Recursos Próprios 2013

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Recursos Próprios 2013"

Transcrição

1 Recursos Próprios 2013 " Serviços Próprios de Atendimento Pré-Hospitalar (SOS) e Assistência Domiciliar ( Home- Care): reconhecendo a importância destas modalidades assistenciais para o cliente e para a Unimed Dr. José Pedro Damiano Gerente da Área Hospitalar e Serviços Credenciados

2 UNIMED CAMPINAS Campinas e 13 cidades da região Cooperados Beneficiários 23 Hospitais 11 Day Hospitals 170 Clínicas e Laboratórios Credenciados

3 ADUC ASSISTÊNCIA DOMICILIAR UNIMED CAMPINAS Modelo de Assistência Domiciliar, focado na humanização, que concentra esforços no ensinar a cuidar

4 ADUC - Histórico Início de atividades: 03/03/1997 Projeto inicial: busca ativa dos pacientes que mais gastaram com internação em Divulgação para médicos cooperados e hospitais. Equipe: - 1 médico, - 1 Enfermeira - 2 tec. Enfermagem, - 2 fisioterapeutas, - 1 assistente social, - 1 aux. Administrativo, - 1 motorista Após 3 meses, encerrou-se a busca ativa. Avaliação somente com solicitação médica.

5 ADUC HOJE 01 GERENTE MÉDICO 02 SUPERVISORES 11 MÉDICOS VISITADORES 02 ASSISTENTES SOCIAIS 10 ENFERMEIROS 01 FARMACÊUTICO 16 FISIOTERAPEUTAS 04 FONOAUDIÓLOGAS 05 NUTRICIONISTAS 02 PSICÓLOGAS 19 TÉCNICOS DE ENFERMAGEM 14 FUNCIONÁRIOS (ADMINISTRATIVOS, ANALISTAS, RECEPÇÃO, MOTORISTA...) TOTAL: 87 FUNCIONÁRIOS TERCEIRIZADOS: 06 ( HIGIENE, PORTEIROS E MANOBRISTAS). 05 EMPRESAS DE HOME CARE. 01 PARA FORNECIMENTO DE EQUIPAMENTOS RESPIRATÓRIOS

6 ADUC - LEGISLAÇÃO RDC Nº 11 26/01/2006 Serviços de Atenção Domiciliar nas modalidades de Assistência e Internação Domiciliar. Definições: 3.3 Atenção domiciliar: termo genérico que envolve ações de promoção á saúde, prevenção, tratamento de doenças e reabilitação desenvolvidas em domicílio. 3.4 Assistência domiciliar: conjunto de atividades de caráter ambulatorial, programadas e continuadas desenvolvidas em domicílio. 3.7 Internação Domiciliar: conjunto de atividades prestadas no domicílio, caracterizadas pela atenção em tempo integral ao paciente com quadro clínico mais complexo e com necessidades de tecnologia especializada.

7 ADUC - LEGISLAÇÃO RN 262/2011 (em vigor a partir e 01/01/2012) ATUALIZA O ROL DE PROCEDIMENTOS E EVENTOS EM SAÚDE Art. 13. Caso a operadora ofereça a internação domiciliar em substituição à internação hospitalar, com ou sem previsão contratual, deverá obedecer às exigências previstas nos normativos vigentes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária- ANVISA e nas alíneas c, d e e do artigo 12 da Lei nº 9.656, de Parágrafo único: Nos casos em que a assistência domiciliar não se dê em substituição à internação hospitalar, esta deverá obedecer à previsão contratual ou à negociação entre as partes.

8 ADUC Objetivos Promover meio seguro de suporte para doentes crônicos e pessoas dependentes, reduzindo riscos de complicações e descompensações evitando internações; Restaurar e manter o mais alto nível de independência funcional do paciente a fim de preservar sua autonomia individual e melhorar sua qualidade de vida; Promover conforto e dignidade para o paciente terminal e seus familiares; Desospitalizar precocemente, diminuindo a utilização de serviços hospitalares a fim de otimizar os altos custos de internação e manter o equilíbrio financeiro do plano.

9 Condições para admissão no programa Solicitação do médico assistente Residir nas cidades da área de abrangência Desejo expresso de famíliares/presença de cuidador Intercâmbio/ Custo Operacional autorização prévia Critérios de elegibilidade (tabelas anexas) Classificação segundo o grau de complexidade Internações de repetição Diagnóstico de patologias terminais Alta hospitalar precoce para antibioticoterapia Doenças crônicas controladas Pacientes dependentes de oxigênio JUDICIALIZAÇÃO

10 ADUC - Serviços Oferecidos Internação Domiciliar: Clientes em Ventilação Mecânica Invasiva, terminais, em uso de NPP ou exceções analisados individualmente; Contempla: enfermagem 24h, fisioterapia motora, materiais, equipamentos de suporte ventilatório e mais o que é oferecido para os pacientes em assistência domiciliar. Assistência Domiciliar Critérios ou definições imprecisas Visitas da equipe multidisciplinar (conforme plano de cuidados); Administração de medicações endovenosas; Procedimentos técnicos; Fornecimento de oxigênio; Grupo de curativos; Visita de médico especialista;

11 ADUC 02/2013 Clientes assistidos (média mensal) Internação Domiciliar: 53 sendo 28 em ventilação mecânica Assistência Domiciliar: 754 Total Clientes: 807 Por Ações Judiciais em Atendimento: 19

12 ADUC Internação domiciliar Comparativo de custos (11/2012) ventilação mecânica - UTI Hospital classificação A3 A B D Diária R$1083,69 R$962,70 R$888,64 R$740,54 Oxigênio R$240,00 R$240,00 R$240,00 R$240,00 Visita R$39,00 R$39,00 R$39,00 R$39,00 Plantão R$234,00 R$234,00 R$234,00 R$234,00 Intensivista R$18,00 R$18,00 R$18,00 R$18,00 Fisioterapia 2x R$33,60 R$33,60 R$33,60 R$33,60 Dieta R$40,00 R$40,00 R$40,00 R$40,00 Total dia R$1.688,29 R$1.567,30 R$1.493,24 R$1.345,14 Total 30 dias R$50.648,70 R$47.019,00 R$44.797,20 R$40.354,20

13 ADUC Internação domiciliar Comparativo de custos (11/2012) Médico 4 R$ 600,00 Enfermeiro 1 R$ 70,00 Técnico enf 4 R$ 180,00 Fisioterapia 12 R$ 720,00 Nutricionista 1 R$ 70,00 Diária Enfermagem 30 R$ 9.515,40 Equipamentos respiratórios Mensal R$ 2.854,56 Materiais de consumo Mensal R$ 1.500,00 Total Dia R$ 516,99 Total 30 dias R$ ,96

14 ADUC - Comparativo de custos Paciente em quarto coletivo x domicílio (02/2013) Prescrição: Targocid 400m 1x/dia por 30 dias Diária A3 A B D Custo ADUC Visita Targocid 400mg R$285,36 R$39,00 R$253,50 R$39,00 R$234,00 R$39,00 R$195,00 R$39,00 R$469,58 R$469,58 R$469,58 R$469,58 Total dia R$793,94 R$762,08 R$742,58 R$703,58 Enf Targoci d 400mg Total dia R$36,22 R$138,63 R$174,42 Total 30 dias R$23.818,20 R$ ,40 R$22.277,40 R$21.107,40 Total 30 dias R$5.232,26

