Conferência Telefônica / Webcast. Modelo Regulatório de Exploração e Produção Pré-sal e áreas estratégicas. José Sergio Gabrielli Presidente

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Conferência Telefônica / Webcast. Modelo Regulatório de Exploração e Produção Pré-sal e áreas estratégicas. José Sergio Gabrielli Presidente"

Transcrição

1 Conferência Telefônica / Webcast Modelo Regulatório de Exploração e Produção Pré-sal e áreas estratégicas José Sergio Gabrielli Presidente 1

2 AVISO As apresentações podem conter previsões acerca de eventos futuros. Tais previsões refletem apenas expectativas dos administradores da Companhia. Os termos antecipa", "acredita", "espera", "prevê", "pretende", "planeja", "projeta", "objetiva", "deverá", bem como outros termos similares, visam a identificar tais previsões, as quais, evidentemente, envolvem riscos ou incertezas previstos ou não pela Companhia. Portanto, os resultados futuros das operações da Companhia podem diferir das atuais expectativas, e o leitor não deve se basear exclusivamente nas informações aqui contidas. A Companhia não se obriga a atualizar as apresentações e previsões à luz de novas informações ou de seus desdobramentos futuros. Os valores informados para 2009 em diante são estimativas ou metas. Aviso aos investidores Norte Americanos A SEC somente permite que as companhias de óleo e gás incluam em seus relatórios arquivados reservas provadas que a Companhia tenha comprovado por produção ou testes de formação conclusivos que sejam viáveis econômica e legalmente nas condições econômicas e operacionais vigentes. Utilizamos alguns termos nesta apresentação, tais como descobertas, que as orientações da SEC nos proíbem de usar em nossos relatórios arquivados. 2

3 A PROVÍNCIA DO PRÉ-SAL A grande área em azul indica a ocorrência prevista para o Pré-sal, com potencial para a presença de petróleo; No Campo de Jubarte (Parque das Baleias) e na área de Tupi (Bacia de Santos) estão sendo realizados a antecipação da produção e o teste de longa duração, respectivamente. Área total da Província: km2 Área já concedidas: km2 (28%) Área sem concessão: km2 (72%) Área concedida c/ partc. Petrobras: km2 (24%) 3

4 NOVO MODELO REGULATÓRIO Pré-Sal e Áreas Estratégicas Cessão Onerosa Partilha de Produção Até 5 bilhões boe Petrobras 100% Petrobras Operadora Terceiros por Licitação Outras Áreas Mantém-se o Regime de Concessões Atual Não haverá mudança para as Áreas já concedidas, inclusive no Pré-Sal 4

5 REGIME DE PARTILHA DE PRODUÇÃO Celebração dos contratos de partilha Definições Técnicas Petrobras é sempre a Operadora com participação mínima de 30%; Consórcio entre Petrobras, Petro-sal e vencedora(s) da licitação, que será administrado pelo Comitê Operacional; Petrobras poderá participar das licitações visando aumentar sua participação para além do mínimo. Óleo Lucro Empresas União Vencedora da licitação será a Empresa que oferecer o maior percentual do óleo lucro para União. Petrobras acompanha o percentual ofertado pela licitante vencedora. Óleo Custo União não assume riscos das atividades, exceto nos casos em que resolver investir diretamente. Antes de contratar, a União fará avaliação de potencial das áreas e poderá contratar diretamente a Petrobras. 5

6 O PAPEL DO OPERADOR E PRÁTICAS DA INDÚSTRIA MUNDIAL OPERADOR Responsável pela condução das atividades de exploração e produção, providenciando os recursos críticos: tecnologia (utilização e desenvolvimento), pessoal e recursos materiais (contratação). Acesso à informação estratégica Controle sobre a produção e custos Acesso e desenvolvimento de tecnologia PETROBRAS: definida como operadora exclusiva de todas as áreas sujeitas ao regime de partilha de produção. 6

7 PAPÉIS DOS AGENTES DO REGIME DE PARTILHA ANP 7 Promover licitações, regular e fiscalizar; Analisar e aprovar os contratos de partilha; Aprovar os acordos de Unitização; Compatibilizar e uniformizar as normas aplicáveis sob diferentes regimes; Subsidiar o MME na delimitação dos blocos. CNPE Ritmo de contratação dos blocos e o conteúdo nacional Blocos para contratação exclusiva e blocos para licitação; Parâmetros técnicos e econômicos dos contratos; Definições Técnicas Alterações (para mais) na definição da área chamada pré-sal; Áreas a serem classificadas como estratégicas. PETRO-SAL Diminuir assimetria de informações entre a União e as empresas de Petróleo visando minimizar óleo custo. Não assumirá riscos e não fará investimentos (não possuirá ativos; não aufere receitas com a partilha); Gestão dos contratos de partilha de produção; Não executará atividades de E&P.

8 CESSÃO ONEROSA DE E&P A União poderá ceder onerosamente à Petrobras, sem a necessidade de licitação, o exercício das atividades de exploração e produção de petróleo e gás natural em áreas não concedidas do Pré-sal (podendo ser contíguas ou não) - inciso I do art. 177 da Constituição; Cessão limitada ao volume máximo de 5 bilhões de barris de óleo equivalente. A Petrobras exercerá titularidade dos volumes produzidos; Os valores do óleo serão determinados a partir de laudos técnicos contratados pela União (ANP) e Petrobras, observadas as melhores práticas da indústria do petróleo internacional A operação inclui uma cláusula de reavaliação do preço das reservas no prazo máximo de 24 meses; Se o preço subir, a Petrobras pagará a diferença à União. Se o preço cair, ocorrerá o inverso; Os royalties serão pagos pela Petrobras e distribuídos na forma da Lei nº 9.478/97. Não haverá pagamento de Participação Especial. 8

9 CAPITALIZAÇÃO DA PETROBRAS Concomitantemente com a cessão onerosa pela União à Petrobras, a Companhia estará fazendo um aumento de capital que será votada na AGE: Através de oferta restrita aos atuais acionistas; Obedecendo a atual distribuição das classes de ações (ON e PN); Todos terão direito a voto. Valoração das Reservas em R$ Aumento de Capital na Petrobras (aprovado pela AGE) Entrada de R$ no Caixa da Petrobras (valor do minoritários) Petrobras paga a União pela Cessão do exercício das atividades de E&P A União poderá fazer o aporte de capital na Petrobras com títulos da dívida pública mobiliária federal, precificados a valor de mercado; A Petrobras irá pagar a União, pela cessão dos direitos de E&P, utilizando os mesmos títulos; Resultado: Aumento da capacidade de financiamento da Petrobras para a realização dos investimentos, em especial no pré-sal; 9 Valores Hipotéticos e sem proporcionalidade no gráfico

