UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO"

Transcrição

1 1 UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO PLANO DE NEGÓCIO EM TECNOLOGIA PARA A EMPRESA RBR INFOMÁTICA RAQUEL BRITO RODRIGUES DE OLIVEIRA GOIÂNIA/GO MAIO/2007

2 2 UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO PLANO DE NEGÓCIO EM TECNOLOGIA PARA A EMPRESA RBR INFORMÁTICA Trabalho de Projeto Final de Curso apresentada pela aluna Raquel Brito Rodrigues de Oliveira desenvolvida para o Departamento de Ciência da Computação da Universidade Católica de Goiás, para obtenção do título de bacharel em Ciência da Computação aprovada pela Banca Examinadora: Professor: Professor: Professor Piero Martelli, MBA. UCG - Orientador ii

3 3 PLANO DE NEGÓCIO EM TECNOLOGIA PARA A EMPRESA RBR INFORMÁTICA Raquel Brito Rodrigues de Oliveira Trabalho de Conclusão de Curso apresentado por Raquel Brito Rodrigues de Oliveira à Universidade Católica de Goiás, como parte dos requisitos para obtenção do título de Bacharel em Ciência da Computação. Professor Piero Martelli, MBA Orientador Professor Mst. Olegário Correia da S. Neto Coordenador de Projeto Final de Curso UCG GO MAIO / 2007 iii

4 4 DEDICATÓRIA Primeiramente gostaria de agradecer a Deus, por tudo, por que ele sempre está presente em minha vida, tanto em momentos bons quanto ruins. A meus pais, pois sem eles não estaria aqui, pois sempre me apóiam em quaisquer circunstâncias, e também ao Alex-Sandro Mendes que está presente em minha vida já algum tempo e que me apoiou também no decorrer do projeto. iv

5 5 AGRADECIMENTOS Primeiramente a Deus pois está em todos os momentos ao meu lado. Por fim, ao meu orientador Piero Martelli, que me auxiliou e repassou em detalhes, seu bom entendimento e me incentivou a buscar a originalidade do assunto. v

6 6 Resumo O objetivo deste projeto é viabilizar soluções tecnológicas para a região do Vale do Araguaia e o estado do Tocantins, principalmente para a cidade de Mozarlândia e Palmas. A RBR Informática foi idealizada para atender os principais segmentos de mercado dessa região e estado, oferecendo aos empresários e seus respectivos empreendimentos as melhores soluções em tecnologia da informação. O desafio é enorme tendo em vista a carência tecnológica, essa carência acaba fazendo com que a RBR tenha que quebrar paradigmas conservadores de exclusão tecnológica, todavia possui um grande futuro. Tais modificações serão necessárias para que essa região e estado possam alcançar lugares de destaque no cenário nacional. Palavra-chave: Inclusão Digital e Automação Comercial vi

7 7 Abstract The objective of this project is to make possible technological solutions for the region of the Valley of the Araguaia and the state of the Tocantins, mainly for the city of Mozarlândia and Palmas. The RBR Informática was idealized to take care of to the main segments of market of this e region state, offering to the entrepreneurs and its respective enterprises the best solutions in technology of the information. The challenge is enormous in view of the technological lack, this lack finishes making with that the RBR has that to break paradigms conservatives of technological exclusion, however possesss a great future. Such modifications will be necessary so that this e region state can reach places of prominence in the national scene. Key Words: Inclusion Digital and Automaker Commercial vii

8 8 SUMÁRIO LISTA DE FIGURAS x LISTA DE TABELA xi LISTA DE ABREVIATURAS xii CAPÍTULO I INTRODUÇÃO 13 CAPÍTULO II SUMÁRIO EXECUTIVO 14 CAPÍTULO III PLANO ESTRATÉGICO Introdução Análise Estratégica Visão Missão da RBR Condições internas Pontos Fracos e Pontos Fortes da RBR Condições externas Oportunidades e Ameaças do Mercado Fatores Críticos de Sucesso da RBR Posicionamento Estratégico da RBR 24 CAPÍTULO IV PLANO DE MARKETING Análise Análise de Setor Análise de Clientes Análise do Elenco Potencial de Fornecedores da RBR Análise da Concorrência Atual Estratégias de Marketing Produto Preço Ponto de Vendas da RBR Divulgação da RBR Plataforma Tecnológica Produção dos Software e Aplicações Web Comunicação com Clientes Banco de Dados 39

9 9 CAPÍTULO V PLANO FINANCEIRO Investimento Inicial Capital de Giro Custos Fixos e Custos Variáveis Plano de Vendas da RBR Ponto de Equilíbrio Projeção de Payback (Tempo de retorno do investimento) 46 CAPÍTULO VI CONCLUSÃO 47 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 49 GLOSSÁRIO 50 ANEXOS 51 ANEXO I Plano Financeiro Detalhado da RBR ANEXO II Logotipo da RBR ANEXO III - Questionário ANEXO IV Projeto Final de Curso I Plano de Negócio em Tecnologia ix

10 10 Listas de Figuras Figura 3.1 Motivos para aceitação da tecnologia na região do Vale do Araguaia e o estado do Tocantins Figura Necessidades do mercado dos serviços oferecidos pela RBR. Figura 5.1 Demonstrativa do Plano de Vendas da RBR. x

11 11 Lista de Tabelas Tabela 3.1 Situação das empresas de Mozarlândia e software usados. Tabela 3.2 Relação da Natalidade e Mortalidade das empresas no Brasil Tabela 4.1 Fornecedores da RBR Tabela 4.2 Custo aproximado para deslocamento do técnico por dois dias Tabela 5.1 Detalhamento das configurações de computadores utilizados pela RBR Tabela 5.2 Composição dos kits utilizados pela RBR Tabela 5.3 Demonstrativa do Investimento Inicial Tabela 5.4 Demonstrativa do Capital de Giro Tabela 5.5 Projeção dos Custos fixos para o primeiro ano de funcionamento da RBR Tabela 5.6 Projeção dos Custos variáveis para o primeiro ano de funcionamento da RBR Tabela 5.7 Projeção do Ponto de Equilíbrio segundo software SISTAG Tabela 5.8 Contribuições, Deduções e Arrecadações líquidas da RBR. Tabela 6.1 Cronograma de Implantação e Implementação da RBR xi

12 12 Listas de Abreviaturas e Siglas ACIM Associação da Indústria e Comércio de Mozarlândia COFINS Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social CPD Centro de Processamento de Dados FGTS Fundo de Garantia do Tempo de Serviço GO Estado de Goiás HD Hard Disk HW - Hardware IDE Integrated Development Environment (Ambiente de Desenvolvimento Integrado). INSS Instituto Nacional do Seguro Social IPTU Imposto Predial e Territorial Urbano Km Quilômetro PIS Programa de Integração Social PHP Hypertext Preprocessor RAM Randow Acess Memory (Memória de Acesso Aleatório) SISTAG Sistema Agropecuário SW - Software T.I - Tecnologia de Informações TO Estado do Tocantins UCG Universidade Católica de Goiás UNIMAR Universidade de Marília xii

13 13 Capítulo I Introdução Neste trabalho apresenta todos os levantamentos e pesquisas realizadas para o desenvolvimento do Plano de Negócio, agregando uma plataforma tecnológica, com o intuito de ser uma ferramenta indispensável para a implantação da empresa RBR Informática. Foram firmadas parcerias para que a RBR possa suprir as necessidades da região do Vale do Araguaia e o estado do Tocantins, bem como fornecer soluções a um preço viável. Esse custo foi analisado já que não bastaria apenas disponibilizar a tecnologia adequada, mas também tais ferramentas a custo acessível. No Capítulo II é apresentado o Sumário Executivo, abordando resumidamente o que será apresentado no decorrer do Plano de Negócio. O Capítulo III é apresentado o Plano Estratégico, o posicionamento e comportamento da RBR junto ao mercado no qual será inserida. Toda a estrutura e organização da empresa também estão sendo apresentadas nesse capítulo. No Capítulo IV é apresentado o Plano de Marketing, toda a análise necessária para o funcionamento da empresa que almeja sucesso no segmento tecnológico da região a ser explorada. E por fim, no Capítulo V onde é apresentado o Plano Financeiro, todo o levantamento necessário para que o empreendimento possa funcionar, bem como: planos de vendas, investimento inicial, custos fixos, custos variáveis, ponto de equilíbrio e payback.

