Estratificação Social. Fronteira territorial entre o bairro Morumbi e a comunidade de Paraisópolis. Município de São Paulo.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Estratificação Social. Fronteira territorial entre o bairro Morumbi e a comunidade de Paraisópolis. Município de São Paulo."

Transcrição

1 Estratificação Social Fronteira territorial entre o bairro Morumbi e a comunidade de Paraisópolis. Município de São Paulo.

2 Ao longo da história, podemos observar sinais de desigualdades sociais em todos os lugares. Eles aparecem, de imediato, em elementos materiais, como moradia e roupas, profissões e também se manifestam no acesso à educação e aos bens culturais. Por que as desigualdades existem? Como se constituem? Como são explicadas?

3 ESTRATIFICAÇÃO SOCIAL É a organização da sociedade em grupos hierárquicos (estratos/camadas). O sociólogo brasileiro Octavio Ianni ( ), em sua obra Teorias da estratificação social, enfatiza que a estrutura social se constitui principalmente por meio de fatores econômicos e políticos, mas é atravessada por elementos religiosos, étnicos-raciais, culturais e de gênero.

4 A estratificação e as desigualdades sociais são produzidas historicamente. Isso significa que elas são geradas por situações diversas e se expressam na organização das sociedades em: sistemas de castas; Estamentos; Classes sociais.

5 SOCIEDADES ESTRUTURADAS EM CASTAS O sistema de castas é uma configuração social registrada em diferentes tempos e lugares. No mundo antigo algumas civilizações já foram organizadas em castas, como a grega e a chinesa. Atualmente ela é encontrada no Nepal, em Bangladesh, mas é na Índia que está a expressão mais acabada desse sistema, iniciado há mais de 3 mil anos. Nesse sistema, a posição social do indivíduo na estrutura hierárquica se baseia principalmente na Religião: hinduísta (crença na reencarnação / cumprimento do carma). Hereditariedade: é definida de acordo ao grupo ou família em que se nasce. Há ausência de mobilidade social: cada indivíduo possui papel social específico que não pode ser modificado. Sistema rígido, fechado e desigual Esses elementos definem a organização do poder político e a distribuição da riqueza gerada pela sociedade.

6

7 Brahma é uma das Principais divindades do hinduísmo. Brahma faz parte da chamada Trimurti que seria uma tripla divindade suprema formada por: Brahma, que representa a criação do universo; Vixnu, que diz respeito a conservação do universo; e Xiva, que representa a destruição.

8 O sistema de castas indiano está sendo desintegrado de forma gradativa, sob o impacto da urbanização, da industrialização e da introdução de padrões ocidentais de comportamento. Entretanto, normas e costumes desse sistema ainda sobrevivem. Isso é comprovado pela adoção de cotas nas universidades públicas, como medida de inclusão de estudantes que pertencem a castas consideradas inferiores.

9 Sociedades estruturadas em Estamentos Em um estamento (grupos sociais) a posição social dos indivíduos é definida por um conjunto de direitos e deveres, privilégios e prestígios, aceitos como naturais e publicamente reconhecidos. Fizeram parte de civilizações tradicionais o feudalismo europeu.

10 O que definia o prestígio, a liberdade e o poder dos indivíduos era a propriedade da terra: os que não a possuíam eram dependentes econômica e politicamente, além de socialmente inferiores. A mobilidade social era quase inexistente.

11 Na Idade Média, a pobreza era considerada uma condição de nascença. Havia uma visão positiva dessa condição, pois esta despertava a compaixão e a caridade (pobreza como função social). Na concepção da Igreja Católica, os ricos tinham obrigação moral de ajudar os pobres. Acreditava-se que a pobreza era uma desgraça decorrente das guerras ou de adversidades como doenças ou deformidades físicas.

12

13

14

15

16 Marx se torna o grande pensador do capitalismo

17 O materialismo histórico é uma abordagem metodológica do estudo da sociedade, da economia e da história que foi pela primeira vez elaborada por Karl Marx e Friedrich Engels. "Não é a consciência que determina a vida, mas a vida que determina a consciência."

18 Sociedades estruturadas em classes (Modernas/Capitalistas Karl Marx) Característica das sociedades capitalistas, o conceito de classe pode referirse sob dois critérios: 1 - a posição que o indivíduo ocupa nas relações de produção (proprietário ou não dos meios de produção - burguês ou proletariado)

19 Jean-Jacques Rousseau Filósofo francês iluminista O homem é bom por natureza, mas está submetido à influência corruptora da sociedade. O Homem nasce livre, e por toda parte encontra-se acorrentado. As obras Do Contrato Social e Discurso sobre a origem e os fundamentos da desigualdade entre os homens constituem suas principais obras.

20

21 Um dos sintomas das falhas da civilização em atingir o bem comum, segundo o pensador, é a desigualdade, que pode ser de dois tipos: a que se deve às características individuais de cada ser humano e aquela causada por circunstâncias sociais.

22 Jean-Jacques Rousseau, afirmou ser a propriedade privada a origem das desigualdades entre os homens.

23 As transformações por quais passaram as sociedades capitalistas no século XX também nos mostram que houve mudanças significativas nessa sociedade, tornando-a muito mais complexa do que em sua fase inicial de desenvolvimento. A mudança mais notável foi o crescimento de uma forte e volumosa classe média nos países centrais do capitalismo, ocupando funções nos diversos setores dos ramos de prestação de serviços e da pequena e média propriedade. Assim, a análise das sociedades capitalistas a partir do final do século XX deve, necessariamente, levar em consideração esta camada social intermediária entre os proprietários e os não proprietários dos meios de produção.

24 2 - à capacidade de consumo como fator de classificação. Brasil De acordo com o segundo critério, pode-se dividir a sociedade em classes alta, média e baixa ou em classes A, B, C, D e E. Seja qual for o critério, fica evidente que as sociedades modernas caracterizam-se, em grau variável, pelas desigualdades.

25

26 Fonte: ONG britânica Oxfam, fevereiro de 2015.

27 A mobilidade social nas sociedades capitalistas é maior do que nas divididas em castas ou estamentos, mas não é tão ampla quanto pode parecer. Embora vigore a ideia de que todos têm oportunidades iguais e podem prosperar por meio do trabalho, há barreiras à ascensão social, que não são escritas nem declaradas.

