EXERCÍCIOS GABARITADOS & COMENTADOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EXERCÍCIOS GABARITADOS & COMENTADOS"

Transcrição

1 EXERCÍCIOS GABARITADOS & COMENTADOS Prova: Auxiliar de Patologia Clínica Nível Fundamental (FUNIVERSA 2009) 1- Acerca do modelo de atenção à saúde, atualmente preconizado e implantado pelo Sistema Único de Saúde (SUS), assinale a alternativa correta. (A) A população pode ter acesso gratuito a apenas alguns níveis de complexidade do sistema de saúde, dependendo dos custos envolvidos no tratamento. (B) A população brasileira é majoritariamente usuária do sistema privado de saúde o que tem dificultado a consolidação do modelo de atenção preconizado pelo SUS. (C) O SUS tem se organizado para responder exclusivamente às demandas universais dos setores mais pobres da população. (D) O modelo de atenção à saúde do SUS tem sido reconhecido pela coerência entre a oferta de serviços de saúde e a situação de saúde da população brasileira. (E) Preconiza-se a implementação simultânea e articulada dos princípios e diretrizes como a Universalização, Integralidade, Equidade, Descentralização, Regionalização e Participação Social para que seja possível a construção do modelo de atenção com base nas necessidades e direitos da população local, municipal, regional, estadual e nacional. 2- A respeito do pacto de gestão, pela vida e em defesa do Sistema Único de Saúde (SUS), assinale a alternativa correta. (A) O pacto pela vida 2006 definiu apenas três áreas prioritárias para a oferta de serviços pelos municípios; saúde do idoso; promoção da saúde e fortalecimento da atenção básica. (B) Implementar um projeto permanente de mobilização social para mostrar a saúde como direito de cidadania e o SUS como sistema público universal garantidor desses direitos e ampliar recursos orçamentários e financeiros para a saúde são alguns dos principais objetivos do pacto em defesa do SUS. (C) O pacto de gestão contrapõe-se à regionalização como diretriz do Sistema Único de Saúde. (D) O pacto de gestão estabeleceu que as ações e serviços de atenção primária são responsabilidades que devem ser assumidas somente pelos municípios que comprovem que têm condições de implantar o programa saúde da família. (E) Uma das diferenças do pacto de gestão, pela vida e em defesa do SUS com as normas operacionais que o antecederam é que aquelas estavam muito mais voltadas para o alcance de resultados epidemiológicos nos municípios. 3- Para o governo federal, o Sistema Único de Saúde (SUS) é um sistema ímpar no mundo, que garante acesso integral, universal e igualitário à população brasileira, do simples atendimento ambulatorial aos transplantes de órgãos. Sobre o SUS assinale a alternativa incorreta. (A) Todo o financiamento da saúde pública no Brasil é responsabilidade da União. (B) As políticas nacionais de saúde são formuladas pela União. (C) A implantação de políticas públicas de saúde pode ser realizada pelos Estados, Distrito Federal, municípios, ONG s e iniciativa privada. (D) O município que não possui todos os serviços de saúde pode pactuar com cidades de sua região a forma de atendimento integral à saúde de sua população. (E) A porta de entrada do sistema de saúde deve ser preferencialmente, a atenção básica, nos postos de saúde, centros de saúde, unidades de saúde da família, por exemplo. Prova: Agente Administrativo Cespe/UnB Ministério da Saúde (CESPE/MS DF/2008) O Sistema Único de Saúde do Brasil (SUS) encontra sustentabilidade legal no texto constitucional, nas legislações complementares e em um conjunto de portarias e normas técnicas estruturantes. Considerando essa legislação, julgue os itens seguintes. A) A CF estabelece as competências do SUS, entre as quais se incluem executar ações de saúde do trabalhador e colaborar na proteção do ambiente do trabalho. B) A utilização da epidemiologia para o estabelecimento das prioridades, a alocação de recursos e a orientação programática são princípios norteadores do SUS. C) São objetivos do SUS a identificação, a modificação e a eliminação dos fatores condicionantes e determinantes sociais da saúde, por meio de ação direta e serviços de assistência à saúde. D) De acordo com a legislação do SUS, em relação aos consórcios constituídos por municípios para desenvolverem em conjunto as ações e os serviços de saúde que lhes correspondam, é vedado o remanejamento, entre esses municípios, de recursos humanos ou financeiros para a cobertura dessas ações e serviços. Andréa Paula Severiano Macêdo 2 E) São objetos da legislação sobre gestão da saúde a participação da comunidade na gestão do SUS e as transferências intergovernamentais de recursos financeiros na área da saúde. 2- A Lei nº /1990 dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes. Com relação aos princípios e diretrizes do SUS relativos a esses temas, julgue os itens que se seguem. A) De acordo com a referida lei, o princípio da integralidade de assistência é entendido especificamente como o conjunto de serviços curativos individuais exigidos para cada caso em determinado momento, em todos os níveis de complexidade do sistema. B) Essa legislação prevê a conjugação dos recursos financeiros, tecnológicos, materiais e humanos da União, dos estados, do DF e dos municípios na prestação de serviços de assistência à saúde da população. C) Apesar de amplamente discutidas, a regionalização e a hierarquização da rede de serviços de saúde não encontram suporte na legislação referida, uma vez que conflitam com o princípio da descentralização e da direção única na esfera municipal. D) A universalidade de acesso aos serviços de saúde, a preservação da autonomia das pessoas na defesa de sua integridade física e moral e a igualdade da assistência à saúde, sem preconceitos ou privilégios de qualquer espécie, são princípios e diretrizes do SUS previstos na lei mencionada. E) Essa legislação prevê o direito dos sujeitos à confidencialidade da atenção à saúde e das informações dela originadas e detalha as normas e procedimentos para a proteção da identidade dos pacientes. F) A capacidade de resolução dos serviços, em todos os níveis de assistência, é um dos princípios do SUS, o qual se refere à rede de serviços de saúde pública exclusivamente, uma vez que é vetada à iniciativa privada a participação no SUS, ainda que em caráter complementar. 3- Com relação à legislação do SUS que dispõe sobre a participação da comunidade na sua gestão, julgue os próximos itens. A) A conferência de saúde e o conselho de saúde são instâncias colegiadas do SUS em cada esfera de governo e constituem meios formais de participação da comunidade na gestão do SUS. B) Segundo as normas legais pertinentes, a conferência de saúde se reunirá a cada quatro anos, contará com a representação de vários segmentos sociais e terá sua organização e normas de funcionamento definidas em regimento próprio, aprovadas por seu conselho. C) Essa legislação prevê que a representação dos usuários nos conselhos de saúde e nas conferências de saúde será obrigatória e paritária em relação a cada um dos demais segmentos sociais representados, a saber: setor público e setor privado. D) No que se refere ao controle da execução da política de saúde em seus aspectos econômicos e financeiros, a atuação do conselho de saúde tem caráter extraordinário e está condicionada à deliberação das conferências de saúde. 4- De acordo com a Lei nº /1990, para receberem os recursos do Fundo Nacional de Saúde (FNS) para cobertura das ações e serviços de saúde, os municípios, os estados e o DF deverão atender a uma série de requisitos. A respeito desses requisitos legais, julgue os itens subseqüentes. A) Para recebimento dos recursos mencionados, no município, no estado ou no DF deverá haver um fundo de saúde e um plano de saúde. B) A comprovação de realização da conferência de saúde a cada quatro anos compõe a lista de requisitos exigidos para o recebimento dos referidos recursos. C) A existência de plano de carreira, cargos e salários aprovado e efetivamente implantado é requisito imprescindível para recebimento dos recursos citados. D) A existência de conselho de saúde, constituído segundo critérios previstos na legislação pertinente, é requisito para que um município receba recursos para a cobertura de ações e serviços de saúde. E) Um estado que não apresenta comprovação de contrapartida de recursos para a saúde no respectivo orçamento está impedido de receber recursos que cubram ações e serviços de saúde. Andréa Paula Severiano Macêdo 3

2 RESPOSTAS QUESTÃO Nº. 01 A) CERTA Comentário: No art. 200 da CF constam que compete ao SUS, além de outras atribuições, nos termos da lei: II executar as ações de vigilância sanitária e epidemiológica, bem como as de saúde do trabalhador. VIII colaborar na proteção do meio ambiente, nele compreendido o do trabalho. B) CERTA Comentário: No art. 7º VII da lei 8.080/90 fala dos princípios e diretrizes. C) ERRADA Comentário: Os objetivos do SUS constam no art. 5º I, II e III da lei 8.080/90. Não é objetivo do SUS modificar e eliminar os fatores condicionantes e determinantes da saúde. E sim: a identificação e divulgação dos fatores condicionantes e determinantes da saúde. D) ERRADA Comentário: No art. 3º parágrafo 3º da lei 8.141/90 consta que os municípios poderão estabelecer consórcio para execução de ações e serviços de saúde, remanejando, entre si, parcelas de recursos previstos no inciso IV do art. 2º desta lei, contrariando a referida questão... é vedado o remanejamento, entre municípios.... E) CERTA Comentário:... participação da comunidade... art. 7º VIII e CF art. 198 III; transferências intergovernamentais. QUESTÃO Nº. 02 A) ERRADA Comentário: princípio da integralidade consta no art. 7º II lei 8.080/90, sendo entendido como conjunto de serviços curativos e preventivos, individuais e coletivos... B) CERTA Comentário: consta no art. 7º XI da lei 8.080/90 C) ERRADA Comentário: a regionalização e a hierarquização encontram sim suporte legal, por meio do art. 7º IX b e na constituição no art D) CERTA Comentário: a universalidade e o acesso aos serviços de saúde constam no art. 7º I; preservação da autonomia das pessoas na defesa de sua integridade física e mora constam no art. 7º III; igualdade da assistência à saúde, sem preconceitos ou privilégios de qualquer espécie, consta no art. 7º IV. E) ERRADA Comentário: não consta nas leis 8.080/ /90 e na constituição um artigo que mencione a confidencialidade da atenção à saúde..., e nem detalha as normas e procedimentos...! F) ERRADA Comentário: A capacidade de resolução dos serviços, em todos os níveis de assistência, é um dos princípios do SUS, art. 7º XII da lei 8.080/90, porém não é vetada a iniciativa privada a participação no SUS art. 4º parágrafo 2º... a iniciativa privada poderá participar do SUS em caráter complementar.... QUESTÃO Nº. 03 A) CERTA Comentário: art. 1º da lei 8.142/90 O SUS contará, em cada esfera de governo, com as seguintes instâncias colegiadas I - Conferência de Saúde II Conselho de saúde. Constituem meios formais de participação da comunidade... art. 1º parágrafo 4º da lei 8.142/90. B) CERTA Comentário: art. 1º parágrafo 1º da lei 8.142/90...a conferência de saúde se reunirá a cada quatro anos, contará com a representação de vários segmentos sociais... art. 1º parágrafo 5º da lei 8.142/90...sua organização e normas de funcionamento definidas em regimento próprio, aprovadas por seu conselho. Andréa Paula Severiano Macêdo 4 C) ERRADA Comentário: art. 1º parágrafo 4º da lei 8.142/90, prevê que a representação dos usuários será paritária, porém não obrigatória, e os demais segmentos sociais representados não são setor público e privado mais sim representantes do governo, prestadores de serviços, profissionais de saúde e os usuários. D) ERRADA Comentário: art. 1º parágrafo 2º da lei 8.142/90, consta que o conselho é em caráter permanente e não extraordinário e não está condicionado à deliberação das conferências, porque ele é em caráter deliberativo. QUESTÃO Nº. 04 A) CERTA Comentário:... fundo de saúde... art. 4º I da lei 8.142/90;... plano de saúde... art. 4º III da lei 8.142/90. B) ERRADA Comentário: a lista de requisitos em questão consta no art. 4º I ao VI da lei 8.142/90, não existindo qualquer menção dessa comprovação da conferência de saúde a cada quatro anos. C) ERRADA Comentário: no art. 4º VI da lei 8.142/90, não fala da aprovação e efetiva implantação como requisito imprescindível e sim de uma comissão de elaboração do Plano de Carreira, cargos e salários, previsto o prazo de dois anos para sua implantação. D) CERTA Comentário: art. 4º II da lei 8.142/90,... conselho de saúde, com composição paritária.... E) CERTA Comentário: art. 4º V da lei 8.142/90,... contrapartida de recursos para a saúde no respectivo orçamento.... PROVAS CESPE 1 - (CESPE/SEMAD - MA/2008) A criação do Sistema Único de Saúde (SUS) representou, em termos de sua legislação, uma afirmação política do compromisso do Estado brasileiro para com os direitos de seus cidadãos. Em relação ao arcabouço legal do SUS, julgue os itens seguintes. A) As ações e serviços de saúde foram definidos pela Constituição Federal como de relevância pública, cabendo ao poder público e ao setor privado dispor acerca da sua regulamentação, fiscalização e controle. B) A direção do SUS é exercida no âmbito da União pelo Ministério da Saúde, e, no âmbito dos estados, do Distrito Federal (DF) e dos municípios, pelas respectivas secretarias de saúde ou órgãos equivalentes. C) A Lei nº /1990, em consonância com a Constituição Federal, regula em todo o território nacional as ações e serviços de saúde executados isolada ou conjuntamente, em caráter permanente ou eventual, por pessoas naturais ou jurídicas, de direito público ou privado. D) Devem ser observados os princípios éticos e as normas expedidos pelo órgão de direção do SUS quanto às condições para o funcionamento dos serviços privados de assistência a saúde. E) Segundo mandamento constitucional, o SUS é financiado com recursos do orçamento da seguridade social em 50%, da União em 25% e dos estados em 25%. 2 - (CESPE/SEMAD - MA/2008) No Brasil, as ações e serviços públicos de saúde e os serviços privados (conveniados e contratados) que integram o SUS obedecem a princípios organizativos e doutrinários. Acerca desses princípios, julgue os itens a seguir. (A) A legislação do SUS determina a universalidade de acesso aos serviços de saúde em todos os níveis de assistência e em todo o território nacional. (B) O princípio do acesso universal às ações e aos serviços de saúde no Brasil se traduz na Constituição Federal, quando o texto desta afirma que a saúde é direito de todos e dever do Estado. (C) A diretriz da descentralização político-administrativa do SUS contribuiu para o atual grau de municipalização, regionalização e hierarquização da rede de serviços de saúde no Brasil. (D) O SUS tem direção única em cada esfera de governo, pressupondo a conjugação dos recursos financeiros, tecnológicos, materiais e humanos da União, dos estados, do DF e dos municípios na prestação dos serviços de saúde à população. Andréa Paula Severiano Macêdo 5

3 (E) De acordo com a Constituição Federal, a saúde deve ser garantida mediante políticas econômicas e sociais que visem à redução do risco de adoecer e morrer da população. Por isso, os recursos financeiros específicos do SUS podem, na esfera municipal, ser aplicados em ações de saneamento básico, incluindo a coleta pública regular do lixo urbano. 3 - (CESPE/SEMAD - MA/2008) A Lei nº /1990, conhecida como a Lei Orgânica da Saúde, trata: (A) Da organização, da direção e da gestão do SUS. (B) Das atribuições comuns e competências específicas das três esferas de governo os municípios, os estados, o Distrito Federal (DF) e a União na gestão do SUS. (C) Do funcionamento dos serviços privados de assistência à saúde. (D) Do financiamento do SUS e das ações da previdência social, merenda escolar e saneamento básico. (E) Da política de recursos humanos do SUS, estabelecendo jornada de trabalho e piso salarial para os profissionais de saúde. 4 - (CESPE/SEMAD - MA/2008) A implantação do atual sistema público de saúde brasileiro se orienta por princípios organizativos e diretrizes. Em relação a esse tema, julgue os itens a seguir. (A) A eqüidade constitui um dos princípios do SUS, significando acesso igualitário de todas as pessoas às ações e aos serviços do sistema de saúde de acordo com as suas necessidades. (B) A municipalização dos serviços de atenção básica à saúde no Brasil decorreu, entre outros fatores, da diretriz da descentralização político-administrativa do SUS. (C) A municipalização dos serviços de saúde no Brasil implicou o repasse das responsabilidades de assistência à saúde individual aos municípios. Compete privativamente aos estados e ao DF executar as ações de vigilância sanitária e de controle de endemias em todo o território nacional. (D) A participação da comunidade no âmbito do SUS é um princípio legal, para o qual, todavia, inexistem regulamentação e mecanismos formais para o seu exercício. (E) O princípio da universalidade do SUS garante o acesso da população aos serviços de promoção da saúde e prevenção de doenças. A recuperação da saúde é garantida no âmbito do SUS mediante financiamento compartilhado entre o governo, o usuário e o setor privado. 5 - (CESPE/PMV/SAUDE/2007) Texto para as questões 1ª e 2ª A Lei n.º.080/1990 (Lei Orgânica da Saúde) e a Lei n.º.142/1990 regulamentam determinações da Constituição Federal e consagram os princípios de descentralização das ações e dos serviços de saúde e de municipalização da gestão, definindo papéis e atribuições dos gestores nos três níveis de atuação. A Lei nº estabelece a organização básica das ações e dos serviços de saúde quanto a direção e gestão, competência e atribuições de cada esfera de governo no SUS. A Lei n.º.142 estabelece as disposições legais para a participação da sociedade na gestão do sistema e as formas e condições das transferências intragovernamentais no SUS. O art. 6.o da Lei n.º.080 assegura o provimento da Assistência terapêutica integral, incluindo a assistência farmacêutica. QUESTÃO 23 1º - (CESPE/PMV/SAUDE/2007) Considerando o texto como referência inicial, julgue os itens a seguir, relativos aos princípios e às diretrizes do SUS. I. Um dos conceitos defendidos pelo SUS é a universalidade, que corresponde à garantia de atenção à saúde, por parte do sistema, a todo e qualquer cidadão, desde que este não tenha plano de saúde. II. Pelo princípio da eqüidade, o SUS deve tratar de forma diferenciada os desiguais, oferecendo mais a quem precisa mais, procurando reduzir a desigualdade. III. No SUS, devido ao princípio da integralidade, as pessoas têm o direito de ser atendidas no conjunto de suas necessidades, e os serviços de saúde devem estar organizados de modo a oferecer todas as ações requeridas por essa atenção integral. IV. A descentralização preconizada no âmbito do SUS é o processo que implica a redistribuição de poder, com total independência entre as três esferas de governo, para garantir uma direção única, porém convergente, em cada esfera. V. Por regionalização e hierarquização deve-se entender, no contexto do SUS, que os serviços têm como obrigação o atendimento apenas da população de determinada região a que estão associados, obedecendo, no entanto, às hierarquias estadual e federal. Estão certos apenas os itens (A) I e II. (B) I e IV. (C) II e III. (D) III e V. (E) IV e V. 2º - (CESPE/PMV/SAUDE/2007) Considerando ainda o texto como referência inicial, assinale a opção correta relativamente à legislação em saúde e à organização do SUS. (A) No âmbito do SUS, a expressão controle social significa controle dos cidadãos pelo Estado. (B) A Lei nº.8.080/1990, referida no texto, retoma o disposto na Constituição Federal acerca de um conceito mais amplo de saúde que compreende moradia, trabalho, educação, transporte, entre outros, como seus fatores determinantes. Andréa Paula Severiano Macêdo 6 (C) As comissões intergestores tripartite (CIT) têm representantes das esferas municipal, estadual e regional do poder. (D) No âmbito dos estados, as secretarias estaduais de saúde (SES), os conselhos estaduais de saúde (CES) e as CIT devem ser as instâncias gestoras do SUS. (E) E No âmbito dos municípios, as secretarias municipais de saúde devem ser as únicas instâncias gestoras do SUS. 6 - (COPS/SEAP/PR/2007) A lei nº de 19 de setembro de 1990, dispõe sobre as condições para promoção, proteção e recuperação da saúde e o funcionamento dos serviços e dá outras providências. Sobre esta lei, considere as afirmativas a seguir. I. A saúde é um direito fundamentado no ser humano, devendo o Estado prover condições indispensáveis ao seu pleno exercício. II. A saúde tem fatores determinantes e condicionantes, dentre outros, a alimentação, a moradia, o saneamento básico, o meio ambiente, o trabalho, a renda, a educação, o transporte, o lazer e o acesso aos bens e serviços essenciais; os níveis de saúde da população expressam a organização social e econômica do País. III. É um dos objetivos do Sistema Único de Saúde (SUS) a assistência às pessoas por intermédio de ações de promoção, proteção e recuperação da saúde, com a realização integrada das ações assistenciais e das atividades preventivas. IV. A iniciativa privada poderá participar do Sistema Único de Saúde (SUS) em caráter permanente. Assinale a alternativa que contém todas as afirmativas corretas: (A) I e II. (B) II e III. (C) III e IV. (D) I, II e III. (E) II, III e IV. 7 - (FCC/ANS/2007) O Sistema Único de Saúde - SUS pode ser entendido como a política de saúde que busca: (A) a forma de atuação de clínicas e hospitais particulares, no âmbito da saúde, em parceria com o setor público. (B) a forma de organização da assistência das Unidades Básicas de Saúde no âmbito governamental. (C) a reformulação e a reorganização política e organizacional dos serviços e ações de saúde no país. (D) organização da relação e financiamento da assistência prestada pelo setor privado. (E) um sistema público de saúde que funcione de forma independente da assistência prestada pelo setor privado. 8 - (FCC/ANS/2007) As ações de serviços de saúde que integram o SUS são desenvolvidas em conformidade com os princípios de: (A) descentralização, acesso universal, atendimento integral e participação da comunidade. (B) centralização, atendimento universal e participação da comunidade. (C) descentralização, atendimento universal e participação de todos os setores públicos ou privados. (D) centralização, atendimento integral, igualdade da assistência à saúde e participação da comunidade. (E) descentralização, capacidade de resolução dos problemas relacionados à prevenção e promoção à saúde e participação da comunidade. 9 - (FCC/TRF4R) Os Conselhos Nacional, Estaduais e Municipais de Saúde, órgãos superiores do SUS, são compostos por: (A) representantes dos diversos níveis de governo, do setor privado e dos sindicatos de trabalhadores em saúde. (B) juízes, representantes do governo, do setor privado e autoridades da área. (C) entidades dos usuários e da sociedade civil, sindicatos e conselhos profissionais, governo e setor privado. (D) parlamentares ligados à área de saúde e representantes dos vários níveis de governo, com reuniões abertas à sociedade civil sem direito a voto. (E) técnicos dos principais órgãos governamentais, entidades médicas e representantes do setor privado (FCC/TRF4R) É da competência dos municípios, de acordo com a legislação do SUS: (A) prestar, com a cooperação técnica e financeira da União e do Estado, serviços de atendimento à saúde da população. (B) o cuidado médico hospitalar e médico individual, em todos os níveis de complexidade, cabendo aos governos estaduais os programas de saúde pública. (C) o conjunto das atividades de emergência médica e de saúde pública, cabendo aos níveis estaduais as campanhas de vacinação e o atendimento altamente especializado ao setor privado. (D) desenvolver os programas de saúde pública em conjunto com o setor privado e delegar a responsabilidade da assistência hospitalar aos convênios de saúde. (E) o atendimento de emergência e atenção primária e secundária dos partos e vigilância sanitária, cabendo aos níveis estaduais os programas de saúde pública e o atendimento hospitalar altamente especializado (PFS-2005) As afirmações abaixo caracterizam o SUS, exceto quando se declara que ele: (A) Se propõe a alterar a desigualdade na assistência à saúde da população, universalizando o acesso ao atendimento. (B) Objetiva a prevenção, a promoção, a proteção e a recuperação da saúde. Andréa Paula Severiano Macêdo 7

