Implementação do Sistema Single-Sign-On em um Ambiente de Nuvem usando SimpleSAML

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Implementação do Sistema Single-Sign-On em um Ambiente de Nuvem usando SimpleSAML"

Transcrição

1 Implementação do Sistema Single-Sign-On em um Ambiente de Nuvem usando SimpleSAML Jonathan Iury Araujo dos Santos, Luiz Aurélio Batista Neto, Higo Felipe Silva Pires, Zair Abdelouahab Universidade Federal do Maranhão - UFMA 1 Departamento de Informática Universidade Federal do Maranhão (UFMA) Caixa Postal Bacanga São Luis MA Brazil Abstract. Aplicar o funcionamento e desenvolvimento de entidades federadas em Single-Sign-On em ambientes de nuvem. O uso acadêmico e comerciais entidades como Shibboleth, OpenAM e SimpleSAML para definir-se um ambiente federado. Todos estes citados tem um bom suporte para suas implementações federadas, contudo nenhum suporte ou implementação voltado para ambientes em nuvem. Temos como contribuição o funcionamento de um ambiente federado em Single-Sign-On em um ambiente de nuvem controlado usando-se o Eucalyptus. Palavras-chave: Segurança da Informação, Computação em Nuvem, Gerenciamento de Identidades, SimpleSAML, Implementação. 1. Introdução Existem diversos aplicativos e serviços que hoje com o avanço da internet, permitem que diversas tarefas possam ser operadas e desenvolvidas sem a necessidade de instalar o serviço localmente para utiliza-lo. Desde vídeos que podem ser assistidos online até documentos que podem ser editados online. Contudo estes serviços muitas das vezes é preso ao recurso de autenticação que deve ser feito em cada tipo de serviço que o usuário for utilizar na web. Pensando Neste ponto que surgem as entidades de gerenciamento de identidade. Elas têm o papel de intermediar o acesso aos serviços e aplicações web de modo a evitar que o usuário precise se re-autenticar em cada serviço que for utilizar em uma mesma federação. Além disso, temos o desenvolvimento do ambiente de nuvem que consiste em oferecer serviços com o propósito de evitar custos Locais para os usuários, ou seja, tudo é operado e feito na nuvem e o usuário recebe o produto de seu desenvolvimento nas aplicações. Evidentemente, desta maneira é possível alinhar os benefícios do ambiente de nuvem e uma entidade de gerenciamento de identidades para aprimorar suas aplicações e funcionalidades em ambiente de desenvolvimento e produtividade. 2. Trabalhos Relacionados Com base no artigo [?], O Single-Sign-On é um recurso oferecido por aplicações web que tem uma relação de confiança, mas não necessariamente em uma mesma companhia, com o objetivo de prover informação de autenticação para todas as aplicações web em uma relação de confiança. Se utilizando do artigo [?], A atual solução para gerenciamento de identidades federadas para redes abertas não resolve o problema escalar dos usuários em

2 seu gerenciamento, deste modo, se propõe um Painel de Identidade (Identity Dashboard) como componente de controle principal para o usuário, possibilitando aos usuários com a ferramenta de modo eficiente gerenciar suas próprias identidades. Com isso, a proposta deste artigo é a aplicação de um sistema federado SimpleSAML, que configurado em uma VM do ambiente de nuvem Eucalyptus, oferece o serviço de Single-Sign-On (SSO) para aplicações web que estão dentro da relação de confiança do IDP(Identity Provider) e SP(Service Provider) dentro do ambiente de nuvem. Segundo o artigo [?], O objetivo é um modelo para a autenticação e a autorização em sistemas orientados a serviços, em ambientes de larga escala. Principalmente através do padrão SAML e do conceito de identidades federadas, onde o modelo concretiza a autenticação e a autorização considerando domínios administrativos com diferentes tecnologias de segurança, de forma transparente e funcional. [?] o artigo cita Indivíduos não autorizados podem ser aceitos no sistema e usuários legítimos podem ter seus acessos negados. Logo neste artigo, introduz uma abordagem de tolerância a intrusões que visa garantir o comportamento correto na autenticação em grandes sistemas. Obtendo como resultado a garantia de tolerância a intrusões sobre um gerenciador de identidades e sua(as) relação(ões) de confiança. Neste artigo com relação ao [?], nossa implementação vai além, tendo o serviço de SSO(Single- Sign-On) na nuvem, podendo oferecer serviços tanto da federação como os da nuvem se relacionados a relação de confiança da federação. Sobre o artigo [?], Nossa idéia aprimora o atendimento de usuários da federação pois agora o problema de gerenciamento do usuário e múltiplos acessos é extinto pela versatilidade que o ambiente de nuvem oferece para o sistema federado SimpleSAML, além de fornecer um gerenciamento de melhor performace para o ambiente federado com os recursos oferecidos pela nuvem. Com base no artigo [?], obtivemos como resultado positivos nos pontos de que a implementação em larga escala de um ambiente federado na nuvem apresenta maior segurança, contribuindo na aplicação do novo padrão de segurança SAML2.0 para sistemas federados em ambientes da nuvem. 3. Fundamentos Este artigo tem o objetivo de demonstrar as possibilidades existentes do uso do gerenciador de identidades SimpleSAML em um ambiente de nuvem de modo a ser estruturado como provedor de identidade e provedor de serviço para atender requisições dos usuários da nuvem na autenticação e utilização de aplicações web relacionados. A fim de complementar as definições sobre o gerenciador de identidade como o centro do domínio para o usuário que realizará múltiplos acessos no sistema federado com base no artigo [?], e fazendo uso com o fundamento do papel do gerenciador de identidades, que promove seu uso e privacidade a qual a federação oferece. Segundo o artigo[?], cujo a abordagem sobre a arquitetura deste gerenciamento e o papel da identidade, também exerce uma identidade do domínio, contribue no entendimento do recurso Single-Sign-On para ambientes de nuvem. Esta estrutura de comunicação e disposição entre um IDP(Identity Provider) e SP(Service Provider) é chamado de federação, pois esta estrutura permite que o usuário possa acessar ao sistema sem precisar criar novas contas para se identificar na rede, precisando somente uma única conta no domínio do sistema e o endereço de acesso do mesmo. Como ilustra a figura acima, uma federação consiste de um IDP e um SP e entre eles existir uma relação de confiança para se comunicarem e satisfazer a autenticação operacional do usuário na federação. Seguindo uma ordem de como procede o acesso do usuário a federação: (1) O usuário acessa o endereço do SP, (2) O SP redireciona o acesso

