o verbo "IR" possui uma forma neutra; possui também formas que marcam flexões pessoais que podem ser empréstimos da forma verbal em português,

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "o verbo "IR" possui uma forma neutra; possui também formas que marcam flexões pessoais que podem ser empréstimos da forma verbal em português,"

Transcrição

1 SEMED/2013

2 o verbo "IR" possui uma forma neutra; possui também formas que marcam flexões pessoais que podem ser empréstimos da forma verbal em português, representadas através de sinais soletrados ou do uso do parâmentro direcionalidade para: V-A-I e V- O-U; 1sIR2s e 2sIR1s:

3 Exemplos: a) VOCÊ IR TRABALHAR? V-A-I? b) EU IR aceno de cabeça afirmativamente. ou EU V-O-U aceno de cabeça afirmativamente.

4 Exemplos: a) 1sIR2s COMER! "Vou comer!" a) 2sIR1s COMER! "Vamos comer! b) 1sIR2s BEBER! "Vou beber!" b) 2sIR1s BEBER! "Vamos beber! c) 1sIR2s DANÇAR! "Vou dançar" c) 2sIR1s DANÇAR! "Vamos dançar!"

5 A FORMA CONDICIONAL (SI) EXEMPLO: SE CHOVER AMANHÃ NÃO VOU À PRAIA. SE NÃO HOUVER AULA EU NÃO VOU À ESCOLA. SE VOCÊ ESTIVER SOZINHA NÃO PODE IR.

6 O que é fonologia? DEFINIÇÃO Fonologia é o ramo da Linguística que estuda o sistema sonoro de um idioma. Ao estudar a maneira como os fones (sons) se organizam dentro de uma língua, classifica-os em unidades capazes de distinguir significados, chamadas fonemas. Classificação dos Fonemas Os fonemas da língua portuguesa são classificados em: 1) Vogais As vogais são os fonemas sonoros produzidos por uma corrente de ar que passa livremente pela boca. Em nossa língua, desempenham o papel de núcleo das sílabas. Assim, isso significa que em toda sílaba há necessariamente uma única vogal.

7 2) Semivogais Os fonemas /i/ e /u/, algumas vezes, não são vogais. Aparecem apoiados em uma vogal, formando com ela uma só emissão de voz (uma sílaba). Nesse caso, esses fonemas são chamados de semivogais. Observe a palavra papai. Ela é formada de duas sílabas: pa-pai. Na última sílaba, o fonema vocálico que se destaca é o a. Ele é a vogal. O outro fonema vocálico i não é tão forte quanto ele. É a semivogal. 3) Consoantes Para a produção das consoantes, a corrente de ar expirada pelos pulmões encontra obstáculos ao passar pela cavidade bucal. Isso faz com que as consoantes sejam verdadeiros "ruídos", incapazes de atuar como núcleos silábicos. Seu nome provém justamente desse fato, pois, em português, sempre consoam ("soam com") as vogais.

8 FONOLOGIA RESUMINDO, É O ESTUDO DAS UNIDADES MÍNIMAS QUE COMPÕEM UMA PALAVRA. Em Português são os fonemas. Em Libras são os elementos que compõem os sinais. Os sinais são formados a partir da combinação do Movimento das Mãos (Movimento M), com determinado formato (Configuração de mão CM), em um determinado lugar (Ponto de Articulação PA). Estas articulações das mãos, que podem ser comparadas ao fonema e às vezes aos morfemas, são chamadas de PARÂMETROS PRIMÁRIOS. Isso, acrescido de expressões não-manuais corresponde ao NÍVEL FONOLÓGICO da Libras.

9 Configuração das mãos são as diversas formas das mãos, que podem ser da datilologia (Alfabeto manual AMANHÃ ONTEM

10 A configuração de mão pode permanecer a mesma durante a realização de um sinal, como em INTELIGENTE, SENTAR e CULTURA, por exemplo. INTELIGENTE SENTAR CULTURA

11 Pode também ser alterada, passando de uma configuração estática para outra, como em LARANJA e LUZ, por exemplo. LARANJA LUZ

12 AS CONFIGURAÇÕES DE MÃOS

13

14

15

16 2. Ponto de Articulação (PA): é o espaço onde a mão predominante configura o sinal. Podendo tocar alguma parte do corpo ou estar em um espaço neutro vertical (do meio do corpo até a cabeça) e horizontal (à frente do emissor). A figura ilustra o espaço da sinalização e os planos: frontal, piso e lateral.

17 Os Pontos de Articulação estão divididos em quatro regiões principais: Cabeça Ex: AMANHÃ AMANHÃ

18 Tronco - Ex:

19 Braços Ex: PEDAGOGIA, TREINAR TREINAR PEDAGOGIA

20 Mãos Ex: PROCURAR, MOSTRAR MOSTRAR PROCURAR

21 Os sinais produzidos a frente do sinalizador são classificados como sinais produzidos no ESPAÇO NEUTRO, isto é, espaço localizado a frente em uma posição neutra sem a inclusão de pontos específicos no espaço de sinalização. Ex: VIAGEM

22 3. Movimento (M): os sinais podem ter um movimento ou não. Os sinais HOMEM, DIFÍCIL, tem movimento, EM-PÉ, não tem movimento. HOMEM DIFÍCIL EM-PÉ

23 Dizemos que o sinal tem movimento quando ele apresenta alteração na sua CM inicial, como HOMEM e DIFÍCIL, por exemplo e também quando ele apresenta um deslocamento no espaço, como CONVIDAR e PEIXE, por exemplo. CONVIDAR PEIXE

24 Atividade p. 9

25 Parâmetros secundários do movimento

26 Disposição das mãos: a realização dos sinais na Libras pode ser feita de diferentes formas: 1.Com a mão predominante; SEMPRE

27 Com as duas mãos em movimento: NAMORAR VISITAR

28 Com uma mão em movimento e outra mão parada: ROUBAR FALTAR

29 Orientação das mãos: a direção da palma da mão durante a realização do sinal. Para cima: ESCREVER AGORA PERDER

30 Para baixo: IMAGINAR

31 Para o lado: NAMORAR BRASIL GRÁTIS

32 Também pode ocorrer mudanças de orientação durante a execução do sinal. Ex: INTERPRETE

33 Região de contato: a mão toca o corpo, por meio de diferentes formas: Ex: 1. Toque: ENTENDER

34 Duplo toque: SAÚDE

35 Risco: OPERAR MÊS

36 Deslizamento:

37 ATIVIDADE p. 13

38 Expressão facial e/ou corporal: A Expressão facial e corporal traduz sentimentos, dando mais sentido à Libras e, em muitos casos, determinando o significado de um sinal. Ex: SILÊNCIO Dedo indicador em [D ou 1] Sobre a boca, expressão facial calma e serena.

