PARVEST EQUITY WORLD EMERGING

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PARVEST EQUITY WORLD EMERGING"

Transcrição

1 Subfundo da SICAV PARVEST, Sociedade de Investimento de Capital Variável Prospecto simplificado Setembro de 2010 Este prospecto simplificado contém as informações gerais relativas ao subfundo e à PARVEST ( SICAV ). Para informações complementares, pode obter a última versão em vigor do prospecto completo, em qualquer momento e sem encargos, bem como os relatórios anuais e semestrais, na sede social da SICAV ou em Todas as referências presentes neste documento a anexos ou capítulos entendem-se como relativas ao prospecto completo. GESTÃO E DIVISA DE REFERÊNCIA Gestor BNP Paribas Asset Management, Paris, França Divisa de Referência USD POLÍTICA DE INVESTIMENTO E RISCOS Objectivo de investimento: Maximizar a valorização dos activos a médio prazo. Política de Investimento: O subfundo investe pelo menos 2/3 dos seus activos em acções ou títulos assimiláveis a acções de empresas que tenham sede social ou realizem parte significativa da sua actividade económica em países emergentes (países cobertos pelos índices MSCI Emerging Markets ou MSCI Frontier Markets), e também em instrumentos financeiros derivados sobre esse tipo de activos. A parte restante, correspondente no máximo a 1/3 dos seus activos, pode ser investida em quaisquer outros valores mobiliários, em instrumentos do mercado monetário, em instrumentos financeiros derivados ou em activos líquidos e, até ao limite de 15% dos seus activos, em créditos de qualquer natureza, e até 10% dos activos em OICVM ou outros OIC. Actualmente, alguns mercados não são considerados mercados regulamentados, e os investimentos directos nestes mercados devem ser limitados a 10% dos activos líquidos. A Rússia é um desses mercados não regulamentados, exceptuando-se o Russian Trading System Stock Exchange ( RTS Stock Exchange ) e o Moscow Interbank Currency Exchange ( MICEX ), que são considerados mercados russos regulamentados e nos quais os investimentos directos podem ser superiores a 10% dos activos líquidos. Nos dois meses que precedam a liquidação ou fusão do subfundo é possível suspender a aplicação das disposições de investimento acima estabelecidas. Perfil de Risco dos Subfundos: Solicita-se aos potenciais investidores que leiam atentamente o prospecto na íntegra antes de efectuarem qualquer investimento. Não pode ser oferecida nenhuma garantia quanto à realização dos objectivos de investimento dos subfundos da SICAV e o seu desempenho passado não constitui garantia dos desempenhos futuros. Qualquer investimento pode igualmente ser afectado por quaisquer modificações relativas às normas em matéria de controlo de taxas de câmbio, fiscais ou de retenções na fonte, e ainda em termos de políticas económicas e monetárias. Finalmente, advertem-se os investidores de que o desempenho dos subfundos pode não ser compatível com os seus objectivos e de que o capital investido (após dedução das taxas de subscrição) pode não lhe ser restituído na íntegra. Os riscos que se aplicam especificamente ao subfundo são os descritos abaixo. 1

2 Riscos inerentes aos mercados de acções: Os riscos associados aos investimentos em acções (e instrumentos afins) abrangem flutuações significativas dos respectivos cursos, informações negativas relativas ao seu emissor ou mercado, e o carácter de subordinação das acções relativamente às obrigações emitidas pela mesma entidade. As flutuações são frequentemente amplificadas a curto prazo. O risco de uma ou mais empresas registarem recuos ou não progredirem pode ter um impacto negativo sobre o desempenho da carteira a um dado momento. Não existem garantias de que os investidores verão o valor apreciar-se. O valor dos investimentos e os rendimentos por estes gerados podem tanto aumentar como diminuir, e é possível que os investidores não recuperem o capital inicialmente investido. Não é possível assegurar que os objectivos de investimento sejam efectivamente atingidos. Certos subfundos podem investir em empresas que sejam objecto de introdução em bolsa (Initial Public Offering). O risco neste caso é que o curso das acções que acabam de ser introduzidas em bolsa demonstre uma grande volatilidade, devido a factores como a ausência de negociação pública anterior, as transacções não sazonais, o número limitado de títulos negociáveis ou a falta de informações sobre o emissor. Os subfundos podem deter tais títulos durante pouco tempo, o que implica um aumento das despesas. Os subfundos que investem em valores de crescimento (growth) podem ser mais voláteis que o conjunto dos mercados, e podem reagir de forma diferente a eventos económicos, políticos, de mercado e específicos do emissor. Os valores de crescimento apresentam tradicionalmente uma volatilidade mais elevada que os outros, sobretudo em prazos muito curtos. Estes valores podem por outro lado ser mais caros em relação à sua rendibilidade que o mercado em geral. Consequentemente, os valores de crescimento podem reagir mais violentamente a modificações da evolução da sua rendibilidade. Certos subfundos podem fundamentar os seus objectivos na amplificação dos movimentos bolsistas, o que implica uma volatilidade superior à média. O gestor pode adoptar temporariamente uma postura mais defensiva sempre que achar que existe volatilidade excessiva, declínio geral constante ou outras situações perniciosas nas bolsas ou nas economias dos países onde o subfundo invista. Nessas circunstâncias, o subfundo pode manifestar-se incapaz de prosseguir o seu objectivo de investimento. Risco da contraparte: É um risco ligado à qualidade das contrapartes com que a empresa gestora negoceie, nomeadamente, a liquidação/entrega de instrumentos financeiros ou a conclusão de contratos sobre instrumentos financeiros a prazo. Trata-se de um risco referente à capacidade das contrapartes de honrarem os seus compromissos (p. ex.: pagamento, entrega ou reembolso). Riscos de liquidez: Existe o risco de os investimentos efectuados em subfundos perderem a liquidez devido a um mercado demasiado restrito (que muitas vezes se reflecte num spread bid-ask muito elevado ou ainda em grandes movimentações de preços), à depreciação da respectiva notação ("rating") ou ainda à deterioração da situação económica. Consequentemente, esses investimentos podem não ser susceptíveis de ser adquiridos ou alienados com a rapidez suficiente para impedir ou limitar ao mínimo perdas nos subfundos. Riscos cambiais: Os subfundos comportam activos denominados em moedas diferentes da sua divisa de referência. Podem por isso ser afectados por qualquer variação de taxas de câmbio entre a sua divisa de referência e essas moedas ou por eventuais modificações no controlo das taxas de câmbio. Quando a divisa de denominação de um título se aprecia em relação à divisa de referência do subfundo, o contravalor do título nesta divisa aumenta. Inversamente, a depreciação dessa moeda implica a quebra do contravalor do título. Quando o gestor procede a operações de cobertura contra riscos de câmbio, a sua total eficácia não pode, apesar de tudo, ser garantida. Riscos inerentes aos produtos derivados: Para objectivos de cobertura (estratégia de utilização de derivados para fins de cobertura hedging) e/ou de optimização da rendibilidade da carteira (estratégia de utilização de derivados para fins de investimento trading), os subfundos podem recorrer a técnicas e instrumentos financeiros derivados, nas condições descritas nos Anexos I e II do prospecto (nomeadamente warrants sobre valores mobiliários, contratos de troca de valores mobiliários, de taxas, de câmbios, de inflação, de volatilidade e outros derivados, contracts for difference (CFD), credit default swaps (CDS), EMTN, contratos a prazo, opções sobre valores mobiliários, sobre taxas ou sobre contratos a prazo, etc.). Chamamos a atenção dos investidores para o facto de a utilização de derivados para fins de investimento (trading) ser dotada de um efeito de alavancagem. Por esse facto, a volatilidade da rendibilidade dos subfundos é acrescida. Riscos inerentes aos mercados de países emergentes e de baixa capitalização em bolsa: Os subfundos que investem em mercados emergentes, com baixa capitalização bolsista ou em sectores especializados ou restritos são susceptíveis de apresentar volatilidade acima da média, devido a um grau elevado de concentração ou à maior incerteza que resulta de quantidade inferior de informações disponíveis, de menor liquidez ou de mais elevada sensibilidade a modificações das condições do mercado (sociais, políticas e económicas). Entretanto, há certos mercados emergentes que oferecem menos segurança que a maioria dos mercados internacionais desenvolvidos. Por esta razão, as prestações relativas a transacções, a liquidação e a conservação da carteira efectuadas relativamente a fundos investidos em mercados emergentes podem ser mais arriscadas. A Instituição e os investidores aceitam correr esses riscos. 2

