EMENDAS PARLAMENTARES PEE/SC

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EMENDAS PARLAMENTARES PEE/SC"

Transcrição

1 EMENDAS PARLAMENTARES PEE/SC 04 de novembro de

2 Texto PNE Texto PEESC Proposta de Emenda Meta 1 Análise 1.7) articular a oferta de matrículas gratuitas em creches certificadas como entidades beneficentes de assistência social na área de educação com a expansão da oferta na rede escolar pública. Estratégia: Ampliar a oferta de matrículas gratuitas em creches na rede pública, até Dep. Carminatti Estratégia 1.7 Modificativa. JUSTIFICATIVA: Emenda rejeitada na Comissão de Tributação e Finanças - impõe atendimento de Meta não exeqüível Dep. Carminatti Estratégia 1.18 Aditiva JUSTIFICATIVA: Emenda rejeitada na Comissão de Tributação e Finanças - emenda está contemplada nas Metas: 15 e 16, que tratam de formação inicial e continuada para a educação básica em suas etapas e modalidades Dep. Carminatti Estratégia 1.19 Aditiva JUSTIFICATIVA: Emenda rejeitada na Comissão de Tributação e Finanças - Emenda consta no PEESC na Estratégia Dep. Carminatti Estratégia 1.20 Aditiva JUSTIFICATIVA: Emenda rejeitada na Comissão de Tributação e Finanças. Já está contemplada na redação das estratégias 7.21, 7.22, da meta 7. 2

3 Texto PNE Texto PEESC Proposta de Emenda Meta 1 Análise Dep. Carminatti Estratégia 1.21 Aditiva ACATADA Aprovada na Comissão de Tributação e Finanças, com proposta de alteração da redação e inclusão na META 7 e não na Meta 1 JUSTIFICATIVA: Inclusão de estratégia na meta 7 com a seguinte redação: Garantir que a educação escolar indígena e quilombola tenham transporte escolar de acordo com a necessidade de acesso da população à educação, bem como alimentação escolar, com segurança alimentar e nutricional, que valorize a cultura alimentar desses povos. 3

4 Texto PNE Texto PEESC Proposta de Emenda Meta 2 Análise estimular a oferta do ensino fundamental, em especial dos anos iniciais, para as populações do campo, indígenas e quilombolas, nas próprias comunidades; Estratégias: Expandir o atendimento específico às populações do campo, quilombolas, povos indígenas, povos nômades e das comunidades tradicionais garantindo o acesso, permanência, conclusão, bem como a formação de profissionais para atuação junto a essas populações, preferencialmente, na própria comunidade Estratégias: Garantir a oferta da alimentação escolar, com segurança alimentar e nutricional, preferencialmente, com produtos da região. Dep. Dirceu Dresch Modificativa Dep. Carminatti Aditiva Dep. Dirceu Dresch Modificativa JUSTIFICATIVA: Manter a redação original do PEE/SC, objetivando assegurar o direito à Educação aos povos nômades e quilombolas, de forma explícita no Plano Estadual, redação esta alinhada ao PNE nas Metas 2, 7. ACATADA Aprovada na Comissão de Tributação e Finanças JUSTIFICATIVA: O texto está mais completo que o PEESC JUSTIFICATIVA: Manter a proposta da emenda da Deputada Luciane Carminatti já aprovada na Comissão de Tributação e Finanças 4

5 Texto PNE Texto PEESC Proposta de Emenda Meta 2 Análise Avaliar, até o 3º (terceiro) ano de vigência do Plano, o dispositivo da Lei Complementar nº 170/1998, que trata do número de estudantes por turma. Dep. Carminatti Supressiva JUSTIFICATIVA: A Lei nº 170/1988 está defasada no que tange a temática. Dep. Carminatti Estratégias: 2.24 e 2.25 Aditiva Dep. Carminatti Estratégia: Aditiva JUSTIFICATIVA: Emenda contemplada na Meta 6, nas estratégias 6.2, 6.3 e 6.4. Não há como vincular ao CAQ e CAQi, pois estes não estão com seus valores definidos pela União. JUSTIFICATIVA: emenda contemplada na Meta 2, nas estratégias 2.2, 2.3, 2.7, 2,9, 2.10, 2.13, 2,18, 2.19 e na Meta 7, estratégias 7.24, 7.25, 7.26 e

6 Texto PNE Texto PEESC Proposta de Emenda Meta 2 Análise 1.9 Fomentar o atendimento às populações do campo, indígenas e Dep. Carminatti Aditiva quilombolas na educação infantil nas respectivas comunidades, por meio do redimensionamento da distribuição JUSTIFICATIVA: Já contemplada na Estratégia 1.9 do PEESC. A Meta 2 territorial da oferta, limitando a diz respeito ao Ensino Fundamental nucleação das instituições públicas de e a estratégia proposta refere-se a Educação Infantil. educação infantil e o deslocamento de crianças, de forma a atender às especificidades dessas comunidades, garantido consulta prévia e informada Dep. Carminatti Aditiva ACATADA - Aprovada na Comissão de Tributação e Finanças, com proposta de alteração da redação e inclusão na META 7 - JUSTIFICATIVA: Inclusão de estratégia na meta 7, com a seguinte redação: Garantir que a educação escolar indígena e quilombola tenham transporte escolar de acordo com a necessidade de acesso da população à educação, bem como alimentação escolar, com segurança alimentar e nutricional, que valorize a cultura alimentar desses povos. 6

7 Texto PNE Texto PEESC Proposta de Emenda Meta 3 Análise Estratégia 3.7 do PEE SC e 3.9 PNE 3.9) promover a busca ativa da população de 15 (quinze) a 17 (dezessete) anos fora da escola, em articulação com os serviços de assistência social, saúde e proteção à adolescência e à juventude. Estratégias: 3.7 Promover a busca ativa da população de 15 (quinze) a 17 (dezessete) anos fora da escola, de forma intersetorial, com os serviços de assistência social, saúde e proteção à adolescência e à juventude. Dep. Carminatti Estratégia 3.7 Alteração de redação JUSTIFICATIVA: o tema sucessão familiar não diz respeito ao campo da educação. Estratégia 3.10 do PEE SC e 3.12 PNE 3.12) desenvolver formas alternativas de oferta do ensino médio, garantida a qualidade, para atender aos filhos e filhas de profissionais que se dedicam a atividades de caráter itinerante Estratégias: 3.10 Desenvolver formas alternativas de oferta do ensino médio, garantindo a qualidade, para atender aos filhos de profissionais que se dedicam a atividades de caráter itinerante, conforme legislação vigente. Dep. Carminatti Estratégia: 3.10 Alteração JUSTIFICATIVA: manter a redação original do PEE/SC, pois o termo desenvolver forma alternativas do ensino médio já contempla o regime de alternância. Estratégia 3.12 do PEE SC e 3.14 PNE3.14) estimular a participação dos adolescentes nos cursos das áreas tecnológicas e científicas. Estratégias: Estimular, por meio de campanhas institucionais e demais formas, a participação dos jovens nos cursos das áreas tecnológicas e científicas. Dep. Carminatti Estratégia: Alteração ACATADA JUSTIFICATIVA: aceitar a redação sugerida porque está mais completa. 7

8 Texto PNE Texto PEESC Proposta de Emenda Meta 3 Análise Dep. Carminatti Aditiva JUSTIFICATIVA: emenda com vício de origem, pois necessita de previsão em orçamento Fomentar o atendimento às populações do campo, indígenas e quilombolas na educação infantil nas respectivas comunidades, por meio do redimensionamento da distribuição territorial da oferta, limitando a nucleação das instituições públicas de educação infantil e o deslocamento de crianças, de forma a atender às especificidades dessas comunidades, garantido consulta prévia e informada. Dep. Carminatti Aditiva JUSTIFICATIVA: Já contemplada na Estratégia 1.9 do PEESC. A Meta 3 diz respeito ao Ensino Médio e a estratégia proposta refere-se a Educação Infantil. 8

9 Texto PNE Texto PEESC Proposta de Emenda Meta 3 Análise Dep. Carminatti Aditiva ACATADA Aprovada na Comissão de Tributação e Finanças, com proposta de alteração da redação e inclusão na META 7 e não na Meta 3 JUSTIFICATIVA: Inclusão de estratégia na meta 7, com a seguinte redação: Garantir que a educação escolar indígena e quilombola tenham transporte escolar de acordo com a necessidade de acesso da população à educação, bem como alimentação escolar, com segurança alimentar e nutricional, que valorize a cultura alimentar desses povos. 9

10 Texto PNE Texto PEESC Proposta de Emenda Meta 4 Análise Meta 4: universalizar, para a população de 4 (quatro) a 17 (dezessete) anos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades ou superdotação, o acesso à educação básica e ao atendimento educacional especializado, preferencialmente na rede regular de ensino, com a garantia de sistema educacional inclusivo, de salas de recursos multifuncionais, classes, escolas ou serviços especializados, públicos ou conveniados. Meta 4: Universalizar, para o público da educação especial de 04 (quatro) a 17 (dezessete) anos de idade público da educação especial, o acesso à educação básica e ao atendimento educacional especializado, preferencialmente na rede regular de ensino, com a garantia de sistema educacional inclusivo, de salas de recursos multifuncionais e serviços especializados, públicos ou conveniados, nos termos do Artigo 208, inciso III, da Constituição Federal, do Artigo 163 da Constituição Estadual e do Artigo 24 da Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, aprovada por meio do Decreto Legislativo nº 186/2008, com status de emenda constitucional, e promulgada pelo Decreto nº 6.949/2009, e nos termos do Artigo 8º do Decreto nº 7.611/2011, que dispõe sobre a educação especial, o atendimento educacional especializado e dá outras providências, até o último dia de vigência deste Plano. Dep. Carminatti Meta 4 Modificativa JUSTIFICATIVA: Foi acatada emenda parlamentar com texto diverso. Deputado José Nei Ascari e Bancada do PMDB 10

11 Texto PNE Texto PEESC Proposta de Emenda Meta 4 Análise 4.1) contabilizar, para fins do repasse do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação - FUNDEB, as matrículas dos (as) estudantes da educação regular da rede pública que recebam atendimento educacional especializado complementar e suplementar, sem prejuízo do cômputo dessas matrículas na educação básica regular, e as matrículas efetivadas, conforme o censo escolar mais atualizado, na educação especial oferecida em instituições comunitárias, confessionais ou filantrópicas sem fins lucrativos, conveniadas com o poder público e com atuação exclusiva na modalidade, nos termos da Lei n o , de 20 de junho de Estratégia: 4.1 Garantir a oferta de educação inclusiva, vedada a exclusão do ensino regular sob alegação de deficiência, seja na rede regular pública, privada ou conveniada e promovida a articulação pedagógica entre o ensino regular e o atendimento educacional especializado. Estratégia: 4.2 Contribuir na contabilização, para fins do repasse do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (FUNDEB), as matrículas dos estudantes da educação regular da rede pública que recebam atendimento educacional especializado complementar e suplementar, sem prejuízo do cômputo dessas matrículas na educação básica regular, e as matrículas efetivadas, conforme o censo escolar mais atualizado, na educação especial oferecida em instituições comunitárias, confessionais ou filantrópicas sem fins lucrativos, conveniadas com o Poder Público e com atuação exclusiva na modalidade, nos termos da Lei nº /2007. Dep. Carminatti - Estratégia: 4.1 Modificativa JUSTIFICATIVA: Foi acatada emenda parlamentar com texto diverso. Deputado José Nei Ascari e Bancada do PMDB 11