3 Figure 1. Federated Authentication para o IDP que pede autorização, (3) O usuário realiza seu login e em caso de sucesso ele é direcionado para o SP, (4) o SP oferece para o usuário o acesso ao serviço que este disponibiliza Segurança da Informação O uso do SimpleSAML consiste em ser estruturado em uma federação composta por um provedor de identidade e um provedor de serviço, que ao se comunicarem entre sí, podem gerenciar o recurso de Single-Sign-On e oferecer eficaz uso das aplicações web para o usuário sem a necessidade de constantes logins, precisando-se do usuário autenticar-se uma única vez. Além de eficiente, o sistema de Single-Sign-On oferecido pelo SimpleSAML, também se mostra seguro em sua comunicação com o provedor de serviço, garantido-se uma relação de confiança entre IDP(Identity Provider) e SP(Service Provider) que somente entre eles é possível esta comunicação. Esta garantia é feita por conta do modo que esta relação de confiança é configurado, pois existe um arquivo no SimpleSAML chamado de authsource.php localizado dentro da pasta config do SimpleSAML, onde neste arquivo é citado seu funcionamento(idp ou SP), chave privada que deve ser citada sua localização para a relação de confiança e comunicação entre IDP e SP, o certificado que especifíca o tipo de segurança e criptografia que essa relação utiliza como X509, e os endereços do IDP e SP para acesso. Com todas estas informações, o fundamental para garantia de segurança é a criptografia utilizada pelo SimpleSAML, pois você pode configurar outras criptografias para comunicar-se com outras entidades como OpenAM ou Shibboleth. Deste modo, essa criptografia é feita em uma sequência alfanumérica extensa tornando-se difícil de ser quebrada ou acessada de maneira irregular, além de que a restrição do acesso é paralela aos endereços pertencentes a relação de confiança, ou seja, mesmo que se tenha a criptografia da relação, é preciso que o endereço de sua máquina esteja inserido na relação de confiança, caso contrário o acesso não é permitido. Isto impede qualquer tipo de ação irregular ou imprópria por qualquer motivo decorrente. Após estas configurações e a comunicação IDP e SP funcionando perfeitamente, é possível acessa o produto desta configuração e comunicação em um arquivo XML dentro da pasta metadata que mostra em detalhes todas as configurações da comunicação entre IDP e SP, além da criptografia e a autenticação que está sendo passada entre eles Computação em Nuvem A aplicação com base no desenvolvimento do SimpleSAML em um ambiente de nuvem foi realizada de modo a configura-lo em uma VM local, para em seguida transferi-la para

4 uma VM do ambiente de nuvem. Neste caso foi utilizado o Eucalyptus como ambiente de nuvem para teste de funcionamento do serviço de Single-Sign-On e comunicação IDP/SP do SimpleSAML. O teste permitiu comprovar que o uso de entidades federadas em ambientes da nuvem permite o usuário se comunicar com uma federação, sem necessariamente esta requisitar se manter fisicamente em outro computador ou rede, consolidando os benefícios do SSO(Single-Sign-On) com os recursos da federação acoplada ao ambiente de nuvem Eucalyptus Gerenciamento de Identidades Uma identidade é uma representação de uma entidade em uma aplicação especifica do domínio. Por exemplo, os dados pessoais registrados de um cliente do banco, nestes dados podem conter nome, número da conta, endereço e até traços físicos ou foto do cliente. Uma entidade é normalmente relacionada com as entidades do mundo real. Outro ponto importante de uma entidade é que não podem existir clones ou réplicas desta entidade, pois cada entidade possui características únicas, assim como as pessoas e suas características [?]. Com esta definição é possível perceber que a necessidade e existência de um sistema para gerenciar essas entidades é necessária, pois imagine em um banco ou em uma empresa, quantos clientes ou usuários devem existir para fazerem uso de aplicações ou serviços web disponibilizados pelo provedor de serviço, porém requerendo autorização para seu devido uso. Doravante, o uso de um gerenciador de identidades é indispensável para tornar funcional e eficaz a autorização destes usuários para a rede de confiança que a relação de confiança que uma federação fornece. 4. Implementação Abaixo apresento uma breve descrição dos softwares utilizados para a implementação ambiente e sistema: Eucalyptus: Sistema para gerar ambientes na nuvem com serviços de segurança e funcionamento com máquinas virtuais (VM) onde é possível criar réplicas de uma ou mais VMs, a fim de assumir tarefas de outras VMs em funcionamento caso uma apresente problemas ou irregularidades em sua execução ou processo, garantindo seu funcionamento na nuvem. Tomcat: Software para configurar os endereços das aplicações web junto com a padronização do ambiente em nuvem ou de uma rede local. KVM: Software para se criar uma VM para instalação de um SO junto com aplicações ou configurações para ambientes de desenvolvimento controlado (simulações). SimpleSAML: É um software que oferece recursos para criação de provedores de identidades e provedores de serviços, resultando em uma federação e que esta pode ser interagir com outras federações caso deseje, como OpenAM ou Shibboleth. Todos estes softwares estão rodando em uma máquina com Sistema Operacional Linux da distribuição Debian. Primeiramente foi desenvolvido o ambiente federado SimpleSAML em máquinas vituais dentro do KVM. Em seguida foram-se estruturadas as VM s de modo a se comunicarem com o Tomcat para definir os endereços destas na rede e serem acessadas pelas aplicações web. O SimpleSAML esta presente em 2 VM s

5 do KVM em uma única máquina, de modo que uma VM tem sua instalação configurada como Provedor de Identidade (IDP) e a outra VM como Provedor de Serviço (SP). Em seguida é configurado o arquivo openssl.cnf na VM IDP. Este arquivo tem como parâmetros a serem definidos o nome da organização, informações sobre a federação e HOSTNAME da máquina, para gerar os arquivos simplesaml.key, simplesaml.crt e simplesaml.p12 para colocar na pasta autenticacao-federada/cert, onde será garantido a relação de confiança e autenticação para esta federação. Doravante, é realizado testes na federação para garantir seu funcionamento para transferi-lo a VM do sistema Eucalyptus e concretizar seu funcionamento no ambiente de nuvem como ilustra a figura abaixo: Figure 2. Representação da Arquitetura O que constou resultados positivos e proporcionando possibilidades para implementações federadas futuras para o sistema federado em nuvem. 5. Testes Os testes realizados para medir o desempenho do SimpleSAML no ambiente de nuvem foi a instalação da aplicação web RoundCube, um servidor de s que dentro da federação em nuvem fornece acesso a aplicação diretamente, desde que o usuário já tenha se autenticado na federação. Isto permite verificar se o Single-Sign-On é realizado como esperado tanto entre o IDP e o SP do SimpleSAML. Assim como entre aplicações web relacionadas no Eucalyptus. Com uso do Tomcat para gerir os endereços do SimpleSAML, o resultado foi positivo para o acesso a aplicação RoundCube sem necessitar de qualquer informação a mais para o usuário. Além disso, foi verificado que com o uso do Tomcat para a aplicação web em outra VM dentro do Eucalyptus, a segurança para uma tentativa de ataque de invasão por homem do meio se torna complexa, já que a chave que você consegue interceptar não fornece acesso por conta do tempo da chave de segurança interceptada ser diferente do tempo real do usuário na VM e do laço de confiança ser diferente do estabelecido no openssl.cnf, possibilitando maior segurança do SSO em ambientes federados na nuvem. Isto reforça os benefícios que o próprio 6. Conclusão Com o desenvolvimento e configuração da federação SimpleSAML utilizando-se da VM do Eucalyptus, foi possível realizar o objetivo proposto de desenvolver serviços oferecidos pela federação dentro do ambiente da nuvem para o usuário, fornecendo SSO na federação e suas aplicações web, garantido-lhe segurança aprimorada pelo ambiente em