14 14 Capítulo II Sumário Executivo O Plano de Negócio da empresa RBR Informática objetivou o estudo de viabilidade para o segmento tecnológico, a empresa se dispõe a oferecer serviços de assistência técnica na região do Vale do Araguaia, no Estado de Goiás, principalmente para o município de Mozarlândia, além de todo o Estado do Tocantins. Sua sede estará distribuída em salas de um complexo comercial na cidade de Mozarlândia-GO. Em Palmas-TO será alugada sala comercial para instalação da filial. Primeiramente, a RBR terá como principais clientes os produtores pecuaristas e vendas de hardware no comércio local da cidade de Mozarlândia-GO. A instalação da sede em Mozarlândia-GO, é prevista para novembro de 2007, já a filial de Palmas-TO, está planejada para Janeiro de O perfil administrativo da RBR é formado por empreendedores que tiveram a visão de investir em um negócio próprio, sob o propósito de vencer as exigências do mercado. A RBR foi criada por dois sócios, que exercerão as principais atividades da empresa em relação a software. Os sócios são Alex-Sandro Mendes Oliveira, bacharel em Administração de Empresas e Jornalismo pela Universidade de Marília UNIMAR tem como experiência: Acessória e Comunicação com clientes e Raquel Brito Rodrigues de Oliveira, Graduando em Ciência da Computação na Universidade Católica de Goiás UCG atuou dois anos na área de Redes da Brasil Telecom e há nove meses trabalhando na área de banco de dados do Banco do Brasil.

15 15 Não existem empresas com a mesma proposta da RBR instaladas, as empresas prestadoras desse tipo de serviço estão localizadas nas regiões Sul e Sudeste do país. O principal diferencial da RBR em relação às suas concorrentes é a localização física, pois a RBR estará instalada no centro mencionado. Segundo as pesquisas e levantamentos de mercado realizados na região de atuação da RBR, a expectativa do mercado para os serviços e produtos é alta. A proposta de vendas foi formulada segundo o SISTAG (Sistema Agropecuário) da RBR, o software de apóio ao produtor pecuarista. A venda de sete licenças ao mês já manteria a RBR em equilíbrio financeiro considerando as despesas com folha de pagamento e os custos fixos. Considerando a demanda existente na região e a disposição dos empresários no investimento em tecnologia seria fácil atingir essa meta. O valor de cada licença dará ao cliente o direito de utilizá-la em uma propriedade rural e no máximo quatro computadores. O lucro com a venda das licenças será dividido em duas parcelas, uma destinada a um fundo de reserva da RBR e a outra rateada entre os dois sócios da empresa. A meta de vendas por mês desse software está fixada em 10 licenças. Já para o serviço de venda de hardware foi fixado um piso de vendas mensal, esse piso se considerado no preço de venda dos equipamentos será facilmente alcançado tendo em vista a necessidade do mercado da região, o valor do piso está fixado em R$21.000,00 (vinte e um mil reais). Com isso, a RBR totalizará em seu caixa cerca de 35% do valor vendido, com essa margem de arrecadação a RBR terá em caixa aproximadamente R$7.350,00 (sete mil e trezentos e cinqüenta reais) de lucro, pois esse percentual já deduz todo o custo de aquisição e comercialização desses hardware. O Ponto de Equilíbrio da RBR será alcançado a partir do sétimo mês de funcionamento com o piso de vendas do software SISTAG estimado para oito licenças mensais, como esse software será desenvolvido em três meses só a partir do quarto mês ele poderá ser comercializado.

16 16 O Payback será alcançado no décimo segundo mês de funcionamento da RBR. Na teoria com a produção máxima esse tempo seria no quinto mês, mas como a RBR só alcançará sua produção máxima no sétimo meses foi necessária a soma desses meses, totalizando para o retorno do capital investido. O Capital de Giro da RBR é R$24.094,53 (vinte e quatro mil e noventa e quatro reais e cinqüenta e três centavos), todo o capital necessário será obtido de fundos particulares sem qualquer tipo de financiamento ou empréstimo.

17 17 Capítulo III Plano Estratégico 3.1 Introdução A região do Vale do Araguaia, no Estado de Goiás e todo o Estado do Tocantins são destaques em segmentos comerciais importantes, como: a pecuária e o ecoturismo. O destaque na criação de gado leiteiro e de corte, a industrialização e comercialização da carne bovina e as atrações turísticas da região, sustentadas pelas praias do Rio Araguaia e a presença de várias espécies da fauna e flora brasileira, não garantiram a essas regiões a expansão tecnológica atingida em outras localidades do país, implicando a maioria de seus municípios aos prejuízos de uma exclusão técnica - cientifica. Apesar dos déficits no campo tecnológico, as riquezas dessas regiões ainda atraem grandes empresas, principalmente as que trabalham com o segmento agropecuário. A cidade de Mozarlândia é o espelho que reflete a prática do que tenta explicar nesse trabalho de forma teórica. Localizada no Vale do Araguaia, região Noroeste do Estado de Goiás, Mozarlândia comporta hoje um dos maiores frigoríficos de carne bovina da América Latina, o Grupo Bertin, que é responsável pelo abate de cerca de 2000 cabeças de boi por dia, o que o coloca como responsável por uma parcela importante da produção e exportação da carne brasileira. O objetivo é incrementar ainda mais essas empresas e possibilitar as que ainda não aderiram aos novos sistemas, à entrada no mundo tecnológico, por meio de sistemas de informática que possibilitem a agilidade e o melhor controle de seus trabalhos e negócios.

18 18 Por meio de pesquisas, descobri que as regiões que propõe estudar não possuem recursos para automação, algumas até possuem uma plataforma tecnológica, outras desconhecem a existência e não demonstram vontade ou condições financeiras para adquirí-las. De posse dessas informações a RBR Informática utilizará as condições favoráveis da agropecuária do Vale do Araguaia, no Estado de Goiás e do Estado do Tocantins como porta de entrada para implementar seus sistemas de informação. Para isso, será disponibilizada aos clientes toda a infra-estrutura, condições, inovações, facilidades e evolução, percebida em regiões desenvolvidas do país. Os conhecimentos acadêmicos do grupo RBR, somados com a prática individual de cada cliente farão da região do Vale do Araguaia em Goiás e do Estado do Tocantins um grande pólo desenvolvimentista. Com a expectativa de crescimento gradual e notoriedade a RBR levará para as regiões estudadas as seguintes tecnologias: Wireless (rede sem fio); aplicações Web (aplicações para internet); Software comerciais; Hardware e implementos tecnológicos. As tecnologias disponibilizadas poderão ser utilizadas em aplicações de comunicação entre varias filiais de um grupo ou e-commerce (Comércio eletrônico através da Internet) Em levantamento feito, em março de 2007, em empresas localizadas na região geoeconômica de Mozarlândia, detectamos que menos de 20% dos empreendimentos utilizam aplicações que ultrapassam o simples editor de texto ou planilhas eletrônicas. O mais impactuante é perceber que algumas empresas usam suas máquinas apenas como passatempo ou meros enfeites de balcões. O propósito da RBR é acabar com a carência de tecnologia na região, por meio do incentivo a inclusão digital, mostrando aos empreendedores que a correta utilização de seus computadores poderá acabar com problemas corriqueiros e até mesmo os ajudarem a vencer a concorrência.

19 19 Tabela Situação das empresas de Mozarlândia e respectivo software: Empreendimento x Software Nome da Empresa Software especializado Software Genérico Auto Peças do Gaúcho Não Sim Auto Posto Oriente Não Sim Auto Posto Bandeira Branca Não Sim Frigorífico Bertin Sim Não Fonte: ACIM(Associação do Comércio e Indústria de Mozarlândia), Março de Entre as empresas pesquisadas, em Mozarlândia, apenas uma utiliza software especializado, as outras utilizam um software genérico sem qualquer garantia de qualidade. Quando ocorre algum problema no funcionamento desse software, a assistência é feita via telefone ou então, o empreendedor deve desembolsar uma quantia significativa para o deslocamento do técnico até sua cidade. Por meio de entrevista, os empresários de Mozarlândia nos explicaram os motivos que os distanciam do uso de ferramentas de tecnologia em suas empresas. Para a RBR, o alto custo com assistência técnica eficiente é o principal motivo para que os empreendedores não simpatizem com a idéia de aquisição de software ou qualquer outra ferramenta de tecnologia. De acordo com os empresários, os custos com treinamento de pessoal também favorece o atraso tecnológico das empresas daquela região. Figura 3.1 Motivos para aceitação da tecnologia na região do Vale do Araguaia e o estado do Tocantins 30% 12% 25% 33% Custo Assistência Disponibilidade Treinamento Fonte: Pesquisa realizada em Mozarlândia - Go, entre os dias 05 e 20 de Fevereiro de 2007.

