VoIP com QoS (Linux e Cisco)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "VoIP com QoS (Linux e Cisco)"

Transcrição

1 VoIP com QoS (Linux e Cisco) Sistemas Telemáticos, Sumário l Caso de estudo: VoIP Telefone VoIP com sinalização SIP l Definição de uma política de QoS adequada Pelo menos três classes de tráfego: voz, sinalização e restante tráfego l Configuração de Routers CISCO Comandos: class-map, policy-map, service-policy e, eventualmente, access-list l Configuração de Sistemas Linux Filas de espera e disciplinas suportadas Comandos iproute2: ip, tc, iptables 1

2 VoIP com sinalização SIP l O SIP é um protocolo de aplicação (nível 7 OSI), desenvolvido no seio do IETF e descrito no RFC3261 l É um parente do HTTP/1.1: Uris, Mensagens de Erro e parser semelhantes Esta espécie de encapsulamento em HTTP torna as comunicações interactivas numa simples extensão do Web l A sua principal função é estabelecer e terminar sessões: Independente do protocolo de transporte (UDP, TCP, TLS) Independente dos media (VoIP, Fax, Multicast, Jogos, Comunicações móveis, etc.) Mecanismos de autenticação semelhantes aos do HTTP Conteúdos podem ser cifrados l O SIP transporta mensagens SDP, com descrição exacta das sessões O SDP específica o formato a usar nos fluxos multimedia, codecs, origem e destino l Os URIs SIP podem identificar utilizadores ou números: SDP encapsulado no SIP v=0 o=costa IN IP4 pc10.labcom.uminho.pt s=x-lite c=in IP4 kepler.labcom.uminho.pt t=0 0 m=audio 8000 RTP/AVP 8 3 a=rtpmap:8 PCMA/8000 A=rtpmap:3 GSM/8000 l v = Número de versão (ignorado pelo SIP) l o = Origem (user, sessionid, session-version, endereço) l s = Assunto (ignorado) l c = Dados da Conexão (endereço IPv4) l t = Tempo (ignorado) l m = Media (tipo, porta, perfil RTP/AVP) l a = Attribute (perfil, codec, taxa de amostragem) 2

3 Agentes SIP l Os agentes SIP ou são User Agents (UAC) que iniciam e terminam conexões, ou Servers (UAS) que ajudam a estabelecer as conexões Definição de uma Política de QoS l Distinguir todo o tráfego do laboratório em pelo menos três classes de tráfego: Sinalização (SIP) para VoIP Tráfego de voz VoIP (RTP) Outros (Best-Effort) l Marcar o tráfego usando o campo ip precedence ou o DSCP (EF, AF,). Exemplo da auto-configuração CISCO: l Implementar a política no router-lab e na estação de trabalho Linux 3

4 CISCO IOS Acções de configuração 1. Definir o critério de classificação dos pacotes: Router(config)# class-map <nome-da-classe> Router(config-cmap)# description <descrição> Router(config-cmap)# match <grupo-de-acesso> Router(config-cmap)# exit 2. Definir a política de serviço: Router(config)# policy-map <nome-da-politica> Router(config-pmap)# description <descrição> Router(config-pmap)# class <nome-da-classe> Router(config-pmap-c)# bandwidth 3. Aplicar a política de QoS ao(s) interface(s): Router(config)# interface FastEthernet 0/0 Router(config-if)# service-policy output <nome-da-política> CISCO IOS Acções de configuração l class-map critérios de classificação match access-group <numero> l Permite usar access-lists para classificar os pacotes match input-interface l Classifica pelo interface de entrada match protocol match ip dscp match ip precedence match rtp match qos-group match source-address match destination address 4

5 CISCO IOS Acções de configuração l policy-map acções possíveis: bandwidth especifica valor mínimo de largura de banda a garantir fair-queue nº de filas a reservar para a class police especifica o valor máximo de largura de banda a admitir usando o algoritmo Token Bucket (parâmetros que já conhecem) queue-limit define o máximo de pacotes da fila (se não se usar o WRED) random-detect activa WRED numa classe com largura de banda garantida set cos - permite associar um valor de CoS a nível 2 set ip precedence - marca os primeiros 6 bits do campo TOS set ip dscp - marca os primeiros 3 bits do campo TOS set qos-group - associa em grupos de QoS (0-99) CISCO IOS QoS l Filas de espera no CISCO First-in, first-out (FIFO) queuing Priority queuing (PQ) l Dá prioridade a um tráfego em relação ao outro Custom queuing (CQ) l Permite dividir a largura de banda disponível pelas várias classes Flow-based weighted fair queuing (WFQ) Class-based weighted fair queuing (CBWFQ) Low latency queueing (LLQ), Distributed LLQ l Permite PQ para tráfego de voz e WFQ para o restante l Só interfaces Serial e Frame relay (??) Congestion avoidance: WRED implementação RED CISCO 5

6 CISCO IOS QoS l Esclarecimentos sobre a marcação: Linux QoS l A partir do kernel 2.2 o subsistema de rede foi reescrito para inclusão dos novos conceitos de rede Os velhinhos comandos arp, ifconfig e route deram lugar ao comando ip (iproute2): ip link list, ip neigh show, ip route show, etc.. l Filas de espera e disciplinas: Classless e classfull Configuráveis com o comando tc (traffic control) ver configuração: tc qdisc show l Marcação de pacotes: iptables tc filter 6