6 nuvem integrado aos recursos de Single-Sign-On de um sistema federado a aplicações web acopladas ao relacionamento de confiança da federação SimpleSAML. Isto abre possibilidades para o avanço da tecnologia na nuvem e suas extensões para novos projetos. References [1] Ionut Andronache and Claudiu Nisipasiu. Web single sign-on implementation using the simplesamlphp application. Journal of Mobile, Embedded and Distributed Systems, 3(1):21 29, [2] Luciano Barreto, Frank Siqueira, Joni da Silva Fraga, and Eduardo Feitosa. Gerenciamento de identidades tolerante a intrusões [3] Edson T de Camargo, Michelle S Wangham12, Joni Fraga, and Emerson R de Mello. Autenticaç ao e autorizaç ao em arquiteturas orientadas a serviço através de identidades federadas [4] Audun Jøsang and Simon Pope. User centric identity management. In AusCERT Asia Pacific Information Technology Security Conference, page 77. Citeseer, [5] Audun Jøsang, Muhammed Al Zomai, and Suriadi Suriadi. Usability and privacy in identity management architectures. In Proceedings of the fifth Australasian symposium on ACSW frontiers-volume 68, pages Australian Computer Society, Inc., [6] Jonathan Scudder and Audun Jøsang. Personal federation control with the identity dashboard. In Policies and Research in Identity Management, pages Springer, 2010.

Guia rápido do usuário. Cliente de Web

Guia rápido do usuário. Cliente de Web Guia rápido do usuário Cliente de Web Sumário O que é o cnccloud?... 3 Como obter acesso ao cnccloud?... 3 Acessando sua conta do cnccloud via Web... 4 Funcionalidades do cnccloud... 4 Configurações de

Leia mais

Gerenciamento de Identidades. Leonardo Pais Cardoso Marcello Ribeiro Salomão Victor Torres da Costa

Gerenciamento de Identidades. Leonardo Pais Cardoso Marcello Ribeiro Salomão Victor Torres da Costa Gerenciamento de Identidades Leonardo Pais Cardoso Marcello Ribeiro Salomão Victor Torres da Costa Introdução Desenvolvimento das organizações Empresas puramente virtuais Amazon Organizações em crescimento

Leia mais

Sistema Gerenciador de Conteúdo OpenCms: um caso de sucesso no CEFET-MG

Sistema Gerenciador de Conteúdo OpenCms: um caso de sucesso no CEFET-MG Sistema Gerenciador de Conteúdo OpenCms: um caso de sucesso no CEFET-MG Marco T. A. Rodrigues*, Paulo E. M. de Almeida* *Departamento de Recursos em Informática Centro Federal de Educação Tecnológica de

Leia mais

EXIN Cloud Computing Fundamentos

EXIN Cloud Computing Fundamentos Exame Simulado EXIN Cloud Computing Fundamentos Edição Maio 2013 Copyright 2013 EXIN Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser publicado, reproduzido, copiado ou armazenada

Leia mais

SISTEMAS DISTRIBUÍDOS

SISTEMAS DISTRIBUÍDOS SISTEMAS DISTRIBUÍDOS Cluster, Grid e computação em nuvem Slide 8 Nielsen C. Damasceno Introdução Inicialmente, os ambientes distribuídos eram formados através de um cluster. Com o avanço das tecnologias

Leia mais

CONTROLE DE ACESSO À WEB COM O ALT LINUX SCHOOL. Douglas Henrique Ribeiro da Silva ¹ Samuel Apolo Ferreira Lourenço ² Eduardo Alves de Almeida ³

CONTROLE DE ACESSO À WEB COM O ALT LINUX SCHOOL. Douglas Henrique Ribeiro da Silva ¹ Samuel Apolo Ferreira Lourenço ² Eduardo Alves de Almeida ³ CONTROLE DE ACESSO À WEB COM O ALT LINUX SCHOOL Douglas Henrique Ribeiro da Silva ¹ Samuel Apolo Ferreira Lourenço ² Eduardo Alves de Almeida ³ Faculdade de Tecnologia de Ourinhos - FATEC INTRODUÇÃO O

Leia mais

Classificação::Modelo de implantação

Classificação::Modelo de implantação Classificação::Modelo de implantação Modelo de implantação::privado Operada unicamente por uma organização; A infra-estrutura de nuvem é utilizada exclusivamente por uma organização: Nuvem local ou remota;

Leia mais

COMPUTAÇÃO EM NUVEM: UM FUTURO PRESENTE

COMPUTAÇÃO EM NUVEM: UM FUTURO PRESENTE COMPUTAÇÃO EM NUVEM: UM FUTURO PRESENTE Andressa T.R. Fenilli 1, Késsia R.C.Marchi 1 1 Universidade Paranaense (UNIPAR) Paranavaí PR Brasil andressa.trf@gmail.com, kessia@unipar.br Resumo. Computação em

Leia mais

Requisitos para a Federação de um serviço web. Serviço Utilizador RCTS Janeiro de 2010

Requisitos para a Federação de um serviço web. Serviço Utilizador RCTS Janeiro de 2010 Requisitos para a Federação de um serviço web Serviço Utilizador RCTS Janeiro de 2010 15 de Janeiro de 2010 Requisitos para a Federação de um serviço web Serviço Utilizador RCTS Janeiro de 2010 EXT/2010/Serviço

Leia mais

Firewall. Alunos: Hélio Cândido Andersson Sales

Firewall. Alunos: Hélio Cândido Andersson Sales Firewall Alunos: Hélio Cândido Andersson Sales O que é Firewall? Firewall pode ser definido como uma barreira de proteção, que controla o tráfego de dados entre seu computador e a Internet (ou entre a

Leia mais

TVVILAEMBRATEL.WEBS.COM 1 Uma experiência com sistemas de CMS

TVVILAEMBRATEL.WEBS.COM 1 Uma experiência com sistemas de CMS TVVILAEMBRATEL.WEBS.COM 1 Uma experiência com sistemas de CMS Anissa CAVALCANTE 2 Jessica WERNZ 3 Márcio CARNEIRO 4, São Luís, MA PALAVRAS-CHAVE: CMS, webjornalismo, TV Vila Embratel, comunicação 1 CONSIDERAÇÕES

Leia mais

Computação em Nuvem: Riscos e Vulnerabilidades

Computação em Nuvem: Riscos e Vulnerabilidades Computação em Nuvem: Riscos e Vulnerabilidades Bruno Sanchez Lombardero Faculdade Impacta de Tecnologia São Paulo Brasil bruno.lombardero@gmail.com Resumo: Computação em nuvem é um assunto que vem surgindo