20 20 O levantamento apresentado na Figura acima comprova que o treinamento de mão-deobra é uma grande deficiência tecnológica na região, esse levantamento estatístico revelou uma nova pesquisa para o Plano de Negócio da RBR. Como em qualquer outra região do país a mão-de-obra especializada é o grande problema para o empreendedor, tendo em vista essa adversidade, será traçada uma alternativa para solucionar esse problema e essa será uma das vantagens oferecidas pela RBR, à formação periódica de mão-de-obra especializada. 3.2 Análise Estratégica Feito pesquisas de campo, a RBR Informática, detectou que nas regiões estudadas é precária em formação tecnológica, foi daí que surgiu a idéia de implantar nessas regiões nossa empresa para a viabilização da melhoria na formação de T.I e mão-de-obra. 3.3 Visão A RBR Informática surge para suprir a deficiência da região Vale do Araguaia e o Estado do Tocantins em ferramentas de tecnologia, a empresa disponibilizará soluções tecnológicas para os clientes e formação de mão-de-obra especializada em tecnologia de informação. A proposta da empresa é fazer das regiões estudadas uma das mais requintadas na área de tecnologia da informação, os empreendedores que aderirem a idéia da RBR terão como recompensa notoriedade e modernidade nas suas empresas. 3.4 Missão da RBR A missão da RBR é crescer no mercado de automação comercial, para isso, irá fabricar software com a maior competência e contará com os trabalhos dos melhores profissionais da área, além de disponibilizar tecnologia e seus benefícios para a sociedade e a região que se propõe, pretende também amenizar com a exclusão em T.I.

21 Condições internas Pontos Fracos e Pontos Fortes da RBR A empresa vai ser montada em módulos para evitar um investimento inicial muito alto e minimizar as chances de insucesso da empresa. O primeiro módulo é composto pela produção de software de tecnologia de informação e será mais lucrativo para a empresa, em seguida virão o segundo e terceiro módulo. O segundo é a formação da mão-de-obra especializada e por último os departamentos de venda de hardware e assistência técnica. Dessa forma acredita-se que as chances de sucessos serão maiores que as possibilidades de insucesso ou falência da empresa. Tabela 3.2 Relação da Natalidade e Mortalidade das Empresas no Brasil Natalidade x Mortalidade Regiões Natalidade Mortalidade Natalidade Mortalidade Natalidade Mortalidade Sudeste Sul Nordeste Norte Centro-Oeste Brasil* Fonte: Elaborado a partir dos dados do Sebrae e pesquisa de campo. *Valores apurados com base nas taxas de mortalidade ponderada em cada ano( ,9%; ,4% e ,4%. De acordo com as características expostas na tabela exibida acima, a RBR para não cair na Natalidade será a integração de clientes, colaboradores e fornecedores, além das rotinas da empresa. Outro problema para a maioria das empresas é manter a comunicação entre as linhas de produção e agregar a isso um bom desempenho, esses problemas de relação devem ser combatidos para que não prejudiquem o desenvolvimento dos produtos e conseqüentemente a imagem da empresa. Para evitar esse tipo de problema realizaremos reuniões semanais, ou quando convocada extraordinariamente, para que os integrantes de um determinado projeto possam relatar seu desempenho e necessidades, tanto para outras áreas da empresa quanto para diretoria.

22 22 Essa é a solução encontrada pela empresa para evitar que determinados projetos saiam do seu cronograma e acabem ocasionando o atraso na entrega dos produtos e consequentemente na perca da credibilidade da RBR. Além das reuniões facilitarem o acompanhamento do desenvolvimento dos produtos, é por meio dessas que será trabalhado o clima cooperativo da empresa, ou seja, é assim que será feita a união dos colaboradores da empresa para o sucesso do empreendimento. Para atrair clientes potenciais a RBR utilizará uma solução para a falta de mão-de-obra especializada reclamada pelos entrevistados, como um diferencial da empresa. Apontada pelas pesquisas como prejudicial à aplicação dos sistemas de informatização, a falta de mão-de-obra especializada será suprida com a oferta de oficinas-escolas para a formação dos profissionais. As oficinas-escolas serão ministradas em todos os campos de conhecimento, desde formação pessoal até qualificação profissional, serão convidados empresários e funcionários de outros ramos de mercados para ministrarem palestras e contribuir com orientações. O debate entre os participantes também será uma ferramenta usada durante as oficinas, para que os participantes possam discutir suas opiniões quanto aos aplicativos, ferramentas, equipamentos e área de trabalho. Com a realização dos debates facilitaremos a observação de problemas existentes tanto na formação de mão-de-obra, quanto nos produtos oferecidos pela RBR, com isso, definiremos também as estratégias para diminuir os pontos fracos da empresa. 3.6 Condições externas Oportunidades e Ameaças do Mercado O SISTAG (Sistema Agropecuário) é um software que irá fornecer sistema de apoio à agropecuária, esse sistema será usado para aperfeiçoar a produção do cliente e formar novas opiniões a respeito da tecnologia e seus benefícios, uma quebra nos paradigmas atuais da região. Dessa forma, novos segmentos se atentarão para as vantagens oferecidas pela tecnologia.

23 23 As oportunidades para o empreendimento são consideráveis, já que a região atualmente é carente de mão-de-obra especializada no segmento tecnológico, a RBR será pioneira nesses serviços. Além do SISTAG, a empresa cogita outra expectativa de sucesso, que consiste em oferecer treinamento periódico aos interessados em se familiarizar com computadores e seus aplicativos padrões. Além disso o objetivo da empresa apresentar aos usuários dos sistemas desenvolvidos pela RBR os aplicativos desenvolvidos pela própria empresa. Dessa forma, os profissionais formados pela RBR já atuaram como interlocutores entre os possíveis clientes da empresa, fazendo uma propaganda de eficiência dos sistemas desenvolvidos e comercializados pela RBR. A grande ameaça externa atualmente é a aceitação dos clientes em potencial e essa será considerada uma barreira a ser transposta. Devido à cultura atual da região de que implantar sistemas desse porte demandaria um custo elevado, tanto para implantação quanto para manutenção desses sistemas. Como saída para esse obstáculo realizaremos palestras e seminários para apresentação das tecnologias, além de oferecermos toda essa tecnologia a um preço acessível, hoje não praticado na região. A estimativa é que gastaremos tempo e capital para essa conscientização do mercado, pois sem esse investimento torna-se impossível alcançar o sucesso desejado e os resultados certamente seriam negativos. As crises e alterações de mercado são condições que também devem ser consideradas, pois são típicas de qualquer instituição comercial, por isso, destinaremos muita atenção nesse sentido. Como o campo tecnológico vive em constante mutação, nossa empresa destinará atenção especial ao acompanhamento das atualizações do mercado e mudanças no câmbio. Na busca constante por atualizações, manteremos representantes em feiras e apresentações de novas tecnologias, assim, periodicamente teremos levantamentos dos rumos do mercado e quais as novas ferramentas que podem ser agregadas à empresa.

24 Fatores Críticos de Sucesso da RBR Os principais fatores que contribuíram com o sucesso da empresa foram obtidos por meio de pesquisas e por meio da experiência conseguida ao longo do desenvolvimento e estudo do projeto. Consideramos alguns tópicos como essenciais para o sucesso, são eles. Formação de mão-de-obra; Equipe de desenvolvimento de produtos e serviços de qualidade; Atendimento adequado aos clientes e a prestação de serviço qualificado; Buscar novidades de mercado; Clareza nas negociações, e, Honrar os acordos firmados. Ao colocarmos em prática os tópicos expostos acima, acreditamos que são grandes as chances de sucesso da empresa, mas reconhecemos que mesmo colocando em prática tudo que foi estudado a conquista desses tópicos só acontecerá mediante dedicação, esforço e adequação ao cotidiano do mercado. 3.8 Posicionamento Estratégico da RBR A RBR irá oferecer produtos para automação comercial, implementos para informática e consultoria técnica, além de oferecer formação para profissionais interessados no trabalho com plataformas tecnológicas. O seu objetivo principal é disponibilizar soluções tecnológicas para as regiões do Vale do Araguaia, no Estado de Goiás e o Estado do Tocantins, locais considerados carentes de empresas de tecnologia. As duas regiões estudadas são promissoras e possuem uma forte economia, além de uma busca constante por soluções de mercado, constatando essas necessidades a RBR pretende ser uma aliada para os empresários da região que tenham interesse em aumentar a lucratividade e organização de suas empresas.

