REGULAMENTO DE ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS DOS CURSOS SUPERIORES DE LICENCIATURA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REGULAMENTO DE ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS DOS CURSOS SUPERIORES DE LICENCIATURA"

Transcrição

1 REGULAMENTO DE ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS DOS CURSOS SUPERIORES DE LICENCIATURA Normatiza a realização dos estágios supervisionados previstos nas Matrizes Curriculares dos Cursos Superiores de Licenciatura do Câmpus Osório. Art. 1º - Os Estágios de Docência dos são espaços de integração entre o IFRS, as escolas e a comunidade, por meio da troca de saberes e da articulação de ações de ensino, pesquisa e extensão. Art. 2º - Os Estágios de Docência têm por objetivo a inserção do discente dos Cursos de Licenciatura na prática docente, caracterizando-se como um espaço de formação profissional. 1º. Os Estágios Supervisionados devem ter duração de, pelo menos, 400 horas, as quais podem ser cumpridas a partir do início da segunda metade do curso (cf. Resolução CNE/CP nº 2/2002). 2º. No Curso Superior de Licenciatura em Letras, a carga horária de cada disciplina de estágio compreende 2 créditos presenciais, em sala de aula, para orientação e assessoramento das atividades práticas, totalizando 33 horas. A carga horária restante referente a cada Estágio Supervisionado será realizada de forma prática, em visitas à escola onde o estágio será realizado, observações da turma, preparação das atividades práticas, planejamento de aulas e redação do relatório de estágio, conforme previsto na Matriz Curricular do Curso e nas respectivas ementas. O professor orientador dos Estágios terá 4 horas-aula em seu Plano de Trabalho, sendo 2 horas presenciais para atendimento aos alunos, e 2 horas para análise de planos de ensino dos discentes e visitas às escolas nas quais os discentes realizarão seus estágios. 3º. No Curso Superior de Licenciatura em Matemática, a carga horária de estágio é de 400 (quatrocentas) horas-relógio. Cada estágio tem duração de 100 (cem) horas-

2 relógio, prevendo-se 60 (sessenta) horas em sala de aula ao estudante (efetiva prática docente em sala de aula com a turma) e 40 horas de orientação junto ao professor orientador para planejamento da prática em sala de aula, visitação da instituição, estudo com professor orientador e observações da turma. O professor orientador dos Estágios terá 4 horas-aula em seu Plano de Trabalho, sendo 2 horas presenciais para atendimento aos alunos, e 2 horas para análise de planos de ensino dos discentes e visitas às escolas nas quais os discentes realizarão seus estágios. 4º. As disciplinas de Estágio não compreendem horário extraclasse de estudos orientados. 5º. Cada turma de estágio não poderá exceder 15 alunos matriculados. Art. 3º - Os Estágios de Docência são atividades de ensino de caráter teórico-prático, obrigatórias à integralização dos do IFRS campus Osório, conforme os respectivos Projetos Pedagógicos de Curso, e compreendem um conjunto de atividades para a atuação como professor, envolvendo interação com a comunidade escolar; compreensão da organização e do planejamento escolar; planejamento, execução e avaliação de atividades docentes, de acordo com a legislação vigente. 1º - Os Estágios de Docência não importam em remuneração adicional de qualquer espécie para os discentes e para os docentes orientadores. 2º - A realização do Estágio Supervisionado não acarreta vínculo empregatício de qualquer natureza para os estagiários, conforme estabelecido na legislação vigente. Art. 4º - Os Estágios de Docência devem ser organizados pelos professores orientadores, que se constituem como os professores das disciplinas de Estágio Supervisionado. Art. 5º - O Estágio Supervisionado, como atividade de ensino na sua dimensão teórica, é desenvolvido em turmas regulares de ensino básico, em instituições públicas ou privadas, sob a responsabilidade de docentes do IFRS, e deve prever, necessariamente, no plano de ensino: os processos de articulação teoria-prática nas diferentes atividades de estágio; as possibilidades de articulação entre ensino, pesquisa e extensão, através da elaboração de projetos, produção bibliográfica, produção de relatórios, socialização

3 de experiências, entre outras; os processos de avaliação conjunta (turma e orientador) das atividades a serem desenvolvidas pelos estagiários. 1º - A frequência mínima exigida ao discente para o desenvolvimento das atividades correspondentes à dimensão teórica é de 75% (setenta e cinco por cento). 2º - A carga horária destinada à dimensão prática do Estágio Supervisionado deve ser aquela que complete o total de horas desta atividade do discente no semestre. 3º - A frequência exigida ao discente para o desenvolvimento das atividades na sua dimensão prática deve ser de 100% (cem por cento). Faltas justificadas ou casos excepcionais deverão ser avaliados pelo professor orientador da disciplina de Estágio Supervisionado para fins de planejamento de recuperação de carga horária e pelo NDE. Na impossibilidade de recuperação da carga horária, o estágio será cancelado. 4º - Visando à qualidade do acompanhamento das atividades individuais por parte dos orientadores, o número de discentes por turma não pode ser superior a 18 (dezoito) discentes, ressalvados os casos excepcionais aprovados pelo NDE. Art. 6º - O Estágio Supervisionado, como atividade de ensino na sua dimensão prática, é realizado em conformidade com o plano de ensino e organizado pelo orientador, devendo essa organização servir de parâmetro para a elaboração dos planos de trabalho individuais de cada discente estagiário. Art. 7º - O relatório de estágio do estagiário a ser entregue no final de cada Estágio Supervisionado deve apresentar os seguintes elementos: a) registro e sistematização da realidade da comunidade escolar no campo de estágio; b) atividades de docência compartilhadas com o professor supervisor em exercício no campo de estágio; c) atividades de regência em escolas de educação básica, em instituições públicas ou privadas, sob a supervisão do professor em exercício dessas instituições e sob a orientação do professor do IFRS; d) projeto de docência prevendo um módulo didático composto por planejamento, execução e avaliação do ensino e da aprendizagem; e) atividades de acompanhamento e participação em diversos aspectos da vida escolar junto à direção, supervisão e/ou orientação da escola; f) avaliação do estagiário do seu período de estágio supervisionado.