12 Texto PNE Texto PEESC Proposta de Emenda Análise 4.2) promover, no prazo de vigência deste PNE, a universalização do atendimento escolar à demanda manifesta pelas famílias de crianças de 0 (zero) a 3 (três) anos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades ou superdotação, observado o que dispõe a Lei n 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Estratégia: 4.3 Promover, no prazo de vigência do Plano, a universalização do atendimento escolar à demanda manifesta pelas famílias de crianças público de educação especial, de 0 (zero) a 03 (três) anos de idade, observado o que dispõe a Lei nº 9.394/1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Dep. Carminatti Estratégia: 4.2 Modificativa JUSTIFICATIVA: Foi acatada emenda parlamentar com texto diverso. Deputado José Nei Ascari. 12

13 Texto PNE Texto PEESC Proposta de Emenda Meta 4 Análise 4.3) implantar, ao longo deste PNE, salas de recursos multifuncionais e fomentar a formação continuada de professores e professoras para o atendimento educacional especializado nas escolas urbanas, do campo, indígenas e de comunidades quilombolas; 4.4 Fomentar, implementar e manter ao longo do Plano, salas de recursos multifuncionais e promover a formação continuada de professores para o ensino regular e para o atendimento educacional especializado nas escolas regulares, públicas e privadas e nas instituições especializadas públicas e conveniadas. Dep. Carminatti Estratégia: 4.3 Modificativa JUSTIFICATIVA: Foi acatada emenda parlamentar com texto diverso. Deputado José Nei Ascari e Bancada do PMDB. VERIFICAR 13

14 Texto PNE Texto PEESC Proposta de Emenda Meta 4 Análise 4.4) Garantir atendimento educacional especializado em salas de recursos multifuncionais, classes, escolas ou serviços especializados, públicos ou conveniados, nas formas complementar e suplementar, a todos (as) alunos (as) com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades ou superdotação, matriculados na rede pública de educação básica, conforme necessidade identificada por meio de avaliação, ouvidos a família e o aluno; 4.5 Garantir atendimento educacional especializado em salas de recursos multifuncionais, preferencialmente, em escolas da rede regular de ensino ou em instituições especializadas, públicas ou conveniadas, nas formas complementar ou suplementar, a todos os estudantes público da educação especial, matriculados em escolas de educação básica, públicas e privadas, conforme necessidade identificada por meio de avaliação, ouvidos a família e o estudante. Dep. Carminatti Estratégia: 4.4 Modificativa JUSTIFICATIVA: Foi acatada emenda parlamentar com texto diverso. Deputado José Nei Ascari e Bancada do PMDB 14

15 Texto PNE Texto PEESC Proposta de Emenda - Meta 4 Análise 4.5) Estimular a criação de centros multidisciplinares de apoio, pesquisa e assessoria, articulados com instituições acadêmicas e integrados por profissionais das áreas de saúde, assistência social, pedagogia e psicologia, para apoiar o trabalho dos (as) professores da educação básica com os (as) alunos (as) com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades ou superdotação; 4.6 Estimular a criação de centros multidisciplinares de apoio, pesquisa e assessoria, articulados com instituições acadêmicas, conveniados com a Fundação Catarinense de Educação Especial (FCEE) e integrados por profissionais das áreas de saúde, assistência social, pedagogia e psicologia, para apoiar o trabalho dos professores da educação básica com estudantes público da educação especial. Dep. Carminatti Estratégia: 4.5 Modificativa JUSTIFICATIVA: Foi acatada emenda parlamentar com texto diverso. Deputado José Nei Ascari e Bancada do PMDB 15

16 Texto PNE Texto PEESC Proposta de Emenda Meta 4 Análise 4.6) manter e ampliar programas suplementares que promovam a acessibilidade nas instituições públicas, para garantir o acesso e a permanência dos (as) alunos (as) com deficiência por meio da adequação arquitetônica, da oferta de transporte acessível e da disponibilização de material didático próprio e de recursos de tecnologia assistiva, assegurando, ainda, no contexto escolar, em todas as etapas, níveis e modalidades de ensino, a identificação dos (as) alunos (as) com altas habilidades ou superdotação; 4.7 Manter e ampliar programas complementares ou suplementares que promovam a acessibilidade nas instituições públicas e privadas, para garantir o acesso e a permanência dos estudantes, público da educação especial, por meio da adequação arquitetônica, da oferta de transporte acessível, da disponibilização de material didático adaptado, de recursos de tecnologia assistiva, da alimentação escolar adequada, da identificação dos estudantes com altas habilidades/superdotação, todos os níveis, etapas e modalidades de ensino. Dep. Carminatti Estratégia: 4.6 Modificativa ACATADA Aprovada na Comissão de Tributação e Finanças. JUSTIFICATIVA: a acessibilidade tem relação com as pessoas com deficiência. Obs.: Emendas de Igual teor elaboradas pelo Deputado José Nei Ascari e Bancada do PMDB. 16

17 Texto PNE Texto PEESC Proposta de Emenda Análise 4.7 garantir a oferta de educação bilíngue, em Língua Brasileira de Sinais - LIBRAS como primeira língua e na modalidade escrita da Língua Portuguesa como segunda língua, aos (às) alunos (as) surdos e com deficiência auditiva de 0 (zero) a 17 (dezessete) anos, em escolas e classes bilíngues e em escolas inclusivas, nos termos do art. 22 do Decreto n o 5.626, de 22 de dezembro de 2005, e dos arts. 24 e 30 da Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, bem como a adoção do Sistema Braille de leitura para cegos e surdoscegos; 4.8 Garantir a oferta de educação bilíngue, em Língua Brasileira de Sinais (Libras) como primeira língua e na modalidade escrita da Língua Portuguesa como segunda língua, aos estudantes surdos e com deficiência auditiva de 0 (zero) a 17 (dezessete) anos, em escolas inclusivas, nos termos do Artigo 22 do Decreto nº 5.626/2005, e dos Artigos 24 e 30, da Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, bem como a adoção do Sistema Braille para cegos e surdocegos. Dep. Carminatti - Estratégia: Modificativa JUSTIFICATIVA: O Estado não disponibiliza escolas e classes bilíngües. As escolas comuns devem ser ambientes bilíngües. Obs.: a Emenda corresponde a estratégia 4.8 do PEESC 17

18 18

19 Texto PNE Texto PEESC Proposta de Emenda Meta 4 Análise 4.8 garantir a oferta de educação inclusiva, vedada a exclusão do ensino regular sob alegação de deficiência e promovida a articulação pedagógica entre o ensino regular e o atendimento educacional especializado; 4.1 Garantir a oferta de educação inclusiva, vedada a exclusão do ensino regular sob alegação de deficiência, seja na rede regular pública, privada ou conveniada e promovida a articulação pedagógica entre o ensino regular e o atendimento educacional especializado. Dep. Carminatti Estratégia: 4.8 Aditiva JUSTIFICATIVA: esta contemplada na estratégia 4.1 do PEESC. 19

20 20

21 Texto PNE Texto PEESC Proposta de Emenda Meta 4 Análise 4.9) fortalecer o acompanhamento e o monitoramento do acesso à escola e ao atendimento educacional especializado, bem como da permanência e do desenvolvimento escolar dos (as) alunos (as) com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades ou superdotação beneficiários (as) de programas de transferência de renda, juntamente com o combate às situações de discriminação, preconceito e violência, com vistas ao estabelecimento de condições adequadas para o sucesso educacional, em colaboração com as famílias e com os órgãos públicos de assistência social, saúde e proteção à infância, à adolescência e à juventude; 4.9 Fortalecer o acompanhamento e o monitoramento do acesso à escola e ao atendimento educacional especializado, bem como da permanência e do desenvolvimento escolar dos estudantes público da educação especial beneficiários de programas de transferência de renda, juntamente com o combate às situações de discriminação, preconceito e violência, com vistas ao estabelecimento de condições adequadas para o sucesso educacional, em colaboração com as famílias e com os órgãos públicos de assistência social, saúde e proteção à infância, à adolescência e à juventude. Dep. Carminatti Estratégia: 4.9 Modificativa JUSTIFICATIVA: Foi acatada emenda parlamentar com texto diverso. Deputado José Nei Ascari e Bancada do PMDB 21

22 Texto PNE Texto PEESC Proposta de Emenda Meta 4 Análise 4.10) fomentar pesquisas voltadas para o desenvolvimento de metodologias, materiais didáticos, equipamentos e recursos de tecnologia assistiva, com vistas à promoção do ensino e da aprendizagem, bem como das condições de acessibilidade dos (as) estudantes com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades ou superdotação; 4.10 Fomentar pesquisas voltadas para o desenvolvimento de metodologias, materiais didáticos, equipamentos e recursos de tecnologia assistiva, com vistas à promoção do ensino e da aprendizagem, bem como das condições de acessibilidade dos estudantes público da educação especial. Dep. Carminatti Estratégia: 4.10 Modificativa JUSTIFICATIVA: manter redação original do PEESC, considerando que a emenda não contempla o publico da Educação Especial, definido pela Política de Educação Especial do Estado. 4.11) promover o desenvolvimento de pesquisas interdisciplinares para subsidiar a formulação de políticas públicas intersetoriais que atendam as especificidades educacionais de estudantes com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades ou superdotação que requeiram medidas de atendimento especializado; 4.11 Promover o desenvolvimento de pesquisas interdisciplinares para subsidiar a formulação de políticas públicas intersetoriais que atendam as especificidades educacionais de estudantes público da educação especial que requeiram medidas de atendimento especializado. Dep. Carminatti Estratégia: 4.11 Modificativa JUSTIFICATIVA: manter redação original do PEESC, considerando que a emenda não contempla o publico da Educação Especial, definido pela Política de Educação Especial do Estado. 22

23 Texto PNE Texto PEESC Proposta de Emenda Meta 4 Análise 4.12) promover a articulação intersetorial entre órgãos e políticas públicas de saúde, assistência social e direitos humanos, em parceria com as famílias, com o fim de desenvolver modelos de atendimento voltados à continuidade do atendimento escolar, na educação de jovens e adultos, das pessoas com deficiência e transtornos globais do desenvolvimento com idade superior à faixa etária de escolarização obrigatória, de forma a assegurar a atenção integral ao longo da vida; 4.12 Promover a articulação intersetorial entre órgãos e políticas públicas de saúde, assistência social e direitos humanos, em parceria com as famílias, com a finalidade de identificar e eliminar barreiras de acesso e permanência voltados à continuidade do atendimento escolar na educação de jovens e adultos, das pessoas, público da educação especial, com idade superior à faixa etária de escolarização obrigatória, de forma a assegurar a atenção integral ao longo da vida. Dep. Carminatti Estratégia: 4.12 Modificativa JUSTIFICATIVA: Foi acatada emenda parlamentar com texto diverso. Deputado José Nei Ascari e Bancada do PMDB 23