7 Linux QoS l Disciplinas classless: pfast_fifo: três bandas, pré-configuradas, baseados no campo ip precedence l Configuração por defeito não alterável tbf: token bucket filter que só deixa entrar na fila pacotes dentro do perfil e descarta os restantes bom para estrangular um interface: # tc qdisc add dev ppp0 root tbf rate 220kbit latency 50ms burst 1540 sfq: Stochastic Fairness Queueing, distribui os fluxos por n filas, de modo a nenhum fluxo ser prejudicado/beneficiado: l # tc qdisc add dev ppp0 root sfq perturb 10 Linux QoS l Disciplinas classfull: Os pacotes que entram na fila devem ser classificados usando filtros de modo a poderem serem colocados numa das classes ou sub-classes disponíveis Cada interface tem um ponto de saída root qdisc e também pode ter um qdisc de entrada para policiamento do tráfego que chega Os handlers das classes têm duas partes: major e minor. A raíz designa-se 1: ou 1:0 Os handlers estrtuturam-se em árvore: 10:1 1:10 10:2 1:0 1:1 root qdisc 1:11 1:12 11: 12:1 12:2 Classes folha 7

8 Linux QoS l Disciplinas classfull: PRIO: priority Por defeito cria três filas FIFO com diferentes prioridades, mas que podem ser alteradas para outra disciplina a classificação por filas faz-se por filtros e não pelo campo TOS como acontece no pfast_fifo CBQ: Class Based Queueing Separa a largura de banda pelas classes, calculando tempos de espera de modo a assegurar o reajuste do débito ao especificado para a classe permite também definir prioridades entre as classes HTB: Hierarchical Token Bucket Trata-se de um filtro Token Bucket por classes na prática parecido com o CBQ, assegurando minimos de largura de banda por classe, mas sem a complexidade dos ajustes com tempos de espera Linux QoS - Exemplos Classificação com filtros: Exemplo baseado no endereço: # tc filter add dev eth0 parent 10:0 protocol ip prio 1 u32\ match ip dst /32 flowid 10:1 # tc filter add dev eth0 parent 10:0 protocol ip prio 1 u32 \ match ip src /32 flowid 10:1 # tc filter add dev eth0 protocol ip parent 10: prio 2 \ flowid 10:2 8

Implementação de QoS em um roteador Linux

Implementação de QoS em um roteador Linux Implementação de QoS em um roteador Linux Redes Multimídia Prof. Emerson Ribeiro de Mello Instituto Federal de Santa Catarina IFSC campus São José mello@ifsc.edu.br 28 de setembro de 2011 1 / 26 Sumário

Leia mais

Mecanismos de QoS em Linux tc Traffic Control

Mecanismos de QoS em Linux tc Traffic Control Mecanismos de QoS em Linux tc Traffic Control Este módulo descreve os principais mecanismos de QoS disponíveis no kernel do Linux. Para utilizar esses mecanismos, é necessário criar uma política coerente

Leia mais

Recomendações da Cisco para Implantação de QoS para VOIP

Recomendações da Cisco para Implantação de QoS para VOIP Recomendações da Cisco para Implantação de QoS para VOIP Consumo de Banda Codec Taxa de Amostragem (ms) Payload de voice (bytes) Pacotes por segundo Largura de banda consumida G.711 20 160 50 80 kbps G.711

Leia mais

Linux Controle de Redes

Linux Controle de Redes André Stato Filho Linux Controle de Redes Visual Books Sumário 1ª Parte - IP Tables... 15 1 Protocolo... 17 1.1 Modelo de Referência OSI... 17 1.1.1 Camada Física... 18 1.1.2 Camada de Enlace... 18 1.1.3

Leia mais

Mecanismos de QoS em Linux Hierarchical Token Bucket (HTB)

Mecanismos de QoS em Linux Hierarchical Token Bucket (HTB) Mecanismos de QoS em Linux Hierarchical Token Bucket (HTB) Este roteiro descreve um cenário prático onde o algoritmo Hierarchical Token Bucket (HTB) é utilizado para criar uma política de QoS flexível,

Leia mais

QoS em roteadores Cisco

QoS em roteadores Cisco QoS em roteadores Cisco Alberto S. Matties 1, André Moraes 2 1 Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores Rua Gonçalves Chaves 602 96.015-000 Pelotas RS Brasil 2 FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC

Leia mais

4 1 0 ilh F. 2 o 6, 1 rto e rib, G rib e d Eo aãd JorinT Eriberto ago. 14

4 1 0 ilh F. 2 o 6, 1 rto e rib, G rib e d Eo aãd JorinT Eriberto ago. 14 Controle de tráfego com Iptables e HTB João Eriberto Mota Filho Trindade, GO, 16 ago. 2014 Sumário 1. Por que controlar o tráfego de rede? 2. Unidades de medida 3. Disciplinas de controle de tráfego 4.

Leia mais

Disciplinas. Conservativa. Não conservativa

Disciplinas. Conservativa. Não conservativa Políticas de Filas Fila FCFS ou FIFO Serve pacotes na ordem de chegada e descarta quando fila está cheia Não discrimina pacotes O atraso médio de uma fila FIFO é usado para comparação com outras disciplinas

Leia mais

I WORKSHOP DE TECNOLOGIA DE REDES Ponto de Presença da RNP em Santa Catarina Rede Metropolitana de Educação e Pesquisa da Região de Florianópolis

I WORKSHOP DE TECNOLOGIA DE REDES Ponto de Presença da RNP em Santa Catarina Rede Metropolitana de Educação e Pesquisa da Região de Florianópolis Ponto de Presença da RNP em Santa Catarina Rede Metropolitana de Educação e Pesquisa da Região de Florianópolis 04 e 05 Outubro/2012 Serviço QoS PoP-SC Rodrigo Pescador/Guilherme Rhoden PoP-SC/RNP Inserir

Leia mais

TRABALHO DE TELEFONIA IP

TRABALHO DE TELEFONIA IP 1 Faculdade Lourenço Filho Curso de Redes de Computadores TRABALHO DE TELEFONIA IP QoS - Serviços Diferenciados Equipe: Afonso Sousa Jhonatan Cavalcante Israel Bezerra Wendel Marinho Professor: Fabio Fortaleza/2014.1