4 (C) Visa à descentralização, com gestão única em cada esfera do governo, com participação social. (D) Compreende um conjunto de ações e serviços de saúde, prestados por órgãos e instituições públicos, sem participação do setor privado. (E) Corresponde a um sistema público único, criado pela Constituição de (PFS-2005) São atribuições constitucionais do Sistema Único de Saúde: I. Colaborar na proteção do meio ambiente, nele compreendido o do trabalho. II. A formulação e execução da política de sangue e seus derivados. III. Executar as ações de vigilância nutricional e a orientação alimentar. IV. Participar do controle e fiscalização da produção, transporte, guarda e utilização de substâncias e produtos psicoativos, tóxicos e radioativos. V. Ordenar a formação de recursos humanos na área de saúde. Estão corretas as afirmações: (A) I, II e IV. (B) I, II e III. (C) I, II e V. (D) I, II, III, IV e V. (E) II, III e V. 13- Sobre as competências atribuídas pela lei nº de 19 de setembro de 1990 à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios, assinale, nas questões I, II e III a alternativa correta. I. (PFS 2005) Compete à direção municipal do Sistema Único de Saúde: (A) Formular normas e estabelecer padrões, em caráter suplementar, de procedimentos de controle de qualidade para produtos e substâncias de consumo humano. (B) Coordenar e participar na execução das atividades de vigilância epidemiológica. (C) Estabelecer critérios, parâmetros e métodos para o controle da qualidade sanitária de produtos, substâncias e serviços de consumo humano. (D) Em caráter suplementar, formular, executar, acompanhar e avaliar a política de insumo e equipamentos para a saúde. (E) Gerir laboratórios públicos de saúde e hemocentros. II. (PFS 2005) Compete à direção nacional do Sistema Único de Saúde: (A) Controlar e fiscalizar os procedimentos dos serviços privados de saúde. (B) Acompanhar, controlar e avaliar as redes hierarquizadas do Sistema Único de Saúde. (C) Participar, junto com órgãos afins, do controle dos agravos do meio ambiente que tenham repercussão na saúde humana. (D) Controlar e fiscalizar procedimentos, produtos e substâncias de interesse para a saúde. (E) Celebrar contratos e convênios com entidades prestadoras de serviços privados de saúde, bem como controlar e avaliar sua execução. III - (PFS 2005) Compete à direção estadual do Sistema Único de Saúde: (A) Elaborar normas para regular as relações entre o Sistema Único de Saúde e os serviços privados contratados de assistência à saúde. (B) Participar das ações de controle e avaliação das condições e do ambiente de trabalho. (C) Participar na formulação e na implementação das políticas de controle das agressões ao meio ambiente. (D) Definir e coordenar o sistema de redes integradas de assistência de alta complexidade. (E) Participar da definição de normas, critérios e padrões para o controle das condições e dos ambientes de trabalho e coordenar a política de saúde do trabalhador (PFS 2005) De acordo com a lei nº de 19 de setembro de 1990, os serviços privados de assistência à saúde caracterizam-se: (A) Pela atuação, por iniciativa própria, de profissionais liberais legalmente habilitados, de pessoas jurídicas de direito privado e de empresas estrangeiras na promoção, proteção e recuperação da saúde. (B) Pela atuação, por iniciativa própria, de profissionais liberais legalmente habilitados e de empresas estrangeiras na promoção, proteção e recuperação da saúde. (C) Pela atuação, por iniciativa própria, de profissionais liberais legalmente habilitados e de pessoas jurídicas de direito privado na promoção, proteção e recuperação da saúde. (D) Pela atuação de pessoas jurídicas de direito privado e de empresas estrangeiras na promoção, proteção e recuperação da saúde. (E) Pela atuação, por iniciativa própria, de profissionais liberais legalmente habilitados e de pessoas jurídicas de direito público e privado na promoção, proteção e recuperação da saúde (PFS 2005) A Lei Orgânica da Saúde (Lei nº de 19 de setembro de 1990), que implantou o Sistema Único de Saúde (SUS), gerou profundas mudanças no setor de saúde, destacando-se principalmente a intensificação de recursos da União para os Estados e Municípios. Assinale a alternativa que apresenta o conceito de saúde estabelecido pela Lei Orgânica da Saúde: (A) Saúde é um direito de todos e dever do estado resultante de políticas econômicas e sociais que visam à redução de doenças e o acesso universal e igualitário às ações de promoção, proteção e recuperação da saúde. (B) Saúde é resultante de um equilíbrio dinâmico entre o homem, o agente patogênico e o meio ambiente. (C) Saúde é resultante de uma assistência sem risco e de qualidade, oferecidas em unidades de saúde que tenham passado por avaliações de acreditação. (D) Saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não apenas a ausência de doenças e afecções. (E) Saúde é o conjunto de ações de prevenção desenvolvidas dentro de um contexto de atendimento social para manter o equilíbrio dinâmico entre o ambiente interno e o externo (PFS 2005) O SUS é concebido como o conjunto de ações e serviços de saúde prestados por órgãos e instituições públicas federais, estaduais e municipais, da administração direta e indireta e das fundações mantidas pelo Poder Público. A iniciativa privada participa do SUS em caráter complementar. Assinale a alternativa que apresenta os princípios doutrinários do SUS: (A) Hierarquização, integralidade, universalidade, eqüidade e transferência de recursos da União. (B) Humanização, universalidade, integralidade, justiça, centralização de recursos. (C) Hierarquização, integralidade, universalidade, equidade, participação popular e descentralização. (D) Desburocratização da assistência, livre acesso a todos, participação popular por meio de Conselhos Municipais de Saúde e humanização. (E) Humanização, livre acesso, igualdade no atendimento, justiça social e participação popular nas decisões de políticas de saúde. Nas questões 17 a 21, você deverá marcar (V) para as verdadeiras e (F) para as falsas. 17. (CESPE 2004 modificadas) Acerca do financiamento do SUS, julgue os itens que se seguem, numerando no parêntesis baixo o somatório das proposições corretas. ( ) A legislação que instituiu o SUS definiu as bases do modelo de financiamento do sistema, com respeito às fontes e aos mecanismos de transferência de recursos entre o nível federal e os estados e municípios. ( ) Com o princípio da descentralização das ações do SUS, nota-se um aumento da participação dos municípios no financiamento das ações de saúde. ( ) A legislação prevê que os recursos federais devem constituir transferências não-condicionadas, ou seja, não-negociadas, mobilizadas por mecanismos de transferência direta e automática do Fundo Nacional de Saúde aos fundos estaduais e municipais de saúde. ( ) Para a determinação de valores a serem transferidos do nível federal a estados e municípios, são considerados, entre outros, os seguintes critérios: perfil epidemiológico da população. Perfil demográfico da região, características da rede de saúde na área, organização da rede privada na região, desempenho técnico, econômico e financeiro no período anterior e nível de participação do setor de saúde dos orçamentos estaduais e municipais. 18. (CESPE 2004 modificadas) Acerca da gestão de recursos humanos no SUS, julgue os itens subseqüentes, numerando no parêntesis abaixo o somatório das proposições incorretas. ( ) Os gestores de saúde, no âmbito de suas competências, devem assumir a responsabilidade de formação de recursos humanos em saúde para adequá-los às demandas qualitativas e quantitativas do sistema de saúde. ( ) Avanços significativos ocorreram nos elementos constitutivos do sistema de saúde, tais como a descentralização, as bases para o financiamento e o controle social. No entanto, o processo concernente aos recursos humanos não acompanhou esses avanços e muitos dispositivos inseridos na legislação ainda não são efetivos. ( ) No caso de insatisfação do usuário com o atendimento prestado, o único mecanismo de reclamação é a queixa formal do ocorrido ao órgão de ouvidoria da secretaria de saúde. A instituição, por sua vez, deverá instituir sindicância para apuração dos fatos. 19. (CESPE 2004 modificadas) Em relação à vigilância à saúde, atribuição do SUS, julgue os seguintes itens numerando no parêntesis abaixo o somatório das proposições corretas. ( ) A AIDS é hoje uma doença em franca expansão na população brasileira, sendo considerada uma epidemia. Para reduzir o crescimento dessa epidemia, faz-se necessário lançar mão de instrumentos epidemiológicos e intensificar a descentralização das ações para melhores resultados de controle da doença. ( ) O Programa Nacional de Imunizações (PNI) é estabelecido pelo Ministério da Saúde como calendário vacinal mínimo a ser realizado no âmbito do SUS, não podendo ser modificado nas esferas estaduais e municipais. ( ) Para poder intervir nos agravos à saúde, há a necessidade de conhecimento dos fatores de risco e do perfil da população exposta a eles. Essas informações subsidiam o planejamento da organização de oferta de serviços de saúde Sabe-se hoje que as ações educativas e de prevenção, aliadas aos atendimentos mais freqüentes, considerados ações da atenção básica ampliada, resolvem 85% dos problemas de saúde da população. Isso significa que o investimento na atenção básica previne o Andréa Paula Severiano Macêdo 8 Andréa Paula Severiano Macêdo 9

5 adoecimento e o agravamento das doenças. Assim, a qualidade de vida da população melhora e tendem a diminuir os gastos com procedimentos de média e alta complexidade. Como conseqüência desse processo, evidencia-se a redução dos índices de mortalidade infantil, a diminuição do número de mortes por doenças de cura simples e conhecida, bem como a diminuição das filas nos hospitais das redes públicas e conveniadas com o SUS. Ministério da Saúde. Gestão municipal da textos básicos. Brasília, 2001 (com adaptações) (CESPE 2004 modificadas) Tendo por referência o assunto abordado no texto acima, julgue os itens a seguir. ( ) O texto cita ações de atenção básica e procedimentos de média e alta complexidade. Entre os princípios que regem a organização do SUS, destaca-se a hierarquização, ou seja, a organização da atenção em níveis de complexidade tecnológica crescentes. ( ) O coeficiente de mortalidade infantil é um dos mais sensíveis indicadores de saúde, que, embora não seja diretamente influenciado pelas condições socioeconômicas da população, tem relação com a qualidade de vida da população. ( ) A Constituição da República e a Lei Orgânica da Saúde estabelecem a possibilidade de instituições privadas participarem de forma complementar ao SUS. Desse modo, um paciente que necessite de um procedimento cirúrgico e prefira realizá-io em instituição privada, poderá optar por fazê-io, desde que o hospital seja conveniado ao SUS. ( ) O programa de saúde da família é uma estratégia de organização da atenção básica, fundamentada nos princípios de regionalização e hierarquização do SUS, que fortalece as ações de prevenção da doença, a promoção e a recuperação da saúde, de forma integral e contínua. ( ) As ações educativas e de prevenção a que o texto se refere, por serem capazes de resolver 85% dos problemas de saúde da população, são consideradas na Constituição da República como ações prioritárias no âmbito do SUS, em detrimento dos serviços assistenciais. 21. (CESPE 2004) As informações são muito importantes para subsidiar o processo de decisão e de ação. O processo de gestão do setor de saúde exige a tomada de decisões de alta responsabilidade e relevância social. Em relação a esse assunto, julgue os itens que se seguem. ( ) Um sistema de informação em saúde tem de garantir à população o direito ao acesso às informações, previsto na Lei Orgânica da Saúde, garantindo mecanismos contínuos de divulgação, utilizando recursos de comunicação adequados, ou seja, garantindo a efetivação do controle social. ( ) Os sistemas de informação do SUS devem ter como princípio geral a produção de informações, com base no saber epidemiológico, que garantam avaliações permanentes das ações executadas e do impacto sobre a situação de saúde. ( ) A partir das informações geradas pelos sistemas de informação do SUS, podem-se construir indicadores para a avaliação da condição de saúde de uma população. Atualmente, entretanto, verificam-se a falta de integração entre os diversos sistemas existentes no SUS, a baixa confiabilidade dos dados e a pouca utilização das informações. Por esse motivo, os sistemas vigentes estão caindo em desuso. ( ) A descentralização, diretriz organizacional do SUS, exige que a informação alcance as diferentes esferas de governo, conforme suas competências. Assim, cabem à direção nacional do SUS definir e coordenar os sistemas de vigilância à saúde, analisando as informações produzidas nos diferentes sistemas de informação, planejar as estratégias de ação cabíveis e delegar sempre ao gestor estadual da saúde a execução dessas ações. 22. (PFS- 2002) De acordo com o Ministério da Saúde o PSF (Programa Saúde na Família) incorpora e reafirma os princípios básicos do SUS (Sistema Único de Saúde), que são: (A) Universalização, descentralização, integralidade e participação da comunidade. (B) Municipalização, descentralização, integralidade e participação da comunidade. (C) Municipalização, descentralização, integridade e participação da comunidade. (D) Municipalização, centralização, integridade e participação da comunidade. (E) Municipalização, descentralização, Nacionalização e participação popular. 23. (PMC 2002) Sobre a divisão de competências nas matérias dispostas na Lei Orgânica da Saúde: I. Definir e coordenar os sistemas de redes integradas de assistência de alta complexidade. II. Planejar, organizar, controlar e avaliar as ações e os serviços de saúde e gerir e executar os serviços públicos de saúde. III. Identificar estabelecimentos hospitalares de referência. IV. Executar serviços de vigilância epidemiológica Compete à esfera municipal (A) II e III somente. (B) I e II somente. (C) II e IV somente. (D) II somente. (E) I, II, III e IV. 24. (PMC 2002) A direção do SUS, no nível federal, é exercida pelo (a): Andréa Paula Severiano Macêdo 10 (A) Previdência Social. (B) Conselho Nacional de Saúde. (C) Conferência Nacional de Saúde. (D) Ministério da Saúde. (E) Agência Nacional da Vigilância Sanitária. 25. (PMC 2002) A manutenção do Sistema Único de Saúde é custeada com recursos financeiros. (A) Da Seguridade Social e dos Municípios. (B) Da Seguridade Social e da CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentações Financeiras). (C) Da União, Estados e Municípios. (D) Da CPMF, tesouro dos estados e verbas municipais. (E) Da CPMF e verbas municipais 26. (PMC 2002) No Brasil, têm direito à assistência médica pelo SUS. (A) Todos os brasileiros, independentemente de qualquer condição. (B) Todos os indivíduos, brasileiros ou não, independentemente de qualquer condição. (C) Todos os brasileiros contribuintes da Seguridade Social. (D) Todos os brasileiros ou indivíduos residentes no Brasil, contribuintes da Seguridade Social ou seus dependentes. (E) Todos os brasileiros ou indivíduos residentes no Brasil, que possuam, no mínimo, certidão de nascimento. 27. (PMC-2002) O nível mais alto de decisão sobre a Saúde no Brasil é o do (da): (A) Ministério da Saúde. (B) Ministério da Previdência e Assistência Social. (C) Conselho Nacional de Saúde. (D) Vigilância Sanitária. (E) Conferência Nacional de Saúde. 28. (PMS-2002) São dispositivos da Lei Orgânica do Sistema Único de Saúde (Lei 8080/90), EXCETO: (A) A saúde é um direito fundamental do ser humano. B) É dever do Estado, garantir a saúde através da formulação e execução de políticas que visem à redução de riscos de doenças e de outros agravos. (C) É dever do Estado, assegurar acesso universal e igualitário às ações e aos serviços de saúde para a sua promoção, proteção e recuperação. (D) O dever do Estado não exclui o das pessoas, da família, das empresas e da sociedade. (E) A iniciativa privada poderá participar do Sistema Único de Saúde (SUS), em caráter prioritário. 29. (PMS-2002) O Sistema Único de Saúde estabelece como competência estadual: (A) Formular, avaliar e apoiar políticas de alimentação e nutrição; B) Acompanhar, avaliar e divulgar indicadores de morbidade e mortalidade no seu âmbito; (C) Planejar, organizar, controlar e avaliar às ações e os serviços de saúde e gerir e executar os serviços públicos de saúde. (D) Identificar os serviços estaduais e municipais de referência nacional para o estabelecimento de padrões técnicos de assistência à saúde; (E) Estabelecer critérios, parâmetros e métodos para o controle da qualidade sanitária de produtos, substâncias e serviços de consumo e uso humano. 30. (SSR 2003) Compete à direção municipal do SUS: 1. Executar serviços de vigilância epidemiológica e sanitária, de alimentação e nutrição, de saneamento básico e de saúde do trabalhador. 2. Controlar e fiscalizar os procedimentos dos serviços privados de saúde. 3. Gerir laboratórios públicos e hemocentros. 4. Dar execução, no âmbito estadual, à política de insumos e equipamentos para a saúde. Estão corretas: A) 1, 2 e 3 apenas. B) 1, 2, 3 e 4. C) 3 e 4 apenas. D) 1 e 4 apenas. E) 2 e 3 apenas. 31. (SSR 2003) São princípios que regem a organização do SUS: Andréa Paula Severiano Macêdo 11

6 1. Privatização. 2. Universalidade. 3. Centralização. 4. Eqüidade. 5. Integralidade. Estão corretas apenas: (A) 1 e 5. (B) 1,2 e 4. (C) 2,4 e 5. (D) 1,2,4 e 5. (E) 2,3,4 e (SSR 2003) As afirmações abaixo caracterizam o SUS, exceto quando se declara que ele: (A) Se propõe a alterar a desigualdade na assistência à saúde da população, universalizando o acesso ao atendimento. (B) Objetiva a prevenção, a promoção, a proteção e a recuperação da saúde. (C) Visa à descentralização, com gestão única em cada esfera do governo, com participação social. (D) Compreende um conjunto de ações e serviços de saúde, prestados por órgãos e instituições públicos, sem participação do setor privado. (E) Corresponde a um sistema público único, criado pela Constituição de (SSR 2003) Segundo a lei 8.080, está incluída no campo de atuação do SUS a execução das seguintes ações: 1. Vigilância epidemiológica. 2. Vigilância sanitária. 3. Saúde do trabalhador. 4. Assistência terapêutica e farmacêutica integrais. Estão corretas: (A) 1 apenas. (B) 1, e 3 apenas. (C) 1, 2 e 3 apenas. (D) 2 e 4 apenas. (E) 1, 2, 3 e (SSR 2003) Representa, para a vigilância epidemiológica, uma doença de comportamento epidêmico aquela: (A) De rápida progressão, acometendo um grande número de indivíduos ao mesmo tempo. (B) Que apresenta uma incidência abaixo da esperada, para o período considerado. (C) Que tem evidente caráter transmissível. (D) Que persiste por longos períodos de tempo. (E) Que ocorre apenas nos períodos de inverno. 35. (SSR 2003) Sobre o Programa de Saúde da Família (PSF) assinale a alternativa correta. (A) Constitui uma estratégia para atenção exclusiva de mulheres, crianças e idosos, que são os principais grupos de risco. (B) É conhecido como um sistema de saúde pobre para os pobres, que dispõe apenas de precária tecnologia. (C) É um modelo que substitui a rede de saúde básica tradicional, organizando atividades destinadas a identificar e tentar solucionar problemas urgentes num território definido. (D) Cada PSF é composto por uma equipe de profissionais que atendem de 10 a 20 famílias, em média. (E) A realização de visitas e de internações domiciliares não faz parte da rotina da equipe. 36. (SSR 2003)A população de um determinado município, ao utilizar serviços do SUS de sua cidade, deverá observar que têm direito à assistência à saúde. (A) Todas as pessoas que comprovem contribuição previdenciária. (B) Todas as pessoas, em todos os níveis de atenção à saúde. (C) Todas as pessoas que comprovem residir naquele município. (D) Todas as pessoas que necessitam de assistência em nível terciário. (E) N.D.A 37. (SSR 2003)O Sistema Único de Saúde (SUS) é: (A) A forma de organização da assistência nos postos de saúde e nas clínicas dos municípios. (B) O reordenamento dos serviços de saúde que devem atender prioritariamente às classes de baixa renda. Andréa Paula Severiano Macêdo 12 (C) A reformulação política e organizacional para o reordenamento dos serviços e das ações de saúde do país. (D) O conjunto de hospitais gerais e especializados, clínicas e ambulatórios de um município. (E) N.D.A 38. (SSR 2003)Na dinâmica e na construção do SUS, sustentam-se os princípios e as diretrizes que no processo de descentralização promove a redistribuição do poder no âmbito das políticas de atenção à saúde, entre os três níveis políticoadministrativos, que são: (A) Federal, estadual e municipal. (B) Primário, secundário e terciário. (C) Universal, social e político. (D) Universal, federal e municipal. (E) N.D.A 39. (SSR 2003)A direção do Sistema Único de Saúde (SUS), no âmbito da União, é exercida pelo seguinte órgão: (A) Secretaria Estadual de Saúde. (B) Comissão Interministerial de Saúde. (C) Secretaria Municipal de Saúde. (D) Ministério da Saúde. (E) N.D.A 40. (SSR 2003)O Sistema Único de Saúde (SUS) ampliou o conceito de saúde, limitou a expansão da assistência médicohospitalar e a cultura da medicalização. Inverteu a idéia de que saúde é a ausência de doença e com isso a saúde passa a ter como fatores determinantes e condicionantes: A) A promoção, a prevenção e os cuidados médico-hospitalares. (B) A alimentação, a moradia, o saneamento, a educação, o lazer, o ambiente, o trabalho e a renda. (C) A reabilitação, os cuidados focalizados na política socioeconômica e a recuperação. (D) Assistência curativa visando à promoção e à reabilitação da saúde. (E) N.D.A 41. (SES-DF 2005) A Lei Orgânica de Saúde (Leis e 8.142) estabelece: 1. Um novo conceito de saúde 2. Definição de competência das 3 esferas de governo no SUS 3. Transferência de recursos financeiros entre as 3 esferas de governo 4. Participação da comunidade Em relação às afirmações anteriores, marque a resposta correta: (A) Somente a alternativa 1 é correta. (B) As alternativas 1, 2 e 3 são corretas. (C) As alternativas 1 e 2 são corretas. (D) As alternativas 1, 2, 3, e 4 são corre tas. (E) Nenhuma das anteriores. 42. (SES-DF 2005) Quanto ao princípio da Eqüidade, as seguintes assertivas se aplicam, exceto: (A) Tratar de forma desigual os desiguais, para atingir a igualdade. (B) Apresenta-se como alternativa, na impossibilidade da Universalidade. (C) Priorizar o acesso dos mais carentes do ponto de vista socioeconômico (D) Dentre os princípios operacionais do SUS, é o de maior alcance social. (E) Sua aplicação pressupõe uma discriminação de natureza socioeconômica 43. (SES-DF 2005) A SES-DF procura aplicar todos os princípios básicos do SUS, porem é a única unidade da federação onde um dos princípios não teve sua implementação iniciada. Este princípio é: (A) Eqüidade. (B) Descentralização. (C) Hierarquização. (D) Integralidade. (E) Regionalização 44. (P.M.M) A vigilância sanitária é constituída por um conjunto de ações capazes de eliminar, diminuir ou prevenir riscos à saúde e de intervir nos problemas sanitários decorrentes do meio ambiente, da produção e circulação de bens e da prestação Andréa Paula Severiano Macêdo 13