4 Art. 8º - O campo de estágio para a realização das atividades de docência é composto, preferencialmente, por escolas da rede pública de ensino básico. Art. 9º - São estagiários os discentes regularmente matriculados em turmas de Estágio Supervisionado dos do IFRS Câmpus Osório. Art. 10º - São atribuições dos estagiários: a) desenvolver o plano de trabalho proposto; b) participar das diferentes atividades a serem propostas na instituição do campo de estágio; c) comunicar, com a devida antecedência, ao orientador e ao supervisor da equipe da instituição campo de estágio, as impossibilidades ao desenvolvimento do plano de trabalho estabelecido; d) apresentar ao orientador e ao supervisor, ao final do estágio, relatório pormenorizado das atividades realizadas, incluindo avaliação da orientação e da supervisão recebidas. Art São orientadores dos Estágios Supervisionados os professores pertencentes ao quadro efetivo do IFRS, graduados em curso de Licenciatura na área de conhecimento do Estágio, ou pós-graduados em curso strictu sensu com área de concentração no âmbito educacional referente à área de estágio, e que estejam lecionando a referida disciplina de Estágio Supervisionado. Art São atribuições dos professores orientadores: a) assumir a responsabilidade institucional das atividades do estagiário na instituição campo de estágio; b) organizar o plano de ensino da atividade de Estágio Supervisionado; c) planejar a dimensão teórica da atividade de Estágio Supervisionado a ser desenvolvida em aulas e encontros coletivos ao longo de todo o semestre; d) orientar e avaliar a organização do plano de trabalho do discente; e) acompanhar e avaliar a execução do plano de trabalho do discente no campo de estágio, segundo o cronograma estabelecido e critérios previamente definidos.

5 Art São supervisores dos Estágios Supervisionados os professores em exercício, dos respectivos níveis, modalidades e áreas de conhecimento do objeto do estágio, pertencentes ao quadro docente efetivo do campo de estágio. O professor supervisor é o professor titular da disciplina da turma na qual o aluno estagiário estará realizando suas atividades de prática de ensino referentes ao Estágio Supervisionado. Art São atribuições dos professores supervisores: a) assumir a corresponsabilidade na formação profissional dos estagiários, através do acompanhamento das diferentes atividades a serem realizadas na sua instituição; b) participar do planejamento, organização e execução das atividades do estagiário, bem como do processo de avaliação, segundo critérios e prerrogativas definidas no plano de trabalho; c) oferecer assessoria através do compartilhamento de saberes relativos à sua atuação como docente em sua instituição. Art Casos omissos serão deliberados pelos Colegiado do Curso Superior e/ou pelo NDE do Curso Superior de Licenciatura em questão. Núcleo Docente Estruturante Curso Superior de Licenciatura em Letras Português Osório, novembro de 2015

ESTÁGIO PROFISSIONAL EM TREINAMENTO ESPORTIVO A

ESTÁGIO PROFISSIONAL EM TREINAMENTO ESPORTIVO A ESTÁGIO PROFISSIONAL EM TREINAMENTO ESPORTIVO A É ofertado no 7º semestre, compreende uma carga horária de 120 horas, totalizando 8 créditos, conforme as normas específicas para a realização do referido

Leia mais

FACULDADE EDUCACIONAL ARAUCÁRIA CURSO DE PEDAGOGIA. PORTARIA NORMATIVA 3, de 18 de fevereiro de 2010.

FACULDADE EDUCACIONAL ARAUCÁRIA CURSO DE PEDAGOGIA. PORTARIA NORMATIVA 3, de 18 de fevereiro de 2010. FACULDADE EDUCACIONAL ARAUCÁRIA CURSO DE PEDAGOGIA PORTARIA NORMATIVA 3, de 18 de fevereiro de 2010. Institui as orientações e as atividades aprovadas para a realização da carga horária de Estágio Supervisionado

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA HABILITAÇÃO EM GESTÃO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA HABILITAÇÃO EM GESTÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA HABILITAÇÃO EM GESTÃO DA INFORMAÇÃO FLORIANÓPOLIS, SC 2011 CAPITULO I CONCEPÇÃO E OBJETIVOS Art. 1º O Curso de Biblioteconomia

Leia mais

EDITAL N. 11 /2013. Este edital entrará em vigor a partir desta data, revogando os dispositivos anteriores. Curitiba, 15 de abril de 2013

EDITAL N. 11 /2013. Este edital entrará em vigor a partir desta data, revogando os dispositivos anteriores. Curitiba, 15 de abril de 2013 GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR FACULDADE DE ARTES DO PARANÁ Reconhecida pelo Decreto Governamental n.º 70.906 de 01/08/72 e Portaria n.º 1.062

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSOS DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DA UTFPR-DV

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSOS DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DA UTFPR-DV Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSOS DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DA UTFPR-DV APROVADO EM REUNIÃO ORDINÁRIA DO COLEGIADO

Leia mais

Resolução nº 004/2015

Resolução nº 004/2015 Resolução nº 004/2015 Dispõe sobre estágio de prática docente para os alunos do Mestrado em Direito e Instituições do Sistema de Justiça. Art. 1º O Estágio de Prática Docente (EPD) tem por objetivo aperfeiçoar

Leia mais

Regulamentação do Estágio Supervisionado Curso de Licenciatura em História UFRRJ/Seropédica

Regulamentação do Estágio Supervisionado Curso de Licenciatura em História UFRRJ/Seropédica MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO Regulamentação do Estágio Supervisionado Curso de Licenciatura em História UFRRJ/Seropédica CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO Art. 1º. O Estágio

