PROVA DE AFERIÇÃO (RNE) Teórica

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROVA DE AFERIÇÃO (RNE) Teórica"

Transcrição

1 ORDEM DOS ADVOGADOS CNA Comissão Nacional de Avaliação PROVA DE AFERIÇÃO (RNE) Teórica Prática Processual Penal e Direito Constitucional e Direitos Humanos (8 Valores) 22 de Julho de 2011

2 Responda a todas as questões abaixo indicadas, referindo as disposições legais aplicáveis e fundamentando sempre as suas respostas. 1. Explique o regime de acesso aos autos por parte do Arguido ou seu Defensor durante o inquérito. (1V) 2. Indique as formas que o processo penal pode adoptar, explicitando os casos a que cada uma é aplicável. (2V) 3. Quais são os meios previstos no Código de Processo Penal adequados a impugnar uma decisão que aplique uma medida de coação? (3V) 4. Elabore uma sucinta exposição sobre os princípios comuns aos Direitos Fundamentais, referindo-se, designadamente ao significado de cada um e à distinção entre ambos. (2V)

3 ORDEM DOS ADVOGADOS CNA Comissão Nacional de Avaliação PROVA DE AFERIÇÃO (RNE) Prática Prática Processual Penal e Direito Constitucional e Direitos Humanos (12 Valores) 22 de Julho de 2011

4 Grupo I André, de 22 anos e Zacarias, de 24, são irmãos muito competitivos. Em Novembro de 2010, após uma discussão sobre quem seria o melhor jogador de videojogos, André apoderou-se da consola de jogos de Zacarias e levou-a para sua casa. Este, furioso pelo facto de ter ficado sem a sua consola preferida, acedeu ao portal do sistema de queixa electrónica e aí apresentou a sua intenção de proceder criminalmente contra o irmão pelo crime de furto, p. e p. no art. 203º nº 1 do Código Penal. Decorridas algumas semanas, Zacarias recebeu uma notificação, por via postal registada enviada a 15/12/2010, da 4º secção do DIAP do Porto, pela qual era interpelado para, em 10 dias, constituir-se assistente no processo /10.1PPPRT, sob pena de arquivamento dos autos. Zacarias, interessado no prosseguimento do processo, resolveu constituí-lo seu Advogado. Considerando a presente factualidade, responda às seguintes questões: 1. Como explicaria a Zacarias a necessidade de se constituir assistente, conforme consta da notificação do Ministério Público? (1,5V) 2. Cumprindo a notificação, elabore a respectiva peça processual. (2,5V) 3. Diga até quando podia apresentar o requerimento que elaborou? (1,5V) 4. Assumindo que o processo prosseguiu os seus termos e que foi entretanto notificado para efeitos do artigo 285º do Código de Processo Penal, elabore, ainda que de forma sintética, a correspondente peça processual. (3 V) Grupo II O Presidente da Câmara Municipal de Botas de Lábaixo, atentos os frequentes confrontos que se vinham a verificar entre indivíduos de etnia cigana, fez 2

5 aprovar um regulamento pelo qual proíbe circulação, exercício de actividade profissional e residência no território respectivo concelho a todos os indivíduos de etnia cigana. Pronuncie-se fundamentadamente acerca da conformidade deste regulamento com os direitos constitucionalmente garantidos e acerca da força jurídica destes direitos. (3,5V) 3

6 ORDEM DOS ADVOGADOS CNA Comissão Nacional de Avaliação PROVA DE AFERIÇÃO (RNE) Prática GRELHA DE CORRECÇÃO Prática Processual Penal e Direito Constitucional e Direitos Humanos (12 Valores) 22 de Julho de 2011

7 Grupo I André, de 22 anos e Zacarias, de 24, são irmãos muito competitivos. Em Novembro de 2010, após uma discussão sobre quem seria o melhor jogador de videojogos, André apoderou se da consola de jogos de Zacarias e levou a para sua casa. Este, furioso pelo facto de ter ficado sem a sua consola preferida, acedeu ao portal do sistema de queixa electrónica e aí apresentou a sua intenção de proceder criminalmente contra o irmão pelo crime de furto, p. e p. no art. 203º nº 1 do Código Penal. Decorridas algumas semanas, Zacarias recebeu uma notificação, por via postal registada enviada a 15/12/2010, da 4º secção do DIAP do Porto, pela qual era interpelado para, em 10 dias, constituir se assistente no processo /10.1PPPRT, sob pena de arquivamento dos autos. Zacarias, interessado no prosseguimento do processo, resolveu constituí lo seu Advogado. Considerando a presente factualidade, responda às seguintes questões: 1. Como explicaria a Zacarias a necessidade de se constituir assistente, conforme consta da notificação do Ministério Público. (1,5 valor) Art. 203º e 207º al a) do CP: Crime de natureza particular Art. 50º CPP: exigência de queixa, constituição de assistente e acusação particular 2. Cumprindo a notificação, elabore a respetiva peça processual. (2,5 valores) Cabeçalho: Juiz de instrução, Tribunal de Instrução Criminal do Porto nº de processo e secção do DIAP Intróito: Identificação do ofendido Corpo: Pedido para ser admitido a intervir como assistente com as seguintes referências: legitimidade tempestividade existência de mandatário judicial constituído pagamento da respectiva taxa de justiça Indicação das disposições legais: artigos 68º n.º 1 al. b) e nº 2, 70º nº 1 e 519º nº 1 todos do Código de Processo Penal e artigo 8º nº 1 do Regulamento de Custas Processuais. Juntada: Procuração forense Comprovativo do pagamento da taxa de justiça Duplicados legais Assinatura do Advogado

8 3. Diga até quando podia apresentar o requerimento que elaborou? (1,5 valores) Até 12/01/2011; com multa nos dias 13/14/17 de Janeiro ou depois com justo impedimento. Artigos: 104º 1 e 2, 107º nº 5, 107º A CPP, 113º nº 2 e 144º nº 1 e 2, 145º 4 a 7 e 146º do CPC 4. Assumindo que o processo prosseguiu os seus termos e que foi entretanto notificado para efeitos do artigo 285º do Código de Processo Penal, elabore, ainda que de forma sintética, a correspondente peça processual. (3 valores) Cabeçalho: Juiz de julgamento, Tribunal Criminal do Porto nº de processo e secção do DIAP Intróito: Identificação do assistente e identificação da peça: acusação particular Corpo: Descrição sucinta dos factos: quando, onde, o quê, quem, como intenção de subtrair actuação dolosa, consciente, sabendo que conduta era proibida por lei indicação do crime e autoria: 203º nº 1 CP Pedido: Julgada em processo comum com intervenção de Tribunal Singular Condenado como autor do crime de furto: 203º Prova: declarações do assistente eventual indicação de testemunha Juntada: Duplicados legais Assinatura do Advogado Grupo II O Presidente da Câmara Municipal de Botas de Lábaixo, atentos os frequentes confrontos que se vinham a verificar entre indivíduos de etnia cigana, fez aprovar um regulamento pelo qual proíbe circulação, exercício de actividade profissional e residência no território respectivo concelho a todos os indivíduos de etnia cigana. Pronuncie se fundamentadamente acerca da conformidade deste regulamento com os direitos constitucionalmente garantidos e acerca da força jurídica destes direitos. (3,5valores)