28

29 Exercícios - estratificação social 1 Explique o que é estratificação social, caracterizando as principais formas em que elas se apresentam historicamente. 2 - O que é mobilidade social? Em qual forma de estratificação ela está presente? 3 - Que avaliação o filósofo francês Rousseau faz daqueles que aceitaram as imposições da propriedade privada, quando ela surgiu? 4- Embora o Brasil seja conhecido pelo multiculturalismo e pela miscigenação, sabe-se que nosso país figura entre os mais excludentes do mundo, a ponto de muitos já terem afirmado existir aqui uma espécie de apartheid social (que, de certa forma, é também racial). Você concorda com essa afirmação?

Unidade. A estrutura social e as desigualdades

Unidade. A estrutura social e as desigualdades Unidade 3 A estrutura social e as desigualdades O termo classe é empregado de muitas maneiras. Sociologicamente, ele é utilizado na explicação da estrutura da sociedade capitalista, que tem uma configuração

Leia mais

As Diferenças Sociais

As Diferenças Sociais As Diferenças Sociais 1 A Estratificação Social É a separação da sociedade em grupos de indivíduos que apresentam características parecidas, como: negros, brancos, católicos, protestantes, homem, mulher,

Leia mais

Produção de conhecimento: uma característica das sociedades humanas

Produção de conhecimento: uma característica das sociedades humanas 1 Produção de conhecimento: uma característica das sociedades humanas Os seres humanos sempre buscaram formas de compreender os fenômenos que ocorrem em seu dia a dia, de modo a procurar soluções para

Leia mais

Não é possível pensar em sociedade separada do espaço que ocupa.

Não é possível pensar em sociedade separada do espaço que ocupa. O ESPAÇO GEOGRÁFICO As sociedades humanas desenvolvem, durante sua história, modos próprios de vida. Estes decorreram da combinação de formas de subsistência material - com culturas diversas -, de diferentes

Leia mais

CARACTERÍSTICAS GERAIS

CARACTERÍSTICAS GERAIS CARACTERÍSTICAS GERAIS 1.1 CONTEXTO TRANSIÇÃO FEUDO-CAPITALISTA CRISE DO FEUDALISMO 1.2 CAUSAS EXPANSÃO DA ATIVIDADE COMERCIAL ALIANÇA REI-BURGUESIA ENFRAQUECIMENTO DO PODER CENTRAL CARACTERÍSTICAS GERAIS

Leia mais

O CONTEXTO HISTÓRICO DO SURGIMENTO DA SOCIOLOGIA

O CONTEXTO HISTÓRICO DO SURGIMENTO DA SOCIOLOGIA O CONTEXTO HISTÓRICO DO SURGIMENTO DA SOCIOLOGIA CENÁRIO HISTÓRICO A Sociologia surge como conseqüência das mudanças trazidas por duas grandes revoluções do século XVIII. As mudanças trazidas pelas duas

Leia mais

Texto: O perigo de classificar o brasileiro por raça. Estudo dirigido

Texto: O perigo de classificar o brasileiro por raça. Estudo dirigido Texto: O perigo de classificar o brasileiro por raça Prof. Dr. Alexandre H. de Quadros O texto apresenta uma opinião dos autores acerca da difícil tarefa em classificar o brasileiro por raça ; Existe uma

Leia mais

SOCIOLOGIA PRINCIPAIS CORRENTES.

SOCIOLOGIA PRINCIPAIS CORRENTES. SOCIOLOGIA PRINCIPAIS CORRENTES Augusto Comte 1798-1 857 Lei dos três estados: 1ª) Explicação dos fenômenos através de forças comparáveis aos homens. 2ª) Invocação de entidades abstratas (natureza). 3ª)

Leia mais

Os Sociólogos Clássicos Pt.2

Os Sociólogos Clássicos Pt.2 Os Sociólogos Clássicos Pt.2 Max Weber O conceito de ação social em Weber Karl Marx O materialismo histórico de Marx Teoria Exercícios Max Weber Maximilian Carl Emil Weber (1864 1920) foi um intelectual

Leia mais

III Estado Romano de um pequeno grupamento humano ao primeiro império mundial. Características: a) Base familiar de organização; b) Cristianismo.

III Estado Romano de um pequeno grupamento humano ao primeiro império mundial. Características: a) Base familiar de organização; b) Cristianismo. EVOLUÇÃO HISTÓRICA DO ESTADO I Estado Antigo, Oriental ou Teocrático não se distingue o pensamento político da religião, da moral, da filosofia, ou das doutrinas econômicas. Características: a) Natureza

Leia mais

SOCIOLOGIA - 3 o ANO MÓDULO 12 ETNIA X RAÇA

SOCIOLOGIA - 3 o ANO MÓDULO 12 ETNIA X RAÇA SOCIOLOGIA - 3 o ANO MÓDULO 12 ETNIA X RAÇA Como pode cair no enem O Apartheid foi um regime social estabelecido na África do Sul a partir de 1948, após a ascensão do Partido dos Nacionalistas ao poder

Leia mais

Filosofia Moderna: a nova ciência e o racionalismo.

Filosofia Moderna: a nova ciência e o racionalismo. FILOSOFIA MODERNA Filosofia Moderna: a nova ciência e o racionalismo. Período histórico: Idade Moderna (século XV a XVIII). Transformações que podemos destacar: A passagem do feudalismo para o capitalismo

Leia mais

ILUMINISMO LUZ DA RAZÃO CONTRA AS TREVAS DA IGNORÂNCIA

ILUMINISMO LUZ DA RAZÃO CONTRA AS TREVAS DA IGNORÂNCIA ILUMINISMO LUZ DA RAZÃO CONTRA AS TREVAS DA IGNORÂNCIA Conceito: O Iluminismo foi um movimento ideológico do século XVIII, que defendeu a liberdade de expressão e o fim de todo regime opressor. O Iluminismo

Leia mais

Antecedentes Históricos da Administração. Professor Maurício Teixeira

Antecedentes Históricos da Administração. Professor Maurício Teixeira Antecedentes Históricos da Administração Professor Maurício Teixeira Abordagens Mostrar a história Incipiente preocupação com a Administração na antiguidade Influencias da Administração Filosóficas Da

Leia mais

PRINCÍPIOS ÉTICOS FUNDAMENTAIS Fábio Konder Comparato. I Introdução

PRINCÍPIOS ÉTICOS FUNDAMENTAIS Fábio Konder Comparato. I Introdução 1 A felicidade PRINCÍPIOS ÉTICOS FUNDAMENTAIS Fábio Konder Comparato I Introdução Objetivo supremo da vida humana: aquele que escolhemos por si mesmo, não como meio de alcançar outros fins. A felicidade

Leia mais

KARL MARX E A EDUCAÇÃO. Ana Amélia, Fernando, Letícia, Mauro, Vinícius Prof. Neusa Chaves Sociologia da Educação-2016/2

KARL MARX E A EDUCAÇÃO. Ana Amélia, Fernando, Letícia, Mauro, Vinícius Prof. Neusa Chaves Sociologia da Educação-2016/2 KARL MARX E A EDUCAÇÃO Ana Amélia, Fernando, Letícia, Mauro, Vinícius Prof. Neusa Chaves Sociologia da Educação-2016/2 BIOGRAFIA Karl Heinrich Marx (1818-1883), nasceu em Trier, Alemanha e morreu em Londres.

