Recursos Próprios 2013

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Recursos Próprios 2013"

Transcrição

1 Recursos Próprios 2013 " Serviços Próprios de Atendimento Pré-Hospitalar (SOS) e Assistência Domiciliar ( Home- Care): reconhecendo a importância destas modalidades assistenciais para o cliente e para a Unimed Dr. José Pedro Damiano Gerente da Área Hospitalar e Serviços Credenciados

2 UNIMED CAMPINAS Campinas e 13 cidades da região Cooperados Beneficiários 23 Hospitais 11 Day Hospitals 170 Clínicas e Laboratórios Credenciados

3 ADUC ASSISTÊNCIA DOMICILIAR UNIMED CAMPINAS Modelo de Assistência Domiciliar, focado na humanização, que concentra esforços no ensinar a cuidar

4 ADUC - Histórico Início de atividades: 03/03/1997 Projeto inicial: busca ativa dos pacientes que mais gastaram com internação em Divulgação para médicos cooperados e hospitais. Equipe: - 1 médico, - 1 Enfermeira - 2 tec. Enfermagem, - 2 fisioterapeutas, - 1 assistente social, - 1 aux. Administrativo, - 1 motorista Após 3 meses, encerrou-se a busca ativa. Avaliação somente com solicitação médica.

5 ADUC HOJE 01 GERENTE MÉDICO 02 SUPERVISORES 11 MÉDICOS VISITADORES 02 ASSISTENTES SOCIAIS 10 ENFERMEIROS 01 FARMACÊUTICO 16 FISIOTERAPEUTAS 04 FONOAUDIÓLOGAS 05 NUTRICIONISTAS 02 PSICÓLOGAS 19 TÉCNICOS DE ENFERMAGEM 14 FUNCIONÁRIOS (ADMINISTRATIVOS, ANALISTAS, RECEPÇÃO, MOTORISTA...) TOTAL: 87 FUNCIONÁRIOS TERCEIRIZADOS: 06 ( HIGIENE, PORTEIROS E MANOBRISTAS). 05 EMPRESAS DE HOME CARE. 01 PARA FORNECIMENTO DE EQUIPAMENTOS RESPIRATÓRIOS

6 ADUC - LEGISLAÇÃO RDC Nº 11 26/01/2006 Serviços de Atenção Domiciliar nas modalidades de Assistência e Internação Domiciliar. Definições: 3.3 Atenção domiciliar: termo genérico que envolve ações de promoção á saúde, prevenção, tratamento de doenças e reabilitação desenvolvidas em domicílio. 3.4 Assistência domiciliar: conjunto de atividades de caráter ambulatorial, programadas e continuadas desenvolvidas em domicílio. 3.7 Internação Domiciliar: conjunto de atividades prestadas no domicílio, caracterizadas pela atenção em tempo integral ao paciente com quadro clínico mais complexo e com necessidades de tecnologia especializada.

7 ADUC - LEGISLAÇÃO RN 262/2011 (em vigor a partir e 01/01/2012) ATUALIZA O ROL DE PROCEDIMENTOS E EVENTOS EM SAÚDE Art. 13. Caso a operadora ofereça a internação domiciliar em substituição à internação hospitalar, com ou sem previsão contratual, deverá obedecer às exigências previstas nos normativos vigentes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária- ANVISA e nas alíneas c, d e e do artigo 12 da Lei nº 9.656, de Parágrafo único: Nos casos em que a assistência domiciliar não se dê em substituição à internação hospitalar, esta deverá obedecer à previsão contratual ou à negociação entre as partes.

8 ADUC Objetivos Promover meio seguro de suporte para doentes crônicos e pessoas dependentes, reduzindo riscos de complicações e descompensações evitando internações; Restaurar e manter o mais alto nível de independência funcional do paciente a fim de preservar sua autonomia individual e melhorar sua qualidade de vida; Promover conforto e dignidade para o paciente terminal e seus familiares; Desospitalizar precocemente, diminuindo a utilização de serviços hospitalares a fim de otimizar os altos custos de internação e manter o equilíbrio financeiro do plano.

9 Condições para admissão no programa Solicitação do médico assistente Residir nas cidades da área de abrangência Desejo expresso de famíliares/presença de cuidador Intercâmbio/ Custo Operacional autorização prévia Critérios de elegibilidade (tabelas anexas) Classificação segundo o grau de complexidade Internações de repetição Diagnóstico de patologias terminais Alta hospitalar precoce para antibioticoterapia Doenças crônicas controladas Pacientes dependentes de oxigênio JUDICIALIZAÇÃO

10 ADUC - Serviços Oferecidos Internação Domiciliar: Clientes em Ventilação Mecânica Invasiva, terminais, em uso de NPP ou exceções analisados individualmente; Contempla: enfermagem 24h, fisioterapia motora, materiais, equipamentos de suporte ventilatório e mais o que é oferecido para os pacientes em assistência domiciliar. Assistência Domiciliar Critérios ou definições imprecisas Visitas da equipe multidisciplinar (conforme plano de cuidados); Administração de medicações endovenosas; Procedimentos técnicos; Fornecimento de oxigênio; Grupo de curativos; Visita de médico especialista;

11 ADUC 02/2013 Clientes assistidos (média mensal) Internação Domiciliar: 53 sendo 28 em ventilação mecânica Assistência Domiciliar: 754 Total Clientes: 807 Por Ações Judiciais em Atendimento: 19

12 ADUC Internação domiciliar Comparativo de custos (11/2012) ventilação mecânica - UTI Hospital classificação A3 A B D Diária R$1083,69 R$962,70 R$888,64 R$740,54 Oxigênio R$240,00 R$240,00 R$240,00 R$240,00 Visita R$39,00 R$39,00 R$39,00 R$39,00 Plantão R$234,00 R$234,00 R$234,00 R$234,00 Intensivista R$18,00 R$18,00 R$18,00 R$18,00 Fisioterapia 2x R$33,60 R$33,60 R$33,60 R$33,60 Dieta R$40,00 R$40,00 R$40,00 R$40,00 Total dia R$1.688,29 R$1.567,30 R$1.493,24 R$1.345,14 Total 30 dias R$50.648,70 R$47.019,00 R$44.797,20 R$40.354,20

13 ADUC Internação domiciliar Comparativo de custos (11/2012) Médico 4 R$ 600,00 Enfermeiro 1 R$ 70,00 Técnico enf 4 R$ 180,00 Fisioterapia 12 R$ 720,00 Nutricionista 1 R$ 70,00 Diária Enfermagem 30 R$ 9.515,40 Equipamentos respiratórios Mensal R$ 2.854,56 Materiais de consumo Mensal R$ 1.500,00 Total Dia R$ 516,99 Total 30 dias R$ ,96

