa

Leia mais

A atuação psicopedagógica institucional

A atuação psicopedagógica institucional A atuação psicopedagógica institucional Psicopedagogia Dorival Rosa Brito 1 A psicopedagogia assume um compromisso com a melhoria da qualidade do ensino expandindo sua atuação para o espaço escolar, atendendo,

Leia mais

Os objetivos principais da campanha são fundamentados na necessidade de reduzir o desperdício de energia elétrica, água, papel e copos descartáveis.

Os objetivos principais da campanha são fundamentados na necessidade de reduzir o desperdício de energia elétrica, água, papel e copos descartáveis. Pau dos Ferros/RN 2013 1. INTRODUÇÃO A campanha consiste em reduzir o desperdício de energia elétrica, água, papel e copos descartáveis, tornando mais consciente a utilização destes recursos extraídos

Leia mais

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS EDUCAÇÃO BÁSICA ENSINO SUPERIOR EDUCAÇÃO NÃO-FORMAL EDUCAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DO SISTEMA DE JUSTIÇA E SEGURANÇA EDUCAÇÃO E MÍDIA Comitê Nacional de Educação

Leia mais

Unidade: Planejamento de Marketing. Unidade I:

Unidade: Planejamento de Marketing. Unidade I: Unidade: Planejamento de Marketing Unidade I: 0 Unidade: Planejamento de Marketing Planejar é definir procedimentos de atuação com o objetivo de atingir determinada situação. No caso de um planejamento

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Mintzberg Define planejamento estratégico como sendo processo gerencial que possibilita ao executivo estabelecer o rumo a ser seguido pela empresa, com vistas a obter um nível

Leia mais

PROJETO ESCOLA DE PAIS E FILHOS

PROJETO ESCOLA DE PAIS E FILHOS PROJETO ESCOLA DE PAIS E FILHOS EMEF-I Prof. Manoel Ignácio de Moraes Professor(es) Apresentador(es): Sônia Maria Romano Rosemary de Almeida Teixeira Oliveira Realização: Foco do Projeto A programação

Leia mais

Pacto Nacional pelo Fortalecimento do Ensino Médio

Pacto Nacional pelo Fortalecimento do Ensino Médio Pacto Nacional pelo Fortalecimento do Ensino Médio TEMA CADERNO 3 : O CURRÍCULO DO ENSINO MÉDIO, SEUS SUJEITOS E O DESAFIO DA FORMAÇÃO HUMANA INTEGRAL Moderadora: Monica Ribeiro da Silva Produção: Rodrigo

Leia mais

Clube da Proteção Civil

Clube da Proteção Civil Agrupamento de Escolas das Taipas Clube da Proteção Civil 1. Estrutura organizacional Coordenadora: Paula Ribeiro da Silva Grupo de Recrutamento: 620 Departamento: Expressões Composição do grupo de trabalho:

Leia mais

Avaliação do Desempenho Escolar

Avaliação do Desempenho Escolar Avaliação do Desempenho Escolar Características Escolares Associadas ao Desempenho 1 Avaliação do Desempenho Escolar O que é avaliar? Diagnosticar Produzir algum julgamento sobre a Coletar realidade. Dados

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: Dr. José Viana Coutinho Código: 073 Município: Jales Eixo Tecnológico: GESTÃO E NEGÓCIOS Habilitação Profissional: Habilitação Profissional Técnica

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico ETEC ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: SÃO CARLOS Eixo Tecnológico: GESTÃO E NEGÓCIOS Habilitação Profissional: TÉCNICO EM RECURSOS

Leia mais

AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM NO ENSINO SUPERIOR

AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM NO ENSINO SUPERIOR UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ SEMINÁRIO DE DOCÊNCIA SUPERIOR AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM NO ENSINO SUPERIOR Profª Teresa Christina Torres S.Honório Teresina/2015 AGENDA DE APRESENTAÇÃO Elementos indispensáveis

Leia mais

UFSM - Universidade Federal de Santa Maria CT - Centro de Tecnologia Engenharia de Produção Prof. Julio Siluk IMPLEMENTAÇÃO ESTRATÉGICA

UFSM - Universidade Federal de Santa Maria CT - Centro de Tecnologia Engenharia de Produção Prof. Julio Siluk IMPLEMENTAÇÃO ESTRATÉGICA UFSM - Universidade Federal de Santa Maria CT - Centro de Tecnologia Engenharia de Produção Prof. Julio Siluk IMPLEMENTAÇÃO ESTRATÉGICA Cristiane Freitas Kélen Marques Sidinéia Santini Processo pelo qual

