26.MEDICINA INTENSIVA. Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas. .Relação dos Protocolos

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "26.MEDICINA INTENSIVA. Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas. .Relação dos Protocolos"

Transcrição

1 .Relação dos Protocolos CHOQUE E TRAUMATISMO ( ) Choque uma Visão Geral ( ) Hemorragia e Reanimação ( ) Queimaduras ( ) Sepse ( ) Síndrome de Disfunção Múltipla de Órgãos ( ) Síndromes Compartimentais dos Membros ( ) Traumatismo uma Visão Geral ( ) Traumatismo Abdominal ( ) Traumatismo Craniano ( ) Traumatismo da Medula Espinal ( ) Traumatismo Torácico DOENÇAS INFECCIOSAS EM UTI ( ) Abordagem da Febre em Pacientes em UTI ( ) Botulismo e Tétano ( ) Complicações Infecciosas do Abuso de Drogas ( ) Cuidado Intensivo de Pacientes com Infecção por HIV ( ) Endocardite Infecciosa ( ) Infecções Agudas no Hospedeiro Imunocomprometido ( ) Infecções Associadas a Cateteres Vasculares ( ) Infecções do Trato Urinário na UTI ( ) Meningite Bacteriana ( ) Síndrome do Choque Tóxico, Doenças Transmitidas por Carrapatos e Infecção Pós- Esplenectomia ( ) Tuberculose em UTI ( ) Uso de Agentes Antimicrobianos no Tratamento de Infecções no Paciente em Estado Crítico ( ) Dobutamina ( ) Dopamina ( ) Drogas vasoativas ( ) Nitroglicerina ( ) Nitroprussiato de sódio ( ) Norepinefrina, Bitatrarato de DROGAS VASOATIVAS FARMACOLOGIA, OVERDOSES E INTOXICAÇÕES ( ) Acetaminofeno (Paracetamol) ( ) Alcoóis e Glicóis ( ) Anti inflamatórios não Esteróides ( ) Envenenamentos - Avaliação e Tratamento ( ) Farmacocinética Aplicada ( ) Intoxicação por Antidepressivos ( ) Intoxicação por Cocaína ( ) Sedativos Hipnóticos ( ) Síndromes de Abstinência 1

2 INTOXICAÇÕES EXÓGENAS ( ) Intoxicação por Barbitúricos ( ) Intoxicação por Benzodiazepínicos ( ) Intoxicação por Monóxido de Carbono ( ) Intoxicações por Inseticidas Carbamatos ( ) Intoxicações por Inseticidas Organofosforados ( ) Intoxicações por Raticidas Cumarínicos ( ) Coma Mixedematoso ( ) Encefalopatia Hepática METABOLISMO PROCEDIMENTOS E TÉCNICAS UTI ( ) Acesso Arterial ( ) Aspiração Articular ( ) Aspiração de Líquido Cefalorraquidiano ( ) Balão Intra-aórtico e a Contra Pulsação ( ) Broncoscopia ( ) Calorimetria Indireta ( ) Cateter Arterial, Colocação e Cuidados ( ) Cateter Venoso Central ( ) Cateteres de Artéria Pulmonar ( ) Cardioversão e Desfibrilação ( ) Cistostomia Supra Púbica Percutânea ( ) Colocação por Via Endoscópica de Tubos de Alimentação ( ) Cricotireotomia ( ) Ecocardiografia na UTI ( ) Endoscopia Gastrointestinal ( ) Lavagem Peritoneal Diagnóstica e Paracentese ( ) Manejo das Vias Respiratórias e Intubação ( ) Monitorização Neurológica e da Pressão Intracraniana ( ) Monitorização na UTI ( ) Pericardiocentese ( ) Posicionamento do Paciente Acamado ( ) Punção Arterial para Análise dos Gases Sanguíneos ( ) Tamponamento com Balão Gastroesofágico para a Hemorragia Varicosa Aguda ( ) Toracocentese ( ) Traqueostomia ( ) Traqueostomia Percutânea ( ) Troca de Sondas/Cateteres ( ) Tubo Torácico, Inserção e Cuidados PROBLEMAS CARDIOVASCULARES E TERAPIA CORONARIANA UTI ( ) Avaliação e Manejo da Hipertensão na UTI ( ) Avaliação Paciente de Risco Baixo a Intermediário com Dor Torácica ( ) Cuidados Intensivos para a Doença Pericárdica ( ) Doença Valvar Cardíaca ( ) Infarto do Miocárdio com Elevação do Segmento ST ( ) Infarto do Miocárdio Complicado 2

3 ( ) Manejo da Angina Instável e do Infarto do Miocárdio sem Elevação do Segmento ST ( ) Manejo Farmacológico do Paciente Hipotenso ( ) Marca Passo Cardíaco Temporário ( ) Marca Passos Permanentes e Dispositivos Antiarrítmicos ( ) Miocardiopatias: Diagnóstico e Tratamento ( ) Reanimação Cardiopulmonar ( ) Síncope ( ) Síndromes Aórticas Agudas ( ) Taquicardia Supraventricular ( ) Taquicardia Ventricular ( ) Traumatismo Cardíaco e da Aorta Torácica PROBLEMAS CIRÚRGICOS EM UTI ( ) Controle da Dor em Pacientes em Estado Crítico ( ) Epistaxe ( ) Fascite Necrosante e Outras Infecções dos Tecidos Moles ( ) Isquemia Mesentérica ( ) Pancreatite Aguda ( ) Perfuração Esofágica e Mediastinite Aguda ( ) Problemas Obstétricos em UTI ( ) Septicemia Intra Abdominal Diagnóstico e Tratamento ( ) Síndrome Compartimental da Cavidade Abdominal ( ) Úlceras de Decúbito Prevenção e Tratamento PROBLEMAS ENDÓCRINOS EM UTI ( ) Comas Diabéticos ( ) Controle do Diabetes Melito em Pacientes em Estado Crítico ( ) Crise Supra-renal e Manejo do Estresse no Paciente Submetido a Terapia Crônica com Esteróides ( ) Emergências Tireoideas ( ) Hipoglicemia ( ) Síndrome do Enfermo Eutireoideo na UTI ( ) Transtornos do Metabolismo Mineral PROBLEMAS GASTROINTESTINAIS E HEPATOBILIARES EM UTI ( ) Avaliação e Tratamento da Insuficiência Hepática ( ) Colite Fulminante e Megacólon Tóxico ( ) Diarreia ( ) Disfunção Hepática ( ) Doença Grave e Complicada do Trato Biliar ( ) Problemas da Motilidade Gastrointestinal na UTI ( ) Sangramentos Gastrointestinais Diagnóstico e Tratamento ( ) Sangramentos por Varizes ( ) Síndrome de Úlcera de Estresse ( ) Suporte Nutricional em UTI Princípios Básicos PROBLEMAS HEMATOLÓGICOS EM UTI ( ) Anemias Hemolíticas ( ) Coagulopatias Congênitas 3

