REESTRUTURAÇÃO DE INFRAESTRUTURA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO EM UMA EMPRESA DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL: UM ESTUDO DE CASO RESUMO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REESTRUTURAÇÃO DE INFRAESTRUTURA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO EM UMA EMPRESA DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL: UM ESTUDO DE CASO RESUMO"

Transcrição

1 27 a 29 de Novembro de Joinville SC REESTRUTURAÇÃO DE INFRAESTRUTURA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO EM UMA EMPRESA DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL: UM ESTUDO DE CASO Guilherme André Knupfer 1 RESUMO Neste Trabalho de Conclusão de Curso será apresentado o estudo de caso sobre a reestruturação de infraestrutura de tecnologia da informação em uma empresa de automação industrial. Tem-se como objetivo mostrar o planejamento e execução desse projeto. Também serão apresentadas as dificuldades encontradas durante todo o processo de reestruturação. Na sequência serão apresentados os resultados obtidos da reestruturação de infraestrutura de informática da empresa estudada. Serão apresentados ainda, os resultados obtidos com a realização do projeto e seus benefícios para a empresa. Ao final discutir as características da infraestrutura de TI indicando possíveis aplicações do projeto em outras empresas do mesmo ramo. Palavras-chave: Topologia. Cabeamento. Servidores. CPD. Backup. Antivírus. 1 Tecnólogo

2 1. INTRODUÇÃO A ampliação do acesso às tecnologias por parte das pessoas seja no contexto profissional quanto no cotidiano requer constante atualização da estrutura de Tecnologia da Informação (TI) a fim de possibilitar agilidade, confiabilidade e segurança das informações que transitam nas redes. No contexto empresarial, há exigência de um trabalho ininterrupto no que se refere ao trânsito e armazenamento de informações tendo em vista que os processos dependem dessas informações. É preciso levar em conta que para que as informações estejam disponíveis de forma ágil e segura é preciso antes que se tenha uma infraestrutura adequada às necessidades específicas de cada empresa. Para tanto, modelos de boas práticas podem ser utilizados nos ambientes empresariais, adequando as metodologias de acordo com cada ambiente de forma que atenda a problemas específicos. Devem ser identificados os componentes na rede como servidores, switches e roteadores, classificando a sua importância para o negócio. A interrupção do processamento e comunicação dos dados e consequentemente as transações eletrônicas decorrentes destes poderá ocasionar a perda de novos negócios e interrupção dos processos existentes na empresa. Esses efeitos devem ser levados em consideração na hora de definir o investimento dos componentes de rede, como também no momento de planejar a infraestrutura, seus mecanismos de contingenciamento e plano de continuidade. O próprio crescimento da rede de computadores e as tecnologias desenvolvidas para interligar funcionários remotos e filiais aumentaram a necessidade de precauções por parte dos administradores de rede. À medida que o perímetro de físicos e a gama de tecnologias aumentam, surgem também novas vulnerabilidades. Neste contexto, a proposta deste projeto é demonstrar os principais problemas encontrados na estrutura de TI de uma empresa de porte médio e as dificuldades encontradas para adequar a estrutura existente, trazendo uma maior competitividade no mercado. Este projeto pode ser utilizado como modelo para melhoria de outras estruturas, além de ser um instrumento de

3 consulta para a empresa onde será implantado o projeto verificar os objetivos alcançados. A importância da infraestrutura de TI adequada nas empresas, evitando paradas, maximizando as operações, facilitando os processos serão fatores apresentados nesse projeto. Diante disso, este trabalho visa mostrar o processo de reestruturação da infraestrutura da área de TI de uma empresa de automação industrial e demonstrar como ocorreu o processo de reestruturação, as dificuldades encontradas durante o processo e os resultados obtidos tanto no âmbito operacional quanto no âmbito da segurança. O trabalho está relacionado à área de TI, mais especificamente a de infraestrutura de redes de computadores e abrange desde as etapas de planejamento, execução, definição dos equipamentos e topologias existentes utilizadas na reestruturação da infraestrutura de uma empresa. 2. DESENVOLVIMENTO (JUSTIFICATIVA) De modo geral, as pequenas e médias empresas destinam um baixo orçamento na infraestrutura de informática e, quando o fazem, normalmente, concentram os investimentos na solução de problemas já ocasionados, o que gera uma série de prejuízos como, por exemplo, a perda de informações. Para melhorar esse processo é necessário um bom planejamento e execução de uma reestruturação de infraestrutura. No entanto, há uma série de dificuldades na implantação de um projeto de reestruturação de TI em virtude de fatores financeiros e também da própria cultura organizacional. No que se refere ao aspecto financeiro, um projeto desse porte requer um investimento na compra de equipamentos, softwares e mão de obra especializada para a implantação. Já a cultura organizacional, por sua vez, está relacionada ao fator humano implicado, já que é necessário o empenho de todos os envolvidos desde a diretoria até os usuários finais funcionários da empresa. A diretoria pode apresentar resistência à aprovação dos serviços ou compra de equipamentos, tendo em vista que os empresários não veem um

4 retorno imediato do investimento. A resistência dos usuários, por sua vez, tem relação com a mudança do ambiente de informática e das rotinas a serem alteradas. É importante ressaltar que, no decorrer da execução do projeto, as necessidades dos usuários são levadas em conta e podem inclusive gerar mudanças significativas no projeto inicial. Essa é a realidade de uma empresa do ramo de automação industrial, situada em Joinville (SC), onde está sendo executada uma reestruturação da infraestrutura de TI. Toda a parte de análise e planejamento do projeto foi realizada por uma empresa terceirizada, sendo que parte da execução foi feita pela mesma, juntamente com a equipe interna de TI da empresa de automação industrial. Nesse contexto, este projeto de pesquisa visa apresentar uma reestruturação de infraestrutura de TI a fim de evidenciar todo o processo: desde a análise da estrutura existente, passando pela elaboração de um projeto de restruturação e execução do mesmo, até a comparação de objetivos almejados com os realizados. Desse modo, esse relato pode ser referência para projetos similares, constituindo como um case a ser apresentado na própria filial da empresa em questão. 2.1 OBJETIVOS Objetivo Geral Apresentar a reestruturação da infraestrutura de TI em uma empresa do ramo de automação industrial Objetivos Específicos

5 -Mostrar, do planejamento à execução, as dificuldades do projeto durante o processo de reestruturação; -Apresentar os resultados obtidos da reestruturação de infraestrutura de informática da empresa estudada; -Discutir as características da infraestrutura de TI indicando possíveis aplicações do projeto em outras empresas. 2.2 REVISÃO DE LITERATURA Neste trabalho, será apresentado um estudo de caso sobre a reestruturação de uma infraestrutura de TI. Para trazer subsídios conceituais a esse estudo, neste capítulo, serão apresentados conceitos relevantes como: redes de computadores, cabeamento estruturado, Active Directory Domain Services REDES DE COMPUTADORES A necessidade de interagir com outros seres humanos é um fator primordial para a sobrevivência, com isso a necessidade de evolução dos meios de comunicação cresceu de tal forma que originou as redes de computadores. Para Soares (1995, p. 10), uma rede de computadores é formada por um conjunto de módulos processadores (MPs)¹ capazes de trocar informações e compartilhar recursos, interligados por um sistema de comunicação. As primeiras redes de computadores eram muito limitadas, pois eram alguns computadores conectados capazes de transmitir uma pequena quantidade de caracteres. Posteriormente evoluíram e são atualmente capazes de transmitir grande quantidade de dados, voz e vídeo entre vários tipos de dispositivos (CISCO, 2011). Nas redes de computadores há diversas classificações, dentre elas as Local Area Networks (LANs) e as Wide Areas Networks (WANs), que se

6 diferenciam pelas distâncias que abrangem e as tecnologias usadas para cada uma. Além da distância, é possível classificar as redes por sua topologia, ou seja, a sua forma (layout). Dentre os tipos de topologias, pode-se citar: topologia em estrela, barramento e em anel. Para possibilitar a comunicação efetiva e segura dos dispositivos finais como computadores e laptops, são necessários muitos elementos de redes, com as mais variadas funcionalidades, desde switches para a ligação das estações até aparelhos sofisticados de segurança Redes Locais Para Tanembaum (1997), as redes locais são redes privadas, que se encontram dentro de prédios ou campos universitários. Nessas os computadores, laptops e dispositivos são interligados, podendo ser disponibilizados recursos como: impressoras e/ou servidores de arquivos, além da possibilidade de troca de informações. Na figura 1 pode-se verificar um exemplo de LAN, onde se tem vários computadores, laptops, impressoras, switches, servidores, roteadores e Firewall. Figura 1 - Rede LAN

7 Fonte: Jbgsm (2011) 2 A administração das redes locais é feito normalmente por uma única organização, sendo definidas por essa as politicas de segurança e controles de acesso, além da responsabilidade de todos os equipamentos (CISCO, 2011). Pode-se observar na Figura 1 uma rede delimitada por um Firewall da grande WAN, onde se encontra diversos dispositivos com diversas finalidades Redes Geograficamente Distribuídas Da necessidade de comunicação de LANs distantes surgiram as WANs, para Tanenbaum (1997) essas distâncias podem abranger países ou até continentes. Os provedores de serviços (companhias telefônicas) fornecem a estrutura para as WANs, possibilitando a conexão entre as organizações a outras organizações, a serviços externos e usuários remotos. São transportados dados, voz e vídeo através da operadora (CISCO, 2011). Na figura 2 verifica-se uma LANs e seus componentes como servidores, computadores e switches. As junções dessas LANs formam a WAN. Figura 2 - Wide Area Network ou Rede de Longa Distância 2 Disponível em: <http://jbgsm.wordpress.com/2009/11/23/classificacao-das-redes/.> Acesso em: 12 de novembro de 2011.

