PORTUGUÊS TEORIA E PRÁTICA DA TRADUÇÃO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PORTUGUÊS TEORIA E PRÁTICA DA TRADUÇÃO"

Transcrição

1 FACULDADE DE FILOLOGIA DEPARTAMENTO DE FILOLOGIA GALEGA PORTUGUÊS TEORIA E PRÁTICA DA TRADUÇÃO JOSÉ LUÍS RODRÍGUEZ GUIA DOCENTE E MATERIAL DIDÁTICO ANO 2015/2016

2 I. DADOS DESCRITIVOS DA MATÉRIA Nome da disciplina: Português. Teoria e Prática da Tradução Código: G Tipo: Matéria opcional da Modalidade Maior Plus, que complementa o Maior em Língua Portuguesa e Literaturas Lusófonas, dentro da Titulação de Grau em Línguas e Literaturas Modernas Português. O estudante deverá escolher 4 entre as 8 disciplinas seguintes, todas com 6 créditos ECTS, situadas no nível do 3º e 4º anos académicos: -Edição de textos em língua portuguesa (3º ano, 1º semestre) -Planificação cultural (3º ano, 1º semestre) -Pragmática e análise de textos em língua portuguesa (3º ano, 2º semestre) -Indústrias e instituições culturais (3º ano, 2º semestre) -Português: Teoria e prática da tradução (4º ano, 1º semestre) -Dinámicas culturais da Lusofonia (4º ano, 1º semestre) -Tecnologias aplicadas à língua portuguesa (4º ano, 2º semestre) -Assessoria e Consultoria culturais na Lusofonia (4º ano, 2º semestre) CRÉDITOS ECTS: 6 DURAÇÃO: Primeiro semestre, entre 07/09/ 2015 e 22/12/ 2015, ou, melhor dizendo, entre 07/09/2015, segunda-feira, e 22/12/2015, data (terça-feira) da última aula. EXAMES: Os exames, fixados pela Direção da Faculdade, ficam situados como segue:

3 11/01/2016, 09:00 horas, sala de aula C01, e 27/06/2016, 16:00 horas, sala D04 DESCRITOR: Abordaje teórico y sobre todo práctico de las técnicas y tácticas de la traducción y de su aplicación concreta para traducir textos al portugués y de éste a otras linguas (sic). Proyecto de memoria para la verificación del título de grado en Lenguas y Literaturas Modernas por la Universidade de Santiago de Compostela (aprobado por la Xunta de Facultade de Filoloxía el 7 de noviembre de 2008 y por el consello de Goberno de la USC el 22 de diciembre de 2008), p _Lenguas_Literaturas_Modernas.pdf Prof. JOSÉ LUÍS RODRIGUEZ II. DADOS DO DOCENTE Faculdade de Filologia, Departamento de Filologia Galega, gabinete 212, telefone (extensão): Correio eletrónico: // Recomenda-se o uso do para qualquer tipo de consulta ou sugestão. III. OBJETIVOS Formar o aluno nas questões básicas da tradutologia, abrindo perspectivas interdisciplinares presentes ou futuras. Domínio dalgumas destrezas da tradução, linguísticas, culturais e outras. Isto é: desenvolver uma competência tradutológica, uma competência cultural e intercultural, sobretudo na área dos países hispânicos. Do ponto de vista do estudante de filologia, aprofundar no domínio da língua, enriquecida pelas técnicas contrastivas que demanda o exercício da tradução. Avaliar o peso da tradução no passado e presente das culturas em língua portuguesa, o seu peso até na conformação do português enquanto língua de cultura. Contribuir a criar graduandos conscientes das suas possibilidades no mercado de trabalho sempre que donos de um domínio apurado da língua portuguesa. IV. COMPETÊNCIAS

4 Contribuir para uma completa formação do aluno interessado pela língua portuguesa enquanto veículo, e veículo privilegiado, de comunicação, tanto, principalmente, no plano da escrita, como no da oralidade. O contraste lingüístico, que tão bem patenteia a tradução (v. gr., falsos amigos, decalques fraseológicos, hibridação em geral), sobretudo de línguas afins, é prioritário para consciencializar o discente da especificidade da língua portuguesa, assim como para apreender os diversos níveis comunicativos. A. TEÓRICOS V. CONTEÚDOS 1. A tradução. Definição, principios, objectivos. O tradutor, formação e qualidades. Escolas tradutológicas 2. Tradução e Linguística, Tradução e Literatura, Tradução e Direito, Tradução e Informática... Tradução e interpretação. Tipos de tradução. 3. A tradução na história da língua portuguesa. Contributos medievais e clássicos. 4. A tradução nos países lusófonos. Estudos de tradutologia B. PRÁTICOS 1. Análise de textos comunicacionais do dia-a-dia para português 2. Análise de traduções de obras literárias para português 3. Análise de versões intralinguísticas de português 4. Análise de traduções de português para outras línguas, principalmente afins. Interferências linguísticas: os chamados falsos amigos. Outros problemas VI. BIBLIOGRAFIA BÁSICA AGUILAR, Lourdes (2011): Lexicología y terminología aplicadas a la traducción: curso práctico de introducción. Barcelona: Servei de Publicacions de la Universitat Autònoma de Barcelona. ALVES, Fábio, Magalhães, Célia, e PAGANO, Adriana (2000): Traduzir com autonomia - estratégias para o tradutor em formação. São Paulo: Editora Contexto. ALSINA, Victoria, BRUMME, Jenny, GARRIGA, Cecilio, SINER, Carsten (eds.) (2004): Traducción y estandarización. La incidencia de la traducción en la historia de los lenguajes especializados. Madrid: Vervuert/Iberoamericana.

5 DA SILVA, Xosé Manuel (ed.) (2005): Perfiles de la traducción hispanoportuguesa. I. Vigo: Universidade de Vigo. DIAZ FOUCES, Óscar (1999): Didáctica de la traducción (portugués-español). Vigo: Universidade de Vigo GARCÍA YEBRA, Valentín: Teoría y práctica de la Traducción. Madrid: Ed. Gredos, 3ª ed. GARCIA LANDA, Mariano (2001): Teoría de la traducción. Soria: Diputación de Soria HURTADO ALBIR, Amparo (1996): La enseñanza de la traducción. Castelló de la Plana: Universitat Jaume I. HURTADO ALBIR, Amparo (2001): Traducción y Traductología. Madrid: Cátedra MAYORAL ASENSIO, Roberto, DIAZ FOUCES, Óscar (2011): La traducción especializada y las especialidades de la traducción. Castellón de la Plana: Universitat Jaume I OLIVER, Antoni, MORSÉ, Joaquín, CLIMENT, Salvador (coord.) (2008): Traducción y tecnologías. Barcelona: Editorial UOC SÁEZ HERMOSILLA, Teodoro: El sentido de la traducción reflexión y crítica. León/Salamanca: Universidad de León / Universidad de Salamanca SÁNCHEZ TRIGO, Elena (2002): Teoría de la traducción, convergencias y divergencias. Vigo: Universidad de Vigo. Servicio de Publicacións. SÁNCHEZ TRIGO, Elena, DIAZ FOUCES, Óscar: Traducción & Comunicación. (revista, com vários volumes já publicados)

