Índice 1. APRESENTAÇÃO CADASTROS Empresas...14

Save this PDF as:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Índice 1. APRESENTAÇÃO... 12 2. CADASTROS... 14. 2.1. Empresas...14"

Transcrição

1 Sage Fiscal

2 Índice 1. APRESENTAÇÃO CADASTROS Empresas Parâmetros / Gerais Parâmetros / Contabilização / Principal Parâmetros / Contabilização / Integração / Parâmetros Estabelecimento Cadastrais Documentação Representante Responsáveis Parâmetros / Fiscal / Tributação / Geral Parâmetros / Fiscal / Tributação / Retenção de Tributos Parâmetros / Fiscal / Tributação / Simples Nacional Parâmetros / Fiscal / Tributação / ICMS/IPI/ISS Parâmetros / Fiscal / Tributação / PIS/COFINS Parâmetros Fiscal /Tributação / CSLL/IRPJ Parâmetros / Fiscal / Numeração Parâmetros / Fiscal / PRODEC Parâmetros / Fiscal / Importação Responsáveis Código de Apuração PRODEPE...53 Total de Funcionários Produtos Cadastro de Unidades de Medida Cadastro de Produtos MVA... 60

3 2.7. Calendário Bens Importar Genéricos Operações Contábeis Municípios Emitentes/Destinatários Tipos de lançamento Variações da Natureza Natureza de Operação Especificações para Carta de Correção Alíquotas de Tributação ICMS Bases Extras Tributáveis/Valores Extras Tributados Valor da UPF Administradora de Cartões Códigos de Ajuste SPED Tabelas EFD Contribuição Contabilização Natureza/Classificação Emitentes/Destinatários (Cliente/Fornecedor) Caixa/Banco Apropriação de Impostos Prestação de Serviços Itens de Serviço Código Fiscal Situação Tributária Observações nos Livros Fiscais Sociedades em Conta de Participação LANÇAMENTOS Consulta de Lançamentos

4 3.2. Notas de Entrada Aba Nota Itens Bases Serviço Complemento Simples Nacional Contabilização Parcelas Notas de Saída Aba Nota Itens Bases Serviço Complemento Simples Nacional Contabilização Parcelas Cupom Fiscal Redução Z Itens Vendidos (Geração Sintegra) Itens Vendidos (Geração SPED Fiscal - Perfil A) Itens Vendidos (Geração do SPED Fiscal Perfil B) Itens Vendidos (Geração da EFD Contribuições) Agrupamento de Itens vendidos Cupom Fiscal Conhecimento de Frete Aba Nota Bases Serviço Complemento Contabilização Parcelas... 27

5 Bases Extras Tributáveis...29 Valores Extras Tributados...30 Estoque de Abertura...32 Recebimentos Regime de Caixa...35 Vendas com Cartão de Crédito/Débito...37 Controle de Documentos Fiscais Utilizados Controle de Exportação Lançamento de Declaração de Exportação Relatório de Conferência MÓDULOS Controle de Inventário Zeramento do Saldo Manutenção do Saldo Relatório para Contagem Informações para DIME Anual Manutenção de Contas Apuração de Valores Manutenção dos Valores Integração Contábil Planilha Geração de Lote Contábil Arquivo Texto Arquivo de Lote Contábil (Remoto) Geração de Arquivos DIRF Sintegra Sintegra Itens DCTF Mensal DCTF MENSAL - VERSÃO Sinco... 69

6 Arquivo Completo SVA SPED EFD Contribuições DMED GNRE PER/DCOMP GIA-ST Geração de Arquivo do Município Arquivo Texto Arquivo XML Nota Fiscal Alagoana DAC DMA DIEF GIA (MT) GIA (PR) GIA (RJ) GIA (RS) DAPI DIEF Nota Fiscal Cidadã DFC GI GISS SEF 2012 / E-Doc SEF 2012 Inventário GIA Eletrônica GIM Nota Fiscal Gaúcha DIME STDA NFTS

7 Nota Fiscal Paulista DES Nova GIA (SP) Excluir Lançamentos Antigos Fechamento Mensal Por Empresa Agrupado Atividade Imobiliária Cadastros Lançamentos Relatório TRIBUTOS Apuração Mensal Memória de Cálculo Apuração de PIS/COFINS pelos Itens Resumo de Débitos Simples Nacional Integração com o PGDAS Demonstrativo para Cálculo do Simples Nacional Integração da DEFIS STDA Guias de Recolhimento Tributos Mensais/Quinzenais DARM ISS Resumo para GIA ST GNRE - Substituição Tributária DARF para Recolhimentos Diversos GR - PR para Recolhimentos Diversos Pagamento de Guias Baixa de Guias pelo Portal ecac

8 5.7. Relação de Tributos Créditos do Ativo Permanente Cálculo Mensal Manutenção Saldo Credor de ICMS/IPI Saldo Credor de ICMS-ST Detalhamento de ICMS/IPI Pagamento de GNRE Controle de Retenção/Compensação de PIS/COFINS IMPORTAÇÃO DE ARQUIVOS NF-e (XML Saída\ Devolução de Venda) Chave de Nota Fiscal Eletrônica NF-e (XML Entrada) Importação de Notas pelo Arquivo XML NF-e (Código de Barras - DANFe) NFS-e (Municípios) Municipal Recife PE São Paulo SP Layout Padrão Emitentes/Destinatários Produtos Lançamentos Inventário Cupom Fiscal Itens de Notas Fiscais Lançadas Lançamentos de Bases/Valores Extras Tributáveis Recebimentos - Regime de Caixa Atividade Imobiliária

9 Layout SPED Fiscal/EFD Contribuições Layout Convênio 115/ Layout Nota Fiscal Paulista Layout Ato Cotepe 17/ Cupom Fiscal UTILITÁRIOS Alteração de Operação Contábil dos Lançamentos Alteração de Item de Serviço dos Lançamentos Alteração de Modelo e Remetente dos Lançamentos Alteração de CST PIS/COFINS dos Lançamentos Alteração de CST PIS/COFINS dos Itens Vendidos de ECF Exclusão de Lançamentos Exclusão de Lançamentos de Bases/Valores Extras Tributáveis Geração de Calendário Recálculo de Receitas do Simples Nacional Rotinas Específicas Recalculo do valor total das mercadorias Arquivo de Exportação de Notas Alteração de NCM nos Produtos Alteração de Código de Município nos Emitentes/Destinatários Alteração das Bases de Pis/Cofins a Partir dos Itens Lançados Gera CST de PIS/COFINS nos Produtos Importar Lançamentos de RPA da Folha Publicar no Portal de Relacionamentos Alteração de Código PRODEPE nos Lançamentos Calculadora RELATÓRIOS Legais

10 Livro Registro de Entradas Livro Registro de Saídas Livro de Apuração de ICMS Livro de Apuração de IPI Livro Registro de ISS Livro Registro de Inventário Listagem de Operações Interestaduais Resumo para DFC Resumo para DIPJ Resumo para GI/ICMS Termos de Abertura/Encerramento Mapa Resumo ECF Mapa Resumo ECF (Novo Modelo) CIAP Modelo C (Agrupado) CIAP Modelo D (Individual) Livro Registro de Saídas Agrupado Emitentes/Destinatários Comprovante Anual de Retenção Gerenciais Resumo por Alíquota de ICMS Resumo por Natureza de Operação Demonstrativo para Cálculo do Simples Nacional Demonstrativo para DEFIS Relação de Bases de Cálculo Carta de Correção Resumo de Sub. Tributária por UF Relatório de Sub. Tributária por UF Itens da Nota Fiscal Resumo por Classificação Relatório de Notas por Emitentes/Destinatários Resumo por Município GIA-ICMS Relação de Tributos Retidos

11 Declaração de Faturamento Resumo do Valor Adicionado Municípios Resumo para VAF Relatório de Conferência dos Itens da Nota Relação de Notas Fiscais de Saída não Lançadas Relação de Notas Fiscais com Diferencial de Alíquota Contribuição Previdenciária sobre a Receita Bruta Produtos Cadastrados x Produtos Incentivados Planilhas Listagem de Entradas Listagem de Saídas

12 1. Apresentação Este módulo efetua a escrituração fiscal e apuração para recolhimento de tributos municipais, estaduais e federais, de empresas de diversos ramos de atividade. Destaques: SPED Fiscal e SPED EFD Contribuições: Em poucos passos é possível gerar os arquivos de maneira rápida, prática e segura. Importação dos dados da NF-e, NFS-e e CT-e por arquivo XML e Importação dos dados da NF-e por leitor de código de barras: Estas rotinas minimizam a possibilidade de erros na escrituração e garantem agilidade e segurança na inclusão dos dados. Apuração dos Tributos: Por esta rotina todos os tributos da empresa são gerados automaticamente, permitindo emitir e protocolar simultânea todas as guias de recolhimento. Integração com o PGDAS: Para as empresas optantes pelo Simples Nacional, o sistema permite fazer a integração automática dos dados apurados no sistema Sage Gestão Contábil para o site do Simples Nacional, sem a necessidade de digitação manual. Central de Tributos: Atualiza automaticamente os tributos selecionados que estão em atraso, com índices oficiais obtidos através da integração com o portal Fiscoweb (mediante assinatura da Fiscoweb). Funcionalidades gerais do Sage Fiscal: Geração de arquivos conforme legislação em vigor, dos seguintes Estados: AL, BA, MA, MT, MS, MG, PA, PB, PR, PE, RJ, RN, RS, SC e SP. Controle de substituição tributária (substituto e substituído); Controle de lançamentos de serviço quanto a localização do recolhimento; Lançamento de Frete; Controle dos lançamentos de Emissão de Cupom Fiscal (ECF) e mapa resumo; Controle de tributos retidos; Geração de arquivos: DACON, DCTF, DIRF, SINCO, PER/DCOMP, DNF, SINTEGRA, GIA, DIME, DFC/GI SPED FISCAL, SPED EFD CONTRIBUIÇÕES arquivos municipais, entre outros. Memória de Cálculo para todos os tributos; Integração contábil online e por lote;

13 Possibilidade de parametrizar a inclusão automática de contas no Plano de Contas para emitentes destinatários; Importação de dados do arquivo SPED Fiscal/ EFD Contribuições gerados por outros sistemas. Principais relatórios: Livro de Registro de Entrada; Livro de Registro de Saída; Livro de Registro de Apuração de ICMS; Livro de Resumo de Apuração de IPI; Mapa Resumo de ECF; Controle de CIAP modelos A, B, C e D; Termo de Abertura e Fechamento; Diversos relatórios gerenciais.

14 2. Cadastros No menu cadastros são realizadas as principais configurações do módulo Sage Fiscal. Este menu é dividido em duas partes: Cadastros genéricos (comuns a todos os módulos): empresas e responsáveis Cadastros específicos: produtos, bens, operações contábeis, emitentes/destinatários, tipos de lançamento, contabilização, prestação de serviço, e demais rotinas do módulo Empresas No cadastro da empresa define-se os parâmetros que serão utilizados no sistema. Nesta apostila será abordado os cadastros relacionados ao módulo fiscal. O cadastro completo da empresa esta detalhada na apostila Gerenciador de Sistemas Parâmetros / Gerais Data do Sistema: informe a data atual do cadastro da empresa. Esta data esta relacionada a data do Sistema na Barra de Atalhos. É mais utilizada para o Módulo Folha de Pagamento para determinar a competência de fechamento da folha de pagamento. Período de Lançamentos: Informe a data inicial e final para aceitação dos lançamentos. É utilizado como medida de segurança para evitar lançamentos em data fora do

15 exercício corrente, ou de outro período qualquer que deseje controlar. Esta informação é compartilhada pelos módulos Contabilidade, Fiscal e Controle Patrimonial. Estrutura Física da Empresa: Utilizado como parâmetro dos módulos, Folha de Pagamento e Controle Patrimonial. Descrição dos valores extras utilizados nos lançamentos fiscais: Inclua até 5 descrições que serão usadas nos lançamentos fiscais. Estas aparecerão nas rotinas de Lançamentos de Notas de Entradas, Notas de Saídas e Conhecimentos de Frete, na guia Complemento, quadro Valores Extras para Contabilização. A utilização dos valores extras permitirá a contabilização em contas específicas. Rodapé: Poderá ser cadastrada uma mensagem com até 100 caracteres, que será impressa no rodapé dos relatórios gerados pelo sistema. Importação de Emitente/Destinatário: Opções que serão utilizadas nas rotinas de importação de Emitente/Destinatário. Identificar somente pelo CNPJ: Nesta opção o sistema checará se o emitente/destinatário existe, comparando somente o CNPJ. Se tiver mais de um registro considerará o primeiro e se não tiver nenhum, fará o cadastro. Identificar por CNPJ e Inscrição Estadual: Nesta opção o sistema checará se o emitente/destinatário existe, comparando CNPJ e Inscrição Estadual. Neste caso considera que o cadastro já existe se ambos dados coincidirem Parâmetros / Contabilização / Principal

16 Estrutura do plano de contas: Define como será estruturado o plano de contas, informando a quantidade de níveis e a quantidade de dígitos de cada nível. Digite a letra X, para determinar o número de dígitos, e o - (traço ou sinal de menos) para determinar a separação de cada nível. Exemplo de Estrutura de Plano de Contas no Grau 5. Estrutura: X-X-XX-XX-XXXX Cadastro do plano de contas: ( ) Atenção: Não é possível alterar a estrutura do plano de contas depois que efetuar o cadastro das contas. Sequência de código reduzido: Código correspondente à conta analítica (conta de último grau na estrutura) gerado pelo sistema e utilizado na digitação de lançamentos. Pode ser alterado se houver necessidade. Para que o primeiro código a ser atribuído pelo sistema seja 1 (um), informe 0 (zero). Após inclusão das contas no plano, o sistema irá atualizar este campo automaticamente com o último código cadastrado. Importante: Este código não pode ser superior a Caso seja ultrapassado este número, irá aparecer a mensagem "O intervalo de a está reservado para rotina de lançamentos contábeis automáticos.. Conta de Caixa: Informe a conta analítica de caixa para a emissão do Livro Caixa. Com base na movimentação da Conta Caixa: a emissão do Livro Caixa será com base nos lançamentos efetuados na conta contábil acima.

17 Com base nos lotes de caixa: a emissão do Livro Caixa será com base nos lançamentos dos Lotes de Caixa. Libera lotes em aberto e/ou com diferença: Por ocasião do lançamento serão sempre apresentados os totais de débito, crédito e a diferença entre eles, podendo ser confirmada ou não a liberação do lote, se houver diferença nos valores, dependendo deste parâmetro. Permite lançar em lote liberado: Permitir o lançamento em lotes que já estão liberados, ou seja, tornando os lançamentos On-line. Caso esta opção não esteja marcada você deverá primeiramente estornar, ou marcar o lote não liberado, efetuar os lançamentos e acertos desejados e então liberar novamente o lote. Permite importar lotes com diferença entre débito e crédito: Permite importar lotes com diferença, entretanto se a opção não estiver selecionada, o sistema não permitirá a importação. Entidade sem fins lucrativos: Se marcada esta opção, na emissão dos relatórios contábeis, serão apresentados os termos "Superávit" ou "Déficit", ao invés de Lucro ou Prejuízo. Efetua Lançamentos de ajuste do RTT: Deve ser marcada esta opção se a empresa efetua lançamentos de ajustes do RTT, para geração do Controle Fiscal Contábil de Transição (FCONT), que consiste na escrituração das contas patrimoniais e de resultado, em partidas dobradas, que considera os métodos e critérios contábeis vigentes em 31/12/2007. Com esta opção marcada, ao efetuar os lançamentos contábeis serão habilitados campos específicos Parâmetros / Contabilização / Integração / Parâmetros

18 Armazena as informações necessárias para realização da Integração Contábil entre os módulos Sage. Utiliza Integração Contábil: Marque esta opção para posterior integração do módulo Fiscal com a Contabilidade. Se esta opção não for marcada será desabilitada a guia Contabilização, das rotinas de Lançamento de Entrada, Saída e Conhecimento de Frete. Contabilizar Notas pelos itens: permite a contabilização das notas fiscais (entrada, saída e conhecimento de frete) a partir do CFOP informado nos itens das notas. Observação: Com esta opção marcada, as opções Agrupar lançamentos de entrada/saída e Contabilizar ICMS e IPI nota a nota serão desabilitadas, pois não é possível executar ambas ações simultaneamente. Contabilizar por Centro de Custo: Será habilitado o campo Centro de Custos nos lançamentos de notas fiscais. Contabilizar apropriação de tributos: Contabiliza os tributos a partir da apuração destes no Fiscal. Contabilizar pagamento de tributos do Fiscal: Contabiliza os pagamentos de tributos registrados no sistema. Contabilizar pagamento de tributos da Folha de Pagamento: Contabiliza os pagamentos de tributos registrados no sistema. Efetuar Contabilização On-line: Os lançamentos contábeis serão realizados no momento da inclusão da nota fiscal, sem necessidade de posterior geração de lote para integração. Os tributos são contabilizados automaticamente quando efetuada a Apuração de Tributos. Validar contas de acordo com o módulo Sage Contabilidade: Valida as contas contábeis informadas nos módulos Folha de Pagamento, Fiscal e Controle Patrimonial, com a finalidade de efetuar a integração contábil com a Contabilidade. Por outro lado, quando a contabilidade não é efetuada pelo módulo Contabilidade e sim por outro sistema contábil, não há porque validar tais contas e esse campo não deve ser selecionado. Note que o campo só permite alteração quando a opção Efetuar Contabilização On-line não estiver selecionada. Botão Matriz de Contabilização: está organizado em cinco guias: Notas Fiscais, Detalhamento do ICMS, Detalhamento do IPI, Apropriação de Tributos, Pagamento de Tributos.

19 Todos os campos das guias Notas Fiscais, Detalhamento do ICMS, Detalhamento do IPI, Apropriação de Tributos e Pagamento de Tributos serão preenchidos automaticamente de acordo com os parâmetros de contabilização da empresa. Observação: As operações contábeis sugeridas podem ser alteradas pelo usuário. Para reaver as operações contábeis originais do sistema clique no botão Restaurar. Quadro Agrupamento: Selecione a forma que será utilizada na geração do lote para contabilidade. Esta opção é desabilitada quando a empresa utiliza Contabilização On-Line. Agrupar lançamentos de entrada/saída: Marque caso deseje reduzir o número de lançamentos contábeis efetuando agrupamentos. Agrupar por conta contábil: Agrupa os lançamentos contábeis por conta, gerando um único lançamento (em uma única data) com o valor total de cada conta contábil.

20 Agrupar por data/conta contábil: Agrupa os lançamentos contábeis por conta e data, gerando um lançamento para cada data e conta contábil. Quadro Contabilização de Notas Fiscais: Excluir ICMS do valor contábil das notas de entrada: O valor do ICMS será subtraído do valor contábil da nota fiscal e contabilizado em conta separada. Excluir IPI do valor contábil das notas de entrada/saída: O valor do IPI será subtraído do valor contábil da nota fiscal e contabilizado em conta separada. Contabilizar ICMS e IPI nota a nota: Para cada nota fiscal será gerado um lançamento específico para o ICMS e para o IPI. Assim, na apuração de tributos não será gerada a contabilização destes tributos de forma agrupada. Quadro Formação do Histórico Contábil: Esta opção é válida para a contabilização on-line e em lote (Módulos/ Integração Contábil/ Geração de Lote Contábil). Nas integrações pelas rotinas Arquivo Remoto e Arquivo Texto serão enviadas sempre a razão social do emitente/destinatário como complemento do histórico. Utilizar o nome de fantasia: Envia o nome de fantasia do emitente/destinatário como complemento do histórico na integração contábil. Utilizar a razão social: Envia a razão social do emitente/destinatário como complemento do histórico na integração contábil. Observações: Quando desmarcada a opção 'Utiliza Integração Contábil', nessa mesma tela, será considerado como padrão a opção 'Utilizar o nome de fantasia'. Se no cadastro do emitente/destinatário não estiver informado o nome de fantasia da empresa, será enviada para a integração contábil a razão social, independente da opção marcada. Cadastrar contas de clientes/fornecedores automaticamente no plano de contas:

21 Esta opção possibilita que ao cadastrar um novo emitente/destinatário o sistema cadastre automaticamente sua conta no plano de contas, no Sage Contabilidade e também vincule esta conta no Sage Fiscal. Será considerada esta opção tanto no cadastro manual do emitente/destinatário quanto no cadastro efetuado através de importação. Marcando esta opção, são habilitados os quadros abaixo: Clientes no plano de contas: Conta Sintética: Informe a classificação contábil do grupo de clientes no plano de contas. Cliente Único: Se utiliza apenas uma conta contábil para todos os clientes, informe o código reduzido desta conta. Fornecedores no plano de contas: Conta Sintética: Informe a classificação contábil do grupo dos fornecedores no plano de contas. Fornecedor Único: Se utiliza apenas uma conta contábil para todos os fornecedores, informe o código reduzido desta conta. Parâmetros / Contabilização / CPRB

22 Opção "Contribuição Previdenciária Sobre Receita Bruta": refere-se a MP 540/2011, convertida na Lei /2011, na Lei Lei /2012, na MP nº 601/2012 e na MP nº 612/2012, que alteram o cálculo da contribuição patronal ao Fundo de Previdência e Assistência Social (FPAS) sobre empregados, autônomos e diretores, para empresas de atividades beneficiadas, conforme previsto na legislação. Para estas empresas, durante o período informado no campo "Competência", serão efetuados cálculos diferenciados da contribuição patronal ao FPAS. Ao marcar a opção "Contribuição Previdenciária Sobre Receita Bruta", serão habilitados os demais campos deste quadro, para que seja definido o enquadramento da empresa, o período e a alíquota em que a mesma terá o benefício desta compensação. Competência: informar o mês/ano inicial e final para o cálculo do benefício da compensação do INSS decorrente da Lei /2011. Alíquota: informar neste campo a alíquota para o cálculo da Contribuição Previdenciária sobre a Receita Bruta, de acordo com a atividade da empresa. Código de Recolhimento: informar o código/variação do DARF correspondente a contribuição previdenciária sobre receita bruta, para emissão da guia e geração da DCTF. Os códigos determinados pelo Ato Declaratório Executivo Codac nº 33, de 17 de abril de 2013, são: : Contribuição Previdenciária Sobre Receita Bruta - Art. 7º da Lei /2011 (Comércio e Serviços) : Contribuição Previdenciária Sobre Receita Bruta - Art. 8º da Lei /2011 (Indústria).

23 Não calcular INSS na provisão de férias/13º salário: Se marcado este campo, o INSS correspondente ao FPAS não será calculado nas provisões. Se desmarcado, o INSS será calculado integralmente (sem considerar proporção entre receitas incentivadas e não incentivadas). No quadro Origem das Receitas, deve ser parametrizada a origem das receitas, através das opções: 1- Serviços prestados sujeitos ao ISS 2- Mercadorias/Serviços sujeitos ao ICMS (Varejo) 3- Fabricação de produtos incentivados (Indústria) Pelo menos uma das opções deve ser marcada. Não será possível marcar simultaneamente as opções 2 e 3. Se marcada a opção 2, será habilitado o campo "Código para a EFD". Neste campo deve ser informado o código de receita para a EFD Contribuições (SPED Pis/Cofins). Para a opção 1, o código para a EFD deverá ser informado no cadastro do serviço. Para a opção 3, o código para a EFD será obtido conforme o NCM informado no cadastro de produtos. A lista de códigos de atividades sujeitas a desoneração pode ser verificada no site da Receita Federal, em tabela Contribuição Previdenciária sobre a Receita Bruta - Códigos de Atividades. Cálculo das Receitas: Para a obtenção das Receitas Incentivadas e Não Incentivadas, o sistema se comportará da seguinte forma: Para a opção 1, será considerado o valor lançado como serviço nas notas fiscais de saída. A receita será considerada incentivada ou não, conforme a opção informada no cadastro do item de serviço. Serão desconsiderados os valores lançados em serviços marcados com a opção "Não se aplica". Para a opção 2, será considerado o lançado nas notas fiscais de saída (considerandose os valores lançados nos itens da nota, se for o caso). A receita será considerada incentivada ou não, conforme a opção informada no cadastro do CFOP/Variação. Serão desconsiderados os valores lançados em serviços marcados com a opção "Não se aplica". Serão subtraídos das

24 receitas, os valores lançados nas notas de entrada cujo CFOP/Variação esteja marcado como Receita Incentivada ou Não Incentivada (devoluções de venda). Para a opção 3, será adotado exatamente o critério acima, com a diferença que será também considerado o NCM de cada produto constante da nota, para ver se está cadastrado na lista de produtos incentivados divulgadas pelo Fisco. É justamente por este motivo que o sistema não aceitará marcar simultaneamente as opções 2 e 3. Antes de efetuar a atualização mensal de tributos da folha de pagamento, será necessário informar a Receita Bruta Incentivada e a Receita Bruta não Incentivada, na Folha de Pagamento, menu Módulos\ SEFIP\ Informações Extras. Estes valores serão utilizados para os cálculos do tributo 'INSS Pagamento Mensal sobre Receita Bruta' e do valor da compensação que será deduzida na GPS, referente ao FPAS, conforme a fórmula abaixo: Primeiro será obtido o percentual que a receita bruta incentivada corresponde sobre o total da receita do estabelecimento. Para este cálculo serão utilizados os valores das receitas informados na rotina SEFIP\ Informações Extras: PERCENTUAL = receita incentivada / (receita incentivada + receita não incentivada) Se o PERCENTUAL for igual ou maior que 0,95, será convertido para 1. Se o PERCENTUAL for menor que 0,05, será convertido para 0. Em seguida será calculado o valor do benefício (compensação): FPAS A COMPENSAR = Total do FPAS do estabelecimento * PERCENTUAL FPAS A RECOLHER = Total do FPAS do estabelecimento FPAS A COMPENSAR Ao gerar a apuração de tributos na Folha de Pagamento, o valor do benefício será lançado como compensação e ficará gravado na rotina Tributos\ Compensação/Dedução de INSS, como tipo 5 - Compensação dedução do FPAS - Lei /2011. Também nesta rotina, será gerado o tributo INSS - Pagamento Mensal - Receita Bruta, o qual substituirá/complementará o valor do FPAS gerado sobre a folha de pagamento, durante a vigência da Lei /2011. OBSERVAÇÕES: O aplicativo SEFIP não teve alterações referentes a Lei /2011. Ao gerar o arquivo SEFIP, esta compensação será gerada no registro tipo 12, campo 15. Neste campo também é gerada a compensação por recolhimento indevido. Portanto, na situação de ter os dois tipos de compensação, ambos serão somados. Para o cálculo do tributo INSS Pagamento Mensal - Receita Bruta será aplicada a alíquota de 2,5% até a competência 07/2012 e a partir de 08/2012 a alíquota de 2%, exceto

25 para Empresas fabricantes de produtos incentivados nas quais será aplicada a alíquota de 1,5% até a competência 07/2012 e a partir de 08/2012 a alíquota de 1%. Quando a empresa está sujeita a Contribuição Previdenciária Sobre Receita Bruta, o valor deve ser informado na SEFIP através da rotina Módulos\ SEFIP\ Informação Extras. Para evitar o esquecimento no preenchimento deste valor, recomenda-se que seja marcada a opção "Utilizar informação de valores extras", nos parâmetros da empresa, em Parâmetros/ Recursos Humanos/ Tributos. Desta forma, ao efetuar a apuração de tributos, se não forem informados os valores será gerado um alerta Estabelecimento O cadastro de estabelecimentos está organizado em duas guias: Estabelecimento e Parâmetros: Estabelecimento - contém as informações da empresa matriz e, se for o caso, das suas filiais. Parâmetros - contém os parâmetros gerais do estabelecimento e específicos para os módulos Folha de Pagamento, Fiscal e Contabilidade Cadastrais

26 Preencha todos os campos da aba cadastrais. Os campos abaixo destacado são parâmetros que impactam no módulo Fiscal e devem ser preenchidos corretamente: Município: Será utilizado nos módulos Fiscal, Contabilidade e Folha de Pagamento.. Para cadastrar um novo município clique em NOVO. O cadastro de municípios será utilizado também nos cadastros de emitentes e destinatários. Natureza Jurídica: Selecione a natureza jurídica. Categoria: Selecione a categoria. Instituição Financeira: Selecione o tipo da instituição financeira. Esta informação é importante para a geração do arquivo para o COSIF. Se não for o caso escolha a opção Não se Aplica Documentação

27 Inscrição Estadual: Informe o código de inscrição, conforme formato definido pela Receita Estadual de cada Estado (com hífen, quando for o caso, pois o dígito informado antes do mesmo determina a data de vencimento). Notas:A informação da Inscrição Estadual é muito importante, pois será utilizada para o cálculo das datas de vencimento das guias. Se a empresa não possuir inscrição, escreva neste campo a palavra "ISENTO". O sistema verifica a validade dos códigos de CNPJ, CPF e Inscrição Estadual. Caso acuse códigos inválidos, consulte o número correto no site do SINTEGRA. ( Inscrição Municipal: Informe o número da inscrição junto a Prefeitura Municipal. INSS/CEI: Informe número de registro junto ao INSS. CNAE: Informe o código de Classificação Nacional de Atividades Econômicas - Fiscal - CNAE-Fiscal, instituído pelo IBGE. Clique no botão "Pesquisar CNAE" para localizá-lo por Seção ou por Descrição. esocial: O quadro esocial será habilitado se for pessoa física, ou seja, se em Dados Cadastrais estiver informado um CPF.

28 Tipo de Pessoa Física: Selecionar entre uma das opções disponíveis. CAEPF: Informa o código CAEPF correspondente a pessoa física. Este código irá substituir o número de inscrição no CEI. Porém ainda não há informações quanto a obtenção deste número junto a RFB. Será necessário aguardar maiores informações junto aos órgãos competentes para correta informação deste número. Identificador no Município: Para que seja possível importar Nota Fiscal de Serviço Eletrônica para alguns municípios, é necessário informar este código, que refere-se ao identificador da empresa junto a prefeitura. É a partir deste código que o sistema identificará se as notas pertencem ou não ao município. Este identificador é utilizado para municípios que utilizam o fornecedor SIGISS, de NFS-e. Na própria rotina de importação de NFS-e será verificada a existência deste código e se for necessário, será exibido um alerta. No quadro Tipo de Estabelecimento, informe se é Matriz ou Filial Representante Preencha com as informações do representante da empresa Responsáveis

29 Selecione o responsável pelo estabelecimento que será informado como padrão nos arquivos de entrega de informações em meio magnético. Para cadastrar um novo responsável clique no botão Novo Parâmetros / Fiscal / Tributação / Geral Tributação: Selecione o tipo de regime tributário de IR, para posterior geração da DCTF e emissão de guias. Este campo será habilitado somente para o estabelecimento matriz. Os demais estabelecimentos assumirão a mesma informação da matriz.

30 Qualificação: Selecione a qualificação da empresa, para posterior geração da DCTF. Este campo será habilitado somente para o estabelecimento matriz. Os demais estabelecimentos assumirão a mesma informação da matriz. Mês/Ano de início das atividades: Informe a data referente ao início de atividades, no formato MM/AAAA. Esta data terá influência no cálculo do SIMPLES Federal, para fins de apuração do teto limite de enquadramento, que deve ser proporcional ao número de meses de atividade da empresa no exercício. De acordo com as normas do SIMPLES, considera-se data de início de atividade aquela em que ocorrer a primeira operação após a constituição da empresa e integralização do capital, que traga mutação no patrimônio da pessoa jurídica. Essa data não será, portanto a mesma da abertura da empresa. Ainda de acordo com as normas, devem ser desconsideradas as frações de meses. Isso significa que se a data de início de atividades não corresponder exatamente ao primeiro dia do mês, deve ser informado neste campo o mês e ano imediatamente seguintes. Essa regra não vale para o mês de dezembro, onde se considera o próprio mês, independente da data. Exemplos: Início da atividade em 01/07/2014: Informar em parâmetros 07/2014. Início da atividade em 04/05/2014: Informar em parâmetros 06/2014. Início da atividade em 17/12/2014: Informar em parâmetros 12/2014. O preenchimento incorreto desse campo pode causar erros na apuração dos valores do SIMPLES, podendo inclusive causar o desenquadramento de ofício por parte do FISCO, gerando com isso grandes prejuízos para a empresa. Ao gerar a Declaração do Simples referente a esse exercício é solicitado o dia e mês de início de atividade. Nessa declaração devem também ser observados esses mesmos procedimentos. Utiliza ECF: Esta opção deve ser selecionada quando a empresa utiliza a Emissão de Cupom Fiscal. Não será permitido o acesso aos lançamentos de ECF se esta opção estiver desmarcada. Lançamento: Determine o tipo de lançamento que deve ser aplicado na geração da nota fiscal de saída referente ao Cupom Fiscal. Cliente: Selecione um cliente que será sempre utilizado nos lançamentos de ECF. Ex.: Clientes Diversos. Nat. Operação: Informe o CFOP referente a venda. Classificação 1: Selecione a classificação contábil a ser utilizada.

31 Classificação 2: Selecione a classificação contábil a ser utilizada. Nat. Operação ST: Informe o CFOP de Substituição Tributária. Nat. Operação Combustíveis: Informe o CFOP referente a combustíveis. Caixa/Banco: Selecione o Caixa ou Banco que será utilizado para a contabilização dos ECF's. O Caixa/Banco deve estar cadastrado em Cadastros/ Contabilização. Observação: Este campo é obrigatório somente quando a empresa utiliza Integração Contábil. Opção Serviços de Comunicação/Telecomunicação: se marcada, deve ser definido se a empresa é obrigada ou não ao convênio 115/2003. Marcando esta opção, será possível efetuar lançamentos de notas de saída com informações de serviços de comunicação/telecomunicação, no Sage Fiscal (Lançamentos\ Notas de Saída), de modo a permitir a geração do SPED Fiscal (registros D695 e D696) e SPED PIS/COFINS (registros D600, D601 e D605). Observação: Para efetuar estes lançamentos fiscais de saída é necessário que o modelo das notas seja 21 ou 22, pois somente para estes modelos irá habilitar os campos para informações referentes a Serviços de Comunicação/Telecomunicação (campos da aba Itens e aba Complemento). Obrigada ao convênio 115/2003: marcando esta opção os campos referentes a serviços de comunicação/telecomunicação ficarão habilitados no lançamento de saída, para os modelos 21 e 22 e serão geradas as informações destes lançamentos para o SPED Fiscal (registros D695 e D696) e SPED PIS/COFINS (registros D600, D601 e D605). No SPED Fiscal somente serão gerados os registros D695 e D696 com lançamentos importados através da rotina Utilitários\ Importação\ Layout Convênio 115/2003. Isso porque somente os lançamentos importados possuem a "Chave de codificação do arquivo mestre", obrigatória para estes registros no SPED Fiscal. Não obrigada ao convênio 115/2003: marcando esta opção os campos referentes a serviços de comunicação/telecomunicação também ficarão habilitados no lançamento de saída, para os modelos 21 e 22 e serão geradas as informações destes lançamentos somente para o SPED PIS/COFINS (registros D600, D601 e D605). Para geração do SPED PIS/COFINS serão considerados tanto os lançamentos importados do arquivo do convênio, como os incluídos manualmente Parâmetros / Fiscal / Tributação / Retenção de Tributos

32 Informar nesta aba os parâmetros que serão utilizados para o cálculo dos tributos retidos. Esta aba será habilitada somente para o estabelecimento matriz. Os demais estabelecimentos assumirão a mesma informação da matriz. No quadro Compensação para PIS/COFINS e CSLL retido, selecione uma das opções: Regime de Competência: Para a compensação dos tributos será considerada a data de emissão da nota. Regime de Caixa: Para a compensação dos tributos será considerada a data do pagamento da nota. Esta data será informada no momento do lançamento da nota fiscal. Controle pela auditoria financeira: Opção habilitada somente se nos parâmetros da empresa, aba Auditoria Financeira, estiver marcado que controla movimentação de clientes e fornecedores. Com essa opção marcada, para compensação dos tributos PIS, COFINS e CSLL serão considerados os valores de retenção informados na baixa das parcelas na Auditoria Financeira, cuja data de pagamento esteja dentro do mês de apuração. Valor Mínimo de NF para Retenção informe o valor mínimo da nota fiscal para retenção do PIS/COFINS/CSLL e IRRF, conforme previsto na legislação. Alíquotas de Retenção: informar a alíquota de cada tributo que será retido nos lançamentos de serviço, de entrada e/ou de saída. Para que ocorra o cálculo da retenção no lançamento das notas, é necessário que o tipo de serviço esteja marcado como sujeito a retenção.

33 Códigos da Receita para Emissão do DARF, informar o código da Receita para recolhimento dos tributos retidos. devem ser informadas também as variações dos códigos, para geração da DCTF. No quadro Opções de Agrupamento para IRRF, PIS/COFINS/CSLL Retido, selecionar a opção desejada para agrupamento dos valores retidos, na geração dos DARFs: Código de Receita: as retenções de todas as notas de entrada serão somadas por tipo de tributo e serão gerados DARF distintos por código de recolhimento, para cada tributo. Código de Receita / Emitente: as retenções das notas de entrada serão somadas por tipo de tributo/fornecedor e serão gerados DARF distintos por fornecedor, para cada tributo. Nota Fiscal: será gerado um DARF, de cada tributo, para cada nota fiscal de entrada com retenção Parâmetros / Fiscal / Tributação / Simples Nacional O quadro SIMPLES Nacional fica habilitado tanto para a matriz quanto para as filiais. Entretanto, os campos de Opção da empresa e código de acesso ao PGDAS somente poderão ser informados na matriz. Os demais campos podem ser informados na matriz e nas filiais. Selecione a opção do Simples: Não optante: Será efetuada a apuração dos tributos estaduais e federais, normalmente. Algumas rotinas específicas do Simples Nacional não serão habilitadas. Microempresa: O estabelecimento será considerado como optante pelo Simples Nacional, do tipo microempresa. A apuração de tributos será baseada neste regime.

34 EPP: O estabelecimento será considerado como optante pelo Simples Nacional, do tipo EPP. A apuração de tributos será baseada neste regime. A opção será definida somente para o estabelecimento matriz e os demais estabelecimentos acatarão a mesma informação. Código de acesso ao PGDAS: O código de acesso deve estar informado no Programa Gerador do Documento de Arrecadação do Simples Nacional, este código será necessário para que o Sage integre os valores com o portal do simples nacional. O código de acesso será informado somente para o estabelecimento matriz e os demais estabelecimentos acatarão a mesma informação. Valor fixo para recolhimento de ICMS: Deverá ser preenchido de acordo com as regras estabelecidas pelo Estado, e somente se for aplicável à empresa em questão. Valor fixo para recolhimento de ISS: Deverá ser preenchido de acordo com as regras estabelecidas pelo Município, e somente se for aplicável à empresa em questão Parâmetros / Fiscal / Tributação / ICMS/IPI/ISS Contribuinte do ICMS: Marcar esta opção se o estabelecimento for contribuinte de ICMS. Assim, na apuração de tributos será gerado este tributo, conforme os lançamentos de notas fiscais. Código de recolhimento do ICMS: Informar o código da receita estadual para o recolhimento do tributo. CPR (Código de Prazo de Recolhimento): Este campo aparece na tela somente se a UF do estabelecimento for São Paulo. É utilizado para formação da data de vencimento da GARE. O vencimento será baseado no código, conforme tabela abaixo: Código Dia Vencimento

35 Zerar crédito de ICMS: (Na Importação de NF de Entrada (XML/DANFe)): Esta opção poderá ser utilizada caso a empresa tenha algum regime diferenciado de apuração de ICMS, como por exemplo Bares e Restaurantes. Com ela marcada, ao importar as notas de entrada através de arquivo XML ou pelo DANFe, não irá gerar crédito de ICMS. Neste caso, ao importar as notas, se o CST do item gerar crédito (00, 100 ou 200), o sistema automaticamente gravará este item com CST 90, sem valor de base de ICMS, gerando este valor em Outras. Com esta opção marcada, o sistema gravará o CST 90 para todas as notas que originalmente gerariam crédito de ICMS, independente do CFOP. Para os demais CST's, continuará considerando o original do item. Dados para o Recolhimento: Se for contribuinte de ICMS sujeito a substituição tributária, deve ser selecionada a opção e cadastrar os dados para recolhimento, no botão. É obrigatório o preenchimento da inscrição auxiliar do próprio estabelecimento, para que a apuração de tributos seja efetuada corretamente.

36 Informe o número da inscrição auxiliar para o regime de substituição tributária em cada Estado. Será utilizada para emissão da GNRE bem como na geração da GIA do substituto tributário. Estabelecimento: Preenchimento automático do sistema. UF: Selecione a sigla da Unidade da Federação (Estado). Inscrição Auxiliar: Informe o código de inscrição, conforme formato definido pela Receita Estadual de cada Estado. Se for recolhimento antecipado, este campo não precisa ser informado. Código Recolhimento do ICMS: Informe o código da Receita para recolhimento do ICMS S.T. conforme regras do estado, que será utilizado na emissão da guia GNRE. Código da Receita p/ SPED Fiscal: Informe o código da Receita, conforme tabela do Convênio SINIEF nº 06/89, que será utilizado na geração do arquivo SPED Fiscal.

37 Dia do Vencimento: Informe a data de vencimento do ICMS S.T., conforme regras do estado. Esta data será utilizada na emissão da guia (GNRE ou GARE, para SP). Deve ser informado também, se este vencimento ocorrerá no primeiro ou no segundo mês subsequente ao da apuração. Observação: Se o vencimento for no último dia do mês, deve ser informado no dia do vencimento o dia 31. Desta forma, o sistema faz automaticamente o tratamento quando o mês tiver 30, 29 ou 28 dias. Dia de Vencimento não útil: Selecione uma das opções, para regra de vencimento quando em determinado mês não for dia útil: Mantêm: considera na GNRE o dia exato de vencimento Antecipa: considera na GNRE o dia útil imediatamente anterior ao vencimento Prorroga: considera na GNRE o dia útil imediatamente posterior ao vencimento Observação: Esta opção depende das regras estabelecidas em cada estado. Informações Complementares para GNRE: Outras informações exigidas pela legislação tributária ou que se façam necessárias. Importação de NF de Entrada (XML/DANFe): Marcar a opção "Zerar crédito de ICMS" caso a empresa tenha algum regime diferenciado de apuração de ICMS, como por exemplo Bares e Restaurantes. Com esta opção marcada, ao importar as notas de entrada através de arquivo XML ou pelo DANFe, não irá gerar crédito de ICMS. Neste caso, ao importar as notas, se o CST do item gerar crédito (00, 100 ou 200), o sistema automaticamente gravará este item com CST 90, sem valor de base de ICMS, gerando este valor em Outras. Com esta opção marcada, o sistema gravará o CST 90 para todas as notas que originalmente gerariam crédito de ICMS, independente do CFOP.

38 Beneficiário do PRODEPE: Esta rotina é exclusiva para o Estado de Pernambuco. Permite efetuar o cadastro dos códigos de apuração para os beneficiários do Prodepe. Contribuinte de IPI: Marcar esta opção se o estabelecimento for contribuinte de IPI. Assim, na apuração de tributos será gerado este tributo, conforme os lançamentos de notas fiscais. Código de recolhimento do IPI: Informar o código da Receita Federal para emissão do DARF de recolhimento deste tributo. Deve ser informada também a variação do código, para geração da DCTF. Contribuinte do ISS: Marcar esta opção se o estabelecimento for contribuinte de ISS. Assim, na apuração de tributos será gerado este tributo conforme os lançamentos de notas fiscais. Alíquota normal de ISS: Informar a alíquota padrão de recolhimento do ISS praticada no município do estabelecimento. Esta alíquota pode também ser definida na cadastro do tipo de serviço, caso haja variação. municipal. Dia de vencimento do ISS: Informar o dia de vencimento do ISS, conforme legislação Parâmetros / Fiscal / Tributação / PIS/COFINS Esta aba será habilitada somente para o estabelecimento matriz. Os demais estabelecimentos assumirão a mesma informação da matriz.

39 No quadro Apuração PIS/COFINS, definir alguns parâmetros que irão influenciar na forma de apuração de PIS e COFINS: Tributação por alíquota diferenciada e/ou unidade de medida: Deve ser marcada esta opção, somente se a empresa possuir produtos com tributação especial de PIS/COFINS, ou seja, produtos cujo CST seja 2- Operação tributável com alíquota diferenciada ou 3- Operação tributável por unidade de medida de produto. Com esta opção marcada, obrigatoriamente a forma de apuração será pelos valores lançados nos itens da nota fiscal. Em Regime, escolher entre: Não-cumulativo: Permite o desconto de créditos apurados com base em custos, despesas e encargos da pessoa jurídica. Nesse regime, as alíquotas da Contribuição para o PIS/Pasep e da Cofins são, respectivamente, de 1,65% e de 7,6%. As pessoas jurídicas de direito privado, e as que lhe são equiparadas pela legislação do imposto de renda, que apuram o IRPJ com base no lucro presumido ou arbitrado estão sujeitas à incidência cumulativa. Cumulativo e não-cumulativo: Empresa do regime não-cumulativo que possui também receitas excluídas deste regime, como por exemplo: prestação de serviços de telecomunicações; de venda de jornais e periódicos e de prestação de serviços das empresas jornalísticas e de radiodifusão sonora e de sons e imagens; de prestação de serviços de

40 transporte coletivo rodoviário, metroviário, ferroviário e aquaviário de passageiros; entre outros. Esta opção será habilitada somente se marcado que possui Tributação por alíquota e/ou unidade de medida, pois neste caso a forma de apuração também será obrigatoriamente pelos valores lançados nos itens da nota fiscal. Cumulativo: A base de cálculo é o total das receitas da pessoa jurídica, sem deduções em relação a custos, despesas e encargos. Nesse regime, as alíquotas da Contribuição para o PIS/Pasep e da Cofins são, respectivamente, de 0,65% e de 3%. As pessoas jurídicas de direito privado, e as que lhe são equiparadas pela legislação do imposto de renda, que apuram o IRPJ com base no lucro real estão sujeitas à incidência nãocumulativa, exceto: as instituições financeiras, as cooperativas de crédito, as pessoas jurídicas que tenham por objeto a securitização de créditos imobiliários e financeiros, as operadoras de planos de assistência à saúde, as empresas particulares que exploram serviços de vigilância e de transporte de valores de que trata a Lei nº 7.102, de 1983, e as sociedades cooperativas (exceto as sociedades cooperativas de produção agropecuária e as sociedades cooperativas de consumo). Em Opção para Cálculo, escolher entre: Pelo total das bases de cálculo da nota fiscal: Nesta opção, o cálculo de PIS e COFINS é efetuado utilizando a base de cálculo total da nota fiscal. Esta opção é viável quando a empresa não possui tributação por alíquota diferenciada e/ou unidade de medida nem está no regime cumulativo e não-cumulativo simultaneamente, pois na apuração de tributos, será aplicada a alíquota básica (informada nos parâmetros do estabelecimento) sobre a base total da nota fiscal (aba bases). Pelos valores lançados nos itens da nota fiscal: Nesta opção, o cálculo de PIS e COFINS é efetuado utilizando diretamente o valor dos tributos informados nos itens da nota fiscal. Esta opção é necessária quando a empresa possui tributação por alíquota diferenciada e/ou unidade de medida ou está no regime cumulativo e não-cumulativo

41 simultaneamente, pois o valor dos tributos será variado, não sendo possível a simples aplicação da alíquota sobre a base total da nota. Nesta opção, é imprescindível o correto lançamento dos valores de PIS e COFINS em todos os itens da nota. Observação: Por sua complexidade, o processo de apuração dos tributos a partir dos itens da nota poderá ser mais lento. No quadro Cálculo da Base para Crédito, há opções que serão consideradas no lançamento (manual ou importação) de notas de entrada. São opções que influenciam na composição da base de cálculo para crédito do PIS/COFINS: Soma ICMS ST: Com esta opção marcada, ao lançar os itens da nota de entrada, na composição da base de PIS/COFINS será somado o valor do ICMS ST ao valor da mercadoria. Soma IPI: Com esta opção marcada, ao lançar os itens da nota de entrada, na composição da base de PIS/COFINS será somado o valor do IPI ao valor da mercadoria. OBS.: Podem ser marcada ambas opções e, neste caso, será somado valor de ICMS ST e de IPI ao valor da mercadoria. Este quadro será habilitado somente se for regime não-cumulativo ou cumulativo e não-cumulativo simultaneamente. Despesas/Frete/Seguro nas Notas de Saída: Neste quadro pode ser definida a forma como serão tratados os valores adicionais, no lançamento das notas de saída, na apuração de tributos e na geração do EFD Contribuições. Ratear na base de cálculo dos itens: Os valores de despesas/frete/seguro serão rateados na base entre os itens. Gerar registro F100 como receita tributada: Os valores de despesas/frete/seguro não serão rateados na base entre os itens, porém o valor será considerado na apuração do PIS/COFINS. Também, o total será gerado no EFD Contribuições como receita tributada. Gerar registro F100 como receita isenta: Os valores de despesas/frete/seguro não

42 serão rateados na base entre os itens e o total será gerado no EFD Contribuições como receita isenta. Observação 1: Esta opção não se aplica ao Desconto Global, que continuará sendo rateado entre os itens. Observação 2: Dependendo da combinação de opções dos parâmetros de PIS/COFINS, as opções deste quadro podem ficar desabilitadas. No quadro Alíquotas de Contribuição, informar as alíquotas correspondentes a empresa para apuração de PIS e COFINS. Será habilitado o quando de alíquotas conforme o regime cumulativo / não-cumulativo. Se a empresa for de ambos regimes simultaneamente, serão habilitados ambos quadros para informação das alíquotas. No quadro Códigos de Recolhimento, informar os códigos da Receita Federal para emissão do DARF. Deve ser informada também a variação do código para geração da DCTF Parâmetros Fiscal /Tributação / CSLL/IRPJ Esta aba será habilitada somente para o estabelecimento matriz. Os demais estabelecimentos assumirão a mesma informação da matriz.

43 No quadro Apuração CSLL/IRPJ selecionar as opções de recolhimento destes tributos: Antecipar mensalmente o recolhimento trimestral: marcar esta opção quando a empresa optar pelo recolhimento mensal do IRPJ e da CSLL. Será calculada a antecipação nos dois primeiros meses do trimestre e no último mês, será apurado o valor total, descontando-se os valores pagos por antecipação. Calcular o adicional excedente na antecipação: marcar esta opção para calcular o adicional de 10% sobre o excedente a R$20.000,00 mensal da base de cálculo. Selecione a data de vencimento do DARF: Final do mês subsequente: se marcada essa opção, ao gerar o DARF de antecipação, o sistema informará como data de vencimento o final do mês seguinte ao mês da apuração mensal. Final do mês subsequente ao trimestre: se marcada essa opção, ao gerar o DARF de antecipação, o sistema informará como data de vencimento o final do mês seguinte ao do trimestre de apuração. No quadro Recolhimento: Quota única: O recolhimento de CSLL e IRPJ será efetuado em quota única, ou seja, em único DARF. 2 quotas: O recolhimento de CSLL e IRPJ será dividido em duas parcelas, ou seja, em dois DARF's. Para que seja possível dividir em duas quotas, o valor de cada parcela não pode ser inferior a R$1.000,00. 3 quotas: O recolhimento de CSLL e IRPJ será dividido em três parcelas, ou seja, em três DARF's. Para que seja possível dividir em três quotas, o valor de cada parcela não pode ser inferior a R$1.000,00. Perguntar a cada trimestre: Com esta opção, durante a apuração de tributos será aberta uma tela para que seja definido o recolhimento em quotas. Se optar por efetuar o recolhimento em quotas, o acréscimo de juros sobre a segunda e terceira quotas serão calculados automaticamente pelo sistema. O cálculo dos acréscimos será da seguinte forma: Primeira quota: sem juros; Segunda quota: 1% de juros; Terceira quota: 1% + Taxa SELIC do mês imediatamente anterior ao da apuração.

44 Ao efetuar a apuração mensal o sistema buscará automaticamente a taxa SELIC no site da Fiscoweb e gravará internamente no sistema, caso não encontre a taxa ou não consiga conectar o site, verificará se a taxa já existe. Se não encontrar, abrirá uma tela para que a taxa SELIC seja informada manualmente. Caso haja necessidade de ajuste na taxa SELIC, usada para o cálculo do DARF, o percentual poderá ser alterado pela rotina de emissão de guias, em Tributos\ Guias de Recolhimento\ Tributos Mensais/Quinzenais, campo Percentual de juros, no entanto, o percentual informado nesta rotina, NÃO será gravado para cálculos/emissões futuras. No quadro Alíquotas de Contribuição, informar o percentual para composição da base de cálculo e para recolhimento: % Base de Cálculo CSLL - Mercadorias: Informe o percentual para formação da base de cálculo da Contribuição Social sobre as mercadorias, que será aplicado sobre o valor contábil menos (-) o valor de IPI. % Base de Cálculo CSLL - Serviços: Informe o percentual para formação da base de cálculo da Contribuição Social sobre os serviços, neste caso aplicado sobre o valor de serviços constantes na nota fiscal. Alíquota de Tributação de CSLL: Será utilizada para apuração dos valores a recolher deste tributo, durante a emissão do DARF. Este percentual será aplicado sobre o total da base de cálculo informada nos lançamentos de notas fiscais. % Base de Cálculo IRPJ - Mercadorias: Informe o percentual para formação da base de cálculo do Imposto de Renda sobre as mercadorias, que será aplicado sobre o valor contábil menos (-) o valor de IPI. % Base de Cálculo IRPJ - Serviços: Informe o percentual para formação da base de cálculo do Imposto de Renda sobre os serviços, neste caso aplicado sobre o valor de serviços constantes na nota fiscal. Alíquota de Tributação de IRPJ: Será utilizada para apuração dos valores a recolher deste tributo, durante a emissão do DARF. Este percentual será aplicado sobre o total da base de cálculo informada nos lançamentos de notas fiscais. Em Códigos de Recolhimento, informar os códigos da Receita Federal para emissão do DARF. Deve ser informada também a variação do código para geração da DCTF. No quadro Regime de caixa informe o percentual para composição da base de cálculo para empresa com apuração por regime de caixa:

45 % Base de cálculo CSLL - Recebimentos em Geral: Informe o percentual para formação da base de cálculo da Contribuição Social sobre recebimentos em geral no regime de caixa. % Base de cálculo SCLL - Recebimentos Ativ. Imobiliária: Informe o percentual para formação da base de cálculo da Contribuição Social sobre recebimentos da atividade imobiliária. % Base de cálculo IRPJ - Recebimentos em Geral: Informe o percentual para formação da base de cálculo do Imposto de Renda sobre recebimentos em geral no regime de caixa. % Base de cálculo IRPJ - Recebimentos Ativ. imobiliária: Informe o percentual para formação da base de cálculo do Imposto de Renda sobre recebimentos da atividade imobiliária Parâmetros / Fiscal / Numeração Denominação para página impressa nos relatórios legais: Este é o termo que será utilizado no cabeçalho, no canto direito. O mais comum é utilizar PÁGINA ou FOLHA. Informe os números atuais dos livros a serem emitidos pelo sistema, bem como a última página emitida de cada livro. A numeração é atualizada automaticamente ao emitir os relatórios (livros) na opção Oficial. Após emitir os livros oficiais poderá emitir os Termos de Abertura e Encerramento Parâmetros / Fiscal / PRODEC

46 Esta aba será habilitada somente se o estado do estabelecimento for SC Santa Catarina. Nesta aba são cadastradas as informações para o PRODEC - Programa de Desenvolvimento da Empresa Catarinense que consiste basicamente em adiar o pagamento de parte do ICMS. Estes dados afetam a geração do arquivo da GIA e a emissão do DAR-27. Percentual do Benefício: Informe o percentual que será mensalmente abatido do valor a recolher de ICMS. Data Limite do Benefício: Informe até que mês (inclusive), será utilizado o benefício, no formato MM/AAAA. Carência em Meses: Número de meses para o vencimento da parcela abatida do ICMS a recolher, ou seja, a partir do mês de referência da GIA. Número do Acordo: Informe o número do acordo com o PRODEC, caso a empresa possua. Solicitar confirmação mensalmente: Se marcada esta opção, após clicar no botão OK para geração da GIA ou emissão do DAR, será possível alterar o percentual originalmente cadastrado nos parâmetros, para aquele mês específico Parâmetros / Fiscal / Importação Nesta aba podem ser parametrizadas as empresas que terão as notas fiscais importadas automaticamente, pelo agendador de rotinas.

47 IOB Gerencia XML: O IOB Gerencia XML é um aplicativo que reconhece os XML s de e- mails cadastrados e importa NFe e CTe direto do site da SEFAZ e Receita Federal, de forma automática. Este aplicativo também mantém as NFe s e CTe s organizadas e disponíveis para consultas pelo tempo que for necessário, através do sistema de armazenamento em nuvem. Para utilizar o IOB Gerencia XML, este aplicativo deve ser adquirido junto ao comercial da EBS - SAGE. Verifique mais detalhes aqui. O IOB Gerencia XML pode ser utilizado de duas formas: 1) Somente pelo escritório contábil ou empresa, que fará a baixa diretamente da SEFAZ ou RFB. Nesta opção, o escritório precisa ter acesso ao certificado digital de seu cliente. Neste caso deve ser marcada a opção "Buscar notas da SEFAZ". Com esta opção marcada, nas rotinas de baixa de notas fiscais eletrônicas, no SageFiscal, já trará por padrão a opção de baixar as notas através do IOB Gerencia XML, diretamente do site da SEFAZ, para os estados de Pernambuco e Rio Grande do Sul. Também, será efetuada a baixa através do IOB Gerencia XML quando estiver parametrizado para efetuar

48 importação automática, através do Agendador de Rotinas. Neste caso, somente será possível efetuar esta baixa se o certificado for do tipo A1, ou seja, se estiver instalado no computador. 2) Pelo escritório e por seu cliente, através de um plugin do IOB Gerencia XML que deve ser instalado no cliente. Assim, a baixa das notas ocorre direto no cliente e o escritório busca as notas já baixadas para importar no Sage Fiscal. Nesta opção, o escritório não precisa ter acesso ao certificado digital do cliente. Neste caso deve estar marcada a opção "Buscar notas armazenadas". Para uso do plugin, o escritório deve, através do IOB Gerencia XML, enviar o instalador juntamente com um convite a seu cliente. Assim, o cliente instala o plugin, configurando o certificado digital e outros dados. Este plugin funcionará como um agendador, baixando automaticamente as notas e armazenando-as na "nuvem". Verifique aqui o procedimento para enviar o plugin ao cliente. Verifique aqui o procedimento para o cliente utilizar o plugin para baixar e armazenar as notas. Depois, o escritório fará a importação para o Sage, que buscará as notas baixadas anteriormente pelo seu cliente. Último NSU RFB: Este campo é de controle automático do sistema, utilizado na rotina que efetua a baixa das notas de entrada a partir do portal da RFB. O sistema grava automaticamente o último número toda vez que efetuar a baixa das notas, iniciando a partir deste número na próxima vez que efetuar o procedimento. Se por algum motivo for necessário baixar todas as notas novamente, este número deverá ser zerado manualmente. Importar Automático: Marcar a opção caso para o estabelecimento as notas fiscais sejam importadas pelo agendador. Verifique aqui o procedimento completo para importação de notas fiscais em lote. Observação: Para a importação automática não será possível parametrizar dois estabelecimentos com o mesmo CNPJ. Ao tentar marcar o segundo estabelecimento será emitido um alerta, impossibilitando a parametrização. Isto ocorre, pois no arquivo de nota (XML ou TXT) o sistema identifica o estabelecimento correspondente pelo CNPJ e se houver dois iguais, não será possível identificar de qual deles o arquivo refere-se. Buscar notas do DropDrive NFe: Se marcada esta opção os arquivos de NF-e serão baixados do DropDrive NFe. Para utilizar esta funcionalidade o estabelecimento selecionado,

49 na barra de atalhos, deverá utilizar o DropDrive NFe como armazenamento dos arquivos de NF-e e autorizar o escritório contábil a efetuar a importação. Para consultar os estabelecimentos que usam o DropDrive NFe e autorizam a importação dos arquivos, acessar a rotina de Gerenciamento de Convites do DropDrive NFe. Observações: Se marcada a opção 'Verificar periodicamente a existência de NF-e para importação', em Utilitários\ Configurações, a cada 02 (duas) horas o sistema verificará se existem notas a serem baixadas do DropDrive NFe para o estabelecimento que estiver selecionado na Barra de Atalhos, caso existam será exibido um alerta no botão NFe, na parte superior da barra de atalhos. A importação destes arquivos para o Fiscal poderá ser feita de forma manual, pela rotina Integração com o DropDrive NFe, a qual será aberta ao clicar no botão NFe com alerta da barra de atalhos. Ou, automaticamente, pelo Agendador de Rotinas marcando a opção abaixo 'Importar Automático'. No quadro Dados Complementares da Nota Fiscal, informar eventuais dados que não constam no arquivo TXT ou XML. Estes dados serão utilizados na importação automática pelo agendador, bem como, pelas rotinas individuais de importação do Sage Fiscal (Utilitários\ Importação\ NF-e (Saída/Devolução); Utilitários\ Importação\ Layout SPED Fiscal / EFD Contribuições e Utilitários\ Importação\ Layout Padrão\ Lançamentos. Podem ser definidos dados complementares específicos para entrada e para saída. Informar Tipo de Lançamento Informações do Pagamento: Permite selecionar o tipo de pagamento com o qual as notas serão importadas. Conforme consta na NF: Com esta opção selecionada, considera o tipo de pagamento que consta no XML. Será habilitado o campo Caixa/Banco para que seja informada a conta caixa/banco para contabilização. À vista: Selecionando esta opção, todas as notas serão importadas com o tipo de pagamento à vista, independente do tipo que consta no XML. É obrigatório o preenchimento do campo Caixa/Banco para que seja informada a conta para contabilização. A prazo: Todas as notas serão importadas com o tipo de pagamento a prazo, independente de como consta no XML. Sem pagamento: Todas as notas serão importadas como sem pagamento, independente de como consta no XML.

50 Informar o Item de Serviço Informar a Operação Contábil Informar Variação para os CFOPs: Neste campo, pode ser definida uma variação que será considerada para as notas que estão sendo importadas. Regras: Se não for informado nada no campo, será considerada automaticamente a primeira variação ativa dos CFOPs das notas; Se informada uma variação no campo, será considerada esta variação para os CFOPs das notas. Se o CFOP não possuir a variação vinculada, será considerada a primeira variação ativa dos CFOPs. Regravar Emitentes/Destinatários: Sobrepõem os dados já registrados, atualizando o cadastro dos emitentes e destinatários conforme as informações do arquivo texto. Atenção! Marcando esta opção, os dados dos emitentes/destinatários já cadastrados no sistema serão sobrescritos com os dados constantes no arquivo de importação. Pode ocorrer perda de informações, caso no arquivo os dados cadastrais não estejam completos. Importar notas duplicadas: Com esta opção marcada serão importadas notas em duplicidade. Isto normalmente ocorre para separar itens que possuem CFOP's diferentes na mesma nota fiscal. Listar Registros com Advertência: Informe se deseja listar no relatório de validação os registros com advertência, estes não impedem a importação Responsáveis Cadastre os responsáveis pela geração e entrega de arquivos. Este cadastro será compartilhado por todos os módulos do sistema.

51 Código: Informe um código para o cadastro, campo numérico. Nome: Informe o nome completo do responsável ou razão social. Qualificação: Selecione dentre as opções disponíveis, a qualificação do representante na empresa. Esta informação será utilizada na geração do SPED e na assinatura dos livros oficiais (exceto para o contador). CEP: Informe o Código de Endereçamento Postal (com oito algarismos) específico da Rua, Avenida ou Bairro. É possível importar os dados de endereço (rua, bairro, cidade, UF, município) a partir do site dos Correios. Para isso, após informar o CEP clicar no ícone consulta CEP. Automaticamente os dados serão importados. Endereço: Informe o nome da Rua, Avenida, Travessa, etc. Número: Informe o número da Casa, Lote, Quadra, etc. Complemento: Informe o número do Bloco, Apartamento, Sala, etc.

52 Bairro: Informe o nome do bairro. Cidade: Informe o nome da cidade. UF: Informe ou selecione a Sigla da Unidade da Federação. DDD/Telefone: Informe o código do DDD e o número do telefone. SPED. Município: Informe ou selecione o código do município. Será necessário para gerar o DDD/Fax: Informe o código do DDD e o número do telefone. Tipo do Documento: Selecione o tipo do documento. Dica: O validador do CAGED (AciWin) não aceita responsável com o tipo de documentação 2 - CPF. CNPJ/CPF/CEI: Informe o número do documento conforme o Tipo do Documento informado no campo acima. Contato: Informe o nome completo da pessoa para contato. CPF Contato: Informe o número do Cadastro de Pessoa Física. RG: Informe o número do Registro Geral (Identidade) Data de Nascimento: Utilizada para a geração da RAIS. Informe o endereço eletrônico do responsável. No quadro Situação, você pode gerenciar os cadastros dos responsáveis marcando como Inativos aqueles que deixaram de exercer tal função. No quadro Contador: Denominação: Informe o título do contador (técnico, bacharel, etc.). Esta informação será utilizada na emissão dos livros oficiais, na assinatura. CRC: Informe o número no Conselho Regional de Contabilidade no formato "UF /X-9". Este formato é obrigatório para a validação de arquivos em programas estaduais.

53 UF: Informe o Estado referente ao CRC do contador. Essa informação será utilizada na emissão da DMA - Declaração e Apuração Mensal do ICMS da Bahia. CRP: Informe o número do Certificado de Regularidade Profissional do contador, que será utilizado na geração da ECD, no Contábil. Este código deve estar informado no formato "UF/ano/número". Validade: Informe a validade do CRP Código de Apuração PRODEPE Esta rotina é exclusiva para o Estado de Pernambuco. Permite efetuar o cadastro dos códigos de apuração para os beneficiários do PRODEPE. Deve-se cadastrar cada tipo de incentivo com um código diferente. A rotina somente ficará disponível para os beneficiários, para isto deve-se marcar a opção Beneficiário do Prodepe em Cadastros/ Empresas/ Estabelecimentos/ Parâmetros/ Escrita Fiscal/ Tributação/ ICMS/IPI/ISS. Código: Informe um código numérico com até 02 dígitos (99). Descrição: Informe uma descrição para o incentivo. Modalidade: Selecione uma das opções: Indústria - Crédito Presumido Importação - Crédito Presumido Importação - Diferimento

54 Central de Distribuição Informe o percentual em crédito Presumido, Percentual de Incentivo nas Entradas, Incentivo nas Saídas Total de Funcionários Esta rotina é exclusiva para o estado do Rio Grande do Sul. Permite informar ou vincule o número de empregados da Folha de Pagamentopara fins de cálculo de ICMS de Empresas de Pequeno Porte do Rio Grande do Sul. Estabelecimento: Selecione o código do estabelecimento. Ano: Informe o ano no formato AAAA. Totais de Empregados: Média em... : Apresentará a média de funcionários para o ano anterior e o ano atual. Vincular estas informações com o Sage Folha de Pagamento: Se marcar o sistema importará estes dados do SFP conforme admissões e demissões ocorridas ou informe o número de empregados para cada mês nos referidos campos Produtos Rotinas relacionadas ao cadastro de produtos Cadastro de Unidades de Medida

55 Nesta rotina devem ser cadastradas as unidades de medida utilizadas nos itens para quantificar o inventário bem como as unidades utilizadas na comercialização dos produtos. Esta informação será utilizada no cadastro de produtos, no lançamento dos itens nas notas fiscais bem como na geração do SPED Fiscal. Unidade: Informe a sigla da unidade de medida. Exemplos: UN; CX; PC, etc. Descrição: Informe a descrição completa correspondente a unidade de medida. Exemplos: UNIDADE. CAIXA, PEÇA, etc. Observação: Por exigência do validador SPED, a descrição deve ser diferente da unidade Cadastro de Produtos Permite efetuar a manutenção nos itens de notas fiscais. Estas informações serão utilizadas para geração da DIPI, para os estabelecimentos contribuintes do IPI, e também para a geração do arquivo para o FISCO, conforme convênio ICMS 57/96.

56 Código: Informe um código numérico com até 10 dígitos, máximo ( ). Identificação: Código alfanumérico que será considerado na importação de itens de outros sistemas. Importante para os estabelecimentos que costumam identificar seus produtos com letras e números. Descrição: Nome do item a ser cadastrado. Campo alfanumérico, permite digitar até 40 caracteres. NCM: Código do item de acordo com a Nomenclatura Comum do Mercosul. Unidade de Medida: Selecione a Unidade de Medida de quantificação do inventário, correspondente ao item. A unidade deve ser previamente cadastrada em Cadastros\ Produtos\ Unidades de Medida. Fatores de Conversão: Abre uma nova tela para que sejam cadastrados os fatores de conversão correspondente a este produto, quando utilizada unidade de medida diferente entre a quantificação do inventário e a comercialização do produto. Por exemplo, quantificado

57 no estoque em "UNIDADE" e comercializado em "CAIXA". Se a unidade de comercialização for igual a de estoque, não é necessário cadastrar a conversão. Peso: Peso unitário do item. Se não houver informação, preencher com zero. Tipo do Produto: Selecione uma das opções. (Ex.: Mercadoria para revenda, Matériaprima, etc.) Alíquota Interna de ICMS: Informe a alíquota de ICMS para o cálculo do imposto no momento do lançamento. Alíquota IPI: Informe alíquota do IPI para cálculo do imposto no momento do lançamento. Quadro Situação Tributária: Informe neste quadro o Código da Situação Tributária para ICMS, IPI e PIS/COFINS, de Entradas e Saídas. Estes códigos serão utilizados no lançamento de notas ficais, bem como na importação de notas de entrada (NF-e ou DANFE). Codificação do Produto para a EFD Contribuições: Os campos deste quadro são habilitados de acordo com o CST PIS/COFINS de Saída. Para CST PIS/COFINS 01 e 49: não habilita nenhum campo do quadro; Para CST PIS/COFINS 02 e 03: habilita o campo Produto para que, através desta seleção, as alíquotas de PIS e COFINS sejam definidas. Para CST PIS/COFINS 04 a 09: habilita o campo Produto para selecionar a natureza da receita isenta, correspondente ao CST informado. Neste quadro ainda, tem a opção de Regime de Tributação, que será habilitado somente se a empresa estiver parametrizada como regime cumulativo e não-cumulativo simultaneamente e se o CST PIS/COFINS de saída for igual a 1. Neste quadro, deve ser definido para o produto qual é o regime, entre cumulativo e não-cumulativo.

58 Codificação do Produto para DACON: Os campos deste quadro são habilitados de acordo com o CST PIS/COFINS de Saída. Para CST PIS/COFINS 01, 04, 05, 06, 07, 08, 09 e 49: não habilita nenhum campo do quadro; Para CST PIS/COFINS 02 e 03: habilita o campo Grupo e Produto. Código para DNF: Este código será considerado na geração de arquivo para a DNF, e serão gerados somente os produtos que possuírem código. Os códigos são encontrados nos Anexos I ou II da IN SRF nº 359/2003 de 15 de setembro de Fator de Conversão: Utilizado por estabelecimentos que geram informações para a DNF. Serve para converter uma quantidade qualquer informada na nota fiscal, na unidade que a receita exige para determinado produto. Quadro PERNAMBUCO: Exclusivo para os beneficiários do Prodepe. Selecione o Código de Apuração - PRODEPE, conforme cadastro efetuado em Cadastros/ Código de Apuração - PRODEPE. Para os Produtos não Incentivados selecionar o código 1. Clique em pesquisar para facilitar a localização dos produtos. Poderá utilizar o filtro por descrição e/ou NCM ( Nomenclatura Comum do Mercosul).

59 Fatores de Conversão Nesta tela devem ser cadastradas as possíveis conversões de unidade entre a quantificação do inventário e a comercialização dos produtos. Uma unidade de inventário pode ter várias unidades comerciais. Unidade Comercial: Selecione a unidade de compra/venda. Estas unidades devem ser previamente cadastrada em Cadastros\ Produtos\ Unidades de Medida. Fator: Informe o fator de conversão entre as unidades. Este campo deve ser maior que zero. Ver exemplos abaixo. Relação: Neste campo o sistema exibirá qual a relação entre ambas unidades de medida. Estes dados serão gerados no SPED Fiscal da seguinte forma: No registro 0200, será gerada a unidade cadastrada no Produto. No registro 0220, serão geradas as unidades cadastradas no Fator de Conversão. Nos registros correspondentes aos itens da nota fiscal, será gerada a unidade informada no lançamento deste item na nota fiscal. Exemplos de fatores de conversão: O fator de conversão é obtido dividindo-se a quantidade da unidade comercial pela quantidade da unidade de inventário. Quando a quantidade referente a unidade comercial for MAIOR que a quantidade da unidade de inventário, o fator deve ser MAIOR DO QUE 1. Exemplos: Unidade de inventário: UN (UNIDADE)

60 Unidade comercial: CX06UN (CAIXA COM 06 UNIDADES) Fator = (6 / 1): 6 Relação: 1 CX06UN corresponde a 6 UN Unidade de inventário: CX06UN (CAIXA COM 06 UNIDADES) Unidade comercial: CX12UN (CAIXA COM 12 UNIDADES) Fator = (12 / 6): 2 Relação: 1 CX12UN corresponde a 2 CX06UN Quando a quantidade referente a unidade comercial for MENOR que a quantidade da unidade de inventário, o fator deve ser MENOR DO QUE 1. Exemplos: Unidade de inventário: CX06UN (CAIXA COM 06 UNIDADES) Unidade comercial: UN (UNIDADE) Fator = (1 / 6): 0, Relação: 1 CX06UN corresponde a 6 UN Unidade de inventário: CX12UN (CAIXA COM 12 UNIDADES) Unidade comercial: CX06UN (CAIXA COM 06 UNIDADES) Fator = (6 / 12): 0, Relação: 1 CX12UN corresponde a 2 CX06UN Quando a quantidade referente a unidade comercial for IGUAL a quantidade da unidade de inventário, o fator deve ser IGUAL A 1. Exemplo: Unidade de inventário: UN (UNIDADE) Unidade comercial: PC (PEÇA) Fator = (1 / 1): 1 Relação: 1 UN corresponde a I PC Quando a UNIDADE comercial for IGUAL a UNIDADE de inventário, não deve ser cadastrado fator de conversão. Exemplo: Unidade de inventário: UN (UNIDADE) Unidade comercial: UN (UNIDADE) Fator: não pode ser cadastrado MVA

61 Esta rotina é específica para estabelecimentos do estado da Bahia. Através dela é efetuado o cadastro do percentual de MVA - Margem de Valor Agregado, que se aplica para calcular o ICMS de Substituição Tributária nas operações interestaduais. O cadastro é efetuado por NCM, podendo ser para um grupo de NCM ou para um NCM analítico. Para cada NCM, informar a alíquota do MVA, e selecionar os estados de origem do produto. Para facilitar o cadastro, pode ser marcada uma região, e automaticamente seus respectivos estados serão selecionados, podendo desmarcar algum, se necessário. O código NCM deve ser preenchido com 8 dígitos. Para facilitar o cadastro é completado automaticamente com zeros a direita. Exemplo: para o código , basta digitar e o restante dos dígitos são preenchidos automaticamente com zeros. Ao gravar, será exibido na grid uma linha com o NCM, o percentual do MVA cadastrado e os estados selecionados. Ao acessar a rotina, se já tiver cadastros para o estabelecimento, todos os registros serão listados na grid.

62 Ao selecionar um NCM principal, o mesmo será listado no grid assim como todos os cadastros que pertencem aos subgrupos deste NCM, facilitando a verificação do que já está cadastrado para o NCM e seus subgrupos. O botão "Importar" permite o acesso à rotina de Importação do Cadastro de MVA. Por esta rotina, poderá ser importado o cadastro de um estabelecimento da mesma empresa, ou de outras empresas, que possuam as mesmas características Calendário Utilizado para controlar as datas de vencimentos dos tributos, tais como IPI, PIS, ICMS e outros. Para abrir ou fechar uma data escolha o mês e ano desejados, dê um duplo clique sobre o dia. Desta forma, os dias em vermelho estão fechados, e os dias em preto estão abertos. Os sábados, domingos e os feriados nacionais já estão previamente cadastrados. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. Mês: Selecione o mês desejado. Ano: Informe o exercício, no formato "AAAA". Para definir um feriado, dê um duplo clique sobre o dia desejado. Desta forma, os dias em vermelho serão considerados feriados, não caindo assim vencimentos de tributos nestas datas. Não é possível efetuar lançamentos em meses não criados. Dica: Crie o calendário para vários períodos através da rotina Geração de Calendário, em utilitários Bens

63 Registram os bens adquiridos para compor o Ativo Imobilizado para fins de controle de créditos de ICMS, em conformidade com os Ajustes SINIEF 08/97 e 06/01. Com base nos dados informados será efetuado o controle dos créditos através da rotina Tributos\ Crédito do Ativo Permanente\ Cálculo Mensal. Para posterior emissão dos Relatórios\ Legais\ CIAP\ Modelos A, B e D. Também, este cadastro será utilizado para gerar o controle dos Créditos do Ativo Imobilizado na Escrituração Fiscal Digital (EFD). Estabelecimento: Selecione o estabelecimento que adquiriu o bem. Código: Informe um código para o bem. Para selecionar um bem já cadastrado, basta pressionar o botão Pesquisar e efetuar a seleção. Ano: Informe o ano de aquisição do bem. Descrição resumida: Breve identificação do bem. Ex.: Cadeira Estofada. Descrição detalhada: Informe os detalhes sobre o bem.

64 Situação: selecione a situação atual do bem: Ativo, Baixado ou Depreciado. Quadro Dados da Operação de Aquisição: Emitente: Informe/selecione o código do emitente (fornecedor) do bem. Para isto, o emitente deve estar cadastrado em Cadastros\ Genéricos\ Emitentes/Destinatários. Lançado no L.R.E. número: Informe o número do Livro Registro de Entradas em que foi lançada a Nota Fiscal referente à aquisição do bem. Página: Informe o número da página de lançamento do bem, no Livro de Registro de Entradas. Data de Entrada: Informe a data de entrada/aquisição do bem no estabelecimento. Nota Fiscal de Entrada: Informe o número da Nota Fiscal de aquisição do bem. Série: Informe a série da nota fiscal de aquisição do bem. Modelo: Informe o modelo da Nota Fiscal de aquisição do bem. Sequência do Item na NF: Informe o número de sequência do item referente ao bem em sua nota fiscal de aquisição. Para o SPED este código não pode estar zerado. Código do Item: Informe/selecione o item correspondente ao bem. Para isto, o item deve estar cadastrado em Cadastros\ Produtos. Chave da NFe: Se a nota fiscal de aquisição do bem for NFe (Nota Fiscal Eletrônica), informe a chave da nota. Valor do Crédito: Informe o valor do crédito correspondente ao bem. Quadro Dados da Operação de Venda: Os campos deste quadro serão habilitados somente se for marcada a situação Baixado. Adquirente: Informe/selecione o código do destinatário (adquirente) do bem, quando da sua venda. Para isto, o emitente deve estar cadastrado em Cadastros\ Genéricos\ Emitentes/Destinatários. Data da Saída: Informe a data de baixa do bem, quando da sua venda/baixa. Nota Fiscal da Saída: Informe o número da Nota Fiscal de venda do bem. Série: Informe a série da nota fiscal de venda do bem. Modelo: Informe o modelo da Nota Fiscal de venda do bem. Sequência do item na NF: Informe o número de sequência do item referente ao bem em sua nota fiscal de venda. Para o SPED este código não pode estar zerado.

65 Código do item: Informe/selecione o item correspondente ao bem. Para isto, o item deve estar cadastrado em Cadastros\ Produtos. Chave da NFe: Se a nota fiscal de venda do bem for NFe (Nota Fiscal Eletrônica), informe a chave da nota. Aba Escrituração Contábil Fiscal Digital Função do Bem: Informe qual será a função do bem adquirido, na atividade do estabelecimento. Vida Útil (meses): Informe qual o tempo estimado, em meses, correspondente à vida útil do bem. Conta Contábil: Informe/selecione a conta contábil, do Ativo, correspondente ao bem. Para isto, a conta deve estar cadastrada no Sage Contabilidade, em Cadastros\ Plano de Contas. ser: Centro de Custo: Informe/selecione o centro de custo que o bem está alocado. Pode

66 Contábil: A seleção do centro de custo será conforme o cadastro de centro de custo efetuado no Sage Contabilidade; Padrão: A seleção do centro de custo será conforme cadastro padrão do SPED, para casos em que o contribuinte não adote centros de custos. Quadro Detalhamento do Crédito de ICMS: Operação Própria: Preenchido automaticamente com o valor do crédito Substituição Tributária: Informe o valor do ICMS referente a substituição tributária. Frete: Informe o valor do ICMS do frete. Diferencial de Alíquota: Informe o valor do ICMS de diferencial de alíquota. Aba Escrituração Fiscal Digital Contribuições Opção "Gera crédito de PIS/COFINS": Se marcada, habilita os campos necessários para a geração dos registros F120 e F130 da EFD Contribuições. Natureza: Selecione a natureza do crédito. Valor de Aquisição: Informe o valor de aquisição do bem. Este campo é habilitado somente para Natureza 10.

67 Periodicidade: Selecione a periodicidade para apropriação do crédito. Este campo é habilitado somente para Natureza 10. Grupo no CCP: Informe o grupo do Módulo Sage Controle Patrimonial a que o bem pertence. Este campo é habilitado somente para Natureza 09 e 11. Bem no CCP: Vincule o bem ao cadastro de bens do Módulo Sage Controle Patrimonial. Este campo é habilitado somente para Natureza 09 e 11. Grupo: Selecione o grupo correspondente à identificação do bem. Origem: Informe se o bem foi adquirido no mercado interno ou externo. Utilização: Selecione a destinação dos bens geradores de crédito. CST PIS/COFINS: Selecione o Código da Situação Tributária Importar Permite importar bens cadastrados no Sage Controle Patrimonial para o Sage Fiscal. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento do qual importará os bens. Os campos Bem, Descrição, Marca, Identificação, Departamento, Setor e Seção são filtros para a importação dos dados. Após definir os campos acima clique no botão OK e em seguida no botão Importar. Os bens serão importados, porém o campo Código e Ano deverão ser informados pelo usuário Genéricos Os cadastros deste menu são compartilhados com todas as empresas do Sage Fiscal. Exemplo: Ao cadastrar um emitente/destinatário todas as empresas terão acesso ao mesmo cadastro, não sendo necessário o recadastro de clientes/fornecedores comuns entre elas. O mesmo ocorre para todas as rotinas que estiverem dentro do menu Genéricos.

68 Operações Contábeis Definem como serão efetuados os lançamentos contábeis. As operações contábeis são utilizadas na contabilização das notas de entrada, notas de saída e conhecimento de frete, onde a operação contábil é sugerida de acordo com os parâmetros do estabelecimento, não sendo permitido ao usuário alterar. As operações contábeis a serem utilizadas estão gravadas na Matriz de Contabilização, em Cadastros/ Empresas/ Parâmetros/ Contabilização/ Integração/ Parâmetros, no botão Matriz de Contabilização. Caso seja necessário, o usuário pode cadastrar novas operações contábeis utilizando códigos a partir de 501. Código: Campo destinado ao cadastro do código de novas operações contábeis. Já estão pré-cadastradas 48 operações. Utilize códigos a partir de 501 para efetuar novos cadastros. Descrição: Inclua uma descrição resumida para a operação, com até 50 caracteres. Exemplo: Contabilização de notas de entrada Parâmetros: Expliquem quais serão as regras deste lançamento. Exemplo: Lançamento sem exclusão de ICMS ou IPI, e sem apropriação de impostos.

69 Contabilização: Explique como será a contabilização deste lançamento Exemplo: Débito na conta informada em CFOP/classificação pelo valor da nota; Crédito no fornecedor pelo valor da nota No quadro Situação, escolha uma das opções. Uma operação contábil pode ser composta por vários lançamentos. Para visualizá-los clique no botão Lançamentos. Sugestão para o cadastro de uma nova operação contábil: Localize uma operação similar já existente no sistema e informe o código; Clique no botão Copiar; Clique no botão Novo; Informe um código a partir de 501; Clique no botão Colar; Clique no botão Lançamentos; Clique no botão Importar e informe de qual operação importará os lançamentos;

70 lançamentos. Efetue as alterações necessárias. Você poderá alterar um lançamento, excluir ou incluir Clique no botão Gravar e em seguida no botão Sair. Clique no botão Gravar da tela Operações Contábeis.

71 A nova Operação Contábil está cadastrada. Caso deseje torná-la padrão informe na Matriz de Contabilização em Cadastros/Empresas/Parâmetros/Contabilização/Integração.

72 Municípios Armazena os municípios para informação nos cadastros de emitentes e destinatários.

73 UF: Selecione a sigla do Estado (Unidade da Federação) onde está o município. Código: Informe um código numérico para o cadastro com até 7 dígitos. Código no IBGE: Selecione o código. Nome: Informe o nome do Município. Código no SIAFI: Selecione o código. Código no Estado: Informe o código do município conforme número atribuído pelo Estado. Para ter acesso a tabela oficial dos códigos dos municípios, acesse o site da Secretaria da Fazenda do Estado, ou verifique as tabelas constantes nos programas validadores estaduais (Ex.: DFC) Emitentes/Destinatários Contém os emitentes (fornecedores) e destinatários (clientes) a serem utilizados nos lançamentos de notas fiscais de entrada ou saída. Este cadastro é único, sendo que um determinado registro pode ser utilizado tanto como emitente ou destinatário de notas fiscais. É também genérico, ou seja, uma vez gerado um registro, este estará disponível para todos os estabelecimentos. Para emitir a listagem deste cadastro acesse o menu Relatórios/Legais/Emitentes/Destinatários.

74 Código: Informe um código numérico de cadastro (F12). CNPJ/CPF: Informe número do Código Nacional de Pessoas Jurídicas/Cadastro Pessoa Física, sem pontos, traços ou espaços em branco. O sistema formata o campo de acordo com o digitado (CNPJ ou CPF). Caso o emitente ou destinatário não possua CNPJ, informe 14 zeros ( ). A validade do código digitado será verificada. Caso acuse CNPJ inválido consulte o número digitado através do site do SINTEGRA. É possível importar os dados cadastrais da empresa a partir do site da Receita Federal. Para isso, após informar o CNPJ clicar no ícone SF_Receita. Será aberta uma tela para informar os caracteres anti-robô. Ao confirmar, os principais dados cadastrais serão preenchidos automaticamente. Esta opção é válida somente para CNPJ. Razão: Informe a razão social do estabelecimento.

