OSSOS DA CABEÇA PROF. Esp. Carlos Henrique Przybysz 1

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "OSSOS DA CABEÇA PROF. Esp. Carlos Henrique Przybysz 1"

Transcrição

1 OSSOS DA CABEÇA PROF. Esp. Carlos Henrique Przybysz 1 1 CABEÇA ÓSSEA É dividida em crânio (neurocrânio) e face (víscero-crânio). O crânio forma uma caixa alojando o encéfalo, e a face aloja os órgãos dos sentidos, inicio do sistema digestório e respiratório. 1.1 Crânio Formado por 8 ossos, sendo 4 impares e 2 pares. Os impares são o frontal, occipital, esfenóide e etmóide; os pares são dois parietais e dois temporais Osso Frontal Esta situado para frente e cima, formato de concha apresenta uma lamina horizontal no sentido da borda inferior até atrás. Esta parte da concha é chamada frontal com face anterior convexa e parte posterior côncava. Acima da borda inferior na linha mediana esta uma elevação pequena chamada de glabela, região sem pelo entre os supercílios, e de cada lado deste ponto tem os arcos superciliares. Na face posterior da concha (escama frontal), apresenta-se como côncava alojando o lobo frontal do encéfalo. Apresenta uma lamina horizontal que entra na constituição do teto da cavidade orbitária. Na linha média desta lamina existe uma chanfradura chamada incisura etmoidal onde se encaixa o osso etmóide. Na extensão das margens da incisura existem escavações que formam as células etmoidais quando o frontal e o etmóide se unem. Anterior a incisura etmoidal esta a abertura do seio frontal, escavação no osso frontal que o torna pneumático na porção Antero inferior. 1 Professor graduado em Licenciatura em Ciências Biológicas pela FAP (Faculdade de Apucarana); especialista em Anatomia e Histologia humana: métodos de ensino e pesquisa pela UEM (Universidade Estadual de Maringá). Professor titular da Disciplina de Anatomia Humana e Neuroanatomia na FAP.

2 A borda superior do frontal se articula com os ossos parietais formando a sutura coronal e na união dos três ossos está o bregma ponto craniométrico que nos três primeiros meses de idade está localizado ai, a fontanela anterior Osso Occipital É o osso mais posterior do crânio. Com forma de losango encurvado. Perto do ângulo inferior apresenta um grande orifício chamado de forame magno por onde passa a medula espinhal, uma projeção do encéfalo que está na caixa craniana. Acima e posterior do forame magno está a escama occipital, e na parte anterior e para baixo é a porção basilar do occipital. O osso apresenta duas faces uma Antero superior e outra póstero inferior. A ântero-superior, na parte da escama e dividida por sulcos que se distribuem em forma de cruz, em 4 fossas. As 2 superiores correspondem ao lobo occipital do cérebro e as 2 inferiores ao cerebelo. No meio da face póstero inferior existe uma saliência chamada de protuberância do occipital externa, e de cada lado da protuberância encontra-se uma linha encurvada convexa para trás que é a linha superior da nuca. Entre a protuberância e o forame magno existe de cada lado a linha inferior da nuca. Nessa região das linhas se inserem vários músculos. Ao lado do forame magno de cada lado existem duas saliências com forma de sola de sapato que são os côndilos do occipital que se articulam com as massas laterais do atlas. Na frente de cada côndilo tem um orifício que é o canal do hipoglosso onde passa o nervo do hipoglosso. As bordas superiores do occipital se articulam com os ossos parietais formando a sutura lambdóide e na união dos três ossos esta o lambda que no recém nascido está a fontanela posterior Osso Esfenóide O nome significa cunha por ele ficar no meio da base do crânio atrás do etmóide e na frente do occipital. Possui um corpo e duas asas maiores e duas menores, dois processos pterigóides.

3 O corpo tem forma de cubo, é oco formando o seio esfenoidal que se abre no fundo da cavidade nasal. Na face superior do corpo do esfenóide, tem uma fossa chamada de sela túrsica onde aloja a glândula hipófise. Nos quatro cantos da sela existem pequenas elevações que são os processos clinóides, sendo dois anteriores e dois posteriores. As asas maiores são irregulares e triangulares e quando as duas se unem formam três orifícios que são de diante para trás forame redondo, por onde passa o nervo maxilar; forame oval, por onde passa o nervo mandibular; e o forame espinhoso por onde transita a artéria meníngica média. As asas menores são laminas estreitas que estão na frente e paralela as asas maiores, na base de cada uma encontra-se o canal óptico, por onde passa o nervo óptico. Entre as asas maiores e menores tem-se uma fenda chamada de fissura orbital superior, por onde passa os nervos motores do olho, e o nervo e artéria oftálmica. A baixo do corpo esta o processo pterigóide que serve de inserção a vários músculos. Cada processo é formado por duas lâminas de formato retangular uma medial e uma lateral verticalmente se unindo anteriormente formando na parte posterior a fossa pterigóidea. Na parte súpero-medial do processo pterigóide está a fossa escafóide. A base do processo pterigóide é atravessada por um conduto chamado canal pterigóideo. Na face inferior da lamina medial do processo pterigóide encontra-se o hâmulo pterigóide Osso Etmóide Está localizado na incisura etmoidal do frontal e na frente do esfenóide e constitui a maior parte da cavidade nasal. Pode ser comparado com uma balança de haste vertical cruzada perpendicularmente por outra horizontal. A haste vertical é uma lâmina óssea chamada de lâmina perpendicular do etmóide que entra na formação do septo nasal. No cruzamento da haste vertical com a horizontal, a haste vertical sobressai para cima chamando-se crista gali. A lâmina horizontal é cheia de orifícios forames etmoidais

4 chamada de lâmina crivosa do etmóide e entrando na formação do teto da cavidade nasal, por onde passa filetes do nervo olfatório. Ainda na lâmina horizontal, esta é representada por laminas ósseas paralelas a lâmina perpendicular, chamada de lâmina orbital. A face lateral desta lâmina corresponde a cavidade orbital e a face medial forma a parede lateral da cavidade nasal. Na face medial de cada lâmina orbital, existe dois enrodilhados ósseos que são as conchas nasais superior e média. Na verdade as conchas nasais são três: superior, média e inferior. A superior e média correspondem ao osso etmóide, enquanto a inferior é um osso a parte pertencente a face. Entre cada concha existe um espaço chamado de meatos nasais sendo três: superior, médio e inferior. No meato superior se abre o seio esfenoidal; no meato médio se abrem os seios maxilar e frontal; e no inferior se abre o canal nasolacrimal. (SEBASTIÃO, 1985). Os seios são escavações ósseas que se comunicam com a cavidade nasal. A mucosa nasal que forra a cavidade nasal penetra e forra os seios também, e nos casos de inflação como gripe ou resfriado, estendem-se também aos seios causando as sinusites. O canal nasolacrimal recolhe lagrimas que constantemente banham a conjuntiva do globo ocular e as despeja no meato nasal inferior, que é evaporado pela respiração. Ao redor da lâmina crivosa existem pequenas cavidades, e quando o etmóide está articulado com o frontal, formam-se as células etmoidais Osso Parietal Osso par e mais simples do crânio. Apresenta duas faces e quatro bordas. A face lateral é externa e convexa, e a medial é interna e côncava. A face medial apresenta vários sulcos que são das ramificações dos vasos meníngicos médios. A borda superior do parietal se articula como parietal oposto formando a sutura sagital. A borda inferior é cortada, mais fina escavada articulando com o osso temporal, formando a articulação escamosa. Já a borda anterior articula-se com o frontal formando a sutura coronal e posterior com o occipital formando a sutura lambdóide.