24 Texto PNE Texto PEESC Proposta de Emenda Meta 4 Análise 4.13) apoiar a ampliação das equipes de profissionais da educação para atender à demanda do processo de escolarização dos (das) estudantes com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades ou superdotação, garantindo a oferta de professores (as) do atendimento educacional especializado, profissionais de apoio ou auxiliares, tradutores (as) e intérpretes de Libras, guiasintérpretes para surdos-cegos, professores de Libras, prioritariamente surdos, e professores bilíngues; 4.13 Apoiar a ampliação das equipes de profissionais da educação para atender à demanda do processo de escolarização dos estudantes público da educação especial, garantindo a oferta de professores do atendimento educacional especializado, segundo professor de turma, cuidadores, professores de áreas específicas, tradutores e intérpretes de Libras, guiasintérpretes para surdocegos, professores de Libras e professores bilíngues. Dep. Carminatti Estratégia: 4.13 Modificativa JUSTIFICATIVA: Foi acatada emenda parlamentar com texto diverso. Deputado José Nei Ascari e Bancada do PMDB 4.14) definir, no segundo ano de vigência deste PNE, indicadores de qualidade e política de avaliação e supervisão para o funcionamento de instituições públicas e privadas que prestam atendimento a alunos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades ou superdotação; 4.14 Definir, no segundo ano de vigência do Plano, indicadores de qualidade e política de avaliação e supervisão para o funcionamento de instituições públicas e privadas que prestam atendimento educacional a estudantes público da educação especial. Dep. Carminatti Estratégia: 4.14 Modificativa JUSTIFICATIVA: Foi acatada emenda parlamentar com texto diverso. Deputado José Nei Ascari e Bancada do PMDB 24

25 Texto PNE Texto PEESC Proposta de Emenda Meta 4 Análise 4.15) promover, por iniciativa do Ministério da Educação, nos órgãos de pesquisa, demografia e estatística competentes, a obtenção de informação detalhada sobre o perfil das pessoas com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades ou superdotação de 0 (zero) a 17 (dezessete) anos; 4.15 Promover, por iniciativa da Secretaria de Estado da Educação e da Fundação Catarinense de Educação Especial, junto aos órgãos de pesquisa, demografia e estatística competentes, a obtenção de informação detalhada sobre o perfil das pessoas público da educação especial de 0 (zero) a 17 (dezessete) anos. Dep. Carminatti Estratégia: 4.15 Modificativa JUSTIFICATIVA: Impõe compromisso ao MEC. Manter redação original do PEESC. A Emenda se refere ao MEC e não a SEDSC e FCEE. O texto do PEESC atende de forma mais abrangente o público da Educação Especial definido pela Política de Educação Especial do Estado. 4.16) incentivar a inclusão nos cursos de licenciatura e nos demais cursos de formação para profissionais da educação, inclusive em nível de pósgraduação, observado o disposto no caput do art. 207 da Constituição Federal, dos referenciais teóricos, das teorias de aprendizagem e dos processos de ensino-aprendizagem relacionados ao atendimento educacional de alunos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades ou superdotação; 4.16 Garantir a inclusão nos cursos de licenciatura e nos demais cursos de formação para profissionais da educação, inclusive em nível de pós-graduação, observado o disposto no caput do Artigo 207 da Constituição Federal, dos referenciais teóricos, das teorias de aprendizagem e dos processos de ensino-aprendizagem relacionados ao atendimento educacional de estudantes público da educação especial. Dep. Carminatti Estratégia: 4.16 Modificativa JUSTIFICATIVA: O texto do PEESC atende de forma mais abrangente o público da Educação Especial definido pela Política de Educação Especial do Estado. 25

26 Texto PNE Texto PEESC Proposta de Emenda Meta 4 Análise 4.17) promover parcerias com instituições comunitárias, confessionais ou filantrópicas sem fins lucrativos, conveniadas com o poder público, visando a ampliar as condições de apoio ao atendimento escolar integral das pessoas com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades ou superdotação matriculadas nas redes públicas de ensino; 6.7 Oportunizar a educação em tempo integral para pessoas, público da educação especial, a educação em tempo integral para pessoas na faixa etária de 04 (quatro) a 17 (dezessete) anos idade, assegurando atendimento educacional especializado, complementar e suplementar, ofertado em salas de recursos multifuncionais da própria escola ou em instituições especializadas, bem como profissionais habilitados. Dep. Carminatti Estratégia: 4.17 Aditiva JUSTIFICATIVA: Foi acatada emenda parlamentar com texto diverso. Deputado José Nei Ascari e Bancada do PMDB JUSTIFICATIVA: a emenda esta contemplada na estratégia 6.7 do PEESC. 26

27 4.18) promover parcerias com instituições comunitárias, confessionais ou filantrópicas sem fins lucrativos, conveniadas com o poder público, visando a ampliar a oferta de formação continuada e a produção de material didático acessível, assim como os serviços de acessibilidade necessários ao pleno acesso, participação e aprendizagem dos estudantes com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades ou superdotação matriculados na rede pública de ensino; 4.17 Promover parcerias com instituições especializadas, conveniadas com o poder público, visando à ampliação da oferta de formação continuada e a produção de material didático acessível, assim como os serviços de acessibilidade necessários ao pleno acesso, participação e aprendizagem dos estudantes público da educação especial, matriculados na rede pública e privada de ensino. Dep. Carminatti Estratégia: 4.18 Modificativa JUSTIFICATIVA: Foi acatada emenda parlamentar com texto diverso. Deputado José Nei Ascari e Bancada do PMDB 27

28 Texto PNE Texto PEESC Proposta de Emenda Meta 4 Análise 4.19) promover parcerias com instituições comunitárias, confessionais ou filantrópicas sem fins lucrativos, conveniadas com o poder público, a fim de favorecer a participação das famílias e da sociedade na construção do sistema educacional inclusivo Garantir que as escolas de educação básica promovam espaços para participação das famílias na elaboração do projeto político pedagógico na perspectiva da educação inclusiva. Dep. Carminatti Estratégia: 4.19 Aditiva JUSTIFICATIVA: Foi acatada emenda parlamentar com texto diverso. Deputado José Nei Ascari e Bancada do PMDB 28

29 Texto PNE Texto PEESC Proposta de Emenda Meta 5 Análise 5.2 Instituir instrumentos de avaliação nacional periódicos e específicos para aferir a alfabetização das crianças, aplicados a cada ano, bem como estimular os sistemas de ensino e as escolas a criarem os respectivos instrumentos de avaliação e monitoramento, implementando medidas pedagógicas para alfabetizar todos os alunos e alunas até o final do terceiro ano do ensino fundamental. 5.2 Criar e implementar, onde não houver, política de alfabetização que garanta a permanência dos professores alfabetizadores para os três primeiros anos do ensino fundamental. Dep. Natalino Lázare Modificativa JUSTIFICATIVA: Está contemplada na redação da estratégia, garantindo a permanência do professor alfabetizador nas três primeiras séries do ensino fundamental. 5.7 apoiar a alfabetização das pessoas com deficiência, considerando as suas especificidades, inclusive a alfabetização bilíngue de pessoas surdas, sem estabelecimento de terminalidade temporal. 5.7 Promover e estimular a formação inicial e continuada de professores para a alfabetização de crianças, com o conhecimento de novas tecnologias educacionais e práticas pedagógicas inovadoras, estimulando a articulação entre programas de pós-graduação stricto sensu e ações de formação continuada de professores para a alfabetização. Dep. Natalino Lázare Modificativa Rejeitada JUSTIFICATIVA: A proposta modificativa onera o Estado quando inclui garantido-lhes, também, incentivos pecuniários a título de gratificação de exercício. 29

30 Texto PNE Texto PEESC Proposta de Emenda Meta 6 Análise 6.7) atender às escolas do campo e de comunidades indígenas e quilombolas na oferta de educação em tempo integral, com base em consulta prévia e informada, considerando-se as peculiaridades locais; 6.6 Atender às escolas do campo, de comunidades indígenas e quilombolas, dos povos nômades e de comunidades tradicionais, com oferta de educação em tempo integral baseada em consulta prévia, considerando-se as peculiaridades locais. Dep. Dirceu Dresch Estratégia: 6.6 Modificativa JUSTIFICATIVA: Manter a redação original do PEE/SC, objetivando assegurar o direito à Educação aos povos nômades e quilombolas, de forma explícita no Plano Estadual, redação esta alinhada ao PNE nas Metas 2, 7. NÃO TEM da 6.9 em diante Dep. Carminatti Estratégia: 6.11 Inclusão de estratégia JUSTIFICATIVA: Está contemplada na Meta 15 - política estadual de formação inicial e continuada. A segunda parte dessa meta, que trata da dedicação exclusiva, implica em despesas. 30

31 Texto PNE Texto PEESC Proposta de Emenda Meta 7 NÃO TEM da 7.36 em diante Dep. Carminatti Estratégia 7.41 Aditiva JUSTIFICATICA: A estratégia 7.27 abrange a solicitação da Deputada, uma vez que determina a criação do Sistema Estadual de Avaliação da Educação Básica. NÃO TEM da 7.36 em diante Dep. Carminatti Estratégia 7.42 Aditiva JUSTIFICATIVA: emenda com vício de origem, pois necessita previsão em orçamento Dep. Carminatti Estratégia Aditiva Dep. Carminatti Estratégia Aditiva ACATADA Aprovada na Comissão de Tributação e Finanças JUSTIFICATIVA: A estratégia favorece a melhoria da qualidade da educação nessa modalidade de ensino. ACATADA Aprovada na Comissão de Tributação e Finanças JUSTIFICATIVA: A estratégia favorece a melhoria da qualidade da educação nessa modalidade de ensino 31

32 Texto PNE Texto PEESC Proposta de Emenda Meta Dep. Carminatti Aditiva ACATADA c/alteração Aprovada na Comissão de Tributação e Finanças com alteração da redação JUSTIFICATIVA: A estratégia favorece a melhoria da qualidade da educação nessa modalidade de ensino. Nova redação: Promover formação continuada específica para os profissionais de educação das escolas do campo 32

33 Texto PNE Texto PEESC Proposta de Emenda Meta 10 Análise Meta 10: oferecer, no mínimo, 25% (vinte e cinco por cento) das matrículas de educação de jovens e adultos, nos ensinos fundamental e médio, na forma integrada à educação profissional. Meta 10: Oferecer, no mínimo, 10% (dez por cento) das matrículas de educação de jovens e adultos, nos ensinos fundamental e médio, na forma integrada à educação profissional, até o final da vigência deste Plano. Dep. Carminatti Meta 10 - Modificativa JUSTIFICATIVA: A série histórica dos indicadores que mostram a expansão da educação profissional na modalidade de EJA não apresenta crescimento, se mantendo em torno de 1%. Diante deste cenário, mantém-se o texto original. Meta 10: oferecer, no mínimo, 25% (vinte e cinco por cento) das matrículas de educação de jovens e adultos, nos ensinos fundamental e médio, na forma integrada à educação profissional. Meta 10: Oferecer, no mínimo, 10% (dez por cento) das matrículas de educação de jovens e adultos, nos ensinos fundamental e médio, na forma integrada à educação profissional, até o final da vigência deste Plano. Dep. Dirceu Dresch Aditiva - Meta 10 JUSTIFICATIVA: Rejeitada, pois não é pertinente a Meta 10. A proposição do deputado já está contemplada na Meta 7 PEE/SC que está alinhada ao PNE Dep. Carminatti Aditiva - Meta 11 JUSTIFICATIVA: emenda com vício de origem, pois indica ao executivo previsão em orçamento. Sugiro indicação ao Executivo pela Comissão de Educação 33