Leia mais

Qualidade de serviço de voz sobre IP

Qualidade de serviço de voz sobre IP Qualidade de serviço de voz sobre IP Índice Qualidade de serviço de voz sobre IP Visão Geral de QoS para VoIP Largura de Banda Suficiente Classificação de pacote Visão Geral da Classificação de Pacotes

Leia mais

Mecanismos de QoS em Linux DiffServ (Marcação e Policiamento)

Mecanismos de QoS em Linux DiffServ (Marcação e Policiamento) Mecanismos de QoS em Linux DiffServ (Marcação e Policiamento) Este roteiro descreve um cenário prático que ilustra o funcionamento dos mecanismos de policiamento e marcação utilizados pela metodologia

Leia mais

cio QoS Linux Edgard Jamhour 2008, Edgard Jamhour

cio QoS Linux Edgard Jamhour 2008, Edgard Jamhour Exercício cio QoS Linux Edgard Jamhour Cenário Uma empresa tem um SLA com o provedor, definindo um link com 500 Kbps garantindo, com rajadas eventuais de 1000 Kbps. empresa provedor B ipb rede 1 rede 2

Leia mais

Manual de referência para a implementação de criptografia e QoS

Manual de referência para a implementação de criptografia e QoS Manual de referência para a implementação de criptografia e QoS Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Protocolos IPSec AH e ESP Utilize túneis GRE com IPSec Classifique

Leia mais

Roteamento avançado. e controle de banda em Linux

Roteamento avançado. e controle de banda em Linux e controle de banda em Linux Hélio Loureiro Sumário Sintaxe Exemplo Sintaxe Exemplo NOTA: os exemplos são baseados na distribuição Debian mas funcionam similarmente em todas as

Leia mais

IPv6@ESTG-Leiria Projecto de VoIP em IPv6

IPv6@ESTG-Leiria Projecto de VoIP em IPv6 IPv6@ESTG-Leiria Projecto de VoIP em IPv6 Hugo Alexandre de Oliveira Eng. Informática e Comunicações 21 de Fevereiro de 2006 1 Sumário Enquadramento e Objectivos Introdução teórica Arquitecturas de telefonia

Leia mais

$ %$ & ' ( ! ) * +!, 3! 4 5!, 6,445 5 5 4 4 5! ! " #!

$ %$ & ' ( ! ) * +!, 3! 4 5!, 6,445 5 5 4 4 5! !  #! $ %$ & ' (! ) * +!, ",! ) * +!. * /., ",! - 0 1! '! 2 3! 4 5!, 6,445 5 5 4 4 5! Folha de Rosto... 01 Índice... 02 I. Introdução... 03 II. Topologia... 03 III. Preparação & configuração dos equipamentos...

Leia mais

Application Notes: QoS Básico. Exemplo para aplicação de QoS

Application Notes: QoS Básico. Exemplo para aplicação de QoS Application Notes: QoS Básico Exemplo para aplicação de QoS Application Notes: QoS Básico Exemplo para aplicação de QoS. Data 15/03/2010, Revisão 1.2 Introdução Topologia e configurações do DmSwitch Aplicação

Leia mais

Relatório - Mecanismos de escalonamento de pacotes

Relatório - Mecanismos de escalonamento de pacotes Relatório - Mecanismos de escalonamento de pacotes Luísa Lima e João Vilela Departamento de Ciência de Computadores, FCUP email: c0116023@alunos.dcc.fc.up.pt, c0016016@alunos.dcc.fc.up.pt 13 de Junho de

Leia mais

Capítulo II - Mecanismos para se prover QoS. Prof. José Marcos C. Brito

Capítulo II - Mecanismos para se prover QoS. Prof. José Marcos C. Brito Capítulo II - Mecanismos para se prover QoS Prof. José Marcos C. Brito Mecanismos para se prover QoS Dejitter buffer Classificação do tráfego Priorização do tráfego Controle de congestionamento Policiamento

Leia mais

ncia de Redes NGN - NEXT GENERATION NETWORK Hugo Santana Lima hugosl@nec.com.br Porque Telefonia IP?

ncia de Redes NGN - NEXT GENERATION NETWORK Hugo Santana Lima hugosl@nec.com.br Porque Telefonia IP? Convergência ncia de Redes NGN - NEXT GENERATION NETWORK Hugo Santana Lima hugosl@nec.com.br Porque Telefonia IP? O negócio Presença universal do IP Maturação da tecnologia Passagem para a rede de dados

Leia mais

Serviços Diferenciados em Sistemas Operacionais Linux

Serviços Diferenciados em Sistemas Operacionais Linux Universidade Federal de Santa Catarina UFSC Programa de Pós Graduação em Ciências da Computação PPGCC Disciplina: Sistemas Operaciaonais Aluno: Luiz Henrique Vicente Serviços Diferenciados em Sistemas

Leia mais

QoS em Redes IP: Arquitetura e Aplicações

QoS em Redes IP: Arquitetura e Aplicações QoS em Redes IP: Arquitetura e Aplicações Mário Meireles Teixeira mario@deinf.ufma.br Motivação Atualmente, funcionam sobre as redes IP aplicações cujos requisitos elas não foram projetadas para atender

Leia mais

Projeto e Desempenho de Redes - aula 1 e 2. Eng. Alessandro Coneglian Bianchini alessanc@gmail.com

Projeto e Desempenho de Redes - aula 1 e 2. Eng. Alessandro Coneglian Bianchini alessanc@gmail.com Projeto e Desempenho de Redes - aula 1 e 2 Eng. Alessandro Coneglian Bianchini alessanc@gmail.com Apresentação Alessandro Coneglian Bianchini exerce a função de engenheiro na NEC Brasil, atuando na elaboração

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA CONTROLE QUALIDADE DE SERVIÇOS QOS

INSTRUÇÃO NORMATIVA CONTROLE QUALIDADE DE SERVIÇOS QOS INSTRUÇÃO NORMATIVA CONTROLE QUALIDADE DE SERVIÇOS QOS Dispõe acerca de normas referentes à segurança da informação no âmbito da CILL Informática S/A. Goiânia-Go, novembro de 2015 Política de Segurança

