PERFIL DO MERCADO Automotive Business VII Forum 2016

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PERFIL DO MERCADO Automotive Business VII Forum 2016"

Transcrição

1 28/03/2016 PERFIL DO MERCADO Automotive Business VII Forum 2016 Vitor Klizas, Presidente, JATO Dynamics Brasil WTC São Paulo - Brasil

2 A GLOBAL COMPANY JATO Dynamics JATO North America USA Canada JATO China JATO Brazil JATO Latin America Mexico Puerto Rico Brazil Argentina Chile JATO Asia Japan China Korea Taiwan Thailand Indonesia Malaysia Vietnam JATO Australia & NZ Australia New Zealand JATO ME & Africa South Africa Morocco Algeria UAE JATO Europe Great Britain North Norway Finland Sweden Denmark Ireland Belgium Netherlands Central Germany Austria Switzerland South France Spain Portugal Canary Is. Italy East Hungary Czech Rep. Croatia Poland Romania Slovenia Slovakia Greece Turkey Cyprus Israel Ukraine Russia Slide 2

3 GLOBAL PARTNERS Automotive Brands Component Brands Finance & Leasing Portals & Partners Agricultural Brands Slide 3

4 AGENDA Panorama do mercado Desmistificando o varejo Negócios Automóvel Quanto custa ter um? Recomendações Slide 4

5 MARÇO 2016 EMPLACAMENTOS x FATURAMENTOS Fonte: JATO V4 Volumes e MMix

6 Emplacamentos x Value Share Veículos de passeio Emplac. Marca Emplacamento Total Participação em volume MSRP x Emplac. Marca Emplacamento Total Participação em valor Slide 6

7 Emplacamentos x Value Share Comerciais Leves - 3,5t Slide 7

8 Emplacamentos x Value Share Carros e Comerciais Leves Slide 8

9 RANKING POR MODELOS Veículos de passeio Highlights Liderança em valor do Toyota Corolla Destaque para Honda HR-V (4º. Lugar em valor vs 13º. em emplacamento) Melhor desempenho das versões Hacthback em ambos critérios Slide 9

10 RANKING POR MODELOS Comerciais Leves 3,5t Highlights Liderança plena da Fiat Strada Pickups médias com bom ranking por volume - Hilux(2), - S10(3), - Ranger(5), - Triton(6) e - Amarok(7) - Frontier(9) Slide 10

11 Custo de Propriedade de Veículos e seus efeitos Fonte: JATO TCO, Total Cost of Ownership JATO FRV, Future Residual Value

12 TCO Total Cost of Ownership Quanto Custa Ter um Carro? Slide 12

13 TCO Total Cost of Ownership Quanto Custa Ter um Carro? O que vem depois da compra? Qual o impacto para o cliente final? Estamos fazendo o melhor para estimular o cliente a comprar um novo veículo? Slide 13

14 TCO Quanto Custa Ter um Carro? Aquisicao vs Custo de Propriedade Valor Medio do Veiculo Custo de Propriedade Custo Total de Propriedade 41% 32,713 45% 37,148 Premissas da análise: Amostra: 5 modelos mais vendidos por segmento Prazo: 36 meses km/ano Itens considerados no TCO: Depreciação Revisões Manutenção Corretiva Seguro Pneus Juros Documentação 52% 57% 25,801 22,669 80,718 82,584 39,835 49,733 HB Entrada 1.0 Sedan Compacto 1.6 Sedan Medio SUV Slide 14

15 TCO Quanto Custa Ter um Carro? Financiamento vs Custo de Propriedade Parcela Mensal de Financiamento Custo de Propriedade Mensal Custo de Propriedade Mensal % 1,032 54% 62% 68% Premissas da análise: Amostra: 5 modelos mais vendidos por segmento Prazo: 36 meses km/ano Taxa 0,99%/mês Entrada 30% 925 HB Entrada 1.0 R$ ,154 Sedan Compacto 1.6 R$ Sedan Medio R$ ,873 1,917 SUV R$ Slide 15

16 TCO Quanto Custa Ter um Carro? HB 1.0 Sedan Compacto 1.6 Sedan Medio SUV Valor Medio do Veiculo Parcela Mensal de Financiamento Premissas da análise: Amostra: 5 modelos mais vendidos por segmento Prazo: 36 meses km/ano Taxa 0,99%/mês Entrada 30% Slide 16

17 TCO Quanto Custa Ter um Carro? HB 1.0 Sedan Compacto 1.6 Sedan Medio SUV Valor Medio do Veiculo Parcela Mensal de Financiamento Combustível Seguro Revisões em Concessionários Manutenção Pneus Impostos Custo Operacional Mensal Premissas da análise: Amostra: 5 modelos mais vendidos por segmento Prazo: 36 meses km/ano Taxa 0,99%/mês Entrada 30% Slide 17

18 TCO Quanto Custa Ter um Carro? HB 1.0 Sedan Compacto 1.6 Sedan Medio SUV Valor Medio do Veiculo Parcela Mensal de Financiamento Combustível Seguro Revisões em Concessionários Manutenção Pneus Impostos Custo Operacional Mensal Custo Total de Propriedade Mensal Premissas da análise: Amostra: 5 modelos mais vendidos por segmento Prazo: 36 meses km/ano Taxa 0,99%/mês Entrada 30% Slide 18

19 Depreciacao Desmistificando o mercado Qual a depreciação tendo em vista o acumulo de descontos para venda? A diferença crescente entre MSRP e Trasanction Price afeta o mercado futuro de veículos? Como?? Slide 19

20 Depreciação Desmistificando o mercado Depreciacao por Segmento Hatch 1.0 Sedan Compacto Sedan Medio SUV Light 41.2% 36.3% 37.8% 38.9% 39.0% 31.1% 32.7% 34.0% 34.4% 26.0% 24.7% 27.7% 28.2% 29.4% 22.5% 22.6% 12 meses 24 meses 36 meses 48 meses Slide 20

21 Depreciação Teórica vs Real Jan/Fev 2016 Hatch meses 24 meses 36 meses 48 meses 37.77% 32.67% 30.85% 27.66% 25.19% 22.49% 19.63% 13.88% Sedan Compacto 12 meses 24 meses 36 meses 48 meses 38.93% 34.01% 32.63% 28.22% 27.21% 22.58% 20.83% 14.47% Depreciacao Teorica Depreciacao Real Depreciacao Teorica Price List - MSRP Price List - MSRP 10,01 9,01 Depreciacao Real Transaction Price Transaction Price Slide 21

