DEMANDA MUNDIAL DE ALIMENTOS GARANTE CRESCIMENTO ECONOMICO DO BRASIL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DEMANDA MUNDIAL DE ALIMENTOS GARANTE CRESCIMENTO ECONOMICO DO BRASIL"

Transcrição

1 DEMANDA MUNDIAL DE ALIMENTOS GARANTE CRESCIMENTO ECONOMICO DO BRASIL : ESTAGNAÇÃO DA AGRICULTURA BRASILEIRA : REFORMA CAMBIAL : PREÇOS INTERNACIONAIS INICIAM ESCALADA 4- AGRICULTURES RESPONDEM A PREÇOS E RETOMAM CRESCIMENTO 5- TAXAS DE CRESCIMENTO DA ECONOMIA : PREÇOS INTERNACIONAIS ACELERAM SUBIDA GERAL : CRISE FINANCEIRA INTERROMPE CRESCIMENTO BREVEMENTE : PREÇOS RETOMAM CRESCIMENTO PRÉ-CRISE /2013: AREA PLANTADA CRESCE EM MEDIA 2 MILHÕES HÁ/ANO 10- DEMANDA MUNDIAL MOSTRA-SE EXPLOSIVA PARA OFERTA MUNDIAL NÃO SATISFARÁ A NOVA DEMANDA 12- RELAÇÃO CRESCIMENTO AGRICOLA / CRESCIMENTO ECONOMIA 13- NOVAS FONTES DE CRESCIMENTO DA AGRICULTURA BRASILEIRA 14- PREÇOS AGRICOLAS E INFLAÇÃO DOMESTICA

2 Link 1: ESTAGNAÇÃO DA AGRICULTURA BRASILEIRA Brasil - Evolução da Area Colhida Lavouras Temporarias (1.000 ha ) CAUSAS: desarranjo macroeconomico ( ) endividamento e restrições de credito preços internacionais baixos taxas de cambio fixas ( banda cambial de 1994) LINK 2 : GRAFICO DE TAXAS DE CAMBIO 3,50 3,00 2,50 2,00 1,50 1,00 0,50 0,00 Taxas de Cambio R$/US$

3 LINK 3 : PREÇOS AGRICOLAS INTERNACIONAIS INICIAM ESCALADA

4 LINK 4 : AGRICULTURES RESPONDEM A PREÇOS E RETOMAM CRESCIMENTO Brasil - Evolução da Area Colhida Lavouras Temporarias (1.000 ha ) LINK 5- TAXAS DE CRESCIMENTO DA ECONOMIA

5 LINK : PREÇOS INTERNACIONAIS ACELERAM SUBIDA GERAL ( MESMO LINK 3 ) LINK : CRISE FINANCEIRA INTERROMPE CRESCIMENTO BREVEMENTE (MESMO LINK 3 ) LINK : PREÇOS RETOMAM CRESCIMENTO PRÉ-CRISE (MESMO LINK 3 ) /2013: AREA PLANTADA CRESCE EM MEDIA 2 MILHÕES HÁ/ANO (MESMO LINK 4 )

6 LINK 10 - DEMANDA MUNDIAL MOSTRA-SE EXPLOSIVA PARA PROJEÇÕES DE DEMANDA DE ALIMENTOS 2020 GRUPO ALTA GRUPO MEDIA GRUPO BAIXA MUNDO RENDA RENDA RENDA PIB 2010 (US$ bi ) Em relação ao mundo 66,75% 14,72% 18,54% 100% PIB 2020 (US$ bi ) Acrescimo PIB (%) 35,98% 54,31% 129,07% 103,80% População PIB PC 2010 (US$) Carnes de Aves consumo 2010 (mil ton) Demanda Carne de Porco consumo 2010 (mil ton) Demanda Carnes de Boi consumo 2010 (mil ton) Demanda Milho consumo 2010 (mil ton) Demanda Farelo de Soja consumo 2010(mil ton) Demanda Arroz Benef consumo 2010 (mil ton) Demanda Trigo consumo 2010 (mil ton) Demanda Leite (Fluido) consumo 2010 (mil ton) na na Demanda na na Açucar consumo 2010 (mil ton) Demanda Café consumo 2010 (mil sc ) Demanda Requerimento de Areas para Atender ao Acrescimo de Demanda com Acrescimos de 20% de Produtividades mil ton kg/há mil há Milho Soja Arroz Trigo Total

7 LINK 11- OFERTA MUNDIAL NÃO SATISFARÁ A NOVA DEMANDA A tabela abaixo mostra que o Mundo nunca logrou agregar mais do que 85 milhões de há em uma década à sua agricultura não mais de 55 milhões de há para os quatro principais grãos. O requerimento de 183 milhões de há adicionais somente para os quatro grãos não tem, pois, a menor chance de ser atendido. Resultado: preços em ascenção. AREA COLHIDA NO MUNDO E EM PAISES SELECIONADOS Area Colhida no Mundo (há) Acrescimos Milho+soja+arroz+trigo (há) Acrescimos Brasil (há) Acrescimos India Acrescimos China Acrescimos Argentina Acrescimos Ucrania Acrescimos Indonesia Acrescimos Russia Acrescimos EUA Acrescimos União Europeia Acrescimos Fonte:FAO