25 25 A RBR atuará diretamente em segmentos de mercado, atendendo distribuidoras e empresas do segmento agropecuário, para divulgar seus produtos e serviços, a empresa apostará no trabalho dos veículos de comunicação da região.

26 26 Capítulo IV Plano de Marketing Após uma série de análises e pesquisas de mercado, foi desenvolvido um Plano de Marketing que irá contemplar as necessidades e peculiaridades para a implantação da RBR. Também durante essa etapa do Plano de Negócio iremos abordar as análises dos produtos, necessidades do empreendimento, adaptação da RBR ao mercado, direcionamento ao público alvo e a execução dos projetos e de suas características de avaliação, que servirão para melhorar o processo de desenvolvimento e a prestação de serviço. Pretendemos ainda nesse capítulo enumerar as estratégias de marketing para atingir o objetivo de chamar atenção do cliente em potencial para nossos produtos e serviços e conscientizá-los de que com o apoio especializado da RBR seus negócios darão um importante passo rumo ao desenvolvimento. 4.1 Análise A abordagem para análise dos requisitos da RBR foi desmembrada em quatro grupos, essa divisão foi motivada pela importância e tamanho de cada um dos grupos.

27 Análise de Setor O setor em questão está delimitado pela geo-econômia da região do Vale do Araguaia, em Goiás e o Estado do Tocantins e as necessidades atuais das empresas dessas regiões. (Como pode ser observada na Tabela 3.1 Capítulo III Plano Estratégico). Com a exceção dos estabelecimentos que são franquias de multinacionais, os pontos de comércio instalados nas regiões estudadas não possuem qualquer tipo de serviço especializado na área de automação comercial e consultoria especializada em tecnologia. Depois de confirmada essas informação, por meio de pesquisas de mercado, foi que surgiu a necessidade de se implantar a RBR, uma empresa que dedicará toda sua tecnologia e conhecimento na área de automação para suprir a carência de tecnologia que atrasa ambas as regiões. As principais necessidades das regiões alvo são: software especializado em controle comercial (administração e vendas), e-commerce (comércio eletrônico), propagandas através da Internet (sites comerciais e divulgação) e principalmente, projetos de adequação das empresas as ferramentas e recursos tecnológicos. Figura 4.1 Necessidades do mercado dos serviços oferecidos pela RBR Consultoria Técnica Assistência Técnica Automação Comercial Amostragem Palmas Mozarlândia Vale do Araguaia Fonte: Pesquisa de mercado realizada na região do Vale do Araguaia, estado de Goiás, e o estado do Tocantins, entre os meses de Março e Abril de 2007, pelos sócios da RBR.

28 28 Os dados apresentados na figura 4.1 foram obtidos, a partir, das respostas de 20 pessoas envolvidas com a gerência de pequenas e médias empresas e 80 pessoas responsáveis pela utilização dos software e serviços semelhantes aos que serão oferecidos pela RBR. Os entrevistados responderam a seguinte pergunta: Dentre as três opções de serviços, que são Consultoria Técnica, Assitência Técnica e Automação Comercial, qual seria a principal deficiência da região atualmente? Outro ponto favorável à implantação da RBR, em qualquer uma das cidades citadas acima, fica a par do interesse político, de ambos os municípios, na implementação de um empreendimento na área tecnológica. Como os interesses são bilaterais, ou seja, tanto da RBR quanto das prefeituras, facilita a aquisição de incentivos fiscais que contribuem de forma direta para o aumento da probabilidade de sucesso da empresa. Ao analisar todos os incentivos e possibilidades oferecidos pelos setores, fica estabelecido que a matriz da empresa será instalada no município de Mozarlândia-GO. Justifica a escolha da cidade goiana, por dois fatores relevantes: maior proximidade com Goiânia-GO e Brasília-DF, setores que já possuem um avanço tecnológico significativo e que podem dar suporte a empresa, além da existência de um imóvel pertencente ao grupo, apto para receber as instalações da empresa Análise de Clientes Os clientes que serão atendidos pelo SISTAG, serão empresas e empresários do agronegócio. Um segmento relevante para o país e em larga expansão, mas desprovido de qualquer serviço que integre o agronegócio a plataformas tecnológicas. No atendimento aos clientes e as necessidades observadas nesse projeto, a RBR tem como intuito iniciar seus trabalhos oferecendo um software dedicado ao mapeamento e controle fisiológico de rebanho bovino. Já aos agricultores, a empresa oferecerá um software destinado ao controle administrativo de implementos agrícolas e pessoais encarregados.

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO 1 UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO PLANO DE NEGÓCIO EM TECNOLOGIA PARA A EMPRESA RBR INFOMÁTICA RAQUEL BRITO RODRIGUES DE OLIVEIRA

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL

SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL 1. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL (SIG) Conjunto integrado de pessoas, procedimentos, banco de dados e dispositivos que suprem os gerentes e os tomadores

Leia mais

Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9

Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9 Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9 AULA 9 Assunto: Plano Financeiro (V parte) Prof Ms Keilla Lopes Mestre em Administração pela UFBA

Leia mais

7. Viabilidade Financeira de um Negócio

7. Viabilidade Financeira de um Negócio 7. Viabilidade Financeira de um Negócio Conteúdo 1. Viabilidade de um Negócios 2. Viabilidade Financeira de um Negócio: Pesquisa Inicial 3. Plano de Viabilidade Financeira de um Negócio Bibliografia Obrigatória

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS W ARTE "SERRALHARIA E ESQUADRIA RAPOSÃO" Empreendedor(a): WALBER MACEDO DOS SANTOS

PLANO DE NEGÓCIOS W ARTE SERRALHARIA E ESQUADRIA RAPOSÃO Empreendedor(a): WALBER MACEDO DOS SANTOS PLANO DE NEGÓCIOS W ARTE "SERRALHARIA E ESQUADRIA RAPOSÃO" Empreendedor(a): WALBER MACEDO DOS SANTOS Maio/2013 SUMÁRIO 1 SUMÁRIO EXECUTIVO 1.1 Resumo dos principais pontos do plano de negócio 1.2 Empreendedores

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS FRALDAS QUARESMA "FRALDAS DESCARTAVEIS" Empreendedor(a): FLÁVIO QUARESMA DE LIMA SILVA

PLANO DE NEGÓCIOS FRALDAS QUARESMA FRALDAS DESCARTAVEIS Empreendedor(a): FLÁVIO QUARESMA DE LIMA SILVA PLANO DE NEGÓCIOS FRALDAS QUARESMA "FRALDAS DESCARTAVEIS" Empreendedor(a): FLÁVIO QUARESMA DE LIMA SILVA Fevereiro/2013 SUMÁRIO 1 SUMÁRIO EXECUTIVO 1.1 Resumo dos principais pontos do plano de negócio

Leia mais

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS 1. Sumário Executivo Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso 2. Sumário da Empresa 2.1 Composição da Sociedade Perfil Individual dos sócios, experiência, formação, responsabilidades

Leia mais

PLANEJAMENTO E ESTRATÉGIAS 1. O CENÁRIO DO SETOR AGROPECUÁRIO BRASILEIRO

PLANEJAMENTO E ESTRATÉGIAS 1. O CENÁRIO DO SETOR AGROPECUÁRIO BRASILEIRO PLANEJAMENTO E ESTRATÉGIAS 1. O CENÁRIO DO SETOR AGROPECUÁRIO BRASILEIRO A economia brasileira tem passado por rápidas transformações nos últimos anos. Neste contexto ganham espaço novas concepções, ações

Leia mais

ANEXO I FICHA DE INSCRIÇÃO

ANEXO I FICHA DE INSCRIÇÃO ANEXO I FICHA DE INSCRIÇÃO CATEGORIAS TÉCNICO TECNÓLOGO TEMAS LIVRE INCLUSÃO SOCIAL COOPERATIVISMO 1. DADOS DA INSTITUIÇÃO 1.1 Nome da Instituição 1.2 Nome do Reitor(a)/Diretor(a)-Geral/Diretor(a) 1.3

Leia mais

ELABORACAO DE PLANO DE NEGÓCIOS.