22 Depreciação Teórica vs Real Jan/Fev 2016 Sedan Medio 12 meses 24 meses 36 meses 48 meses 41.20% SUV Light 12 meses 24 meses 36 meses 48 meses 38.99% 36.32% 35.18% 34.42% 34.40% 31.11% 29.77% 29.40% 29.50% 26.02% 24.04% 24.74% 24.10% 18.41% 19.09% Depreciacao Teorica Depreciacao Real Depreciacao Teorica Depreciacao Real Price List - MSRP Price List - MSRP 9,31 7,00 Transaction Price Transaction Price Slide 22

23 Vitor Klizas JATO Dynamics-Brasil, Presidente Telefone: (11) Thank You Merci Gracias Grazie Obrigado Tack Vielen Dank Dank U Kiitos Спасибо Ευχαριστούμε תודה ありがとう谢谢감사합니다 Terima Kasih ค ณขอบค ณ cảm ơn bạn धन यव द شكرا لك Slide 23

NEGÓCIOS E FORECAST Automotive Business Planejamento Automotivo 2016

NEGÓCIOS E FORECAST Automotive Business Planejamento Automotivo 2016 17/08/2015 NEGÓCIOS E FORECAST Automotive Business Planejamento Automotivo 2016 Vitor Klizas, Presidente, JATO Dynamics Brasil WTC São Paulo - Brasil AGENDA Forecast Vendas e Produção e Segmentos Panorama

Leia mais

NEGÓCIOS E FORECAST Automotive Business Planejamento Automotivo 2017

NEGÓCIOS E FORECAST Automotive Business Planejamento Automotivo 2017 22//08/2016 NEGÓCIOS E FORECAST Automotive Business Planejamento Automotivo 2017 Vitor Klizas, Presidente, JATO Dynamics Brasil WTC São Paulo - Brasil AGENDA Forecast Vendas e Produção e Segmentos Panorama

Leia mais

A FUNDAÇÃO PARA A CIÊNCIA E A TECNOLOGIA (FCT)

A FUNDAÇÃO PARA A CIÊNCIA E A TECNOLOGIA (FCT) A FUNDAÇÃO PARA A CIÊNCIA E A TECNOLOGIA (FCT) É A AGÊNCIA PÚBLICA NACIONAL PARA A INVESTIGAÇÃO E A INOVAÇÃO EM PORTUGAL WWW.FCT.PT A VISÃO DA FCT É: TORNAR PORTUGAL UMA REFERÊNCIA MUNDIAL EM CIÊNCIA,

Leia mais

Previsão Salarial 2016 Korn Ferry Hay Group aponta que turbulência econômica afetará os salários no Brasil

Previsão Salarial 2016 Korn Ferry Hay Group aponta que turbulência econômica afetará os salários no Brasil INFORMAÇÕES À IMPRENSA GWA Comunicação Integrada Caroline Mártire Tel.: (11) 3030-3000 ramal 229 / (11) 96396 6222 caroline@gwa.com.br Previsão Salarial 2016 Korn Ferry Hay Group aponta que turbulência

Leia mais

Apresentação Corporativa 3M. 21 September M. All Rights Reserved.

Apresentação Corporativa 3M. 21 September M. All Rights Reserved. Apresentação Corporativa 3M 1. VISÃO 3M Tecnologia 3M impulsionando cada empresa Produtos 3M melhorando cada lar Inovações 3M facilitando a vida de cada pessoa 2. Quem somos nós 3. A 3M é uma companhia

Leia mais

CONFERÊNCIA REABILITAÇÃO URBANA E HABITAT CONTRIBUTOS PARA EDIFÍCIOS CONFORTÁVEIS E SUSTENTÁVEIS

CONFERÊNCIA REABILITAÇÃO URBANA E HABITAT CONTRIBUTOS PARA EDIFÍCIOS CONFORTÁVEIS E SUSTENTÁVEIS REABILITAÇÃO URBANA E HABITAT CONTRIBUTOS PARA EDIFÍCIOS CONFORTÁVEIS E SUSTENTÁVEIS PAINEL 1 O CONFORTO E A SUSTENTABILIDADE NA REABILITAÇÃO DE EDIFÍCIOS NO ÂMBITO DA FILEIRA DA HOTELARIA PAINEL 2 DE

Leia mais

UNI EN ISO 9001:2008 UNI EN ISO 14001:2004 BS OHSAS 18001:2007 EC DIRECTIVE 2014/34/EU (ATEX) CERTIFIED MANAGEMENT SYSTEM

UNI EN ISO 9001:2008 UNI EN ISO 14001:2004 BS OHSAS 18001:2007 EC DIRECTIVE 2014/34/EU (ATEX) CERTIFIED MANAGEMENT SYSTEM PT ISM-BSM CERTIFIED Tecnologia Made in Italy Desde 1955 o Grupo Varvel projecta e fabrica redutores e variadores para aplicações de pequena e média potências. Parceiro de confiança na produção e comercialização

Leia mais

Exportações Brasileiras de Carne Bovina Brazilian Beef Exports. Fonte / Source: SECEX-MDIC

Exportações Brasileiras de Carne Bovina Brazilian Beef Exports. Fonte / Source: SECEX-MDIC Categorias / Products:, INDUSTRIALIZADA / PROCESSED, MIÚDOS / OFFALS,, Periodo: jan/2015 - dez/2015 1 de 19 2015 2014 Janeiro / January US$ (000) TONNES US$/Ton US$ (000) TONNES US$/Ton US$ (000) TONNES

Leia mais

A Economia do Brasil nos últimos 40 Anos e Perspectivas para o Futuro

A Economia do Brasil nos últimos 40 Anos e Perspectivas para o Futuro A Economia do Brasil nos últimos 40 Anos e Perspectivas para o Futuro 40 Anos da Editoria de Economia de O Globo Marcelo Neri mcneri@fgv.br Décadas: 60 e 70 Milagre Crescimento 80 Redemocratização 90 Estabilização

Leia mais

Meninas casadas até os 18 anos na América Latina (%) Meninas casadas até os 15 anos (%) Bolivia (Plurinational State Costa Rica (17º) Brazil (3º)

Meninas casadas até os 18 anos na América Latina (%) Meninas casadas até os 15 anos (%) Bolivia (Plurinational State Costa Rica (17º) Brazil (3º) Nicaragua (1º) Dominican Republic (2º) Brazil (3º) Honduras (4º) Guatemala (5º) Equatorial Guinea (6º) Panama (7º) Cuba (8º) El Salvador (9º) Uruguay (10º) Colombia (11º) Guyana (12º) Mexico (13º) Ecuador

