ENSINAR SOBRE GUARULHOS.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ENSINAR SOBRE GUARULHOS."

Transcrição

1 ENSINAR SOBRE GUARULHOS. O ensino no Brasil começou a tomar rumos diferentes, com a criação da lei nº 9.394/96, Lei de Diretrizes e Bases da E- ducação, criou-se um mecanismo para tentar quebrar esses paradigmas da história. No artigo 26 da LDB, lei nº 9.394/96, diz que o currículo escolar deve ser diversificado de acordo com sua região, obedecendo a suas características regionais e locais da sociedade e assim abrindo espaço e importância para a chamada História Local suas conexões com Geografia e educação ambiental. Uma história que parte da realidade particulares dos docentes. Com a história local, os sujeitos que sempre foram excluídos da história apareceram, pois na história local esses sujeitos passam a ser valorizados pelas suas experiências sociais, é a chamada História vivida no cotidiano. Nesse contexto abordar a história e Geografia local é valorizar pessoas comuns e contextualiza-la com a história nacional e global,localiza-las em seus espaços Geográfico afim de se apropriar e protagonizar seus lugares do cotidiano, para que não se tenha uma história limitada e fragmentada sem sentido, pois conhecer seu meio social, suas anuências e diversos aspectos, também é uma forma de criar identidade local, cultural,empatia, critica reflexiva, localização espacial, lúdica e cognitiva e entre outras entender que a sociedade e o homem estão sempre em transformações. A LDB passa a servir também de Base para a Criação da Base Nacional Comum Curricular, previsto no Plano Nacional de Educação,aprovado em 26 de junho de 2014 e terá validade de 10 anos. Esse plano estabelece diretrizes, metas e estratégias que devem reger as iniciativas na área da educação, na qual inclui em alguns pontos a necessidade da contextualização local em algumas áreas de conhecimento, de forma transversal, interdisciplinar ou

2 Guarulhos Década de 20 PORTAL MAROMOMI O Portal nasce do projeto atualidades, desenvolvido voluntariamente há dois anos na Biblioteca Monteiro Lobato. Juntamente com o Grupo de Pesquisas sobre Didática em História local. Nesse sentido o intuito foi criar um repositório de pesquisas, artigos, textos e informações referentes a cidade de Guarulhos.De uma forma didática, para consulta de professores, estudantes e interessados em geral afim de fomenta, explorar e utilizar em sala o conhecimento sobre História, Geografia e meio ambiente local. RÁDIO MAROMOMI A web rádio maromomi nasce do portalmaromomi.com.br, com o intuito de trazer informação, cultura, música e muito mais sobre Guarulhos. Trazendo a premissa de fomenta a inidentidade local Guarulhense e por esse motivo o nome Maromomi, fazendo referência aos primeiros habitantes indígenas da Cidade de Guarulhos.Nesse sentido nossa programação procura falar da cidade e para a cidade, abrindo espaço para novos artistas, e- ventos,curiosidades e muito mais sobre Guarulhos. A rádio maromomi não é uma rádio comercial contudo busca colaboração para a sua manutenção. Desenvolvido com colaboração e voluntariamente, convidamos a todos a navegar, aprender, compartilhar e enfim aprender e dividir conosco esse aprendizado. Portalmaromomi.com.br

3 #PROPOSTAS E PARCERIA O Portal Maromomi é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutenção e programação. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades. Nesse contexto o Portal Maromomi traz para instituições Educacionais de Guarulhos a proposta de parceria. Anúncio mensal em forma de Banner 325 x 250 px, Banner 700 x 200 px, Matérias sobre a instituição no portal e vinheta narrada na Rádio Maromomi R$ 250,00 reais mensais #FECHANDO O ANÚNCIO : A ESCOLA GANHA TAMBÉM UMA PALESTRA MENSAL EXTRA- CURRICULAR SOBRE A HISTÓRIA, GEOGRAFIA, MEIO-AMBIENTE DE GUARULHOS, OU UMA PALESTRA DO PROJETO ATUALIDADES SOBRE TEMAS ATUAIS COM FOCO NO EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO (ENEM) CONFORME O PROJETO REALIZADO MENSAL- MENTE NA BIBLIOTECA MONTEIRO LOBATO Professores Lionel Fontanesi Professor de Geografia da rede publica e privada de São Paulo Professor - Pesquisador do Observatório de remuneração docente da Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP Cristovan Ribeiro Professor de Geografia da rede privada de São Paulo Graduando em Geografia pelo Instituto Federal de São Paulo - IFSP Pesquisador na área de Educação e Geografia Ivan Canoletto Rodrigues Professor de historia da rede publica de São Paulo Mestre em Historia social - PUCSP

4 #SAIBA MAIS :

5 #RELATÓRIO DE VISITAS NOVEMBRO 2016 : CONTATO : Portalmaromomi.com.br Facebook.com/portalmaromomi

A LEI /03 E UMA PROPOSTA DE IMPLEMENTAÇÃO ATRAVÉS DA LITERATURA

A LEI /03 E UMA PROPOSTA DE IMPLEMENTAÇÃO ATRAVÉS DA LITERATURA A LEI 10.639/03 E UMA PROPOSTA DE IMPLEMENTAÇÃO ATRAVÉS DA LITERATURA Gisele Ferreira da Silva 1 - INTRODUÇÃO Diante da complexidade de nossa história e sociedade, medidas e políticas afirmativas tornaram-se

Leia mais

Descrição do Programa de Pós-Graduação em Gestão de Políticas Públicas

Descrição do Programa de Pós-Graduação em Gestão de Políticas Públicas Descrição do Programa de Pós-Graduação em Gestão de Políticas Públicas O Programa de Pós-Graduação em Gestão de Políticas Públicas tem caráter multidisciplinar, integrando em suas disciplinas diversos

Leia mais

Artigo Científico: Universidade, EAD e Software Livre

Artigo Científico: Universidade, EAD e Software Livre Universidade Federal de Minas Gerais- UFMG Curso de Graduação em Aquacultura Artigo Científico: Universidade, EAD e Software Livre Elaborado por: Caroline Maria da Silva Belo Horizonte, 17 de Outubro de