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA PRATICA DE DOCÊNCIA DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO (PPGEd) DA UNOESC CAPÍTULO I

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA PRATICA DE DOCÊNCIA DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO (PPGEd) DA UNOESC CAPÍTULO I MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA PRATICA DE DOCÊNCIA DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO (PPGEd) DA UNOESC CAPÍTULO I DA FINALIDADE E DO OBJETIVO DA PRÁTICA DE DOCÊNCIA Art. 1º A Prática de Docência constitui

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE FILOSOFIA DA USJT CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE FILOSOFIA DA USJT CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE FILOSOFIA DA USJT CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Este Regulamento estabelece as normas para o cumprimento da carga horária mínima em Estágio

Leia mais

UNIVERSIDADE DO CONTESTADO UnC Curso de Ciências Sociais REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS

UNIVERSIDADE DO CONTESTADO UnC Curso de Ciências Sociais REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS UNIVERSIDADE DO CONTESTADO UnC Curso de Ciências Sociais REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - O Estágio

Leia mais

FACULDADE FAUC/AUM CURSO EDUCAÇÃO FÍSICA - LICENCIATURA MANUAL DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)

FACULDADE FAUC/AUM CURSO EDUCAÇÃO FÍSICA - LICENCIATURA MANUAL DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) 1 FACULDADE FAUC/AUM CURSO EDUCAÇÃO FÍSICA - LICENCIATURA MANUAL DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) 1 DEFINIÇÕES GERAIS 1.1 De acordo com o regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) do Projeto

Leia mais

MINUTA REGULAMENTO- DIRETRIZES OPERACIONAIS PARA INCLUSÃO DE CARGA HORÁRIA SEMIPRESENCIAL EM CURSOS PRESENCIAIS DO IFG

MINUTA REGULAMENTO- DIRETRIZES OPERACIONAIS PARA INCLUSÃO DE CARGA HORÁRIA SEMIPRESENCIAL EM CURSOS PRESENCIAIS DO IFG MINUTA REGULAMENTO- DIRETRIZES OPERACIONAIS PARA INCLUSÃO DE CARGA HORÁRIA SEMIPRESENCIAL EM CURSOS PRESENCIAIS DO IFG CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Leia mais

A Câmara Superior de Ensino do Conselho Universitário da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições;

A Câmara Superior de Ensino do Conselho Universitário da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições; SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº 08/2012 Aprova a estrutura curricular contida no Projeto Pedagógico do Curso

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O. Fica aprovado o Regulamento de Estágio Supervisionado do Curso de Enfermagem, bacharelado, da Faculdade do Maranhão FACAM.

R E S O L U Ç Ã O. Fica aprovado o Regulamento de Estágio Supervisionado do Curso de Enfermagem, bacharelado, da Faculdade do Maranhão FACAM. RESOLUÇÃO CSA N 06/2010 APROVA O REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENFERMAGEM, BACHARELADO, DA FACULDADE DO MARANHÃO FACAM. O Presidente do Conselho Superior de Administração CSA, no uso

Leia mais

REGULAMENTO DE EXTENSÃO DA FACULDADE ASCES CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E OBJETIVOS

REGULAMENTO DE EXTENSÃO DA FACULDADE ASCES CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E OBJETIVOS REGULAMENTO DE EXTENSÃO DA FACULDADE ASCES CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E OBJETIVOS Art 1º. A Extensão Acadêmica se constitui em uma prática permanente de interação universidade-sociedade, articulada ao ensino

Leia mais

Regimento do Estágio Supervisionado do Curso de Sistemas de Informação

Regimento do Estágio Supervisionado do Curso de Sistemas de Informação Regimento do Estágio Supervisionado do Curso de Sistemas de Informação Regimento do Estágio Supervisionado do Curso de Sistemas de Informação da Universidade do Estado de Minas Gerais Campus de Frutal/MG

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS RESOLUÇÃO Nº 03/2005

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS RESOLUÇÃO Nº 03/2005 RESOLUÇÃO Nº 03/2005 Normatiza a integralização de estágios no Curso de Psicologia da UFMG. O, no uso de suas atribuições e considerando: A Lei 6494 de 7 de Dezembro de 1977; O Decreto 87.497 de 18 de

Leia mais

REGULAMENTO DE REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO Faculdade de Enfermagem Luiza de Marillac

REGULAMENTO DE REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO Faculdade de Enfermagem Luiza de Marillac REGULAMENTO DE REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO Faculdade de Enfermagem Luiza de Marillac 2 TÍTULO I DAS CONSIDERAÇÕES GERAIS Artigo 1º - Os Cursos da FELM mantém estágios curriculares supervisionados que se constituem

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CURSO DE MATEMÁTICA COM ÊNFASE EM INFORMÁTICA DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO SÃO LUÍS DE JABOTICABAL SP

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CURSO DE MATEMÁTICA COM ÊNFASE EM INFORMÁTICA DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO SÃO LUÍS DE JABOTICABAL SP ANEXO II REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CURSO DE MATEMÁTICA COM ÊNFASE EM INFORMÁTICA DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO SÃO LUÍS DE JABOTICABAL SP CAPÍTULO I DA FINALIDADE E OBJETIVOS Art. 1º

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM QUIMICA SECÃO I

INSTRUÇÃO NORMATIVA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM QUIMICA SECÃO I INSTRUÇÃO NORMATIVA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM QUIMICA SECÃO I DA DEFINIÇÃO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Art. 1º - A Coordenação do Curso de Licenciatura em Química da UTFPR Campus

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC REGULAMENTO

CURSO DE PEDAGOGIA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC REGULAMENTO CURSO DE PEDAGOGIA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC REGULAMENTO DAS CONDIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Este Regulamento apresenta a definição, os objetivos, a caracterização e a explicitação das condições

