Gestão Negócios OBJETIVO NESTA AULA. Gestão de resultados e desempenho - AULA 11

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Gestão Negócios OBJETIVO NESTA AULA. Gestão de resultados e desempenho - AULA 11"

Transcrição

1

2 de resultados e desempenho - OBJETIVO Propiciar o entendimento de teorias e métodos de avaliação de desempenho e resultados, identificando as competências essências do colaborador e as oportunidades de melhoria do clima organizacional, conforme os objetivos empresariais. NESTA AULA Conhecimento científico A universidade que queremos O que é uma universidade Modos de conhecer o mundo

3 Como realizar a correta GESTÃO DE RESULTADOS E DESEMPENHO? No ambiente mundial de hoje, as empresas buscam resultados incessantemente; porém, muitas vezes de forma ousada, desordenada e até mesmo impossíveis de serem concretizados. Persegue-se o resultado a qualquer custo, e o desempenho dos setores ou unidades das empresas é esquecido. Resultado a qualquer custo não é sinônimo de bom desempenho. Empresas têm compromissos com a sociedade, com o meio ambiente e outros aspectos. Mas, acima de tudo, precisam assegurar o cumprimento de suas responsabilidades com funcionários e com os financiadores das atividades. Falamos, nesse sentido, de SUSTENTABILIDADE no meio de atingir os objetivos. Para isso, temos a sequência: INFORMAÇÃO + INTELIGÊNCIA + INDICADORES DE DESEMPENHO = CONTRO- LE, que resulta em GESTÃO DE RESULTADOS.

4 (imagem: Os gestores precisam de informações certas na hora certa e no lugar certo para que possam trabalhar de forma inteligente, isso é Inteligência de, os profissionais atualmente devem ser cabeças pensantes e não simplesmente, executores de tarefas.

5 QUESTÃO: ENTÃO, COMO REALIZAR ESTA GESTÃO? Temos de coordenar uma linha de raciocínio lógico e analítico para responder essa questão. A. Não é materialmente concebível que um alinhamento estratégico possa ser produzido sem que a alta direção da empresa o tenha expressado com qual é e em que consiste a visão da empresa e que o futuro é um projeto que pensamos saber realizar (Rodrigues e Riccardi, 2007). B. A gestão por competências figura como alternativa aos modelos gerenciais tradicionalmente utilizados e é o domínio de certas competências (raras, valiosas, difíceis de serem desenvolvidas) que confere à organização um desempenho superior ao de seus concorrentes (Carbone, Brandão, Leite e Vilhena, 2009). C. Segundo Pereira (2005), para reforçar, busca e manter-se com alto desempenho são vitais os seguintes fundamentos: LIDERANÇA E CONSTÂNCIA DE PROPÓSITOS A força propulsora do alto desempenho está baseada na capacidade e no com-

6 prometimento da alta direção em liderar um sistema de gestão eficaz, que estimule as pessoas a um propósito comum e duradouro, considerando os valores, as diretrizes e as estratégias da empresa e comprometendo-as com os resultados. FOCO NO CLIEN- TE E NO MERCA- DO A qualidade é intrínseca ao produto e serviço; porém, o cliente é quem irá VISÃO DE FUTURO A busca do alto desempenho e o êxito na missão requerem uma forte orientação para o futuro e a disposição de assumir compromissos de longo prazo com todas as partes interessadas, demonstrando a intenção de continuidade das atividades. julgar a partir de suas próprias percepções. Essas percepções se formam por meio de características e atributos que adicionam valor para os clientes, intensificam sua satisfação, determinam suas preferências e os tornam fiéis aos produtos e serviços.

7 FOCO NO CLIENTE E NO MERCADO A qualidade é intrínseca ao produto e serviço; porém, o cliente é quem irá julgar a partir de suas próprias percepções. Essas percepções se formam por meio de características e atributos que adicionam valor para os clientes, intensificam sua satisfação, determinam suas preferências e os tornam fiéis aos produtos e serviços. RESPONSABILIDADE SOCIAL E ÉTICA O sucesso e os interesses de longo prazo dependem de uma conduta ética nos negócios e do atendimento e superação dos requisitos legais e regulamentares associados aos produtos, serviços, processos e instalações. A responsabilidade social e ética pressupõe o reconhecimento da comunidade e da sociedade como partes interessadas da empresa.

8 DECISÕES BASEADAS EM FATOS A base para a tomada de decisão, em todos os níveis, é a análise de fatos e dados gerados em cada um de seus processos, bem como os obtidos externamente, incluindo os referenciais comparativos pertinentes. VALORIZAÇÃO DAS PESSOAS O sucesso de uma empresa depende cada vez mais do conhecimento, das habilidades, da criatividade e da motivação da sua força de trabalho. O sucesso das pessoas, por sua vez, depende cada vez mais de oportunidades para aprender e de um ambiente favorável ao pleno desenvolvimento de suas potencialidades.

9 ABORDAGEM POR PROCESSOS O alto desempenho e o sucesso nos negócios requerem que todas as atividades inter-relacionadas sejam compreendidas e gerenciadas segundo uma visão por processos. Assim, é fundamental que sejam conhecidos os mercados e o clientes dos processos, seus requisitos e o que cada atividade adiciona de valor na busca do atendimento a esses requisitos. FOCO NOS RESULTADOS O alto desempenho é função do atendimento, da forma harmônica e balanceada, das necessidades e dos interesses de todas as partes interessadas, que incluem, de forma geral, os clientes, os acionistas, os fornecedores, a sociedade e a comunidade. O sucesso de uma empresa é avaliado por meio de resultados medidos por um conjunto de indicadores que devem refletir as necessidades e os interesses de todas as partes, levando a empresa a tornar-se mais competitiva.

10 INOVAÇÃO Em um mundo em que a mudança é a única certeza, as organizações não podem estagnar. Elas precisam sempre estar à frente, gerando ideias originais que se incorporem continuamente aos seus processos e produtos. Para tanto, todos devem ser encorajados e incentivados a terem um desempenho além da rotina do dia-a-dia, promovendo-se continuamente, o exercício da inventividade e da engenhosidade.