Leia mais

A MAGIA DAS LETRAS E.E. PROFº TEOTÔNIO ALVES PEREIRA Sala 01 / Sessão 1

A MAGIA DAS LETRAS E.E. PROFº TEOTÔNIO ALVES PEREIRA Sala 01 / Sessão 1 A MAGIA DAS LETRAS E.E. PROFº TEOTÔNIO ALVES PEREIRA Sala 01 / Sessão 1 Professor(es) Apresentador(es): Marcos Vinicius de Andrade Steidle Márika Utiike Realização: Foco O DESAFIO DO TRABALHO INTERDISCIPLINAR:

Leia mais

CONEXÕES E REGULARIDADES NO ENSINO DA MATEMÁTICA. Rudinei José Miola

CONEXÕES E REGULARIDADES NO ENSINO DA MATEMÁTICA. Rudinei José Miola CONEXÕES E REGULARIDADES NO ENSINO DA MATEMÁTICA Rudinei José Miola rmiola@positivo.com.br PARA INÍCIO DE CONVERSA ATIVIDADE MATEMÁTICA Por atividade matemática deve entender-se uma mescla entre tarefa,

Leia mais

CURRÍCULO ESCOLAR VMSIMULADOS

CURRÍCULO ESCOLAR VMSIMULADOS CURRÍCULO ESCOLAR 01. Segundo a LDB (Lei no 9394/96), os currículos do ensino fundamental e médio devem ter uma base nacional comum, a ser complementada, em cada sistema de ensino e estabelecimento escolar,

Leia mais

PLANO DE COORDENAÇÃO DE ÁREA 2014

PLANO DE COORDENAÇÃO DE ÁREA 2014 PLANO DE COORDENAÇÃO DE ÁREA 2014 Área/Habilitação: Enfermagem/ Agente Comunitário de Saúde/ Ensino Técnico Nº de HAE: 12 ETEC: Prof. Mário Antônio Verza Código: 164 Município: Palmital/SP Nome do Coordenador(a):

Leia mais

Institucional. Nossa História

Institucional. Nossa História Institucional Nossa história Proposta Pedagógica Horário Nosso Espaço Fotos Localização Manual do aluno Calendário Anual Lista de material Informação de renovação de matrícula para 2014 Circulares Eventos

Leia mais

Segue o texto do Dr. Mário Sérgio Vasconcelos para o I Encontro Temático de Marília. Seguir o padrão dos textos anteriores.

Segue o texto do Dr. Mário Sérgio Vasconcelos para o I Encontro Temático de Marília. Seguir o padrão dos textos anteriores. Aprender a Fazer Produções Educacionais Curitiba, maio de 2007-05-23 Segue o texto do Dr. Mário Sérgio Vasconcelos para o I Encontro Temático de Marília. Seguir o padrão dos textos anteriores. Professor

Leia mais

Público Alvo: Investimento: Disciplinas:

Público Alvo: Investimento: Disciplinas: A Universidade Católica Dom Bosco - UCDB com mais de 50 anos de existência, é uma referência em educação salesiana no país, sendo reconhecida como a melhor universidade particular do Centro-Oeste (IGC/MEC).

Leia mais

O que é O Líder em Mim?

O que é O Líder em Mim? O que é O Líder em Mim? Agenda Entender o que é o programa O Líder em Mim: quais seus objetivos e quais suas principais práticas Entender como este programa deve ser implantado: qual o passo a passo, qual

Leia mais

DESAFIOS DA EDUCAÇÃO NO BRASIL

DESAFIOS DA EDUCAÇÃO NO BRASIL DESAFIOS DA EDUCAÇÃO NO BRASIL EDUCAÇÃO, UM TESOURO A DESCOBRIR Jacques Delors e outros para a UNESCO 4 PILARES DA EDUCAÇÃO Aprender a conhecer Aprender a fazer Aprender a viver com os outros Aprender

Leia mais

Líderes em Gestão Escolar 2º seminário Currículo, padrões educacionais e legislação. Guiomar Namo de Mello 06 de outubro de 2009

Líderes em Gestão Escolar 2º seminário Currículo, padrões educacionais e legislação. Guiomar Namo de Mello 06 de outubro de 2009 Líderes em Gestão Escolar 2º seminário Currículo, padrões educacionais e legislação Guiomar Namo de Mello 06 de outubro de 2009 CURRÍCULO: O ALINHAMENTO NECESSÁRIO 1 A educação escolar básica como política

Leia mais

Palavras-chave: Competências; habilidades; resolução de problemas.

Palavras-chave: Competências; habilidades; resolução de problemas. AVALIAÇÃO POR COMPETÊNCIA: TEORIA E PRÁTICA NO CONTEXTO DA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS Camilla da Rosa Leandro (Bolsista PUIC) 1 Diva Marília Flemming (Profa. Orientadora) 2 INTRODUÇÃO Na Educação é frequente,

Leia mais

AULA 1. Rodrigo Machado Merli Diretor Escolar da PMSP Pedagogo Didática de Ensino Superior PUC/SP Estudante de Direito

AULA 1. Rodrigo Machado Merli Diretor Escolar da PMSP Pedagogo Didática de Ensino Superior PUC/SP Estudante de Direito AULA 1 Rodrigo Machado Merli Diretor Escolar da PMSP Pedagogo Didática de Ensino Superior PUC/SP Estudante de Direito 1 MANTOAN, Mª Teresa Egler. Inclusão Escolar O que é? Por quê? Como fazer? 1ª ed. São

Leia mais

PALESTRANTE

PALESTRANTE PALESTRANTE Conexão Animal & Sucesso Pessoal Contrate o Palestrante que trará melhor RESULTADO para seu próximo evento! SOBRE O PALESTRANTE: Adriano Simões é médico veterinário e palestrante comportamental

Leia mais

A construção da Base. Setembro. Abril de Maio de I n í c i o. elaboração. Versão 2: 9 mil Educadores. Versão 3: MEC entrega a Base ao CNE

A construção da Base. Setembro. Abril de Maio de I n í c i o. elaboração. Versão 2: 9 mil Educadores. Versão 3: MEC entrega a Base ao CNE A construção da Base 2014 Setembro de 2015 Maio de 2016 Abril de 2017 I n í c i o elaboração Versão 1: 12 milhões contribuições Versão 2: 9 mil Educadores Versão 3: MEC entrega a Base ao CNE A Base Define