Leia mais

Empresa POLÍTICA DA HELPLINE DE COMPLIANCE. Data de entrada em vigor Janeiro de 2015

Empresa POLÍTICA DA HELPLINE DE COMPLIANCE. Data de entrada em vigor Janeiro de 2015 Empresa POLÍTICA DA HELPLINE DE COMPLIANCE Função Legal & Compliance Data de entrada em vigor Janeiro de 2015 Páginas 12 Escopo: a presente Política aplica-se à CNH Industrial N.V. e respectivas subsidiárias

Leia mais

DADOS DAS EXPORTAÇÕES DE MEL

DADOS DAS EXPORTAÇÕES DE MEL DADOS DAS EXPORTAÇÕES DE MEL EXPORTAÇÃO BRASILEIRA DE MEL 2009 a 2014 (NCM 04.09.00.00) ANO 2009 2010 2011 2012 2013 2014 Meses US$ KG Valor Kg US$ KG Valor Kg US$ KG Valor Kg US$ KG Valor Kg US$ KG Valor

Leia mais

Serviços de Informação do Benchmark de Métricas da Força de Trabalho

Serviços de Informação do Benchmark de Métricas da Força de Trabalho Serviços de Informação do Benchmark de Métricas da Força de Trabalho Transformando dados em conhecimento que você pode aplicar imediatamente Foco em composição da força de trabalho e métricas de retenção.

Leia mais

A Previdência Social ao redor do mundo

A Previdência Social ao redor do mundo A Previdência Social ao redor do mundo Pinheiro IBRE/FGV IE/UFRJ Brasília, 17 de abril de 2017 17 abr 2017 1960 1964 1968 1972 1976 1980 1984 1988 1992 1996 2000 2004 2008 2012 2016 2020 2024 2028 2032

Leia mais

Original page: VISTO E1 (comerciantes do tratado) e E2 (investidores do tratado)

Original page: VISTO E1 (comerciantes do tratado) e E2 (investidores do tratado) PDF Acrobat www.drmoises.com 1 Original page: VISTO E1 (comerciantes do tratado) e E2 (investidores do tratado) Os comerciantes do tratado são Vistos E-1, investidores do tratado são Vistos E-2. Estes

Leia mais

CREBi Media Kit. Site CREBI Conforme relatórios de visitas emtidos em dezembro de 2008, temos os seguintes dados médios:

CREBi Media Kit. Site CREBI Conforme relatórios de visitas emtidos em dezembro de 2008, temos os seguintes dados médios: CREBi Media Kit Atualmente, somos a mais representativa mídia eletrônica do setor de jóias e afins e também já superamos em muito as maiores médias de outras categorias de mídia. O CREBi oferece três canais

Leia mais

Programa Mais Médicos

Programa Mais Médicos II ENCONTRO NACIONAL DE MUNICÍPIOS Programa Mais Médicos Brasília- 02/03/16 Lançado em julho de 2013 para atender demanda histórica da insuficiência de médicos no Brasil, em especial, no SUS e na Atenção

Leia mais

Relatório Gráfico de Acessibilidade à Página www.ceivap.org.br Janeiro até Dezembro / 2007

Relatório Gráfico de Acessibilidade à Página www.ceivap.org.br Janeiro até Dezembro / 2007 Relatório Gráfico de Acessibilidade à Página www.ceivap.org.br Janeiro até Dezembro / 2007 1. Visitações Diárias ( Y ) Visitas ( X ) Dia do mês 1.1) Janeiro 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15

Leia mais

Transição da Escola para o Mercado de Trabalho no Brasil. André Portela Souza EESP/FGV

Transição da Escola para o Mercado de Trabalho no Brasil. André Portela Souza EESP/FGV Transição da Escola para o Mercado de Trabalho no Brasil André Portela Souza EESP/FGV SEADE 25 de Março de 2013 Estrutura da Apresentação 1. Alguns Aspectos Conceituais: A Teoria do Capital Humano 2. Evidências

Leia mais

CARTA DO DIRETOR-EXECUTIVO

CARTA DO DIRETOR-EXECUTIVO P CARTA DO DIRETOR-EXECUTIVO RELATÓRIO SOBRE O MERCADO CAFEEIRO Dezembro de 2008 Os níveis de preços confirmaram em dezembro a tendência baixista que se observava no mercado cafeeiro desde setembro de

Leia mais

PERIGOS DA PERCEPÇÃO PERILS OF PERCEPTION ESTUDO REALIZADO EM 40 PAÍSES PERILS OF PERCEPTION

PERIGOS DA PERCEPÇÃO PERILS OF PERCEPTION ESTUDO REALIZADO EM 40 PAÍSES PERILS OF PERCEPTION PERIGOS DA PERCEPÇÃO 2016 PERILS OF PERCEPTION ESTUDO REALIZADO EM 40 PAÍSES PERILS OF PERCEPTION 2016 1 ESTES SÃO OS RESULTADOS DA NOVA EDIÇÃO DA PESQUISA PERIGOS DA PERCEPÇÃO DA IPSOS. OS RESULTADOS

Leia mais

Associação KNX Portugal

Associação KNX Portugal Associação KNX Portugal Organização KNX e rede de parceiros KNX Association International Page No. 3 Associações Nacionais: Membros Membros KNX Nacionais: Fabricantes: Empresas fabricantes ou representantes

Leia mais

CARTA DO DIRETOR-EXECUTIVO

CARTA DO DIRETOR-EXECUTIVO International Coffee Organization Organización Internacional del Café Organização Internacional do Café Organisation Internationale du Café P CARTA DO DIRETOR-EXECUTIVO RELATÓRIO SOBRE O MERCADO CAFEEIRO

Leia mais

Gestão da Reputação e Competitividade

Gestão da Reputação e Competitividade Gestão da Reputação e Competitividade Amcham Abril, 2015 RepTrak is a registered trademark of Reputation Institute 2014 Reputation Institute, all rights reserved Sobre o REPUTATION INSTITUTE O Reputation

Leia mais

Tudo o que precisa para tornar a sua oficina limpa, segura e eficiente

Tudo o que precisa para tornar a sua oficina limpa, segura e eficiente Tudo o que precisa para tornar a sua oficina limpa, segura e eficiente Melhore a sua oficina Fumos de escape e de soldadura, pó de lixagem e rebarbagem, derrames de óleo e mangueiras desarrumadas estes

