UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ RICARDO BECK A RESOLUÇÃO DE CONFLITOS EM RELAÇÃO AO REGISTRO DE NOMES DE DOMÍNIO NA INTERNET NO BRASIL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ RICARDO BECK A RESOLUÇÃO DE CONFLITOS EM RELAÇÃO AO REGISTRO DE NOMES DE DOMÍNIO NA INTERNET NO BRASIL"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ RICARDO BECK A RESOLUÇÃO DE CONFLITOS EM RELAÇÃO AO REGISTRO DE NOMES DE DOMÍNIO NA INTERNET NO BRASIL CURITIBA 2014

2 A RESOLUÇÃO DE CONFLITOS EM RELAÇÃO AO REGISTRO DE NOMES DE DOMÍNIO NA INTERNET NO BRASIL CURITIBA 2014

3 RICARDO BECK A RESOLUÇÃO DE CONFLITOS EM RELAÇÃO AO REGISTRO DE NOMES DE DOMÍNIO NA INTERNET NO BRASIL Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Curso de Direito da Faculdade de Ciências Jurídicas da Universidade Tuiuti do Paraná, como requisito parcial para a obtenção do título de Bacharel em Direito. Orientador: Prof. Dr. Sérgio Said Staut Júnior. CURITIBA 2014

4 TERMO DE APROVAÇÃO RICARDO BECK A RESOLUÇÃO DE CONFLITOS EM RELAÇÃO AO REGISTRO DE NOMES DE DOMÍNIO NA INTERNET NO BRASIL Esta monografia foi julgada e aprovada para a obtenção do título de Bacharel no Curso de Direito da Universidade Tuiuti do Paraná. Curitiba, de de Prof. Dr. Eduardo de Oliveira Leite Coordenador do Núcleo de Monografia Universidade Tuiuti do Paraná Orientador: Prof. Dr. Sérgio Said Staut Júnior Universidade Tuiuti do Paraná Curso de Direito Professor: Universidade Tuiuti do Paraná Curso de Direito Professor: Universidade Tuiuti do Paraná Curso de Direito

5 AGRADECIMENTOS A minha esposa e filhas pela paciência que tiveram comigo ao longo deste curso por todo amor e afeto indescritíveis, que seria injusto tentar expressar tal sentimento em simples palavras. Ao meu orientador, Prof. Dr. Sérgio Said Staut Júnior por sua sabedoria e paciência dedicadas a esse trabalho. Aos meus sinceros amigos que fiz nesta faculdade que guardarei em meu coração e na minha memória como parte da minha vida.

6 Se queremos progredir não devemos repetir a história, mas fazer uma nova história. Ghandi

7 RESUMO O presente trabalho procura mostrar os conflitos no tocante ao registro de nomes de domínio no Brasil, compreendendo as divergências encontradas nas diversas formas de se garantir o direito do nome registrado, seja pelas resoluções apresentadas pela entidade, Comitê Gestor de Internet no Brasil, CGI.br, responsável pela Internet no Brasil, seja pela constituição de marcas seguindo a lei nº 9.279/96, também referenciada como Lei de Propriedade Industrial. Para tanto é apresentado breve histórico da Internet, discorrendo sobre sua evolução e abordando a forma de endereçamento na Internet baseada no modelo de referência TCP/IP, suas características de endereçamento e referência, em seguida entendendo as formas e procedimentos de registro e concluindo com as formas de resolução de eventuais conflitos e litígios, ocasionados em virtude do pleito pelo direito de registro de nomes de domínio na Internet. Palavras-chave: Internet, registro de nomes de domínios, registro de marcas, Comitê Gestor da Internet no Brasil, Lei de Propriedade Industrial.

8 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO A INTERNET E SEU SISTEMA DE ENDEREÇAMENTO O SURGIMENTO DA INTERNET Natureza Jurídica da Internet no Brasil Dos princípios indicadores da constituição de nomes de domínios A ESTRUTURA DOS NOMES DE DOMÍNIOS A liberação dos gtld s ENTIDADE RESPONSÁVEL PELO REGISTRO NO BRASIL RESPONSABILIDADE PELO REGISTRO DE DOMÍNIOS LITIGIOS ENVOLVENDO NOMES DE DOMÍNIO O DOMÍNIO ENQUANTO PROPRIEDADE O instituto da usucapião PRÁTICAS ABUSIVAS ENVOLVENDO NOMES DE DOMÍNIO A prática do cybersquatting O typosquatting A RELAÇÃO ENTRE DOMÍNIO E MARCA Definição de marca Formas de registro de domínios Marca registrada antes do domínio Marcas de grande prestígio RESOLUÇÃO DE CONFLITOS REGRAS APLICÁVEIS AOS NOMES DE DOMÍNIOS O SACI-Adm A Lei nº 9279/96 (Lei da Propriedade Industrial) RESOLUÇÃO DE CONFLITOS Procedimentos para interpor a disputa Da legitimidade para ingressar na disputa CÂMARAS DE ARBITRAGEM Segurança jurídica Associação Brasileira da Propriedade Intelectual ABPI Câmara de Comércio Brasil-Canadá CCBC... 44

9 World Intellectual Property Organization - WIPO CONSIDERAÇÕES FINAIS REFERÊNCIAS... 47

10 8 1. INTRODUÇÃO Atualmente a Internet faz parte da sociedade, com o grande diferencial de não possuir fronteiras físicas e aproximar diferentes culturas pelo mundo, bastando um simples clique, neste contexto não há como definir um proprietário deste ambiente, o ciberespaço já é considerado patrimônio comum da Humanidade não podendo ser objeto de algum tipo de apropriação privada ou controle soberano, de forma a propiciar exclusividade a uma empresa ou povo. É pacífico o entendimento que a Internet tem importância fundamental como meio de divulgação, comunicação e disseminação de informações, apresentando a cada dia novas formas de comunicação, cada vez mais rápidos e eficientes em seu propósito. Geraldo Frazão de Aquino Junior 1, ensina que: a principal característica do mundo virtual é a intangibilidade, ou seja, não faz parte do mundo físico, não é formada por matéria, mas sim, por bits e bytes. É portanto, uma nova percepção de uma realidade escapa ao mundo que tem existência física, palpável, fazendo-nos ser atores em um palco que não se realiza, mas é real. Cada vez mais as pessoas utilizam a Internet como primeira opção na pesquisa de produtos, solução de dúvidas, busca de experiências e de pessoas, curiosidades, além de fornecer inúmeros meios de comunicação, envolvendo textos, som e imagem, fornecendo imensurável poder de ação e resposta. Resta incontestável o valor de um nome de endereço na Internet, visto publicamente por todo o mundo, gerando e estimulando novas formas de negócio e aumentando a rentabilidade de empresas e comodidade para os consumidores. Porém como a quantidade de informações e oferta de produtos é praticamente infinita, faz-se necessária e velha relação entre pessoas, com a indicação de endereços e sugestões de métodos de busca e novas ferramentas. Com certeza empresas que se prezem, neste mundo capitalista, globalizado e cibernético, deve criar estratégias a fim de ficar a frente dos seus concorrentes, investindo pesadamente em sua identidade no mundo digital. 1 AQUINO JÚNIOR, Geraldo Frazão de. Contratos eletrônicos: a boa-fé objetiva e a autonomia da vontade. Curitiba: Juruá, P. 103

11 9 Obviamente os recursos computacionais da Internet não trazem apenas benefícios e facilidades para a sociedade, também é fruto de novas discussões e discordância entre as partes, muitas vezes motivadas pelos oportunistas e até mesmo pelas diferentes perspectivas, uma vez que, mesmo a Internet sendo uma só, os países ainda possuem sua individualidade e padrões de conduta políticosociais. O objetivo principal deste estudo não é a análise mundial da relação dos nomes de domínio, mas sim uma análise acerca da forma de registro e resolução de litígios oriundos de conflitos entre nomes de domínios, identificações alfanuméricas de locais na Internet, denominados websites, no Brasil. Para tanto será apresentado o desenvolvimento histórico da Internet, bem como sucinta explicação sobre seus padrões de funcionamento e endereçamento, baseados no modelo de referência TCP/IP, entendido como um conjunto de protocolos com a finalidade de padronizar a comunicação entre computadores na Internet. Neste estudo faz-se necessária a análise dos fatores jurídicos envolvidos no registro de nomes de domínios no Brasil, analisando desde a natureza jurídica dos nomes de domínios, princípios, legislação e normas que regulam e estruturam a criação de nomes de referência para endereços virtuais. Principalmente em relação a marca, amparada por lei federal, que abre discussão para verificação de direito aos nomes de domínio, bem como a utilização de outros institutos, com a finalidade de garantir a manutenção de endereço eletrônico. Para tanto serão analisados os procedimentos que, de certa forma, podem criar discordância e conflitos envolvendo o registro e finalidade dos nomes de domínios, como o caso de registro de nome de domínio anterior ao registro da marca com base na Lei de Propriedade Industrial. Destarte serão apresentadas as formas de resolução de conflitos por meio de câmaras de mediação e arbitragem, definidas como uma tendência mundial para resolução de conflitos, desde que contratados como forma de solução de litígios entre as partes, no intuito de apresentar uma forma célere de resolução de conflitos.

