Produção Hidro Nacional Itaipu Binacional Termo Nuclear Termo Convencional Eólica

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Produção Hidro Nacional Itaipu Binacional Termo Nuclear Termo Convencional Eólica"

Transcrição

1 Sexta-feira, 23 de Dezembro de Balanço de Energia LEGENDA: Verificado Programado SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL - SIN - MWmed Produção Hidro Nacional Itaipu Binacional Termo Nuclear Termo Convencional Eólica ,14 % 17,70 % 3,31 % 5,24 % 0,61 % Total SIN ,00 % Intercâmbio Internacional Produção e Carga Regionais e Intercâmbios Verificados - MWmed. Norte Interligado Produção Norte Interligado Hidro Produção Termo Itaipu Binacional -16 Interc. Internacional Produção Hidro Produção Termo 625 Eólica Sul Produção Nordeste Hidro Produção Termo 937 Eólica Produção Sudeste/Centro-Oeste Hidro Produção Termo (**) (*) Carga = Consumo + Perdas (**) Este valor inclui toda a carga de Mato Grosso do Sul suprida pela Enersul (643 MW), assim como a carga dos estados de Acre e Rondônia (491 MW) nesse dia. Interc. Internacional Sul INFORMATIVO PRELIMINAR DIÁRIO DA OPERAÇÃO DO DIA 23/12/2011 ( Sexta-feira ) - Pag Nordeste Sudeste/Centro-Oeste

2 2 - Balanço de Energia Detalhado LEGENDA: Verificado Programado NORTE INTERLIGADO NORDESTE Produção (MWmed/dia) Produção (MWmed/dia) Hidro 9,54 % Hidro 11,25 % Termo 0,0 % 0 0 Termo 1,56 % Total 9,54 % Eólica 0,55 % % Carga (MWmed) (*) Total 13, Carga (MWmed) (*) Energia Afluente ENA MWmed Energia Afluente ENA MWmed 112 % MLT bruta no mês até o dia 97 % MLT bruta no mês até o dia 112 % MLT armazenável no mês até o dia 97 % MLT armazenável no mês até o dia Energia Armazenada No dia MWmês 50,2 % Energia Armazenada Desvio dia anterior No dia MWmês 53,6 % 3 MWmês 0,1% Desvio dia anterior MWmês 0,6 % ITAIPU Binacional Produção para o Brasil (MWmed) 50 Hz Hz Total Intercâmbio Internacional (MWmed) Paraguai Import. Export. Acaray Uruguai Rivera Argentina Garabi I Garabi II Uruguaiana TOTAL SUL Produção (MWmed/dia) Hidro 9,76 % Termo 1,04 % Eólica 0,06 % Total 10,87 % Carga (MWmed) (*) Energia Afluente ENA MWmed 55 % MLT bruta no mês até o dia 51 % MLT armazenável no mês até o dia Energia Armazenada No dia MWmês 58,3 % Desvio dia anterior -100 MWmês -0,6 % SUDESTE/CENTRO-OESTE Produção (MWmed/dia) Hidro 42,58 % Termo 2,64 % Nuclear 3,31 % Total 48,54 % Carga (MWmed) (*) (**) Energia Afluente ENA MWmed 105 % MLT bruta no mês até o dia 97 % MLT armazenável no mês até o dia Energia Armazenada No dia MWmês 59,1 % Desvio dia anterior 19 MWmês 0,0 % (*) Carga = Consumo + Perdas (**) Este valor inclui toda a carga de Mato Grosso do Sul suprida pela Enersul (643 MW), assim como a carga dos estados de Acre e Rondônia (491 MW)nesse dia. INFORMATIVO PRELIMINAR DIÁRIO DA OPERAÇÃO DO DIA 23/12/2011 ( Sexta-feira ) - Pag. 2

3 3 - Variação de Carga e Energia Armazenada Ref. Carga mensal Curva Aversão (MWmed) Previsão Programa Mensal de Operação - PMO (MWmed) Carga Verificada no dia (MWmed) Variação últimos 7 dias/ref. Carga Curva Aversão (%) Variação últimos 7 dias/previsão mensal PMO (%) Variação no mês/ref. Carga Curva Aversão (%) Variação no mês/previsão mensal PMO (%) Sul SE/CO N-Int. NE ,3 4, (***) (**) (**) 8,5 6, ,9 (***) -3,8-0,9 0,0 0,4 1,7 (***) -3,4-0,9 0,2 0,8 Energia Armazenada Sul SE/CO Norte NE Interl. Tucurui Capacidade Máxima (MWmês) Armazenamento ao final do dia (MWmês) Armazenamento ao final do dia (%) Variação em relação dia anterior (%) Variação acumulada mensal (%) Diferença em relação à Curva Aversão (%) ,3 59,1 50,2 27,6 53,6-0,6 0,0 0,1 0,6 0,1-16,8 2,0-0,7-0,9 7,4 25,3 40,1 (***) ,9 (*) Carga = Consumo + Perdas (**) Estes valores incluem toda a carga de Mato Grosso do Sul (***) Ver item Destaques da Operação * CARGA E PRODUÇÃO DE ENERGIA POR REGIÃO Região Sul: A geração hidráulica não apresentou desvio sig nificativo em relação ao valor programado. A geração térmica foi inferior ao valor programado (ver itens 5 e 6). A geração eólica foi superior ao valor previsto em face das condições favoráveis de vento. A carga foi inferior ao valor previsto. Região Sudeste/Centro -Oeste: A geração hidráulica foi inferior devido ao maior recebimento de energia proveniente da região Norte -Interligado para otimização energética, conforme diretriz. A geração total de Itaipu foi ligeiramente superior ao programado devido à carga ter sido acima da prevista. As gerações térmica e nuclear não apresentaram desvios significativos em relação aos valores programados. INFORMATIVO PRELIMINAR DIÁRIO DA OPERAÇÃO DO DIA 23/12/2011 ( Sexta-feira ) - Pag. 3

4 Região Nordeste: A geração hidráulica foi inferior devido à carga inferior ao ter sido abaixo da prevista. A geração térmica não apresentou desvio significativo em relação ao valor programado. A geração eólica foi superior ao valor previsto em face das condições favoráveis de vento. Região Norte-Interligado: A geração hidráulica foi superior ao val or programado devido ao maior envio de energia para a região Sudeste/Centro -Oeste para otimização energética, conforme diretriz. A carga não apresentou desvio significativo em relação ao valor previsto. * TRANSFERÊNCIA DE ENERGIA ENTRE REGIÕES Intercâmbio de Energia para a Região Sul O intercâmbio de energia para a região Sul não apresentou desvio significativo em relação ao valor programado. Intercâmbio de Energia da Região Norte -Interligado O intercâmbio de energia da região Norte -Interligado foi superior ao valor programado para otimização energética, conforme diretriz. Intercâmbio de Energia para a Região Nordeste O intercâmbio de energia para a região Nordeste não apresentou desvio significativo em relação ao valor programado. Intercâmbio Internacional Não houve exportação de energia elétrica interruptível do Brasil para o Uruguai das 19h00min às 22h00min em face do não atendimento de condições necessárias para manutenção da confiabilidade na operação da região sul do Rio Grande do Sul, em face de indisponibilidade de geração na UH P. Médici. Não houve intercâmbio entre Brasil e Argentina, conforme programado. * OCORRÊNCIAS NA REDE DE OPERAÇÃO Nada a relatar. * OCORRÊNCIAS NA REDE DE DISTRIBUIÇÃO Nada a relatar. * CONCLUSÃO DE TESTES DE COMISSIONAMENTO DE NOVAS INSTALAÇÕES 1) À 00h00min foi liberada para a operação comercial pela ANEEL a UG nº4 da UH Estreito, de propriedade do Consórcio Estreito Energia, com potência nominal de 136 MW, localizada no rio Tocantins, nos estado s de Maranhão e Tocantins. Essa unidade geradora aumenta a disponibilidade de geração do SIN. INFORMATIVO PRELIMINAR DIÁRIO DA OPERAÇÃO DO DIA 23/12/2011 ( Sexta-feira ) - Pag. 4

5 5 - Principais Gerações Térmicas Valores de Média Diária e Ponta de Carga das Usinas Térmicas Tipo I Usinas Média Diária Ponta Razão do Verificada Programada Verificada Programada Despacho S U D E S T E / C E N T R O - O E S T E Cuiabá Angra II EN Angra I EN Nortefluminense IN/EN/EX Luiz Carlos Prestes Do Atlântico IN Linhares Gov. Leonel Brizola IN B. L. Sobrinho Juiz de Fora Fernando Gasparian Piratininga Aureliano Chaves W. Arjona Euzebio Rocha IN Mário Lago Santa Cruz Viana Termonorte II EL Campos Daia Termonorte I EL Goiânia EL Igarapé Xavantes Carioba Sol IN Rio Acre EL Caçu-I Legenda: EL - Razão Elétrica PE - Perdas EN - Razão Energética GFOM - Geração Fora de Ordem de Mérito de Custo - Resolução ANEEL 272/2007 IN - Razão Inflexibilidade GSUB - Geração de substituição - Resolução ANEEL 272/2007 EX - Razão Exportação ER - Energia Reposição TE - Razão Teste UC - Ultrapassagem da CAR - Resolução CNPE 08 de 20/12/2007 GE - Garantia de Suprimento Energético - Res. CNPE 08/07 e Procedimento Operativo de Curto Prazo - Res. ANEEL 351/09 INFORMATIVO PRELIMINAR DIÁRIO DA OPERAÇÃO DO DIA 23/12/2011 ( Sexta-feira ) - Pag. 5