8 LINK 12- RELAÇÃO CRESCIMENTO AGRICOLA / CRESCIMENTO ECONOMICO Até que ponto o crescimento agrícola enseja o crescimento econômico geral? O Brasil ainda não conhece esta relação, mas há fortes evidencias de que a renda deste setor, quando calculada como cadeia, isto é, todos as ligações para trás e para frente do núcleo produtivo (backward and forward linkages) mais os efeitos-renda (spillover ) que se traduzem em demandas efetivas ( e produção) nos setores nãoagricolas regionais, esta relação pode chegar a 40%, talvez 50% ou mais. Este fenômeno não é devidamente tratado pelos órgãos de pesquisas econômicas e está sob elaboração pelos consultores do Fórum do Futuro. Uma ilustração: o município de Sorriso (MT), o maior município agrícola do mundo, com mais de 1,5 milhão de hectares plantados. Os combustíveis ali vendidos; os caminhões e carros locais; os médicos ali empregados; advogados locais; os serviços públicos; os os jornais e outros veículos de comunicação; as industrias mecânicas de manutenção; os equipamentos de lazer; todos só existem pela existência da atividade maior estruturante ( ou vinculante ): a agricultura. Porem, as contas nacionais classificam as atividades acima como geradoras de renda de setores, industriais e de serviços, reduzindo a importância do agronegócio. O crescimento do setor como cadeia poderia ser descrito, em termos matemáticos: A = f ( H, P, p ) função de produção global simplificada onde: A = Produto agrícola monetizado H = hectares plantados P = produtividades p = preços agrícolas o acréscimo do produto seria dado pela equação diferencial do tipo: d A = ( A / H).dH + ( A / P ). dp + ( A / p ). dp que é a expressão de um simples desdobramento do acréscimo do produto em seus termos de!)acréscimo de área mais 2) acréscimo de produtividade mais 3)acréscimo de preços. O acréscimo de área é quantificável e tem crescido a um mínimo de 5% ao ano (fora frustrações climáticas). As produtividades são menos fáceis, mas passiveis de mensurações. Os acréscimos de preços tem que ser elaborados em termos individuais e globais. Como não se tem a expressão matemática da função de produção acima, não é possível quantificar rigorosamente os acrescimos, mas são plenamente aceitáveis estimativas que indicam faixas de acréscimos para produtividade e preços, indicando somas do tipo 5% + 2-3% ± 7/8%. Se o setor responder por 50% do crescimento global, este crescimento poderia ser estimado em torno de 4%.

9 LINK 13- ESTUDO REVELA FONTES DE CRESCIMENTO DA AGRICULTURA Estudo elaborado para a ABRAMILHO Associação Brasileira dos Produtores de Milho 1 revela o potencial de áreas agrícolas do Brasil, divididas em 1) áreas novas; 2) substituição de pastagens; 3) segundas safras: BRASIL -- Áreas Agrícolas Potenciais de Crescimento (1.000 há) Região- Areas Novas Substituição Segundas Total Bioma ( a partir de 2014) de Pastagens Safras Cerrados Sul Sudeste Nordeste Total Fonte: ABRAMILHO Pode-se inferir que enquanto houver mercados ( preços altos ) a agricultura brasileira poderá expandir-se até o limite acima de 56 milhões de há, que incorporados a uma taxa máxima de 2-3 milhões de hectares / ano significa crescimento por, pelo menos, os próximos 20 anos. LINK 14- PREÇOS AGRICOLAS E INFLAÇÃO DOMESTICA A inevitável alta de preços de alimentos aludida nos argumentos acima poderá se confundir com inflação domestica. Não é. Esta representa elevação do nível geral de preços, de bens industriais ( inclusive agroindustriais ), bens agrícolas sem manufatura e serviços, inclusive comercio, tendo como causa expansão monetária do país. Trata-se aqui de elevação de preços de bens somente oriundos da agricultura cujos aumentos se formam no Exterior, em regime de concorrência e em razão de demanda superior a oferta. A maioria de bens industriais de consumo popular, oriundos principalmente da China, tem tido seus preços estáveis ou declinantes, o que descaracteriza o conceito técnico de inflação (nível geral de preços). Há que se ajustar as ponderações dos índices de inflação a uma nova realidade de gastos dos consumidores entre alimentos/não-alimentos, tarefa de difícil implementação política todavia. 1 Vide em

Agronegócio e o Plano Nacional de Exportações

Agronegócio e o Plano Nacional de Exportações Agronegócio e o Plano Nacional de Exportações Alinne B. Oliveira Superintendente de Relações Internacionais Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil CNA 17 de novembro de 2015. O agronegócio e

Leia mais

Agronegócio em Mato Grosso. Abril 2013

Agronegócio em Mato Grosso. Abril 2013 Agronegócio em Mato Grosso Abril 2013 Brasil Visão Geral Brasil - Visão Geral Area 8,5 milhões km 2 (5º maior) População (2011) 195 milhões (6 º maior) PIB (2011) US$ 2,47 Trilhões (6 ª maior) Produção

Leia mais

AGRICULTURA. Novembro de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

AGRICULTURA. Novembro de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos AGRICULTURA Novembro de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos DESEMPENHO DA AGRICULTURA o o Algodão Embora não tenha alcançado recorde, as 3 últimas safras globais seguiram em recuperação

Leia mais

PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL

PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO DE MINAS GERAIS SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL Março/2014 2 ÍNDICE 03. Apresentação 04. População Mundial 05. População

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SOJA DEZEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SOJA DEZEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SOJA DEZEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

5 maiores Problemas da Humanidade até 2050

5 maiores Problemas da Humanidade até 2050 5 maiores Problemas da Humanidade até 2050 Água Energia Evolução da População Mundial 1950 2011 2050 2,5 bi 7,5 bi 9,3 bi Evolução dos Famintos 1950 2011 2050 0,5 bi 0,9 bi 1,3 bi Alimentos Lixo Pobreza

Leia mais

Cadeia Produtiva da Soja e Biodiesel

Cadeia Produtiva da Soja e Biodiesel Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais Cadeia Produtiva da Soja e Biodiesel Daniel Furlan Amaral Gerente de Economia 18 de agosto de 2017 Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia do

Leia mais

O AGRONEGÓCIO EM MATO GROSSO

O AGRONEGÓCIO EM MATO GROSSO O AGRONEGÓCIO EM MATO GROSSO Sistema Famato Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso. Criada em 1965, é a representante máxima da estrutura que compõe o Sistema Sindical Rural do Estado

Leia mais

Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso

Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso ÍNDICE 1 Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso 1.1 Agronegócio Soja 1.2 Agronegócio Milho 1.3 Agronegócio Algodão 1.4 Agronegócio Boi 2 Competitividade 2.1 Logística

