Universidade Federal Rural do Semiárido Centro de Ciências Sociais Aplicadas e Humanas Curso de Ciências Contábeis. Atividade 4 Processos de ajuste

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Universidade Federal Rural do Semiárido Centro de Ciências Sociais Aplicadas e Humanas Curso de Ciências Contábeis. Atividade 4 Processos de ajuste"

Transcrição

1 Universidade Federal Rural do Semiárido Centro de Ciências Sociais Aplicadas e Humanas Curso de Ciências Contábeis Disciplina Professor (a) Contabilidade introdutória (ACS0252) Thaiseany de Freitas Rêgo Matrícula Nome Atividade 4 Processos de ajuste A. A empresa, Amigos Ltda, iniciou as suas atividades em 01/06/2016, momento no qual integralizou os seguintes bens: ITEM CUSTO DE AQUISIÇÃO VALOR RESIDUAL/ VENDA VIDA ÚTIL Computadores e periféricos ,00-5 anos Direitos autorais ,00-10 anos Edificações ,00-25 anos Minas , ,00 7 anos Móveis e utensílios ,00 600,00 10 anos Poços petrolíferos , ,00 50 anos Tratores , ,00 4 anos Marcas , ,00 5 anos Patentes ,00-10 anos Pede-se para: a) Separar os itens a serem depreciados, amortizados e exauridos. b) Calcular a depreciação, amortização ou exaustão mensal dos itens enumerados. c) Realizar o lançamento referente à: Integralização dos itens enumerados no quadro. Reconhecimento da despesa anual com depreciação, amortização e exaustão, considerando como referência: 31/12/2017. d) Indique: Em que grupo de contas deve ser figurado os itens oriundos da integralização dos bens, despesas de depreciação, amortização e exaustão Saldo final dos grupos de contas de Ativo não circulante Imobilizado e Ativo não circulante Intangível.

PROCESSOS DE AJUSTES

PROCESSOS DE AJUSTES AULA 11: PROCESSOS DE AJUSTES Disciplina: Contabilidade introdutória Professor: Thaiseany de Freitas Rêgo Mossoró-RN 2017 1 JUSTES Deve ser realizado ao final de cada mês Regime de competência Fato gerador

Leia mais

NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE NBC T 16 NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADAS AO SETOR PÚBLICO

NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE NBC T 16 NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADAS AO SETOR PÚBLICO NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE NBC T 16 NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADAS AO SETOR PÚBLICO NBC T 16.9 DEPRECIAÇÃO, AMORTIZAÇÃO E EXAUSTÃO Conteúdo Item DISPOSIÇÕES GERAIS 1 OBJETIVOS E

Leia mais

Exercício I Calcule a depreciação anual em cada situação abaixo.

Exercício I Calcule a depreciação anual em cada situação abaixo. Exercício I Calcule a depreciação anual em cada situação abaixo. a. Máquina adquirida por $18.000, com vida útil estimada de 15 anos e valor residual $3.000. b. Veículo adquirido por $30.000, com vida

Leia mais

Disciplina: Economia Para Engenharia Elétrica (TE142) Cap. III AVALIAÇÃO DE PROJETOS E NEGÓCIOS Capítulo III.a. Depreciação do Ativo Imobilizado

Disciplina: Economia Para Engenharia Elétrica (TE142) Cap. III AVALIAÇÃO DE PROJETOS E NEGÓCIOS Capítulo III.a. Depreciação do Ativo Imobilizado Universidade Federal de Paraná Setor de Tecnologia Departamento de Engenharia Elétrica Disciplina: Economia Para Engenharia Elétrica (TE142) Cap. III AVALIAÇÃO DE PROJETOS E NEGÓCIOS Capítulo III.a. Depreciação

Leia mais

AQUISIÇÃO DO IMOBILIZADO

AQUISIÇÃO DO IMOBILIZADO ATIVO IMOBILIZADO Ativo imobilizado é o item tangível que: É mantido para uso na produção ou fornecimento de mercadorias ou serviços, para aluguel a outros, ou para fins administrativos; e se espera utilizar

Leia mais

1 BALANÇO PATRIMONIAL BP Atividades Práticas

1 BALANÇO PATRIMONIAL BP Atividades Práticas 1 BALANÇO PATRIMONIAL BP Atividades Práticas 1. Questões: 1 - Comente os principais grupos de contas do Balanço, com exemplos. 2 - Explique o que são curto e longo prazo para a contabilidade. 3 - Quais

Leia mais

ESTUDO SOBRE O PATRIMÔNIO

ESTUDO SOBRE O PATRIMÔNIO AULA 10: ESTUDO SOBRE O PATRIMÔNIO Disciplina: Contabilidade introdutória Professor: Thaiseany de Freitas Rêgo Mossoró-RN 2017 1 CONCEITO DE PATRIMÔNIO Conjunto de bens pertencentes a uma pessoa ou a uma

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL AÇÃO SOCIAL NOSSA SENHORA APARECIDA DO MANTIQUEIRA CNPJ:

BALANÇO PATRIMONIAL AÇÃO SOCIAL NOSSA SENHORA APARECIDA DO MANTIQUEIRA CNPJ: Folha 59 BALANÇO PATRIMONIAL (Valores expressos em milhares de reais) ATIVO 2009 2008 PASSIVO 2009 2008 CIRCULANTE CIRCULANTE Caixa 13 2.938 Empréstimos e financiamentos Banco 3.874 6.202 Fornecedores

Leia mais

De acordo com o histórico, classifique as atividades em Operacional, Investimentos ou Financiamentos:

De acordo com o histórico, classifique as atividades em Operacional, Investimentos ou Financiamentos: 3.5 EXERCÍCIO DE CLASSIFICAÇÃO DE ATIVIDADES: De acordo com o histórico, classifique as atividades em Operacional, Investimentos ou Financiamentos: HISTÓRICO Pela Aquisição de Mercadorias at. ch Pelo ICMS

Leia mais

Contabilidade ESTRUTURA PATRIMONIAL SITUAÇÃO LÍQUIDA (PATRIMÔNIO LÍQUIDO) FLUXO DE RECURSOS. Fluxo dos recursos SÍNTESE DO FUNCIONAMENTO DAS CONTAS

Contabilidade ESTRUTURA PATRIMONIAL SITUAÇÃO LÍQUIDA (PATRIMÔNIO LÍQUIDO) FLUXO DE RECURSOS. Fluxo dos recursos SÍNTESE DO FUNCIONAMENTO DAS CONTAS ESTRUTURA PATRIMONIAL Patrimônio = Bens + Direitos ( ) Obrigações SITUAÇÃO LÍQUIDA (PATRIMÔNIO LÍQUIDO) Ativo ( ) Passivo = Situação Líquida (Patrimônio Líquido) FLUXO DE RECURSOS ATIVO Aplicação dos Recursos

Leia mais

ATIVO Nota PASSIVO Nota

ATIVO Nota PASSIVO Nota Balanços patrimoniais ATIVO Nota 2016 2015 PASSIVO Nota 2016 2015 CIRCULANTE CIRCULANTE Caixa e equivalentes de caixa 165 528 Recursos a serem aplicados em projetos 7 23.836 23.413 Caixa e equivalentes

Leia mais

Unidade IV ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

Unidade IV ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Unidade IV 20 RESOLUÇÃO DE UM EXERCÍCIO COMPLETO 5 Resolução de um exercício completo elaborado conforme a legislação em vigor. Todos os demonstrativos contábeis já

Leia mais

Quais são os objetivos do tópico... DETALHAMENTO DOS REGISTROS CONTÁBEIS 6. Imobilizado, Intangível e Impairment.

Quais são os objetivos do tópico... DETALHAMENTO DOS REGISTROS CONTÁBEIS 6. Imobilizado, Intangível e Impairment. USP-FEA Curso de Administração Disciplina: EAC0111-Contabilidade e Análise de Balanço DETALHAMENTO DOS REGISTROS CONTÁBEIS 6., Intangível e Impairment Profa. Dra. Joanília Cia (joanilia@usp.br) 1 Quais

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS REGULATÓRIAS

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS REGULATÓRIAS ENERGIA DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS REGULATÓRIAS Endereço: Rua Albino Pinto, 292 - Santo Antônio CEP 95860-000 Taquari-RS Fone/Fax: (51) 3653.6600 - Disque-Certaja: 0800 541 6185 certaja@certaja.com.br - www.certaja.com.br

Leia mais

Procedimentos Contábeis Patrimoniais e Específicos Adotados e Cronograma de Ações a adotar até 2014, conforme Portaria STN nº 828 de 14/12/2011

Procedimentos Contábeis Patrimoniais e Específicos Adotados e Cronograma de Ações a adotar até 2014, conforme Portaria STN nº 828 de 14/12/2011 1 Reconhecimento, mensuração e evidenciação dos direitos, das 2012 2013 2014 obrigações e provisões por competência. Elaboração de procedimentos para Metodologia de reconhecimento e mensuração dos direitos

Leia mais

AGENTE DA POLÍCIA FEDERAL. NOÇÕES DE CONTABILIDADE Profª. Camila Gomes

AGENTE DA POLÍCIA FEDERAL. NOÇÕES DE CONTABILIDADE Profª. Camila Gomes AGENTE DA POLÍCIA FEDERAL NOÇÕES DE CONTABILIDADE Profª. Camila Gomes Contas Natureza da Conta Saldo Aumenta Diminui Patrimoniais Ativo Devedora D C Passivo Credora C D PL Credora C D Resultado Receita

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE E ATUÁRIA CURSO: ADMINISTRAÇÃO

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE E ATUÁRIA CURSO: ADMINISTRAÇÃO UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE E ATUÁRIA CURSO: ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA: EAC0111 NOÇÕES DE CONTABILIDADE PARA ADMINISTRADORES

Leia mais

CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA Profª Dilci Oliveira

CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA Profª Dilci Oliveira CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA Profª Dilci Oliveira Contabilidade é a ciência que estuda, registra, controla e interpreta os fatos ocorridos no patrimônio das entidades com fins lucrativos ou não. Objetivos

Leia mais

Nivelamento de Conceitos Contábeis

Nivelamento de Conceitos Contábeis Nivelamento de Conceitos Contábeis Demonstrações Contábeis Balanço Patrimonial - BP Demonstração de Resultado do Exercício - DRE Demonstração dos Fluxos de Caixa DFC Substituiu a Demonstração das Origens

Leia mais

CDD: 657 AC:

CDD: 657 AC: Fonseca, Alan Sales da. F676c Contabilidade : revisão balanço patrimonial e DRE / Alan Sales da Fonseca. Varginha, 2015. 17 slides; il. Sistema requerido: Adobe Acrobat Reader Modo de Acesso: World Wide

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL SOCIEDADE EDUCACIONAL ARCO IRIS SEAR CNPJ:

BALANÇO PATRIMONIAL SOCIEDADE EDUCACIONAL ARCO IRIS SEAR CNPJ: Folha 34 BALANÇO PATRIMONIAL SOCIEDADE EDUCACIONAL ARCO IRIS SEAR Demontrações Contabeis em 31 de Dezembro de 2009 2008 SOCIEDADE EDUCACIONAL ARCO IRIS SEAR Demontrações Contabeis em 31 de Dezembro de

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL ENCERRADO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013

BALANÇO PATRIMONIAL ENCERRADO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 BALANÇO PATRIMONIAL ENCERRADO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 A T I V O 2013 2012 P A S S I V O 2013 2012 ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE DISPONIBILIDADES 138.306,74 147.777,56 Caixa 387,34 201,39 OBRIGAÇÕES

Leia mais

Olá, pessoal! A seguir o artigo sobre exaustão preparado pelo Professor Luciano Rosa!

