Raciocínio Lógico Matemático Cap. 2 Lógica Matemática

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Raciocínio Lógico Matemático Cap. 2 Lógica Matemática"

Transcrição

1 Raciocínio Lógico Matemático Cap. 2 Lógica Matemática Capítulo2

2 1. Lógica Matemática No primeiro capítulo, discutimos uma série de conceitos atrelados à lógica de uma forma geral, mas de forma tendenciosa buscamos também fazer uma introdução à lógica matemática. Você pode constatar isto, especialmente por intermédio dos exemplos dados, assim como da linguagem utilizada. Para continuar este estudo da lógica matemática, e de forma mais didática e pedagógica, se faz necessário relembrar alguns conceitos fundamentais, tais como: Expressão é uma composição de palavras sem formar um sentido completo (sem predicado). Frase ou sentença é uma composição de palavras que exprimem um sentido completo; isto é, formado por sujeito e predicado. Veja o quadro abaixo e note a diferença básica quanto ao sentido. Expressão Frase ou sentença 1. O imenso navio 1. O imenso navio está quebrado. 2. A bela mulher 2. A bela mulher mora longe 3. O grande sonho 3. O grande sonho acabou 4. A disciplina de raciocínio lógico matemático 4. A disciplina de raciocínio lógico matemático faz parte dos estudos formativos. De forma análoga, temos na Matemática as expressões e as sentenças. O quadro abaixo exemplifica isto. 2

3 Expressão Sentença 1) x + 4 1) x + 4 = 10 2) 2x 2) 2x = 12 3) ) =10 4) ) 30 6 = 24 É importante salientar que: As expressões matemáticas que apresentam letras e podem conter números são chamadas de expressões algébricas ou literais. As letras nas expressões são chamadas variáveis ou incógnitas, o que significa que o valor de cada letra pode ser substituído por um valor numérico. A palavra incógnita significa "desconhecida". As sentenças matemáticas podem ser classificadas como fechadas ou abertas. Sentenças fechadas são aquelas que são formadas por valores conhecidos e as abertas são aquelas que possuem valores desconhecidos. Na tabela, dada anteriormente, podemos verificar que os dois últimos exemplos se tratam de sentenças fechadas. 3) =10 4) 30 6 = 24 Da mesma tabela, temos que as duas primeiras sentenças são abertas, pois não temos, o valor de x. As sentenças abertas são usadas para representar relações entre grandezas de uma maneira genérica ou representar relações entre grandezas, onde uma ou algumas delas são desconhecidas. 3

4 Toda sentença matemática aberta que exprime uma relação de igualdade chama-se equação. A palavra equação tem o prefixo equa, que em latim quer dizer igual. 1) x + 4 = 10 2) 2x = 10 verdadeiras. É fácil determinar o valor numérico que torna cada uma destas sentenças x + 4 = 10 Substitua x = 6 e verifique a igualdade: = 10 2x = 10 Substitua x = 5 e verifique a igualdade: 2 (5) = 10 2x = duas vezes x (dobro de x) 3x = três vezes x (triplo de x) 4x = quatro vezes x ( quádruplo de x) e assim por diante... A seguir, faremos uma aplicação destas noções na resolução de determinados problemas. Perceba que não temos a preocupação, aqui, de resolvêlos e sim de representá-los matematicamente, montando as respectivas equações. 1. Qual é o número inteiro cujo triplo é 21? Neste caso, podemos representar por x o valor desconhecido e por 3x o triplo deste valor e desta forma montar a seguinte equação que representa este enunciado: 3x = 21 4

5 2. A diferença entre o triplo de um número e o quádruplo de outro é 5. Para esta afirmação, podemos utilizar para os números desconhecidos (as incógnitas) as letras x e y, e desta forma compor a seguinte equação: 3x 4y = 5 a) Proposições O raciocínio lógico trabalha com proposições, que é um conceito fundamental no estudo da lógica. Destacamos do dicionário, a seguinte definição para a palavra proposição: 6. Lóg. Expressão verbal ou simbólica suscetível de ser dita verdadeira ou falsa; sentença. [Cf. preposição e, nesta acepção, enunciado e juízo.] Fonte: Dicionário Aurélio Buarque de Holanda Podemos classificar as proposições em simples ou compostas. Proposição simples nada mais é do que uma frase ou sentença declarativa. É constituída de um conjunto de palavras ou símbolos que exprimem um pensamento de sentido completo. Não contém nenhuma outra proposição como parte integrante de si mesma. Utilizamos, por convenção, letras minúsculas do nosso alfabeto p,q r, s,..., chamadas letras ou variáveis proposicionais. Veja os exemplos abaixo: p: O Brasil, no futebol, é pentacampeão. q: O número 4 é um número quadrado perfeito. 5

6 ATENÇÃO!!! Utilizamos p e q para as proposições simples, mas poderíamos utilizar a e b, ou quaisquer outras letras minúsculas. Número quadrado perfeito é um número cuja extração da raiz quadrada é exata. Ex.: 4 = 2, pois 2² =2x2 = 4. Proposição composta é uma proposição formada por mais de uma proposição simples. Normalmente, utilizamos, por convenção, letras maiúsculas do nosso alfabeto P, Q, R, S,..., chamadas letras proposicionais. Eis alguns exemplos: P: Chove e o trânsito está complicado. Q: Lula é o atual Presidente do Brasil e Obama é o dos Estados Unidos. R: 0 < 1 e 7 4 S: Se Pedro é estudante, então lê livros. Podemos concluir, portanto, que as proposições são sentenças fechadas e que podem ser avaliadas logicamente como verdadeiras ou falsas. Elas afirmam fatos ou exprimem juízos que formamos. 6

7 b) Princípios da lógica: Como vimos no capítulo anterior, para que os argumentos sejam válidos, eles têm que atender aos seguintes princípios da lógica clássica: Princípio da identidade; Princípio da não contradição; Princípio do terceiro excluído. outros): Estes princípios serão estudados com mais detalhes neste capítulo. A lógica clássica é, portanto, governada por estes três princípios (entre Princípio da Identidade: Todo objeto é idêntico a si mesmo. Esta é uma condição do próprio pensamento. Um objeto só pode ser conhecido e pensado se for percebido e conservado com sua identidade. A é A ou de forma equivalente O QUE REALMENTE É. De acordo com este princípio, podemos dizer: A = A. Mais alguns exemplos: Sonho é sonho. Trabalho é trabalho. Energia é energia Princípio da Não-Contradição: É também conhecido como Princípio da Não-Identidade. Dadas duas proposições contraditórias (uma é negação da outra), uma delas certamente é falsa. A é A e é impossível que seja ao mesmo tempo não-a. 7

8 Existe uma dicotomia entre SER e NÃO-SER, pois quando uma possibilidade ocorre a outra é excluída. Por exemplo: Todos os comentaristas afirmaram que Dunga, técnico da seleção brasileira de futebol, errou na convocação dos jogadores para a Copa Tal premissa (afirmação) pode ser verdadeira ou falsa e sendo falsa não pode ser verdadeira. Princípio do Terceiro Excluído: Toda proposição ou é verdadeira ou é falsa, isto é, verifica-se sempre um destes casos e não um terceiro. Equivale ao ser ou não ser. Tal princípio define a decisão de um dilema ou isto ou aquilo. Eis alguns exemplos: Ou é William Young o autor do livro A Cabana ou não é ; Ou aceitamos a verdade ou aceitamos a mentira. Ou buscamos mudanças ou ficamos na mesmice. Ou A = X ou A =Y, e não há terceira possibilidade. Para você refletir (1) Frases de Albert Einstein. Na sua opinião, há lógica, nas frases destacadas a seguir, feitas pelo grande gênio Albert Einstein? (Fazem sentido? Em caso afirmativo, em quais contextos?) Pense sobre isto! 1) Se A é o sucesso, então A é igual a X mais Y mais Z. O trabalho é X; Y é o lazer; e Z é manter a boca fechada. 2) Não há nada mais insano do que fazer as coisas sempre da mesma maneira e esperar que os resultados sejam diferentes" Veja no final da apostila a resposta comentada. 8

