Dados Básicos sobre Recursos Humanos. ObservaRH - NESP/CEAM/UnB

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Dados Básicos sobre Recursos Humanos. ObservaRH - NESP/CEAM/UnB"

Transcrição

1 Dados Básicos sobre Recursos Humanos ObservaRH - NESP/CEAM/UnB Brasília/DF 2007

2 Apresentação O conjunto de dados básicos sobre recursos humanos integra as expectativas das delegações que participaram da Reunião de Constituição do Observatório de Recursos Humanos nas Reformas Setoriais de Saúde, realizada em Santiago (Chile), entre os dias 9 e 11 de junho de Este conjunto de dados deverá permitir uma aproximação básica para a descrição e análise da situação dos recursos humanos em saúde ao nível agregado nacional. É o principal instrumento para cumprir com a função de monitoramento dos processos de reforma, no que concerne ao pessoal da saúde (Brito, P. Observatorio de Recursos Humanos de Salud, 2000). Para cumprir com o que foi acordado durante aquela reunião o Observatório de Recursos Humanos em Saúde da Universidade de Brasília organizou o conjundo de dados básicos que pode ser consultado a seguir e que será atualizado de acordo com a publicação nas respectivas fontes de dados. Ao final desta apresentação disponibilizamos o conjunto dos dados em arquivo PDF. Para consulta dos dados individualizados visite a página do ObservaRH/UnB na Internet onde os dados também estão disponibilizados. - Dados Básicos 1. Número de profissionais de saúde registrados nos respectivos conselhos profissionais, segundo as Grandes Regiões e Unidades da Federação, Pessoal de nível superior ocupado em estabelecimentos de saúde, por esfera administrativa e ocupação, segundo as Grandes Regiões e Unidades da Federação - Brasil Pessoal de nível superior ocupado em estabelecimentos de saúde, por esfera administrativa e ocupação, segundo as Grandes Regiões, Unidades da Federação - Brasil Pessoal de nível superior ocupado em estabelecimentos de saúde, por esfera administrativa e ocupação, segundo as Grandes Regiões e Unidades da Federação - Brasil Evolução do Pessoal de nível superior ocupado em estabelecimentos de saúde, por esfera administrativa e ocupação, segundo as Grandes Regiões e Unidades da Federação - Brasil , 2002 e Brasil e UF, 2000: Brasil e UF, 2005: Profissionais de Saúde, segundo Ocupação Principal, por Grandes Regiões e Unidade Federadas. 7. Brasil e UF, 2005: Profissionais de Saúde, segundo Ocupação Principal, por Grandes Regiões e Unidade Federadas. 8. Brasil e UF, 2005: Remuneração Média (R$) e Valor da Hora de Trabalho de Profissionais Médicos, Cirurgiões-Dentistas e Enfermeiros, por Grandes Regiões e Unidades Federadas, 2005.

3 9. Brasil: Número de Cursos de Graduação Presenciais da Área da Saúde, segundo as Regiões Geográficas e as Unidades Federadas, Brasil: Evolução do Número de Cursos de Graduação Presenciais da Área da Saúde, segundo a Categoria Adminitrativa, Brasil, 1991 a 2004: Número de Concluintes nos Cursos de Graduação Presenciais da Área da Saúde, segundo as Regiões Geográficas e as Unidades Federadas. 11. Biomedicina 12. Ciências Biológicas 13. Educação Física 14. Enfermagem 15. Farmácia 16. Fisioterapia 17. Fonoaudiologia 18. Medicina 19. Medicina Veterinária 20. Nutrição 21. Odontologia 22. Psicologia 23. Serviço Social e Orientação 24. Terapia Ocupacional 25. Brasil e UF, 2003 a 2005: Força de Trabalho da Administração Pública 26. Brasil e UF, 2006: Servidores Públicos Federais Civis do Poder Executivo, por situação de vínculo, segundo as Unidades da Federação - SIAPE 27. Brasil, 2006: Quantitativo (força de trabalho) dos Servidores Públicos Federais Civis do Poder Executivo, por situação de vínculo, segundo os órgãos da administração - SIAPE 28. Quantitativo de Pessoal Ativo, Aposentado e Beneficiários de Pensão do Ministério da Saúde, Julho, Brasil, 2006: Quantitativo de Vínculos de Servidores das Carreiras da administração Pública Federal, por situação de vínculo, segundo o sexo - SIAPE 30. Brasil, 1997 a 2006: Ingressos no Serviço Público Federal - por concurso público - SIAPE

4 31. UF, 2000 a 2006: Evolução da Despesa Líquida com Pessoal, Receita Corrente Líquida e Relação (%) DLP/RCL do Poder Executivo das Unidades Federadas.

5 Número de profissionais de saúde registrados nos respectivos conselhos profissionais, segundo as Grandes Regiões e Unidades da Federação, REGIÃO/UF MÉDICOS ODONTÓLOGOS ENFERMEIROS NUTRICIONISTAS MÉD. VETERINÁRIOS FARMACÊUTICOS Brasil Região Norte Rondônia Acre Amazonas Roraima Pará Amapá Tocantins Região Nordeste Maranhão Piauí Ceará Rio Grande do Norte Paraíba Pernambuco Alagoas Sergipe Bahia Região Sudeste Minas Gerais Espírito Santo Rio de Janeiro São Paulo Região Sul Paraná Santa Catarina Rio Grande do Sul Região Centro-Oeste Mato Grosso do Sul Mato Grosso Goiás Distrito Federal Fonte: Conselhos Profissionais, 2005.

6 Pessoal de nível superior ocupado em estabelecimentos de saúde, por esfera administrativa e ocupação, segundo as Grandes Regiões, Unidades da Federação - Brasil Região/UF Médico Odontólogo Enfermeiro Total Federal Estadual Municipal Privado Total Federal Estadual Municipal Privado Total Federal Estadual Municipal Privado Brasil Região Norte Rondônia Acre Amazonas Roraima Pará Amapá Tocantins Região Nordeste Maranhão Piauí Ceará Rio Grande do Norte Paraíba Pernambuco Alagoas Sergipe Bahia Região Sudeste Minas Gerais Espírito Santo Rio de Janeiro São Paulo Região Sul Paraná Santa Catarina Rio Grande do Sul Região Centro-Oeste Mato Grosso do Sul Mato Grosso Goiás Distrito Federal Fonte: IBGE - Pesquisa de Assistência Médica Sanitária (AMS) 1999.

7 Pessoal de nível superior ocupado em estabelecimentos de saúde, por esfera administrativa e ocupação, segundo as Grandes Regiões, Unidades da Federação - Brasil Região/UF Médico Odontólogo Enfermeiro Total Federal Estadual Municipal Privado Total Federal Estadual Municipal Privado Total Federal Estadual Municipal Privado Brasil Região Norte Rondônia Acre Amazonas Roraima Pará Amapá Tocantins Região Nordeste Maranhão Piauí Ceará Rio Grande do Norte Paraíba Pernambuco Alagoas Sergipe Bahia Região Sudeste Minas Gerais Espírito Santo Rio de Janeiro São Paulo Região Sul Paraná Santa Catarina Rio Grande do Sul Região Centro-Oeste Mato Grosso do Sul Mato Grosso Goiás Distrito Federal Fonte: IBGE - Pesquisa de Assistência Médica Sanitária (AMS) 2002.

8 Pessoal de nível superior ocupado em estabelecimentos de saúde, por esfera administrativa e ocupação, segundo as Grandes Regiões e Unidades da Federação - Brasil Região/UF Médico Odontólogo Enfermeiro Total Federal Estadual Municipal Privado Total Federal Estadual Municipal Privado Total Federal Estadual Municipal Privado Brasil Região Norte Rondônia Acre Amazonas Roraima Pará Amapá Tocantins Região Nordeste Maranhão Piauí Ceará Rio Grande do Norte Paraíba Pernambuco Alagoas Sergipe Bahia Região Sudeste Minas Gerais Espírito Santo Rio de Janeiro São Paulo Região Sul Paraná Santa Catarina Rio Grande do Sul Região Centro-Oeste Mato Grosso do Sul Mato Grosso Goiás Distrito Federal Fonte: IBGE - Pesquisa de Assistência Médica Sanitária (AMS) 2005.