5 1.1.6 Osso Temporal Osso par e o mais complexo osso do crânio, sendo importante por possuir no seu interior o aparelho auditivo. É dividido em três partes: escamosa, timpânica e petrosa. A parte escamosa é formada por uma grande escama com duas faces e um a borda. Na face lateral apresenta dois acidentes ósseos bem notáveis que são o processo zigomático em forma de espinha e dirigida para frente, articulando-se com o osso zigomático, para formar o arco zigomático; e a fossa mandibular (cavidade glenóide) na parte inferior que articula a cabeça da mandíbula. A face medial se relaciona com o encéfalo e a borda se articula com o parietal. A parte timpânica representa uma lamina óssea em forma de goteira constituindo a parte Ântero-inferior o contorno do meato acústico externo, como se fosse um anel, mas se prolonga medialmente para entrar na formação da parede ântero-inferior do meato acústico interno. A parte petrosa forma uma pirâmide quadrada com base fundida na parte escamosa e ápice voltado medialmente e para frente. Possui cinco acidentes importantes tais como: a- Processo mastóide: saliência póstero-inferior do osso, servindo de inserção para alguns músculos do pescoço; b- Processo estilóide: forma de estilete, saliência alongada póstero-inferiormente a parte petrosa e medial ao proc. Mastóide, servindo de inserção de músculos do pescoço; c- Forame estilo mastóideo: entre os processos mastóide e estilóide, por onde sai o nervo facial : d- Canal carótido: conduto formando um ângulo, pois o forame de entrada da artéria carótida está na face póstero-inferior, e o de saída está no ápice da porção petrosa; e- Poro acústico interno: por onde penetra o nervo facial saindo depois pelo forame estilo mastóide; o nervo vestíbulo-coclear que está relacionado com a audição e equilíbrio.

6 2 CRÂNIO EM GERAL Apresenta-se em forma de caixa ovóide. Se passar uma linha em sentido transverso na altura da glabela pegando também a protuberância occipital externa dividirá o crânio em duas partes, a parte superior é a calvária (calota ou abóbada) sendo formada por partes chatas dos ossos crânicos, e a inferior a base do crânio. A calvária é formada por duas camadas de tecido compacto uma interna e outra externa, e no meio das duas um tecido esponjoso díploe. A base é formada por ossos irregulares e apresenta muitos forames por onde passam vários nervos, artérias e veias. Pelo fato desta região possuir muitos vasos e nervos, torna-se importante em traumatismos que podem lesá-los. Internamente o crânio é dividido em três fossas: anterior, média e posterior. A fossa anterior é delimitada pela borda posterior da asa menor do esfenóide e constituída pelo frontal, etmóide e parte do esfenóide. A fossa média é limitada pela borda superior da porção petrosa e formada pelos ossos esfenóide e temporal, no centro dessa fossa está à sela túrsica. Lateralmente a sela observa-se vários forames pertencentes principalmente ao esfenóide como o canal óptico, fissura orbital superior, forame redondo, oval, espinhoso. No temporal tem-se o poro acústico interno e forame interno do canal carótido (no ápice da parte petrosa do temporal). Entre o ápice, esfenóide e parte basilar do occipital existe um forame irregular que é o forame lacerado, obturado na parte inferior por tecido cartilagíneo A fossa posterior é formada pelo occipital e parte do temporal, no centro está o forame magno. A frente deste está o clivo, plano escavado em forma de goteira que une o occipital ao esfenóide. Ao lado do clivo entre o occipital e o temporal está o forame jugular onde tem origem a veia jugular, dando passagem também para o nervo do glossofaríngeo, acessório e vago. De cada lado do forame magno esta o canal do hipoglosso que da passagem ao nervo hipoglosso. 3 FACE A face é um maciço ósseo que esta abaixo e para frente do crânio, onde nele estão os órgãos dos sentidos e o começo do aparelho digestivo e respiratório. É formado por 2

7 ossos ímpares e 6 pares, tendo no total 14 ossos articulados sendo que o único móvel é a mandíbula. Os demais ossos formam um bloco maciço juntamente com o vômer. O principal osso desse maciço é a maxila que em torno dele se situam os outros ossos. Os ossos ímpares são a mandíbula e vômer, e os ossos pares são maxila, zigomático, lacrimal, nasal, palatino e concha nasal inferior. 3.1 Maxila Osso irregular apresentando um corpo e 4 saliências tais como: a- Processo zigomático: expansão lateral que se articula com o osso zigomático; b- Processo frontal: expansão voltada para cima articulando-se com o osso frontal; c- Processo palatino: horizontalmente, medial que se articula com a maxila oposta e constituindo ¾ do palato ósseo, os ¼ são formados pelos ossos palatinos; d- Processo alveolar: para baixo com varias escavações que são os alvéolos onde se implantam os dentes. O corpo da maxila tem forma triangular com uma base e três faces: a- A base é a face nasal que constitui a parede lateral da cavidade nasal; b- Face orbital, é o assoalho da fossa orbital; c- Face anterior, é recoberta pelos músculos da face; d- Face infratemporal, forma a parte anterior da fossa infratemporal ou zigomática. O corpo da maxila é oco, com uma escavação óssea que é o seio paranasal maxilar, se abrindo no meato nasal médio. 3.2 Zigomático Tem forma de losango, parecido com as colunas do palácio da alvorada de Brasília, formando a proeminência do rosto, ou a maça do rosto. Possui ângulos que são importantes por se articularem. O ângulo superior forma o processo frontal que se articula com o osso frontal; o ângulo posterior forma o processo temporal que se articula com o processo zigomático do osso temporal, para depois formar o arco zigomático; o ângulo anterior e inferior se articula com a maxila. Da borda ântero-superior sai uma expansão que é a superfície orbital a qual forma o assoalho da cavidade orbital.

8 3.3 Palatino Osso par em forma de l com uma lâmina horizontal e uma vertical, as duas formando um ângulo reto. A lâmina vertical é chamada de lamina perpendicular e entra na formação da parede lateral da cavidade nasal, e a lâmina horizontal completa na parte posterior formado pelos processos palatinos da maxila. A lamina horizontal apresenta face nasal e palatina. Na borda superior da lamina vertical existem três acidentes ósseos separados por uma chanfradura e representados por saliência anterior e posterior. A saliência anterior é o processo orbital e a posterior o processo esfenoidal, separado pela incisura esfenopalatina que participa da formação do forame esfenopalatino. Quando a lamina vertical se une a lamina horizontal, forma-se um processo voltado para trás e obliquamente chamado de processo piramidal. Este se articula com o processo pterigóide do esfenóide e articulando-se com a maxila forma o forame palatino maior posterior. Atrás do forame palatino maior estão dois forames palatinos menores. 3.4 Osso Lacrimal Tem forma de cunha entrando na formação da parede medial da cavidade orbitária, e na face lateral encontra-se uma goteira que forma o canal nasolacrimal. 3.5 Osso Concha Nasal Inferior É o terceiro e mais inferior enrodilhado ósseo da parede lateral da cavidade nasal, e entre ele e a parede lateral esta o meato nasal inferior, onde se abre o canal nasolacrimal. 3.6 Osso Nasal Nasal ou osso próprio do nariz, com forma retangular que quando articulado como nasal do lado oposto, forma o dorso do nariz. Articula-se na parte superior com o frontal e lateralmente com o processo frontal da maxila. Quando os dois processos frontais da maxila se articulam com o frontal, deixa um espaço que é preenchido pelos ossos nasais.

9 3.7 Osso Vômer Osso impar com formato de paralelogramo em lamina sagital, com eixo voltado para frente e para baixo. Entra na formação do septo nasal está localizado por trás da lamina perpendicular do etmóide. Articula-se superiormente com o esfenóide e inferiormente com as laminas horizontais do osso palatino e os dois processos palatinos da maxila. 3.8 Mandíbula Mandíbula ou maxila inferior, esta abaixo do crânio sendo osso impar, serve para implantação dos dentes inferiores, articula-se por duas extremidades na fossa mandibular. Constituído por uma lamina vertical em forma de U representado pelo corpo. Das extremidades do corpo, saem duas lâminas quadradas e achatadas em sentido para cima, que são os ramos da mandíbula. O corpo apresenta face anterior (externa), e face posterior (interna). Na face anterior, de cada lado da linha mediana do corpo apresenta os forames mentuais (buraco mentoniano), situado em relação ao 2º dente pré-molar. Na face posterior, bem na linha mediana, encontram-se saliências ósseas que são as espinhas da mandíbula (apófises genis), que servem de inserção de músculos. Ainda nesta face do ramo para o corpo, descendo para frente, encontra-se a linha milo-hióidea, para inserção do músculo milo-hióideo. Acima desta linha esta a fóvea sublingual e a baixo dela a fóvea submandibular, onde se alojam as glândulas salivares correspondentes. A borda inferior do corpo da mandíbula é chamada de base, e a borda superior é chamada de processo alveolar, onde se implantam os dentes inferiores. O ângulo póstero-inferior é importante por formar o ponto craniométrico gônio. A borda superior do ramo apresenta três acidentes importantes: posteriormente está uma saliência articular, constituído por uma expansão denominada cabeça da mandíbula (processo condilar), o qual se articula com a fossa mandibular do osso temporal respectivo e presa ao ramo por uma porção mais estreita que é o colo da cabeça da mandíbula; anteriormente esta outra saliência não articular que é o processo coronóide, que serve de