11 AGILIDADE O sucesso dentro de um ambiente competitivo requer que as empresas sejam ágeis, com um enfoque proativo em suas práticas e obtendo respostas rápidas no atendimento às necessidades emergentes. APRENDIZADO ORGANIZACIONAL A contínua melhoria dos enfoques existentes, bem como a busca de grandes melhorias e a introdução de inovações, levam aos estágios superiores do alto desempenho, e que pode ser demonstrado por meio de práticas, produtos e processos inovadores e refinados. Nessa evolução, os resultados alcançados são cada vez mais significativos, o que permite conduzir a empresa à liderança de mercado e à manutenção dessa posição.

12 VISÃO SISTÊMICA As empresas são constituídas por uma complexa combinação de recursos de capital humano, capital intelectual, instalações, equipamentos, softwares etc. interdependentes e inter-relacionados, que devem perseguir os mesmos objetivos e cujos desempenhos podem afetar, para o bem ou para o mal, a empresa em seu conjunto. A partir do conceito de BI (Business Intelligence, ou Inteligência Empresarial), hoje em dia é possível desenvolver percepções e entendimentos para incrementar as informações para a tomada de decisão, como em sistemas ERP e outras fontes de dados. Essas percepções e entendimentos são os INDICADORES DE DESEMPENHO.

13 Um tipo de indicador pode ser relativo, por exemplo, a clientes. Podem ser medidos: O tempo de atendimento O tempo de resposta O índice de reclamações e outros Em determinadas circunstâncias, as medidas de desempenho podem ser CON- TROLADAS de diversas formas. Podem ser: físicas, financeiras, por volume etc. CONTROLE é fundamental para verificar se os resultados estão de acordo com as expectativas planejadas pela empresa. REFERÊNCIAS CARBONE, Pedro Paulo; BRANDÃO, Hugo Pena; LEITE, João Batista Diniz; VILHE- NA, Rosa Maria de Paula. por Competências. São Paulo: Editora FGV, PEREIRA, Giancarlo da Silva Rego. Estratégica. São Paulo: Saraiva, RODRIGUES, Leonel Cezar; RICCARDI, Riccardo. Inteligência Competitiva nos e Organizações. Maringá: Unicorpore, 2007.

MODELO DE EXCELÊNCIA DA GESTÃO. Uma visão. gestão organizacional.

MODELO DE EXCELÊNCIA DA GESTÃO. Uma visão. gestão organizacional. MODELO DE EXCELÊNCIA DA GESTÃO Uma visão sistêmica da gestão organizacional. FUNDAMENTOS DA EXCELÊNCIA Pensamento Sistêmico Aprendizado organizacional Cultura de inovação Liderança e constância de propósitos

Leia mais

Promover a competitividade e o desenvolvimento dos pequenos negócios e fomentar o empreendedorismo para fortalecer a economia nacional

Promover a competitividade e o desenvolvimento dos pequenos negócios e fomentar o empreendedorismo para fortalecer a economia nacional Excelência na Gestão Desafio dos Pequenos Negócios INSTITUCIONAL SEBRAE MISSÃO Promover a competitividade e o desenvolvimento dos pequenos negócios e fomentar o empreendedorismo para fortalecer a economia

Leia mais

A Importância da Liderança na Cultura da Excelência

A Importância da Liderança na Cultura da Excelência XIX Seminário de Boas Práticas CIC Caxias do Sul A Importância da Liderança na Cultura da Excelência Msc. Eng. Irene Szyszka 04/ABR/2013 O negócio, o mercado e a sociedade Pressão dos clientes e mercado;

Leia mais

Plataforma da Informação. Fundamentos da Excelência

Plataforma da Informação. Fundamentos da Excelência Plataforma da Informação Fundamentos da Excelência Modelo de Excelência em Gestão Fundamentos da Excelência O Modelo de Excelência em Gestão estimula e apoia as organizações no desenvolvimento e na evolução

Leia mais

Utilização de Critérios de Excelência como Referência no Desenvolvimento da Gestão de Águas do Paraíba

Utilização de Critérios de Excelência como Referência no Desenvolvimento da Gestão de Águas do Paraíba Utilização de Critérios de Excelência como Referência no Desenvolvimento da Gestão de Águas do Paraíba Viviane Lanunce Paes Supervisora da Gestão Integrada - CAP Carlos Eduardo Tavares de Castro Superintendente

Leia mais

BSC. deve contar a história da estratégia, começando. relacionando-se depois à seqüência de ações que precisam ser tomadas em relação aos

BSC. deve contar a história da estratégia, começando. relacionando-se depois à seqüência de ações que precisam ser tomadas em relação aos BSC Para KAPLAN & NORTON (1997), o Scorecard deve contar a história da estratégia, começando pelos objetivos financeiros a longo prazo e relacionando-se depois à seqüência de ações que precisam ser tomadas

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO GERAL CONCEITOS BÁSICOS

ADMINISTRAÇÃO GERAL CONCEITOS BÁSICOS ADMINISTRAÇÃO GERAL CONCEITOS BÁSICOS Atualizado em 27/10/2015 CONCEITOS BÁSICOS Administração, em seu conceito tradicional, é definida como um conjunto de atividades, princípios, regras, normas que têm

Leia mais

OBJETIVOS. Dar a conhecer a estrutura do Modelo de Excelência de Gestão MEG. Refletir sobre o ciclo PDCL. Planejamento. Verificação Aprendizagem

OBJETIVOS. Dar a conhecer a estrutura do Modelo de Excelência de Gestão MEG. Refletir sobre o ciclo PDCL. Planejamento. Verificação Aprendizagem 1 OBJETIVOS Dar a conhecer a estrutura do Modelo de Excelência de Gestão MEG. Refletir sobre o ciclo PDCL Planejamento Execução Verificação Aprendizagem 2 INTRODUÇÃO Na aula passada, conhecemos os 11 Fundamentos

Leia mais

Prêmio Nacional de Inovação

Prêmio Nacional de Inovação Prêmio Nacional de Inovação 2013 Caderno de Avaliação Categoria EMPRESA: Agentes Locais de Inovação Método: Esta dimensão visa facilitar o entendimento de como estão sendo utilizados sistemas, métodos