9 Deverá ser valorada a estrutura (introdução, desenvolvimento e conclusão) e lógica argumentativa da resposta bem como a clareza do texto. Nomeadamente: a) Descrição própria dos termos do regulamento municipal (0,1v) b) Exposição relativa à violação dos art.º 44º nº 1 do CRP (0,4v) c) Exposição relativa ao princípio da universalidade do artigo 12º nº 1 CRP (0,7v) d) Exposição relativa ao principio da igualdade do art.º 13 do CRP (0,7v) e) Exposição relativa à força jurídica derivada do artigo 18º do CRP (1v) f) Conclusão pela inconstitucionalidade e invalidade do regulamento, por violação de direitos fundamentais dos indivíduos de etnia cigana (0,4v) g) Referência justificada ao artigo 204º do CRP (0,2v)

10 ORDEM DOS ADVOGADOS CNA Comissão Nacional de Avaliação PROVA DE AFERIÇÃO (RNE) Teórica GRELHA DE CORRECÇÃO Prática Processual Penal e Direito Constitucional e Direitos Humanos (8 Valores) 22 de Julho de 2011

11 Responda a todas as questões abaixo indicadas, referindo as disposições legais aplicáveis e fundamentando sempre as suas respostas. Em todos os casos, deverá ser valorada a estrutura (introdução, desenvolvimento e conclusão) e lógica argumentativa da resposta bem como a clareza do texto. 1. Explique o regime de acesso aos autos por parte do Arguido ou seu Defensor durante o inquérito. (1 valor) Deverão ser consideradas pelo menos as seguintes disposições legais: Art. 86º nº 1: regra geral da publicidade do processo Art. 89º: a publicidade implica, além do mais, a possibilidade de consulta do auto e obtenção de cópias, extractos e certidões. Art. 89º nº 1 (1ª parte): prévio requerimento Art. 89º nº 1 (2ª parte): exceto se o processo estiver em segredo de justiça Art. 89º nº 4: pode ser requerido o exame do processo no escritório do Defensor 89º nº 6, após o decurso dos prazos máximos do 276º consulta livre do processo 2. Indique as formas que o processo penal pode adotar, explicitando os casos a que cada uma é aplicável. (2 valores) Art. 381º: Processo Sumário 1. Arguido detido em flagrante delito (255º e 256º) 2. Crime punível com pena de prisão 5 anos 1. ou quando o Ministério Público entender que não deve ser aplicada pena de prisão superior a 5 anos 3. E a detenção tiver procedido qualquer autoridade judiciária ou entidade policial ou tiver sido efectuada por outra pessoa e, num prazo que não exceda duas horas, o detido tenha sido entregue a uma das entidades referidas na alínea anterior, tendo esta redigido auto sumário da entrega Art. 391º A: Processo Abreviado 1. Crime punível com pena de multa ou com pena de prisão 5 anos 1. ou quando o Ministério Público entender que não deve ser aplicada pena de prisão superior a 5 anos 2. Provas simples e evidentes nº 3 do 391º A Art. 392º: Processo Sumaríssimo 1. Crime punível com pena de prisão 5 anos ou só com pena de multa 2. a requerimento do arguido ou depois de ouvido 3. Aplicável em concreto pena ou medida de segurança não privativas da liberdade 4. Em crime particular, com concordância do assistente

12 Art. 241º e seg.: Processo comum aplicável aos restantes casos. Art. 390º e 398º: casos de reenvio para outra forma de processo 3. Quais são os meios previstos no Código de Processo Penal adequados a impugnar uma decisão que aplique uma medida de coação? (3 valores) 1. Invocação de nulidade: art. 194º nº 2 e (breve) referência ao regime geral dos art. 118º a 123º 2. Recurso: art. 219º e referência regime do 406º a 408º 3. Habeas Corpus: 31º CRP e 222º 4. Elabore uma sucinta exposição sobre os princípios comuns aos Direitos Fundamentais, referindo se, designadamente ao significado de cada um e à distinção entre ambos. (2 valores) a) Princípio da universalidade: art. 12º CRP com as extensões dos art. 14º e 15º e limitação do 12º nº 2. b) Princípio da igualdade: art. 13º; sentido positivo e sentido negativo c) Embora inseparáveis, apontam se como principais diferenciações: Inserção sistemática (remissão para a indicação dos artigos respetivos); Principio da universalidade relativo aos destinatários dos direitos e Principio da igualdade relativo ao conteúdo dos direitos fundamentais; Principio da universalidade basicamente quantitativo e Principio da igualdade mais qualitativo.

ORDEM DOS ADVOGADOS CNA Comissão Nacional de Avaliação

ORDEM DOS ADVOGADOS CNA Comissão Nacional de Avaliação ORDEM DOS ADVOGADOS CNA Comissão Nacional de Avaliação PROVADEAFERIÇÃO (RNE) Prática GRELHADECORRECÇÃO PráticaProcessualPenaleDireitoConstitucionale DireitosHumanos (12Valores) 22deJulhode2011 Grupo&I

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 685/XII/4.ª

PROJECTO DE LEI N.º 685/XII/4.ª PROJECTO DE LEI N.º 685/XII/4.ª Altera o Código de Processo Penal, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 78/87, de 17 de Fevereiro, eliminando a possibilidade de julgamentos em processo sumário para crimes puníveis

Leia mais

CNEF FASE DE FORMAÇÃO INICIAL SUMÁRIOS DE PRÁTICA PROCESSUAL PENAL. Proposta de programa a desenvolver em sumários:

CNEF FASE DE FORMAÇÃO INICIAL SUMÁRIOS DE PRÁTICA PROCESSUAL PENAL. Proposta de programa a desenvolver em sumários: CNEF FASE DE FORMAÇÃO INICIAL SUMÁRIOS DE PRÁTICA PROCESSUAL PENAL Proposta de programa a desenvolver em sumários: I Do inicio do processo o crime e sua natureza. - Crimes públicos, semi-públicos e particulares;

Leia mais

Exame de Prática Processual Penal 23 de Janeiro de 2009

Exame de Prática Processual Penal 23 de Janeiro de 2009 No dia 6 de Maio de 2008, António, alegando urgente necessidade de auxiliar um seu irmão a fazer face a inesperadas despesas de saúde, convenceu Maria, com quem vivia em situação análoga à dos cônjuges,

Leia mais

GRELHAS DE CORRECÇÃO

GRELHAS DE CORRECÇÃO ORDEM DOS ADVOGADOS CNEF / CNA Comissão Nacional de Estágio e Formação / Comissão Nacional de Avaliação PROVA ESCRITA NACIONAL DO EXAME FINAL DE AVALIAÇÃO E AGREGAÇÃO RNE / RGF GRELHAS DE CORRECÇÃO Questões

Leia mais

Código de Processo Penal Disposições relevantes em matéria de Comunicação Social

Código de Processo Penal Disposições relevantes em matéria de Comunicação Social Código de Processo Penal Disposições relevantes em matéria de Comunicação Social Artigo 86. o Publicidade do processo e segredo de justiça 1. O processo penal é, sob pena de nulidade, público a partir

