O horário de funcionamento normal do CONDOMÍNIO DO EDIFICIO BIRMANN 21 é das 8h00 às 20h00 - de segunda a sexta-feira.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O horário de funcionamento normal do CONDOMÍNIO DO EDIFICIO BIRMANN 21 é das 8h00 às 20h00 - de segunda a sexta-feira."

Transcrição

1 O Regulamento Interno do CONDOMÍNIO DO EDIFICIO BIRMANN 21, sito Av. das Nações Unidas, 7.221, São Paulo - SP, estabelece as regras de convivência e as relações entre os usuários do empreendimento. I - HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO DO EDIFÍCIO O horário de funcionamento normal do CONDOMÍNIO DO EDIFICIO BIRMANN 21 é das 8h00 às 20h00 - de segunda a sexta-feira. Neste período serão considerados normais a iluminação nas áreas privativas, os serviços como recepção, portaria, administração, manutenção das partes e equipamentos comuns e fornecimento de água gelada para os condicionadores de ar dos andares. Outros serviços considerados essenciais tais como: iluminação e eletricidade das áreas comuns, abastecimento de água para torneiras e sanitários, serviços de segurança, operação de elevadores e estacionamento devem ser mantidos 24 horas por dia, sete dias por semana, bem como a Central de Segurança que pode ser contatada por meio do telefone (011) , para qualquer necessidade relacionada ao CONDOMÍNIO DO EDIFICIO BIRMANN 21. II ACESSO DE PEDESTRES E VEÍCULOS OBJETIVO Estabelecer normas de acesso de pessoas e veículos ao CONDOMÍNIO DO EDIFICIO BIRMANN 21 e ESTACIONAMENTO. PROCEDIMENTOS: DO FUNCIONAMENTO DAS PORTARIAS: PEDESTRES A entrada ou saída de pedestres nas dependências do condomínio dar-se-á da seguinte forma: - Portaria 1 (P1), localizada na Av. das Nações Unidas, acesso permitido 24 horas por dia todos os dias da semana; - Portaria 2 (P2), localizada na Rua Sumidouro acesso permitido somente para Pessoa Com Deficiência das 8h às 20h de 2ª a 6ª feira; 1

2 - Portaria 3 (P3), localizada na Rua Gilberto Sabino acesso permitido das 8h às 20h de 2ª a 6ª feira somente para ciclistas; - Portaria 4 (P4), localizada ao lado do Terminal Pinheiros acesso permitido das 5h às 23h de 2ª a 6ª feira; e aos sábados das 5h às 15h. VEÍCULOS A entrada ou saída de veículos nas dependências do condomínio dar-se-á da seguinte forma: - Portaria 1 (P1), localizada na Av. das Nações Unidas, acesso permitido 24 horas por dia todos os dias da semana para entrada e saída de veículos; - Portaria 2 (P2), localizada na Rua Sumidouro acesso permitido das 8h às 20h de 2ª a 6ª feira para entrada e saída de veículos; - Portaria 3 (P3), localizada na Rua Gilberto Sabino acesso permitido das 8h às 20h de 2ª a 6ª feira para entrada de saída de veículos; DO CONTROLE DE ACESSO VISITANTES E/OU PRESTADORES DE SERVIÇOS O acesso de Visitantes e Prestadores de Serviços será coordenado na recepção do edifício conforme as regras definidas abaixo: Para adentrar o condomínio o pedestre deverá identificar-se na recepção, mediante apresentação do documento oficial, indicando a empresa a ser visitada. As recepções fornecerão um crachá de identificação de visitante para liberação do acesso e informará o andar e zona de elevadores da empresa visitada. O ingresso e livre circulação de visitantes e prestadores de serviços nas dependências do condomínio só serão permitidos aos portadores de identificação. Estes deverão estar em lugar visível, para serem apresentados aos responsáveis pela segurança do condomínio, quando solicitado. Nas recepções o visitante receberá um cartão de proximidade (cartão de visitante) que permitirá o acesso às áreas internas do edifício. Este cartão será devolvido no cofre coletor das catracas das recepções. O visitante que perder o seu crachá de identificação deverá solicitar sua liberação à empresa visitada junto a área de segurança, que será a responsável pelo reembolso do mesmo. A portaria não está autorizada a providenciar outro crachá ao visitante. 2

3 O ingresso de visitantes, bem como sua permanência fora do horário comercial (das 8h00 às 20h00 de segunda a sexta-feira), só serão permitidos mediante autorização da administração do condomínio, em atendimento a solicitação prévia do usuário. No caso de trabalho extraordinário fora do horário comercial, os condôminos/condôminos/locatários deverão fornecer à administração, com pelo menos 01 dia útil de antecedência a relação das pessoas que estarão autorizadas por eles a entrar no condomínio e no seu conjunto. Qualquer tratamento diferenciado a visitantes deverá ser solicitado, por escrito, à administração, com antecedência de 01 (um) dia útil. É vedado o acesso de qualquer pessoa não autorizada às áreas de uso restrito da administração do condomínio. É necessário que o condômino/locatário informe à administração o nome da pessoa responsável por sua empresa, com poderes de autorizante de acesso em horário extraordinário, bem como seus telefones residencial e celular para a rápida localização em caso de emergência. ACESSO DE USUÁRIOS DO CONDOMÍNIO: O condômino/locatário deverá informar à administração do condomínio, previamente e por escrito, com pelo menos um dia de antecedência, quais os funcionários autorizados a entrar no edifício. Nestas listas deverão constar: nome e telefone da empresa; nome completo do funcionário, nº do RG, além do horário autorizado a circular no condomínio. Para adentrar o condomínio tanto o veículo quanto o pedestre deverão utilizar o seu cartão de identificação nas catracas (pedestres) nas recepções; e nas cancelas de veículos onde será liberado o ingresso dos veículos cadastrados. O ingresso e livre circulação de qualquer usuário nas dependências do condomínio só serão permitidos aos portadores do Cartão de Identificação do condomínio (Crachá). Estes deverão estar em lugar visível, para serem apresentados aos funcionários do condomínio, quando solicitado. O Crachá Identificação para acesso ao condomínio será fornecido pela Administração. Em caso de extravio do crachá de identificação do condomínio o usuário e/ou a empresa deverá comunicar imediatamente a Central de Segurança (telefone ) e enviar para administração do condomínio, que bloqueará o cartão no sistema de controle de acesso. 3

4 Para emissão de um novo crachá, decorrente de extravio ou roubo, também deve ser feita uma solicitação por escrito à administração para que seja providenciado um substituto, que será custeado pela empresa solicitante. O valor para emissão de crachá extraviado varia de acordo com tabela vigente disponível na administração. O valor será cobrado juntamente com a contribuição condominial. No caso de trabalho extraordinário fora do horário autorizado, o condômino/locatário deverá fornecer à administração, com pelo menos 01 dia útil de antecedência, a relação das pessoas que estarão autorizadas por eles a entrar no edifício, caso os mesmos não possuam cadastro para acesso em horário extraordinário. O ingresso dos prestadores de serviços e/ou funcionários do condomínio nas áreas de: administração, segurança, limpeza e manutenção não estará sujeito aos horários estabelecidos neste Regulamento. III - ACESSO DE CARGA E DESCARGA OBJETIVO Normatizar a entrada de volumes de médio e grande porte nas dependências do CONDOMÍNIO DO EDIFICIO BIRMANN 21. HORÁRIOS E REGRAS PARA CARGAS E DESCARGAS: Existe uma área específica para carga e descarga no edifício, localizada no subsolo, denominada Docas. Cargas pequenas, pouco volumosas (galões de água, suprimentos de papelaria, compras de supermercado, etc. normalmente entregas que necessitam de uma ou duas viagens de elevador): De segunda a sexta-feira - das 8h00 às 17h30. Cargas grandes e mudanças (mobiliário, equipamentos, etc., normalmente entregas que necessitem do elevador para três viagens ou mais), mediante aviso prévio à Administração: De segunda a sexta-feira - das 20h00 às 05h00; De 20h00 de sexta-feira às 05h00 de segunda-feira. 4

5 O transporte de materiais, pacotes, sacos e embrulhos não portáteis para os diversos andares, só poderá ser feito utilizando-se o elevador de carga. A carga e descarga de materiais será feita por profissionais contratados pelos condôminos/locatários, utilizando as áreas de acesso destinadas para tal, mediante autorização prévia enviada da Administração. O condômino/locatário deverá manter uma pessoa de sua responsabilidade acompanhando o transporte de materiais até a sua área privativa. Qualquer evento e/ou dano decorrente deste transporte, que cause a necessidade de reparos ou limpeza das áreas comuns do edifício, será de responsabilidade do condôminos/locatários que causou estes danos. Não será permitido o armazenamento de materiais de qualquer natureza em área comum do condomínio. IV - ACESSO E ESTACIONAMENTO DE VEÍCULOS OBJETIVO Normatizar o acesso e o estacionamento de veículos nas dependências do CONDOMÍNIO EDIFICIO BIRMANN 21. CONCEITOS As vagas nas garagens localizadas no edifício garagem destinam-se à guarda e estacionamento de veículos de passeio. O número de vagas a que tem direito cada usuário está determinado nos instrumentos de especificação e instituição de condomínio. O horário de acesso dos condôminos/locatários que tiverem direito ao uso de vagas às garagens é o mesmo estabelecido para o acesso do usuário às dependências da Torre Comercial; O condomínio não se responsabilizará em hipótese alguma, por quaisquer danos ou avarias que vierem a sofrer os veículos dos usuários nas garagens e no estacionamento, decorrentes de abalroamento, colisão, incêndio, inundação, furto, roubo ou qualquer outro evento, ainda que culposo ou derivado de caso fortuito e de força maior, bem como por quaisquer objetos ou valores deixados no interior dos veículos. 5

6 PROCEDIMENTOS A entrada de veículos de usuários deverá seguir sinalização e as normas determinadas pela operadora de estacionamento. É obrigatório obedecer as placas de sinalização e trafegar na velocidade máxima indicada nos pisos da garagem. É expressamente vetado o estacionamento ou simples parada, nas áreas de acesso e nas áreas de circulação, bem como fazer reparos ou quaisquer serviços mecânicos no interior da garagem, salvo serviços emergenciais. É proibido o tráfego de veículos, cujo peso, incluindo as respectivas cargas, exceda o total de 500 Kg/m² ou altura determinada na sinalização no interior da garagem, nas áreas de acesso. A pernoite de veículos nas garagens do edifício, será liberada mediante prévia comunicação à Administração do edifício e ao operador da garagem. Não será permitido o estacionamento de veículos com vazamento de óleo. Usuários com bicicletas deverão acessar o empreendimento pela Rua Gilberto Sabino (P3). Ao adentrar o condomínio o ciclista deverá descer da bicicleta e guardá-la no bicicletário localizado na rampa de acesso da garagem. V RECEPÇÃO DE CORRESPONDÊNCIAS E PEQUENAS ENCOMENDAS OBJETIVO Normatizar a recepção de correspondências e pequenas encomendas destinadas às empresas usuárias do CONDOMÍNIO DO EDIFICIO BIRMANN 21. PROCEDIMENTOS Todas as correspondências e pequenas encomendas destinadas às empresas usuárias do edifício serão recebidas por pessoa especificamente designada pela administração do condomínio para este fim e serão retiradas na EXPEDIÇÃO (Protocolo), localizada no andar térreo mediante assinatura de protocolo. O serviço, para o fim supra especificado, funcionará no horário de 8h00 às 17h00 - de segunda a sexta-feira. 6