7 de serviços de interesse da saúde. Segundo a Lei 8080, de 19 de setembro de 1990, o estabelecimento de normas e a execução da vigilância sanitária de portos, aeroportos e fronteiras é da competência do (a): (A) Nível nacional do Sistema Único de Saúde - SUS, podendo a execução ser complementada pelos Estados, Distrito Federal e Municípios. (B) Nível estadual do SUS, podendo a execução ser complementada pelos Municípios. (C) Nível municipal do SUS. (D) Polícia Federal. (E) Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária - INFRAERO - e Departamento de Portos do Ministério dos Transportes. 45. (P.M.M) A Norma Operacional da Assistência à Saúde - NOAS-SUS 01/2001 estabelece mecanismos para o fortalecimento da capacidade de gestão do Sistema Único de Saúde e atualiza os critérios de habilitação de Estados e Municípios. Em relação a essa norma, é incorreto afirmar que: (A) A gestão do conjunto das unidades ambulatoriais especializadas e hospitalares, estatais ou privadas, estabelecidas no território municipal, é prerrogativa dos Municípios habilitados em Gestão Plena da Atenção Básica Ampliada. (B) Os Estados podem habilitar-se em duas condições: Gestão Avançada do Sistema Estadual e Gestão Plena do Sistema Estadual. (C) Os Municípios podem habilitar-se em duas condições: Gestão Plena da Atenção Básica Ampliada e Gestão Plena do Sistema Municipal. (D) Os Estados só poderão ser habilitados em Gestão Plena do Sistema Estadual se 80% de seus Municípios estiverem habilitados nas condições de gestão estabelecidas pela NOAS, independente do seu contingente populacional; ou 50% dos municípios, desde que, nestes, residam 80% da população. (E) É responsabilidade dos Estados habilitados em Gestão Plena do Sistema Estadual a operação do Sistema de Informação Ambulatorial SIA/SUS e do Sistema de Informação Hospitalar SIH/SUS, conforme normas do Ministério da Saúde, além da alimentação dos bancos de dados de interesse nacional. 46. (P.M.M) Para sua inserção no Programa Agentes Comunitários de Saúde, o Município deve cumprir os seguintes requisitos, EXCETO: A) Apresentar ata de reunião do Conselho Municipal de Saúde em que esteja aprovada a implantação do Programa. (B) Comprovar a existência de Fundo Municipal de Saúde ou conta especial para saúde. (C) Garantir a existência de profissional (is) enfermeiro(s), com dedicação integral na (s) unidade(s) básica(s) de referência, onde, no âmbito de suas atribuições, exercerão a função de instrutor supervisor, na proporção de no máximo 30 Agentes Comunitários de Saúde para 01 (um) enfermeiro. (D) Estar habilitado na Gestão Plena do Sistema Municipal. (E) Solicitar à Secretaria Estadual de Saúde a adesão ao PACS. 1- (A) - E (B) - C (C) - C (D) - C (E) - E 3- (A) - C (B) - C (C) - C 2- (A) - C (B) - C (C) - C (D) - C (E) - E 4- (A) C (B) - C (C) E GABARITO II D III B 15- A 16- C 17- V-V-V-F 18- F-V-F 19- V-F-V 20- V-F-F-V-F 21- V-V-F-F 22- A 23- C 24- D 25- C 26- B 27- E 28- E 29- B 30- A 31- C 32- D 33- E 34- A 35- C 36- B 37- C 38- A 39- D 40- B 41- D 42- E 43- B 44- A 45- A 46- D EXERCÍCIOS COMENTADOS 47- A equidade, um dos princípios básicos do SUS, significa que o Estado é obrigado a: A) Prestar atenção à saúde de toda a população. B) Distribuir os recursos de modo a assegurar prioritariamente assistência para a parcela da população que demanda atenção de maior complexidade. C) Distribuir recursos de modo diferenciado, assegurando maiores recursos para a parcela da população que necessita de maiores cuidados. D) Distribuir desigualmente os recursos, de modo que os de classes sociais mais baixas recebam uma maior parcela Hierarquização do Sistema de Saúde significa organização por: A) Níveis diferentes de gestão. B) Áreas geográficas distintas. C) Programas específicos por patologias. D) Níveis de complexidade tecnológica. E) Critérios de vigilância epidemiológica. 49- A equidade, um dos princípios do SUS, ainda é uma meta distante no nosso sistema de saúde devido à (ao): (D) - E (E) - E 5-1ª. C 2ª. - B (D) - E (E) - E 6- D 7- C 8- A 9- C 10- A 11- D 12- D 13- I E 14- C Andréa Paula Severiano Macêdo 14 A) Dificuldade de acesso da maioria da população aos serviços de saúde. B) Difícil acesso de cidadãos de raça negra à atenção à saúde. C) Oferta generalizada de serviços de atenção primária. D) Acesso desigual a medicamentos para tratamento. E) Acesso amplo práticas preventivas de saúde. 50- Os preceitos do SUS de universalidade, integralidade e hierarquização visam à reestruturação do sistema de saúde. Em relação aos cidadãos, estes preceitos implicam a: (A) Satisfação das necessidades assistenciais no nível primário de atenção à saúde. (B) Comprovação do local de moradia para ter acesso à assistência médica. (C) Contribuição à previdência social para ter acesso à assistência médica. (D) Utilização de diferentes níveis hierarquizados de atenção à saúde. Andréa Paula Severiano Macêdo 15

8 (E) Suplementação dos custos dos serviços prestados. 51- Fazem parte da doutrina do Sistema Único de Saúde (SUS), exceto: A) Centralização. B) Universalidade. C) Equidade. D) Integralidade. E) Todas as alternativas anteriores. 52- Nos caminhos do direito à Saúde, o movimento que assegurou a universalização do acesso aos serviços de saúde, a integração das ações e a unificação dos serviços concretizaram-se através: A) Sistema Único de Saúde SUS. B) Ações Integradas da Saúde AIS. C) Sistema Único Descentralizado da Saúde SUDS. D) Programa Nacional de Serviços Básicos da Saúde PREV-Saúde. E) Conselho Nacional de Administração da Saúde Previdenciária CONASP. 53- De acordo com as propostas da 8ª Conferência Nacional de Saúde (CNS), o sistema público de prestação de serviços de saúde deverá dar atendimento: (A) A nível primário a toda população carente. (B) A nível secundário a toda população, independente da classe econômica. (C) Em todos os níveis (primário, secundário, terciário) a toda população. (D) Dar atendimento em nível terciário a 2% da população. (E) Apenas ao nível terciário. 54- Hierarquização do Sistema de Saúde significa organização por: (A) Níveis diferentes de gestão. (B) Áreas geográficas distintas. (C) Programas específicos por patologias. (D) Níveis de complexidade tecnológica. (E) Critérios de vigilância epidemiológica. 55- Em junho de 2005 foi inaugurado, no Rio de Janeiro, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), parte integrante da política nacional de atendimento às urgências. Considerando a necessidade de classificação de risco para organização deste atendimento, estamos respeitando o princípio do SUS de: (A) Universalidade. (B) Descentralização. (C) Equidade. (D) Integralidade. (E) Hierarquização. 56- Associem os princípios constitucionais do SUS com suas respectivas descrições: I - Universalidade II Integralidade III Equidade IV Controle Social A associação correta é: a. I A; II B; III C; IV D. A - O cidadão deve ser atendido em todas as suas necessidades. B - Todos os cidadãos têm direito à saúde. C Os recursos do sistema de saúde devem ser distribuídos de forma atenta às desigualdades existentes, com o objetivo de ajustar as suas ações às necessidades de cada parcela da população. D A sociedade controlando a execução da política de saúde, inclusive nos aspectos econômicos e financeiros. Andréa Paula Severiano Macêdo 16 b. I C; II B; III D; IV A. c. I B; II A; III C; IV D. d. I D; II C; III B; IV A. e. I B; II C; III A; IV D. 57- O SUS está definido, na Lei nº /90 Lei Orgânica da Saúde, como: o conjunto de de saúde, prestados por órgãos e instituições federais, estaduais e municipais, da Administração direta e indireta e das fundações mantidas pelo Poder Público, incluídas as instituições públicas federais, estaduais e municipais de controle de qualidade, pesquisa e produção de insumos, medicamentos, inclusive de sangue e hemoderivados, e de equipamentos para saúde. As lacunas são corretamente completadas, respectivamente, por: A) Rotinas / privadas. B) Ações e serviços / públicas. C) Leis e regulamentações / gestoras. D) Regulações / públicas. E) Fornecedores de serviços / das administrações diretas. 58- O Sistema Único de Saúde se propõe a promover a saúde, pelos seguintes meios, EXCETO: (A) Priorizar as ações preventivas. (B) Democratizar as informações relevantes para que a população conheça seus direitos e os riscos a sua saúde. (C) Controlar a ocorrência de doenças, seu aumento e propagação (Vigilância Epidemiológica). (D) Priorizar a alocação de recursos para a aquisição de novos remédios produzidos pelos laboratórios farmacêuticos. (E) Controlar a qualidade de remédios, exames, alimentos, higiene e adequação de instalações que atendem ao público, onde atua a Vigilância Sanitária. 59- As ações e serviços públicos de saúde integram uma rede regionalizada e hierarquizada e constituem um sistema único, organizado de acordo com as seguintes diretrizes: I descentralização, com direção única em cada esfera de governo. II atendimento integral, com prioridade para as atividades preventivas, sem prejuízo dos serviços assistenciais. III participação da comunidade. IV financiamento por meio da rede privada. V mecanização e informatização do sistema como estratégia de atendimento impessoal à população. Estão corretas as diretrizes: A) I, II e III, apenas. B) III, IV e V, apenas. C) I, II, IV e V, apenas. D) II, III, IV e V, apenas. E) I, II, III, IV e V. 60- Em relação aos SUS, NÃO é correto afirmar que: (A) É destinado a todos os cidadãos. (B) É financiado com recursos arrecadados através de impostos e contribuições sociais pagos pela população. (C) Tem por meta promover a iniqüidade no atendimento das necessidades de saúde da população. (D) Visa a ofertar serviços de qualidade, adequado às necessidades do cidadão. (E) Visa a atender a todos, independentes do poder aquisitivo do cidadão. 61- Através do Sistema Único de Saúde, todos os cidadãos têm direito a nas Unidades de Saúde vinculadas ao SUS, sejam públicas (da esfera municipal, estadual e federal) ou privadas,. Assinale a opção que completa corretamente as lacunas. (A) Consultas, exames, internações e tratamentos / contratadas pelo gestor público de saúde. (B) Atendimento preferencial / se filantrópicas. (C) Consultas e internações / com ônus para o usuário. (D) Cadastramento / desde que reconhecidas por sua notória competência. (E) Atendimento psicológico, dentário e de assistência social / de qualquer natureza. 62- De acordo com a Lei Orgânica da Saúde 8.080/90 são fatores determinantes e condicionantes da saúde, exceto: Andréa Paula Severiano Macêdo 17

9 (A) Moradia. (B) Trabalho. (C) Renda. (D) Religião. (E) Lazer. 63- São critérios para a alocação de recursos do Sistema Único de Saúde SUS: (A) Perfil demográfico e epidemiológico da região. (B) Características quantitativas e qualitativas da rede de saúde. (C) Desempenho técnico, econômico e financeiro no período anterior. (D) Nível de participação orçamentária para a saúde. (E) Todas as respostas acima. 64- A direção do Sistema Único de Saúde é exercida em cada esfera de governo pelas seguintes instituições: (A) Ministério do Trabalho e Previdência Social, Secretaria de Estado e Ação Social e Secretaria Municipal de Trabalho e Ação Social. (B) Conselho Nacional de Saúde, Conselho Estadual de Saúde e Conselho Municipal de Saúde. (C) Ministério da Saúde, Secretaria de Estado de Saúde e Secretaria Municipal de Saúde. (D) Fundação Nacional de Saúde, Superintendência Estadual de Saúde Coletiva e Superintendência Municipal de Saúde Coletiva. 65- Em âmbito estadual, com exceção de uma alternativa, é correto afirmar que é da competência do Sistema Único de Saúde: (A) Colaborar com a união na execução da vigilância sanitária de portos, aeroportos e fronteiras. (B) Participar das ações de controle e avaliação das condições e dos ambientes de trabalho. (C) Controlar e fiscalizar os procedimentos dos serviços privados de saúde. (D) Em caráter suplementar, formular, executar, acompanhar e avaliar a política de insumos e equipamentos para saúde. 66- A Lei Federal número 8.080, de 19 de setembro de 1.990, preconiza que o processo de planejamento e orçamento do SUS seja: (A) Horizontal. (B) Descendente. (C) Centralizado. (D) Ascendente. (E) Transversal. 67- No Sistema Único de Saúde, devemos considerar como outras fontes de recursos financeiros as que são provenientes de: (art. 32). 1- Alienações patrimoniais e rendimentos de capital. 2- Impostos de Empresas de capital estrangeiro. 3- Rendas eventuais, inclusive comerciais e industriais. (A) As alternativas 1, 2 e 3 estão corretas. (B) Apenas as alternativas 2 e 3 estão corretos. (C) Apenas as alternativas 1 e 3 estão corretas. (D) As alternativas 1, 2 e 3 estão erradas. 68- No que diz respeito à organização do SUS assinale a alternativa correta de acordo com o art. 10 inciso 2º da Lei (A) No nível municipal, poderá organizar-se em distritos de forma a integrar e articular recursos, técnicos e práticas voltados para a cobertura total das ações de saúde. (B) No nível municipal, poderá organizar-se em distritos e sub-distritos de forma a integrar e articular recursos, técnicas e práticas voltados para a cobertura total das ações de saúde. (C) No nível municipal, poderá organizar-se em regiões de forma a integrar e articular recursos nunca inferiores a 10% da arrecadação municipal, técnicas e práticas voltadas para a cobertura todas das ações de saúde. (D) No nível estadual, poderá organizar-se em grupos de forma a integrar e articular recursos, técnicas e práticas voltados para a cobertura total o parcial das ações de saúde e afins. I - Vigilância sanitária é um conjunto de ações capaz de eliminar, diminuir ou prevenir riscos à saúde e de intervir nos problemas sanitários decorrente do meio ambiente, da produção e circulação de bens e da prestação de serviços de interesse da saúde. II - Vigilância epidemiológica é um conjunto de ações que proporcionam o conhecimento, a detecção ou prevenção de qualquer mudança nos fatores determinantes e condicionantes da saúde individual ou coletiva, com finalidade de recomendar e adotar as medidas de prevenção e controle das doenças e agravos. III - A saúde do trabalhador abrange a avaliação do impacto que as tecnologias provocam à saúde. a. Todas corretas. b. Todas incorretas. c. Somente I e II estão corretas. d. Somente I está correta. e. Somente II está correta. 70- De acordo com o artigo 7 da Lei 8.080/90 do SUS obedece a alguns princípios como: 1- Controle da prestação de serviços que se relacionam direta e indiretamente com a saúde. 2- Preservação da autonomia das pessoas na defesa de sua integridade física e moral. 3- Igualdade da assistência à saúde, sem preconceitos ou privilégios de qualquer espécie. 4- Divulgação de informações quanto ao potencial dos serviços de saúde e a sua utilização pelo usuário. (A) Todas as alternativas estão corretas. (B) Todas as alternativas estão incorretas. (C) Somente estão corretas as alternativas 1, 2 e 3. (D) Somente estão corretas as alternativas 2, 3 e A direção municipal do SUS compete (art. 18 da Lei 8.080/90), exceto: (A) Planejar, organizar, controlar e avaliar as ações e os serviços de saúde e gerir e executar os serviços públicos de saúde. (B) Participar da execução, controle e avaliação das ações referentes às condições e aos ambientes de trabalho. (C) Normatizar complementarmente as ações e serviços públicos de saúde no seu âmbito de atuação. (D) Formular, avaliar e apoiar políticas de alimentação e nutrição. 72- Podemos afirmar que a articulação das políticas e programas do Sistema Único de Saúde, de acordo com a Lei 8.080/90 no capítulo que se destina a organização, direção e gestão, entre outras, abrangerá as seguintes atividades, exceto: (A) Vigilância sanitária e farmacoepidemiologica. (B) Recursos humanos. (C) Ecologia. (D) Ciência e tecnologia. 73- Conforme estabelece o Art. 6º da Lei 8.080/90, com exceção de uma alternativa podemos incluir no campo de atuação do Sistema Único de Saúde: (A) A execução de ações de assistência terapêutica integral. (B) A colaboração na proteção do meio ambiente. (C) A formulação e execução da política de sangue e seus derivados. (D) A assistência psiquiátrica integral. 74- É fonte de recursos para o SUS: (A) Pagamento por serviço assistencial. (B) Cobrança de taxas por exames. (C) Contribuição de instituições privadas. (D) Fração do lucro líquido da saúde privada. (E) Seguridade social. 75- De acordo com a Lei nº , o conjunto articulado e contínuo das ações e serviços preventivos e curativos, individuais e coletivos, exigidos para cada caso em todos os níveis de complexidade diz respeito ao princípio de: 69- Marque a resposta correta: Andréa Paula Severiano Macêdo 18 (A) Direito à informação. (B) Universalidade de acesso. (C) Integralidade de assistência. (D) Participação de comunidade. Andréa Paula Severiano Macêdo 19