39 CALE A BOCA Dedo indicador em [B] sobre a boca, movimento mais rápido, expressão facial de zanga, indicando ordem.

40 CALMA Mão aberta, movimento lento para a frente, expressão facial calma.

41 PARA Mão aberta, movimento brusco para a frente, expressão facial séria, indicando ordem.

42 A expressão facial e corporal também são utilizadas para negar, afirmar, duvidar, questionar etc. Compare com o Português: PORTUGUÊS Você gostou do filme? Você gostou do filme. Você gostou do filme! Você gostou do filme!? LIBRAS Você gostar (expressão de interrogação) Você gostar (expressão de afirmação) Você gostar (expressão de alegria) Você gostar (expressão de dúvida/desconfiança) Você não gostou do filme? Você gostar não? (expressão de interrogação/negação)

43 REFERÊNCIA COPAVILLA, Fernando César. RAPHAEL, Walkiria Duarte. (2001). Dicionário Enciclopédico Ilustrado da Língua de Sinais brasileira: volume I: sinais de A a L. 2ª Ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo: Imprensa Oficial do Estado. COPAVILLA, Fernando César. RAPHAEL, Walkiria Duarte. Dicionário Enciclopédico Ilustrado da Língua de Sinais brasileira: volume II: sinais de M a Z. 2ª Ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo: Imprensa Oficial do Estado, FELIPE. Tanya A. Introdução à gramática da LIBRAS in BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DESPORTO. Secretaria de Educação Especial. Secretaria de Educação Especial. Brasília: MEC/SEE SP, p , 1998.

44 Lucinéia de Souza Oliveira (vivo) / (oi) Wallace Miranda Barbosa (vivo)

ESTADO DO ESPIRITO SANTO PREFEITURA MUNICIPAL DE GUARAPARI SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO. Curso de DIANA MÁRGARA RAIDAN CHÁCARA

ESTADO DO ESPIRITO SANTO PREFEITURA MUNICIPAL DE GUARAPARI SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO. Curso de DIANA MÁRGARA RAIDAN CHÁCARA ESTADO DO ESPIRITO SANTO PREFEITURA MUNICIPAL DE GUARAPARI SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO Curso de Intermediário DIANA MÁRGARA RAIDAN CHÁCARA SECRETÁRIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO LUCINÉIA DE SOUZA OLIVEIRA

Leia mais

O QUE PRECISO SABER DA. Lei de 24 de abril de 2002

O QUE PRECISO SABER DA. Lei de 24 de abril de 2002 O QUE PRECISO SABER DA Lei 10.436 de 24 de abril de 2002 Parágrafo único. Entende-se como Língua Brasileira de Sinais - Libras a forma de comunicação e expressão, em que o sistema linguístico de natureza

Leia mais

OFICINA DE LIBRAS. Profa Me Luciana Andrade Rodrigues

OFICINA DE LIBRAS. Profa Me Luciana Andrade Rodrigues OFICINA DE LIBRAS Profa Me Luciana Andrade Rodrigues CONTEÚDO - Revisão de todas as aulas anteriores; -Inclusão; - Vídeo e Interatividade OBJETIVOS - Ampliação do vocabulário em LIBRAS; -Música. SEGREGAÇÃO

Leia mais

CADA PAÍS TEM UMA LÍNGUA DE SINAIS PRÓPRIA E A LIBRAS É A LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS

CADA PAÍS TEM UMA LÍNGUA DE SINAIS PRÓPRIA E A LIBRAS É A LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS CADA PAÍS TEM UMA LÍNGUA DE SINAIS PRÓPRIA E A LIBRAS É A LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS Desse modo, a língua de sinais não é uma língua universal, pois adquire características diferentes em cada país e,

Leia mais

Estrura Sublexical dos Sinais a partir de suas Unidades Mínimas Distintivas

Estrura Sublexical dos Sinais a partir de suas Unidades Mínimas Distintivas Texto retirado do endereço: http://www.ines.gov.br/ines_livros/35/35_002.htm Estrura Sublexical dos Sinais a partir de suas Unidades Mínimas Distintivas A palavra ou item lexical certo, em português, é

Leia mais

Prof. Neemias Gomes Santana UESB Graduação em Letras/Libras UFSC/UFBA Especialista em Tradução e Interpretação de Libras Mestrando em Tradução

Prof. Neemias Gomes Santana UESB Graduação em Letras/Libras UFSC/UFBA Especialista em Tradução e Interpretação de Libras Mestrando em Tradução Prof. Neemias Gomes Santana UESB Graduação em Letras/Libras UFSC/UFBA Especialista em Tradução e Interpretação de Libras Mestrando em Tradução Audiovisual e Acessibilidade - UFBA Língua de Sinais vs.

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA. Professor Bernardo Augusto. Fonética e Fonologia

LÍNGUA PORTUGUESA. Professor Bernardo Augusto. Fonética e Fonologia LÍNGUA PORTUGUESA Professor Bernardo Augusto Fonética e Fonologia Fonética articulatória é um dos principais ramos da FONÉTICA, que é a ciência responsável pelo estudo dos sons utilizados na linguagem

Leia mais

FONOLOGIA DAS LÍNGUAS DE SINAIS

FONOLOGIA DAS LÍNGUAS DE SINAIS LÍNGUA DE SINAIS BRASILEIRA aspectos linguísticos Woll et al. (2002) Surdos Sinalizados Ouvintes Sinalizados Ouvintes Falantes Esquerdo Direito Prof. Felipe Venâncio Barbosa Formação dos Sinais FONOLOGIA

Leia mais

As línguas de sinais, usadas pelas comunidades surdas, são constituídas de elementos próprios

As línguas de sinais, usadas pelas comunidades surdas, são constituídas de elementos próprios LIBRAS Estrutura gramatical da LIBRAS A língua de sinais tem gramática? A língua de sinais é mímica? As línguas de sinais, usadas pelas comunidades surdas, são constituídas de elementos próprios uma língua

Leia mais

OFICINA DE LIBRAS. Luciana Andrade Rodrigues Professora da UniSEB COC

OFICINA DE LIBRAS. Luciana Andrade Rodrigues Professora da UniSEB COC OFICINA DE LIBRAS Luciana Andrade Rodrigues Professora da UniSEB COC CONTEUDO - Revisão da aula anterior; -Meses, Tempo, Perguntas; - Jogos; -Música Dias Melhores OBJETIVOS - Ampliação do vocabulário em

