PONTO 1: Extinção da Punibilidade PONTO 2: Prescrição Penal 1. EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PONTO 1: Extinção da Punibilidade PONTO 2: Prescrição Penal 1. EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE"

Transcrição

1 1 DIREITO PENAL PONTO 1: Extinção da Punibilidade PONTO 2: Prescrição Penal 1. EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE Com a prática da infração penal, surge para o Estado o direito de punir o agente, ou seja, a punibilidade, que consiste na possibilidade jurídica de o Estado impor sanção a quem comete algum delito. O legislador, estabelece causas que extinguem a punibilidade, previstas no art. 107 do Código Penal. Vale ressaltar que o rol do art. 107 do CP não é taxativo, existindo ainda outras causas que extinguem a punibilidade na parte especial do Código. As causas de extinção da punibilidade não se confundem com as escusas absolutórias. Naquelas, o direito de punir do Estado surge em primeiro momento e, posteriormente, é fulminado pela causa extintiva. As escusas são, excludentes de punibilidade, nem permitindo que surja o direito de punir para o Estado. Em regra, as causas geram efeitos civis, conforme art. 67, II do CPP. Dependendo do momento em que ocorre a extinção da punibilidade, o procedimento a ser adotado para a reparação do dano na esfera civil pode variar: - Se antes do trânsito em julgado da sentença, a vítima deverá ingressar com uma ação ordinária, de cognição plena e exauriente; - Se após o trânsito em julgado, o juiz é obrigado a fixar um valor mínimo de reparação do dano, para isso basta que a vítima execute no cível este título que agora será líquido, certo e exigível. Causas de extinção da Punibilidade:

2 2 a) Morte do agente: o juiz à vista da certidão de óbito do agente, decretará a extinção da punibilidade. Não basta portanto o mero atestado de óbito assinado pelo médico, sendo necessária a competente certidão expedida pelo Cartório de Registro Civil. Essa causa extintiva da punibilidade pode ocorrer em qualquer momento, antes ou durante a ação penal ou, ainda, em fase de execução. A morte do agente, por óbvio não se comunica aos demais autores da infração. b) Anistia, graça ou indulto: a anistia exclui o crime apagando seus efeitos. É ela concedida por lei, referindo-se a fatos e não a pessoas e, por isso, atinge todos que tenham praticado delitos de certa natureza. Pode ser concedida antes ou depois da sentença e retroage apagando o crime, extinguindo a punibilidade do agente e as demais conseqüências de natureza penal. Assim, se o agente vier a cometer novo crime, não será considerado reincidente. A graça e o indulto, por outro lado, pressupõem a existência de uma sentença penal condenatória transitada em julgado e atingem somente a pena imposta, subsistindo os demais efeitos condenatórios. Assim, se a pessoa agraciada ou indultada vier a cometer novo crime, será considerada reincidente. grupo de condenados. A graça é concedida individualmente, enquanto o indulto é concedido a um c) Retroatividade de lei que não mais considera o fato como criminoso: esse inciso consagra a aplicação da regra contida no art. 2º do Código Penal, que trata da retroatividade da lei penal mais benéfica. A abolitio criminis pode ocorrer antes ou depois da condenação e, no último caso, rescinde a própria condenação e todos os seus efeitos penais. d) Prescrição, decadência ou perempção: decadência na ação penal privada é a perda do direito de ação do ofendido em face de decurso do prazo sem oferecimento da queixa. Nos crimes de ação penal pública condicionada à representação, a decadência

3 3 decorre do não oferecimento no prazo legal da representação, o que impede o Ministério Público de oferecer a denúncia. A prescrição da pretensão punitiva que será após estudada também extingue a punibilidade, assim como a perempção, que é uma sanção aplicada ao querelante, consistente na perda do direito de prosseguir na ação penal privada, em razão de sua inércia ou negligência processual. e) Renúncia do direito de queixa ou pelo perdão aceito, nos crimes de ação privada: a renúncia é um ato através do qual o ofendido abre mão do direito de oferecer a queixa. É um ato unilateral, independendo de aceitação do autor do delito. A renúncia só pode ocorrer antes do início da ação penal. O perdão do ofendido é ato através do qual o querelante desiste do prosseguimento da ação penal privada, desculpando o querelado pela prática da infração penal. O perdão só cabe após o início da ação penal. Trata-se de ato bilateral, gerando a extinção da punibilidade se for aceito. f) Retratação do agente nos casos que a lei admite: através da retratação o agente admite que agiu erroneamente. Ex: crimes de calúnia. g) Perdão judicial, nos casos previstos em lei: o perdão judicial é o caso em que o juiz, embora comprovada a prática da infração pelo sujeito, deixa de aplicar pena em razão das circunstâncias. Somente é cabível nas hipóteses expressamente mencionadas. 2. PRESCRIÇÃO PENAL Natureza Jurídica da Prescrição: Para alguns é instituto de Direito Penal; para outros, de Direito Processual Penal e há, ainda, os que a atribuem um caráter misto. A corrente dominante a considera como de

4 4 Direito Penal, embora haja conseqüências imediatas de Direito Processual Penal. Outrossim, a prescrição penal recebe conotação diferente da civil, pois na penal, o Estado perde o direito de apurar e punir certa infração; na cível, perde o direito de ação mas subsiste o direito material. Espécies: podemos falar em prescrição da pretensão punitiva e prescrição da pretensão executória. Entretanto, as duas espécies possuem subespécies que serão a seguir mencionadas. A prescrição da pretensão punitiva em abstrato é a única espécie de prescrição que independe de sentença peal condenatória. Se baseia na pena máxima em abstrato. As majorantes e minorantes também são levadas em conta, uma vez que previstas em lei, se variáveis deve-se levar em conta a que mais aumenta ou menos diminui a pena. Prescrição intercorrente: prevista no art. 110, 1º do CP, dispõe uma modalidade de contagem do prazo da prescrição da pretensão punitiva, na espécie posterior a sentença condenatória. Dessa forma, mesmo que tenha havido uma sentença condenatória, que pela regra se utilizaria da pena imposta pelo juiz in concreto, aplicar-se-á pena máxima em abstrato cominado no tipo penal. A prescrição intercorrente ocorrerá enquanto não houver transitado em julgado a sentença para a acusação. Enquanto não houver a decisão do recurso da acusação, correrá o prazo prescricional da pena máxima em abstrato. Caracterizada a prescrição da pretensão punitiva, na modalidade superveniente, se entre a data da sentença ao dia do julgamento da apelação que nega provimento ao recurso do Ministério público, decorreu o lapso prescricional, hipótese em que deve ser decretada de ofício. (AR. Rel. Célio Borja RT 672/386- STF).