4 ( ) Emergências Oncológicas ( ) Estados Hipercoaguláveis ( ) Granulocitopenia ( ) Leucemias ( ) Terapia Antitrombótica ( ) Terapia Transfusional Componentes Sanguíneos e Complicações das Transfusões ( ) Transplantes Hemorrágicos Adquiridos ( ) Trombocitopenia no Paciente em Estado Crítico PROBLEMAS NEUROLÓGICOS EM UTI ( ) Abordagem aos Problemas Neurológicos em UTI ( ) Anóxia/Isquemia Generalizada do Sistema Nervoso ( ) Avaliando Pacientes com Alteração da Consciência em UTI ( ) Doenças Vasculares Cerebrais ( ) Encefalopatia Metabólica ( ) Estado de Mal Epiléptico ( ) Fraqueza Muscular na UTI ( ) Hemorragia Subaracnóide ( ) Miastenia Grave ( ) Outros Problemas Neurológicos em UTI ( ) Problemas Neuro Oncológicos em UTI ( ) Síndrome de Guillain-Barré PROBLEMAS PSIQUIÁTRICOS NA UTI ( ) Agitação Psicomotora e Delirium em Pacientes na UTI Diagnóstico e Tratamento ( ) Ansiedade em Pacientes na UTI Diagnóstico e Tratamento ( ) Depressão em Pacientes na UTI Diagnóstico e Tratamento PROBLEMAS PULMONARES NA UTI ( ) Abordagem Terapêutica Fisiológica da Insuficiência Respiratória ( ) Aspiração e Quase Afogamento ( ) Causas Extra Pulmonares de Insuficiência Respiratória ( ) Conduta na Hemoptise ( ) Doença Pleural em Paciente em Estado Crítico ( ) Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica ( ) Estado de Mal Asmático ( ) Hipertensão Pulmonar ( ) Infecções Graves das Vias Respiratórias Superiores ( ) Insuficiência Respiratória Aguda na Gestação ( ) Lesão Inalatória Aguda ( ) Pneumonia Infecciosa Aguda ( ) Síndrome de Angústia Respiratória Aguda ( ) Terapia Respiratória Suplementar ( ) Transtornos do Controle da Temperatura Hipertermia ( ) Transtornos do Controle da Temperatura - Hipotermia ( ) Tromboembolismo Venoso: Embolia Pulmonar e Trombose Venosa Profunda ( ) Ventilação Mecânica Iniciação ( ) Ventilação Mecânica - Interrupção 4

5 PROBLEMAS RENAIS NA UTI ( ) Acidose Metabólica e Alcalose Metabólica ( ) Insuficiência Renal Aguda na UTI ( ) Terapia de Diálise no Contexto do Tratamento Intensivo ( ) Transtornos do Sódio e do Potássio Plasmáticos SEDAÇÃO, ANALGESIA E BLOQUEIO NEUROMUSCULAR UTI ( ) Analgesia em UTI ( ) Anestesia para Procedimentos à Beira do Leito ( ) Bloqueio Neuromuscular em UTI ( ) Sedação, Analgesia e Bloqueio Neuromuscular ( ) Sedação em UTI TRANSPLANTES ( ) Cuidados Críticos com os Órgãos de Doadores Falecidos ( ) Cuidados Críticos com os Receptores de Transplantes de Órgãos Visão Geral ( ) Cuidados Críticos para os Receptores de Transplante de Coração e Pulmão ( ) Cuidados Críticos para os Receptores de Transplante de Fígado ( ) Cuidados Críticos para os Receptores de Transplante de Pâncreas ( ) Cuidados Críticos para os Receptores de Transplante de Rim ( ) Rejeição, Infecção e Processos Malignos em Receptores Transplantes de Órgãos Sólidos ( ) Transplante de Células Hematopoiéticas. TRANSTORNOS REUMATOLÓGICOS E IMUNOLÓGICOS NA UTI ( ) Anafilaxia ( ) Transtornos Neurológicos na UTI ( ) Vasculite na UTI DIVERSOS ( ) Diretrizes para o Uso de Albumina ANVISA ( ) Isolamento em UTI Normas ( ) Padronização para Diluição dos Medicamentos ( ) Problemas Morais, Éticos, Legais e Orientações no Tratamento Intensivo ( ) Regulamento Técnico Funcionamento de Unidades de Terapia Intensiva AMIB ( ) Regulamento Técnico Funcionamento de UTI e Unidade Cuidados Intermediários - ANVISA 5

Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira: história, 2 abrangência, princípios e missão

Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira: história, 2 abrangência, princípios e missão Conteúdo Programático - Geral 1 Marcos históricos na Saúde Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira: história, 2 abrangência, princípios e missão 3 Código de ética profissional 4 Bioética

Leia mais

parte 1 estratégia básica e introdução à patologia... 27

parte 1 estratégia básica e introdução à patologia... 27 Sumário parte 1 estratégia básica e introdução à patologia... 27 1 Terapêutica: estratégia geral... 29 terminologia de doenças... 29 História do caso... 34 Disposição do fármaco... 39 Seleção do fármaco...

Leia mais

Choque hipovolêmico: Classificação

Choque hipovolêmico: Classificação CHOQUE HIPOVOLÊMICO Choque hipovolêmico: Classificação Hemorrágico Não-hemorrágico Perdas externas Redistribuição intersticial Choque hipovolêmico: Hipovolemia Fisiopatologia Redução de pré-carga Redução

Leia mais

PROTOCOLOS CLÍNICOS E DIRETRIZES TERAPÊUTICAS

PROTOCOLOS CLÍNICOS E DIRETRIZES TERAPÊUTICAS UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA Sumário ESTRUTURA DA UTI Estrutura Organizacional Estrutura Física PROTOCOLOS CLÍNICOS E DIRETRIZES TERAPÊUTICAS ESTRUTURA, MONTAGEM E GERENCIAMENTO Roteiro completo: aspectos

Leia mais

CAPÍTULO I. Conceito

CAPÍTULO I. Conceito REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE APRIMORAMENTO DO SERVIÇO DE TERAPIA INTENSIVA CARDIO-PEDIÁTRICA HOSPITAL DO CORAÇÃO CAPÍTULO I Conceito Art. 1º - O Programa de Aprimoramento em Terapia Intensiva Cardio-Pediátrica

Leia mais

PROGRAMA DE ESPECIALIZAÇÃO EM TERAPIA INTENSIVA BASEADO EM COMPETÊNCIAS. CoBaTrICE AMIB

PROGRAMA DE ESPECIALIZAÇÃO EM TERAPIA INTENSIVA BASEADO EM COMPETÊNCIAS. CoBaTrICE AMIB PROGRAMA DE ESPECIALIZAÇÃO EM TERAPIA INTENSIVA BASEADO EM COMPETÊNCIAS CoBaTrICE AMIB ÁREAS DE DOMÍNIO 1-Ressuscitação e controle inicial do paciente agudamente enfermo 2-Diagnóstico: avaliação, investigação,

Leia mais

CRONOGRAMA TEÓRICO DATA HORÁRIO PROFESSORES TITULAÇÃO C/H RECEPÇÃO 25/04/ :00h Assistente adm. ABERTURA 25/04/ :30h Diretoria e coord.

