Capítulo 10 BANCOS DE DADOS EM DELPHI CONCEITOS INICIAIS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Capítulo 10 BANCOS DE DADOS EM DELPHI CONCEITOS INICIAIS"

Transcrição

1 BANCOS DE DADOS EM DELPHI Capítulo 10 O suporte a bancos de dados é um dos principais recursos do Delphi. Este capítulo oferece uma visão geral e simplificada do extenso suporte para programação de bancos de dados em Delphi, veremos os principais componentes e seus usos. NÃO veremos neste curso, a confecção de utilitários cliente/servidor, este item será objetivos do Curso de Delphi Avançado. CONCEITOS INICIAIS É fundamental que o desenvolvedor compreenda os principais conceitos envolvidos na programação de bancos de dados. Existem duas abordagens para armazenar arquivos, a primeira consiste em armazenar o banco de dados inteiro em um único arquivo, a outra consiste em armazenar cada tabela, índice ou quaisquer elementos em arquivos distintos, que compõem um banco de dados. O Delphi pode usar as duas abordagens. A rigor ao se referir a um banco de dados, esta referencia pode ser o nome(ou alias) do Banco ou a um diretório que contém as tabelas e dados. O Delphi não se limita a um formato específico ele pode usar tabelas dbase, Paradox, acessar servidores SQL Server, Oracle, Interbase ou outros bancos via ODBC (Open Database Connectivity). A facilidade de manipular banco de dados apresentada pelo Delphi deve-se a Borland Database Engine (BDE). A BDE também era chamado de Integrated Database Programming Interface (IDAPI), este mecanismo é o mesmo utilizado por alguns produtos da Inprise, por exemplo, Paradox, dbase. Este mecanismo libera o programador de usar o ODBC da Microsoft para fazer acesso a dados. As principais vantagens do BDE são a sua capacidade de acessar uma grande massa de dados, confiabilidade e escalabilidade, e sua principal desvantagem está baseado no fato de que todo este mecanismo deve ser fornecido junto com sua aplicação. NOTA ODBC é uma especificação criada pela Microsoft, para construção de drivers que são usados para acessar uma grande variedade de formatos de bancos de dados. Como regra geral use o BDE pois o acesso aos dados será mais rápido. A BDE permite a comunicação direta com Paradox, dbase, ODBC e servidores de bancos de dados SQL. A BDE permite a navegação em tabelas e consultas SQL, enquanto que ODBC não permite este tipo de navegação. A BDE também pode fazer a interface com o SQL Links da Inprise, este produto permite o acesso a diversos servidores SQL locais ou remotos, O Interbase é um Delphi 4 Pag. 128

2 servidor local que já vem incluído com o Delphi C/S. Os servidores remotos podem ser: Oracle, Sybase, Informix e Interbase ou mesmo uma interface via ODBC. A CAMADA BDE Os componentes da VCL para acesso a bancos de dados utilizam uma camada intermediária chamada BDE. Esta camada é a mesma usada nos produtos C++ Builder, Paradox, dbase for Windows. A BDE possui um a API, que é conhecida como IDAPI. A IDAPI unifica todo o acesso a dados do tipo ISAM (Indexed Sequential Access Method) e orientados a dados (SQL) em um modelo único cursor. As principais vantagens da BDE são a escalabilidade, eficiência e facilidade no acesso a um grande número de funções para acessos/manipulação de dados. A BDE ainda permite que se navegue por tabelas e queries SQL. Normalmente, dados SQL não são navegáveis, isto é, pode-se apenas mover-se o cursor para frente, nunca para trás. Diferentemente da ODBC, a BDE permite navegação por dados SQL. A principal desvantagem do uso desta camada consiste no fato que toda a BDE deve ser distribuída junto com a sua aplicação. A ARQUITETURA DA BDE-IDAPI A arquitetura da IDAPI é baseada em drivers, existindo para cada SGBD um driver específico. Este modelo é interessante pois permite a instalação de novos drivers a qualquer momento, sem que nenhuma alteração seja feita nem na BDE nem no Aplicativo. Esta arquitetura é 100% orientada a objetos, isso torna toda a infra -estrutura extensível e configurável. A IDAPI também oferece um rico conjunto de serviços como por exemplo gerenciador de buffer, ordenação de drivers de linguagem, etc. A IDAPI suporta dois tipos de drivers: Drivers que entendem a estrutura da linguagem SQL, como por exemplo InterBase SQL driver, MS SQL Driver, Oracle S QL Driver, etc. Drivers sem a estrutura SQL, como por exemplo Paradox, dbase, etc. ALIAS Para acessarmos as tabelas em um servidor de bancos de dados, ou num diretório compartilhado na rede ou local, a BDE usa um Alias, Um Alias é um apelido para a base de dados, logo, sempre que desejarmos acessar bases de dados com o Delphi, devemos utilizar aliases. Delphi 4 Pag. 129

3 É muito fácil criar um alias, A maneira mais conveniente é utilizar o SQL Explorer: Na figura acima vemos um alias de nome Plantas, este foi criado dentro do SQL Explorer através do comando Explore do Menu Database do Delphi. Para cria um Alias basta selecionar o comando New do SQL Explorer, em seguida é exibida uma janela solicitando qual o tipo de Alias, o valor default é STANDARD (Paradox & dbase). Depois disso basta configurar o path do alias. É possível criar aliases para acessar os tipos de bases de dados abaixo: DBase Paradox FoxPro MS Access Interbase MS SQL Server Informix DB2 Sybase Oracle Qualquer Datasource ODBC 2.0 e 3.0 Delphi 4 Pag. 130

4 COMUNICAÇÃO REMOTA A BDE permite a implementação de uma arquitetura cliente-servidor, de acordo com a figura abaixo: Paradox Conexão do BDE Remoto Paradox IDAPI IDAPI Paradox Driver/ Engine Requestor Driver Paradox Driver/ Engine dbase Driver/ Engine SQL Driver to Interbase Conexão para Servidor BDE Interbase Server Isso permite que as aplicações cliente de bancos de dados, não precisem ter as bases de dados armazenadas localmente. Assim, várias máquinas podem acessar uma certa base de dados em Paradox ou dbase ou SQL Server sem a necessidade de possuir todos os tipos de drivers necessários para acessar a base de dados. COMPONENTES DE ACESSO A DADOS O Delphi possui diversos componentes relacionados ao trabalho com banco de dados, eles estão disponíveis na guia Data Access, a maioria destes componentes são do tipo Não Visíveis, pois envolvem conexões, tabelas, queries, etc. Na guia Data Control existem componentes que permitem a visualização dos dados em seu formulário, este controle são chamados de data-aware. Delphi 4 Pag. 131

5 Para acessar um banco de dados no Delphi, você precisa de uma fonte de dados, esta fonte é o DataSource. Este componente não indica os dados diretamente, ele refere-se a uma tabela ou ao resultado de uma query. Logo, você irá necessitar um componente Table ou Query no form. Um componente DataSource pode estar conectado tanto a uma query quanto a um a tabela, normalmente, diversos componentes de um banco de dados estão conectados a uma única fonte de dados. Por exemplo, se você adicionou um TTable ou TQuery no form, use a propriedade DataSet do componente DataSource para referir-se a ele. TABELAS E QUERIES Existem três maneiras de especificar o acesso a dados no Delphi: Tabela Query Store Procedure O acesso via tabela, usa o componente TTable, é mais simples. Basta indicar o nome, um alias ou path para um diretório do banco na propriedade DatabaseName. Na propriedade TableName você deve especificar o nome da tabela a ser acesada. O acesso Via Query é mais complexo que o acesso via tabela, é necessário uma string com uma declaração SQL. O componente TQuery também possui a propriedade DatabaseName, mas não uma TableName. A seleção da tabela dá-se dentro da declaração SQL, que fica armazenada na propriedade SQL. Quando usar TTable ou TQuery? O componente TTable tende a ser mais rápido quando você estiver usando tabelas locais, O componente TQuery tende a ser mais rápido em servidores SQL. O acesso via Strored Procedure, dá-se com o uso do componente TStoredProc, e referese a procedures locais de um servidor de banco de dados SQL, ao executar esta procedure você pode receber os dados sob a forma de tabela. Lembre-se Stored Procedures só podem ser utilizadas com servidores SQL. Os componentes de Acesso a Dados são: TDataSource Faz a interface entre os componentes de acesso a bancos de dados e os de visualização de bancos de dados. Serve de fonte de informação aos componentes de visualização. TTable Uma tabela é uma coleção de registros (linhas), e cada registro é composto de campos (records) que podem ser de diversos tipos (Strings, Integer, Blob, etc..) TQuery Permite qie o programador defina queries através de comandos SQL para operar sobre tabelas na base de dados. São possíveis as operações de SELECT, UPDATE, INSERT e DELETE. TStoredProc Permite a execução de stored procedures que estejam em um outro servidor de bancos de dados. Delphi 4 Pag. 132