Leia mais

http://aurelio.net/vim/vim-basico.txt Entrar neste site/arquivo e estudar esse aplicativo Prof. Ricardo César de Carvalho

http://aurelio.net/vim/vim-basico.txt Entrar neste site/arquivo e estudar esse aplicativo Prof. Ricardo César de Carvalho vi http://aurelio.net/vim/vim-basico.txt Entrar neste site/arquivo e estudar esse aplicativo Administração de Redes de Computadores Resumo de Serviços em Rede Linux Controlador de Domínio Servidor DNS

Leia mais

Uma aplicacação de privacidade no gerenciamento de identidades em nuvem com uapprove

Uma aplicacação de privacidade no gerenciamento de identidades em nuvem com uapprove Uma aplicacação de privacidade no gerenciamento de identidades em nuvem com uapprove Daniel Ricardo dos Santos Universidade Federal de Santa Catarina 10 de novembro de 2011 Agenda 1 Introdução 2 Identidade

Leia mais

Tableau Online Segurança na nuvem

Tableau Online Segurança na nuvem Tableau Online Segurança na nuvem Autor(a): Ellie Fields Diretora Sênior de Marketing de Produtos, Tableau Software Junho de 2013 p2 A Tableau Software entende que os dados são um dos ativos mais estratégicos

Leia mais

UM NOVO CONCEITO EM HOSPEDAGEM DE DOMÍNIO

UM NOVO CONCEITO EM HOSPEDAGEM DE DOMÍNIO www.origy.com.br UM NOVO CONCEITO EM HOSPEDAGEM DE DOMÍNIO CARACTERÍSTICAS: E-MAIL IMAP * Acesso simultâneo e centralizado, via aplicativo, webmail e celular/smartphone * Alta capacidade de armazenamento

Leia mais

Armazenamento em nuvem é feito em serviços que poderão ser acessados de diferentes lugares, a qualquer momento e utilizando diferentes dispositivos,

Armazenamento em nuvem é feito em serviços que poderão ser acessados de diferentes lugares, a qualquer momento e utilizando diferentes dispositivos, Nuvem cloud Armazenamento em nuvem é feito em serviços que poderão ser acessados de diferentes lugares, a qualquer momento e utilizando diferentes dispositivos, não havendo necessidade de armazenamento

Leia mais

Proteção de ambientes Citrix XenServer com Arcserve

Proteção de ambientes Citrix XenServer com Arcserve Proteção de ambientes Citrix XenServer com Arcserve Desafios do cliente Hoje em dia, você enfrenta desafios como acordos de nível de serviço exigentes e limitações de equipe e orçamento. Você procura maneiras

Leia mais

CONCEITOS E APLICAÇÕES DA COMPUTAÇÃO EM NUVEM

CONCEITOS E APLICAÇÕES DA COMPUTAÇÃO EM NUVEM CONCEITOS E APLICAÇÕES DA COMPUTAÇÃO EM NUVEM Rogério Schueroff Vandresen¹, Willian Barbosa Magalhães¹ ¹Universidade Paranaense(UNIPAR) Paranavaí-PR-Brasil rogeriovandresen@gmail.com, wmagalhaes@unipar.br

Leia mais

Segurança + Conformidade. Dentro do Prazo e Orçamento Previsto Sob Demanda

Segurança + Conformidade. Dentro do Prazo e Orçamento Previsto Sob Demanda Segurança + Conformidade Dentro do Prazo e Orçamento Previsto Sob Demanda Segurança e Conformidade via Software-as-a-Service (SaaS) Hoje em dia, é essencial para as empresas administrarem riscos de segurança

Leia mais

Introdução. Disciplina: Suporte Remoto Prof. Etelvira Leite

Introdução. Disciplina: Suporte Remoto Prof. Etelvira Leite Introdução Disciplina: Suporte Remoto Prof. Etelvira Leite Os Benefícios do Trabalho Remoto O mundo assiste hoje à integração e à implementação de novos meios que permitem uma maior rapidez e eficácia

Leia mais

MINICURSO WINDOWS SERVER 2008 UTILIZANDO O VMWARE PLAYER

MINICURSO WINDOWS SERVER 2008 UTILIZANDO O VMWARE PLAYER MINICURSO WINDOWS SERVER 2008 UTILIZANDO O VMWARE PLAYER TÁSSIO JOSÉ GONÇALVES GOMES tassiogoncalvesg@gmail.com MINICURSO WINDOWS SERVER 2008 TÁSSIO GONÇALVES - TASSIOGONCALVESG@GMAIL.COM 1 CONTEÚDO Arquitetura

Leia mais

Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-2

Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-2 Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-2 Aula 2 Computação em Nuvem Desafios e Oportunidades A Computação em Nuvem

Leia mais

Instalação e personalização do Debian Etch para servidores LDAP e Shibboleth.

Instalação e personalização do Debian Etch para servidores LDAP e Shibboleth. Instalação e personalização do Debian Etch para servidores LDAP e Shibboleth. Éverton Foscarini, Leandro Rey, Francisco Fialho, Carolina Nogueira 1 Universidade Federal do Rio Grande do Sul Centro de Processamento

Leia mais

Palavras-chave: Tecnologia da Informação, Armazenamento, Nuvem, Internet.

Palavras-chave: Tecnologia da Informação, Armazenamento, Nuvem, Internet. 1 COMPUTAÇÃO EM NUVEM Leonardo André Junges 1 Neimar Sierota 2 Palavras-chave: Tecnologia da Informação, Armazenamento, Nuvem, Internet. 1 INTRODUÇÃO Nos dias atuais encontramos tudo ou praticamente tudo

Leia mais

ROTEIRO PARA INSTALAÇÃO DO BITVISE, CONFIGURAÇÃO DE CHAVES SSH, DEFINIÇÃO DAS PORTAS PARA OS TÚNEIS SSH E CONFIGURAÇÃO DO THUNDERBIRD

ROTEIRO PARA INSTALAÇÃO DO BITVISE, CONFIGURAÇÃO DE CHAVES SSH, DEFINIÇÃO DAS PORTAS PARA OS TÚNEIS SSH E CONFIGURAÇÃO DO THUNDERBIRD ROTEIRO PARA INSTALAÇÃO DO BITVISE, CONFIGURAÇÃO DE CHAVES SSH, DEFINIÇÃO DAS PORTAS PARA OS TÚNEIS SSH E CONFIGURAÇÃO DO THUNDERBIRD PARTE 1 INSTALAÇÃO DO BITVISE E CRIAÇÃO E INSTALAÇÃO DA CHAVE SSH PARA

Leia mais

ALTERNATIVA PARA CONEXÃO VIA INTERNET DE IP MASCARADO A IP REAL

ALTERNATIVA PARA CONEXÃO VIA INTERNET DE IP MASCARADO A IP REAL Documento: Tutorial Autor: Iuri Sonego Cardoso Data: 27/05/2005 E-mail: iuri@scripthome.cjb.net Home Page: http://www.scripthome.cjb.net ALTERNATIVA PARA CONEXÃO VIA INTERNET DE IP MASCARADO A IP REAL