6 A bibliografia específica sobre cada tema será fornecida na aula na altura em que tenha lugar do desenvolvimento teórico-prático de cada um deles. VII. METODOLOGIA DO ENSINO Na primeira parte das aulas predominarão os conteúdos teóricos de carácter introdutório, mas com o avanço das mesmas tender-se-á a uma maior atenção à prática traducional, na sua mais ampla diversidade, tendo (quase) sempre como língua de chegada o português actual de Portugal Por outro lado, após os conteúdos teóricos indispensáveis de cada tema, o aluno deverá completar essa informação básica através de obras de referência que lhe serão facilitadas, pontualmente. Esses aprofundamentos podem dar lugar, nalguns casos, a trabalhos de aula a contarem para a nota final. Nesta dinâmica de interação, a presença nas aulas dos alunos, e a sua participação constante, constituem uma exigência imperativa. VIII. SISTEMA DE AVALIAÇÃO Avaliação contínua preponderante, o que exige por parte do aluno frequentar as aulas, até 75% de presenças como mínimo para poder optar a essa avaliação contínua. Com a participação ativa nelas, com intervenções pontuais, exposições ou outros trabalhos diversos, poderá obter até 50% da totalidade da nota. Também está prevista uma prova escrita, no(s) último(s) dia(s) de aulas, de carácter teórico e prático, cuja qualificação, como a anterior, poderá abranger até 50% da nota total. O que significa que, com resultados ótimos, qualquer das duas vias isoladamente poderá conduzir a aprovar a cadeira, se bem que o lógico seja a combinação de ambas. Para os alunos aprovados, o exame de janeiro fixado pelo Centro, no estilo da prova escrita da(s) última(s) aula(s), poderá servir para subir (nunca baixar) a nota obtida nessa prova. Para todos os alunos que frequentaram razoavelmente (a partir de 75% de presenças), a melhor das duas notas (prova escrita ou exame de janeiro) somar-se-á à conseguida com a sua participação no decorrer das mesmas. Os alunos que nao frequentaram as aulas na percentagem fixada, nao poderao ser qualificados pelo sistema da avaliaçao contínua, contando só, portanto, com o exame final na data fixada pela Faculdade. Igualmente, para os reprovados ou nao apresentados, na segunda oportunidade de junho, só se terá em conta a nota do exame marcado pelo Centro, que será pontuado, em consequência, entre 0 e 10 valores. Se houvesse mais de um docente nesta cadeira, a percentagem da nota por parte de cada um estaria em função da carga docente que tenham atribuída na cadeira.

7 IX. DISTRIBUIÇÃO DO TRABALHO A matéria consta de 6 créditos, equivalentes, segundo o sistema ECTS, a 150 horas de trabalho do aluno (25 horas por cada crédito). Sessões expositivas 22 Sessoes interativas: 21 Prova final: 1 Sessões de atendimento programado: 5 Preparação de atividades programadas na aula: 40 Realização de trabalhos: 20 Leituras: 20 Preparação de exames: 20 Total de horas de atividade Presencial: 50 Total de horas de atividade não Presencial: 100 Este é o quadro teórico considerado, que será tomado como marco de referência. Assim, o calendário concreto deste ano académico , de 08/09 até 22/12, contempla 44 horas reais de aulas, as quais, conforme o programa da matéria, se repartem (quase) equitativamente: 22 teóricas (expositivas) e 21 práticas (interativas), deixando a última aula para realizar a prova final da avaliação, como se indicou.

FACULTADE DE FILOLOXÍA DEPARTAMENTO DE FILOLOXÍA GALEGA LINGUA PORTUGUESA 2. José Luís Forneiro Pérez (coordenador) João Ribeirete Márlio da Silva

FACULTADE DE FILOLOXÍA DEPARTAMENTO DE FILOLOXÍA GALEGA LINGUA PORTUGUESA 2. José Luís Forneiro Pérez (coordenador) João Ribeirete Márlio da Silva FACULTADE DE FILOLOXÍA DEPARTAMENTO DE FILOLOXÍA GALEGA LINGUA PORTUGUESA 2 José Luís Forneiro Pérez (coordenador) João Ribeirete Márlio da Silva GUÍA DOCENTE E MATERIAL DIDÁCTICO 2015/2016 FACULTADE DE

Leia mais

Tecnologias aplicadas à Língua Portuguesa

Tecnologias aplicadas à Língua Portuguesa FACULDADE DE FILOLOGIA DEPARTAMENTO DE FILOLOGIA GALEGA Tecnologias aplicadas à Língua Portuguesa J. Carlos Quiroga Díaz GUIA DOCENTE E MATERIAL DIDÁTICO 2015/2016 FACULDADE DE FILOLOGIA. DEPARTAMENTO

Leia mais

GRAMÁTICA PORTUGUESA 1 (Sintaxe-Semântica)

GRAMÁTICA PORTUGUESA 1 (Sintaxe-Semântica) FACULTADE DE FILOLOXÍA DEPARTAMENTO DE FILOLOXÍA GALEGA GRAMÁTICA PORTUGUESA 1 (Sintaxe-Semântica) José Luís Forneiro Pérez GUÍA DOCENTE E MATERIAL DIDÁCTICO 2015/2016 FACULTADE DE FILOLOXÍA. DEPARTAMENTO

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA 1 FACULDADE DE FILOLOGIA DEPARTAMENTO DE FILOLOGIA GALEGA. José Luís Rodríguez (cordenador) João Ribeirete.

LÍNGUA PORTUGUESA 1 FACULDADE DE FILOLOGIA DEPARTAMENTO DE FILOLOGIA GALEGA. José Luís Rodríguez (cordenador) João Ribeirete. FACULDADE DE FILOLOGIA DEPARTAMENTO DE FILOLOGIA GALEGA LÍNGUA PORTUGUESA 1 José Luís Rodríguez (cordenador) João Ribeirete Márlio da Silva GUIA DOCENTE E MATERIAL DIDÁTICO 2015/2016 FACULTADE DE FILOLOXIA.