10 OS DESAFIOS DA PETROBRAS PLANO ESTRATÉGICO Ambicioso Plano de Negócios ; Forte incremento do portfólio de E&P, com crescente integração das áreas: Aprimoramento da governança da companhia; Administração dos recursos críticos (financeiros, tecnológicos, RH, contratação de equipamentos e serviços). 10 NOVO MODELO REGULATÓRIO TRAZ NOVOS DESAFIOS Expansão dos investimentos em todas as áreas de negócios, mantendo a Companhia integrada; Administração financeira, contábil e tributária (aumento dos investimentos, administração do caixa e diferentes regimes de E&P); Contratação e formação de novos funcionários; Reforço dos controles internos, com diferentes agentes no regime de partilha (ANP, CNPE e Petro-sal)

11 Para mais informações: Relacionamento com Investidor

José Sergio Gabrielli de Azevedo Diretor Financeiro e de Relacionamento com Investidores. Julho de 2004

José Sergio Gabrielli de Azevedo Diretor Financeiro e de Relacionamento com Investidores. Julho de 2004 José Sergio Gabrielli de Azevedo Diretor Financeiro e de Relacionamento com Investidores Julho de 2004 As apresentações podem conter previsões acerca de eventos futuros. Tais previsões refletem apenas

Leia mais

mestre Clique para editar o texto Apresentação para Imprensa 29 de Junho de 2015 Clique para editar o texto mestre

mestre Clique para editar o texto Apresentação para Imprensa 29 de Junho de 2015 Clique para editar o texto mestre Clique Plano de para Negócios editar e o Gestão título mestre 2015-2019 Clique para editar o texto mestre Clique para editar o texto mestre Apresentação para Imprensa 29 de Junho de 2015 AVISOS Clique

Leia mais

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 1º trimestre de Teleconferência / Webcast 18 de Maio de 2015

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 1º trimestre de Teleconferência / Webcast 18 de Maio de 2015 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 1º trimestre de 2015 Teleconferência / Webcast 18 de Maio de 2015 1 AVISOS Estas apresentações podem conter previsões acerca de eventos futuros. Tais previsões refletem apenas

Leia mais

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 1º Trimestre Coletiva de Imprensa 12 de Maio de 2016

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 1º Trimestre Coletiva de Imprensa 12 de Maio de 2016 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 1º Trimestre 2016 Coletiva de Imprensa 12 de Maio de 2016 Avisos Estas apresentações podem conter previsões acerca de eventos futuros. Tais previsões refletem apenas expectativas

Leia mais

José Sergio Gabrielli Presidente. 24 de Agosto de 2011

José Sergio Gabrielli Presidente. 24 de Agosto de 2011 José Sergio Gabrielli Presidente 24 de Agosto de 2011 1 AVISO Estas apresentações podem conter previsões acerca de eventos futuros. Tais previsões refletem apenas expectativas dos administradores da Companhia

Leia mais

Senado Federal Comissão de Serviços de Infraestrutura Painel 4: Capitalização da Petrobras

Senado Federal Comissão de Serviços de Infraestrutura Painel 4: Capitalização da Petrobras Senado Federal Comissão de Serviços de Infraestrutura Painel 4: Capitalização da Petrobras TÓPICOS PROPOSTOS 1 -PETROBRAS MARCOS ESCOLHIDOS 2 - PLANO DE INVESTIMENTO 2009/2013 E FINANCIAMENTO 3 - VALORAÇÃO

Leia mais

ENAIQ 2/12/2016. Petrobras e perspectivas para 2017

ENAIQ 2/12/2016. Petrobras e perspectivas para 2017 ENAIQ 2/12/2016 Petrobras e perspectivas para 2017 Avisos Estas apresentações podem conter previsões acerca de eventos futuros. Tais previsões refletem apenas expectativas dos administradores da companhia

Leia mais

Excedentes da Cessão Onerosa

Excedentes da Cessão Onerosa Excedentes da Cessão Onerosa DESDOBRAMENTOS DA REUNIÃO DO CNPE Rio de Janeiro, 24 de junho de 2014 Informações preliminares Cessão Onerosa Através da Cessão Onerosa a Petrobras adquiriu os direitos para

Leia mais

Divulgação de Resultados

Divulgação de Resultados Divulgação de Resultados 2º trimestre de 2010 (legislação societária) 13 de agosto de 2010 Conferência com a Imprensa Almir Guilherme Barbassa Diretor Financeiro e de Relações com Investidores 1 AVISO

Leia mais

Desafios e Oportunidades do Setor de Petróleo e Gás Natural na próxima década

Desafios e Oportunidades do Setor de Petróleo e Gás Natural na próxima década Desafios e Oportunidades do Setor de Petróleo e Gás Natural na próxima década Roberto Gonçalves Gerente Executivo da Engenharia da Petrobras 8º Encontro Nacional do Prominp 23 de Novembro-São Luis, MA

Leia mais

Arbitragem em contratos de petróleo

Arbitragem em contratos de petróleo Arbitragem e Poder Público Arbitragem em contratos de petróleo Ricardo Barretto de Andrade 23.10.2015 1. Antecedentes legislativos do setor Lei nº 2.004/1953: monopólio da União exercido, com exclusividade,

Leia mais

Oportunidades de investimentos do setor no País. Isabela M. C. da Rocha Gerente Executiva de Relacionamento com Investidores da Petrobras

Oportunidades de investimentos do setor no País. Isabela M. C. da Rocha Gerente Executiva de Relacionamento com Investidores da Petrobras Oportunidades de investimentos do setor no País Isabela M. C. da Rocha Gerente Executiva de Relacionamento com Investidores da Petrobras Avisos Estas apresentações podem conter previsões acerca de eventos