CRONOGRAMA TEÓRICO DATA HORÁRIO PROFESSORES TITULAÇÃO C/H RECEPÇÃO 25/04/ :00h Assistente adm. ABERTURA 25/04/ :30h Diretoria e coord. CRONOGRAMA TEÓRICO DATA HORÁRIO PROFESSORES TITULAÇÃO C/H RECEPÇÃO 25/04/2014 19:00h Assistente adm. ABERTURA 25/04/2014 19:30h Diretoria e coord. 6h PALESTRA INTELIGÊNCIA MOTIVACIONAL 25/04/2014 20:00h

Leia mais

DIVISÃO DE TERAPIA INTENSIVA DEPARTAMENTO DE CIRURGIA E ANATOMIA HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA FACULDADE DE MEDICINA DE RIBEIRÃO PRETO

DIVISÃO DE TERAPIA INTENSIVA DEPARTAMENTO DE CIRURGIA E ANATOMIA HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA FACULDADE DE MEDICINA DE RIBEIRÃO PRETO DIVISÃO DE TERAPIA INTENSIVA DEPARTAMENTO DE CIRURGIA E ANATOMIA HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA FACULDADE DE MEDICINA DE RIBEIRÃO PRETO PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA EM MEDICINA INTENSIVA 1. Histórico A Residência

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA 2016 Sociedade de Anestesiologia do Distrito Federal 3ª ETAPA

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA 2016 Sociedade de Anestesiologia do Distrito Federal 3ª ETAPA PROGRAMA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA 2016 Sociedade de Anestesiologia do Distrito Federal 3ª ETAPA PROGRAMA - ME 1 (2/8/2016) PONTO 10 - Fisiologia do Sistema Respiratório I 10.1. Funções respiratórias e não

Leia mais

CRONOGRAMA TEÓRICO DATA HORÁRIO PROFESSORES TITULAÇÃO C/H RECEPÇÃO

CRONOGRAMA TEÓRICO DATA HORÁRIO PROFESSORES TITULAÇÃO C/H RECEPÇÃO INSTITUTO DE CADIOLOGIA - DISTRITO FEDERAL IC-DF Fundação Universitária de Cardiologia - FUC Comissão Científica / Ensino Multiprofissional 8ª Turma Especialização Enfermagem em Cardiologia RECEPÇÃO 19:00h

Leia mais

I Características Técnicas e Funcionais do Curso

I Características Técnicas e Funcionais do Curso Curso: Condutas Médicas em Intercorrências de Pacientes Internados I Características Técnicas e Funcionais do Curso A Tipo: Curso de Aperfeiçoamento, Modular e Baseado em Evidências Médicas População-alvo

Leia mais

TRANSPLANTES DE ÓRGÃOS DR WANGLES SOLER

TRANSPLANTES DE ÓRGÃOS DR WANGLES SOLER TRANSPLANTES DE ÓRGÃOS DR WANGLES SOLER Alexis Carrel Doador Cadáver Controle da Inflamação Xenotransplantes Desenvolvimentos dos Transplantes Curva de aprendizado Indicação para o transplante Imunossupressão

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO GENERALISTA. Os distúrbios da somatização são caracterizados por, EXCETO:

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO GENERALISTA. Os distúrbios da somatização são caracterizados por, EXCETO: 12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO GENERALISTA QUESTÃO 21 Os distúrbios da somatização são caracterizados por, EXCETO: a) Queixas somáticas recorrentes. b) Duração de queixas por muitos anos.

Leia mais

CRITÉRIO PARA ADMISSÃO E ALTA NA UTI

CRITÉRIO PARA ADMISSÃO E ALTA NA UTI UTIPr01 1 de 6 Histórico de Revisão / Versões Data Versão/Revisões Descrição Autor 20/11/2012 1.00 Proposta inicial FP, SR 1 Objetivo: Analisar as solicitações de vaga, priorizando a internação de pacientes

Leia mais

Sumário. 1 Rastreamento de doenças

Sumário. 1 Rastreamento de doenças Sumário 1 Rastreamento de doenças Álcool, abuso e dependência 2 Anemia 3 Aneurisma de aorta abdominal (AAA) 4 + Anormalidades do crescimento infantil 5 Atraso de fala e linguagem 6 + Bacteriúria assintomática

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA. DISCIPLINA: Tópicos em Enfermagem V Enfermagem em Cuidados Intensivos CÓDIGO: EFM069 COORDENADOR:

PROGRAMA DE DISCIPLINA. DISCIPLINA: Tópicos em Enfermagem V Enfermagem em Cuidados Intensivos CÓDIGO: EFM069 COORDENADOR: PROGRAMA DE DISCIPLINA DISCIPLINA: Tópicos em Enfermagem V Enfermagem em Cuidados Intensivos CÓDIGO: EFM069 COORDENADOR: CARGA HORÁRIA CARGA HORÁRIA CRÉDITOS INÍCIO TÉRMINO TEÓRICA PRÁTICA 45 15 04 VERSÃO

Leia mais

Curso de Emergências Obstétricas COLAPSO MATERNO

Curso de Emergências Obstétricas COLAPSO MATERNO Curso de Emergências Obstétricas COLAPSO MATERNO ASPECTOS GERAIS Raro mas extremamente grave Vários fatores etiológicos SOBREVIDA FETAL Ressuscitação agressiva SOBREVIDA MATERNA Fator etiológico Ambiente

Leia mais

PROGRAMAÇÃO RESIDENCIA

PROGRAMAÇÃO RESIDENCIA PROGRAMAÇÃO RESIDENCIA 2017 Medicina Intensiva UTI R1, R2, R3 Residência em Medicina Intensiva Introdução: A Residência em Medicina Intensiva foi criada nesta instituição (Hospital São Francisco) em 1985.

Leia mais

Secretaria Municipal da Saúde Coordenação de Integração e Regulação do Sistema

Secretaria Municipal da Saúde Coordenação de Integração e Regulação do Sistema PROTOCOLO DE ACESSO A EXAMES DE ANGIOGRAFIA RADIODIAGNÓSTICA GRUPO 13 SUBGRUPO DEZEMBRO 2007 1 A ANGIOGRAFIA RADIODIAGNÓSTICA CARACTERIZA-SE POR SER EXAME DE ALTA COMPLEXIDADE E ALTO CUSTO, PORTANTO DEVE

Leia mais

Edital Para Ingresso no Programa de Residência Médica em Medicina Intensiva do Hospital Santa Casa de Misericórdia de Pelotas

Edital Para Ingresso no Programa de Residência Médica em Medicina Intensiva do Hospital Santa Casa de Misericórdia de Pelotas Edital Para Ingresso no Programa de Residência Médica em Medicina Intensiva do Hospital Santa Casa de Misericórdia de Pelotas - 2015 A COREME- Comissão de Residência Médica da Santa Casa de Misericórdia

Leia mais

URGÊNCIA E EMERGÊNCIA. Prof. Adélia Dalva

URGÊNCIA E EMERGÊNCIA. Prof. Adélia Dalva URGÊNCIA E EMERGÊNCIA Prof. Adélia Dalva 1. O tratamento emergencial da hipovolemia grave, em uma unidade de pronto atendimento, causada por choque hemorrágico, compreende as seguintes condutas terapêuticas,

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEc Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Ambiente, Saúde e Segurança. Habilitação Profissional: Técnico de enfermagem Qualificação:

Leia mais

Jose Roberto Fioretto

Jose Roberto Fioretto Jose Roberto Fioretto jrf@fmb.unesp.br Professor Adjunto-Livre Docente Disciplina de Medicina Intensiva Pediátrica Faculdade de Medicina de Botucatu-UNESP 1988 Planejamento Conhecimento Desempenho Competência