3 No que respeita aos investimentos no mercado russo, estes efectuam-se no "Russian Trading System Stock Exchange" ou "RTS Stock Exchange", que reúne um elevado número de emitentes russos e permite uma cobertura quase completa do universo das acções desse mercado. A opção pelo RTS Stock Exchange permite beneficiar da liquidez do mercado russo sem ter de se negociar na divisa local, uma vez que este sistema permite negociar com todos os emitentes directamente em USD. As empresas de dimensão mais reduzida podem manifestar incapacidade em gerar novos fundos que assegurem a sua expansão e desenvolvimento, ou terem falta de perspectivas no domínio da gestão, ou ainda desenvolver produtos para novos mercados incertos. Alguns desses mercados não são considerados no momento presente mercados regulamentados, e os investimentos directos neles (à excepção dos ADR e dos GDR), conjuntamente com investimentos em títulos não cotados, são limitados a 10% dos activos líquidos. Riscos inerentes aos warrants : Chama-se a atenção dos investidores para o facto de os warrants serem instrumentos complexos, voláteis e de alto risco: a possibilidade de perda total do capital investido é elevada. Por outro lado, uma das principais características dos "warrants" é o "efeito de alavancagem" que se manifesta pelo facto de as variações do valor do subjacente poderem ter efeitos desproporcionados no valor desse subjacente. Finalmente, não existe qualquer garantia de que, em caso de falta de liquidez do mercado, os warrants possam ser alienados num mercado secundário. Riscos relacionados com a inflação: Pode suceder que a rendibilidade a curto prazo dos investimentos não evolua ao mesmo ritmo que a inflação, o que se traduz na redução do poder de compra dos investidores. Riscos fiscais: O valor dos investimentos pode ser afectado pela aplicação da legislação tributária dos vários países, e nomeadamente pelas retenções na fonte, mudanças de governo ou alterações da política económica ou monetária desses estados. Consequentemente, não é possível garantir que os objectivos financeiros sejam efectivamente atingidos. Perfil dos Investidores: As acções dos subfundos da SICAV destinam-se tanto a clientes particulares como institucionais, beneficiando estes últimos de uma categoria de acções específica, a partir do momento em que os seus investimentos ultrapassem um determinado limite. CATEGORIAS ACTIVAS DE ACÇÕES Categorias de Acções Classe de capitalização Classe de distribuição Reservadas a Classic Sim Sim Pessoas colectivas e pessoas singulares I Sim Não Clientes institucionais e OIC Privilege Sim Não Pessoas colectivas e pessoas singulares N Sim Não Pessoas colectivas e pessoas singulares X (*) Sim Não Gestores, clientes institucionais e OIC Os conceitos aludidos supra são definidos como se segue: Clientes institucionais : pessoas colectivas especialmente homologadas pela SICAV que subscrevam i) por sua conta, ou ii) por conta de pessoas singulares, no âmbito de regimes colectivos de aforro ou semelhantes. Gestores : gestores, empresas que lhes estão subordinadas, assim como gestores de carteira que subscrevam unicamente no âmbito da gestão individualizada de carteira sob mandato, por conta dos seus clientes institucionais. Essas entidades, assim como os respectivos clientes institucionais, devem ser especialmente homologados pela SICAV. OIC : os OICs especialmente autorizados pela SICAV. (*) Todos os subscritores de acções da categoria X devem ser especialmente homologados pela SICAV. DESEMPENHO Os desempenhos dos subfundos com pelo menos um ano de existência são calculados com base em anos civis e livres de encargos. Contudo, não são levadas em conta as comissões e taxas que possam ter sido encaixadas aquando da emissão ou do resgate de acções Os investimentos da SICAV estão sujeitos às variações do mercado, havendo por isso o risco para os investidores de recuperarem um montante inferior ao investido. A rendibilidade no passado não garante resultados futuros. 3

4 Performance a 31/12 (líquida de despesas) Categoria Classic 30,75% 32,68% -53,71% 69,63% I 31,98% 33,94% -53,28% 71,24% Privilege 31,61% 33,46% -53,39% 70,83% N 29,78% 31,68% -54,06% 68,37% X 32,76% 34,75% -53,00% 72,26% Os dados relativos ao desempenho são comunicados classes de acções de capitalização sempre que existam, e, na sua falta, para as classes de distribuição. INVESTIMENTO MÍNIMO Montante Mínimo de Subscrição Inicial e de Categorias de Acções Detenção Montante Mínimo de Subscrição Posterior Classic Nenhum Nenhum I EUR 3 milhões por subfundo ou EUR 10 milhões em toda a SICAV Não será aplicado qualquer montante mínimo de subscrição inicial ou de detenção a subscrições provenientes de OICs Nenhum (sob reserva do respeito do limite mínimo de detenção) Privilege EUR 1 milhão por subfundo Nenhum (sob reserva do respeito do limite mínimo de detenção) N Nenhum Nenhum X Nenhum Nenhum DIREITOS E COMISSÕES Direitos/Comissões de subscrição, de resgate e de conversão: Estes direitos/comissões são suportados pelos investidores aquando das transacções mencionadas. A comissão de conversão aplica-se, se for o caso, em acréscimo a eventuais direitos de subscrição inicial e/ou de resgate final. Comissões em benefício dos subfundos Classic I Privilege N X Direito de Subscrição Inicial Nulo Nulo Nulo Nulo Nulo Direito de Resgate Final máximo para resgates/conversões de mais de 10% dos activos do subfundo em causa, em determinada Data da Avaliação Direito de Resgate Final máximo para outras transacções 1% 1% 1% 1% 1% Nulo Nulo Nulo Nulo Nulo Comissões em benefício dos distribuidores Classic I Privilege N X Comissão de Subscrição máxima 5% 5% 5% Nula 5% Comissão de Resgate Final máxima Nula Nula Nula 5% Nula Comissão de Conversão máxima entre subfundos, ou entre as categorias autorizadas do mesmo subfundo i) 2% ou ii) a diferença entre a comissão de subscrição máxima e a taxa paga na subscrição inicial 4