Leia mais

O sistema que completa sua empresa Roteiro de Instalação (rev. 15.10.09) Página 1

O sistema que completa sua empresa Roteiro de Instalação (rev. 15.10.09) Página 1 Roteiro de Instalação (rev. 15.10.09) Página 1 O objetivo deste roteiro é descrever os passos para a instalação do UNICO. O roteiro poderá ser usado não apenas pelas revendas que apenas estão realizando

Leia mais

Segurança Internet. Fernando Albuquerque. fernando@cic.unb.br www.cic.unb.br/docentes/fernando (061) 273-3589

Segurança Internet. Fernando Albuquerque. fernando@cic.unb.br www.cic.unb.br/docentes/fernando (061) 273-3589 Segurança Internet Fernando Albuquerque fernando@cic.unb.br www.cic.unb.br/docentes/fernando (061) 273-3589 Tópicos Introdução Autenticação Controle da configuração Registro dos acessos Firewalls Backups

Leia mais

gladiador INTERNET CONTROLADA

gladiador INTERNET CONTROLADA gladiador INTERNET CONTROLADA funcionalidades do sistema gladiador sistema Gerenciamento de usuários, gerenciamento de discos, data e hora do sistema, backup gladiador. Estações de Trabalho Mapeamento

Leia mais

Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores

Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores Disciplina - Sistemas Distribuídos Prof. Andrey Halysson Lima Barbosa Aula 12 Computação em Nuvem Sumário Introdução Arquitetura Provedores

Leia mais

VVS Sistemas (21)3405-9500

VVS Sistemas (21)3405-9500 Índice Assunto Página Apresentação... 2 Funcionamento do Módulo... 3 Instalação do Módulo... 4 Configurações no C-Plus NF-e... 9 Acessando os arquivos... 11 Apresentação Apresentamos o módulo C-Plus NF-e

Leia mais

Proposta de estudo CNC

Proposta de estudo CNC Proposta de estudo CNC Vitor Hugo Galhardo Moia vhgmoia@dca.fee.unicamp.br Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação FEEC APRESENTAÇÃO GRUPO DCA DE SEGURANÇA

Leia mais

Guia de Atualização PROJURIS WEB 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4.

Guia de Atualização PROJURIS WEB 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4. Guia de Atualização PROJURIS WEB 4.5 Por: Fabio Pozzebon Soares Página 1 de 11 Sistema ProJuris é um conjunto de componentes 100% Web, nativamente integrados, e que possuem interface com vários idiomas,

Leia mais

Mecanismos de controle de acesso

Mecanismos de controle de acesso Mecanismos de controle de acesso Os mecanismos de segurança da informação são responsáveis pela concretização das políticas de segurança nos sistemas computacionais. Desta forma, as políticas de segurança

Leia mais

Sistemas de Produtividade

Sistemas de Produtividade Sistemas de Produtividade Os Sistemas de Produtividade que apresentaremos em seguida são soluções completas e podem funcionar interligadas ou não no. Elas recebem dados dos aplicativos de produtividade,

Leia mais

Cloud Computing. Andrêza Leite. andreza.lba@gmail.com

Cloud Computing. Andrêza Leite. andreza.lba@gmail.com Cloud Computing Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com Roteiro O que é cloud computing? Classificação O que está 'por traz' da cloud? Exemplos Como montar a sua? O que é cloud computing? Cloud Computing O

Leia mais

CLOUD COMPUTING. Andrêza Leite. andreza.leite@univasf.edu.br

CLOUD COMPUTING. Andrêza Leite. andreza.leite@univasf.edu.br CLOUD COMPUTING Andrêza Leite andreza.leite@univasf.edu.br Roteiro O que é cloud computing? Classificação O que está 'por traz' da cloud? Exemplos Como montar a sua? O que é cloud computing? Cloud Computing

Leia mais

Projeto de Redes de Computadores. Servidor Radius

Projeto de Redes de Computadores. Servidor Radius Faculdade de Tecnologia Senac Goiás Projeto de Redes de Computadores Servidor Radius Alunos: Fabio Henrique, Juliano Pirozzelli, Murillo Victor, Raul Rastelo Goiânia, Dezembro de 2014 Radius Remote Authentication

Leia mais

JSF - Controle de Acesso FERNANDO FREITAS COSTA

JSF - Controle de Acesso FERNANDO FREITAS COSTA JSF - Controle de Acesso FERNANDO FREITAS COSTA ESPECIALISTA EM GESTÃO E DOCÊNCIA UNIVERSITÁRIA JSF Controle de Acesso Antes de iniciarmos este assunto, é importante conhecermos a definição de autenticação

Leia mais

Copyright 2015 Mandic Cloud Solutions - Somos Especialistas em Cloud. www.mandic.com.br

Copyright 2015 Mandic Cloud Solutions - Somos Especialistas em Cloud. www.mandic.com.br Sumário 1. Boas vindas... 4 2. Dashboard... 4 3. Cloud... 5 3.1 Servidores... 5 o Contratar Novo Servidor... 5 o Detalhes do Servidor... 9 3.2 Cloud Backup... 13 o Alteração de quota... 13 o Senha do agente...

Leia mais

Tutorial de Instalação do CentOS Versão 3.3

Tutorial de Instalação do CentOS Versão 3.3 Tutorial de Instalação do CentOS Versão 3.3 Jamilson Dantas (jrd@cin.ufpe.br) Maria Clara Bezerra (mcsb@cin.ufpe.br) Rosângela Melo (rmm3@cin.ufpe.br) Recife, outubro de 2013. Finalidade do Tutorial O

Leia mais

MAGREGISTER 1.0: GERADOR DE INTERFACES DE COLETAS DE DADOS PARA PDA S. Acadêmico: Gilson Chequeto Orientador: Adilson Vahldick

MAGREGISTER 1.0: GERADOR DE INTERFACES DE COLETAS DE DADOS PARA PDA S. Acadêmico: Gilson Chequeto Orientador: Adilson Vahldick MAGREGISTER 1.0: GERADOR DE INTERFACES DE COLETAS DE DADOS PARA PDA S Acadêmico: Gilson Chequeto Orientador: Adilson Vahldick Roteiro Introdução Objetivos do trabalho Fundamentação teórica Desenvolvimento

Leia mais

Infraestrutura: devo usar a nuvem? Prof. Artur Clayton Jovanelli

Infraestrutura: devo usar a nuvem? Prof. Artur Clayton Jovanelli Infraestrutura: devo usar a nuvem? Prof. Artur Clayton Jovanelli Conceitos principais Nuvem Local Dados (informações) Profissional Pessoal Procedimento padrão (modelo) Produzir Armazenar Como era... Como

Leia mais

Guia do Usuário commanager

Guia do Usuário commanager Guia do Usuário commanager 1 Sumário 1 Introdução 3 2 commanager: 4 2.1. Pré-requisitos: 4 2.2. Arquitetura da aplicação: 4 2.3. Configuração do Monitor e Acesso ao commanager: 5 2.4. Interação do Usuário