Leia mais

O Agronegócio e o Sucesso do Brasil no Mercado de Carnes Gedeão Silveira Pereira

O Agronegócio e o Sucesso do Brasil no Mercado de Carnes Gedeão Silveira Pereira O Agronegócio e o Sucesso do Brasil no Mercado de Carnes Gedeão Silveira Pereira Vice Presidente FARSUL Terra arável disponível, por pessoa no mundo Brasil EUA Rússia Índia China União Européia Congo Austrália

Leia mais

Visão de longo prazo e adequação ambiental para o setor agropecuário

Visão de longo prazo e adequação ambiental para o setor agropecuário Grãos, Proteína Animal, Floresta Plantada e Palma Visão de longo prazo e adequação ambiental para o setor agropecuário São Paulo 3/08/2015 Rodrigo C. A. Lima Leila Harfuch Luciane Chiodi Wilson Zambianco

Leia mais

A economia agrícola internacional e a questão da expansão agrícola brasileira ABAG. Alexandre Mendonça de Barros

A economia agrícola internacional e a questão da expansão agrícola brasileira ABAG. Alexandre Mendonça de Barros A economia agrícola internacional e a questão da expansão agrícola brasileira ABAG Alexandre Mendonça de Barros 05 de Agosto de 2013 1 Índice As transformações da economia agrícola internacional Vantagens

Leia mais

Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso

Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso ÍNDICE 1 Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso 1.1 Agronegócio Soja 1.2 Agronegócio Milho 1.3 Agronegócio Algodão 1.4 Agronegócio Boi 2 Competitividade 2.1 Logística

Leia mais

Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso

Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso ÍNDICE 1 Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso 1.1 Agronegócio Soja 1.2 Agronegócio Milho 1.3 Agronegócio Algodão 1.4 Agronegócio Boi 2 Competitividade 2.1 Logística

Leia mais

SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO

SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO WALTER ANTÔNIO ADÃO SUPERINTENDENTE DE DESENVOLVIMENTO AGROPECUARIO E DA SILVICULTURA SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO CENÁRIOS - AGRONEGÓCIO 2

Leia mais

AGROSAFRA SETEMBRO DE 2015

AGROSAFRA SETEMBRO DE 2015 AGROSAFRA SETEMBRO DE 2015 1. Indicadores da macroeconomia brasileira. 2. Agro-cotações no PR para soja, trigo e milho - anual e mensal. 3. Agro-cotações na CBOT (bolsa de Chicago) para soja, trigo e milho

Leia mais

Semana Fiesp/Ciesp de Meio Ambiente

Semana Fiesp/Ciesp de Meio Ambiente Semana Fiesp/Ciesp de Meio Ambiente Agronegócio Brasileiro PIB Brasileiro (2007) US$ 1.314 bilhões Agronegócio 37% Empregos (2006) 25% US$ 329,9 bilhões Exportações (2007) Agronegócio US$ 58,4 bilhões

Leia mais

Luciano Coutinho Presidente

Luciano Coutinho Presidente Evolução Econômica: Renda e Consumo Alimentos e Energia 11º Congresso Brasileiro do Agronegócio Rio de Janeiro, 06 de agosto de 2012 Luciano Coutinho Presidente Breve panorama da economia mundial Incertezas

Leia mais

VP Negócios Emergentes SN Agronegócios. Crédito Rural

VP Negócios Emergentes SN Agronegócios. Crédito Rural VP Negócios Emergentes SN Agronegócios Crédito Rural Agronegócio no Brasil fonte: SECEX/MDIC PIB Brasil 2013 R$ 4.838 bi Agronegócios R$ 1.020 bi * 21.08% US$ Bilhões 300 250 200 Exportações Brasileiras

Leia mais

Metodologia. Modelos de Séries Temporais Específicos para previsão

Metodologia. Modelos de Séries Temporais Específicos para previsão Metodologia CONAB IBGE MAPA EMBRAPA FAPRI (Food and Agricultural Policy Research Institute ) USDA (United States Department of Agriculture) Modelos de Séries Temporais Específicos para previsão Foram usados

Leia mais

Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso

Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso Índice 1 - Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso 1.1 Agronegócio Soja 1.2 Agronegócio Milho 1.3 Agronegócio Algodão 1.4 Agronegócio Boi 2 Competitividade 2.1 Logística

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ARROZ JUNHO DE 2017

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ARROZ JUNHO DE 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ARROZ JUNHO DE 2017 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas publicações

Leia mais

Relações Brasil - China: oportunidades de negócios para o setor agropecuário

Relações Brasil - China: oportunidades de negócios para o setor agropecuário Relações Brasil - China: oportunidades de negócios para o setor agropecuário Eduardo Correa Riedel Vice-Presidente e Diretor da Confederação de Agricultura e Pecuária do Brasil - CNA Relações Brasil -

Leia mais

População mundial crescerá 34% até 2050.

População mundial crescerá 34% até 2050. Agronegócio no Mundo Protagonista no Cenário Mundial População mundial crescerá 34% até 2050. 10.000 9.000 8.000 7.000 6.000 5.000 4.000 3.000 2.000 1.000-9.150 7.670 6.830 195 210 219 2009 2020 2050 Mundo

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRIGO NOVEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRIGO NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRIGO NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ARROZ NOVEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ARROZ NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ARROZ NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

1 Lavouras. Cereais, leguminosas e oleaginosas. Área e Produção - Brasil 1980 a 2008

1 Lavouras. Cereais, leguminosas e oleaginosas. Área e Produção - Brasil 1980 a 2008 1 Lavouras 1.1 Produção de cereais, leguminosas e oleaginosas A quinta estimativa da safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas 1, indica uma produção da ordem de 144,3 milhões de toneladas,

Leia mais

Produtividade na Agropecuária Brasileira

Produtividade na Agropecuária Brasileira Sistema Embrapa de Inteligência Estratégica Produtividade na Agropecuária Brasileira Geraldo B. Martha Jr. Coordenador-Geral, Sistema Agropensa Secretaria de Inteligência e Macroestratégia, Embrapa Material

Leia mais

LSPA. Levantamento Sistemático da Produção Agrícola. Dezembro de Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas no ano civil