Leia mais

CURSO: Medicina INFORMAÇÕES BÁSICAS. Língua Brasileira de Sinais LIBRAS EMENTA

CURSO: Medicina INFORMAÇÕES BÁSICAS. Língua Brasileira de Sinais LIBRAS EMENTA Turno: Integral Currículo 2009 CURSO: Medicina INFORMAÇÕES BÁSICAS Unidade curricular Língua Brasileira de Sinais LIBRAS Departamento CCO Período 2º, 3º e 5º Teórica 10 Carga Horária Prática 24 Total 34

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ LIBRAS PARA TODOS. Ellen Formigosa

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ LIBRAS PARA TODOS. Ellen Formigosa UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ LIBRAS PARA TODOS Ellen Formigosa 2011 1 CONTEXTO VISUAL EM LIBRAS Aspectos estruturais da LIBRAS...03. Sistema de transição em LIBRAS...06. Pronomes...08. 2 ASPECTOS ESTRUTURAIS

Leia mais

DEFICIÊNCIA AUDITIVA. Luciana Andrade Rodrigues Professor das Faculdades COC

DEFICIÊNCIA AUDITIVA. Luciana Andrade Rodrigues Professor das Faculdades COC DEFICIÊNCIA AUDITIVA Luciana Andrade Rodrigues Professor das Faculdades COC CONTEUDO - Conceitos; - Filosofias de Comunicação; - Atendimentos Educacionais especializados; - Surdez e L2; - Legislação. OBJETIVOS

Leia mais

Unidade 5: Práticas linguísticas

Unidade 5: Práticas linguísticas Unidade 5: Práticas linguísticas 1. Apresentação: sinal pessoal e nome Na unidade anterior você aprendeu o que é sinal pessoal, então veja as figuras abaixo e entenda claramente as características de cada

Leia mais

Libras I EMENTA PROGRAMA Referências básicas: Referências complementares:

Libras I EMENTA PROGRAMA Referências básicas: Referências complementares: Libras I LEM185 Pré-requisitos: Não há. Introdução ao estudo das visões sobre a surdez. Estudo de aspectos culturais dos surdos brasileiros. Conhecimentos básicos sobre os fundamentos linguísticos da Libras.

Leia mais

FONOLOGIA. Abaixo a relação dos ditongos decrescente e crescente:

FONOLOGIA. Abaixo a relação dos ditongos decrescente e crescente: FONOLOGIA FONOLOGIA É a parte da Gramática que estuda o comportamento dos fonemas de uma língua, tomando-os como unidades sonoras capazes de criar diferença de significados. Outros nomes: fonêmica, fonemática.

Leia mais

CAPÍTULO 3 CONHECENDO OS SINAIS

CAPÍTULO 3 CONHECENDO OS SINAIS CAPÍTULO 3 CONHECENDO OS SINAIS 3.1 Contextualizando Após ter conhecido alguns aspectos básicos sobre a LIBRAS, creio que você deve estar na expectativa de conhecer e aprender mais sinais. Neste capítulo

Leia mais

Associação dos Profissionais Tradutores / Intérpretes de Língua Brasileira de Sinais de Mato Grosso do Sul - APILMS

Associação dos Profissionais Tradutores / Intérpretes de Língua Brasileira de Sinais de Mato Grosso do Sul - APILMS Curso Básico de LIBRAS Comunicando com as Mãos de Judy Esminger Associação dos Profissionais Tradutores / Intérpretes de Língua Brasileira de Sinais de Mato Grosso do Sul - Curso Básico de LIBRAS Ilustração:

Leia mais

Revisão para o simulado

Revisão para o simulado Revisão para o simulado LÍNGUA PORTUGUESA Patrícia Lopes São as variações que uma língua apresenta, de acordo com as condições sociais, culturais, regionais e históricas em que é utilizada. Variedade linguística

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL Documento(s) Orientador(es): Programa e Metas Curriculares de Português 1º CICLO PORTUGUÊS 1º ANO TEMAS/DOMÍNIOS CONTEÚDOS

Leia mais

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL ESTADO DE SANTA CATARINA Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO DO PLANALTO NORTE - CEPLAN

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL ESTADO DE SANTA CATARINA Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO DO PLANALTO NORTE - CEPLAN Curso: SIN-BAC - Bacharelado em Sistemas de Informação Departamento: DSI.. - Sistemas de Informação Disciplina: LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS Código: 1LIB002 Carga horária: 36 Período letivo: 2016/2 Professor:

Leia mais

PLANO DE CURSO. Ano: 2017 Período de realização: Ago. a Out. Carga horária total: 60h PÚBLICO ALVO EMENTA

PLANO DE CURSO. Ano: 2017 Período de realização: Ago. a Out. Carga horária total: 60h PÚBLICO ALVO EMENTA Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas Diretoria de Desenvolvimento de Pessoas Divisão de Acompanhamento Funcional e Formação Permanente Setor de Formação Permanente

Leia mais

Planos de Ensino LIBRAS

Planos de Ensino LIBRAS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO COLÉGIO DE APLICAÇÃO Planos de Ensino LIBRAS LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS 2017 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS

Leia mais

Aula2 OS TIPOS DE SONS. Denise Porto Cardoso. META Mostrar os tipos de sons da língua portuguesa produzidos pelo aparelho fonador.

Aula2 OS TIPOS DE SONS. Denise Porto Cardoso. META Mostrar os tipos de sons da língua portuguesa produzidos pelo aparelho fonador. Aula2 OS TIPOS DE SONS META Mostrar os tipos de sons da língua portuguesa produzidos pelo aparelho fonador. OBJETIVOS Ao fi nal desta aula, o aluno deverá: reconhecer sons surdos e sonoros, orais e nasais,

Leia mais

Aula SINAIS E O SISTEMA DE META OBJETIVOS

Aula SINAIS E O SISTEMA DE META OBJETIVOS Aula SINAIS E O SISTEMA DE META OBJETIVOS ME@ NOME SE@ NOME Em 1974, Valerie Sutton criou um sistema para escrever os movimentos dinamarquesa que estavam procurando uma forma de REPRESENTAR os Pesquisas

Leia mais

CURSO: Medicina INFORMAÇÕES BÁSICAS. Língua Brasileira de Sinais II LIBRAS II

CURSO: Medicina INFORMAÇÕES BÁSICAS. Língua Brasileira de Sinais II LIBRAS II UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI UFSJ INSTITUÍDA PELA LEI N O 10.425, DE 19/04/2002 D.O.U. DE 22/04/2002 PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO PROEN Turno: Integral Currículo CURSO: Medicina INFORMAÇÕES