14 ADUC - Comparativo de custos Paciente em quarto coletivo x domicílio (02/2013) Prescrição: Targocid 400m 1x/dia por 30 dias Diária A3 A B D Custo ADUC Visita Targocid 400mg R$285,36 R$39,00 R$253,50 R$39,00 R$234,00 R$39,00 R$195,00 R$39,00 R$469,58 R$469,58 R$469,58 R$469,58 Total dia R$793,94 R$762,08 R$742,58 R$703,58 Enf Targoci d 400mg Total dia R$36,22 R$138,63 R$174,42 Total 30 dias R$23.818,20 R$ ,40 R$22.277,40 R$21.107,40 Total 30 dias R$5.232,26

15 CUIDADOS PALIATIVOS Período: 23/07/12 a 28/03/13: TOTAL DE PACIENTES ADMITIDOS: 70 TOTAL DE ÓBITOS: 45 TOTAL DE PACIENTES EM ATENDIMENTOS: 25 TOTAL DE VISITAS MÉDICAS: 303

16 ADUC Atendimentos Complementares Ambulatório de curativos Avaliação da lesão por enfermeiro especialista; Prescrição do curativo; Orientação de cuidados; Realização do curativo; Acompanhamento da evolução. Sala de medicação Infusão de medicamentos conforme prescrição médica (ATB, Noripurum, Imunoglobulina, etc); Manutenção de cateter implantado Passagem e manutenção de PICC

17 DIFICULDADES Aumento número de internações domiciliares e dos custos - Envelhecimento da população doenças crônicas degenerativas - Novas tecnologias Condições familiares sócio econômicas Ausência de cuidador Qualidade técnica de enfermagem terceirizada Liminares Ausência de Hospital de apoio/retaguarda

18 DADOS DEMOGRÁFICOS DA POPULAÇÃO BRASILIERIA POR FAIXAS ETÁRIAS NOS ANOS DE 2002 E POPULAÇÃO BRASILEIRA POR GRUPO DE FAIXAS ETÁRIA NO ANO DE a 4 5 a 9 10 a a a a a a a a e mais POPULAÇÃO BRASILEIRA POR GRUPO DE FAIXAS ETÁRIA NO ANO DE a 4 5 a 9 10 a a a a a a a a e mais % DE CRESCIMENTO POPULACIONAL DE 2002 PARA 2012 NA FAIXA ETÁRIA -16,72% -10,52% -2,12% -6,34% 13,19% 15,81% 27,47% 45,72% 37,38% 38,15% 58,81% 11,08% TOTAL TOTAL Tabela elaborada com base em dados obtidos no Site da ANS

19 Obrigado! Tel: (19)

GERENCIAMENTO da Atenção Domiciliar P.G.A.D.

GERENCIAMENTO da Atenção Domiciliar P.G.A.D. GERENCIAMENTO da Atenção Domiciliar P.G.A.D. Gerenciamento da Atenção Domiciliar PGAD.indd 1 19/10/2015 15:30:04 Gerenciamento da Atenção Domiciliar PGAD Objetivo: Fornecer suporte ao paciente para que

Leia mais

Seminário Nacional Unimed de Medicina Preventiva

Seminário Nacional Unimed de Medicina Preventiva Seminário Nacional Unimed de Medicina Preventiva - 2009 Programa de Reabilitação Pulmonar Rosângela H. Araújo Santos Divisão Cooperados Total: 838 0,04% Gerência Executiva da Assistência e Promoção à Saúde

Leia mais

Solicitação de Parecer Técnico ao COREN MA sobre O que é necessário para o profissional de Enfermagem realizar atendimento domiciliar particular

Solicitação de Parecer Técnico ao COREN MA sobre O que é necessário para o profissional de Enfermagem realizar atendimento domiciliar particular PARECER TÉCNICO COREN-MA-CPE Nº 20/2015 ASSUNTO: Atendimento de Enfermagem particular em domicilio. 1. Do fato Solicitação de Parecer Técnico ao COREN MA sobre O que é necessário para o profissional de

Leia mais

Certificação Joint Commission no Programa de Dor Torácica.

Certificação Joint Commission no Programa de Dor Torácica. Certificação Joint Commission no Programa de Dor Torácica. Enf. Ana Paula de Mattos Coelho Hemodinâmica - Hospital TotalCor E-mail: acoelho@totalcor.com.br Joint Commission Acreditação do atendimento hospitalar;

Leia mais

configura-se como garantir ofertas de cuidados domiciliares apoiadoras dos projetos

configura-se como garantir ofertas de cuidados domiciliares apoiadoras dos projetos Serviço de Atenção Domiciliar de São Bernardo do Campo Proponente: Secretaria de Saúde de São Bernardo do Campo, SP. CNPJ: 46523239/0001-47 Endereço: Rua Luiz Ferreira da Silva, 172, Parque São Domingo,

Leia mais

Tipologia dos Estabelecimentos de Saúde

Tipologia dos Estabelecimentos de Saúde Tipologia dos Estabelecimentos de Saúde O Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde - CNES foi implantado em 29 de dezembro de 2000, através da Portaria SAS n.º 511. O CNES abrange a todos os estabelecimentos

Leia mais

APOIO FAMILIAR DIREITOS E ESTRATEGIAS. Renata Flores Tibyriçá Defensora Pública do Estado de São Paulo

APOIO FAMILIAR DIREITOS E ESTRATEGIAS. Renata Flores Tibyriçá Defensora Pública do Estado de São Paulo APOIO FAMILIAR DIREITOS E ESTRATEGIAS Renata Flores Tibyriçá Defensora Pública do Estado de São Paulo O Que é Defensoria Pública? Defensoria Pública é instituição prevista na Constituição Federal (art.

Leia mais

Estruturação dos Serviços de Medicina Preventiva de acordo com diretrizes da ANS

Estruturação dos Serviços de Medicina Preventiva de acordo com diretrizes da ANS Estruturação dos Serviços de Medicina Preventiva de acordo com diretrizes da ANS A região da Serra Gaúcha está localizada no nordeste do estado do Rio Grande do Sul, região sul do Brasil. Área de abrangência

Leia mais

Ciclo de Debates SUS: Políticas Sociais e de Assistência à Saúde do Idoso

Ciclo de Debates SUS: Políticas Sociais e de Assistência à Saúde do Idoso Senado Federal Ciclo de Debates SUS: Políticas Sociais e de Assistência à Saúde do Idoso Brasília, 26 de maio de 2009 Professora Dra Maria Alice Toledo Professora adjunta de Geriatria e Psiquiatria da

Leia mais

Autor: Leila Cristina Pilonetto Baggio Co autores: Marcos Fiorentin, Elizangela Greggio Vincensi, Joares Telles Junior, Ana Cristina G. Costella, ACS.

