PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET"

Transcrição

1 FACULDADE DE BAURU PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET BAURU - SP

2 Sumário 1 - INFORMAÇÕES SOBRE A REGIÃO DE INFLUÊNCIA DO CURSO Inserção Regional Necessidade de um Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet na região INFORMAÇÕES SOBRE A IES Mantenedora Mantida Dirigentes da Faculdade Bauru SOBRE O CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET 3.1 Considerações Gerais Habilitação e Regulamentação da Profissão Certificações e Diplomação Aspectos Legais e Diretrizes Curriculares IDENTIFICAÇÃO DO CURSO PERFIL DO CURSO ATIVIDADES DO CURSO PERFIL DO EGRESSO Competências Gerais Competências Específicas Dados Gerais do Curso FORMAS DE ACESSO REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DO PERFIL DO CURSO 17 2

3 10 - ESTRUTURA DO CURSO E CONTEÚDO CURRICULAR CURRÍCULO (componentes curriculares, atividades e carga horária; ementas dos componentes curriculares, e bibliografia, básica e complementar) 11 - COERÊNCIA DO CURRÍCULO COM OS OBJETIVOS DO CURSO Coerência do currículo com o perfil desejado do egresso Adequação da metodologia do processo do ensino e da 54 aprendizagem 11.3 Da avaliação e do desempenho escolar Interrelação dos componentes curriculares na concepção e 57 execução do currículo 11.5 Dimensionamento da carga horária dos componentes curriculares Adequação das ementas e programas das unidades de estudo Adequação e atualização da bibliografia Coerência do corpo docente e do corpo técnico-administrativo com a proposta curricular Coerência dos recursos materiais específicos (Laboratórios e Instalações Específicas, Equipamentos e Materiais) do curso com a 60 proposta curricular Estratégicas de Flexibilização Curricular Coerência dos procedimentos de avaliação da aprendizagem do aluno com a concepção do curso 12 AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO Metodologia de auto-avaliação do curso e do processo do ensino e aprendizagem Articulação da auto-avaliação do curso com auto-avaliação institucional 13 - ESTÁGIO SUPERVISIONADO POLÍTICAS, DIRETRIZES, NORMAS TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) ATIVIDADES COMPLEMENTARES CORPO DOCENTE Titulação do corpo docente Regime de trabalho do corpo docente Experiência profissional do corpo docente Experiência Profissional no Magistério Superior 67 3

4 17 COLEGIADO DE CURSO OU EQUIVALENTE Funcionamento do colegiado de curso ou equivalente Ações do colegiado de curso relativas ao PPC Ações do colegiado de curso papel administrativo NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE - NDE ATRIBUIÇÕES DO COORDENADOR DE CURSO SERVIÇOS TÉCNICOS E ADMINISTRATIVOS DE APOIO DISCENTE / 70 DOCENTE 20.1 Sistema de Acompanhamento e Orientação Pedagógica Sistema de Monitoria Técnico Administrativo RECURSOS MATERIAIS Infraestrututa física Infraestrutura Planejada para Portadores de Necessidades 73 Especiais (Portaria Ministerial 1679/99) 21.3 Laboratórios e Outros Recursos 73 4

5 1 INFORMAÇÕES SOBRE A REGIÃO DE INFLUÊNCIA DO CURSO 1.1 Inserção Regional A cidade de Bauru se tornou ao longo da história recente um polo comercial e estudantil que atrai milhares de pessoas as mais variadas oportunidades de trabalho e desenvolvimento nas atividades diretas e indiretas envolvendo estas atividades. A atividade econômica principal dos municípios que caracterizam a área de influência é o comercio e certa produção industrial. A importância política, econômica, social, cultural e educacional da região dispensa maiores detalhes, não somente pela concentração populacional, industrial e de consumo, mas também pelas atividades qualitativas que nos desenvolve mais variados setores, empregando em alguns casos tecnologia de ponta. 1.2 Necessidade de um Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet na região As crescentes transformações da sociedade contemporânea determinadas pelo avanço da industrialização e impulsionadas pelo desenvolvimento da ciência e da tecnologia acarretam mudanças no ensino de computação, lançando novos desafios às instituições que se envolvem diretamente nesse processo. A área de informática é uma das que mais cresceram nos últimos anos. Com isso, o mercado, de modo geral, procurou adquirir uma tecnologia que satisfaça suas exigências e também profissionais que operam e que compreendam tais tecnologias. Desta forma, houve uma grande preocupação por parte das IES em organizar e criar cursos superiores que visam formar tal profissional a fim de suprir esta carência. A Faculdade de Bauru oferece em suas instalações dois cursos voltados à área de informática: Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet e Tecnologia em Redes de Computadores. 5

6 A informática, por se tratar de uma área multidisciplinar, envolve grandes setores na sociedade, servindo de suporte no auxílio de tomadas de decisões e também na manipulação de grandes quantidades de informações. Podem-se citar como exemplos: monitoramentos de aparelhos médicos e hospitalares, cálculos de previsões de tempo, projeções econômicas, manipulação e gerenciamento de banco de dados e Redes de computadores, editores de textos, aplicações multimídias, animações e computação gráfica, informática educativa entre outras; e vale-se arriscar que não existirá profissional, atuando no mercado de trabalho, que não possua os conhecimentos mínimos necessários voltados à tecnologia, pois será uma questão de sobrevivência e competitividade. Com isso, formar um profissional da área consiste em adequá-lo a este mercado de trabalho no qual não só conhecimentos tecnológicos serão adquiridos, mas também ética e competência, tornando-o apto para uma sociedade cada vez mais exigente. Do ponto de vista educacional, além da influência que a educação vem recebendo da Informática, é necessário repensar o paradigma formativo estabelecido: as instituições de ensino superior formavam os profissionais para permanecer por um longo período no emprego, uma vez que o mercado de trabalho exigia aquele tipo de profissional. No entanto, com essas transformações, o profissional necessita estudar sempre, atualizando constantemente seus conhecimentos e preparando-se para atuar em diferentes áreas e funções de forma competitiva, obrigando os centros formadores a repensarem nos seus cursos e, sobretudo, a assumirem uma educação continuada como um fator estratégico dentro de sua estrutura. A Faculdade de Bauru adequando se a esse cenário, criou o Curso de Tecnólogo em Sistemas para Internet como um passo fundamental da nova estratégia educacional. A implantação do Curso de Sistemas para Internet é parte da visão estratégica da educação que a Faculdade de Bauru tem para colaborar na capacitação dos profissionais que já estão atuando no mercado ou que pretendem a inserção nesse mercado competitivo, possibilitando um constante aprimoramento de suas atividades. 6

7 O Curso de Sistemas para Internet busca a construção/ampliação de conhecimentos que visam ao atendimento das necessidades dos mais diversos segmentos do mercado e para isso são estruturados ouvindo-se pesquisadores, especialistas e empresários visando a pertinência de seu conteúdo com os reais anseios da sociedade. 2 INFORMAÇÕES SOBRE A IES 2.1 Mantenedora Razão Social: Instituto Educacional do Estado de São Paulo IESP CNPJ: / Endereço: Rua Álvares Penteado nº 139 / 180 / 184 / Centro - São Paulo/SP CEP: Telefone: (11) Fax: (11) Site: O Instituto Educacional do Estado de São Paulo - IESP é uma holding que administra 25 Faculdades Isoladas no Estado de São Paulo. Nesses onze anos de existência, a IESP pautou sua atuação tendo como base os conceitos de vocação para o ensino, sob uma "Educação Solidária" ministrada nas mais diversas áreas, cursos e habilitações. Sua missão é proporcionar à população do Estado de Bauru a oportunidade de ingressar no ensino superior, por meio de convênios firmados com instituições de renome, parcerias, Programas e Projetos Sociais. 2.2 Mantida Nome: Faculdade de Bauru Endereço: Rua Anhanguera 9-19 Vila Silva Pinto Bauru/SP CEP: Fone: (14) / 7

