UNIVERSIDADE VALE DO RIO DOCE FACULDADES DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE VALE DO RIO DOCE FACULDADES DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE VALE DO RIO DOCE FACULDADES DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Carolina Franco Soares Gabriele Coelho Cunha Frederico Teixeira Franco da Silveira Thailisson Cássio B. de Oliveira FERRAMENTA PARA SUPORTE À TOMADA DE DECISÃO: ESTUDO DE CASO DA EMPRESA ALL BIKE Governador Valadares 2009

2 CAROLINA FRANCO SOARES GABRIELE COELHO CUNHA FREDERICO TEIXEIRA FRANCO DA SILVEIRA THAILISSON CÁSSIO B. DE OLIVEIRA FERRAMENTA PARA SUPORTE À TOMADA DE DECISÃO: ESTUDO DE CASO DA EMPRESA ALL BIKE Trabalho de Conclusão de Curso para obtenção do grau de bacharel em Ciência da Computação, apresentada à Faculdade de Ciências Tecnológicas da Universidade Vale do Rio Doce. Orientador: Samuel de Souza Leite Júnior Governador Valadares 2009 ii

3 CAROLINA FRANCO SOARES GABRIELE COELHO CUNHA FREDERICO TEIXEIRA FRANCO DA SILVEIRA THAILISSON CÁSSIO B. DE OLIVEIRA FERRAMENTA PARA SUPORTE À TOMADA DE DECISÃO: ESTUDO DE CASO DA EMPRESA ALL BIKE Trabalho de Conclusão de Curso apresentado como requisito para obtenção do grau de bacharel em Ciência da Computação pela Faculdade de Ciências Tecnológicas da Universidade Vale do Rio Doce. Governador Valadares, 10 de novembro de Banca Examinadora: Prof. Samuel de Souza Leite Júnior Orientador Universidade Vale do Rio Doce Especialista (MBA) em Gestão de Projetos Prof. Geraldo Dias de Araújo Filho Universidade Vale do Rio Doce Pós-graduado Lato Sensu em Desenvolvimento de Sistemas de Informação para Web Prof. Anderson Cordeiro Cardoso Universidade Vale do Rio Doce Especialista em Engenharia de Software iii

4 RESUMO Hoje em dia, com a crescente evolução da tecnologia, novos sistemas estão sendo desenvolvidos com o intuito de melhorar a organização de indústrias, fábricas, prestadoras de serviços, bancos e comércios em geral, como por exemplo, controle de produção, gerenciamento de vendas, controle financeiro, etc. Em um cenário em que a globalização se torna mais evidente e a concorrência é extremamente grande, estes sistemas são essenciais na vida de uma empresa que queira crescer e sobreviver nesta realidade, pois agilizam o processo de tomada de decisões, melhoram a forma de administrar, permitem descobrir informações e observar como elas podem causar uma mudança na sua estrutura organizacional. A tecnologia.net Framework, é uma plataforma de desenvolvimento que permite a criação de diversos tipos de aplicativos e a implementação destes, independente de fatores como sistema operacional, linguagem de programação e dispositivos ou máquinas. Baseado no estudo do caso de uma fábrica de peças de bicicletas, propõe-se neste trabalho o desenvolvimento de uma ferramenta, utilizando a plataforma.net Framework, que atenda as necessidades do caso, facilite o processo decisório e melhore o gerenciamento dos processos que ocorrem nesta fábrica. Palavras-chave: Tomada de decisão..net framework. Sistemas de informação. iv

5 ABSTRACT Nowadays, with the increasing development of technology, new systems are being developed in order to improve the organization of industries, factories, service providers, banks and shops in general, such as production control, sales management, financial control, etc. In a scenario where globalization becomes more evident and the competition is extremely large, these systems are essential in the life of a company that wants to grow and survive in this reality, it speeds up the process of decision making, improve the way we administer, allow to discover information and see how they can cause a change in its organizational structure. The technology. NET Framework is a development platform that enables the creation of various types of applications and implementation of these, independent factors such as operating system, programming language and devices or machines. Based on case study of a factory of bicycle parts, it is proposed in this paper the development of a tool, using the platform. NET Framework, that meets the needs of the case, facilitates decision-making process and improve the management of the processes occurring in this factory. Key-words: Decision making..net Framework. Information systems. v

6 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO VISÃO GERAL OBJETIVO JUSTIFICATIVA MOTIVAÇÃO 2 2 REVISÃO DA LITERATURA TOMADA DE DECISÃO SISTEMAS DE INFORMAÇÕES SISTEMA DE PROCESSAMENTO DE TRANSAÇÕES SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL SISTEMA DE AUTOMAÇÃO DE ESCRITÓRIO SISTEMA DE APOIO À DECISÃO SISTEMA DE INFORMAÇÃO PARA EXECUTIVOS SISTEMA DE GESTÃO DO CONHECIMENTO 8 3 DESCRIÇÃO DO CASO ABORDADO 10 4 MATERIAIS E FERRAMENTAS NET FRAMEWORK LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C# SQL SERVER COMPACT VISUAL STUDIO JUDE 18 5 METODOLOGIA 19 6 RESULTADOS E DISCUSSÕES 22 7 CONCLUSÃO 26 REFERÊNCIAS 27 APÊNDICES 31 APÊNDICE A TELAS DO PROGRAMA SUPORTE E GERENCIAMENTO 32 ANEXOS 46 ANEXO A TELAS DO PROGRAMA CONTROLE GERAL 47 vi

7 1 INTRODUÇÃO 1.1 VISÃO GERAL Tomar decisões é um mecanismo natural e necessário. Possibilita a resolução de problemas e deliberação de soluções. É um ato que está presente em todo lugar e a todo momento, como por exemplo decidir em que rua virar, que roupa vestir, o que comer, entre outras. Sendo que todas as decisões tomadas acarretam conseqüências que podem ser boas ou ruins, ou seja, tomar decisões nada mais é, do que fazer um julgamento, uma escolha entre duas ou mais opções. Assumindo as responsabilidades que esta acarreta. Com a era da modernidade, percebe-se que o cotidiano das pessoas encontra-se em um ritmo cada vez mais acelerado. Precisa-se cada vez mais prezar o tempo e decisões certas ou erradas são fatores de extrema importância, que implicam em conseqüências satisfatórias ou indesejáveis. Em conseqüência da globalização, nota-se também, uma alteração significativa na rotina das empresas. Hoje, tem-se como foco, produzir sempre mais em menos tempo. Logo, tomar decisões certas poderá produzir lucros, aumentando o rendimento da empresa e beneficiando todos os colaboradores desta. Com intuito de agilizar esse processo, uma alternativa, é o sistema de suporte à tomada de decisões, que pode atuar na empresa de forma a facilitar a organização de dados obtidos através do banco de dados e a partir daí permitir uma análise que obtenha respostas mais certas, indicando qual o provável procedimento a ser seguido. 1.2 OBJETIVO 1

8 Este trabalho tem como objetivo utilizar o princípio administrativo de tomada de decisão para desenvolver um software que auxilie no processo de análise das informações armazenadas em seu banco de dados facilitando o processo de tomada de decisões da empresa. 1.3 JUSTIFICATIVA O sistema proposto neste trabalho poderá contribuir para um melhor controle na parte administrativa da empresa parceira ao desenvolvimento do mesmo, All Bike, e justifica-se por ser capaz de prover um melhor aproveitamento no tempo de funcionamento da fábrica, oferecendo informações precisas para análises bem fundamentadas, de forma a colaborar para um melhor desempenho da empresa em suas atividades. 1.4 MOTIVAÇÃO Tem-se como motivação do trabalho, a união das áreas de administração e computação, visando a integração de conceitos interdisciplinares, bem como a contribuição no melhoramento da estrutura computacional da empresa, levando a mesma, mais facilidade na visualização das informações armazenadas através dos relatórios que poderão ajudar inclusive no estudo de tendências de vendas e compras. 2

9 2 REVISÃO DA LITERATURA 2.1 TOMADA DE DECISÃO Segundo o FERREIRA(1988), o significado da palavra decisão é: 1. Ato ou efeito de decidir-se; resolução, determinação, deliberação. 2. Desembaraço, disposição; coragem. 3. Capacidade de decidir; de tomar decisões. e do verbo decidir é: 1. Determinar, assentar, resolver, deliberar. 2. Dar solução a; resolver, solucionar, desatar. 3. Dar decisão a; julgar, sentenciar. 4. Fazer tomar decisão ou resolução. 5. Ser a causa decisiva de. 6. Convencer, persuadir, induzir. 7. Dar decisão, resolver, dispor, deliberar. 8. Emitir juízo; opinar. 9. Tomar decisão ou decisões; resolver, deliberar. 10. Resolver-se, determinar-se. 11. Propender, inclinar-se. 12. Dar preferência. Para GIRÃO(2000), decidir é resolver, deliberar, emitir juízo, fazer escolha. Fazendo uma análise destas duas definições, percebe-se que no ambiente empresarial, decisão é julgamento, escolha, deliberação, resolução. No processo de tomada de decisão, encontra-se 4 tipos de decisão importantes no processo administrativo: Decisão estratégica: decisão que diz respeito à organização ou estrutura geral de uma empresa. Decisão tática: decisão que se toma sobre fatos ou contratempos que surgem, não necessitando de análise ou estudo antes de serem tomadas. Decisão programada: é uma decisão que ocorre com freqüência, possuindo critérios sistemáticos e pré-estabelecidos. Necessita apenas de ser fundamentada em uma base de dados correlativa à decisão a ser tomada. Exemplo: admissão de pessoal e compra de matéria-prima. Decisão não programada: é uma decisão que se toma sobre fatos novos, de natureza não repetitiva e anti-rotineira, necessitando de uma análise ou estudo antes de ser tomada. Exemplo: onde construir uma filial e quem deve ser promovido à vaga de um cargo mais elevado. 3