Leia mais

phptcadmin: Uma Solução Para o Planejamento e Implementação de Qualidade de Serviço em Redes de Computadores

phptcadmin: Uma Solução Para o Planejamento e Implementação de Qualidade de Serviço em Redes de Computadores phptcadmin: Uma Solução Para o Planejamento e Implementação de Qualidade de Serviço em Redes de Computadores Reinaldo Carvalho 1, Weverton Cordeiro 2, Antônio Abelém 3 Instituto de Informática Universidade

Leia mais

MODELOS DE QUALIDADE DE SERVIÇO - APLICAÇÕES EM IP

MODELOS DE QUALIDADE DE SERVIÇO - APLICAÇÕES EM IP MODELOS DE QUALIDADE DE SERVIÇO - APLICAÇÕES EM IP Nilton Alves Júnior naj@cbpf.br Kelly Soyan Pires Dominguez kelly@cbpf.br Resumo Este trabalho tem como função explicitar o conceito de Qualidade de Serviço

Leia mais

Instituto Superior Técnico. Projecto VoIP. Sistema IVVR

Instituto Superior Técnico. Projecto VoIP. Sistema IVVR Instituto Superior Técnico Projecto VoIP Sistema IVVR 68239 Rui Barradas 68477 Helton Miranda 68626 Ludijor Barros 72487 Bruna Gondin Introdução O objectivo deste projecto é desenvolver um sistema de Interactive

Leia mais

Serviços Diferenciados na Internet

Serviços Diferenciados na Internet Serviços Diferenciados na Internet FEUP/DEEC/RBL 2002/03 José Ruela Serviços Diferenciados na Internet O IETF desenvolveu um modelo de Serviços Diferenciados - Differentiated Services (DiffServ) - que

Leia mais

Redes de Computadores Aula 3. Aleardo Manacero Jr.

Redes de Computadores Aula 3. Aleardo Manacero Jr. Redes de Computadores Aula 3 Aleardo Manacero Jr. O protocolo RM OSI 1 Camada de Rede Forma de ligação Endereçamento de máquinas Controle de rotas Controle de tráfego Forma de ligação Circuito Virtual

Leia mais

Qualidade de serviço. Determina o grau de satisfação do usuário em relação a um serviço específico Capacidade da rede de atender a requisitos de

Qualidade de serviço. Determina o grau de satisfação do usuário em relação a um serviço específico Capacidade da rede de atender a requisitos de Qualidade de serviço Determina o grau de satisfação do usuário em relação a um serviço específico Capacidade da rede de atender a requisitos de Vazão Atraso Variação do atraso Erros Outros Qualidade de

Leia mais

Faculdade Lourenço Filho Curso de Redes de Computadores. TRABALHO DE TELEFONIA IP Serviços Diferenciados - QoS

Faculdade Lourenço Filho Curso de Redes de Computadores. TRABALHO DE TELEFONIA IP Serviços Diferenciados - QoS Faculdade Lourenço Filho Curso de Redes de Computadores TRABALHO DE TELEFONIA IP Serviços Diferenciados - QoS Equipe: Afonso Sousa, Jhonatan Cavalcante, Israel Bezerra, Wendel Marinho Professor: Fabio

Leia mais

Implementação de um gateway de borda com controle de banda utilizando software livre

Implementação de um gateway de borda com controle de banda utilizando software livre Centro Universitário de Brasília UniCEUB Faculdade de Exatas e Tecnologia - FAET Curso de Engenharia da Computação Fábio Sousa Martins Implementação de um gateway de borda com controle de banda utilizando

Leia mais

Redes IP. M. Sc. Isac Ferreira isac.colares@estacio.br. Telecomunicações e Redes de Computadores: Tecnologias Convergentes

Redes IP. M. Sc. Isac Ferreira isac.colares@estacio.br. Telecomunicações e Redes de Computadores: Tecnologias Convergentes Redes IP M. Sc. Isac Ferreira isac.colares@estacio.br Telecomunicações e Redes de Computadores: Tecnologias Convergentes Lista de Controle de Acesso (ACL) Uma ACL, no contexto dos produtos Cisco, é um

Leia mais

Introdução ao protocolo SIP*

Introdução ao protocolo SIP* Introdução ao protocolo SIP* 1. SIP (Session Initiation Protocol) Pode se dizer que SIP trata se de um protocolo de controle referente à camada de aplicações do Modelo de Referência OSI (Open System Interconnection),

Leia mais

Otimização do consumo de banda utilizando Iptables Layer 7 e HTB

Otimização do consumo de banda utilizando Iptables Layer 7 e HTB Otimização do consumo de banda utilizando Iptables Layer 7 e HTB Carlos Alberto de Avila Junior / Rafael Zen de Azevedo Curso de Especialização em Redes e Segurança de Sistemas Pontifícia Universidade

Leia mais

Segurança de redes com Linux. Everson Scherrer Borges Willen Borges de Deus

Segurança de redes com Linux. Everson Scherrer Borges Willen Borges de Deus Segurança de redes com Linux Everson Scherrer Borges Willen Borges de Deus Segurança de Redes com Linux Protocolo TCP/UDP Portas Endereçamento IP Firewall Objetivos Firewall Tipos de Firewall Iptables

Leia mais

V3PN Voice, Video and Integrated Data IP. Palestra V3PN

V3PN Voice, Video and Integrated Data IP. Palestra V3PN V3PN Voice, Video and Integrated Data IP V3PN Voice, Video and Integrated Data Palestrante André Gustavo Lomônaco Diretor de Tecnologia da IPPLUS Tecnologia Mestre em Engenharia Elétrica Certificado Cisco