5 5 Prescrição Retroativa, encontra-se prevista no art. 110, 2º, do CP. Segundo entendimento sumulado a prescrição da ação penal regula-se pela pena concretizada, quando não há recurso da acusação. A prescrição retroativa leva em consideração a pena aplicada, in concreto, mesmo sendo uma espécie de prescrição da pretensão punitiva, que na regra geral deveria ser aplicada a pena in abstrato, por fundamento o princípio da pena justa, significando que, ausente o recurso da acusação ou improvido este, a pena aplicada na sentença era, desde a prática do fato, a necessária e suficiente para aquele caso concreto. Por isso deve servir de parâmetro para a prescrição, desde a consumação do fato, inclusive. Nestes termos, a prescrição retroativa pode ser considerada entre a consumação do crime e o recebimento da denúncia, ou entre este e a sentença condenatória. A pronúncia nos crimes contra a vida, também cria um marco interruptivo para a prescrição retroativa. Para a caracterização da prescrição retroativa, deve-se examinar o seguinte: a) Inocorrência da prescrição abstrata; b) Sentença penal condenatória; c) Transito em julgado para a acusação ou improvimento de seu recurso; d) Tomar a pena concretizada na sentença condenatória; e) Verificar qual é o prazo prescricional correspondente (art. 109 do CP); f) Analisar a existência de causa modificativa do lapso prescricional. Prescrição da pretensão executória: Após o trânsito em julgado da sentença condenatória, o direito de punir se transforma, surgindo para o Estado o poder-dever de impor concretamente a sanção imposta ao autor da infração penal pelo Poder Judiciário. Com o decurso do tempo, entretanto, o Estado perde o direito de exercer a pretensão de executar a pena aplicada ao agente. Enquanto na prescrição da pretensão punitiva o prazo é determinado pelo máximo da pena privativa de liberdade cominada em abstrato, na prescrição da pretensão executória será regulado pela pena imposta na sentença condenatória, variando o prazo prescricional de acordo com a regra estabelecida no artigo 109 do CP.

6 6 Em relação aos termos iniciais da prescrição, temos o art. 111, do CP, que expõe que a prescrição, antes de transitar em julgado a sentença final, começa a correr: I - do dia em que o crime se consumou; II - no caso de tentativa, do dia em que cessou a atividade criminosa; III - nos crimes permanentes, do dia em que cessou a permanência; IV - nos de bigamia e nos de falsificação ou alteração de assentamento do registro civil, da data em que o fato se tornou conhecido.

Extinção da Punibilidade

Extinção da Punibilidade Extinção da Punibilidade Denison Machado Oliveira Fabricio Nunes da Costa João Carlos Ramos Pinheiro Júnior Jonh Climaco Rodrigues Marques Kaio de Araújo Flexa Luiz Eduardo Monteiro da Silva Luiz Carlos

Leia mais

Direito Penal. Causas de Extinc a o da Punibilidade. Professor Adriano Kot.

Direito Penal. Causas de Extinc a o da Punibilidade.  Professor Adriano Kot. Direito Penal Causas de Extinc a o da Punibilidade Professor Adriano Kot www.acasadoconcurseiro.com.br www.estudaquepassa.com.br DIREITO PENAL CAUSAS DE EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE ROL CAUSAS DE EXTINÇÃO

Leia mais

Direito Penal. Dr. Pietro Chidichimo CAUSAS DE EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE

Direito Penal. Dr. Pietro Chidichimo CAUSAS DE EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE CAUSAS DE EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE 1. Artigo 107, do Código Penal: Morte do agente Anistia Graça e Indulto Abolitio Criminis Decadência Perempção Renúncia Perdão Retratação Perdão Judicial ü Atestada por

Leia mais

UNIVERSIDADE REGIONAL DO CARIRI URCA CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS APLICADOS DEPARTAMENTO DE DIREITO DISCIPLINA: DIREITO PENAL I

UNIVERSIDADE REGIONAL DO CARIRI URCA CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS APLICADOS DEPARTAMENTO DE DIREITO DISCIPLINA: DIREITO PENAL I UNIVERSIDADE REGIONAL DO CARIRI URCA CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS APLICADOS DEPARTAMENTO DE DIREITO DISCIPLINA: DIREITO PENAL I EXTINÇÃO DE PUNIBILIDADE Acadêmico: Rafael Mota Reis EXTINÇÃO DE PUNIBILIDADE

Leia mais

INICIO DA AÇÃO PENAL

INICIO DA AÇÃO PENAL AÇÃO PENAL INICIO DA AÇÃO PENAL OFERECIMENTO DA DENÚNCIA OU QUEIXA ART.24CPPeART.129,I,CF/88 REJEIÇÃO DA DENÚNCIA OU QUEIXA- APLICA-SE AO DIREITO AO CASO CONCRETO, RESPONDENDO AO PLEITO DO INTERESSADO.

Leia mais

PONTO 1: PRESCRIÇÃO 1. PRESCRIÇÃO PRESTAÇÃO JURISDICIONAL IUS PUNIENDI IUS EXECUTIONIS

PONTO 1: PRESCRIÇÃO 1. PRESCRIÇÃO PRESTAÇÃO JURISDICIONAL IUS PUNIENDI IUS EXECUTIONIS 1 DIREITO PENAL PONTO 1: PRESCRIÇÃO 1. PRESCRIÇÃO PRESTAÇÃO JURISDICIONAL IUS PUNIENDI IUS EXECUTIONIS O Estado dispõe do direito de punir (ius puniendi) e o direito de executar (ius executionis). O criminoso

Leia mais

CAUSAS DE EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE

CAUSAS DE EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE CAUSAS DE EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE Marina de Souza CINTRA 1 RESUMO: Neste artigo iremos abordar todas as causas que extinguem a punibilidade do agente. Essas causas podem ser encontradas no artigo 107,

Leia mais

PRINCIPAIS PRAZOS NO CÓDIGO PENAL (Decreto-Lei nº 2.848, de )

PRINCIPAIS PRAZOS NO CÓDIGO PENAL (Decreto-Lei nº 2.848, de ) PRINCIPAIS PRAZOS NO CÓDIGO PENAL (Decreto-Lei nº 2.848, de 7-12-1940) Contagem Art. 10. O dia do começo inclui-se no cômputo do prazo. Contam-se os dias, os meses e os anos pelo calendário comum. Imposição

Leia mais

DIREITO PENAL Introdução A punibilidade e sua extinção A Extinção da Punibilidade Noções iniciais: Praticada a ação delituosa, surge o direito

DIREITO PENAL Introdução A punibilidade e sua extinção A Extinção da Punibilidade Noções iniciais: Praticada a ação delituosa, surge o direito Cópia proibida DIREITO PENAL 11 11.1 Introdução A punibilidade e sua extinção A Extinção da Punibilidade Noções iniciais: Praticada a ação delituosa, surge o direito subjetivo do Estado para impor uma

Leia mais

Extinção da punibilidade. Art. 107 do CP... IV - Prescrição, Decadência e Perempção

Extinção da punibilidade. Art. 107 do CP... IV - Prescrição, Decadência e Perempção LEGALE Art. 107 do CP... IV - Prescrição, Decadência e Perempção PRESCRIÇÃO é uma causa de extinção da punibilidade consistente na perda do prazo por parte do Estado para punir o agente (impor uma sentença

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br BuscaLegis.ccj.ufsc.Br Prescrição Penal Paulo Henrique Moura Lara* Vania Maria Benfica Guimarães Pinto Coelho ** Resumo: O instituto da prescrição penal, previsto nos Artigos 107 e 109 do código penal

Leia mais

Profª. Ms Simone Schroeder

Profª. Ms Simone Schroeder Profª. Ms Simone Schroeder Base legal: Artigos 109 ao 119 do Código Penal Conceito: É a perda do poder de punir ou de executar a sanção imposta pelo Estado, causada pelo decurso de tempo fixado em Lei

Leia mais

Extinção da Punibilidade

Extinção da Punibilidade LEGALE Extinção da Punibilidade É a extinção da capacidade de punir pertencente ao Estado. Como se sabe, a ação pode ser pública ou privada, mas quem pune o agente é o Estado, único detentor do jus puniendi.