ELABORACAO DE PLANO DE NEGÓCIOS. ELABORACAO DE PLANO DE NEGÓCIOS. Resumo efetuado a partir do Manual Como Elaborar um plano de negócios SEBRAE/ 2013 Profa. Célia Regina Beiro da Silveira ESTRUTURA DO PLANO DE NEGÓCIOS PARA O 1º CONCURSO

Leia mais

Plataforma da Informação. Finanças

Plataforma da Informação. Finanças Plataforma da Informação Finanças O que é gestão financeira? A área financeira trata dos assuntos relacionados à administração das finanças das organizações. As finanças correspondem ao conjunto de recursos

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO ASSISTÊNCIA TÉCNICA - HARDWARE E SOFTWARE

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO ASSISTÊNCIA TÉCNICA - HARDWARE E SOFTWARE OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO ASSISTÊNCIA TÉCNICA - HARDWARE E SOFTWARE 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação

Leia mais

Circular de Oferta 5102/ sto Ago

Circular de Oferta 5102/ sto Ago Circular de Oferta Agosto / 2015 Índice Introdução 03 Quem Somos 04 Como funciona o negócio 05 Vantagens de ser constituir uma agência 06 Produtos e serviços 07 Ferramentas de apoio 08 Atividades desempenhadas

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA

PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA Belo Horizonte 2011 Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins PLANO DE NEGÓCIOS

Leia mais

Roteiro para Projeto Econômico-Financeiro - FCO

Roteiro para Projeto Econômico-Financeiro - FCO Roteiro para Projeto Econômico-Financeiro - FCO 1. A Empresa 1.1. Histórico / Aspectos Organizacionais 1.2. Razão Social 1.3. CNPJ 1.4. Inscrição Estadual e/ou Municipal 1.5. Número e data de registro

Leia mais

Estudo de Viabilidade

Estudo de Viabilidade Universidade Federal de Pernambuco Centro de Informática Estudo de Viabilidade SorveTech (Sistema de Gerenciamento) Professora: Carla Silva Disciplina: Especificação de Requisitos e Validação de Sistemas

Leia mais

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Roberto Marcello SI Sistemas de gestão A Gestão dos Sistemas Integrados é uma forma organizada e sistemática de buscar a melhoria de resultados.

Leia mais

ANEXO IV MODELO DE PROPOSTA COMERCIAL

ANEXO IV MODELO DE PROPOSTA COMERCIAL ANEXO IV MODELO DE PROPOSTA COMERCIAL ANEXO IV MODELO DE PROPOSTA COMERCIAL 1. A PROPOSTA COMERCIAL será constituída de uma Carta Proposta, que trará o valor da CONTRAPRESTAÇÃO PECUNIÁRIA ofertada, através

Leia mais

O Plano Financeiro no Plano de Negócios Fabiano Marques

O Plano Financeiro no Plano de Negócios Fabiano Marques O Plano Financeiro no Plano de Negócios Fabiano Marques Seguindo a estrutura proposta em Dornelas (2005), apresentada a seguir, podemos montar um plano de negócios de forma eficaz. É importante frisar

Leia mais

MENSAGEM DO PRESIDENTE Projetando o nosso futuro

MENSAGEM DO PRESIDENTE Projetando o nosso futuro 2015 MENSAGEM DO PRESIDENTE Projetando o nosso futuro É com grande satisfação que apresentamos a Previsão Orçamentária para o exercício de 2015 do Sindicato dos Corretores de Seguros no Estado de São Paulo

Leia mais

Resumo Executivo. Modelo de Planejamento. Resumo Executivo. Resumo Executivo. O Produto ou Serviço. O Produto ou Serviço 28/04/2011

Resumo Executivo. Modelo de Planejamento. Resumo Executivo. Resumo Executivo. O Produto ou Serviço. O Produto ou Serviço 28/04/2011 Resumo Executivo Modelo de Planejamento O Resumo Executivo é comumente apontada como a principal seção do planejamento, pois através dele é que se perceberá o conteúdo a seguir o que interessa ou não e,

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ENGENHARIA DE PRODUÇÃO MILLENA SILVA PAIVA ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ENGENHARIA DE PRODUÇÃO MILLENA SILVA PAIVA ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ENGENHARIA DE PRODUÇÃO MILLENA SILVA PAIVA ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO GOIÂNIA 2015 2 UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO

Leia mais

UNIDADE 5 A estrutura de um Plano de Negócios

UNIDADE 5 A estrutura de um Plano de Negócios UNIDADE 5 A estrutura de um Plano de Negócios É evidente a importância de um bom plano de negócios para o empreendedor, mas ainda existem algumas questões a serem respondidas, por exemplo: Como desenvolver

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO FACILIDADES EMPRESARIAIS - ESCRITÓRIO VIRTUAL

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO FACILIDADES EMPRESARIAIS - ESCRITÓRIO VIRTUAL OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO FACILIDADES EMPRESARIAIS - ESCRITÓRIO VIRTUAL 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta

Leia mais

Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Estado do Rio de Janeiro SEBRAE/RJ Área de Tecnologia e Qualidade Projeto informatize

Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Estado do Rio de Janeiro SEBRAE/RJ Área de Tecnologia e Qualidade Projeto informatize Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Estado do Rio de Janeiro SEBRAE/RJ Área de Tecnologia e Qualidade Projeto informatize Nível de Informatização da Micro e Pequena Empresa Fluminense. Execução:

Leia mais

EMPRESA: MBX Mariscos Belém Ltda.

EMPRESA: MBX Mariscos Belém Ltda. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DANIEL AUGUSTO MENDES REGO 0601003701 GEORGE ANTONIO DE BRITO MELO 06010008901 EMPRESA: MBX Mariscos

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO SIMONSEN PLANO DE NEGÓCIO

PÓS-GRADUAÇÃO SIMONSEN PLANO DE NEGÓCIO PÓS-GRADUAÇÃO SIMONSEN PLANO DE NEGÓCIO RESUMO DO EMPREENDIMENTO 01 EMPREENDIMENTO 02 NEGÓCIO E MERCADO: DESCRIÇÃO 2.1 ANÁLISE MERCADOLÓGICA 2.2 MISSÃO DA EMPRESA 03 CONCORRÊNCIA 04 FORNECEDORES 05 PLANO

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS Faça você mesmo

PLANO DE NEGÓCIOS Faça você mesmo PLANO DE NEGÓCIOS Faça você mesmo INTRODUÇÃO É um instrumento que visa estruturar as principais concepções e alternativas para uma análise correta de viabilidade do negócio pretendido, proporcionando uma

Leia mais

Cláudia Araújo Coordenadora Diego Macêdo Programador Marcelo Rodrigues Suporte

Cláudia Araújo Coordenadora Diego Macêdo Programador Marcelo Rodrigues Suporte BCON Sistema de Controle de Vendas e Estoque Declaração de escopo Versão 1.0 Histórico de Revisão Elaborado por: Filipe de Almeida do Amaral Versão 1.0 Aprovado por: Marcelo Persegona 22/03/2011 Time da

Leia mais

GESimob GERENCIAMENTO DE IMOBILIÁRIAS

GESimob GERENCIAMENTO DE IMOBILIÁRIAS GESimob GERENCIAMENTO DE IMOBILIÁRIAS Mais de uma década de experiência e evolução é o que dá ao sistema uma vasta gama de funcionalidades. Esse conhecimento que faz total diferença para sua empresa. xp+

Leia mais

OS NEGÓCIOS LUCRO = VOLUME PRODUZIDO X PREÇO - CUSTO

OS NEGÓCIOS LUCRO = VOLUME PRODUZIDO X PREÇO - CUSTO OS NEGÓCIOS Odilio Sepulcri* INTRODUÇÃO A sobrevivência dos negócios, dentre outros fatores, se dará pela sua capacidade de gerar lucro. O lucro, para um determinado produto, independente da forma como

Leia mais

Unidade I FUNDAMENTOS DA GESTÃO. Prof. Jean Cavaleiro

Unidade I FUNDAMENTOS DA GESTÃO. Prof. Jean Cavaleiro Unidade I FUNDAMENTOS DA GESTÃO FINANCEIRA Prof. Jean Cavaleiro Introdução Definir o papel da gestão financeira; Conceitos de Gestão Financeira; Assim como sua importância na gestão de uma organização;

Leia mais

AzTech Engineering Soluções em Engenharia de Software

AzTech Engineering Soluções em Engenharia de Software Plano de Negócio AzTech Engineering Soluções em Engenharia de Software Rodovia Celso Garcia Cid 2500 86051-990, Londrina - PR aztech@aztech.com.br André Ricardo Gonçalves - CEO / Tecnologia argoncalves@aztech.com.br

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS. O QUE É?