Leia mais

5.1 1 a Rodada de Licitações Sob o Regime de Partilha de Produção

5.1 1 a Rodada de Licitações Sob o Regime de Partilha de Produção 26ª Reunião Ordinária 25 de junho de 2013 5.1 1 a Rodada de Licitações Sob o Regime de Partilha de Produção Licitação da Área de Libra Regime de Partilha Resolução CNPE n o 4, de 22 de maio de 2013 Prospecto

Leia mais

PARTICIPAÇÕES GOVERNAMENTAIS DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL

PARTICIPAÇÕES GOVERNAMENTAIS DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL PARTICIPAÇÕES GOVERNAMENTAIS DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL Comissão de Serviços de Infraestrutura e Comissão de Assuntos Econômicos Édison Lobão Ministro de 23/08/2011 1 Principais Participações Governamentais

Leia mais

PRÉ-SAL NOVO MARCO LEGAL

PRÉ-SAL NOVO MARCO LEGAL PRÉ-SAL NOVO MARCO LEGAL Rua da Assembléia, 66-17 Andar - Centro - Rio de Janeiro / RJ - CEP: 20011-000 tel: (55 21) 2114-1700 - fax: (55 21) 2114-1717 - http://www.svmfa.com.br -HISTÓRICO - Constituição

Leia mais

A indústria do petróleo: Possibilidades de maior contribuição da iniciativa privada para a exploração e produção de áreas do Pré-Sal

A indústria do petróleo: Possibilidades de maior contribuição da iniciativa privada para a exploração e produção de áreas do Pré-Sal A indústria do petróleo: Possibilidades de maior contribuição da iniciativa privada para a exploração e produção de áreas do Pré-Sal Prof. Edmar de Almeida Grupo de Economia de Energia Instituto de Economia

Leia mais

COMPARAÇÃO DOS MODELOS FISCAIS DE PARTILHA E CONCESSÃO. Prof. Edmar de Almeida Prof. Luciano Losekann Grupo de Economia de Energia

COMPARAÇÃO DOS MODELOS FISCAIS DE PARTILHA E CONCESSÃO. Prof. Edmar de Almeida Prof. Luciano Losekann Grupo de Economia de Energia COMPARAÇÃO DOS MODELOS FISCAIS DE PARTILHA E CONCESSÃO Prof. Edmar de Almeida Prof. Luciano Losekann Grupo de Economia de Energia Índice 1. Concessão e Partilha de Produção: Aspectos Metodológicos; 2.

Leia mais

INCENTIVOS E BARREIRAS DO REGIME TRIBUTÁRIO NO SETOR DE PETRÓLEO

INCENTIVOS E BARREIRAS DO REGIME TRIBUTÁRIO NO SETOR DE PETRÓLEO INCENTIVOS E BARREIRAS DO REGIME TRIBUTÁRIO NO SETOR DE PETRÓLEO MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Ciclo de Debates sobre Petróleo e Economia IBP

Leia mais

Plano Estratégico e Plano de Negócios e Gestão

Plano Estratégico e Plano de Negócios e Gestão Plano Estratégico e Plano de Negócios e Gestão 2017-2021 Rio de Janeiro, 20 de setembro de 2016 Petróleo Brasileiro S.A. Petrobras informa que seu Conselho de Administração aprovou, em reunião realizada

Leia mais

DIREITO SETORIAL E REGULATÓRIO DO PRÉ-SAL

DIREITO SETORIAL E REGULATÓRIO DO PRÉ-SAL DIREITO SETORIAL E REGULATÓRIO DO PRÉ-SAL Adriano Drummond Cançado Trindade Outubro/2016 Manchetes de 6/10/2016 Câmara aprova mudança no présal Câmara acaba com fatia obrigatória da Petrobras no pré-sal

Leia mais

Política de Fomento em P&D,I nos Contratos de Partilha. Anália Francisca Ferreira

Política de Fomento em P&D,I nos Contratos de Partilha. Anália Francisca Ferreira Política de Fomento em P&D,I nos Contratos de Partilha Anália Francisca Ferreira Oqueé Incluída nos contratos de concessão desde a Rodada Zero, institui a obrigação do concessionário investir em atividades

Leia mais

RESULTADOS 2T15 AGOSTO DE 2015

RESULTADOS 2T15 AGOSTO DE 2015 RESULTADOS AGOSTO DE 2015 AVISO LEGAL Esta apresentação contêm declarações acerca de eventos futuros. Todas as declarações exceto aquelas relativas a fatos históricos contidas nesta apresentação são declarações

Leia mais

Teleconferência de Resultados 4T06 e José Carlos Grubisich Carlos Fadigas

Teleconferência de Resultados 4T06 e José Carlos Grubisich Carlos Fadigas Teleconferência de Resultados e 2006 José Carlos Grubisich Carlos Fadigas Ressalva sobre declarações futuras Esta apresentação contém declarações prospectivas. Tais informações não são apenas fatos históricos,

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS E GESTÃO Contribuição da Unidade de Operações de Exploração e Produção da Bacia de Santos (UO-BS)

PLANO DE NEGÓCIOS E GESTÃO Contribuição da Unidade de Operações de Exploração e Produção da Bacia de Santos (UO-BS) PLANO DE NEGÓCIOS E GESTÃO 2012 2016 Contribuição da Unidade de Operações de Exploração e Produção da Bacia de Santos (UO-BS) PLANO ESTRATÉGICO PETROBRAS 2020 Santos, 23 de outubro de 2012 MERCADO DE DERIVADOS

Leia mais

RESULTADOS 1T16 13 DE MAIO DE 2016

RESULTADOS 1T16 13 DE MAIO DE 2016 RESULTADOS 1T16 13 DE MAIO DE 2016 AVISO LEGAL 2 Esta apresentação contém declarações acerca de eventos futuros. Todas as declarações exceto aquelas relativas a fatos históricos contidas nesta apresentação

Leia mais

RESULTADOS 1T14 RESULTADOS 1T14

RESULTADOS 1T14 RESULTADOS 1T14 DESTAQUES DO Receita Bruta Lucro Bruto SG&A Crescimento de 14,1% no, atingindo R$ 82,6 m. Atingiu R$ 36,8 m no, representando aumento de 15,0% e margem de 54,6% aumento de 0,6 p.p. Atingiu R$ 32,9 m no,