5 Comissões e Direitos Anuais (Total Expense Ratio ou TER): Estes direitos e comissões são proporcionais à média de activos líquidos do exercício anual, e são expressas sob a forma de percentagem desses activos. Categorias de Comissão de Comissão de Comissão de Outras TER do exercício Acções gestão máxima 1 performance distribuição máxima 2 despesas Classic 1,75% Não Não 0,35% 1,91% I 0,75% Não Não 0,30% 0,96% Privilege 1,00% Não Não 0,35% 1,20% N 1,75% Não 0,75% 0,35% 2,66% X 0% Não Não 0,30% 0,36% 1 Calculado com base no mês anterior, pela média dos activos líquidos de cada categoria de acções. Esta comissão inclui as comissões pagas aos gestores e gestores delegados. 2 A favor dos distribuidores e calculada diariamente, tendo por base os valores patrimoniais líquidos do dia. 3 Serve de forma geral para suportar as despesas dos depósitos de activos (remuneração do banco depositário), de administração corrente (cálculo do VPL, manutenção de registos, domiciliação, etc.), à excepção das comissões de corretagem, das comissões de transacções não relacionadas com o depósito, dos juros e despesas bancárias, das despesas extraordinárias e da taxa de assinatura em vigor no Luxemburgo, bem como de quaisquer outros impostos que possam incumbir à SICAV. POLÍTICA EM MATÉRIA DE TRANSACÇÕES Valor Patrimonial Líquido: A cada dia útil bancário no Luxemburgo ( Data de Avaliação ) corresponde um valor patrimonial líquido datado dessa Data de Avaliação, mas calculado e comunicado no dia útil bancário subsequente à Data de Avaliação (a seguir designado por Data de Cálculo ). De acordo com as regras a seguir estipuladas, as ordens de subscrição, resgate e conversão são executadas com base num valor patrimonial líquido desconhecido, tomando em conta exclusivamente os dias úteis e a hora do Luxemburgo: Centralização das Ordens Data do Valor Patrimonial Líquido para Execução das Ordens Data de Cálculo e de Comunicação do Valor Patrimonial Líquido Data de Pagamento Divisas de cotação do VPL e de pagamento de subscrições/resgates Véspera da Data de Avaliação, 15 horas Data de Avaliação (D) Dia seguinte à Data de Avaliação (D+1) Quatro dias úteis após a Data de Avaliação, máximo (D+4) EUR e USD As acções do subfundo podem ser subscritas e resgatadas pelo Valor Patrimonial Líquido da Data da Avaliação aplicável. O Valor Patrimonial Líquido aplicável às subscrições pode ser acrescido de um eventual direito de subscrição inicial e/ou de uma comissão de subscrição ou de distribuição. Do Valor Patrimonial Líquido aplicável aos resgates, pode ser deduzida uma comissão de resgate em benefício do Distribuidor e/ou um direito de resgate final em favor da SICAV. As categorias e classes de acções que podem ser subscritas através de planos individuais de poupança são indicadas, conforme o caso, nos prospectos e/ou nas adendas aos prospectos e/ou nos impressos de subscrição aplicáveis nos países em que a comercialização é autorizada. As taxas e comissões cobradas no âmbito de planos individuais de poupança não podem em caso algum serem imputadas em mais de um terço à soma paga durante o primeiro ano desses planos individuais de poupança. Recomenda-se aos investidores que se informem acerca dos encargos e despesas em que podem incorrer em operações de subscrição ou de resgate, ao recorrer à intermediação de um agente pagador estabelecido numa jurisdição em que as acções estão disponíveis. Todos os valores patrimoniais líquidos estão disponíveis na sede social da SICAV, bem como junto do Agente Administrativo, nos bancos que actuam na qualidade de agentes pagadores e no site Internet Conversão de Acções em Acções de Outros Subfundos: As condições relativas às subscrições e aos resgates aplicamse igualmente às conversões de acções. A conversão pode ser definida como uma transacção simultânea de resgate e de subscrição de acções. Consequentemente, tal transacção pode apenas ser executada na primeira Data de Avaliação comum aos subfundos envolvidos na referida conversão. As conversões de acções só são possíveis quando as restrições aplicáveis à nova categoria ou classe subscrita (montantes mínimos de investimento, investidores elegíveis, etc.) tiverem sido respeitadas. 5

6 REGIME FISCAL Nos termos da legislação e dos regulamentos actualmente em vigor, a SICAV está sujeita a taxa de inscrição. À data do presente prospecto, a taxa anual é de 0,05%, à excepção dos subfundos PARVEST Short Term CHF, PARVEST Short Term USD, PARVEST Short Term Euro e PARVEST Short Term GBP, da categoria X e das categorias de acções disponibilizadas exclusivamente a Institucionais e OICs (de acordo com o capítulo IV.1.A), que estão sujeitas à taxa anual de 0,01%. A taxa é calculada e paga trimestralmente, tendo por base o valor líquido dos activos da SICAV no final do trimestre em causa. Os rendimentos encaixados pela SICAV estão eventualmente sujeitos a retenção na fonte no país de origem, só entrando nos cofres da SICAV após dedução do montante em questão. Esse montante não é imputável nem recuperável. Desde 1 de Julho de 2005, de acordo com a lei luxemburguesa de 21 de Junho de 2005, que faz a transposição para o direito luxemburguês da directiva comunitária 2003/48/CE de 3 de Junho de 2003 sobre a tributação de rendimentos provenientes de poupança sob forma de pagamento de juros, é passível de retenção na fonte o pagamento de rendimentos de poupança sob forma de remuneração de juros efectuados por agente pagador no Luxemburgo a favor de beneficiários efectivos, pessoas singulares, com residência fiscal em outro Estado-membro da União Europeia. No Luxemburgo, a taxa de retenção na fonte para esses rendimentos é de 15% até 30 de Junho de 2008, de 20% até 30 de Junho de 2011, e de 35% a partir de 1 de Julho de Os subscritores devem efectuar, por iniciativa própria, as declarações a que possam eventualmente estar obrigados nos seus países de residência fiscal. INFORMAÇÕES GERAIS Estatuto Jurídico Subfundo da PARVEST. A PARVEST é uma sociedade de investimento de capital variável com subfundos múltiplos criada por iniciativa do Grupo BNP Paribas ao abrigo do direito luxemburguês. A SICAV está homologada ao abrigo da lei luxemburguesa de 20 de Dezembro de 2002 relativa aos organismos de investimento colectivo. A SICAV foi constituída no Luxemburgo a 27 de Março de 1990, por prazo indeterminado. Exercício Social O exercício social tem início a 1 de Março e termo no último dia do mês de Fevereiro de cada ano. Sede social 33, rue de Gasperich, L-5826 Howald-Hesperange, Promotor BNP Paribas S.A., 16, boulevard des Italiens, F Paris, França Sociedade Gestora BNP Paribas Investment Partners Luxembourg, 33, rue de Gasperich, L-5826 Howald-Hesperange, Grão-Ducado do Luxemburgo Gestor BNP Paribas Asset Management, 1, boulevard Haussmann, F Paris, França Banco Depositário BNP Paribas Securities Services, sucursal do Luxemburgo, 33, rue de Gasperich, L-5826 Howald-Hesperange, Revisor de Contas PricewaterhouseCoopers, 400, route d Esch, L-1014 Luxembourg, Autoridade de Supervisão Commission de Surveillance du Secteur Financier, 110, route d Arlon, L-2991 Luxembourg, 6

PARVEST BOND EURO GOVERNMENT

PARVEST BOND EURO GOVERNMENT Subfundo da SICAV PARVEST, Sociedade de Investimento de Capital Variável Prospecto simplificado Setembro de 200 Este prospecto simplificado contém as informações gerais relativas ao subfundo e à PARVEST

Leia mais

PARVEST EQUITY TURKEY

PARVEST EQUITY TURKEY Subfundo da SICAV PARVEST, Sociedade de Investimento de Capital Variável Prospecto simplificado Setembro de 2010 Este prospecto simplificado contém as informações gerais relativas ao subfundo e à PARVEST