10 (E) Igualdade de assistência. 76- O sistema Único de Saúde SUS estabelece como competência estadual: (A) Formular, avaliar e apoiar políticas de alimentação e nutrição. (B) Acompanhar, avaliar e divulgar indicadores de morbidade e mortalidade no seu âmbito. (C) Planejar, organizar, controlar e avaliar as ações e os serviços de saúde e gerir e executar os serviços públicos de saúde. (D) Identificar os serviços estaduais e municipais de referência nacional para o estabelecimento de padrões técnicos de assistência à saúde. (E) Estabelecer critérios, parâmetros e métodos para o controle da qualidade sanitária de produtos, substâncias e serviços de consumo e uso humano. 77- A transferência de recursos do Governo Federal para Fundo Municipal de Saúde depende dos recursos dos seguintes itens, exceto: (A) Número de habitantes. (B) Existência de um Plano Municipal de Saúde. (C) Número de doentes graves e óbitos no município. (D) Existência de Conselho Municipal de Saúde. 78- Um projeto de Lei para a criação do Conselho de Saúde em um município recém-emancipado foi elaborado prevendo 36 integrantes. De acordo com a proposta, 9 vagas seriam destinadas para representantes do governo, 9 para usuários, 9 para profissionais de saúde e 9 para prestadores de serviço. Em termos de legislação do Sistema Único de Saúde, esse projeto é inadequado porque: (A) Prevê mais conselheiro do que o preconizado. (B) Não compete a município recém-emancipado criar o Conselho de Saúde, e sim ao município de origem. (C) Apresenta um número excessivo de representantes dos profissionais de saúde. (D) Falta a representação do Ministério Público. (E) O segmento dos usuários está sub-representado. GABARITO COMENTADO 47 C Comentário: Prestar atenção à saúde de toda a população é universalidade. Equidade não é igualdade. Equidade significa prestar atenção diferenciada aos que são diferentes, mas de uma forma equânime, de maneira a oferecer a todos os que necessitem. Isto, no entanto, não implica em que se dê prioridade para as pessoas que necessitem de serviços de maior complexidade nem dar parcela maior para os de baixa renda. 48 D Comentário: A hierarquização do SUS faz parte de uma rede de serviços reordenada que significa organização por níveis de complexidade tecnológica. 49 A Comentário: A equidade, um dos princípios do SUS, ainda é uma meta distante no nosso sistema de saúde devido à dificuldade de acesso da maioria da população aos serviços de saúde. Nesse contexto, podemos definir saúde como resultado das condições dignas de vida, representadas pelo acesso à boa alimentação, transporte, habilitação digna, trabalho, lazer, assistência à saúde, educação, entre outros. 50 D Comentário: Os preceitos do SUS de universalização, integralidade e hierarquização, visam à estrutura do sistema de saúde. Em relação aos cidadãos, estes preceitos implicam a utilização de diferentes níveis hierarquizados de atenção à saúde. A atenção à saúde, que encerra todo o conjunto de ações levadas a efeito pelo SUS, em todos os níveis de governo, para o atendimento das demandas pessoais e das exigências, em que as atividades são dirigidas às pessoas, individual ou coletivamente, e que prestara no âmbito ambulatorial e hospitalar, bem como em outros espaços, especialmente no domicílio, as relações e as condições sanitárias nos ambientes de vida e de trabalho, o controle de vetores e hospedeiros e a operação de sistema de saneamento ambiental. Nos três campos referidos, enquadra-se, então, todo o espectro de ações compreendidas nos chamados níveis de atenção à saúde, representados pela promoção, proteção e recuperação, nos quais deve ser sempre priorizado o caráter preventivo. 51 A Comentário: Os princípios doutrinários do SUS são: Universalidade, Equidade, Integralidade. Os gestores do SUS são as entidades encarregadas de fazer com que o SUS seja implantado e funcione adequadamente dentro das diretrizes doutrinárias, da lógica organizacional e seja operacionalizada dentro dos princípios. 52 A Andréa Paula Severiano Macêdo 20 Comentário: O Sistema Único de Saúde (SUS) como hoje está configurado é o resultado da conquista decorrente de debates intensos entre os diversos segmentos sociais marcados por diferentes interesses dos atos sociais envolvidos na área de saúde. Foi a partir da década de 1980, no bojo das discussões pela abertura política, que os debates tornaram-se mais democráticos. Um dos marcos dessas mudanças no contexto de saúde foi a 8ª Conferência Nacional de Saúde, que reafirmou a saúde como direito do cidadão e dever do Estado. 53 C Comentário: A 8ª Conferência Nacional de Saúde (CNS), foi considerado um divisor de águas no movimento sanitário. Com ampla participação de profissionais de saúde e usuários, dentre outros, constituiu-se no maior Fórum de debates sobre a situação de saúde do país e seu relatório serviu de base para a proposta de reestruturação do sistema de saúde brasileiro, que deveria ser defendida na constituinte. Entre as propostas constantes no relatório constam os conceitos ampliados de saúde, entendidos como resultado das condições de vida, alimentação, lazer, acesso e posse da terra, transporte, emprego, moradia. 54 D Comentário: A hierarquização é parte integrante da diretriz de descentralização do SUS. Este processo compreende a organização dos serviços de saúde de acordo com o grau de complexidade (alta, média e baixa), o que é viabilizado pelo processo de regionalização C Comentário: A equidade é um dos princípios do SUS, que representa igualdade na assistência à saúde, com ações e serviços priorizados em função das necessidades individuais de cada grupo. O SAMU é uma das estratégias que viabiliza a prática deste princípio. 56- C Comentário: Os princípios do SUS citados na questão representam respectivamente: Universalidade acesso garantido aos serviços de saúde para toda a população, em todos os níveis de complexidade do sistema. Integralidade da atenção à saúde oferta de ações e serviços de saúde das mais variadas naturezas e graus de complexidade. Equidade igualdade na assistência à saúde, com ações e serviços priorizados em função das necessidades individuais de cada grupo. Participação da comunidade ou controle social democratização do conhecimento do processo saúde/doença e dos serviços, estimulando a organização da comunidade para o efetivo controle social na gestão do sistema, com representação através dos conselhos de saúde. 57- B Comentário: Completando as lacunas com as palavras da opção b (ações e serviços/públicas), encontramos o 4º artigo da lei 8.080/90, onde está disposto a definição do Sistema Único de Saúde SUS. 58- D Comentário: O SUS não deve priorizar a alocação de recursos para a aquisição de novos remédios produzidos pelos laboratórios farmacêuticos, e sim formular a política de medicamentos, equipamentos, imunobiológicos e outros insumos de interesse para a saúde e participar da sua produção. 59- A Comentário: De acordo com o disposto na Lei Orgânica da saúde 8.080/90, as diretrizes do SUS são: Descentralização político administrativa, com direção única em cada esfera de governo (federal, estadual e municipal): ênfase na descentralização dos serviços para os municípios; regionalização e hierarquização da rede de serviços de saúde. Integralidade da atenção à saúde: oferta de ações e serviços de saúde das mais variadas naturezas e graus de complexidade. Participação da Comunidade: democratização do conhecimento do processo saúde/doença e dos serviços, estimulando a organização da comunidade para o efetivo controle social na gestão do sistema, com representação através dos conselhos de saúde. 60- C Comentário: A equidade é um dos princípios do SUS, e representa a igualdade na assistência à saúde, com ações e serviços priorizados em função das necessidades individuais de cada grupo. 61- A Comentário: A iniciativa privada quando contratada pelo gestor local, o que se dá por meio de contratos e convênios estabelecidos previamente, tem a obrigação de atender os usuários do SUS, e oferecer-lhes os serviços contratados, respeitando os princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde. 62- D Comentário: A lei 8.080/90 estabelece como fatores determinantes e condicionantes de saúde, entre outros, a alimentação, a moradia, o saneamento básico, o meio-ambiente, o trabalho, a renda, a educação, o transporte, o lazer, e o acesso aos bens e serviços essenciais. 63- E Comentário: A Lei 8.080/90, promulgada em 19 de setembro de 1990, define os objetivos, as áreas de atuação e os critérios par alocação de recursos do SUS que são: o perfil demográfico e epidemiológico da região; as características quantitativas e Andréa Paula Severiano Macêdo 21

11 qualitativas da rede de saúde; o desempenho técnico, econômico e financeiro no período anterior; e o nível de participação orçamentária para a saúde. 64- C Comentário: De acordo com o artigo 9º da Lei 8.080/90, a direção do Sistema Único de Saúde SUS é única, de acordo com o inciso I do artigo 198 da Constituição Federal, sendo exercida em cada esfera de governo pelos seguintes órgãos: No âmbito da União pelo Ministério da Saúde. No âmbito dos Estados e Distrito Federal, pela respectiva Secretaria de Saúde ou órgão equivalente; e No âmbito dos Municípios, pela respectiva Secretaria de Saúde ou órgão equivalente. 65- C Comentário: controlar e fiscalizar os procedimentos dos serviços privados de saúde compete à direção Municipal do Sistema Único de Saúde SUS. 66- D Comentário: De acordo com o Art. 36º da Lei 8.080/90 o processo de planejamento e orçamento do Sistema Único de Saúde SUS será ascendente, do nível local até o federal, ouvidos seus órgãos deliberativos, compartimentalizando-se as necessidades da política de saúde com a disponibilidade de recursos em planos de saúde dos Municípios, dos Estados, do Distrito Federal e da União. 67- C Comentário: São considerados como outras fontes de recursos: Serviços que possam ser prestados sem prejuízo da assistência à saúde. Ajuda contribuições, doações e donativos. Alienações patrimoniais e rendimentos de capital. Taxas, multas, emolumentos e preços públicos arrecadados no âmbito do Sistema Único de Saúde - SUS. Rendas eventuais, Inclusive comerciais e industriais. 68 A Comentário: De acordo com o artigo 10º da Lei 8.080/90, os municípios poderão constituir consórcios para desenvolver em conjunto as ações e os serviços de saúde que lhes correspondam. O inciso 2 dispõe que no nível municipal o Sistema Único de Saúde SUS poderá organizar-se em distritos de forma a integrar e articular recursos, técnicas e práticas voltados para a cobertura total das ações de saúde. 69 A Comentário: Todas estão corretas e correspondem ao Art. 6º da Lei 8.080/90. Estão incluídas no campo de atuação do SUS: I a execução de ações; a) de vigilância sanitária. b) de vigilância epidemiológica. c) de saúde do trabalhador, e de assistência terapêutica integral, inclusive farmacêutica. 70 D Comentário: O artigo 7º da lei 8.080/90 não dispõe sobre o controle da prestação de serviços que se relacionam direta ou indiretamente com a saúde. 71 D Comentário: Compete a direção Nacional e não Municipal do Sistema Único de Saúde formular, avaliar e apoiar políticas de alimentação e nutrição. 72 C Comentário: De acordo com a lei 8.080/90 art. 13º, a articulação das políticas e programas, a cargo das comissões intersetoriais, abrangerá, em especial, as seguintes atividades: I alimentação e nutrição. II Saneamento e meio ambiente. III Vigilância sanitária e farmacoepidemiologia. IV Recursos Humanos. V Ciências e Tecnologia e VI Saúde do Trabalhador. 73 D Comentário: De acordo com o art. 6º a assistência psiquiátrica integral não está incluída no campo de atuação do SUS. 74 E Comentário: De acordo com art. 31º da lei 8.080/90, o Orçamento da Seguridade Social destinará ao Sistema Único de Saúde SUS de acordo com a receita estimada, os recursos necessários a realização de sua finalidade, previstos em proposta elaborada pela sua direção Nacional. Andréa Paula Severiano Macêdo C Comentário: De acordo com o art. 7º da Lei 8.080/90 as opções acima fazem parte dos princípios, mas somente integralidade de assistência é entendida como um conjunto articulado e contínuo das ações e serviços preventivos e curativos, individuais e coletivos, exigindo para cada caso em todos os níveis de complexidade. 76 B Comentário: De acordo com o art. 17º compete à direção estadual do Sistema Único de Saúde SUS acompanhamento, avaliar e divulgar indicadores de morbidade e mortalidade no seu âmbito. 77 C Comentário: Para que os municípios tenham direito ao repasse, é necessária a assistência de Plano e Conselho Municipais de Saúde. Sem isso, não há repasse. Os valores a serem repassados, no entanto, são calculados tomando-se por base o número de habitantes ou perfil demográfico da região. O número de doentes graves e óbitos não entram (ainda) no cálculo, embora a Lei 8.080/90 cite como dos critérios para estabelecer os valores a serem repassados, o perfil epidemiológico da região. 78 E Comentário: A lei 8.080/90 é clara ao estabelecer que, na composição do conselho de saúde, 50% pertencem ao usuário. O número de conselheiros não é estabelecido, bem como a proporção de representantes de profissionais de saúde. O ministério Público não tem que estar representando. Qualquer município, estando emancipado, tem que ter um conselho de saúde, para poder fiscalizar o SUS. EXERCÍCIOS 79 - (CESPE/SEMAD - MA/2008) Com relação à Lei nº /90, que dispõe acerca da participação da comunidade na gestão do SUS e das transferências intergovernamentais de recursos financeiros na área da saúde, julgue os próximos itens. (A) O SUS conta, em cada esfera de governo, com as seguintes instâncias colegiadas de participação da sociedade: comissão intergestora bipartite, consórcio intermunicipal de saúde e conferência de saúde. (B) A conferência nacional de saúde, realizada a cada quatro anos com representação de vários segmentos sociais, avalia e altera, se necessário, em caráter permanente e deliberativo, a legislação da saúde no Brasil. (C) Para o recebimento de recursos financeiros do Fundo Nacional de Saúde, os municípios, os estados e o DF deverão definir nos seus respectivos orçamentos suas contrapartidas de recursos financeiros para a saúde. (D) A lei em questão definiu que todos os municípios implantassem, no prazo previsto de dois anos, o plano de carreira, cargos e salários para os trabalhadores do SUS, condicionando a essa exigência o repasse de recursos financeiros da União. (E) Segundo a lei em apreço, a representação dos prestadores de serviços nas conferências de saúde deve ser paritária em relação ao conjunto dos demais segmentos. 80- (FCC/MPU/2007) A participação social na gestão do Sistema Único de Saúde, expressa na Lei no 8.142/1990, se efetiva principalmente por meio dos Conselhos de Saúde, cuja representação dos usuários, na instância municipal, é: (A) numericamente menor 25 (vinte e cinco) %, em relação ao conjunto dos demais segmentos. (B) numericamente maior 70 (setenta) %, em relação ao conjunto dos demais segmentos. (C) paritária em relação ao conjunto dos demais segmentos. (D) definida pelo número de usuários que utilizam o sistema de saúde local. (E) desnecessária, quando existem os movimentos populares de saúde. 81- (CESPE/ANS/2005) Considerando a legislação do setor de saúde no Brasil, em especial o capítulo da saúde na Constituição da República e a Lei nº /90, julgue os itens subseqüentes. (A) A Constituição buscou romper, no Brasil, com o tipo de acesso aos serviços públicos de saúde condicionada à situação de trabalho do usuário. (B) Antes da criação do SUS, um cidadão sem carteira de trabalho assinada não tinha acesso a serviços públicos de saúde, exceto em condições de emergência médica. (C) A Lei nº /1990 estabelece que o Conselho Nacional de Saúde tenha caráter provisório e deve reunir-se para atuar em situações de crise sanitária. (D) Por meio da Lei nº /1990, atribuiu-se a condição de status público ao CONASS e ao CONASEMS. (E) A representação dos usuários nas conferências de saúde, nos termos da referida lei, é proporcionalmente igual à observada para a composição dos conselhos de saúde. (F) A Lei nº /1990 foi elaborada após a Lei nº /1990, e produz maior detalhamento de itens relacionados ao modelo de atenção à saúde. (G) A Lei nº /1990 cuida dos recursos do Fundo Nacional de Saúde relacionada a despesas de custeio do sistema, mas também inclui as despesas de capital feitas pelo Ministério da Saúde. Andréa Paula Severiano Macêdo 23

12 (H) Quando estabelece a possibilidade de os municípios formarem consórcios para a execução de ações de saúde, a Lei nº /1990 não autoriza que para tal sejam remanejadas parcelas de transferências do Ministério da Saúde. (I) A Constituição, em seu art. 197, declara de relevância pública as ações e serviços de saúde e retira a competência da iniciativa privada na prestação desses serviços. (J) A Constituição determina que as ações e serviços públicos de saúde integrem uma rede hierarquizada e constituam um sistema único de acordo com diretrizes que incluem a participação da comunidade. (K) No art. 200 da Constituição, são estabelecidas as competências do SUS. Essas competências não incluem incrementar em sua área de atuação o desenvolvimento científico e tecnológico (SMSM 2004) A participação da comunidade no Sistema Único de Saúde - SUS - é garantida pela Constituição Federal e normatizada pela Lei nº , de 28 de dezembro de Em relação aos Conselhos de Saúde, é incorreto afirmar que: (A) Têm caráter deliberativo. (B) São compostos por representantes do governo, prestadores de serviço, profissionais de saúde e usuários, em cada esfera de governo. (C) Atuam na formulação de estratégias e no controle da execução da política de saúde em cada nível de governo, exceto nos aspectos econômicos e financeiros. (D) A representação dos usuários é paritária em relação ao conjunto dos demais segmentos. (E) O Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e o Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde (Conasems) participam do Conselho Nacional de Saúde 83 - (SSR 2003) De acordo com a Lei N 8142, de 28 de setembro de 1990, o Sistema Único de Saúde (SUS) contará, em cada esfera de governo, sem prejuízo das funções do Poder Legislativo, com as seguintes instâncias colegiadas: (A) A Conferência de Saúde e o Conselho de Saúde. (B) A Comissão Intergestores Bipartite e a Comissão Intergestores Tripartite. (C) A Fundação Nacional de Saúde e o Instituto Nacional de Seguridade Social. (D) A Secretaria Estadual de Saúde e a Secretaria Municipal de Saúde. (E) A Secretaria de Vigilância Sanitária e a Secretaria de Assistência à Saúde. 84- (PMQ 2001) Assinale a alternativa que apresenta o conceito de saúde estabelecido pela Lei Orgânica da Saúde: (A) Saúde é resultante de políticas econômicas e sociais que visem a redução de doenças e o acesso às ações de promoção, proteção e recuperação da saúde. (B) Saúde é resultante de um equilíbrio dinâmico entre o homem, o agente patogênico e o meio. (C) Saúde é resultante de uma assistência sem risco e de qualidade, oferecidas em unidades de saúde que tenham passado por avaliações de Acreditação Hospitalar. (D) Saúde é um estado de completo bem estar físico, mental e social e não apenas a ausência de doenças. (E) Saúde é resultante de boa alimentação e de higiene. 85- (SES-DF 2005) Até a década de 70 o Ministério da Saúde era responsável pelas seguintes ações de saúde, exceto: (A) Vacinação. (B) Combate às endemias. (C) Ações de caráter preventivo. (D) Assistência médico-hospitalar. (E) Somente ações de interesse coletivo 86- (SES-DF 2005) Antes da década de 80 as ações governamentais, na área de saúde, tinham as seguintes características, exceto: (A) Pouca especialização da atenção. (B) Exclusão, na assistência, dos desempregados. (C) Exclusão, na assistência, dos trabalhadores informais. (D) Ausência da participação da sociedade no processo decisório (E) Expansão da rede privada 87- (SES-DF 2005) Os primeiros convênios entre o governo federal e as secretarias estaduais e municipais de saúde, para repasse de recursos financeiros ocorreram em: (A) 1967 com a unificação do sistema previdenciário INPS. (B) 1983 com as Ações Integradas de Saúde AIS. (C) 1986 com a VIII Conferência Nacional de Saúde. (D) 1987 com os Sistemas Unificados e descentralizados de Saúde SUDS. (E) Nenhuma das anteriores Andréa Paula Severiano Macêdo (A) - E (B) - E (C) - C (D) - C (E) - E 81- (A) - C (B) E (C) E (D) C (E) C (F) E (G) C (H) E (I) E (J) C (K) E 80- C 82- C 83- A 84- A 85- D 86- D 87- B GABARITO EXERCÍCIOS COMENTADOS 88- Lei 8.142, de 28 de dezembro de 1990, dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do SUS e sobre as transferências intergovernamentais de recursos financeiros na área da saúde e da outras providências. O artigo segundo dessa lei diz que os recursos do Fundo Nacional de Saúde serão alocados como, exceto: A) Despesas de custeio e de capital do Ministério da Saúde, seus órgãos e entidades, da administração direta e indireta. B) Investimentos previstos em lei orçamentária, de iniciativa do Poder Legislativo e aprovados pelo Congresso Nacional. C) Cobertura das ações e serviços de saúde a serem implementados pelo Distrito Federal, apenas. D) Investimentos previstos no plano qüinqüenal do Ministério da Saúde. 89- A Lei Nº , de 28 de dezembro de 1990, trata do controle social no SUS. Em relação a essa Lei, NÃO é correto afirmar que: (A) As instituições privadas podem participar de forma complementar do sistema único de saúde. (B) É estimulada a destinação de recursos públicos para auxílios ou subvenções às instituições privadas com fins lucrativos. (C) É vedada a participação direta ou indireta de empresas ou capitais estrangeiros na assistência à saúde no País, salvo nos casos previstos em Lei. (D) Na participação das instituições privadas têm preferência as entidades filantrópicas e as sem fins lucrativos. (E) É proibida a comercialização de órgãos e tecidos humanos. 90- NÃO compõem os Conselhos de Saúde os representantes: A) Do governo. B) Dos prestadores de serviços de saúde. C) Dos profissionais de saúde. D) Das associações de moradores. E) Dos usuários. Andréa Paula Severiano Macêdo 25