LSPA. Levantamento Sistemático da Produção Agrícola. Dezembro de Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas no ano civil Diretoria de Pesquisas Coordenação de Agropecuária Gerência de Agricultura LSPA Dezembro de 2013 Levantamento Sistemático da Produção Agrícola Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas

Leia mais

SETOR DE FERTILIZANTES E CORRETIVOS: CENÁRIOS E POTENCIAL NO ESTADO DE MINAS GERAIS. Álvaro Resende

SETOR DE FERTILIZANTES E CORRETIVOS: CENÁRIOS E POTENCIAL NO ESTADO DE MINAS GERAIS. Álvaro Resende SETOR DE FERTILIZANTES E CORRETIVOS: CENÁRIOS E POTENCIAL NO ESTADO DE MINAS GERAIS Álvaro Resende Belo Horizonte, 03/08/2015 A CADEIA DE FERTILIZANTES NPK N P K Grandes e poucas empresas Mercados e preços

Leia mais

Mercado Internacional

Mercado Internacional A Força do Agronegócio no Mercado Internacional O Brasil que alimenta o mundo 1 27 FEDERAÇÕES ESTADUAIS +2mil SINDICATOS RURAIS +5milhões PRODUTORES RURAIS Fundada em 1951, a Confederação da Agricultura

Leia mais

Novas Tendências da Pecuária Brasileira

Novas Tendências da Pecuária Brasileira VII Seminário ABMR&A da Cadeia Produtiva da Carne Bovina FEICORTE Novas Tendências da Pecuária Brasileira Segmentação Geográfica Cana x Pastagens JOSÉ VICENTE FERRAZ São Paulo, 22 de Junho 2007 DISTRIBUIÇÃO

Leia mais

Modelo de Negócios Objetivo

Modelo de Negócios Objetivo JULIO FONTANA Modelo de Negócios Objetivo Heavy haul do agronegócio Dominância dos principais corredores de exportação Expansão do setor agrícola DEMANDA DO AGRONEGÓCIO LOCALIZAÇÃO ESTRATÉGICA Grandes

Leia mais

Ocupação do Espaço Agropecuário no Cerrado Brasileiro

Ocupação do Espaço Agropecuário no Cerrado Brasileiro Ocupação do Espaço Agropecuário no Cerrado Brasileiro Roberta Dalla Porta Gründling, MSc. NESPRO; EMBRAPA Júlio Otávio Jardim Barcellos, DSc. NESPRO; UFRGS Introdução Rebanho Bovino Brasileiro Uso Agrícola

Leia mais

A CRISE ATUAL: RISCOS E OPORTUNIDADES PARA O CENTRO-OESTE BRASILEIRO. Geraldo Barros Cepea/Esalq/USP

A CRISE ATUAL: RISCOS E OPORTUNIDADES PARA O CENTRO-OESTE BRASILEIRO. Geraldo Barros Cepea/Esalq/USP GB A CRISE ATUAL: RISCOS E OPORTUNIDADES PARA O CENTRO-OESTE BRASILEIRO Geraldo Barros Cepea/Esalq/USP A MACROECONOMIA O CRESCIMENTO DE LONGO PRAZO BRASIL,1850-2008 10 9 8 GB 7 6 5 4 PIB 3 2 1 PIB PC 0

Leia mais

Associação Brasileira dos Produtores de Soja

Associação Brasileira dos Produtores de Soja Associação Brasileira dos Produtores de Soja 1. PREVISÃO DE SAFRA E DESTINAÇÃO De acordo com o 7 Levantamento de safra 2015/16, publicado em abril pela Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), a área

Leia mais

ANÁLISE DO MERCADO TRIGO. Análise para 2016

ANÁLISE DO MERCADO TRIGO. Análise para 2016 ANÁLISE DO MERCADO TRIGO Análise para 2016 SOJA MUNDO ANÁLISE DO MERCADO DE TRIGO MUNDO LONGO PRAZO Consumo e Projeção do Consumo Mundial de Trigo (em milhões de toneladas) 900 800 700 600 616 713 741

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRIGO JUNHO DE 2017

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRIGO JUNHO DE 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRIGO JUNHO DE 2017 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas publicações

Leia mais

Análisis Prospectivo del Comercio Agroalimentario Internacional. Prof. Dra. Susan E. Martins Cesar de Oliveira (Universidade de Brasília - UnB)

Análisis Prospectivo del Comercio Agroalimentario Internacional. Prof. Dra. Susan E. Martins Cesar de Oliveira (Universidade de Brasília - UnB) Análisis Prospectivo del Comercio Agroalimentario Internacional Prof. Dra. Susan E. Martins Cesar de Oliveira (Universidade de Brasília - UnB) ÍNDICE Tendências do mercado global; Perspectivas para o comércio

Leia mais

Bilhões de Pessoas. Cenário Global. Fonte: ONU (dez/2010). Elaboração:FIEP-Deagro

Bilhões de Pessoas. Cenário Global. Fonte: ONU (dez/2010). Elaboração:FIEP-Deagro Maringá(PR) 18.05.2012 Bilhões de Pessoas Cenário Global Demanda População Mundial Mundial por Alimentos Fonte: ONU (dez/2010). Elaboração:FIEP-Deagro Cenário Global Urbanização 1,34 bi hab. 1,2 bi hab.