Leia mais

Gestão de Negócios (8)

Gestão de Negócios (8) Gestão de Negócios (8) Modelo: BALANCED SCORECARD Prof. Dr. Hernan E. Contreras Alday A grande idéia O Balanced Scorecard (painel balanceado de controle) usa, essencialmente, a medição integral de desempenho

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA GESTÃO DA QUALIDADE: Benefícios e Aplicações Práticas

OS PRINCÍPIOS DA GESTÃO DA QUALIDADE: Benefícios e Aplicações Práticas OS PRINCÍPIOS DA GESTÃO DA QUALIDADE: Benefícios e Aplicações Práticas Rev. 00 de Março/2013 1/208 1/ 42 Rodrigo Sousa Atuação: Instrutor de treinamentos Consultor e Auditor em Sistemas de Gestão da Qualidade

Leia mais

Sistemas de Gestão e Auditoria da Qualidade

Sistemas de Gestão e Auditoria da Qualidade 22/08/2012 Sistemas de Gestão e Auditoria da Qualidade Profº Spim 1 O Malcolm Baldrige National Quality Award ( Malcolm Baldrige) foi criado nos Estados Unidos em agosto de 1987 pelo presidente Ronald

Leia mais

COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL. Prof. Saravalli OBJETIVOS 08/03/2016

COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL. Prof. Saravalli OBJETIVOS 08/03/2016 COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL Prof. Saravalli ademir_saravalli@yahoo.com.br O comportamento organizacional é um campo de estudos que investiga o impacto que indivíduos, grupos e a estrutura têm sobre o

Leia mais

Hospital Privado Capital Fechado com fins lucrativos Geral e de Médio Porte Selado Qualidade Programa CQH desde 2008 Média e alta complexidade 96

Hospital Privado Capital Fechado com fins lucrativos Geral e de Médio Porte Selado Qualidade Programa CQH desde 2008 Média e alta complexidade 96 Hospital Privado Capital Fechado com fins lucrativos Geral e de Médio Porte Selado Qualidade Programa CQH desde 2008 Média e alta complexidade 96 leitos 19 leitos de UTI 5 Salas Cirúrgicas 300 Cirurgias/mês

Leia mais

Anexo II - Princípios das Normas ISO aplicáveis a organizações de saúde

Anexo II - Princípios das Normas ISO aplicáveis a organizações de saúde Anexo II - Princípios das Normas ISO aplicáveis a organizações de saúde 95 96 Princípios das Normas ISO aplicáveis a organizações de saúde Princípio 1 Foco no cliente: dado que as organizações dependem

Leia mais

Business Case (Caso de Negócio)

Business Case (Caso de Negócio) Terceiro Módulo: Parte 5 Business Case (Caso de Negócio) AN V 3.0 [54] Rildo F Santos (@rildosan) rildo.santos@etecnologia.com.br www.etecnologia.com.br http://etecnologia.ning.com 1 Business Case: Duas

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico MBA: Gestão Empresarial IESI Planejamento Estratégico Planejamento estratégico: Visão integrada Alcance de objetivos Criar valor, diferencial e identidade Pensamento estratégico Planejamento Estratégico

Leia mais

Pesquisa de Clima Organizacional

Pesquisa de Clima Organizacional Pesquisa de Clima Organizacional As pessoas representam alto investimento para as organizações. É evidente que o sucesso de um empreendimento não depende somente da competência dos gestores em reconhecer

Leia mais

Quais os resultados você e sua equipe acreditam que conquistarão? É a partir desse ponto que inicia o processo da conquista.

Quais os resultados você e sua equipe acreditam que conquistarão? É a partir desse ponto que inicia o processo da conquista. Sumário 1. Acreditar 2. Aprender a motivar 3. Criar um time inovador 4. Gerir o tempo 5. Criar e manter credibilidade no relacionamento 6. Facilitar o compartilhar com a sua equipe 7. Sobre nós 1. Acreditar

Leia mais

Código de Conduta e Ética Empresarial. Grupo Visium Build

Código de Conduta e Ética Empresarial. Grupo Visium Build Código de Conduta e Ética Empresarial Grupo Visium Build 1 Índice 2 Âmbito 3 Missão e Visão 4 Valores 4 Compromisso com as partes interessadas 5 Cumprimento deste Código 9 2 ÂMBITO Este Código de Conduta

Leia mais

PSICOLOGIA E GERENCIAMENTO DE PESSOAS. DISCIPLINA: RELACIONAMENTO INTERPESSOAL Prof. Dr. Márcio Magalhães Fontoura

PSICOLOGIA E GERENCIAMENTO DE PESSOAS. DISCIPLINA: RELACIONAMENTO INTERPESSOAL Prof. Dr. Márcio Magalhães Fontoura PSICOLOGIA E GERENCIAMENTO DE PESSOAS DISCIPLINA: RELACIONAMENTO INTERPESSOAL Prof. Dr. Márcio Magalhães Fontoura Psicologia Objeto de Estudo Psique = alma + logos = estudo Grécia berço da Psicologia Desejo

Leia mais

O profissional que sua empresa procura está na Avanti RH.

O profissional que sua empresa procura está na Avanti RH. O profissional que sua empresa procura está na Avanti RH. Apresentação Experiência e juventude se unem na Avanti Humanas, afinal, somos uma empresa dedicada à atração, recrutamento, seleção e desenvolvimento

Leia mais

Introdução aos Sistemas de Informação nas Empresas

Introdução aos Sistemas de Informação nas Empresas Introdução aos Sistemas de Informação nas Empresas Esse capitulo estuda o referencial do conhecimento de SI necessário aos usuários finais das empresas e abordagem revista sobre desdobramentos-chaves no

Leia mais

Desenvolvimento de Negócios. Planejamento Estratégico Legal: da concepção à operacionalização Competências necessárias para o Gestor Legal

Desenvolvimento de Negócios. Planejamento Estratégico Legal: da concepção à operacionalização Competências necessárias para o Gestor Legal Desenvolvimento de Negócios Planejamento Estratégico Legal: da concepção à operacionalização Competências necessárias para o Gestor Legal Gestão Estratégica Para quê? Por Quê? Para fazer acontecer e trazer