6 5 - Principais Gerações Térmicas Valores de Média Diária e Ponta de Carga das Usinas Térmicas Tipo I Usinas Média Diária Ponta Razão do Verificada Programada Verificada Programada Despacho S U L Candiota III IN P. Médici IN J. Lacerda-C IN Uruguaiana J. Lacerda-B IN J. Lacerda-A IN Charqueadas IN Araucária São Jerônimo IN Figueira Sepé Tiaraju Alegrete Nutepa N O R D E S T E Termopernambuco IN Fortaleza GFOM Termoceará Rômulo Almeida GFOM Celso Furtado Jesus S. Pereira GFOM/EX/PE/IN Camaçari Maracanau I Termocabo Termonordeste Termoparaiba Global I Global II Campina Grande Camaçari Muricy Camaçary Polo Petrolina Potiguar III Potiguar Pau Ferro I Termomanaus N O R T E Geramar Geramar INFORMATIVO PRELIMINAR DIÁRIO DA OPERAÇÃO DO DIA 23/12/2011 ( Sexta-feira ) - Pag. 6

7 5 - Principais Gerações Térmicas Valores de Média Diária por Razão de Despacho Usinas Média Diária Razão do Verificada Programada Despacho Nortefluminense 7 9 EX IN EN Jesus S. Pereira 27 0 IN GFOM 9 14 EX 1 1 PE Valores de Média Diária das Usinas Térmicas Tipo II Usinas Média Diária Razão do Verificada Programada Despacho S U D E S T E / C E N T R O - O E S T E Cocal Pie-RP N O R D E S T E Enguia CE * Enguia PI * Bahia I Jaime Beltrão * Corresponde ao total de geração programada nas usinas da Enguia nos estados do Ceará e Piauí, respectivamente O submódulo 26.1 dos Procedimentos de Rede determina que as usinas são classificadas segundo uma das três modalidades de operação, a seguir: Tipo I - Programação e despacho em tempo real centralizados, no ONS; Tipo II - Programação centralizada e despacho em tempo real não centralizado no ONS e Tipo III - Programação e despacho em tempo real não centralizados no ONS. 6 - Destaques da Geração Térmica * NOTA EXPLICATIVA Os destaques apresentados a seguir se referem unicamente aos motivos de diferenças diárias entre valores programados e verificados de geração, registrados com base em informações prestadas pelos agentes na operação em tempo real. Para quaisquer outras finalidades, devem ser usados valores consistidos e considerados os parâmetros requeridos para cada cálculo. Por exemplo, para acompanhamento do cumpri mento do Termo de Compromisso - TC ANEEL/Petrobrás devem ser considerados os dados mensais consistidos com o agente. * PRINCIPAIS DIFERENÇAS ENTRE GERAÇÃO VERIFICADA E PROGRAMADA A UT Do Atlântico (ThyssenKrupp CSA Siderúrgica do Atlântico Ltda) gerou acima do programado devido ao maior rendimento de suas UGs. A UT Gov. Leonel Brizola (PETROBRAS) gerou acima do programado ao longo do dia devido principalmente à redeclaração de inflexibilidade, por parte do agente, em tempo real, em face do maior fornecim ento de vapor para a Refinaria Duque de Caxias - REDUC. INFORMATIVO PRELIMINAR DIÁRIO DA OPERAÇÃO DO DIA 23/12/2011 ( Sexta-feira ) - Pag. 7

8 A UT Termonorte I (TERMONORTE) gerou das 21h11min às 24h00min para controle do Fluxo para os estados do Acre e Rondônia, em função da ocorrência de carga acima da prevista nestes estados. A UT Goiânia 2 (BRENTECH) não gerou devido à folga no carregamento da transformação 345/230 kv da subestação Bandeirantes. A UT Candiota III (CGTEE) não gerou devido à indisponibilidade da UG nº 05 até às 23h16min. A UT P. Médici (CGTEE) gerou abaixo do programad o durante todo o dia devido à indisponibilidade da UG nº 04. Sem previsão de retorno. A UT J. Lacerda A (TRACTEBEL) gerou abaixo do programado durante todo o dia devido à restrição de geração da UG nº 04. A UT Fortaleza (ENDESA FORTALEZA) gerou abaixo d o programado devido ao menor rendimento de suas unidades geradoras. A UT Jesus Soares Pereira (PETROBRAS) gerou acima do programado devido à redeclaração de inflexibilidade, por parte do agente, em tempo real, em face do maior fornecimento de vapor para o cliente interno. INFORMATIVO PRELIMINAR DIÁRIO DA OPERAÇÃO DO DIA 23/12/2011 ( Sexta-feira ) - Pag. 8

9 7 - Demandas Máximas Demanda Máxima do SIN na Ponta de Carga ( 22h 41 min ) SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL - SIN - MW Geração hidro Geração Itaipu Geração nuclear Geração termo Geração eólica Intercâmbio internacional NORTE Interligado - MW Geração hidro Geração termo NORDESTE - MW Geração hidro Geração termo Geração eólica ITAIPU Binacional - MW 50 Hz 60 Hz Total SUDESTE/CENTRO-OESTE - MW Geração hidro Geração nuclear Geração termo (**) INTERCÂMBIOS INTERNACIONAIS - MW 0 SUL - MW Paraguai (ANDE - COPEL) Uruguai (Rivera) Argentina (Garabi) Argentina (Uruguaiana) Geração hidro Geração termo Geração eólica (*) Carga = Consumo + Perdas (**) Este valor inclui toda a carga de Mato Grosso do Sul suprida pela Enersul (702 MW nesse dia) Demandas Máximas Regionais Instantâneas do dia - MW Região Verificada no Dia Máxima Histórica SUL SUDESTE - CO NORTE - Interligado NORDESTE SIN às às às às às 11h 12 min 21h 18 min 20h 51 min 22h 13 min 22h 41 min em em em em em 20/12/ /02/ /09/ /12/ /12/2011 INFORMATIVO PRELIMINAR DIÁRIO DA OPERAÇÃO DO DIA 23/12/2011 ( Sexta-feira ) - Pag. 9

10 Rio Correntes Rio Pardo Rio Doce Rio Corumbá Rio São Marcos Rio Paranaíba Rio Araguari Rio Grande Rio Piracicaba Rio Sto Antônio 8 - Afluência e Defluência das Principais Usinas Integrantes do SIN Bacias Paranaíba, Grande e Doce Corumbá IV Corumbá Concessões Emborcação 921 CEMIG Corumbá III CEC III Corumbá I Furnas Serra do Facão SEFAC Itumbiara - Furnas Camargos - CEMIG Nova Ponte V = CEMIG V = Miranda 829 CEMIG V = Amador Aguiar 1 Cons. C. Branco Amador Aguiar 2 Cons. C. Branco Itutinga - CEMIG Funil - CEMIG Furnas - Furnas M. Moraes - Furnas L. C. Barreto - Furnas Jaguara - CEMIG Igarapava - CEMIG V = V = 297 Caconde AES-Tietê G.Amorim Consórcio G.Amorim Sá Carvalho CEMIG V = V = E. Cunha AES-Tietê V = 3932 S. Grande CEMIG V = 2 P.Estrela Cons. P.Estrela V = 227 Risoleta Neves Cons. Candonga Baguari Aimorés CEMIG Mascarenhas Escelsa C. Dourada - CDSA São Simão - CEMIG V. Grande - CEMIG P. Colômbia - Furnas A. S. Oliveira - AES-Tietê Espora Espora Energética 1518 Marimbondo - Furnas A. Vermelha - AES-Tietê LEGENDA: xxxx Vazão afluente m³/s xxxx Vazão defluente m³/s Rio Paraná (A) xxx.xx xx.xx V = xxxx Nível montante (m) Volume útil (%) Vertimento m³/s Reservatório Usina a fio d'água Usinas em construção Estação de bombeamento INFORMATIVO PRELIMINAR DIÁRIO DA OPERAÇÃO DO DIA 23/12/2011 ( Sexta-feira ) - Pag. 10

11 Rio Paraibuna Rio do Peixe Rio Paranapanema Rio Jaguari Rio Tietê Rio Paraíba do Sul Rio Pinheiros Rio Guarapiranga 8 - Afluência e Defluência das Principais Usinas Integrantes do SIN Bacias Tietê, Paranapanema, Paraná e Paraíba do Sul (*) reservatório sem geração, vertendo p/ descarga mínima ou controle de nível 1 Billings - EMAE V = 150 Ponte Nova EMAE E. de Souza - EMAE (*) 222 Barra Bonita - AES-Tietê V = Pedreira EMAE Traição EMAE Guarapiranga - EMAE Jurumirim - Duke GP Piraju - CBA Chavantes - Duke GP Paraibuna - CESP S. Branca - LIGHT Funil - Furnas Jaguari - CESP V = 103 Bariri - AES -Tietê Ibitinga - AES-Tietê V = Ourinhos - CBA Salto Grande - Duke GP Canoas II - Duke GP Picada C.P. Metais V = 3 (A) Canal P. Barreto Promissão - AES-Tietê N. Avanhandava - AES-Tietê 1298 Três Irmãos - CESP Canoas I - Duke GP Capivara - Duke GP Taquaruçu - Duke GP Rosana - Duke GP I. Solteira - CESP Jupiá -CESP P. Primavera - CESP ITAIPU V = 550 V = S. Cecília - LIGHT V = (B) Rio Paraná Ilha dos Pombos LIGHT Sobragi - CEMIG V = 19 Bacia Paranaíba Grande Tietê Paranapanema Paraná Paraíba do Sul % partic. Armazen. Região % Armaz. Bacia ENA do dia % da MLT Energia Natural Afluente % MLT no mês até o dia Armaz. Bruta Geração Hidráulica no dia Verficada Programada MW med % MW med % INFORMATIVO PRELIMINAR DIÁRIO DA OPERAÇÃO DO DIA 23/12/2011 ( Sexta-feira ) - Pag. 11