9 Evolução do Pessoal de nível superior ocupado em estabelecimentos de saúde, por esfera administrativa e ocupação, segundo as Grandes Regiões e Unidades da Federação - Brasil , 2002 e 2005 Região/UF Médico Odontólogo Enfermeiro Variação % Médico Odontólogo Enfermeiro Brasil ,8 35,8 65,5 Região Norte ,9 74,5 100,7.. Rondônia ,0 62,2 113,1.. Acre ,5 81,9 103,7.. Amazonas ,5 104,2 149,2.. Roraima ,4 40,4 138,6.. Pará ,6 57,1 66,4.. Amapá ,9 28,5 70,6.. Tocantins ,7 97,6 127,9 Região Nordeste ,5 33,5 81,1.. Maranhão ,8 80,8 146,9.. Piauí ,0 32,9 112,6.. Ceará ,3 11,5 23,8.. Rio Grande do Norte ,9 48,8 76,6.. Paraíba ,8 17,2 58,1.. Pernambuco ,7 17,4 110,2.. Alagoas ,0 83,4 141,5.. Sergipe ,1 45,2 157,0.. Bahia ,0 47,8 80,6 Região Sudeste ,0 21,6 50,7.. Minas Gerais ,9 41,7 75,6.. Espírito Santo ,8 58,6 190,1.. Rio de Janeiro ,5 36,3 47,2.. São Paulo ,6 2,9 40,3 Região Sul ,4 46,2 68,1.. Paraná ,7 41,5 77,4.. Santa Catarina ,7 78,8 101,7.. Rio Grande do Sul ,5 31,8 50,4 Região Centro-Oeste ,3 96,3 96,3.. Mato Grosso do Sul ,0 69,3 184,5.. Mato Grosso ,9 97,8 121,5.. Goiás ,5 45,5 133,2.. Distrito Federal ,4 200,6 35,6 Fonte: IBGE - Pesquisa de Assistência Médica Sanitária (AMS).

10 Brasil e UF, 2000: Brasil e UF, 2005: Profissionais de Saúde, segundo Ocupação Principal, por Grandes Regiões e Unidade Federadas. REGIÃO/UF Médico Dentista Enfermeiro Nutricionista Biomédico Farmacêutico Fisioterapeuta Veterinário Psicólogo Assist. Social Brasil Norte Rondônia Acre Amazonas Roraima Pará Amapá Tocantins Nordeste Maranhão Piauí Ceará Rio Grande do Norte Paraíba Pernambuco Alagoas Sergipe Bahia Sudeste Minas Gerais Espírito Santo Rio de Janeiro São Paulo Sul Paraná Santa Catarina Rio Grande do Sul Centro-Oeste Mato Grosso do Sul Mato Grosso Goiás Distrito Federal Fonte: IBGE/Censo 2000.

11 Brasil e UF, 2005: Profissionais de Saúde, segundo Ocupação Principal, por Grandes Regiões e Unidade Federadas. Região/UF Médico Dentista Enfermeiro Nutricionista Biomédico Farmacêutico Fisioterapeuta Veterinário Psicólogo Brasil Norte Rondônia Acre Amazonas Roraima Pará Amapá Tocantins Nordeste Maranhão Piauí Ceará Rio Grande do Norte Paraíba Pernambuco Alagoas Sergipe Bahia Sudeste Minas Gerais Espírito Santo Rio de Janeiro São Paulo Sul Paraná Santa Catarina Rio Grande do Sul Centro-Oeste Mato Grosso do Sul Mato Grosso Goiás Distrito Federal Fonte: IBGE/PNAD 2005.

12 Brasil e UF, 2005: Remuneração Média (R$) e Valor da Hora de Trabalho de Profissionais Médicos, Cirurgiões-Dentistas e Enfermeiros, por Grandes Regiões e Unidades Federadas, REGIÃO/UF MÉDICO CIRURGIÃO-DENTISTA ENFERMEIRO REM MED (R$) HORAS CONTR Valor da Hora REM MED (R$) HORAS CONTR Valor da Hora REM MED (R$) HORAS CONTR Valor da Hora Brasil , , , , , ,82 Norte , , , , , ,06 RO , , , , , ,30 AC , , , , , ,99 AM , , , , , ,70 RR , , , , , ,95 PA , , , , , ,72 AP , , , , , ,55 TO , , , , , ,99 Nordeste , , , , , ,35 MA , , , , , ,60 PI , , , , , ,58 CE , , , , , ,81 RN , , , , , ,57 PB , , , , , ,22 PE , , , , , ,67 AL , , , , , ,34 SE , , , , , ,17 BA , , , , , ,06 Sudeste , , , , , ,91 MG , , , , , ,89 ES , , , , , ,20 RJ , , , , , ,36 SP , , , , , ,25 Sul , , , , , ,51 PR , , , , , ,76 SC , , , , , ,19 RS , , , , , ,50 Centro-Oeste , , , , , ,17 MS , , , , , ,14 MT , , , , , ,26 GO , , , , , ,33 DF , , , , , ,83 Fonte: RAIS/Ministério do Trabalho e Emprego. Nota: Para calcular o valor do total de horas de trabalho basta multiplicar o valor da hora de trabalho pelo número de horas correspondentes (20 horas, 40 horas ou outro valor).

13 Brasil: Número de Cursos de Graduação Presenciais da Área da Saúde, segundo as Regiões Geográficas e as Unidades Federadas, REGIÕES/UF Biomedicina Ciências Biológicas Edc. Física Enfermagem Farmácia Fisioterapia Fonoaudiologia Brasil Norte Rondônia Acre Amazonas Roraima Pará Amapá Tocantins Nordeste Maranhão Piauí Ceará Rio Grande do Norte Paraíba Pernambuco Alagoas Sergipe Bahia Sudeste Minas Gerais Espírito Santo Rio de Janeiro São Paulo Sul Paraná Santa Catarina Rio Grande do Sul Centro-Oeste Mato Grosso do Sul Mato Grosso Goiás Distrito Federal Fonte: Adaptado do MEC/Inep/Deaes

14 Brasil. Número de Cursos de Graduação Presenciais da Área da Saúde, segundo as Regiões Geográficas e as Unidades Federadas, REGIÕES/UF Medicina Med. Veterinária Nutrição Odontologia Psicologia Serviço Social Terapia Ocupacional Brasil Norte Rondônia Acre Amazonas Roraima Pará Amapá Tocantins Nordeste Maranhão Piauí Ceará Rio Grande do Norte Paraíba Pernambuco Alagoas Sergipe Bahia Sudeste Minas Gerais Espírito Santo Rio de Janeiro São Paulo Sul Paraná Santa Catarina Rio Grande do Sul Centro-Oeste Mato Grosso do Sul Mato Grosso Goiás Distrito Federal Fonte: Adaptado do MEC/Inep/Deaes

15 Brasil: Evolução do Número de Cursos de Graduação Presenciais da Área da Saúde, segundo a Categoria Adminitrativa, Biomedicina Ano Público Privado Total Federal Estadual Municipal Total Total Geral Fonte: Adaptado do MEC/Inep/Deaes Ciências Biológicas Ano Público Privado Total Federal Estadual Municipal Total Total Geral Fonte: Adaptado do MEC/Inep/Deaes Educação Física Ano Público Privado Total Federal Estadual Municipal Total Total Geral Fonte: Adaptado do MEC/Inep/Deaes

16 Brasil: Evolução do Número de Cursos de Graduação Presenciais da Área da Saúde, segundo a Categoria Adminitrativa, Enfermagem Ano Público Privado Total Federal Estadual Municipal Total Total Geral Fonte: Adaptado do MEC/Inep/Deaes Farmácia Ano Público Privado Total Federal Estadual Municipal Total Total Geral Fonte: Adaptado do MEC/Inep/Deaes Fisioterapia Ano Público Privado Total Federal Estadual Municipal Total Total Geral Fonte: Adaptado do MEC/Inep/Deaes