8 2.3 Dirigentes da Faculdade Bauru Diretor Geral: Marcos Akira Ueda Coordenador do Curso: Miguel José das Neves 3 SOBRE O CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET 3.1 Considerações Gerais O Curso Tecnológico em Sistemas para Internet da Faculdade de Bauru atua de acordo com legislação vigente e orientações da Sociedade Brasileira de Computação SBC. 3.2 Habilitação e Regulamentação da Profissão A grande contribuição para o desenvolvimento do país das atividades desenvolvidas pelo Tecnólogo em Sistemas para Internet, fez com que esse profissional passasse a ter a sua atuação em destaque no cenário comercial de todas as organizações existentes do mercado atual, tendo seu reconhecido papel no desenvolvimento de várias áreas da sociedade envolvendo questões empresariais, educacionais e outras. 3.3 Certificações e Diplomação De acordo com a legislação de 2002, e com o Parecer CNE/CES N. o 8

9 Vale de novo destacar que a um conjunto articulado de com et ncias a crit rio da nstitui o o ertante oder corres onder um certi icado intermedi rio ca acitando o estudante a desempenhar determinadas atividades es ec icas no mundo do tra al o conclus o do urso isto a aquisi o da totalidade das com et ncias de uma dada modalidade con erir um di loma de urso u erior de ecnolo ia ecn lo o Para os discentes concluintes, com aproveitamento dos módulos abaixo especificados será expedido Certificado de Técnico em: Módulo I Computadores) Módulo II Modulo III Modulo IV Modulo V (Certificado em Configuração e Manutenção de Redes e (Certificado em Banco de Dados e E-commerce) (Certificado em Design Gráfico) (Certificado em Programação Web) (Desenvolvimento de Projeto) exp 3.4 Aspectos Legais e Diretrizes Curriculares A elaboração do Projeto Pedagógico do Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet teve como referências legais o Decreto N o , de 9 de maio de 2006, a Resolução CNE/CP 3, de 18 de dezembro de 2002, que institui as Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais para a organização e o funcionamento dos cursos superiores de tecnologia, o Parecer CNE/CES 436/2001, homologado em 05/04/2001, que versa sobre Cursos Superiores de Tecnol Catálogo Nacional de Cursos Superiores de Tecnologia, versão

10 O Parecer 5.773/2006 trata na Seção III da Autorização, do Reconhecimento e da Renovação de Reconhecimento de Curso Superior, estabelecendo no Art. 42 que a autorização, o reconhecimento e a renovação de reconhecimento de cursos superiores de tecnologia terão por base o catálogo de denominações de cursos publicado pela Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. Pela Resolução CNE/CP 3, de 18 de dezembro de 2002, a educação profissional de nível tecnológico objetiva garantir aos cidadãos o direito à aquisição de competências profissionais que os tornem aptos para a inserção em setores profissionais nos quais haja utilização de tecnologias. O Art. 5 o da Resolução CNE/CP 3 estabelece que os cursos superiores de tecnologia poderão ser organizados por módulos que correspondam a qualificações profissionais identificáveis no mundo do trabalho, no sentido de viabilizar a certificação de Qualificação Profissional de Nível Tecnológico. Assim, em cada módulo, o aluno pode desenvolver um conjunto de competências que o qualificam para a atuação profissional em um determinado segmento das áreas de atuação global. De acordo, ainda, com a Resolução CNE/CP 3, os planos ou projetos pedagógicos aprovação legislação em vigor, devem conter, pelo menos, os seguintes itens: I Perfil do curso (Justificativa); II Atividades do curso (Atividades complementares); III - perfil do Egresso; IV forma de acesso ao curso; V Representação gráfica do perfil do curso; VI Sistema de avaliação do processo de ensino aprendizagem; VII Trabalho de conclusão de curso; VIII Estágio curricular; 10

11 IX Ato autorizativo anterior ou ato de criação; XI Política de atendimento a portadores de necessidades especiais. O Catálogo Nacional de Cursos Superiores de Tecnologia estabelece os requisitos necessários à atuação do profissional, a carga horária mínima (2000 h) e a Infraestrutura recomendada para o curso. 4 - IDENTIFICAÇÃO DO CURSO Denominação: Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Total de Vagas Anuais: Número de Alunos por Turma: Turnos de funcionamento: Regime de Matrícula: Carga Horária Total: Integralização da carga horária do curso: limite mínimo e máximo: Forma de Ingresso: 100 por semestre As turmas têm, no máximo, 70 alunos, nas aulas teóricas. Nas atividades práticas, as turmas são subdivididas, segundo a metodologia adotada. O curso de Tecnologia em Sistemas para Internet funciona no período noturno. Caso não haja preenchimento das vagas opcionalmente será oferecido no período matutino ou vespertino. Regime de matrícula: Semestral O currículo pleno do curso ministrado pela Faculdade de Bauru tem carga horária total de 2066 horas-atividade. Acrescentando o Estágio (200h) e as Atividades Complementares (200 h), a carga horária total do Curso é de horas. O curso é oferecido com a duração de 2,5 anos, em 5 semestres letivos. O prazo máximo para a integralização do curso será de 10 semestres, cumprindo, também, a citada legislação. O processo seletivo ocorre por meio de prova tradicional ou agendada e ocorre duas vezes ao ano. 11

12 5 PERFIL DO CURSO A tecnologia da informação é um dos principais fatores que incentiva muitas mudanças sociais, políticas e econômicas. A informação é o sustentáculo para que empresas tomem decisões e cresçam em seus negócios. As empresas, de modo geral, precisam se adaptar a essa realidade e, para isso, necessitam de profissionais cada vez mais capacitados e preparados para atuarem neste mercado competitivo. Neste contexto, a área de Sistemas para Internet, aparece com caráter estratégico propondo a formação de profissionais capazes de atuarem com os novos paradigmas desenvolvendo habilidades para criar e organizar situações no mercado computacional. Atender à demanda das empresas, oferecendo aos mercados profissionais especializados e atualizados, seguindo as normas internacionais de padronização de meios de transmissão de dados que, com competência, detenham o saber-fazer relativo a Sistemas para Internet. Formar cidadãos éticos e de espírito empreendedor, com as características de criatividade, versatilidade e habilidade intelectual para novas tecnologias. É nessa necessidade que desenvolvemos o Tecnólogo em Sistemas para Internet, buscando as seguintes atividades: Embasar o aluno com conceitos em arquitetura de sistemas operacionais, linguagem e técnica de programação, arquitetura de computadores e sistemas operacionais de Redes. Prestar suporte técnico; Administrar e projetar banco de dados para internet; Desenvolver e manter sistemas voltados a e-commerce; 12