Autor: Leila Cristina Pilonetto Baggio Co autores: Marcos Fiorentin, Elizangela Greggio Vincensi, Joares Telles Junior, Ana Cristina G. Costella, ACS. HIPERTENSÃO ARTERIAL E DIABETE MELLITUS: UMA ANALISE DO ACOMPANHAMENTO REALIZADO PELA EQUIPE ESF DE BOM SUCESSO DO SUL Autor: Leila Cristina Pilonetto Baggio Co autores: Marcos Fiorentin, Elizangela Greggio

Leia mais

2. FUNCIONÁRIOS - CONTRATADOS POR TEMPO DETERMINADO Médico Clínico 1 Médico Pediatra 1 Médico Ginecologista 1

2. FUNCIONÁRIOS - CONTRATADOS POR TEMPO DETERMINADO Médico Clínico 1 Médico Pediatra 1 Médico Ginecologista 1 1. FUNCIONÁRIOS - EFETIVOS Médico Clínico 6 Médico Pediatra 2 Médico de Estratégia PSF 0 Psicólogo Clínico 30 horas 0 Psicólogo Clínico 40 horas 1 Cirurgião Dentista 4 Auxiliar de Saúde Bucal 4 Técnico

Leia mais

PROCESSO DE RECRUTAMENTO, SELEÇÃO, CAPACITAÇÃO E RETENÇÃO DE TALENTOS

PROCESSO DE RECRUTAMENTO, SELEÇÃO, CAPACITAÇÃO E RETENÇÃO DE TALENTOS PROCESSO DE RECRUTAMENTO, SELEÇÃO, CAPACITAÇÃO E RETENÇÃO DE TALENTOS UNIMED VITÓRIA DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA Presente em 9 municípios capixabas... - Fonte: Intramed Unimed Vitória - Unimed Vitória / Mar/2015

Leia mais

Auditoria em Fisioterapia

Auditoria em Fisioterapia Segundo Ministério da Saúde a Fisioterapia se enquadra no nível de média complexidade de atenção à saúde. Pouco lembrada no Sistema Unimed. Quando um beneficiário reconhece a importância de ter um plano

Leia mais

Relatório Mensal - janeiro a julho

Relatório Mensal - janeiro a julho ACOMPANHE NOSSA GESTÃO 2016 Relatório Mensal - janeiro a julho ANS nº 30731-9 BALANÇO DOS PRIMEIROS SETE MESES A partir desse mês, a Cabergs Saúde apresentará, periodicamente, os seus principais números.

Leia mais

Rotatividade de Pessoal

Rotatividade de Pessoal Rotatividade de Pessoal 4 3 2,2 2,2 2,2 % 2 1 1,28 1,47 1,79 Representa o movimento de entradas e saídas de empregados Regime de contratação CLT Taxa de Absenteísmo Geral 2,5 2 % 1,5 1,21 1,28 1,96,96,96,5

Leia mais

Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Enfermagem. Simone Röhrig de Sousa. Relatório Estágio Curricular III- Serviço Hospitalar

Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Enfermagem. Simone Röhrig de Sousa. Relatório Estágio Curricular III- Serviço Hospitalar 1 Universidade Federal do Rio Grande do Sul Escola de Enfermagem Simone Röhrig de Sousa Relatório Estágio Curricular III- Serviço Hospitalar Hospital Dia Hospital de Clinica de Porto Alegre Porto Alegre

Leia mais

Sociedade Brasileira de Geriatria e Geronotologia - SBGG

Sociedade Brasileira de Geriatria e Geronotologia - SBGG Sociedade Brasileira de Geriatria e Geronotologia - SBGG Marco Polo Dias Freitas Presidente da SBGG-DF Doutor em Saúde Coletiva/Epidemiologia Mestre em Clínica Médica Membro do Comitê Assessor da Coordanação

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA AUDIÊNCIA PÚBLICA

CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA AUDIÊNCIA PÚBLICA CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA AUDIÊNCIA PÚBLICA Discutir a situação da pediatria no âmbito do Sistema Único de Saúde SUS e na Saúde Suplementar. Brasília, DF, 27 de maio

Leia mais

Prof. Márcio Batista

Prof. Márcio Batista Prof. Márcio Batista OBJETIVOS DA AULA Conhecer os principais conceitos em farmácia hospitalar. Conhecer os aspectos técnicos e legais de localização, construção e instalação e estruturação da farmácia

Leia mais

SERVIÇO SOCIAL E A MEDICINA PREVENTIVA

SERVIÇO SOCIAL E A MEDICINA PREVENTIVA SERVIÇO SOCIAL E A MEDICINA PREVENTIVA NOSSA CASA A importância do Trabalho em Equipe Multidisciplinar Assistente Social Enfermeira Técnicos de enfermagem Fisioterapeuta Nutricionista Médico Psicólogo

Leia mais

adota a seguinte Resolução da Diretoria Colegiada e eu, Diretor-Presidente, determino a sua publicação:

adota a seguinte Resolução da Diretoria Colegiada e eu, Diretor-Presidente, determino a sua publicação: RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº11, DE 26 DE JANEIRO DE 2006. Dispõe sobre o Regulamento Técnico de Funcionamento de Serviços que prestam Atenção Domiciliar A Diretoria Colegiada da Agência Nacional

Leia mais

BETIM Leila da Cunha Meneses Maria Aparecida Rodegheri

BETIM Leila da Cunha Meneses Maria Aparecida Rodegheri INTERNAÇÃO DOMICILIAR: EXPERIÊNCIA EM UM MUNICÍPIO DE MINAS GERAIS BETIM Leila da Cunha Meneses Maria Aparecida Rodegheri Betim- Minas Gerais Dados Importantes População : 2010 (IBGE) : 378.089 Orçamento

Leia mais

REGULAMENTO CABESP ASSISTÊNCIA DOMICILIAR

REGULAMENTO CABESP ASSISTÊNCIA DOMICILIAR REGULAMENTO CABESP ASSISTÊNCIA DOMICILIAR CAPITULO I Do Objetivo Art. º Proporcionar ao paciente, em condições de alta hospitalar a continuidade do tratamento em seu núcleo familiar, conforme indicação

Leia mais

GERENCIAMENTO DE RISCO DE QUEDA

GERENCIAMENTO DE RISCO DE QUEDA 1 de 5 PROTOCOLO Data de Emissão: Histórico de Revisão / Versões Data Versão/Revisões Descrição Autores 1.00 Proposta inicial MGO,ESS,MRM,PAD,GAA,FCA,AMR,RRM 1 Objetivo Implantar um processo de assistência

Leia mais

1. DIVULGAÇÃO DA CARTA DOS DIREITOS DOS USUÁRIOS DO SUS: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA DO PET URGÊNCIA E EMERGÊNCIA NO HOSPITAL GERAL CLÉRISTON ANDRADE

1. DIVULGAÇÃO DA CARTA DOS DIREITOS DOS USUÁRIOS DO SUS: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA DO PET URGÊNCIA E EMERGÊNCIA NO HOSPITAL GERAL CLÉRISTON ANDRADE Título 1. DIVULGAÇÃO DA CARTA DOS DIREITOS DOS USUÁRIOS DO SUS: UM RELATO DE DO PET URGÊNCIA E EMERGÊNCIA NO HOSPITAL GERAL CLÉRISTON ANDRADE Classificação 2.SUPERVISÃO EM ENFERMAGEM E OS MODELOS ORGANIZACIONAIS:

Leia mais

Solicitação de registro dos novos medicamentos

Solicitação de registro dos novos medicamentos Terceiro Congresso das Hepatites Virais Solicitação de registro dos novos medicamentos Ricardo Borges Gerente Geral de Medicamentos Agência Nacional de Vigilância Sanitária -ANVISA João Pessoa, 18 de novembro

Leia mais

Estado do Rio de Janeiro Prefeitura Municipal de Carapebus Secretaria Municipal de Saúde

Estado do Rio de Janeiro Prefeitura Municipal de Carapebus Secretaria Municipal de Saúde Unidades & Serviços Estado do Rio de Janeiro Prefeitura Municipal de Carapebus Secretaria Municipal de Saúde Atenção Especializada Atenção Especializada Centro de Especialidades Médicas: O Centro de Especialidades

Leia mais

Programa Anti-tabagismo

Programa Anti-tabagismo São Paulo, 4 a 6 de março de 2009 Programa Anti-tabagismo Dra. Nathércia Abrão Diretora de Provimento de Saúde Unimed Juiz de Fora Membro da CTPPS Federação Minas Unimed Juiz de Fora em números Receita:180

Leia mais

Dr. Fernando Figueiredo Coordenador Médico Home Care Unimed Porto Alegre

Dr. Fernando Figueiredo Coordenador Médico Home Care Unimed Porto Alegre Dr. Fernando Figueiredo Coordenador Médico Home Care Unimed Porto Alegre 1 HOME CARE UNIMED PORTO ALEGRE 2 EQUIPE HOME CARE UNIMED PORTO ALEGRE GESTÃO ASSISTÊNCIA ÁREAS DE APOIO 1 Médico coordenador 1

Leia mais

Desafios e Perspectivas para a Saúde Suplementar

Desafios e Perspectivas para a Saúde Suplementar Desafios e Perspectivas para a Saúde Suplementar Lenise Barcellos de Mello Secchin Chefe de Gabinete São Paulo, 06 de maio de 2016. Agência Nacional de Saúde Suplementar - ANS Agência reguladora federal

Leia mais

PROCESSO SELETIVO DE DOCENTES, NOS TERMOS DO COMUNICADO CEETEPS N 1/2009, E SUAS ALTERAÇÕES.

PROCESSO SELETIVO DE DOCENTES, NOS TERMOS DO COMUNICADO CEETEPS N 1/2009, E SUAS ALTERAÇÕES. ETEC DOUTORA RUTH CARDOSO, SÃO VICENTE. Modelo 3C PROCESSO SELETIVO DE DOCENTES, NOS TERMOS DO COMUNICADO CEETEPS N 1/2009, E SUAS ALTERAÇÕES. AVISO N 194/10/2016 de 10/06/2016. Processo n 3818/2016 AVISO

Leia mais

QUALIDADE, IACS E CUSTOS: UM TRINÔMIO DANADO. Estudos de custos

QUALIDADE, IACS E CUSTOS: UM TRINÔMIO DANADO. Estudos de custos QUALIDADE, IACS E CUSTOS: UM TRINÔMIO DANADO Estudos de custos Antonio Tadeu Fernandes CLASSIFICAÇÃO DOS CUSTOS DAS IRAS Custos diretos Durante a hospitalização Gastos para cuidados e tratamento do paciente

Leia mais

Define-se Acreditação como um sistema de avaliação e certificação da qualidade de serviços de saúde, voluntário, periódico e reservado.

Define-se Acreditação como um sistema de avaliação e certificação da qualidade de serviços de saúde, voluntário, periódico e reservado. Define-se Acreditação como um sistema de avaliação e certificação da qualidade de serviços de saúde, voluntário, periódico e reservado. Uma maneira diferente de focar a avaliação. Processo interativo,

Leia mais

SAW e TISS Gabriela Fonseca. Outubro de 2016

SAW e TISS Gabriela Fonseca. Outubro de 2016 SAW e TISS 3.03.01 Gabriela Fonseca Outubro de 2016 Sistema de Atendimento Web - SAW SAW: Nosso portal de comunicação com o Prestador Compatível com o navegador Mozilla Firefox Mensagens e Downloads no

Leia mais

PROCESSO SELETIVO DE CONTRATAÇÃO DE PESSOAL 01/2013

PROCESSO SELETIVO DE CONTRATAÇÃO DE PESSOAL 01/2013 PROCESSO SELETIVO DE CONTRATAÇÃO DE PESSOAL 01/2013 O Instituto Brasileiro de Alternativa para Saúde e Meio Ambiente - IBRAAS, em atendimento à determinação da sua Diretora Executiva no pleno exercício

Leia mais

Controle de infecção em postos de saúde e clínicas ambulatoriais

Controle de infecção em postos de saúde e clínicas ambulatoriais Controle de infecção em postos de saúde e clínicas ambulatoriais Maria Clara Padoveze Escola de Enfermagem da USP Conceito de vulnerabilidade Conceitos de grupos de risco e comportamento de risco em Aids

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SANTA CATARINA

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SANTA CATARINA RESPOSTA TÉCNICA COREN/SC Nº 04/CT/2016 Assunto: Penicilina Palavras-chave: Penicilina, Injetáveis, Benzilpenicilinas I Solicitação recebida pelo Coren/SC: Quais são os equipamentos e insumos obrigatórios

Leia mais

Atenção Domiciliar no Município do Rio de Janeiro. Germana Périssé Girlana Marano Hortense Marcier Brasília Dezembro/2013

Atenção Domiciliar no Município do Rio de Janeiro. Germana Périssé Girlana Marano Hortense Marcier Brasília Dezembro/2013 Atenção Domiciliar no Município do Rio de Janeiro Germana Périssé Girlana Marano Hortense Marcier Brasília Dezembro/2013 COMPOSIÇÃO DAS EQUIPES Contratadas pelas Organizações Sociais Cada Base: 1 EMAP/2

Leia mais

PRESTAÇÃO DE CONTAS JUNHO/15

PRESTAÇÃO DE CONTAS JUNHO/15 PRESTAÇÃO DE CONTAS JUNHO/15 INDICE RELATÓRIO DE ATIVIDADES ATENDIMENTO P.A. ADULTO & PEDIATRIA INTERNAÇÕES PRESTAÇÃO DE CONTAS FINANCEIRO RECEBIMENTOS DESPESAS ESTUDOS PRÉ ABERTURA DA SANTA CASA AÇÕES

Leia mais

PREFEITURA DE JUIZ DE FORA

PREFEITURA DE JUIZ DE FORA PREFEITURA DE JUIZ DE FORA A N E X O I - D O S R E Q U I S I T O S E A T R I B U I Ç Õ E S D O S C A R G O S E D I T A L D E C O N C U R S O P Ú B L I C O N º 0 1 / 2 0 1 6 R E T I F I C A D O CARGO 101:

Leia mais

TITULO: TERAPIA NUTRICIONAL ENTERAL

TITULO: TERAPIA NUTRICIONAL ENTERAL TITULO: TERAPIA NUTRICIONAL ENTERAL Autores: Thaís Regina Barcelos Foelkel Savietto; Rafaela Zampiere. Serviço de Saúde: 1- Núcleo Integrado de Saúde 2- Serviço Social/ SMS 3- Compras Palavras Chaves:

Leia mais

Manual de Organização Plano de Cargos e Vencimentos

Manual de Organização Plano de Cargos e Vencimentos de Cargos de Provimento em Comissão 251 CARGOS COMISSIONADOS EXISTENTES COORDENADOR DE CRECHES MUNICIPAIS ASSESSOR ADMINISTRATIVO ASSESSOR PARLAMENTAR ASSESSOR ESPECIAL DE TURISMO RURAL CHEDE DE ADM DAS

Leia mais

Dra Eliane Guimarães Área de Gestão de Saúde PROGRAMA PARA VIVER MELHOR

Dra Eliane Guimarães Área de Gestão de Saúde PROGRAMA PARA VIVER MELHOR Dra Eliane Guimarães Área de Gestão de Saúde PROGRAMA PARA VIVER MELHOR Área de Gestão de Saúde Estrutura Organizacional Área de Gestão de Saúde Núcleo Técnico Administrativo Unidade Saúde Corporativa

Leia mais

A Farmácia no Sistema de Saúde

A Farmácia no Sistema de Saúde A Farmácia no Sistema de Saúde João Silveira 24 de Abril de 2008 A Farmácia O Farmacêutico O Medicamento O Doente Farmacêuticos - Competências 1. I&D, fabrico, qualidade, registo, distribuição e dispensa

Leia mais

Governança Corporativa Transparência e Sustentabilidade

Governança Corporativa Transparência e Sustentabilidade FECOMERCIO - 21/11 SÃO PAULO Governança Corporativa Transparência e Sustentabilidade LUIZ DE LUCA Coordenador Comissão GC em Saúde - IBGC Superintendente Corporativo Hospital Samaritano Governança Corporativa

Leia mais

Patricia Santiago Carvalho Grasiela Scavassa Costa Suelen Catarino Sampaio

Patricia Santiago Carvalho Grasiela Scavassa Costa Suelen Catarino Sampaio Patricia Santiago Carvalho Grasiela Scavassa Costa Suelen Catarino Sampaio Santos Dumont Hospital Média e alta complexidade Inaugurado em 2009 10 leitos UTI geral 10 leitos UCO 69 leitos de internações

Leia mais

Legenda da Guia de Serviços Profissionais/Serviço Auxiliar de Diagnóstico e Terapia (SP/SADT)

Legenda da Guia de Serviços Profissionais/Serviço Auxiliar de Diagnóstico e Terapia (SP/SADT) na Registro ANS 1 Registro ANS String 6 Registro da operadora de plano privado de assistência à saúde na Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) Número da no prestador 2 Nº da no prestador 0 Número

Leia mais

A Informatização da Auditoria Concorrente Unimed Vales do Taquari e Rio Pardo

A Informatização da Auditoria Concorrente Unimed Vales do Taquari e Rio Pardo A Informatização da Auditoria Concorrente Unimed Vales do Taquari e Rio Pardo UNIMED Vales do Taquari e Rio Pardo (VTRP) UNIMED Vales do Taquari e Rio Pardo (VTRP) UNIMED Vales do Taquari e Rio Pardo (VTRP)

Leia mais

Safeflow. Registro ANVISA n

Safeflow. Registro ANVISA n Registro ANVISA n 1.00085.30420 1) Terapia Infusional 2) Conceito de Infecção hospitalar 3) Acidente de trabalho e Legislação 4) Apresentação do Safelow 5) Importância do Safelow na terapia de infusão

Leia mais

115 FÍSICO FÍSICA MÉDICA - RADIOTERAPIA A B A E A C B B C D A E D A A E C D B C B E D A C E E A B D FISIOTERAPIA A B A E A D E B D E A D E C A B

115 FÍSICO FÍSICA MÉDICA - RADIOTERAPIA A B A E A C B B C D A E D A A E C D B C B E D A C E E A B D FISIOTERAPIA A B A E A D E B D E A D E C A B (Gabarito divulgado em 09/12/2013) D E B E B A D D D C D C E A C C B C B E 101 ASSISTENTE SOCIAL A B A E A E A B D C B A E B C B D B D A C E A D D E C E A C 102 - BIÓLOGO A B A E A C A E B E C D A D D

Leia mais

RELATÓRIO DETALHADO DO QUADRIMESTRE ANTERIOR 1º E 2º QUADRIMESTRE

RELATÓRIO DETALHADO DO QUADRIMESTRE ANTERIOR 1º E 2º QUADRIMESTRE RELATÓRIO DETALHADO DO QUADRIMESTRE ANTERIOR 1º E 2º QUADRIMESTRE ANO 2013 Conforme previsto no art. 36 da Lei Complementar N.º 141/2012, o Relatório Detalhado do Quadrimestral Anterior contém informações

Leia mais

GABARITO PRELIMINAR PROVA APLICADA NO DIA 22/11/2015

GABARITO PRELIMINAR PROVA APLICADA NO DIA 22/11/2015 CARGOS: SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFESSOR POLIVALENTE (EDUCAÇÃO INFANTIL E ENSINO FUNDAMENTAL 1º ao 5º ANO) D E E A D C A D D A B D D D B B B D D B C B C E D PROFESSOR DE LÍNGUA PORTUGUESA A D C B E A D

Leia mais

HOSPITAL UNIMED NOROESTE RS SERVIÇO DE QUIMIOTERAPIA

HOSPITAL UNIMED NOROESTE RS SERVIÇO DE QUIMIOTERAPIA HOSPITAL UNIMED NOROESTE RS SERVIÇO DE QUIMIOTERAPIA Serviço de Quimioterapia inaugurado em agosto de 2005 FATORES QUE LEVARAM A ABERTURA DO SERVIÇO Custo elevado dos medicamentos quimioterápicos; Aumento

Leia mais

IMPACTO DAS RESOLUÇÕES NORMATIVAS 195, 200 e 204 EDITADAS PELA ANS

IMPACTO DAS RESOLUÇÕES NORMATIVAS 195, 200 e 204 EDITADAS PELA ANS IMPACTO DAS RESOLUÇÕES NORMATIVAS 195, 200 e 204 EDITADAS PELA ANS RN 195 Vigência: 03.11.2009 (alterada pelas RNs 200 e 204); Objetivos: a) classificar e disciplinar as características dos planos privados

Leia mais

PEDIDOS DE ESCLARECIMENTOS

PEDIDOS DE ESCLARECIMENTOS PEDIDOS DE ESCLARECIMENTOS Em atendimento ao pedido do Esclarecimento pertinente ao Processo 0071/2015 e Edital 0025/2015, em data de 26/08/2015, segue: Empresa: Interodonto Sistema de Saúde Odontológica