12 10 2. A INTERNET E SEU SISTEMA DE ENDEREÇAMENTO O SURGIMENTO DA INTERNET A origem da Internet ocorre em detrimento da guerra fria, surgindo nos Estados Unidos com fins militares, na ocasião era desenvolvido um sistema onde era observada a descentralização das informações, ou seja, caso parte do país fosse atacado tal situação não influenciaria no conjunto de dados como um todo, até então não existia uma central de informações única. Esse sistema de interligação de redes, composta basicamente por computadores militares era denominada ARPANET (Advanced Research Projects Agency Network), desenvolvida pela ARPA atualmente denominada DARPA (Defense Advanced Projects Research Agency). Segundo o próprio DARPA 2 A DARPA (Defense Advanced Research Projects Agency) foi criada em 1958 para evitar surpresa estratégica de impactar negativamente a segurança nacional dos EUA e criar surpresa estratégica para adversários dos Estados Unidos por manter a superioridade tecnológica das forças armadas dos EUA. Em seguida o sistema começou a ser integrado nas universidades espalhadas pelos Estados Unidos, na forma de compartilhamento de informações e pesquisa. Em virtude do grande crescimento estrutural da ARPANET, foi necessária a sua divisão em duas áreas: a MILNET com fins exclusivamente militares e a ARPANET seguindo com operações universitárias, ou seja, atendendo questões civis. Já por volta do ano de 1987, quando cogitada a possibilidade de utilização da rede para fins comerciais, foi então que a NSF (National Science Foundation), agência governamental que promove a pesquisa e educação nos Estados Unidos, estruturou recursos técnicos baseados em conexões de fibra óptica e satélites, formando o que foi definido como backbone, ou em português, espinha dorsal, 2 DARPA, (Defense Advanced Research Projects Agency). Disponível em: <http://www.darpa.mil/our_work/>. Acesso em: 09 ago

13 11 ligando de forma anárquica diversos computadores, em assim sendo, sem um dono específico. Desta feita, surge a Internet, expressão derivada da composição das palavras Interconnected Networks, um conjunto de redes conectadas. Neste momento já era observado o modelo de referência TCP/IP, um padrão de comunicação que determinava várias regras a fim de padronizar a ligação entre diversas redes, neste conjunto de protocolos o IP (internet protocol) tinha função fundamental, como nos dias de hoje, identificando os computadores conectados. O IP consiste em um protocolo de identificação de pontos na grande estrutura de rede, a comunicação é realizada por meio de pacotes que trafegam entre estes endereços, por exemplo, um computador provendo informações na Internet possui um endereço IP, assim como os computadores que estão em busca de informações, também conectados à Internet, possuem também um endereço IP, que os identificam. O formato do endereço IP pode ser baseado no padrão IPv4, com a seguinte aparência , porém em virtude da crescente disponibilidade da Internet para diversos tipos de dispositivos, como aparelhos celulares, fez-se necessário o desenvolvimento de um novo padrão para atender a necessidade de mais combinações de endereços, neste caso o padrão IPv6, que aumenta de 32 para 128 bits de possibilidades de combinações. Fazendo uma analogia, o endereço IP é como o CEP que utilizamos para identificar locais, para irmos até o mercado saímos da nossa casa que possui um CEP, passamos por diversos outros CEP s e finalmente encontramos o CEP do mercado, portanto entendemos que o CEP vai nos nortear no deslocamento, o mesmo para a Internet, por este motivo dizemos que o IP é um protocolo roteável ou seja, apresenta o caminho que devemos seguir. Porém não decoramos os CEP s de destino, utilizamos nomes de ruas como referência, o mesmo ocorre com os endereços IP s de identificação de websites, recebem um nome de identificação, denominado nome de domínio. Em virtude do crescimento da Internet, vários países começaram a criar estruturas físicas e lógicas a fim de utilizar a nova tecnologia, entre estas estruturas foram desenvolvidos backbones nos países interessados, a fim de integralizar seu meio acadêmico. No Brasil fora desenvolvida a RNP (rede nacional e pesquisas), de certa forma equivale a NSF (National Science Foundation), anteriormente referenciada.

14 12 Ao analisarmos a história da RNP temos 3 : A RNP foi criada em setembro de 1989 pelo então Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT). Seu objetivo era construir uma infraestrutura nacional de rede internet de âmbito acadêmico. A Rede Nacional de Pesquisa, como era chamada em seu início, tinha também a função de disseminar o uso de redes no país. Em paralelo à implantação de sua primeira rede, em 1992, que alcançou 10 estados e o Distrito Federal, a RNP dedicou-se a tarefas diversas, tais como divulgar os serviços internet à comunidade acadêmica através de seminários, montagem de repositórios temáticos e treinamentos, estimulando a formação de uma consciência acerca de sua importância estratégica para o país e se tornando referência em aplicações de tecnologias internet. Por volta do ano de 1995, após alguns atrasos, o serviço de Internet no Brasil foi aberto ao usuário não acadêmico, com a liberação do acesso comercial, a Internet no Brasil passou a experimentar um crescimento exponencial, seguindo tendências internacionais Natureza Jurídica da Internet no Brasil Não é certa a natureza jurídica da Internet no Brasil, esclarece Iso Chaitz Scherkerkewitz (2014, p.21): Infelizmente o mundo jurídico ainda não possui uma uniformidade de regras aplicáveis, o que acaba, diante da globalização, gerando grande dúvidas na solução dos problemas apresentados por esta nova realidade. Apesar de a Internet ter seu início no Brasil em meados de 1989, conforme analisado anteriormente, do ponto de vista jurídico a Internet surge no Brasil em 1995, neste ano fora publicada uma nota conjunta dos Ministérios das Comunicações e da Ciência e Tecnologia, a Norma 004/95 4, apresentando determinações sobre o uso de meios da rede pública de telecomunicações para acesso à Internet. 3 RNP (Rede Nacional de Pesquisas). Disponível em:< Acesso em: 09 de ago Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações). Disponível em: <http://legislacao.anatel.gov.br/normas-do-mc/78-portaria-148>. Acesso em: 09 ago

15 13 A referida norma esclarece o conceito de Internet como sendo: Internet: nome genérico que designa o conjunto de redes, os meios de transmissão e comutação, roteadores, equipamentos e protocolos necessários à comunicação entre computadores, bem como o software e os dados contidos nestes computadores. Corroborando com o crescimento da Internet no Brasil fez-se necessária a criação, no ano de 1995, o CGI (Comitê Gestor da Internet No Brasil), por meio da Portaria 5 Interministerial nº 147 6, que apresenta suas atribuições, dentre as quais observadas em seu artigo 1º, incisos V e VII infra citados. Art. 1. Criar o Comitê Gestor Internet do Brasil, que terá como atribuições: V coordenar a atribuição de endereços IP (Internet Protocol) e o registro de nomes de domínios; VIII deliberar sobre quaisquer questões a ele encaminhadas. Além das referidas atribuições, a presente portaria também apresenta os membros do CGI.br, assim descrito em seu artigo 2º. Art. 2. O Comitê Gestor será composto pelos seguintes membros, indicados conjuntamente pelo Ministério das Comunicações e Ministério da Ciência e Tecnologia: I um representante do Ministério da Ciência e Tecnologia, que o coordenará; II um representante do Ministério das Comunicações; III um representante do Sistema Telebrás; IV um representante do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico CNPq; V um representante da Rede Nacional de Pesquisa; VI um representante da comunidade acadêmica; VII um representante de provedores de serviços; VIII um representante da comunidade empresarial; e IX um representante da comunidade de usuários do serviço Internet. É evidente a evolução da Internet no Brasil e em outros países do mundo, devido à crescente estruturação, são observados conflitos oriundos de tal sistema, principalmente do ponto de vista jurídico, conforme ensina Patricia Peck Pinheiro (2009, p.19-20) 7 : 5 A Portaria é ato administrativo normativo que visa à correta aplicação da lei, devendo o edital observância tanto à lei, quanto aos atos que "expressam em minúcia o mandamento abstrato da lei, e o fazem com a mesma normatividade da regra legislativa, embora sejam manifestações tipicamente administrativas" (MEIRELLES, 2002). 6 PORTARIA, Interministerial. Disponível em:<http://cgi.br/portarias/numero/147>. Acesso em: 12 set PINHEIRO, Patrícia Peck, Direito Digital, 3ª edição, São Paulo, Saraiva, p

16 A complexidade de tal sistema, do ponto de vista jurídico, está nas relações resultantes dessa interação, principalmente as relações comerciais... Todas essas relações entre pessoas e empresas passam a exigir novas regras, princípios, regulamentos, assim como possibilitam a aplicação de antigos princípios que continuam tão atuais para o Direito como o eram em sua origem. (PINHEIRO, 2009, p ). 14 Do ponto de vista do registro de nomes de domínio é de fundamental importância a análise de como os sítios, normalmente denominados sites ou websites, são registrados e estruturados, nesta análise não há como deixar de comparar as relações de registro de endereços na Internet com o conceito legal de registro de marcas. Uma vez que os nomes de domínio acabam identificando empresas e marcas no ambiente virtual, em assim sendo, os nomes de domínio acabam possuindo caráter econômico, certo que relacionam e referenciam empresas no meio cibernético. Destarte nos ensina e esclarece o professor Sérgio Said Staut Junior: A compreensão dos institutos jurídicos e suas implicações, na realidade, não pode estar distanciada, por isso, do estudo e da reflexão a respeito das (diferentes) temporalidades e localidades em que foram pensados e idealizados estes (diferentes) direitos. A reflexão acerca do Direito deve estar atenta à realidade e consciente do ambiente econômico, político e cultural em que foi constituído Dos princípios indicadores da constituição de nomes de domínios Apesar de apresentar-se como um assunto que tende a obviedade é importante salientar do ponto de vista jurídico, alguns princípios que norteiam tal procedimento de criação de nomes de domínio na Internet. Esclarece sobre tais princípios, Hugo Daniel Lança Silva 9, tomando de início o princípio da verdade que visa inibir o registro com o mero intuito fraudulento de enganar ou induzir ao erro internautas, atualmente um dos grandes problemas do meio digital refere-se à autenticidade, por mais que novos mecanismos sejam criados a fim de inibir ou garantir que pessoas ou empresas realmente são quem dizem ser, sempre há uma forma de burlar o sistema. No registro de nomes de domínio a má-fé é evidenciada, por exemplo, no registro de determinado endereço visando apenas extorquir valores do real interessado pelo registro, em assim sendo 8 STAUT JÚNIOR, Sérgio Said, Direitos Autorais: entre as relações sociais e as relações jurídicas, Curitiba, Moinho do Verbo, 2006, p As Leis da Sociedade de Informação Responsabilidade dos Internet Service Provider. Disponível em: <http://www.apdsi.pt/uploads/news/id511/hugo%20lan%c3%a7a%20silva_leis%20portuguesas%20n a%20si_3014_ pdf>. Acesso em: 22 ago