13 6 ATIVIDADES DO CURSO A relação teoria/prática, como princípio integrador do ensino, fundamenta-se nas mais avançadas teorias de ensino e aprendizagem, cuja formação prevê um profissional competente nos atributos de sua profissão. Esta relação detém uma metodologia de ensino que a prática se associa aos conceitos teóricos, numa simbiose com dimensão que perpassa os antigos conceitos desarticulados da prática versus teoria. Desta forma o curso incentivará a participação do estudantes em atividades que contemplem um aprenizado humano ao tecnico existente no curso, provocando a participação em eventos culturais e desenvolvimentos de atividades diversas do saber onde os mesmo poderão completar o aprendizado como ser humano inserido na sociedade. 7 PERFIL DO EGRESSO O perfil do profissional a ser formado deve observar a evolução tecnológica, a globalização e abrangência dos mercados, o contínuo desenvolvimento dos produtos e serviços, o evidente aumento da produtividade, e a consequente necessidade do aperfeiçoamento permanente dos recursos humanos, adequando-os ao mercado competitivo que se nos apresenta. O desenvolvimento de conhecimentos, quesitos considerados fundamentais na formação do profissional moderno e competitivo, tomou lugar da educação voltada à informação. Os fatos enumerados tornaram a valorização do trabalho intelectual como fator determinante na rápida modernização da força do trabalho. O Curso de Sistemas para Internet traz a possibilidade de atualização profissional não só aos jovens egressos do ensino médio, como também ao profissional que já exerce atividade e que não possui 13

14 formação superior por não ter tido, no passado, a oportunidade ou a necessidade. Também atende ao profissional às vezes já graduado em outras áreas do conhecimento, que deseja convergir para uma nova atividade, ou ainda, aqueles que estão buscando um enfoque abrangente em sua área de atuação. O tecnólogo em Sistemas para Internet ocupa-se do desenvolvimento de programas, de interfaces e aplicativos, do comércio e do marketing eletrônicos, além de páginas e portais para internet e intranet. Este profissional gerencia projetos de sistemas, inclusive com acesso a banco de dados, desenvolvendo projetos de aplicações para a rede mundial de computadores e integra mídias nas páginas da internet. Este profissional atua com tecnologias emergentes como: computação móvel, redes sem fio e sistemas distribuídos. Cuidar da implantação, atualização, manutenção e segurança dos sistemas para internet também são suas atribuições. 7.1 Competências Gerais Em concordância com as diretrizes curriculares dos cursos de graduação em tecnologia, necessidades e tendências de mercado, o Tecnólogo em Sistemas para Internet da Faculdade de Bauru, será orientado para atuar no desenvolvimento, configuração, especificação, operação, manutenção e gerenciamento de Sistemas para Internet. Dentro deste contexto, o projeto educacional está orientado pelas seguintes características desejáveis no perfil do tecnólogo em Sistemas para Internet a ser formado: Analisar e solucionar problemas em sistemas para Internet; Configurar sistemas para Internet para diferentes aplicações; Avaliar e implementar políticas de segurança em sistemas para Internet; Analisar e avaliar os impactos ambientais e econômicos das soluções propostas, orientando-se pelos princípios da ética profissional e da responsabilidade social; 14

15 Sob a supervisão e direção de engenheiros pode realizar produções técnicas especializadas. Aplicar melhorias e inovações tecnológicas nos sistemas para Internet, propondo e implantando novas técnicas; Elaborar orçamentos; Atuar na consultoria de serviços em sistemas para Internet; Conduzir trabalhos técnicos em equipes. 7.2 Competências Específicas Realizar estudos de controle de qualidade, comercialização, instalação, otimização, manutenção em sistemas para Internet; Empregar ferramentas matemáticas e físicas para entender qual a mais adequada estrutura física para a implementação de sistemas para Internet; Acompanhar o desenvolvimento tecnológico na área de sistemas para Internet e das tecnologias agregadas a este campo do conhecimento, organizando-os e disponibilizando-os para a comunidade; Participar da elaboração, modificação, avaliação, verificação da adequação e cumprimento de normas relacionadas a sistemas para Internet; Participar e conduzir grupos de trabalho nas empresas, atuando na gestão de recursos humanos e processos; Compreender como, instalar, configurar, manter e operar sistemas para Internet. 7.3 Dados Gerais do Curso - 65 horas (atende CNCST) + (200 horas de Estágio Curricular horas de Atividades Complementares) - Duração da hora/aula: 50 minutos; - Período letivo: semestral, mínimo de 100 dias letivos (20 semanas); 15

16 - Prazo de integralização: mínimo: 2,5 anos (5 semestres) e máximo: 5 anos (10 semestres); - Regime de Matrícula: Conjunto de disciplinas; - Forma de Acesso: Classificação em Processo Seletivo Vestibular É realizado em uma única fase, com provas das disciplinas do núcleo comum do ensino médio ou equivalente, em forma de testes objetivos ou uma redação. Normas Legais: A Composição Curricular do Curso está regulamentada na Resolução CNE/CP nº 03/2002, que institui as Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais para a organização e o funcionamento dos cursos superiores de tecnologia. A Carga Horária estabelecida para o Curso, na Portaria nº 10, de 28 de julho de 2006, que aprova, em extrato, o Catálogo Nacional dos Cursos Superiores de Tecnologia. O Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet, pelo Catálogo Nacional de Cursos Superiores de Tecnologia, pertence ao Eixo Tecnológico da Informação e Comunicação e propõe uma carga horária total de horas. A carga horária de horas/aula corresponde a um total de horas de atividades, mais 200 horas de Estágio Curricular, mais 200 h de Atividades Complementares, num total de horas, contemplando assim o disposto na legislação. A apresentação do Trabalho de Conclusão do Curso é obrigatória para a conclusão do Curso e o tema que trata da Educação das Relações Étnico-Raciais e Políticas de Educação Ambiental estão contemplados transversalmente no quinto período, na disciplina Direito da Informática. 16

17 8 FORMAS DE ACESSO O acesso ao curso se dá através de vestibular tradicional ou agendado. 9 REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DO PERFIL DO CURSO Módulo Projetos 17

18 10 ESTRUTURA DO CURSO E CONTEÚDO CURRICULAR 10.1 CURRÍCULO (componentes curriculares, atividades e carga horária; ementários dos componentes curriculares, e bibliografia, básica e complementar) O Curso em Tecnológico em Sistemas para Internet da Faculdade de Bauru procura por meio da Coordenação e do NDE Núcleo Docente Estruturante a manterse sempre atualizado e em consonância com o mercado de trabalho. As estruturas curriculares são compostas com o intuito de proporcionar flexibilidade, estimular o espírito crítico e científico e orientá-lo nas práticas do saber. A Composição Curricular do Curso está regulamentada na Resolução CNE/CP nº 03/2002, que institui as Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais para a organização e o funcionamento dos cursos superiores de tecnologia. A Carga Horária estabelecida para o Curso, na Portaria nº 10, de 28 de julho de 2006, que aprova, em extrato, o Catálogo Nacional dos Cursos Superiores de Tecnologia. O Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet, pelo Catálogo Nacional de Cursos Superiores de Tecnologia, pertence ao Eixo Tecnológico da Informação e Comunicação e propõe uma carga horária total de horas. A carga horária de horas/aula corresponde a um total de horas de atividades, mais 200 horas de Estágio Curricular, mais 200h de Atividades Complementares, num total de horas, contemplando assim o disposto na legislação. Os conteúdos a serem trabalhados nos cursos oferecidos pela Faculdade de Bauru são selecionados a partir da filosofia, princípios, objetivos e metas a serem alcançados e adequar-se-ão à natureza específica do curso oferecido e definidos pelo trabalho conjunto da Coordenação, NDE e com o corpo docente. 18