Leia mais

A importância da liderança como diferencial competitivo. Leonardo Siqueira Borges 29 de Setembro de 2015

A importância da liderança como diferencial competitivo. Leonardo Siqueira Borges 29 de Setembro de 2015 A importância da liderança como diferencial competitivo Leonardo Siqueira Borges 29 de Setembro de 2015 Ellebe Treinamento em Gestão Organizacional A Ellebe atua em empresas públicas e privadas nas áreas

Leia mais

Por uma pesquisa de clima mais rica: saindo do padronizado em direção ao estratégico

Por uma pesquisa de clima mais rica: saindo do padronizado em direção ao estratégico Por uma pesquisa de clima mais rica: saindo do padronizado em direção ao estratégico Este artigo visa contribuir com os processos de gestão de clima organizacional das empresas. Procuramos apresentar melhorias

Leia mais

GESPÚBLICA - FMVZ/USP

GESPÚBLICA - FMVZ/USP Universidade de São Paulo Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia GESPÚBLICA - FMVZ/USP Desburocratização & Excelência 2008 O que é GESPÚBLICA? É o programa do Ministério do Planejamento, Orçamento

Leia mais

Especialização em Gestão de Negócios

Especialização em Gestão de Negócios Especialização em Gestão de Negócios Ós- radu ção Um Programa para profissionais que querem ampliar sua competência em gestão, seu networking e construir uma trajetória de sucesso. Uma das melhores escolas

Leia mais

Rio de Janeiro 16/08/2011. Modelo de Excelência da Gestão (MEG) para Micro e Pequenas Empresas. Francisco Teixeira Neto

Rio de Janeiro 16/08/2011. Modelo de Excelência da Gestão (MEG) para Micro e Pequenas Empresas. Francisco Teixeira Neto Rio de Janeiro 16/08/2011 Modelo de Excelência da Gestão (MEG) para Micro e Pequenas Empresas Francisco Teixeira Neto Só gerencia quem mede! O que é o MPE Brasil? Ferramenta de Gestão para medir o grau

Leia mais

Profª Mônica Suely G. de Araujo

Profª Mônica Suely G. de Araujo Profª Mônica Suely G. de Araujo Desempenho Características Confiabilidade Reputação 2 1 Durabilidade Utilidade Resposta Estética 3 Projeto Conformidade Capabi lidade Atendi mento ao Cliente Cultura da

Leia mais

Planejamento e Gestão Estratégica: uso do BSC

Planejamento e Gestão Estratégica: uso do BSC Planejamento e Gestão Estratégica: uso do BSC Maurício Fernandes Pereira www.mauriciofpereira.com.br www.facebook.com/mauriciofernandespereira1 mfpcris@gmail.com Prof. Dr. Maurício Fernandes Pereira 4

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA. Projeto Integrado Multidisciplinar VII e

UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA. Projeto Integrado Multidisciplinar VII e UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar VII e VIII Manual de orientações - PIM Cursos superiores de Tecnologia em: Recursos Humanos 1. Introdução Os Projetos

Leia mais

Categoria: Inovação Tecnológica

Categoria: Inovação Tecnológica Prêmio Nacional de Inovação Edição 2014/2015 Anexo III Categoria: Inovação Tecnológica Prêmio Nacional de Inovação - Ciclo 2014/2015 Questões para a Autoavaliação na categoria Inovação Tecnológica Dimensão

Leia mais

Empresa de consultoria, especializada em pessoas, com foco em soluções empresariais de alta complexidade e impacto, com a missão de promover a paz

Empresa de consultoria, especializada em pessoas, com foco em soluções empresariais de alta complexidade e impacto, com a missão de promover a paz Empresa de consultoria, especializada em pessoas, com foco em soluções empresariais de alta complexidade e impacto, com a missão de promover a paz nas relações no trabalho. PROJETO DESENVOLVIMENTO DAS

Leia mais

Ajudamos empresas a prosperar por meio da Excelência em Gestão. Novembro de 2015

Ajudamos empresas a prosperar por meio da Excelência em Gestão. Novembro de 2015 Ajudamos empresas a prosperar por meio da Excelência em Gestão Novembro de 2015 Sobre o IPEG Organização sem fins lucrativos Fundaçãoem2001 Leino11594/2003criaoPPQG Mais de 300 empresas reconhecidas 13

Leia mais

Redefining the Concept of Strategy and the Strategy Formation Process. Redefinindo o Conceito de Estratégia e o Processo de Formação da Estratégia

Redefining the Concept of Strategy and the Strategy Formation Process. Redefinindo o Conceito de Estratégia e o Processo de Formação da Estratégia 1 Redefining the Concept of Strategy and the Strategy Formation Process Redefinindo o Conceito de Estratégia e o Processo de Formação da Estratégia (HAX, Arnoldo C., 1990) A imersão das estratégias constituem

Leia mais

Relatório de Competências de Nataly Lopez (Perfil Natural) Autoconfiança. Autocontrole. Busca de Informação. Capacidade de Negociação.

Relatório de Competências de Nataly Lopez (Perfil Natural) Autoconfiança. Autocontrole. Busca de Informação. Capacidade de Negociação. IMPORTANTE: Em ótimas condições do ambiente, a grande maioria das pessoas pode ter a capacidade de desempenhar-se adequadamente em quaisquer das seguintes competências. Referimo-nos a "ótimas condições"

Leia mais

10/8/2011. Administração de Recursos Humanos TREINAMENTO: DESENVOLVIMENTO: Concluindo: T&D é o processo educacional aplicado de

10/8/2011. Administração de Recursos Humanos TREINAMENTO: DESENVOLVIMENTO: Concluindo: T&D é o processo educacional aplicado de TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAL Administração de Recursos Humanos É o processo de desenvolver qualidades nos RHs para habilitá-los a serem mais produtivos e contribuir melhor para o alcance dos