17 15 o falso solicitante acaba por exigir valores para liberação e transferência do domínio, uma vez que o procedimento para resolução por vias legais é caro e moroso. Afora este precisamos destacar também o princípio da licitude, uma vez que determinadas resoluções e leis devem ser respeitadas e seguidas, mesmo com uma série de normas não é fácil de localizar situações ilícitas, o registro é lícito até que a parte que detém o real direito venha a interpor e exigir, pelos meios credenciados para dirimir eventuais conflitos, a transferência dos direitos de determinado endereço na Internet, mas isso precisa ser analisado caso a caso. Um terceiro princípio é o da capacidade distintiva, uma vez que não é possível o monopólio de determinada expressão que acaba sendo considerada patrimônio comum de todos. Como pode ser possível a autorização do registro de determinada expressão que é de referência universal, tal dificuldade está na definição destes termos, uma vez que não há como existir um rol taxativo, imaginando a quantidade de significados e idiomas que encontramos. Mais uma vez as situações precisam de análise aprofundada de forma a definir o que é, ou não, patrimônio comum de todos. Ainda impende destacar o princípio da obrigatoriedade, uma vez que o simples registro a fim de reservar o endereço ou até mesmo com o efeito de matalo evitando que outras pessoas venham a utilizar, se for o caso do registro de um nome de domínio que ele tenha seu fundo real, conforme exemplifica Fransceschelli 10, que o registro de marcas se transforme num cemitério de marcas. Em uma análise profunda determinada empresa poderia congelar diversos nomes a fim de proteger interesses e até mesmo atuar de forma indevida com eventuais concorrentes. Por fim, o princípio da exclusividade ou novidade absoluta, evitando assim a possibilidade de constituição de nomes de domínio que não gerem confusão com outro previamente registrado. Uma vez que o público atual da Internet não é composto por pessoas especialistas em Informática, detendo a capacidade de observar pormenores que levam a elucidação do real proprietário do domínio, pessoas comuns utilizam os sistemas de navegação e são, sem dúvidas, induzidas ao erro. Cada vez mais com a popularidade da Internet, observamos todo o tipo de 10 FRANCESCHELLI, Cimiteri e fantasmi di marchi, RDI, 1974, I, p. 5 e ss.

18 16 público acessando o ciberespaço e com isso a falta de critério e atenção no acesso pode gerar danos, portanto as relações entre os diversos nomes de domínio devem ser analisadas e ponderadas antes da autorização da sua criação A ESTRUTURA DOS NOMES DE DOMÍNIOS Conforme previamente analisado, todo computador conectado à Internet possui um endereço numérico que o identifica, denominado endereço IP (internet protocol). Como trata-se de um endereço numérico não é de fácil memorização, para tanto surge o sistema de nomes de domínios, a fim de relacionar o número com um conjunto de letras, facilitando a memorização e acesso por parte do usuário. A respeito de endereçamento IP e a respectiva relação com os nomes de domínio, esclarece Miguel Almeida Andrade(2004) 11 : A enorme quantidade de informação que se encontra acessível na Internet está alojada em computadores. Todos esses computadores têm um endereço que, na terminologia técnica, se designa por endereço IP (Internet Protocol) e que indica a sua localização no ciberespaço. Para ter acesso à informação alojada em determinado computador, o internauta deverá, portanto, dirigir-se ao endereço respectivo. Este é constituído por algarismos agrupados em quatro números separados por pontos, todos eles inferiores a 256, por exemplo, no caso de o protocolo de endereçamento ser o IPv4, ou por um conjunto de algarismos e letras, por exemplo, 1ABC:2300::/45, no caso de aquele protocolo ser o IPv6. Num e noutro caso a analogia com os números de telefone é fácil de estabelecer. Por ser difícil atribuir-lhes sentido lógico, expressões deste tipo são difíceis de memorizar. Por essa razão, todos os sítios onde se alberga a informação disponibilizada na Internet são baptizados com um nome o nome de domínio que é, normalmente, uma expressão alfabética, embora possa também ser uma expressão alfanumérica (ANDRADE, 2004, p.12). Segundo o site registro.br 12, domínio é: 11 ANDRADE, Miguel Almeida. Nomes de Domínio na Internet A Regulamentação dos Nomes de Domínio sob.pt, Centroatlântico.pt, Portugal, 2004, p Departamento do NIC.br responsável pelo registro de domínios.br. Disponível em:<http://www.nic.br/index.shtml > Acesso em: 20 ago

19 É um nome que serve para localizar e identificar conjuntos de computadores e serviços na Internet. O nome de domínio foi concebido com o objetivo de facilitar a memorização desses endereços, pois sem ele, teríamos que memorizar uma sequência grande de números, e dar flexibilidade para que o operador desses serviços altere sua infraestrutura com maior agilidade. Juntamente com este sistema faz-se necessário um sistema de tradução, denominado DNS (domain name system), sistema de nomes de domínios. Com a finalidade de converter textos em endereços e vice-versa, dessa forma não necessitamos decorar longas sequencias de números, bastando memorizar conjuntos de letras. Segundo Kurose (2008). 17 O DNS foi criado a partir da necessidade existente de traduzir os complicados números IP para um tipo de mais alto nível, que poderia ser relembrado com facilidade por pessoas comuns. Com certeza foi um ponto de apoio para o crescimento exponencial que a rede sofreu. Sua criação data do ano de 1983 pelo americano Paul Mockapetris, que fez o trabalho a pedido de Jonathan Postel, um grande personagem que esteve presente na criação da ARPANET. 13 Não há o que falar de nomes de domínio sem antes mencionar o ICANN (Internet Corporation for Assigned Names and Numbers), órgão mundial responsável por estabelecer regras do uso da Internet, criado, nos Estados Unidos, em 1998, com a finalidade de manter a Internet segura, estável e interoperacional, segundo o site da ICANN A ICANN coordena estes identificadores únicos a nível mundial. Sem esta coordenação, não existiria uma única Internet global. Tal facilidade deve respeitar determinadas regras, senão vejamos: as terminações de domínios após o nome do endereço, são denominadas TLDs (top level domains), em português encontramos pela terminologia DPN, ou seja, Domínio de Primeiro Nível, por exemplo, observamos caracteres no endereço que apresentam o seu nicho, por exemplo,.gov governamental,.mil militar,.com comercial, entre outros. Porém como observado um nome de domínio possui, quando não registrado pela entidade responsável nos Estados Unidos, um conjunto de letras que indica o país de registro, são os denominados cctlds (country-code top-level domains), ou 13 DNS, Redes de Computadores. Disponível em: <http://pt.wikibooks.org/wiki/redes_de_computadores/dns>. Acesso em: 09 ago

20 18 seja, domínios de topo com o código de país, podemos encontrar tipos como.br Brasil,.uk United Kingdown, ou seja, os países que integram o Reino Unido,.jp Japão. É curioso observar que cctld s como uma Estado da Polinésia, Tuvalu possui código.tv, muitas empresas de televisão registraram seus sites com esta entidade a fim de manter um domínio específico com sua atividade, uma vez que as siglas TLD s são nomes determinados, que devem se encaixar com a especificidade da empresa ou pessoa solicitante do registro. A definição dos cctld s são baseadas em uma norma ISO , que define as letras representativas dos territórios, existem exceções com o caso do Reino Unido, que não segue a norma, caso contrário usaríamos a sigla GB e não UK, esclarece Miguel Almeida Andrade (2004) 15 A excepção é o TLD UK, correspondente ao Reino Unido. O código definido pela norma ISO referida para aquele país é GB e não UK. Tal disparidade justifica-se por o TLD ter sido definido em momento anterior ao da adopção daquela norma como identificador dos domínios de topo de incidência territorial. (ANDRADE, 2004, p.17). Cabe observar também que, mesmo que um site possua o cctld.br não quer dizer que o referido sítios esteja armazenado em um servidor no Brasil, como a Internet, do ponto de vista técnico, não possui fronteiras, o conteúdo pode ser armazenado em outros servidores espalhados pelo mundo, isso leva a análise de duas situações: a localização do conteúdo e o país que registrou o site. Portanto antes armazenar ou site ou de registrar um domínio por outra entidade que não a responsável pela internet e registro no seu país é importante observar que a legislação aplicada, mesmo de forma análoga é do país que está efetuando o registro, esclarece Patrícia Peck Pinheiro 16 (2009): 14 ISO 3166 é um padrão internacional para códigos de país e códigos para as suas subdivisões. O objetivo da ISO 3166 é definir códigos internacionalmente reconhecidos de letras e / ou números que podemos usar quando nos referimos aos países e subdivisões. No entanto, não define os nomes dos países - esta informação vem de fontes das Nações Unidas (Terminologia Boletim nomes de países e do país e das regiões de Estatística Use mantidas pelas Divisões Estatísticas das Nações Unidas). Disponível em:<http://www.iso.org/iso/country_codes.htm> Acesso em: 10 set MIGUEL ANDRADE DE ALMEIDA, Nomes de Domínio na Internet, A regulamentação dos nomes de domínio sob.pt, Centro Atlântico.pt, Portugal, 2004, p PINHEIRO, Patrícia Peck, Direito Digital, 3ª edição, São Paulo, Saraiva, p. 39.