Leia mais

FACULTADE DE FILOLOXÍA DEPARTAMENTO DE FILOLOXÍA GALEGA

FACULTADE DE FILOLOXÍA DEPARTAMENTO DE FILOLOXÍA GALEGA FACULTADE DE FILOLOXÍA DEPARTAMENTO DE FILOLOXÍA GALEGA HISTÓRIA E VARIEDADE DO PORTUGUÊS 2 José António Souto Cabo Márlio Barcellos Pereira da Silva GUÍA DOCENTE E MATERIAL DIDÁCTICO 2015/2016 FACULTADE

Leia mais

D i n â m i c a s S ó c i o- c u lturai s d a L u s of o ni a

D i n â m i c a s S ó c i o- c u lturai s d a L u s of o ni a FACULTADE DE FILOLOXÍA DEPARTAMENTO DE FILOLOXÍA GALEGA D i n â m i c a s S ó c i o- c u lturai s d a L u s of o ni a Carmen Villarino Pardo G U Í A D O C E N T E E M AT E R I A L D I D Á C T I C O 2 0

Leia mais

DÍAZ FOUCES, Oscar (Ed.). Olhares & Miradas: reflexiones sobre la traducción portuguésespañol y su didáctica. Granada: Editorial Atrio, 2012.

DÍAZ FOUCES, Oscar (Ed.). Olhares & Miradas: reflexiones sobre la traducción portuguésespañol y su didáctica. Granada: Editorial Atrio, 2012. DÍAZ FOUCES, Oscar (Ed.). Olhares & Miradas: reflexiones sobre la traducción portuguésespañol y su didáctica. Granada: Editorial Atrio, 2012. Paulo Antonio Pinheiro Correa 1 Que saberes são necessários

Leia mais

FACULTADE DE FILOLOXÍA DEPARTAMENTO DE FILOLOXÍA GALEGA LINGUA PORTUGUESA 5. José Luís Forneiro Pérez GUÍA DOCENTE E MATERIAL DIDÁCTICO

FACULTADE DE FILOLOXÍA DEPARTAMENTO DE FILOLOXÍA GALEGA LINGUA PORTUGUESA 5. José Luís Forneiro Pérez GUÍA DOCENTE E MATERIAL DIDÁCTICO FACULTADE DE FILOLOXÍA DEPARTAMENTO DE FILOLOXÍA GALEGA LINGUA PORTUGUESA 5 José Luís Forneiro Pérez GUÍA DOCENTE E MATERIAL DIDÁCTICO 2015/2016 FACULTADE DE FILOLOXÍA. DEPARTAMENTO DE FILOLOXÍA GALEGA

Leia mais

FACULTADE DE FILOLOXÍA DEPARTAMENTO DE FILOLOXÍA GALEGA. Cultura do Brasil. Carmen Villarino Pardo Márlio Barcellos Pereira da Silva

FACULTADE DE FILOLOXÍA DEPARTAMENTO DE FILOLOXÍA GALEGA. Cultura do Brasil. Carmen Villarino Pardo Márlio Barcellos Pereira da Silva FACULTADE DE FILOLOXÍA DEPARTAMENTO DE FILOLOXÍA GALEGA Cultura do Brasil Carmen Villarino Pardo Márlio Barcellos Pereira da Silva GUÍA DOCENTE E MATERIAL DIDÁCTICO 2015/2016 1 FACULTADE DE FILOLOXÍA.

Leia mais

Planificación Cultural

Planificación Cultural FACULTADE DE FILOLOXÍA DEPARTAMENTO DE FILOLOXÍA GALEGA Planificación Cultural Elias J. Feijó Torres M. Felisa Rodríguez Prado GUÍA DOCENTE E MATERIAL DIDÁCTICO 2015/2016 FACULTADE DE FILOLOXÍA. DEPARTAMENTO

Leia mais

TRATAMIENTO DE LOS ASPECTOS CONFLICTIVOS DEL ESPAÑOL PARA LUSOHABLANTES. Centro de Formação Continua de Professores FLUC

TRATAMIENTO DE LOS ASPECTOS CONFLICTIVOS DEL ESPAÑOL PARA LUSOHABLANTES. Centro de Formação Continua de Professores FLUC TRATAMIENTO DE LOS ASPECTOS CONFLICTIVOS DEL ESPAÑOL PARA LUSOHABLANTES Acão de Formação nº18 de 2012/2013 (CCPFC/ACC-73656/13) Centro de Formação Continua de Professores FLUC Formadoras: Mestre Elena

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular INTRODUÇÃO À ECONOMIA Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular INTRODUÇÃO À ECONOMIA Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular INTRODUÇÃO À ECONOMIA Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (1º Ciclo) 2. Curso Relações Internacionais 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular

Leia mais

apresentação oral sobre temas concernentes às especificidades do curso de Redes de Computadores;

apresentação oral sobre temas concernentes às especificidades do curso de Redes de Computadores; CENTRO DE ENSINO SUPERIOR FABRA MANTENEDOR DA ESCOLA DE ENSINO SUPERIOR FABRA Cred. Pela Portaria Ministerial nº 2787 de 12/12/2001 D.O.U. 17/12/2001 Rua Pouso Alegre, nº 49 Barcelona Serra/ES CEP 29166-160

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DO 51º CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE PÚBLICA

PLANO DE ESTUDOS DO 51º CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE PÚBLICA PLANO DE ESTUDOS DO 51º CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE PÚBLICA Janeiro de 2012 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESTINATÁRIOS... 4 3. FINALIDADE... 4 4. OBJECTIVOS GERAIS... 4 5. PLANO CURRICULAR... 5 6.

Leia mais

GRADE CURRICULAR DO CURSO

GRADE CURRICULAR DO CURSO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE COMUNICAÇÃO E EXPRESSÃO COORDENADORIA DO CURSO DE LETRAS-INGLÊS A DISTÂNCIA GRADE CURRICULAR DO CURSO A grade curricular do Curso em Licenciatura em Letras-Inglês

Leia mais

Programa de Unidade Curricular

Programa de Unidade Curricular Programa de Unidade Curricular Faculdade Arquitectura e Artes Licenciatura Design Unidade Curricular Desenho de Observação Semestre: 2 Nº ECTS: Regente Prof. Doutora Joana Pimentel Assistente Carga Horária

Leia mais

Universidade Nova de Lisboa ESCOLA NACIONAL DE SAÚDE PÚBLICA

Universidade Nova de Lisboa ESCOLA NACIONAL DE SAÚDE PÚBLICA REGULAMENTO O Regulamento do Curso de Especialização em Medicina do Trabalho (CEMT) visa enquadrar, do ponto de vista normativo, o desenvolvimento das actividades inerentes ao funcionamento do curso, tendo

Leia mais

REGULAMENTO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO ADMINISTRAÇÃO HOSPITALAR 2013 / 2015

REGULAMENTO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO ADMINISTRAÇÃO HOSPITALAR 2013 / 2015 REGULAMENTO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO HOSPITALAR 2013 / 2015 ÍNDICE 1. Introdução 1 2. Finalidades e objectivos educacionais 2 3. Organização interna do CEAH 2 4. Habilitações de acesso