75 Fantasia: Informe o nome de fantasia do estabelecimento no caso de pessoa jurídica, ou o mesmo nome no caso de pessoa física. Esta informação será utilizada no histórico (juntamente com o número da nota fiscal) por ocasião da integração contábil dos lançamentos de notas. CEP: Informe o Código de Endereçamento Postal (com oito algarismos) específico da Rua, Avenida ou Bairro. É possível importar os dados de endereço (rua, bairro, cidade, UF, município) a partir do site dos Correios. Para isso, após informar o CEP clicar no ícone consulta CEP. Automaticamente os dados serão importados. Endereço: Informe o nome da Rua, Avenida, Travessa, etc. Número: Informe o número da Casa, Lote, Quadra, etc. Complemento: Informe o número do Bloco, Apartamento, Sala, etc. Bairro: Informe o nome do bairro. Cidade: Informe o nome da cidade. UF: Selecione a Unidade da Federação do Estado. Ou informe "EX" para cadastrar emitente/destinatário do exterior. País: Este campo será habilitado quando a UF for "EX". Para os estados brasileiros o sistema irá gravar automaticamente o código 1058(Brasil) para o código do país. Identificação Exterior: Informe uma identificação para este emitente/destinatário do exterior (EX: Nome do país ou nome da empresa). Essa informação é importante na importação de lançamentos de outros sistemas, já que o CNPJ sempre será o mesmo (zeros ou um), para poder distinguir um emitente/destinatário do exterior de outro. Este campo somente será habilitado quando a UF for igual a "EX". Telefone: Informe o código de discagem direta e o número do telefone. Produtor rural não inscrito: Utilizado na emissão da DFC, onde são separados os produtores inscritos dos não inscritos. Município: Selecione o código do Município deste Emitente/Destinatário. Inscrição Estadual: Informe o código de inscrição, conforme formato definido pela Receita Estadual de cada Estado. Se o estabelecimento não possuir inscrição, escreva neste campo a palavra "ISENTO". Caso a Inscrição Estadual seja inválida, consulte o site do SINTEGRA.

76 Inscrição Municipal: Informe o código de inscrição, conforme formato definido pelo Município. Essa informação é necessária somente para alguns municípios, não sendo um campo de digitação obrigatória para todos os usuários. Suframa: Informe o código do Suframa completando com zeros ou brancos os espaços restantes. Ex.: A Natureza Jurídica: Selecione a natureza jurídica. Seguem as opções: Simples Nacional: selecione se é ou não optante do Simples Nacional ou MEI. Essa informação é utilizada na Geração do Arquivo das NFTS(Nota Fiscal Eletrônica do Tomador/Intermediário de Serviços). No quadro Situação, escolha uma das opções. Cadastrar no plano de contas como: Marque uma das opções, sendo Cliente, Fornecedor ou Ambos. Essa opção possibilita a inclusão automática das contas de clientes e fornecedores no plano de contas da empresa, de acordo com o parâmetro Cadastrar contas de clientes/fornecedores automaticamente no plano de contas, disponível no Cadastro da Empresa, na guia Parâmetros/Contabilização/ Integração. Produtor rural não inscrito: Selecionar a opção se for produtor rural Cooperativa de trabalho: Selecionar a opção se a empresa for cooperativa Tipos de lançamento Possibilita a parametrização da tela de lançamentos de notas fiscais, evitando a digitação desnecessária de dados repetitivos e desabilitando os campos que não são utilizados. Por ser um cadastro genérico pode ser criado ou alterado em qualquer estabelecimento, valendo para todas as demais. Alguns tipos de lançamento já estão cadastrados, podendo ser alterados se assim o desejar. Pode-se cadastrar tipos de lançamentos específicos para notas de entradas, notas de saídas, serviços, conhecimento de frete, etc., agilizando ao máximo o lançamento das notas.

77 Código: Informe um código de cadastro, campo numérico. Descrição: Informe uma descrição a fim de identificar o tipo de lançamento. No quadro Opções de Lançamento, parametrize a forma como serão solicitados alguns campos durante o lançamento. Branco: Após a confirmação o conteúdo do campo é limpo para o lançamento seguinte. Repete: O conteúdo do campo será repetido no lançamento seguinte, evitando ter que redigitá-lo. Não pede: O campo é desabilitado e o cursor pulará este campo, agilizando os lançamentos. Incrementa: No lançamento seguinte será acrescentado 1(um) ao número digitado anteriormente.

78 Está disponível somente para o número da nota fiscal e pode ser utilizado para o lançamento de várias notas em sequência numérica. No quadro Solicitação Opcional, marque os itens que deverão obrigatoriamente ser pedidos durante o lançamento, o cursor será posicionado nestes campos, mesmo que o seu conteúdo seja automaticamente calculado. A maioria dos valores são calculados e apresentados na tela logo após a informação do valor contábil e valor do IPI. Pode-se então movimentar o cursor para este campo na tela ou clicar direto no botão OK, dependendo do tipo de lançamento. Entretanto, mesmo que se tenha optado por não pedir determinado valor, este poderá ser alterado. Para tanto basta mover o mouse e posicionar o cursor sobre o campo desejado, mesmo que o nome do campo esteja desabilitado (em cinza claro). Os itens constantes deste quadro são: Somente serviço: Informe se a nota fiscal é somente de serviço (para tributação exclusiva pelo ISS). Não deve estar marcado se o tipo de lançamento for utilizado para notas fiscais de mercadorias e serviços. Ao marcar este campo, outros itens desta rotina serão desabilitados, uma vez que não serão necessários no lançamento. Pedir informações de ICMS: Marque este campo caso deseje que os valores de ICMS, Isentas e Outras sejam solicitados durante o lançamento. Pedir informações de IPI: Marque este campo caso deseje que os valores de IPI (base de cálculo, valor, isentas e outras) sejam solicitados durante o lançamento. Pedir Valor de IPI: Marque para habilitar o campo Valor do IPI que fica logo abaixo do Valor Contábil. Será utilizado somente pelas estabelecimentos contribuintes do IPI. Pedir informações de Contribuições/Impostos: Marque para habilitar os campos de base de cálculo do PIS, COFINS, CSLL e IRPJ. Estes valores são automaticamente calculados, baseado nos percentuais para a base de cálculo destes tributos informadas nos parâmetros do estabelecimento, que são aplicadas sobre o valor contábil da nota excluindo-se o valor do IPI. Pedir informações de Serviço: Marque este campo caso deseje que sejam solicitados valores referentes a serviços sujeitos ao ISS. Neste caso serão solicitados o valor do serviço, a alíquota de ISS (apresentando como padrão a alíquota informada nos parâmetros do estabelecimento), o valor do ISS, Valores isentos de ISS, Valores de Materiais, Valores de Subempreitadas e os valores dos tributos retidos (PIS, COFINS, CSLL, IRRF, INSS e FUNRURAL). Pedir informações de Substituição Tributária: Informe se deseja que sejam solicitados valores referentes à substituição tributária (não calculado automaticamente pelo

79 sistema). Neste caso serão solicitados os valores referentes a base de cálculo, valor de mercadorias, e imposto retido. Pedir informações de Mercadorias Diferidas: Semelhante a substituição tributária, este campo não será calculado pelo sistema. Pedir Observações: Marque este campo caso deseje que seja solicitado o campo de observações em cada lançamento. Pedir Complemento: Marque para habilitar a guia Complemento que contém informações sobre o frete, Dados para Geração do DCP e Valores Extras para Contabilização. Pedir Itens da Nota: Marque caso deseje lançar os itens (produtos) da nota fiscal. Excluir IPI dos Valores de ICMS: Informe se ao calcular os valores de ICMS (base de cálculo, isentas e outras) deve ser subtraído do valor contábil da nota fiscal o valor do IPI. Pedir Informações de Retenções (Bases): Marque para habilitar os campos relacionados as bases de cálculo dos tributos retidos, lançados na guia Bases. Pedir Informações do Simples Nacional: Marque para habilitar a guia Simples Nacional, durante os lançamentos das notas fiscais. Essa guia somente será habilitada se a empresa for optante pelo Simples Nacional. Marcar como Nota à Vista: Marque esta opção para otimizar a digitação de Notas Fiscais à vista nos lançamentos. A opção "Nota à vista" fica preenchida, sem que o usuário precise marcar a cada lançamento. Percentual para base de cálculo do ICMS: Informe o percentual para formação da base de cálculo do ICMS, a ser aplicado sobre o valor contábil da nota. Para tributação total, informe 100%. Para notas sem base de cálculo informe 0%. Para notas com redução de base de cálculo informe a diferença entre o percentual a reduzir e 100% (Ex: para notas com redução de 20%, informe neste campo o valor 80%). No quadro Diferença entre Base ICMS/Valor Contábil : Informe se a diferença entre o valor contábil da nota fiscal e a base de cálculo do ICMS deverá ser lançado no campo de isentas de ICMS ou outras de ICMS. No quadro Frete: Selecione uma das opções: Sem cobrança de frete Por conta do Remetente (CIF) Por conta do Destinatário (FOB) Por conta do Emitente

80 Por conta de Terceiros De acordo com a opção selecionada, a mesma será apresentada nas telas de Lançamentos. No quadro Situação, escolha uma das opções Variações da Natureza Nesta rotina podem ser cadastradas as variações de incidências dos tributos sobre as Naturezas de Operação (CFOP). Útil quando a mesma natureza de operação possui incidências diferenciadas conforme as opções de regimes de tributações das empresas e tipos de operações. Ao lançar as notas fiscais o usuário informará o código de variação para cada CFOP. No cadastro da Natureza de Operação será vinculada a Variação da Natureza e definidas as incidências dos impostos para cada variação. variações. Código: Informe um código numérico para o cadastro. Podem ser cadastradas até 99 Descrição: Atribua um nome para identificar a variação da natureza.

81 Nota: A Variação 01 (Geral) é a padrão do sistema e será sugerida inicialmente nos lançamentos de notas. O sistema trará também cadastrada a Variação "Transferência de Receita SIMPLES", que deverá ser usada nos lançamentos de transferência de receita de empresas do SIMPLES PR, com Natureza de Operação Natureza de Operação Contém a tabela dos Códigos Fiscais de Operações (CFOP), também conhecidas como Natureza de Operação. Acompanha o sistema todas as naturezas em vigor até 2002 e a partir de 2003, bem como a variação 01 (Geral) com as incidências de tributos mais comuns. Através deste cadastro poderá ser vinculado uma ou mais Variações para o mesmo CFOP.

82 Natureza: Código: Informe o código fiscal da Natureza de Operação sem pontos ou traços. Campo numérico com 3 dígitos para os códigos fiscais até 2002 e 4 dígitos a partir de Descrição: Informe a descrição da natureza, com 02 linhas de 50 caracteres cada. Alterações na descrição só devem ser feitas através de determinações legais. Para cadastrar as variações utilize a rotina Variações da Natureza. Variação: Selecione o código de variação para informar as incidências. A variação 01 (Geral) já vem cadastrada e será sugerida no momento dos lançamentos. Um CFOP poderá ter várias incidências, sendo definido pelo usuário qual a variação que utilizará ao efetuar o lançamento da nota. Tributação pelo Simples Nacional: Será automaticamente gerada uma opção padrão para cada CFOP/Variação cadastrada no sistema, conforme as características do CFOP,

83 podendo ser alteradas pelo usuário se necessário. Lei Complementar nº 123/2006 (art. 18, 4º). Incidências de Impostos: Defina as incidências dos impostos para cada CFOP. As incidências servirão para formação das bases de cálculo dos tributos e contribuições. Marque o campo correspondente para definir se a variação associada a natureza de operação gerará base de cálculo para o imposto ou deixe em branco para não incidir. Opções: Integra cálculos do CIAP: Caso afirmativo os valores lançados serão considerados para o Cálculo Mensal de Créditos do Ativo Permanente (CIAP), sendo então utilizado o Valor Contábil da NF e o Valor de Isentas de ICMS. Considerar na geração do Sinco Simplificado: Marque se desejar que a natureza de operação seja considerada na geração de arquivo para o Sinco Simplificado, solicitado pelo fiscal. Integra Faturamento: Esta opção é utilizada para a emissão da Declaração de Faturamento, sendo que apenas os lançamentos realizados para as naturezas que possuem esta opção marcada é que serão considerados na declaração. Zerar crédito de ICMS ao importar XML/DANFe: Com esta opção marcada, ao importar nota fiscal de entrada, por arquivo XML ou pelo DANFe, será zerado o valor do ICMS para itens que estejam com este CFOP, não gerando o crédito para a empresa. Neste caso, ao importar as notas, se o CST do item gerar crédito (00, 100 ou 200), o sistema automaticamente gravará este item com CST 90, sem valor de base de ICMS, gerando este valor em Outras. Zerar crédito de IPI ao importar XML/DANFe: Com esta opção marcada, ao importar nota fiscal de entrada, por arquivo XML ou pelo DANFe, o valor do IPI da nota será gravado como "IPI não creditado", se o CFOP de algum dos itens estiver com esta opção marcada. Esta opção deve ser utilizada por empresa que é contribuinte de IPI, mas que a destinação da compra não gera direito a crédito.

84 Pagamento: Marcar se para o CFOP ocorre o pagamento da nota. Se sim, marcar a opção "À vista/à prazo. Se não, marcar a opção "Sem pagamento". Se for à vista ou à prazo, no lançamento da nota fiscal será marcado automaticamente conforme definido no Tipo de Lançamento. Ou ainda, pode ser marcado diretamente na tela de lançamento da nota fiscal. Se for sem pagamento, será marcado automaticamente no lançamento da nota fiscal. Informações referentes ao PIS/COFINS: CST PIS/COFINS: De acordo com a operação (entrada/saída), serão disponibilizados os códigos de Situação Tributária. Esta informação será utilizada no lançamento e na importação de notas fiscais. No caso de entradas, será considerado este CST somente se a empresa for do regime não cumulativo. Se for cumulativo, não será considerado este CST e sim fixo 70. Operação: Campo habilitado somente para CFOP de saída e para CST 04 a 09, sendo que para CST 07 a 09 o campo é de preenchimento obrigatório. A operação (saída/entrada) será marcada automaticamente de acordo com a Natureza da operação. Se for CFOP de saída, será marcada automaticamente a primeira opção (Operação de Saída). Se for CFOP de entrada, será marcada automaticamente a opção "Operação de entrada com direito a crédito", permitindo alteração. Tributação com alíquotas diferenciadas Informar as alíquotas de PIS e COFINS, quando possuir alíquota diferente da informada nos parâmetros do estabelecimento. Estas alíquotas serão consideradas nos lançamentos e na importação de notas fiscais. Esta alíquota possui prioridade sobre a alíquota informada no cadastro do estabelecimento. Para CFOP de saída, estes campos serão válidos somente para CST igual a 2 e 3. Neste campo não devem ser informadas alíquotas 0,65 ou 1,65, para PIS nem 3,0 ou 7,6 para COFINS, pois essas já são as alíquotas normais, informadas nos parâmetros do estabelecimento. Prioridade a ser considerada nos lançamentos Definir se a prioridade para utilização do CST no lançamento e na importação de notas fiscais, será do cadastro do produto ou do cadastro do CFOP. Se marcada opção "CST cadastrado nos produtos", no lançamento e na importação de notas será considerado o CST informado no produto que está sendo lançado.

85 Se marcada a opção "CST cadastrado no CFOP/Variação", no lançamento e na importação de notas será considerado o CST do CFOP. Não gerar notas no SPED PIS/COFINS: Se marcada esta opção, as notas fiscais lançadas com este CFOP serão desconsideradas na geração do arquivo SPED PIS/COFINS. Neste caso, será considerado somente o CFOP principal, informado na aba Nota e não o CFOP dos itens. Será utilizado para operações bem específicas que não devem ser geradas, tais como: transferências, remessa para conserto, etc. Codificação Especial para o Rio Grande do Sul: Selecione os códigos para cada situação (F4). Estas informações serão utilizadas na geração de arquivo para a GIA-RS, nos anexos: II, VA, VB e VI. A codificação é vinculada a variação da natureza, podendo assim existir vários códigos para uma mesma natureza de operação. Quadro Contribuição Previdenciária sobre a Receita Bruta: as opções deste quadro serão utilizadas no cálculo da desoneração da folha, para gerar os valores no bloco P, do arquivo EFD Contribuições e importar os valores de receitas incentivadas e não incentivadas na rotina Informações Extras para SEFIP, do SFP. Todos os CFOP já estão com as opções previamente selecionadas, conforme determinado na Lei /2012, podendo ser alteradas em caso de entendimentos divergentes sobre a formação das receitas, bem como para separar receitas incentivadas e não incentivadas no mesmo CFOP, devendo nesse caso ser criadas variações diferentes. Para empresas cuja opção de origem das receitas nos parâmetros for de Fabricação de produtos incentivados (Indústria): Não se aplica: Os valores dos lançamentos com este CFOP serão desconsiderados no cálculo da desoneração.

86 Receita incentivada: Os valores dos lançamentos com este CFOP serão considerados como receita incentivada no cálculo da desoneração, desde que o NCM dos itens da nota faça parte do cadastro de produtos incentivados. Receita não incentivada: Os valores dos lançamentos com este CFOP serão considerados como receita não incentivada no cálculo da desoneração, mesmo que o NCM dos itens da nota faça parte do cadastro de produtos incentivados. Para empresas cuja opção de origem das receitas nos parâmetros for de Mercadorias/serviços sujeitos ao ICMS (Varejo): Não se aplica: Os valores dos lançamentos com este CFOP serão desconsiderados no cálculo da desoneração. Receita incentivada: Os valores dos lançamentos com este CFOP serão considerados como receita incentivada no cálculo da desoneração. Receita não incentivada: Os valores dos lançamentos com este CFOP serão considerados como receita não incentivada no cálculo da desoneração Especificações para Carta de Correção Permite a alteração dos campos constantes do corpo da Carta de Correção, emitida pelo sistema.

87 Código: Informe um código para o cadastro, podendo utilizar os códigos 01 a 36. Descrição: Informe a descrição da especificação, com até 30 caracteres. No quadro Situação, escolha uma das opções Alíquotas de Tributação ICMS Registra as alíquotas de Tributação de ICMS utilizadas pelos estabelecimentos do Escrita Fiscal.

88 UF Origem: Informe a sigla do estado do emissor (origem). UF Destino: Informe a sigla do estado do receptor (destino). Alíquota de ICMS: Informe o percentual ICMS utilizado nesta transação. Esta alíquota será apresentada no momento do lançamento de entrada/saída na faixa "A" de ICMS. No quadro Situação, escolha uma das opções. Ativo: transações com alíquotas que ainda estão em uso; Inativo: transações cadastradas no sistema que não estão mais em uso. As alíquotas marcadas como inativas não aparecerão mais nos lançamentos Bases Extras Tributáveis/Valores Extras Tributados Registra as operações adicionais que poderão somar ou subtrair as bases de cálculo dos tributos, bem como somar ou subtrair do valor final do tributo.

89 Código: Informe um código numérico, com até 3 dígitos. Descrição: Informe um nome que identifique a operação adicional. No quadro Tipo base/valor: Base: Sobre o valor lançado, será aplicada a alíquota de tributação do imposto. Este valor será somado ou subtraído da base de cálculo do tributo. Valor: O valor lançado será somado ou subtraído do valor final do tributo. No quadro Operações na base de cálculo /valor tributável, selecione uma das opções: Somar: O valor lançado será somado a base de cálculo ou ao valor final do tributo. Será considerado como valor devedor de tributo. Subtrair: O valor lançado será subtraído da base de cálculo ou do valor final do tributo. Será considerado como valor credor de tributo.

90 Tributação para o Simples Nacional: Selecione o grupo/tipo de atividade ao qual se enquadra esta base tributável, conforme relação de atividades admitidas no Simples Nacional, Resolução CGSN nº 4/2007 (art. 12, 3º). Tipo de Crédito para DACON: Escolha uma das opções: Integra Faturamento: Marcando esta opção, o valor da base extra tributável será considerado no relatório Declaração de Faturamento. Selecione as incidências da operação. Conforme o tributo selecionado para incidência, é habilitado para que seja informado o percentual para base de cálculo, ou seja, sobre o valor total lançado para a base extra tributável, ao calcular o tributo será considera o percentual definido neste campo. No quadro Situação, escolha uma das opções. O quadro Informações para EFD Contribuições será habilitado se estiver marcada incidência de PIS e/ou COFINS. Estes dados serão utilizados para a geração do arquivo EFD Contribuições.

91 Se a Operação da base/valor for igual a subtrair, serão habilitados os campos do quadro "Informações do Crédito". Origem do Crédito Natureza do Crédito CST PIS/COFINS Se a Operação da base/valor for igual a somar, será habilitado o campo do quadro "Informações do Débito". CST PIS/COFINS Produto: Habilitado somente para CST 2 a 9 Alíquota de PIS: Preenchido automaticamente, somente para CST 2 e 3 Alíquota de COFINS: Preenchido automaticamente, somente para CST 2 e 3 O quadro Regime de Tributação será habilitado somente se a empresa estiver parametrizada como regime cumulativo e não-cumulativo simultaneamente e se o CST PIS/COFINS de saída for igual a 1. Neste quadro, deve ser definido para a base/valor qual é o regime, entre cumulativo e não-cumulativo. O quadro Instituições Financeiras será habilitado somente se o estabelecimento estiver parametrizado como instituição financeira. Neste quadro, para cada base extra tributável utilizada para efetuar lançamentos, devem ser informados os dados da Atividade, da Receita e do Detalhamento. Cliente/Fornecedor: Informe o código ou CNPJ do cliente/fornecedor, ou efetue a pesquisa teclando F4. Pode ser preenchido tanto para operações a débito como a crédito. A informação deste campo será utilizada nas telas de lançamento de bases e valores Valor da UPF Esta rotina terá como finalidade criar o novo cadastro de valores das UPFS e será utilizada para os Estabelecimentos de RS.

92 Os valores das UPFS são utilizados para o cálculo da atualização monetária do saldo credor anterior, quando este saldo é transportado de um ano para o outro. O cálculo desta atualização é realizado na Apuração de Tributos e na emissão do Livro de Apuração do ICMS. Sendo que, quando zerado o valor para o ano em que deverá ocorrer a atualização, o cálculo não é realizado. Ano: Informe o ano. Valor da UPF: Informe o valor da UPF. Essa rotina só será habilitada no menu Cadastro/ Genéricos, quando o Estabelecimento estiver cadastrado com Estado de RS Administradora de Cartões Nesta rotina devem ser cadastradas as empresas administradoras de cartões. Estes cadastros serão utilizados no lançamento dos recebimentos, para apuração dos tributos federais pelo regime de caixa e geração da EFD Contribuições do Lucro Presumido e na geração do SPED Fiscal.

93 Código: Informar o código do cadastro que deseja inserir ou consultar. Razão Social: Informar o nome da empresa administradora de cartões CNPJ: Informar o número do Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica da empresa administradora de cartões. CEP: Informe o Código de Endereçamento Postal (com oito algarismos) específico da Rua, Avenida ou Bairro. É possível importar os dados de endereço (rua, bairro, cidade, UF, município) a partir do site dos Correios. Para isso, após informar o CEP clicar no ícone dados serão importados.. Automaticamente os Códigos de Ajuste SPED Nesta rotina estão cadastradas as tabela de Códigos de Ajustes da Apuração do ICMS, do SPED Fiscal. As tabelas já estarão automaticamente cadastradas e de tempos em tempos serão atualizadas pela EBS. Porém, se neste meio tempo for criado algum código novo, ou alterada alguma vigência, estas alterações poderão ser efetuadas na rotina, sem a necessidade de aguardar uma atualização do sistema. Por ela, é possível que sejam incluídos novos códigos, bem como, que sejam alteradas as vigências. Com isso, não será necessário atualizar o sistema sempre que houver alteração

94 em alguma tabela, possibilitando ao cliente o cadastro correto do detalhamento, sem ser necessário alterar no SPED, após importar o arquivo. Estes códigos serão utilizados em Tributos\ Detalhamento de ICMS/IPI e consequentemente na geração do arquivo SPED Fiscal. Ao digitar o código, na grid será efetuado o filtro, exibindo os códigos já cadastrados. Se digitada somente a UF, exibirá todos os códigos daquela UF. Isso facilita na consulta dos códigos para alteração. Para códigos que não possuem data final na vigência, deve ser informado em Data Final o dia 31/12/2100. clique. Para alterar um código já cadastrado, ele deve ser selecionado na grid através de duplo Quando houver nova vigência para um código já existente, deve-se primeiro alterar a vigência final do código anterior para o dia anterior ao início da nova vigência. Por exemplo: Na tabela já existia o código PR cadastrado com a vigência 01/07/2009 a 31/12/2100. Após, foi criada nova vigência para este mesmo código, iniciando em 25/07/2013.

95 Para efetuar este novo cadastro deve-se: Alterar a data final da vigência do registro anterior de 31/12/2100 para 24/07/2013. Cadastrar novamente o código com a nova vigência de 25/07/2013 a 31/12/2100. Ficará da seguinte forma: As tabelas estão disponíveis no site da Receita Federal do Brasil, em: Externas.aspx?CodSistema=SpedFiscal Tabelas EFD Contribuição Rotinas relacionadas ao cadastro de tabelas utilizadas na geração da EFD Contribuições. CST 02- Produtos Sujeitos a Incidência Monofásica Alíquotas Diferenciadas. CST 03- Produtos Sujeitos a Incidência Monifásica Alíquotas por Unidade de Medida. CST 04- Produtos Sujeitos a Incidência Monofásica Revenda a Alíquota Zero. CST 05- Produtos Sujeitos a Substituição Tributária da Contribuição Social. CST 06- Produtos Sujeitos a Alíquota Zero da Contribuição Social. CST 07- Produtos/Operações com Isenção da Contribuição Social. CST 08- Produtos/Operações sem Isenção da Contribuição Social. CST 09- Produtos/Operações com Suspensão da Contribuição Social. Nesta rotina pode ser efetuada manutenção da tabela, para possibilitar a informação de produtos/operações com tributação diferenciada para PIS/COFINS, quando houver alteração nas tabelas disponibilizadas pela RFB. Estes produtos serão sempre atualizados de acordo com as tabelas constantes do PVA da EFD Contribuições a cada nova liberação de versão. Entretanto, se houver necessidade de inclusão ou exclusão de algum código antes da liberação da versão, o usuário poderá fazê-lo Produtos incentivados

96 Nesta rotina serão cadastrados, automaticamente, os produtos incentivados pela Lei /2011, conforme a Tabela de Códigos de Atividades, das orientações para geração do arquivo EFD Contribuições. Estas informações serão utilizadas para geração do bloco P, do arquivo EFD Contribuições e para exportação das receitas para a rotina Informações Extras para SEFIP, no SFP. Efetuar ajustes manuais nesta rotina somente se solicitado, pois estas poderão ocasionar divergências na geração do arquivo e na apuração do INSS sobre a Receita Bruta. Código: Informar preferencialmente o código do NCM inicial do intervalo que será incentivo. Data: Informar a data de início do incentivo para o intervalo do NCM, conforme determinado em lei. Descrição: Preenchimento opcional. NCM: O campo final será preenchido automaticamente, conforme o NCM informado no campo Código, ou conforme o NCM inicial. Quando o código inicial terminar em zeros os

97 mesmos serão substituídos pela mesma quantidade de 9, convertendo o cadastro em um intervalo, podendo ser alterado. Bruta. Alíquota: Informar a alíquota que será utilizada para o cálculo INSS sobre a Receita Tabela de CFOP para GIA/RS Os dados cadastrados nesta rotina serão utilizados na geração da GIA do Rio Grande do Sul, na informação de importâncias excluídas. Registro Anexo I.c Importâncias Excluídas/Ajustes do VA Detalhamento Registro Anexo V.c Importâncias Excluídas/Ajustes do VA Detalhamento Esta tabela já está preenchida conforme o arquivo fornecido pela SEFAZ, porém ela sofre constantes alterações. Neste caso, a manutenção pode ser efetuada manualmente, para que os valores de ICMS retido por substituição tributária e IPI seja considerado ou não como "Importâncias Excluídas/Ajustes do VA". Podem também ser excluídos os valores referentes a base de cálculo de ICMS, Isentas e Outras Contabilização As informações constantes nesta rotina serão utilizadas para a integração contábil. A rotina apresenta uma estrutura bastante flexível, possibilitando o cadastro simplificado, baseado apenas na natureza de operação, ou mais detalhado, utilizando os dois sub-níveis (classificação) por natureza de operação.

98 Natureza/Classificação Estas informações serão utilizadas para a integração contábil. Apresenta uma estrutura bastante flexível, possibilitando o cadastro simplificado, baseado apenas na natureza de operação, ou mais detalhado, utilizando os dois sub-níveis (classificação) por natureza de operação. As contas contábeis podem ser informadas em qualquer nível de cadastramento. Note a possibilidade de informação da conta contábil em qualquer nível (somente na natureza, natureza + classificação 1, natureza + classificação 1 + classificação 2). Ao efetuar o lançamento de notas fiscais, poderá também informar somente a natureza, para um lançamento simplificado, ou detalhar o lançamento nas classificações desejadas. Tipo de Contas Contábeis a serem cadastradas nesta rotina: Entradas Conta Débito (Exemplo: Compras, Estoques, Despesa, etc.). etc.). Saídas Conta Crédito (Exemplo: Receita com Vendas, Vendas à Vista, Vendas à Prazo,

99 Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. Nat. de Operação: Selecione a natureza de operação (CFOP) desejada. Classificação 1: Primeiro código de classificação, com até 2 dígitos. (opcional) Classificação 2: Segundo código de classificação, com até 2 dígitos. (opcional). Para utilizar a classificação 2 é necessário ter cadastrado primeiramente a classificação 1. size=3> Descrição: Nome para identificação desta operação. Não contabilizar esta operação: Se marcada esta opção, os campos "Conta" e "Contra Partida" serão desabilitados. Esta opção poderá variar de acordo com as classificações 1 e 2, uma classificação pode ser contabilizada e outra não. Conta: Código da conta reduzida para integração contábil. Contra Partida: Este campo será obrigatório para informação do código da conta reduzida para integração contábil, quando a opção Conta Fixa for selecionada no quadro Contra Partida. No quadro Contra Partida, defina se o lançamento de contra partida será feita no:

100 Centro de Custo: Habilitado somente se a empresa estiver parametrizada para contabilizar por centro de custo. Se informado o centro de custo para o CFOP/Classificação, este centro de custo será utilizado automaticamente no lançamento de notas fiscais, na aba Contabilização, permitindo alterações. Este centro de custo será utilizado também, automaticamente, nas rotinas de importação de lançamentos Emitentes/Destinatários (Cliente/Fornecedor) Estas informações serão utilizadas para a integração contábil. Como o cadastro de emitentes e destinatários é genérico, ou seja, serve para todos os estabelecimentos. Caso não estejam informadas, o usuário será alertado durante o lançamento. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. Emitente/Destinatário: Selecione o emitente ou destinatário. No quadro Emitente: Informe o Código reduzido da conta contábil. No quadro Destinatário: Informe o Código reduzido da conta contábil. Tipo de Contas Contábeis a serem cadastradas nesta rotina: Fornecedores Conta Crédito (Exemplo: Fornecedores, Dupl. a Pagar, etc.). Clientes Conta Débito (Exemplo: Clientes, Dupl. a Receber, etc.) Caixa/Banco

101 Efetua o cadastro das contas de caixa e contas de banco que serão utilizadas na contabilização dos tributos. Estabelecimento: O sistema traz automático o estabelecimento selecionado na Barra de Atalhos, ou selecione o estabelecimento. Código: Informe o código para a conta ou banco. Descrição: Informe a descrição da conta ou banco. Conta: Selecione a conta correspondente do plano de contas Apropriação de Impostos Cadastre as contas contábeis para a integração referente a apropriação de impostos. Possui duas opções: Apropriação de Impostos Geral: Manutenção de contas que serão utilizadas para a contabilização de qualquer natureza de operação constante nos lançamentos de notas fiscais de entrada e saída. Importante: Durante a integração contábil serão utilizadas as contas informadas para apropriação geral, exceto para as naturezas cadastradas com contas específicas em Contabilização/ Apropriação de Impostos/ Natureza de Operação.

102 Apropriação por Natureza de Operação: Utilizada para a contabilização dos lançamentos referentes ao ICMS de uma natureza de operação específica, comum quando se tem contas detalhadas de resultado com ICMS. Um exemplo comum é a contabilização de notas de devolução de compra, que apesar de ser uma saída, pode ter seu valor de ICMS gerado em conta distinta dos demais valores de saída. As contas deverão ser informadas com até 07 dígitos, incluindo o dígito verificador. Tipo de Contas Contábeis a serem cadastradas nesta rotina: Natureza Operação Entradas: ICMS das Entradas (crédito) contra partida de ICMS a Recuperar Natureza Operação Saídas: ICMS das Saídas (débito) contra partida de ICMS a Recolher. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento.

103 Natureza de Operação: Código na natureza de operação (CFOP). Classificação 1: Primeiro código de classificação com até 2 dígitos. Esta informação é obrigatória para que os próximos campos de cadastro sejam habilitados. Caso não queira criar classificações, informe o número zero. Classificação 2: Segundo código de classificação com até 2 dígitos (opcional). Para utilizar a classificação 2 é necessário ter cadastrado primeiramente a classificação 1. Esta informação é obrigatória para que os próximos campos de cadastro sejam habilitados. Caso não queira criar classificações, informe o número zero. ICMS das Entradas / Saídas: Informe o código reduzido da conta contábil, para contabilização do valor de ICMS das entradas ou saídas, conforme a natureza de operação. Nota: Durante a integração contábil serão utilizadas as contas informadas para apropriação geral, exceto para as naturezas cadastradas com contas específicas Prestação de Serviços Rotinas relacionadas a prestação de serviços Itens de Serviço Registra os serviços prestados, a serem informados nos lançamentos de notas fiscais de entrada e saída de serviço, bem como a apuração, recolhimento e contabilização do ISS. É obrigatório o cadastro de pelo menos 1(um) código de serviço. Código: Informe um código para o cadastro, com até 4 dígitos. Ao efetuar o lançamento da nota fiscal de serviço, será automaticamente informado como padrão o menor código de serviço cadastrado. Portanto, caso a empresa preste mais que um tipo de serviço, é importante que o menor código seja referente ao serviço mais usualmente prestado, ou seja, o que conterá o maior número de lançamentos.

104 Descrição: Informe o nome do serviço a ser cadastrado. Tributação pelo Simples Nacional: Selecione o grupo/tipo de serviço ao qual pertence este item, conforme relação de atividades admitidas no Simples Nacional, Resolução CGSN nº 4/2007 (art. 12, 3º). Clique aqui para consultar os tipos de serviços. Serviço para o Simples Nacional: Esse campo trará para seleção dados de acordo com a opção selecionada no campo "Tributação pelo Simples Nacional", e servirá apenas para auxiliar o usuário na definição do tipo de tributação. Alíquota ISS: Informe a alíquota de tributação de ISS a que esse serviço está usualmente sujeito. Essa alíquota será apresentada como padrão no momento do lançamento da nota, podendo ser alterada se necessário. Codificação Municipal: Informe, se for o caso, o código pelo qual esse serviço é identificado junto à Prefeitura Municipal, para qual deverá ser recolhido o ISS (município onde a empresa está sediada). Essa informação será utilizada no caso de uma eventual prestação de informações ao município através de arquivo magnético. No quadro Situação, escolha uma das opções. No quadro Código da Receita para Emissão do DARF: Informe o código de receita, caso para o serviço tomado, o recolhimento do IRRF seja efetuado em código específico. Se este campo não for preenchido, será considerado o código da Receita informado no cadastro do Estabelecimento. No quadro Código LC 116/2003: Grupo: Selecione o grupo a que se refere esse serviço, de acordo com a tabela especificada na Lei Complementar 116/2003. Serviço: Selecione o tipo a que se refere esse serviço, de acordo com a tabela especificada na Lei Complementar 116/2003. No quadro Contabilização:

105 Conta de receita: Informe a conta de Receita de Prestação de Serviços (notas de saída), do Plano de Contas, para a contabilização das notas fiscais. (F12) Conta de despesa: Informe a conta de Despesa com Prestação de Serviços (notas de entrada), do Plano de Contas, para a contabilização das notas fiscais. (F12) No quadro Tipo de Serviço: Código: Informe o código para este serviço conforme tabela fornecida pelo município. Para alguns municípios este código é a situação tributária do serviço. Esta informação é de extrema importância na geração de arquivos para os municípios. Devido no local da prestação: Marque para os casos em que o ISS é pago no local da Prestação do Serviço. O ISS é normalmente devido ao município do estabelecimento do prestador do serviço, mas em algumas situações pode ser devido no local da prestação do serviço (outro município que não o da sede). Informe nesse campo se esse serviço se enquadra nesse requisito. Esse campo virá previamente preenchido, de acordo com o Grupo e Serviço atribuído de acordo com a LC 116/2003, podendo ser alterado ser for o caso. Por ocasião do lançamento da nota fiscal, a opção cadastrada nesse campo será apresentada como default, podendo ser alterada para cada nota fiscal. No caso de serviço a recolhimento no local da prestação, será também solicitado durante o lançamento o Estado e Código do Município para o qual deverá ser efetuado o recolhimento. Sujeito a retenção pelo tomador: Marque para os casos de ISS retido antecipadamente. O ISS é normalmente devido pelo prestador do serviço, mas há algumas prefeituras que atribuem ao tomador a responsabilidade sobre a retenção e recolhimento desse imposto. Informe nesse campo se esse serviço se enquadra nesse requisito. Esse campo virá previamente preenchido, de acordo com o Grupo e Serviço atribuído de acordo com a LC 116/2003, podendo ser alterado se for o caso.

106 Por ocasião do lançamento da nota fiscal, a opção cadastrada nesse campo será apresentada como default (padrão), podendo ser alterada para cada nota fiscal. No quadro Percentual de redução da base de cálculo de ISS: Serviços prestados: Informe o percentual a ser aplicado sobre o valor do serviço prestado, no momento do lançamento da Nota Fiscal Serviços tomados: Informe o percentual a ser aplicado sobre o valor do serviço tomado, no momento do lançamento da Nota Fiscal. No quadro Utilização do serviço: Selecione uma das opções de acordo com a utilização deste cadastro, se para serviços prestados, para serviços tomados ou se para ambos. Quadro Informações referentes ao PIS/COFINS CST Serviços Tomados: selecione o código da situação tributária para o serviço tomado. CST Serviços Prestados: selecione o código da situação tributária para o serviço prestado. Operação: selecione o código da operação. Este campo somente será habilitado se informado CST de Serviços Prestados 7, 8 ou 9. Quadro 'Regime de Tributação': Selecione o regime de tributação correspondente a operação. Se cumulativo ou não cumulativo. Habilitado somente para CST 01. Contribuição Previdenciária sobre a Receita Bruta: as opções deste quadro serão utilizadas no cálculo da desoneração da folha, para gerar os valores no bloco P, do arquivo EFD Contribuições e importar os valores de receitas incentivadas e não incentivadas na rotina Informações Extras para SEFIP, do SFP. As opções serão habilitadas somente para empresas cuja opção de origem das receitas nos parâmetros seja de serviços prestados sujeitos ao ISS: Não se aplica: Os valores dos lançamentos com este item de serviço serão desconsiderados no cálculo da desoneração. Receita incentivada: Os valores dos lançamentos com este item de serviço serão considerados como receita incentivada no cálculo da desoneração. Marcando esta opção, será habilitado o campo Código para a EFD. Neste campo deve ser informado o código de receita para a EFD Contribuições (SPED Pis/Cofins). A lista de códigos de atividades sujeitas a desoneração pode ser verificada no site da Receita Federal, em

107 codigos/tabelas-de-codigos_previdenciaria.htm, tabela Contribuição Previdenciária sobre a Receita Bruta - Códigos de Atividades. Receita não incentivada: Os valores dos lançamentos com este item de serviço serão considerados como receita não incentivada no cálculo da desoneração. No quadro Sujeito a Retenção de Tributos Federais: Selecione os tributos que devem ser retidos para o item de serviço. Tipo de Serviço para esocial: Selecionar o tipo correspondente entre as opções disponíveis. Importante: No momento do lançamento, é necessário passar pelo campo Valor de Serviço para que seja calculado o valor de redução na base de cálculo do ISS. Para os lançamentos já gravados, o sistema não tratará de modo automático o cálculo do percentual de redução informado no cadastro do item de serviço, caso haja alterações no lançamento Código Fiscal Efetue o cadastro do Código Fiscal de Prestação de Serviço (CFPS) de acordo com o Município. Este código será solicitado na tela de lançamentos, na guia Serviços e será utilizado na emissão do Livro de ISS.

108 Código: Informe o código pelo qual o CFPS será identificado no Sage Fiscal. Código Municipal: Informe o CFPS determinado para o município. Descrição: Informe uma breve descrição do CFPS. Descrição Detalhada: Informe a descrição detalhada do CFPS. Natureza: Determine se o CFPS poderá ser utilizado nos lançamentos de entrada, saídas ou em ambos os tipos de lançamento. Município de Florianópolis Os Códigos Fiscais de Prestação de Serviço (CFPS) e o Código de Situação Tributária (CST) para o município de Florianópolis podem ser alimentados automaticamente através da rotina Utilitários/ Rotinas Específicas/ Gera CFPS e CST. A rotina Gera CFPS e CST também irá gerar os códigos de CFPS e CST nas notas ficais já lançadas, de entrada e saída, com valor de serviço, de acordo com as características de cada nota. Recomendamos que após executar a rotina os códigos sejam conferidos e, ser for o caso, alterados manualmente. Em seguida o Livro de ISS poderá ser emitido em Relatórios/ Legais/ Livro de ISS/ Florianópolis. Para novas notas ficais lançadas após a geração da rotina de atualização, os códigos de CFPS e CST devem ser selecionados nos respectivos campos da aba serviços, na tela de lançamentos. A rotina Gera CFPS e CST não deve ser executada novamente! Situação Tributária Efetue o cadastro do Código de Situação Tributária (CST) de acordo com o município. Este código será solicitado na tela de lançamentos, na guia Serviços e será utilizado na emissão do Livro de ISS Observações nos Livros Fiscais

109 Registra informações adicionais sobre notas fiscais de Entrada ou Saída, independente do seu lançamento. As observações serão impressas no final do livro selecionado no momento da inclusão da mesma, podendo ser para os Relatórios Legais: Livro Registro de Entradas, Livro Registro de Saídas, Livro de Apuração de ICMS e/ou Livro de Apuração de IPI. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Livro Fiscal: Selecione o livro fiscal onde deverá ser apresentada esta observação. Data: Informe a data do registro no formato DD/MM/AAAA. fiscal. Observação: Registre as informações que deverão constar como observação no livro Sociedades em Conta de Participação Nesta rotina devem ser cadastradas as sociedades em conta de participação, para lançamento de valores e geração do SPED Contribuições.

110 Código: Informar um código para a sociedade que está sendo cadastrada. Este código será utilizado para lançamento de valores ou outras rotinas. Identificação: Informar um código (numérico) que identifique a sociedade. Não poderá ser lançada a mesma identificação para mais de um cadastro. Descrição: Informar a descrição do sociedade. Informação Complementar: Se houver registrar informações complementares da sociedade.

111 3. Lançamentos Rotinas que permitem o lançamento de notas fiscais de entrada, saída, serviço, cupom fiscal e conhecimento de frete. Conforme a parametrização dos cadastros de Tributação e Natureza de Operação serão gerados as bases de cálculo. Os valores apresentados pelo sistema podem ser alterados no momento do lançamento. A agilidade nos lançamentos dependerá do Tipo de Lançamento, em Cadastros/Genéricos. Para efetuar os lançamentos é necessário criar o Calendário, em Cadastros, para o mês e ano desejado Consulta de Lançamentos Poderá visualizar os lançamentos de Entrada, Saída/Serviços ou Frete efetuados. Será exibido na tabela abaixo o resultado da pesquisa, dê um duplo clique para ver os detalhes do lançamento. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento que deseja consultar. (F12) Listar notas não contabilizadas: Marcando essa opção serão retornados os lançamentos cuja opção Não contabilizar essa nota estiver selecionada. No quadro Nota Fiscal, clique na opção de nota desejada para pesquisa: Entrada, Saída ou Frete.

112 No quadro Pagamento, clique na opção de tipo de pagamento desejado para pesquisa: à vista, à prazo ou sem pagamento. Com as três opções marcadas, todas as notas serão listadas. No quadro Emissão, pode ser selecionado o tipo de emissão, entre Própria e Terceiros. Este quadro é habilitado apenas para notas de entrada. Com ambas opções marcadas, todas as notas serão listadas. Os campos Data de Lançamento, Nota Fiscal, Natureza de Operação, Natureza de Operação S.T, Classificação 1, Classificação 2, Emitente/Destinatário, Valor contábil e Nota Ref. Carga são filtros para a consulta. No botão Imprimir, é possível gerar um relatório com os mesmos dados consultados. No relatório listará os parâmetros utilizados e os lançamentos Notas de Entrada Nesta rotina serão efetuados os lançamentos das notas fiscais de entrada Aba Nota

113 Estabelecimento: Selecionar o código do estabelecimento que receberá os lançamentos. Mês/Ano: Informar o mês e ano de registro dos lançamentos, no formato MM/AAAA. Lançamento: Selecionar o Tipo de Lançamento desejado. O tipo de lançamento habilitará somente os campos parametrizados em seu cadastro, agilizando assim o processo de digitação. Podem ser cadastrados diversos tipos de lançamento, conforme o tipo de nota, tipo de empresa, etc. Dia do Lcto: Informar o dia de lançamento da nota fiscal, ou seja, o dia em que a empresa recebeu a nota fiscal. Esta data pode ser posterior a data de emissão da nota, visto que a mercadoria pode demorar para ser entregue. Esta data será considerada nos processamentos. Espécie: Informar a espécie do documento (NF, PDV, ECF, etc). Modelo: Informar o modelo do documento fiscal conforme convênio ICMS 57/95. Pode-se utilizar a tecla F4 ou F12 para pesquisar a lista de modelos disponíveis. Série: Informar a série do documento fiscal. Subsérie: Informar a subsérie do documento fiscal. NF: Informar o número da nota fiscal. Data de Emissão: Informar a data de emissão da nota fiscal, no formato DD/MM/AAAA. Emitente: Informar o código do emitente ou digite o número do CNPJ/CPF. (F4 ou F12) Nat. Operação: Selecionar o Código Fiscal de Operações (CFOP) referente a esta nota fiscal. (F4 ou F12) Campo numérico com 3 dígitos para os códigos fiscais até 2002 e 4 dígitos a partir de O sistema exibirá os CFOP s conforme o Mês e Ano de lançamento. Nota: Ao lado do campo Nat. Operação tem um campo em branco, neste devemos informar a variação da natureza de operação. (F4 ou F12) Inicialmente o sistema puxará como padrão sempre a variação 01. Consulte os tópicos Natureza de Operação e Variação da Natureza. Através destes cadastros são definidas as incidências dos impostos para a Natureza de Operação. Ao lado do campo Nat. Operação, caso o emitente informado no lançamento esteja cadastrado como optante do simples ou MEI, será exibida a informação 'Optante pelo Simples Nacional'.

114 Nat. Operação S.T.: Se a nota fiscal tiver substituição tributária, informar o CFOP de Substituição Tributária. (F12) ATENÇÃO: Nos campos Nat. Operação e Nat. Operação S.T., informar o CFOP preponderante da nota, ou seja, se a nota tiver além do CFOP normal e de ST, outro CFOP, este deve ser informado nos itens da nota. Classificação 1: Informar, se desejar o primeiro código de classificação para integração contábil. (F12) A conta contábil informada para a Natureza de Operação será ignorada. Classificação 2: Informar, se desejar o segundo código de classificação para integração contábil. A conta contábil informada para a Classificação 1 será ignorada. Complemento: Informar um texto que poderá ser utilizado na integração contábil. Para utilizá-lo, a Operação Contábil deve estar com o histórico parametrizado para utilizar este campo. Cada nota pode receber um texto distinto. Será utilizado tanto na contabilização on-line quanto por lote. Valor contábil: Informar o valor contábil da nota fiscal. Valor do Serviço: Este campo será habilitado para edição quando no Tipo de Lançamento (Cadastros/Genéricos/Tipos de Lançamento), estiver marcada a opção Pedir Informação de Serviços. Quando o tipo de lançamento for Somente Serviços, o campo não será habilitado para edição e será preenchido automaticamente no mesmo o valor contábil da nota. Quando no tipo de Lançamento não estiver marcada a opção de Pedir Informações de Serviço, o campo não será habilitado e estará preenchido com zeros. Valor do IPI: Informar, se for o caso, o valor do IPI da nota fiscal. Este campo será habilitado se no tipo do lançamento (cadastros/genéricos/tipos de lançamentos) estiver marcada a opção Pedir Valor de IPI. Valor do ICMS ST: Informar, se for o caso, o valor do ICMS ST da nota fiscal. Total de Descontos: Informar, se for o caso, o valor total de descontos da nota fiscal, seja desconto por item e/ou desconto global da nota. Frete: Informar, se for o caso, o valor do frete da nota fiscal. Despesas: Informar, se for o caso, o valor das despesas acessórias da nota fiscal. Seguro: Informar, se for o caso, o valor do seguro.

115 Total dos Produtos: Campo preenchido automaticamente com o valor dos produtos, que será: (valor contábil - serviço - IPI - ICMS ST + descontos - frete - despesas - seguro). OBSERVAÇÃO: Os valores informados nos campos Valor Contábil a Total dos Produtos, serão utilizados durante o lançamento, para composição das bases de cálculo dos tributos, inclusive para cálculo de rateio de frete, despesas e seguro, bem como, na composição do desconto global, informado na aba Complemento. No quadro Pagamento, será preenchido automaticamente pelo sistema de acordo com o cadastro do tipo de lançamento e da Natureza de operação, permitindo alteração. Nota: O campo Caixa/Banco só será habilitado quando a opção selecionada for À vista. No quadro Frete, marcar o tipo de frete: Sem cobrança de frete Por conta do Remetente: CIF (Cost Insurance & Freight) - Frete pago pelo Vendedor Por conta do Destinatário: FOB (Free on Board) - Frete pago pelo Comprador Por conta do Emitente Por conta de Terceiros O tipo de frete será marcado conforme parametrizado em Cadastros\ Genéricos\ Tipos de Lançamento, podendo ser alterado. Para os CFOPs 1.352, 2.352, 1.353, 2.353, ou 2.357, será selecionada a opção "Por conta do Remetente: CIF" Esta informação será utilizada para geração dos registros tipo 70 do SINTEGRA. Não contabilizar esta nota: Marcando essa opção o lançamento não será enviado para a contabilidade. Em Cadastros\ Contabilização\ Natureza/Classificação, é possível parametrizar no CFOP para que esta opção venha automaticamente marcada. No quadro Emissão da Nota, indicar se refere-se a emissão própria ou de terceiros. Esta informação será utilizada na geração de arquivos ao fisco, como por exemplo SPED Fiscal, SINTEGRA e SVA. No quadro Observações, informar quaisquer observações que julgue importante. Esta informação será considerada na emissão dos livros Itens Nesta aba devem ser informados todos os itens que compõe a nota fiscal.

116 Código/NCM: Selecione o código do item. (F12) Para cadastrar os itens acesse a rotina de Cadastros/Produtos. Novo: Permite realizar o cadastro de Itens através da tela de lançamentos. Unidade de Medida: Informe neste campo a unidade de comercialização do produto, ou seja, a unidade que consta da nota fiscal. No lançamento manual, o sistema traz automaticamente a unidade de quantificação do inventário, que está informada no cadastro do produto, devendo ser alterada conforme a unidade da nota. Quantidade: Quantidade total adquirida deste item. Valor Total: Informe o valor total deste item. Valor Unitário: Será calculado automaticamente após inseridos os valores de Quantidade e Valor Total do Item. Valor do Desconto: Informe o valor do desconto obtido para as notas de entrada ou o valor do desconto concedido para as notas de saída. Descrição Complementar: Informe uma descrição complementar para o produto, caso haja. Item Fisicamente Movimentado: Campo de informação obrigatória para o SINCO. Marcando esta opção, o sistema mandará a informação para o SINCO informando que o item

117 foi realmente movimentado, não marcando informará que o item não foi movimentado nesta nota fiscal. Lançamento dos Tributos: ICMS. ICMS Nesta aba devem ser informados os valores e demais dados relacionados ao Origem: Informe o código da origem da mercadoria, conforme tabela: Situação Tributaria: Informe o código CST conforme nota fiscal. É possível consultar as opções disponíveis no sistema utilizando F4 ou F12. Esta informação especifica o tratamento dado ao item, com relação a isenção, deferimentos, subst. tributaria, etc. A situação tributaria do ICMS pode ja estar informada no produto (Cadastros/Produtos), então, ao informar o item, a situação tributaria do mesmo será carregada na tela, permitindo edição. Se não houver informação de situação tributaria no Produto, o campo vira em branco, permitindo a inserção de dados. Tabela de CST (habilitada para Origem 1 a 7): Há ainda, a tabela de CSTSN (Simples Nacional) - (habilitada para Origem 9):

118 O preenchimento dos campos de ICMS, inclusive ICMS ST e suas respectivas bases de cálculo, dependerá do CST. É imprescindível que estes valores estejam condizentes com o CST, para que sejam gerados corretamente nos livros e arquivos gerados ao fisco (SINTEGRA, SPED, etc). Por exemplo: Para CST 00, deve ser informado: base, alíquota e valor Para CST 10, deve ser informado: base, alíquota, valor, base ST, alíquota ST e valor ST Para CST 60, deve ser informado: base ST, alíquota ST e valor ST Para CST 40, não deve ser informado nenhum valor Natureza de Operação: Permite efetuar o lançamento de cada item com a sua respectiva natureza de operação. Será possível incluir no mesmo lançamento mais de uma natureza de operação. Ex.: Informar uma natureza de Compra para Industrialização (1.101) e Compra para Comercialização (1.102) no mesmo lançamento. Por padrão, o sistema traz o CFOP normal informado na aba Nota. Na aba Nota, será informado apenas um CFOP (preponderante) e nos itens, podem ser informados diversos CFOP's. Base de ICMS: Este campo será automaticamente preenchido com o (Valor total do Item -Valor do Desconto) quando o CST for igual a 00, 10 ou 020, permitindo alteração. Percentual de redução da Base do ICMS: Informar o percentual de redução da base de cálculo do ICMS, caso haja. ATENÇÃO: Quando houver redução, o campo Base deve ser informado já com o valor reduzido. Alíquota de ICMS: Informar a alíquota de ICMS para este produto.

119 Valor do ICMS: O sistema calcula automaticamente o valor do ICMS, aplicando a alíquota sobre a base. Permite alteração. No quadro ICMS ST: Base: Caso haja substituição tributária, informe a base de ICMS referente a Substituição Tributária. Alíquota: Informar a alíquota do ICMS referente a Substituição Tributária. Valor: O sistema calcula automaticamente o valor do ICMS ST, aplicando a alíquota sobre a base, menos o valor do ICMS normal. Permite alteração. IPI Nesta aba devem ser informados os valores e demais dados relacionados ao IPI. Tabela de Códigos de Situação Tributária Referente ao IPI (CST - IPI) Situação Tributária: Informar/Selecionar o CST de entrada do item, conforme a destinação da mercadoria na empresa. Esta informação especifica o tratamento dado ao item, com relação a isenção, deferimento, subst. tributária, etc. regra: Este campo pode ser preenchido automaticamente pelo sistema, conforme a seguinte NÃO CONTRIBUINTE DE IPI: O sistema considera automaticamente o CST 49- Outras Entradas, zerando todos os valores de IPI, independente do CST cadastrado no produto. Se mesmo sendo não contribuinte for informado o valor do IPI, para que seja considerado na base de crédito do PIS/COFINS, será gravado como "IPI não creditado". CONTRIBUINTE DE IPI: O sistema considera o CST informado no cadastro do produto. Se este campo não estiver preenchido no cadastro do produto, o sistema considera automaticamente o CST 49- Outras Entradas.

120 Base: Este campo será preenchido automaticamente com o Valor total do Item quando o CST for igual a 00 ou 01, permitindo alteração. Para os demais códigos de CST, o campo fica zerado, permitindo alteração. Alíquota: Informar a alíquota de IPI correspondente ao produto. Se esta alíquota estiver informada no cadastro do produto, será considerada automaticamente no lançamento do item, permitindo alteração. Valor: O sistema calcula automaticamente o valor do IPI, aplicando a alíquota sobre a base. Permite alteração. PIS Nesta aba devem ser informados os valores e demais dados relacionados ao PIS. Tabela de Códigos de Situação Tributária Referente ao PIS (CST - PIS) Situação Tributária: Informar/Selecionar o CST de entrada do item, conforme a destinação da mercadoria na empresa. Esta informação especifica o tratamento dado ao item, com relação a isenção, deferimento, subst. tributária, etc. regra: Este campo pode ser preenchido automaticamente pelo sistema, conforme a seguinte

121 REGIME CUMULATIVO: O sistema considera automaticamente CST 70- Operação de Aquisição sem Direito a Crédito, zerando todos os valores de COFINS, independente do CST cadastrado no produto ou no CFOP/Variação. REGIME NÃO CUMULATIVO: O sistema considera o CST informado no cadastro do produto ou no cadastro do CFOP de entrada, conforme a seguinte regra: Se estiver informado o CST no cadastro do produto e no cadastro do CFOP de entrada, considera conforme a prioridade definida no cadastro do CFOP (Cadastros\ Genéricos\ Natureza de Operação): CST cadastrado no produto CST cadastrado no CFOP/Variação Se estiver informado o CST somente no cadastro do produto, considera este CST. Se estiver informado o CST somente no cadastro do CFOP, considera este CST. Quanto aos valores de PIS, serão gerados automaticamente, durante o lançamento, conforme o CST de entrada: Para CST 50 a 67: Base = valor total do item na nota fiscal - desconto do item + rateio de valores complementares Alíquota (%) = do cadastro do CFOP ou do cadastro do estabelecimento* Valor = base * alíquota / 100 Alíquota (R$) = zeros Para CST 70 a 99: Base = zeros Alíquota (%) = zeros Valor = zeros A alíquota informada no CFOP/Variação tem prioridade sobre a alíquota informada no Estabelecimento (Parâmetros/ Escrita Fiscal/ Alíquotas). ATENÇÃO: Se a empresa estiver parametrizada como regime cumulativo e nãocumulativo simultaneamente, será considerada a opção de regime informada no cadastro do produto.

122 SIMPLES NACIONAL: O sistema considera automaticamente CST 99- Outras Operações, zerando todos os valores de PIS, independente do CST cadastrado no produto ou no CFOP/Variação. OBSERVAÇÕES IMPORTANTES: a) Na base de PIS de cada item pode ser somado o valor de IPI e/ou de ICMS ST, se estiver parametrizado no cadastro do estabelecimento que utiliza estes valores na composição da base de crédito de PIS/COFINS. b) Se a nota tiver valores complementares referentes a frete, despesas acessórias e/ou seguro, no lançamento de cada item estes valores serão rateados na base de PIS. Cálculo do rateio: ((frete + despesas + seguro) / (valor total dos itens - desconto do item)) * (valor do item desconto do item)). Mas ATENÇÃO: este cálculo não é definitivo, pois se houver desconto nos itens e/ou desconto global, o rateio precisa ser refeito levando em consideração todos os itens lançados. Este recálculo será efetuado no botão Calcular Bases. c) Ao clicar no botão Calcular Bases, o sistema calcula o valor do desconto global: (valor total de descontos - somatório de desconto de todos os itens), lançando-o na aba Complemento. Identificando que a nota possui desconto global, frete, despesas acessórias e/ou seguro, o sistema emite um alerta perguntando se o usuário deseja recalcular a base de PIS efetuando o rateio do desconto global entre os itens, bem como, ajustando o rateio já efetuado anteriormente, considerando todos os itens lançados. Recálculo do rateio: ((frete + despesas + seguro - desconto global) / valor líquido dos itens) * (valor do item desconto do item)). COFINS Nesta aba devem ser informados os valores e demais dados relacionados ao COFINS. Tabela de Códigos de Situação Tributária Referente ao COFINS (CST - COFINS)

123 Situação Tributária: Informar/Selecionar o CST de entrada do item, conforme a destinação da mercadoria na empresa. Esta informação especifica o tratamento dado ao item, com relação a isenção, deferimento, subst. tributária, etc. regra: Este campo pode ser preenchido automaticamente pelo sistema, conforme a seguinte REGIME CUMULATIVO: O sistema considera automaticamente CST 70- Operação de Aquisição sem Direito a Crédito, zerando todos os valores de COFINS, independente do CST cadastrado no produto ou no CFOP/Variação. REGIME NÃO CUMULATIVO: O sistema considera o CST informado no cadastro do produto ou no cadastro do CFOP de entrada, conforme a seguinte regra: Se estiver informado o CST no cadastro do produto e no cadastro do CFOP de entrada, considera conforme a prioridade definida no cadastro do CFOP (Cadastros\ Genéricos\ Natureza de Operação): CST cadastrado no produto

124 CST cadastrado no CFOP/Variação Se estiver informado o CST somente no cadastro do produto, considera este CST. Se estiver informado o CST somente no cadastro do CFOP, considera este CST. Quanto aos valores de COFINS, serão gerados automaticamente, durante o lançamento, conforme o CST de entrada: Para CST 50 a 67: Base = valor total do item na nota fiscal - desconto do item + rateio de valores Complementares. Alíquota (%) = do cadastro do CFOP ou do cadastro do estabelecimento* Valor = base * alíquota / 100 Alíquota (R$) = zeros Para CST 70 a 99: Base = zeros Alíquota (%) = zeros Valor = zeros A alíquota informada no CFOP/Variação tem prioridade sobre a alíquota informada no Estabelecimento (Parâmetros/ Escrita Fiscal/ Alíquotas). ATENÇÃO: Se a empresa estiver parametrizada como regime cumulativo e nãocumulativo simultaneamente, será considerada a opção de regime informada no cadastro do produto. SIMPLES NACIONAL: O sistema considera automaticamente CST 99- Outras Operações, zerando todos os valores de COFINS, independente do CST cadastrado no produto ou no CFOP/Variação. OBSERVAÇÕES IMPORTANTES: a) Na base de PIS de cada item pode ser somado o valor de IPI e/ou de ICMS ST, se estiver parametrizado no cadastro do estabelecimento que utiliza estes valores na composição da base de crédito de PIS/COFINS. b) Se a nota tiver valores complementares referentes a frete, despesas acessórias e/ou seguro, no lançamento de cada item estes valores serão rateados na base de PIS.

125 Cálculo do rateio: ((frete + despesas + seguro) / (valor total dos itens - desconto do item)) * (valor do item desconto do item)). Mas ATENÇÃO: este cálculo não é definitivo, pois se houver desconto nos itens e/ou desconto global, o rateio precisa ser refeito levando em consideração todos os itens lançados. Este recálculo será efetuado no botão Calcular Bases. c) Ao clicar no botão Calcular Bases, o sistema calcula o valor do desconto global: (valor total de descontos - somatório de desconto de todos os itens), lançando-o na aba Complemento. Identificando que a nota possui desconto global, frete, despesas acessórias e/ou seguro, o sistema emite um alerta perguntando se o usuário deseja recalcular a base de PIS efetuando o rateio do desconto global entre os itens, bem como, ajustando o rateio já efetuado anteriormente, considerando todos os itens lançados. Recálculo do rateio: ((frete + despesas + seguro - desconto global) / valor líquido dos itens) * (valor do item desconto do item)). PRODEPE Nesta aba, devem ser informados os dados relacionados ao PRODEPE, Pernambuco. Código de Apuração PRODEPE (somente para Pernambuco): Informe o código 1 para Produtos não Incentivados ou cadastre um novo código em Cadastros/ Código de Apuração PRODEPE. Entrada não incentivada de Produto incentivado (somente para Pernambuco): Selecione esta opção se for o caso. Para confirmar a inclusão de um item clique no botão Gravar Item. Os botões Novo Item, Gravar Item, Excluir Item, Cancelar Item, permitem incluir um novo item, confirmar a inclusão de um item, excluir um item previamente cadastrado e cancelar a inclusão de um item, respectivamente. Valor total dos Itens: Apresenta o valor total bruto dos itens lançados. Desconto dos Itens: Apresenta o somatório do valor de desconto informado nos itens. Valor líquido dos itens: Apresenta o valor líquido dos itens lançados, que corresponde ao valor bruto menos os descontos. Calcular Bases: O cálculo das Bases de ICMS e IPI poderá ser efetuado através das informações dos Itens da Nota Fiscal.

126 Bases Nesta aba são apresentados os cálculos com base em informações do tipo de lançamento, alíquotas de tributação dos parâmetros, etc. Os valores desta aba serão preenchidos automaticamente, quando informados os itens da nota fiscal e utilizado o botão Calcular Bases. Ou ainda, podem ser informados manualmente. No quadro Nota Fiscal são apresentadas as informações lançadas na guia Nota. Status da Alteração: O Status da Alteração demonstrará as alterações que forem efetuadas na guia Bases após a gravação do lançamento. Cada quadro tem um valor, e fazendo a somatória dos valores desses quadros é gerado um número identificador. 1: Substituição Tributária ICMS. 2: Diferidas. 4: ICMS.

127 8: IPI. 16: Contribuições/Tributo 32: Antecipação Parcial/Diferencial de Alíquota Por exemplo: Exemplos: Status da alteração 26. Significa que houve alteração nos valores dos quadros: Diferidas, IPI e Contribuições/Tributos. Status da alteração 16. Significa que houve alteração nos valores do quadro: Contribuições/Tributos. Status da alteração 4. Significa que houve alteração nos valores do quadro: ICMS. Quadro Substituição Tributária ICMS: Para uma correta escrituração, informar um CFOP de substituição tributária e preencher os campos com os valores apresentados na nota fiscal. Mercadorias: Informar o valor total das mercadorias com substituição tributária de ICMS. Como regra geral este valor deve ser menor ou igual ao valor contábil da nota fiscal.

128 IMPORTANTE: Neste campo devem ser somados os valores referentes as mercadorias somente com substituição tributária de ICMS + mercadorias com sub. trib. de ICMS/PIS/COFINS. Base: Informar a base de cálculo utilizada para retenção do imposto por substituição tributária. Este valor pode eventualmente ser maior que o valor contábil. Imposto Retido: Informar o imposto retido anteriormente por substituição tributária. Recolhido Antecipadamente: Este campo deve ser marcado caso o ICMS ST da nota tenha sido recolhido antecipadamente, em GNRE, quando da saída da mercadoria. Se o ICMS-ST não for recolhido na saída da mercadoria, e sim na apuração mensal, não marcar o campo. Sem liberação de ICMS: Utilizado somente no Estado de Pernambuco. Se marcado gera crédito na entrada. Selecione o tipo de substituição, que pode ser: Sub. Fonte ou Sub. Entrada. ATENÇÃO: Os valores deste quadro são calculados automaticamente pelo sistema, a partir do lançamento dos itens, através do botão Calcular Bases (aba Itens). Quadro Substituição Tributária Múltipla: Somente PIS/COFINS: Informar o valor das mercadorias sujeitas a substituição tributária somente de PIS e COFINS. ICMS/PIS/COFINS: Informar o valor das mercadorias sujeitas a substituição tributária de ICMS, PIS e COFINS. O valor deste campo deve ser somado às mercadorias com substituição tributária somente de ICMS, no campo 'Mercadorias'. Quadro Diferidas: Mercadorias: Informar o valor das mercadorias com deferimento do imposto. Quadro Tributação de IRPJ - Receitas: Nestes campos devem ser informadas as receitas para IRPJ, conforme as alíquotas possíveis. Para uma mesma nota fiscal podem ser lançadas mais de uma receita, com percentuais diferentes. Para Mercadorias e Serviços, o sistema já separa corretamente. Se a empresa possui bases diferenciadas, postos de combustíveis por exemplo, pode separar no momento do lançamento. Deve ser informado o valor líquido da receita, já considerando as deduções possíveis.

129 ATENÇÃO: Os valores deste quadro são calculados automaticamente pelo sistema, a partir do lançamento dos itens, através do botão Calcular Bases (aba Itens). Quadro ICMS: Serão informados os valores referentes ao ICMS da nota fiscal. Podem ser utilizadas até 06 bases distintas, com diferentes alíquotas de tributação. Base de Cálculo: Informar a base de cálculo de ICMS. A base de cálculo (A) será calculada pelo sistema conforme o percentual informado no Tipo de Lançamento, podendo ser alterada se necessário. Alíquota: Informar a alíquota de tributação de ICMS. A alíquota da Base A, será informada automaticamente com base no cadastro de Alíquotas de Tributação ICMS. Valor do ICMS: Informar o valor do ICMS. Os valores serão calculados automaticamente. Podendo alterar se necessário. Isentas: Informar o valor de isenção de ICMS. Outras: Informar o valor de outras para o ICMS. ATENÇÃO: Os valores deste quadro são calculados automaticamente pelo sistema, a partir do lançamento dos itens, através do botão Calcular Bases (aba Itens). Quadro IPI: Base: Informar a base de cálculo. Valor: Repete o valor do campo Valor de IPI, informado na aba Nota. Isentas: Informar o valor de isenção. Outras: Informar o valor de outras. IPI não creditado: a opção deve ser marcada caso a empresa não se credite do IPI que está sendo lançado. Se estiver parametrizado como Não Contribuinte de IPI a opção será marcada automaticamente. Se a opção for marcada, o valor será gravado em um campo distinto da tabela, e o valor não será considerado em nenhum outro procedimento. Ao marcar o campo, o valor do IPI não creditado será gerado como Observação da nota e por consequência será impresso nos livros. ATENÇÃO: Os valores deste quadro são calculados automaticamente pelo sistema, a partir do lançamento dos itens, através do botão Calcular Bases (aba Itens).

130 Quadro Contribuições/Impostos Base PIS: Exibe a base de cálculo que será utilizada na apuração do PIS, quando nos parâmetros do estabelecimento opta por apurar pelo total das bases de cálculo da nota fiscal. No decorrer do lançamento da nota, este valor vai automaticamente sendo composto, com: (Valor contábil - IPI - ICMS ST), se o CFOP principal incidir este tributo. Base COFINS: Exibe a base de cálculo que será utilizada na apuração do COFINS, quando nos parâmetros do estabelecimento opta por apurar pelo total das bases de cálculo da nota fiscal. No decorrer do lançamento da nota, este valor vai automaticamente sendo composto, com: (Valor contábil - IPI - ICMS ST), se o CFOP principal incidir este tributo. ATENÇÃO: Se a nota possuir itens, ao Calcular Bases, o sistema recompõe as bases de PIS e COFINS somando a base informada em cada um dos itens cujo CST gere crédito de PIS (CST 50 a 67). Se a nota tiver valor de serviço, para composição da base de PIS e COFINS será verificado o CST do item de serviço. Serão considerados somente os itens de serviço com CST 50 a 67. Base CSLL: Exibe a base de cálculo que será utilizada na apuração da CSLL. No decorrer do lançamento da nota, este valor vai automaticamente sendo composto, com: ((Valor contábil - IPI - ICMS ST)*alíquota da base informada no cadastro do estabelecimento)). Se a nota possuir mercadorias e serviço, esta base será composta por dois cálculos distintos, visto que o percentual de base sobre serviço pode ser diferente do percentual de base sobre mercadorias. Desta forma, o cálculo será: (((Valor contábil - IPI - ICMS ST - serviço)*alíquota da base de mercadorias) + (serviço * alíquota da base de serviço)) Base IRPJ: Exibe a base de cálculo que será utilizada na apuração do IRPJ. No decorrer do lançamento da nota, este valor vai automaticamente sendo composto, com: ((Valor contábil - IPI - ICMS ST)*alíquota da base informada no cadastro do estabelecimento)). Se a nota possuir mercadorias e serviço, esta base será composta por dois cálculos distintos, visto que o percentual de base sobre serviço pode ser diferente do percentual de base sobre mercadorias. Desta forma, o cálculo será: (((Valor contábil - IPI - ICMS ST - serviço)*alíquota da base de mercadorias) + (serviço * alíquota da base de serviço)) ATENÇÃO: Se a nota possuir itens, ao Calcular Bases, o sistema recompõe a base de IRPJ considerando o valor dos itens cujo CFOP possua incidência deste tributo. Quadro Retenção:

131 Informar os valores retidos na nota fiscal, referente a PIS/COFINS/CSLL/IRRF/INSS/Funrural. Estes valores serão apurados quinzenalmente, sendo emitidas as guias para recolhimento (DARF). Este quadro é o mesmo apresentado na aba Serviços, porém é habilitado somente quando no tipo de lançamento está parametrizado para "Pedir informações de retenção (Bases)" e será utilizado quando a mercadoria possuir retenção. Para retenção sobre serviço, deve ser utilizado o quando da aba Serviços. Quadro Antecipação Parcial / S.T / Diferencial de Alíquota: Este quadro é habilitado apenas para estabelecimentos situados nos estados de São Paulo/SP, Bahia/BA e Maranhão/MA. Os valores serão calculados automaticamente a partir dos itens da nota, ao clicar no botão 'Calcular Bases'. É possível também preencher estes valores manualmente. Para São Paulo, os valores são informados diretamente nos campos deste quadro. Regras para Geração Automática dos Valores: Estabelecimentos do MA: Os valores serão calculados a partir do CFOP dos itens e gravados nos campos 'Valor da Antecipação Parcial' e/ou 'Valor do Diferencial de Alíquota', conforme abaixo relacionado. Na mesma nota poderá haver tanto ICMS de Antecipação quanto Diferencial de alíquota, dependendo do CFOP do item. Valor da Antecipação Parcial: neste campo será informado o valor correspondente aos CFOP 2.102, 2.113, 2.117, 2.118, 2.121, 2152, 2.403, Valor do Diferencial de Alíquota: neste campo será informado o valor correspondente aos CFOP 2.406, 2.407, 2.551, 2.552, e Para cada item da nota será verificado se o CFOP pertence a uma das listas acima, se sim, será verificado se a alíquota de ICMS do item é menor do que a alíquota interna do estado. Se for menor, será calculado o valor da antecipação ou do diferencial de alíquota da seguinte forma: Sobre a base de ICMS do item será aplicada a alíquota interna e do resultado obtido será diminuído o valor do ICMS destacado no item. Exemplo:

132 Item com CFOP 2102, alíquota interna de 17%, base de ICMS de R$ 1.000,00 e valor de ICMS de R$ 70,00 destacado no item. (1.000,00 * 17%) = 170,00 (170,00 70,00) = 100,00 (este valor será gerado no campo ICMS Antecipação Parcial, conforme a relação de CFOP acima.) Estabelecimentos da BA: Os valores serão calculados a partir do CFOP dos itens e gravados nos campos 'Valor da Antecipação Parcial', 'Valor do Diferencial de Alíquota' e/ou 'Valor da Substituição Tributária' conforme abaixo relacionado. Na mesma nota poderá haver tanto ICMS de Antecipação quanto Diferencial de alíquota ou Valor da Substituição Tributária, dependendo do CFOP do item. Valor da Antecipação Parcial: neste campo será informado o valor correspondente aos CFOP 2.102, 2.113, 2.117, 2.118, 2.121, 2152, 2.403, Valor do Diferencial de Alíquota: neste campo será informado o valor correspondente aos CFOP 2.406, 2.407, 2.551, 2.552, e Para cada item da nota será verificado se o CFOP pertence a uma das listas acima, se sim, será verificado se a alíquota de ICMS do item é menor do que a alíquota interna do estado. Se for menor, será calculado o valor da antecipação ou do diferencial de alíquota da seguinte forma: Sobre a base de ICMS* do item será aplicada a alíquota interna e do resultado obtido será diminuído o valor do ICMS destacado no item. Base do ICMS = Valor total do produto - desconto + IPI + valores complementares rateados** Valores complementares: frete, seguro, despesas acessórias. É efetuado o rateio do valor total informado na nota, proporcional ao valor do item. Exemplo: Item com CFOP 2102, alíquota interna de 17%, base de ICMS de R$ 1.000,00 e valor de ICMS de R$ 70,00 destacado no item. (1.000,00 * 17%) = 170,00 (170,00 70,00) = 100,00 (este valor será gerado no campo ICMS Antecipação Parcial, conforme a relação de CFOP acima.)

133 Valor da Substituição Tributária: neste campo será informado o valor correspondente aos CFOP ST (2403, 2409), se para o NCM do item tiver cadastrado percentual de MVA para UF do emitente da nota, em Cadastros\ Produtos\ MVA. Para cada item da nota será verificado se é CFOP ST (2403, 2409). Se sim, será verificado se para o NCM do produto tem o percentual de MVA na rotina Cadastros\ Produtos\ MVA, para a UF do emitente. Sobre a base de ICMS do item, é aplicado o percentual do MVA, gerando a Base de ICMS Ajustada. Sobre esta base, será calculado o valor da substituição tributária da seguinte forma: Base do ICMS = Valor total do produto - desconto + IPI + valores complementares rateados* Valores complementares: frete, seguro, despesas acessórias. É efetuado o rateio do valor total informado na nota, proporcional ao valor do item. Exemplo: Item com CFOP 2403, percentual de MVA cadastrado para o NCM de 3%, alíquota interna de 17%, base de ICMS de R$ 3.000,00 e valor de ICMS de R$ 360,00 destacado no item. ( %) = (corresponde a base de ICMS Ajustada) (3.090,00 * 17%) = 525,30 (525,30 360,00) = 165,30 (este valor será gerado no campo Valor da Substituição Tributária) Estabelecimentos de SP: Os valores, também, serão calculados pelos CFOP dos itens, porém devido a diferenças no cálculo dos valores, para empresas optantes e não optantes do Simples Nacional, serão habilitados campos distintos de acordo com a opção da empresa. Empresas com regime de recolhimento normal, não optantes do Simples Nacional Os valores serão calculados para os itens que possuam os CFOP 2406, 2407, 2551, 2552, 2556 e 2557 e gravados nos campos: Total de Débito: será preenchido automaticamente com o resultado da multiplicação das bases de ICMS dos itens pela alíquota interna do Estado. Total de Créditos: preenchido automaticamente com a soma dos valores de ICMS lançados nos itens. Valor Devido: Preenchido automaticamente com a diferença do total de débito menos o total de crédito. Se o resultado for negativo, os 03 (três) campos deste quadro serão

134 preenchidos com zeros. O valor gerado neste campo será informado no campo Observação da nota fiscal como: Diferencial de Alíquota: R$ NNN,NN.' Empresas optantes do Simples Nacional Os valores serão calculados para os itens que possuam os CFOP 2101, 2102, 2111, 2113, 2116, 2117, 2118, 2120, 2121, 2122, 2126, 2251, 2252, 2253, 2254, 2255, 2256, 2257, 2301, 2302, 2303, 2304, 2305, 2306, 2351, 2352, 2353, 2354, 2355, 2356, 2401, 2403, 2406, 2407, 2551, 2552, 2556, 2557, 2651, 2652 e Valor Devido: para cada item da nota será verificado se o CFOP pertence à lista acima, se sim, será calculado o diferencial de alíquota da seguinte forma: a) Sobre o valor do item (+ IPI descontos) será aplicada a alíquota interna do Estado. b) Sobre o valor do item (+ IPI descontos) será aplicada a alíquota de 12% c) O resultado do segundo valor menos o primeiro será gravado automaticamente no campo valor devido. Se for negativo, o campo será preenchido com zeros. ATENÇÃO: Para estes Estados será considerada como alíquota interna de ICMS, a alíquota informada no cadastro do produto. Se não houver esta informação no produto, será considerada a alíquota informada em Cadastros\ Genéricos\ Alíquotas de Tributação ICMS do registro cuja UF origem e UF destino sejam iguais ao Estado do estabelecimento. O cálculo será efetuado item a item e os valores serão somados ao serem gravados em seus respectivos campos. Os valores gerados automaticamente, pelo sistema, poderão ser alterados, pois alguns produtos possuem regras diferenciadas, como isenção, imunidade, redução de base, etc Serviço Nesta aba serão lançados os dados de Notas de Serviços (ISS). ATENÇÃO: Para agilizar o lançamento, configure o tipo de lançamento com a opção de Somente Serviço (exclusivo) ou marque a opção Pedir Informações de Serviço. Após preencher os dados da nota o sistema abrirá a janela Serviço automaticamente.

135 Item de Serviço: Selecione o tipo de serviço que deve estar devidamente cadastrado em Cadastros\ Prestação de Serviço\ Itens de Serviço. Código Fiscal: Selecione o código fiscal que deve estar devidamente cadastrado em Cadastros\ Prestação de Serviço\ Código Fiscal. Situação Tributária: Selecione a situação tributária que deve estar devidamente cadastrado em Cadastros\ Prestação de Serviço\ Situação Tributária. ISS retido antecipadamente: Marque para os casos de ISS retido antecipadamente pelo tomador. Devido no local da prestação: Marque para os casos em que o ISS é pago no local da Prestação do Serviço. Gerar NFTS referente a esta nota: Este campo será exibido somente para estabelecimentos do município de São Paulo/SP. Para isto, deve estar informado no cadastro do estabelecimento o município corretamente e a identificação se dará através do código no IBGE. O campo será marcado automaticamente se o emitente da nota fiscal for de município diferente de São Paulo, podendo ser desmarcado, caso a NFTS tenha sido gerada por ocasião do pagamento do serviço, diretamente pelo tomador. A identificação do município também se dará através do código no IBGE referente ao município informado no cadastro do emitente.

136 UF: Selecione o Estado (Unidade de Federação). Será habilitado somente para os casos de ISS devido no local da prestação. Município: Selecione o Município onde o serviço foi prestado, para o caso de ISS devido no local da prestação. Valor de Serviço: Apresenta o mesmo valor informado no campo do Valor do serviço da aba bases. Sobre este valor será aplicado o percentual de redução informado no cadastro do item de serviço. IMPORTANTE: No momento do lançamento, é necessário passar pelo campo Valor de Serviço para que seja calculado o valor de redução na base de cálculo do ISS. Para os lançamentos já gravados, o sistema não tratará de modo automático o cálculo do percentual de redução informado no cadastro do item de serviço, caso haja alterações no lançamento. Base de Cálculo: Apresenta o mesmo valor informado em Valor de Serviço, podendo ser alterado. Alíquota: Será considerada a alíquota do Código do Serviço se esta tiver sido informada ou a alíquota do cadastro de Estabelecimentos/ Parâmetros/ Escrita Fiscal/ Tributação/ ICMS/IPI/ISS. Valor do ISS: Imposto calculado multiplicando a base de cálculo pela alíquota, podendo ser alterado. Isentas ISS: Diferença entre o Valor Contábil da nota e o Valor de Serviço. Valor Materiais: Informe o valor referente aos materiais utilizados, que não são tributados pelo ISS. Valor Subempreitadas: Informe o valor de serviços subcontratados, que não são tributados pelo ISS. Nos quadros 'Tributos Retidos pelo Crédito/Pagamento' e 'Tributos Retidos pelo Pagamento' informe os valores retidos na nota fiscal. Para as notas de entrada é possível emitir a DARF para recolhimento do tributo retido. Os valores serão calculados automaticamente, permitindo alterações: Se os tributos federais estiverem selecionados no cadastro do item de serviço; Se nos parâmetros da empresa estiverem informados os percentuais de retenção. Para o cálculo automático das retenções, será considerado o "Valor mínimo de NF para retenção",

137 informado nos cadastro do estabelecimento (Parâmetros/ Escrita Fiscal/ Tributação/ Retenção de Tributos). Data do Pagamento: Se no cadastro do estabelecimento, em Parâmetros/ Escrita Fiscal/ Tributação/ Retenção de Tributos, estiver marcada a compensação do imposto retido pelo regime de caixa, informe a data do pagamento da nota, para que o sistema considere esta data para retenção, e não a data da emissão da nota Complemento Armazenam os dados necessários a geração de arquivo para o SINCO, DCP e DNF. No quadro Dados Complementares: Número da Chave da NFe: Informar a chave da nota fiscal eletrônica. Consultar NFe: Abre o portal para consultar número da chave da nota fiscal eletrônica.

138 Data Entrada/Saída: Preenchimento automático. Número da AUC: Este campo aparece somente para estabelecimentos de SC. Deve ser informado o código de identificação, gerado pelo - Sistema de Administração Tributária da Secretaria de Estado da Fazenda, do Regime Especial ou da Autorização (Número de Acordo) do crédito lançado na declaração. Utilizado para a geração do arquivo DIME, referente a créditos informados no DCIP. Transportador: Informar o código cadastrado. (F12) O transportador deverá ser cadastrado em Cadastros/Genéricos/ Emitentes/Destinatários. Valor de Desconto Global: Informar o valor total do desconto global concedido na nota. Este desconto é diferente do informado no lançamento dos itens. O sistema poderá calcular este valor automaticamente, quando selecionada a opção "Calcular Bases" da aba Itens. Neste caso, irá considerar o valor total do desconto informado na aba Notas menos os descontos individuais informados nos itens. Meio de Transporte: Selecionar uma das opções. (Rodoviário, Ferroviário, Aeroviário, Hidroviário, Outros) Placa do Veículo: Informar a placa do veículo transportador. Quantidade de Volumes: Informar a quantidade de volumes transportados. Espécie: Informar a espécie do documento fiscal.(ex: NF, NFF, CTRC, ECF, etc.) Peso Bruto: Informar o peso total dos volumes transportados.