19 Este trabalho conjunto encaminha a vida acadêmica, planejando os diferentes conteúdos programáticos, para que os mesmos venham conferir uma base sólida de sustentação ao plano evolutivo da construção de conhecimentos, habilidades, hábitos, atitudes e valores, em cada um dos cursos da Faculdade. Para isso, dentro de uma orientação global, toma como base as Diretrizes Curriculares e os Padrões de Qualidade referentes a cada curso, bem como informações conceituais, reflexões e discussões levadas a efeito em reuniões e eventos de cada uma das áreas. O planejamento do ensino-aprendizagem constitui-se em um dos processos pedagógico-administrativos de singular importância na organização, sendo que, a partir da sua concretização prática nas salas de aulas e outros ambientes especiais, poderão ser alcançados os objetivos, as metas propostas para cada curso e concretizada a missão institucional. As questões ligadas às relações étnico-raciais e afrodescendentes e ambientais estão previstas e inclusas na disciplina Direito da Informática e atividades curriculares do curso, sendo trabalhadas numa abordagem interdisciplinar, ou seja, proporcionando aos alunos ampliar a visão através de discussões que vão além dos conteúdos das disciplinas. Em observância do Decreto 5.626/2005, é oferecida disciplina de LIBRAS como componente curricular optativo no Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet, com carga horária de 40 horas. É proposta, principalmente, com o objetivo de oportunizar vivências em que os estudantes construam conhecimentos básicos sobre os sinais que compõem a LIBRAS e propor reflexões sobre a Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva e o Decreto 5.626/2005. O Curso Tecnológico em Sistemas para Internet da Faculdade de Bauru tem uma concepção modular de acordo com a estrutura proposta abaixo: 19

20 COMPONENTES CURRICULARES 1º MÓDULO - Certificado em Configuração e Manutenção de Redes e Computadores COMPONENTES CURRICULARES CH Semanal Presencial Total Semestral Hora Relógio Instalação e Configuração de Redes Inglês Instrumental Empreendedorismo Instalação e Manutenção de Computadores Sistemas Operacionais Projeto Integrador I SUBTOTAL ,33 2º MÓDULO - Certificado em Banco de Dados e E-commerce COMPONENTES CURRICULARES CH Semanal Presencial Total Semestral Hora Relógio Conceito de Banco de Dados Linguagem de Banco de dados Segurança da Informação Analise e Modelagem de Dados Gestão da Qualidade Projeto Integrador II SUBTOTAL ,33 20

21 3º MÓDULO - Certificado em Design Gráfico COMPONENTES CURRICULARES CH Semanal Presencial Total Semestral Hora Relógio Design Gráfico Laboratório de Design Gráfico Animação Gráfica Laboratório Animação Gráfica Propaganda e Marketing ,66 Projeto Integrador III SUBTOTAL ,33 4º MÓDULO - Certificado em Programação Web COMPONENTES CURRICULARES CH Semanal Presencial Total Semestral Hora Relógio Linguagem para Aplicações Internet I Linguagem para Aplicações Internet II Banco de Dados Para Internet Programação Para Redes Móveis Fundamentos de WEB (HTML-CSS-J. Script) Projeto Integrador IV SUBTOTAL ,33 21

22 5º MÓDULO - Desenvolvimento de Projeto COMPONENTES CURRICULARES CH Semanal Presencial Total Semestral Hora Relógio Projeto de Sistemas WEB Laboratório de Projetos de Sistemas WEB Metodologia e Desenvolvimento de Projetos ,66 Direito da Informática Projeto Integrador V SUBTOTAL ,33 TOTAL DO CURSO ,65 RELAÇÃO DE COMPONENTES CURRICULARES OPTATIVOS Componentes Curriculares Língua Brasileira de Sinais LIBRAS Carga horária (h/aula semestral) 80h/aula Na teoria piagetiana, o sujeito (aluno) é um ser ativo que estabelece relação de troca com o meio-objeto (físico, pessoa, conhecimento) num sistema de relações vivenciadas e significativas, uma vez que este é resultado de ações do indivíduo sobre o meio em que vive, adquirindo significação ao ser humano quando o conhecimento é inserido em uma estrutura isto é o que denomina assimilação. A aprendizagem desse sujeito ativo exige sempre uma atividade organizadora na interação estabelecida entre ele e o conteúdo a ser aprendido, além de estar vinculado sua aprendizagem ao grau de desenvolvimento já alcançado. Nesse sentido, a Faculdade de Bauru procura desenvolver habilidades teóricas e práticas bem estruturadas com funções colaborativas, integralizadoras e participativas. Enquanto na teoria o aluno apreende os embasamentos necessários para a disciplina, na parte prática o aluno cria mecanismos que comprovem o conhecimento teórico por meio de vivências práticas. 22

23 Ementas 1 MÓDULO Curso: Sistemas para Internet Módulo: 1º Disciplina: Instalação e Configuração de Redes de Computadores Carga Horária: 80 Ementa Tipos de rede: ponto-a-ponto e cliente-servidor. Tipos de processamento: centralizado e distribuído. Topologias. Cabeamento estruturado: conceitos e tipos de cabos. Fibra Ótica: tipos e padrões. Redes sem fio. Sistemas operacionais de rede. Introdução modelo de referência ISO/OSI. Principais protocolos de uso corrente. Objetivos Ao final da disciplina o aluno será capaz de: Identificar os tipos de redes, cabeamentos e protocolos. Bibliografia Básica TORRES, Gabriel. Redes de Computadores. Novaterra, BARRET, Diane. Redes de Computadores. LTC, TANENBAUM, Andrew S. Redes de computadores. Rio de Janeiro - RJ: Elsevier, Bibliografia Complementar CARMONA, Tadeu. Universidade Redes: torne-se um especialista em redes de computador. São Paulo - SP: Digerati Books, EX2007 HALLBERG, Bruce. Networking: redes de computadores: teoria e prática. São Paulo: Alta Books, EX MORAES, Alexandre Fernandes de. Redes de computadores: fundamentos. 5 ed. São Paulo - SP: Erica, EX KUROSE, James F; ROSS, Keith W. Redes de computadores e a Internet: uma nova abordagem. 1 ed. São Paulo SP: Addison Wesley, EX BURGESS, MARK. Princípios de Administração de Redes e Sistemas. 2 ed. Rio de Janeiro RJ:LTC,

24 Curso: Sistemas para Internet Módulo: 1º Disciplina: Inglês Instrumental Carga Horária: 80 Ementa Identificar os componentes básicos de um computador para aplicação de suas atividades / Identificar os softwares básicos que permitem a operação do computador / Utilizar recursos de hardware e softwares / Compreender e utilizar corretamente a terminologia fundamental da Informática / Utilizar sistemas de numeração / Relacionar as características e aplicabilidades do software processador de textos para elaboração, formatação e impressão de documentos Desenvolver apresentações a partir de software específico utilizando recursos de texto, gráficos e imagens, com efeitos de animação / Relacionar as características e aplicabilidades do software banco de dados criando tabelas e seus relacionamentos, consultas, formulários / Relacionar as características e aplicabilidades do software planilha eletrônica para elaborar, efetuar operações matemáticas, sintetizar informações, formatar gráficos a partir dos dados. Objetivos Compreender os princípios básicos e fundamentais da Informática / Conhecer as ferramentas de automação que auxiliarão no desenvolvimento de sua atividade profissional / Conhecer as estruturas organizacionais e as características dos profissionais de área específica / Compreender os componentes básicos de um computador para aplicação de suas atividades Compreender e realizar conversões entre os sistemas de numeração. Bibliografia Básica CRUZ, D. T.; SILVA, A. V.; ROSAS, M. Inglês.com: textos para Informática. Salvador - BA: Disal, EX TORRES, N. Gramática Prática da Língua Inglesa: o inglês descomplicado. 9 ed. São Paulo: Saraiva, EX WATKINS, Michael; PORTER, Timothy. Gramática da Língua Inglesa. 1 ed. São Paulo SP: Ática, EX Bibliografia Complementar ESTERAS, S. R. Infotech: English for computer users. 3 ed. New York - NY: Cambridge University Press, EX GLENDINNING, E. H.; MCEWAN, J. Basic English for computing. New York - NY: Oxford University Press, EX MURPHY, R. English Grammar in use: a self-study reference and practice book for intermediate students: with answers. 3 ed. New York: Cambridge University Press, EX EX SWAN, Michael. Practical English usage. New York NY: Oxford University, EX 24