34 Texto PNE Texto PEESC Proposta de Emenda Meta 16 Análise Meta 16: formar, em nível de pós-graduação, 50% (cinquenta por cento) dos professores da educação básica, até o último ano de vigência deste PNE, e garantir a todos (as) os (as) profissionais da educação básica formação continuada em sua área de atuação, considerando as necessidades, demandas e contextualizações dos sistemas de ensino. META 16: Formar 75% (setenta e cinco por cento) dos professores da educação básica em nível de pós-graduação até o último ano de vigência deste Plano, e garantir a todos os profissionais da educação básica formação continuada em sua área de atuação, considerando as necessidades, demandas e contextualização dos sistemas de ensino. Dep. Carminatti Meta 16 Modificativa JUSTIFICATIVA: Santa Catarina possui somente 47% dos professores de educação básica com pós-graduação e a meta 16 no PNE, é de apenas 50%. 34

35 Texto PNE Texto PEESC Proposta de Emenda Meta 17 Análise 17.1) constituir, por iniciativa do Ministério da Educação, até o final do primeiro ano de vigência deste PNE, fórum permanente, com representação da União, dos Estados, do Distrito Federal, dos Municípios e dos trabalhadores da educação, para acompanhamento da atualização progressiva do valor do piso salarial nacional para os profissionais do magistério público da educação básica. Estratégia: Realizar, no prazo de dois anos, a implantação ou a atualização dos Planos de Carreira para os profissionais da educação básica pública, respeitando a legislação federal. Dep. Carminatti Estratégia: 17.1 Modificativa JUSTIFICATIVA: manter o texto original do PEESC que já contempla a proposição Estratégia: 17.6 Assegurar a realização periódica de concurso público para provimento de vagas, comprovadamente, excedentes e permanentes, de modo a estruturar as redes públicas de educação básica, com pelo menos 80% (oitenta por cento) dos profissionais do magistério e 50% (cinqüenta por cento) dos profissionais da educação não docentes, que sejam ocupantes de cargos de provimento efetivo e que estejam em exercício nas redes escolares a que se encontram vinculados, até o final do Plano. Dep. Carminatti Estratégia: 17.6 Modificativa JUSTIFICATIVA: manter o texto original do PEESC que já contempla a proposição. 35

36 Texto PNE Texto PEESC Proposta de Emenda Meta 17 Análise Dep. Carminatti Estratégia: Aditiva JUSTIFICATIVA: a emenda onera o Estado e impõe obrigação administrativa a SED Dep. Carminatti Estratégia: Aditiva JUSTIFICATIVA: está contemplada na estratégias Dep. Carminatti Estratégia: Aditiva JUSTIFICATIVA: Conforme legislação federal sobre a matéria os royalties do pré-sal devem ser destinados também para o investimento, manutenção e desenvolvimento da educação pública. Não devendo ter como destinação especifica a vinculação com o pagamento de salários. 36

37 Texto PNE Texto PEESC Proposta de Emenda Meta 17 Análise Dep. Carminatti Estratégia: Aditiva JUSTIFICATIVA: a Emenda legisla sobre a forma de contratação do pessoal do magistério, matéria de iniciativa exclusiva do Executivo. Sendo que na Rede Estadual o contrato é por hora relógio (60 min.) Dep. Carminatti Estratégia: Aditiva JUSTIFICATIVA: Faz referência ao Programa Pró-funcionário do MEC, sendo que este foi desativado. Interfere na gestão da APP quando prevê a extinção dos supostos contratos de trabalho com a APP. 37

38 Texto PNE Texto PEESC Proposta de Emenda Meta 17 Análise Dep. Carminatti Estratégia: Aditiva JUSTIFICATIVA: está contemplada na Meta 16, em todas as estratégias Dep. Carminatti Estratégia: Aditiva ACATADA Aprovada na Comissão de Tributação e Finanças JUSTIFICATIVA: fortalece os mecanismos de valorização do magistério. Ver estratégia 18.3 que se correlaciona a esta, pois aplica o mesmo princípio para a Gestão democrática Dep. Carminatti Estratégia: Aditiva ACATADA Aprovada na Comissão de Tributação e Finanças JUSTIFICATIVA: fortalece os mecanismos de valorização do magistério. 38

39 Texto PNE Texto PEESC Proposta de Emenda Meta 18 Análise Meta 18/PEE SC é a Meta 19/PNE: 19.1) priorizar o repasse de transferências voluntárias da União na área da educação para os entes federados que tenham aprovado legislação específica que regulamente a matéria na área de sua abrangência, respeitando-se a legislação nacional, e que considere, conjuntamente, para a nomeação dos diretores e diretoras de escola, critérios técnicos de mérito e desempenho, bem como a participação da comunidade escolar. Estratégia: 18.1 Estabelecer em legislação específica, diretrizes para a gestão democrática da educação no Estado de Santa Catarina. Dep. Carminatti Estratégia: 18.1 Modificativa JUSTIFICATIVA: manter a redação original do PEESC. A gestão democrática no PEE/SC não se restringe apenas ao provimento do cargo de diretor. Meta 18/PEE SC é a Meta 19/PNE: 19.1) priorizar o repasse de transferências voluntárias da União na área da educação para os entes federados que tenham aprovado legislação específica que regulamente a matéria na área de sua abrangência, respeitando-se a legislação nacional, e que considere, conjuntamente, para a nomeação dos diretores e diretoras de escola, critérios técnicos de mérito e desempenho, bem como a participação da comunidade escolar. Estratégia: 18.1 Estabelecer em legislação específica, diretrizes para a gestão democrática da educação no Estado de Santa Catarina. Dep. Dirceu Dresch Estratégia: 18.1 Modificativa JUSTIFICATIVA: A gestão democrática no PEE/SC não se restringe apenas ao provimento do cargo de diretor. 39

40 Texto PNE Texto PEESC Proposta de Emenda Meta 18 Análise Dep. Carminatti Estratégia: Aditiva JUSTIFICATIVA: acrescenta a eleição direta, sendo que Estado adota como critério de consulta publica a comunidade escolar, a escolha do plano de gestão e não, a eleição direta de diretor escolar. Assim, Sugerimos manter a redação da estratégia Dep. Carminatti Estratégia: Aditiva JUSTIFICATIVA: essa redação amplia o critério de fechamento para todas as escolas, sendo que consta na LDB para a Educação do Campo, Quilombo e Indígena. (LDB modificada pela Lei n , de ). Outrossim há em tramitação, PEC, do Deputado Mauro de Nadal sobre a matéria. 40

41 41

42 Texto PNE Texto PEESC Proposta de Emenda Meta 18 Análise Dep. Carminatti Aditiva ACATADA c/ modificação JUSTIFICATIVA: na atual estrutura da educação regular (LDB/96 e LC nº 170/98) a nomenclatura de Conselho se refere a órgão normatizador dos sistemas de ensino. Foi substituído o termo Conselho por Comissão Estadual de educação Indígena Dep. Carminatti Aditiva ACATADA c/ modificação Aprovada com alteração de redação, na Comissão de Tributação e Finanças JUSTIFICATIVA: Nova redação: Elaborar diretrizes operacionais para a educação escolar indígena de Santa Catarina 42

43 Texto PNE Texto PEESC Proposta de Emenda Meta 19 Análise Meta 19 do PEE SC é a Meta 20/PNE: 19.8/PEESC ) implementar o Custo Aluno Qualidade - CAQ como parâmetro para o financiamento da educação de todas etapas e modalidades da educação básica, a partir do cálculo e do acompanhamento regular dos indicadores de gastos educacionais com investimentos em qualificação e remuneração do pessoal docente e dos demais profissionais da educação pública, em aquisição, manutenção, construção e conservação de instalações e equipamentos necessários ao ensino e em aquisição de material didáticoescolar, alimentação e transporte escolar. Estratégias: 19.8 Adotar o Custo Aluno Qualidade CAQ como indicador prioritário para o financiamento de todas a etapas e modalidades da Educação Básica. Dep. Carminatti Estratégia: 19.9 Modificativa JUSTIFICATIVA: Está contemplada na estratégia Estratégias: Fortalecer os conselhos de acompanhamento e fiscalização dos recursos da educação. Dep. Carminatti Estratégia: Modificativa JUSTIFICATIVA: Está contemplada na estratégia É de competência da esfera federal. 43

44 Dep. Carminatti Estratégia: Aditiva JUSTIFICATIVA: A legislação federal sobre a matéria define que os royalties do pré-sal devem ser destinados também para o investimento, manutenção e desenvolvimento da educação pública. Não devendo ter como destinação especifica, a vinculação com o pagamento de salários. 44

45 ANÁLISE EMENDAS 75 EMENDAS Dep.Ismael dos Santos - Estratégia:... Meta 2 - Aditiva Institucionalizar programas e desenvolver metodologia metodologia de orientação, prevenção e resistência ao consumo de substâncias psicoativas ao longo de toda vida escolar. Promover articulação da comunidade escolar com a rede de políticas públicas para atendimentos aos alunos envolvidos com o consumo de drogas ACATADA c/modificação JUSTIFICATIVA: Incluída como estratégia 2.24 com alteração do termo inicial "Institucionalizar" por "Priorizar". META 1: universalizar, até 2016, a educação infantil na pré-escola para as crianças de 4 (quatro) a 5 (cinco) anos de idade e ampliar a oferta de educação infantil em creches de forma a atender, no mínimo, 50% (cinqüenta por cento) das crianças de até 3 (três) anos até o final da vigência deste PNE. Meta 1 Universalizar, até 2016, a educação infantil na pré-escola para as crianças de 04 (quatro) a 05 (cinco) anos de idade e ampliar a oferta de educação infantil em creches de forma a atender, no mínimo, 50% (cinquenta por cento) das crianças de até 03 (três) anos até o final da vigência deste PEE/SC. Relator - Aditiva - Meta 1 ACATADA JUSTIFICATIVA: Se faz necessário considerando que existem estruturas escolares em situação de ociosidade, bem como a demanda crescente nos municípios 45