Olá, pessoal! A seguir o artigo sobre exaustão preparado pelo Professor Luciano Rosa! Olá, pessoal! A seguir o artigo sobre exaustão preparado pelo Professor Luciano Rosa! Uma excelente oportunidade para aprofundar um pouco mais sobre o assunto. Lembre-se de que se o treino difícil, o jogo

Leia mais

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO...

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO... SUMÁRIO APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO... 19 CAPÍTULO I ESTRUTURA CONCEITUAL BÁSICA DA CONTABILIDADE... 21 1. Conceito de contabilidade... 21 2. Objeto... 22 3. Campo de aplicação... 23 4. Objetivos... 23 5.

Leia mais

CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS

CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS Edição 1ª 7 8 9 8 4 8 1 9 2 3 0 5 4 CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS Errata 01 de: 21/05/2013 Correção de gabarito que ocorreu na página citada. Errata 01 Contabilidade Geral para Concursos Página 99

Leia mais

Contabilidade. Objeto, objetivo e finalidade. Bens. Conceito de Contabilidade. Conceitos iniciais - Ativo. Contabilidades específicas:

Contabilidade. Objeto, objetivo e finalidade. Bens. Conceito de Contabilidade. Conceitos iniciais - Ativo. Contabilidades específicas: Objeto, objetivo e finalidade Contabilidade Conceitos iniciais - Ativo Objeto: o patrimônio Objetivo: estudo, controle e apuração do resultado Finalidade: Fornecer informações econômicas e financeira sobre

Leia mais

Empréstimos e Financiamentos

Empréstimos e Financiamentos Empréstimos e Financiamentos 1. Introdução São operações realizadas entre a empresa e instituições financeiras, visando tomar destas, recursos para investimentos (imobilizações) ou capital de giro, mediante

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL MOVIMENTO COMUNITARIO DA SEARA CNPJ:

BALANÇO PATRIMONIAL MOVIMENTO COMUNITARIO DA SEARA CNPJ: Folha 126 BALANÇO PATRIMONIAL MOVIMENTO COMUNITARIO DA SEARA Demontrações Contabeis em 31 de Dezembro de MOVIMENTO COMUNITARIO DA SEARA Demontrações Contabeis em 31 de Dezembro de (Valores expressos em

Leia mais

1. Elaborar a Demonstração dos Fluxos de Caixa (Método Direto e Indireto). BALANÇO PATRIMONIAL Ativo X1 X2 Variação ATIVO CIRCULANTE

1. Elaborar a Demonstração dos Fluxos de Caixa (Método Direto e Indireto). BALANÇO PATRIMONIAL Ativo X1 X2 Variação ATIVO CIRCULANTE 1. Elaborar a Demonstração dos Fluxos de Caixa (Método Direto e Indireto). C I A. E X E M P L O BALANÇO PATRIMONIAL Ativo X1 X2 Variação ATIVO CIRCULANTE Caixa 2.500 18.400 15.900 Clientes 15.600 13.400

Leia mais

Empresa de Distribuição de Energia Vale Paranapanema S.A. Demonstrações Financeiras Regulatórias em 31 de Dezembro de 2012 e 2011

Empresa de Distribuição de Energia Vale Paranapanema S.A. Demonstrações Financeiras Regulatórias em 31 de Dezembro de 2012 e 2011 Empresa de Distribuição de Energia Vale Paranapanema S.A. Demonstrações Financeiras Regulatórias em 31 de Dezembro de 2012 e 2011 EMPRESA DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA VALE PARANAPANEMA S.A. DEMONSTRAÇÕES

Leia mais

DEPRECIAÇÃO

DEPRECIAÇÃO 1 de 6 31/01/2015 14:53 DEPRECIAÇÃO Depreciação é a alocação sistemática do valor depreciável de um ativo ao longo da sua vida útil (NBC T 19.1 - Ativo Imobilizado), ou seja, o registro da redução do valor

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO UNIVERSITÁRIO NORTE DO ESPÍRITO SANTO DISCIPLINA: ECONOMIA DA ENGENHARIA I I

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO UNIVERSITÁRIO NORTE DO ESPÍRITO SANTO DISCIPLINA: ECONOMIA DA ENGENHARIA I I UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO UNIVERSITÁRIO NORTE DO ESPÍRITO SANTO DISCIPLINA: ECONOMIA DA ENGENHARIA I I AULA MODELO SOBRE DEPRECIAÇÃO, EXAUSTÃO E AMORTIZAÇÃO Conceito a) Legislação Societária

Leia mais

- Constituição de Empresas o capital de empresas, sejam individuais ou sociedades é constituído pela entrega de bens e ou valores por seus fundadores.