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL UFRGS INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS Comissão de Graduação do Curso de Ciências Biológicas COMGRAD/BIO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL UFRGS INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS Comissão de Graduação do Curso de Ciências Biológicas COMGRAD/BIO DECISÃO 03/2015 - Altera: Decisão n o 03/2013 ESTÁGIO SUPERVISIONADO A, reunida em 18 de novembro de 2015, no uso de suas atribuições, DECIDE Regulamentar a atividade de Ensino de Estágio Supervisionado,

Leia mais

MINUTA REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS UNESP CAMPUS DE MARÍLIA

MINUTA REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS UNESP CAMPUS DE MARÍLIA MINUTA REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS UNESP CAMPUS DE MARÍLIA Capítulo I Do conceito e Objetivos Art. 1º - O Estágio Supervisionado do curso de

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE ALAGOAS - UNEAL

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE ALAGOAS - UNEAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA Este Regulamento e a Resolução do Conselho Superior da Uneal (CONSU/UNEAL) que o aprovou foram publicados na edição do Diário

Leia mais

PROGRAMA DE MONITORIA

PROGRAMA DE MONITORIA FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO VICENTE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO TECNOLOGIA EM AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL PROGRAMA DE MONITORIA Agosto/2010 2 1. O QUE É MONITORIA A Monitoria é a modalidade de ensino-aprendizagem,

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO BACHARELADO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO BACHARELADO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO BACHARELADO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS O Estágio Curricular Supervisionado Obrigatório está organizado em duas etapas, uma no sétimo e outra

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1 REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO SÃO JOSÉ DO RIO PRETO 2013 2 CAPÍTULO I Do Estágio Supervisionado Artigo 1.º - Este regulamento de estágio supervisionado se refere à formação do Licenciado em Pedagogia.

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO DO CURSO DE MESTRADO EM ENSINO DE DANÇA ESCOLA SUPERIOR DE DANÇA INSTITUTO POLITÉNICO DE LISBOA

REGULAMENTO DO ESTÁGIO DO CURSO DE MESTRADO EM ENSINO DE DANÇA ESCOLA SUPERIOR DE DANÇA INSTITUTO POLITÉNICO DE LISBOA REGULAMENTO DO ESTÁGIO DO CURSO DE MESTRADO EM ENSINO DE DANÇA ESCOLA SUPERIOR DE DANÇA INSTITUTO POLITÉNICO DE LISBOA Maio de 2012 REGULAMENTO DO ESTÁGIO Preâmbulo De acordo com o previsto na alínea 3

Leia mais

Regulamento de Estágio Curricular Supervisionado ENGENHARIA ELÉTRICA - TELECOMUNICAÇÕES

Regulamento de Estágio Curricular Supervisionado ENGENHARIA ELÉTRICA - TELECOMUNICAÇÕES Regulamento de Estágio Curricular Supervisionado ENGENHARIA ELÉTRICA - TELECOMUNICAÇÕES CAMPO LIMPO PAULISTA 2014 Regulamento de Estágio Curricular Supervisionado do Curso de Engenharia Elétrica - Telecomunicações

Leia mais

NORMATIVA PARA OFERTA DE CARGA HORÁRIA SEMIPRESENCIAL EM CURSOS DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA E TECNOLÓGICA PRESENCIAIS DO IFNMG

NORMATIVA PARA OFERTA DE CARGA HORÁRIA SEMIPRESENCIAL EM CURSOS DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA E TECNOLÓGICA PRESENCIAIS DO IFNMG Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal do Norte de Minas Gerais Pró-Reitoria de Ensino NORMATIVA PARA OFERTA DE CARGA HORÁRIA SEMIPRESENCIAL EM CURSOS

Leia mais

Versão: Dezembro/2012. O aluno poderá integralizar os créditos referentes às disciplinas ACH 2017 e ACH 2018 das seguintes formas:

Versão: Dezembro/2012. O aluno poderá integralizar os créditos referentes às disciplinas ACH 2017 e ACH 2018 das seguintes formas: Normas para Realização do Projeto Supervisionado ou Trabalho de Graduação para o Curso de Sistemas de Informação da Escola de Artes, Ciências e Humanidades, da Universidade de São Paulo Versão: Dezembro/2012

Leia mais

1º. As AACC, conforme previstas no projeto pedagógico do curso poderão ser desenvolvidas ao longo de todo o percurso formativo.

1º. As AACC, conforme previstas no projeto pedagógico do curso poderão ser desenvolvidas ao longo de todo o percurso formativo. REGULAMENTO DAS ATIVIDADES ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS DOS CURSOS DE LICENCIATURA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS CAMPUS BARBACENA Art. 1º. As Atividades

Leia mais

REGULAMENTO DA MONITORIA. para o exercício da Monitoria nos Cursos de Graduação da Universidade Iguaçu. discentes; magistério superior.

REGULAMENTO DA MONITORIA. para o exercício da Monitoria nos Cursos de Graduação da Universidade Iguaçu. discentes; magistério superior. i.e PRÓ-REITORIA ACADÊMICA REGULAMENTO DA MONITORIA Art. 1º. O presente regulamento estabelece as regras para o exercício da Monitoria nos Cursos de Graduação da Universidade Iguaçu UNIG, por meio de programas

Leia mais

REGULAMENTO N. 001 /2010 REGULAMENTO GERAL DO NÚCLEO DE ESTÁGIO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA

REGULAMENTO N. 001 /2010 REGULAMENTO GERAL DO NÚCLEO DE ESTÁGIO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA REGULAMENTO N. 001 /2010 REGULAMENTO GERAL DO NÚCLEO DE ESTÁGIO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA Simone da Silva Gomes Cardoso, Diretora da FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Normas para realização do Trabalho de Conclusão de Curso do Curso de Graduação em Engenharia Ambiental