6 TDataBase TSession TBatchMove Universidade Federal do Rio de Janeiro Permite a conexão a um database que é uma coleção de tabelas geralmente é utilizado para controle de transações, segurança e controle de conexão, normalmente é usado para conexão com bancos de dados remotos em aplicativos tipo Client/Server. Fornece controle global sobre as conexões de bancos de dados para uma dada aplicação, inclui-se lista de bancos de dados existentes e aliases. É usado para executar operações em batch em um ou mais banco de dados, como cópia, inclusão, atualização ou remoção de dados, reúne valores a serem passados ao método BatchMove de um TTable. TUpdateSQL Este componente, tornou-se disponível a partir da versão Delphi 2.0, permite que se utilize suporte de cache de atualização. Isto é, você pode escrever algumas declarações SQL para executar diversas operações de atualização no DataSet, mesmo utilizando uma query read-only. Este componente é usado como valor da propriedade UpdateObject da TTable e TQuery. TNestedTables É um componente que encapsula a tabela de um database, qeu está aninhada como um campo em outra tabela. Usa-se TNestedTable para acessar dados aninhados em outro da tabase. Uma tabela aninhada, herda toda a funcionalidade de TBDEDataSet e usa a BDE para acessar dados em tabelas aninhadas. A lista abaixo apresenta alguns termos relacionados a banco de dados que serão usados no decorrer deste capítulo. Dataset Table Query Database Index É uma coleção discreta de registros (records) cada registro é constituído de um ou mais campos (fields), cada campo pode conter um tipo de dado diferente (inteiros, reais, strings, gráficos, etc.). Datasets são representados pela classe abstrata TDataSet. É um tipo especial de dataset. Uma tabela geralmente é um arquivo que contém os registros que estão armazenados em seu disco rígido. Tabelas são representadas pela classe TTable. Também é um tipo especial de Dataset. Uma query (consulta) é gerada através de comandos especiais que manipulam uma tabela ou um conjunto de tabelas. A classe TQuery manipula as queries. Refere-se a um diretório em seu disco (bancos Paradox e dbase) ou a arquivos de banco de dados (SQL Servers( ). Um database pode armazenar várias tabelas. A classe TDatabase manipula os databases. Define uma regra de ordenação de uma tabela. Indexar uma tabela significa, ordenar os registros de uma tabela em função de um dado campo. Não existe uma classe TIndex, as propriedades e métodos de TTable são usados para manipular índices. Delphi 4 Pag. 133

7 COMPONENTES DE CONTROLE DE DADOS Nesta seção apresentaremos os componentes que permitem o trabalho/visualização de dados de uma tabela ou query. Estes componentes parecem controles normais do Windows, porém estão relacionados a dados. Destes componentes, alguns são conectados á fonte de dados usando a propriedade DataSource, outros através da propriedade DataField, os componentes da guia DataControl são: DBGrid DBNavigator DBLabel DBEdit DBMemo DBImage DBListBox e DBComboBox DBCheckBox DBCtrlGrid. Exibe uma tabela com a totalidade de seus dados em uma planilha, permite rolagem e navegação e edição de seus registros. Conjunto de botões usados para navegar e excetuar ações em um banco de dados. Usado para exibir o conteúdo de um campo não alterável Permite que o usuário visualize e modifique o valor de um campo. Permite que o usuário altere/visualize o conteúdo de um campo do tipo Memo ou Blob Usado para exibir uma imagem armazenada em um campo Blob. Permitem que o usuário selecione um único valor a partir de uma conjunto de valores pré-definidos. Se este valores forem extraídos de uma tabela do banco ou resultantes de uma query, use os componentes DBLookupListBox ou DBLookupComboBox. Permite que o usuário ative/desative opções É uma grade multi-registro, pode acomodar diversos controles relacionados com dados DATABASE DESKTOP (DBD) Existem duas maneiras de criar tabelas no Delphi. A maneira mais simples é usar o Database Desktop (DBD). Se você quer um controle maior na criação de tabelas, use o TQuery e declarações SQL. Delphi 4 Pag. 134

8 Para iniciar o DBD, selecione o comando Tool/Database Desktop. Após iniciar o DBD, selecione o comando File/New/Table para criar uma tabela, será exibida a caixa de diálogo Table Type, veja a figura abaixo. Na caixa de diálogo Table Type, selecione a versão e o tipo de tabela (Paradox, dbase, Oracle, Interbase, Sybase, etc.). Após especificar o tipo de tabela, o DBD exibe uma dialog box onde você especifica o nome e o tipo dos campos de sua tabela. CUIDADO: Cada tipo de tabela possui um conjunto de características que devem ser respeitadas no momento de sua criação, veja os exemplos abaixo: TABELAS PARADOX Nome de campo com até 25 caracteres. Nome de campo não pode começar por branco, mas pode conter brancos, em nome da portabilidade use nomes com até 9 caracteres e sem espaços. Não inclua os caracteres, [ ], { }, ( ), ->, #. Delphi 4 Pag. 135

9 TABELAS DBASE Nome de campo com até 10 caracteres. Nome de campo não pode conter espaços. Após escolher o nome dos campos, selecione seus tipos (para obter os tipos de dados use o botão direito do mouse). Caso o campo seja parte da chave primária, marca o campo Chave com asterisco (*). NOTA Tabelas Paradox podem ter chaves compostas, porém o primeiro campo da chave primária deve ser o primeiro campo do registro. Após criar uma Tabela Paradox, você pode associar algumas propriedades a ela, tais como: índice secundário, regras de validação e integridade referencial. Estas características podem ser adicionadas através do comando Utility/Restructure do DBD. Caso sejam adicionadas essas características em uma tabela Paradox, elas serão respeitadas pelo Delphi em runtime. Por exemplo, se você criar tabelas com integridade referencial, ao tentar inserir dados inválidos numa child tabela, o Delphi irá gerar uma exception. CRIANDO TABELAS COM SQL O Delphi permite a criação de tabelas via declarações SQL. A sintaxe para a criação de tabelas depende do servidor que você utiliza, porém as declarações mais elementares são aceitas por quase todos os servidores. Para criar uma tabela com SQL, primeiro adicione um objeto TQuery ao form, crie um Alias válido na propriedade DatabaseName e digite a string semelhante a exibida abaixo na propriedade SQL. Create Table MinhaTabela(PrimNome char(15), UltimoNome char(15)); Ao rodar o seu programa e executar o SQL chamando Query1.Open, o servidor criará a tabela MinhaTabela no banco de dados corrente. DATASETS TDataSet é uma abstração de um conjunto de dados sob forma de linhas e colunas. As colunas de dados são de um determinado tipo, enquanto que as linhas são o conjunto de dados formado pelos tipos de dados de cada coluna. A maioria dos métodos e propriedades para navegação e manipulação de dados está localizado em TDataSet. A VCL representa Datasets através de três componentes: TTable, TQuery e TStoredProc, esses componentes, são descendentes diretos do componente TDBDataSet, que por sua vez descende de TDataSet. TTable é o componente que representa a estrutura e dados da tabela de um banco de dados. TQuery é o componente que representa o conjunto de dados retornados por uma declaração SQL. TStoredProc encapsula uma Stored Procedure de um servidor SQL. Delphi 4 Pag. 136

10 DATASETS - NAVEGAÇÃO O Dataset é uma coleção de registros e campos. Normalmente, trabalhamos com um registro ou campo por vez, logo teremos que mover (avanços ou retornar) entre registros ou campos. Esta navegação é possível graças aos métodos do componente TDataset. ABRINDO UM TDATASET Antes de efetuar qualquer operação no dataset, você precisa abri-lo. Para abrir um dataset use o método Open( ). Table.Open; Esta declaração equivale a configurar a propriedade do Active do dataset para True. Table1.Active:= True; Uma vez aberto, o dataset pode ser manipulado. Para finalizar o uso do dataset, selecione o método Close( ). Table1.Close; ou configure a propriedade Active para False. Table1.Active:= False; ROTINAS DE NAVEGAÇÃO TDataset possui métodos que permitem a navegação básica através dos registros. Procedure First; Procedure Last; Procedure Next; Procedure Prior; Propriedade BOF : Boolean read FBOF; Propriedade EOF : Boolean read FEOF; Procedure MoveBy (Distance : Integer); Suas funcionalidades são: Table1.First move para o primeiro registro da tabela (dataset). Table1.Last move para o último registro da tabela. Tablel.Next move para o próximo registro da tabela, exceto se você estiver no último registro. Table1.Prior move para o registro anterior, exceto se você estiver no início da tabela. As propriedades booleanas BOF e EOF verificam o início e fim de tabela respectivamente. A Procedure MoveBy move N records (para frente ou para trás) numa tabela. Não existe nenhuma diferença funcional entre (Table1.Move By(1) e Table1.Next) e (Table1.Move By(-1) e Table1.Prior). Delphi 4 Pag. 137