Leia mais

USO DE INFOGRÁFICOS COMO MECANISMO DE MELHORAMENTO DO APRENDIZADO

USO DE INFOGRÁFICOS COMO MECANISMO DE MELHORAMENTO DO APRENDIZADO USO DE INFOGRÁFICOS COMO MECANISMO DE MELHORAMENTO DO APRENDIZADO RIBEIRO, Wanessa Cristina Parreira 1 ; MEDEIROS, Pryscilla Romão de 2 ; GOULART, Reane Franco 3 RESUMO: Este documento tem a finalidade

Leia mais

Projeto Político Pedagógico

Projeto Político Pedagógico Projeto Político Pedagógico UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA Disciplina: (EDC284) Didática Professora: Amaleide Lima Ivanilda Gonçalves da Silva Joice Assis de Souza Mércia Samyra Nascimento Ramon Castro

Leia mais

PALESTRANTE

PALESTRANTE PALESTRANTE Conexão Animal & Sucesso Pessoal Contrate o Palestrante que trará melhor RESULTADO para seu próximo evento! SOBRE O PALESTRANTE: Adriano Simões é médico veterinário e palestrante comportamental

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO EM BIOMEDICINA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES

CURSO DE GRADUAÇÃO EM BIOMEDICINA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES CURSO DE GRADUAÇÃO EM BIOMEDICINA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES 1 1. PERFIL DO FORMANDO EGRESSO/PROFISSIONAL Biomédico, com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva. Profissional da área

Leia mais

Profa. Dra. Maria Inês Fini

Profa. Dra. Maria Inês Fini Profa. Dra. Maria Inês Fini 1 Um dos maiores desafios a serem enfrentados pelas escolas de educação básica na última década é o estabelecimento de uma política para a educação básica formal no Brasil para

Leia mais

RESOLUÇÃO. Parágrafo único. O novo currículo será o 0006-LS e entrará em vigor no 1º semestre letivo de 2018.

RESOLUÇÃO. Parágrafo único. O novo currículo será o 0006-LS e entrará em vigor no 1º semestre letivo de 2018. RESOLUÇÃO CONSEPE 30/2017 ALTERA MATRIZ CURRICULAR, BEM COMO, EMENTAS E OBJETIVOS DO CURSO DE PÓS- GRADUAÇÃO LATO SENSU EM PSICOPEDAGOGIA: CLÍNICA E INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO USF E APROVA

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Secretaria da Educação SECRETARIA DA DA EDUCAÇÃO Contextualização EDUCAÇÃO COMPROMISSO DE SÃO PAULO Programa Educação - Compromisso de São Paulo Institui 5 pilares para a

Leia mais

Palavras-chave: Mapa Conceitual, Currículo, Gastronomia

Palavras-chave: Mapa Conceitual, Currículo, Gastronomia O CURRÍCULO DE GASTRONOMIA E SEU MAPA CONCEITUAL: A ABORDAGEM INTERDISCIPLINAR DA CIÊNCIA E DA TECNOLOGIA PRESENTES NA FORMAÇÃO DO GASTRÔNOMO. G1 Currículo e formação de professores Rosana Fernandez Medina

Leia mais

Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional 9.394/96

Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional 9.394/96 Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional 9.394/96 Tramitação 1988 Promulgação da Constituição Federal 1988 a 1991 Início de discussão do projeto Jorge Hage na Câmara 1992 Darcy Ribeiro, apoiado por

Leia mais

O que um professor de química precisa saber e saber fazer

O que um professor de química precisa saber e saber fazer O que um professor de química precisa saber e saber fazer Contribuições de estudos Visões de ensino como uma técnica, basta combinar, de modo eficaz, os meios e os fins. componentes afetivos processo de

Leia mais

Resolução CEB nº 3, de 26 de junho de Apresentado por: Luciane Pinto, Paulo Henrique Silva e Vanessa Ferreira Backes.

Resolução CEB nº 3, de 26 de junho de Apresentado por: Luciane Pinto, Paulo Henrique Silva e Vanessa Ferreira Backes. Resolução CEB nº 3, de 26 de junho de 1998 Apresentado por: Luciane Pinto, Paulo Henrique Silva e Vanessa Ferreira Backes. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. O Presidente

Leia mais

Universidade de São Paulo Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto Enf. Psiquiátrica e Ciências Humanas. Profa. Karina de M. Conte

Universidade de São Paulo Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto Enf. Psiquiátrica e Ciências Humanas. Profa. Karina de M. Conte Universidade de São Paulo Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto Enf. Psiquiátrica e Ciências Humanas Profa. Karina de M. Conte 2017 DIDÁTICA II Favorecer a compreensão do processo de elaboração, gestão,

Leia mais

PLANO TIC E D U C A Ç Ã O P RÉ- E S C O L A R E 1 º C I C L O

PLANO TIC E D U C A Ç Ã O P RÉ- E S C O L A R E 1 º C I C L O PLANO TIC E D U C A Ç Ã O P RÉ- E S C O L A R E 1 º C I C L O D O E N S I N O B Á S I C O 2014-2015 O Coordenador TIC Isabel Maria Jesus Campos Escola do Santo Condestável IDENTIFICAÇÃO Identificação da

Leia mais

Educação de Jovens e Adultos no Brasil

Educação de Jovens e Adultos no Brasil Educação de Jovens e Adultos no Brasil Objetivo Surgimento do EJA; como funciona; o que trouxe de melhorias; Entrevistas: professor e aluno; como é o convívio; relação entre ambos; aprendizado do aluno;

Leia mais

Projeto Educação na Interdisciplinaridade. Sustentabilidade na Escola. Oficina de Garagem

Projeto Educação na Interdisciplinaridade. Sustentabilidade na Escola. Oficina de Garagem Projeto Educação na Interdisciplinaridade Sustentabilidade na Escola Oficina de Garagem São Paulo 2016 Educação não transforma o mundo. Educação muda as pessoas. Pessoas mudam o mundo Paulo Freire Apresentação