15 CUIDADOS PALIATIVOS Período: 23/07/12 a 28/03/13: TOTAL DE PACIENTES ADMITIDOS: 70 TOTAL DE ÓBITOS: 45 TOTAL DE PACIENTES EM ATENDIMENTOS: 25 TOTAL DE VISITAS MÉDICAS: 303

16 ADUC Atendimentos Complementares Ambulatório de curativos Avaliação da lesão por enfermeiro especialista; Prescrição do curativo; Orientação de cuidados; Realização do curativo; Acompanhamento da evolução. Sala de medicação Infusão de medicamentos conforme prescrição médica (ATB, Noripurum, Imunoglobulina, etc); Manutenção de cateter implantado Passagem e manutenção de PICC

17 DIFICULDADES Aumento número de internações domiciliares e dos custos - Envelhecimento da população doenças crônicas degenerativas - Novas tecnologias Condições familiares sócio econômicas Ausência de cuidador Qualidade técnica de enfermagem terceirizada Liminares Ausência de Hospital de apoio/retaguarda

18 DADOS DEMOGRÁFICOS DA POPULAÇÃO BRASILIERIA POR FAIXAS ETÁRIAS NOS ANOS DE 2002 E POPULAÇÃO BRASILEIRA POR GRUPO DE FAIXAS ETÁRIA NO ANO DE a 4 5 a 9 10 a a a a a a a a e mais POPULAÇÃO BRASILEIRA POR GRUPO DE FAIXAS ETÁRIA NO ANO DE a 4 5 a 9 10 a a a a a a a a e mais % DE CRESCIMENTO POPULACIONAL DE 2002 PARA 2012 NA FAIXA ETÁRIA -16,72% -10,52% -2,12% -6,34% 13,19% 15,81% 27,47% 45,72% 37,38% 38,15% 58,81% 11,08% TOTAL TOTAL Tabela elaborada com base em dados obtidos no Site da ANS

19 Obrigado! Tel: (19)

ASSISTÊNCIA DOMICILIAR UNIMED VITÓRIA

ASSISTÊNCIA DOMICILIAR UNIMED VITÓRIA ASSISTÊNCIA DOMICILIAR UNIMED VITÓRIA ASSISTÊNCIA DOMICILIAR CIAS CENTRO INTEGRADO DE ATENÇÃO A SAÚDE UNIMED DIAGNÓSTICO SOS CONCEITO FORNECER SERVIÇOS, EQUIPAMENTOS, MATERIAIS E MEDICAMENTOS AO USUÁRIO

Leia mais

GERENCIAMENTO da Atenção Domiciliar P.G.A.D.

GERENCIAMENTO da Atenção Domiciliar P.G.A.D. GERENCIAMENTO da Atenção Domiciliar P.G.A.D. Gerenciamento da Atenção Domiciliar PGAD.indd 1 19/10/2015 15:30:04 Gerenciamento da Atenção Domiciliar PGAD Objetivo: Fornecer suporte ao paciente para que

Leia mais

Desafios da Alta no Programa de Atenção Domiciliar. Dr. Antonio Issa Ribeirão Preto-SP

Desafios da Alta no Programa de Atenção Domiciliar. Dr. Antonio Issa Ribeirão Preto-SP Desafios da Alta no Programa de Atenção Domiciliar Dr. Antonio Issa Ribeirão Preto-SP Os desafios da Alta no Programa de Atenção Domiciliar (AD) são complexos e envolvem várias diretrizes, argumentos,

Leia mais

QUALIFICAÇÃO DA REDE HOSPITALAR UNIMED VITÓRIA

QUALIFICAÇÃO DA REDE HOSPITALAR UNIMED VITÓRIA QUALIFICAÇÃO DA REDE HOSPITALAR UNIMED VITÓRIA 18 de Novembro de 2016 UNIMED VITÓRIA / ES 328.000 CLIENTES, SENDO DESTES, 32.000 EM ATENÇÃO PRIMÁRIA; 2.360 MÉDICOS COOPERADOS; 260 PRESTADORES DE SERVIÇO;

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2012

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2012 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2012 Altera a Lei nº 9.656, de 3 de junho de 1998, que dispõe sobre os planos e seguros privados de assistência à saúde, para tornar obrigatória a cobertura de assistência

Leia mais

Seminário Nacional Unimed de Medicina Preventiva

Seminário Nacional Unimed de Medicina Preventiva Seminário Nacional Unimed de Medicina Preventiva - 2009 Programa de Reabilitação Pulmonar Rosângela H. Araújo Santos Divisão Cooperados Total: 838 0,04% Gerência Executiva da Assistência e Promoção à Saúde

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA ATUAÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL NA ASSISTÊNCIA DOMICILIAR

A IMPORTÂNCIA DA ATUAÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL NA ASSISTÊNCIA DOMICILIAR A IMPORTÂNCIA DA ATUAÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL NA ASSISTÊNCIA DOMICILIAR PROGRAMA DE ATENÇÃO DOMICILIAR UNIMED-BH CAMILA CARNEIRO DA FONSECA Assistente Social Serviço de Atenção Domiciliar Atenção Domiciliar

Leia mais

AMIL SAÚDE PARA EMPRESAS Tabelas de preços 30 a 99 vidas. Tabela de preços 30 a 99 vidas plano com coparticipação

AMIL SAÚDE PARA EMPRESAS Tabelas de preços 30 a 99 vidas. Tabela de preços 30 a 99 vidas plano com coparticipação AMIL SAÚDE PARA EMPRESAS Tabelas de preços 30 a 99 vidas Julho 2016 Amil 400 Amil 400 Amil 500 Amil 700 Faixa Etária Enfermaria Apartamento Apartamento Apartamento 00 a 18 anos 202,75 230,51 254,40 314,64

Leia mais

Eixo relacionado às ações de. Promoção à Saúde, Prevenção. de Riscos/Doenças e Atenção Domiciliar

Eixo relacionado às ações de. Promoção à Saúde, Prevenção. de Riscos/Doenças e Atenção Domiciliar CAS Comitê de Atenção Integral à Saúde Setembro /2012 Eixo relacionado às ações de G Promoção à Saúde, Prevenção T 1 de Riscos/Doenças e Atenção Domiciliar PRO 1 PRO 2 Qualidade & Segurança Comunicação

Leia mais

Plano de Saúde Amil Empresarial ou PME

Plano de Saúde Amil Empresarial ou PME AMIL SAÚDE PARA EMPRESAS Tabelas 02 a 29 vidas Amil Saúde 400, 500, 700 para 02 a 29 vidas AMIL SAÚDE PARA EMPRESAS QUEM PODE SER DEPENDENTE = DEPENDENTES LEGAIS ATÉ O TERCEIRO GRAU DE PARENTESCO LIMITADOS

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE INTERNAÇÃO DOMICILIAR

POLÍTICA NACIONAL DE INTERNAÇÃO DOMICILIAR NOTA TÉCNICA 02 2006 POLÍTICA NACIONAL DE INTERNAÇÃO DOMICILIAR 1 Brasília, 10 de fevereiro de 2006. I. Introdução: NOTA TÉCNICA 02 2006 O Ministério da Saúde está propondo a implantação da Política Nacional