PLANO DE NEGÓCIOS. O QUE É? NE- CACT O Núcleo de Empreendedorismo da UNISC existe para estimular atitudes empreendedoras e promover ações de incentivo ao empreendedorismo e ao surgimento de empreendimentos de sucesso, principalmente,

Leia mais

P á g i n a 3 INTRODUÇÃO

P á g i n a 3 INTRODUÇÃO P á g i n a 3 INTRODUÇÃO A Administração de Materiais compreende as decisões e o controle sobre o planejamento, programação, compra, armazenamento e distribuição dos materiais indispensáveis à produção

Leia mais

SUMÁRIO. Apresentação... IX Prefácio... XI

SUMÁRIO. Apresentação... IX Prefácio... XI SUMÁRIO Apresentação... IX Prefácio... XI 1. INTRODUÇÃO À GESTÃO DE FROTAS... 1 1.1. Introdução... 1 1.2. Considerações sobre a Estrutura do Transporte Rodoviário no Brasil... 2 1.3. A Estrutura Organizacional

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO TREINAMENTO TÉCNICO ATENDENTES CALL CENTER

MEMORIAL DESCRITIVO TREINAMENTO TÉCNICO ATENDENTES CALL CENTER Manual Técnico MEMORIAL DESCRITIVO TREINAMENTO TÉCNICO ATENDENTES CALL CENTER Versão 1.0 Agosto de 2011 ÍNDICE MEMORIAL DESCRITIVO TREINAMENTO TÉCNICO ATENDENTES CALL CENTER 2 1 INTRODUÇÃO 4 1.1 HISTÓRICO

Leia mais

Estratégias para aumentar a rentabilidade. Indicadores importantes. Controle a produção. Reduza filas. Trabalhe com promoções.

Estratégias para aumentar a rentabilidade. Indicadores importantes. Controle a produção. Reduza filas. Trabalhe com promoções. Uma publicação: Estratégias para aumentar a rentabilidade 04 Indicadores importantes 06 Controle a produção 08 Reduza filas 09 Trabalhe com promoções 10 Conclusões 11 Introdução Dinheiro em caixa. Em qualquer

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS SÓ DELLA LINGERIES

PLANO DE NEGÓCIOS SÓ DELLA LINGERIES UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CENTRO SÓCIO ECONÔMICO DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS ALESSANDRA PAIXÃO HUNGRIA Mat: 0201010801 FABIANA SUELI DAMASCENO DOS SANTOS Mat: 0101009601

Leia mais

Trabalho de Conclusão de Curso - TCC. Graduação em Administração

Trabalho de Conclusão de Curso - TCC. Graduação em Administração Trabalho de Conclusão de Curso - TCC Graduação em Administração Educação Presencial 2011 1 Trabalho de Conclusão de Curso - TCC O curso de Administração visa formar profissionais capacitados tanto para

Leia mais

FRANQUIA MODALIDADE ESCRITÓRIO

FRANQUIA MODALIDADE ESCRITÓRIO FRANQUIA MODALIDADE ESCRITÓRIO SUMÁRIO QUEM SOMOS PREMIAÇÕES ONDE ESTAMOS NOSSO NEGÓCIO MULTIMARCAS MULTISERVIÇOS PERFIL DO FRANQUEADO VANTAGENS DA FRANQUIA CLUBE TURISMO DESCRITIVO DO INVESTIMENTO PROCESSO

Leia mais

Tema Nº 3 Primeiros Passos

Tema Nº 3 Primeiros Passos Tema Nº 3 Primeiros Passos Habilidades a Desenvolver: Reconhecer as etapas iniciais do empreendedorismo. Analisar o tipo de negócio, bem como sua viabilidade e demandas de recursos de novos empreendimentos.

Leia mais

Eline Cristina Miranda 0501006001. Administração Financeira e Orçamentária

Eline Cristina Miranda 0501006001. Administração Financeira e Orçamentária UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS BACHARELADO EM CIENCIAS CONTÁBEIS PROF: HÉBER LAVOR MOREIRA Eline Cristina Miranda 0501006001 Administração

Leia mais

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios UNIMEP MBA em Gestão e Negócios Módulo: Sistemas de Informações Gerenciais Aula 4 TI com foco nos Negócios: Áreas envolvidas (Parte II) Flávio I. Callegari www.flaviocallegari.pro.br O perfil do profissional

Leia mais

Leite. A utilização de softwares no gerenciamento produtivo de pequenas propriedades. relatório de inteligência. Abril 2014

Leite. A utilização de softwares no gerenciamento produtivo de pequenas propriedades. relatório de inteligência. Abril 2014 Leite relatório de inteligência Abril 2014 A utilização de softwares no gerenciamento produtivo de pequenas propriedades A rotina em uma propriedade leiteira exige acompanhamento e atenção em todos os

Leia mais

Viabilidade de Negócios. Serviço

Viabilidade de Negócios. Serviço Viabilidade de Negócios Serviço SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 3 2. ANALISANDO A VIABILIDADE DO NEGÓCIO... 12 3. INVESTIMENTOS FIXOS... 17 4. GASTOS FIXOS MENSAIS... 23 5. CAPITAL DE GIRO INICIAL... 38 6. INVESTIMENTO

Leia mais

PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO PARA PROFISSIONAIS DA SAÚDE E CLÍNICAS

PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO PARA PROFISSIONAIS DA SAÚDE E CLÍNICAS PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO PARA PROFISSIONAIS DA SAÚDE E CLÍNICAS IR? COFINS?? INSS? PIS SUMÁRIO 1 Introdução 3 2 Planejamento 5 3 Simples Nacional com a inclusão de novas categorias desde 01-2015 8 4 Lucro

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro

PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro Anexo 3 PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro 1. Capa 2. Sumário 3. Sumário executivo 4. Descrição da empresa 5. Planejamento Estratégico do negócio 6. Produtos e Serviços 7. Análise de Mercado 8. Plano de Marketing

Leia mais

Declaração de Escopo

Declaração de Escopo 1/9 Elaborado por: Adriano Marra, Bruno Mota, Bruno Leite, Janaina Versão: 1.4 Lima, Joao Augusto, Paulo Takagi, Ricardo Reis. Aprovado por: Porfírio Carlos Roberto Junior 24/08/2010 Time da Equipe de

Leia mais

Plano de Negócios Faculdade Castro Alves Cursos de Administração.

Plano de Negócios Faculdade Castro Alves Cursos de Administração. TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO PLANO DE NEGÓCIIOS Prroff.. Carrllos Mellllo Saal lvvaaddoorr JJANEI IRO/ /22000066 Introdução Preparar um Plano de Negócios é uma das coisas mais úteis que um empresário

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO GERENCIAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA PEQUENA EMPRESA DO SETOR AGRONEGÓCIO NO MUNICÍPIO DE BAMBUÍ/MG.

A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO GERENCIAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA PEQUENA EMPRESA DO SETOR AGRONEGÓCIO NO MUNICÍPIO DE BAMBUÍ/MG. Bambuí/MG - 2008 A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO GERENCIAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA PEQUENA EMPRESA DO SETOR AGRONEGÓCIO NO MUNICÍPIO DE BAMBUÍ/MG. Ana Cristina Teixeira AMARAL (1); Wemerton Luis EVANGELISTA

Leia mais

vencido Desafio Tradição, superação e vontade Atuação concisa e certeira, capacitação e união foram aspectos importantes de uma história

vencido Desafio Tradição, superação e vontade Atuação concisa e certeira, capacitação e união foram aspectos importantes de uma história Desafio Atuação concisa e certeira, capacitação e união foram aspectos importantes de uma história de recuperação, tradição e sucesso no varejo de material de construção mineiro. O único caminho a seguir,

Leia mais

Responsabilidade. Social. Um conceito voltado para o crescimento da Igreja. Prospecto Interservice 1

Responsabilidade. Social. Um conceito voltado para o crescimento da Igreja. Prospecto Interservice 1 Responsabilidade Social Um conceito voltado para o crescimento da Igreja. Prospecto Interservice 1 Sumário A missão da Interservice Responsabilidade Social Projeto Visão Cursos Livres Profissionalizantes

Leia mais

CONCEITOS BÁSICOS DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA

CONCEITOS BÁSICOS DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA January, 99 1 CONCEITOS BÁSICOS DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Paulo César Leite de Carvalho 1. INTRODUÇÃO A administração financeira está estritamente ligada à Economia e Contabilidade, e pode ser vista

Leia mais

Administração Financeira e Orçamento Empresarial UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAS APLICADAS FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