Leia mais

Qualidade de Serviço (QoS): Estudo de Caso de Otimização de Recursos na Rede

Qualidade de Serviço (QoS): Estudo de Caso de Otimização de Recursos na Rede Qualidade de Serviço (QoS): Estudo de Caso de Otimização de Recursos na Rede Este tutorial apresenta o estudo de uma solução baseada em problemas encontrados na rede de dados da empresa Eletrozema Ltda,

Leia mais

Listas de Controlo de Acesso (ACLs)

Listas de Controlo de Acesso (ACLs) ISEP - Administração de Sistemas 2007/2008 1/9 Listas de Controlo de Acesso (ACLs) Permitem filtrar tráfego (efectuam testes aos pacotes de dados. Ex: negam ou permitem em função do endereço ou tipo de

Leia mais

Aplicação da tecnologia VoIP sobre o protocolo ISDN

Aplicação da tecnologia VoIP sobre o protocolo ISDN Faculdade de Tecnologia IBTA Aplicação da tecnologia VoIP sobre o protocolo ISDN VIEIRA, Anderson BAIÃO JUNIOR, Edson Carlos LIMA DE DEUS, Régis Alberto RESUMO Este artigo tem por objetivo demonstrar a

Leia mais

Administração de Sistemas

Administração de Sistemas Administração de Sistemas Orlando Sousa Aula 6 Listas de controlo de acesso (ACLs) NAT Listas de controlo de acesso Permite filtrar tráfego (efectua testes aos pacotes de dados. Ex: nega ou permite em

Leia mais

www.projetoderedes.kit.net

www.projetoderedes.kit.net Trabalho de Projeto de Redes de Computadores Novembro/ 2001 - Professor: Oswaldo J.A. Franzin Alunos: Anna Paula Ferreira - ra 501006 Guilherme Steinberger Elias - ra 501022 Tema: Moldagem de Tráfego 1.

Leia mais

Daniel Bitencourt Cadorin. Ferramenta para monitoramento de Redes IP com Serviços. Diferenciados utilizando SNMP

Daniel Bitencourt Cadorin. Ferramenta para monitoramento de Redes IP com Serviços. Diferenciados utilizando SNMP Daniel Bitencourt Cadorin Ferramenta para monitoramento de Redes IP com Serviços Diferenciados utilizando SNMP Florianópolis, 2003 i UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM

Leia mais

Serviços de Comunicações. Serviços de Comunicações. Módulo 7 Qualidade de Serviço em redes IP. condições de rede existentes em cada momento

Serviços de Comunicações. Serviços de Comunicações. Módulo 7 Qualidade de Serviço em redes IP. condições de rede existentes em cada momento Módulo 7 Qualidade de Serviço em redes IP 7.1. O porquê da Qualidade de Serviço 7.2. Mecanismos para QoS 7.3. Modelo de Serviços Integrados - IntServ 7.4. Modelo de Serviços Diferenciados - DiffServ 1

Leia mais

Protocolos, DNS, DHCP, Ethereal e comandos em Linux

Protocolos, DNS, DHCP, Ethereal e comandos em Linux Redes de Computadores Protocolos, DNS, DHCP, Ethereal e comandos em Linux Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico de Bragança Março de 2006 Endereços e nomes Quaisquer duas estações

Leia mais

04.03 Quality of Service (QoS)

04.03 Quality of Service (QoS) 04.03 Quality of Service (QoS) Redes de Serviços e Comunicações Multimédia RSCM/ISEL-DEETC-SRC/2004 1 Necessidade de QoS Uma medida colectiva da qualidade de serviço Para uma aplicação Critérios: Disponibilidade

Leia mais

Estudo QoS em redes IP baseadas em roteadores Cisco

Estudo QoS em redes IP baseadas em roteadores Cisco Estudo QoS em redes IP baseadas em roteadores Cisco Célio Bitencourt da Silva Especialização em Redes e Segurança de Sistemas Pontifícia Universidade Católica do Paraná Curitiba, Março de 2010 Resumo Este

Leia mais

A camada de rede do modelo OSI

A camada de rede do modelo OSI A camada de rede do modelo OSI 1 O que faz a camada de rede? (1/2) Esta camada tem como função principal fazer o endereçamento de mensagens. o Estabelece a relação entre um endereço lógico e um endereço

Leia mais

Protocolos Multimídia. Alunos: Roberto Schemid Rafael Mansano

Protocolos Multimídia. Alunos: Roberto Schemid Rafael Mansano Alunos: Roberto Schemid Rafael Mansano Exemplos de Aplicações Multimídia Mídia Armazenada: conteúdo gravado e armazenado play/pause/rewind/forward Streaming : vê o conteúdo enquanto baixa o arquivo evita

Leia mais

Inatel Instituto Nacional de Telecomunicações

Inatel Instituto Nacional de Telecomunicações Inatel Instituto Nacional de Telecomunicações Dissertação de Mestrado ALGUMAS ANÁLISES SOBRE MECANISMOS PARA PROVER QUALIDADE DE SERVIÇO EM REDES MULTIMÍDIA JOSÉ CARLOS RUELA SETEMBRO / 2006 Algumas Análises

Leia mais

REDES HETEROGENEAS E CONVERGENTES

REDES HETEROGENEAS E CONVERGENTES 26/07/12 09:56 REDES HETEROGENEAS E CONVERGENTES das vantagens das redes convergentes valor agregado B) simplicidade C) praticidade D) operacionalização E) manutenção das vantagens do VoIP manutenção de

Leia mais

Administração de Redes 2014/15. Network Address Translation (NAT)

Administração de Redes 2014/15. Network Address Translation (NAT) Administração de Redes 2014/15 Network Address Translation () 1 Motivação Escassez de endereços IP motivação original Nem todas as máquinas de uma rede necessitam de acesso ao exterior (e.g., impressoras)

