Panorama setorial da Internet

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Panorama setorial da Internet"

Transcrição

1 Abril 2015 Tecnologia e Infância Ano 7 Número 1 Panorama setorial da Internet Publicidade, infância e tecnologia Discussão sobre a propaganda direcionada às crianças divide opiniões A televisão alterou profundamente a circulação da informação, assim, dissolvendo as barreiras que separavam o mundo dos adultos daquele das crianças. Com sua popularização, ela contribuiu para a criação de um canal direto entre as crianças e diversos conteúdos midiáticos, entre eles, a publicidade. Nesse sentido, no Brasil da década de 1980, uma propaganda de tesouras com personagens infantis colocava uma criança repetindo insistentemente: eu tenho, você não tem. Em outra, uma menina hipnotizava a mãe pedindo-lhe que comprasse um determinado chocolate. Impensáveis nos dias de hoje, essas propagandas fizeram sucesso e marcaram o crescimento de uma geração de consumidores, não sem levantar um debate: quais os limites da propaganda voltada para o público infantil? Já na metade da década atual, a publicidade se faz presente na vida de adultos e crianças, que são bombardeados por estímulos na televisão, na Internet e na mídia impressa, para citar alguns exemplos. Ao considerar que 98% dos domicílios brasileiros possuem televisão e 43% estão conectados à Internet 1, é possível imaginar o alcance da publicidade em nossa sociedade. Se a Internet é, hoje, um dos grandes veículos de sua circulação, com propagandas em portais, redes sociais e jogos on-line, a exposição de crianças e adolescentes a tais conteúdos é considerável: 75% dos indivíduos de 10 a 15 anos são usuários de Internet, enquanto esse percentual é de 51% para o total da população 2. O discernimento e o senso crítico das crianças e adolescentes para lidarem com conteúdo publi- 1 Dados da pesquisa TIC Domicílios 2013, conduzida anualmente pelo Comitê Gestor da Internet. 2 Dados da pesquisa TIC Domicílios 2013, conduzida anualmente pelo Comitê Gestor da Internet. 1

2 /Panorama Setorial 29% dos usuários de Inter net de 9 a 17 anos que assistiram a uma propaganda pediram algum produto para seus pais. Destes, 59% tiveram seu pedido atendido. citário consistem nos principais pontos do debate sobre publicidade, infância e tecnologia. Alguns especialistas defendem que a criança de até 12 anos de idade não possui um olhar tão crítico quanto o de um adulto para tomar decisões e, portanto, pode ser fortemente influenciada por peças publicitárias voltadas para o público infantil. São inúmeros impactos que vão desde o aumento do consumismo infantil, a formação de valores materialistas, de uma primazia do ter sobre o ser, passando até por consequências fisiológicas como, por exemplo, a obesidade infantil, analisa Renato Godoy, jornalista, sociólogo e pesquisador do Instituto Alana. A instituição, por meio do projeto Criança e Consumo, busca salientar as consequências da exposição à publicidade na infância, com isso fomentando o debate sobre o tema. A professora do programa de pós-graduação em Comunicação e Práticas de Consumo da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), Maria Isabel Orofino, levanta outro aspecto importante a ser considerado: a perspectiva da criança como sujeito atuante, levando em conta sua participação social. Nós trabalhamos sob a perspectiva das competências culturais da criança, entendendo que ela tem algumas competências cognitivas, emocionais e culturais, coloca a docente. A influência no consumo, no entanto, já pode ser sentida. Segundo o que foi apurado pela pesquisa TIC Kids Online Brasil 2013, 29% dos usuários de Internet de 9 a 17 anos que assistiram a uma propaganda pediram algum produto para seus pais. Destes, 59% tiveram seu pedido atendido. Resolução O tema ganhou força na mídia com a aprovação da Resolução 163 do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda), em março de 2014, que define como abusiva toda a comunicação mercadológica voltada para crianças e adolescentes que, procurando persuadi-los ao consumo, utilize-se de recursos como trilhas sonoras de músicas infantis, personagens, pessoas ou celebridades com apelo ao público infantil, bonecos, desenhos animados, entre outros. Em novembro do mesmo ano, o tema escolhido para a redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) foi Publicidade infantil em questão no Brasil, assim, trazendo à tona as diferentes posições e convidando os candidatos a refletirem sobre o tema. Para Godoy, o crescimento do debate sobre o tema é um dos principais ganhos: nada melhor do que ter mais de 9 milhões de pessoas pensando e escrevendo sobre o assunto, como foi o caso. O Alana é um ator importante no debate sobre publicidade voltada para o público infantil tendo, inclusive, representação no Conanda e analisa com otimismo o primeiro ano de vigência da resolução. A gente entende que o primeiro ponto positivo é o crescimento do debate. Observamos, com atenção, as empresas que incorrem em práticas abusivas e esperamos que elas adotem um comportamento adequado ao ordenamento jurídico brasileiro. Acho que o momento, por enquanto, é esse, de observar e fazer com que a resolução seja cumprida, afirma o especialista do Alana. 2

3 Publicidade, infância e tecnologia A Resolução, no entanto, não é unanimidade entre os profissionais da área. Para Orofino, o texto se equivoca ao partir do pressuposto de que toda publicidade é ruim. O que precisamos saber é que conteúdos queremos veicular com a publicidade e como veiculá-los, mas não abrir mão desta prática social e cultural. Todas as campanhas educativas se fundamentam a partir do mesmo formato de comunicação, por exemplo. O que precisa é regular e regulamentar. Produção cultural Uma das principais críticas feitas à Resolução 163 diz respeito a um possível impacto negativo na produção cultural voltada ao público juvenil, uma vez que os anúncios são a principal fonte de financiamento desta programação. A produção cultural para criança depende do apoio cultural das empresas, portanto a publicidade viabiliza essa produção cultural. São coisas relacionadas. Hoje, no Brasil, quase não há produção cultural para criança, já tivemos muito mais, pondera Orofino. Para Godoy, no entanto, os assuntos não estão diretamente relacionados. A crítica à redução da programação infantil na TV aberta procede. No entanto, ela não é fruto da resolução do Conanda, mas de uma opção mercadológica. Mesmo antes do debate sobre a regulação, a programação infantil diminuiu nas emissoras abertas. Ainda assim, admite que o momento seja de proliferação de iniciativas de produção de conteúdo nacional impulsionadas pela nova lei do audiovisual, que exige a veiculação de conteúdos nacionais na TV fechada, bem como de novas experiências. Cabe ao mercado, junto com a sociedade, pensar em alternativas. Não é um beco sem saída, muito pelo contrário, esse é o momento do mercado mostrar que tem capacidade de se reinventar sem necessariamente ferir os direitos da criança, completa. Percepções Conforme apurado pela pesquisa TIC Kids Online Brasil 2013, as percepções das crianças e adolescentes sobre a publicidade são variadas. Com relação a algum tipo de incômodo ou constrangimento, apenas 9% dos usuários de Internet de 11 a 17 anos que tiveram contato com propagandas relataram situações desse tipo. No que diz respeito à percepção sobre publicidade, os valores pouco se alteram para propagandas veiculadas na televisão ou Internet. Ainda que muitos afirmem não gostar nem desgostar das propagandas (29% para as duas mídias), o percentual de crianças que afirmam gostar muito e gostar da publicidade soma 46% no caso da televisão, contra 23% que responderam não gostar e odiar. Para a Internet, os valores são, respectivamente, de 37% e 29%, conforme quadro 1. A produção cultural para criança depende do apoio cultural das empresas, portanto a publicidade viabiliza essa produção cultural. São coisas relacionadas Maria Isabel Orofino 3