139 Peso Líquido: Informar o peso líquido dos volumes transportados. Ex: Peso sem as embalagens. Quadro Informações sobre Importação: Tipo de Importação: Se o campo Natureza de Operação não estiver informado, este campo é preenchido com o tipo 0-Serviço executado no país; se tiver informação de Natureza de Operação, este campo é preenchido automaticamente com 2-Mercadorias. Documento de Importação: Selecionar o documento de importação. Nr. Documento de Importação: Informar o número do Documento. Ato Concessionário Drawback: Informar o número do ato. Base de Cálculo do PIS: Informar a base de cálculo do PIS. Valor Pago de PIS: Informar o valor de PIS. Data Pagamento PIS: Informar a data de Pagamento do PIS. Base de Cálculo do COFINS: Informar a base de cálculo do COFINS. Valor Pago de COFINS: Informar o valor pago de COFINS. Data Pagamento COFINS: Informar a data de pagamento do COFINS. Quadro Valores Extras para a Contabilização: Caso haja outros valores não discriminados pelo sistema na guia Complemento, é possível a criação de Valores Extras que poderão ser contabilizados separadamente. Para dar nome a estes valores acesse a rotina Cadastros / Empresas / Parâmetros / Gerais. Informações para esocial: Campos específicos para geração no arquivo esocial do Sage Folha de Pagamento. Devem ser preenchidos quando se tratar de obra de construção civil Simples Nacional Traz as informações necessárias para o Simples Nacional (Supersimples), baseadas nos cadastros de Natureza de Operação e Itens de Serviços, podendo ser alteradas. Esses valores serão utilizados ao final do mês, para a apuração das Receitas e cálculo do valor a recolher. Essa guia será apresentada somente para as empresas optantes pelo Simples Nacional.

140 Operação. Quadro Comércio/Indústria e Transportes: Baseado no cadastro de Natureza de Subquadro Revenda de Mercadorias: CFOP/Variação marcada com opção 1 Revenda de Mercadorias. Não sujeitas a substituição tributária (CFOP < 7000) = Valor Contábil Valor de Serviço - Mercadorias (Subst.Trib.) Base Pis/Cofins (Subst.Trib.) Exc. SIMPLES Sujeitas a substituição tributária do ICMS = Campo 'Mercadorias' - 'ICMS/PIS/COFINS', dos quadro Substituição Tributária ICMS e Substituição Tributária Múltipla, na guia Bases. Sujeitas a sub. trib. do PIS/COFINS = Campo 'Somente PIS/COFINS', do quadro Substituição Tributária Múltipla, na guia Bases. Sujeitas a sub. trib. do ICMS/PIS/COFINS: = Campo 'PIS/COFINS/ICMS', do quadro Substituição Tributária Múltipla, na guia Bases. Exportação (CFOP > 7000) = Valor Contábil Valor de Serviço - Mercadorias (Subst.Trib.) Base Pis/Cofins (Subst.Trib.) Exc. SIMPLES Subquadro Venda de Produtos Industrializados: CFOP/Variação marcada com opção 2 Venda de Produtos Industrializados.

141 Não sujeitas a substituição tributária (CFOP < 7000) = Valor Contábil Valor de Serviço - Mercadorias (Subst.Trib.) Base Pis/Cofins (Subst.Trib.) Exc. SIMPLES Sujeitas a substituição tributária do ICMS = Campo 'Mercadorias' - 'ICMS/PIS/COFINS', dos quadros Substituição Tributária ICMS e Substituição Tributária Múltipla, na guia Bases. Sujeitas a substituição tributária do IPI: Informe o valor das mercadorias sujeitas a substituição tributária do IPI. Sujeitas a sub. trib. do PIS/COFINS = Campo 'Somente PIS/COFINS', do quadro Substituição Tributária Múltipla, na guia Bases. Sujeitas a sub. trib. do ICMS/PIS/COFINS: = Campo 'PIS/COFINS/ICMS', do quadro Substituição Tributária Múltipla, na guia Bases. Exportação (CFOP > 7000) = Valor Contábil Valor de Serviço - Mercadorias (Subst.Trib.) Base Pis/Cofins (Subst.Trib.) Exc. SIMPLES Subquadro Serviço de Transporte de Cargas: CFOP/Variação marcada com opção 4 Serviço de Transporte de Cargas. Sem substituição tributária = Informe o valor dos serviços de transporte de cargas sem substituição tributária do ICMS. Com substituição tributária do ICMS = Informe o valor dos serviços de transporte de cargas com substituição tributária do ICMS. Subquadro Serviço de Comunicação: CFOP/Variação marcada com opção 5 Serviço de Comunicação. Sem substituição tributária = Informe o valor dos serviços de comunicação sem substituição tributária do ICMS. Com substituição tributária do ICMS = Informe o valor dos serviços de comunicação com substituição tributária do ICMS. Quadro Prestação de Serviços: Baseado no cadastro de Itens de Serviços. Consulte aqui os tipos de serviços. Subquadro Grupo 1 - Serviços Diversos (Anexo III): Sem retenção, ISS devido a outro Município = Valor de Serviço (se não marcada opção 'ISS retido antecipadamente' e marcada a opção 'Devido no local da prestação'). Sem retenção, ISS devido ao próprio Município = Valor de Serviço (se não marcadas as opção 'ISS retido antecipadamente' e 'Devido no local da prestação').

142 Com retenção de ISS = Valor de Serviço (se marcada a opção 'ISS retido antecipadamente'). Subquadro Grupo 2 - Serviços Diversos (Anexo IV): Sem retenção, ISS devido a outro Município = Valor de Serviço (se não marcada opção 'ISS retido antecipadamente' e marcada a opção 'Devido no local da prestação'). Sem retenção, ISS devido ao próprio Município = Valor de Serviço (se não marcadas as opção 'ISS retido antecipadamente' e 'Devido no local da prestação'). Com retenção de ISS = Valor de Serviço (se marcada a opção 'ISS retido antecipadamente'). Subquadro Grupo 3 - Serviços Diversos (Anexo V): Sem retenção, ISS devido a outro Município = Valor de Serviço (se não marcada opção 'ISS retido antecipadamente' e marcada a opção 'Devido no local da prestação'). Sem retenção, ISS devido ao próprio Município = Valor de Serviço (se não marcadas as opção 'ISS retido antecipadamente' e 'Devido no local da prestação'). Com retenção de ISS = Valor de Serviço (se marcada a opção 'ISS retido antecipadamente'). Subquadro Grupo 4 - Serviços Contábeis (Anexo III): Prestação de serviços contábeis = Valor de Serviço Subquadro Grupo 5 - Locação de Bens Móveis: CFOP/Variação marcada com opção 3 Locação de Bens Móveis, ou Itens de Serviço com Tributação para o Simples Nacional marcada com a opção 5 - Locação de Bens Móveis. Locação de bens móveis = Valor Contábil Valor de Serviço - Exc. SIMPLES Subquadro Grupo 6 - Serviços Diversos (Anexo VI): Sem retenção, ISS devido a outro Município = Valor de Serviço (se não marcada opção 'ISS retido antecipadamente' e marcada a opção 'Devido no local da prestação'). Sem retenção, ISS devido ao próprio Município = Valor de Serviço (se não marcadas as opção 'ISS retido antecipadamente' e 'Devido no local da prestação'). Com retenção de ISS = Valor de Serviço (se marcada a opção 'ISS retido antecipadamente') Contabilização

143 Define a forma de contabilização a ser utilizada pelo sistema. IMPORTANTE: Esta guia não ficará visível quando a rotina de lançamento estiver com o status Consulta, e será habilitada somente se o lançamento sofrer alguma alteração. Neste caso, se a empresa utilizar a contabilização on-line, a operação contábil e os lançamentos serão sugeridos novamente sobrepondo os lançamentos contábeis existentes. Para que esta guia seja habilitada para a inclusão/alteração de lançamentos é necessário que esteja marcada a opção 'Utiliza Integração Contábil' no cadastro da empresa, em Parâmetros/ Contabilização/ Integração/ Parâmetros. Operação Contábil: Será apresentada a operação contábil conforme os parâmetros contábeis da empresa, informados em Cadastros/ Empresas/ Parâmetros/ Contabilização/ Integração. Selecione outra operação, se necessário. De acordo com a operação contábil o sistema apresenta os Lançamentos que serão gerados na Contabilidade, no quadro ao final desta tela. Caso a estabelecimento utilize o recurso de contabilização On Line poderá efetuar alterações nos lançamentos. clicando duas vezes sobre o lançamento desejado.

144 Centro de Custo: Selecione o centro de custo que deve ser considerado nos lançamentos contábeis. Débito: Informe o código reduzido da conta a débito para novos lançamentos ou alterações (opcional). (F12) Crédito: Informe o código reduzido da conta a crédito para novos lançamentos ou alterações (opcional). (F12) Valor: Informe o valor do lançamento contábil para novos lançamentos ou alterações (opcional). Estrutura do Histórico: Selecione a estrutura do histórico padrão e complete os campos para o histórico no quadro abaixo. (F12) Os botões Novo Lançamento, Gravar Lançamento, Excluir Lançamento e Cancelar Lançamento, permitem incluir um novo lançamento, confirmar a inclusão do lançamento, excluir um lançamento e cancelar a inclusão de um lançamento, respectivamente. Número de lançamentos: Apresenta a quantidade de lançamentos que serão efetuados na contabilidade Parcelas Nesta aba pode ser cadastrada a forma de parcelamento, quando a nota fiscal for a prazo. Estes dados serão gerados para a Auditoria Financeira, se estiver parametrizado para controlar o pagamento/recebimento de notas fiscais e também para o SPED, registros C140: FATURA (CÓDIGO 01) e C141: VENCIMENTO DA FATURA (CÓDIGO 01). Para a Auditoria Financeira, deve-se definir no cadastro da empresa se o controle da nota será pelo saldo ou por parcelas. Conforme esta opção será gerado para a Auditoria, independente de lançar as parcelas na nota fiscal, ou seja, pode-se lançar as parcelas na nota fiscal mas integrar na Auditoria pelo saldo. Este controle de parcelas poderá ser realizado para notas de entrada, saída e conhecimento de frete. IMPORTANTE: A aba ficará visível somente se a nota tiver o tipo de pagamento "A prazo". Ao lançar a nota fiscal a prazo, o sistema gera automaticamente uma parcela, considerando o valor da nota e a data de emissão como vencimento. Pode-se gravar a nota desta forma, se não desejar controlar as parcelas, ou pode-se acessar a aba e alterar os dados.

145 Na aba Parcelas, informar o número de parcelas, a data do primeiro vencimento e clicar em Gerar Parcelas. Serão geradas as parcelas, permitindo alteração. Dados do Parcelamento: Total da Nota: campo desabilitado que informa o valor contábil da nota fiscal; Total de Retenções: campo desabilitado que informa o valor total de retenções da nota (ISS, PIS, COFINS, CSLL, IRRF, Funrural e INSS). Este valor não fará parte do pagamento/recebimento da nota fiscal; Valor da Entrada: informar neste campo o valor já pago como entrada. Este valor será desconsiderado ao compor o valor das parcelas seguintes. Porém, para a Auditoria Financeira este valor será gerado, como uma parcela zero ou somado ao saldo (conforme opção de controle de valor na Auditoria). É necessário informar o valor de entrada na Auditoria Financeira para que seja baixado/contabilizado por esta rotina. Valor a Faturar: corresponde ao valor total da nota menos o valor das retenções, menos o valor da entrada. É o valor que será parcelado;

146 Tarifa de Cobrança : Será utilizado quando o valor da tarifa for cobrado a parte no título. Na tela, o sistema calcula automaticamente o valor da tarifa quando informado Valor a Faturar maior que o valor da nota menos retenções menos entrada. O valor da tarifa é rateado entre a quantidade de parcelas do título. Tipo de Título: o sistema preenche o campo automaticamente com o código 00- Duplicada, permitindo alteração. Esta informação será utilizada na geração do SPED; Número da Fatura: o sistema preenche o campo automaticamente com o número da nota fiscal, permitindo alteração. Para nota de saída, considera o número inicial; Número de Parcelas: informar neste campo a quantidade de parcelas para pagamento da nota fiscal. O sistema considera automaticamente uma parcela, permitindo alteração; Data do 1º Vencimento: informar neste campo a data do primeiro vencimento. A partir desta data o sistema compõe o vencimento das demais parcelas, considerando o mesmo dia para os próximos meses. O sistema considera neste campo a data de emissão da nota fiscal, permitindo alteração; Gerar Parcelas: ao informar os dados do parcelamento, deve-se clicar neste botão para que as parcelas sejam geradas. Se houver arredondamento, esta diferença será lançada na última parcela Alteração da Parcela: Selecionar a parcela desejada com duplo clique e alterar Valor ou Data de Vencimento. Integração dos Dados para Auditoria Financeira: Se a empresa estiver parametrizada para efetuar contabilização on-line (Cadastro da Empresa, em Parâmetros\ Contabilização\ Integração\ Parâmetros), ao gravar a nota fiscal, se ela for a prazo, integrará as parcelas no Sage Contabilidade, na rotina de Auditoria Financeira, em Módulos. Se a empresa não estiver parametrizada para efetuar contabilização on-line, a integração das parcelas para a Auditoria Financeira ocorrerá na geração do lote contábil, em Módulos\ Integração Contábil\ Geração de Lote Contábil ATENÇÃO: Se nos parâmetros da Auditoria Financeira estiver marcado para controlar as notas pelo saldo, mesmo que estejam lançadas as parcelas na nota fiscal, será integrado como parcela única pelo valor total. Se nos parâmetros da Auditoria estiver marcado para controlar as notas por parcela, se estiverem lançadas as parcelas na nota fiscal, serão integradas estas parcelas com seus respectivos valores de vencimentos.

147 Se para determinada nota fiscal não quiser integrar com a Auditoria Financeira, mesmo estando o cliente/fornecedor parametrizado para isso, ao lançar a nota deve ser informado número de parcelas igual a zero Notas de Saída Nesta rotina serão efetuados os lançamentos das notas fiscais de saída Aba Nota lançamentos. Estabelecimento: Selecionar o código do estabelecimento que receberá os Mês/Ano: Informar o mês e ano de registro dos lançamentos, no formato MM/AAAA.

148 Lançamento: Selecionar o Tipo de Lançamento desejado. O tipo de lançamento habilitará somente os campos parametrizados em seu cadastro, agilizando assim o processo de digitação. Podem ser cadastrados diversos tipos de lançamento, conforme o tipo de nota, tipo de empresa, etc. Dia do Lcto: Informar o dia de lançamento da nota fiscal, ou seja, o dia em que a empresa recebeu a nota fiscal. Para nota de saída, esta data será igual a data de emissão da nota. Espécie: Informar a espécie do documento (NF, PDV, ECF, etc). Modelo: Informar o modelo do documento fiscal conforme convênio ICMS 57/95. Pode-se utilizar a tecla F4 ou F12 para pesquisar a lista de modelos disponíveis. Série: Informar a série do documento fiscal. Subsérie: Informar a subsérie do documento fiscal. NF: Informar o número da nota fiscal. Pode ser informado um intervalo de notas, ou se for nota única, repetir o número nos dois campos. Data de Emissão: Informar a data de emissão da nota fiscal, no formato DD/MM/AAAA. Emitente: Informar o código do emitente ou digite o número do CNPJ/CPF. (F12) Nat. Operação: Selecionar o Código Fiscal de Operações (CFOP) referente a esta nota fiscal. (F12) Campo numérico com 3 dígitos para os códigos fiscais até 2002 e 4 dígitos a partir de O sistema exibirá os CFOP s conforme o Mês e Ano de lançamento. Nota: Ao lado do campo Nat. Operação tem um campo em branco, neste devemos informar a variação da natureza de operação. (F12) Inicialmente o sistema puxará como padrão sempre a variação 01. Consulte os tópicos Natureza de Operação e Variação da Natureza Através destes cadastros são definidos as incidências dos impostos para a Natureza de Operação. Nat. Operação S.T.: Se a nota fiscal tiver dois CFOP s, informar o CFOP de Substituição Tributária. (F12) ATENÇÃO: Nos campos Nat. Operação e Nat. Operação S.T., informar o CFOP preponderante da nota, ou seja, se a nota tiver além do CFOP normal e de ST, outro CFOP, este deve ser informado nos itens da nota.

149 Classificação 1: Informar, se desejar o primeiro código de classificação para integração contábil. (F12) A conta contábil informada para a Natureza de Operação será ignorada. Classificação 2: Informar, se desejar o segundo código de classificação para integração contábil. A conta contábil informada para a Classificação 1 será ignorada. Complemento: Informar um texto que poderá ser utilizado na integração contábil. Para utilizá-lo, a Operação Contábil deve estar com o histórico parametrizado para utilizar este campo. Cada nota pode receber um texto distinto. Será utilizado tanto na contabilização on-line quanto por lote. Valor contábil: Informar o valor contábil da nota fiscal. Valor do Serviço: Este campo será habilitado para edição quando no Tipo de Lançamento (Cadastros/Genéricos/Tipos de Lançamento), estiver marcada a opção Pedir Informação de Serviços. Quando o tipo de lançamento for Somente Serviços, o campo não será habilitado para edição e será preenchido automaticamente no mesmo o valor contábil da nota. Quando no tipo de Lançamento não estiver marcada a opção de Pedir Informações de Serviço, o campo não será habilitado e estará preenchido com zeros. Valor do IPI: Informar, se for o caso, o valor do IPI da nota fiscal. Este campo será habilitado se no tipo do lançamento (cadastros/genéricos/tipos de lançamentos) estiver marcada a opção Pedir Valor de IPI. Valor do ICMS ST: Informar, se for o caso, o valor do ICMS ST da nota fiscal. Total de Descontos: Informar, se for o caso, o valor total de descontos da nota fiscal, seja desconto por item e/ou desconto global da nota. Frete: Informar, se for o caso, o valor do frete da nota fiscal. Despesas: Informar, se for o caso, o valor das despesas acessórias da nota fiscal. Seguro: Informar, se for o caso, o valor do seguro. Total dos Produtos: Campo preenchido automaticamente com o valor dos produtos, que será: (valor contábil - serviço - IPI - ICMS ST + descontos - frete - despesas - seguro). OBSERVAÇÃO: Os valores informados nos campos Valor Contábil a Total dos Produtos, serão utilizados durante o lançamento, para composição das bases de cálculo dos tributos, inclusive para cálculo de rateio de frete, despesas e seguro, bem como, na composição do desconto global, informado na aba Complemento.

150 No quadro Pagamento, será preenchido automaticamente pelo sistema de acordo com o cadastro do tipo de lançamento e da Natureza de operação, permitindo alteração. Nota: O campo Caixa/Banco só será habilitado quando a opção selecionada for À vista. No quadro Frete, marcar o tipo de frete: Sem cobrança de frete Por conta do Remetente: CIF (Cost Insurance & Freight) - Frete pago pelo Vendedor Por conta do Destinatário: FOB (Free on Board) - Frete pago pelo Comprador Por conta do Emitente Por conta de Terceiros O tipo de frete será marcado conforme parametrizado em Cadastros\ Genéricos\ Tipos de Lançamento, podendo ser alterado. Para os CFOPs 5.352, 6.352, 5.353, 6.353, ou 6.357, será selecionada a opção "Por conta do Destinatário: FOB" Esta informação será utilizada para geração dos registros tipo 70 no arquivo a ser enviado ao FISCO. Não contabilizar esta nota: Marcando essa opção o lançamento não será enviado para a contabilidade. Em Cadastros\ Contabilização\ Natureza/Classificação, é possível parametrizar no CFOP para que esta opção venha automaticamente marcada. No quadro Observações, informar quaisquer observações que julgue importante. Esta informação será considerada na emissão dos livros Itens Nesta aba devem ser informados todos os itens que compõe a nota fiscal.

151 Código/NCM: Selecione o código do item. (F12) Para cadastrar os itens acesse a rotina de Cadastros/Produtos. Novo: Permite realizar o cadastro de Itens através da tela de lançamentos. Unidade de Medida: Informe neste campo a unidade de comercialização do produto, ou seja, a unidade que consta da nota fiscal. No lançamento manual, o sistema traz automaticamente a unidade de quantificação do inventário, que está informada no cadastro do produto, devendo ser alterada conforme a unidade da nota. Quantidade: Quantidade total adquirida deste item. Item Fisicamente Movimentado: Campo de informação obrigatória para o SINCO. Marcando esta opção, o sistema mandará a informação para o SINCO informando que o item foi realmente movimentado, não marcando informará que o item não foi movimentado nesta nota fiscal. Valor Total: Informe o valor total deste item. Valor Unitário: Será calculado automaticamente após inseridos os valores de Quantidade e Valor Total do Item.

152 Valor do Desconto: Informe o valor do desconto obtido para as notas de entrada ou o valor do desconto concedido para as notas de saída. Descrição Complementar: Informe uma descrição complementar para o produto, caso haja. Lançamento dos Tributos: ICMS. ICMS: Nesta aba, devem ser informados os valores e demais dados relacionados ao Origem: Informe o código da origem da mercadoria, conforme tabela: Situação Tributária: Informe o código CST conforme nota fiscal. É possível consultar as opções disponíveis no sistema utilizando F4 ou F12. Esta informação especifica o tratamento dado ao item, com relação a isenção, deferimentos, subst. tributária, etc. A situação tributária do ICMS pode já estar informada no produto (Cadastros/ Produtos), então, ao informar o item, a situação tributária do mesmo será carregada na tela, permitindo edição. Se não houver informação de situação tributária no Produto, o campo virá em branco, permitindo a inserção de dados. Tabela de CST (habilitada para Origem 1 a 7):

153 Há ainda, a tabela de CSTSN (Simples Nacional) - (habilitada para Origem 9): O preenchimento dos campos de ICMS, inclusive ICMS ST e suas respectivas bases de cálculo, dependerá do CST. É imprescindível que estes valores estejam condizentes com o CST, para que sejam gerados corretamente nos livros e arquivos gerados ao fisco (SINTEGRA, SPED, etc). Por exemplo: Para CST 00, deve ser informado: base, alíquota e valor Para CST 10, deve ser informado: base, alíquota, valor, base ST, alíquota ST e valor ST Para CST 60, deve ser informado: base ST, alíquota ST e valor ST Para CST 40, não deve ser informado nenhum valor Natureza de Operação: Permite efetuar o lançamento de cada item com a sua respectiva natureza de operação. Será possível incluir no mesmo lançamento mais de uma natureza de operação. Ex: Informar uma natureza de Compra para Industrialização (1.101) e Compra para Comercialização (1.102) no mesmo lançamento. Por padrão, o sistema traz o CFOP normal informado na aba Nota. Na aba Nota, será informado apenas um CFOP (preponderante) e nos itens, podem ser informados diversos CFOP's. Base de ICMS: Este campo será automaticamente preenchido com o (Valor total do Item - Valor do Desconto) quando o CST for igual a 00, 10 ou 020, permitindo alteração. Percentual de redução da Base do ICMS: Informar o percentual de redução da base de cálculo do ICMS, caso haja.

154 ATENÇÃO: Quando houver redução, o campo Base deve ser informado já com o valor reduzido. Alíquota de ICMS: Informar a alíquota de ICMS para este produto. Valor do ICMS: O sistema calcula automaticamente o valor do ICMS, aplicando a alíquota sobre a base. Permite alteração. No quadro ICMS ST: Base: Caso haja substituição tributária, informe a base de ICMS referente a Substituição Tributária. Alíquota: Informar a alíquota do ICMS referente a Substituição Tributária. Valor: O sistema calcula automaticamente o valor do ICMS ST, aplicando a alíquota sobre a base, menos o valor do ICMS normal. Permite alteração. IPI: Nesta aba, devem ser informados os valores e demais dados relacionados ao IPI. Tabela de Códigos de Situação Tributária Referente ao IPI (CST - IPI) Situação Tributária: Informar/Selecionar o CST de saída do item. Esta informação especifica o tratamento dado ao item, com relação a isenção, deferimento, subst. tributária, etc. Considera o CST informado no cadastro do produto. Se não estiver informado no cadastro do produto, o sistema considera automaticamente o CST 99- Outras Saídas.

155 Base: Este campo será preenchido automaticamente com o Valor total do Item quando o CST for igual a 50 ou 51, permitindo alteração. Para os demais códigos de CST, o campo fica zerado, permitindo alteração. Alíquota: Informar a alíquota de IPI correspondente ao produto. Se esta alíquota estiver informada no cadastro do produto, será considerada automaticamente no lançamento do item, permitindo alteração. Valor: O sistema calcula automaticamente o valor do IPI, aplicando a alíquota sobre a base. Permite alteração. PIS: Nesta aba, devem ser informados os valores e demais dados relacionados ao PIS. Tabela de Códigos de Situação Tributária Referente ao PIS (CST - PIS) Situação Tributária: Informar/Selecionar o CST de saída do item, conforme a nota fiscal. Esta informação especifica o tratamento dado ao item, com relação a isenção, deferimento, subst. tributária, etc. regra: Este campo pode ser preenchido automaticamente pelo sistema, conforme a seguinte O sistema considera o CST informado no cadastro do produto ou no cadastro do CFOP de saída, conforme a seguinte regra: Se estiver informado o CST no cadastro do produto e no cadastro do CFOP de saída, considera conforme a prioridade definida no cadastro do CFOP (Cadastros\ Genéricos\ Natureza de Operação): CST cadastrado no produto CST cadastrado no CFOP/Variação

156 Se estiver informado o CST somente no cadastro do produto, considera este CST. Se estiver informado o CST somente no cadastro do CFOP, considera este CST. Quanto aos valores de PIS, serão gerados automaticamente, durante o lançamento, conforme o CST de saída: Para CST 01: Base = valor total do item na nota fiscal - desconto do item + rateio de valores complementares Alíquota (%) = do cadastro do CFOP ou do cadastro do estabelecimento Valor = base * alíquota / 100 Qtd. Base = zeros Alíquota (R$) = zeros Para CST 02: Base = valor total do item na nota fiscal - desconto do item + rateio de valores complementares Alíquota (%) = do cadastro do produto Valor = base * alíquota / 100 Qtd. Base = zeros Alíquota (R$) = zeros Para CST 03: Base = zero Alíquota (%) = zero Valor = zero Qtd. Base = do cadastro do produto Alíquota (R$) = do cadastro do produto Para CST 04, 05, 06, 07, 08, 09 e 49: Base = zero Alíquota (%) = zero Valor = zero Qtd. Base = zero

157 Alíquota (R$) = zero Para CST 06: Base = valor total do item na nota fiscal - desconto do item + rateio de valores complementares Alíquota (%) = zero Valor = zero Qtd. Base = zero Alíquota (R$) = zero OBSERVAÇÕES IMPORTANTES: a)se a nota tiver valores complementares referentes a frete, despesas acessórias e/ou seguro, no lançamento de cada item estes valores serão rateados na base de PIS. Cálculo do rateio: ((frete + despesas + seguro) / (valor total dos itens - desconto do item)) * (valor do item desconto do item)). Mas ATENÇÃO: este cálculo não é definitivo, pois se houver desconto nos itens e/ou desconto global, o rateio precisa ser refeito levando em consideração todos os itens lançados. Este recálculo será efetuado no botão Calcular Bases. b)ao clicar no botão Calcular Bases, o sistema calcula o valor do desconto global: (valor total de descontos - somatório de desconto de todos os itens), lançando-o na aba Complemento. Identificando que a nota possui desconto global, frete, despesas acessórias e/ou seguro, o sistema emite um alerta perguntando se o usuário deseja recalcular a base de PIS efetuando o rateio do desconto global entre os itens, bem como, ajustando o rateio já efetuado anteriormente, considerando todos os itens lançados. Recálculo do rateio: ((frete + despesas + seguro - desconto global) / valor líquido dos itens) * (valor do item desconto do item)). COFINS: Nesta aba, devem ser informados os valores e demais dados relacionados ao COFINS. Tabela de Códigos de Situação Tributária Referente ao COFINS (CST - COFINS)

158 Situação Tributária: Informar/Selecionar o CST de saída do item, conforme a nota fiscal. Esta informação especifica o tratamento dado ao item, com relação a isenção, deferimento, subst. tributária, etc. regra: Este campo pode ser preenchido automaticamente pelo sistema, conforme a seguinte O sistema considera o CST informado no cadastro do produto ou no cadastro do CFOP de saída, conforme a seguinte regra: Se estiver informado o CST no cadastro do produto e no cadastro do CFOP de saída, considera conforme a prioridade definida no cadastro do CFOP (Cadastros\ Genéricos\ Natureza de Operação): CST cadastrado no produto CST cadastrado no CFOP/Variação Se estiver informado o CST somente no cadastro do produto, considera este CST. Se estiver informado o CST somente no cadastro do CFOP, considera este CST. Quanto aos valores de COFINS, serão gerados automaticamente, durante o lançamento, conforme o CST de saída: Para CST 01: Base = valor total do item na nota fiscal - desconto do item + rateio de valores complementares Alíquota (%) = do cadastro do CFOP ou do cadastro do estabelecimento Valor = base * alíquota / 100 Qtd. Base = zeros Alíquota (R$) = zeros Para CST 02:

159 Base = valor total do item na nota fiscal - desconto do item + rateio de valores complementares Alíquota (%) = do cadastro do produto Valor = base * alíquota / 100 Qtd. Base = zeros Alíquota (R$) = zeros Para CST 03: Base = zero Alíquota (%) = zero Valor = zero Qtd. Base = do cadastro do produto Alíquota (R$) = do cadastro do produto Para CST 04, 05, 06, 07, 08, 09 e 49: Base = zero Alíquota (%) = zero Valor = zero Qtd. Base = zero Alíquota (R$) = zero Para CST 06: Base = valor total do item na nota fiscal - desconto do item + rateio de valores complementares Alíquota (%) = zero Valor = zero Qtd. Base = zero Alíquota (R$) = zero OBSERVAÇÕES IMPORTANTES: a)se a nota tiver valores complementares referentes a frete, despesas acessórias e/ou seguro, no lançamento de cada item estes valores serão rateados na base de PIS.

160 Cálculo do rateio: ((frete + despesas + seguro) / (valor total dos itens - desconto do item)) * (valor do item desconto do item)). Mas ATENÇÃO: este cálculo não é definitivo, pois se houver desconto nos itens e/ou desconto global, o rateio precisa ser refeito levando em consideração todos os itens lançados. Este recálculo será efetuado no botão Calcular Bases. b)ao clicar no botão Calcular Bases, o sistema calcula o valor do desconto global: (valor total de descontos - somatório de desconto de todos os itens), lançando-o na aba Complemento. Identificando que a nota possui desconto global, frete, despesas acessórias e/ou seguro, o sistema emite um alerta perguntando se o usuário deseja recalcular a base de PIS efetuando o rateio do desconto global entre os itens, bem como, ajustando o rateio já efetuado anteriormente, considerando todos os itens lançados. Recálculo do rateio: ((frete + despesas + seguro - desconto global) / valor líquido dos itens) * (valor do item desconto do item)). PRODEPE: Nesta aba, devem ser informados os dados relacionados ao PRODEPE, Pernambuco. Código de Apuração PRODEPE (somente para Pernambuco): Informe o código 1 para Produtos não Incentivados ou cadastre um novo código em Cadastros/ Código de Apuração PRODEPE. Entrada não incentivada de Produto incentivado (somente para Pernambuco): Selecione esta opção se for o caso. Exportação Indireta: Nesta aba, devem ser informados os dados relacionados a exportação indireta. Número do Registro de Exportação Chave da NFe de Entrada Quantidade Exportada Número do Ato Drawback Memorando de Exportação Estes dados serão utilizados na geração do SPED Fiscal e no PER/DCOMP. Outros: Nesta aba exibirá, por item, os campos relacionados a Diferencial de Alíquota, ICMS Antecipação Parcial e Antecipação de ICMS ST, para o estado da Bahia. Os campos desta aba serão preenchidos automaticamente conforme as regras abaixo:

161 ICMS Diferencial de Alíquota Neste quadro será considerado o item correspondente aos CFOP 2.406, 2.407, 2.551, 2.552, e 2.557, proveniente de outra UF sendo a alíquota de origem menor que a alíquota do estado da Bahia. Base: Valor total do produto - desconto + IPI + valores complementares rateados** **Valores complementares: frete, seguro, despesas acessórias. É efetuado o rateio do valor total informado na nota, proporcional ao valor do item. ICMS Origem: Valor do ICMS destacado no item (aba ICMS) ICMS Interno: Base do ICMS * alíquota interna de ICMS (cadastro do produto ou cadastro de alíquotas de tributação). ICMS a Recolher: ICMS interno - ICMS origem. ICMS Antecipação Parcial Neste quadro será considerado o item correspondente aos CFOP 2.102, 2.113, 2.117, 2.118, 2.121, 2152, 2.403, 2409, proveniente de outra UF sendo a alíquota de origem menor que a alíquota do estado da Bahia. Base: Valor total do produto - desconto + IPI + valores complementares rateados** **Valores complementares: frete, seguro, despesas acessórias. É efetuado o rateio do valor total informado na nota, proporcional ao valor do item. ICMS Origem: Valor do ICMS destacado no item (aba ICMS) ICMS Interno: Base do ICMS * alíquota interna de ICMS (cadastro do produto ou cadastro de alíquotas de tributação). ICMS a Recolher: ICMS interno - ICMS origem. Antecipação de ICMS ST Neste quadro serão gerados valores se o item tiver CFOP ST (2403, 2409) e NCM com percentual de MVA cadastrado na rotina Cadastros\ Produtos\ MVA. Sobre a base de ICMS do item, é aplicado o percentual do MVA, gerando a Base de ICMS Ajustada. Sobre esta base, será calculado o valor de ICMS a recolher. Base: Valor total do produto - desconto + IPI + valores complementares rateados* *Valores complementares: frete, seguro, despesas acessórias. É efetuado o rateio do valor total informado na nota, proporcional ao valor do item.

162 MVA: percentual do MVA cadastrado para o respectivo NCM, considerando a UF do emitente da nota fiscal. Base Ajustada: Base + Percentual de MVA ICMS Origem: Valor do ICMS destacado no item (aba ICMS) ICMS Interno: Base ajustada * alíquota interna de ICMS (cadastro do produto ou cadastro de alíquotas de tributação). ICMS a Recolher: ICMS interno - ICMS origem. Exemplo: Item com CFOP 2403, percentual de MVA cadastrado para o NCM de 3%, alíquota interna de 17%, base de ICMS de R$ 3.000,00 e valor de ICMS de R$ 360,00 destacado no item. ( %) = (corresponde a base de ICMS Ajustada) (3.090,00 * 17%) = 525,30 (525,30 360,00) = 165,30 (este valor será o ICMS a Recolher) OBSERVAÇÕES IMPORTANTES: a)se a nota tiver valores complementares referentes a frete, despesas acessórias e/ou seguro, no lançamento de cada item estes valores serão rateados na base de ICMS. Cálculo do rateio: ((frete + despesas + seguro) / (valor total dos itens - desconto do item)) * (valor do item desconto do item)). Mas ATENÇÃO: este cálculo não é definitivo, pois se houver desconto nos itens e/ou desconto global, o rateio precisa ser refeito levando em consideração todos os itens lançados. Este recálculo será efetuado no botão Calcular Bases. b)ao clicar no botão Calcular Bases, o sistema calcula o valor do desconto global: (valor total de descontos - somatório de desconto de todos os itens), lançando-o na aba Complemento. Identificando que a nota possui desconto global, frete, despesas acessórias e/ou seguro, o sistema emite um alerta perguntando se o usuário deseja recalcular a base de cálculo dos tributos efetuando o rateio do desconto global entre os itens, bem como, ajustando o rateio já efetuado anteriormente, considerando todos os itens lançados. Recálculo do rateio: ((frete + despesas + seguro - desconto global) / valor líquido dos itens) * (valor do item desconto do item)).

163 Bases Abaixo são apresentados os cálculos, nos quadros de ICMS e Contribuições/Impostos, com base em informações do tipo de lançamento, alíquotas de tributação dos parâmetros, etc. Os valores desta aba serão preenchidos automaticamente, quando informados os itens da nota fiscal e utilizado o botão Calcular Bases. Ou ainda, podem ser informados manualmente. Os valores serão apresentados em seus respectivos quadros, o cursor será posicionado nos campos conforme informado no tipo de lançamento. Se não houver nada mais a ser solicitado o cursor será posicionado sobre o botão OK, para confirmar o lançamento. Neste momento poderá confirmar o lançamento, ou alterar qualquer valor posicionando sobre ele o cursor através do mouse. No quadro Nota Fiscal são apresentadas as informações lançadas na guia Nota.

164 Status da Alteração: O Status da Alteração demonstrará as alterações que forem efetuadas na guia Bases após a gravação do lançamento. Cada quadro tem um valor, e fazendo a somatória dos valores desses quadros é gerado um número identificador. 1: Substituição Tributária ICMS. 2: Diferidas. 4: ICMS. 8: IPI. 16: Contribuições/Tributo 32: Antecipação Parcial/Diferencial de Alíquota Exemplos:

165 Status da alteração 26. Significa que houve alteração nos valores dos quadros: Diferidas, IPI e Contribuições/Tributos. Status da alteração 16. Significa que houve alteração nos valores do quadro: Contribuições/Tributos. Status da alteração 4. Significa que houve alteração nos valores do quadro: ICMS. Quadro Substituição Tributária ICMS: Para uma correta escrituração, informar um CFOP de substituição tributária e preencher os campos com os valores apresentados na nota fiscal. Mercadorias: Informar o valor total das mercadorias com substituição tributária de ICMS. Como regra geral este valor deve ser menor ou igual ao valor contábil da nota fiscal. IMPORTANTE: Neste campo devem ser somados os valores referentes as mercadorias somente com substituição tributária de ICMS + mercadorias com sub. trib. de ICMS/PIS/COFINS. Base: Informar a base de cálculo utilizada para retenção do imposto por substituição tributária. Este valor pode eventualmente ser maior que o valor contábil. Imposto Retido: Informar o imposto retido anteriormente por substituição tributária. Recolhido Antecipadamente: Este campo deve ser marcado caso o ICMS ST da nota tenha sido recolhido antecipadamente, em GNRE, quando da saída da mercadoria. O sistema marcará o campo automaticamente se a empresa for substituto tributário e em Inscrições Auxiliares não estiver informada a IE da UF correspondente ao destinatário da nota. Por exemplo: o estabelecimento do PR não possui Inscrição Auxiliar em SP, e o destinatário da nota é de SP. Neste caso o campo será marcado automaticamente e não será possível gravar a nota com o campo desmarcado. Isto é necessário, pois na apuração mensal de tributos serão considerados somente os lançamentos cuja opção não está marcada, sendo gerada uma guia GNRE por UF de destino. Para que seja possível gerar esta guia, é imprescindível o cadastro da inscrição auxiliar, com informação de código de recolhimento, vencimento, etc. Sem liberação de ICMS: Utilizado somente no Estado de Pernambuco. Se marcado gera crédito na entrada. Selecione o tipo de substituição, que pode ser: Sub. Fonte ou Sub. Entrada. ATENÇÃO: Os valores deste quadro são calculados automaticamente pelo sistema, a partir do lançamento dos itens, através do botão Calcular Bases (aba Itens).

166 Quadro Substituição Tributária Múltipla: Somente PIS/COFINS: Informar o valor das mercadorias sujeitas a substituição tributária somente de PIS e COFINS. ICMS/PIS/COFINS: Informar o valor das mercadorias sujeitas a substituição tributária de ICMS, PIS e COFINS. O valor deste campo deve ser somado às mercadorias com substituição tributária somente de ICMS, no campo 'Mercadorias'. Quadro Diferidas: Mercadorias: Informar o valor das mercadorias com deferimento do imposto. Quadro Tributação de IRPJ - Receitas: Nestes campos devem ser informadas as receitas para IRPJ, conforme as alíquotas possíveis. Para uma mesma nota fiscal podem ser lançadas mais de uma receita, com percentuais diferentes. Para Mercadorias e Serviços, o sistema já separa corretamente. Se a empresa possui bases diferenciadas, postos de combustíveis por exemplo, pode separar no momento do lançamento. Deve ser informado o valor líquido da receita, já considerando as deduções possíveis. ATENÇÃO: Os valores deste quadro são calculados automaticamente pelo sistema, a partir do lançamento dos itens, através do botão Calcular Bases (aba Itens). Quadro ICMS: Serão informados os valores referentes ao ICMS da nota fiscal. Podem ser utilizadas até 06 bases distintas, com diferentes alíquotas de tributação. Base de Cálculo: Informar a base de cálculo de ICMS. A base de cálculo (A) será calculada pelo sistema conforme o percentual informado no Tipo de Lançamento, podendo ser alterada se necessário. Alíquota: Informar a alíquota de tributação de ICMS. A alíquota da Base A, será informada automaticamente com base no cadastro de Alíquotas de Tributação ICMS. Valor do ICMS: Informar o valor do ICMS. Os valores serão calculados automaticamente. Podendo alterar se necessário. Isentas: Informar o valor de isenção de ICMS. Outras: Informar o valor de outras para o ICMS.

167 Nos lançamentos com substituição tributária, o sistema trará para este campo o valor informado no campo "Mercadorias". Nos lançamentos de Empresas optantes pelo SIMPLES, este campo será igual ao valor contábil da nota. ATENÇÃO: Os valores deste quadro são calculados automaticamente pelo sistema, a partir do lançamento dos itens, através do botão Calcular Bases (aba Itens). Quadro IPI: Base: Informar a base de cálculo. Valor: Repete o valor do campo Valor de IPI, informado na aba Nota. Isentas: Informar o valor de isenção. Outras: Informar o valor de outras. ATENÇÃO: Os valores deste quadro são calculados automaticamente pelo sistema, a partir do lançamento dos itens, através do botão Calcular Bases (aba Itens). Quadro Contribuições/Impostos Base PIS: Exibe a base de cálculo que será utilizada na apuração do PIS, quando nos parâmetros do estabelecimento opta por apurar pelo total das bases de cálculo da nota fiscal. No decorrer do lançamento da nota, este valor vai automaticamente sendo composto, com: (Valor contábil - IPI - ICMS ST), se o CFOP principal incidir este tributo. Base COFINS: Exibe a base de cálculo que será utilizada na apuração do COFINS, quando nos parâmetros do estabelecimento opta por apurar pelo total das bases de cálculo da nota fiscal. No decorrer do lançamento da nota, este valor vai automaticamente sendo composto, com: (Valor contábil - IPI - ICMS ST), se o CFOP principal incidir este tributo. ATENÇÃO: Se a nota possuir itens, ao Calcular Bases, o sistema recompõe as bases de PIS e COFINS somando a base informada em cada um dos itens cujo CST gere débito de PIS (CST 1). Se a nota tiver valor de serviço, para composição da base de PIS e COFINS será verificado o CST do item de serviço. Serão considerados somente os itens de serviço com CST 1. Base CSLL: Exibe a base de cálculo que será utilizada na apuração da CSLL. No decorrer do lançamento da nota, este valor vai automaticamente sendo composto, com: ((Valor contábil - IPI - ICMS ST)*alíquota da base informada no cadastro do estabelecimento)). Se a nota possuir mercadorias e serviço, esta base será composta por dois cálculos distintos, visto

168 que o percentual de base sobre serviço pode ser diferente do percentual de base sobre mercadorias. Desta forma, o cálculo será: (((Valor contábil - IPI - ICMS ST - serviço)*alíquota da base de mercadorias) + (serviço * alíquota da base de serviço)) Base IRPJ: Exibe a base de cálculo que será utilizada na apuração do IRPJ. No decorrer do lançamento da nota, este valor vai automaticamente sendo composto, com: ((Valor contábil - IPI - ICMS ST)*alíquota da base informada no cadastro do estabelecimento)). Se a nota possuir mercadorias e serviço, esta base será composta por dois cálculos distintos, visto que o percentual de base sobre serviço pode ser diferente do percentual de base sobre mercadorias. Desta forma, o cálculo será: (((Valor contábil - IPI - ICMS ST - serviço)*alíquota da base de mercadorias) + (serviço * alíquota da base de serviço)) ATENÇÃO: Se a nota possuir itens, ao Calcular Bases, o sistema recompõe a base de IRPJ considerando o valor dos itens cujo CFOP possua incidência deste tributo. Quadro Retenção: Informar os valores retidos na nota fiscal, referente a PIS/ COFINS/ CSLL/ IRRF/ INSS/ Funrural. Estes valores serão compensados nos valores a recolher de PIS/ COFINS/CSLL/IRPJ, quando da apuração mensal destes tributos. Este quadro é o mesmo apresentado na aba Serviços, porém é habilitado somente quando no tipo de lançamento está parametrizado para "Pedir informações de retenção (Bases)" e será utilizado quando a mercadoria possuir retenção. Para retenção sobre serviço, deve ser utilizado o quando da aba Serviços Serviço Nesta aba serão lançados os dados de Notas de Serviços (ISS).

169 ATENÇÃO: Para agilizar o lançamento, configure o tipo de lançamento com a opção de Somente Serviço (exclusivo) ou marque a opção Pedir Informações de Serviço. Após preencher os dados da nota o sistema abrirá a janela Serviço automaticamente. Item de Serviço: Selecione o tipo de serviço que deve estar devidamente cadastrado em Cadastros\ Prestação de Serviço\ Itens de Serviço. Código Fiscal: Selecione o código fiscal que deve estar devidamente cadastrado em Cadastros\ Prestação de Serviço\ Código Fiscal. Situação Tributária: Selecione a situação tributária que deve estar devidamente cadastrado em Cadastros\ Prestação de Serviço\ Situação Tributária. ISS retido antecipadamente: Marque para os casos de ISS retido antecipadamente pelo tomador. Devido no local da prestação: Marque para os casos em que o ISS é pago no local da Prestação do Serviço. UF: Selecione o Estado (Unidade de Federação). Será habilitado somente para os casos de ISS devido no local da prestação. Município: Selecione o Município onde o serviço foi prestado, para o caso de ISS devido no local da prestação.

170 Valor de Serviço: Apresenta o mesmo valor informado no campo do Valor do serviço da aba bases. Sobre este valor será aplicado o percentual de redução informado no cadastro do item de serviço. IMPORTANTE: a)no momento do lançamento, é necessário passar pelo campo Valor de Serviço para que seja calculado o valor de redução na base de cálculo do ISS. b)para os lançamentos já gravados, o sistema não tratará de modo automático o cálculo do percentual de redução informado no cadastro do item de serviço, caso haja alterações no lançamento. Base de Cálculo: Apresenta o mesmo valor informado em Valor de Serviço, podendo ser alterado. Alíquota: Será considerada a alíquota do Código do Serviço se esta tiver sido informada ou a alíquota do cadastro de Estabelecimentos/ Parâmetros/ Escrita Fiscal/ Tributação/ ICMS/IPI/ISS. Valor do ISS: Imposto calculado multiplicando a base de cálculo pela alíquota, podendo ser alterado. Isentas ISS: Diferença entre o Valor Contábil da nota e o Valor de Serviço. Valor Materiais: Informe o valor referente aos materiais utilizados, que não são tributados pelo ISS. Valor Subempreitadas: Informe o valor de serviços subcontratados, que não são tributados pelo ISS. Botão Beneficiários DMED: Acesse essa rotina para informar os demais beneficiários do serviço de saúde vinculados a nota fiscal, se houver.

171 ATENÇÃO: O acesso será habilitado somente quando o destinatário da nota fiscal for pessoa física e se no cadastro do Item de Serviço estiver informado o grupo 4-Serviços de saúde, assistência médica e congêneres. As informações desta rotina serão utilizadas para geração do arquivo DMED. Informar nesta rotina os demais beneficiários do serviço de saúde, vinculado a nota fiscal, e seus respectivos valores, exceto o próprio responsável pelo pagamento da nota, ou seja, o destinatário. Destinatário: Preenchimento automático com o código do destinatário informado no lançamento da nota. Beneficiário: Informe ou selecione pela tela de pesquisa (F1) o código dos demais beneficiários que utilizaram os serviços de saúde. Botão Novo Beneficiário: Acesse essa rotina para cadastrar os beneficiários, vinculados ao destinatário, que utilizaram os serviços de saúde. Valor: Informe o valor correspondente ao beneficiário selecionado. A soma dos valores informados não poderá ser superior ao valor do serviço. Caso a soma seja menor que o valor do serviço, a diferença será considerada como valor do próprio destinatário, ou seja, do pagador do serviço.

172 Nos quadros 'Tributos Retidos pelo Crédito/Pagamento' e 'Tributos Retidos pelo Pagamento' informe os valores retidos na nota fiscal. Para as notas de saída estes valores serão deduzidos do valor a recolher destes tributos. Informações dos Tributos Retidos: Os valores e as estimativas das retenções serão calculados automaticamente, permitindo alterações: se os tributos federais estiverem selecionados no cadastro do item de serviço; se nos parâmetros da empresa estiverem informados os percentuais de retenção, em Cadastros/ Empresas/ Estabelecimento/ Parâmetros/ Escrita Fiscal/ Retenção de Tributos. Para o cálculo automático das retenções, será considerado o "Valor mínimo de NF para retenção", informado nos cadastro do estabelecimento (Parâmetros/ Escrita Fiscal/ Tributação/ Retenção de Tributos). Se no cadastro da empresa NÃO estiver marcada a opção Controle pela Auditoria Financeira ou se estiver marcada esta opção e a nota fiscal for A VISTA, habilitará os quadros: Tributos Retidos pelo Crédito/Pagamento, com os campos: IRRF Funrural INSS Tributos Retidos pelo Pagamento, com os campos: PIS COFINS CSLL

173 Data do Pagamento: Caso tenha optado pela compensação do imposto retido pelo regime de caixa, informe a data do pagamento para que o sistema considere esta data para retenção, e não a data da emissão da nota. Se no cadastro da empresa estiver marcada a opção Controle pela Auditoria Financeira e a nota fiscal for A PRAZO, habilitará os quadros: Tributos Retidos pelo Crédito/Pagamento, com os campos: IRRF Funrural INSS Estimativa de Retenção pelo Pagamento, com os campos: PIS COFINS CSLL Se a empresa estiver parametrizada para controlar as retenções pela Auditoria Financeira, o PIS, o COFINS e CSLL estimados somente serão contabilizados quando ocorrer a baixa das parcelas, no Sage Contabilidade. Na Apuração Mensal de Tributos, para compor o valor a compensar de PIS, COFINS e CSLL, serão considerados os valores correspondentes às parcelas pagas dentro do mês de apuração Complemento Este registro é obrigatório para os lançamentos de Conhecimento de Frete, sendo opcional para os demais lançamentos. São informações utilizadas para aplicações específicas, tais como a geração do arquivo determinado pela Instrução Normativa 86/2001 (SINCO), Demonstrativo do Crédito Presumido (DCP), Registro 71 do Sintegra e Demonstrativo de Notas Fiscais (DNF).

174 No quadro Dados Complementares: Número da Chave da NFe: Informar a chave da nota fiscal eletrônica. Consultar NFe: Abre o portal para consultar número da chave da nota fiscal eletrônica. Data Entrada/Saída: Preenchimento automático. Transportador: Informar o código cadastrado. (F12) O transportador deverá ser cadastrado em Cadastros/ Genéricos/ Emitentes/Destinatários. Valor do desconto global: Meio de Transporte: Selecionar uma das opções. (Rodoviário, Ferroviário, Aeroviário, Hidroviário, Outros) Placa do Veículo: Informar a placa do veículo transportador. Quantidade de Volumes: Informar a quantidade de volumes transportados. Espécie: Informar a espécie do volume. (Ex.: caixa, pacote, etc.) Peso Bruto: Informar o peso total dos volumes transportados. Peso Líquido: Informar o peso líquido dos volumes transportados. Ex: Peso sem as embalagens.

175 Número da Declaração de Importação: Informar o número da Declaração para casos de importação. Quadro Dados para Geração do DCP: Grava as informações para a geração do DCP, no caso de estabelecimentos que possuam crédito presumido de IPI. Número RE SISCOMEX: Informar o número do registro no SISCOMEX. Número do Despacho SISCOMEX: Informar o número do despacho no SISCOMEX. Código do País Destino: Informar o código do país conforme tabela disponível no programa do DCP. Código da Moeda: Informar o código da moeda conforme tabela disponível no programa do DCP. Data do Despacho: Informar a data do despacho no formato DD/MM/AAAA. Valor do Despacho: Informar o valor referente ao despacho. Quadro Valores Extras para a Contabilização: Caso haja outros valores não discriminados pelo sistema na guia Complemento, é possível a criação de Valores Extras que poderão ser contabilizados separadamente. Para dar nome a estes valores acesse a rotina Cadastros / Empresas / Parâmetros / Gerais. Quadro Serviços de Comunicação/Telecomunicação: Será habilitado quando marcada a opção Serviços de Comunicação/Telecomunicação, no cadastro do estabelecimento (Parâmetros\ Escrita Fiscal\ Tributação\ Geral) e somente quando o modelo das notas for 21 ou 22. Informações para esocial: Campos específicos para geração no arquivo esocial do Sage Folha de Pagamento. Devem ser preenchidos quando se tratar de obra de construção civil Simples Nacional Traz as informações necessárias para o Simples Nacional (Supersimples), baseadas nos cadastros de Natureza de Operação e Itens de Serviços, podendo ser alteradas. Esses valores serão utilizados ao final do mês, para a apuração das Receitas e cálculo do valor a recolher. Essa guia será apresentada somente para as empresas optantes pelo Simples Nacional.

176 Quadro Comércio/Indústria e Transportes: Baseado no cadastro de Natureza de Operação. Subquadro Revenda de Mercadorias: CFOP/Variação marcada com opção 1 Revenda de Mercadorias. Não sujeitas a substituição tributária (CFOP < 7000) = Valor Contábil Valor de Serviço - Mercadorias (Subst.Trib.) Base Pis/Cofins (Subst.Trib.) Exc. SIMPLES Sujeitas a substituição tributária do ICMS = Campo 'Mercadorias' - 'ICMS/PIS/COFINS', dos quadro Substituição Tributária ICMS e Substituição Tributária Múltipla, na guia Bases. Sujeitas a sub. trib. do PIS/COFINS = Campo 'Somente PIS/COFINS', do quadro Substituição Tributária Múltipla, na guia Bases. Sujeitas a sub. trib. do ICMS/PIS/COFINS: = Campo 'PIS/COFINS/ICMS', do quadro Substituição Tributária Múltipla, na guia Bases. Exportação (CFOP > 7000) = Valor Contábil Valor de Serviço - Mercadorias (Subst.Trib.) Base Pis/Cofins (Subst.Trib.) Exc. SIMPLES Subquadro Venda de Produtos Industrializados: CFOP/Variação marcada com opção 2 Venda de Produtos Industrializados.

177 Não sujeitas a substituição tributária (CFOP < 7000) = Valor Contábil Valor de Serviço - Mercadorias (Subst.Trib.) Base Pis/Cofins (Subst.Trib.) Exc. SIMPLES Sujeitas a substituição tributária do ICMS = Campo 'Mercadorias' - 'ICMS/PIS/COFINS', dos quadros Substituição Tributária ICMS e Substituição Tributária Múltipla, na guia Bases. Sujeitas a substituição tributária do IPI: Informe o valor das mercadorias sujeitas a substituição tributária do IPI. Sujeitas a sub. trib. do PIS/COFINS = Campo 'Somente PIS/COFINS', do quadro Substituição Tributária Múltipla, na guia Bases. Sujeitas a sub. trib. do ICMS/PIS/COFINS: = Campo 'PIS/COFINS/ICMS', do quadro Substituição Tributária Múltipla, na guia Bases. Exportação (CFOP > 7000) = Valor Contábil Valor de Serviço - Mercadorias (Subst.Trib.) Base Pis/Cofins (Subst.Trib.) Exc. SIMPLES Subquadro Serviço de Transporte de Cargas: CFOP/Variação marcada com opção 4 Serviço de Transporte de Cargas. Sem substituição tributária = Informe o valor dos serviços de transporte de cargas sem substituição tributária do ICMS. Com substituição tributária do ICMS = Informe o valor dos serviços de transporte de cargas com substituição tributária do ICMS. Subquadro Serviço de Comunicação: CFOP/Variação marcada com opção 5 Serviço de Comunicação. Sem substituição tributária = Informe o valor dos serviços de comunicação sem substituição tributária do ICMS. Com substituição tributária do ICMS = Informe o valor dos serviços de comunicação com substituição tributária do ICMS. Quadro Prestação de Serviços: Baseado no cadastro de Itens de Serviços. Consulte aqui os tipos de serviços. Subquadro Grupo 1 - Serviços Diversos (Anexo III): Sem retenção, ISS devido a outro Município = Valor de Serviço (se não marcada opção 'ISS retido antecipadamente' e marcada a opção 'Devido no local da prestação'). Sem retenção, ISS devido ao próprio Município = Valor de Serviço (se não marcadas as opção 'ISS retido antecipadamente' e 'Devido no local da prestação').

178 Com retenção de ISS = Valor de Serviço (se marcada a opção 'ISS retido antecipadamente'). Subquadro Grupo 2 - Serviços Diversos (Anexo IV): Sem retenção, ISS devido a outro Município = Valor de Serviço (se não marcada opção 'ISS retido antecipadamente' e marcada a opção 'Devido no local da prestação'). Sem retenção, ISS devido ao próprio Município = Valor de Serviço (se não marcadas as opção 'ISS retido antecipadamente' e 'Devido no local da prestação'). Com retenção de ISS = Valor de Serviço (se marcada a opção 'ISS retido antecipadamente'). Subquadro Grupo 3 - Serviços Diversos (Anexo V): Sem retenção, ISS devido a outro Município = Valor de Serviço (se não marcada opção 'ISS retido antecipadamente' e marcada a opção 'Devido no local da prestação'). Sem retenção, ISS devido ao próprio Município = Valor de Serviço (se não marcadas as opção 'ISS retido antecipadamente' e 'Devido no local da prestação'). Com retenção de ISS = Valor de Serviço (se marcada a opção 'ISS retido antecipadamente'). Subquadro Grupo 4 - Serviços Contábeis (Anexo III): Prestação de serviços contábeis = Valor de Serviço Subquadro Grupo 5 - Locação de Bens Móveis: CFOP/Variação marcada com opção 3 Locação de Bens Móveis, ou Itens de Serviço com Tributação para o Simples Nacional marcada com a opção 5 - Locação de Bens Móveis. Locação de bens móveis = Valor Contábil Valor de Serviço - Exc. SIMPLES Subquadro Grupo 6 - Serviços Diversos (Anexo VI): Sem retenção, ISS devido a outro Município = Valor de Serviço (se não marcada opção 'ISS retido antecipadamente' e marcada a opção 'Devido no local da prestação'). Sem retenção, ISS devido ao próprio Município = Valor de Serviço (se não marcadas as opção 'ISS retido antecipadamente' e 'Devido no local da prestação'). Com retenção de ISS = Valor de Serviço (se marcada a opção 'ISS retido antecipadamente') Contabilização

179 Define a forma de contabilização a ser utilizada pelo sistema. IMPORTANTE: Esta guia não ficará visível quando a rotina de lançamento estiver com o status Consulta, e será habilitada somente se o lançamento sofrer alguma alteração. Neste caso, se a empresa utilizar a contabilização on-line, a operação contábil e os lançamentos serão sugeridos novamente sobrepondo os lançamentos contábeis existentes. Para que esta guia seja habilitada para a inclusão/alteração de lançamentos é necessário que esteja marcada a opção 'Utiliza Integração Contábil' no cadastro da empresa, em Parâmetros/ Contabilização/ Integração/ Parâmetros. Operação Contábil: Será apresentada a operação contábil conforme os parâmetros contábeis da empresa, informados em Cadastros/ Empresas/ Parâmetros/ Contabilização/ Integração. Selecione outra operação, se necessário. De acordo com a operação contábil o sistema apresenta os Lançamentos que serão gerados na Contabilidade, no quadro ao final desta tela. Caso a estabelecimento utilize o recurso de contabilização On Line poderá efetuar alterações nos lançamentos. clicando duas vezes sobre o lançamento desejado. Centro de Custo: Selecione o centro de custo que deve ser considerado nos lançamentos contábeis.

180 Débito: Informe o código reduzido da conta a débito para novos lançamentos ou alterações (opcional). (F12) Crédito: Informe o código reduzido da conta a crédito para novos lançamentos ou alterações (opcional). (F12) Valor: Informe o valor do lançamento contábil para novos lançamentos ou alterações (opcional). Estrutura do Histórico: Selecione a estrutura do histórico padrão e complete os campos para o histórico no quadro abaixo. (F12) Os botões Novo Lançamento, Gravar Lançamento, Excluir Lançamento e Cancelar Lançamento, permitem incluir um novo lançamento, confirmar a inclusão do lançamento, excluir um lançamento e cancelar a inclusão de um lançamento, respectivamente. Número de lançamentos: Apresenta a quantidade de lançamentos que serão efetuados na contabilidade Parcelas Nesta aba pode ser cadastrada a forma de parcelamento, quando a nota fiscal for a prazo. Estes dados serão gerados para a Auditoria Financeira, se estiver parametrizado para controlar o pagamento/recebimento de notas fiscais e também para o SPED, registros C140: FATURA (CÓDIGO 01) e C141: VENCIMENTO DA FATURA (CÓDIGO 01). Para a Auditoria Financeira, deve-se definir no cadastro da empresa se o controle da nota será pelo saldo ou por parcelas. Conforme esta opção será gerado para a Auditoria, independente de lançar as parcelas na nota fiscal, ou seja, pode-se lançar as parcelas na nota fiscal mas integrar na Auditoria pelo saldo. Este controle de parcelas poderá ser realizado para notas de entrada, saída e conhecimento de frete. IMPORTANTE: A aba ficará visível somente se a nota tiver o tipo de pagamento "A prazo". Ao lançar a nota fiscal a prazo, o sistema gera automaticamente uma parcela, considerando o valor da nota e a data de emissão como vencimento. Pode-se gravar a nota desta forma, se não desejar controlar as parcelas, ou pode-se acessar a aba e alterar os dados. Na aba Parcelas, informar o número de parcelas, a data do primeiro vencimento e clicar em Gerar Parcelas. Serão geradas as parcelas, permitindo alteração.

181 Dados do Parcelamento: Total da Nota: campo desabilitado que informa o valor contábil da nota fiscal; Total de Retenções: campo desabilitado que informa o valor total de retenções da nota (ISS, PIS, COFINS, CSLL, IRRF, Funrural e INSS). Este valor não fará parte do pagamento/recebimento da nota fiscal; Valor da Entrada: informar neste campo o valor já pago como entrada. Este valor será desconsiderado ao compor o valor das parcelas seguintes. Porém, para a Auditoria Financeira este valor será gerado, como uma parcela zero ou somado ao saldo (conforme opção de controle de valor na Auditoria). É necessário informar o valor de entrada na Auditoria Financeira para que seja baixado/contabilizado por esta rotina. Valor a Faturar: corresponde ao valor total da nota menos o valor das retenções, menos o valor da entrada. É o valor que será parcelado; Tarifa de Cobrança : Será utilizado quando o valor da tarifa for cobrado a parte no título. Na tela, o sistema calcula automaticamente o valor da tarifa quando informado Valor a Faturar maior que o valor da nota menos retenções menos entrada. O valor da tarifa é rateado entre a quantidade de parcelas do título.

182 Tipo de Título: o sistema preenche o campo automaticamente com o código 00- Duplicada, permitindo alteração. Esta informação será utilizada na geração do SPED; Número da Fatura: o sistema preenche o campo automaticamente com o número da nota fiscal, permitindo alteração. Para nota de saída, considera o número inicial; Número de Parcelas: informar neste campo a quantidade de parcelas para pagamento da nota fiscal. O sistema considera automaticamente uma parcela, permitindo alteração; Data do 1º Vencimento: informar neste campo a data do primeiro vencimento. A partir desta data o sistema compõe o vencimento das demais parcelas, considerando o mesmo dia para os próximos meses. O sistema considera neste campo a data de emissão da nota fiscal, permitindo alteração; Gerar Parcelas: ao informar os dados do parcelamento, deve-se clicar neste botão para que as parcelas sejam geradas. Se houver arredondamento, esta diferença será lançada na última parcela Alteração da Parcela: Selecionar a parcela desejada com duplo clique e alterar Valor ou Data de Vencimento. Integração dos Dados para Auditoria Financeira: Se a empresa estiver parametrizada para efetuar contabilização on-line (Cadastro da Empresa, em Parâmetros\ Contabilização\ Integração\ Parâmetros), ao gravar a nota fiscal, se ela for a prazo, integrará as parcelas no Sage Contabilidade, na rotina de Auditoria Financeira, em Módulos. Se a empresa não estiver parametrizada para efetuar contabilização on-line, a integração das parcelas para a Auditoria Financeira ocorrerá na geração do lote contábil, em Módulos\ Integração Contábil\ Sage Contabilidade. ATENÇÃO: Se nos parâmetros da Auditoria Financeira estiver marcado para controlar as notas pelo saldo, mesmo que estejam lançadas as parcelas na nota fiscal, será integrado como parcela única pelo valor total. Se nos parâmetros da Auditoria estiver marcado para controlar as notas por parcela, se estiverem lançadas as parcelas na nota fiscal, serão integradas estas parcelas com seus respectivos valores de vencimentos. Se para determinada nota fiscal não quiser integrar com a Auditoria Financeira, mesmo estando o cliente/fornecedor parametrizado para isso, ao lançar a nota deve ser informado número de parcelas igual a zero.

183 3.4. Cupom Fiscal O objetivo desta rotina é possibilitar o lançamento de valores referentes a operações com equipamentos emissores de cupom fiscal. Estes lançamentos são obtidos através da Redução "Z" emitida pelos equipamentos, e serão utilizados para emissão do Mapa Resumo ECF, bem como geração dos lançamentos de saída necessários à apuração do imposto e emissão dos demais relatórios legais Redução Z Estabelecimento: Selecione o código do estabelecimento. (F12) Número do Mapa: Informe um número para o mapa. Conforme a legislação, o mapa deve seguir uma numeração sequencial por dia. Informe o número do mapa, de acordo com este critério. Último Mapa: Para facilitar a informação do campo acima, o sistema apresenta o número do último mapa cadastrado.

184 Data do Movimento: Informe a data a que se refere a movimentação, no formato DD/MM/AAAA. Mapa de implementação de saldos: Marque esta opção se esse mapa for apenas uma implementação de saldos iniciais. Será utilizada para os primeiros lançamentos de ECF no sistema. Para esses mapas não são gerados lançamentos de saída e ele não será considerado na geração do SINTEGRA. Observações: Qualquer observação que julgue conveniente. Esta observação será emitida no Mapa Resumo ECF.

185 Clique no botão Lançar Redução Z para efetuar o(s) lançamento(s). ECF/Número de Série: Informe o número do equipamento emissor de cupom fiscal, atribuído pelo estabelecimento. O número de série será gravado e repetido nos lançamentos seguintes. Reinício de Operação: Informar a quantidade de vezes que o equipamento de ECF foi reiniciado no dia. Se não houver reinícios, informar 1. Reduções Z: Informe o número apontado pelo contador de reduções Z do cupom fiscal. O sistema sugere automaticamente o código, considerando o última cadastrado + 1, permitindo alteração. Operações: Informe o número referente ao contador de operações, constante na reduções "Z". GT dia Anterior: Grande total do dia anterior. Preenchimento automático com base no mapa do dia anterior. Se não existir um mapa lançado anteriormente para este ECF, o valor deste campo será zero. Caso o ECF já teve movimentações anteriores, o GT do dia Anterior não poderá ser zero. Terá que efetuar um lançamento com uma data anterior ao mês que está iniciando os lançamentos, para evitar o recolhimento de impostos sobre este lançamento hipotético. GT do dia: Grande total do dia. Informe conforme cupom fiscal.

186 Venda Bruta: Campo calculado automaticamente, é a diferença entre o GT do dia e o GT do dia anterior. Totalizador de ISS: Informe o valor referente ao totalizador de ISS do cupom fiscal. Cancelamentos: Informe o valor referente a cancelamentos de cupom fiscal, se for o caso. Descontos: Informe o valor referente a descontos concedidos, se for o caso. Outros Recebimentos: Informe, caso haja, valores referentes a outros recebimentos não sujeitos a tributação pelo ICMS (água, luz, etc). Venda Líquida: Campo calculado automaticamente, é o valor apurado pelo valor da venda bruta menos cancelamentos e descontos. Série, Subsérie e Nr. Final: Caso tenha havido emissão manual de notas fiscais. Informe nestes campos a série, subsérie e o último número de documento fiscal emitido. Caso contrário, deixe estes campos em branco. Substituição Tributária somente de ICMS: Informe o valor das vendas de mercadorias sujeitas a substituição tributária somente de ICMS, cujos tributos de PIS e COFINS deverão ser recolhidos normalmente pela empresa. Os valores lançados neste campo constarão no lançamento de saída, no quadro Substituição Tributária ICMS, em "Mercadorias". Substituição Tributária somente de PIS/COFINS: Informe o valor das vendas de mercadorias sujeitas a substituição tributária somente de PIS e COFINS. Os valores lançados neste campo constarão no lançamento de saída, na guia Bases, no quadro Substituição Tributária Múltipla, em "Somente PIS/COFINS". Substituição Tributária de ICMS/PIS/COFINS: Informe o valor das vendas de mercadorias sujeitas a substituição tributária de ICMS, PIS e COFINS. Os valores lançados neste campo constarão no lançamento de saída, na guia Bases, no quadro Substituição Tributária Múltipla, em "ICMS/PIS/COFINS" e serão somados às mercadorias com substituição tributária somente de ICMS, no quadro Substituição Tributária ICMS, em "Mercadorias". Obs.: Os valores de substituição tributária de PIS e COFINS serão deduzidos da base de cálculo destes tributos (Base PIS e Base COFINS) no lançamento de saída. Isenção: Informe o valor das vendas isentas de ICMS. Não incidência: Informe o valor das vendas de mercadorias não sujeitas a tributação pelo ICMS. Combustíveis: Informe o valor de combustíveis. No quadro ICMS, Informe os valores referentes ao ICMS do cupom fiscal. Base de cálculo A, B, C, D, E e F: Informe a base de cálculo de ICMS. Alíquota A, B, C, D, E e F: Informe a alíquota de tributação de ICMS.

187 Valor do ICMS A, B, C, D, E e F: Calculado automaticamente, pode ser alterado pelo usuário. No quadro Tipo do Equipamento, marque o equipamento utilizado: Clique no botão Gravar para confirmar o lançamento. As Reduções lançadas serão apresentadas na grid. Para alterar dê um duplo clique sobre a linha de registro desejada. Em seguida clique no botão Sair. No quadro Resumo do Mapa serão apresentados valores referente aos lançamentos efetuados. Valor Contábil: somatório do valor de Venda Líquida com o Totalizador de ISS, lançados em redução Z. S.T. somente ICMS: somatório dos valores de Substituição Tributária somente de ICMS, lançados em redução Z. Valor de Serviços: somatório dos valores de Totalizado de ISS, lançados em redução Z. S.T. somente PIS/COFINS: somatório dos valores de Substituição Tributária somente de PIS/COFINS, lançados em redução Z. S.T. ICMS/PIS/COFINS: somatório dos valores de Substituição Tributária de ICMS/PIS/COFINS, lançados em redução Z.

188 Combustíveis: somatório do valor de combustíveis da redução Z. Base de ICMS: somatório dos valores de Base de Cálculo, lançados em redução Z. Valor do ICMS: somatório dos Valores de ICMS, lançados em redução Z. Isentas: somatório do valor de Isenção, dos lançamentos da redução Z. Outras: somatório dos valores de Substituição Tributária somente de ICMS com Substituição Tributária de ICMS/PIS/COFINS com Não Incidência, dos lançamentos da redução Z. Teclas de atalho para os botões: Lançar Redução Z: tecla de atalho "Z" Gerar Lançamento de Saída: tecla de atalho "L" O botão Gerar lançamento de Saída abre a rotina para efetuar o lançamento de saída. Este procedimento é OBRIGATÓRIO para que o sistema calcule os tributos referentes aos lançamentos do Cupom Fiscal e atualize as informações no Livro de Saídas. Se houver valor de combustível informado, considerar as seguintes situações: Ao Gerar lançamento de Saída irá validar e emitirá a seguinte mensagem: "Esse ECF possui valor de Combustíveis e por isso serão gerados dois lançamentos distintos de nota fiscal, sendo um deles somente com o valor referente a combustíveis. [OK]". O sistema irá verificar se há CFOP de Combustíveis cadastrado, caso não haja cadastro, apresentará a seguinte mensagem: "Esse ECF possui valor de Combustíveis, porém não está informado nos parâmetros o CFOP dessa operação. Deseja alterar os parâmetros agora?" Se clicar em sim irá abrir o cadastro de estabelecimento para preenchimento do campo; Se todos os dados forem validados corretamente, o sistema irá gerar o lançamento normal subtraindo do valor contábil o valor lançado no campo "Combustíveis", assim como irá gerar de modo transparente para o usuário uma nota somente com os valores de combustíveis; Para empresas Optantes pelo Simples Nacional, quando for gerada a nota de combustível o sistema também irá recalcular as receitas para o Simples Nacional de modo transparente para o usuário; O botão Atualiza Mapa permite gerar os lançamentos de saída automaticamente para vários mapas ao mesmo tempo. Obs.: Os valores de combustíveis lançados para cupom fiscal serão somados com os valores de substituição tributária no relatório Mapa Resumo ECF Atualizar Mapa

189 Permite gerar os lançamentos de saída de vários mapas de ECF ao mesmo tempo. Se forem efetuadas alterações nos lançamentos de ECF após a atualização, ela poderá ser refeita, dando opção para substituir os lançamentos gerados anteriormente, inclusive os lançamentos realizados no Sage Contabilidade, através da contabilização on-line. Mês/Ano: Informe o mês e o ano de referencia dos mapas que servirão como base para geração dos lançamentos de saída. Número do mapa: Será sugerido o número do primeiro mapa ainda não atualizado, permitindo alteração. Caso não informe nada neste campo, serão gerados lançamentos de saída de todos os mapas de ECF do mês/ano informado, exceto dos mapas que estiverem marcados com a opção 'Mapa de implementação de saldos.' (F12) Período: A geração dos lançamentos poderá ser filtrada também por intervalo de dia/mês/ano. Quadro Dados necessários para a atualização: Lançamento: Determine o tipo de lançamento que deve ser aplicado na geração da nota fiscal de saída referente ao Cupom Fiscal. (F12) Destinatário: Selecione um cliente que será utilizado nos lançamentos de ECF. Ex: Clientes Diversos. Nat. Operação: Informe o CFOP referente a venda. (F12) Nat. Operação ST: Informe o CFOP de Substituição Tributária. (F12) Nat. Operação Combustíveis: Informe o CFOP de Combustíveis. (F12) Classificação 1: Selecione a classificação contábil a ser utilizada. (F12)

190 Classificação 2: Selecione a classificação contábil a ser utilizada. (F12) Caixa/Banco: Selecione o Caixa ou Banco que será utilizado para a contabilização dos ECF's. O Caixa/Banco deve estar cadastrado em Cadastros/ Contabilização. Ao clicar no botão Atualizar: O sistema irá gerar o lançamento normal subtraindo do valor contábil o valor lançado no campo "Combustíveis"; O sistema irá validar se possui valor de combustível, se houver valor e não houver CFOP cadastrado, emitirá no relatório um erro alertando que o CFOP deve ser preenchido; Se na validação do CFOP não ocorrerem erros, o sistema irá gerar de forma transparente para o usuário a nota somente com os valores de combustível; Ao sair da tela de atualização mapas o sistema irá recalcular de forma transparente para o usuário as receitas para o simples nacional Exclusão de Mapas de ECF Através desta rotina é possível excluir vários mapas de ECF simultaneamente, sem a necessidade de acessar mapa por mapa:

191 Número e Data: São filtros que poderão ser utilizados para pesquisar mapas de ECF pela data de lançamento ou pelo número do mapa. Os mapas, cuja data de lançamento esteja bloqueada ou finalizada na rotina de Fechamento Mensal, não serão listados, ou seja, não poderão ser excluídos. Apagar Itens Relacionados: Ao marcar essa opção deverá informar o Mês/Ano em seguida clicar no botão Pesquisar. Esta opção irá excluir TODOS os mapas de ECF da competência informada, juntamente com seus itens relacionados: Itens Vendidos (Geração do Sintegra), Itens Vendidos (Geração do SPED Fiscal - Perfil A), Itens Vendidos (Geração do SPED Fiscal - Perfil B) e Itens Vendidos (Geração da EFD Contribuições). Esta opção não permite que sejam marcados ou desmarcados os mapas listados na GRID. Marcar Todos / Desmarcar Todos: Marcar ou Desmarcar todos os mapas pesquisados. Estes botões ficarão desabilitados se for marcada a opção "Apagar Itens Relacionados" Itens Vendidos (Geração Sintegra) Através desta rotina podem ser lançados os itens mensais do cupom fiscal.

192 Nota: Os lançamentos informados nesta rotina serão considerados na geração do arquivo para o SINTEGRA, registro 60R. Estabelecimento: Selecione/Informe o código do estabelecimento que receberá os lançamentos. Mês/Ano: Informe o mês/ano do lançamento do item Código/NCM: Selecione/Informe o código do item (produto) cadastrado no sistema ou o seu NCM (Nomenclatura Comum do Mercosul). No quadro Tipo de Tributação, marque a opção conforme o tipo do lançamento do item. Quantidade: Informe a quantidade dos itens vendidos. Valor Total: Informe o valor total dos itens vendidos. Base de ICMS: Informe a base de cálculo de ICMS. Este campo será habilitado quando a opção Tributado normalmente estiver marcado no quadro Tipo de Tributação. Alíquota de ICMS: Informe a alíquota para o cálculo de ICMS. Este campo será habilitado quando a opção Tributado normalmente estiver marcado no quadro Tipo de Tributação Itens Vendidos (Geração SPED Fiscal - Perfil A)

193 Através desta rotina podem ser lançados e consultados os itens diários do cupom fiscal. Também podem ser efetuadas manutenções ou exclusão de lançamentos. Os lançamentos informados nesta rotina serão considerados na geração do SPED Fiscal. Estabelecimento: Selecione/Informe o estabelecimento que receberá os lançamentos. Data do Movimento: Informe o dia/mês/ano do lançamento. Série do Equipamento: Informe o número de série do equipamento de emissão do cupom fiscal. Número do Cupom: Informe o número do cupom fiscal. Modelo do Documento: Selecione o modelo 2D - Cupom Fiscal. Situação do Documento: Selecione uma das opções: 00-regular, 01-regular extemporâneo ou 02-Cancelado Valor de Operação: Informe o valor da operação. Valor de Pis: Informe o valor de Pis Valor de Cofins: Informe o valor de Cofins CPF/CNPJ do Adquirente: Informe o CPF ou CNPJ do adquirente. Nome: Informe o nome do adquirente. Através do botão Itens efetue o cadastro dos itens do cupom fiscal. Utilize o botão Pesquisar para localizar itens já lançados.

194 Para agilizar o lançamento, é possível importar os itens vendidos. Para importação, verifique aqui o procedimento e o layout Itens Através desta rotina podem ser lançados os itens do cupom fiscal. Estes lançamentos serão considerados na geração do SPED Fiscal. Código/NCM: Selecione o código do item. (F12) Nat. Operação: Selecione o Código Fiscal de Operações (CFOP) referente ao item. (F12) Qtde. Vendida: Informe a quantidade de itens vendidos. Qtde. Cancelada: Informe a quantidade de itens cancelados. Valor Operação: Informe o valor da operação. Valor Acréscimos: Informe o valor de acréscimos. Valor Descontos: Informe o valor de descontos concedidos para o item. Valor Cancelamentos: Informe o valor de itens cancelados. Valor do Serviço: Informe o valor do serviço, se for o caso. Alíquota do Serviço: Informe a alíquota de ISS do serviço. Aba ICMS: Preencha os campos com as informações de ICMS do cupom fiscal. Aba PIS: Preencha os campos com as informações de PIS. Aba COFINS: Preencha os campos com as informações de COFINS.

195 Itens Vendidos (Geração do SPED Fiscal Perfil B) Através desta rotina podem ser lançados os itens diários do cupom fiscal. Devem ser agrupados por código de CST ICMS, CFOP e Alíquota de ICMS. Os lançamentos informados nesta rotina serão considerados na geração do SPED Fiscal. Estabelecimento: Selecione/Informe o estabelecimento que receberá os lançamentos. Data do Movimento: Informe o dia/mês/ano do lançamento. Número de Série: Informe o número de série de fabricação do ECF. Por este código o sistema identificará o ECF lançado em Lançamentos\ Cupom Fiscal\ Redução Z. Código/NCM: Selecione/Informe o código do item (produto) cadastrado no sistema ou o seu NCM (Nomenclatura Comum do Mercosul). Origem: Selecione/Informe o código da origem da mercadoria.

196 CST ICMS: Selecione/Informe o código da situação tributária de ICMS correspondente ao item vendido. Nat. Operação: Selecione/Informe a natureza de operação (CFOP) correspondente ao item vendido. Qtde. Vendida: Informe a quantidade acumulada vendida, do item. Valor total: Informe o valor total acumulado vendido, do item. Qtde. cancelada: Informe a quantidade acumulada cancelada, do item. Valor de cancelamento: Informe o valor acumulado de cancelamento, do item. Valor de desconto: Informe o valor acumulado de desconto, do item. Valor de acréscimo: Informe o valor acumulado de acréscimo, do item. Base de ICMS: Informe o valor acumulado da base de cálculo do ICMS, referente a combinação CST + CFOP + Alíquota. Alíquota de ICMS: Informe o valor da alíquota para cálculo do ICMS. Valor de ICMS: Informe o valor acumulado do ICMS, referente a combinação CST + CFOP + Alíquota. Isentas ICMS: Informe o valor acumulado das saídas isentas do ICMS. ICMS. Outras ICMS: Informe o valor acumulado das saídas sob não-incidência ou não-tributadas pelo Valor Merc. ST: Informe o valor acumulado das saídas de mercadorias adquiridas com substituição tributária do ICMS. Valor de PIS: Informe o valor acumulado de PIS. Valor de COFINS: Informe o valor acumulado de COFINS. Valor do Serviço: Informe o valor do serviço. Alíquota do Serviço: Informe a alíquota de ISS. Utilize o botão Pesquisar para localizar itens já lançados. Para agilizar o lançamento, é possível importar os itens vendidos. Para importação, verifique aqui o procedimento e o layout Itens Vendidos (Geração da EFD Contribuições) Através desta rotina podem ser lançados os itens mensais do cupom fiscal.

197 Os lançamentos informados nesta rotina serão considerados na geração da EFD Contribuições. Estabelecimento: Selecione/Informe o estabelecimento que receberá os lançamentos. Mês/Ano: Informe o mês/ano do lançamento. Código/NCM: Selecione/Informe o código do item (produto) cadastrado no sistema ou o seu NCM (Nomenclatura Comum do Mercosul). Nat. Operação: Selecione/Informe a natureza de operação (CFOP) correspondente ao item vendido. Valor total: Informe o valor total acumulado vendido, do item. Na aba PIS: CST PIS/COFINS: Informe o código da situação tributário do PIS. Base: Informe o valor da base de cálculo do PIS. Alíquota (%): Informe a alíquota do PIS. Valor PIS: Informe o valor do PIS.

198 Qtde. Base: Informe a quantidade de base do PIS, no caso de produto com tributação especial. Alíquota (R$): Informe o valor do PIS, no caso de produto com tributação especial. Na aba COFINS: CST PIS/COFINS: Informe o código da situação tributário do COFINS. Base: Informe o valor da base de cálculo do COFINS. Alíquota (%): Informe a alíquota do COFINS. Valor PIS: Informe o valor do COFINS. Qtde. Base: Informe a quantidade de base do COFINS, no caso de produto com tributação especial. Alíquota (R$): Informe o valor do COFINS, no caso de produto com tributação especial. Utilize o botão Pesquisar para localizar itens já lançados. Para agilizar o lançamento, é possível importar os itens vendidos. Para importação, verifique aqui o procedimento e o layout Agrupamento de Itens vendidos Cupom Fiscal Efetua o agrupamento para a geração do SPED Fiscal e SPED PIS/COFINS, dos dados importados através da rotina Utilitários\ Importação\ Layout Padrão\ Cupom Fiscal\ Itens Vendidos (Geração do SPED Fiscal - Perfil A) e dados lançados através da rotina Lançamentos\ Cupom Fiscal\ Itens Vendidos (Geração do SPED Fiscal - Perfil A).

199 Estabelecimento: Selecione o estabelecimento (F12). Mês/Ano: Selecione/Informe o mês e ano que deseja efetuar o agrupamento. Opções: Agrupar dados para geração do SPED PIS/COFINS: marcando esta opção os dados importados serão agrupados para a geração do SPED PIS/COFINS Agrupar dados para geração do SPED Fiscal - Perfil B: marcando esta opção os dados importados serão agrupados para a geração do SPED Fiscal - Perfil B Eliminar registros existentes: se no mês/ano informado para importação já existir dados referentes ao agrupamento selecionado, marcando esta opção estes dados serão apagados, evitando registros duplicados. OBSERVAÇÃO: Os dados também poderão ser agrupados pela tela de importação: Importação\ Layout Padrão\ Cupom Fiscal\ Itens Vendidos (Geração do SPED Fiscal - Perfil A) Conhecimento de Frete Efetua somente lançamentos de notas de saída de Conhecimento de Frete. Deve ser usada somente por transportadoras. As informações registradas serão enviadas para o SINTEGRA no registro tipo Aba Nota

200 Estabelecimento: Selecione o estabelecimento que receberá os lançamentos. Mês/Ano: Informe o mês e ano de registro dos lançamentos, no formato MM/AAAA. Lançamento: Selecione o Tipo de Lançamento desejado. Dica: Cadastre um tipo de lançamento para cada tipo de nota, para agilizar o processo de digitação. Dia do Lcto: Informe o dia (que juntamente com o mês e ano formarão a data contábil) para o lançamento desta nota fiscal. Espécie: Informe a espécie do documento (NF, PDV, ECF, etc). Modelo: Informe o modelo do documento fiscal conforme convênio ICMS 57/96. Série: Informe a série do documento fiscal. Subsérie: Informe a subsérie do documento fiscal. NF: Informe o número da nota fiscal. Data de Emissão: Informe a data de emissão da nota fiscal, no formato DD/MM/AAAA. Remetente: Informe o código do remetente (origem do transporte) ou digite o número do CNPJ/CPF. (F12)

201 UF de Origem: Informe o Estado de origem. Clique em F12 para pesquisar. Município: Informe o Município. Destinatário: Informe o código do destinatário (destino do transporte) ou digite o número do CNPJ/CPF. (F12) UF de Destino: Altere se necessário, a UF (Estado) do destino do transporte. Consignatário: Se necessário, informe o consignatário do frete, ou seja, aquele que será considerado o tomador do serviço, quando este não for pago pelo remetente ou pelo destinatário. Este campo ficará habilitado somente quando o frete for por conta do Emitente ou por conta de Terceiros. Nat. Operação: Selecione o Código Fiscal de Operações (CFOP) referente a esta nota fiscal. (F12) Campo numérico com 3 dígitos para os códigos fiscais até 2002 e 4 dígitos a partir de O sistema exibirá os CFOP s conforme o Mês e Ano de lançamento. Nota: Ao lado do campo Nat. Operação tem um campo em branco, neste devemos informar a variação da natureza de operação. (F12) Inicialmente o sistema puxará como padrão sempre a variação 01. Consulte os tópicos Natureza de Operação e Variação da Natureza Através destes cadastros são definidos as incidências dos impostos para a Natureza de Operação. Nat. Operação S.T.: Se a nota fiscal tiver dois CFOP s, informe aqui o CFOP de Substituição Tributária. (F12) (F12) Classificação 1: Informe, se desejar o primeiro código de classificação para integração contábil. A conta contábil informada para a Natureza de Operação será ignorada. Classificação 2: Informe, se desejar o segundo código de classificação para integração contábil. A conta contábil informada para a Classificação 1 será ignorada. Complemento: Informe um texto que poderá ser utilizado na integração contábil. Para utilizá-lo, a Operação Contábil deve estar com o histórico parametrizado para utilizar este campo. Cada nota pode receber um texto distinto. Será utilizado tanto na contabilização on-line quanto por lote. No quadro Pagamento: Será selecionado automaticamente pelo sistema de acordo com o cadastro do tipo de lançamento e da Natureza de operação. Permite alteração. Nota: O campo Caixa/Banco só será habilitado quando a opção selecionada for À vista. Valor contábil: Informe o valor contábil da nota fiscal.