Leia mais

PROVA ESCRITA NACIONAL DO EXAME FINAL DE AVALIAÇÃO E AGREGAÇÃO

PROVA ESCRITA NACIONAL DO EXAME FINAL DE AVALIAÇÃO E AGREGAÇÃO ORDEM DOS ADVOGADOS CNEF / CNA Comissão Nacional de Estágio e Formação / Comissão Nacional de Avaliação PROVA ESCRITA NACIONAL DO EXAME FINAL DE AVALIAÇÃO E AGREGAÇÃO Questões de Prática Processual Penal

Leia mais

PROVA DE AFERIÇÃO (RNE) MANHÃ. Prática Processual Penal (12 Valores) GRELHA DE CORREÇÃO

PROVA DE AFERIÇÃO (RNE) MANHÃ. Prática Processual Penal (12 Valores) GRELHA DE CORREÇÃO Comissão Nacional de Avaliação PROVA DE AFERIÇÃO (RNE) MANHÃ Prática Processual Penal (12 Valores) GRELHA DE CORREÇÃO 4 de Dezembro de 2015 Grupo I - 7,5 Valores Corre contra Aníbal e Bernardo inquérito

Leia mais

PROGRAMA. 4. O conceito de crime e o processo penal: pressupostos materiais e processuais da responsabilidade penal.

PROGRAMA. 4. O conceito de crime e o processo penal: pressupostos materiais e processuais da responsabilidade penal. DIREITO PROCESSUAL PENAL PROGRAMA I INTRODUÇÃO AO DIREITO PROCESSUAL PENAL 1. O funcionamento real do sistema penal: os dados da PGR (2010), do Relatório Anual de Segurança Interna (2011) e o tratamento

Leia mais

PROVA DE AFERIÇÃO (RNE) Questões de Deontologia Profissional e Informática Jurídica. Teórica

PROVA DE AFERIÇÃO (RNE) Questões de Deontologia Profissional e Informática Jurídica. Teórica ORDEM DOS ADVOGADOS CNA Comissão Nacional de Avaliação 2 de Maio de 2012 PROVA DE AFERIÇÃO (RNE) Questões de Deontologia Profissional e Informática Jurídica Teórica (10 valores) Responda fundamentadamente

Leia mais

Direito Processual Penal

Direito Processual Penal Direito Processual Penal Citação e Intimação Professor Joerberth Nunes www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Processual Penal CITAÇÃO E INTIMAÇÃO TÍTULO X Das Citações e Intimações CAPÍTULO I DAS CITAÇÕES

Leia mais

Altera o Código de Processo Penal visando a defesa da investigação e a. eficácia do combate ao crime

Altera o Código de Processo Penal visando a defesa da investigação e a. eficácia do combate ao crime Projecto de Lei n.º 38/XI-1ª Altera o Código de Processo Penal visando a defesa da investigação e a eficácia do combate ao crime Preâmbulo As alterações introduzidas no Código de Processo Penal na X Legislatura,

Leia mais

LFG MAPS. INQUÉRITO POLICIAL 08 questões. qualquer diligência, que será realizada, ou não, a juízo da autoridade.

LFG MAPS. INQUÉRITO POLICIAL 08 questões. qualquer diligência, que será realizada, ou não, a juízo da autoridade. NOÇÕES DE DIREITO PENAL Nível de importância Tema QTDE de Questões Porcentagem (%) 1 Inquérito Policial 8 32% 2 Prisões 7 28% 3 Provas 6 24% 4 Ação Penal 2 8% 5 Habeas Corpus 2 8% TOTAL 25 100% INQUÉRITO

Leia mais

INTERVENÇÕES EM PROCESSOS JUDICIAIS E OUTROS PROCEDIMENTOS para efeitos de cumprimento do disposto nos números 1, 2 e 5 do artigo 22º

INTERVENÇÕES EM PROCESSOS JUDICIAIS E OUTROS PROCEDIMENTOS para efeitos de cumprimento do disposto nos números 1, 2 e 5 do artigo 22º INTERVENÇÕES EM PROCESSOS JUDICIAIS E OUTROS PROCEDIMENTOS para efeitos de cumprimento do disposto nos números 1, 2 e 5 do artigo 22º do REGULAMENTO NACIONAL DE ESTÁGIO (Regulamento nº 913 A/2015) A segunda

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL PENAL

DIREITO PROCESSUAL PENAL ANO LETIVO 2015/2016 4.º ANO 1.º Semestre / Turma de Noite DIREITO PROCESSUAL PENAL Regente: Prof. Doutor Paulo de Sousa Mendes Colaboradores: Professor Doutor Rui Soares Pereira e Mestra Catarina Abegão

Leia mais

PROGRAMA PROCESSO PENAL (V Curso formação Juízes, Procuradores e Defensores /2014)

PROGRAMA PROCESSO PENAL (V Curso formação Juízes, Procuradores e Defensores /2014) PROGRAMA PROCESSO PENAL (V Curso formação Juízes, Procuradores e Defensores - 2013/2014) 1. Aulas: I- METODOLOGIA As sessões de trabalho vão decorrer: a) Leitura, seguida de esclarecimentos e discussão

Leia mais

Sindicato da Carreira de Investigação e Fiscalização Serviço de Estrangeiros e Fronteiras

Sindicato da Carreira de Investigação e Fiscalização Serviço de Estrangeiros e Fronteiras Regulamento de Assistência Jurídica Capítulo I Disposições gerais e preliminares Artigo 1.º 1. O presente Regulamento visa regular o direito à assistência jurídica dos Associados do SCIF. 2. O SCIF garante,

Leia mais

Tribunal de Contas. Acórdão 4/2008 (vd. Acórdão 2/06 3ª S de 30 de Janeiro) Sumário

Tribunal de Contas. Acórdão 4/2008 (vd. Acórdão 2/06 3ª S de 30 de Janeiro) Sumário Acórdão 4/2008 (vd. Acórdão 2/06 3ª S de 30 de Janeiro) Sumário 1. São duas as questões suscitadas pelo Demandado: - uma que respeita a competência do relator para a decisão tomada e a eventual nulidade

Leia mais

TJ - SP Exercício Processo Penal Exercício I Emerson Castelo Branco Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor.

TJ - SP Exercício Processo Penal Exercício I Emerson Castelo Branco Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. TJ - SP Exercício Processo Penal Exercício I Emerson Castelo Branco 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. 1-Normatiza o art. 274 do Código de Processo Penal: as

Leia mais

REGULAMENTO DO REGISTO DAS SOCIEDADE CIVIS DE SOLICITADORES

REGULAMENTO DO REGISTO DAS SOCIEDADE CIVIS DE SOLICITADORES REGULAMENTO DO REGISTO DAS SOCIEDADE CIVIS DE SOLICITADORES O Estatuto da Câmara dos Solicitadores, aprovado pelo Decreto-Lei 88/2003, de 26 de Abril, no seu artigo 102º, prevê que os solicitadores podem

Leia mais

Autoritarismo do Código de Processo Penal de 1941 vs. Constituição Federal de Processo Penal...8. Sistema Acusatório...