12 Rio Capivari Rio Jacuí Rio Taquari- Antas Rio Uruguai Rio Chapecó Rio Passo Fundo Rio Jordão Rio Iguaçu Rio Canoas Rio Pelotas 8 - Afluência e Defluência das Principais Usinas Integrantes do SIN Bacias Iguaçu, Uruguai, Jacuí e Capivari (B) Sta. Clara 44 ELEJOR Fundão ELEJOR Jordão COPEL Desvio Jordão G. B. Munhoz - COPEL G. Ney Braga COPEL S. Santiago - Tractebel S. Osório - Tractebel Gov. José Richa - COPEL Capanema - Itaipu Campos Novos - Enercan Quebra Queixo - CEC V = Barra Grande - Baesa 290 Machadinho - Tractebel Passo Fundo - Tractebel Itá - Tractebel Foz do Chapecó - FCE Monjolinho - Monel Trecho Internacional sem usinas sob coordenação do ONS Rio Paraná 8 4 Ernestina - CEEE Castro Alves CERAN Passo Real - CEEE Jacuí - CEEE V = 13 Monte Claro CERAN 16 G. P. Souza COPEL Itaúba - CEEE D. Francisca - DFESA Julho CERAN Bacia % partic. Armazen. Região % Armaz. Bacia ENA do dia % da MLT Energia Natural Afluente % MLT no mês até o dia Armaz. Bruta Iguaçu Jacuí Uruguai Capivari Geração Hidráulica no dia Verificada Programada MW med % MW med % INFORMATIVO PRELIMINAR DIÁRIO DA OPERAÇÃO DO DIA 23/12/2011 ( Sexta-feira ) - Pag. 12

13 Rio Parnaíba Rio Jamari Rio Tocantins Rio São Francisco Rio Paracatu Rio Preto Rio Jequitinhonha Rio Paraguaçu 8 - Afluência e Defluência das Principais Usinas Integrantes do SIN Bacia do Tocantins, São Francisco, Parnaíba, Jequitinhonha e Amazonas Serra da Mesa - Consórcio Serra 1388 da Mesa S.A Cana Brava Tractebel V = V = 249 São Salvador - Tractebel Peixe Angical - Enerpeixe V = Três Marias - CEMIG Sobradinho - CHESF Luiz Gonzaga - CHESF Queimado - CBQ V = Irapé - CEMIG Itapebi - Itapebi S.A. Pedra do Cavalo Votorantin Ltda Lajeado - Investco Apolônio Sales - CHESF P.Afonso 4 - CHESF V = Estreito - Tractebel Tucuruí - Eletronorte P.Afonso 1,2,3 - CHESF Xingó - CHESF B. Esperança - CHESF Samuel Eletronorte ,11 7,80 Bacia % partic. Armazen. Região Tocantins (*1) 98.9 Energia Natural Afluente % Armaz. Bacia ENA do dia % MLT no mês até o dia % da MLT Armaz. Bruta Geração Hidráulica no dia Verificada Programada MW med % MW med % Bacia % partic. Armazen. Região % Armaz. Bacia ENA do dia % da MLT Energia Natural Afluente % MLT no mês até o dia Armaz. Bruta São Francisco (*2) Parnaíba Geração Hidráulica no dia Verificada Programada MW med % MW med % (*1) (*2) Inclui usinas do Norte e Sudeste/Centro-Oeste Inclui usinas do Nordeste e Sudeste/Centro-Oeste INFORMATIVO PRELIMINAR DIÁRIO DA OPERAÇÃO DO DIA 23/12/2011 ( Sexta-feira ) - Pag. 13

14 9 - Acompanhamento dos Armazenamentos em Relação à Curva de Aversão ao Risco Sul Curva de Energia Armazenada Verificada Curva de Aversão ao Risco (*) Diferença em relação à curva de aversão (%) (**) Nível mínimo de segurança Nota: A curva de aversão ao risco define os níveis mínimos de armazenamento do reservatório equivalente da Região Sul, necessários para garantir o abastecimento do correspondente mercado, com segurança, considerando a utilização de todos os recursos disponíveis. Os níveis verificados de armazenamento (em percentual da Energia Armazenada Máxima - % EAR máx.) estão sendo comparados:. de 01/01/2010 a 31/01/2010, com a curva de aversão ao risco da Região Sul biênio 2009/2010, constante da Nota Técnica ONS - NT 038/2009 e autorizada pela Resolução Normativa ANEEL nº 364/2009 publicada no Diário Oficial da União no dia 12/05/ de 01/02/2010 a 31/12/2010, com a revisão da curva de aversão ao risco da Região Sul biênio 2010/2011, constante da Nota Técnica ONS - NT 202/2009, autorizada pela Resolução Autorizativa ANEEL nº 2253/2010 publicada no Diário Oficial da União no dia 28/01/ a partir de 01/01/2011 até 31/12/2011, com a curva de aversão ao risco da Região Sul biênio 2011/2012, constante da Nota Técnica ONS - NT 127/2010 e autorizada pela Resolução Autorizativa ANEEL nº 2658/2010 publicada no Diário Oficial da União no dia 24/12/2010. INFORMATIVO PRELIMINAR DIÁRIO DA OPERAÇÃO DO DIA 23/12/2011 ( Sexta-feira ) - Pag. 14

15 9 - Acompanhamento dos Armazenamentos em Relação à Curva de Aversão ao Risco Sudeste/Centro Oeste Curva de Energia Armazenada Verificada Curva de Aversão ao Risco (*) Diferença em relação à curva de aversão (%) (**) Nível mínimo de segurança Nota: A curva de aversão ao risco define os níveis mínimos de armazenamento do reservatório equivalente da Região Sudeste, necessários para garantir o abastecimento do correspondente mercado, com segurança, considerando a utilização de todos os recursos disponíveis. Os níveis verificados de armazenamento (em percentual da Energia Armazenada Máxima - % EAR máx.) estão sendo comparados:. de 01/01/2010 a 31/01/2010, com a curva de aversão ao risco da Região Sudeste/Centro-Oeste biênio 2009/2010, constante da Nota Técnica ONS - NT 037/2009 e autorizada pela Resolução Normativa ANEEL nº 364/2009 publicada no Diário Oficial da União no dia 12/05/ de 01/02/2010 a 31/12/2010, com a revisão da curva de aversão ao risco da Região Sudeste/Centro-Oeste biênio 2010/2011, constante da Nota Técnica ONS - NT 201/2009, autorizada pela Resolução Autorizativa ANEEL nº 2253/2010 publicada no Diário Oficial da União no dia 28/01/ a partir de 01/01/2011 até 31/12/2011, com a curva de aversão ao risco da Região Sudeste/Centro-Oeste biênio 2011/2012, constante da Nota Técnica ONS - NT 126/2010 e autorizada pela Resolução Autorizativa ANEEL nº 2658/2010 publicada no Diário Oficial da União no dia 24/12/2010. INFORMATIVO PRELIMINAR DIÁRIO DA OPERAÇÃO DO DIA 23/12/2011 ( Sexta-feira ) - Pag. 15

16 9 - Acompanhamento dos Armazenamentos em Relação à Curva de Aversão ao Risco Nordeste Curva de Energia Armazenada Verificada Curva de Aversão ao Risco (*) Diferença em relação à curva de aversão (%) (**) Nível mínimo de segurança Nota: A curva de aversão ao risco define os níveis mínimos de armazenamento do reservatório equivalente da Região Nordeste, necessários para garantir o abastecimento do correspondente mercado, com segurança, considerando a utilização de todos os recursos disponíveis. Os níveis verificados de armazenamento (em percentual da Energia Armazenada Máxima - % EAR máx.) estão sendo comparados:. de 01/01/2010 a 31/01/2010, com a curva de aversão ao risco da Região Nordeste biênio 2009/2010, constante da Nota Técnica ONS - NT 039/2009 e autorizada pela Resolução Normativa ANEEL nº 364/2009 publicada no Diário Oficial da União no dia 12/05/ de 01/02/2010 a 30/06/2010, com a revisão da curva de aversão ao risco da Região Nordeste biênio 2010/2011, constante da Nota Técnica ONS - NT 203/2009, autorizada pela Resolução Autorizativa ANEEL nº 2253/2010 publicada no Diário Oficial da União no dia 28/01/ de 01/07/2010 a 31/12/2010, com a revisão da curva de aversão ao risco da Região Nordeste biênio 2010/2011, constante da Nota Técnica ONS - NT 084/2010, autorizada pela Resolução Autorizativa ANEEL nº 2446/2010 publicada no Diário Oficial da União no dia 25/06/ a partir de 01/01/2011 até 31/12/2011, com a curva de aversão ao risco da Região Nordeste biênio 2011/2012, constante da Nota Técnica ONS - NT 128/2010 e autorizada pela Resolução Autorizativa ANEEL nº 2658/2010 publicada no Diário Oficial da União no dia 24/12/2010. INFORMATIVO PRELIMINAR DIÁRIO DA OPERAÇÃO DO DIA 23/12/2011 ( Sexta-feira ) - Pag. 16

17 9 - Acompanhamento dos Armazenamentos em Relação à Curva de Aversão ao Risco Norte Nota: A forma de operação da região Norte implementa uma política de máxima exploração de seus reservatórios, concomitantemente a maximização da capacidade de transmissão dessa região e de suas interligações, no que tange a importação e exportação de energia com o restante do SIN, visando com isso, à consequente minimização dos custos globais de operação. Assim sendo, ao final do período seco, busca-se atingir o armazenamento mínimo, para o reservatório da UHE de Tucuruí, compatível com a garantia do atendimento da Região Norte, no período de ponta de carga, com segurança, qualidade e economicidade adequadas. INFORMATIVO PRELIMINAR DIÁRIO DA OPERAÇÃO DO DIA 23/12/2011 ( Sexta-feira ) - Pag. 17