202 No quadro Frete, marcar o tipo de frete: Sem cobrança de frete Por conta do Remetente: CIF (Cost Insurance & Freight) - Frete pago pelo Vendedor Por conta do Destinatário: FOB (Free on Board) - Frete pago pelo Comprador Por conta do Emitente Por conta de Terceiros O tipo de frete será marcado conforme parametrizado em Cadastros\ Genéricos\ Tipos de Lançamento, podendo ser alterado. Para os CFOPs 5.352, 6.352, 5.353, 6.353, ou 6.357, será selecionada a opção "Por conta do Destinatário: FOB" Esta informação será utilizada para geração dos registros tipo 70 e 71 no arquivo a ser enviado ao FISCO. Não contabilizar essa nota: Marcando essa opção o lançamento não será enviado para a contabilidade Bases Abaixo são apresentados os cálculos, nos quadros de ICMS e Contribuições/Impostos, com base em informações do tipo de lançamento, alíquotas de tributação dos parâmetros, etc. Os demais campos devem ser preenchidos pelo usuário conforme os valores apresentados na nota fiscal. Os valores serão apresentados em seus respectivos quadros, o cursor será posicionado nos campos conforme informado no tipo de lançamento. Se não houver nada mais a ser solicitado o cursor será posicionado sobre o botão OK, para confirmar o lançamento. Neste momento poderá confirmar o lançamento, ou alterar qualquer valor posicionando sobre ele o cursor através do mouse.

203 No quadro Nota Fiscal são apresentadas as informações lançadas na guia Nota. No quadro Nota Fiscal que Acoberta a Carga, registre as informações do documento fiscal dos produtos transportados. Data de Emissão: Informe a data da emissão da Nota Fiscal da carga, no formato DD/MM/AA. Número: Informe o número da nota fiscal da carga. Modelo: Informe o modelo do documento fiscal conforme convênio ICMS 57/96. Valor Total: Informe o valor total da nota fiscal da carga. Série: Informe a série do documento fiscal. Botão MAIS NOTAS: Se houver mais de uma nota fiscal que acoberta a carga, estas devem ser registradas dentro desta opção. Observação: Quando não há Nota Fiscal que acoberta a carga, por exemplo no transporte de mudanças, informe zeros nos campos acima. Esta informação evita erros na validação do SINTEGRA. No quadro ICMS, informe os valores referentes ao ICMS da nota fiscal. Podem ser utilizadas até 06 bases distintas, com diferentes alíquotas de tributação. Base de Cálculo: Informe a base de cálculo de ICMS.

204 A base de cálculo (A) será calculada pelo sistema conforme o percentual informado no Tipo de Lançamento, podendo ser alterada se necessário. Alíquota: Informe a alíquota de tributação de ICMS. A alíquota da Base A, será informada automaticamente com base no cadastro de Alíquotas de Tributação de ICMS. Valor do ICMS: Informe o valor do ICMS. Os valores serão calculados automaticamente. Podendo alterar se necessário. Isentas: Informe o valor de isenção de ICMS. Outras: Informe o valor de outras para o ICMS. No quadro Contribuições/Tributos, os valores serão previamente calculados com base no percentual para formação da base de cálculo constante nos parâmetros, aplicada sobre o valor contábil da nota menos o valor do IPI. Podem entretanto ser alterados se necessário. Base PIS: Exibe a base de cálculo para recolhimento do PIS. Base COFINS: Exibe a base de cálculo para recolhimento do COFINS. Base CSLL: Exibe a base de cálculo para recolhimento da Contribuição Social. Base IRPJ: Exibe a base de cálculo para recolhimento do Imposto de Renda. Os itens 3 e 4 são calculados conforme o percentual de base de Cálculo informado em Alíquotas de Tributação, no Cadastro dos Parâmetros, Tributação. IMPORTANTE: Se a estabelecimento for optante pelo SIMPLES, os campos serão desabilitados e os valores mostrados neles não terão influência alguma sobre o cálculo do Tributo Federal. No quadro Retenção, informe os valores retidos na nota fiscal. Para as notas de saída estes valores serão deduzidos do valor a recolher destes tributos e para as notas de entrada é possível emitir a DARF para recolhimento do tributo retido Mais Notas Registre as informações do documento fiscal dos produtos transportados.

205 Botão MAIS NOTAS: Se houver mais de uma nota fiscal que acoberta a carga, estas devem ser registradas dentro desta opção. Número: Informe o número da nota fiscal da carga Modelo: Informe o modelo do documento fiscal conforme convênio ICMS 57/96. Valor Total: Informe o valor total da nota fiscal da carga. Série: Informe a série do documento fiscal. Data de Emissão: Informe a data da emissão da Nota Fiscal da carga, no formato DD/MM/AA. Observação: Quando não há Nota Fiscal que acoberta a carga, por exemplo no transporte de mudanças, informe zeros nos campos descritos acima. Esta informação evita erros na validação do SINTEGRA Serviço Através desta janela serão efetuados os lançamentos de Notas de Serviços (ISS). Para agilizar o lançamento, configure o tipo de lançamento com a opção de Somente Serviço (exclusivo) ou marque a opção Pedir Informações de Serviço. Após preencher os dados da nota o sistema abrirá a janela Serviço automaticamente.

206 Código do Serviço: Selecione o tipo de serviço que deve estar devidamente cadastrado em Cadastros / Prestação de Serviço / Itens de Serviço. Código Fiscal: Selecione o código fiscal que deve estar devidamente cadastrado em Cadastros / Prestação de Serviço / Código Fiscal. Situação Tributária: Selecione a situação tributária que deve estar devidamente cadastrado em Cadastros / Prestação de Serviço / Situação Tributária. ISS retido antecipadamente: Marque para os casos de ISS retido antecipadamente pelo tomador. Devido no local da prestação: Marque para os casos em que o ISS é pago no local da Prestação do Serviço. UF: Selecione o Estado (Unidade de Federação). Será habilitado somente para os casos de ISS devido no local da prestação. Município: Selecione o Município onde o serviço foi prestado, para o caso de ISS devido no local da prestação. Valor de Serviço: Apresenta o mesmo valor informado no campo do Valor Contábil, podendo ser alterado.

207 Base de Cálculo: Apresenta o mesmo valor informado em Valor de Serviço, podendo ser alterado. Alíquota: Será considerada a alíquota do Código do Serviço se esta tiver sido informada ou a alíquota do cadastro de Estabelecimentos / Parâmetros / Escrita Fiscal / Alíquotas. Valor de ISS: Imposto calculado multiplicando a base de cálculo pela alíquota, podendo ser alterado. Isentas ISS: Diferença entre o Valor Contábil da nota e o Valor de Serviço. ISS. ISS. Valor Materiais: Informe o valor referente aos materiais utilizados, que não são tributados pelo Valor Subempreitadas: Informe o v alor de serviços subcontratados, que não são tributados pelo No quadro Retenção informe os valores retidos na nota fiscal. Para as notas de saída estes valores serão deduzidos do valor a recolher destes tributos e para as notas de entrada é possível emitir a DARF para recolhimento do tributo retido. Data do Pagamento: Caso tenha optado pela compensação do imposto retido pelo regime de caixa, informe a data do pagamento para que o sistema considere esta data para retenção, e não a data da emissão da nota Complemento SINCO e DNF. Na a guia Complemento informe os dados necessários para geração de arquivo para o SINTEGRA,

208 Data de entrada: Preenchimento automático. Valor Total das Mercadorias: Preenchimento automático. Valor de Desconto: Informe o valor do desconto concedido. Transportador: Informe o código cadastrado. (F12) O transportador deverá ser cadastrado em Cadastros/Genéricos/ Emitentes/Destinatários. Valor do Frete: Informe o valor pago ao transportador. Valor das Despesas: Informe o valor referente as despesas. Valor do Seguro: Informe o valor do seguro realizado. Meio de Transporte: Selecione uma das opções. (Rodoviário, Ferroviário, Aeroviário, Hidroviário, Outros) Placa do Veículo: Informe a placa do veículo transportador. Quantidade de Volumes: Informe a quantidade de volumes transportados. Espécie: Informe a espécie do documento fiscal.(ex: NF, NFF, CTRC, ECF, etc.) Peso Bruto: Informe o peso total dos volumes transportados. Peso Líquido: Informe o peso líquido dos volumes transportados.

209 Número da Chave do CTe de Referência: Informe o número da chave do CT-e de referência, quando for CT-e complementar. Este campo será habilitado somente para modelo 57. Número da Declaração de Importação: Informe o número da Declaração para casos de importação. O quadro Informações para o registro 70 do SINTEGRA ficará habilitado somente se não houver informação de valores de ICMS, no quadro ICMS, da guia Nota. De acordo com o 5º do Art. 220 do RICMS-PR, os conhecimentos de frete iniciados em outros Estados devem ser lançados sem valor de ICMS. Porém para a geração do registro tipo 70 do sintegra, esses valores devem ser relacionados. Base de cálculo do ICMS: Informe a base de cálculo de ICMS. Valor do ICMS: Informe o valor do ICMS. Isentas: Informe o valor de isenção de ICMS, este não será acumulado para o SIMPLES Estadual. Outras: Informe o valor de outras para o ICMS. Quadro Valores Extras para a Contabilização: Caso hajam outros valores não discriminados pelo sistema na guia Complemento, é possível a criação de Valores Extras que poderão ser contabilizados separadamente. Para dar nome a estes valores acesse a rotina Cadastros /Empresas / Parâmetros / Gerais. Quadro Redespacho/Subcontratação: Sem Redespacho Por conta do Emitente Por conta do Destinatário Outros Marcando as opções 'Por conta do Emitente', 'Por conta do Destinatário' e 'Outros' o lançamento não será gerado no SINTEGRA, de acordo com o art 361-A do RICMS-PR (e outras normas, tais como a Portaria CAT 32/96 SP) Contabilização Define a forma de contabilização a ser utilizada pelo sistema. Esta guia não ficará visível quando a rotina de lançamento estiver com o status Consulta, e será habilitada somente se o lançamento sofrer alguma alteração. Neste caso, se a empresa utilizar a contabilização on-line, a operação contábil e os lançamentos serão sugeridos novamente sobrepondo os lançamentos contábeis existentes.

210 Operação Contábil: Será apresentada a operação contábil conforme os parâmetros contábeis do estabelecimento informados em Cadastros/estabelecimentos/Parâmetros/Contabilização. Se necessário selecione outra operação. De acordo com a operação contábil o sistema apresenta os Lançamentos que serão gerados na Contabilidade, no quadro ao final desta tela. Caso a estabelecimento utilize o recurso de contabilização On Line poderá efetuar alterações nos lançamentos. clicando duas vezes sobre o lançamento desejado. Centro de Custo: Selecione o centro de custo que deve ser considerado nos lançamentos contábeis. Débito: Informe o código reduzido da conta a débito para novos lançamentos ou alterações (opcional). (F12) Crédito: Informe o código reduzido da conta a crédito para novos lançamentos ou alterações (opcional). (F12) Valor: Informe o valor do lançamento contábil para novos lançamentos ou alterações (opcional). Estrutura do Histórico: Selecione a estrutura do histórico padrão e complete os campos para o histórico no quadro abaixo. (F12)

211 Os botões Novo Lançamento, Gravar Lançamento, Excluir Lançamento e Cancelar Lançamento, permitem incluir um novo lançamento, confirmar a inclusão do lançamento, excluir um lançamento e cancelar a inclusão de um lançamento, respectivamente. Número de lançamentos: Apresenta a quantidade de lançamentos que serão efetuados na contabilidade Parcelas Nesta aba pode ser cadastrada a forma de parcelamento, quando a nota fiscal for a prazo. Estes dados serão gerados para a Auditoria Financeira, se estiver parametrizado para controlar o pagamento/recebimento de notas fiscais e também para o SPED, registros C140: FATURA (CÓDIGO 01) e C141: VENCIMENTO DA FATURA (CÓDIGO 01). Para a Auditoria Financeira, deve-se definir no cadastro da empresa se o controle da nota será pelo saldo ou por parcelas. Conforme esta opção será gerado para a Auditoria, independente de lançar as parcelas na nota fiscal, ou seja, pode-se lançar as parcelas na nota fiscal mas integrar na Auditoria pelo saldo.

212 frete. Este controle de parcelas poderá ser realizado para notas de entrada, saída e conhecimento de A aba ficará visível somente se a nota tiver o tipo de pagamento "A prazo". Ao lançar a nota fiscal a prazo, o sistema gera automaticamente uma parcela, considerando o valor da nota e a data de emissão como vencimento. Pode-se gravar a nota desta forma, se não desejar controlar as parcelas, ou pode-se acessar a aba e alterar os dados. Na aba Parcelas, informar o número de parcelas, a data do primeiro vencimento e clicar em Gerar Parcelas. Serão geradas as parcelas, permitindo alteração. Detalhes dos Campos: Dados do Parcelamento: Total da Nota: campo desabilitado que informa o valor contábil da nota fiscal; Total de Retenções: campo desabilitado que informa o valor total de retenções da nota (ISS, PIS, COFINS, CSLL, IRRF, Funrural e INSS). Este valor não fará parte do pagamento/recebimento da nota fiscal; Valor da Entrada: informar neste campo o valor já pago como entrada. Este valor será desconsiderado ao compor o valor das parcelas seguintes. Porém, para a Auditoria Financeira este valor será gerado, como uma parcela zero ou somado ao saldo (conforme opção de controle de valor na Auditoria). É necessário informar o valor de entrada na Auditoria Financeira para que seja baixado/contabilizado por esta rotina. Valor a Faturar: corresponde ao valor total da nota menos o valor das retenções, menos o valor da entrada. É o valor que será parcelado; Tarifa de Cobrança: Será utilizado quando o valor da tarifa for cobrado a parte no título. Na tela, o sistema calcula automaticamente o valor da tarifa quando informado Valor a Faturar maior que o valor da nota menos retenções menos entrada. O valor da tarifa é rateado entre a quantidade de parcelas do título. Tipo de Título: o sistema preenche o campo automaticamente com o código 00- Duplicada, permitindo alteração. Esta informação será utilizada na geração do SPED; Número da Fatura: o sistema preenche o campo automaticamente com o número da nota fiscal, permitindo alteração. Para nota de saída, considera o número inicial; Número de Parcelas: informar neste campo a quantidade de parcelas para pagamento da nota fiscal. O sistema considera automaticamente uma parcela, permitindo alteração;

213 Data do 1º Vencimento: informar neste campo a data do primeiro vencimento. A partir desta data o sistema compõe o vencimento das demais parcelas, considerando o mesmo dia para os próximos meses. O sistema considera neste campo a data de emissão da nota fiscal, permitindo alteração; Gerar Parcelas: ao informar os dados do parcelamento, deve-se clicar neste botão para que as parcelas sejam geradas. Se houver arredondamento, esta diferença será lançada na última parcela Alteração da Parcela: Selecionar a parcela desejada com duplo clique e alterar Valor ou Data de Vencimento. Integração dos Dados para Auditoria Financeira: Se a empresa estiver parametrizada para efetuar contabilização on-line (Cadastro da Empresa, em Parâmetros\ Contabilização\ Integração\ Parâmetros), ao gravar a nota fiscal, se ela for a prazo, integrará as parcelas no Sage Contabilidade, na rotina de Auditoria Financeira, em Módulos. Se a empresa não estiver parametrizada para efetuar contabilização on-line, a integração das parcelas para a Auditoria Financeira ocorrerá na geração do lote contábil, em Módulos\ Integração Contábil\ Sage Contabilidade. ATENÇÃO: Se nos parâmetros da Auditoria Financeira estiver marcado para controlar as notas pelo saldo, mesmo que estejam lançadas as parcelas na nota fiscal, será integrado como parcela única pelo valor total. Se nos parâmetros da Auditoria estiver marcado para controlar as notas por parcela, se estiverem lançadas as parcelas na nota fiscal, serão integradas estas parcelas com seus respectivos valores de vencimentos. Se para determinada nota fiscal não quiser integrar com a Auditoria Financeira, mesmo estando o cliente/fornecedor parametrizado para isso, ao lançar a nota deve ser informado número de parcelas igual a zero Bases Extras Tributáveis Efetua os lançamentos dos valores adicionais ou de subtração a base de cálculo dos tributos, conforme incidência definida no cadastro das Bases de Cálculo/Valores Tributáveis, em Cadastros/ Genéricos. O sistema aceita vários lançamentos na mesma data e tipo de base de cálculo.

214 Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Base Extra Tributável: Selecione a base de cálculo (operação) que receberá o lançamento. Esta operação deve estar previamente cadastrada em Cadastros/Genéricos/Bases Extras Tributáveis/Valores Extras Tributados. (F12) Data do Lançamento: Informe a data, no formato DD/MM/AAAA. Valor: Informe o valor de lançamento. Cliente/Fornecedor: Se no cadastro de Bases Extras/Valores Extras tiver informação do Cliente/Fornecedor, o mesmo será utilizado para preenchimento deste campo, permitindo alteração e seguindo a regra abaixo: Se no cadastro de bases e valores estiver marcada a Operação da Base/Valor para Somar, trata-se de um lançamento a débito. Neste caso, aparecerá o campo Cliente, de preenchimento não obrigatório. Se no cadastro de bases e valores estiver marcada a Operação da Base/Valor para Subtrair, é um lançamento a crédito. Neste caso, aparecerá o campo Fornecedor, de preenchimento obrigatório. Complemento: Preencha com informações que julgue necessárias ao lançamento. O conteúdo deste campo será gerado no registro F100, campo 19, do SPED PIS/COFINS. Na grid serão exibidos os lançamentos efetuados. Código da SCP: Selecionar o código da SCP previamente cadastrada, se o valor se referir a uma Sociedade em Conta de Participação. Dica: Para alterar ou excluir um lançamento, dê um duplo clique sobre a linha desejada e efetue a alteração ou clique no botão Excluir Valores Extras Tributados

215 Efetua os lançamentos dos valores adicionais ou de subtração ao valor final dos tributos, conforme incidência definida no cadastro das Bases Extras Tributáveis / Valores Extras Tributados, em Cadastros/ Genéricos. O sistema aceita vários lançamentos na mesma data e tipo de base de cálculo. Estabelecimento: Informe o código do estabelecimento. (F12) Valor Extra Tributado: Selecione a base de cálculo (operação) que receberá o lançamento. Esta operação deve estar previamente cadastrada em Cadastros/Genéricos/Bases Extras Tributáveis / Valores Extras Tributados. (F12) Data do Lançamento: Informe a data, no formato DD/MM/AAAA. Valor: Informe o valor de lançamento. Cliente/Fornecedor: Se no cadastro de Bases Extras/Valores Extras tiver informação do Cliente/Fornecedor, o mesmo será utilizado para preenchimento deste campo, permitindo alteração e seguindo a regra abaixo: Se no cadastro de bases e valores estiver marcada a Operação da Base/Valor para Somar, trata-se de um lançamento a débito. Neste caso, aparecerá o campo Cliente, de preenchimento não obrigatório. Se no cadastro de bases e valores estiver marcada a Operação da Base/Valor para Subtrair, é um lançamento a crédito. Neste caso aparecerá o campo Fornecedor, de preenchimento obrigatório. Complemento: Preencha com informações que julgue necessárias ao lançamento. O conteúdo deste campo será gerado no registro F100, campo 19, do SPED PIS/COFINS.

216 Código da SCP: Selecionar o código da SCP previamente cadastrada, se o valor se referir a uma Sociedade em Conta de Participação. No grid abaixo, serão exibidos os lançamentos efetuados. Dica: Para alterar ou excluir um lançamento, dê um duplo clique sobre a linha desejada e efetue a alteração ou clique no botão Excluir Estoque de Abertura Nesta rotina devem ser lançados os valores correspondentes a estoque de abertura, ou seja, o crédito sobre o estoque de abertura de bens adquiridos para revenda (exceto os tributados no regime de substituição tributária e no regime monofásico) ou de bens a serem utilizados como insumo na prestação de serviços e na produção ou fabricação de bens ou produtos destinados à venda, adquiridos de pessoa jurídica domiciliada no País, existentes na data de início da incidência no regime não-cumulativo das contribuições sociais. Os bens recebidos em devolução, tributados antes da mudança do regime de tributação para o lucro real, também são considerados como integrantes do estoque de abertura, devendo ser os respectivos valores informados neste cadastro. Este lançamento deve ser efetuado se o ingresso no regime não-cumulativo ocorreu em até 12 meses anteriores ao período de apuração da escrituração. O crédito presumido calculado sobre este lançamento será utilizado em 12 parcela mensais, iguais e sucessivas, a partir da data em que ocorrer o ingresso no regime não-cumulativo. Após informado o estoque de abertura, ao efetuar a Apuração Mensal de Tributos, o crédito será gerado automaticamente, como Valor Extra Tributado, no cálculo de PIS/COFINS. O sistema fará automaticamente dois lançamentos em Lançamentos\ Valor Extra Tributado (um para PIS e outro para COFINS) nos 12 meses correspondentes ao crédito. Podem ser cadastrados diversos estoques de abertura, conforme controle adotado pela empresa. Este cadastro será utilizado na geração do SPED PIS/COFINS, para composição do registro F150- Crédito Presumido sobre Estoque de Abertura.

217 Estabelecimento: Selecione/Informe o estabelecimento a que pertence o estoque. Mês/Ano inicial: Mês de início da apuração do crédito sobre o estoque de abertura, ou seja, mês inicial de ingresso no regime não-cumulativo. Mês/Ano final: Este campo é apenas informativo e preenchido automaticamente pelo sistema. Indica o mês final de utilização dos créditos, ou seja, o 12º mês. Valor extra tributado PIS: Selecione/Informe o código do valor extra tributado de PIS que será utilizado para a apuração dos valores. Este cadastro deve ser previamente efetuado, em Cadastros\ Genéricos\ Bases Extras Tributáveis/Valores Extras Tributados. É possível selecionar somente cadastros de valores extras credores, que estejam parametrizados para incidir somente PIS e cujo código de Natureza do Crédito seja igual a 18- Estoque de abertura de bens. O código do valor extra tributado será utilizado na Apuração Mensal de Tributos, sendo lançado automaticamente em Lançamentos\ Valor Extra Tributado e utilizado como crédito no cálculo do PIS da empresa. Valor extra tributado COFINS: Selecione/Informe o código do valor extra tributado de COFINS que será utilizado para a apuração dos valores. Este cadastro deve ser previamente efetuado, em Cadastros\ Genéricos\ Bases Extras Tributáveis/Valores Extras Tributados.

218 É possível selecionar somente cadastros de valores extras credores, que estejam parametrizados para incidir somente COFINS e cujo código de Natureza do Crédito seja igual a 18- Estoque de abertura de bens. O código do valor extra tributado será utilizado na Apuração Mensal de Tributos, sendo lançado automaticamente em Lançamentos\ Valor Extra Tributado e utilizado como crédito no cálculo da COFINS da empresa. Valor total do estoque: Informar o valor total do estoque, independente de gerar crédito ou não. Parcela sem direito a crédito: Informar o valor da parcela do estoque de abertura referente a bens, produtos e mercadorias importados, ou adquiridas no mercado interno sem direito ao crédito (como por exemplo, aquisições de pessoas físicas, aquisições de produtos sujeitos à alíquota zero, etc.). Base de cálculo total: Este campo é preenchido automaticamente com o valor total do crédito. Corresponde ao Valor total do estoque menos a Parcela sem direito a crédito. Base de cálculo mensal: Este campo é preenchido automaticamente com o valor mensal do crédito. Corresponde a 1/12 da base de cálculo total. CST PIS/COFINS: Selecione/Informe o código da situação tributária referente ao PIS/COFINS, conforme tabela disponibilizada pela Receita Federal do Brasil. Alíquota PIS: Campo preenchido automaticamente com a alíquota de PIS, conforme instrução de preenchimento do registro F150 no manual do SPED PIS/COFINS. Crédito mensal de PIS: Campo preenchido automaticamente com o valor do crédito mensal de PIS. Corresponde a aplicação da alíquota de PIS sobre a base de cálculo mensal. Na apuração mensal de tributos, durante os 12 meses de vigência do crédito, este valor será lançado automaticamente em Tributos\ Valor Extra Tributado, compondo o valor final do PIS. Alíquota COFINS: Campo preenchido automaticamente com a alíquota de COFINS, conforme instrução de preenchimento do registro F150 no manual do SPED PIS/COFINS. Crédito mensal de COFINS: Campo preenchido automaticamente com o valor do crédito mensal de COFINS. Corresponde a aplicação da alíquota de PIS sobre a base de cálculo mensal. Na apuração mensal de tributos, durante os 12 meses de vigência do crédito, este valor será lançado automaticamente em Tributos\ Valor Extra Tributado, compondo o valor final da COFINS. Descrição do estoque: Este campo é de preenchimento optativo, caso queira discriminar o estoque pela sua composição, tais como: por matéria prima, material de embalagem, produtos intermediários, produtos em processamento, produto acabado, por centro de custo, etc. No botão Pesquisar, é possível visualizar/selecionar os estoques já lançados.

219 O botão Excluir somente poderá ser utilizado, se não tiver sido efetuada a apuração de tributos para nenhum dos 12 meses de utilização dos créditos Recebimentos Regime de Caixa Nesta rotina devem ser efetuados os lançamentos dos recebimentos, para apuração dos tributos federais pelo regime da caixa e geração da EFD Contribuições do Lucro Presumido. O lançamento dos recebimentos pode ser efetuado de forma individualizada, ou seja, recebimento a recebimento, ou pode ser agrupado por cliente, modelo, CFOP e alíquota de PIS/COFINS. Nos recebimentos de administradoras de cartões é obrigatória a separação por modelo, CFOP e alíquota de PIS/COFINS, inclusive nos recebimentos referentes a operações tributadas por unidade de medida. Os recebimentos podem também ser importados, a partir do layout próprio da EBS. Verifique aqui os detalhes para importação.

220 Estabelecimento: Informar/Selecionar o estabelecimento correspondente ao recebimento. Data de Recebimento: Informar a data da recebimento, dd/mm/aaaa. Valor Recebido: Informar o valor líquido recebido (valor principal + juros - descontos). Valor de Juros: Informar o valor pago correspondente a juros, se houver. Valor de Desconto: Informar o valor concedido de desconto, se houver. Valor de Exclusões: Informar valores que fazem parte do recebimento mas não integram a base de cálculo dos tributos. Fonte Pagadora: Informar/Selecionar a fonte do recebimento, entre: Cliente ou Administradora de Cartões. Cliente: Se na fonte pagadora for selecionada a opção Cliente, selecionar neste campo o emitente/destinatário que deve estar previamente cadastrado, em Cadastros\ Genéricos\ Emitentes/Destinatários. Se na fonte pagador for selecionada a opção Administradora de Cartões, este campo será denominado "Administradora" e deve ser selecionado o cadastro correspondente, que deve estar previamente cadastrado em Cadastros\ Genéricos\ Administradoras de Cartões. Modelo da Nota: Selecionar o modelo do documento fiscal que originou o recebimento, conforme convênio ICMS 57/95.

221 Natureza de Operação: Informar/Selecionar o Código Fiscal de Operações (CFOP) referente a operação que originou o recebimento. Código da SCP: Selecionar o código da SCP previamente cadastrada, se o valor se referir a uma Sociedade em Conta de Participação. CST PIS/COFINS: Informar/Selecionar Código da Situação Tributária correspondente a operação que originou o recebimento. Alíquota PIS (%): Informar a alíquota de PIS. Este campo será habilitado apenas para CST diferente de 3. Neste campo pode ser informado valor zero. Alíquota COFINS (%): Informar a alíquota de COFINS. Este campo será habilitado apenas para CST diferente de 3. Neste campo pode ser informado valor zero. Quantidade de Base PIS/COFINS: Informar a quantidade de base de PIS/COFINS. Este campo será habilitado apenas para CST igual a 3. Alíquota PIS (R$): Informar a alíquota de PIS em valor. Este campo será habilitado apenas para CST igual a 3. Alíquota COFINS (R$): Informar a alíquota de COFINS em valor. Este campo será habilitado apenas para CST igual a Vendas com Cartão de Crédito/Débito Nesta rotina devem ser registradas as vendas cujo recebimento tenha sido por cartão de débito ou de crédito, discriminando por Administradora de cartões. Estes dados serão utilizados na geração do SPED Fiscal, quando marcada como característica do estabelecimento, a venda com cartão de crédito ou de débito. Será gerado neste caso, o registro Deve ser informado o valor total dos recebimentos em cartões, excluídos os estornos, cancelamentos e outros recebimentos não vinculados à sua atividade operacional. A obrigatoriedade deste registro deve ser verificada junto a cada uma das unidades federativas.

222 Estabelecimento: Selecionar o estabelecimento correspondente a venda cujo recebimento foi com cartão. Mês/Ano: Informar o período correspondente a venda cujo recebimento foi com cartão. Administradora: Selecionar a administradora de cartões. A administradora deve estar previamente cadastrada em Cadastros\ Genéricos\ Administradoras de Cartão. Venda Cartão de Crédito: Valor total das operações realizadas no período referente a Cartão de Crédito Venda Cartão de Débito: Valor total das operações realizadas no período referente a Cartão de Débito Controle de Documentos Fiscais Utilizados Nesta rotina devem ser registrados os dispositivos autorizados e utilizados na emissão de documentos fiscais, bem como os documentos cancelados/inutilizados, do período. Estes dados serão utilizados na geração do SPED Fiscal, quando marcada como característica do estabelecimento, o controle de utilização de documentos fiscais em papel. Serão gerados neste caso os registros 1700 e A obrigatoriedade deste registro e as regras de preenchimento devem ser verificadas junto a cada uma das unidades federativas.

223 Estabelecimento: Selecionar o estabelecimento correspondente aos documentos fiscais. Mês/Ano: Informar o período correspondente aos lançamentos. Tipo de Documento: Selecionar entre as opções disponíveis: 00- Formulário de Segurança: Formulário utilizado pelo impressor autônomo nos termos dos Convênios ICMS nº 58/95 e 131/95 (vigentes até 30/06/2009) e Convênio ICMS nº 96/09 (com efeitos a partir de 01/07/2010);

224 01- FS-DA Formulário de Segurança para Impressão de Documento Auxiliar de Documentos Fiscais eletrônicos (NF-e, CT-e): Formulário utilizado para contingência de Documentos Fiscais eletrônicos, conforme Convênio ICMS nº 110/08 (vigente até 30/06/2009) e Convênio ICMS nº 96/0909 (com efeitos a partir de 01/07/2010); 02- Formulário de Segurança - NF-e: Formulário autorizado nos termos dos Convênios ICMS 58/95 e 131/95 (vigentes até 30/06/2009) e utilizados para emissão de NF-e em contingência, conforme Convênio ICMS 110/08 (vigente até 30/06/2009) e Convênio ICMS 96/0909 (com efeitos a partir de 01/07/2010) e Ajuste SINIEF nº 07/2005 e suas alterações; 03- Formulário Contínuo; 04- Blocos; 05- Jogos Soltos. Modelo: Informar o código do modelo do dispositivo autorizado. Será repetido o modelo do último mês cadastrado, permitindo alteração. Série: Informar a série do dispositivo autorizado. Será repetida a série do último mês cadastrado, permitindo alteração. Subsérie: Informar a subsérie do dispositivo autorizado. Será repetida a subsérie do último mês cadastrado, permitindo alteração. Número Inicial: Informar o número inicial do intervalo do documento, utilizado no período. Nos casos de documentos eletrônicos deverão ser informados a seriação, se existir, e os números préimpressos nos respectivos documentos utilizados. Número Final: Informar o número final do intervalo do documento, utilizado no período. Nos casos de documentos eletrônicos deverão ser informados a seriação, se existir, e os números préimpressos nos respectivos documentos utilizados. Número de Autorização: Informar o número da autorização, emitida pela Secretaria estadual, para utilização dos documentos. Será repetido o número de autorização do último mês cadastrado, permitindo alteração. No Quadro Documentos Inutilizados, informar os documentos cancelados/inutilizados no intervalo: Podem ser informados diversos documentos. Numeração: Informar o documento ou um intervalo de documentos cancelados ou inutilizados. Esta numeração deve estar compreendida no lançamento de documentos utilizados. Para incluir os documentos inutilizados, clicar no Gravar deste quadro. Para excluir um registro, marcá-lo na coluna excluir, clicando no respectivo botão Controle de Exportação

225 Rotinas para lançamentos de dados para Controle de Exportação Lançamento de Declaração de Exportação Nesta rotina devem ser efetuados os lançamentos da Declaração de Exportação. Este lançamento é efetuado em três etapas: Lançamento da Declaração de Exportação Lançamento dos Registros da Exportação Lançamento das Notas de Exportação LANÇAMENTO DA DECLARAÇÃO DE EXPORTAÇÃO Informar Mês/Ano, Número da Declaração, Data da Declaração e Data da Averbação. Selecionar o Tipo da Declaração e o Tipo da Exportação. Ao clicar em Gravar, habilita o botão para informar os Registros da Exportação.

226 REGISTROS DA EXPORTAÇÃO Informar Data do Registro, Número do Conhecimento de Embarque, Data do Conhecimento de Embarque, selecionar o Tipo de Conhecimento, Selecionar o País. Ao clicar em Gravar, habilita o botão para informar as Notas de Exportação. NOTAS DE EXPORTAÇÃO Nesta tela, deverão ser selecionadas as notas e os itens correspondentes à declaração de Exportação. Marcar as opções conforme filtro desejado. Clicar em Pesquisar e serão relacionadas as nota fiscais de exportação com seus itens. Selecionar os itens e clicar em Gravar.

227 Observações: O filtro "Listar somente notas com CFOP 7501 (exportação indireta)" será habilitado apenas se a declaração for de exportação direta. O filtro "Listar somente notas com CFOP 7101 e 7102 (exportação direta)", será habilitado apenas se a declaração for de exportação indireta Relatório de Conferência Relatório para visualizar os dados lançados referentes a exportação

228 4. Módulos Rotinas relacionadas a processamentos diversos do sistema, como; Controle de Inventário Informações para a DIME Anual Integração Contábil Geração de Arquivos Excluir Lançamentos Antigos Fechamento Mensal Atividade Imobiliária 4.1. Controle de Inventário Rotinas referentes ao controle de inventário Zeramento do Saldo Zera os saldos dos itens do estoque (produtos) para a emissão do inventário, permitindo zerar o saldo por intervalo de produtos. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Data do Zeramento: Informe a data para o zeramento no formato DD/MM/AAAA. Recomendamos informar a mesma data que será utilizada na emissão do Livro Registro de Inventário. Item: Informe o código do item do estoque (produto). (F12) Manutenção do Saldo

229 Rotinas relacionadas a manutenção do saldo de inventário Estoque Próprio em seu Poder Lançamento necessário para emissão do Livro Registro de Inventário. Informe aqui os saldos de estoque próprio em seu poder. O sistema armazenará apenas os saldos em suas respectivas datas, não fará controle das entradas e saídas do estoque. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Data do Inventário: Informe a data de referência no formato DD/MM/AAAA. Item: Informe o código ou NCM do item. Para pesquisa utilize o F12. No quadro Posição Atual os campos de preenchimento automático pelo sistema. Último Inventário: Data do último inventário registrado no sistema. No formado DD/MM/AAAA. Quantidade: Quantidade do item conforme último inventário registrado no sistema. Valor Unitário: Valor unitário do item conforme último inventário registrado no sistema. Valor Total: Valor total dos itens conforme último inventário registrado no sistema. No quadro Nova Posição registre os saldos em estoque. Quantidade: Informe a quantidade constante em estoque. Valor Unitário: Informe o valor unitário do item.

230 O quadro Informações Extras - SEF 2012 será habilitado apenas para estabelecimentos de Pernambuco. Nos campos, deve-se informar o valor dos tributos a recuperar referente ao item de inventário Estoque Próprio em Poder de Terceiros Lançamento necessário para emissão do Livro Registro de Inventário. Informe aqui os saldos de estoque próprio em poder de terceiros. O sistema armazenará apenas os saldos em suas respectivas datas, não fará controle das entradas e saídas do estoque. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12)

231 Data do Inventário: Informe a data de referência no formato DD/MM/AAAA. Cliente/Fornecedor: Informe o código ou CNPJ do Cliente ou Fornecedor onde o item se encontra. (F12) Item: Informe o código ou NCM do item. Para pesquisa utilize o F12. No quadro Posição Atual os campos de preenchimento automático pelo sistema. Último Inventário: Data do último inventário registrado no sistema. No formado DD/MM/AAAA. Quantidade: Quantidade do item conforme último inventário registrado no sistema. Valor Unitário: Valor unitário do item conforme último inventário registrado no sistema. Valor Total: Valor total dos itens conforme último inventário registrado no sistema. No quadro Nova Posição registre os saldos em estoque. Quantidade: Informe a quantidade constante em estoque. Valor Unitário: Informe o valor unitário do item. O quadro Informações Extras - SEF 2012 será habilitado apenas para estabelecimentos de Pernambuco. Nos campos, deve-se informar o valor dos tributos a recuperar referente ao item de inventário Estoque de Terceiro em Seu Poder Lançamento necessário para emissão do Livro Registro de Inventário. Informe aqui os saldos de estoque de terceiros em seu poder. O sistema armazenará apenas os saldos em suas respectivas datas, não fará controle das entradas e saídas do estoque.

232 Estabelecimento: Selecione o código do estabelecimento. (F12) Data do Inventário: Informe a data de referência no formato DD/MM/AAAA. Cliente/Fornecedor: Informe o código ou CNPJ do Cliente ou Fornecedor do item. (F12) Item: Informe o código ou NCM do item. Para pesquisa utilize o F12. No quadro Posição Atual os campos tem preenchimento automático pelo sistema. Último Inventário: Data do último inventário registrado no sistema. No formado DD/MM/AAAA. Quantidade: Quantidade do item conforme último inventário registrado no sistema. Valor Unitário: Valor unitário do item conforme último inventário registrado no sistema. Valor Total: Valor total dos itens conforme último inventário registrado no sistema. No quadro Nova Posição registre os saldos em estoque. Quantidade: Informe a quantidade constante em estoque. Valor Unitário: Informe o valor unitário do item. O quadro Informações Extras - SEF 2012 será habilitado apenas para estabelecimentos de Pernambuco. Nos campos, deve-se informar o valor dos tributos a recuperar referente ao item de inventário Relatório para Contagem

233 Relatório útil para controle da contagem do inventário. Será mostrado o último saldo registrado por item e ao lado campo para informação da nova posição conforme contagem. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Item: Informe o intervalo de códigos dos itens. Para pesquisa utilize o F12. (Opcional para filtro) Listar somente a última movimentação: Se marcada esta opção, será mostrada somente a última movimentação dos itens. Listar itens com saldo zero: Se marcada esta opção, serão listados todos os itens, inclusive os que estiverem com saldo zero. No quadro Classificação selecione a ordem de emissão desejada. No quadro Consolidação selecione a opção desejada Informações para DIME Anual Rotinas relacionada a geração da DIME Anual Manutenção de Contas Na Declaração do ICMS e do Movimento Econômico DIME é solicitado o preenchimento de algumas informações contábeis. Essas informações podem ser extraídas do Sage Gestão Contábil automaticamente, na geração do arquivo para a DIME. Nesta rotina serão informadas as contas contábeis (classificação), conforme o plano de contas, para que o sistema saiba de onde extrair as informações a serem geradas. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento.

234 Quadro 81 - Ativo: Informe o número da classificação das contas contábeis do Ativo, conforme plano de contas cadastrado no Sage Contabilidade. As contas podem ser analíticas (conta que recebe o lançamento) ou sintéticas (grupo de contas). Para consulta do plano de contas tecle <F12>, utilize o duplo clique para trazer a conta ao campo. Quadro 82 - Passivo: Informe o número da classificação das contas contábeis do Passivo, conforme plano de contas cadastrado no Sage Contabilidade. As contas podem ser analíticas (conta que recebe o lançamento) ou sintéticas (grupo de contas). Para consulta do plano de contas tecle <F12>, utilize o duplo clique para trazer a conta ao campo.

235 Quadro 83 - Demonstração de Resultado: Informe o número da classificação das contas contábeis de resultado, conforme plano de contas cadastrado no Sage Contabilidade. As contas podem ser analíticas (conta que recebe o lançamento) ou sintéticas (grupo de contas). Para consulta do plano de contas tecle <F12>, utilize o duplo clique para trazer a conta ao campo. Quadro 84 - Detalhamento de Despesas: Informe o número da classificação das contas contábeis de despesa, conforme plano de contas cadastrado no Sage Contabilidade. As contas podem ser analíticas (conta que recebe o lançamento) ou sintéticas (grupo de contas). Para consulta do plano de contas tecle <F12>, utilize o duplo clique para trazer a conta ao campo Apuração de Valores Através desta rotina o sistema buscará os valores do Sage Contabilidade e irá apurar também os dados do Escrita Fiscal para posterior geração do arquivo magnético. Esta rotina é obrigatória, após realizá-la confira os valores apurados através da rotina Módulos/ Informações para a DIME Anual/ Manutenção dos Valores e complemente os dados que forem necessários.

236 Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. Mês/Ano: Informe o mês/ano inicial e final a ser apurado, no formato MM/AAAA. Para geração do arquivo anual, informe 01/AAAA a 12/AAAA Manutenção dos Valores Permite visualizar e alterar os valores trazidos do Sage Contabilidade e também os dados apurados no Escrita Fiscal, calculados na rotina de Apuração de Valores. Atenção: O programa da DIME não aceita casas decimais (centavos) na guia "Valores dos Quadros", por isso pode ocorrer diferenças nas totalizações dos grupos de contas do Ativo e Passivo, se comparados com os relatórios emitidos pelo Sistema Contábil. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. Ano: Informe o ano já apurado que deseja visualizar e/ou alterar. Certifique-se de que todos os quadros e campos foram preenchidos corretamente, complemente os dados que ficaram pendentes e grave as alterações, evitando assim erros no momento da validação do arquivo pelo programa da DIME.

237 4.3. Integração Contábil Estas rotinas são utilizadas para gerar os lançamentos contábeis para o Sage Contabilidade ou outros sistemas, referente aos lançamentos e impostos apurados pelo sistema. A geração do lote contábil dependerá do correto cadastramento das contas contábeis efetuadas nas rotinas abaixo. Cadastros relacionados: Natureza de Operação Emitentes/Destinatários Apropriação de Impostos Geral Natureza de Operação Planilha A planilha é um espelho do lote que será gerado pelo sistema, é utilizada para a conferência das contas contábeis e históricos, contendo os lançamentos contábeis referentes aos lançamentos fiscais de um determinado período. A integração contábil por lote propriamente dita só deverá ser executada no final do mês após emissão das guias. Já a integração contábil on-line é efetuada a cada lançamento.

238 Mês/Ano: Informe o mês e ano que deseja gerar a planilha. filtro.) Intervalo de Dias: Informe o dia inicial e final para emissão da planilha. (Opcional, usado como No quadro Opções: No quadro Sage Contabilidade, selecione as opções desejadas. Listar descrição das contas contábeis: Auxilia na identificação das contas contábeis cadastradas no Sage Contabilidade neste relatório com a respectivo lançamento fiscal. Listar somente lançamentos sem conta: Listará somente os lançamentos que porventura contenham contas contábeis ou históricos não cadastrados no Sage Contabilidade. Esta opção é bastante útil para conferência prévia antes da integração, uma vez que permite trabalhar com um relatório menor. No quadro Classificação: Para os lançamentos de notas fiscais, selecione uma das opções: Sequência de Lançamento Dia de Lançamento Geração de Lote Contábil Gera um lote para o Sage Contabilidade contendo os lançamentos fiscais. O lote deve ser liberado no Sage Contabilidade Se existir alguma conta ou histórico não informado, não será possível fazer a integração. Para efetuar a integração é necessário que as contas existam no plano de contas e que estejam cadastradas para Emitentes/Destinatários, Natureza de Operação e Apropriação de Impostos. O sucesso da geração do Lote Contábil depende da conferência da Planilha Contábil.

239 Mês/Ano: Informe o mês e ano que será integrado. Intervalo de Dias: Possibilita a integração contábil por períodos, dentro do mês. Esta opção é válida somente para as notas fiscais de entrada e saída. No quadro Opções: No quadro Gerar Lançamentos: Conforme data contábil: Se marcada esta opção, contabilizará as notas de acordo com a sua data de emissão. No último dia do mês: Se marcada esta opção, contabilizará as notas no último dia do mês, sem levar em consideração a sua data de emissão. No quadro Classificação: Para os lançamentos de notas fiscais, selecione uma das opções: Sequência de Lançamento Dia de Lançamento Número de Lançamentos: Apresenta a quantidade de lançamentos que serão integrados. Clique no botão OK. O sistema irá conferir o lote em busca de ocorrências que, se houverem, devem ser corrigidas. Caso não possua ocorrências, clique no botão Gerar Lote.

240 Gerar Lote Gera um lote para o Sage Contabilidade contendo os lançamentos fiscais. O lote deve ser liberado no Sage Contabilidade Número do Lote a Gerar: Informe o número do lote, ou clique no botão Lote Vago, para que o sistema sugira o próximo número vago. Descrição do Lote: Informe uma descrição que identifique facilmente nosage este lote. Identificador do Lote: Informe algum código/descrição que identifique este lote no sistema contábil. O identificador poderá ser utilizado para buscar o lote no Sage Contabilidade, caso o número dele seja esquecido.

241 Gerar o lote como liberado: Com esta opção, o lote é gerado na contabilidade com o status de liberado, não sendo necessário executar este procedimento no Sage Contabilidade, para que os valores sejam considerados nos relatório. Se a empresa estiver parametrizada para utilizar a Auditoria Financeira, esta opção virá por padrão marcada e desabilitada, ou seja, neste caso o lote sempre será gerado como liberado, evitando diferença entre os saldos contábeis e os saldos da Auditoria. Através do identificador os usuários não precisão saber o número do lote para ter acesso aos lançamentos, basta informar o identificar correspondente. Exemplos de identificadores de lotes. Para os lotes dos lançamentos dos meses 05/2015, 06/2015 e 07/2015. Identificador = SF0515, SF0615 e SF0715 Para os lotes das Receitas dos meses 05/2015, 06/2015 e 07/2015. Identificador = RC0515, RC0615 e RC0715 Clique no botão Gravar para confirmar a geração do lote. Acesse o Sage Contabilidade, confira e libere o lote para que conste nos relatórios contábeis Arquivo Texto Esta rotina gera os lançamentos contábeis em arquivo texto com o nome de LIFSAI.TXT, que pode ser importado em outros sistemas contábeis. O sucesso da geração do Lote Contábil depende da conferência da Planilha Contábil. Mês/Ano: Informe o mês e ano que desejado. Diretório: Informe o caminho onde será gerado o arquivo.

242 Dia: Informe o dia inicial e final de integração (opcional). No quadro Opções: Gerar Notas de Entrada: Integrar as notas fiscais de entradas. Gerar Notas de Saída: Integrar as notas fiscais de saída e serviços. Gerar Apropriação de Tributos: Nesta opção serão gerados os lançamentos de notas fiscais e apropriação de impostos. Se já efetuou a integração das notas, os lançamentos de apropriação de impostos devem ser apurados e efetuados manualmente. No quadro Gerar Lançamentos: Conforme data contábil: Se marcada esta opção, contabilizará as notas de acordo com a sua data de emissão. No último dia do mês: Se marcada esta opção, contabilizará as notas no último dia do mês, sem levar em consideração a sua data de emissão. Para verificar o Layout Clique Aqui Arquivo de Lote Contábil (Remoto) Gera o lote de lançamentos em arquivo texto para o Sage Contabilidade quando o Sistema Contábil não está instalado na mesma máquina ou em rede. O arquivo gerado poderá ser transmitido para o contador via Internet ou outro meio, e deverá ser importado através da rotina de Utilitários/ Importação/ Lote Normal. O usuário do sistema contábil deverá liberar o lote, após a importação, para aceitar os lançamentos, ou poderá ainda alterar, incluir ou excluir os lançamentos do lote. O sucesso da geração do Lote Contábil depende da conferência da Planilha Contábil.

243 Mês/Ano: Informe o mês e ano que desejado. Número do Lote: Informe o número do lote. Identificador: Informe algum código que identifique este lote no sistema contábil. Data do Lote: Informe a data do lote no formato DD/MM/AAAA. Descrição: Informe uma descrição que identifique facilmente no Sageo conteúdo deste lote. Diretório: Informe o diretório onde será gerado do arquivo LOTDNNNN.TXT, onde nnnn corresponde ao Número do Lote a ser gerado. Dia: Intervalo de Dias: Informe o dia inicial e final de integração (opcional). Gerar Notas de Entrada: Integrar as notas fiscais de entradas. Gerar Notas de Saída: Integrar as notas fiscais de saída e serviços. Gerar Apropriação de Tributos: Nesta opção serão gerados os lançamentos de notas fiscais e apropriação de impostos. Se já efetuou a integração das notas, os lançamentos de apropriação de impostos devem ser apurados e efetuados manualmente. No quadro Gerar Lançamentos : Conforme data contábil: Se marcada esta opção, contabilizará as notas de acordo com a sua data de emissão. No último dia do mês: Se marcada esta opção, contabilizará as notas no último dia do mês, sem levar em consideração a sua data de emissão Geração de Arquivos Rotinas relacionadas a geração de arquivos Federais, Estaduais e Municipais.

244 FEDERAIS: DIRF SINTEGRA SINTEGRA - Itens DCTF Mensal DACON SINCO SVA SPED DMED GNRE PER/DCOMP GIA - ST ESTADUAIS: Alagoas Bahia Maranhão Mato Grosso Mato Grosso do Sul Minas Gerais Pará Paraná Pernambuco Rio de Janeiro Rio Grande do Norte Rio Grande do Sul Santa Catarina São Paulo MUNICIPAIS:

245 Geração de Arquivos do Município DIRF Geração de Arquivos Gera o arquivo para a DIRF, considerando as notas fiscais de entrada que tiveram retenção de PIS, COFINS e CSLL, e os pagamentos que tiveram retenção de IR para cada beneficiário (emitente da nota), separados por código de receita. Importante: Para a validação do arquivo gerado deverá ser utilizado o programa Gerador (PGD). O aplicativo validador da DIRF permite importar os arquivos gerados pelo Sage Folha de Pagamento, que contém as informações sobre o Imposto de Renda dos sócios, autônomos e funcionários, e o arquivo gerado pelo Sage Fiscal, que contém informações sobre as retenções de PIS, COFINS e CSLL, e os pagamentos com retenção de IR. Os arquivos são gerados separadamente, mas podem ser agrupados no validador, importando-se primeiro um e depois o outro arquivo. Ano Base: Informe o ano base de geração no formato AAAA. CPF Responsável pela Geração: Campo preenchido automaticamente com o CPF de contato informado no cadastro do responsável vinculado ao estabelecimento matriz. CPF Responsável pelo Estabelecimento: Campo preenchido automaticamente com o CPF do representante legal informado no cadastro do estabelecimento matriz. Período: Campo preenchido automaticamente conforme o ano base, permitindo alteração caso seja necessário delimitar um intervalo dentro deste ano. Diretório: Informar o diretório onde será gerado o arquivo. Buscar o arquivo deste diretório ao efetuar a importação no programa da DIRF. Nome do Arquivo: Este campo será preenchido automaticamente com DIRFNNN.TXT, onde NNN é o número da empresa, permitindo alteração. Utilizando o código da empresa no nome do arquivo, é possível gerar várias empresas no mesmo diretório, sem que os mesmos sejam sobrepostos.

246 Natureza Jurídica: Este campo será preenchido automaticamente, conforme a Natureza Jurídica cadastrada no estabelecimento Matriz. A regra será a seguinte: Naturezas 1015, 1040, 1074, 1104, 1139, 1996, gera com código 1; Naturezas 1023, 1031, 1058, 1066, 1082, 1090, 1112, 1120, 1147, 1155, 2011, 2020, gera com código 2; Natureza 2038 gera com código 3; Demais naturezas serão geradas com código 0. Este campo poderá ser alterado, se necessário. Emitentes: Se desejar poderá filtrar o arquivo informando um intervalo de emitente(s). Imprimir relatório após a geração: Marcando esta opção será emitido um relatório com os dados gerados no arquivo, para conferência. O arquivo é gerado centralizado na matriz. Se o mesmo emitente possuir notas lançadas em mais de um estabelecimento da empresa, estes serão somados em um único registro do arquivo do Município Sintegra Gera o arquivo FISCO-MESANO.TXT, nos padrões estabelecidos pelo Convênio ICMS 57/96 e demais alterações com os CFOP de Após gerar o arquivo deverá valida-lo no programa do SINTEGRA, na versão atualizada. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Mês/Ano: Informe o mês e ano de geração. Período: Preenchido automaticamente conforme informado no campo Mês/Ano.

247 Notas de Entrada: Marque para que seja gerada no arquivo as notas de entradas. Notas de Saída: Marque para que seja gerada as notas de saídas. Gerar Registro de Itens: Marque para que seja gerado os itens das notas lançados na entrada e/ou saída. Gerar Registro de Inventário: Gera o registro de inventário (tipo 74) para o SINTEGRA. Dica: Para gerar as informações do inventário é necessário cadastrar as informações em Módulos/Controle de Inventário. No quadro Informações a Gerar, marque uma das opções: Todas as Operações: Geram todos os dados, independente do estado (UF) da nota. Operações Interestaduais: Gera apenas as notas do mesmo estado (UF) do estabelecimento. Operações com Estado Específico - UF: Gera apenas as notas do estado (UF) informado na tela. Diretório: Informe o caminho onde será gerado o arquivo.. Equipamento: Descrever as características do equipamento utilizado pelo sistema. Nome do Arquivo: Será preenchido automaticamente, conforme cada estado, porém admitirá alteração. É composto por: FISCO + hífen + mês/ano informado. Por exemplo: se informar mês/ano = 01/2009, o nome do arquivo será FISCO TXT. Retificadora: Marcar caso esteja gerando um arquivo de retificação. Considerar Código de Identificação dos Produtos: Se gerar o arquivo com esta opção marcada, será considerado o código de identificação no lugar do próprio código do produto. Se o produto não tiver código de identificação informado, será considerado o próprio código do produto. A princípio, esta opção será utilizada somente se houver exigência da fiscalização. Observações: Quando o CNPJ de emitentes/destinatários estiver preenchido com 14 dígitos iguais em seu cadastro ( / ; / ; etc.), será gerado zerado no arquivo. Este procedimento evita rejeição do arquivo no validador e não obriga que os cadastros dos emitentes/destinatários sejam alterados. Quando o estado for Pernambuco e estiver marcada a opção Gerar dados para o SEF, serão gerados no registro 60M o valor do GT Total do dia anterior e o somatório dos valores de ICMS. Também serão geradas as seguintes informações adicionais: Data da operação Número de lançamento contábil

248 Alíquota do ICMS: gerar a primeira alíquota, pois as notas geradas nesse registro (notas de transporte) sempre possuem apenas essa alíquota. Observação Sintegra Itens Esta rotina irá realizar a geração do arquivo para validação no Sintegra de acordo com os itens lançados nas notas fiscais. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Mês/Ano: Informe o mês e ano de geração. Período: Preenchido automaticamente conforme informado no campo Mês/Ano. Notas de Entrada: Marque para que seja gerada no arquivo as notas de entradas. Notas de Saída: Marque para que seja gerada as notas de saídas. Gerar Registro de Itens: Marque para que seja gerado os itens das notas lançados na entrada e/ou saída. Gerar Registro de Inventário: Gera o registro de inventário (tipo 74) para o SINTEGRA. Dica: Para gerar as informações do inventário é necessário cadastrar as informações em Módulos/Controle de Inventário. No quadro Informações a Gerar, marque uma das opções: Todas as Operações: Geram todos os dados, independente do estado (UF) da nota. Operações Interestaduais: Gera apenas as notas do mesmo estado (UF) do estabelecimento. Operações com Estado Específico - UF: Gera apenas as notas do estado (UF) informado na tela. Diretório: Informe o caminho onde será gerado o arquivo.

249 Equipamento: Descrever as características do equipamento utilizado pelo sistema. Nome do Arquivo: Será preenchido automaticamente, conforme cada estado, porém admitirá alteração. É composto por: FISCO + hífen + mês/ano informado. Por exemplo: se informar mês/ano = 01/2009, o nome do arquivo será FISCO TXT. Retificadora: Marcar caso esteja gerando um arquivo de retificação. Considerar Código de Identificação dos Produtos: Se gerar o arquivo com esta opção marcada, será considerado o código de identificação no lugar do próprio código do produto. Se o produto não tiver código de identificação informado, será considerado o próprio código do produto. A princípio, esta opção será utilizada somente se houver exigência da fiscalização. Importante: Para a correta geração do arquivo, todos os lançamentos devem ter itens (produtos) informados e os valores dos mesmos devem ser idênticos as informações constantes na guia Bases. Empresas prestadoras de serviço, transportadoras e outras atividades que não possuem informações de itens em seus lançamentos devem utilizar a rotina SINTEGRA normalmente. Observação: Quando o CNPJ de emitentes/destinatários estiver preenchido com 14 dígitos iguais em seu cadastro ( / ; / ; etc.), será gerado zerado no arquivo. Este procedimento evita a rejeição do arquivo no validador e não obriga que os cadastros dos emitentes/destinatários sejam alterados. ESTABELECIMENTOS DE PERNAMBUCO Quando o estabelecimento for de Pernambuco, será habilitada a opção "Gerar dados para o SEF". Marcando-a, são gerados além dos registros normais do SINTEGRA nacional, outros dados necessários para a importação do arquivo no validador específico utilizado em Pernambuco, denominado SEF. Além disso, serão habilitados campos para informar "Data de encerramento do balanço" e "Consumo de energia (KWh)". ESTABELECIMENTOS DA PARAÍBA Quando o estabelecimento for da Paraíba, será habilitado o quadro "Dados da Entrega" com os campos: Situação: Selecione uma das situações. Nº Recibo Anterior: Preencha com o número do código autenticador do recibo oficial da GIM referente ao mês anterior. Este campo não é habilitado para a situação 1-1ª Entrega (Início Atividade) Data da Situação: Este campo deve ser preenchido com a data que ocorreu a Situação selecionada. Para a situação 0-Entrega Mensal, o campo ficará desabilitado.

250 Para as empresas optantes do Simples Nacional, será habilitado o quadro "Simples Nacional", com os campos: Categoria do Estabelecimento: Preenchido automaticamente com a opção 1-Matriz ou Estabelecimento Único, se o estabelecimento informado na tela for matriz ou tiver apenas um estabelecimento. Se o estabelecimento selecionado na tela for filial, o campo será preenchido com 2- Outra categoria de Estabelecimento, permitindo alterações. Base de Cálculo: Habilitado somente para categoria do estabelecimento 1 e 3. Será preenchido automaticamente com o valor do faturamento para o simples, conforme relatório Tributos\ Simples Nacional\ Demonstrativo para Cálculo, valor correspondente a receita total do mês de apuração. Permite alteração. Valor do Imposto: Habilitado somente para categoria do estabelecimento 1 e 3. Preenchido automaticamente com o valor do imposto, se já tiver sido integrado o DAS e o valor do imposto estiver gravado no sistema. Permite alteração. Alíquota: Informe a alíquota. Este campo é habilitado somente para categoria do estabelecimento 1 e 3. ICMS importação: Informe o valor do ICMS importação DCTF Mensal Conforme Instrução Normativa RFB nº 974, de 27 de novembro de 2009, as pessoas jurídicas de direito privado em geral, inclusive as equiparadas, as imunes e as isentas, as autarquias e fundações da administração pública dos Estados, Distrito Federal e Municípios e os órgãos públicos dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário dos Estados e do Distrito Federal e dos Poderes Executivo e Legislativo dos Municípios, desde que se constituam em unidades gestoras de orçamento, deverão apresentar, de forma centralizada, pela matriz, mensalmente, a Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais (DCTF).

251 Mês/Ano: Informe o mês e ano no formato "MM/AAAA". Diretório: Informe o caminho onde será gerado o arquivo. Nome do arquivo: O nome do arquivo deverá ser como padrão DCTF_MMAAAA.RFB. O nome do arquivo pode ser alterado, porém deve-se manter a extensão.rfb para que na importação pelo programa da DCTF o arquivo seja apresentado para seleção. Gerar dados da folha de pagamento: Se marcada esta opção, ao gerar o arquivo, além dos tributos apurados pelos Sage Fiscal serão gerados os tributos apurados pelo Sage Folha de Pagamento. Serão considerados os tributos: IRRF funcionários/diretores; IRRF autônomos e PIS s/ folha. Serão gerados os registros de Débito (R10) e de Pagamento (R11). Para gerar corretamente os dados de pagamento, é necessário que tenham sido efetuados os registros de pagamento dos DARF's, no SFP, em Tributos\ Pagamento de Guias. Opções referentes à Lei nº /2014: Esta opção fica habilitada somente para a competência Agosto/2014, para as empresas já em atividade, ou no mês de início de atividade, no período entre Setembro a Dezembro de Deve ser selecionada uma das opções disponíveis. Situação Especial: Selecionar a opção correspondente a situação da empresa no mês de geração.

252 DCTF MENSAL - VERSÃO 2.5 Quadro Meses com ausência de débito a declarar: Habilitado somente para o mês de dezembro. Os meses de janeiro a dezembro ficarão marcados ou não, conforme a existência de débitos a gerar na DCTF. Caso tenha necessidade, os meses poderão ser marcados ou desmarcados. IMPORTANTE: Para a correta importação dos dados para a declaração da DCTF é imprescindível o correto preenchimento dos dados dos estabelecimentos cadastrados e do responsável alocado para o estabelecimento matriz; Para compor o campo CPF Responsável da ficha R03 (Ficha Dados dos Responsáveis pela Pessoa Jurídica), o sistema buscará do campo CPF Contato do cadastro do responsável informado para o estabelecimento matriz; Declaração de IPI: O IPI deve ser apurado e recolhido por estabelecimento, conforme a legislação vigente. As informações relativas a cada estabelecimento da empresa devem ser prestadas, de forma individualizada, na DCTF da empresa, a ser entregue pela matriz.

253 Registro R11 - Pagamentos com DARF: Para gerar corretamente os dados de pagamento, é necessário que tenham sido efetuados os registros de pagamento dos DARF's, em Tributos\ Pagamento de Guias. Registros que serão gerados pelo Sage Fiscal: 01 - Header da Declaração R01 - Ficha Dados Iniciais R02 - Ficha Dados Cadastrais do Estabelecimento Matriz R03 - Ficha Dados dos Responsáveis pela Pessoa Jurídica R10 - Ficha Débito Apurado e Créditos Vinculados R11 - Ficha Pagamentos com DARF R20 - Ficha Débito Apurado e Créditos Vinculados do Trimestre Anterior R30 - Ficha Quotas R31 - Ficha Pagamento com DARF da Quota T9 - Trailer da Declaração Registros que NÃO SERÃO GERADOS: R12 Ficha Compensação de Pagamento Indevido ou a Maior R13 Ficha Outras Compensações R14 Ficha Suspensão R15 Ficha Parcelamento R16 Ficha Dedução com DARF R21 Ficha Pagamentos com DARF R22 Ficha Compensação de Pagamento Indevido ou a Maior R23 Ficha Outras Compensações R24 Ficha Suspensão R25 Ficha Parcelamento R32 Ficha Compensação de Pagamento Indevido ou a Maior da Quota R33 Ficha Outras Compensações da Quota Sinco

254 Gera as informações em arquivo para o SINCO - Sistema Integrado de Coleta, atendendo a Instrução Normativa 86/2001. A solicitação pelo fisco poderá ser em forma de: Arquivo Completo Arquivo Simplificado Arquivo Completo Gera as informações em arquivo para o SINCO - Sistema Integrado de Coleta, atendendo a Instrução Normativa 86/2001. Atinge todas as empresas usuárias de processamento eletrônico de dados e deve ser apresentado somente quando solicitado pelo fisco. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Mês/Ano: Informe no formato "MM/AAAA". Diretório Destino: Informe o caminho onde serão gerados os arquivos selecionados. No quadro Arquivos a serem Gerados, selecione as opções solicitadas pelo fisco Arquivo Simplificado

255 Gera as informações em arquivo para o SINCO - Sistema Integrado de Coleta, de forma simplificada, atendendo a Instrução Normativa 86/2001. Atinge todas as empresas usuárias de processamento eletrônico de dados e deve ser apresentado somente quando solicitado pelo fisco. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Mês/Ano: Informe no formato "MM/AAAA". Diretório Destino: Informe o caminho onde serão gerados os arquivos selecionados. No quadro Arquivos a serem Gerados, selecione as opções solicitadas pelo fisco SVA Permite a geração do arquivo SVA

256 Estabelecimento: Informe/Selecione o estabelecimento (F12) Mês/Ano: Informe período inicial e final no formato MM/AAAA. Diretório Destino: Informe o caminho onde serão gerados os arquivos selecionados. Clique aqui para ver um exemplo. Imprimir relatório de acompanhamento: Marcando esta opção, ao final da geração será gerado um relatório com o resumo dos arquivos gerados. Arquivos a serem gerados: permite selecionar quais arquivos serão gerados. Os campos do quadro "Receitas para rateio de créditos comuns", devem ser preenchidos para empresas que possuem créditos comuns, ou seja, aquisição de mercadorias cujo crédito esteja vinculado simultaneamente a receitas tributadas e não tributadas no mercado interno e/ou receita de exportação (CST: 53, 54, 55, 56, 63, 64, 65 e 66). Devem ser informados os valores totais, separando as receitas, e o sistema fará o rateio ao gerar o valor do crédito no arquivo. Estes valores podem ser adquiridos através do relatório Memória de Cálculo do PIS ou da COFINS. Por exemplo: A empresa possui os seguintes valores de receitas: Tributadas no mercado interno: ,00 Não tributadas no mercado interno: ,00 De exportação: ,00

257 Um crédito de 3.000,00 gerado no CST 53, corresponde a receita de mercadoria tributada e não tributada no mercado interno. Então, serão gerados os valores: Tributadas no mercado interno = 3.000,00 / ,00 * ,00 = 750,00 Não tributadas no mercado interno = 3.000,00 / ,00 * ,00 = 2.250,00 Um crédito de 1.000,00 gerado no CST 56, corresponde a receita de mercadoria tributada e não tributada no mercado interno e de exportação. Então, serão gerados os valores: Tributadas no mercado interno: 1.500,00 / ,00 * ,00 = 250,00 Não tributadas no mercado interno: 1.000,00 / ,00 * ,00 = 750,00 De exportação: 1.500,00 / ,00 * ,00 = 500, SPED Rotinas relacionada a geração do SPED Fiscal A Escrituração Fiscal Digital EFD-ICMS/IPI é parte integrante do projeto SPED a que se refere o Decreto nº6.022, de 22 de janeiro de 2007, que busca promover a integração dos fiscos federal, estaduais, Distrito Federal e, futuramente, municipais, e dos Órgãos de Controle mediante a padronização, racionalização e compartilhamento das informações fiscais digitais, bem como integrar todo o processo relativo à escrituração fiscal, com a substituição do atual documentário em meio físico (papel) por documento eletrônico com validade jurídica para todos os fins Geração do Arquivo Nesta rotina será gerado o arquivo do SPED Fiscal, para posterior validação e importação no PVA, programa disponibilizado pela Receita Federal.

258 Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Mês/Ano: Informe o Mês e Ano (MM/AAAA), ou tecle Espaço no teclado para informar o mês e ano da data do sistema. Obs.: O programa SPED valida somente um mês de escrituração. Levará em conta o mês informado para definir a versão do arquivo EFD a ser gerado. Período: Será habilitado após o preenchimento dos campos Mês/Ano. Nela será possível definir o intervalo de datas dentro do intervalo Mês/Ano solicitado. 1º campo: O valor informado deve ser o primeiro dia do mês, exceto no caso de início de atividades ou de qualquer outro evento que altere a forma e o período de escrituração fiscal do estabelecimento.

259 2º campo: O valor informado deve ser o último dia do mesmo mês da data inicial, exceto no caso de encerramento de atividades ou de qualquer outro fato determinante para paralisação das atividades do estabelecimento. Data do Inventário: Informe a data do inventário. Motivo do Inventário: Este campo será habilitado somente se for informada a data do inventário. Nele deve ser selecionado o motivo, dentre as opções disponíveis no campo. Diretório destino: Informe o caminho onde será gerado o arquivo. Razão Social Completa: O sistema preenche automaticamente este campo, porém se necessário poderá alterar ou incluir informações. É importante que os dados estejam preenchidos de forma completa e sem abreviações. No quadro "Características do Estabelecimento no Período", definir as opções condizentes com a empresa e conforme exigência das Unidades Federativas. Perfil: O perfil de enquadramento determina os registros a serem apresentados. Perfil A: os contribuintes que se enquadram neste perfil devem gerar os dados de forma detalhada, tais como itens de cupom fiscal e itens do resumo diário de notas de venda a consumidor (código 02). Perfil B: os contribuintes deste perfil devem gerar as informações de forma sintética (totalizações por período: diário e mensal). A opção Perfil B gera informações de notas fiscais de venda ao consumidor não emitidas por ECF. Trata-se de um resumo diário, por série e subsérie do documento fiscal, de todas as operações praticadas. Perfil C: gera o arquivo de forma bastante reduzida e é exigido por algumas unidades de federação. As demais opções devem ser marcadas conforme o caso. Para os itens que estão com um asterisco, os respectivos registros do SPED não serão gerados no arquivo, visto serem informações que não estão disponíveis no Sage Fiscal. Neste caso, será gerada somente a informação de que a empresa possui a característica, mas os detalhes deverão ser informados diretamente no PVA após a importação do arquivo. Já para os itens sem asterisco, serão gerados os detalhes, conforme segue:

260 Informações sobre o valor adicionado: Marcar esta opção caso a empresa seja obrigada a gerar o registro 1400 com informações para o cálculo do valor adicionado por município. Serão gerados os valores de Produtor Rural, Prestação de Serviço de Transporte, Comunicação e Fornecimento de Energia, por município de origem, conforme os lançamentos de notas efetuados no sistema. Para auxiliar na conferência destes valores, pode ser utilizada a rotina Relatórios\ Gerenciais\ Resumo do Valor Adicionado - Municípios. Vendas com cartão de crédito ou de débito: Marcar esta opção caso a empresa possua operações de venda cujo recebimento seja através de cartão de crédito ou de débito. Será gerado o registro 1600, a partir dos lançamentos efetuados em Lançamentos\ Vendas com Cartão de Crédito/Débito. Controle de utilização de documentos fiscais em papel: Marcar esta opção caso haja obrigatoriedade em informar os dispositivos autorizados e utilizados na emissão de documentos fiscais, bem como, os documentos cancelados/inutilizados. Serão gerados os registros 1700 e 1710, a partir dos lançamentos efetuados em Lançamentos\ Controle de Documentos Fiscais Utilizados. No quadro Finalidade: Original: Utilizar esta opção quando é a primeira importação da escrituração do período desejado; Substitutiva: Permite importar novamente o período já importado anteriormente para o SPED; OBSERVAÇÕES PARA A GERAÇÃO: O código gerado para os Municípios é o código CONCLA (ex:bloco 0, Registro 0000, campo 11 COD_MUN) Para campos que pedem o código do país, o mesmo será preenchido conforme tabela indicada no item do Ato COTEPE/ICMS nº09, de 18 de abril de O código de país pode ser informado com 05 caracteres ou com 04 caracteres (desprezando o caractere "0" (zero) existente à esquerda). Código de versão (Bloco 0, registro 0000, número 02, será gerado código 002 caso a declaração seja do ano 2009 e para o ano 2010, será gerado o código 003): %20CONFAZ/Ato%20COTEPE%20ICMS/Ano%202008/Arquivo/AC%20ICMS%20009_08.htm Código Suframa; Serão considerados Notas Fiscais canceladas, todos os lançamentos com valor contábil igual a zero (Bloco C, registro C100, número 06 = 02);

261 Registro de operações de importação (C120), somente é gerado se contiver informação no campo "Número da Declaração de Importação" (SISCOMEX), da aba complementos, dos lançamentos de entrada; Todos os lançamentos que tenham movimentação de itens (fisicamente ou não), devem ser lançados na aba ITENS dos lançamentos fiscais no Sage Gestão Contábil, para correta validação dos arquivos pelo SPED; É necessário que o cadastro dos responsáveis informados e os Emitentes/Destinatários estejam completos, inclusive com informação do município, pois o SPED efetua a validação de todos os dados informados; Emitentes/Destinatários cadastrados com inscrição estadual igual a ISENTO (pessoa física), serão gerados para o SPED sem a informação do campo Inscrição Estadual, visto que o programa somente aceita códigos válidos; Para lançamentos de saídas de serviços efetuados com CFOPs 5929 ou 6929, não serão gerados os registros C170 E C190 no momento, sendo responsabilidade do cliente o preenchimento dos mesmos após importação do arquivo para o SPED. Obs: Primeiramente deverá ser preenchido um Item de Serviço no SPED, registro 0200, através da aba Escrituração/Abertura.../Tabela de Identificação dos Itens, com o campo "Tipo do Item" igual a 'Serviços'; Serão gerados os registros relacionados a Créditos do Ativo Imobilizado: Registros 0300 e 0305 referentes aos bens do ativo imobilizado; Registros 0500 e 0600, referentes ao plano de contas contábil e centros de custo; Registros G001, G110, G125, G130, G140 e G990, referentes à movimentação do CIAP. Serão gerados os registros relacionados a ICMS ST: Registro 0015 referente a Dados do Contribuinte Substituto Registro E200 referente Período da Apuração do ICMS ST Registro E210 referente Apuração do ICMS ST Registro E220 referente Ajuste/Benefícios/Incentivo da Apuração do ICMS ST Registro E250 referente Obrigações do ICMS ST a Recolher Serão gerado os registros relacionados a Apuração do ICMS: Registro E100 referente a Período de Apuração do ICMS Registro E110 referente a Apuração do ICMS - Operações Próprias Registro E111 referente a Ajuste/ Benefício/ Incentivo da Apuração do ICMS

262 Registro E116 referente a Obrigações do ICMS a Recolher - Operações Próprias Serão gerados os registros relacionados a Apuração do IPI: Registro E500 referente a Período de Apuração do IPI Registro E510 referente a Consolidação dos Valores do IPI Registro E520 referente a Apuração do IPI Registro E530 referente a Ajustes da Apuração do IPI Serão gerados os registros relacionados a entrada e saída de Energia Elétrica e Telecomunicações: Registro C500 referente a nota fiscal de energia elétrica (código 06), nota fiscal de fornecimento d'água canalizada (código 29) e nota fiscal consumo fornecimento de gás (código 28). Registro D500 referente a nota fiscal de serviço de comunicação (código 21) e nota fiscal de serviço de telecomunicação (código 22). Serão gerados os registros de itens e complemento de nota fiscal de serviço de transporte: Registro D110 referente a itens do documento - nota fiscal de serviços de transporte (código 07). Registro D120 referente complemento da nota fiscal de serviços de transporte (código 07). Serão gerados os registros detalhe para contribuintes do Perfil A: Registro C350 referente a nota fiscal de venda a consumidor (código 2) Registro C370 referente a itens do documento (código 2) Registro C390 referente a registro analítico das notas fiscais de venda a consumidor (código 2) Registro C460 referente a documento fiscal emitido por ECF (código 02 e 02D) Registro C470 referente a itens do cupom fiscal emitido por ECF (código 02 e 02D) Registro C490 referente a registro analítico do movimento diário (código 02 e 02D) O número da nota fiscal será gerado a partir da chave da NF-e informada na aba Complemento da nota, pois para notas com mais de 6 dígitos, o validador do SPED retorna erro por não estar batendo o número da nota fiscal. Se não tiver chave, será considerado o número da nota lançado na aba Nota. Serão gerados os registros D695 e D696 para empresas prestadoras de serviços de comunicação/telecomunicação, e obrigadas ao Convênio 115/2003 No SPED Fiscal somente serão gerados os registros D695 e D696 com lançamentos importados através da rotina Utilitários\ Importação\ Layout Convênio 115/2003. Isso porque somente os lançamentos importados possuem a "Chave de codificação do arquivo mestre", obrigatória para estes registros no SPED Fiscal.

263 Rotinas Auxiliares Rotinas auxiliares à geração do SPED Fiscal Relatório de Conferência - Cupom Fiscal Nesta rotina é possível emitir um relatório com os itens lançados no cupom fiscal. O relatório é baseado nas rotinas de geração da EFD Fiscal e Contribuições, apenas detalhando melhor os registros gerados atualmente nestas declarações. Estabelecimento: Selecionar o estabelecimento desejado para emissão do relatório. Mês/Ano: Selecionar o mês/ano de lançamentos dos itens de cupom fiscal. Período: Se desejar pode ser definido um intervalo de dias dentro do mês/ano selecionado. Número do Caixa: Pode ser definido um filtro de caixa para emissão do relatório. Perfil: Selecionar o perfil de envio do SPED Fiscal ou EFD Contribuições se for o caso. Esta opção definirá o grau de detalhamento e o tipo de agrupamento dos dados EFD Contribuições A EFD-Contribuições trata de arquivo digital instituído no Sistema Publico de Escrituração Digital SPED, a ser utilizado pelas pessoas jurídicas de direito privado na escrituração da Contribuição para o PIS/Pasep e da Cofins, nos regimes de apuração não-cumulativo e/ou cumulativo, com base no conjunto de documentos e operações representativos das receitas auferidas, bem como dos custos, despesas, encargos e aquisições geradores de créditos da não-cumulatividade Geração do Arquivo Nesta rotina será gerado o arquivo EFD Contribuições (Lucro Real e Lucro Presumido), conforme layout definido pela Receita Federal. Serão gerados os dados de todos os estabelecimentos da empresa em um único arquivo.

264 Mês/Ano: Informe o Mês e Ano de geração. Obs.: O validador SPED valida somente um mês de escrituração. Período: Será habilitado após o preenchimento do campo Mês/Ano. Nela será possível definir o intervalo de datas dentro do mês/ano solicitado. 1º campo: A data informada deve ser o primeiro dia do mês, exceto no caso de início de atividades ou de qualquer outro evento que altere a forma e o período de escrituração fiscal do estabelecimento. 2º campo: A data informada deve ser o último dia do mesmo mês, exceto no caso de encerramento de atividades ou de qualquer outro fato determinante para paralisação das atividades do estabelecimento. Diretório destino: Informe o caminho onde será gerado o arquivo. Razão Social Completa: O sistema preenche automaticamente este campo, porém se necessário poderá alterar ou incluir informações. É importante que os dados estejam preenchidos de forma completa e sem abreviações. Tipo de atividade preponderante: Informe/selecione o código correspondente ao indicador da atividade preponderante exercida pela pessoa jurídica no período da escrituração, conforme um dos tipos abaixo: 0 Industrial ou equiparado a industrial 1 Prestador de serviços

265 3 - Atividade financeira 2 - Atividade de comércio 3 Atividade financeira 4 Atividade imobiliária 9 Outros Caso a pessoa jurídica tenha exercido mais de uma das atividades acima relacionadas, no período da escrituração, deve o campo ser preenchido com o código correspondente à atividade preponderante. Natureza da pessoa jurídica: Informe/selecione o código correspondente a natureza da pessoa jurídica, conforme um dos três tipos abaixo: 0 - Pessoa jurídica em geral 1 - Sociedade cooperativa 2 - Entidade sujeita ao PIS exclusivamente com base na Folha 3 - Pessoa jurídica em geral - Sócia ostensiva de SCP 4 - Sociedade cooperativa - Sócia ostensiva de SCP 5 - Sociedade em Conta de Participação SCP Situação Especial: Neste campo é possível determinar se a empresa possui situação especial, como Abertura, Cisão, Fusão, Incorporação ou Encerramento. Código da SCP: Será habilitado somente se selecionada Natureza 5- Sociedade em Conta de Participação SCP, devendo então selecionar a SCP correspondente. Suframa: Informe a inscrição da pessoa jurídica titular da escrituração na SUFRAMA. Caso a pessoa jurídica não tenha inscrição na SUFRAMA este campo deve ser informado em branco. Tipo de escrituração: Marque a opção correspondente, podendo ser Original ou Retificadora. Número do recibo da escrituração anterior: Este campo somente deve ser preenchido quando a escrituração fiscal se referir a retificação de escrituração já transmitida. Neste caso, deve-se informar o número do recibo da escrituração anterior, a ser retificada. Opção 'Gerar somente Bloco P': Esta opção deverá ser utilizada, exclusivamente, por empresas optantes pelo regime de tributação pelo Lucro Presumido que estejam beneficiadas pela Medida Provisória 540/2011, convertida na Lei /2011, devido ao validador SPED não estar apto, até o momento, a receber informações de empresas enquadradas neste regime. Desta forma serão gerados no arquivo SPED somente as informações cadastrais da empresa e o Bloco P. Lembrando que esse campo

266 deverá ser marcado somente até a competência Junho/2012, uma vez que a partir da competência Julho, as empresas do Lucro Presumido deverão entregar a declaração com toda a sua movimentação. OBSERVAÇÕES: Quando gerado arquivo com o tipo de atividade preponderante igual a 3- Atividade financeira, será gerado apenas o Bloco I com o lançamento das bases extras tributáveis que possuam parâmetros de Instituição Financeira Rotinas Auxiliares Rotinas auxiliares à geração da EFD Contribuições Relatório de Conferência dos Itens da Nota Neste relatório podem ser listadas as notas fiscais de Entrada e Saída, com detalhes dos tributos PIS, COFINS, ICMS e IPI. Listará as notas fiscais e os seus itens, mostrando a diferença entre o valor do tributo informado na aba bases e a soma do valor do tributo informado por item. Será útil para conferir o lançamento dos dados relacionados aos itens da nota fiscal que serão gerados no SPED Fiscal e PIS/COFINS, identificando possíveis inconsistências ou erros. Mês/Ano: Informe o mês/ano a ser listado.

267 Período: Se desejar, pode ser determinado um período dentro do mês/ano. Nat. Operação: Se desejar, pode filtrar as notas que possuam determinado CFOP. Nesta opção será considerado o CFOP principal e não dos itens. selecionadas. CST: Se desejar, pode filtrar as notas que possuam determinado CST nos itens. Nota Fiscal: Se informado intervalo de notas, serão emitidos somente os dados das notas Tipo da Nota: Selecione se vai emitir a relação de Entradas ou de Saídas. Tributo: Selecione o tributo desejado: PIS, COFINS, ICMS ou IPI. Quebrar resumo por alíquota: esta opção será habilitada apenas para os tributos PIS e COFINS, quando marcada as informações serão agrupadas por CST e por alíquota. Listar itens da nota: Com esta opção marcada, será listada a nota e abaixo todos os itens que compõe esta nota. Listar somente resumo por CST: Com esta opção marcada, será listado somente um totalizador por Código de Situação Tributária. Esta opção está disponível somente para PIS e COFINS. Listar somente notas com Crédito/Débito do tributo: Com esta opção marcada, gera somente os itens que tenham o tributo selecionado (entrada ou saída), facilitando a conferência. Listar somente notas com diferença: Com esta opção marcada, serão listadas somente as notas fiscais que estejam com diferença entre o tributo informado na aba bases e a soma do tributo informado nos itens. Margem de erro: Opção habilitada se marcado para listar somente notas com diferença, podendo ser determinado um valor mínimo de diferença, que possa ser considerado significativa. Lembrando que diferenças podem ser normais, pois a forma de apuração do SPED poderá não bater com a forma de apuração do sistema. O sistema apura pelo total da nota e o SPED por item Alteração de Código de Município nos Emitentes/ Destinatários Através desta rotina é possível informar o código do município no cadastro dos emitentes/destinatários que não possuem esta informação. O código do município é imprescindível para a correta geração da EFD Contribuições, bem como para a geração de diversos outros arquivos exigidos pelo FISCO Estadual.

268 Período de Lançamento: Selecione o período de lançamento das notas fiscais, cujos emitentes/destinatários deseja atualizar o código de município. Emitente/Destinatário: Poderá ser definido um emitente/destinatário, ou um intervalo de cadastros. O sistema atualizará os códigos de município através da informação dos campos "Cidade" e "UF" do cadastro dos emitentes/destinatários, desconsiderando os caracteres especiais (acentos, etc). Estando este município já cadastrado no sistema, em Cadastros\ Genéricos\ Municípios, esta rotina apenas atualizará o cadastro do emitente/destinatário com este código de Município. Se o município ainda não estiver cadastrado no sistema, esta rotina fará o cadastro utilizando o código no SIAFI e após, informará este código de município no cadastro do emitente/destinatário.