Autoritarismo do Código de Processo Penal de 1941 vs. Constituição Federal de Processo Penal...8. Sistema Acusatório... Sumário Autoritarismo do Código de Processo Penal de 1941 vs. Constituição Federal de 1988...2 Contexto Político e Histórico... 2 Características da Constituição de 1937... 4 Código de Processo Penal de

Leia mais

Sumário. Capítulo 1 Introdução Capítulo 2 Processo Penal Capítulo 3 Ação Penal... 5

Sumário. Capítulo 1 Introdução Capítulo 2 Processo Penal Capítulo 3 Ação Penal... 5 Sumário Capítulo 1 Introdução... 1 Capítulo 2 Processo Penal... 3 Capítulo 3 Ação Penal... 5 3.1. Considerações Gerais...5 3.1.1. Ação penal pública incondicionada...5 3.1.2. Ação penal pública condicionada

Leia mais

FAQ s de Contra-ordenações

FAQ s de Contra-ordenações FAQ s de Contra-ordenações O que é uma contra-ordenação? Constitui contra-ordenação todo o facto ilícito, típico, culposo, punível com coima. Para se estar perante uma contra-ordenação é necessário que

Leia mais

Relatório e Saneamento (0,5 valores) ou (4,0 valores no caso de o candidato ter optado pela solução 1 cf. C infra)

Relatório e Saneamento (0,5 valores) ou (4,0 valores no caso de o candidato ter optado pela solução 1 cf. C infra) PROVA PROFISSIONAL 1ª CHAMADA PROPOSTA DE SOLUÇÃO 1 (20 Valores) Relatório e Saneamento (0,5 valores) ou (4,0 valores no caso de o candidato ter optado pela solução 1 cf. C infra) A - Referência ao requerimento

Leia mais

4. AÇÃO CIVIL EX DELICTO 4.1 Questões

4. AÇÃO CIVIL EX DELICTO 4.1 Questões SUMÁRIO 1. APLICAÇÃO DO DIREITO PROCESSUAL PENAL 1.1 A lei processual no espaço 1.2 A lei processual no tempo (irretroatividade) 1.3 A lei processual em relação às pessoas 1.3.1 Imunidades 1.3.2 Imunidade

Leia mais

CENTRO DE ESTUDOS JUDICIÁRIOS PROVA ESCRITA DE DIREITO PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL

CENTRO DE ESTUDOS JUDICIÁRIOS PROVA ESCRITA DE DIREITO PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL CENTRO DE ESTUDOS JUDICIÁRIOS PROVA ESCRITA DE DIREITO PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL PROVA VIA ACADÉMICA 1ª CHAMADA CRITÉRIOS DE CORRECÇÃO Nota- A cotação máxima exige um tratamento completo das várias

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL PENAL IV

DIREITO PROCESSUAL PENAL IV AULA DIA 18/05 Docente: TIAGO CLEMENTE SOUZA E-mail: tiago_csouza@hotmail.com DIREITO PROCESSUAL PENAL IV 2.3 PROCEDIMENTO DA LEI DE DROGAS (Lei 11.343/06) - Procedimento Previsto nos artigos 54 a 59 da

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITO PROCESSUAL PENAL Ano Lectivo 2011/2012

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITO PROCESSUAL PENAL Ano Lectivo 2011/2012 Programa da Unidade Curricular DIREITO PROCESSUAL PENAL Ano Lectivo 2011/2012 1. Unidade Orgânica Direito (1º Ciclo) 2. Curso Direito 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular DIREITO PROCESSUAL PENAL

Leia mais

Regulamento das Cus stas Processuais A Conta de Custas no Regulamento das Custas Processuais

Regulamento das Cus stas Processuais A Conta de Custas no Regulamento das Custas Processuais A Conta de Custas no Regulamento das Custas Processuais 1 Conceito de taxa de justiça no C.C.J. A taxa de justiça do processo corresponde ao somatório das taxas de justiça inicial e subsequente de cada

Leia mais

Cód. Disciplina Período Créditos Carga Horária D- 7º 4 30 h/a Nome da Disciplina / Curso

Cód. Disciplina Período Créditos Carga Horária D- 7º 4 30 h/a Nome da Disciplina / Curso Cód. Disciplina Período Créditos Carga Horária D- 7º 4 30 h/a Turma Nome da Disciplina / Curso DIREITO LABORATÓRIO DE PRÁTICA JURÍDICA II PROCESSUAL PENAL D XX DIREITO PROCESSUAL PENAL Portaria Auto de

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITO PROCESSUAL PENAL Ano Lectivo 2015/2016

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITO PROCESSUAL PENAL Ano Lectivo 2015/2016 Programa da Unidade Curricular DIREITO PROCESSUAL PENAL Ano Lectivo 2015/2016 1. Unidade Orgânica Direito (1º Ciclo) 2. Curso Direito 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular DIREITO PROCESSUAL PENAL

Leia mais

Lei n.º 20/2013, de 21 de Fevereiro. 20.ª alteração ao Código de Processo Penal, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 78/87, de 17 de fevereiro

Lei n.º 20/2013, de 21 de Fevereiro. 20.ª alteração ao Código de Processo Penal, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 78/87, de 17 de fevereiro Lei n.º 20/2013, de 21 de Fevereiro Contém as seguintes alterações: - Retificação n.º 16/2013, de 22 de Março - Retificação n.º 21/2013, de 19 de Abril Lei n.º 20/2013, de 21 de fevereiro 20.ª alteração

Leia mais

Procedimento especial: crimes contra a propriedade imaterial

Procedimento especial: crimes contra a propriedade imaterial Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo Procedimento especial: crimes contra a propriedade imaterial Gustavo Badaró aula de 15 de setembro de 2015 PLANO DA AULA 1. Noções gerais 2. Procedimento

Leia mais

Colaboração. Coordenação e Regência DIREITO PROCESSUAL PENAL 4.º ANO NOITE. Professor Doutor Paulo de Sousa Mendes

Colaboração. Coordenação e Regência DIREITO PROCESSUAL PENAL 4.º ANO NOITE. Professor Doutor Paulo de Sousa Mendes DIREITO PROCESSUAL PENAL 4.º ANO NOITE Coordenação e Regência Professor Doutor Paulo de Sousa Mendes Colaboração Mestres Inês Ferreira Leite e Rui Soares Pereira Exame escrito de recurso 13 de fevereiro

Leia mais

Despacho: Exm.º Sr. Presidente da Câmara Municipal de Sintra

Despacho: Exm.º Sr. Presidente da Câmara Municipal de Sintra IMP.PS.01.431.02 IMP.PS.01.431.03 COMUNICAÇÃO DE ABERTURA AO PÚBLICO DE EMPREENDIMENTOS TURÍSTICOS EM CASO DE AUSÊNCIA DE AUTORIZAÇÃO PARA FINS TURÍSTICOS (ao abrigo do artigo 31º do Decreto-lei nº 39/2008,

Leia mais

EXTRADIÇÃO HIPÓTESE CORRIDA.

EXTRADIÇÃO HIPÓTESE CORRIDA. EXTRADIÇÃO Caso prático de aplicação da Convenção de Extradição entre os Estados Membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP); Praia, 23.11.2005. De acordo com o Aviso n.º 183/2011, de

Leia mais

Aprovado por Deliberação n.º /2010 ANTEPROJECTO DE LEI SOBRE OS ACTOS PRÓPRIOS DOS ADVOGADOS E SOLICITADORES ASSEMBLEIA NACIONAL. Lei n.