Produção Sudeste/Centro-Oeste

Produção Sudeste/Centro-Oeste Quarta-feira, 1 de Junho de 215 1 - Balanço de Energia LEGENDA: Verificado Programado SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL - SIN - MWmed Produção Hidro Nacional Itaipu Binacional Termo Nuclear Termo Convencional

Leia mais

OPHEN ACOMPANHAMENTO DIÁRIO DA OPERAÇÃO HIDROENERGÉTICA DO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL

OPHEN ACOMPANHAMENTO DIÁRIO DA OPERAÇÃO HIDROENERGÉTICA DO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL OPHEN ACOMPANHAMENTO DIÁRIO DA OPERAÇÃO HIDROENERGÉTICA DO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL 28/05/2009 INTRODUÇÃO O Acompanhamento Diário da Operação Hidroenergética tem como objetivo apresentar a situação

Leia mais

OPHEN ACOMPANHAMENTO DIÁRIO DA OPERAÇÃO HIDROENERGÉTICA DO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL

OPHEN ACOMPANHAMENTO DIÁRIO DA OPERAÇÃO HIDROENERGÉTICA DO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL OPHEN ACOMPANHAMENTO DIÁRIO DA OPERAÇÃO HIDROENERGÉTICA DO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL 28/08/2009 INTRODUÇÃO O Acompanhamento Diário da Operação Hidroenergética tem como objetivo apresentar a situação

Leia mais

Produção Hidro Nacional Itaipu Binacional Termo Nuclear Termo Convencional Eólica

Produção Hidro Nacional Itaipu Binacional Termo Nuclear Termo Convencional Eólica Quinta-feira, 23 de Fevereiro de 2012 1 - Balanço de Energia LEGENDA: Verificado Programado SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL - SIN - MWmed Produção Hidro Nacional Itaipu Binacional Termo Nuclear Termo Convencional

Leia mais

OPHEN ACOMPANHAMENTO DIÁRIO DA OPERAÇÃO HIDROENERGÉTICA DO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL

OPHEN ACOMPANHAMENTO DIÁRIO DA OPERAÇÃO HIDROENERGÉTICA DO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL OPHEN ACOMPANHAMENTO DIÁRIO DA OPERAÇÃO HIDROENERGÉTICA DO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL 15/01/2015 INTRODUÇÃO O Acompanhamento Diário da Operação Hidroenergética tem como objetivo apresentar a situação

Leia mais

Produção Sudeste/Centro-Oeste

Produção Sudeste/Centro-Oeste 1 - Balanço de Energia LEGENDA: Verificado Programado SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL - SIN - MWmed Produção Hidro Nacional Itaipu Binacional Termo Nuclear Termo Convencional Eólica 37.29 11.76 1.83 9.369

Leia mais

Produção Sudeste/Centro-Oeste

Produção Sudeste/Centro-Oeste 1 - Balanço de Energia LEGENDA: Verificado Programado SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL - SIN - MWmed Produção Hidro Nacional Itaipu Binacional Termo Nuclear Termo Convencional 43.115 9.421 1.35 14.248 43.462

Leia mais

OPHEN ACOMPANHAMENTO DIÁRIO DA OPERAÇÃO HIDROENERGÉTICA DO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL

OPHEN ACOMPANHAMENTO DIÁRIO DA OPERAÇÃO HIDROENERGÉTICA DO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL OPHEN ACOMPANHAMENTO DIÁRIO DA OPERAÇÃO HIDROENERGÉTICA DO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL 13/04/2009 INTRODUÇÃO O Acompanhamento Diário da Operação Hidroenergética tem como objetivo apresentar a situação

Leia mais

RESOLUÇÃO ANEEL N O 453, DE 30 DE DEZEMBRO DE 1998

RESOLUÇÃO ANEEL N O 453, DE 30 DE DEZEMBRO DE 1998 RESOLUÇÃO ANEEL N O 453, DE 30 DE DEZEMBRO DE 1998 Homologa os Montantes de Energia e Potência asseguradas das usinas hidrelétricas pertencentes às empresas das regiões Sudeste, Centro-Oeste, Norte e Nordeste.

Leia mais

Do Propósito. Da Disponibilização. Da Periodicidade

Do Propósito. Da Disponibilização. Da Periodicidade RDD Do Propósito A descrição das alterações nos arquivos de dados de entrada para o Cálculo do Preço tem como propósito aumentar a transparência na determinação do PLD. Da Disponibilização Em atendimento

Leia mais

Avaliação das Condições do Atendimento Eletroenergético do SIN em 2014 e Visão para Hermes Chipp Diretor Geral

Avaliação das Condições do Atendimento Eletroenergético do SIN em 2014 e Visão para Hermes Chipp Diretor Geral Avaliação das Condições do Atendimento Eletroenergético do SIN em 2014 e Visão para 2015 Hermes Chipp Diretor Geral FGV Rio de Janeiro, 02/06/2014 1 Visão de Curto Prazo Avaliação das Condições Meteorológicas

Leia mais

2005/ONS Todos os direitos reservados. Qualquer alteração é proibida sem autorização. NT 050/2005. C:\WINDOWS\TEMP\d.lotus.notes.data\~

2005/ONS Todos os direitos reservados. Qualquer alteração é proibida sem autorização. NT 050/2005. C:\WINDOWS\TEMP\d.lotus.notes.data\~ 2005/ONS Todos os direitos reservados. Qualquer alteração é proibida sem autorização. NT 050/2005 C:\WINDOWS\TEMP\d.lotus.notes.data\~8766246.doc !" # $% "&'(" ) "$*+,-.,.*".$&/'-., 2.1 Conclusão Geral

Leia mais

Sumário Executivo do Programa Mensal de Operação

Sumário Executivo do Programa Mensal de Operação Sumário Executivo do Programa Mensal de Operação PMO de Dezembro Semana Operativa de 17/12/2016 a 23/12/2016 1. APRESENTAÇÃO 2. NOTÍCIAS Na semana de 10 a 16/12/2016 ocorreu chuva fraca nas bacias dos

Leia mais

MARÇO Tabela 01 - Geração média mensal por estado variação % relativo ao mês anterior.

MARÇO Tabela 01 - Geração média mensal por estado variação % relativo ao mês anterior. MARÇO 2016 Este boletim contém a geração mensal verificada, por estado, em MWmédio. Foram consideradas as usinas nas modalidades de operação tipo I, tipo II-A e os conjuntos de usinas individualizadas

Leia mais

Sumário Executivo do Programa Mensal de Operação

Sumário Executivo do Programa Mensal de Operação Sumário Executivo do Programa Mensal de Operação PMO de Dezembro Semana Operativa de 03/12/2016 a 09/12/2016 1. APRESENTAÇÃO Na semana de 26/11 a 02/12/2016 ocorreu precipitação nas bacias hidrográficas

Leia mais

REVISÃO 1 NT 156/2003. P:\Meus documentos\nota Técnica\NT REVISÃO 1.doc

REVISÃO 1 NT 156/2003. P:\Meus documentos\nota Técnica\NT REVISÃO 1.doc REVISÃO 1 2003/ONS Todos os direitos reservados. Qualquer alteração é proibida sem autorização. NT 156/2003 REVISÃO 1 P:\Meus documentos\nota Técnica\NT 156-2004 REVISÃO 1.doc !"# $%!#&'(# #$)*+,-+-)#-$&.',-+

Leia mais

Relatório Executivo do Programa Mensal de Operação PMO de Janeiro 2016 Semana Operativa de 02/01/2016 a 08/01/2016

Relatório Executivo do Programa Mensal de Operação PMO de Janeiro 2016 Semana Operativa de 02/01/2016 a 08/01/2016 Relatório Executivo do Programa Mensal de Operação PMO de Janeiro 2016 Semana Operativa de 02/01/2016 a 08/01/2016 1. APRESENTAÇÃO Findo o primeiro bimestre do período chuvoso nas regiões Norte, Nordeste

Leia mais

REVISÃO DA CURVA BIANUAL DE AVERSÃO A RISCO PARA A REGIÃO SUL - BIÊNIO 2009/2010

REVISÃO DA CURVA BIANUAL DE AVERSÃO A RISCO PARA A REGIÃO SUL - BIÊNIO 2009/2010 REVISÃO DA CURVA BIANUAL DE AVERSÃO A RISCO PARA A REGIÃO SUL - BIÊNIO 2009/2010 2008/ONS Todos os direitos reservados. Qualquer alteração é proibida sem autorização. ONS NT 038/2009 REVISÃO DA CURVA BIANUAL

Leia mais

Relatório Executivo do Programa Mensal de Operação PMO de Janeiro 2016 Semana Operativa de 09/01/2016 a 15/01/2016

Relatório Executivo do Programa Mensal de Operação PMO de Janeiro 2016 Semana Operativa de 09/01/2016 a 15/01/2016 Relatório Executivo do Programa Mensal de Operação PMO de Janeiro 2016 Semana Operativa de 09/01/2016 a 15/01/2016 1. APRESENTAÇÃO No início da semana de 02 a 08/01/2015, ocorreu chuva fraca nas bacias

Leia mais

PROGRAMA MENSAL DE OPERAÇÃO ELETROENERGÉTICA PARA A O MÊS DE JUNHO

PROGRAMA MENSAL DE OPERAÇÃO ELETROENERGÉTICA PARA A O MÊS DE JUNHO PROGRAMA MENSAL DE OPERAÇÃO ELETROENERGÉTICA PARA A O MÊS DE JUNHO Operador Nacional do Sistema Elétrico Rua da Quitanda, 196 - Centro 20091-005 Rio de Janeiro RJ Tel (+21) 2203-9400 Fax (+21) 2203-9444