Leia mais

PARVEST USA LS30. Prospecto simplificado Abril de 2008

PARVEST USA LS30. Prospecto simplificado Abril de 2008 PARVEST USA LS30 Subfundo da SICAV PARVEST, Sociedade de Investimento de Capital Variável O subfundo Parvest USA LS30 foi lançado a 30 de Outubro de 2007. Prospecto simplificado Abril de 2008 Este prospecto

Leia mais

PROSPECTO SIMPLIFICADO JUNHO DE 2005

PROSPECTO SIMPLIFICADO JUNHO DE 2005 PARVEST Absolute Return Plus (Euro) Sub-fundo da PARVEST, Sociedade Luxemburguesa de Investimento de Capital Variável (a seguir designada por "SICAV") Constituída no dia 27 de Março de 1990 PROSPECTO SIMPLIFICADO

Leia mais

PARVEST China Subfundo da PARVEST, sociedade luxemburguesa de investimento de capital variável (a seguir, a SICAV ) Estabelecida a 27 de Março de 1990

PARVEST China Subfundo da PARVEST, sociedade luxemburguesa de investimento de capital variável (a seguir, a SICAV ) Estabelecida a 27 de Março de 1990 PARVEST China Subfundo da PARVEST, sociedade luxemburguesa de investimento de capital variável (a seguir, a SICAV ) Estabelecida a 27 de Março de 1990 PROSPECTO SIMPLIFICADO FEVEREIRO DE 2006 Este prospecto

Leia mais

PROSPECTO SIMPLIFICADO SETEMBRO DE 2006 DESCRIÇÃO GERAL

PROSPECTO SIMPLIFICADO SETEMBRO DE 2006 DESCRIÇÃO GERAL PARVEST Europe Real Estate Subfundo da PARVEST, sociedade luxemburguesa de investimento de capital variável (a seguir, a SICAV ) Estabelecida a 27 de Março de 1990 PROSPECTO SIMPLIFICADO SETEMBRO DE 2006

Leia mais

CAAM Funds Global Quant

CAAM Funds Global Quant CAAM Funds Global Quant PROSPECTO SIMPLIFICADO Abril de 2009 Este prospecto simplificado contém informações sobre o CAAM Funds Global Quant, um subfundo (o "SubFundo") da CAAM Funds (o "Fundo"), um agrupamento

Leia mais

PARTE A: INFORMAÇÕES DE CARÁCTER GERAL

PARTE A: INFORMAÇÕES DE CARÁCTER GERAL Crédit Agricole Funds - EUROSTOCKS O Crédit Agricole Funds é um OICVM umbrella constituído ao abrigo da Parte I da Lei de 20 de Dezembro de 2002, conforme alterada Sede social: 39, Allée Scheffer, L-2520

Leia mais

Sub-Fundo do JPMorgan Funds (o Fundo ), SICAV constituída nos termos da lei do Grão-Ducado do Luxemburgo.

Sub-Fundo do JPMorgan Funds (o Fundo ), SICAV constituída nos termos da lei do Grão-Ducado do Luxemburgo. JPMorgan Funds Global Socially Responsible Fund (o Sub-Fundo ) prospecto simplificado janeiro de 2007 Sub-Fundo do JPMorgan Funds (o Fundo ), SICAV constituída nos termos da lei do Grão-Ducado do Este

Leia mais

JPMorgan Funds JF Hong Kong Fund (o Sub-Fundo )

JPMorgan Funds JF Hong Kong Fund (o Sub-Fundo ) JPMorgan Funds JF Hong Kong Fund (o Sub-Fundo ) prospecto simplificado janeiro de 2007 Sub-Fundo do JPMorgan Funds (o Fundo ), SICAV constituída nos termos da lei do Grão-Ducado do Este prospecto simplificado

Leia mais

Crédit Agricole Funds Euro Corporate Bond

Crédit Agricole Funds Euro Corporate Bond Crédit Agricole Funds Euro Corporate Bond PROSPECTO SIMPLIFICADO DEZEMBRO 2006 Este prospecto simplificado contém informações sobre o Crédit Agricole Funds Euro Corporate Bond, um subfundo (doravante designado

Leia mais

Ou seja, na data de maturidade, o valor garantido por unidade de participação será aquele que resulta da aplicação da seguinte fórmula:

Ou seja, na data de maturidade, o valor garantido por unidade de participação será aquele que resulta da aplicação da seguinte fórmula: 1.Tipo e Duração 2.Entidade Gestora 3.Consultores de Fundo de Capital Garantido Aberto, constituído em Portugal. A sua constituição foi autorizada pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, em 12/

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las. Designação: VICTORIA PPR Acções

Leia mais

AMUNDI FUNDS Dynarbitrage Forex

AMUNDI FUNDS Dynarbitrage Forex Formatted Table AMUNDI FUNDS Dynarbitrage Forex Prospecto Simplificado - Novembro 2010 Este prospecto simplificado contém informações sobre o Amundi Funds Dynarbitrage Forex, um subfundo (o "SubFundo")

Leia mais

Condições e Termos Particulares de Comercialização de Fundos da ComStage utilizados pelo Distribuidor Commerzbank Aktiengesellschaft em Portugal

Condições e Termos Particulares de Comercialização de Fundos da ComStage utilizados pelo Distribuidor Commerzbank Aktiengesellschaft em Portugal Condições e Termos Particulares de Comercialização de Fundos da ComStage utilizados pelo Distribuidor Commerzbank Aktiengesellschaft em Portugal Setembro 2014 I. Colocação e Comercialização em Portugal

Leia mais

JPMorgan Investment Funds Global Healthtech Fund (o Sub-Fundo )

JPMorgan Investment Funds Global Healthtech Fund (o Sub-Fundo ) JPMorgan Investment Funds Global Healthtech Fund (o Sub-Fundo ) prospecto simplificado agosto de 2006 Sub-Fundo do JPMorgan Investment Funds (o Fundo ), SICAV constituída nos termos da lei do Grão-Ducado

Leia mais

DOCUMENTO INFORMATIVO EUR BES DUAL 5%+ÁFRICA FEVEREIRO 2011 NOTES PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

DOCUMENTO INFORMATIVO EUR BES DUAL 5%+ÁFRICA FEVEREIRO 2011 NOTES PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Advertências ao investidor: Remuneração não garantida DOCUMENTO INFORMATIVO EUR BES DUAL 5%+ÁFRICA FEVEREIRO 2011 NOTES PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Impossibilidade de solicitação de reembolso antecipado

Leia mais

Prospecto simplificado do subfundo

Prospecto simplificado do subfundo Prospecto simplificado do subfundo Fundo de investimento de direito luxemburguês («Fonds commun de placement») Constituído conforme a parte I da lei de 20/12/2002 relativa aos organismos de investimento

Leia mais

DOCUMENTO INFORMATIVO EUR BES ENERGIA 2011-2015 NOTES PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

DOCUMENTO INFORMATIVO EUR BES ENERGIA 2011-2015 NOTES PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO DOCUMENTO INFORMATIVO EUR BES ENERGIA 2011-2015 NOTES PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Advertências ao investidor: Remuneração não garantida Impossibilidade de solicitação de reembolso antecipado por parte

Leia mais

. FUNDOS DE INVESTIMENTO

. FUNDOS DE INVESTIMENTO . FUNDOS 7.. F DE INVESTIMENTO 7. Fundos de Investimento O QUE É UM FUNDO DE INVESTIMENTO? Um fundo de investimento é um património que pertence a várias pessoas, destinado ao investimento em determinados