8 Fonte: sites.google (2011) 3 Pode-se verificar na figura 2 que a WAN é a conexão de diversas LAN através da grande nuvem, que é controlada pelas grandes ISPs. Para o meio corporativo a importância da WAN está relacionada à economia e velocidade que esse proporciona. Funcionários remotos tem a possibilidade de acessar a rede local da empresa através de um acesso a internet, podendo de casa ou de outros locais trabalhar. O acesso de filiais a matriz também é possível dessa forma, podendo ser compartilhado recursos e serviços para uma maior produtividade e controle sobre os mesmos. O compartilhamento entre organizações ou com clientes também é uma grande vantagem das redes geograficamente separadas, podendo ser disponibilizadas informações de uma forma rápida e econômica CABEAMENTO ESTRUTURADO Para que seja possível que uma rede funcione, é necessário interligar os dispositivos, o cabeamento estruturado é uma forma encontrada para essa conexão. Segundo Marin (2009), o cabeamento estruturado envolve a parte de cabos e hardwares de conexão que seguem as normas, e tem por objetivo atender as necessidades dos usuários, sendo que esses não precisam ter conhecimento das aplicações e serviços que vão funcionar nesse ambiente. Podem-se encontrar dois meios de transmissão de dados nas conexões a cabo: fibras óticas onde os sinais são enviados através de sinais de luz e cabos de cobre (par trançado) que utilizam sinais elétricos (CISCO, 2011) ACTIVE DIRECTORY DOMAIN SERVICES 3 Disponível em: <https://sites.google.com/site/pdscefetsp/wan> Acesso em: 9 de novembro de 2011.

9 A necessidade de uma centralização de usuários e senhas para o acesso de vários serviços e recursos trouxe a necessidade de um serviço de diretórios. O Active Directory Domain Service (AD DS), de acordo com Holme (2010, p. 41), é projetado para fornecer um repositório central ao gerenciamento de identidades dentro de uma organização. O AD DS fornece serviços de autenticação e autorização em uma rede e suporta o gerenciamento de objetos por meio da Group Policy. Ainda segundo Holme (2010, p.39), uma identidade é uma entidade que realizará ações dentro de uma rede, como acessar arquivos ou recursos, podendo existir permissões para esse acesso, definidas em uma lista de controle de acesso, Access Control List (ACL). Para validar um acesso a recursos e serviços, é necessária a autenticação da identidade, que se dá através de um segredo conhecido apenas pelo usuário e o sistema de diretórios. No AD DS, um protocolo chamado Kerberos é responsável por autenticar um usuário, entregando a esse um tíquete, que através desse é possível acessar os serviços e recursos de uma rede de computadores. 2.3 RESULTADOS E DISCUSSÃO Neste capítulo será apresentado o detalhamento do projeto de reestruturação da infraestrutura de uma empresa de automação industrial, seguindo os estudos de revisão de literatura e procedimentos metodológicos apresentados neste trabalho. Assim, será detalhado: o contexto anterior à reestruturação, o detalhamento do processo de reestruturação, o escopo e plano do projeto, e por fim apresentar as mudanças realizadas CONTEXTO ANTERIOR À REESTRUTURAÇÃO

10 A situação atual que se encontrava a infraestrutura de informática estava falha em muitos pontos, desde a parte elétrica, de cabeamento até nos processos de segurança como backup ou sistema de antivírus. Foram feitas a análise da estrutura atual e o apontamento das falhas principais da estrutura de informática, sendo apresentadas no projeto Diagrama da Rede Com o intuído de melhorar a visualização da estrutura da rede antes da aplicação do projeto, foi montado um diagrama de rede conforme na Figura 11. Nesse diagrama foram apresentados os switches, Access Points, Servidores, Roteadores e os links. Figura 3 - Diagrama de Rede antes reestruturação GVT 15Mbps DN-SG1024 Marte Dlink 500B Router HAHNTEL Predio de administração Saturno HAHNTEL 2 Dispositivos de Rede: 04 Switches Dnet DN-SG Switches Encore ENH916P 02 Acess Point: Dlink DI Acess Point: Dlink DWL-2100AP HAHNTEL 3 Fábrica ENH916P

11 Fonte: O Autor (2012) De acordo com a Figura 11, os equipamentos de rede (switches e roteadores) estão distribuídos nas estruturas prediais da administração e fábrica e não possuem gerenciamento. Isso limita a resolução de problemas e a busca de possíveis gargalos pela falta de monitoramento. A ligação do prédio administrativo com a fábrica é feita através de cabos de par metálico, o que não é recomendado devido ao risco de descargas elétricas, recomendando-se o uso de fibra óptica. A arquitetura de rede é em estrela, sendo que os switches são ligados de forma cascateada e os servidores e Access points são ligados de forma distribuída entres os switches. Esse tipo de arquitetura traz gargalos, pois os dados muitas vezes tem que atravessar vários switches para chegar ao destino final (número de saltos) PLANO DO PROJETO Escopo: Redefinição da infraestrutura incluindo: rede local, topologia de rede, cabeamento, ambiente do CPD, energia elétrica CPD, equipamentos de rede, servidores e rede wireless. Fora do escopo: Licenciamento, rede da filial de São Paulo. Custo Análise, orçamento, montagem do plano do projeto: R$ 2.100,00. Cronograma: Tabela 1 Cronograma de atividades do projeto Atividade Data de inicio Data de conclusão Observação Análise da estrutura antiga 16/08/ /08/2010 Visita do técnico Plano do Projeto 17/08/ /09/2010 Orçamento 16/09/ /09/2010 Apresentação do projeto 07/10/ /10/2010 Revisão do projeto 07/10/ /10/2010 Compra de equipamentos 15/10/ /02/2012 Firewall/switch Dell Execução do Projeto 07/10/ /03/2012 Instalação Firewall/Instalação Switch Finalização Projeto 05/03/2012 Inicio verificação resultados Fonte: Autor (2012)

12 Conforme tabela 1 pode-se observar os principais marcos do projeto que apontam a duração de cada etapa, apontando também algumas observações Escopo e plano do projeto Com base nas informações coletadas durante o processo de análise da estrutura anterior a reestruturação e com a discussão das necessidades da empresa, foram separadas em áreas as mudanças necessárias para adequar a infraestrutura de informática. Foram levantados os recursos necessários para realizar as mudanças. Por opção da empresa, o principal foco foi à análise da infraestrutura de servidores com atenção especial às questões de segurança de acesso aos dados Rede Local Para melhorar a infraestrutura de rede local, é necessária a mudança de alguns equipamentos, além da utilização de fibra ótica para a correta interconexão entre o prédio administrativo e a fabrica. O aumento de velocidade, escalabilidade e inclusão do gerenciamento são pontos fundamentais da nova estrutura de rede sugerida. Os protocolos de rede desnecessários devem ser eliminados, as chamadas Address Resolution Protocol (ARP) e NetBIOS Name Service (NBNS) devem ser minimizadas com a correta configuração dos serviços de rede Topologia de Rede e Cabeamento O cabeamento deve ser reorganizado, identificado e certifica para garantir o correto funcionamento da rede de computadores da empresa. Deve

13 ser elaborada documentação a ser atualizada sempre que houver alteração no cabeamento Rede Wireless A rede Wireless deve ser reconfigurada com a mudança do SSID e a sua exibição deve ser desabilitada para dificultar as tentativas de acesso não autorizado. Deve ser implementada criptografia mais forte que a atual WEP utilizada Equipamentos de Rede A solução proposta conta com a instalação de switches Smart Web com características de Port Virtual LAN (Vlan) e Port Trunk, além do protocolo SNMP para gerenciamento. Está incluso a compra de dois media converter 1Gbps interligam o CPD e a fábrica via fibra óptica, deixando o atual cabo UTP desligado para uso em caso de problemas com a ligação via fibra óptica Energia elétrica CPD A primeira ação a ser tomada é a revisão da parte elétrica do rack, instalando mais tomadas para eliminar a utilização de filtros de linha, além da verificação da estrutura de tomadas e aterramento para equipamentos de informática. Deve-se observar também a necessidade de tomadas com o novo padrão para ligação dos novos equipamentos de informática. O uso de adaptadores não é recomendado devido ao fato de não haver na NBR14136 a descrição da polarização para o novo padrão. Para minimizar os risco de problemas em discos rígidos e sistemas operacionais, é necessária a utilização de um nobreak inteligente para cara servidor que, em caso de falta prolongada de energia elétrica, estes possam enviar comandos para ao correto desligamento dos mesmos.