9 c) Valores Lógicos das Proposições: Chama-se valor lógico de uma proposição a verdade se a proposição é verdadeira (V) e a falsidade se a proposição é falsa (F). Observe que se a sentença for fechada; isto é; a sentença tem todos os elementos conhecidos, podemos classificá-la como verdadeira ou falsa. As proposições abaixo são todas verdadeiras: (a) Até o último dia possível para declaração do imposto de renda, mais de 3 milhões de pessoas ainda não haviam feito sua declaração. (b) Vitória é a capital do Espírito Santo. (c) π > 3 (d) Um vulcão islandês comprometeu o tráfego aéreo em boa parte da Europa. π = 3, As proposições abaixo são todas falsas: (a) Obama é o atual presidente do Brasil. (b) Todos os livros utilizados nos cursos universitários são de baixo custo. (c) Não há vulcão na Europa. (d) 8x 9 = 81 9

10 d) Notação de Valor Lógico convenção. O valor lógico de uma proposição simples p indica-se por V(p), por Se p é verdadeira (V), escrevemos: V(p) = V. Ex.: p: O Sol é uma estrela. Logo, indicamos: V(p) = V q: A Terra é um planeta. V(q) = V Portanto, os exemplos dados de proposições simples têm valor lógico verdadeiro (V), pois as proposições são verdadeiras. Se p é falsa (F), escrevemos: V(p) = F Ex.: p: 3 é a metade de 5. Logo, indicamos: V(p) = F q: 5 é o dobro de 3. V(q) = F Nestes exemplos de proposições simples o valor lógico é F, pois as proposições são falsas. (3 não é a metade de 5, tampouco 5 é o dobro de 3.) De forma análoga, uma proposição composta P indica-se por V(P). Ex.: P: Luiz Inácio Lula da Silva é Prefeito de São Paulo e Fábio Júnior é cantor. Logo, indicamos: V(P) = F Você observou que embora uma das proposições seja verdadeira, o valor lógico da proposição composta é considerado F (falsa)? Veja mais um exemplo: Q: 8 = e 64 = 8 x 8. Neste caso, ambas as proposições são verdadeiras, logo indicamos o valor lógico da proposição composta Q por V(Q) = V. 10

11 e) As Tabelas-Verdade: Passaremos agora, para o estudo das tabelas-verdade. Elas são muito importantes para a compreensão da lógica, pois organizam, resumem e facilitam nossas análises. Nosso objetivo é construir uma tabela-verdade, na qual preencheremos com todos os possíveis valores lógicos. Para uma única proposição p, temos duas possibilidades: Ou é verdadeira (V) ou é falsa (F). Ex.: p: A Lua é o Satélite natural do planeta Terra. Veja que este é um exemplo de proposição verdadeira. Vamos ver outra proposição: p: Júpiter é uma estrela do nosso sistema solar. Neste exemplo, temos uma proposição falsa, pois Júpiter é um planeta e não uma estrela. De forma sucinta, podemos utilizar a tabela-verdade abaixo: p V F Agora, estamos prontos para analisar as proposições compostas por intermédio de tabelas-verdade. Assim sendo, para uma proposição composta cujas proposições simples são p e q, os valores lógicos possíveis são: 1. Ambas são verdadeiras 2. A primeira é verdadeira e a segunda é falsa 3. A primeira é falsa e a segunda é verdadeira 4. Ambas são falsas. 11

12 Veja um exemplo de aplicação da tabela-verdade: 1. A capital de São Paulo é São Paulo (p) e de Minas Gerais é Belo Horizonte (q). (ambas verdadeiras) 2. A capital de Santa Catarina é Florianópolis (p) e do Rio de Janeiro é Niterói (q). (a primeira proposição está correta, mas a segunda não, pois a capital do Rio de Janeiro é Rio de Janeiro) 3. A capital do Paraná é Cascavel (p) e a da Bahia é Salvador (q).(a primeira proposição é falsa, pois a capital do Paraná é Curitiba. Já a segunda proposição é verdadeira) 4. A capital do Mato Grosso é Campo Grande (p) e do Mato Grosso do Sul é Cuiabá (q), (ambas as proposições são falsas, pois há uma inversão) Preenchendo a tabela com os valores lógicos respectivos, temos: Proposições p q 1 V V 2 V F 3 F V 4 F F Veja, agora, outra aplicação de tabela-verdade 1) = e 5 x 11 = 11 x 5 2) 6 x 7 = 2 x 21 e 5x 8 = 2 x 19 3) (8-1) x 10 = 71 e (8-1) x 10 = 70 4) (3+2) x 5 = 20 e (4 +2) x 5 = 35 12

13 Preenchendo a tabela com os valores lógicos respectivos, temos: Proposições p q 1 V V 2 V F 3 F V 4 F F Caso tenha encontrado alguma dificuldade em compreender os valores lógicos preenchidos na tabela anterior, observe as etapas de desenvolvimento a seguir: 1) = e 5 x 11 = 11 x 5 5 = 5 (V) 55 = 55 (V) 2) 6 x 7 = 2 x 21 e 5x 8 = 2 x = 42 (V) 40 = 38 (F) 3) (8-1) x 10 = 71 e (8-1) x 10 = 70 7 x 10 = 71 7 x 10 = = 71 (F) 70 = 70 (V) 4) (3+2) x 5 = 20 e (4 +2) x 5 = 35 5 x 5 = 20 6 x 5 = = 20 (F) 30 = 35 (F) Atenção!!! As tabelas verdade serão muito úteis na análise de argumentos lógicos, que veremos adiante. 13

14 2. Conectivos Lógicos Conectivos são termos, símbolos ou palavras que estão frequentemente presentes nas proposições compostas, tais como: e; ou; se... então; se e somente se. Dizendo de outra forma: As proposições simples podem ser combinadas entre si para formarmos as proposições compostas e, para formar tais combinações usaremos conectivos lógicos. Dentre eles, destacamos os seguintes: Conectivos Significado ^ e v ou, se...então..., se e somente se Exemplos: P: O número 325 é ímpar e o número 326 é par. Q: 2 >1 ou 4 é um número ímpar. R: Se tiver o aumento salarial esperado, então poderei trocar de celular. S: O triângulo ABC é equilátero se e somente se é equiângulo. Triângulo equiângulo- todos os seus ângulos internos são congruentes (medem 60 ) 14

15 3. Operações Lógicas sobre Proposições A elaboração de proposições novas a partir de outras proposições é chamada de operações lógicas. Cada conectivo indica uma operação lógica diferente. Efetuamos, frequentemente, várias operações lógicas, que passaremos a detalhar a seguir. Observe a utilização dos conectivos lógicos vistos anteriormente. Conjunção e (símbolo ) : ^ Dadas duas proposições p e q, a conjunção dessas proposições será a proposição composta p e q (indica-se com a notação p ^ q); isto é, a operação lógica da conjunção funciona da mesma forma que a conjunção "e". Vamos exemplificar: 1º Exemplo: p: Está muito frio q: estou bem agasalhado p ^ q: "Está muito frio e estou bem agasalhado." Neste caso, a proposição composta p ^ q será verdadeira, somente na hipótese de ambas as proposições p e q serem verdadeiras. 2º Exemplo: p: A neve é branca (V) q: 10 > 0 (V) p ^ q: A neve é branca e 10 > 0 (V) 15