Aprovado por Deliberação n.º /2010 ANTEPROJECTO DE LEI SOBRE OS ACTOS PRÓPRIOS DOS ADVOGADOS E SOLICITADORES ASSEMBLEIA NACIONAL. Lei n. Aprovado por Deliberação n.º /2010 ANTEPROJECTO DE LEI SOBRE OS ACTOS PRÓPRIOS DOS ADVOGADOS E SOLICITADORES ASSEMBLEIA NACIONAL Lei n.º /2010, de de Na sequência da aprovação e entrada em vigor da Lei

Leia mais

Texto Informativo CONFLITOS DE COMPETÊNCIA Fase de Inquérito

Texto Informativo CONFLITOS DE COMPETÊNCIA Fase de Inquérito CONFLITOS DE COMPETÊNCIA Autor: Alexandre Silva 1 CONFLITOS DE COMPETÊNCIA ÍNDICE Nota Introdutória 3 Competência Material e Funcional 4 Competência Territoral 5 Competência por Conexão 5 Conflitos de

Leia mais

CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL LEI 41/2013, DE 26/6

CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL LEI 41/2013, DE 26/6 CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL LEI 41/2013, DE 26/6 * Lei n.º 62/2013, de 26 de Agosto (Lei da Organização do Sistema Judiciário) * Declaração de Retificação nº 36/2013, de 12 de Agosto * Portaria nº 280/2013,

Leia mais

Prof. Luis Fernando Alves

Prof. Luis Fernando Alves 1 Prof. Luis Fernando Alves www.professorluisfernando.jur.adv.br 2 PARTE I - TEORIA 1º PASSO - COMPREENDENDO O PROBLEMA 1. DICAS INICIAIS 3 Compreensão do problema: é a partir dos dados nele contidos que

Leia mais

Contraordenações Rodoviárias Advogados

Contraordenações Rodoviárias Advogados Francisco Marques Vieira Santa Maria da Feira 18 de setembro de 2015 Contraordenações Rodoviárias Advogados Defesa do Arguido Impugnação Judicial Recurso 2 Dinâmica do Processo Fiscalização Auto de notícia

Leia mais

- PORTARIA N.º 225/2013, de 10 de julho: alteração à Portaria n.º 331- B/2009, de 30 de março

- PORTARIA N.º 225/2013, de 10 de julho: alteração à Portaria n.º 331- B/2009, de 30 de março DIPLOMAS - LEI N.º 41/2013, de 26 de junho: aprova o CPC - PORTARIA N.º 225/2013, de 10 de julho: alteração à Portaria n.º 331- B/2009, de 30 de março - DECLARAÇÃO DE RETIFICAÇÃO N.º 36/2013, de 12 de

Leia mais

SECÇÃO III - Prestação de trabalho a favor da comunidade e admoestação

SECÇÃO III - Prestação de trabalho a favor da comunidade e admoestação Código Penal Ficha Técnica Código Penal LIVRO I - Parte geral TÍTULO I - Da lei criminal CAPÍTULO ÚNICO - Princípios gerais TÍTULO II - Do facto CAPÍTULO I - Pressupostos da punição CAPÍTULO II - Formas

Leia mais

PROJETO DE REGULAMENTO MUNICIPAL DE INCENTIVO Á NATALIDADE

PROJETO DE REGULAMENTO MUNICIPAL DE INCENTIVO Á NATALIDADE PROJETO DE REGULAMENTO MUNICIPAL DE INCENTIVO Á NATALIDADE Preâmbulo Considerando: - A crescente intervenção dos Municípios, no âmbito das políticas de ação social, com vista, por um lado, à progressiva

Leia mais

ACÓRDÃO N.º 20/2016- PL-3.ª SECÇÃO 4ROM-SRA/2016 (P. n.º 1/2014-M-SRATC)

ACÓRDÃO N.º 20/2016- PL-3.ª SECÇÃO 4ROM-SRA/2016 (P. n.º 1/2014-M-SRATC) Revogou a Sentença nº 5/2016 - SRATC ACÓRDÃO N.º 20/2016- PL-3.ª SECÇÃO 4ROM-SRA/2016 (P. n.º 1/2014-M-SRATC) Descritores: Extinção do procedimento por responsabilidades sancionatórias /prescrição/ artigo

Leia mais

O Regulamento n.º 668-A/2015, publicado no Diário da República, s.2, n.º 194 (1.º suplemento), de 5 de Outubro de ORDEM DOS ADVOGADOS

O Regulamento n.º 668-A/2015, publicado no Diário da República, s.2, n.º 194 (1.º suplemento), de 5 de Outubro de ORDEM DOS ADVOGADOS O Regulamento n.º 668-A/2015, publicado no Diário da República, s.2, n.º 194 (1.º suplemento), de 5 de Outubro de 2015. ORDEM DOS ADVOGADOS Regulamento n.º668-a / 2015 Por deliberação do plenário do Conselho

Leia mais

CORRECÇÃO DIREITO E PROCESSO CIVIL ESTÁGIO 2011/2012 JULHO DE 2012

CORRECÇÃO DIREITO E PROCESSO CIVIL ESTÁGIO 2011/2012 JULHO DE 2012 CORRECÇÃO DIREITO E PROCESSO CIVIL ESTÁGIO 2011/2012 JULHO DE 2012 A presente grelha de correção é feita de forma sucinta, indicando o que de essencial deve ser referido pelo aluno estagiário. Cotação

Leia mais

REGULAMENTO PARA O RECRUTAMENTO DO DIRECTOR DA ESCOLA SECUNDÁRIA DE JOSÉ AFONSO, LOURES

REGULAMENTO PARA O RECRUTAMENTO DO DIRECTOR DA ESCOLA SECUNDÁRIA DE JOSÉ AFONSO, LOURES REGULAMENTO PARA O RECRUTAMENTO DO DIRECTOR DA ESCOLA SECUNDÁRIA DE JOSÉ AFONSO, LOURES Objecto O presente regulamento, elaborado nos termos e ao abrigo do disposto nos artigos 21.º a 23.º do Decreto Lei

Leia mais

APOIO JUDICIÁRIO. N.º de Processos que foram objecto de Análise/Despacho e, subsequente, entrega no Serviço do Apoio Judiciário

APOIO JUDICIÁRIO. N.º de Processos que foram objecto de Análise/Despacho e, subsequente, entrega no Serviço do Apoio Judiciário Gabinete de Assessoria Jurídica Movimento Processual N.º de Processos que foram objecto de Análise/Despacho e, subsequente, entrega no Serviço do Apoio Judiciário Classificação N.º de Processos Escusas/Dispensas/Substituições

Leia mais

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Sentença Penal. Gustavo Badaró aula de

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Sentença Penal. Gustavo Badaró aula de Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo Sentença Penal Gustavo Badaró aula de 04.08.2015 1. Conceito PLANO DA AULA 2. Classificação e denominações 3. Elementos da sentença 4. Sentença penal absolutória

Leia mais

Acesso ao Direito e Tribunais

Acesso ao Direito e Tribunais Acesso ao Direito e Tribunais Módulo 2 Luís Filipe Santos Conselho Distrital de Lisboa Ordem dos Advogados Acesso ao Direito e Tribunais Sistema de Acesso ao Direito e Tribunais Noções Básicas Nomeação

Leia mais

NO PROCESSO PENAL. Nota: A juntada de documentos pode ocorrer em qualquer fase do processo (CPP, art. 231).