4 /Panorama Setorial QUADRO 1: PERCEPÇÃO SOBRE PROPAGANDAS OU PUBLICIDADE VISTAS EM MEIOS DE COMUNICAÇÃO (%) Percentual sobre o total de usuários de Internet de 11 a 17 anos que tiveram contato com propagandas/publicidade nos último ano Gosta muito Gosta Nem gosta nem desgosta TELEVISÃO Não gosta Odeia Não sabe Gosta muito Gosta Nem gosta nem desgosta INTERNET Não gosta Odeia Não sabe Fonte: TIC Kids Online Brasil 2013 Segundo a pesquisadora da ESPM, durante a condução de estudos qualitativos, foram colhidos depoimentos que apontam para uma capacidade de identificação da propaganda, assim como de alguns incômodos. Verificamos uma unanimidade de identificação do que é a publicidade, de que ela é muito chata porque interrompe o programa, e recolhemos também depoimentos de que a publicidade é mentirosa, e que ela engana a respeito dos produtos que vende, ou seja, a criança também reproduz o discurso que circula na comunidade. Interação Ainda, segundo a pesquisa TIC Kids Online Brasil 2013, 85% dos usuários de Internet na faixa etária entre 9 e 17 anos indicaram ter tido contato com publicidade veiculada pela televisão. Em segundo lugar, com 61% das menções, figuram as redes sociais, conforme gráfico 1: GRÁFICO 1: PROPORÇÃO DE CRIANÇAS OU ADOLESCENTES POR TIPO DE PROPAGANDA OU PUBLICIDADE COM A QUAL TIVERAM CONTATO NOS ÚLTIMOS 12 MESES Percentual sobre o total de usuários de Internet de 9 a 17 anos Na televisão 85 No site de uma rede social 61 Em revistas, jornais ou gibis 54 Em sites de vídeos 48 Num site de jogar na Internet Num Numa mensagem de texto SMS no celular Em mensagens instantâneas na Internet

5 Publicidade, infância e tecnologia Entre os usuários de Internet de 9 a 17 anos, 79% possuem perfil próprio em redes sociais 3. Estes usuários estão em contato com propagandas e, eventualmente, interagem com tal conteúdo: no último ano, 57% curtiram e 36% compartilharam propagandas. FIGURA 1: PROPORÇÃO DE CRIANÇAS/ADOLESCENTES, POR FORMA DE INTERAÇÃO COM PROPAGANDAS/PUBLICIDADE EM REDES SOCIAIS Percentual sobre o total de usuários de Internet de 11 a 17 anos que possuem próprio perfil na rede social de maior uso 57% 21% 36% 20% Curtiu Descurtiu Compartilhou Bloqueou Fonte: TIC Kids Online Brasil 2013 Para Godoy, a presença de empresas nas redes sociais é um novo desafio para os pais, que devem estar cientes com quais marcas os filhos estão interagindo, o que essas marcas pretendem quando realizam esse tipo de comunicação direcionada. Para Orofino, a publicidade está presente na vida da criança e do adolescente (e dos adultos) todo o tempo, não sendo diferente nas redes sociais, nas quais a criança constrói um espaço de voz e de visibilidade, num sentido muito positivo. Os pais devem estar cientes com quais marcas os filhos estão interagindo, o que essas marcas pretendem quando realizam esse tipo de comunicação direcionada Renato Godoy Artigo Crianças, adolescentes e os apelos comerciais em rede Inês Vitorino Uma das características marcantes da comunicação comercial, em especial da publicidade, é a ubiquidade. Como tem sido reconhecido em estudos internacionais sobre o tema, como os do Hanz-Bredow Institut, a pervasividade da publicidade no cotidiano infantil, presente nas suas horas de lazer, em seus deslocamentos e, até mesmo, na escola, acentuase no contexto da convergência midiática. Neste novo cenário, marcado pela multiplicação das tecnologias de informação e comunicação (TIC), ampliamse e tornam-se complexos os problemas e desafios relativos ao exercício da proteção e da promoção de crianças e adolescentes. 3 Considerando a rede social de maior uso pela criança. 5

6 /Panorama Setorial Inês Vitorino é professora do Curso de Comunicação Social - Publicidade e Propaganda da Universidade Federal do Ceará (UFC), vice-presidente da Associação Nacional de Pós- Graduação em Comunicação (COMPÓS) e atua no grupo de especialistas da pesquisa TIC Kids Online Brasil. No Brasil, os primeiros resultados com abrangência nacional sobre essa nova forma de crianças e adolescentes conviverem com a publicidade na Internet vêm a público com a pesquisa TIC Kids Online Brasil Além de estabelecer uma continuidade importante com a série histórica que investiga a relação deste segmento com as TIC, essa pesquisa colabora para colocar na agenda nacional este precioso debate 4. A investigação é reveladora do alto nível de exposição e de interação de nossas crianças e adolescentes com os apelos comerciais. Se 85% deles reconhecem ter tido acesso à publicidade pela TV, já soma 61% o número de adolescentes entre 11 e 17 anos usuários de Internet que reconhece ter sido alvo de suas mensagens publicitárias nas redes sociais. Os sites de jogos como espaço de contato com esse tipo de conteúdo foram apontados por 30% deles. Do ponto de vista da ampliação do acesso, além de questões clássicas que envolvem essa problemática, ou seja, relativas ao tipo de conteúdo publicitário que é exibido na rede, os aspectos éticos das mensagens, o incentivo ao consumismo, o risco de contato com temas/imagens inapropriadas, entre outras, surgem novos problemas. Entre os quais, é possível citar os decorrentes da crescente diluição de fronteiras entre o que pode ser designado como publicidade, ou jogo, ou site de produto/marca e que envolve crianças e adolescentes em novas formas de brincar, de se divertir e, até mesmo, de se promover, e o que se relaciona diretamente a interesses comerciais. Os pais também reconhecem este alto índice de exposição dos filhos à publicidade, mas não o vinculam claramente a um subsequente pedido de compra dos filhos, pois este percentual não ultrapassa os 30% na pesquisa. Curiosamente, ao serem indagados sobre o que os filhos mais pedem, obteve-se o seguinte resultado: roupas e sapatos (62%), equipamentos eletrônicos (56%), jogos e videogame (26%) e, finalmente, brinquedos com 18%. Seria, afinal, esta ordem de pedidos natural para crianças e adolescentes? Além dessas questões associadas ao acesso de conteúdos, torna-se relevante entender, com mais profundidade, os tipos de interação com a comunicação comercial que crianças e adolescentes passam a ter nas redes sociais. Curtir (57%), compartilhar (36%), descurtir (21%) ou bloquear (20%) publicidades está entre essas novas práticas evidenciadas na pesquisa. Isso sublinha uma ação mais direta de resposta deste segmento que se soma a outras, como se tornar um personagem de uma marca na simulação de um jogo, marcar uma loja em uma fotografia de festa, sinalizando o uso de sua(s) marca(s), criar blogs e/ou fotoblogs com o fito de promover um produto ou marca, participar de concursos ou promoções com níveis acentuados de exposição de si, entre outros. A complexidade dessas relações comerciais envolvendo as crianças e adolescentes torna essa pauta extremamente relevante e urgente para o Estado, para a sociedade, a comunidade e a família no Brasil. Do ponto de vista da proteção e da promoção da criança e do adolescente, implica a urgência quanto à definição de uma política regulatória específica sobre a comunicação comercial e publicidade, a qualificação da mídia e de sua literacia nas escolas e nas famílias, bem como a sensibilização de setores empresariais e profissionais acerca da responsabilidade compartilhada da sociedade para com este segmento. 4 Todos os dados citados no presente artigo são resultados da pesquisa TIC Kids Online Brasil 2013 (CGI.br, 2014). 6

7 Relatório de Domínios Relatório de Domínios A dinâmica do registro de domínio no Brasil e no mundo Mensalmente, o Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br) monitora a quantidade de nomes de domínios registrados entre os 16 maiores cctlds 5 no mundo que totalizam os registros sob o nome de países. A maior quantidade de domínios registrados está sob a terminação.tk (Tokelau), com mais de 28,5 milhões de registros no mês de março de Em segundo lugar, está a Alemanha (.de) com 15,8 milhões de registros, seguida da China (.cn) com 11,6 milhões de domínios registrados. O Brasil ocupa a oitava posição com 3,5 milhões de registros sob o.br e, na décima sexta posição, com 1,7 milhões de registros, estão os Estados Unidos, com registros sob o.us, como observado no gráfico 1. GRÁFICO 1 REGISTROS DE NOMES DE DOMÍNIOS NO MUNDO MARÇO/2015 Tokelau (.tk) Alemanha (.de) 2 China (.cn) 3 Reino Unido (.uk) Países Baixos (.nl) 5 Rússia (.ru) 6 UE (.eu) 7 Brasil (.br) 8 Austrália (.au) 9 Argentina (.ar) 10 França (.fr) 11 Itália (.it) 12 Polônia (.pl) 13 Canadá (.ca) 14 Suíça (.ch) 15 EUA (.us) O Brasil permanece na oitava posição com 3,5 milhões de registros sob o.br 5 Sigla para Country Code Top-Level Domain, em inglês. 7