Leia mais

BUSCAR

BUSCAR www.openpoint.tur.br A Open Point A Open Point está sediada no Estado do Ceará, atuando com uma ampla rede de serviços turísticos, transporte, hotelaria e eventos especializados para o mercado corporativo,

Leia mais

Tecnologia Educacional Eficaz. Prof. David Prata Setembro de 2016

Tecnologia Educacional Eficaz. Prof. David Prata Setembro de 2016 Tecnologia Educacional Eficaz Prof. David Prata Setembro de 2016 Por onde começar? Visão Pedagógica Quais são suas metas de aprendizagem para seus alunos? O que é que você quer que eles sejam capazes de

Leia mais

A CONTEXTUALIZAÇÃO COMO AGENTE FACILITADOR NO PROCESSO ENSINO E APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA

A CONTEXTUALIZAÇÃO COMO AGENTE FACILITADOR NO PROCESSO ENSINO E APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA 27 a 30 de Agosto de 2014 A CONTEXTUALIZAÇÃO COMO AGENTE FACILITADOR NO PROCESSO ENSINO E APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA BARROSO, Poliana Polinabarroso@saocamilo-es.br BICALHO, Alessandro Erick alessandrobicalho@saocamilo-es.br

Leia mais

PCN - PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS

PCN - PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS PCN - PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS 01. Os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN) são referências para o ensino fundamental e médio de todo Brasil, tendo como objetivo: (A) Garantir, preferencialmente,

Leia mais

Modelo Curricular High/Scope

Modelo Curricular High/Scope Modelo Curricular High/Scope Origem e Evolução Década de 60: David Weikart inicia Perry Preschool Project Combate ao Insucesso Escolar Intervenção precoce Escolha do modelo curricular Investigação Década

Leia mais

LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO COMO FERRAMENTA PARA O CONHECIMENTO COMPUTACIONAL NAS ESCOLAS PÚBLICAS DE RIACHÃO PB

LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO COMO FERRAMENTA PARA O CONHECIMENTO COMPUTACIONAL NAS ESCOLAS PÚBLICAS DE RIACHÃO PB LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO COMO FERRAMENTA PARA O CONHECIMENTO COMPUTACIONAL NAS ESCOLAS PÚBLICAS DE RIACHÃO PB Autor Ginaldo Ribeiro da Silva Graduando de Lic. Computação e Informática IFPB Campus Cajazeiras/PB

Leia mais

PIBID - RECURSOS DE ATIVIDADES LÚDICAS PARA ENSINAR APRENDER HISTÓRIA

PIBID - RECURSOS DE ATIVIDADES LÚDICAS PARA ENSINAR APRENDER HISTÓRIA PIBID - RECURSOS DE ATIVIDADES LÚDICAS PARA ENSINAR APRENDER HISTÓRIA Paulo Célio Soares 1 Luciano Alves Pereira, Flaviane Rezende De Almeida, Daniele Ouverney Francisco 2 Resumo Este artigo tem como objetivo

Leia mais

GUIA DE ORIENTAÇÃO AO PROFESSOR

GUIA DE ORIENTAÇÃO AO PROFESSOR TELEVISANDO GUIA DE ORIENTAÇÃO AO PROFESSOR O PROJETO O Televisando é um projeto de Comunicação e Educação que coloca a força da televisão a serviço da comunidade escolar. Seu objetivo é promover reflexão

Leia mais

A TECNOLOGIA NA ÁREA DE GEOGRAFIA

A TECNOLOGIA NA ÁREA DE GEOGRAFIA Centro Universitário Leonardo Da Vinci NEAD Núcleo de Ensino a Distância Everton Leite A TECNOLOGIA NA ÁREA DE GEOGRAFIA BLUMENAU 2009 EVERTON LEITE A TECNOLOGIA NA ÁREA DE GEOGRAFIA Projeto apresentado

Leia mais

EQUIPE. Pesquisadoras Sofia Lerche Vieira Eloísa Maia Vidal. Colaboração Iasmin da Costa Marinho Pamela Felix Freitas

EQUIPE. Pesquisadoras Sofia Lerche Vieira Eloísa Maia Vidal. Colaboração Iasmin da Costa Marinho Pamela Felix Freitas EQUIPE Pesquisadoras Sofia Lerche Vieira Eloísa Maia Vidal Colaboração Iasmin da Costa Marinho Pamela Felix Freitas Estudos & Pesquisas Fundação Victor Civita (FVC) 2007-2012 18 estudos Formatos: relatório,

Leia mais

PEB II - ARTES PROFESSOR EM EDUCAÇÃO BÁSICA II DE ARTES

PEB II - ARTES PROFESSOR EM EDUCAÇÃO BÁSICA II DE ARTES PEB II - ARTES PROFESSOR EM EDUCAÇÃO BÁSICA II DE ARTES 01. A arte na contemporaneidade (e seu ensino) busca ser conectada à cultura e sua diversidade. Nesse sentido, para uma educação multicultural, é

Leia mais

FICHA IV - ESPECÍFICA POR SUBPROJETO. Ensino-aprendizagem

FICHA IV - ESPECÍFICA POR SUBPROJETO. Ensino-aprendizagem FICHA IV - ESPECÍFICA POR SUBPROJETO Ensino-aprendizagem 1. Quais os materiais didáticos na área do(s) subprojeto(s) existentes na escola? Recursos didáticos, materiais diferenciados e/ou alternativos.