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA 1 REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA 2 REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA O Trabalho de Conclusão de

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N , DE 22 DE JANEIRO DE 2014

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N , DE 22 DE JANEIRO DE 2014 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.478, DE 22 DE JANEIRO DE 2014 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em

Leia mais

TRABALHO DE GRADUAÇÃO INTERDISCIPLINAR REGULAMENTO

TRABALHO DE GRADUAÇÃO INTERDISCIPLINAR REGULAMENTO COORDENAÇÃO DE TGI TRABALHO DE GRADUAÇÃO INTERDISCIPLINAR REGULAMENTO SÃO PAULO JUNHO DE 2007 CAPÍTULO 1 DA CONCEITUAÇÃO Art. 1º - O Trabalho de Graduação Interdisciplinar (TGI), atividade obrigatória

Leia mais

ANEXO III REGULAMENTO DE ATIVIDADE DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM SOCIOLOGIA - LICENCIATURA

ANEXO III REGULAMENTO DE ATIVIDADE DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM SOCIOLOGIA - LICENCIATURA ANEXO III REGULAMENTO DE ATIVIDADE DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM SOCIOLOGIA - LICENCIATURA REGULAMENTO DE ATIVIDADE DE CONCLUSÃO DE CURSO SEÇÃO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º. Este dispositivo

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N , DE 22 DE MARÇO DE 2012

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N , DE 22 DE MARÇO DE 2012 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.262, DE 22 DE MARÇO DE 2012 Institui o Regulamento para a realização dos Estágios Supervisionados,

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO DE ESTÁGIO

TERMO DE COMPROMISSO DE ESTÁGIO TERMO DE COMPROMISSO DE ESTÁGIO (Estudante realizando estágio curricular nas dependências da UFG- TCE coletivo com o mesmo supervisor) 1. Modalidade do estágio: Estágio Curricular Obrigatório N.º da Apólice

Leia mais

REGULAMENTO PARA AS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO PARA AS ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO PARA AS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Art. 1º As Complementares (AC) atendem ao Parecer n 776/97 da CES, que trata das Diretrizes Curriculares dos cursos de graduação,

Leia mais

VAGA REMANESCENTE DO PROGRAMA DE MONITORIA REMUNERADA DA UTFPR EDITAL 05/2016-DIRGRAD

VAGA REMANESCENTE DO PROGRAMA DE MONITORIA REMUNERADA DA UTFPR EDITAL 05/2016-DIRGRAD Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Câmpus Guarapuava Diretoria de Graduação e Educação Profissional VAGA REMANESCENTE DO PROGRAMA DE MONITORIA REMUNERADA DA UTFPR EDITAL

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Gestão Empresarial. Prof. Me. Vitor Paulo Boldrin Organizador. ATIVIDADES ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS Regulamento

Curso Superior de Tecnologia em Gestão Empresarial. Prof. Me. Vitor Paulo Boldrin Organizador. ATIVIDADES ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS Regulamento Curso Superior de Tecnologia em Gestão Empresarial Prof. Me. Vitor Paulo Boldrin Organizador ATIVIDADES ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS Regulamento Jales 2016 APRESENTAÇÃO E EMENTA O presente texto visa

Leia mais

REGIMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE HISTÓRIA CAPÍTULO I DEFINIÇÃO

REGIMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE HISTÓRIA CAPÍTULO I DEFINIÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CAMPUS UNIVERSITÁRIO SENADOR HELVÍDIO NUNES DE BARROS Rua Cícero Eduardo S/N - Bairro Junco-64.600-000. Picos/PI Fone: (89) 3422-2032 - E-mail: coordenacao.historia@ufpi.br

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID SELEÇÃO DE PROFESSOR SUPERVISOR EDITAL PIBID FEEVALE Nº. 06/2013

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID SELEÇÃO DE PROFESSOR SUPERVISOR EDITAL PIBID FEEVALE Nº. 06/2013 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID SELEÇÃO DE PROFESSOR SUPERVISOR EDITAL PIBID FEEVALE Nº. 06/2013 A Pró-reitora de Ensino da Universidade Feevale, no uso de suas atribuições,

Leia mais

PROGRAMA DE MONITORIA DA FACULDADE DE MEDICINA DE ITAJUBÁ

PROGRAMA DE MONITORIA DA FACULDADE DE MEDICINA DE ITAJUBÁ PROGRAMA DE MONITORIA DA FACULDADE DE MEDICINA DE ITAJUBÁ TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I CARACTERÍSTICAS DO PROGRAMA Artigo 1º - O Programa de Monitoria, mantido pela Faculdade de Medicina de Itajubá,

Leia mais

Universidade Federal do Oeste do Pará PROGRAMA DE MONITORIA ACADÊMICA

Universidade Federal do Oeste do Pará PROGRAMA DE MONITORIA ACADÊMICA Universidade Federal do Oeste do Pará PROGRAMA DE MONITORIA ACADÊMICA 1. Quais são os requisitos para obtenção de bolsa monitoria? a) o discente deve estar regularmente matriculado no período letivo em

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR - LICENCIATURA EM PEDAGOGIA

MATRIZ CURRICULAR - LICENCIATURA EM PEDAGOGIA MATRIZ CURRICULAR - LICENCIATURA EM PEDAGOGIA 1 a FASE CÓD DISCIPLINAS EIXO C/H Créditos Filosofia da I Epistemologia Introdução à Ciência Epistemologia Científica educativa Português Comunicação e expressão

Leia mais

FACULDADE JAUENSE REGULAMENTO PROJETO INTEGRADOR

FACULDADE JAUENSE REGULAMENTO PROJETO INTEGRADOR FACULDADE JAUENSE REGULAMENTO PROJETO INTEGRADOR JAÚ/ SP - 2014 REGULAMENTO DO PROJETO INTEGRADOR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 5º semestre