Leia mais

Programa de Residência Multiprofissional em Gerontologia

Programa de Residência Multiprofissional em Gerontologia Programa de Residência Multiprofissional em Gerontologia Cenário de Prática: No primeiro ano, o residente terá atuação na Proteção Especial e Atenção Especializada de Média e Alta Complexidade, em Unidade

Leia mais

Coordenação-Geral de Atenção Domiciliar/DAB/SAS/MS

Coordenação-Geral de Atenção Domiciliar/DAB/SAS/MS Coordenação-Geral de Atenção Domiciliar/DAB/SAS/MS Reflexões sobre Atenção Domiciliar Causas da expansão do cuidado domiciliar mundial: Resposta a mudança do padrão demográfico e patológico Insuficiência

Leia mais

Gestão de Pessoas em Atenção Domiciliar

Gestão de Pessoas em Atenção Domiciliar Gestão de Pessoas em Atenção Domiciliar Terceirização de Mão de Obra: Modelos de Contratação Frente as Exigências de Mercado Rosana Margarete de Freitas Vieira Diretora Executiva da Med Lar Internações

Leia mais

Ciclo de Debates SUS: Políticas Sociais e de Assistência à Saúde do Idoso

Ciclo de Debates SUS: Políticas Sociais e de Assistência à Saúde do Idoso Senado Federal Ciclo de Debates SUS: Políticas Sociais e de Assistência à Saúde do Idoso Brasília, 26 de maio de 2009 Professora Dra Maria Alice Toledo Professora adjunta de Geriatria e Psiquiatria da

Leia mais

COMISSÃO PARITÁRIA Redimensionamento da Rede Credenciada 14/11/2016

COMISSÃO PARITÁRIA Redimensionamento da Rede Credenciada 14/11/2016 COMISSÃO PARITÁRIA Redimensionamento da Rede Credenciada 14/11/2016 Conceito É o conjunto de profissionais e estabelecimentos de saúde, incluindo médicos, consultórios, laboratórios, clínicas e hospitais,

Leia mais

PROPOSTA COMERCIAL (VALIDADE: 29/04/2012)

PROPOSTA COMERCIAL (VALIDADE: 29/04/2012) PROPOSTA COMERCIAL (VALIDADE: 29/04/2012) Florianópolis, 29 de Março de 2012 SINASEFE Sobre a Unimed A Unimed é a maior experiência cooperativista na área da saúde em todo o mundo e também a maior rede

Leia mais

CENTRO DE PROCEDIMENTO E APOIO

CENTRO DE PROCEDIMENTO E APOIO CENTRO DE PROCEDIMENTO E APOIO Zona Norte Zona Leste Av. Água Fria, 135- Santana Av. Celso Garcia, 4974 -Tatuapé Para atender as necessidades de mercado e se tornar ainda mais competitiva, a Unimed adotou

Leia mais

Estruturação dos Serviços de Medicina Preventiva de acordo com diretrizes da ANS

Estruturação dos Serviços de Medicina Preventiva de acordo com diretrizes da ANS Estruturação dos Serviços de Medicina Preventiva de acordo com diretrizes da ANS A região da Serra Gaúcha está localizada no nordeste do estado do Rio Grande do Sul, região sul do Brasil. Área de abrangência

Leia mais

PROCESSO DE RECRUTAMENTO, SELEÇÃO, CAPACITAÇÃO E RETENÇÃO DE TALENTOS

PROCESSO DE RECRUTAMENTO, SELEÇÃO, CAPACITAÇÃO E RETENÇÃO DE TALENTOS PROCESSO DE RECRUTAMENTO, SELEÇÃO, CAPACITAÇÃO E RETENÇÃO DE TALENTOS UNIMED VITÓRIA DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA Presente em 9 municípios capixabas... - Fonte: Intramed Unimed Vitória - Unimed Vitória / Mar/2015

Leia mais

configura-se como garantir ofertas de cuidados domiciliares apoiadoras dos projetos

configura-se como garantir ofertas de cuidados domiciliares apoiadoras dos projetos Serviço de Atenção Domiciliar de São Bernardo do Campo Proponente: Secretaria de Saúde de São Bernardo do Campo, SP. CNPJ: 46523239/0001-47 Endereço: Rua Luiz Ferreira da Silva, 172, Parque São Domingo,

Leia mais

VISITA MULTIDISCIPLINAR UTI

VISITA MULTIDISCIPLINAR UTI Pr02 1 de 5 PROTOCOLO Data de Emissão: Histórico de Revisão / Versões Data Versão/Revisões Descrição Autor 1.00 Proposta inicial EB,SRPT 1- Introdução A Unidade de Terapia Intensiva é um setor de alta

Leia mais

Tipologia dos Estabelecimentos de Saúde

Tipologia dos Estabelecimentos de Saúde Tipologia dos Estabelecimentos de Saúde O Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde - CNES foi implantado em 29 de dezembro de 2000, através da Portaria SAS n.º 511. O CNES abrange a todos os estabelecimentos

Leia mais

INTERNAÇÃO DOMICILIAR: EXPERIÊNCIA EM UM MUNICÍPIO DE MINAS GERAIS

INTERNAÇÃO DOMICILIAR: EXPERIÊNCIA EM UM MUNICÍPIO DE MINAS GERAIS INTERNAÇÃO DOMICILIAR: EXPERIÊNCIA EM UM MUNICÍPIO DE MINAS GERAIS Autoras:Leila da Cunha Meneses; Maria Aparecida Rodegheri. Objetivo:O objetivo é mostrar nossa experiência ao longo dos três anos de funcionamento

Leia mais

Certificação Joint Commission no Programa de Dor Torácica.

Certificação Joint Commission no Programa de Dor Torácica. Certificação Joint Commission no Programa de Dor Torácica. Enf. Ana Paula de Mattos Coelho Hemodinâmica - Hospital TotalCor E-mail: acoelho@totalcor.com.br Joint Commission Acreditação do atendimento hospitalar;

Leia mais

SICA: Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS) Prof. Walfrido K. Svoboda

SICA: Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS) Prof. Walfrido K. Svoboda ATENÇÃO BÁSICAB SICA: Programa de Saúde da Família (PSF) ou Estratégia de Saúde da Família (ESF) Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS) Disciplina: SAÚDE PÚBLICA P I (MS-052) Prof. Walfrido K.

Leia mais

Solicitação de Parecer Técnico ao COREN MA sobre O que é necessário para o profissional de Enfermagem realizar atendimento domiciliar particular

Solicitação de Parecer Técnico ao COREN MA sobre O que é necessário para o profissional de Enfermagem realizar atendimento domiciliar particular PARECER TÉCNICO COREN-MA-CPE Nº 20/2015 ASSUNTO: Atendimento de Enfermagem particular em domicilio. 1. Do fato Solicitação de Parecer Técnico ao COREN MA sobre O que é necessário para o profissional de

Leia mais

Implantação da Gestão da Qualidade no Serviço de Atenção Domiciliar - Unimed Federação Paraná

Implantação da Gestão da Qualidade no Serviço de Atenção Domiciliar - Unimed Federação Paraná Implantação da Gestão da Qualidade no Serviço de Atenção Domiciliar - Unimed Federação Paraná Roteiro Cenário da Unimed Paraná; Abordar a relevância do Tema; Apresentar algumas Propostas de ações para

Leia mais

Encontro Nacional Unimed Assistentes Sociais 2013 GERENCIAMENTO PARA O PROCESSO DE DESOSPITALIZAÇÃO: POR QUE, QUANDO E COMO VIABILIZAR?