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2º TRIMESTRE

PLANO DE ENSINO 2º TRIMESTRE Componente Curricular: GEOGRAFIA Professor: AYANNE, ANDREIA, CLEYDI, FRANCISCA, JULIANY, MARIA DO CARMO, MARIA EVILÂNIA Segmento: ENS. FUND. I Ano/Série: 4º ANO Apresentação da disciplina A educação em

Leia mais

NOTA TÉCNICA No 001/2014

NOTA TÉCNICA No 001/2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO ACADÊMICA NOTA TÉCNICA No 001/2014 Assunto: Recuperação Contínua e Recuperação Paralela

Leia mais

PARECER Nº, DE Relatora: Senadora LÍDICE DA MATA

PARECER Nº, DE Relatora: Senadora LÍDICE DA MATA PARECER Nº, DE 2016 Da COMISSÃO DE EDUCAÇÃO, CULTURA E ESPORTE, em decisão terminativa, sobre o Projeto de Lei do Senado nº 772, de 2015, do Senador José Agripino, que altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro

Leia mais

BIBLIOTECAS ESCOLARES

BIBLIOTECAS ESCOLARES PLANO DE AÇÃO BIBLIOTECAS ESCOLARES Agrupamento de Escolas da Moita 1 As Bibliotecas Escolares assumem, para além das funções informativa, educativa, cultural e recreativa, o papel de adjuvante do aluno,

Leia mais

A LENTE FOTOGRÁFICA COMO INSTRUMENTO PARA ENSINAR CIÊNCIAS: A PARTIR DO ESTUDANTE DA ESCOLA MUNICIPAL SÃO PEDRO PARINTINS/AM. Resultado de Pesquisa

A LENTE FOTOGRÁFICA COMO INSTRUMENTO PARA ENSINAR CIÊNCIAS: A PARTIR DO ESTUDANTE DA ESCOLA MUNICIPAL SÃO PEDRO PARINTINS/AM. Resultado de Pesquisa A LENTE FOTOGRÁFICA COMO INSTRUMENTO PARA ENSINAR CIÊNCIAS: A PARTIR DO ESTUDANTE DA ESCOLA MUNICIPAL SÃO PEDRO PARINTINS/AM Resultado de Pesquisa Denis de Oliveira Silva Luciene de Souza Coelho José Camilo

Leia mais

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão AULA 1 BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão PROFESSORA: MARIA CRISTINA 1 PROFESSORA: MARIA CRISTINA PEDAGOGA

Leia mais

O PAPEL DA MONITORIA EM CARTOGRAFIA NA FORMAÇÃO DISCENTE

O PAPEL DA MONITORIA EM CARTOGRAFIA NA FORMAÇÃO DISCENTE O PAPEL DA MONITORIA EM CARTOGRAFIA NA FORMAÇÃO DISCENTE Emanuel Henrique Rulim Pereira 1, Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), ehenricky@gmail.com Orientadora: Profa. Dra. Alexsandra Bezerra

Leia mais

HISTORIA DO DESIGN III

HISTORIA DO DESIGN III Blucher Design Proceedings Agosto de 2014, Número 3, Volume 1 HISTORIA DO DESIGN III Nelson Rodrigues da Silva - nelson.rodrigues@belasartes.br Centro Universitário Belas Artes de São Paulo - Bacharelado

Leia mais

Maria Helena Guimarães de Castro Outubro Política Nacional de Formação de Professores

Maria Helena Guimarães de Castro Outubro Política Nacional de Formação de Professores Maria Helena Guimarães de Castro Outubro 2017 Política Nacional de Formação de Professores PREMISSAS A QUALIDADE DAS APRENDIZAGENS DEPENDE DA QUALIDADE DO TRABALHO DO PROFESSOR Evidências mostram que,

Leia mais

Projeto Wi-Fi para alunos da Escola Padre Afonso Braz

Projeto Wi-Fi para alunos da Escola Padre Afonso Braz Projeto Wi-Fi para alunos da Escola Padre Afonso Braz 1- Apresentação Em fevereiro de 2016 o Secretário de Estado da Educação Haroldo Rocha anunciou o lançamento do programa Sedu Digit@l, que entre as

Leia mais

A utilização do IDEB na gestão e na avaliação de programas e projetos no 3º setor. Patrícia Diaz Carolina Glycerio

A utilização do IDEB na gestão e na avaliação de programas e projetos no 3º setor. Patrícia Diaz Carolina Glycerio A utilização do IDEB na gestão e na avaliação de programas e projetos no 3º setor Patrícia Diaz Carolina Glycerio Quem somos A Comunidade Educativa CEDAC possibilita que profissionais da educação pratiquem

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO EM FISIOTERAPIA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES

CURSO DE GRADUAÇÃO EM FISIOTERAPIA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES CURSO DE GRADUAÇÃO EM FISIOTERAPIA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES 1 1. PERFIL DO FORMANDO EGRESSO/PROFISSIONAL Fisioterapeuta, com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva, capacitado

Leia mais

Contribuições da tecnologia para a formação de profissionais

Contribuições da tecnologia para a formação de profissionais Contribuições da tecnologia para a formação de profissionais M E S T R A D O P R O F I S S I O N A L E M C I Ê N C I A, T E C N O L O G I A E G E S T Ã O A P L I C A D A S À R E G E N E R A Ç Ã O T E C

Leia mais

A cartografia na proposta curricular oficial do Estado do Rio de Janeiro

A cartografia na proposta curricular oficial do Estado do Rio de Janeiro A cartografia na proposta curricular oficial do Estado do Rio de Janeiro Miguel Filipe da Costa Silva Universidade Federal do Rio de Janeiro Bolsista PIBID/CAPES mgf.renascer@gmail.com INTRODUÇÃO A Secretaria

Leia mais

O processo de ensino e aprendizagem em Ciências no Ensino Fundamental. Aula 2

O processo de ensino e aprendizagem em Ciências no Ensino Fundamental. Aula 2 O processo de ensino e aprendizagem em Ciências no Ensino Fundamental Aula 2 Objetivos da aula Conhecer os a pluralidade de interpretações sobre os processos de ensino aprendizagem em Ciências; Discutir

Leia mais

ATIVIDADES ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS (AACC) EM FISIOTERAPIA

ATIVIDADES ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS (AACC) EM FISIOTERAPIA ATIVIDADES ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS (AACC) EM FISIOTERAPIA As AACC são componentes curriculares obrigatórios propostos para complementar a formação do aluno e futuro profissional. Conforme a legislação

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA UTILIZAÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICOS DE LÍNGUA INGLESA NA MOTIVAÇÃO DE ESTUDANTES DO SEXTO E SÉTIMO ANOS DO ENSINO FUNDAMENTAL EM COARI

A INFLUÊNCIA DA UTILIZAÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICOS DE LÍNGUA INGLESA NA MOTIVAÇÃO DE ESTUDANTES DO SEXTO E SÉTIMO ANOS DO ENSINO FUNDAMENTAL EM COARI A INFLUÊNCIA DA UTILIZAÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICOS DE LÍNGUA INGLESA NA MOTIVAÇÃO DE ESTUDANTES DO SEXTO E SÉTIMO ANOS DO ENSINO FUNDAMENTAL EM COARI Mayra Alvarenga da Silva 1 Daniel de Sá Rodrigues 2