46 Meta 15: garantir, em regime de colaboração entre a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, no prazo de 1 (um) ano de vigência deste PNE, política nacional de formação dos profissionais da educação de que tratam os incisos I, II e III do caput do art. 61 da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, assegurado que todos os professores e as professoras da educação básica possuam formação específica de nível superior, obtida em curso de licenciatura na área de conhecimento em que atuam Meta 15: Garantir, em regime de colaboração entre a União, o Estado e os Municípios, no prazo de um ano de vigência deste Plano, política estadual de formação inicial e continuada, com vistas à valorização dos profissionais da educação, assegurando que todos os professores da educação básica e suas modalidades possuam formação específica de nível superior, obtida em curso de licenciatura na área de conhecimento em que atuam, bem como a oportunização, pelo poder público, de periódica participação em cursos de formação continuada RELATOR - ADITIVA - META Priorizar, em regime de cooperação entre a União, Estados e os Municípios, programa de treinamento e formação continuada no ensino médio e fundamental, com a instituição de residência pedagógica, em estabelecimentos escolares, já durante a graduação, instituindo programas de bolsa para professores em formação (licenciatura), buscando aprimorar a formação do docente Priorizar programas de formação de professores e Profissionais da Educação Básica, instituindo programas de bolsa, que propiciem a obtenção de uma segunda licenciatura, ofertando vagas, acesso e condições de permanência nas instituições de ensino superior públicas e comunitárias." ACATADAS JUSTIFICATIVA: promover a capacitação dos profissionais da educação e conseqüente melhora na qualidade de ensino. 46

Consultoria Legislativa Quadro Comparativo Plano Nacional de Educação

Consultoria Legislativa Quadro Comparativo Plano Nacional de Educação ANEXO METAS E ESTRATÉGIAS Consultoria Legislativa Quadro Comparativo Plano Nacional de Educação ANEXO METAS E ESTRATÉGIAS ANEXO METAS E ESTRATÉGIAS ANEXO METAS E ESTRATÉGIAS Meta 1: Universalizar, até

Leia mais

Avaliação e Monitoramento do PME. Professora Marcia Adriana de Carvalho

Avaliação e Monitoramento do PME. Professora Marcia Adriana de Carvalho Avaliação e Monitoramento do PME Professora Marcia Adriana de Carvalho TEMAS 1 Por que avaliar e monitorar o PME 2 Qual a diferença entre avaliar e monitorar 3 4 Como definir plano de ações para o período

Leia mais

Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira

Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira INFORMATIVO TÉCNICO Nº 2/2015 PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2014-2024: LINHA DE BASE E PROJEÇÕES DE METAS INTRODUÇÃO A Lei do Plano Nacional de Educação (Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014) estabelece

Leia mais

(Projeto de Lei nº 415/12, do Executivo, aprovado na forma de Substitutivo do Legislativo) Aprova o Plano Municipal de Educação de São Paulo

(Projeto de Lei nº 415/12, do Executivo, aprovado na forma de Substitutivo do Legislativo) Aprova o Plano Municipal de Educação de São Paulo LEI Nº 16.271, DE 17 DE SETEMBRO DE 2015 (Projeto de Lei nº 415/12, do Executivo, aprovado na forma de Substitutivo do Legislativo) Aprova o Plano Municipal de Educação de São Paulo META 1. Ampliar o investimento

Leia mais

Metas Pós consulta pública

Metas Pós consulta pública 2015 2025 Metas Pós consulta pública ANEXO METAS E META 1 Universalizar, até 2016, a educação infantil na pré-escola para as crianças de 4 (quatro) a 5 (cinco) anos de idade e ampliar a oferta de educação

Leia mais

Art O ensino será ministrado com base nos seguintes princípios: I - igualdade de condições para o acesso e permanência na escola;

Art O ensino será ministrado com base nos seguintes princípios: I - igualdade de condições para o acesso e permanência na escola; CAPÍTULO III DA EDUCAÇÃO, DA CULTURA E DO DESPORTO Seção I DA EDUCAÇÃO Art. 205. A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade,

Leia mais

Ministério da Educação. Ivana de Siqueira Secretária de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão

Ministério da Educação. Ivana de Siqueira Secretária de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão Ministério da Educação Ivana de Siqueira Secretária de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão Julho de 2016 1 Constituição Federal de 1988 - Direito de Todos à Educação sem preconceitos

Leia mais

EMENDA Nº 4 - PLEN (SUBSTITUTIVO) (ao PLC nº 103, de 2012)

EMENDA Nº 4 - PLEN (SUBSTITUTIVO) (ao PLC nº 103, de 2012) EMENDA Nº 4 - PLEN (SUBSTITUTIVO) (ao PLC nº 103, de 2012) Aprova o Plano Nacional de Educação PNE e dá outras providências. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1º Fica aprovado o Plano Nacional de Educação

Leia mais

EDUCAÇÃO, TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: CULTURA, CIÊNCIA, TECNOLOGIA, SAÚDE, MEIO AMBIENTE DOCUMENTO REFERÊNCIA

EDUCAÇÃO, TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: CULTURA, CIÊNCIA, TECNOLOGIA, SAÚDE, MEIO AMBIENTE DOCUMENTO REFERÊNCIA EIXO III EDUCAÇÃO, TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: CULTURA, CIÊNCIA, TECNOLOGIA, SAÚDE, MEIO AMBIENTE DOCUMENTO REFERÊNCIA SUGESTÃO Desde os anos 1980, observam-se transformações significativas

Leia mais

AULA 03 ROTEIRO CONSTITUIÇÃO FEDERAL ART. 5º; 37-41; ; LEI DE 13/07/1990 ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE E C A PARTE 03

AULA 03 ROTEIRO CONSTITUIÇÃO FEDERAL ART. 5º; 37-41; ; LEI DE 13/07/1990 ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE E C A PARTE 03 AULA 03 ROTEIRO CONSTITUIÇÃO FEDERAL ART. 5º; 37-41; 205 214; 227 229 LEI 8.069 DE 13/07/1990 ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE E C A PARTE 03 CONSTITUIÇÃO FEDERAL (Art. 205 a 214) CAPÍTULO III DA EDUCAÇÃO,

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA

ESTADO DE SANTA CATARINA LEI Nº 16.794, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2015 Aprova o Plano Estadual de Educação (PEE) para o decênio 2015-2024 e estabelece outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DE SANTA CATARINA Faço saber a todos

Leia mais

Art A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno

Art A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno CONSTITUIÇÃO FEDERAL DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL Seção que pactua a educação como direito de todos. CAPÍTULO III DA EDUCAÇÃO, DA CULTURA E DO DESPORTO Seção I DA EDUCAÇÃO MS. Carreiro 1 Art. 205.

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA

ESTADO DE SANTA CATARINA ANEXO ÚNICO METAS E ESTRATÉGIAS DO PLANO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO (PEE) PARA O DECÊNIO 2015-2024 Meta 1: Universalizar, até 2016, a educação infantil na pré-escola para as crianças de 04 (quatro) a 05 (cinco)

Leia mais

Plano Municipal de Educação de Mariana

Plano Municipal de Educação de Mariana Plano Municipal de Educação de Mariana 2015-2024 LEI Nº, de de de 2015. Aprova o Plano Municipal de Educação - PME e dá outras providências. O Prefeito do Município de Mariana faz saber que a Câmara dos

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 13.005, DE 25 DE JUNHO DE 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação PNE e dá outras providências. A PRESIDENTA DA REPÚBLICA

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 13.005, DE 25 JUNHO DE 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação - PNE e dá outras providências. A PRESIDENTA DA REPÚBLICA Faço

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS UFT CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE PALMAS CURSOS DE FILOSOFIA E ARTES FÓRUM DE DISCUSSÃO DO PMEP-2012 Prof. Dr.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS UFT CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE PALMAS CURSOS DE FILOSOFIA E ARTES FÓRUM DE DISCUSSÃO DO PMEP-2012 Prof. Dr. UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS UFT CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE PALMAS CURSOS DE FILOSOFIA E ARTES FÓRUM DE DISCUSSÃO DO Prof. Dr. Roberto Carvalho POLÍTICA PÚBLICA: social e econômica Política pública:

Leia mais

NOTA TÉCNICA INSTÂNCIAS, ATRIBUIÇÕES E PRAZOS INTERMEDIÁRIOS PARA O CUMPRIMENTO DAS METAS E ESTRATÉGIAS

NOTA TÉCNICA INSTÂNCIAS, ATRIBUIÇÕES E PRAZOS INTERMEDIÁRIOS PARA O CUMPRIMENTO DAS METAS E ESTRATÉGIAS NOTA TÉCNICA INSTÂNCIAS, ATRIBUIÇÕES E PRAZOS INTERMEDIÁRIOS PARA O CUMPRIMENTO DAS METAS E ESTRATÉGIAS PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO LEI 13.005/2014 PLANO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO/RS LEI 14.05/2015 PLANO MUNICIPAL

Leia mais

PME/JS ANEXO I

PME/JS ANEXO I ANEXO I PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE JARAGUÁ DO SUL 2015-2024 METAS E ESTRATÉGIAS METAS E ESTRATÉGIAS META 1: Universalizar, até 2016, a educação infantil na pré-escola para as crianças de 04 (quatro)

Leia mais

Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional 9.394/96

Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional 9.394/96 Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional 9.394/96 Tramitação 1988 Promulgação da Constituição Federal 1988 a 1991 Início de discussão do projeto Jorge Hage na Câmara 1992 Darcy Ribeiro, apoiado por

Leia mais

CIRANDA DA EDUCAÇÃO CONQUISTA D OESTE CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO CONQUISTA D OESTE

CIRANDA DA EDUCAÇÃO CONQUISTA D OESTE CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO CONQUISTA D OESTE CIRANDA DA EDUCAÇÃO CONQUISTA D OESTE - 2016 CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO CONQUISTA D OESTE TEMA PRINCIPAL PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO UM COMPROMISSO DE TODOS VIDEO ABERTURA ANTONIO NÓVOA NIVEIS DA GRATIDÃO

Leia mais

LEI Nº DE 22 DE JUNHO DE 2015.