Leia mais

Santa Casa da Misericórdia de Pombal

Santa Casa da Misericórdia de Pombal Manual de Políticas Santa Casa da Misericórdia de Pombal Índice 1. Política da Qualidade 2. Politica de Apoio Social 3. Politica de Recursos Humanos 4. Politica de Ética 5. Politica de Envolvimento Ativo

Leia mais

Tema 05 Treinamento e Desenvolvimento Autoria: Irma Macário

Tema 05 Treinamento e Desenvolvimento Autoria: Irma Macário Administração de Recursos Humanos Autoria: Irma Macário 6 o semestre Tema 05 Treinamento e Desenvolvimento Tema 05 Treinamento e Desenvolvimento Autoria: Irma Macário Como citar esse documento: MACÁRIO,

Leia mais

BUSINESS PARTNER RH. Estratégias, funções e práticas

BUSINESS PARTNER RH. Estratégias, funções e práticas 1 BUSINESS PARTNER RH Estratégias, funções e práticas 2016 BUSINESS PARTNER - RH Estratégias, funções e práticas Dia 18 de agosto 12:30/13:15 Transamerica Expo Center Auditório Principal Espaço Corners

Leia mais

Resultados Gerais: "Inquérito de Avaliação da Satisfação dos Colaboradores"

Resultados Gerais: Inquérito de Avaliação da Satisfação dos Colaboradores Resultados Gerais: "Inquérito de Avaliação da Satisfação dos Colaboradores" número de ações que realizou até ao presente Valid nada pouco 22 7,4 8,0 8,0 44 14,8 16,1 24,1 126 42,4 46,0 70,1 65 21,9 23,7

Leia mais

Aula 2 Partes Interessadas. Rosely Gaeta

Aula 2 Partes Interessadas. Rosely Gaeta Aula 2 Partes Interessadas Rosely Gaeta Definição São os indivíduos e grupos capazes de afetar e serem afetados pelos resultados estratégicos alcançados e que possuam reivindicações aplicáveis e vigentes

Leia mais

Estágios de Liderança Braskem Competências de Cultura

Estágios de Liderança Braskem Competências de Cultura Estágios de Liderança Braskem ------------------------- Competências de Cultura 01 Clarificando Estágios de Liderança Braskem o PA do Líder 01 Estágios de Liderança Braskem Os Estágios de Liderança Braskem

Leia mais

Curso do Superior de Tecnologia em Marketing

Curso do Superior de Tecnologia em Marketing Curso do Superior de Tecnologia em Objetivos do curso 1.5.1 Objetivo Geral O Curso Superior de Tecnologia em na modalidade EaD da universidade Unigranrio, tem por objetivos gerais capacitar o profissional

Leia mais

Negociação Comercial

Negociação Comercial Negociação Comercial Aula 6-17/02/09 1 Negociação Comercial CONCEITOS BSC - BALANCE SCORECARD 2 O QUE É BALANCE SCORECARD O BSC é uma nova abordagem para administração estratégica, desenvolvida por Robert

Leia mais

7.1 Contribuições para a teoria de administração de empresas

7.1 Contribuições para a teoria de administração de empresas 7 Conclusões Esta tese teve por objetivo propor e testar um modelo analítico que identificasse como os mecanismos de controle e as dimensões da confiança em relacionamentos interorganizacionais influenciam

Leia mais

Sistema da Gestão da Qualidade. Agradecimentos ao Prof. Robson Gama pela criação da apresentação original

Sistema da Gestão da Qualidade. Agradecimentos ao Prof. Robson Gama pela criação da apresentação original Sistema da Gestão da Qualidade Agradecimentos ao Prof. Robson Gama pela criação da apresentação original 1 CONCEITO QUALIDADE O que é Qualidade? 2 Qualidade Conjunto de características de um objeto ou

Leia mais

Tendências do voluntariado empresarial estratégico

Tendências do voluntariado empresarial estratégico Grupo de Estudos do Voluntariado Empresarial Tendências do voluntariado empresarial estratégico Reinaldo Bulgarelli Txai Consultoria e Educação CVSP, 05 de outubro de 2011 NOSSA AGENDA DE TRABALHO: 8h30

Leia mais

O Sistema de Gestão de Responsabilidade Social

O Sistema de Gestão de Responsabilidade Social Securitas Portugal O Sistema de Gestão de Responsabilidade Social Agosto de 2016 1 O Sistema de Gestão da Responsabilidade Social A SECURITAS desenvolveu e implementou um Sistema de Gestão de aspetos de

Leia mais

Eficiência e Eficácia

Eficiência e Eficácia Eficiência e Eficácia Desempenho das Organizações A eficiência é determinante da eficácia: caso haja recursos disponíveis, e estes forem utilizados corretamente, a probabilidade de atingir os objetivos

Leia mais

Aula 06 Análise do Ambiente Interno Competências Essenciais

Aula 06 Análise do Ambiente Interno Competências Essenciais Aula 06 Análise do Ambiente Interno Competências Essenciais Professores: Maurício Corte Rosely Gaeta 1 Estudar detalhamento no capítulo 4 Competências Essenciais Na década de 80 as empresas japonesas foram

Leia mais

Perspectivas da Gestão Estratégica de Pessoas para as Organizações Públicas

Perspectivas da Gestão Estratégica de Pessoas para as Organizações Públicas Perspectivas da Gestão Estratégica de Pessoas para as Organizações Públicas Aleksandra Pereira dos Santos Doutora em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações UnB Coordenadora-Geral de RH Previc

Leia mais

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS SSD

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS SSD COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS SSD DESCRIÇÕES DOS NÍVEIS APRENDIZ SABER Aprende para adquirir conhecimento básico. É capaz de pôr este conhecimento em prática sob circunstâncias normais, buscando assistência

Leia mais

JOGOS EM PROCESSOS DE TREINAMENTOS

JOGOS EM PROCESSOS DE TREINAMENTOS JOGOS EM PROCESSOS DE TREINAMENTOS AULA 02 1 Professora Ms Karen Reis 2012 JOGOS DIGITAIS Atividade em sala de Aula Globalização e a Evolução Tecnológica Mitos e Verdades SWOT Tecnologias de Visualização