269 Se não for possível identificar o município através do campo Cidade (por não ter a informação, estar incompleta ou incorreta), será emitido um relatório relacionando os emitentes/destinatários e estes deverão ser atualizados manualmente Alteração de NCM nos Produtos Através desta rotina é possível informar o código de NCM (Nomenclatura Comum do Mercosul) no cadastro dos produtos que não possuem esta informação. Este código é imprescindível para a correta geração da EFD Contribuições. NCM: Informe o código do NCM que será atualizado no cadastro dos produtos. Item: Selecione o item, ou um intervalo de itens que deseja atualizar o código NCM. Dentro do intervalo solicitado, serão atualizados somente os cadastros que estão sem esta informação Gera CST de PIS/COFINS nos Produtos Nesta rotina, poderá ser informado o CST de PIS e COFINS, tanto de entrada quanto de saída, no cadastro dos produtos, de forma automática, agrupando por código de NCM ou por intervalo de produtos. ATENÇÃO: Esta rotina não deve ser utilizada com frequência, uma vez que sua finalidade é simplesmente completar o cadastro de produtos já existentes na base com informações novas, de forma mais rápida. Quando do cadastro de novos produtos, o ideal é que o CST de PIS e COFINS já seja preenchido, podendo assim ser utilizado nos lançamentos e/ou importação de notas fiscais.

270 Na tela, informar um intervalo de NCM ou um intervalo de itens e informar o CST de Entrada e o CST de Saída. De acordo com o CST de Saída, serão habilitados os campos do quadro Codificação do Produto para a EFD Contrbuições e para DACON, a fim de informar o tipo de produto, conforme tabela divulgada pela RFB: Codificação do Produto para a EFD Contribuições: Para CST PIS/COFINS 01 e 49: não habilita nenhum campo do quadro; Para CST PIS/COFINS 02, 03, 04, 05 e 06: habilita o campo Produto para que, através desta seleção, as alíquotas de PIS e COFINS sejam definidas. Codificação do Produto para DACON: Para CST PIS/COFINS 01, 04, 05, 06, 07, 08, 09 e 49: não habilita nenhum campo do quadro; Para CST PIS/COFINS 02 e 03: habilita os campos Grupo e Produto. Ao clicar em OK, todos os produtos do filtro terão os campos de CST de PIS e COFINS atualizados. É possível alterar somente produtos que não possuem CST informado. Para isso, não marcar as opções "Regravar se já cadastrado". Se estas opções forem marcadas, mesmo para os produtos que já estejam com o CST de PIS/COFINS informado em seu cadastro, será efetuada a atualização conforme o CST definido na tela. Pode também, ser alterado somente o CST de entrada, ou somente de saída, bastando para isso deixar em branco o campo de CST que não se pretende alterar. É possível alterar somente produtos que não possuem CST informado. Para isso, não marcar as opções "Regravar se já cadastrado". Se estas opções forem marcadas, mesmo para os produtos que já

271 estejam com o CST de PIS/COFINS informado em seu cadastro, será efetuada a atualização conforme o CST definido na tela. Pode também, ser alterado somente o CST de entrada, ou somente de saída, bastando para isso deixar em branco o campo de CST que não se pretende alterar Alteração de CST PIS/COFINS dos Lançamentos Nesta rotina, o sistema pesquisará os lançamentos de nota fiscal com itens, que não tenham informado o código da situação tributária, permitindo este ajuste de forma mais rápida. Para a correta geração da EFD Contribuições, é imprescindível que os itens estejam lançados na nota fiscal, com todas as informações corretas. A definição do CST de cada item será baseada no regime de tributação (cumulativo / não cumulativo, para notas de entrada) e no CST informado no cadastro do produto ou no cadastro da Natureza de Operação (CFOP). Por isso, é necessário que no cadastro do produto ou de CFOP esteja corretamente preenchido o CST PIS/COFINS. ATENÇÃO: Esta rotina não deve ser utilizada com frequência, uma vez que sua finalidade é simplesmente suprir a falta de dados que já deveriam ter sido corretamente informados nos lançamentos de notas fiscais, tanto de Entrada quanto de Saída (Código de Situação Tributária, base de cálculo, alíquota e valor de PIS e COFINS de cada produto constante da nota). É possível alterar somente notas que não possuem CST informado nos itens. Aliás, sugerimos que seja mantida essa opção como padrão, ao utilizar esta rotina. Ao clicar em pesquisar, primeiro o sistema verificará se há CFOP s lançados nos itens das notas, que não possuem o CST PIS/COFINS informado. Se houver, abrirá uma tela com estes CFOP s relacionados.

272 Na tela de Natureza de Operação sem informação de CST de PIS/COFINS, deve-se clicar sobre o CFOP e abrirá a tela de cadastro de Natureza de Operação/Variação. Neste cadastro deve ser definido o CST PIS/COFINS e deve ser definida a prioridade a ser considerada nos lançamentos, optando entre "CST cadastrado no produto" ou "CST cadastrado no CFOP/Variação". Com isso, se o item possuir o CST parametrizado em ambos os cadastros, a prioridade será conforme definido neste parâmetro.

273 Após completar o cadastro de todos os CFOP s relacionados, deve-se Pesquisar novamente e serão listadas as notas fiscais. Selecionar as notas desejadas e clicar em Gravar. Neste momento, os itens das notas fiscais terão o código CST PIS/COFINS atualizados conforme o CST definido no cadastro do CFOP ou do produto e as bases serão recalculadas conforme as regras abaixo: NOTAS FISCAIS DE ENTRADA: Se regime Cumulativo será gerado CST 70 com todos os valores zerados, independente do cadastro de CFOP. Se regime Não Cumulativo e CST 70 a 99 (definido no CFOP ou no cadastro do produto), todos os valores serão zerados. Se regime Não Cumulativo e CST 50 a 67 (definido no CFOP ou no cadastro do produto), os valores serão gerados da seguinte forma:

274 ATENÇÃO: Na base de PIS de cada item pode ser somado o valor de IPI e/ou de ICMS ST, se estiver parametrizado no cadastro do estabelecimento que utiliza estes valores na composição da base de crédito de PIS/COFINS. NOTAS FISCAIS DE SAÍDA: ATENÇÃO: O sistema verifica se a nota fiscal possui informação de frete, seguro, despesas acessórias ou desconto global, rateando estes valores na base de cálculo do PIS/COFINS, refazendo o cálculo do valor dos tributos Alteração de CST PIS/COFINS dos Itens Vendidos de ECF Esta rotina permite ajustes no código de situação tributária de PIS/COFINS dos itens vendidos de ECF, nos lançamentos do perfil A e EFD Contribuições, bem como a recomposição das bases de cálculo conforme o CST informado. Para a correta geração da EFD Contribuições, é imprescindível que os itens estejam lançados com todas as informações corretas. A definição do CST de cada item será baseada no CST informado no cadastro do produto ou no cadastro da Natureza de Operação (CFOP). Por isso, é necessário que no cadastro do produto ou de CFOP esteja corretamente preenchido o CST PIS/COFINS. ATENÇÃO: Esta rotina não deve ser utilizada com frequência, uma vez que sua finalidade é simplesmente suprir a falta de dados que já deveriam ter sido corretamente informados nos lançamentos (Código de Situação Tributária, base de cálculo, alíquota e valor de PIS e COFINS de cada produto constante no cupom fiscal). Funcionamento da rotina

275 Preencher o Estabelecimento e o Período de Lançamento. Marcando a opção "Todos os itens", do quadro "Selecionar itens de ECF", será alterado o CST PIS/COFINS de todos os itens, recompondo as bases de acordo com o CST informado. Marcando a opção "Itens sem CST PIS/COFINS", somente será incluído o CST para os itens que estiverem sem esta informação, calculando as bases e valores de PIS/COFINS, conforme o CST informado. No quadro "Tipo", por padrão ficarão marcadas as duas opções. Dessa forma, a alteração ou inclusão do CST será efetuada tanto para os lançamentos do SPED Fiscal - Perfil A, como para a EFD Contribuições. Caso necessário, poderá desmarcar uma das opções. Ao clicar em OK, o sistema verificará se há CFOP s lançados nos itens dos cupons, que não possuem o CST PIS/COFINS informado. Se houver, abrirá uma tela com estes CFOP s relacionados. Na tela "Natureza de Operação sem informação de CST de PIS/COFINS", deve-se clicar sobre o CFOP e abrirá a tela de cadastro de Natureza de Operação/Variação. Neste cadastro deve ser definido o CST PIS/COFINS e deve ser definida a prioridade a ser considerada nos lançamentos, optando entre "CST cadastrado no produto" ou "CST cadastrado no CFOP/Variação". Com isso, se o item possuir o CST parametrizado em ambos os cadastros, a prioridade será conforme definido neste parâmetro.

276 Após informar ou alterar o CST PIS/COFINS no cadastro da Natureza de Operação e efetuar a gravação, os itens vendidos dos cupons terão o código CST PIS/COFINS atualizados conforme o CST definido no cadastro do CFOP ou do produto e as bases serão recalculadas conforme as regras abaixo: Relatório de Itens Isentos sem Codificação

277 Nesta rotina é possível emitir um relatório que apresente os itens (produtos) lançados em notas fiscais de saída e/ou ECF do período, cujo código de CST PIS/COFINS seja entre 4 e 9 e que estejam sem a informação de Codificação do Produto para a EFD Contribuições. Este código é exigido pelo validador do SPED, gerando erros caso não esteja corretamente informado. Este relatório visa auxiliar na localização destes produtos e posterior correção do cadastro. Mês/Ano: Informar o mês de lançamento de notas de saída e/ou ECF que deseja verificar os itens lançados, sem a codificação. Período: Conforme o mês selecionado, ainda é possível determinar um intervalo de dias Relatório de Conferência - Cupom Fiscal Nesta rotina é possível emitir um relatório com os itens lançados no cupom fiscal. O relatório é baseado nas rotinas de geração da EFD Fiscal e Contribuições, apenas detalhando melhor os registros gerados atualmente nestas declarações. Estabelecimento: Selecionar o estabelecimento desejado para emissão do relatório. Mês/Ano: Selecionar o mês/ano de lançamentos dos itens de cupom fiscal. Período: Se desejar, pode ser definido um intervalo de dias dentro do mês/ano selecionado. Número do Caixa: Pode ser definido um filtro de caixa para emissão do relatório.

278 Perfil: Selecionar o perfil de envio do SPED Fiscal ou EFD Contribuições, se for o caso. Esta opção definirá o grau de detalhamento e o tipo de agrupamento dos dados DMED Declaração de Serviços Médicos e de Saúde Esta rotina gera o arquivo DMED_AAAA.txt, o qual deverá ser validado e transmitido pelo aplicativo DMED, disponível para download no site da Receita Federal. A Declaração de Serviços Médicos e de Saúde DMED foi instituída pela Instrução Normativa RFB n.º 985, de 22 de dezembro de 2009, e deverá ser apresentada por pessoa jurídica ou pessoa física equiparada a jurídica nos termos da legislação do imposto sobre a renda, desde que: Prestador de Serviço de Saúde; Operadora de plano privado de assistência a saúde; ou Prestador de serviço de saúde e operadora de plano privado de assistência a saúde. O Sage Fiscal gera o arquivo somente para empresas que são Prestadoras de Serviço de Saúde, com base nos lançamentos de saídas/serviços efetuados para pessoas físicas que possuem item de serviço cadastrado no grupo 04-Serviços de saúde, assistência médica e congêneres, do Código LIC 116/2003. Ano Base: Informe o ano base da declaração. Responsável pela geração: Será preenchido automaticamente com o código do responsável pelo estabelecimento informado em Cadastros/Empresas/Estabelecimento/Responsáveis. CPF Responsável perante CNPJ: Será preenchido automaticamente com o CPF do Representante da Empresa, informado em Cadastros/Empresas/Estabelecimento/Representante. CNES: Informe o número de inscrição no Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES) com 7 dígitos, se Prestador de Serviço de Saúde.

279 Diretório: Informe o diretório onde o arquivo será salvo. Nome do arquivo: Será automaticamente preenchido como DMED_AAAA.TXT, onde AAAA é o ano a que se refere a declaração. Opção Retificadora: Se a declaração for retificadora, marque este campo. Nº Recibo: Habilitado somente para informar o número do recibo da declaração retificadora. Se marcada a opção 'Emitir relatório de conferência', após a geração do arquivo será emitido o relatório com as informações do mesmo. Para os lançamentos que possuem informações no botão Beneficiário DMED, o registro 10- Responsável pelo pagamento, ou seja, do destinatário da nota e o registro 11-Beneficiários dos serviços pagos, ou seja, dos beneficiários DMED, serão gerados conforme os exemplos abaixo: a) Nota fiscal do destinatário A, no valor de R$ 200,00 e um beneficiário lançado com o valor de R$ 50,00. Será gerado um registro 10 com os dados do destinatário e valor de R$ 150,00 e um registro 11 com os dados do beneficiário, com o valor de R$ 50,00. b) Nota fiscal do destinatário B, no valor de R$ 300,00 e um beneficiário lançado com o valor de 300,00. Será gerado um registro 10 com os dados do destinatário com o valor zerado e um registro 11 com os dados do beneficiário, com o valor de R$ 300,00. c) Nota fiscal do destinatário C, no valor de R$ 400,00, com dois beneficiários lançados com o valor de R$ 100,00 cada. Neste caso será gerado um registro 10 com os dados do destinatário com o valor de R$ 200,00 e dois registros 11 com os dados de cada beneficiário, com o valor de R$ 100,00 cada. d) Se não houver beneficiários será gerado apenas o registro GNRE Através desta rotina é possível gerar o arquivo com os dados da guia do ICMS ST, para importação no programa nacional de emissão da GNRE e impressão da mesma com código de barras.

280 Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Mês/Ano: Informe o mês/ano de referência, no formato MM/AAAA. UF: Informe/selecione a sigla da Unidade da Federação a que se destina a arrecadação. Diretório: Informe o caminho onde será gerado o arquivo. Vencimento: Este campo será preenchido automaticamente conforme parametrizado no cadastro de Inscrições Auxiliares, quando a Apuração Mensal de Tributos já estiver processada. Código de Recolhimento: Este campo será preenchido automaticamente conforme parametrizado no cadastro de Inscrições Auxiliares, quando a Apuração Mensal de Tributos já estiver processada. Nº Documento Origem: Para ICMS-ST, este campo será habilitado quando a Unidade de Federação for CE e o código de recolhimento for Este campo também será obrigatório quando gerado arquivo cujos códigos de recolhimento sejam , , , , e Nestes casos, a estrutura é variável de acordo com a UF favorecida e devem ser informados os números de Identificação do Documento de Origem, tais como: Declaração de importação - DI Declaração Simplificada de Importação - DSI Auto de Infração Número do processo de parcelamento Número de Inscrição / Certidão em Dívida Ativa

281 Valor Apurado: Este campo será preenchido automaticamente, quando a Apuração Mensal de Tributos já estiver processada. Atualização Monetária: Informe o valor da correção monetária, quando o recolhimento estiver fora do prazo. Juros: Informe o valor dos juros, quando o recolhimento estiver fora do prazo. Multa: Informe o valor da multa,, quando o recolhimento estiver fora do prazo. Total a Recolher: Preenchimento automático. Com a soma dos campos: Valor Apurado + Atualização Monetária + Juros + Multa. Observação: Descrever outras informações que sejam necessárias. Esta informação será gerada no campo 23 e complementará as Informações Complementares eventualmente informadas no cadastro de Inscrições Auxiliares PER/DCOMP Gera as informações em arquivos para o PER/DCOMP - Programa Gerador do Pedido Eletrônico de Restituição ou Ressarcimento e da Declaração de Compensação. A empresa que apurar crédito relativo a tributo ou contribuição administrado pela SRF, passível de restituição ou de ressarcimento, e que desejar utilizá-lo na compensação de débitos próprios relativos aos tributos e contribuições administrados pela SRF ou ser restituído ou ressarcido desses valores deverá encaminhar à SRF, respectivamente, Declaração de Compensação, Pedido Eletrônico de Restituição ou Pedido Eletrônico de Ressarcimento gerado a partir do Programa PER/DCOMP 1.2, conforme IN SRF 376/03. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Ano: Informe no formato "AAAA". Trimestre: Selecione o trimestre de geração. Diretório: Informe o caminho onde serão gerados os arquivos DCPaatA1.TXT, DCPaatA2.TXT, DCPaatA3.TXT,IPIE_aaTx.TXT, IPIS_aaTx.TXT e IPIA_aaTx.TXT (Onde aa é o ano e t o trimestre da geração.), e o arquivo DCPENT.TXT.

282 No quadro Consolidação selecione a opção desejada GIA-ST Nesta rotina é possível gerar o arquivo da GIA de Substituição Tributária. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento (F12). Mês/Ano: Informe a data de referência no formato MM/AAAA. UF: Informe/selecione a sigla da Unidade da Federação a que se destina a arrecadação. Diretório: Informe o caminho onde será gerado o arquivo. Data de Vencimento: Este campo será preenchido automaticamente conforme parametrizado no cadastro de Inscrições Auxiliares. Despesas Acessórias: Este campo será preenchido automaticamente conforme valor apurado em Tributos\ Apuração Mensal. Considera valor de Frete, Seguro e Despesas informadas na aba Complemento dos lançamentos de saída. Créditos de Período Anterior: Este campo será preenchido automaticamente conforme valor apurado em Tributos\ Apuração Mensal. Declarante: Selecione entre "Contador" ou "Representante Legal". Retificadora: Marque esta opção se o arquivo for retificador. Sem Movimento: Marque a opção caso não haja movimento de ICMS ST no período Geração de Arquivo do Município Rotinas relacionadas a geração de arquivos para o município Arquivo Texto

283 Alguns municípios solicitam a geração de um arquivo texto com as informações das operações com ISS. O sistema adaptará o layout da rotina de acordo com o código do município informado no cadastro do estabelecimento. A tela de geração do arquivo poderá ter campos diferentes, de acordo com o município do estabelecimento. Estabelecimento: Selecione o código do estabelecimento. (F12) Mês/Ano ou Período: Informe no formato "MM/AAAA". Atividade: Informe qual é a atividade principal da empresa. Diretório: Informe o caminho onde será gerado o arquivo. Arquivo: Informe o nome do arquivo a gerar. O sistema já trará o nome de arquivo padrão conforme o município, podendo ser alterado se necessário. Informações: Abrirá uma janela com informações para auxílio na geração de arquivo do município. Campo Gerar Notas: Nesta rotina deverá informar quais Notas deseja gerar junto ao arquivo de Município. Entradas Saídas Ambos Arquivo XML Geração de arquivos para município em formato XML São Leopoldo - RS

284 Gera um arquivo XML com as informações das operações com ISS para o município de São Leopoldo - RS. Esta rotina somente será disponibilizada para as empresas cadastradas com UF = RS. Estabelecimento: Selecione o código do estabelecimento. (F12) Mês/Ano: Informe no formato "MM/AAAA". Diretório: Informe o caminho onde será gerado o arquivo. Gerar Arquivo para Prestador: Se marcada irá gerar o arquivo prestador.xml com as informações dos clientes e das notas fiscais de saída de serviço. Gerar Arquivo para Tomador: Se marcada irá gerar o arquivo tomador.xml com as informações dos fornecedores e das notas fiscais de entrada de serviço Campo Bom - RS Gera um arquivo XML com as informações das operações com ISS para o município de Campo Bom - RS. Esta rotina somente será disponibilizada para as empresas cadastradas com UF = RS. Estabelecimento: Selecione o código do estabelecimento. (F12) Mês/Ano: Informe no formato "MM/AAAA". Diretório: Informe o caminho onde será gerado o arquivo.

285 Login de acesso: O login de acesso refere-se ao login cadastrado no portal da DMS-e do município de Campo Bom. Preencha este campo para que seja possível realizar a importação do arquivo no portal Nota Fiscal Alagoana Gera o arquivo de informações à Sefaz-AL, referente ao Programa de Estímulo à Cidadania Fiscal do Estado de Alagoas, com o objetivo de incentivar os adquirentes de mercadorias, bens e serviços de transporte interestadual e intermunicipal a exigir do fornecedor a entrega de documento fiscal hábil. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento a ser gerada. (F12) Diretório Destino: Informe o caminho onde serão gerados os arquivos: NFAlagoanaNFVC.txt (notas de venda a consumidor) e NFAlagoanaNF1A.txt (notas fiscais modelo 1 e 1A). Mês/Ano: Informe o mês e o ano para a geração do arquivo, no formato MM/AAAA. Período NF Modelo 2: Informe o período, que deve corresponder com o mês/ano informados. Período NF Modelo 1/1A: Informe o período, que deve corresponder com o mês/ano informados. Código/NCM do item: Selecione o Código/NCM que será utilizado como referência para os lançamentos que não possuem informação de itens. Caso não seja informado nada neste campo, para esses lançamentos serão consideradas a descrição do item de estoque como "Mercadoria" e a unidade como "UN".

286 ATENÇÃO: Este campo é válido somente para as notas fiscais modelo 2 (venda a consumidor), pois para as notas fiscais modelos 1 e 1A (Entrada e Saída) é obrigatório que todos os lançamentos contenham informação de itens, caso contrário a validação não será possível. IMPORTANTE: O validador do arquivo Nota Fiscal Alagoana de notas modelo 1 e 1A exige que todos os lançamentos gerados, tanto de entrada quanto de saída, possuam itens informados. Por isso, antes de gerar o arquivo, é necessário verificar se todos os lançamentos do período possuem itens gravados. Caso não possuam, esses lançamentos devem ser efetuados antes de gerar o arquivo. O validador verifica ainda se o valor contábil da nota fiscal é igual à soma do total de itens da nota fiscal + valor do frete + valor de seguro + despesas acessórias + valor de IPI + valor de ICMS retido por substituição tributária - descontos DAC Essa rotina permite a geração da Declaração de Atividade do Contribuinte mensal, sendo que no mês de abril além das informações do próprio mês são geradas, também, as informações anuais do exercício anterior. Estabelecimento: Informe o Estabelecimento ( F12) Diretório: Informe o caminho onde será gerado o arquivo. Mês/ Ano: Informe o mês e ano de geração em formato (mm/aaaa) Com Movimento - Marcação automática se a empresa possui movimento no período, podendo ser alterado. Retificadora - Marcar caso esteja gerando um arquivo de retificação. Encerramento de atividades - Marcar caso esteja gerando um arquivo de encerramento de atividades.

287 IMPORTANTE: Ao emitir a DAC de Abril serão habilitadas em tela 02 abas para preenchimento dos registros anuais: Estoque Balanço Estoque Estas informações são geradas nos registros anuais da competência de Abril. Numero de Empregados: Preencha o numero de funcionários ativos no último dia do exercício anterior. (Caso possua o módulo Sage Folha de Pagamento, esse campo será preenchido automaticamente) Data do Balanço: Informe a data de fechamento do balanço em formato (dd/mm/aaaa) Outras Receitas: Informar o valor de outras receitas. Consumo de Energia Numero do Medidor: Informar o numero do medidor de energia Consumo (KWh): Quantidade consumida anualmente. Sistema de Inventário Deverá selecionar a opção utilizada pela empresa: Anual Periódico Calculo de Estoque Deverá selecionar a opção utilizada pela empresa Custo médio Peps Estoques de Mercadorias - Informar Valores de estoque Inicial e Final, relativos ao fechamento do exercício anterior. Balanço Estas informações são geradas nos registros anuais da competência de Abril. Balanço Patrimonial:

288 Informar Valores Inicial e Final do Balanço Patrimonial relativos ao fechamento o exercício anterior. Clique em OK para gerar a declaração, será gerado no diretório informado DMA Os contribuintes do ICMS no Estado da Bahia, com exceção dos optantes pelo SimBahia, devem entregar mensalmente o arquivo magnético com os dados referentes à apuração do ICMS. O arquivo deve ser gerado através do Fiscal e validado antes da entrega no Programa validador da DMA. O arquivo deve ser entregue mensalmente, até o dia 7 do mês subsequente ao mês de referência. Arquivo gerado = DMA.TXT Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Diretório: Informe o caminho onde será gerado o arquivo. Mês/Ano Referência: Informe o mês e ano para geração do arquivo, no formato MM/AAAA. Código da Inspetoria Fazendária: Informe o código. Data de encerramento do balanço: Informe a data no formato DD/MM/AAAA (dia/mês/ano). Opções: Selecione as opções que correspondem ao estabelecimento. Inscrição Única Atividade de Transporte Escrituração centralizada Retificação Informações do município do responsável: Código: Informe o código do município.

289 Descrição: Informe o nome do município. Clique no botão Gerar DIEF Rotinas relacionadas a geração de arquivo estaduais do Maranhão. Gera o arquivo FISCO-MESANO.TXT, nos padrões estabelecidos pelo Convênio ICMS 57/96 e demais alterações com os CFOP de Após gerar o arquivo deverá valida-lo no programa do SINTEGRA, na versão atualizada. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Mês/Ano: Informe o mês e ano de geração. Período: Preenchido automaticamente conforme informado no campo Mês/Ano. Notas de Entrada: Marque para que seja gerada no arquivo as notas de entradas. Notas de Saída: Marque para que seja gerada as notas de saídas. Gerar Registro de Itens: Marque para que seja gerado os itens das notas lançados na entrada e/ou saída. Gerar Registro de Inventário: Gera o registro de inventário (tipo 74) para o SINTEGRA. Dica: Para gerar as informações do inventário é necessário cadastrar as informações em Módulos/Controle de Inventário. No quadro Informações a Gerar, marque uma das opções: Todas as Operações: Gera todos os dados, independente do estado (UF) da nota. Operações Interestaduais: Gera apenas as notas do mesmo estado (UF) do estabelecimento.

290 Operações com Estado Específico - UF: Gera apenas as notas do estado (UF) informado na tela. Diretório: Informe o caminho onde será gerado o arquivo. Equipamento: Descrever as características do equipamento utilizado pelo sistema. Nome do Arquivo: Será preenchido automaticamente, conforme cada estado, porém admitirá alteração. É composto por: FISCO + hífen + mês/ano informado. Por exemplo: se informar mês/ano = 01/2009, o nome do arquivo será FISCO TXT. Retificadora: Marcar caso esteja gerando um arquivo de retificação. Considerar Código de Identificação dos Produtos: Se gerar o arquivo com esta opção marcada, será considerado o código de identificação no lugar do próprio código do produto. Se o produto não tiver código de identificação informado, será considerado o próprio código do produto. A princípio, esta opção será utilizada somente se houver exigência da fiscalização. Observações: 1. Quando o CNPJ de emitentes/destinatários estiver preenchido com 14 dígitos iguais em seu cadastro ( / ; / ; etc.), será gerado zerado no arquivo. Este procedimento evita rejeição do arquivo no validador e não obriga que os cadastros dos emitentes/destinatários sejam alterados. 2. Quando o estado for Pernambuco e estiver marcada a opção Gerar dados para o SEF, serão gerados no registro 60M o valor do GT Total do dia anterior e o somatório dos valores de ICMS. Também serão geradas as seguintes informações adicionais: Data da operação Número de lançamento contábil Alíquota do ICMS: gerar a primeira alíquota, pois as notas geradas nesse registro (notas de transporte) sempre possuem apenas essa alíquota. Observação GIA (MT) Gera o arquivo GIA.TXT, conforme as características (layout) definidas pela Receita Estadual e deve ser validado através do sistema fornecido pelo mesmo. Acesse o site da receita estadual (

291 Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. Diretório: Informe o caminho onde será gerado o arquivo. Mês/Ano: Informe o intervalo de mês e ano que desejado. Além destas informações básicas cada Estado solicita algumas informações adicionais a ser geradas no arquivo. Caso tenha dúvidas sobre o que preencher em determinado campo entre em contato com a Receita Estadual para obter maiores informações GIA (PR) Gera o arquivo GIA.nnn (onde nnn corresponde ao número da base de dados). O arquivo será gerado conforme as características (layout) definidas pela Receita Estadual e deve ser validado através do sistema fornecido pelo mesmo.

292 Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Diretório: Informe o caminho onde será gerado o arquivo. Mês/Ano: Informe o mês e ano que desejado. No quadro Consolidação, selecione a opção desejada. Retificadora: Marque esta opção caso queira gerar a GIA Retificadora. Gerar os dados a partir dos itens das notas: Com esta opção marcada, os CFOP's e os valores serão gerados a partir dos itens lançados nas notas e não a partir dos valores da aba Bases. Desta forma, se nos itens tiver mais de um CFOP, os valores serão gerados separadamente. Além destas informações básicas cada Estado solicita algumas informações adicionais a ser geradas no arquivo. Caso tenha dúvidas sobre o que preencher em determinado campo entre em contato com a Receita Estadual para obter maiores informações GIA (RJ) Nesta rotina será gerado o arquivo GIA-mmaaaa.txt (mmaaaa corresponde ao mês\ano de geração do arquivo) para informar ao Estado, mensalmente, o valor a ser pago ou restituído a título de Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). É uma obrigação das empresas inscritas no cadastro de contribuintes do Rio de Janeiro. O arquivo será gerado conforme as características (layout) definidas pela Receita Estadual e deverá ser validado no site do SEFAZ-RJ. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Mês/Ano: Informe o mês e ano para geração do arquivo. Diretório: Informe o caminho onde será gerado o arquivo. Retificadora: Marque esta opção caso queira gerar a GIA Retificadora. Na geração deste arquivo, são considerados os lançamentos de entrada e saída, a apuração do ICMS, bem como os lançamentos de Detalhamento de ICMS/IPI.

293 GIA (RS) Gera o arquivo GIA08.TXT, conforme as características (layout) definidas pela Receita Estadual e deve ser validado através do sistema fornecido pelo mesmo. A geração deste arquivo pode ser utilizada somente a partir de 01/2012. Aba Arquivo: Estabelecimento: Informe/selecione o estabelecimento a ser gerado. Diretório: Informe/selecione o caminho onde será gerado o arquivo. Mês/Ano: Informe o mês e ano que desejado. Período: Informe o período no formato dd/mm/aaaa, caso seja necessário gerar o arquivo apenas de um intervalo de dias do mês/ano. Natureza do Anexo XVI: Selecione o tipo de serviço prestado pela empresa, se for o caso, para a geração do anexo XVI, correspondente as operações intermunicipais, podendo ser: Não se aplica: com esta opção não será gerado o anexo Transporte: Gerados valores correspondentes a notas de transporte, por município Energia Elétrica: Gerados valores correspondentes a notas de energia elétrica, por município Comunicação: Gerados valores correspondentes a notas de comunição, por município Dia do Vencimento: O sistema preenche automaticamente com o dia 21, permitindo alteração. Se o dia for alterado, ficará gravado para as próximas gerações.

294 Sistema próprio: Opção automaticamente marcada, permitindo alteração. Gera SINTEGRA: Opção automaticamente marcada, permitindo alteração. Início de atividade: Marcar a opção se o mês de geração for o mês em que a empresa está iniciando suas atividades. Fim de atividade: Marcar a opção se o mês de geração for o mês que que a empresa está encerrando suas atividades. Retificadora: Marcar a opção se a geração do arquivo for retificadora, ou seja, se o mês já tiver sido entregue anteriormente. Gerar os dados a partir dos itens das notas fiscais: Com esta opção marcada, os CFOP's e os valores serão gerados a partir dos itens lançados nas notas e não a partir dos valores da aba Bases. Desta forma, se nos itens tiver mais de um CFOP, os valores serão gerados separadamente. ATENÇÃO: Para que os valores sejam gerados em conformidade, é imprescindível que os itens estejam corretamente lançados, com informação de CST, CFOP e valores. O CST dos itens é extremamente importante, pois é por ele que são identificados valores de Outras e/ou Isentas. Para notas que não há itens, como por exemplo frete, nota de energia, etc., os dados serão gerados a partir da aba Bases. Se a opção não for marcada, os dados serão gerados a partir da aba Bases das notas fiscais. Saldo credor anterior: Refere-se ao ICMS do mês anterior do estabelecimento, se sua apuração tiver resultado em saldo credor. O sistema preenche este campo automaticamente, permitindo alterações. Faturamento do mês: O sistema preenche este campo automaticamente, com base nas notas de saída / prestação de serviço - devoluções, cujo CFOP esteja parametrizado para Integrar Faturament, do estabelecimento, permitindo alterações. Número de funcionários: Para empresas que possuem o Sage Folha de Pagamento, o sistema preenche este campo automaticamente com o número de funcionários ativos até o último dia do mês, do estabelecimento, permitindo alterações. Valor da folha de pagamento: Para empresas que possuem o Sage Folha de Pagamento, o sistema preenche este campo automaticamente com o o valor da folha de pagamento do mês para o estabelecimento, permitindo alterações. Na composição deste valor considera a instrução do manual da GIA, conforme segue: (Base de FGTS dos funcionários ativos) + (base de INSS dos diretores) + (valor do INSS empresa* sobre funcionários ativos e diretores) + (valor do FGTS sobre funcionários ativos). *Valor do INSS empresa: FPAS + RAT + Terceiros

295 Instrução do Manual da GIA: Valor da Folha de salários: Informe os valores da folha de pagamento, incluindo férias, encargos sociais e pró-labore e excluindo valores eventuais do período, tais como distribuições de bônus ou valores decorrentes de rescisão. OBS.: O valor gerado na tela pode ser alterado, se necessário. Código para geração da GIA: Informar o código utilizado para a geração da GIA. Compensação por pagamento indevido: Informar neste quadro os valores e demais dados para referentes a compensação de ICMS. Aba Estoque: A aba Estoque permitirá informação de valores somente em janeiro (estoque inicial) e em dezembro (estoque final), bem como, quando marcada opção "Início de atividade" ou "Fim de Atividade" na aba Arquivo DAPI A DAPI é utilizada para apurar e informar ao Estado, mensalmente, o valor a ser pago ou restituído a título de Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). É uma obrigação das empresas inscritas no cadastro de contribuintes de Minas Gerais, enquadradas no regime de débito e crédito. Essa Declaração é gerada pelo aplicativo denominado DAPISEF. Essa rotina possibilitará a geração do arquivo DAPI.

296 Estabelecimento: Informe o estabelecimento. Diretório: Selecione o diretório que será salvo o arquivo gerado. Mês/Ano: Informe o mês e ano referente a geração. No formato MM/AAAA No quadro Informações Econômicas: Número de empregados no último dia: Quantidade de empregados existentes no último dia do mês de referência. Valor da folha de pagamento: Valor total da folha de pagamento, incluindo férias, encargos sociais e pró-labore, excluindo valores eventuais do período, tais como, distribuição de bônus ou valores decorrentes de rescisão. Valor devido de COFINS: Valor total da Contribuição para Financiamento da Seguridade Social - COFINS devida no período de referência. Tratando-se de contribuinte optante pelo SIMPLES, o valor a informar será o devido a título de imposto único. Consumo de energia elétrica (KWh): Quantidade (em KWH) de energia elétrica constante da(s) Nota Fiscal de Energia Elétrica escriturada no período de referência, consumida no processo de produção, extração, industrialização, geração ou comunicação. Este campo só ficará habilitado se o CNAE do estabelecimento iniciar com os números: 10, 11, 13, 14, 15, 16, 17, 18, 19, 20, 21, 22, 23, 24, 25, 26, 27, 28, 29, 30, 31, 32, 33, 34, 35, 36 ou 37. Declaração sem movimento: A marcação desta opção não permitirá a inserção de valores que constituam movimentação no período, com exceção do saldo credor que será transportado automaticamente do documento imediatamente anterior, se existente no programa. Substitui declaração já existente: Marcar esta opção caso deseje substituir documento já entregue e aceito pela Secretaria da Fazenda.

297 DIEF Rotinas relacionadas a geração de arquivo estaduais do Pará. Esta rotina gera o arquivo DIEF_mmaaaa.txt. A DIEF é o documento eletrônico que permite a declaração dos dados da movimentação de mercadorias e/ou prestação de serviços, sujeitas ou não à incidência de imposto, promovidas por contribuintes inscritos no cadastrado da SEFA. É obrigatória para contribuintes do Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação - ICMS, inclusive os que realizarem operações e prestações com imunidade ou isenção do ICMS, quando inscritos no Cadastro de Contribuintes do ICMS do Estado do Pará e no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica do Ministério da Fazenda. A DIEF deverá ser entregue até às 23:59 do dia 10 do mês subsequente ao de referência. Caso o dia 10 não seja dia útil, o prazo será prorrogado para o primeiro dia útil subsequente. Essa declaração deve ser apresentada via Internet, através de programa transmissor (SEFANET ou TED), conforme versão do programa da DIEF instalado no computador. Estabelecimento: Informe o estabelecimento (F12). Diretório: Informe o diretório onde o arquivo será salvo. Mês/Ano: Informe o mês e ano de geração.

298 Opção "Declaração sem movimento": Marcada automaticamente se no mês/ano informado não tiver lançamento de nota fiscal nem lançamento de detalhamento de ICMS. Quadro "Tipo de Declaração": a) Normal: gera informações econômicas e fiscais de operações e prestações realizadas no mês/ano informado. b) Baixa: gera informações econômicas e fiscais de operações e prestações promovidas pelo estabelecimento no mês/ano informado e no ano anterior (despesas e estoques), por motivo de encerramento ou suspensão de atividade a pedido do contribuinte, conforme inciso II do art. 4º da Instrução Normativa 004/2004. c) Substitutiva: gera o arquivo com o objetivo de substituir uma declaração normal ou substitutiva/retificadora das informações anteriormente entregues à Secretaria de Estado da Fazenda. Quadro "Tipo de Contribuinte": a) Normal b) Produtor Rural (PJ) c) Prestador de Serviço tributado pelo ICMS: se marcado, habilita o campo Tipo de Serviço, com as opções: Transportes Comunicação Fornecimento de água Fornecimento de energia Outras receitas do mês: preencher, caso necessário. Aba "Despesas": habilitada para a competência 02, devendo ser informados dados referentes ao ano anterior. Para outras competências, esta aba só ficará habilitada se o tipo de declaração for "Baixa", devendo ser preenchidas as despesas do próprio ano. Aba "Estoque": habilitada para competência 02. Para outras competências, só ficará habilitada para o tipo de declaração "Baixa". Deve ser preenchido o estoque do ano anterior e atual Nota Fiscal Cidadã Nesta rotina é possível gerar o arquivo da Nota Fiscal Cidadã, habilitada para estabelecimentos do Pará. Este arquivo tem por objetivo atender estabelecimentos comerciais do Estado, que possuem emissão de notas fiscais de venda a consumidor, bem como as notas modelo 1 ou 1A.

299 DFC Rotinas relacionadas a geração de arquivo estaduais do Paraná. Gera informações em arquivo para posterior importação no programa da DFC-GI. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Mês/Ano Inicial: Informe o mês/ano inicial no formato MM/AAAA. Mês/Ano Final: Informe o mês/ano final no formato MM/AAAA. O período inicial e final deve estar no mesmo ano. Estoque Inicial: Valor de estoque na data de início de geração. Estoque Final: Valor de estoque na data de final de geração. Enquadramento no Simples Nacional no Ano Base: esta opção será marcada automaticamente, conforme a opção informada nos parâmetros do Estabelecimento. Diretório: Informe o caminho onde será gravado o arquivo DFC.TXT gerado.

300 usuário. Nome do Arquivo: O sistema sugere o nome padrão: DFC.TXT, permitindo que seja alterado pelo No quadro Tipo: Marque uma das opções. Processamento Definitivo: Se marcado, registrará a emissão/processamento, para o controle de relatórios e processamentos gerados ou a gerar. Poderá emitir o relatório de Controle de Rotinas em Utilitários. No quadro Consolidação, selecione a opção desejada GI Gera informações em arquivo para posterior importação no programa da DFC-GI. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Mês/Ano Inicial: Informe o mês/ano inicial no formato MM/AAAA. Mês/Ano Final: Informe o mês/ano final no formato MM/AAAA. O período inicial e final deve estar no mesmo ano. Diretório: Informe o caminho onde será gerado o arquivo GI.TXT. Nome do Arquivo: Informe o nome do arquivo a gerar. O nome padrão é GI.TXT. No quadro Tipo: Marque uma das opções. Processamento Definitivo: Se marcado, registrará a emissão/processamento, para o controle de relatórios e processamentos gerados ou a gerar. Poderá emitir o relatório de Controle de Rotinas em Utilitários.

301 No quadro Consolidação selecione a opção desejada GISS A Guia de Informações do ISS - GIISS deve ser informada pelas pessoas jurídicas de direito público e privado, inclusive a administração indireta da união dos estados e do município de Foz do Iguaçu, bem como as fundações instituídas pelo poder público e entidades estabelecidas ou sediadas no município de Foz do Iguaçu. As GIISS podem ser entregues pessoalmente, ou enviadas à Secretaria Municipal de Fazenda, via Internet, utilizando os mesmos arquivos gravados em disquete e gerados pelo Programa da Guia de informações do ISS, já utilizado atualmente pelos contribuintes. A remessa via Internet é feita através do programa GIISSNET, disponível para download no site O Sage Fiscal gerará o arquivo com todas as informações solicitadas e no formato exigido, este deverá apenas ser importado no programa próprio para posterior geração do disquete de entrega ou envio pela internet. Será gerado o arquivo GIISS.TXT Estabelecimento: Selecione o estabelecimento a ser gerado. (F12) Período: Informe o mês e ano inicial e final, no formato MM/AAAA. Diretório: Informe o caminho, onde será gerado o arquivo GIISS.TXT SEF 2012 / E-Doc Rotinas relacionadas a geração de arquivo estaduais de Pernambuco. Por esta rotina é possível gerar os arquivos para entrega à SEFAZ de Pernambuco. Os arquivo gerados por esta rotina devem ser importados/validados nos aplicativos SEF Sistema de Escrituração Fiscal e edoc2012- Emissão de Documento Fiscal, disponibilizados pela SEFAZ- PE.

302 Na tela, informar os campos obrigatórios (estabelecimento, mês/ano, diretório destino e razão social completa). Selecionar os arquivos que devem ser gerados e clicar em OK. É possível gerar três arquivos: ICMS- LA (Livros da Apuração): deve ser importado no aplicativo SEF 2012 edoc-extrato: deve ser importado no aplicativo edoc 2012 ICMS- Guias (GIA, GIAM, GIAF): deve ser importado no aplicativo SEF 2012 Os três arquivos serão gerados no mesmo diretório. No botão Converte Inscrição Estadual, é aberta uma nova rotina que efetua a conversão das inscrições estaduais antigas para o formato novo, dos cadastros de clientes/fornecedores. O aplicativo SEF 2012 exige que as inscrições estaduais estejam no formato novo e este aplicativo não faz a conversão automática, como acontecia no aplicativo SEF. Por isso, caso haja cadastros com a codificação antiga, deve ser efetuada esta atualização. Ainda em relação a Inscrição Estadual, no cadastro do estabelecimento também deve estar informado no formado novo. Esta atualização deve ser efetuada de forma manual, pois a rotina de conversão efetua este procedimento somente para o cadastro de emitentes/destinatários. No site do SEFAZ-PE está disponível um aplicativo que converte a inscrição estadual e pode auxiliar neste procedimento. OBSERVAÇÕES: O arquivo ICMS- Guias (GIA, GIAM, GIAF) está sendo gerado, porém o aplicativo SEF 2012 ainda não está apto para importá-lo. Deve-se aguardar a liberação da nova versão do aplicativo pela SEFAZ-PE, com a implementação correspondente a este arquivo.

303 Para que as informações fiquem corretas, as notas fiscais devem ser lançadas com seus itens. Assim, as informações são geradas de forma separada, conforme o CFOP dos itens. Porém, é imprescindível que as informações estejam consistentes, ou seja, que o CST e os valores dos itens estejam condizentes com os valores da aba Bases. É pelo CST dos itens que o sistema identifica se o valor refere-se a base de cálculo, isentas ou outras. Para as notas que não possuem itens (energia, transporte, etc), os valores serão gerados a partir da aba Bases. No aplicativo SEF 2012, após importar o arquivo, deve-se abrir o movimento e complementar, no cadastro do contribuinte, algumas informações de "Perfis e Marcadores" e "CFOPs preponderantes", pois estas não constam no arquivo. Caso ocorra algum problema no cadastro de contribuinte que precise ser corrigido no Sage Fiscal, deve-se gerar e importar novamente o arquivo. Porém, antes este contribuinte precisa ser excluído no aplicativo SEF 2012, pois estes dados não são sobrescritos. É possível que ao importar o arquivo no aplicativo SEF 2012 ou edoc 2012, ocorra erro de conexão, pois neste momento o aplicativo conecta ao SEFAZ para obter o perfil do contribuinte: Mensagem: ERRO - Não foi possível conectar com o servidor da Sefaz/PE. Mensagem: Socket Erros # Connection timed out. (1) Não temos informações oficiais da SEFAZ-PE, porém, para resolver o problema foi necessário liberar a porta 1049 e os endereços , , e SEF 2012 Inventário Nesta rotina deve ser gerado o arquivo de Inventário referente ao SEF Estabelecimento: Selecione o estabelecimento que deseja gerar o arquivo.

304 Em Dados do Perfil, selecione pelo menos uma das opções: Obrigado a entrega anual do Registro de Inventário: Selecione esta opção, se segundo o perfil da empresa, ela estiver obrigada a entrega anual do Livro Registro de Inventário. Obrigado a entrega eventual do registro de Inventário: Selecione esta opção, se segundo o perfil da empresa, ela estiver obrigada a entrega eventual do livro Registro de Inventário. Pelo menos uma das opções deve ser marcada. Data do Inventário: Informar a data do inventário. Se for entrega anual esta data de ser igual a 31/12. Se for entrega eventual, a data deve ser diferente de 31/12. Indicador da data do inventário: Selecione uma das opções, conforme a data do inventário e conforme o perfil da empresa: Levantamento no último dia do ano civil, coincidente com a data do balanço Levantamento no último dia do ano civil, divergente da data do balanço Levantamento na data do balanço, divergente do último dia do ano civil civil Levantamento em data divergente da data do último balanço e divergente do último dia do ano Diretório Destino: Informe o local onde será salvo o arquivo. Razão Social Completa: Caso a razão social esteja abreviada no cadastro da empresa, poderá ser informada a razão social completa para geração do arquivo. O sistema já traz por padrão a razão social do cadastro. No quadro Finalidade, selecione se a geração é original ou substitutiva GIA Eletrônica Gera informações em arquivo para posterior importação. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12)

305 Mês/Ano Inicial: Informe a data de referência no formato MM/AAAA. Mês/Ano Final: Informe a data de referência no formato MM/AAAA. Diretório: Informe o caminho onde será gerado o arquivo GIA.TXT. Nome do Arquivo: Informe o nome do arquivo a gerar. O nome padrão é GIA.TXT. Tipo: Marque uma das opções Original ou Substituta GIM Rotinas relacionadas a geração de arquivo estaduais do Rio Grande do Norte. Nesta rotina é possível gerar o arquivo GIM para informar ao Estado, mensalmente, o valor a ser pago ou restituído a título de Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). É uma obrigação das empresas inscritas no cadastro de contribuintes do Rio Grande do Norte. Este arquivo é validado ou importado no aplicativo denominado "Digitação da GIM", disponibilizado pelo SEFAZ/RN. Estabelecimento: Selecione/informe o estabelecimento para geração do arquivo. Mês/Ano: Informe o período de geração do arquivo. Diretório: Selecione/informe o diretório onde será salvo o arquivo gerado. GIM zerada: Marque esta opção se o estabelecimento não possui movimento no período selecionado. Valor do estoque inicial: Informe o valor do estoque inicial, em 1º de janeiro do exercício. Refere-se ao estoque final correspondente ao valor das mercadorias constantes do Livro Registro de Inventário.

306 Mês/ano do estoque: Informe o mês/ano do estoque. Observações importantes: Podem ser informadas até três observações que sejam importantes. Na geração deste arquivo, são considerados os lançamentos de entrada e saída, a apuração do ICMS, bem como os lançamentos de Detalhamento de ICMS/IPI Nota Fiscal Gaúcha Emissão de Nota Fiscal Gaúcha significa a emissão de um documento fiscal contendo o CPF do comprador, o qual deverá ser transmitido eletronicamente para a Secretaria da Fazenda, e que acumulará pontos para o cidadão concorrer a prêmios em dinheiro. Nesta rotina será gerado o arquivo NFG.txt com os dados das notas fiscais ao consumidor (modelos 02 e 65), emitidas para consumidor pessoa física. Este arquivo deve ser validado no Programa Nota Fiscal Gaúcha, disponibilizado pela SEFAZ DIME A Declaração do ICMS e do Movimento Econômico DIME será apresentada, em arquivo eletrônico, pelas empresas para informar à Secretaria da Fazenda do Estado de Santa Catarina o resumo mensal das suas operações e prestações registradas no livro Registro de Apuração do ICMS. O arquivo eletrônico terá especificações técnicas conforme manual de orientações publicado em Portaria do Secretário de Estado da Fazenda.

307 Estabelecimento: Selecione/Informe o estabelecimento. Diretório: Informe o caminho onde será gerado o arquivo. Número de Trabalhadores: Informe o número de trabalhadores ativos no estabelecimento. Período: Informe o mês e ano desejado no formato MM/AAAA. No quadro Declaração selecione uma das opções: Normal; Encerramento de Atividades; Saída do regime de estimativa. Apuração Consolidada: Marque a opção se a apuração do ICMS for consolidada. São habilitadas as opções para informar se o estabelecimento gerado é consolidador ou consolidado. Para cada um deles será considerado um tratamento diferenciado no arquivo. Para o estabelecimento consolidador deve ser informado o valor (devedor ou credor) recebido em transferência dos estabelecimentos consolidados, em Tributos\ Detalhamento de ICMS/IPI. Regime de Apuração: Selecione o Regime de Apuração do estabelecimento, que poder: Simples, Normal ou Bares, restaurantes e similares. IMPORTANTE: A opção "Simples" é válida somente para os arquivos gerados com data até junho/2007. Selecione as Opções do arquivo a ser gerado. Tributos a recuperar na entrada por transferência (Campo 21 do Quadro 51): Neste campo trará o valor correspondente ao ICMS das notas de entrada com CFOP 1152, 1659, 2152 e 2659, podendo ser alterado se necessário.

308 No Quadro Discriminação do imposto a pagar: Código Receita: Especifique o código da receita, conforme Tabela de Códigos da Receita, introduzida pela Portaria SEF 164/04, de 16 de julho de Vencimento: Informe a data de vencimento correspondente à classe de vencimento do imposto, quando se tratar de modalidade de imposto com Código de Receita, que exija classe de vencimento, ou, a data de pagamento, quando se tratar de modalidade de imposto com Código de Receita, que não exija classe de vencimento. Classe: Informe a classe de vencimento do imposto, conforme Tabela de Classes de Vencimento, aprovada em Portaria do Secretário de Estado da Fazenda. Valor: Preencha com o valor do imposto a recolher correspondente, ou já recolhido, nos casos em que a legislação determine o pagamento antecipado ou por ocasião do fato gerador. Número do Acordo: Informe o número do acordo que concedeu a dilação de prazo para pagamento do imposto. Deve ser informado com o número do acordo caso a classe de vencimento seja 10243, ou (PRODEC, COMPEX, PRO-EMPREGO ou qualquer outro Tratamento Tributário que tenha ampliado o prazo de carência para pagamento do imposto) STDA A STDA é uma Declaração de Substituição Tributária e Diferencial de Alíquota para Contribuintes Paulistas do Simples Nacional. Por esta rotina será gerada a planilha FormularioSTDA, preenchida com as informações pertinentes ao ano base de geração, para posterior importação no site da Receita Estadual de São Paulo. Serão gerados os valores correspondentes ao Diferencial de Alíquota, agrupando por UF de origem da mercadoria e o valor agrupado por mês, do ICMS devido por Substituição Tributária, considerando os lançamentos cujo destinatário também seja de SP. Selecione o estabelecimento, o ano base e informe o diretório onde será gerada a planilha NFTS

309 Por esta rotina será gerado o arquivo da Nota Fiscal Eletrônica do Tomador/Intermediário de Serviços. A NFTS foi instituída pela Lei Nº , de 8 de julho de 2011, e se destina à declaração dos serviços tomados ou intermediados pelas pessoas jurídicas e pelos condomínios edilícios residenciais ou comerciais por ocasião da contratação de serviços. O arquivo texto será gerado conforme layout definido pela Prefeitura Municipal de São Paulo, no sistema da Nota Fiscal de Serviços Eletrônica - NFS-e. Na tela, selecione o estabelecimento, informe mês/ano de geração e o diretório destino. O nome no arquivo será por padrão NFTS.txt podendo ser alterado. No arquivo serão consideradas as notas ficais de entrada de serviço, que estejam com a opção "Gerar NFTS referente a esta nota" marcada no lançamento Nota Fiscal Paulista Gera o arquivo de informações à Sefaz-SP, referente ao Programa de Estímulo à Cidadania Fiscal do Estado de São Paulo, com o objetivo de incentivar os adquirentes de mercadorias, bens e serviços de transporte interestadual e intermunicipal a exigir do fornecedor a entrega de documento fiscal hábil, conforme Lei , de 28 de agosto de 2007 e Decretos relacionados.

310 Estabelecimento: Selecione o estabelecimento a ser gerada. (F12) Diretório Destino: Informe o caminho onde serão gerados os arquivos: NFPaulistaNFVC.txt (notas de venda a consumidor) e NFPaulistaNF1A.txt (notas fiscais modelo 1 e 1A). Mês/Ano: Informe o mês e o ano para a geração do arquivo, no formato MM/AAAA. Período NF Modelo 2: Informe o período, que deve corresponder com o mês/ano informados. Período NF Modelo 1/1A: Informe o período, que deve corresponder com o mês/ano informados. Código/NCM do item: Selecione o Código/NCM que será utilizado como referência para os lançamentos que não possuem informação de itens. Caso não seja informado nada neste campo, para esses lançamentos serão consideradas a descrição do item de estoque como "Mercadoria" e a unidade como "UN". ATENÇÃO: Este campo é válido somente para as notas fiscais modelo 2 (venda a consumidor), pois para as notas fiscais modelos 1 e 1A (Entrada e Saída) é obrigatório que todos os lançamentos contenham informação de itens, caso contrário a validação não será possível. IMPORTANTE: O validador do arquivo Nota Fiscal Paulista de notas modelo 1 e 1A exige que todos os lançamentos gerados, tanto de entrada quanto de saída, possuam itens informados. Por isso, antes de gerar o arquivo, é necessário verificar se todos os lançamentos do período possuem itens gravados. Caso não possuam, esses lançamentos devem ser efetuados antes de gerar o arquivo. O validador verifica ainda se o valor contábil da nota fiscal é igual à soma do total de itens da nota fiscal + valor do frete + valor de seguro + despesas acessórias + valor de IPI + valor de ICMS retido por substituição tributária - descontos. Há um validador específico para as notas modelo 1 e 1A, chamado TD-REDF, o qual está disponível para download no site da SEFAZ-SP, no seguinte link:

311 DES Gera informações dos lançamentos de serviço em arquivo, para posterior importação no programa próprio da Prefeitura de São Paulo. Será gerado o arquivo DES.TXT Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Mês/ Ano: Informe no formato MM/AAAA o mês e ano inicial e final. Tipo da Nota Fiscal: Selecione o tipo de nota fiscal utilizada que deseja declarar no arquivo. Diretório: Informe o caminho, onde será gerado o arquivo DES.TXT. Declarante estabelecido fora do município de São Paulo: Marque esta opção se for o caso. Após selecione o tipo da operação no quadro Situação da Nota Fiscal Nova GIA (SP) Nesta rotina é possível gerar o arquivo GIA.PRF para o estado de São Paulo. O arquivo será gerado conforme as características (layout) definidas pela Receita Estadual e deve ser validado através do sistema fornecido pelo mesmo (Nova GIA). Para geração deste arquivo, são considerados os valores lançados nos itens das notas fiscais de entrada e saída. Desta forma, é imprescindível que todos os itens estejam lançados corretamente (CFOP, CST, valores). O CST dos itens é extremamente importante, pois é por ele que são identificados valores de Outras e/ou Isentas. Se a nota não possuir itens, serão considerados os valores da aba Bases.

312 Mês/Ano: Informe o mês e ano no formato MM/AAAA. Estabelecimento: Selecione/Informe o estabelecimento de SP a ser gerado. (F12) Este campo não é de preenchimento obrigatório, ou seja, podem ser gerados todos os estabelecimentos da empresa, que sejam de SP, no mesmo arquivo. Se desejar gerar um arquivo para cada estabelecimento, pode ser utilizado este campo. Diretório: Informe o caminho onde será gerado o arquivo. Regime Tributário: Selecione o regime tributário correspondente ao estabelecimento: RPA (Regime Periódico de Apuração) Dispensado 4.5. Excluir Lançamentos Antigos Apaga todos os lançamentos de Entrada, Saída e os Detalhamentos do ano. Esta rotina não tem obrigatoriedade de ser executada, pois serve apenas para apagar todos os registros de um determinado exercício, diminuindo o tamanho da base de dados. Importante! Antes de confirmar o fechamento anual efetue uma cópia de segurança (backup) da base de dados, pois este processo não pode ser desfeito. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento (F12).

313 Exercício: Informe qual é o ano respectivo para o fechamento Fechamento Mensal Esta rotina proporciona maior segurança e melhor controle dos processamentos. Por ela é possível fechar o período para que não sejam mais efetuados lançamentos/processamentos, garantindo a integridade dos dados já apurados. O fechamento mensal pode ser utilizado em todos os módulos do sistema de forma independente. Mas, para quem utiliza também o Sage Contabilidade, o controle principal pode ser realizado por este módulo, visto que ele recebe dados de todos os outros módulos e, via de regra, é o último a ser fechado para os procedimentos de conciliação. Pode ser realizado de duas formas: Por Empresa Agrupado Por Empresa Na tela da rotina, ao informar o ano exibe todos os meses com o status de fechamento de cada mês, permitindo a alteração. É possível definir dois status: Aberto ou Finalizado. Com o status verde, ou seja, Aberto, é possível efetuar lançamentos e processamentos no mês, sem restrição. Com o status amarelo, ou seja, Finalizado, não é permitido lançar e/ou processar. Há ainda o status Bloqueado, que aparece em vermelho. Com este status, também não é possível efetuar lançamentos e processamentos no mês. Porém, o bloqueio do módulo é efetuado somente pelo Sage Contabilidade. Consequentemente, a abertura deste período também só pode ser realizada pelo Contábil.

314 Com esta opção de bloqueio, o Contábil assume o controle do fechamento mensal, garantindo que não sejam efetuadas alterações que impactem no saldo das contas contábeis. Características da rotina: Na tela de fechamento, se finalizar um mês e tiver meses anteriores abertos, todos estes meses são finalizados também, automaticamente. Para a abertura de um período, se tiver meses posteriores finalizados, exibe uma mensagem perguntando se todos os meses posteriores devem ser abertos também. ATENÇÃO: Mesmo optando por não abrir todos os meses, deve-se revisá-los para garantir que a alteração retroativa não impactou em meses subsequentes. Ao iniciar o uso da rotina, finalizando o primeiro mês, são finalizados automaticamente até 5 anos para trás. Um mês finalizado pode ser aberto a qualquer momento por usuário que possua acesso a rotina de fechamento. Todas as rotinas que possibilitam efetuar lançamentos e processamentos, verificam se o mês está aberto. Estando finalizado ou bloqueado, exibe mensagem de alerta e não permite a finalização do processo. Após alterar algum status, deve-se clicar em Gravar para que a alteração seja acatada. IMPORTANTE: Para garantir a eficácia do fechamento, é imprescindível um controle de permissão de acesso aos usuários Agrupado Possibilita fazer o fechamento mensal de várias empresas ao mesmo tempo.

315 Mês/Ano: Informe o mês/ano que deseja realizar o fechamento. Botão Selecionar Empresas: Lista todas as empresas, permitindo selecionar as empresas para realizar o fechamento. No quadro Ação selecione a opção desejada: Finalizar: Selecione esta opção para que o Mês/Ano seja Finalizado. Assim não será permitido fazer lançamentos e/ou processamentos. Abrir: Selecione esta opção para que o Mês/Ano seja Aberto. Assim será possível efetuar lançamentos e processamentos no mês, sem restrição. Há ainda o status Bloqueado, que aparece em vermelho. Com este status, também não é possível efetuar lançamentos e processamentos no mês. Porém, o bloqueio do módulo é efetuado somente pelo Sage Contabilidade. Consequentemente, a abertura deste período também só pode ser realizada pelo Contábil. Com esta opção de bloqueio, o Contábil assume o controle do fechamento mensal, garantindo que não sejam efetuadas alterações que impactem no saldo das contas contábeis. Na tela de fechamento, se finalizar um mês e tiver meses anteriores abertos, todos estes meses são finalizados também, automaticamente.

316 Para a abertura de um período, se tiver meses posteriores finalizados, exibe uma mensagem perguntando se todos os meses posteriores devem ser abertos também. ATENÇÃO: Mesmo optando por não abrir todos os meses, deve-se revisá-los para garantir que a alteração retroativa não impactou em meses subsequentes. Ao iniciar o uso da rotina, finalizando o primeiro mês, são finalizados automaticamente até 5 anos para trás. Um mês finalizado pode ser aberto a qualquer momento por usuário que possua acesso a rotina de fechamento. Todas as rotinas que possibilitam efetuar lançamentos e processamentos, verificam se o mês está aberto. Estando finalizado ou bloqueado, exibe mensagem de alerta e não permite a finalização do processo. Após alterar algum status, deve-se clicar em Gravar para que a alteração seja acatada. IMPORTANTE: Para garantir a eficácia do fechamento, é imprescindível um controle de permissão de acesso aos usuários Atividade Imobiliária Estas rotinas serão utilizadas pela pessoa jurídica que auferiu receita da atividade imobiliária, decorrente da aquisição de imóvel para venda, promoção de empreendimento de desmembramento ou loteamento de terrenos, incorporação imobiliária ou construção de prédio destinado à venda Cadastros Neste menu, estão disponíveis as rotinas para efetuar os cadastros relacionados a atividade imobiliária. Está dividido em: Cadastro de Empreendimentos Cadastro de Unidades Imobiliárias Cadastro de Empreendimentos Nesta rotina devem ser cadastrados os empreendimentos imobiliários.

317 Estabelecimento: Selecionar o estabelecimento correspondente ao empreendimento. Código: Informar um código sequencial numérico para o cadastro. Identificação: Informar uma identificação/nome para o empreendimento. Este campo não poderá se repetir entre os cadastros. Descrição: Informar uma descrição resumida do empreendimento. Natureza: Selecionar entre as opções disponíveis no campo, a natureza correspondente ao empreendimento. Código da SCP: Selecionar o código da SCP previamente cadastrada, se o valor se referir a uma Sociedade em Conta de Participação. Será habilitado quando o código da Natureza for igual a 2.

318 Situação: Selecionar se o cadastro está Ativo ou Inativo Cadastro de Unidades Imobiliárias Nesta rotina devem ser cadastradas as unidades imobiliárias de cada empreendimento. Para efetuar este cadastro, antes deve ser efetuado o cadastro do empreendimento imobiliário. Estabelecimento: Selecionar o estabelecimento correspondente a unidade imobiliária. Empreendimento: Selecionar o empreendimento de qual a unidade imobiliária faz parte. Código: Informar um código sequencial numérico para o cadastro.

319 Identificação: Informar uma identificação para a unidade. Este campo não poderá se repetir entre os cadastros. Descrição: Informar a descrição da unidade imobiliária. Operação: Selecionar entre as opções disponíveis no campo, a operação correspondente a unidade. Unidade: Selecionar entre as opções disponíveis no campo, o tipo de unidade. Adquirente: Selecionar o emitente/destinatário, pessoa física ou jurídica, que adquiriu a unidade imobiliária. No caso de haver mais de um adquirente para a mesma unidade imobiliária vendida, o CPF ou CNPJ dos demais deve ser informado no campo "Informações". Contrato: Informar o número do contrato/documento que formaliza a venda da unidade imobiliária. Data da Venda: Informar a data da operação de venda. Valor Atualizado da Venda: Informar o valor total da unidade imobiliária vendida, atualizado até o período da escrituração. A informação constante neste campo é necessária, para fins de determinação do percentual da receita recebida até o mês da escrituração. Valor do Custo com Crédito: Informar o valor total do custo orçado, referente a unidade imobiliária não concluída vendida, que gera direito a crédito de PIS/COFINS. Valor do Custo sem Crédito: Informar a parcela do custo orçado da unidade imobiliária vendida que não deve compor a base de cálculo do crédito. De acordo com a legislação tributária, não dará direito a crédito o valor: I - de mão-de-obra paga a pessoa física, bem assim dos encargos trabalhistas, sociais e previdenciários; II - da aquisição de bens ou serviços não sujeitos ao pagamento das contribuições. Informações: Informações complementares referentes a unidade imobiliária Lançamentos Neste menu, estão disponíveis as rotinas para efetuar os lançamentos relacionados a atividade imobiliária. Está dividido em: Consulta de Lançamentos Lançamento de Recebimentos Lançamento de Custos Orçados

320 Lançamento de Custos Incorridos custo Consulta de Lançamentos Nesta rotina podem ser visualizados todos os lançamentos efetuados, de recebimento e/ou de Para realizar a consulta, podem ser utilizados os campos de filtro disponíveis na tela. vendida Lançamento de Recebimentos Nesta tela devem ser informados os recebimentos mensais referentes a cada unidade imobiliária

321 Estabelecimento: Selecionar o estabelecimento correspondente a unidade imobiliária vendida. Empreendimento: Selecionar o empreendimento de qual a unidade imobiliária faz parte. Unidade: Selecionar a unidade imobiliária vendida, correspondente ao recebimento. Data: Informar a data do recebimento. Valor Recebido: Informar o valor total recebido no mês da escrituração Lançamento de Custos Orçados Nesta rotina a pessoa jurídica procederá à escrituração dos créditos referentes ao custo orçado para a conclusão da obra ou melhoramento, vinculado à unidade imobiliária vendida em construção. De acordo com a regulamentação da atividade imobiliária referente ao PIS/Pasep e à Cofins (IN SRF nº 458/04), as despesas com vendas, as despesas financeiras, as despesas gerais e administrativas e quaisquer outras, operacionais e não operacionais, não integram o custo dos imóveis vendidos. Os créditos referentes ao custo orçado da unidade imobiliária vendida, conforme definido pela legislação tributária, deve ser objeto de utilização (desconto da contribuição apurada) pela pessoa jurídica somente a partir da efetivação da venda e na proporção da receita relativa à venda da unidade imobiliária, à medida do recebimento. Estabelecimento: Selecionar o estabelecimento correspondente a unidade imobiliária vendida. Empreendimento: Selecionar o empreendimento de qual a unidade imobiliária faz parte. Unidade: Selecionar a unidade imobiliária vendida, correspondente ao custo. Data: Informar a data da recebimento.

322 Valor do Custo com Crédito: Informar o valor total do custo orçado no mês da escrituração, referente a unidade imobiliária não concluída vendida, que gera direito a crédito de PIS/COFINS. Valor do Custo sem Crédito: Informar a parcela do custo orçado no mês da escrituração, da unidade imobiliária vendida, que não deve compor a base de cálculo do crédito. Valor do Crédito de PIS: Informar o valor do crédito de PIS/PASEP sobre o custo orçado a ser utilizado no período da escrituração. Valor do Crédito de COFINS: Informar o valor do crédito COFINS sobre o custo orçado a ser utilizado no período da escrituração Lançamento de Custos Incorridos Nesta rotina, a pessoa jurídica procederá à escrituração dos créditos referentes aos custos vinculados à unidade imobiliária vendida, construída ou em construção. De acordo com a regulamentação da atividade imobiliária referente ao PIS/Pasep e à Cofins (IN SRF nº 458/04), as despesas com vendas, as despesas financeiras, as despesas gerais e administrativas e quaisquer outras, operacionais e não operacionais, não integram o custo dos imóveis vendidos. Os créditos referentes aos custos incorridos da unidade imobiliária vendida, conforme definido pela legislação tributária, deve ser objeto de utilização (desconto da contribuição apurada) pela pessoa jurídica somente a partir da efetivação da venda e na proporção da receita relativa à venda da unidade imobiliária, à medida do recebimento. Estabelecimento: Selecionar o estabelecimento correspondente a unidade imobiliária vendida. Empreendimento: Selecionar o empreendimento de qual a unidade imobiliária faz parte.

323 Unidade: Selecionar a unidade imobiliária vendida, correspondente ao custo. Data: Informar a data da recebimento. Valor do Custo com Crédito: Informar o valor total do custo incorrido no mês da escrituração, referente a unidade imobiliária não concluída vendida, que gera direito a crédito de PIS/COFINS. Valor do Custo sem Crédito: Informar a parcela do custo incorrido no mês da escrituração, da unidade imobiliária vendida, que não deve compor a base de cálculo do crédito. Valor do Crédito de PIS: Informar o valor do crédito de PIS/PASEP sobre o custo incorrido a ser utilizado no período da escrituração. Valor do Crédito de COFINS: Informar o valor do crédito COFINS sobre o custo incorrido a ser utilizado no período da escrituração Relatório Nesta rotina é possível emitir relatório com os lançamentos efetuados, relacionados a atividade imobiliária.

324 5. Tributos No menu Tributos, você encontrará rotinas para apuração, emissão, conferência entre outros; Apuração Mensal Apuração Tributos Retidos 1ª Quinzena Memória de Cálculo Resumo de Débitos Simples Nacional Guias de Recolhimento Relação de Tributos Pagamento de Guias Créditos do Ativo Permanente Saldo Credor de ICMS/IPI Saldo Credor de ICMS-ST Detalhamento do ICMS Estimativa de ICMS Pagamento de GNRE 5.1. Apuração Mensal Nesta rotina, os tributos da empresa são apurados de forma centralizada. O sistema identifica, através de diversos parâmetros, quais os tributos federais, estaduais e municipais que a empresa é contribuinte e relaciona-os na tela, permitindo a emissão das guias, do relatório memória de cálculo, entre outras funcionalidades. Para iniciar a apuração, basta informar Mês/Ano e clicar em Calcular. ATENÇÃO: Uma vez efetuada a apuração gravando-a, o botão Calcular tem sua descrição alterada para Recalcular. Os tributos apurados nesta rotina são: Federais - PIS - COFINS - CSLL

325 - IRPJ - IPI - IRRF - PIS Retido - 2ª Quinzena (se na nota fiscal tiver apenas este tributo informado) - COFINS Retido - 2ª Quinzena (se na nota fiscal tiver apenas este tributo informado) - CSLL Retido - 2ª Quinzena (se na nota fiscal tiver apenas este tributo informado) - PIS/COFINS/CSLL Retido - 2ª Quinzena (se na nota fiscal tiver os três tributos informados) Estaduais - ICMS - ICMS de Substituição Tributária - ICMS Antecipação Parcial (específico para BA e MA) - Diferencial de Alíquota (específico para BA e MA) - Antecipação de ICMS Substituição Tributária (específico para BA) - Simples Diferencial de Alíquota (específico para SP) Municipais - ISS p/ o Município - ISS p/ Outros Municípios - ISS Retido a Recolher

326 Memória de Cálculo: Ao lado de cada tributo tem o botão Emitir correspondente a memória de cálculo. Nesta opção lista um relatório detalhado da apuração do tributo. A memória de cálculo pode ser emitida também pela rotina Tributos\ Memória de Cálculo. A memória dos tributos federais (CSLL, IRPJ, PIS e COFINS) variará conforme o regime de apuração: caixa ou competência. Emissão das Guias: Ao lado de cada tributo tem o check para emissão da guia. Ao clicar no botão Emitir Guias, serão geradas em tela as guias correspondentes aos tributos selecionados. ATENÇÃO: Para alguns tributos não há emissão de guia:

327 - ISS: não emite a guia, pois esta varia entre os municípios, sendo em alguns casos emitida através de aplicativos próprios. - ICMS: esta guia é emitida somente para algumas Unidades de Federação (PR, SC, SP e BA). Para demais estados a guia deve ser emitida através de aplicativos próprios. O check para emissão de guia será desabilitado se o tributo apurado no mês possuir saldo credor. Para o ICMS ST é emitida a GNRE. Porém, para estabelecimento substituto tributário de SP, será emitida GNRE e/ou GARE. Se o ICMS ST for de outros estados, será emitida a GNRE e se for de SP, será emitida a GARE com a Inscrição Estadual do próprio estabelecimento. Protocolar: Ao lado de cada tributo tem o check para protocolar a emissão das guias. Ao clicar no botão Protocolar, serão gerados os registros da emissão das guias na rotina de protocolos, para posterior controle de entrega e retorno das guias aos clientes do escritório. Contabilização: Se a empresa está parametrizada para utilizar integração contábil on-line, na tela de apuração de tributos aparecerá mais uma aba, denominada Contabilização. Nesta aba exibe os dados para integração contábil dos tributos, que será efetuada ao gravar a apuração dos mesmos. Para a correta integração contábil dos tributos, é necessário que as contas estejam definidas em Cadastros\ Contabilização\ Apropriação de Impostos\ Geral. OBSERVAÇÕES: Para PIS e COFINS, no cadastro do estabelecimento há duas opções de apuração: 1) Pelo total das bases de cálculo da nota fiscal e 2) Pelos valores lançados nos itens da nota fiscal. Na primeira opção, o cálculo de PIS e COFINS é efetuado utilizando a base de cálculo total da nota fiscal. Esta opção é viável quando a empresa não possui tributação por alíquota diferenciada e/ou unidade de medida nem está no regime cumulativo e não-cumulativo simultaneamente, pois na apuração de tributos, será aplicada a alíquota básica (informada nos parâmetros do estabelecimento) sobre a base total da nota fiscal (aba bases).

328 Na segunda opção, o cálculo de PIS e COFINS é efetuado utilizando diretamente o valor dos tributos informados nos itens da nota fiscal. Esta opção é necessária quando a empresa possui tributação por alíquota diferenciada e/ou unidade de medida ou está no regime cumulativo e nãocumulativo simultaneamente, pois o valor dos tributos será variado, não sendo possível a simples aplicação da alíquota sobre a base total da nota. Regime de Caixa: Se a empresa estiver parametrizada para apurar os tributos federais pelo regime de caixa, para apurar os tributos IRPJ, CSLL, PIS e COFINS, serão considerados os lançamentos de recebimento e não os lançamentos das notas fiscais. Regime de Competência: Se a empresa estiver parametrizada para apurar os tributos federais pelo regime de competência, para apurar os tributos IRPJ, CSLL, PIS e COFINS, serão considerados os lançamentos das notas fiscais. IRPJ/CSLL - Antecipação: É possível antecipar mensalmente o recolhimento de IRPJ e CSLL. Para isso, deve ser definido nos parâmetros do estabelecimento e o sistema calculará mensalmente os tributos, diminuindo do valor total a recolher na apuração trimestral. Quando utilizada a antecipação, somente será considerado valor mensal superior a R$10,00. Para deduzir o valor da antecipação na apuração trimestral, será considerado somente DARF de antecipação efetivamente recolhido, ou seja, que tenha o registro do pagamento na rotina Tributos\ Pagamento de Guias. Se o DARF de antecipação não for pago, será desconsiderado e excluído dos registros de processamento. IRPJ/CSLL - Quotas: Na apuração trimestral de IRPJ e CSLL pode-se optar por dividir o recolhimento em até 3 quotas. Nos parâmetros do estabelecimento é possível definir se o recolhimento será em quota única, 2 ou 3 quotas, ou ainda, se deseja definir este parcelamento durante a apuração mensal. Se definido para perguntar mensalmente, ao apurar IRPJ e CSLL exibirá uma tela para que seja definido o parcelamento. Para dividir em quotas, a parcela não pode ter valor inferior a R$2.000,00. Os acréscimos de juros sobre a segunda e terceira quotas serão calculados automaticamente pelo sistema. O cálculo dos acréscimos será da seguinte forma: Primeira quota: sem juros; Segunda quota: 1% de juros; Terceira quota: 1% + Taxa SELIC do mês imediatamente anterior ao da apuração.

329 Ao efetuar a apuração mensal o sistema buscará automaticamente a taxa SELIC no site da Fiscoweb e gravará internamente no sistema, caso não encontre a taxa ou não consiga conectar o site, verificará se a taxa já existe. Se não encontrar, abrirá uma tela para a taxa SELIC seja informada manualmente. Caso haja necessidade de ajuste na taxa SELIC, usada para o cálculo do DARF, o percentual poderá ser alterado pela rotina de emissão de guias, em Tributos\ Guias de Recolhimento\ Tributos Mensais/Quinzenais, campo Percentual de juros, no entanto, o percentual informado nesta rotina, NÃO será gravado para cálculos/emissões futuras. Simples Nacional: Se a empresa for optante pelo Simples Nacional, na apuração de tributos exibirá somente uma linha correspondente a este tributo, porém com o valor zerado, pois não apuramos o valor final do tributo. Neste caso, deve ser efetuada a integração com o PGDAS e ao gravar esta declaração o sistema armazena automaticamente o valor do tributo para que seja realizada sua contabilização, o controle de seu pagamento, etc. PIS/COFINS/CSLL Retido 1ª Quinzena: A apuração de PIS, COFINS, CSLL e PIS/COFINS/CSLL retidos, referente a primeira quinzena do mês, deverá ser efetuada por uma rotina específica, em Tributos\ Apuração Tributos Retidos 1ª Quinzena. Já a segunda quinzena, será apurada juntamente com os demais tributos mensais. Os tributos IRRF, PIS/COFINS/CSLL retidos serão listados conforme a opção de agrupamento para geração dos DARFs, selecionada no cadastro do estabelecimento, e a quantidade de DARFs destes tributos também dependerá desta opção. Para os tributos retidos (IRRF/PIS/COFINS/CSLL), não faz controle de valor acumulado inferior ao mínimo permitido para recolhimento. Para os tributos federais, exceto os tributos retidos, o sistema faz controle automático de valor acumulado inferior ao mínimo permitido para recolhimento. Saldo Credor: O sistema faz controle automático de saldo credor para os tributos: ICMS, ICMS ST, IPI, PIS, COFINS, IRPJ e CSLL. Para ICMS, ICMS ST e IPI, é possível informar valor referente a Outros Débitos, Estorno de Créditos, Outros Créditos e Estorno de Débitos, que serão utilizados na apuração destes tributos. Estes lançamentos devem ser efetuados na rotina Tributos\ Detalhamento de ICMS/IPI. Para PIS, COFINS, IRPJ e CSSL é possível informar bases extras tributáveis e valores extras tributados, que serão utilizados na apuração destes tributos. Estes lançamentos devem ser efetuados na rotina Lançamentos\ Bases Extras Tributáveis e Valores Extras Tributados. Os tributos federais, exceto o IPI, são apurados de forma centralizada no estabelecimento matriz. A guia destes tributos é emitida considerando os dados deste estabelecimento.

330 Ao gerar a apuração mensal os valores de ICMS de Antecipação Parcial e do Diferencial de Alíquota, gerados e/ou informados nas notas de entrada de estabelecimentos situados no Estado da Bahia, serão gravados automaticamente na rotina de Detalhamento de ICMS/IPI, em seus respectivos códigos. Para o recolhimento do ICMS de Antecipação Parcial será gerada a DAE com código de recolhimento 2175 e vencimento no dia 25 do mês subsequente à entrada da mercadoria no estabelecimento. O valor apurado no mês será gravado em Tributos\ Detalhamento de ICMS/IPI para compensação no mês subsequente. Ao apurar o ICMS normal, o valor do Diferencial de Alíquota será considerado automaticamente, como Outros Débitos. Para o recolhimento da antecipação do ICMS ST será gerada a GNRE com código de recolhimento e vencimento no dia 25 do mês seguinte ao da apuração. Para os estabelecimentos situados no Estado de São Paulo, o Diferencial de Alíquota será gerado na apuração mensal da seguinte forma: Empresas NÃO optantes do Simples Nacional: o total de débito e o total de crédito, informados nas notas de entrada do período da apuração, serão somados e informados, automaticamente, na rotina de Detalhamento do ICMS/IPI como Outros Créditos e Outros Débitos, para o tributo 0-ICMS, com a descrição Inciso I do Art. 117 do RICMS. Estes valores serão considerados automaticamente ao apurar o ICMS Normal. Empresas OPTANTES do Simples Nacional: os valores do Diferencial de Alíquota, informados nas notas de entrada do período de apuração, serão somados e o total será gerado no tributo Simples Nacional Diferencial de Alíquota, o qual será recolhido por GARE com código de recolhimento e vencimento no dia 15 do mês subsequente. Para empresas do regime Cumulativo de PIS/COFINS, o sistema fará automaticamente a dedução do valor correspondente a devolução de vendas, na apuração dos tributos (PIS/COFINS). Se no mês houver notas de entrada com CFOP de devolução de vendas (1201, 1202, 1203, 1204, 1208, 1209, 1410, 1411, 1503, 1504, 1660, 1661, 1662, 1918, 2201, 2202, 2203, 2204, 2208, 2209, 2410, 2411, 2503, 2504, 2660, 2661, 2662, 2918, 3201, 3202, 3211, 3503), o sistema fará automaticamente o lançamento do valor como base extra tributável, com código 1001, abatendo o valor da base de cálculo dos tributos. No valor da devolução será considerado: valor contábil - IPI - ICMS S.T.. Este valor será gerado também no SPED Contribuições. OBS.: A base extra 1001 é automática do sistema e não aparecerá em Lançamentos\ Bases Extras Tributáveis. O valor pode ser conferido através da Memória de Cálculo.

331 5.2. Memória de Cálculo Nesta rotina pode ser emitido o relatório para conferência dos tributos apurados. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento para emissão da memória de cálculo. Mês/Ano: Informe o mês e ano de apuração, no formato MM/AAAA. No quadro Tributo selecione o tributo que deseja emitir o relatório e clique no botão OK. Os tributos disponíveis para emissão da memória de cálculo serão preenchidos após informados o Estabelecimento e o Mês/Ano. Serão listados somente os tributos apurados neste mês. Listar detalhamento das retenções (PIS/COFINS/CSLL/IRPJ): Se marcada esta opção, serão listadas para conferência todas as notas fiscais que sofreram retenção de PIS/COFINS/CSLL/IRPJ. Se não marcada a opção, continuará considerando estas retenções no cálculo do tributo, porém não listará todas as notas. Importante: No caso de Apuração Trimestral de IRPJ e CSLL: Se o valor da antecipação for inferior a R$ 10,00 o sistema apresentará o valor do imposto zerado. Se no mês de fechamento de trimestre o valor for inferior a R$ 10,00, ficará acumulado para o trimestre seguinte. No caso de ICMS-ST, aparecerá na lista de tributos uma única vez, porém imprimirá uma página para cada UF. No caso de IRRF/PIS/COFINS/CSLL retidos, aparecerá na lista de tributos uma única vez, com a descrição "Tributos retidos". Nesta pção será emitida a relação de tributos retidos com todos os tributos.

332 Para emitir da primeira quinzena separado, utilizar o filtro de data. Para os tributos federais (CSLL, IRPJ, PIS e COFINS), a memória de cálculo apresentará os valores a partir do lançamento das notas fiscais ou do lançamento de recebimentos, conforme o regime de apuração: competência ou caixa, respectivamente. Para PIS e COFINS, a memória de cálculo apresentará as informações conforme a opção de cálculo definida nos parâmetros do estabelecimento. Se a opção de cálculo for "Pelo total das bases de cálculo da nota fiscal", na memória de cálculo os dados serão agrupados por CFOP (saídas e entradas) e por outros débitos/créditos. Se a opção for "Pelos valores lançados nos itens da nota fiscal", a memória de cálculo terá dois blocos de informação: 1) DEMONSTRATIVO DO SAGE e 2) DEMONSTRATIVO DO PVA. No Demonstrativo do Sage os dados serão agrupados por CFOP (saídas e entradas) e por outros débitos/créditos. Basicamente a mesma estrutura da memória de cálculo quando apurado pelas bases, porém considerando os valores informados nos itens das notas fiscais. No Demonstrativo do PVA, os dados serão apresentados em uma estrutura mais detalhada, seguindo os relatórios e registros do próprio validador EFD Contribuições, facilitando assim a conferência e identificação dos valores, principalmente em relação aos créditos. Este demonstrativo é dividido em diversos blocos Apuração de PIS/COFINS pelos Itens Quando a opção de cálculo do PIS e COFINS for "Pelos valores lançados nos itens da nota fiscal", a memória de cálculo terá dois blocos de informação: 1) DEMONSTRATIVO DO SAGE e 2) DEMONSTRATIVO DO PVA. No Demonstrativo do Sage os dados serão agrupados por CFOP (saídas e entradas) e por outros débitos/créditos. Basicamente a mesma estrutura da memória de cálculo quando apurado pelas bases, porém considerando os valores informados nos itens das notas fiscais. No Demonstrativo do PVA, os dados serão apresentados em uma estrutura mais detalhada, seguindo os relatórios e registros do próprio validador EFD Contribuições, facilitando assim a conferência e identificação dos valores, principalmente em relação aos créditos. Este demonstrativo é dividido em diversos blocos, conforme segue: Consolidação das Operações por CST Neste bloco são apresentados os valores de saída e de entrada, agrupado por Código de Situação Tributária. Estes dados correspondem ao relatório Registros Fiscais - Consolidação das Operações por CST, do PVA. Rateio dos Créditos Comuns

333 Neste bloco são apresentadas as receitas brutas para fins de rateio de créditos comuns (CST s 53, 54, 55, 56, 63, 64, 65 e 66), conforme segue: Receita bruta não-cumulativa - tributada no mercado interno: Dos itens lançados nas notas, considera cujo CFOP inicie em 5 ou 6, que o CST do item seja 01 com alíquota de 1,65%/7,6% ou CST 02, 03, 07, 08 e 09. Das notas sem item, considera cujo CFOP inicie em 5 ou 6, que o CST do CFOP seja 01 (para modelo de NF diferente de 07, 13, 14, 15, 16, 18 e 22) com alíquota de 1,65 / 7,6 ou CST 02, 03, 04 e 05. Das notas de serviço, considera cujo CST do item de serviço seja 01 (não-cumulativo) ou CST 02, 03, 04, 05 e 06. Receita bruta não-cumulativa - não tributada no mercado interno: Dos itens lançados nas notas, considera cujo CFOP inicie em 5 ou 6, que o CST do item seja 06, 07, 08 e 09. Das notas sem item, considera cujo CFOP inicie em 5 ou 6, que o CST do CFOP seja 06, 07, 08 e 09. Das notas de serviço, considera cujo CST do item de serviço seja 07 e 09. Receita bruta não-cumulativa - exportação: Dos itens lançados nas notas, considera cujo CFOP inicie em 7. Das notas sem item, considera cujo CFOP inicie em 7. Das notas de serviço, considera cujo CST do item de serviço seja 08 e código de operação seja 402. Receita bruta cumulativa: Dos itens lançados nas notas, considera cujo CFOP inicie em 5 ou 6, que o CST do item seja 01 com alíquota de 0,65%/3,00%. Das notas sem item, considera cujo CFOP iniciem em 5 ou 6, que o CST seja 01 (para modelo de NF igual a 07, 13, 14, 15, 16, 18 e 22). Das notas de serviço, considera cujo CST do item de serviço seja 01 (cumulativo). Estes dados correspondem ao registro 0111 do PVA. Demonstração dos Créditos Apurados no Período Neste bloco são apresentados os créditos apurados no período, rateados com a receita bruta não-cumulativa, separados por Tipo de Crédito. PVA. Estes dados correspondem ao relatório Demonstração dos Créditos Apurados no Período, do Detalhamento da Base de Cálculo do Crédito Neste bloco são apresentados os créditos apurados no período separados por Tipo de Base de Crédito. Este tipo varia em função do CFOP das notas de entrada ou do próprio código da natureza do crédito, nos casos de base/valor extra. PVA. Estes dados correspondem ao relatório Demonstração dos Créditos Apurados no Período, do Contribuição Social Apurada Neste bloco são apresentados os valores a recolher por tipo de contribuição.