Leia mais

Edital Para Ingresso no Programa de Residência Médica em Medicina Intensiva do Hospital Santa Casa de Misericórdia de Pelotas

Edital Para Ingresso no Programa de Residência Médica em Medicina Intensiva do Hospital Santa Casa de Misericórdia de Pelotas Edital Para Ingresso no Programa de Residência Médica em Medicina Intensiva do Hospital Santa Casa de Misericórdia de Pelotas - 2015 A COREME- Comissão de Residência Médica da Santa Casa de Misericórdia

Leia mais

Abordagem ao paciente em estado de choque. Ivan da Costa Barros Pedro Gemal Lanzieri

Abordagem ao paciente em estado de choque. Ivan da Costa Barros Pedro Gemal Lanzieri Semiologia Abordagem ao paciente em estado de choque Ivan da Costa Barros Pedro Gemal Lanzieri 1 2012 Universidade Federal Fluminense Estado de Choque Síndrome clínica de hipoperfusão tissular - Choque

Leia mais

CURSO: ENFERMAGEM NOITE - BH SEMESTRE: 2 ANO: 2012 C/H: 60 PLANO DE ENSINO

CURSO: ENFERMAGEM NOITE - BH SEMESTRE: 2 ANO: 2012 C/H: 60 PLANO DE ENSINO CURSO: ENFERMAGEM NOITE - BH SEMESTRE: 2 ANO: 2012 C/H: 60 DISCIPLINA: ENFERMAGEM NA SAUDE DO ADULTO I PLANO DE ENSINO OBJETIVOS: Estudar o estado de doença do indivíduo em sua fase adulta. Intervir adequadamente

Leia mais

APRESENTAÇÃO E-PÔSTER DATA: 18/10/16 LOCAL: SALAS PRÉDIO IV

APRESENTAÇÃO E-PÔSTER DATA: 18/10/16 LOCAL: SALAS PRÉDIO IV APRESENTAÇÃO E-PÔSTER DATA: 18/10/16 LOCAL: SALAS PRÉDIO IV TÍTULO E-PÔSTER SALA PRÉDIO IV HORÁRIO GESTAÇÃO ECTÓPICA TUBÁRIA AVANÇADA UM RELATO DE CASO 200 12:00 HIPOVITAMINOSE D E SUAS CONSEQUÊNCIAS CARDIOVASCULARES

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico ETEC: DR. JOSÉ LUÍZ VIANA COUTINHO CÓDIGO: 073 EIXO TECNOLÓGICO: HABILITAÇÃO PROFISSIONAL: QUALIFICAÇÃO: MUNICÍPIO: JALES Ambiente, Saúde e Segurança Técnico

Leia mais

SISTEMA EDUCACIONAL INTEGRADO CENTRO DE ESTUDOS UNIVERSITÁRIOS DE COLIDER Av. Senador Julio Campos, Lote 13, Loteamento Trevo Colider/MT Site:

SISTEMA EDUCACIONAL INTEGRADO CENTRO DE ESTUDOS UNIVERSITÁRIOS DE COLIDER Av. Senador Julio Campos, Lote 13, Loteamento Trevo Colider/MT Site: SISTEMA EDUCACIONAL INTEGRADO CENTRO DE ESTUDOS UNIVERSITÁRIOS DE COLIDER Av. Senador Julio Campos, Lote 13, Loteamento Trevo Colider/MT Site: www.sei-cesucol.edu.br e-mail: sei-cesu@vsp.com.br FACULDADE

Leia mais

I MÓDULO Grandes Síndromes Clínicas: Sinais e Sintomas 6 Semanas: 1ª a 6ª semana SEMANA DIA HORÁRIO PROF. SALA CONTEÚDO

I MÓDULO Grandes Síndromes Clínicas: Sinais e Sintomas 6 Semanas: 1ª a 6ª semana SEMANA DIA HORÁRIO PROF. SALA CONTEÚDO Distribuição Esquemática das Atividades Didáticas do Curso de Medicina - UFSJ/SEDE 4º PERÍODO Semana Unidades Curriculares Turno Seg Ter Qua Qui Sex 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 Módulo

Leia mais

Sistema Urinário. Patrícia Dupim

Sistema Urinário. Patrícia Dupim Sistema Urinário Patrícia Dupim Insuficiência Renal Ocorre quando os rins não conseguem remover os resíduos metabólicos do corpo. As substância normalmente eliminadas na urina acumulam-se nos líquidos

Leia mais

Emergências Neurológicas. Emergências Neurológicas. Emergências Neurológicas. Emergências Neurológicas. Emergências Neurológicas

Emergências Neurológicas. Emergências Neurológicas. Emergências Neurológicas. Emergências Neurológicas. Emergências Neurológicas Anatomia Sistema Nervoso Central (SNC) Sistema Nervoso Periférico (SNP) Sistema Nervoso Central (SNC) Cérebro Medula espinhal Sistema Nervoso Periférico (SNP) Nervos Cranianos Nervos Espinhais Fisiologia

Leia mais

APRESENTAÇÃO E-PÔSTER DATA: 19/10/16 LOCAL: SALAS PRÉDIO IV

APRESENTAÇÃO E-PÔSTER DATA: 19/10/16 LOCAL: SALAS PRÉDIO IV APRESENTAÇÃO E-PÔSTER DATA: 19/10/16 LOCAL: SALAS PRÉDIO IV TÍTULO E-PÔSTER SALA PRÉDIO IV HORÁRIO RESISTÊNCIA A MÚLTIPLAS DROGAS NA TERAPIA ANTICÂNCER E O POTENCIAL EFEITO DE FLAVONOIDES NA RECUPERAÇÃO

Leia mais

DOR TORÁCICA AGUDA / PROTOCOLO PS - HUOP

DOR TORÁCICA AGUDA / PROTOCOLO PS - HUOP DOR TORÁCICA AGUDA / PROTOCOLO PS - HUOP Erwin Soliva Junior Diego Henrique Andrade de Oliveira Fernando Spencer Netto - A queixa de dor torácica na sala de emergência representa um grande desafio para

Leia mais

Marcos Barrouin Melo, MSc CURSO DE EMERGÊNCIAS EV UFBA 2008

Marcos Barrouin Melo, MSc CURSO DE EMERGÊNCIAS EV UFBA 2008 Marcos Barrouin Melo, MSc CURSO DE EMERGÊNCIAS EV UFBA 2008 INTRODUÇÃO Definição Acúmulo anormal de fluido extravascular pulmonar Movimento de líquidos para o pulmão excede capacidade da drenagem linfática

Leia mais

Núcleo: NE Código: 7748 Semestre: 2º Ano: horas Teóricas: 40 horas Práticas: 60 horas 2012

Núcleo: NE Código: 7748 Semestre: 2º Ano: horas Teóricas: 40 horas Práticas: 60 horas 2012 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CAMPUS JATAÍ COORDENAÇÃO D CURSO DE ENFERMAGEM 1 - DADOS DE IDENTIFICAÇÃO: Unidade: Campus Jataí - UFG Curso: Enfermagem Disciplina: Assistência de