Leia mais

Informação Importante

Informação Importante Informação Importante Independentemente das condições de prestação de serviços bancários, de investimento, de recepção e transmissão de ordens por conta de outrem, cujos termos se encontram expressos nas

Leia mais

Informações Fundamentais Destinadas aos Investidores (IFI)

Informações Fundamentais Destinadas aos Investidores (IFI) Informações Fundamentais Destinadas aos Investidores (IFI) O presente documento fornece as informações fundamentais destinadas aos investidores sobre este Fundo. Não é material promocional. Estas informações

Leia mais

TAXA GARANTIDA 3ª SÉRIE

TAXA GARANTIDA 3ª SÉRIE TAXA GARANTIDA 3ª SÉRIE PROSPECTO SIMPLIFICADO ICAE INSTRUMENTO DE CAPTAÇÃO DE AFORRO ESTRUTURADO (NÃO NORMALIZADO) Os elementos constantes deste Prospecto Simplificado reportam-se a 30 de Abril de 2009

Leia mais

INVESTIMENTO ACTIVO MAIS OBRIGAÇÕES

INVESTIMENTO ACTIVO MAIS OBRIGAÇÕES Breve Descrição do Produto O é um produto financeiro complexo composto por 50% do investimento num Depósito a Prazo a 180 dias, não renovável, com uma taxa de juro de 4% (TANB Taxa Anual Nominal Bruta),

Leia mais

Os riscos do INVESTIMENTO ACTIVO MAIS, produto financeiro complexo, dependem dos riscos individuais associados a cada um dos produtos que o compõem.

Os riscos do INVESTIMENTO ACTIVO MAIS, produto financeiro complexo, dependem dos riscos individuais associados a cada um dos produtos que o compõem. Breve Descrição do produto O é um produto financeiro complexo composto por 50% do investimento num Depósito a Prazo a 180 dias, não renovável, com uma taxa de juro de 4% (TANB Taxa Anual Nominal Bruta),

Leia mais

O investimento em instrumentos financeiros tem sempre associado uma rendibilidade potencial e um risco implícito.

O investimento em instrumentos financeiros tem sempre associado uma rendibilidade potencial e um risco implícito. INFORMAÇÕES GERAIS. O investimento em instrumentos financeiros tem sempre associado uma rendibilidade potencial e um risco implícito. A rendibilidade é a taxa de rendimento gerado pelo investimento durante

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las 3Y WIN Brasil, Rússia, Austrália

Leia mais

BNP Paribas InstiCash

BNP Paribas InstiCash PROSPECTO relativo à oferta permanente de acções no FUNDO DE INVESTIMENTO SEGMENTADO BNP Paribas InstiCash Sociedade de Investimento de ital Variável Sujeita à Lei Luxemburguesa Julho de 2010 1 Índice

Leia mais

É disponibilizada uma cópia electrónica deste aviso no sítio Web: www.jpmorganassetmanagement.com

É disponibilizada uma cópia electrónica deste aviso no sítio Web: www.jpmorganassetmanagement.com JPMorgan Funds Société d Investissement à Capital Variable (a "Sociedade") Registered Office: 6 route de Trèves, L-2633 Senningerberg, Grand Duchy of Luxembourg R.C.S. Luxembourg B 49 663 Telephone: +352

Leia mais

TAXA GARANTIDA 1ª SÉRIE

TAXA GARANTIDA 1ª SÉRIE Prospecto Informativo TAXA GARANTIDA 1ª SÉRIE ICAE NÃO NORMALIZADO Os elementos constantes deste prospecto informativo reportam-se a 31 de Dezembro de 2009 (actualização dos ns.8, 9 e 10 da Parte III)

Leia mais

PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO DOCUMENTO INFORMATIVO EUR BES PROTECÇÃO IV 2011-2014 NOTES

PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO DOCUMENTO INFORMATIVO EUR BES PROTECÇÃO IV 2011-2014 NOTES PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO DOCUMENTO INFORMATIVO EUR BES PROTECÇÃO IV 2011-2014 NOTES Advertências ao investidor: Impossibilidade de solicitação de reembolso antecipado por parte do Investidor Risco de

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las. TODOS OS INVESTIMENTOS TÊM RISCO

Leia mais

RELATÓRIO & CONTAS Liquidação

RELATÓRIO & CONTAS Liquidação Fundo Especial de Investimento Aberto CAIXA FUNDO RENDIMENTO FIXO IV (em liquidação) RELATÓRIO & CONTAS Liquidação RELATÓRIO DE GESTÃO DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS RELATÓRIO DO AUDITOR EXTERNO CAIXAGEST Técnicas

Leia mais

Impossibilidade de reembolso antecipado, quer pelo emitente quer pelo investidor.

Impossibilidade de reembolso antecipado, quer pelo emitente quer pelo investidor. Documento Informativo Montepio Top Europa - Março 2011/2015 Produto Financeiro Complexo ao abrigo do Programa de Emissão de Obrigações de Caixa de 3 000 000 000 Advertências ao investidor: Impossibilidade

Leia mais

Não existe garantia de capital nem rendimento.

Não existe garantia de capital nem rendimento. 91-67 Informação actualizada a: 01/04/2012 Designação Comercial: Operação de Capitalização Série Nº 67 (I.C.A.E - Não normalizado) Data início de Comercialização: 07/05/2009 Empresa de Seguros Entidades

Leia mais

PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO DOCUMENTO INFORMATIVO EUR BES HEALTHCARE 2011-2014 NOTES

PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO DOCUMENTO INFORMATIVO EUR BES HEALTHCARE 2011-2014 NOTES PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO DOCUMENTO INFORMATIVO EUR BES HEALTHCARE 2011-2014 NOTES Advertências ao investidor: Remuneração não garantida Impossibilidade de solicitação de reembolso antecipado por parte

Leia mais

Produto Financeiro Complexo Documento Informativo BPI CHINA 2012-2015 ISIN: PTBBUFOM0021

Produto Financeiro Complexo Documento Informativo BPI CHINA 2012-2015 ISIN: PTBBUFOM0021 Produto Financeiro Complexo Documento Informativo BPI CHINA 2012-2015 ISIN: PTBBUFOM0021 Emissão de Obrigações ao abrigo do Euro Medium Term Note Programme de 10,000,000,000 do Banco BPI para a emissão

Leia mais

Condições Particulares de Distribuição Atrium Investimentos Sociedade Financeira de Corretagem, S.A.

Condições Particulares de Distribuição Atrium Investimentos Sociedade Financeira de Corretagem, S.A. Condições Particulares de Distribuição Atrium Investimentos Sociedade Financeira de Corretagem, S.A. I. Identificação do Distribuidor A Atrium Investimentos Sociedade Financeira de Corretagem, S.A. (doravante,

Leia mais

DOCUMENTO INFORMATIVO EUR NOTES BES MOEDAS COMMODITIES AGOSTO 2010 PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

DOCUMENTO INFORMATIVO EUR NOTES BES MOEDAS COMMODITIES AGOSTO 2010 PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Advertências ao investidor: Remuneração não garantida DOCUMENTO INFORMATIVO EUR NOTES BES MOEDAS COMMODITIES AGOSTO 2010 PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Impossibilidade de solicitação de reembolso antecipado

Leia mais

Contratos Diferenciais CFDs: Contracts For Difference

Contratos Diferenciais CFDs: Contracts For Difference Contratos Diferenciais CFDs: Contracts For Difference PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO ADVERTÊNCIA AO INVESTIDOR Risco de perda súbita total, superior ou parcial do capital investido Remuneração não garantida

Leia mais

Este depósito não garante uma remuneração mínima.