Encontro Nacional Unimed Assistentes Sociais 2013 GERENCIAMENTO PARA O PROCESSO DE DESOSPITALIZAÇÃO: POR QUE, QUANDO E COMO VIABILIZAR? Encontro Nacional Unimed Assistentes Sociais 2013 GERENCIAMENTO PARA O PROCESSO DE DESOSPITALIZAÇÃO: POR QUE, QUANDO E COMO VIABILIZAR? NOVOTEL / SP ABRIL 2013 DR. LUÍS CLÁUDIO MARROCHI Diretor Técnico

Leia mais

Agenda Regulatória. Secretário Executivo da ANS. São Paulo, 05 de novembro de Debates GVSaúde João Luis Barroca

Agenda Regulatória. Secretário Executivo da ANS. São Paulo, 05 de novembro de Debates GVSaúde João Luis Barroca Agenda Regulatória ANS Debates GVSaúde João Luis Barroca Secretário Executivo da ANS São Paulo, 05 de novembro de 2012 Evolução do Processo de Regulação Até 1997 1997 1998 1999 2000 Debates no Congresso

Leia mais

Data Versão/Revisões Descrição Autor 16/11/ Proposta inicial CESC, FA, LAS, RFC. 14/01/ Atualização CESC, LAS, MBJ, CAMS, LR

Data Versão/Revisões Descrição Autor 16/11/ Proposta inicial CESC, FA, LAS, RFC. 14/01/ Atualização CESC, LAS, MBJ, CAMS, LR 1 de 5 Histórico de Revisão / Versões Data Versão/Revisões Descrição Autor 16/11/2012 1.00 Proposta inicial CESC, FA, LAS, RFC. 2.00 Atualização CESC, LAS, MBJ, CAMS, LR 1 Objetivo Promover assistência

Leia mais

SERVIÇO SOCIAL E A MEDICINA PREVENTIVA

SERVIÇO SOCIAL E A MEDICINA PREVENTIVA SERVIÇO SOCIAL E A MEDICINA PREVENTIVA NOSSA CASA A importância do Trabalho em Equipe Multidisciplinar Assistente Social Enfermeira Técnicos de enfermagem Fisioterapeuta Nutricionista Médico Psicólogo

Leia mais

PROGRAMA DE ATENÇÃO A PACIENTES CRÔNICOS UNIMED NATAL. Ass. Social ROSSANA CHACON Gerência de Prevenção e Saúde

PROGRAMA DE ATENÇÃO A PACIENTES CRÔNICOS UNIMED NATAL. Ass. Social ROSSANA CHACON Gerência de Prevenção e Saúde PROGRAMA DE ATENÇÃO A PACIENTES CRÔNICOS UNIMED NATAL Ass. Social ROSSANA CHACON Gerência de Prevenção e Saúde rossanachacon@unimednatal.com.br Programa de Atenção a Pacientes Crônicos Elaborado pela Gerência

Leia mais

Gestão de Custos Assistenciais. Dr. Orestes Barrozo M. Pullin Diretor-Presidente da Unimed Paraná

Gestão de Custos Assistenciais. Dr. Orestes Barrozo M. Pullin Diretor-Presidente da Unimed Paraná Gestão de Custos Assistenciais Dr. Orestes Barrozo M. Pullin Diretor-Presidente da Unimed Paraná 2 Gestão de Custos Assistenciais Atenção à Saúde Interação entre as áreas de Contratos e da Atenção à Saúde

Leia mais

CUIDADOS CONTINUADOS INTEGRADOS

CUIDADOS CONTINUADOS INTEGRADOS CUIDADOS CONTINUADOS INTEGRADOS Unidades de Convalescença, Reabilitação e Manutenção O Hospital SOERAD dispõe de programas de Cuidados Continuados adaptados especificamente às necessidades de cada paciente,

Leia mais

Auditoria Farmacêutica. Unimed Federação Minas

Auditoria Farmacêutica. Unimed Federação Minas Auditoria Farmacêutica Unimed Federação Minas Unimed Federação Minas REPRESENTATIVIDADE POLÍTICO-INSTITUCIONAL 3 Milhões de clientes 56% de participação de mercado 16.530 cooperados NÚMEROS 61 Cooperativas

Leia mais

Sustentabilidade da Saúde Suplementar

Sustentabilidade da Saúde Suplementar Sustentabilidade da Saúde Suplementar Rafael Pedreira Vinhas Gerente-Geral Gerência-Geral Regulatória da Estrutura dos Produtos Fórum de Regulação do Sistema Unimed - Maceió, 11 de maio de 2016. Agência

Leia mais

APOIO FAMILIAR DIREITOS E ESTRATEGIAS. Renata Flores Tibyriçá Defensora Pública do Estado de São Paulo

APOIO FAMILIAR DIREITOS E ESTRATEGIAS. Renata Flores Tibyriçá Defensora Pública do Estado de São Paulo APOIO FAMILIAR DIREITOS E ESTRATEGIAS Renata Flores Tibyriçá Defensora Pública do Estado de São Paulo O Que é Defensoria Pública? Defensoria Pública é instituição prevista na Constituição Federal (art.

Leia mais

PERFIL DAS AÇÕES JUDICIAIS EM SAÚDE NO ESTADO DE SÃO PAULO. Setembro de 2016

PERFIL DAS AÇÕES JUDICIAIS EM SAÚDE NO ESTADO DE SÃO PAULO. Setembro de 2016 PERFIL DAS AÇÕES JUDICIAIS EM SAÚDE NO ESTADO DE SÃO PAULO Setembro de 2016 APRESENTAÇÃO A SES-SP É RESPONSÁVEL: Pela formulação das políticas estaduais de saúde, norteada pelos princípios do SUS Por parte

Leia mais

Projetos e Metas do Intercâmbio Nacional para 2017

Projetos e Metas do Intercâmbio Nacional para 2017 Projetos e Metas do Intercâmbio Nacional para 2017 Carla Sales Ingressou no sistema Unimed em 1995 Unimed do Brasil; Participou dos processos ligados ao atendimento durante a Criação da Central Nacional

Leia mais

Cronograma de Educação Permanente 2016

Cronograma de Educação Permanente 2016 Cronograma de Educação Permanente 2016 JANEIRO FEVEREIRO Atendimento ao cliente s Favorecer diálogos sobre boas práticas de atendimento ao cliente. quimioterapia, equipe do SAME e colaboradores. MARÇO

Leia mais

Serviços de Cuidados Paliativos na Bahia

Serviços de Cuidados Paliativos na Bahia Serviços de Cuidados Paliativos na Bahia São possíveis? Conhecimento x necessidade x financiamento. Onde Estão? Clínicas, Hospitais, ONGs,... Como são? Modalidades possíveis x desejáveis. Já existem na

Leia mais

Manual TISS Troca de Informações em Saúde Suplementar

Manual TISS Troca de Informações em Saúde Suplementar Manual TISS Troca de Informações em Saúde Suplementar Instruções para preenchimento Grupo 5 - Clínicas e Laboratórios Unimed Sorocaba Cooperativa de Trabalho Médico Av. Pres. Juscelino Kubitscheck de Oliveira,

Leia mais

APRESENTAÇÃO. A BAHIA HOME CARE elaborou este guia para apresentar a você e seus familiares, informações sobre a Assistência Domiciliar.