Leia mais

Literaturas Comparadas na Lusofonia

Literaturas Comparadas na Lusofonia Guia Didático da matéria Literaturas Comparadas na Lusofonia FACULDADE DE FILOLOGIA DEPARTAMENTO DE FILOLOGIA GALEGA Literaturas Comparadas na Lusofonia Márlio Barcellos Pereira da Silva GUIA DOCENTE E

Leia mais

CURSO DE GESTÃO DE NEGOCIOS MÓDULO INTERNACIONAL UNIVERSIDADE SANTIAGO DE COMPOSTELA

CURSO DE GESTÃO DE NEGOCIOS MÓDULO INTERNACIONAL UNIVERSIDADE SANTIAGO DE COMPOSTELA CURSO DE GESTÃO DE NEGOCIOS MÓDULO INTERNACIONAL UNIVERSIDADE SANTIAGO DE COMPOSTELA Módulo internacional Gestão de Negócios Módulo internacional Gestão de Negócios Módulo internacional Gestão de Negócios

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Arquitectura e Artes (1º Ciclo) 2. Curso Arquitectura 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular AMBIENTE

Leia mais

Cursos de Licenciatura

Cursos de Licenciatura DLLM Cursos de Licenciatura 2009-2010 1 Cursos de Licenciatura 2009/2010 1º Ciclo Bolonha DLLM Departamento de Línguas e Literaturas Modernas 2 Cursos de Licenciatura 2009-2010 DLLM DLLM Cursos de Licenciatura

Leia mais

Instituto de Educação

Instituto de Educação Instituto de Educação Universidade de Lisboa Oferta Formativa Pós-Graduada Mestrado em Educação Especialização: Administração Educacional Edição Instituto de Educação da Universidade de Lisboa julho de

Leia mais

Programa de Licenciaturas Internacionais CAPES/ Universidade de Lisboa

Programa de Licenciaturas Internacionais CAPES/ Universidade de Lisboa Programa de Licenciaturas Internacionais / (23 Dezembro de 2011) 1. Introdução 2. Objectivos 3. Organização e procedimentos 4. Regime de Titulação do Programa de Licenciaturas Internacionais /UL 5. Regime

Leia mais

Intersecciones Revista da APEESP N o 1, 2º semestre de 2013 A FORMAÇÃO DE TRADUTORES EM LÍNGUA ESPANHOLA NA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

Intersecciones Revista da APEESP N o 1, 2º semestre de 2013 A FORMAÇÃO DE TRADUTORES EM LÍNGUA ESPANHOLA NA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL A FORMAÇÃO DE TRADUTORES EM LÍNGUA ESPANHOLA NA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL Cleci Regina Bevilacqua (UFRGS) Resumo: Este artigo traça um panorama da formação em tradução em Língua Espanhola

Leia mais

FACULTADE DE FILOLOXÍA DEPARTAMENTO DE FILOLOXÍA GALEGA. Cultura Portugue s a. Elias Torres Feijó João Ribeirete

FACULTADE DE FILOLOXÍA DEPARTAMENTO DE FILOLOXÍA GALEGA. Cultura Portugue s a. Elias Torres Feijó João Ribeirete FACULTADE DE FILOLOXÍA DEPARTAMENTO DE FILOLOXÍA GALEGA Cultura Portugue s a Elias Torres Feijó João Ribeirete G U Í A D O C E N T E E M AT E R I A L DIDÁ C TI C O 2015/2016 FACULTADE DE FILOLOXÍA. DEPARTAMENTO

Leia mais

XI Jornada Científica. Maria da Graça KRIEGER Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS), Brasil Grupo TermiLex

XI Jornada Científica. Maria da Graça KRIEGER Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS), Brasil Grupo TermiLex XI Jornada Científica Maria da Graça KRIEGER Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS), Brasil Grupo TermiLex Márcio Sales SANTIAGO Universidade Federal do Ceará (UFC CNPq/FUNCAP), Brasil Grupo

Leia mais

Planejamento didático para o ensino de Surdos na perspectiva bilíngue. Vinicius Martins Flores Universidade Luterana do Brasil ULBRA

Planejamento didático para o ensino de Surdos na perspectiva bilíngue. Vinicius Martins Flores Universidade Luterana do Brasil ULBRA Planejamento didático para o ensino de Surdos na perspectiva bilíngue. Vinicius Martins Flores Universidade Luterana do Brasil ULBRA Resumo: O presente trabalho apresenta uma análise, que se originou a

Leia mais

Instituto de Educação

Instituto de Educação Instituto de Educação Universidade de Lisboa Oferta Formativa Pós-Graduada Mestrado em Educação Especialização: Educação Intercultural Edição Instituto de Educação da Universidade de Lisboa julho de 2015

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC OU ATIVIDADE EQUIVALENTE DO CURSO DE GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO NA ÁREA DA ADMINISTRAÇÃO

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC OU ATIVIDADE EQUIVALENTE DO CURSO DE GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO NA ÁREA DA ADMINISTRAÇÃO REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC OU ATIVIDADE EQUIVALENTE DO CURSO DE GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO NA ÁREA DA ADMINISTRAÇÃO I - DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1. O presente Regulamento

Leia mais

MANUAL DE CONSTRUÇÃO DE CRÉDITOS ECTS

MANUAL DE CONSTRUÇÃO DE CRÉDITOS ECTS MANUAL DE CONSTRUÇÃO DE CRÉDITOS ECTS PROCEDIMENTOS E REGRAS A ADOPTAR PARA A FIXAÇÃO DOS CRÉDITOS A OBTER EM CADA ÁREA CIENTÍFICA E A ATRIBUIR POR CADA UNIDADE CURRICULAR (de acordo com Dec.- Lei nº 42/2005)

Leia mais

Sociologia das Literaturas de Língua Portuguesa

Sociologia das Literaturas de Língua Portuguesa FACULDADE DE FILOLOGIA DEPARTAMENTO DE FILOLOGIA GALEGA Sociologia das Literaturas de Língua Portuguesa J. Carlos Quiroga Díaz GUIA DOCENTE E MATERIAL DIDÁTICO 2015/2016 FACULDADE DE FILOLOGIA. DEPARTAMENTO

Leia mais

Programa de Unidade Curricular

Programa de Unidade Curricular Programa de Unidade Curricular Faculdade Ciências Empresariais Licenciatura Contabilidade / Ciências Económicas e Empresariais Unidade Curricular Cálculo Comercial e Financeiro Semestre: 3 Nº ECTS: 6,0