11 BOOKMARKS Universidade Federal do Rio de Janeiro Os bookmarks permitem que você marque sua posição na tabela, a fim de permitir um rápido retorno quando for necessário. A rigor, o bookmark salva a sua posição relativa no dataset. Existem três métodos para trabalhar com bookmarks. Procedure FreeBookMark(BookMark: TBookMark); function GetBookMark(BookMark: TBookmark); Procedure GotoBookMark (BookMark: TBookmark); O método GetBookMark( ) chama a variável do tipo TBookmark que contém informações que permitem ao Delphi achar a localização referid a, isto é, o método retorna uma instância da classe TBookmark que descreve a posição atual no dataset. Quando você acha um ponto no seu dataset e você deseja ser capaz de retornar facilmente, a sintaxe a ser usada é: var BM: Tbookmark: Begin End; ou então: BM:= Table1.GetBookMark; Procedure Tform1.MarkClick(sender : Tobject); begin if Bookmark = nil then Bookmark :=Table1.GetbookMark; end; O método GotoBookMark( ) volta ao ponto do dataset marcado através de GetBookMark( ), então, para efetuar a movimentação chame GotoBookMark ( ) e passe TBookMark retornado por GetBookMark( ). Table1.GotoBookMark(BM) O método GetBookMark( ) aloca memória principal, então lembre-se de liberá-la ao finalizar o programa. Para liberar memória use o método FreeBookMark( ). Table1.FreeBookMark (BM): ou então: Procedure TForm1.Button2Click (Sender: Tobject): begin if Bookmark < > nil then begin Table1.GotoBookMark(Bookmark); Table1.FreeBookMark(Bookmark); Bookmark := nil; Delphi 4 Pag. 138

12 end; end; LOOPS DE NAVEGAÇÃO Caso você necessite efetuar uma operação em cada registro do dataset, os métodos mais comuns são: While not Table1.EOF do Begin FazAlguamCoisa; Table1.Next; end; CUIDADO: While not Table1.BOF do Begin FazAlguamCoisa; Table1.Prior; end; Assegure-se de chamar o método Next( ) no interior do While, caso contrário você terá um loop infinito. Evite usar loops Repeat..Until para executar ações no dataset. O código abaixo aparentemente está OK, porém, ocorrem erros em datasets vazios, pois a Procedure FazAlgumaCoisa sempre será executada pelo menos uma vez, independentemente do dataset esteja cheio ou não. Repeat FazAlgumaCoisa; Table1.Next; Until Table1.EOF; CAMPOS (Fields) O objeto Fields permite que você faça acesso a qualquer campo de um dataset. Para acessar campos individuais de um dataset, use uma das propriedades ou método de TDataSet listados abaixo. Propriedade FieldValues [Index : Integer]; Function FieldByName (const FieldName : string):tfield; Propriedade FieldCount; Propriedade Fields; A propriedade FieldValues[ ], retorna os valores de um registro sob a forma de uma variável do tipo variant. Pelo fato de FieldValue[ ] ser o array default, não é necessário o nome da propriedade para acessar o array. Veja o exemplo abaixo, onde se atribui o conteúdo de CustNo a string S. ou ao inteiro I. S:= Table1['CustName']; I:= Table1['CustName']; É possível armazena todos os campos de um registro em um array do tipo variant, analise o exemplo abaixo: Delphi 4 Pag. 139

13 Const Astr = 'O %S é da %S categoria e seu tamanho é %F polegadas'; Var VarArr : Variant; F : Double; Begin VarArr := VarArray.Create([0,2],varVariant); VarArr := Table1('Nome, Categoria, Lenght'); F := VarArr[2]; ShowMessage (Format(Astr,[VarArr[0],VarArr[1],F)); End; A função Field ByName( ) também é usada para acessar um campo, ela aceita uma string como parâmetro, que corresponde ao nome do campo na tabela. Por exemplo, FieldsByName('OrderNo') retorna um componente do tipo TField cuja representação é o campo OrderNo do registro corrente da dataset. A propriedade FieldCount retorna o número de campos da estrutura do registro. VALORES DOS CAMPOS Dado um objeto TField é possível atribuir/recuperar o valor de um campo usando uma das propriedade de TField descritas na tabela abaixo:. Propriedade AsBoolean AsFloat AsInteger AsString AsDataTime Value Tipo Retornando Boolean Double Long Int String Tdate Time Variant Se o primeiro campo do dataset é uma string, você pode ver seu conteúdo num TEdit. Edit1.Text := Table1.Fields[0].AsString; No código abaixo, a variável I recebe o conteúdo do campo OrderNo do registro corrente. I := Table1.FieldsByName('OrderNo').AsInteger; Delphi 4 Pag. 140

14 A PROPRIEDADE DATATYPE Esta propriedade indica qual o tipo de um campo pertencente a uma tabela, os tipos NÃO são correspondentes aos tipos do Object Pascal. A propriedade DataType descende de TFieldType, é definida como: TfieldType =( ftunknown, ftsmallint, ftinteger, ftword, ftboolean, ftfloat, ftbcd, ftdate, fttime, ftdatetime, ftbytes, ftvarbytes, ftautoinc, ftblob, ftmemo, ftgraphic, ftfmtmemo, ftgraphic, ftfmtmemo, ftparadoxole, ftdbaseole, fttypebinary) NOMES E NÚMEROS DE CAMPO Para obter o nome de um campo de uma tabela, usa-se a propriedade FieldName, para obter o número do campo, quando se conhece apenas seu nome, usa-se a propriedade FieldNo. Analise os exemplos abaixo. 0} Var Begin S : String; I : Integer; S := Table1.Fields[0].FieldName; {S recebe o nome do campo cujo índice é I := Table1.FiledsByName('OrderNo').FieldNo; {I recebe o número do campo corespondente a OrderNo} End; A propriedade FieldCount indica o números de campos de uma tabela. MANIPULANDO CAMPOS DE DADOS Os métodos abaixo permitem que o usuário manipule dados de uma tabela Procedure Append; Procedure Insert; Procedure Cancel; Procedure Delete; Procedure Edit; Procedure Post; Todas essas rotinas são parte de TDataSet e são herdada e utilizadas por TTable e TQuery. O processo de edição de um ou mais campos do registro corrente é constituído de 3 etapas. 1. Chame o método Edit( ) do dataset, para deixar o data set em edit mode. 2. Atribua o novo valor ao campo desejado. 3. Envie a alteração para o dataset chamando o método Post( ) ou movendo-se para um novo registro (ocorrerá um Post automático). Delphi 4 Pag. 141

15 Veja um exemplo típico: Table1.Edit; {coloca o database em modo de edição} Table1.['Age'] := 33; Table1.Post; NOTA: {atribui 33 no campo Age} {escreve o dado no disco} É possível que o dado a ser modificado seja não editável (isto é, se a propriedade ReadOnly de TTable ou TQuery seja True) você pode verificar se um registro será ou não modificável através da propriedade CanModifity. Se CanModify é True o dataset é editável. Para inserir ou apendar registros ao dataset: 1. Chame os métodos Insert( ) ou Append( ) do dataset para colocar o dataset em insert mode. 2. Atribua os valores ao campo do dataset. 3. Envie o novo registro para o dataset através do método Post( ) ou mova-se para um novo registro (ocorrerá um Post automático). Veja um exemplo: NOTA Table1.Insert; Table1.['Name'] := 'Sergio Serra'; Table1.['Age'] := 33; Table1.['Job'] := 'Analista de Sistemas'; Table1.Post; As chamadas métodos First( ), Next( ), Prior( ), Last( ) e MoveBy( ) executam um Post automático quando você estiver em edit, insert ou append mode, se você estiver trabalhando com um servidor de dados, as regras acima não se aplicam, pois eles possuem regras próprias. Em algum momento, antes que as edições e modificações em seu dataset sejam efetuadas pelo Post, você pode abandonar as alterações usando o método Cancel( ). Analise o exemplo a seguir: Table1.Edit; Table1.['Age'] := 33; Table1.Cancel; O método Cancel( ) desfaz as alterações no dataset, tira -o de edit mode, append ou insert mode, e coloca o dataset em browse(visualização) mode. O método Delete( ) remove o registro corrente no dataset, veja um exemplo: Tabel1.Last; Table1.Delete; Delphi 4 Pag. 142

16 REFRESH Universidade Federal do Rio de Janeiro Uma tabela aberta está sujeita a alterações, registros são adicionados, removidos e alterados continuamente no seu dataset, então, regularmente você deve reler as informações do dataset do disco ou memória para atualizar seu dataset. Você pode atualizar seu dataset usando o método Refresh( ), funcionalmente ele faz o mesmo que um Close( ) e Open( ) em seu dataset, porém é muito mais veloz. CUIDADO: A chamada do Refresh( ) pode causar algum efeito colateral para os usuários de seu programa. Se um usuário está vendo um registro deletado e um Refresh( ) é executado, o usuário terá a impressão que o registro desapareceu sem nenhuma razão aparente. A PROPRIEDADE STATE A propriedade State de TDataSet informa se uma tabela ou query está em edit ou append mode ou mesmo se está ativa, os valores de status válidos são: Valor dsbrowse dscalcfields dsedit dsinactive dsinsert dssetkey Significado É o valor default, O dataset está um modo de visualização. É o estado enquanto o evento OnCalcFields está sendo executado. O dataset está em modo de edição, isso significa que o método Edit( ) foi chamado e o registro que está sendo editado. O dataset está fechado. O dataset está em mode de inserção, isso significa que o método Insert( ) foi chamado e a alteração ainda não foi efetuada. Indica que estamos preparando uma pesquisa no dataset. O dataset está em setkey mode, isso significa que SetKey( ) foi chamado, mas o GotoKey( ) ainda não foi chamado. FILTROS Os filtros permitem que você pesquise e filtre dados usando somente código Object Pascal. A grande vantagem do uso de filtros está baseada no fato que eles não usam índices ou qualquer outra preparação do dataset. Delphi 4 Pag. 143