Leia mais

A semente do cooperativismo no desenvolvimento competitivo do Estado do Paraná

A semente do cooperativismo no desenvolvimento competitivo do Estado do Paraná Fórum de Competitividade da Câmara Americana de Comércio - AMCHAM Curitiba 27/setembro/2017 Curitiba/PR A semente do cooperativismo no desenvolvimento competitivo do Estado do Paraná Eng. Agr. J O S É

Leia mais

EXPORTAÇÕES DE AÇÚCAR PARA A ÍNDIA CAEM 18% EM MARÇO

EXPORTAÇÕES DE AÇÚCAR PARA A ÍNDIA CAEM 18% EM MARÇO Boletim Semanal sobre Tendências de Mercados Ano XIX 24/abril/2017 n. 672 EXPORTAÇÕES DE AÇÚCAR PARA A ÍNDIA CAEM 18% EM MARÇO Os dados mais atualizados sobre as exportações de açúcar bruto, refinado e

Leia mais

Cenário Macroeconômico para o Agronegócio. Geraldo Barros

Cenário Macroeconômico para o Agronegócio. Geraldo Barros Cenário Macroeconômico para o Agronegócio Geraldo Barros PIB do Agronegócio: 1994/2010 R$ bilhões (de 2010) +37% 597 22(%) (28%) Fonte:Cepea Pib e Shares dos segmentos do Agronegócio 32% 33% 33% 30% 26%

Leia mais

ANÁLISE DO MERCADO DE MILHO. Análise para 2016 e Perspectivas para 2017

ANÁLISE DO MERCADO DE MILHO. Análise para 2016 e Perspectivas para 2017 ANÁLISE DO MERCADO DE MILHO Análise para 2016 e Perspectivas para 2017 MUNDO SISTEMA FARSUL ANÁLISE DO MERCADO DE MILHO MUNDO LONGO PRAZO SISTEMA FARSUL Consumo e Projeção do Consumo Mundial de Milho em

Leia mais

Dados estatísticos dos principais produtos do Agronegócio Brasileiro

Dados estatísticos dos principais produtos do Agronegócio Brasileiro Dados estatísticos dos principais produtos do Agronegócio Brasileiro CADERNO DE ESTATÍSTICAS Uma publicação da Representação do IICA/Brasil Elaboração: Daniela Faria e Diego Machado 1. Apresentação 2.

Leia mais

PANORAMAS DE MERCADO DE GRÃOS: MILHO E SOJA FLAVIO ANTUNES CONSULTOR EM GERENCIAMENTO DE RISCOS. Bebedouro, 21 de junho de 2017

PANORAMAS DE MERCADO DE GRÃOS: MILHO E SOJA FLAVIO ANTUNES CONSULTOR EM GERENCIAMENTO DE RISCOS. Bebedouro, 21 de junho de 2017 PANORAMAS DE MERCADO DE GRÃOS: MILHO E SOJA FLAVIO ANTUNES CONSULTOR EM GERENCIAMENTO DE RISCOS Bebedouro, 21 de junho de 2017 Disclaimer A INTL FCStone não é responsável por qualquer redistribuição deste

Leia mais

MUNDO. Elaboração: EMBRAPA TRIGO/Socioeconomia JANEIRO, 2014

MUNDO. Elaboração: EMBRAPA TRIGO/Socioeconomia JANEIRO, 2014 Elaboração: EMBRAPA TRIGO/Socioeconomia JANEIRO, 2014 MUNDO Tabela 1. Área, rendimento e oferta e demanda de TRIGO no mundo, safras 2011/12, 2012/13 e 2013/14. Item 2011/2012 2012/2013(A) 2013/2014 (B)

Leia mais

FERTILIZANTES HERINGER S/A

FERTILIZANTES HERINGER S/A FERTILIZANTES HERINGER S/A 4,5 bilhões de anos Área + de 51 BILHOES de hectares 71% H2O Somente 3% agua doce +- 15 bilhoes de hectares de terra + de 1 BILHÃO HECTARES PLANTADOS 6.6 BILHOES HABITANTES Previsão

Leia mais

MATÉRIAS-PRIMAS PARA PRODUÇÃO DO BIODIESEL: PRIORIZANDO ALTERNATIVAS

MATÉRIAS-PRIMAS PARA PRODUÇÃO DO BIODIESEL: PRIORIZANDO ALTERNATIVAS MATÉRIAS-PRIMAS PARA PRODUÇÃO DO BIODIESEL: PRIORIZANDO ALTERNATIVAS SÍLVIO CRESTANA DIRETOR-PRESIDENTE SÃO PAULO AGOSTO, 2005 Cenários MATRIZ ENERGÉTICA MUNDIAL (%) Cenários MATRIZ ENERGÉTICA BRASILEIRA

Leia mais

Cenário e a gestão do produtor em tempos de crise. Fernando Lobo Pimentel Eng. Agrônomo e Advogado

Cenário e a gestão do produtor em tempos de crise. Fernando Lobo Pimentel Eng. Agrônomo e Advogado Cenário e a gestão do produtor em tempos de crise Fernando Lobo Pimentel Eng. Agrônomo e Advogado Agenda Cenário macroeconômico Internacional Doméstico Mercado agrícola Soja e milho Status da Safra Atual

Leia mais

Roberto Rodrigues. GV Agro Centro de Estudos em Agronegócio da FGV

Roberto Rodrigues. GV Agro Centro de Estudos em Agronegócio da FGV Roberto Rodrigues GV Agro Centro de Estudos em Agronegócio da FGV 05 de Maio de 2015 AGENDA 1. Cenário Macroeconômico 2. A Importância das Cooperativas 3. Tendências 4. Desafios 5. Conclusões PREVISÃO

Leia mais

(+0,5% sobre dez-12), 2ª maior média para meses de dezembro, anterior dez-11: US$ 1,006 bi; sobre nov-13, houve redução de 4,8%;

(+0,5% sobre dez-12), 2ª maior média para meses de dezembro, anterior dez-11: US$ 1,006 bi; sobre nov-13, houve redução de 4,8%; Resultados dezembro de - Exportação: US$ 20,8 bilhões e média diária de US$ 992,7 milhões (+0,5% sobre dez-12), 2ª maior média para meses de dezembro, anterior dez-11: US$ 1,006 bi; sobre nov-13, houve

Leia mais

Balanço 2016 Perspectivas 2017

Balanço 2016 Perspectivas 2017 2203 Valor Bruto da Produção (VBP) 23 24 Balanço 2016 Perspectivas 2017 Perspectivas 2017 AGRICULTURA PUXA CRESCIMENTO DO VBP EM 2017 O cenário econômico internacional será o responsável pelo comportamento