Leia mais

Entidade sem fins lucrativos, a OSCIP criada em 2002, realiza pesquisas, oficinas culturais, parcerias com escolas públicas e velhas guardas,

Entidade sem fins lucrativos, a OSCIP criada em 2002, realiza pesquisas, oficinas culturais, parcerias com escolas públicas e velhas guardas, Entidade sem fins lucrativos, a OSCIP criada em 2002, realiza pesquisas, oficinas culturais, parcerias com escolas públicas e velhas guardas, encontros de incentivo à criação de samba, produção de CDs

Leia mais

- estabelecer um ambiente de relações interpessoais que possibilitem e potencializem

- estabelecer um ambiente de relações interpessoais que possibilitem e potencializem O desenvolvimento social e cognitivo do estudante pressupõe que ele tenha condições, contando com o apoio dos educadores, de criar uma cultura inovadora no colégio, a qual promova o desenvolvimento pessoal

Leia mais

LDB Lei de Diretrizes e Bases

LDB Lei de Diretrizes e Bases PEDAGOGIA LDB Lei de Diretrizes e Bases Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional O pedagogo estuda as teorias da ciência da educação e do ensino É

Leia mais

CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CRÉDITO: 04 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 NOME DA DISCIPLINA: FUNDAMENTOS TEÓRICO-METODOLÓGICOS DA HISTÓRIA

CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CRÉDITO: 04 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 NOME DA DISCIPLINA: FUNDAMENTOS TEÓRICO-METODOLÓGICOS DA HISTÓRIA 1. IDENTIFICAÇÃO PERÍODO: 4º CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CRÉDITO: 04 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 NOME DA DISCIPLINA: FUNDAMENTOS TEÓRICO-METODOLÓGICOS DA HISTÓRIA NOME DO CURSO: PEDAGOGIA 2. EMENTA História:

Leia mais

Didática e Formação de Professores: provocações. Bernardete A. Gatti Fundação Carlos Chagas

Didática e Formação de Professores: provocações. Bernardete A. Gatti Fundação Carlos Chagas Didática e Formação de Professores: provocações Bernardete A. Gatti Fundação Carlos Chagas Vivemos tensões nas propostas e concretizações da formação inicial de professores, com padrões culturais formativos

Leia mais

Cidadania e Educação das Relações étnico-raciais.

Cidadania e Educação das Relações étnico-raciais. Cidadania e Educação das Relações étnico-raciais. Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI N o 10.639, DE 9 DE JANEIRO DE 2003. Mensagem de veto Altera a Lei n o 9.394,

Leia mais

PROJETO DE OFICINA PEDAGÓGICA

PROJETO DE OFICINA PEDAGÓGICA PROJETO DE OFICINA PEDAGÓGICA Dhiogo Jose Caetano Graduando da UEG-UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS. 1. APRESENTAÇÃO Podemos notar a dificuldade que encontramos na educação atualmente, seja pelo desrespeito

Leia mais

o que é? Resgatar um conteúdo trabalhado em sala de aula, por meio de novas aplicações ou exercícios

o que é? Resgatar um conteúdo trabalhado em sala de aula, por meio de novas aplicações ou exercícios lição de casa F1 o que é? É um recurso didático que o professor propõe aos alunos para potencializar a relação dele com o objeto de conhecimento. A lição pode ter vários objetivos: Resgatar um conteúdo

Leia mais

FORMAÇÃO DO PROFESSOR DA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: UM GUIA DE ESTUDOS

FORMAÇÃO DO PROFESSOR DA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: UM GUIA DE ESTUDOS SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL/PDE VALÉRIA AUGUSTA PELLICANO FORMAÇÃO DO PROFESSOR DA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: UM GUIA DE ESTUDOS

Leia mais

Foucault e a educação. Tecendo Gênero e Diversidade Sexual nos Currículos da Educação Infantil

Foucault e a educação. Tecendo Gênero e Diversidade Sexual nos Currículos da Educação Infantil Foucault e a educação Tecendo Gênero e Diversidade Sexual nos Currículos da Educação Infantil Prefácio A educação abrange os processos de ensinar e de aprender e se desenvolve em todos os espaços possíveis:

Leia mais

Palavras-chave: Geografia, Ensino; Fotografia Aérea com Pipa; Cidade; Urbano.

Palavras-chave: Geografia, Ensino; Fotografia Aérea com Pipa; Cidade; Urbano. A FOTOGRAFIA AÉREA NO AUXÍLIO AO APRENDIZADO DOS ALUNOS DA ESCOLA ESTADUAL DOUTOR NAPOLEÃO SALLES: UMA APROXIMAÇÃO TEÓRICA À PRÁTICA DO ENSINO DE GEOGRAFIA MICHELE FERNANDA MARCELINO RENZO Aluna e Bolsista

Leia mais

Um novo olhar sobre o portfólio na educação infantil

Um novo olhar sobre o portfólio na educação infantil Um novo olhar sobre o portfólio na educação infantil Micheline hoffmeister micheline.hoff@aluno.faccat.br EMEI Ursinho Encantado Márcia regina de moraes marcia-moraes2011@bol.com.br EMEI Ursinho Encantado

Leia mais

Material elaborado pela professora Tásia Wisch - PNAIC

Material elaborado pela professora Tásia Wisch - PNAIC QUESTIONAMENTOS INICIAIS O que vocês entendem por Inclusão? Você acredita que as escolas de seu município são inclusivas? Se não, o que pode ser feito para mudar esta situação? Quais os serviços oferecidos

Leia mais

CAMINHOS DA ESCOLA Arte na Escola

CAMINHOS DA ESCOLA Arte na Escola CAMINHOS DA ESCOLA Arte na Escola Resumo A série Caminhos da Escola nos apresenta neste episódio Arte na Escola, uma coletânea de matérias gravadas a partir de experiências em escolas de formação técnica

Leia mais

A ORALIDADE NA CONSTRUÇÃO DA ESCRITA

A ORALIDADE NA CONSTRUÇÃO DA ESCRITA A ORALIDADE NA CONSTRUÇÃO DA ESCRITA Daiane de Abreu Ribeiro Jeane Silva Freire Jucilene Aparecida Ribeiro da Silva Procópio Daiane de Abreu Ribeiro Faculdade Sumaré Ex-aluna de Pós-Graduação Jeane Silva

Leia mais

Projeto: Brincando Eu também Aprendo.