Leia mais

PROGRAMA MENSAL DE OPERAÇÃO ELETROENERGÉTICA PARA O MÊS DE JULHO

PROGRAMA MENSAL DE OPERAÇÃO ELETROENERGÉTICA PARA O MÊS DE JULHO PROGRAMA MENSAL DE OPERAÇÃO ELETROENERGÉTICA PARA O MÊS DE JULHO Operador Nacional do Sistema Elétrico Rua da Quitanda, 196 - Centro 20091-005 Rio de Janeiro RJ Tel (+21) 2203-9400 Fax (+21) 2203-9444

Leia mais

Sumário Executivo do Programa Mensal de Operação

Sumário Executivo do Programa Mensal de Operação Sumário Executivo do Programa Mensal de Operação 1. APRESENTAÇÃO Somente no final da semana de 17 a 23 de agosto, uma frente fria conseguiu atingir a região Sul do país, ocasionando chuva fraca/moderada

Leia mais

Operador Nacional do Sistema Elétrico Rua da Quitanda, Centro Rio de Janeiro RJ Tel (+21) Fax (+21)

Operador Nacional do Sistema Elétrico Rua da Quitanda, Centro Rio de Janeiro RJ Tel (+21) Fax (+21) Operador Nacional do Sistema Elétrico Rua da Quitanda, 196 - Centro 20091-005 Rio de Janeiro RJ Tel (+21) 2203-9400 Fax (+21) 2203-9444 2005/ONS Todos os direitos reservados. Qualquer alteração é proibida

Leia mais

PROGRAMA MENSAL DE OPERAÇÃO ELETROENERGÉTICA PARA O MÊS DE ABRIL

PROGRAMA MENSAL DE OPERAÇÃO ELETROENERGÉTICA PARA O MÊS DE ABRIL PROGRAMA MENSAL DE OPERAÇÃO ELETROENERGÉTICA PARA O MÊS DE ABRIL Operador Nacional do Sistema Elétrico Rua Júlio do Carmo, 251 Cidade Nova 20211-160 Rio de Janeiro RJ 2015/ONS Todos os direitos reservados.

Leia mais

PROGRAMA MENSAL DE OPERAÇÃO ELETROENERGÉTICA PARA O MÊS DE DEZEMBRO

PROGRAMA MENSAL DE OPERAÇÃO ELETROENERGÉTICA PARA O MÊS DE DEZEMBRO PROGRAMA MENSAL DE OPERAÇÃO ELETROENERGÉTICA PARA O MÊS DE DEZEMBRO Operador Nacional do Sistema Elétrico Rua da Quitanda, 196 - Centro 20091-005Rio de Janeiro RJ Tel (+21) 2203-9400Fax (+21) 2203-9444

Leia mais

JANEIRO RV0 1º Semana

JANEIRO RV0 1º Semana JANEIRO 2015 RV0 1º Semana JANEIRO RV0 Sumário INTRODUÇÃO... 3 INFORMAÇÕES ESTRUTURAIS PARA CONSTRUÇÃO DA FUNÇÃO DE CUSTO FUTURO... 4 1 - Armazenamento inicial dos reservatórios equivalentes... 4 2 - Tendência

Leia mais

PROGRAMA MENSAL DE OPERAÇÃO ELETROENERGÉTICA PARA O MÊS DE JANEIRO

PROGRAMA MENSAL DE OPERAÇÃO ELETROENERGÉTICA PARA O MÊS DE JANEIRO PROGRAMA MENSAL DE OPERAÇÃO ELETROENERGÉTICA PARA O MÊS DE JANEIRO Operador Nacional do Sistema Elétrico Rua Júlio do Carmo, 251 Cidade Nova 20211-160 Rio de Janeiro RJ 2015/ONS Todos os direitos reservados.

Leia mais

CEMIG GERAÇÃO E TRANSMISSÃO S.A.

CEMIG GERAÇÃO E TRANSMISSÃO S.A. CEMIG GERAÇÃO E TRANSMISSÃO S.A. Elmar de Oliveira Santana Diretor de Geração e Transmissão Apresentador: Evandro Leite Vasconcelos Belo Horizonte, 29 de maio de 2006 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO. SUMÁRIO 2.

Leia mais

Sumário Executivo do Programa Mensal de Operação

Sumário Executivo do Programa Mensal de Operação Sumário Executivo do Programa Mensal de Operação 1. APRESENTAÇÃO Na semana de 10 a 16 de agosto, conforme a previsão, a atuação de duas frentes frias e de áreas de instabilidade voltou a ocasionar precipitação

Leia mais

PROGRAMA MENSAL DE OPERAÇÃO ELETROENERGÉTICA PARA O MÊS DE MAIO

PROGRAMA MENSAL DE OPERAÇÃO ELETROENERGÉTICA PARA O MÊS DE MAIO PROGRAMA MENSAL DE OPERAÇÃO ELETROENERGÉTICA PARA O MÊS DE MAIO Operador Nacional do Sistema Elétrico Rua Júlio do Carmo, 251 Cidade Nova 20211-160 Rio de Janeiro RJ Tel (+21) 2203-9400Fax (+21) 2203-9444

Leia mais

INVENTÁRIO DAS RESTRIÇÕES OPERATIVAS HIDRÁULICAS DOS APROVEITAMENTOS HIDRELÉTRICOS

INVENTÁRIO DAS RESTRIÇÕES OPERATIVAS HIDRÁULICAS DOS APROVEITAMENTOS HIDRELÉTRICOS INVENTÁRIO DAS RESTRIÇÕES OPERATIVAS HIDRÁULICAS DOS APROVEITAMENTOS HIDRELÉTRICOS Operador Nacional do Sistema Elétrico Diretoria de Planejamento Programação da Operação Rua da Quitanda 196/23º andar,

Leia mais

Bacias da Costa do Atlântico Sudeste

Bacias da Costa do Atlântico Sudeste Capacidade de Suporte para Aquicultura em Reservatórios de Domínio Federal Atualizada em: 07/11/2014 Possui capacidade de suporte Nome do corpo hídrico Operador do reservatório Rio barrado Bacia / Região

Leia mais

Plano de Investimentos e Cronograma de Obras das Empresas Controladas do Grupo Eletrobrás Grupo Eletrobrás

Plano de Investimentos e Cronograma de Obras das Empresas Controladas do Grupo Eletrobrás Grupo Eletrobrás Plano de Investimentos e Cronograma de Obras das Empresas Controladas do Grupo Eletrobrás 1 Grupo Eletrobrás FURNAS CHESF ELETRONORTE ELETROSUL ELETRONUCLEAR CGTEE LIGHTPAR ITAIPU 2 A competência e qualidade

Leia mais

INFORMATIVO MENSAL MAR.2014

INFORMATIVO MENSAL MAR.2014 INFORMATIVO MENSAL.214 Preço de Liquidação das Diferenças 9, 8, 7, 6, 5, 4, 3, 2, PLD Médio /214 PLD TETO 822,83 7 6 5 4 3 2 PLD Médio Anual - Seco x Úmido 1,, MÉDIA SEMANA 1 1/ a 7/ NORTE SEMANA 2 8/

Leia mais

Gestão do Potencial Hidráulico e o Transporte Hidroviário no âmbito da ANEEL. Superintendência de Gestão e Estudos Hidroenergéticos SGH

Gestão do Potencial Hidráulico e o Transporte Hidroviário no âmbito da ANEEL. Superintendência de Gestão e Estudos Hidroenergéticos SGH Gestão do Potencial Hidráulico e o Transporte Hidroviário no âmbito da ANEEL Superintendência de Gestão e Estudos Hidroenergéticos SGH Brasília, DF Março de 2014 Estágios de Desenvolvimento de um Empreendimento

Leia mais

NT 066/2006. C:\WINDOWS\TEMP\d.Lotus.Notes.Data\NT-066_revisão CAR do SUL.doc

NT 066/2006. C:\WINDOWS\TEMP\d.Lotus.Notes.Data\NT-066_revisão CAR do SUL.doc 2006/ONS Todos os direitos reservados. Qualquer alteração é proibida sem autorização. NT 066/2006 C:\WINDOWS\TEMP\d.Lotus.Notes.Data\NT-066_revisão CAR do SUL.doc !" #$ "%&'" ( "#)*+,-+. -!++/+-0-$"%"*"1!/

Leia mais

PROGRAMA MENSAL DE OPERAÇÃO ELETROENERGÉTICA PARA A O MÊS DE JANEIRO

PROGRAMA MENSAL DE OPERAÇÃO ELETROENERGÉTICA PARA A O MÊS DE JANEIRO PROGRAMA MENSAL DE OPERAÇÃO ELETROENERGÉTICA PARA A O MÊS DE JANEIRO Operador Nacional do Sistema Elétrico Rua da Quitanda, 196 - Centro 20091-005 Rio de Janeiro RJ Tel (+21) 2203-9400 Fax (+21) 2203-9444

Leia mais

Operador Nacional do Sistema Elétrico Rua da Quitanda, Centro Rio de Janeiro RJ Tel (+21) Fax (+21)

Operador Nacional do Sistema Elétrico Rua da Quitanda, Centro Rio de Janeiro RJ Tel (+21) Fax (+21) Operador Nacional do Sistema Elétrico Rua da Quitanda, 196 - Centro 20091-005 Rio de Janeiro RJ Tel (+21) 2203-9400 Fax (+21) 2203-9444 2011/ONS Todos os direitos reservados. Qualquer alteração é proibida

Leia mais

INVENTÁRIO DAS RESTRIÇÕES OPERATIVAS HIDRÁULICAS DOS APROVEITAMENTOS HIDRELÉTRICOS

INVENTÁRIO DAS RESTRIÇÕES OPERATIVAS HIDRÁULICAS DOS APROVEITAMENTOS HIDRELÉTRICOS INVENTÁRIO DAS RESTRIÇÕES OPERATIVAS HIDRÁULICAS DOS APROVEITAMENTOS HIDRELÉTRICOS Operador Nacional do Sistema Elétrico Diretoria de Planejamento Programação da Operação Rua da Quitanda 196/23º andar,