10 O processo decisório é caracterizado por 3 verbos fundamentais: pensar, julgar e agir. A implementação deste processo na rotina administrativa segue os seguintes passos: Reconhecer um problema ou uma oportunidade. Elaborar alternativas de ação. Avaliar as alternativas. Escolher e implementar a alternativa selecionada. Avaliar os resultados da decisão. Figura 1: Modelo de tomada de decisão 1. Reconhecer um problema ou oportunidade: definição e compreensão do problema ou da oportunidade que está surgindo. 2. Elaborar alternativas de ação: criação de opções que possam solucionar o problema ou atender à oportunidade. 3. Avaliar as alternativas: verificação das conseqüências e dos resultados que surgirão em cada opção criada. 4

11 4. Escolher e implementar a alternativa selecionada: aplicação e execução da opção escolhida. 5. Avaliar os resultados da decisão: gerenciamento dos resultados e das conseqüências geradas pela opção escolhida. 2.2 SISTEMAS DE INFORMAÇÕES Sistema refere-se ao agrupamento de diversos elementos com certos atributos e funções inter-relacionados que formam um só corpo e trabalham focados em uma meta comum, recebendo os elementos, processando-os e produzindo resultados. Pode-se encontrar a utilização de sistema em diversas áreas como o sistema solar, sistema nervoso do corpo humano e sistema de informação. Informação por sua vez, diz respeito ao resultado do processamento e organização de fatos ou observações que isoladamente não possuem significação distinta, conhecidos como dados. O BRIEN(2004) define informação como dados que foram convertidos em um contexto significativo e útil para usuários finais específicos. Informação portanto, é a transformação dos dados de forma a cooperar para prover o resultado final. O diferencial da informação sobre o dado está ligado ao conhecimento que ela proporciona ao tomar decisões. Segundo O BRIEN(2004) Sistema de Informação é um conjunto organizado de pessoas, hardware, software, redes de comunicações e recursos de dados que coleta, transforma e dissemina informações em uma organização. É um sistema que recebe recursos (dados) como entrada e os processa em produtos (informações) como saída SISTEMA DE PROCESSAMENTO DE TRANSAÇÕES O Sistema de Processamento de Transações (SPT) atua nas tarefas mais rotineiras da empresa como o fechamento de um pedido com o cliente, a baixa de uma quantidade de 5

12 estoque de uma matéria-prima, controle de folha de pagamento. AUDY(2007) no campo de sistemas de informação, define uma transação como sendo uma troca de informações que ocorre quando duas partes estão envolvidas em alguma atividade. Em um sistema de processamento de transações a troca de informações dá-se através da coleta dos dados que são em seguida manipulados ou processados, armazenados pelo sistema tomando forma de banco de dados e distribuídos gerando resultados em documentos, como exemplo tem-se faturas e duplicatas SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL Pode-se entender por Sistema de Informação Gerencial (SIG), como o processo de transformação dos dados em informações, de forma que estas sejam utilizadas em um processo de tomada de decisão da organização. De certa forma, o sistema de informação gerencial sempre existiu, mesmo não sendo assim reconhecido. Antes da chegada dos computadores, os sistemas de informação gerencial eram informais, após a chegada destes, tal sistema tornou-se um capo de estudo. STAIR(2002) afirma que O propósito básico de um SIG é ajudar a empresa a alcançar suas metas, fornecendo a seus gerentes detalhes sobre as operações regulares da organização, de forma que possam controlar, organizar e planejar com mais efetividade e com maior eficiência. Para AUDY(2007), Sistemas de informação gerencial são os sistemas de informação que sintetizam, registram e relatam a situação em que se encontram as operações da organização. Esses sistemas atendem em grande parte os gerentes de nível tático da organização na forma de relatórios que apresentam indicadores sobre desempenho de uma determinada área. Segundo AUDY(2007), pode-se descrever os sistemas de informação gerencial ao se considerar as funções de um sistema de informação: coleta, processamento, distribuição e feedback. 6

13 2.2.3 SISTEMA DE AUTOMAÇÃO DE ESCRITÓRIO Os sistemas de automação de escritório são as tecnologias de informação que visam aumentar a produtividade das informações manipuladas pelos trabalhadores em escritórios. Esses sistemas trabalham de forma a auxiliar no processo de documentação utilizando ferramentas para tornar o trabalho mais eficiente. Como citado por BATISTA (2006), podemos utilizar como exemplos de sistema de automação de escritório pacotes de aplicativos como o Office, da Microsoft; o StarOffice, da Sun Microsystem; e o Corel Suite, da Corel SISTEMA DE APOIO À DECISÃO Segundo AUDY(2007), sistema de apoio à decisão (SAD) São os sistemas de informação que auxiliam os gerentes de uma organização a tomar decisões semi-estruturadas, com base em dados obtidos dos sistemas de informação gerencial, dos sistemas de processamento de transações e de fontes externas. Decisões semi-estruturadas exigem análise e julgamento dos fatos. Sistemas de apoio a decisão fornecem informações, dados e técnicas a fim de dar apoio à atividade de tomada de decisão. O processo se desenvolve com o tomador da decisão, que por sua vez, deverá controlar o sistema de acordo com suas necessidades SISTEMA DE INFORMAÇÃO PARA EXECUTIVOS AUDY(2007) afirma: Os sistemas de informação executiva (SIE) são os sistemas de informação que auxiliam os executivos de nível estratégico da organização a tomar decisões não-estruturadas, a partir da disponibilização de um ambiente computacional e de comunicação que permita fácil acesso a dados internos e 7

14 externos da organização. A partir da disponibilização desses dados, o sistema propicia ao executivo uma visão tanto da situação atual quanto das tendências na área de negócio da organização. De acordo com AUDY(2007), pode-se entender decisões não-estruturadas como aquelas em que não há um bom nível de compreensão da situação ou não há concordância a respeito do procedimento a ser adotado. Dessa forma, sistemas de informação executiva dão suporte ao desenvolvimento de um planejamento estratégico da empresa, ajudando a definir objetivos a serem estabelecidos fornecendo ferramentas que permitam aos executivos compreender melhor as situações de negócio, identificando problemas e oportunidades, planejar e acompanhar ações. BATISTA(2006) afirma que sistemas de informação para executivos tem foco na alta administração, não possuem intermediação técnica, solicitam grande quantidade de dados externos, podendo conter dados estruturados e não-estruturados SISTEMA DE GESTÃO DO CONHECIMENTO De acordo com FERREIRA(1988), gestão pode ser visto como 1. Ato de gerir; gerência, administração. 2. Gestão de negócios, diz-se quando uma pessoa administra os negócios de outra, por eles se responsabilizando solidariamente, mas sem autorização legal. Tendo em vista que a informação é de extrema importância na administração de uma empresa, a gestão do conhecimento tornou-se um dos maiores usos estratégicos da tecnologia da informação. Segundo O BRIEN(2004), o objetivo dos sistemas de gestão do conhecimento é ajudar os trabalhadores do conhecimento a criarem, organizarem e disponibilizarem conhecimento importante dos negócios, sempre e onde ele for necessário em uma organização. O BRIEN(2004) ainda afirma que os sistemas de gestão do conhecimento são criados para fornecer um feedback rápido aos trabalhadores do conhecimento, encorajando alterações de comportamento dos funcionários e melhorando expressivamente o desempenho da empresa. Tais sistemas facilitam a aprendizagem organizacional e a criação do conhecimento, 8

15 ajudando a empresa a tornar-se inovadora e mais ágil ao fornecer produtos e serviços de alta qualidade. 9

16 3 DESCRIÇÃO DO CASO ABORDADO Neste trabalho, foi abordado o caso da empresa All Bike, localizada na cidade de Governador Valadares, no estado de Minas Gerais. Trata-se de uma fábrica de peças de bicicletas, mais especificamente guidons, canotes e conjuntos de travessas, com vendas em todo o território nacional. Nesta empresa, a maioria dos registros são feitos manualmente. Para este trabalho, foram abordados os processos de vendas e de compra de insumos e matéria-prima. As vendas podem ser feitas de 2 maneiras: o representante da empresa entra em contato com o cliente ou o cliente entra em contato com o representante. Quando o representante entra o contato com o cliente, o processo de venda ocorre de acordo com o diagrama apresentado na figura 2: 10

17 Figura 2: Diagrama de atividades do processo de vendas pelo representante No caso do cliente entrar em contato com o representante, a venda acontece de acordo com o diagrama apresentado na figura 3: 11

18 Figura 3: Diagrama de vendas do processo de vendas pelo cliente As vendas são registradas através de um programa, denominado Controle Geral. Este programa se encontra na 1ª versão, e para armazenar os registros das vendas, ele utiliza o sistema de banco de dados Paradox. 12

19 Figura 4: Tela principal do programa Controle Geral A cada venda feita, gera-se saída de nota fiscal, de estoque da matéria-prima (alumínio), e dos insumos utilizados na sua fabricação. Entretanto, o programa Controle Geral não gerencia o estoque de alumínio e de insumos. O processo de compras de insumos e alumínio (matéria-prima utilizada para fabricação das peças de bicicletas) ocorre assim: 13