13 91- A Lei 8.142/90 estabeleceu instâncias colegiadas e instrumentos de participação social em cada esfera de governo. São elas: A) Conselhos de Saúde e Conferências de Saúde. B) Conselhos de Saúde e Secretarias Municipais de Saúde. C) Conferências de Saúde e Secretarias Municipais de Saúde. D) Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde. E) Nenhuma das anteriores. 92- Considerando a situação de um município com 230 mil habitantes, com população predominante moradora na área urbana e com economia industrial, cujo parque produtivo concentra fábricas que produzem material cerâmico e atuam na recuperação de baterias. No mundo, o Sistema Único de Saúde (SUS) é composto pelos seguintes serviços: 9 unidades Básicas de Saúde, 1 ambulatório público de especialidades, 1 centro de referência em Saúde do trabalhador, 1 Santa Casa de Misericórdia, 1 Hospital Geral, 1 maternidade Municipal, além de vários consultórios médicos, odontológicos e algumas clínicas de atendimento multi-profissional privados. Em relação ao repasse de recursos financeiros do ministério da saúde, ao município, para o Sistema de Saúde Municipal, pode-se afirmar que: A) O conselho Municipal de saúde tem o papel de deliberar sobre a aplicação desses recursos. B) Desde a promulgação da Constituição Federal de 1988, o repasse é automático, com um valor fixo por habitante. C) O município somente receberá integralmente os recursos quando estatizar todos os serviços. D) Somente os serviços públicos municipais recebem recursos federais. E) O Ministério somente repassa recursos para municípios com mais de 200 mil habitantes. 93- De acordo com a Lei de 28 de dezembro de 1990, a parcela do Fundo Nacional de Saúde repassada aos municípios para cobertura das ações e serviços de saúde corresponde: A) Na totalidade dos recursos. B) No mínimo, a 60% dos recursos. C) No mínimo, a 70% dos recursos. D) No mínimo, a 50% dos recursos. 94- Na Conferência Nacional de Saúde em 1986 colocou-se como meta para a tentativa de melhoria no sistema único de saúde pública a implantação: A) Da regulamentação das empresas privadas no atendimento à saúde pública. B) Da regulamentação das atuações do PAS no atendimento à saúde pública. C) Do Sistema Único de Saúde SUS. D) Do SIMS. E) Gradativa de extinção do SUS para a substituição pelo PAS. 95- As funções de controle, avaliação e acompanhamento das ações e serviços de saúde, respeitadas as competências Estaduais e Municipais devem ser realizadas: A) Pelos Conselhos Estaduais de Saúde. B) Pelos Conselhos da Comunidade. C) Pela Direção Nacional do SUS. D) Pelo Conselho Nacional de Saúde. 96- Em relação ao atual financiamento da saúde no Brasil, assinale a alternativa CORRETA: A) Os recursos provêm majoritariamente dos descontos sobre folha de salário. B) Depende substancialmente do volume de recursos arrecadados pela CPMF. C) Depende exclusivamente dos recursos provenientes da Contribuição para o Financiamento de Seguridade Social (COFINS). D) Depende substancialmente dos recursos provenientes da COFINS e da Contribuição sobre o Lucro Líquido das Empresas. 97- Os recursos do Fundo Nacional de Saúde destinada à cobertura da assistência ambulatorial e hospitalar serão repassados para os municípios na seguinte condição: A) Mediante contrato ou convênio. B) De forma regular e automática. C) Por meio de pagamento por produção. D) Em contrapartida aos serviços contratados. GABARITO COMENTADO 88- C Comentário: Os recursos do Fundo Nacional de Saúde serão alocados na cobertura de ações e serviços de saúde a serem implementados pelos municípios, estados e Distrito Federal. 89- C Comentário: Os Conselhos de Saúde são órgãos colegiados de caráter permanente e deliberativo. São compostos por representantes do governo, prestadores de serviço, profissionais de saúde e usuários. Atuam na formulação de estratégias e no controle da execução da política de saúde na instância correspondente, inclusive nos aspectos econômicos e financeiros, cujas decisões serão homologadas pelo chefe do poder legalmente e constituído em cada esfera de governo (Federal, Estadual e Municipal). 90- D Comentário: Os conselhos de Saúde são compostos por representantes do governo, prestadores de serviço, profissionais de saúde e usuários. Portanto não há participação de associações de moradores. 91- A Comentário: Com a Lei 8.142/90, ficam estabelecidas as instâncias colegiadas e os instrumentos de participação social em cada esfera de governo sem que haja prejuízo das funções do Poder Legislativo. Essas instâncias são as Conferências e os Conselhos de Saúde. I - Conferência de Saúde: acontecem a cada 4 anos com a representação dos vários segmentos sociais, para avaliar a situação de saúde e propor as diretrizes para a formulação da política de saúde nos níveis correspondentes. II - Conselho de Saúde: são órgãos colegiados de caráter permanente e deliberativo. São compostos por representantes do governo, prestadores de serviço, profissionais de saúde e usuários. Atuam na formulação de estratégias e no controle da execução da política de saúde na instância correspondente. 92- A Comentário: De acordo com a lei 8.142/90, o Conselho de Saúde atua no controle da execução da política de saúde na instância correspondente, inclusive nos aspectos econômicos e financeiros. O fato de o repasse ser automático e a estipulação do valor fixo por habitante vir das normas operacionais básicas, ou seja, bem depois da Constituição Federal. Os recursos federais alimentam o SUS em todas as três esferas de governo. Não é estabelecido o número de habitantes para que o município receba o repasse, basta ser município e cumpri algumas exigências normativas C Comentário: A parcela do Fundo Nacional de Saúde repassada aos municípios para cobertura das ações e serviços de saúde é no mínimo de 70% dos recursos C Comentário: A meta para a tentativa de melhoria no sistema de saúde pública seria a implantação do Sistema Único de Saúde SUS. O modelo assistencial consolidado até a década de 70 apresentava algumas características como gigantismo da rede hospitalar, predomínio dos procedimentos curativos sobre os preventivos, pouco desenvolvimento das ações de caráter coletivo e desconsideração do diagnóstico epidemiológico e os determinantes sociais do processo saúde-doença C Comentário: Cabe a Direção Nacional do Sistema Único de Saúde, art. 16º inciso XVII acompanhar, controlar e avaliar as ações e os serviços de Saúde, respeitada as competências estaduais e municipais. 96 D Comentário: Encontramos o seguinte texto na NOB 01/96: As principais fontes específicas da Seguridade Social incidem: a) Sobre a Folha de Salários. b) O faturamento. c) O Lucro. Até 1992, todas essas fontes integravam o orçamento do Ministério da Saúde e ainda havia aporte significativo de fontes fiscais. A partir de 1993, deixou de ser repassado ao MS a parcela da Contribuição sobre a folha de salários. Atualmente, as fontes que asseguram o maior aporte de recursos ao MS são: 1- Contribuição sobre o faturamento (COFINS). 2- Contribuição sobre o lucro líquido. 97 B Comentário: De acordo com a Lei 8.142/90, art. 3º - Os recursos (...) serão repassados de forma regular e automática para os Municípios, Estados e Distrito Federal. Municípios podem celebrar convênios entre si, mas isto não configura repasse. A contratação de serviços e seu pagamento são da competência da esfera de governo que contrata. Embora ainda haja algumas formas de pagamento por produção, não são repasses do Fundo Nacional de Saúde. Andréa Paula Severiano Macêdo 26 Andréa Paula Severiano Macêdo 27

14 EXERCÍCIOS 98 - (CESPE/SEMAD - MA/2008) A Constituição Federal do Brasil de 1988 forneceu as bases legais para a criação do Sistema Único de Saúde (SUS). Acerca desse tema, julgue os itens seguintes. (A) A criação do SUS pela Constituição de 1988 possibilitou a inclusão de todo cidadão brasileiro no sistema público de saúde, em decorrência da garantia de que a saúde é um direito de todos e um dever do Estado. (B) No Brasil, a implantação do SUS garantiu um maior acesso da população aos serviços de menor complexidade, como consultas médicas e vacinação. Para os serviços de maior complexidade, como o diagnóstico e o tratamento de câncer, o acesso gratuito está restrito aos trabalhadores contribuintes da previdência social. (C) Na prestação de serviços privados de assistência à saúde, devem ser observados os princípios éticos e as normas expedidas pelo órgão de direção do SUS quanto às condições para o seu funcionamento. (D) É vedada a participação do setor privado no SUS, uma vez que o sistema de saúde no Brasil é público e único. (E) A Conferência Nacional de Saúde, realizada, em geral, a cada quatro anos, com representação de vários segmentos sociais, deve avaliar a situação de saúde e propor diretrizes para a política nacional de saúde (FCC/MPU/2007) A atenção à saúde, vigente nas décadas que seguiram a reforma sanitária instituída pela Constituição Federal de 1988, está consubstanciada em diretrizes, sendo três delas: (A) Visão holística da saúde, promoção à saúde e espírito do sanitarismo campanhista. (B) Descentralização, universalização do atendimento e integralização das ações de saúde. (C) Vigilância em saúde, centralização das ações e municipalização da saúde. (D) Promoção à saúde, ações preventivas e atendimento médico assistencialista. (E) Atenção curativa/reabilitação, valorização dos agentes comunitários e espírito do sanitarismo assistencialista (PFS-2005) A leitura combinada dos artigos 194, 196 e 198 da Constituição Federal permite a definição dos seguintes princípios informadores da política pública de saúde: I- Caráter democrático e descentralizado da administração, com participação da comunidade. II- Valorização dos profissionais de saúde, garantidos, na forma da lei, planos de carreira para os profissionais que integram a rede pública, com piso salarial profissional e ingresso, exclusivamente, por concurso público de provas e títulos. III- Universalidade. IV- Regulamentação e fiscalização da rede de serviços de saúde. V- Regionalização e hierarquização. Estão corretas as afirmações: (A) I, III e V. (B) I, II e V. (C) I, II e III. (D) I, III e IV. (E) II, III e V (SEGADF- 2002) A saúde como Direito de todos e dever do Estado, tem sua base legal sustentada pelos seguintes itens: (A) Constituição de 1988 e Lei nº /90. (B) Lei nº /55 e Decreto Lei nº /61. (C) Lei nº /86 e Decreto Lei nº /87. (D) Parecer interministerial nº. 271/62 e Portaria Ministerial (MS) nº.4/62. (E) Lei 5.905/86 e Portaria Ministerial (MS) nº. 4/ (DNIT 2006) O Sistema Único de Saúde, aprovado, em 1988, pela Assembléia Nacional Constituinte, estabelece que: I - A saúde é um direito de todos e dever do estado. II - As ações e serviços de saúde são de relevância pública, cabendo ao poder público dispor, nos termos da lei, sobre sua regulamentação, fiscalização e controle. III - É vedada a destinação de recursos públicos para auxílios ou subvenções a instituições privadas com fins lucrativos. Em relação às afirmativas acima, pode-se dizer que: (A) Somente II está correta. (B) Somente I e II estão corretas. (C) Somente II e III estão corretas. (D) Somente I e III estão corretas. (E) Todas estão corretas. Andréa Paula Severiano Macêdo (DNIT 2006) Conforme dispõe a Seção II - Saúde, do Capítulo II - da Seguridade Social e Título VIII - da Ordem Social, da Constituição Federal vigente no País, as instituições privadas de Assistência à Saúde no Sistema Único de Saúde: (A) Exercem um papel essencial. (B) Podem participar de forma complementar. (C) Devem ser extintas progressivamente. (D) Tiveram os direitos assegurados às existentes, sendo vedado o surgimento de novas iniciativas. (E) Tiveram tratamento semelhante ao destinado às entidades filantrópicas (DNIT 2006) Baseado nos preceitos Constitucionais, a construção do SUS se norteia pelos seguintes princípios doutrinários: (A) Complexidade, resolubilidade e acesso. (B) Hierarquização, unicidade e regionalização. (C) Universalidade, eqüidade e integralidade. (D) Organização, participação e centralização. (E) Universalização, centralização e complementaridade Os princípios básicos e as diretrizes do sistema único de saúde (SUS), estabelecidos pela Constituição Federal de 1988, são: (A) Atendimento integral, descentralizado e universalizado. (B) Atendimento humanizado, departamentalizado e regionalizado. (C) Atendimento especializado, centralizado e participação da comunidade. (D) Atendimento centralizado e participação da comunidade. (E) N.D.A (SES-DF 2005) A Constituição Federal de 1988, em seu artigo 196, estabelece importantes mudanças conceituais e operacionais em relação à saúde, exceto: (A) A saúde é um direito de todos e dever do estado. (B) As políticas sociais e econômicas devem visar a redução do risco de doenças e de outros agravos. (C) Desenvolver ações tendentes a reduzir as diferenças evitáveis e injustas, entre grupos humanos com diferentes níveis sociais. (D) Acesso universal e igualitário às ações e serviços de saúde. (E) O sistema de saúde deve atuar visando a promoção, proteção e recuperação da saúde (SES-DF 2005) A Constituição e a Lei Orgânica da Saúde estabelecem a participação da comunidade na gestão do SUS. Seus canais e forma de atuação podem ser: 1- Conferências de Saúde - caráter deliberativo. 2- Conferências de Saúde - caráter consultivo. 3- Conselhos de Saúde - caráter consultivo. 4- Conselhos de Saúde - caráter deliberativo. Assinale a resposta correta: (A) Somente a alternativa 3 é correta. (B) As alternativas 2 e 4 são corretas. (C) Alternativas 1 e 3 são corretas. (D) Todas as alternativas são corretas. (E) Nenhuma das alternativas são corretas GABARITO 98- (A) C (B) - E (C) - C (D) - E (E) - C 99- B 100- A 101- A 102- E 103- B 104- C 105- A 106- C 107- B Andréa Paula Severiano Macêdo 29

15 EXERCÍCIOS COMENTADOS 108- A universalidade é um dos princípios básicos do Sistema Único de Saúde e significa que o Estado se obriga a: A) Prestar assistência à saúde de toda a população. B) Distribuir os recursos de modo a assegurar prioritariamente assistência para a parcela da população que demanda atenção de maior complexidade. C) Distribuir os recursos de modo a assegurar prioritariamente assistência às classes sociais mais baixas. D) Distribuir os recursos de modo a assegurar prioritariamente assistência aos menores de um ano, gestantes e idosos A percepção da saúde como direito de cidadania é um dado novo na história da política social brasileira. Nesse contexto, a noção de saúde tende a ser percebida como: (A) Conjunto de condições coletivas de existência com qualidade de vida. (B) Expressão de decisão e gestão exclusiva do Estado. (C) Visão medicalizada da saúde de forma globalizada. (D) Compressão da saúde como um estado biológico. (E) Estado de ausência de enfermidade A saúde como direito de todos e dever do estado tem sua base legal sustentada pelos seguintes atos: (A) Parecer 163?82 e Resolução 04/72. (B) Lei 2.604/55 e Decreto-lei /61. (C) Lei 7.498/86 e Decreto-lei /87. (D) Constituição Federal /88 e Lei 8.080/90. (E) Parecer 271/62 e portaria ministerial de 04/ Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), define-se saúde como: (A) Completo estado de saúde mental. (B) Estado de completo bem-estar físico, mental e social. (C) Ausência de doenças ou enfermidades. (D) Prestação global de assistência ao doente acamado. (E) Direito de todas as raças, independente de sexo, religião ou cor O Sistema Único de Saúde, cujo arcabouço jurídico-institucional é definido pela Constituição Federal de 1988 tem fundamentação legal nos dispositivos abaixo, EXCETO: (A) NOAS 01/02. (B) Lei nº / (C) Lei nº / (D) NOB s 91, 92, 93 e 96. (E) RDC nº. 50 / De acordo com a Constituição é correto afirmar que, EXCETO: (A) A saúde é direito de todos. (B) A saúde é dever do estado. (C) O estado deve desenvolver políticas sociais que visem à redução do risco de doença. (D) O estado deve prover acesso universal não igualitário às ações e serviços para a promoção, proteção e recuperação da saúde. (E) O estado deve desenvolver políticas econômicas que visem à redução do risco de doença De acordo com a Constituição, a assistência à saúde é livre à iniciativa privada. Em relação à atuação da iniciativa privada NÃO é correto afirmar que: A) As instituições privadas podem participar de forma complementar do sistema único de saúde. B) É estimulada a destinação de recursos públicos para auxílios ou subvenções às instituições privadas com fins lucrativos. C) É vedada a participação direta ou indireta de empresas ou capitais estrangeiros na assistência à saúde no País, salvo nos casos previstos em lei. D) Na participação das instituições privadas têm preferência as entidades filantrópicas e as sem fins lucrativos. E) É proibida a comercialização de órgãos e tecidos humanos De acordo com a Constituição Federal de 1988, ao Sistema Único de Saúde compete, entre outras ações: I controlar e fiscalizar produtos e substâncias de interesse para a saúde. Andréa Paula Severiano Macêdo 30 II - executar as ações de vigilância sanitária e epidemiológica, bem como as de saúde do trabalhador. III participar da formulação da política e a execução das ações de saneamento básico. IV fiscalizar e inspecionar alimentos, bebidas e águas para o consumo humano. V participar do controle e fiscalização da produção, transporte, guarda e utilização de substância e produtos psicoativos, tóxicos e radioativos. VI colaborar na proteção do meio ambiente, nele compreendido o do trabalho. A quantidade de afirmativas corretas, das seis listadas, é: a. O. b. 2. c. 4. d. 5. e Com relação aos objetivos e competências legais do SUS julgue os itens a seguir. Diga se é certo ou errado: I Não é atribuição legal do SUS colaborar na proteção do meio ambiente, nele compreende o do trabalho. II A vigilância nutricional e a orientação alimentar fazem parte do campo de atuação do SUS Em relação à cobertura assistencial, a premissa básica do SUS que diferencia a questão do acesso aos períodos anteriores à Constituição Federal de 1988 é: (A) A universalidade do atendimento. (B) A equidade na oferta de serviços. (C) A descentralização da gestão em saúde. (D) O controle social. GABARITO COMENTADO A Comentário: A universalidade está embutida no art. 196 da Constituição Federal, que diz saúde é direito de todos e dever do Estado. Ou seja, assume-se a responsabilidade de cuidar da saúde de toda a população. As demais opções implicam em ausência deste preceito A Comentário: O movimento pela saúde, enquanto qualidade de vida está bastante marcado pela capacidade de resposta do Estado às demandas sociais, através de suas políticas públicas. Assim, os projetos de redução do estado que apontam seu suposto excesso de tamanho e sua suposta ineficiência marcaram as discussões realizadas na 10ª Conferência Nacional de Saúde (CNS). Os participantes discutiram os projetos, as políticas e a articulação entre as diferentes instâncias do poder público D Comentário: A saúde como direito de todos e dever do estado tem sua base legal sustenta pela Constituição Federal/88 e Lei 8.080/90. A saúde é um direito fundamental do ser humano, devendo o Estado prover as condições indispensáveis ao seu pleno exercício. O dever do Estado de garantir a saúde consiste na formulação de riscos de doenças e de outros agravos e no estabelecimento de condições que assegurem acesso universal e igualitário às ações e aos serviços para a sua promoção, proteção e recuperação. Esta lei regula, em todo o território nacional, as ações e serviços de saúde executados isolada ou conjuntamente, em caráter permanente ou eventual, por pessoas naturais ou jurídicas de direito público ou privado B Comentário: Segundo a OMS defini-se saúde como estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não apenas a ausência de doença. A saúde é um direito de todos e dever do estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços, para sua promoção, proteção e recuperação. (art. 196 da Constituição Brasileira, 1998) E Comentário: As Leis 8.080/90 e 8.142/90 são Leis Orgânicas da Saúde, criadas com o intuito de disciplinar legalmente a proteção e a defesa da saúde, como previsto na Constituição de 1988; as NOB s e a NOA s 01/02, citadas nas opções d e a, são instrumentos de regulação do processo de descentralização do SUS. Tendo por base estes conceitos, concluímos que o dispositivo RDC 50/2002 é o único que não fundamenta legalmente o SUS D Comentário: A constituição determina que Estado deve prover acesso universal e igualitário às ações e serviços para a promoção, proteção e recuperação da saúde, que é representado pelo princípio de igualdade do SUS. Andréa Paula Severiano Macêdo 31

16 114- B Comentário: Como disposto no artigo 199 da Constituição Federal de 1988: A assistência à saúde é livre à iniciativa privada, que pode atuar em caráter complementar no SUS, com preferência da filantropia e entidades sem fins lucrativos; fica vedada a destinação de recursos públicos para auxílios e subvenções às instituições privadas com fins lucrativos, assim como a participação de capital estrangeiro na assistência à saúde do país direta ou indiretamente e qualquer tipo de comercialização de sangue e hemoderivados E Comentário: Além das competências citadas nos itens da questão, a Constituição de 1988 em seu artigo 200, também atribui ao SUS as seguintes competências: ordenar a formação de recursos humanos na área de saúde; incrementar em sua área de atuação o desenvolvimento científico e tecnológico II Comentário: Analisando as opções: I- Incorreta, pois de acordo com o art. 200 da Constituição Federal é atribuição legal do Sistema Único de Saúde SUS colaborar na proteção do meio ambiente, nele compreendido o trabalho. II- Correta, de acordo como artigo 6º estão incluídas no campo de atuação do Sistema Único de Saúde SUS a vigilância nutricional e a orientação alimentar A Comentário Em relação à cobertura assistencial, o princípio da universalidade buscou na constituição do SUS (Reforma Sanitária, 8ª Conferência Nacional de Saúde, Constituição Federal de 1988 e as Leis Orgânicas) incorporar o conceito de cidadania, de direito ao acesso aos serviços e ações de saúde, como marco diferencial do que ocorria nos períodos anteriores ao SUS quando o acesso dependia dos vínculos que os indivíduos possuíam dentro do processo de produção. EXERCÍCIOS 118- (PFS 2005) De acordo com a NOAS/SUS 01/02, nos municípios habilitados em Gestão Plena da Atenção Básica ou Gestão Plena da Atenção Básica Ampliada, que tenham serviços de alta complexidade em seus territórios, as funções de gestão e relacionamento com os prestadores de alta complexidade são de responsabilidade: (A) Do gestor estadual, podendo este delegar aos gestores municipais as funções de controle e avaliação dos prestadores, incluindo o processo autorizativo. (B) Do gestor municipal, podendo este delegar aos gestores estaduais as funções de controle e avaliação dos prestadores, incluindo o processo autorizativo. (C) Do gestor estadual, podendo este delegar aos gestores municipais as funções de controle e avaliação dos prestadores, excluindo o processo autorizativo. (D) Do gestor municipal; podendo este delegar aos gestores estaduais as funções de controle e avaliação, excluindo o processo autorizativo. (E) Do gestor municipal, sendo-lhe vedada a delegação de funções de controle e avaliação aos gestores estaduais (PFS 2005) De acordo com a Norma Operacional de Assistência à Saúde - SUS 01/2002, considera-se requisito para os Municípios se habilitarem à Gestão Plena da Atenção Básica Ampliada: (A) Comprovar a capacidade para o desenvolvimento de ações básicas de vigilância epidemiológica. (B) Comprovar o comando único sobre a totalidade dos prestadores de serviços ao SUS localizados no território municipal. (C) Firmar termo de compromisso para garantia de acesso com a Secretaria de Estado da Saúde. (D) Comprovar a estruturação do componente municipal do Sistema Nacional de Auditoria. (E) Apresentar relatório de gestão do ano anterior à solicitação do pleito, devidamente aprovado pelo Conselho Municipal de Saúde (PFS- 2005) Conforme a Norma Operacional de Assistência à Saúde - SUS 01/2002, assinale a alternativa incorreta: (A) Define-se limite financeiro da assistência por município como o montante máximo de recursos federais que poderá ser gasto com o conjunto de serviços existentes em cada território municipal. (B) A garantia de acesso da população aos serviços não disponíveis em seu município de residência é de responsabilidade do gestor estadual, de forma solidária com os municípios de referência, observados os limites financeiros, devendo o mesmo organizar o sistema de referência utilizando mecanismos e instrumentos necessários, compatíveis com a condição de gestão do município onde os serviços estiverem localizados. (C) Cabe à Comissão Intergestores Bipartite Estadual a desabilitação dos municípios, que deverá ser homologada pela Comissão Intergestores Tripartite. (D) A regulação dos serviços de alta complexidade será de responsabilidade do gestor estadual, quando o município encontrar-se na condição de gestão plena do sistema municipal, e de responsabilidade do gestor municipal, nas demais situações. (E) Considera-se requisito específico à habilitação dos Estados, na Gestão Plena do Sistema Estadual, dispor de 50% do valor do Limite Financeiro da Assistência do Estado comprometido com transferências regulares e automáticas aos Municípios. Andréa Paula Severiano Macêdo (PFS 2005) De acordo com a NOB - SUS 01/96, o processo de articulação entre os gestores, nos diferentes níveis do Sistema Único de Saúde, ocorre, preferencialmente, em dois colegiados de negociação: a Comissão Intergestores Tripartite (CIT) e a Comissão Intergestores Bipartite (CIB) A Comissão Intergestores Tripartite é composta, paritariamente, por: (A) Representação da Secretaria Estadual de Saúde (SES) e do Conselho Estadual de Secretários Municipais de Saúde (COSEMS). (B) Representação do Ministério da Saúde (MS), do Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Saúde (CONASS) e do Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde (CONASEMS). (C) Representação do Ministério da Saúde (MS), da Secretaria Estadual de Saúde (SES) e do Conselho Estadual de Secretários Municipais de Saúde (COSEMS). (D) Representação do Ministério da Saúde (MS) e da Secretaria Estadual de Saúde (SES). (E) Representação do Ministério da Saúde (MS) e do Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde (CONASEMS) (SSR 2003) A elaboração do Plano Diretor de Regionalização deve garantir o acesso dos cidadãos, o mais próximo possível de sua residência, a um conjunto de ações e serviços vinculados às responsabilidades mínimas, exceto: (A) Na estruturação e operação do Componente Estadual do SNA (Sistema Nacional de Auditoria). (B) No controle das doenças bucais mais comuns. (C) No atendimento de afecções agudas de maior incidência. (D) Nas ações de promoção da saúde e prevenção de doenças. (E) Na assistência pré-natal, no parto e puerpério (SSR 2003) De acordo com Norma Operacional da Assistência à Saúde - NOAS-SUS/2001, o que é Município-pólo? (A) É o município que, de acordo com a definição da estratégia de regionalização de cada Estado, apresenta papel de referência para outros municípios, em qualquer nível de atenção. (B) É a base territorial mínima a ser submetida à aprovação do Ministério da Saúde e da Comissão intergestores Tripartite, para qualificação na assistência à saúde. (C) É a base territorial de planejamento da atenção à saúde, não necessariamente coincidente com a divisão administrativa do Estado. (D) É o módulo territorial com resolubilidade correspondente ao primeiro nível de referência. (E) É o município existente em um módulo assistencial que possa ofertar, com suficiência, todos os serviços do primeiro nível de referência municipal e intermunicipal (SSR 2003) De acordo com Norma Operacional da Assistência à Saúde - NOAS-SUS/2001, a elaboração do Plano Diretor de Regionalização é de responsabilidade: (A) Das Secretarias de Saúde, dos Estados e do Distrito Federal. (B) Do Governo Federal. (C) Da Comissão Intergestores Bipartite. (D) Do Conselho Estadual de Saúde. (E) Da Secretaria Municipal de Assistência à Saúde (PMQ 2001) Considerando que a Norma Operacional Básica do SUS, de 1996, recomenda a descentralização das atribuições da Vigilância Epidemiológica no país, no caso da ocorrência de casos de meningite em um determinado local, cabe à Secretaria Municipal de Saúde: (A) Realizar a investigação epidemiológica dos casos. (B) Notificar à Secretaria Estadual a quem cabe investigar. (C) Apenas prestar assistência aos casos diagnosticados. (D) Notificar ao órgão do Ministério da Saúde no estado. (E) Encaminhar os contactantes para a unidade hospitalar (PMQ 2001) O coeficiente de prevalência de uma determinada doença é um indicador epidemiológico que mede a relação: (A) Entre o número de casos conhecidos e a população. (B) Entre o número de casos novos e a população. (C) Da transmissão de uma doença na coletividade. (D) Da incidência de uma doença na coletividade; (E) Da tendência de uma doença na coletividade (PMQ 2001) Assinale a sigla que corresponde ao sistema atual de notificação compulsória de doenças do SUS: (A) SINAN. (B) SINASC. (C) SIH. (D) SAI. (E) SIM. Andréa Paula Severiano Macêdo 33