Leia mais

Apresentação Light. Dezembro, Apresentação Institucional. 1Julho de

Apresentação Light. Dezembro, Apresentação Institucional. 1Julho de Apresentação Light Dezembro, 2009 Apresentação Institucional 1Julho de 2008 1 Agenda Sumário da Operação Passos da Operação 2 Agenda Sumário da Operação Passos da Operação 3 Sumário da Operação FIP PCP

Leia mais

Análise das Rodadas de Licitação até 2013 e perspectivas para a exploração de petróleo no horizonte 2020

Análise das Rodadas de Licitação até 2013 e perspectivas para a exploração de petróleo no horizonte 2020 Marcelo Mafra Borges de Macedo Superintendente de Segurança Operacional e Maio Ambiente Análise das Rodadas de Licitação até 2013 e perspectivas para a exploração de petróleo no horizonte 2020 O Papel

Leia mais

Modelo Regulatório de Exploração e Produção Pré-sal e áreas estratégicas. José Sergio Gabrielli de Azevedo Presidente

Modelo Regulatório de Exploração e Produção Pré-sal e áreas estratégicas. José Sergio Gabrielli de Azevedo Presidente Modelo Regulatório de Exploração e Produção Pré-sal e áreas estratégicas José Sergio Gabrielli de Azevedo Presidente 1 1 PROPRIEDADE DAS RESERVAS MUNDIAIS A propriedade das reservas de petróleo e gás natural

Leia mais

CONTRATO DE CONCESSÃO PARA EXPLORAÇÃO, DESENVOLVIMENTO E PRODUÇÃO DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL

CONTRATO DE CONCESSÃO PARA EXPLORAÇÃO, DESENVOLVIMENTO E PRODUÇÃO DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL CONTRATO DE CONCESSÃO PARA EXPLORAÇÃO, DESENVOLVIMENTO E PRODUÇÃO DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL Terezinha Rauta Dias de Morais e Silva Superintendência de Exploração Abril/2013 1 SUMÁRIO I - Base Legal II

Leia mais

Teleconferência de Resultados 3T de Novembro de 2016 Relações com Investidores

Teleconferência de Resultados 3T de Novembro de 2016 Relações com Investidores Teleconferência de Resultados 11 de Novembro de 2016 Relações com Investidores 1 Disclaimer Este material constitui uma apresentação de informações gerais sobre a Marfrig Global Foods S.A. e suas controladas

Leia mais

Perspectivas para Exploração e Desenvolvimento do Pré-Sal

Perspectivas para Exploração e Desenvolvimento do Pré-Sal PRÉ-SAL PETRÓLEO S. A. - PPSA Perspectivas para Exploração e Desenvolvimento do Pré-Sal Oswaldo A. Pedrosa Jr. Fundação Getúlio Vargas (FGV) 25 de março de 2015 Rio de Janeiro, RJ 1 2 3 4 5 6 Assuntos

Leia mais

Licitação de Gasodutos de Transporte

Licitação de Gasodutos de Transporte Mesa Redonda sobre Energia no Brasil : O inicio de uma nova era energética? Licitação de Gasodutos de Transporte Melissa Cristina Mathias José Cesário Cecchi Superintendência de Comercialização e Movimentação

Leia mais

ULTRAPAR. ULTRAPAR Aquisição da Shell Gás - Ago/03

ULTRAPAR. ULTRAPAR Aquisição da Shell Gás - Ago/03 ULTRAPAR ULTRAPAR Aquisição da Shell Gás - Ago/03 Este documento pode conter previsões acerca de eventos futuros. Tais previsões refletem apenas expectativas dos administradores da Companhia. Palavras

Leia mais

3º Trimestre de 2015 Resultados Tupy

3º Trimestre de 2015 Resultados Tupy 3º Trimestre de 2015 Resultados Tupy São Paulo, 13 de novembro de 2015 1 DISCLAIMER Esta Apresentação pode conter declarações prospectivas, as quais estão sujeitas a riscos e incertezas, pois foram baseadas

Leia mais

Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis

Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis IV SEMINÁRIO DE PETRÓLEO E GAS NO BRASIL Rio, 14 de Abril de 2008 Perspectivas do Setor Petróleo Pós- Descobertas do Pré- Sal Alvaro Teixeira Secretário

Leia mais

ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A. CNPJ / Companhia Aberta NIRE FATO RELEVANTE

ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A. CNPJ / Companhia Aberta NIRE FATO RELEVANTE ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A. CNPJ 60.872.504/0001-23 Companhia Aberta NIRE 35300010230 FATO RELEVANTE ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A. ( Companhia ) comunica aos seus acionistas que o Conselho de Administração,

Leia mais

PROJETO DE LEI CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

PROJETO DE LEI CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES PROJETO DE LEI Dispõe sobre a exploração e a produção de petróleo, de gás natural e de outros hidrocarbonetos fluidos sob o regime de partilha de produção, em áreas do pré-sal e em áreas estratégicas,

Leia mais

Fato Relevante. Por meio do referido Termo de Compromisso, as Partes concordaram em:

Fato Relevante. Por meio do referido Termo de Compromisso, as Partes concordaram em: Fato Relevante A Transmissora Aliança de Energia Elétrica S.A. ( Companhia, Taesa ) vem, com base no 4 do art. 157 da Lei n 6.404/76 e na Instrução CVM n 358/02, comunicar aos seus acionistas, ao mercado

Leia mais

Marco legal da exploração do petróleo e gás: conceitos introdutórios ABRIL 2016

Marco legal da exploração do petróleo e gás: conceitos introdutórios ABRIL 2016 Marco legal da exploração do petróleo e gás: conceitos introdutórios ABRIL 2016 Regime jurídico da exploração do petróleo e gás Regime de concessão (Lei Federal nº 9478/97) Partilha de produção Marco legal

Leia mais

4T14 APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS

4T14 APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS 4T14 APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS 29 de Janeiro de 2014 AVISO LEGAL A COMPANHIA FAZ DECLARAÇÕES SOBRE EVENTOS FUTUROS QUE ESTÃO SUJEITAS A RISCOS E INCERTEZAS Tais declarações têm como base crenças e suposições

Leia mais

Saraiva Apresentação Corporativa

Saraiva Apresentação Corporativa Saraiva Apresentação Corporativa Evento Sistemas de Ensino - Banco Safra Sao Paulo 25 de setembro de 2014 Relações com Investidores Setembro 2014 2 Aviso Legal Esta apresentação contém declarações sobre