17 Brasil: Evolução do Número de Cursos de Graduação Presenciais da Área da Saúde, segundo a Categoria Adminitrativa, Fonoaudiologia Ano Público Privado Total Federal Estadual Municipal Total Total Geral Fonte: Adaptado do MEC/Inep/Deaes Medicina Ano Público Privado Total Federal Estadual Municipal Total Total Geral Fonte: Adaptado do MEC/Inep/Deaes Medicina Veterinária Ano Público Privado Total Federal Estadual Municipal Total Total Geral Fonte: Adaptado do MEC/Inep/Deaes

18 Brasil: Evolução do Número de Cursos de Graduação Presenciais da Área da Saúde, segundo a Categoria Adminitrativa, Nutrição Ano Público Privado Total Federal Estadual Municipal Total Total Geral Fonte: Adaptado do MEC/Inep/Deaes Odontologia Ano Público Privado Total Federal Estadual Municipal Total Total Geral Fonte: Adaptado do MEC/Inep/Deaes Psicologia Ano Público Privado Total Federal Estadual Municipal Total Total Geral Fonte: Adaptado do MEC/Inep/Deaes

19 Brasil: Evolução do Número de Cursos de Graduação Presenciais da Área da Saúde, segundo a Categoria Adminitrativa, Serviço Social Ano Público Privado Total Federal Estadual Municipal Total Total Geral Fonte: Adaptado do MEC/Inep/Deaes Ano Terapia Ocupacional Público Privado Total Geral Total Federal Estadual Municipal Total Fonte: Adaptado do MEC/Inep/Deaes

20 Brasil, 1991 a 2004: Número de Concluintes nos Cursos de Graduação Presenciais de Biomedicina, segundo as Regiões Geográficas e as Unidades Federadas. REGIÕES/UF Concluintes nos Cursos de Graduação Presenciais de Biomedicina Var. % Brasil ,0 Norte Rondônia Acre Amazonas Roraima Pará Amapá Tocantins Nordeste ,2 Maranhão Piauí Ceará Rio Grande do Norte Paraíba Pernambuco ,6 Alagoas Sergipe Bahia Sudeste ,9 Minas Gerais Espírito Santo Rio de Janeiro São Paulo ,6 Sul Paraná Santa Catarina Rio Grande do Sul Centro-Oeste Mato Grosso do Sul Mato Grosso Goiás Distrito Federal Fonte: Adaptado de MEC/Inep/Deaes

21 Brasil, 1991 a 2004: Número de Concluintes nos Cursos de Graduação Presenciais de Ciências Biológicas, segundo as Regiões Geográficas e as Unidades Federadas. REGIÕES/UF Concluintes nos Cursos de Graduação Presenciais de Ciências Biológicas Var. % Brasil ,9 Norte ,4 Rondônia Acre Amazonas ,3 Roraima Pará ,6 Amapá Tocantins Nordeste ,1 Maranhão Piauí Ceará ,90 Rio Grande do Norte ,2 Paraíba Pernambuco ,8 Alagoas Sergipe ,7 Bahia ,7 Sudeste ,6 Minas Gerais Espírito Santo ,70 Rio de Janeiro São Paulo ,8 Sul ,9 Paraná ,2 Santa Catarina ,5 Rio Grande do Sul ,7 Centro-Oeste ,7 Mato Grosso do Sul ,00 Mato Grosso ,00 Goiás ,7 Distrito Federal ,3 Fonte: Adaptado de MEC/Inep/Deaes

22 Brasil, 1991 a 2004: Número de Concluintes nos Cursos de Graduação Presenciais de Educação Física, segundo as Regiões Geográficas e as Unidades Federadas. REGIÕES/UF Concluintes nos Cursos de Graduação Presenciais de Educação Física Var. % Brasil ,6 Norte ,5 Rondônia ,0 Acre Amazonas ,1 Roraima Pará ,8 Amapá Tocantins Nordeste ,4 Maranhão Piauí ,6 Ceará ,3 Rio Grande do Norte ,9 Paraíba ,3 Pernambuco ,8 Alagoas ,6 Sergipe ,7 Bahia ,3 Sudeste ,1 Minas Gerais ,3 Espírito Santo ,7 Rio de Janeiro ,3 São Paulo ,3 Sul ,0 Paraná ,5 Santa Catarina ,3 Rio Grande do Sul ,1 Centro-Oeste ,8 Mato Grosso do Sul ,1 Mato Grosso ,8 Goiás ,0 Distrito Federal ,4 Fonte: Adaptado de MEC/Inep/Deaes

23 Brasil, 1991 a 2004: Número de Concluintes nos Cursos de Graduação Presenciais de Enfermagem, segundo as Regiões Geográficas e as Unidades Federadas REGIÕES/UF Concluintes nos Cursos de Graduação Presenciais de Enfermagem Var. % Brasil ,7 Norte ,7 Rondônia Acre ,4 Amazonas ,6 Roraima Pará ,9 Amapá Tocantins Nordeste ,9 Maranhão ,9 Piauí ,0 Ceará ,4 Rio Grande do Norte ,3 Paraíba ,0 Pernambuco ,6 Alagoas ,9 Sergipe ,5 Bahia ,0 Sudeste ,3 Minas Gerais ,1 Espírito Santo ,9 Rio de Janeiro ,6 São Paulo ,1 Sul ,3 Paraná ,0 Santa Catarina ,0 Rio Grande do Sul ,0 Centro-Oeste ,1 Mato Grosso do Sul Mato Grosso ,5 Goiás ,8 Distrito Federal ,1 Fonte: Adaptado de MEC/Inep/Deaes

24 Brasil, 1991 a 2004: Número de Concluintes nos Cursos de Graduação Presenciais de Farmácia, segundo as Regiões Geográficas e as Unidades Federadas REGIÕES/UF Concluintes nos Cursos de Graduação Presenciais de Farmácia Var. % Brasil ,6 Norte ,1 Rondônia Acre Amazonas ,8 Roraima Pará ,9 Amapá Tocantins Nordeste ,7 Maranhão ,9 Piauí Ceará ,2 Rio Grande do Norte ,0 Paraíba ,6 Pernambuco Alagoas Sergipe Bahia ,1 Sudeste ,5 Minas Gerais ,1 Espírito Santo Rio de Janeiro ,4 São Paulo Sul ,5 Paraná ,9 Santa Catarina ,5 Rio Grande do Sul ,2 Centro-Oeste ,0 Mato Grosso do Sul Mato Grosso Goiás ,1 Distrito Federal Fonte: Adaptado de MEC/Inep/Deaes

25 Brasil, 1991 a 2004: Número de Concluintes nos Cursos de Graduação Presenciais de Fisioterapia, segundo as Regiões Geográficas e as Unidades Federadas. REGIÕES/UF Concluintes nos Cursos de Graduação Presenciais de Fisioterapia Var. % Brasil ,7 Norte ,7 Rondônia Acre Amazonas Roraima Pará Amapá Tocantins Nordeste ,7 Maranhão Piauí Ceará ,5 Rio Grande do Norte Paraíba ,6 Pernambuco Alagoas Sergipe Bahia Sudeste ,2 Minas Gerais ,5 Espírito Santo Rio de Janeiro São Paulo ,3 Sul ,3 Paraná Santa Catarina ,4 Rio Grande do Sul ,8 Centro-Oeste Mato Grosso do Sul Mato Grosso Goiás Distrito Federal Fonte: Adaptado de MEC/Inep/Deaes