10 inserção do músculo temporal e entre as duas saliências esta uma chanfradura chamada de incisura da mandíbula (chanfradura sigmóide). No centro da parte interna do ramo tem-se um orifício chamado de forame mandibular, no qual entra vasos e nervos que vão aos dentes inferiores. Anterior a este forame se encontra uma saliência triangular chamada de língula (espinha de Spix). 4 OSSO HIÓIDE Único osso que não se articula com o esqueleto, situado no ângulo diedro sendo a união de dois planos que passa pela face anterior do pescoço e por baixo do mento. Com forma de U apresenta um corpo e dois pares de cornos, maiores e menores. Os cornos maiores são continuação do corpo e se dirigem para lateral e posterior; os cornos menores partem da extremidade do corpo para cima e lateral. Este osso serve de inserção para vários músculos do pescoço. Fig. 01. Ossos e acidentes ósseos do crânio vista anterior. Fonte:

11 Fig. 02. Ossos e acidentes ósseos do crânio vista lateral externa. Fonte: Fig. 03. Acidentes ósseos do crânio vista lateral sem o arco zigomático. Fonte:

12 Fig. 04. Ossos e acidentes ósseos da cavidade orbitária. Fonte: Fig. 05. Acidentes ósseos do crânio vista interna. Fonte:

13 Fig. 06. Ossos e acidentes ósseos do crânio vista inferior. Fonte: Fig. 07. Suturas da calota craniana em vista superior. Fonte:

14 REFERÊNCIAS AULA DE ANATOMIA. Osteologia. Disponível em: < CASTRO, Sabastião Vicente de. Anatomia fundamental.. 2.ed. SÃO PAULO: McGraw-Hill do Brasil, p.;il.p. DIDIO, J.A.L. Sinopse de anatomia. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, GARDNER, W.D; OSBURN, W.A. Anatomia do corpo humano. 2 ed. São Paulo: Atheneu, 1980.

Ossos do. crânio e da face. Miguel A. Xavier de Lima

Ossos do. crânio e da face. Miguel A. Xavier de Lima Ossos do crânio e da face Miguel A. Xavier de Lima Anestesia Anestesia Palpação da ATM Crescimento do crânio -Análise em terços Desenvolvimento do aparelho mastigador Crescimento do crânio Comprimento

Leia mais

OSSOS DO CRÂNIO. Prof. ROMMEL BARRETO

OSSOS DO CRÂNIO. Prof. ROMMEL BARRETO OSSOS DO CRÂNIO Prof. ROMMEL BARRETO Crânio: lâmina externa diploe lâmina interna Crânio: Definição: Funções: Divisão Funcional: Ossos do Neurocrânio: Ossos do Viscerocrânio: Crânio: 22 ossos? Crânio

Leia mais

Não risque as peças, utilize os estiletes marcadores para apontar as estruturas. ESQUELETO AXIAL

Não risque as peças, utilize os estiletes marcadores para apontar as estruturas. ESQUELETO AXIAL ESQUELETO AXIAL Não risque as peças, utilize os estiletes marcadores para apontar as estruturas. Vamos estudar o esqueleto que forma o eixo do corpo iniciando o estudo da CABEÇA óssea que se divide em

Leia mais

LISTA DE ACIDENTES ANATÔMICOS ÓSSEOS

LISTA DE ACIDENTES ANATÔMICOS ÓSSEOS LISTA DE ACIDENTES ANATÔMICOS ÓSSEOS 1. Base do crânio - Visão externa Canal Carótico Canal do Hipoglosso Canal e fossa condilar Canal incisivo Coana Côndilo Occipital Dorso da sela turca Espinha nasal

Leia mais

2 ossos ímpares (vômer e mandíbula) 6 ossos pares (maxilas, zigomáticos, nasais, lacrimais, palatinos, conchas nasais inferiores)

2 ossos ímpares (vômer e mandíbula) 6 ossos pares (maxilas, zigomáticos, nasais, lacrimais, palatinos, conchas nasais inferiores) ESQUELETO AXIAL O Esqueleto Axial corresponde às regiões da cabeça, coluna vertebral e tronco. Estudaremos os elementos em separado, em relação à osteologia, artrologia e miologia. OSTEOLOGIA DA CABEÇA

Leia mais

Radiologia médica - Anatomia I. Total de 7 páginas 1

Radiologia médica - Anatomia I. Total de 7 páginas 1 OSSOS DA FACE Ossos da face crescem até aos 16 anos; Com amadurecimento: os ossos do crânio se expandem, dentes se formam e emergem, seios paranasais aumentam. Ossos Nasais Ossos da face (14): 2 ossos

Leia mais

8 páginas 1. Formam a cavidade do crânio que. Repousa no topo da coluna vertebral. 22 ossos

8 páginas 1. Formam a cavidade do crânio que. Repousa no topo da coluna vertebral. 22 ossos Ossos do crânio ou neurocrânio (Somente texto) CRÂNIO E OSSO HIÓIDE Formam a cavidade do crânio que encerra e protege o cérebro. Repousa no topo da coluna vertebral 22 ossos Ossos do crânio câ o(8) Ossos

Leia mais

CRÂNIO. Dr. Peter Reher, CD, CD, MSc, PhD

CRÂNIO. Dr. Peter Reher, CD, CD, MSc, PhD CRÂNIO Dr. Peter Reher, CD, CD, MSc, PhD PhD Especialista e Mestre em CTBMF - UFPel-RS Doutor (PhD) em CTBMF - University of London Professor Adjunto da UFMG Professor Adjunto da PUC-Minas Roteiro Roteiro

Leia mais

APOSTILA BÁSICA DE ANATOMIA. TERMINOLOGIA ANATÔMICA ATUALIZADA Revisada em: MARÇO/2011 CRÂNIO NOME: CURSO: http://estudandoanatomia.blogspot.

APOSTILA BÁSICA DE ANATOMIA. TERMINOLOGIA ANATÔMICA ATUALIZADA Revisada em: MARÇO/2011 CRÂNIO NOME: CURSO: http://estudandoanatomia.blogspot. APOSTILA BÁSICA DE ANATOMIA TERMINOLOGIA ANATÔMICA ATUALIZADA Revisada em: MARÇO/2011 CRÂNIO NOME: CURSO: Daniel Moreira Monitor Virtual de Anatomia http://estudandoanatomia.blogspot.com APOSTILAS, JOGOS,

Leia mais

SISTEMA LOCOMOTOR 15/02/2011. Crânio. Composição óssea CABEÇA E PESCOÇO

SISTEMA LOCOMOTOR 15/02/2011. Crânio. Composição óssea CABEÇA E PESCOÇO SISTEMA LOCOMOTOR CABEÇA E PESCOÇO Crânio O crânio forma uma caixa óssea que tem a função primordial de abrigar e proteger o encéfalo. Outras funções importantes como: possui cavidades para órgãos da sensibilidade

Leia mais

Nariz e Laringe. Anatomia Aplicada à Medicina IV MOR 044 Prof. Sérvulo Luiz Borges

Nariz e Laringe. Anatomia Aplicada à Medicina IV MOR 044 Prof. Sérvulo Luiz Borges Nariz e Laringe Anatomia Aplicada à Medicina IV MOR 044 Prof. Sérvulo Luiz Borges Rinoscopia normal Nariz: Funções Condução do ar Sentido do olfato Filtrar, aquecer e umedecer o ar inspirado Eliminar as

Leia mais

ANATOMIA TOPOGRÁFICA DA CABEÇA E PESCOÇO (FCB00089) ROTEIRO DE AULA PRÁTICA NEUROCRÂNIO

ANATOMIA TOPOGRÁFICA DA CABEÇA E PESCOÇO (FCB00089) ROTEIRO DE AULA PRÁTICA NEUROCRÂNIO ANATOMIA TOPOGRÁFICA DA CABEÇA E PESCOÇO (FCB00089) ROTEIRO DE AULA PRÁTICA NEUROCRÂNIO 1. Osso Frontal O osso frontal é um osso laminar, situado para frente e para cima e apresenta duas porções: uma vertical,