14 Os equipamentos de rede também devem ser contemplados com a utilização de nobreaks, neste caso sem a necessidade de gerenciamento, protegendo-os e mantendo a comunicação de rede estável. Pode ser utilizado o nobreak atual para isto Ambiente CPD O ambiente de CPD deve ser em local de acesso restrito, seguro, temperatura controlada, racks adequados, tipos de lâmpadas corretos, entre outras características ditadas por normas internacionais. Considerando o desejo exposto pelo cliente de resolver os problemas aproveitando ao máximo os recursos existentes e o fato de algumas exigências da norma já serem atendidas pelo atual ambiente de CPD, concluímos que o transtorno para mudança do CPD seria grande e de menor prioridade em relação às outras melhorias possíveis de serem implementadas no momento Servidores Implementação do MS Active Directory fazendo com que haja uma base de autenticação única para todos os servidores e estações de trabalho. Com o MS Active Directory é possível implantar politicas de segurança baseadas em grupos de usuários, configurar restrição ao acesso de configurações avançadas nas estações de trabalho, mapeamento automático de unidades de rede, replicação de informações entre servidores, melhor infraestrutura de acesso aos recursos de rede compartilhados, entre outros que poderão ser ativados conforme necessidade. A implementação correta do MS Active Directory exige pelo menos que dois servidores compartilhem a responsabilidade deste gerenciamento. A utilização de politicas de acesso de usuários e grupos aos recursos de rede do MS Windows 2008 Active Directory devem ser definidas no inicio da implantação com o seu planejamento dentro dos moldes e da estrutura hierárquica da empresa.

15 É muito importante à implantação do MS-AD no inicio dos trabalhos para o correto funcionamento das soluções de antivírus e Firewall UTM sugeridas no decorrer deste trabalho. A sugestão de melhoria compreende a instalação de um novo servidor com hardware suficiente para atender as aplicações e bancos de dados atuais, atuando como controlador de domínio. O atual hardware do servidor Marte passa a ser controlador de domínio adicional, funções de servidor de arquivos. Deve ser configurado espelhamento de disco no servidor novo e também no Marte, quando este for reinstalado para cumprir a nova função sugerida. O banco de dados do Sênior deve ficar em discos diferentes da aplicação, a fim de reduzir concorrência entre os mesmos. A configuração de um servidor dedicado ao serviço de FTP também é recomendado devido a questões de segurança, já que existe a necessidade de liberação de portas externas. Os acessos aos arquivos do servidor FTP devem ser feita com usuário e senha MUDANÇAS REALIZADAS Após a análise, discussões, montagem do projeto e execução desses, foi feito o levantamento de todas as dificuldades e mudanças realizadas. Será apresentado agora os resultados finais da realização do projeto Diagrama de rede após a reestruturação de TI Como demonstrado na figura 26 à nova rede possui uma centralização do fluxo de dados de toda a rede no núcleo de maior desempenho, dessa forma será possível à monitoração e maior controle da rede, facilitando na busca de problemas. Figura 4 - Diagrama de Rede depois reestruturação

16 GVT 35Mbps NET 5Mbps FIREWALL UTM DN-SG1024 JUPITER Dell 2824 DB01 Predio de administração DB02 JUPITER 3 Saturno DN-SG1024 Dispositivos de Rede: 04 Switches Dnet DN-SG Switch Dell Acess Point: Dlink DI Acess Point: Dlink DWL-3200AP 01 Firewall UTM JUPITER 2 Fábrica Fonte: O Autor (2012) Devido a dificuldades financeiras encontradas na realização do projeto, não foi possível a compra de todos os equipamentos de rede e a realização da passagem da fibra entre o prédio administrativo e a fábrica. Porém com a compra do switch gerenciável os equipamentos foram remanejados e a rede passou a ser toda Gigabit, eliminando os switches Encore RESULTADOS OBTIDOS As mudanças realizadas na estrutura de TI da empresa proporcionaram ganhos de cunho financeiro, de performance, segurança, organização e padronização. Quanto ao desempenho da rede a compra do novo servidor e

17 switch foram os itens que mais impactaram no seu aumento, onde houve um equilíbrio de carga entre os dois servidores e uma maior fluência dos dados pela rede. Com a compra do servidor os sistemas e compartilhamentos de dados foram distribuídos entre os dois servidores proporcionando uma maior disponibilidade e uma redução nas cargas de processamento. O novo switch foi colocado como core, sendo todos os principais componentes de rede ligados nesse, dessa forma à informação passará por menos equipamentos até o seu destino final. A segurança obteve uma grande melhoria graças ao sistema de diretórios do Active Directory, que proporcionou um sistema de usuários e senhas, o que não existia antes da execução do projeto. A compra e configuração correta de um sistema de Firewall de borda de rede foi fundamental para a segurança de toda rede. Onde antes não existia nenhum tipo de bloqueio adequado das conexões feitas de fora da rede para dentro e vice-versa, agora conta com um sistema avançado de bloqueios e sistemas de prevenção de intrusão. Antes da passagem das máquinas para o domínio do AD DS, foi feita a formatação da maioria das máquinas e sua nomeação a partir de um padrão, o que proporcionou uma grande organização. Pode-se verificar na tabela 14 um comparativo dos custos previstos e realizados, foi verificada uma pequena diferença entre o valor total proposto e o realizado. A redução ocorreu porque foi economizado em alguns pontos (que vão ser discriminados posteriormente), devido a descontos com fornecedores e procura de outros que ofereceram o mesmo produto por um preço menor. Alguns itens deixaram de ser comprados e por isso projeto não pode ser finalizado, o que pode ter trazido alguns pontos negativos que ainda vão ser detalhados, porém nada impactante para o resultado final. Tabela 14 Custos previstos e realizados