NO PROCESSO PENAL. Nota: A juntada de documentos pode ocorrer em qualquer fase do processo (CPP, art. 231). NO PROCESSO PENAL No processo penal todos os prazos correrão em cartório e serão contínuos e peremptórios, não se interrompendo por férias, domingo ou feriado (CPP, art. 798). Não se computará, no prazo,

Leia mais

Problemática da aplicabilidade das novas regras de custas aos processos tutelares de menores e de sua constitucionalidade em geral

Problemática da aplicabilidade das novas regras de custas aos processos tutelares de menores e de sua constitucionalidade em geral compilações doutrinais ESTUDO JURÍDICO Problemática da aplicabilidade das novas regras de custas aos processos tutelares de menores e de sua constitucionalidade em geral André Mouzinho ADVOGADO VERBOJURIDICO

Leia mais

Coordenação e Regência: Professor Doutor Augusto Silva Dias

Coordenação e Regência: Professor Doutor Augusto Silva Dias DIREITO PROCESSUAL PENAL 4.º ANO NOITE Coordenação e Regência: Professor Doutor Augusto Silva Dias Colaboração: Professor Doutor Rui Soares Pereira e Mestres João Gouveia de Caires e António Brito Neves

Leia mais

Direito Processual Penal

Direito Processual Penal Direito Processual Penal Procedimento Comum e Ordinário Professor Joerberth Nunes www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Processual Penal PROCEDIMENTO COMUM E ORDINÁRIO LIVRO II Dos Processos em Espécie

Leia mais

PROVA DE AFERIÇÃO. (Repetição) (RNE) MANHÃ

PROVA DE AFERIÇÃO. (Repetição) (RNE) MANHÃ ORDEM DOS ADVOGADOS CNEF / CNA PROVA DE AFERIÇÃO (Repetição) (RNE) MANHÃ Prática Processual Civil (12,5 Valores) 6 de Janeiro de 2014 - Ler atentamente todo o enunciado da prova antes de começar a responder.

Leia mais

Proposta de Lei. Exposição de Motivos. 1 Com a presente Proposta de Lei submete se à Assembleia da República uma alteração pontual ao Código Penal.

Proposta de Lei. Exposição de Motivos. 1 Com a presente Proposta de Lei submete se à Assembleia da República uma alteração pontual ao Código Penal. Proposta de Lei Exposição de Motivos 1 Com a presente Proposta de Lei submete se à Assembleia da República uma alteração pontual ao Código Penal. As modificações que se propõem incidem sobre o instituto

Leia mais

INSCRIÇÃO DE ADVOGADO BRASILEIRO

INSCRIÇÃO DE ADVOGADO BRASILEIRO INSCRIÇÃO DE ADVOGADO BRASILEIRO [art. 201º do EOA e art. 17º a 19º do RIAAE] Documentação a entregar 1) Norma de Requerimento de Inscrição de Advogado; 2) 2 Certidões de Registo de Nascimento; 3) Certificado

Leia mais

A Informação do Sector Público O acesso aos documentos da Administração Pública. Juiz Conselheiro Castro Martins ( CADA )

A Informação do Sector Público O acesso aos documentos da Administração Pública. Juiz Conselheiro Castro Martins ( CADA ) Informação do Sector Público: Acesso, reutilização e comercialização 24 de Novembro de 2004 Representação da Comissão Europeia em Portugal A Informação do Sector Público O acesso aos documentos da Administração

Leia mais

ORGANIZAÇÃO, FUNCIONAMENTO E PROCESSO DO TRIBUNAL CONSTITUCIONAL Lei n.o 28/82, (*) de 15 de Novembro (Excertos)

ORGANIZAÇÃO, FUNCIONAMENTO E PROCESSO DO TRIBUNAL CONSTITUCIONAL Lei n.o 28/82, (*) de 15 de Novembro (Excertos) ORGANIZAÇÃO, FUNCIONAMENTO E PROCESSO DO TRIBUNAL CONSTITUCIONAL Lei n.o 28/82, (*) de 15 de Novembro (Excertos) A Assembleia da República decreta, nos termos do artigo 244.o da Lei Constitucional n.o

Leia mais

Conclusão Peças de informação e outros procedimentos investigatórios

Conclusão Peças de informação e outros procedimentos investigatórios Sumário 1 A REDAÇÃO JURÍDICA 1.1 A nova redação jurídica 1.2 Síntese, clareza e objetividade 1.3 Orações intercaladas 1.4 Introdução, desenvolvimento e conclusão 1.5 Redação impessoal 1.6 Copiar e colar

Leia mais

Círculo dos Advogados Portugueses de Direito da Concorrência. Regulamento Disciplinar

Círculo dos Advogados Portugueses de Direito da Concorrência. Regulamento Disciplinar Círculo dos Advogados Portugueses de Direito da Concorrência Regulamento Disciplinar Nos termos do n.º 5 do artigo 12.º dos Estatutos do Círculo dos Advogados Portugueses de Direito da Concorrência ( Círculo

Leia mais

Lei n.º 113/2009, de 17/9 1

Lei n.º 113/2009, de 17/9 1 (Não dispensa a consulta do Diário da República) Lei n.º 113/2009, de 17/9 1 Estabelece medidas de proteção de menores, em cumprimento do artigo 5.º da Convenção do Conselho da Europa contra a Exploração

Leia mais

REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU. Lei n.º /2004. (Projecto de lei) Regime Probatório Especial Para a Prevenção e Investigação da.

REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU. Lei n.º /2004. (Projecto de lei) Regime Probatório Especial Para a Prevenção e Investigação da. REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU Lei n.º /2004 (Projecto de lei) Regime Probatório Especial Para a Prevenção e Investigação da Criminalidade A Assembleia Legislativa decreta, nos termos da alínea

Leia mais

CAPA DO REQUERIMENTO

CAPA DO REQUERIMENTO CAPA DO REQUERIMENTO CAPA I TIPO DE REQUERIMENTO 1 Requerimento inicial 2 Requerimento de retificação DADOS EM CASO DE CONVOLAÇÃO 3 Valor total da dívida _ _ _. _ _ _. _ _ _, _ _ E u r o s 4 Tribunal competente

Leia mais

Deliberação n.º 515/2010, de 3 de Março (DR, 2.ª série, n.º 50, de 12 de Março de 2010)

Deliberação n.º 515/2010, de 3 de Março (DR, 2.ª série, n.º 50, de 12 de Março de 2010) (DR, 2.ª série, n.º 50, de 12 de Março de 2010) Define os elementos que devem instruir a notificação, a efectuar ao INFARMED, I. P., do exercício da actividade de distribuição por grosso de dispositivos

Leia mais

Código de Processo do Trabalho

Código de Processo do Trabalho DECRETO-LEI Nº 398/98, DE 17 DE DEZEMBRO Código de Processo do Trabalho 2013 9ª Edição Actualização nº 1 1 LEI GERAL TRIBUTÁRIA CÓDIGO DE PROCESSO DO TRABALHO Actualização nº 1 EDITOR EDIÇÕES ALMEDINA,