8 /Panorama Setorial O.com fechou o primeiro trimestre de 2015 com 117 milhões de registros O primeiro trimestre de 2015 inicia com mais de 3,5 milhões de domínios sob o.br. No gráfico 2, é possível acompanhar o crescimento do.br desde o ano de GRÁFICO 2 TOTAL DE REGISTROS DE DOMÍNIOS AO ANO MARÇO/ * * Dado referente ao terceiro trimestre de 2015 Os cinco principais domínios genéricos (gtlds 6 ) totalizaram, no início de 2015, mais de 150 milhões de registros. O domínio genérico.com destacase com mais de 117 milhões, conforme se elenca na tabela 1 no primeiro trimestre de TABELA 1 PRINCIPAIS GTLDS MARÇO/ Posição gtld Domínios 1º.com º.net º.org º.info º.biz Sigla para Generic Top-Level Domain, em inglês. 7 Disponível em: Acesso em: 08/04/

9 Publicidade e infância no Brasil Conheça os principais marcos da legislação sobre o assunto Antecedentes Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) A Resolução Código de Defesa do Consumidor Art. 37-2º - É abusiva, dentre outras a publicidade discriminatória de qualquer natureza, a que incite à violência, explore o medo ou a superstição, se aproveite da deficiência de julgamento e experiência da criança, desrespeita valores ambientais, ou que seja capaz de induzir o consumidor a se comportar de forma prejudicial ou perigosa à sua saúde ou segurança. 9 Tire suas dúvidas Constituição Federal de 1988 Art. 5º - inciso XXXII o Estado promoverá, na forma da lei, a defesa do consumidor. Art. 227 É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança, ao adolescente e ao jovem, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária, além de colocá-los a salvo de toda forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão. 10 Resolução 163/2014 do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda) Legislação específica que regulamenta o paradigma da proteção integral, preconizado na Convenção sobre os Direitos da Criança da Organização das Nações Unidas e no artigo 227 da Constituição Federal de Inaugura nova concepção de criança e adolescente, desse modo, superando a ideia de que eles são incapazes e, consequentemente, passíveis de tutela. A partir do ECA, as crianças e adolescentes passam a ser considerados cidadãos em fase peculiar de desenvolvimento e, portanto, portadores de direitos 8. A partir da publicação dessa resolução, o Conselho considera abusiva toda a comunicação mercadológica direcionada a crianças e adolescentes que, procurando persuadi-los para o consumo, utilize-se de recursos, como trilhas sonoras de músicas infantis, personagens, pessoas ou celebridades com apelo ao público infantil, bonecos, desenhos animados, entre outros 8 Adaptado de: ANDI Comunicação e Direitos. Help Desk. Disponível em: <http://www.andi.org.br/faq/o-que-e-o-eca-estatuto-da-crianca-e-do-adolescente-e-qualseu-significado-para-as-criancas-e-ado>. Acesso em: 08/04/ Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8078.htm>. Acesso em: 08/04/ Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm>. Acesso em: 08/04/ Disponível em: <http://www.mpba.mp.br/atuacao/infancia/publicidadeeconsumo/conanda/resolucao_163_conanda.pdf >. Acesso em: 08/04/

10 /Panorama Setorial Repercursão Em nota 12, as principais entidades do setor publicitário e de radiodifusão posicionaram-se contra a Resolução 163/2014, alegando reconhecer apenas o Congresso Nacional como órgão com legitimidade constitucional para legislar sobre o tema, apontando a regulação exercida pelo Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar) como a mais eficiente em matéria de publicidade comercial. O Conar é entidade responsável pelo cumprimento do Código Brasileiro de Autorregulamentação Publicitária e, como tal, define como preceitos da ética publicitária a honestidade, o respeito às leis do país e ao princípio da leal concorrência, bem como o respeito à atividade publicitária, entre outros. 13 Em andamento Projetos em trâmite na Câmara dos Deputados: Projeto de Lei 5921/2001 Autor: Luiz Carlos Hauly - PSDB/PR Proíbe a publicidade ou propaganda para a venda de produtos infantis. Projeto de Decreto Legislativo 1460/2014 Autor: Milton Monti - PR/SP Susta os efeitos da resolução que dispõe sobre a abusividade do direcionamento de publicidade e de comunicação mercadológica à criança e ao adolescente. 12 Disponível em: <http://aner.org.br/nota-publicapublicidade-infantil/>. Acesso em: 08/04/ Disponível em: <http://www.conar.org.br/>. Acesso em: 08/04/2015 O Panorama Setorial da Internet é produzido pelo Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (CETIC.br): Alexandre F. Barbosa, Alessandra Almeida, Alisson Bittencourt, Camila Garroux, Fabio Senne, Isabela Coelho, Luiza Mesquita, Manuella Ribeiro, Maíra Ouriveis, Marcelo Pitta, Maria Eugênia Sozio, Raphael Albino, Suzana Jaíze Alves, Tatiana Jereissati, Vanessa Henriques, Winston Oyadomari. CREATIVE COMMONS Atribuição Uso não comercial, não a obras derivadas (by-nc-nd) 10

11 11

12 diversidade universalidade inimputabilidade da rede segurança ambiente legal colaboração governança democrática neutralidade da rede inovação padronização direitos humanos Multissetorialismo defendendo princípios e construindo consensos, rumo à Internet para todos. 12

Panorama setorial da Internet

Panorama setorial da Internet Julho 2014 Tecnologia e Empresas Ano 6 Número 2 Panorama setorial da Internet Presença das empresas na web Em 2013, a população brasileira atingiu a marca de 51% de usuários de Internet destes, 77% afirmam

Leia mais

MARÇO DE 2013. Crianças e Adolescentes no Brasil: riscos e oportunidades na Internet. Ano 5 Número 1

MARÇO DE 2013. Crianças e Adolescentes no Brasil: riscos e oportunidades na Internet. Ano 5 Número 1 MARÇO DE 2013 Crianças e Adolescentes no Brasil: riscos e oportunidades na Internet Ano 5 Número 1 SUMÁRIO EXECUTIVO Crianças e Adolescentes no Brasil: riscos e oportunidades na Internet Apresentação Àmedidaqueainclusãodigitalavançanopaíseosusuários

Leia mais

Panorama setorial da Internet

Panorama setorial da Internet Janeiro 2014 Tecnologia e Saúde Ano 6 Número 1 Panorama setorial da Internet TIC no setor de Saúde: disponibilidade e uso das tecnologias de informação e comunicação em estabelecimentos de saúde brasileiros

Leia mais

O uso da Internet por alunos brasileiros de Ensino Fundamental e Médio. Panorama setorial da Internet AGOSTO DE 2013 TECNOLOGIAS E EDUCAÇÃO

O uso da Internet por alunos brasileiros de Ensino Fundamental e Médio. Panorama setorial da Internet AGOSTO DE 2013 TECNOLOGIAS E EDUCAÇÃO Panorama setorial da Internet AGOSTO DE 213 TECNOLOGIAS E EDUCAÇÃO O uso da Internet por alunos brasileiros de Ensino Fundamental e Médio Ano 5 Número 2 O USO DA INTERNET POR ALUNOS BRASILEIROS DE ENSINO

Leia mais

Regulação da publicidade infantil e prevenção da obesidade

Regulação da publicidade infantil e prevenção da obesidade Regulação da publicidade infantil e prevenção da obesidade 241ª Assembleia Ordinária do CONANDA 09 de julho de 2015 Mariana de Araujo Ferraz Advogada e Consultora Mestre em Direitos Humanos - USP Ex-conselheira

Leia mais

Panorama setorial da Internet

Panorama setorial da Internet Outubro 2014 Tecnologia e Educação Ano 6 Número 3 Panorama setorial da Internet Recursos digitais na escola: repensando caminhos Texto Bianca Santana 1 A prática pedagógica dispõe de inúmeras ferramentas

Leia mais

Um Caminho Seguro para as Empresas do País: 3 Milhões de domínios do.br. Panorama setorial da Internet SETEMBRO DE 2012