Leia mais

Movimentos Políticoideológicos XIX

Movimentos Políticoideológicos XIX Movimentos Políticoideológicos séc. XIX SOCIALISMO UTÓPICO Refere-se à primeira fase do pensamento socialista que se desenvolveu entre as guerras napoleônicas e as revoluções de 1848 ( Primavera dos povos

Leia mais

Existencialismo. Profª Karina Oliveira Bezerra

Existencialismo. Profª Karina Oliveira Bezerra Existencialismo Profª Karina Oliveira Bezerra O termo existencialismo designa o conjunto de tendências filosóficas que, embora divergentes em vários aspectos, têm na existência humana o ponto de partida

Leia mais

Professor Thiago Espindula - Geografia. A geoeconomia determinando as relações mundiais.

Professor Thiago Espindula - Geografia. A geoeconomia determinando as relações mundiais. A geoeconomia determinando as relações mundiais. - Geopolítica: explicar, geograficamente, as ações políticas das nações. - Geopolítica Clássica: jogo de forças das nações projetado no espaço >>> segurança

Leia mais

Os direitos Humanos são direitos fundamentais da pessoa humana. Esses direitos são considerados fundamentais porque, sem eles, a pessoa não é capaz

Os direitos Humanos são direitos fundamentais da pessoa humana. Esses direitos são considerados fundamentais porque, sem eles, a pessoa não é capaz Os direitos Humanos são direitos fundamentais da pessoa humana. Esses direitos são considerados fundamentais porque, sem eles, a pessoa não é capaz de se desenvolver e de participar plenamente da vida.

Leia mais

Teoria de Karl Marx ( )

Teoria de Karl Marx ( ) Teoria de Karl Marx (1818-1883) Professora: Cristiane Vilela Disciplina: Sociologia Bibliografia: Manual de Sociologia. Delson Ferreira Introdução à Sociologia. Sebastião Vila Sociologia - Introdução à

Leia mais

Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 3º Ano TEORIAS DEMOGRÁFICAS. Prof. Esp. Claudimar Fontinele

Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 3º Ano TEORIAS DEMOGRÁFICAS. Prof. Esp. Claudimar Fontinele Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 3º Ano TEORIAS DEMOGRÁFICAS Prof. Esp. Claudimar Fontinele TEORIA DE MALTHUS Conforme seu estudo, Ensaio sobre o princípio da população, Malthus

Leia mais

Qual é o ponto de humor da charge abaixo? SOCIALISMO

Qual é o ponto de humor da charge abaixo? SOCIALISMO Qual é o ponto de humor da charge abaixo? SOCIALISMO SOCIALISMO SOCIALISMO A História das Ideias Socialistas possui alguns cortes de importância. O primeiro deles é entre os socialistas Utópicos e os socialistas

Leia mais

1º ano. Cultura, Diversidade e o Ser Humano

1º ano. Cultura, Diversidade e o Ser Humano Culturas, Etnias e modernidade no mundo e no Brasil A diversidade cultural Capítulo 11 - Item 11.4 O choque entre culturas e etnocentrismo Capítulo 11 Relativismo cultural e tolerância Capítulo 11 Civilização

Leia mais

Atividades Acadêmico-Científico- -Culturais: Diversidade Cultural. O Brasil é um País Multirracial. Contextualização. Teleaula 1.

Atividades Acadêmico-Científico- -Culturais: Diversidade Cultural. O Brasil é um País Multirracial. Contextualização. Teleaula 1. Atividades Acadêmico-Científico- -Culturais: Diversidade Cultural Teleaula 1 Profa. Dra. Marcilene Garcia de Souza tutorialetras@grupouninter.com.br O Brasil é um País Multirracial Letras Contextualização

Leia mais

O Século das Luzes HISTÓRIA 01 AULA 25 PROF. THIAGO

O Século das Luzes HISTÓRIA 01 AULA 25 PROF. THIAGO O Século das Luzes HISTÓRIA 01 AULA 25 PROF. THIAGO Contexto Revolução Científica do século XVII Galileu Galilei, René Descartes e Isaac Newton Concepção racionalista do mundo Leis Naturais Crise do Antigo

Leia mais

SOCIALISMO E ESPIRITISMO. Debate em 10/03/2012

SOCIALISMO E ESPIRITISMO. Debate em 10/03/2012 SOCIALISMO E ESPIRITISMO Debate em 10/03/2012 http://www.gede.net.br OBJETIVO Perceber a importância dos valores apregoados pela doutrina espírita para a construção de uma sociedade igualitária e humanizada.

Leia mais

Escritos de Max Weber

Escritos de Max Weber Escritos de Max Weber i) 1903-1906 - A Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo (1ª parte, em 1904; 2ª parte em 1905; introdução redigida em 1920); - A objetividade do conhecimento nas Ciências Sociais

Leia mais

PLANO DE AULA DISCIPLINA: ÉTICA E CIDADANIA I (CÓD. ENUN60004) PERÍODO: 1 º PERÍODO EXPOSITIVA EXPOSITIVA EXPOSITIVA EXPOSITIVA

PLANO DE AULA DISCIPLINA: ÉTICA E CIDADANIA I (CÓD. ENUN60004) PERÍODO: 1 º PERÍODO EXPOSITIVA EXPOSITIVA EXPOSITIVA EXPOSITIVA PLANO DE AULA DISCIPLINA: ÉTICA E CIDADANIA I (CÓD. ENUN60004) PERÍODO: 1 º PERÍODO TOTAL DE SEMANAS: 20 SEMANAS TOTAL DE ENCONTROS: 20 AULAS Aulas Conteúdos/ Matéria Tipo de aula Textos, filmes e outros

Leia mais

O feudalismo foi um sistema econômico, social político e cultural predominantemente na Idade Média.