20 Figura 5: Diagrama de atividades do processo de compras A cada compra de insumo ou de alumínio é gerado um registro de entrada. No caso do alumínio, registra-se no Livro de Produção e Estoque da empresa. As entradas e saídas de insumos e estoque não são gerenciadas pela firma, apesar do estoque ser registrado no livro citado anteriormente. O parque tecnológico da empresa é composto somente por 1 computador e 1 impressora, de acordo com as especificações abaixo: Impressora HP Deskjet 692C Sistema Operacional Windows XP SP3 Processador AMD Athlon(tm) XP 1,25 GHz Memória RAM 224MB Monitor Plug an Play 14

21 Placa de rede VIA PCI 10/100Mb Fast Ethernet Adapter Placa de vídeo S3 Pro savage DDR Unidade de disquete Unidade de CD-RW HD de 12,1 Gb 4 entradas USB Entrada para mouse/teclado PS/2 Monitor Samsung SyncMaster 793v 15

22 4 MATERIAIS E FERRAMENTAS Para desenvolver o sistema proposto neste trabalho, foram utilizados os seguintes materiais e ferramentas: 4.1.NET FRAMEWORK Segundo BURÉGIO(2003) citado por VENTURI(2005), a plataforma.net pode ser definida basicamente como um modelo de desenvolvimento, criado pela Microsoft, que visa a implementação de software independente de linguagem, plataforma e dispositivo. Um dos principais objetivos desse modelo é permitir a integração entre aplicações através da troca de informações pela internet. O.NET Framework diz respeito à uma parte da plataforma.net, é a tecnologia central para construção e execução de aplicações, pois, é responsável por gerenciar códigos que são executados na plataforma.net. O.NET Framework é constituído principalmente por dois elementos, Common Language Runtime (CLR) e a Biblioteca de Classes do.net Framework. Esta se refere a uma rica coleção orientada a objeto, um grande conjunto de classes que provê várias ferramentas para o desenvolvimento. Podendo ser usada para desenvolver aplicativos por interface gráfica ou mesmo por linha de comando. E o elemento Common Language Runtime é uma ferramenta considerada como núcleo do.net Framework. Tem a função de compilar o código fonte de uma das linguagens em que o.net suporta em um mesmo código conhecido como código intermediário (MSIL, Microsoft Intermediate Lenguaje). 4.2 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C# 16

23 A linguagem de programação C# é uma linguagem orientada a objetos criada pela Microsoft, mais especificamente pelo Distinguished Engineer Anders Hejlsberg. É uma evolução das linguagens C, C++ e Java, possui boa performance e permite que os desenvolvedores das referidas linguagens possam se adaptar de maneira mais fácil ao C#. Segundo as afirmações de ROBINSON(2004), C# foi projetado especificamente para ser usado com o.net Framework, e todo código escrito nesta linguagem executará dentro deste framework. ROBINSON(2004) também ressalta que O C# é uma linguagem independente e embora tenha sido projetada para criar códigos cujo alvo é o ambiente.net, ela, em si, não faz parte do.net. Existem alguns recursos que são suportados pelo.net, mas não pelo C# e também existem recursos no C# que não são suportados pelo.net, como exemplo tem-se a sobrecarga de operadores. Tem como principais vantagens: Descomplicação para criação de componentes Criação de softwares robustos e confiáveis Maior manipulação de banco de dados Execução em qualquer sistema operacional e browser 4.3 SQL SERVER COMPACT SQL Server (Structured Query Language) foi criado inicialmente pela IBM e posteriormente desenvolvido pela Microsoft. É uma linguagem estruturada para manipulação de dados formada basicamente pela SQL DDL (Linguagem de Definição de Dados), que fornece comandos para remover tabelas, criar índices, definir e modificar esquemas de tabelas e definir restrições de integridade, e pela SQL DML (Linguagem de Manipulação de Dados), que fornece comandos para remover, consultar, modificar e inserir dados no banco de dados. Microsoft SQL Server Compact trata-se de sistema gerenciador de banco de dados embedded, ou seja, um sistema que roda no contexto da aplicação, não requerendo a 17

24 instalação de um servidor. Para tal são eliminados alguns recursos do SQL Server como por exemplo rodar stored procedures. Para o presente trabalho, optou-se pelo uso do SQL Server Compact por atender as necessidades do sistema. SQL Server Compact Edition ocupa cerca de 1,5 MB no disco rígido e consome cerca de 5 MB de memória RAM. É um banco de dados livre para se usar e livre para distribuir com toda aplicação. 4.4 VISUAL STUDIO O Visual Studio é uma ferramenta de programação, com interface gráfica, para desenvolvimento de software, criada pela Microsoft. Atualmente se encontra na versão Para este trabalho, foi usada a versão Esta ferramenta é dedicada ao.net framework, e possui suporte às linguagens de programação C++, C#, Visual Basic(VB) e J#. Além dos aplicativos comuns, permite o desenvolvimento de aplicações para internet (web services e sites) e celular. 4.5 JUDE Jude trata-se de um software desenvolvido na plataforma Java para trabalhar com modelagem UML (Unified Modeling Language ou Linguagem Modelada Unificada), que diz respeito a uma linguagem padrão para a elaboração de estrutura de projetos se softwares, destinada a visualizar, especificar, construir e documentar o desenvolvimento do projeto, facilitando a comunicação sem que haja ambigüidade. 18

25 5 METODOLOGIA Para desenvolver a ferramenta proposta neste trabalho, primeiramente foi feito um levantamento dos processos que geram registros importantes para a tomada de decisão referente ao controle de produção da empresa All Bike, os quais são: Vendas Compra de insumos e matéria-prima (utilizados na fabricação dos produtos) Após a análise destes processos (detalhados no capítulo 3), foi verificado as funções necessárias para o controle destes: Figura 6: Diagrama de caso de uso das funções de controle Baseado nesta verificação, desenvolveu-se o modelo lógico do banco de dados necessário para armazenar os dados gerados por estas funções: 19

26 Figura 7: Banco de dados parte 1 Figura 8: Banco de dados parte 2 Em seguida, observando-se o modelo de banco de dados acima, foi feita a prototipação da ferramenta, que se encontra no apêndice A. Para a tomada de decisão da empresa, criou-se uma interface para emissão de relatórios, que trabalhasse de forma simples e dinâmica, permitindo a combinação de dados e extração do que se deseja descobrir. 20

27 Figura 9: Tela de emissão de relatórios Esta tela é composta por 2 campos: registros, que apresenta os dados manipulados pelo programa; e solicitação, que apresenta as informações ou extrações que podem ser feitas a partir da seleção feita no campo anterior. 21

28 6 RESULTADOS E DISCUSSÕES O modo de emissão de relatórios do sistema permite uma exploração dos dados que são manipulados pelo sistema, proporcionando através de uma interface fácil de ser manipulada, a exploração e descoberta de informações e fatos dificilmente enxergáveis a olho nu. Considerando o banco de dados criado para este software, as possibilidades de combinação ou arranjos dos dados são diversas, levando a um número elevado de combinações possíveis. Através destas combinações, pode-se obter como resultado relatórios gerenciais e/ou administrativos focados numa possível descoberta ou finalidade, e também relatórios abrangentes, que permitem observar informações antes não percebidas e como estas estão afetando a rotina da empresa. Por exemplo: Clientes x Cores: permite a extração das cores dos produtos vendidos por região, já que a coloração dos produtos é feita por insumos; e também das cores preferidas dos clientes. Top cores por estado Estado Classificação Cor AM 1º Preto AM 2º Violeta MG 1º Violeta MG 2º Vermelho RJ 1º Azul RJ 2º Violeta SP 1º Preto Tabela 1: relatório de classificação de cores por região 22

29 Top cores por cliente Cliente Classificação Cor Cliente 1 1º Vermelho Cliente 1 2º Violeta Cliente 2 1º Preto Cliente 3 1º Azul Cliente 3 2º Violeta Cliente 4 1º Preto Cliente 4 2º Violeta Tabela 2: relatório de classificação de cores por cliente Clientes x Produtos: permite a extração dos produtos mais vendidos por região, uma vez que para produzi-los gasta-se insumos e matéria-prima; e também dos produtos preferidos dos clientes. Top produtos por estado Estado Classificação Produto AM 1º 100 AM 2º 800 MG 1º 100 MG 2º 600 RJ 1º 600 RJ 2º 1300 SP 1º 700 SP 2º 800 Tabela 3: relatório de classificação de produtos por região Top produtos por cliente Cliente Classificação Produto Cliente 1 1º 100 Cliente 1 2º 600 Cliente 2 1º 700 Cliente 2 2º 800 Cliente 3 1º 600 Cliente 3 2º 1300 Cliente 4 1º 100 Cliente 4 2º 800 Tabela 4: relatório de classificação de produtos por cliente 23

30 Clientes x Representantes: permite a extração dos clientes ou da quantidade que cada representante tem. Quantidade de clientes por representante Representante Quantidade Representante 1 1 Representante 2 1 Representante 3 1 Representante 4 1 Tabela 5: relatório de quantidade de clientes por representante Relação de clientes por representante Representante Cliente Representante 1 Cliente 3 Representante 2 Cliente 1 Representante 3 Cliente 2 Representante 4 Cliente 4 Tabela 6: relatório de clientes atendidos por representante Representantes x Produtos: permite a extração dos produtos vendidos pelos representantes. Top produtos por representante Representante Classificação Produto Representante 1 1º 600 Representante 1 2º 1300 Representante 2 1º 100 Representante 2 2º 600 Representante 3 1º 700 Representante 3 2º 800 Representante 4 1º 100 Representante 4 2º 800 Tabela 7: relatório de classificação dos produtos vendidos por representante Insumos x Matéria-prima: permite a extração da relação da quantidade de insumos gastos por quilo de matéria-prima. 24