Leia mais

Proposta de Lei. Exposição de Motivos

Proposta de Lei. Exposição de Motivos Proposta de Lei Exposição de Motivos 1. Com a presente Proposta de Lei submete se à Assembleia da República uma alteração ao Código de Processo Penal, com vista à sua adequação entre, por um lado, a necessidade

Leia mais

CONVOCATÓRIA. Sociedade Aberta - Capital Social ,00 - Pessoa Colectiva n.º C.R.C. Lisboa

CONVOCATÓRIA. Sociedade Aberta - Capital Social ,00 - Pessoa Colectiva n.º C.R.C. Lisboa JERÓNIMO MARTINS, SGPS, S.A. Sociedade Aberta Rua Tierno Galvan, Torre 3 9.º J, Lisboa Capital Social de Euro 629.293.220,00 Matricula na Conservatória do Registo Comercial de Lisboa e NIPC: 500 100 144

Leia mais

Deliberação 98/2015 (DR-I) Conselho Regulador da Entidade Reguladora para a Comunicação Social

Deliberação 98/2015 (DR-I) Conselho Regulador da Entidade Reguladora para a Comunicação Social Conselho Regulador da Entidade Reguladora para a Comunicação Social Deliberação 98/2015 (DR-I) Recurso de Bento dos Santos contra a revista Sábado,, por denegação do direito de resposta Lisboa 2 de junho

Leia mais

Câmara dos Técnicos Oficiais de Contas (CTOC) Formação à Distância

Câmara dos Técnicos Oficiais de Contas (CTOC) Formação à Distância Câmara dos Técnicos Oficiais de Contas (CTOC) Formação à Distância CURSO DIS1209 1 - OBJECTIVOS: Curso: INFRACÇÕES TRIBUTÁRIAS O curso de Infracções Tributárias tem como objectivo dar conhecer aos TOC

Leia mais

REQUERIMENTO PARA: PEDIDO DE CERTIDÃO DE DESTAQUE. Exmº Sr. Presidente da Câmara Municipal de Sintra. Despacho:

REQUERIMENTO PARA: PEDIDO DE CERTIDÃO DE DESTAQUE. Exmº Sr. Presidente da Câmara Municipal de Sintra. Despacho: 1/5 REQUERIMENTO PARA: Despacho: Espaço reservado aos serviços PEDIDO DE CERTIDÃO DE DESTAQUE Nº Reg. DUR Data: / / Nº Guia: Valor: Rubrica: Exmº Sr. Presidente da Câmara Municipal de Sintra (nome do requerente),

Leia mais

Memorando Semestral. Ação do Ministério Público no Distrito Judicial de Lisboa (Área Penal)

Memorando Semestral. Ação do Ministério Público no Distrito Judicial de Lisboa (Área Penal) Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa Memorando Semestral 1.º Semestre 2016 Ação do Ministério Público no Distrito Judicial de Lisboa (Área Penal) 1. Apresentação Pretende-se com este Memorando fazer

Leia mais

A EQUIPE DO DIREITO CONCENTRADO ESTÁ COM VOCÊ!

A EQUIPE DO DIREITO CONCENTRADO ESTÁ COM VOCÊ! Olá CONCENTRADOS! Como está a sua preparação para a 2ª fase da OAB? Muito estudo e dedicação? Sabemos como é difícil conseguir conciliar tudo nesta fase, o período é curto, a matéria longa e você precisa

Leia mais

Inspeções e contraordenações

Inspeções e contraordenações Inspeções e contraordenações A empresa pode ser objeto de inspeções e da aplicação de contraordenações. Depois de ser notificada da aplicação destas, a sua resposta pode variar em função do tipo de infração

Leia mais

REGULAMENTO DISCIPLINAR DA ORDEM DOS FARMACÊUTICOS CAPÍTULO I. Princípios Fundamentais. Artigo 1.º

REGULAMENTO DISCIPLINAR DA ORDEM DOS FARMACÊUTICOS CAPÍTULO I. Princípios Fundamentais. Artigo 1.º REGULAMENTO DISCIPLINAR DA ORDEM DOS FARMACÊUTICOS CAPÍTULO I Princípios Fundamentais Artigo 1.º Poder Disciplinar 1 A Ordem dos Farmacêuticos, adiante designada por Ordem, exerce o poder disciplinar sobre

Leia mais

REGULAMENTO DE ARRENDAMENTO DE IMÓVEIS

REGULAMENTO DE ARRENDAMENTO DE IMÓVEIS REGULAMENTO DE ARRENDAMENTO DE IMÓVEIS CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º Objeto O presente regulamento estabelece as normas pelas quais o Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social, I.P.

Leia mais

PEDIDO DE EMISSÃO DE ALVARÁ DE AUTORIZAÇÃO DE UTILIZAÇÃO DE FRACÇÃO AUTÓNOMA

PEDIDO DE EMISSÃO DE ALVARÁ DE AUTORIZAÇÃO DE UTILIZAÇÃO DE FRACÇÃO AUTÓNOMA Registo de entrada RE SERVADO AOS SERVIÇOS PEDIDO DE EMISSÃO DE ALVARÁ DE AUTORIZAÇÃO DE UTILIZAÇÃO DE FRACÇÃO AUTÓNOMA (Art.º 63 do D.L. 555/99 de 16 de Dezembro, com a redacção conferida pelo D.L. 177/2001

Leia mais

REGULAMENTO DO ACONSELHAMENTO ETICO E DEONTOLÓGICO NO ÂMBITO DO DEVER DE SIGILO

REGULAMENTO DO ACONSELHAMENTO ETICO E DEONTOLÓGICO NO ÂMBITO DO DEVER DE SIGILO REGULAMENTO DO ACONSELHAMENTO ETICO E DEONTOLÓGICO NO ÂMBITO DO DEVER DE SIGILO Proposta apresentada pelo Conselho Directivo Lisboa, 5 de Maio de 2010 Aprovado em Assembleia Geral de 29 de Maio de 2010

Leia mais

QUESTÃO 1 ASPECTOS MACROESTRUTURAIS QUESITOS AVALIADOS

QUESTÃO 1 ASPECTOS MACROESTRUTURAIS QUESITOS AVALIADOS QUESTÃO Capacidade de expressão na modalidade escrita e do uso das normas do registro formal culto da língua portuguesa 2. Responsabilidade do juiz, do Estado ou de ambos por ato jurisdicional doloso.00

Leia mais

DELIBERAÇÃO N.º 923/2016

DELIBERAÇÃO N.º 923/2016 1 DELIBERAÇÃO N.º 923/2016 1. A pretensão de acesso aos dados pessoais constantes de recibo de vencimento de trabalhadores objeto de processo de execução A Comissão Nacional de Proteção de Dados (CNPD)

Leia mais

PREPARATÓRIO 2ª ETAPA Direito Penal e Processual Penal Professor: Maurício Lopes

PREPARATÓRIO 2ª ETAPA Direito Penal e Processual Penal Professor: Maurício Lopes PREPARATÓRIO 2ª ETAPA Direito Penal e Processual Penal Professor: Maurício Lopes DIREITO PENAL 1 - Quem pode ser o sujeito ativo dos crimes comuns, próprios e de mão própria? Esclareça qual deles não admite

Leia mais

Crime público desde Lei 7/2000 de Denúncia para além dos seis meses Lei aplicável: vigente no momento prática do último ato Tribunal

Crime público desde Lei 7/2000 de Denúncia para além dos seis meses Lei aplicável: vigente no momento prática do último ato Tribunal 1 Quem, de modo reiterado ou não, infligir maus tratos físicos ou psíquicos, incluindo castigos corporais, privações da liberdade e ofensas sexuais: a) Ao cônjuge ou ex-cônjuge; b) A pessoa de outro ou

Leia mais

Relação de peças Ao longo das aulas, no Exame Final, faremos mais de 50 peças profissionais, porque, como não trabalharemos com apostas e adivinhações, preferimos fazer uma abordagem mais ampla para deixar

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº INSTRUÇÃO Nº CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL

RESOLUÇÃO Nº INSTRUÇÃO Nº CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL RESOLUÇÃO Nº 23.396 INSTRUÇÃO Nº 958-26.2013.6.00.0000 CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL Relator: Ministro Dias Toffoli Interessado: Tribunal Superior Eleitoral Dispõe sobre a apuração de crimes eleitorais.