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 5º semestre EIXO TECNOLÓGICO: Ensino Superior Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Licenciatura em Matemática FORMA/GRAU:( )integrado( )subsequente( ) concomitante ( ) bacharelado( x )licenciatura( ) tecnólogo MODALIDADE:

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA COM ÊNFASE EM INFORMÁTICA

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA COM ÊNFASE EM INFORMÁTICA ANEXO E - REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA COM ÊNFASE EM INFORMÁTICA REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA COM ÊNFASE EM INFORMÁTICA

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA EDITAL N. 17, DE 25 DE JULHO DE 2014

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA EDITAL N. 17, DE 25 DE JULHO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO COORDENADORIA DE PLANEJAMENTO ACADÊMICO - COPA/PROGRAD EDITAL N. 17, DE 25 DE JULHO DE 2014 INSCRIÇÃO À SELEÇÃO DE TUTORES

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 017/ CONSELHO SUPERIOR

RESOLUÇÃO Nº 017/ CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 017/2015 - CONSELHO SUPERIOR Regulamenta o desenvolvimento das Atividades Teórico-Práticas de Aprofundamento em áreas específicas de interesse do estudante dos cursos de licenciatura do IFPI.

Leia mais

ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO ORGANOGRAMA

ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO ORGANOGRAMA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO ORGANOGRAMA ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DAS ATIVIDADES ESTÁGIOSUPERVISIONADO INTEGRADO AO TRABALHO DE CURSO Colegiado: -Validar o

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES ACADÊMICAS, CIENTÍFICAS E CULTURAIS COMPLEMENTARES - AACC

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES ACADÊMICAS, CIENTÍFICAS E CULTURAIS COMPLEMENTARES - AACC REGULAMENTO DAS ATIVIDADES ACADÊMICAS, CIENTÍFICAS E CULTURAIS COMPLEMENTARES - AACC CAPÍTULO I DAS FINALIDADES. Artigo 1º As Atividades Acadêmicas, Científicas e Culturais - AACC Atividades são consideradas

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I - DA NATUREZA Art. º Consideram-se como Atividades Complementares do Engenharia de Produção, todas as atividades relacionadas com projetos de pesquisa,

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA NPJ FACULDADE DINÂMICA DO VALE DO PIRANGA FADIP

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA NPJ FACULDADE DINÂMICA DO VALE DO PIRANGA FADIP REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA NPJ FACULDADE DINÂMICA DO VALE DO PIRANGA FADIP O Núcleo de Prática Jurídica do Curso de Bacharelado em Direito da FADIP Faculdade Dinâmica do Vale do Piranga,

Leia mais

ANEXO I ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS ESPECIFICAÇÃO DO CARGO DE PROFESSOR

ANEXO I ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS ESPECIFICAÇÃO DO CARGO DE PROFESSOR Cargo: Professor Classe: A,B,C,D, ANEXO I ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS ESPECIFICAÇÃO DO CARGO DE PROFESSOR Orientar a aprendizagem dos alunos; Participar das atividades da escola: Organizar as operações inerentes

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA CEAD PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA CEAD PLANO DE ENSINO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA CEAD PLANO DE ENSINO I IDENTIFICAÇÃO Curso: Pedagogia a Distância Departamento: Departamento de Pedagogia a Distância Disciplina:

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 2º Semestre EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 2º Semestre EMENTA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: PRODUÇÃO ALIMENTÍCIA CURSO: Curso Técnico em Agroindústria FORMA/GRAU:( )integrado ( x )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( )

Leia mais

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Belo Horizonte 2015 1 Prezado(a) aluno(a): Este é o Manual de Atividades Complementares do Curso Superior de Tecnologia em Estética e Cosmética do Centro Universitário

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL - PRPDI Orientação Geral O Plano de Desenvolvimento Institucional -PDI, elaborado para um período de 5

Leia mais

O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA DE TANQUE NOVO, ESTADO DA BAHIA, usando de uma das suas atribuições que lhes são conferidas por lei, e

O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA DE TANQUE NOVO, ESTADO DA BAHIA, usando de uma das suas atribuições que lhes são conferidas por lei, e PORTARIA Nº 01/2011 DE 01 DE DEZEMBRO DE 2011. Dispõe sobre o processo de matrícula/2012 dos alunos nas Unidades Escolares Municipais - UEM e organização do período letivo de ensino 2012 no município de

Leia mais

EDITAL 004/2016 Câmpus Araraquara SELEÇÃO DE BOLSISTAS - BOLSA EXTENSÃO

EDITAL 004/2016 Câmpus Araraquara SELEÇÃO DE BOLSISTAS - BOLSA EXTENSÃO EDITAL 004/2016 Câmpus Araraquara SELEÇÃO DE BOLSISTAS - BOLSA EXTENSÃO ABERTURA O Diretor Geral do câmpus Araraquara do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo, torna pública,

Leia mais

NORMAS PARA ORIENTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS NOS CURSOS DE LICENCIATURA DA URI

NORMAS PARA ORIENTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS NOS CURSOS DE LICENCIATURA DA URI UNIVERSIDADE REGIONAL INTEGRADA DO ALTO URUGUAI E DAS MISSÕES URI NORMAS PARA ORIENTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS NOS CURSOS DE LICENCIATURA DA URI 2 NORMAS PARA ORIENTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO

Leia mais

REGULAMENTO PARA REALIZAÇÃO DE AULAS PRÁTICAS CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO

REGULAMENTO PARA REALIZAÇÃO DE AULAS PRÁTICAS CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS HUMANAS DEPARTAMENTO DE TURISMO Curso de Turismo REGULAMENTO PARA REALIZAÇÃO DE AULAS PRÁTICAS CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO Art. 1º - De acordo com a Resolução