31 Relação de insumos por kg matéria-prima Insumo Relação Unidade Insumo 1 0,01 Par/Kg Insumo 2 0,1 Unidade/Kg Insumo 3 0,01 Unidade/Kg Insumo 4 10 Grama/Kg Tabela 8: relatório de relação de insumos por kg de matéria-prima Clientes x Cores x Produtos: extração das cores vendidas por produto e por região. Top cores por produto e estado Estado Produto Classificação Cor AM 100 1º Violeta AM 100 2º Preto AM 800 1º Preto MG 100 1º Vermelho MG 600 1º Violeta RJ º Azul RJ 600 1º Azul RJ 600 2º Violeta SP 700 1º Preto SP 800 1º Preto Tabela 9: relatório de classificação de cores por estado e produto 25

32 7 CONCLUSÃO Tendo como base o estudo feito neste trabalho, foi visto a importância dos sistemas de informação e do uso da tecnologia nos empreendimentos comerciais, uma vez que os benefícios trazidos em sua estrutura são, dentre vários: Visão administrativa mais ampla Melhor gerenciamento e controle dos processos que ocorrem dentro do empreendimento Registros mais consistentes Maior veracidade das informações A junção dos princípios de tomada de decisão e sistemas tecnológicos proporciona um ambiente mais produtivo e organizado, e favorece o desenvolvimento e crescimento de uma empresa, pois esta contribui para o melhor aproveitamento do tempo através da agilização que a tecnologia traz sobre os processos de uma empresa. 26

33 REFERÊNCIAS AUDY, Jorge Luís Nicolas; ANDRADE, Gilberto Keller de; CIDRAL, Alexandre. Fundamentos de Sistemas de Informação. Porto Alegre: Bookman, BATISTA, Emerson de Oliveira. Sistema de informação: o uso consciente da tecnologia para o gerenciamento. São Paulo: Saraiva, FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Dicionário Aurélio Básico da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, GIRÃO, Isabel Cristina Carpi; FILHO, Mauro Arruda Villas Boas; JÚNIOR, Annor da Silva. Teoria da decisão: difícil decidir. Scientia: Revista do Centro Universitário Vila Velha, Vila Velha, V. 1, nº 1, Disponível em <http://www.uvv.br/cursos/publicacoes_ep/2000- Teoria%20da%20decis%C3%A3o%20-%20Dif%C3%ADcil%20decidir.pdf>. Acesso em: 06/03/2009. GALUPPO, Fábio; MATHEUS, Vanclei; SANTOS, Wallace. Desenvolvendo com C#. Porto Alegre: Bookman, HADDAD, Renato Ibrahim. C#: aplicações e soluções. 2ª edição. São Paulo: Érica, LUZ, Miguel de Ângelo Antunes. Sistemas de informações: um estudo comparativo das características tradicionais às atuais. Governador Valadares: (Apostila da disciplina Administração de Sistemas de Informação, Curso de Administração, Faculdade de Administração de Governador Valadares). 27

34 MEGGINSON, Leon C.; Mosley, Donald C.; Jr., Paul H. Pietri. Administração conceitos e aplicações. 4ª edição. São Paulo: Harbra, MORITZ, Gilberto de Oliveira; PEREIRA, Maurício Fernandes. Processo decisório. Florianópolis: SEAD/UFSC, Disponível em <http://www.ufpi.br/uapi/conteudo/disciplinas/pro_dec/download/processo_decisorio_final_ 18_12_06.pdf>. Acesso em: 06/03/2009. O BRIEN, James A. Sistemas de informação e as decisões gerenciais na era da internet. 2ª edição. São Paulo: Saraiva, OLIVEIRA, Maria Aparecida Pouzas de. Apostila de teorias das organizações. Governador Valadares: (Apostila da disciplina Teoria das Organizações, Curso de Administração, Faculdade de Administração de Governador Valadares). ROBINSON, Simon. et al. Professional c# programando. São Paulo: Pearson Education, SILVA, Wesley Costa. Microsoft visual c#. Governador Valadares: [2005?]. (Apostila da disciplina Programação III, Curso Técnico em Informática, Escola Técnica da UNIVALE). STAIR, Ralph M.; REYNOLDS, George W. Princípios de sistemas de informação: uma abordagem gerencial. 4ª edição. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos, VENTURI, Eli. Protótipo de um sistema para controle e monitoração residencial através de dispositivos móveis utilizando a plataforma.net. Blumenau: FURB, Monografia, Curso de Graduação em Ciência da Computação. Disponível em 28

35 <http://www.inf.furb.br/~pericas/orientacoes/ctrlresidencial2005.pdf>. Acesso em 02/11/2009. <http://www.tecnologiacursos.com.br/tecnologia/principal/conteudo.asp?id=6137> Acesso em 27/09/2009. <http://moscasmortas.wordpress.com/category/informatica/visual-studio/> Acesso em 30/09/2009. <http://en.wikipedia.org/wiki/microsoft_visual_studio#visual_studio_97> Acesso em 30/09/2009. <http://www.insidesqlserver.com/companion/history%20of%20sql%20server.pdf> Acesso em 20/10/2009. <http://www.unioeste.br/campi/cascavel/ccsa/viseminario/artigos%20apresentados%20em% 20Comunicações/ART%203%20_%20A%20importância%20do%20sistema%20de%20infor mação%20gerencial%20para%20tomada%20de%20decisões.pdf> Acesso em 26/10/2009. <http://campeche.inf.furb.br/tccs/2001-ii/2001-2jeancarlosselzervf.pdf> Acesso em 27/10/2009. <http://chaves.com.br/textself/comput/sad.htm> Acesso em 27/10/2009 <http://www.unesp.br/gs/treinamento/graduacao/cursouml-intro.pdf> Acesso em 28/10/2009. < Acesso em 02/11/2009. < Acesso em 02/11/

36 <http://www.mikeborozdin.com/post/introducing-microsoft-sql-server-compact-edition- (Part-I).aspx> Acesso em 15/11/

37 APÊNDICES 31

38 APÊNDICE A TELAS DO PROGRAMA SUPORTE E GERENCIAMENTO Figura 10: Tela principal do programa 32

39 Figura 11: Tela de cadastro de clientes 33

40 Figura 12: Tela de cadastro de representantes 34

41 Figura 13: Tela de cadastro de produtos 35

42 Figura 14: Tela de cadastro de cor 36

43 Figura 15: Tela de cadastro de transportadoras 37

44 Figura 16: Tela de cadastro de vendas parte 1 38

45 Figura 17: Tela de cadastro de vendas parte 2 Figura 18: Tela de emissão de nota fiscal 39

46 Figura 19: Tela de cadastro de fornecedores 40

47 Figura 20: Tela de cadastro de insumos 41

48 Figura 21: Tela de cadastro de compra de insumos Figura 22: Tela de registro de entrada de insumos 42

49 Figura 23: Tela de registro de saída de insumos Figura 24: Tela de cadastro de compra de matéria-prima 43

50 Figura 25: Tela de registro de entrada de matéria-prima Figura 26: Tela de emissão de relatórios 44

51 Figura 27: Tela sobre o programa 45

52 ANEXOS 46

53 ANEXO A TELAS DO PROGRAMA CONTROLE GERAL Figura 28: Tela inicial do programa 47

54 Figura 29: Tela de cadastro de clientes parte 1 48

55 Figura 30: Tela de cadastro de clientes parte 2 49

56 Figura 31: Tela de cadastro de peças 50

57 Figura 32: Tela de cadastro de representantes parte 1 51

58 Figura 33: Tela de cadastro de representantes parte 2 52

59 Figura 34: Tela cadastro de pedidos Figura 35: Tela de movimentação de peças parte 1 53

60 Figura 36: Tela de movimentação de peças parte 2 Figura 37: Tela emissão de pedidos por cliente 54

61 Figura 38: Tela de emissão de pedidos por icms Figura 39: Tela de emissão de pedidos por representante 55

62 Figura 40: Tela de relatório de vendas Figura 41: Tela de relatório geral de pedidos 56

Sistema de informação para controle de vendas em imobiliária

Sistema de informação para controle de vendas em imobiliária Sistema de informação para controle de vendas em imobiliária Acadêmico: Diego Vicentini Orientador: Prof. Paulo R. Dias FURB Universidade Regional de Blumenau Julho/2007 Roteiro da apresentação Introdução

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL 2015 Sabemos que as empresas atualmente utilizam uma variedade muito grande de sistemas de informação. Se você analisar qualquer empresa que conheça, constatará que existem

Leia mais

Lógica de Programação

Lógica de Programação Lógica de Programação Sistema de Informação Sistemas de Informação em Negócios e SIG Francisco Rodrigues Sistemas de Informação em Negócios Ajudam os funcionários na execução das tarefas, principalmente

Leia mais

FERRAMENTAS NECESSÁRIAS PARA O DESENVOLVIMENTO EM C#

FERRAMENTAS NECESSÁRIAS PARA O DESENVOLVIMENTO EM C# FERRAMENTAS NECESSÁRIAS PARA O DESENVOLVIMENTO EM C# Camila Sanches Navarro 1,2, Willian Magalhães 2 ¹Universidade paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil sanchesnavarro@gmail.com wmagalhaes@unipar.br

Leia mais

Módulo 4: Gerenciamento de Dados

Módulo 4: Gerenciamento de Dados Módulo 4: Gerenciamento de Dados 1 1. CONCEITOS Os dados são um recurso organizacional decisivo que precisa ser administrado como outros importantes ativos das empresas. A maioria das organizações não

Leia mais

Sistemas de Apoio a Decisão

Sistemas de Apoio a Decisão Universidade do Contestado Campus Concórdia Curso de Sistemas de Informação Prof.: Maico Petry Sistemas de Apoio a Decisão DISCIPLINA: Sistemas de Apoio a Decisão O QUE É UM SISTEMA DE APOIO À DECISÃO?