17 128- (PMQ 2001) De acordo com o Sistema de Informações em Saúde (DATASUS), a taxa de mortalidade infantil de Queimados oscilou próximo a 30 óbitos por 1000 nascidos vivos no período de 1989 a Entre as principais estratégias municipais para redução desse indicador, deve-se priorizar. (A) Atenção pré-natal, ao parto, imunizações, aleitamento, reidratação oral, saneamento básico e educação em saúde. (B) Atenção pré-natal, ao parto, imunizações, aleitamento, reidratação oral e educação em saúde. (C) Atenção pré-natal, ao parto, imunizações, aleitamento, reidratação oral e saneamento básico. (D) Atenção na escola, imunizações, aleitamento, reidratação oral, saneamento básico e educação em saúde. (E) Atenção na escola, ao parto, imunizações, aleita-mento, reidratação oral, saneamento básico e educação em saúde As conferências e os conselhos de saúde têm caráter deliberativo e constituem instâncias colegiadas nas diferentes esferas do governo que garante a participação popular. O conselho municipal de saúde é composto dos seguintes segmentos: (A) Comunidade, Senado e representantes de classes sociais e de baixa renda. (B) Secretários municipal e estadual, conselheiros ministeriais e federais. (C) Governo, prestadores de serviços, profissionais de saúde e usuários. (D) Conselheiros da Conferência Nacional de Saúde, senadores e vereadores. (E) N.D.A 130- A eqüidade, um dos princípios do sistema único de saúde (SUS), é considerada uma meta ainda distante no nosso sistema de saúde, em decorrência. (A) Do difícil acesso e conhecimento das práticas ambulatoriais do governo. (B) Do acesso desigual a medicamentos para tratamentos. (C) Do amplo acesso ao sistema de referência e contra-referência. (D) Da dificuldade de acesso da maioria da população aos serviços de saúde. (E) N.D.A 131- A política da atenção básica à saúde é um conjunto de ações de caráter. (A) Coletivo-social, centralizadas voltadas para os agravos determinados pela Ficha de Notificação de Agravos. (B) Individual ou coletivo, situadas no primeiro nível de atenção dos sistemas de saúde, voltadas para promoção da saúde, prevenção de agravo, tratamento e reabilitação. (C) Individual ou coletivo, centralizadas, levando a uma política assistencial/administrativa e social no uso racional de recursos federais. (D) Político-social, voltadas para os níveis de atenção à saúde, centradas na recuperação e reabilitação, buscando a qualidade de vida das pessoas e do meio ambiente. (E) N.D.A 132- A totalidade das ações e de serviços de atenção à saúde, no âmbito do SUS, deve ser desenvolvida em um conjunto de estabelecimentos organizados em rede regionalizada e hierarquizada e disciplinados, segundo subsistemas, um para cada município (SUS Municipal), sendo voltados para o atendimento. (A) Da população de baixa renda, no nível da promoção. (B) De idosos na rede hospitalar especializada, no nível da reabilitação e da recuperação. (C) Integral de sua própria população. (D) Centralizado e assistemático de casos de maior complexidade. (E) N.D.A 133- (PMQ 2001) O Programa de Saúde da Família apresenta uma concepção de saúde que tem como objetivo a promoção da qualidade de vida. Assinale a alternativa que caracteriza este Programa: (A) Organizar suas ações sob a forma de programas verticais e grandes campanhas de prevenção dirigidas ás família. (B) Visa à expansão da rede de hospitais e de procedi-mentos capazes de atender à crescente demanda por saúde. (C) Adota o modelo assistencial sanitarista que tem como porta de entrada o tradicional centro de saúde. (D) Desenvolve as práticas de saúde que integram ações individuais e coletivas centradas na família e na comunidade. (E) Reserva para o enfermeiro, que participa da equipe de saúde da família, a execução dos procedimentos clínicos e a identificação dos processos patológicos agudos (SES-DF 2005) Associar as colunas abaixo com informações sobre as Normas Operacionais Básicas do SUS: 1. NOB NOB NOB NOAS Andréa Paula Severiano Macêdo 34 ( ) Define instrumentos para a programação regionalizada. ( ) Cria as Comissões Intergestores Tri e Bipartite ( ) Condiciona os repasses financeiros à existência de Conselho, Fundo e Plano de saúde Municipais. ( ) Define o Piso da Atenção Básica com repasse per-capta. Marque a alternativa que corresponde a seqüência correta: (A) 1, 4, 2, 3. (B) 3, 4, 1, 2. (C) 2, 3, 4, 1. (D) 4, 2, 1, 3. (E) Nenhuma das anteriores 135- (SES-DF 2005) Em relação ao princípio da hierarquização pode-se afirmar que as unidades básicas de saúde devem: (A) Desenvolver ações que prescindam de exames complementares. (B) Ofertar consultas especializadas e exames complementares. (C) Ser a porta de entrada aos serviços de saúde, não se ocupando das ações de recuperação da saúde. (D) Restringir-se a executar as ações programáticas (E) Implementar na atenção primária, as ações de natureza preventiva e curativa 136- (PMC 2003) Em uma unidade de saúde com programa de saúde da família, em 5 áreas, as equipe descrevem a seguinte situação: presença de lixo social em várias casas, presença de lixo doméstico e acúmulo de outros materiais em casas. Com a intenção de melhorar a situação, estabeleceram-se as seguintes estratégias: realizar atividades educativas e promover uma campanha de troca, com a finalidade de diminuir os focos dos vetores da dengue. Considere as afirmativas abaixo, em relação às atribuições do técnico de enfermagem no Programa de Saúde da Família, segundo o Caderno de Atenção Básica do Ministério de Saúde. I - Participar na elaboração da (s) atividade{s), assinalando as casas de risco. II- Realizar visita de intervenção nas casas determinadas no plano, com supervisão do enfermeiro. III- Elaborar a escala de atividades dos membros da equipe de enfermagem e lideranças comunitárias. IV- Realizar visita de orientação educativa com entrega de material educativo. V- Supervisionar as atividades realizadas, através de reuniões diárias, sistematizadas com a equipe. Com base nessas afirmativas, assinale a alternativa correta. (A) As afirmativas I, II e IV são atribuições do auxiliar de enfermagem. (B) As afirmativas I, III, IV e V são atribuições do auxiliar de enfermagem. (C) As afirmativas II e III são atividades do agente comunitário de saúde. (D) As afirmativas II, III e IV são atribuições do auxiliar de enfermagem. (E) As afirmativas I, II, III e IV são atribuições de todos os membros da equipe de enfermagem (P.M.M) A vigilância sanitária é constituída por um conjunto de ações capazes de eliminar, diminuir ou prevenir riscos à saúde e de intervir nos problemas sanitários decorrentes do meio ambiente, da produção e circulação de bens e da prestação de serviços de interesse da saúde. Segundo a Lei 8080, de 19 de setembro de 1990, o estabelecimento de normas e a execução da vigilância sanitária de portos, aeroportos e fronteiras é da competência do (a): (A) Nível nacional do Sistema Único de Saúde - SUS, podendo a execução ser complementada pelos Estados, Distrito Federal e Municípios. (B) Nível estadual do SUS, podendo a execução ser complementada pelos Municípios. (C) Nível municipal do SUS. (D) Polícia Federal. (E) Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária - INFRAERO - e Departamento de Portos do Ministério dos Transportes (PMN) Segundo a Norma Operacional Básica 96 (NOB) do Ministério da Saúde gerência é definida como: (A) A direção de um sistema de saúde municipal, estadual ou nacional. (B) A administração de uma unidade ou órgão de saúde prestador de serviços ao SUS. (C) A administração de uma unidade ou órgão de saúde ou a direção de um sistema de saúde municipalizado. (D) A direção de órgãos coordenadores de atividades de saúde no nível municipal, como a Vigilância Epidemiológica e a Vigilância Sanitária. (E) N.D. A 139- (PMN) Segundo a Norma Operacional Básica 96, o Piso de Atenção Básica (PAB) é: (A) Um conjunto de ações de saúde consideradas básicas no nível de atenção primária. Andréa Paula Severiano Macêdo 35

18 (B) Um montante financeiro definido por um valor per capita multiplicado pela população de cada município. (C) Um conjunto de ações de saúde considerado suficiente para ser oferecido gratuitamente à população. (D) Um montante financeiro definido por um valor per capita multiplicado pela população de cada estado e por este redistribuído aos municípios. (E) N.D.A (PMN) A condição essencial para um município obter gestão plena do sistema de saúde municipal é apresentar: (A) Um Conselho Municipal de Saúde organizado. (B) Uma rede de prestação de serviços própria, pelo menos nos níveis primário e secundário. (C) Um plano de consórcio com municípios vizinhos, para oferecer uma rede de serviços completa à população. (D) Uma rede de prestação de serviços própria, pelo menos em no nível primário, podendo conveniar e credenciar os níveis mais complexos. (E) N. D. A (PMN) A proposta de estimular a atividade comunitária junto aos serviços de saúde na condução do SUS tem como objetivo explícito: (A) Incrementar a participação e controle social. (B) Economizar gastos com recursos humanos. (C) Disciplinar, controlar e reprimir a população. (D) Economizar gastos com infra-estrutura de saneamento. (E)N.D.A (PMN) O enfoque epidemiológico no modelo de atenção à saúde proposto pela Norma Operacional Básica 96 recomenda aos municípios que: (A) Restrinjam as ações de saúde àquelas de cunho estritamente preventivo, pois são muito mais eficazes. (B) Identifique grupos de risco em cada município, para a eventualidade de ser necessário isolá-los em quarentena. (C) Privilegiem as ações de saúde centradas no meio ambiente, na qualidade de vida e na noção de atenção integral à saúde. (D) Notifiquem a emergência de epidemias em seu território à Fundação Nacional de Saúde, para que esta proceda a campanhas de imunização (PMN) Segundo a Norma Operacional Básica 96, a relação entre os serviços de saúde e a população deve ter, como foco principal, uma ética pautada por: (A) Lógica política vigente em cada município. (B) Princípios básicos do código de ética médica. (C) Proposta coletiva que transcende o individual. (D) Padrões regionais definidos nas constituições estaduais. (E) N.D.A A 119- A 120- D 121- B 122- A 123- A 124- A 125- A 126- A 127- A 128- A 129- C 130- D 131- B 132- C 133- D 134- D 135- E 136- A 137- A 138- B 139- B 140- A 141- A 142- C 143- C GABARITO EXERCÍCIOS COMENTADOS 144- Segundo a Norma Operacional Básica, a condição de gestão avançada do sistema estadual tem como requisito, dispor de: A) 40% dos municípios em gestão estabelecida pela mesma Norma Operacional Básica. B) 80% dos municípios em gestão semiplena. C) 60% dos municípios em gestão estabelecida pela mesma Norma Operacional Básica. D) 30% da população residente nos estados em municípios habitados. E) 10% do valor do Teto Financeiro da Assistência (TFA) comprometido com transferências regulares e automáticas O tema descentralização está presente nas políticas de saúde, desde os anos cinqüenta. Entretanto, a Gestão Municipal Plena, com repasse direto de recursos financeiros da esfera federal para a administração municipal acontece na década de: A) Oitenta. B) Sessenta. C) Setenta. D) Noventa Assinale a alternativa que não indique responsabilidades da gestão plena do Sistema Municipal do SUS. (A) Gerência de unidades próprias, ambulatoriais e hospitalares, inclusive as de referência. (B) Contratação, controle, auditoria, pagamento aos prestadores de serviços ambulatoriais e hospitalares cobertos pelo teto financeiro global do município. (C) Avaliação permanente do impacto das ações do sistema sobre as condições de saúde de seus municípios e sobre o meio ambiente. (D) Administração da oferta de procedimentos ambulatoriais de baixo custo e procedimentos hospitalares de alta complexidade Consiste no pagamento direto aos prestadores estatais ou privados contratados e conveniados, contra a apresentação da fatura, referente a serviços realizados conforme programação e mediante previa autorização do gestor, segundo valores fixados em tabelas e ditadas pelo órgão competente do ministério. A alternativa a que se refere o texto acima é: (A) Remuneração transitória por serviços produzidos. (B) Remuneração por internações hospitalares em rede particular conveniada. (C) Remuneração por serviços produzidos. (D) Nenhuma das alternativas anteriores A finalidade da Norma Operacional Básica do Sistema Único de Saúde é: (A) Promover e consolidar o exercício pleno por parte do poder municipal e do Distrito Federal da função de gestor, da atenção à saúde de seus munícipes. (B) Promover o exercício pleno do Poder Público Estadual sobre a saúde. (C) Promover o exercício pleno do Poder Público e Privado do Distrito Federal sobre a saúde. (D) Promover o exercício do Poder Público Estadual e Municipal sobre a saúde A percepção da saúde como direito de cidadania é um dado novo na história da política social brasileira. Nesse contexto, a noção de saúde tende a ser percebida como: (A) Conjunto de condições coletivas de existência com qualidade de vida. (B) Expressão de decisão e gestão exclusiva do Estado. (C) Visão medicalizada da saúde de forma globalizada. (D) Compressão da saúde como um estado biológico. (E) Estado de ausência de enfermidade O controle social previsto na regulação do Sistema de Saúde, com representação de usuários está presente na seguinte instância: (A) Conselho de Saúde. (B) Comissão Tripartite. (C) Comissão Bipartite. (D) CONASS. (E) CONASEMS. Andréa Paula Severiano Macêdo 36 Andréa Paula Severiano Macêdo 37

19 151- A NOAS SUS 01/2001: Ampliar as responsabilidades dos municípios na Atenção Básica; Define o processo de regionalização da assistência; Cria mecanismos para o fortalecimento da capacidade de gestão do Sistema Único de Saúde. Procede á atualização dos critérios de habilitação de estados e municípios. Estão corretas as afirmativas: (A) I e II, apenas. (B) III e IV, apenas. (C) I, II e III, apenas. (D) II, III e IV, apenas. (E) I, II, III e IV A NOAS SUS 01/2001 preconiza que o Plano Diretor de Regionalização deve garantir acesso, aos cidadãos, o mais próximo possível de sua residência, a um conjunto de ações e serviços vinculados às seguintes responsabilidades mínimas, entre outras, EXCETO: (A) Tratamento dos distúrbios mentais e psicossociais menos freqüentes. (B) Tratamento das intercorrências mais comuns na infância. (C) Ações de promoção da saúde e prevenção de doenças. (D) Tratamento clínico e cirúrgico de casos de pequenas urgências ambulatoriais. (E) Acompanhamento de pessoas com doenças crônicas de alta prevalência Ainda de acordo com a NOAS SUS 01/2001, em relação ao processo de regionalização NÃO é correto afirmar que: A) É uma estratégia de hierarquização dos serviços de saúde. B) Busca uma maior equidade. C) Visa a contemplar uma lógica de planejamento integrado. D) Visa a garantir o acesso dos cidadãos a todas as ações e serviços necessários para a resolução de seus problemas de saúde. E) Reafirma que os recursos necessários para o atendimento da população são de responsabilidade exclusiva dos municípios De acordo com a NOAS 01/2002, são áreas de atuação estratégicas mínimas de gestão Plena da Atenção Básica Ampliada: I- Controle da Tuberculose. II- Eliminação da Hanseníase. III- Controle da Hipertensão arterial. IV- Controle da Diabetes mellitus. V- Saúde da Criança. VI- Saúde da Mulher. Saúde Bucal. Estão corretos: A) I, II, III e IV, apenas. B) V, VI e VII, apenas. C) II, III, IV, V e VI, apenas. D) I, IV, V, VI e VII, apenas. E) Todas A conferência de Saúde é convocada para avaliar a situação de saúde e propor as diretrizes para a formulação da política de saúde nos níveis nacional, estadual e municipal pelo menos cada: (A) Dois anos. (B) Três anos. Andréa Paula Severiano Macêdo 38 (C) Quatro anos. (D) Cinco anos. (E) Seis anos Com relação às Normas Operacionais Básicas criadas com o objetivo de viabilizar a garantia plena do direito à saúde, assegurando pela Constituição de 1988, não é correto afirmar que: A) Representam um conjunto de normas e procedimentos reguladores do processo de descentralização da gestão das ações e serviços de saúde, no processo de construção do SUS. B) Estimulam o processo de centralização, aumentando o poder do governo federal. C) Foram editadas na década de 90. D) Promovem a integração dos sistemas municipais. E) Definem melhor as responsabilidades entre as esferas estadual e municipal, e os critérios para alocação de recursos Dentre os instrumentos criados pela NOB 01/91, para ordenar a transferência de recursos do governo federal para estados e municípios estão: A) FAE, FEM, AIH. B) FAE, FEM, AIH, SIH. C) FAE, FEM, AIH, SAI. D) FAE, FEM, AIH, SAI, SIH. E) AIH, FEM, SIH Sobre o Plano Diretor de Regionalização (PDR), criado pela NOAS 01/02, não é correto afirmar que: A) É o instrumento que regula de forma regionalizada e hierarquizada, a assistência à saúde. B) Propõe a divisão do estado em microrregiões de saúde, que são definidas de acordo com os níveis de complexidade dos serviços. C) Dividem o estado em macro-regiões de saúde, definidas de acordo com a oferta de serviços. D) Promove a interação dos sistemas municipais. E) Serve como base para elaboração da Programação Pactuada Integrada (PPI) e dos Planos de Saúde Municipais Com relação ao PAB (Piso da Atenção Básica) é correto afirmar que: A) Foi criado pela NOB 01/93. B) Representa um montante de recursos financeiros destinados a custear as ações e serviços de Atenção Básica, composto por uma parte fixa e outra variável. C) Não utiliza dados do IBGE para calcular sua parte fixa. D) Nenhuma das alternativas está correta. E) Todas as alternativas estão corretas A política de recursos humanos na área de saúde e atribuição do SUS será formalizada e executada pelas diferentes esferas de governo, tendo, entre outros, o seguinte objetivo: (A) Organizar uma formação de recursos humanos, apenas para os trabalhadores de nível médio. (B) Valorizar a dedicação exclusiva aos serviços de saúde do SUS. (C) Possibilitar o exercício de cargo ou função de chefia, simultaneamente, no serviço público e privado. (D) Fiscalizar o exercício profissional. (E) Incentivar as formas alternativas de contratação, principalmente na esfera municipal, pelas dificuldades financeiras impostas pela Lei de Responsabilidade Fiscal Em relação aos Conselhos Municipais de Saúde, é incorreto afirmar que: (A) Fiscalizam a aplicação dos recursos da saúde. (B) Devem se reunir de 4 em 4 anos. (C) São compostos por representantes do governo, dos prestadores de serviços, dos profissionais de saúde e dos usuários do sistema. (D) São criados através de Leis municipais. (E) Deve, no total dos seus integrantes, contar com 50% da representação dos usuários Têm assento garantido no Conselho Nacional de Saúde as seguintes instâncias representativas: (A) CONASEMS e CONASS. (B) COSEMS e CIT. (C) CIT e CONASEMS. (D) CONASS e CIT. (E) COSEMS e CONASEMS. Andréa Paula Severiano Macêdo 39