Leia mais

Caracterização dos cursos de licenciatura

Caracterização dos cursos de licenciatura Caracterização dos cursos de licenciatura 1. Identificação do ciclo de estudos em funcionamento Os cursos de 1º ciclo actualmente em funcionamento de cuja reorganização resultam os novos cursos submetidos

Leia mais

SITUAÇÕES ESPECIAIS. Formação de Voluntários em Saúde. savlita 2015/16 DURAÇÃO DO CURSO OUTUBRO

SITUAÇÕES ESPECIAIS. Formação de Voluntários em Saúde. savlita 2015/16 DURAÇÃO DO CURSO OUTUBRO Universidade Católica Portuguesa - savlita SITUAÇÕES ESPECIAIS DURAÇÃO DO CURSO OUTUBRO 2015 a JUNHO 2016 ESTRUTURA DO CURSO Módulo 1 Voluntariado e Identidade Módulo 2 A saúde e a doença Módulo 3 Questões

Leia mais

Colegiado do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciências Veterinárias

Colegiado do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciências Veterinárias MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM CIÊNCIAS VETERINÁRIAS Colegiado do Programa de Pós-Graduação

Leia mais

47720 Diário da República, 2.ª série N.º 233 6 de Dezembro de 2011

47720 Diário da República, 2.ª série N.º 233 6 de Dezembro de 2011 47720 Diário da República, 2.ª série N.º 233 6 de Dezembro de 2011 UNIVERSIDADE DA MADEIRA Aviso (extracto) n.º 23548/2011 Nos termos do disposto no n.º 6 do artigo 12.º da Lei n.º 12 -A/2008, de 27 de

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular FINANÇAS PÚBLICAS Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular FINANÇAS PÚBLICAS Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular FINANÇAS PÚBLICAS Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Economia 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular FINANÇAS

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular Empreendedorismo Social e Empregabilidade Ano Lectivo 2012/2013

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular Empreendedorismo Social e Empregabilidade Ano Lectivo 2012/2013 Programa da Unidade Curricular Empreendedorismo Social e Empregabilidade Ano Lectivo 2012/2013 1. Unidade Orgânica Serviço Social (1º Ciclo) 2. Curso Serviço Social 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular

Leia mais

Instituto de Educação

Instituto de Educação Instituto de Educação Universidade de Lisboa Oferta Formativa Pós-Graduada Mestrado em Educação Especialização: História da Educação (Regime a Distância) Edição Instituto de Educação da Universidade de

Leia mais

Ensinar com TIC: Aprendizagem disruptiva, realidade aumentada e tecnologia wearable no ensino superior

Ensinar com TIC: Aprendizagem disruptiva, realidade aumentada e tecnologia wearable no ensino superior Ensinar com TIC: Aprendizagem disruptiva, realidade aumentada e tecnologia wearable no ensino superior Curso de Março a Abril de 2015 INSCRIÇÕES aceites por ORDEM DE CHEGADA workshops presenciais: até

Leia mais

REGULAMENTO DO XLV CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO HOSPITALAR

REGULAMENTO DO XLV CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO HOSPITALAR REGULAMENTO DO XLV CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO HOSPITALAR 1. Introdução O Curso de Especialização em Administração Hospitalar (CEAH) da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP) da Universidade

Leia mais

A USC E O ESPAÇO EUROPEU DE EDUCAÇÃO SUPERIOR

A USC E O ESPAÇO EUROPEU DE EDUCAÇÃO SUPERIOR A USC E O ESPAÇO EUROPEU DE EDUCAÇÃO SUPERIOR est udos of erecem CALENDÁRIO ACADÉMICO Início do curso: Setembro Primeiro quadrimestre: Setembro a Janeiro Segundo quadrimestre: Fevereiro a Junho 2 Ciências

Leia mais

APRESENTAÇÃO MANUAL E REGULAMENTO DE MONOGRAFIA DO CURSO DE DIREITO AINDA SUJEITO À APROVAÇÃO DO CONSEPE.

APRESENTAÇÃO MANUAL E REGULAMENTO DE MONOGRAFIA DO CURSO DE DIREITO AINDA SUJEITO À APROVAÇÃO DO CONSEPE. APRESENTAÇÃO MANUAL E REGULAMENTO DE MONOGRAFIA DO CURSO DE DIREITO AINDA SUJEITO À APROVAÇÃO DO CONSEPE. A UNISA UNIVERSIDADE CIDADE DE SANTO AMARO, a fim de propiciar aos acadêmicos de Direito os meios

Leia mais

PROJETO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA FIC

PROJETO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA FIC CAMPUS PETROLINA PROJETO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA FIC 1 CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA EM ESPANHOL E INGLÊS INSTRUMENTAL PARA MESTRADO E DOUTORADO EMENTA: Compreensão da Língua

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA I INTRODUÇÃO

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA I INTRODUÇÃO O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) é relevante para a formação profissional do discente, tem a função

Leia mais

Curso(s): Licenciaturas em Engenharia Total de horas Aulas Teórico-Práticas 60 h

Curso(s): Licenciaturas em Engenharia Total de horas Aulas Teórico-Práticas 60 h UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA F A C U L D A D E D E E NGE N H ARIA Disciplina de DESENHO Contexto da Disciplina Horas de Trabalho do Aluno Curso(s): Licenciaturas em Engenharia Total de horas Aulas

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ESTRATÉGIA EMPRESARIAL Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ESTRATÉGIA EMPRESARIAL Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular ESTRATÉGIA EMPRESARIAL Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (2º Ciclo) 2. Curso Mestrado em Gestão 3. Ciclo de Estudos 2º 4. Unidade

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular INTRODUÇÃO ÀS RELAÇÕES INTERNACIONAIS Ano Lectivo 2015/2016

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular INTRODUÇÃO ÀS RELAÇÕES INTERNACIONAIS Ano Lectivo 2015/2016 Programa da Unidade Curricular INTRODUÇÃO ÀS RELAÇÕES INTERNACIONAIS Ano Lectivo 2015/2016 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (1º Ciclo) 2. Curso Relações Internacionais 3. Ciclo de Estudos

Leia mais

Regulamento dos Cursos de Língua Estrangeira da Universidade de Trásos-Montes

Regulamento dos Cursos de Língua Estrangeira da Universidade de Trásos-Montes Regulamento dos Cursos de Língua Estrangeira da Universidade de Trásos-Montes e Alto Douro Artigo 1º Objeto O presente regulamento define um conjunto de normas e orientações dos Cursos de Língua Estrangeira

Leia mais

1) A prática e o aprofundamento das habilidades comunicativas específicas que serão avaliadas nos exames.