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: Carga Horária Semestral: 80 h Semestre do Curso: 8º

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: Carga Horária Semestral: 80 h Semestre do Curso: 8º PLANO DE ENSINO Curso: PEDAGOGIA PROJETO PEDAGÓGICO: 2010 Disciplina: Língua Brasileira de Sinais - LIBRAS Carga Horária Semestral: 80 h Semestre do Curso: 8º 1 - Ementa (sumário, resumo) Reflexão acerca

Leia mais

APRENDENDO ESCRITA DE SINAIS SignWriting

APRENDENDO ESCRITA DE SINAIS SignWriting APRENDENDO ESCRITA DE SINAIS SignWriting SERGIO S. RIBEIRO SignWriting Aprendendo a Escrita de Sinais I N T R O D U Ç Ã O SignWriting é um sistema visual escrito para todas as línguas de sinais ao redor

Leia mais

Unidade I LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS. Profa. Ma. Andréa Rosa

Unidade I LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS. Profa. Ma. Andréa Rosa Unidade I LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS LIBRAS Profa. Ma. Andréa Rosa Língua de sinais As línguas de sinais existem de forma natural em comunidades linguísticas de pessoas surdas e, consequentemente, partilham

Leia mais

Fonêmica do português

Fonêmica do português Fonêmica do português CRISTÓFARO SILVA, Thaïs. Fonética e fonologia do português: roteiro de estudos e guia de exercícios. 9. ed. São Paulo: Contexto, 2009. Prof. Cecília Toledo cissa.valle@hotmail. com

Leia mais

Consciência Fonológica

Consciência Fonológica Consciência Fonológica 25 de março/2017 ESECS Marta Violante O que é Capacidade de analisar a cadeia falada, reconhecendo que esta é constituída por segmentos (componentes fonológicos) passíveis de serem

Leia mais

DAS CRÍTICAS E CONTRIBUIÕES LINGUÍSTICAS. Por Claudio Alves BENASSI

DAS CRÍTICAS E CONTRIBUIÕES LINGUÍSTICAS. Por Claudio Alves BENASSI DAS CRÍTICAS E CONTRIBUIÕES LINGUÍSTICAS Por Claudio Alves BENASSI omo vimos anteriormente, em relação ao uso que o sujeito com C surdez faz da modalidade escrita do surdo, o recurso didático Números Semânticos

Leia mais

Curso: Letras Português/Espanhol. Disciplina: Linguística. Docente: Profa. Me. Viviane G. de Deus

Curso: Letras Português/Espanhol. Disciplina: Linguística. Docente: Profa. Me. Viviane G. de Deus Curso: Letras Português/Espanhol Disciplina: Linguística Docente: Profa. Me. Viviane G. de Deus AULA 2 1ª PARTE: Tema 2 - Principais teóricos e teorias da Linguística moderna Formalismo x Funcionalismo

Leia mais

O QUE É FONOLOGIA? Fonologia é o ramo da Linguística que estuda o sistema sonoro de um idioma. Cuida de aspectos relacionados a:

O QUE É FONOLOGIA? Fonologia é o ramo da Linguística que estuda o sistema sonoro de um idioma. Cuida de aspectos relacionados a: FONOLOGIA / ACENTUAÇÃO GRÁFICA O QUE É FONOLOGIA? Fonologia é o ramo da Linguística que estuda o sistema sonoro de um idioma. Cuida de aspectos relacionados a: encontros vocálicos encontros consonantais

Leia mais

Quem de vocês nunca teve dúvidas em relação ao desenvolvimento da fala e da linguagem de uma criança, atire a primeira pedra...

Quem de vocês nunca teve dúvidas em relação ao desenvolvimento da fala e da linguagem de uma criança, atire a primeira pedra... Quem de vocês nunca teve dúvidas em relação ao desenvolvimento da fala e da linguagem de uma criança, atire a primeira pedra... Saber se a criança está falando na idade certa, se está atrasada em relação

Leia mais

Componente Curricular: LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS - LIBRAS PLANO DE CURSO

Componente Curricular: LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS - LIBRAS PLANO DE CURSO CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS - LIBRAS Código: ENF 405 Pré-requisito: Nenhum

Leia mais

A ALFABETIZAÇÃO DA PESSOA SURDA: DESAFIOS E POSSIBILIDADES. Caderno de Educação Especial

A ALFABETIZAÇÃO DA PESSOA SURDA: DESAFIOS E POSSIBILIDADES. Caderno de Educação Especial A ALFABETIZAÇÃO DA PESSOA SURDA: DESAFIOS E POSSIBILIDADES Caderno de Educação Especial O que devemos considerar no processo de Alfabetização? Criança Ouvinte Criança Surda Faz uso das propriedades fonológicas

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO Curso FIC LIBRAS Três Corações-MG 2017 1 Dados da Instituição CNPJ Razão Social Endereço Instituto

Leia mais

Linguística As Dicotomias Linguísticas e a Dupla Articulação da Linguagem

Linguística As Dicotomias Linguísticas e a Dupla Articulação da Linguagem Linguística As Dicotomias Linguísticas e a Dupla Articulação da Linguagem Profª. Sandra Moreira Conteúdo Programático As Dicotomias Linguísticas Sincronia versus Diacronia Língua versus Fala Significante

Leia mais

A linguística das línguas de sinais. André Xavier DL-USP/LisCo

A linguística das línguas de sinais. André Xavier DL-USP/LisCo A linguística das línguas de sinais André Xavier DL-USP/LisCo Plano da aula Dupla articulação da linguagem Fonologia Restrições fonológicas Percepção Produção Processos fonológicos Dupla articulação da

Leia mais

FORMA AFIRMATIVA: A expressão facial é neutra.