Leia mais

MANUAL TÉCNICO CÓD ESQUELETO HUMANO DE 85 CM

MANUAL TÉCNICO CÓD ESQUELETO HUMANO DE 85 CM MANUAL TÉCNICO CÓD. 6065 ESQUELETO HUMANO DE 85 CM Esta é uma pequena ferramenta de aprendizagem de anatomia do Sistema Esquelético Humano. Com o Modelo Anatômico de Esqueleto de 85 cm, é possível observar

Leia mais

Coluna Vertebral e Crâneo

Coluna Vertebral e Crâneo Coluna Vertebral e Crâneo Nome: Turma: PL1/PL2 Aspectos gerais A. Legende a figura e refira o número de vértebras existentes em cada uma das regiões assinaladas: 1- Cervical 2- Toráxica 3- Lombar N.º de

Leia mais

Anatomia nasal: sustentação óssea

Anatomia nasal: sustentação óssea CAPÍTULO 1 Anatomia nasal: sustentação óssea A estrutura óssea do nariz é composta de dois ossos semirretangulares oblíquos que se estendem aproximadamente ao longo de um terço do dorso nasal (Figuras

Leia mais

ROTEIRO DE ESTUDOS SISTEMA ÓSSEO. Prof a. Ana Carolina Athayde R. Braz

ROTEIRO DE ESTUDOS SISTEMA ÓSSEO. Prof a. Ana Carolina Athayde R. Braz ROTEIRO DE ESTUDOS SISTEMA ÓSSEO Prof a. Ana Carolina Athayde R. Braz ESQUELETO AXIAL 1) CABEÇA: a) Identificar e localizar os ossos da cabeça: - Crânio (8): Ossos pares ou bilaterais: Parietais e Temporais

Leia mais

ANATOMIA HUMANA I. Acidentes Ósseos. Prof. Me. Fabio Milioni. Características Anatômicas de Superfície dos Ossos

ANATOMIA HUMANA I. Acidentes Ósseos. Prof. Me. Fabio Milioni. Características Anatômicas de Superfície dos Ossos ANATOMIA HUMANA I Acidentes Ósseos Prof. Me. Fabio Milioni Características Anatômicas de Superfície dos Ossos As superfícies dos ossos possuem várias características estruturais adaptadas a funções específicas.

Leia mais

ANATOMOFISIOLOGIA GERAL NERVO TRIGÊMIO

ANATOMOFISIOLOGIA GERAL NERVO TRIGÊMIO ANATOMOFISIOLOGIA GERAL NERVO TRIGÊMIO Prof. Álvaro Benevides ANATOMOFISIOLOGIA GERAL NERVO TRIGÊMIO Generalidades NERVO TRIGÊMIO Em anatomia, chama-se sistema nervoso central, ou neuroeixo, ao conjunto

Leia mais

Anatomia do Sistema Respiratório. Prof.Gabriel Villas-Bôas

Anatomia do Sistema Respiratório. Prof.Gabriel Villas-Bôas Anatomia do Sistema Respiratório Prof.Gabriel Villas-Bôas Objetivos Compreender as partes anatômicas que compõem o sistema respiratório incluindo: O sistema condutor; A nasofaringe e laringofaringe; A

Leia mais

Crânio e ossos associados. Caixa torácica. Coluna vertebral

Crânio e ossos associados. Caixa torácica. Coluna vertebral Sistema Esquelético 213 Esqueleto Apendicular 126 Esqueleto Axial 87 Crânio e ossos associados 29 Caixa torácica 25 Coluna vertebral 33 Crânio Abrigar e proteger o encéfalo Apresenta aberturas para passagem

Leia mais

NERVO TRIGÊMEO. Anatomia Aplicada à Odontologia. Prof. Peter Reher, CD, CD, MSc, MSc, PhD. PhD

NERVO TRIGÊMEO. Anatomia Aplicada à Odontologia. Prof. Peter Reher, CD, CD, MSc, MSc, PhD. PhD NERVO TRIGÊMEO Anatomia Aplicada à Odontologia Prof. Peter Reher, CD, CD, MSc, MSc, NERVO TRIGÊMEO Dr. Peter Reher, CD, CD, MSc, Especialista e Mestre em CTBMF - UFPel-RS Doutor () em CTBMF - University

Leia mais

IMAGENS DA ANATOMIA RADIOGRÁFICA DA MAXILA

IMAGENS DA ANATOMIA RADIOGRÁFICA DA MAXILA IMAGENS DA ANATOMIA RADIOGRÁFICA DA MAXILA O exame radiográfico periapical para avaliação dos dentes e estruturas da maxila permite a observação de imagens de estruturas anatômicas, características de

Leia mais

COLEÇÃO MANUAIS DA ODONTOLOGIA ANATOMIA E COORDENADORA SANDRA DE QUADROS UZÊDA AUTORES SANDRA DE QUADROS UZÊDA MARCOS VIDAL RIVAS

COLEÇÃO MANUAIS DA ODONTOLOGIA ANATOMIA E COORDENADORA SANDRA DE QUADROS UZÊDA AUTORES SANDRA DE QUADROS UZÊDA MARCOS VIDAL RIVAS COLEÇÃO MANUAIS DA ODONTOLOGIA 3 CIRURGIA ANATOMIA E ORAL COORDENADORA SANDRA DE QUADROS UZÊDA AUTORES SANDRA DE QUADROS UZÊDA MARCOS VIDAL RIVAS SUMÁRIO OSTEOLOGIA CAPÍTULO 1 1. Neurocrânio...15 2. Viscerocrânio...16

Leia mais

ROTEIRO DE AULA PRÁTICA

ROTEIRO DE AULA PRÁTICA FACULDADE DE ENSINO E CULTURA DO CEARÁ CURSOS DE SAÚDE ANATOMIA ROTEIRO DE AULA PRÁTICA Profs. Musse Jereissati, Rosi Paixão e Ana Cláudia Queiroz Ossos do membro superior: Clavícula, escápula (que constituem

Leia mais

Sistema respiratório. Profa. Mirelle Saes

Sistema respiratório. Profa. Mirelle Saes Sistema respiratório Profa. Mirelle Saes Sistema Respiratório Respiração troca substâncias gasosas entre o ar e a corrente sanguínea. Bulbo amplitude e freqüência da respiração. Diafragma nervo frênico.

Leia mais

Anatomo-Histo-Fisiologia I 2008-2009 Cristina Teixeira

Anatomo-Histo-Fisiologia I 2008-2009 Cristina Teixeira 1 SISTEMA OSTEOARTICULAR III ESQUELETO AXIAL CABEÇA ÓSSEA SUMÁRIO I DIVISÕES DA CABEÇA ÓSSEA Crânio: calote e base Face II - OSSOS DO CRÂNIO 1 Parietal Faces interna e externa Bordos superior ou sagital,

Leia mais

OSSOS DA CABEÇA CRÂNIO COMO UM TODO

OSSOS DA CABEÇA CRÂNIO COMO UM TODO OSSOS DA CABEÇA O crânio é o esqueleto da cabeça; vários ossos formam suas duas partes: o Neurocrânio e o Esqueleto da Face. O neurocrânio fornece o invólucro para o cérebro e as meninges encefálicas,

Leia mais

ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA Apostila de Exercícios de Fixação Sistema Esquelético ESQUELETO AXIAL ESQUELETO APENDICULAR

ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA Apostila de Exercícios de Fixação Sistema Esquelético ESQUELETO AXIAL ESQUELETO APENDICULAR ASSOCIAÇÃO PESTALOZZI DE NITERÓI CURSO TÉCNICO ALMIR MADEIRA Estrada Caetano Monteiro, 857 Pendotiba. Niterói- RJ Tel: 21994400/21.26202173 (Centro) CURSO: DISCIPLINA: Anatomia e Fisiologia Humana DOCENTE:

Leia mais

15/03/2016 OSTEOLOGIA GERAL E ESQUELETO AXIAL TERMINOLOGIA PARTES DE UM OSSO TERMINOLOGIA TERMINOLOGIA O SISTEMA ESQUELÉTICO EPÍFISE

15/03/2016 OSTEOLOGIA GERAL E ESQUELETO AXIAL TERMINOLOGIA PARTES DE UM OSSO TERMINOLOGIA TERMINOLOGIA O SISTEMA ESQUELÉTICO EPÍFISE O SISTEMA ESQUELÉTICO OSTEOLOGIA Estudo dos ossos que formam o esqueleto ou a estrutura do corpo Fornece a base para a estrutura externa e aparência dos vertebrados Possuem vasos sanguíneos, vasos linfáticos

Leia mais

Coluna Vertebral e Crâneo

Coluna Vertebral e Crâneo Coluna Vertebral e Crâneo Nome: Turma: PL1/PL2 Aspectos gerais A. Legende a figura e refira o número de vértebras existentes em cada uma das regiões assinaladas: 1- N.º de vértebras: 2- N.º de vértebras:

Leia mais

Tem uma forma semelhante a uma pirâmide. O bordo orbitário é espesso e arredondado na sua abertura anterior.