1) A prática e o aprofundamento das habilidades comunicativas específicas que serão avaliadas nos exames. C U R S O S ESPECIAIS I n s t i t u t o C e r v a n t e s d e B r a s i l i a CURSOS ESPECIAIS O Instituto Cervantes de Brasília dispõe de uma ampla oferta de cursos especiais para se adaptar as necessidades

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DOS MESTRADOS EM ENSINO - FORMAÇÃO DE PROFESSORES

REGULAMENTO INTERNO DOS MESTRADOS EM ENSINO - FORMAÇÃO DE PROFESSORES REGULAMENTO INTERNO DOS MESTRADOS EM ENSINO - FORMAÇÃO DE PROFESSORES Artigo 1º Âmbito O Regulamento interno dos mestrados em ensino formação inicial de professores aplica-se aos seguintes ciclos de estudo

Leia mais

Letras - Língua Portuguesa

Letras - Língua Portuguesa UNIVERSIDADE DA INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL DA LUSOFONIA AFRO-BRASILEIRA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE ENSINO COORDENAÇÃO DE CURSO Letras - Língua Portuguesa 1. Perfil do Egresso: Em consonância

Leia mais

DESCRIÇÃO DA UNIDADE CURRICULAR CÓDIGO: CRÉDITOS ECTS: 5

DESCRIÇÃO DA UNIDADE CURRICULAR CÓDIGO: CRÉDITOS ECTS: 5 DESCRIÇÃO DA UNIDADE CURRICULAR Unidade Curricular: Turismo, Hotelaria e Restauração Área Científica: Hotelaria CÓDIGO: CRÉDITOS ECTS: 5 CURSO: Licenciatura em Restauração e Catering Ano: 1º Semestre:

Leia mais

PROGRAMA DE TEORIA E METODOLOGIA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 12ª e 13ª classes

PROGRAMA DE TEORIA E METODOLOGIA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 12ª e 13ª classes PROGRAMA DE TEORIA E METODOLOGIA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 12ª e 13ª classes Formação de Professores do 1º Ciclo do Ensino Secundário Disciplina de Educação Física Ficha Técnica Título Programa de Teoria e Metodologia

Leia mais

GESTÃO DE RISCO E PROTEÇÃO CIVIL

GESTÃO DE RISCO E PROTEÇÃO CIVIL Curso Novo Ficha Académica de Curso GESTÃO DE RISCO E PROTEÇÃO CIVIL Pós-Graduação Curso Pós-Graduação em GESTÃO DE RISCO E PROTEÇÃO CIVIL Unidade Orgânica ULP / FCNET Grau ECTS 65 ECTS Horas de Contacto

Leia mais

ANEXO III. Regulamentação da Educação Profissional Técnica de Nível Médio Integrado na Modalidade Educação de Jovens e Adultos. Capítulo I Da admissão

ANEXO III. Regulamentação da Educação Profissional Técnica de Nível Médio Integrado na Modalidade Educação de Jovens e Adultos. Capítulo I Da admissão ANEXO III ORGANIZAÇÃO DIDÁTICA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA SERTÃO PERNANBUCANO Resolução nº 031/2010 De 30 de setembro de 2010 Regulamentação da Educação Profissional Técnica

Leia mais

REGULAMENTO DOS DIPLOMAS DE ESPECIALIZAÇÃO

REGULAMENTO DOS DIPLOMAS DE ESPECIALIZAÇÃO REGULAMENTO DOS DIPLOMAS DE ESPECIALIZAÇÃO Aprovado em reunião da Comissão Coordenadora do Conselho Científico em 22/11/2006 Aprovado em reunião de Plenário do Conselho Directivo em 13/12/2006 PREÂMBULO

Leia mais

SELEÇÃO EXTERNA DE DOCENTE CURSO DE LETRAS INGLÊS TRADUÇÃO E INTERPRETAÇÃO Nº 25/2015

SELEÇÃO EXTERNA DE DOCENTE CURSO DE LETRAS INGLÊS TRADUÇÃO E INTERPRETAÇÃO Nº 25/2015 SELEÇÃO- 25/2015 (nail) SELEÇÃO EXTERNA DE DOCENTE CURSO DE LETRAS INGLÊS TRADUÇÃO E INTERPRETAÇÃO Nº 25/2015 EMENTA: SELEÇÃO EXTERNA DE DOCENTE EM REGIME DE HORAS AULA, PARA A ÁREA DE TRADUÇÃO E INTERPRETAÇÃO

Leia mais

RESOLUÇÃO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS NATURAIS TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO RESOLUÇÃO:

RESOLUÇÃO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS NATURAIS TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO RESOLUÇÃO: RESOLUÇÃO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS NATURAIS TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO RESOLUÇÃO N o 002/2014-FACIN, DE 08 DE OUTUBRO DE 2014 Estabelece os procedimentos e normas quanto aos requisitos necessários

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS DE ANÁPOLIS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS DE ANÁPOLIS 1. EMENTA Paradigmas de Organização Escolar: pressupostos teóricos e práticos. Administração/gestão escolar: teorias e tendências atuais no Brasil. A escola concebida e organizada a partir das Diretrizes

Leia mais

Ficha de Unidade Curricular Curso de Design Cerâmico e Vidro

Ficha de Unidade Curricular Curso de Design Cerâmico e Vidro Ficha de Unidade Curricular Curso de Design Cerâmico e Vidro Unidade Curricular Designação: Desenho II Área Científica: Desenho (DES) Ciclo de Estudos: Licenciatura Carácter: Obrigatória Semestre: 2º ECTS:

Leia mais

Ficha da Unidade Curricular (UC)

Ficha da Unidade Curricular (UC) Impressão em: 03-01-2013 16:13:42 Ficha da Unidade Curricular (UC) 1. Identificação Unidade Orgânica : Escola Superior de Tecnologia e Gestão Curso : [IS] Informática para a Saúde Tipo de Curso : UC/Módulo

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O. A Matriz Curricular 2011 será implantada a partir do 1 (primeiro) semestre do ano letivo de

R E S O L U Ç Ã O. A Matriz Curricular 2011 será implantada a partir do 1 (primeiro) semestre do ano letivo de RESOLUÇÃO CONSEPE N. 01/2011 REFERENDA PORTARIA GR N.º 53/2010 QUE APROVOU A MATRIZ CURRICULAR 2011 E ALTEROU A MATRIZ CURRICULAR 2009 DO CURSO DE LETRAS - PORTUGUÊS E INGLÊS, LICENCIATURA, DA FAE CENTRO

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: Professor Mário Antônio Verza Código: 164 Município: Palmital Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnico em Logística

Leia mais

Curso de especialização em Educação Matemática. Faculdade Campo Limpo Paulista (FACCAMP)

Curso de especialização em Educação Matemática. Faculdade Campo Limpo Paulista (FACCAMP) Curso de especialização em Educação Matemática. Faculdade Campo Limpo Paulista (FACCAMP) 1. Apresentação/Público Alvo Este curso de Pós-Graduação Lato Sensu é destinado especialmente a alunos graduados