Este depósito não garante uma remuneração mínima. Designação Classificação Caracterização do Produto Garantia de Capital Garantia de Remuneração Factores de Risco Instrumentos ou variáveis subjacentesou associados Perfil de cliente recomendado Condições

Leia mais

PROSPECTO INFORMATIVO Depósito Indexado - Produto Financeiro Complexo

PROSPECTO INFORMATIVO Depósito Indexado - Produto Financeiro Complexo Designação Classificação Caixa China Invest 2015_PFC Produto Financeiro Complexo O Caixa China Invest 2015 é um depósito indexado não mobilizável antecipadamente, pelo prazo de 2 anos, denominado em Euros,

Leia mais

Depósito Indexado, denominado em Euros, pelo prazo de 6 meses (191 dias), não mobilizável antecipadamente.

Depósito Indexado, denominado em Euros, pelo prazo de 6 meses (191 dias), não mobilizável antecipadamente. Designação Classificação Depósito Indexado EUR/USD No Touch Produto Financeiro Complexo Depósito Indexado Depósito Indexado, denominado em Euros, pelo prazo de 6 meses (191 dias), não mobilizável antecipadamente.

Leia mais

Os riscos do DUETO, produto financeiro complexo, dependem dos riscos individuais associados a cada um dos produtos que o compõem.

Os riscos do DUETO, produto financeiro complexo, dependem dos riscos individuais associados a cada um dos produtos que o compõem. Advertências ao Investidor Os riscos do, produto financeiro complexo, dependem dos riscos individuais associados a cada um dos produtos que o compõem. Risco de perda total ou parcial do capital investido

Leia mais

Depósito Indexado, denominado em Euros, pelo prazo de 6 meses (178 dias), não mobilizável antecipadamente.

Depósito Indexado, denominado em Euros, pelo prazo de 6 meses (178 dias), não mobilizável antecipadamente. Designação Classificação Depósito Indexado USD 6 meses Produto Financeiro Complexo Depósito Indexado Depósito Indexado, denominado em Euros, pelo prazo de 6 meses (178 dias), não mobilizável antecipadamente.

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Eurovida Companhia de Seguros de Vida, S.A. - Sede Social: 1099-090 Lisboa - Portugal - CRCL / Pes. Col. 504 917 692 Capital Social 7.500.000 Euro Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las. TODOS OS INVESTIMENTOS TÊM RISCO

Leia mais

Relatório e Contas CARREGOSA TECHNICAL TRADING FUNDO ESPECIAL DE INVESTIMENTO ABERTO NÃO HARMONIZADO PERÍODO FINDO EM 30 DE JUNHO DE

Relatório e Contas CARREGOSA TECHNICAL TRADING FUNDO ESPECIAL DE INVESTIMENTO ABERTO NÃO HARMONIZADO PERÍODO FINDO EM 30 DE JUNHO DE Relatório e Contas CARREGOSA TECHNICAL TRADING FUNDO ESPECIAL DE INVESTIMENTO ABERTO NÃO HARMONIZADO PERÍODO FINDO EM 30 DE JUNHO DE 2011 Índice 1 Relatório de Gestão... 3 Enquadramento Geral da actividade

Leia mais

Manual do Revisor Oficial de Contas. Directriz de Revisão/Auditoria 705

Manual do Revisor Oficial de Contas. Directriz de Revisão/Auditoria 705 Directriz de Revisão/Auditoria 705 FUNDOS DE INVESTIMENTO ÍNDICE Agosto de 2006 Parágrafos Introdução 1-3 Objectivo 4-5 Particularidades e Procedimentos de Validação 6-25 Outros Deveres e Competências

Leia mais

PROSPECTO SIMPLIFICADO (actualizado a 31 de Dezembro de 2008) Designação: Liberty PPR Data início de comercialização: 19 de Abril de 2004

PROSPECTO SIMPLIFICADO (actualizado a 31 de Dezembro de 2008) Designação: Liberty PPR Data início de comercialização: 19 de Abril de 2004 PROSPECTO SIMPLIFICADO (actualizado a 31 de Dezembro de 2008) Designação: Liberty PPR Data início de comercialização: 19 de Abril de 2004 Empresa de Seguros Entidades comercializadoras Autoridades de Supervisão

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las. Contraparte: Saxo Bank. O Saxo Bank

Leia mais

A INDÚSTRIA DA GESTÃO DE ACTIVOS 2002

A INDÚSTRIA DA GESTÃO DE ACTIVOS 2002 A INDÚSTRIA DA GESTÃO DE ACTIVOS 2002 ÍNDICE 1. Caracterização da Indústria de Gestão de Activos...pág. 01 2. Evolução da Indústria de Gestão de Activos...pág. 04 2.1 A Gestão Colectiva de Activos...pág.

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las 1Y South Europe ISIN: XS1039525222

Leia mais

DB PLATINUM IV - Condições Particulares do Distribuidor

DB PLATINUM IV - Condições Particulares do Distribuidor CONDIÇÕES PARTICULARES DO DISTRIBUIDOR referente à comercialização em Portugal, pelo Deutsche Bank AG - Sucursal em Portugal de acções da DB PLATINUM IV (a) Data de autorização do Organismo de Investimento

Leia mais

Eurovida Companhia de Seguros de Vida, S.A., sociedade anónima pertencente ao Grupo Banco Seguros

Eurovida Companhia de Seguros de Vida, S.A., sociedade anónima pertencente ao Grupo Banco Seguros Data início de comercialização: 2007/05 por tempo indeterminado Empresa de Companhia de Seguros de Vida, S.A., sociedade anónima pertencente ao Grupo Banco Seguros Popular, com sede social na - 1099-090

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las. TODOS OS INVESTIMENTOS TÊM RISCO

Leia mais

Prospecto simplificado do Subfundo UBS (Lux) Bond Fund CAD

Prospecto simplificado do Subfundo UBS (Lux) Bond Fund CAD Prospecto simplificado do Subfundo UBS (Lux) Bond Fund Fundo de investimento de direito luxemburguês («Fonds commun de placement») Constituído conforme a Parte I da lei de 17/12/2010 relativa a organismos

Leia mais

Prospecto Informativo Depósito Dual China e México BBVA Novembro 2012

Prospecto Informativo Depósito Dual China e México BBVA Novembro 2012 Prospecto Informativo Depósito Dual China e México BBVA Novembro 2012 Designação Classificação Caracterização do Produto Depósito Dual China e México BBVA Produto financeiro complexo O Depósito Dual China

Leia mais

PROSPECTO SIMPLIFICADO (actualizado a 07 de Julho de 2003) FUNDO DE INVESTIMENTO MOBILIÁRIO ABERTO POUPANÇA INVESTIMENTO FPR/E (*)

PROSPECTO SIMPLIFICADO (actualizado a 07 de Julho de 2003) FUNDO DE INVESTIMENTO MOBILIÁRIO ABERTO POUPANÇA INVESTIMENTO FPR/E (*) Tipo de Fundo Início de Actividade Entidade Gestora Banco Depositário Entidades Colocadoras Consultores de Investimento Política de Investimento Fundo Poupança Reforma/Educação Iniciou a sua actividade

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO BiG Alocação Fundo Autónomo: BiG Alocação Dinâmica Todos os Investimentos têm risco Entidade gestora: Real Vida Seguros, S.A. Avenida de França, 316 2º, Edifício Capitólio 4050-276 Porto Portugal Advertências