Leia mais

Hemato-Oncologia Pediátrica, Coordenadora da UMAD Ana Paula Fernandes Assistente Hospitalar Graduada Pediatria, Unidade de

Hemato-Oncologia Pediátrica, Coordenadora da UMAD Ana Paula Fernandes Assistente Hospitalar Graduada Pediatria, Unidade de es d n a n r la Fe u a P a An ilva S s e d esen R é r d An de nidade U, a i r t a edi MA D uada P ra da U d o a r d a G n r e ord itala ica, Co e Hosp t r t n á e i t d s i e úde A ss logia P ista Sa l

Leia mais

LOAS (Lei Orgânica da Assistência Social) com foco na POPULAÇÃO IDOSA

LOAS (Lei Orgânica da Assistência Social) com foco na POPULAÇÃO IDOSA LOAS (Lei Orgânica da Assistência Social) com foco na POPULAÇÃO IDOSA Direitos Sociais 1988: Promulgação da Constituição Federal; A Assistência Social passou a integrar o Sistema de Seguridade Social,

Leia mais

SEGURANÇA E MANUSEIO DE PRODUTOS DE USO DOMICILIAR. Profª Luzimar Rangel Moreira

SEGURANÇA E MANUSEIO DE PRODUTOS DE USO DOMICILIAR. Profª Luzimar Rangel Moreira SEGURANÇA E MANUSEIO DE PRODUTOS DE USO DOMICILIAR Profª Luzimar Rangel Moreira O AMBIENTE DOMICILIAR O doente passa a ocupar uma cama hospitalar. Se houver carpete no quarto, é necessário que seja adaptado

Leia mais

INFORMAÇÕES SOBRE OS CURSOS DO UNIFICADO

INFORMAÇÕES SOBRE OS CURSOS DO UNIFICADO INFORMAÇÕES SOBRE OS CURSOS DO UNIFICADO Em 2017, o UNIFICADO oferecerá duas modalidades de ingresso: VESTIBULAR TRADICIONAL e NOTAS DO ENEM. Abaixo, apresenta-se o quadro das vagas em cada modalidade.

Leia mais

Áreas Temáticas BVS Atenção Primária à Saúde

Áreas Temáticas BVS Atenção Primária à Saúde Áreas Temáticas BVS Atenção Primária à Saúde SINAIS E SINTOMAS Sinais, sintomas, observações e manifestações clínicas que podem ser tanto objetivas (quando observadas por médicos) como subjetivas (quando

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO DA PREFEITURA MUNICIPAL DE ALMEIRIM - Edital Nº 001/2009 GABARITO OFICIAL PRELIMINAR

CONCURSO PÚBLICO DA PREFEITURA MUNICIPAL DE ALMEIRIM - Edital Nº 001/2009 GABARITO OFICIAL PRELIMINAR NÍVEL FUNDAMENTAL INCOMPLETO - CARGOS: Servente, Cozinheira, Merendeira, Porteiro, Gari, Serviços Gerais, Jardineiro, Zelador, Magarefe, Carpinteiro, Pedreiro, Eletricista, Motorista Habilitação D 01 C

Leia mais

Perguntas e Respostas Resolução Normativa nº 398/2016

Perguntas e Respostas Resolução Normativa nº 398/2016 Perguntas e Respostas Resolução Normativa nº 398/2016 Dispõe sobre a Obrigatoriedade de Credenciamento de Enfermeiros Obstétricos e Obstetrizes por Operadoras de Planos Privados de Assistência à Saúde

Leia mais

PROCESSO SELETIVO DE CONTRATAÇÃO DE PESSOAL 01/2015

PROCESSO SELETIVO DE CONTRATAÇÃO DE PESSOAL 01/2015 PROCESSO SELETIVO DE CONTRATAÇÃO DE PESSOAL 01/2015 O Instituto Brasileiro de Alternativa para Saúde e Meio Ambiente - IBRAAS, em atendimento à determinação da sua Diretora Executiva no pleno exercício

Leia mais

Unidade Móvel de Serviços Unimed Amparo

Unidade Móvel de Serviços Unimed Amparo Unidade Móvel de Serviços Unimed Núcleo de Atenção à Saúde Área de Saúde Ocupacional Sede Administrativa ü FACHADA UNIMED AMPARO A Unimed Área de ação: PÁguas de Lindóia 17.766 habitantes P 66.849 habitantes

Leia mais

Gestão do SUS nos Municípios

Gestão do SUS nos Municípios Gestão do SUS nos Municípios Gestão do SUS Como o Município participa do SUS? - Atenção básica/primária Atenção integral à saúde - Média complexidade - Alta complexidade Atenção Básica A Atenção Básica

Leia mais

COMISSÃO DE AVALIAÇÃO DE TECNOLOGIAS EM SAÚDE. (85)

COMISSÃO DE AVALIAÇÃO DE TECNOLOGIAS EM SAÚDE. (85) COMISSÃO DE AVALIAÇÃO DE TECNOLOGIAS EM SAÚDE nucit@saude.ce.gov.br (85) 3101-5234 SEMINÁRIO DE AVALIAÇÃO DE TECNOLOGIAS EM SAÚDE E SAÚDE BASEADA EM EVIDÊNCIAS 5 e 6 de Maio de 2009 Fortaleza / CE Comissão

Leia mais

INSTRUÇÕES DA TABELA DE ASSISTÊNCIA DOMICILIAR

INSTRUÇÕES DA TABELA DE ASSISTÊNCIA DOMICILIAR INSTRUÇÕES DA TABELA DE ASSISTÊNCIA DOMICILIAR 1. DA ASSISTÊNCIA DOMICILIAR: 1.1. A assistência domiciliar caracteriza-se pela prestação de serviços médicos e terapias adjuvantes na residência do paciente

Leia mais

Programa de Promoção à Saúde e Prevenção

Programa de Promoção à Saúde e Prevenção Programa de Promoção à Saúde e Prevenção Clínica da Dor: Coluna o Alicerce do seu Dia Verônica Graziella da Silva Fisioterapeuta Responsável Registro ANS 41362 Introdução A clínica da dor consiste em atender

Leia mais

Kelly Braga. Farmácia Hospitalar

Kelly Braga. Farmácia Hospitalar Curso de Atualização em Boas Práticas de Farmácia Hospitalar Aula Inaugural Introdução as Boas Práticas da Farmácia Hospitalar Kelly Braga Farmácia Hospitalar Unidade clínica, administrativa a e econômica,

Leia mais

EMENTÁRIO E BIBLIOGRAFIA BÁSICA E COMPLEMENTAR DA MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ENFERMAGEM 5º PERÍODO