Leia mais

Breve estudo geo-estatístico sobre o comércio exterior de vinhos do Brasil e no mundo

Breve estudo geo-estatístico sobre o comércio exterior de vinhos do Brasil e no mundo Breve estudo geo-estatístico sobre o comércio exterior de vinhos do Brasil e no mundo Rogério Vianna, setembro de 2017 rsvianna@hotmail.com, www.inicio.com.br O produto vinho segundo a classificação internacional

Leia mais

CARTA DO DIRETOR-EXECUTIVO

CARTA DO DIRETOR-EXECUTIVO P CARTA DO DIRETOR-EXECUTIVO RELATÓRIO SOBRE O MERCADO CAFEEIRO Abril de 2009 A escassez de café colombiano e o aumento sem precedentes dos prêmios pagos por esta origem continuam a dominar a evolução

Leia mais

UFRJ Universidade Federal do Rio de Janeiro

UFRJ Universidade Federal do Rio de Janeiro UFRJ Universidade Federal do Rio de Janeiro Saúde no Mundo: Notas para o Debate I Encontro Nacional Conselho Federal de Medicina Brasília 08 de março de 2012 Ligia Bahia Roteiro da Apresentação 1. Um Panorama

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL SOBRE O MERCADO CAFEEIRO

RELATÓRIO MENSAL SOBRE O MERCADO CAFEEIRO P RELATÓRIO MENSAL SOBRE O MERCADO CAFEEIRO Janeiro de 2011 Problemas climáticos em muitos países exportadores continuaram a dominar a evolução do mercado, os preços do café e as notícias. Assim, os preços

Leia mais

EDUCAÇÃO. Base do Desenvolvimento Sustentável

EDUCAÇÃO. Base do Desenvolvimento Sustentável EDUCAÇÃO Base do Desenvolvimento Sustentável 1 Por que investir em educação? 2 Por que investir em educação? 1. Acesso à cidadania. 2. Aumento da renda pessoal (prêmio salarial): 10% por um ano a mais

Leia mais

Universidade Nova de Lisboa Ano Lectivo 2006/2007. João Amador Seminário de Economia Europeia. Economia Portuguesa e Europeia. Exame de 1 a época

Universidade Nova de Lisboa Ano Lectivo 2006/2007. João Amador Seminário de Economia Europeia. Economia Portuguesa e Europeia. Exame de 1 a época Universidade Nova de Lisboa Ano Lectivo 2006/2007 FaculdadedeEconomia João Salgueiro João Amador Seminário de Economia Europeia Economia Portuguesa e Europeia Exame de 1 a época 5 de Janeiro de 2007 Atenção:

Leia mais

A reputação das cidades-sede da Copa do Mundo de Futebol 2014 no Brasil Resultados da Pesquisa City RepTrak Brasil

A reputação das cidades-sede da Copa do Mundo de Futebol 2014 no Brasil Resultados da Pesquisa City RepTrak Brasil A reputação das cidades-sede da Copa do Mundo de Futebol 2014 no Brasil Resultados da Pesquisa City RepTrak Brasil Maio de 2014 O ESTUDO A reputação é um dos temas que tem cada vez mais ganhado espaço

Leia mais

PRODUTIVIDADE DO TRABALHO E COMPETITIVIDADE: BRASIL E SEUS CONCORRENTES

PRODUTIVIDADE DO TRABALHO E COMPETITIVIDADE: BRASIL E SEUS CONCORRENTES PRODUTIVIDADE DO TRABALHO E COMPETITIVIDADE: BRASIL E SEUS CONCORRENTES Eduardo Augusto Guimarães Maio 2012 Competitividade Brasil 2010: Comparação com Países Selecionados. Uma chamada para a ação África

Leia mais

Assessing PORTUGAL s Competitiveness The Global Competitiveness Index Report Ilídio de Ayala Serôdio Lisboa,

Assessing PORTUGAL s Competitiveness The Global Competitiveness Index Report Ilídio de Ayala Serôdio Lisboa, Assessing PORTUGAL s Competitiveness The Global Competitiveness Index Report 2017-2018 Ilídio de Ayala Serôdio Lisboa, 27.09.2017 Apoios 1 World Economic Forum Global Competitiveness Report 2017-2018 PORTUGAL

Leia mais

Desaceleração da Economia Brasileira: Causas Externas ou Domésticas? Silvia Matos

Desaceleração da Economia Brasileira: Causas Externas ou Domésticas? Silvia Matos Desaceleração da Economia Brasileira: Causas Externas ou Domésticas? Silvia Matos 6 de Agosto de 2015 Resumo da Apresentação Após 2011, o Brasil desacelerou mais do que outros países da América Latina

Leia mais

Indústria Eletrônica: Posição das Economias Emergentes no Comércio Exterior e Possibilidades do Brasil

Indústria Eletrônica: Posição das Economias Emergentes no Comércio Exterior e Possibilidades do Brasil Indústria Eletrônica: Posição das Economias Emergentes no Comércio Exterior e Possibilidades do Brasil Um Breve Panorama na Indústria no Brasil...2 As Economia Emergentes no Comércio de Produtos Eletrônicos...4

Leia mais

Revitalização da Indústria Fonográfica no Brasil

Revitalização da Indústria Fonográfica no Brasil Revitalização da Indústria Fonográfica no Brasil Impacto Positivo de uma Redução de Tributos para Empresas e Consumidores Rio de Janeiro, 27 de maio de 2009 Em 2008, o mercado brasileiro de CDs e DVDs

Leia mais

Private Debt Dívida Privada. dossiers. Economic Outlook Conjuntura Económica. Conjuntura Económica. Banca e Seguros. Portugal Economy Probe (PE Probe)

Private Debt Dívida Privada. dossiers. Economic Outlook Conjuntura Económica. Conjuntura Económica. Banca e Seguros. Portugal Economy Probe (PE Probe) dossiers Economic Outlook Private Debt Dívida Privada Last Update Última Actualização: 12/07/2016 Portugal Economy Probe (PE Probe) Prepared by PE Probe Preparado por PE Probe Copyright 2015 Portugal Economy

Leia mais

A Norma Brasileira e o Gerenciamento de Projetos

A Norma Brasileira e o Gerenciamento de Projetos A Norma Brasileira e o Gerenciamento de Projetos Realidade Operacional e Gerencial do Poder Judiciário de Mato Grosso Na estrutura organizacional, existe a COPLAN que apoia administrativamente e oferece

Leia mais

Sistemas DYWIDAG - Ancoragens em Solos e Rochas

Sistemas DYWIDAG - Ancoragens em Solos e Rochas Sistemas DYWIDAG - Ancoragens em Solos e Rochas ANCORAGENS EM SOLOS E ROCHAS Os sistemas DYWIDAG são mundialmente reconhecidos na execução de tirantes ancorados no terreno (solos e rochas), permanentes

Leia mais

Q: Preciso contratar um numero de empregados para solicitar o visto E2? R: Não, o Visto E2 não requer um numero de empregados como o Visto Eb5.