16 Observe que neste segundo exemplo, ambas as proposições p e q são verdadeiras, e portanto p ^ q também será verdadeira. 3º Exemplo: p: Brasil é um país da América do Sul.(V) q: 0 > 10 (F) p ^ q: Brasil é um país da América do Sul e 0 > 10 (F) Neste exemplo, uma das proposições é falsa, logo p q também será falsa. ^ Resumindo, podemos dizer que quando pelo menos uma das proposições dadas é falsa, a conjunção destas proposições será falsa também. O valor lógico da conjunção de duas proposições pode ser definido pela seguinte tabela-verdade: P Q p q ^ V V V V F F F V F F F F Disjunção ou (símbolo: v) Dadas duas proposições p e q, a disjunção dessas proposições será a proposição composta p ou q (indica-se com a notação p v q) 16

17 1º Exemplo: p: 9> 5 (V) q: 3= 3 (V) p v q: 9 > 5 ou 3= 3 (V) Veja mais alguns exemplos: 2º Exemplo: p: 3 > 2 (V) q: 3= 0 (F) p v q: 3 > 2 ou 3= 0 (V) 3º Exemplo: p: 3 x 4 = 2 x 8 (F) q: 3= 3 (V) p v q: 3 x 4 = 2 x 8 ou 3= 3 (V) Verifique que a disjunção p v q (p ou q) será verdadeira quando ao menos uma das proposições p e q é verdadeira. 4º Exemplo: p: 5x 9 = 90 : 3 (F) q: 3= 6 (F) p v q: 5x 9 = 90 : 3 ou 3= 6 (F) também. Se ambas as proposições são falsas, aí temos a disjunção p v q falsa O valor lógico da conjunção de duas proposições pode ser definido pela seguinte tabela-verdade: 17

18 p q p v q V V V V F V F V V F F F Condicional se p então q (símbolo: p q) Na condicional p q, p é chamado de antecedente e q é o consequente. O símbolo é chamado símbolo de implicação. A proposição condicional se p então q é uma proposição composta que só admite valor lógico falso no caso em que a proposição p é verdadeira e a proposição q é falsa, sendo verdade nas demais situações. O valor lógico da condicional de duas proposições é definido pela seguinte tabela-verdade: p q p q V V V V F F F V V F F V 18

19 Vamos dar alguns exemplos: 1º Exemplo: p: O mês de Janeiro tem 31 dias (V) q: Um dia tem 24 horas (V) p q: Se o mês de Janeiro tem 31 dias, então um dia tem 24 horas (V) 2º Exemplo: p: O mês de Janeiro tem 31 dias (V) q: Um dia tem 60 horas (F) p q: Se o mês de Janeiro tem 31 dias, então um dia tem 60 horas (F) 3º Exemplo: p: O mês de Janeiro tem 28 dias (F) q: Um dia tem 24 horas (V) p q: Se o mês de Janeiro tem 28 dias, então um dia tem 24 horas (V) Atenção!!! Uma condicional p q não afirma que o conseqüente q se deduz ou é conseqüência do antecedente p. Temos que fazer uso dos valores lógicos da condicional definidos pela tabela-verdade. 4º Exemplo: p: O mês de Janeiro tem 28 dias (F) q: Um dia tem 12 horas (F) p q: Se o mês de Janeiro tem 28 dias, então um dia tem 12 horas. (V) Proposição Bicondicional se e somente se (símbolo: ) O valor lógico da proposição bicondicional só será verdadeiro no caso em que ambas as proposições apresentarem valores lógicos iguais, ou seja, as duas verdadeiras ou as duas falsas. 19

20 O valor lógico da bicondicional de duas proposições é dado pela seguinte tabela-verdade: p q p q V V V V F F F V F F F V Exemplos: 1º Exemplo: p: O açúcar é doce (V) q: O Estado de São Paulo está localizado no Brasil. (V) p q: O açúcar é doce, se e somente se o Estado de São Paulo está localizado no Brasil. (V) Observe que neste caso, a proposição bicondicional é logicamente verdadeira, pois ambas as proposições simples são verdadeiras. O mesmo ocorre no próximo exemplo. 2º Exemplo: p: 7 x 8 = 56 (V) q: = 32 (V) p q: 7 x 8 = 56, se e somente se = 32. (V) 3º Exemplo: p: 7 x 8 = 54 (F) q: = 30 (F) p q: 7 x 8 = 54, se e somente se = 30. (V) 20

21 Observe agora, que mesmo sendo ambas as proposições simples falsas, a proposição bicondicional será verdadeira. Observação : Negação: não (símbolo ~) Não podemos dizer que seja um conectivo e sim um modificador, pois se uma proposição p for verdadeira, a sua negação (~p) será falsa, e se a proposição p for falsa, a sua negação (~p) será verdadeira. O valor lógico da negação de uma preposição é definido pela seguinte tabela-verdade: p ~p V F F V Vamos aos exemplos: 1º Exemplo: p: O Sol não está surgindo ~p: O Sol está surgindo. Ficou claro para você que se a proposição inicial for verdadeira, isto é, O Sol não está surgindo, sua negação O Sol está surgindo será falsa? 2º Exemplo: p: O dia está lindo. ~p: O dia não está lindo. Atenção!!! p e sua negação ~p sempre terão valores lógicos opostos. 21

22 TNo segundo exemplo quando dizemos que: O dia está lindo, e dizemos também que a sentença é verdadeira, logo a negação dessa sentença, O dia não está lindo, será falsa. 3º Exemplo: p: = 12 (F) ~p: (V) Veja que neste exemplo, temos uma proposição p, cujo valor lógico é V(p) = F, logo sua negação terá valor lógico V(~p) = V. REFLEXÃO: Resposta comentada (1) As frases, certamente, fazem sentido! Há lógica naquilo que é dito. Quanto aos contextos, estes podem variar, pois são pessoais. A relação (verdadeira ou falsa) que faremos das proposições; isto é daquilo que se afirma, será a base para a avaliação lógica e, portanto para fazer um juízo. 22

Proposições. Belo Horizonte é uma cidade do sul do Brasil = 4. A Terra gira em torno de si mesma. 5 < 3

Proposições. Belo Horizonte é uma cidade do sul do Brasil = 4. A Terra gira em torno de si mesma. 5 < 3 Proposições Lógicas Proposições O principal conceito usado nos estudos da lógica matemática é o de uma proposição. Uma proposição é essencialmente uma afirmação, transmite pensamentos completos, afirmando

Leia mais

Campos Sales (CE),

Campos Sales (CE), UNIERSIDADE REGIONAL DO CARIRI URCA PRÓ-REITORIA DE ENSINO E GRADUAÇÃO PROGRAD UNIDADE DESCENTRALIZADA DE CAMPOS SALES CAMPI CARIRI OESTE DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA DISCIPLINA: Tópicos de Matemática SEMESTRE:

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA CÂMPUS ALEGRETE

INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA CÂMPUS ALEGRETE 1 1. LÓGICA SETENCIAL E DE PRIMEIRA Conceito de proposição ORDEM Chama-se proposição todo o conjunto de palavras ou símbolos que exprimem um pensamento de sentido completo, seja este verdadeiro ou falso.

Leia mais

Matemática Régis Cortes. Lógica matemática

Matemática Régis Cortes. Lógica matemática Lógica matemática 1 INTRODUÇÃO Neste roteiro, o principal objetivo será a investigação da validade de ARGUMENTOS: conjunto de enunciados dos quais um é a CONCLUSÃO e os demais PREMISSAS. Os argumentos

Leia mais

Lóg L ica M ca at M em e ática PROF.. J EAN 1

Lóg L ica M ca at M em e ática PROF.. J EAN 1 Lógica Matemática PRO. JEAN 1 LÓGICA MATEMÁTICA - CONTEÚDO Definição de Termo e Proposição alor Lógico Proposição Simples e Proposição Composta Conectivos Tabela-erdade 2 LÓGICA MATEMÁTICA INTRODUÇÃO ao

Leia mais

CCAE. Lógica Aplicada a Computação - Cálculo Proposicional - Parte I. UFPB - Campus IV - Litoral Norte. Centro de Ciências Aplicadas e Educação

CCAE. Lógica Aplicada a Computação - Cálculo Proposicional - Parte I. UFPB - Campus IV - Litoral Norte. Centro de Ciências Aplicadas e Educação CCAE Centro de Ciências Aplicadas e Educação UFPB - Campus IV - Litoral Norte Lógica Aplicada a Computação - Cálculo Proposicional - Parte I Estes slides foram criados pelo Professor Alexandre Duarte Para

Leia mais

Ao utilizarmos os dados do problema para chegarmos a uma conclusão, estamos usando o raciocínio lógico.