334 Estes dados correspondem ao relatório Consolidação da Contribuição do Período, do PVA. Resultado da Apuração Neste bloco são apresentados os valores finais da apuração. Estes dados correspondem ao relatório Consolidação da Contribuição do Período, do PVA Resumo de Débitos Permite consultar os prováveis valores de recolhimento dos impostos e contribuições controlados pelo sistema. Mês/Ano: Informe o mês e o ano que deseja visualizar os resumos de débitos. Coluna Emitir Guia: Emite em tela todas as guias selecionadas na coluna Emitir Guia. Para enviar para impressora clique sobre o botão Inicia Impressão na barra de ferramentas. Importante: O sistema fará a verificação da UF no cadastro da Empresa, e emitirá as guias de ICMS quando há o tratamento para o Estado. Portanto, até o momento, emite guias de ICMS apenas para os Estados do PR, RS, SC, SP e BA. Caso o Estado seja diferente dos mencionados acima: A opção Emitir Guia ficará desabilitada nas rotinas: - Tributos/Apuração Mensal; - Tributos/Resumo de Débitos; - Módulos Extras/Central de Tributos/Controle no Gerenciador de Sistemas. Não estará disponível a opção para emitir guia de ICMS na rotina de Tributos/Guias de Recolhimento/DARF; A guia aparecerá para pagamento na rotina de Tributos/Recolhimento/Pagamento, mesmo sem ter sido emitida. Coluna Tributo Pago: Possibilita efetuar os pagamentos parciais dos itens selecionados.

335 Coluna Protocolar: Gera um documento a protocolar para cada uma das guias selecionadas. Para mais informações sobre a protocolação de documentos consulte o Manual ou o Ajuda (help) do Gerenciador de Sistemas. Clicando no botão Resumo, o relatório trará o espelho da apuração mensal efetuada no mês. Observação: Estes valores são apenas a título de previsão. Os valores reais de recolhimento podem apresentar diferenças em relação ao que consta neste resumo Simples Nacional Rotinas relacionadas ao Simples Nacional. Integração com o PGDAS Demonstrativo para Cálculo do Simples Nacional Integração da DEFIS STDA Integração com o PGDAS Para as empresas optantes pelo Simples Nacional, o sistema permite fazer a integração automaticamente dos dados apurados no sistema Sage para o site do Simples Nacional, sem a necessidade de digitação manual a partir de um relatório. No quadro Apuração: Mês/Ano: Digite o mês e ano de apuração. Ao informar o período o sistema verificará se os tributos já foram apurados. Se os tributos não foram apurados exibirá mensagem de alerta, possibilitando o acesso a rotina de Apuração Mensal.

336 Estando apurados os tributos, ao informar o período será apresentado o detalhamento das receitas por estabelecimento, bem como possibilitará a integração com o PGDAS. Retificação: Marque esta opção se deseja integrar um período que já foi calculado no PGDAS. Obs: Se o Mês/Ano informado já foi integrado anteriormente pelo Sage, o sistema marcará automaticamente a opção de Retificação. No quadro Redução/isenção de ICMS nos primeiros 12 meses de atividade, selecione uma das opções: Considerar a receita bruta de forma proporcionalizada: Se marcada esta opção, para fins de determinação da faixa de redução ou isenção de ICMS, será verificada a data de início das atividades, informada em Cadastros/ Empresas/ Estabelecimentos/ Parâmetros/ Escrita Fiscal/ Geral, campo "Mês/Ano Início Atividades", seguindo o critério abaixo: * Se a Empresa estiver no primeiro mês de atividade, será multiplicado por 12 a própria receita do mês de apuração. *Se a Empresa estiver dentro dos 12 meses anteriores ao período de apuração, será verificado o número de meses de atividade, dividindo-se a receita acumulada pelo número de meses (obtendo-se a média), e multiplicando-se por 12. Considerar a receita bruta acumulada total: Se marcada esta opção, o valor total considerará somente os meses em que a empresa teve movimentação, ou seja, não fará a projeção para os 12 meses. No quadro Login: CNPJ da Empresa: Será preenchido automaticamente com o CNPJ informado no cadastro do Estabelecimento matriz. CPF do Responsável: Será preenchido automaticamente conforme dados do representante da Empresa informado no cadastro do Estabelecimento. Código de Acesso: Será preenchido automaticamente conforme informado no campo Código de acesso ao PGDAS em Cadastro de Estabelecimento/Parâmetros/Escrita Fiscal/Tributação/Simples Nacional.

337 Gerar Protocolo: Marcando esta opção, ao finalizar o processo no site da RFB e gravar o valor do tributo no sistema, efetuará o registro do protocolo da guia. No quadro Valores: Receita Bruta Interna: Após informar o Mês/Ano, será preenchido automaticamente com o valor da Receita interna do período. Receita Exportação: Após informar o Mês/Ano, será preenchido automaticamente com o valor da Receita de exportação do período. Valor do Tributo: Efetuada a integração dos valores do Sage com o PGDAS, após transmitir os dados no Site, ao sair do site o valor calculado do tributo será automaticamente apresentado neste campo. Valor da Guia: Será apresentando automaticamente neste campo o valor do tributo, acrescido de multa e juros quando for o caso. Clique no botão Integração com o PGDAS para efetuar a integração dos dados do Sage com o PGDAS. Clique no botão Demonstrativo para Cálculo para emitir o relatório Demonstrativo para Cálculo do Simples Nacional a fim de conferir os dados a serem integrados com o PGDAS. Procedimentos para efetuar a integração: Ao confirmar a integração será criada uma nova aba exibindo o site de acesso ao PGDAS. Nesta tela deverão ser informados os caracteres anti robô no campo Digite os caracteres ao lado. Ao clicar em Continuar o sistema irá preencher automaticamente as informações no PGDAS, sendo possível conferir os dados através do botão Voltar. Após conferidos os dados, deve-se clicar em Salvar para que os dados gerados sejam gravados. Para concluir o processo e possibilitar a emissão da guia, é preciso clicar em "Transmitir". Após a transmissão, ao sair da tela de integração, o valor do DAS é gerado no Sage Fiscal.

338 Com o valor do DAS integrado ao sistema, é possível efetuar a integração contábil do tributo, tanto on-line como por lote. Se a empresa estiver parametrizada para efetuar a integração on-line, será apresentado na aba Contabilização o lançamento que será gerado na contabilidade. O valor do tributo também será integrado com as rotinas de Resumo de Débitos, Pagamento de Tributos e Central de Tributos. Teclas de Atalho: F1 = Ajuda do sistema ALT + S = Sair ALT + I = Integração com o PGDAS ALT + D = Demonstrativo para Cálculo Aba Contabilização Nesta guia, será possível visualizar os lançamentos que serão gerados na contabilidade. No rodapé da rotina, o sistema mostrará o total de Débito, Crédito e a Diferença, se existir Demonstrativo para Cálculo do Simples Nacional

339 Lista as informações necessárias à digitação no PGDAS. Todas as informações são apresentadas na ordem exata em que são solicitadas pelo aplicativo, visando facilitar ao máximo o trabalho do usuário. Para a primeira apuração do Simples Nacional (mês de Julho/2007), o período deve ser de 01/2006 a 06/2007. A partir da competência Agosto/2007, deve-se informar somente o período referente aos últimos 12 meses anteriores ao mês de competência. O relatório é composto de uma página inicial, que apresenta o CNPJ, CPF do Responsável, e Código de acesso ao PGDAS. Apresenta também os valores referentes à Receita Bruta Mensal Acumulada, e a Receita Total do período de apuração, separadas em Mercado Interno e Exportação. Essas informações são uma somatória das receitas de todos os estabelecimentos. Na sequência é gerada uma página para cada estabelecimento da empresa, detalhando as receitas de acordo com as normas legais. É inclusive apresentado uma TreeView (árvore) onde são marcadas todas as receitas constantes do estabelecimento, considerando se for o caso, as isenções e reduções de alíquota determinados por Estados e Municípios. Este relatório não apresenta os valores referentes à folha de salários e encargos, necessários ao cálculo do valor devido para as empresas com atividades enquadradas nos Anexos IV e V da Lei Complementar 123/2006. Essas informações serão geradas em relatório a ser disponibilizado no Sage Folha de Pagamento. Mês/Ano de Apuração: Informe o mês/ano de apuração. Últimos 12 meses: Traz os 12 últimos meses baseados no mês/ano de apuração informado acima, podendo ser alterado. No quadro Redução/isenção de ICMS nos primeiros 12 meses de atividade, selecione uma das opções: Considerar a receita bruta de forma proporcional: Se marcada esta opção, para fins de determinação da faixa de redução ou isenção de ICMS, será verificada a data de início das atividades, informada em Cadastros/ Empresas/ Estabelecimentos/ Parâmetros/ Escrita Fiscal/ Geral, campo "Mês/Ano Início Atividades", seguindo o critério abaixo:

340 Se a Empresa estiver no primeiro mês de atividade, será multiplicado por 12 a própria receita do mês de apuração. Se a Empresa estiver dentro dos 12 meses anteriores ao período de apuração, será verificado o número de meses de atividade, dividindo-se a receita acumulada pelo número de meses (obtendo-se a média), e multiplicando-se por 12. Considerar a receita bruta acumulada total: Se marcada esta opção, o valor total considerará somente os meses em que a empresa teve movimentação, ou seja, não fará a projeção para os 12 meses Integração da DEFIS Esta rotina gera a Integração para DEFIS (Declaração de Informações Socioeconômicas e Fiscais), bem como o Demonstrativo para conferência com o objetivo de facilitar a integração dos dados no aplicativo disponibilizado pela Receita Federal. Os valores de receita bruta do período informado serão importados para a DEFIS automaticamente do aplicativo PGDAS. O Demonstrativo para DEFIS (Declaração de Informações Socioeconômicas e Fiscais) em Relatórios/Gerenciais, tem o objetivo de facilitar a digitação dos dados no aplicativo disponibilizado pela Receita Federal e listará os dados gerais da empresa e de cada estabelecimento.

341 Os valores de receita bruta do período informado serão importados para a DEFIS automaticamente do aplicativo PGDAS. 1) PERÍODO DE GERAÇÃO: O sistema não permitirá que seja informado período anterior a 01/07/2007. Na geração da DEFIS é possível obter determinados valores diretamente da contabilidade, bastando informar as contas contábeis do Sage Contabilidade na geração do arquivo. 2) INFORMAÇÕES CONTÁBEIS: No campo Ganhos de Capital deverá ser informada a conta contábil para que o sistema possa buscar a movimentação do período informado no Sage Contabilidade, por empresa. Nos campos Estoque e Caixa e Bancos deverá ser informada a respectiva conta contábil para que o sistema possa buscar no Sage Contabilidade o saldo inicial e o saldo final, por estabelecimento. No campo Despesas deverá ser informada a conta contábil para que o sistema possa buscar a movimentação do período informado no Sage Contabilidade, por estabelecimento. Importante: Especificamente com relação ao total de despesas do período, é necessário estornar o lote de transferência de resultados de Dezembro/2012, caso já tenha sido liberado. Caso não queira estornar o lote de transferência de resultados de Dezembro/2012, é possível informar manualmente o total das despesas diretamente no campo Total de despesas no quadro Informações dos Estabelecimentos da tela de geração da DEFIS. Nos campos Ganhos com Renda Variável e Lucro Contábil Apurado deverá ser informada a respectiva conta contábil para que o sistema possa buscar a movimentação do período informado no Sage Contabilidade, por empresa. As contas contábeis poderão ser informadas na classificação de qualquer grau. 3) INFORMAÇÕES GERAIS DA EMPRESA: Neste quadro serão apurados os valores automaticamente do Sage Contabilidade (se anteriormente foram informadas as respectivas contas contábeis) e do Sage Folha de Pagamento, ou poderão ser informados os valores manualmente nos campos respectivos. No relatório serão informados os Rendimentos dos Sócios, que o sistema buscará automaticamente do Sage Folha de Pagamento, com os seguintes dados para o período informado: - Rendimentos isentos: valor correspondente ao quadro 4 do informe de rendimentos. - Rendimentos tributáveis: valor correspondente ao campo 1 do quadro 3 do informe de rendimentos.

342 - Percentual de participação no capital: percentual informado no cadastro do diretor na aba Complementares. - Imposto de Renda Retido na Fonte: valor correspondente ao campo 5 do quadro 3 do informe de rendimentos. Importante: Serão considerados todos os diretores ativos, mesmo que sem remuneração, e os diretores inativos que tiveram remuneração no período informado. Os campos 5 e 6 do relatório serão apurados diretamente do Sage Fiscal. 4) INFORMAÇÕES DOS ESTABELECIMENTOS: Neste quadro, ao selecionar o estabelecimento, serão apurados automaticamente do Sage Contabilidade(se anteriormente foram informadas as respectivas contas contábeis) ou poderão ser informados os valores manualmente nos respectivos campos. Importante: É necessário selecionar e inserir pelo menos um estabelecimento para que seja possível emitir o relatório. No relatório, os campos 5, 6, 7, 8, 9, 10, 12, 13 e 14 serão apurados diretamente do Sage Fiscal. Observações: Regras de Negócio: - Integração para o item "Informações econômicas e fiscais/de toda a Me/EPP", segue abaixo a regra para composição de cada campo: 1. Campo da tela - Composto pelos valores lançados para conta informada no campo "Ganhos de Capital" do quadro Informações Contábeis, mais os valores lançados para o mesmo campo do quadro aba Informações Gerais da Empresa; 2. Campo da tela - Composto pelos valores lançados para o campo "Qtde Inicial de Empregados" do quadro Informações Gerais da Empresa; 3. Campo da tela - Composto pelos valores lançados para o campo "Qtde Final de Empregados" do quadro Informações Gerais da Empresa; 4. Campo da tela - Composto pelos valores lançados para conta informada no campo "Lucro Contábil" do quadro Informações Contábeis, mais os valores lançados para o mesmo campo do quadro aba Informações Gerais da Empresa; 5. "Exportação Direta" será composto pelos valores dos lançamentos cujo CFOP igual a: 7501;

343 6. "Receita de Exportação" será composto pelos valores dos lançamentos cujo CFOP igual a: 5501, 5502, 5504, 5505, 6501, 6502, 6504, 6505; 7. "Rendimento dos sócios" será composto pelos dados da tabela diretores do RH sendo que deverá atender a regra: Tabela 'retirada' e o pro-labore do sócio deve ser maior que zero alem da situação do sócio ser igual a ativo; 8. Campo da tela - Composto pelos valores lançados para conta informada no campo "Renda Variável" do quadro Informações Contábeis, mais os valores lançados para o mesmo campo do quadro aba Informações Gerais da Empresa; - Integração para o item "Informações econômicas e fiscais/por estabelecimento", segue abaixo a regra para composição de cada campo: 1. Campo da tela - Composto pelos valores lançados para conta informada no campo "Estoque" do quadro Informações Contábeis, mais os valores lançados para o campo "Estoque Inicial" do quadro Informações dos Estabelecimentos; 2. Campo da tela - Composto pelos valores lançados para conta informada no campo "Estoque" do quadro Informações Contábeis, mais os valores lançados para o campo "Estoque Final" do quadro Informações dos Estabelecimentos; 3. Campo da tela - Composto pelos valores lançados para conta informada no campo "Caixa" e "Bancos" do quadro Informações Contábeis, mais os valores lançados para o campo "Saldo Inicial Caixa/Bancos" do quadro Informações dos Estabelecimentos; 4. Campo da tela - Composto pelos valores lançados para conta informada no campo "Caixa" e "Bancos" do quadro Informações Contábeis, mais os valores lançados para o campo "Saldo Final Caixa/Bancos" do quadro Informações dos Estabelecimentos; 5. "Total de aquisições de mercadorias" será composto pelos valores dos lançamentos cujo CFOP igual a: 1101, 1102, 1111, 1113, 1116, 1117, 1118, 1120, 1121, 1122, 1401, 1403, 1651, 1652, 2101, 2102, 2111, 2113, 2116, 2117, 2118, 2120, 2121, 2122, 2401, 2403, 2651, 2652, 3101, 3102; 6. "Total de entradas" será composto pelos valores dos lançamentos cujo CFOP igual a: 1150, 1151, 1152, 1153, 1408, 1409, 2150, 2151, 2152, 2153, 2408, 2409; 7. "Total de saídas" será composto pelos valores dos lançamentos cujo CFOP igual a: 5151, 5152, 5155, 5156, 6151, 6152, 6155, 6156; 8. "Total Devolução de Vendas" será composto pelos valores dos lançamentos cujo CFOP igual a: 1201, 1202, 1203, 1204, 1410, 1411, 1660, 1661, 2201, 2202, 2203, 2204, 2410, 2411, 2660, 2661, 3201, 3202; 9. "Total de entradas (incluídos itens 5, 6 e 8)" será composto pelos valores dos lançamentos cujo CFOP igual a: soma de entradas [1,2,3];

344 10. "Total Devolução de Compras" será composto pelos valores dos lançamentos cujo CFOP igual a: 5201, 5202, 5410, 5411, 5660, 5661, 6201, 6202, 6410, 6411, 6660, 6661, 7201, Campo da tela - Composto pelos valores lançados para conta informada no campo "Despesas" do quadro Informações Contábeis, mais os valores lançados para o campo "Total de despesas na tela" do quadro Informações dos Estabelecimentos; 12. "Entradas Interestaduais por UF" será composto pelos valores dos lançamentos cujo CFOP igual a: Iniciados por 2; 13. "Saídas Interestaduais por UF" será composto pelos valores dos lançamentos cujo CFOP igual a: Iniciados por 6; 14. Serão consideradas as notas de serviços que estiverem marcadas com a opção de ISS retido, com a seguinte regra: -Se o serviço não é devido no local da prestação, será considerada a UF e o município do estabelecimento. nota. -Se o serviço é devido no local da prestação, será considerada a UF e o município informado na 15. "Serviços de comunicação" será composto pelos valores dos lançamentos cujo CFOP igual a: 5251, 5252, 5253, 5254, 5255, 5256, 5257, 5258, 5153, 6251, 6252, 6253, 6254, 6255, 6256, 6257, 6258, 6153; 16 ou 24*. "Serviços de transporte" será composto pelos valores dos lançamentos cujo CFOP igual a: 5351, 5352, 5353, 5354, 5355, 5356, 5357, 6351, 6352, 6353, 6354, 6355, 6356, 6357, 7358; * Dependerá se no item 15 são abertos novos campos ou não. 20. "Aquisição de mercadorias de produtores rurais " será composto pelos valores dos lançamentos de entradas cujo emitente seja um "Produtor rural não inscrito"; 21. "Aquisição de mercadorias de contribuintes dispensados de inscrição" será composto pelos valores de lançamentos de entradas diferente de serviço e emitente não sendo produtor rural, que possua inscrição estadual igual a ISENTO ou que possua CPF STDA A STDA é uma Declaração de Substituição Tributária e Diferencial de Alíquota para Contribuintes Paulistas do Simples Nacional. Por esta rotina será gerada a planilha FormularioSTDA, preenchida com as informações pertinentes ao ano base de geração, para posterior importação no site da Receita Estadual de São Paulo.

345 Serão gerados os valores correspondentes ao Diferencial de Alíquota, agrupando por UF de origem da mercadoria e o valor agrupado por mês, do ICMS devido por Substituição Tributária, considerando os lançamentos cujo destinatário também seja de SP. Selecione o estabelecimento, o ano base e informe o diretório onde será gerada a planilha Guias de Recolhimento Rotinas relacionadas a emissão das guias de recolhimento. Tributos Mensais/Quinzenais DARM - ISS Resumo para GIA - ST GNRE - Substituição Tributária DARF para Recolhimentos Diversos GR - PR para Recolhimentos Diversos DAR/27 para Recolhimentos Diversos Tributos Mensais/Quinzenais Nesta rotina é possível emitir a guia de recolhimento dos tributos apurados no mês. Podem ser emitidos DARF (PIS, COFINS, CSLL, IRPJ, IRRF e PIS/COFINS/CSLL Retidos) e a guia para recolhimento do ICMS de algumas Unidades de Federação.

346 Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Mês/Ano: Informe o mês e ano para a emissão da guia. Tributo: Selecione o tributo que deseja emitir a guia. Serão exibidos todos os tributos apurados no mês/ano. Os tributos IRRF, PIS/COFINS/CSLL retidos serão listados conforme a opção de agrupamento para geração dos DARFs, selecionada no cadastro do estabelecimento, e a quantidade de DARFs destes tributos também estará relacionada a esta opção. No campo Totalizar a Guia, se desmarcado, não será preenchido o campo total a recolher. Valor a Compensar: Informe um valor a ser deduzido diretamente do valor a recolher. Percentual de Multa: Informe o percentual de multa a ser cobrada, caso o pagamento do tributo seja efetuado após a data de vencimento. Percentual de Juros: Informe o percentual, por dia de atraso no pagamento do tributo. No quadro Impressão selecione a opção desejada.

347 Informações Adicionais: Neste quadro serão habilitados campos distintos para alguns tributos e Unidades de Federação. Impressão de DARF com códigos de barras: Segundo a Instrução Normativa SRF nº 96, de 27 de Novembro de 2001, para impressão de DARF com código de barras, somente poderá ser utilizado programa desenvolvido pela SRF, ficando sujeitos à apreensão outros programas que emitam estes documentos com código de barras DARM ISS Emite o DARM - Documento de Arrecadação de Receitas Mobiliárias para a Prefeitura de SP. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Mês/Ano: Informe o período de emissão, no formato MM/AAAA. Serviço: Selecione o tipo de serviço prestado. No quadro Impressão selecione a opção desejada Resumo para GIA ST Emite o resumo para GIA de Substituição Tributária, com base nos valores informados no campo Imposto Retido, em Substituição Tributária, nos lançamentos de notas fiscais de Saídas. Este resumo pode ser utilizado no preenchimento manual da GIA ST bem como em sua conferência.

348 Para conferência dos valores, emita o Resumo de Sub. Tributária por UF e/ou Relatório de Sub. Tributária por UF, em relatórios Gerenciais. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento (F12). Mês/Ano: Informe a data de referência no formato MM/AAAA. Estado: Informe/selecione a sigla da Unidade da Federação a que se destina a arrecadação. Data de Vencimento: Este campo será preenchido automaticamente conforme parametrizado no cadastro de Inscrições Auxiliares. Despesas Acessórias: Este campo será preenchido automaticamente conforme valor apurado em Tributos\ Apuração Mensal. Considera valor de Frete, Seguro e Despesas informadas na aba Complemento dos lançamentos de saída. Créditos de Período Anterior: Este campo será preenchido automaticamente conforme valor apurado em Tributos\ Apuração Mensal. Declarante: Selecione entre "Contador" ou "Representante Legal". No quadro Impressão selecione a opção desejada. Retificador: Marque a opção caso a declaração seja retificadora. Sem Movimento: Marque a opção caso não haja movimento de ICMS ST no período GNRE - Substituição Tributária Emite a Guia Nacional de Recolhimento de ICMS de Substituição Tributária, com base nos valores apurados em Tributos\ Apuração Mensal. Para conferência do valor da guia, emita o Resumo de Sub. Tributária por UF e/ou Relatório de Sub. Tributária por UF, em relatórios Gerenciais.

349 Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Mês/Ano: Informe o mês/ano de referência, no formato MM/AAAA. UF: Informe/selecione a sigla da Unidade da Federação a que se destina a arrecadação. Vencimento: Este campo será preenchido automaticamente conforme parametrizado no cadastro de Inscrições Auxiliares, quando a Apuração Mensal de Tributos já estiver processada. Código de Recolhimento: Este campo será preenchido automaticamente conforme parametrizado no cadastro de Inscrições Auxiliares, quando a Apuração Mensal de Tributos já estiver processada. Nº Documento de Origem: Para ICMS-ST, este campo será habilitado quando a Unidade de Federação for CE e o código de recolhimento for Este campo também será obrigatório quando emitida guia (manualmente) cujos códigos de recolhimento sejam , , , , e Nestes casos, a estrutura é variável de acordo com a UF favorecida e devem ser informados os números de Identificação do Documento de Origem, tais como: Declaração de importação - DI Declaração Simplificada de Importação - DSI Auto de Infração Número do processo de parcelamento

350 Número de Inscrição / Certidão em Dívida Ativa Valor Apurado: Este campo será preenchido automaticamente, quando a Apuração Mensal de Tributos já estiver processada. Atualização Monetária: Informe o valor da correção monetária, quando o recolhimento estiver fora do prazo. Juros: Informe o valor dos juros, quando o recolhimento estiver fora do prazo. Multa: Informe o valor da multa,, quando o recolhimento estiver fora do prazo. Total a Recolher: Preenchimento automático. Com a soma dos campos: Valor Apurado + Atualização Monetária + Juros + Multa. Observações: Descrever outras informações que sejam necessárias. Esta informação será gerada no campo 23 e complementará as Informações Complementares eventualmente informadas no cadastro de Inscrições Auxiliares. Totalizar a Guia: se desmarcado, não será preenchido o campo total a recolher. Útil quando o recolhimento até a data de vencimento é duvidoso. Não é necessário reemitir a guia, bastando informar manualmente os valores de juros, multas e o total. No quadro Impressão selecione a opção desejada. Regra específica para São Paulo SP: Para estabelecimento substituto tributário de SP, será emitida GNRE e/ou GARE. Se o ICMS-ST for de outros estados, será emitida a GNRE e se for de SP, será emitida a GARE com a Inscrição Estadual do próprio estabelecimento DARF para Recolhimentos Diversos Esta rotina pode ser utilizada para emissão de DARF de PIS, COFINS, CSLL e IRPJ, ou qualquer recolhimento que não seja processado pelo sistema. Para isso, deverão ser informados todos os campos do DARF, uma vez que não existirá nenhum cálculo sobre eles.

351 Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Descrição da estabelecimento/telefone: Informe o nome e telefone do estabelecimento (campo 01 do DARF). Período de apuração: Informe o período de apuração. Este é um campo tipo texto, com 20 caracteres, portanto não possui máscara de digitação. Por esse motivo, eventuais datas deverão ser digitadas com as barras (campo 02). CNPJ/CPF: Informe o conteúdo deste campo, sendo que será apresentado como padrão o CNPJ do estabelecimento informada para emissão. Valem as observações do item acima com relação a formatação do campo. (campo 03). Código da receita: Informe o código da receita para este recolhimento (campo 04). Número de referência: Informe, se for o caso. (campo 05). Data de vencimento: Informe data de vencimento. (campo 06). Valor Principal: Informe o valor principal a recolher (campo 07). Valor da Multa: Informe o valor correspondente a multa incidente em caso de recolhimento com atraso, usando a vírgula para separar os centavos. (campo 08 do DARF). Juros/Encargos: Informe o percentual/encargos correspondente aos juros de mora incidentes em caso de recolhimento com atraso, usando a vírgula para separar os centavos (campo 09). No quadro Informações Complementares, pode descrever as demais informações que sejam necessárias constar na guia.

352 No campo Totalizar a Guia, se desmarcado, não será preenchido o campo total a recolher. No quadro Impressão selecione a opção desejada GR - PR para Recolhimentos Diversos Esta rotina pode ser utilizada para emissão GR-PR de qualquer recolhimento que não seja processado pelo sistema. Para isso, deverão ser informados todos os campos da guia, uma vez que não existirá nenhum cálculo sobre eles. No quadro Contribuinte, selecione os dados. No quadro Destinatário, selecione os dados. No quadro Impressão selecione a opção desejada. Informe os dados solicitados pelo sistema. O campo Totalizar a Guia, se desmarcado, não será preenchido o campo total a recolher.

353 No quadro Informações Complementares, poderá descrever as demais informações que sejam necessárias constar na guia. Dica: Para auxiliar na conferência das DARF s de Retenção, consulte o Resumo de Débitos, em Tributos Pagamento de Guias Nesta rotina é possível registrar o pagamento dos tributos total ou parcial, sendo possível contabilizar os pagamentos de forma on-line se parametrizado no cadastro da empresa. Os dados de pagamento dos tributos são utilizados na geração da DCTF. A baixa das guias pode ser efetuada de forma manual ou automática, através do Portal ecac da Receita Federal. Para efetuar a baixa automática, utilizar o botão ecac localizado no rodapé da tela: Procedimento para a baixa manual: Na tela de pesquisa estão disponíveis os filtros: Estabelecimento, intervalo de Data de Vencimento, intervalo de Mês/Ano de Apuração e a opção de Listar tributos com saldo zerado, ou seja, os que já foram pagos. Depois de pressionar o botão OK serão listados os tributos de acordo com os filtros informados.

354 Botão Pagar: Possibilita registrar o pagamento dos tributos. Abrirá a rotina de Pagamento de Tributos com os campos a baixo: Estabelecimento: Preenchimento automático de acordo com o selecionado na tela anterior. Não permite alteração. Mês/Ano: Preenchimento automático de acordo com as informações originais. Não permite alteração. Tributo: Preenchimento automático de acordo com as informações originais. Não permite alteração. Data do Vencimento: Preenchimento automático de acordo com as informações originais. Não permite alteração. Decêndio: Campo habilitado somente para o tributo de IPI. Valor Original: Preenchimento automático de acordo com as informações originais. Não permite alteração. Saldo Atual: Preenchimento automático de acordo com as informações originais do tributo menos os valores pagos, ou seja, o valor pendente de pagamento. Não permite alteração. Valor do pagamento: Informe o valor do pagamento do tributo. Data do Pagamento: Informe a data do pagamento do tributo.

355 Multa: Informe o valor correspondente à multa incidente em caso de recolhimento com atraso, usando a vírgula para separar os centavos. Juros: Informe o valor correspondente aos juros incidentes em caso de recolhimento com atraso, usando a vírgula para separar os centavos. Valor Pago: Valor correspondente à soma dos campos Valor do Pagamento + Multa + Juros. Este campo é preenchido automaticamente pelo sistema. Quadro Contabilização: Caixa/Banco: Selecione, para a contabilização do registro, o Caixa ou o Banco pelo qual fará o pagamento. Esta opção deverá estar previamente cadastrada na rotina Cadastros/Contabilização/Caixa- Bancos. No quadro abaixo das informações de Caixa/Banco serão listados os lançamentos gerados para a contabilidade. Botão Histórico: Possibilita visualizar os pagamentos parciais/totais registrados para o tributo selecionado. Ao abrir a rotina de histórico serão listados todos os pagamentos efetuados para o tributo. Caso seja necessário, será possível excluir os pagamentos marcando o tributo a ser excluído na coluna Excluir. No quadro Dados Complementares de Tributos Retidos, serão exibidas informações sobre a opção de agrupamento, dos tributos retidos, selecionada no cadastro do estabelecimento: Emitente: será preenchido com a descrição da Fantasia, informada no cadastro do emitente. Este campo é informado quando o tributo for agrupado por Código de Receita/ Emitente ou por Nota Fiscal. Nota Fiscal: será preenchido com o número da nota de entrada, a qual gerou o valor do tributo. Este campo é informado somente quando o tributo for agrupado por Nota Fiscal. Este quadro não será preenchido quando a opção de agrupamento, dos tributos retidos, for por Código de Receita e nem para os demais tributos gerados em tela. Atenção: Independente de utilizar contabilização on line ou por lote, o sistema não apresentará mensagem de aviso, sendo que o item selecionado será excluído do SC automaticamente quando utilizado o lançamento on line. Apenas se não utilizar a contabilização on line não serão inseridos os lançamentos no SC, e portanto não sofrerão a exclusão. No quadro Resumo de Pagamentos são apresentadas as informações sobre o pagamento. No quadro Total de Itens são apresentados os campos totalizadores dos itens pesquisados e o dos itens selecionados para exclusão.

356 Utilize os botões Marcar Todos e Desmarcar Todos para facilitar a seleção dos itens a serem excluídos Baixa de Guias pelo Portal ecac Nesta rotina é possível efetuar a baixa automática das guias pagas, a partir do Portal e-cac (Centro Virtual de Atendimento ao Contribuinte), da Receita Federal. O e-cac é um portal eletrônico onde diversos serviços protegidos por sigilo fiscal podem ser realizados via internet pelo próprio contribuinte, entre elas a consulta das guias federais de tributos que já foram pagas. Com a segurança do Certificado Digital, o sistema buscará as guias pagas do Portal e-cac (DARF e DAS), relacionando-as com as guias apuradas no sistema, efetuando automaticamente a sua baixa e contabilização. Com a baixa automática, o ciclo completo dos tributos poderá ser controlado de forma prática no Sage, da apuração à geração da DCTF. Na tela, selecionar o Estabelecimento que terá as guias importadas e o período de pagamento. Por este período é que serão verificadas as guias no portal. Portanto, pelo menos a data inicial do período de pagamento deve ser informada. Na opção Listar tributos não apurados pelo Sage, ao exibir as guias do Portal serão consideradas também as guias pagas pela empresa mas que não foram apuradas pelo Sage Fiscal. Pode ser útil para visualizar todas as guias federais pagas e até mesmo identificar guias pagas não lançadas (nos casos de retenção, por exemplo), ou pagas indevidamente. Se a opção não for marcada, ao exibir as guias do Portal serão consideradas somente as guias apuradas pelo Fiscal, que o sistema tenha conseguido fazer a correlação.

357 O campo Caixa/Banco será habilitado e de preenchimento obrigatório somente se a empresa estiver parametrizada para contabilizar pagamento de tributos do SF. Esta parametrização está no cadastro da Empresa, em Parâmetros\ Contabilização\ Integração\ Parâmetros. Desta forma, ao baixar as guias no Fiscal serão efetuados os lançamentos contábeis correspondentes. Preenchidos os campos necessários, ao clicar em OK abre nova tela exibindo o certificado digital para seleção. Se for certificado modelo A1, ele precisa ser previamente instalado no computador. Se for certificado modelo A3, ele precisa estar conectado ao computador. Neste certificado é necessário também informar a senha. ATENÇÃO: Para os clientes NET, somente o certificado digital modelo A3 pode ser utilizado, pois ele é conectado diretamente no computador e o modelo A1 precisaria ser instalado no servidor da EBS, o que se torna inviável. Porém, mesmo o certificado A3 possui algumas restrições: 1) Somente leitoras e certificados Certisign e Serasa são homologados; 2) Se possui mais de um certificado e for necessário realizar a troca durante o uso, será necessário sair do sistema e acessar novamente. Pode ser utilizado o certificado de cada empresa, se tiver acesso ou pode ser utilizado o certificado do próprio escritório, baixando os dados de seus clientes através de Procuração Eletrônica. Para maiores detalhes sobre a procuração eletrônica, consulte o site do e-cac: Selecionado o certificado, o sistema faz a leitura no Portal e-cac e exibe os tributos encontrados para o estabelecimento e período de pagamento selecionados na tela anterior.

358 No exemplo representado na imagem acima, foram localizadas quatro guias pagas no período selecionado. Duas delas foram relacionadas a guias apuradas no Sage (PIS) e duas referem-se a outros pagamentos não apurados pelo sistema. Para as guias localizadas no Fiscal, será marcado automaticamente o check Baixar. Para as outras guias, este check não será habilitado. Na coluna Info., pode-se clicar sobre o ícone de cada guia e serão apresentados maiores detalhes do tributo. Na coluna Erros, será exibido o status da baixa. Se o tributo for baixado com sucesso, será apresentado o ícone verde. Se houver algum problema que impeça a baixa, será apresentado o ícone vermelho. Clicando sobre o ícone será exibida a inconsistência. Se a empresa estiver parametrizada para contabilizar os pagamento de tributos do SF, será possível visualizar os lançamentos contábeis que serão gerados, através do ícone.

359 Para relacionar as guias do Portal com as guias apuradas no Fiscal, o sistema utiliza os seguintes critérios de comparação: Período de Apuração, Código da Receita, Mês/Ano do Vencimento e Valor Original Relação de Tributos Por esta rotina é possível emitir a relação de todos os tributos apurados, inclusive com as informações de pagamento, conforme os filtros informados. Estabelecimento: Informe/selecione o estabelecimento do qual deseja emitir a relação. Mês/Ano: Informe o mês/ano de apuração dos tributos.

360 Data de Vencimento: Informe o período de vencimento em formato dd/mm/aaaa. Período de Apuração: Informe o período de apuração em formato dd/mm/aaaa. Data de Pagamento: Informe o período de pagamento em formato dd/mm/aaaa. Opções: Somente Tributos em Aberto: Se marcada, desconsidera os tributos que possuem informação de pagamento com valor integral. Imprimir dados em destaque: Se marcada, algumas linhas do relatório serão impressas em cinza, de forma destacada. Esta opção deixa melhor a visualização do relatório. No quadro Tributos a Listar, selecione os tributos desejados Créditos do Ativo Permanente Rotinas relacionadas ao crédito do ativo permanente. Cálculo Mensal Manutenção Cálculo Mensal Gera o valor para o detalhamento de ICMS com base no cadastro dos bens e notas de saídas isentas. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Mês/Ano para Cálculo: Informe o mês e ano para cálculo. O valor gerado nesta rotina será gravado em Detalhamento de ICMS/IPI, nos códigos 28 - Estorno de Credito do Ativo Permanente, no caso de bens adquiridos até 2000 (CIAP modelos A e B), e/ou 33 - Crédito do Ativo Permanente (modelos C e D), conforme a data de aquisição.

361 Os valores calculados pelo sistema serão exibidos na janela. Confirme a geração clicando no botão OK. OBSERVAÇÕES: Para cálculo do crédito, será considerada a data de início do crédito informada no cadastro de cada bem. Para cálculo do coeficiente de estorno será considerada a quantidade de parcelas informada no cadastro de cada bem. Antes de iniciar o cálculo, o sistema irá verificar se há bens sem a data de início do crédito informada e emitir uma mensagem de alerta. Para verificar quais são estes bens, pode-se acessar a rotina de cadastro de bens e clicar no botão Pesquisar, ordenando pela data de início do crédito constante do grid de pesquisa. Se não houver mesmo data de início, deve-se desconsiderar a mensagem e clicar em continuar Manutenção Possibilita informar valores controlados manualmente ou em outros sistemas, antes da implantação do Sage Fiscal, para posterior emissão dos livros de CIAP através da rotina de Relatórios, Legais, CIAP - Modelo A, B ou D.

362 Estabelecimento: Selecione o estabelecimento (F12). Código: Informe o código de bem. Ano: Informe o ano de exercício de cadastro do bem. Descrição: Preenchimento automático com o nome do bem. Data do Lançamento: Informe a data no formato DD/MM/AAAA. Se o Crédito foi gerado pelo sistema informe o último dia do mês de geração. Lançamento: selecione o tipo de Lançamento. 1 - Estorno/Crédito Mensal de ICMS 2 - Baixas/Transferências 3 - Término do Quinquênio O quadro Estorno/Crédito Mensal, será habilitado para o tipo de Lançamento Valor: Informe ou alterar o valor do crédito. 2 - Fator: Informe ou alterar o fator. O quadro Baixas/Transferências, será habilitado para o tipo de Lançamento Valor: Informe ou alterar o valor do crédito. 2 - Data da Saída: Informe a data no formato DD/MM/AAAA. 3 - Nota Fiscal: Informe o número da nota fiscal de saída. 4 - Modelo: selecione o modelo da nota (F12). 5 - Observação: Descrever o motivo da baixa/transferência. O quadro Término do Quinquênio, será habilitado para o tipo de Lançamento Valor: Informe ou alterar o valor do crédito. 2 - Fator: Informe ou alterar o fator. 3 - Observação: Descrever o motivo da baixa/transferência Saldo Credor de ICMS/IPI Nesta rotina pode ser informado saldo credor anterior de ICMS e/ou IPI, referente a meses não apurados pelo sistema, que deve ser considerado na apuração do próximo mês. Também, exibirá valores credores apurados mensalmente em Tributos\ Apuração Mensal.

363 Estabelecimento: Selecione o estabelecimento que possui saldo credor. (F12) Ano: Informe o ano. Mês: Informe o mês. Saldo Credor de ICMS: Informe o valor credor de ICMS. Saldo Credor de IPI Mensal: Informe o valor credor de IPI, quando apuração mensal. Saldo Credor de IPI 1º Decêndio: Informe o valor credor de IPI do 1º decêndio (entre os dias 01 a 10), quando apuração decendial. Saldo Credor de IPI 2º Decêndio: Informe o valor credor de IPI do 2º decêndio (entre os dias 11 a 20), quando apuração decendial. Saldo Credor de IPI 3º Decêndio: Informe o valor credor de IPI do 3º decêndio (entre os dias 21 a 31), quando apuração decendial. Para informar saldo credor anterior, deve-se utilizar o mês anterior ao mês de início de utilização do sistema. Isto porque, ao apurar os tributos esses valores são regravados. Por exemplo: Iniciado o uso do sistema a partir de 01/2011. A empresa tinha um saldo credor de ICMS de 100,00.

364 Nesta rotina, deve informar o valor em 12/2010, pois ao apurar 01/2011 o valor será regravado conforme a apuração deste mês. Informando em 12/2010 será utilizado na composição do valor de 01/2011, gravando neste mês o valor atualizado, se continuar credor Saldo Credor de ICMS-ST Nesta rotina pode ser informado saldo credor anterior de ICMS Substituição Tribuária, referente a meses não apurados pelo sistema, que deve ser considerado na apuração do próximo mês. Também, exibirá valores credores apurados mensalmente em Tributos\ Apuração Mensal. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento que possui saldo credor. (F12) Ano: Informe o ano. Mês: Informe o mês. UF: Selecione a Unidade de Federação que possui o saldo credor. Saldo Credor de ICMS-ST: Informe o valor credor de ICMS S.T. Para informar saldo credor anterior, deve-se utilizar o mês anterior ao mês de início de utilização do sistema. Isto porque, ao apurar os tributos esses valores são regravados. Por exemplo: Iniciado o uso do sistema a partir de 01/2011. A empresa tinha um saldo credor de 100,00 para o Paraná (PR). Nesta rotina, deve informar o valor em 12/2010, pois ao apurar 01/2011 o valor será regravado conforme a apuração deste mês. Informando em 12/2010 será utilizado na composição do valor de 01/2011, gravando neste mês o valor atualizado, se continuar credor Detalhamento de ICMS/IPI Esta rotina deverá ser utilizada para informação de valores a serem considerados na apuração do ICMS e IPI. Os valores lançados serão listados nos livros de apuração de ICMS e IPI, na geração de arquivos estaduais e na emissão de guias de recolhimento. A tela terá variação de campos, conforme a Unidade de Federação do estabelecimento selecionado. Isto ocorre porque cada estado possui regras distintas com relação ao recolhimento destes tributos e para geração destas informações nos diversos validadores.

365 CAMPOS COMUNS ENTRE OS ESTADOS: Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Tributo: Informe/selecione o código do tributo que irá detalhar. Quando informado o tributo, filtra na grid e exibe somente os registros já gravados com esse código de tributo. Os tributos disponíveis são: 0: ICMS 1: ICMS ST 2: IPI Natureza: Informe/selecione a natureza do valor que está sendo lançado, ou seja, se é um valor credor ou devedor. As opções desse campo sempre serão as mesmas independente do tributo. Quando informada a natureza, filtra na grid e exibe somente os registros já gravados com esse código de natureza. As naturezas disponíveis são: 0: Outros débitos 1: Estorno de créditos 2: Outros créditos 3: Estorno de débitos Data: Informe a data de referência no formato DD/MM/AAAA. UF: Este campo será habilitado somente se o tributo for 1-ICMS ST e considerará automaticamente a UF do estabelecimento, permitindo alteração.

366 Código Detalhamento: Há diversos códigos de detalhamento disponíveis, que variarão de acordo com o tributo, com a natureza e a UF do estabelecimento. Cada Unidade de Federação possui regras distintas para informação destes códigos. Código SPED: Há diversos códigos SPED disponíveis, que variarão de acordo com o tributo, com a natureza e a UF do estabelecimento. Cada Unidade de Federação possui regras distintas para informação destes códigos. Caso algum código não esteja disponível, ele poderá ser incluído em Cadastros\ Genéricos\ Códigos de Ajuste SPED. Valor: Valor do detalhamento. Descrição: Detalhar o lançamento. Importante: Os Campos Código Detalhamento, Código SPED, Valor e Descrição, serão habilitados somente após informado Tributo e Natureza. CAMPOS ESPECÍFICOS POR ESTADO: PE - PERNAMBUCO 1. Código de Ajuste: Habilitado somente quando o tributo for ICMS. 2. Código de Apuração - PRODEPE: Habilitado somente para ICMS, quando no estabelecimento estiver parametrizado como beneficiário do PRODEPE. 3. UF de Origem: Habilitado somente quando o código de ajuste for igual a 06D. Deve ser informada a UF de origem do diferencial de alíquotas. AL - ALAGOAS Os três campos serão habilitados somente para tributo ICMS e quando o código de detalhamento for Inscrição Estadual Favorecido 2. Número do Processo 3. Dispositivo legal SP - SÃO PAULO 1. Sub Item: Habilitado para ICMS e ICMS ST. Para cada tributo são disponibilizados códigos específico, conforme a natureza do lançamento. Deve-se verificar a legislação vigente para seleção dos códigos de subitem, pois alguns deles possuem vigência. 2. Inscrição Estadual: Habilitado quando o código de subitem for igual a: 210, 211, 218, 219, 226, 701, 702, 704, 705, 706, 707, 729, 730 e 748. A descrição deste campo variará conforme o código de subitem selecionado:

367 - 210 ou 211: Inscrição Estadual Substituto (ICMS) - 218, 226 ou 729: Inscrição Estadual Centralizador (ICMS) - 219, 730 ou 748: Inscrição Estadual Centralizado (ICMS) ou 702: Inscrição Estadual Substituído (ICMS ST) - 704, 705, 706 ou 707: Inscrição Estadual Remetente (ICMS) 3. Nota Fiscal: Habilitado para código de subitem igual a 210 (ICMS) e 701 (ICMS ST). 4. Período de Apuração: Habilitado para código de subitem igual a 210 e 211 (ICMS). 5. Autorização: Habilitado para código de subitem igual a 220, 221, 740 e 741 (ICMS). 6. Descrição: Este campo é de preenchimento obrigatório para código de subitem igual a 299, 399, 799 e 899. MG - MINAS GERAIS Informando os códigos de detalhamento abaixo, irá habilitar o botão Dados Complementares, para informação de dados diversos: 92 - (Outros Débitos) 38 - (Outros Créditos) 41 - (Outros Créditos) 08 - (Estorno de Débitos) SC - SANTA CATARINA 1. Número da AUC: Informar o código de identificação, gerado pelo - Sistema de Administração Tributária da Secretaria de Estado da Fazenda, do Regime Especial ou da Autorização (Número de Acordo) do crédito lançado na declaração. Será utilizado na geração do arquivo da DIME. Podem ser informados diversos valores para o código 32, com códigos de AUC distintos, no mesmo mês. 2. Código de Origem: Selecionar o código de origem correspondente ao crédito. Este código será utilizado na geração da DIME. É possível selecionar entre os códigos: 1- Crédito por transferência 14-Crédito por DCIP OBSERVAÇÃO: Estes campos serão habilitados somente para o tributo ICMS, natureza 2- Outros Créditos e 3- Estorno de Débitos e, Código de Detalhamento 32.

368 3. Para apuração de ICMS consolidado, no estabelecimento consolidador devem ser informados os valores transferidos de estabelecimento consolidado, utilizando os códigos: 24: Transferência de débitos estabelecimento (Outros Débitos) 34: Transferência de créditos estabelecimento (Outros Créditos Para estabelecimento consolidado, o valor transferido para o estabelecimento consolidador será gerado na DIME de forma automática, sem a necessidade de lançamentos. RN - RIO GRANDE DO NORTE Para RN, não há campo específico. Para esta UF, há somente códigos de detalhamento específicos. Estes códigos serão gerados no campo correspondente do arquivo GIM. Outros Débitos 43: Transf. de Crédito: Exportação 44: Outros Débitos 45: Outros Débitos 46: Outros Débitos Outros Créditos 48: Energia 49: Telecomunicações 50: Icms Antecipado 51: Icms Recolhido: Importação 52: Ativo Perman.: Dif. Aliquotas 53: Credito Recebido: Exportação 54: Parcelamentos 55: Fecop: Icms Normal 56: Outros Créditos Estorno De Créditos 58: Baixas do Ativo Fixo 59: Em Decorrência Saídas Isentas 60: Estorno de Créditos 61: Estorno de Créditos Estorno De Débitos

369 63: Estorno de Débitos 64: Estorno de Débitos 65: Estorno de Débitos 66: Estorno de Débitos Para os códigos 44, 45, 46, 56, 60, 61, 63, 64, 65 e 66, deve ser informada a descrição do lançamento, pois esta será utilizada na geração do arquivo. Para os demais códigos, a descrição utilizada no arquivo será a descrição do próprio código. PA - PARÁ Para o estado do Pará, não há campo específico. Para esta UF há somente códigos de detalhamento específicos, para o tributo 0-ICMS. Estes códigos serão gerados no campo correspondente do arquivo DIEF. Outros Débitos (natureza 0): 02: Valores diversos 67: Saldo credor transferido entre estabelecimentos 68: Saldo credor transferido para outra empresa Outros Créditos (natureza 2): 07: Valores diversos 33: Créditos do ativo permanente 34: Transferência de créditos estabelecimentos 35: Crédito presumido Estorno de Débitos (natureza 3): 08: Valores diversos 69: Transferência de créditos empresas Estorno de Créditos (natureza 1): 03: Valores diversos 28: Estorno de créditos do ativo permanente RJ - RIO DE JANEIRO Para o estado do Rio de Janeiro, quando selecionados os tributos 0 - ICMS e 1 - ICMS ST, no campo Código de Detalhamento será exibido somente o código correspondente a 'Valores diversos', em todas as naturezas. Para estes tributos serão habilitados os seguintes campos específicos:

370 1. Código de Ocorrência: neste campo serão exibidos os códigos correspondentes à natureza selecionada, conforme a tabela de ocorrências especiais, disponível no Manual de Preenchimento da GIA. Estes códigos são compostos por: Primeiro caractere = Tipo de ICMS declarado: N: apuração do ICMS relativo às operações próprias S: apuração do ICMS relativo à substituição tributária interna O: outros ICMS devidos Segundo e terceiro caracteres = Tipo do lançamento: 02: Outros débitos 03: Estornos de créditos 07: Outros créditos 08: Estornos de débitos E, os quatro últimos dígitos correspondem ao número da ocorrência dentro do tipo de lançamento. Exemplo: N070025, onde: N = ICMS Normal 07 = Outros Créditos 0025 = número da ocorrência dentro do tipo de lançamento. 2. Dado Complementar 1 e Dado Complementar 2: para os códigos de ocorrência N029999, N039999, N079999, N089999, S029999, S039999, S e S089999, serão habilitados os campos específicos 'Descrição da ocorrência' e 'Legislação tributária' onde deverão ser preenchidas informações complementares para a geração da GIA. OBSERVAÇÃO: Nesta rotina serão tratados os códigos de apuração do ICMS normal e de substituição tributária, ou seja, os iniciados em "N" e "S". No momento não há tratamento para os códigos de Outros ICMS devidos". Os códigos correspondentes a "Deduções" e a "Prazos especiais de pagamento" não serão tratados, pois o SF não possui estas informações. BA - BAHIA Além dos códigos padrão, para o estado da Bahia há códigos de detalhamento específicos de Outros Débitos e de Outros Créditos, para o tributo 0-ICMS. Estes códigos serão gerados no campo correspondente do arquivo DMA.

371 Outros Débitos (natureza 0): 02: Valores diversos 75: Diferencial de Alíquota Outros Créditos (natureza 2): 07: Valores diversos 33: Créditos do ativo permanente 76: ICMS Antecipação Parcial Mês Anterior 77: ICMS Antecipação Parcial Mês Atual PB -PARAÍBA Além dos códigos padrão, para o estado da Paraíba há código de detalhamento específico de Outros Débitos, para o tributo 0-ICMS. Outros Débitos (natureza 0): 75: Diferencial de Alíquota Pagamento de GNRE Registra o pagamento da GNRE para posterior consulta/conferência.

372 Estabelecimento: Selecione o estabelecimento (F12). Mês/Ano: Informe o mês/ano de recolhimento do tributo. UF: Informe ou selecione a Unidade da Federação. Vencimento: Informe a data do vencimento do documento. Pagamento: Informe a data em que foi realizado o pagamento. Banco: Informe o código do banco. Agência: Informe o número da agência. Número Autenticação: Informe os dados da autenticação do documento. Valor Recolhido: Informe o total recolhido Controle de Retenção/Compensação de PIS/COFINS Nesta rotina, são gravados valores para gerar os registros 1300 e 1700 no EFD Contribuições, para controle das retenções de tributos. Nestes registros do SPED, a informação deverá estar consolidada pela natureza da retenção na fonte e seu respectivo período de recebimento e retenção. Nesta rotina os valores serão gerados automaticamente, a partir da apuração de tributos. Serão gerados os valores referentes a PIS/COFINS retidos nas notas de saída, agrupados pela Natureza da Retenção. Para gerar este agrupamento, será utilizada a natureza jurídica do cliente, o regime tributário da empresa (lucro real ou lucro presumido) e o tipo de serviço prestado (cumulativo, não cumulativo). Nesta tela, na mesma apuração de tributos, também serão gerados os valores compensados no mês, referentes a cada Natureza de Retenção. Para a compensação, é seguido o seguinte critério: das mais antigas para as mais novas e do menor para o maior código de Natureza da Retenção. ATENÇÃO: Como dito acima, os dados desta rotina são preenchidos automaticamente pelo sistema, durante a apuração mensal de tributos. A cada nova apuração do mesmo mês, os dados são apagados e gerados novamente, conforme a nova apuração. Portanto, não devem ser efetuadas alterações manuais nesta rotina, com algumas exceções: Para informar saldo de retenções anteriores, referentes a períodos de apuração que não tenham sido processados pelo Sage. Para informar pedido de restituição ou de compensação de retenções anteriores ao período de apuração vigente.

373 O valor compensado, será limitado ao valor do débito do PIS/COFINS cumulativo ou não cumulativo. No caso de empresa com regime misto (cumulativo e não cumulativo) a compensação será efetuada primeiro com o tributo não cumulativo, e se sobrar saldo, com o tributo cumulativo. Se ainda assim sobrar saldo, será armazenado para compensação em períodos de apuração futuros. Na memória de cálculo dos tributos, serão exibidos os valores retidos nas notas fiscais (ou nos recebimentos efetuados pela auditoria financeira, conforme parametrização), os valores efetivamente compensados no mês detalhados por Natureza de Retenção, bem como o saldo a compensar em períodos de apuração futuros. Na geração da EFD Contribuições, serão gerados os registros 1300 e 1700 com os valores de retenção e suas compensações, separado por Natureza de Retenção. Na apuração, primeiro será gravado o valor no quadro Retenção, correspondente ao total de retenções, agrupado por Natureza da Retenção. Logo na sequência, se houver valor devedor de PIS/COFINS, será gravado o valor compensado, até o limite do valor devedor, para cada Natureza da Retenção. Se ficar saldo, será armazenado e compensado na apuração do próximo mês. Se for efetuado pedido de restituição ou declaração de compensação, através do PER/DECOMP, será necessário informar estes valores manualmente. Para isso:

374 No quadro Retenção, informar o mês/ano da retenção correspondente ao pedido e selecionar a natureza da retenção correspondente, com duplo clique. No quadro Compensação, informar o mês/ano do pedido e informar o valor correspondente a restituição e/ou declaração de compensação. Clicar em Gravar Compensação e depois, clicar em Gravar no canto superior direito da tela. ATENÇÃO: Estes lançamentos manuais de compensação devem ser informados somente para meses anteriores, pois a cada nova apuração, os dados do mês apurado serão excluídos e regravados.

375 6. Importação de Arquivos Rotinas relacionadas a importação de notas ficais e demais dados ao sistema. NF-e (XML Saída\ Devolução de Venda) NF-e (XML Entrada) CT-e (XML Entrada/XML Saída) NF-e (Código de Barras - DANFe) NFS-e (Municípios) Layout Padrão Layout SPED Fiscal/EFD Contribuições Layout Convênio 115/2003 Layout Nota Fiscal Paulista Layout Ato Cotepe 17/ Cupom Fiscal Layout SINTEGRA 6.1. NF-e (XML Saída\ Devolução de Venda) Esta rotina tem como objetivo importar as Notas Fiscais de Saída, Devolução e seus respectivos Itens, através de arquivo XML. Esta é a melhor forma de importar notas fiscais, visto que no arquivo XML tem todas as informações necessárias para a correta apuração dos tributos e geração dos arquivos para o fisco (SPED, etc).

376 Estabelecimento: Informe o estabelecimento das Notas Fiscais que irá importar. Diretório: Informe o diretório onde está localizado o arquivo NF-e (.XML). Pode ser utilizado um único diretório para as notas de diversas empresas. O sistema identificará pelo CNPJ quais notas pertencem a empresa que está sendo efetuado o procedimento. O botão Upload aparecerá somente para usuário NET. Mês/Ano: Informe o mês e ano correspondente ao período que irá importar. Período: Informe o período de emissão das notas fiscais, caso deseje importar por dia ou dias do mês. Tipo de Nota: selecionar o tipo de nota, conforme arquivos. Para entradas, serão consideradas notas cujo CFOP seja efetivamente de entrada, como por exemplo, devolução. ATENÇÃO: As notas de entrada serão importadas como emissão Própria, por tratar-se de devolução, aquisição de produtor rural ou pessoa física, etc. Também, o Destinatário da nota fiscal será importado como Emitente. Buscar notas do DropDrive NFe/ Sage One: Esta opção será marcada automaticamente se a opção de mesmo nome estiver marcada no cadastro do estabelecimento, aba Parâmetros\ Escrita Fiscal\ Importação. Podendo ser alterada por esta rotina. IMPORTANTE: Se esta opção for alterada por esta rotina, a alteração será gravada no cadastro do estabelecimento, para que venha como padrão nas próximas importações. Atualizar dados de Emitentes/Destinatários: Se marcada esta opção, e já existir algum emitente/destinatário com mesmo CNPJ/CPF no sistema, esse cadastro será atualizado com as informações do XML a ser importado. ATENÇÃO: Marcando esta opção, os dados dos emitentes/destinatários já cadastrados no sistema serão atualizados com os dados constantes no arquivo de importação. Pode ocorrer perda de informações, caso no arquivo os dados cadastrais não estejam completos. Se a opção não for marcada, será considerado o emitente/destinatário já cadastrado, sem alterá-lo. Regravar Produtos: Caso esta opção esteja selecionada, os produtos do arquivo a ser importado, irão sobrepor os produtos já existentes no sistema. Se a opção não for marcada, será considerado o produto já cadastrado, sem alterá-lo. Importar observações: Com esta opção marcada, as observações constantes no XML serão importadas para o campo de Observações do lançamento, limitadas a 100 caracteres. ATENÇÃO: As observações do XML referem-se a emissão das notas fiscais e não necessariamente são observações válidas para a escrituração fiscal.

377 IOB Gerencia XML: O IOB Gerencia XML é um aplicativo que reconhece os XML s de s cadastrados e importa NFe e CTe direto do site da SEFAZ e Receita Federal, de forma automática. Este aplicativo também mantém as NFe s e CTe s organizadas e disponíveis para consultas pelo tempo que for necessário, através do sistema de armazenamento em nuvem. Para utilizar o IOB Gerencia XML, este aplicativo deve ser adquirido junto ao comercial da EBS - SAGE. Verifique mais detalhes aqui. O IOB Gerencia XML pode ser utilizado de duas formas: 1) Somente pelo escritório contábil ou empresa, que fará a baixa diretamente da SEFAZ ou RFB. Nesta opção, o escritório precisa ter acesso ao certificado digital de seu cliente. Neste caso deve ser marcada a opção "Buscar notas da SEFAZ". Com esta opção marcada, ao clicar em "Carregar" exibirá uma nova tela do IOB Gerencia Download XML, que fará a busca das notas diretamente na SEFAZ. Neste primeiro momento, estará disponível esta baixa apenas para os estados de Pernambuco e Rio Grande do Sul. Se for certificado modelo A1, ele precisa ser previamente instalado no computador. Se for certificado modelo A3, ele precisa estar conectado ao computador. Neste certificado é necessário também informar a senha. ATENÇÃO: Para os clientes NET, somente o certificado digital modelo A3 pode ser utilizado, pois ele é conectado diretamente no computador e o modelo A1 precisaria ser instalado no servidor da EBS, o que se torna inviável. Porém, mesmo o certificado A3 possui algumas restrições: 1) Somente leitoras (smart card) e certificados Certisign e Serasa são homologados; 2) Se possui mais de um certificado e for necessário realizar a troca durante o uso, será necessário sair do sistema e acessar novamente. Após baixar as notas, elas serão listadas na grid para posterior importação, pelo processo normal da rotina. Esta opção elimina a necessidade de envio dos arquivos XML dos clientes ao escritório. OBSERVAÇÕES: Para PE, a cada importação do site da SEFAZ é possível buscar apenas 500 notas. Caso no primeiro filtro não consiga baixar todas as notas, deverá ser utilizado o filtro de período para restringir a quantidade de notas a serem baixadas. Quando utilizada procuração do escritório, pode ser utilizada procuração federal, porém o escritório precisa fazer o vínculo das empresas na Receita Estadual. Para RS, não será habilitado o filtro de período, pois no site da SEFAZ a baixa só pode ser efetuada para o mês inteiro. Quando utilizada procuração do escritório, pode ser utilizada procuração estadual apenas.

378 Para baixar corretamente as notas, é necessário que os seguintes sites estejam com acesso liberado: ) Pelo escritório e por seu cliente, através de um plugin do IOB Gerencia XML que deve ser instalado no cliente. Assim, a baixa das notas ocorre direto no cliente e o escritório busca as notas já baixadas para importar no Sage Fiscal. Nesta opção, o escritório não precisa ter acesso ao certificado digital do cliente. Neste caso deve estar marcada a opção "Buscar notas armazenadas". Para uso do plugin, o escritório deverá, através do IOB Gerencia XML, enviar o instalador juntamente com um convite a seu cliente. Assim, o cliente instalará o plugin, configurando o certificado digital e outros dados. Este plugin funcionará como um agendador, baixando automaticamente as notas e armazenando-as na nuvem. Verifique aqui o procedimento para enviar o plugin ao cliente. Verifique aqui o procedimento para o cliente utilizar o plugin para baixar e armazenar as notas. O escritório fará a importação para o Sage, que buscará as notas baixadas anteriormente pelo seu cliente. ENVIO DO XML PARA NÚVEM Após efetuada a importação das notas fiscais, tanto de entrada quanto de saída, os arquivos XML serão movidos para o diretório definido nos parâmetros do IOB Gerencia XML (Opções/ Preferências/ Local dos arquivos xml). Por exemplo, \iob-gerencia\itens a enviar. OBS.: Para cliente NET," deverá ser um caminho de rede com permissão de leitura/escrita. A partir deste diretório, ao acessar o aplicativo IOB Gerencia é possível efetuar o envio dos XML's e posterior gerenciamento dos mesmos. O envio dos arquivos poderá ser efetuado independente de utilizar a opção de baixa das notas pelo IOB Gerencia. Se os arquivos chegam na empresa através de por exemplo e, estiver instalado o IOB Gerencia, estes arquivos também poderão ser enviados para armazenamento em servidor externo. Adicionar Chaves da NF-e: Através desta opção, a baixa das notas pode ser efetuada através das chaves de acesso da NF-e, semelhante a rotina Importação\ NF-e (Código de Acesso DANFe), porém, nesta rotina podem ser baixadas diversas notas ao mesmo tempo. Para isso, basta gravar todas as chaves desejadas e após efetuar o processo de importação de todas elas ao mesmo tempo, sem a necessidade de digitar código anti-robô.

379 Na tela, informar todas as chaves (pode ser efetuado através de leitor de código de barras), clicar em Gravar e após em Carregar, efetuando o processo normal de importação. No quadro Dados Complementares, informe eventuais dados que não constam no arquivo, mas são importantes para o sistema, como: Informações do Pagamento: Permite selecionar o tipo de pagamento com o qual as notas serão importadas. Conforme consta na NF: Com esta opção selecionada, considera o tipo de pagamento que consta no XML. Será habilitado o campo Caixa/Banco para que seja informada a conta caixa/banco para contabilização. À vista: Selecionando esta opção, todas as notas serão importadas com o tipo de pagamento à vista, independente do tipo que consta no XML. É obrigatório o preenchimento do campo Caixa/Banco para que seja informada a conta para contabilização. A prazo: Todas as notas serão importadas com o tipo de pagamento a prazo, independente de como consta no XML. Sem pagamento: Todas as notas serão importadas como sem pagamento, independente de como consta no XML. Informar Tipo de Lançamento Informar variação para os CFOPs: Neste campo, pode ser definida uma variação que será considerada para as notas que estão sendo importadas. Regras: Se não for informado nada no campo, será considerada automaticamente a primeira variação ativa dos CFOPs das notas; Se informada uma variação no campo, será considerada esta variação para o CFOP das notas. Se o CFOP não possuir a variação vinculada, será considerada a primeira variação ativa dos CFOPs. Informar o Item de Serviço Informar a Operação Contábil Informar Classificações: Neste campo, podem ser definidas as classificações da natureza para contabilização. Regra: A classificação informada, tanto no campo 1 quanto no campo 2, será considerada para todas as notas fiscais importadas, independente do CFOP. Se o CFOP preponderante não possuir a classificação parametrizada, esta será desconsiderada.

380 Botão Carregar: Lista em tela as Notas Fiscais a importar. Botão Importar: Importa as Notas Fiscais selecionadas para o sistema. No quadro Total de Notas, informará a quantidade de notas que contam no arquivo. Informará a quantidade pesquisada; a quantidade selecionada para importação, ou seja, as notas cujo check "Importar" esteja marcado e também, informará a quantidade de notas canceladas. NOTA FISCAL CANCELADA: Se no diretório informado de arquivos houver XML referente a cancelamento, o sistema alterará a referida nota fiscal (já cadastrada anteriormente), para uma nota fiscal cancelada ou, se a nota original ainda não estiver lançada, o sistema fará o seu lançamento já com os valores zerados. Nesta importação, será efetuado o seguinte procedimento: Ao clicar em Carregar, serão exibidas as notas normais na grid e se houver notas canceladas, a quantidade delas será informada no quadro "Total de Notas". As notas canceladas não serão exibidas na grid; Ao clicar em Importar, serão importadas as notas normais e para as notas canceladas, o sistema identificará, pela chave da NF-e, se esta nota está cadastrada. Se estiver cadastrada, ela será zerada, seus itens serão excluídos e será gravada a observação de nota cancelada. Se a nota não estiver cadastrada, o sistema fará o seu cadastramento. Porém, o XML de cancelamento não possui todas as informações necessárias para o lançamento completo. Desta forma, será adotado o seguinte procedimento: Data de emissão/lançamento: Será considerado o primeiro dia do mês/ano da nota, sendo este período extraído da chave da NF-e; Destinatário: No sistema este campo é de preenchimento obrigatório. Desta forma, na importação será considerado o destinatário cujo CNPJ seja igual ao do estabelecimento. Se não existir este cadastro, será considerado o primeiro ativo; Natureza de Operação: Será considerada a natureza 5102, variação 01. Se no diretório de arquivos houver somente XML referente a cancelamento, ao clicar no botão carregar não será exibida nenhuma nota normal na grid, porém será informada a quantidade de notas canceladas, sendo habilitado o botão Importar para finalizar o processo para estas notas canceladas. INFORMAÇÕES ADICIONAIS: A importação, quanto a advertências e/ou erros, funciona da seguinte forma: Importação somente com advertência:

381 Ao concluir a validação, se houver somente advertências, exibirá uma mensagem perguntando ao usuário se deseja visualizá-las. Se SIM, emitirá um relatório e ao fechá-lo, exibirá uma nova mensagem perguntando se deseja importar as notas. Se NÃO listar o relatório de advertência, também será exibida a mensagem perguntando se deseja importar as notas. Importação com erros: Ao concluir a validação, se houver erros, exibirá uma mensagem informando a ocorrência de erros que impedem a importação das notas, perguntando ao usuário se deseja visualizá-las e o processo é cancelado. Ao concluir a importação, os arquivos XML serão movidos para o diretório \\SAGE\Backup\NFe_Importadas\Codigo_Empresa\Codigo_Estabelecimento, do servidor. Exemplo: \\Sage\Backup\NFe_Importadas\09999\00001 Serão importadas somente as notas fiscais cujo arquivo XML seja de distribuição, ou seja, já processado pela Receita. Este arquivo é identificado pela tag (nfeproc versao="1.10") ou (nfeproc versao="2.00"). Arquivos XML de envio não serão importados. Na importação de Nota Fiscal Eletrônica, os impostos são compostos pelas informações provenientes dos produtos contidos na mesma. Nos produtos a informação do CST (Código da Situação Tributária) é obrigatória e é através desta informação específica que será feito o tratamento, com relação a tributação, isenção, diferimento, Subst. Tributária... da nota fiscal importada. Portanto dependerá de como é efetuado o lançamento da NF-e, para definir como serão compostos os valores no quadro de ICMS do lançamento no módulo Sage Fiscal. Exemplos para ICMS: Quando o Valor Contábil for maior que a base de cálculo do ICMS, a diferença deverá constar no campo outras; CST = 30 *Quando o Valor Contábil for igual à Base de Cálculo, não haverá diferença a ser calculada, portanto não terá nenhum valor em outras; CST = 10 *Quando não existir Base de Cálculo, o Valor Contábil deverá constar em outras. CST = 41 *Quando houver diferimento do imposto, o valor diferido deverá constar em outras. CST = 41

382 Na NF-e os CFOP s são informados por produto. Portanto a nota fiscal poderá ter inúmeros CFOP s distintos. No Sage, as Notas Fiscais com mais de dois CFOP s serão tratadas da seguinte forma, quanto aos campos "Nat. Operação" e "Nat. Operação ST": *Um CFOP considera-o para o 1º campo do lançamento; *Um CFOP normal e um CFOP ST CFOP normal considera para o 1º campo do lançamento e o CFOP ST para o segundo; *Dois CFOP s normais Considera para o primeiro campo o CFOP mais relevante, ou seja, com maior valor contábil; *Dois CFOP s ST Considera para o primeiro campo um CFOP e outro para o segundo campo; *Dois CFOP s ST e dois CFOP s normais - Considera para o primeiro campo o CFOP normal mais relevante, ou seja, com maior valor contábil e para o segundo campo o CFOP ST mais relevante; Para exportação, não há na NF-e, informação para identificação do exterior de empresas estrangeiras, sendo utilizado para distinção o país das mesmas. Porém, este tratamento permite a importação de somente um destinatário para cada país. Para que o mesmo não seja substituído na próxima importação, sugere-se que seja alterado o campo "Identificação do Exterior" no cadastro do Destinatário; Quando há NF-e complementar de imposto, o item é importado sem conteúdo para NCM (Nomenclatura Comum do Mercosul), causando erro no validador SPED Fiscal. Neste caso, o cadastro do produto deve ser complementado após a importação; Para a importação de NF-e, é imprescindível que esteja instalado no computador o aplicativo Microsoft.NET Framework 3.5 SP1. Se este aplicativo não estiver instalado, será exibida uma mensagem de alerta, permitindo que seja realizado seu o download, através do link: mework_3_5.html Se nos parâmetros da empresa estiver definido para cadastrar contas contábeis de cliente/fornecedor automaticamente e, no arquivo tiver registros de emitentes/destinatários, serão criadas as contas contábeis. As observações da NF-e não serão importadas para o sistema, pois estas observações são da emissão da nota e não da escrituração. Com isso, não gera informações desnecessárias na emissão do livro registro de saídas. Se a nota fiscal já estiver cadastrada no sistema, ela será desconsiderada na importação, ou seja, não será regravada nem duplicada. Exceto para nota fiscal cancelada Chave de Nota Fiscal Eletrônica

383 Nesta rotina devem ser informadas as chaves de nota fiscal eletrônica que deseja importar. Na tela, informar todas as chaves (pode ser efetuado através de leitor de código de barras), clicar em Gravar e após em Carregar, efetuando o processo normal de importação. Para este processo, é necessário o certificado digital. Se for certificado modelo A1, ele precisa ser previamente instalado no computador. Se for certificado modelo A3, ele precisa estar conectado ao computador. Neste certificado é necessário também informar a senha. ATENÇÃO: Para os clientes NET, somente o certificado digital modelo A3 pode ser utilizado, pois ele é conectado diretamente no computador e o modelo A1 precisaria ser instalado no servidor da EBS, o que se torna inviável. Porém, mesmo o certificado A3 possui algumas restrições: 1) Somente leitoras e certificados Certisign e Serasa são homologados; 2) Se possui mais de um certificado e for necessário realizar a troca durante o uso, será necessário sair do sistema e acessar novamente NF-e (XML Entrada) Esta rotina tem como objetivo importar as Notas Fiscais de Entrada correspondentes ao estabelecimento, a partir de uma nota de saída de seu fornecedor. Sua principal característica está no processo de aprender com as importações, trazendo automaticamente os dados parametrizados na importação anterior, se as operações e os produtos se repetirem. Buscar notas do DropDrive NFe: Esta opção será marcada automaticamente se a opção de mesmo nome estiver marcada no cadastro do estabelecimento, aba Parâmetros\ Escrita Fiscal\ Importação. Podendo ser alterada por esta rotina. IMPORTANTE: Se esta opção for alterada por esta rotina, a alteração será gravada no cadastro do estabelecimento, para que venha como padrão nas próximas importações.

384 Informações do Pagamento: Permite selecionar o tipo de pagamento com o qual as notas serão importadas. Conforme consta na NF: Com esta opção selecionada, considera o tipo de pagamento que consta no XML. Será habilitado o campo Caixa/Banco para que seja informada a conta caixa/banco para contabilização. À vista: Selecionando esta opção, todas as notas serão importadas com o tipo de pagamento à vista, independente do tipo que consta no XML. É obrigatório o preenchimento do campo Caixa/Banco para que seja informada a conta para contabilização. A prazo: Todas as notas serão importadas com o tipo de pagamento a prazo, independente de como consta no XML. Sem pagamento: Todas as notas serão importadas como sem pagamento, independente de como consta no XML. IOB Gerencia XML: O IOB Gerencia XML é um aplicativo que reconhece os XML s de s cadastrados e importa NFe e CTe direto do site da SEFAZ e Receita Federal, de forma automática. Este aplicativo também mantém as NFe s e CTe s organizadas e disponíveis para consultas pelo tempo que for necessário, através do sistema de armazenamento em nuvem. Para utilizar o IOB Gerencia XML, este aplicativo deve ser adquirido junto ao comercial da EBS - SAGE. Verifique mais detalhes aqui. Buscar notas da SEFAZ: O escritório contábil ou empresa, fará a baixa diretamente da SEFAZ. Com esta opção marcada, ao clicar em Carregar exibirá uma nova tela do IOB Gerencia Download XML, que fará a busca das notas diretamente na SEFAZ. Neste primeiro momento, estará disponível esta baixa apenas para os estados de Pernambuco e Rio Grande do Sul. Após baixar as notas, elas serão listadas na grid para posterior importação, pelo processo normal da rotina. Esta opção elimina a necessidade de envio dos arquivos XML dos clientes ao escritório. OBSERVAÇÕES: Para PE, a cada importação do site da SEFAZ é possível buscar apenas 500 notas. Caso no primeiro filtro não consiga baixar todas as notas, deverá ser utilizado o filtro de período para restringir a quantidade de notas a serem baixadas. Para RS, não será habilitado o filtro de período, pois no site da SEFAZ a baixa só pode ser efetuada para o mês inteiro. Para baixar corretamente as notas, é necessário que os seguintes sites estejam com acesso liberado:

385 Buscar as chaves das NF-E do portal da RFB:Nesta opção, as notas de entrada são baixadas diretamente no portal da RFB, através de um serviço de consulta da relação de documentos destinados para um determinado CNPJ, disponibilizada pela Receita Federal. Buscar notas armazenadas: Nesta opção, a baixa das notas ocorre direto no cliente e o escritório busca as notas já baixadas para importar no Sage Fiscal. O escritório não precisa ter acesso ao certificado digital do cliente. Nesta opção, as notas são baixadas previamente, através de um plugin do IOB Gerencia XML que deve ser instalado no cliente. Para uso do plugin, o escritório deverá, através do IOB Gerencia XML, enviar o instalador juntamente com um convite a seu cliente. Assim, o cliente instalará o plugin, configurando o certificado digital e outros dados. Este plugin funcionará como um agendador, baixando automaticamente as notas e armazenando-as na nuvem. Verifique aqui o procedimento para enviar o plugin ao cliente. Verifique aqui o procedimento para o cliente utilizar o plugin para baixar e armazenar as notas. ENVIO DO XML PARA NÚVEM Após efetuada a importação das notas fiscais, tanto de entrada quanto de saída, os arquivos XML serão movidos para o diretório definido nos parâmetros do IOB Gerencia (Opções/ Preferências/ Local dos arquivos xml). Por exemplo, \iob-gerencia\itens a enviar. OBS.: Para cliente NET," deverá ser um caminho de rede com permissão de leitura/escrita. A partir deste diretório, ao acessar o aplicativo IOB Gerencia é possível efetuar o envio dos XML's e posterior gerenciamento dos mesmos. O envio dos arquivos poderá ser efetuado independente de utilizar a opção de baixa das notas pelo IOB Gerencia. Se os arquivos chegam na empresa através de por exemplo e, estiver instalado o IOB Gerencia, estes arquivos também poderão ser enviados para armazenamento em servidor externo. Adicionar Chaves de NF-e: Através desta opção, a baixa das notas pode ser efetuada através das chaves de acesso da NF-e, semelhante a rotina Importação\ NF-e (Código de Acesso DANFe), porém, nesta rotina podem ser baixadas diversas notas ao mesmo tempo. Para isso, basta gravar todas as chaves

386 desejadas e após efetuar o processo de importação de todas elas ao mesmo tempo, sem a necessidade de digitar código anti-robô. Na tela, informar todas as chaves (pode ser efetuado através de leitor de código de barras), clicar em Gravar e após em Carregar, efetuando o processo normal de importação. Para estes processos, é necessário o certificado digital. Se for certificado modelo A1, ele precisa ser previamente instalado no computador. Se for certificado modelo A3, ele precisa estar conectado ao computador. Neste certificado é necessário também informar a senha. ATENÇÃO: Para os clientes NET, somente o certificado digital modelo A3 pode ser utilizado, pois ele é conectado diretamente no computador e o modelo A1 precisaria ser instalado no servidor da EBS, o que se torna inviável. Porém, mesmo o certificado A3 possui algumas restrições: 1) Somente leitoras (smart card) e certificados Certisign e Serasa são homologados; 2) Se possui mais de um certificado e for necessário realizar a troca durante o uso, será necessário sair do sistema e acessar novamente. O botão Upload aparecerá somente para usuário NET. OBSERVAÇÃO: Se nos parâmetros da empresa estiver definido para cadastrar contas contábeis de cliente/fornecedor automaticamente e, no arquivo tiver registros de emitentes/destinatários, serão criadas as contas contábeis Importação de Notas pelo Arquivo XML Esta rotina tem como objetivo importar as Notas Fiscais de Entrada correspondentes ao estabelecimento, a partir de uma nota de saída de seu fornecedor. Sua principal característica está no processo de aprender com as importações, trazendo automaticamente os dados parametrizados na importação anterior, se as operações e os produtos se repetirem.

387 Na tela da rotina, informar o diretório onde estão localizados os arquivos XML, o mês/ano de lançamento e clicar em Carregar. Serão listadas todas as notas de saída cujo destinatário possua CNPJ igual ao estabelecimento e cuja data de emissão seja anterior ao último dia do mês de lançamento. Se houver notas emitidas em mês (es) anterior(es), sua entrada será considerada no mês de lançamento. No período de emissão, o sistema preencherá automaticamente a data final com o último dia do mês de lançamento, permitindo alterar para uma data anterior. Se o conteúdo deste campo for excluído, será mesmo assim considerado o último dia do mês de lançamento. Importar observações: Com esta opção marcada, as observações constantes no XML serão importadas para o campo de Observações do lançamento, limitadas a 100 caracteres. ATENÇÃO: As observações do XML referem-se a emissão das notas fiscais e não necessariamente são observações válidas para a escrituração fiscal. Deve-se clicar sobre o botão Importar ao lado de cada nota relacionada. Será aberta uma nova tela, listando todos os CFOP s de saída encontrados na nota (conforme seus itens), onde serão relacionados os correspondentes CFOP s de entrada, conforme a destinação das mercadorias:

388 No exemplo da imagem, a nota 847 possui diversos itens, com os CFOP s de saída: 6102, 5101, 5102 e Para eles, devem ser informados os CFOP s de entrada correspondentes a destinação das mercadorias na empresa. IMPORTANTE: Para alguns CFOP s o sistema efetua automaticamente esta relação entre a saída e a entrada, pois eles possuem uma relação direta. Já para outros, a relação deve ser efetuada caso a caso, pois depende exclusivamente da destinação da mercadoria na entrada, não sendo relevante qual a operação de saída. Por exemplo: CFOP Remessa em bonificação, doação ou brinde, também será uma entrada de bonificação, doação ou brinde, CFOP Neste caso o sistema trará o CFOP de entrada automaticamente. CFOP Remessa para industrialização por encomenda, também será uma entrada para industrialização por encomenda, CFOP Neste caso o sistema trará o CFOP de entrada automaticamente. CFOP Venda de produção do estabelecimento, pode ter variadas destinações na empresa: compra para industrialização (1101), para comercialização (1102), para uso e consumo (1556), para ativo imobilizado (1551), entre outros. Neste caso, o sistema não consegue identificar o CFOP correspondente automaticamente, devendo ser informado nesta tela, durante a importação. Na próxima vez que

389 importar nota do mesmo fornecedor, com o mesmo CFOP de saída, o sistema trará automaticamente o CFOP de entrada relacionado, conforme já importado anteriormente. Informados os respectivos CFOP s de entrada, deve-se clicar em OK. Será aberta a tela para configuração da nota de entrada. No Mês/Ano, será considerado o mês de lançamento informado na primeira tela. No dia do lançamento, se a emissão da nota for do mesmo mês de lançamento, será considerada automaticamente a data de emissão, permitindo alteração. Se a emissão for de mês anterior, será considerado o dia primeiro do mês de lançamento, permitindo alteração. O campo Nat. Operação o sistema preenche automaticamente conforme o CFOP preponderante da nota, ou seja, o de maior valor. Se a nota tiver tanto CFOP normal quanto de substituição tributária, o campo Nat. Operação S. T. também será preenchido automaticamente. Estes dois campos de CFOP serão visualizados na consulta da nota fiscal, na aba Nota. Já o CFOP de cada item, na grid, será preenchido conforme a relação efetuada na tela anterior. Nesta tela ainda será possível alterar o CFOP dos itens, caso em ocasião especial, a destinação do produto seja diferente de seu padrão. IMPORTANTE: Os campo "Lançamento", "Classificação 1", "Classificação 2", "Caixa/Banco" e "Operação Contábil" serão automaticamente preenchidos, baseados na última nota fiscal lançada no sistema para o fornecedor, permitindo alteração se necessário. Ainda nesta tela deve ser informado o tipo de Lançamento e parametrizados os produtos da nota fiscal.

390 Parametrização dos Produtos Os itens da NF-e devem ser configurados conforme os itens cadastrados no Sage Fiscal, para a empresa que está lançando a entrada. Se os itens já estiverem cadastrados no Fiscal, basta apenas relacioná-los com os respectivos itens da nota fiscal. Para a pesquisa pode ser utilizada a tela F4 ou F12. Se os itens ainda não estiverem cadastrados, o cadastro pode ser efetuado a partir da tela, clicando duas vezes sobre o campo. Neste caso será aberta a tela para cadastro de produtos, com alguns dados já preenchidos conforme disponível no arquivo XML, e outros dados podem ser complementados manualmente. Também, pode não efetuar o cadastro de cada item e, ao clicar em Gravar, o sistema identifica que há itens sem relacionamento e pergunta se deseja efetuar o cadastro deles automaticamente. Porém, este cadastro não fica completo, visto que vários dados não estão presentes no arquivo XML. IMPORTANTE: Na próxima importação de nota deste fornecedor com o mesmo produto, o sistema fará automaticamente a relação com o item cadastrado no sistema. Parametrização de Código de Situação Tributária (CST) Os itens da nota fiscal devem ser parametrizados com a CST de IPI e PIS/COFINS, considerando também a destinação destes produtos na empresa. A correta parametrização destes códigos é fundamental para a geração do SPED Fiscal e Contribuições. Deve-se levar em consideração a destinação da mercadoria na empresa. CST de ICMS Para o CST de ICMS, o sistema assume aquele constante na nota que está sendo importada.

391 Porém, podem ser efetuadas algumas parametrizações: No cadastro do estabelecimento, pode ser parametrizado para nunca gerar crédito de ICMS, para os casos de empresas com regime diferenciado de recolhimento (por exemplo, bares e restaurantes). Esta parametrização deve ser efetuada no cadastro do estabelecimento, em Parâmetros/ Fiscal/ Tributação/ ICMS/IPI/ISS. Neste caso, ao importar as notas, se o CST original do item gerar crédito (00, 100 ou 200), o sistema automaticamente gravará este item com CST 90, sem valor de base de ICMS, gerando este valor em Outras. Com esta parametrização, o sistema gravará o CST 90 para todas as notas que originalmente gerariam crédito de ICMS, independente do CFOP. Para os demais CST s, considera o mesmo utilizado na saída e, no CST 20, gera o valor integral em Isentas. No cadastro do CFOP pode ser parametrizado para não gerar crédito de ICMS, para os casos em que a operação não gera direito a crédito, como por exemplo, compra de material para uso e consumo. Esta Parametrização deve ser efetuada em Cadastros\ Genéricos\ Natureza de Operação.