20 163- A instância colegiada com representação paritária, que atua em cada esfera de governo na formulação de estratégias e no controle econômico e financeiro da execução da política de saúde, é: (A) A comissão Intergestores Bipartite. (B) A Conferência de Saúde. (C) O conselho dos Secretários Municipais de Saúde. (D) O conselho de Saúde. (E) A secretaria da Saúde De acordo com a Lei de 28 de dezembro de 1990, a parcela do Fundo Nacional de Saúde repassada aos municípios para cobertura das ações e serviços de saúde corresponde: (A) Na totalidade dos recursos. (B) No mínimo, a 60% dos recursos. (C) No mínimo, a 70% dos recursos. (D) No mínimo, a 50% dos recursos Na Conferência Nacional de Saúde em 1986 colocou-se como meta para a tentativa de melhoria no sistema único de saúde pública a implantação: (A) Da regulamentação das empresas privadas no atendimento à saúde pública. (B) Da regulamentação das atuações do PAS no atendimento à saúde pública. (C) Do Sistema Único de Saúde SUS. (D) Do SIMS. (E) Gradativa de extinção do SUS para a substituição pelo PAS As funções de controle, avaliação e acompanhamento das ações e serviços de saúde, respeitadas as competências Estaduais e Municipais devem ser realizadas: (A) Pelos Conselhos Estaduais de Saúde. (B) Pelos Conselhos da Comunidade. (C) Pela Direção Nacional do SUS. (D) Pelo Conselho Nacional de Saúde Em relação ao atual financiamento da saúde no Brasil, assinale a alternativa CORRETA: (A) Os recursos provêm majoritariamente dos descontos sobre folha de salário. (B) Depende substancialmente do volume de recursos arrecadados pela CPMF. (C) Depende exclusivamente dos recursos provenientes da Contribuição para o Financiamento de Seguridade Social (COFINS). (D) Depende substancialmente dos recursos provenientes da COFINS e da Contribuição sobre o Lucro Líquido das Empresas A NOAS SUS 01/2001 define conceitos-chave para a organização da assistência no âmbito estadual, que devem ser observados no Planto Diretor de Regionalização. O conceito que corresponde à base territorial de planejamento da atenção à saúde, não necessariamente coincidem com a divisão administrativa do estado, a ser definida pela Secretaria de Estado da Saúde, de acordo com as especificidades e estratégias de regionalização da saúde em cada estado, considerando as características demográficas, socioeconômicas, geográficas, sanitárias, epidemiológicas, oferta de serviços, relações entre municípios, entre outras, é: (A) A região de saúde. (B) O módulo assistencial. (C) O município-sede do módulo assistencial. (D) O município-pólo. (E) A unidade territorial de qualificação na assistência a saúde A Norma Operacional Básica nº. 01/96 do Sistema Único de Saúde e disposições complementares posteriores: (A) Condicionaram o recebimento de recursos do Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS) à implantação do programa de Saúde da Família (PSF). (B) Criaram o Fundo de Ações Estratégias e Compensação (FAEC) para financiamento das ações de média e alta complexidade realizadas por estados e municípios. (C) Mantiveram a remuneração por serviços produzidos para as ações de atenção básica nos municípios em Gestão Plena do Sistema Municipal de Saúde. (D) Subdividiram o Piso de Atenção Básica (PAB) em uma parte fixa, calçada em valores per capita, e outra variável, condicionada ao cumprimento de requisitos específicos pelos municípios. (E) Substituíram o Fator de Incentivo ao Desenvolvimento do Ensino e da Pesquisa em Saúde (FIDEPS) dos hospitais universitários e de ensino por um orçamento global à cobertura assistencial de alta complexidade. Andréa Paula Severiano Macêdo Segundo a NOB 96, constituem itens da Programação Pactuada Integrada (PPI), exceto: (A) Atividades de assistência ambulatorial e hospitalar. (B) Atividades de vigilância sanitária e epidemiológica. (C) Atividades do programa de Saúde da Família. (D) Atividades de controle de doenças No modelo de gestão plena de atenção básica, o município recebe recursos do Fundo Nacional de Saúde para o funcionamento: A) Integral da assistência à saúde. B) Das ações de assistência básica à saúde. C) Do Programa de Saúde da Família. D) Das ações básicas e das de média complexidade Um estado que busque a habilitação na Gestão Plena do Sistema Estadual terá aprovação definida do pleito no/a: A) Assembléia Legislativa com dotação orçamentária aprovada. B) Conselho dos Secretários Municipais de Saúde no respectivo Estado C) Comissão Intergestores Tripartite. D) Comissão Intergestores Bipartite. E) Conselho Estadual de Saúde O município habilitado como gestor pleno de atenção básica tem as seguintes vantagens, exceto: A) Transferência regular e automática de recursos do Piso Assistencial Básico (PAB). B) Transferência regular e automática de recursos do Piso Básico de Vigilância Sanitária (PBVS). C) A gestão de todas as unidades básicas de saúde estabelecidas no município. D) Transferência regular e automática de recursos da Assistência de Média Complexidade (AMC) Marque a resposta correta quanto à situação indicada a seguir: Se o município não assume a gestão do sistema de saúde, o responsável imediato será: A) O Município limítrofe. B) O Estado. C) A União. D) A União e o Estado em co-responsabilidade Qual das afirmativas abaixo é papel do gestor estadual? A) Fomentar a harmonização, a integração e a modernização dos sistemas estaduais compondo assim o SUS nacional. B) Promover as condições e incentivar o poder municipal, para que assuma a gestão da atenção à saúde e seus municípios sempre na expectativa da atenção integral. C) Exercer funções de normatização e coordenação no que se refere a gestão nacional do Sistema Único de Saúde SUS. D) É responsável pelo controle, avaliação e auditoria dos prestadores de serviços de saúde estatais e privados, situados no município central ou mesmo circunvizinhos Para que um município possa obter gestão plena do Sistema de Saúde municipal, é necessário que apresente: (A) Uma rede de prestação de serviços de saúde própria. (B) Um sistema de consórcio entre municípios contíguos. (C) Uma rede de prestação de serviços de saúde no sistema de convênio e credenciamento. (D) Um Conselho Municipal de Saúde estruturalmente organizado. GABARITO COMENTADO 144 C Comentário: Os requisitos, segundo a Norma Operacional Básica (SUS/96), para a gestão avançada do sistema estadual são: 1. Apresentar a programação pactuada e integrada ambulatorial, hospitalar e de alto custo. 2. Dispor de 60% dos municípios do estado habilitados nas condições de gestão estabelecida pela mesma Norma Operacional Básica; independente do seu contingente populacional. 3. Dispor de 30% do valor do TFA comprometido com transferências regulares e automáticas aos municípios. Andréa Paula Severiano Macêdo 41

Sistema Único de Saúde (SUS)

Sistema Único de Saúde (SUS) LEIS ORGÂNICAS DA SAÚDE Lei nº 8.080 de 19 de setembro de 1990 Lei nº 8.142 de 28 de dezembro de 1990 Criadas para dar cumprimento ao mandamento constitucional Sistema Único de Saúde (SUS) 1 Lei n o 8.080

Leia mais

CONSTITUIÇÃO FEDERAL CONSTITUIÇÃO FEDERAL

CONSTITUIÇÃO FEDERAL CONSTITUIÇÃO FEDERAL 1 Art. 196: A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário

Leia mais

Legislação do SUS Professor: Marcondes Mendes

Legislação do SUS Professor: Marcondes Mendes SUS EM EXERCICIOS PARA A SECRETARIA DE SAÚDE DO DF. LEI 8.080/90 - Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes

Leia mais

SUS: princípios doutrinários e Lei Orgânica da Saúde

SUS: princípios doutrinários e Lei Orgânica da Saúde Universidade de Cuiabá - UNIC Núcleo de Disciplinas Integradas Disciplina: Formação Integral em Saúde SUS: princípios doutrinários e Lei Orgânica da Saúde Profª Andressa Menegaz SUS - Conceito Ações e

Leia mais

ERRATA. Na página 11, continuação do Quadro Esquemático das Normas Operacionais do Sus

ERRATA. Na página 11, continuação do Quadro Esquemático das Normas Operacionais do Sus ERRATA Secretaria de Saúde do DF AUXILIAR EM saúde - Patologia Clínica Sistema Único de Sáude - SUS Autora: Dayse Amarílio D. Diniz Na página 11, continuação do Quadro Esquemático das Normas Operacionais

Leia mais

O SUS COMO UM NOVO PACTO SOCIAL

O SUS COMO UM NOVO PACTO SOCIAL O SUS COMO UM NOVO PACTO SOCIAL Profª Carla Pintas O novo pacto social envolve o duplo sentido de que a saúde passa a ser definida como um direito de todos, integrante da condição de cidadania social,

Leia mais

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt1559_01_08_2008.html

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt1559_01_08_2008.html Página 1 de 5 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 1.559, DE 1º DE AGOSTO DE 2008 Institui a Política Nacional

Leia mais

regionalização e contratos organizativos de ação pública.

regionalização e contratos organizativos de ação pública. A Regulamentação da Lei 8.080/90: A Regulamentação da Lei 8.080/90: regionalização e contratos organizativos de ação pública. Seminário Nacional PRÓ Saúde e PET Saúde Brasília, 19 de outubro de 2011.,

Leia mais

Realização: CEREMAPS, EESP e Fundação CEFETBAHIA 1

Realização: CEREMAPS, EESP e Fundação CEFETBAHIA 1 CONHECIMENTOS GERAIS SOBRE SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE (QUESTÕES 01 a 30) Questão 01 (Peso 1) A saúde, através do Sistema Único de Saúde, é desenvolvida através de uma política social e econômica que visa,

Leia mais

DECRETO Nº 7.508, DE 28 DE JUNHO DE 2011

DECRETO Nº 7.508, DE 28 DE JUNHO DE 2011 DECRETO Nº 7.508, DE 28 DE JUNHO DE 2011 Regulamenta a Lei n o 8.080, de 19 de setembro de 1990, para dispor sobre a organização do Sistema Único de Saúde - SUS, o planejamento da saúde, a assistência

Leia mais

Atribuições federativas nos sistemas públicos de garantia de direitos

Atribuições federativas nos sistemas públicos de garantia de direitos Atribuições federativas nos sistemas públicos de garantia de direitos Atribuições federativas nos sistemas públicos de garantia de direitos Características da Federação Brasileira Federação Desigual Federação

Leia mais

Dispõe sobre a política nacional do idoso, cria o Conselho Nacional do Idoso e dá outras providências.. CAPÍTULO I. Da Finalidade

Dispõe sobre a política nacional do idoso, cria o Conselho Nacional do Idoso e dá outras providências.. CAPÍTULO I. Da Finalidade Dispõe sobre a política nacional do idoso, cria o Conselho Nacional do Idoso e dá outras providências.. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte lei:

Leia mais

IV CONGRESSO BRASILEIRO DE DIREITO E SAÚDE. Os Impactos da Judicialização na Saúde Pública e Privada

IV CONGRESSO BRASILEIRO DE DIREITO E SAÚDE. Os Impactos da Judicialização na Saúde Pública e Privada IV CONGRESSO BRASILEIRO DE DIREITO E SAÚDE Os Impactos da Judicialização na Saúde Pública e Privada 25/11/2015 HISTÓRICO: Período anterior a CF de 1988 INAMPS População e procedimentos restritos Movimento

Leia mais

DECRETO Nº 7.508, DE 28 DE JUNHO DE 2011.

DECRETO Nº 7.508, DE 28 DE JUNHO DE 2011. DECRETO Nº 7.508, DE 28 DE JUNHO DE 2011. Regulamenta a Lei n o 8.080, de 19 de setembro de 1990, para dispor sobre a organização do Sistema Único de Saúde - SUS, o planejamento da saúde, a assistência

Leia mais

PORTARIA Nº 1.944, DE 27 DE AGOSTO DE 2009

PORTARIA Nº 1.944, DE 27 DE AGOSTO DE 2009 PORTARIA Nº 1.944, DE 27 DE AGOSTO DE 2009 Institui no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem. O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuições

Leia mais

O COAP na perspectiva da gestão da Vigilância em Saúde. Sonia Brito Secretaria de Vigilância em Saúde

O COAP na perspectiva da gestão da Vigilância em Saúde. Sonia Brito Secretaria de Vigilância em Saúde O COAP na perspectiva da gestão da Vigilância em Saúde Sonia Brito Secretaria de Vigilância em Saúde Decreto 7.508/11 Regulamenta a Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990, para dispor sobre a organização

Leia mais

GRATUITO CURSO COMPLETO DO SUS 17 AULAS 500 QUESTÕES COMENTADAS. Professor Rômulo Passos Aula 08

GRATUITO CURSO COMPLETO DO SUS 17 AULAS 500 QUESTÕES COMENTADAS. Professor Rômulo Passos Aula 08 1 www.romulopassos.com.br / www.questoesnasaude.com.br GRATUITO CURSO COMPLETO DO SUS 17 AULAS 500 QUESTÕES COMENTADAS Professor Rômulo Passos Aula 08 Legislação do SUS Completo e Gratuito Página 1 2 www.romulopassos.com.br

Leia mais

O Pacto de Gestão do SUS e os Municípios

O Pacto de Gestão do SUS e os Municípios Colegiado de Secretários Municipais de Saúde do Estado de PE COSEMS-PE O Pacto de Gestão do SUS e os Municípios 2º Congresso Pernambucano de Municípios - AMUPE Gessyanne Vale Paulino Saúde Direito de todos

Leia mais

F. Tratamento fora do domicílio

F. Tratamento fora do domicílio F. Tratamento fora do domicílio artigos 197 e 198 da Constituição Federal de 1988; Lei Orgânica da Saúde nº 8.080, de 19 de setembro de 1990, disciplinada pela Portaria Federal nº 055, de 24 de fevereiro

Leia mais

Disciplina MSP 0670-Atenção Primária em Saúde I. Atenção Básica e a Saúde da Família 1

Disciplina MSP 0670-Atenção Primária em Saúde I. Atenção Básica e a Saúde da Família 1 Disciplina MSP 0670-Atenção Primária em Saúde I Atenção Básica e a Saúde da Família 1 O acúmulo técnico e político dos níveis federal, estadual e municipal dos dirigentes do SUS (gestores do SUS) na implantação

Leia mais

MINISTÉRIO DAS CIDADES CONSELHO DAS CIDADES RESOLUÇÃO RECOMENDADA N 75, DE 02 DE JULHO DE 2009

MINISTÉRIO DAS CIDADES CONSELHO DAS CIDADES RESOLUÇÃO RECOMENDADA N 75, DE 02 DE JULHO DE 2009 DOU de 05/10/09 seção 01 nº 190 pág. 51 MINISTÉRIO DAS CIDADES CONSELHO DAS CIDADES RESOLUÇÃO RECOMENDADA N 75, DE 02 DE JULHO DE 2009 Estabelece orientações relativas à Política de Saneamento Básico e

Leia mais

O DIREITO À SAÚDE. Prof. Msc. Danilo César Siviero Ripoli

O DIREITO À SAÚDE. Prof. Msc. Danilo César Siviero Ripoli O DIREITO À SAÚDE Prof. Msc. Danilo César Siviero Ripoli Previsão : Arts. 196 à 200 da CF. Art. 196. A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que

Leia mais

Grupo de Trabalho da PPI. Política Estadual para Contratualização de Hospitais de Pequeno Porte HPP

Grupo de Trabalho da PPI. Política Estadual para Contratualização de Hospitais de Pequeno Porte HPP Grupo de Trabalho da PPI Política Estadual para Contratualização de Hospitais de Pequeno Porte HPP 29 de março de 2011 Considerando: O processo de regionalização dos Municípios, que objetiva a organização

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE. CAPÍTULO I Da Finalidade. CAPÍTULO II Dos Princípios, Objetivos e Metas Seção I Dos Princípios

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE. CAPÍTULO I Da Finalidade. CAPÍTULO II Dos Princípios, Objetivos e Metas Seção I Dos Princípios LEI N. 1.343, DE 21 DE JULHO DE 2000 Institui a Política Estadual do Idoso - PEI e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE seguinte Lei: FAÇO SABER que a Assembléia Legislativa do Estado

Leia mais

ORIENTAÇÕES E ESCLARECIMENTOS

ORIENTAÇÕES E ESCLARECIMENTOS COAP 06/13 ORIENTAÇÕES E ESCLARECIMENTOS 1.0 O que é o Contrato Organizativo da Ação Pública - COAP? O COAP é um acordo de colaboração firmado entre os três entes federativos, no âmbito de uma Região de

Leia mais

DISCIPLINA DE ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE I MSP 0670/2011. SISTEMAS DE SAÚDE

DISCIPLINA DE ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE I MSP 0670/2011. SISTEMAS DE SAÚDE DISCIPLINA DE ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE I MSP 0670/2011. SISTEMAS DE SAÚDE Paulo Eduardo Elias* Alguns países constroem estruturas de saúde com a finalidade de garantir meios adequados para que as necessidades

Leia mais

CAPÍTULO I DA NATUREZA E COMPETÊNCIA

CAPÍTULO I DA NATUREZA E COMPETÊNCIA CAPÍTULO I DA NATUREZA E COMPETÊNCIA Art.1º - A SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE - SUSAM integra a Administração Direta do Poder Executivo, na forma da Lei nº 2783, de 31 de janeiro de 2003, como órgão responsável,

Leia mais

Decreto N 7.508 de 28/06/11 Regulamentando a Lei N 8.080 de 19/09/90

Decreto N 7.508 de 28/06/11 Regulamentando a Lei N 8.080 de 19/09/90 Decreto N 7.508 de 28/06/11 Regulamentando a Lei N 8.080 de 19/09/90 Cesar Vieira cesarvieira@globo.com Reunião do CA/IBEDESS 12 de julho de 2011 Principais Conteúdos Organização do SUS Planejamento da

Leia mais

DOCUMENTO FINAL 11ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO PARANÁ

DOCUMENTO FINAL 11ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO PARANÁ DOCUMENTO FINAL 11ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO PARANÁ EIXO 1 DIREITO À SAÚDE, GARANTIA DE ACESSO E ATENÇÃO DE QUALIDADE Prioritária 1: Manter o incentivo aos Programas do Núcleo Apoio da Saúde da Família

Leia mais

A SAÚDE NO GOVERNO LULA PROGRAMA DE GOVERNO

A SAÚDE NO GOVERNO LULA PROGRAMA DE GOVERNO A SAÚDE NO GOVERNO LULA PROGRAMA DE GOVERNO ÍNDICE Diagnóstico Princípios Básicos: 1- Redefinição da atuação pública na saúde 2-Saúde como direito de todos 3-Estabilidade e continuidade das políticas de

Leia mais

DOCUMENTO FINAL 8ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DE TOCANTINS

DOCUMENTO FINAL 8ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DE TOCANTINS DOCUMENTO FINAL 8ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DE TOCANTINS EIXO 1 DIREITO À SAÚDE, GARANTIA DE ACESSO E ATENÇÃO DE QUALIDADE DIRETRIZ: Ampliação da cobertura e qualidade dos serviços de saúde, com o aprimoramento

Leia mais

Decreto 7.508 de 28/06/2011. - Resumo -

Decreto 7.508 de 28/06/2011. - Resumo - Decreto 7.508 de 28/06/2011 - Resumo - GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ Secretaria de Estado de Saúde Pública Sistema Único de Saúde SIMÃO ROBISON DE OLIVEIRA JATENE Governador do Estado do Pará HELENILSON PONTES

Leia mais

O DEVER DO ESTADO BRASILEIRO PARA A EFETIVAÇÃO DO DIREITO À SAÚDE E AO SANEAMENTO BÁSICO FERNANDO AITH

O DEVER DO ESTADO BRASILEIRO PARA A EFETIVAÇÃO DO DIREITO À SAÚDE E AO SANEAMENTO BÁSICO FERNANDO AITH O DEVER DO ESTADO BRASILEIRO PARA A EFETIVAÇÃO DO DIREITO À SAÚDE E AO SANEAMENTO BÁSICO FERNANDO AITH Departamento de Medicina Preventiva Faculdade de Medicina da USP - FMUSP Núcleo de Pesquisa em Direito

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº 6.047-D, DE 2005. O CONGRESSO NACIONAL decreta:

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº 6.047-D, DE 2005. O CONGRESSO NACIONAL decreta: COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº 6.047-D, DE 2005 Cria o Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional - SISAN com vistas em assegurar o direito

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 11.346, DE 15 DE SETEMBRO DE 2006. Cria o Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional SISAN com vistas em assegurar

Leia mais

Institui o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES).

Institui o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES). MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO DOU de 05/10/2015 (nº 190, Seção 1, pág. 669) Institui o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES). O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuições

Leia mais

INSERÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA EM UMA UNIDADE DE SAÚDE EM PONTA GROSSA-PR

INSERÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA EM UMA UNIDADE DE SAÚDE EM PONTA GROSSA-PR INSERÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA EM UMA UNIDADE DE SAÚDE EM PONTA GROSSA-PR SANTOS, Elaine Ferreira dos (estagio II), WERNER, Rosiléa Clara (supervisor), rosileawerner@yahoo.com.br

Leia mais

São reconhecidos aos índios sua organização social, costumes, línguas, crenças e tradições,

São reconhecidos aos índios sua organização social, costumes, línguas, crenças e tradições, A Constituição Federal de 1988 reconhece aos povos indígenas suas especificidades étnicas e culturais bem como estabelece seus direitos sociais. Dentre as inúmeras proteções conferidas aos povos indígenas

Leia mais

Regulamenta o art. 26 da Lei n.º 10.205, de 21/3/2001 - Decreto 3990 de 30/10/2001

Regulamenta o art. 26 da Lei n.º 10.205, de 21/3/2001 - Decreto 3990 de 30/10/2001 Regulamenta o art. 26 da Lei n.º 10.205, de 21/3/2001 - Decreto 3990 de 30/10/2001 Ementa: Regulamenta o art. 26 da Lei n.º 10.205, de 21 de março de 2001, que dispõe sobre a coleta, processamento, estocagem,

Leia mais

A contribuição do Controle Social para Promoção do Uso Racional de Medicamentos

A contribuição do Controle Social para Promoção do Uso Racional de Medicamentos A contribuição do Controle Social para Promoção do Uso Racional de Medicamentos II Seminário Multiprofissional sobre o Uso Racional de Medicamentos Maceió - 2014 Medicamentos e Uso Racional 1975 28ª Assembleia

Leia mais

Ministério da Saúde NORMA OPERACIONAL DE SAÚDE DO TRABALHADOR NO SUS NOST-SUS

Ministério da Saúde NORMA OPERACIONAL DE SAÚDE DO TRABALHADOR NO SUS NOST-SUS Ministério da Saúde NORMA OPERACIONAL DE SAÚDE DO TRABALHADOR NO SUS NOST-SUS APRESENTAÇÃO O presente documento é resultado de um processo de discussão e negociação que teve a participação de técnicos

Leia mais

LEI Nº 310/2009, DE 15 DE JUNHO DE 2009.