Leia mais

Urgência e Emergência

Urgência e Emergência Urgência e Emergência CHOQUE Choque Um estado de extrema gravidade que coloca em risco a vida do paciente. Dica: Em TODOS os tipos de choques ocorre a queda da pressão arterial e, consequentemente, um

Leia mais

QUINTA-FEIRA - 1º DE OUTUBRO

QUINTA-FEIRA - 1º DE OUTUBRO 14h00-15h30: SALA A - PERGUNTAS RELEVANTES RESPOSTAS OBJETIVAS. 14h00 - Ultra-som Intracoronário - Quando Solicitar seu Auxílio no Paciente Eletivo? 14h10 - Terapia Celular na Doença Coronariana. Onde

Leia mais

Embolização nas Hemorragias Digestivas

Embolização nas Hemorragias Digestivas Embolização nas Hemorragias Digestivas Francisco Leonardo Galastri Cirurgião Endovascular e Radiologista Intervencionista Departamento de Radiologia Vascular Intervencionista do Hospital Israelita Albert

Leia mais

FARMACOCINÉTICA FARMACODINÂMICA FARMACOCINÉTICA CONCEITOS PRELIMINARES EVENTOS ADVERSOS DE MEDICAMENTOS EAM. Ação do medicamento na molécula alvo;

FARMACOCINÉTICA FARMACODINÂMICA FARMACOCINÉTICA CONCEITOS PRELIMINARES EVENTOS ADVERSOS DE MEDICAMENTOS EAM. Ação do medicamento na molécula alvo; CONCEITOS PRELIMINARES Remédio; Medicamentos; Medicação; Fármaco; Droga; Eventos Adversos de Medicamentos (EAM). EVENTOS ADVERSOS DE MEDICAMENTOS EAM Associado ou não à um dano ao paciente. É o caminho

Leia mais

P L A N O D E E N S I N O

P L A N O D E E N S I N O UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CCS ODT - CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA P L A N O D E E N S I N O DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA Semestre: 2011/2 Nome da disciplina ODT 7001 ODONTOLOGIA

Leia mais

Aterosclerose. Aterosclerose

Aterosclerose. Aterosclerose ATEROSCLEROSE TROMBOSE EMBOLIA Disciplinas ERM 0207/0212 Patologia Aplicada à Enfermagem Profa. Dra. Milena Flória-Santos Aterosclerose Departamento de Enfermagem Materno-Infantil e Saúde Pública Escola

Leia mais

Processo Seletivo Unificado de Residência Médica 2017 PADRÃO DE RESPOSTAS ANGIORRADIOLOGIA E CIRURGIA VASCULAR

Processo Seletivo Unificado de Residência Médica 2017 PADRÃO DE RESPOSTAS ANGIORRADIOLOGIA E CIRURGIA VASCULAR Processo Seletivo Unificado de Residência Médica 2017 PADRÃO DE RESPOSTAS ANGIORRADIOLOGIA E CIRURGIA VASCULAR Situação-Problema 1 A) Tromboembolismo Pulmonar Tromboembolismo Pulmonar maciço TEP TEP maciço

Leia mais

Anestesia em Pacientes com Paralisia Cerebral

Anestesia em Pacientes com Paralisia Cerebral Anestesia em Pacientes com Paralisia Cerebral Quais os Desafios? Marcius Vinícius M. Maranhão TSA Hospital Universitário Oswaldo Cruz Recife - PE Doença não progressiva que afeta a movimentação e postura

Leia mais

Distribuição Esquemática das Atividades Didáticas do Curso de Medicina - UFSJ/SEDE 2º Semestre Semana Unidades Curiculares Turno Seg Ter Qua Qui Sex

Distribuição Esquemática das Atividades Didáticas do Curso de Medicina - UFSJ/SEDE 2º Semestre Semana Unidades Curiculares Turno Seg Ter Qua Qui Sex Distribuição Esquemática das Atividades Didáticas do Curso de Medicina - UFSJ/SEDE 2º Semestre Semana Unidades Curiculares Turno Seg Ter Qua Qui Sex 1 2 Módulo I: 3 BBPM Aparelho Cardiorrespiratório 4

Leia mais

Processo Seletivo Unificado de Residência Médica 2017 PADRÃO DE RESPOSTAS ANGIORRADIOLOGIA E CURURGIA ENDOVASCULAR

Processo Seletivo Unificado de Residência Médica 2017 PADRÃO DE RESPOSTAS ANGIORRADIOLOGIA E CURURGIA ENDOVASCULAR Processo Seletivo Unificado de Residência Médica 2017 PADRÃO DE RESPOSTAS ANGIORRADIOLOGIA E CURURGIA ENDOVASCULAR Situação-Problema 1 A) Tromboembolismo Pulmonar Tromboembolismo Pulmonar maciço B) Angiotomografia

Leia mais

Disciplina: Clínica Médica de Pequenos Animais

Disciplina: Clínica Médica de Pequenos Animais Escola de Veterinária e Zootecnia da UFG Departamento de Medicina Veterinária Maria Clorinda Soares Fioravanti (clorinda@vet.ufg.br) Disciplina: Clínica Médica de Pequenos Animais Choque Definição O que

Leia mais

Processo Seletivo Unificado de Residência Médica 2017 PADRÃO DE RESPOSTAS MEDICINA INTENSIVA

Processo Seletivo Unificado de Residência Médica 2017 PADRÃO DE RESPOSTAS MEDICINA INTENSIVA Situação-Problema 1 A) Colite Pseudomembranosa Colite por Clostridium difficile Infecção por Clostridium difficile Enterocolite por Clostridium Processo Seletivo Unificado de Residência Médica 2017 PADRÃO

Leia mais

Ansiedade Edvard Munch 1894

Ansiedade Edvard Munch 1894 Ansiedade Edvard Munch 1894 Ansiolíticos Fármacos utilizados no tratamento da ansiedade, reduzir sintomas ou intensidade das crises Hipnóticos São fármacos que causam sonolência e facilitam o início e

Leia mais

RPR-SERVIÇO DE ANESTESIOLOGIA DA CLÍNICA GRAF GUIMARÃES CIRURGIA PLÁSTICA, DERMATOLOGIA, LASER E TRANSPLANTE CAPILAR, BARBA E SOBRAMCELHA

RPR-SERVIÇO DE ANESTESIOLOGIA DA CLÍNICA GRAF GUIMARÃES CIRURGIA PLÁSTICA, DERMATOLOGIA, LASER E TRANSPLANTE CAPILAR, BARBA E SOBRAMCELHA RPR-SERVIÇO DE ANESTESIOLOGIA DA CLÍNICA GRAF GUIMARÃES CIRURGIA PLÁSTICA, DERMATOLOGIA, LASER E TRANSPLANTE CAPILAR, BARBA E SOBRAMCELHA O preenchimento deste questionário é de extrema importância para

Leia mais

OBSERVAÇÃO CLÍNICA. Estado Civil: Nacionalidade: Naturalidade: ANAMNESE

OBSERVAÇÃO CLÍNICA. Estado Civil: Nacionalidade: Naturalidade: ANAMNESE 1 UNIFESP Universidade Federal de São Paulo Escola Paulista de Medicina Departamento de Medicina Disciplina Medicina de Urgência OBSERVAÇÃO CLÍNICA DATA: / / 19. Nome: RG: Estado Civil: Nacionalidade:

Leia mais

Status Epilepticus. Neurologia - FEPAR. Neurofepar Dr. Roberto Caron

Status Epilepticus. Neurologia - FEPAR. Neurofepar Dr. Roberto Caron Status Epilepticus Neurologia - FEPAR Neurofepar Dr. Roberto Caron Estado de Mal Epiléptico Classificação das Epilepsias Definição Status Epilepticus: Crise epiléptica com duração de pelo menos 5 minutos.