- Constituição de Empresas o capital de empresas, sejam individuais ou sociedades é constituído pela entrega de bens e ou valores por seus fundadores. - Constituição de Empresas o capital de empresas, sejam individuais ou sociedades é constituído pela entrega de bens e ou valores por seus fundadores. - Sociedade Limitada Na Sociedade Limitada o capital

Leia mais

Considerando-se apenas as informações apresentadas, apresente o registro contábil relativo à apuração do ICMS no mês de fevereiro de 2017:

Considerando-se apenas as informações apresentadas, apresente o registro contábil relativo à apuração do ICMS no mês de fevereiro de 2017: CONTABILIDADE INTERMEDIÁRIA: QUESTÕES DE REVISÃO 01) Uma Sociedade Empresária que possui um único estabelecimento apresentava, em 31.1.2017, após a apuração do Imposto sobre Circulação de Mercadorias ICMS,

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL FUNDAÇÃO GARUDA CNPJ:

BALANÇO PATRIMONIAL FUNDAÇÃO GARUDA CNPJ: Folha 28 BALANÇO PATRIMONIAL FUNDAÇÃO GARUDA Demontrações Contabeis em 31 de Dezembro de 2009 2008 FUNDAÇÃO GARUDA Demontrações Contabeis em 31 de Dezembro de (Valores expressos em milhares de reais) 2009

Leia mais

Prof. Jean Cavaleiro. Unidade III CONTABILIDADE

Prof. Jean Cavaleiro. Unidade III CONTABILIDADE Prof. Jean Cavaleiro Unidade III CONTABILIDADE Objetivos Praticar os conceitos até aqui discutidos. Enxergar a aplicação da legislação vigente na prática. Exercício completo Vimos em unidades anteriores

Leia mais

- Constituição de Empresas o capital de empresas, sejam individuais ou sociedades é constituído pela entrega de bens e ou valores por seus fundadores.

- Constituição de Empresas o capital de empresas, sejam individuais ou sociedades é constituído pela entrega de bens e ou valores por seus fundadores. - Constituição de Empresas o capital de empresas, sejam individuais ou sociedades é constituído pela entrega de bens e ou valores por seus fundadores. - Sociedade Limitada Na Sociedade Limitada o capital

Leia mais

CONTABILIDADE GERAL. Aula 12 Balanço Patrimonial

CONTABILIDADE GERAL. Aula 12 Balanço Patrimonial CONTABILIDADE GERAL Aula 12 Balanço Patrimonial Nessa aula vamos ver conforme nosso edital: Itens do edital: 1. Contabilidade Geral: g) Balanço patrimonial: Apresentação, aspectos conceituais, finalidades

Leia mais

FUNDAÇÃO DE APOIO A EDUCAÇÃO PESQUISA DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO FLUMINENSE-PRO-IFF CNPJ SOB O Nº /

FUNDAÇÃO DE APOIO A EDUCAÇÃO PESQUISA DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO FLUMINENSE-PRO-IFF CNPJ SOB O Nº / FUNDAÇÃO DE APOIO A EDUCAÇÃO PESQUISA DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO FLUMINENSE-PRO-IFF 1 Contexto operacional CNPJ SOB O Nº 04.016.579/0001-31 NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM

Leia mais

1 BALANÇO PATRIMONIAL BP Atividades Práticas

1 BALANÇO PATRIMONIAL BP Atividades Práticas 1 BALANÇO PATRIMONIAL BP Atividades Práticas 1. Questões: 1 - Comente os principais grupos de contas do Balanço, com exemplos. 2 - Explique o que são curto e longo prazo para a contabilidade. 3 - Quais

Leia mais

Balanço Patrimonial da Cia Salve&Kana

Balanço Patrimonial da Cia Salve&Kana Elaboração da DFC Método Direto A fim de possibilitar melhor entendimento, vamos desenvolver um exemplo passo a passo da montagem da DFC pelo método direto, tomando por base as informações a seguir: Balanço

Leia mais

PLANO DE IMPLANTAÇÃO DOS PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS PATRIMONIAIS: dicas de adoção. Contadora Michele Patricia Roncalio

PLANO DE IMPLANTAÇÃO DOS PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS PATRIMONIAIS: dicas de adoção. Contadora Michele Patricia Roncalio PLANO DE IMPLANTAÇÃO DOS PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS PATRIMONIAIS: dicas de adoção Contadora Michele Patricia Roncalio Orientações Estratégicas para a Contabilidade Aplicada ao Setor Público no Brasil Desenvolvimento

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL - ANEXO 14

BALANÇO PATRIMONIAL - ANEXO 14 ATIVO Exercício Atual PASSIVO Exercício Atual ATIVO CIRCULANTE 652.201,35 PASSIVO CIRCULANTE 236.288,68 Caixa e Equivalentes de Caixa 652.201,35 Obrigações Trabalhistas, Previdenciárias e Assistenciais

Leia mais

CORE/RO Conselho Regional dos Representantes Comerciais do Estado de Rondonia CNPJ: /

CORE/RO Conselho Regional dos Representantes Comerciais do Estado de Rondonia CNPJ: / Conselho Regional dos Representantes Comerciais do Estado de Rondonia CNPJ: 84.646.397/0001-83 Balanço Patrimonial ATIVO PASSIVO Especificação ATIVO CIRCULANTE CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA CRÉDITOS A

Leia mais

Relatórios Financeiros e IFRS (CPC) Aula 1

Relatórios Financeiros e IFRS (CPC) Aula 1 Relatórios Financeiros e IFRS (CPC) Aula 1 Objetivos dos Relatórios Financeiros Desem -penho Fluxos de Caixa Posição Financeira e Patrimonial Usuário Externo Propriedade X Gestão Projeção do Futuro Fluxos

Leia mais

Transparência Brasil. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes

Transparência Brasil. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Transparência Brasil Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes 31 de Dezembro de 2006 e de 2005 1 Parecer dos auditores independentes Aos conselheiros da Transparência

Leia mais

AMC - CONSTRUÇÕES E PARTICIPAÇÕES LTDA. C.N.P.J./M.F /

AMC - CONSTRUÇÕES E PARTICIPAÇÕES LTDA. C.N.P.J./M.F / 1 - CONTEXTO OPERACIONAL A Sociedade tem como objetivos a prestação de serviços de construção civil e edificações, a participação no capital de outras empresas, do mesmo ramo ou não, de qualquer natureza