Um Caminho Seguro para as Empresas do País: 3 Milhões de domínios do.br. Panorama setorial da Internet SETEMBRO DE 2012 Panorama setorial da Internet SETEMBRO DE 2012 DOMÍNIO DE PRIMEIRO NÍVEL NO BRASIL Um Caminho Seguro para as Empresas do País: 3 Milhões de domínios do.br Ano 4 Número 2 A INTERNET BRASILEIRA Apresentação

Leia mais

Pesquisa TIC Kids Online Brasil

Pesquisa TIC Kids Online Brasil Semana da Infraestrutura da Internet no Brasil Grupo de Trabalho de Engenharia e Operação de Redes GTER Grupo de Trabalho em Segurança de Redes GTS Pesquisa TIC Kids Online Brasil Parte II: Uso seguro

Leia mais

Seminário Obesidade Infantil Câmara dos Deputados 22 de outubro de 2013 Ekaterine Karageorgiadis Advogada

Seminário Obesidade Infantil Câmara dos Deputados 22 de outubro de 2013 Ekaterine Karageorgiadis Advogada A influência da comunicação mercadológica dirigida às crianças Seminário Obesidade Infantil Câmara dos Deputados 22 de outubro de 2013 Ekaterine Karageorgiadis Advogada Instituto Alana: quem somos Projeto

Leia mais

Regime Republicano e Estado Democrático de Direito art. 1º. Fundamento III dignidade da pessoa humana e IV livre iniciativa

Regime Republicano e Estado Democrático de Direito art. 1º. Fundamento III dignidade da pessoa humana e IV livre iniciativa Regime Republicano e Estado Democrático de Direito art. 1º. Fundamento III dignidade da pessoa humana e IV livre iniciativa Objetivos da República Art. 3º. Construção sociedade livre, justa e solidária

Leia mais

AGOSTO DE 2012. DOMÍNIO DE PRIMEIRO NÍVEL NO BRASIL: Um caminho seguro para as empresas do país Ano 4 Número 2

AGOSTO DE 2012. DOMÍNIO DE PRIMEIRO NÍVEL NO BRASIL: Um caminho seguro para as empresas do país Ano 4 Número 2 AGOSTO DE 2012 DOMÍNIO DE PRIMEIRO NÍVEL NO BRASIL: Um caminho seguro para as empresas do país Ano 4 Número 2 SUMÁRIO EXECUTIVO Domínio de Primeiro Nível no Brasil Apresentação Desde 1996 o Comitê Gestor

Leia mais

PUBLICIDADE DE BEBIDAS ALCOÓLICAS E OS JOVENS ALAN VENDRAME UNIFESP/EPM

PUBLICIDADE DE BEBIDAS ALCOÓLICAS E OS JOVENS ALAN VENDRAME UNIFESP/EPM PUBLICIDADE DE BEBIDAS ALCOÓLICAS E OS JOVENS ALAN VENDRAME UNIFESP/EPM Apoio: FAPESP 03/06250-7 e 04/13564-0 Introdução Importantes questões: 1. O controle social da mídia (propagandas) é importante medida

Leia mais

Pesquisa TIC Kids Online 2013 Pesquisa sobre o Uso da Internet por Crianças e Adolescentes no Brasil

Pesquisa TIC Kids Online 2013 Pesquisa sobre o Uso da Internet por Crianças e Adolescentes no Brasil Pesquisa TIC Kids Online 2013 Pesquisa sobre o Uso da Internet por Crianças e Adolescentes no Brasil Apresentação dos principais resultados São Paulo, 06 de agosto de 2014 CGI.br Comitê Gestor da Internet

Leia mais

Avanços na Regulação da Publicidade Infantil

Avanços na Regulação da Publicidade Infantil Avanços na Regulação da Publicidade Infantil IV Fórum de Monitoramento do Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas não Transmissíveis no Brasil AGO/2014 O arsenal de publicidade

Leia mais

TRABALHO INFANTIL. Fabiana Barcellos Gomes

TRABALHO INFANTIL. Fabiana Barcellos Gomes TRABALHO INFANTIL Fabiana Barcellos Gomes Advogada, Pós graduada em Direito e Processo Penal com ênfase em Segurança Pública, Direito do Trabalho e Pós graduanda em Direito de Família e Sucessões O que

Leia mais

DIREITO CONSTITUCIONAL. Art. 227, CF/88 RAFAEL FERNANDEZ

DIREITO CONSTITUCIONAL. Art. 227, CF/88 RAFAEL FERNANDEZ DIREITO CONSTITUCIONAL Art. 227, CF/88 RAFAEL FERNANDEZ É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança, ao adolescente e ao jovem, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde,

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO FIRMADO PERANTE O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ PELOS CANDIDATOS A PREFEITOS MUNICIPAIS DE BELÉM, NAS ELEIÇÕES 2012.

TERMO DE COMPROMISSO FIRMADO PERANTE O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ PELOS CANDIDATOS A PREFEITOS MUNICIPAIS DE BELÉM, NAS ELEIÇÕES 2012. TERMO DE COMPROMISSO FIRMADO PERANTE O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ PELOS CANDIDATOS A PREFEITOS MUNICIPAIS DE BELÉM, NAS ELEIÇÕES 2012. O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ, daqui por diante

Leia mais

O DIREITO À CONVIVÊNCIA FAMILIAR E COMUNITÁRIA DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES

O DIREITO À CONVIVÊNCIA FAMILIAR E COMUNITÁRIA DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES O DIREITO À CONVIVÊNCIA FAMILIAR E COMUNITÁRIA DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES Josefa Adelaide Clementino Leite 1 Maria de Fátima Melo do Nascimento 2 Waleska Ramalho Ribeiro 3 RESUMO O direito à proteção social

Leia mais

Criança, consumo de alimentos e publicidade

Criança, consumo de alimentos e publicidade Criança, consumo de alimentos e publicidade Isabella Henriques www.alana.org.br Mercantilização da Infância Etapas do Desenvolvimento Infantil Os estágios evolutivos da criança: 2 a 3 anos 4 a 6 anos 7

Leia mais

QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA!

QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA! QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA! NOSSA VISÃO Um mundo mais justo, onde todas as crianças e todos os adolescentes brincam, praticam esportes e se divertem de forma segura e inclusiva. NOSSO

Leia mais

DIREITOS DAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES: O QUE ISTO TEM A VER COM SUSTENTABILIDADE? 1

DIREITOS DAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES: O QUE ISTO TEM A VER COM SUSTENTABILIDADE? 1 DIREITOS DAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES: O QUE ISTO TEM A VER COM SUSTENTABILIDADE? 1 O conceito de sustentabilidade Em 1987, o Relatório Brundtland, elaborado pela Comissão Mundial do Ambiente e Desenvolvimento,

Leia mais

ABRIL DE 2012. Provedores de Internet no Brasil: Inclusão Digital e Infraestrutura Ano 4 Número 1

ABRIL DE 2012. Provedores de Internet no Brasil: Inclusão Digital e Infraestrutura Ano 4 Número 1 ABRIL DE 2012 Provedores de Internet no Brasil: Inclusão Digital e Infraestrutura Ano 4 Número 1 SUMÁRIO EXECUTIVO Apresentação A inclusão digital no Brasil depende fundamentalmente da expansão da infraestrutura

Leia mais

Publicidade de alimentos e os impactos no desenvolvimento infantil. Tamara Amoroso Gonçalves

Publicidade de alimentos e os impactos no desenvolvimento infantil. Tamara Amoroso Gonçalves Publicidade de alimentos e os impactos no desenvolvimento infantil Tamara Amoroso Gonçalves Mercantilização da Infância Etapas do Desenvolvimento Infantil Os estágios evolutivos da criança: - 2 a 3 anos

Leia mais

À Câmara dos Deputados Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania

À Câmara dos Deputados Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania Brasília, 21 de maio de 2015. À Câmara dos Deputados Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania Excelentíssimos Senhores, A ABA Associação Brasileira de Anunciantes é uma entidade sem fins lucrativos,

Leia mais

São Paulo, 16 de Abril de 2012

São Paulo, 16 de Abril de 2012 São Paulo, 16 de Abril de 2012 À Manufatura de Brinquedos Estrela S/A A/c: Departamento Jurídico A/c: Departamento de Marketing A/c: Departamento de Relações Institucionais Rua Gomes de Carvalho, 1327,

Leia mais

Primo Schincariol Indústria de Cerveja e Refrigerantes S.A.