Leia mais

TJ - SP Processo Penal NILMAR DE AQUINO

TJ - SP Processo Penal NILMAR DE AQUINO TJ - SP Processo Penal NILMAR DE AQUINO 1)Cabe recurso de apelação das decisões em que a) julgarem procedentes as exceções, salvo a de suspeição b) decretar a prescrição ou julgar, por outro modo, extinta

Leia mais

CONSELHO SUPERIOR DO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL RESOLUÇÃO Nº 77, DE 14 DE SETEMBRO DE 2004

CONSELHO SUPERIOR DO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL RESOLUÇÃO Nº 77, DE 14 DE SETEMBRO DE 2004 CONSELHO SUPERIOR DO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL RESOLUÇÃO Nº 77, DE 14 DE SETEMBRO DE 2004 Regulamenta o artigo 8º da Lei Complementar nº 75, de 20 de maio de 1993, disciplinando, no âmbito do Ministério

Leia mais

José, funcionário da empresa LV, admitido em 11/5/2008, ocupava o cargo de recepcionista, com

José, funcionário da empresa LV, admitido em 11/5/2008, ocupava o cargo de recepcionista, com DIREITO DO TRABALHO PEÇA PROFISSIONAL José, funcionário da empresa LV, admitido em 11/5/2008, ocupava o cargo de recepcionista, com salário mensal de R$ 465,00. Em 19/6/2009, José afastou-se do trabalho

Leia mais

EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES/MATRÍCULA PARA DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES DE PRÁTICA JURÍDICA E MONITORIA JUNTO AO NPJ-FACEAR.

EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES/MATRÍCULA PARA DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES DE PRÁTICA JURÍDICA E MONITORIA JUNTO AO NPJ-FACEAR. EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES/MATRÍCULA PARA DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES DE PRÁTICA JURÍDICA E MONITORIA JUNTO AO NPJ-FACEAR. EDITAL N. 03/2016 2º SEMESTRE/2016 O Coordenador do Núcleo de Prática

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº INSTRUÇÃO Nº CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL

RESOLUÇÃO Nº INSTRUÇÃO Nº CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL RESOLUÇÃO Nº 23.363 INSTRUÇÃO Nº 1160-71.2011.6.00.0000 CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL Relator: Ministro Arnaldo Versiani Interessado: Tribunal Superior Eleitoral Dispõe sobre a apuração de crimes

Leia mais

Admissibilidade de nova acusação por assistente

Admissibilidade de nova acusação por assistente ANDREIA VALADARES FERRA Admissibilidade de nova acusação por assistente VERBO jurídico VERBO jurídico Admissibilidade de nova acusação por assistente : 2 Admissibilidade de nova acusação por assistente

Leia mais

CENTRO DE ARBITRAGEM DE CONFLITOS DE CONSUMO DE LISBOA

CENTRO DE ARBITRAGEM DE CONFLITOS DE CONSUMO DE LISBOA REGULAMENTO DO TRIBUNAL ARBITRAL DO CENTRO DE ARBITRAGEM DE CONFLITOS DE CONSUMO DE LISBOA No quadro da Lei nº 31/86, de 29 de Agosto * e do Decreto-Lei nº425/86, de 27 de Dezembro, a Câmara Municipal

Leia mais

Petições Penais Anotadas

Petições Penais Anotadas Paulo Alves Franco Petições Penais Anotadas Questões e Testes para Concurso Sumário Prefácio... 13 Apresentação... 15 Abreviaturas... 17 DOUTRINA Definição... 23 O Direito Processual Penal como ramo do

Leia mais

Regulamentação da Tramitação Electrónica dos Processos Judiciais

Regulamentação da Tramitação Electrónica dos Processos Judiciais CÓDIGOS ELECTRÓNICOS DATAJURIS DATAJURIS é uma marca registada no INPI sob o nº 350529 Regulamentação da Tramitação Electrónica dos Processos Judiciais (2013) Todos os direitos reservados à DATAJURIS,

Leia mais

PROVA DE AFERIÇÃO (RNE) MANHÃ

PROVA DE AFERIÇÃO (RNE) MANHÃ ORDEM DOS ADVOGADOS CNEF / CNA PROVA DE AFERIÇÃO (RNE) MANHÃ Prática Processual Penal (11 Valores) 12 de Abril de 2013 - Ler atentamente todo o enunciado da prova antes de começar a responder. -Todas as

Leia mais

Professor Wisley Aula 16

Professor Wisley Aula 16 - Professor Wisley www.aprovaconcursos.com.br Página 1 de 7 PRISÕES 1. PRISÃO TEMPORÁRIA: Lei 7.960/89 A prisão temporária caracteriza-se por

Leia mais

Requerimento de Manutenção e Inspeção de Ascensores, Monta-Cargas, Escadas Mecânicas e Tapetes Rolantes. Identificação do Requerente.

Requerimento de Manutenção e Inspeção de Ascensores, Monta-Cargas, Escadas Mecânicas e Tapetes Rolantes. Identificação do Requerente. Exmo.(a) Senhor(a) Presidente da Câmara Municipal de Odivelas (A preencher pelos serviços) Processo n.º Requerimento de Manutenção e Inspeção de Ascensores, Monta-Cargas, Escadas Mecânicas e Tapetes Rolantes

Leia mais

INSCRIÇÃO DE ADVOGADO INSCRITO NA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL

INSCRIÇÃO DE ADVOGADO INSCRITO NA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL INSCRIÇÃO DE ADVOGADO INSCRITO NA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL 1 - Por força do disposto no EOA, os cidadãos de nacionalidade brasileira diplomados por qualquer faculdade de Direito do Brasil ou de Portugal,

Leia mais

TRAMITAÇÃO ELETRÓNICA DOS PROCESSOS JUDICIAIS - CITIUS

TRAMITAÇÃO ELETRÓNICA DOS PROCESSOS JUDICIAIS - CITIUS TRAMITAÇÃO ELETRÓNICA DOS PROCESSOS JUDICIAIS - CITIUS (Portaria n.º 280/2013, de 26 de agosto) A entrada em vigor do novo Código de Processo Civil, aprovado pela Lei n.º 41/2013, de 26 de junho, implica

Leia mais