18 Rede Local Status Valor previsto Valor realizado Identificação/Documentação/Certificação do cabeamento Realizado R$ 1.500,00 Prédio Administrativo Realizado R$ 1.161,29 Fábrica Não realizado Passagem da fibra óptica com fusão dos conectores Não realizado R$460,00(Wanderley) Limpeza de protocolos desnecessários Realizado R$ 420,00 R$ 420,00 Equipamentos de rede Braket, Switches e Media Converters Não realizado R$ 4.500,00 R$ 1.390,31 Configuração dos Switches Não realizado R$ 280,00 Reconfiguração dos Access Points (wireless) Aberto R$ 280,00 R$ 78,90 TOTAL R$ 6.980, ,5 Energia Elétrica para TI Revisão/instalação de tomadas de energia elétrica do CPD Status Realizado R$ 500,00 R$ 200,00 No-breaks NHS Premium Senoidal 2200VA entrada 110/220V saída 110v Adquirido R$ 3.500,00 R$ 3.272,00 Configuração dos no-breaks Realizado R$ 315,00 R$ 315,00 SUB-TOTAL R$ 4.315, Servidores Aquisição do novo servidor Dell Status Adquirido R$ ,00 R$ ,95 Instalação e configuração do sistema operacional no novo servidor Realizado R$ 600,00 R$ 600,00 Reinstalação do sistema operacional no Marte Realizado R$ 600,00 R$ 600,00 Implementação do MS-AD nos servidores e implantação de políticas de segurança de acesso Realizado R$ 2.100,00 R$ 2.275,00 Reconfiguração de perfil de usuário em cada estação após ingressar no domínio Realizado R$ 1.200,00 R$ 150,00 Aquisição de KVM 4 portas USB e monitor para os servidores Aberto R$ 600,00 SUB-TOTAL R$ , ,95 Backup Unidade de Fita LTO-3 Externa + 10 mídias LTO-3 Status Adquirido R$ 8.900,00 R$ ,65 CA ARCserve Backup R12.5 File Server Suite Adquirido R$ 2.400,00 R$ 5.375,50 Instalação e configuração da solução de backup Realizado R$ 480,00 R$ 480,00 SUB-TOTAL R$ , ,15 Antivirus Status Aquisição de 50 licenças Kaspersky Business Adquirido R$ 2.800,00 R$ 1.600,00 Aquisição de 10 licenças Kaspersky Business Adquirido R$ 781,60 Reconfiguração das políticas do antivírus Kaspersky Aberto R$ 1.300,00 R$ 600,00 SUB-TOTAL R$ 4.100, ,60 Internet e Firewall SonicWALL TZ-200 UTM Firewall SonicWALL Comprehensive Gateway Security Suite (01 ano) Instalação e configuração da solução UTM Fonte: o autor (2012) Status Adquirido R$ 1.400,00 R$ 1.537,20 Adquirido R$ 650,00 R$ 556,08 Realizado R$ 1.500,00 R$ 1.500,00 Adquirido Link de Internet adicional SUB-TOTAL R$ 3.550, ,28 R$ , ,48 De acordo com a tabela 1 houve uma redução de mais da metade nos gastos previstos quando ao item Rede Local. Isso se deve a redução de custos solicitada pela empresa, não foi feita a passagem da fibra, a certificação do cabeamento, a reconfiguração dos Access Point Wireless e do switch foi realizado por técnico interno da empresa. Foi comprado apenas um dos switches previstos no projeto e esse de modelo/marca diferente. No item energia elétrica houve uma redução de custos da revisão das tomadas, pois foi feita por terceiros da empresa e o material comprado foi mais barato que o previsto. Os nobreaks tiveram redução no preço previsto e o modelo é da mesma qualidade solicitada. Na parte de servidores a redução de preço deu-se pela compra do servidor ser mil reais mais barato do que o previsto mantendo a mesma qualidade, pela redução na mão-de-obra que foi realizado em parte por um técnico interno e pela não aquisição do KVM.

19 Houve um aumento significativo nos gastos referentes ao backup, pois foi comprada uma unidade de fita de backup de tecnologia mais avançada. A nova tecnologia, segundo o site (consultado em 2012) tem o dobro de capacidade de armazenamento e o aumento de quase 70% na velocidade de gravação de dados em relação à tecnologia anterior levou a essa escolha. Foi incluído no software de backup o agente SQL Server, o que resultou no aumento do preço. As reduções de preços no item antivírus se resultaram devido à mão-deobra que foi realizada nas estações por um técnico interno, sendo que a configuração do servidor foi realizada por terceiros. A compra das licenças para as estações saiu muito mais barata do que o previsto, apesar de terem sido adquiridas 10 chaves a mais, devido à pesquisa de fornecedores mais baratos o que possibilitou a instalação de antivírus em todas as máquinas e uma pequena folga de contenção. No primeiro momento foram adquiridas somente 10 chaves por falta de aprovação financeira, sendo essas utilizadas nos servidores e máquinas que tinham maior incidência de vírus. Quanto à aquisição, instalação e configuração da parte de Firewall e internet não fugiu do previsto, foi feito de acordo com o previsto no projeto. O link adicional contratado foi da NET, servindo apenas como backup (5 Megas), o custo mensal não supera os 100 reais. O link da GVT foi aumentado de 15 para 35 megas, ao custo de 50 reais a mais na atual mensalidade, trazendo uma melhor navegação e troca de s para os usuários. Dadas essas informações nota-se que houve pequenas falhas no planejamento, mas que nos gastos finais não houve grande mudança de valores já que foram economizados em outros pontos. De modo geral a definição da mão de obra não foi bem planejada, o que trouxe uma diferença nos custos, porém para mais barato como foi opção da empresa utilizar técnico interno. Neste caso com referência aos custos em consequência do processo de planejamento podem-se extrair algumas lições aprendidas onde uma delas é exatamente a atenção que se deve dar a esta fase, buscando maior assertividade fazendo as projeções de custos mais aprofundadas utilizando-se para tanto métricas de projetos semelhantes, orçamentação, técnicas de parametrização e outras.

20 TRABALHO 4.7 RESULTADOS E APLICAÇÕES FUTURAS A PARTIR DESTE Com esse trabalho observou-se as etapas de um projeto de reestruturação de uma rede de computadores em uma empresa de automação industrial. Foram apresentadas as etapas de planejamento e execução, além das dificuldades encontradas em cada parte do processo. A importância de se fazer um planejamento seguindo métodos, cumprindo as boas práticas da área de TI e uma boa gestão do projeto foi criticamente importante para o cumprimento do plano do projeto. Apesar das dificuldades financeiras a empresa aceitou bem a ideia do projeto e sua execução, com algumas resistências dos usuários. A busca por um equilíbrio entre a disponibilidade da informação de forma segura, e integra sem reduzir o tempo de acesso à informação (desempenho) também teve sua importância no cumprimento das metas do projeto, onde deve existir uma melhoria contínua sem gastos financeiros desnecessários. Durante a execução desse projeto a equipe que trabalhou ou se envolveu, adquiriu conhecimento técnico e de gestão, trazendo a empresa um amadurecimento nos processos que se referem à informação como um todo e da sua importância para o negócio. As etapas que mais trouxeram o crescimento da gerencia dos ativos de redes, servidores, computadores e informações da empresa foram às implantações de ferramentas (sejam de hardware ou software) profissionais que possibilitam uma integração e o gerenciamento de toda a rede de forma automática, eliminando a necessidade da configuração individual, o que traz uma ineficiência e propensão a erros pela sua repetitividade de processos. O levantamento de dados para o plano de projeto, compras, instalações e configurações é de grande importância e deve ser levado em conta em todas as etapas do projeto. Fazer a análise da situação, acompanhando a necessidade do negócio é fundamental para realizar escolhas corretas, reduzindo a quantidade de erros do projeto.

Informática Aplicada I. Sistemas Operacionais Projeto e Implementação Andrew S. Tanenbaum Albert S. woodhull

Informática Aplicada I. Sistemas Operacionais Projeto e Implementação Andrew S. Tanenbaum Albert S. woodhull Informática Aplicada I Sistemas Operacionais Projeto e Implementação Andrew S. Tanenbaum Albert S. woodhull 1 Conceito de Sistema Operacional Interface: Programas Sistema Operacional Hardware; Definida

Leia mais

5.2 MAN s (Metropolitan Area Network) Redes Metropolitanas

5.2 MAN s (Metropolitan Area Network) Redes Metropolitanas MÓDULO 5 Tipos de Redes 5.1 LAN s (Local Area Network) Redes Locais As LAN s são pequenas redes, a maioria de uso privado, que interligam nós dentro de pequenas distâncias, variando entre 1 a 30 km. São

Leia mais

ESTUDO DE VIABILIDADE, PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE UMA REDE VPN (VIRTUAL PRIVATE NETWORK)

ESTUDO DE VIABILIDADE, PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE UMA REDE VPN (VIRTUAL PRIVATE NETWORK) ESTUDO DE VIABILIDADE, PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE UMA REDE VPN (VIRTUAL PRIVATE NETWORK) 1. VPN Segundo TANENBAUM (2003), VPNs (Virtual Private Networks) são redes sobrepostas às redes públicas, mas com

Leia mais

GOVBR- UEM-MARINGA PREFEITURA MUNICIPAL DE PEROLA

GOVBR- UEM-MARINGA PREFEITURA MUNICIPAL DE PEROLA GERENCIAMENTO DE PROJETOS PRONIM, IMPLANTAÇÃO SQL SERVER GOVBR- UEM-MARINGA PREFEITURA MUNICIPAL DE PEROLA Cliente GOVBR, UEM-MARINGA / Prefeitura Municipal de PEROLA Data 10/09/2015 Versão 1.0 Objeto:

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES Universidade do Contestado Campus Concórdia Curso de Sistemas de Informação Prof.: Maico Petry REDES DE COMPUTADORES DISCIPLINA: Fundamentos em Informática Mundo Globalizado Acelerado desenvolvimento tecnológico