Leia mais

1. Causas de extinção da punibilidade:

1. Causas de extinção da punibilidade: 1 PONTO 1: Causas de extinção da punibilidade PONTO 2: Natureza Jurídica da Prescrição Penal PONTO 3: Prescrição e reparação do dano PONTO 4: Prescrição e institutos afins PONTO 5: Espécies de Prescrição

Leia mais

EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE. Prof. Ms. Newton Cruz. Punibilidade

EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE. Prof. Ms. Newton Cruz. Punibilidade 1 EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE Punibilidade Prof. Ms. Newton Cruz Punibilidade é a possibilidade jurídica de o Estado impor uma sanção ao responsável (autor, coautor ou partícipe) pela infração (MASSON, op,

Leia mais

30/09/2012 PROCESSO PENAL I. Processo penal I

30/09/2012 PROCESSO PENAL I. Processo penal I I 12ª -Parte Professor: Rubens Correia Junior 1 Processo penal I 2 1 AÇÃO PENAL DE INICIATIVA PRIVADA QUEIXA: A queixa inaugura à ação penal, é uma petição inicial; Deve ser oferecida ao juiz!!! Deve conter

Leia mais

PRESCRIÇÃO (ART. 107, IV DO CP) Professor Jorge Luis Fayad Nazário

PRESCRIÇÃO (ART. 107, IV DO CP) Professor Jorge Luis Fayad Nazário PRESCRIÇÃO (ART. 107, IV DO CP) Professor Jorge Luis Fayad Nazário 1 CONTEXTUALIZAÇÃO a) O Estado é o titular exclusivo do direito de punir; b) Este direito tem natureza abstrata; c) É limitado; d) Encontra

Leia mais

Execução provisória da pena e a prescrição. César Dario Mariano da Silva. Promotor de Justiça/SP

Execução provisória da pena e a prescrição. César Dario Mariano da Silva. Promotor de Justiça/SP Execução provisória da pena e a prescrição César Dario Mariano da Silva Promotor de Justiça/SP Muitas questões jurídicas surgirão com a recente decisão do Supremo Tribunal Federal de flexibilizar o princípio

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br O instituto da prescrição criminal Anna Carolina Franco Coelho* I - INTRODUÇÃO A prescrição, objeto de estudo do presente trabalho, se faz necessário para não atribuir ao Estado

Leia mais

DIREITO PENAL PARTE GERAL

DIREITO PENAL PARTE GERAL DIREITO PENAL PARTE GERAL ESTÁCIO-CERS DIREITO PENAL PARTE GERAL Prof. Marcelo Uzeda Tema Aspectos relevantes sobre a extinção da punibilidade. Prescrição. PUNIBILIDADE É a consequência natural da prática

Leia mais

Sumário PRINCÍPIOS DO DIREITO PENAL NORMA PENAL... 33

Sumário PRINCÍPIOS DO DIREITO PENAL NORMA PENAL... 33 CAPÍTULO 1 PRINCÍPIOS DO DIREITO PENAL... 13 1. Noções preliminares...13 2. Peculiaridades dos princípios do Direito Penal...13 3. Princípio da legalidade ou da reserva legal...14 3.1 Abrangência do princípio

Leia mais

TJ - SP Processo Penal NILMAR DE AQUINO

TJ - SP Processo Penal NILMAR DE AQUINO TJ - SP Processo Penal NILMAR DE AQUINO 1)Cabe recurso de apelação das decisões em que a) julgarem procedentes as exceções, salvo a de suspeição b) decretar a prescrição ou julgar, por outro modo, extinta

Leia mais

QUESTÕES D. PENAL EXAME DE ORDEM TEMA: PRESCRIÇÃO PENAL Prof. Geibson Rezende

QUESTÕES D. PENAL EXAME DE ORDEM TEMA: PRESCRIÇÃO PENAL Prof. Geibson Rezende QUESTÕES D. PENAL EXAME DE ORDEM TEMA: PRESCRIÇÃO PENAL Prof. Geibson Rezende 1- Aplicada em: 2008 Banca: CESPE Órgão: OAB Prova: Exame de Ordem Acerca do instituto da prescrição penal e seus efeitos,

Leia mais

CURSO PROFESSOR ANDRESAN! CURSOS PARA CONCURSOS PROFESSORA SIMONE SCHROEDER

CURSO PROFESSOR ANDRESAN! CURSOS PARA CONCURSOS PROFESSORA SIMONE SCHROEDER CURSO PROFESSOR ANDRESAN! CURSOS PARA CONCURSOS PROFESSORA SIMONE SCHROEDER REGIME PENAL 1. Conforme entendimento do STF, a opinião do julgador sobre a gravidade em abstrato do crime não constitui motivação

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Da punibilidade como terceiro requisito do fato punível Luiz Flávio Gomes* *Doutor em Direito penal pela Universidade Complutense de Madrid, Mestre em Direito penal pela USP, Co-fundador

Leia mais

ASPECTOS DA PRESCRIÇÃO DA PRETENSÃO PUNITIVA DO DIREITO PENAL BRASILEIRO

ASPECTOS DA PRESCRIÇÃO DA PRETENSÃO PUNITIVA DO DIREITO PENAL BRASILEIRO UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ UNIVALI CENTRO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS, POLÍTICAS E SOCIAIS - CEJURPS CURSO DE DIREITO ASPECTOS DA PRESCRIÇÃO DA PRETENSÃO PUNITIVA DO DIREITO PENAL BRASILEIRO MARCOS MARQUARDT

Leia mais

AÇÃO PENAL. Noções preliminares e conceito. Características:

AÇÃO PENAL. Noções preliminares e conceito. Características: AÇÃO PENAL Noções preliminares e conceito Características: 1 Condições para o exercício da ação penal 1.1 Condições genéricas a) Possibilidade jurídica do pedido Art. 395. A denúncia ou queixa será rejeitada

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ AULA XI DIREITO PENAL II TEMA: EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE PROFª: PAOLA JULIEN O. SANTOS EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE 1.1 - EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE 1.2 CAUSAS DE EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE (art. 107 do C.P.) São

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL PENAL I. Princípios que Regem o Processo Penal... 002 II. Lei Processual Penal e Sistemas do Processo Penal... 007 III. Inquérito Policial... 009 IV. Processo e Procedimento... 015 V.