Tem uma forma semelhante a uma pirâmide. O bordo orbitário é espesso e arredondado na sua abertura anterior. ÓRBITA Os ossos da órbita fornecem suporte e protecção para os tecidos moles orbitários. A órbita consiste em 7 ossos individuais, os quais se combinam para formar 4 paredes envolventes: esfenóide, frontal,

Leia mais

Universidade Federal de Viçosa Campus UFV Florestal

Universidade Federal de Viçosa Campus UFV Florestal Universidade Federal de Viçosa Campus UFV Florestal SISTEMA ESQUELÉTICO ANATOMIA HUMANA Laboratório de Morfofisiologia Funções: suporte, movimento, proteção, estoque de minerais e hematopoiese. O esqueleto

Leia mais

SISTEMA RESPIRATÓRIO. Prof. Dr. Thiago Cabral

SISTEMA RESPIRATÓRIO. Prof. Dr. Thiago Cabral SISTEMA RESPIRATÓRIO Respiração É o processo pelo qual o organismo absorve oxigênio e elimina gás carbônico. Órgão respiratório Pulmão Elemento intermediário Sangue Divisão do Sistema Respiratório Porção

Leia mais

NERVOS CRANIANOS. Prof. João M. Bernardes

NERVOS CRANIANOS. Prof. João M. Bernardes NERVOS CRANIANOS Prof. João M. Bernardes Doze pares de nervos se originam no cérebro, eles são denominados nervos cranianos; A maioria dos nervos cranianos são mistos, compostos por fibras sensitivas e

Leia mais

Anatomia da Cabeça e do Pescoço. Gaudencio Barbosa Residente Cirurgia de Cabeça e Pescoço Hospital Universitário Walter Cantídio

Anatomia da Cabeça e do Pescoço. Gaudencio Barbosa Residente Cirurgia de Cabeça e Pescoço Hospital Universitário Walter Cantídio Anatomia da Cabeça e do Pescoço Gaudencio Barbosa Residente Cirurgia de Cabeça e Pescoço Hospital Universitário Walter Cantídio Introdução Area anatomicamente rica e complexa Indice de complicações depende

Leia mais

CRÂNIO E FACE POSICIONAMENTO RADIOLÓGICO TÓPICOS DE ANATOMIA - 1 -

CRÂNIO E FACE POSICIONAMENTO RADIOLÓGICO TÓPICOS DE ANATOMIA - 1 - CRÂNIO E FACE POSICIONAMENTO RADIOLÓGICO E TÓPICOS DE ANATOMIA - 1 - SUMÁRIO ABREVIATURAS, SIGLAS E SÍMBOLOS...03 TÓPICOS DE ANATOMIA...04 CALOTA CRANIANA...07 CRÂNIO FRENTE CRÂNIO MÉTODO DE CALDWELL CRÃNIO

Leia mais

SISTEMA ESQUELÉTICO. Curso Técnico em Estética Bruna Cristina Jaboinski Silva

SISTEMA ESQUELÉTICO. Curso Técnico em Estética Bruna Cristina Jaboinski Silva SISTEMA ESQUELÉTICO Curso Técnico em Estética Bruna Cristina Jaboinski Silva O ESQUELETO HUMANO Além de dar sustentação ao corpo, o esqueleto protege os órgãos internos e fornece pontos de apoio para a

Leia mais

ANATOMIA RADIOGRÁFICA DA MAXILA EM RADIOGRAFIAS PERIAPICAIS

ANATOMIA RADIOGRÁFICA DA MAXILA EM RADIOGRAFIAS PERIAPICAIS ANATOMIA RADIOGRÁFICA DA MAXILA EM RADIOGRAFIAS PERIAPICAIS O exame radiográfico pelo método periapical para avaliação dos dentes e estruturas da maxila permite a observação de uma série de imagens de

Leia mais

OSSOS DE MEMBRO INFERIOR PROF. Esp. Carlos Henrique Przybysz 1

OSSOS DE MEMBRO INFERIOR PROF. Esp. Carlos Henrique Przybysz 1 OSSOS DE MEMBRO INFERIOR PROF. Esp. Carlos Henrique Przybysz 1 1 OSSOS DO CÍNGULO DO MEMBRO INFERIOR Também chamado de cintura pélvica forma a raiz de implantação do membro inferior, sendo constituído

Leia mais

APARELHO LOCOMOTOR. sistema esquelético, sistema muscular, sistema articular

APARELHO LOCOMOTOR. sistema esquelético, sistema muscular, sistema articular Aparelho locomotor APARELHO LOCOMOTOR APARELHO LOCOMOTOR sistema esquelético, sistema muscular, sistema articular APARELHO LOCOMOTOR SISTEMA ESQUELÉTICO Ossos são órgãos esbranquiçados, muito duros, que

Leia mais

Molares Decíduos Decíduos

Molares Decíduos Decíduos Ô Ô Ô Ô Osso Frontal e Ossos Próprios do Nariz. Ô Osso Frontal e Ossos Próprios do Nariz. Ossos Esfenóide e Occipital. Ô Osso Frontal e Ossos Próprios do Nariz. Ossos Esfenóide e Occipital. Meato Acústico

Leia mais

SISTEMA ESQUELÉTICO. Prof. Esp. Bruno Gonzaga

SISTEMA ESQUELÉTICO. Prof. Esp. Bruno Gonzaga SISTEMA ESQUELÉTICO Prof. Esp. Bruno Gonzaga CONSIDERAÇÕES GERAIS 2 Nosso aparelho locomotor é constituído pelos sistemas muscular, ósseo e articular. Eles possuem 656 músculos e 206 ossos e têm como função

Leia mais

ANATOMIA HUMANA. Faculdade Anísio Teixeira Curso de Férias Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto

ANATOMIA HUMANA. Faculdade Anísio Teixeira Curso de Férias Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto ANATOMIA HUMANA Faculdade Anísio Teixeira Curso de Férias Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto Basicamente a respiração é a absorção pelo organismo de oxigênio e a eliminação do gás carbônico

Leia mais

Sumário. 2 Cabeça e Pescoço Anatomia Geral VII. 2.1 Crânio Aparelho Mastigatório e Músculos da Cabeça 53.

Sumário. 2 Cabeça e Pescoço Anatomia Geral VII. 2.1 Crânio Aparelho Mastigatório e Músculos da Cabeça 53. VII Sumário 1 Anatomia Geral 2 Cabeça e Pescoço 19 Posição dos Órgãos Internos, Pontos de Palpação e Linhas Regionais 2 Planos de Secção e Termos de Direção do Corpo 4 Osteologia 6 Esqueleto do Corpo Humano

Leia mais

Os membros inferiores são formados por cinco segmentos ósseos, que apresentamos a seguir. Todos os ossos desses segmentos são pares.