APRESENTAÇÃO. A BAHIA HOME CARE elaborou este guia para apresentar a você e seus familiares, informações sobre a Assistência Domiciliar. APRESENTAÇÃO A BAHIA HOME CARE elaborou este guia para apresentar a você e seus familiares, informações sobre a Assistência Domiciliar. Trata-se de uma forma de assistência em saúde complementar àquela

Leia mais

Encontro Nacional Unimed de Recursos e Serviços Próprios 2010 QUALIFICARE Programa de Qualificação de Recursos Próprios Fesp

Encontro Nacional Unimed de Recursos e Serviços Próprios 2010 QUALIFICARE Programa de Qualificação de Recursos Próprios Fesp Encontro Nacional Unimed de Recursos e Serviços Próprios 2010 12/5/2010 QUALIFICARE Programa de Qualificação de Recursos Próprios Unimed no Estado de São Paulo Singulares - 73 Intrafederativas - 6 Federação

Leia mais

NOTA TÉCNICA 10 /2012 Altera dispositivos da Portaria nº 2.527/GM, de 27 de outubro de 2011, que redefine a atenção domiciliar no âmbito do SUS.

NOTA TÉCNICA 10 /2012 Altera dispositivos da Portaria nº 2.527/GM, de 27 de outubro de 2011, que redefine a atenção domiciliar no âmbito do SUS. Altera dispositivos da Portaria nº 2.527/GM, de 27 de outubro de 2011, que redefine a atenção domiciliar no âmbito do SUS. Brasília, 04 de junho de 2012. 1 NOTA TÉCNICA 2012 INTRODUÇÃO Em 27 de outubro

Leia mais

Autor: Leila Cristina Pilonetto Baggio Co autores: Marcos Fiorentin, Elizangela Greggio Vincensi, Joares Telles Junior, Ana Cristina G. Costella, ACS.

Autor: Leila Cristina Pilonetto Baggio Co autores: Marcos Fiorentin, Elizangela Greggio Vincensi, Joares Telles Junior, Ana Cristina G. Costella, ACS. HIPERTENSÃO ARTERIAL E DIABETE MELLITUS: UMA ANALISE DO ACOMPANHAMENTO REALIZADO PELA EQUIPE ESF DE BOM SUCESSO DO SUL Autor: Leila Cristina Pilonetto Baggio Co autores: Marcos Fiorentin, Elizangela Greggio

Leia mais

Dr. Fernando Figueiredo Coordenador Médico Home Care Unimed Porto Alegre

Dr. Fernando Figueiredo Coordenador Médico Home Care Unimed Porto Alegre Dr. Fernando Figueiredo Coordenador Médico Home Care Unimed Porto Alegre 1 HOME CARE UNIMED PORTO ALEGRE 2 EQUIPE HOME CARE UNIMED PORTO ALEGRE GESTÃO ASSISTÊNCIA ÁREAS DE APOIO 1 Médico coordenador 1

Leia mais

Campinas. Amil Life O mesmo cuidado de antigamente com toda a tecnologia de hoje. O olho no olho com seu médico de confiança voltou. amil.com.

Campinas. Amil Life O mesmo cuidado de antigamente com toda a tecnologia de hoje. O olho no olho com seu médico de confiança voltou. amil.com. Amil Life O mesmo cuidado de antigamente com toda a tecnologia de hoje. O olho no olho com seu médico de confiança voltou. Tabela de Preços Julho-2016 amil.com.br Confira onde encontrar as unidades do

Leia mais

GERENCIAMENTO DE RISCO DE QUEDA

GERENCIAMENTO DE RISCO DE QUEDA 1 de 5 PROTOCOLO Data de Emissão: Histórico de Revisão / Versões Data Versão/Revisões Descrição Autores 1.00 Proposta inicial MGO,ESS,MRM,PAD,GAA,FCA,AMR,RRM 1 Objetivo Implantar um processo de assistência

Leia mais

ANEXO I NORMAS DE HABILITAÇÃO PARA A ATENÇÃO ESPECIALIZADA NO PROCESSO TRANSEXUALIZADOR

ANEXO I NORMAS DE HABILITAÇÃO PARA A ATENÇÃO ESPECIALIZADA NO PROCESSO TRANSEXUALIZADOR ANEXO I NORMAS DE HABILITAÇÃO PARA A ATENÇÃO ESPECIALIZADA NO PROCESSO TRANSEXUALIZADOR 1. NORMAS DE HABILITAÇÃO PARA A MODALIDADE AMBULATORIAL 1.1. A Modalidade Ambulatorial consiste nas ações de âmbito

Leia mais

Implantação do protocolo de acolhimento com classificação de risco nas unidades ambulatoriais do Tribunal de Justiça de São Paulo

Implantação do protocolo de acolhimento com classificação de risco nas unidades ambulatoriais do Tribunal de Justiça de São Paulo Implantação do protocolo de acolhimento com classificação de risco nas unidades ambulatoriais do Tribunal de Justiça de São Paulo Josinete Ap.da Silva Bastos Cerullo Doutora em Enfermagem Noemi de Melo

Leia mais

Atenção Domiciliar no Município do Rio de Janeiro. Germana Périssé Girlana Marano Hortense Marcier Brasília Junho/2013

Atenção Domiciliar no Município do Rio de Janeiro. Germana Périssé Girlana Marano Hortense Marcier Brasília Junho/2013 Atenção Domiciliar no Município do Rio de Janeiro Germana Périssé Girlana Marano Hortense Marcier Brasília Junho/2013 Breve Histórico Os limites administrativos do espaço físico da Cidade do Rio de Janeiro

Leia mais

Seu bebê encontra-se nesse momento sob cuidados intensivos na UTI Neonatal, por apresentar um quadro de risco à saúde.

Seu bebê encontra-se nesse momento sob cuidados intensivos na UTI Neonatal, por apresentar um quadro de risco à saúde. AOS PAIS E FAMILIARES Seu bebê encontra-se nesse momento sob cuidados intensivos na UTI Neonatal, por apresentar um quadro de risco à saúde. Sabemos que a angústia, o medo e as preocupações são comuns

Leia mais

João Monlevade. O que é o TISS?