7 As correspondências registradas, somente serão entregues ao destinatário ou designado para recebimento mediante assinatura de protocolo de recebimento. A fim de possibilitar a triagem, as empresas usuárias do edifício deverão fornecer e manter atualizada relação completa com o nome e localização de seus funcionários, junto à administração do condomínio. O recebimento de correspondências ou encomendas por funcionários do condomínio, não implicará na admissão de qualquer responsabilidade ou no aceite das mesmas, o que caberá ao respectivo destinatário. As recepções, bem como a equipe de segurança, não estão autorizadas a manter sob sua guarda valores sob qualquer forma (em espécie, títulos ou cheques) que pertençam aos condôminos/locatários ou a seus prepostos. Qualquer entrega que ultrapasse os padrões de pequeno e médio porte, como mobiliário, cofres, etc., deverá ser feita fora do horário comercial, conforme procedimentos descritos no item III deste Regulamento. NOTA: Não é permitido o acesso de motoboys, entregadores de objetos e alimentos na áreas privativas. O usuário deverá se locomover até a recepção para retirar seus objetos/alimentos encomendados. JORNAIS E REVISTAS Os condôminos/locatários deverão manter lista atualizada junto à Administração do Condomínio, com informações sobre quais jornais e revistas mantêm assinatura, assim como o número de exemplares que deverão ser recebidos. Os jornais e revistas que forem entregues fora do horário especificado, serão recebidos pela equipe de segurança, que os guardará para serem retirados na expedição no primeiro dia útil imediato. Não é de responsabilidade da administração do condomínio reclamar junto aos fornecedores e distribuidores sobre eventuais faltas ou atrasos de exemplares. VI. NORMAS GERAIS PARA UTILIZAÇÃO DE HELIPONTO 1 - OBJETIVO Estas normas gerais têm o intuito de esclarecer e orientar os usuários do CONDOMÍNIO DO EDIFICIO BIRMANN 21 quanto aos procedimentos para utilização do heliponto. 2 - PROCEDIMENTOS: 7

8 O Heliponto poderá ser utilizado por condôminos/locatários ou público externo. A empresa que desejar oferecer os serviços aos seus funcionários deverá manter assinada a Solicitação de Pouso e Decolagem disponível na administração. Para pousos e decolagens, a pessoa autorizante deverá enviar solicitação à Administração, com pelo menos 1 dia útil de antecedência informando nome (s) do(s) passageiro(s), data, local e hora do pouso/ decolagem. Para cada atividade no heliponto será cobrado do condômino/locatário valor conforme tabela de serviços vigentes disponível na Administração. Normas de segurança deverão ser seguidas conforme determina o Solicitação de Pouso e Decolagem e conforme orientação da equipe responsável por pousos e decolagens. VII. NORMAS GERAIS PARA INSTALAÇÃO, REFORMAS E DESOCUPAÇÃO DE ESPAÇOS. 1 - OBJETIVO Estas normas gerais têm o intuito de esclarecer e orientar os condôminos/locatários do CONDOMÍNIO DO EDIFICIO BIRMANN 21 quanto aos procedimentos vigentes para a instalação de novos escritórios, assim como para eventuais remanejamentos, reformas e mesmo desocupação de espaços, que envolvam entrada e retirada de materiais e equipamentos em geral e que possam de alguma forma interferir no ambiente e nos sistemas operacionais do condomínio. Caberá ao condômino/ locatário encaminhar e divulgar estas normas para as empresas ou profissionais que porventura trabalharão na instalação, modificação ou desocupação de seus escritórios. Estas normas deverão ser cumpridas integralmente pelos condôminos/locatários, cabendo à administradora, ampla e total fiscalização quanto ao seu cumprimento. 8

9 O condomínio e a administradora não serão responsáveis por qualquer dano ou despesa (religamento de equipamentos de ar condicionado, iluminação, etc.) que porventura forem gerados durante a instalação, desocupação ou alterações dos espaços locados, ficando estes custos e despesas adicionais sob inteira e única responsabilidade do condômino/ locatário responsável pela obra. Preliminares O condômino/ locatário deverá apresentar à administradora, para exame e aprovação, todos os projetos de arquitetura (layout), instalações elétricas, hidráulicas e de ar condicionado, sprinklers, ventilação e exaustão mecânica, elaborados por profissionais capazes e idôneos, sob condições a seguir: Fornecer 02 cópias dos projetos supra mencionados em papel e em mídia eletrônica; Fornecer 02 cortes, um longitudinal e outro transversal, na escala 1:50; Fornecer memorial descritivo das instalações e modificações; Indicar nas plantas das especificações e dos materiais de acabamento; Nos projetos com modificação da infraestrutura existente no pavimento, estas deverão ser indicadas em cor diferente para facilitar a visualização; Independente da aprovação do condomínio, todas as especificações e projetos de instalações deverão obedecer às normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas, às posturas e regulamentos municipais, estaduais, federais e das concessionárias locais, bem como as normas a seguir descritas. A administradora se compromete a examinar os projetos a que aludem os itens anteriores, bem como a formular as exigências cabíveis, no prazo máximo de quinze dias úteis, a contar da data de recebimento dos referidos documentos. Os projetos cuja concepção alterem o funcionamento dos sistemas existentes (rede de sprinklers, rede de detectores de fumaça, ar condicionado e supervisão predial) deverão ser analisados pelos respectivos projetistas e instaladores destes sistemas do condomínio. A necessidade de instalação de gerador de energia própria, bem como qualquer alteração nos shafts de elétrica e telefonia, também deverão ser analisadas pelos projetistas e instaladores. Os custos destas análises serão repassados ao ocupante que gerar a necessidade de consulta, conforme valores previamente determinados pelos projetistas e divulgados pela administradora. 9

10 As obras só poderão ter início após a aprovação dos projetos pelos proprietários do imóvel, síndico, administradora do condomínio, prefeitura e demais órgãos competentes. A aprovação pela administradora, dos projetos de que trata este item, diz respeito apenas à integração destes projetos aos do condomínio e não substitui a sua aprovação por parte das autoridades públicas e das concessionárias de serviços públicos. Deverão ser entregues com as respectivas ART s (Anotações de Responsabilidade Técnica) conforme NBR Layout e Materiais a Serem Utilizados Não se limitando a eles, os seguintes itens deverão ser considerados previamente pelo condômino/condôminos/locatários no projeto de sua instalação ou eventuais reformas: Qualquer alteração no padrão de acabamento ou posicionamento das portas de acesso às unidades autônomas, desde que atenda legislações pertinentes e não interfira no funcionamento normal do edifício, dependerá de autorização prévia por parte da administração e da concordância unânime dos demais condôminos/locatários instalados no andar em referência. Toda e qualquer utilização de piso que possa alterar as condições de estabilidade do mesmo deverá ter solução técnica compatível com tal comportamento. Deverá ser observada a sobrecarga limite que será informada pela administração. Em todo e qualquer serviço de revestimento de piso em que se utilize cola para aderência do produto ao piso, a cola deverá ser do tipo à base d água, que não exale odor muito forte, reduzindo deste modo o incômodo e possíveis reações alérgicas aos ocupantes do prédio. A pintura ou qualquer tipo de revestimento de paredes internas ficará a critério do condômino/ locatário. Toda utilização de persianas deverá obedecer à padronização do condomínio. As instalações em geral (elétricas, hidráulicas, de telefonia, etc.) deverão, obrigatoriamente, seguir o padrão existente no condomínio. As instalações em geral (elétricas, hidráulicas, de telefonia, etc.) deverão, necessariamente, atender às exigências das normas técnicas definidas pela ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas. Não havendo definição daquela entidade sobre a matéria em questão, serão adotadas as normas técnicas internacionais pertinentes ao assunto. 10

11 Quanto à utilização de divisórias ou paredes limítrofes no interior do espaço privativo, estas deverão ser confeccionadas em material anti- chamas no caso de divisórias, ou em placas de concreto celular ou placas de gesso e/ou madeira no caso de paredes. Será vetada a implantação de qualquer projeto que envolva remoção total ou parcial das paredes estruturais existentes. A área de cobertura não poderá ser utilizada para outros fins que não tenham sido os inicialmente previstos e aprovados pelos órgãos competentes. A construção de sanitários exclusivos nas áreas de escritório, só será permitida nos locais inicialmente previstos e, desde que a laje de piso seja impermeabilizada. Imediatamente após o término da reforma/instalação, o condômino/condôminos/locatários deverá fornecer à administradora o projeto as-built (instalações, arquitetura, lay-out, ar condicionado), e a respectiva Anotação de Responsabilidade Técnica do profissional responsável. O sistema de detecção de incêndio poderá ser expandido para as áreas privativas. Existe uma previsão de pontos por conjunto, conforme projetos originais da edificação. Os custos desta instalação correm a expensas de quem a demandar. Início das Obras e Pessoal Envolvido Os seguintes itens deverão ser obedecidos: O condômino/locatário deverá informar à administradora quanto à intenção de iniciar as obras de reformas ou instalações com o prazo mínimo de uma semana de antecedência após o projeto aprovado por esta. O condômino/ locatário deverá fornecer à administradora uma lista com os nomes dos profissionais contratados por ele que irão trabalhar na obra, com nomes completos e nº do documento de identidade de cada um, assim como os dias em que eles trabalharão no prédio, e estes deverão obedecer às normas e procedimentos do condomínio. O condômino/ locatário deverá fornecer à administradora os telefones para contato de seu representante, assim como do responsável pela obra. O condômino/locatário poderá definir uma pessoa ou empresa que terá poderes de autorizante de acesso durante o período de obras. 11

12 Organização da Obra, Limpeza e Convivência com os Demais Usuários A utilização de furadeiras, quebra de piso e paredes, aplicação de cola, vernizes e tintas, ou outra atividade que provoquem ruído, odor ou qualquer tipo de incômodo aos demais usuários do edifício, só poderá ser realizada nos seguintes horários: De segunda a sexta-feira - das 20h00 às 05h00; De 14h00 do sábado às 05h00 da segunda-feira. Não será permitida a utilização de maçaricos tipo liquinho, ou qualquer outro equipamento que produza chama ou fumaça, qualquer que seja a sua destinação. Será obrigatória a manutenção de extintores reserva de incêndio em locais visíveis e de fácil acesso na quantidade de um de cada tipo para cada 250m 2 de área. Os extintores originais poderão ser utilizados em caso de necessidade, mas deverão ser revisados e recarregados, além de receberem os lacres de conformidade com as normas de segurança correspondentes. Todo e qualquer material proveniente de sobra de obra (entulho), deverá ser retirado do andar da obra ensacado e colocados diretamente em caçambas alugadas pelo responsável da obra. As caçambas deverão ficar estacionadas n em área indicada pela administração e permanecer cobertas com lona plástica ou similar, fixada com corda; bem como deverão ser retiradas assim que estiverem cheias, nos horários permitidos pela legislação municipal, sob total responsabilidade do condômino/condôminos/locatários. Obter as autorizações necessárias junto à Prefeitura, é de responsabilidade do condômino/condôminos/locatários. A limpeza das áreas comuns (galerias dos elevadores, escadas e etc.) nas áreas em obra é de responsabilidade do condômino/condôminos/locatários, até a sua instalação definitiva no prédio. O canteiro de obras de cada condômino ou condôminos/locatários será o seu próprio espaço privativo (escritório). Não será permitida, em hipótese alguma, a utilização do hall dos elevadores ou áreas comuns do prédio para este fim. Todos os materiais, ferramentas e equipamentos deverão estar dentro da área de cada escritório durante o período da obra, sendo sua guarda e conservação de exclusiva responsabilidade do condômino/locatário ou de seus contratados. O condômino/ locatário receberá os materiais destinados às suas obras e os transportará em carros próprios com rodas que não causem danos ao piso, até a obra, sob sua inteira responsabilidade. 12