Leia mais

Aldir Lopes dos Santos. Controle de Banda em Redes TCP/IP Utilizando o Linux

Aldir Lopes dos Santos. Controle de Banda em Redes TCP/IP Utilizando o Linux Aldir Lopes dos Santos Controle de Banda em Redes TCP/IP Utilizando o Linux Monografia de Pós-Graduação Lato Sensu apresentada ao Departamento de Ciência da Computação para obtenção do título de Especialista

Leia mais

Controlo de Tráfego num Edge Device Multi-Serviço Linux

Controlo de Tráfego num Edge Device Multi-Serviço Linux Controlo de Tráfego num Edge Device Multi-Serviço Linux J. Urbano, E. Monteiro {stmaria, edmundo}@dei.uc.pt Laboratório de Comunicações e Telemática CISUC / DEI Universidade de Coimbra Pólo II, Pinhal

Leia mais

Complemento a Politica:

Complemento a Politica: Complemento a Politica: Ferramentas de Gerencia de Redes Para a politica de segurança será gerenciado todo o recurso computacional atraves das ferramentas de gerencia Cacti,Nagios e Ntop sendo o cacti

Leia mais

Exemplo de QoS em Wireless LAN Controllers e APs Lightweight

Exemplo de QoS em Wireless LAN Controllers e APs Lightweight Exemplo de QoS em Wireless LAN Controllers e APs Lightweight Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Informações de Apoio Aprimoramentos na Marcação de Pacotes de

Leia mais

Aplicações e redes multimédia

Aplicações e redes multimédia Aplicações e redes multimédia Aplicações multimédia Streaming de áudio e vídeo RTSP, RTP Telefonia pela Internet RTCP, RTP, SIP Disciplinas de serviço e policiamento de tráfego Serviços integrados RSVP

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Prof. Marcelo Gonçalves Rubinstein Programa de Pós-Graduação em Engenharia Eletrônica Faculdade de Engenharia Universidade do Estado do Rio de Janeiro Ementa Introdução a Redes de

Leia mais

Capítulo 9: Listas de Controle de Acesso

Capítulo 9: Listas de Controle de Acesso Unisul Sistemas de Informação Redes de Computadores Capítulo 9: Listas de Controle de Acesso Roteamento e switching Academia Local Cisco UNISUL Instrutora Ana Lúcia Rodrigues Wiggers Presentation_ID 1

Leia mais

Segurança de Redes de Computadores

Segurança de Redes de Computadores Segurança de Redes de Computadores Aula 8 Segurança nas Camadas de Rede, Transporte e Aplicação Firewall (Filtro de Pacotes) Prof. Ricardo M. Marcacini ricardo.marcacini@ufms.br Curso: Sistemas de Informação

Leia mais

QoS for voice applications

QoS for voice applications QoS for voice applications MUM Brazil 2011 Currículo Antonio Nivaldo F. Leite Junior Graduação em Ciências da Computação; Graduação em Comunicação Social c/ ênfase em Pub. e Propaganda; Pós-graduação em

Leia mais

José Geraldo de Oliveira. QoS transparente com GNU/Linux

José Geraldo de Oliveira. QoS transparente com GNU/Linux José Geraldo de Oliveira QoS transparente com GNU/Linux Monografia de Pós-graduação Lato Sensu apresentada ao Departamento de Ciência da Computação para obtenção do título de Especialista em Administração

Leia mais

Implementação de Serviços Diferenciados em uma Rede Local

Implementação de Serviços Diferenciados em uma Rede Local Implementação de Serviços Diferenciados em uma Rede Local César Augusto de Oliveira Soares 1 Rosivelt Alves do Carmo 1 Orientadores: Prof. DSc. Joaquim Celestino Júnior 2 Profa. MSc. Ana Luiza Bessa de

Leia mais

Qualidade de Serviço Requisitos das aplicações Técnicas para obter boa qualidade de serviço Sobredimensionamento rede Memorização pacotes

Qualidade de Serviço Requisitos das aplicações Técnicas para obter boa qualidade de serviço Sobredimensionamento rede Memorização pacotes Qualidade de Serviço Requisitos das aplicações Técnicas para obter boa qualidade de serviço Sobredimensionamento da rede Memorização de pacotes Suavização do tráfego (Traffic shaping) O algoritmo Leaky

Leia mais

Segurança de Redes. Firewall. Filipe Raulino filipe.raulino@ifrn.edu.br

Segurança de Redes. Firewall. Filipe Raulino filipe.raulino@ifrn.edu.br Segurança de Redes Firewall Filipe Raulino filipe.raulino@ifrn.edu.br Introdução! O firewall é uma combinação de hardware e software que isola a rede local de uma organização da internet; Com ele é possível

Leia mais

Iptables. Adailton Saraiva Sérgio Nery Simões

Iptables. Adailton Saraiva Sérgio Nery Simões Iptables Adailton Saraiva Sérgio Nery Simões Sumário Histórico Definições Tabelas Chains Opções do Iptables Tabela NAT Outros Módulos Histórico Histórico Ipfwadm Ferramenta padrão para o Kernel anterior

Leia mais

VoIP Tecnologia de Voz sobre IP

VoIP Tecnologia de Voz sobre IP VoIP Tecnologia de Voz sobre IP Nilson José Ribeiro 1, Luís Augusto Mattos Mendes 1 1 Departamento de Ciência da Computação Universidade Presidente Antônio Carlos (UNIPAC) Campus Magnus Barbacena MG Brasil

Leia mais

Universidade Santa Cecília - UNISANTA. Voz Sobre IP. Aspectos de Qualidade. Qualidade de Serviço

Universidade Santa Cecília - UNISANTA. Voz Sobre IP. Aspectos de Qualidade. Qualidade de Serviço Universidade Santa Cecília - UNISANTA Voz Sobre IP Aspectos de Qualidade Prof. Hugo Santana 2004 Qualidade de Serviço 1. Introdução: conceitos e definições. 2. Mecanismos utilizados: Classificação e priorização

Leia mais

Uso do iptables como ferramenta de firewall.