João Monlevade. O que é o TISS? O que é o TISS? O TISS é a sigla para Troca de Informações em Saúde Suplementar Instituído pela RN 114, de 26/10/2005 Modelos de guias definidos pela IN 17, de 10/11/2005 TODAS AS OPERADORAS DE SAÚDE IRÃO

Leia mais

PROGRAMA MELHOR EM CASA E A RESPONSABILIZAÇÃO DE FAMÍLIAS NO CUIDAR

PROGRAMA MELHOR EM CASA E A RESPONSABILIZAÇÃO DE FAMÍLIAS NO CUIDAR PROGRAMA MELHOR EM CASA E A RESPONSABILIZAÇÃO DE FAMÍLIAS NO CUIDAR Larissa Fernandes Telles (Acadêmica do 3 ano de Serviço Social), Suellen Mota Oliveira (Acadêmica do 3 de Serviço Social), Marília Dal

Leia mais

CUIDAR DE VOCÊ. ESSE É O PLANO

CUIDAR DE VOCÊ. ESSE É O PLANO Página 1 de 18 Manual do Reembolso Unimed Cerrado CUIDAR DE VOCÊ. ESSE É O PLANO 2016 1 Página 2 de 18 Sumário APRESENTAÇÃO... 3 DIRETRIZES DO REEMBOLSO... 4 PRINCIPAIS DÚVIDAS SOBRE O REEMBOLSO... 5 REEMBOLSO

Leia mais

BETIM Leila da Cunha Meneses Maria Aparecida Rodegheri

BETIM Leila da Cunha Meneses Maria Aparecida Rodegheri INTERNAÇÃO DOMICILIAR: EXPERIÊNCIA EM UM MUNICÍPIO DE MINAS GERAIS BETIM Leila da Cunha Meneses Maria Aparecida Rodegheri Betim- Minas Gerais Dados Importantes População : 2010 (IBGE) : 378.089 Orçamento

Leia mais

Controle de infecção em postos de saúde e clínicas ambulatoriais

Controle de infecção em postos de saúde e clínicas ambulatoriais Controle de infecção em postos de saúde e clínicas ambulatoriais Maria Clara Padoveze Escola de Enfermagem da USP Conceito de vulnerabilidade Conceitos de grupos de risco e comportamento de risco em Aids

Leia mais

adota a seguinte Resolução da Diretoria Colegiada e eu, Diretor-Presidente, determino a sua publicação:

adota a seguinte Resolução da Diretoria Colegiada e eu, Diretor-Presidente, determino a sua publicação: RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº11, DE 26 DE JANEIRO DE 2006. Dispõe sobre o Regulamento Técnico de Funcionamento de Serviços que prestam Atenção Domiciliar A Diretoria Colegiada da Agência Nacional

Leia mais

Superintendência de Gestão, Planejamento e Finanças Gerência de Contratos e Convênios ANEXO II METAS DE PRODUÇÃO

Superintendência de Gestão, Planejamento e Finanças Gerência de Contratos e Convênios ANEXO II METAS DE PRODUÇÃO ANEXO II METAS DE PRODUÇÃO 1. ATIVIDADES MÍNIMAS A REALIZAR 1.1. ASSISTÊNCIA HOSPITALAR Produção. 1.1.1. Realizar, no mínimo, 90% da meta estabelecida no Plano de Metas de 1.1.2. O indicador de aferição

Leia mais

Necessidades que estiveram na base da implementação da Equipa

Necessidades que estiveram na base da implementação da Equipa Catarina Pazes Necessidades que estiveram na base da implementação da Equipa Aumento da dependência e fragilidade associadas ao envelhecimento; Aumento do número de pessoas com doenças crónicas evolutivas;

Leia mais

PROPOSTA DE INOVAÇÃO NO MIN REEMBOLSO NA RELAÇÃO DE INTERCÂMBIO

PROPOSTA DE INOVAÇÃO NO MIN REEMBOLSO NA RELAÇÃO DE INTERCÂMBIO PROPOSTA DE INOVAÇÃO NO MIN REEMBOLSO NA RELAÇÃO DE INTERCÂMBIO APRESENTAÇÃO A Unimed Federação Minas é a instituição responsável por promover a cooperação e o fortalecimento da Unimed em Minas Gerais.

Leia mais

Programa Anti-tabagismo

Programa Anti-tabagismo São Paulo, 4 a 6 de março de 2009 Programa Anti-tabagismo Dra. Nathércia Abrão Diretora de Provimento de Saúde Unimed Juiz de Fora Membro da CTPPS Federação Minas Unimed Juiz de Fora em números Receita:180

Leia mais

PERCEPÇÃO DE FISIOTERAPEUTAS RESIDENTES SOBRE IDOSOS CUIDADORES DE IDOSOS EM UM AMBULATÓRIO DE FISIOTERAPIA: RELATO DE EXPERIÊNCIA

PERCEPÇÃO DE FISIOTERAPEUTAS RESIDENTES SOBRE IDOSOS CUIDADORES DE IDOSOS EM UM AMBULATÓRIO DE FISIOTERAPIA: RELATO DE EXPERIÊNCIA PERCEPÇÃO DE FISIOTERAPEUTAS RESIDENTES SOBRE IDOSOS CUIDADORES DE IDOSOS EM UM AMBULATÓRIO DE FISIOTERAPIA: RELATO DE EXPERIÊNCIA Marluce Umbelino França, Flávia Laís da Silva Residência Multiprofissional

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Etec Ensino Técnico ETEC PROFESSOR MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: Tupã Eixo tecnológico: AMBIENTE e SAÚDE Habilitação Profissional: Técnico em Enfermagem Qualificação:

Leia mais

2. FUNCIONÁRIOS - CONTRATADOS POR TEMPO DETERMINADO Médico Clínico 1 Médico Pediatra 1 Médico Ginecologista 1

2. FUNCIONÁRIOS - CONTRATADOS POR TEMPO DETERMINADO Médico Clínico 1 Médico Pediatra 1 Médico Ginecologista 1 1. FUNCIONÁRIOS - EFETIVOS Médico Clínico 6 Médico Pediatra 2 Médico de Estratégia PSF 0 Psicólogo Clínico 30 horas 0 Psicólogo Clínico 40 horas 1 Cirurgião Dentista 4 Auxiliar de Saúde Bucal 4 Técnico

Leia mais

REGULAMENTO CABESP ASSISTÊNCIA DOMICILIAR

REGULAMENTO CABESP ASSISTÊNCIA DOMICILIAR REGULAMENTO CABESP ASSISTÊNCIA DOMICILIAR CAPITULO I Do Objetivo Art. º Proporcionar ao paciente, em condições de alta hospitalar a continuidade do tratamento em seu núcleo familiar, conforme indicação

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE NUTRICIONISTAS CONSELHO REGIONAL DE NUTRICIONISTAS - ª REGIÃO. Nutricionista Entrevistado(a) Nome CRN- RT / QT

CONSELHO FEDERAL DE NUTRICIONISTAS CONSELHO REGIONAL DE NUTRICIONISTAS - ª REGIÃO. Nutricionista Entrevistado(a) Nome CRN- RT / QT CONSELHO FEDERAL DE NUTRICIONISTAS CONSELHO REGIONAL DE NUTRICIONISTAS - ª REGIÃO UF ROTEIRO DE VISITA TÉCNICA DATA DA VISITA NUTRIÇÃO CLÍNICA HOSPITAL E INSTITUIÇÕES SIMILARES Nº DA VISITA VISITA AGENDADA

Leia mais

Prof. Márcio Batista

Prof. Márcio Batista Prof. Márcio Batista OBJETIVOS DA AULA Conhecer os principais conceitos em farmácia hospitalar. Conhecer os aspectos técnicos e legais de localização, construção e instalação e estruturação da farmácia

Leia mais

GABARITO PRELIMINAR PROVA APLICADA NO DIA 22/11/2015

GABARITO PRELIMINAR PROVA APLICADA NO DIA 22/11/2015 CARGOS: SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFESSOR POLIVALENTE (EDUCAÇÃO INFANTIL E ENSINO FUNDAMENTAL 1º ao 5º ANO) D E E A D C A D D A B D D D B B B D D B C B C E D PROFESSOR DE LÍNGUA PORTUGUESA A D C B E A D