13 Todos os materiais abrasivos (areia, argamassa, etc.) deverão ser ensacados para serem transportados desde sua chegada ao prédio até a obra. Todo o transporte de qualquer material ou equipamento para as obras, ferramentas, mobiliário deverá ser feito até seu destino exclusivamente pelo elevador designado previamente para este fim pela administradora, o qual deverá estar devidamente protegido. Qualquer dano causado pelo condômino/locatário aos seus contratados, aos componentes ou equipamentos das áreas comuns do edifício/condomínio (elevadores, paredes das escadas de emergência, postes, pisos, etc.), será de inteira responsabilidade do condômino/ locatário, o qual deverá arcar com os custos provenientes dos reparos que se fizerem necessários. Horários para Entrada e Saída de Materiais e Mudanças Os horários permitidos para entrada e saída de material, equipamentos e entulho das obras e reformas são: De segunda a sexta-feira - das 20h00 às 05h00 De 14h00 do sábado às 05h00 da segunda-feira. O mesmo aplica-se às mudanças, que deverão ser previamente comunicadas, para que a administradora programe o acompanhamento destas atividades. Segurança e Disciplina Será retirada da obra qualquer pessoa, esteja ou não a serviço do condômino/ locatário, que promover arruaça ou ocasionar algum dano às instalações do edifício ou de terceiros ou que não respeitar as normas e procedimentos do condomínio e, finalmente, que a juízo da administradora tenha sua presença dentro da área do condomínio julgada inconveniente. O condômino/condôminos/locatários ou seus contratados não deverão retirar de seu lugar próprio, sem a competente autorização da administração, qualquer objeto ou material do condomínio, tais como: extintores de incêndio, bicos de sprinklers, difusores e etc. Todo acidente que eventualmente ocorrer será informado imediatamente à administradora, sem que isto implique em repasse de responsabilidade, a qual continuará sendo única e exclusiva do condômino/ locatário. Caberá ao seu representante tomar todas as ações que o caso exigir. Quaisquer alterações ou falhas relativas aos sistemas instalados no prédio (ar condicionado, iluminação, alarmes de incêndio e etc.) durante o horário de obras deverão ser avisadas imediatamente à administradora. Em hipótese alguma, o condômino ou o 13

14 condôminos/locatários ou os profissionais contratados deverão tentar solucionar o problema por conta própria, incorrendo no risco de serem responsabilizados e arcarem com os respectivos custos por negligência na tentativa de solvência do problema. Instalações de Novos Sistemas A instalação de novos sistemas que venham a interferir na configuração original da edificação está sujeita à aprovação em assembleia a ser convocada para este fim específico. A instalação de gerador e antena está sujeita à análise do projeto específico pela administração, conforme o disposto nesta regulamentação. VIII - NORMAS GERAIS PARA A CONTRATAÇÃO DE PRESTADORES DE SERVIÇOS OBJETIVO Esclarecer e orientar aos condôminos/locatários do CONDOMÍNIO DO EDIFICIO BIRMANN 21 quanto aos procedimentos vigentes para a contratação de prestadores de serviço que venham efetuar quaisquer tipos de serviços dentro das unidades autônomas dos condôminos/ locatários. CONCEITOS Sem prejuízo de sua total e exclusiva responsabilidade, as seguintes regras deverão ser obedecidas pelos condôminos/locatários: O atendimento à legislação de segurança do trabalho com a devida utilização dos equipamentos de proteção individual (EPI) bem como a utilização de crachás de identificação e de uniformes próprios à execução dos trabalhos com aparência compatível com os padrões do Edifício. Serviços que envolvam a utilização ou estocagem de elementos voláteis, tóxicos ou, serviços que, de alguma forma, possam representar risco de incêndio ou danos para o edifício e seus ocupantes, devem ser previamente autorizados pela administração. Serviços a serem realizados por prestadores de serviços fora do horário comercial deverão sempre ser acompanhados por um representante do condômino ou condôminos/locatários. Os prestadores de serviços deverão obedecer rigorosamente às regras com relação à circulação interna de pessoas, que no seu caso, fica restrita à área privativa do condômino ou 14

15 condôminos/locatários contratante tanto para executar os serviços, como para alimentar ou trocar de roupa. Não é permitido o porte de arma, nem a entrada de prestador de serviço aparentemente embriagado no Edifício. Todos os entulhos gerados pelos serviços deverão ser retirados do Edifício prontamente. Não será permitido o depósito de detritos nas áreas reservadas a lixo. IX SISTEMA DE SEGURANÇA PATRIMONIAL OBJETIVO Objetiva estabelecer normas de funcionamento do Sistema de Segurança do CONDOMÍNIO DO EDIFICIO BIRMANN 21, visando a preservação dos bens patrimoniais, a ordem, o bem estar e segurança das empresas usuárias e do próprio condomínio. PROCEDIMENTOS A fim de prover os condôminos/locatários do Edifício com uma segurança adequada, será mantida uma equipe de vigilantes 24 horas por dia, 7 dias da semana. Cabe à equipe de segurança garantir a execução normal do trabalho nas áreas comuns do Edifício, conforme as seguintes responsabilidades a ela atribuídas: Fiscalizar o trânsito de veículos e a circulação de pessoas no interior do Edifício. Fiscalizar as entradas, as saídas e a permanência de cargas e veículos no Edifício. Executar as tarefas de prevenção contra incêndio, cuidando para que os equipamentos de combate a incêndio estejam sempre em perfeitas condições de utilização. As empresas usuárias devem colaborar com a segurança do condomínio, fiscalizando e informando a presença de pessoas estranhas, não portadoras de crachá de identificação circulando em suas áreas exclusivas. Quando se registrar qualquer ocorrência dentro das dependências do condomínio, o serviço de segurança poderá fazer a revista à saída de qualquer pessoa. A permanência de pessoal da segurança dos condôminos/locatários somente será permitida no interior de seus escritórios e nos halls dos andares utilizados. Sua permanência nas áreas 15

16 comuns do prédio só será permitida em circunstâncias especiais e previamente aprovadas pela administradora. Os encarregados de segurança de pessoas físicas deverão possuir seus portes de arma devidamente atualizados, e enviá-los previamente à administradora para análise e aprovação. Estes encarregados deverão ser identificados ao pessoal de guarda e vigilância do Edifício. Independentemente das medidas de segurança adotadas pela administração do Edifício e dos equipamentos nele instalados, em nenhum momento o Condomínio, ou a administradora, serão responsáveis por qualquer custo relacionado a problemas com segurança ocorridos nas dependências privativas dos condôminos ou condôminos/locatários, os quais deverão zelar pela sua segurança interna. Toda e qualquer irregularidade ocorrida ou observada deverá ser comunicada, de imediato, à Sala de Supervisão Predial, através do telefone (11) A administradora manterá um claviculário onde serão guardadas todas as chaves de acesso às áreas comuns do Edifício. Aos condôminos/locatários caberá a guarda de suas próprias chaves internas. Entretanto, cópias das chaves das portas de acesso ao hall de seus andares deverão ficar em poder da administradora. Estas chaves serão lacradas em envelopes especiais, ou sistema similar, na presença do condômino ou condôminos/locatários de forma a garantir a confiabilidade do sistema. X MANUTENÇÃO E OPERAÇÕES DE EQUIPAMENTOS OBJETIVO Definir e normalizar as responsabilidades de manutenção e operação dos equipamentos instalados no CONDOMÍNIO DO EDIFICIO BIRMANN 21. CONCEITOS A administração do edifício é a responsável pela operação e manutenção dos sistemas instalados e suas redes de distribuição a seguir descritos, nas áreas comuns do edifício. As empresas usuárias são responsáveis pela manutenção dos sistemas instalados e suas redes de distribuição dentro de suas respectivas unidades autônomas, exceto aqueles que em função das características construtivas do empreendimento constituem-se parte de uma instalação do condomínio. Enquadram-se nestas exceções a rede de sprinklers, a rede de detecção de incêndio, exaustão de sanitários e equipamentos da automação predial 16

17 instalados originalmente no edifício. As adições de equipamentos e sistemas, por parte dos condôminos/locatários, deverão ser objeto de novos contratos de manutenção. PROCEDIMENTOS São de responsabilidade da administração do edifício a operação e manutenção dos seguintes sistemas: Sistema de Ar Condicionado composto das unidades resfriadoras de líquido (chillers), rede de distribuição de água gelada, bombas, equipamentos e rede de distribuição de ar externo, exaustão de sanitários (ramal primário). Sistema de automação composto por controladores de sistemas elétrico, hidráulico e ar condicionado. Sistema Hidráulico - composto da rede de água potável e de hidrantes para combate a incêndio, rede de esgotos e rede de captação de águas pluviais. Sistema de elevadores todos os carros e casas de máquinas. Sistema elétrico Composto pelos quadros de distribuição das unidades autônomas, com destaque para: Entrada, medição e transformação de energia; Sistemas de emergência; Grupo moto gerador, para acionamento da iluminação das áreas comuns e privativas. Sistema de Prevenção e Combate a Incêndio - todos os equipamentos e instalações de prevenção e combate existentes nas áreas de uso comum, bombas de pressurização e painéis de controle, inclusive o sistema de detecção de fumaça e sprinklers. Sistema de gerenciamento predial composto de Controladores mestres; Câmeras de CFTV; Painel de detecção de incêndio; Sistema de gerenciamento de elevadores; 17

18 Os condôminos/locatários deverão permitir o livre acesso do pessoal da administração do edifício nas áreas privativas, para periódicas inspeções nos equipamentos e instalações destas áreas e manutenção dos sistemas sob responsabilidade da administração. XI - UTILIZAÇÃO DO SISTEMA DE AR CONDICIONADO E ILUMINAÇÃO EM HORÁRIO EXTRAORDINÁRIO OBJETIVO Normatizar a possibilidade de utilização de iluminação e do sistema de ar condicionado do CONDOMÍNIO DO EDIFICIO BIRMANN 21 fora dos horários previstos como normais neste regulamento, que é de 2ª a 6ª feira, de 08h00 as 20h00. PROCEDIMENTOS A utilização é sujeita a cobrança advinda das despesas extras criadas pela necessidade de utilização do sistema. Cobrança Ar Condicionado: O critério para cobrança baseia-se no custo média pela utilização da CAG (Central de água Gelada). O valor consta na tabela de serviços vigentes disponível na Administração. Os valores serão reajustados conforme a variação dos insumos que compõe estes preços, mediante aprovação em Assembleia Geral. A solicitação deverá ser formalizada à administração, com antecedência mínima de 01 dia útil. O fornecimento será confirmado e programado no sistema de automação predial, que ligará e desligará o fan-coil do andar automaticamente de acordo com o período solicitado. O valor a ser pago será apresentado conjuntamente com a cobrança da taxa ordinária no início do mês posterior. Iluminação: Será cobrada conforme medição de consumo mensal disponível no medidores de cada unidade. XII - USO DE ELEVADORES OBJETIVO Esclarecer e orientar aos condôminos/locatários do CONDOMÍNIO DO EDIFICIO BIRMANN 21 quanto aos procedimentos vigentes para a utilização dos elevadores. 18