21 Na Internet, muitas vezes não é possível reconhecer facilmente de onde o interlocutor está interagindo. Muitos sites têm terminação.com, se o sufixo de país, o que significa que teoricamente estão localizados nos Estados Unidos. Só que vários deles apenas estão registrados nos Estados Unidos e não têm nenhuma existência física nesse país. Uma tendência mundial é assumir definitivamente o endereço eletrônico como localização da origem ou efeito do ato. Assim, se uma empresa brasileira registra um site como.com, em vez de.com.br, pode ter de se sujeitar às leis de diversos países no caso de questões internacionais. (PINHEIRO, 2009, p. 39). 19 Além da situação dos TLD s e cctld s é importante considerar que não são todos os nomes que são permitidos na escolha do nome de domínio, algumas regras são estabelecidas pelo país detentor da autoridade pelo registro de novos domínios, por exemplo, no Brasil não são permitidas algumas situações e opções no momento do registro. Analisando a Resolução CGI.br/RES/2008/008/P 17 do Comitê Gestor da Internet no Brasil, que tecnicamente esclarece em seu artigo 3º: Art. 3º - Define-se como Domínio de Primeiro Nível, DPN, os domínios criados sob o cctld.br, nos quais disponibilizam-se registro de subdomínios segundo as regras estabelecidas nesta Resolução. Um nome de domínio escolhido para registro sob um determinado DPN, considerando-se somente sua parte distintiva mais específica, deve: I. Ter no mínimo 2 (dois) e no máximo 26 (vinte e seis) caracteres; II. Ser uma combinação de letras e números [a-z;0-9], hífen [-] e os seguintes caracteres acentuados [à, á, â, ã, é, ê, í, ó, ô, õ, ú, ü, ç]; III. Não ser constituído somente de números e não iniciar ou terminar por hífen; IV. O domínio escolhido pelo requerente não deve tipificar nome não registrável. Entende-se por nomes não registráveis aqueles descritos no único do artigo 1º, desta Resolução. Parágrafo único - Somente será permitido o registro de um novo domínio quando não houver equivalência a um domínio pré-existente no mesmo DPN, ou quando, havendo equivalência no mesmo DPN, o requerente for a mesma entidade detentora do domínio equivalente. Estabelece-se um mecanismo de mapeamento para determinação de equivalência entre nomes de domínio, que será realizado convertendo-se os caracteres 17 Resolução CGI.br/RES/2008/008/P. Disponível em: <http://www.cgi.br/resolucoes/documento/2008/008>. Acesso em: 09 ago

II. Ser uma combinação de letras e números [a-z;0-9], hífen [-] e os seguintes caracteres acentuados [à, á, â, ã, é, ê, í, ó, ô, õ, ú, ü, ç];

II. Ser uma combinação de letras e números [a-z;0-9], hífen [-] e os seguintes caracteres acentuados [à, á, â, ã, é, ê, í, ó, ô, õ, ú, ü, ç]; Resoluções Resolução CGI.br/RES/2008/008/P 28 de novembro de 2008 O COMITÊ GESTOR DA INTERNET NO BRASIL CGI.br reunido na sua 9ª. Reunião Ordinária, em 28 de novembro de 2008, em sua sede, no NIC.br, na

Leia mais

Resolução CGI.br/RES/008

Resolução CGI.br/RES/008 Resolução CGI.br/RES/008 O COMITÊ GESTOR DA INTERNET NO BRASIL CGI.br reunido na sua 9ª. Reunião Ordinária, em 28 de novembro de 2008, em sua sede, no NIC.br, na Cidade de São Paulo SP, decide, por unanimidade,

Leia mais

Nomes de domínio: conceito

Nomes de domínio: conceito Nomes de domínio: conceito! nome indicativo de um sítio na Internet onde um website pode ser acedido! combinação única de letras ou nomes perceptíveis à linguagem humana 1 Nomes de domínio: a base técnica!

Leia mais

Introdução à Tecnologia Web 2010

Introdução à Tecnologia Web 2010 IntroduçãoàTecnologiaWeb2010 Internet ÓrgãosRegulamentadores ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger Internet Órgãosregulamentadores Índice 1 Breve Histórico da Internet... 2 2 Surgimento

Leia mais

CONTRATO DE REGISTRO DOMINIOS

CONTRATO DE REGISTRO DOMINIOS CONTRATO DE REGISTRO DOMINIOS I. PREÂMBULO De um lado, a empresa ORIONS SITES E HOST, com razão social denominada ORIONS Ltda, inscrita no CNPJ sob nº, estabelecida à rua Ítalo Cipro, 206, Beira Rio, Guaratinguetá,

Leia mais

Contrato. 22/01/2015 Registro.br Contrato. $Revision: 873 $ $Date: 2011 09 16 11:35:12 0300 (Fri, 16 Sep 2011) $

Contrato. 22/01/2015 Registro.br Contrato. $Revision: 873 $ $Date: 2011 09 16 11:35:12 0300 (Fri, 16 Sep 2011) $ Contrato $Revision: 873 $ $Date: 2011 09 16 11:35:12 0300 (Fri, 16 Sep 2011) $ CONTRATO PARA REGISTRO DE NOME DE DOMÍNIO SOB O ".BR" O NÚCLEO DE INFORMAÇÃO E COORDENAÇÃO DO PONTO BR NIC.br, inscrito no

Leia mais

COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO

COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO PROJETO DE LEI N o 835, DE 2011 Dispõe sobre normas para o registro de domínios de internet nas categorias sob o.br. Autor: Deputado CLAUDIO

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br 1 BuscaLegis.ccj.ufsc.br Domínios, registros, internet. Quem administra e controla o ambiente eletrônico? Cristiane Rozicki 1 É possível, e provável, que muitas pessoas conheçam estes detalhes que passarão

Leia mais

Comitê Gestor da Internet

Comitê Gestor da Internet 1 Direito da Informática no Brasil - CGI.br Professor Luis Gustavo Zanini Borelli 2 O no Brasil (CGI.br) foi criado pela Portaria Interministerial nº 147, de 31 de maio de 1995 e alterada pelo Decreto

Leia mais

Host e Soluções WEB CONTRATO PARA REGISTRO DE DOMÍNIO INFORMAÇÕES PRÉVIAS. ClÁUSULA I: OBJETO.

Host e Soluções WEB CONTRATO PARA REGISTRO DE DOMÍNIO INFORMAÇÕES PRÉVIAS. ClÁUSULA I: OBJETO. Host e Soluções WEB CONTRATO PARA REGISTRO DE DOMÍNIO INFORMAÇÕES PRÉVIAS A VALESITES Host e Soluções WEB, criada e de responsabilidade de CASSIO PEREIRA DAMACENA, CPF: 884.575.322-00, sediada no endereço

Leia mais

O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE DOMÍNIOS

O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE DOMÍNIOS O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE DOMÍNIOS A POP3 reuniu aqui as principais orientações para registro, renovação e transferência de domínios, entre outras questões que possam ajudar você a entender como funcionam

Leia mais

CÂMARA DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS RELATIVAS A NOMES DE DOMÍNIO (CASD-ND) CENTRO DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS EM PROPRIEDADE INTELECTUAL (CSD-PI) DA ABPI

CÂMARA DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS RELATIVAS A NOMES DE DOMÍNIO (CASD-ND) CENTRO DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS EM PROPRIEDADE INTELECTUAL (CSD-PI) DA ABPI CÂMARA DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS RELATIVAS A NOMES DE DOMÍNIO (CASD-ND) CENTRO DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS EM PROPRIEDADE INTELECTUAL (CSD-PI) DA ABPI FILIPEFLOP COMPONENTES ELETRONICOS EIRELI-EPP E FILIPE MACEDO

Leia mais

Fundamentos do novo gtld Novas extensões de Internet

Fundamentos do novo gtld Novas extensões de Internet Fundamentos do novo gtld Novas extensões de Internet Pauta Visão geral sobre nomes de domínio, cronograma de gtld e o novo programa gtld Por que a ICANN está fazendo isso; impacto potencial desta iniciativa

Leia mais

Tudo Sobre Domínios! Registrar seu Domínio: Informações Importantes:

Tudo Sobre Domínios! Registrar seu Domínio: Informações Importantes: Registrar seu Domínio: Desejo apenas Registrar um Domínio utilizando os DNS de um provedor de hospedagem. Clique aqui para reservar seu domínio por 1 ano no Brasil.: http:///site/reserva.php?codreserva=1&s=vw1welpy

Leia mais

CÂMARA DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS RELATIVAS A NOMES DE DOMÍNIO (CASD-ND) CENTRO DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS EM PROPRIEDADE INTELECTUAL (CSD-PI) DA ABPI

CÂMARA DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS RELATIVAS A NOMES DE DOMÍNIO (CASD-ND) CENTRO DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS EM PROPRIEDADE INTELECTUAL (CSD-PI) DA ABPI CÂMARA DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS RELATIVAS A NOMES DE DOMÍNIO (CASD-ND) CENTRO DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS EM PROPRIEDADE INTELECTUAL (CSD-PI) DA ABPI 3M COMPANY X RODRIGO DA SILVA PORTO PROCEDIMENTO N ND-20146

Leia mais

INTERNET -- NAVEGAÇÃO

INTERNET -- NAVEGAÇÃO Página 1 INTRODUÇÃO Parte 1 O que é a Internet? A Internet é uma rede mundial de computadores, englobando redes menores distribuídas por vários países, estados e cidades. Ao contrário do que muitos pensam,

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 8.022, DE 2010 (Do Sr. Capitão Assumção)

PROJETO DE LEI N.º 8.022, DE 2010 (Do Sr. Capitão Assumção) CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 8.022, DE 2010 (Do Sr. Capitão Assumção) Dispõe sobre a criação do Domínio de Primeiro Nível ".leg" para utilização na Rede Internet pelos órgãos do Poder Legislativo