Os membros inferiores são formados por cinco segmentos ósseos, que apresentamos a seguir. Todos os ossos desses segmentos são pares. ESQUELETO APENDICULAR INFERIOR OSTEOLOGIA DOS MEMBROS INFERIORES Os membros inferiores são formados por cinco segmentos ósseos, que apresentamos a seguir. Todos os ossos desses segmentos são pares. Cintura

Leia mais

Axônios motores somáticos (eferentes somáticos gerais): Axônios motores branquiais (eferentes viscerais especiais):

Axônios motores somáticos (eferentes somáticos gerais): Axônios motores branquiais (eferentes viscerais especiais): Nervos Cranianos: Função: Axônios motores somáticos (eferentes somáticos gerais): Axônios motores branquiais (eferentes viscerais especiais): Axônios motores viscerais (eferentes viscerais gerais): Fibras

Leia mais

Total de 11 páginas 1

Total de 11 páginas 1 SISTEMA ESQUELÉTICO O esqueleto Esqueleto grego: corpo ressecado Entretanto é um tecido vivo Endoesqueleto 206 ossos Funções Sustentação; Proteção; Reserva de minerais; Movimentação; Formação de células

Leia mais

MENINGES, LÍQUOR E SISTEMA VENTRICULAR MENINGES. Prof. João M. Bernardes

MENINGES, LÍQUOR E SISTEMA VENTRICULAR MENINGES. Prof. João M. Bernardes MENINGES, LÍQUOR E SISTEMA VENTRICULAR Prof. João M. Bernardes MENINGES O SNC é envolvido por três membranas denominadas meninges; As meninges estão compostas, de fora para dentro, pela dura-máter, aracnóide

Leia mais

ANATOMIA HUMANA. Profª. Ana Carolina Athayde Braz. Programa da Disciplina. 1. Introdução ao Estudo da Anatomia

ANATOMIA HUMANA. Profª. Ana Carolina Athayde Braz. Programa da Disciplina. 1. Introdução ao Estudo da Anatomia ANATOMIA HUMANA Profª. Ana Carolina Athayde Braz Programa da Disciplina 1. Introdução ao Estudo da Anatomia 2. Sistema Passivo de Locomoção Esqueleto e Sistema Ósseo. 2.1 Osteologia, Funções e Classificação

Leia mais

Ossos, músculos e ligamentos da cabeça e do pescoço

Ossos, músculos e ligamentos da cabeça e do pescoço Ossos, músculos e ligamentos da cabeça e do pescoço Prof. Dr. Caio Maximino Marabá Maio/2015 Cabeça é composta por crânio, face, escalpo, dentes, encéfalo, nervos cranianos, meninges, órgãos dos sentidos

Leia mais

Sumário. Cabeça e Pescoço

Sumário. Cabeça e Pescoço Cabeça e Pescoço 1 Visão Geral 1.1 Regiões e Acidentes Ósseos.......................... 2 1.2 Cabeça e Pescoço em Conjunto e Fáscias do Pescoço.... 4 1.3 Anatomia Clínica....................................

Leia mais

Controla funções orgânicas e é responsável pela interação do animal com o meio ambiente.

Controla funções orgânicas e é responsável pela interação do animal com o meio ambiente. Sistema Nervoso Controla funções orgânicas e é responsável pela interação do animal com o meio ambiente. Muitas funções dependem da vontade e muitas são inconscientes. Divisão Sistema Nervoso Central constituído

Leia mais

ARTICULAÇÃO TÊMPORO-MANDIBULAR

ARTICULAÇÃO TÊMPORO-MANDIBULAR ARTICULAÇÃO TÊMPORO-MANDIBULAR MANDIBULAR Anatomia Aplicada à Odontologia ARTICULAÇÃO TÊMPORO-MANDIBULAR MANDIBULAR Dr. Peter Reher, CD, CD, MSc, PhD PhD Especialista e Mestre em CTBMF - UFPel-RS Doutor

Leia mais

S. Esq. Anatomia geral

S. Esq. Anatomia geral S. Esq. Anatomia geral Categorias da divisão dos ossos: No adulto o esqueleto é constituído por 206 ossos Esqueleto axial: Constituído pela cabeça óssea, osso hióide, coluna vertebral e caixa torácica

Leia mais

Nome RA. Introdução ao Estudo da Anatomia Humana

Nome RA. Introdução ao Estudo da Anatomia Humana Introdução ao Estudo da Anatomia Humana 1) È um dos fatores gerais de variação anatômica 2) Segmento do membro inferior 3) Plano de secção que divide o corpo em duas porções laterais exatamente iguais

Leia mais

DESCRIÇÃO ANATÔMICA E RADIOGRÁFICA DAS ESTRUTURAS OBSERVADAS EM RADIOGRAFIAS INTRA E EXTRABUCAIS DA REGIÃO BUCOMAXILOFACIAL

DESCRIÇÃO ANATÔMICA E RADIOGRÁFICA DAS ESTRUTURAS OBSERVADAS EM RADIOGRAFIAS INTRA E EXTRABUCAIS DA REGIÃO BUCOMAXILOFACIAL ANATOMIA RADIOGRÁFICA DA REGIÃO BUCOMAXILOFACIAL: UMA ABORDAGEM INTERATIVA NA WEB III Programa de Bolsas de Iniciação Científica AUTORA: Renata Vasconcelos Pavan CO-AUTORAS: Paula Ribeiro Borges Vanessa

Leia mais

ANATOMIA DA CABEÇA ÓSSEA

ANATOMIA DA CABEÇA ÓSSEA ESTUDO RADIOLOGICA DA CABEÇA INTRODUÇÃO Na interpretação de qualquer imagem radiológica, sendo ela adquirida em qualquer método, o bom entendimento do profissional realizador é essencial para manter um

Leia mais

Anatomia Radiológica (MMSS) Prof.: Gustavo Martins Pires

Anatomia Radiológica (MMSS) Prof.: Gustavo Martins Pires Anatomia Radiológica (MMSS) Prof.: Gustavo Martins Pires Membros Superiores (MMSS) Membros Superiores (MMSS) A escápula está mergulhada na massa muscular do dorso do indivíduo, sem qualquer fixação direta

Leia mais

Músculos da Cabeça e Pescoço

Músculos da Cabeça e Pescoço UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Instituto de Ciências Biomédicas Departamento de Anatomia Músculos da Cabeça e Pescoço Profa. Elen H. Miyabara elenm@usp.br Músculos da Cabeça e do Pescoço - Movimentam a cabeça

Leia mais

Cabeça e Pescoço. 4 Sistemática dos Elementos Vasculonervosos. 1 Visão Geral. 2 Ossos, Ligamentos e Articulações

Cabeça e Pescoço.  4 Sistemática dos Elementos Vasculonervosos. 1 Visão Geral. 2 Ossos, Ligamentos e Articulações Cabeça e Pescoço 1 Visão Geral 1.1 Regiões e Acidentes Ósseos 2 1.2 Cabeça e Pescoço em Conjunto e Fáscias do Pescoço 4 1.3 Anatomia Clínica 6 1.4 Embriologia da Face 8 1.5 Embriologia do Pescoço 10 2

Leia mais

Osteologia Introdução

Osteologia Introdução Universidade Federal do Acre Curso de Medicina Veterinária Osteologia Introdução Prof. Adj. Dr. Yuri Karaccas de Carvalho Anatomia Descritiva Animal I Objetivos da Aula Composição dos ossos Função dos

Leia mais

INTRODUÇÃO Á ANATOMIA HUMANA. Instituto Long Tao. Prof. Regiane Monteiro

INTRODUÇÃO Á ANATOMIA HUMANA. Instituto Long Tao. Prof. Regiane Monteiro INTRODUÇÃO Á ANATOMIA HUMANA Instituto Long Tao Prof. Regiane Monteiro INTRODUÇÃO Á ANATOMIA HUMANA História da Anatomia Terminologia Anatômica Osteologia HISTÓRIA DA ANATOMIA HUMANA HISTÓRIA DA ANATOMIA

Leia mais

SISTEMA ESQUELÉTICO. Centro Universitário Central Paulista UNICEP São Carlos Disciplina: Anatomia Humana Profa. Silvia Tesser.