19 PROCEDIMENTOS Os elevadores permanecem em operação 24 horas por dia, sete dias por semana. Durante períodos de menor trânsito de pessoas no edifício, caberá à administração optar pela redução do número de carros em funcionamento, mantendo um elevador em cada zona (alta e baixa). A manutenção dos elevadores é executada por empresa especializada. Entretanto, qualquer defeito no funcionamento notado pelos usuários, deverá ser notificado à administração que se encarregará de chamar os técnicos para os devidos reparos. Os elevadores são equipados com aparelhos intercomunicadores, que quando acionados permitem o contato do usuário com a Central de Segurança. Na ocorrência de algum problema durante o transporte de pessoas, estas devem acionar os intercomunicadores localizados dentro dos elevadores, comunicando o incidente à Central de segurança que tomará as devidas providências. Em caso de pessoas presas dentro do elevador, a Central de Segurança comunicará a ocorrência à mantenedora para que esta efetue o resgate. O condomínio destina um elevador exclusivo para o transporte de carga, que deverá ser utilizado para todo e qualquer transporte de materiais de pequeno ou grande porte nos horários previstos neste regulamento. Qualquer empresa usuária que causar algum dano ao elevador no transporte de material, será responsável por seu reparo, cabendo a esta arcar com os custos pertinentes. XIII LIMPEZA E COLETA DE LIXO OBJETIVO Estabelecer normas para a limpeza das áreas comuns e coleta de lixo do CONDOMÍNIO DO EDIFICIO BIRMANN 21. PROCEDIMENTOS Cabe à administração do condomínio providenciar os serviços de limpeza das áreas comuns, em horários e condições que permitam a boa ordem e aparência do empreendimento. O lixo dos escritórios deverá merecer cuidados especiais em sua separação. O lixo orgânico e os materiais inflamáveis devem ser ensacados em separado. 19

20 Os sacos plásticos para lixo devem ser de boa qualidade, com espessura tal que evite rasgos e vazamentos. Os sacos devem ser convenientemente fechados e colocados nas lixeiras em locais definidos pela administração, de 2ª a 6ª feira das 8h às 15h. Em hipótese alguma, os sacos de lixo poderão permanecer nas áreas comuns do Edifício, que não as lixeiras. XIV COMBATE A INCÊNDIO OBJETIVO Normatizar os procedimentos de combate a incêndio e situações de emergência que possam ocorrer dentro das dependências do CONDOMÍNIO EDIFICIO BIRMANN 21, orientando seus usuários. CONCEITOS O edifício deverá dispor de recursos humanos e materiais necessários para a prevenção e combate a incêndio, inclusive para conter o sinistro em sua fase inicial. A administração do condomínio dá ênfase às medidas preventivas, assim entendidas como as seguintes: Manutenção de programas de treinamento de prevenção e combate a incêndio; Treinamentos periódicos de abandono ou evacuação do local; Manutenção dos equipamentos de combate ao fogo; Inspeção periódica das instalações e equipamentos nas áreas autônomas; Informação sobre os treinamentos e relação nominal das pessoas treinadas para compor a brigada de incêndio. Recomendação de que seja evitada a instalação de forros, carpetes, cortinas, divisórias, etc., fabricados com materiais de fácil combustão. Quando tal não for possível, periodicamente devem ser tratados com produtos que retardem a propagação das chamas. RECURSOS DISPONÍVEIS 20

21 Recursos Humanos Equipe para coordenar o abandono do prédio. Equipes de Prevenção e Combate a Incêndio e de abandono do local, pertencentes às empresas usuárias. Funcionários designados pelas empresas usuárias para servirem de ligação entre estas e a Administração do Condomínio. Recursos Materiais Extintores, colocados em todos os andares, em pontos estratégicos, de vários tipos e tamanhos e de acordo com as normas legais, de modo a permitir o combate ao fogo no seu início. Hidrantes, linhas de mangueiras e esguichos de engate rápido, instalados nos abrigos em todos os andares e localizados no hall dos elevadores. Portas corta-fogo, instaladas em todos os andares e que dão acesso às escadas de incêndio. O acesso às escadas de incêndio deverá ser restrito às situações de emergência, devendo as portas corta-fogo permanecerem sempre fechadas. Sinalização para localização dos extintores. Iluminação de emergência para as escadas, que funciona por meio de gerador próprio, acionado automaticamente quando do corte de energia elétrica. Rede de sprinklers automáticos nos três pavimentos de garagem e do térreo ao último pavimento. Escadas de emergência pressurizadas. Sistema de detecção de fumaça e sensores térmicos, com acionamento na sala de Supervisão Predial. PROCEDIMENTOS Preventivos A Administração do Condomínio promoverá cursos de treinamento de prevenção e combate a incêndio, dos quais deverão participar funcionários designados pelas empresas 21

22 usuárias. A Administração do Condomínio é responsável pela manutenção dos equipamentos e materiais de Combate a Incêndio, instalados nas áreas comuns. As empresas usuárias serão as responsáveis pela manutenção dos equipamentos instalados nas respectivas unidades autônomas, exceto a rede dos chuveiros automáticos e os bicos de "sprinklers", que serão mantidos pelo Condomínio, com eventuais custos decorrentes repassados às respectivas empresas e a rede de detecção de fumaça. A Administração do Condomínio fará inspeções periódicas nos equipamentos instalados nas áreas autônomas, comunicando, de imediato, eventuais falhas constatadas. De Contenção As equipes de prevenção e combate a Incêndio, tanto as do serviço de segurança do condomínio, quanto as das empresas usuárias, devem adotar providências visando a: Eliminar os riscos existentes, circunscrevendo a área afetada; Evitar o pânico, pela orientação adequada do pessoal; Garantir que as ações sejam conduzidas de acordo com os planos preestabelecidos; Enfrentar a emergência procurando por todos os meios possíveis, anular o fato gerador ou minimizar suas consequências; Tornar claras as atribuições e responsabilidades dos membros da equipe. Alarme O alarme deve ser discreto, a fim de evitar o pânico. O chamado deve ser feito por um membro da equipe de prevenção e combate a incêndio da empresa usuária da área afetada utilizando, preferencialmente, o telefone (11) , ligado à sala de Central de Segurança. O alarme para o Corpo de Bombeiros deverá sempre ser dado pela Central de Segurança, conforme procedimentos de emergência. Combate Inicial Será realizado pela equipe de Prevenção e Combate a Incêndio da empresa usuária afetada, utilizando os equipamentos portáteis disponíveis na área, até a chegada da equipe do Serviço de Segurança do Condomínio ou do Corpo de Bombeiros. De imediato a equipe de manutenção do condomínio desligará todos os equipamentos elétricos, inclusive as chaves 22

23 comutadoras da área afetada, bem como manterá as portas fechadas, para circunscrever a área. XV DAS PROIBIÇÕES OBJETIVO Estas normas gerais têm o intuito de esclarecer e orientar aos condôminos/ locatários do CONDOMÍNIO EDIFICIO BIRMANN 21 quanto aos procedimentos vigentes para a utilização das áreas do condomínio, inclusive referente aquelas destinadas à prestação de serviço, bem como demais dispositivos reguladores da vida condominial. É PROIBIDO: Fumar em recinto coletivo e fechado - local público ou privado, acessível ao público em geral ou de uso coletivo, total ou parcialmente fechado em qualquer de seus lados por parede, divisória, teto, toldo ou telhado, de forma permanente ou provisória; conforme decreto nº de 31/05/2014. Usar as respectivas unidades (escritórios e garagens) para promover atividades ruidosas ou permitir a entrada de funcionários ou pessoas de maus costumes, ou a quem se dê ao vício da embriaguez ou tóxicos. Estender objetos nas janelas ou em lugares que sejam visíveis do exterior ou de onde estejam expostos ao risco de cair. Lançar quaisquer objetos ou líquidos, sobre as vias públicas, áreas ou pátios internos. Usar toldos externos, colocar ou permitir que se coloquem letreiros, placas, faixas ou cartazes referentes a qualquer tipo de propaganda ou qualquer outro fim nas áreas externas ou comuns do Edifício. Colocar, sem a prévia autorização da administradora ou deixar que coloquem nas partes comuns do condomínio, quaisquer objetos, equipamentos, sejam de que natureza for, inclusive antenas no topo do Edifício. Utilizar os empregados ou prestadores de serviços do condomínio para serviços particulares. Manter ou armazenar nas áreas privativas aparelhos ou materiais que causem perigo à segurança do condomínio ou incômodo aos demais condôminos. 23

24 Permitir a realização de jogos nas partes comuns do Edifício. Depositar qualquer mercadoria ou objeto nas áreas comuns ou calçadas do condomínio, mesmo que temporariamente, a não ser nas áreas previamente determinadas para carga e descarga e, pelo tempo estritamente necessário para este fim. Quaisquer objetos depositados irregularmente serão removidos pela administradora, sendo que qualquer custo decorrente desta remoção será repassado ao envolvido. Empregar qualquer processo de aquecimento suscetível de ameaçar a segurança da edificação ou prejudicar-lhe a higiene e limpeza; Lançar lixo em local não apropriado; Executar ou permitir que se executem serviços de mecânica, funilaria, ou qualquer conserto de veículos, em qualquer dependência do setor de garagem, sem autorização prévia do síndico ou da administradora; Ter e usar objeto, instalação, material, aparelho ou substância tóxica, inflamável, odorífera, suscetível de afetar a saúde dos demais condôminos e ocupantes das unidades autônomas, ou de que possa resultar o aumento do prêmio de seguro do condomínio. Alterar a forma externa da fachada ou substituir qualquer material nela empregado, inclusive vidros; Decorar as esquadrias e partes externas; Destinar as áreas locadas à utilização diversa da finalidade do prédio, consoante o disposto no contrato de locação; Instalar ou fixar banners ou qualquer outro meio de promoção nas áreas comuns do condomínio sem autorização prévia da administração. Realizar eventos sem autorização prévia da Administração, sendo que após autorizada a realização, toda responsabilidade correrá por conta do condômino / locatário. Acesso de animais no condomínio, exceto nos casos de cães guias. XVI DISPOSIÇÕES GERAIS Revogam-se as disposições em contrário e a solução dos casos omissos ficam a critério do Síndico, e Administração, nesta ordem. 24

25 As obrigações assumidas pelo condomínio em face dos condôminos deixam de existir no caso de ocorrência de força maior ou caso fortuito, nos termos do artigo 393 do Código Civil Brasileiro. São Paulo, 26 de fevereiro de CONDOMINIO DO EDIFICIO BIRMANN

2.2 - A entrada ou saída de pedestres nas dependências da ULIVING BELA VISTA dar-se-á, pela recepção principal Rua Barata Ribeiro, 61

2.2 - A entrada ou saída de pedestres nas dependências da ULIVING BELA VISTA dar-se-á, pela recepção principal Rua Barata Ribeiro, 61 O Regulamento Interno da ULIVING BELA VISTA, localizado na cidade de SÃO PAULO CAPITAL, à Rua Barata Ribeiro nº 61 estabelece as regras de convivência e as relações entre os usuários do empreendimento.