Leia mais

TROMBOEMBOLISMO PULMONAR EMERGÊNCIAS AÓRTICAS. Leonardo Oliveira Moura

TROMBOEMBOLISMO PULMONAR EMERGÊNCIAS AÓRTICAS. Leonardo Oliveira Moura TROMBOEMBOLISMO PULMONAR EMERGÊNCIAS AÓRTICAS Leonardo Oliveira Moura Dissecção da Aorta Emergência aórtica mais comum Pode ser aguda ou crônica, quando os sintomas duram mais que 2 semanas Cerca de 75%

Leia mais

Curso de capacitação em interpretação de Eletrocardiograma (ECG) Prof Dr Pedro Marcos Carneiro da Cunha Filho

Curso de capacitação em interpretação de Eletrocardiograma (ECG) Prof Dr Pedro Marcos Carneiro da Cunha Filho Curso de capacitação em interpretação de Eletrocardiograma (ECG) Prof Dr Pedro Marcos Carneiro da Cunha Filho Anatomia cardíaca Coração Anatomia cardíaca Coração Coração Coração Nó Sinoatrial Coração elétrico

Leia mais

INSUFICIÊNCIA RESPIRATÓRIA

INSUFICIÊNCIA RESPIRATÓRIA Clínica Médica e Cirúrgica I INSUFICIÊNCIA RESPIRATÓRIA João Adriano de Barros Disciplina de Pneumologia Universidade Federal do Paraná Objetivos da Aula... Importância da IRA devido a sua alta mortalidade

Leia mais

DOENÇAS GRAVES 1. OBJETIVO DA COBERTURA

DOENÇAS GRAVES 1. OBJETIVO DA COBERTURA DOENÇAS GRAVES 1. OBJETIVO DA COBERTURA Mediante a contratação da presente cobertura, a Seguradora obriga-se a garantir o pagamento ao Segurado de uma indenização no valor estabelecido na especificação

Leia mais

Prova de Título de Especialista em Fisioterapia Respiratória

Prova de Título de Especialista em Fisioterapia Respiratória Prova de Título de Especialista em Fisioterapia Respiratória 1. Anatomia e fisiologia do sistema cardiorrespiratório Egan. 1 ed. São Paulo: Manole, 2000. (Seção 3, caps.7 e 8) WEST, J.B. Fisiologia respiratória

Leia mais

Doença de Addison DOENÇA DE ADDISON

Doença de Addison DOENÇA DE ADDISON Enfermagem em Clínica Médica Doença de Addison Enfermeiro: Elton Chaves email: eltonchaves76@hotmail.com DOENÇA DE ADDISON A insuficiência adrenal (IA) primária, também denominada doença de Addison, geralmente

Leia mais

Preditores de lesão renal aguda em doentes submetidos a implantação de prótese aórtica por via percutânea

Preditores de lesão renal aguda em doentes submetidos a implantação de prótese aórtica por via percutânea Preditores de lesão renal aguda em doentes submetidos a implantação de prótese aórtica por via percutânea Sérgio Madeira, João Brito, Maria Salomé Carvalho, Mariana Castro, António Tralhão, Francisco Costa,

Leia mais

MÓDULO 4: FARMACOLOGIA APLICADA À CARDIOLOGIA. 24/05/2015 14-18h

MÓDULO 4: FARMACOLOGIA APLICADA À CARDIOLOGIA. 24/05/2015 14-18h INSTITUTO DE CADIOLOGIA - DISTRITO FEDERAL IC-DF Fundação Universitária de Cardiologia - FUC Comissão Científica / Ensino Multiprofissional 7ª Turma Especialização Enfermagem em Cardiologia CRONOGRAMA

Leia mais

AFECÇÕES CARDIOVASCULARES

AFECÇÕES CARDIOVASCULARES AFECÇÕES CARDIOVASCULARES Enf. Alberto César ARTERIOSCLEROSE X ATEROSCLEROSE MÓDULO 06 - CARDIOLOGIA CLÍNICA 1 ARTERIOSCLEROSE A arteriosclerose é uma doença da parede arterial que perde a elasticidade

Leia mais

Edema OBJECTIVOS. Definir edema. Compreender os principais mecanismos de formação do edema. Compreender a abordagem clínica do edema

Edema OBJECTIVOS. Definir edema. Compreender os principais mecanismos de formação do edema. Compreender a abordagem clínica do edema OBJECTIVOS Definir edema Compreender os principais mecanismos de formação do edema Compreender a abordagem clínica do edema É um sinal que aparece em inúmeras doenças, e que se manifesta como um aumento

Leia mais

Concurso Público para Docente do Magistério Superior - Edital nº 06/2008 Pontos para Concurso

Concurso Público para Docente do Magistério Superior - Edital nº 06/2008 Pontos para Concurso Concurso Público para Docente do Magistério Superior - Edital nº 06/2008 Pontos para Concurso FARMACOLOGIA, FARMACODINÂMICA E TOXICOLOGIA 1 - Farmacocinética. Farmacodinâmica: mecanismos de ação dos fármacos

Leia mais

COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA

COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA Pedido de Credenciamento de Programa Nome Completo da Instituição HOSPITAL UNIVERSITÁRIO PROF. EDGARD SANTOS FACULDADE DE MEDICINA DA BAHIA UNIVERSIDADE FEDERAL DA

Leia mais

1. Benefícios da atividade física

1. Benefícios da atividade física 1. Benefícios da atividade física "ATIVIDADE FÍSICA É UM DIREITO DE TODOS E UMA NECESSIDADE BÁSICA" (UNESCO). O ser humano, na sua preocupação com o corpo, tem de estar alerta para o fato de que saúde

Leia mais

LINHA DE CUIDADO EM CARDIOLOGIA PNEUMOLOGIA E DOENÇAS METABÓLICAS

LINHA DE CUIDADO EM CARDIOLOGIA PNEUMOLOGIA E DOENÇAS METABÓLICAS LINHA DE CUIDADO EM CARDIOLOGIA PNEUMOLOGIA E DOENÇAS METABÓLICAS Nome da atividade: Estágio Supervisionado em Fisioterapia Cardiovascular Tipo de atividade: Disciplina de Graduação Responsáveis: Profª

Leia mais

Fluidoterapia. Vias de Administração. Fluidoterapia. Fluidoterapia. Fluidoterapia. Fluidoterapia. Enteral Via oral Via intra retal

Fluidoterapia. Vias de Administração. Fluidoterapia. Fluidoterapia. Fluidoterapia. Fluidoterapia. Enteral Via oral Via intra retal Vias de Administração Enteral Via oral Via intra retal Parenteral Via Subcutânea Via Intramuscular Via endovenosa Via Intra Óssea Via Intra Cardíaca Via Intra Traqueal Via Epidural Via Subaracnóidea Via