Leia mais

CONTRATO PARA REGISTRO DE DOMÍNIO

CONTRATO PARA REGISTRO DE DOMÍNIO CONTRATO PARA REGISTRO DE DOMÍNIO INFORMAÇÕES PRÉVIAS A ACM ATIVIDADES DE INTERNET LTDA, CNPJ 16.987.439/0001 90 com sede na cidade de Birigui, Estado de São Paulo, na Travessa Dom Pedro II, nº 19, Sala

Leia mais

MARCO CIVIL DA INTERNET LEI Nº 12.965, DE 23/04/2014

MARCO CIVIL DA INTERNET LEI Nº 12.965, DE 23/04/2014 MARCO CIVIL DA INTERNET LEI Nº 12.965, DE 23/04/2014 1. EMENTA A Lei nº 12.965, de 23 de abril de 2014, estabeleceu princípios, garantias, direitos e deveres para o uso da Internet no Brasil, conhecido

Leia mais

O COMITÊ GESTOR INTERNET DO BRASIL - CG, no uso das atribuições que lhe confere a Portaria Interministerial MC/MCT nº 147, de 31 de maio de 1995,

O COMITÊ GESTOR INTERNET DO BRASIL - CG, no uso das atribuições que lhe confere a Portaria Interministerial MC/MCT nº 147, de 31 de maio de 1995, Resolução CG nº 1, de 15.04.98 O COORDENADOR DO COMITÊ GESTOR INTERNET DO BRASIL, no uso de suas atribuições, torna público que o referido Comitê, em reunião realizada no dia 15 de abril 1998, emitiu a

Leia mais

XXXII CONGRESSO DA ABPI NOMES DE DOMÍNIOS E O SISTEMA DE RESOLUÇÃO DE CONFLITOS-SACI-ADM

XXXII CONGRESSO DA ABPI NOMES DE DOMÍNIOS E O SISTEMA DE RESOLUÇÃO DE CONFLITOS-SACI-ADM XXXII CONGRESSO DA ABPI NOMES DE DOMÍNIOS E O SISTEMA DE RESOLUÇÃO DE CONFLITOS-SACI-ADM Em 1995, o Prof. Dr. Demi Getschko, pessoa que recebeu o.br da IANA, reunindo-se com os representantes do Ministério

Leia mais

CONTRATO PADRÃO REGISTRO N.º 1611654 REGISTRO DE DOMÍNIO VERSÃO 2 /2007

CONTRATO PADRÃO REGISTRO N.º 1611654 REGISTRO DE DOMÍNIO VERSÃO 2 /2007 CONTRATO PADRÃO REGISTRO N.º 1611654 REGISTRO DE DOMÍNIO VERSÃO 2 /2007 CONTRATO DE REGISTRO E DE MANUTENÇÃO DE NOME DE DOMÍNIO DE PRIMEIRO NÍVEL - DPN.COM,.NET,.ORG,.INFO,.BIZ E.NAME E DOMÍNIO DE PRIMEIRO

Leia mais

CÂMARA DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS RELATIVAS A NOMES DE DOMÍNIO (CASD-ND) CENTRO DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS EM PROPRIEDADE INTELECTUAL (CSD-PI) DA ABPI

CÂMARA DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS RELATIVAS A NOMES DE DOMÍNIO (CASD-ND) CENTRO DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS EM PROPRIEDADE INTELECTUAL (CSD-PI) DA ABPI CÂMARA DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS RELATIVAS A NOMES DE DOMÍNIO (CASD-ND) CENTRO DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS EM PROPRIEDADE INTELECTUAL (CSD-PI) DA ABPI 1. Das Partes VRG LINHAS AÉREAS S.A. X SUPER MEGAS PROVEDOR

Leia mais

(JO L 113 de 30.4.2002, p. 1)

(JO L 113 de 30.4.2002, p. 1) 2002R0733 PT 11.12.2008 001.001 1 Este documento constitui um instrumento de documentação e não vincula as instituições B REGULAMENTO (CE) N. o 733/2002 DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO de 22 de Abril

Leia mais

LIVRARIA CULTURA S/A X MARIA LUZ GAMBARTE PROCEDIMENTO N ND201319 DECISÃO DE MÉRITO I. RELATÓRIO

LIVRARIA CULTURA S/A X MARIA LUZ GAMBARTE PROCEDIMENTO N ND201319 DECISÃO DE MÉRITO I. RELATÓRIO CÂMARA DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS RELATIVAS A NOMES DE DOMÍNIO (CASD-ND) CENTRO DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS, MEDIAÇÃO E ARBITRAGEM EM PROPRIEDADE INTELECTUAL (CSD-PI) DA ABPI 1. Das Partes LIVRARIA CULTURA S/A

Leia mais

Noções de Direito e Legislação da Informática FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Noções de Direito e Legislação da Informática FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO LUIZ GUILHERME JULIANO PIROZZELLI TULIO TSURUDA WISLIY LOPES Noções de Direito e Legislação da Informática GOIÂNIA JUNHO DE 2014 RELACIONAR

Leia mais

CÂMARA DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS RELATIVAS A NOMES DE DOMÍNIO (CASD-ND) CENTRO DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS EM PROPRIEDADE INTELECTUAL (CSD-PI) DA ABPI

CÂMARA DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS RELATIVAS A NOMES DE DOMÍNIO (CASD-ND) CENTRO DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS EM PROPRIEDADE INTELECTUAL (CSD-PI) DA ABPI CÂMARA DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS RELATIVAS A NOMES DE DOMÍNIO (CASD-ND) CENTRO DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS EM PROPRIEDADE INTELECTUAL (CSD-PI) DA ABPI TRANSPERFECT TRANSLATIONS INTERNATIONAL, INC. X HENRIQUE TRENTINI

Leia mais

Jornal Oficial das Comunidades Europeias. (Actos cuja publicação é uma condição da sua aplicabilidade)

Jornal Oficial das Comunidades Europeias. (Actos cuja publicação é uma condição da sua aplicabilidade) L 113/1 I (Actos cuja publicação é uma condição da sua aplicabilidade) REGULAMENTO (CE) N. o 733/2002 DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO de 22 de Abril de 2002 relativo à implementação do domínio de topo.eu

Leia mais

Des. Carlos Eduardo da Fonseca Passos

Des. Carlos Eduardo da Fonseca Passos TRIBUNAL DE JUSTIÇA SEGUNDA CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO CÍVEL Nº 0024946-03.2011.8.19.0210 APELANTE: BARATÃO MÁQUINAS DE COSTURA LTDA-ME APELADA: TAVARES PINTO DISTRIBUIDORA LTDA. RELATOR: DES. CARLOS EDUARDO

Leia mais

Introdução ao IPv6. Antonio M. Moreiras moreiras@nic.br

Introdução ao IPv6. Antonio M. Moreiras moreiras@nic.br Introdução ao IPv6 Antonio M. Moreiras moreiras@nic.br Agenda O CGI.br e o NIC.br O CGI.br e o NIC.br Breve Introdução ao IPv6 Agenda O CGI.br e o NIC.br O CGI.br e o NIC.br Breve Introdução ao IPv6 Sobre

Leia mais

CONTRATO PARA REGISTRO DE DOMÍNIO "MM DOMINIO"

CONTRATO PARA REGISTRO DE DOMÍNIO MM DOMINIO CONTRATO PARA REGISTRO DE DOMÍNIO "MM DOMINIO" Esse instrumento regula a prestação de serviços estabelecida entre MACHADO SERVIÇOS DIGITAIS LTDA-ME (pessoa jurídica de direito privado, inscrita no CNPJ

Leia mais

1969 ARPANet - Advanced Research Projects Agency Network

1969 ARPANet - Advanced Research Projects Agency Network FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Rafael D. Ribeiro, M.Sc,PMP. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br @ribeirord 1969 ARPANet - Advanced Research Projects Agency Network O

Leia mais

CÂMARA DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS RELATIVAS A NOMES DE DOMÍNIO (CASD-ND) CENTRO DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS EM PROPRIEDADE INTELECTUAL (CSD-PI) DA ABPI

CÂMARA DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS RELATIVAS A NOMES DE DOMÍNIO (CASD-ND) CENTRO DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS EM PROPRIEDADE INTELECTUAL (CSD-PI) DA ABPI CÂMARA DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS RELATIVAS A NOMES DE DOMÍNIO (CASD-ND) CENTRO DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS EM PROPRIEDADE INTELECTUAL (CSD-PI) DA ABPI 3M COMPANY X OMAR QUADROS MOTTA PROCEDIMENTO N ND20157 DECISÃO

Leia mais

DECISÃO DO PAINEL ADMINISTRATIVO Tumi Inc. v. Tumi Construções e Empreendimentos Ltda. Caso No. DBR2013-0014

DECISÃO DO PAINEL ADMINISTRATIVO Tumi Inc. v. Tumi Construções e Empreendimentos Ltda. Caso No. DBR2013-0014 ARBITRATION AND MEDIATION CENTER DECISÃO DO PAINEL ADMINISTRATIVO Tumi Inc. v. Tumi Construções e Empreendimentos Ltda. Caso No. DBR2013-0014 1. As Partes A Reclamante é Tumi Inc., de South Plainfield,

Leia mais

CÂMARA DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS RELATIVAS A NOMES DE DOMÍNIO (CASD-ND) CENTRO DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS EM PROPRIEDADE INTELECTUAL (CSD-PI) DA ABPI

CÂMARA DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS RELATIVAS A NOMES DE DOMÍNIO (CASD-ND) CENTRO DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS EM PROPRIEDADE INTELECTUAL (CSD-PI) DA ABPI CÂMARA DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS RELATIVAS A NOMES DE DOMÍNIO (CASD-ND) CENTRO DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS EM PROPRIEDADE INTELECTUAL (CSD-PI) DA ABPI NATURA COSMÉTICOS S/A. E INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE COSMÉTICOS

Leia mais

Os Pontos de Troca de Tráfego, o PTTMetro e a Internet Brasileira

Os Pontos de Troca de Tráfego, o PTTMetro e a Internet Brasileira Os Pontos de Troca de Tráfego, o PTTMetro e a Internet Brasileira Por Antonio M. Moreiras e Demi Getschko A Internet é uma construção coletiva que integra milhares de redes pelo mundo afora. Os brasileiros

Leia mais

AGOSTO DE 2012. DOMÍNIO DE PRIMEIRO NÍVEL NO BRASIL: Um caminho seguro para as empresas do país Ano 4 Número 2

AGOSTO DE 2012. DOMÍNIO DE PRIMEIRO NÍVEL NO BRASIL: Um caminho seguro para as empresas do país Ano 4 Número 2 AGOSTO DE 2012 DOMÍNIO DE PRIMEIRO NÍVEL NO BRASIL: Um caminho seguro para as empresas do país Ano 4 Número 2 SUMÁRIO EXECUTIVO Domínio de Primeiro Nível no Brasil Apresentação Desde 1996 o Comitê Gestor

Leia mais

Art. 13. Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação. Brasília, 3 de setembro de 2003; 182 o da Independência e 115 o da República.