392 Neste caso, ao importar as notas, se o CST do item gerar crédito (00, 100 ou 200), o sistema automaticamente gravará este item com CST 90, sem valor de base de ICMS, gerando este valor em Outras. Para os demais CST s, considera o mesmo utilizado na saída e, no CST 20, gera o valor integral em Isentas. CST de IPI Para o CST de IPI, primeiramente o sistema verifica se a empresa é contribuinte deste tributo. Esta opção fica no cadastro do Estabelecimento, em Parâmetros/ Escrita Fiscal/ Tributação/ ICMS/IPI/ISS.

393 NÃO CONTRIBUINTE: O sistema considera automaticamente o CST 49- Outras Entradas, independente do CST cadastrado no produto. O valor do IPI é gravado na nota (aba Itens e aba Bases), porém com a opção de IPI não creditado. Esta informação é gerada automaticamente no campo de Observações da nota. Não é importada base de IPI. O valor do IPI é gerado nos itens, sem a base, pois poderá ser utilizado na base de PIS/COFINS, conforme opção do cadastro do estabelecimento. CONTRIBUINTE: O sistema considera o CST informado no cadastro do produto. Em Cadastros\ Produtos\ Cadastro de Produtos:

394 Se este campo não estiver preenchido no cadastro do produto, o sistema considerará automaticamente o CST 49- Outras Entradas. É possível alterar o CST diretamente na tela de importação. É possível ainda, parametrizar no cadastro do CFOP para não gerar crédito de IPI, para os casos em que a operação não gera direito a crédito. Esta parametrização deve ser efetuada em Cadastros\ Genéricos\ Natureza de Operação. Neste caso, será gravado como IPI não creditado. Se na nota tiver um item cujo CFOP esteja parametrizado para zerar crédito, o valor integral do IPI será considerado como não creditado. CST de PIS/COFINS Para o CST de PIS/COFINS, primeiramente o sistema verifica se a empresa possui regime de tributação Cumulativo ou Não Cumulativo. Esta opção fica no cadastro do Estabelecimento, em Parâmetros/ Escrita Fiscal/ Tributação/ PIS/COFINS.

395 Verifica também se a empresa é optante pelo Simples Nacional. Esta opção fica no cadastro do Estabelecimento, em Parâmetros/ Escrita Fiscal/ Tributação/ SIMPLES Nacional. REGIME CUMULATIVO: O sistema considera automaticamente CST 70- Operação de Aquisição sem Direito a Crédito, zerando todos os valores de PIS/COFINS, independente do CST cadastrado no produto ou no CFOP/Variação. REGIME NÃO CUMULATIVO: O sistema considera o CST informado no cadastro do produto ou no cadastro do CFOP de entrada, conforme a seguinte regra:

396 Se estiver informado o CST no cadastro do produto e no cadastro do CFOP de entrada, considera conforme a prioridade definida no cadastro do CFOP (Cadastros\ Genéricos\ Natureza de Operação): CST cadastrado no produto CST cadastrado no CFOP/Variação Se estiver informado o CST somente no cadastro do produto, considera este CST. Se estiver informado o CST somente no cadastro do CFOP, considera este CST.

397 Se não estiver informado o CST no Produto nem no CFOP, considera o CST 99. Quanto aos valores de PIS/COFINS, serão gerados conforme o CST de entrada: Para CST 50 a 67: Base = valor total do item na nota fiscal - desconto do item + rateio de valores complementares Alíquota (%) = do cadastro do CFOP ou do cadastro do estabelecimento Valor = base * alíquota / 100 Alíquota (R$) = zeros Para CST 70 a 99: Base = zeros Alíquota (%) = zeros Valor = zeros A alíquota informada no CFOP/Variação tem prioridade sobre a alíquota informada no Estabelecimento (Parâmetros/ Escrita Fiscal/ Alíquotas). SIMPLES NACIONAL: O sistema considera automaticamente CST 99- Outras Operações, zerando todos os valores de PIS/COFINS, independente do CST cadastrado no produto ou no CFOP/Variação. Gravação da Nota Depois de parametrizados os CFOP s, produtos e CST s, deve-se clicar em Gravar. Assim, a nota fiscal de entrada é incluída no sistema.

398 Após importadas as notas, os arquivos XML são movidos da pasta de origem para \\Sage\backup\NFe_Importadas\<código_empresa>\<código_estabelecimento>\NFe_Entrada NF-e (Código de Barras - DANFe) Por esta rotina é possível importar as Notas Fiscais de Entrada ou Saída através do DANFe (Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica), buscando todas informações diretamente do Portal da NF-e 8pl8=.

399 Estabelecimento: Este campo é preenchido automaticamente pelo sistema, podendo ser alterado. Este campo identifica para qual estabelecimento estará sendo importada a Nota Fiscal. Irá comparar o CNPJ da nota fiscal com o CNPJ deste estabelecimento. Lançamento: Selecione/Informe o tipo de lançamento que será gravado na Nota Fiscal. Chave de Acesso da Nota Fiscal: Informe a chave da NF-e com 44 dígitos. Esse campo pode ser preenchido manualmente ou através de um leitor óptico de código de barras. Código impresso ao lado: Informe os dígitos que aparecerão ao lado direito da tela. Eles são os caracteres anti-robô, utilizados como segurança no site da Receita. Visualizar a nota fiscal após importar: Selecione caso opte em abrir a tela de lançamento com a nota que está sendo importada. Importar observações: Com esta opção marcada, as observações constantes no XML serão importadas para o campo de Observações do lançamento, limitadas a 100 caracteres. ATENÇÃO: As observações do XML referem-se a emissão das notas fiscais e não necessariamente são observações válidas para a escrituração fiscal. Tipo Nota Fiscal: Informe se a nota fiscal que será importada é de Entrada ou de Saída. OBSERVAÇÃO: Para notas de entrada, há duas possibilidades: importar nota com CFOP de entrada (nota fiscal de devolução, aquisição de produtor rural, pessoa física, etc) e importar nota de entrada a partir de uma nota de saída de seu fornecedor. Nota fiscal com CFOP de entrada, importa automaticamente com os próprios dados da nota. Neste caso, marca a nota como emissão própria e considera o destinatário como emitente. Para nota fiscal de entrada a partir de uma nota de saída do fornecedor, abre uma tela para que sejam definidos alguns parâmetros, como CFOP e relação dos itens. Neste caso, marca a nota como emissão de terceiros e considera o próprio emitente. Verifique aqui o manual completo para a importação de NF-e de entrada. Informações do Pagamento: Permite selecionar o tipo de pagamento com o qual as notas serão importadas. Conforme consta na NF: Com esta opção selecionada, considera o tipo de pagamento que consta no XML. Será habilitado o campo Caixa/Banco para que seja informada a conta caixa/banco para contabilização. À vista: Selecionando esta opção, todas as notas serão importadas com o tipo de pagamento à vista, independente do tipo que consta no XML. É obrigatório o preenchimento do campo Caixa/Banco para que seja informada a conta para contabilização.

400 A prazo: Todas as notas serão importadas com o tipo de pagamento a prazo, independente de como consta no XML. Sem pagamento: Todas as notas serão importadas como sem pagamento, independente de como consta no XML. Contabilizar esta nota fiscal: Marcando esta opção, a nota fiscal será considerada para contabilização. Se no Cadastro da Empresa\ Contabilização\ Integração\ Parâmetros estiver marcado a opção utiliza Contabilização on-line, o sistema efetuará automaticamente os lançamentos no Sage Contabilidade OBSERVAÇÃO: Caso ocorra algum problema na contabilização, não serão gravados os lançamentos no Sage Contabilidade e a tela de lançamentos do Sage Fiscal será aberta para que os problemas sejam corrigidos. Se a empresa não utiliza contabilização on-line, o sistema apenas gravará a operação contábil na nota fiscal, para utilizar na contabilização por lote. Operação Contábil: Selecione/informe a operação contábil que deverá ser utilizada na contabilização da nota fiscal. O sistema traz automaticamente a operação contábil padrão, definida na Matriz de Contabilização, no cadastro da empresa, podendo ser alterada. Informar variação para os CFOP's: Esta opção ficará habilitada somente para importação de nota fiscal de saída, pois para nota de entrada, a variação pode ser informada em outra tela. Neste campo, pode ser definida uma variação que será considerada para a nota que está sendo importada. Regras: Se não for informado nada no campo, será considerada automaticamente a primeira variação ativa do CFOP da nota; Se informada uma variação no campo, será considerada esta variação para o CFOP da nota. Se o CFOP não possuir a variação vinculada, será considerada a primeira variação ativa do CFOP. Clique aqui se não conseguir visualizar a imagem: Será disponibilizada uma nova imagem antirobô, caso não consiga identificar quais caracteres estão sendo apresentados. NOTA FISCAL CANCELADA Se a nota fiscal estiver cancelada, ao informar a chave de acesso da nota e clicar em Importar, o sistema verifica o status da nota no site da Receita. Se estiver normal, efetua a importação da nota com todos os seus dados. Se a nota fiscal estiver cancelada, pode seguir dois procedimentos:

401 Se a nota fiscal ainda não estiver cadastrada no sistema, efetua este lançamento com valores zerados, sem itens e com a informação de nota cancelada na observação; Se a nota fiscal já estiver cadastrada no sistema, zera todos os valores, exclui os itens e gera informação de nota cancelada na observação. IMPORTANTE: Para realizar a importação da Nota Fiscal Eletrônica é necessário possuir acesso a internet. Aviso: O processo de importação pode ser lento, pois dependerá muito da internet utilizada e também da velocidade do portal da NF-e no momento da importação. Caso o código impresso não apareça durante o processo, poderá ser problema no portal da receita ou na internet. Se a nota fiscal já estiver cadastrada no sistema, ao tentar importá-la novamente será exibida mensagem de alerta e não será possível importá-la novamente. A observação da nota fiscal eletrônica não será considerada na importação, pois esta observação não faz sentido para a Escrita Fiscal. Tópicos Relacionados: Configurar Itens Nota Fiscal de Entrada Dúvidas gerais sobre o DANFe acesse: NFS-e (Municípios) Rotinas relacionadas a importação de NFS-e de municípios ao sistema. Municipal Recife - PE São Paulo SP Municipal Permite realizar a importação dos arquivos de notas fiscais de serviço eletrônicas (NFS-e) dos municípios. O sistema identifica automaticamente o município, através do código IBGE correspondente ao município vinculado ao cadastro do estabelecimento, e habilita a importação, se já estiver implantado no sistema.

402 Verifique aqui a lista de municípios, cuja importação de NFS-e está disponível. Estabelecimento: Informe/Selecione o Estabelecimento a que as notas pertencem. Diretório: Informe o diretório onde estão localizados os arquivos das notas (.xml). O botão Upload aparecerá somente para usuário NET. Tipo de Lançamento: Informe/Selecione o Tipo de Lançamento. Tecle F4 para conferir as opções. Item de Serviço: Se necessário, informe/selecione o Item de Serviço a ser considerado na importação. O item informado neste campo será utilizado somente para as notas cujo código do serviço da LC 116/2003 não esteja cadastrado em nenhum item de serviço no Sage. O campo Código LC 116/2003 da grid, refere-se ao serviço constante na nota fiscal. Se em Cadastros\ Prestação de Serviço\ Itens de Serviço, já existir um cadastrado com esta informação, o sistema fará a importação da nota com este Item de Serviço correspondente. Caso não tenha nenhum Item de Serviço cadastrado no sistema com o Código LC 116/2003 constante na nota, será considerado o item de serviço informado na tela de importação. Se não tiver nenhum Item de Serviço cadastrado no sistema com o Código LC 116/2003 constante na nota e também não for informado o item de serviço na tela, as notas serão importadas sem informação na aba de Serviços/Item de Serviços. Isto pode causar erros em geração de arquivos diversos e/ou emissão de relatórios. Importar Nota Fiscal como a vista: marcando esta opção importará as notas como pagamento "à vista". Marcando a opção, será habilitado o campo "Caixa/Banco", para que seja informada a conta para contabilização. Ao clicar em Carregar, serão exibidas na grid todas as notas fiscais do arquivo, com seus detalhes.

403 Ao clicar em Importar, serão gravadas as notas fiscais selecionadas no sistema. Funcionamento da Rotina: Para identificar o município, o sistema considera o código do IBGE correspondente. Por exemplo: O município de Curitiba está cadastrado no sistema com o código 5 (Cadastros\ Genéricos\ Municípios). Este código deve estar vinculado ao cadastro do estabelecimento e na importação de NFS-e, será verificado o código do IBGE correspondente ao município, que neste exemplo é Na tela de importação, aparecerá o nome do município no título. OBSERVAÇÕES: Se o município não estiver informado no cadastro do estabelecimento, será apresentada uma mensagem informativa ao usuário; Se para o município do estabelecimento ainda não estiver disponível a importação das notas fiscais de serviço eletrônicas, será apresentada uma mensagem informativa ao usuário. Para os municípios Recife (PE) e São Paulo (SP) devem ser utilizadas rotinas específicas.

404 O cadastro de destinatários será efetuado automaticamente na importação das notas. Se já houver cadastro de destinatário com o CNPJ/CPF informado na nota, não será realizado novo cadastro e o existente não será alterado. IMPORTANTE: Quando no arquivo não tiver CNPJ/CPF informado para alguma nota, o sistema automaticamente vinculará a um cadastro de emitente/destinatário cujo CNPJ esteja zerado ( / ) e seja do mesmo estado do estabelecimento. Para isso, este cadastro de emitente/destinatário deve estar previamente efetuado no sistema, ou seja, não será cadastrado automaticamente quando da importação. Caso seja necessário importar novamente o arquivo, os lançamentos não serão duplicados. Os mesmos serão sobrepostos pela nova importação caso estejam selecionados. A importação de NFS-e é baseada no layout de fornecedores de softwares utilizados pelas prefeituras. Muitas vezes, o mesmo fornecedor é utilizado por vários municípios e neste caso, todos os municípios deste fornecedor poderão ser importados, salvo algum município que possua particularidades no arquivo. Estas particularidades precisarão ser tratadas caso a caso. O cálculo das bases de PIS e COFINS para as notas de saída (serviços prestados), será efetuado somente se o item de serviço possuir CST de saída cadastrado com o código 01- Operação tributável com alíquota básica, ou se este campo não estiver preenchido Recife PE Possibilita a importação de arquivos do tipo texto (.TXT) contendo as informações dos Emitentes/Destinatários, Serviços Tomados e Serviços Prestados, com a finalidade de agilizar todo o processo fiscal. Converte o arquivo de Nota Fiscal Eletrônica do município de Recife para o layout da EBS, cujos arquivos deverão ser renomeados para NFE_E.TXT e NFE_R.TXT para que seja possível a conversão. Serão habilitados os botões para cada tipo de importação em que haja registros a importar (Emitentes/Destinatários, Serviços Tomados e Serviços Prestados), sendo que cada botão acionará a respectiva rotina existente atualmente no sistema e que importará os dados com o layout Padrão. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento (F12). Diretório: Informe a localização do arquivo de importação, ou clique na pasta amarela ao lado, para auxiliar a localizar o diretório onde estão gravados os arquivos NFE_E.TXT e NFE_R.TXT. Arquivos Disponíveis para Importação: O sistema lerá os arquivos NFE_E.TXT e NFE_R.TXT e, de acordo com os registros existentes, gerará os arquivos CLIFOR.TXT, NOTAENT.TXT, NOTASAI.TXT.

405 Serão habilitados os botões para cada tipo de importação em que haja registros a importar (Emitentes/Destinatários, Serviços Tomados e Serviços Prestados), sendo que cada botão acionará a respectiva rotina existente atualmente no sistema e que importará os dados com o Layout Padrão. Emitentes/Destinatários Serviços Tomados Serviços Prestados São Paulo SP Possibilita a importação de arquivos do tipo texto (.TXT) contendo as informações dos Emitentes/Destinatários, Serviços Tomados e Serviços Prestados, com a finalidade de agilizar todo o processo fiscal. Converte o arquivo de Nota Fiscal Eletrônica de Serviço do município de São Paulo e também o arquivo NFTS, para o layout da EBS, cujos arquivos deverão ser renomeados para NFE_E.TXT, NFE_R.TXT e NFTS_R para que seja possível a conversão. Serão habilitados os botões para cada tipo de importação em que haja registros a importar (Emitentes/Destinatários, Serviços Tomados e Serviços Prestados), sendo que cada botão acionará a respectiva rotina existente atualmente no sistema e que importará os dados com o Layout Padrão. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento (F12). Diretório: Informe a localização do arquivo de importação, ou clique na pasta amarela ao lado, para auxiliar a localizar o diretório onde estão gravados os arquivos NFE_E.TXT, NFE_R.TXT e NFTS_R. Arquivos Disponíveis para Importação: O sistema lerá os arquivos NFE_E.TXT, NFE_R.TXT e NFTS_R e, de acordo com os registros existentes, gerará os arquivos CLIFOR.TXT, NOTAENT.TXT, NOTASAI.TXT. Serão habilitados os botões para cada tipo de importação em que haja registros a importar (Emitentes/Destinatários, Serviços Tomados e Serviços Prestados), sendo que cada botão acionará a respectiva rotina existente atualmente no sistema e que importará os dados com o Layout Padrão. Emitentes/Destinatários Serviços Tomados Serviços Prestados 6.5. Layout Padrão

406 Possibilita a importação de arquivos do tipo texto (.TXT) contendo as informações dos Emitentes/Destinatários, Produtos, Lançamentos de Entrada e Saída, Inventário, Cupom Fiscal e Itens Vendidos no Mês (ECF), com a finalidade de agilizar todo o processo fiscal. Os programadores dos outros sistemas deverão gerar os arquivos com os dados solicitados nos Layout s dos arquivos, consulte o Ajuda de cada importação para ter acesso ao layout Emitentes/Destinatários Importa o cadastro de emitentes e destinatários através de arquivo texto, dispensando o cadastro manual. Importante: Efetue a importação destes dados antes de importar o arquivo de notas de fiscais. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento (F12). Diretório: Informe a localização do arquivo de importação, ou clique na pasta amarela ao lado, para auxiliar a localizar o diretório. Procure pelo arquivo CLIFOR.TXT. Regravar registros existentes: Sobrepõem os dados já registrados, atualizando o cadastro dos emitentes e destinatários conforme as informações do arquivo texto. ATENÇÃO! Marcando esta opção, os dados dos emitentes/destinatários já cadastrados no sistema serão sobrescritos com os dados constantes no arquivo de importação. Pode ocorrer perda de informações, caso no arquivo os dados cadastrais não estejam completos. Cadastrar contas de clientes/fornecedores automaticamente no plano de contas: Esta opção estará habilitada somente se nos parâmetros da empresa estiver definido que cadastra contas automaticamente. A opção estará por padrão sempre desmarcada e se realmente desejar cadastrar as contas contábeis dos clientes/fornecedores a partir desta importação, deverá marcá-la.

407 Produtos Importa o cadastro de Produtos de arquivo tipo "texto", dispensando o lançamento dos itens das notas fiscais de entrada/saída. Efetue esta rotina antes de fazer a importação de lançamentos de notas fiscais, pois no lançamento está indicado o produto que foi informado na nota fiscal. Envie o Layout de Importação para o programador do sistema de emissão de notas. Para que gere o arquivo texto conforme as especificações. Diretório: Informe a localização do arquivo de importação. Procure pelo arquivo ITEM.TXT Lançamentos Efetua a importação de lançamentos de entradas e saídas, de arquivos textos gerados por sistemas de emissão de notas fiscais. Deve-se enviar o Layout de Importação para o programador do sistema de emissão de notas. Para que gere o arquivo texto conforme as especificações.

408 Estabelecimento: Selecione o estabelecimento (F12). Diretório: Informe a localização do arquivo de importação. Procure pelos arquivos NOTAENT.TXT ou NOTASAI.TXT. Mês/Ano: Informe o mês e ano de registro das notas. Importar notas duplicadas: Com esta opção marcada serão importadas notas em duplicidade. Isto normalmente ocorre para separar itens que possuem CFOP's diferentes na mesma nota fiscal. ATENÇÃO: Se a empresa estiver obrigada à entrega do SPED (Fiscal e/ou EFD Contribuições), esta opção não deve ser utilizada, pois a duplicidade de nota gera erros. Neste caso, a geração do arquivo com as notas deve ser alterada para contemplar todos os itens em um único registro de nota fiscal, informando os respectivos CFOP's no registro tipo 2, que refere-se aos itens da nota. Regravar Emitentes/Destinatários: Sobrepõem os dados já registrados, atualizando o cadastro dos emitentes e destinatários conforme as informações do arquivo texto.

409 ATENÇÃO! Marcando esta opção, os dados dos emitentes/destinatários já cadastrados no sistema serão sobrescritos com os dados constantes no arquivo de importação. Pode ocorrer perda de informações, caso no arquivo os dados cadastrais não estejam completos. Listar Registros com Advertência: Informe se deseja listar no relatório de validação os registros com advertência, estes não impedem a importação. No quadro Lançamentos, selecione uma das opções Inventário Permite importar os registros de inventário do arquivo tipo texto ESTOQUE.TXT. O arquivo deve estar no layout estabelecido pela EBS Sistemas. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento que receberá as informações. Diretório: Informe o diretório onde o arquivo está localizado. Exemplo: C:\Temp\ Regravar registros existentes: Caso esta opção esteja selecionada os registros do arquivo vão sobrepor os registros já existentes no sistema Cupom Fiscal Redução Z Efetua a importação de lançamentos de Cupom Fiscal (CUPOM.TXT), de arquivos textos gerados por sistemas que emitem as Reduções "Z". Deve-se enviar o Layout de Importação para o programador do sistema de emissão de notas. Para que gere o arquivo texto conforme as especificações.

410 Estabelecimento: Selecione o estabelecimento (F12). Diretório: Informe a localização do arquivo de importação. Mês/Ano: Informe o mês e ano de registro das notas. Listar registros com advertência: Informe se deseja listar no relatório de validação os registros com advertência, estes não impedem a importação. Clique no botão Validar. Gerará um relatório em tela com as mensagens de erros e advertências, somente os registros sem erros serão importados. Clique no botão Importar. Serão importados os lançamentos que não apresentarem erros Itens Vendidos Geração Sintegra Efetua a importação dos itens vendidos no mês através de ECF (ITEMECF.TXT), de arquivos textos gerados por sistemas que emitem as Reduções "Z". Estas informações serão consideradas na geração do SINTEGRA. Deve-se enviar o Layout de Importação para o programador do sistema de emissão de cupom fiscal, para que gere o arquivo texto conforme as especificações. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento (F12).

411 Mês/Ano: Selecione/Informe o mês e ano de registro das notas. Diretório: Informe a localização do arquivo de importação. Eliminar registros já importados no mês: Se marcada esta opção e, no mês/ano informado para importação, já existir registros no sistema, eles serão apagados e substituídos pelos registros importados. Se a importação for efetuada com essa opção desmarcada, os registros existentes não serão apagados, porém, poderão ser importados registros duplicados (já existentes no sistema). Clique no botão Validar. Gerará um relatório em tela com as mensagens de erros e advertências, somente os registros sem erros serão importados. Clique no botão Importar. Serão importados os lançamentos que não apresentarem erros Itens Vendidos Geração do Sped Perfil A Efetua a importação dos itens vendidos no mês através de ECF (ITEMECFA.TXT), de arquivos textos gerados por sistemas que emitem as Reduções "Z". Estas informações serão consideradas na geração do SPED de empresas enquadradas no Perfil A. Deve-se enviar o Layout de Importação para o programador do sistema de emissão de cupom fiscal, para que gere o arquivo texto conforme as especificações. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento (F12). Mês/Ano: Selecione/Informe o mês e ano de registro das notas. Diretório: Informe a localização do arquivo de importação. Eliminar registros já importados no mês: Se marcada esta opção e, no mês/ano informado para importação, já existir registros no sistema, eles serão apagados e substituídos pelos registros importados.

412 Se a importação for efetuada com essa opção desmarcada, os registros existentes não serão apagados, porém, poderão ser importados registros duplicados (já existentes no sistema). Opções de Agrupamento: Agrupar dados para geração do SPED PIS/COFINS: marcando esta opção os dados importados serão agrupados para a geração do SPED PIS/COFINS Agrupar dados para geração do SPED Fiscal - Perfil B: marcando esta opção os dados importados serão agrupados para a geração do SPED Fiscal - Perfil B Eliminar registros existentes: se no mês/ano informado para importação já existir dados referentes ao agrupamento selecionado, marcando esta opção estes dados serão apagados, evitando registros duplicados. Clique no botão Validar. Gerará um relatório em tela com as mensagens de erros e advertências. Somente os registros sem erros serão importados. Clique no botão Importar. Serão importados os lançamentos que não apresentarem erros Itens Vendidos (Geração do Sped Fiscal Perfil B) Efetua a importação dos itens vendidos no mês através de ECF (ITEMECFD.TXT), de arquivos textos gerados por sistemas que emitem as Reduções "Z". Estas informações serão consideradas na geração do SPED Fiscal de empresas enquadradas no Perfil B. Deve-se enviar o Layout de Importação para o programador do sistema de emissão de cupom fiscal, para que gere o arquivo texto conforme as especificações. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento (F12). Mês/Ano: Selecione/Informe o mês e ano de registro das notas. Diretório: Informe a localização do arquivo de importação.

413 Eliminar registros já importados no mês: Se marcada esta opção e, no mês/ano informado para importação, já existir registros no sistema, eles serão apagados e substituídos pelos registros importados. Se a importação for efetuada com essa opção desmarcada, os registros existentes não serão apagados, porém, poderão ser importados registros duplicados (já existentes no sistema). Clique no botão Validar. Gerará um relatório em tela com as mensagens de erros e advertências, somente os registros sem erros serão importados. Clique no botão Importar. Serão importados os lançamentos que não apresentarem erros Itens Vendidos Geração EFD Contribuições Efetua a importação dos itens vendidos no mês através de ECF (ITEMECFM.TXT), de arquivos textos gerados por sistemas que emitem as Reduções "Z". Estas informações serão consideradas na geração da EFD Contribuições. Deve-se enviar o Layout de Importação para o programador do sistema de emissão de cupom fiscal, para que gere o arquivo texto conforme as especificações. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento (F12). Mês/Ano: Selecione/Informe o mês e ano de registro das notas. Diretório: Informe a localização do arquivo de importação. Eliminar registros já importados no mês: Se marcada esta opção e, no mês/ano informado para importação, já existir registros no sistema, eles serão apagados e substituídos pelos registros importados. Se a importação for efetuada com essa opção desmarcada, os registros existentes não serão apagados, porém, poderão ser importados registros duplicados (já existentes no sistema). Clique no botão Validar. Gerará um relatório em tela com as mensagens de erros e advertências, somente os registros sem erros serão importados. Clique no botão Importar. Serão importados os lançamentos que não apresentarem erros Itens de Notas Fiscais Lançadas Efetua a importação de Itens de Notas Fiscais já lançadas no sistema (NOTAITEM.TXT).

414 Estabelecimento: Selecione o estabelecimento (F12). Diretório: Informe a localização do arquivo NotaItem.TXT. Mês/ano: Informe o período no formato MM/AAAA. Eliminar registros existentes: Quando marcada esta opção, serão excluídos todos os itens cadastrados para as notas informadas no arquivo, e serão gravados os itens informados no arquivo. Caso a opção não seja marcada, para as notas que já possuam itens cadastrados no sistema, não serão importados possíveis novos itens informados no arquivo. Listar registros com advertência: Informe se deseja listar no relatório de validação os registros com advertência, estes não impedem a importação. Quadro Lançamentos: Marque as opções desejadas Lançamentos de Bases/Valores Extras Tributáveis Importa o lançamento de bases extras tributáveis e/ou valores extras tributados. Diretório: Informe a localização do arquivo de importação, ou clique na pasta amarela ao lado, para auxiliar a localizar o diretório.

415 Mês/Ano: Informe de qual período refere-se o arquivo que será importado. Listar Registros com Advertência: Com esta opção marcada, ao final da importação é gerado um relatório exibindo os registros que possuem alguma advertência. Não são erros, que impedem a importação, mas pode indicar algum problema nos lançamentos. Primeiro deve-se clicar em Validar para o sistema verificar problemas estruturais. Estando OK a validação, clicar em Importar Recebimentos - Regime de Caixa Por esta rotina é possível efetuar a importação dos lançamentos de recebimento, quando a empresa apura os tributos federais pelo regime de caixa. Esta importação será permitida somente se a empresa estiver parametrizada para apurar os tributos pelo regime de caixa. Diretório: Informar o diretório onde está o arquivo que será importado. Mês/Ano: Informar o período a que ser referem os dados no arquivo. Listar registros com advertência: Com esta opção marcada será gerado, ao final da importação, um relatório com as advertências da importação. Regravar registros existentes: Com esta opção marcada, os registros importados anteriormente, do mesmo período, serão sobrescritos. Apagar registros já importados: Com esta opção marcada, antes de efetuar a importação deletará todos os registros já existentes no mês/ano informado para importação Atividade Imobiliária Nesta rotina é possível importar os cadastros e lançamentos relacionados a atividade imobiliária.

416 Diretório: Informar o diretório onde está o arquivo que será importado. Mês/Ano: Informar o período a que ser referem os dados no arquivo. Listar registros com advertência: Com esta opção marcada será gerado, ao final da importação, um relatório com as advertências da importação. Regravar registros existentes: Com esta opção marcada, os registros importados anteriormente, do mesmo período, serão sobrescritos Layout SPED Fiscal/EFD Contribuições Efetua a importação de lançamentos de entradas e saídas, emitentes/destinatários, produtos, cupom fiscal, inventário, a partir do arquivo SPED Fiscal/Contribuições, gerado no layout da Receita Federal. ATENÇÃO: Para a correta importação dos lançamentos é imprescindível que o arquivo esteja validando sem erros no validador SPED. Se tiver algum problema no arquivo, poderá ocorrer erro durante a importação ou poderá importar dados incorretamente.

417 Estabelecimento: Informe/selecione o estabelecimento (F12). Arquivo: Selecione o arquivo SPED que será importado. O botão Upload aparecerá somente para usuário NET. Mês/Ano: Este campo é preenchido automaticamente com o mês/ano do arquivo, quando clicar em Carregar. Tipo Arquivo: O tipo do arquivo será preenchido automaticamente, de acordo com o arquivo selecionado. Dados Complementares: Dados para importação: Ao Carregar o arquivo, serão marcadas as opções, conforme dados do arquivo SPED que está sendo importado. Podem ser desmarcadas algumas opções, se não desejar

418 importá-las. Porém, para a correta importação dos lançamentos, é imprescindível que sejam importados os emitentes/destinatários e os produtos. Dados para importação de lançamentos: Marcar o check e será habilitado o campo para seleção: Informar Tipo de Lançamento Informar conta para Nota Fiscal à vista: Marcando esta opção, será habilitado o campo Caixa/Banco para que seja informada a conta caixa/banco para contabilização. Se a nota fiscal que está sendo importada for à vista, será gravada esta conta caixa/banco para posterior contabilização da nota. Informar o Item de Serviço Informar a Operação Contábil de entrada e de saída Informar variação para os CFOPs: Neste campo, pode ser definida uma variação que será considerada para as notas que estão sendo importadas. Regras: Se não for informado nada no campo, será considerada automaticamente a primeira variação ativa dos CFOP's das notas; Se informada uma variação no campo, será considerada esta variação para os CFOPs das notas. Se o CFOP não possuir a variação vinculada, será considerada a primeira variação ativa do CFOP. Informar Classificações: Neste campo, podem ser definidas as classificações da natureza para contabilização. Regra: A classificação informada, tanto no campo 1 quanto no campo 2, será considerada para todas as notas fiscais importadas, independente do CFOP. Se o CFOP preponderante não possuir a classificação parametrizada, esta será desconsiderada. Listar Registros com Advertência: Se marcada, ao final da importação emite um relatório com as advertência da importação. As advertências não impedem a importação do arquivo. Se a opção não for marcada, serão listados somente os erros. Regravar registros existentes: Sobrepõem os dados já registrados, atualizando o cadastro dos emitentes e destinatários e produtos conforme as informações do arquivo. Esta opção é válida somente para Emitentes/Destinatários, Produtos e Inventário.

419 Cadastrar contas de clientes/fornecedores automaticamente no plano de contas: Esta opção estará habilitada somente se nos parâmetros da empresa estiver definido que cadastra contas automaticamente. A opção estará por padrão sempre desmarcada e se realmente desejar cadastrar as contas contábeis dos clientes/fornecedores a partir desta importação, deverá marcá-la. IMPORTANTE: Na geração do SPED referente a notas fiscais eletrônicas, modelo 55, não são gerados os registros correspondentes aos itens da nota (registros C170). Esta é uma limitação do layout do SPED, ou seja, ao gerar o SPED não podem ser informados os itens destas notas, pois o validador rejeita. Desta forma, ao importar a partir do SPED para o Sage Fiscal, os lançamentos de notas fiscais eletrônicas virão sem os respectivos itens, o que impede a correta geração de outras declarações (como por exemplo, EFD Contribuições). Para notas fiscais eletrônicas, a melhor forma de importar para o Sage, é através do arquivo XML. Nesta importação os lançamentos ficarão completos para posterior geração de arquivos ao FISCO (SPED Fiscal, EFD Contribuições etc.). Com relação ao arquivo da EFD Contribuições, registros consolidados não serão importados, pois não é possível separá-los para efetuar os lançamentos Layout Convênio 115/2003 Esta rotina possibilita fazer a importação de lançamentos através de arquivos do Convênio ICMS 115/2003. Efetua a conversão dos arquivos de notas de comunicação/telecomunicação para o Layout Padrão, permitindo realizar a importação.

420 Estabelecimento: Selecione o estabelecimento (F12) Diretório: Informe a localização dos arquivo de importação, ou clique na pasta amarela ao lado, para auxiliar na localização do diretório onde estão gravados os arquivos do convênio. Será verificado a existência dos 4 arquivos no diretório (Mestre, Itens, Destinatários e Controle), de acordo com a regra de nomenclatura abaixo, considerando como volume sempre o número 001. UF (UF) - sigla da unidade federada do emitente dos documentos fiscais; Série (SSS) - série dos documentos fiscais; Ano (AA) - ano do período de apuração dos documentos fiscais; Mês (MM) - mês do período de apuração dos documentos fiscais; Status (ST) - indica se o arquivo é normal (N) ou substituto (S); Tipo (T) - inicial do tipo do arquivo, podendo assumir um dos seguintes valores: M - MESTRE DE DOCUMENTO FISCAL I - ITEM DE DOCUMENTO FISCAL D - DADOS CADASTRAIS DO DESTINATÁRIO DO DOCUMENTO FISCAL

421 C - CONTROLE E IDENTIFICAÇÃO Após informar o diretório, teclar <enter>. No quadro "Informações para importação" aparecerá o nome do arquivo de controle localizado no diretório. Caso no diretório informado tenha arquivos de meses diferentes, todos serão listados. Neste caso, deve ser selecionado o arquivo que deve ser importado e confirmar no OK. O arquivo selecionado será convertido para o layout de importação da EBS, criando os arquivos CLIFOR.TXT, ITEM.TXT E NOTASAI.TXT no diretório informado. Arquivos disponíveis para importação: após converter os arquivos para o Layout Padrão, ficarão habilitados os botões Emitentes/Destinatários, Produtos e Lançamentos de Saída. Cada botão acionará a respectiva rotina que efetua a importação dos dados. Observação: Não é possível informar o modelo 21 ou 22 no momento da importação, pois no arquivo mestre que é convertido para o Layout Padrão não consta esta informação. Sendo assim foi definido como padrão importar as notas sempre com modelo 21 (Comunicação) Layout Nota Fiscal Paulista Efetua a importação de lançamentos de saídas, emitentes/destinatários e produtos, a partir do arquivo da Nota Fiscal Paulista, gerado no layout da Receita Estadual de São Paulo.

422 Estabelecimento: Informe o estabelecimento correspondente as notas fiscais. Arquivo: Selecione o arquivo da Nota Fiscal Paulista que será importado. Pode ser arquivo correspondente a nota fiscal modelo 1/1-A ou a modelo 2. Mês/Ano: Este campo é preenchido automaticamente com o mês/ano do arquivo, quando clicar em Carregar. Dados Complementares: Dados para importação: Ao Carregar o arquivo, serão marcadas as opções, conforme dados do arquivo Nota Fiscal Paulista que está sendo importado. Podem ser desmarcadas algumas opções, se não desejar importá-las. Porém, para a correta importação dos lançamentos, é imprescindível que sejam importados os emitentes/destinatários e os produtos. Dados para importação de lançamentos: Marcar o check e será habilitado o campo para seleção: Informar Tipo de Lançamento

423 Informar conta para Nota Fiscal à vista: Marcando esta opção, será habilitado o campo Caixa/Banco para que seja informada a conta caixa/banco para contabilização. Se a nota fiscal que está sendo importada for à vista, será gravada esta conta caixa/banco para posterior contabilização da nota. Informar o Item de Serviço Informar a Operação Contábil de saída Informar variação para os CFOPs: Neste campo, pode ser definida uma variação que será considerada para as notas que estão sendo importadas. Regras: Se não for informado nada no campo, será considerada automaticamente a primeira variação ativa dos CFOP's das notas; Se informada uma variação no campo, será considerada esta variação para os CFOPs das notas. Se o CFOP não possuir a variação vinculada, será considerada a primeira variação ativa do CFOP. Listar Registros com Advertência: Se marcada, ao final da importação emite um relatório com as advertências da importação. As advertências não impedem a importação do arquivo. Se a opção não for marcada, serão listados somente os erros. Informar Classificações: Neste campo, podem ser definidas as classificações da natureza para contabilização. Regra: A classificação informada, tanto no campo 1 quanto no campo 2, será considerada para todas as notas fiscais importadas, independente do CFOP. Se o CFOP preponderante não possuir a classificação parametrizada, esta será desconsiderada. Listar Registros com Advertência: Se marcada, ao final da importação emite um relatório com as advertência da importação. As advertências não impedem a importação do arquivo. Se a opção não for marcada, serão listados somente os erros. Regravar registros existentes: Sobrepõem os dados já registrados, atualizando o cadastro dos emitentes e destinatários e produtos conforme as informações do arquivo. Cadastrar contas de clientes/fornecedores automaticamente no plano de contas: Esta opção estará habilitada somente se nos parâmetros da empresa estiver definido que cadastra contas automaticamente. A opção estará por padrão sempre desmarcada e se realmente desejar cadastrar as contas contábeis dos clientes/fornecedores a partir desta importação, deverá marcá-la.

424 6.9. Layout Ato Cotepe 17/ Cupom Fiscal Nesta rotina é possível importar os lançamentos de cupom fiscal e seus itens, a partir do arquivo eletrônico gerado pelo equipamento Emissor de Cupom Fiscal - ECF, conforme layout estabelecido na Portaria CAT nº 52/2007, do Estado de São Paulo, que regulamentou o Ato Cotepe nº 17/2004. Esta Portaria determina que deve ser gerado um arquivo para cada dia de movimento, no caso de equipamentos sem memória de fita-detalhe (MFD). Neste caso, os arquivos devem ser gerados no formato FFM12345.DMA, sendo: FF - Fabricante do ECF M - Modelo do ECF Últimos caracteres do número de série do ECF DMA - Dia/Mês/Ano dos lançamentos (1 a 9 e A a Z, sendo A o número 10), conforme abaixo: DIA: A 11 B 12 C 13 D 14 E 15 F 16 G 17 H

425 18 I 19 J 20 K 21 L 22 M 23 N 24 O 25 P 26 Q 27 R 28 S 29 T 30 U 31 V MÊS: Janeiro 1 Fevereiro 2 Março 3 Abril 4 Maio 5 Junho 6 Julho 7 Agosto 8 Setembro 9 Outubro A Novembro B Dezembro C

426 ANO: 2010 A 2011 B 2012 C 2013 D 2014 E 2015 F 2016 G 2017 H 2018 I 2019 J 2020 K... Para equipamentos com memória de fita-detalhe, de acordo com o Ato Cotepe nº 17/2004, é possível gerar um único arquivo com todo o movimento do mês. Neste caso, para que o arquivo seja identificado pelo Sage, pode ser gerado com qualquer nome, mas a extensão, a exemplo dos arquivos da Portaria CAT 52/2007, deve obrigatoriamente ser gerada no formato.dma informando como dia sempre o primeiro dia do mês. Por exemplo, para importação de um arquivo com o movimento do mês de Novembro de 2014, o arquivo deve ser gerado com qualquer nome, e extensão igual a 1BE (onde 1 = dia 01, B = mês de Novembro e E igual ao ano de 2014.

427 Dados Gerais: Estabelecimento: Informe o estabelecimento correspondente aos cupons fiscais. Mês/Ano: Informe o mês/ano a que se referem os cupons fiscais. Diretório: Informe o diretório onde estão os arquivos a serem importados. Dados Complementares: Dados para importação: Ao Carregar o arquivo, serão marcadas as opções, conforme dados do arquivo que está sendo importado. Podem ser desmarcadas algumas opções, se não desejar importá-las. Porém, para a correta importação dos itens vendidos, é imprescindível que sejam importados os produtos. Eliminar registros já importados no mês: Se marcada esta opção e, no mês/ano informado para importação, já existir registros no sistema, eles serão apagados e substituídos pelos registros importados. Se a importação for efetuada com essa opção desmarcada, os registros existentes não serão apagados, porém, poderão ser importados registros duplicados (já existentes no sistema). Opções de Agrupamento: Agrupar dados para geração do EFD Contribuições: marcando esta opção os dados importados serão agrupados para a geração do SPED Contribuições, conforme suas regras de agrupamento. Agrupar dados para geração do SPED Fiscal - Perfil B: marcando esta opção os dados importados serão agrupados para a geração do SPED Fiscal - Perfil B, conforme suas regras de agrupamento.

428 Eliminar registros existentes: se no mês/ano informado para importação já existir dados referentes ao agrupamento selecionado, marcando esta opção estes dados serão apagados, evitando registros duplicados. Listar Registros com Advertência: Se marcada, ao final da importação emite um relatório com as advertência da importação. As advertências não impedem a importação do arquivo. Se a opção não for marcada, serão listados somente os erros. Regravar registros existentes: Sobrepõem os dados já registrados, atualizando o cadastro dos emitentes e destinatários e produtos conforme as informações do arquivo. IMPORTANTE: No arquivo do Ato Cotepe não tem informações de CST de PIS/COFINS. Portanto, após o término da importação, o sistema exibirá um aviso e possibilitará que seja executada uma rotina que ajusta automaticamente o CST dos itens vendidos. Esta rotina pode também ser executa depois, acessando-a em Utilitários\ Alteração de CST PIS/COFINS dos Itens Vendidos de ECF.

429 7. Utilitários Rotinas diversas. Alteração de Operação Contábil dos Lançamentos Alteração de Item de Serviço dos Lançamentos Alteração de Modelo e Remetente dos Lançamentos Alteração de CST PIS/COFINS dos Lançamentos Alteração de CST PIS/COFINS dos Itens Vendidos de ECF Exclusão de Lançamentos Exclusão de Lançamentos de Bases/Valores Extras Tributáveis Geração de Calendário Recálculo de Receitas do Simples Nacional Rotinas Específicas Publicar no Portal de Relacionamentos Calculadora 7.1. Alteração de Operação Contábil dos Lançamentos Esta rotina tem por finalidade alterar/informar operação contábil dos lançamentos, quando importados da versão 1, ou quando efetuada importação de lançamentos sem esta informação no layout, ou também que não tenha sido informado este código já na própria rotina de importação. IMPORTANTE: Esta rotina não deve ser utilizada para lançamentos efetuados diretamente no Sage Fiscal que já estejam contabilizados (lançamentos com contabilização on-line), pois esta rotina não refaz os lançamentos contábeis, ou seja, não altera a contabilidade. Em casos de necessidade de alteração em notas já contabilizadas, obrigatoriamente deve ser efetuada no próprio lançamento, que já possui tratamento específico para refazer a contabilidade.

430 Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Data de Lançamento: Informe o período inicial e final para a localização dos lançamentos, no formato DD/MM/AAAA (dia, mês e ano). Listar somente notas não contabilizadas: Marcando essa opção serão retornados os lançamentos cuja opção 'Não contabilizar essa nota' estiver selecionada. No quadro Tipo Nota Fiscal selecione uma das opções, sendo Notas de Entradas, Notas de Saída ou Notas referente a Frete. Os campos Nota Fiscal, Nat. Operação, Nat. Operação S.T, Classificação 1, Classificação 2, Emitente/Destinatário, Nota Ref. Carga e Valor contábil são filtros para a alteração dos lançamentos. No quadro Selecionar Notas defina se a pesquisa deve retornar todas as notas ou somente as notas sem operação contábil informada. Clique no botão Pesquisar e serão mostrados os lançamentos, de acordo com os filtros informados. É necessário marcar os lançamentos cuja operação contábil será alterada. Poderá marcar os lançamentos desejados na coluna Operação Contábil, ou utilizar os botões Marcar Todos e Desmarcar todos. No quadro Total de itens acompanhe a quantidade de lançamentos pesquisados e a quantidade de lançamentos marcados para a alteração. Clique na guia Operação Contábil.

431 Selecione a operação contábil correta. Clique no botão Gravar para confirmar a alteração Alteração de Item de Serviço dos Lançamentos Esta rotina tem por finalidade alterar/informar os códigos dos itens de serviço nos lançamentos de nota fiscal de entrada, saída e conhecimento de frete, tanto das notas importadas da versão 1, sem item de serviço informado, quanto nos lançamentos da versão 2, em que determinadas notas tenham sido efetuadas com item de serviço errado, ou importado lançamentos sem essa informação. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Data de Lançamento: Informe o período inicial e final para a localização dos lançamentos, no formato DD/MM/AAAA (dia, mês e ano).

432 Listar somente notas não contabilizadas: Marcando essa opção serão retornados os lançamentos cuja opção 'Não contabilizar essa nota' estiver selecionada. No quadro Tipo Nota Fiscal selecione uma das opções, sendo Notas de Entradas, Notas de Saída ou Notas referente a Frete. Os campos Nota Fiscal, Nat. Operação, Nat. Operação S.T, Classificação 1, Classificação 2, Emitente/Destinatário, Nota Ref. Carga e Valor Contábil são filtros para a alteração dos lançamentos. No quadro Selecionar Notas defina se a pesquisa deve retornar 'Todas as notas' ou somente as 'Notas sem Item de Serviço' informado. Clique no botão Pesquisar e serão mostrados os lançamentos, de acordo com os filtros informados. É necessário marcar os lançamentos cujo item de serviço será alterado. Poderá marcar os lançamentos desejados na coluna Item Serviço, ou utilizar os botões Marcar Todos e Desmarcar todos. No quadro Total de itens acompanhe a quantidade de lançamentos pesquisados e a quantidade de lançamentos marcados para a alteração. Clique na guia Itens de Serviço. Selecione o item de serviço correto. Clique no botão Gravar para confirmar a alteração Alteração de Modelo e Remetente dos Lançamentos Esta rotina possibilita a alteração do modelo e/ou remetente das notas fiscais de saída ou conhecimento de frete. Muito útil quando efetuada importação de lançamentos com dados incompletos

433 ou inconsistentes, como conhecimentos de frete sem remetente ou notas fiscais de saída com informação indevida de remetente. IMPORTANTE: As alterações efetuadas através dessa rotina interferem apenas no modelo e/ou remetente, mudando a nota fiscal de saída para conhecimento de frete ou vice-versa. Caso já tenha efetuado a integração contábil, certifique-se da necessidade de alterar ou não também os lançamentos contábeis realizados. Para ajustar as operações contábeis dos lançamentos alterados de saída para conhecimento de frete e vice-versa, utilize a rotina Utilitários/ Alteração de Operação Contábil dos Lançamentos. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Data de Lançamento: Informe o período inicial e final para a localização dos lançamentos, no formato DD/MM/AAAA (dia, mês e ano). Listar somente lançamentos inconsistentes: Com essa opção, serão listados os lançamentos de acordo com as seguintes validações: Saída: Notas com modelo diferente de 8, 9, 10 e 11, que tenham remetente informado. Para ajuste desses lançamentos, deve-se apagar o remetente ou alterar o modelo para um código correspondente a Frete. Frete: Notas com modelo igual a 8, 9, 10 e 11, que não tenham remetente informado. Para ajuste desses lançamentos, deve-se informar o remetente ou alterar o modelo para um código correspondente a Saída. Obs.: notas com modelo 7 serão listadas tanto na consulta de Saída quanto de Frete, independente de terem ou não remetente informado. Esse modelo é utilizado em ambos os tipos de nota e não há como validar se o lançamento está correto. Nesses casos, será preciso analisar a necessidade de ajustes.

434 No quadro Tipo Nota Fiscal selecione uma das opções, sendo Saída ou Frete. Os campos Nota Fiscal, Nat. Operação, Nat. Operação S.T, Classificação 1, Classificação 2, Emitente/Destinatário, Valor Contábil e Nota Ref. Carga são filtros para a alteração dos lançamentos. Clique no botão Pesquisar e serão mostrados os lançamentos, de acordo com os filtros informados. Os lançamentos poderão ser alterados diretamente na tabela apresentada. Posicione o cursor sobre o campo desejado (Modelo ou Remetente) e digite, altere ou exclua a informação. No quadro Total de itens acompanhe a quantidade de lançamentos pesquisados e a quantidade de lançamentos marcados para a alteração. Todos os lançamentos alterados ficarão com uma marca na coluna 'Alterado' e, somente serão confirmados após clicar no botão Gravar Alteração de CST PIS/COFINS dos Lançamentos Nesta rotina, o sistema pesquisará os lançamentos de nota fiscal com itens, que não tenham informado o código da situação tributária, permitindo este ajuste de forma mais rápida. Para a correta geração da EFD Contribuições, é imprescindível que os itens estejam lançados na nota fiscal, com todas as informações corretas. A definição do CST de cada item será baseada no regime de tributação (cumulativo / não cumulativo, para notas de entrada) e no CST informado no cadastro do produto ou no cadastro da Natureza de Operação (CFOP). Por isso, é necessário que no cadastro do produto ou de CFOP esteja corretamente preenchido o CST PIS/COFINS. ATENÇÃO: Esta rotina não deve ser utilizada com frequência, uma vez que sua finalidade é simplesmente suprir a falta de dados que já deveriam ter sido corretamente informados nos lançamentos de notas fiscais, tanto de Entrada quanto de Saída (Código de Situação Tributária, base de cálculo, alíquota e valor de PIS e COFINS de cada produto constante da nota). É possível alterar somente notas que não possuem CST informado nos itens. Aliás, sugerimos que seja mantida essa opção como padrão, ao utilizar esta rotina. Funcionamento da Rotina: Ao clicar em pesquisar, primeiro o sistema verificará se há CFOP s lançados nos itens das notas, que não possuem o CST PIS/COFINS informado. Se houver, abrirá uma tela com estes CFOP s relacionados.

435 Na tela de Natureza de Operação sem informação de CST de PIS/COFINS, deve-se clicar sobre o CFOP e abrirá a tela de cadastro de Natureza de Operação/Variação. Neste cadastro deve ser definido o CST PIS/COFINS e deve ser definida a prioridade a ser considerada nos lançamentos, optando entre "CST cadastrado no produto" ou "CST cadastrado no CFOP/Variação". Com isso, se o item possuir o CST parametrizado em ambos os cadastros, a prioridade será conforme definido neste parâmetro.

436 Após completar o cadastro de todos os CFOP s relacionados, deve-se Pesquisar novamente e serão listadas as notas fiscais. Selecionar as notas desejadas e clicar em Gravar. Neste momento, os itens das notas fiscais terão o código CST PIS/COFINS atualizados conforme o CST definido no cadastro do CFOP ou do produto e as bases serão recalculadas conforme as regras abaixo: NOTAS FISCAIS DE ENTRADA: Se regime Cumulativo será gerado CST 70 com todos os valores zerados, independente do cadastro de CFOP. Se regime Não Cumulativo e CST 70 a 99 (definido no CFOP ou no cadastro do produto), todos os valores serão zerados. Se regime Não Cumulativo e CST 50 a 67 (definido no CFOP ou no cadastro do produto), os valores serão gerados da seguinte forma: ATENÇÃO: Na base de PIS de cada item pode ser somado o valor de IPI e/ou de ICMS ST, se estiver parametrizado no cadastro do estabelecimento que utiliza estes valores na composição da base de crédito de PIS/COFINS.

437 NOTAS FISCAIS DE SAÍDA: ATENÇÃO: O sistema verifica se a nota fiscal possui informação de frete, seguro, despesas acessórias ou desconto global, rateando estes valores na base de cálculo do PIS/COFINS, refazendo o cálculo do valor dos tributos Alteração de CST PIS/COFINS dos Itens Vendidos de ECF Esta rotina permite ajustes no código de situação tributária de PIS/COFINS dos itens vendidos de ECF, nos lançamentos do perfil A e EFD Contribuições, bem como a recomposição das bases de cálculo conforme o CST informado. Para a correta geração da EFD Contribuições, é imprescindível que os itens estejam lançados com todas as informações corretas. A definição do CST de cada item será baseada no CST informado no cadastro do produto ou no cadastro da Natureza de Operação (CFOP). Por isso, é necessário que no cadastro do produto ou de CFOP esteja corretamente preenchido o CST PIS/COFINS. ATENÇÃO: Esta rotina não deve ser utilizada com frequência, uma vez que sua finalidade é simplesmente suprir a falta de dados que já deveriam ter sido corretamente informados nos lançamentos (Código de Situação Tributária, base de cálculo, alíquota e valor de PIS e COFINS de cada produto constante no cupom fiscal). Funcionamento da rotina Preencher o Estabelecimento e o Período de Lançamento. Marcando a opção "Todos os itens", do quadro "Selecionar itens de ECF", será alterado o CST PIS/COFINS de todos os itens, recompondo as bases de acordo com o CST informado.

438 Marcando a opção "Itens sem CST PIS/COFINS", somente será incluído o CST para os itens que estiverem sem esta informação, calculando as bases e valores de PIS/COFINS, conforme o CST informado. No quadro "Tipo", por padrão ficarão marcadas as duas opções. Dessa forma, a alteração ou inclusão do CST será efetuada tanto para os lançamentos do SPED Fiscal - Perfil A, como para a EFD Contribuições. Caso necessário, poderá desmarcar uma das opções. Ao clicar em OK, o sistema verificará se há CFOP s lançados nos itens dos cupons, que não possuem o CST PIS/COFINS informado. Se houver, abrirá uma tela com estes CFOP s relacionados. Na tela "Natureza de Operação sem informação de CST de PIS/COFINS", deve-se clicar sobre o CFOP e abrirá a tela de cadastro de Natureza de Operação/Variação. Neste cadastro deve ser definido o CST PIS/COFINS e deve ser definida a prioridade a ser considerada nos lançamentos, optando entre "CST cadastrado no produto" ou "CST cadastrado no CFOP/Variação". Com isso, se o item possuir o CST parametrizado em ambos os cadastros, a prioridade será conforme definido neste parâmetro.

439 Após informar ou alterar o CST PIS/COFINS no cadastro da Natureza de Operação e efetuar a gravação, os itens vendidos dos cupons terão o código CST PIS/COFINS atualizados conforme o CST definido no cadastro do CFOP ou do produto e as bases serão recalculadas conforme as regras abaixo: 7.6. Exclusão de Lançamentos Desenvolvida para possibilitar a exclusão de diversos lançamentos de uma única vez, devendo ser utilizada com cuidado, pois não há como desfazer as exclusões. Recomendamos que seja efetuada a cópia de segurança (backup) antes de confirmar as exclusões.

440 Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Listar notas não contabilizadas: Marcando essa opção serão retornados os lançamentos cuja opção Não contabilizar essa nota estiver selecionada. No quadro Tipo Nota Fiscal selecione uma das opções, sendo Notas de Entradas, Notas de Saída ou Notas referente a Frete. Os campos Data de Lançamento, Nota Fiscal, Natureza de Operação, Natureza de Operação S.T, Classificação 1, Classificação 2, Emitente, Valor contábil e Nota Ref. Carga são filtros para a exclusão dos lançamentos. Clique no botão Pesquisar e serão mostrados os lançamentos, de acordo com os filtros informados. É necessário marcar os lançamentos que serão excluídos. Poderá marcar os lançamentos desejados na coluna Excluir, ou utilizar os botões Marcar Todos e Desmarcar todos. No quadro Total de itens acompanhe a quantidade de lançamentos pesquisados e a quantidade de lançamentos marcados para a exclusão. Clique no botão Excluir para confirmar a exclusão. Lembre-se, não há como desfazer esta exclusão Exclusão de Lançamentos de Bases/Valores Extras Tributáveis Nesta rotina é possível excluir vários lançamentos de bases extras tributáveis e valores extras tributados de uma única vez. Na tela, pesquisar os lançamentos utilizando os filtros disponíveis, marcar os registros que deseja excluir e clicar no botão Excluir.

441 7.8. Geração de Calendário Gera o calendário para vários meses e anos (período) de uma só vez. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Período: Informe a data inicial e final no formato MM/AAAA. Para efetuar a manutenção nos dias que são feriados ou não utilize a rotina de Cadastro de Calendário. Nota: Caso já tenha alterado o calendário para um determinado mês e ano, a geração desta rotina retornará o calendário padrão, ou seja, somente com os feriados Federais Recálculo de Receitas do Simples Nacional Essa rotina tem por finalidade verificar todos os lançamentos efetuados no período informado, segregando as receitas conforme determina a Resolução CGSN nº 5/2007. Para a primeira apuração do Simples Nacional (mês de Julho/2007), o período deve ser de 01/2006 a 06/2007. A partir da competência Agosto/2007, a segregação das receitas já será efetuada no momento do lançamento das notas fiscais, sendo necessário nesses casos efetuar apenas a Apuração Mensal, em Tributos.

442 Nesse primeiro momento, somente para empresas que utilizam importação de lançamentos ou fazem lançamentos de ECF, será necessário efetuar o Recálculo das Receitas do Simples Nacional, antes de efetuar a Apuração Mensal. Para as empresas com lançamentos de serviço no período, é obrigatório informar o código para Tributação pelo Simples Nacional no cadastro do Item de Serviço, em Cadastros/ Prestação de Serviços. Caso existam lançamentos de serviço sem a informação desse parâmetro, será exibida mensagem de advertência, não sendo possível a apuração. Quadro Período de Apuração: Mês/Ano Inicial: Informe o mês e ano inicial e final, no formato MM/AAAA, para o recálculo Rotinas Específicas Rotinas específicas do sistema. Gera CFPS e CST Exportação para E-Contábil Recalculo do valor total das mercadorias Arquivo de Exportação de Notas Alteração de NCM nos Produtos Alteração de Código de Município nos Emitentes/Destinatários Baixa Múltipla de Guias de Recolhimento Retroativas Alteração das Bases de Pis/Cofins a Partir dos Itens Lançados Gera CST de PIS/COFINS nos Produtos

443 Importar do SFP Lançamentos de RPA Geração da EFD com itens para modelo 55 Conversão de Inscrição Estadual Recalculo do valor total das mercadorias Essa rotina permite realizar o recalculo de valores gerados na rotina Lançamentos/notas de entrada e notas de saída, na Aba: Complemento: Campo - Desconto e Despesa Efetuando o Seguinte Cálculo do Valor: Valor Total Merc. = (Valor de Mercadoria dos Itens + Valor de Frete + Valor de Seguro + Valor de IPI + Valor de ICMS ST) - Valor de Descontos dos Itens Valor Total Merc. - Valor Contábil = Resultado Se o Resultado for > (maior) 0 o Valor será lançado em Despesas Se o Resultado for (Negativo) o Valor será lançado em Desconto Estabelecimento: Informe o estabelecimento ( F12) Período Inicial: Informe o período que deseja recalcular, no formato dd/mm/aaaa. Selecione Nota de Entrada/Nota de Saída ( Podendo ser selecionado ambos) para determinar quais valores serão recalculados.

444 Importante: Essa rotina tem por objetivo evitar a rejeição na geração dos arquivos SVA Arquivo de Exportação de Notas Estabelecimento: Selecione o código do estabelecimento. Data: Informe período desejado. Diretório Destino: Informe o diretório onde será gerado o arquivo. Nome do Arquivo: Informe o nome do arquivo gerado. Observação: Este arquivo é específico. Realiza exportação contendo informações baseados nos lançamentos mensais Alteração de NCM nos Produtos Através desta rotina é possível informar o código de NCM (Nomenclatura Comum do Mercosul) no cadastro dos produtos que não possuem esta informação. Este código é imprescindível para a correta geração da EFD Contribuições. NCM: Informe o código do NCM que será atualizado no cadastro dos produtos. Item: Selecione o item, ou um intervalo de itens que deseja atualizar o código NCM. Dentro do intervalo solicitado, serão atualizados somente os cadastros que estão sem esta informação.

445 Alteração de Código de Município nos Emitentes/Destinatários Através desta rotina é possível informar o código do município no cadastro dos emitentes/destinatários que não possuem esta informação. O código do município é imprescindível para a correta geração da EFD Contribuições, bem como para a geração de diversos outros arquivos exigidos pelo FISCO Estadual. Período de Lançamento: Selecione o período de lançamento das notas fiscais, cujos emitentes/destinatários deseja atualizar o código de município. Emitente/Destinatário: Poderá ser definido um emitente/destinatário, ou um intervalo de cadastros. Funcionalidade da Rotina: O sistema atualizará os códigos de município através da informação dos campos "Cidade" e "UF" do cadastro dos emitentes/destinatários, desconsiderando os caracteres especiais (acentos, etc).

446 Estando este município já cadastrado no sistema, em Cadastros\ Genéricos\ Municípios, esta rotina apenas atualizará o cadastro do emitente/destinatário com este código de Município. Se o município ainda não estiver cadastrado no sistema, esta rotina fará o cadastro utilizando o código no SIAFI e após, informará este código de município no cadastro do emitente/destinatário. Se não for possível identificar o município através do campo Cidade (por não ter a informação, estar incompleta ou incorreta), será emitido um relatório relacionando os emitentes/destinatários e estes deverão ser atualizados manualmente Alteração das Bases de Pis/Cofins a Partir dos Itens Lançados Por esta rotina é possível atualizar as bases de PIS e COFINS das notas fiscais, a partir da base informada em seus itens. O sistema verificará item por item da nota fiscal, somando a base de PIS e COFINS informada em cada item, atualizando o valor na aba Bases. Sobre esta base continuará sendo efetuada a apuração dos tributos, aplicando-se a alíquota informada nos parâmetros da empresa.

447 Desta forma, se a mesma nota fiscal possuir item com tributação normal de PIS/COFINS e item sem incidência, a base será atualizada considerando apenas o item com incidência. Esta rotina pode ser utilizada quando a base de PIS/COFINS foi calculada originalmente considerando apenas a incidência do CFOP principal. Estabelecimento: Selecione/Informe o estabelecimento que terá as notas atualizadas. Data de Lançamento: Informar o período de notas que serão atualizadas. Tipo Nota Fiscal: Selecione se atualizará notas de entrada e/ou saída. Consolidação: Se marcado Estabelecimento, serão atualizadas somente as notas do estabelecimento selecionado na tela. Se selecionado Empresa, serão atualizadas as notas de todos os estabelecimentos da empresa. ATENÇÃO: Se a empresa possuir produtos com tributação especial para PIS/COFINS (alíquota diferenciada ou por unidade de medida), esta rotina não poderá ser utilizada, pois ela apenas atualiza a base de cálculo e a apuração dos tributos será efetuada aplicando-se a alíquota informada nos parâmetros da empresa sobre esta base. Para que as bases sejam regravadas de forma correta, é imprescindível que os itens estejam informados corretamente, com os valores de PIS e COFINS. Se a nota não possuir itens, será mantida a base já gravada Gera CST de PIS/COFINS nos Produtos Nesta rotina, poderá ser informado o CST de PIS e COFINS, tanto de entrada quanto de saída, no cadastro dos produtos, de forma automática, agrupando por código de NCM ou por intervalo de produtos.

448 ATENÇÃO:Esta rotina não deve ser utilizada com frequência, uma vez que sua finalidade é simplesmente completar o cadastro de produtos já existentes na base com informações novas, de forma mais rápida. Quando do cadastro de novos produtos, o ideal é que o CST de PIS e COFINS já seja preenchido, podendo assim ser utilizado nos lançamentos e/ou importação de notas fiscais. Na tela, informar um intervalo de NCM ou um intervalo de itens e informar o CST de Entrada e o CST de Saída. De acordo com o CST de Saída, serão habilitados os campos do quadro Codificação do Produto para a EFD Contrbuições e para DACON, a fim de informar o tipo de produto, conforme tabela divulgada pela RFB: Codificação do Produto para a EFD Contribuições: Para CST PIS/COFINS 01 e 49: não habilita nenhum campo do quadro; Para CST PIS/COFINS 02, 03, 04, 05 e 06: habilita o campo Produto para que, através desta seleção, as alíquotas de PIS e COFINS sejam definidas. Codificação do Produto para DACON: Para CST PIS/COFINS 01, 04, 05, 06, 07, 08, 09 e 49: não habilita nenhum campo do quadro; Para CST PIS/COFINS 02 e 03: habilita os campos Grupo e Produto. Ao clicar em OK, todos os produtos do filtro terão os campos de CST de PIS e COFINS atualizados. É possível alterar somente produtos que não possuem CST informado. Para isso, não marcar as opções "Regravar se já cadastrado". Se estas opções forem marcadas, mesmo para os produtos que já

449 estejam com o CST de PIS/COFINS informado em seu cadastro, será efetuada a atualização conforme o CST definido na tela. Pode também, ser alterado somente o CST de entrada, ou somente de saída, bastando para isso deixar em branco o campo de CST que não se pretende alterar Importar Lançamentos de RPA da Folha Por esta rotina é possível importar do Sage Folha de Pagamento os valores correspondentes aos autônomos. Estes valores serão importados para o Fiscal como Base Extra Tributável e poderão ser base para os tributos. Na tela, selecione o código da base extra tributável que receberá o lançamento. Esta base extra deve estar previamente cadastrada no Fiscal. Para importação, podem ser utilizados os filtros disponíveis na tela. Por exemplo, pode-se importar somente os valores correspondentes ao serviço de transporte, entre outros. Ao importar, será criado um lançamento de base extra tributável para cada autônomo que possuir valor no SFP. Será gerado para o estabelecimento que recibo do autônomo está vinculado. Para que a importação ocorra corretamente, todos os autônomos precisam estar com o número do CPF preenchido em seu cadastro, pois ele será gerado como emitente/destinatário no SF. Se houver cadastro sem essa informação, será emitido um alerta e o processo será interrompido. Para calcular o tributo sobre a base correta, no cadastro da base extra tributável deve ser definido o percentual que será aplicado durante a apuração de tributos Publicar no Portal de Relacionamentos

450 Por este rotina, é possível publicar documentos na Plataforma Sage. Lembrando que a cada relatório emitido pelo Sage, é possível publicar direto no Portal de Relacionamentos. Documentos: Nesta aba deve ser selecionado o arquivo para publicação. Nome do anexo: Especificar um nome, ou seja, uma descrição que identifique o documento. Tipo de documento: Selecionar entre as opções disponíveis, o tipo de documento que será publicado. Data de vencimento: Será habilitado somente se o tipo de documento anexo for uma guia. Informar a data de vencimento da guia, que será exibida ao cliente no portal. O preenchimento não é obrigatório. Data máxima para leitura: Informar qual dia é o limite para visualização do documento publicado no portal. Se não ocorrer a visualização até a data informada, será enviado um ao escritório informando que o documento não foi visualizado pelo cliente. Documento exige retorno/devolução: Marcar esta opção se o documento publicado tiver que ser devolvido ao escritório. Devolver até: Habilitado somente quando marcado que o documento exige retorno/devolução. Informar até que data o documento deve ser devolvido ao escritório. Anexo: Selecionar o arquivo que será publicado. Mensagem: Nesta aba deve ser informado o assunto e a mensagem que constará na publicação. Grupos Relacionamento: Nesta aba, selecionar quais grupos do relacionamento receberão a publicação.

451 Solicitações: Nesta aba, podem ser visualizadas as publicações realizadas por cada usuário Alteração de Código PRODEPE nos Lançamentos Nesta rotina, habilitada apenas para o Estado de Pernambuco, o sistema pesquisará os lançamentos de nota fiscal com itens, que não tenham informado o código de apuração PRODEPE, permitindo este ajuste de forma mais rápida. Para a correta geração da GIAF, no SEF 2012, é imprescindível que os itens estejam lançados na nota fiscal, com todas as informações corretas. ATENÇÃO: Esta rotina não deve ser utilizada com frequência, uma vez que sua finalidade é simplesmente suprir a falta de dados que já deveriam ter sido corretamente informados nos lançamentos de notas fiscais, tanto de Entrada quanto de Saída. É possível alterar somente notas que não possuem o Código PRODEPE informado nos itens. Aliás, sugerimos que seja mantida essa opção como padrão, ao utilizar esta rotina. Informe o período a ser alterado, o tipo de nota fiscal (de entrada ou de saída) e se quer alterar apenas as notas que tenham itens sem código de apuração PRODEPE lançado. Clique em Pesquisar, e selecione no Grid as notas que quer alterar (com a opção de marcar/desmarcar todas as notas). Informe o código de apuração PRODEPE (o combo mostra apenas os códigos com modalidade incentivada), e se quer marcar o produto como Entrada não incentivada de produto incentivado (para as notas de entrada) ou Saída não incentivada de produto incentivado (para as notas de saída). Clique em Gravar para efetuar as alterações.

452 7.13. Calculadora O Sage possui uma calculadora integrada ao sistema, que pode ser acessada através da barra de ferramentas ou da tecla de função <F9>. A calculadora possui duas funções de grande importância: A primeira através do botão o campo em foco. A segunda pelo do botão campo em foco. ou na tecla de atalho F2, que transfere o valor calculado para, este fecha a calculadora sem transferir o resultado para o Outras funções: Botões abaixo do visor : [ ] : retângulo vazio acima da tecla MC, indicará se existe valor guardado na memória (conterá a letra "M") - zero desativa a memória (conteúdo vazio). Sinal de Check - usado para transportar o resultado da operação realizada para o campo onde se encontrava o cursor antes da chamada da calculadora. Sinal de Fechar - fará com que a calculadora seja fechada e o seu resultado não seja transportado para o sistema. Back : usado para apagar números a esquerda - já digitados. C : usado para cancelar a operação realizada ou limpar o visor. MC : usado para Cancela a Memória - apagar o valor existente na memória. MR : usado para Retornar a Memória - volta o valor existente na memória. MS : usado para Sobrepor a Memória - deixar um valor constante na memória. Observação: M+ : usado para acumular valores na memória. Dos dígitos : 0,1,2,...8,9.

453 Dos símbolos: +/- : botão de sinal - o sinal positivo é padrão., : separador de inteiros e decimais. / : operação de divisão. * : operação de multiplicação. - : operação de subtração. sqrt: operação de raiz quadrada. + : operação de adição. % : botão de percentual. 1/x : botão de inversão - inverso de um número. = : botão de igualdade - resultado. Dica: Caso tenha errado um fator de uma operação use o botão Back, para corrigir. Este botão executa a mesma função de um botão CE de uma calculadora convencional. Nota: Caso use a memória para acumular valores positivos e negativos lembre-se quando o total chegar a zero, o sinal "M" desaparecerá, desativando a memória (sumirá a letra "M" acima do botão MC). Isto não é um erro mas o padrão adotado no ambiente Windows. Observação: O botão MS acionado troca o valor da memória pelo constante no visor. Em calculadoras tradicionais o MS significa Memória Secundária (resultado intermediário de uma operação) que se usado com este propósito, na calculadora do sistema será gerado uma sobreposição aos valores da memória perdendo-se os valores registrados antes da operação.

454 8. Relatórios Rotinas relacionadas a emissão de relatórios diversos. Legais Gerenciais Planilhas 8.1. Legais Antes de emitir os termos (abertura/encerramento), é obrigatória a emissão dos livros na opção oficial, para que seja feita a contagem das páginas de cada livro. Na emissão dos relatórios legais serão solicitados alguns campos como: Processamento Definitivo: Se marcado, registrará a emissão/processamento, para o controle de rotinas efetuadas ou a efetuar. Poderá emitir o relatório de Controle de Rotinas em Outros. Oficial: Se marcado dará continuidade ao número do livro e páginas. O número do livro/página é informado em Cadastros/ Empresas/ Estabelecimentos/ Parâmetros/ Escrita Fiscal/ Numeração. Após a emissão dos livros poderá emitir os termos de abertura e encerramento, em Relatórios, Legais, Termos. No quadro Consolidação selecione a opção desejada. Os Relatórios Legais são: Livro Registro de Entradas Emite o Livro de Registro da notas fiscais de Entradas conforme Regulamento de ICMS.

455 Estabelecimento: Selecione o código do estabelecimento. (F12) Mês/Ano: Informe o período de emissão, no formato MM/AAAA. Os campos Emitentes, Período, Natureza de Operação, Classificação 1 e Classificação 2 são filtros para a emissão do relatório. Processamento Definitivo: Se marcado, registrará a emissão/processamento, para o controle de rotinas geradas ou a gerar. Poderá emitir o relatório de Controle de Rotinas em Outros. Oficial: Se marcado dará continuidade ao número do livro e páginas. O número do livro/página é informado em Parâmetros/Números. Após a emissão dos livros poderá emitir os termos de abertura e encerramento, em Relatórios, Contábeis, Termos de Abertura/Encerramento. Listar Resumo para GI: Listará os totais por estado, conforme exigências do estado do Paraná. Listar Resumo por CFOP: Listará os totais por CFOP Listar Demonstrativo de Origem das Mercadorias: Listará os totais por estado, conforme exigências do estado de São Paulo. Somente notas a vista: Listará somente os lançamentos marcados como nota a vista para integração contábil. Listar dados de Fornecedores: Listará o Estado do Cliente/Fornecedor e a identificação (CNPJ).

456 Agrupar os dados por estado do estabelecimento selecionado: Ao selecionar esta opção, o relatório será emitido com os dados agrupados pelo estado do estabelecimento, ou seja, emitirá somente os lançamentos que tenham os Emitentes/Destinatários com mesmo estado que o do estabelecimento selecionado. Gerar os dados a partir dos itens das notas: Com esta opção marcada, os CFOP's e os valores serão gerados a partir dos itens lançados nas notas e não a partir dos valores da aba Bases. Desta forma, se nos itens tiver mais de um CFOP, os valores serão gerados separadamente. ATENÇÃO: Para que os valores sejam gerados em conformidade, é imprescindível que os itens estejam corretamente lançados, com informação de CST, CFOP e valores. O CST dos itens é extremamente importante, pois é por ele que são identificados valores de Outras e/ou Isentas. Para notas que não há itens, como por exemplo, frete, nota de energia, etc., os dados serão gerados a partir da aba Bases. Uma vez emitido o relatório com esta opção selecionada, na próxima emissão o campo virá automaticamente marcado, permitindo alterações. fiscais. Se a opção não for marcada, os dados do relatório serão gerados a partir da aba Bases das notas Listar valores de ICMS ST como observação: Com esta opção marcada, os valores de ICMS ST informados nas notas serão gerados automaticamente no campo de Observação do relatório, mesmo que não esteja informado no campo de Observação do lançamento. No quadro Consolidação selecione a opção desejada Livro Registro de Saídas Emite o Livro de Registro da notas fiscais de saídas conforme Regulamento de ICMS.

457 Estabelecimento: Selecione o código do estabelecimento. (F12) Mês/Ano: Informe o período de emissão, no formato MM/AAAA. Os campos Destinatários, Período, Natureza de Operação, Classificação 1 e Classificação 2 são filtros para a emissão do relatório. Processamento Definitivo: Se marcado, registrará a emissão/processamento, para o controle de rotinas geradas ou a gerar. Poderá emitir o relatório de Controle de Rotinas em Outros. Oficial: Se marcado dará continuidade ao número do livro e páginas. O número do livro/página é informado em Parâmetros/Números. Após a emissão dos livros poderá emitir os termos de abertura e encerramento, em Relatórios, Contábeis, Termos de Abertura/Encerramento. Listar Resumo para GI: Listará os totais por estado, conforme exigências do estado do Paraná. Listar Resumo por CFOP: Listará os totais por CFOP Listar Demonstrativo de Origem das Mercadorias: Listará os totais por estado, conforme exigências do estado de São Paulo. Somente notas a vista: Listará somente os lançamentos marcados como nota a vista para integração contábil. Listar por Ordem de Nota Fiscal: Listará em ordem numérica da nota fiscal, independente do dia de lançamento. Listar dados de Clientes: Se marcada, gera abaixo da nota, uma linha com os dados do cliente:

458 Cliente CNPJ/CPF Inscrição Estadual Agrupar os dados por estado do estabelecimento selecionado: Ao selecionar esta opção, o relatório será emitido com os dados agrupados pelo estado do estabelecimento, ou seja, emitirá somente os lançamentos que tenham os Emitentes/Destinatários com mesmo estado que o do estabelecimento selecionado. Gerar os dados a partir dos itens das notas: Com esta opção marcada, os CFOP's e os valores serão gerados a partir dos itens lançados nas notas e não a partir dos valores da aba Bases. Desta forma, se nos itens tiver mais de um CFOP, os valores serão gerados separadamente. ATENÇÃO: Para que os valores sejam gerados em conformidade, é imprescindível que os itens estejam corretamente lançados, com informação de CST, CFOP e valores. O CST dos itens é extremamente importante, pois é por ele que são identificados valores de Outras e/ou Isentas. Para notas que não há itens, como por exemplo, frete, nota de energia, etc., os dados serão gerados a partir da aba Bases. Uma vez emitido o relatório com esta opção selecionada, na próxima emissão o campo virá automaticamente marcado, permitindo alterações. fiscais. Se a opção não for marcada, os dados do relatório serão gerados a partir da aba Bases das notas No quadro Consolidação selecione a opção desejada Livro de Apuração de ICMS Emite o Livro de Apuração de ICMS, conforme Regulamento de ICMS.

459 Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Período: Informe o intervalo inicial e final de emissão, no formato MM/AAAA. Os campos Natureza de Operação, Classificação 1 e Classificação 2 são filtros para a emissão do relatório. Processamento Definitivo: Se marcado, registrará a emissão/processamento, para o controle de rotinas geradas ou a gerar. Poderá emitir o relatório de Controle de Rotinas em Outros. Oficial: Se marcado dará continuidade ao número do livro e páginas. O número do livro/página é informado em Parâmetros/Números. Após a emissão dos livros poderá emitir os termos de abertura e encerramento, em Relatórios, Contábeis, Termos de Abertura/Encerramento. Agrupar os dados por estado do estabelecimento selecionado: Ao selecionar esta opção, o relatório será emitido com os dados agrupados pelo estado do estabelecimento, ou seja, emitirá somente os lançamentos que tenham os Emitentes/Destinatários com mesmo estado que o do estabelecimento selecionado. Gerar os dados a partir dos itens das notas: Com esta opção marcada, os CFOP's e os valores serão gerados a partir dos itens lançados nas notas e não a partir dos valores da aba Bases. Desta forma, se nos itens tiver mais de um CFOP, os valores serão gerados separadamente. ATENÇÃO: Para que os valores sejam gerados em conformidade, é imprescindível que os itens estejam corretamente lançados, com informação de CST, CFOP e valores. O CST dos itens é extremamente importante, pois é por ele que são identificados valores de Outras e/ou Isentas. Para notas que não há itens, como por exemplo, frete, nota de energia, etc., os dados serão gerados a partir da aba Bases. Uma vez emitido o relatório com esta opção selecionada, na próxima emissão o campo virá automaticamente marcado, permitindo alterações. fiscais. Se a opção não for marcada, os dados do relatório serão gerados a partir da aba Bases das notas No quadro Consolidação selecione a opção desejada Livro de Apuração de IPI Nesta rotina é possível emitir o Livro de Apuração de IPI, conforme Regulamento de IPI.

460 Estabelecimento: Selecione o código do estabelecimento. (F12) Período: Informe o mês ou meses para emissão do relatório. Pode ser informado um período apenas dentro do mesmo ano. Será emitida uma página para cada mês. Os campos Natureza de Operação, Classificação 1 e Classificação 2 são filtros para delimitar a emissão do relatório. Processamento Definitivo: Se marcado, registrará a emissão/processamento, para o controle de rotinas geradas ou a gerar. Poderá emitir o relatório de Controle de Rotinas em Outros. Oficial: Se marcado dará continuidade ao número do livro e páginas. O número do livro/página é informado em Parâmetros/Números. Após a emissão dos livros poderá emitir os termos de abertura e encerramento, em Relatórios, Contábeis, Termos de Abertura/Encerramento. Agrupar os dados por estado do estabelecimento selecionado: Ao selecionar esta opção, o relatório será emitido com os dados agrupados pelo estado do estabelecimento, ou seja, emitirá somente os lançamentos que tenham os Emitentes/Destinatários com mesmo estado que o do estabelecimento selecionado. Gerar dados a partir dos itens das notas: Com esta opção marcada, os CFOP's e os valores serão gerados a partir dos itens lançados nas notas e não a partir dos valores da aba Bases. Desta forma, se nos itens tiver mais de um CFOP, os valores serão gerados separadamente. ATENÇÃO: Para que os valores sejam gerados em conformidade, é imprescindível que os itens estejam corretamente lançados, com informação de CST, CFOP e valores. O CST dos itens é extremamente importante, pois é por ele que são identificados valores de Outras e/ou Isentas. Para notas que não há itens, como por exemplo, frete, nota de energia, etc., os dados serão gerados a partir da aba Bases.

461 Uma vez emitido o relatório com esta opção selecionada, na próxima emissão o campo virá automaticamente marcado, permitindo alterações. fiscais. Se a opção não for marcada, os dados do relatório serão gerados a partir da aba Bases das notas No quadro Consolidação, selecione a opção desejada Livro Registro de ISS Rotinas relacionadas a emissão de livros de ISS Serviços Prestados Padrão Emite o Livro de Registro de ISS. Estabelecimento: Selecione/Selecione o estabelecimento. (F12) Mês/Ano: Informe o período de emissão, no formato MM/AAAA. Período: Informe o intervalo inicial e final de emissão, no formato DD/MM/AAAA. UF: Informe/Selecione a Unidade da Federação para emissão, se desejar emitir os lançamentos de somente uma determinada UF. (F12) Município: Informe o intervalo de municípios a serem impressos, se necessário. Primeiramente deve-se selecionar a UF. (F12) Item de Serviço: Informe/Selecione o código do item de serviço, se desejar emitir o relatório somente para determinado tipo de serviço. Oficial: Se marcado dará continuidade ao número do livro e páginas.

462 O número do livro/página é informado em Parâmetros/Números. Após a emissão dos livros poderá emitir os termos de abertura e encerramento, em Relatórios, Contábeis, Termos de Abertura/Encerramento. No quadro Consolidação selecione a opção desejada. de serviço Serviços Tomados Padrão O relatório dos Serviços Tomados será emitido com base nas Notas Fiscais de Entrada com valor oficial. Possui o mesmo padrão do relatório de Serviços Prestados, porém não terá a opção de emissão Estabelecimento: Informe/Selecione o estabelecimento. (F12) Mês/Ano: Informe o período de emissão, no formato MM/AAAA. Período: Informe o intervalo de datas para a emissão, no formato DD/MM/AAAA. Item de Serviço: Informe/Selecione o código do item de serviço, se desejar emitir o relatório somente para determinado tipo de serviço. Listar dados de Clientes: Marque se preferir visualizar dados dos clientes no relatório. Listar somente notas de NFTS: Esta opção será exibida somente para estabelecimentos do município de São Paulo/SP. Para isto, deve estar informado no cadastro do estabelecimento o município corretamente e a verificação se dará através do código IBGE informado no cadastro do município. Marcando a opção, serão geradas no relatório somente as notas de entrada que estejam com a opção "Gerar NFTS referente a esta nota" marcada no lançamento. Será útil para a conferência de dados. No quadro Consolidação selecione a opção desejada.

463 Serviços Prestados Sintético Emite o Livro de Registro de ISS sintético, atualmente destinado aos munícipios São Leopoldo - RS e Novo Hamburgo - RS. Quando houver dias no mês, no qual não houve lançamentos de ISS, constará uma coluna com a definição dos dias e com a coluna dos valores zerada. Estabelecimento: Selecione o código do estabelecimento. (F12) Mês/Ano: Informe o período de emissão, no formato MM/AAAA. Data do Recolhimento do ISS: Informe a data em que o tributo foi recolhido. Valor Recolhido do ISS: Informe o valor recolhido. Auto de Infração Número: Informe o número do auto de infração, se for o caso. Valor Recolhido de Infração: Informe o valor recolhido conforme Auto de Infração. Oficial: Se marcado dará continuidade ao número do livro e páginas. O número do livro/página é informado em Parâmetros/Números. Após a emissão dos livros poderá emitir os termos de abertura e encerramento, em Relatórios, Contábeis, Termos de Abertura/Encerramento. Totalizar colunas: Esta opção apresenta a linha Total após ao dia 31. Não havendo movimentação no mês será preenchida com a descrição "SEM MOVIMENTO" No quadro Consolidação selecione a opção desejada Modelo 51 (SP)

464 Emite os Registros de Notas Fiscais de Serviços Prestados (Modelo 51), exigido pela Prefeitura Municipal de São Paulo. Estabelecimento: Selecione o código do estabelecimento. (F12) Mês/Ano: Informe o período de emissão, no formato MM/AAAA. Oficial: Se marcado dará continuidade ao número do livro e páginas. O número do livro/página é informado em Parâmetros/Números. Após a emissão dos livros poderá emitir os termos de abertura e encerramento, em Relatórios, Contábeis, Termos de Abertura/Encerramento. No quadro Consolidação, selecione a opção desejada Modelo 53 (SP) Emite os Registros de Notas Fiscais de Serviços Prestados (Modelo 53), exigido pela Prefeitura Municipal de São Paulo. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Mês/Ano: Informe o período de emissão, no formato MM/AAAA. Oficial: Se marcado dará continuidade ao número do livro e páginas.