Primo Schincariol Indústria de Cerveja e Refrigerantes S.A. São Paulo, 14 de maio 2013 À Primo Schincariol Indústria de Cerveja e Refrigerantes S.A. A/C Sr. Luiz Cláudio Taya de Araújo Diretor de Marketing Av. Primo Schincariol, 2300 Itu São Paulo 13312-900 Ref.:

Leia mais

LEGISLAÇÃO CITADA CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988

LEGISLAÇÃO CITADA CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988 LEGISLAÇÃO CITADA CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988 TÍTULO VIII Da Ordem Social CAPÍTULO VII DA FAMÍLIA, DA CRIANÇA, DO ADOLESCENTE E DO IDOSO Art. 227. É dever da família, da sociedade

Leia mais

A criança e as mídias

A criança e as mídias 34 A criança e as mídias - João, vá dormir, já está ficando tarde!!! - Pera aí, mãe, só mais um pouquinho! - Tá na hora de criança dormir! - Mas o desenho já tá acabando... só mais um pouquinho... - Tá

Leia mais

EDITAL COMPLEMENTAR Nº 010 DIVULGA JULGAMENTO DOS RECURSOS CONTRA A PROVA OBJETIVA

EDITAL COMPLEMENTAR Nº 010 DIVULGA JULGAMENTO DOS RECURSOS CONTRA A PROVA OBJETIVA EDITAL COMPLEMENTAR Nº 010 DIVULGA JULGAMENTO DOS RECURSOS CONTRA A PROVA OBJETIVA A Presidenta da Comissão Organizadora do Processo Seletivo Simplificado da Secretaria Municipal de Educação de Alto Araguaia

Leia mais

São Paulo, 14 de dezembro de 2007

São Paulo, 14 de dezembro de 2007 À B.C.P. S/A Grupo Claro A/C: Departamento Jurídico Rua Florida, 1970. Cidade Monções 04565-907. São Paulo/SP São Paulo, 14 de dezembro de 2007 Prezados Senhores, Ref.: Publicidade de celulares para o

Leia mais

Publicidade de alimentos dirigida às crianças

Publicidade de alimentos dirigida às crianças Publicidade de alimentos dirigida às crianças Isabella Henriques www.alana.org.br Instituto Alana desde 1994 Organização sem fins lucrativos que desenvolve atividades educacionais, culturais e de fomento

Leia mais

RELATÓRIO DA PESQUISA ONLINE: Avaliação dos educadores Multiplicadores

RELATÓRIO DA PESQUISA ONLINE: Avaliação dos educadores Multiplicadores RELATÓRIO DA PESQUISA ONLINE: Avaliação dos educadores Multiplicadores APRESENTAÇÃO A SaferNet Brasil é uma associação civil de direito privado, com atuação nacional, sem fins lucrativos ou econômicos,

Leia mais

Lei 12.485/2011. SeAC Serviço de Acesso condicionado. Lei da TV Paga

Lei 12.485/2011. SeAC Serviço de Acesso condicionado. Lei da TV Paga Lei 12.485/2011 SeAC Serviço de Acesso condicionado Lei da TV Paga Segundo a Anatel, o serviço de TV por assinatura atende aproximadamente 54,2 milhões de lares brasileiros e 27,9% das residências do país.

Leia mais

São Paulo, 17 de julho de 2014. À Secretaria xxxxx A/C Sr. xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx Endereço da secretaria de educação Cidade - Estado Cep

São Paulo, 17 de julho de 2014. À Secretaria xxxxx A/C Sr. xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx Endereço da secretaria de educação Cidade - Estado Cep São Paulo, 17 de julho de 2014 À Secretaria xxxxx A/C Sr. xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx Endereço da secretaria de educação Cidade - Estado Cep Ref.: Ciência à Secretaria de Educação sobre a existência da Resolução

Leia mais

Crianças e Meios Digitais Móveis TIC KIDS ONLINE NO TEMPO DOS MEIOS MÓVEIS: OLHARES DO BRASIL PARA CRIANÇAS DE 11-12 ANOS

Crianças e Meios Digitais Móveis TIC KIDS ONLINE NO TEMPO DOS MEIOS MÓVEIS: OLHARES DO BRASIL PARA CRIANÇAS DE 11-12 ANOS Crianças e Meios Digitais Móveis Lisboa, 29 de novembro de 2014 TIC KIDS ONLINE NO TEMPO DOS MEIOS MÓVEIS: OLHARES DO BRASIL PARA CRIANÇAS DE 11-12 ANOS Educação para o uso crítico da mídia 1. Contexto

Leia mais

CARACTERÍSTICAS OBJETIVOS PRODUTOS

CARACTERÍSTICAS OBJETIVOS PRODUTOS INTRODUÇÃO Niterói - cidade considerada digital já em 1999 é uma das mais conectadas em banda larga do país. Na cidade conhecida por seus belos casarões, museus e centros culturais, foi criada em agosto

Leia mais

Alunos de 6º ao 9 anos do Ensino Fundamental

Alunos de 6º ao 9 anos do Ensino Fundamental Alunos de 6º ao 9 anos do Ensino Fundamental Resumo Este projeto propõe a discussão da Década de Ações para a Segurança no Trânsito e a relação dessa com o cotidiano dos alunos, considerando como a prática

Leia mais

Panorama setorial da Internet

Panorama setorial da Internet Agosto 2015 Tecnologia e Transparência pública Ano 7 Número 2 Panorama setorial da Internet Informação ao alcance de todos Lei de Acesso à Informação completa três anos com o desafio de garantir a transparência

Leia mais

NORMAS DE CONDUTA. Apresentação

NORMAS DE CONDUTA. Apresentação NORMAS DE CONDUTA Apresentação Adequando-se às melhores práticas de Governança Corporativa, a TITO está definindo e formalizando as suas normas de conduta ( Normas ). Estas estabelecem as relações, comportamentos

Leia mais

Comunicação: tendências e desafios, realizada na Universidade do Sagrado Coração Bauru SP, no período de 27 a 29 de agosto de 2009.

Comunicação: tendências e desafios, realizada na Universidade do Sagrado Coração Bauru SP, no período de 27 a 29 de agosto de 2009. 111 1ª Jornada Científica de Comunicação Social A pesquisa em Comunicação: tendências e desafios PUBLICIDADE E PROPAGANDA: UMA REFLEXÃO SOBRE A IMPORTÂNCIA DA LEGISLAÇÃO BRASILEIRA E DA ÉTICA PARA A PROFISSÃO

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA

TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA Inquérito Civil nº 29/2010 TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA COMPROMISSÁRIO: Fox Latin America Channels do Brasil, sociedade por quotas de responsabilidade limitada, com sede na Rua Olimpíadas,

Leia mais

Blumenau, 24 de junho de 2015. Ilustríssimo(a) Senhor(a) Vereador(a).

Blumenau, 24 de junho de 2015. Ilustríssimo(a) Senhor(a) Vereador(a). 1 Ofício nº 01/2015 - CDS - OAB/BLUMENAU Aos(as) Excelentíssimos(as) Vereadores(as) de Blumenau. Blumenau, 24 de junho de 2015. Ilustríssimo(a) Senhor(a) Vereador(a). Conforme se denota do sítio eletrônico,

Leia mais

Curso Marketing Político Digital Por Leandro Rehem Módulo III MULTICANAL. O que é Marketing Multicanal?