O feudalismo foi um sistema econômico, social político e cultural predominantemente na Idade Média. O feudalismo foi um sistema econômico, social político e cultural predominantemente na Idade Média. ORIGEM e CARACTERÍSTICAS: O processo de decadência do Império Romano, a partir do século III, está na

Leia mais

FUNDAMENTOS HISTÓRICOS, TEÓRICOS E METODOLÓGICOS

FUNDAMENTOS HISTÓRICOS, TEÓRICOS E METODOLÓGICOS Unidade I FUNDAMENTOS HISTÓRICOS, TEÓRICOS E METODOLÓGICOS DO SERVIÇO SOCIAL Prof. José Junior O assistencialismo O conceito de assistencialismo estabelece uma linha tênue com o conceito de assistência,

Leia mais

P L A N O DE C U R S O DISCIPLINA SOCIOLOGIA I. CARGA HORÁRIA TU: 50 horas TC: 30 horas Total: 80 horas. Professora Doutora Márcia Maria de Oliveira

P L A N O DE C U R S O DISCIPLINA SOCIOLOGIA I. CARGA HORÁRIA TU: 50 horas TC: 30 horas Total: 80 horas. Professora Doutora Márcia Maria de Oliveira Curso: LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO DO CAMPO CÓDIGO DRP30156 P L A N O DE C U R S O DISCIPLINA SOCIOLOGIA I HABILITAÇÃO: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS PERÍODO 3 CRÉDITOS 06 CARGA HORÁRIA TU: 50 horas TC: 30 horas

Leia mais

Ano Lectivo 2016/ ºCiclo 8 ºAno. 8.º Ano 1º Período. Domínios / Subdomínios Objetivos Gerais / Metas Competências Específicas Avaliação.

Ano Lectivo 2016/ ºCiclo 8 ºAno. 8.º Ano 1º Período. Domínios / Subdomínios Objetivos Gerais / Metas Competências Específicas Avaliação. ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DR. VIEIRA DE CARVALHO Planificação HISTÓRIA Ano Lectivo 2016/2017 3 ºCiclo 8 ºAno 8.º Ano 1º Período Domínios / Subdomínios Objetivos Gerais / Metas Competências Específicas

Leia mais

CONFLITOS POLÍTICO-CULTURAIS

CONFLITOS POLÍTICO-CULTURAIS CONFLITOS POLÍTICO-CULTURAIS CULTURA CONCEITO São todas as obras e valores de um povo ou de uma sociedade CIVILIZAÇÃO CONCEITO É um agrupamento de culturas menores, formando, assim, uma ampla cultura.

Leia mais

DIVISÃO DE ASSUNTOS ACADÊMICOS Secretaria Geral de Cursos PROGRAMA DE DISCIPLINA

DIVISÃO DE ASSUNTOS ACADÊMICOS Secretaria Geral de Cursos PROGRAMA DE DISCIPLINA DIVISÃO DE ASSUNTOS ACADÊMICOS Secretaria Geral de Cursos PROGRAMA DE DISCIPLINA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS HUMANAS E FILOSOFIA CÓDIGO: CHF217 DISCIPLINA: INTRODUÇÃO À SOCIOLOGIA I CARGA HORÁRIA: 60H EMENTA:

Leia mais

GRUPO I POPULAÇÃO E POVOAMENTO. Nome N. o Turma Avaliação. 1. Indica, para cada conceito, o número da definição que lhe corresponde.

GRUPO I POPULAÇÃO E POVOAMENTO. Nome N. o Turma Avaliação. 1. Indica, para cada conceito, o número da definição que lhe corresponde. Nome N. o Turma Avaliação GRUPO I 1. Indica, para cada conceito, o número da definição que lhe corresponde. Conceito Definição a. Cultura 1. Discriminação de povos ou pessoas, por certos grupos de indivíduos,

Leia mais

Capitalismo x Socialismo. Introdução para o entendimento do mundo bipolar.

Capitalismo x Socialismo. Introdução para o entendimento do mundo bipolar. Capitalismo x Socialismo Introdução para o entendimento do mundo bipolar. Capitalismo Sistema econômico, político e social no qual os agentes econômicos (empresários, burgueses, capitalistas), proprietários

Leia mais

CRESCIMENTO ECONÔMICO X AQUECIMENTO GLOBAL

CRESCIMENTO ECONÔMICO X AQUECIMENTO GLOBAL 1) CRESCIMENTO ECONÔMICO X AQUECIMENTO GLOBAL Leia com atenção: "A História da economia mundial desde a Revolução Industrial tem sido - de acelerado progresso técnico, de contínuo, mas irregular crescimento

Leia mais

FILOSOFIA CRISTÃ. Jesus Cristo Pantocrator, Uma das mais antigas imagens de Jesus (séc. VI-VII). Monastério Sta. Catarina, Monte Sinai.

FILOSOFIA CRISTÃ. Jesus Cristo Pantocrator, Uma das mais antigas imagens de Jesus (séc. VI-VII). Monastério Sta. Catarina, Monte Sinai. Jesus Cristo Pantocrator, Uma das mais antigas imagens de Jesus (séc. VI-VII). Monastério Sta. Catarina, Monte Sinai. FILOSOFIA CRISTÃ Unidade 01. Capítulo 04: pg. 53-54 Convite a Filosofia Unidade 08.

Leia mais

História das Teorias Econômicas Aula 5: Karl Marx Instituto de Geociências / Unicamp

História das Teorias Econômicas Aula 5: Karl Marx Instituto de Geociências / Unicamp História das Teorias Econômicas Aula 5: Karl Marx Instituto de Geociências / Unicamp 2 Semestre de 2008 1 Apresentação - de origem alemã - 1818 1883 - Economista, sociólogo e filósofo - Recebeu influência

Leia mais

A REGIONALIZAÇÃO DO ESPAÇO MUNDIAL Parte III. Referências ( Livros): BibliEx e PNLD

A REGIONALIZAÇÃO DO ESPAÇO MUNDIAL Parte III. Referências ( Livros): BibliEx e PNLD A REGIONALIZAÇÃO DO ESPAÇO MUNDIAL Parte III Referências ( Livros): BibliEx e PNLD DIFERENTES MODOS DE VER O MUNDO Regionalização do Mundo (outro critério) Critério utilizado Econômico A regionalização

Leia mais

AULA 02 O Conhecimento Científico

AULA 02 O Conhecimento Científico 1 AULA 02 O Conhecimento Científico Ernesto F. L. Amaral 06 de agosto de 2010 Metodologia (DCP 033) Fonte: Aranha, Maria Lúcia de Arruda; Martins, Maria Helena Pires. 2003. Filosofando: introdução à filosofia.