Art. 13. Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação. Brasília, 3 de setembro de 2003; 182 o da Independência e 115 o da República. Art. 10. A execução do registro de Nomes de Domínio, a alocação de Endereço IP (Internet Protocol) e a administração relativas ao Domínio de Primeiro Nível poderão ser atribuídas a entidade pública ou

Leia mais

*Conceitos básicos *Formas de conexão *Correio Eletrônico *WWW *Principais navegadores para Internet

*Conceitos básicos *Formas de conexão *Correio Eletrônico *WWW *Principais navegadores para Internet Conceitos básicos Formas de conexão Correio Eletrônico WWW Principais navegadores para Internet Para compreender a Internet faz-se necessário o conhecimento de conceitos simples e que muitas vezes causam

Leia mais

cctld/gtld - domínios em concorrência? Papel do ICANN Marta Moreira Dias marta.dias@dns.pt

cctld/gtld - domínios em concorrência? Papel do ICANN Marta Moreira Dias marta.dias@dns.pt cctld/gtld - domínios em concorrência? Papel do ICANN Marta Moreira Dias marta.dias@dns.pt AGENDA Visão geral sobre os nomes de domínio; Novos gtld s - o papel do ICANN: Quem? Quando? O quê? Como? Quanto?

Leia mais

DECISÃO DO PAINEL ADMINISTRATIVO Telefônica Brasil S.A. v. Luciano Simões Neto - ME Caso No. DBR2012-0014

DECISÃO DO PAINEL ADMINISTRATIVO Telefônica Brasil S.A. v. Luciano Simões Neto - ME Caso No. DBR2012-0014 ARBITRATION AND MEDIATION CENTER DECISÃO DO PAINEL ADMINISTRATIVO Telefônica Brasil S.A. v. Luciano Simões Neto - ME Caso No. DBR2012-0014 1. As Partes A Reclamante é Telefônica Brasil S.A., de São Paulo,

Leia mais

// Questões para estudo

// Questões para estudo // Questões para estudo 2 // Ferramentas Básicas de Internet e Web 2.0 1. Sobre a internet, marque a opção correta: A) A internet poder ser definida como uma rede mundial, composta por mihões e milhões

Leia mais

Termos de Uso - Contrato

Termos de Uso - Contrato Termos de Uso - Contrato 1. TERMOS E CONDIÇÕES GERAIS PARA COMPRA DE CURSO ONLINE NO SITE WWW.ALEMÃOONLINE.COM.BR 1.1. A contratada (nome fantasia) FCD., inscrita no CNPJ 22.030.123/00001-08, localizada

Leia mais

SERVIÇO registro e administração de domínios

SERVIÇO registro e administração de domínios CONTRATO DE SERVIÇO registro e administração de domínios Avenida Bandeirantes, 1307 - Centro - Rondonópilis - MT 66 3022.3421 - duvidas@ravehost.com.br As partes abaixo nominadas e qualificadas, têm, entre

Leia mais

Processo Judicial Eletrônico

Processo Judicial Eletrônico Processo Judicial Eletrônico Internet: origem, desenvolvimento e funcionamento Conceitos básicos das novas tecnologias Documento eletrônico Criptografia e métodos de assinatura digital Processo eletrônico

Leia mais

IPv6: a próxima geração de IPs na Internet!

IPv6: a próxima geração de IPs na Internet! IPv6: a próxima geração de IPs na Internet! Antonio M. Moreiras moreiras@nic.br CONIP 14 o. Congresso de Inovação da Gestão Pública Governança da informação backoffice 05 de Junho de 2008 São Paulo - SP

Leia mais

Ata da Reunião de 10 de maio de 2001

Ata da Reunião de 10 de maio de 2001 Ata da Reunião de 10 de maio de 2001 Reunião de 10 de maio de 2001 Local: São Paulo - SP Participantes: Membros: Ivan Moura Campos; Artur Nunes de Oliveira Filho; Manuel Fernando Lousada Soares; Eduardo

Leia mais

Instituição Faculdade de tecnologia Senac Pelotas-RS. Pronatec. Termos Técnicos. Carolina Lima, Francielen Carvalho, Raquel Brim, Taione Leandro

Instituição Faculdade de tecnologia Senac Pelotas-RS. Pronatec. Termos Técnicos. Carolina Lima, Francielen Carvalho, Raquel Brim, Taione Leandro Instituição Faculdade de tecnologia Senac Pelotas-RS Pronatec Termos Técnicos Carolina Lima, Francielen Carvalho, Raquel Brim, Taione Leandro Pelotas, 2012 Carolina Lima, Francielen Carvalho, Raquel Brim,

Leia mais

TERMO DE USO DOS SERVIÇOS. Data do documento: 01/02/2014

TERMO DE USO DOS SERVIÇOS. Data do documento: 01/02/2014 TERMO DE USO DOS SERVIÇOS Data do documento: 01/02/2014 HTEC TELECOMUNICAÇÕES LTDA - GTC TELECOM - pessoa jurídica de direito privado, inscrita no CNPJ sob nº 06.131.220/0001-30, com sede na Rua Apolinário

Leia mais

Informática Aplicada

Informática Aplicada Informática Aplicada Internet Aula 4 Prof. Walteno Martins Parreira Jr www.waltenomartins.com.br waltenomartins@yahoo.com 2014 APRESENTAÇÃO A Internet é um grande conjunto de redes de computadores interligadas

Leia mais

INTERNET E PROGRAMAÇÃO WEB

INTERNET E PROGRAMAÇÃO WEB História da Internet A Internet surgiu a partir de pesquisas militares do governo dos Estados Unidos nos períodos áureos da Guerra Fria. Na década de 1960, quando dois blocos ideológicos e politicamente

Leia mais

OUTUBRO 2009. Nomes de Domínios no Brasil e no Mundo. Ano 1 Número 1

OUTUBRO 2009. Nomes de Domínios no Brasil e no Mundo. Ano 1 Número 1 OUTUBRO 2009 Nomes de Domínios no Brasil e no Mundo Ano 1 Número 1 SUMÁRIO EXECUTIVO Informações sobre Nomes de Domínios no Brasil e no Mundo O Brasil possui a 8ª maior base de nomes de domínios entre

Leia mais

26/2/2014. Numero de Web Sites no mundo. 1993 1996 1999 Agosto/2002

26/2/2014. Numero de Web Sites no mundo. 1993 1996 1999 Agosto/2002 História da Internet? No final dos anos 50, os EUA formaram uma instituição de investigação, a qual designaram por ARPA (Advanced Research Projec Agency). O objectivo desta instituição, parte integrante

Leia mais

Tópicos de Ambiente Web Publicação do Site

Tópicos de Ambiente Web Publicação do Site Tópicos de Ambiente Web Publicação do Site Professora: Sheila Cáceres Roteiro Publicação na intranet Publicação na internet Hospedagem Dominio DNS Registro Publicação na Intranet Um Servidor Web Local

Leia mais

Resolução de nomes. Professor Leonardo Larback

Resolução de nomes. Professor Leonardo Larback Resolução de nomes Professor Leonardo Larback Resolução de nomes A comunicação entre os computadores e demais equipamentos em uma rede TCP/IP é feita através dos respectivos endereços IP. Entretanto, não

Leia mais

Hilti do Brasil Comercial Ltda. Política de Privacidade e Proteção de Informações Pessoais

Hilti do Brasil Comercial Ltda. Política de Privacidade e Proteção de Informações Pessoais Hilti do Brasil Comercial Ltda. Política de Privacidade e Proteção de Informações Pessoais Nós, Hilti (Brasil) Comercial Ltda. (coletivamente, referido como Hilti, "nós", "nosso" ou "a gente") nessa Política

Leia mais

Promover a estabilidade e a integridade da Internet Pedro Veiga ICANN meetings, Lisbon, 29 March 2007

Promover a estabilidade e a integridade da Internet Pedro Veiga ICANN meetings, Lisbon, 29 March 2007 Promover a estabilidade e a integridade da Internet Pedro Veiga ICANN meetings, Lisbon, 29 March 2007 O que é a ICANN? A ICANN - Internet Corporation for Assigned Names and Numbers (órgão mundial responsável

Leia mais

Regulamentação da Internet e seus impactos nos modelos de negócio

Regulamentação da Internet e seus impactos nos modelos de negócio Regulamentação da Internet e seus impactos nos modelos de negócio Virgilio Almeida Secretário de Política de Informática Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação Brasilia Setembro de 2015 Elementos

Leia mais

http://cartilha.cert.br/

http://cartilha.cert.br/ http://cartilha.cert.br/ Atualmente, graças à Internet, é possível comprar produtos sem sair de casa ou do trabalho, sem se preocupar com horários e sem enfrentar filas. Eainda receber tudo em casa ou