Leia mais

2.2 A Administração do Condomínio dá ênfase às medidas preventivas, assim entendidas as seguintes:

2.2 A Administração do Condomínio dá ênfase às medidas preventivas, assim entendidas as seguintes: Fl. 01 de 06 1 Objetivo A presente Regulamentação Especial visa normalizar os procedimentos para o pessoal incumbido de prevenir ou combater um princípio de incêndio e de atuar em situações de emergência,

Leia mais

2.1 - Estabelecer normas de acesso de pessoas a ULIVING SOROCABA.

2.1 - Estabelecer normas de acesso de pessoas a ULIVING SOROCABA. O Regulamento Interno da ULIVING SOROCABA, localizado na cidade de SOROCABA à Rua Bernardo Ferraz nº 100 estabelece as regras de convivência e as relações entre os usuários do empreendimento. I - HORÁRIO

Leia mais

REGULAMENTO DE OBRAS ANEXO I. Cuidados ao iniciar a obra: Horário de funcionamento do prédio:

REGULAMENTO DE OBRAS ANEXO I. Cuidados ao iniciar a obra: Horário de funcionamento do prédio: ANEXO I REGULAMENTO DE OBRAS Cuidados ao iniciar a obra: Toda obra ou reforma na unidade deve ser comunicada ao síndico, com antecedência mínima de 10 dias, através da apresentação de respectivo croqui

Leia mais

Parque Tecnológico de Óbidos

Parque Tecnológico de Óbidos Parque Tecnológico de Óbidos Regulamento de obras (Versão preliminar) Fevereiro de 2009 Óbidos Requalifica, E.E.M. Casa do Largo da Porta da Vila, 1.º Tel: +351 262 955 440 obidos.requalifica@mail.telepac.pt

Leia mais

1 Objetivo Esta Regulamentação Especial estabelece normas para acesso de pessoas ao Condomínio Edifício São Luiz.

1 Objetivo Esta Regulamentação Especial estabelece normas para acesso de pessoas ao Condomínio Edifício São Luiz. Revisão: julho/2007 Fl. 01 de 03 1 Objetivo Esta Regulamentação Especial estabelece normas para acesso de pessoas ao Condomínio Edifício São Luiz. 2 Procedimentos 2.1 O acesso de pessoas nas dependências

Leia mais

ASSUNTO: Autorização de obras, benfeitorias, acessos, mudanças, uso de elevadores e áreas comuns

ASSUNTO: Autorização de obras, benfeitorias, acessos, mudanças, uso de elevadores e áreas comuns CIRCULAR 001/2014 DATA: 02 de Agosto de 2014 ASSUNTO: Autorização de obras, benfeitorias, acessos, mudanças, uso de elevadores e áreas comuns Senhores Condôminos, Como Síndica do Condomínio Le Jardin,

Leia mais

CONDOMÍNIO DO ED. NUMBER ONE BUSINESS CENTER REGIMENTO INTERNO

CONDOMÍNIO DO ED. NUMBER ONE BUSINESS CENTER REGIMENTO INTERNO CONDOMÍNIO DO ED. NUMBER ONE BUSINESS CENTER REGIMENTO INTERNO O presente regimento interno visa regulamentar o funcionamento do edifício zelando sempre pela segurança e conforto dos condôminos. I REGULAMENTO

Leia mais

ANEXO 5. Detalhamento dos serviços sob responsabilidade da Concessionária

ANEXO 5. Detalhamento dos serviços sob responsabilidade da Concessionária ANEXO 5 Detalhamento dos serviços sob responsabilidade da Concessionária 1 Os SERVIÇOS de que trata este Anexo deverão ser prestados no âmbito do SETOR OPERACIONAL DAS ESTAÇÕES e dos EMPREENDIMENTOS ASSOCIADOS.

Leia mais

CONDOMÍNIO EDIFÍCIO AHEAD

CONDOMÍNIO EDIFÍCIO AHEAD REGULAMENTO INTERNO Todos os condôminos, locatários e usuários do CONDOMÍNIO EDIFÍCIO AHEAD, ficam obrigados a cumprir e respeitar por si, a qualquer título, os termos e condições do presente: 1 - Horário

Leia mais

CONTROLE DE ACESSO DE PESSOAS E VEÍCULOS

CONTROLE DE ACESSO DE PESSOAS E VEÍCULOS CONTROLE DE ACESSO DE PESSOAS E VEÍCULOS Procedimentos 1. Introdução Este documento visa regulamentar o controle de acesso e permanência de pessoas e veículos nas dependências dos Órgãos da SECRETARIA

Leia mais

NORMA DE CONTROLE DE CIRCULAÇÃO INTERNA NOR 204

NORMA DE CONTROLE DE CIRCULAÇÃO INTERNA NOR 204 MANUAL DE ADMINISTRAÇÃO CÓD. 200 ASSUNTO: ESTABELECE CRITÉRIOS DE PROCEDIMENTOS PARA O CONTROLE DE CIRCULAÇÃO INTERNA NAS DEPENDÊNCIAS DA EMPRESA CÓD: APROVAÇÃO: Resolução nº 0098/94, de 15/12/1994 NORMA

Leia mais

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 031/DAT/CBMSC) PLANO DE EMERGÊNCIA

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 031/DAT/CBMSC) PLANO DE EMERGÊNCIA ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS - DAT NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 031/DAT/CBMSC)

Leia mais

Procedimento de Segurança para Terceiros

Procedimento de Segurança para Terceiros Página 1 de 6 1. OBJETIVO Sistematizar as atividades dos prestadores de serviços, nos aspectos que impactam na segurança do trabalho de forma a atender à legislação, assim como, preservar a integridade

Leia mais

REGULAMENTO DO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E DA DISPOSIÇÃO DOS EFLUENTES SANITÁRIOS DO LOTEAMENTO NINHO VERDE I

REGULAMENTO DO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E DA DISPOSIÇÃO DOS EFLUENTES SANITÁRIOS DO LOTEAMENTO NINHO VERDE I REGULAMENTO DO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E DA DISPOSIÇÃO DOS EFLUENTES SANITÁRIOS DO LOTEAMENTO NINHO VERDE I 1. O presente Regulamento objetiva estabelecer regras gerais de uso do sistema de abastecimento

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MOBILIZAÇÃO, CONSTRUÇÃO E DESMOBILIZAÇÃO DO CANTEIRO

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MOBILIZAÇÃO, CONSTRUÇÃO E DESMOBILIZAÇÃO DO CANTEIRO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MOBILIZAÇÃO, CONSTRUÇÃO E DESMOBILIZAÇÃO DO CANTEIRO 1. VIA DE ACESSO 1.1 - GENERALIDADES Será utilizada como acesso às obras, durante a fase de construção, as vias já existentes

Leia mais

ASSUNTO: REGULAMENTA O USO DE ADESIVOS DE IDENTIFICAÇÃO DOS VEÍCULOS DE CONDÔMINOS

ASSUNTO: REGULAMENTA O USO DE ADESIVOS DE IDENTIFICAÇÃO DOS VEÍCULOS DE CONDÔMINOS CIRCULAR Nº 003/2015 Curitiba, 05/06/2015. ASSUNTO: REGULAMENTA O USO DE ADESIVOS DE IDENTIFICAÇÃO DOS VEÍCULOS DE CONDÔMINOS A Síndica do Condomínio Le Jardin Residencial, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

PRESIDÊNCIA 19/06/2013 RESOLUÇÃO Nº 96/2013

PRESIDÊNCIA 19/06/2013 RESOLUÇÃO Nº 96/2013 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL PRESIDÊNCIA 19/06/2013 RESOLUÇÃO Nº 96/2013 EMENTA: Dispõe sobre o acesso,

Leia mais

Edifício Crespi II Manual do Credenciado

Edifício Crespi II Manual do Credenciado Edifício Crespi II Manual do Credenciado A BrasilPark quer prestar sempre o melhor serviço para seus clientes. Para que isso aconteça, é essencial que você fique atento aos nossos procedimentos de atendimento.

Leia mais

Edifício Centro Empresarial Morumbi Manual do Credenciado

Edifício Centro Empresarial Morumbi Manual do Credenciado Edifício Centro Empresarial Morumbi Manual do Credenciado A BrasilPark quer prestar sempre o melhor serviço para seus clientes. Para que isso aconteça, é essencial que você fique atento aos nossos procedimentos

Leia mais

APÊNDICE XI SERVIÇOS GERAIS DE APOIO À ADMINISTRAÇÃO

APÊNDICE XI SERVIÇOS GERAIS DE APOIO À ADMINISTRAÇÃO APÊNDICE XI SERVIÇOS GERAIS DE APOIO À ADMINISTRAÇÃO 1 SUMÁRIO 1 CONCEITOS E DIRETRIZES... 3 2 LIMPEZA... 3 2.1 Caracterização do Pessoal... 3 2.2 Materiais e Equipamentos a serem fornecidos e utilizados...

Leia mais

Normas da ABNT precisam ser seguidas

Normas da ABNT precisam ser seguidas Normas da ABNT precisam ser seguidas Além das leis ambientais e toda a burocracia que o negócio da revenda exige, o revendedor precisa realizar os procedimentos de acordo com as normas da Associação Brasileira

Leia mais

Edifício New England Manual do Credenciado

Edifício New England Manual do Credenciado Edifício New England Manual do Credenciado A BrasilPark quer prestar sempre o melhor serviço para seus clientes. Para que isso aconteça, é essencial que você fique atento aos nossos procedimentos de atendimento.

Leia mais

EDIFÍCIO AFONSO PENA 2300

EDIFÍCIO AFONSO PENA 2300 EDIFÍCIO AFONSO PENA 2300 BELO HORIZONTE MG Apresentação: Condomínio Edifício Afonso Pena, 2.300 Endereço: Afonso Pena, 2.300 Bairro: Centro Esquina com Rio Grande do Norte Belo Horizonte BH Localização:

Leia mais

MANUAL DO EXPOSITOR. Atenciosamente, Comissão Organizadora

MANUAL DO EXPOSITOR. Atenciosamente, Comissão Organizadora MANUAL DO EXPOSITOR O presente manual tem o objetivo de orientar sua participação no evento 12 BEAUTY FEST". Caso persista alguma dúvida a respeito, favor nos contatarem pelo fone (51) 3710-3070 ou através

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA -2

TERMO DE REFERÊNCIA -2 TERMO DE REFERÊNCIA -2 1. O PROJETO Título do Projeto: Reforma e Ampliação das Promotorias de Justiça de Direitos Constitucionais e Patrimônio Público e Promotorias de Justiça de Ações Constitucionais

Leia mais

Consórcio Fênix Rua Cândido Ramos nº550 - CEP 88090.800 Capoeiras - Florianópolis/SC - Brasil CNPJ 19.962.391/0001-53 sac@consorciofenix.com.