Leia mais

Potencial do Pré-Sal. Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis Magda Chambriard

Potencial do Pré-Sal. Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis Magda Chambriard Potencial do Pré-Sal Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis Magda Chambriard O Pré-Sal como o novo paradigma Evoluçã ção o Institucional Constituição de 1934 O Regime de concessões

Leia mais

ANP: Desafios no Setor de E&P. John Forman Diretor Agência Nacional do Petróleo

ANP: Desafios no Setor de E&P. John Forman Diretor Agência Nacional do Petróleo ANP: Desafios no Setor de E&P John Forman Diretor Agência Nacional do Petróleo O princípio Criada em 1997, através da Lei 9.478, a ANP conseguiu atender a vários desafios: Organização de recursos e procedimentos,

Leia mais

Apresentação de Resultados 3T16

Apresentação de Resultados 3T16 Estação de Tratamento de Esgoto Arrudas Apresentação de Resultados 3T16 11 de Novembro de 2016 AVISO Eventuais declarações que possam ser feitas durante esta apresentação, relativas às perspectivas de

Leia mais

A transação. Preço. Estrutura do Pagamento. Fonte de Recursos. Múltiplo Implícito

A transação. Preço. Estrutura do Pagamento. Fonte de Recursos. Múltiplo Implícito A transação Preço Aquisição de 95,8% do Grupo Dumont Saab ( Dumont ) pela subsidiária integral Technos da Amazônia Indústria e Comércio S.A. ( TASA ) Desembolso de R$182,1 milhões, valor implícito de 100%

Leia mais

Liderança tecnológica em petróleo e gás: Chegou a vez do Brasil?

Liderança tecnológica em petróleo e gás: Chegou a vez do Brasil? Liderança tecnológica em petróleo e gás: Chegou a vez do Brasil? Anália Francisca Ferreira ANP O setor de Petróleo no Brasil Ciclos Econômicos no Brasil??????? O setor de Petróleo no Brasil O país precisa

Leia mais

Teleconferência Marco Regulatório 2 de setembro de 2009

Teleconferência Marco Regulatório 2 de setembro de 2009 Operadora: Bom dia a todos e obrigada por aguardarem. Vamos dar início a mais uma teleconferência da Petrobras para discussão do novo Modelo Regulatório de Exploração e Produção que foi encaminhado ao

Leia mais

SETOR PETROLÍFERO BRASILEIRO Acidenteno Campo de Frade

SETOR PETROLÍFERO BRASILEIRO Acidenteno Campo de Frade SETOR PETROLÍFERO BRASILEIRO Acidenteno Campo de Frade Marco Antônio Martins Almeida Secretário de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis CME, 30 de novembro de 2011 ATIVIDADES DE E&P NO BRASIL

Leia mais

ANEXO II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO CVM Nº. 481/ (R$) ,29

ANEXO II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO CVM Nº. 481/ (R$) ,29 ANEXO II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO CVM Nº. 481/2009 1. Informar o lucro líquido do exercício. (R$) 864.940.364,29 2. Informar o montante global e o valor por ação dos dividendos,

Leia mais

4T15 Apresentação de Resultados

4T15 Apresentação de Resultados Apresentação de Resultados 02 de Fevereiro de 2016 Tais declarações têm como base crenças e suposições de nossa Administração tomadas dentro do nosso melhor conhecimento e informações a que a Companhia

Leia mais

ANAC divulga minuta de edital de concessão de Galeão e Confins

ANAC divulga minuta de edital de concessão de Galeão e Confins ANAC divulga minuta de edital de concessão de Galeão e Confins A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) aprovou, nesta quarta-feira (29/05), a minuta do Edital de Leilão e do Contrato

Leia mais

Hidrocarboneto no Pré-Sal, Equilíbrio Energético Brasileiro e Regional Debate sobre as Consequências para a Energia no Cone Sul

Hidrocarboneto no Pré-Sal, Equilíbrio Energético Brasileiro e Regional Debate sobre as Consequências para a Energia no Cone Sul Hidrocarboneto no Pré-Sal, Equilíbrio Energético Brasileiro e Regional Debate sobre as Consequências para a Energia no Cone Sul Instituto das Américas Rio de Janeiro 22 de Outubro de 2009 www.gasenergy.com.br

Leia mais

WEBCAST Teleconferência

WEBCAST Teleconferência São Paulo Avenida Cidade Jardim WEBCAST Teleconferência 08-11-2007 Goiânia Avenida 85 APRESENTAÇÃO RESULTADOS - 3º TRIMESTRE 2007 Aviso Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas

Leia mais

Brasil Pharma. Conferência de Resultados 2T16 11 de Agosto de 2016

Brasil Pharma. Conferência de Resultados 2T16 11 de Agosto de 2016 Brasil Pharma Conferência de Resultados 2T16 11 de Agosto de 2016 2 Destaques 2T16 Destaques: Margem Bruta Margem bruta de 30,0%, com crescimento de 1,6 p.p. em relação ao 1T16 e 2,4 p.p. em relação ao

Leia mais

5ª Conferência de Petróleo, Gás e Indústria Naval do Espirito Santo Painel 1 Petróleo e Gás no Espirito Santo

5ª Conferência de Petróleo, Gás e Indústria Naval do Espirito Santo Painel 1 Petróleo e Gás no Espirito Santo 5ª Conferência de Petróleo, Gás e Indústria Naval do Espirito Santo Sumário A conjuntura global do setor petróleo Mercado Investimento Impacto na cadeia global de fornecedores - O futuro do petróleo Perspectivas

Leia mais

LOCALIZA RENT A CAR S.A.