465 O número do livro/página é informado em Parâmetros/Números. Após a emissão dos livros poderá emitir os termos de abertura e encerramento, em Relatórios, Contábeis, Termos de Abertura/Encerramento. No quadro Consolidação selecione a opção desejada Modelo 56 (SP) Emite os Registros de Notas Fiscais de Serviços Prestados (Modelo 56), exigido pela Prefeitura Municipal de São Paulo. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Mês/Ano: Informe o período de emissão, no formato MM/AAAA. Oficial: Se marcado dará continuidade ao número do livro e páginas. O número do livro/página é informado em Parâmetros/Números. Após a emissão dos livros poderá emitir os termos de abertura e encerramento, em Relatórios, Contábeis, Termos de Abertura/Encerramento. No quadro Consolidação selecione a opção desejada Florianópolis Emite o Livro de Registro de ISS para o município de Florianópolis. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12)

466 Mês/Ano: Informe o período de emissão, no formato MM/AAAA. Período: Informe o intervalo inicial e final de emissão, no formato DD/MM/AAAA. Oficial: Se marcado dará continuidade ao número do livro e páginas. O número do livro/página é informado em Parâmetros/Números. Após a emissão dos livros poderá emitir os termos de abertura e encerramento, em Relatórios, Contábeis, Termos de Abertura/Encerramento. No quadro Consolidação selecione a opção desejada Livro Registro de Inventário Emite o Livro Registro de Inventário nos padrões legais. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Mês/Ano: Informe o mês de referência, no formato MM/AAAA. Item: Informe o intervalo de códigos dos itens. Para pesquisa utilize o F12. (Opcional para filtro) No quadro Consolidação selecione a opção desejada. Oficial: Se marcado dará continuidade ao número do livro e páginas Listagem de Operações Interestaduais Emite o relatório descriminando as operações, com quebra de página por UF.

467 Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Mês/Ano: Informe a data de emissão, no formato MM/AAAA. Data de Emissão: Informe a data no formato DD/MM/AAAA, esta será impressa no cabeçalho dos relatórios Resumo para DFC Emite o Resumo para conferência da DFC, totalizando por CFOP e por Município de Origem. As informações geradas estão de acordo com o Manual da DFC ano base 2007 que determina formas distintas para a geração das informações para as Empresas Optantes e as Não Optantes do Simples Nacional. Os quadros 19 e 20 serão gerados da seguinte forma: Quadro 19: Campo 671, será gerado zero; Campo 672, será gerado o valor contábil das notas de entrada com os CFOPs 1.414, 2.414, 1.415, 2.415, e 2.904; Quadro 20: Campo 681, será gerado o valor do ICMS Retido por Substituição Tributária nas notas de Saída; Campo 682, será gerado o valor contábil das notas de saída com os CFOPs 5.414, 6.414, 5.415, 6.415, 5.904, 6.904, e Empresas NÃO Optantes do Simples: São gerados os totais anuais nos Quadros 17, 18 e 22. Não gera dados para o Quadro 24. No Quadro 22 são gerados os valores anuais de Aquisições de Produtos Agropecuários, e dos relativos a Transportes são informados apenas os valores do primeiro semestre. Empresas OPTANTES do Simples: Nos Quadros 17 e 18 são geradas as informações apenas do primeiro semestre. As informações do segundo semestre são geradas no Quadro 24, campos641 a 646.

468 Estabelecimento: Selecione estabelecimento. (F12) Mês/Ano: Informe o período de emissão, no formato MM/AAAA. Processamento Definitivo: Se marcado, registrará a emissão/processamento, para o controle de rotinas geradas ou a gerar. Poderá emitir o relatório de Controle de Rotinas em Outros. No quadro Consolidação, selecione a opção desejada Resumo para DIPJ Emite o Resumo para conferência da DIPJ, com base nos lançamentos efetuados no ano. Totalizando por decêndio os itens lançados no período. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Período: Informe o período de emissão, no formato MM/AAAA. Limitar Dados a 80% do Total: Se marcado, limitará a emissão dos lançamentos a 80% do total de entradas e saídas do período. Caso contrário será emitido 100% dos lançamentos. No quadro Consolidação selecione a opção desejada Resumo para GI/ICMS Emite o Resumo para GI/ICMS (Guia de Informação de Operações e Prestações Interestaduais), totalizando por Estado no período.

469 Gera valores referentes a notas de entrada, separando pela UF do emitente e referente a notas de saída, separando pela UF do destinatário. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Mês/Ano: Informe o período para emissão, no formato MM/AAAA Termos de Abertura/Encerramento Nesta rotina são emitidos os termos de abertura e encerramento dos livros. Antes de emitir os termos, é obrigatória a emissão dos livros na opção oficial, para que seja feita a contagem das páginas de cada livro. Para a emissão informe o código do estabelecimento, o termo a ser emitido, a data de emissão, o número do livro e a última página oficial emitida. Este campo virá previamente informado com base nos parâmetros. Estabelecimento: Selecione o código do estabelecimento. (F12)

470 Termo: Selecione o Termo. Exercício: Informe o ano a que se refere o termo. Período: Informe o período a que se refere o termo. Será preenchido automaticamente com o ano, conforme o exercício informado, permitindo alteração. Data Emissão: Informe a data no formato DD/MM/AAAA, esta será impressa no cabeçalho dos relatórios. Número Livro: É exibido o número de livro, informado na guia Numeração, em Parâmetros. Última página emitida: É exibido o número da página, informada na guia Numeração, em Parâmetros. Razão Social: Caso a razão social esteja abreviada no cadastro do estabelecimento, informe aqui a razão social completa. A razão social informada neste campo ficará gravada para as próximas emissões. Data de Encerramento: Informar a data de encerramento do exercício. O sistema preenche automaticamente com o último dia do ano conforme exercício informado, permitindo alteração. No quadro Orientação marque uma das opções Mapa Resumo ECF Emite os Mapas Resumo de ECF, conforme legislação vigente, baseados nos lançamentos efetuados através da rotina Lançamentos/Cupom Fiscal. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Os campos Número do Mapa e Data do Movimento são filtros para emissão do relatório. Nome do Responsável: Informe o nome do responsável que será listado no relatório. Função: Informe a função do responsável que será listado no relatório Mapa Resumo ECF (Novo Modelo)

471 Emite os Mapas Resumo de ECF (Novo Modelo), conforme legislação vigente, baseados nos lançamentos efetuados através da rotina Lançamentos/Cupom Fiscal. Estabelecimento: Selecione o código do estabelecimento. (F12) Os campos Número do Mapa e Data do Movimento são filtros para emissão do relatório. Nome do Responsável: Informe o nome do responsável que será listado no relatório. Função: Informe a função do responsável que será listado no relatório CIAP Modelo C (Agrupado) Emite o Livro de Controle de Crédito de ICMS do Ativo Permanente - CIAP Modelo C (agrupado). Para maiores informações consulte RICMS de seu Estado através dos atalhos disponíveis no site do SINTEGRA ( Estabelecimento: Selecione o código do estabelecimento. (F12) Ano: Informe o exercício de emissão. Oficial: Se marcado dará continuidade ao número dos livros e páginas CIAP Modelo D (Individual) Emite o Controle de Crédito de ICMS do Ativo Permanente - CIAP Modelo D. Este apresenta os valores de créditos mensais, dos bens adquiridos após 31/12/2000.

472 Para maiores informações consulte RICMS de seu Estado através dos atalhos disponíveis no site do SINTEGRA ( Estabelecimento: Selecione o código do estabelecimento. (F12) Bens: Informe o intervalo de bens/ano de cadastro. No quadro Perda do direito ao Crédito, registre o motivo da perda a ser impresso no relatório. Data: Informe a data no formato DD/MM/AAAA. Motivo: Descreva o motivo da perda, campo texto sem limite de tamanho. Oficial: Se marcado dará continuidade ao número do livro e página Livro Registro de Saídas Agrupado Emite o Livro de Registro Agrupado por dia.

473 Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Mês/Ano: Informe o período de emissão, no formato MM/AAAA. Os campos Destinatários, Período, Natureza de Operação, Classificação 1 e Classificação 2 são filtros para a emissão do relatório. Processamento Definitivo: Se marcado, registrará a emissão/processamento, para o controle de rotinas geradas ou a gerar. Poderá emitir o relatório de Controle de Rotinas em Outros. Oficial: Se marcado dará continuidade ao número do livro e páginas. O número do livro/página é informado em Parâmetros/Números. Após a emissão dos livros poderá emitir os termos de abertura e encerramento, em Relatórios, Contábeis, Termos de Abertura/Encerramento. Listar Resumo para GI: Listará os totais por estado, conforme exigências do estado do Paraná. Listar Resumo por CFOP: Listará os totais por CFOP Listar Demonstrativo de Origem das Mercadorias: Listará os totais por estado, conforme exigências do estado de São Paulo. Agrupar os dados por estado do estabelecimento selecionado: Ao selecionar esta opção, o relatório será emitido com os dados agrupados pelo estado do estabelecimento, ou seja, emitirá somente os lançamentos que tenham os Emitentes/Destinatários com mesmo estado que o do estabelecimento selecionado. No quadro Consolidação, selecione a opção desejada Emitentes/Destinatários Esta rotina permite listar somente os emitentes e destinatários utilizados na estabelecimento por período ou de todo o cadastro.

474 Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Código: Informe o intervalo de código de cadastro a listar. Data de Emissão: Informe a data de emissão para o relatório. Listar endereço: Se marcado listará o endereço do Emitente/Destinatário. Listagem oficial: Se marcado dará continuidade ao número do livro e páginas. No quadro Ordenação, marque uma das opções. Comprovante Anual de Retenção No quadro Abrangência, marcar uma das opções. No quadro Emitentes/Destinatários, marcar uma das opções Comprovante Anual de Retenção Emite o Comprovante Anual de Retenção, de acordo com a IN SRF nº 459/2004, contendo as notas de entrada, do período informado, que tenham valor retido de PIS, COFINS, CSLL. Emite também, o Comprovante de Retenção de Imposto de Renda na Fonte, conforme a instrução normativa 119/2000, contendo os valores de IRRF lançados nas notas fiscais.

475 Ano Base: Informe o ano para a emissão do relatório no formato AAAA. Data de Emissão: Campo preenchido automaticamente com a data da Barra de Atalhos, permitindo alteração. Emitentes: Se desejar poderá filtrar o relatório informando um intervalo de emitente(s). Período: Campo preenchido automaticamente conforme o ano base, permitindo alteração caso seja necessário delimitar um intervalo dentro deste ano. Informações Complementares: Campo destinado a digitação de informações que constarão no quadro 4 do relatório. Retenção de PIS/COFINS/CSLL: Esta opção fica por padrão marcada. Com ela, são emitidos os comprovantes anuais de retenção com base nas notas fiscais de entrada, do período informado, que tenham valor retido de PIS, COFINS e/ou CSLL. Retenção de Imposto de Renda na Fonte: Esta opção fica por padrão marcada. Com ela são emitidos os comprovantes anuais de retenção com base nas notas fiscais de entrada, do período informado, que tenham valor retido de IRRF. O relatório é emitido centralizado na matriz. Se o mesmo emitente possuir notas lançadas em mais de um estabelecimento da empresa, estes serão somados em um único comprovante anual de retenção Gerenciais Rotinas relacionadas à emissão de relatórios gerenciais Resumo por Alíquota de ICMS Este relatório permite a visualização de totais por alíquotas das operações de entradas e saídas.

476 Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Mês/Ano: Informe o período de emissão, no formato MM/AAAA. Data de Emissão: Informe a data no formato DD/MM/AAAA, esta será impressa no cabeçalho do relatório. Quebra por CFOP: Se marcar, a alíquota será desmembrada por CFOP. No quadro Consolidação selecione a opção desejada Resumo por Natureza de Operação Este relatório permite a visualização de totais por Natureza de Operação (CFOP) das operações de entradas e saídas. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Os campos Mês/Ano e Período são filtros para a emissão do relatório. Data de Emissão: Informe a data no formato DD/MM/AAAA, esta será impressa no cabeçalho do relatório. Quebra por Alíquota: Se marcar, a natureza de operação será desmembrada por alíquota. Quebra por Variação da Natureza: Se marcar, o relatório será listado agrupando dados que tenham a mesma variação da natureza de operação. Acrescentar Informação de UF: Quando marcada a opção de "Acrescentar Informação de UF", irá listar uma linha para cada estado diferente lançado e agrupará valores quando vários lançamentos tiverem CFOP s e Estados em Comum. No quadro Tributo, selecione opção desejada.

477 No quadro Consolidação selecione a opção desejada Demonstrativo para Cálculo do Simples Nacional Lista as informações necessárias à digitação no PGDAS. Todas as informações são apresentadas na ordem exata em que são solicitadas pelo aplicativo, visando facilitar ao máximo o trabalho do usuário. Para a primeira apuração do Simples Nacional (mês de Julho/2007), o período deve ser de 01/2006 a 06/2007. A partir da competência Agosto/2007, deve-se informar somente o período referente aos últimos 12 meses anteriores ao mês de competência. O relatório é composto de uma página inicial, que apresenta o CNPJ, CPF do Responsável, e Código de acesso ao PGDAS. Apresenta também os valores referentes à Receita Bruta Mensal Acumulada, e a Receita Total do período de apuração, separadas em Mercado Interno e Exportação. Essas informações são uma somatória das receitas de todos os estabelecimentos. Na sequência é gerada uma página para cada estabelecimento da empresa, detalhando as receitas de acordo com as normas legais. É inclusive apresentado uma TreeView (árvore) onde são marcadas todas as receitas constantes do estabelecimento, considerando se for o caso, as isenções e reduções de alíquota determinados por Estados e Municípios. Este relatório não apresenta os valores referentes à folha de salários e encargos, necessários ao cálculo do valor devido para as empresas com atividades enquadradas nos Anexos IV e V da Lei Complementar 123/2006. Essas informações serão geradas em relatório a ser disponibilizado no Sage Folha de Pagamento. Mês/Ano de Apuração: Informe o mês/ano de apuração. Últimos 12 meses: Traz os 12 últimos meses baseados no mês/ano de apuração informado acima, podendo ser alterado.

478 No quadro Redução/isenção de ICMS nos primeiros 12 meses de atividade, selecione uma das opções: Considerar a receita bruta de forma proporcional: Se marcada esta opção, para fins de determinação da faixa de redução ou isenção de ICMS, será verificada a data de início das atividades, informada em Cadastros/ Empresas/ Estabelecimentos/ Parâmetros/ Escrita Fiscal/ Geral, campo "Mês/Ano Início Atividades", seguindo o critério abaixo: Se a Empresa estiver no primeiro mês de atividade, será multiplicado por 12 a própria receita do mês de apuração. Se a Empresa estiver dentro dos 12 meses anteriores ao período de apuração, será verificado o número de meses de atividade, dividindo-se a receita acumulada pelo número de meses (obtendo-se a média), e multiplicando-se por 12. Considerar a receita bruta acumulada total: Se marcada esta opção, o valor total considerará somente os meses em que a empresa teve movimentação, ou seja, não fará a projeção para os 12 meses Demonstrativo para DEFIS Esta rotina gera a Integração para DEFIS (Declaração de Informações Socioeconômicas e Fiscais), bem como o Demonstrativo para conferência com o objetivo de facilitar a integração dos dados no aplicativo disponibilizado pela Receita Federal. Os valores de receita bruta do período informado serão importados para a DEFIS automaticamente do aplicativo PGDAS.

479 O Demonstrativo para DEFIS (Declaração de Informações Socioeconômicas e Fiscais) em Relatórios/Gerenciais, tem o objetivo de facilitar a digitação dos dados no aplicativo disponibilizado pela Receita Federal e listará os dados gerais da empresa e de cada estabelecimento. Os valores de receita bruta do período informado serão importados para a DEFIS automaticamente do aplicativo PGDAS. 1) PERÍODO DE GERAÇÃO: O sistema não permitirá que seja informado período anterior a 01/07/2007. Na geração da DEFIS é possível obter determinados valores diretamente da contabilidade, bastando informar as contas contábeis do Sage Contabilidade na geração do arquivo. 2) INFORMAÇÕES CONTÁBEIS: No campo Ganhos de Capital deverá ser informada a conta contábil para que o sistema possa buscar a movimentação do período informado no Sage Contabilidade, por empresa. Nos campos Estoque e Caixa e Bancos deverá ser informada a respectiva conta contábil para que o sistema possa buscar no Sage Contabilidade o saldo inicial e o saldo final, por estabelecimento. No campo Despesas deverá ser informada a conta contábil para que o sistema possa buscar a movimentação do período informado no Sage Contabilidade, por estabelecimento. Importante: Especificamente com relação ao total de despesas do período, é necessário estornar o lote de transferência de resultados de Dezembro/2012, caso já tenha sido liberado. Caso não queira estornar o lote de transferência de resultados de Dezembro/2012, é possível informar manualmente o total das despesas diretamente no campo Total de despesas no quadro Informações dos Estabelecimentos da tela de geração da DEFIS. Nos campos Ganhos com Renda Variável e Lucro Contábil Apurado deverá ser informada a respectiva conta contábil para que o sistema possa buscar a movimentação do período informado no Sage Contabilidade, por empresa. As contas contábeis poderão ser informadas na classificação de qualquer grau. 3) INFORMAÇÕES GERAIS DA EMPRESA: Neste quadro serão apurados os valores automaticamente do Sage Contabilidade (se anteriormente foram informadas as respectivas contas contábeis) e do Sage Folha de Pagamento, ou poderão ser informados os valores manualmente nos campos respectivos. No relatório serão informados os Rendimentos dos Sócios, que o sistema buscará automaticamente do Sage Folha de Pagamento, com os seguintes dados para o período informado: - Rendimentos isentos: valor correspondente ao quadro 4 do informe de rendimentos.

480 - Rendimentos tributáveis: valor correspondente ao campo 1 do quadro 3 do informe de rendimentos. - Percentual de participação no capital: percentual informado no cadastro do diretor na aba Complementares. - Imposto de Renda Retido na Fonte: valor correspondente ao campo 5 do quadro 3 do informe de rendimentos. Importante: Serão considerados todos os diretores ativos, mesmo que sem remuneração, e os diretores inativos que tiveram remuneração no período informado. Os campos 5 e 6 do relatório serão apurados diretamente do Sage Fiscal. 4) INFORMAÇÕES DOS ESTABELECIMENTOS: Neste quadro, ao selecionar o estabelecimento, serão apurados automaticamente do Sage Contabilidade (se anteriormente foram informadas as respectivas contas contábeis) ou poderão ser informados os valores manualmente nos respectivos campos. Importante: É necessário selecionar e inserir pelo menos um estabelecimento para que seja possível emitir o relatório. No relatório, os campos 5, 6, 7, 8, 9, 10, 12, 13 e 14 serão apurados diretamente do Sage Fiscal. Observações: Regras de Negócio: - Integração para o item "Informações econômicas e fiscais/de toda a Me/EPP", segue abaixo a regra para composição de cada campo: 1. Campo da tela - Composto pelos valores lançados para conta informada no campo "Ganhos de Capital" do quadro Informações Contábeis, mais os valores lançados para o mesmo campo do quadro aba Informações Gerais da Empresa; 2. Campo da tela - Composto pelos valores lançados para o campo "Qtde Inicial de Empregados" do quadro Informações Gerais da Empresa; 3. Campo da tela - Composto pelos valores lançados para o campo "Qtde Final de Empregados" do quadro Informações Gerais da Empresa; 4. Campo da tela - Composto pelos valores lançados para conta informada no campo "Lucro Contábil" do quadro Informações Contábeis, mais os valores lançados para o mesmo campo do quadro aba Informações Gerais da Empresa;

481 5. "Exportação Direta" será composto pelos valores dos lançamentos cujo CFOP igual a: 7501; 6. "Receita de Exportação" será composto pelos valores dos lançamentos cujo CFOP igual a: 5501, 5502, 5504, 5505, 6501, 6502, 6504, 6505; 7. "Rendimento dos sócios" será composto pelos dados da tabela diretores do RH sendo que deverá atender a regra: Tabela 'retirada' e o pro-labore do sócio deve ser maior que zero alem da situação do sócio ser igual a ativo; 8. Campo da tela - Composto pelos valores lançados para conta informada no campo "Renda Variável" do quadro Informações Contábeis, mais os valores lançados para o mesmo campo do quadro aba Informações Gerais da Empresa; - Integração para o item "Informações econômicas e fiscais/por estabelecimento", segue abaixo a regra para composição de cada campo: 1. Campo da tela - Composto pelos valores lançados para conta informada no campo "Estoque" do quadro Informações Contábeis, mais os valores lançados para o campo "Estoque Inicial" do quadro Informações dos Estabelecimentos; 2. Campo da tela - Composto pelos valores lançados para conta informada no campo "Estoque" do quadro Informações Contábeis, mais os valores lançados para o campo "Estoque Final" do quadro Informações dos Estabelecimentos; 3. Campo da tela - Composto pelos valores lançados para conta informada no campo "Caixa" e "Bancos" do quadro Informações Contábeis, mais os valores lançados para o campo "Saldo Inicial Caixa/Bancos" do quadro Informações dos Estabelecimentos; 4. Campo da tela - Composto pelos valores lançados para conta informada no campo "Caixa" e "Bancos" do quadro Informações Contábeis, mais os valores lançados para o campo "Saldo Final Caixa/Bancos" do quadro Informações dos Estabelecimentos; 5. "Total de aquisições de mercadorias" será composto pelos valores dos lançamentos cujo CFOP igual a: 1101, 1102, 1111, 1113, 1116, 1117, 1118, 1120, 1121, 1122, 1401, 1403, 1651, 1652, 2101, 2102, 2111, 2113, 2116, 2117, 2118, 2120, 2121, 2122, 2401, 2403, 2651, 2652, 3101, 3102; 6. "Total de entradas" será composto pelos valores dos lançamentos cujo CFOP igual a: 1150, 1151, 1152, 1153, 1408, 1409, 2150, 2151, 2152, 2153, 2408, 2409; 7. "Total de saídas" será composto pelos valores dos lançamentos cujo CFOP igual a: 5151, 5152, 5155, 5156, 6151, 6152, 6155, 6156; 8. "Total Devolução de Vendas" será composto pelos valores dos lançamentos cujo CFOP igual a: 1201, 1202, 1203, 1204, 1410, 1411, 1660, 1661, 2201, 2202, 2203, 2204, 2410, 2411, 2660, 2661, 3201, 3202;

482 9. "Total de entradas (incluídos itens 5, 6 e 8)" será composto pelos valores dos lançamentos cujo CFOP igual a: soma de entradas [1,2,3]; 10. "Total Devolução de Compras" será composto pelos valores dos lançamentos cujo CFOP igual a: 5201, 5202, 5410, 5411, 5660, 5661, 6201, 6202, 6410, 6411, 6660, 6661, 7201, Campo da tela - Composto pelos valores lançados para conta informada no campo "Despesas" do quadro Informações Contábeis, mais os valores lançados para o campo "Total de despesas na tela" do quadro Informações dos Estabelecimentos; 12. "Entradas Interestaduais por UF" será composto pelos valores dos lançamentos cujo CFOP igual a: Iniciados por 2; 13. "Saídas Interestaduais por UF" será composto pelos valores dos lançamentos cujo CFOP igual a: Iniciados por 6; 14. Serão consideradas as notas de serviços que estiverem marcadas com a opção de ISS retido, com a seguinte regra: -Se o serviço não é devido no local da prestação, será considerada a UF e o município do estabelecimento. nota. -Se o serviço é devido no local da prestação, será considerada a UF e o município informado na 15. "Serviços de comunicação" será composto pelos valores dos lançamentos cujo CFOP igual a: 5251, 5252, 5253, 5254, 5255, 5256, 5257, 5258, 5153, 6251, 6252, 6253, 6254, 6255, 6256, 6257, 6258, 6153; 16 ou 24*. "Serviços de transporte" será composto pelos valores dos lançamentos cujo CFOP igual a: 5351, 5352, 5353, 5354, 5355, 5356, 5357, 6351, 6352, 6353, 6354, 6355, 6356, 6357, 7358; Dependerá se no item 15 são abertos novos campos ou não. 20. "Aquisição de mercadorias de produtores rurais " será composto pelos valores dos lançamentos de entradas cujo emitente seja um "Produtor rural não inscrito"; 21. "Aquisição de mercadorias de contribuintes dispensados de inscrição" será composto pelos valores de lançamentos de entradas diferente de serviço e emitente não sendo produtor rural, que possua inscrição estadual igual a ISENTO ou que possua CPF Relação de Bases de Cálculo Este relatório apresenta os valores referentes às bases de cálculo de PIS, COFINS, CSLL, IRPJ, valor de mercadorias diferidas, valor de mercadorias com ST, base de cálculo da ST, ICMS retido por ST (substituição tributária) e os lançamentos de Base de Cálculo Tributável.

483 Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Mês/Ano: Informe o mês e ano para emissão, no formato MM/AAAA. Período: Informe o intervalo inicial e final de emissão, no formato DD/MM/AAAA. Nat. Operação: Informe um único CFOP ou um intervalo. Opções: Carta de Correção Através desta rotina podem ser geradas cartas de correção de notas de entrada e saída. Os campos constantes do corpo da carta de correção podem ser alterados através da rotina Cadastros/Genéricos/Especificações para Carta de Correção.

484 Esta rotina é efetuada em duas etapas. A primeira consiste em selecionar o estabelecimento e localizar a nota fiscal através do botão Pesquisar. Nesta tela informe o tipo de nota a pesquisar (entrada ou saída) e os intervalos desejados. Encontrada a NF dê um duplo clique sobre a linha para selecioná-la. Após a seleção, altere, se necessário a origem da nota fiscal. O sistema trará como padrão a origem = a "Sua nota fiscal" para notas de entrada e "Nossa nota fiscal" para notas de saída. A segunda etapa, deve-se marcar os itens que deseja corrigir (no máximo 10 itens). Os itens selecionados serão incluídos na tabela abaixo, para a informação correta dos itens. Esta informação é um campo tipo texto comum, sem nenhuma formatação especial. Assim sendo, deve formatar manualmente datas, valores ou outros campos que deseje retificar. Clique no botão Imprimir e a Carta de Correção será apresentada em tela. Poderá imprimir ou enviar por , através do botão Imprimir Resumo de Sub. Tributária por UF Este apresenta os totais de lançamentos de Substituição Tributária, totalizados por estado, a quantidade de notas lançadas, e os valores informados. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Período: Informe o intervalo inicial e final de emissão, no formato DD/MM/AAAA. No quadro Consolidação selecione a opção desejada Relatório de Sub. Tributária por UF Este relatório apresenta todos os detalhes do lançamento de Substituição Tributária de um determinado Estado (UF).

485 Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Período: Informe o intervalo inicial e final de emissão, no formato DD/MM/AAAA UF: Informe a Unidade de Federação (sigla UF) ou seleciona-lo. Se não for selecionada nenhuma UF, serão listados todos os estados que possuem valor. No quadro Consolidação selecione a opção desejada Itens da Nota Fiscal Este relatório descrimina os itens da nota fiscal de entrada ou saída de um determinado período, juntamente com os principais dados relacionados ao ICMS. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Período de Emissão: Informar o intervalo inicial e final, para delimitar o período de emissão das notas, no formato DD/MM/AAAA. Período de Lançamento: Informar o intervalo inicial e final, para delimitar o período de lançamento das notas, no formato DD/MM/AAAA. Emitente/Destinatário: Pode ser emitido o relatório para um determinado cliente/fornecedor, ou para um intervalo de clientes/fornecedores.

486 Natureza de Operação: Pode ser emitido o relatório para um determinado CFOP, ou para um intervalo de CFOP's. Neste caso, será considerado o CFOP informado nos itens da nota. Nota Fiscal: É possível emitir o relatório filtrando apenas determinada nota fiscal, ou um intervalo de notas. Item: É possível emitir o relatório filtrando as notas fiscais que possuem determinado item ou um intervalo de itens. Listar Dados do PRODEPE: Este quadro será habilitado somente para estabelecimentos de Pernambuco. Com esta opção, é possível emitir o relatório com a informação do Código de Apuração do PRODEPE, informado nos itens da nota fiscal e também a informação se o item é incentivado ou não. Neste quadro ainda pode ser filtrado por código de apuração, que listará todas as notas e itens que possuem este código ou um intervalo de códigos. OBSERVAÇÃO: Com esta opção marcada, o relatório será impresso no formato paisagem. Totalizar por Item: Com esta opção marcada, ao final do relatório analítico de notas e itens, será gerado um resumo totalizando os valores por item Resumo por Classificação Este relatório é útil para conferência dos lançamentos de integração contábil por classificação. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Mês/Ano: Informe a data de referência no formato MM/AAAA. Classificação: Informe o intervalo de códigos de classificação contábil Totalizar por Dia: Marque para totalizar. No quadro Consolidação selecione a opção desejada Relatório de Notas por Emitentes/Destinatários

487 Emite o Livro de Registro da notas fiscais de Entradas conforme Regulamento de ICMS. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Mês/Ano: Informe o período de emissão, no formato MM/AAAA. Os campos Emitente/Destinatário, Período, Natureza de Operação, Classificação 1 e Classificação 2 são filtros para a emissão do relatório. Totalizar por Dia: Marque a opção para totalizar. No quadro Consolidação selecione a opção desejada. Opção de Notas: Selecione uma das opções Resumo por Município Emite o Resumo por Município com os valores dos impostos de ICMS, IPI ou ISS, totalizando por estado. O cadastro do município e feito na rotina de Cadastros, Genéricos, Município. O qual deve ser informado no cadastro de Emitentes/Destinatários.

488 Estabelecimento: Selecione o código do estabelecimento. (F12) Os campos Mês/Ano e CFOP são filtros para a emissão do relatório. No quadro Consolidação, selecione a opção desejada. No quadro Valores selecione uma das opções GIA-ICMS Emite a guia de informação e apuração do ICMS para simples conferência.

489 Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Mês/Ano: Informe o período de emissão, no formato MM/AAAA. Agrupar os dados por estado do estabelecimento selecionado: Ao selecionar esta opção, o relatório será emitido com os dados agrupados pelo estado do estabelecimento, ou seja, emitirá somente os lançamentos que tenham os Emitentes/Destinatários com mesmo estado que o do estabelecimento selecionado. Gerar os dados a partir dos itens das notas: Com esta opção marcada, os CFOP's e os valores serão gerados a partir dos itens lançados nas notas e não a partir dos valores da aba Bases. Desta forma, se nos itens tiver mais de um CFOP, os valores serão gerados separadamente. No quadro Consolidação selecione a opção desejada. Preencha os demais campos conforme a movimentação mensal Relação de Tributos Retidos Este relatório apresenta os valores referentes aos tributos PIS, COFINS, CSLL, IRRF, ISS, INSS e Funrural retidos nas notas fiscais de entrada ou saída. Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Mês/Ano: Informe o mês e ano inicial e final para emissão, no formato MM/AAAA. Período: Informe o intervalo inicial e final do dia de lançamento, no formato DD/MM/AAAA.

490 Emitente/Destinatário: Informe o intervalo de códigos de emitentes/destinatários, se quiser restringir o relatório a somente um determinado emitente/destinatário ou grupo. No quadro Tipo de Nota Fiscal, selecionar o tipo de notas que serão listadas no relatório. No quadro Seleção das Notas: Por data de lançamento: Esta opção leva em consideração a data de emissão da nota fiscal, sem considerar a data de Pagamento informada na aba Serviços do lançamento, data essa que é utilizada para compensação de PIS/COFINS/CSLL. Por data de compensação: Esta opção leva em consideração a data de Pagamento informada na aba Serviços do lançamento, sem considerar a data de emissão da nota fiscal. Mesmo que essa data de pagamento seja referente somente a compensação de PIS/COFINS/CSLL, os demais tributos também serão listados considerando essa data. Quebra página por mês/ano: Se marcada, efetuará uma quebra de página ao final de cada mês/ano, não permitindo mais de um mês em cada página. No quadro Ordenação, marque umas das opções. Por dia de lançamento; Por número de nota; Por Cliente/Fornecedor. No quadro Consolidação selecione a opção desejada Declaração de Faturamento Este relatório pode ser utilizado para confirmação do faturamento da empresa junto a bancos ou outras instituições. Serão considerados os lançamento de nota fiscal cujo CFOP esteja parametrizado para integrar faturamento. Também, serão consideradas as Bases Extras Tributáveis que estiverem parametrizadas para integrar faturamento.

491 Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Mês/Ano Inicial: Informe o mês e o ano de emissão, no formato MM/AAAA. Mês/Ano Final: Informe o mês e o ano de emissão, no formato MM/AAAA. Texto para declaração: Se informado texto, imprimirá logo após os dados da empresa. Local da Emissão: Informe o local da emissão da declaração. No quadro Opções de impressão: Total por mês: Os dados serão agrupados por mês/ano, trazendo apenas uma linha para cada um, com o mês/ano correspondente e o total. Detalhado por CFOP: Se marcada esta opção, os dados dos lançamentos serão agrupados por CFOP. Também, serão exibidas separadamente as bases extras tributáveis. Detalhado por mês: Os dados serão agrupados por mês/ano, trazendo apenas uma linha para cada um, com o mês/ano correspondente e os totais de Mercadorias, Serviço, Devolução, ICMS ST, IPI e Total Geral. Os valores de bases extras tributáveis serão gerados na coluna Outros. Somente total: Listará apenas uma linha com o período selecionado e o total geral do faturamento. Deduzir ICMS ST: Se marcada esta opção, o valor de ICMS ST será deduzido do total de faturamento. Deduzir IPI: Se marcada esta opção, o valor de IPI será deduzido do total de faturamento.

492 Considerar apenas CFOPs de Faturamento: Se marcada essa opção, serão apresentados os dados e valores das Notas de Entrada e Saída, onde o CFOP foi configurado para integrar ao faturamento. Gerar os dados a partir dos itens das notas: Com esta opção marcada, os CFOP's e os valores serão gerados a partir dos itens lançados nas notas e não a partir dos valores da aba Bases. Desta forma, se nos itens tiver mais de um CFOP, os valores serão gerados separadamente. No quadro Consolidação: Estabelecimento: Se marcada esta opção, o sistema emitirá os dados referentes apenas o estabelecimento informado na tela. Empresa: Se marcada consolidação por empresa, o sistema agrupará os dados de todos os estabelecimentos da empresa informada na Barra de Atalhos do sistema. Apenas os dados cadastrais (Razão, CNPJ e endereço) é que serão referentes ao estabelecimento informado na tela. No quadro Opções de assinatura (uma ou mais opções podem ser selecionadas): Representante legal: Serão apresentados os dados do representante legal (nome, função,cpf) cadastrado para a empresa. Contador: Serão apresentados os dados do contador (nome, função, CRC) cadastrado para a empresa. Observação: Quando for selecionada apenas uma das opções, a assinatura ficará centralizada. Porém, quando selecionadas as duas, as assinaturas serão impressas lado a lado Resumo do Valor Adicionado Municípios A emissão do resumo possibilita consultar as notas lançadas para Produtor Rural, Prestação de Serviço de Transporte, Comunicação e Fornecimento de Energia, por município de origem. Este relatório é útil para conferir valores gerados por município, em validadores estaduais, como por exemplo, a Nova GIA de São Paulo, referente as informações para a DIPAM B. Estabelecimento: Informe o Estabelecimento.

493 Mês/ Ano: Informe o período, utilize o formato mm/aaaa. Opções Analítico: O relatório será emitido de forma detalhada, por município, por CFOP e por nota; Sintético: O relatório será emitido de forma agrupada, por município e CFOP. Regras para Geração dos Dados: 1.1: Compra de Produtor Rural não Inscrito Considera notas de entrada, natureza de operação referente a compra, sendo o emitente da nota de UF igual a UF do estabelecimento e que esteja marcado o campo "Produtor rural não inscrito" em seu cadastro. Agrupa por município do Emitente. 2.3: Serviço de Transporte Considera notas de conhecimento de frete, com natureza de operação (5.351 a 5.399); (6.351 a 6.399) e (7.351 a 7.399). a. Se a UF de origem for igual ao do estabelecimento será gerado o município de origem. OBSERVAÇÃO: - Se o município de origem não estiver informado, será gerado o município do remetente - Se o município de origem e o município do remetente NÃO estiverem informados, será gerado o município do estabelecimento. b. Se a UF de origem não estiver informada ou a UF de origem for diferente da UF do estabelecimento será gerado o município do estabelecimento. 2.4: Serviço de Comunicação Considera notas de saída, com natureza de operação (5.301 a 5.349); (6.301 a 6.349) e (7.301 a 7.349), sendo o destinatário da nota de UF igual a UF do estabelecimento. Agrupa por município do destinatário. 2.5: Fornecimento de Energia Elétrica Considera notas de saída, com natureza de operação (5.153); (6.153); (5.251 a 5.299); (6.251 a 6.299); (7.251 a 7.299), sendo o destinatário da nota de UF igual a UF do estabelecimento. Agrupa por município do destinatário Resumo para VAF Esta rotina possibilita emitir o relatório anual de Estabelecimento de Minas Gerais.

494 Informe o Estabelecimento e o ano que deseja emitir o resumo Relatório de Conferência dos Itens da Nota Neste relatório podem ser listadas as notas fiscais de Entrada e Saída, com detalhes dos tributos PIS, COFINS, ICMS e IPI. Listará as notas fiscais e os seus itens, mostrando a diferença entre o valor do tributo informado na aba bases e a soma do valor do tributo informado por item. Será útil para conferir o lançamento dos dados relacionados aos itens da nota fiscal que serão gerados no SPED Fiscal e PIS/COFINS, identificando possíveis inconsistências ou erros. Estabelecimento: Informe/Selecione o estabelecimento desejado. Mês/Ano: Informe o mês/ano a ser listado. Período: Se desejar, pode ser determinado um período dentro do mês/ano.

495 Nat. Operação: Se desejar, pode filtrar as notas que possuam determinado CFOP. Nesta opção será considerado o CFOP principal e não dos itens. CST: Se desejar pode filtrar as notas que possuam determinado CST nos itens. Nota Fiscal: Se informado intervalo de notas, serão emitidos somente os dados das notas selecionadas. Tipo da Nota: Selecione se vai emitir a relação de Entradas ou de Saídas. Tributo: Selecione o tributo desejado: PIS, COFINS, ICMS ou IPI. Quebrar resumo por alíquota: esta opção será habilitada apenas para os tributos PIS e COFINS, quando marcada as informações serão agrupadas por CST e por alíquota. Listar itens da nota: Com esta opção marcada, será listada a nota e abaixo todos os itens que compõe esta nota. Listar somente resumo por CST: Com esta opção marcada, será listado somente um totalizador por Código de Situação Tributária. Esta opção está disponível somente para PIS e COFINS. Listar somente notas com Crédito/Débito do tributo: Com esta opção marcada, gera somente os itens que tenham o tributo selecionado (entrada ou saída), facilitando a conferência. Listar somente notas com diferença: Com esta opção marcada, serão listadas somente as notas fiscais que estejam com diferença entre o tributo informado na aba bases e a soma do tributo informado nos itens. Margem de erro: Opção habilitada se marcado para listar somente notas com diferença, podendo ser determinado um valor mínimo de diferença, que possa ser considerado significativa. Lembrando que diferenças podem ser normais, pois a forma de apuração do SPED poderá não bater com a forma de apuração do sistema. O sistema apura pelo total da nota e o SPED por item Relação de Notas Fiscais de Saída não Lançadas Esta rotina emite um relatório com os números de notas que faltam, por estabelecimento e por modelo. Para cada modelo mostra o último número lançado até o período inicial informado na tela e a última nota lançada no período informado. Se estiver faltando notas entre o último número lançado no mês anterior e a última nota lançada no período, listará quais são as notas que faltam ser lançadas. Por exemplo, ao emitir o relatório de 02/2012 a 02/2012, será verificado para cada modelo, a última nota emitida até o dia 31/01/2012 e identificará se há numeração faltando considerando os lançamentos até o dia 29/02/2012.

496 Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. Se não for informado o estabelecimento, listará as notas não lançadas de todos os estabelecimentos. Mês/Ano: Informe o mês/ano ou intervalo de mês/ano que deseja verificar quais notas não foram lançadas. Período: Se necessário, pode ser definido um período dentro do Mês/Ano informado Relação de Notas Fiscais com Diferencial de Alíquota Neste relatório serão relacionadas as notas fiscais de Entrada, lançadas para estabelecimentos situados nos estados da Bahia e de São Paulo, que possuem informações de ICMS de Antecipação Parcial e/ou Diferencial de Alíquota. Será útil para conferir o lançamento dos dados relacionados aos valores de ICMS de Antecipação Parcial e/ou Diferencial de Alíquota que serão utilizados para apuração do ICMS, identificando possíveis inconsistências ou erros. Estabelecimento: Informe/Selecione o estabelecimento desejado. Mês/Ano: Informe o mês/ano a ser listado. Período: Se desejar, pode ser determinado um período dentro do mês/ano Contribuição Previdenciária sobre a Receita Bruta Este relatório poderá ser utilizado para conferência dos valores das receitas incentivadas e não incentivadas usadas na geração do Bloco P, do arquivo EFD Contribuições e na importação dos valores das receitas, na rotina Módulos\ SEFIP\ Informações Extras, do SFP.

497 Estabelecimento: Informar o código do estabelecimento que deseja consultar. Mês/Ano: Informar o mês/ano de emissão do relatório. Quadro Detalhamento: Será habilitado apenas para empresas parametrizadas com origem de receitas referentes a Fabricação de Produtos Incentivados. EFD-Bloco P: ao selecionar esta opção as informações serão agrupadas pelo CFOP x Código da EFD, existente no cadastro de produtos incentivados, conforme gerados no Bloco P, do arquivo EFD Contribuições. NCM: com esta opção as informações serão agrupadas pelo CFOP x NCM, independente do código do item. Produtos: ao selecionar esta opção o relatório será gerado de forma mais detalhada, pois as informações serão agrupadas pelo CFOP x NCM x código do item Produtos Cadastrados x Produtos Incentivados Este relatório tem por finalidade mostrar todos os NCM informados nos produtos cadastrados, e compará-los com a tabela de Produtos Incentivados (sujeitos à desoneração da folha de pagamento) em um determinado mês. Podem ser listados todos os produtos, ou somente aqueles constantes em notas fiscais de venda num determinado período. Por nota fiscal de venda, compreende-se aquelas operações típicas de venda de produção do estabelecimento, CFOPs: 5101, 5102, 5103, 5105, 5109, 5111, 5113, 5116, 5118, 5122, 5124, 5125, 5401, 5402, 5651, 5652, 5653, 5654, 5655, 5656, 5667, 6101, 6102, 6103, 6105, 6107, 6109, 6111, 6113, 6116, 6118, 6122, 6124, 6125, 6401, 6402, 6404, 6651, 6652, 6653, 6654, 6655, 6656, 6667, 7101, 7102, 7105, 7127, 7501, 7651, 7654, 7667).

498 Mês/ano: Informe o mês e ano que será considerado para verificar a incidência ou não de desoneração para os produtos, conforme sua vigência. NCM: Informe o intervalo de NCM a listar. Detalhamento: Informe se deseja a emissão do relatório apenas com os NCM, ou detalhado por produto (código, identificação e descrição). Caso queira listar somente os produtos já lançados em nota fiscal de saída, informe o período desejado para verificação. OBSERVAÇÃO: Este relatório não interfere nos cálculos da desoneração. É apenas um informativo de quais produtos há na empresa que estão sujeitos a desoneração ou não. Para que o produto efetivamente seja considerados nos cálculos, incentivado ou não, depende das configurações dos parâmetros, natureza de operação etc. O relatório que efetivamente demonstra os produtos incentivados e não incentivados em um determinado período de apuração é o disponibilizado no menu Relatórios\ Gerenciais\ Contribuição Previdenciária Sobre a Receita Bruta Planilhas Rotinas relacionadas a emissão de planilhas Listagem de Entradas A finalidade dessa rotina é gerar dados de exportação para planilhas eletrônicas (Excel). Os relatórios gerados em tela não possuem formatação. Devem ser salvos em formato *.SLK e depois abertos em aplicativo de planilha eletrônica (excel, open office).

499 Estabelecimento: Selecione o estabelecimento. (F12) Mês/Ano: Informe o mês e ano dos lançamentos no formato MM/AAAA. Emitente: Informe o código do emitente ou digite o número do CNPJ/CPF. (F12) Período: Informe o período dos lançamentos. Natureza de Operação: Selecione o Código Fiscal de Operações (CFOP) referente aos lançamentos. (F12) Classificação 1: Informe o código de classificação 1 referente aos lançamentos. (F12) Classificação 2: Informe o código de classificação 2 referente aos lançamentos. (F12) Sequência de Lançamento: Permite filtrar uma determinada sequência de lançamentos. Listar notas de prestação de serviços: Se marcada esta opção, irá listar no relatório os lançamentos de serviços. Listar notas pela ordem de lançamento: Se marcada esta opção, irá listar as notas pela ordem de lançamento Listagem de Saídas A finalidade dessa rotina é gerar dados de exportação para planilhas eletrônicas (Excel). Os relatórios gerados em tela não possuem formatação. Devem ser salvos em formato *.SLK e depois abertos em aplicativo de planilha eletrônica (excel, open office).

LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA

LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA (Orientamos aos clientes que utilizam banco de dados SQL, para efetuarem a atualização preferencialmente após o encerramento das atividades do dia, acessando o sistema

Leia mais

Importação de Notas pelo Código de Barras DANFE... 12

Importação de Notas pelo Código de Barras DANFE... 12 IMPORTAÇÃO DE NF-E (ENTRADA) SUMÁRIO Importação de Notas pelo Arquivo XML... 2 Parametrização dos Produtos... 4 Parametrização de Código de Situação Tributária (CST)... 5 CST de ICMS... 5 CST de IPI...

Leia mais

Tabela Comparativa de funcionalidades

Tabela Comparativa de funcionalidades Sage Sage Gestão Contábil A evolução A do do escritório Tabela Comparativa de funcionalidades Sage Folha de Pagamento A disponibilidade da funcionalidade dependerá da modalidade do pacote 1 Gerenciador

Leia mais

Índice. Grupo IOB Folhamatic EBS > Sage Sistema Folhamatic Fiscal 2

Índice. Grupo IOB Folhamatic EBS > Sage Sistema Folhamatic Fiscal 2 Índice Central Folhamatic...06 Menu Arquivos...07 Cadastro de Empresas... 07 Aba Básico... 07 Aba Escrita Fiscal... 08 Responsável... 09 Responsável pela Contabilidade... 10 Saldos... 11 ICMS e IPI...

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO TÉCNICO SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA

BOLETIM INFORMATIVO TÉCNICO SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA BOLETIM INFORMATIVO TÉCNICO SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA Efetuadas diversas alterações no Cordilheira Escrita Fiscal com o objetivo de tratar a apuração do ICMS-ST, emissão de GNRE e geração da GIA-ST, bem

Leia mais

Cordilheira Escrita Fiscal 2.109A

Cordilheira Escrita Fiscal 2.109A LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA VERSÃO 2 (Orientamos aos clientes que utilizam banco de dados SQL, para efetuarem a atualização preferencialmente após o encerramento das atividades do dia, acessando

Leia mais

Configuração de Acumuladores

Configuração de Acumuladores Configuração de Acumuladores Os acumuladores são cadastro usados pelo Módulo Domínio Sistemas Fiscal para permitir a totalização dos valores lançados nos movimentos de entradas, saídas, serviços, outras

Leia mais

Manual de Integração - E-Fiscal X Telecont

Manual de Integração - E-Fiscal X Telecont Atualizado em Maio/2008 Pág 1/36 Para integrar os dados do sistema Efiscal com o sistema Telecont, efetue os procedimentos abaixo: CADASTRO DE EMPRESAS ABA BÁSICO Acesse menu Arquivos Empresas Usuárias

Leia mais

Aspectos gerais para validação da EFD Contribuições Lucro Presumido

Aspectos gerais para validação da EFD Contribuições Lucro Presumido Aspectos gerais para validação da EFD Contribuições Lucro Presumido Sumário Aspectos gerais para validação da EFD Contribuições Lucro Presumido 1. Cadastro de Empresas... 2 2. Cadastro de Participantes...

Leia mais

LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA VERSÃO 2

LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA VERSÃO 2 LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA VERSÃO 2 (Orientamos aos clientes que utilizam banco de dados SQL, para efetuarem a atualização preferencialmente após o encerramento das atividades do dia, acessando

Leia mais

Fluxograma - Configuração EFD Contribuições (Lucro Presumido)

Fluxograma - Configuração EFD Contribuições (Lucro Presumido) Fluxograma - Configuração EFD Contribuições (Lucro Presumido) Parametrizar a empresa como Lucro Presumido. 1 - Regime de Competência Qual o Regime de apuração adotado? 2 - Regime de Caixa Qual será a forma

Leia mais

NOVIDADES COMPLY VERSÃO 4.00

NOVIDADES COMPLY VERSÃO 4.00 NOVIDADES COMPLY VERSÃO 4.00 Página 1 de 15 Maiores informações a respeito dos assuntos destacados abaixo devem ser obtidas no Manual do Comply v4.00 disponível no Portal de Produtos. Página 2 de 15 CADASTROS

Leia mais

AUDITORIA FISCO-CONTÁBIL DAS DEMONSTRAÇÕES ELETRÔNICAS COMPLIANCE FISCAL ELETRÔNICO

AUDITORIA FISCO-CONTÁBIL DAS DEMONSTRAÇÕES ELETRÔNICAS COMPLIANCE FISCAL ELETRÔNICO AUDITORIA FISCO-CONTÁBIL DAS DEMONSTRAÇÕES ELETRÔNICAS COMPLIANCE FISCAL ELETRÔNICO Nossos serviços de auditoria das Obrigações Eletrônicas utilizam ferramentas que permitem auditar os arquivos enviados

Leia mais

- No primeiro campo informe o numero da empresa que serão copiadas as informações.(ex: 9999)

- No primeiro campo informe o numero da empresa que serão copiadas as informações.(ex: 9999) 1 2 1. Duplicação das informações de uma empresa para outra Juntamente com a instalação do sistema Office encaminhamos anexada a empresa modelo, que contem cadastros que podem ser utilizados nas empresas

Leia mais

BOLETIM INFOMATIVO PARA REVENDAS LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇAO - CORDILHEIRA VERSÃO 2

BOLETIM INFOMATIVO PARA REVENDAS LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇAO - CORDILHEIRA VERSÃO 2 BOLETIM INFOMATIVO PARA REVENDAS LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇAO - CORDILHEIRA VERSÃO 2 CORDILHEIRA RECURSOS HUMANOS CRH 2.82a Protocolo 87504 1) O reajuste salarial será calculado corretamente mesmo quando o

Leia mais

Manual De Sped Fiscal E Sped Pis / Cofins

Manual De Sped Fiscal E Sped Pis / Cofins Manual De Sped Fiscal E Sped Pis / Cofins 29/05/2012 1 O Sped fiscal e Pis/Confins é uma arquivo gerado através do sistema da SD Informática, onde este arquivo contem todos os dados de entrada e saída

Leia mais

Informações gerais sobre a EFD-PIS/COFINS

Informações gerais sobre a EFD-PIS/COFINS Informações gerais sobre a EFD-PIS/COFINS Legislação Conforme instituído pela Instrução Normativa RFB nº 1.052, de 5 de julho de 2010, sujeitam à obrigatoriedade de geração de arquivo da Escrituração Fiscal

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO TÉCNICO LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO - CORDILHEIRA VERSÃO 2

BOLETIM INFORMATIVO TÉCNICO LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO - CORDILHEIRA VERSÃO 2 BOLETIM INFORMATIVO TÉCNICO LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO - CORDILHEIRA VERSÃO 2 Cordilheira Recursos Humanos CRH 2.85A As rotinas de Retiradas de Pró-labore e Autônomos tiveram diversas alterações, com o objetivo

Leia mais

LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA

LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA (Orientamos aos clientes que utilizam banco de dados SQL, para efetuarem a atualização preferencialmente após o encerramento das atividades do dia, acessando o sistema

Leia mais

Este Procedimento Operacional Padrão define as etapas necessárias de como fazer o Cadastro de Tributos no Sistema TOTVS RM. Índice

Este Procedimento Operacional Padrão define as etapas necessárias de como fazer o Cadastro de Tributos no Sistema TOTVS RM. Índice Este Procedimento Operacional Padrão define as etapas necessárias de como fazer o Cadastro de Tributos no Sistema TOTVS RM. Índice I. Acesso ao Cadastro... 2 II. Seleção de Filtros... 3 III. Cadastro...

Leia mais

Manual do Usuário 5. EXECUTANDO OPERAÇÕES NO MENU IMPOSTO...2

Manual do Usuário 5. EXECUTANDO OPERAÇÕES NO MENU IMPOSTO...2 1 5. EXECUTANDO OPERAÇÕES NO MENU IMPOSTO...2 5.1 Digitações dos Sócios...2 5.1.1 Campo CPF...2 5.1.1.a Campo Saldo Anterior...3 5.1.1.b Campo Saldo...3 5.1.1.c Campo Isento...3 5.1.1.d Campo Tributado...3

Leia mais

Manual. EFD Contribuições

Manual. EFD Contribuições Treinamento Escrita Fiscal Material desenvolvido por: Saiba que este documento não poderá ser reproduzido, seja por meio eletrônico ou mecânico, sem a permissão expressa por escrito da Implantta Serviços

Leia mais

MANUAL DE EMISSÃO DE NFS-e

MANUAL DE EMISSÃO DE NFS-e MANUAL DE EMISSÃO DE NFS-e 130729 SUMÁRIO EMISSÃO DE NFS-E... 2 NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA... 2 ACESSANDO O SISTEMA... 2 ACESSO AO SISTEMA... 3 SELEÇÃO DA EMPRESA... 4 CONFERÊNCIA DOS DADOS E EMISSÃO

Leia mais

EFD PIS/COFINS. O que é a EFD PIS/COFINS?...2. A EFD PIS/COFINS no Cordilheira Escrita Fiscal...2. 1. Procedimentos Iniciais...2

EFD PIS/COFINS. O que é a EFD PIS/COFINS?...2. A EFD PIS/COFINS no Cordilheira Escrita Fiscal...2. 1. Procedimentos Iniciais...2 EFD PIS/COFINS SUMÁRIO O que é a EFD PIS/COFINS?...2 A EFD PIS/COFINS no Cordilheira Escrita Fiscal...2 1. Procedimentos Iniciais...2 a) Classificando as Empresas... 3 b) Conferindo os Cadastros que Influenciam

Leia mais

LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA

LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA (Orientamos aos clientes que utilizam banco de dados SQL, para efetuarem a atualização preferencialmente após o encerramento das atividades do dia, acessando o sistema

Leia mais

Sistema de Livros Fiscais Imediata

Sistema de Livros Fiscais Imediata 1 Sistema de Livros Fiscais Imediata 2 Descritivo das Rotinas Operacionais do Sistema de Livros Fiscais para geração EFD PIS/Cofins SPED Contribuições Após a instalação do Sistema de Livros Fiscais, basta

Leia mais

Escrita Fiscal Tron SPED FISCAL

Escrita Fiscal Tron SPED FISCAL 1 Escrita Fiscal Tron SPED FISCAL A Escrituração Fiscal Digital - EFD é um arquivo digital que se constitui de um conjunto de escriturações de documentos fiscais e de outras informações de interesse dos

Leia mais

Manual de documento de arrecadação GNRE

Manual de documento de arrecadação GNRE Manual de documento de arrecadação GNRE Sumário 1. Códigos de receita ICMS... 3 1.1. Cadastro dos códigos de receita... 3 1.2. Consultando a tabela de códigos de receita ICMS... 4 2. Documento de arrecadação...

Leia mais

Gerar EFD Contribuições Lucro Presumido

Gerar EFD Contribuições Lucro Presumido Gerar EFD Contribuições Lucro Presumido 1º Acesse o menu Controle, opção Parâmetros, clique na guia Impostos, e certifique-se de que estão incluídos os impostos do regime 4- Pis e 5 Cofins. Na guia Federal,

Leia mais

LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA VERSÃO 2

LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA VERSÃO 2 LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA VERSÃO 2 (Orientamos aos clientes que utilizam banco de dados SQL, para efetuarem a atualização preferencialmente após o encerramento das atividades do dia, acessando

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO WFISCAL SPED PIS COFINS. Lucro Presumido Regime de Competência Escrituração Consolidada por CFOP

MANUAL DO USUÁRIO WFISCAL SPED PIS COFINS. Lucro Presumido Regime de Competência Escrituração Consolidada por CFOP MANUAL DO USUÁRIO WFISCAL SPED PIS COFINS Lucro Presumido Regime de Competência Escrituração Consolidada por CFOP Página: 1 INTRODUÇÃO Este material traz as informações sobre as características do SPED

Leia mais

DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO

DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO 1 DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO Objetivo: Atender a Lei 12.546/2011 (Confira as principais alterações legais no fim deste tutorial). Benefícios: Conceder benefícios adicionais para as empresas de setores

Leia mais

Auditoria Financeira

Auditoria Financeira Auditoria Financeira Processo de Uso da Auditoria Financeira CADASTRO DE EMPRESA PARÂMETROS No Gerenciador de Sistemas, em Empresas\ Cadastro de Empresas, é necessário parametrizar os dados para a Auditoria

Leia mais

Ressarcimento de ICMS-ST

Ressarcimento de ICMS-ST Ressarcimento de ICMS-ST Tecinco Informática Ltda. Av. Brasil, 5256 3º Andar Centro Cascavel PR www.tecinco.com.br Sumário Introdução... 3 Planilha de Ressarcimento... 4 Relacionar Nota Fiscal de Entrada...

Leia mais

Data Cempro Informática Ltda. Integração WinLivros X ContabMilenium

Data Cempro Informática Ltda. Integração WinLivros X ContabMilenium Integração WinLivros X ContabMilenium Para configurar a integração entre os sistemas WinLivros e ContabMilenium devemos primeiramente verificar se a base de dados é integrada (se está no mesmo local) ou

Leia mais

Confira alguns dos possíveis impedimentos de validação do arquivo SPED

Confira alguns dos possíveis impedimentos de validação do arquivo SPED No validador SPED poderão ocorrer erros e/ou advertências ao importar o arquivo. As advertências não impedem a transmissão do arquivo, no entanto é importante analisar e corrigir as informações. Os erros

Leia mais

Neste bip. Como converter o arquivo CAGED para acerto. Você Sabia? Edição 52 Dezembro de 2014

Neste bip. Como converter o arquivo CAGED para acerto. Você Sabia? Edição 52 Dezembro de 2014 Neste bip Como converter o arquivo CAGED para acerto... 1 Novo modo de alterar senha de operador... 2 Novo recurso no lançamento [+ planilha]... 2 13 parcela final e SEFIP... 3 Como converter o arquivo

Leia mais

Versão 06/2012. Substituição Tributária

Versão 06/2012. Substituição Tributária Substituição Tributária 1 ÍNDICE 1. O que é a Substituição Tributária?... 3 1.1 Tipos de Substituição Tributária;... 3 1.2 Como é feito o Recolhimento da ST?... 3 1.3 Convênio e Aplicação... 3 1.4 Base

Leia mais

Agendamento para Importação de Notas Fiscais

Agendamento para Importação de Notas Fiscais LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA VERSÃO 2 (Orientamos aos clientes que utilizam banco de dados SQL, para efetuarem a atualização preferencialmente após o encerramento das atividades do dia, acessando

Leia mais

TRABALHANDO COM SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA

TRABALHANDO COM SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA TRABALHANDO COM SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA 1 Entendendo o Negócio: Substituição Tributária (ST) é um tributo criado e implementado pelas Unidades da Federação antes do advento da atual Constituição Federal,

Leia mais

ECF ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL FISCAL

ECF ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL FISCAL ECF ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL FISCAL Geração da ECF para empresas optantes pelo Lucro Presumido Informações importantes A Escrituração Contábil Fiscal é uma nova obrigação acessória, cuja primeira entrega

Leia mais

SPED PIS E COFINS SPED PIS E COFINS. Sistema Questor SPED PIS E COFINS - SPED PIS E COFINS - 0brigatoriedade. Objetivos do Curso

SPED PIS E COFINS SPED PIS E COFINS. Sistema Questor SPED PIS E COFINS - SPED PIS E COFINS - 0brigatoriedade. Objetivos do Curso Sistema Questor SPED PIS E COFINS SPED Sistema Público de Escrituração Digital EFD Escrituração Fiscal Digital Instrutor: - Jocenei Friedrich Apoio: - Sejam todos bem-vindos Objetivos do Curso Conhecer

Leia mais

AUDITORIA FINANCEIRA. No Gerenciador de Sistemas, em Empresas\ Cadastro de Empresas, é necessário parametrizar os dados para a Auditoria Financeira.

AUDITORIA FINANCEIRA. No Gerenciador de Sistemas, em Empresas\ Cadastro de Empresas, é necessário parametrizar os dados para a Auditoria Financeira. AUDITORIA FINANCEIRA Processo de uso da Auditoria Financeira CADASTRO DE EMPRESA PARÂMETROS No Gerenciador de Sistemas, em Empresas\ Cadastro de Empresas, é necessário parametrizar os dados para a Auditoria

Leia mais

Índice 1.Integração Contábil...2 2.EBS Sistema Contábil...3 2.1. Parametrizando o Cadastro da Empresa...3 2.1.1.Opções de integração...

Índice 1.Integração Contábil...2 2.EBS Sistema Contábil...3 2.1. Parametrizando o Cadastro da Empresa...3 2.1.1.Opções de integração... Índice 1.Integração Contábil...2 2.EBS Sistema Contábil...3 2.1. Parametrizando o Cadastro da Empresa...3 2.1.1.Opções de integração...3 2.1.2.Contabilização de Notas Fiscais...4 2.1.3.Agrupamento...4

Leia mais

Parâmetros. Instalação

Parâmetros. Instalação Gera Arquivo para a Receita (GeraArq 8) Este aplicativo permite gerar um arquivo para ser enviado à Receita Federal com os registros de nota/ cupons fiscais impressos pelos sistema. Instalação Para fazer

Leia mais

Elaboração e redação: Equipe de Ensino e Documentação Unidade Indústria da Construção UNIC

Elaboração e redação: Equipe de Ensino e Documentação Unidade Indústria da Construção UNIC Notas Fiscais Copyright 2014 By Softplan. Rod. José Carlos Daux, km 1, Nº 10 Centro de Tecnologia Ilhasoft - ParqTec Alfa João Paulo Florianópolis SC CEP 88030-000 Telefone: (48) 3027-8000 Homepage: http://www.softplan.com.br

Leia mais

Manual. SPED Fiscal. Treinamento Escrita Fiscal. Material desenvolvido por:

Manual. SPED Fiscal. Treinamento Escrita Fiscal. Material desenvolvido por: Treinamento Escrita Fiscal Material desenvolvido por: Saiba que este documento não poderá ser reproduzido, seja por meio eletrônico ou mecânico, sem a permissão expressa por escrito da Implantta Serviços

Leia mais

APOSTILA DE INTEGRAÇÃO CONTROLLER

APOSTILA DE INTEGRAÇÃO CONTROLLER APOSTILA DE INTEGRAÇÃO CONTROLLER A integração de dados do Controller com a contabilidade, seja com o sistema Contábil ou com qualquer outro sistema, é feita através de lotes. Os lançamentos seguem a estrutura

Leia mais

PROJECT Informática Ltda. Rua Giordano Bruno, 100 Bairro Rio Branco Porto Alegre-RS CEP 90420-150 Fone: (51) 3330-4444 Vendas: (51) 9701-2295

PROJECT Informática Ltda. Rua Giordano Bruno, 100 Bairro Rio Branco Porto Alegre-RS CEP 90420-150 Fone: (51) 3330-4444 Vendas: (51) 9701-2295 SPED FISCAL O SPED (Sistema Público de Escrituração Digital) FISCAL é um módulo opcional que está habilitado para funcionar com a versão 7 do Oryon. A licença é habilitada pelo número de série do cliente.

Leia mais

Manual Prático do MerchSintegra

Manual Prático do MerchSintegra Manual Prático do MerchSintegra Bento Gonçalves Setembro de 2010 Índice 1. Introdução... 3 2. O MerchSintegra... 4 2.1. Configurador... 4 2.2. Inconsistências... 16 2.2.1. Gerar Nota Entrada... 16 2.2.2.

Leia mais

Configuração para Contabilização Automática. Neste bip. Você Sabia? Edição 57 Maio de 2015

Configuração para Contabilização Automática. Neste bip. Você Sabia? Edição 57 Maio de 2015 Neste bip Configuração para Contabilização Automática... 1 Vale Transporte... 2 Como Programar Reajuste Salarial... 3 Contabilização da Folha... 4 Configuração para Contabilização Automática O cadastro

Leia mais

Rotina de Manifesto Destinatário Tramitador NF-e. Manual desenvolvido para Célula Nf-e Equipe Avanço Informática

Rotina de Manifesto Destinatário Tramitador NF-e. Manual desenvolvido para Célula Nf-e Equipe Avanço Informática Rotina de Manifesto Destinatário Tramitador NF-e Manual desenvolvido para Célula Nf-e Equipe Avanço Informática 1 Esclarecimentos sobre Manifestação do Destinatário 1. O que é a Manifestação do Destinatário?

Leia mais

67. As ME e EPP, optantes ou não pelo Simples Nacional, podem emitir que tipo de nota fiscal?

67. As ME e EPP, optantes ou não pelo Simples Nacional, podem emitir que tipo de nota fiscal? OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS 67. As ME e EPP, optantes ou não pelo Simples Nacional, podem emitir que tipo de nota fiscal? Nas operações de vendas a contribuinte, a Nota Fiscal, modelos 1 e 1-A ou a Nota Fiscal

Leia mais

Para facilitar o entendimento do processo de geração da DIRF 2010 nos Sistemas Cordilheira, a equipe de Suporte Técnico da EBS Sistemas

Para facilitar o entendimento do processo de geração da DIRF 2010 nos Sistemas Cordilheira, a equipe de Suporte Técnico da EBS Sistemas Para facilitar o entendimento do processo de geração da DIRF 2010 nos Sistemas Cordilheira, a equipe de Suporte Técnico da EBS Sistemas disponibilizou este pequeno manual que contém dicas importantes sobre

Leia mais

Data Versão Descrição Autor <23/08/2012> 2.0.0 Lista de Erros e Alertas 2.0 Gustavo Arguelho

Data Versão Descrição Autor <23/08/2012> 2.0.0 Lista de Erros e Alertas 2.0 Gustavo Arguelho 1. Histórico da Revisão Data Versão Descrição Autor 2.0.0 Lista de Erros e Alertas 2.0 Gustavo Arguelho ELOTECH INFORMÁTICA E SISTEMAS LTDA Página 1 de 5 LISTA DE ERROS E ALERTAS GERADOS PELO

Leia mais

EFD PIS/COFINS NOVIDADES G5 PHOENIX 1 CADASTRO DE ITENS. Foram acrescentados os seguintes campos no Cadastro de Itens:

EFD PIS/COFINS NOVIDADES G5 PHOENIX 1 CADASTRO DE ITENS. Foram acrescentados os seguintes campos no Cadastro de Itens: EFD PIS/COFINS NOVIDADES G5 PHOENIX 1 CADASTRO DE ITENS Foram acrescentados os seguintes campos no Cadastro de Itens: 1.1 Subtela Cod.Grupo Bebidas Frias. Teclando ctrl+enter neste campo o sistema abre

Leia mais

AC FISCAL MANUAL SPED ICMS & IPI

AC FISCAL MANUAL SPED ICMS & IPI AC FISCAL MANUAL SPED ICMS & IPI Esse manual tem por objetivo mostrar os campos que necessariamente devem estar preenchidos no AC Fiscal e os principais erros por conta da falta nas informações. A seguir,

Leia mais

GUIA PRÁTICO EFD-CONTRIBUIÇÕES

GUIA PRÁTICO EFD-CONTRIBUIÇÕES GUIA PRÁTICO EFD-CONTRIBUIÇÕES Maio de 2012 O QUE É A EFD-Contribuições trata de arquivo digital instituído no Sistema Publico de Escrituração Digital SPED, a ser utilizado pelas pessoas jurídicas de direito

Leia mais

Eletrônica Município do Rio de Janeiro NFS-e - Nota Carioca. www.notacarioca.rio.gov.br

Eletrônica Município do Rio de Janeiro NFS-e - Nota Carioca. www.notacarioca.rio.gov.br Nota Fiscal de Serviços Eletrônica Município do Rio de Janeiro NFS-e - Nota Carioca www.notacarioca.rio.gov.br Objetivo Apresentar na prática os procedimentos para acesso e manuseio do sistema da Nota

Leia mais

DIRF. Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte DIRF 2014. Ano Base:2013. Copyright 2013 1

DIRF. Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte DIRF 2014. Ano Base:2013. Copyright 2013 1 DIRF Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte DIRF 2014 Ano Base:2013 Copyright 2013 1 O que é DIRF? Declaração de Imposto de Renda Retido na Fonte: É a declaração feita pela FONTE PAGADORA [Empresa],

Leia mais

SPED Contribuições Pis, Cofins e INSS

SPED Contribuições Pis, Cofins e INSS Versão 6.04.00 Abril/2015 SPED Contribuições Pis, Cofins e INSS Passo a Passo: Cadastros, Configurações e Operações SPED Contribuições O SPED Contribuições é um arquivo digital instituído no Sistema Publico

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO TÉCNICO Cordilheira Recursos Humanos Versão 2 PLANO DE ASSISTÊNCIA A SAÚDE

BOLETIM INFORMATIVO TÉCNICO Cordilheira Recursos Humanos Versão 2 PLANO DE ASSISTÊNCIA A SAÚDE BOLETIM INFORMATIVO TÉCNICO Cordilheira Recursos Humanos Versão 2 PLANO DE ASSISTÊNCIA A SAÚDE Criada a rotina de Plano de Assistência a Saúde. Esta rotina irá possibilitar gerar a DIRF com valores descontados

Leia mais

CADASTROS 2013 AOB SOFTWARE

CADASTROS 2013 AOB SOFTWARE CADASTROS 2 CADASTROS Tabela de Conteúdo Cadastro de Clientes 4 Cadastro de Produtos 5 1 Cadastro... de Produtos Básico 5 2 Cadastro... de Produtos Básico + Grade de Produtos 7 3 Cadastro... de Produtos

Leia mais

Manual para DIRF. Manual de Procedimentos - WFOLHA

Manual para DIRF. Manual de Procedimentos - WFOLHA Para gerar o arquivo da DIRF, existem algumas informações importantes a serem revisadas antes de qualquer processo. Desta forma dividimos o manual em sequencias as quais estão explicadas a diante: Prazo:

Leia mais

SISTEMA DE ESCRITURAÇÃO FISCAL - SEF-PE

SISTEMA DE ESCRITURAÇÃO FISCAL - SEF-PE SISTEMA DE ESCRITURAÇÃO FISCAL - SEF-PE O arquivo digital do Sistema de Escrituração Fiscal (SEF) deve ser declarado pelos contribuintes inscritos no Cadastro de Contribuintes do Estado de Pernambuco CACEPE,

Leia mais

E&L Nota Fiscal de Serviços Eletrônica. Manual do Ambiente do Prestador de Serviços do Município

E&L Nota Fiscal de Serviços Eletrônica. Manual do Ambiente do Prestador de Serviços do Município E&L Nota Fiscal de Serviços Eletrônica Manual do Ambiente do Prestador de Serviços do Município Após receber a confirmação de aceite do Credenciamento via e-mail já é possível efetuar o login no sistema

Leia mais

ÍNDICE 1. CADASTRO ITENS...1 2. EMISSAO DE PEDIDOS E NOTAS...5 3. PEDIDO DE COMPRA...6 4. CONTRA-NOTA PRODUTOR RURAL...6

ÍNDICE 1. CADASTRO ITENS...1 2. EMISSAO DE PEDIDOS E NOTAS...5 3. PEDIDO DE COMPRA...6 4. CONTRA-NOTA PRODUTOR RURAL...6 1 ÍNDICE 1. CADASTRO ITENS...1 2. EMISSAO DE PEDIDOS E NOTAS...5 3. PEDIDO DE COMPRA...6 4. CONTRA-NOTA PRODUTOR RURAL...6 5. CADASTRO OPERAÇÕES FISCAIS (CFOP)...7 6. GERAR SINTEGRA...8 7. CONTROLE DE

Leia mais

1-Outras Informações, 2-Balanço (Ativo e Passivo), 3-DRE (Custos, Despesas e Resultado), 4- DLPA, 5-REFIS e 6-PAES.

1-Outras Informações, 2-Balanço (Ativo e Passivo), 3-DRE (Custos, Despesas e Resultado), 4- DLPA, 5-REFIS e 6-PAES. Prezado Cliente, Para exportar os dados do programa JBCepil- Windows para a -2012 (Declaração de Informações Econômico-Fiscais da Pessoa Jurídica), segue configurações abaixo a serem realizadas. Configurações

Leia mais

VARGAS CONTABILIDADE atendimento@vargascontabilidaders.com.br ORIENTAÇÃO

VARGAS CONTABILIDADE atendimento@vargascontabilidaders.com.br ORIENTAÇÃO VARGAS CONTABILIDADE atendimento@vargascontabilidaders.com.br ORIENTAÇÃO PREVIDÊNCIA SOCIAL Décimo Terceiro Salário Nesta orientação, vamos apresentar como deve ser preenchida a declaração do SEFIP Sistema

Leia mais

MANUAL DO SPED FISCAL

MANUAL DO SPED FISCAL MANUAL DO SISTEMA TOP FOR WINDOWS ESCRITA FISCAL - SKILL MANUAL DO SPED FISCAL VERSÃO 2.11 Equipe de Especialistas: Claudio Aparecido Medeiros Cristiano Besson Ederson Von Mühlen Diretor Responsável: João

Leia mais

MANUAL DO SPED FISCAL

MANUAL DO SPED FISCAL MANUAL DO SISTEMA TOP FOR WINDOWS ESCRITA FISCAL - SKILL MANUAL DO SPED FISCAL VERSÃO 2.11 Equipe de Especialistas: Claudio Aparecido Medeiros Cristiano Besson Ederson Von Mühlen Diretor Responsável: João

Leia mais

AQUISIÇÕES INTERESTADUAIS INSTRUTORA: VALÉRIA PERES

AQUISIÇÕES INTERESTADUAIS INSTRUTORA: VALÉRIA PERES AQUISIÇÕES INTERESTADUAIS INSTRUTORA: VALÉRIA PERES 1 Entradas de mercadorias de outros Estados sujeitas ao regime da substituição tributária no Rio Grande do Sul ( ICMS ST pago na Entrada ) Procedimentos

Leia mais

1998-2011 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados.

1998-2011 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados. Saiba que este documento não poderá ser reproduzido, seja por meio eletrônico ou mecânico, sem a permissão expressa por escrito da Domínio Sistemas Ltda. Nesse caso, somente a Domínio Sistemas poderá ter

Leia mais

A EMENDA CONSTITUCIONAL 87 E PARTILHA DO ICMS ENTRE OS ESTADOS O QUE VAI MUDAR PARA SUA EMPRESA

A EMENDA CONSTITUCIONAL 87 E PARTILHA DO ICMS ENTRE OS ESTADOS O QUE VAI MUDAR PARA SUA EMPRESA Meus Caros, A EMENDA CONSTITUCIONAL 87 E PARTILHA DO ICMS ENTRE OS ESTADOS O QUE VAI MUDAR PARA SUA EMPRESA Fizemos esse manual no formato - perguntas e respostas- com o objeto de ajudá-lo na emissão de

Leia mais

Entrada de Notas Fiscais de Serviço pela Rotina de Materiais. Manual desenvolvido para Célula Fiscal Equipe Avanço Informática

Entrada de Notas Fiscais de Serviço pela Rotina de Materiais. Manual desenvolvido para Célula Fiscal Equipe Avanço Informática Entrada de Notas Fiscais de Serviço pela Rotina de Materiais Manual desenvolvido para Célula Fiscal Equipe Avanço Informática 1 A Rotina de lançamento de Notas Fiscais de Serviço foi alterada, agora os

Leia mais

Manual para geração do SINTEGRA Março/ 2010

Manual para geração do SINTEGRA Março/ 2010 As instruções que se seguem referem-se a geração do arquivo SINTEGRA para a Radio Extra. É importante esta informação pois as exigibilidades do SINTEGRA variam de acordo com tributação estadual incidente

Leia mais

NOVO MÓDULO PATRIMÔNIO

NOVO MÓDULO PATRIMÔNIO NOVO MÓDULO PATRIMÔNIO 1 PARÂMETROS 1.1 Aba Geral 1. No quadro Período, no campo: Observação: Após ser efetuado o cálculo de qualquer período, o campo Inicial, não poderá mais ser alterado. Inicial, informe

Leia mais

NOTA FISCAL DE SERVIÇO ELETRÔNICA (NFS-e) Manual de Envio de RPS em Lote (Arquivo XML / ABRASF Versão 1.0)

NOTA FISCAL DE SERVIÇO ELETRÔNICA (NFS-e) Manual de Envio de RPS em Lote (Arquivo XML / ABRASF Versão 1.0) Manual de Envio de RPS em Lote (Arquivo XML / ABRASF Versão 1.0) Página 2 de 15 Índice ÍNDICE... 2 1. INTRODUÇÃO... 3 1.1. MANUAL COM O LAYOUT DO MODELO NACIONAL... 3 1.2. EXEMPLO... 3 2. ENVIANDO UM ARQUIVO

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Transferência de Crédito de ICMS de Fornecedor Optante do Simples Nacional

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Transferência de Crédito de ICMS de Fornecedor Optante do Simples Nacional 09/01/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4 3.1 Transferência de Crédito do ICMS pelos Optantes do... 4 3.2 Do Ressarcimento

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ELETRÔNICO DE CÁLCULO DO ICMS DEVIDO POR SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA NAS OPERAÇÕES SUBSEQUENTES

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ELETRÔNICO DE CÁLCULO DO ICMS DEVIDO POR SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA NAS OPERAÇÕES SUBSEQUENTES ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA Diretoria de Administração Tributária Gerência de Sistemas e Informações Tributárias Sistema de Administração Tributária (SAT) Gerência de Substituição

Leia mais

Digitação de Centros de Custo pela movimentação de produtos dos documentos fiscais (Pacotes: 3102,3103,3270,3271,3272).

Digitação de Centros de Custo pela movimentação de produtos dos documentos fiscais (Pacotes: 3102,3103,3270,3271,3272). Lista completa das atualizações JBCepil: Inovações: Digitação de Centros de Custo pela movimentação de produtos dos documentos fiscais (Pacotes: 3102,3103,3270,3271,3272). Disponibilizada no sistema nova

Leia mais

Av. Padre Claret, 146 Conj. 503 Centro Esteio/ RS Fone/ Fax: (51) 3033-6663 www.maxce.com.br

Av. Padre Claret, 146 Conj. 503 Centro Esteio/ RS Fone/ Fax: (51) 3033-6663 www.maxce.com.br PARÂMETROS DE LANÇAMENTOS PARAMETRIZAÅÇO PARA O MÉDULO LANÅAMENTOS NO SISTEMA ARQUIVO > LANÅAMENTOS > PARÑMETROS E CONFIGURAÅÖES PREENCHIMENTO DAS GUIAS: 1. GUIA IMPOSTOS: a) Contas relacionadas à apuração

Leia mais

MANUAL SPED(EFD) PIS-COFINS

MANUAL SPED(EFD) PIS-COFINS MANUAL SPED(EFD) PIS-COFINS O que é SPED? É um arquivo de texto que detalha todas as movimentações fiscais da empresa em um determinado período, listando todas as operações de compra (Notas de compra)

Leia mais

FECHAMENTO FISCAL ENTRADAS

FECHAMENTO FISCAL ENTRADAS FECHAMENTO FISCAL ENTRADAS FECHAMENTO FISCAL - ENTRADAS LOGIX 10.02/11 Versão 1.0 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 1.1 Principais Mudanças... 3 1.2 Fluxo dos relacionamentos... 3 1.3 Relação dos programas do

Leia mais

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA (NFS-e)

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA (NFS-e) Manual da Declaração Eletrônica de Serviços de Instituições Financeiras (DES-IF) Todos os dados e valores apresentados neste manual são ficticios. Qualquer dúvida consulte a legislação vigente. Página

Leia mais

Copyright 2004/2014 - VLC

Copyright 2004/2014 - VLC Escrituração Fiscal Manual do Usuário Versão 7.2 Copyright 2004/2014 - VLC As informações contidas neste manual são de propriedade da VLC Soluções Empresariais Ltda., e não poderão ser usadas, reproduzidas

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Estorno Crédito ICMS por Saída Interna Isenta ICMS em MG

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Estorno Crédito ICMS por Saída Interna Isenta ICMS em MG 06/11/2013 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas Pelo Cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão... 8 5. Informações Complementares... 8 6. Referências...

Leia mais

Manual Ciaf NFC-e Gratuito. Cadastro de Clientes 2 Cadastro de Produtos 4 Caixa Diário 9 Cadastro de formas de Pagamento NFCe 13 Emissão NFC-e 17

Manual Ciaf NFC-e Gratuito. Cadastro de Clientes 2 Cadastro de Produtos 4 Caixa Diário 9 Cadastro de formas de Pagamento NFCe 13 Emissão NFC-e 17 Manual Ciaf NFC-e Gratuito Cadastro de Clientes 2 Cadastro de Produtos 4 Caixa Diário 9 Cadastro de formas de Pagamento NFCe 13 Emissão NFC-e 17 1 Cadastro de Clientes Nesta opção iremos armazenar no sistema

Leia mais

Tutorial contas a pagar

Tutorial contas a pagar Tutorial contas a pagar Conteúdo 1. Cadastro de contas contábeis... 2 2. Cadastro de conta corrente... 4 3. Cadastro de fornecedores... 5 4. Efetuar lançamento de Contas à pagar... 6 5. Pesquisar Lançamento...

Leia mais

Projetos da Receita Federal

Projetos da Receita Federal Escrituração Fiscal Digital - EFD Projetos da Receita Federal A Escrituração Fiscal Digital - EFD é um arquivo digital, que se constitui de um conjunto de escriturações de documentos fiscais e de outras

Leia mais

Emissão de Nota Fiscal de Serviço Eletrônica

Emissão de Nota Fiscal de Serviço Eletrônica Emissão de Nota Fiscal de Serviço Eletrônica Introdução A emissão de Nota Fiscal de Serviço Eletrônica traz ao cliente TTransp a possibilidade de documentar eletronicamente as operações de serviço prestadas

Leia mais

Para gerar o arquivo do SPED PIS/COFINS com sucesso são necessárias algumas parametrizações e lançamentos.

Para gerar o arquivo do SPED PIS/COFINS com sucesso são necessárias algumas parametrizações e lançamentos. Para gerar o arquivo do SPED PIS/COFINS com sucesso são necessárias algumas parametrizações e lançamentos. 1. No cadastro de empresas 1.1. Informar o regime de apuração dos impostos 1.1.1. LUCRO PRESUMIDO

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Diferencial de alíquota para produtos com destino industrialização

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Diferencial de alíquota para produtos com destino industrialização Segmentos industrialização 09/01/2014 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão... 7 5. Informações Complementares...

Leia mais

Fevereiro/ 2015. Santa Catarina ARQUIVO ELETRÔNICO SCANC; São Paulo. Minas Gerais. Santa Catarina

Fevereiro/ 2015. Santa Catarina ARQUIVO ELETRÔNICO SCANC; São Paulo. Minas Gerais. Santa Catarina Fevereiro/ 2015 02 a)contribuintes optantes pelo Simples Nacional - Diferencial de alíquotas- FG de Novembro/2014; b)simples NACIONAL Pagamento Antecipado na entrada no Estado de de mercadorias sujeitas

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA PREENCHIMENTO DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE IMPORTAÇÃO

ORIENTAÇÕES PARA PREENCHIMENTO DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE IMPORTAÇÃO ORIENTAÇÕES PARA PREENCHIMENTO DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE IMPORTAÇÃO 1. Introdução: Toda mercadoria procedente do exterior, importada a título definitivo ou não, sujeita ou não ao pagamento do imposto

Leia mais

LAY-OUT ARQUIVOS DE INTEGRAÇÃO (Notas Fiscais e CTRC)

LAY-OUT ARQUIVOS DE INTEGRAÇÃO (Notas Fiscais e CTRC) EMPRESA: LAY-OUT ARQUIVOS DE INTEGRAÇÃO (Notas Fiscais e CTRC) NOME DO ARQUIVO Existem dois nomes possíveis: um para as notas de saída e outro para as notas de entrada. - Saídas : O nome do arquivo deve

Leia mais

DIFERENCIAL DE ALÍQUOTA - Hipóteses de Incidência, Cálculo e Formas de Recolhimento. Matéria elaborada com base na Legislação vigente em: 06.10.2011.

DIFERENCIAL DE ALÍQUOTA - Hipóteses de Incidência, Cálculo e Formas de Recolhimento. Matéria elaborada com base na Legislação vigente em: 06.10.2011. DIFERENCIAL DE ALÍQUOTA - Hipóteses de Incidência, Cálculo e Formas de Recolhimento Matéria elaborada com base na Legislação vigente em: 06.10.2011. SUMÁRIO: 1 INTRODUÇÃO 2 HIPÓTESES DE INCIDÊNCIA 2.1

Leia mais

EFD PIS COFINS ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL

EFD PIS COFINS ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL EFD PIS COFINS ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL 1. INTRODUÇÃO Este artigo tem por objetivo trazer considerações relevantes quanto a dados inerentes à Escrituração Fiscal Digital da Contribuição para o PIS/Pasep

Leia mais

Prefeitura Municipal de Barra Mansa

Prefeitura Municipal de Barra Mansa Prefeitura Municipal de Barra Mansa Manual de Envio de RPS em Lote (Arquivo XML / ABRASF Versão 1.0) Sistema desenvolvido por Tiplan Tecnologia em Sistema de Informação. Todos os direitos reservados. http://www.tiplan.com.br

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES EVENTOS DE MANIFESTAÇÃO DO DESTINATÁRIO

PERGUNTAS FREQUENTES EVENTOS DE MANIFESTAÇÃO DO DESTINATÁRIO PERGUNTAS FREQUENTES EVENTOS DE MANIFESTAÇÃO DO DESTINATÁRIO 1. O que é um evento da Nota Fiscal Eletrônica NF-e? É qualquer fato relacionado com uma NF-e, normalmente ocorrido após a sua respectiva autorização

Leia mais