Leia mais

Tecnologias da Informação e da Comunicação Aula 01

Tecnologias da Informação e da Comunicação Aula 01 Tecnologias da Informação e da Comunicação Aula 01 Douglas Farias Cordeiro Universidade Federal de Goiás 31 de julho de 2015 Mini-currículo Professor do curso Gestão da Informação Professor do curso ESAMI

Leia mais

FERRAMENTAS PARA DESENVOLVIMENTO EM C#

FERRAMENTAS PARA DESENVOLVIMENTO EM C# FERRAMENTAS PARA DESENVOLVIMENTO EM C# Camila Sanches Navarro 1,2, Wyllian Fressatti 2 ¹Universidade paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil sanchesnavarro@gmail.com wyllian@unipar.br Resumo. Este artigo

Leia mais

Softwares de Sistemas e de Aplicação

Softwares de Sistemas e de Aplicação Fundamentos dos Sistemas de Informação Softwares de Sistemas e de Aplicação Profª. Esp. Milena Resende - milenaresende@fimes.edu.br Visão Geral de Software O que é um software? Qual a função do software?

Leia mais

Infracontrol versão 1.0

Infracontrol versão 1.0 Infracontrol versão 1.0 ¹Rafael Victória Chevarria ¹Tecnologia em Redes de Computadores - Faculdade de Tecnologia SENAC (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial) Rua Gonçalves Chaves 602-A Centro 96015-560

Leia mais

ASPECTOS DE SISTEMAS GERENCIAIS NO CONTEXTO EMPRESARIAL

ASPECTOS DE SISTEMAS GERENCIAIS NO CONTEXTO EMPRESARIAL ASPECTOS DE SISTEMAS GERENCIAIS NO CONTEXTO EMPRESARIAL ASPECTS OF MANAGEMENT SYSTEMS IN ENTERPRISE CONTEXT Gabriela Concolin Schimidt Centro Universitário Filadélfia UniFil Prof. Rodrigo Duarte Seabra

Leia mais

Sistemas e Sistemas de Informação

Sistemas e Sistemas de Informação Sistemas e Sistemas de Informação 1) Defina pensamento sistêmico. É pensar na empresa como um sistema. A empresa não é vista como um conjunto de partes independentes, buscando alcançar objetivos isolados,

Leia mais

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG)

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG) Sistema de Informação Gerencial (SIG) Material de Apoio Os Sistemas de Informação Gerencial (SIG) são sistemas ou processos que fornecem as informações necessárias para gerenciar com eficácia as organizações.

Leia mais

Fundamentos de Sistemas de Informações: Exercício 1

Fundamentos de Sistemas de Informações: Exercício 1 Fundamentos de Sistemas de Informações: Exercício 1 Fundação Getúlio Vargas Estudantes na Escola de Administração da FGV utilizam seu laboratório de informática, onde os microcomputadores estão em rede

Leia mais

FURB - Universidade Regional de Blumenau TCC - Trabalho de Conclusão de Curso Acadêmico: Fernando Antonio de Lima Orientador: Oscar Dalfovo

FURB - Universidade Regional de Blumenau TCC - Trabalho de Conclusão de Curso Acadêmico: Fernando Antonio de Lima Orientador: Oscar Dalfovo FURB - Universidade Regional de Blumenau TCC - Trabalho de Conclusão de Curso Acadêmico: Fernando Antonio de Lima Orientador: Oscar Dalfovo Roteiro Introdução Sistemas de Informação - SI Executive Information

Leia mais

ShoeSystem 1.0 Sistema para loja de calçados

ShoeSystem 1.0 Sistema para loja de calçados Artigo apresentado ao UNIS, como parte dos requisitos para obtenção do título de tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas 1 ShoeSystem 1.0 Sistema para loja de calçados André Luis dos Reis Revair,

Leia mais

Tecnologia da Informação e Comunicação. Douglas Farias Cordeiro

Tecnologia da Informação e Comunicação. Douglas Farias Cordeiro Tecnologia da Informação e Comunicação Douglas Farias Cordeiro Algumas coisas que vimos até aqui Qual a diferença entre as funções do analista e do projetista? Como funciona o ciclo de vida de um projeto

Leia mais

LEVANTAMENTO DE REQUISITOS SEGUNDO O MÉTODO VOLERE

LEVANTAMENTO DE REQUISITOS SEGUNDO O MÉTODO VOLERE LEVANTAMENTO DE REQUISITOS SEGUNDO O MÉTODO VOLERE RESUMO Fazer um bom levantamento e especificação de requisitos é algo primordial para quem trabalha com desenvolvimento de sistemas. Esse levantamento

Leia mais

Aula 03 Teoria Geral dos Sistemas: Dados x Informação x Conhecimento

Aula 03 Teoria Geral dos Sistemas: Dados x Informação x Conhecimento Curso de Sistemas de Informação Aula 03 Teoria Geral dos Sistemas: Dados x Informação x Conhecimento Professora: Germana Rolim Semestre 2010.2 Agenda 1. Sistemas de Informação 2. Conceitos de Dados, Informação

Leia mais

TÍTULO: IMPLEMENTAÇÃO DE UM SOFTWARE PARA GERENCIAMENTO DE ESTOQUE AUTOMÁTICO

TÍTULO: IMPLEMENTAÇÃO DE UM SOFTWARE PARA GERENCIAMENTO DE ESTOQUE AUTOMÁTICO Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: IMPLEMENTAÇÃO DE UM SOFTWARE PARA GERENCIAMENTO DE ESTOQUE AUTOMÁTICO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA:

Leia mais

Tecnologias e Sistemas de Informação

Tecnologias e Sistemas de Informação Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Administração Tecnologia e Sistemas de Informação - 02 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti

Leia mais

FACULDADE INTEGRADAS DE PARANAÍBA ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS. Bancos de Dados Conceitos Fundamentais

FACULDADE INTEGRADAS DE PARANAÍBA ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS. Bancos de Dados Conceitos Fundamentais FACULDADE INTEGRADAS DE PARANAÍBA ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS Bancos de Dados Conceitos Fundamentais Tópicos Conceitos Básicos Bancos de Dados Sistemas de Bancos de Dados Sistemas de Gerenciamento de Bancos

Leia mais

CONHECENDO E CONCEITUANDO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CONHECENDO E CONCEITUANDO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONHECENDO E CONCEITUANDO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Franco Vieira Sampaio 1 Atualmente a informática está cada vez mais inserida no dia a dia das empresas, porém, no início armazenavam-se os dados em folhas,

Leia mais

Manual de Instalação, Administração e Uso do Sistema Elétric

Manual de Instalação, Administração e Uso do Sistema Elétric Manual de Instalação, Administração e Uso do Sistema Elétric Versão 1.0 Autores Bruna Cirqueira Mariane Dantas Milton Alves Robson Prioli Nova Odessa, 10 de Setembro de 2013 Sumário Apoio 1. Licença deste

Leia mais

ADM041 / EPR806 Sistemas de Informação

ADM041 / EPR806 Sistemas de Informação ADM041 / EPR806 Sistemas de Informação UNIFEI Universidade Federal de Itajubá Prof. Dr. Alexandre Ferreira de Pinho 1 Componentes de uma empresa Organizando uma empresa: funções empresariais básicas Funções

Leia mais

Administração de Banco de Dados

Administração de Banco de Dados Administração de Banco de Dados Professora conteudista: Cida Atum Sumário Administração de Banco de Dados Unidade I 1 INTRODUÇÃO A BANCO DE DADOS...1 1.1 Histórico...1 1.2 Definições...2 1.3 Importância

Leia mais

IF685 Gerenciamento de Dados e Informação - Prof. Robson Fidalgo 1

IF685 Gerenciamento de Dados e Informação - Prof. Robson Fidalgo 1 IF685 Gerenciamento de Dados e Informação - Prof. Robson Fidalgo 1 Banco de Dados Introdução Por: Robson do Nascimento Fidalgo rdnf@cin.ufpe.br IF685 Gerenciamento de Dados e Informação - Prof. Robson

Leia mais

Ambiente de Programação Visual. Framework.NET. Prof. Mauro Lopes. Ambiente de Programação Visual Prof. Mauro Lopes

Ambiente de Programação Visual. Framework.NET. Prof. Mauro Lopes. Ambiente de Programação Visual Prof. Mauro Lopes Ambiente de Programação Visual Framework.NET Prof. Mauro Lopes 1-31 16 Objetivos Nesta aula iremos apresentar a tecnologia.net. Ao final desta aula, o aluno terá compreendido a Arquitetura de uma aplicação.net.