17 FILTRANDO UM DATASET Um dos usos mais comuns de filtros em Delphi, é limitar o visualização de um conjunto de dados, permitindo que sejam exibidos somente um conjunto de dados específicos. Este processo é muito simples e consistem de duas etapas. 1 - Codifique a procedure de filtragem do data set no evento OnFilterRecord de TTable. 2 - Altere o valor da propriedade Filtered para True. O código abaixo é um pequeno exemplo de uso de filtros. procedure TForm1.Table1FilterRecord(DataSet: TDataSet; var Accept: Boolean); var fieldval : string; begin fieldval:=dataset['company']; // Filtra os valores do campo company accept:=fieldval[1]='s'; //recebe os elementos que começam com S end; USANDO TTABLE Esta seção descreve não só os principais métodos e propriedades do componente TTable como também sua utilização. Você aprenderá aprender a localizar registros, filtrar registros através de ranges (intervalos) e criar tabelas. PESQUISANDO REGISTROS A VCL possui vários métodos usados para pesquisar registros em uma tabela. Se você estiver trabalhando com tabelas dbase ou Paradox, o Delphi assume que os campos em que você faz a pesquisa são os índices. Em tabelas SQL, sua busca não terá boa performance caso você não possua índices definidos.. Por exemplo, imagine que você possui uma tabela, o primeiro campo é chave primária e é tipo numérico, o segundo campo é alfanumérico. Você pode pesquisar um registro usando uma das técnicas abaixo: FINDKEY ( ) Técnica do FindKey( ) Técnica SetKey( )...GotoKey( ) O método FindKey( ) de TTable permite que você pesquise um ou mais campos numa única chamada da função. A função FindKey( ) aceita um array de constantes (critério de busca) como parâmetro e retorna True quando sua pesquisa é bem sucedida. Por Delphi 4 Pag. 144

18 exemplo, o código abaixo busca o registro cujo (primeiro) campo possui valor 123 e o segundo a string Hello. if not Table1.FindKey([123, 'Hello']) then MessageBeep(0); Caso a busca retorne False será emitido um beep. SET KEY ( )... GOTOKEY ( ) A chamada do método SetKey( ) coloca a tabela num modo que prepara os campos para serem carregados com os valores representados pelo critério de busca. Uma vez estabelecido o critério de busca, use o método GotoKey( ) para pesquisar os registros coincidentes. Rescrevendo o exemplo anterior teremos: With Table1 do begin SetKey; Fields[0].AsInteger := 123; Fields[1].AsString := 'Hello'; if not GotoKey then MessageBeep(0); end; CLOSET MATCH - Buscas Você pode usar o método FindNearest( ) ou a técnica SetKey( )...GoToKey( ) para pesquisar um valor numa tabela que mais se aproxima ao critério de busca. Por exemplo, para pesquisar o primeiro registro cujo valor mais se aproxima do valor indexado (maior ou igual a 123), use o código abaixo. Table1.FindNearest([123]); FindNearest( ) aceita um array de constantes como parâmetro que contém os valores dos campos a serem procurados. with Table1 do begin SetKey; Fields[0].AsInteger := 123; GotoNearest; end; Caso a pesquisa obtenha sucesso e a propriedade KeyExclusive estiver setada como false, o ponteiro de registro apontará para o primeiro registro coincidente. Se KeyExclusive for true, o registro corrente será o imediatamente posterior ao registro coincidente. Delphi 4 Pag. 145

19 ÍNDICES Todos os métodos de pesquisa, assumem que você está pesquisando uma tabela com índice primário. Se você deseja pesquisar uma tabela usando um índice secundário, use o parâmetro IndexName com o índice desejado. Por exemplo, se sua tabela possui um índice secundário no campo SobreNome, e seu índice é chamado de LastName, o código abaixo permite que você busque uma pessoa cujo último nome é Serra. with Table1 do begin IndexName := 'LastName'; SetKey; FieldValues['SobreNome'] := 'Serra'; GotoKey; end; USO DE RANGES PARA FILTRAR REGISTROS DE UM DATASET O uso de Ranges permite que você filtre uma tabela, de modo que contenha apenas valores de campo dentro de uma faixa definida. Ranges funcionam de modo semelhante a chaves de procura. Existem vários métodos de utilizar ranges, a saber: Procedure SetRange; Procedure ApplyRange; Procedure SetRangeEnd; Procedure SetRangeStart; Para usar esses métodos: 1. Chame SetRangeStart( ) e depois use a propriedade Fields para definir o início do Range. 2. Chame SetRangeEnd( ) e use a propriedade novamente para definir o fim do Range. 3. As duas ações acima preparam o filtro: agora chame ApplyRange. SETRANGE( ) SetRange( ) aceita duas variáveis do tipo array of const como parâmetro. O primeiro representa o valor de início do range e o segundo, o final do range. Veja o exemplo abaixo. Table1.SetRange([10], [15]); APPLYRANGE ( ) O uso do método ApplyRange( ) constitui-se das etapas abaixo: Delphi 4 Pag. 146

20 1. Chame o método SetRangeStart( ) e modifique o array da propriedade Fields[ ], estabelecendo um valor de início para o campo chave. 2. Chame o método SetRangeEnd( ) e modifique mais uma vez o array da propriedade de Fields[ ] estabelecendo um valor de término para o campo chave. 3. Chame ApplyRange( ) para estabelecer um novo range. O Range anterior pode ser reescrito como: with Table1 do begin SetRangeStart; Fields[0].AsInteger:= 10; {Range iniciando 10} SetRangeEnd; Fields[0].AsInteger:= 15; {término do Range em 15} ApplyRange; end; REMOVENDO UM RANGE Para remover um ranger de uma tabela e recuperar a tabela ao estado anterior a definição do ApplyRange( ) ou SetRange( ), use o método CancelRange( ) de TTable. Table1.CancelRange; EVENTOS DE TTABLE TTable fornece alguns eventos que ocorrem antes e depois que um registro é deletado, editado e inserido; quando uma modificação é efetivada ou cancelada, ou ainda quando uma tabela é aberta ou fechada. Os eventos de TTable permitem que você tenha controle total sobre sua aplicação de banco de dados. A nomenclatura destes eventos seguem o padrão BeforeXXX e AfterXXX, onde XXX pode ser delete, edit, insert, open, etc. OnNewRecord Este evento ocorre sempre que um novo record é adicionado à tabela OnCalcFields Este evento ocorre se o cursor é movido para fora do registro corrente ou se o regitro corrente foi modificado. Adicionar um evento em OnCalcFields permite que você manipule campos calculados NOTA Um campo calculado é um campo que não necessariamente faz parte da tabela fisicamente, porém está associado logicamente a TTable. Um campo calculado permite que você exiba o valor baseado em um ou mais campos do registro corrente. Delphi 4 Pag. 147

Conceito de um DataSet no Delphi

Conceito de um DataSet no Delphi InforBRás - Informática Brasileira Ltda. Capítulo 8 Adicionando Componentes de Banco de Dados à uma Aplicação Overview Os componentes de banco de dados e suas capacidades descritas neste capítulo fornecem

Leia mais

Capítulo 7. Arquitetura de Acesso a Dados do Delphi

Capítulo 7. Arquitetura de Acesso a Dados do Delphi Capítulo 7 Arquitetura de Acesso a Dados do Delphi Overview Utilizando o Delphi, você pode criar aplicações de bancos de dados que trabalhem diretamente com bancos de dados desktop ou servidores de bancos

Leia mais

Apostila Delphi V 1.0

Apostila Delphi V 1.0 Preço: R$ 5,00 Link de download: setup.exe Tipo da licença: demonstração Limitações: perrmite visualizar até a página 12. Exige cadastro on-line para solicitar chave de registro. 1 / 7 Apostila completa

Leia mais

Aula Extra Conexão ODBC para aplicações Delphi 7 que usam SQL Server 2005

Aula Extra Conexão ODBC para aplicações Delphi 7 que usam SQL Server 2005 Nome Número: Série Aula Extra Conexão ODBC para aplicações Delphi 7 que usam SQL Server 2005 Proposta do projeto: Competências: Compreender a orientação a objetos e arquitetura cliente-servidor, aplicando-as

Leia mais

Introdução a Banco de Dados em Delphi

Introdução a Banco de Dados em Delphi Introdução a Banco de Dados em Delphi Daniela Caio André Gomes Roberto Scalco 2013 3 Sumário CAPÍTULO 1 ELEMENTOS DE UM BANCO DE DADOS... 4 1. O ARQUIVO DADOS... 4 2. CONCEITOS BÁSICOS DE BANCOS DE DADOS...

Leia mais

Inserindo Dados no Banco de Dados Paradox.