LEI Nº 310/2009, DE 15 DE JUNHO DE 2009. LEI Nº 310/2009, DE 15 DE JUNHO DE 2009. DISPÕE SOBRE A REESTRUTURAÇÃO DO DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE SAÚDE, CRIAÇÃO DO DEPARTAMENTO DE ASSISTÊNCIA E DESENVOLVIMENTO SOCIAL, DA DIVISÃO DE MEIO-AMBIENTE E

Leia mais

Alocação de Recursos e Regionalização no SUS

Alocação de Recursos e Regionalização no SUS Alocação de Recursos e Regionalização no SUS Áquilas Mendes Professor Doutor Livre-Docente de Economia da Saúde da FSP-USP e do Departamento de Economia da PUC-SP ABRES Encontro Alocação de Recursos e

Leia mais

Constituição da República Federativa do Brasil de 1988

Constituição da República Federativa do Brasil de 1988 Porto Alegre/RS, agosto de 2011 Constituição da República Federativa do Brasil de 1988 Art. 196. A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem

Leia mais

Uma Nova Agenda para a Reforma do

Uma Nova Agenda para a Reforma do Uma Nova Agenda para a Reforma do Setor Saúde: Fortalecimento das Funções Essenciais da Saúde Pública e dos Sistemas de Saúde FORO REGIONAL ANTIGUA/GUATEMALA 19-22 DE JULHO DE 2004 PERSPECTIVAS NACIONAIS

Leia mais

Organização do Sistema Único de Saúde Organization of the Health System in Brazil

Organização do Sistema Único de Saúde Organization of the Health System in Brazil Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa inistério da Saúde Organização do Sistema Único de Saúde Organization of the Health System in Brazil Brasília, março de 2014 Saúde Direito de todos e dever

Leia mais

Gestão do Trabalho em Saúde

Gestão do Trabalho em Saúde Universidade Federal de Alagoas Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Prova de Conhecimentos Específicos da Especialização Lato Sensu UFAL 2012.1 Gestão do Trabalho em Saúde CADERNO DE QUESTÕES INSTRUÇÕES

Leia mais

LEVANTAMENTO DOS MARCOS LÓGICOS E LEGAIS DA REDE BÁSICA DE SAÚDE

LEVANTAMENTO DOS MARCOS LÓGICOS E LEGAIS DA REDE BÁSICA DE SAÚDE LEVANTAMENTO DOS MARCOS LÓGICOS E LEGAIS DA REDE BÁSICA DE SAÚDE 1. Marcos Lógicos Publicação/Origem NORMATIVAS INTERNACIONAIS DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS Declaração Americana dos Direitos

Leia mais

FÓRUM REGIONAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL DO ALTO VALE DO ITAJAÍ RIO DO SUL SC 2015 CARTA DE PRINCÍPIOS

FÓRUM REGIONAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL DO ALTO VALE DO ITAJAÍ RIO DO SUL SC 2015 CARTA DE PRINCÍPIOS FÓRUM REGIONAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL DO ALTO VALE DO ITAJAÍ RIO DO SUL SC 2015 CARTA DE PRINCÍPIOS 1. Natureza e Finalidade O Fórum Regional de Educação Infantil do Alto Vale do Itajaí - FREIAVI é um espaço

Leia mais

Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. Gestão Participativa, SUStentabilidade e inovação. Brasília, 14 de abril de 2015

Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. Gestão Participativa, SUStentabilidade e inovação. Brasília, 14 de abril de 2015 Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa Gestão Participativa, SUStentabilidade e inovação Brasília, 14 de abril de 2015 Saúde Direito de todos e dever do Estado Art. 6º São direitos sociais a

Leia mais

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 1.374, DE 08 DE ABRIL DE 2003. Publicado no Diário Oficial nº 1.425. Dispõe sobre a Política Estadual de Educação Ambiental e adota outras providências. O Governador do Estado do Tocantins Faço

Leia mais

GRATUITO CURSO COMPLETO DO SUS 17 AULAS 500 QUESTÕES COMENTADAS. Professor Rômulo Passos Aula 10

GRATUITO CURSO COMPLETO DO SUS 17 AULAS 500 QUESTÕES COMENTADAS. Professor Rômulo Passos Aula 10 1 www.romulopassos.com.br / www.questoesnasaude.com.br GRATUITO CURSO COMPLETO DO SUS 17 AULAS 500 QUESTÕES COMENTADAS Professor Rômulo Passos Aula 10 Legislação do SUS Completo e Gratuito Página 1 2 www.romulopassos.com.br

Leia mais

SAÚDE COMO UM DIREITO DE CIDADANIA

SAÚDE COMO UM DIREITO DE CIDADANIA SAÚDE COMO UM DIREITO DE CIDADANIA José Ivo dos Santos Pedrosa 1 Objetivo: Conhecer os direitos em saúde e noções de cidadania levando o gestor a contribuir nos processos de formulação de políticas públicas.

Leia mais

Prefeitura Municipal de Itanhangá Gestão 2005/2008

Prefeitura Municipal de Itanhangá Gestão 2005/2008 LEI Nº 019/2005 DATA: 10 DE MARÇO DE 2005. SÚMULA: CRIA O CONSELHO MUNICIPAL DE ASSISTENCIA SOCIAL DA OUTRAS PROVIDÊNCIS. O Sr. VALDIR CAMPAGNOLO, Prefeito Municipal de Itanhangá, Estado de Mato Grosso,

Leia mais

Lei nº 8.080, de 19/09/1990: Sistema Único de Saúde (SUS) Legislação UNCISAL

Lei nº 8.080, de 19/09/1990: Sistema Único de Saúde (SUS) Legislação UNCISAL UN UNiversidade Estadual de ências da Saúde agoas UNS = 121 Legislação UNS Lei nº 8.080, de 19/09/1990: Sistema Único de Saúde (SUS) Art.1º - Esta lei regula, em todo o território nacional, as ações e

Leia mais

GUIA DE ARGUMENTOS DE VENDAS

GUIA DE ARGUMENTOS DE VENDAS GUIA DE ARGUMENTOS DE VENDAS O Plano Diretor é uma lei municipal que estabelece diretrizes para a ocupação da cidade. Ele deve identificar e analisar as características físicas, as atividades predominantes

Leia mais

10/04/2015. Lei Orgânica da Saúde Lei nº 8.080/1990

10/04/2015. Lei Orgânica da Saúde Lei nº 8.080/1990 Lei Orgânica da Saúde Lei nº 8.080/1990 1 Próximas aulas YOUTUBE www.romulopassos.com.br contato@romulopassos.com.br WhatsApp (074) 9926-6830 2 3 Já baixou o slide em PDF? Disposições Gerais do SUS Art.

Leia mais

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 2.031, DE 23 DE SETEMBRO DE 2004

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 2.031, DE 23 DE SETEMBRO DE 2004 Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 2.031, DE 23 DE SETEMBRO DE 2004 Dispõe sobre a organização do Sistema Nacional de Laboratórios de Saúde Pública. O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Cargo: ENFERMEIRO/ÁREA 1. DESCRIÇÃO SUMÁRIA DO CARGO: Prestar assistência ao paciente e/ou usuário em clínicas, hospitais, ambulatórios, navios, postos de saúde e em domicílio, realizar consultas e procedimentos

Leia mais

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS PRINCÍPIOS

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS PRINCÍPIOS POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS PRINCÍPIOS Art. 1. A Política de Assistência Estudantil da Pós-Graduação da UFGD é um arcabouço de princípios e diretrizes

Leia mais

Oficina. com garantias de diárias, equipamentos, transporte, capacitação, RH entre outros, para o correto funcionamento dos conselhos.

Oficina. com garantias de diárias, equipamentos, transporte, capacitação, RH entre outros, para o correto funcionamento dos conselhos. Oficina Gestão do SUAS e o Controle Social Ementa: Orientar a reorganização dos órgãos gestores no tocante a legislação, com garantias de diárias, equipamentos, transporte, capacitação, RH entre outros,

Leia mais

SUMÁRIO DOCUMENTÁRIO "POLÍTICAS DE SAÚDE NO BRASIL...3 SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE SUS...3 PRINCÍPIOS DO SUS...4 DIRETRIZES DO SUS...4 LEI 8.080/90...

SUMÁRIO DOCUMENTÁRIO POLÍTICAS DE SAÚDE NO BRASIL...3 SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE SUS...3 PRINCÍPIOS DO SUS...4 DIRETRIZES DO SUS...4 LEI 8.080/90... 2 SUMÁRIO DOCUMENTÁRIO "POLÍTICAS DE SAÚDE NO BRASIL...3 SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE SUS...3 PRINCÍPIOS DO SUS...4 DIRETRIZES DO SUS...4 LEI 8.080/90...5 OBJETIVO DO SUS...5 ÁREAS DE ATUAÇÃO DO SUS...5 CRITÉRIOS

Leia mais

Coordenação-Geral de Regulação da Gestão do SUAS do Departamento de Gestão do SUAS

Coordenação-Geral de Regulação da Gestão do SUAS do Departamento de Gestão do SUAS Coordenação-Geral de Regulação da Gestão do SUAS do Departamento de Gestão do SUAS SUAS E SISAN MARCO LEGAL - Art. 6º da CF/88 : São direitos sociais a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia,

Leia mais

CAPÍTULO I DA FINALIDADE

CAPÍTULO I DA FINALIDADE LEI Nº 1.392, DE 11 DE SETEMBRO DE 2009. DISPÕE SOBRE A POLÍTICA MUNICIPAL DO IDOSO, CRIA O CONSELHO MUNICIPAL DO IDOSO E O FUNDO MUNICIPAL DOS DIREITOS DO IDOSO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. (Alterado pela

Leia mais

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 303, DE 2013

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 303, DE 2013 SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 303, DE 2013 Dispõe sobre a destinação dos recursos recuperados por meio de ações judiciais para o Fundo Nacional de Saúde e o Fundo Nacional de Desenvolvimento

Leia mais

Mesa Redonda Universalização do saneamento e mobilização social em comunidades de baixa renda

Mesa Redonda Universalização do saneamento e mobilização social em comunidades de baixa renda Secretaria Nacional de Mesa Redonda Universalização do saneamento e mobilização social em comunidades de baixa renda PLANEJAMENTO E CONTROLE SOCIAL COMO ESTRATÉGIAS PARA UNIVERSALIZAR O SANEAMENTO Marcelo

Leia mais

Anexo PROPOSTA DOCUMENTO BASE. Versão Consulta Pública SISTEMA NACIONAL DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL - SINAPIR

Anexo PROPOSTA DOCUMENTO BASE. Versão Consulta Pública SISTEMA NACIONAL DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL - SINAPIR 1 Anexo PROPOSTA DOCUMENTO BASE Versão Consulta Pública SISTEMA NACIONAL DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL - SINAPIR A Definição e organização do sistema: 1 O Sistema Nacional de Promoção da Igualdade Racial

Leia mais

O papel dos conselhos na afirmação do Pacto pela Saúde

O papel dos conselhos na afirmação do Pacto pela Saúde Informativo interativo eletrônico do CNS aos conselhos de Saúde Brasília, junho de 2006 Editorial O papel dos conselhos na afirmação do Pacto pela Saúde A aprovação unânime do Pacto pela Saúde na reunião

Leia mais

NOAS 01/02: amplia responsabilidades de gestão

NOAS 01/02: amplia responsabilidades de gestão Decreto 7508: organização do SUS; planejamento, assistência e articulação interfederativa 11 NOB 93: Descentralização NOAS 01/02: amplia responsabilidades de gestão 93 96 02 06 NOB 96: odelo de gestão

Leia mais

Estado de Mato Grosso Prefeitura Municipal de Itanhangá CNPJ: 07.209.225/0001-00 Gestão 2013/2016

Estado de Mato Grosso Prefeitura Municipal de Itanhangá CNPJ: 07.209.225/0001-00 Gestão 2013/2016 LEI Nº 325/2013 Data: 04 de Novembro de 2013 SÚMULA: Dispõe sobre o Plano Municipal de Políticas Públicas Sobre Drogas, que tem por finalidade fortalecer e estruturar o COMAD como órgão legítimo para coordenar,

Leia mais

Rede de Atenção Psicossocial

Rede de Atenção Psicossocial NOTA TÉCNICA 62 2011 Rede de Atenção Psicossocial Altera a portaria GM nº 1.169 de 07 de julho de 2005 que destina incentivo financeiro para municípios que desenvolvem Projetos de Inclusão Social pelo

Leia mais

DECRETO Nº 55.867, DE 23 DE JANEIRO DE 2015

DECRETO Nº 55.867, DE 23 DE JANEIRO DE 2015 Secretaria Geral Parlamentar Secretaria de Documentação Equipe de Documentação do Legislativo DECRETO Nº 55.867, DE 23 DE JANEIRO DE 2015 Confere nova regulamentação ao Conselho Municipal de Segurança

Leia mais

Ministério da Cultura Secretaria de Articulação Institucional SAI

Ministério da Cultura Secretaria de Articulação Institucional SAI Secretaria de Articulação Institucional SAI Seminário Metas do Plano e dos Sistemas Municipal, Estadual e Nacional de Cultura Vitória-ES 05/Dez/2011 Secretaria de Articulação Institucional SAI A Construção

Leia mais

Planejamento intersetorial e Gestão Participativa. Recife, 04/09/2013

Planejamento intersetorial e Gestão Participativa. Recife, 04/09/2013 Planejamento intersetorial e Gestão Participativa Recife, 04/09/2013 Art. 6º São direitos sociais a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia, o lazer, a segurança, a previdência social,

Leia mais

Federação de Sindicatos de Trabalhadores das Universidades Brasileiras Fundada em 19 de dezembro de 1978

Federação de Sindicatos de Trabalhadores das Universidades Brasileiras Fundada em 19 de dezembro de 1978 GT HUE s e SEMINÁRIO Realizado no período de 12 a 14 de abril de 2010 PROPOSTA PRELIMINAR DE HOSPITAIS UNIVERSITÁRIOS E DE ENSINO E CENTROS HOSPITALARES DE SAÚDE ESCOLA (HUE S) CAPÍTULO I Artigo 1º. Este

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE - COEMA

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE - COEMA GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE - COEMA RESOLUÇÃO COEMA N 116, DE 03 DE JULHO DE 2014. Dispõe sobre as atividades de impacto ambiental

Leia mais

Política Nacional de Educação Permanente em Saúde

Política Nacional de Educação Permanente em Saúde Política Nacional de Educação Permanente em Saúde Portaria GM/MS nº 1.996, de 20 de agosto de 2007 substitui a Portaria GM/MS nº 198, de 13 de fevereiro de 2004 e Proposta de Alteração Pesquisa de Avaliação

Leia mais

Considerando a Portaria nº 1.168/GM, de 15 de junho de 2004, que institui a Política Nacional de Atenção ao Portador de Doença Renal;

Considerando a Portaria nº 1.168/GM, de 15 de junho de 2004, que institui a Política Nacional de Atenção ao Portador de Doença Renal; SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE PORTARIA Nº 211, DE 15 DE JUNHO DE 2004 O Secretário de Atenção à Saúde, no uso de suas atribuições; Considerando a Portaria nº 1.168/GM, de 15 de junho de 2004, que institui

Leia mais

Em defesa da Saúde pública para todos

Em defesa da Saúde pública para todos Boletim Econômico Edição nº 57 março de 2015 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Em defesa da Saúde pública para todos 1 A saúde pública faz parte do sistema de Seguridade Social

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 2.031, DE 1999

PROJETO DE LEI Nº 2.031, DE 1999 COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI Nº 2.031, DE 1999 Dispõe sobre o atendimento obrigatório aos portadores da Doença de Alzheimer no Sistema Único de Saúde - SUS, e dá outras providências.

Leia mais

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 36, DE 25 DE JULHO DE 2013.

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 36, DE 25 DE JULHO DE 2013. ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 36, DE 25 DE JULHO DE

Leia mais

Prefeitura Municipal de Nova Mutum

Prefeitura Municipal de Nova Mutum LEI Nº 1.854, DE 20 DE ABRIL DE 2015. Dispõe sobre a Política Municipal dos Direito da Pessoa Idosa e cria o Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa e dá outras providências. O Sr. Leandro Félix

Leia mais

FONSEAS I Encontro Nacional da Gestão Estadual do SUAS

FONSEAS I Encontro Nacional da Gestão Estadual do SUAS FONSEAS I Encontro Nacional da Gestão Estadual do SUAS BRASIL 8,5 milhões de Km²; 192 milhões de habitantes; 26 Estados e 01 Distrito Federal; 5.564 municípios (70,3 % com menos de 20.000 habitantes);

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SES/GO

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SES/GO SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SES/GO SUPERINTENDÊNCIA DE POLÍTICAS DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE-SPAIS Goiânia Agosto/2011 SUPERINTENDÊNCIA DE POLÍTICAS DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE - SPAIS 6. GERÊNCIA DE

Leia mais

b. Completar a implantação da Rede com a construção de hospitais regionais para atendimentos de alta complexidade.

b. Completar a implantação da Rede com a construção de hospitais regionais para atendimentos de alta complexidade. No programa de governo do senador Roberto Requião, candidato ao governo do estado pela coligação Paraná Com Governo (PMDB/PV/PPL), consta um capítulo destinado apenas à universalização do acesso à Saúde.

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 TÍTULO VIII DA ORDEM SOCIAL CAPÍTULO II DA SEGURIDADE SOCIAL Seção II Da Saúde Art. 196. A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE POUSO REDONDO CNPJ 83.102.681/0001-26 Rua Antonio Carlos Thiesen, 74 89.172-000 Pouso Redondo Santa Catarina

PREFEITURA MUNICIPAL DE POUSO REDONDO CNPJ 83.102.681/0001-26 Rua Antonio Carlos Thiesen, 74 89.172-000 Pouso Redondo Santa Catarina PREFEITURA MUNICIPAL DE POUSO REDONDO CNPJ 83.102.681/0001-26 Rua Antonio Carlos Thiesen, 74 89.172-000 Pouso Redondo Santa Catarina LEI N. 1925/06 de 25.07.2006. Dispõe sobre a criação do Conselho Municipal

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 7.272, DE 25 DE AGOSTO DE 2010. Regulamenta a Lei n o 11.346, de 15 de setembro de 2006, que cria o Sistema Nacional de

Leia mais

Disciplina: modernidade e Envelhecimento Curso de Serviço Social 3º e 5º Semestre Políticas públicas para idosos 1 Marco Legal Nacional Constituição Federal (1988) Art. 202 Inciso I Ao idoso é assegurado

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 12.593, DE 18 DE JANEIRO DE 2012. Mensagem de veto Institui o Plano Plurianual da União para o período de 2012 a 2015. A PRESIDENTA

Leia mais

AGENDA PROPOSITIVA DO CONSELHO NACIONAL DE SAÚDE

AGENDA PROPOSITIVA DO CONSELHO NACIONAL DE SAÚDE AGENDA PROPOSITIVA DO CONSELHO NACIONAL DE SAÚDE Com o objetivo de estimular o debate democrático, o Conselho Nacional de Saúde (CNS) apresenta à sociedade brasileira sua Agenda Propositiva para a Saúde

Leia mais

MODELO REGIMENTO DO CORPO CLÍNICO CAPÍTULO I CONCEITUAÇÃO

MODELO REGIMENTO DO CORPO CLÍNICO CAPÍTULO I CONCEITUAÇÃO MODELO REGIMENTO DO CORPO CLÍNICO CAPÍTULO I CONCEITUAÇÃO Art. 1º - Corpo Clínico é o conjunto de médicos que se propõe a assumir solidariamente a responsabilidade de prestar atendimento aos usuários que

Leia mais

ANÁLISE DA UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS FEDERAIS TRANSFERIDOS AOS MUNICÍPIOS A PARTIR DAS AÇÕES DE AUDITORIA REALIZADAS PELO DENASUS EM 2012

ANÁLISE DA UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS FEDERAIS TRANSFERIDOS AOS MUNICÍPIOS A PARTIR DAS AÇÕES DE AUDITORIA REALIZADAS PELO DENASUS EM 2012 Ministério da Saúde Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa Departamento Nacional de Auditoria do SUS DENASUS ANÁLISE DA UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS FEDERAIS TRANSFERIDOS AOS MUNICÍPIOS A PARTIR DAS

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa Departamento de Articulação Interfederativa COAP

MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa Departamento de Articulação Interfederativa COAP MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa Departamento de Articulação Interfederativa COAP O Brasil é o único país......com + de 100 milhões de hab. com o desafio de ter um sistema

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE IMPLANTAÇÃO DO DECRETO 7.508/11 E APRIMORAMENTO DO PACTO PELA SAÚDE

MINISTÉRIO DA SAÚDE IMPLANTAÇÃO DO DECRETO 7.508/11 E APRIMORAMENTO DO PACTO PELA SAÚDE MINISTÉRIO DA SAÚDE IMPLANTAÇÃO DO DECRETO 7.508/11 E APRIMORAMENTO DO PACTO PELA SAÚDE Decreto 7.508/11 Regulamenta a Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990, para dispor sobre a organização do Sistema

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SIMÃO DIAS Gabinete do Prefeito

PREFEITURA MUNICIPAL DE SIMÃO DIAS Gabinete do Prefeito LEI Nº. 632 /2014 03 de dezembro de 2.014 Dispõe sobre a criação do Programa de Coleta Seletiva com inclusão Social e Econômica dos Catadores de Material Reciclável e o Sistema de Logística Reversa e seu

Leia mais

Brasília, 27 de maio de 2013.

Brasília, 27 de maio de 2013. NOTA TÉCNICA N o 20 /2013 Brasília, 27 de maio de 2013. ÁREA: Desenvolvimento Social TÍTULO: Fundo para Infância e Adolescência (FIA) REFERÊNCIAS: Lei Federal n o 4.320, de 17 de março de 1964 Constituição

Leia mais