Leia mais

UM FRAMEWORK PARA DESENVOLVIMENTO DE

UM FRAMEWORK PARA DESENVOLVIMENTO DE UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CENTRO DE INFORMÁTICA UM FRAMEWORK PARA DESENVOLVIMENTO DE APLICATIVOS EM WINDOWS MOBILE. PROPOSTA DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO Aluno:

Leia mais

Visão Geral dos Sistemas de Informação

Visão Geral dos Sistemas de Informação Visão Geral dos Sistemas de Informação Existem muitos tipos de sistemas de informação no mundo real. Todos eles utilizam recursos de hardware, software, rede e pessoas para transformar os recursos de dados

Leia mais

Nexcode Systems, todos os direitos reservados. Documento versão 15.1.1 1

Nexcode Systems, todos os direitos reservados. Documento versão 15.1.1 1 Nexcode Systems, todos os direitos reservados. Documento versão 15.1.1 1 1 - INTRODUÇÃO NEXCODE NOTE, também conhecido como NEXNOTE, é um conjunto de soluções de software desenvolvidas sob a plataforma

Leia mais

Sistemas de Informações Gerenciais

Sistemas de Informações Gerenciais Sistemas de Informações Gerenciais Aula 4 Sistema de Informação SI baseado em computadores Organização, administração e estratégia Professora: Cintia Caetano INTRODUÇÃO Sistemas de Informação são parte

Leia mais

Sistemas de Apoio à Decisão. Profa. Jiani Cardoso Disciplina: Sistemas de Informação Aula de 13/set/2005

Sistemas de Apoio à Decisão. Profa. Jiani Cardoso Disciplina: Sistemas de Informação Aula de 13/set/2005 Sistemas de Apoio à Decisão Profa. Jiani Cardoso Disciplina: Sistemas de Informação Aula de 13/set/2005 Sistemas de Suporte Gerencial SIG (sistema de Informação Gerencial) SAD (Sistema de Apoio à Decisão)

Leia mais

www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br

www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br Outras Apostilas em: www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br Centro Universitário Geraldo di Biase 1. Sistemas, Processos e Informações Ao observarmos o funcionamento de um setor

Leia mais

Sistemas de Apoio à Decisão. Ciências Contábeis Informática Aplicada

Sistemas de Apoio à Decisão. Ciências Contábeis Informática Aplicada Sistemas de Apoio à Decisão Ciências Contábeis Informática Aplicada Sistemas de Apoio à Decisão Segundo LAUDON (2004) apud SANTOS () afirma que um SAD tem por objetivo auxiliar o processo de decisão gerencial,

Leia mais

Tópicos Especiais em Economia e Gestão da Saúde

Tópicos Especiais em Economia e Gestão da Saúde Tópicos Especiais em Economia e Gestão da Saúde Sistemas de Informações ( Parte I) Patrícia Paula Dias de Sá Residente de Administração em Gestão Hospitalar Hospital Universitário - UFJF Ato ou efeito

Leia mais

Tipos de Sistemas de Informação Aula 02 FTC FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS ADMINISTRAÇÃO IV SEMESTRE

Tipos de Sistemas de Informação Aula 02 FTC FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS ADMINISTRAÇÃO IV SEMESTRE Tipos de Sistemas de Informação Aula 02 FTC FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS ADMINISTRAÇÃO IV SEMESTRE Sistemas de informação Manual técnicas de arquivamento e recuperação de informações de grandes arquivos.

Leia mais

Classificação de Sistemas: Sistemas Empresariais

Classificação de Sistemas: Sistemas Empresariais Universidade do Contestado Campus Concórdia Curso de Ciências Contábeis Prof.: Maico Petry Classificação de Sistemas: Sistemas Empresariais DISCIPLINA: Sistemas de Informação Gerencial O QI da empresa

Leia mais

SG FOOD (SISTEMA GERÊNCIAL DE LANCHONETES EM GERAL) JUNIOR, M. P.A.; MODESTO, L.R. Resumo

SG FOOD (SISTEMA GERÊNCIAL DE LANCHONETES EM GERAL) JUNIOR, M. P.A.; MODESTO, L.R. Resumo SG FOOD (SISTEMA GERÊNCIAL DE LANCHONETES EM GERAL) JUNIOR, M. P.A.; MODESTO, L.R. Resumo A Tecnologia da Informação (TI) faz parte do cotidiano da sociedade moderna, mesmo as pessoas que não têm acesso

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Ponta Grossa ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Ponta Grossa ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Ponta Grossa ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO Ponta Grossa 2012 ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO Trabalho elaborado pelo

Leia mais

UTILIZANDO ICONIX NO DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES DELPHI

UTILIZANDO ICONIX NO DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES DELPHI UTILIZANDO ICONIX NO DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES DELPHI Dr. George SILVA; Dr. Gilbert SILVA; Gabriel GUIMARÃES; Rodrigo MEDEIROS; Tiago ROSSINI; Centro Federal de Educação Tecnológica do Rio Grande do

Leia mais

Banco de Dados. CursoTécnico em Informática Modalidade Integrado. Professora Michelle Nery. Instituto Federal do Sul de Minas, câmpus Pouso Alegre

Banco de Dados. CursoTécnico em Informática Modalidade Integrado. Professora Michelle Nery. Instituto Federal do Sul de Minas, câmpus Pouso Alegre Banco de Dados CursoTécnico em Informática Modalidade Integrado Instituto Federal do Sul de Minas, câmpus PousoAlegre Professora Michelle Nery Conteúdo Programático Introdução O que é Banco de Dados O

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA JNC MOBILE 2.0. Anderson Buon Berto Gilberto Torrezan Filho. Florianópolis - SC 2005/1

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA JNC MOBILE 2.0. Anderson Buon Berto Gilberto Torrezan Filho. Florianópolis - SC 2005/1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA JNC MOBILE 2.0 Anderson Buon Berto Gilberto Torrezan Filho Florianópolis - SC 2005/1 1 Sumário 1 Introdução 3 2 Denição do Problema 3 3 Trabalhos Correlatos 4 4 Solução

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO, ORGANIZAÇÕES, ADMINISTRAÇÃO E ESTRATÉGIA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO, ORGANIZAÇÕES, ADMINISTRAÇÃO E ESTRATÉGIA Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 3.1 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO, ORGANIZAÇÕES, ADMINISTRAÇÃO E ESTRATÉGIA 3.1 2003 by Prentice Hall 3 ão, Organizações ões, Administração e Estratégia OBJETIVOS

Leia mais

Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 1: Fundamentos dos SI. Resposta do Exercício 1

Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 1: Fundamentos dos SI. Resposta do Exercício 1 Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 1: Fundamentos dos SI Resposta do Exercício 1 Fundação Getúlio Vargas Leia o texto e responda o seguinte: a) identifique os recursos de: Hardware: microcomputadores,

Leia mais

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE Modelo de Otimização de SAM Controle, otimize, cresça Em um mercado internacional em constante mudança, as empresas buscam oportunidades de ganhar vantagem competitiva

Leia mais

UNIVERSIDADE CÂNDIDO MENDES

UNIVERSIDADE CÂNDIDO MENDES UNIVERSIDADE CÂNDIDO MENDES COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO E ATIVIDADES COMPLEMENTARES DEPARTAMENTO DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO COORDENADORIA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Emerson Barros de Meneses

Leia mais

Aranda INVENTORY. Benefícios Estratégicos para sua Organização. (Standard & Plus Edition) Beneficios. Características V.2.0907

Aranda INVENTORY. Benefícios Estratégicos para sua Organização. (Standard & Plus Edition) Beneficios. Características V.2.0907 Uma ferramenta de inventario que automatiza o cadastro de ativos informáticos em detalhe e reporta qualquer troca de hardware ou software mediante a geração de alarmes. Beneficios Informação atualizada

Leia mais

DISCIPLINA ENGENHARIA DE SOFTWARE Aula 03 Processo Unificado e Desenvolvimento Ágil. Profª Esp.: Maysa de Moura Gonzaga

DISCIPLINA ENGENHARIA DE SOFTWARE Aula 03 Processo Unificado e Desenvolvimento Ágil. Profª Esp.: Maysa de Moura Gonzaga DISCIPLINA ENGENHARIA DE SOFTWARE Aula 03 Processo Unificado e Desenvolvimento Ágil Profª Esp.: Maysa de Moura Gonzaga 2º Semestre / 2011 O Processo Unificado dos autores Ivar Jacobson, Grady Booch e James

Leia mais

Seu dia é mais inteligente

Seu dia é mais inteligente Seu dia é mais inteligente O 2007 Microsoft Office system é uma plataforma de soluções inteligentes para tarefas operacionais, estratégicas e organizacionais. O conjunto de aplicativos e servidores e a

Leia mais

Introdução aos Sistemas de Informação. Departamento de Engenharia Rural Centro de Ciências Agrárias - UFES Bruno Vilela Oliveira bruno@cca.ufes.