Leia mais

Figura 1 Taxas de transmissão entre as redes

Figura 1 Taxas de transmissão entre as redes Conceitos de Redes Locais A função básica de uma rede local (LAN) é permitir a distribuição da informação e a automatização das funções de negócio de uma organização. As principais aplicações que requerem

Leia mais

Capítulo 1: Introdução às redes de computadores

Capítulo 1: Introdução às redes de computadores ÍNDICE Capítulo 1: Introdução às redes de computadores Redes domésticas... 3 Redes corporativas... 5 Servidor... 5 Cliente... 7 Estação de trabalho... 8 As pequenas redes... 10 Redes ponto-a-ponto x redes

Leia mais

REDE DE COMPUTADORES

REDE DE COMPUTADORES SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL REDE DE COMPUTADORES Tecnologias de Rede Arquitetura Prof. Airton Ribeiro de Sousa E-mail: airton.ribeiros@gmail.com 1 A arquitetura de redes tem como função

Leia mais

LIGANDO MICROS EM REDE

LIGANDO MICROS EM REDE LAÉRCIO VASCONCELOS MARCELO VASCONCELOS LIGANDO MICROS EM REDE Rio de Janeiro 2007 ÍNDICE Capítulo 1: Iniciando em redes Redes domésticas...3 Redes corporativas...5 Servidor...5 Cliente...6 Estação de

Leia mais

Tema: As vantagens de implantar uma rede estruturada em ambiente corporativo.

Tema: As vantagens de implantar uma rede estruturada em ambiente corporativo. 1 TEMA Assunto: Redes de computadores. Tema: As vantagens de implantar uma rede estruturada em ambiente corporativo. 2 PROBLEMA Problema: Qual a importância de criar uma rede estruturada em instituições

Leia mais

Curso Técnico Integrado em Manutenção e Suporte em Informática

Curso Técnico Integrado em Manutenção e Suporte em Informática Curso Técnico Integrado em Manutenção e Suporte em Informática Disciplina: Infraestrutura de Redes de Computadores 1. Conceitos básicos, Classificação e Topologias de Redes Prof. Ronaldo

Leia mais

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL REDE DE COMPUTADORES LAN MAN WAN

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL REDE DE COMPUTADORES LAN MAN WAN SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL REDE DE COMPUTADORES LAN MAN WAN - Prof. Airton / airton.ribeiros@gmail.com - Prof. Altenir / altenir.francisco@gmail.com 1 REDE LOCAL LAN - Local Area Network

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES MEMÓRIAS DE AULA AULA 1 APRESENTAÇÃO DO CURSO, HISTÓRIA, EQUIPAMENTOS E TIPOS DE REDES Prof. José Wagner Bungart CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Definição de Redes de Computadores e Conceitos

Leia mais

REDE DE COMPUTADORES

REDE DE COMPUTADORES SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL REDE DE COMPUTADORES Tecnologias de Rede Topologias Tipos de Arquitetura Prof. Airton Ribeiro de Sousa E-mail: airton.ribeiros@gmail.com 1 REDES LOCAIS LAN -

Leia mais

gladiador INTERNET CONTROLADA

gladiador INTERNET CONTROLADA gladiador INTERNET CONTROLADA funcionalidades do sistema gladiador sistema Gerenciamento de usuários, gerenciamento de discos, data e hora do sistema, backup gladiador. Estações de Trabalho Mapeamento

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS PROJETO INTEGRADOR GERENCIA DE REDES DE COMPUTADORES 4º PERÍODO Gestão da Tecnologia da Informação Alunos: Erik de Oliveira, Douglas Ferreira, Raphael Beghelli, João

Leia mais

Soluções em Segurança

Soluções em Segurança Desafios das empresas no que se refere a segurança da infraestrutura de TI Dificuldade de entender os riscos aos quais a empresa está exposta na internet Risco de problemas gerados por ameaças externas

Leia mais

Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Emissor: Receptor: Meio de transmissão Sinal:

Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Emissor: Receptor: Meio de transmissão Sinal: Redes - Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Comunicação sempre foi, desde o início dos tempos, uma necessidade humana buscando aproximar comunidades distantes.

Leia mais

LIGANDO MICROS EM REDE

LIGANDO MICROS EM REDE LAÉRCIO VASCONCELOS MARCELO VASCONCELOS LIGANDO MICROS EM REDE Rio de Janeiro 2007 LIGANDO MICROS EM REDE Copyright 2007, Laércio Vasconcelos Computação LTDA DIREITOS AUTORAIS Este livro possui registro

Leia mais

Meio Físico. Mensagem. Protocolo. Emissor e Receptor. Data Terminal Equipment Data Communications Equipment

Meio Físico. Mensagem. Protocolo. Emissor e Receptor. Data Terminal Equipment Data Communications Equipment Emissor Receptor Meio Físico Mensagem Protocolo Emissor e Receptor Data Terminal Equipment Data Communications Equipment (DTE) + (DCE) Meio Físico Mensagem ( pacote ) O meio físico É o elemento que transmite

Leia mais

Aula 1 - Redes de computadores 15

Aula 1 - Redes de computadores 15 Aula 1 - Redes de computadores Objetivos Compreender os conceitos iniciais de redes de computadores. Compreender as principais classificações de redes. Definir e diferenciar as principais topologias de

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Competências Analista 1. Administração de recursos de infra-estrutura de tecnologia da informação 2.

Leia mais

Redes de Computadores UNIDADE 2:Conhecendo os equipamentos, dispositivos e serviços de TI.

Redes de Computadores UNIDADE 2:Conhecendo os equipamentos, dispositivos e serviços de TI. UNIDADE 2:Conhecendo os equipamentos, dispositivos e serviços de TI. *Definição *Contexto Atual *Meios de Transmissão *Equipamentos de Comunicação *Arquiteturas de Redes *Tecnologias de LAN s *Protocolos

Leia mais

Equipamentos de Rede. Prof. Sérgio Furgeri 1

Equipamentos de Rede. Prof. Sérgio Furgeri 1 Equipamentos de Rede Repetidor (Regenerador do sinal transmitido)* Mais usados nas topologias estrela e barramento Permite aumentar a extensão do cabo Atua na camada física da rede (modelo OSI) Não desempenha

Leia mais

Claudivan C. Lopes claudivan@ifpb.edu.br

Claudivan C. Lopes claudivan@ifpb.edu.br Claudivan C. Lopes claudivan@ifpb.edu.br Por que redes de computadores? Tipos de redes Componentes de uma rede IFPB/Patos - Prof. Claudivan 2 Quando o assunto é informática, é impossível não pensar em

Leia mais

Portfólio de Serviços e Produtos Julho / 2012

Portfólio de Serviços e Produtos Julho / 2012 Portfólio de Serviços e Produtos Julho / 2012 Apresentação Portfólio de Serviços e Produtos da WebMaster Soluções. Com ele colocamos à sua disposição a Tecnologia que podemos implementar em sua empresa.

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Introdução Redes de Computadores é um conjunto de equipamentos que são capazes de trocar informações e compartilhar recursos entre si, utilizando protocolos para se comunicarem e

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Introdução Redes de Computadores Marco Antonio Montebello Júnior marco.antonio@aes.edu.br Rede É um conjunto de computadores chamados de estações de trabalho que compartilham recursos de hardware (HD,

Leia mais

UTP ( PAR TRANÇADO SEM PROTEÇÃO)

UTP ( PAR TRANÇADO SEM PROTEÇÃO) Par Trançado UTP ( PAR TRANÇADO SEM PROTEÇÃO) O cabo UTP é composto por pares de fios, sendo que cada par é isolado um do outro e todos são trançados juntos dentro de uma cobertura externa, que não possui

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO - TIC

UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO - TIC Código: NO01 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região Comitê de Segurança da Informação Secretaria de Tecnologia da Informação Núcleo de Segurança da Informação Revisão: 00 Vigência:20/04/2012 Classificação:

Leia mais

RCO2. LANs, MANs e WANs Visão geral

RCO2. LANs, MANs e WANs Visão geral RCO2 LANs, MANs e WANs Visão geral 1 LAN, MAN e WAN Classificação quanto a alcance, aplicação e tecnologias Distâncias: WAN: : distâncias arbitrariamente longas MAN: : distâncias médias (urbanas) LAN:

Leia mais

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo de Gestão Aplicada a TIC AULA 06. Prof. Fábio Diniz

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo de Gestão Aplicada a TIC AULA 06. Prof. Fábio Diniz FTIN Formação Técnica em Informática Módulo de Gestão Aplicada a TIC AULA 06 Prof. Fábio Diniz Na aula anterior ERP Enterprise Resource Planning Objetivos e Benefícios ERP Histórico e Integração dos Sistemas