Q: Preciso contratar um numero de empregados para solicitar o visto E2? R: Não, o Visto E2 não requer um numero de empregados como o Visto Eb5. RE: Visto E1 O E2 Visto E1 O E2 Q :Preciso contratar um advogado para solicitar o Visto E2? R: Sim, o visto E2 requer o conhecimento especializado da legislacao migratória e a experiência de um advogado

Leia mais

Prof. Maria Antonieta Del Tedesco Lins IRI-USP. O que nós temos a ver com isso?

Prof. Maria Antonieta Del Tedesco Lins IRI-USP. O que nós temos a ver com isso? AULA 1 REVISÃO DE CONCEITOS TEÓRICOS: BALANÇO DE PAGAMENTOS E MERCADO DE CÂMBIO Fevereiro 2017 Prof. Maria Antonieta Del Tedesco Lins IRI-USP Plano da aula 2 Estrutura do BP Contas nacionais e o BP Equilíbrio

Leia mais

Avanços, Amortecedores e Agenda Social - Brasil

Avanços, Amortecedores e Agenda Social - Brasil Avanços, Amortecedores e Agenda Social - Brasil Os BRICs sob uma nova Perspectiva Fecomércio e ESPM São Paulo, 2 de Dezembro de 2008 Marcelo Neri mcneri@fgv.br (*leia-se: Processo de Equalização Recente

Leia mais

PROJETO SERIALIZAÇÃO. Projeto Serialização DHL

PROJETO SERIALIZAÇÃO. Projeto Serialização DHL PROJETO SERIALIZAÇÃO Projeto Serialização DHL 1 Serialização SETRM 2015 DEUTSCHE POST DHL DHL Supply Chain é parte do Grupo Deutsche Post com presença global e extensivo portifólio em serviços Logísticos

Leia mais

Desafios Institucionais do Brasil: A Qualidade da Educação

Desafios Institucionais do Brasil: A Qualidade da Educação Desafios Institucionais do Brasil: A Qualidade da Educação André Portela Souza EESP/FGV Rio de Janeiro 13 de maio de 2011 Estrutura da Apresentação 1. Porque Educação? Educação e Crescimento 2. Educação

Leia mais

EDUCAÇÃO. Base para o desenvolvimento

EDUCAÇÃO. Base para o desenvolvimento EDUCAÇÃO Base para o desenvolvimento 1 Por que investir em educação? 2 Por que investir em educação? 1. Acesso à cidadania. 2. Aumento da renda pessoal (prêmio salarial): 10% por um ano a mais de escolaridade.

Leia mais

Interpretação da norma NBR ISO/IEC 27001:2006

Interpretação da norma NBR ISO/IEC 27001:2006 Curso e Learning Sistema de Gestão de Segurança da Informação Interpretação da norma NBR ISO/IEC 2700:2006 Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste

Leia mais

SciELO e o aperfeiçoamento da qualidade dos periódicos científicos brasileiros

SciELO e o aperfeiçoamento da qualidade dos periódicos científicos brasileiros SciELO e o aperfeiçoamento da qualidade dos periódicos científicos brasileiros Fabiana Montanari Lapido Projeto SciELO FAPESP, CNPq, BIREME, FapUNIFESP Informação Conhecimento científico pesquisa científica

Leia mais

Nelson Fernandes Junior Gerente Geral Geodis

Nelson Fernandes Junior Gerente Geral Geodis Nelson Fernandes Junior Gerente Geral Geodis Aumento da capacidade de produção em vagões de carga, passageiros e locomotivas Diversas concessões Expansão, modernização e integração da malha de carga

Leia mais

Teoria e Sistemas da Inovação

Teoria e Sistemas da Inovação A technology gap approach to why growth rates differ FAGERBERG, Jan Trabalho elaborado por: Fernando Machado 1. Introdução (Porque diferem as taxas de crescimento entre países?) Introdução Diferenças do

Leia mais

Soluções para exaustão e filtragem nos processos de corte térmico Melhore a segurança e aumente a produtividade

Soluções para exaustão e filtragem nos processos de corte térmico Melhore a segurança e aumente a produtividade Soluções para exaustão e filtragem nos processos de corte térmico Melhore a segurança e aumente a produtividade Maior produtividade e melhoria das condições de higiene Corte Térmico é o termo genérico

Leia mais

A COMPETITIVIDADE DAS EMPRESAS E DO ESTADO DESAFIOS DA ECONOMIA PORTUGUESA

A COMPETITIVIDADE DAS EMPRESAS E DO ESTADO DESAFIOS DA ECONOMIA PORTUGUESA LISBOA, 4 DE ABRIL DE 2013 A COMPETITIVIDADE DAS EMPRESAS E DO ESTADO DESAFIOS DA ECONOMIA PORTUGUESA MANUEL CALDEIRA CABRAL - UNIVERSIDADE DO MINHO Y = F ( K; L; RN) K- Capital L Trabalho RN Recursos

Leia mais

Ações da EUREPGAP para a garantia da rastreabilidade dos produtos que certifica.

Ações da EUREPGAP para a garantia da rastreabilidade dos produtos que certifica. II Simpósio Brasileiro de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos Ações da EUREPGAP para a garantia da rastreabilidade dos produtos que certifica. EUREPGAP Segurança a Alimentar Proteção do Meio-ambiente

Leia mais

COMITÊ BRASILEIRO DE ELETRICIDADE, ELETRÔNICA, ILUMINAÇÃO E TELECOMUNICAÇÕES

COMITÊ BRASILEIRO DE ELETRICIDADE, ELETRÔNICA, ILUMINAÇÃO E TELECOMUNICAÇÕES COMITÊ BRASILEIRO DE ELETRICIDADE, ELETRÔNICA, ILUMINAÇÃO E TELECOMUNICAÇÕES INMETRO - PAINEL SETORIAL IECEE CB SCHEME XEREM RJ 15 DE OUTUBRO DE 2013 Jose Sebastião Viel Superintendente do COBEI COBEI