Leia mais

ATUALIZAÇÃO DE SÉRIES HISTÓRICAS DE VAZÕES - PERÍODO 1931 A 2007

ATUALIZAÇÃO DE SÉRIES HISTÓRICAS DE VAZÕES - PERÍODO 1931 A 2007 ATUALIZAÇÃO DE SÉRIES HISTÓRICAS DE VAZÕES - PERÍODO 1931 A 2007 07 Operador Nacional do Sistema Elétrico Rua da Quitanda, 196 - Centro 20091-005 Rio de Janeiro RJ Tel (+21) 2203-9400 Fax (+21) 2203-9444

Leia mais

Referências Bibliográficas

Referências Bibliográficas Referências Bibliográficas 1 BARROS, M. et al. Operation Planning and Regulation Upon Energy Rationing in Brazil. Publicação submetida ao Bucharest PowerTech Conference 2009. 2 SOUZA, R. C. et al. Duke

Leia mais

INFORMATIVO MENSAL DEZ.2014

INFORMATIVO MENSAL DEZ.2014 INFORMATIVO MENSAL.214 Preço de Liquidação das Diferenças 8, PLD Médio /214 8 PLD Médio Anual - Seco x Úmido 7, 7 6, 6 5, 4, 3, 2, 1,, MÉDIA SEMANA 1 29/ a 5/ NORTE SEMANA 2 6/ a 12/ SEMANA 3 13/ a 19/

Leia mais

Otto Samuel Mäder Netto Engenheiro Químico.

Otto Samuel Mäder Netto Engenheiro Químico. Espécies aquáticas invasoras, impactos ambientais e econômicos: ações práticas para prevenção e controle do Limnoperna fortunei (mexilhão dourado) na bacia do rio Uruguai. Otto Samuel Mäder Netto Engenheiro

Leia mais

PROGRAMA MENSAL DE OPERAÇÃO ELETROENERGÉTICA PARA A O MÊS DE ABRIL

PROGRAMA MENSAL DE OPERAÇÃO ELETROENERGÉTICA PARA A O MÊS DE ABRIL PROGRAMA MENSAL DE OPERAÇÃO ELETROENERGÉTICA PARA A O MÊS DE ABRIL Operador Nacional do Sistema Elétrico Rua da Quitanda, 196 - Centro 20091-005 Rio de Janeiro RJ Tel (+21) 2203-9400 Fax (+21) 2203-9444

Leia mais

Relatório Executivo do Programa Mensal de Operação PMO de Abril 2016 Semana Operativa de 26/03/2016 a 01/04/2016

Relatório Executivo do Programa Mensal de Operação PMO de Abril 2016 Semana Operativa de 26/03/2016 a 01/04/2016 % EARmáx Sumário Executivo do Programa Mensal de Operação Relatório Executivo do Programa Mensal de Operação PMO de Abril 2016 Semana Operativa de 26/03/2016 a 01/04/2016 1. APRESENTAÇÃO Durante o mês

Leia mais

EVOLUÇÃO DAS BARRAGENS DE ENROCAMENTO NO BRASIL LINHA DO TEMPO EVALUATION OF ROCKFILL DAMS IM BRAZIL - TIMELINE. José Marcos Donadon Engenheiro Civil

EVOLUÇÃO DAS BARRAGENS DE ENROCAMENTO NO BRASIL LINHA DO TEMPO EVALUATION OF ROCKFILL DAMS IM BRAZIL - TIMELINE. José Marcos Donadon Engenheiro Civil EVOLUÇÃO DAS BARRAGENS DE ENROCAMENTO NO BRASIL LINHA DO TEMPO EVALUATION OF ROCKFILL DAMS IM BRAZIL - TIMELINE José Marcos Donadon Engenheiro Civil RESUMO Este trabalho lista, em ordem cronológica de

Leia mais

Sumário Executivo do Programa Mensal de Operação

Sumário Executivo do Programa Mensal de Operação Sumário Executivo do Programa Mensal de Operação 1. APRESENTAÇÃO A recente crise hídrica que tem afetado as principais bacias hidrográficas das regiões SE/CO e NE no que concerne à operação de seus aproveitamentos

Leia mais

PROGRAMA MENSAL DE OPERAÇÃO ELETROENERGÉTICA PARA O MÊS DE SETEMBRO

PROGRAMA MENSAL DE OPERAÇÃO ELETROENERGÉTICA PARA O MÊS DE SETEMBRO PROGRAMA MENSAL DE OPERAÇÃO ELETROENERGÉTICA PARA O MÊS DE SETEMBRO Operador Nacional do Sistema Elétrico Rua da Quitanda, 196 - Centro 20091-005Rio de Janeiro RJ Tel (+21) 2203-9400Fax (+21) 2203-9444

Leia mais

PROGRAMA MENSAL DE OPERAÇÃO ELETROENERGÉTICA PARA A O MÊS DE JULHO

PROGRAMA MENSAL DE OPERAÇÃO ELETROENERGÉTICA PARA A O MÊS DE JULHO PROGRAMA MENSAL DE OPERAÇÃO ELETROENERGÉTICA PARA A O MÊS DE JULHO Operador Nacional do Sistema Elétrico Rua da Quitanda, 196 - Centro 20091-005 Rio de Janeiro RJ Tel (+21) 2203-9400 Fax (+21) 2203-9444

Leia mais

Boletim Mensal de Geração Eólica Dezembro/2014

Boletim Mensal de Geração Eólica Dezembro/2014 Dezembro/214 Operador Nacional do Sistema Elétrico - ONS Diretoria de Operação DOP Centro Nacional de Operação do Sistema CNOS Gerência Executiva de Pós-Operação, Análise e Estatística da Operação GOA

Leia mais

PROGRAMA MENSAL DE OPERAÇÃO ELETROENERGÉTICA PARA O MÊS DE JUNHO

PROGRAMA MENSAL DE OPERAÇÃO ELETROENERGÉTICA PARA O MÊS DE JUNHO PROGRAMA MENSAL DE OPERAÇÃO ELETROENERGÉTICA PARA O MÊS DE JUNHO Operador Nacional do Sistema Elétrico Rua da Quitanda, 196 - Centro 20091-005Rio de Janeiro RJ Tel (+21) 2203-9400Fax (+21) 2203-9444 2012/ONS

Leia mais

PROGRAMA MENSAL DE OPERAÇÃO ELETROENERGÉTICA PARA O MÊS DE JANEIRO

PROGRAMA MENSAL DE OPERAÇÃO ELETROENERGÉTICA PARA O MÊS DE JANEIRO PROGRAMA MENSAL DE OPERAÇÃO ELETROENERGÉTICA PARA O MÊS DE JANEIRO Operador Nacional do Sistema Elétrico Rua da Quitanda, 196 - Centro 20091-005Rio de Janeiro RJ Tel (+21) 2203-9400Fax (+21) 2203-9444

Leia mais

INVENTÁRIO DAS RESTRIÇÕES OPERATIVAS HIDRÁULICAS DOS APROVEITAMENTOS HIDRELÉTRICOS

INVENTÁRIO DAS RESTRIÇÕES OPERATIVAS HIDRÁULICAS DOS APROVEITAMENTOS HIDRELÉTRICOS INVENTÁRIO DAS RESTRIÇÕES OPERATIVAS HIDRÁULICAS DOS APROVEITAMENTOS HIDRELÉTRICOS Operador Nacional do Sistema Elétrico Diretoria de Planejamento Programação da Operação Rua da Quitanda 196/23º andar,

Leia mais

Lista de usinas hidrelétricas do Brasil, por capacidade instalada, até final de 2007:

Lista de usinas hidrelétricas do Brasil, por capacidade instalada, até final de 2007: Lista de usinas hidrelétricas do Brasil, por capacidade instalada, até final de 2007: (MW = Megawatts) Observação : Toda usina com geração de 1 até 30 MW é também comumente designada PCH - Pequena Central

Leia mais

RELATÓRIO DE PREVISÃO DE VAZÕES E GERAÇÃO DE CENÁRIOS DE AFLUÊNCIAS PMO DE JULHO

RELATÓRIO DE PREVISÃO DE VAZÕES E GERAÇÃO DE CENÁRIOS DE AFLUÊNCIAS PMO DE JULHO RELATÓRIO DE PREVISÃO DE VAZÕES E GERAÇÃO DE CENÁRIOS DE AFLUÊNCIAS Operdor Ncionl do Sistem Elétrico Diretori de Plnejmento Progrmção d Operção Ru d Quitnd 196/23º ndr, Centro 20091-005 Rio de Jneiro

Leia mais

PROGRAMA MENSAL DE OPERAÇÃO ELETROENERGÉTICA PARA A O MÊS DE NOVEMBRO

PROGRAMA MENSAL DE OPERAÇÃO ELETROENERGÉTICA PARA A O MÊS DE NOVEMBRO PROGRAMA MENSAL DE OPERAÇÃO ELETROENERGÉTICA PARA A O MÊS DE NOVEMBRO Operador Nacional do Sistema Elétrico Rua da Quitanda, 196 - Centro 20091-005 Rio de Janeiro RJ Tel (+21) 2203-9400 Fax (+21) 2203-9444

Leia mais

PROGRAMA MENSAL DA OPERAÇÃO (PMO) RELATÓRIO SEMANAL DE PREVISÃO DE VAZÕES

PROGRAMA MENSAL DA OPERAÇÃO (PMO) RELATÓRIO SEMANAL DE PREVISÃO DE VAZÕES PROGRAMA MENSAL DA OPERAÇÃO (PMO) RELATÓRIO SEMANAL DE PREVISÃO DE VAZÕES Operdor Ncionl do Sistem Elétrico Diretori de Plnejmento Progrmção d Operção Ru d Quitnd 196/23º ndr, Centro 20091-005 Rio de Jneiro