Curso Marketing Político Digital Por Leandro Rehem Módulo III MULTICANAL. O que é Marketing Multicanal? Curso Marketing Político Digital Por Leandro Rehem Módulo III MULTICANAL O que é Marketing Multicanal? Uma campanha MultiCanal integra email, SMS, torpedo de voz, sms, fax, chat online, formulários, por

Leia mais

CRIANÇA e CONSUMO. Publicidade dirigida à infância IMPACTOS E CONSEQÜÊNCIAS. Isabella Vieira Machado Henriques

CRIANÇA e CONSUMO. Publicidade dirigida à infância IMPACTOS E CONSEQÜÊNCIAS. Isabella Vieira Machado Henriques CRIANÇA e CONSUMO Publicidade dirigida à infância IMPACTOS E CONSEQÜÊNCIAS Isabella Vieira Machado Henriques o instituto ALANA Organização sem fins lucrativos que desenvolve atividades educacionais, culturais

Leia mais

Projeto de Lei de Iniciativa Popular para uma mídia Democrática

Projeto de Lei de Iniciativa Popular para uma mídia Democrática Projeto de Lei de Iniciativa Popular para uma mídia Democrática Comunicação é um direito de todos No Brasil, os meios de comunicação estão concentrados nas mãos de poucas empresas familiares que têm a

Leia mais

Grupo Brasil AntiSPAM

Grupo Brasil AntiSPAM Grupo Brasil AntiSPAM Marcelo Sant Iago Presidente, Associação de Mídia Interativa (AMI) Board member, World Summit Award (WSA) Vice-Chairman, Global Alliance for Bridging the Digital Divide (GABDD) Histórico

Leia mais

Entrevista. Por DANIELA MENDES

Entrevista. Por DANIELA MENDES Entrevista ''O Estado não pode tutelar a sociedade'' O presidente da Frente Parlamentar de Comunicação diz que a Constituição estabelece só cinco pontos a serem normatizados: tabaco, álcool, medicamentos,

Leia mais

PUBLICIDADE ABUSIVA E A RESOLUÇÃO 163/14 DO CONANDA: NOVAS PERSPECTIVAS PARA A PUBLICIDADE DIRECIONADA À CRIANÇA E AO ADOLESCENTE

PUBLICIDADE ABUSIVA E A RESOLUÇÃO 163/14 DO CONANDA: NOVAS PERSPECTIVAS PARA A PUBLICIDADE DIRECIONADA À CRIANÇA E AO ADOLESCENTE 1 PUBLICIDADE ABUSIVA E A RESOLUÇÃO 163/14 DO CONANDA: NOVAS PERSPECTIVAS PARA A PUBLICIDADE DIRECIONADA À CRIANÇA E AO ADOLESCENTE Grupo temático Direito e relações de consumo Lorena Luzia Alexandre Silva

Leia mais

Cenário sobre a integração das tecnologias às escolas brasileiras. Diretrizes para o desenvolvimento do uso das tecnologias no ensino-aprendizagem

Cenário sobre a integração das tecnologias às escolas brasileiras. Diretrizes para o desenvolvimento do uso das tecnologias no ensino-aprendizagem Cenário sobre a integração das tecnologias às escolas brasileiras Diretrizes para o desenvolvimento do uso das tecnologias no ensino-aprendizagem Maio, 2014 1 Índice 1. Introdução 3 2. Cenário do acesso

Leia mais

CARTA DE SÃO PAULO PELA PROTEÇÃO DOS DIREITOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM SITUAÇÃO DE TRABALHO INFANTIL ARTÍSTICO

CARTA DE SÃO PAULO PELA PROTEÇÃO DOS DIREITOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM SITUAÇÃO DE TRABALHO INFANTIL ARTÍSTICO CARTA DE SÃO PAULO PELA PROTEÇÃO DOS DIREITOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM SITUAÇÃO DE TRABALHO INFANTIL ARTÍSTICO A. PREÂMBULO I CONSIDERANDO que o Brasil é signatário da Declaração dos Direitos da Criança,

Leia mais

Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais

Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais Estatuto da Criança e do Adolescente: 18 anos, 18 Compromissos A criança e o adolescente no centro da gestão municipal O Estatuto

Leia mais

OU SOBRE A EXPLORAÇÃO DE MÃO-DE-OBRA INFANTIL

OU SOBRE A EXPLORAÇÃO DE MÃO-DE-OBRA INFANTIL OU SOBRE A EXPLORAÇÃO DE MÃO-DE-OBRA INFANTIL 2 OBrasil tem uma legislação ampla sobre a proteção da criança e do adolescente e a proibição do trabalho infantil. Vamos conhecê-la? A Constituição Federal

Leia mais

MERCANTILIZAÇÃO DA INFÂNCIA A ilegalidade da publicidade dirigida às crianças

MERCANTILIZAÇÃO DA INFÂNCIA A ilegalidade da publicidade dirigida às crianças MERCANTILIZAÇÃO DA INFÂNCIA A ilegalidade da publicidade dirigida às crianças Isabella Henriques www.alana.org.br Mercantilização da Infância Etapas do Desenvolvimento Infantil Os estágios evolutivos da

Leia mais

Sequência Didática. Criança, a alma do negócio (2) http://tvescola.mec.gov.br/tve/video?iditem=7212. 1 - Título:

Sequência Didática. Criança, a alma do negócio (2) http://tvescola.mec.gov.br/tve/video?iditem=7212. 1 - Título: Sequência Didática 1 - Título: Criança, a alma do negócio (2) http://tvescola.mec.gov.br/tve/video?iditem=7212 2 Resumo: Você, educador(a), e você também que não tem a educação como profissão, mas se interessa

Leia mais

ABRIL 2010. Redes Sociais: revolução cultural na Internet. Ano 2 Número 2

ABRIL 2010. Redes Sociais: revolução cultural na Internet. Ano 2 Número 2 ABRIL 2010 Redes Sociais: revolução cultural na Internet Ano 2 Número 2 SUMÁRIO EXECUTIVO As redes sociais: revolução cultural na Internet Apresentação Definindo as redes sociais As redes sociais formam

Leia mais

Coletiva de Imprensa Apresentação de resultados São Paulo, 23 de maio de 2013

Coletiva de Imprensa Apresentação de resultados São Paulo, 23 de maio de 2013 Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação Pesquisa TIC Educação 2012 Pesquisa sobre o uso das TIC nas escolas brasileiras Coletiva de Imprensa Apresentação de resultados

Leia mais

Pesquisa TIC Kids Online Brasil

Pesquisa TIC Kids Online Brasil Os desafio das Novas Mídias: Inclusão Digital e Proteção da Infância Pesquisa TIC Kids Online Brasil Visão geral do acesso e uso da Internet por crianças e adolescentes no Brasil Alexandre F. Barbosa Brasília,

Leia mais

RELATÓRIO DA PESQUISA ONLINE: Avaliação dos Atores do Sistema de Garantia de Direitos participantes das Oficinas em São Paulo

RELATÓRIO DA PESQUISA ONLINE: Avaliação dos Atores do Sistema de Garantia de Direitos participantes das Oficinas em São Paulo RELATÓRIO DA PESQUISA ONLINE: Avaliação dos Atores do Sistema de Garantia de Direitos participantes das Oficinas em São Paulo APRESENTAÇÃO A SaferNet Brasil é uma associação civil de direito privado, com

Leia mais

UNICEF BRASIL Edital de Seleção de Consultor RH/2013/015

UNICEF BRASIL Edital de Seleção de Consultor RH/2013/015 UNICEF BRASIL Edital de Seleção de Consultor RH/2013/015 O UNICEF, Fundo das Nações Unidas para a Infância, a Organização mundial pioneira na defesa dos direitos das crianças e adolescentes, convida profissionais

Leia mais

São Paulo, 19 de abril de 2011

São Paulo, 19 de abril de 2011 São Paulo, 19 de abril de 2011 À Allie Comercial Ltda. A/c: Departamento Jurídico Rua Comendador Miguel Calfat, 307. Vila Nova Conceição São Paulo - SP 04537 081 Ref.: Apresentação do Projeto Criança e

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DO SESI. Reconhecendo Parcerias, Transformando Vidas. REGULAMENTO

CONSELHO NACIONAL DO SESI. Reconhecendo Parcerias, Transformando Vidas. REGULAMENTO CONSELHO NACIONAL DO SESI Reconhecendo Parcerias, Transformando Vidas. Um Selo que surge para reconhecer o trabalho das pessoas e instituições que, em parceria com o SESI, constroem pontes para que adolescentes

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTO SOCIAL NA ÁREA DA INFÂNCIA

POLÍTICA DE INVESTIMENTO SOCIAL NA ÁREA DA INFÂNCIA POLÍTICA DE INVESTIMENTO SOCIAL NA ÁREA DA INFÂNCIA NOVOS PARÂMETROS DO CONSELHO NACIONAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE (CONANDA) Carlos Nicodemos DOUTRINA DA INDIFERENÇA Até 1899: Ausência

Leia mais

Apresentação de resultados - TIC Kids Online Brasil 2014 São Paulo 28 de julho de 2015