Consórcio Fênix Rua Cândido Ramos nº550 - CEP 88090.800 Capoeiras - Florianópolis/SC - Brasil CNPJ 19.962.391/0001-53 sac@consorciofenix.com. 1 2 CONSÓRCIO FÊNIX PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS SECRETARIA MUNICIPAL DE MOBILIDADE URBANA - SMMU MANUAL DOS USUÁRIOS DO SISTEMA SIM MODALIDADE POR ÔNIBUS DIREITOS E DEVERES DAS PARTES ENVOLVIDAS

Leia mais

ANEXO I CONDIÇÕES GERAIS DE CONTRATAÇÃO

ANEXO I CONDIÇÕES GERAIS DE CONTRATAÇÃO 1 PRODUTOS 1.1 Serviço de manutenção preventiva mensal e corretiva, quando necessário, para o elevador da Unidade Operacional da Anatel no Estado de Santa Catarina UO031, situada à Rua Saldanha Marinho,

Leia mais

REGULAMENTO UNIDADE PAULISTA ATENÇÃO:

REGULAMENTO UNIDADE PAULISTA ATENÇÃO: REGULAMENTO UNIDADE PAULISTA ATENÇÃO: 1) Este regulamento SÓ se aplica aos contratos celebrados na unidade Paulista, por alunos matriculados nos cursos preparatórios para concursos públicos semestrais

Leia mais

Local: Pavilhão de Eventos Maria Celina Vidotto Imhof (Pavilhão da Fenarreco), Rodovia Antonio Heil, 29 - Centro, Brusque/SC

Local: Pavilhão de Eventos Maria Celina Vidotto Imhof (Pavilhão da Fenarreco), Rodovia Antonio Heil, 29 - Centro, Brusque/SC REGULAMENTO GERAL DA FEIRA 1 - INTRODUÇÃO As normas que regem a organização, montagem, funcionamento e desmontagem da FECATEX 2017 - Home & Fashion - Primavera Verão 2018- Feira Têxtil de Santa Catarina,

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO CONDOMÍNIO CIDADE JARDIM CORPORATE CENTER

REGULAMENTO INTERNO CONDOMÍNIO CIDADE JARDIM CORPORATE CENTER Regulamento Interno do CONDOMINIO CIDADE JARDIM CORPORATE CENTER, que deverá estabelecer as regras de convivência e as relações entre os usuários do empreendimento. I - HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO DO EDIFÍCIO

Leia mais

Edifício Evolution Business Center Manual do Credenciado

Edifício Evolution Business Center Manual do Credenciado Edifício Evolution Business Center Manual do Credenciado A BrasilPark quer prestar sempre o melhor serviço para seus clientes. Para que isso aconteça, é essencial que você fique atento aos nossos procedimentos

Leia mais

Se estiver no Mercosul, também poderá contar com os serviços de emergência, bastando ligar para 55 11 4133 6537.

Se estiver no Mercosul, também poderá contar com os serviços de emergência, bastando ligar para 55 11 4133 6537. Assist24h_AutoPasseio_jul 6/13/07 4:32 PM Page 1 CARO SEGURADO Para você que adquiriu o Real Automóvel e contratou os serviços de Assistência 24 horas, este é o seu guia de serviços da Real Assistência.

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA -2

TERMO DE REFERÊNCIA -2 TERMO DE REFERÊNCIA -2 1. O PROJETO Projeto executivo para construção do prédio das Promotorias da Infância e Juventude. 2. OBJETIVOS O presente Termo de Referência tem como objetivo nortear a contratação

Leia mais

ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS - INDÚSTRIAS DE COSMÉTICOS E SANEANTES -

ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS - INDÚSTRIAS DE COSMÉTICOS E SANEANTES - ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS - INDÚSTRIAS DE COSMÉTICOS E SANEANTES - 1. LEGISLAÇÃO SANITÁRIA ESPECÍFICA - Lei Federal 6.360/76 e Decreto Estadual (DE) 23.430 de 24/10/1974 (http://www.al.rs.gov.br/legis/);

Leia mais

Procedimentos Para Visita e/ou Entrada-Saída de Equipamentos ao Housing Intelig Telecom

Procedimentos Para Visita e/ou Entrada-Saída de Equipamentos ao Housing Intelig Telecom 1. OBJETIVO Este documento tem como objetivo descrever a metodologia para o Controle de Acesso, Entrada e Saída de Clientes Dentro ou Fora do Ambiente Housing., bem como a metodologia para o recebimento

Leia mais

CONTRATO DE FORNECIMENTO DE GÁS NATURAL CANALIZADO CONTENDO AS CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO DE GÁS CANALIZADO REFERENTES AOS CLIENTES COMERCIAIS

CONTRATO DE FORNECIMENTO DE GÁS NATURAL CANALIZADO CONTENDO AS CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO DE GÁS CANALIZADO REFERENTES AOS CLIENTES COMERCIAIS CONTRATO DE FORNECIMENTO DE GÁS NATURAL CANALIZADO CONTENDO AS CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO DE GÁS CANALIZADO REFERENTES AOS CLIENTES COMERCIAIS DA CEG 1.º PARTES a) CEG: COMPANHIA DISTRIBUIDORA DE

Leia mais

ANEXO 5. Detalhamento dos serviços sob responsabilidade da Concessionária

ANEXO 5. Detalhamento dos serviços sob responsabilidade da Concessionária ANEXO 5 Detalhamento dos serviços sob responsabilidade da Concessionária 1 1. INTRODUÇÃO O presente anexo busca delimitar e detalhar as atividades e serviços sob responsabilidade da CONCESSIONÁRIA no âmbito

Leia mais

CADERNO DE ORIENTAÇÕES LOCAÇÃO DE IMÓVEL UNIDADE REGIONAL BAHIA

CADERNO DE ORIENTAÇÕES LOCAÇÃO DE IMÓVEL UNIDADE REGIONAL BAHIA LOCAÇÃO DE IMÓVEL UNIDADE REGIONAL BAHIA Dezembro de 2013 SUMÁRIO 1. OBJETO... 3 2. GENERALIDADES... 3 3. DO EDIFÍCIO... 4 4. INSTALAÇÕES ELÉTRICAS, ELETRÔNICAS, DADOS E VOZ... 4 5. INSTALAÇÕES DE REFRIGERAÇÃO...

Leia mais

ESPAÇO CORPORATIVO SILVA BUENO - CSB 261

ESPAÇO CORPORATIVO SILVA BUENO - CSB 261 ESPAÇO CORPORATIVO SILVA BUENO - CSB 261 RELATÓRIO DE ANDAMENTO DAS OBRAS PERÍODO MAIO DE 2015 Andamento das obras no período Obras no Ático: Início da instalação de luminárias iniciado; Conclusão das

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PROCEDIMENTO DE CONTROLE DE ACESSO

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PROCEDIMENTO DE CONTROLE DE ACESSO 25/03/203 PSP-0. INTRODUÇÃO O Procedimento de Controle de Acesso tem como objetivo orientar e padronizar o procedimento de acesso de pessoas as fábricas, garantindo que somente pessoas autorizadas possam

Leia mais

RESOLUÇÃO SEMA Nº 028/2010

RESOLUÇÃO SEMA Nº 028/2010 RESOLUÇÃO SEMA Nº 028/2010 Dispõe sobre a coleta, armazenamento e destinação de embalagens plásticas de óleo lubrificante pós-consumo no Estado do Paraná. O SECRETÁRIO DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE E RECURSOS

Leia mais

ENDEREÇO: Estrada de Itapecerica Nº 2.100.

ENDEREÇO: Estrada de Itapecerica Nº 2.100. PARECER TÉCNICO DAS ANOMALIAS ENCONTRADAS NA EDIFICAÇÃO DE GARANTIA POR PARTE DA CONSTRUTORA. 1ªPARTE TORRES 1 a 3. CONDOMÍNIO: Brink Condomínio Clube. ENDEREÇO: Estrada de Itapecerica Nº 2.100. CIDADE/UF:

Leia mais

Universidade Federal de Itajubá - Unifei Campus de Itabira

Universidade Federal de Itajubá - Unifei Campus de Itabira Revisão: 001 Página 1 de 7 Dispõe sobre conjunto de regras relativas à concessão do direito de uso dos espaços de convivência vinculados à Diretoria de Infraestrutura, da Universidade Federal de Itajubá

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DO LOTEAMENTO VILLAS DO JACUÍPE

ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DO LOTEAMENTO VILLAS DO JACUÍPE ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DO LOTEAMENTO VILLAS DO JACUÍPE Estrada do Coco, Km 31 Barra do Jacuípe CEP 42.833-000 Camaçari/Bahia CNPJ 03.380.253/0001-26 Telefones : (071) 3678-1690 e 3678-2356 E-mail : vjacuipe@oi.com.br

Leia mais

SISTEMAS PREDIAIS II. Automação Predial

SISTEMAS PREDIAIS II. Automação Predial PCC-2466 SISTEMAS PREDIAIS II Automação Predial Serviços dos Edifícios HIDRÁULICOS Água Fria; Água Gelada; Água Quente; Sistemas de Aquecimento (solar etc.); Esgotos Sanitários; Águas Pluviais; Drenagem

Leia mais

Deliberação da Indicação de Administração Condominial da Mérito Consultoria de Imóveis S.C. Ltda

Deliberação da Indicação de Administração Condominial da Mérito Consultoria de Imóveis S.C. Ltda Apresentação Institucional da Construtora Tarjab e da Incorporadora Meritor; Apresentação Geral do Empreendimento; Informações sobre o status do Processo de Vistoria das Unidades e Área Comum; Deliberação

Leia mais

Edifício Joviano de Moraes Manual do Credenciado

Edifício Joviano de Moraes Manual do Credenciado Edifício Joviano de Moraes Manual do Credenciado A BrasilPark quer prestar sempre o melhor serviço para seus clientes. Para que isso aconteça, é essencial que você fique atento aos nossos procedimentos

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO Julho / 2015. Escola Básica Municipal Encano Central Reforma da Cobertura Indaial / SC

MEMORIAL DESCRITIVO Julho / 2015. Escola Básica Municipal Encano Central Reforma da Cobertura Indaial / SC MEMORIAL DESCRITIVO Julho / 2015 Escola Básica Municipal Encano Central Reforma da Cobertura Indaial / SC 1. INFORMAÇÕES PRELIMINARES 1.1. RESPONSÁVEL TÉCNICO PELO PROJETO Carlos Henrique Nagel Engenheiro

Leia mais

1 Introdução. antes de mudar

1 Introdução. antes de mudar Introdução 1 Introdução antes de mudar Recebendo as chaves do imóvel, o proprietário deverá providenciar junto as concessionárias, as ligações de alguns serviços indispensáveis ao funcionamento de sua

Leia mais

Analise das normas: 1) ABNT NBR 5674 - Gestão da manutenção 2) ABNT NBR 12680 - Gestão das reformas. Ronaldo Sá Oliveira

Analise das normas: 1) ABNT NBR 5674 - Gestão da manutenção 2) ABNT NBR 12680 - Gestão das reformas. Ronaldo Sá Oliveira Analise das normas: 1) ABNT NBR 5674 - Gestão da manutenção 2) ABNT NBR 12680 - Gestão das reformas Ronaldo Sá Oliveira ABNT NBR 15575:2013 NORMA DE DESEMPENHO CE-02:140.02 INSPEÇÃO PREDIAL ABNT NBR 14037:2011