Leia mais

Demonstrações Financeiras

Demonstrações Financeiras Demonstrações Financeiras 75º edição 1 de Abril de 214 à 31 de março de 215 Balanço Anual Ativos Ativos circulante Caixa Títulos a receber Contas a receber mobiliários Produtos Materia-Prima Trabalhos

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL - ANEXO 14

BALANÇO PATRIMONIAL - ANEXO 14 ATIVO Exercício Atual PASSIVO Exercício Atual ATIVO CIRCULANTE Caixa e Equivalentes de Caixa 4.161.540,37 Créditos a Curto Prazo PASSIVO CIRCULANTE Obrigações Trabalhistas, Previdenciárias e Assistenciais

Leia mais

TOTAL DO ATIVO TOTAL DO PASSIVO

TOTAL DO ATIVO TOTAL DO PASSIVO CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE JANEIRO DE 2016 CNPJ 47.902.648/0001-17 ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE Caixa e Equivalentes de Caixa 2.956 Fornecedores 38.696 Contas a Receber 53.851

Leia mais

CADERNO DE QUESTÕES Contas.cnt

CADERNO DE QUESTÕES Contas.cnt Contas.cnt 01. Com relação à situação patrimonial, assinale a opção INCORRETA. a) A compra de matéria-prima a prazo provoca aumento no Ativo e no Passivo. b) A integralização de capital em dinheiro provoca

Leia mais

TOTAL DO ATIVO TOTAL DO PASSIVO

TOTAL DO ATIVO TOTAL DO PASSIVO CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE MAIO DE 2016 CNPJ 47.902.648/0001-17 ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE Caixa e Equivalentes de Caixa 7.061 Fornecedores 33.947 Contas a Receber 41.832

Leia mais

MÉTODO DAS PARTIDAS DOBRADAS

MÉTODO DAS PARTIDAS DOBRADAS AULA 9: MÉTODO DAS PARTIDAS DOBRADAS Disciplina: Contabilidade introdutória Professor: Thaiseany de Freitas Rêgo Mossoró-RN 2017 1 MÉTODOS DE ESCRITURAÇÃO Partidas simples Partidas dobradas Registro de

Leia mais

Características. P A S S I V O Origem dos recursos aplicados no Ativo

Características. P A S S I V O Origem dos recursos aplicados no Ativo Balanço Patrimonial conteúdo - características aplicação de recursos - Ativo origem de recursos - Passivo estrutura geral estrutura do Ativo estrutura do Passivo Características Principal demonstrativo

Leia mais

Sumário. Capítulo 2. Conceitos Básicos...1. Patrimônio Contabilidade_Geral_Resumida_cap_00.indd 9 14/10/ :44:34

Sumário. Capítulo 2. Conceitos Básicos...1. Patrimônio Contabilidade_Geral_Resumida_cap_00.indd 9 14/10/ :44:34 Sumário Capítulo 1 Conceitos Básicos...1 1. Contabilidade: Conceitos, Objeto, Objetivo, Finalidade e Campo de Aplicação...1 2. Usuários da Informação Contábil...2 3. Principais Tipos de Sociedades Existentes

Leia mais

Avaliação de Projetos e

Avaliação de Projetos e www.iem.efei.br/edson Avaliação de Projetos e Negócios Prof. Edson de Oliveira Pamplona http://www.iem.efei.br/edson 26 Introdução Para avaliação de Projetos e Negócios é necessário: Projetar Demonstração

Leia mais

LES0665 CONTABILIDADE E ANÁLISE DE DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS. Prof. Lucilio Rogerio Aparecido Alves. Depto. de Economia, Administração e Sociologia

LES0665 CONTABILIDADE E ANÁLISE DE DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS. Prof. Lucilio Rogerio Aparecido Alves. Depto. de Economia, Administração e Sociologia LES0665 CONTABILIDADE E ANÁLISE DE DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS Prof. Lucilio Rogerio Aparecido Alves Depto. de Economia, Administração e Sociologia REGIMES DE CONTABILIDADE Apuração de Resultados. Regime

Leia mais

Os Desafios da Nova Gestão Patrimonial. A Mudança de Paradigmas

Os Desafios da Nova Gestão Patrimonial. A Mudança de Paradigmas Os Desafios da Nova Gestão Patrimonial A Mudança de Paradigmas A EVOLUÇÃO DA GESTÃO PATRIMONIAL NO BRASIL BRASIL IMPÉRIO - O ESTADO PATRIMONIALISTA Os governantes consideravam o Estado como seu patrimônio,

Leia mais

ENCERRAMENTO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 17/01/2013 LUCIANO PERRONE

ENCERRAMENTO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 17/01/2013 LUCIANO PERRONE ENCERRAMENTO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 17/01/2013 LUCIANO PERRONE Introdução Enquadramento conforme as Novas Normas Contábeis IFRS. SOCIEDADES ANÔNIMAS DE CAPITAL ABERTO SOCIEDADES DE GRANDE PORTE

Leia mais

1 D: Compra de Mercadorias ,00 D: ICMS a recuperar 6.300,00 C: Banco S/A ,00. 2 D: Salários a pagar 9.000,00 C: Caixa 9.

1 D: Compra de Mercadorias ,00 D: ICMS a recuperar 6.300,00 C: Banco S/A ,00. 2 D: Salários a pagar 9.000,00 C: Caixa 9. Curso de Ciências Contábeis Disciplina: Contabilidade Comercial I 3ª Fase Professora: Lyss Paula de Oliveira ESTADO DE MATO GROSSO Resolução de Atividades Extra: Lançamentos no Diário: 1 D: Compra de Mercadorias