Leia mais

A Geografia Ambiental é o estudo dos efeitos das ações do homem sobre o ambiente terrestre;

A Geografia Ambiental é o estudo dos efeitos das ações do homem sobre o ambiente terrestre; INTRODUÇÃO À GEOGRAFIA AMBIENTAL 1 A Geografia Ambiental A Geografia Ambiental é o estudo dos efeitos das ações do homem sobre o ambiente terrestre; O meio ambiente envolve todas as coisas vivas e nãovivas

Leia mais

SOMOS LIVRES AO DECIDIR

SOMOS LIVRES AO DECIDIR FILOSOFIA 2º ano Partindo do principio de que liberdade é LIBERDADE DE ESCOLHER Afinal, até onde alcança o poder da nossa liberdade? Nossas escolhas estão ligadas aos princípios morais da nossa sociedade;

Leia mais

ENSINO RELIGIOSO 6 ANO ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª ERIKA CARMO PROF. LUÍS CLÁUDIO BATISTA

ENSINO RELIGIOSO 6 ANO ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª ERIKA CARMO PROF. LUÍS CLÁUDIO BATISTA ENSINO RELIGIOSO 6 ANO ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª ERIKA CARMO PROF. LUÍS CLÁUDIO BATISTA CONTEÚDOS E HABILIDADES Unidade III Pluralismo e diversidade religiosa 2 CONTEÚDOS E HABILIDADES Aula 5 Conteúdos

Leia mais

As formas de controle e disciplina do trabalho no Brasil pós-escravidão

As formas de controle e disciplina do trabalho no Brasil pós-escravidão Atividade extra As formas de controle e disciplina do trabalho no Brasil pós-escravidão Questão 1 Golpe do 18 Brumário O Golpe do 18 Brumário foi um golpe de estado ocorrido na França, e que representou

Leia mais

Ano Lectivo 2015 / ºCiclo 8 ºAno. 8.º Ano 1º Período. Domínios / Subdomínios Objetivos Gerais Competências Específicas Avaliação.

Ano Lectivo 2015 / ºCiclo 8 ºAno. 8.º Ano 1º Período. Domínios / Subdomínios Objetivos Gerais Competências Específicas Avaliação. ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DR. VIEIRA DE CARVALHO Planificação HISTÓRIA Ano Lectivo 2015 / 2016 3 ºCiclo 8 ºAno 8.º Ano 1º Período DOMÌNIO / TEMA D O contexto europeu dos séculos XII a XIV (recuperação

Leia mais

CONSOLIDADOR DA SOCIOLOGIA ALEMÃ MAX WEBER ( )

CONSOLIDADOR DA SOCIOLOGIA ALEMÃ MAX WEBER ( ) CONSOLIDADOR DA SOCIOLOGIA ALEMÃ MAX WEBER (1864-1920) Via o capitalismo como expressão da modernização e da racionalização MAS acreditava que essa racionalização levaria a um mundo cada vez mais tecnicista

Leia mais

1B Aula 01. O Iluminismo

1B Aula 01. O Iluminismo 1B Aula 01 O Iluminismo O contexto histórico em que surgiu o Iluminismo O Iluminismo foi acima de tudo uma revolução cultural porque propôs uma nova forma de entender a sociedade e significou uma transformação

Leia mais

Afro-descendentes no Brasil: combate à pobreza e políticas de ação afirmativa como estratégias de superação das desigualdades de gênero e

Afro-descendentes no Brasil: combate à pobreza e políticas de ação afirmativa como estratégias de superação das desigualdades de gênero e Afro-descendentes no Brasil: combate à pobreza e políticas de ação afirmativa como estratégias de superação das desigualdades de gênero e étnico/raciais Debate nacional sobre a implantação das políticas

Leia mais

Definição. é um sistema econômico (e por. vezes político) em que os meios de produção, distribuição, decisões sobre oferta, demanda, preço

Definição. é um sistema econômico (e por. vezes político) em que os meios de produção, distribuição, decisões sobre oferta, demanda, preço Definição O é um sistema econômico (e por vezes político) em que os meios de produção, distribuição, decisões sobre oferta, demanda, preço e investimentos são em grande parte ou totalmente de propriedade

Leia mais

Biografia de Augusto Comte

Biografia de Augusto Comte Biografia de Augusto Comte Augusto Comte nasceu em 19 de janeiro de 1798, em Montpellier, e faleceu em 5 de setembro de 1857, em Paris. Filósofo e auto-proclamado líder religioso, deu à ciência da Sociologia

Leia mais

Preparação para a Ficha de Avaliação B2 O mundo romano no apogeu do Império Origem e difusão do cristianismo

Preparação para a Ficha de Avaliação B2 O mundo romano no apogeu do Império Origem e difusão do cristianismo Preparação para a Ficha de Avaliação B2 O mundo romano no apogeu do Império Origem e difusão do cristianismo QUANDO ACONTECEU? 753 a. C. 509 a. C. 27 a. C. 0 218 d. C. 313 476 381 Nascimento República

Leia mais

Assinale a resposta mais adequada de acordo com os nossos estudos nesta Unidade de Ensino:

Assinale a resposta mais adequada de acordo com os nossos estudos nesta Unidade de Ensino: Questão 1 Se as inovações tecnológicas modificam o ritmo de vida das pessoas, pode-se dizer que alterações no ritmo das jornadas de trabalho também têm relação com as novas tecnologias? Assinale a resposta

Leia mais

O Trabalho e as Formações Sociais nos/na: Povos Primitivos. Idade Antiga. Idade Média. Idade Moderna. Tema da aula de hoje! Idade Contemporânea.

O Trabalho e as Formações Sociais nos/na: Povos Primitivos. Idade Antiga. Idade Média. Idade Moderna. Tema da aula de hoje! Idade Contemporânea. O Trabalho e as Formações Sociais nos/na: Povos Primitivos. Idade Antiga. Idade Média. Idade Moderna. Tema da aula de hoje! Idade Contemporânea. Professor: Danilo Borges A Idade Média não alterou substancialmente

Leia mais

IDH e Globalização. Uma longa viagem começa com um único passo (Lao Tsé).