FORMA AFIRMATIVA: A expressão facial é neutra. Unidade 6 1. Tipos de frase em LIBRAS De acordo com Felipe e Monteiro (1997), as línguas de sinais utilizam as expressões faciais e corporais para estabelecer formas negativas ou interogativas, por isso,

Leia mais

CLASSES DE SONS (AGRUPAMENTO DE SONS QUE PARTILHAM

CLASSES DE SONS (AGRUPAMENTO DE SONS QUE PARTILHAM Rita Veloso FLUL 1 de 10 CLASSES DE SONS (AGRUPAMENTO DE SONS QUE PARTILHAM DETERMINADAS PROPRIEDADES) MODO DE ARTICULAÇÃO (MA) Classificação dos sons quanto à forma como são produzidos, i.e., em função

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS MODALIDADE EaD

PÓS-GRADUAÇÃO EM LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS MODALIDADE EaD PÓS-GRADUAÇÃO EM LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS MODALIDADE EaD LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS LIBRAS II Profª Kátia Regina Loureço Conrad INTRODUÇÃO À PRÁTICA Língua Brasileira de Sinais: Falando com as mãos

Leia mais

Hélio Fonseca de Araújo

Hélio Fonseca de Araújo Hélio Fonseca de Araújo L I B R A S Língua Brasileira de Sinais helio.libras@globomail.com Autores: Hélio Fonseca de Araújo Formado em Pedagogia Proficiência em Tradução e Interpretação da LIBRAS/Língua

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA PROFESSOR ANTONIO DUARTE

LÍNGUA PORTUGUESA PROFESSOR ANTONIO DUARTE LÍNGUA PORTUGUESA PROFESSOR ANTONIO DUARTE E-mail: professorantonioduarte@gmail.com Facebook: Antonio Duarte Quem teme perder já está vencido. jigoro kano FONOLOGIA Letra é uma representação gráfica do

Leia mais

Fabíola Féo Período: Abril, Maio e Junho. NAPNE Núcleo de Atendimento as Pessoas com Necessidades Especiais.

Fabíola Féo Período: Abril, Maio e Junho. NAPNE Núcleo de Atendimento as Pessoas com Necessidades Especiais. LIBRAS Aula noite I a VI Fabíola Féo Período: Abril, Maio e Junho. NAPNE Núcleo de Atendimento as Pessoas com Necessidades Especiais. LIBRAS HISTÓRIA Gerolamo Cardomo (1501 a 1576), médico e matemático

Leia mais

Grupo I Voleibol (25 pontos)

Grupo I Voleibol (25 pontos) Agrupamento de Escolas Dr. Vieira de Carvalho PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DO 3º CICLO DO ENSINO BÁSICO 2014 1ª FASE PROVA DE EDUCAÇÃO FÍSICA Duração da prova: 45 minutos --------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

COMPARANDO ASPECTOS GRAMATICAIS DE PORTUGUÊS E DE LIBRAS. PALAVRAS-CHAVE: Análise contrastiva. Língua portuguesa. Língua Brasileira de Sinais.

COMPARANDO ASPECTOS GRAMATICAIS DE PORTUGUÊS E DE LIBRAS. PALAVRAS-CHAVE: Análise contrastiva. Língua portuguesa. Língua Brasileira de Sinais. COMPARANDO ASPECTOS GRAMATICAIS DE PORTUGUÊS E DE LIBRAS Odenilza Gama da SILVA (UFPA) Antônia Fernanda de Souza NOGUEIRA (UFPA) RESUMO: O objetivo do presente trabalho é comparar alguns aspectos gramaticais

Leia mais

EMENTÁRIO LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS

EMENTÁRIO LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO COLÉGIO DE APLICAÇÃO EMENTÁRIO LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS 2016 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC PRONATEC de LIBRAS INTERMEDIÁRIO. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC PRONATEC de LIBRAS INTERMEDIÁRIO. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

PREVINA OU ELIMINE A BARRIGA

PREVINA OU ELIMINE A BARRIGA PREVINA OU ELIMINE A BARRIGA OS EXERCÍCIOS ABDOMINAIS APRESENTADOS ABAIXO ESTÃO DIVIDIDOS DE ACORDOS COM SEU GRAU DE DIFICULDADE, ESTANDO CLASSIFICADOS COMO: EXERCÍCIOS LEVES EXERCÍCIOS INTERMEDIÁRIOS

Leia mais

Apresentação do método sintético

Apresentação do método sintético Maria Cristina Pereira Cotta e Angela Maria Rodrigues Marques Galvão O tempo passa e, em Educação, continuam as dúvidas quanto à escolha do método ideal para alfabetizar. Para acertar nessa escolha, a

Leia mais

Manual de sinais escritos em Língua Brasileira de Sinais - LIBRAS e Português, com os sinais (SignWriting) baseados nos

Manual de sinais escritos em Língua Brasileira de Sinais - LIBRAS e Português, com os sinais (SignWriting) baseados nos MARIA LUCIA GARCIA DE ALMEIDA Manual de sinais escritos em Língua Brasileira de Sinais - LIBRAS e Português, com os sinais (SignWriting) baseados nos Parâmetros da LIBRAS. Produto de Dissertação apresentada

Leia mais

CONTEÚDOS O PROGRAMA DE. Sistemas Aumentativos e Alternativos de Comunicação LINGUAGEM MAKATON 15/04/2015. Comunicação / Linguagem / Fala

CONTEÚDOS O PROGRAMA DE. Sistemas Aumentativos e Alternativos de Comunicação LINGUAGEM MAKATON 15/04/2015. Comunicação / Linguagem / Fala Terapia da Fala Andreia Gomes Clara Silva Diana Domingues Cristiana Couto O PROGRAMA DE LINGUAGEM MAKATON Sistemas Aumentativos e Alternativos de Comunicação Abril de 2015 CONTEÚDOS Comunicação / Linguagem

Leia mais

Estratégia do Ensino de Libras Como Língua 2 Relacionado ao Dicionário da Configuração de Mãos na Atuação dos Professores de Libras.

Estratégia do Ensino de Libras Como Língua 2 Relacionado ao Dicionário da Configuração de Mãos na Atuação dos Professores de Libras. Estratégia do Ensino de Libras Como Língua 2 Relacionado ao Dicionário da Configuração de Mãos na Atuação dos Professores de Libras. Charles Lary Marques Ferraz Universidade Federal Fluminense (RJ) Palavras

Leia mais

Licenciatura em Espanhol

Licenciatura em Espanhol Licenciatura em Espanhol Laralis Nunes de Sousa Oliveira Gisele Oliveira da Silva Fi chael abor adapel aseçãodepr ocessament otécni codabi bl i ot eca Sebast i ãofer nandesdocampusnat alcent r aldoi FRN.