Leia mais

Manual de Assistência 24 horas. Assistência 24 Horas AUTOCONTROLE

Manual de Assistência 24 horas. Assistência 24 Horas AUTOCONTROLE Manual de Assistência 24 horas Assistência 24 Horas AUTOCONTROLE I. Assistência 24 Horas 1. Descrição da Assistência 24 Horas Prestação de atendimento ao cliente/usuário através da administração de rede

Leia mais

A SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS NAS EDIFICAÇÕES

A SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS NAS EDIFICAÇÕES A SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS NAS EDIFICAÇÕES 1 OBJETIVOS DO PROJETO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO A proteção da vida humana A proteção do patrimônio A continuidade do processo produtivo 2 O CÍRCULO DE PROTEÇÃO

Leia mais

BRIGADA DE INCÊNDIO ORGANIZAÇÃO DA BRIGADA DE INCÊNDIO

BRIGADA DE INCÊNDIO ORGANIZAÇÃO DA BRIGADA DE INCÊNDIO BRIGADA DE INCÊNDIO Brigada de Incêndio: É um grupo organizado de pessoas voluntárias ou não, treinadas e capacitadas para atuarem dentro de uma área previamente estabelecida na prevenção, abandono e combate

Leia mais

LEI N.º 10.348 DE 4 DE SETEMBRO DE 1987

LEI N.º 10.348 DE 4 DE SETEMBRO DE 1987 LEI N.º 10.348 DE 4 DE SETEMBRO DE 1987 Dispõe sobre instalação e funcionamento de elevadores e outros aparelhos de transporte, e dá outras providências. Jânio da Silva Quadros, Prefeito do Município de

Leia mais

NPT 031 SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO PARA HELIPONTO E HELIPORTO

NPT 031 SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO PARA HELIPONTO E HELIPORTO Janeiro 2012 Vigência: 08 Janeiro 2012 NPT 031 Segurança Contra Incêndio para Heliponto e Heliporto CORPO DE BOMBEIROS BM/7 Versão: 02 Norma de Procedimento Técnico 5 páginas SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação

Leia mais

End. Rua Gonçalves Dias, 1075 MEMORIAL DO EMPREENDIMENTO

End. Rua Gonçalves Dias, 1075 MEMORIAL DO EMPREENDIMENTO End. Rua Gonçalves Dias, 1075 MEMORIAL DO EMPREENDIMENTO INFORMAÇÕES GERAIS Endereço do Empreendimento Rua Gonçalves Dias, N 1075 Menino Deus - Porto Alegre RS Composição do Apartamento Tipo 03 Dormitórios

Leia mais

NORMA TÉCNICA N o 11 PLANOS DE INTERVENÇÃO DE INCÊNDIO

NORMA TÉCNICA N o 11 PLANOS DE INTERVENÇÃO DE INCÊNDIO ANEXO XI AO DECRETO N o 3.950, de 25 de janeiro de 2010. NORMA TÉCNICA N o 11 PLANOS DE INTERVENÇÃO DE INCÊNDIO 1. OBJETIVOS Esta Norma Técnica estabelece princípios gerais para: a) o levantamento de riscos

Leia mais

Reforma e Manutenção de Edificações ou Condomínios. Marcos Velletri

Reforma e Manutenção de Edificações ou Condomínios. Marcos Velletri Reforma e Manutenção de Edificações ou Condomínios Marcos Velletri Reforma e Manutenção de Edificações ou Condomínios É de extrema importância a conscientização de proprietários e síndicos quanto à responsabilidade

Leia mais

PLANO DE FUGA EM OCORRÊNCIAS DE INCÊNDIOS E EMERGÊNCIAS EM ESCOLAS

PLANO DE FUGA EM OCORRÊNCIAS DE INCÊNDIOS E EMERGÊNCIAS EM ESCOLAS PLANO DE FUGA EM OCORRÊNCIAS DE INCÊNDIOS E EMERGÊNCIAS EM ESCOLAS PLANO DE EMERGÊNCIA CONTRA INCÊNDIO de acordo com o projeto de norma nº 24:203.002-004 da ABNT ( setembro 2000 ) 1 Objetivo 1.1 Estabelecer

Leia mais

CAPÍTULO V. Da Garagem e Estacionamento

CAPÍTULO V. Da Garagem e Estacionamento CAPÍTULO V Da Garagem e Estacionamento Art 37. Cada unidade autônoma tem direito a uma vaga de estacionamento, perfazendo um total de 967 (novecentos e sessenta e sete) vagas, distribuídas de acordo com

Leia mais

Controle de portaria e acesso

Controle de portaria e acesso Pág.: 1/5 1 Objetivo Estabelecer critérios e procedimentos relativos ao controle de acesso de pessoas, veículos e equipamentos às dependências e às áreas de proteção ambiental sob o domínio da COPASA MG.

Leia mais

MANUAL DO CONSTRUTOR

MANUAL DO CONSTRUTOR 1. SOLICITAÇÕES PARA INÍCIO DA OBRA 01 jogo do projeto de arquitetura aprovado; Autorização para Construção emitida pela Associação Jardins Ibiza. 2. IMPLANTAÇÃO DO CANTEIRO DE OBRA 2.1 Fechamento do canteiro

Leia mais

Manutenção e Reforma. Saiba as ações necessárias para atendimento às novas normas de modo a não implicar em suas garantias. Ricardo Santaliestra Pina

Manutenção e Reforma. Saiba as ações necessárias para atendimento às novas normas de modo a não implicar em suas garantias. Ricardo Santaliestra Pina Manutenção e Reforma Saiba as ações necessárias para atendimento às novas normas de modo a não implicar em suas garantias Ricardo Santaliestra Pina Norma ABNT NBR 5674 Manutenção Edificações Requisitos

Leia mais

NORMA DE CONTROLE DE CIRCULAÇÃO INTERNA - NOR 204

NORMA DE CONTROLE DE CIRCULAÇÃO INTERNA - NOR 204 ASSUNTO: MANUAL DE ADMINISTRAÇÃO, FINANÇAS E PESSOAS CONTROLE DE ACESSO E CIRCULAÇÃO INTERNA NAS DEPENDENCIAS DA EMPRESA APROVAÇÃO: Deliberação DIREX nº 77, de 08/06/2015 COD. 200 VIGÊNCIA: 08/06/2015

Leia mais

INCÊNDIO Ambiente SEFAZ (Ed. Vale do Rio Doce) PGI 002 Incêndio

INCÊNDIO Ambiente SEFAZ (Ed. Vale do Rio Doce) PGI 002 Incêndio GESTÃO DA CONTINUADE DOS NEGÓCIOS E DE PGI 002 Incêndio INCÊNDIO Ambiente SEFAZ (Ed. Vale do Rio Doce) PGI 002 Incêndio As informações existentes neste documento e em seus anexos são para uso exclusivo

Leia mais

Artigo 1º - Aprovar revisão da Política de Segurança da PRODEB, que com esta se publica.

Artigo 1º - Aprovar revisão da Política de Segurança da PRODEB, que com esta se publica. Classificação: RESOLUÇÃO Código: RP.2007.077 Data de Emissão: 01/08/2007 O DIRETOR PRESIDENTE da Companhia de Processamento de Dados do Estado da Bahia - PRODEB, no uso de suas atribuições e considerando

Leia mais

Normas de Segurança para o Instituto de Química da UFF

Normas de Segurança para o Instituto de Química da UFF Normas de Segurança para o Instituto de Química da UFF A Comissão de segurança do Instituto de Química da UFF(COSEIQ) ao elaborar essa proposta entende que sua função é vistoriar, fiscalizar as condições

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO MÍNIMA PARA AS INSTALAÇÕES DA GARAGEM

ESPECIFICAÇÃO MÍNIMA PARA AS INSTALAÇÕES DA GARAGEM PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS SECRETARIA MUNICIPAL DE MOBILIDADE URBANA CONCORRÊNCIA CONCESSÃO DE SERVIÇOS PÚBLICOS DE TRANSPORTE COLETIVO URBANO DE PASSAGEIROS DO MUNICÍPIO EDITAL DE CONCORRÊNCIA

Leia mais

NORMA BRASILEIRA ABNT NBR 16280. Reforma em edificações - Sistema de gestão de reformas - Requisitos PRIMEIRA EDIÇÃO 18/03/2014

NORMA BRASILEIRA ABNT NBR 16280. Reforma em edificações - Sistema de gestão de reformas - Requisitos PRIMEIRA EDIÇÃO 18/03/2014 NORMA BRASILEIRA ABNT NBR 16280 PRIMEIRA EDIÇÃO 18/03/2014 VÁLIDA A PARTIR DE 18/04/2014 Reforma em edificações - Sistema de gestão de reformas - Requisitos Prefácio Introdução 1 Escopo 2 Referências 3

Leia mais

EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO PARA LOCAÇÃO DE IMÓVEL Nº 001/2015

EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO PARA LOCAÇÃO DE IMÓVEL Nº 001/2015 Página 1 de 5 EDITAL DE CHAMAMENTO A COMPANHIA POTIGUAR DE GÁS (POTIGÁS), por intermédio da sua Diretoria Executiva, na forma das disposições contidas no artigo 24, inciso X, da Lei 8.666/93 e alterações

Leia mais

TREINAMENTO INTEGRAÇÃO MÓDULO 6 1 CONCEITO DE SEGURANÇA PATRIMONIAL 3 CRACHÁS ESQUECIMENTO OU PERDA 6 ENTRADA DE EQUIPAMENTOS, FERRAMENTAS E MAT.