26 Brasil, 1991 a 2004: Número de Concluintes nos Cursos de Graduação Presenciais de Fonoaudiologia, segundo as Regiões Geográficas e as Unidades Federadas. REGIÕES/UF Concluintes nos Cursos de Graduação Presenciais de Fonoaudiologia Var. % Brasil ,3 Norte Rondônia Acre Amazonas Roraima Pará Amapá Tocantins Nordeste ,5 Maranhão Piauí Ceará Rio Grande do Norte Paraíba Pernambuco Alagoas Sergipe Bahia Sudeste ,9 Minas Gerais Espírito Santo Rio de Janeiro São Paulo Sul ,9 Paraná Santa Catarina Rio Grande do Sul Centro-Oeste Mato Grosso do Sul Mato Grosso Goiás Distrito Federal Fonte: Adaptado de MEC/Inep/Deaes

8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014)

8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014) 8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014) Elaboração: Contraf-CUT, CNTV e Federação dos Vigilantes do Paraná Fonte: Notícias da imprensa, SSP e sindicatos Apoio: Sindicato dos Vigilantes de Curitiba

Leia mais

Quantidade de Acessos / Plano de Serviço / Unidade da Federação - Novembro/2007

Quantidade de Acessos / Plano de Serviço / Unidade da Federação - Novembro/2007 Quantidade de Acessos / Plano de Serviço / Unidade da Federação - Novembro/2007 REGIÃO NORTE 5.951.408 87,35 861.892 12,65 6.813.300 RONDÔNIA 760.521 88,11 102.631 11,89 863.152 ACRE 298.081 85,86 49.094

Leia mais

Acre Previsão por Coeficiente no Estado

Acre Previsão por Coeficiente no Estado Acre 0,6 121.073,55 262.729,59 0,8 161.431,39 350.306,12 1,0 201.789,24 437.882,66 1,2 242.147,09 525.459,19 1,4 - - 1,6 322.862,79 700.612,25 1,8 363.220,64 788.188,78 2,0 - - 2,2 - - 2,4 - - 2,6 524.652,03

Leia mais

Dados sobre o Programa de Educação Tutorial PET atualizados em abril de Fonte: SESu/MEC Apresentação: Diretoria da CENAPET

Dados sobre o Programa de Educação Tutorial PET atualizados em abril de Fonte: SESu/MEC Apresentação: Diretoria da CENAPET Dados sobre o Programa de Educação Tutorial PET atualizados em abril de 05 Fonte: SESu/MEC Apresentação: Diretoria da CENAPET Informações Gerais Número de Grupos: 84 Número de IES: Categoria Administrativa

Leia mais

TÊNIS DE MESA Nº 03 04/09/2015

TÊNIS DE MESA Nº 03 04/09/2015 ! TÊNIS DE MESA Nº 03 04/09/2015! Jogos Escolares da Juventude 2015 12 a 14 anos Boletim Oficial de Resultados 04/09/2015 CENTRO DE FORMAÇÃO OLÍMPICA - QUADRA 1 TÊNIS DE MESA - EQUIPE - Feminino 1 09:00

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL CAMPEONATO BRASILEIRO DA SÉRIE D TABELA BÁSICA / EDIÇÃO 2016 PRIMEIRA FASE REF ROD DATA - DIA HORA GR JOGO ESTÁDIO CIDADE 1ª 12/06 - Dom A1 Rondônia RO x Amazonas AM A1 Acre AC x Amapá AP A2 Tocantins

Leia mais

9, R$ , , R$ ,

9, R$ , , R$ , Rondônia 2005 R$ 601.575,17 2005 10.154 2004 1.027.983 2004 108.139 2004 10,52 2006 R$ 609.834,21 2006 10.757 2005 1.025.249 2005 101.539 2005 9,90 2007 R$ 1.229.490,00 2007 9.100 2006 1.047.004 2006 111.068

Leia mais

Cursos de Dança no Brasil. Dulce Aquino

Cursos de Dança no Brasil. Dulce Aquino Cursos de Dança no Brasil Dulce Aquino Cursos de Dança no Brasil Instituições Federais Instituições Estaduais 3 cursos 9 cursos Total 3 Total de Cursos de Dança nas IES - 3 3 11 Norte - 3 Nordeste - 11

Leia mais

MERCADO BRASILEIRO DE SUPLEMENTOS MINERIAS 2014

MERCADO BRASILEIRO DE SUPLEMENTOS MINERIAS 2014 MERCADO BRASILEIRO DE SUPLEMENTOS MINERIAS 2014 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS INDUSTRIAS DE SUPLEMENTOS MINERAIS RUA AUGUSTA, 2676 13 ANDAR SALA 132 CEP 01412-100 SÃO PAULO SP Telefone: (011) 3061-9077 e-mail:

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (Março/15) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (Maio/15) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

A Falta de Médicos no Brasil e no Rio

A Falta de Médicos no Brasil e no Rio A Falta de Médicos no Brasil e no Rio Marcelo Cortes Neri Centro de Políticas Sociais do IBRE/FGV e da EPGE/FGV mcneri@fgv.br Ranking - Município do Rio de Janeiro* Salário 1..Direito - Mestrado ou Doutorado

Leia mais

Formação dos Grupos e forma de disputa

Formação dos Grupos e forma de disputa Formação dos Grupos e forma de disputa Sorteio realizado no dia 01 de Novembro de 2010 na sede social da APMP. Categoria Força Livre 1. Amazonas 2. Acre 3. Amapá 4. Ceara 5. Espirito Santo 6. Goiás 7.

Leia mais

RESULTADO DO LIRAa JANEIRO FEVEREIRO/15

RESULTADO DO LIRAa JANEIRO FEVEREIRO/15 RESULTADO DO LIRAa JANEIRO FEVEREIRO/15 1º LIRAa 2015 - Situação dos municípios brasileiros Participação voluntária de 1.844 municípios Pesquisa realizada entre janeiro/fevereiro de 2015; Identifica focos

Leia mais

Contabilizando para o Cidadão Entendendo as Finanças Públicas

Contabilizando para o Cidadão Entendendo as Finanças Públicas - ano 2015 Pernambuco 5,20% Ceará 5,44% Maranhão 5,14% Pará 4,89% Paraná 4,43% Rio Grande do Sul 4,37% Santa Catarina 2,54% Rio Grande do Norte 2,48% Espírito Santo 2,14% Amazonas 2,06% Sergipe 1,87% Alagoas

Leia mais

Estatísticas sobre Analfabetismo no Brasil

Estatísticas sobre Analfabetismo no Brasil Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Estatísticas sobre Analfabetismo no Brasil Audiência pública Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa

Leia mais

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA MEC

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA MEC SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA MEC A EVOLUÇÃO DA EDUCAÇÃO BÁSICA O movimento Constitucional; O processo de discussão que antecedeu a LDB nº9394/96; A concepção de Educação Básica e a universalização do

Leia mais

14-17 anos 5-13 anos. Faixa etária (anos) Ocupação Outras Ignorada

14-17 anos 5-13 anos. Faixa etária (anos) Ocupação Outras Ignorada Ocupação (N) Acidente de trabalho em crianças e adolescentes com diagnóstico de lesão de traumatismo do punho e da mão (CID, S6-S69), segundo ocupação. Brasil, 27 a 26* 4-7 anos - anos Trabalhador polivalente

Leia mais

Vigilância em Saúde do Trabalhador Agenda Estratégica e a Renast

Vigilância em Saúde do Trabalhador Agenda Estratégica e a Renast Vigilância em Saúde do Trabalhador Agenda Estratégica e a Renast Coordenação Geral de Saúde do Trabalhador Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador Secretaria de Vigilância

Leia mais

O Retorno da Educaçã. ção no Mercado de Trabalho

O Retorno da Educaçã. ção no Mercado de Trabalho O Retorno da Educaçã ção no Mercado de Trabalho Coordenador: Marcelo Cortes Neri Centro de Políticas Sociais do IBRE/FGV e da EPGE/FGV mcneri@fgv.br 1 Ranking - Município do Rio de Janeiro* Salário 1..Direito

Leia mais

FNPETI FÓRUM NACIONAL DE PREVENÇÃO E ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL. Cenário do Trabalho Infantil Dados PNAD 2014

FNPETI FÓRUM NACIONAL DE PREVENÇÃO E ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL. Cenário do Trabalho Infantil Dados PNAD 2014 Cenário do Trabalho Infantil Dados PNAD 2014 Fonte: IBGE/Pnad. Elaboração própria. Nota: a PNAD até o ano de 2003 não abrangia a área rural da região Norte (exceto o Tocantins). Nos anos de 1994, 2000

Leia mais

Estado de São Paulo tem a maior quantidade de POS a cada mil habitantes; Maranhão, a menor

Estado de São Paulo tem a maior quantidade de POS a cada mil habitantes; Maranhão, a menor INFORMATIVO PARA A IMPRENSA ML&A Comunicações Fernanda Elen fernanda@mla.com.br (11) 3811-2820 ramal 833 Cresce a aceitação de cartões em 2015, aponta a Boanerges & Cia. Estado de São Paulo tem a maior

Leia mais

Cargas Aéreas e Rodoviárias Ltda.