Leia mais

ANÁLISE DO MERCADO DE MILHO. Perspectivas para 2016 e Projeções para 2017

ANÁLISE DO MERCADO DE MILHO. Perspectivas para 2016 e Projeções para 2017 ANÁLISE DO MERCADO DE MILHO Perspectivas para 2016 e Projeções para 2017 ANÁLISE DO MERCADO DE MILHO LONGO PRAZO Consumo e Projeção do Consumo Mundial de Milho em Grão (em milhões de toneladas) 1.400 1.200

Leia mais

TRIGO Período de 27 a 30/07/2015

TRIGO Período de 27 a 30/07/2015 TRIGO Período de 27 a 30/07/205 Tabela I - PREÇO PAGO AO PRODUTOR (em R$/60 kg) Centro de Produção Unid. 2 meses Períodos anteriores mês (*) semana Preço PR 60 kg 34,43 34,35 34,45 34,42 Semana Atual Preço

Leia mais

1. Aspectos gerais da cultura

1. Aspectos gerais da cultura CULTURA DO ARROZ 1. Aspectos gerais da cultura Centro de Origem -Asiático -Africano Gênero Oryza 25 espécies dispersas Espécies Sul Americanas Ásia África América do Sul e Central Espécies utilizadas Histórico

Leia mais

Gestão de Recebíveis. Um Novo Cenário

Gestão de Recebíveis. Um Novo Cenário 2015-16 Gestão de Recebíveis Um Novo Cenário Sobre a recuperação da economia americana: No começo achávamos que viria a recuperação em V, começamos a falar em U, daí passaram para o L - Austan Goolsbee

Leia mais

Panorama Atual da Agricultura Brasileira e Desenvolvimento Sustentável: tá os Riscos do Risco

Panorama Atual da Agricultura Brasileira e Desenvolvimento Sustentável: tá os Riscos do Risco Risco e Gestão do Seguro Rural no Brasil Panorama Atual da Agricultura Brasileira e Desenvolvimento Sustentável: tá os Riscos do Risco Luís Carlos Guedes Pinto Vice-Presidente de Agronegócios do Banco

Leia mais

ELEVAÇÃO DOS CUSTOS DE PRODUÇÃO NA AGRICULTURA

ELEVAÇÃO DOS CUSTOS DE PRODUÇÃO NA AGRICULTURA ELEVAÇÃO DOS CUSTOS DE PRODUÇÃO NA AGRICULTURA Trabalho Elaborado pela Gerência Técnica e Econômica da Ocepar Curitiba, julho de 2008 ELEVAÇÃO DOS CUSTOS DE PRODUÇÃO I - INTRODUÇÃO: A agricultura brasileira

Leia mais

Milho-pedra; Contém pouco amido; É distinguido por uma casca dura exterior ;

Milho-pedra; Contém pouco amido; É distinguido por uma casca dura exterior ; Milho(Zea mays) A mais antiga espiga de milho foi encontrada no vale do Tehucan, na região onde hoje se localiza o México, datada de 6.000 A.C. O Teosinte ou alimento dos deuses, como era chamado pelos

Leia mais

FIESP - 8º Encontro de Logística e Transportes A Hora do Investimento Privado

FIESP - 8º Encontro de Logística e Transportes A Hora do Investimento Privado FIESP - 8º Encontro de Logística e Transportes A Hora do Investimento Privado Painel: Logística e Competitividade Mineração e Agronegócio: Superando Obstáculos para o Escoamento da Produção (São Paulo-SP,

Leia mais

ÍNDICES DE INFLAÇÃO DO AGRONEGÓCIO. IICP e IIPR

ÍNDICES DE INFLAÇÃO DO AGRONEGÓCIO. IICP e IIPR ÍNDICES DE INFLAÇÃO DO AGRONEGÓCIO IICP e IIPR Objetivos Acompanhar a evolução dos custos de produção e dos preços recebidos pelos produtores, através de índices de preço; Organizá-los em série e de forma

Leia mais

Perspec8vas para a agropecuária brasileira para os próximos cinco anos

Perspec8vas para a agropecuária brasileira para os próximos cinco anos www.imea.com.br Perspec8vas para a agropecuária brasileira para os próximos cinco anos Daniel Latorraca Superintendente Agenda Visão da cadeia de grãos nos últimos 10 anos Visão da pecuária nos últimos

Leia mais

GIRASSOL Período: Julho de 2012

GIRASSOL Período: Julho de 2012 GIRASSOL Período: Julho de 2012 QUADRO I PREÇOS PAGO AO PRODUTOR (R$ 60/Kg) Centro de Referência Un Período Anteriores Período atual Variação (%) Julho/11 Julho/12 Preços Mínimos (60/Kg) Centro Sul 60

Leia mais

Associação Brasileira dos Produtores de Soja

Associação Brasileira dos Produtores de Soja Associação Brasileira dos Produtores de Soja De acordo com o 5 Levantamento de safra 2015/16, publicado em fevereiro pela Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), a área plantada deve crescer 3,6%

Leia mais

Balanço 2016 Perspectivas PIB e Performance do Agronegócio

Balanço 2016 Perspectivas PIB e Performance do Agronegócio PIB e Performance do Agronegócio 15 16 Balanço 2016 Perspectivas 2017 Perspectivas 2017 MESMO COM A ECONOMIA BRASILEIRA VOLTANDO PARA OS EIXOS EM 2017, O AGRONEGÓCIO NOVAMENTE DEVERÁ SER O SETOR COM MAIOR

Leia mais

Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos Julho de 2014 Avanço no campo garantiu ganho de participação do Brasil na produção e no comércio mundial de commodities agrícolas nos últimos anos Priscila Pacheco Trigo Departamento de Pesquisas e Estudos

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MILHO JUNHO DE 2017

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MILHO JUNHO DE 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MILHO JUNHO DE 2017 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas publicações

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ALGODÃO JUNHO DE 2017

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ALGODÃO JUNHO DE 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ALGODÃO JUNHO DE 2017 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

Terça 07 de março 08:00 IGP-DI (fev) FGV. 09:00 Índice de Preços ao Produtor - indústrias de transformação (jan) IBGE - PIB (4º tri.