Leia mais

Código Descrição Código Descrição

Código Descrição Código Descrição VI - TABELA DE DOMÍNIO TABELAS Código Descrição Código Descrição 01 02 03 04 Lista de Procedimentos Médicos AMB 90 Lista de Procedimentos Médicos AMB 92 Lista de Procedimentos Médicos AMB 96 Lista de Procedimentos

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO DA PREFEITURA MUNICIPAL DE ALMEIRIM - Edital Nº 001/2009 GABARITO OFICIAL PRELIMINAR

CONCURSO PÚBLICO DA PREFEITURA MUNICIPAL DE ALMEIRIM - Edital Nº 001/2009 GABARITO OFICIAL PRELIMINAR NÍVEL FUNDAMENTAL INCOMPLETO - CARGOS: Servente, Cozinheira, Merendeira, Porteiro, Gari, Serviços Gerais, Jardineiro, Zelador, Magarefe, Carpinteiro, Pedreiro, Eletricista, Motorista Habilitação D 01 C

Leia mais

HOSPITAL UNIMED NOROESTE RS SERVIÇO DE QUIMIOTERAPIA

HOSPITAL UNIMED NOROESTE RS SERVIÇO DE QUIMIOTERAPIA HOSPITAL UNIMED NOROESTE RS SERVIÇO DE QUIMIOTERAPIA Serviço de Quimioterapia inaugurado em agosto de 2005 FATORES QUE LEVARAM A ABERTURA DO SERVIÇO Custo elevado dos medicamentos quimioterápicos; Aumento

Leia mais

Ensino Fundamental Incompleto. Conhecimento em serviços de borracheiro. Ensino Fundamental Incompleto. Conhecimento em mecânica de veículos.

Ensino Fundamental Incompleto. Conhecimento em serviços de borracheiro. Ensino Fundamental Incompleto. Conhecimento em mecânica de veículos. DISTRIBUIÇÃO DAS : Total das vagas oferecidas no Concurso Público. : Vagas de ampla concorrência. PD: Vaga destinada à pessoa com deficiência (subitem 3.2 do Edital). 1 Auxiliar de Manutenção de Veículo

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM TERAPIA OCUPACIONAL APLICADA À NEUROLOGIA

Leia mais

Solicitação de registro dos novos medicamentos

Solicitação de registro dos novos medicamentos Terceiro Congresso das Hepatites Virais Solicitação de registro dos novos medicamentos Ricardo Borges Gerente Geral de Medicamentos Agência Nacional de Vigilância Sanitária -ANVISA João Pessoa, 18 de novembro

Leia mais

Marcos S. Lapa Médico Geriatra II SIMPÓSIO GESEN. Londrina, 15 de setembro 2012

Marcos S. Lapa Médico Geriatra II SIMPÓSIO GESEN. Londrina, 15 de setembro 2012 Marcos S. Lapa Médico Geriatra II SIMPÓSIO GESEN Londrina, 15 de setembro 2012 TRÊS MODALIDADE 1. CONSULTA DOMICILIAR: paciente prefere ser atendido no domicílio, não necessariamente apresenta alguma limitação

Leia mais

Por determinação deste Conselho fomos ao estabelecimento acima citado verificar suas condições de funcionamento.

Por determinação deste Conselho fomos ao estabelecimento acima citado verificar suas condições de funcionamento. Relatório de Fiscalização CASE CARUARU Rua Presidente Castelo Branco, s/nº - Cidade Alta Caruaru Diretor técnico: não tem Telefone: (81) 3719 9433 Por determinação deste Conselho fomos ao estabelecimento

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA AUDIÊNCIA PÚBLICA

CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA AUDIÊNCIA PÚBLICA CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA AUDIÊNCIA PÚBLICA Discutir a situação da pediatria no âmbito do Sistema Único de Saúde SUS e na Saúde Suplementar. Brasília, DF, 27 de maio

Leia mais

I. Informações BásicaS

I. Informações BásicaS I. Informações BásicaS item Órgão municipal de saúde Plano Municipal Conselho Municipal Conselho Gestor de Unidade(s) de Saúde Fundo Municipal Cartão do Sistema Único de Saúde (SUS) Disque-Saúde Ouvidoria

Leia mais

Regulamenta a Lei nº 7.498, de 25 de junho de 1986, que dispõe sobre o exercício da Enfermagem, e dá outras providências

Regulamenta a Lei nº 7.498, de 25 de junho de 1986, que dispõe sobre o exercício da Enfermagem, e dá outras providências Regulamenta a Lei nº 7.498, de 25 de junho de 1986, que dispõe sobre o exercício da Enfermagem, e dá outras providências O Presidente da República, usando das atribuições que lhe confere o Art. 81, item

Leia mais

CENTRO DE PREVENÇÃO E TRATAMENTO AO TOXICÔMANOS. Coordenador: Renato Carlos Vieira. Endereço: Rua Álvaro Sarlo, 160. Bairro: Ilha de Santa Maria

CENTRO DE PREVENÇÃO E TRATAMENTO AO TOXICÔMANOS. Coordenador: Renato Carlos Vieira. Endereço: Rua Álvaro Sarlo, 160. Bairro: Ilha de Santa Maria CENTRO DE PREVENÇÃO E TRATAMENTO AO TOXICÔMANOS Coordenador: Renato Carlos Vieira Endereço: Rua Álvaro Sarlo, 160 Bairro: Ilha de Santa Maria CEP: 29051-100 Horários de atendimento: 7 às 19h (Atendimento

Leia mais

Art. 2º - As instituições e serviços de saúde incluirão a atividade de Enfermagem no seu planejamento e programação.

Art. 2º - As instituições e serviços de saúde incluirão a atividade de Enfermagem no seu planejamento e programação. 1 Decreto Nº 94.406/87 Regulamenta a Lei nº 7.498, de 25 de junho de 1986, que dispõe sobre o exercício da Enfermagem, e dá outras providências. O Presidente da República, usando das atribuições que lhe

Leia mais

TABELA DE GLOSAS TISS

TABELA DE GLOSAS TISS Descrição da ELEGIBILIDADE 1001 Número da carteira inválido. ELEGIBILIDADE 1007 Atendimento dentro da carência do Beneficiário. ELEGIBILIDADE 1009 Beneficiário com pagamento em aberto. GUIA 1010 Assinatura

Leia mais

Manual de Organização Plano de Cargos e Vencimentos

Manual de Organização Plano de Cargos e Vencimentos de Cargos de Provimento em Comissão 251 CARGOS COMISSIONADOS EXISTENTES COORDENADOR DE CRECHES MUNICIPAIS ASSESSOR ADMINISTRATIVO ASSESSOR PARLAMENTAR ASSESSOR ESPECIAL DE TURISMO RURAL CHEDE DE ADM DAS

Leia mais

GERENCIAMENTO DE RISCO DE BRONCOASPIRAÇÃO

GERENCIAMENTO DE RISCO DE BRONCOASPIRAÇÃO 1 de 8 PROTOCOLO Data de Emissão: Histórico de Revisão / Versões Data Versão/Revisões Descrição Autor 1.00 Proposta inicial MGO,,MRM,PAD,GAA,FCA,AMR,RRM 1 Objetivo Diminuir a incidência de pneumonia hospitalar