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ÉTICA PROFISSIONAL Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ÉTICA PROFISSIONAL Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular ÉTICA PROFISSIONAL Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Serviço Social (2º Ciclo) 2. Curso Mestrado em Serviço Social 3. Ciclo de Estudos 2º 4. Unidade Curricular ÉTICA

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB ANEXO II Edital Pibid n /2012 CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO

Leia mais

A atividade do Instituto Camões na Extremadura

A atividade do Instituto Camões na Extremadura A atividade do Instituto Camões na Extremadura Teresa Jorge Ferreira Leitora do Instituto Camões na Universidade da Extremadura tjorgeferreira@instituto-camoes.pt 122 P á g i n a I S S N : 1988-8430 Tejuelo,

Leia mais

MINI-MBA de Especialização em Relações Públicas, Protocolo Empresarial e Eventos

MINI-MBA de Especialização em Relações Públicas, Protocolo Empresarial e Eventos MINI-MBA de Especialização em Relações Públicas, Protocolo Empresarial e Eventos Índice Duração Total... 2 Destinatários... 2 Perfil de saída... 2 Pré-Requisitos... 2 Objetivo Geral... 2 Objetivos Específicos...

Leia mais

GRAMÁTICA PORTUGUESA 2 -FONOLOGIA E MORFOLOGIA

GRAMÁTICA PORTUGUESA 2 -FONOLOGIA E MORFOLOGIA FACULDADE DE FILOLOGIA Grau em Línguas Modernas: Português GRAMÁTICA PORTUGUESA 2 -FONOLOGIA E MORFOLOGIA José Luís RODRIGUEZ GUÍA DOCENTE E MATERIAL DIDÁTICO 2015/2016 I. DADOS DA MATÉRIA NOME: Gramática

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO BACHARELADO EM ESTUDOS LITERÁRIOS INSTITUTO DE ESTUDOS DA LINGUAGEM (IEL) DEPARTAMENTO DE TEORIA LITERÁRIA UNICAMP

PROJETO PEDAGÓGICO DO BACHARELADO EM ESTUDOS LITERÁRIOS INSTITUTO DE ESTUDOS DA LINGUAGEM (IEL) DEPARTAMENTO DE TEORIA LITERÁRIA UNICAMP PROJETO PEDAGÓGICO DO BACHARELADO EM ESTUDOS LITERÁRIOS INSTITUTO DE ESTUDOS DA LINGUAGEM (IEL) DEPARTAMENTO DE TEORIA LITERÁRIA UNICAMP I.) Histórico da criação do curso A proposta de criação de uma nova

Leia mais

MBA EM GESTÃO DE EMPRESAS COM ACESSO AO MESTRADO EDITAL Nº 015/2012

MBA EM GESTÃO DE EMPRESAS COM ACESSO AO MESTRADO EDITAL Nº 015/2012 De acordo com o disposto no protocolo internacional de cooperação interinstitucional firmado entre a Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias (ULHT) e o Instituto Superior de Educação Continuada

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITO FISCAL Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITO FISCAL Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular DIREITO FISCAL Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Direito (1º Ciclo) 2. Curso Solicitadoria 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular DIREITO FISCAL (28129) 5.

Leia mais

Plano de Ensino. Identificação. Curso TUR D1 - Turismo. Ênfase. Disciplina T1.7027S - Introdução ao Estágio Supervisionado

Plano de Ensino. Identificação. Curso TUR D1 - Turismo. Ênfase. Disciplina T1.7027S - Introdução ao Estágio Supervisionado Curso TUR D1 - Turismo Ênfase Identificação Disciplina T1.7027S - Introdução ao Estágio Supervisionado Docente(s) Fernando Protti Bueno Unidade Câmpus Experimental de Rosana Departamento Coordenadoria

Leia mais

FACULTADE DE FILOLOXÍA DEPARTAMENTO DE FILOLOXÍA GALEGA LINGUA PORTUGUESA 4. José Luís Forneiro Pérez GUÍA DOCENTE E MATERIAL DIDÁCTICO

FACULTADE DE FILOLOXÍA DEPARTAMENTO DE FILOLOXÍA GALEGA LINGUA PORTUGUESA 4. José Luís Forneiro Pérez GUÍA DOCENTE E MATERIAL DIDÁCTICO FACULTADE DE FILOLOXÍA DEPARTAMENTO DE FILOLOXÍA GALEGA LINGUA PORTUGUESA 4 José Luís Forneiro Pérez GUÍA DOCENTE E MATERIAL DIDÁCTICO 2015/2016 FACULTADE DE FILOLOXÍA. DEPARTAMENTO DE FILOLOXÍA GALEGA

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular PSICOLOGIA DO CONSUMO Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular PSICOLOGIA DO CONSUMO Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular PSICOLOGIA DO CONSUMO Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Marketing e Publicidade 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O. Ficam aprovadas, conforme anexo, as Políticas de Atendimento a Discentes Estrangeiros da FAE Centro Universitário.

R E S O L U Ç Ã O. Ficam aprovadas, conforme anexo, as Políticas de Atendimento a Discentes Estrangeiros da FAE Centro Universitário. RESOLUÇÃO CONSEPE N. 22/2011 APROVA AS POLÍTICAS DE ATENDIMENTO A DISCENTES ESTRANGEIROS DA FAE CENTRO UNIVERSITÁRIO. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão CONSEPE, no uso das atribuições

Leia mais

PROFESSOR RESPONSÁVEL: Patrícia Roberta de Almeida Castro Machado

PROFESSOR RESPONSÁVEL: Patrícia Roberta de Almeida Castro Machado MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE LETRAS NOME DA DISCIPLINA: Estágio 2 (espanhol) PROFESSOR RESPONSÁVEL: Patrícia Roberta de Almeida Castro Machado CARGA HORÁRIA SEMESTRAL:

Leia mais

REGULAMENTO. Elaborado por: Aprovado por: Versão

REGULAMENTO. Elaborado por: Aprovado por: Versão REGULAMENTO Regulamento dos Cursos de Pós-Graduação Elaborado por: Aprovado por: Versão Reitor 1.2 (Professor Doutor Rui Oliveira) Revisto e Confirmado por: Data de Aprovação Inicial (José João Amoreira)

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE FORMIGA CREDENCIAMENTO: Decreto Publicado em 05/08/2004 RECREDENCIAMENTO: Decreto Publicado em 15/12/2006

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE FORMIGA CREDENCIAMENTO: Decreto Publicado em 05/08/2004 RECREDENCIAMENTO: Decreto Publicado em 15/12/2006 REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE FORMIGA UNIFOR-MG (Ato de Aprovação: Resolução do Reitor Nº 47/2010 de 30/04/2010) Art. 1º O Estágio Curricular Supervisionado