LEI Nº DE 22 DE JUNHO DE 2015. LEI Nº. 4208 DE 22 DE JUNHO DE 25. Cria e regulamenta o Plano Municipal de Educação para o período de 25-25 e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE TRÊS RIOS DECRETA E EU SANCIONO A SEGUINTE LEI:

Leia mais

O DIRIGENTE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO NO PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DA CONAE 2014 E DO PNE. Célia Maria Vilela Tavares

O DIRIGENTE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO NO PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DA CONAE 2014 E DO PNE. Célia Maria Vilela Tavares O DIRIGENTE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO NO PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DA CONAE 2014 E DO PNE Célia Maria Vilela Tavares Pré PNE: conferências municipais de educação, participação nas conferências estaduais e na

Leia mais

CARTA DE GOIÂNIA - GO

CARTA DE GOIÂNIA - GO CARTA DE GOIÂNIA - GO Nos dias 8 e 9 de junho de 2011, em Goiânia, foi realizado o III Encontro Regional dos Fóruns Estaduais de Educação Infantil da Região Centro-Oeste, com a temática Educação Infantil:

Leia mais

ANEXO METAS E ESTRATÉGIAS

ANEXO METAS E ESTRATÉGIAS ANEXO METAS E ESTRATÉGIAS Meta 1 Universalizar, até 2016, a educação infantil na pré-escola para as crianças de 4 (quatro) a 5 (cinco) anos de idade e ampliar a oferta de educação infantil em creches de

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 8250/EXECUTIVO

PROJETO DE LEI Nº 8250/EXECUTIVO PROJETO DE LEI Nº 8250/EXECUTIVO Estabelece o Plano Municipal de Educação e dá outras providências. Art. 1 o Fica instituído o Plano Municipal de Educação - PME, com vigência por 10 anos, a contar da publicação

Leia mais

Apoio ao Transporte Escolar para a Educação Básica - Caminho da Escola. Concessão de Bolsa de Iniciação à Docência - PIBID

Apoio ao Transporte Escolar para a Educação Básica - Caminho da Escola. Concessão de Bolsa de Iniciação à Docência - PIBID Programa 1448 Qualidade na Escola Ações Orçamentárias Número de Ações 16 0E530000 Apoio ao Transporte Escolar para a Educação Básica - Caminho da Escola Veículo adquirido Unidade de Medida: unidade UO:

Leia mais

Contribuição das Apaes na defesa e garantia da Educação para as pessoas com deficiência intelectual

Contribuição das Apaes na defesa e garantia da Educação para as pessoas com deficiência intelectual Contribuição das Apaes na defesa e garantia da Educação para as pessoas com deficiência intelectual DEPUTADO FEDERAL EDUARDO BARBOSA, PRESIDENTE DA FEDERAÇÃO DAS APAES DO ESTADO DE MINAS GERAIS São Paulo,

Leia mais

Quarta-feira, 24 de junho de 2015 Ano III Edição nº 431 Página 1 de 21

Quarta-feira, 24 de junho de 2015 Ano III Edição nº 431 Página 1 de 21 Quarta-feira, 24 de junho de 2015 Ano III Edição nº 431 Página 1 de 21 SUMÁRIO PODER EXECUTIVO DE VIRADOURO 2 Atos Oficiais 2 Leis 2 Licitações e Contratos 19 Aviso de Licitação 19 Secretaria de Governo

Leia mais

É um projeto da sociedade, uma Política Pública de Qualidade (PPQ), focada na escola, na promoção e no acompanhamento do ensino e da aprendizagem.

É um projeto da sociedade, uma Política Pública de Qualidade (PPQ), focada na escola, na promoção e no acompanhamento do ensino e da aprendizagem. É um projeto da sociedade, uma Política Pública de Qualidade (PPQ), focada na escola, na promoção e no acompanhamento do ensino e da aprendizagem. Está pautada no compromisso, no diálogo, no planejamento

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 8.035, DE 2010 (PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO) SÍNTESE DAS ALTERAÇÕES PROPOSTAS PELO SUBSTITUTIVO DO SENADO FEDERAL

PROJETO DE LEI Nº 8.035, DE 2010 (PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO) SÍNTESE DAS ALTERAÇÕES PROPOSTAS PELO SUBSTITUTIVO DO SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI Nº 8.035, DE 2010 (PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO) SÍNTESE DAS ALTERAÇÕES PROPOSTAS PELO SUBSTITUTIVO DO SENADO FEDERAL GERAL: Supressão, em todo o texto, da flexão de gênero (ex: o/a, do/da,

Leia mais

A partir da década de 1990, no Brasil e no mundo, o paradigma tende a ser deslocado da integração para a inclusão. A Educação Inclusiva surgiu, e vem

A partir da década de 1990, no Brasil e no mundo, o paradigma tende a ser deslocado da integração para a inclusão. A Educação Inclusiva surgiu, e vem A partir da década de 1990, no Brasil e no mundo, o paradigma tende a ser deslocado da integração para a inclusão. A Educação Inclusiva surgiu, e vem crescendo no mundo inteiro, com base no pressuposto

Leia mais

Desafios e Oportunidades para o Desenvolvimento da EPT no Brasil até 2024

Desafios e Oportunidades para o Desenvolvimento da EPT no Brasil até 2024 Desafios e Oportunidades para o Desenvolvimento da EPT no Brasil até 2024 Marcelo Machado Feres Secretário de Educação Profissional e Tecnológica SETEC Ministério da Educação XXXIX edição da Reunião dos

Leia mais

1 Verificar num primeiro momento as ações para cumprimento das Metas/estratégias com prazo definido para 2015;

1 Verificar num primeiro momento as ações para cumprimento das Metas/estratégias com prazo definido para 2015; Subcomissão permanente para Acompanhar, monitorar e avaliar o processo de implementação das estratégias e do cumprimento das metas do Plano Nacional de Educação PNE sugestões para Plano de Trabalho Consultorias

Leia mais

LEI Nº 2.487/2015. Aprova o Plano Decenal Municipal de Educação - PDME e dá outras providências.

LEI Nº 2.487/2015. Aprova o Plano Decenal Municipal de Educação - PDME e dá outras providências. LEI Nº 2.487/2015 Aprova o Plano Decenal Municipal de Educação - PDME e dá outras providências. O Povo do Município de Viçosa, por seus representantes legais, aprovou e eu, sanciono e promulgo a seguinte

Leia mais

Seminário sobre LDB da Educação Nacional TALITA CRISTINI BATISTA LOPES MARIANA DA COSTA LOUREIRO COTOVICZ

Seminário sobre LDB da Educação Nacional TALITA CRISTINI BATISTA LOPES MARIANA DA COSTA LOUREIRO COTOVICZ Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Instituto Multidisciplinar Departamento de Tecnologias e Linguagens Seminário sobre LDB da Educação Nacional TALITA CRISTINI BATISTA LOPES MARIANA DA COSTA

Leia mais

O Plano Nacional de Educação. Maria Alice Setubal, educadora e presidente dos conselhos do Cenpec e da Fundação Tide Setubal

O Plano Nacional de Educação. Maria Alice Setubal, educadora e presidente dos conselhos do Cenpec e da Fundação Tide Setubal O Plano Nacional de Educação Maria Alice Setubal, educadora e presidente dos conselhos do Cenpec e da Fundação Tide Setubal Plano Nacional de Educação Diretrizes Superação das desigualdades educacionais

Leia mais

Consulta Publica Plano Municipal de Educação

Consulta Publica Plano Municipal de Educação Consulta Publica Plano Municipal de Educação O Plano Municipal de Educação é feito a partir da construção coletiva, ou seja, com participação de toda a sociedade. Um plano será mais forte e exigirá mais

Leia mais

O direito à Educação das pessoas com deficiência intelectual SAMIRA ANDRAOS MARQUEZIN FONSECA

O direito à Educação das pessoas com deficiência intelectual SAMIRA ANDRAOS MARQUEZIN FONSECA O direito à Educação das pessoas com deficiência intelectual SAMIRA ANDRAOS MARQUEZIN FONSECA HTTP://WWW.REVIDE.COM.BR/BLOG/SAMIRA-FONSECA/ BREVE HISTÓRICO CONSTITUCIONAL 1976 Constituição Brasileira expressamente

Leia mais

Caderno 2 de Prova AE02. Educação Especial. Auxiliar de Ensino de. Prefeitura Municipal de Florianópolis Secretaria Municipal de Educação

Caderno 2 de Prova AE02. Educação Especial. Auxiliar de Ensino de. Prefeitura Municipal de Florianópolis Secretaria Municipal de Educação Prefeitura Municipal de Florianópolis Secretaria Municipal de Educação Edital n o 003/2009 Caderno 2 de Prova AE02 Auxiliar de Ensino de Educação Especial Dia: 22 de novembro de 2009 Horário: das 8 às

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS Aula 12. Prof. a Dr. a Maria das Graças Rua

POLÍTICAS PÚBLICAS Aula 12. Prof. a Dr. a Maria das Graças Rua POLÍTICAS PÚBLICAS Aula 12 Prof. a Dr. a Maria das Graças Rua FINANCIAMENTO DA POLÍTICA EDUCACIONAL BRASILEIRA compreendendo os sistemas de ensino federal, estadual e municipal, a Constituição Federal

Leia mais

Parte 1 Código / Área Temática. Educação Especial

Parte 1 Código / Área Temática. Educação Especial NOME DO CURSO: O Ensino de Língua Portuguesa como segunda língua para estudantes surdos e/ou com deficiência auditiva Nível: Especialização Modalidade: A distância Parte 1 Código / Área Temática Código

Leia mais

Maratona SEDF Gran Online. Prof. Carlinhos Costa

Maratona SEDF Gran Online. Prof. Carlinhos Costa Maratona SEDF Gran Online Prof. Carlinhos Costa (CETAM 2014 FCC) Questão 01. A contribuição social do salário-educação previsto pela CF/88, diz respeito (A) a uma fonte adicional de financiamento à educação

Leia mais

LEI N.º DE 01 DE ABRIL DE 2016

LEI N.º DE 01 DE ABRIL DE 2016 LEI N.º 6.603 DE 01 DE ABRIL DE 2016 Aprova o Plano Municipal de Educação do Município do Natal, e dá outras providências. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE NATAL, Faço saber que a Câmara Municipal de Natal aprovou

Leia mais

Contribuição da União, de suas Autarquias e Fundações para o Custeio do Regime de Previdência dos Servidores Públicos Federais

Contribuição da União, de suas Autarquias e Fundações para o Custeio do Regime de Previdência dos Servidores Públicos Federais Programa 1374 Desenvolvimento da Educação Especial Ações Orçamentárias Número de Ações 15 05110000 Apoio ao Desenvolvimento da Educação Especial Projeto apoiado Unidade de Medida: unidade UO: 26298 FNDE

Leia mais

PRIMEIRA INFÂNCIA E DIREITO À EDUCAÇÃO

PRIMEIRA INFÂNCIA E DIREITO À EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRIMEIRA INFÂNCIA E DIREITO À EDUCAÇÃO Audiência Pública Câmara dos Deputados Brasília 2014 Extensão: 8,5 milhões km 2 População: 191,5 milhões População

Leia mais

*PROJETO DE LEI N.º C, DE 2010 (Do Poder Executivo)

*PROJETO DE LEI N.º C, DE 2010 (Do Poder Executivo) CÂMARA DOS DEPUTADOS *PROJETO DE LEI N.º 8.035-C, DE 2010 (Do Poder Executivo) Ofício nº 2.816/2013-SF SUBSTITUTIVO DO SENADO FEDERAL AO PROJETO DE LEI Nº 8.035-B, DE 2010, que "Aprova o Plano Nacional

Leia mais

03/04/2017. Departamento de Psicologia Psicologia da Aprendizagem aplicada à área escolar Profª Ms. Carolina Cardoso de Souza

03/04/2017. Departamento de Psicologia Psicologia da Aprendizagem aplicada à área escolar Profª Ms. Carolina Cardoso de Souza Departamento de Psicologia Psicologia da Aprendizagem aplicada à área escolar Profª Ms. Carolina Cardoso de Souza Preâmbulo...assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança,

Leia mais

PLANO DE AÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE PALHOÇA

PLANO DE AÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE PALHOÇA 2012 PLANO DE AÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE PALHOÇA POLÍTICAS DE PROTEÇÃO POLÍTICA PÚBLICA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL/ PROTEÇÃO ESPECIAL META: COMBATE AO TRABALHO INFANTIL