Leia mais

Por Érica Barcelos Fevereiro, 2012

Por Érica Barcelos Fevereiro, 2012 Por Érica Barcelos Fevereiro, 2012 2 INTRODUÇÃO Com a informatização dos sistemas nas empresas veio também o aumento da competitividade e isso fez com que a qualidade dos serviços fosse questionada. O

Leia mais

PADRÃO DE INFRAESTRUTURA DE TECNOLOGIA PARA PRESTADORES DA UNIMED RIO VERDE

PADRÃO DE INFRAESTRUTURA DE TECNOLOGIA PARA PRESTADORES DA UNIMED RIO VERDE PADRÃO DE INFRAESTRUTURA DE TECNOLOGIA PARA PRESTADORES DA UNIMED RIO VERDE Versão 1.0 Data: 09/12/2013 Desenvolvido por: - TI Unimed Rio Verde 1 ÍNDICE 1. Objetivo... 4 2. Requsitos de Infraestrutura

Leia mais

OBJETIVOS 1 INFORMAÇÕES ADICIONAIS 1 DISPOSIÇÃO ORGANIZACIONAL 2 PLANTA A 5 PLANTA B 6 DISTRIBUIÇÃO E CONFIGURAÇÃO DOS RACKS 7

OBJETIVOS 1 INFORMAÇÕES ADICIONAIS 1 DISPOSIÇÃO ORGANIZACIONAL 2 PLANTA A 5 PLANTA B 6 DISTRIBUIÇÃO E CONFIGURAÇÃO DOS RACKS 7 ÍNDICES OBJETIVOS 1 JUSTIFICATIVAS 1 INFORMAÇÕES ADICIONAIS 1 SEGURANÇA - INTERNET 1 SISTEMA OPERACIONAL 2 PROTOCOLO TCP/IP 2 INTRANET 2 DISPOSIÇÃO ORGANIZACIONAL 2 ESTAÇÕES 2 MICROS 3 IMPRESSORAS 3 PLANTA

Leia mais

Tecnologia da Informação e Comunicação. Euber Chaia Cotta e Silva

Tecnologia da Informação e Comunicação. Euber Chaia Cotta e Silva Tecnologia da Informação e Comunicação Euber Chaia Cotta e Silva Redes e a Internet Conceitos Básicos 01 Para que você possa entender o que é e como funciona a Internet é necessário primeiro compreender...

Leia mais

Tipos de Rede. Maria João Bastos MegaExpansão 16-03-2010

Tipos de Rede. Maria João Bastos MegaExpansão 16-03-2010 2010 Tipos de Rede Maria João Bastos MegaExpansão 16-03-2010 REDES Em computação, rede de área local (ou LAN, acrónimo de local área network) é uma rede de computador utilizada na interconexão de equipamentos

Leia mais

INTRODUÇÃO À REDES DE COMPUTADORES. Dois ou mais computadores conectados um ao outro por um meio de transmissão.

INTRODUÇÃO À REDES DE COMPUTADORES. Dois ou mais computadores conectados um ao outro por um meio de transmissão. INTRODUÇÃO À REDES DE COMPUTADORES O que é uma Rede? Dois ou mais computadores conectados um ao outro por um meio de transmissão. Uma Rede de Computadores é constituída por vários computadores conectados

Leia mais

4. Rede de Computador

4. Rede de Computador Definição Uma rede de computadores é formada por um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos, interligados por um sub-sistema de comunicação, ou seja, é quando

Leia mais

Evolução na Comunicação de

Evolução na Comunicação de Evolução na Comunicação de Dados Invenção do telégrafo em 1838 Código Morse. 1º Telégrafo Código Morse Evolução na Comunicação de Dados A evolução da comunicação através de sinais elétricos deu origem

Leia mais

Tecnologia da Informação. Prof. Esp. Lucas Cruz

Tecnologia da Informação. Prof. Esp. Lucas Cruz Tecnologia da Informação Prof. Esp. Lucas Cruz Software A utilização comercial da informática nas empresas iniciou-se por volta dos anos 1960. O software era um item menos dispendioso que o hardware, e

Leia mais

Rede Corporativa. Tutorial 10 mar 2009 Fabio Montoro. Introdução

Rede Corporativa. Tutorial 10 mar 2009 Fabio Montoro. Introdução Tutorial 10 mar 2009 Fabio Montoro Rede Corporativa Introdução Rede corporativa é um sistema de transmissão de dados que transfere informações entre diversos equipamentos de uma mesma corporação, tais

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br - Aula Complementar - EQUIPAMENTOS DE REDE 1. Repetidor (Regenerador do sinal transmitido) É mais usado nas topologias estrela e barramento. Permite aumentar a extensão do cabo e atua na camada física

Leia mais

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito - Metro-Ethernet (Carrier Ethernet) www.labcisco.com.br ::: shbbrito@labcisco.com.br Prof. Samuel Henrique Bucke Brito - Ethernet na LAN www.labcisco.com.br ::: shbbrito@labcisco.com.br Prof. Samuel Henrique

Leia mais

Introdução às Redes de Computadores. Por José Luís Carneiro

Introdução às Redes de Computadores. Por José Luís Carneiro Introdução às Redes de Computadores Por José Luís Carneiro Portes de computadores Grande Porte Super Computadores e Mainframes Médio Porte Super Minicomputadores e Minicomputadores Pequeno Porte Super

Leia mais

Unidade 1. Bibliografia da disciplina 15/11/2008. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Redes de Computadores

Unidade 1. Bibliografia da disciplina 15/11/2008. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Redes de Computadores Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Redes de Computadores Disciplina: Redes de Computadores Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 1 Conceitos básicos de Redes de Computadores 2

Leia mais

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC 1. Diretor da Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação Coordenar

Leia mais

Comunicação sem fio (somente para determinados modelos)

Comunicação sem fio (somente para determinados modelos) Comunicação sem fio (somente para determinados modelos) Guia do Usuário Copyright 2006 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Microsoft e Windows são marcas registradas da Microsoft Corporation nos

Leia mais

A EMPRESA. A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia.

A EMPRESA. A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia. A EMPRESA A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia. A experiência da Future Technology nas diversas áreas de TI disponibiliza aos mercados público

Leia mais

Redes de Computadores. Prof. Dr. Rogério Galante Negri

Redes de Computadores. Prof. Dr. Rogério Galante Negri Redes de Computadores Prof. Dr. Rogério Galante Negri Rede É uma combinação de hardware e software Envia dados de um local para outro Hardware: transporta sinais Software: instruções que regem os serviços

Leia mais

Unidade 1. Bibliografia da disciplina. Introdução. O que compartilhar? Exemplo 12/10/2009. Conceitos básicos de Redes de Computadores

Unidade 1. Bibliografia da disciplina. Introdução. O que compartilhar? Exemplo 12/10/2009. Conceitos básicos de Redes de Computadores Faculdade INED Unidade 1 Conceitos básicos de Redes de Computadores Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados, Sistemas para Internet e Redes de Computadores Disciplina: Fundamentos de Redes Prof.:

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Rede é um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos. O tipo de rede é definido pela sua área de abrangência, podemos classificar as redes

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES HISTÓRICO E CONCEITOS

REDES DE COMPUTADORES HISTÓRICO E CONCEITOS REDES DE COMPUTADORES HISTÓRICO E CONCEITOS BREVE HISTÓRICO A década de 60 Surgiram os primeiros terminais interativos, e os usuários podiam acessar o computador central através de linhas de comunicação.

Leia mais

09/06/2011. Profª: Luciana Balieiro Cosme

09/06/2011. Profª: Luciana Balieiro Cosme Profª: Luciana Balieiro Cosme Revisão dos conceitos gerais Classificação de redes de computadores Visão geral sobre topologias Topologias Barramento Anel Estrela Hibridas Árvore Introdução aos protocolos

Leia mais

Desculpe, mas este serviço (jogo) encontra se em manutenção.