Leia mais

Atos de Ofício Processo Penal. Professor Luiz Lima CONCURSO TJMG - BANCA CONSULPLAN

Atos de Ofício Processo Penal. Professor Luiz Lima CONCURSO TJMG - BANCA CONSULPLAN Atos de Ofício Processo Penal Professor Luiz Lima CONCURSO TJMG - BANCA CONSULPLAN Cargo Especialidade Escolaridade Vencimentos Oficial de apoio judicial Oficial Judiciário (Classe D) --- Conclusão de

Leia mais

IUS RESUMOS. Da Ação Civil Ex Delicto. Organizado por: Max Danizio Santos Cavalcante

IUS RESUMOS. Da Ação Civil Ex Delicto. Organizado por: Max Danizio Santos Cavalcante Da Ação Civil Ex Delicto Organizado por: Max Danizio Santos Cavalcante SUMÁRIO I DA AÇÃO CIVIL EX DELICTO... 3 1. Noções introdutórias... 3 1.1 Modalidades de ação civil ex delicto... 4 2. Legitimidade...

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ AULA XI DIREITO PENAL II TEMA: EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE PROFª: PAOLA JULIEN O. SANTOS

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ AULA XI DIREITO PENAL II TEMA: EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE PROFª: PAOLA JULIEN O. SANTOS AULA XI DIREITO PENAL II TEMA: EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE PROFª: PAOLA JULIEN O. SANTOS 1. Introdução Para se falar de extinção de punibilidade, é necessário ates limitar o objeto do que vai ser extinto.

Leia mais

Tratado nos artigos a a do d o CP C. P

Tratado nos artigos a a do d o CP C. P AÇÃO PENAL Tratado nos artigos 100 a 106 do CP. Conceito: Direito de exigir do Estado a aplicação da norma penal ao infrator. É o ius puniendi do Estado. CLASSIFICAÇÃO Conhecimento Cautelar Execução Art.

Leia mais

A extinção da punibilidade pelo pagamento nos delitos contra a ordem tributária

A extinção da punibilidade pelo pagamento nos delitos contra a ordem tributária A extinção da punibilidade pelo pagamento nos delitos contra a ordem tributária Sumário: 1. Nota introdutória; 2. O instituto extinção da punibilidade; 3A extinção da punibilidade nos crimes contra a ordem

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Promover o desenvolvimento das competências e habilidades definidas no perfil do egresso, quais sejam:

PLANO DE ENSINO. Promover o desenvolvimento das competências e habilidades definidas no perfil do egresso, quais sejam: PLANO DE ENSINO CURSO: Direito SÉRIE: 5º Semestre DISCIPLINA: Extinção da Punibilidade CARGA HORÁRIA SEMANAL: 02 horas/aula CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 40 horas/aula I EMENTA Reabilitação. Medidas de segurança.

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Promover o desenvolvimento das competências e habilidades definidas no perfil do egresso, quais sejam:

PLANO DE ENSINO. Promover o desenvolvimento das competências e habilidades definidas no perfil do egresso, quais sejam: PLANO DE ENSINO CURSO: Direito PERÍODO: 4º Semestre DISCIPLINA: Extinção da Punibilidade CARGA HORÁRIA SEMANAL: 03 horas/aula CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 horas/aula I EMENTA Reabilitação. Medidas de segurança.

Leia mais

Juizados Especiais Criminais

Juizados Especiais Criminais Direito Processual Penal Juizados Especiais Criminais Constituição Federal Art. 98. A União, no Distrito Federal e nos Territórios, e os Estados criarão: I - juizados especiais, providos por juízes togados,

Leia mais

SUMÁRIO. Capítulo 1 Princípios do direito penal... 19

SUMÁRIO. Capítulo 1 Princípios do direito penal... 19 SUMÁRIO Apresentação da Coleção... 5 Capítulo 1 Princípios do direito penal... 19 1. Noções preliminares... 19 2. Peculiaridades dos princípios do direito penal... 20 3. Princípio da legalidade ou da reserva

Leia mais

Em várias situações a legislação consagra da junção das jurisdições civil e criminal.

Em várias situações a legislação consagra da junção das jurisdições civil e criminal. Ação civil ex delicto Objetivo: Propiciar a reparação do dano causado pelo delito. Sentença penal condenatória e reparação do dano Art. 91, I, CP: Obrigação de indenizar o dano Art. 63, CPP e 475-N, II,

Leia mais

Aula 3: Ação Penal. Prof. Ma. Luane Lemos. São Luis,

Aula 3: Ação Penal. Prof. Ma. Luane Lemos. São Luis, Aula 3: Ação Penal Incondicionada Ação Penal Pública Condicionada Exclusiva À representação À requisição do MJ Privada Personalíssima Subsidiária da pública 4.1 Ação Penal Pública 4.1.2 Ação Penal Pública

Leia mais

Ponto 13 do plano de ensino. Efeitos da condenação: secundários; penais e extrapenais genéricos e específicos. Reabilitação. Reincidência.

Ponto 13 do plano de ensino. Efeitos da condenação: secundários; penais e extrapenais genéricos e específicos. Reabilitação. Reincidência. Ponto 13 do plano de ensino Efeitos da condenação: secundários; penais e extrapenais genéricos e específicos. Reabilitação. Reincidência. Efeitos da Condenação Art. 91/92 Condenação 1 Efeitos da Condenação

Leia mais

REINALDO ROSSANO LÉO MATOS INFORMÁTICA EXERCÍCIOS QUADRIX LINUX DIREITO PROCESSUAL PENAL

REINALDO ROSSANO LÉO MATOS INFORMÁTICA EXERCÍCIOS QUADRIX LINUX DIREITO PROCESSUAL PENAL REINALDO ROSSANO LÉO MATOS INFORMÁTICA EXERCÍCIOS QUADRIX LINUX DIREITO PROCESSUAL PENAL CARGOS: OFICIAL DE JUSTIÇA E ANALISTA JUDICIÁRIO FUNÇÃO JUDICIÁRIA PROVA OBJETIVA: 9.1.3. A Prova Objetiva será

Leia mais

AULA 08. Critérios utilizados pelo legislador para escolher que ação penal de um delito será privada.

AULA 08. Critérios utilizados pelo legislador para escolher que ação penal de um delito será privada. Turma e Ano: Regular/2015 Matéria / Aula: Processo Penal Professora: Elisa Pitarro AULA 08 Ação penal privada Critérios utilizados pelo legislador para escolher que ação penal de um delito será privada.

Leia mais

PROCESSO PENAL MARATONA OAB XXI PROF. FLÁVIO MILHOMEM

PROCESSO PENAL MARATONA OAB XXI PROF. FLÁVIO MILHOMEM PROCESSO PENAL MARATONA OAB XXI PROF. FLÁVIO MILHOMEM 1ª QUESTÃO José Augusto foi preso em flagrante delito pela suposta prática do crime de receptação (Art. 180 do Código Penal pena: 01 a 04 anos de reclusão

Leia mais

PROCESSO PENAL 1. PENA PRIVATIVA DE LIBERDADE. Reclusão e detenção está reservada para os crimes e a prisão simples para as contravenções.