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE EDUCAÇÃO E NORMAS DE COOPERAÇÃO

SISTEMA NACIONAL DE EDUCAÇÃO E NORMAS DE COOPERAÇÃO SISTEMA NACIONAL DE EDUCAÇÃO E NORMAS DE COOPERAÇÃO Audiência Pública em 14/6/16 Na Comissão de Educação da Câmara dos Deputados Adão Francisco de Oliveira Secretário de Estado da Educação do Tocantins

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SECRETARIA ADJUNTA DE EDUCAÇÃO PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO MARICÁ/2015 1 SECRETARIA ADJUNTA DE EDUCAÇÃO PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE MARICÁ 2015/2025 Meta 1: universalizar, até 2016, a educação infantil

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº A CÂMARA MUNICIPAL DE NOVA FRIBURGO decreta e eu sanciono e promulgo a seguinte Lei Municipal:

LEI MUNICIPAL Nº A CÂMARA MUNICIPAL DE NOVA FRIBURGO decreta e eu sanciono e promulgo a seguinte Lei Municipal: LM 4395 Página 1 LEI MUNICIPAL Nº 4.395 A CÂMARA MUNICIPAL DE NOVA FRIBURGO decreta e eu sanciono e promulgo a seguinte Lei Municipal: Institui o Plano Municipal de Educação do Município de Nova Friburgo

Leia mais

Plano Municipal de Educação - Metas e Estratégias. Meta 1

Plano Municipal de Educação - Metas e Estratégias. Meta 1 Plano Municipal de Educação - Metas e Estratégias Meta 1 Universalizar, até 2016, a educação infantil na pré-escola para as crianças de 4 (quatro) a 5 (cinco) anos de idade e ampliar a oferta de educação

Leia mais

Lei de Diretrizes e Bases

Lei de Diretrizes e Bases Lei de Diretrizes e Bases 01- A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional no que tange a Educação Profissional Técnica de Nível Médio, dispõe que: a) A preparação geral para o trabalho e, facultativamente,

Leia mais

Material elaborado pela professora Tásia Wisch - PNAIC

Material elaborado pela professora Tásia Wisch - PNAIC QUESTIONAMENTOS INICIAIS O que vocês entendem por Inclusão? Você acredita que as escolas de seu município são inclusivas? Se não, o que pode ser feito para mudar esta situação? Quais os serviços oferecidos

Leia mais

CONFERÊNCIA NACIONAL DA EDUCAÇÃO BÁSICA INTRODUÇÃO

CONFERÊNCIA NACIONAL DA EDUCAÇÃO BÁSICA INTRODUÇÃO CONFERÊNCIA NACIONAL DA EDUCAÇÃO BÁSICA INTRODUÇÃO O Ministério de Educação, nos últimos três anos, vem construindo uma concepção educacional tendo em vista a articulação dos níveis e modalidades de ensino,

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DE SANTA CATARINA, usando da competência

O GOVERNADOR DO ESTADO DE SANTA CATARINA, usando da competência FEDERAÇÃO NACIONAL DE EDUCAÇÃO E INTEGRAÇÃO DE SURDOS Escritório Regional de Santa Catarina Rua Padre Roma, 288 Centro Cep 88010 090 Florianópolis/SC Telefax: (48) 3225 9246 PROPOSTA DO ANTEPROJETO DE

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA 04/2010

TERMO DE REFERÊNCIA 04/2010 TERMO DE REFERÊNCIA 04/2010 PROJETO: OEI/BRA 08/003 Fortalecimento da Capacidade Institucional da Secretaria de Educação Especial SEESP/MEC em Gestão e Avaliação do Programa de Acompanhamento e Monitoramento

Leia mais

construindo uma agenda

construindo uma agenda Regime de colaboração: construindo uma agenda . Regime de colaboração. Sistema nacional de educação. Responsabilidade da gestão pública educacional. Esforço coordenado e planejado. Atuação propositiva

Leia mais

Programa Educação Inclusiva: direito à diversidade

Programa Educação Inclusiva: direito à diversidade MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, ALFABETIZAÇÃO, DIVERSIDADE E INCLUSÃO Programa Educação Inclusiva: direito à diversidade Antônio Lidio de Mattos Zambon Coordenador Geral de Políticas

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão - SECADI

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão - SECADI MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão - SECADI Política de Educação Especial na Perspectiva Inclusiva Convenção Sobre os Direitos das Pessoas com

Leia mais

PACTO PELA EDUCAÇÃO DE QUALIDADE NO MUNICÍPIO DE ITABUNA.

PACTO PELA EDUCAÇÃO DE QUALIDADE NO MUNICÍPIO DE ITABUNA. CARTA COMPROMISSO: PACTO PELA EDUCAÇÃO DE QUALIDADE NO MUNICÍPIO DE ITABUNA. Ilustríssimo Senhor Candidato a Prefeito de Itabuna nas eleições municipais de 2016, Primando por uma Educação de qualidade

Leia mais

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DE MINAS GERAIS

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DE MINAS GERAIS ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DE MINAS GERAIS PL. 2.882/2015 AUTOR: Governador Fernando Damata Pimentel EMENTA: Aprova o Plano Estadual de Educação - PEE - e dá outras providências. COMISSÕES: Constituição e

Leia mais

FINANCIAMENTO DA EDUCAÇÃ FUNDEB. João o Batista do Nascimento Professor, Filósofo e

FINANCIAMENTO DA EDUCAÇÃ FUNDEB. João o Batista do Nascimento Professor, Filósofo e FINANCIAMENTO DA EDUCAÇÃ ÇÃO O BÁSICA: B FUNDEB João o Batista do Nascimento Professor, Filósofo e Economista Especialista em Políticas Públicas. P Marco Legal do Financiamento da Educação Básica Pública.

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DA ESTÂNCIA TURÍSTICA DE BATATAIS/SP

PREFEITURA MUNICIPAL DA ESTÂNCIA TURÍSTICA DE BATATAIS/SP PROCESSO SELETIVO EDITAL Nº 01/2016 PREFEITURA MUNICIPAL DA ESTÂNCIA TURÍSTICA DE BATATAIS/SP PROFESSOR DE EDUCAÇÃO BÁSICA II- ENSINO FUNDAMENTAL (MATEMÁTICA) CADERNO DE QUESTÕES PROVA OBJETIVA Número

Leia mais

NOME DO CURSO: O uso pedagógico dos recursos de Tecnologia Assistiva Nível: Aperfeiçoamento Modalidade: Presencial

NOME DO CURSO: O uso pedagógico dos recursos de Tecnologia Assistiva Nível: Aperfeiçoamento Modalidade: Presencial NOME DO CURSO: O uso pedagógico dos recursos de Tecnologia Assistiva Nível: Aperfeiçoamento Modalidade: Presencial Parte 1 Código / Área Temática Código / Nome do Curso Etapa de ensino a que se destina

Leia mais

1Lei de Diretrizes e Bases da Educação

1Lei de Diretrizes e Bases da Educação CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL [...] TÍTULO VIII DA ORDEM SOCAL CAPÍTULO III DA EDUCAÇÃO, DA CULTURA E DO DESPORTO Seção I DA EDUCAÇÃO Art. 205. A educação, direito de todos e dever do

Leia mais

ETAPAS DE ENSINO DICIONÁRIO

ETAPAS DE ENSINO DICIONÁRIO ETAPAS DE ENSINO Subníveis verticais hierárquicos e interdependentes que compõem a educação escolar básica no Brasil. As etapas de ensino que constituem a educação básica são a educação infantil, o ensino

Leia mais

A INCLUSÃO EDUCACIONAL DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO MUNICÍPIO DE CURRAL DE CIMA PB: UMA ANÁLISE ACERCA DA LEGISLAÇÃO MUNICIPAL

A INCLUSÃO EDUCACIONAL DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO MUNICÍPIO DE CURRAL DE CIMA PB: UMA ANÁLISE ACERCA DA LEGISLAÇÃO MUNICIPAL A INCLUSÃO EDUCACIONAL DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO MUNICÍPIO DE CURRAL DE CIMA PB: UMA ANÁLISE ACERCA DA LEGISLAÇÃO MUNICIPAL Walternice Olímpio Silva de Araújo Francymara Antonino Nunes de Assis Universidade

Leia mais

A EDUCAÇÃO ESPECIAL NO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO NO PERÍODO DE 2007 A 2013

A EDUCAÇÃO ESPECIAL NO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO NO PERÍODO DE 2007 A 2013 00211 A EDUCAÇÃO ESPECIAL NO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO NO PERÍODO DE 2007 A 2013 Resumo: Marileide Gonçalves França Rosângela Gavioli Prieto (Orientadora) Universidade de São Paulo A última década tem se

Leia mais

ANÁLISE DA CNTE SOBRE O PARECER DO PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO, EM DEBATE NA COMISSÃO ESPECIAL DA CÂMARA DOS DEPUTADOS

ANÁLISE DA CNTE SOBRE O PARECER DO PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO, EM DEBATE NA COMISSÃO ESPECIAL DA CÂMARA DOS DEPUTADOS ANÁLISE DA CNTE SOBRE O PARECER DO PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO, EM DEBATE NA COMISSÃO ESPECIAL DA CÂMARA DOS DEPUTADOS No dia 19 de março de 2014, o deputado Ângelo Vanhoni, relator do PNE na Comissão Especial

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VIAMÃO SISTEMA MUNICIPAL DE ENSINO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO RESOLUÇÃO Nº 04, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2015.