Inserindo Dados no Banco de Dados Paradox. Inserindo Dados no Banco de Dados Paradox. - Construção do Banco de Dados: Para podermos inserir algo em um banco precisaremos de um Banco de Dados, para isto iremos montar um utilizando o Programa Database

Leia mais

Projeto Supermercado - Produtos

Projeto Supermercado - Produtos OBJETIVO: Este projeto possibilitará fazer a manutenção dos dados da tabela de Produtos. Didaticamente, ele permite ao programador iniciante ter os primeiros contatos com os objetos de visualização individual

Leia mais

Introdução a Informática. Prof.: Roberto Franciscatto

Introdução a Informática. Prof.: Roberto Franciscatto Introdução a Informática Prof.: Roberto Franciscatto 6.1 ARQUIVOS E REGISTROS De um modo geral os dados estão organizados em arquivos. Define-se arquivo como um conjunto de informações referentes aos elementos

Leia mais

Bancos de Dados. Preço Unitário Quantidade Borland Database Engine

Bancos de Dados. Preço Unitário Quantidade Borland Database Engine Conceitos Importantes Bancos de Dados O gerenciamento de bancos de dados é essencial para o desenvolvimento comercial, e para criar um banco de dados eficiente é necessário o conhecimento prévio de modelagem

Leia mais

Trabalhando com conexão ao banco de dados MySQL no Lazarus. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011

Trabalhando com conexão ao banco de dados MySQL no Lazarus. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Trabalhando com conexão ao banco de dados MySQL no Lazarus Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Edição 4 O Componente Trabalhando com conexão ao banco de dados MySQL no Lazarus Ano: 03/2011

Leia mais

Criação de uma base de dados em MS SQL Server e acesso com VB 6. Professor Sérgio Furgeri

Criação de uma base de dados em MS SQL Server e acesso com VB 6. Professor Sérgio Furgeri OBJETIVOS DA AULA: Criação de uma base de dados em MS SQL Server e acesso com VB 6. Fazer uma breve introdução a respeito do MS SQL Server 7.0; Criar uma pequena base de dados no MS SQL Server 7.0; Elaborar

Leia mais

ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I PROFESSOR RAFAEL BARRETO

ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I PROFESSOR RAFAEL BARRETO ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I PROFESSOR RAFAEL BARRETO DELPHI - UTILIZANDO OPENDIALOG PARA ARMAZENAR IMAGENS EM BANCO DE DADOS Criaremos uma solução simples para criar

Leia mais

GBD. Introdução PROF. ANDREZA S. AREÃO

GBD. Introdução PROF. ANDREZA S. AREÃO GBD Introdução PROF. ANDREZA S. AREÃO Sistema de arquivos X Sistemas de Banco de Dados Sistema de arquivos Sistema de Banco de Dados Aplicativos Dados (arquivos) Aplicativos SGBD Dados (arquivos) O acesso/gerenciamento

Leia mais

Capítulo 1: O BDE Administrador e os SQL Links

Capítulo 1: O BDE Administrador e os SQL Links Capítulo 1: O BDE Administrador e os SQL Links Interface Explorer Quando o Delphi precisa acessar um banco de dados, ele o faz através dos serviços do Borland Database Engine (BDE). O BDE funciona da mesma

Leia mais

CRIAÇÃO DE RELATÓRIOS EM DELPHI

CRIAÇÃO DE RELATÓRIOS EM DELPHI PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES II PROFESSOR RAFAEL BARRETO CRIAÇÃO DE RELATÓRIOS EM DELPHI Relatórios são tão importantes quanto as consultas, com a vantagem de poder imprimir os valores armazenados nos Bancos

Leia mais

Programação WEB II. PHP e Banco de Dados. progweb2@thiagomiranda.net. Thiago Miranda dos Santos Souza

Programação WEB II. PHP e Banco de Dados. progweb2@thiagomiranda.net. Thiago Miranda dos Santos Souza PHP e Banco de Dados progweb2@thiagomiranda.net Conteúdos Os materiais de aula, apostilas e outras informações estarão disponíveis em: www.thiagomiranda.net PHP e Banco de Dados É praticamente impossível

Leia mais

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server Noções de 1 Considerações Iniciais Basicamente existem dois tipos de usuários do SQL Server: Implementadores Administradores 2 1 Implementadores Utilizam o SQL Server para criar e alterar base de dados

Leia mais

Criando um banco de dados

Criando um banco de dados Após ter projetado o banco de dados, você pode criá-lo utilizando a interface ou com a linguagem. É possível que você queira adicionar tabelas existentes ao banco de dados e depois modificá-las para aproveitar

Leia mais

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário Sumário Conceitos Microsoft Access 97... 01 Inicialização do Access... 02 Convertendo um Banco de Dados... 03 Criando uma Tabela... 06 Estrutura da Tabela... 07 Propriedades do Campo... 08 Chave Primária...

Leia mais

ADO.NET - Roteiro básico e Boas Práticas

ADO.NET - Roteiro básico e Boas Práticas ADO.NET - Roteiro básico e Boas Práticas Confuso com tantos conceitos novos, com tantas siglas e acrósticos? Qual provedor usar? Devo usar DataSet ou DataReader? Se essas e outras dúvidas te atormentam,

Leia mais

ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES II PROFESSOR RAFAEL BARRETO

ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES II PROFESSOR RAFAEL BARRETO ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES II PROFESSOR RAFAEL BARRETO DELPHI CRIANDO UMA AUTENTICAÇÃO DE USUÁRIO UTILIZANDO O COMPONENTE QUERY A autenticação de usuários serve para

Leia mais

Usando o evento OnFilterRecord para filtrar ClientDataSets

Usando o evento OnFilterRecord para filtrar ClientDataSets Usando o evento OnFilterRecord para filtrar ClientDataSets O objetivo mais importante no desenvolvimento de um programa é fornecer ao cliente maior liberdade para usar as interfaces e ao mesmo tempo tornar

Leia mais

DESENVOLVENDO SOLUÇÕES COM VISUAL FOXPRO 8 E 9

DESENVOLVENDO SOLUÇÕES COM VISUAL FOXPRO 8 E 9 DESENVOLVENDO SOLUÇÕES COM VISUAL FOXPRO 8 E 9 Í N D I C E Capítulo 1 - O Início de Tudo 1 Reunindo todas as informações necessárias 2 Instalando o Visual FoxPro 2 Configurando o Visual FoxPro 7 Capítulo

Leia mais

Front-End Uso da Linguagem Turbo Delphi para Acesso ao Banco de Dados Mysql

Front-End Uso da Linguagem Turbo Delphi para Acesso ao Banco de Dados Mysql Universidade Federal de Mato Grosso-UFMT Sistemas de Informação Laboratório de Programação Visual Prof. Clóvis Júnior Front-End Uso da Linguagem Turbo Delphi para Acesso ao Banco de Dados Mysql Estrutura

Leia mais

Revisando sintaxes SQL e criando programa de pesquisa. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011

Revisando sintaxes SQL e criando programa de pesquisa. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Revisando sintaxes SQL e criando programa de pesquisa. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Edição 5 SELECT * FROM Minha_memoria Revisando Sintaxes SQL e Criando programa de Pesquisa Ano:

Leia mais

Construção de uma ferramenta para preenchimento de uma base de dados RAFAEL MUNDIM SILVA

Construção de uma ferramenta para preenchimento de uma base de dados RAFAEL MUNDIM SILVA Construção de uma ferramenta para preenchimento de uma base de dados RAFAEL MUNDIM SILVA Uberlândia-MG, Dezembro/2000 Construção de uma ferramenta para preenchimento de uma base de dados RAFAEL MUNDIM

Leia mais

Migrando Bancos de Dados pelo Delphi

Migrando Bancos de Dados pelo Delphi São muitas as vezes em que temos necessidade de migrar nosso banco de dados, seja para ter uma tecnologia mais nova ou para regredir e usar as opções que os velhos sistemas usam. Neste artigo veremos como

Leia mais

Introdução ao Delphi. Introdução. Edições do Software. Capítulo 1. InforBRás - Informática Brasileira Ltda. O Que é o Delphi.

Introdução ao Delphi. Introdução. Edições do Software. Capítulo 1. InforBRás - Informática Brasileira Ltda. O Que é o Delphi. Capítulo 1 O Que é o Delphi Diferenças entre Delphi Client/Server do Delphi for Windows Características que compõem o Integrated Development Invironment (IDE) Como o Delphi se encaixa na família Borland

Leia mais

Oracle PL/SQL Overview

Oracle PL/SQL Overview Faculdades Network Oracle PL/SQL Overview Prof. Edinelson PL/SQL Linguagem de Programação Procedural Language / Structured Query Language Une o estilo modular de linguagens de programação à versatilidade

Leia mais

Capítulo 4: Usando o Componente TDatabase Controlando Conexões de Banco de Dados

Capítulo 4: Usando o Componente TDatabase Controlando Conexões de Banco de Dados Capítulo 4: Usando o Componente TDatabase Controlando Conexões de Banco de Dados Todas as aplicações de banco de dados no Delphi usam um componente TDatabase para encapsular a conexão com um banco de dados.