Uso do iptables como ferramenta de firewall. Uso do iptables como ferramenta de firewall. Rafael Rodrigues de Souza rafael@tinfo.zzn.com Administração em Redes Linux Universidade Federal de Lavra UFLA RESUMO O artigo pretende abordar o uso de firewalls

Leia mais

PROAPPS Security Data Sheet Professional Appliance / Apresentação

PROAPPS Security Data Sheet Professional Appliance / Apresentação O ProApps Security O ProApps Security é um componente da suíte de Professional Appliance focada na segurança de sua empresa ou rede. A solução pode atuar como gateway e como solução IDS/IPS no ambiente.

Leia mais

Estudo da Escalabilidade da Implementação do Modelo IntServ em Linux. Resumo. Palavras-chave. Elisabete Reis 1, 2 Edmundo Monteiro 2

Estudo da Escalabilidade da Implementação do Modelo IntServ em Linux. Resumo. Palavras-chave. Elisabete Reis 1, 2 Edmundo Monteiro 2 Estudo da Escalabilidade da Implementação do Modelo IntServ em Linux Elisabete Reis 1, 2 Edmundo Monteiro 2 elreis@dei.uc.pt edmundo@dei.uc.pt 1 Instituto Superior de Contabilidade e Administração Instituto

Leia mais

GT Qualidade de Serviço 2 (GT-QoS2) V WRNP2

GT Qualidade de Serviço 2 (GT-QoS2) V WRNP2 GT Qualidade de Serviço 2 (GT-QoS2) V WRNP2 José Augusto Suruagy Monteiro www.nuperc.unifacs.br/gtqos2 Gramado, 13 de Maio de 2004 2003 RNP GT-QoS2 Contexto Continuação das atividades iniciadas com o GT-QoS.

Leia mais

A Camada de Rede. Romildo Martins Bezerra CEFET/BA Redes de Computadores II

A Camada de Rede. Romildo Martins Bezerra CEFET/BA Redes de Computadores II A Camada de Rede Romildo Martins Bezerra CEFET/BA Redes de Computadores II A Camada de Rede e o protocolo IP... 2 O protocolo IP... 2 Formato do IP... 3 Endereçamento IP... 3 Endereçamento com Classes

Leia mais

Autor: Armando Martins de Souza Data: 12/04/2010

Autor: Armando Martins de Souza <armandomartins.souza at gmail.com> Data: 12/04/2010 http://wwwvivaolinuxcombr/artigos/impressoraphp?codig 1 de 12 19-06-2012 17:42 Desvendando as regras de Firewall Linux Iptables Autor: Armando Martins de Souza Data: 12/04/2010

Leia mais

Redes de computadores e a Internet. Capitulo 4. Capítulo. A camada de rede

Redes de computadores e a Internet. Capitulo 4. Capítulo. A camada de rede Redes de computadores e a Internet 4 Capitulo 4 Capítulo A camada de rede A camada de rede Objetivos do capítulo: Entender os princípios dos serviços da camada de rede: Roteamento (seleção de caminho)

Leia mais

Redes e Telecomunicações. 2º Pacote. Formação em

Redes e Telecomunicações. 2º Pacote. Formação em 2º Pacote Formação em Redes de Computadores Formação em Redes de Computadores Exposição dos conteúdos por um docente do ISEL do grupo de redes de comunicações Formação adequada a vários níveis de experiência

Leia mais

GESTÃO DE SISTEMAS E REDES INTERNET PROTOCOLO VERSION 6

GESTÃO DE SISTEMAS E REDES INTERNET PROTOCOLO VERSION 6 GESTÃO DE SISTEMAS E REDES INTERNET PROTOCOLO VERSION 6 OUTLINE INTERNET PROTOCOL V6 NEIGHBOR DISCOVERY PROTOCOL DYNAMIC HOST CONFIGURATION PROTOCOL V6 INTERNET PROTOCOLO O rápido crescimento da Internet

Leia mais

Application Notes: Quality of Service - QoS

Application Notes: Quality of Service - QoS Application Notes: Quality of Service - QoS Application Notes: Quality of Service - QoS. Data 25/03/2010, Revisão 1.1 Introdução Parecer Métodos de Classificação Weighted Round Robin (WRR) Round Robin

Leia mais

Parte 2 Usando o CLI do Roteador

Parte 2 Usando o CLI do Roteador Parte 2 Usando o CLI do Roteador O acesso à CLI Comand Line Interface, é feita pelo usuário no roteador com um terminal ou remotamente. Quando acessamos um roteador, devemos efetuar login nele antes de

Leia mais

Além do melhor esforço

Além do melhor esforço Além do melhor esforço Redes Multimídia Prof. Emerson Ribeiro de Mello Instituto Federal de Santa Catarina IFSC campus São José mello@ifsc.edu.br 25 de agosto de 2011 1 / 42 Sumário 1 Além do melhor esforço

Leia mais

Administração de Sistemas (ASIST)

Administração de Sistemas (ASIST) Administração de Sistemas (ASIST) Gestão de tráfego Novembro de 2014 1 Tratamento diferenciado do tráfego de rede As ligações de rede são recursos de capacidade limitada, partilhadas por um grande número

Leia mais

Formação IPv6 Maputo Moçambique 26 Agosto - 29 Agosto 08 Configuração de Sistema (Linux)

Formação IPv6 Maputo Moçambique 26 Agosto - 29 Agosto 08 Configuração de Sistema (Linux) Moçambique 26 Agosto - 29 Agosto 08 Carlos Friaças (cfriacas@fccn.pt) Pedro Lorga (lorga@fccn.pt) Exercício Prático: Configuração de Sistema (Linux) Objectivos Neste exercício deverá completar as seguintes

Leia mais

1.1 Transmissão multimídia em redes

1.1 Transmissão multimídia em redes 1.1 Transmissão multimídia em redes Pode-se dividir a parte de transmissão multimídia em redes de computadores como mostra a figura 1, ou seja, a parte de conferência (que requer interatividade) e a parte

Leia mais

GTS-8. Implementação de uma solução baseada em Software Livre para o controle de tráfego P2P. Helder Jean Brito da Silva (helder@info.ufrn.