Cargas Aéreas e Rodoviárias Ltda. Cargas Aéreas e Rodoviárias Ltda. EMPRESA A Trans Ápia é uma empresa especializada em cargas urgentes, porta a porta para todo território nacional, que atua no mercado de transportes aéreo e rodoviário

Leia mais

Pesquisa sobre a Securitização da Dívida Ativa dos Municípios

Pesquisa sobre a Securitização da Dívida Ativa dos Municípios Pesquisa sobre a Securitização da Dívida Ativa dos Municípios Objetivos: Diagnosticar a situação atual dos municípios brasileiros em relação à Securitização da Dívida Ativa de acordo com a resolução 33

Leia mais

Censo da Educação Superior Reunião Ordinária do Conselho Pleno da Andifes

Censo da Educação Superior Reunião Ordinária do Conselho Pleno da Andifes Censo da Educação Superior Reunião Ordinária do Conselho Pleno da Andifes Natal outubro-2013 Quadro Resumo- Estatísticas Gerais da Educação Superior por Categoria Administrativa - Brasil - 2012 Categoria

Leia mais

Produção Brasileira de Melão por Estado 2007 Estados Área (ha) Volume (Ton) Valor (Mil R$) Rio Grande do Norte Ceará 6.

Produção Brasileira de Melão por Estado 2007 Estados Área (ha) Volume (Ton) Valor (Mil R$) Rio Grande do Norte Ceará 6. Produção Brasileira de Abacaxi por Estado 2007 Pará 15.462 701.948 125.596 Paraíba 11.600 625.527 150.054 Minas Gerais 7.593 596.668 127.597 Bahia 6.430 282.634 63.185 São Paulo 3.620 271.380 76.161 Rio

Leia mais

ANEXO I QUADRO DE VAGAS E LOCALIDADES

ANEXO I QUADRO DE VAGAS E LOCALIDADES ANEXO I QUADRO DE VAGAS E LOCALIDADES Referência: Vagas Provimento imediato de vagas e formação de Cadastro de Reserva. Vagas PD Vagas Reservadas para os candidatos Portadores de Deficiência. 1. Diretoria

Leia mais

PÓLO COSTA DAS PISCINAS/PARAÍBA PLANO DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DO TURISMO SUSTENTÁVEL ANEXO V GASTOS TURÍSTICOS TABELAS

PÓLO COSTA DAS PISCINAS/PARAÍBA PLANO DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DO TURISMO SUSTENTÁVEL ANEXO V GASTOS TURÍSTICOS TABELAS PÓLO COSTA DAS PISCINAS/PARAÍBA PLANO DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DO TURISMO SUSTENTÁVEL ANEXO V GASTOS TURÍSTICOS TABELAS JOÃO PESSOA-PB, JUNHO 2004 TABELA Nº01 GASTO MÉDIO INDIVIDUAL DIÁRIO em R$ 1.00,

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MATO GROSSO OUTUBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MATO GROSSO OUTUBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MATO GROSSO OUTUBRO DE 2015 DADOS GERAIS DO ESTADO DO MATO GROSSO Total Part % Brasil Part % Região Área Total - km² 903.386 10,63% 56,24% População

Leia mais

POSIÇÃO ATUALIZADA ATÉ 25/06/2012 Classif Último Candidato Convocado procedimentos préadmissionais

POSIÇÃO ATUALIZADA ATÉ 25/06/2012 Classif Último Candidato Convocado procedimentos préadmissionais CONCURSO PÚBLICO 2010 TBN RJ e SP de de RJ Campos dos Goytacazes Técnico Bancário 106 2 105 2 RJ Centro Técnico Bancário 592 4 592 4 RJ Niteroi Técnico Bancário 130 3 130 3 RJ Nova Iguaçu Técnico Bancário

Leia mais

TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS A ESTADOS, DF E MUNICÍPIOS - DEZEMBRO/2014

TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS A ESTADOS, DF E MUNICÍPIOS - DEZEMBRO/2014 SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL COINT - Coordenação-Geral de Análise e Informações das Transferências Financeiras Intergovernamentais TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS A ESTADOS, DF E MUNICÍPIOS - DEZEMBRO/2014

Leia mais

Casos de FHD Óbitos e Taxa de letalidade

Casos de FHD Óbitos e Taxa de letalidade Casos de dengue Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Total 2003 20.471 23.612 - - - - - - - - - - 44.083 2002 94.447 188.522 237.906 128.667 60.646 23.350 12.769 10.149 6.682 7.138 9.246 9.052

Leia mais

Direito Processual Civil Recursos

Direito Processual Civil Recursos ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS TRIBUNAIS ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS TRIBUNAIS Jurisdição quanto ao grau hierárquico dos seus órgãos é: 1) inferior; 2) superior. Essas espécies de jurisdições pressupõe

Leia mais

Estatísticas e Indicadores do Ensino Fundamental e Médio. Tiragem Limitada

Estatísticas e Indicadores do Ensino Fundamental e Médio. Tiragem Limitada Estatísticas e Indicadores do Ensino Fundamental e Médio Tiragem Limitada República Federativa do Brasil Fernando Henrique Cardoso Ministério da Educação e do Desporto - MEC Paulo Renato Souza Secretaria

Leia mais

Brasil Preço de Realização do Produtor 13,09 13,08 CIDE - - PIS/COFINS 2,18 2,18 Preço do Produtor s/ ICMS c/ CIDE/PIS/COFINS 15,28 15,26 ICMS 6,57

Brasil Preço de Realização do Produtor 13,09 13,08 CIDE - - PIS/COFINS 2,18 2,18 Preço do Produtor s/ ICMS c/ CIDE/PIS/COFINS 15,28 15,26 ICMS 6,57 jan/16 fev/16 Brasil Preço de Realização do Produtor 13,09 13,08 Preço do Produtor s/ ICMS c/ CIDE/PIS/COFINS 15,28 15,26 ICMS 6,57 6,57 Margem Bruta de Distribuição 15,73 16,14 Preço de Distribuição 37,57

Leia mais

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1)

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) ANEXO I BICICLETA ESCOLAR Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) Assunto: Adesão à ata de registro de preços nº 70/2010 do pregão eletrônico nº 40/2010. 1 2 BICICLETA 20 - AC,

Leia mais

PROGRAMA DE COMPRAS GOVERNAMENTAIS PARCERIAS E PERSPECTIVAS CONVÊNIO SEBRAE / CONSAD

PROGRAMA DE COMPRAS GOVERNAMENTAIS PARCERIAS E PERSPECTIVAS CONVÊNIO SEBRAE / CONSAD PROGRAMA DE COMPRAS GOVERNAMENTAIS PARCERIAS E PERSPECTIVAS CONVÊNIO SEBRAE / CONSAD 92º Fórum Nacional de Secretários de Estado da Administração Canela/RS Nov/2013 Convênio com Ministério do Planejamento

Leia mais

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2017 ( t ) ( US$ / t )

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2017 ( t ) ( US$ / t ) BRASIL IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2017 (POR PAÍS) PAÍSES JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 399.473,26 422.403,60 501.033,08 371.050,32 437.918,87 2.131.879,13 Valor