Administração Financeira e Orçamento Empresarial UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAS APLICADAS FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAS APLICADAS FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS PROF: HEBER LAVOR MOREIRA GISELE KARINA NASCIMENTO MESQUITA MARIA SANTANA AMARAL Flor de Lis MATERIAL

Leia mais

FRANQUIA MODALIDADE LOJA

FRANQUIA MODALIDADE LOJA FRANQUIA MODALIDADE LOJA SUMÁRIO QUEM SOMOS PREMIAÇÕES ONDE ESTAMOS NOSSO NEGÓCIO MULTIMARCAS MULTISERVIÇOS PERFIL DO FRANQUEADO VANTAGENS DA FRANQUIA CLUBE TURISMO DESCRITIVO DO INVESTIMENTO PROCESSO

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO SERVIÇOS DE MÍDIA INDOOR

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO SERVIÇOS DE MÍDIA INDOOR OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO SERVIÇOS DE MÍDIA INDOOR 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser

Leia mais

GUIA ATS INFORMÁTICA: GESTÃO DE ESTOQUE

GUIA ATS INFORMÁTICA: GESTÃO DE ESTOQUE GUIA ATS INFORMÁTICA: GESTÃO DE ESTOQUE SUMÁRIO O que é gestão de estoque...3 Primeiros passos para uma gestão de estoque eficiente...7 Como montar um estoque...12 Otimize a gestão do seu estoque...16

Leia mais

WWW.MEUOCULOSDEMADEIRA.COM.BR

WWW.MEUOCULOSDEMADEIRA.COM.BR SIGNATURE STORE WWW.MEUOCULOSDEMADEIRA.COM.BR Sucesso é quando criamos algo de que podemos ter orgulho. Richard Branson - Fundador do grupo Virgin 2 A História da MOM Há muitos anos venho trabalhando com

Leia mais

1 Administração de caixa

1 Administração de caixa 3 Administração Financeira Edison Kuster Nilson Danny Nogacz O que é realmente importante saber para uma boa administração financeira? Esta pergunta é comum entre os empresários, em especial aos pequenos

Leia mais

CIRCULAR DE OFERTA DE PARCERIA

CIRCULAR DE OFERTA DE PARCERIA Ipatinga, 26 de Setembro de 2014. CIRCULAR DE OFERTA DE PARCERIA Conheça essa nova ferramenta digital e saiba como uma parceria digital pode ser o melhor investimento e garantir a maior lucratividade no

Leia mais

1. SUMÁRIO EXECUTIVO... 4 1.1 - Descrição do Projeto... 4 1.2 - Dados dos Empreendedores, Perfis e Atribuições... 6 2. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA...

1. SUMÁRIO EXECUTIVO... 4 1.1 - Descrição do Projeto... 4 1.2 - Dados dos Empreendedores, Perfis e Atribuições... 6 2. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA... 1. SUMÁRIO EXECUTIVO... 4 1.1 - Descrição do Projeto... 4 1.2 - Dados dos Empreendedores, Perfis e Atribuições... 6 2. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA... 7 2.1 - Dados do Empreendimento... 7 2.2 - Setor de Atividade...

Leia mais

Seja um parceiro Xact Tecnologia e ofereça ao mercado nossas soluções, voltadas para gerenciamento total dos processos críticos do negócio.

Seja um parceiro Xact Tecnologia e ofereça ao mercado nossas soluções, voltadas para gerenciamento total dos processos críticos do negócio. Seja um parceiro Xact Tecnologia e ofereça ao mercado nossas soluções, voltadas para gerenciamento total dos processos críticos do negócio. Participe da rede de distribuição dos produtos exclusivos da

Leia mais

ANEXO 28c MODELO DE PLANO DE NEGÓCIOS - PINS SOLIDÁRIO. Identificação

ANEXO 28c MODELO DE PLANO DE NEGÓCIOS - PINS SOLIDÁRIO. Identificação ANEXO 28c MODELO DE PLANO DE NEGÓCIOS - PINS SOLIDÁRIO Nome da Entidade Identificação Razão Social CGC/CNPJ Inscrição Estadual Inscrição Municipal Descreva as Pricipais Atividades Desenvolvidas pela Entidade

Leia mais

COMO A GIR NA CRI $E 1

COMO A GIR NA CRI $E 1 1 COMO AGIR NA CRI$E COMO AGIR NA CRISE A turbulência econômica mundial provocada pela crise bancária nos Estados Unidos e Europa atingirá todos os países do mundo, com diferentes níveis de intensidade.

Leia mais

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG Capítulo 3: Sistemas de Negócios Colaboração SPT SIG Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos, gerentes e profissionais de empresas.

Leia mais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Capítulo 3: Sistemas de Apoio Gerenciais Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos,

Leia mais

Frequently Asked Questions Perguntas & Respostas

Frequently Asked Questions Perguntas & Respostas Frequently Asked Questions Perguntas & Respostas FAQ (frequently asked questions) Perguntas e Respostas 1 Quando surgiu a UNS? A UNS Idiomas iniciou suas atividades na cidade de São Paulo, onde está localizada

Leia mais

FRANQUIA HOME OFFICE

FRANQUIA HOME OFFICE FRANQUIA HOME OFFICE SUMÁRIO QUEM SOMOS PREMIAÇÕES ONDE ESTAMOS NOSSO NEGÓCIO MULTIMARCAS MULTISERVIÇOS PERFIL DO FRANQUEADO VANTAGENS DA FRANQUIA CLUBE TURISMO DESCRITIVO DO INVESTIMENTO PROCESSO DE SELEÇÃO

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO GALERIA E CENTRO DE ARTES

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO GALERIA E CENTRO DE ARTES OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO GALERIA E CENTRO DE ARTES 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser

Leia mais

CEAP CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA COMÉRCIO ELETRÔNICO PROF. CÉLIO CONRADO

CEAP CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA COMÉRCIO ELETRÔNICO PROF. CÉLIO CONRADO Contexto e objetivos CEAP CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA COMÉRCIO ELETRÔNICO PROF. CÉLIO CONRADO O desenvolvimento do plano de negócios, como sistematização das idéias

Leia mais

Soluções em Vendas Corporativas

Soluções em Vendas Corporativas Soluções em Vendas Corporativas Soluções em Vendas Corporativas Apresentação A Rastek trabalha na venda de toda a linha de produtos de informática, garantindo o atendimento às necessidades do cliente Trabalhamos

Leia mais

1. Apresentação. 1.1. Conexão Digital para o Desenvolvimento Social. 1.2. Engajamento na Iniciativa

1. Apresentação. 1.1. Conexão Digital para o Desenvolvimento Social. 1.2. Engajamento na Iniciativa 1. Apresentação 1.1. Conexão Digital para o Desenvolvimento Social A conexão Digital para o Desenvolvimento Social é uma iniciativa que abrange uma série de atividades desenvolvidas por ONGs em colaboração

Leia mais

III Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - campus Bambuí III Jornada Científica 19 a 23 de Outubro de 2010

III Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - campus Bambuí III Jornada Científica 19 a 23 de Outubro de 2010 Desenvolvimento de um software de baixo custo para o gerenciamento de bovinocultura de leite Miler Grudtner BOELL¹; Marcos Roberto RIBEIRO² 1 Aluno do Curso de Tecnologia de Sistemas para Internet e bolsista

Leia mais

Maria Tereza da Silva Santos. Confecção - Exemplo. Elaborado por: Plano de Negócio - Exemplos

Maria Tereza da Silva Santos. Confecção - Exemplo. Elaborado por: Plano de Negócio - Exemplos Maria Tereza da Silva Santos Confecção - Exemplo Elaborado por: Plano de Negócio - Exemplos Data criação: 09/01/2014 14:36 Data Modificação: 21/02/2014 14:36 Tipo Empresa: Empresa nascente 1 - Sumário

Leia mais

Unidade II. Unidade II

Unidade II. Unidade II Unidade II 6 PLANO DE NEGÓCIOS (PN): UMA VISÃO GERAL - O QUE É E PARA QUE SERVE? Plano de negócios (do inglês business plan), também chamado plano empresarial, é um documento que especifica, em linguagem

Leia mais

ANEXO VIII MODELO PARA APRESENTAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS

ANEXO VIII MODELO PARA APRESENTAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS ANEXO VIII MODELO PARA APRESENTAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS Este Anexo tem por objetivo orientar a elaboração do Plano de Negócios, que compõe a proposta comercial da proponente. O documento deve corresponder