IDH e Globalização. Uma longa viagem começa com um único passo (Lao Tsé). IDH e Globalização. Uma longa viagem começa com um único passo (Lao Tsé). O termo está vinculado à situação econômica e social das nações ricas ; Para atingir este estado, um país precisa de: 1. Controle

Leia mais

GEOGRAFIA ENSINO MÉDIO PROF. JEFFERSON OLIVEIRA 3 ANO PROF.ª LUDMILA DUTRA

GEOGRAFIA ENSINO MÉDIO PROF. JEFFERSON OLIVEIRA 3 ANO PROF.ª LUDMILA DUTRA GEOGRAFIA 3 ANO PROF.ª LUDMILA DUTRA ENSINO MÉDIO PROF. JEFFERSON OLIVEIRA Avaliação da unidade III Pontuação: 7,5 pontos 2 Questão 01 (2,0) A globalização é entendida, hoje, como o processo de integração

Leia mais

Origem. Talvez as condições naturais da história viessem a. conduzir a uma demolição gradativa do sistema

Origem. Talvez as condições naturais da história viessem a. conduzir a uma demolição gradativa do sistema Origem Os esperavam que depois de superadas as contradições do capitalismo apareceria naturalmente o socialismo, como uma nova fase de um sistema econômico, político e social mais avançado. O mesmo seguiria

Leia mais

Faculdades Cathedral Curso de Direito DIREITO CIVIL - I. Professor Vilmar A Silva

Faculdades Cathedral Curso de Direito DIREITO CIVIL - I. Professor Vilmar A Silva Faculdades Cathedral Curso de Direito DIREITO CIVIL - I Professor Vilmar A Silva NORMA JURÍDICA É a condição garantida pelo poder coercitivo do Estado, tendo como objetivo teórico a garantia da vida em

Leia mais

Conceito de Feudalismo: Sistema político, econômico e social que vigorou na Idade Média.

Conceito de Feudalismo: Sistema político, econômico e social que vigorou na Idade Média. Conceito de Feudalismo: Sistema político, econômico e social que vigorou na Idade Média. 1.Decadência do Império Romano fragmentação do poder político. Ruralização da Sociedade; Enfraquecimento comercial;

Leia mais

1-INTRODUÇÃO. Aula 2 Mito e filosofia:

1-INTRODUÇÃO. Aula 2 Mito e filosofia: Prof. Gilmar Dantas 1-INTRODUÇÃO Aula 2 Mito e filosofia: Nesta aula, vamos ver outras características da filosofia e ver também os mitos. Houve uma passagem dos mitos para a filosofia na Grécia Antiga.

Leia mais

22/08/2014. Tema 7: Ética e Filosofia. O Conceito de Ética. Profa. Ma. Mariciane Mores Nunes

22/08/2014. Tema 7: Ética e Filosofia. O Conceito de Ética. Profa. Ma. Mariciane Mores Nunes Tema 7: Ética e Filosofia Profa. Ma. Mariciane Mores Nunes O Conceito de Ética Ética: do grego ethikos. Significa comportamento. Investiga os sistemas morais. Busca fundamentar a moral. Quer explicitar

Leia mais

O sistema socialista

O sistema socialista O sistema socialista O sistema Socialista Pode ser definida como um modo de produção (sistema de organização política e econômica de uma sociedade) que propõe a construção de uma sociedade sem classes

Leia mais

Imperialismo. Estudo dos Capítulos 9 e 10 da obra Economia Política: uma introdução Crítica para o Curso de Economia Política

Imperialismo. Estudo dos Capítulos 9 e 10 da obra Economia Política: uma introdução Crítica para o Curso de Economia Política uma introdução Crítica para o Curso de Economia Política Rosa Luxemburgo Vladimir Lênin Nikolai Bukharin capitalismo mobilidade e transformação atividade econômica desenvolvimento das forças produtivas

Leia mais

As Revoluções Francesas ( )

As Revoluções Francesas ( ) As Revoluções Francesas (1789 1815) 1. Observe a obra do pintor Delacroix, intitulada A Liberdade guiando o povo (1830), e assinale a alternativa correta. a) Os sujeitos envolvidos na ação política representada

Leia mais

Direitos das Minorias

Direitos das Minorias Direitos das Minorias Federal Ministry for Foreign Affairs of Austria Direitos das Minorias Nos Estados em que existam minorias étnicas, religiosas ou linguísticas, as pessoas pertencentes a essas minorias

Leia mais

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL (Currículo iniciado em 2015)

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL (Currículo iniciado em 2015) EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL (Currículo iniciado em 2015) ANTROPOLOGIA 68 h/a 3210 A relação dialética entre o material e o simbólico na construção das identidades sociais e da

Leia mais

V PROGRAMA INTERAÇÕES IMPROVÁVEIS

V PROGRAMA INTERAÇÕES IMPROVÁVEIS V PROGRAMA INTERAÇÕES IMPROVÁVEIS VEM e VAI: imigração, migração, emigração ANA LUZIA LAPORTE São Paulo - Setembro de 2014 ROTEIRO Conceitos: Migração, emigrante e imigrantecausas da migração 3. Causas

Leia mais

Q.01 Q.02. a) da identidade dos gregos. b) do significado da polis.

Q.01 Q.02. a) da identidade dos gregos. b) do significado da polis. Q.01 Tendo em vista as cidades-estado (polis), comente a seguinte passagem do livro História (Livro VIII, 144), na qual Heródoto verifica a existência da unidade de todos os helenos pelo sangue e pela

Leia mais

PROGRAMA. DIREITO CONSTITUCIONAL I (Introdução à Teoria da Constituição) Professor José Melo Alexandrino. (1.º ano 1.º Semestre Turma B) 2014/2015

PROGRAMA. DIREITO CONSTITUCIONAL I (Introdução à Teoria da Constituição) Professor José Melo Alexandrino. (1.º ano 1.º Semestre Turma B) 2014/2015 PROGRAMA DIREITO CONSTITUCIONAL I (Introdução à Teoria da Constituição) Professor José Melo Alexandrino (1.º ano 1.º Semestre Turma B) 2014/2015 INTRODUÇÃO 1. O objecto e o método do Direito constitucional

Leia mais

O TRABALHO NA DIALÉTICA MARXISTA: UMA PERSPECTIVA ONTOLÓGICA.