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM 1º CICLO Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL Documento(s) Orientador(es): Novo Programa de Português /Metas Curriculares de Português do 1º Ciclo do

Leia mais

PROPRIEDADES FÍSICAS DO SOM E A MÚSICA

PROPRIEDADES FÍSICAS DO SOM E A MÚSICA Nome: Ano: Disciplina: Música Professor: Gabriel Nº: Data: PROPRIEDADES FÍSICAS DO SOM E A MÚSICA O som tem quatro propriedades físicas: intensidade, timbre, duração e altura. São chamados também de parâmetros

Leia mais

CURRÍCULO DA DISCIPLINA DE PORTUGUÊS/ CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2013/2014

CURRÍCULO DA DISCIPLINA DE PORTUGUÊS/ CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2013/2014 1º Ciclo Metas/Domínios Objetivos gerais Conteúdos Programáticos Critérios 1º Ano Oralidade O1 Comprensão do oral Expressão oral Respeitar regras da interação discursiva Escutar discursos breves para aprender

Leia mais

Colégio Nossa Senhora da Piedade

Colégio Nossa Senhora da Piedade Colégio Nossa Senhora da Piedade Docente: Marcela Rodriguês dos Santos/ Rubinaldo da Silva Araújo Carga horária: 80h Disciplina: Produção Textual Serie: 6 Ano Plano de Curso I Unidade Objetivo Geral: Desenvolver

Leia mais

Língua Portuguesa. Profª. Fernanda Machado

Língua Portuguesa. Profª. Fernanda Machado Língua Portuguesa Profª. Fernanda Machado Classes de palavras são agrupamentos de palavras que mantêm características comuns. Na Língua Portuguesa existem 10 classes de palavras: Substantivo Adjetivo Artigo

Leia mais

APOSTILA DE LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS NÍVEL BÁSICO

APOSTILA DE LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS NÍVEL BÁSICO APOSTILA DE LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS NÍVEL BÁSICO 2010 1 1. O que é Surdez? Surdez é o nome dado à impossibilidade e dificuldade de ouvir, podendo ter como causa vários fatores que podem ocorrer antes,

Leia mais

Escola Secundária D.Pedro V. Ginástica de Solo. Ana Abel 06/04/13

Escola Secundária D.Pedro V. Ginástica de Solo. Ana Abel 06/04/13 Escola Secundária D.Pedro V Ginástica de Solo Ana Abel 06/04/13 Introdução Este trabalho sobre ginástica é um elemento de avaliação das disciplinas de Educação Física e Prática de Actividades Físicas e

Leia mais

GÊNERO DISCURSIVO PARLENDA 1º ANO / TRABALHAR

GÊNERO DISCURSIVO PARLENDA 1º ANO / TRABALHAR GÊNERO DISCURSIVO PARLENDA 1º ANO / TRABALHAR BRAGA, Margarete Aparecida Nath CATTELAN, Alice Rosalia FERNANDES, Silvia Helena Monteiro OLIVEIRA, Ilda de Fatima de Lourdes 1. O que é uma parlenda? Parlenda

Leia mais

CONTEÚDOS PARA OS TESTES 1º BIMESTRE 1º ANO

CONTEÚDOS PARA OS TESTES 1º BIMESTRE 1º ANO 1º ANO Numeração até 9 Vizinhos Contagem de elementos Mais perto ou mais longe Na frente, atrás ou entre Em cima ou embaixo Dentro ou fora Mesmo sentido ou sentido contrário Vogais (maiúsculas e minúsculas)

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Pró-Reitoria de Ensino de Graduação Departamento de Administração Escolar

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Pró-Reitoria de Ensino de Graduação Departamento de Administração Escolar Documentação: Objetivo: Titulação: Diplomado em: Resolução 002/CUn/2007, de 02 de março de 2007 O Curso de Licenciatura em Letras/LIBRAS é uma iniciativa da Universidade Federal de Santa Catarina, com

Leia mais

Morfologia e Classes Apresentação da Professora Gramaticais Licenciatura em Letras Língua Portuguesa e Literaturas Ementa Organização da Disciplina

Morfologia e Classes Apresentação da Professora Gramaticais Licenciatura em Letras Língua Portuguesa e Literaturas Ementa Organização da Disciplina Morfologia e Classes Gramaticais Teleaula 1 Prof.ª Me. Margarete T. A. Costa tutorialetras@grupouninter.com.br Licenciatura em Letras Língua Portuguesa e Literaturas Apresentação da Professora Letras Português

Leia mais

Nº da aula 02. Estudo da Sintaxe

Nº da aula 02. Estudo da Sintaxe Página1 Curso/Disciplina: Português para Concurso. Aula: Estudo da Sintaxe: Sujeito. Conceito; Classificações: sujeito determinado e indeterminado - 02 Professor (a): Rafael Cunha Monitor (a): Amanda Ibiapina

Leia mais

Manual de sinais em Libras para o ensino de Matemática na educação básica

Manual de sinais em Libras para o ensino de Matemática na educação básica Orientação: Prof. Dr. Raymundo Carlos Machado Ferreira Filho Coorientação: Profa. Dra. Tatiana Bolivar Lebedeff Validação de sinais em Libras para o ensino de matemática na educação básica é obra da pesquisa

Leia mais

CURSO ANO LETIVO PERIODO/ANO Departamento de Letras º CÓDIGO DISCIPLINA CARGA HORÁRIA Introdução aos estudos de língua materna

CURSO ANO LETIVO PERIODO/ANO Departamento de Letras º CÓDIGO DISCIPLINA CARGA HORÁRIA Introdução aos estudos de língua materna CURSO ANO LETIVO PERIODO/ANO Departamento de Letras 2017 5º CÓDIGO DISCIPLINA CARGA HORÁRIA Introdução aos estudos de língua materna 04h/a xxx xxx 60 h/a xxx xxx EMENTA Iniciação ao estudo de problemas

Leia mais

Apresentação 11 Lista de abreviações 13. Parte I: NATUREZA, ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DA LINGUAGEM

Apresentação 11 Lista de abreviações 13. Parte I: NATUREZA, ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DA LINGUAGEM Sumário Apresentação 11 Lista de abreviações 13 Parte I: NATUREZA, ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DA LINGUAGEM O homem, a linguagem e o conhecimento ( 1-6) O processo da comunicação humana ( 7-11) Funções da

Leia mais

Lista 3 - Língua Portuguesa 1

Lista 3 - Língua Portuguesa 1 Lista 3 - Língua Portuguesa 1 Frase, oração e período; sujeito e predicado LISTA 3 - LP 1 - FRASE, ORAÇÃO E PERÍODO; SUJEITO E PREDICADO Frase, oração e período; sujeito e predicado Na fala ou na escrita,

Leia mais

CENTRO LUSOVENEZOLANO DE LOS VALLES DEL TUY Centro de Língua Portuguesa de Caracas INSTITUTO CAMÕES NOME:. TURMA:. [i] ilha ['iʎɐ]