Apresentação de resultados - TIC Kids Online Brasil 2014 São Paulo 28 de julho de 2015 Apresentação de resultados - TIC Kids Online Brasil 14 São Paulo 28 de julho de 15 Contexto: TIC Domicílios 13 Perfil dos jovens usuários de Internet no Brasil USUÁRIOS DE INTERNET (13) % sobre o total

Leia mais

Matriz Geral de sistematização Trilha: Governança democrática e colaborativa

Matriz Geral de sistematização Trilha: Governança democrática e colaborativa Matriz Geral de sistematização Trilha: Governança democrática e colaborativa Coordenador: Professor Hartmut Glaser (CGI.br) Relatoria: Ana Claudia Mielki e Cecília Bizerra Sousa Apresentação inicial do

Leia mais

3 Legislação federal e legislação municipal, de Manaus/AM, a respeito de pessoas com deficiência, dentre elas os surdos

3 Legislação federal e legislação municipal, de Manaus/AM, a respeito de pessoas com deficiência, dentre elas os surdos 56 3 Legislação federal e legislação municipal, de Manaus/AM, a respeito de pessoas com deficiência, dentre elas os surdos Na Constituição da República Federativa do Brasil de 1988, há vários artigos que

Leia mais

Expert Consultation on Prevention of and Responses to Violence against Young Children Lima, 27 28 August 2012

Expert Consultation on Prevention of and Responses to Violence against Young Children Lima, 27 28 August 2012 Expert Consultation on Prevention of and Responses to Violence against Young Children Lima, 27 28 August 2012 JANDIRA FEGHALI (Deputada Federal/Brasil) Temas: Trabalhando com autoridades e parlamentares

Leia mais

DIREITO DO CONSUMIDOR MARIA BERNADETE MIRANDA

DIREITO DO CONSUMIDOR MARIA BERNADETE MIRANDA DIREITO DO CONSUMIDOR MARIA BERNADETE MIRANDA OFERTA VÍNCULO DA RELAÇÃO DE CONSUMO MERCADO DE CONSUMO OFERTA Artigo 30 Toda informação ou publicidade, suficientemente precisa, veiculada por qualquer forma

Leia mais

COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA

COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI Nº 5.269, DE 2001 (Apensos os Pls. 2.134/96, 2.415/96, 3.046/97, 3.422/97, 4.052/98, 4.360/98, 1.568/99, 2.029/99, 2.089/99, 2.507/00, 3.573/00, 3.235/00,

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Anais. III Seminário Internacional Sociedade Inclusiva. Ações Inclusivas de Sucesso

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Anais. III Seminário Internacional Sociedade Inclusiva. Ações Inclusivas de Sucesso Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais Anais III Seminário Internacional Sociedade Inclusiva Ações Inclusivas de Sucesso Belo Horizonte 24 a 28 de maio de 2004 Realização: Pró-reitoria de Extensão

Leia mais

CONSIDERAÇÕES SOBRE O COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR E A TUTELA ESTATAL DIANTE DA PUBLICIDADE ABUSIVA

CONSIDERAÇÕES SOBRE O COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR E A TUTELA ESTATAL DIANTE DA PUBLICIDADE ABUSIVA CONSIDERAÇÕES SOBRE O COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR E A TUTELA ESTATAL DIANTE DA PUBLICIDADE ABUSIVA Elaborado em 10.2006 Vitor Vilela Guglinski Assessor de juiz, especialista em Direito do Consumidor em

Leia mais

Mídia e Comunicação Cenário e desafios para a democracia e a liberdade de expressão. Veridiana Alimonti, advogada do Idec e integrante do Intervozes

Mídia e Comunicação Cenário e desafios para a democracia e a liberdade de expressão. Veridiana Alimonti, advogada do Idec e integrante do Intervozes Mídia e Comunicação Cenário e desafios para a democracia e a liberdade de expressão Veridiana Alimonti, advogada do Idec e integrante do Intervozes Liberdade de Expressão! Para quem? Marco internacional

Leia mais

Apps de Produtividade

Apps de Produtividade Apps de Produtividade Os App s de Produtividade oferecem controle, organização e recursos para profissionalização das áreas internas e externas da empresa, proporcionando: Produtividade Controle Integração

Leia mais

Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes

Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes EIXO 1 PROMOÇÃO DOS DIREITOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES Diretriz 01 - Promoção da cultura do respeito e da garantia dos direitos humanos de

Leia mais

Outubro 2013. ARTIGO 19 Rua João Adolfo, 118 conjunto 802 Centro CEP: 01050-020 - São Paulo SP www.artigo19.org +55 11 3057 0042 +55 11 3057 0071

Outubro 2013. ARTIGO 19 Rua João Adolfo, 118 conjunto 802 Centro CEP: 01050-020 - São Paulo SP www.artigo19.org +55 11 3057 0042 +55 11 3057 0071 A Artigo 19 apresenta análise comparada de países que permitem publicidade e propaganda comercial em rádios comunitárias em referência à minuta do Projeto Legislativo do Senado que propõe possibilitar

Leia mais

SELO SOCIAL VIRAVIDA. Você acaba de chegar ao SELO SOCIAL VIRAVIDA SELO SOCIAL VIRAVIDA REGULAMENTO

SELO SOCIAL VIRAVIDA. Você acaba de chegar ao SELO SOCIAL VIRAVIDA SELO SOCIAL VIRAVIDA REGULAMENTO SELO SOCIAL VIRAVIDA BOAS VINDAS! Você acaba de chegar ao SELO SOCIAL VIRAVIDA SELO SOCIAL VIRAVIDA REGULAMENTO 1. DO SELO 1. O Selo Social ViraVida é uma iniciativa do Serviço Social da Indústria - SESI,

Leia mais

O Amianto e a Ética na Propaganda

O Amianto e a Ética na Propaganda O Amianto e a Ética na Propaganda Eliezer João de Souza 1 Aldo Vicentin 2 Fernanda Giannasi 3 Criado no final da década de 70, como uma alternativa à censura prévia que seria imposta pelo Governo Federal

Leia mais

UNICEF BRASIL Edital de Seleção de Consultor: RH/2014/013

UNICEF BRASIL Edital de Seleção de Consultor: RH/2014/013 UNICEF BRASIL Edital de Seleção de Consultor: RH/2014/013 O UNICEF, Fundo das Nações Unidas para a Infância, a Organização mundial pioneira na defesa dos direitos das crianças e adolescentes, convida profissionais

Leia mais

Investigar a relação de crianças e adolescentes com a internet numa perspetiva comparada

Investigar a relação de crianças e adolescentes com a internet numa perspetiva comparada Cristina Ponte - CIMJ/FCSH, Universidade Nova de Lisboa Investigar a relação de crianças e adolescentes com a internet numa perspetiva comparada II Congresso Internacional Comunicação e Consumo ESPM Escola

Leia mais

A PUBLICIDADE NA LÓGICA DE UM. Adalberto Pasqualotto São Paulo, 12/08/2011

A PUBLICIDADE NA LÓGICA DE UM. Adalberto Pasqualotto São Paulo, 12/08/2011 A PUBLICIDADE NA LÓGICA DE UM JURISTA Adalberto Pasqualotto São Paulo, 12/08/2011 1 A pirâmide de Kelsen Norma fundamental: CF: dignidade humana Leis: Código de Defesa do Consumidor Decretos Portarias

Leia mais

Sobre o estudo. Publico: De um lado: Consumidores Do outro: Profissionais de marketing, comunicação, design, pesquisa...