PREFEITURA MUNICIPAL DE VIAMÃO SISTEMA MUNICIPAL DE ENSINO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO RESOLUÇÃO Nº 04, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2015. PREFEITURA MUNICIPAL DE VIAMÃO SISTEMA MUNICIPAL DE ENSINO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO RESOLUÇÃO Nº 04, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2015. Estabelece Diretrizes para a oferta da Modalidade de Educação de Jovens

Leia mais

Profa. Dra. VANESSA H. SANTANA DALLA DÉA

Profa. Dra. VANESSA H. SANTANA DALLA DÉA Profa. Dra. VANESSA H. SANTANA DALLA DÉA UFG - Números 2015 GRADUAÇÃO Deficiência No. Especificidade No. Auditiva 57 Surdos 27 Física 52 Cadeirante 4 Intelectual 19 Sínd. de Down 2 Visual 36 Cego 2 Asperger

Leia mais

PLANO DE AÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE PALHOÇA

PLANO DE AÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE PALHOÇA 2013 PLANO DE AÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE PALHOÇA 1- POLÍTICAS DE PROTEÇÃO POLÍTICA PÚBLICA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL/ PROTEÇÃO ESPECIAL 1.1- META: COMBATE AO TRABALHO

Leia mais

I ENCONTRO ESTADUAL DE COORDENADORES REGIONAIS. Defesa de Direitos e Mobilização Social. Informática e Comunicação. Artes

I ENCONTRO ESTADUAL DE COORDENADORES REGIONAIS. Defesa de Direitos e Mobilização Social. Informática e Comunicação. Artes I ENCONTRO ESTADUAL DE COORDENADORES REGIONAIS Defesa de Direitos e Mobilização Social Informática e Comunicação Artes FENAPAES FEDERAÇÃO NACIONAL DAS APAEs Sede em Brasília DF Detentora da marca APAE

Leia mais

Políticas Públicas para Educação Profissional e Tecnológica (EPT) no Brasil

Políticas Públicas para Educação Profissional e Tecnológica (EPT) no Brasil Políticas Públicas para Educação Profissional e Tecnológica (EPT) no Brasil Marcelo Machado Feres Secretário de Educação Profissional e Tecnológica SETEC Ministério da Educação São Paulo, 01 de setembro

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BELÉM SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO - SEMEC CONCURSO PÚBLICO N.º 01/2011

PREFEITURA MUNICIPAL DE BELÉM SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO - SEMEC CONCURSO PÚBLICO N.º 01/2011 CONCURSOPÚBLICON.º01/2011DASECRETARIAMUNICIPALDEEDUCAÇÃO SEMEC 1 / 15 PREFEITURA MUNICIPAL DE BELÉM, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2011. ANEXO 03 INFORMAÇÕES DOS CARGOS Cargo 01 PROFESSOR LICENCIADO PLENO PEDAGOGIA

Leia mais

EIXO III QUALIDADE SOCIAL DA EDUCAÇÃO

EIXO III QUALIDADE SOCIAL DA EDUCAÇÃO EIXO III QUALIDADE SOCIAL DA EDUCAÇÃO IMPLICAÇÕES PARA O GRANDE ABC Nas últimas décadas, o Brasil avançou em relação ao acesso dos alunos às escolas em novas discussões, então, recaíram sobre a questão

Leia mais

O II PNE: reflexões sobre o projeto e suas metas. Consultoria Legislativa Abril 2011

O II PNE: reflexões sobre o projeto e suas metas. Consultoria Legislativa Abril 2011 O II PNE: reflexões sobre o projeto e suas metas Consultoria Legislativa Abril 2011 I PNE - Tramitação PL nºs 4.155, de 10/02/98, do Dep. Ivan Valente (PT/SP) e 4.173, de 12/02/98, do Executivo, distribuídos

Leia mais

INSTRUÇÃO CONJUNTA N 001/2010 SEED/SUED/SUDE

INSTRUÇÃO CONJUNTA N 001/2010 SEED/SUED/SUDE A Superintendente da Educação e o Superintendente de Desenvolvimento Educacional no uso de suas atribuições legais e considerando: a Lei N 9394/96 de Diretrizes e Bases da Educação Nacional; o Parecer

Leia mais

Encontro Estadual do Proinfância

Encontro Estadual do Proinfância Encontro Estadual do Proinfância Salvador \BA Março/2014 (arquivo da Creche Carochinha) Secretaria de Educação Básica AÇÕES DO MEC Curso de Especialização em Educação Infantil Formação em nível de especialização

Leia mais

GRUPO 2 - ESPORTE, CULTURA e LAZER

GRUPO 2 - ESPORTE, CULTURA e LAZER GRUPO 2 - ESPORTE, CULTURA e LAZER Nº PROPOSTA UF e nº Original da Proposta 01 Implantar e implementar, nas três esferas, Políticas Públicas de Esporte, Cultura, Lazer e AL/06; Turismo para as pessoas

Leia mais

Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei n.º de 20 de dezembro de 1996

Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei n.º de 20 de dezembro de 1996 Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional Lei n.º 9.394 de 20 de dezembro de 1996 Tramitação 1988 Promulgação da Constituição Federal 1988 a 1991 Início de discussão do projeto Jorge Hage na Câmara

Leia mais

EIXO III EDUCAÇÃO, TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: CULTURA, CIÊNCIA, TECNOLOGIA, SAÚDE, MEIO AMBIENTE. Aprovado em sessão plenária 29/05/2014

EIXO III EDUCAÇÃO, TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: CULTURA, CIÊNCIA, TECNOLOGIA, SAÚDE, MEIO AMBIENTE. Aprovado em sessão plenária 29/05/2014 EIXO III EDUCAÇÃO, TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: CULTURA, CIÊNCIA, TECNOLOGIA, SAÚDE, MEIO AMBIENTE Aprovado em sessão plenária 29/05/2014 1. PROPOSIÇÕES E ESTRATÉGIAS 1. Promover políticas setoriais

Leia mais

ROTEIRO PROPOSITIVO Proposta Preliminar de Estrutura e Organização do Documento-Referência

ROTEIRO PROPOSITIVO Proposta Preliminar de Estrutura e Organização do Documento-Referência ROTEIRO PROPOSITIVO Proposta Preliminar de Estrutura e Organização do Documento-Referência Introdução: Proposta preliminar construída a partir do documento final da Conae 2014, do PNE e das contribuições

Leia mais

LEI DE RESPONSABILIDADE EDUCACIONAL

LEI DE RESPONSABILIDADE EDUCACIONAL Câmara dos Deputados Audiência Pública LEI DE RESPONSABILIDADE EDUCACIONAL Prof. João Ferreira de Oliveira - UFG joao.jferreira@gmail.com Representando: ANPEd e ANFOPE - Associação Científica Fundada em

Leia mais

PREFEITURA DA CIDADE DE SÃO PAULO

PREFEITURA DA CIDADE DE SÃO PAULO PREFEITURA DA CIDADE DE SÃO PAULO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO Lei Municipal nº 16.271/2015 São Paulo 2016 Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) São Paulo (SP). Secretaria Municipal

Leia mais

LEI Nº 008 DE 25 DE JUNHO DE 2015

LEI Nº 008 DE 25 DE JUNHO DE 2015 LEI Nº 008 DE 25 DE JUNHO DE 2015 Aprova o Plano Municipal de Educação PME e dá outras providências. José Milton de Magalhães Serafim, prefeito do Município de São José do Barreiro, Estado de São Paulo,

Leia mais

MEMÓRIA PARALELA MOÇÃO COLETIVA DO GRUPO DE PRODUÇÃO. Ao Sr. EDUARDO DECHAMPS Secretário de Educação do Estado de Santa Catarina

MEMÓRIA PARALELA MOÇÃO COLETIVA DO GRUPO DE PRODUÇÃO. Ao Sr. EDUARDO DECHAMPS Secretário de Educação do Estado de Santa Catarina Balneário Camboriú, 31 de Julho de 2014. MEMÓRIA PARALELA MOÇÃO COLETIVA DO GRUPO DE PRODUÇÃO Ao Sr. EDUARDO DECHAMPS Secretário de Educação do Estado de Santa Catarina Considerando a relevância educacional

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO PDI: Documento elaborado pela Equipe de Assessoria da Pró-reitoria de Planejamento da UEMA

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO PDI: Documento elaborado pela Equipe de Assessoria da Pró-reitoria de Planejamento da UEMA ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO PDI: Documento elaborado pela Equipe de Assessoria da Pró-reitoria de Planejamento da UEMA Agosto de 2015 INTRODUÇÃO O Ministério de Educação (MEC) através do Sistema Nacional

Leia mais

POLÍTICA DE ACESSIBILIDADE E INCLUSÃO DO UNIBAVE

POLÍTICA DE ACESSIBILIDADE E INCLUSÃO DO UNIBAVE CENTRO UNIVERSITÁRIO BARRIGA VERDE PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO - PROGRAD PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO - PROADM PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO - PROPPEX POLÍTICA DE ACESSIBILIDADE

Leia mais

Poder Executivo ATOS E DESPACHOS DO GOVERNADOR

Poder Executivo ATOS E DESPACHOS DO GOVERNADOR .. Ano 103 - Número 140 Poder Executivo ATOS E DESPACHOS DO GOVERNADOR MENSAGEM Nº 24/2015. Maceió, 28 de julho de 2015. Senhor Presidente, Tenho a honra de submeter à consideração dessa Egrégia Casa Legislativa

Leia mais

DECRETO Nº, DE DE 2017.

DECRETO Nº, DE DE 2017. DECRETO Nº, DE DE 2017. Regulamenta o art. 80 da Lei n o 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso das atribuições que

Leia mais

Política Nacional da Educação Infantil Desafios e alternativas para o aumento do atendimento na educação infantil com qualidade

Política Nacional da Educação Infantil Desafios e alternativas para o aumento do atendimento na educação infantil com qualidade Política Nacional da Educação Infantil Desafios e alternativas para o aumento do atendimento na educação infantil com qualidade 161905-Implementando o m... 016 v2 1 Como está a Educação Básica no Brasil,

Leia mais

em 2013 e, no Fundamental II, de 5,0 em 2011 para 4,7 em Com esses índices em decréscimo fica evidenciada a falta de investimento na qualidade

em 2013 e, no Fundamental II, de 5,0 em 2011 para 4,7 em Com esses índices em decréscimo fica evidenciada a falta de investimento na qualidade Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação apresenta as propostas dos candidatos à prefeitura da cidade de Campo Grande no segundo turno das eleições de 2016 Rose PSDB Confira o programa

Leia mais

para que a educação seja assumida como responsabilidade de todos, e ampliar o controle social no cumprimento das políticas públicas educacionais.

para que a educação seja assumida como responsabilidade de todos, e ampliar o controle social no cumprimento das políticas públicas educacionais. para que a educação seja assumida como responsabilidade de todos, e ampliar o controle social no cumprimento das políticas públicas educacionais. 19. Constituir fóruns paritários e regulares, envolvendo

Leia mais

Projeto de Lei nº de 2010.

Projeto de Lei nº de 2010. Projeto de Lei nº de 2010. Estabelece o Plano Nacional de Educação - PNE para o decênio 2011-2020, e dá outras providências. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1º Fica estabelecido, nos termos desta Lei,

Leia mais

A EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NOS PLANOS NACIONAIS DE EDUCAÇÃO. Maria Margarida Machado FE/UFG Fórum Goiano de EJA

A EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NOS PLANOS NACIONAIS DE EDUCAÇÃO. Maria Margarida Machado FE/UFG Fórum Goiano de EJA A EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NOS PLANOS NACIONAIS DE EDUCAÇÃO Maria Margarida Machado FE/UFG Fórum Goiano de EJA Construção histórica do pne2001-2010 Debate intenso da sociedade civil (CONED) Apresentação

Leia mais

República Federativa do Brasil Governo Federal. Educação a Distância. e as novas tecnologias

República Federativa do Brasil Governo Federal. Educação a Distância. e as novas tecnologias República Federativa do Brasil Governo Federal Ministério da Educação Educação a Distância e as novas tecnologias Educação Personalizada Vencendo as Barreiras Geográficas e Temporais EAD NO ENSINO PRESENCIAL

Leia mais

Ensino Superior LEGISLAÇÃO ATUALIZADA

Ensino Superior LEGISLAÇÃO ATUALIZADA 18 2014 Ensino Superior LEGISLAÇÃO ATUALIZADA 18 2014 Ensino Superior LEGISLAÇÃO ATUALIZADA Presidência Presidente Gabriel Mario Rodrigues 1.º Vice-Presidente Carmen Luiza da Silva 2.º Vice-Presidente

Leia mais