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico CETEC. Plano de Trabalho Docente Qualificação: Técnico de Enfermagem

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico CETEC. Plano de Trabalho Docente Qualificação: Técnico de Enfermagem Plano de Trabalho Docente 2013 ETE Paulino Botelho Ensino Técnico Código: 091 Município:São Carlos Eixo Tecnológico: Ambiente, Saúde e Segurança Habilitação Profissional: Técnico de Enfermagem Qualificação:

Leia mais

115 FÍSICO FÍSICA MÉDICA - RADIOTERAPIA A B A E A C B B C D A E D A A E C D B C B E D A C E E A B D FISIOTERAPIA A B A E A D E B D E A D E C A B

115 FÍSICO FÍSICA MÉDICA - RADIOTERAPIA A B A E A C B B C D A E D A A E C D B C B E D A C E E A B D FISIOTERAPIA A B A E A D E B D E A D E C A B (Gabarito divulgado em 09/12/2013) D E B E B A D D D C D C E A C C B C B E 101 ASSISTENTE SOCIAL A B A E A E A B D C B A E B C B D B D A C E A D D E C E A C 102 - BIÓLOGO A B A E A C A E B E C D A D D

Leia mais

Auditoria em Fisioterapia

Auditoria em Fisioterapia Segundo Ministério da Saúde a Fisioterapia se enquadra no nível de média complexidade de atenção à saúde. Pouco lembrada no Sistema Unimed. Quando um beneficiário reconhece a importância de ter um plano

Leia mais

Cooperativa de Trabalho na Área da Saúde e Assistência Social.

Cooperativa de Trabalho na Área da Saúde e Assistência Social. Cooperativa de Trabalho na Área da Saúde e Assistência Social. 01 SOBRE Qualidade com parcerias de sucesso. A Mitra é uma cooperativa de trabalho que oferece serviços e soluções para sua área de Recursos

Leia mais

Cargo: 8 - CIRURGIÃO DENTISTA 27 ESPECIFICA 5 C D B C B Cargo: 9 - ENFERMEIRO 28 ESPECIFICA 5 B C A D B Cargo: 10 - FARMACEUTICO / BIOQUIMICO 29 ESPEC

Cargo: 8 - CIRURGIÃO DENTISTA 27 ESPECIFICA 5 C D B C B Cargo: 9 - ENFERMEIRO 28 ESPECIFICA 5 B C A D B Cargo: 10 - FARMACEUTICO / BIOQUIMICO 29 ESPEC Cargo: 1 - AUXILIAR ADMINISTRATIVO I Cargo: 2 - AUXILIAR ADMINISTRATIVO II Cargo: 3 - AUXILIAR DE CIRURGIÃO DENTISTA - ACD 18 ESPECIFICA 5 A C D B C Cargo: 4 - AUXILIAR DE OBRAS E SERVIÇOS Cargo: 5 - AUXILIAR

Leia mais

MUNICÍPIO DE MIRABELA MG CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS EFETIVOS EDITAL 1/2015 ANEXO I ESPECIFICAÇÃO DOS CARGOS

MUNICÍPIO DE MIRABELA MG CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS EFETIVOS EDITAL 1/2015 ANEXO I ESPECIFICAÇÃO DOS CARGOS 833/2005 1 TOTAIS GERAIS RESERVA Auxiliar de Saúde I / Cozinheira BÁSICO Fundamental Incompleto. 833/2005 2 833/2005 3 Auxiliar de Saúde I / Lavadeira-Passadeira Auxiliar de Saúde I / Porteiro Fundamental

Leia mais

REFERENCIAL DE FISIOTERAPIA - ATUALIZADA 01/01/2017 Adequado à terminologia Unificada da Saúde Suplementar TUSS do Padrão TISS, regulamentado pela ANS

REFERENCIAL DE FISIOTERAPIA - ATUALIZADA 01/01/2017 Adequado à terminologia Unificada da Saúde Suplementar TUSS do Padrão TISS, regulamentado pela ANS REFERENCIAL DE FISIOTERAPIA - ATUALIZADA 01/01/2017 Adequado à terminologia Unificada da Saúde Suplementar TUSS do Padrão TISS, regulamentado pela ANS Código Procedimento Autorização Prévia Valor 2.01.03.00-0

Leia mais

Sociedade Brasileira de Geriatria e Geronotologia - SBGG

Sociedade Brasileira de Geriatria e Geronotologia - SBGG Sociedade Brasileira de Geriatria e Geronotologia - SBGG Marco Polo Dias Freitas Presidente da SBGG-DF Doutor em Saúde Coletiva/Epidemiologia Mestre em Clínica Médica Membro do Comitê Assessor da Coordanação

Leia mais

Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Enfermagem. Simone Röhrig de Sousa. Relatório Estágio Curricular III- Serviço Hospitalar

Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Enfermagem. Simone Röhrig de Sousa. Relatório Estágio Curricular III- Serviço Hospitalar 1 Universidade Federal do Rio Grande do Sul Escola de Enfermagem Simone Röhrig de Sousa Relatório Estágio Curricular III- Serviço Hospitalar Hospital Dia Hospital de Clinica de Porto Alegre Porto Alegre

Leia mais

Rotatividade de Pessoal

Rotatividade de Pessoal Rotatividade de Pessoal 4 3 2,2 2,2 2,2 % 2 1 1,28 1,47 1,79 Representa o movimento de entradas e saídas de empregados Regime de contratação CLT Taxa de Absenteísmo Geral 2,5 2 % 1,5 1,21 1,28 1,96,96,96,5

Leia mais

1. DIVULGAÇÃO DA CARTA DOS DIREITOS DOS USUÁRIOS DO SUS: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA DO PET URGÊNCIA E EMERGÊNCIA NO HOSPITAL GERAL CLÉRISTON ANDRADE

1. DIVULGAÇÃO DA CARTA DOS DIREITOS DOS USUÁRIOS DO SUS: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA DO PET URGÊNCIA E EMERGÊNCIA NO HOSPITAL GERAL CLÉRISTON ANDRADE Título 1. DIVULGAÇÃO DA CARTA DOS DIREITOS DOS USUÁRIOS DO SUS: UM RELATO DE DO PET URGÊNCIA E EMERGÊNCIA NO HOSPITAL GERAL CLÉRISTON ANDRADE Classificação 2.SUPERVISÃO EM ENFERMAGEM E OS MODELOS ORGANIZACIONAIS:

Leia mais

INSTRUÇÕES DA TABELA DE ASSISTÊNCIA DOMICILIAR

INSTRUÇÕES DA TABELA DE ASSISTÊNCIA DOMICILIAR INSTRUÇÕES DA TABELA DE ASSISTÊNCIA DOMICILIAR 1. DA ASSISTÊNCIA DOMICILIAR: 1.1. A assistência domiciliar caracteriza-se pela prestação de serviços médicos e terapias adjuvantes na residência do paciente

Leia mais

Estado do Rio de Janeiro Prefeitura Municipal de Carapebus Secretaria Municipal de Saúde

Estado do Rio de Janeiro Prefeitura Municipal de Carapebus Secretaria Municipal de Saúde Unidades & Serviços Estado do Rio de Janeiro Prefeitura Municipal de Carapebus Secretaria Municipal de Saúde Atenção Especializada Atenção Especializada Centro de Especialidades Médicas: O Centro de Especialidades

Leia mais