Leia mais

Falência Hepática na UTI V PÓS-SCCM

Falência Hepática na UTI V PÓS-SCCM Falência Hepática na UTI V PÓS-SCCM Etiologias comuns e fisiopatologia da falência hepática na UTI PAMELA LIPSETT, MD Considerações Na falência aguda a identificação se baseia principalmente na presença

Leia mais

Currículo Disciplina Carga Horária. Aspectos Éticos e Bioéticos na Assistência de Enfermagem ao Paciente Grave ou de Risco

Currículo Disciplina Carga Horária. Aspectos Éticos e Bioéticos na Assistência de Enfermagem ao Paciente Grave ou de Risco Currículo Disciplina Carga Horária Aspectos Éticos e Bioéticos na Assistência de Enfermagem ao Paciente Grave ou de Risco Assistência de Enfermagem a Criança a ao Adolescente Grave ou de Risco Estágio

Leia mais

ABORDAGEM CLINICA NO PACIENTE GRAVE. ACD: Filipe Andrade Mota

ABORDAGEM CLINICA NO PACIENTE GRAVE. ACD: Filipe Andrade Mota ABORDAGEM CLINICA NO PACIENTE GRAVE ACD: Filipe Andrade Mota Exame Clínico no Paciente Grave Importância do exame clínico; Identificação dos fatores de Risco. Exame Cardiovascular DOR TORÁCICA; CAUSAS:

Leia mais

Como reconhecer uma criança criticamente enferma? Ney Boa Sorte

Como reconhecer uma criança criticamente enferma? Ney Boa Sorte Como reconhecer uma criança criticamente enferma? Ney Boa Sorte Passo 1 - Avaliar a criança Prevendo a parada cardiopulmonar A parada cardiopulmonar em lactentes e crianças raramente é um evento súbito!

Leia mais

PROTOCOLO GERENCIADO DE SEPSE PACIENTE COM CONDUTA PARA SEPSE (OPÇÃO 2 E 3 - COLETA DE EXAMES/ANTIMICROBIANO)

PROTOCOLO GERENCIADO DE SEPSE PACIENTE COM CONDUTA PARA SEPSE (OPÇÃO 2 E 3 - COLETA DE EXAMES/ANTIMICROBIANO) DADOS DO PACIENTE PROTOCOLO GERENCIADO DE SEPSE PACIENTE COM CONDUTA PARA SEPSE (OPÇÃO 2 E 3 - COLETA DE EXAMES/ANTIMICROBIANO) Iniciais: Registro: Sexo: ( ) Feminino ( ) Masculino Data de nascimento:

Leia mais

Distribuição Esquemática das Atividades Didáticas do Curso de Medicina - UFSJ/SEDE 2º Semestre Semana Unidades Curiculares Turno Seg Ter Qua Qui Sex

Distribuição Esquemática das Atividades Didáticas do Curso de Medicina - UFSJ/SEDE 2º Semestre Semana Unidades Curiculares Turno Seg Ter Qua Qui Sex Distribuição Esquemática das Atividades Didáticas do Curso de Medicina - UFSJ/SEDE 2º Semestre Semana Unidades Curiculares Turno Seg Ter Qua Qui Sex 1 2 Módulo I: M 3 BBPM Aparelho Cardiorrespiratório

Leia mais

FACULDADE DE ENFERMAGEM

FACULDADE DE ENFERMAGEM FACULDADE DE ENFERMAGEM UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ENFERMAGEM INTENSIVISTA Turma 2016 0 1) Devido à interrupção da circulação, o risco de lesão cerebral irreversível

Leia mais

MARINHA Enfermeiro Técnico de Enfermagem.

MARINHA Enfermeiro Técnico de Enfermagem. MARINHA 2017 Enfermeiro Técnico de Enfermagem 1 Como passar na Marinha do Brasil? Plano de Estudo / Manual da Aprovação Querida (o) Aluna (o), Hoje conversaremos sobre um assunto fundamental para que você

Leia mais

12 QUESTÃO 29 Na lesão pulmonar desencadeada por ventilação controlada com concentrações elevadas de oxigênio, é INCORRETO afirmar: a) A lesão parece

12 QUESTÃO 29 Na lesão pulmonar desencadeada por ventilação controlada com concentrações elevadas de oxigênio, é INCORRETO afirmar: a) A lesão parece 11 PROVA ESPECÍFICA Cargo 50 QUESTÃO 26 Em relação à suspensão do cigarro no pré-operatório de um paciente tabagista, podemos afirmar, EXCETO: a) Não traz nenhum benefício, se for feita entre 12 e 24 horas

Leia mais

Cardiopatia na Gravidez

Cardiopatia na Gravidez Orlando Otávio de Medeiros Hospital Agamenon Magalhães Recife 1. Volume sanguíneo neo 2. Freqüência cardíaca aca 3. Pressão arterial 4. Débito cardíaco aco 5. Freqüência respiratória ria 6. Anemia 140

Leia mais

Abordagem da sepse na emergência Rodrigo Antonio Brandão Neto

Abordagem da sepse na emergência Rodrigo Antonio Brandão Neto Abordagem da sepse na emergência Rodrigo Antonio Brandão Neto Perguntas as serem respondidas Esse paciente tem choque? Quais os critérios de sepse? Qual abordagem inicial ao choque neste paciente? Quais

Leia mais

Programa Analítico de Disciplina MED361 Cuidado Integral à Saúde do Adulto e do Idoso I

Programa Analítico de Disciplina MED361 Cuidado Integral à Saúde do Adulto e do Idoso I 0 Programa Analítico de Disciplina Departamento de Medicina e Enfermagem - Centro de Ciências Biológicas e da Saúde Número de créditos: 14 Teóricas Práticas Total Duração em semanas: 15 Carga horária semanal

Leia mais

Síndrome Coronariana Aguda

Síndrome Coronariana Aguda Síndrome Coronariana Aguda Wilson Braz Corrêa Filho Rio de Janeiro, 2010 Curso de Capacitação de Urgência e Emergência Objetivos: Apresentar a epidemiologia da síndrome coronariana aguda nas unidades de

Leia mais

SUMÁRIO. Anamnese e Exame Físico de Admissão 30 Antecedentes de saúde 30; Antecedentes sociais 30; Exame físico 31; Avaliação psicossocial 35

SUMÁRIO. Anamnese e Exame Físico de Admissão 30 Antecedentes de saúde 30; Antecedentes sociais 30; Exame físico 31; Avaliação psicossocial 35 SUMÁRIO Seção I. Conteúdo Básico 1. Avaliação de Pacientes Críticos e seus Familiares........................................................... 25 Mary Fran Tracy Sistematização da Avaliação 25 Avaliação

Leia mais

Aula 5: Sistema circulatório

Aula 5: Sistema circulatório Aula 5: Sistema circulatório Sistema circulatório Sistema responsável pela circulação de sangue através de todo o organismo; Transporta oxigênio e todos os nutrientes necessários para a manutenção das

Leia mais

10ª edição do Curso Continuado em Cirurgia Geral do CBCSP. Estado Atual do Tratamento da Hemorragia Digestiva Alta devida a Hipertensão Portal

10ª edição do Curso Continuado em Cirurgia Geral do CBCSP. Estado Atual do Tratamento da Hemorragia Digestiva Alta devida a Hipertensão Portal 10ª edição do Curso Continuado em Cirurgia Geral do CBCSP Estado Atual do Tratamento da Hemorragia Digestiva Alta devida a Hipertensão Portal Tratamento Clínico Roberto Gomes Jr. Médico assistente do serviço

Leia mais

REGRAS DE OURO DA TERAPIA INTENSIVA

REGRAS DE OURO DA TERAPIA INTENSIVA REGRAS DE OURO DA TERAPIA INTENSIVA GERAL 1. Quando um paciente se deteriora subitamente, pense no ABCs, ressuscite e estabilize o paciente. Após a estabilização, tente determinar a causa do episódio.