Leia mais

GESTÃO DO CAPITAL INTELECTUAL

GESTÃO DO CAPITAL INTELECTUAL GESTÃO DO CAPITAL INTELECTUAL CAPITAL INTELECTUAL Valor agregado aos produtos da organização por meio de informação e conhecimento. Composto: Habilidades e conhecimentos das pessoas Tecnologia Processos

Leia mais

Relatório CRI Minas 16/05/13 Inovação e Comportamento Humano Hérica Righi,Raoni Pereira e Flávia Carvalho

Relatório CRI Minas 16/05/13 Inovação e Comportamento Humano Hérica Righi,Raoni Pereira e Flávia Carvalho Relatório CRI Minas 16/05/13 Inovação e Comportamento Humano Hérica Righi,Raoni Pereira e Flávia Carvalho Relatório CRI Minas 16/05/13 Inovação e Comportamento Humano Muitos são os desafios encontrados

Leia mais

Engenharia de Processos Oscar F. T Paulino

Engenharia de Processos Oscar F. T Paulino 17 Seminário Brasileiro Industrial 27/10/2016 Engenharia de Processos Oscar F. T Paulino Engenharia de Processos - Conceitos Campo de atividades que utiliza os conhecimentos das Ciências básicas (Matemática,

Leia mais

Política de Sustentabilidade. Junho /2010. PI Rev. A

Política de Sustentabilidade. Junho /2010. PI Rev. A Junho /2010 PI.034.00000001 Rev. A SUMÁRIO 1. SUSTENTABILIDADE : ESSÊNCIA DA CAB AMBIENTAL 2. MISSÃO 3.VISÃO 4. OBEJTIVO 5. SUSTENTABILIDADE NA PRÁTICA 6. COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO CHAVES PARA O SUCESSO

Leia mais

NÃO BASTA CRESCER, TEM QUE AVANÇAR. CONHEÇA SOLUÇÕES SOBRE MEDIDA PARA SUA EMPRESA SEGUIR EM FRENTE.

NÃO BASTA CRESCER, TEM QUE AVANÇAR. CONHEÇA SOLUÇÕES SOBRE MEDIDA PARA SUA EMPRESA SEGUIR EM FRENTE. NÃO BASTA CRESCER, TEM QUE AVANÇAR. CONHEÇA SOLUÇÕES SOBRE MEDIDA PARA SUA EMPRESA SEGUIR EM FRENTE. PROGRAMAÇÃO 2011 [CURSOS E PALESTRAS] SUA EMPRESA CRESCEU E SE ESTRUTUROU NO MERCADO? AGORA O DESAFIO

Leia mais

Índice CONCEITOS E FUNDAMENTOS. Parte I. Capítulo 1 A natureza do problema estratégico 21

Índice CONCEITOS E FUNDAMENTOS. Parte I. Capítulo 1 A natureza do problema estratégico 21 Índice Introdução 15 Parte I CONCEITOS E FUNDAMENTOS Capítulo 1 A natureza do problema estratégico 21 1. Introdução 21 2. A estratégia deve assegurar a satisfação equilibrada das diversas legitimidades

Leia mais

Gestão de Pessoas para

Gestão de Pessoas para III SEMINÁRIO DE GESTÃO DE PESSOAS: O DESAFIO DE LIDERAR E MOTIVAR EQUIPES DE SUCESSO Gestão de Pessoas para Resultados Luciano Lima 30/05/2012 MOTIVAÇÃO = MOTIVO PARA... As pessoas podem ter motivos diferentes

Leia mais

Processo e Agentes da Gestão da Qualidade

Processo e Agentes da Gestão da Qualidade Gestão da Qualidade Processo e Agentes da Gestão da Qualidade Fernanda Villar Corrêa Vídeos - Empresa como Sistema - Gestão da Qualidade como Subsistema - Envolvem métodos de produção, avaliação

Leia mais

3. O Framework é um manual/guia de como elaborar o relato integrado? Justifique.

3. O Framework é um manual/guia de como elaborar o relato integrado? Justifique. Questões Relato Integrado 1. O que é A4S? De que forma essa organização influenciou a criação do relato integrado. A4S é o projeto do príncipe de Gales Accounting for Sustainability, foi a organização

Leia mais

Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra Delegacia da Bahia CECEPE. Curso de Extensão de Cerimonial, Etiqueta, Protocolo e Eventos

Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra Delegacia da Bahia CECEPE. Curso de Extensão de Cerimonial, Etiqueta, Protocolo e Eventos CECEPE Curso de Extensão de Cerimonial, Etiqueta, Protocolo e Eventos Disciplina: Gestão do Conhecimento Professor: Dr.Sergio Loncan Módulo 4: Implantação da Gestão do Conhecimento 1.INTRODUÇÃO A Implantação

Leia mais

MÓDULO XVIII PRÊMIO NACIONAL DA QUALIDADE PNQ

MÓDULO XVIII PRÊMIO NACIONAL DA QUALIDADE PNQ SISTEMA DE QUALIDADE EAD MÓDULO XVIII PRÊMIO NACIONAL DA QUALIDADE PNQ Nesse módulo iremos estudar o Modelo de Excelência Brasileiro, seus fundamentos, características e especificidades, abordando os critérios

Leia mais

Administração Interdisciplinar

Administração Interdisciplinar Administração Interdisciplinar 21/9/2015 Rosely Gaeta Revisão Fundamentos da Administração Introdução àadministração e às organizações Fonte: Felipe Sobral Alketa Peci - Teoria e Prática no Contexto Brasileiro

Leia mais

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Avaliação de: Sr. Antônio Modelo Preparada por: Consultor Caliper consultor@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Especialistas The

Leia mais

Segurança e Auditoria de Sistemas

Segurança e Auditoria de Sistemas Segurança e Auditoria de Sistemas ABNT NBR ISO/IEC 27002 0. Introdução 1 Roteiro Definição Justificativa Fontes de Requisitos Análise/Avaliação de Riscos Seleção de Controles Ponto de Partida Fatores Críticos

Leia mais

ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN Administração - Campus Mossoró) 3ª SÉRIE

ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN Administração - Campus Mossoró) 3ª SÉRIE ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN 2016.2 Administração - Campus Mossoró) 3ª SÉRIE DISCIPLINAS DA SÉRIE GESTÃO DA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIA GESTÃO DE PESSOAS DIREITO EMPRESARIAL E TRABALHISTA CONTABILIDADE Os recursos

Leia mais

Sustentabilidade nos negócios. Fernando Carvalho Departamento de Planejamento, Orçamento e Controle

Sustentabilidade nos negócios. Fernando Carvalho Departamento de Planejamento, Orçamento e Controle Sustentabilidade nos negócios Fernando Carvalho Departamento de Planejamento, Orçamento e Controle Sustentabilidade nos Negócios Agenda Um pouco do do Bradesco Sustentabilidade e o Bradesco Planejamento

Leia mais

2ª Parte Competindo com a Tecnologia de Informação

2ª Parte Competindo com a Tecnologia de Informação 2ª Parte Competindo com a Tecnologia de Informação Objectivos de Aprendizagem Identificar várias estratégias competitivas básicas e explicar como elas podem utilizar Tecnologias da Informação para confrontar

Leia mais

efr ENTIDADES FAMILIARMENTE RESPONSÁVEIS

efr ENTIDADES FAMILIARMENTE RESPONSÁVEIS Promovemos a sustentabilidade do seu negócio Júlio Faceira Guedes XZ Consultores, SA O MODELO DE GESTÃO efr ENTIDADES FAMILIARMENTE RESPONSÁVEIS Porto, 08 de Maio de 2012 O modelo de gestão efr 1. O que

Leia mais

AULA 13 GESTÃO DE PESSOAS III PROF. PROCÓPIO

AULA 13 GESTÃO DE PESSOAS III PROF. PROCÓPIO AULA 13 GESTÃO DE PESSOAS III PROF. PROCÓPIO ETEC SÃO MATEUS - 13-05-2016 Não fique sem o conteúdo, acesse: www.professorprocopio.com OTreinamento É um processo que promove a aquisição de habilidades,

Leia mais

Estratégia e Inteligência Competitiva

Estratégia e Inteligência Competitiva Estratégia e Inteligência Competitiva Processo da Estratégia. Mapeamento Estratégico. Análise do Mercado. Análise da Empresa. Análise de Valor. Análise de Potencial Estratégia e Inteligência Competitiva

Leia mais

Fundamentos de sistemas de informação

Fundamentos de sistemas de informação Fundamentos de sistemas de informação Unidade 1 - Conceitos de Sistemas de Informação, Teoria de Sistemas e Tecnologia da Informação 1.1. Introdução 1.1.1. Conceituação de sistema, Sistema de Informação

Leia mais

Planejamento de Carreira

Planejamento de Carreira Planejamento de Carreira Aulas 17 e 18 Plano de carreira Análise do ambiente Oportunidades Ameaças Objetivos Alvos concretos Estratégias Ações e prazos para atingir objetivos Follow-up Análise de potencial

Leia mais

ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN Administração Graduação Executiva- Campus Mossoró) 6ª SÉRIE

ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN Administração Graduação Executiva- Campus Mossoró) 6ª SÉRIE DISCIPLINAS DA SÉRIE DISCIPLINAS DAS SÉRIES ANTERIORES ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN 2016.2 Administração Graduação Executiva- Campus Mossoró) 6ª SÉRIE GESTÃO ESTRATEGICA GESTÃO FINANCEIRA AVANÇADA LOGISTICA

Leia mais

desenvolva e utilize seu pleno potencial de modo coerente e convergente com os objetivos estratégicos da organização. Dentro da área de gestão de

desenvolva e utilize seu pleno potencial de modo coerente e convergente com os objetivos estratégicos da organização. Dentro da área de gestão de Gestão de Pessoas Hoje a sociedade busca desenvolver trabalhos para aprimorar o conhecimento das pessoas em um ambiente de trabalho. A capacitação e o preparo que uma organização deve ter para com os seus

Leia mais

Excelência na Gestão

Excelência na Gestão Mapa Estratégico 2012-2014 Visão Até 2014, ser referência no atendimento ao público, na fiscalização e na valorização das profissões tecnológicas, reconhecido pelos profissionais, empresas, instituições

Leia mais

Administração Estratégica [2] Professor Demóstenes Farias, MSc.

Administração Estratégica [2] Professor Demóstenes Farias, MSc. Administração Estratégica [2] Professor Demóstenes Farias, MSc. Fortaleza, agosto de 2012 A elaboração da visão de futuro A visão é o que a empresa idealiza para si. É a maneira pela qual a organização

Leia mais

MOTIVAÇÃO PARA A QUALIDADE

MOTIVAÇÃO PARA A QUALIDADE MOTIVAÇÃO PARA A QUALIDADE Irene Szyszka 07/11/2002 Lucem Sistemas Integrados de Gestão - Direitos Reservados 1 O QUE É MOTIVAÇÃO? MOTIVOS PARA AÇÃO??? Segundo Michaelis: Ato de motivar. Espécie de energia

Leia mais

Professor: Leandro Zvirtes UDESC/CCT

Professor: Leandro Zvirtes UDESC/CCT Professor: Leandro Zvirtes UDESC/CCT Objetivos de uma empresa Objetivo principal Pessoas Meios Satisfação das necessidades das pessoas CONSUMIDORES EMPREGADOS ACIONISTAS VIZINHOS Qualidade Crescimento

Leia mais

Gerenciamento de relacionamento com o consumidor

Gerenciamento de relacionamento com o consumidor Gerenciamento de relacionamento com o UNIBAN Instituto de Comunicação Curso de Tecnologia em Marketing Unidade Tatuapé SP Disciplina Estratégias de Marketing Prof. Me. Francisco Leite Aulas de 18/10/2011.