Leia mais

Manual de Utilização do Sistema GRServer Cam on-line (Gerenciamento de Câmeras On-line)

Manual de Utilização do Sistema GRServer Cam on-line (Gerenciamento de Câmeras On-line) Manual de Utilização do Sistema GRServer Cam on-line (Gerenciamento de Câmeras On-line) Criamos, desenvolvemos e aperfeiçoamos ferramentas que tragam a nossos parceiros e clientes grandes oportunidades

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS

SISTEMAS OPERACIONAIS SISTEMAS OPERACIONAIS Arquitetura Sistemas Operacionais Andreza Leite andreza.leite@univasf.edu.br Plano de Aula Sistemas monolíticos Sistemas em camadas Sistemas micro-núcleo Modelo Cliente-Servidor Máquinas

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO. PROFESSORA: Marissol Martins

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO. PROFESSORA: Marissol Martins FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO PROFESSORA: Marissol Martins AUTENTICAÇÃO DE MAQUINAS USANDO SERVIDOR FREERADIUS ALEXANDRE WILLIE EDER VERISSIMO HANANNY GIANINNY Goiânia GO Dezembro/2014

Leia mais

VPN entre Unimed Federação do Paraná e Singulares do Paraná. Gustavo Kochan Nunes dos Santos. Curso de Especialização em Redes e Segurança de Sistemas

VPN entre Unimed Federação do Paraná e Singulares do Paraná. Gustavo Kochan Nunes dos Santos. Curso de Especialização em Redes e Segurança de Sistemas 1 VPN entre Unimed Federação do Paraná e Singulares do Paraná Gustavo Kochan Nunes dos Santos Curso de Especialização em Redes e Segurança de Sistemas Pontifícia Universidade Católica do Paraná Curitiba,

Leia mais

Segurança da Informação Prof. Jeferson Cordini jmcordini@hotmail.com

Segurança da Informação Prof. Jeferson Cordini jmcordini@hotmail.com Segurança da Informação Prof. Jeferson Cordini jmcordini@hotmail.com Segurança da Informação Segurança da Informação está relacionada com proteção de um conjunto de dados, no sentido de preservar o valor

Leia mais

Política de Uso do JEMS para a CAFe

Política de Uso do JEMS para a CAFe Política de Uso do JEMS para a CAFe Julho de 2013 Conteúdo 1. Apresentação... 3 2. Definições... 3 3. Público Alvo... 3 4. Credenciamento... 3 5. Requisitos... 4 6. Termo de Uso... 4 7. Considerações Finais...

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação Segurança da Informação Professor: Cleber Schroeder Fonseca cleberfonseca@charqueadas.ifsul.edu.br 8 1 SEGURANÇA EM REDES DE COMPUTADORES 2 Segurança em redes de computadores Consiste na provisão de políticas

Leia mais

Quais tipos de informações nós obteremos para este produto

Quais tipos de informações nós obteremos para este produto Termos de Uso O aplicativo Claro Facilidades faz uso de mensagens de texto (SMS), mensagens publicitárias e de serviços de internet. Nos casos em que houver uso de um serviço tarifado como, por exemplo,

Leia mais

Avaliação de dependabilidade em infraestruturas Eucalyptus geograficamente distribuídas

Avaliação de dependabilidade em infraestruturas Eucalyptus geograficamente distribuídas Avaliação de dependabilidade em infraestruturas Eucalyptus geograficamente distribuídas Jonathan Brilhante(jlgapb@cin.ufpe), Bruno Silva(bs@cin.ufpe) e Paulo Maciel(prmm@cin.ufpe) Agenda 1. 2. 3. 4. 5.

Leia mais

Proposta de um modelo de biblioteca cliente para o Shibboleth: Facilitando a adaptação das aplicações

Proposta de um modelo de biblioteca cliente para o Shibboleth: Facilitando a adaptação das aplicações UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Proposta de um modelo de biblioteca cliente para o Shibboleth: Facilitando a adaptação das aplicações Max Alexandre Zanelato Florianópolis - SC 2014/2 UNIVERSIDADE

Leia mais

Projuris Enterprise Visão Geral da Arquitetura do Sistema

Projuris Enterprise Visão Geral da Arquitetura do Sistema Projuris Enterprise Visão Geral da Arquitetura do Sistema Março/2015 Página 1 de 17 Projuris Enterprise Projuris Enterprise é um sistema 100% Web, com foco na gestão de contencioso por empresas ou firmas

Leia mais

Transformação da Indústria

Transformação da Indústria Conceitos Transformação da Indústria Hoje Cloud Anos 2000 Web Anos 1990 Cliente / Servidor Anos 1970 e 80 Mainframe Novas possibilidades O momento atual do país é favorável para que as empresas passem

Leia mais

Renan Borges Pereira¹, Rodrigo Rodrigues da Silva². Faculdade de Tecnologia de Ourinhos FATEC. renanzaum_1@hotmail.com¹, rodrigues_fatec@hotmail.

Renan Borges Pereira¹, Rodrigo Rodrigues da Silva². Faculdade de Tecnologia de Ourinhos FATEC. renanzaum_1@hotmail.com¹, rodrigues_fatec@hotmail. Renan Borges Pereira¹, Rodrigo Rodrigues da Silva² Faculdade de Tecnologia de Ourinhos FATEC renanzaum_1@hotmail.com¹, rodrigues_fatec@hotmail.com² Há algum tempo o termo computação em nuvem ou Cloud Computing

Leia mais

CONFIGURAÇÃO DE REDE SISTEMA IDEAGRI - FAQ CONCEITOS GERAIS

CONFIGURAÇÃO DE REDE SISTEMA IDEAGRI - FAQ CONCEITOS GERAIS CONFIGURAÇÃO DE REDE SISTEMA IDEAGRI - FAQ CONCEITOS GERAIS Servidor: O servidor é todo computador no qual um banco de dados ou um programa (aplicação) está instalado e será COMPARTILHADO para outros computadores,

Leia mais

Rede GlobalWhitepaper

Rede GlobalWhitepaper Rede GlobalWhitepaper Janeiro 2015 Page 1 of 8 1. Visão Geral...3 2. Conectividade Global, qualidade do serviço e confiabilidade...4 2.1 Qualidade Excepcional...4 2.2 Resiliência e Confiança...4 3. Terminais

Leia mais

Virtualização Gerencia de Redes Redes de Computadores II

Virtualização Gerencia de Redes Redes de Computadores II Virtualização Gerencia de Redes Redes de Computadores II *Créditos: baseado no material do Prof. Eduardo Zagari Virtualização - Introdução Introduzido nos anos 60 em Mainframes Em 1980 os microcomputadores

Leia mais

Informática - Prof. Frank Mattos

Informática - Prof. Frank Mattos Informática - Prof. Frank Mattos Q298262 1. Por padrão, a lixeira do Windows 7 ocupa uma área correspondente a 10% do espaço em disco rígido do computador. Impressionante como essa informação está muito