Sobre o estudo. Publico: De um lado: Consumidores Do outro: Profissionais de marketing, comunicação, design, pesquisa... Sobre o estudo perfil Publico: De um lado: Consumidores Do outro: Profissionais de marketing, comunicação, design, pesquisa... Amostra: Total: 1.035 respondentes Consumidores: 805 Profissionais: 230 objetivo

Leia mais

Ao Exmo. Sr. Secretário(a) Municipal/Estadual de Educação A/c: Sr. xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx Endereço da secretaria de educação Cidade - Estado Cep

Ao Exmo. Sr. Secretário(a) Municipal/Estadual de Educação A/c: Sr. xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx Endereço da secretaria de educação Cidade - Estado Cep São Paulo, 14 de julho 2014 Ao Exmo. Sr. Secretário(a) Municipal/Estadual de Educação A/c: Sr. xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx Endereço da secretaria de educação Cidade - Estado Cep Ref.: Ciência do P.A. nº 03/2014

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2011 (Do Sr. EDIVALDO HOLANDA JÚNIOR)

PROJETO DE LEI Nº, DE 2011 (Do Sr. EDIVALDO HOLANDA JÚNIOR) PROJETO DE LEI Nº, DE 2011 (Do Sr. EDIVALDO HOLANDA JÚNIOR) Altera a Lei nº 9.294 de 15 de julho de 1996 que Dispõe sobre as restrições ao uso e à propaganda de produtos fumígeros, bebidas alcoólicas,

Leia mais

COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI Nº 283/2003 VOTO EM SEPARADO DO DEPUTADO MÁRIO HERINGER PDT

COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI Nº 283/2003 VOTO EM SEPARADO DO DEPUTADO MÁRIO HERINGER PDT COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI Nº 283/2003 Dispõe sobre caso de concessão de visto permanente a estrangeiro residente no Brasil. Autor: Deputada Laura Carneiro Relator: Deputado

Leia mais

MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA

MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA Há muito se discute que o mercado de farmácias é ambiente competitivo e que a atividade vem exigindo profissionalismo para a administração de seus processos, recursos e pessoal.

Leia mais

São Paulo, 11 de abril de 2011

São Paulo, 11 de abril de 2011 São Paulo, 11 de abril de 2011 À WMS Supermercados do Brasil Ltda. A/c: Departamento Jurídico Avenida Tucunaré, 125/211 Tamboré Barueri/SP 06460-020 Ref.: Apresentação do Projeto Criança e Consumo, solicitação

Leia mais

FÓRUM ESTADUAL DE PREVENÇÃO E ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL E REGULARIZAÇÃO DO TRABALHO DO ADOLESCENTE -FEPETI-GO TERMO DE COOPERAÇÃO

FÓRUM ESTADUAL DE PREVENÇÃO E ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL E REGULARIZAÇÃO DO TRABALHO DO ADOLESCENTE -FEPETI-GO TERMO DE COOPERAÇÃO FÓRUM ESTADUAL DE PREVENÇÃO E ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL E REGULARIZAÇÃO DO TRABALHO DO ADOLESCENTE -FEPETI-GO TERMO DE COOPERAÇÃO TERMO DE COOPERAÇÃO que entre si celebram I) o FORUM ESTADUAL DE

Leia mais

A REDAÇÃO PARA O ENEM: COMO FAZER? Professora Maureen

A REDAÇÃO PARA O ENEM: COMO FAZER? Professora Maureen A REDAÇÃO PARA O ENEM: COMO FAZER? Professora Maureen José de Sousa Saramago foi um escritor, argumentista, teatrólogo, ensaísta, jornalista, dramaturgo, contista, romancista e poeta português. Foi galardoado

Leia mais

OU SOBRE A EXPLORAÇÃO DE MÃO-DE- OBRA INFANTIL!

OU SOBRE A EXPLORAÇÃO DE MÃO-DE- OBRA INFANTIL! Luiz Inácio Lula da Silva Presidente da República Carlos Lupi Ministro do Trabalho e Emprego André Figueiredo Secretário-Executivo Ruth Beatriz de Vasconcelos Vilela Secretária de Inspeção do Trabalho

Leia mais

I Conferência Nacional de Comunicação CONFECOM. Marcelo Bechara Brasília, 21 de outubro de 2009

I Conferência Nacional de Comunicação CONFECOM. Marcelo Bechara Brasília, 21 de outubro de 2009 I Conferência Nacional de Comunicação CONFECOM Marcelo Bechara Brasília, 21 de outubro de 2009 1962 Lei nº 4.117, de 27 de agosto de 1962 Institui o Código Brasileiro de Telecomunicações CBT. 1963 Decreto

Leia mais

O COMÉRCIO ELETRÔNICO E O CÓDIGO DE DEFESA E PROTEÇÃO DO CONSUMIDOR

O COMÉRCIO ELETRÔNICO E O CÓDIGO DE DEFESA E PROTEÇÃO DO CONSUMIDOR O COMÉRCIO ELETRÔNICO E O CÓDIGO DE DEFESA E PROTEÇÃO DO CONSUMIDOR OSMAR LOPES JUNIOR O COMÉRCIO ELETRÔNICO E O CÓDIGO DE DEFESA E PROTEÇÃO DO CONSUMIDOR Introdução Não é preciso dizer o quanto a internet

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br BuscaLegis.ccj.ufsc.Br Publicidade de bebidas alcoólicas - Novos rumos perante legislação Cássio Zill Henke * As discussões envolvendo a modificação do conceito de bebidas alcoólicas previsto no artigo

Leia mais

Avaliação do Marco Regulatório da TV por Assinatura: A Lei nº 12.485/2011 na ANCINE. Rosana dos Santos Alcântara Diretora

Avaliação do Marco Regulatório da TV por Assinatura: A Lei nº 12.485/2011 na ANCINE. Rosana dos Santos Alcântara Diretora Avaliação do Marco Regulatório da TV por Assinatura: A Lei nº 12.485/2011 na ANCINE. Rosana dos Santos Alcântara Diretora ABAR, Agosto de 2013 Agenda Contexto do mercado de TV por Assinatura Panorama econômico

Leia mais

Feira de troca: trocar é mais divertido do que comprar

Feira de troca: trocar é mais divertido do que comprar Feira de troca: trocar é mais divertido do que comprar Feira de troca Natal, aniversário, Dia das Crianças, já pensou em quantos presentes você ganha o ano todo? Com quantos deles você ainda gosta de brincar?

Leia mais

TERCEIRA IDADE - CONSTRUINDO SABERES SOBRE SEUS DIREITOS PARA UM ENVELHECIMENTO SAUDÁVEL: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

TERCEIRA IDADE - CONSTRUINDO SABERES SOBRE SEUS DIREITOS PARA UM ENVELHECIMENTO SAUDÁVEL: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA TERCEIRA IDADE - CONSTRUINDO SABERES SOBRE SEUS DIREITOS PARA UM ENVELHECIMENTO SAUDÁVEL: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA Gabriela Pereira Batista, graduanda em enfermagem (UNESC Faculdades) gabrielabio_gabi@hotmail.com

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007

PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007 PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007 Institui o Programa Mais Educação, que visa fomentar a educação integral de crianças, adolescentes e jovens, por meio do apoio a atividades

Leia mais

Observação: De acordo com o art.2º da Lei 8.069/90 Estatuto da Criança e Adolescente :

Observação: De acordo com o art.2º da Lei 8.069/90 Estatuto da Criança e Adolescente : TRABALHO É toda atividade humana, remunerada ou não, sistemática, obrigatória, que pode ou não exigir conhecimentos específicos sobre determinado tema, arte ou ofício, cujo objetivo é o alcance de uma

Leia mais

São Paulo, 27 de agosto de 2012

São Paulo, 27 de agosto de 2012 São Paulo, 27 de agosto de 2012 À Empresa Cinemas São Luiz S.A. - Cinemas Severiano Ribeiro Kinoplex A/c: Departamento Jurídico A/c: Departamento de Marketing A/c: Departamento de Relações Institucionais

Leia mais

Escola de Políticas Públicas

Escola de Políticas Públicas Escola de Políticas Públicas Política pública na prática A construção de políticas públicas tem desafios em todas as suas etapas. Para resolver essas situações do dia a dia, é necessário ter conhecimentos

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA GESTÃO EMPRESARIAL: REFLEXÕES SOBRE O TEMA. Renata Ferraz de Toledo Maria Claudia Mibielli Kohler

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA GESTÃO EMPRESARIAL: REFLEXÕES SOBRE O TEMA. Renata Ferraz de Toledo Maria Claudia Mibielli Kohler EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA GESTÃO EMPRESARIAL: REFLEXÕES SOBRE O TEMA Renata Ferraz de Toledo Maria Claudia Mibielli Kohler REPRESENTAÇÕES DE EDUCAÇÃO E DE MEIO AMBIENTE O QUE ENTENDEMOS POR EDUCAÇÃO? O QUE

Leia mais

Como aconteceu essa escuta?

Como aconteceu essa escuta? No mês de aniversário do ECA - Estatuto da Criança e do Adolescente, nada melhor que ouvir o que acham as crianças sobre a atuação em Educação Integral realizada pela Fundação Gol de Letra!! Conheça um

Leia mais