Ao utilizarmos os dados do problema para chegarmos a uma conclusão, estamos usando o raciocínio lógico. CENTRO UNVERSITÁRIO UNA NOÇÕES DE RACIOCÍNIO LÓGICO Professor: Rodrigo Eustáquio Borges A disciplina Lógica Matemática tem como objetivo capacitar o aluno a reconhecer e aplicar os conceitos fundamentais

Leia mais

Iniciação a Lógica Matemática

Iniciação a Lógica Matemática Iniciação a Lógica Matemática Faculdade Pitágoras Prof. Edwar Saliba Júnior Julho de 2012 1 O Nascimento da Lógica É lógico que eu vou!, Lógico que ela disse isso! são expressões que indicam alguma coisa

Leia mais

Álgebra das Proposições. Prof. Guilherme Tomaschewski Netto

Álgebra das Proposições. Prof. Guilherme Tomaschewski Netto Álgebra das Proposições Prof. Guilherme Tomaschewski Netto guilherme.netto@gmail.com Roteiro! Lógica Matemática clássica! Proposições! alores lógicos! Conectivos! Fórmulas Lógicas! Exemplos de aplicações

Leia mais

Vimos que a todo o argumento corresponde uma estrutura. Por exemplo ao argumento. Se a Lua é cúbica, então os humanos voam.

Vimos que a todo o argumento corresponde uma estrutura. Por exemplo ao argumento. Se a Lua é cúbica, então os humanos voam. Matemática Discreta ESTiG\IPB 2012/13 Cap1 Lógica pg 10 Lógica formal (continuação) Vamos a partir de agora falar de lógica formal, em particular da Lógica Proposicional e da Lógica de Predicados. Todos

Leia mais

RECEITA FEDERAL ANALISTA

RECEITA FEDERAL ANALISTA SENTENÇAS OU PROPOSIÇÕES São os elementos que expressam uma idéia, mesmo que absurda. Estudaremos apenas as proposições declarativas, que podem ser classificadas ou só como verdadeiras (V), ou só como

Leia mais

Lógica Texto 11. Texto 11. Tautologias. 1 Comportamento de um enunciado 2. 2 Classificação dos enunciados Exercícios...

Lógica Texto 11. Texto 11. Tautologias. 1 Comportamento de um enunciado 2. 2 Classificação dos enunciados Exercícios... Lógica para Ciência da Computação I Lógica Matemática Texto 11 Tautologias Sumário 1 Comportamento de um enunciado 2 1.1 Observações................................ 4 2 Classificação dos enunciados 4 2.1

Leia mais

Algoritmos e Programação I

Algoritmos e Programação I Algoritmos e Programação I Operadores Relacionais, Lógicos e Aritméticos Prof. Fernando Maia da Mota mota.fernandomaia@gmail.com CPCX/UFMS Fernando Maia da Mota 1 Expressões Uma expressão relacional, ou

Leia mais

Nome: Data: Semestre: Curso: TADS Disciplina: Matemática Aplicada à Computação Professor: Shalimar Villar. Noções de Lógica

Nome: Data: Semestre: Curso: TADS Disciplina: Matemática Aplicada à Computação Professor: Shalimar Villar. Noções de Lógica Nome: Data: Semestre: Curso: TADS Disciplina: Matemática Aplicada à Computação Professor: Shalimar Villar Noções de Lógica Proposição: É uma sentença declarativa, seja ela expressa de forma afirmativa

Leia mais

Proposições simples e compostas

Proposições simples e compostas Revisão Lógica Proposições simples e compostas Uma proposição é simples quando declara algo sem o uso de conectivos. Exemplos de proposições simples: p : O número 2 é primo. (V) q : 15 : 3 = 6 (F) r :

Leia mais

Unidade I LÓGICA. Profa. Adriane Paulieli Colossetti

Unidade I LÓGICA. Profa. Adriane Paulieli Colossetti Unidade I LÓGICA Profa. Adriane Paulieli Colossetti O que é lógica A lógica ensina a colocar ordem no pensamento. Sistemas Dicotônicos Proposições: São sentenças declarativas, que satisfazem três princípios

Leia mais

Raciocínio Lógico Matemático Cap. 3 Tautologias, Contradições e Contingências

Raciocínio Lógico Matemático Cap. 3 Tautologias, Contradições e Contingências Raciocínio Lógico Matemático Cap. 3 Tautologias, Contradições e Contingências Capítulo3 Tautologias, Contradições e Contingências No capítulo anterior discutimos alguns aspectos da lógica matemática, destacando

Leia mais

Lógica formal. A) Sentenças I) Expressão II) Subdivisão 1. Aberta 2. Fechada III) Representação IV) Simbolização 1. Simples 2.

Lógica formal. A) Sentenças I) Expressão II) Subdivisão 1. Aberta 2. Fechada III) Representação IV) Simbolização 1. Simples 2. Lógica formal A) Sentenças I) Expressão II) Subdivisão 1. Aberta 2. Fechada III) Representação I) Simbolização 1. Simples 2. Composta B)Leis do pensamento I) Princípio da Identidade II) Principio do não-contraditório

Leia mais

RACIOCÍNIO LÓGICO LÓGICA PROPOSICIONAL

RACIOCÍNIO LÓGICO LÓGICA PROPOSICIONAL RACIOCÍNIO LÓGICO LÓGICA PROPOSICIONAL Atualizado em 12/11/2015 LÓGICA PROPOSICIONAL Lógica é a ciência que estuda as leis do pensamento e a arte de aplicá-las corretamente na investigação e demonstração

Leia mais

CAPÍTULO I. Lógica Proposicional

CAPÍTULO I. Lógica Proposicional Lógica Proposicional CAPÍTULO I Lógica Proposicional Sumário: 1. Lógica proposicional 2. Proposição 2.1. Negação da proposição 2.2. Dupla negação 2.3. Proposição simples e composta 3. Princípios 4. Classificação

Leia mais

Proposições e Conectivos

Proposições e Conectivos Universidade Federal do Espírito Santo Centro de Ciências Agrárias CCA UFES Departamento de Computação Proposições e Conectivos Lógica Computacional 1 Site: http://jeiks.net E-mail: jacsonrcsilva@gmail.com

Leia mais

Tutoria Matemática para Informática Teoria geral dos conjuntos Pertinência Inclusão Operações com conjuntos

Tutoria Matemática para Informática Teoria geral dos conjuntos Pertinência Inclusão Operações com conjuntos Tutoria Matemática para Informática Teoria geral dos conjuntos Pertinência Є (pertence) ou Є (não pertence) Sempre verificando de elemento para conjunto { } ou Ø = vazio {Ø} = conjunto com elemento vazio

Leia mais

LÓGICA PROPOSICIONAL

LÓGICA PROPOSICIONAL FACULDADE PITÁGORAS Curso Superior em Tecnologia Redes de Computadores e Banco de dados Matemática Computacional Prof. Ulisses Cotta Cavalca LÓGICA PROPOSICIONAL Belo Horizonte/MG

Leia mais

Exercícios e Respostas Lógica Matemática Prof. Jacson Rodrigues

Exercícios e Respostas Lógica Matemática Prof. Jacson Rodrigues Exercícios e Respostas Lógica Matemática Prof. Jacson Rodrigues As respostas encontram-se em itálico. 1. Quais das frases a seguir são sentenças? a. A lua é feita de queijo verde. erdadeira, pois é uma

Leia mais

Aula 1 Aula 2. Ana Carolina Boero. Página:

Aula 1 Aula 2. Ana Carolina Boero.   Página: Elementos de lógica e linguagem matemática E-mail: ana.boero@ufabc.edu.br Página: http://professor.ufabc.edu.br/~ana.boero Sala 512-2 - Bloco A - Campus Santo André Linguagem matemática A linguagem matemática

Leia mais

MD Lógica de Proposições Quantificadas Cálculo de Predicados 1

MD Lógica de Proposições Quantificadas Cálculo de Predicados 1 Lógica de Proposições Quantificadas Cálculo de Predicados Antonio Alfredo Ferreira Loureiro loureiro@dcc.ufmg.br http://www.dcc.ufmg.br/~loureiro MD Lógica de Proposições Quantificadas Cálculo de Predicados

Leia mais

Raciocínio Lógico Matemático

Raciocínio Lógico Matemático Raciocínio Lógico Matemático Cap. 4 - Implicação Lógica Implicação Lógica Antes de iniciar a leitura deste capítulo, verifique se de fato os capítulos anteriores ficaram claros e retome os tópicos abordados

Leia mais

Professor conteudista: Ricardo Holderegger

Professor conteudista: Ricardo Holderegger Lógica Professor conteudista: Ricardo Holderegger Sumário Lógica Unidade I 1 SISTEMAS DICOTÔMICOS...3 1.1 Proposições...3 1.1.1 Proposições lógicas...3 1.1.2 Símbolos da lógica matemática...4 1.1.3 A negação...4

Leia mais

Alfabeto da Lógica Proposicional

Alfabeto da Lógica Proposicional Ciência da Computação Alfabeto da Lógica Sintaxe e Semântica da Lógica Parte I Prof. Sergio Ribeiro Definição 1.1 (alfabeto) - O alfabeto da é constituído por: símbolos de pontuação: (, ;, ) símbolos de

Leia mais

Modus ponens, modus tollens, e respectivas falácias formais

Modus ponens, modus tollens, e respectivas falácias formais Modus ponens, modus tollens, e respectivas falácias formais Jerzy A. Brzozowski 28 de abril de 2011 O objetivo deste texto é apresentar duas formas válidas de argumentos o modus ponens e o modus tollens

Leia mais

2 AULA. Conectivos e Quantificadores. lógicas. LIVRO. META: Introduzir os conectivos e quantificadores

2 AULA. Conectivos e Quantificadores. lógicas. LIVRO. META: Introduzir os conectivos e quantificadores 1 LIVRO Conectivos e Quantificadores Lógicos META: Introduzir os conectivos e quantificadores lógicos. OBJETIVOS: Ao fim da aula os alunos deverão ser capazes de: Compreender a semântica dos conectivos

Leia mais

1 TEORIA DOS CONJUNTOS

1 TEORIA DOS CONJUNTOS 1 TEORIA DOS CONJUNTOS Definição de Conjunto: um conjunto é uma coleção de zero ou mais objetos distintos, chamados elementos do conjunto, os quais não possuem qualquer ordem associada. Em outras palavras,

Leia mais

Aula demonstrativa Apresentação... 2 Modelos de questões resolvidas IBFC... 4

Aula demonstrativa Apresentação... 2 Modelos de questões resolvidas IBFC... 4 Aula demonstrativa Apresentação... 2 Modelos de questões resolvidas IBFC... 4 1 Apresentação Olá, pessoal Tudo bem com vocês? Finalmente saiu o edital do TCM/RJ Para quem ainda não me conhece, meu nome

Leia mais

Lógica dos Quantificadores: sintaxe

Lógica dos Quantificadores: sintaxe Lógica dos Quantificadores: sintaxe Renata de Freitas e Petrucio Viana IME, UFF 18 de junho de 2015 Sumário 1. Princípios sintáticos 2. Alfabeto de LQ 3. Fórmulas de LQ 4. Variáveis livres, variáveis ligadas

Leia mais

Resumo de Filosofia. Preposição frase declarativa com um certo valor de verdade

Resumo de Filosofia. Preposição frase declarativa com um certo valor de verdade Resumo de Filosofia Capítulo I Argumentação e Lógica Formal Validade e Verdade O que é um argumento? Um argumento é um conjunto de proposições em que se pretende justificar ou defender uma delas, a conclusão,

Leia mais

OFICINA DA PESQUISA APOSTILA 3 MATEMÁTICA COMPUTACIONAL. Autor do Conteúdo: Prof. Msc. Júlio Cesar da Silva

OFICINA DA PESQUISA APOSTILA 3 MATEMÁTICA COMPUTACIONAL. Autor do Conteúdo: Prof. Msc. Júlio Cesar da Silva OFICINA DA PESQUISA DISCIPLINA: LÓGICA MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL APOSTILA 3 MATEMÁTICA COMPUTACIONAL Autor do Conteúdo: Prof. Msc. Júlio Cesar da Silva juliocesar@eloquium.com.br Alterações eventuais

Leia mais

LISTA 01 RACIOCÍNIO LÓGICO TRIBUNAIS 2014 LISTA 01 RACIOCÍNIO LÓGICO TRIBUNAIS 2014

LISTA 01 RACIOCÍNIO LÓGICO TRIBUNAIS 2014 LISTA 01 RACIOCÍNIO LÓGICO TRIBUNAIS 2014 LISTA 01 RACIOCÍNIO LÓGICO TRIBUNAIS 2014 1) Determinar o valor verdade da proposição (p q) r, sabendo-se que AL (p) =, AL (q) = e AL (r) =. Proposições são afirmações que podem ser julgadas como verdadeira

Leia mais

Aula 2: Linguagem Proposicional

Aula 2: Linguagem Proposicional Lógica para Computação Primeiro Semestre, 2015 Aula 2: Linguagem Proposicional DAINF-UTFPR Prof. Ricardo Dutra da Silva Linguagens naturais, como o nosso Português, podem expressar ideias ambíguas ou imprecisas.

Leia mais

Unidade II LÓGICA. Profa. Adriane Paulieli Colossetti

Unidade II LÓGICA. Profa. Adriane Paulieli Colossetti Unidade II LÓGICA Profa. Adriane Paulieli Colossetti Relações de implicação e equivalência Implicação lógica Dadas as proposições compostas p e q, diz-se que ocorre uma implicação lógica entre p e q quando

Leia mais

Noções de lógica matemática Conceitos Básicos

Noções de lógica matemática Conceitos Básicos Conceitos Básicos CH f Noções de lógica matemática Conceitos Básicos CH 1 Conceitos Básicos - E CH CH f ^ Noções de lógica matemática Conceitos Básicos - E CH CH ^ 2 Conceitos Básicos - OU CH CH f Noções

Leia mais

Lógica Formal. Matemática Discreta. Prof. Vilson Heck Junior

Lógica Formal. Matemática Discreta. Prof. Vilson Heck Junior Lógica Formal Matemática Discreta Prof. Vilson Heck Junior vilson.junior@ifsc.edu.br Objetivos Utilizar símbolos da lógica proposicional; Encontrar o valor lógico de uma expressão em lógica proposicional;

Leia mais

EXEMPLOS Resolva as equações em : 1) Temos uma equação completa onde a =3, b = -4 e c = 1. Se utilizarmos a fórmula famosa, teremos:

EXEMPLOS Resolva as equações em : 1) Temos uma equação completa onde a =3, b = -4 e c = 1. Se utilizarmos a fórmula famosa, teremos: EQUAÇÃO DE SEGUNDO GRAU INTRODUÇÃO Equação é uma igualdade onde há algum elemento desconhecido Como exemplo, podemos escrever Esta igualdade é uma equação já conhecida por você, pois é de primeiro grau

Leia mais

A LINGUAGEM DO DISCURSO MATEMÁTICO E SUA LÓGICA

A LINGUAGEM DO DISCURSO MATEMÁTICO E SUA LÓGICA MAT1513 - Laboratório de Matemática - Diurno Professor David Pires Dias - 2017 Texto sobre Lógica (de autoria da Professora Iole de Freitas Druck) A LINGUAGEM DO DISCURSO MATEMÁTICO E SUA LÓGICA Iniciemos