SISTEMA ESQUELÉTICO. Centro Universitário Central Paulista UNICEP São Carlos Disciplina: Anatomia Humana Profa. Silvia Tesser. SISTEMA ESQUELÉTICO Centro Universitário Central Paulista UNICEP São Carlos Disciplina: Anatomia Humana Profa. Silvia Tesser. SISTEMA ESQUELÉTICO 1. Conceito: -Ostelogia -Esquelto -Ossos Profa. Silvia

Leia mais

Profa. Dra. Iêda Guedes Depto Histologia e Embriologia - CCB Universidade Federal do Pará

Profa. Dra. Iêda Guedes Depto Histologia e Embriologia - CCB Universidade Federal do Pará Módulo: Morfológicas I Disciplina: Histologia Curso: Odontologia Profa. Dra. Iêda Guedes Depto Histologia e Embriologia - CCB Universidade Federal do Pará Vista de embrião com 22 dias Primeiro Arco

Leia mais

Osteologia. Prof.: Gustavo Martins Pires

Osteologia. Prof.: Gustavo Martins Pires Osteologia Prof.: Gustavo Martins Pires Osteologia Osteologia A moldura de ossos e cartilagem que protege nossos órgão e permite nossos movimentos é denominada de sistema esquelético. Cada osso do sistema

Leia mais

Embriologia da face e da cavidade oral

Embriologia da face e da cavidade oral Embriologia da face e da cavidade oral Dia 0 Dia 3 Dia 5 Dia 15 Dia 20 1 0 Mês 14-16 DIAS Gastrulação RELEMBRAR ectoderma epiblasto ectoderma mesoderma mesoderma endoderma endoderma 23 dias Remoção da

Leia mais

file://c:\documents and Settings\All Users.WINDOWS\Documentos\ANATOMIA\Nervos Cranianos.htm

file://c:\documents and Settings\All Users.WINDOWS\Documentos\ANATOMIA\Nervos Cranianos.htm Page 1 of 18 NERVOS CRANIANOS Nervos cranianos são os que fazem conexão com o encéfalo. Os 12 pares de nervos cranianos recebem uma nomenclatura específica, sendo numerados em algarismos romanos, de acordo

Leia mais

SISTEMA ESQUELÉTICO. O sistema esquelético é composto de ossos e cartilagens.

SISTEMA ESQUELÉTICO. O sistema esquelético é composto de ossos e cartilagens. SISTEMA ESQUELÉTICO Conceito de Sistema Esquelético O sistema esquelético é composto de ossos e cartilagens. Conceito de Ossos: Ossos são órgãos esbranquiçados, muito duros, que unindos-se aos outros,

Leia mais

Anatomia e Fisiologia Humana Facial

Anatomia e Fisiologia Humana Facial Anatomia e Fisiologia Humana Facial Colégio Técnico São Bento Sumário Capítulo 2 Anatomia e Fisiologia Humana Facial... 3 2.1 Sistema esquelético... 4 2.1.1 Funções do Sistema Esquelético... 4 2.2 Divisão

Leia mais

OSTEOLOGIA PRISCILA GOMES

OSTEOLOGIA  PRISCILA GOMES OSTEOLOGIA www.nomeiodaterra.com biologia.psilva@gmail.com PRISCILA GOMES Introdução a Osteologia A anatomia é a união das classificações, e descrições das estruturas e órgãos do corpo humano, que em contrapartida

Leia mais

15/03/2016 ESQUELETO APENDICULAR OSTEOLOGIA DO ESQUELETO APENDICULAR MEMBRO TORÁCICO. Constituído por ossos dos membros torácico e pélvico

15/03/2016 ESQUELETO APENDICULAR OSTEOLOGIA DO ESQUELETO APENDICULAR MEMBRO TORÁCICO. Constituído por ossos dos membros torácico e pélvico ESQUELETO APENDICULAR Constituído por ossos dos membros torácico e pélvico OSTEOLOGIA DO ESQUELETO APENDICULAR Ombro - Escápula Braço - Úmero Antebraço Rádio e Ulna Joelho - Carpos Canela - Metacarpos

Leia mais

I PAR II PAR ÓPTICO 02/04/2013 NERVOS CRANIANOS NERVOS CRANIANOS. Classificação funcional OLFATÓRIO. Função: Olfato (Estímulos químicos) Função: Visão

I PAR II PAR ÓPTICO 02/04/2013 NERVOS CRANIANOS NERVOS CRANIANOS. Classificação funcional OLFATÓRIO. Função: Olfato (Estímulos químicos) Função: Visão NRVOS CRANIANOS NRVOS CRANIANOS Numeração crânio-caudal I Classificação funcional gerais Temperatura, tato, pressão, dor e vibração somáticas especiais Visão, audição e equilíbrio Fibras aferentes Fibras

Leia mais

PA (póstero-anterior) e o perfil esquerdo.

PA (póstero-anterior) e o perfil esquerdo. ESTUDO RADIOGRÁFICO DO CRÂNIO Pontos anatômicos de referência superficial da cabeça São úteis para a identificação de estruturas anatômicas, facilitando a realização do exame radiográfico. Os principais

Leia mais

Ciências Morfofuncionais dos Sistemas Tegumentar, Reprodutor e Locomotor. Profa. MSc. Ângela Cristina Ito

Ciências Morfofuncionais dos Sistemas Tegumentar, Reprodutor e Locomotor. Profa. MSc. Ângela Cristina Ito Ciências Morfofuncionais dos Sistemas Tegumentar, Reprodutor e Locomotor Profa. MSc. Ângela Cristina Ito Nos encontros passados, iniciamos nosso estudo sobre o sistema esquelético, composto de ossos e

Leia mais

ANATOMIA HUMANA. Faculdade Anísio Teixeira Curso de Férias Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto

ANATOMIA HUMANA. Faculdade Anísio Teixeira Curso de Férias Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto ANATOMIA HUMANA Faculdade Anísio Teixeira Curso de Férias Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto Planos Planos de delimitação e secção do corpo humano Planos Planos de delimitação Plano ventral

Leia mais

ANATOMIA BUCOMAXILOFACIAL

ANATOMIA BUCOMAXILOFACIAL ANATOMIA BUCOMAXILOFACIAL Djanira Aparecida da Luz Veronez 1 INTRODUÇÃO O complexo bucomaxilofacial se localiza na face, sendo formado por elementos anatômicos do esqueleto cefálico, articulação temporomandibular,

Leia mais

Nervos Cranianos. Prof. Gerardo Cristino. Nervios Craneanos - Anatomía y clínica - Pauwels, Akesson, Stewart

Nervos Cranianos. Prof. Gerardo Cristino.  Nervios Craneanos - Anatomía y clínica - Pauwels, Akesson, Stewart Nervos Cranianos Prof. Gerardo Cristino www.gerardocristino.com.br Classificação das fibras dos Nervos Cranianos AFERENTES Fibras aferentes somáticas Dor, temperatura, tato, pressão, propriocepção Fibras

Leia mais

Universidade Federal de Pelotas Faculdade de Odontologia Extensão Universitária - ADITEME -

Universidade Federal de Pelotas Faculdade de Odontologia Extensão Universitária - ADITEME - Universidade Federal de Pelotas Faculdade de Odontologia Extensão Universitária - ADITEME - Atendimento Especial de Pacientes com Disfunção da Articulação Temporomandibular Conceitos básicos em Anatomia

Leia mais

Esqueleto Apendicular e Axial, e articulação do joelho. Marina Roizenblatt 75 Monitora de Anatomia

Esqueleto Apendicular e Axial, e articulação do joelho. Marina Roizenblatt 75 Monitora de Anatomia Esqueleto Apendicular e Axial, e articulação do joelho Marina Roizenblatt 75 Monitora de Anatomia Coluna Vertebral Canal Vertebral Forames intervertebrais Características de uma vértebra típica Corpo vertebral

Leia mais

- ADITEME - Atendimento Especial de Pacientes com Disfunção da Articulação Temporomandibular. Conceitos básicos em Anatomia da Cabeça e Pescoço

- ADITEME - Atendimento Especial de Pacientes com Disfunção da Articulação Temporomandibular. Conceitos básicos em Anatomia da Cabeça e Pescoço Universidade Federal de Pelotas Faculdade de Odontologia Extensão Universitária - ADITEME - Atendimento Especial de Pacientes com Disfunção da Articulação Temporomandibular Conceitos básicos em Anatomia

Leia mais

INTRODUÇÃO Á ANATOMIA HUMANA. Instituto Long Tao. Prof. Regiane Monteiro

INTRODUÇÃO Á ANATOMIA HUMANA. Instituto Long Tao. Prof. Regiane Monteiro INTRODUÇÃO Á ANATOMIA HUMANA Instituto Long Tao Prof. Regiane Monteiro INTRODUÇÃO Á ANATOMIA HUMANA História da Anatomia Terminologia Anatômica Osteologia HISTÓRIA DA ANATOMIA HUMANA HISTÓRIA DA ANATOMIA