LOCALIZA RENT A CAR S.A. LOCALIZA RENT A CAR S.A. Conference call 1º de Outubro de 2008 As informações financeiras a seguir são preliminares, ainda não revisadas pelos auditores independentes e apresentadas em Reais. Dívida em

Leia mais

#pública. Risco Operacional

#pública. Risco Operacional #pública Risco Operacional Estrutura de Gerenciamento 2015 SUMÁRIO 1. Objetivo 3 2. Estrutura Organizacional 3 3. Governança para a Gestão do Risco Operacional 4 3.1 Conselho de Administração 4 3.2 Diretoria

Leia mais

PRE-SAL PANORAMA E OPORTUNIDADES

PRE-SAL PANORAMA E OPORTUNIDADES PRE-SAL PANORAMA E OPORTUNIDADES CARLOS TADEU FRAGA Set / 2012 Aviso Estas apresentações podem conter previsões acerca de eventos futuros. Tais previsões refletem apenas expectativas dos administradores

Leia mais

Localiza Rent a Car S.A. Divulgação de resultados - 1T06

Localiza Rent a Car S.A. Divulgação de resultados - 1T06 Localiza Rent a Car S.A. Divulgação de resultados - 1T06 0 Plataforma integrada Plataforma integrada 123 agências 20.096 carros 13.116 carros Estratégia de negócios Objetivos Vantagens competitivas Oportunidades

Leia mais

A SOCIEDADE SIMPLES E AS SOCIEDADES MENORES

A SOCIEDADE SIMPLES E AS SOCIEDADES MENORES A SOCIEDADE SIMPLES E AS SOCIEDADES MENORES 1 TIPOS DE SOCIEDADES NO DIREITO BRASILEIRO SOCIEDADE EM COMUM não tem personalidade jurídica os sócios são ilimitadamente responsáveis SOCIEDADE SIMPLES atividades

Leia mais

Petrobras Café da Manhã com Analistas

Petrobras Café da Manhã com Analistas Petrobras Café da Manhã com Analistas São Paulo, 10 de Junho de 2016 Avisos Estas apresentações podem conter previsões acerca de eventos futuros. Tais previsões refletem apenas expectativas dos administradores

Leia mais

>> Complexo Eólico Brisa Potiguar

>> Complexo Eólico Brisa Potiguar Exercício de 2014 >> Projetos Eólicos Aquisição de 100% dos projetos do Complexo Eólico Santos, pertencentes à Rodrigo Pedroso Energia Ltda RPE Energia, localizados no Estado do Rio Grande do Norte. O

Leia mais

Anexo I REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE GESTÃO DE PESSOAS E GOVERNANÇA CORPORATIVA

Anexo I REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE GESTÃO DE PESSOAS E GOVERNANÇA CORPORATIVA Anexo I REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE GESTÃO DE PESSOAS E GOVERNANÇA CORPORATIVA Artigo 1 : O Comitê de Gestão de Pessoas e Governança Corporativa ( Comitê ) é um órgão de apoio ao Conselho de Administração

Leia mais

Atualização de perfuração - Bacia de Santos, Brasil

Atualização de perfuração - Bacia de Santos, Brasil 16 de outubro de 2014 Declaração da ASX Atualização de perfuração - Bacia de Santos, Brasil Recebimento da sonda previsto nas próximas 2-3 semanas Início da perfuração de Kangaroo-2 planejado para novembro

Leia mais

NOTA TÉCNICA Sistema FIRJAN. Out/2015 Ano II nº 5 Atualizado em Fev/2016 PRÉ-SAL O POTENCIAL SÓCIOECONOMICO E DE INVESTIMENTO DO PRÉ-SAL

NOTA TÉCNICA Sistema FIRJAN. Out/2015 Ano II nº 5 Atualizado em Fev/2016 PRÉ-SAL O POTENCIAL SÓCIOECONOMICO E DE INVESTIMENTO DO PRÉ-SAL NOTA TÉCNICA Sistema FIRJAN Out/2015 Ano II nº 5 Atualizado em Fev/2016 PRÉ-SAL O POTENCIAL SÓCIOECONOMICO E DE INVESTIMENTO DO PRÉ-SAL Sistema FIRJAN Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro

Leia mais

Toda Empresa Deveria Calcular o Seu

Toda Empresa Deveria Calcular o Seu RETORNO TOTAL PARA O ACIONISTA (RTA) Toda Empresa Deveria Calcular o Seu Como calcular o RTA? Como implantar o Cálculo? Francisco Cavalcante (francisco@fcavalcante.com.br) Sócio-Diretor da Cavalcante Associados,

Leia mais

Questões relevantes no processo de M&A envolvendo companhias abertas

Questões relevantes no processo de M&A envolvendo companhias abertas Questões relevantes no processo de M&A envolvendo companhias abertas 12.11.2015 Timeline Usual para Operações de M&A envolvendo Companhias Abertas Início das Tratativas 2 Divulgação da Operação Celebração

Leia mais

SMILES S.A. APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS 1T de maio de 2016

SMILES S.A. APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS 1T de maio de 2016 SMILES S.A. APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS 1T16 05 de maio de 2016 Aviso Importante O material divulgado pela Companhia reflete as expectativas dos administradores e poderá conter estimativas sobre eventos

Leia mais

ATIVOS PETROQUÍMICOS QUE SERÃO APORTADOS NA BRASKEM. Os Ativos Petroquímicos que serão aportados pela Petrobras e Petroquisa na Braskem são:

ATIVOS PETROQUÍMICOS QUE SERÃO APORTADOS NA BRASKEM. Os Ativos Petroquímicos que serão aportados pela Petrobras e Petroquisa na Braskem são: FATO RELEVANTE PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. - PETROBRAS ( Petrobras ), PETROBRAS QUÍMICA S.A. PETROQUISA ( Petroquisa ), ODEBRECHT S.A. ( Odebrecht ), NORDESTE QUÍMICA S.A. ( Norquisa ) e BRASKEM S.A. ( Braskem

Leia mais

BC GESTÃO DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS

BC GESTÃO DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS BC GESTÃO DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS CAPÍTULO I Definição 1.1 A presente Política, adotada em conformidade com o Código de Auto-Regulação da ANBID para os Fundos de Investimento,

Leia mais

Pré-sal e o futuro da Indústria do Petróleo no Brasil

Pré-sal e o futuro da Indústria do Petróleo no Brasil Pré-sal e o futuro da Indústria do Petróleo no Brasil Professor Helder Queiroz Pinto Jr. Grupo de Economia da Energia Instituto de Economia / UFRJ X CBPE Gramado, 27 de Setembro 2016 Plano de Apresentação

Leia mais

MBA EM GESTÃO FINANCEIRA CONTROLADORIA E AUDITORIA. Código S1: TMBAGFCA15/21 Código S2: TMBAGFCA15_21 Currículo: TMBAGFCA15_21-1