Desculpe, mas este serviço (jogo) encontra se em manutenção. Estrutura de servidor e banco de dados para multijogadores massivos Marcelo Henrique dos Santos marcelosantos@outlook.com Desculpe, mas este serviço (jogo) encontra se em manutenção. São Paulo SP, Fevereiro/2013

Leia mais

Redes de Computadores Sistemas de Informação 3SINA/05.2 1º Sem/2008 Aula 00: Apresentação da Disciplina. Prof. Msc. Ricardo Slavov

Redes de Computadores Sistemas de Informação 3SINA/05.2 1º Sem/2008 Aula 00: Apresentação da Disciplina. Prof. Msc. Ricardo Slavov Redes de Computadores Sistemas de Informação 3SINA/05.2 1º Sem/2008 Aula 00: Apresentação da Disciplina Prof. Msc. Ricardo Slavov ricardo.slavov@aes.edu.br By Slavov Unidade Sorocaba Planejamento Conceitos

Leia mais

Fundamentos em Informática

Fundamentos em Informática Fundamentos em Informática Aula 06 Redes de Computadores francielsamorim@yahoo.com.br 1- Introdução As redes de computadores atualmente constituem uma infraestrutura de comunicação indispensável. Estão

Leia mais

BELLA DONNA CENTRO DE ESTÉTICA Sistema de Gerenciamento de Serviços em Estética SisGSE. Documento de Projeto Lógico e Físico de Rede

BELLA DONNA CENTRO DE ESTÉTICA Sistema de Gerenciamento de Serviços em Estética SisGSE. Documento de Projeto Lógico e Físico de Rede BELLA DONNA CENTRO DE ESTÉTICA Sistema de Gerenciamento de Serviços em Estética SisGSE Documento de Projeto Lógico e Físico Histórico de revisões Versão Data Autor Descrição Localização 1.0 20/OUT/2010

Leia mais

Infra-Estrutura de Redes

Infra-Estrutura de Redes Faculdade Anhanguera de São Caetano do Sul Infra-Estrutura de Redes Curso: Tecnologia em Redes de Computadores Prof:Eduardo M. de Araujo Site-http://www.professoreduardoaraujo.com Ementa 1 Apresentação

Leia mais

UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA. Curso: Redes de Computadores e Telecomunicações

UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA. Curso: Redes de Computadores e Telecomunicações UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA Curso: Redes de Computadores Módulo 2 - Conceitos e Fundamentos Evolução das Redes d LAN, MAN e WAN Material de Apoio 2011 / sem2 Prof. Luiz Shigueru Seo CONCEITOS e FUNDAMENTOS

Leia mais

REDES. A Evolução do Cabeamento

REDES. A Evolução do Cabeamento REDES A Evolução do Cabeamento Até o final dos anos 80, todos os sistemas de cabeamento serviam apenas a uma aplicação, isto é, eram sistemas dedicados. Estes sistemas eram sempre associados à um grande

Leia mais

Tecnologia e Infraestrutura. Conceitos de Redes

Tecnologia e Infraestrutura. Conceitos de Redes Tecnologia e Infraestrutura Conceitos de Redes Agenda Introdução às Tecnologias de Redes: a) Conceitos de redes (LAN, MAN e WAN); b) Dispositivos (Hub, Switch e Roteador). Conceitos e tipos de Mídias de

Leia mais

GUIA DE MELHORES PRATICAS NA AREA DE TI

GUIA DE MELHORES PRATICAS NA AREA DE TI GUIA DE MELHORES PRATICAS NA AREA DE TI Ambiente Windows Small Business Rev 10501 DATA : 5 / 07/ 2007 Pag : 1 de7 1) Servidores a) Hardware o Servidor Alocado em Rack Fechado em ambiente reservado e refrigerado

Leia mais

O PROXY SQUID E SUAS MELHORIAS NO DESEMPENHO DAS REDES CORPORATIVAS

O PROXY SQUID E SUAS MELHORIAS NO DESEMPENHO DAS REDES CORPORATIVAS O PROXY SQUID E SUAS MELHORIAS NO DESEMPENHO DAS REDES CORPORATIVAS MOREIRA, Davisson Ronaldo (1); DAVID, Felipe Ferraz (1); OLIVEIRA, Ramon Gonçalves de (1); SOUZA, Reinaldo Alessandro de (1); AGOSTINHO,

Leia mais

PROJETO LÓGICO DA REDE LOCAL DE COMPUTADORES DA REITORIA

PROJETO LÓGICO DA REDE LOCAL DE COMPUTADORES DA REITORIA PROJETO LÓGICO DA REDE LOCAL DE COMPUTADORES DA REITORIA COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA (COTEC) JUNHO/2011 Rua do Rouxinol, N 115 / Salvador Bahia CEP: 41.720-052 Telefone: (71) 3186-0001. Email: cotec@ifbaiano.edu.br

Leia mais

5º Semestre. AULA 02 Introdução a Gerência de Redes (Arquitetura e Áreas de Gerenciamento)

5º Semestre. AULA 02 Introdução a Gerência de Redes (Arquitetura e Áreas de Gerenciamento) Disciplina: Gerência de Redes Professor: Jéferson Mendonça de Limas 5º Semestre AULA 02 Introdução a Gerência de Redes (Arquitetura e Áreas de Gerenciamento) 2014/1 Agenda de Hoje Evolução da Gerência

Leia mais

Universidade Federal do Acre. Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas

Universidade Federal do Acre. Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Universidade Federal do Acre Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Universidade Federal do Acre Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Pós-graduação Lato Sensu em Desenvolvimento de Software e Infraestrutura

Leia mais

Capítulo 11: Redes de Computadores. Prof.: Roberto Franciscatto

Capítulo 11: Redes de Computadores. Prof.: Roberto Franciscatto Capítulo 11: Redes de Computadores Prof.: Roberto Franciscatto REDES - Introdução Conjunto de módulos de processamento interconectados através de um sistema de comunicação, cujo objetivo é compartilhar

Leia mais

Organização de arquivos e pastas

Organização de arquivos e pastas Organização de arquivos e pastas Pasta compara-se a uma gaveta de arquivo. É um contêiner no qual é possível armazenar arquivos. As pastas podem conter diversas subpastas. Definir a melhor forma de armazenamento

Leia mais

Redes de Computadores. Jeronimo Costa Penha Senai CFP - JIP

Redes de Computadores. Jeronimo Costa Penha Senai CFP - JIP Jeronimo Costa Penha Senai CFP - JIP Meio de Transmissão: Caminho pelo qual a informação transitará. De acordo com as características do meio de transmissão teremos mais ou menos velocidade no processo

Leia mais

Introdução às Redes de Computadores

Introdução às Redes de Computadores Volnys B. Bernal (c) 1 Introdução às Redes de Computadores Volnys Borges Bernal volnys@lsi.usp.br http://www.lsi.usp.br/~volnys Volnys B. Bernal (c) 2 Agenda Rede de Computadores Classificação quanto à

Leia mais

Net View & Panda ManagedOfficeProtection Mais que antivírus, solução em segurança.

Net View & Panda ManagedOfficeProtection Mais que antivírus, solução em segurança. Net View & Panda ManagedOfficeProtection Mais que antivírus, solução em segurança. Net View & Panda Managed Office Protection É fato, tanto pequenas e médias e grandes empresas enfrentam os mesmos riscos

Leia mais

Windows 2008 Server. Windows 2008 Server IFSP Boituva Prof. Sérgio Augusto Godoy. www.profsergiogodoy.com sergiogutogodoy@hotmail.

Windows 2008 Server. Windows 2008 Server IFSP Boituva Prof. Sérgio Augusto Godoy. www.profsergiogodoy.com sergiogutogodoy@hotmail. Windows 2008 Server IFSP Boituva Prof. Sérgio Augusto Godoy www.profsergiogodoy.com sergiogutogodoy@hotmail.com Serviços DHCP Server: O DHCP ("Dynamic Host Configuration Protocol" ou "protocolo de configuração

Leia mais

Equipamentos de Redes. Placas de Rede, Repetidores, Hubs, Pontes,, Switches, Roteadores, Gateways

Equipamentos de Redes. Placas de Rede, Repetidores, Hubs, Pontes,, Switches, Roteadores, Gateways Equipamentos de Redes Placas de Rede, Repetidores, Hubs, Pontes,, Switches, Roteadores, Gateways Placas de Rede Placas de Rede Preparação dos quadros para que possam ser enviados pelos cabos. A placa de

Leia mais

Redes de Computadores. Prof. Késsia Marchi

Redes de Computadores. Prof. Késsia Marchi Redes de Computadores Prof. Késsia Marchi Redes de Computadores Redes de Computadores Possibilita a conexão entre vários computadores Troca de informação Acesso de múltiplos usuários Comunicação de dados

Leia mais

REDES INTRODUÇÃO À REDES

REDES INTRODUÇÃO À REDES REDES INTRODUÇÃO À REDES Simplificando ao extremo, uma rede nada mais é do que máquinas que se comunicam. Estas máquinas podem ser computadores, impressoras, telefones, aparelhos de fax, etc. Ex: Se interligarmos