Leia mais

OECD Territorial Review of Portugal. Mario Pezzini Soo-Jin Kim

OECD Territorial Review of Portugal. Mario Pezzini Soo-Jin Kim OECD Territorial Review of Portugal Mario Pezzini Soo-Jin Kim GDP per capita in OECD countries Luxembourg United States Norway Ireland Switzerland Iceland Austria Denmark United Kingdom Canada Australia

Leia mais

Indicadores sobre o álcool em Portugal e no mundo

Indicadores sobre o álcool em Portugal e no mundo Fórum Nacional Álcool e Saúde Palácio dos Marqueses da Praia e Monforte, Loures 14 de abril de 2015 Indicadores sobre o álcool em Portugal e no mundo Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos

Leia mais

A evolução dos impostos nos países da OCDE, no período de 1990 a 2003: Comparação com Portugal

A evolução dos impostos nos países da OCDE, no período de 1990 a 2003: Comparação com Portugal A evolução dos impostos nos países da OCDE, no período de 1990 a 2003: Comparação com Portugal 0 Sumário e conclusões 1 - O peso das receitas fiscais totais no PIB 2 O peso dos impostos sobre o rendimento

Leia mais

Empreender em Portugal: Rumo a um Empreendedorismo Sustentado

Empreender em Portugal: Rumo a um Empreendedorismo Sustentado Empreender em Portugal: Rumo a um Empreendedorismo Sustentado Patrícia Jardim da Palma Professora Universitária no ISCSP Coordenadora do Hélios Directora do INTEC ppalma@iscsp.utl.pt Agenda O empreendedorismo

Leia mais

JCR e Fator de Impacto Chegaram Para Ficar. Como viver Com Eles

JCR e Fator de Impacto Chegaram Para Ficar. Como viver Com Eles JCR e Fator de Impacto Chegaram Para Ficar. Como viver Com Eles Rogerio Meneghini Programa SciELO FAP-Fundação de Apoio à Universidade Federal de São Paulo National International Periódicos de Editoras

Leia mais

ASPECTOS DA ROTULAGEM AMBIENTAL PROJETO DE COOPERAÇÃO ENTRE SECEX/UNIÃO. CURSO DE CAPACITAÇÃO SETOR PRIVADO ABTCP/ SÃO PAULO 02/03/2010 e 03/03/2010

ASPECTOS DA ROTULAGEM AMBIENTAL PROJETO DE COOPERAÇÃO ENTRE SECEX/UNIÃO. CURSO DE CAPACITAÇÃO SETOR PRIVADO ABTCP/ SÃO PAULO 02/03/2010 e 03/03/2010 ASPECTOS DA ROTULAGEM AMBIENTAL PROJETO DE COOPERAÇÃO ENTRE SECEX/UNIÃO EUROPÉIA/PNUMA CURSO DE CAPACITAÇÃO SETOR PRIVADO ABTCP/ SÃO PAULO 02/03/2010 e 03/03/2010 Rotulagem Ambiental: O que é isto? É a

Leia mais

INTERNACIONALIZAÇÃO DA CIÊNCIA E DA PÓS-GRADUAÇÃO: AVANÇOS E DESAFIOS

INTERNACIONALIZAÇÃO DA CIÊNCIA E DA PÓS-GRADUAÇÃO: AVANÇOS E DESAFIOS ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS GRADUANDOS II SEMINÁRIO: INTERNACIONALIZAÇÃO DA CIÊNCIA BRASILEIRA INTERNACIONALIZAÇÃO DA CIÊNCIA E DA PÓS-GRADUAÇÃO: AVANÇOS E DESAFIOS Prof. Dr. Joviles Vitorio Trevisol Presidente

Leia mais

3 A economia na sociedade actual

3 A economia na sociedade actual 3 A economia na sociedade actual 3.1. A evolução económica da humanidade Leituras: [D] I, II e III; [S] cap. 27 3.2. Efeitos sociais do desenvolvimento Leituras: [N] 6; [S] cap. 28 3 A economia na sociedade

Leia mais

Empreendedorismo em Israel. Gilberto Sarfati

Empreendedorismo em Israel. Gilberto Sarfati Empreendedorismo em Israel Gilberto Sarfati gilberto.sarfati@fgv.br Empreendedorismo O empreendedor é aquele que gera valor através da criação ou expansão da atividade econômica identificando novos produtos,

Leia mais

BEPS e suas consequências imediatas no Brasil. 23 de junho de 2017

BEPS e suas consequências imediatas no Brasil. 23 de junho de 2017 BEPS e suas consequências imediatas no Brasil 23 de junho de 2017 Brasil e OCDE - BEPS Page 2 A iniciativa BEPS Os relatórios finais do BEPS a posição do Brasil Em 5 de outubro de 2015 a OCDE publicou

Leia mais

O diferencial de corrente manual SHK e SHK+

O diferencial de corrente manual SHK e SHK+ O diferencial de corrente manual SHK e SHK+ O diferencial de corrente manual SHK oferece um amplo espetro de possibilidades de utilização, sendo independente de um abastecimento de corrente. O modo de

Leia mais

ESPANHA Porta de acessoà Europa para as multinacionais brasileiras

ESPANHA Porta de acessoà Europa para as multinacionais brasileiras ESPANHA Porta de acessoà Europa para as multinacionais brasileiras Existem muitas empresas e investimentos espanhóis no Brasil. É a hora de ter investimentos brasileiros na Espanha Presidente Lula da Silva,

Leia mais

Seminário Qualidade do Ar Interior Porto, 4 de Junho de 2009

Seminário Qualidade do Ar Interior Porto, 4 de Junho de 2009 Seminário Qualidade do Ar Interior Porto, 4 de Junho de 2009 O Subsistema da Normalização do SPQ O IPQ é o Organismo Nacional de Normalização, desenvolvendo a coordenação global do Subsistema da Normalização

Leia mais

SGA. Introdução. Qualidade PLANEAMENTO SGA Aspectos ISO SGA por. Níveis. Sistemas. Integrados. Sistemas. Sustentáveis.