Introdução aos Sistemas de Informação. Departamento de Engenharia Rural Centro de Ciências Agrárias - UFES Bruno Vilela Oliveira bruno@cca.ufes. Introdução aos Sistemas de Informação Departamento de Engenharia Rural Centro de Ciências Agrárias - UFES Bruno Vilela Oliveira bruno@cca.ufes.br Nesta aula Apresentação da disciplina Avaliação Recursos

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UMA APLICAÇÃO WEB PARA ELABORAÇÃO DE AVALIAÇÕES DE ENSINO UTILIZANDO NOVAS ABORDAGENS DE DESENVOLVIMENTO

DESENVOLVIMENTO DE UMA APLICAÇÃO WEB PARA ELABORAÇÃO DE AVALIAÇÕES DE ENSINO UTILIZANDO NOVAS ABORDAGENS DE DESENVOLVIMENTO DESENVOLVIMENTO DE UMA APLICAÇÃO WEB PARA ELABORAÇÃO DE AVALIAÇÕES DE ENSINO UTILIZANDO NOVAS ABORDAGENS DE DESENVOLVIMENTO Danilo Damaceno Lima 1 NIPETI 2 - Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS),

Leia mais

Introdução a Informática - 1º semestre AULA 02 Prof. André Moraes

Introdução a Informática - 1º semestre AULA 02 Prof. André Moraes Introdução a Informática - 1º semestre AULA 02 Prof. André Moraes 3 MÁQUINAS VIRTUAIS Em nossa aula anterior, fizemos uma breve introdução com uso de máquinas virtuais para emularmos um computador novo

Leia mais

Desenvolvendo um Ambiente de Aprendizagem a Distância Utilizando Software Livre

Desenvolvendo um Ambiente de Aprendizagem a Distância Utilizando Software Livre Desenvolvendo um Ambiente de Aprendizagem a Distância Utilizando Software Livre Fabrício Viero de Araújo, Gilse A. Morgental Falkembach Programa de Pós-graduação em Engenharia de Produção - PPGEP Universidade

Leia mais

PROJETO Pró-INFRA/CAMPUS

PROJETO Pró-INFRA/CAMPUS INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAMPUS AVANÇADO DE ARACATI PROJETO Pró-INFRA/CAMPUS IMPLEMENTAÇÃO DE SOLUÇÃO PARA AUTOMATIZAR O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE UTILIZANDO A LINGUAGEM C#.NET

Leia mais

Sistemas Integrados de Gestão I

Sistemas Integrados de Gestão I Sistema Binário Faculdades Integradas Campos Salles Sistemas Integrados de Gestão I Aula - 8 Classificação dos sistemas de informação Carlos Antonio José Oliviero São Paulo - 2012 Tipos de SIs de acordo

Leia mais

Conceitos. - Sistema de Informação, Estruturas e Classificação. - Dados x Informações. Edson Almeida Junior www.edsonalmeidajunior.com.

Conceitos. - Sistema de Informação, Estruturas e Classificação. - Dados x Informações. Edson Almeida Junior www.edsonalmeidajunior.com. Conceitos - Sistema de Informação, Estruturas e Classificação - Dados x Informações Edson Almeida Junior www.edsonalmeidajunior.com.br Definição de Sistema Uma coleção de objetos unidos por alguma forma

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAIS

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAIS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAIS O PODER DA INFORMAÇÃO Tem PODER quem toma DECISÃO Toma DECISÃO correta quem tem SABEDORIA Tem SABEDORIA quem usa CONHECIMENTO Tem CONHECIMENTO quem possui INFORMAÇÃO (Sem

Leia mais

Palavras-Chaves: estoque, modelagem, requisitos, UML, vendas.

Palavras-Chaves: estoque, modelagem, requisitos, UML, vendas. UTILIZAÇÃO DA UML NO DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA DE CONTROLE DE VENDAS E ESTOQUE GILBERTO FRANCISCO PACHECO DOS SANTOS Discente da AEMS Faculdades Integradas de Três Lagoas JACKSON LUIZ ARROSTI Discente

Leia mais

ASSUNTO DA APOSTILA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E AS DECISÕES GERENCIAIS NA ERA DA INTERNET

ASSUNTO DA APOSTILA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E AS DECISÕES GERENCIAIS NA ERA DA INTERNET AULA 02 ASSUNTO DA APOSTILA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E AS DECISÕES GERENCIAIS NA ERA DA INTERNET JAMES A. O BRIEN CAPÍTULO 01 continuação Páginas 03 à 25 1 COMPONENTES DE UM SISTEMA DE INFORMAÇÃO Especialistas

Leia mais

Aula 15. Tópicos Especiais I Sistemas de Informação. Prof. Dr. Dilermando Piva Jr.

Aula 15. Tópicos Especiais I Sistemas de Informação. Prof. Dr. Dilermando Piva Jr. 15 Aula 15 Tópicos Especiais I Sistemas de Informação Prof. Dr. Dilermando Piva Jr. Site Disciplina: http://fundti.blogspot.com.br/ Conceitos básicos sobre Sistemas de Informação Conceitos sobre Sistemas

Leia mais

SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL-CONTROCAR RESUMO

SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL-CONTROCAR RESUMO SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL-CONTROCAR SOUZA, R. C. F. 1 VERONA, E. D. 2 RESUMO Este artigo mostra o desenvolvimento de um sistema computacional (CONTROCAR) voltado para gerenciamento de empresas que

Leia mais

Palavras-Chaves: Arquitetura, Modelagem Orientada a Objetos, UML.

Palavras-Chaves: Arquitetura, Modelagem Orientada a Objetos, UML. MODELAGEM ORIENTADA A OBJETOS APLICADA À ANÁLISE E AO PROJETO DE SISTEMA DE VENDAS ALTEMIR FERNANDES DE ARAÚJO Discente da AEMS Faculdades Integradas de Três Lagoas ANDRE LUIZ DA CUNHA DIAS Discente da

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software O que é a engenharia de software É um conjunto integrado de métodos e ferramentas utilizadas para especificar, projetar, implementar e manter um sistema. Método É uma prescrição

Leia mais

Roteiro. Arquitetura. Tipos de Arquitetura. Questionário. Centralizado Descentralizado Hibrido

Roteiro. Arquitetura. Tipos de Arquitetura. Questionário. Centralizado Descentralizado Hibrido Arquitetura Roteiro Arquitetura Tipos de Arquitetura Centralizado Descentralizado Hibrido Questionário 2 Arquitetura Figura 1: Planta baixa de uma casa 3 Arquitetura Engenharia de Software A arquitetura

Leia mais

Bancos de Dados. Conceitos F undamentais em S is temas de B ancos de Dados e s uas Aplicações

Bancos de Dados. Conceitos F undamentais em S is temas de B ancos de Dados e s uas Aplicações Conceitos F undamentais em S is temas de B ancos de Dados e s uas Aplicações Tópicos Conceitos Básicos Bancos de Dados Sistemas de Bancos de Dados Sistemas de Gerenciamento de Bancos de Dados Abstração

Leia mais

PROPOSTA DE SOFTWARE DE INSTALAÇÃO PARA UM AMBIENTE INTEGRADO DE GERÊNCIA DE PROJETOS E DE PROCESSOS DE NEGÓCIOS

PROPOSTA DE SOFTWARE DE INSTALAÇÃO PARA UM AMBIENTE INTEGRADO DE GERÊNCIA DE PROJETOS E DE PROCESSOS DE NEGÓCIOS PROPOSTA DE SOFTWARE DE INSTALAÇÃO PARA UM AMBIENTE INTEGRADO DE GERÊNCIA DE PROJETOS E DE PROCESSOS DE NEGÓCIOS Élysson Mendes Rezende Bacharelando em Sistemas de Informação Bolsista de Iniciação Científica

Leia mais

INOVANDO UM PROCESSO DE SERVIÇOS DE TI COM AS BOAS PRÁTICAS DO ITIL E USO DE BPMS

INOVANDO UM PROCESSO DE SERVIÇOS DE TI COM AS BOAS PRÁTICAS DO ITIL E USO DE BPMS INOVANDO UM PROCESSO DE SERVIÇOS DE TI COM AS BOAS PRÁTICAS DO ITIL E USO DE BPMS Cilene Loisa Assmann (UNISC) cilenea@unisc.br Este estudo de caso tem como objetivo trazer a experiência de implantação

Leia mais

Maior Tranqüilidade - Todos esses benefícios, protegendo seus bens materiais e as pessoas que por ali circulam.

Maior Tranqüilidade - Todos esses benefícios, protegendo seus bens materiais e as pessoas que por ali circulam. 1 - APRESENTAÇÃO Este descritivo tem como objetivo, apresentar o Sistema de Identificação de Visitantes enfocando suas funcionalidades e condições técnicas necessárias de implantação. Vantagens do Sistema

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS. Apostila 03 Estrutura do Sistema Operacional UNIBAN

SISTEMAS OPERACIONAIS. Apostila 03 Estrutura do Sistema Operacional UNIBAN SISTEMAS OPERACIONAIS Apostila 03 Estrutura do Sistema Operacional UNIBAN 1.0 O Sistema Operacional como uma Máquina Virtual A arquitetura (conjunto de instruções, organização de memória, E/S e estrutura

Leia mais

Banco de Dados. Introdução. João Eduardo Ferreira Osvaldo Kotaro Takai. jef@ime.usp.br DCC-IME-USP

Banco de Dados. Introdução. João Eduardo Ferreira Osvaldo Kotaro Takai. jef@ime.usp.br DCC-IME-USP Banco de Dados Introdução João Eduardo Ferreira Osvaldo Kotaro Takai jef@ime.usp.br DCC-IME-USP Importância dos Bancos de Dados A competitividade das empresas depende de dados precisos e atualizados. Conforme

Leia mais

Nexcode Systems, todos os direitos reservados. Documento versão 16.1.1 1

Nexcode Systems, todos os direitos reservados. Documento versão 16.1.1 1 Nexcode Systems, todos os direitos reservados. Documento versão 16.1.1 1 1 - INTRODUÇÃO NEXCODE NOTE, também conhecido como NEXNOTE, é um conjunto de soluções de software desenvolvidas pelas Nexcode Systems

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC DCC Departamento de Ciência da Computação Joinville-SC

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC DCC Departamento de Ciência da Computação Joinville-SC CURSO: Bacharelado em Ciência da Computação DISCIPLINA: ANPS Análise e Projeto de Sistemas AULA NÚMERO: 3 DATA: PROFESSOR: Murakami Sumário 1 APRESENTAÇÃO...1 2 DESENVOLVIMENTO...1 2.1 Revisão...1 2.1.1