Projeto: Brincando Eu também Aprendo. VÁRZEA GRANDE MATO GROSSO Parceria: OSC- ASSOCIAÇÃO SOCIAL CIVIL ABAIUC- ASCA E EMEB SENHORA DIRCE LEITE DE CAMPOS Projeto: Brincando Eu também Aprendo. Introdução Durante muito tempo, a brincadeira no

Leia mais

Leônidas Siqueira Duarte 1 Universidade Estadual da Paraíba UEPB / leonidas.duarte@hotmail.com 1. INTRODUÇÃO

Leônidas Siqueira Duarte 1 Universidade Estadual da Paraíba UEPB / leonidas.duarte@hotmail.com 1. INTRODUÇÃO REFLEXÕES SOBRE ASPECTOS TEÓRICOS E METODOLÓGICOS DO ENSINO DE GEOGRAFIA PRATICADO POR PROFESSORES CURSISTAS DA ESPECIALIZAÇÃO EM FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO UEPB 2013/2014 Leônidas Siqueira Duarte 1 Universidade

Leia mais

A ATUALIDADE DO PLANO ORIENTADOR DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA. Timothy Mulholland

A ATUALIDADE DO PLANO ORIENTADOR DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA. Timothy Mulholland A ATUALIDADE DO PLANO ORIENTADOR DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA Timothy Mulholland O Plano Orientador de Anísio Teixeira e Darcy Ribeiro e o início da Universidade de Brasília 1962 Universidade de Brasília

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE DOBRADURAS DE PAPEL NO ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA

UTILIZAÇÃO DE DOBRADURAS DE PAPEL NO ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA UTILIZAÇÃO DE DOBRADURAS DE PAPEL NO ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA Shirley Aparecida de Morais Escola 31 de março shiamo@seed.pr.gov.br Rita de Cássia Amaral Vieira rcamaral@hotmail.comr Samantha

Leia mais

Endomarketing: Indo além da comunicação interna.

Endomarketing: Indo além da comunicação interna. Endomarketing: Indo além da comunicação interna. twitter.com/tioflavio facebook.com/tioflavio MERCADO MUDANÇAS Nativos Digitais Fonte: http://caldinas.com.br 5 MARCA BRANDING 1 IDENTIDADE POSICIONAMENTO

Leia mais

Jacques Therrien, UFC/UECE

Jacques Therrien, UFC/UECE Jacques Therrien, UFC/UECE ALGUNS PRINCÍPIOS QUE FUNDAMENTAM PROCESSOS DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES EDUCAR: É O PROCESSO DE CONSTRUÇÃO E DE RECONSTRUÇÃO CRIATIVA DE SI E DO MUNDO SOCIAL ONDE CONVIVEMOS É

Leia mais

CURSOS / OFICINAS DE ENSINO 1º SEMESTRE 2017 (2016.2)

CURSOS / OFICINAS DE ENSINO 1º SEMESTRE 2017 (2016.2) CURSOS / OFICINAS DE ENSINO 1º SEMESTRE 2017 (2016.2) MUNICIPIOS CURSO / OFICINA / CH OBJETIVO PÚBLICO ALVO DATAS Água Branca Amarante Anísio de Abreu Estatística Básica aplicada a Educação 30h Computação

Leia mais

URBANIZAÇÃO, DINÂMICA ECONÔMICA E SOCIAL DA CIDADE DE UBERABA/MG: ESTUDO DA CIDADE NA PERSPECTIVA CRÍTICA E GEOGRÁFICA

URBANIZAÇÃO, DINÂMICA ECONÔMICA E SOCIAL DA CIDADE DE UBERABA/MG: ESTUDO DA CIDADE NA PERSPECTIVA CRÍTICA E GEOGRÁFICA URBANIZAÇÃO, DINÂMICA ECONÔMICA E SOCIAL DA CIDADE DE UBERABA/MG: ESTUDO DA CIDADE NA PERSPECTIVA CRÍTICA E GEOGRÁFICA Moizes Rodrigues da Silva 1, Frederico Tristão Cruvinel Silva 2 1,2 Universidade Federal

Leia mais

A MARCA GUIA CIDADE ONLINE SAIBA COMO SER UM FRANQUEADO

A MARCA GUIA CIDADE ONLINE SAIBA COMO SER UM FRANQUEADO A MARCA GUIA CIDADE ONLINE SAIBA COMO SER UM FRANQUEADO Comece um excelente negócio conosco em um segmento que não para de crescer... 51% dos usuários no Brasil utilizam a internet regularmente para procurar

Leia mais

Plano de Ensino Docente

Plano de Ensino Docente Plano de Ensino Docente IDENTIFICAÇÃO CURSO: Licenciatura em Matemática FORMA/GRAU: ( ) integrado ( ) subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado (x) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE: ( x ) Presencial

Leia mais

ENADE: OS RESULTADOS INFLUENCIAM NA GESTÃO ACADÊMICA E NA QUALIDADE DOS CURSOS

ENADE: OS RESULTADOS INFLUENCIAM NA GESTÃO ACADÊMICA E NA QUALIDADE DOS CURSOS ENADE: OS RESULTADOS INFLUENCIAM NA GESTÃO ACADÊMICA E NA QUALIDADE DOS CURSOS Maria Luiza Miranda Ribeiro ¹,Nalzilene Raposo ² Universidade Estadual do Maranhão 1, Universidade Estadual do Maranhão 2

Leia mais

60 mins Missão: Igualdade de Géneros. Assunto. Resultado de aprendizagem. Preparação

60 mins Missão: Igualdade de Géneros. Assunto. Resultado de aprendizagem. Preparação P1 Freida Pinto Atriz Missão: Igualdade de Géneros Assunto Geografia, Ciência, compreensão da linguagem Resultado de aprendizagem Conhecer a definição de igualdade de gênero Explorar algumas das causas