SGA. Introdução. Qualidade PLANEAMENTO SGA Aspectos ISO SGA por. Níveis. Sistemas. Integrados. Sistemas. Sustentáveis. por DO DESENVOLVIMENTO DO À SISTEMAS DE GESTÃO DO AMBIENTE 2004/2005 4.3 - PLANEAMENTO 4.3.1 - Aspectos Ambientais 4.3.2 - Requisitos Legais por e Outros Requisitos 4.3.3 - Objectivos e metas 4.3.4 - Programa

Leia mais

ESPANHA Porta de acesso à Europa para as multinacionais brasileiras

ESPANHA Porta de acesso à Europa para as multinacionais brasileiras ESPANHA Porta de acesso à Europa para as multinacionais brasileiras ESPANHA: UM PAÍS QUE SAIU DA CRISE Crecemento do PIB espanhol 4 3 2 1 0-1 -2-3 0.1 0.3 0.5 0.5 0.7 0.9 1 0.8-0.1 0-0.4-0.3-0.5-0.4-0.6-0.6-0.5-0.3-0.3-0.10.3-0.9-0.8-1

Leia mais

Desafios Futuros dos Investimentos dos Fundos de Pensão. José Antonio Gragnani

Desafios Futuros dos Investimentos dos Fundos de Pensão. José Antonio Gragnani Desafios Futuros dos Investimentos dos Fundos de Pensão José Antonio Gragnani Patrimônio dos Fundos de Pensão como proporção do PIB em 2014 (%) Países membros da OCDE Países não membros da OCDE O Patrimônio

Leia mais

Tecnologia Conectividade

Tecnologia Conectividade Funcionalidade de Alimentos como Ferramenta de Marketing Mª Engª Alexia Hoppe I Mostra de Ciência e Tecnologia TecnoDohms Porto Alegre, Maio 2012 Tecnologia Conectividade Geração Y: valores e atitudes

Leia mais

MVNO Operadoras Virtuais no Brasil. Conhecendo o usuário brasileiro. Valter Wolf 18 de Novembro de 2010

MVNO Operadoras Virtuais no Brasil. Conhecendo o usuário brasileiro. Valter Wolf 18 de Novembro de 2010 MVNO Operadoras Virtuais no Brasil Conhecendo o usuário brasileiro Valter Wolf 18 de Novembro de 2010 O estudo A&R contempla 17 países com mais de 20 mil entrevistas, agrupadas em 3 categorias: Mature,

Leia mais

Fluxo internacional de capitais. Reinaldo Gonçalves

Fluxo internacional de capitais. Reinaldo Gonçalves Fluxo internacional de capitais Reinaldo Gonçalves reinaldogoncalves1@gmail.com Sumário 1. Movimento internacional de fatores de produção 2. Funções 3. Taxonomia 4. Capital de curto prazo 5. Reservas internacionais

Leia mais

A Ética em Processos de Expatriação 24 de Outubro de Mauricio Rossi

A Ética em Processos de Expatriação 24 de Outubro de Mauricio Rossi A Ética em Processos de Expatriação 24 de Outubro de 2012 Mauricio Rossi Roche - Valores e Competências de Liderança Valores Roche Competências de Liderança Integridade Foco para Criar Valor Coragem Mobilizar

Leia mais

Luis Magalhães Presidente da UMIC Agência para a Sociedade do Conhecimento, IP

Luis Magalhães Presidente da UMIC Agência para a Sociedade do Conhecimento, IP e-ciência em Portugal IBERCIVIS: Lançamento do projecto SOLUVEL e apresentação de resultados do projecto AMILOIDE Museu da Ciência, U. de Coimbra, 1 de Julho de 211 Luis Magalhães Presidente da UMIC Agência

Leia mais

A importância e desafios da agricultura na economia regional. Assessoria Econômica

A importância e desafios da agricultura na economia regional. Assessoria Econômica A importância e desafios da agricultura na economia regional Assessoria Econômica A Agricultura é importante para o crescimento e desenvolvimento econômico ou é apenas fornecedora de alimentos? Taxa Média

Leia mais

A incerteza da renovação das concessões e os investimentos em infraestrutura

A incerteza da renovação das concessões e os investimentos em infraestrutura A incerteza da renovação das concessões e os investimentos em infraestrutura Corporação Cemig Áreas de Atuação: Geração, transmissão, comercialização e distribuição de energia elétrica Exploração e Distribuição

Leia mais

Políticas para Inovação no Brasil

Políticas para Inovação no Brasil Políticas para Inovação no Brasil Naercio Menezes Filho Centro de Políticas Públicas do Insper Baixa Produtividade do trabalho no Brazil Relative Labor Productivity (GDP per Worker) - 2010 USA France UK

Leia mais

useful phone numbers Students Union Associação Académica da Universidade da Beira Interior

useful phone numbers Students Union Associação Académica da Universidade da Beira Interior useful phone numbers Students Union Associação Académica da Universidade da Beira Interior Headquarters: Rua Senhor da Paciência, 39 6200-158 Covilhã Portugal Telephone: +351 275 319 530 Fax: +351 275

Leia mais

Embalagens e Resíduos de Embalagem

Embalagens e Resíduos de Embalagem III Conferência Internacional de Resíduos Sólidos Urbanos DA NOVA DIRECTIVA À SOCIEDADE EUROPEIA DA RECICLAGEM A RESPONSABILIDADE ALARGADA DO PRODUTOR Embalagens e Resíduos de Embalagem Manuel Pássaro

Leia mais

Da Ciência que Sonha ao Verso que Investiga

Da Ciência que Sonha ao Verso que Investiga Aula 1 Da Ciência que Sonha ao Verso que Investiga Glauco Arbix Depto de Sociologia USP Optativa 1º sem. 2016 Cinco Imagens do Brasil Desigualdade coeficiente de Gini 0,65 0,64 0,63 0,62 0,61 0,60 0,59

Leia mais

Sistemas DYWIDAG 36mm

Sistemas DYWIDAG 36mm Sistemas DYWIDAG 36mm SISTEMA DYWIDAG 36mm As barras e componentes DYWIDAG excedem os limites requeridos pelas normas brasileiras. Sua rosca robusta proporciona máxima aderência aço/concreto, única no

Leia mais

Universidade de São Paulo Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Departamento de Ciência Política

Universidade de São Paulo Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Departamento de Ciência Política Universidade de São Paulo Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Departamento de Ciência Política FLS 5028 Métodos Quantitativos e Técnicas de Pesquisa em Ciência Política FLP0406 Métodos e

Leia mais

Sociedade Portuguesa para o

Sociedade Portuguesa para o Prevalência e Monitorização da Obesidade e do Controlo do Peso Prevalência da Obesidade Índice de Massa Corporal (IMC) Excesso de Peso 25-30 kg/m 2 Obesidade >30 kg/m 2 Exemplo: Mulher com 1,65 m 68-82

Leia mais

CISCO ETHERNET PARA A FÁBRICA

CISCO ETHERNET PARA A FÁBRICA OVERVIEW CISCO ETHERNET PARA A FÁBRICA A solução Ethernet para a Fábrica (EttF) da Cisco é um componente da visão Rede Inteligente para Manufatura (INM) da Cisco. Ela elimina a distância entre o escritório