Leia mais

Contas Regionais do Brasil 2011

Contas Regionais do Brasil 2011 Diretoria de Pesquisas Contas Regionais do Brasil 2011 Coordenação de Contas Nacionais frederico.cunha@ibge.gov.br alessandra.poca@ibge.gov.br Rio, 22/11/2013 Contas Regionais do Brasil Projeto de Contas

Leia mais

Sondagem Comportamento do Consumidor Dia dos Pais Julho de 2017

Sondagem Comportamento do Consumidor Dia dos Pais Julho de 2017 Sondagem Comportamento do Consumidor Dia dos Pais 2017 Julho de 2017 Objetivo, metodologia e amostra o Objetivo: a sondagem tem por objetivo identificar os hábitos de compras dos consumidores para o Dia

Leia mais

ANEXO I QUADRO DE VAGAS E LOCALIDADES

ANEXO I QUADRO DE VAGAS E LOCALIDADES Referência: Vagas Provimento imediato de vagas e formação de Cadastro de Reserva. Vagas PD Vagas Reservadas para os candidatos Portadores de Deficiência. 1.Diretoria Regional Brasília e Administração Central

Leia mais

COMPILAÇÃO DE INDICADORES SOCIAIS

COMPILAÇÃO DE INDICADORES SOCIAIS COMPILAÇÃO DE INDICADORES SOCIAIS PNAD Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio última atualização da pesquisa: 2011 1 2 CARACTERÍSTICAS DOS DOMICÍLIOS 3 ACESSO A SERVIÇOS PÚBLICOS EVOLUÇÃO DO PERCENTUAL

Leia mais

ENCARGOS SOCIAIS SOBRE A MÃO DE OBRA HORISTA % GRUPO A

ENCARGOS SOCIAIS SOBRE A MÃO DE OBRA HORISTA % GRUPO A ACRE B1 Repouso Semanal Remunerado 18,06 0,00 18,06 0,00 B2 Feriados 4,77 0,00 4,77 0,00 B3 Auxílio - Enfermidade 0,91 0,69 0,91 0,69 B4 13º Salário 10,97 8,33 10,97 8,33 B7 Dias de Chuvas 1,68 0,00 1,68

Leia mais

ção: Motivaçõ ções e Metas

ção: Motivaçõ ções e Metas Equidade e Eficiência Educaçã ção: Motivaçõ ções e Metas RANKINGS REGIONAIS MOTIVOS DE EVASÃO Ranking Motivo de Evasão: TRABALHO (Demanda1) TOTAL BRASIL 1,43 0 a 17 anos 1 Minas Gerais 2,27 2 Pernambuco

Leia mais

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2015 ( t ) ( US$ / t )

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2015 ( t ) ( US$ / t ) BRASIL IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2015 (POR PAÍS) PAÍSES ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 269.719,83 387.213,30 406.882,12 310.956,48 318.530,07 375.612,10 2.068.913,89 Valor Fob ( Us$/Mil ) 72.142,83 99.905,76 104.619,97

Leia mais

METODOLOGIA DE CÁLCULO DA TAXA DE MORTALIDADE INFANTIL

METODOLOGIA DE CÁLCULO DA TAXA DE MORTALIDADE INFANTIL GT Mortalidade Infantil METODOLOGIA DE CÁLCULO DA TAXA DE MORTALIDADE INFANTIL RIPSA - Rede Interagencial de Informações para a Saúde A taxa de mortalidade infantil é um indicador utilizado para medir

Leia mais

RELATÓRIO GERAL DA JUSTIÇA DO TRABALHO. Relatório. Analítico

RELATÓRIO GERAL DA JUSTIÇA DO TRABALHO. Relatório. Analítico RELATÓRIO GERAL DA JUSTIÇA DO TRABALHO Relatório Analítico 2015 Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST Relatório Geral da Justiça do Trabalho 9 1 ESTRUTURA ORGANIZACIONAL 13 1.1. ÓRGÃOS JUDICIÁRIOS

Leia mais

Evolução da Biblioteca Virtual em Saúde no Brasil. Maputo, 18 de novembro de 2009

Evolução da Biblioteca Virtual em Saúde no Brasil. Maputo, 18 de novembro de 2009 Evolução da Biblioteca Virtual em Saúde no Brasil Maputo, 18 de novembro de 2009 Informação em Saúde U n iv e rs a lida d e In t e g ra lida de E qu ida de S is te m a Ú n ic o de S a ú de In fo rm a ç

Leia mais

ODONTOGERIATRAS E IDOSOS BRASILEIROS: UMA ANÁLISE POR ESTADOS E REGIÕES DO PAÍS

ODONTOGERIATRAS E IDOSOS BRASILEIROS: UMA ANÁLISE POR ESTADOS E REGIÕES DO PAÍS ODONTOGERIATRAS E IDOSOS BRASILEIROS: UMA ANÁLISE POR ESTADOS E REGIÕES DO PAÍS José de Alencar Fernandes Neto (1); Ellen Cordeiro Costa (2); Hemilliany Alencar Duarte (3); Maria Helena Chaves de Vasconcelos

Leia mais

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde INFORME SARGSUS Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde 1 ESFERA MUNICIPAL 1.1 Relatório de Gestão Ano 2013 Até a presente data,

Leia mais

DEMANDA DE CANDIDATOS POR CARGO / UF NÍVEL SUPERIOR

DEMANDA DE CANDIDATOS POR CARGO / UF NÍVEL SUPERIOR EM CARGOS DE E DE NÍVEL INTERMEDIÁRIO Administrador AC 1 14 14.00 Administrador AL 1 53 53.00 Administrador AP 1 18 18.00 Administrador BA 1 75 75.00 Administrador DF 17 990 58.24 Administrador MT 1 55

Leia mais

VIGILÂNCIA EM SAÚDE DE POPULAÇÕES EXPOSTAS A AGROTÓXICOS

VIGILÂNCIA EM SAÚDE DE POPULAÇÕES EXPOSTAS A AGROTÓXICOS Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador Coordenação Geral de Saúde do Trabalhador - CGST VIGILÂNCIA EM SAÚDE DE POPULAÇÕES

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO 8º CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS NOS CARGOS DE ANALISTA E DE TÉCNICO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO 8º CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS NOS CARGOS DE ANALISTA E DE TÉCNICO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO Cargo 1: Analista do MPU Área de Atividade: Apoio Técnico-Administrativo Especialidade: Arquivologia Distrito Federal / DF 596 4 149,00 Especialidade: Biblioteconomia Acre / AC 147 1 147,00 Especialidade:

Leia mais

Atenção Integral à Desnutrição Infantil

Atenção Integral à Desnutrição Infantil Atenção Integral à Desnutrição Infantil PROTOCOLOS DE ATENÇÃO À CRIANÇA COM DESNUTRIÇÃO GRAVE Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Básica Coordenação Geral da Política

Leia mais

BRASIL - IMPORTAÇÃO FARINHA DE TRIGO 2017 ( t ) ( US$ / t )

BRASIL - IMPORTAÇÃO FARINHA DE TRIGO 2017 ( t ) ( US$ / t ) BRASIL IMPORTAÇÃO DE FARINHA DE TRIGO 2017 (POR PAÍS) PAÍSES ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 30.038,81 30.038,81 Valor Fob ( Us$/Mil ) 8.096,09 8.096,09 Preço Médio ( Us$/Ton ) 269,52 269,52 PARAGUAI Volume

Leia mais

ANÁLISE DA REPARTIÇÃO REGIONAL DE RECEITAS E RECURSOS PÚBLICOS

ANÁLISE DA REPARTIÇÃO REGIONAL DE RECEITAS E RECURSOS PÚBLICOS ANÁLISE DA REPARTIÇÃO REGIONAL DE RECEITAS E RECURSOS PÚBLICOS MONTANTE DE RECEITAS E RECURSOS PÚBLICOS (em R$ milhões) Receita Estadual () BNDES Estatais Agências Financeiras União Royalties e Participações

Leia mais

O Sebrae e as empresas do Setor de Calçados e de Vestuários e Acessórios

O Sebrae e as empresas do Setor de Calçados e de Vestuários e Acessórios O Sebrae e as empresas do Setor de Calçados e de Vestuários e Acessórios Abril/2014 Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação aos