PLANO DE TRABALHO DO PROFESSOR CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO ENSINO A DISTÂNCIA

PLANO DE TRABALHO DO PROFESSOR CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO ENSINO A DISTÂNCIA PLANO DE TRABALHO DO PROFESSOR CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO ENSINO A DISTÂNCIA 1- DADOS DE IDENTIFICAÇÃO CAMPUS:SANTO AUGUSTO DIREÇÃO GERAL: VERLAINE GERLACH DIREÇÃO DE ENSINO:MARINÊS HAMES COORDENAÇÃO

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 CURSO: BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Dados de Identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente: Ed. Rodrigo

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS. RECONHECIDO conforme PORTARIA nº 295, de 25 de Junho de 2008.

CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS. RECONHECIDO conforme PORTARIA nº 295, de 25 de Junho de 2008. CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS RECONHECIDO conforme PORTARIA nº 295, de 25 de Junho de 2008. Título: Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Turno: Noturno

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 72/2009 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Sistemas de Informação, modalidade

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. TURMA: 3º semestre EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. TURMA: 3º semestre EMENTA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Informação e Comunicação CURSO: Sistemas de Informação FORMA/GRAU:( ) Integrado ( ) Subsequente ( ) Concomitante ( X ) Bacharelado ( ) Licenciatura ( ) Tecnólogo

Leia mais

Instituto Federal de Brasília PLANO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA FIC. Campus Ceilândia

Instituto Federal de Brasília PLANO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA FIC. Campus Ceilândia Instituto Federal de Brasília PLANO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA FIC Campus Ceilândia GESTÃO E PRÁTICAS EMPREENDEDORAS PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS Ceilândia, Fevereiro de 2014. CURSO DE FORMAÇÃO

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Identificação do Curso Nome do Curso: Sistemas de Informação Titulação: Bacharelado Modalidade de ensino: Presencial

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA (EAD) SISTEMAS PARA INTERNET INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO 68 A disciplina estuda a área da informática como um todo e os conceitos fundamentais, abrangendo

Leia mais

EMENTAS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

EMENTAS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS EMENTAS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO 60 h 1º Evolução histórica dos computadores. Aspectos de hardware: conceitos básicos de CPU, memórias,

Leia mais

Curso de Educação Profissional Técnica de Nível Médio Subseqüente ao Ensino Médio, na modalidade a distância, para:

Curso de Educação Profissional Técnica de Nível Médio Subseqüente ao Ensino Médio, na modalidade a distância, para: INSTITUIÇÃO: IFRS CAMPUS BENTO GONÇALVES CNPJ: 94728821000192 ENDEREÇO: Avenida Osvaldo Aranha, 540. Bairro Juventude. CEP: 95700-000 TELEFONE: (0xx54) 34553200 FAX: (0xx54) 34553246 Curso de Educação

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 Curso Superior em Tecnologia em Design de Moda Dados de identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente

Leia mais

Proporcionar uma visão geral da metodologia de Sistemas Operacionais.

Proporcionar uma visão geral da metodologia de Sistemas Operacionais. ANO 3 5º Período Sistema Operacional 1.Identificação: Identificação Disciplina Carga Horária Sistema Operacional 72 h/a Créditos 4 2.Ementa: Histórico da Criação e Evolução dos Sistemas Operacionais. Conceitos

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO INTRODUÇÃO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO (PPC) Articulação com o Plano de Desenvolvimento Institucional PDI Projeto Político Pedagógico Indissociabilidade entre ensino, pesquisa

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Informação e Comunicação CURSO: Técnico em Informática FORMA/GRAU:( X ) Integrado ( ) Subsequente ( ) Concomitante ( ) Bacharelado ( ) Licenciatura ( ) Tecnólogo

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS COM ANDROID. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS COM ANDROID. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

FACULDADE PASCHOAL DANTAS

FACULDADE PASCHOAL DANTAS FACULDADE PASCHOAL DANTAS PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO ÊNFASE GESTÃO DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SÃO PAULO - SP NOVEMBRO DE 2008 ÍNDICE 1. Visão e Missão da FPD...3 2. ORGANIZAÇÃO

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DO PROFESSOR

PLANO DE TRABALHO DO PROFESSOR EIXO TECNOLÓGICO: PRODUÇÃO INDUSTRIAL CURSO/MODALIDADE: CURSO TÉCNICO EM EDIFICAÇÕES SUBSEQUENTE DISCIPLINA: INFORMÁTICA APLICADA CÓDIGO: Currículo: 2010/dezembro Ano / Semestre: 2012/2 Carga Horária total:

Leia mais

Prática: 80. PROFESSOR: José Alberto F. Rodrigues Filho. CARGA HORÁRIA SEMANAL: 4 Prática: 4

Prática: 80. PROFESSOR: José Alberto F. Rodrigues Filho. CARGA HORÁRIA SEMANAL: 4 Prática: 4 PLANO DE ENSINO Período Letivo: 1º Semestre de 2014 Faculdade de Tecnologia de Bragança Paulista CURSO: Tecnologia em Gestão da Tecnologia da Informação TURNO: Tarde / Noite DISCIPLINA: Projeto Interdisciplinar

Leia mais

SECRETÁRIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DO PARANÁ CURSO PROFISSIONALIZANTE INFORMÁTICA

SECRETÁRIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DO PARANÁ CURSO PROFISSIONALIZANTE INFORMÁTICA SECRETÁRIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DO PARANÁ CURSO PROFISSIONALIZANTE INFORMÁTICA Documento elaborado no encontro realizado de 10 a 12 de agosto de 2004. Curitiba, PR Perfil do Profissional Ao final de cada

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Informação e Comunicação CURSO: Técnico em Informática FORMA/GRAU:( X ) Integrado ( ) Subsequente ( ) Concomitante ( ) Bacharelado ( ) Licenciatura ( ) Tecnólogo

Leia mais

CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO

CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO Com a finalidade de otimizar o processo de elaboração e avaliação dos Projetos Pedagógicos do Cursos (PPC), sugere-se que os itens a seguir sejam

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO ELABORAÇÃO DO PPC INTRODUÇÃO O Projeto Pedagógico de Curso (PPC) deve orientar a ação educativa, filosófica e epistemológica do mesmo, explicitando fundamentos políticos,

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: TÉCNICO EM INFORMÁTICA Qualificação:

Leia mais

CURSO: REDES DE COMPUTADORES

CURSO: REDES DE COMPUTADORES CURSO: REDES DE COMPUTADORES Dados de Identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente: Ed. Rodrigo Calvo Galindo Base Legal da Mantenedora A Ata de Assembléia Geral para

Leia mais

O Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores possui flexibilidade para atender dois tipos de certificações intermediárias, que são:

O Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores possui flexibilidade para atender dois tipos de certificações intermediárias, que são: 1) Formas de participação do Corpo Discente: O Colegiado do Curso é um órgão consultivo, deliberativo e normativo, onde é possível a participação do corpo discente nas decisões que competem a exposição

Leia mais

a importância de formar profissionais para atuar nos campos de trabalho emergentes na área;

a importância de formar profissionais para atuar nos campos de trabalho emergentes na área; SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n. 66/ 2012 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Computação, Licenciatura

Leia mais

Universidade Salgado de Oliveira

Universidade Salgado de Oliveira Universida Salgado Oliveira Graduação Tecnológica em Res Computadores PLANO DE ENSINO - 1º Semestre 2013 - Curso: Graduação Tecnológica em Res Computadores. Disciplina: Sistemas Distribuídos Código: 4289

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Informação e Comunicação Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Bacharelado em Sistemas de Informação FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( X) bacharelado ( ) licenciatura

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DO PROFESSOR CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO ENSINO A DISTÂNCIA

PLANO DE TRABALHO DO PROFESSOR CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO ENSINO A DISTÂNCIA PLANO DE TRABALHO DO PROFESSOR CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO ENSINO A DISTÂNCIA 1- DADOS DE IDENTIFICAÇÃO CÂMPUS: SANTO AUGUSTO DIREÇÃO GERAL: VERLAINE DENIZE BRASIL GERLACH DIREÇÃO DE ENSINO: CLARINÊS

Leia mais

Plano de Ensino. CARGA HORÀRIA: 60 horas. ANO/SEM DA TURMA: 4º Semestre TURNO: noturno TURMA: 22 EMENTA

Plano de Ensino. CARGA HORÀRIA: 60 horas. ANO/SEM DA TURMA: 4º Semestre TURNO: noturno TURMA: 22 EMENTA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Informação e Comunicação CURSO: Técnico em Informática FORMA/GRAU: ( )integrado ( X)subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

Projeto Pedagógico do Curso

Projeto Pedagógico do Curso Projeto Pedagógico do Curso Fundamentação Diretrizes curriculares do MEC Diretrizes curriculares da SBC Carta de Princípios da UNICAP Projeto Pedagógico Institucional da UNICAP Diretrizes Curriculares

Leia mais

Diretrizes Curriculares Nacionais e com a Legislação Interna, tendo como princípio a compreensão da informática em suas bases epistemológicas de

Diretrizes Curriculares Nacionais e com a Legislação Interna, tendo como princípio a compreensão da informática em suas bases epistemológicas de RESOLUÇÃO Nº 014/2010 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Informática, da Escola Superior de Tecnologia, da Universidade do Estado do Amazonas. O REITOR, EM EXERCÍCIO, DA UNIVERSIDADE

Leia mais

PUBLICIDADE E PROPAGANDA

PUBLICIDADE E PROPAGANDA PUBLICIDADE E PROPAGANDA Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 CURSO: AGRONOMIA Dados de identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente: Ed. Rodrigo Calvo Galindo

Leia mais

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO PROVÍNCIA LA SALLE BRASIL - CHILE APRESENTAÇÃO O Setor de Educação Superior da Província

Leia mais

Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais

Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de Fundamentos de Linguagens de Programação para Multimídia

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de Fundamentos de Linguagens de Programação para Multimídia MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

APROVAÇÃO DO CURSO E AUTORIZAÇÃO DA OFERTA PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC PROMOTOR DE VENDAS. Parte 1 (solicitante)

APROVAÇÃO DO CURSO E AUTORIZAÇÃO DA OFERTA PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC PROMOTOR DE VENDAS. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA APROVAÇÃO DO CURSO E AUTORIZAÇÃO DA OFERTA PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

Proposta do novo Projeto Pedagógico do Curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas. Núcleo Docente Estruturante (NDE)

Proposta do novo Projeto Pedagógico do Curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas. Núcleo Docente Estruturante (NDE) Proposta do novo Projeto Pedagógico do Curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Núcleo Docente Estruturante (NDE) 20/05/2015 Agenda 1 2 3 4 5 6 Introdução e Motivação Resultados da

Leia mais

Ementário das Disciplinas

Ementário das Disciplinas Ementário das Disciplinas As ementas das disciplinas estão agrupadas em semestres para uma melhor visualização da organização da matriz curricular. As referências bibliográficas serão especificadas no

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 75/2010 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Engenharia de do Centro

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO 1.ª SÉRIE 2.ª SÉRIE CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE (ÁREA: INFORMÁTICA)

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO 1.ª SÉRIE 2.ª SÉRIE CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE (ÁREA: INFORMÁTICA) MATRIZ CURRICULAR CURSO: GRADUAÇÃO: REGIME: DURAÇÃO: INTEGRALIZAÇÃO: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE (ÁREA: ) TECNÓLOGO SERIADO ANUAL - NOTURNO 03 (TRÊS) ANOS LETIVOS MÍNIMO:

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Informação e Comunicação CURSO: Tecnólogo em Sistemas para Internet FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.640, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.640, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.640, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Bacharelado

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação Superior - DAES SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

Leia mais

Planos de Ensino/Planos de Trabalho Docente

Planos de Ensino/Planos de Trabalho Docente Planos de Ensino/Planos de Trabalho Docente EIXO TECNOLÓGICO: Produção Industrial IDENTIFICAÇÃO CURSO: Curso Técnico em Móveis FORMA/GRAU:( )integrado ( x )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado

Leia mais

CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 1 CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2011.1 BRUSQUE (SC) 2015 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 ARQUITETURA DE COMPUTADORES... 4 02 FILOSOFIA... 4 03 FUNDAMENTOS MATEMÁTICOS PARA COMPUTAÇÃO...

Leia mais

OBJETIVOS DO CURSO PERFIL DO EGRESSO

OBJETIVOS DO CURSO PERFIL DO EGRESSO 1 APRESENTAÇÃO Segundo Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos Tecnologicos conforme RESOLUÇÃO CNE/CP 3, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2002, A educação profissional de nível tecnológico, integrada às diferentes

Leia mais

2. FOWLER, Martin; SCOTT, Kendall. UML Essencial. São Paulo: Bookman, 2005.

2. FOWLER, Martin; SCOTT, Kendall. UML Essencial. São Paulo: Bookman, 2005. 3º semestre INF302 - Análise e Modelagem de Sistemas I Análise e Modelagem de Sistemas I Identificação: INF302 Semestre: 1º Carga Horária 60 horas Número de Aulas: 72 aulas Aulas 52 aulas Aulas práticas:

Leia mais

Pró-Reitoria de Ensino de Graduação Núcleo de Apoio Pedagógico - NAPE P L A N O D E E N S I N O

Pró-Reitoria de Ensino de Graduação Núcleo de Apoio Pedagógico - NAPE P L A N O D E E N S I N O Pró-Reitoria de Ensino de Graduação Núcleo de Apoio Pedagógico - NAPE P L A N O D E E N S I N O Curso: CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Componente Curricular: BANCO DE DADOS II Modalidade: Presencial ( X ) Semipresencial

Leia mais

FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS

FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UBERABA MG INSTITUTO EDUCACIONAL GUILHERME DORÇA PRESIDENTE: LUIZ HUMBERTO DORÇA FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS DIRETOR

Leia mais

Coleção Guias para a Comunicação da Unipampa. Guia. Conteúdo Mínimo para os Sites dos Cursos. Julho de 2015