Leia mais

1. INFORMAÇÃO SOBRE A EMPRESA DE SEGUROS 2. ENTIDADES COMERCIALIZADORAS 3. AUTORIDADES DE SUPERVISAO

1. INFORMAÇÃO SOBRE A EMPRESA DE SEGUROS 2. ENTIDADES COMERCIALIZADORAS 3. AUTORIDADES DE SUPERVISAO 1. INFORMAÇÃO SOBRE A EMPRESA DE SEGUROS 2. ENTIDADES COMERCIALIZADORAS 3. AUTORIDADES DE SUPERVISAO 4. RECLAMAÇÕES 5. DURAÇÃO DO CONTRATO 6. RISCO DE 7. PRINCIPAIS RISCOS DO PRODUTO PROSPECTO SIMPLIFICADO

Leia mais

PROJECTO DE NORMA. Instrumentos de Captação de Aforro Estruturados no âmbito da actividade seguradora

PROJECTO DE NORMA. Instrumentos de Captação de Aforro Estruturados no âmbito da actividade seguradora PROJECTO DE NORMA Instrumentos de Captação de Aforro Estruturados no âmbito da actividade seguradora Considerando a importância crescente das empresas de seguros enquanto instituições financeiras que,

Leia mais

VALORES MOBILIÁRIOS. Data de Entrada em vigor: 09-Mar-2015. Clientes Particulares e Empresas

VALORES MOBILIÁRIOS. Data de Entrada em vigor: 09-Mar-2015. Clientes Particulares e Empresas Data de Entrada em vigor: 09-Mar-2015 VALORES MOBILIÁRIOS Clientes Particulares e Empresas 21 FUNDOS DE INVESTIMENTO 21.1. Fundos Banif 21.2. Fundos de Terceiros Internacionais 22 TÍTULOS 22.1. Transacção

Leia mais

Prospecto Informativo Invest Oportunidades Mundiais (Ser. 11/1)

Prospecto Informativo Invest Oportunidades Mundiais (Ser. 11/1) Prospecto Informativo Invest Oportunidades Mundiais (Ser. 11/1) Março de 2011 Designação: Invest Oportunidades Mundiais (Ser. 11/1). Classificação: Caracterização do Produto: Garantia de Capital: Garantia

Leia mais

JPMorgan Investment Funds Société d Investissement à Capital Variable (the "Company") Registered Office:

JPMorgan Investment Funds Société d Investissement à Capital Variable (the Company) Registered Office: JPMorgan Investment Funds Société d Investissement à Capital Variable (the "Company") Registered Office: European Bank & Business Centre, 6 route de Trèves, L-2633 Senningerberg, Grand Duchy of Luxembourg

Leia mais

a) Quanto, quando e a que título o investidor paga ou pode pagar? b) Quanto, quando e a que título o investidor recebe ou pode receber?

a) Quanto, quando e a que título o investidor paga ou pode pagar? b) Quanto, quando e a que título o investidor recebe ou pode receber? Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las PFC Valorização Retalho Entidade

Leia mais

Instituto de Seguros de Portugal e Comissão do Mercado de Valores Mobiliários.

Instituto de Seguros de Portugal e Comissão do Mercado de Valores Mobiliários. Mod. Versão 65.01 Informação actualizada a: 04/04/2011 Designação Comercial: Fidelity Poupança Data de início de Comercialização: 01/02/2007 Empresa de Seguros Entidade Comercializadora Autoridades de

Leia mais

O investidor deve assumir um papel activo na recolha de informação que lhe permita tomar decisões de investimento fundamentadas.

O investidor deve assumir um papel activo na recolha de informação que lhe permita tomar decisões de investimento fundamentadas. O presente documento visa fornecer-lhe informações simples e práticas sobre como deve investir de forma responsável. Independentemente da protecção conferida pela legislação aos investidores não profissionais,

Leia mais

Prospecto Informativo Invest Sectores Essenciais Junho 2015

Prospecto Informativo Invest Sectores Essenciais Junho 2015 Prospecto Informativo Invest Sectores Essenciais Junho 2015 Junho de 2015 Designação: Invest Sectores Essenciais Junho 2015 Classificação: Caracterização do Depósito: Produto financeiro complexo Depósito

Leia mais

DE QUE FORMA OS CONHECIMENTOS

DE QUE FORMA OS CONHECIMENTOS COMISSÃO DO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS COMISSÃO DO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE QUE FORMA OS CONHECIMENTOS E A EXPERIÊNCIA DOS INVESTIDORES DETERMINAM O MODO COMO SÃO TRATADOS PELOS INTERMEDIÁRIOS

Leia mais

Companhia de Seguros Açoreana, S.A. PROSPECTO INFORMATIVO INVESTSEGURO

Companhia de Seguros Açoreana, S.A. PROSPECTO INFORMATIVO INVESTSEGURO Companhia de Seguros Açoreana, S.A. PROSPECTO INFORMATIVO INVESTSEGURO Dezembro de 2004 1/6 Parte I Informações sobre a empresa de seguros 1. Denominação ou firma da empresa de seguros: Companhia de Seguros

Leia mais

CAIXA SEGURO 2014 6M - ICAE NÃO NORMALIZADO / / (PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO)

CAIXA SEGURO 2014 6M - ICAE NÃO NORMALIZADO / / (PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO) Empresa de Seguros PROSPECTO SIMPLIFICADO (Dezembro de 2009) CAIXA SEGURO 2014 6M - ICAE NÃO NORMALIZADO / / (PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO) Data de início de comercialização a 2 de Dezembro de 2009 Nome

Leia mais

Através da sua rede de Balcões do Banco Espírito Santo, S.A.. Instituto de Seguros de Portugal e Comissão do Mercado de Valores Mobiliários.

Através da sua rede de Balcões do Banco Espírito Santo, S.A.. Instituto de Seguros de Portugal e Comissão do Mercado de Valores Mobiliários. Mod. Versão 91-60 Informação actualizada a: 19/04/2011 Designação Comercial: Operação de Capitalização T- 1ª Série (ICAE- Não Normalizado) Período de Comercialização: de17/12/2008 a 17/12/20 Empresa de

Leia mais

Fidelity Poupança. Condições Gerais e Especiais

Fidelity Poupança. Condições Gerais e Especiais 1. DEFINIÇÕES 1.1. Para os efeitos do presente Contrato, entende-se por:» I.C.A.E.: Instrumento de Captação de Aforro Estruturado ;» Seguradora: ;» Tomador de Seguro: a Entidade que celebra o Contrato

Leia mais

Conceitos básicos de negociação em CFDs

Conceitos básicos de negociação em CFDs Conceitos básicos de negociação em CFDs N.º 808 10 20 20 ApoioCliente@GoBulling.com www.bancocarregosa.com/gobulling www.facebook.com/gobulling Advertências Específicas ao Investidor: Pode implicar a perda

Leia mais

. INFORMAÇÃO E EMITENTES MOBILIÁRIOS

. INFORMAÇÃO E EMITENTES MOBILIÁRIOS . INFORMAÇÃO 4.. I E EMITENTES DE VALORES MOBILIÁRIOS 4. Informação e Emitentes de Valores Mobiliários O QUE É PRECISO SABER PARA INVESTIR EM VALORES MOBILIÁRIOS? A informação desempenha um papel fundamental

Leia mais

BPN DIVERSIFICAÇÃO FUNDO ESPECIAL DE INVESTIMENTO

BPN DIVERSIFICAÇÃO FUNDO ESPECIAL DE INVESTIMENTO BPN Fundos - Sociedade Gestora de Fundos de Investimento Mobiliário, S.A. BPN DIVERSIFICAÇÃO FUNDO ESPECIAL DE INVESTIMENTO PROSPECTO SIMPLIFICADO DO FUNDO ESPECIAL DE INVESTIMENTO Fundo autorizado pela