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DO ESCOPO DE SISTEMA DE SOFTWARE A PARTIR DA UTILIZAÇÃO DA ENGENHARIA DE REQUISITOS

ESPECIFICAÇÃO DO ESCOPO DE SISTEMA DE SOFTWARE A PARTIR DA UTILIZAÇÃO DA ENGENHARIA DE REQUISITOS ESPECIFICAÇÃO DO ESCOPO DE SISTEMA DE SOFTWARE A PARTIR DA UTILIZAÇÃO DA ENGENHARIA DE REQUISITOS Rosiane da Silva Biscaia Discente do curso Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Faculdades

Leia mais

FRANQUIA MODALIDADE QUIOSQUE

FRANQUIA MODALIDADE QUIOSQUE FRANQUIA MODALIDADE QUIOSQUE SUMÁRIO QUEM SOMOS 02 PREMIAÇÕES 03 ONDE ESTAMOS 04 O MODELO QUIOSQUE 06 NOSSO NEGÓCIO 07 MULTIMARCAS 07 MULTISERVIÇOS 08 PERFIL DO FRANQUEADO 09 VANTAGENS DA FRANQUIA CLUBE

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO FOTOGRAFIA E FILMAGEM

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO FOTOGRAFIA E FILMAGEM OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO FOTOGRAFIA E FILMAGEM 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser fotocopiada,

Leia mais

IF685 Gerenciamento de Dados e Informação - Prof. Robson Fidalgo 1

IF685 Gerenciamento de Dados e Informação - Prof. Robson Fidalgo 1 IF685 Gerenciamento de Dados e Informação - Prof. Robson Fidalgo 1 Banco de Dados Introdução Por: Robson do Nascimento Fidalgo rdnf@cin.ufpe.br IF685 Gerenciamento de Dados e Informação - Prof. Robson

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS E PLANEJAMENTO: SUA IMPORTÂNCIA PARA O EMPREENDIMENTO

PLANO DE NEGÓCIOS E PLANEJAMENTO: SUA IMPORTÂNCIA PARA O EMPREENDIMENTO PLANO DE NEGÓCIOS E PLANEJAMENTO: SUA IMPORTÂNCIA PARA O EMPREENDIMENTO Bruna Carolina da Cruz Graduando em administração Unisalesiano Lins bruna-estella@hotmail.com Rafael Victor Ostetti da Silva Graduando

Leia mais

FACULDADE LA SALLE EDUARDO A. MALHEIROS EMERSON A. BARBOSA ANATAN B. DA ROSA MATHEUS S. PESSOA ARME TECNOLOGIA. Lucas do Rio Verde-MT 2013

FACULDADE LA SALLE EDUARDO A. MALHEIROS EMERSON A. BARBOSA ANATAN B. DA ROSA MATHEUS S. PESSOA ARME TECNOLOGIA. Lucas do Rio Verde-MT 2013 3 FACULDADE LA SALLE EDUARDO A. MALHEIROS EMERSON A. BARBOSA ANATAN B. DA ROSA MATHEUS S. PESSOA ARME TECNOLOGIA Lucas do Rio Verde-MT 2013 4 EDUARDO A. MALHEIROS EMERSON A. BARBOSA ANATAN B. DA ROSA MATHEUS

Leia mais

9 Plano de Marketing 9.1 Estratégias de Produto

9 Plano de Marketing 9.1 Estratégias de Produto 1 Sumário Executivo (O que é o plano de negócios) 2 Agradecimentos 3 Dedicatória 4 Sumário ( tópicos e suas respectivas páginas) 5 Administrativo - Introdução (O que foi feito no módulo administrativo)

Leia mais

Plano de Negócios. Fast Break

Plano de Negócios. Fast Break Plano de Negócios Fast Break Aislan Amadio 1 José Marcio Alves Thomé 2 Valéria Figueiredo 3 Vagner Roberto da Costa 4 Maria Eliza Zandarim 5 Resumo O presente estudo tem como objetivo demonstrar e de estruturar

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO E-COMMERCE - FLORICULTURA VIRTUAL

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO E-COMMERCE - FLORICULTURA VIRTUAL OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO E-COMMERCE - FLORICULTURA VIRTUAL 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação

Leia mais

Informações Financeiras. Sistema de Franquias

Informações Financeiras. Sistema de Franquias Informações Financeiras Sistema de Franquias Sistema de Franquias Somos uma loja que nasceu em Porto Alegre, somos especialista em moda masculina, e, em satisfazer e encantar os clientes. Com nosso sistema

Leia mais

(E-MAIL): marfa.alessandra@seagro.to.gov.br. Fortalecimento dos Serviços Públicos Selecionados

(E-MAIL): marfa.alessandra@seagro.to.gov.br. Fortalecimento dos Serviços Públicos Selecionados NOME DO PROJETO: PROJETO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL INTEGRADO E SUSTENTÁVEL PDRIS Nº ACORDO EMPRÉSTIMO: 8185-0/BR NÃO OBJEÇÃO - (TERMO DE REFERÊNCIA) Nº DO TDR: 02/2015 DATA: 01/02/2015 COMPONENTE: SUBCOMPONENTE:

Leia mais

SHOPPING POPULAR DE CANOAS/RS

SHOPPING POPULAR DE CANOAS/RS SHOPPING POPULAR DE CANOAS/RS Análise Econômica e Financeira Este relatório, elaborado pela Projeobra Engenharia Ltda., apresenta a análise econômica e financeira da implantação de um Shopping Popular

Leia mais

GUIA DE CURSO. Tecnologia em Sistemas de Informação. Tecnologia em Desenvolvimento Web. Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

GUIA DE CURSO. Tecnologia em Sistemas de Informação. Tecnologia em Desenvolvimento Web. Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas PIM PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO COM O MERCADO GUIA DE CURSO Tecnologia em Sistemas de Informação Tecnologia em Desenvolvimento Web Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Tecnologia em Sistemas

Leia mais

Consultoria, Assessoria e Desenvolvimento em Gestão de Projetos

Consultoria, Assessoria e Desenvolvimento em Gestão de Projetos OUTSOURCI NG Oferece tercerização de processos de negócios e alocação de recursos especializados nas áreas de tecnologia da informação, desenvolvimento e gerenciamento de projetos. Consultoria, Assessoria

Leia mais

Estudo de Viabilidade

Estudo de Viabilidade Estudo de Viabilidade PGE: Plastic Gestor Empresarial Especificação de Requisitos e Validação de Sistemas Recife, janeiro de 2013 Sumário 1. Motivação... 1 2. Introdução: O Problema Indentificado... 2

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Campus de Francisco Beltrão Estágio Supervisionado em Administração

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Campus de Francisco Beltrão Estágio Supervisionado em Administração UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Campus de Francisco Beltrão Estágio Supervisionado em Administração Formulário de Roteiro do Diagnóstico Organizacional Seqüência das partes

Leia mais

NASCER BEM 2/59. Foto: Stock.Schng

NASCER BEM 2/59. Foto: Stock.Schng 2/59 Foto: Stock.Schng NASCER BEM OBJETIVOS: Fase 1: Fornecer informações e orientações para empreendedores que pretendem iniciar um negócio, sobretudo na elaboração do Plano de Negócio. 3/59 Foto: Stock.Schng

Leia mais

Vida Segura Empresarial Bradesco:

Vida Segura Empresarial Bradesco: PRÊMIO ANSP 2005 Vida Segura Empresarial Bradesco: A democratização do acesso ao Seguro de Vida chega às Micro e Pequenas Empresas. 1 SUMÁRIO 1. Sinopse 3 2. Introdução 4 3. O desafio de ser o pioneiro

Leia mais

Universidade. Estácio de Sá. Informática e Telecomunicações

Universidade. Estácio de Sá. Informática e Telecomunicações Universidade Estácio de Sá Informática e Telecomunicações A Estácio Hoje reconhecida como a maior instituição particular de ensino superior do país, a Universidade Estácio de Sá iniciou suas atividades

Leia mais

15 anos entregando soluções empresariais que constroem resultados.

15 anos entregando soluções empresariais que constroem resultados. 15 anos entregando soluções empresariais que constroem resultados. Agronegócio brasileiro. Aqui vive um país inteiro! CONSULTORIA EM USINAS SUCROALCOOLEIRAS APORTE - Análise de Potencial de mercado com

Leia mais

MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS

MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS ANEXO 1 MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS Este documento serve como base orientadora para a apresentação de propostas de Arranjos Produtivos Locais para enquadramento no

Leia mais