Leia mais

Introdução à Matemática

Introdução à Matemática Universidade Estadual de Goiás Unidade Universitária de Ciências Sócio-Econômicas e Humanas de Anápolis Introdução à Matemática Conjuntos e Conjuntos Numéricos Introdução A noção de conjunto Propriedades,

Leia mais

Prof. Jorge Cavalcanti

Prof. Jorge Cavalcanti Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Engenharia da Computação Matemática Discreta - 01 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti www.twitter.com/jorgecav

Leia mais

Matemática para controle:

Matemática para controle: Matemática para controle: Introdução à Lógica Amit Bhaya, Programa de Engenharia Elétrica COPPE/UFRJ Universidade Federal do Rio de Janeiro amit@nacad.ufrj.br http://www.nacad.ufrj.br/ amit Introdução

Leia mais

Expressões e enunciados

Expressões e enunciados Lógica para Ciência da Computação I Lógica Matemática Texto 2 Expressões e enunciados Sumário 1 Expressões e enunciados 2 1.1 Observações................................ 2 1.2 Exercício resolvido............................

Leia mais

18/01/2016 LÓGICA MATEMÁTICA. Lógica é usada para guiar nossos pensamentos ou ações na busca da solução. LÓGICA

18/01/2016 LÓGICA MATEMÁTICA. Lógica é usada para guiar nossos pensamentos ou ações na busca da solução. LÓGICA LÓGICA MATEMÁTICA Prof. Esp. Fabiano Taguchi fabianotaguchi@gmail.com http://fabianotaguchi.wordpress.com Lógica é usada para guiar nossos pensamentos ou ações na busca da solução. LÓGICA A lógica está

Leia mais

Raciocínio Lógico. Negação da Conjunção e Disjunção Inclusiva (Lei de Morgan) Professor Edgar Abreu.

Raciocínio Lógico. Negação da Conjunção e Disjunção Inclusiva (Lei de Morgan) Professor Edgar Abreu. Raciocínio Lógico Negação da Conjunção e Disjunção Inclusiva (Lei de Morgan) Professor Edgar Abreu www.acasadoconcurseiro.com.br Raciocínio Lógico NEGAÇÃO DE UMA PROPOSIÇÃO COMPOSTA Agora vamos aprender

Leia mais

MATEMÁTICA E RACIOCÍNIO LÓGICO

MATEMÁTICA E RACIOCÍNIO LÓGICO SENTENÇAS OU PROPOSIÇÕES MODIICADORES São os elementos que expressam uma idéia, mesmo que absurda. Estudaremos apenas as proposições declarativas, que podem ser classificadas ou só como verdadeiras (),

Leia mais

Enunciados Quantificados Equivalentes

Enunciados Quantificados Equivalentes Lógica para Ciência da Computação I Lógica Matemática Texto 15 Enunciados Quantificados Equivalentes Sumário 1 Equivalência de enunciados quantificados 2 1.1 Observações................................

Leia mais

GRATUITO RACIOCÍNIO LÓGICO - EBSERH. Professor Paulo Henrique PH Aula /

GRATUITO RACIOCÍNIO LÓGICO - EBSERH. Professor Paulo Henrique PH Aula / 1 www.romulopassos.com.br / www.questoesnasaude.com.br GRATUITO RACIOCÍNIO LÓGICO - EBSERH Professor Paulo Henrique PH Aula 02 R A C I O C Í N I O L Ó G I C O E B S E R H a u l a 0 2 Página 1 2 www.romulopassos.com.br

Leia mais

Dedução Natural e Sistema Axiomático Pa(Capítulo 6)

Dedução Natural e Sistema Axiomático Pa(Capítulo 6) Dedução Natural e Sistema Axiomático Pa(Capítulo 6) LÓGICA APLICADA A COMPUTAÇÃO Professor: Rosalvo Ferreira de Oliveira Neto Estrutura 1. Definições 2. Dedução Natural 3. Sistemas axiomático Pa 4. Lista

Leia mais

IME, UFF 10 de dezembro de 2013

IME, UFF 10 de dezembro de 2013 Lógica IME, UFF 10 de dezembro de 2013 Sumário.... Considere o seguinte argumento Um problema de validade (1) p q q r r s s t p t (1) é válido ou não? A resposta é sim... Uma demonstração Uma demonstração

Leia mais

Lógica e Metodologia Jurídica

Lógica e Metodologia Jurídica Lógica e Metodologia Jurídica Argumentos e Lógica Proposicional Prof. Juliano Souza de Albuquerque Maranhão julianomaranhao@gmail.com Puzzle 2 pessoas A e B fazem uma oferta um ao outro. O problema é identificar

Leia mais

Inteligência Artificial IA II. LÓGICA DE PREDICADOS PARA REPRESENTAÇÃO DO CONHECIMENTO

Inteligência Artificial IA II. LÓGICA DE PREDICADOS PARA REPRESENTAÇÃO DO CONHECIMENTO Inteligência Artificial IA Prof. João Luís Garcia Rosa II. LÓGICA DE PREDICADOS PARA REPRESENTAÇÃO DO CONHECIMENTO 2004 Representação do conhecimento Para representar o conhecimento do mundo que um sistema

Leia mais

Raciocínio lógico matemático

Raciocínio lógico matemático Raciocínio lógico matemático Unidade 2: Introdução à lógica Seção 2.3 Equivalências, contradições e tautologias 1 Proposições compostas Composta de duas ou mais proposições simples Tanto a primeira como

Leia mais

GRATUITO RACIOCÍNIO LÓGICO - EBSERH. Professor Paulo Henrique PH Aula /

GRATUITO RACIOCÍNIO LÓGICO - EBSERH. Professor Paulo Henrique PH Aula / 1 www.romulopassos.com.br / www.questoesnasaude.com.br GRATUITO RACIOCÍNIO LÓGICO - EBSERH Professor Paulo Henrique PH Aula 03 R A C I O C Í N I O L Ó G I C O E B S E R H a u l a 0 2 Página 1 2 www.romulopassos.com.br

Leia mais

LÓGICA - 2. ~ q. Argumentos Regras de inferência. Proposições: 1) Recíproca 2) Contrária 3) Contra positiva. 1) Proposição recíproca de p q :

LÓGICA - 2. ~ q. Argumentos Regras de inferência. Proposições: 1) Recíproca 2) Contrária 3) Contra positiva. 1) Proposição recíproca de p q : LÓGICA - 2 Proposições: 1) Recíproca 2) Contrária 3) Contra positiva 1) Proposição recíproca de p q : q p 2) Proposição contrária de p q : ~ p 3) Proposição contra positiva de p q : ~ p ex. Determinar:

Leia mais

Lógica. Fernando Fontes. Universidade do Minho. Fernando Fontes (Universidade do Minho) Lógica 1 / 65

Lógica. Fernando Fontes. Universidade do Minho. Fernando Fontes (Universidade do Minho) Lógica 1 / 65 Lógica Fernando Fontes Universidade do Minho Fernando Fontes (Universidade do Minho) Lógica 1 / 65 Outline 1 Introdução 2 Implicações e Equivalências Lógicas 3 Mapas de Karnaugh 4 Lógica de Predicados

Leia mais

SMA Elementos de Matemática Notas de Aulas

SMA Elementos de Matemática Notas de Aulas Universidade de São Paulo Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação SMA 341 - Elementos de Matemática Notas de Aulas Ires Dias Sandra Maria Semensato de Godoy São Carlos 2009 Sumário 1 Noções

Leia mais

Elementos de Lógica Matemática p. 1/2

Elementos de Lógica Matemática p. 1/2 Elementos de Lógica Matemática Uma Breve Iniciação Gláucio Terra glaucio@ime.usp.br Departamento de Matemática IME - USP Elementos de Lógica Matemática p. 1/2 Vamos aprender a falar aramaico? ǫ > 0 ( δ

Leia mais

Concurso Público Conteúdo

Concurso Público Conteúdo Concurso Público 2016 Conteúdo Estrutura lógica de relações arbitrárias entre pessoas, lugares, objetos ou eventos fictícios; deduzir novas informações das relações fornecidas e avaliar as condições usadas

Leia mais

Lógica das Proposições

Lógica das Proposições Lógica das Proposições Transcrição - Podcast 1 Professor Carlos Mainardes Olá eu sou Carlos Mainardes do blog Matemática em Concursos, e esse material que estou disponibilizando trata de um assunto muito

Leia mais

1. = F; Q = V; R = V.