EMENTÁRIO E BIBLIOGRAFIA BÁSICA E COMPLEMENTAR DA MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ENFERMAGEM 5º PERÍODO EMENTÁRIO E E COMPLR DA MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ENFERMAGEM 5º PERÍODO ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM À SAÚDE DO ADULTO E DO IDOSO Assistência de Enfermagem sistematizada a clientes adultos e idosos em

Leia mais

100 QUESTÕES DE SAÚDE PÚBLICA PARA AGENTE COMUNITÁRIO

100 QUESTÕES DE SAÚDE PÚBLICA PARA AGENTE COMUNITÁRIO Caro Leitor, A equipe técnica do Concurseiro da Saúde empenha-se em desenvolver apostilas e materiais atualizados de acordo com as leis recentemente publicadas a fim de estar sempre em consonância com

Leia mais

B e n e f í c i o s. Gestão da Saúde

B e n e f í c i o s. Gestão da Saúde B e n e f í c i o s Gestão da Saúde O GRUPO NUNES & GROSSI Atuamos no mercado de benefícios, oferecendo produtos de qualidade e criados sob medida para você, sua família ou empresa. Através da nossa Administradora

Leia mais

Descrever os processos necessários para cadastro, liberação de perfil, vinculação de assinaturas digitalizadas.

Descrever os processos necessários para cadastro, liberação de perfil, vinculação de assinaturas digitalizadas. Setor: Escritório da Qualidade Pág. 1 de 10 Código:.QLD.NOR.002 Versão: 00 ÍNDICE 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA / NÍVEL DE DISTRIBUIÇÃO... 2 3. SIGLAS UTILIZADAS... 2 4. GLOSSÁRIO / CONCEITOS... 2 5.

Leia mais

Prova de Título de Especialista em Fisioterapia Respiratória

Prova de Título de Especialista em Fisioterapia Respiratória Prova de Título de Especialista em Fisioterapia Respiratória 1. Anatomia e fisiologia do sistema cardiorrespiratório Egan. 1 ed. São Paulo: Manole, 2000. (Seção 3, caps.7 e 8) WEST, J.B. Fisiologia respiratória

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO RIO GRANDE DO SUL Autarquia Federal - Lei nº 5.905/73

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO RIO GRANDE DO SUL Autarquia Federal - Lei nº 5.905/73 Homologado na 401ª ROP, de 18/02/2016 CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO RIO GRANDE DO SUL Câmara Técnica de Saúde e Atenção Básica Câmara Técnica de Urgência e Emergência PARECER TÉCNICO Nº 05/2016 Análise

Leia mais

ANEXO I DESCRIÇÃO SUMÁRIA

ANEXO I DESCRIÇÃO SUMÁRIA ANEXO I 1. DAS, VENCIMES, E DA INSCRIÇÃO. 1.1 O Candidato concorrerá às vagas oferecidas para apenas um cargo, conforme os seguintes quadros demonstrativos: 1.2 Cargos de Nível Superior - Educação 1001

Leia mais

INSTITUTO DE GESTÃO E HUMANIZAÇÃO HOSPITAL MATERNO INFANTIL RELAÇÃO DE SALÁRIOS FUNÇÃO SALÁRIO OUTROS BENEFICIOS

INSTITUTO DE GESTÃO E HUMANIZAÇÃO HOSPITAL MATERNO INFANTIL RELAÇÃO DE SALÁRIOS FUNÇÃO SALÁRIO OUTROS BENEFICIOS ANALISTA ADMINISTRATIVO 1.928,70 96,44 ANALISTA ADMINISTRATIVO 3.000,00 150,00 ANALISTA ADMINISTRATIVO 3.000,00 150,00 ANALISTA ADMINISTRATIVO 2.249,37 279,87 ANALISTA ADMINISTRATIVO 2.000,00 267,40 ANALISTA

Leia mais

CONFLITO DE INTERESSES

CONFLITO DE INTERESSES CONFLITO DE INTERESSES Sócia da Ometto Advogados Associados, desde 1993. Consultoria em Direito Médico e Hospitalar. Defesa de clínicas médicas. Defesa de interesses de médicos (éticas e civis). Assessora

Leia mais

Gestão de Processos. Gestão de Processos na Saúde. Identificação, mapeamento, redesenho e aprimoramento dos processos

Gestão de Processos. Gestão de Processos na Saúde. Identificação, mapeamento, redesenho e aprimoramento dos processos Gestão de Processos na Saúde Marcelo.Aidar@fgv.br 1 Gestão de Processos Identificação, mapeamento, redesenho e aprimoramento dos processos 2 O Ambiente de Negócios e os Stakeholders AMBIENTE DE AÇÃO INDIRETA

Leia mais

APOIO MATRICIAL COMO FERRAMENTA PARA INSERÇÃO DA SAÚDE DO TRABALHADOR NA ATENÇÃO BÁSICA DO MUNICÍPIO DE BETIM/MG

APOIO MATRICIAL COMO FERRAMENTA PARA INSERÇÃO DA SAÚDE DO TRABALHADOR NA ATENÇÃO BÁSICA DO MUNICÍPIO DE BETIM/MG APOIO MATRICIAL COMO FERRAMENTA PARA INSERÇÃO DA SAÚDE DO TRABALHADOR NA ATENÇÃO BÁSICA DO MUNICÍPIO DE BETIM/MG BETIM Localização: 30 Km de Belo Horizonte. É um dos principais polos de concentração Industrial

Leia mais

VÍDEO INSTITUCIONAL UNIMED VALE DO SINOS/RS

VÍDEO INSTITUCIONAL UNIMED VALE DO SINOS/RS VÍDEO INSTITUCIONAL UNIMED VALE DO SINOS/RS HOSPITAL UNIMED VALE DO SINOS/RS CENTRO DE ONCOLOGIA Viabilidade e desempenho da equipe multidisciplinar Foto1 1.1 NECESSIDADE DO SERVIÇO - Reduzir o alto custo

Leia mais

de Estudos em Saúde Coletiva, Mestrado profissional em Saúde Coletiva. Palavras-chave: Reações adversas, antidepressivos, idosos.

de Estudos em Saúde Coletiva, Mestrado profissional em Saúde Coletiva. Palavras-chave: Reações adversas, antidepressivos, idosos. ANÁLISE DAS REAÇÕES ADVERSAS OCORRIDAS DEVIDO AO USO DE ANTIDEPRESSIVOS EM IDOSOS DO CENTRO DE REFERÊNCIA EM ATENÇÃO À SAÚDE DA PESSOA IDOSA CRASPI DE GOIÂNIA Gislaine Rosa de SOUZA 1 ; Ana Elisa Bauer

Leia mais

##ATO Portaria nº 251/GM, Em 31 de janeiro de 2002.