Leia mais

ETEC MONSENHOR ANTONIO MAGLIANO Plano de Trabalho Docente Habilitação Profissional: TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

ETEC MONSENHOR ANTONIO MAGLIANO Plano de Trabalho Docente Habilitação Profissional: TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO ETEC MONSENHOR ANTONIO MAGLIANO - 088 Plano de Trabalho Docente 2012 Ensino Técnico ETEC PAULO GUERREIRO FRANCO Código: 092 Município: VERA CRUZ Área Profissional: GESTÃO E NEGÓCIOS Habilitação Profissional:

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO. Licenciatura EM educação básica intercultural TÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO. Licenciatura EM educação básica intercultural TÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Licenciatura EM educação básica intercultural TÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Artigo 1º - O Estágio Supervisionado de que trata este regulamento refere-se à formação de

Leia mais

RESUMO DO PLANO DE GOVERNO

RESUMO DO PLANO DE GOVERNO RESUMO DO PLANO DE GOVERNO GOVERNANÇA 1. Fortalecer os processos de decisão com a promoção dos instrumentos da democracia participativa. 1.1 Continuar a desenvolver uma perspectiva comum e de longo prazo

Leia mais

Oficina de Formação de multiplicadsores Formulação da Política e Elaboração do Plano Municipal de Saneamento

Oficina de Formação de multiplicadsores Formulação da Política e Elaboração do Plano Municipal de Saneamento Oficina de Formação de multiplicadsores Formulação da Política e Elaboração do Plano Municipal de Saneamento Americana/SP, 13 e 14 de Abril Ministério de 2010 Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental

Leia mais

. ORIENTAÇÕES AOS CANDIDATOS

. ORIENTAÇÕES AOS CANDIDATOS . ORIENTAÇÕES AOS CANDIDATOS ASPECTOS LEGAIS LEI Nº 4.751, DE 7 DE FEVEREIRO DE 2012 Dispõe sobre o Sistema de Ensino e a Gestão Democrática do Sistema de Ensino Público do Distrito Federal. PORTARIA Nº

Leia mais

Projeto Participação Voluntária no Planejamento, Execução e Controle Social do Orçamento Participativo

Projeto Participação Voluntária no Planejamento, Execução e Controle Social do Orçamento Participativo Projeto Participação Voluntária no Planejamento, Execução e Controle Social do Orçamento Participativo DIADEMA Cidade industrial: 1.500 fábricas Parte da região metropolitana da cidade de São Paulo População:

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ELIAS GARCIA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ELIAS GARCIA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ELIAS GARCIA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR 2016/2017 A AVALIAÇÃO EM EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR 1 INTRODUÇÃO Enquadramento Normativo Avaliar o processo e os efeitos, implica

Leia mais

ENDP 2015 PLANEJAMENTO GOVERNAMENTAL E GESTÃO ARIO ZIMMERMANN. PORTO ALEGRE/RS, Setembro de 2015

ENDP 2015 PLANEJAMENTO GOVERNAMENTAL E GESTÃO ARIO ZIMMERMANN. PORTO ALEGRE/RS, Setembro de 2015 ENDP 2015 PLANEJAMENTO GOVERNAMENTAL E GESTÃO ARIO ZIMMERMANN PORTO ALEGRE/RS, Setembro de 2015 PLANEJAMENTO GOVERNAMENTAL E GESTÃO» ROTEIRO PLANEJAMENTO e GESTÃO GOVERNABILIDADE GOVERNANÇA GESTÃO PLANEJAMENTO

Leia mais

O ORÇAMENTO PÚBLICO MUNICIPAL E OS RECURSOS PARA A INFÂNCIA A ORIGEM DOS RECURSOS E O PLANEJAMENTO PARA O ORÇAMENTO

O ORÇAMENTO PÚBLICO MUNICIPAL E OS RECURSOS PARA A INFÂNCIA A ORIGEM DOS RECURSOS E O PLANEJAMENTO PARA O ORÇAMENTO O ORÇAMENTO PÚBLICO MUNICIPAL E OS RECURSOS PARA A INFÂNCIA A ORIGEM DOS RECURSOS E O PLANEJAMENTO PARA O ORÇAMENTO 1. Qual a origem dos recursos disponíveis no orçamento para a área da INFÂNCIA? Todos

Leia mais

UNIVERSIDADE DO CONTESTADO UnC Curso de Ciências Sociais REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS

UNIVERSIDADE DO CONTESTADO UnC Curso de Ciências Sociais REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS UNIVERSIDADE DO CONTESTADO UnC Curso de Ciências Sociais REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - O Estágio

Leia mais