PROCESSO PENAL 1. PENA PRIVATIVA DE LIBERDADE. Reclusão e detenção está reservada para os crimes e a prisão simples para as contravenções. 1 PROCESSO PENAL PROCESSO PENAL PONTO 1: Pena Privativa de Liberdade PONTO 2: Princípio da Individualização da Pena PONTO 3: Individualização Judicial São três: a) Reclusão b) Detenção c) Prisão Simples

Leia mais

UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA CAMPI RIBEIRÃO PRETO - SP FACULDADE DE CIÊNCIAS DO DIREITO GERALDO DOMINGOS COSSALTER QUESTIONÁRIO DIREITO PENAL

UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA CAMPI RIBEIRÃO PRETO - SP FACULDADE DE CIÊNCIAS DO DIREITO GERALDO DOMINGOS COSSALTER QUESTIONÁRIO DIREITO PENAL UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA CAMPI RIBEIRÃO PRETO - SP FACULDADE DE CIÊNCIAS DO DIREITO GERALDO DOMINGOS COSSALTER QUESTIONÁRIO DIREITO PENAL Ribeirão Preto 2015 GERALDO DOMINGOS COSSALTER QUESTIONÁRIO DIREITO

Leia mais

PLANO DE CURSO TEORIA GERAL DA PENA (CÓD.: ENEX 60117) ETAPA: 3ª TOTAL DE ENCONTROS:

PLANO DE CURSO TEORIA GERAL DA PENA (CÓD.: ENEX 60117) ETAPA: 3ª TOTAL DE ENCONTROS: PLANO DE CURSO DISCIPLINA: TEORIA GERAL DA PENA (CÓD.: ENEX 60117) ETAPA: 3ª TOTAL DE ENCONTROS: 15 SEMANAS Semana Conteúdos/ Matéria Categorias/ Questões Tipo aula Habilidas e Competências Textos, filmes

Leia mais

b) as medidas de segurança e as penas são aplicáveis tanto aos inimputáveis como aos semi-imputáveis;

b) as medidas de segurança e as penas são aplicáveis tanto aos inimputáveis como aos semi-imputáveis; DIREITO PENAL II - CCJ0032 Título SEMANA 16 Descrição 1) As medidas de segurança diferem das penas nos seguintes pontos: a) as penas são proporcionais à periculosidade do agente; b) as medidas de segurança

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA ESTE DOCUMENTO NÃO SUBSTITUI O ORIGINAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA ESTE DOCUMENTO NÃO SUBSTITUI O ORIGINAL 0 Programa Analítico de Disciplina DIR351 Direito l II - Teoria do Crime e Teoria da Departamento de Direito - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes Número de créditos: 4 Teóricas Práticas Total Duração

Leia mais

Capítulo 1 Noções Preliminares... 1 Capítulo 2 Aplicação da Lei Penal... 29

Capítulo 1 Noções Preliminares... 1 Capítulo 2 Aplicação da Lei Penal... 29 Sumário Capítulo 1 Noções Preliminares... 1 1. Introdução... 1 2. Princípios... 4 2.1. Princípio da legalidade... 5 2.2. Princípio da anterioridade da lei penal... 5 2.3. Princípio da irretroatividade

Leia mais

A morte é causa pessoal de extinção do ius puniendi. Logo, não se comunica entre os agentes. A morte do corréu A não beneficia o corréu B.

A morte é causa pessoal de extinção do ius puniendi. Logo, não se comunica entre os agentes. A morte do corréu A não beneficia o corréu B. Causas extintivas da punibilidade As causas extintivas da punibilidade acham-se previstas no art. 107 do CP, que não é um rol taxativo. Ou seja: há outras causas extintivas do ius puniendi fora do art.

Leia mais

Aula 06. Na prática, muitas vezes os operadores do direito se esquecem de computar as penas de cada crime individualmente.

Aula 06. Na prática, muitas vezes os operadores do direito se esquecem de computar as penas de cada crime individualmente. Turma e Ano: Direito Penal - 2015 Matéria / Aula: Prescrição Aula 06 Professor: Marcelo Uzeda Monitor: Flávia Garcia Aula 06 (...) Continuação do tema prescrição PRESCRIÇÃO DA PENA EM CONCRETO Calcula-se

Leia mais

Condições da Ação Penal -Possibilidade jurídica do pedido A pretensão do autor deve referir-se a providência admitida pelo direito objetivo. Para que

Condições da Ação Penal -Possibilidade jurídica do pedido A pretensão do autor deve referir-se a providência admitida pelo direito objetivo. Para que AÇÃO PENAL Ação é o direito subjetivo de se invocar do Estado- Juiz a aplicação do direito objetivo a um caso concreto. Tal direito é público, subjetivo, autônomo, específico, determinado e abstrato (TOURINHO

Leia mais

Princípio da intervenção mínima Conflito aparente de normas 3.3 Sujeito ativo do crime Sujeito ativo Capacidade penal do

Princípio da intervenção mínima Conflito aparente de normas 3.3 Sujeito ativo do crime Sujeito ativo Capacidade penal do Sumário 1 Introdução 1.1 Conceito de Direito Penal 1.1.1 Nota introdutória 1.1.2 Denominação 1.1.3 Conceito de Direito Penal 1.1.4 Caracteres do Direito Penal 1.1.5 Posição enciclopédica 1.1.6 Direito

Leia mais

REVOGAÇÃO TÁCITA DO ART. 111 DO CÓDIGO PENAL EM RAZÃO DA ENTRADA EM VIGOR DA LEI /10

REVOGAÇÃO TÁCITA DO ART. 111 DO CÓDIGO PENAL EM RAZÃO DA ENTRADA EM VIGOR DA LEI /10 REVOGAÇÃO TÁCITA DO ART. 111 DO CÓDIGO PENAL EM RAZÃO DA ENTRADA EM VIGOR DA LEI 12.234/10 Emmanuella Faissala Dayana Maria Alves Brito Orientador: Vinicius Lúcio de Andrade INTRODUÇÃO A segurança pública

Leia mais

Ação civil ex delicto

Ação civil ex delicto Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo Ação civil ex delicto Gustavo Badaró aula de 02.08.2016 1. Noções Gerais PLANO DA AULA 2. Formas de satisfação do dano causado pelo crime 3. Sistemas de

Leia mais

ULISSES VIEIRA MOREIRA PEIXOTO

ULISSES VIEIRA MOREIRA PEIXOTO ULISSES VIEIRA MOREIRA PEIXOTO 2015 EDITORA S UMÁRIO Introdução... 13 CAPÍTULO 1 PRESCRIÇÃO E DECADÊNCIA NO CÓDIGO CIVIL 1.1. Da Prescrição... 17 1.2. Do Instituto da prescrição... 18 1.3. Dos Requisitos

Leia mais

No caso de o agente atingir a pessoa errada, responderá pelo crime cometido contra a pessoa que queria atingir.