Terça 07 de março 08:00 IGP-DI (fev) FGV. 09:00 Índice de Preços ao Produtor - indústrias de transformação (jan) IBGE - PIB (4º tri. Informe Semanal 42/2017 Publicado em 08 de março de 2017 Brasil Relatório Focus 06/03/2017 Agenda da Semana Conjuntura ISAE SUMÁRIO EXECUTIVO DA SEMANA Segunda 06 de março 08:25 Boletim Focus (Semanal)

Leia mais

Cenários Setoriais. Florestas.

Cenários Setoriais. Florestas. Cenários Setoriais Florestas O NEGÓCIO FLORESTAL NO BRASIL IMPORTÂNCIA DO SETOR DE BASE FLORESTAL Geração de valor (PIB): USD 17,5 bilhões / ano Impostos: USD 3,8 bilhões / ano Empregos: Diretos 1.500.000

Leia mais

Agronego cio ALTERNATIVAS PARA MANTER E AMPLIAR A COMPETITIVIDADE DO AGRONEGÓCIO GAÚCHO

Agronego cio ALTERNATIVAS PARA MANTER E AMPLIAR A COMPETITIVIDADE DO AGRONEGÓCIO GAÚCHO Agronegócio Agronego cio É incontestável o impacto do Agronegócio no desempenho da economia do Estado. Isto é, seu comportamento influencia sensivelmente os resultados dos indicadores econômicos do Rio

Leia mais

SAFRA DE VERÃO 2016/2017 ESTIMATIVA DE PRODUÇÃO

SAFRA DE VERÃO 2016/2017 ESTIMATIVA DE PRODUÇÃO SAFRA DE VERÃO 2016/2017 ESTIMATIVA DE PRODUÇÃO Gerência de Planejamento Núcleo de Informações e Análises Porto Alegre, março de 2017. PESQUISA PERÍODO DO LEVANTAMENTO DE DADOS Em fevereiro de 2017. UNIVEO

Leia mais

Agricultura no Brasil. Luciano Teixeira

Agricultura no Brasil. Luciano Teixeira LUCIANO TEIXEIRA Agricultura no Brasil Luciano Teixeira Agricultura Extensiva Caracterizada geralmente pelo uso de técnicas rudimentares ou tradicionais na produção. Normalmente é utilizada para mercado

Leia mais

Esalq a vista 150,67-0,02 150,69

Esalq a vista 150,67-0,02 150,69 COTAÇÕES AGRÍCOLAS SEMANAL SEMANA: 43 sexta-feira, 21 de outubro de 216 BOI (contrato 33@) - Em R$/@ Esalq a vista 15,67 -,2 15,69 out/16 15,81 -,76 15,7 151, 263 9.546 151,57-25,8 nov/16 152,2 -,58 151,7

Leia mais

SOJA TRANSGÊNICA NO ESTADO DO PARANÁ

SOJA TRANSGÊNICA NO ESTADO DO PARANÁ SOJA TRANSGÊNICA NO ESTADO DO PARANÁ PARANÁ PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA GRÃOS: TOTAL - 22,5 milhões de toneladas Soja: 9,3 milhões toneladas (41%) Milho: 8,5 milhões toneladas (38%) PECUÁRIA: - Aves: 1,5 milhões

Leia mais

CENÁRIO MACROECONÔMICO PARA O BRASIL E MUNDO. Novembro de 2016

CENÁRIO MACROECONÔMICO PARA O BRASIL E MUNDO. Novembro de 2016 CENÁRIO MACROECONÔMICO PARA O BRASIL E MUNDO Novembro de 2016 1 1 AMBIENTE INTERNACIONAL Fim do longo ciclo de commodities. Desaceleração moderada da China. Aumento de juros nos EUA, mas de forma gradual.

Leia mais

O Brasil e o Mercado Internacional de Carnes

O Brasil e o Mercado Internacional de Carnes O MERCADO INTERNACIONAL DE CARNES E A ECONOMIA BRASILEIRA Flávia Maria de Mello Bliska 1 Joaquim José Martins Guilhoto 2 Este artigo tem por objetivo mostrar a participação do Brasil no mercado internacional

Leia mais

Decifrando a economia para superar a crise. com Denise Barbosa & Antonio Lacerda

Decifrando a economia para superar a crise. com Denise Barbosa & Antonio Lacerda Decifrando a economia para superar a crise com Denise Barbosa & Antonio Lacerda EUA produção industrial continua patinando 110 105 Índice base 2007 = 100 100 95 90 85 80 jan/09 jan/10 jan/11 jan/12 jan/13

Leia mais

Painel III: O BB e o Agronegócio brasileiro José Carlos Vaz Diretor de Agronegócios

Painel III: O BB e o Agronegócio brasileiro José Carlos Vaz Diretor de Agronegócios Painel III: O BB e o Agronegócio brasileiro José Carlos Vaz Diretor de Agronegócios O Brasil é referência mundial em eficiência produtiva e potencial de geração de alimentos e agroenergia. A atividade

Leia mais

Edição 27 (Dezembro/2013) Cenário Econômico Nacional:

Edição 27 (Dezembro/2013) Cenário Econômico Nacional: Edição 27 (Dezembro/2013) Cenário Econômico Nacional: Essa semana foi marcada pelas repercussões dos dados apresentados semana passada, como de costume o Banco Bradesco revelou o resultado da sua pesquisa

Leia mais

Produtividade: Interação entre Adubação Fosfatada de Pastagens e Suplementação Mineral

Produtividade: Interação entre Adubação Fosfatada de Pastagens e Suplementação Mineral 0 Produtividade: Interação entre Adubação Fosfatada de Pastagens e Suplementação Mineral Paulo Rodrigo Santos de Souza Zootecnista, Msc. Produção Animal 1 Pecuária Brasileira no Mundo Brasil é o maior

Leia mais

Importância do biodiesel como agregador de valor no complexo soja

Importância do biodiesel como agregador de valor no complexo soja CONGRESSO BIOENERGIAMT Importância do biodiesel como agregador de valor no complexo soja Daniel Furlan Amaral Gerente de Economia Cuiabá MT 13 de setembro 2016 1981 1983 1985 1987 1989 1991 1993 1995 1997