##ATO Portaria nº 251/GM, Em 31 de janeiro de 2002. 1 de 5 15/5/2009 15:24 ##ATO Portaria nº 251/GM, Em 31 de janeiro de 2002. Estabelece diretrizes e normas para a assistência hospitalar em psiquiatria, reclassifica os hospitais psiquiátricos, define e

Leia mais

Fluxo de elaboração e aprovação de POP s v.1 - Cód

Fluxo de elaboração e aprovação de POP s v.1 - Cód DETALHAMENTO DO FLUXO Fluxo de elaboração e aprovação de POP s v.1 - Cód. 53610 POP: ATENDIMENTO AO TELEFONE Requisitante: Bibiana Pereira (bibiana) PASSO A PASSO DO FLUXO Cód. Tarefa Início Conclusão

Leia mais

CLASSES DE CARGOS COMISSIONADOS

CLASSES DE CARGOS COMISSIONADOS AGENTE S POLÍTICOS: REMUNERAÇÃO Prefeito R$ 11.000,00 - Vice Prefeito R$ 4.100,00 - CLASSES DE CARGOS COMISSIONADOS Salário JORNADA SEMANAL HORAS - Chefe de Gabinete - Procuradoria Jurídica - Coord.Sist.

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº xxx, de xx de xxxxxx DE 2016

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº xxx, de xx de xxxxxx DE 2016 RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº xxx, de xx de xxxxxx DE 2016 Dispõe sobre a contratação de planos coletivos empresariais de planos privados de assistência à saúde por microempreendedores individuais e por

Leia mais

ALTERA O CADASTRAMENTO DOS CENTROS DE REFERÊNCIA EM SAÚDE DO TRABALHADOR NO SCNES

ALTERA O CADASTRAMENTO DOS CENTROS DE REFERÊNCIA EM SAÚDE DO TRABALHADOR NO SCNES Circular 489/2013 São Paulo, 29 de Outubro de 2013. PROVEDOR(A) ADMINISTRADOR(A) ALTERA O CADASTRAMENTO DOS CENTROS DE REFERÊNCIA EM SAÚDE DO TRABALHADOR NO SCNES Diário Oficial da União Nº 208, Seção

Leia mais

1. Art. 17, caput: Formas de comunicação ao beneficiário

1. Art. 17, caput: Formas de comunicação ao beneficiário Contribuições do SINOG Sindicato Nacional das Empresas de Odontologia de Grupo para discussão na 2ª reunião do Grupo Técnico da Regulamentação da Lei nº 13.003/2014. Contribuições sobre pontos relevantes

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS DEPUTADA BENEDITA DA SILVA

CÂMARA DOS DEPUTADOS DEPUTADA BENEDITA DA SILVA COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI N o 4.702, DE 2012 (Apenso ao Projeto de Lei nº 2.178, de 2011) Dispõe sobre o exercício da profissão de cuidador de pessoa idosa e dá outras providências.

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO Procuradoria de Justiça Especializada na Defesa da Cidadania e do Consumidor

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO Procuradoria de Justiça Especializada na Defesa da Cidadania e do Consumidor Dados de Identificação Questionário PSF Equipe de Saúde da Família Nome da unidade visitada:...data da visita:... Endereço:... Bairro:...Telefone:... Nome do(a) responsável pela Unidade de Saúde:... Qualificação

Leia mais

PLANO DE CURSO. CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20

PLANO DE CURSO. CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: ENFERMAGEM EM ONCOLOGIA Código: ENF- 218 Pré-requisito: Nenhum Período Letivo:

Leia mais

REMUNERAÇÃO MÉDICA E MODELO ASSISTENCIAL E GERENCIAL

REMUNERAÇÃO MÉDICA E MODELO ASSISTENCIAL E GERENCIAL REMUNERAÇÃO MÉDICA E MODELO ASSISTENCIAL E GERENCIAL ENCONTRO NACIONAL UNIMED DE RECURSOS E SERVIÇOS PRÓPRIOS SÃO PAULO, 05 DE MAIO 2011 UNIMED SÃO JOSÉ DOS CAMPOS PAULO CESAR PRADO JR. GERENTE EXECUTIVO

Leia mais

Evolução salarial na SES/SP e pesquisa de mercado

Evolução salarial na SES/SP e pesquisa de mercado SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE Observatório de Recursos Humanos em Saúde para o SUS/SP Evolução salarial na SES/SP e pesquisa de mercado Adriana Carro Set/2013 Evolução salarial na SES/SP- 2007 a 2013 Classificação

Leia mais

CURSO DE AUXILIAR DE ACÇÃO MÉDICA / ASSISTENTE OPERACIONAL

CURSO DE AUXILIAR DE ACÇÃO MÉDICA / ASSISTENTE OPERACIONAL CURSO DE AUXILIAR DE ACÇÃO MÉDICA / ASSISTENTE OPERACIONAL O amor á profissão pode torná-lo um bom profissional, mas só um diploma pode formar um profissional completo 1. OBJECTIVOS GERAIS O curso Profissional

Leia mais

Instituto de Previdência e Assistência Municipal de Caxias do Sul

Instituto de Previdência e Assistência Municipal de Caxias do Sul Instituto de Previdência e Assistência Municipal de Caxias do Sul Instituto de Previdência e Assistência Municipal de Caxias do Sul Instituto de Previdência e Assistência Municipal de Caxias do Sul Instituto

Leia mais

CURSO DE ATUALIZAÇÃO. Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde

CURSO DE ATUALIZAÇÃO. Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde 1 CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde REESTRUTURAÇÃO DE UM SERVIÇO DE SAÚDE DO TRABALHADOR EM UM HOSPITAL GERAL PÚBLICO MUNICIPAL EM BELO HORIZONTE

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO DA SECRETARIA DE SAÚDE DO ESTADO DE PERNAMBUCO PARA 2014 RELATÓRIO DE CONCORRÊNCIA NÍVEL SUPERIOR

CONCURSO PÚBLICO DA SECRETARIA DE SAÚDE DO ESTADO DE PERNAMBUCO PARA 2014 RELATÓRIO DE CONCORRÊNCIA NÍVEL SUPERIOR 01 - ANALISTA EM SAÚDE / ASSISTENTE SOCIAL I II V I I II 30 1.714 57,13 1 53 53,00 1 53 53,00 3 202 67,33 2 52 26,00 1 73 73,00 2 129 64,50 1 49 49,00 1 46 46,00 1 36 36,00 VAGAS e INSCRITOS / CARGO: 43

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SANTA CATARINA

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SANTA CATARINA RESPOSTA TÉCNICA COREN/SC Nº 01/CT/2016 Assunto: Desinfecção Terminal em UBS Palavras-chave: Desinfecção Terminal, UBS, Auxiliar de Limpeza I Solicitação recebida pelo Coren/SC: Nas UBS os responsáveis

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 14, DE 30 DE SETEMBRO DE 2010

RESOLUÇÃO Nº 14, DE 30 DE SETEMBRO DE 2010 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA VETERINÁRIA DO RS RESOLUÇÃO Nº 14, DE 30 DE SETEMBRO DE 2010 Dispõe sobre a normatização dos procedimentos de contracepção de cães e gatos em Programas

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM ONCOLOGIA - RIO Unidade Dias e Horários

Leia mais