Leia mais

Procedimento Operacional N do procedimento: PO 025

Procedimento Operacional N do procedimento: PO 025 1/ 9 Nº revisão Descrição da Revisão 00 Elaboração inicial do docu Comercial Gestão de Contratos Service Demais envolvidos na análise e aprovação Área / Processo Responsável Rubrica Administrativo Financeiro

Leia mais

MINICURSO WINDOWS SERVER 2008 UTILIZANDO O VMWARE PLAYER

MINICURSO WINDOWS SERVER 2008 UTILIZANDO O VMWARE PLAYER MINICURSO WINDOWS SERVER 2008 UTILIZANDO O VMWARE PLAYER TÁSSIO JOSÉ GONÇALVES GOMES tassiogoncalvesg@gmail.com MINICURSO WINDOWS SERVER 2008 TÁSSIO GONÇALVES - TASSIOGONCALVESG@GMAIL.COM 1 CONTEÚDO Arquitetura

Leia mais

MANUAL DE CONFIGURAÇÃO

MANUAL DE CONFIGURAÇÃO MANUAL DE CONFIGURAÇÃO CONTMATIC PHOENIX SUMÁRIO CAPÍTULO I APRESENTAÇÃO DO ACESSO REMOTO... 3 1.1 O que é o ACESSO REMOTO... 3 1.2 Como utilizar o ACESSO REMOTO... 3 1.3 Quais as vantagens em usar o PHOENIX

Leia mais

O relacionamento direto com o cliente, respeito mútuo, responsabilidade, flexibilidade e adaptabilidade são os principais valores da Infolux.

O relacionamento direto com o cliente, respeito mútuo, responsabilidade, flexibilidade e adaptabilidade são os principais valores da Infolux. A NOSSA HISTÓRIA A Infolux Informática possui seu foco de atuação voltado para o mercado corporativo, auxiliando micro, pequenas e médias empresas na tarefa de extrair o máximo de benefícios com investimentos

Leia mais

Gerenciamento de Redes

Gerenciamento de Redes Gerenciamento de Redes As redes de computadores atuais são compostas por uma grande variedade de dispositivos que devem se comunicar e compartilhar recursos. Na maioria dos casos, a eficiência dos serviços

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES LAN e WAN: Topologias e Equipamentos

REDES DE COMPUTADORES LAN e WAN: Topologias e Equipamentos Administração de Empresas 2º Período Informática Aplicada REDES DE COMPUTADORES LAN e WAN: Topologias e Equipamentos Prof. Sérgio Rodrigues 1 INTRODUÇÃO Introdução Este trabalho tem como objetivos: definir

Leia mais

Comunicação Sem Fio (Somente em Determinados Modelos)

Comunicação Sem Fio (Somente em Determinados Modelos) Comunicação Sem Fio (Somente em Determinados Modelos) Guia do Usuário Copyright 2007 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Microsoft é uma marca registrada da Microsoft Corporation nos Estados Unidos.

Leia mais

REDES DE 16/02/2010 COMPUTADORES

REDES DE 16/02/2010 COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Delfa M. HuatucoZuasnábar 2010 2 A década de 50 - Uso de máquinas complexas de grande porte operadas por pessoas altamente especializadas e o enfileiramento de usuários para submeter

Leia mais

PORTARIA TRT 18ª GP/SGP Nº 034/2012 O DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 18ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e

PORTARIA TRT 18ª GP/SGP Nº 034/2012 O DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 18ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e PORTARIA TRT 18ª GP/SGP Nº 034/2012 O DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 18ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regulamentares, e tendo em vista o que consta do Processo

Leia mais

ESTRUTURA E ASPECTOS. 3S Networks. Tecnologia alinhada ao seu negócio

ESTRUTURA E ASPECTOS. 3S Networks. Tecnologia alinhada ao seu negócio ESTRUTURA E ASPECTOS 3S Networks. Tecnologia alinhada ao seu negócio A 3S Networks surgiu com a proposta de oferecer as mais avançadas soluções tecnológicas a empresas dos setores privado e público, atuamos

Leia mais

Fortaleza Digital. Aker FIREWALL UTM. Sua empresa mais forte com uma solução completa de segurança digital.

Fortaleza Digital. Aker FIREWALL UTM. Sua empresa mais forte com uma solução completa de segurança digital. Aker FIREWALL UTM Fortaleza Digital Sua empresa mais forte com uma solução completa de segurança digital. Ideal para o ambiente corporativo, com o Aker Firewall UTM você tem o controle total das informações

Leia mais

Noções de redes de computadores e Internet

Noções de redes de computadores e Internet Noções de redes de computadores e Internet Evolução Redes de Comunicações de Dados Sistemas Centralizados Características: Grandes Centros de Processamentos de Dados (CPD); Tarefas Científicas; Grandes

Leia mais

Especial Online RESUMO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO. Redes de Computadores 2011-2 ISSN 1982-1816. www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais.

Especial Online RESUMO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO. Redes de Computadores 2011-2 ISSN 1982-1816. www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais. Especial Online ISSN 1982-1816 www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais.html DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO Redes de Computadores 2011-2 EXPANSÃO E MELHORIA NA REDE DE COMPUTADORES DO INSTITUTO FEDERAL

Leia mais

Sistemas de Informação Gerencial

Sistemas de Informação Gerencial Sistemas de Informação Gerencial Aula 06 Prof.ª Bruna Patrícia da Silva Braga Infraestrutura de TI: Redes de Computadores Redes de Computadores Conjunto de computadores e periféricos ligados entre si através

Leia mais

Componentes dos sistemas computadorizados Aula 04 FTC FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS ADMINISTRAÇÃO IV SEMESTRE

Componentes dos sistemas computadorizados Aula 04 FTC FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS ADMINISTRAÇÃO IV SEMESTRE Componentes dos sistemas computadorizados Aula 04 FTC FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS ADMINISTRAÇÃO IV SEMESTRE Componentes da infraestrutura Hardware Software Tecnologia de gerenciamento de dados Tecnologia

Leia mais

PLANO DE ENSINO CARGA HORÁRIA TOTAL: 72 TEORIA: 50 PRÁTICA: 22

PLANO DE ENSINO CARGA HORÁRIA TOTAL: 72 TEORIA: 50 PRÁTICA: 22 DEPARTAMENTO: Sistemas de Informação PLANO DE ENSINO DISCIPLINA: Redes de Computadores I PROFESSOR: SERGIO ROBERTO VILLARREAL SIGLA: RED I E-MAIL: sergio.villarreal@udesc.br CARGA HORÁRIA TOTAL: 72 TEORIA:

Leia mais

Técnico em Redes de Computadores. Equipamentos e Acessórios

Técnico em Redes de Computadores. Equipamentos e Acessórios Técnico em Redes de Computadores Equipamentos e Acessórios Componentes de uma Rede Uma rede é um sistema composto de um arranjo de componentes: Cabeamento Hardware Software Cabeamento Componentes de uma

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Rede é um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos. O tipo de rede é definido pela sua área de abrangência, podemos classificar as redes

Leia mais

MCITP: ENTERPRISE ADMINISTRATOR

MCITP: ENTERPRISE ADMINISTRATOR 6292: INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO DO WINDOWS 7, CLIENT Objetivo: Este curso proporciona aos alunos o conhecimento e as habilidades necessárias para instalar e configurar estações de trabalho utilizando a

Leia mais

Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para

Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para Magistério Superior Especialista em Docência para Educação

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES - I UNI-ANHANGUERA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE GOIÁS CURSO DE ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROF.

REDES DE COMPUTADORES - I UNI-ANHANGUERA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE GOIÁS CURSO DE ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROF. 1 REDES DE COMPUTADORES - I UNI-ANHANGUERA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE GOIÁS CURSO DE ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROF. MARCIO BALIAN E L A B O R A Ç Ã O : M Á R C I O B A L I A N / T I A G O M A

Leia mais

Documento de Requisitos de Rede (DRP)

Documento de Requisitos de Rede (DRP) Documento de Requisitos de Rede (DRP) Versão 1.2 SysTrack - Grupo 1 1 Histórico de revisões do modelo Versão Data Autor Descrição 1.0 30/04/2011 João Ricardo Versão inicial 1.1 1/05/2011 André Ricardo

Leia mais

REDE DE COMPUTADORES

REDE DE COMPUTADORES REDE DE COMPUTADORES Tipos de classificação das redes de acordo com sua topologia Prof. Airton Ribeiro de Sousa E-mail: airton.ribeiros@gmail.com 1 Ao longo da historia das redes, varias topologias foram

Leia mais