No caso de o agente atingir a pessoa errada, responderá pelo crime cometido contra a pessoa que queria atingir. 1. APLICAÇÃO DAS PENAS. Erro na execução Art. 73 - Quando, por acidente ou erro no uso dos meios de execução, o agente, ao invés de atingir a pessoa que pretendia ofender, atinge pessoa diversa, responde

Leia mais

SUSPENSÃO CONDICIONAL DA PENA. Profa. Luanna Tomaz

SUSPENSÃO CONDICIONAL DA PENA. Profa. Luanna Tomaz SUSPENSÃO CONDICIONAL DA PENA Profa. Luanna Tomaz INTRODUÇÃO Origem: Surge na França em 1884. Medida judicial que determina o sobrestamento da pena, preenchidos determinados requisitos. Natureza Jurídica:

Leia mais

1.1 Punibilidade: consequência jurídica da prática do crime. 1.3 Crime é uma infração penal a que se comina ou uma pena de reclusão ou de detenção.

1.1 Punibilidade: consequência jurídica da prática do crime. 1.3 Crime é uma infração penal a que se comina ou uma pena de reclusão ou de detenção. 1. Extinção da punibilidade 1.1 Punibilidade: consequência jurídica da prática do crime. 1.2 Extinta a punibilidade, o crime permanece íntegro? 1.3 Crime é uma infração penal a que se comina ou uma pena

Leia mais

ÍTALO FREITAS CARVALHO MACHADO CUNHA A SUSPENSÃO DO PRAZO PRESCRICIONAL NO PROCESSO PENAL:

ÍTALO FREITAS CARVALHO MACHADO CUNHA A SUSPENSÃO DO PRAZO PRESCRICIONAL NO PROCESSO PENAL: Centro Universitário de Brasília - Uniceub Faculdade de Ciências Jurídicas e Sociais - FAJS ÍTALO FREITAS CARVALHO MACHADO CUNHA A SUSPENSÃO DO PRAZO PRESCRICIONAL NO PROCESSO PENAL: a duração da suspensão

Leia mais

TEORIAS DA PENA TEORIA ABSOLUTA: Kant: a pena é a causação de um mal como compensação à infração penal cometida. Adota-se a tese da retribuição

TEORIAS DA PENA TEORIA ABSOLUTA: Kant: a pena é a causação de um mal como compensação à infração penal cometida. Adota-se a tese da retribuição TEORIA DA PENA TEORIAS DA PENA TEORIA ABSOLUTA: Kant: a pena é a causação de um mal como compensação à infração penal cometida. Adota-se a tese da retribuição (reprovação), voltado somente ao castigo do

Leia mais

CEM. Magistratura Federal. Direito Penal. Das Penas

CEM. Magistratura Federal. Direito Penal. Das Penas CEM CADERNO DE EXERCÍCIOS MASTER Direito Penal Período 2010 2016 1) CESPE - JF TRF2/TRF 2/2013 A respeito de aspectos diversos relacionados às penas, assinale a opção correta. a) No concurso formal perfeito,

Leia mais

PONTO 1: Prescrição em abstrato PONTO 2: Prescrição Retroativa PONTO 3: Prescrição Intercorrente. 1. Prescrição em abstrato:

PONTO 1: Prescrição em abstrato PONTO 2: Prescrição Retroativa PONTO 3: Prescrição Intercorrente. 1. Prescrição em abstrato: 1 PONTO 1: Prescrição em abstrato PONTO 2: Prescrição Retroativa PONTO 3: Prescrição Intercorrente 1. Prescrição em abstrato: Causas suspensivas da PA art. 116 1, CP: I Questões prejudiciais: previstas

Leia mais

As alterações no prazo prescricional da pretensão punitiva trazidas pela Lei nº , de 05 de maio de 2010 e seus reflexos na Justiça Militar 1

As alterações no prazo prescricional da pretensão punitiva trazidas pela Lei nº , de 05 de maio de 2010 e seus reflexos na Justiça Militar 1 As alterações no prazo prescricional da pretensão punitiva trazidas pela Lei nº 12.234, de 05 de maio de 2010 e seus reflexos na Justiça Militar 1 Jorge Cesar de Assis 2 1. A FINALIDADE DA LEI A lei nº

Leia mais

Olá, amigos! Valeu! 1. Apresentação e estrutura textual (0,40). 2. Endereçamento à Vara Criminal da Comarca de São Paulo (0,20),

Olá, amigos! Valeu! 1. Apresentação e estrutura textual (0,40). 2. Endereçamento à Vara Criminal da Comarca de São Paulo (0,20), Olá, amigos! A peça do simulado é a prova prática do Exame de Ordem 2009.3 (CESPE). Percebam que o gabarito elaborado pela banca é bastante simples em comparação àquele da queixa do ciclo de correções.

Leia mais

Direito Penal Dr. Pietro Chidichimo

Direito Penal Dr. Pietro Chidichimo 1 Prescrição 1. Assinale a opção correta com base no que dispõe o CP. a) O funcionário público que, por imprudência, deixar aberta a porta do setor em que trabalha, facilitando, assim, a entrada de terceiros

Leia mais

O rol do artigo 107 e meramente exemplicativo, porque existem outras hipóteses espalhadas pelo código e leis penais especiais.

O rol do artigo 107 e meramente exemplicativo, porque existem outras hipóteses espalhadas pelo código e leis penais especiais. Turma e Ano: Direito Penal 2015 (Master B) Matéria / Aula: Extinção de Punibilidade 01 Professor: Marcelo Uzeda (Defensor Público da União) Monitor: Vinícius de Melo Aula 04 PUNIBILIDADE Conceito: É a

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL PENAL IV

DIREITO PROCESSUAL PENAL IV AULA DIA 02/03 Docente: TIAGO CLEMENTE SOUZA E-mail: tiago_csouza@hotmail.com DIREITO PROCESSUAL PENAL IV dias. i)- Sentença em audiência ou no prazo de 10 - Prazo para encerramento da Primeira Fase do

Leia mais

Sumário FUNDAMENTAIS DO DIREITO ... PENAL ...

Sumário FUNDAMENTAIS DO DIREITO ... PENAL ... Sumário CAPITULO 1 - PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DO DIREITO PENAL... 1 1.1. Princípio da Legalidade - art. l fi do CP e art. 5 Q, inc. XXXIX, CF... 1 1.1.1. Funções e princípios decorrentes da legalidade ou

Leia mais

R. A. R. RECORRIDO L. C. R. VÍTIMA A C Ó R D Ã O

R. A. R. RECORRIDO L. C. R. VÍTIMA A C Ó R D Ã O APELAÇÃO CRIMINAL. AMEAÇA. ART. 147 DO CP. EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE DO RÉU. RETRATAÇÃO DA VÍTIMA ANTES DA SENTENÇA. POSSIBILIDADE. 1. A finalidade conciliadora dos Juizados Especiais Criminais torna incompatível

Leia mais

Pesquisa e Ação V2 N2: Setembro de 2016 ISSN Edição Especial - Curso de Direito 50 anos

Pesquisa e Ação V2 N2: Setembro de 2016 ISSN Edição Especial - Curso de Direito 50 anos Pesquisa e Ação V2 N2: Setembro de 2016 ISSN 2317-3793 Edição Especial - Curso de Direito 50 anos RECURSO EM SENTIDO ESTRITO DAS DECISÕES QUE DECRETAM A PRESCRIÇÃO OU DE OUTRO MODO JULGAM EXTINTA A PUNIBILIDADE

Leia mais

CRIMES ECONÔMICOS CRIMES DE SONEGAÇÃO FISCAL A EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE PELO PAGAMENTO DO TRIBUTO

CRIMES ECONÔMICOS CRIMES DE SONEGAÇÃO FISCAL A EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE PELO PAGAMENTO DO TRIBUTO CRIMES ECONÔMICOS CRIMES DE SONEGAÇÃO FISCAL A EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE PELO PAGAMENTO DO TRIBUTO Professor Doutor Gianpaolo Poggio Smanio Professor da Faculdade de Direito - UPM 1 HISTÓRICO - A EXTINÇÃO

Leia mais

Direito Processual Penal

Direito Processual Penal Direito Processual Penal Ação Penal Professor Joeberth Nunes www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Processual Penal AÇÃO PENAL PRESSUPOSTOS PROCESSUAIS 1. CONCEITO : é o direito de o Ministério Púbico,

Leia mais

Caros amigos, trago hoje a resolução da prova de Direito Penal aplicada pela Fundação Carlos Chagas no último domingo, dia 4 de março de 2007.

Caros amigos, trago hoje a resolução da prova de Direito Penal aplicada pela Fundação Carlos Chagas no último domingo, dia 4 de março de 2007. Caros amigos, trago hoje a resolução da prova de Direito Penal aplicada pela Fundação Carlos Chagas no último domingo, dia 4 de março de 2007. Nesta prova, a FCC elaborou questões um pouco mais difíceis

Leia mais

EXTINÇÃO DE PUNIBILIDADE

EXTINÇÃO DE PUNIBILIDADE UNIVERSIDADE DE FORTALEZA - UNIFOR CENTRO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS - CCJ DIREITO HENRIQUE DOUGLAS LIMA GONÇALVES MARIA GONÇALVES DE LIMA PAULO RICHARDSON MARQUES SOUSA EXTINÇÃO DE PUNIBILIDADE FORTALEZA 2012.2

Leia mais

A PRESCRITIBILIDADE DA SUSPENSÃO DO PROCESSO COM FUNDAMENTO NO ARTIGO 366 DO CÓDIGO DE PROCESSO PENAL BRASILEIRO

A PRESCRITIBILIDADE DA SUSPENSÃO DO PROCESSO COM FUNDAMENTO NO ARTIGO 366 DO CÓDIGO DE PROCESSO PENAL BRASILEIRO UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ UNIVALI CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR - CES VII CURSO DE DIREITO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA COORDENAÇÃO DE MONOGRAFIA A PRESCRITIBILIDADE DA SUSPENSÃO DO PROCESSO COM FUNDAMENTO

Leia mais

Material de Apoio Prof. Fernando Tadeu Marques Apontamentos de Direito Penal. Da suspensão condicional da pena - Sursis (arts.

Material de Apoio Prof. Fernando Tadeu Marques Apontamentos de Direito Penal. Da suspensão condicional da pena - Sursis (arts. Da suspensão condicional da pena - Sursis (arts. 77 ao 82, CP) Conceito A suspensão condicional da pena, também conhecida por sursis, pode ser conceituada como a suspensão parcial da execução da pena privativa

Leia mais

CURSO TROPA DE ELITE PREPARAÇÃO PARA A GUERRA 1. APLICAÇÃO DA LEI PENAL NO TEMPO E NO ESPAÇO

CURSO TROPA DE ELITE PREPARAÇÃO PARA A GUERRA 1. APLICAÇÃO DA LEI PENAL NO TEMPO E NO ESPAÇO CURSO TROPA DE ELITE PREPARAÇÃO PARA A GUERRA POLÍCIA FEDERAL 2012 AGENTE/ESCRIVÃO PROF. EMERSON CASTELO BRANCO DISCIPLINA: DIREITO PENAL 1. APLICAÇÃO DA LEI PENAL NO TEMPO E NO ESPAÇO 1.1 PRINCÍPIO DA

Leia mais

Conteúdo: Ação Penal nos Crimes contra a Honra: Pedido de explicações, audiência de conciliação, exceção da verdade. Jurisdição: Conceito, Princípios.

Conteúdo: Ação Penal nos Crimes contra a Honra: Pedido de explicações, audiência de conciliação, exceção da verdade. Jurisdição: Conceito, Princípios. Turma e Ano: Flex A (2014) Matéria / Aula: Processo Penal / Aula 08 Professor: Elisa Pittaro Conteúdo: Ação Penal nos Crimes contra a Honra: Pedido de explicações, audiência de conciliação, exceção da

Leia mais

4.8 Comunicabilidade das condições, elementares e circunstâncias 4.9 Agravantes no concurso de agentes 4.10 Cabeças 4.11 Casos de impunibilidade

4.8 Comunicabilidade das condições, elementares e circunstâncias 4.9 Agravantes no concurso de agentes 4.10 Cabeças 4.11 Casos de impunibilidade Sumário NDICE SISTEMÁTICO EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS DO CÓDIGO PENAL MILITAR 1. DA APLICAÇÃO DA LEI PENAL MILITAR 1.1 O princípio da legalidade e suas funções de garantia 1.2 Abolitio criminis e novatio legis

Leia mais

Interpretação e integração da lei penal Interpretação...11

Interpretação e integração da lei penal Interpretação...11 Sumário Notas Preliminares Finalidade do Direito Penal...2 Bens que podem ser protegidos pelo Direito Penal...2 Códigos do Brasil...3 Código Penal atual...3 Direito Penal...3 Garantismo...3 Garantias...4

Leia mais

CAUSAS DE EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE

CAUSAS DE EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE CAUSAS DE EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE Professor Pietro Chidichimo Júnior As causas de extinção da punibilidade não fazem parte do conceito analítico de crime. Logo, se não apagam o crime, não impedem, por

Leia mais

1. Prescrição da Pretensão Executória art. 110, caput 1, CP: - Sentença Penal condenatória transitada em julgado IRRECORÍVEL

1. Prescrição da Pretensão Executória art. 110, caput 1, CP: - Sentença Penal condenatória transitada em julgado IRRECORÍVEL 1 PONTO 1: Prescrição da Pretensão Executória PONTO 2: Prescrição da Pena de Multa PONTO 3: Prescrição na Lei de Falências PONTO 4: Prescrição do ato infracional 1. Prescrição da Pretensão Executória art.

Leia mais

6 - Réu Lídio Laurindo: restou absolvido de todas as acusações; 7 - Réu Cildo Ananias: restou absolvido de todas as acusações.

6 - Réu Lídio Laurindo: restou absolvido de todas as acusações; 7 - Réu Cildo Ananias: restou absolvido de todas as acusações. PROCEDIMENTO ESP.DOS CRIMES DE COMPETÊNCIA DO JÚRI Nº 2004.71.04.005970-2/RS AUTOR : MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL ACUSADO : IRENI FRANCO : ZIGOMAR TEODORO : LEOMAR CORREIA : CILDO ANANIAS : SERGIO ANANIAS

Leia mais

AP A L P I L CA C Ç A Ã Ç O Ã O DA D A LE L I E P E P N E A N L A Art. 1º ao 12 do CP

AP A L P I L CA C Ç A Ã Ç O Ã O DA D A LE L I E P E P N E A N L A Art. 1º ao 12 do CP APLICAÇÃO DA LEI PENAL Art. 1º ao 12 do CP LEI PENAL NO TEMPO Princípio da Legalidade ou Reserva Legal Art. 5º, inciso XXXIX da CR/88: XXXIX - não há crime sem lei anterior que o defina, nem pena sem prévia

Leia mais

SÚMULAS STJ & STF DIREITO PENAL E LEGISLAÇÃO CRIMINAL

SÚMULAS STJ & STF DIREITO PENAL E LEGISLAÇÃO CRIMINAL SÚMULAS STJ & STF DIREITO PENAL E LEGISLAÇÃO CRIMINAL Separadas por assunto Prof. Geibson Rezende SÚMARIO 1. Direito Penal Parte Geral 1.1 Aplicação da Lei Penal 1.2 Do Crime 1.3 Da imputabilidade Penal

Leia mais

Súmula vinculante 35-STF

Súmula vinculante 35-STF Súmula vinculante 35-STF Márcio André Lopes Cavalcante DIREITO PROCESSUAL PENAL TRANSAÇÃO PENAL SÚMULA VINCULANTE 35-STF: A homologação da transação penal prevista no artigo 76 da Lei 9.099/1995 não faz

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ AULA X DIREITO PENAL II TEMA: AÇÃO PENAL PROFª: PAOLA JULIEN O. SANTOS AÇÃO PENAL INTRODUÇÃO Ação Penal, faculdade que tem o Poder Público de, em nome da sociedade, apurar a responsabilidade dos agentes

Leia mais

Sumário PARTE I TEORIA CAPÍTULO 1 TEORIA PASSO A PASSO

Sumário PARTE I TEORIA CAPÍTULO 1 TEORIA PASSO A PASSO Sumário PARTE I TEORIA CAPÍTULO 1 TEORIA PASSO A PASSO 1.º PASSO COMPREENDENDO O PROBLEMA 1. Qual o crime tratado pelo problema 2. Qual é a ação penal 2.1 Quais os tipos de ação penal 2.1.1 Ação penal

Leia mais

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Procedimento Sumaríssimo. Gustavo Badaró aulas de 5 e 19 de abril de 2017

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Procedimento Sumaríssimo. Gustavo Badaró aulas de 5 e 19 de abril de 2017 Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo Procedimento Sumaríssimo Gustavo Badaró aulas de 5 e 19 de abril de 2017 PLANO DA AULA 1. Noções gerais 2. Infrações penais de menor potencial ofensivo

Leia mais

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Sentença Penal. Gustavo Badaró aula de

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Sentença Penal. Gustavo Badaró aula de Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo Sentença Penal Gustavo Badaró aula de 04.08.2015 1. Conceito PLANO DA AULA 2. Classificação e denominações 3. Elementos da sentença 4. Sentença penal absolutória

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Nova maioridade civil (dezoito anos) e suas repercussões penais Luiz Flávio Gomes * Louve-se o trabalho de Marcus Vinicius de Viveiros Dias, publicado no site www.ielf.com.br (10.01.03),

Leia mais

Extinção de Punibilidade - Aula IV - 13/03/2017

Extinção de Punibilidade - Aula IV - 13/03/2017 Extinção de Punibilidade - Aula IV - 13/03/2017 Continuação Sursis Revogação *obrigatória: * nova CTJ por crime doloso * não reparação de dano, salvo... *descumprimento da condição do artigo 78, 1º *facultativo:

Leia mais

Processo Penal. Professor Luiz Lima CONCURSO TJSP - VUNESP

Processo Penal. Professor Luiz Lima CONCURSO TJSP - VUNESP Processo Penal Professor Luiz Lima CONCURSO TJSP - VUNESP BLOCO II: Conhecimentos em Direito (24) Questões de português; (16) Questões de informática; (4) atualidades; (6) matemática; (40) questões: 1.

Leia mais

- Procedimento Juizados Especiais (Lei 9.099) Qual o recurso cabível da decisão que não homologa a transação penal?

- Procedimento Juizados Especiais (Lei 9.099) Qual o recurso cabível da decisão que não homologa a transação penal? Turma e Ano: Flex A (2014) Matéria / Aula: Processo Penal / Aula 16 Professor: Elisa Pittaro Conteúdo: Lei 9.099: Audiência Preliminar; Audiência de Instrução e Julgamento; Recursos; Suspensão Condicional

Leia mais

Aula 14. EMBARGOS INFRINGENTES E DE NULIDADE (art. 609, parágrafo único, CPP)

Aula 14. EMBARGOS INFRINGENTES E DE NULIDADE (art. 609, parágrafo único, CPP) Turma e Ano: Regular 2015 / Master B Matéria / Aula: Direito Processual Penal / Aula 14 Professor: Elisa Pittaro Monitora: Kelly Soraia Aula 14 EMBARGOS INFRINGENTES E DE NULIDADE (art. 609, parágrafo

Leia mais

(D) extinguem a punibilidade. (E) excluem a tipicidade.

(D) extinguem a punibilidade. (E) excluem a tipicidade. Maratona Fiscal ISS Direito penal 1. A regra que veda a interpretação extensiva das normas penais incriminadoras decorre do princípio constitucional da (A) culpabilidade. (B) igualdade. (C) legalidade.

Leia mais

A questão baseia-se na literalidade do art. 283, 284 e 285 do CPP:

A questão baseia-se na literalidade do art. 283, 284 e 285 do CPP: Cargo: S01 - AGENTE DE POLÍCIA CIVIL Disciplina: Noções de Direito Processual Penal Questão Gabarito por extenso Justificativa A questão baseia-se na literalidade do art. 283, 284 e 285 do CPP: Conclusão

Leia mais

Prof. Luis Fernando Alves

Prof. Luis Fernando Alves 1 Prof. Luis Fernando Alves www.professorluisfernando.jur.adv.br 2 PARTE I - TEORIA 1º PASSO - COMPREENDENDO O PROBLEMA 1. DICAS INICIAIS 3 Compreensão do problema: é a partir dos dados nele contidos que

Leia mais