Leia mais

CAPITULO 4 A ARQUITETURA LÓGICA PARA O AMBIENTE

CAPITULO 4 A ARQUITETURA LÓGICA PARA O AMBIENTE CAPITULO 4 A ARQUITETURA LÓGICA PARA O AMBIENTE A proposta para o ambiente apresentada neste trabalho é baseada no conjunto de requisitos levantados no capítulo anterior. Este levantamento, sugere uma

Leia mais

SISTEMA DE BANCO DE DADOS. Banco e Modelagem de dados

SISTEMA DE BANCO DE DADOS. Banco e Modelagem de dados SISTEMA DE BANCO DE DADOS Banco e Modelagem de dados Sumário Conceitos/Autores chave... 3 1. Introdução... 4 2. Arquiteturas de um Sistema Gerenciador... 5 3. Componentes de um Sistema... 8 4. Vantagens

Leia mais

Sistema. Atividades. Sistema de informações. Tipos de sistemas de informação. Everson Santos Araujo everson@everson.com.br

Sistema. Atividades. Sistema de informações. Tipos de sistemas de informação. Everson Santos Araujo everson@everson.com.br Sistema Tipos de sistemas de informação Everson Santos Araujo everson@everson.com.br Um sistema pode ser definido como um complexo de elementos em interação (Ludwig Von Bertalanffy) sistema é um conjunto

Leia mais

TEMA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO -Tipos de SI e Recursos de Software parte2. AULA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PROFa. ROSA MOTTA

TEMA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO -Tipos de SI e Recursos de Software parte2. AULA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PROFa. ROSA MOTTA TEMA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO -Tipos de SI e Recursos de Software parte2 AULA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PROFa. ROSA MOTTA CONTEÚDO DA AULA Tipos de Software Serviços Web Tendências 2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Leia mais

Figura 1 - Arquitetura multi-camadas do SIE

Figura 1 - Arquitetura multi-camadas do SIE Um estudo sobre os aspectos de desenvolvimento e distribuição do SIE Fernando Pires Barbosa¹, Equipe Técnica do SIE¹ ¹Centro de Processamento de Dados, Universidade Federal de Santa Maria fernando.barbosa@cpd.ufsm.br

Leia mais

Sistemas de Informação I

Sistemas de Informação I + Sistemas de Informação I Tipos de SI Ricardo de Sousa Britto rbritto@ufpi.edu.br + Introdução 2 n As organizações modernas competem entre si para satisfazer as necessidades dos seus clientes de um modo

Leia mais

Fundament n os s da platafo f rm r a. NE N T André Menegassi

Fundament n os s da platafo f rm r a. NE N T André Menegassi Fundamentos da plataforma.net André Menegassi O que é o.net Framework?.NET é uma plataforma de software para desenvolvimento de aplicações que conecta informações, sistemas, pessoas e dispositivos através

Leia mais

Estatística Básica via MySQL para Pesquisas On-Line

Estatística Básica via MySQL para Pesquisas On-Line Estatística Básica via MySQL para Pesquisas On-Line Gabriel Ramos Guerreiro - DEs, UFSCar 1 2 Anderson Luiz Ara-Souza - DEs, UFSCar 1 3 Francisco Louzada-Neto - DEs, UFSCar 1 4 1. INTRODUÇÃO Segundo Cavalcanti

Leia mais

Sistema de Gestão Empresarial Freedom ERP

Sistema de Gestão Empresarial Freedom ERP Sistema de Gestão Empresarial Freedom ERP O que é o Freedom ERP? É um software livre para Gestão Empresarial. Pode ser utilizado em estabelecimentos comerciais, varejistas, atacadistas e industriais. Dividido

Leia mais

Bem-vindo à apresentação do SAP Business One.

Bem-vindo à apresentação do SAP Business One. Bem-vindo à apresentação do SAP Business One. Neste tópico, responderemos à pergunta: O que é o Business One? Definiremos o SAP Business One e discutiremos as opções e as plataformas disponíveis para executar

Leia mais

Ambientes Visuais. Ambientes Visuais

Ambientes Visuais. Ambientes Visuais Ambientes Visuais Inicialmente, apenas especialistas utilizavam os computadores, sendo que os primeiros desenvolvidos ocupavam grandes áreas e tinham um poder de processamento reduzido. Porém, a contínua

Leia mais

Ambiente de Programação Visual. Framework.NET. Prof. Mauro Lopes. Ambiente de Programação Visual Prof. Mauro Lopes

Ambiente de Programação Visual. Framework.NET. Prof. Mauro Lopes. Ambiente de Programação Visual Prof. Mauro Lopes Ambiente de Programação Visual Framework.NET Prof. Mauro Lopes 1-31 13 Objetivos Nesta aula iremos apresentar a tecnologia.net. Ao final desta aula, o aluno terá compreendido a Arquitetura de uma aplicação.net.

Leia mais

Plano de Projeto G Stock. G Stock. Plano de Projeto. Versão 1.0

Plano de Projeto G Stock. G Stock. Plano de Projeto. Versão 1.0 Plano de Projeto G Stock Plano de Projeto G Stock Versão 1.0 Histórico das Revisões Data Versão Descrição Autores 10/09/2010 1.0 Descrição inicial do plano de projeto Denyson José Ellís Carvalho Isadora

Leia mais

3. Sistemas Empresariais de Processamento de Transações

3. Sistemas Empresariais de Processamento de Transações Curso de Especialização em Gestão Empresarial (MBA Executivo Turma 12) Disciplina: Sistemas de Informações Gerenciais Prof. Dr. Álvaro José Periotto 3. Sistemas Empresariais de Processamento de Transações

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE AULA 1

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE AULA 1 DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE AULA 1 CAMPUS SANTO ANDRÉ CELSO CANDIDO SEMESTRE 2014 1 Características da Plataforma.NET A plataforma.net Framework 4.0 (.NET 4.0) é uma plataforma de softwares que fornece

Leia mais

FTAD Formação Técnica em Administração. Aula 04 Prof. Arlindo Neto

FTAD Formação Técnica em Administração. Aula 04 Prof. Arlindo Neto FTAD Formação Técnica em Administração Aula 04 Prof. Arlindo Neto COMPETÊNCIAS QUE TRABALHAREMOS NESTE MÓDULO Conhecer as funções e importância de um Sistema de Informação Gerencial. O que é um Sistema

Leia mais

Análise de Sistemas I: Programação em Nuvem. Luiz Filipe Licidonio. Faculdade de Tecnologia Pastor Dohms. Porto Alegre, Rio Grande do Sul

Análise de Sistemas I: Programação em Nuvem. Luiz Filipe Licidonio. Faculdade de Tecnologia Pastor Dohms. Porto Alegre, Rio Grande do Sul 1 Análise de Sistemas I: Programação em Nuvem Luiz Filipe Licidonio Faculdade de Tecnologia Pastor Dohms Porto Alegre, Rio Grande do Sul luiz_np_poa@hotmail.com 2 Análise de Sistemas I: Programação em

Leia mais

Coletividade; Diferenciais; Informação; Dado; Informação; Conhecimento. Coletar informação; e Identificar as direções.

Coletividade; Diferenciais; Informação; Dado; Informação; Conhecimento. Coletar informação; e Identificar as direções. Revisão 1 Coletividade; Diferenciais; Informação; Dado; Informação; Conhecimento Coletar informação; e Identificar as direções. Precisa; Clara; Econômica; Flexível; Confiável; Dirigida; Simples; Rápida;

Leia mais

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Roberto Marcello SI Sistemas de gestão A Gestão dos Sistemas Integrados é uma forma organizada e sistemática de buscar a melhoria de resultados.

Leia mais

Sistemas de Informação Empresarial

Sistemas de Informação Empresarial Sistemas de Informação Empresarial SAD Sistemas de Apoio à Decisão parte 1: a Tomada de Decisão Fontes: O Brien e Webaula Estácio Visão Integrada do Papel dos SI s na Empresa [ Problema Organizacional

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Engenharia de Software Orientada a Serviços (SOA)

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Engenharia de Software Orientada a Serviços (SOA) Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Engenharia de Software Orientada a Serviços (SOA) Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Engenharia de Software Orientada a Serviços

Leia mais

ORGANIZAR O PRIMEIRO PASSO PARA O CONTROLE EMPRESARIAL

ORGANIZAR O PRIMEIRO PASSO PARA O CONTROLE EMPRESARIAL 1 ORGANIZAR O PRIMEIRO PASSO PARA O CONTROLE EMPRESARIAL ORGANIZATION THE FIRST STEP TO BUSINESS CONTROL Adriane C. Lopes * Elisiane Godoy* Emanuel O. Batista* Sheila C. M. Guilherme* Aparecida Vani Frasson

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA 1. Número e Título do Projeto: OEI BRA09/004 - Aprimoramento da sistemática de gestão do Ministério da Educação

Leia mais

ALESSANDRO RODRIGO FRANCO FERNANDO MARTINS RAFAEL ALMEIDA DE OLIVEIRA

ALESSANDRO RODRIGO FRANCO FERNANDO MARTINS RAFAEL ALMEIDA DE OLIVEIRA ALESSANDRO RODRIGO FRANCO FERNANDO MARTINS RAFAEL ALMEIDA DE OLIVEIRA INTRODUÇÃO O projeto de um banco de dados é realizado sob um processo sistemático denominado metodologia de projeto. O processo do

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais UNIVERSIDADE BANDEIRANTE DE SÃO PAULO INSTITUTO POLITÉCNICO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Sistemas Operacionais Notas de Aulas: Tópicos 7 e 8 Estrutura do Sistema Operacional São Paulo 2009 1 Sumário

Leia mais