Leia mais

SERVIDORES REDES E SR1

SERVIDORES REDES E SR1 SERVIDORES REDES E SR1 Rio de Janeiro - RJ HARDWARE Você pode instalar um sistema operacional para servidores em qualquer computador, ao menos na teoria tudo irá funcionar sem grandes dificuldades. Só

Leia mais

Data de Aplicação 2/04/2009

Data de Aplicação 2/04/2009 FICHA TÉCNICA Exercício nº 9 Data de Aplicação 2/04/2009 NOME DO EXERCÍCIO Instalação de Software Base DESTINATÁRIOS Duração Pré Requisitos Recursos / Equipamentos Orientações Pedagógicas OBJECTIVOS Resultado

Leia mais

Conceitos de Segurança Física e Segurança Lógica. Segurança Computacional Redes de Computadores. Professor: Airton Ribeiro Fevereiro de 2016-1

Conceitos de Segurança Física e Segurança Lógica. Segurança Computacional Redes de Computadores. Professor: Airton Ribeiro Fevereiro de 2016-1 Segurança Computacional Redes de Computadores Professor: Airton Ribeiro Fevereiro de 2016-1 1 2 Compreende os mecanismos de proteção baseados em softwares Senhas Listas de controle de acesso - ACL Criptografia

Leia mais

Analista de Sistemas Ambiente GRID para física experimental de altas energias

Analista de Sistemas Ambiente GRID para física experimental de altas energias Analista de Sistemas Ambiente GRID para física experimental de altas energias Caderno de Questões Prova Discursiva 2015 01 Nos sistemas operacionais, quando um processo é executado, ele muda de estado.

Leia mais

Governança de TI. ITIL v.2&3. parte 1

Governança de TI. ITIL v.2&3. parte 1 Governança de TI ITIL v.2&3 parte 1 Prof. Luís Fernando Garcia LUIS@GARCIA.PRO.BR ITIL 1 1 ITIL Gerenciamento de Serviços 2 2 Gerenciamento de Serviços Gerenciamento de Serviços 3 3 Gerenciamento de Serviços

Leia mais

Segurança de Redes de Computadores

Segurança de Redes de Computadores Segurança de Redes de Computadores Aula 10 Segurança na Camadas de Rede Redes Privadas Virtuais (VPN) Prof. Ricardo M. Marcacini ricardo.marcacini@ufms.br Curso: Sistemas de Informação 1º Semestre / 2015

Leia mais

Projeto OBAA. Relatório Técnico RT-OBAA-07 Grupo Agentes e Ontologias. Proposta de Federação de Repositórios de Objetos Educacionais.

Projeto OBAA. Relatório Técnico RT-OBAA-07 Grupo Agentes e Ontologias. Proposta de Federação de Repositórios de Objetos Educacionais. Edital MCT/FINEP/MC/FUNTTEL Plataformas para Conteúdos Digitais 01/2007 Projeto OBAA Relatório Técnico RT-OBAA-07 Grupo Agentes e Ontologias Proposta de Federação de Repositórios de Objetos Educacionais

Leia mais

Testbed para métricas de dependabilidade em cloud computing.

Testbed para métricas de dependabilidade em cloud computing. Testbed para métricas de dependabilidade em cloud computing. Jonathan Brilhante(jlgapb@cin.ufpe.br), Bruno Silva (bs.cin.ufpe.br) e Paulo Maciel(prmm@cin.ufpe.br) Agenda 1. 2. 3. 4. 5. Motivação Objetivos

Leia mais

Políticas de segurança e informações

Políticas de segurança e informações Whitepaper Políticas de segurança e informações VISÃO GERAL Este documento fornece uma visão de alto nível das políticas de segurança da New Relic, além de uma descrição geral dos recursos e das funcionalidades

Leia mais

Computação nas Nuvens

Computação nas Nuvens Computação nas Nuvens TÓPICOS Introdução Internet: O fundamento principal O que é Computação em Nuvens Vantagens Dúvidas Corrida pela tecnologia Trabalhos Futuros Conclusão Referências 2 TÓPICOS Introdução

Leia mais

Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW. Free Powerpoint Templates Page 1

Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW. Free Powerpoint Templates Page 1 Segurança na Web Cap. 5: VPN Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW Page 1 Introdução VPN (Virtual Private Network, ou rede virtual privada) criada para interligar duas redes distantes, através

Leia mais

Compartilhamento de recursos de forma a racionar e otimizar o uso de equipamentos e softwares. Servidores e Workstations. Segurança é um desafio, por

Compartilhamento de recursos de forma a racionar e otimizar o uso de equipamentos e softwares. Servidores e Workstations. Segurança é um desafio, por $XWDUTXLD(GXFDFLRQDOGR9DOHGR6mR)UDQFLVFR± $(96) )DFXOGDGHGH&LrQFLDV6RFLDLVH$SOLFDGDVGH3HWUROLQD± )$&$3( &XUVRGH&LrQFLDVGD&RPSXWDomR $8',725,$'$7(&12/2*,$'$,1)250$d 2 &\QDUD&DUYDOKR F\QDUDFDUYDOKR#\DKRRFRPEU

Leia mais

ATA - Exercícios Informática Carlos Viana. 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor.

ATA - Exercícios Informática Carlos Viana. 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. ATA - Exercícios Informática Carlos Viana 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. ATA EXERCÍCIOS CARLOS VIANA 22 - ( ESAF - 2004 - MPU - Técnico Administrativo ) O

Leia mais

MCITP: ENTERPRISE ADMINISTRATOR

MCITP: ENTERPRISE ADMINISTRATOR 6292: INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO DO WINDOWS 7, CLIENT Objetivo: Este curso proporciona aos alunos o conhecimento e as habilidades necessárias para instalar e configurar estações de trabalho utilizando a

Leia mais

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP HTTP (Hypertext Transfer Protocol ) Protocolo usado na Internet para transferir as páginas da WWW (WEB). HTTPS (HyperText Transfer

Leia mais

Administração pela Web Para MDaemon 6.0

Administração pela Web Para MDaemon 6.0 Administração pela Web Para MDaemon 6.0 Alt-N Technologies, Ltd 1179 Corporate Drive West, #103 Arlington, TX 76006 Tel: (817) 652-0204 2002 Alt-N Technologies. Todos os Direitos Reservados. Os nomes de

Leia mais

MANUAL DE SERVIÇOS GUIA DE RECUPERAÇÃO DO SISTEMA OPERACIONAL LINUX

MANUAL DE SERVIÇOS GUIA DE RECUPERAÇÃO DO SISTEMA OPERACIONAL LINUX MANUAL DE SERVIÇOS GUIA DE RECUPERAÇÃO DO SISTEMA OPERACIONAL LINUX MANUAL DE SERVIÇO NOTEBOOK CONSIDERAÇÕES PRECAUÇÕES DE SERVIÇO E INSPEÇÃO UTILIZE SOMENTE PEÇAS DESIGNADAS O conjunto de componentes