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/PPGEDU, DE JULHO DE 2013.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/PPGEDU, DE JULHO DE 2013. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/PPGEDU, DE JULHO DE 2013. Define as modalidades de Atividades Curriculares Complementares do Programa de Pós-Graduação em Educação. A Comissão de Pós-Graduação, no uso de suas

Leia mais

PROGRAMA DE ESTÍMULO AO ENSINO DE GRADUAÇÃO (MONITORIA) EDITAL 01/2015. I. Da Caracterização do Programa de Estímulo ao Ensino de Graduação- Monitoria

PROGRAMA DE ESTÍMULO AO ENSINO DE GRADUAÇÃO (MONITORIA) EDITAL 01/2015. I. Da Caracterização do Programa de Estímulo ao Ensino de Graduação- Monitoria PROGRAMA DE ESTÍMULO AO ENSINO DE GRADUAÇÃO (MONITORIA) EDITAL 01/2015 DISPÕE SOBRE O EDITAL 01/2015 DO PROGRAMA DE ESTÍMULO AO ENSINO DA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO QUE VISA A OFERECER A ESTUDANTES DE GRADUAÇÃO

Leia mais

Manual de Estágio Supervisionado

Manual de Estágio Supervisionado Manual de Estágio Supervisionado Este Manual do Estágio Supervisionado contém informações e orientações importantes e necessárias aos estudantes do curso de Pedagogia. Nele, encontram-se os procedimentos

Leia mais

CURSO: FISIOTERAPIA I DA CARACTERIZAÇÃO:

CURSO: FISIOTERAPIA I DA CARACTERIZAÇÃO: REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I e II CURSO: FISIOTERAPIA I DA CARACTERIZAÇÃO: Art.1º Estágio Supervisionado é disciplina oferecida aos alunos regularmente matriculados no oitavo e nono período

Leia mais

PORTARIA GD Nº 06, DE 23/04/2010

PORTARIA GD Nº 06, DE 23/04/2010 PORTARIA GD Nº 06, DE 23/04/2010 Aprova o Regulamento do Programa de Estágios da Faculdade de Engenharia da UNESP - Campus de Ilha Solteira. O Diretor da Faculdade de Engenharia do Campus de Ilha Solteira,

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA

CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA NORMA PARA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPÍTULO I - Das Disposições Preliminares Art. 1 - A presente norma tem como objetivo regulamentar a realização de Trabalho

Leia mais

EDITAL DE TURMA ESPECIAL

EDITAL DE TURMA ESPECIAL Edital N 0122/ 2016. Cacoal, 07 de Outubro de 2016. EDITAL DE TURMA ESPECIAL A Faculdade de Ciências Biomédicas de Cacoal FACIMED, no uso de suas atribuições legais, e tendo presente o disposto no Art.

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO PSICOPEDAGOGIA INSTITUCIONAL E CLÍNICA LATO SENSU MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO PSICOPEDAGOGIA INSTITUCIONAL E CLÍNICA LATO SENSU MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO PSICOPEDAGOGIA INSTITUCIONAL E CLÍNICA LATO SENSU MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO por PROFª Ms. Maria Rosa Silva Lourinha Rio de Janeiro, MARÇO / 2013 1 MANUAL DE ESTÁGIO

Leia mais

CURSO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS REGULAMENTO- ATIVIDADES COMPLEMENTARES

CURSO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS REGULAMENTO- ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS REGULAMENTO- ATIVIDADES COMPLEMENTARES As Atividades Complementares constituem parte da Carga Horária do Curso de Relações Internacionais da UNIFESP Osasco, em um total

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES GERAIS

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES GERAIS REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES GERAIS Art. 1º - Este Regulamento visa normatizar as Atividades Complementares do Curso de História. Parágrafo único As Atividades Complementares

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas 1 REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas O Diretor Geral Pró Tempore do Instituto Federal Catarinense Campus de Blumenau, no uso de

Leia mais

NORMAS DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE AGRONOMIA

NORMAS DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE AGRONOMIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIAS E TECNOLOGIA SERTÃO PERNAMBUCANO CAMPUS PETROLINA ZONA RURAL CURSO DE BACHARELADO EM AGRONOMIA

Leia mais

FACER FACULDADES FACULDADE DE JARAGUÁ PROGRAMA DE MONITORIA VOLUNTÁRIA

FACER FACULDADES FACULDADE DE JARAGUÁ PROGRAMA DE MONITORIA VOLUNTÁRIA FACER FACULDADES FACULDADE DE JARAGUÁ PROGRAMA DE MONITORIA VOLUNTÁRIA INTRODUÇÃO O exercício da Monitoria constitui-se em uma atividade de grande relevância, especialmente, por estimular no aluno de graduação

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: PRODUÇÃO ALIMENTÍCIA CURSO: Curso Técnico em Agroindústria FORMA/GRAU:( )integrado ( x )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( )

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 032/07 CONSUNI

RESOLUÇÃO Nº 032/07 CONSUNI RESOLUÇÃO Nº 032/07 CONSUNI APROVA O REGULAMENTO QUE NORMATIZA AS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS. A Presidente do Conselho Universitário CONSUNI

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL CAMPUS DO PANTANAL COLEGIADO DE CURSO DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL CAMPUS DO PANTANAL COLEGIADO DE CURSO DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL CAMPUS DO PANTANAL COLEGIADO DE CURSO DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA REGULAMENTO DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO E NÃO-OBRIGATÓRIO DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA TÍTULO I DA

Leia mais

Diretrizes para formação inicial e licenciaturas na UTFPR

Diretrizes para formação inicial e licenciaturas na UTFPR Diretrizes para formação inicial e licenciaturas na UTFPR Profa. Dra. Flávia Dias de Souza Docente do Departamento de Educação DEPED Universidade Tecnológica Federal do Paraná UTFPR Docente do Programa

Leia mais

PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL EDITAL Nº 023/2016, DE 24 DE AGOSTO DE 2016

PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL EDITAL Nº 023/2016, DE 24 DE AGOSTO DE 2016 PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL EDITAL Nº 023/2016, DE 24 DE AGOSTO DE 2016 BOLSA TUTORIA/CURSO SUPERIOR - LICENCIATURA EM MATEMÁTICA IFMG O DIRETOR GERAL DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS NÚCLEO DE PESQUISA, ESTÁGIO E EXTENSÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS - NUPEBIO

FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS NÚCLEO DE PESQUISA, ESTÁGIO E EXTENSÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS - NUPEBIO FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS NÚCLEO DE PESQUISA, ESTÁGIO E EXTENSÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS - NUPEBIO REGULAMENTAÇÃO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS CAPÍTULO 1 MODALIDADES E ASPECTOS LEGAIS Os Estágios

Leia mais

EDITAL DE MONITORIA nº 31/2014

EDITAL DE MONITORIA nº 31/2014 EDITAL DE MONITORIA nº 31/2014 O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano Campus Senhor do Bonfim torna pública a abertura das inscrições para seleção de bolsas do Programa Institucional

Leia mais

IVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE ODONTOLOGIA

IVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE ODONTOLOGIA Normatiza as Atividades Formativas previsto na Reforma Curricular do Curso de Odontologia Processo N o 23075.64471/05-92 DISPOSIÇÕES PRELIMINARES O presente regulamento tem o propósito de normatizar as

Leia mais

PARTE II Trabalho de Conclusão de Curso

PARTE II Trabalho de Conclusão de Curso PARTE II Trabalho de Conclusão de Curso 36 9 ORIENTAÇÕES PARA O TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO 9.1 INTRODUÇÃO A interdisciplina EDUAD050 Trabalho de Conclusão de Curso, tem caráter obrigatório e é ofertada

Leia mais

A Câmara Superior de Ensino do Conselho Universitário da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições,

A Câmara Superior de Ensino do Conselho Universitário da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições, SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº 04/2016 Altera a estrutura curricular do Curso de Ciências Contábeis, modalidade

Leia mais

CRONOGRAMA CARGOS, VAGAS E FUNÇÕES. MONTES CLAROS

CRONOGRAMA CARGOS, VAGAS E FUNÇÕES. MONTES CLAROS Atividade CRONOGRAMA Período Divulgação no Site 24/07/2016 Prazo para cadastro de currículos 24 à 31/07/2016 Publicação da relação de candidatos habilitados para realização da prova Até 05/08/2016 Aplicação

Leia mais

Manual do Estágio Supervisionado

Manual do Estágio Supervisionado IBB Ano 2015 1. APRESENTAÇÃO: A partir do 1º Semestre Letivo de 2016, os alunos em fase de conclusão do Curso de (Currículo 2013) deverão realizar o Estágio Curricular Supervisionado. O presente manual

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CURSO DE GRADUAÇÃO EM IMAGEM E SOM REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR São Carlos, dezembro de 2014. 1 Regulamento de estágio obrigatório do curso de Bacharelado em Imagem

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO REGULAMENTO TÍTULO I DO ESTÁGIO E SEUS FINS

ESTÁGIO SUPERVISIONADO REGULAMENTO TÍTULO I DO ESTÁGIO E SEUS FINS ESTÁGIO SUPERVISIONADO REGULAMENTO TÍTULO I DO ESTÁGIO E SEUS FINS Art. 1º - O ESTÁGIO SUPERVISIONADO visa complementar a formação acadêmica e efetivar a habilitação profissional, exigida por lei, para

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS, LICENCIATURA.

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS, LICENCIATURA. REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS, LICENCIATURA. Dispõe sobre a prática das Atividades de Estágio Supervisionado do Curso de Ciências Biológicas, Licenciatura da Faculdade

Leia mais

PAE: monitoria ou estágio supervisionado em docência?

PAE: monitoria ou estágio supervisionado em docência? PAE: monitoria ou estágio supervisionado em docência? Professora Beatriz Appezzato da Glória Representante do campus Luiz de Queiroz na Comissão Central do PAE _ 1993, por iniciativa da Professora Myriam

Leia mais

PROGRAMA VIVÊNCIA PROFISSIONAL : REGULAMENTO DA PRÁTICA PROFISSIONAL / ESTÁGIO. Escola SENAI Anchieta

PROGRAMA VIVÊNCIA PROFISSIONAL : REGULAMENTO DA PRÁTICA PROFISSIONAL / ESTÁGIO. Escola SENAI Anchieta PROGRAMA VIVÊNCIA PROFISSIONAL : REGULAMENTO DA PRÁTICA PROFISSIONAL / ESTÁGIO Escola SENAI Anchieta Sumário Página 01 Prática Profissional / Estágio 03 02 Da carga horária da Prática Profissional / Estágio

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO IV e V PRÁTICA JURÍDICA REAL CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO IV e V PRÁTICA JURÍDICA REAL CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO IV e V PRÁTICA JURÍDICA REAL Delineia Estágio Supervisionado IV e V, compreendendo realização de prática jurídica real pelos acadêmicos matriculados no 9º e 10º período

Leia mais

REGIMENTO DA DISCIPLINA CE078 LABORATÓRIO DE ESTATÍSTICA DO CURSO DE ESTATÍSTICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

REGIMENTO DA DISCIPLINA CE078 LABORATÓRIO DE ESTATÍSTICA DO CURSO DE ESTATÍSTICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ REGIMENTO DA DISCIPLINA CE078 LABORATÓRIO DE ESTATÍSTICA DO CURSO DE ESTATÍSTICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Os alunos do Curso de Estatística da UFPR regularmente matriculados na disciplina CE078

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº 12/2015 Aprova a estrutura curricular contida no Projeto Pedagógico do Curso

Leia mais