Leia mais

ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES II PROFESSOR RAFAEL BARRETO DELPHI FORMULÁRIO COM ABAS E BUSCAS DE REGISTROS

ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES II PROFESSOR RAFAEL BARRETO DELPHI FORMULÁRIO COM ABAS E BUSCAS DE REGISTROS ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES II PROFESSOR RAFAEL BARRETO DELPHI FORMULÁRIO COM ABAS E BUSCAS DE REGISTROS FORMULÁRIOS COM ABAS Trabalhar com abas (ou guias) é um recurso

Leia mais

Android e Bancos de Dados

Android e Bancos de Dados (Usando o SQLite) Programação de Dispositivos Móveis Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do

Leia mais

CRIANDO UM BANCO DE DADOS

CRIANDO UM BANCO DE DADOS CRIANDO UM BANCO DE DADOS Bem, antes de iniciarmos propriamente no delphi, devemos aprender a usar sua ferramentas, sendo uma das mais importantes o Database Desktop, pois é com esta que construímos nossos

Leia mais

Como funcionam os comandos de SQL no Logic Basic Por Alan Oliveira

Como funcionam os comandos de SQL no Logic Basic Por Alan Oliveira Como funcionam os comandos de SQL no Logic Basic Por Alan Oliveira www.linksinfo.com.br Tutorial versão 1.0 Sobre o Logic basic: Parte 1 Sobre o Logic Basic e o SQL O Logic Basic é uma linguagem de programação

Leia mais

Programação com Acesso a Banco de Dados

Programação com Acesso a Banco de Dados Campus Ipanguaçu Curso: Técnico em Informática Programação com Acesso a Banco de Dados AULA 17 ACESSO A BANCO DE DADOS COM JDBC PROF.: CLAYTON M. COSTA 2 011.2 Introdução Aplicação + Banco de Dados: Funcionalidade

Leia mais

Curso de Delphi Projeto de Sistema. SISLFV Sistema de Locação de Fitas de Vídeo

Curso de Delphi Projeto de Sistema. SISLFV Sistema de Locação de Fitas de Vídeo Curso de Delphi Projeto de Sistema SISLFV Sistema de Locação de Fitas de Vídeo Jackson Pires de Oliveira Santos Júnior 2002 - 1 - Curso de Delphi Projeto de Sistema - 1º Passo (Iniciando o Projeto) - 1)

Leia mais

Banco de Dados. Professor: Rômulo César. romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br

Banco de Dados. Professor: Rômulo César. romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br Banco de Dados Professor: Rômulo César romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br Sistema de arquivos X Sistemas de Banco de Dados Sistema de arquivos Sistema de Banco de Dados Aplicativos Dados (arquivos)

Leia mais

Aula 1 Acesso a Banco de Dados

Aula 1 Acesso a Banco de Dados Laboratório de Banco de Dados Aula 1 Acesso a Banco de Dados Prof. Josenildo Silva jcsilva@ifma.edu.br Introdução O JDBC (Java Database Connectivity) foi criado com o intuito de fornecer aos programadores

Leia mais

Otimizando o uso de conexões

Otimizando o uso de conexões Depois de implementar o aplicativo cliente/servidor, você poderá encontrar áreas em que gostaria de melhorar seu desempenho. Você pode ajustar o aplicativo para obter desempenho máximo, por exemplo, acelerando

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE VARIAÁ VEL Antes de iniciarmos os comandos referentes a Banco de Dados, precisamos de uma breve descrição técnica sobre Variáveis que serão uma constante em programação seja qual for sua forma de leitura.

Leia mais

Trabalhando com banco de dados

Trabalhando com banco de dados Avançado Trabalhando com Aprenda a manipular dados no Excel com a ajuda de outros aplicativos da suíte Office Armazenar e organizar informações são tarefas executadas diariamente por todos nós. Desde o

Leia mais

Listando itens em ComboBox e gravando os dados no Banco de Dados MySQL.

Listando itens em ComboBox e gravando os dados no Banco de Dados MySQL. Listando itens em ComboBox e gravando os dados no Banco de Dados MySQL. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2012 Edição 7 Listando e Gravando Listando itens em ComboBox e gravando os dados no

Leia mais

8VDQGR5HSRUW0DQDJHUFRP&ODULRQH3RVWJUH64/ -XOLR&HVDU3HGURVR 8VDQGRSDUkPHWURV

8VDQGR5HSRUW0DQDJHUFRP&ODULRQH3RVWJUH64/ -XOLR&HVDU3HGURVR 8VDQGRSDUkPHWURV 8VDQGRSDUkPHWURV O envio de parâmetros para um relatório é uma das funções mais úteis do Report Manager, com eles você pode: Permitir que o usuário final altere palavras ou sentenças de um relatório; Atribuir

Leia mais

Manual de Instalação e Configuração

Manual de Instalação e Configuração e Configuração MyABCM 4.0 Versão 4.00-1.00 2 Copyright MyABCM. Todos os direitos reservados Reprodução Proibida Índice Introdução... 5 Arquitetura, requisitos e cenários de uso do MyABCM... 7 Instalação

Leia mais

Prof. Omero, pág. 63. Banco de Dados InterBase.

Prof. Omero, pág. 63. Banco de Dados InterBase. Prof. Omero, pág. 63 O que é o InterBase? O InterBase é um SGBDR - Sistema Gerenciador de Banco de Dados Cliente/Servidor Relacional 1 que está baseado no padrão SQL ANSI-9, de alta performance, independente

Leia mais

Excel 2010 Modulo II

Excel 2010 Modulo II Excel 2010 Modulo II Sumário Nomeando intervalos de células... 1 Classificação e filtro de dados... 3 Subtotais... 6 Validação e auditoria de dados... 8 Validação e auditoria de dados... 9 Cenários...

Leia mais

PadrãoIX. Módulo II JAVA. Marcio de Carvalho Victorino. JDBC - Java Database Connectivity A,L,F,M

PadrãoIX. Módulo II JAVA. Marcio de Carvalho Victorino. JDBC - Java Database Connectivity A,L,F,M JAVA Marcio de Carvalho Victorino 1 JDBC - Java Database Connectivity 2 1 JDBC conceito JDBC é uma API (Application Program Interface) para acesso a SGBD s (Sistemas Gerenciadores de Banco de Dados) relacionais

Leia mais

Iniciando o MySQL Query Brower

Iniciando o MySQL Query Brower MySQL Query Brower O MySQL Query Browser é uma ferramenta gráfica fornecida pela MySQL AB para criar, executar e otimizar solicitações SQL em um ambiente gráfico. Assim como o MySQL Administrator foi criado

Leia mais

Sistema básico de cadastro em Delphi com banco de dados InterBase.

Sistema básico de cadastro em Delphi com banco de dados InterBase. Sistema básico de cadastro em Delphi com banco de dados InterBase. Nesta apostila vamos abordar o uso do banco de dados Interbase e o acesso nativo com os componentes da paleta InterBase do Delphi, eu

Leia mais

Introdução ao SQL. O que é SQL?

Introdução ao SQL. O que é SQL? Introdução ao SQL 1 O que é SQL? Inicialmente chamada de Sequel, SQL (Structured Query Language), é a linguagem padrão utilizada para comunicar-se com um banco de dados relacional. A versão original foi

Leia mais

SQL Linguagem de Definição de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri

SQL Linguagem de Definição de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Linguagem de Definição de Dados Banco de Dados SQL Structured Query Language Uma das mais importantes linguagens relacionais (se não a mais importante) Exemplos de SGBD que utilizam SQL Oracle Informix

Leia mais

Curso de Iniciação ao Access Basic (I) CONTEÚDOS

Curso de Iniciação ao Access Basic (I) CONTEÚDOS Curso de Iniciação ao Access Basic (I) CONTEÚDOS 1. A Linguagem Access Basic. 2. Módulos e Procedimentos. 3. Usar o Access: 3.1. Criar uma Base de Dados: 3.1.1. Criar uma nova Base de Dados. 3.1.2. Criar

Leia mais

COMPONENTES DA BIBLIOTECA ZEOSLIB. Paleta Zeos Access no Lazarus. TZConnection

COMPONENTES DA BIBLIOTECA ZEOSLIB. Paleta Zeos Access no Lazarus. TZConnection COMPONENTES DA BIBLIOTECA ZEOSLIB Paleta Zeos Access no Lazarus TZConnection É o componente que estabelece a conexão com o banco de dados e possui a capacidade de manipular ou controlar transações. Todo

Leia mais

UNINGÁ UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR INGÁ FACULDADE INGÁ CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSORS. Profº Erinaldo Sanches Nascimento

UNINGÁ UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR INGÁ FACULDADE INGÁ CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSORS. Profº Erinaldo Sanches Nascimento UNINGÁ UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR INGÁ FACULDADE INGÁ CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSORS Profº Erinaldo Sanches Nascimento Introdução Cursor é usado para percorrer um conjunto de linhas retornadas por uma consulta

Leia mais

Laboratório de Banco de Dados Aula 1 Acesso a Banco de Dados. Prof. Josenildo Silva jcsilva@ifma.edu.br

Laboratório de Banco de Dados Aula 1 Acesso a Banco de Dados. Prof. Josenildo Silva jcsilva@ifma.edu.br Laboratório de Banco de Dados Aula 1 Acesso a Banco de Dados Prof. Josenildo Silva jcsilva@ifma.edu.br Introdução O JDBC (Java Database Connectivity) foi criado com o intuito de fornecer aos programadores

Leia mais

PL/SQL. Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri. Laboratório de Bases de Dados PL/SQL

PL/SQL. Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri. Laboratório de Bases de Dados PL/SQL PL/SQL Laboratório de Bases de Dados PL/SQL Program Language SQL linguagem de programação da Oracle que permite processar dados armazenados no banco de dados Exemplos de operações permitidas alterar, remover,

Leia mais

Desenvolvendo Aplicações Web com NetBeans

Desenvolvendo Aplicações Web com NetBeans Desenvolvendo Aplicações Web com NetBeans Aula 3 Cap. 4 Trabalhando com Banco de Dados Prof.: Marcelo Ferreira Ortega Introdução O trabalho com banco de dados utilizando o NetBeans se desenvolveu ao longo

Leia mais

Acesso a Bancos de Dados (JDBC) Autor: Cleyton Maciel (clayton.maciel@ifrn.edu.br) Adaptação: Pedro Baesse (pedro.baesse@ifrn.edu.