Leia mais

PAEX Parceiros para a Excelência. ESTRATÉGIA E GESTÃO Prof. Volnei P. Garcia

PAEX Parceiros para a Excelência. ESTRATÉGIA E GESTÃO Prof. Volnei P. Garcia PAEX Parceiros para a Excelência ESTRATÉGIA E GESTÃO Prof. Volnei P. Garcia A CRIAÇÃO DE VALOR PARA OS STAKEHOLDERS O melhor lugar para se trabalhar Sociedade Órgãos Reguladores O maior retorno sobre o

Leia mais

P-58 T&D E O ALINHAMENTO DE DISCURSOS E PRÁTICAS GUSTAVO G. BOOG E MARCELO BOOG

P-58 T&D E O ALINHAMENTO DE DISCURSOS E PRÁTICAS GUSTAVO G. BOOG E MARCELO BOOG P-58 T&D E O ALINHAMENTO DE DISCURSOS E PRÁTICAS GUSTAVO G. BOOG E MARCELO BOOG www.boog.com.br Estejam prontos, vamos ficar em pé, já vamos começar Fonte: Primeast e Autodescoberta Divertida 2 Diga seu

Leia mais

WS3-O4- MACROESTRATÉGIAS BASE PARA O BSC

WS3-O4- MACROESTRATÉGIAS BASE PARA O BSC WS3-O4- MACROESTRATÉGIAS BASE PARA O BSC 1 2 AGENDA 3º Workshop 4ª Oficina Alinhamento de Conceitos Metodológicos Atividades: Estágio 1 perspectiva Financeira Estágio 2 perspectiva Clientes Estágio 3 perspectiva

Leia mais

Roteiro Trabalho de RH

Roteiro Trabalho de RH Roteiro Trabalho de RH Fase I - Caracterização de Empresa -Histórico -Porte -Setor/Posição de Mercado/Atuação (local, regional, nacional e internacional) -Principais Produtos ou Serviços - Organograma

Leia mais

de tecnologia P A R A EM 2016

de tecnologia P A R A EM 2016 ^ TENDENCIAS de tecnologia P A R A + RH EM 2016 Panto O RH de hoje faz + - MAIS com menos A expansão das plataformas de avaliação nas últimas décadas transformou praticamente toda a gestão de RH das empresas.

Leia mais

Introdução à Qualidade

Introdução à Qualidade Introdução à Qualidade Professor: Leandro Zvirtes UDESC/CCT 1 Introdução A Gerência da Qualidade quando focada na busca pela Qualidade Total possibilita a empresa dirigir seus esforços para: Melhorar de

Leia mais

Gestão da Qualidade. Aula 13. Prof. Pablo

Gestão da Qualidade. Aula 13. Prof. Pablo Gestão da Qualidade Aula 13 Prof. Pablo Proposito da Aula 1. Conhecer as normas da família ISO 9000. Família da norma ISO 9000 Família ISO 9000 As normas ISO da família 9000 formam um conjunto genérico

Leia mais

Unidade III. Avaliação de Desempenho. Profª. Ana Paula de Andrade Trubbianelli

Unidade III. Avaliação de Desempenho. Profª. Ana Paula de Andrade Trubbianelli Unidade III Avaliação de Desempenho Profª. Ana Paula de Andrade Trubbianelli Os compromissos de desempenho Diferenças individuais Desenvolvimento individual na organização/satisfação Motivação relacionada

Leia mais

empreendedorismo UNIDADE iii- PROCESSO EMPREENDEDOR; AMBIENTES E CARACTERÍSTICAS DE NEGÓCIO.

empreendedorismo UNIDADE iii- PROCESSO EMPREENDEDOR; AMBIENTES E CARACTERÍSTICAS DE NEGÓCIO. empreendedorismo UNIDADE iii- PROCESSO EMPREENDEDOR; AMBIENTES E CARACTERÍSTICAS DE NEGÓCIO. PROCESSO EMPREENDEDOR SE DESENVOLVE AO LONGO DO TEMPO E SE MOVE POR MEIO DE FASES DISTINTAS, MAS INTIMAMENTE

Leia mais

Clima e Socialização organizacional

Clima e Socialização organizacional Função Aplicação de pessoas: Clima e Socialização organizacional Livros: CHIAVENATO, Gestão de pessoas TACHIZAMA, et al. Material na xerox (pg.240-255) SOCIALIZAÇÃO ORGANIZACIONAL É a maneira pela qual

Leia mais

Componente Curricular: Gestão de Pessoas. Pré-requisito: -----

Componente Curricular: Gestão de Pessoas. Pré-requisito: ----- C U R S O D E E N G E N H A R I A D E P R O D U Ç Ã O Autorizado pela Portaria nº 276, de 30/05/15 DOU de 31/03/15 Componente Curricular: Gestão de Pessoas Código: ENGP - 599 Pré-requisito: ----- Período

Leia mais

Ementas. Certificate in Business Administration CBA

Ementas. Certificate in Business Administration CBA Ementas Certificate in Business Administration CBA Agosto 2012 Módulo Fundamental Administração Financeira EMENTA: Disciplina desenvolve a capacidade de contribuição para as decisões gerenciais aplicando

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Reconhecimento Renovado pela Portaria MEC nº 264 de , DOU de PLANO DE CURSO

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Reconhecimento Renovado pela Portaria MEC nº 264 de , DOU de PLANO DE CURSO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Reconhecimento Renovado pela Portaria MEC nº 264 de 14.07.11, DOU de 19.07.11 Componente Curricular: Administração de Pessoas Código: ADM 252 Pré-requisito: ----- Período Letivo:

Leia mais

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Declaração Nós, das empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente para o desenvolvimento sustentável das áreas onde atuamos e das

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO POR COMPETÊNCIAS ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO POR COMPETÊNCIAS Atualizado em 22/10/2015 GESTÃO POR COMPETÊNCIAS As competências não são estáticas, tendo em vista a necessidade de adquirir agregar novas competências individuais

Leia mais

Para EMPRESAS TREINAMENTO EMPRESARIAL. Gincana Empresarial. (atividades lúdicas corporativas )

Para EMPRESAS TREINAMENTO EMPRESARIAL. Gincana Empresarial. (atividades lúdicas corporativas ) Para EMPRESAS TREINAMENTO EMPRESARIAL Gincana Empresarial (atividades lúdicas corporativas ) O Studio Sapienza Com a Missão de Desenvolver competências e fomentar soluções para organizações e profissionais

Leia mais