1. = F; Q = V; R = V. ENADE 2005 e 2008 Nas opções abaixo, representa o condicional material (se...então...), v representa a disjunção (ou um, ou outro, ou ambos) e ~ representa a negação (não). Com o auxílio de tabelas veritativas,

Leia mais

Interpretações, cap. 8 de Introdução à Lógica (Mortari 2001) Luiz Arthur Pagani

Interpretações, cap. 8 de Introdução à Lógica (Mortari 2001) Luiz Arthur Pagani Interpretações, cap. 8 de Introdução à Lógica (Mortari 2001) Luiz Arthur Pagani 1 1 Signicado e verdade condições para verdadeiro ou falso: Como um argumento é (intuitivamente) válido se não é possível

Leia mais

Aula 1: Revisando o Conjunto dos Números Reais

Aula 1: Revisando o Conjunto dos Números Reais Aula 1: Revisando o Conjunto dos Números Reais Caro aluno, nesta aula iremos retomar um importante assunto, já estudado em anos anteriores: o conjunto dos números reais. Frequentemente, encontramo-nos

Leia mais

n. 18 ALGUNS TERMOS...

n. 18 ALGUNS TERMOS... n. 18 ALGUNS TERMOS... DEFINIÇÃO Uma Definição é um enunciado que descreve o significado de um termo. Por exemplo, a definição de linha, segundo Euclides: Linha é o que tem comprimento e não tem largura.

Leia mais

Para provar uma implicação se p, então q, é suficiente fazer o seguinte:

Para provar uma implicação se p, então q, é suficiente fazer o seguinte: Prova de Implicações Uma implicação é verdadeira quando a verdade do seu antecedente acarreta a verdade do seu consequente. Ex.: Considere a implicação: Se chove, então a rua está molhada. Observe que

Leia mais

A Lógica Matemática se ocupa da análise e relações entre certas sentenças, quase sempre de conteúdo matemático, chamadas proposições.

A Lógica Matemática se ocupa da análise e relações entre certas sentenças, quase sempre de conteúdo matemático, chamadas proposições. Capítulo 1 CÁLCULO PROPOSICIONAL 1. PROPOSIÇÕES E CONECTIVOS A Lógica Matemática se ocupa da análise e relações entre certas sentenças, quase sempre de conteúdo matemático, chamadas proposições. Uma proposição

Leia mais

Aula 1 Teoria com resolução de questões FGV

Aula 1 Teoria com resolução de questões FGV Aula 1 Teoria com resolução de questões FGV AULA 01 Olá futuro servidor do TRT 12, Meu nome é Fabio Paredes, sou professor de Raciocínio Lógico Matemático e terei o prazer de ajudá-los nesta árdua missão

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS TADS 2008/1 1º PERÍODO MP1 1º ETAPA 11/07/2008 MATEMÁTICA PARA COMPUTAÇÃO 2008/1

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS TADS 2008/1 1º PERÍODO MP1 1º ETAPA 11/07/2008 MATEMÁTICA PARA COMPUTAÇÃO 2008/1 FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS TADS 2008/1 1º PERÍODO MP1 1º ETAPA 11/07/2008 MATEMÁTICA PARA COMPUTAÇÃO 2008/1 Dados de identificação do Aluno: Nome: Login: Cidade: CA: Data da Prova: / / ORIENTAÇÃO

Leia mais

Raciocínio lógico matemático

Raciocínio lógico matemático Raciocínio lógico matemático Unidade 2: Introdução à lógica Seção 2.1: O que é a lógica? 1 Lógica Parte da filosofia que trata das formas do pensamento em geral e das operações intelectuais que visam determinar

Leia mais

LÓGICA APLICADA A COMPUTAÇÃO

LÓGICA APLICADA A COMPUTAÇÃO LÓGICA APLICADA A COMPUTAÇÃO 2009.3 Aquiles Burlamaqui Conteúdo Programático Unidade I Linguagens Formais Linguagens Formais Sigma Álgebras Relação entre Linguagens Formais e Sigma Álgebras Sigma Domínios

Leia mais

Equação de 1º Grau. ax = -b

Equação de 1º Grau. ax = -b Introdução Equação é toda sentença matemática aberta que exprime uma relação de igualdade. A palavra equação tem o prefixo equa, que em latim quer dizer "igual". Exemplos: 2x + 8 = 0 5x - 4 = 6x + 8 3a

Leia mais

Lógica para computação

Lógica para computação Lógica para computação PROPRIEDADES SEMÂNTICAS DA LÓGICA PROPOSICIONAL Professor Marlon Marcon Introdução Esta seção considera a análise de algumas propriedades semânticas da LP que relacionam os resultados

Leia mais

Lógica Computacional

Lógica Computacional Aula Teórica 2: Sintaxe da Lógica Proposicional António Ravara Simão Melo de Sousa Departamento de Informática, Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Nova de Lisboa Departamento de Informática,

Leia mais

Unidade: Proposições Logicamente Equivalentes. Unidade I:

Unidade: Proposições Logicamente Equivalentes. Unidade I: Unidade: Proposições Logicamente Equivalentes Unidade I: 0 Unidade: Proposições Logicamente Equivalentes Nesta unidade, veremos a partir de nossos estudos em tabelas-verdade as proposições logicamente

Leia mais

Lógica Proposicional. Prof. Dr. Silvio do Lago Pereira. Departamento de Tecnologia da Informação Faculdade de Tecnologia de São Paulo

Lógica Proposicional. Prof. Dr. Silvio do Lago Pereira. Departamento de Tecnologia da Informação Faculdade de Tecnologia de São Paulo Lógica Proposicional Prof. Dr. Silvio do Lago Pereira Departamento de Tecnologia da Informação aculdade de Tecnologia de São Paulo Motivação IA IA estuda estuda como como simular simular comportamento

Leia mais

Noções básicas de Lógica

Noções básicas de Lógica Noções básicas de Lógica Consideremos uma linguagem, com certos símbolos. Chamamos expressão a uma sequências de símbolos. Uma expressão pode ser uma expressão com significado expressão sem significado

Leia mais

Lógica e Metodologia Jurídica

Lógica e Metodologia Jurídica Lógica e Metodologia Jurídica Argumentos e Lógica Proposicional Prof. Juliano Souza de Albuquerque Maranhão julianomaranhao@gmail.com Quais sentenças abaixo são argumentos? 1. Bruxas são feitas de madeira.