Acesso a Bancos de Dados (JDBC) Autor: Cleyton Maciel (clayton.maciel@ifrn.edu.br) Adaptação: Pedro Baesse (pedro.baesse@ifrn.edu. Acesso a Bancos de Dados (JDBC) Autor: Cleyton Maciel (clayton.maciel@ifrn.edu.br) Adaptação: Pedro Baesse (pedro.baesse@ifrn.edu.br) JDBC Conceito Tipos Transações Tipos SQL e JAVA Conexão JDBC Implementação

Leia mais

4 Criação de macros e introdução à linguagem VBA

4 Criação de macros e introdução à linguagem VBA 4 Criação de macros e introdução à linguagem VBA Vinicius A. de Souza va.vinicius@gmail.com São José dos Campos, 2011. 1 Sumário Tópicos em Microsoft Excel 2007 Introdução à criação de macros...3 Gravação

Leia mais

Replicação de Dados no Interbase

Replicação de Dados no Interbase Replicação de Dados no Interbase Por Matt Hopkins, Dunstan Thomas(UK) LTD.Borland Developers Conferece 1998 - nessa época ainda não existia o componente IBReplicator Origem: http://www.ibphoenix.com/ibp_howto10.html

Leia mais

Analisando e comparando as funções do DBNavegator

Analisando e comparando as funções do DBNavegator Prof or : Gilberto Braga e Renato Candini Nome Número: Série DELPHI PARA PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES II AULA 2 Competências: Integrar sistemas; Habilidades: Utilizar modelos, pseudocódigos e ferramentas

Leia mais

Laboratório de Banco de Dados Prof. Luiz Vivacqua. PL/pgSQL A Linguagem de programação do PostgreSQL

Laboratório de Banco de Dados Prof. Luiz Vivacqua. PL/pgSQL A Linguagem de programação do PostgreSQL Laboratório de Banco de Dados Prof. Luiz Vivacqua PL/pgSQL A Linguagem de programação do PostgreSQL 1) Visão Geral A PL/pgSQL é uma linguagem de programação procedural para o Sistema Gerenciador de Banco

Leia mais

Tarefa Orientada 20 Cursores

Tarefa Orientada 20 Cursores Tarefa Orientada 20 Cursores Objectivos: Declarar cursores Utilizar cursores Utilizar funções do sistema para trabalhar com cursores Actualizar dados através de cursores Um cursor é um objecto da base

Leia mais

Tarefa Orientada 5 Aplic. Manutenção de Facturas de Clientes

Tarefa Orientada 5 Aplic. Manutenção de Facturas de Clientes Tarefa Orientada 5 Aplic. Manutenção de Facturas de Clientes Objectivos: Aplicação Manutenção de Facturas de Clientes Utilização de uma fonte de dados. Formulários Master/Detail. Adicionar consultas a

Leia mais

Python Acessando o Banco de Dados MySQL

Python Acessando o Banco de Dados MySQL Python Acessando o Banco de Dados MySQL ANTONIO SÉRGIO NOGUEIRA PRESIDENTE PRUDENTE SP 2009 1 Sumário 1. Introdução...3 2. Interface MySQL...3 3.Instalando o MySQLdb...3 4.Verificando se o MySQL está instalado...4

Leia mais

SQL Structured Query Language

SQL Structured Query Language Janai Maciel SQL Structured Query Language (Banco de Dados) Conceitos de Linguagens de Programação 2013.2 Structured Query Language ( Linguagem de Consulta Estruturada ) Conceito: É a linguagem de pesquisa

Leia mais

SQL SQL BANCO DE DADOS 2. Componentes do SQL (1) Componentes do SQL (2) DDL Criação de banco de dados. Padrões de SQL

SQL SQL BANCO DE DADOS 2. Componentes do SQL (1) Componentes do SQL (2) DDL Criação de banco de dados. Padrões de SQL BANCO DE DADOS 2 SQL (CREATE TABLE, CONSTRAINTS, DELETE, UPDATE e INSERT) Prof. Edson Thizon SQL SQL ( structured query language ) é uma linguagem comercial de definição e manipulação de banco de dados

Leia mais

2008.1. A linguagem SQL

2008.1. A linguagem SQL SQL 2008.1 A linguagem SQL SQL - Structured Query Language. Foi definida nos laboratórios de pesquisa da IBM em San Jose, California, em 1974. Teve seus fundamentos no modelo relacional Sua primeira versão

Leia mais

Conectando Bancos de Dados Microsoft Access no BrOffice.org Base. fornecido pelo Projeto de Documentação do BrOffice.org

Conectando Bancos de Dados Microsoft Access no BrOffice.org Base. fornecido pelo Projeto de Documentação do BrOffice.org Conectando Bancos de Dados Microsoft Access no BrOffice.org Base fornecido pelo Projeto de Documentação do BrOffice.org Índice 1 Introdução...2 1.1 Versão... 2 1.2 Licenciamento...2 1.3 Mensagem do Projeto

Leia mais

3 Usando o editor da carga de dados

3 Usando o editor da carga de dados 3 Usando o editor da carga de dados Esta seção descreve como usar o editor de carga de dados para criar ou editar um script de carga de dados que pode ser usado para carregar seu modelo de dados no aplicativo.

Leia mais

Memória Flash. PdP. Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 11/12/2005 Última versão: 18/12/2006. Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos

Memória Flash. PdP. Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 11/12/2005 Última versão: 18/12/2006. Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos TUTORIAL Memória Flash Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 11/12/2005 Última versão: 18/12/2006 PdP Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos http://www.maxwellbohr.com.br contato@maxwellbohr.com.br

Leia mais

SQL Linguagem de Definição de Dados. Laboratório de Bases de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri

SQL Linguagem de Definição de Dados. Laboratório de Bases de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Linguagem de Definição de Dados SQL Structured Query Language Uma das mais importantes linguagens relacionais (se não a mais importante) Exemplos de SGBD que utilizam SQL Oracle Informix Ingress SQL

Leia mais

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 1

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 1 AULA Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 1 Em qualquer profissão é importante que se conheça bem as ferramentas que serão usadas para executar o trabalho proposto. No desenvolvimento de software não é

Leia mais

Sistema de Migração de Dados ADRIANO GOMES DOS SANTOS

Sistema de Migração de Dados ADRIANO GOMES DOS SANTOS Sistema de Migração de Dados ADRIANO GOMES DOS SANTOS Uberlândia-MG, Dezembro/2000. Sistema de Migração de Dados ADRIANO GOMES DOS SANTOS Monografia apresentada ao Curso de Ciência da Computação do Centro

Leia mais

Iniciar o Data Adapter Configuration Wizard. Toolbox Data Duplo clique em OleDbDataAdapter. Botão next na caixa de diálogo

Iniciar o Data Adapter Configuration Wizard. Toolbox Data Duplo clique em OleDbDataAdapter. Botão next na caixa de diálogo Iniciar o Data Adapter Configuration Wizard Toolbox Data Duplo clique em OleDbDataAdapter Botão next na caixa de diálogo Se carregar em Cancel, o wizard é cancelado e podemos depois definir as propriedades

Leia mais

Prof. Carlos Majer Aplicações Corporativas UNICID

Prof. Carlos Majer Aplicações Corporativas UNICID Este material pertence a Carlos A. Majer, Professor da Unidade Curricular: Aplicações Corporativas da Universidade Cidade de São Paulo UNICID Licença de Uso Este trabalho está licenciado sob uma Licença

Leia mais

Acessando bancos de dados com o JDBC

Acessando bancos de dados com o JDBC Acessando bancos de dados com o JDBC Notas de Aula: Java Como Programar, 8/E Prof. Geraldo Braz Junior Introdução Um banco de dados é uma coleção organizada de dados. Um sistema de gerenciamento de bancos

Leia mais

A multimídia para ambiente Windows foi desenvolvida a poucos anos atrás e hoje é lugar comum, nesta seção discutimos alguns itens genéricos.