Leia mais

UNIDADE GESTORA (2353/SERVIÇO AUTONÔMO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTO DE TIMBÓ)

UNIDADE GESTORA (2353/SERVIÇO AUTONÔMO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTO DE TIMBÓ) NOTAS EXPLICATIVAS DO COMPARATIVO DA DESPESA AUTORIZADA COM A REALIZADA ANEXO 11 Neste demonstrativo gerado pelo e-sfinge Web, não fora considerado no campo dos Créditos Orçamentários e Suplementares o

Leia mais

CURSO DE CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA

CURSO DE CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA CURSO DE CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA Professor Humberto Fernandes de Lucena www.editoraferreira.com.br 2. 2.1 Conceito O Patrimônio, sendo o objeto da Contabilidade, define-se como o conjunto formado pelos

Leia mais

CONTABILIDADE E ANÁLISE DE BALANÇOS

CONTABILIDADE E ANÁLISE DE BALANÇOS CONTABILIDADE E ANÁLISE DE BALANÇOS (EAC0549) Prof. Renê Coppe Pimentel Material e conteúdo padronizados elaborados por professores da FEA/USP Prof. Renê Coppe Pimentel Pg. 1 Atuação do Contador Administração

Leia mais

Contabilidade Orçamentária e Patrimonial

Contabilidade Orçamentária e Patrimonial Contabilidade Orçamentária e Patrimonial EVOLUÇÃO LEGAL 4320/64 LRF NBCT S ENFOQUES DA CONTABILIDADE EFEITOS NO PATRIMÔNIO IMPACTO NO FLUXO DE CAIXA RECEITAS E DESPESAS (BASE MODIFICADA) Contabilidade

Leia mais

Sumário. Capítulo Conceito Bens Direitos Obrigações Patrimônio Líquido Estados Patrimoniais...

Sumário. Capítulo Conceito Bens Direitos Obrigações Patrimônio Líquido Estados Patrimoniais... Sumário Capítulo 1 Conceitos Básicos...1 1. Contabilidade...1 1.1. Conceitos...1 1.2. Campo de Aplicação...2 1.3. Funções da Contabilidade...2 1.4. Usuários da Informação Contábil...3 1.5. Técnicas Contábeis

Leia mais

Contabilidade Geral Exercícios de fixação Escrituração 1. Aquisição de mercadorias à vista, em dinheiro, por $

Contabilidade Geral Exercícios de fixação Escrituração 1. Aquisição de mercadorias à vista, em dinheiro, por $ 1 Contabilidade Geral Exercícios de fixação Escrituração 1. Aquisição de mercadorias à vista, em dinheiro, por $ 10.000. 2. Aquisição de mercadorias, a prazo, por $ 10.000. 3. Aquisição de mercadorias,

Leia mais

Comparativo das aulas dos demais cursos com os itens o edital do TRF 1ª Região

Comparativo das aulas dos demais cursos com os itens o edital do TRF 1ª Região Comparativo das aulas dos demais cursos com os itens o edital do TRF 1ª Região ANALISTA JUDICIÁRIO ÁREA: ADMINISTRATIVA ORÇAMENTO PÚBLICO: 1 Conceitos. 2 Princípios orçamentários. 3 Orçamento Programa:

Leia mais

Demonstrações Contábeis Obrigatórias

Demonstrações Contábeis Obrigatórias ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS NO BRASIL Demonstrações Contábeis Obrigatórias Balanço Patrimonial (BP) Demonstração do Resultado do Exercício (DRE) Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido

Leia mais

Balanço Patrimonial - Exercicios Resolvidos

Balanço Patrimonial - Exercicios Resolvidos Balanço Patrimonial - Exercicios Resolvidos ::: Fonte Do Saber - Mania de Conhecimento ::: adsense1 AS RESPOSTAS ESTÃO DE VERMELHO. O BALANÇO PATRIMONIAL - EXERCÍCIOS 1) Aponte a alternativa em que não

Leia mais

Empresa de Transmissão do Alto Uruguai S.A.

Empresa de Transmissão do Alto Uruguai S.A. Empresa de Transmissão do Alto Uruguai S.A. Demonstrações contábeis regulatórias em 31 de dezembro de 2011 e 2010 Empresa de Transmissão do Alto Uruguai S.A. Demonstrações contábeis regulatórias em 31

Leia mais

Balancete Analítico (Valores em Reais)

Balancete Analítico (Valores em Reais) 00002 10000 1000000000 ATIVO 62.206,96 122.472,48 122.203,57 62.475,87 11000 1100000000 ATIVO CIRCULANTE 52.406,70 122.472,48 122.039,16 52.840,02 11100 1101000000 DISPONIBILIDADES IMEDIATAS 51.588,78

Leia mais

PARECER TÉCNICO N.º 01/2017 DO CONSELHO FISCAL DO SINDIFISCAL- TO SOBRE A PRESTAÇÃO DE CONTAS DE 2016

PARECER TÉCNICO N.º 01/2017 DO CONSELHO FISCAL DO SINDIFISCAL- TO SOBRE A PRESTAÇÃO DE CONTAS DE 2016 PARECER TÉCNICO N.º 01/2017 DO CONSELHO FISCAL DO SINDIFISCAL- TO SOBRE A PRESTAÇÃO DE CONTAS DE 2016 Certificamos, como membros do conselho fiscal do SINDIFISCAL- TO (Sindicato dos Auditores Fiscais da

Leia mais

Parte I Conceitos Básicos, Estrutura e Metodologia Operacional, 1 1 Patrimônio, 3