Leia mais

NORMAS COMPLEMENTARES AO EDITAL Nº 03 DE 2016 CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE PROFESSOR ASSISTENTE 1 DA UNIRV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE

NORMAS COMPLEMENTARES AO EDITAL Nº 03 DE 2016 CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE PROFESSOR ASSISTENTE 1 DA UNIRV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE UniRV NORMAS COMPLEMENTARES AO EDITAL Nº 03 DE 2016 CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE PROFESSOR ASSISTENTE 1 DA UNIRV O Reitor da UniRV, no uso de suas atribuições legais, na forma do que dispõe

Leia mais

- CAPÍTULO 3 - O SISTEMA CIRCULATÓRIO

- CAPÍTULO 3 - O SISTEMA CIRCULATÓRIO - CAPÍTULO 3 - O SISTEMA CIRCULATÓRIO 01. Quais são as três estruturas básicas que compõem nosso sistema circulatório ou cardiovascular? 02. Que funções o sistema circulatório desempenha em nosso organismo?

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico Etec Professor Massuyuki Kawano Código: 136 Município: Tupã Eixo Tecnológico: Ambiente e Saúde Habilitação Profissional:Técnica de Nível Médio de Técnico em

Leia mais

Hemangiomas: Quando operar e quando observar Orlando Jorge M.Torres Nucleo de Estudos do Fígado F - UFMA

Hemangiomas: Quando operar e quando observar Orlando Jorge M.Torres Nucleo de Estudos do Fígado F - UFMA Hemangiomas: Quando operar e quando observar Orlando Jorge M.Torres Nucleo de Estudos do Fígado F - UFMA Lesões Benignas do FígadoF Tumores Epiteliais Hepatocelular Hiperplasia nodular focal Hiperplasia

Leia mais

PROTOCOLO DE MANUTENÇÃO DO POTENCIAL DOADOR DE ORGÃOS

PROTOCOLO DE MANUTENÇÃO DO POTENCIAL DOADOR DE ORGÃOS Data de 1. Definições: Procedimento que detalha o manejo de pacientes com morte encefálica, com potencial para doação de órgãos 2. Objetivos Traçar as diretrizes para manutenção do potencial doador de

Leia mais

CONCURSO PARA TÉCNICO ADMINISTRATIVO EM EDUCAÇÃO EDITAL 043/2011 CARGO: MÉDICO/ UTI ADULTO

CONCURSO PARA TÉCNICO ADMINISTRATIVO EM EDUCAÇÃO EDITAL 043/2011 CARGO: MÉDICO/ UTI ADULTO Universidade Federal de Uberlândia PROGRAD Pró-Reitoria de Graduação DIRPS Diretoria de Processos Seletivos Av. João Naves de Ávila, 2121 Campus Santa Mônica, CEP 38408-100 Uberlândia MG CONCURSO PARA

Leia mais

UniRV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE PROFESSOR ASSISTENTE NÍVEL 1 DA UNIRV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE

UniRV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE PROFESSOR ASSISTENTE NÍVEL 1 DA UNIRV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE UniRV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE NORMAS COMPLEMENTARES AO EDITAL Nº 02 DE 2017 CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE PROFESSOR ASSISTENTE NÍVEL 1 DA UNIRV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE O Reitor da UniRV

Leia mais

Aortografia abdominal por punção translombar Angiografia por cateterismo não seletivo de grande vaso

Aortografia abdominal por punção translombar Angiografia por cateterismo não seletivo de grande vaso 40812006 PROCEDIMENTOS DIAGNÓSTICOS E TERAPÊUTICOS (MÉTODOS DIAGNOS 40812014 Aortografia abdominal por punção translombar 40812022 Angiografia por punção 40812030 Angiografia por cateterismo não seletivo

Leia mais

Total de processo analisados pela Câmara Técnica Nacional de Intercâmbio. Quantidade de Processos

Total de processo analisados pela Câmara Técnica Nacional de Intercâmbio. Quantidade de Processos Total de processo analisados pela Câmara Técnica Nacional de Intercâmbio Ano Quantidade de Processos 2008 373 2009 1.149 2010 1.828 Outros casos: Pulseira de identificação R$2,10 CD do vídeo do procedimento

Leia mais

08 e 09 de outubro de 2016 Vitória Hotel Concept Campinas. Avenida José de Souza Campos, 425 Cambuí Campinas SP

08 e 09 de outubro de 2016 Vitória Hotel Concept Campinas. Avenida José de Souza Campos, 425 Cambuí Campinas SP 08 e 09 de outubro de 2016 Vitória Hotel Concept Campinas Avenida José de Souza Campos, 425 Cambuí Campinas SP Programação Científica Preliminar 08 de Outubro Sala 1 8h00-10h00 revisando conceitos em anestesia

Leia mais

DISFUNÇÕES HEMODINÂMICAS

DISFUNÇÕES HEMODINÂMICAS Cursos de Graduação em Farmácia e Enfermagem DISFUNÇÕES HEMODINÂMICAS PARTE 2 Disciplina: Patologia Geral http://lucinei.wikispaces.com Prof.Dr. Lucinei Roberto de Oliveira 2012 DISFUNÇÕES HEMODINÂMICAS

Leia mais

SUMÁRIO. Cuidado do Paciente Hospitalizado. Emergências Médicas

SUMÁRIO. Cuidado do Paciente Hospitalizado. Emergências Médicas SUMÁRIO SEÇÃO 1 Cuidado do Paciente Hospitalizado 1 Avaliação Inicial e Prescrições de Admissão para o Paciente de Clínica Geral... 1 2 Eletrólitos/Equilíbrio Acidobásico... 3 3 Exames de Imagem em Medicina

Leia mais

26/08/2016. Questões UFG. Enfermagem para Concursos Públicos em exercícios

26/08/2016. Questões UFG. Enfermagem para Concursos Públicos em exercícios Enfermagem para Concursos Públicos em exercícios Questões UFG UFG - Universidade Federal de Goiás - UFG - Técnico de Enfermagem - 2015 - (781102) Na assistência ao paciente em período pós-operatório após

Leia mais

TRATAMENTO DA CRISE HIPERTENSIVA

TRATAMENTO DA CRISE HIPERTENSIVA Eurival Soares orges TRATAMENTO DA CRISE HIPERTENSIVA INTRODUÇÃO EMERGÊNCIAS E URGÊNCIAS EM HIPERTENSÃO TERAPIA INICIAL CONTROLE DA HIPERTENSÃO ARTERIAL NO AVC CUIDADOS ESPECIAIS EM CRISE HIPERTENSIVA

Leia mais