CENTRO LUSOVENEZOLANO DE LOS VALLES DEL TUY Centro de Língua Portuguesa de Caracas INSTITUTO CAMÕES NOME:. TURMA:. [i] ilha ['iʎɐ] NOME:. TURMA:. Especificação: SÍMBOLOS UTILIZADOS NA TRANSCRIÇÃO FONÉTICA DO PE CONSOANTES [p] pato ['patu] [t] tecto ['tεtu] [k] casa ['kazɐ] [b] bola ['bɔlɐ] [d] dedo ['dedu] [g] gato ['gatu] [f] folha

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA FERNANDO NAMORA 2014/2015

ESCOLA SECUNDÁRIA FERNANDO NAMORA 2014/2015 Parte Introdutória ESCOLA SECUNDÁRIA FERNANDO NAMORA 2014/2015 Etapa: 3ª Etapa Unidade de Ensino:10ª UE Aula nº: 64-65,66 Professor: Bernardo Tavares Data: 13/04/2015 + 16/04/2015 Turma: 7 Nº previsto

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA PROFª.: THAÍS

LÍNGUA PORTUGUESA PROFª.: THAÍS LÍNGUA PORTUGUESA PROFª.: THAÍS AULA 8 O VERBO E SEUS COMPLEMENTOS pág. 57 A ORAÇÃO E SUA ESTRUTURA BÁSICA Sujeito = o ser sobre o qual se declara alguma coisa. Predicado = o que se declara sobre o sujeito.

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS CEGO DO MAIO PLANIFICAÇÃO ANUAL DISCIPLINA: Português Ano1 Ano letivo 2016/2017

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS CEGO DO MAIO PLANIFICAÇÃO ANUAL DISCIPLINA: Português Ano1 Ano letivo 2016/2017 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS CEGO DO MAIO PLANIFICAÇÃO ANUAL DISCIPLINA: Português Ano1 Ano letivo 2016/2017 Oralidade Unidade Didáctica Calendarização Conteúdos Programáticos 1º Período Compreensão do Oral

Leia mais

INFORMAÇÃO DA PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA (ADAPTADA) 2017

INFORMAÇÃO DA PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA (ADAPTADA) 2017 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS POETA ANTÓNIO ALEIXO INFORMAÇÃO DA PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA (ADAPTADA) 2017 Despacho normativo nº1-a/2017 de 10 de fevereiro DISCIPLINA: EDUCAÇÃO FÍSICA Ano de Escolaridade:

Leia mais

LIBRAS MÓDULO 2 A LINGUA DE SINAIS

LIBRAS MÓDULO 2 A LINGUA DE SINAIS LIBRAS MÓDULO 2 A LINGUA DE SINAIS Índice 1. Tabela de Movimentos dos Sinais...3 2. Língua de Sinais: Complexidade e Expressividade...3 2.1. Gramática da Língua de Sinais... 5 2.2. Fonologia da Língua

Leia mais

Sumarizando: o que é uma língua. Métodos para seu estudo...44

Sumarizando: o que é uma língua. Métodos para seu estudo...44 sumário APRESENTAÇÃO...13 1. O que se entende por língua Estudando a língua portuguesa...17 1.1 O Vocabulário: nascimento e morte das palavras. Consultando um dicionário...20 1.2 A Semântica: o sentido

Leia mais

Dicionário De Termos Gramaticais

Dicionário De Termos Gramaticais Dicionário De Termos Gramaticais Professor Leo Página 2 Este dicionário vai ajudar o candidato a entender melhor todos os assuntos gramaticais do português, além de auxiliá-lo na hora de estudar. Muitas

Leia mais

Plano de Ensino da Disciplina

Plano de Ensino da Disciplina Plano de Ensino da Disciplina Disciplina: Língua Brasileira de Sinais A Código da disciplina: FON045 Classificação: Obrigatória (OB) Unidade/Departamento: Faculdade de Medicina / Departamento de Fonoaudiologia

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Matemática FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado (x) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE: (x) Presencial ( ) PROEJA

Leia mais

Quadro I - Protocolo de Reabilitação Vestibular VertiGO!.

Quadro I - Protocolo de Reabilitação Vestibular VertiGO!. Quadro I - Protocolo de Reabilitação Vestibular VertiGO!. 1ª Etapa (Movimentos de olhos e cabeça, primeiro lentos, depois rápidos). Participante em pé sobre um colchonete, olhar para cima e para baixo.

Leia mais

A importância da Comunicação na Negociação

A importância da Comunicação na Negociação Nem sempre o que se pretende falar é o que de fato é falado. E pior, nem sempre o que é falado é o que de fato é entendido. Anônimo. A importância da Comunicação na Negociação - A habilidade de entender

Leia mais

Concurseiro. Espaço do. Português Prof. Joaquim Bispo. Sinta-se a vontade para estudar conosco. O seu espaço de preparação para concursos públicos

Concurseiro. Espaço do. Português Prof. Joaquim Bispo. Sinta-se a vontade para estudar conosco. O seu espaço de preparação para concursos públicos Espaço do Concurseiro Sinta-se a vontade para estudar conosco Português Prof. Joaquim Bispo O seu espaço de preparação para concursos públicos 1 Aulas Aula Conteúdo Página 1 Emprego das classes e palavras

Leia mais

A ANÁLISE LÍNGUA DE SINAIS NATURAL X LÍNGUA DE SINAIS COM LETRAS DO ALFABETO BRASILEIRO

A ANÁLISE LÍNGUA DE SINAIS NATURAL X LÍNGUA DE SINAIS COM LETRAS DO ALFABETO BRASILEIRO A ANÁLISE LÍNGUA DE SINAIS NATURAL X LÍNGUA DE SINAIS COM LETRAS DO ALFABETO BRASILEIRO EIXO: 1.1 Estudos e Pesquisas Linguísticas Adeilson da Silva Alves 1 Resumo Esta pesquisa propõe uma reflexão quanto

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Eugénio de Castro 1º Ciclo Ano letivo 2016/2017 Critérios de Avaliação Português 1º ciclo

Agrupamento de Escolas de Eugénio de Castro 1º Ciclo Ano letivo 2016/2017 Critérios de Avaliação Português 1º ciclo Agrupamento de Escolas de Eugénio de Castro 1º Ciclo Ano letivo 2016/2017 Critérios de Avaliação Português 1º ciclo Domínios Ponderação (80%) Operacionalização/Indicadores Instrumentos de avaliação Oralidade