Parte I Conceitos Básicos, Estrutura e Metodologia Operacional, 1 1 Patrimônio, 3 Sumário Prefácio à Décima Edição, xxi Prefácio à Nona Edição, xxiii Prefácio à Oitava Edição, xxv Parte I Conceitos Básicos, Estrutura e Metodologia Operacional, 1 1 Patrimônio, 3 1.1 Objetivo e definição

Leia mais

Ajuste a valor justo dos ativos imobilizados da empresa XYZ LTDA na adoção inicial das IFRS

Ajuste a valor justo dos ativos imobilizados da empresa XYZ LTDA na adoção inicial das IFRS Ajuste a valor justo dos ativos imobilizados da empresa XYZ LTDA na adoção inicial das IFRS Caso real Sobre o estudo No estudo realizado, aplicou-se o CPC PME - NBC TG 1000 Contabilidade para Pequenas

Leia mais

Conta Classificação Registra Natureza do saldo caixa ativo circulante dinheiro e cheques no estabelecimento da devedora

Conta Classificação Registra Natureza do saldo caixa ativo circulante dinheiro e cheques no estabelecimento da devedora 1 Conta Classificação Registra Natureza do saldo caixa dinheiro e cheques no estabelecimento da bancos conta saldos das contas bancárias que a movimento movimenta clientes valores a receber dos clientes

Leia mais

Comentários da prova SEFAZ-PE Disciplina: Contabilidade Geral Professor: Feliphe Araújo

Comentários da prova SEFAZ-PE Disciplina: Contabilidade Geral Professor: Feliphe Araújo Disciplina: Professor: Feliphe Araújo Olá amigos, Comentários da prova SEFAZ-PE ANÁLISE DA PROVA DE CONTABILIDADE GERAL - SEFAZ-PE Trago para vocês os comentários da prova da SEFAZ-PE realizado no último

Leia mais

FUNDO MUNICIPAL DE ASSISTENCIA SOCIAL DE SANHARO Demonstrativo Contábil da lei nº 4.320, de 17 de março de (Modelo NBCASP)

FUNDO MUNICIPAL DE ASSISTENCIA SOCIAL DE SANHARO Demonstrativo Contábil da lei nº 4.320, de 17 de março de (Modelo NBCASP) Exercício: 2015 ATIVO CIRCULANTE ATIVO FUNDO MUNICIPAL DE ASSISTENCIA SOCIAL DE SANHARO PASSIVO CIRCULANTE PASSIVO Data de emissão: 14/03/2016 P. Contas: PCASP-PE CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA 136.310,58

Leia mais

I - Avaliação patrimonial: a atribuição de valor monetário a itens do ativo e do

I - Avaliação patrimonial: a atribuição de valor monetário a itens do ativo e do DECRETO Nº 174/2014-GP Institui a obrigatoriedade de realizar os procedimentos de reavaliação, redução ao valor recuperável de ativos, depreciação, amortização e exaustão dos bens do Município de Aracati,

Leia mais

105 Ciências Contábeis

105 Ciências Contábeis UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional Coordenação de Políticas de Acesso e Permanência Unidade de Ocupação de Vagas Remanescentes PROCESSO DE OCUPAÇÃO DE VAGAS

Leia mais

Faculdade Carlos Drummond de Andrade Profa. Katia de Angelo Terriaga Aula 01

Faculdade Carlos Drummond de Andrade Profa. Katia de Angelo Terriaga Aula 01 PRÁTICAS CONTÁBEIS Faculdade Carlos Drummond de Andrade Profa. Katia de Angelo Terriaga Aula 01 Estática Patrimonial: o Balanço, Ativo, Passivo e Patrimônio Líquido A contabilidade deve tratar a pessoa

Leia mais

Dersa Desenvolvimento Rodoviário S.A. Balanços patrimoniais

Dersa Desenvolvimento Rodoviário S.A. Balanços patrimoniais Balanços patrimoniais em 31 de dezembro de 2014 e 2013 Ativo Nota 2014 2013 Passivo Nota 2014 2013 (Ajustado) (Ajustado) Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 5 48.650 835 Fornecedores 10

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL. Saldos em 31/12/2013

BALANÇO PATRIMONIAL. Saldos em 31/12/2013 PARTIDO: BALANÇO PATRIMONIAL ORGÃO DO PARTIDO UF EXERCÍCIO CÓDIGO CONTA Saldos em 31/12/2014 Saldos em 31/12/2013 CÓDIGO 1.1. ATIVO CIRCULANTE 2.1. PASSIVO CIRCULANTE 1.1.1. ATIVO CIRCULANTE - FUNDO PARTIDÁRIO

Leia mais

CONTABILIDADE BÁSICA I 1ª LISTA DE EXERCÍCIOS

CONTABILIDADE BÁSICA I 1ª LISTA DE EXERCÍCIOS CONTABILIDADE BÁSICA I 1ª LISTA DE EXERCÍCIOS UNIDADE I PANORAMA GERAL DA CONTABILIDADE 1) O que é contabilidade e qual o seu objetivo? 2) Onde a contabilidade pode ser aplicada? 3) Quais são os usuários

Leia mais

Administração Financeira e Orçamentária

Administração Financeira e Orçamentária Administração Financeira e Orçamentária Professor Fábio Furtado www.acasadoconcurseiro.com.br Administração Financeira e Orçamentária BALANÇO PATRIMONIAL Segundo a Lei nº 4.320/64 O demonstrará: o Ativo

Leia mais

SMARAM MANUAL DE CÁLCULO PATRIMONIAL

SMARAM MANUAL DE CÁLCULO PATRIMONIAL SMARAM MANUAL DE CÁLCULO PATRIMONIAL ÍNDICE DE FIGURAS Figura 1 Acesso ao cálculo do móvel e veículo. 8 Figura 2 Acesso ao cálculo do acervo. 8 Figura 3 Acesso ao cálculo do intangível. 8 Figura 4 Acesso

Leia mais

CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA II

CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA II CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA II Profª Leossania Manfroi, Msc. Material de apoio a Disciplina de Contabilidade Introdutória II no Curso de Ciências Contábeis da Uceff Faculdades. Chapecó SC, Julho de 2016.