Leia mais

Universidade Aberta do Brasil - UFPB Virtual Curso de Licenciatura em Matemática

Universidade Aberta do Brasil - UFPB Virtual Curso de Licenciatura em Matemática Universidade Aberta do Brasil - UFPB Virtual Curso de Licenciatura em Matemática Argumentação em Matemática Prof. Lenimar Nunes de Andrade e-mail: numerufpb@gmail.com ou lenimar@mat.ufpb.br versão 1.0

Leia mais

CEDERJ MÉTODOS DETERMINÍSTICOS 1 - EP4. Prezado Aluno,

CEDERJ MÉTODOS DETERMINÍSTICOS 1 - EP4. Prezado Aluno, CEDERJ MÉTODOS DETERMINÍSTICOS 1 - EP4 Prezado Aluno, Neste EP daremos sequência ao nosso estudo da linguagem da lógica matemática. Aqui veremos o conectivo que causa mais dificuldades para os alunos e

Leia mais

[ ] EXEMPLOS: Muitas vezes precisamos montar uma Matriz a partir de uma lei geral. Analise os exemplos a seguir:

[ ] EXEMPLOS: Muitas vezes precisamos montar uma Matriz a partir de uma lei geral. Analise os exemplos a seguir: MATRIZES CONCEITO: Um conjunto de elementos algébricos dispostos em uma tabela retangular com linhas e colunas é uma Matriz. A seguir, vemos um exemplo de Matriz de 3 linhas e 4 colunas, e que representaremos

Leia mais

Lógica,Linguagem e Comunicação-LLC

Lógica,Linguagem e Comunicação-LLC Lógica,Linguagem e Comunicação-LLC Introdução a Lógica Prof. Fabrício Rossy de Lima Lobato fabriciorossy@ig.com.br Agenda Introdução Lógica Lógica Formal Proposições Implicação Lógica Argumentação Quantificadores

Leia mais

Enunciados Quantificados Equivalentes

Enunciados Quantificados Equivalentes Enunciados Quantificados Equivalentes Renata de Freitas e Petrucio Viana IME, UFF Junho de 2014 Sumário Equivalência de enunciados quantificados. Aplicação da noção de interpretação para decidir quando

Leia mais

1. Princípio da não-contradição: Uma proposição não pode ser verdadeira e falsa

1. Princípio da não-contradição: Uma proposição não pode ser verdadeira e falsa Raciocínio Lógico Lógica estuda as formas ou estruturas do pensamento, isto é, seu propósito é estudar e estabelecer propriedades das relações formais entre as proposições. DEFINIÇÃO: Proposição: conjunto

Leia mais

MATEMÁTICA DISCRETA CÁLCULO PROPOSICIONAL PROFESSOR WALTER PAULETTE FATEC SP

MATEMÁTICA DISCRETA CÁLCULO PROPOSICIONAL PROFESSOR WALTER PAULETTE FATEC SP 1 MATEMÁTICA DISCRETA CÁLCULO PROPOSICIONAL PROFESSOR WALTER PAULETTE FATEC SP 2009 02 2 CÁLCULO PROPOSICIONAL 1. Proposições Uma proposição é uma sentença declarativa que pode ser verdade ou falsa, mas

Leia mais

PROBLEMAS DE LÓGICA. Prof. Élio Mega

PROBLEMAS DE LÓGICA. Prof. Élio Mega PROBLEMAS DE LÓGICA Prof. Élio Mega ALGUNS CONCEITOS DA LÓGICA MATEMÁTICA Sentença é qualquer afirmação que pode ser classificada de verdadeira (V) ou falsa (F) (e exatamente uma dessas coisas, sem ambiguidade).

Leia mais

Matemática Discreta - Exercícios de Lógica. 1. Diga que relações lógicas existem entre as seguintes proposições:

Matemática Discreta - Exercícios de Lógica. 1. Diga que relações lógicas existem entre as seguintes proposições: 1. Diga que relações lógicas existem entre as seguintes proposições: (a) Todos os marcianos falam inglês. (b) Todos os marcianos não falam inglês. (c) Nenhum marciano fala inglês. (d) Alguns marcianos

Leia mais

Fundamentos de Lógica e Algoritmos

Fundamentos de Lógica e Algoritmos INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE CAMPUS SÃO GONÇALO DO AMARANTE Fundamentos de Lógica e Algoritmos #EquivalênciaLógica Eliezio Soares elieziosoares@ifrn.edu.br

Leia mais

Aula demonstrativa Apresentação... 2 Modelos de questões resolvidas IBFC... 3

Aula demonstrativa Apresentação... 2 Modelos de questões resolvidas IBFC... 3 Aula demonstrativa Apresentação... 2 Modelos de questões resolvidas IBFC... 3 www.pontodosconcursos.com.br 1 Apresentação Olá, pessoal Tudo bem com vocês? Em breve teremos o concurso do TCM/RJ e sabemos

Leia mais

INTRODUÇÃO À LÓGICA MATEMÁTICA

INTRODUÇÃO À LÓGICA MATEMÁTICA INTRODUÇÃO À LÓGICA MATEMÁTICA Matemática Aplicada a Computação rofessor Rossini A M Bezerra Lógica é o estudo dos princípios e métodos usados para distinguir sentenças verdadeiras de falsas. Definição

Leia mais

Aula 00. Raciocínio Lógico. Raciocínio Lógico para ANVISA Aula Demonstrativa Professor: Karine Waldrich

Aula 00. Raciocínio Lógico. Raciocínio Lógico para ANVISA Aula Demonstrativa Professor: Karine Waldrich Aula 00 Raciocínio Lógico para ANVISA Aula Demonstrativa Professor: Karine Waldrich www.pontodosconcursos.com.br 1 Aula 00 Aula Demonstrativa Oi, tudo bem? Meu nome é Karine Waldrich. Nasci em Blumenau,

Leia mais

Compreender estruturas lógicas é, antes de tudo, compreender o que são proposições.

Compreender estruturas lógicas é, antes de tudo, compreender o que são proposições. Caros alunos, Antes de darmos início a nossa aula demonstrativa, vamos às apresentações pessoais e profissionais: meu nome é Letícia Protta, sou agente administrativo do Ministério do Trabalho e Emprego,

Leia mais

Analista TRT 10 Região / CESPE 2013 /

Analista TRT 10 Região / CESPE 2013 / Ao comentar sobre as razões da dor na região lombar que seu paciente sentia, o médico fez as seguintes afirmativas. P1: Além de ser suportado pela estrutura óssea da coluna, seu peso é suportado também

Leia mais

ANÁLISE MATEMÁTICA I. Curso: EB

ANÁLISE MATEMÁTICA I. Curso: EB ANÁLISE MATEMÁTICA I (com Laboratórios) Curso: EB Lógica - Resumo Ana Matos DMAT Noções básicas de Lógica Consideremos uma linguagem, com certos símbolos. Chamamos expressão a qualquer sequência de símbolos.

Leia mais

SISTEMA ANGLO DE ENSINO G A B A R I T O

SISTEMA ANGLO DE ENSINO G A B A R I T O Prova Anglo P-02 Tipo D8-08/200 G A B A R I T O 0. C 07. D 3. C 9. A 02. B 08. A 4. A 20. C 03. D 09. C 5. B 2. B 04. B 0. C 6. C 22. B 05. A. A 7. A 00 06. D 2. B 8. D DESCRITORES, RESOLUÇÕES E COMENTÁRIOS

Leia mais

Aula 00. Raciocínio Lógico. Raciocínio Lógico para MP-RJ Aula Demonstrativa Professor: Karine Waldrich

Aula 00. Raciocínio Lógico. Raciocínio Lógico para MP-RJ Aula Demonstrativa Professor: Karine Waldrich Aula 00 Raciocínio Lógico para MP-RJ Aula Demonstrativa Professor: Karine Waldrich www.pontodosconcursos.com.br 1 Aula 00 Aula Demonstrativa Oi, tudo bem? Meu nome é Karine Waldrich. Nasci em Blumenau,

Leia mais

Raciocínio Lógico para ANALISTA TÉCNICO EM MATERIAL E PATRIMÔNIO CÂMARA DOS DEPUTADOS Aula Demonstrativa Professor: Karine Waldrich

Raciocínio Lógico para ANALISTA TÉCNICO EM MATERIAL E PATRIMÔNIO CÂMARA DOS DEPUTADOS Aula Demonstrativa Professor: Karine Waldrich Aula 00 Raciocínio Lógico para ANALISTA TÉCNICO EM MATERIAL E PATRIMÔNIO CÂMARA DOS DEPUTADOS Aula Demonstrativa Professor: Karine Waldrich www.pontodosconcursos.com.br 1 Aula 00 Aula Demonstrativa Oi,

Leia mais