Leia mais

1. INFORMAÇÃO SOBRE A EMPRESA DE SEGUROS 2. ENTIDADES COMERCIALIZADORAS 3. AUTORIDADES DE SUPERVISAO

1. INFORMAÇÃO SOBRE A EMPRESA DE SEGUROS 2. ENTIDADES COMERCIALIZADORAS 3. AUTORIDADES DE SUPERVISAO 1. INFORMAÇÃO SOBRE A EMPRESA DE SEGUROS 2. ENTIDADES COMERCIALIZADORAS 3. AUTORIDADES DE SUPERVISAO 4. RECLAMAÇÕES 5. DURAÇÃO DO CONTRATO 6. RISCO DE 7. PRINCIPAIS RISCOS DO PRODUTO PROSPECTO SIMPLIFICADO

Leia mais

PROSPECTO SIMPLIFICADO PPR PLANO PROTECÇÃO ACTIVA PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

PROSPECTO SIMPLIFICADO PPR PLANO PROTECÇÃO ACTIVA PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Mod. Versão 62-03 Informação actualizada a: 09/09/2009 Designação Comercial: Data início de Comercialização: 17/07/2009 Empresa de Seguros, Sociedade Anónima com endereço da sede social na Av. Columbano

Leia mais

Comissão Mercados e Valores Mobiliários. Existindo o risco de perda dos montantes investidos.

Comissão Mercados e Valores Mobiliários. Existindo o risco de perda dos montantes investidos. Mod. Versão: 42.00 Informação actualizada a: 01/04/2012 Designação Comercial: Poupança Vida BES (I.C.A.E.) Data início de Comercialização: 24/08/2009 Data fim de Comercialização: Em comercialização Empresa

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Eurovida Companhia de Seguros de Vida, S.A. - Sede Social: 1099-090 Lisboa - Portugal - CRCL / Pes. Col. 504 917 692 Capital Social 7.500.000 Euro Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Produto Financeiro Complexo: REAL 24M INVEST Entidade gestora: Real Vida Seguros, S.A. Avenida de França, 316 2º, Edifício Capitólio 4050-276 Porto Portugal TODOS OS INVESTIMENTOS TÊM RISCO Implica a imobilização

Leia mais

Produto Financeiro Complexo

Produto Financeiro Complexo Zurich Companhia de Seguros Vida, S.A. PROSPECTO SIMPLIFICADO (atualizado a 8 de fevereiro de 2013) Empresa de Seguros Entidades Comercializadoras Autoridades de supervisão Reclamações DB MULTIFUNDOS,

Leia mais

PROSPECTO SIMPLIFICADO MAPFRE GARANTIA 011 FI

PROSPECTO SIMPLIFICADO MAPFRE GARANTIA 011 FI PROSPECTO SIMPLIFICADO MAPFRE GARANTIA 011 FI Contrato de Seguro Ligado a Fundos de Investimento Produto Financeiro Complexo - Instrumento de Captação de Aforro Estruturado Período de Comercialização 26-10-2010

Leia mais

PROSPECTO SIMPLIFICADO PPR POUPANÇA ACTIVA PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

PROSPECTO SIMPLIFICADO PPR POUPANÇA ACTIVA PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Mod. Versão 61-13 Informação actualizada a: 01/07/2009 Designação Comercial: PPR Poupança Activa Data início de Comercialização: 02/01/2006 Empresa de Seguros, Sociedade Anónima com endereço da sede social

Leia mais

PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Opções Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las Contraparte: X-Trade Brokers

Leia mais

BPN DIVERSIFICAÇÃO FUNDO ESPECIAL DE INVESTIMENTO

BPN DIVERSIFICAÇÃO FUNDO ESPECIAL DE INVESTIMENTO BPN DIVERSIFICAÇÃO FUNDO ESPECIAL DE INVESTIMENTO PROSPECTO SIMPLIFICADO DO FUNDO ESPECIAL DE INVESTIMENTO Actualizado em 10 de Maio de 2011 Fundo autorizado pela CMVM em 11 de Novembro de 2004 e constituído

Leia mais

M N F G e s t ã o d e A c t i v o s - S G F I M, S A

M N F G e s t ã o d e A c t i v o s - S G F I M, S A Prospecto Simplificado (Actualizado a 8 de Fevereiro de 2012) Fundo Especial de Aberto Strategic Diversified USD Fundo Especial de Aberto (Fundo autorizado pela CMVM em 8 de Fevereiro de 2011, sob o número

Leia mais

O valor da remuneração do Depósito Indexado não poderá ser inferior a 0%. O Depósito garante na Data de Vencimento a totalidade do capital aplicado.

O valor da remuneração do Depósito Indexado não poderá ser inferior a 0%. O Depósito garante na Data de Vencimento a totalidade do capital aplicado. Designação Depósito Indexado PSI 20 Classificação Caracterização do Produto Garantia de Capital Garantia de Remuneração Factores de Risco Instrumentos ou variáveis subjacentes ou associados Perfil de cliente

Leia mais

PROSPECTO SIMPLIFICADO BES ESTRUTURADO FLEXÍVEL (ICAE NÃO NORMALIZADO) PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

PROSPECTO SIMPLIFICADO BES ESTRUTURADO FLEXÍVEL (ICAE NÃO NORMALIZADO) PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Informação actualizada a: 01/04/2010 Designação Comercial: BES Estruturado Flexível (I.C.A.E. Não Normalizado) Data início de Comercialização do Fundo BES Ouro: 03/03/2008 Empresa de Seguros Entidades

Leia mais

Documento Informativo

Documento Informativo Notes db Investimento Europa-América (2ª Versão) Notes relating to a Basket of Indices ISIN: XS0460668550 Produto Financeiro Complexo 1. Advertências ao investidor Risco de perda total ou parcial do capital

Leia mais

FUNDOS FECHADOS DE SUBSCRIÇÃO PARTICULAR

FUNDOS FECHADOS DE SUBSCRIÇÃO PARTICULAR FUNDOS FECHADOS DE SUBSCRIÇÃO PARTICULAR ASPECTOS FUNDAMENTAIS 1 F U N D O S F E C H A D O S D E S U B S C R I Ç Ã O PA R T I C U L A R ASPECTOS FUNDAMENTAIS RE GIM E JURÍDICO O enquadramento jurídico

Leia mais

GUIA PARA INVESTIR. Rentabilizar os Investimentos

GUIA PARA INVESTIR. Rentabilizar os Investimentos www.facebook.com/santandertotta.pt http://twitter.com/santandertotta Onde deve investir? A escolha deve ter em conta diversos factores, tais como: quando é que pretende utilizar o montante que investiu?

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las. Notes: SG Dual World Indices ISIN:

Leia mais

Fundos de Investimento Mobiliário em Portugal

Fundos de Investimento Mobiliário em Portugal Fundos de Investimento Mobiliário em Portugal Fernando Teixeira dos Santos Presidente da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários Presidente do Comité Executivo da IOSCO 9 de Abril de 2003 Sumário I

Leia mais

P R O S P E C T O. relativo à oferta permanente de acções na S I C A V D E S U B F U N D O S P A R W O R L D

P R O S P E C T O. relativo à oferta permanente de acções na S I C A V D E S U B F U N D O S P A R W O R L D P R O S P E C T O relativo à oferta permanente de acções na S I C A V D E S U B F U N D O S P A R W O R L D Sociedade de Investimento de ital Variável Sujeita à Lei Luxemburguesa DEZEMBRO DE 2010 1 ÍNDICE

Leia mais