O TRABALHO NA DIALÉTICA MARXISTA: UMA PERSPECTIVA ONTOLÓGICA. O TRABALHO NA DIALÉTICA MARXISTA: UMA PERSPECTIVA ONTOLÓGICA. SANTOS, Sayarah Carol Mesquita UFAL sayarahcarol@hotmail.com INTRODUÇÃO Colocamo-nos a fim de compreender o trabalho na dialética marxista,

Leia mais

TESTE DE AVALIAÇÃO HISTÓRIA DA TERRA / TECTÓNICA

TESTE DE AVALIAÇÃO HISTÓRIA DA TERRA / TECTÓNICA TESTE DE AVALIAÇÃO HISTÓRIA DA TERRA / TECTÓNICA Ciências Naturais 7º ano Nome n.º Turma Data: Classificação: Professor(a): Enc. Educação Lê com atenção cada uma das questões que te são propostas e responde

Leia mais

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 1ª PROVA DE RECUPERAÇÃO DE GEOGRAFIA Aluno: Nº Série: 8º Turma: Data: Nota: Professora: Edvaldo Valor da Prova: 50 pontos Assinatura do responsável: Orientações

Leia mais

FRONTEIRAS POLÍTICAS: A CONSTRUÇÃO DE UMA IDENTIDADE POLÍTICA NA AMÉRICA DO SUL

FRONTEIRAS POLÍTICAS: A CONSTRUÇÃO DE UMA IDENTIDADE POLÍTICA NA AMÉRICA DO SUL FRONTEIRAS POLÍTICAS: A CONSTRUÇÃO DE UMA IDENTIDADE POLÍTICA NA AMÉRICA DO SUL Jacqueline Cristina da Silva 1 RESUMO: As mudanças políticas observadas no mundo hoje remetem a questionamentos sobre o acesso

Leia mais

CNSeg Seminário de Controles Internos

CNSeg Seminário de Controles Internos CNSeg Seminário de Controles Internos TEMA: ÉTICA PILAR DO CRESCIMENTO SUSTENTÁVEL São Paulo, 01.09.2011 Apresentação: LÉLIO LAURETTI (lauretti@osite.com.br) 1 ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO I) INTRODUÇÃO: CONCEITOS

Leia mais

O Desenvolvimento do sistema socioeconômico. As fases do capitalismo

O Desenvolvimento do sistema socioeconômico. As fases do capitalismo O Desenvolvimento do sistema socioeconômico capitalista As fases do capitalismo As fases do capitalismo Dois eventos marcaram o fim do socialismo pelo mundo: Queda do Muro de Berlim (1989); Desmembramento

Leia mais

GEOGRAFIA. Prof. Daniel San.

GEOGRAFIA. Prof. Daniel San. GEOGRAFIA Prof. Daniel San daniel.san@lasalle.org.br Os Teóricos TEM NO LIVRO, pág. 180 a 194 As primeiras críticas aos sistema capitalista surgiram pouco tempo depois da revolução industrial, na Europa.

Leia mais

Processo Seletivo/UFU - julho 2006-1ª Prova Comum - PROVA TIPO 1 SOCIOLOGIA QUESTÃO 51

Processo Seletivo/UFU - julho 2006-1ª Prova Comum - PROVA TIPO 1 SOCIOLOGIA QUESTÃO 51 SOCIOLOGIA QUESTÃO 51 Quanto ao contexto do surgimento da Sociologia, marque a alternativa correta. A) A Sociologia nasceu como ciência a partir da consolidação da sociedade burguesa urbana-industrial

Leia mais

CIDADANIA: DIREITOS CIVIS, POLÍTICOS, SOCIAIS, E OUTROS

CIDADANIA: DIREITOS CIVIS, POLÍTICOS, SOCIAIS, E OUTROS CIDADANIA: DIREITOS CIVIS, POLÍTICOS, SOCIAIS, E OUTROS O que é ser cidadão e cidadania? Cidadão é o indivíduo participante de uma comunidade (Estado) e detentor de direitos e deveres. Assim, a cidadania

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Terras de Bouro

Agrupamento de Escolas de Terras de Bouro Perfil de aprendizagem de História 3.º CICLO DO ENSINO BÁSICO Das sociedades recolectoras às primeiras civilizações Das sociedades recolectoras às primeiras sociedades produtoras 1. Conhecer o processo

Leia mais

O conceito de Estado em Immanuel Wallerstein e Hans Morgenthau: alguns apontamentos teóricos

O conceito de Estado em Immanuel Wallerstein e Hans Morgenthau: alguns apontamentos teóricos O conceito de Estado em Immanuel Wallerstein e Hans Morgenthau: alguns apontamentos teóricos Tiago Alexandre Leme Barbosa 1 RESUMO O presente texto busca apresentar alguns apontamentos a respeito do conceito

Leia mais

Conceitos Básicos e História

Conceitos Básicos e História Psicologia na Educação Aula 1 Conceitos Básicos e História Profa. Adriana Straube Nesta aula discutiremos sobre o conceito de psicologia. As origens da psicologia como ciência nascendo na Alemanha. História

Leia mais

Idade Média (século V ao XV)

Idade Média (século V ao XV) Idade Média (século V ao XV) Alta Idade Média (séculos V ao X): formação e consolidação do feudalismo Baixa Idade Média (séculos XI ao XV): apogeu e crise do sistema feudal. 1 Povos Romanos e germanos,

Leia mais

Acesso ao enensino superior no Brasil: uma questão de classe. André Junqueira Caetano PPGCS PUC Minas Agosto 2008

Acesso ao enensino superior no Brasil: uma questão de classe. André Junqueira Caetano PPGCS PUC Minas Agosto 2008 Acesso ao enensino superior no Brasil: uma questão de classe André Junqueira Caetano PPGCS PUC Minas Agosto 2008 Estrutura do parlapatório 1. Porquês 2. Classe social e Souza 2010 3. Classe social, Souza

Leia mais

SOCIOLOGIA ENSINO MÉDIO PROF. JOSINO MALAGUETA 2 ANO PROF. DÁRIO PINHEIRO

SOCIOLOGIA ENSINO MÉDIO PROF. JOSINO MALAGUETA 2 ANO PROF. DÁRIO PINHEIRO SOCIOLOGIA 2 ANO PROF. DÁRIO PINHEIRO ENSINO MÉDIO PROF. JOSINO MALAGUETA Avaliação da unidade III Pontuação: 7,5 pontos 2 Questão 01 (1,0) O programa Bolsa Família consiste em destinar temporariamente

Leia mais

Sociedade e indivíduo. Cultura e socialização: cultura.