Leia mais

A DIFERENÇA ENTRE O ESTÁGIO SUPERVISIONADO E O PIBID NA FORMAÇÃO INICIAL EM EDUCAÇÃO FÍSICA

A DIFERENÇA ENTRE O ESTÁGIO SUPERVISIONADO E O PIBID NA FORMAÇÃO INICIAL EM EDUCAÇÃO FÍSICA A DIFERENÇA ENTRE O ESTÁGIO SUPERVISIONADO E O PIBID NA FORMAÇÃO INICIAL EM EDUCAÇÃO FÍSICA (Autor) Bruno Rocha; (Co-autor) Júlio César Andrade; (Co-autor) Cláudia Jeciane Souza; (Coautor) Mylena Teixeira

Leia mais

ANEXO II. Edital Pibid n /2012 CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID. DETALHAMENTO DO SUBPROJETO (Licenciatura)

ANEXO II. Edital Pibid n /2012 CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID. DETALHAMENTO DO SUBPROJETO (Licenciatura) AEXO II Edital Pibid n /2012 CAPES PROGRAMA ISTITUCIOAL DE BOLSA DE IICIAÇÃO À DOCÊCIA - PIBID DETALHAMETO DO SUBPROJETO (Licenciatura) 1. ome da Instituição UF Universidade Federal de Roraima 2. Subprojeto

Leia mais

Aula 5 OFICINAS TEMÁTICAS NO ENSINO MÉDIO. Rafael de Jesus Santana Danilo Almeida Rodrigues

Aula 5 OFICINAS TEMÁTICAS NO ENSINO MÉDIO. Rafael de Jesus Santana Danilo Almeida Rodrigues Aula 5 OFICINAS TEMÁTICAS NO ENSINO MÉDIO META Propor a construção do conhecimento químico a partir do desenvolvimento de ofi cinas temáticas. OBJETIVOS Ao fi nal desta aula, o aluno deverá: Compreender

Leia mais

BERÇARISTA. CURSO 180h: CURSO 260h:

BERÇARISTA. CURSO 180h: CURSO 260h: ARTES ENSINO FUNDAMENTAL Histórico do ensino da arte no brasil. Educação por meio da arte. Histórico do ensino da arte no brasil. Educação por meio da arte. Artes e educação, concepções teóricas. Histórico

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DOS ESTUDOS DA CULTURA AFRICANA E AFRO- BRASILEIRA NOS LIVROS DIDÁTICOS DE HISTÓRIA DO ENSINO FUNDAMENTAL EM TIMOM-MA

A IMPORTÂNCIA DOS ESTUDOS DA CULTURA AFRICANA E AFRO- BRASILEIRA NOS LIVROS DIDÁTICOS DE HISTÓRIA DO ENSINO FUNDAMENTAL EM TIMOM-MA A IMPORTÂNCIA DOS ESTUDOS DA CULTURA AFRICANA E AFRO- BRASILEIRA NOS LIVROS DIDÁTICOS DE HISTÓRIA DO ENSINO FUNDAMENTAL EM TIMOM-MA Maria do Perpétuo Socorro Lima Viana E-mail: socorroviana_@hotmail.com

Leia mais

Ryon Braga. Faculdade Uniamérica

Ryon Braga. Faculdade Uniamérica Ryon Braga Faculdade Uniamérica UMA VERDADEIRA REVOLUÇÃO ESTÁ EM CURSO NA EDUCAÇÃO SUPERIOR MUNDIAL - ESTAMOS PREPARADOS PARA ELA? Ryon Braga ENSINAR OU APRENDER? Como podemos dizer que ensinamos, se ninguém

Leia mais

Anexo VI- Demonstrativo das atividades curriculares por competências e habilidades

Anexo VI- Demonstrativo das atividades curriculares por competências e habilidades Anexo VI- Demonstrativo das atividades curriculares por competências e habilidades Competências Habilidades Atividades curriculares - Compreender em linhas gerais as referências do pensamento científico

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA MATEMÁTICA NOS BORDADOS

A INFLUÊNCIA DA MATEMÁTICA NOS BORDADOS A INFLUÊNCIA DA MATEMÁTICA NOS BORDADOS Marli Alves Lobo 1 Resumo Nesse relato iremos abordar o trabalho sobre transformações geométricas encontradas no bordado ponto cruz elaborado em conjunto com alunas

Leia mais

Faculdade Monteiro Lobato

Faculdade Monteiro Lobato REGULAMENTO N º 04/2015 Dispõe sobre a forma e o prazo de integralização das atividades complementares e seminários na Faculdade Monteiro Lobato. Art. 1º - A integralização das atividades complementares/seminários,

Leia mais

HISTÓRIAS EM QUADRINHOS: MAFALDA COMO RECURSO PEDAGÓGICO DA EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS NA EDUCAÇÃO BÁSICA

HISTÓRIAS EM QUADRINHOS: MAFALDA COMO RECURSO PEDAGÓGICO DA EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS NA EDUCAÇÃO BÁSICA HISTÓRIAS EM QUADRINHOS: MAFALDA COMO RECURSO PEDAGÓGICO DA EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS NA EDUCAÇÃO BÁSICA Raquel Alves do Nascimento UNIPÊ Centro Universitário de João Pessoa raquel_aan@hotmail.com INTRODUÇÃO

Leia mais

Política Nacional de Educação Infantil

Política Nacional de Educação Infantil Política Nacional de Educação Infantil Maria do Pilar Lacerda Almeida e Silva Secretária de Educação Básica Ministério da Educação Foto: João Bittar Conferência Global sobre Desenvolvimento na Primeira

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA E PEDAGOGIA DE PROJETOS: SUA IMPORTÂNCIA NO CONTEXTO ESCOLAR

EDUCAÇÃO FÍSICA E PEDAGOGIA DE PROJETOS: SUA IMPORTÂNCIA NO CONTEXTO ESCOLAR Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte 2009, 8 (2 suplemento 1): 13-17 EDUCAÇÃO FÍSICA E PEDAGOGIA DE PROJETOS: SUA IMPORTÂNCIA NO CONTEXTO ESCOLAR Universidade Presbiteriana Mackenzie - Brasil

Leia mais