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular Empreendedorismo Social e Empregabilidade Ano Lectivo 2013/2014

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular Empreendedorismo Social e Empregabilidade Ano Lectivo 2013/2014 Programa da Unidade Curricular Empreendedorismo Social e Empregabilidade Ano Lectivo 2013/2014 1. Unidade Orgânica Serviço Social (1º Ciclo) 2. Curso Serviço Social 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO - PPC

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO - PPC 1 PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO - PPC O PPC, Projeto Pedagógico de Curso, é o instrumento de concepção de ensino e aprendizagem de um curso e apresenta características de um projeto, no qual devem ser definidos

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÄO DO CURSO-TCC DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÄO DO CURSO-TCC DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÄO DO CURSO-TCC DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA CAPITULO I Do Conceito, dos Princípios, das Finalidades e dos Objetivos Art. 1º - O Trabalho de Conclusão de Curso-TCC

Leia mais

CARVALHO, Maria Adelaide Pinto dos Santos, Programação com Excel para Economia & Gestão, Lisboa: FCA. COELHO, Pedro, Criar e publicar páginas Web

CARVALHO, Maria Adelaide Pinto dos Santos, Programação com Excel para Economia & Gestão, Lisboa: FCA. COELHO, Pedro, Criar e publicar páginas Web CARVALHO, Maria Adelaide Pinto dos Santos, Programação com Excel para Economia & Gestão, Lisboa: FCA. COELHO, Pedro, Criar e publicar páginas Web depressa & Bem, Lisboa: FCA. ELIAS, Ana, Curso Avançado

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2012. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2012. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2012 Ensino Técnico ETEC Monsenhor Antonio Magliano Código: 088 Município: Garça Eixo Tecnológico: Saúde Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de Técnico em Enfermagem

Leia mais

Currículo do Curso de Licenciatura em Filosofia

Currículo do Curso de Licenciatura em Filosofia Currículo do Curso de Licenciatura em Filosofia 1. Componentes curriculares O currículo do Curso de Licenciatura em Filosofia engloba as seguintes dimensões. 1.1. Conteúdos de natureza teórica Estes conteúdos

Leia mais

UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU USJT REGULAMENTO INTERNO DO CURSO DE MESTRADO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA

UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU USJT REGULAMENTO INTERNO DO CURSO DE MESTRADO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU USJT REGULAMENTO INTERNO DO CURSO DE MESTRADO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA CEPE 04/12/2013 I - DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1 o O Curso de Mestrado do Programa

Leia mais

Mini-MBA de Marketing

Mini-MBA de Marketing Mini-MBA de Marketing Coordenador/Formador: José Guimarães Índice Designação do curso... 2 Duração Total... 2 Destinatários... 2 Perfil de saída... 2 Pré-Requisitos... 3 Objectivo Geral... 3 Objetivos

Leia mais

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia REGULAMENTO DO 2º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM MARKETING Artigo 1.º Criação A Universidade da Beira Interior, através

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular Antropologia das Sociedades Complexas Ano Lectivo 2015/2016

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular Antropologia das Sociedades Complexas Ano Lectivo 2015/2016 Programa da Unidade Curricular Antropologia das Sociedades Complexas Ano Lectivo 2015/2016 1. Unidade Orgânica Serviço Social (1º Ciclo) 2. Curso Serviço Social 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular Empreendorismo Social e Empregabilidade Ano Lectivo 2010/2011

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular Empreendorismo Social e Empregabilidade Ano Lectivo 2010/2011 Programa da Unidade Curricular Empreendorismo Social e Empregabilidade Ano Lectivo 2010/2011 1. Unidade Orgânica Serviço Social (1º Ciclo) 2. Curso Serviço Social 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular

Leia mais

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLENTARES

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLENTARES CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA CURSO DE ENFERMAGEM MANUAL DE ATIVIDADES COMPLENTARES Belo Horizonte 2011 1 Presidente do Grupo Splice Antônio Roberto Beldi Reitor Luis Carlos de Souza Vieira Pró-Reitor

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES 1. OBJETIVOS O Objetivo das Atividades Complementares é estimular o aluno a participar de experiências diversificadas que contribuam para o seu futuro profissional,

Leia mais

Formulário de preenchimento obrigatório, a anexar á ficha modelo ACC 2

Formulário de preenchimento obrigatório, a anexar á ficha modelo ACC 2 CONSELHO CIENTÍFICO-PEDAGÓGICO DE FORMAÇÃO CONTÍNUA APRESENTAÇÃO DE ACÇÃO DE FORMAÇÃO NAS MODALIDADES DE ESTÁGIO, PROJECTO, OFICINA DE FORMAÇÃO E CÍRCULO DE ESTUDOS Formulário de preenchimento obrigatório,

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular FILOSOFIA DO DIREITO Ano Lectivo 2015/2016

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular FILOSOFIA DO DIREITO Ano Lectivo 2015/2016 Programa da Unidade Curricular FILOSOFIA DO DIREITO Ano Lectivo 2015/2016 1. Unidade Orgânica Direito (1º Ciclo) 2. Curso Direito 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular FILOSOFIA DO DIREITO (02339)

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE DIREITO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE DIREITO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE DIREITO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA Art. 1. Este Regulamento normatiza as atividades relacionadas com o Trabalho de Conclusão de Curso do Curso

Leia mais

Critérios de seleção e utilização do livro didático de inglês na rede estadual de ensino de Goiás

Critérios de seleção e utilização do livro didático de inglês na rede estadual de ensino de Goiás Critérios de seleção e utilização do livro didático de inglês na rede estadual de ensino de Goiás COSTA, Bianca Ribeiro Morais OLIVEIRA, Eliane Carolina de Universidade Federal de Goiás- UFG Programa de

Leia mais

REGIMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS GRADUAÇÃO " LATO SENSU"

REGIMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS GRADUAÇÃO  LATO SENSU UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS PRÓ REITORIA ACADÊMICA ASSESSORIA DE PÓS GRADUAÇÃO E PESQUISA REGIMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS GRADUAÇÃO " LATO SENSU" CAPÍTULO I DOS CURSOS E SEUS OBJETIVOS Art. 1º A

Leia mais

Plano de Trabalho Docente - 2015. Ensino Médio. Habilitação Profissional: Técnico em Informática para Internet Integrado ao Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente - 2015. Ensino Médio. Habilitação Profissional: Técnico em Informática para Internet Integrado ao Ensino Médio Plano de Trabalho Docente - 2015 Ensino Médio Código: 0262 ETEC ANHANQUERA Município: Santana de Parnaíba Área de Conhecimento: CIÊNCIAS DA NATUREZA Componente Curricular: BIOLOGIA Série: 1ª Eixo Tecnológico:

Leia mais