Leia mais

Marcas de delimitação no discurso narrativo em Libras

Marcas de delimitação no discurso narrativo em Libras Revista Intercâmbio dos Congressos Internacionais de Humanidades, Brasília, n. 6, p. 1149-1162, Ano 2016. ISSN 1982-8640. Marcas de delimitação no discurso narrativo em Libras 1149 Noriko Lúcia Sabanai

Leia mais

Ficha de Apoio Ser um Aluno Exemplar. Disciplina de Formação Pessoal e Social (FPS)

Ficha de Apoio Ser um Aluno Exemplar. Disciplina de Formação Pessoal e Social (FPS) Ficha de Apoio Ser um Aluno Exemplar Disciplina de Formação Pessoal e Social (FPS) Professor Humberto Santos Ano-lectivo 2007/08 Escola Secundária de Achada Grande Praia/Cabo Verde Atitudes e comportamentos

Leia mais

ANÁLISE DA FAMÍLIA DOS HALOGÊNIOS DA TABELA PERIÓDICA PARA ALUNOS SURDOS USUÁRIOS DE LIBRAS

ANÁLISE DA FAMÍLIA DOS HALOGÊNIOS DA TABELA PERIÓDICA PARA ALUNOS SURDOS USUÁRIOS DE LIBRAS 735 ANÁLISE DA FAMÍLIA DOS HALOGÊNIOS DA TABELA PERIÓDICA PARA ALUNOS SURDOS USUÁRIOS DE LIBRAS Tatiane Militão, De Sá 1 Peres, Kelvin 2 Grozewicz, Lucas 3 Valério, Maria Luiza 4 RESUMO: No estudo das

Leia mais

7. O QUE ACONTECE NO MUNDO?

7. O QUE ACONTECE NO MUNDO? 7. O QUE ACONTECE NO MUNDO? 1. Complete as frases com o tempo presente dos verbos indicados entre parênteses. a) Ele à televisão para passar o tempo. (assistir) b) Minha mãe bolo para eu e meus irmãos

Leia mais

Disciplina 1º Período 2º Período 3º Período

Disciplina 1º Período 2º Período 3º Período Disciplina 1º Período 2º Período 3º Período Português ORALIDADE Compreensão do oral - Informação essencial e acessória; - Tema e assunto; - Reconto; Expressão oral - Vocabulário: campo semântico, campo

Leia mais

3. SENTADO SEM SUPORTE PARA AS COSTAS MAS COM OS PÉS APOIADOS SOBRE O CHÃO OU SOBRE UM BANCO

3. SENTADO SEM SUPORTE PARA AS COSTAS MAS COM OS PÉS APOIADOS SOBRE O CHÃO OU SOBRE UM BANCO Escala de Equilíbrio de Berg 1.SENTADO PARA EM PÉ INSTRUÇÕES: Por favor, fique de pé. Tente não usar suas mãos como suporte. ( ) 4 capaz de permanecer em pé sem o auxílio das mãos e estabilizar de maneira

Leia mais

Fonêmica. CRISTÓFARO SILVA, Thaïs. Fonética e fonologia do português: roteiro de estudos e guia de exercícios. 9. ed. São Paulo: Contexto, 2009.

Fonêmica. CRISTÓFARO SILVA, Thaïs. Fonética e fonologia do português: roteiro de estudos e guia de exercícios. 9. ed. São Paulo: Contexto, 2009. Fonêmica CRISTÓFARO SILVA, Thaïs. Fonética e fonologia do português: roteiro de estudos e guia de exercícios. 9. ed. São Paulo: Contexto, 2009. Prof. Cecília Toledo cissa.valle@hotmail. com 1) Sali 2)

Leia mais

DATA: 06/09/2016 TURMA: 6º ANO A TURNO: MATUTINO. Horário Disciplina Conteúdo Tarefa 2 PORTUGUÊS FONÉTICA E FONOLOGIA SEM DESCRIÇÃO

DATA: 06/09/2016 TURMA: 6º ANO A TURNO: MATUTINO. Horário Disciplina Conteúdo Tarefa 2 PORTUGUÊS FONÉTICA E FONOLOGIA SEM DESCRIÇÃO DATA: 06/09/2016 TURMA: 6º ANO A 1 CIÊNCIAS ATMOSFERA: COMPOSIÇÃO DOS SERES. PESQUISAR: ALGAS SUA IMPORTÂNCIA PARA O PLANETA. 2 PORTUGUÊS FONÉTICA E FONOLOGIA 4 MATEMÁTICA NÚMEROS DECIMAIS TRABALHO AVALIATIVO

Leia mais

CURRÍCULOS 2015/2016

CURRÍCULOS 2015/2016 CURRÍCULOS 2015/2016 Ensino Regular Departamento: 1º Ciclo Disciplina: Português Ano de Escolaridade: 1º ano Campo semântico e campo lexical Instruções; indicações; Informação essencial e acessória; Tema

Leia mais

Capítulo1. Capítulo2. Índice A LÍNGUA E A LINGUAGEM O PORTUGUÊS: uma língua, muitas variedades... 15

Capítulo1. Capítulo2. Índice A LÍNGUA E A LINGUAGEM O PORTUGUÊS: uma língua, muitas variedades... 15 Capítulo1 Capítulo2 A LÍNGUA E A LINGUAGEM............................................. 9 Linguagem: aptidão inata.............................................. 10 Funções.............................................................

Leia mais

Ano lectivo 2010 / 2011 Conteúdos programáticos essenciais Departamento do 1.º ciclo

Ano lectivo 2010 / 2011 Conteúdos programáticos essenciais Departamento do 1.º ciclo Ano de escolaridade: 1ºAno Língua Portuguesa Diálogos Jogos de identificação (palavra/imagem) Completar frases e palavras Escrita e leitura de vogais e consoantes Ditongos orais e nasais Memorização de

Leia mais

Diferentes abordagens de alfabetização

Diferentes abordagens de alfabetização ALFABETIZAÇÃO Diferentes abordagens de alfabetização MODELO 1 (MÉTODO FONÉTICO OU DIRETO) Identificar oralmente os fonemas da língua (sons). Corresponder o fonema ao grafema: mostrar a letra e a pronuncia

Leia mais

Professor Marlos Pires Gonçalves

Professor Marlos Pires Gonçalves ADVÉRBIO Ele bebeu muito. Adv. Intensidade Na frase acima o advérbio muito está intensificando o sentido do verbo BEBER. A banda chegou hoje. tempo. Nessa outra frase o advérbio hoje acrescenta ao verbo

Leia mais