Leia mais

Perfil da Clientela Matriculada. Matrículas novas e revalidadas. Matrículas Realizadas Evolução Carga de Trabalho

Perfil da Clientela Matriculada. Matrículas novas e revalidadas. Matrículas Realizadas Evolução Carga de Trabalho O SESC Criado e mantido pelo empresariado do comércio de bens, serviços e turismo, o SESC tem por finalidade planejar e executar medidas que contribuam para a melhoria do padrão de vida dos comerciários

Leia mais

BAHIA. Previdenciária. ria PNAD BRASÍLIA, MAIO DE 2011

BAHIA. Previdenciária. ria PNAD BRASÍLIA, MAIO DE 2011 BAHIA Proteção Previdenciária ria - Perfil dos socialmente desprotegidos segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD 2009 - BRASÍLIA, MAIO DE 2011 1 1. Indicadores de Cobertura Social Cobertura

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (julho/2015) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

PLANO DE CONTROLE DE POLUIÇÃO VEICULAR DIAGNÓSTICO E ACOMPANHAMENTO

PLANO DE CONTROLE DE POLUIÇÃO VEICULAR DIAGNÓSTICO E ACOMPANHAMENTO MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE Secretaria de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano Departamento de Qualidade Ambiental Gerência de Qualidade do Ar PLANO DE CONTROLE DE POLUIÇÃO VEICULAR DIAGNÓSTICO E ACOMPANHAMENTO

Leia mais

Joseney Santos

Joseney Santos Joseney Santos joseney.santos@saude.gov.br O Brasil está entre os 22 países que concentram 80% dos casos de Tb no mundo. (OMS) Responsável, junto com o Peru por 50% dos Casos nas Américas. (OMS) Média

Leia mais

Piores trechos por Unidade Federativa por número de acidentes

Piores trechos por Unidade Federativa por número de acidentes Piores trechos por Unidade Federativa por número de acidentes - 2015 Data: 18/05/2016 FILTROS: Veículos: Todos Valores: Absolutos Estado: Todos BR: Todas Piores trechos por Estado número de acidentes -

Leia mais

Estimativas e Análises do PIB Regiões, Estados e Municípios. Boletim Técnico Gonçalves & Associados Edição 02 Setembro/2012.

Estimativas e Análises do PIB Regiões, Estados e Municípios. Boletim Técnico Gonçalves & Associados Edição 02 Setembro/2012. O Atual Potencial Econômico do Brasil Estimativas e Análises do PIB 2011 - Regiões, Estados e Municípios Boletim Técnico Gonçalves & Associados Edição 02 Setembro/2012 Edição 2009 www.goncalvesassociados.com

Leia mais

Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento

Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento Janeiro de 2008 Apresentado por Fernando Chacon Diretor de Marketing de Cartões do Banco Itaú 1 Mercado de Cartões Faturamento anual: R$ bilhões

Leia mais

Rio de Janeiro, 22/11/2016. Mercado de Trabalho Brasileiro 3º trimestre de 2016

Rio de Janeiro, 22/11/2016. Mercado de Trabalho Brasileiro 3º trimestre de 2016 1 Rio de Janeiro, 22/11/2016 Mercado de Trabalho Brasileiro 3º trimestre de 2016 O B J P R I N C I P A L Produzir informações contínuas PNAD Contínua Produzir informações anuais E T I sobre a inserção

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. Fevereiro/2013 (dados até Janeiro)

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. Fevereiro/2013 (dados até Janeiro) ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL (ICPN) Fevereiro/2013 (dados até Janeiro) Características da pesquisa Objetivo: - medir o impacto da conjuntura econômica nos Pequenos Negócios e suas

Leia mais

jan/12 fev/12 mar/12 abr/12 mai/12 jun/12 jul/12 ago/12 set/12 out/12 nov/12 dez/12

jan/12 fev/12 mar/12 abr/12 mai/12 jun/12 jul/12 ago/12 set/12 out/12 nov/12 dez/12 Coordenadoria de Defesa da Evolução Concorrênciados preços de GLP (R$ / botijão de 13 kg) Brasil Preço de Realização do Produtor 11,33 11,34 11,33 11,34 11,33 11,34 11,34 11,33 11,34 11,34 11,34 11,34

Leia mais

Caracterização dos Recursos Físicos e Humanos dos Órgãos Estaduais de Segurança Pública. Efetivo Armas Letais Viaturas Coletes a Prova de Balas

Caracterização dos Recursos Físicos e Humanos dos Órgãos Estaduais de Segurança Pública. Efetivo Armas Letais Viaturas Coletes a Prova de Balas Ministério da Justiça Caracterização dos Recursos Físicos e Humanos dos Órgãos Estaduais de Segurança Pública Efetivo Armas Letais Viaturas Coletes a Prova de Balas Uma Perspectiva Democrática e Contemporânea

Leia mais

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO PACOTE DE VOZ LDI MÓVEL VIVO PÓS-PAGO

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO PACOTE DE VOZ LDI MÓVEL VIVO PÓS-PAGO REGULAMENTO DA PROMOÇÃO PACOTE DE VOZ LDI MÓVEL VIVO PÓS-PAGO Vivo Móvel Pós Pago Nacional I. DISPOSIÇÕES GERAIS DA PROMOÇÃO I.1. Descrição Geral 1. A Vivo, através da Promoção Pacote de Voz LDI Móvel

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA Nível superior Cargo 1: Contador DF Brasília/Sede da Administração Central 35 1820 52,00 Nível médio Cargo 2: Agente Administrativo AC Rio Branco/Sede da SRTE 2 1496 748,00 Nível médio Cargo 2: Agente

Leia mais

MONITORAMENTO MENSAL. Big Data Analytics

MONITORAMENTO MENSAL. Big Data Analytics MONITORAMENTO MENSAL Big Data Analytics O QUE ANALISAMOS A análise do mercado apresenta o interesse do público por assuntos relacionados às instituições de ensino superior no Brasil. Pode-se destacar

Leia mais

O apoio financeiro ao carnaval de 2016

O apoio financeiro ao carnaval de 2016 Estudos Técnicos/CNM Janeiro de 2016 O apoio financeiro ao carnaval de 2016 1. Introdução A Confederação Nacional de Municípios (CNM) vem alertando os Municípios a respeito da crise que se abate no país

Leia mais

Tabela 1 Quantidade de ônibus incendiados por ano ( ) (Data de atualização: 18/07/2016)

Tabela 1 Quantidade de ônibus incendiados por ano ( ) (Data de atualização: 18/07/2016) Tabela 1 Quantidade de ônibus incendiados por ano (2004 2016) (continua) Percentual Nº Cidades UF 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 1 Altamira PA - - - - - - - - - - 1 7-8

Leia mais

FLUXO CONSTRUÇÃO - OBRAS DE INFRA- ESTRUTURA POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

FLUXO CONSTRUÇÃO - OBRAS DE INFRA- ESTRUTURA POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 FLUXO - OBRAS DE INFRA- ESTRUTURA POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 29 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 29 FLUXO - OBRAS DE INFRA-ESTRUTURA, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA

Leia mais

A Contratualização no SUS

A Contratualização no SUS 2º Seminário sobre Certificação de Entidades Beneficentes de Assistência Social no âmbito do SUS A Contratualização no SUS Brasília, 15 de maio de 2013 2003 Amplo debate com vistas ao desenvolvimento de

Leia mais

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE ORÇAMENTO FEDERAL

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE ORÇAMENTO FEDERAL REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE ORÇAMENTO FEDERAL ORÇAMENTOS DA UNIÃO EXERCÍCIO FINANCEIRO 2015 PROJETO DE LEI ORÇAMENTÁRIA INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES

Leia mais

Estratégia de Desenvolvimento Regional, Política Pública Negociada e Novas Institucionalidades.