A multimídia para ambiente Windows foi desenvolvida a poucos anos atrás e hoje é lugar comum, nesta seção discutimos alguns itens genéricos. MULTIMÍDIA Capítulo 8 Neste capítulo apresentaremos alguns elementos de multimídia, tais como: sons e vídeos e também como utilizar os recursos usando o controle de multimídia do ambiente Delphi. O Delphi

Leia mais

Primeiramente lemos a seguinte citação, copiada de Excel-Ajuda:

Primeiramente lemos a seguinte citação, copiada de Excel-Ajuda: 33 Capítulo 3 Procedimentos (macros) Primeiramente lemos a seguinte citação, copiada de Excel-Ajuda: O objetivo de uma macro é automatizar as tarefas usadas com mais freqüência. Embora algumas macros sejam

Leia mais

Aspectos Avançados. Conteúdo

Aspectos Avançados. Conteúdo Aspectos Avançados Conteúdo Vendo o que existe em seu computador Ambiente de Rede Lixeira Organizando arquivos e pastas Usando o Windows de maneira eficaz Trabalhando com documentos 34 Vendo o que existe

Leia mais

Replicação de Dados com InterBase/Firebird

Replicação de Dados com InterBase/Firebird Replicação de Dados com InterBase/Firebird By Matt Hopkins, Dunstan Thomas (UK) Ltd. Borland Developers Conference 1998 Este artigo irá descrever os conceitos básicos da replicação de dados e como isto

Leia mais

ARQUIVOS. Os arquivos criados em meios magnéticos poderão ser acessados para leitura e escrita na forma seqüencial, direta ou indexada.

ARQUIVOS. Os arquivos criados em meios magnéticos poderão ser acessados para leitura e escrita na forma seqüencial, direta ou indexada. Texto retirado e adaptado da apostila A Linguagem Pascal, disponível no site http://www.portaldaprogramacao.com (autor: desconhecido) ARQUIVOS Anteriormente, foi estudado o conceito de tabelas em memória

Leia mais

Capítulo 10 IMPRESSÃO TPRINTER. Universidade Federal do Rio de Janeiro Núcleo de Computação Eletrônica Divisão de Assistência ao Usuário

Capítulo 10 IMPRESSÃO TPRINTER. Universidade Federal do Rio de Janeiro Núcleo de Computação Eletrônica Divisão de Assistência ao Usuário IMPRESSÃO Capítulo 10 O processo de impressão no ambiente Windows não é tão simples quanto no DOS. O Delphi simplificou esta tarefa, disponibilizando uma grande quantidade de rotinas de impressão. TPRINTER

Leia mais

INTRODUÇÃO. No entanto, o que pode ser considerado um produto (resultado) da criação de BDs?

INTRODUÇÃO. No entanto, o que pode ser considerado um produto (resultado) da criação de BDs? BANCO DE DADOS Universidade do Estado de Santa Catarina Centro de Ciências Tecnológicas Departamento de Ciência da Computação Prof. Alexandre Veloso de Matos alexandre.matos@udesc.br INTRODUÇÃO Um Banco

Leia mais

Roteiro de Uso do InstallShield

Roteiro de Uso do InstallShield Roteiro de Uso do InstallShield Ao iniciar o InstallShield, a janela Welcome to InstallShield será exibida: Selecione a opção Create New Setup Project, para criar um novo modelo de instalação. A janela

Leia mais

Status Enterprise Guia do Usuário. Parte 12 Serviço de conector de Dados

Status Enterprise Guia do Usuário. Parte 12 Serviço de conector de Dados Guia do Usuário Parte 12 Serviço de conector de Dados Conteúdos 1 INTRODUÇÃO... 4 1.1 Descrição do Serviço conector de Dados ou Data com nector... 4 2 CRIAR UMA CONFIGURAÇÃO DE ENLACE DE DADOS... 5 2.1

Leia mais

FileMaker 13. Guia de ODBC e JDBC

FileMaker 13. Guia de ODBC e JDBC FileMaker 13 Guia de ODBC e JDBC 2004 2013 FileMaker Inc. Todos os direitos reservados. FileMaker Inc. 5201 Patrick Henry Drive Santa Clara, Califórnia 95054 FileMaker e Bento são marcas comerciais da

Leia mais

UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS BANCO DE DADOS

UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS BANCO DE DADOS CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS CLAUDIO RIBEIRO DA SILVA MARÇO 1997 2 1 - CONCEITOS GERAIS DE 1.1 - Conceitos Banco de Dados - Representa

Leia mais

SQL. Histórico BANCO DE DADOS. Conceito. Padrões de SQL (1) Componentes do SQL (1) Padrões de SQL (2) (DDL: CREATE TABLE, CONSTRAINTS)

SQL. Histórico BANCO DE DADOS. Conceito. Padrões de SQL (1) Componentes do SQL (1) Padrões de SQL (2) (DDL: CREATE TABLE, CONSTRAINTS) BANCO DE DADOS SQL (DDL: CREATE TABLE, CONSTRAINTS) Prof. Edson Thizon Histórico Entre 1974 e 1979, o San José Research Laboratory da IBM desenvolveu um SGDB relacional que ficou conhecido como Sistema

Leia mais

Introdução a Banco de Dados e à Linguagem SQL... 5. Relacionamento entre Tabelas... 7. A Linguagem SQL... 8

Introdução a Banco de Dados e à Linguagem SQL... 5. Relacionamento entre Tabelas... 7. A Linguagem SQL... 8 Sumário Introdução a Banco de Dados e à Linguagem SQL... 5 Relacionamento entre Tabelas... 7 A Linguagem SQL... 8 Acessando Banco de Dados pelo Delphi... 10 Abrindo e fechando uma tabela...15 Inserindo,

Leia mais

Avançado. Visão geral do ambiente do VBA Retornar à planilha Excel

Avançado. Visão geral do ambiente do VBA Retornar à planilha Excel Avançado Trabalhando com VBA Descubra a linguagem de programação do Microsoft Office e torne-se um expert no desenvolvimento de funções, macros e planilhas eletrônicas Nas edições anteriores da revista

Leia mais

Instalação TotvsServiceSped

Instalação TotvsServiceSped Instalação TotvsServiceSped ÍNDICE INSTALAÇÃO PRODUTO TOTVSSERVICESSPED - NFE... 1 INSTALAÇÃO DO TOPCONNECT... 2 1. Configuração da conexão com o Banco de Dados... 7 1.1. SQL Server... 7 1.2. Informix...

Leia mais

Acesso a Bancos de Dados em Java (JDBC)

Acesso a Bancos de Dados em Java (JDBC) Acesso a Bancos de Dados em Java (JDBC) Jomi Fred Hübner Universidade Regional de Blumenau Departamento de Sistemas e Computação Roteiro Introdução Objetivo da JDBC Vantagens Visão geral do acesso a SGBDs

Leia mais

Banco de Dados BrOffice Base

Banco de Dados BrOffice Base Banco de Dados BrOffice Base Autor: Alessandro da Silva Almeida Disponível em: www.apostilando.com 27/02/2011 CURSO TÉCNICO EM SERVIÇO PÚBLICO Apostila de Informática Aplicada - Unidade VI Índice Apresentação...

Leia mais

Índice. Tutorial para Desenvolvimento de Conduits em Delphi

Índice. Tutorial para Desenvolvimento de Conduits em Delphi Índice Índice...1 Desenvolvendo Conduits...2 (Passo a Passo)...2 Criando um Arquivo.mdb... 2 Arquivos...6 Instalando os componentes... 7 Recompilando os Comonentes do Delphi...13 Configurando a Conexão

Leia mais

Armazenamento de Dados. Prof. Antonio Almeida de Barros Junior

Armazenamento de Dados. Prof. Antonio Almeida de Barros Junior Armazenamento de Dados Prof. Antonio Almeida de Barros Junior 1 Armazenamento de Dados Todos os dados que utilizamos até o momento, ficavam armazenados apenas na memória. Ao final da execução dos programas,

Leia mais

PROCEDIMENTOS ARMAZENADOS (Stored Procedures)

PROCEDIMENTOS ARMAZENADOS (Stored Procedures) PROCEDIMENTOS ARMAZENADOS (Stored Procedures) 1. Introdução Stored Procedure é um conjunto de comandos, ao qual é atribuído um nome. Este conjunto fica armazenado no Banco de Dados e pode ser chamado a

Leia mais

Apresentando Dados com TListView por Luiz Fernando Severnini lfsevernini@yahoo.com.br Programador Autônomo

Apresentando Dados com TListView por Luiz Fernando Severnini lfsevernini@yahoo.com.br Programador Autônomo Apresentando Dados com TListView por Luiz Fernando Severnini lfsevernini@yahoo.com.br Programador Autônomo Sumário Introdução... 3 O Componente... 3 Por que usar TListView... 5 Algumas Propriedades...

Leia mais

Utilizando os componentes da paleta DBExpress para acesso ao banco Firebird

Utilizando os componentes da paleta DBExpress para acesso ao banco Firebird Utilizando os componentes da paleta DBExpress para acesso ao banco Firebird Esta apostila destina-se aqueles que tem algum interesse em aprender a conectar-se com um banco Firebird. Caso você seja um iniciante

Leia mais