Sociedade e indivíduo. Cultura e socialização: cultura. Sociedade e indivíduo Cultura e socialização: cultura. Todo este património de artefactos materiais ou espirituais em que o Homem se movimenta e de que se serve para satisfazer as suas necessidades físicas,

Leia mais

REGULAMENTO DE EXTENSÃO DA FACULDADE ASCES CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E OBJETIVOS

REGULAMENTO DE EXTENSÃO DA FACULDADE ASCES CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E OBJETIVOS REGULAMENTO DE EXTENSÃO DA FACULDADE ASCES CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E OBJETIVOS Art 1º. A Extensão Acadêmica se constitui em uma prática permanente de interação universidade-sociedade, articulada ao ensino

Leia mais

CAPÍTULO: 38 AULAS 7, 8 e 9

CAPÍTULO: 38 AULAS 7, 8 e 9 CAPÍTULO: 38 AULAS 7, 8 e 9 SURGIMENTO Com as revoluções burguesas, duas correntes de pensamento surgiram e apimentaram as relações de classe nos séculos XIX e XX: o Liberalismo e o Socialismo. O LIBERALISMO

Leia mais

Aulas 10 e 11. Índia e China. Adie por um dia e dez dias se passarão (Provérbio coreano).

Aulas 10 e 11. Índia e China. Adie por um dia e dez dias se passarão (Provérbio coreano). Aulas 10 e 11. Índia e China. Adie por um dia e dez dias se passarão (Provérbio coreano). Índia aspectos humanos. Segundo país mais populoso do planeta (formigueiro humano) 1,2 bilhões de habitantes; População:

Leia mais

24 junho a.c Acontecimento

24 junho a.c Acontecimento Salvador da Bahia Leitura: atividades Pula a fogueira, João! 1. O texto nos fornece uma série de informações históricas a respeito de São João, da simbologia das fogueiras e das tradicionais festividades.

Leia mais

Objetivo da aula: Origens da ciência econômica. A Economia Política e sua critica (aula 1 Adam Smith)

Objetivo da aula: Origens da ciência econômica. A Economia Política e sua critica (aula 1 Adam Smith) Ciências Sociais (P.I) A Economia Política e sua critica (aula 1 Adam Smith) Temática: Economia e funcionamento social: fundamentos Adam Smith. Profa. Luci Praun Objetivo da aula: Conhecer as formulações

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2013 Conteúdos Habilidades Avaliação

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2013 Conteúdos Habilidades Avaliação COLÉGIO LA SALLE BRASÍLIA Disciplina: Geografia Trimestre: 1º PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2013 1. Mundo contemporâneo: economia e geopolítica: - Processo de desenvolvimento do capitalismo - Geopolítica

Leia mais

Ano Lectivo 2014/ ºCiclo 7 ºAno. 7.º Ano 1º Período. Domínios / subdomínios Ojetivos Gerais / Metas Competências Específicas Avaliação

Ano Lectivo 2014/ ºCiclo 7 ºAno. 7.º Ano 1º Período. Domínios / subdomínios Ojetivos Gerais / Metas Competências Específicas Avaliação ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DR. VIEIRA DE CARVALHO Planificação HISTÓRIA Ano Lectivo 2014/2015 3 ºCiclo 7 ºAno 7.º Ano 1º Período Domínios / subdomínios Ojetivos Gerais / Metas Competências Específicas

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI Pró-Reitoria de Graduação PROGRAD - Coordenação de Processos Seletivos COPESE www.ufvjm.edu.br - copese@ufvjm.edu.br UNIVERSIDADE

Leia mais

ECONOMIA POLÍTICA MATERIAL PREPARADO PARA A DISCIPLINA DE ECONOMIA POLÍTICA, PROFESSORA CAMILA MANDUCA.

ECONOMIA POLÍTICA MATERIAL PREPARADO PARA A DISCIPLINA DE ECONOMIA POLÍTICA, PROFESSORA CAMILA MANDUCA. ECONOMIA POLÍTICA AULA BASEADA NO CAPÍTULO 2 CATEGORIAS DA CRÍTICA DA ECONOMIA POLÍTICA, DO LIVRO ECONOMIA POLÍTICA- UMA INTRODUÇÃO CRÍTICA, DE JOSÉ PAULO NETTO E MARCELO BRAZ MATERIAL PREPARADO PARA A

Leia mais

A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E O LIBERALISMO ECONÔMICO

A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E O LIBERALISMO ECONÔMICO A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E O LIBERALISMO ECONÔMICO Na segunda metade do século XVIII, a Inglaterra iniciou um processo que teve consequências em todo o mundo. Esse novo sistema de produção modificou as relações

Leia mais

DISCIPLINA: HISTÓRIA ECONÔMICA GERAL (CÓD. ENEX60076) PERÍODO: 1 º PERÍODO

DISCIPLINA: HISTÓRIA ECONÔMICA GERAL (CÓD. ENEX60076) PERÍODO: 1 º PERÍODO PLANO DE CURSO DISCIPLINA: HISTÓRIA ECONÔMICA GERAL (CÓD. ENEX60076) PERÍODO: 1 º PERÍODO TOTAL DE SEMANAS: 20 SEMANAS TOTAL DE ENCONTROS: 40 AULAS Aulas Conteúdos/ Matéria Tipo de aula Textos, filmes

Leia mais

SOCIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 06 CIÊNCIA POLÍTICA: A TEORIA DO ESTADO

SOCIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 06 CIÊNCIA POLÍTICA: A TEORIA DO ESTADO SOCIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 06 CIÊNCIA POLÍTICA: A TEORIA DO ESTADO Como pode cair no enem Leia o texto: Estado de violência Sinto no meu corpo A dor que angustia A lei ao meu redor A lei que eu não queria

Leia mais

3º ANO / PRÉVEST PROF. Abdulah

3º ANO / PRÉVEST PROF. Abdulah 3º ANO / PRÉVEST PROF. Abdulah QUEM FOI DURKHEIM? BIOGRAFIA Francês, nascido em Épinal, em 1858. Inaugurou o estudo da Sociologia. CONTEXTO / INFLUÊNCIAS Revolução Industrial / Neocolonialismo. Influenciado

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE 042 CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS PLANO DE ENSINO CÓD. DISC. DISCIPLINA ETAPA CH SEM CH TOTAL SEM/ANO

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE 042 CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS PLANO DE ENSINO CÓD. DISC. DISCIPLINA ETAPA CH SEM CH TOTAL SEM/ANO CÓDIGO UNIDADE 042 CÓD. CURSO CURSO 42501 COMUNICAÇÃO SOCIAL HAB: JORNALISMO CÓD. DISC. DISCIPLINA ETAPA CH SEM CH TOTAL SEM/ANO 250.3102.3 GEOGRAFIA HUMANA E ECONÔMICA PROFESSOR (A) OBJETIVOS 1ª 02 34

Leia mais