Leia mais

Comitê de Controvérsias sobre Registro de Domínio Do Centro de Arbitragem e Mediação da Câmara de Comércio Brasil Canadá (CCRD- CAM/CCBC)

Comitê de Controvérsias sobre Registro de Domínio Do Centro de Arbitragem e Mediação da Câmara de Comércio Brasil Canadá (CCRD- CAM/CCBC) Comitê de Controvérsias sobre Registro de Domínio Do Centro de Arbitragem e Mediação da Câmara de Comércio Brasil Canadá (CCRD- CAM/CCBC) Procedimento nº 4.2012.040912.004 Decisão Administrativa 1. Nome

Leia mais

DNS. Domain Name System

DNS. Domain Name System DNS Domain Name System Sistema de Nomes de Domínios (DNS) Domain Name System Protocol (DNS) Grupo 7: José Gomes, Ernesto Ferreira e Daniel Silva a5571@alunos.ipca.pt, a7821@alunos.ipca.pt e a7997@alunos.ipca.pt

Leia mais

Política Uniforme de Solução de Disputas Relativas a Nomes de Domínio

Política Uniforme de Solução de Disputas Relativas a Nomes de Domínio Política Uniforme de Solução de Disputas Relativas a Nomes de Domínio Política aprovada em 26 de agosto de 1999 Documentos de implementação aprovados em 24 de outubro de 1999 Versão em português da Organização

Leia mais

Um Caminho Seguro para as Empresas do País: 3 Milhões de domínios do.br. Panorama setorial da Internet SETEMBRO DE 2012

Um Caminho Seguro para as Empresas do País: 3 Milhões de domínios do.br. Panorama setorial da Internet SETEMBRO DE 2012 Panorama setorial da Internet SETEMBRO DE 2012 DOMÍNIO DE PRIMEIRO NÍVEL NO BRASIL Um Caminho Seguro para as Empresas do País: 3 Milhões de domínios do.br Ano 4 Número 2 A INTERNET BRASILEIRA Apresentação

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO CULTURAL "DESAFIO de Análise Forense

REGULAMENTO DO CONCURSO CULTURAL DESAFIO de Análise Forense REGULAMENTO DO CONCURSO CULTURAL "DESAFIO de Análise Forense DESCRIÇÃO O Concurso Cultural, denominado DESAFIO de Análise Forense será realizado no dia 05 de fevereiro de 2015, durante o evento Campus

Leia mais

CÂMARA DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS RELATIVAS A NOMES DE DOMÍNIO (CASD ND) CENTRO DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS EM PROPRIEDADE INTELECTUAL (CSD PI) DA ABPI

CÂMARA DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS RELATIVAS A NOMES DE DOMÍNIO (CASD ND) CENTRO DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS EM PROPRIEDADE INTELECTUAL (CSD PI) DA ABPI CÂMARA DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS RELATIVAS A NOMES DE DOMÍNIO (CASD ND) CENTRO DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS EM PROPRIEDADE INTELECTUAL (CSD PI) DA ABPI 1. Das Partes: 1.1 Reclamantes: ALLIANZ SEGUROS S/A e ALLIANZ

Leia mais

DECISÃO DO PAINEL ADMINISTRATIVO Qualival Indústria Comércio e Manutenção Industrial Ltda. v. Tatiana Ferreira Marques Caso No.

DECISÃO DO PAINEL ADMINISTRATIVO Qualival Indústria Comércio e Manutenção Industrial Ltda. v. Tatiana Ferreira Marques Caso No. ARBITRATION AND MEDIATION CENTER DECISÃO DO PAINEL ADMINISTRATIVO Qualival Indústria Comércio e Manutenção Industrial Ltda. v. Tatiana Ferreira Marques Caso No. DBR2012-0010 1. As Partes A Reclamante é

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2012

PROJETO DE LEI Nº, DE 2012 PROJETO DE LEI Nº, DE 2012 (Do Sr. Walter Feldman) Dispõe sobre a proteção dos direitos de propriedade intelectual e dos direitos autorais na Internet. O Congresso Nacional decreta: Art. 1º Esta Lei dispõe

Leia mais

Troca de Tráfego : criando uma infraestrutura Internet melhor e mais barata (http://ptt.br). Milton Kaoru Kashiwakura mkaoruka@nic.

Troca de Tráfego : criando uma infraestrutura Internet melhor e mais barata (http://ptt.br). Milton Kaoru Kashiwakura mkaoruka@nic. Troca de Tráfego : criando uma infraestrutura Internet melhor e mais barata (http://ptt.br). Milton Kaoru Kashiwakura mkaoruka@nic.br Agenda O CGI.br e o NIC.br O que é a Internet? E o protocolo IP? Quais

Leia mais

TCP-IP - Introdução. Aula 02. Professor Sérgio Teixeira E-mail: sergio.professor@multicast.com.br Telefone: (27) 9989-1122

TCP-IP - Introdução. Aula 02. Professor Sérgio Teixeira E-mail: sergio.professor@multicast.com.br Telefone: (27) 9989-1122 TCP-IP - Introdução Aula 02 Professor Sérgio Teixeira E-mail: sergio.professor@multicast.com.br Telefone: (27) 9989-1122 História 1969 - Advanced Research Project Agency (ARPA) financia a pesquisa e o

Leia mais

TÍTULO: DIREITO AO NOME DE DOMÍNIO NA INTERNET E SUAS PRINCIPAIS DISCUSSÕES

TÍTULO: DIREITO AO NOME DE DOMÍNIO NA INTERNET E SUAS PRINCIPAIS DISCUSSÕES TÍTULO: DIREITO AO NOME DE DOMÍNIO NA INTERNET E SUAS PRINCIPAIS DISCUSSÕES CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: DIREITO INSTITUIÇÃO: FACULDADE BARRETOS AUTOR(ES): MARIANA CRISTINA

Leia mais

DECISÃO DO PAINEL ADMINISTRATIVO 3A Composites USA, Inc. v. Fernando Terzian Caso No. DBR2015-0003

DECISÃO DO PAINEL ADMINISTRATIVO 3A Composites USA, Inc. v. Fernando Terzian Caso No. DBR2015-0003 ARBITRATION AND MEDIATION CENTER DECISÃO DO PAINEL ADMINISTRATIVO 3A Composites USA, Inc. v. Fernando Terzian Caso No. DBR2015-0003 1. As Partes A Reclamante é 3A Composites USA, Inc., de Statesville,

Leia mais

Regulamento da Política Uniforme de Solução de Disputas Relativas a Nomes de Domínio

Regulamento da Política Uniforme de Solução de Disputas Relativas a Nomes de Domínio 1 Regulamento da Política Uniforme de Solução de Disputas Relativas a Nomes de Domínio Política aprovada em 26 de agosto de 1999 Documentos de implementação aprovados em 24 de outubro de 1999 Versão em

Leia mais

Introdução ao Desenvolvimento e Design de Websites

Introdução ao Desenvolvimento e Design de Websites Introdução ao Desenvolvimento e Design de Websites Prof.: Salustiano Rodrigues de Oliveira Email: saluorodrigues@gmail.com Site: www.profsalu.wordpress.com Introdução ao Desenvolvimento e Design de Websites

Leia mais

O QUE MUDA NA SUA NAVEGAÇÃO COM O MARCO CIVIL DA INTERNET?

O QUE MUDA NA SUA NAVEGAÇÃO COM O MARCO CIVIL DA INTERNET? O QUE MUDA NA SUA NAVEGAÇÃO COM O MARCO CIVIL DA INTERNET? O QUE MUDA NA SUA NAVEGAÇÃO COM O MARCO CIVIL DA INTERNET? Redação e revisão Camila Marques, Laura Tresca, Luiz Alberto Perin Filho, Mariana Rielli

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE HOSPEDAGEM DE WEBSITE (WEBHOSTING) 4U NETWORK

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE HOSPEDAGEM DE WEBSITE (WEBHOSTING) 4U NETWORK De um lado, 4U NETWORK PSI E SERVIÇOS DE INFORMÁTICA LTDA ME, pessoa jurídica de direito privado, inscrita no CNPJ sob o n.º 07.253.233/0001-45, com sede na Rua Pedro de Andrade Garcia, 34 Sala 01, bairro

Leia mais

Portaria n.º 387, de 23 de outubro de 2007.

Portaria n.º 387, de 23 de outubro de 2007. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 387, de 23 de outubro de

Leia mais

Termos e Condições de Uso My Benefits

Termos e Condições de Uso My Benefits Termos e Condições de Uso My Benefits Este Termo de Uso apresenta as Condições Gerais aplicáveis ao uso do website e plataforma de descontos oferecida por PORTAL SUPER PUBLICO LTDA., inscrita no CNPJ sob

Leia mais

Regras de Atribuição de DNS. 21 de Abril de 2005 Luisa Lopes Gueifão CRSC 2005

Regras de Atribuição de DNS. 21 de Abril de 2005 Luisa Lopes Gueifão CRSC 2005 Regras de Atribuição de DNS 21 de Abril de 2005 Luisa Lopes Gueifão CRSC 2005 O DNS em Portugal O nome de domínio.pt Como registar um nome de domínio em.pt As regras As novas possibilidades de registo

Leia mais

CONTRATO DE LICENÇA DE USUÁRIO FINAL

CONTRATO DE LICENÇA DE USUÁRIO FINAL CONTRATO DE LICENÇA DE USUÁRIO FINAL 1. Licença 1.1. Este aplicativo possibilita a você e aos demais usuários publicarem, visualizarem, listarem e compartilharem dicas, avaliações, resenhas e comentários

Leia mais

IPv6 nas redes de sensores o 6LoWPAN e a Internet das coisas

IPv6 nas redes de sensores o 6LoWPAN e a Internet das coisas IPv6 nas redes de sensores o 6LoWPAN e a Internet das coisas Antonio M. Moreiras moreiras@nic.br Agenda O CGI.br e o NIC.br O CGI.br e o NIC.br O LAA Redes ubíquas e a Internet das coisas Breve Introdução

Leia mais

Conteúdo: - Propriedade Industrial; Conceito; Classificação; Indicação Geográfica; Concorrência Desleal.