Leia mais

A FUNCIONALIDADE DA AGROPECUÁRIA BRASILEIRA (1975 A 2020)

A FUNCIONALIDADE DA AGROPECUÁRIA BRASILEIRA (1975 A 2020) A FUNCIONALIDADE DA AGROPECUÁRIA BRASILEIRA (1975 A 2020) The functionality of Brazilian agriculture (1975 to 2020) Vinicius Guidotti 1, Felipe Cerignoni 1, Gerd Sparovek 2, Luís Fernando Guedes Pinto

Leia mais

REFLEXOS DO CENÁRIO ECONÔMICO MUNDIAL SOBRE O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO

REFLEXOS DO CENÁRIO ECONÔMICO MUNDIAL SOBRE O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO REFLEXOS DO CENÁRIO ECONÔMICO MUNDIAL SOBRE O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO JOÃO CRUZ REIS FILHO SECRETÁRIO DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Brasília/DF JULHO DE 2015 22 CENÁRIO POPULACIONAL

Leia mais

A Importância da Carne de Porco e seus Derivados no Mundo. Fabiano Coser Diretor Executivo Associação Brasileira dos Criadores de Suínos

A Importância da Carne de Porco e seus Derivados no Mundo. Fabiano Coser Diretor Executivo Associação Brasileira dos Criadores de Suínos A Importância da Carne de Porco e seus Derivados no Mundo Fabiano Coser Diretor Executivo Associação Brasileira dos Criadores de Suínos Brasília Capital do Brasil "Deste Planalto Central, desta solidão

Leia mais

PECUÁRIA. Novembro de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

PECUÁRIA. Novembro de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos PECUÁRIA Novembro de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos DESEMPENHO DA PECUÁRIA o o Carne bovina O consumo doméstico de carne bovina registrou recuo nos dois últimos anos e ainda

Leia mais

Indicadores da Semana

Indicadores da Semana Indicadores da Semana O volume de vendas no varejo registrou queda de 0,4%, quando comparado ao mês imediatamente anterior, na série com ajuste sazonal, marcando a quinta queda consecutiva. Sete das dez

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MILHO NOVEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MILHO NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MILHO NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

Clusters de etanol de milho em Mato Grosso. Paulo Moraes Ozaki

Clusters de etanol de milho em Mato Grosso. Paulo Moraes Ozaki Clusters de etanol de milho em Mato Grosso Paulo Moraes Ozaki Índice Dados gerais do projeto Métodos Análise de mercado Análise dos arranjos (Clusters) Viabilidade econômica Aspectos sociais Aspectos ambientais

Leia mais

Marco Abreu dos Santos

Marco Abreu dos Santos Módulo 07 Capítulo 2 As paisagens rurais e os sistemas agrários Marco Abreu dos Santos marcoabreu@live.com www.professormarco.wordpress.com Organização do espaço agrário Quase todos os países do planeta

Leia mais

12º Congresso Brasileiro do Agronegócio Infraestrutura e Logística Painel 3 As oportunidades e as dificuldades para o aumento da oferta

12º Congresso Brasileiro do Agronegócio Infraestrutura e Logística Painel 3 As oportunidades e as dificuldades para o aumento da oferta 12º Congresso Brasileiro do Agronegócio Infraestrutura e Logística Painel 3 As oportunidades e as dificuldades para o aumento da oferta Jorge Karl Presidente da Cooperativa Agrária e Diretor da Ocepar

Leia mais

Agropecuária CONSELHO REGIONAL DE ECONOMIA. Consultoria Desenvolvendo soluções, alavancando resultados!

Agropecuária CONSELHO REGIONAL DE ECONOMIA. Consultoria Desenvolvendo soluções, alavancando resultados! Agropecuária 2 CONSELHO REGIONAL DE ECONOMIA Consultoria Desenvolvendo soluções, alavancando resultados! Expansão do Comércio Apesar da ocorrência de crises econômicas nos principais países produtores

Leia mais

CENÁRIO MACROECONÔMICO BRASILEIRO : DESAFIOS E OPORTUNIDADES

CENÁRIO MACROECONÔMICO BRASILEIRO : DESAFIOS E OPORTUNIDADES CENÁRIO MACROECONÔMICO BRASILEIRO 2014-2015: DESAFIOS E OPORTUNIDADES ABRIL, 2014 Fabiana D Atri Economista Sênior do Departamento de Pesquisas 1 e Estudos Econômicos - DEPEC 17/04/11 17/05/11 17/06/11

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Outubro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Outubro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Outubro 2012 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM OUTUBRO Exportações A exportação de produtos básicos registrou queda de 87,3% ante outubro

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Setembro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Setembro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Setembro 2012 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM SETEMBRO Exportações A queda de 28% na comparação mensal pode ser explicada por: 1) Dois

Leia mais

As estimativas preliminares da FEE para o ano de 2001 no Estado indicam

As estimativas preliminares da FEE para o ano de 2001 no Estado indicam . AS COI^ÍTAS REGIOXAIS A economia gaúcha em 2001: terceiro ano consecutivo de crescimento* Adalberto A. Mala Neto** As estimativas preliminares da FEE para o ano de 2001 no Estado indicam um crescimento

Leia mais

Meio Rural X Meio Agrário:

Meio Rural X Meio Agrário: Introdução Rural X Urbano: Urbano: presença de construções (casas, prédios, comércio, escolas, hospitais, etc.); Rural: presença maior da natureza e atividades agrárias; Meio Rural X Meio Agrário: Rural:

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Julho Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Julho Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Julho 2015 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM JULHO Exportações As exportações da indústria atingiram o nível mais baixo desde 2006 para o

Leia mais

COSAG. Cenário Macroeconômico. 02 de junho de 2014

COSAG. Cenário Macroeconômico. 02 de junho de 2014 COSAG Cenário Macroeconômico 02 de junho de 2014 1 1. Economia Internacional 2. Economia Brasileira 2 EUA Maior contribuição do governo e do consumo para o crescimento; Os indicadores macroeconômicos de

Leia mais