Leia mais

Parceiro Oficial de Treinamentos Proxmox no Brasil

Parceiro Oficial de Treinamentos Proxmox no Brasil Apresentação Parceiro Oficial de Treinamentos Proxmox no Brasil A VANTAGE Educacional é uma referência no Brasil em Treinamento e Capacitação das principais soluções corporativas Open Source. Nosso Centro

Leia mais

Firewall. Tutorial Firewall em Linux Acadêmicos: Felipe Zottis e Cleber Pivetta

Firewall. Tutorial Firewall em Linux Acadêmicos: Felipe Zottis e Cleber Pivetta Tutorial Firewall em Linux Acadêmicos: Felipe Zottis e Cleber Pivetta Firewall Firewall é um quesito de segurança com cada vez mais importância no mundo da computação. À medida que o uso de informações

Leia mais

Relatório de Progresso

Relatório de Progresso Luís Filipe Félix Martins Relatório de Progresso Mestrado Integrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores Preparação para a Dissertação Índice Introdução... 2 Motivação... 2 Cloud Computing (Computação

Leia mais

FACSENAC. SISGEP SISTEMA GERENCIADOR PEDAGÓGICO DRP (Documento de Requisitos do Projeto de Rede)

FACSENAC. SISGEP SISTEMA GERENCIADOR PEDAGÓGICO DRP (Documento de Requisitos do Projeto de Rede) FACSENAC SISTEMA GERENCIADOR PEDAGÓGICO Versão: 1.2 Data: 25/11/2011 Identificador do documento: Documento de Visão V. 1.7 Histórico de revisões Versão Data Descrição Autor 1.0 03/10/2011 Primeira Edição

Leia mais

DAS6607 - Inteligência Artificial Aplicada à Controle de Processos e Automação Industrial

DAS6607 - Inteligência Artificial Aplicada à Controle de Processos e Automação Industrial DAS6607 - Inteligência Artificial Aplicada à Controle de Processos e Automação Industrial Aluno: André Faria Ruaro Professores: Jomi F. Hubner e Ricardo J. Rabelo 29/11/2013 1. Introdução e Motivação 2.

Leia mais

Gerenciamento das chaves criptográficas no Cloud Privacy Guard

Gerenciamento das chaves criptográficas no Cloud Privacy Guard Gerenciamento das chaves criptográficas no Cloud Privacy Guard Vitor Hugo Galhardo Moia Marco Aurélio Amaral Henriques {vhgmoia, marco}@dca.fee.unicamp.br Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP Faculdade

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais UNIVERSIDADE BANDEIRANTE DE SÃO PAULO INSTITUTO POLITÉCNICO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Sistemas Operacionais Notas de Aulas: Tópico 33 e 34 Virtualização São Paulo 2009 Virtualização Ao falar em virtualização,

Leia mais

Manual de Configuração de Ambiente para Utilização do Login via Certificado Digital no Cadastro Web

Manual de Configuração de Ambiente para Utilização do Login via Certificado Digital no Cadastro Web Manual de Configuração de Ambiente para Utilização do Login via Certificado Digital no Cadastro Web AÇÕES IMPORTANTES Ao tentar acessar o Cadastro Web por meio da certificação digital, é fundamental realizar

Leia mais

Sistemas Operacionais. Curso Técnico Integrado Profa: Michelle Nery

Sistemas Operacionais. Curso Técnico Integrado Profa: Michelle Nery Sistemas Operacionais Curso Técnico Integrado Profa: Michelle Nery Conteúdo Programático CONTAS DE E GRUPOS DE O Microsoft Management Console - MMC Permissões de Segurança de um Console Contas de Usuários

Leia mais

Documento de Análise e Projeto VideoSystem

Documento de Análise e Projeto VideoSystem Documento de Análise e Projeto VideoSystem Versão Data Versão Descrição Autor 20/10/2009 1.0 21/10/2009 1.0 05/11/2009 1.1 Definição inicial do documento de análise e projeto Revisão do documento

Leia mais

Manual de configuração de Clientes

Manual de configuração de Clientes Manual de configuração de Clientes INSTITUTO FEDERAL GOIÁS DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E D U R O A M O QUE É EDUROAM? O eduroam (education roaming) é um serviço de acesso sem fio seguro, desenvolvido

Leia mais

Desenvolvimento de um software de gerenciamento de projetos para utilização na Web

Desenvolvimento de um software de gerenciamento de projetos para utilização na Web Resumo. Desenvolvimento de um software de gerenciamento de projetos para utilização na Web Autor: Danilo Humberto Dias Santos Orientador: Walteno Martins Parreira Júnior Bacharelado em Engenharia da Computação

Leia mais

BlackBerry Mobile Voice System

BlackBerry Mobile Voice System BlackBerry Mobile Voice System BlackBerry Mobile Voice System Comunicações móveis unificadas O Mobile Voice System ( MVS) foi projetado para unificar os recursos do telefone fixo aos smartphones e às redes

Leia mais

GABARITO - B. manuel@carioca.br

GABARITO - B. manuel@carioca.br NOÇÕES DE INFORMÁTICA EDITORA FERREIRA PROVA MPRJ -TÉCNICO ADMINISTRATIVO - TADM NCE-UFRJ CORREÇÃO - GABARITO COMENTADO Considere que as questões a seguir referem-se a computadores com uma instalação padrão

Leia mais

PAINEL MANDIC CLOUD. Mandic. Somos Especialistas em Cloud. Manual do Usuário

PAINEL MANDIC CLOUD. Mandic. Somos Especialistas em Cloud. Manual do Usuário Mandic. Somos Especialistas em Cloud. PAINEL MANDIC CLOUD Manual do Usuário 1 BEM-VINDO AO SEU PAINEL DE CONTROLE ESTE MANUAL É DESTINADO AO USO DOS CLIENTES DA MANDIC CLOUD SOLUTIONS COM A CONTRATAÇÃO

Leia mais

O que é Grid Computing

O que é Grid Computing Grid Computing Agenda O que é Grid Computing Grid vs Cluster Benefícios Tipos de Grid Aplicações Ferramentas e padrões Exemplos no mundo Exemplos no Brasil Grid no mundo dos negócios Futuro O que é Grid

Leia mais

LICENCIAMENTO V14 USANDO REPRISE LICENSE MANAGER

LICENCIAMENTO V14 USANDO REPRISE LICENSE MANAGER LICENCIAMENTO V14 USANDO REPRISE LICENSE MANAGER V14 de BricsCAD vem com um novo sistema de licenciamento, com base na tecnologia de licenciamento de Reprise Software. Este novo sistema oferece um ambiente

Leia mais

possível até impedir o funcionamento do Windows. Faz-scuidado redobrado ao ativar determinados recursos.

possível até impedir o funcionamento do Windows. Faz-scuidado redobrado ao ativar determinados recursos. AULA 4: DIRETIVAS DE GRUPO Objetivo: Conhecer e aplicar conceitos sobre restrições de acesso ao sistema operacional Windows através de diretivas de grupo. Diretivas de Grupo: Computadores com mais de um

Leia mais