Leia mais

Análise PLD 2ª semana operativa de dezembro

Análise PLD 2ª semana operativa de dezembro www.ccee.org.br Nº 219 2ª semana de dezembro/15 8 1 8 O InfoPLD é uma publicação semanal que traz uma análise dos fatores que influenciam na formação do Preço de Liquidação das Diferenças - PLD, calculado

Leia mais

PMO DE JANEIRO REVISÃO 1-

PMO DE JANEIRO REVISÃO 1- RELATÓRIO DE PREVISÃO DE VAZÕES E GERAÇÃO DE CENÁRIOS DE AFLUÊNCIAS - Operdor Ncionl do Sistem Elétrico Diretori de Plnejmento Progrmção d Operção Ru d Quitnd 196/23º ndr, Centro 20091-005 Rio de Jneiro

Leia mais

RESULTADO PRELIMINAR DA IMPLANTAÇÃO DO HORÁRIO DE VERÃO 2008/2009

RESULTADO PRELIMINAR DA IMPLANTAÇÃO DO HORÁRIO DE VERÃO 2008/2009 RESULTADO PRELIMINAR DA IMPLANTAÇÃO DO HORÁRIO DE VERÃO 2008/2009 2009/ONS Todos os direitos reservados. Qualquer alteração é proibida sem autorização. ONS NT- 016/2009 RESULTADO PRELIMINAR DA IMPLANTAÇÃO

Leia mais

Workshop FIESP Transmissão de Energia Elétrica no Brasil. São Paulo, 29 de Setembro de 2016

Workshop FIESP Transmissão de Energia Elétrica no Brasil. São Paulo, 29 de Setembro de 2016 Workshop FIESP Transmissão de Energia Elétrica no Brasil São Paulo, 29 de Setembro de 2016 Aspectos institucionais e a expansão da transmissão Desafios conjunturais Desafios estruturais em São Paulo Aspectos

Leia mais

Análise PLD 2ª semana operativa de novembro

Análise PLD 2ª semana operativa de novembro www.ccee.org.br Nº 215 2ª semana de novembro/15 8 1 8 O InfoPLD é uma publicação semanal que traz uma análise dos fatores que influenciam na formação do Preço de Liquidação das Diferenças - PLD, calculado

Leia mais

Monitoramento do Sistema Elétrico Brasileiro

Monitoramento do Sistema Elétrico Brasileiro Monitoramento do Sistema Elétrico Brasileiro Boletim de Dezembro/212 As informações apresentadas neste Boletim de Monitoramento do Sistema Elétrico Brasileiro referem-se a dados consolidados até o dia

Leia mais

PROGRAMA MENSAL DE OPERAÇÃO ELETROENERGÉTICA PARA O MÊS DE OUTUBRO

PROGRAMA MENSAL DE OPERAÇÃO ELETROENERGÉTICA PARA O MÊS DE OUTUBRO PRORAMA MENSAL DE OPERAÇÃO ELETROENERÉTICA PARA O MÊS DE OUTUBRO Operador Nacional do Sistema Elétrico Rua Júlio do Carmo, 251 Cidade Nova 20211-160 Rio de Janeiro RJ 2015/ONS Todos os direitos reservados.

Leia mais

Revisão dos Valores de Referência de Indisponibilidade Forçada - TEIF e Programada - IP de Usinas Hidrelétricas

Revisão dos Valores de Referência de Indisponibilidade Forçada - TEIF e Programada - IP de Usinas Hidrelétricas Revisão dos Valores de Referência de Indisponibilidade Forçada - TEIF e Programada - IP de Usinas Hidrelétricas ABRIL/2015 Revisão 1 Esplanada dos Ministérios Bloco U CEP: 70.065-900 Brasília-DF BRASIL

Leia mais

Eletrobrás CONTA DE DESENVOLVIMENTO ENERGÉTICO CDE MOVIMENTAÇÕES 2006 CARVÃO MINERAL NACIONAL DIRETORIA DE ENGENHARIA - DE

Eletrobrás CONTA DE DESENVOLVIMENTO ENERGÉTICO CDE MOVIMENTAÇÕES 2006 CARVÃO MINERAL NACIONAL DIRETORIA DE ENGENHARIA - DE Centrais Elétricas Brasileiras S/A DIRETORIA DE ENGENHARIA - DE CONTA DE DESENVOLVIMENTO ENERGÉTICO CDE MOVIMENTAÇÕES 2006 CARVÃO MINERAL NACIONAL JANEIRO/2006 CONTA DE DESENVOLVIMENTO ENERGÉTICO TÍTULO

Leia mais

Projetos de Agregação de Valor na Geração e Transmissão

Projetos de Agregação de Valor na Geração e Transmissão Projetos de Agregação de Valor na Geração e Transmissão Fernando Henrique Shuffner Neto Diretor de Geração e Transmissão Maio de 2008 1/XX AUTOMAÇÃO DAS INSTALAÇÕES DE GERAÇÃO E TRANSMISSÃO REPOTENCIAÇÃO

Leia mais

Relatório - Histórico de Versões

Relatório - Histórico de Versões Descrição das Versões Banco de dados: D:\Guilhon\Teste\HydroByte Software\Database\DBHydroData.gdb\ 1 1.01 13/12/2001 - Conteúdo contempla o Sistema Interligado Nacional. - Inclusão dos polinômios de limites

Leia mais

Os desafios regulatórios, comerciais e tecnológicos para armazenamento de energia: O papel das usinas reversíveis

Os desafios regulatórios, comerciais e tecnológicos para armazenamento de energia: O papel das usinas reversíveis Seminário Brasileiro de Qualidade e Armazenamento de Energia Os desafios regulatórios, comerciais e tecnológicos para armazenamento de energia: O papel das usinas reversíveis Dr. Manuel Gonçalves, diretor

Leia mais

VII ENAENCO Projetando e Implantando o Desenvolvimento Sustentável

VII ENAENCO Projetando e Implantando o Desenvolvimento Sustentável VII ENAENCO Projetando e Implantando o Desenvolvimento Sustentável Recife 30 de setembro de 2005 ONS Operador Nacional do Sistema Elétrico Conteúdo da Apresentação PARTE I A QUESTÃO AMBIENTAL NA ATUAÇÃO

Leia mais

Boletim Mensal de Geração Eólica Julho/2015

Boletim Mensal de Geração Eólica Julho/2015 Julho/215 Operador Nacional do Sistema Elétrico - ONS Diretoria de Operação DOP Centro Nacional de Operação do Sistema CNOS Gerência Executiva de Pós-Operação, Análise e Estatística da Operação GOA Gerência

Leia mais

Ministério de Minas e Energia Gabinete do Ministro

Ministério de Minas e Energia Gabinete do Ministro Ministério de Minas e Energia Gabinete do Ministro PORTARIA N o 578, DE 31 DE OUTUBRO DE 2012. O MINISTRO DE ESTADO, INTERINO, DE MINAS E ENERGIA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, parágrafo

Leia mais

ANÁLISE REGULATÓRIA EXCELÊNCIA ENERGÉTICA

ANÁLISE REGULATÓRIA EXCELÊNCIA ENERGÉTICA HÁ RISCO DE RACIONAMENTO? O título desta análise é a pergunta mais frequente neste início de 2013, e o objetivo deste artigo é aprofundar a discussão em busca de uma resposta. Desde setembro de 2012 há

Leia mais

Ministério de Minas e Energia SECRETARIA DE ENERGIA ELÉTRICA DEPARTAMENTO DE MONITORAMENTO DO SISTEMA ELÉTRICO. Dezembro 2014

Ministério de Minas e Energia SECRETARIA DE ENERGIA ELÉTRICA DEPARTAMENTO DE MONITORAMENTO DO SISTEMA ELÉTRICO. Dezembro 2014 Secretaria de Energia MINISTÉRIO Elétrica Departamento DE MINAS de Monitoramento E ENERGIA do Sistema Elétrico SECRETARIA DE ENERGIA ELÉTRICA DEPARTAMENTO DE MONITORAMENTO DO SISTEMA ELÉTRICO Dezembro

Leia mais

Transmissão de Energia Elétrica a Longa Distância

Transmissão de Energia Elétrica a Longa Distância Ministério de Minas e Energia Transmissão de Energia Elétrica a Longa Distância O Plano Decenal de Energia 2007-2016 José Carlos de Miranda Farias Diretor de Estudos de Energia Elétrica - EPE 18 de setembro

Leia mais

TÉRMINO DO HORÁRIO DE VERÃO 2013/2014

TÉRMINO DO HORÁRIO DE VERÃO 2013/2014 TÉRMINO DO HORÁRIO DE VERÃO 2013/2014 Operador Nacional do Sistema Elétrico Rua Júlio do Carmo, 251 Cidade Nova 20211-160 Rio de Janeiro RJ Tel (+21) 3444-9400 Fax (+21) 3444-9444 2014/ONS Todos os direitos

Leia mais

Destaque: Horizonte Operador Nacional do Sistema Elétrico Diretoria de Planejamento Programação da Operação

Destaque: Horizonte Operador Nacional do Sistema Elétrico Diretoria de Planejamento Programação da Operação PROPOSTA PARA DEFLUÊNCIAS DAS USINAS HIDROELÉTRICAS DA BACIA DO RIO SÃO FRANCISCO NOS ESTUDOS DE PLANEJAMENTO E PROGRAMAÇÃO DA OPERAÇÃO, DIANTE DO QUADRO DE ESCASSEZ HÍDRICA Destaque: Horizonte 2017-2018

Leia mais

Inovações e Investimentos na Geração, Transmissão e Distribuição de Energia

Inovações e Investimentos na Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Inovações e Investimentos na Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elmar de Oliveira Santana Diretor de Geração e Transmissão Belo Horizonte, 23 de agosto de 2006 S U M Á R I O 1. A Cemig 2. Negócios