Leia mais

FUCAPE Business School Exercícios de múltipla escolha CPCs

FUCAPE Business School Exercícios de múltipla escolha CPCs FUCAPE Business School Exercícios de múltipla escolha CPCs Instruções: - responda apenas 10 perguntas desta lista. A folha com as respostas entrega deverá ser realizada ao início do próximo encontro (21

Leia mais

2

2 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 Controladora Consolidado ATIVO Jun 2009 Set 2009 Jun 2009 Set 2009 Circulante Disponibilidades 23,0 37,4 56,1 92,1 Contas a receber de clientes 62,8 72,8 114,2 125,9 Estoques

Leia mais

Maria da Conceição B.de Rezende Ladeira

Maria da Conceição B.de Rezende Ladeira Maria da Conceição B.de Rezende Ladeira Junho/2016 ADMINISTRAÇAO PÚBLICA Transparência; Governança; Indicadores de Resultados alinhados a estratégias dos governos; Qualidade do gasto público;... Novo cenário

Leia mais

Unidade III CONTABILIDADE SOCIETÁRIA. Profa. Divane Silva

Unidade III CONTABILIDADE SOCIETÁRIA. Profa. Divane Silva Unidade III CONTABILIDADE SOCIETÁRIA Profa. Divane Silva A disciplina está dividida em 04 Unidades: Unidade I 1. Avaliação de Investimentos Permanentes Unidade II 2. A Técnica da Equivalência Patrimonial

Leia mais

ASSOCIAÇÃO POLICIAL DE ASSISTENCIA A SAUDE SOROCABA/SP

ASSOCIAÇÃO POLICIAL DE ASSISTENCIA A SAUDE SOROCABA/SP BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO ATIVO CIRCULANTE 10.687.179,18 9.867.341,83 Disponível 53.970,81 482,70 Realizável 10.633.208,37 9.866.859,13 Aplicações Financeiras 5.099.575,74 5.008.378,64 Aplicações Vinculadas

Leia mais

RA Catering Ltda. Deloitte Touche Tohmatsu Auditores Independentes

RA Catering Ltda. Deloitte Touche Tohmatsu Auditores Independentes RA Catering Ltda. Laudo de Avaliação do Patrimônio Líquido Contábil Apurado por Meio dos Livros Contábeis da International Meal Company Holdings S.A., em 30 de Setembro de 2014, para Integralização ao

Leia mais

Contabilidade Comercial. A mente que se abre a uma ideia, jamais volta ao seu tamanho original Albert Einstein

Contabilidade Comercial. A mente que se abre a uma ideia, jamais volta ao seu tamanho original Albert Einstein 1 Contabilidade Comercial A mente que se abre a uma ideia, jamais volta ao seu tamanho original Albert Einstein 1 Bases Tecnológicas Operações com mercadorias: Fatos que alteram o valor das compras: ICMS;

Leia mais

D I P J Ficha 01 - Dados Iniciais. Ficha 02 - Dados Cadastrais

D I P J Ficha 01 - Dados Iniciais. Ficha 02 - Dados Cadastrais MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL Ficha 01 - Dados Iniciais D I P J 2010 DECLARAÇÃO DE INFORMAÇÕES ECONÔMICO-FISCAIS DA PESSOA JURÍDICA CNPJ: 73.631.988/0001-60 Optante pelo

Leia mais

OS PRINCIPAIS ORÇAMENTOS

OS PRINCIPAIS ORÇAMENTOS OS PRINCIPAIS ORÇAMENTOS 1. Introdução Os orçamentos que podem ocorrer em um projeto durante sua vida útil serão apresentados a seguir. Portanto, é importante estabelecer, também, a determinação da vida

Leia mais

D I P J Ficha 01 - Dados Iniciais. Ficha 02 - Dados Cadastrais

D I P J Ficha 01 - Dados Iniciais. Ficha 02 - Dados Cadastrais MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL Ficha 01 - Dados Iniciais D I P J 2011 DECLARAÇÃO DE INFORMAÇÕES ECONÔMICO-FISCAIS DA PESSOA JURÍDICA CNPJ: 08.971.707/0001-57 Optante pelo

Leia mais

PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES SINDICATO DOS MÉDICOS DO ESTADO DE MINAS GERAIS - SINMED-MG

PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES SINDICATO DOS MÉDICOS DO ESTADO DE MINAS GERAIS - SINMED-MG PAR-06/074 PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES Aos Srs. Diretores e Conselheiros do SINDICATO DOS MÉDICOS DO ESTADO DE MINAS GERAIS - SINMED-MG Examinamos os balanços patrimoniais do SINDICATO DOS MÉDICOS

Leia mais

4. Apure o valor da depreciação acumulada em 31/12/20015, sendo dados:

4. Apure o valor da depreciação acumulada em 31/12/20015, sendo dados: 1. Classifique os itens abaixo em: bens, direitos ou obrigações item bens direito obrigação Empréstimos a receber Dinheiro em caixa Dinheiro depositado no banco veículos biblioteca Salários a pagar estoques

Leia mais

2.1 - Influência dos impostos no fluxo de caixa.

2.1 - Influência dos impostos no fluxo de caixa. 1 Capitulo 2 - Impostos e Depreciação. 2.1 - Influência dos impostos no fluxo de caixa. Os impostos são despesas e devem ser considerados no fluxo de caixa. Podemos classificar os impostos em três grupos:

Leia mais