TREINAMENTO INTEGRAÇÃO MÓDULO 6 1 CONCEITO DE SEGURANÇA PATRIMONIAL 3 CRACHÁS ESQUECIMENTO OU PERDA 6 ENTRADA DE EQUIPAMENTOS, FERRAMENTAS E MAT. TREINAMENTO INTEGRAÇÃO MÓDULO 6 1 CONCEITO DE SEGURANÇA PATRIMONIAL 2 ENTRADA E SAÍDA NA PORTARIA 3 CRACHÁS ESQUECIMENTO OU PERDA 4 ACHADOS E PERDIDOS 5 PROIBIÇÕES 6 ENTRADA DE EQUIPAMENTOS, FERRAMENTAS

Leia mais

SISTEMA GLOBAL DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO. firesafetybrasil@gmail.com

SISTEMA GLOBAL DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO. firesafetybrasil@gmail.com SISTEMA GLOBAL DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO firesafetybrasil@gmail.com RELAÇÃO ENTRE OS FATORES CONDICIONANTES DE RISCO E AS DISTINTAS CATEGORIAS DE RISCO RELAÇÃO DE INTERDEPENDÊNCIA ENTRE AS CINCO CATEGORIAS

Leia mais

Paulista Corporate Avenida Paulista, nº 1.636 São Paulo - SP

Paulista Corporate Avenida Paulista, nº 1.636 São Paulo - SP Paulista Corporate Avenida Paulista, nº 1.636 São Paulo - SP Outubro, 2009 Versão Final A. DESCRIÇÃO DO PROJETO Este memorial trata da descrição e especificação básica dos elementos que deverão compor

Leia mais

APÊNDICE "D" Descrição Técnica dos Pequenos Serviços de

APÊNDICE D Descrição Técnica dos Pequenos Serviços de APÊNDICE "D" Descrição Técnica dos Pequenos Serviços de A INTRODUÇÃO Neste apêndice estão discriminados os Serviços de Adequação (PSA) de menor complexidade para atendimento da dinâmica funcional da ECT,

Leia mais

Dados do Produto. Ar Condicionado: ponto dreno + carga elétrica (sala e dormitório)

Dados do Produto. Ar Condicionado: ponto dreno + carga elétrica (sala e dormitório) FICHA TÉCNICA Projeto Arquitetônico: Gkalili Arquitetura Design de Fachada: Triptyque Arquitetura Projeto Paisagístico: EKF Arquitetura paisagística Projeto Decoração: Triptyque Arquitetura Dados do Produto

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DOS CENTROS COORDENADORES DE TRANSPORTES DE CAMINHA E VILA PRAIA DE ÂNCORA

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DOS CENTROS COORDENADORES DE TRANSPORTES DE CAMINHA E VILA PRAIA DE ÂNCORA REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DOS CENTROS COORDENADORES DE TRANSPORTES DE CAMINHA E VILA PRAIA DE ÂNCORA 1990 1 CAPÍTULO I OBJECTIVO E ÂMBITO DE APLICAÇÕES ARTIGO 1º - O presente regulamento destina-se

Leia mais

ESTADO DO MARANHÃO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COMANDO GERAL

ESTADO DO MARANHÃO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COMANDO GERAL ESTADO DO MARANHÃO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COMANDO GERAL Resolução nº 002 de 09 de maio de 2011. O Comandante Geral do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Maranhão, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

Ecologicamente correto. Economicamente viável. Socialmente justo. Culturalmente aceito.

Ecologicamente correto. Economicamente viável. Socialmente justo. Culturalmente aceito. Ecologicamente correto Economicamente viável Socialmente justo Culturalmente aceito. ENERGIA SEGURANÇA ETE FIBRA-ÓTICA DADOS TELEFONIA PAVIMENTAÇÃO VIAS PROJETADAS GÁS ETA SINALIZAÇÃO EQUIP. URBANOS ACESSIBILIDADE

Leia mais

REGULAMENTO DA VII BIENAL INTERNACIONAL DO LIVRO DE ALAGOAS

REGULAMENTO DA VII BIENAL INTERNACIONAL DO LIVRO DE ALAGOAS REGULAMENTO DA VII BIENAL INTERNACIONAL DO LIVRO DE ALAGOAS 1. EVENTO: 1.1 REALIZAÇÃO Universidade Federal de Alagoas (Ufal) Editora da Universidade Federal de Alagoas (Edufal) Av. Lourival Melo Mota,

Leia mais

NORMA TÉCNICA N o 16 SISTEMAS DE PROTEÇÃO POR EXTINTORES DE INCÊNDIO

NORMA TÉCNICA N o 16 SISTEMAS DE PROTEÇÃO POR EXTINTORES DE INCÊNDIO ANEXO XVI AO DECRETO N o 3.950, de 25 de janeiro de 2010. NORMA TÉCNICA N o 16 SISTEMAS DE PROTEÇÃO POR EXTINTORES DE INCÊNDIO 1. OBJETIVO Esta Norma Técnica estabelece critérios para proteção contra incêndio

Leia mais

4.2. Instalação de água: Já existe ramal de ligação do concessionário autorizado (CORSAN) até a edificação.

4.2. Instalação de água: Já existe ramal de ligação do concessionário autorizado (CORSAN) até a edificação. MEMORIAL DESCRITIVO Proprietário (a): PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO MIGUEL DAS MISSÕES; Obra: Projeto Arquitetônico de Reforma do Centro Administrativo; Cadastro Matrícula: Local: Rua 29 de Abril, nº 165

Leia mais

Ministério da Fazenda SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS

Ministério da Fazenda SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS PROJETO BÁSICO GESER Nº 04/07 FISCALIZAÇÃO DA OBRA DE IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO 1. OBJETO Contratação de empresa especializada para prestação de serviços de fiscalização

Leia mais

DECRETO Nº 18.403, DE 12 DE SETEMBRO DE 2013.

DECRETO Nº 18.403, DE 12 DE SETEMBRO DE 2013. DECRETO Nº 18.403, DE 12 DE SETEMBRO DE 2013. Estabelece normas para utilização de Parques e Praças Municipais para Feiras de Adoção de Animais e de Eventos Relacionados à causa animal. O PREFEITO MUNICIPAL

Leia mais

EXPO-EaD 18º Congresso Internacional ABED de Educação a Distância

EXPO-EaD 18º Congresso Internacional ABED de Educação a Distância MANUAL DO EXPOSITOR EXPO-EaD 18º Congresso Internacional ABED de Educação a Distância Prezado Expositor, O objetivo deste Manual é facilitar o trabalho de todos os participantes, obter eficiência e qualidade,

Leia mais

Contrato de Locação de Imóvel e Mobília por Temporada

Contrato de Locação de Imóvel e Mobília por Temporada Contrato de Locação de Imóvel e Mobília por Temporada LOCATÁRIO: Profissão: RG: CPF: Residente e domiciliado: LOCADOR: VILA DOS MANACÁS ATIVIDADES IMOBILIARIAS, empresa estabelecida nesta cidade de Ubatuba/SP,

Leia mais

Regulamento Interno das Bibliotecas da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões - Campus de Erechim

Regulamento Interno das Bibliotecas da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões - Campus de Erechim Regulamento Interno das Bibliotecas da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões - Campus de Erechim Capítulo I DA ESTRUTURA E DA FINALIDADE Art. 1º Este regulamento disciplina o funcionamento

Leia mais

RESOLUÇÃO CGSIM Nº 29, DE 29 DE NOVEMBRO DE 2012.

RESOLUÇÃO CGSIM Nº 29, DE 29 DE NOVEMBRO DE 2012. RESOLUÇÃO CGSIM Nº 29, DE 29 DE NOVEMBRO DE 2012. Dispõe sobre recomendação da adoção de diretrizes para integração do processo de licenciamento pelos Corpos de Bombeiros Militares pertinente à prevenção

Leia mais

MANUAL DO USO DE ELEVADORES ÍNDICE: I Procedimentos e Cuidados

MANUAL DO USO DE ELEVADORES ÍNDICE: I Procedimentos e Cuidados MANUAL DO USO DE ELEVADORES ÍNDICE: I Procedimento e Cuidados II Verificação pelo usuário do funcionamento seguro do elevador III Procedimentos a evitar na utilização do elevador IV Orientação para a escolha

Leia mais

Edifício Itower Manual do Credenciado

Edifício Itower Manual do Credenciado Edifício Itower Manual do Credenciado A BrasilPark quer prestar sempre o melhor serviço para seus clientes. Para que isso aconteça, é essencial que você fique atento aos nossos procedimentos de atendimento.

Leia mais

ECV 5644 Instalações II

ECV 5644 Instalações II SISTEMA DE GÁS CENTRALIZADO Fonte: ETFSC Este Sistema também é conhecido como SISTEMA DE GÁS COMBUSTIVEL CENTRALIZADO, é constituído basicamente das seguintes instalações: 1. Central de Gás (Central de

Leia mais

IT - 16 SISTEMA DE PROTEÇÃO POR EXTINTORES DE INCÊNDIO

IT - 16 SISTEMA DE PROTEÇÃO POR EXTINTORES DE INCÊNDIO IT - 16 SISTEMA DE PROTEÇÃO POR EXTINTORES DE INCÊNDIO SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Referências Normativas 4 Definições 5 Generalidades gerais 6- Procedimentos 7 Certificação e validade/garantia INSTRUÇÃO

Leia mais

ANEXO 3 CONDIÇÕES DE COMPARTILHAMENTO DE INFRA-ESTRUTURA PARA INTERCONEXÃO

ANEXO 3 CONDIÇÕES DE COMPARTILHAMENTO DE INFRA-ESTRUTURA PARA INTERCONEXÃO ANEXO 3 CONDIÇÕES DE COMPARTILHAMENTO DE INFRA-ESTRUTURA PARA INTERCONEXÃO 1. CLÁUSULA PRIMEIRA - CONDIÇÕES GERAIS 1.1. A PARTE proprietária dos itens de infra-estrutura cedidos e a PARTE a qual será feita

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA 1. JUSTIFICATIVA: Considerando que os serviços de manutenção predial são imprescindíveis e de natureza contínua. Ademais, existem fatores diversos que influenciam na preservação

Leia mais

Tecnologias de Prevenção e Combate a Incêndios João Gama Godoy

Tecnologias de Prevenção e Combate a Incêndios João Gama Godoy Tecnologias de Prevenção e Combate a Incêndios João Gama Godoy Técnico de Segurança do Trabalho Senac - 2010 É proibida a reprodução do conteúdo desta apresentação em qualquer meio de comunicação, eletrônico

Leia mais

EQUIPE PROJETOS CONSTRUÇÕES LTDA

EQUIPE PROJETOS CONSTRUÇÕES LTDA CONSTRUÇÃO E INCORPORAÇÃO EQUIPE PROJETOS CONSTRUÇÕES LTDA INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE O EMPREENDIMENTO Nome: Endereço: Porto Oceânico Rua "C", Lote 13, Quadra 28, Lot. Cidade Balneária de Itaipu, Itaipu,

Leia mais

NR 10 - Instalações e Serviços em Eletricidade (110.000-9)

NR 10 - Instalações e Serviços em Eletricidade (110.000-9) NR 10 - Instalações e Serviços em Eletricidade (110.000-9) 10.1. Esta Norma Regulamentadora - NR fixa as condições mínimas exigíveis para garantir a segurança dos empregados que trabalham em instalações

Leia mais

FORMULÁRIO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO PROJETO TÉCNICO

FORMULÁRIO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO PROJETO TÉCNICO ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA E DA DEFESA SOCIAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS DAT/1 SEÇÃO DE ANÁLISE DE PROJETOS FORMULÁRIO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO

Leia mais

REGIMENTO INTERNO. Artigo 8º - Fica estabelecido que os portões de entrada que dão acesso ao CONDOMÍNIO serão mantidos permanentemente fechados.

REGIMENTO INTERNO. Artigo 8º - Fica estabelecido que os portões de entrada que dão acesso ao CONDOMÍNIO serão mantidos permanentemente fechados. SEM MARCADOR TEXTO ORIGINAL GRIFADO EM VERDE ALTERAÇÕES A SEREM APROVADAS NA ASSEMBLÉIA REGIMENTO INTERNO Artigo 8º - Fica estabelecido que os portões de entrada que dão acesso ao CONDOMÍNIO serão mantidos

Leia mais

Índice geral. Apresentação. Prólogo à 2.ª edição. Sumário. Siglas. Agradecimentos. 1. Introdução. 2. O risco de incêndio

Índice geral. Apresentação. Prólogo à 2.ª edição. Sumário. Siglas. Agradecimentos. 1. Introdução. 2. O risco de incêndio Índice geral 3 Prólogo à 2.ª edição 5 Sumário 7 Siglas 9 Agradecimentos 11 1. Introdução 13 Tipificação dos incêndios... Causas de incêndio... Consequências dos incêndios... 2.3.1. Considerações gerais...

Leia mais