Leia mais

Global leader in hospitality consulting. Global Hotel Market Sentiment Survey 1 Semestre 2014 BRASIL

Global leader in hospitality consulting. Global Hotel Market Sentiment Survey 1 Semestre 2014 BRASIL Global leader in hospitality consulting Global Hotel Market Sentiment Survey 1 Semestre 2014 BRASIL % DE RESPOSTAS POR REGIÃO INTRODUÇÃO Américas 19% Ásia 31% A pesquisa global de opinião sobre o mercado

Leia mais

Custos com medicamentos em países da OCDE. Pedro Pita Barros

Custos com medicamentos em países da OCDE. Pedro Pita Barros Custos com medicamentos em países da OCDE Pedro Pita Barros Tema muito vasto Escolhi fazer uma digressão pelo que nos dizem os números das despesas com medicamentos nos países da OCDE Fonte: OECD Health

Leia mais

SISTEMA GEWI 50mm PROPRIEDADES DO SISTEMA

SISTEMA GEWI 50mm PROPRIEDADES DO SISTEMA Sistemas GEWI 50mm SISTEMA GEWI 50mm O sistema GEWI é composto por barras e componentes de ancoragem de alta capacidade. Possuem rosca esquerda, duplo filetada e robusta, por toda sua extensão. Esta característica

Leia mais

Os desafios da competitividade industrial e o Plano Brasil Maior

Os desafios da competitividade industrial e o Plano Brasil Maior Os desafios da competitividade industrial e o Plano Brasil Maior Jackson De Toni Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial Abril de 2013 jackson.detoni@abdi.com.br Os desafios da competitividade

Leia mais

Diâmetro Nominal mm

Diâmetro Nominal mm Sistemas GEWI SISTEMAS GEWI O sistema GEWI é composto por barras e componentes de ancoragem de alta capacidade. Possuem rosca esquerda duplo filetada e robusta por toda sua extensão, característica vantajosa

Leia mais

DESPESA EM I&D E Nº DE INVESTIGADORES EM 2007 EM PORTUGAL

DESPESA EM I&D E Nº DE INVESTIGADORES EM 2007 EM PORTUGAL DESPESA EM I&D E Nº DE INVESTIGADORES EM 2007 EM PORTUGAL Súmula dos dados provisórios do Inquérito ao Potencial Científico e Tecnológico Nacional, IPCTN, 2007 I DESPESA 1. Despesa em I&D nacional total

Leia mais

FONTES DE FINANCIAMENTO PARA OS ESTUDANTES DA EDUCAÇAO SUPERIOR PRIVADA CAMARA DOS DEPUTADOS AUDIENCIA PUBLICA 25 DE OUTUBRO DE 2016

FONTES DE FINANCIAMENTO PARA OS ESTUDANTES DA EDUCAÇAO SUPERIOR PRIVADA CAMARA DOS DEPUTADOS AUDIENCIA PUBLICA 25 DE OUTUBRO DE 2016 FONTES DE FINANCIAMENTO PARA OS ESTUDANTES DA EDUCAÇAO SUPERIOR PRIVADA CAMARA DOS DEPUTADOS AUDIENCIA PUBLICA 25 DE OUTUBRO DE 2016 Fluxograma de Recursos Na Teoria: O Espírito do Financiamento Estudantil

Leia mais

Memória Empresarial e seu impacto na Cultura e Reputação

Memória Empresarial e seu impacto na Cultura e Reputação RepTrak is a registered trademark of Reputation Institute 2013 Reputation Institute, all rights reserved Memória Empresarial e seu impacto na Cultura e Reputação O Reputation Institute Sw eden Canada United

Leia mais

Bra Top: BT 3331 Color: 160 Short: SH 4069 Color: 160

Bra Top: BT 3331 Color: 160 Short: SH 4069 Color: 160 Rio Collection 1 2 3 4 Bra Top: BT 3331 Color: 160 Short: SH 4069 Color: 160 5 6 Tank Top: TT 4286 Color: 477 Bra Top: BT 3331 Color: 160 Legging: LE 4069 Color: 160 Rio Collection Bra Top: BT 3331 Color:

Leia mais

A sua rede está pronta?

A sua rede está pronta? Cisco Services. Making Networks Work. Better Together. service providers O mundo está mudando. customer satisfaction. powered by O mundo está mudando. Lifecycle Services de Cisco OTIMIZAÇÃO OPERAÇÃO PREPARAÇÃO

Leia mais

INSTRUÇÕES DO UTILIZADOR UE403. Aparelho de comutação de segurança

INSTRUÇÕES DO UTILIZADOR UE403. Aparelho de comutação de segurança INSTRUÇÕES DO UTILIZADOR Aparelho de comutação de segurança pt Instruções do utilizador Esta obra é protegida pelos direitos de autor. Os direitos daí resultantes permanecem na firma SICK AG. A SICK AG

Leia mais

A identificação do ilícito penal e a recolha de prova no âmbito do cibercrime

A identificação do ilícito penal e a recolha de prova no âmbito do cibercrime A identificação do ilícito penal e a recolha de prova no âmbito do cibercrime David Silva Ramalho Congresso de Propriedade Intelectual Lisboa, 26 de Setembro de 2014 O CIBERCRIME 01 It is known of all

Leia mais

Desafios da Produtividade no Brasil e as Inovações

Desafios da Produtividade no Brasil e as Inovações Desafios da Produtividade no Brasil e as Inovações Jorge Arbache U n B e B N D E S F D C, 1 1 / 1 2 / 2 0 1 3 A s o p i n i õ e s a q u i a p r e s e n t a d a s n ã o r e p r e s e n t a m n e c e s s

Leia mais

CARTA DO DIRETOR-EXECUTIVO

CARTA DO DIRETOR-EXECUTIVO P CARTA DO DIRETOR-EXECUTIVO RELATÓRIO SOBRE O MERCADO CAFEEIRO Maio de 2009 O impacto do déficit da produção colombiana continuou a influenciar o mercado, e em maio de 2009 a alta dos preços do café foi

Leia mais

Evolução Nacional e Comparações Internacionais

Evolução Nacional e Comparações Internacionais Forum para a Sociedade da Informação 10 de Março de 2006 Evolução Nacional e Comparações Internacionais Facilitação da Compra de Computador com Ligação à Internet por Famílias com Estudantes Dedução fiscal

Leia mais