MBA EM GESTÃO FINANCEIRA CONTROLADORIA E AUDITORIA. Código S1: TMBAGFCA15/21 Código S2: TMBAGFCA15_21 Currículo: TMBAGFCA15_21-1 MBA EM GESTÃO FINANCEIRA CONTROLADORIA E AUDITORIA Código S1: TMBAGFCA15/21 Código S2: TMBAGFCA15_21 Currículo: TMBAGFCA15_21-1 OBJETIVOS GERAIS Atualizar e aprofundar conceitos da área de finanças, utilizando

Leia mais

PETROBRÁS E O PRÉ-SAL: O DESAFIO DA SUA EXPLORAÇÃO, PRODUÇÃO E ADMINISTRAÇÃO. Emilio Meneses Carballeda. Orientadores: Luiz Landau

PETROBRÁS E O PRÉ-SAL: O DESAFIO DA SUA EXPLORAÇÃO, PRODUÇÃO E ADMINISTRAÇÃO. Emilio Meneses Carballeda. Orientadores: Luiz Landau PETROBRÁS E O PRÉ-SAL: O DESAFIO DA SUA EXPLORAÇÃO, PRODUÇÃO E ADMINISTRAÇÃO. Emilio Meneses Carballeda Projeto de Graduação apresentado ao Curso de Engenharia de Petróleo da Escola Politécnica, Universidade

Leia mais

Capacitação da Indústria. Nacional e Perspectivas de. Ampliação do Fornecimento. Local de Bens e Serviços para o. Setor de Óleo e Gás

Capacitação da Indústria. Nacional e Perspectivas de. Ampliação do Fornecimento. Local de Bens e Serviços para o. Setor de Óleo e Gás Capacitação da Indústria Nacional e Perspectivas de Ampliação do Fornecimento Local de Bens e Serviços para o Setor de Óleo e Gás 1 Agentes Governamentais Indústria Nacional Operadoras de P&G Missão Maximizar

Leia mais

A crise financeira e o. setor de energia

A crise financeira e o. setor de energia A crise financeira e o setor de energia PAULO CÉSAR RIBEIRO LIMA Consultor Legislativo da Área XII Recursos Minerais, Hídricos e Energéticos MARÇO/2009 Paulo César Ribeiro Lima 2 2009 Câmara dos Deputados.

Leia mais

Os Valores financeiros estão em R$ Milhões, a menos que indicado de outra forma. Dados financeiros refletem a adoção do IFRS.

Os Valores financeiros estão em R$ Milhões, a menos que indicado de outra forma. Dados financeiros refletem a adoção do IFRS. Algumas declarações e estimativas contidas neste material podem representar expectativas sobre eventos ou resultados futuros que estão sujeitas a riscos e incertezas ambos conhecidos e desconhecidos. Não

Leia mais

Banco do Brasil. Divulgação do Resultado 1T09

Banco do Brasil. Divulgação do Resultado 1T09 Banco do Brasil Divulgação do Resultado 1 Aviso Importante Esta apresentação faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias planejadas, estimativas de crescimento, projeções de resultados

Leia mais

Resultados 4T de Março de 2011

Resultados 4T de Março de 2011 Resultados 4T10 22 de Marçode 2011 1 AGENDA DESTAQUES Providência USA RESULTADOS PERSPECTIVAS 2 DESTAQUES Conclusão do projeto da primeira planta da Companhia nos Estados Unidos, com uma linha de produção

Leia mais

Aquisição do Labs D Or

Aquisição do Labs D Or FLRY3 Prêmio IBGC 2010 de Governança Corporativa na categoria de companhias listadas IBGC - Instituto Brasileiro de Governança Corporativa A marca mais valiosa do setor de saúde do Brasil A 6ª empresa

Leia mais

Fórum. Financeiro. temas em discussão 24 OUT RIOCENTRO RIO DE JANEIRO

Fórum. Financeiro. temas em discussão 24 OUT RIOCENTRO RIO DE JANEIRO Fórum Financeiro temas em discussão 24 OUT RIOCENTRO RIO DE JANEIRO UM DEBATE C-LEVEL SOBRE OS DESAFIOS E OPORTUNIDADES DE FINANCIAMENTO DO SETOR DE ÓLEO E GÁS NO BRASIL INVESTIDORES, BANCOS E GRANDES

Leia mais

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI FINANÇAS EM PROJETOS DE TI 2012 Material 3.1 Prof. Luiz Carlos Valeretto Jr. 1 Finanças Finança é a ciência de gerenciar recursos, ou aquela que lida com o emprego do dinheiro num projeto, empresa ou pessoa.

Leia mais

Os Acordos de Leniência e a quantificação de danos em face de cartéis

Os Acordos de Leniência e a quantificação de danos em face de cartéis Os Acordos de Leniência e a quantificação de danos em face de cartéis Acordo de Leniência A Lei Anticorrupção Empresarial instituiu a possibilidade de realização do chamado acordo de leniência com as pessoas

Leia mais

COMISSÃO DE FINANÇAS E TRIBUTAÇÃO - CFT PROJETO DE LEI Nº DE 2009 VOTO EM SEPARADO DO DEPUTADO GUILHERME CAMPOS

COMISSÃO DE FINANÇAS E TRIBUTAÇÃO - CFT PROJETO DE LEI Nº DE 2009 VOTO EM SEPARADO DO DEPUTADO GUILHERME CAMPOS COMISSÃO DE FINANÇAS E TRIBUTAÇÃO - CFT PROJETO DE LEI Nº 6.287 DE 2009 Altera a Lei nº 9.279, de 14 de maio de 1996, para regular o registro de contrato de transferência de tecnologia. Autor: Deputado

Leia mais

PERDIGÃO S.A. Companhia Aberta de capital autorizado CNPJ n / Av. Escola Politécnica, n.º 760 São Paulo SP FATO RELEVANTE

PERDIGÃO S.A. Companhia Aberta de capital autorizado CNPJ n / Av. Escola Politécnica, n.º 760 São Paulo SP FATO RELEVANTE PERDIGÃO S.A. Companhia Aberta de capital autorizado CNPJ n 01.838.723/0001-27 Av. Escola Politécnica, n.º 760 São Paulo SP FATO RELEVANTE A administração da PERDIGÃO S.A. ( PERDIGÃO Bovespa: PRGA3; NYSE:

Leia mais

CPC 18 INVESTIMENTO EM CONTROLADA E COLIGADA. Prof. Mauricio Pocopetz

CPC 18 INVESTIMENTO EM CONTROLADA E COLIGADA. Prof. Mauricio Pocopetz CPC 18 INVESTIMENTO EM CONTROLADA E COLIGADA Prof. Mauricio Pocopetz OBJETIVOS O objetivo deste Pronunciamento é estabelecer: a contabilização de investimentos em coligadas e em controladas; e definir

Leia mais

Teleconferência de resultados

Teleconferência de resultados Teleconferência de resultados 2 Aviso importante Este material foi preparado pela Linx S.A. ( Linx ou Companhia ) e pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros.