Conteúdo: - Propriedade Industrial; Conceito; Classificação; Indicação Geográfica; Concorrência Desleal. Turma e Ano: Flex B (2014) Matéria / Aula: Propriedade industrial / Aula 01 Professor: Marcelo Tavares Conteúdo: - Propriedade Industrial; Conceito; Classificação; Indicação Geográfica; Concorrência Desleal.

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE RECOMPENSAS QUIZ GAZETA FM

REGULAMENTO DO PLANO DE RECOMPENSAS QUIZ GAZETA FM REGULAMENTO DO PLANO DE RECOMPENSAS QUIZ GAZETA FM 1. APRESENTAÇÃO A Rádio Clube de Alagoas, sociedade LTDA constituída sob as leis brasileiras, razão social, com sede na Cidade de Maceió, endereço Avenida

Leia mais

FISL9.0 Porto Alegre, RS, Brasil 17-19 de abril de 2008

FISL9.0 Porto Alegre, RS, Brasil 17-19 de abril de 2008 www.cgi.br Agenda Sobre o CGI.br Sobre o NIC.br www.cgi.br Sobre o CGI.br Criado em maio de 1995 Pela Portaria Interministerial Nº 147 de 31/05/1995, alterada pelo Decreto Presidencial Nº 4.829 de 03/09/2003

Leia mais

http://cartilha.cert.br/

http://cartilha.cert.br/ http://cartilha.cert.br/ Via Internet Banking você pode realizar as mesmas ações disponíveis nas agências bancárias, sem enfrentar filas ou ficar restrito aos horários de atendimento Realizar transações

Leia mais

PARECER Nº, DE 2015. RELATOR: Senador WALTER PINHEIRO

PARECER Nº, DE 2015. RELATOR: Senador WALTER PINHEIRO PARECER Nº, DE 2015 Da COMISSÃO DE ASSUNTOS ECONÔMICOS, sobre o Projeto de Lei do Senado n 689, de 2011, do Senador Vital do Rêgo, que acrescenta 3º ao art. 84 da Lei nº 9.279, de 14 de maio de 1996, para

Leia mais

Anexo F: Ratificação de compromissos

Anexo F: Ratificação de compromissos Anexo F: Ratificação de compromissos 1. Este documento constitui uma Ratificação de compromissos (Ratificação) do Departamento de Comércio dos Estados Unidos ("DOC") e da Corporação da Internet para Atribuição

Leia mais

DECISÃO DO PAINEL ADMINISTRATIVO Solazyme Brasil Óleos Renováveis e Bioprodutos Ltda. v. Reinaldo Camargo Caso No. DBR2011-0003

DECISÃO DO PAINEL ADMINISTRATIVO Solazyme Brasil Óleos Renováveis e Bioprodutos Ltda. v. Reinaldo Camargo Caso No. DBR2011-0003 ARBITRATION AND MEDIATION CENTER DECISÃO DO PAINEL ADMINISTRATIVO Solazyme Brasil Óleos Renováveis e Bioprodutos Ltda. v. Reinaldo Camargo Caso No. DBR2011-0003 1. As Partes A Reclamante é Solazyme Brasil

Leia mais

PATENTES - CURSO BÁSICO

PATENTES - CURSO BÁSICO PATENTES - CURSO BÁSICO Maria Fernanda Paresqui Corrêa 1 Juliana Manasfi Figueiredo 2 Pesquisadoras em Propriedade Industrial 1 DIALP - Divisão de Alimentos, Plantas e Correlatos 2 DIMOL - Divisão de Biologia

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO EDIÇÃO N 10 07 / 2014 BOLETIM INFORMATIVO EDIÇÃO N 2 11 / 2013

BOLETIM INFORMATIVO EDIÇÃO N 10 07 / 2014 BOLETIM INFORMATIVO EDIÇÃO N 2 11 / 2013 BOLETIM INFORMATIVO EDIÇÃO N 10 07 / 2014 BOLETIM INFORMATIVO EDIÇÃO N 2 11 / 2013 INFORMATIVO num Editorial - 10ª Edição Prezado leitor, Nesta edição do Informativo Mensal do Escritório Ribeiro da Luz

Leia mais

Internet. Professor: Francisco Silva

Internet. Professor: Francisco Silva Internet e Serviços Internet A Internet, ou apenas Net, é uma rede mundial de computadores ligados entre si através de linhas telefónicas comuns, linhas de comunicação privadas, satélites e outros serviços

Leia mais

DECISÃO DO PAINEL ADMINISTRATIVO Citrix Systems, Inc. v. WebSIAlive Soluções, Tecnologia e Serviços Ltda. Caso No. DBR2013-0004

DECISÃO DO PAINEL ADMINISTRATIVO Citrix Systems, Inc. v. WebSIAlive Soluções, Tecnologia e Serviços Ltda. Caso No. DBR2013-0004 ARBITRATION AND MEDIATION CENTER DECISÃO DO PAINEL ADMINISTRATIVO Citrix Systems, Inc. v. WebSIAlive Soluções, Tecnologia e Serviços Ltda. Caso No. DBR2013-0004 1. As Partes A Reclamante é Citrix Systems,

Leia mais

DECISÃO DO PAINEL ADMINISTRATIVO Lego System A/S v. Guilherme Tadeu Sacomori Caso No. DBR2014-0009

DECISÃO DO PAINEL ADMINISTRATIVO Lego System A/S v. Guilherme Tadeu Sacomori Caso No. DBR2014-0009 ARBITRATION AND MEDIATION CENTER DECISÃO DO PAINEL ADMINISTRATIVO Lego System A/S v. Guilherme Tadeu Sacomori Caso No. DBR2014-0009 1. As Partes A Reclamante é Lego System A/S, de Billund, Dinamarca, representada

Leia mais

ANDRÉ SANTOS ESTEVES X MEHANNA HAMAD MEHANNA PROCEDIMENTO N ND201315 DECISÃO HOMOLOGATÓRIA DE ACORDO I. RELATÓRIO

ANDRÉ SANTOS ESTEVES X MEHANNA HAMAD MEHANNA PROCEDIMENTO N ND201315 DECISÃO HOMOLOGATÓRIA DE ACORDO I. RELATÓRIO CÂMARA DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS RELATIVAS A NOMES DE DOMÍNIO (CASD-ND) CENTRO DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS, MEDIAÇÃO E ARBITRAGEM EM PROPRIEDADE INTELECTUAL (CSD-PI) DA ABPI ANDRÉ SANTOS ESTEVES X MEHANNA HAMAD

Leia mais

CÂMARA DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS RELATIVAS A NOMES DE DOMÍNIO (CASD-ND) CENTRO DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS EM PROPRIEDADE INTELECTUAL (CSD-PI) DA ABPI

CÂMARA DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS RELATIVAS A NOMES DE DOMÍNIO (CASD-ND) CENTRO DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS EM PROPRIEDADE INTELECTUAL (CSD-PI) DA ABPI CÂMARA DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS RELATIVAS A NOMES DE DOMÍNIO (CASD-ND) CENTRO DE SOLUÇÃO DE DISPUTAS EM PROPRIEDADE INTELECTUAL (CSD-PI) DA ABPI ITATIAIA MÓVEIS X OLIVER FLORIAN HOGER PROCEDIMENTO N ND201335

Leia mais

DECISÃO DO PAINEL ADMINISTRATIVO Petróleo Brasileiro S.A. - Petrobras v. Pricio Ricardo Pedrozo dos Santos Caso No. DBR2014-0004

DECISÃO DO PAINEL ADMINISTRATIVO Petróleo Brasileiro S.A. - Petrobras v. Pricio Ricardo Pedrozo dos Santos Caso No. DBR2014-0004 ARBITRATION AND MEDIATION CENTER DECISÃO DO PAINEL ADMINISTRATIVO Petróleo Brasileiro S.A. - Petrobras v. Pricio Ricardo Pedrozo dos Santos Caso No. DBR2014-0004 1. As Partes A Reclamante é Petróleo Brasileiro

Leia mais

REGISTRO ELETRÔNICO. BASE LEGAL O Registro Eletrônico no Brasil foi introduzido pela Lei 11.977, de 7 de julho de 2009.

REGISTRO ELETRÔNICO. BASE LEGAL O Registro Eletrônico no Brasil foi introduzido pela Lei 11.977, de 7 de julho de 2009. REGISTRO ELETRÔNICO Trabalho apresentado no XXVII Encontro do Comitê Latino Americano de Consulta Registral BASE LEGAL O Registro Eletrônico no Brasil foi introduzido pela Lei 11.977, de 7 de julho de

Leia mais

A Evolução da Governação da Internet

A Evolução da Governação da Internet A Evolução da Governação da Internet o Primórdios da Governação da Internet (1970s 1994): A Internet nasce nos finais dos anos 60 como um projecto do Governo Americano com o patrocínio da Defense Advanced

Leia mais

DECISÃO DO PAINEL ADMINISTRATIVO Comuto v. IBT Comércio de Produtos Óticos e Correlatos Ltda. Caso No. DBR2014-0006

DECISÃO DO PAINEL ADMINISTRATIVO Comuto v. IBT Comércio de Produtos Óticos e Correlatos Ltda. Caso No. DBR2014-0006 ARBITRATION AND MEDIATION CENTER DECISÃO DO PAINEL ADMINISTRATIVO Comuto v. IBT Comércio de Produtos Óticos e Correlatos Ltda. Caso No. DBR2014-0006 1. As Partes A Reclamante é Comuto, de Paris, França,

Leia mais