Leia mais

INVENTÁRIO DAS RESTRIÇÕES OPERATIVAS HIDRÁULICAS DOS APROVEITAMENTOS HIDRELÉTRICOS

INVENTÁRIO DAS RESTRIÇÕES OPERATIVAS HIDRÁULICAS DOS APROVEITAMENTOS HIDRELÉTRICOS INVENTÁRIO DAS RESTRIÇÕES OPERATIVAS HIDRÁULICAS DOS APROVEITAMENTOS HIDRELÉTRICOS Operador Nacional do Sistema Elétrico Diretoria de Planejamento Programação da Operação Rua da Quitanda 196/23º andar,

Leia mais

PENALIDADES DOS GERADORES. Brasília, 13 de março de 2007

PENALIDADES DOS GERADORES. Brasília, 13 de março de 2007 PENALIDADES DOS GERADORES Brasília, 13 de março de 2007 Quem é APINE? Constituída em 26 de setembro de 1995 36 associados que representam a experiência de mais de 270.000 MW no mundo inteiro, 3 vezes a

Leia mais

OPORTUNIDADES E DESAFIOS DO SETOR ELÉTRICO

OPORTUNIDADES E DESAFIOS DO SETOR ELÉTRICO OPORTUNIDADES E DESAFIOS DO SETOR ELÉTRICO 01 de Abril de 2011 Mesa Redonda sobre Energia no Brasil: Energia e o Novo Governo Rio de Janeiro Empresa de Pesquisa Energética Uma Empresa do Ministério de

Leia mais

GRUPO TÉCNICO OPERACIONAL DA REGIÃO NORTE GTON

GRUPO TÉCNICO OPERACIONAL DA REGIÃO NORTE GTON GRUPO TÉCNICO OPERACIONAL DA REGIÃO NORTE GTON PROGRAMA MENSAL DE OPERAÇÃO DOS SISTEMAS ISOLADOS AGOSTO / 2015 GTON / CTP 08/2015 SUMÁRIO 1. Introdução... 2 2. Objetivo... 2 3. Premissas Básicas... 3 4.

Leia mais

Conheça neste capítulo o perfil das empresas que compõem o maior conglomerado empresarial de energia limpa da América Latina.

Conheça neste capítulo o perfil das empresas que compõem o maior conglomerado empresarial de energia limpa da América Latina. PERFIL Um grupo de empresas dedicadas à geração, transmissão e distribuição de energia limpa, com respeito ao meio ambiente e valorização daquilo que o Brasil tem de melhor: os brasileiros. Conheça neste

Leia mais

Interface das Indústrias de Gás e Energia Elétrica

Interface das Indústrias de Gás e Energia Elétrica V Congresso Brasileiro de Regulação Associação Brasileira de Agências de Regulação - ABAR Interface das Indústrias de Gás e Energia Elétrica José Cesário Cecchi Superintendente de Comercialização e Movimentação

Leia mais

Capítulo 4 - MATERIAIS DE ESTUDO

Capítulo 4 - MATERIAIS DE ESTUDO Capítulo 4 - MATERIAIS DE ESTUDO 4.1. Introdução A redução da resistência mecânica é um aspecto de grande preocupação na aplicação de rochas em engenharia civil e, por isso, constitui tema de vários relatos

Leia mais

Perfil Energia gerada

Perfil Energia gerada 1. Perfil A AES Tietê, uma das geradoras do grupo AES Brasil, é uma Companhia de capital aberto com ações listadas na BM&FBovespa e está autorizada a operar como concessionária de uso do bem público, na

Leia mais

Panorama Geral do Setor Elétrico

Panorama Geral do Setor Elétrico 11º CONSTRUBUSINESS Congresso Brasileiro da Construção 2015 Panorama Geral do Setor Elétrico Ministro Eduardo Braga São Paulo, 09 de março de 2015 2 Condições Hidrológicas Desfavoráveis 29.909 21.438 22.413

Leia mais

A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS DEZEMBRO DE 2015

A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS DEZEMBRO DE 2015 A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS DEZEMBRO DE 2015 CAPACIDADE DE GERAÇÃO DA BIOELETRICIDADE Em 2014, de acordo com a International Renewable Energy Agency (IRENA), a fonte biomassa apresentou 80.227

Leia mais

PROGRAMA MENSAL DE OPERAÇÃO ELETROENERGÉTICA PARA O MÊS DE MARÇO

PROGRAMA MENSAL DE OPERAÇÃO ELETROENERGÉTICA PARA O MÊS DE MARÇO PROGRAMA MENSAL DE OPERAÇÃO ELETROENERGÉTICA PARA O MÊS DE MARÇO Operador Nacional do Sistema Elétrico Rua da Quitanda, 196 - Centro 20091-005Rio de Janeiro RJ Tel (+21) 2203-9400Fax (+21) 2203-9444 2012/ONS

Leia mais

Primeiro Debate sobre a Questão da Água do Nordeste

Primeiro Debate sobre a Questão da Água do Nordeste Primeiro Debate sobre a Questão da Água do Nordeste Sessão IV: A Bacia do rio São Francisco. Origem das Águas. Regime Fluvial. Disponibilidades. Risco de Mudanças CGEE / ANA Brasília Agosto de 2008 Giovanni

Leia mais

Cadernos Temáticos ANEEL Energia Assegurada

Cadernos Temáticos ANEEL Energia Assegurada . Agência Nacional de Energia Elétrica 3 Cadernos Temáticos ANEEL Energia Assegurada Brasília DF Abril 2005 Agência Nacional de Energia Elétrica - ANEEL Diretoria Diretor-Geral Jerson Kelman Diretores

Leia mais

JOSÉ CARLOS DE MIRANDA FARIAS Empresa de Pesquisa Energética EXPANSÃO DA OFERTA DE ENERGIA PLANEJAMENTO E LEILÕES

JOSÉ CARLOS DE MIRANDA FARIAS Empresa de Pesquisa Energética EXPANSÃO DA OFERTA DE ENERGIA PLANEJAMENTO E LEILÕES JOSÉ CARLOS DE MIRANDA FARIAS Empresa de Pesquisa Energética EXPANSÃO DA OFERTA DE ENERGIA PLANEJAMENTO E LEILÕES POR QUE PLANEJAR? Há necessidade de prever as possibilidades do amanhã para esboçar, com

Leia mais

Nº 008 Agosto/ Nº de usinas

Nº 008 Agosto/ Nº de usinas Nº de usinas www.cceorg.br Nº 008 Agosto/2014 0 10 00 08 Introdução O Boletim de Operação das Usinas é uma publicação mensal que apresenta os principais resultados consolidados de capacidade, garantia

Leia mais

BENEFÍCIOS DA IMPLANTAÇÃO DO HORÁRIO DE VERÃO 2014/2015

BENEFÍCIOS DA IMPLANTAÇÃO DO HORÁRIO DE VERÃO 2014/2015 BENEFÍCIOS DA IMPLANTAÇÃO DO HORÁRIO DE VERÃO 2014/2015 Operador Nacional do Sistema Elétrico Rua Júlio do Carmo, 251 Cidade Nova 20211-160 Rio de Janeiro RJ Tel (+21) 3444-9400 Fax (+21) 3444-9444 2015/ONS

Leia mais

POSIÇÃO ATUALIZADA ATÉ 25/06/2012 Classif Último Candidato Convocado procedimentos préadmissionais

POSIÇÃO ATUALIZADA ATÉ 25/06/2012 Classif Último Candidato Convocado procedimentos préadmissionais CONCURSO PÚBLICO 2010 TBN RJ e SP de de RJ Campos dos Goytacazes Técnico Bancário 106 2 105 2 RJ Centro Técnico Bancário 592 4 592 4 RJ Niteroi Técnico Bancário 130 3 130 3 RJ Nova Iguaçu Técnico Bancário

Leia mais

Relatório Executivo do Programa Mensal de Operação PMO de Novembro Revisão 0 Semana Operativa de 29/10 a 4/11/2011

Relatório Executivo do Programa Mensal de Operação PMO de Novembro Revisão 0 Semana Operativa de 29/10 a 4/11/2011 Relatório Executivo do Programa Mensal de Operação PMO de Novembro Revisão 0 Semana Operativa de 29/10 a 4/11/2011 1. EDITORIAL Há tempos as equipes do ONS responsáveis pela elaboração dos Programas Mensais

Leia mais

Sistemas de Potência e Energia

Sistemas de Potência e Energia UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA Sistemas de Potência e Energia Departamento de Energia Elétrica Faculdade de Engenharia UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA E-mail: jopass@ieee.org Juiz de Fora, 30

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 167, DE 31 DE MAIO DE 2000

RESOLUÇÃO Nº 167, DE 31 DE MAIO DE 2000 RESOLUÇÃO Nº 167, DE 31 DE MAIO DE 2000 Estabelece as Receitas Anuais Permitidas vinculadas às instalações de transmissão de energia elétrica, o valor da Tarifa de Uso da Rede Básica e os Encargos de Conexão.

Leia mais

Boletim Mensal de Geração Eólica Julho/2016

Boletim Mensal de Geração Eólica Julho/2016 Julho/216 Operador Nacional do Sistema Elétrico - ONS Diretoria de Operação DOP Centro Nacional de Operação do Sistema CNOS Gerência Executiva de Pós-Operação, Análise e Estatística da Operação GOA Gerência

Leia mais

PLD (Preço de Liquidação das Diferenças)

PLD (Preço de Liquidação das Diferenças) 2 05 5 PLD (Preço de Liquidação das Diferenças) Fonte: PLD: CCEE / PLD médio: PONDERAÇÃO COMERC. PLD médio é a média ponderada dos valores já divulgados do PLD, pelas horas das semanas publicadas. 2. PLD

Leia mais