Leia mais

24/02/2016 RELAÇÕES ANATÔMICAS RELAÇÕES ANATÔMICAS RELAÇÕES ANATÔMICAS RELAÇÕES ANATÔMICAS RELAÇÕES ANATÔMICAS

24/02/2016 RELAÇÕES ANATÔMICAS RELAÇÕES ANATÔMICAS RELAÇÕES ANATÔMICAS RELAÇÕES ANATÔMICAS RELAÇÕES ANATÔMICAS RELAÇÕES ANATÔMICAS A laringe pode ser comparada há uma passagem de ar, um mecanismo esfincteriano, e um órgão de fonação, estende-se da laringo-faringe até a traquéia. Marcelo Marques Soares Prof. Didi

Leia mais

OSSOS TEMPORAIS(OUVIDO)

OSSOS TEMPORAIS(OUVIDO) OSSOS TEMPORAIS(OUVIDO) A avaliação de perda auditiva ou tiníto quase sempre inclui a investigação do osso temporal através de imagens. Há uma grande variedade de processos de doenças congênitas e adquiridas

Leia mais

Introdução à Anatomia

Introdução à Anatomia ESTRUTURA ANIMAL 1 Introdução à Anatomia : É o fundamento de todas as outras ciências médicas. Função: Fornecer noções preciosas para as aplicações na prática médico-cirúrgica Anatomia vem do grego; Significa

Leia mais

NERVOS ESPINHAIS. Relação das Raízes Nervosas com as Vértebras

NERVOS ESPINHAIS. Relação das Raízes Nervosas com as Vértebras Page 1 of 7 NERVOS ESPINHAIS São aqueles que fazem conexão com a medula espinhal e são responsáveis pela inervação do tronco, dos membros superiores e partes da cabeça. São ao todo 31 pares, 33 se contados

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE

UNIVERSIDADE PAULISTA FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE UNIVERSIDADE PAULISTA FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE Brasilia UNIP Prof. Dr. Ricardo F. Paulin ANÁLISE FACIAL ð Interdependência Beleza Facial x Oclusão ð Inadequação do padrão dento-esquelético na avaliação

Leia mais

Sistema Esquelético. O esqueleto. O esqueleto possui 5 funções. Composição dos ossos: Células ósseas:

Sistema Esquelético. O esqueleto. O esqueleto possui 5 funções. Composição dos ossos: Células ósseas: Sistema Esquelético O esqueleto O Esqueleto é o suporte do corpo, uma armação articulada que permite ao homem realizar movimentos complexos e manter-se ereto. É composto por 206 ossos e são tecidos vivos.

Leia mais

ROTEIRO DE ESTUDO Membro inferior

ROTEIRO DE ESTUDO Membro inferior ROTEIRO DE ESTUDO Membro inferior OSSOS Os membros inferiores são mais estáveis, devido a fixação de duas fortes articulações, anteriormente, a sínfise púbica (é uma articulação cartilagínea) e posteriormente

Leia mais

Crescimento da Mandíbula. Cartilagem de Meckel e Mandíbula Óssea

Crescimento da Mandíbula. Cartilagem de Meckel e Mandíbula Óssea Cartilagem de Meckel e Mandíbula Óssea O primeiro par de arcos branquiais é o precursor da maxila e da mandíbula Porém, a maxila é derivada de uma pequena proeminência deste arco branquial, muito menor

Leia mais

ANATOMIA HUMANA. Faculdade Anísio Teixeira Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto

ANATOMIA HUMANA. Faculdade Anísio Teixeira Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto ANATOMIA HUMANA Faculdade Anísio Teixeira Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto Basicamente a respiração é a absorção pelo organismo de oxigênio e a eliminação do gás carbônico resultante do

Leia mais

Osteologia. Movimentos realizados Plano Sagital (Eixo Frontal) Plano Frontal (Eixo Sagital) Plano Transverso (Eixo Longitudinal)

Osteologia. Movimentos realizados Plano Sagital (Eixo Frontal) Plano Frontal (Eixo Sagital) Plano Transverso (Eixo Longitudinal) Posiçao anatómica: Osteologia Indivíduo de pé; Face virada para o observador; Palmas das mãos viradas para cima (supinação). Planos do movimento: Plano Sagital - Divide o corpo verticalmente (Esquerda/Direira);

Leia mais

ANATOMIA RADIOLÓGICA DOS MMII. Prof.: Gustavo Martins Pires

ANATOMIA RADIOLÓGICA DOS MMII. Prof.: Gustavo Martins Pires ANATOMIA RADIOLÓGICA DOS MMII Prof.: Gustavo Martins Pires OSSOS DO MEMBRO INFERIOR OSSOS DO MEMBRO INFERIOR Tem por principal função de locomoção e sustentação do peso. Os ossos do quadril, constituem

Leia mais

ANATOMIA APLICADA À MEDICINA I

ANATOMIA APLICADA À MEDICINA I UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA ANATOMIA APLICADA À MEDICINA I ROTEIRO DE AULAS PRÁTICAS DEPARTAMENTO DE ANATOMIA INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS - 1 - AUTORES José Otávio Guedes Junqueira Professor

Leia mais

Músculos da Face CINESIOTERAPIA

Músculos da Face CINESIOTERAPIA Músculos da Face Os músculos da face ou músculos da expressão facial são subcutâneos. Eles movem a pele e mudam as expressões da face para transmitir ânimo, disposição. Estes músculos estão nas partes

Leia mais

Radiografias Extra-Orais

Radiografias Extra-Orais Unidade Clínica I Radiografias Extra-Orais 25.10.2012 1 Introdução Nos exames radiográficos extra-orais, quer a fonte de raio-x, quer o receptor de imagem (película ou sensores electrónicos) estão colocados

Leia mais

Vascularização do Sistema Nervoso Central

Vascularização do Sistema Nervoso Central FACULDADE DE MEDICINA/UFC-SOBRAL MÓDULO SISTEMA NERVOSO NEUROANATOMIA FUNCIONAL Vascularização do Sistema Nervoso Central Prof. Gerardo Cristino Aula disponível em: www.gerardocristino.com.br Objetivos

Leia mais

Teórica: Aula expositiva dialogada com projeção de imagens e manipulação do esqueleto de resina, articulado.

Teórica: Aula expositiva dialogada com projeção de imagens e manipulação do esqueleto de resina, articulado. Aulas 2 e 3 Tema: Sistema esquelético Objetivos Mediar os conhecimentos científicos dos conteúdos propostos para que o aluno seja capaz de: Identificar a estrutura geral do Esqueleto Humano; Identificar

Leia mais

Hermann Blumenau Técnico em Saúde Bucal Anatomia e Fisiologia Geral SISTEMA ESQUELÉTICO. Professor: Bruno Aleixo Venturi

Hermann Blumenau Técnico em Saúde Bucal Anatomia e Fisiologia Geral SISTEMA ESQUELÉTICO. Professor: Bruno Aleixo Venturi Hermann Blumenau Técnico em Saúde Bucal Anatomia e Fisiologia Geral SISTEMA ESQUELÉTICO Professor: Bruno Aleixo Venturi CONCEITOS Esqueleto: conjunto de ossos, cartilagens e articulações que se interligam

Leia mais

NEUROANATOMIA com ÊNFASE em CABEÇA e PESCOÇO

NEUROANATOMIA com ÊNFASE em CABEÇA e PESCOÇO UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA ROTEIRO para AULAS PRÁTICAS de ANATOMIA e NEUROANATOMIA com ÊNFASE em CABEÇA e PESCOÇO ODONTOLOGIA 1º / 2º Semestre 2016/2 1 Bem-vindo ao Estudo da Anatomia Humana! Este roteiro

Leia mais

1º MOLAR INFERIOR A - CARACTERÍSTICAS GERAIS. É o 6 º dente do arco inferior;

1º MOLAR INFERIOR A - CARACTERÍSTICAS GERAIS. É o 6 º dente do arco inferior; MOLARES INFERIORES A - CARACTERÍSTICAS GERAIS É o 6 º dente do arco inferior; A superfície oclusal deste dente é a mais complicada de todos, pois apresenta, em 95% dos casos, cinco cúspides, devido ao

Leia mais