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS Junho/2016 Sócios / Administração 1 / 7 Índice 1. Objetivo... 3 2. Estrutura... 3 a. Comitê de Risco... 3 3. Risco de Preço... 4 4. Risco de Liquidez e Concentração... 4 5.

Leia mais

Chamada Pública de Projetos

Chamada Pública de Projetos Chamada Pública de Projetos Eficiência Energética Coordenação de Usos Finais de Energia Diretoria de Clientes Públicos 02/2016 Uma das maiores empresas globaisde energia Presente em 18 países(quatro continentes)

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE A DESESTATIZAÇÃO DA CELG D E A OFERTA DE AÇÕES A EMPREGADOS E APOSENTADOS

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE A DESESTATIZAÇÃO DA CELG D E A OFERTA DE AÇÕES A EMPREGADOS E APOSENTADOS PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE A DESESTATIZAÇÃO DA CELG D E A OFERTA DE AÇÕES A EMPREGADOS E APOSENTADOS TRABALHADORES E TERCEIRIZADOS 1. O que vai acontecer com os trabalhadores? Haverá garantia de emprego?

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCO

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCO POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCO Este material foi elaborado pela Gestão de Recursos Ltda. ( ), e não pode ser copiado, reproduzido ou distribuído sem sua prévia e expressa concordância. Página 1 de 6 Ficha

Leia mais

Orçamentos de Despesas Ajustadas e de Investimentos Despesas ajustadas e investimentos para 2017

Orçamentos de Despesas Ajustadas e de Investimentos Despesas ajustadas e investimentos para 2017 Orçamentos de Despesas Ajustadas e de Investimentos Despesas ajustadas e investimentos para 2017 Dez/2016 ORÇAMENTOS DE DESPESAS AJUSTADAS E INVESTIMENTOS Confidencial Restrita Confidencial Uso Interno

Leia mais

Acordo Coletivo Específico de Participação nos Lucros e Resultados PLR Síntese para deliberação em Assembleias

Acordo Coletivo Específico de Participação nos Lucros e Resultados PLR Síntese para deliberação em Assembleias Acordo Coletivo Específico de Participação nos Lucros e Resultados PLR 2016 - Síntese para deliberação em Assembleias PLR Conceitos O que é a PLR? É uma remuneração variável, ou seja, que o empregado pode

Leia mais

Apresentação. Presentation de novembro de H07 9 de novembro de 2007

Apresentação. Presentation de novembro de H07 9 de novembro de 2007 Apresentação Apresentação dos dos Resultados Resultados do do 3T07 3T07 Presentation de novembro de 2007 1H07 9 de novembro de 2007 1 As Demonstrações Financeiras são de caráter pro-forma, abrangendo demonstrações

Leia mais

COMPLEXO HOSPITALAR IMASF MODELAGEM 1

COMPLEXO HOSPITALAR IMASF MODELAGEM 1 COMPLEXO HOSPITALAR IMASF MODELAGEM 1 Legislação Aplicável Esta Audiência Pública está sendo realizada nos termos do ART. 39 da Lei 8.666/1993. Lei nº 11.079, de 30 de Dezembro de 2004 Lei de Parcerias

Leia mais

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL Resolução 3.988/2011. Área Responsável: Risco de Crédito e Capital Gerência de Capital

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL Resolução 3.988/2011. Área Responsável: Risco de Crédito e Capital Gerência de Capital ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL Área Responsável: Risco de Crédito e Capital Gerência de Capital Sumário RELATÓRIO DE ACESSO PÚBLICO ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL... 3 1. INTRODUÇÃO... 3

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE FINANÇAS

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE FINANÇAS REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE FINANÇAS I DEFINIÇÃO Este Regimento Interno, organizado em conformidade com o Estatuto Social da Ser Educacional S.A. ( Companhia ), estabelece procedimentos a serem observados

Leia mais

SUPLEMENTO DA 1ª(PRIMEIRA) SÉRIE DE COTAS DO BB RECUPERAÇÃO DE CRÉDITO BANCO DO BRASIL FIDC NP

SUPLEMENTO DA 1ª(PRIMEIRA) SÉRIE DE COTAS DO BB RECUPERAÇÃO DE CRÉDITO BANCO DO BRASIL FIDC NP SUPLEMENTO DA 1ª(PRIMEIRA) SÉRIE DE COTAS DO BB RECUPERAÇÃO DE CRÉDITO BANCO DO BRASIL FIDC NP Suplemento nº 01 referente à 1ª (primeira) Série emitida nos termos do Regulamento do BB RECUPERAÇÃO DE CRÉDITO

Leia mais

A PETROBRAS E A GOVERNANÇA CORPORATIVA. Desenvolvimento de Sistemas de Gestão. Comunicação Institucional

A PETROBRAS E A GOVERNANÇA CORPORATIVA. Desenvolvimento de Sistemas de Gestão. Comunicação Institucional A PETROBRAS E A GOVERNANÇA CORPORATIVA Desenvolvimento de Sistemas de Gestão Comunicação Institucional A Petrobras já integra o grupo das grandes companhias que adotam as melhores práticas de governança

Leia mais

Petrobras Logística de Exploração e Produção S.A. (Subsidiária integral da Petróleo Brasileiro S.A. - Petrobras)

Petrobras Logística de Exploração e Produção S.A. (Subsidiária integral da Petróleo Brasileiro S.A. - Petrobras) Petrobras Logística de Exploração e Produção S.A. (Subsidiária integral da Petróleo Brasileiro S.A. - Petrobras) Relatório da Administração em 31 de Dezembro de 2014 Petrobras Logística de Exploração e

Leia mais