GTS-8. Implementação de uma solução baseada em Software Livre para o controle de tráfego P2P. Helder Jean Brito da Silva (helder@info.ufrn. GTS-8 Implementação de uma solução Helder Jean Brito da Silva (helder@info.ufrn.br) Ricardo Kléber Martins Galvão (rk@info.ufrn.br) Introdução Necessidades Soluções prévias Solução adotada na UFRN Problemas

Leia mais

GT-VOIP. Especificação de Compra de Gateways VoIP. Fevereiro de 2003

GT-VOIP. Especificação de Compra de Gateways VoIP. Fevereiro de 2003 GT-VOIP Especificação de Compra de Gateways VoIP Fevereiro de 2003 Este relatório apresenta a especificação de cenários e do hardware necessário para a implantação do piloto VOIP na Rede Nacional de Pesquisa.

Leia mais

IV. Em uma rede Frame Relay o roteamento dos quadros é de responsabilidade do protocolo IP da família de protocolos TCP/IP.

IV. Em uma rede Frame Relay o roteamento dos quadros é de responsabilidade do protocolo IP da família de protocolos TCP/IP. Exercícios: Redes WAN Prof. Walter Cunha http://www.waltercunha.com/blog http://twitter.com/timasters http://br.groups.yahoo.com/group/timasters/ Frame-Relay 1. (FCC/Pref. Santos 2005) O frame-relay é

Leia mais

Curso Firewall. Sobre o Curso de Firewall. Conteúdo do Curso

Curso Firewall. Sobre o Curso de Firewall. Conteúdo do Curso Curso Firewall Sobre o Curso de Firewall Este treinamento visa prover conhecimento sobre a ferramenta de Firewall nativa em qualquer distribuição Linux, o "iptables", através de filtros de pacotes. Este

Leia mais

Estudo da Utilização de Mecanismos de QoS em Redes com Enlaces de Banda Estreita

Estudo da Utilização de Mecanismos de QoS em Redes com Enlaces de Banda Estreita i UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE ELETRICIDADE ÁREA: CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO José Coelho de Melo Estudo da Utilização de

Leia mais

Packet Tracer - Configurando ACLs Estendidas - Cenário 1

Packet Tracer - Configurando ACLs Estendidas - Cenário 1 Topologia Tabela de Endereçamento R1 Dispositivo Interface Endereço IP Máscara de Sub-Rede Gateway Padrão G0/0 172.22.34.65 255.255.255.224 N/A G0/1 172.22.34.97 255.255.255.240 N/A G0/2 172.22.34.1 255.255.255.192

Leia mais

Capítulo 6 - Protocolos e Roteamento

Capítulo 6 - Protocolos e Roteamento Capítulo 6 - Protocolos e Roteamento Prof. Othon Marcelo Nunes Batista Mestre em Informática 1 de 53 Roteiro (1 / 2) O Que São Protocolos? O TCP/IP Protocolos de Aplicação Protocolos de Transporte Protocolos

Leia mais

Roteamento IP & MPLS. Prof. Marcos Argachoy

Roteamento IP & MPLS. Prof. Marcos Argachoy REDES DE LONGA DISTANCIA Roteamento IP & MPLS Prof. Marcos Argachoy Perfil desse tema O Roteador Roteamento IP Protocolos de Roteamento MPLS Roteador Roteamento IP & MPLS Hardware (ou software) destinado

Leia mais

Transmissão de Voz em Redes de Dados (VoIP)

Transmissão de Voz em Redes de Dados (VoIP) Transmissão de Voz em Redes de Dados (VoIP) Telefonia Tradicional PBX Telefonia Pública PBX Rede telefônica tradicional usa canais TDM (Time Division Multiplexing) para transporte da voz Uma conexão de

Leia mais

Sobre a licença Para cada novo uso ou distribuição, você deve deixar claro para outros os termos da licença desta obra. No caso de criação de obras derivadas, os logotipos do CGI.br, NIC.br, IPv6.br e

Leia mais

Curso de extensão em Administração de sistemas GNU/Linux: redes e serviços

Curso de extensão em Administração de sistemas GNU/Linux: redes e serviços Curso de extensão em Administração de sistemas GNU/Linux: redes e serviços - italo@dcc.ufba.br Gestores da Rede Acadêmica de Computação Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal da Bahia,

Leia mais

Universidade de Aveiro

Universidade de Aveiro Universidade de Aveiro Departamento de Electrónica e Telecomunicações Arquitectura de Qualidade de Serviço para Suporte de Serviços e Aplicações Multimédia Projecto Realizado por: Nuno Rafael Gomes da

Leia mais

Trabalho de laboratório sobre ARP

Trabalho de laboratório sobre ARP Trabalho de laboratório sobre ARP Redes de Computadores I - 2007/2008 LEIC - Tagus Park Semana de 3 a 7 de Dezembro 1 Introdução O objectivo desta aula é a familiarização com conceitos básicos do protocolo

Leia mais

VoIP O caso da Universidade do Minho

VoIP O caso da Universidade do Minho Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto DEEC > DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELECTROTÉCNICA E DE COMPUTADORES Mestrado em Redes e Sistemas de Comunicação Sistemas Multimédia VoIP O caso da Universidade

Leia mais

Laboratório de Redes

Laboratório de Redes Laboratório de Redes Rui Prior 2012 Introdução às VLAN Este documento pretende dar uma breve introdução às Virtual LAN (VLAN), um conceito fundamental nas redes locais da actualidade. Conceito Por razões

Leia mais