Estratégia de Desenvolvimento Regional, Política Pública Negociada e Novas Institucionalidades. Seminário Internacional. Desarrollo Económico Territorial: nuevas praxis em América Latina y el el Caribe em el siglo XXI CEPAL/ILPES, Santiago de Chile, 19 al 21 de octubre de 2010 Estratégia de Desenvolvimento

Leia mais

PIB 2012 Estado do Tocantins

PIB 2012 Estado do Tocantins PIB 2012 Estado do Tocantins Parceiros: GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SANDOVAL LÔBO CARDOSO Governador do Estado TOM LYRA Vice-governador do Estado JOAQUIM CARLOS PARENTE JUNIOR Secretário JOAQUÍN EDUARDO

Leia mais

Pendências de Envio do Relatório de Gestão Municipal-2013 aos CMS

Pendências de Envio do Relatório de Gestão Municipal-2013 aos CMS INFORME SARGSUS Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde 1 ESFERA MUNICIPAL 1.1 Relatório de Gestão Ano 2013 Até a presente data,

Leia mais

OBJETIVO. Teleconsultoria Telediagnóstico Teleeducação. Legislação. Portaria 2546/2011 Portaria 2554/2011

OBJETIVO. Teleconsultoria Telediagnóstico Teleeducação. Legislação. Portaria 2546/2011 Portaria 2554/2011 OBJETIVO Melhorar a qualidade do serviço de saúde do SUS, capacitando e integrando os trabalhadores e profissionais de saúde por meio do uso de tecnologias e infra-estrutura de informática e telecomunicação

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (dezembro/13) Janeiro de 2014 Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda

Leia mais

Noções Básicas sobre. Encontro Nacional de Coordenadores da Saúde do Idoso. População Idosa no Cenário Nacional: Transição Demográfica

Noções Básicas sobre. Encontro Nacional de Coordenadores da Saúde do Idoso. População Idosa no Cenário Nacional: Transição Demográfica Encontro Nacional de Coordenadores da Saúde do Idoso Noções Básicas sobre População Idosa no Cenário Nacional: Transição Demográfica Joilson Rodrigues de Souza Coordenador de Disseminação de Informações

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (Setembro/14) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA SALARIAL 11/1/2010

ANÁLISE COMPARATIVA SALARIAL 11/1/2010 ANÁLISE COMPARATIVA SALARIAL PROFESSORES DAS REDES ESTADUAIS NO BRASIL A PRESENTE PESQUISA ESTÁ ENQUADRADA NA ESTRATÉGIA DO SINDICATO APEOC DE CONSTRUIR A ADEQUAÇÃO DO PLANO DE CARREIRA DOS TRABALHADORES

Leia mais

Manual Identidade Visual CFC - CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE

Manual Identidade Visual CFC - CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE Partindo da figura da engrenagem, presente na logo atual do CFC, o novo logo desenvolvido mantém uma relação com o passado da instituição, porém com um olhar no presente e no futuro, na evolução e ascensão

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (Junho/14) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

Contas Regionais do Brasil 2010

Contas Regionais do Brasil 2010 Diretoria de Pesquisas Contas Regionais do Brasil 2010 Coordenação de Contas Nacionais frederico.cunha@ibge.gov.br alessandra.poca@ibge.gov.br Rio, 23/11/2012 Contas Regionais do Brasil Projeto de Contas

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS MUNICÍPIOS DA MICRORREGIÃO DO VALE DO PARANAÍBA ASSESSORIA EM GESTÃO PÚBLICA FPM. (Fundo de Participação dos Municípios)

ASSOCIAÇÃO DOS MUNICÍPIOS DA MICRORREGIÃO DO VALE DO PARANAÍBA ASSESSORIA EM GESTÃO PÚBLICA FPM. (Fundo de Participação dos Municípios) FPM (Fundo de Participação dos Municípios) - Projeções para 2014 - Decisão Normativa - TCU Nº 133, de 27 de novembro de 2013 1 DECISÃO NORMATIVA - TCU Nº 133, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2013 Aprova, para o exercício

Leia mais

Características do candidato a Empreendedor Individual (MEI) no Brasil. SEBRAE-SP/Planejamento Abril de 2009

Características do candidato a Empreendedor Individual (MEI) no Brasil. SEBRAE-SP/Planejamento Abril de 2009 Características do candidato a Empreendedor Individual (MEI) no Brasil SEBRAE-SP/Planejamento Abril de 2009 1 Metodologia do trabalho Definição de candidato a MEI: Consideramos como proxy de candidato

Leia mais

Positivas Neutras e Negativas em Maio 2009

Positivas Neutras e Negativas em Maio 2009 AVALIAÇÃO DAS NOTÍCIAS PUBLICADAS NA MÍDIA CITANDO SEBRAE Positivas Neutras e Negativas em Maio 2009 Nº de Notícias Cm2 Páginas Valor Publicitário (R$) Leitores Potenciais Positivas 293 88.783,73 55,87

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF UF Tecnologia Velocidade Quantidade de Acessos AC ATM 12 Mbps a 34Mbps 3 AC ATM 34 Mbps

Leia mais

As Razões da Educação Profissional: Olhar da Demanda

As Razões da Educação Profissional: Olhar da Demanda As Razões da Educação Profissional: Olhar da Demanda Apresentação: Marcelo Neri (FGV/CPS) Versão Original: 8 de fevereiro de 1 ÍNDICE I) Visão Geral Determinantes Objetivos & Motivações da Demanda II)

Leia mais

Desafios do Federalismo Brasileiro. Paula Ravanelli Losada Subchefia de Assuntos Federativos Secretaria de Relações Institucionais

Desafios do Federalismo Brasileiro. Paula Ravanelli Losada Subchefia de Assuntos Federativos Secretaria de Relações Institucionais Desafios do Federalismo Brasileiro Paula Ravanelli Losada Subchefia de Assuntos Federativos Secretaria de Relações Institucionais Federação desigual Arranjo Federativo Brasileiro As desigualdades regionais

Leia mais

Racionamento de água. Abril/2017

Racionamento de água. Abril/2017 Racionamento de água Abril/2017 Objetivo da Pesquisa Metodologia Tópicos da Pesquisa Informações técnicas Levantar informações sobre temas importantes no contexto atual dos Pequenos Negócios. TEMA ANALISADO

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Junho de 2016

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Junho de 2016 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Junho de 2016 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Junho de 2016 Sumário Executivo Indicadores de confiança são indicadores

Leia mais

Varejo de Material de Construção

Varejo de Material de Construção Seminário GVcev Varejo de Material de Construção Programa de Desenvolvimento de Gestores Giancarlo Minoietti 66 anos Inovando para Construir Melhor A Tigre S. A. nasceu da ousadia e pioneirismo do jovem

Leia mais

SITUAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA ATUAL

SITUAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA ATUAL INFORME EPIDEMIOLÓGICO Nº 09 SEMANA EPIDEMIOLÓGICA (SE) 02/2016 (10 A 16/01/2016) MONITORAMENTO DOS CASOS DE MICROCEFALIA NO BRASIL A partir desta edição, o informe epidemiológico do COES passa a apresentar

Leia mais

O DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DO ESTADO DO CEARÁ E O COMPORTAMENTO DO MERCADO DE TRABALHO

O DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DO ESTADO DO CEARÁ E O COMPORTAMENTO DO MERCADO DE TRABALHO O DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DO ESTADO DO CEARÁ E O COMPORTAMENTO DO MERCADO DE TRABALHO Evidências Recentes e Reflexões março/2014 Fortaleza - Ceará Aspectos Gerais da Economia Cearense -0,33 1,15 0,04

Leia mais

Sublimites estaduais de enquadramento para. Nacional 2012/2013. Vamos acabar com essa ideia

Sublimites estaduais de enquadramento para. Nacional 2012/2013. Vamos acabar com essa ideia Sublimites estaduais de enquadramento para o ICMS no Simples Nacional 2012/2013 Vamos acabar com essa ideia 4 CNI APRESENTAÇÃO Os benefícios do Simples Nacional precisam alcançar todas as micro e pequenas

Leia mais