Coleção Guias para a Comunicação da Unipampa. Guia. Conteúdo Mínimo para os Sites dos Cursos. Julho de 2015 Coleção Guias para a Comunicação da Unipampa Guia 5 Conteúdo Mínimo para os Sites dos Cursos Julho de 2015 Coleção Guias para a Comunicação da Unipampa Guia 5 Conteúdo Mínimo para os Sites dos Cursos Julho

Leia mais

NOVA PROPOSTA DE MATRIZ CURRICULAR CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS - 2016

NOVA PROPOSTA DE MATRIZ CURRICULAR CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS - 2016 NOVA PROPOSTA DE MATRIZ CURRICULAR CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS - 2016 Diante da evolução de técnicas e ferramentas tecnológicas, aliado a novas necessidades curriculares,

Leia mais

NOME DA DISCIPLINA: TELEMÁTICA BÁSICA NOME DO CURSO: SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PETRÓLEO E GÁS

NOME DA DISCIPLINA: TELEMÁTICA BÁSICA NOME DO CURSO: SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PETRÓLEO E GÁS 1- IDENTIFICAÇÃO CARGA HORÁRIA SEMANAL: 4 HORAS CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 80 HORAS PERÍODO: NOTURNO NOME DA DISCIPLINA: TELEMÁTICA BÁSICA NOME DO CURSO: SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PETRÓLEO E GÁS 2- EMENTA

Leia mais

Curso: Tecnologia em Sistemas para Internet. PLANO de ENSINO. DISCIPLINA CÓD. DISCIPLINA PROFESSOR Programação para Web I G2116 Fabiano Alves de Souza

Curso: Tecnologia em Sistemas para Internet. PLANO de ENSINO. DISCIPLINA CÓD. DISCIPLINA PROFESSOR Programação para Web I G2116 Fabiano Alves de Souza Campus: Engenheiro Coelho Curso: Tecnologia em Sistemas para Internet PLANO de ENSINO DISCIPLINA CÓD. DISCIPLINA PROFESSOR Programação para Web I G11 Fabiano Alves de Souza ANO/SEMESTRE CRÉDITOS CARGA

Leia mais

GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS PROCESSOS GERENCIAIS 1.675 HORAS

GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS PROCESSOS GERENCIAIS 1.675 HORAS GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS PROCESSOS GERENCIAIS 1.675 HORAS Apresentação: Prepara os estudantes para o empreendedorismo e para a gestão empresarial. Com foco nas tendências de

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSEPE 30/2005

RESOLUÇÃO CONSEPE 30/2005 RESOLUÇÃO CONSEPE 30/2005 APROVA O CURRÍCULO E O PERFIL PROFISSIOGRÁFICO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM INFORMÁTICA, DO CÂMPUS DE ITATIBA, DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO. O Presidente do Conselho de Ensino,

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL EM LINUX Campus Lages Junho/204 Parte (solicitante) DADOS DO CAMPUS PROPONENTE. Campus: Instituto Federal de Santa Catarina Campus Lages. 2. Endereço/CNPJ/Telefone

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: Redes de Computadores MISSÃO DO CURSO Com a modernização tecnológica e com o surgimento destes novos serviços e produtos, fica clara a necessidade de profissionais

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação a Distância SEED Departamento de Regulação e Supervisão da Educação a Distância - Dresead Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira

Leia mais

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO Portaria nº 808, de 8 de junho de 00. Aprova o instrumento de avaliação para reconhecimento de Cursos Pedagogia, no âmbito do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior - SINAES. O MINISTRO DE

Leia mais

PLANO DE ENSINO. PRÉ-REQUISITO: Modelagem e Programação Orientada a Objetos. PROFESSOR RESPONSÁVEL : Josino Rodrigues Neto

PLANO DE ENSINO. PRÉ-REQUISITO: Modelagem e Programação Orientada a Objetos. PROFESSOR RESPONSÁVEL : Josino Rodrigues Neto UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO Rua Dom Manoel de Medeiros, s/n Dois Irmãos 52171-900 Recife-PE Fone: 0xx-81-332060-40 proreitor@preg.ufrpe.br PLANO DE ENSINO

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO CURSO: TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura

Leia mais

NORMAS PARA CRIAÇÃO DE CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO E DE GRADUAÇÃO NO ÂMBITO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO

NORMAS PARA CRIAÇÃO DE CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO E DE GRADUAÇÃO NO ÂMBITO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO NORMAS PARA CRIAÇÃO DE CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO E DE GRADUAÇÃO NO ÂMBITO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO Dispõe sobre Normas para criação de cursos Técnicos de Nível

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET Introdução à Computação A disciplina apresenta a área da Computação como um todo, desde a história e a evolução dos computadores

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Informação e Comunicação CURSO: Tecnologia em Sistemas para Internet FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: São Carlos - SP Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: Técnico em Informática Qualificação:

Leia mais

Projeto Pedagógico do Bacharelado em Ciência da Computação. Comissão de Curso e NDE do BCC

Projeto Pedagógico do Bacharelado em Ciência da Computação. Comissão de Curso e NDE do BCC Projeto Pedagógico do Bacharelado em Ciência da Computação Comissão de Curso e NDE do BCC Fevereiro de 2015 Situação Legal do Curso Criação: Resolução CONSU no. 43, de 04/07/2007. Autorização: Portaria

Leia mais

FACULDADE DE SÃO PAULO PROJETO PEDAGÓGICO. TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET (Desenvolvimento WEB e Comércio Eletrônico)

FACULDADE DE SÃO PAULO PROJETO PEDAGÓGICO. TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET (Desenvolvimento WEB e Comércio Eletrônico) FACULDADE DE SÃO PAULO PROJETO PEDAGÓGICO TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET (Desenvolvimento WEB e Comércio Eletrônico) São Paulo, Abril de 2016 1 SUMÁRIO 1. INFORMAÇÕES SOBRE A REGIÃO DE INFLUÊNCIA

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2012 PRÓ-REITORIA DE ENSINO/IFMG/SETEC/MEC, DE 05 DE JUNHO DE 2012.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2012 PRÓ-REITORIA DE ENSINO/IFMG/SETEC/MEC, DE 05 DE JUNHO DE 2012. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS PRÓ-REITORIA DE ENSINO Av. Professor Mario Werneck, nº 2590,

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ PLANO DE ENSINO - 2º SEMESTRE 2011 Disciplina ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS Professor MSC. ADOLFO FRANCESCO DE OLIVEIRA COLARES Carga Horária Semanal Curso ADMINISTRAÇÃO Carga Horária

Leia mais

LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO

LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO Coordenador: Duração: Carga Horária: LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO Victor Emanuel Corrêa Lima 6 semestres 2800 horas Situação Legal: Reconhecido pela Portaria MEC nº 503 de 15/02/2006 MATRIZ CURRICULAR Primeiro

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE ENGENHARIA DE SOFTWARE, BACHARELADO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das disposições gerais O presente

Leia mais

MINI STÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINI STRO P ORTARIA Nº 808, DE 18 DE JUNHO DE 2010

MINI STÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINI STRO P ORTARIA Nº 808, DE 18 DE JUNHO DE 2010 MINI STÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINI STRO P ORTARIA Nº 808, DE 18 DE JUNHO DE 2010 Aprova o instrumento de avaliação para reconhecimento de Cursos Pedagogia, no âmbito do Sistema Nacional de Avaliação

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Habilitação Profissional: TÉCNICO EM INFORMÁTICA Qualificação:

Leia mais

EDITAL N 01/2014 DE 20 DE MAIO DE 2014 PROCESSO SELETIVO EXTERNO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

EDITAL N 01/2014 DE 20 DE MAIO DE 2014 PROCESSO SELETIVO EXTERNO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ANEXO II EDITAL N 01/2014 DE 20 DE MAIO DE 2014 PROCESSO SELETIVO EXTERNO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO A-01 - ASSESSOR TECNICO III - COORDENADOR/SUPERVISOR PEDAGOGICO; A-02 - ASSESSOR TECNICO III - COORDENADOR/SUPERVISOR

Leia mais

Curso de Educação Profissional Técnica de Nível Médio Subseqüente ao Ensino Médio, na modalidade a distância, para:

Curso de Educação Profissional Técnica de Nível Médio Subseqüente ao Ensino Médio, na modalidade a distância, para: Curso de Educação Profissional Técnica de Nível Médio Subseqüente ao Ensino Médio, na modalidade a distância, para: Técnico em Informática na Formação de Instrutores Carga Horária: 1000 horas Estágio Curricular:

Leia mais

CRIAÇÃO DE CURSO DE GRADUAÇÃO

CRIAÇÃO DE CURSO DE GRADUAÇÃO U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D A B A H I A P r ó - R e i t o r i a d e E n s i n o d e G r a d u a ç ã o Palácio da Reitoria - Rua Augusto Viana s/n - Canela - 40.110-060 - Salvador Bahia E-mails:

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FIC)

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FIC) PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FIC) INGLÊS INTERMEDIÁRIO Florestal 2014 Reitora da Universidade Federal de Viçosa Nilda de Fátima Ferreira Soares Pró-Reitor de Ensino Vicente

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI DIREÇÃO DE ENSINO DEN PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI DIREÇÃO DE ENSINO DEN PLANO DE ENSINO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI DIREÇÃO DE ENSINO DEN DEPARTAMENTO: Sistemas de Informação PLANO DE ENSINO DISCIPLINA: Programação

Leia mais

Ementário do Curso Técnico em Informática para Internet

Ementário do Curso Técnico em Informática para Internet 1 Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal do Rio de Janeiro - IFRJ Pró-Reitoria de Ensino Médio e Técnico Campus Engenheiro Paulo de Frontin Direção de

Leia mais

Plano de Ensino TURMA: 1 /2013 EMENTA

Plano de Ensino TURMA: 1 /2013 EMENTA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO CURSO: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.580, DE 23 DE OUTUBRO DE 2014

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.580, DE 23 DE OUTUBRO DE 2014 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.580, DE 23 DE OUTUBRO DE 2014 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Bacharelado em

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico ETEC MONSENHOR ANTONIO MAGLIANO Código: 088 Município: Garça Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de

Leia mais

linguagem técnica de informática; Perceber os sinais de pontuação e identificar sua função no texto; Ler siglas e identificar seus significados;

linguagem técnica de informática; Perceber os sinais de pontuação e identificar sua função no texto; Ler siglas e identificar seus significados; PLANO DE CURSO Disciplina Competências Habilidades Bases Tecnológicas INGLÊS TÉCNICO Aumentar e consolidar o seu vocabulário ativo e passivo, através da fixação de novas palavras e expressões contidas

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO - PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO PERFIL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO - PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO PERFIL PERFIL 3001 - Válido para os alunos ingressos a partir de 2002.1 Disciplinas Obrigatórias Ciclo Geral Prát IF668 Introdução à Computação 1 2 2 45 MA530 Cálculo para Computação 5 0 5 75 MA531 Álgebra Vetorial

Leia mais

PLANO DE ENSINO DA DISCIPLINA

PLANO DE ENSINO DA DISCIPLINA PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS PLANO DE ENSINO DA DISCIPLINA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS, AMBIENTAIS E DE TECNOLOGIAS CURSO: ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO DISCIPLINA: SISTEMAS OPERACIONAIS B CÓDIGO:

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n 90/ 2011 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Relações Públicas, Bacharelado,

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL DE PROGRAMADOR WEB Campus Lages Junho/2014 Parte 1 (solicitante) DADOS DO CAMPUS PROPONENTE 1. Campus: Instituto Federal de Santa Catarina Campus Lages. 2.

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO COMPANHIA DE PROCESSAMENTO DE DADOS DO MUNICÍPIO DE GOIÂNIA COMDATA EDITAL N.º 001/07 PROGRAMAS DAS PROVAS CARGOS DE ENSINO MÉDIO

CONCURSO PÚBLICO COMPANHIA DE PROCESSAMENTO DE DADOS DO MUNICÍPIO DE GOIÂNIA COMDATA EDITAL N.º 001/07 PROGRAMAS DAS PROVAS CARGOS DE ENSINO MÉDIO PROGRAMAS DAS PROVAS CARGOS DE ENSINO MÉDIO LÍNGUA PORTUGUESA - PROVA COMUM A TODOS OS CARGOS DE ENSINO MÉDIO 1 Interpretação textual Metáfora, metonímia, ambigüidade, ironia, denotação e conotação, pontos

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico ETEC Monsenhor Antônio Magliano Código: 088 Município: Garça Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de

Leia mais

CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO Renovação de Reconhecimento pela Portaria n 123 de 09/07/12 DOU de 10/07/12 PLANO DE CURSO

CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO Renovação de Reconhecimento pela Portaria n 123 de 09/07/12 DOU de 10/07/12 PLANO DE CURSO CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO Renovação de Reconhecimento pela Portaria n 123 de 09/07/12 DOU de 10/07/12 Componente Curricular: Sistemas Concorrentes e Distribuídos Código: ENG - 436 Pré-requisito:

Leia mais

Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 -

Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 - Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 - O Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação é um curso da área de informática e tem seu desenho curricular estruturado por competências

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 015 Ensino Técnico Etec ETEC PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: SÃO CARLOS Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: Técnico em Informática para

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DO PROFESSOR

PLANO DE TRABALHO DO PROFESSOR MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA CAMPUS SANTA ROSA Rua Uruguai, 1675Bairro Central CEP: 98900.000

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2011. Habilitação Profissional: TÉCNICO EM INFORMÁTICA - TARDE. Professora: Ms. Eveline Batista Rodrigues

Plano de Trabalho Docente 2011. Habilitação Profissional: TÉCNICO EM INFORMÁTICA - TARDE. Professora: Ms. Eveline Batista Rodrigues Plano de Trabalho Docente 011 Ensino Técnico ETEC PROF. MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: TUPÃ Eixo Tecnológico: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Habilitação Profissional: TÉCNICO EM INFORMÁTICA - TARDE

Leia mais

Curso Técnico em Informática para Internet. Depto Acadêmico de Saúde e Serviços (DASS) Campus Florianópolis

Curso Técnico em Informática para Internet. Depto Acadêmico de Saúde e Serviços (DASS) Campus Florianópolis Curso Técnico em Informática para Internet Depto Acadêmico de Saúde e Serviços (DASS) Campus Florianópolis Rede Escola Técnica Aberta do Brasil Programa nacional MEC (SEED/SETEC) - Decreto No.6301 de 12/12/2007

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA:2013 EMENTA OBJETIVOS

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA:2013 EMENTA OBJETIVOS EIXO TECNOLÓGICO:Ensino Superior Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Licenciatura em Física FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( x ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE:

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: TÉCNICO EM INFORMÁTICA PARA INTERNET

Leia mais

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Universidade de Cuiabá CURSO: ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Dados de identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente: Ed. Rodrigo Calvo Galindo Base legal

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC PRONATEC DE OPERADOR DE COMPUTADOR Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC PRONATEC DE OPERADOR DE COMPUTADOR Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais