Relatos locais analisam quatro cidades

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Relatos locais analisam quatro cidades"

Transcrição

1 Megacidades Relatos locais analisam quatro cidades

2 Este white paper é um pouco diferente De início, é possível que você se espante ao ler, em uma publicação de negócios, que o mundo lá fora não é perfeito. No entanto, o mundo hoje enfrenta desafios econômicos que achamos que em momentos como esse é preciso falar com franqueza. Muitas empresas voltam agora suas atenções para os mercados de maior crescimento e suas megacidades, mas sabemos que entrar nestes mercados nem sempre é uma tarefa simples. Por isso, este white paper é um tanto provocador. Há aqui trechos cujas leituras não são muito agradáveis, principalmente no caso de empresas que desejam se estabelecer nas cidades que apresentamos. Nossa mensagem para você é: nós conseguimos. Nós conhecemos as dificuldades, e nossos profissionais estão lá, prontos para trabalhar nessas megacidades junto com você. Neste white paper apresentamos um retrato corajoso e realista da vida digital em quatro megacidades. Saímos um pouco dos limites do mundo dos negócios para recorrer à visão de jornalistas conceituados, cujos currículos incluem matérias para publicações como Wall Street Journal, Time, BBC e China Economic Review. Eles nos levam às ruas de São Paulo, Guangzhou, Jacarta e Mumbai, onde ouvimos histórias reais de pessoas empreendedoras, que nos apresentam uma análise dos problemas e das vantagens que vêm encontrando. Estas megacidades são focos de crescimento, de oportunidades e de inovação, beneficiando-se da revolução digital. No entanto, para ter sucesso nessas cidades, é preciso conhecê-las. Do Brasil, Andrew Downie, cita Caio Bonilha, presidente da empresa estatal de telecomunicações, Telebrás: Conheça as regras, conheça o mercado. E nos conta as dificuldades enfrentadas pelos sócios, franceses, para estabelecer uma empresa em São Paulo. Hoje com a empresa a pleno vapor, eles já fazem parte da história de sucesso de São Paulo. Na década de 50 se dizia: São Paulo não pode parar ; hoje, a cidade é uma prova de como o país evoluiu para se tornar a sétima maior economia do mundo, ao ponto de poder emprestar dinheiro ao FMI e investir em infraestrutura aeroportos e estradas em preparação para a Copa do Mundo de 2014 e para as Olimpíadas de Na China, visitamos Guanzhou, cuja história de crescimento assume proporções épicas. A cidade, que tem mais de 12 milhões de habitantes e é a capital da província de Guangdong, está na primeira região da China que enriqueceu com a abertura ao comércio internacional. Atualmente, a cidade se orgulha de oferecer conectividade 3G de alta velocidade até mesmo no metrô, e de ser escolhida para os testes da nova geração de conexão 4G que deverá dobrar a velocidade de download. Na próxima parada, Jacarta. Bem-vindos à capital mundial do Facebook! Você sabia que a Indonésia tem a segunda maior base de usuários do Facebook do mundo (com mais de 40 milhões de usuários, atrás somente dos EUA)? E que os usuários indonésios da rede, têm muitos amigos on-line, uma média de 200 contatos cada um? Os indonésios adoram se reunir, não importa como disse a consultora financeira Ligwina Hananto a Jeremy Wagstaff. Portanto, as empresas deverão fazer uso de sua natureza fundamentalmente sociável ou sairão perdendo nesse mercado. Por fim, vamos à Índia. Se São Paulo nos mostra uma transição econômica, Mumbai nos apresenta as mudanças sociais trazidas pela revolução digital. Abalada por uma série de ataques terroristas, Mumbai reagiu utilizando as redes sociais de formas sucessivamente mais criativas a cada ataque para divulgar informações sobre os acontecimentos e para coordenar as ações de socorro e o trabalho de voluntários. Levamos os textos jornalísticos aos nossos country managers, e eles gostaram das ideias e da oportunidade de um diálogo mais realista e você poderá ver também neste paper os comentários que fizeram. Todos concordamos que essas cidades desempenharão um papel importante no futuro. A Frost & Sullivan, especialista em pesquisas de mercado, prevê que, em 2025, metade da população mundial viverá em megacidades, em mercados com alto potencial de crescimento. Isso trará grandes desafios, mas também, grandes oportunidades. Portanto, megacidades maiores, melhores e, mais fáceis com os serviços da BT sejam bem-vindas ao futuro! 2 Megacidades

3 Índice São Paulo No Brasil, negócios em ritmo acelerado no motor da economia 4 Um país de muitas facetas 8 Guangzhou O discreto charme do paraíso chinês das compras 10 Como escolhemos nossas megacidades A palavra megacidade se aplica a qualquer cidade que tenha uma população de mais de dez milhões de habitantes. Atualmente, há 21 cidades com esse perfil e, pelo menos metade delas em mercados hoje crescendo aceleradamente. Existem discordâncias ao se definirem as maiores cidades do mundo. Uma das razões para isso é o fato de alguns países contarem apenas o número de pessoas que vivem dentro da área específica da cidade, e outros incluírem os habitantes das áreas urbanas e suburbanas ao redor da cidade. A ONU identificou um grupo de cidades como sendo as maiores. No topo da lista aparece Tóquio, com incríveis 36,6 milhões de habitantes. A seguir vêm Deli, Mumbai, São Paulo e Cidade do México todas elas bem atrás de Tóquio, cada uma com uma população de aproximadamente 20 milhões de habitantes. Jacarta Mumbai Sempre um passo à frente das mudanças 15 Como a comunicação móvel contribui para o desenvolvimento da Indonésia 16 Paixão por negócios 21 Mumbai usa a tecnologia para contornar suas dificuldades 22 Menos correria, mais tempo 26 Para este white paper, escolhemos duas das cidades que estão entre as cinco maiores segundo a ONU, Mumbai e São Paulo. Depois, selecionamos Jacarta, que está quase alcançando o status de megacidade atingido se levada em consideração a população da cidade durante o dia, ou seja, acrescida do número de pessoas que viajam para trabalhar lá. Escolhemos também Guangzhou, que, embora não figure nos números da ONU, declarou uma população de mais de 10 milhões de habitantes. Além disso, a cidade faz parte do novo fenômeno de mega-regiões. Em 2010, a agência Habitat da ONU, descreveu como as megacidades têm se fundido com outras cidades, formando o que chamou de mega-regiões. Estas cidades sem fim podem se estender por centenas de quilômetros, abrigando populações enormes. A maior mega-região é a que abrange as cidades de Hong Kong Shenzhen Guangzhou, com uma população de 120 milhões de habitantes. 3

4 São Paulo No Brasil, negócios em ritmo acelerado no motor da economia Por Andrew Downie São Paulo, Brasil 4 Megacidades

5 Andrew Downie vive no Brasil desde 1999, e tem escrito sobre o país como correspondente para publicações como a revista Time, o New York Times e o Christian Science Monitor. Atua também como consultor para o Fórum Econômico Mundial e para organizações empresariais. Os fundadores do site zarpo.com, uma startup, no Brasil, que oferece preços reduzidos em hotéis para viajantes, surpreenderam-se um dia, ao não conseguirem sinal de telefone celular em seu escritório no centro de São Paulo. Os três sócios e sua equipe de cinco pessoas estavam usando os serviços de telefonia móvel de uma operadora brasileira. De repente, os celulares deixaram de funcionar. Do lado de fora do escritório, no corredor, eles funcionavam. Mas dentro do escritório de cinco salas, não havia sinal em nenhum ponto. Nosso escritório parecia um buraco negro, diz Numa Sales de Paiva, um dos três sócios diretores da empresa. Parecia que alguém havia, de repente, mudado a posição da antena. Eles passaram horas ao telefone com a operadora tentando entender o que estava acontecendo e encontrar uma solução para os celulares funcionarem. Como milhões de pessoas ligam para essas operadoras, descobriram que essa tarefa toma tempo, é frustrante e inútil. Dias depois, as negociações não davam resultados, e eles decidiram mudar para a operadora concorrente. Esta é uma história comum que demonstra como até as coisas mais básicas podem paralisar uma empresa no Brasil um país onde se desenvolveu toda uma cultura para evitar a burocracia e onde o consumidor paga os impostos mais altos do mundo em desenvolvimento. É também um lugar em que uma questão tão simples quanto pedir que uma companhia telefônica cumpra a parte mais básica do contrato a de fornecer um serviço que funcione pode tornar sua vida bem difícil. Fazer negócio no Brasil é uma guerra, diz Alexis Manach, um dos dois franceses que conceberam e dirigem o zarpo: tudo leva dez vezes mais tempo do que deveria. É tudo uma bagunça. Apesar do veredito de Manach, o Brasil é atualmente um destino obrigatório não só para startups como o zarpo que resultou de uma recomendação de Sales de Paiva, então Numa Sales de Paiva (acima) e Alexis Manach, do zarpo trabalhando no Boston Consulting Group mas para quase qualquer empresa com visão de futuro, seja ela pequena ou grande. Dizer que o Brasil era o país do futuro e sempre seria foi piada durante décadas. Mas quem riu por último foram os brasileiros. O Brasil é a sétima maior economia do mundo, a valorização do real frente ao dólar é a maior desde 1999, suas reservas chegaram a níveis mais altos do que nunca, e o país que, há nove anos pedia dinheiro ao FMI, agora é suficientemente rico para emprestar dinheiro à instituição em dificuldades. Suas commodities servem de combustível para a Ásia, e o Brasil, uma das únicas nações ocidentais que não foram atingidas pela crise econômica, acaba de fazer uma das maiores descobertas de petróleo dos últimos anos. Além de tudo isso, para comemorar sua entrada no cenário mundial, será a sede da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de O empresário Leo Kuba, à frente de uma startup B2B chamada Inkuba, está surfando nessa onda. Há muito mais espaço para crescimento por conta da Copa do Mundo e das Olimpíadas. Há mais verbas. Marcas locais e globais investirão mais em função desses eventos, observa ele. O fato de que o Brasil está em alta foi decisivo para o zarpo criar seu site. Aproximadamente 48,7 milhões de brasileiros passaram a fazer parte das classes média e alta desde 2003, de acordo com estimativas do governo e, com mais acesso ao O Brasil é atualmente um destino obrigatório não só para startups, mas para qualquer empresa com visão de futuro, seja ela pequena ou grande. crédito do que nunca, eles têm dinheiro para gastar. O zarpo quer vender a eles reservas, a preços reduzidos, em hotéis de luxo não só no Brasil, mas também na Europa, na América do Norte, e até na Polinésia Francesa. Quando você analisa a Europa, a curva de crescimento está estagnada, mas a do Brasil está em franca ascensão, diz Manach. O Brasil é um dos lugares certos para se estar hoje. O zarpo conquista clientes rapidamente, mas também enfrenta problemas, alguns dos quais particularmente graves na visão de um estrangeiro. Não só é muito mais fácil conseguir alguma coisa com contatos pessoais, o que é complicado se você não conhece ninguém, como também há obstáculos tão notórios que são conhecidos como custo Brasil. 5

6 São Paulo Não só é muito mais fácil conseguir alguma coisa com contatos pessoais, como também há obstáculos tão notórios que são conhecidos como custo Brasil. As três grandes dificuldades no Brasil são a burocracia, a carga tributária excessiva e uma legislação que atrapalha o empreendedor, diz Leo Kuba. O Brasil está na capa da Time e da The Economist, mas a diferença de se iniciar uma empresa aqui e nos EUA é enorme. O Brasil se prepara para a Copa do Mundo de Talvez o maior desafio para o Brasil seja construir a infraestrutura necessária à rápida elevação do padrão de vida e a eventos como a Copa do Mundo e as Olimpíadas. O dinheiro existe, mas o planejamento é ruim e a construção é lenta. E a corrupção leva a perdas financeiras e morais. A grande abertura da Copa do Mundo, por exemplo, deveria ocorrer no estádio do Morumbi, com capacidade para pessoas. Mas o Morumbi foi descartado em função de alguns conflitos de personalidade, e agora os organizadores esperam realizar a abertura no campo do maior clube de São Paulo, o Corinthians. O problema é que o Corinthians não tem estádio. O clube fez um projeto no ano passado, depois de haverem rejeitado o Morumbi, e a construção começou em maio de O estádio está tão atrasado que não ficará pronto a tempo do torneio de aquecimento, a Copa das Confederações de 2013, e é tão pequeno que terão de ser colocados assentos extra, temporários, para comportar o público da Copa. A falta de planejamento também é evidente no que diz respeito a aeroportos, hotéis, transportes públicos e, é claro, telecomunicações. Segundo a Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base, o Brasil investiu 76,7 bilhões de dólares em infraestrutura de telecomunicações entre 2003 e 2010, e deve investir mais 55,9 bilhões até Este ano, espera-se que as empresas injetem 11,3 bilhões em suas redes de banda larga, o maior investimento anual desde Mas isso ainda está aquém do necessário para suprir a crescente demanda, de acordo com João Moura, presidente da Telcomp Associação Brasileira das Prestadoras de Serviços de Telecomunicações Competitivas. Na Europa e nos Estados Unidos, as empresas em geral investem aproximadamente 15% da receita na atualização e expansão de suas redes, diz Moura. No Brasil, investe-se apenas 10%. Tem havido um grande atraso na expansão das redes nos últimos anos, afirma ele. As pessoas que querem banda larga, estão comprando smartphones. No entanto, embora a demanda seja grande o investimento tem sido pequeno. Como se isso não bastasse, as linhas existentes são de baixa qualidade e de custo alto. O zarpo tem uma linha operada pela firma espanhola Telefónica a mais importante operadora no centro de São Paulo mas optou por basear seus servidores nos EUA, por ser mais fácil do que de lidar com a burocracia brasileira. O empresário Leo Kuba conhece muito bem esse tipo de problema: a infraestrutura não cresce ao ritmo do mercado. Temos problemas de custo, de desempenho e principalmente de confiabilidade. 6 Megacidades

7 São Paulo Renda média por habitante 39 Nova York = 100 Custo de vida 110 Nova York = 100 Índice de habitabilidade 96 Ideal = 100 Aluguel de escritório por m 2 USD $725 E embora o governo tenha prometido melhorar a banda larga, muitos brasileiros devem desconfiar dessas promessas. O governo prometeu um trem bala conectando São Paulo e Rio de Janeiro pronto para a Copa do Mundo, e o projeto ainda não saiu do papel. A Infraero, empresa brasileira que opera os aeroportos no país, prometeu acesso Wi-Fi gratuito nos principais aeroportos, mas mudaram de ideia e deixaram os passageiros desconectados. E, o fato mais gritante de todos, o Rio ganhou o direito de sediar os Jogos Pan-americanos de 2007 prometendo construir um sistema de anel viário, uma nova via expressa estadual e uma nova linha de metrô de 54 km, e nada disso foi feito. Os empresários à frente do zarpo estão perfeitamente cientes destas limitações. E estão ainda mais cientes de que, em 2011, o Brasil parece ser o lugar certo, na hora certa. No momento, estão alegremente travando suas batalhas diárias, na esperança de vencer a concorrência. Extensão da rede de transporte coletivo n/d Em termos da área da cidade, km/km2 Rede de transporte público de melhor qualidade n/d km/km2 Telefones fixos por 100 habitantes 21,6 Assinantes de celulares (país) Pós e pré-pagos Assinantes 3G (país) Velocidade 3G Alta Assinantes de banda larga fixa (país) Usuários de serviços bancários on-line (país) Usuários de Facebook Usuários de Tweeter Economist Intelligence Unit Ltd. Todos os direitos reservados. Embora tenham sido feitos todos os esforços para a verificação dessas informações, nem The Economist Intelligence Unit Ltd nem suas afiliadas podem aceitar responsabilidades ou arcar com prejuízos decorrentes do uso dessa informação por qualquer pessoa. 7

8 São Paulo Como conectar 190 milhões de pessoas? Um grande número de brasileiros têm acesso à banda larga apenas no trabalho ou em LAN houses, primitivos cybercafés com acesso de alta velocidade, que são importantes centros sociais em regiões mais pobres do país. Pesquisas recentes do Centro de Inclusão Digital apontam que 45% de todo o acesso à Internet é feito a partir de LAN houses, e esta cifra aumenta para 75% entre os menos favorecidos. O governo tem um plano para fornecer acesso em banda larga a 72% das comunidades brasileiras até No entanto, esses números são ambiciosos, e até mesmo o governo, através do IPEA, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, reconheceu que o serviço atualmente oferecido é de baixa qualidade, especialmente fora das grandes cidades. As discussões anteriores ao lançamento do Plano Nacional de Banda Larga (PNBL) revelaram um cenário em que, no Brasil, o uso da banda larga é inferior não somente ao das economias desenvolvidas, mas também a dos vizinhos da América Latina, observa um relatório do IPEA, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. O diagnóstico demonstrou que o acesso à banda larga no Brasil é caro, que as velocidades estão muito abaixo das oferecidas em países desenvolvidos e que a concentração de serviços nos maiores centros urbanos reflete a desigualdade da distribuição de riquezas e infraestrutura no país. Algo semelhante ocorre com a telefonia celular. Poucas empresas controlam o mercado e oferecem serviços de qualidade inferior a preços abusivos. Mesmo o uso moderado do celular custa até oito vezes mais que nos países vizinhos, e o equivalente a três vezes a média do preço nos países membros da OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico), de acordo com um estudo feito em 2009 pelo Diálogo Regional sobre la Sociedad de la Información. O custo do roaming é, nas palavras do Ministro de Comunicações Paulo Bernardo, ridiculamente alto. Por essa razão, muitos brasileiros mais pobres compram os telefones (ou chips) mais baratos de cada provedora e os usam para ligar para outras pessoas na mesma rede. Isto explica por que há mais de 220 milhões de linhas de telefone celular em operação em um país de 192 milhões de habitantes. Até agora, apenas 23 milhões destas linhas são 3G, mas espera-se que esse número cresça exponencialmente nos próximos anos. A Telefônica, a maior operadora de telefonia móvel no Brasil (através da Vivo) diz esperar que a banda larga represente 25% de suas receitas em 2013, contra 15% em Recentemente, o governo prometeu abrir licitação para o serviço 4G em abril de 2012 e afirma que a tecnologia, capaz de oferecer conexões de Internet móvel até 180 vezes mais rápidas que o atual sistema 3G, estará em funcionamento pelo menos um ano antes da Copa do Mundo. Prometeu, ainda, investir 113,3 milhões de dólares para garantir que as 12 cidades sede tenham conexões de Internet de até 100 Mbps. Um país de muitas facetas Por Sergio Paulo Gallindo Diretor Geral, BT Brasil Quero lhes falar sobre como estamos fazendo diferença no Brasil. Como temos utilizado a computação em nuvem (cloud computing) para superar as dificuldades de infraestrutura que afetam as maiores empresas no Brasil. Como os satélites e as redes de fibra ótica têm ajudado o correio do Brasil a prestar serviços às camadas mais pobres da população. Antes, porém, quero contextualizar nosso trabalho. Reconheço um pouco do meu país na matéria de Andrew Downie, mas a história não termina por aí. Em primeiro lugar, o Brasil é um país de contrastes e de heterogeneidade. Diversidade por toda parte São Paulo é a nossa maior cidade. É também o centro da maior região metropolitana, formada por 39 cidades que, juntas, têm 20 milhões de habitantes. Assim como o Rio de Janeiro, outra importante cidade no Brasil, São Paulo possui bairros ricos e regiões muito carentes, chamadas favelas, nas quais as pessoas vivem em extrema pobreza. Todos nós compartilhamos a mesma infraestrutura urbana. A vida cultural é vibrante e alguns serviços são muito bons, mas o transporte público, por exemplo, é deficiente em relação à demanda. 8 Megacidades

9 A diversidade também se aplica a algumas áreas da economia. Grandes empresas, como as do setor financeiro, operam em excelente nível. Pequenas e médias empresas já costumam ter mais dificuldades. O sistema bancário no Brasil, por exemplo, é bastante avançado, e opera em pé de igualdade com os de países de primeiro mundo. A maioria das transações são feitas eletronicamente. As regulamentações são aceitas e cumpridas. As maiores instituições financeiras não foram muito afetadas pela crise de 2008 e o setor mantém um alto nível de solvência. Por outro lado, para pequenas e médias empresas, a burocracia e a tributação são questões desafiadoras. Em muitos países, em uma semana se consegue abrir uma empresa, com toda a documentação necessária. No Brasil, isso pode levar dois meses. Iniciativas federais recentes reduziram a carga burocrática, mas ainda há muito que melhorar. Um país com infraestruturas diferentes A heterogeneidade também está presente em nossas infraestruturas. A maior parte da população se concentra no sudeste brasileiro, onde estão as melhores estradas. Na Amazônia, na região norte, as pessoas vivem à beira dos rios, e não no interior, onde se encontra a floresta. As poucas estradas lá são muito piores, e isso dificulta e encarece o transporte de cargas. Algumas comunidades daquela região só têm acesso a serviços bancários em um barco, uma vez a cada 21 dias. A situação das telecomunicações é semelhante. Se uma empresa precisa de um serviço de banda larga em São Paulo, nós podemos oferecer uma conexão Internet de 100 Mbps através de uma rede de fibra ótica. No interior, isso não é viável nem com fibra ótica nem com outro tipo de rede cabeada. Mesmo no estado de São Paulo, o estado mais rico do país, responsável por 33% do PIB brasileiro, há aproximadamente 200 escolas que não estão conectadas a nenhum tipo de rede. E como no Brasil nesse momento se constrói muito, é possível haver cabos cortados por caminhões ou máquinas na construção de uma estrada, por exemplo. Convivendo com um ambiente complexo A heterogeneidade está incorporada à atividade empresarial no Brasil. E é aproveitando esta característica que podemos agregar valor às empresas que venham se estabelecer aqui. Em 2001, uma das primeiras coisas que fizemos quando começamos a trabalhar com clientes internacionais, foi gerenciar para eles os serviços prestados pelas operadoras de telecomunicações. Desde a quebra do monopólio estatal brasileiro de telecomunicações e sua privatização, na década de 1990, empresas privadas oferecem diferentes serviços. E graças a uma regulamentação aberta, favorecendo a competitividade, nossos clientes puderam delegar o gerenciamento de suas comunicações à BT, responsável por entregar o alto nível de desempenho necessário a suas operações. Hoje, dez anos depois, nós crescemos e prestamos serviços como MPLS e Internet pública a partir de uma infraestrutura própria. Projetamos e fornecemos soluções de comunicação unificada para os nossos clientes globais. Atualmente, há ramais de telefonia IP fornecidos como serviços gerenciados. Há dois anos lançamos o serviço de telefonia fixa no Brasil, e também prestamos serviços de datacenter. Temos no país um dos três centros globais de serviço da BT, com certificação ISO 9000, prestando serviços gerenciados para contas multinacionais. Nossa equipe é altamente qualificada em ITIL e nas tecnologias de ponta de nossos principais fornecedores, e o centro conta, ainda, com as certificações ISO 9001 e ISO Engarrafamentos em São Paulo tornam os serviços em nuvem ainda mais importantes para os clientes corporativos Fornecemos a rede de TI para as casas lotéricas do Brasil, conectando sites, e assinamos um contrato com os Correios para conectar sites. Assumindo responsabilidades Atualmente podemos hospedar toda a infraestrutura de TI de nossos clientes e, no ano passado, lançamos a oferta de computação em nuvem (cloud computing). Um dos primeiros clientes desse serviço é um grande conglomerado de empresas do Brasil, que começou atuando em logística e hoje tem negócios que incluem postos de gasolina, restaurantes e construção civil. Seu CIO nos falou da economia que o grupo fez ao transferir os sistemas de seu datacenter para o nosso serviço baseado em cloud computing. Esse serviço é flexível os clientes contam com a capacidade de computação exata para suas necessidades. Em vez de comprar mais computadores, por exemplo, eles podem comprar mais caminhões. O nosso datacenter é suficientemente resiliente para manter altos níveis de serviço nós temos geradores de energia, gerenciamento 24 horas e back-up. Além disso, nossa rede é global e, por isso, alcançamos 150 países. Nós nos orgulhamos também do nossos negócios com empresas e instituições brasileiras. No ano passado, fechamos um contrato com um banco estatal, a Caixa Econômica Federal, possibilitando que comunidades carentes em localidades tenham acesso a serviços bancários através das nossas redes satelitais. Fornecemos a rede de TI para as casas lotéricas do Brasil, conectando sites com uma combinação de tecnologias que inclui linhas fixas, 3G e satélite para a acesso transparente a uma rede MPLS. Este ano, assinamos um contrato com os Correios para levar nossos serviços a sites em todo o país. Para mim, tudo isso mostra a heterogeneidade brasileira, com companhias multinacionais e empresas nacionais atuando lado a lado. Nosso papel, no Brasil, é fornecer serviços uniformes e eficientes, alinhados à visão e às capacidades globais da BT, com o apoio de uma equipe experiente e altamente qualificada. Assim, atingimos o objetivo de fazer negócios de maneira descomplicada. 9

10 Guangzhou O discreto charme do paraíso chinês das compras Por Pete Sweeney Guangzhou, China 10 Megacidades

11 Pete Sweeney é o editor do China Economic Review, que traz notícias e análises dos negócios na China. Ele escreve sobre tecnologia, mídia e telecomunicações na China e foi bolsista da Fulbright, realizando pesquisa na área de políticas empresariais na China. Ele mora em Xangai e viajou km até Guangzhou para fazer esta matéria. Numa sexta-feira de agosto à noite, Guangzhou estava quente, úmida e... silenciosa. O motorista do táxi que peguei no aeroporto ia me mostrando várias construções e, de vez em quando, citava preços estratosféricos por metro quadrado. Este aqui custa dólares, aquele ali custa No centro da cidade é pior, dizia. Você pode economizar durante toda sua vida e mesmo assim nunca terá dinheiro para comprar uma casa. Para um visitante de Xangai ou de Pequim isso não é novidade. O que é diferente, bem diferente, é o silêncio. Uma cidade de mais de 12 milhões de habitantes, a capital da província de Guangdong, no sul da China, é o centro administrativo da província e na prática o terminal de controle de tráfego do imenso centro de exportação do país, o Delta do Rio das Pérolas, (também conhecido pelos estrangeiros como PRD Pearl River Delta), alvo de aproximadamente um quarto do investimento estrangeiro direto na China em Quando alguém desce do táxi, tenta, em vão, ouvir o som de uma buzina. Há bastante tráfego e há bastante gente, mas todos se movem sem fazer barulho. Guangzhou tem fama de ser um lugar onde se corre perigo de ter a bolsa roubada por um motociclista, e de ser um lugar onde se serve um excelente dim sum e onde se encontram moças ideais para casar. Mas, se nada mudou, isso não se ostenta ou se apregoa. Quando se entra no Hooley s, bar de Guangzhou frequentado por estrangeiros residentes, o volume aumenta. Uma banda, formada por estrangeiros e cantoneses, tocava blues e alto. Percebia-se a diversidade da plateia em dois níveis: estrangeiros e chineses; chineses de várias partes do país. Em uma das mesas, um jovem casal acompanhava a música, sorrindo e tomando cerveja. O rapaz era de Hunan, a moça, de Henan; eles se conheceram em Guangzhou e lá se apaixonaram. Eu gosto daqui, ela me disse, enquanto a banda começava a cantar uma balada em cantonês. Os cantoneses acompanhavam a música, cantando junto, mas os outros chineses a maioria não fala cantonês se concentravam em suas cervejas. A capital do varejo Embora a vida social seja lenta, Guangzhou tem gente bastante animada. Anthony Tartaglia, fundador de uma empresa de marketing de mídia digital em Xangai que se mudou para Guangzhou para trabalhar na UT Starcom atendendo a conta da Procter & Gamble, enumera as vantagens: eles investiram muito dinheiro na limpeza de várias áreas da cidade para os Jogos Asiáticos. Com este investimento, a gente tem toda uma série de lojas na área urbana, lojas de qualidade. Os preços dos imóveis são absurdos, mas as pessoas continuam vindo para cá. Ele observa que a província de Guangdong foi uma das primeiras a se abrir para o comércio exterior através da Zona Econômica Especial de Shenzhen, próxima a Hong Kong e uma das primeiras a se acostumar a ganhar e a gastar dinheiro. Ainda que os bares sejam silenciosos à noite, durante o dia ouve-se o zumbido de centros comerciais como o mega shopping de Tianhe, e bairros históricos, antigos e muito verdes, como Liuyun Erjie, têm agora seus apartamentos térreos tomados por pequenas empresas: lojas de DVD, camisetas importadas e restaurantes. Como em outras cidades da China, a explosão do varejo chegou a antigos abrigos antibombas e linhas de metrô: hoje, lojas como 7-Eleven e comércio de lingerie ocupam as escadas de acesso às catracas. A maior parte das vendas é de artigos baratos, sem marca ou de marcas desconhecidas. As marcas de luxo são admiradas nas vitrines, mas raramente compradas. Não porque não A província de Guangdong foi uma das primeiras a se abrir para o comércio exterior. E também uma das primeiras a se acostumar a ganhar muito dinheiro e, consequentemente, a gastar. haja dinheiro para comprar Prada, mas por conta da proximidade com Hong Kong. Hong Kong fica a apenas a duas horas de trem de Guangzhou e, por isso, muita gente rica prefere ir até lá para comprar artigos de luxo, fugindo, assim, dos impostos estratosféricos da China continental. Quando o trem de alta velocidade ficar pronto, o tempo de viagem será reduzido a aproximadamente meia hora, tornando viável até mesmo trabalhar em Hong Kong. Os ricos vão comprar artigos de luxo em Hong Kong para evitar os impostos da China continental 11

12 Guangzhou Graças aos investimentos da Guangdong Mobile em infraestrutura de telefonia celular, a província é famosa pela qualidade das conexões móveis. enquanto na China as pessoas preferem fazer suas transações e pagamentos pelo celular, especialmente porque os sistemas móveis de pagamento são, de certa forma, mais seguros que os cartões de banco os usuários não podem ter sua conta bancária esvaziada através de um celular pré-pago. A densidade dos caracteres chineses também ajuda, porque a legibilidade é maior em uma tela pequena. O resultado disto é um paraíso de compras tanto on-line como off-line. Mas as vendas em Guangdong aumentam: de acordo com dados do governo, as vendas no varejo de bens de consumo na província subiram 17% em Em junho de 2011, as vendas de varejo em Guangzhou chegaram a 37 bilhões de dólares, 16% a mais que no ano anterior, mas muito menos que o recorde de 70,1 bilhões atingido em dezembro de 2010 (as vendas aqui são muito sazonais). Sim, a vida é muito boa para os varejistas em Guangzhou, mas eles começam a enfrentar a concorrência de lojas on-line em plataformas como Taobao, uma resposta onipresente dominante no mercado do grupo Alibaba ao ebay. O e-commerce em Guangdong está em franco crescimento e isso se deve, em grande parte, ao fato de a cidade ter o status de capital chinesa da telefonia celular. Tartaglia ressalta que, graças aos investimentos da Guangdong Mobile em infraestrutura de telefonia celular, a província é famosa pela qualidade das conexões móveis: as redes da Guangdong Mobile sempre foram mais rápidas e mais estáveis; é maior a busca pelo serviço e a população aqui usa muito a telefonia celular. A Guangdong Mobile acertou em cheio com os pacotes de serviço e preços que oferece... Fizeram tudo muito bem feito. Os serviços da Guangdong Mobile incluem conectividade 3G de alta velocidade disponível ao longo do metrô de Guangzhou e a cidade está preparada para ser uma das primeiras plataformas de testes do novo protocolo 4G da China Mobile, o LTE, que deverá dobrar a velocidade de downloads: a mídia estatal tem vazado rumores de que os testes começam ainda este ano. Na China, e-commerce e telefonia celular estão intimamente ligados. No Ocidente, o e-commerce se faz, geralmente, pelo computador, A história de Zhang Qinqing é, de certo modo, exemplar no que toca à evolução do comércio em Guangzhou. Em primeiro lugar, Zhang Qinqing não é de Guangzhou. Ela veio do gelado nordeste chinês mas não imigrou para Guangzhou só por causa do clima. Em segundo lugar, como tantos outros em Guangzhou, Zhang começou exportando calçados em OEM (Original Equipment Manufacturer). O negócio progrediu, e ela passou as operações para o seu irmão. Seu maior mercado estava na Itália, e em uma viagem à Lombardia, ela descobriu o vinho italiano. No início era um hobby, diz ela. Mas os italianos me disseram que compravam tanto dos chineses que nós deveríamos comprar algo deles, também. É bom para a balança comercial! Zhang Qingqing não dirige uma empresa hightech. Como a maioria dos chineses de certo nível social, ela tem um iphone e um ipad. E como a maioria dos chineses de seu nível, ela os usa mais para jogos. Sua empresa de calçados funciona com telefonemas e faxes para representantes. 12 Megacidades

13 O e-commerce, para exportadores, ainda é um nicho relativamente pequeno. Embora haja fornecedores de Guangzhou listados no portal de exportação Alibaba.com (dados de outubro de 2011), a plataforma ainda é tecnologicamente simples, e é mais uma agenda telefônica on-line do que propriamente um sistema de compra e venda. O RFID (Radio Frequency Identification) ainda é pouco utilizado, e o sistema interno de frete, o desacreditado kuaidi é um caos fragmentado, que vem sendo consolidado por regulamentações. As operadoras de kuaidi são empresas pequenas com fama de entregar mercadorias com atraso, em endereços errados e até danificadas; recentemente, descobriu-se que algumas empresas, que usavam caminhões frigoríficos para transporte de produtos, desligavam a refrigeração ao saírem da cidade para economizar gasolina. A tecnologia por si só não pode superar problemas estruturais, e isto prejudica o desenvolvimento do e-commerce: um varejista on-line será tão confiável quanto sua empresa de entrega. Até hoje isso não tem prejudicado muito os empresários chineses. E em se tratando de comércio, nem todos os produtos precisam de soluções high-tech. Eu não preciso de uma página na Internet não se pode provar vinho on-line, argumenta Zhang. E esse é um desafio que enfrentam os distribuidores de vinhos italianos, pouco conhecidos aqui. Zhang adotou uma outra estratégia de marketing. Se ela fizer muita publicidade, acaba recebendo gente que vem, prova os vinhos e vai embora, deixando garrafas abertas de vinhos caros que certamente vão estragar. Em vez disso, ela usa o boca a boca; ela recebe amigos de amigos para degustação em uma das enormes mesas de jantar de sua loja, e, se tudo correr bem, vende caixas fechadas de vinho. De vez em quando, ela também fornece vinho para banquetes do governo. Para algumas pessoas, o sucesso dela é uma situação anômala. O estereótipo do consumidor chinês de vinho pagaria dólares por um vinho francês para depois misturá-lo com Coca- Cola. Zhang descobriu um tipo de consumidor: chineses tão ricos que podem se dar ao luxo de realmente desenvolver um gosto e não apenas pelo status que isso proporcione e de pagar um imposto absurdo para não ter de ir a Hong Kong. Isso é fazer compras ao estilo de Guangzhou. Guangzhou Renda média por habitante n/d Nova York = 100 Custo de vida 82 Nova York = 100 Índice de habitabilidade 70 Ideal = 100 Aluguel de escritório por m 2 USD $319 Extensão da rede de transporte coletivo 2,24 Em termos da área da cidade, km/km2 Rede de transporte público de melhor qualidade 0,07 km/km2 Telefones fixos por 100 habitantes 21,9 Assinantes de celulares (país) Pós e pré-pagos Assinantes 3G (país) Velocidade 3G Alta Assinantes de banda larga fixa (país) Usuários de serviços bancários on-line (país) Usuários de Facebook Usuários de Tweeter n/d 2011 Economist Intelligence Unit Ltd. Todos os direitos reservados. Embora tenham sido feitos todos os esforços para a verificação dessas informações, nem The Economist Intelligence Unit Ltd nem suas afiliadas podem aceitar responsabilidades ou arcar com prejuízos decorrentes do uso dessa informação por qualquer pessoa. 13

14 Guangzhou O boom econômico já chega ao fim em Guangzhou? Guangzhou tem a vantagem de ser o centro administrativo do Delta do Rio das Pérolas, mas seu papel nas exportações é limitado. Guangzhou é um centro automotivo, e em termos de cadeia de suprimento, a cidade está preparada para atender a esse setor. No entanto, em termos de exportação, Shenzhen e Hong Kong ainda são os principais centros do sul da China, e a situação não deve mudar até onde podemos prever o futuro, diz Turloch Mooney, consultor de logística e diretor executivo da Supply Chain Asia. Contudo, ressalta ele, Guangzhou é importante no atendimento do mercado interno. O porto de Guangzhou, mesmo pequeno, presta bons serviços, e a cidade é também uma hub de transporte aéreo. Mas seu papel principal tem sido o de funcionar como centro de distribuição para a demanda interna o que não é ruim, principalmente levando-se em conta as novas políticas de estímulo ao consumo doméstico e o fantástico ritmo de urbanização da China, que constitui o maior movimento organizado de migração do campo para a cidade em toda a história da humanidade. Apesar de tudo isso, é possível que Guangzhou passe por um período de adaptação que não será indolor. A economia do PRD (Pearl River Delta) vem sendo pressionada em várias frentes. Uma delas é o bônus demográfico chinês, ou seja, o excesso de trabalhadores pobres dispostos a trabalhar na montagem de produtos para a exportação em troca de salários ínfimos acabou. A população com idade de 15 a 19 anos, que é a maior parte da mão de obra barata, esteve em seu ponto mais alto em Some-se a isso inflação e políticas governamentais, e o resultado é a um considerável aumento dos salários na China, com projeções indicando elevação de 20 a 30% nos próximos dois anos. Esses custos têm castigado as pequenas e médias indústrias responsáveis pela maior parte das exportações do PRD e, por extensão, pela maior parte de sua economia. Há também questões externas: dada sua dependência da exportação, a persistente fragilidade das economias ocidentais atinge duramente a província de Guangdong, e em particular a cidade de Guangzhou. Entretanto, mesmo com menor crescimento das exportações, Pequim adotou medidas para dificultar o empréstimo bancário criando bolhas nos preços dos ativos e uma inflação que tem estado acima de 5% ao mês tornando impossível, na prática, que as fábricas obtenham o crédito de que necessitam para sobreviver a uma possível queda mais acentuada nas exportações. Por fim, a maioria destas empresas não tem conseguido construir marcas bem sucedidas que possam competir nacional e internacionalmente. As empresas chinesas ainda competem unicamente em preço e isso é o inverso da força de marca. Dessa forma, a indústria, que é a base da economia de Guangzhou, está prestes a sofrer um baque. As companhias que utilizam cadeias de suprimento menos sofisticadas empresas de vestuário, por exemplo, como Adidas e Puma estão todas buscando outras opções além da China. A China ainda é, de longe, o destino de sourcing mais procurado por estas empresas, mas Vietnã, Bangladesh e Camboja estão se tornando mais rentáveis para elas, afirma Mooney. Segundo ele, o recente acordo de livre comércio entre a China e a ASEAN (Association of Southeast Asian Nations) facilitou ainda mais a mudança de fábricas para locais mais baratos. As necessárias mudanças econômicas estão impulsionando o consumo nacional, em oposição ao crescimento fomentado por investimentos, e também indicam que o setor de serviços deverá tomar o lugar do setor industrial em importância no PRD, alterando o modelo atual. É claro que ainda não se pode falar de crise. A China tem 3,2 trilhões de dólares em reservas e as empresas e consumidores de Guangdong ainda são, em sua maioria, abastados. Elevadas taxas de poupança deverão facilitar a transição econômica, e o coração do Delta continuará tranquilo em seu caminho rumo ao shopping. 14 Megacidades

15 Novos negócios demandam infraestrutura de TI para conexão a seus sistemas. Sempre um passo à frente das mudanças Por Sun Jun Diretor de Estruturação de Negócios, BT China Guangzhou é, com orgulho, um dos pilares do recente crescimento econômico da China. Há 30 anos, quando a China começou a abrir ao mundo seus mercados, Guangzhou era formada por um conjunto de 21 cidades, com uma população de cerca de quatro milhões de habitantes. A proximidade com Hong Kong e sua importância na região do Rio das Pérolas impulsionaram o desenvolvimento de Guangzhou, que é hoje a terceira maior cidade da China, atrás apenas de Pequim e Xangai, com uma população de 12 milhões de habitantes. Simplificando a complexidade Como Pete Sweeney mostra em seu texto, muita coisa está mudando, e de maneira muito rápida. As empresas aqui precisam se adaptar e mudar também rapidamente. Não há tempo para processos longos e tomadas de decisão demoradas, por isso, na China, a BT tenta simplificar o que é complexo. Na China, somos provedores de serviços de TI. Um cliente que planeja abrir uma fábrica precisará, por exemplo, de uma rede, de conexões com as demais instalações da empresa, de um datacenter e de instalações para videoconferência. Tudo isso somado constitui um projeto grande e complexo, e como o mercado muda de maneira muito rápida, os requisitos podem mudar a qualquer momento. Por isso, nós dividimos estes processos em projetos menores, alinhados ao nosso portfólio de serviços. Serviço local para necessidades locais Se isso não for possível, nós tentamos criar um produto local. Um exemplo é o Retail in a Box. Às vezes, um varejista abre várias lojas na China. Estas lojas são pequenas e precisam se ligar por conexões básicas, fornecidas por alguém capaz de prestar serviços gerenciados. Assim, compramos serviços DSL de empresas locais de telecomunicações e vendemos ou alugamos os equipamentos para o cliente. Na BT, esse é um processo complexo, mas aqui nós o oferecemos como produto local, adaptado de forma a atender às necessidades de nossos clientes através de um só provedor. Temos uma joint venture com uma empresa chinesa que faz a integração de sistemas com alta qualidade, e isso nos permite customizar produtos e serviços, como é o caso também de nossa central de serviços no nordeste da China. Para mudanças rápidas, respostas rápidas Essa nossa abordagem, que consiste em oferecer repostas rápidas, se dirige aos dois tipos de clientes que temos na China. Um grupo de clientes é formado por grandes empresas chinesas voltadas para negócios internacionais, como a Haier, a maior indústria chinesa de produtos da linha branca, e uma das maiores empresas chinesas de petróleo e gás. Como uma marca global, nós compartilhamos a experiência acumulada em diferentes países em questões como regulamentação e infraestrutura. Nós colaboramos para nossos clientes construírem uma presença global por meio de serviços de rede e voz, contact centers e datacenters. Nós também damos suporte a várias indústrias em Guangzhou, uma área em que a manufatura é a base das exportações. Quando uma companhia abre uma nova planta, nós podemos oferecer uma completa infraestrutura, incluindo LAN, WAN e todo o nosso portfólio de produtos e serviços. Nossos principais clientes também pertencem a um segundo grupo, que reúne empresas estrangeiras em expansão na China. Podem ser novas lojas de marcas da moda com produtos de luxo, ou novos restaurantes de cadeias internacionais. Quando abrem um novo ponto de vendas, necessitam de infraestrutura de TI para que possam operar, conectando-se a seus sistemas e à sua sede. Além disso, nós atuamos como agentes, para os nossos clientes, junto às três provedoras de telecomunicações estatais: China Mobile, China UniCom e China Telecom. O mercado de telecomunicações não está aberto a companhias estrangeiras pois o governo trata essa área como de segurança nacional. Lidando com as tendências Nos últimos 20 anos, a vida na China tem sido gerenciar mudanças. E isso não pára. Agora, a crise financeira está afetando a atuação das multinacionais e das companhias chinesas. Algumas empresas estrangeiras estão transferindo suas sedes na Ásia-Pacífico para a China. Enquanto isso, o governo chinês tem estimulado o desenvolvimento dos negócios de empresas chinesas no exterior. Na BT, temos expertise e experiência para lidar com ambas as situações. Guangzhou parece já ter previsto tudo isso há muito tempo. Em 200 a.c., a cidade já era um importante porto fluvial e marítimo, que prosperava recebendo comerciantes da Índia e Oriente Médio e, nos séculos XVI e XVII, também da Europa. O mundo de hoje trouxe um novo boom comercial, de um outro tipo, mas uma coisa que o povo de Guangzhou sabe fazer é se adaptar. 15

16 Jacarta Como a comunicação móvel contribui para o desenvolvimento da Indonésia Por Jeremy Wagstaff Jacarta, Indonésia 16 Megacidades

17 Jeremy Wagstaff é escritor, comentarista, apresentador e consultor de mídia e tecnologia. Ex-correspondente da Reuters e do Wall Street Journal, ele vive em Cingapura, onde dirige uma empresa de consultoria em tecnologia chamada Loose Wire. Em maio de 2011, a BBC divulgou o resultado de uma pesquisa sobre empreendedorismo. Perguntou-se a pessoas de 24 países dentre os quais China, Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha e Austrália se suas culturas valorizavam o empreendedor e se pessoas com boas ideias podiam colocá-las em prática. Resultado: os indonésios acreditam que seu país é o melhor lugar para criar uma empresa. Esse resultado é totalmente surpreendente para as pessoas que conhecem a Indonésia. Ou que pensavam conhecer. Costuma-se dizer que a Indonésia não é um bom um lugar para negócios. O país ocupa o 110º lugar num ranking de 178 posições do Índice de Percepção de Corrupção publicado pela Transparência Internacional. A capital, Jacarta, está em último lugar, entre 23 cidades, com relação à facilidade de locomoção, segundo classificação da Frost & Sullivan; e em 125º lugar num ranking de 140 posições na lista de 2011 das cidades mais habitáveis do Economist Intelligence Unit. Apesar de mais de uma década de democracia e estabilidade, ainda é problemática a percepção que se tem de Jacarta. Em março, Gita Wirjawan, presidente do Conselho de Coordenação de Investimentos da Indonésia advertiu que o país estava correndo o risco de ser esquecido. Não são muitas as pessoas, disse ele ao entrevistador Charlie Rose, que sabem onde fica a Indonésia. No entanto, por outros critérios, a Indonésia tem muita visibilidade. O país conta com a segunda maior base de usuários do Facebook (mais de 40 milhões, atrás somente dos Estados Unidos). Jacarta é, de longe, a cidade com o maior número de usuários do Facebook no mundo com aproximadamente o dobro de usuários da segunda colocada, Istambul, de acordo com dados do SocialBakers.com. Segundo a ComScore, a Indonésia tem também o maior número de usuários do Twitter em todo o mundo (o relatório lista os países em termos de alcance, equivalendo a 52 milhões, cerca de sete milhões a mais que o Brasil), e, de acordo com números extraoficiais, o país é o maior mercado mundial do BlackBerry. Para entender essas diferentes perspectivas berço de empreendedorismo, foco de corrupção, confusão de trânsito e paraíso das redes sociais é preciso visitar Jacarta. Lá se poderá ter uma ideia de como os indonésios, há muito acostumados a superar as limitações impostas por governos, geografia e circunstâncias, adotam e adaptam a tecnologia. Eugy Avriliawati é vendedora desde que estava na escola, trabalhando com produtos que iam de alfabetos que ela mesma desenhava até a lagartos de brinquedo. Hoje, aos 40 anos, ela vende roupas de design para meninas, com forte influência do estilo indonésio. E foi a tecnologia que tornou seus negócios eficientes atrativos tanto para os consumidores quanto para a ela própria, como empreendedora e mais rentáveis. A empresa é operada utilizando-se um BlackBerry e um Samsung Galaxy Tab. Seus canais de venda? Twitter, Blackbery Messaging (BBM), Yahoo Messenger e uma página no Facebook. Ela trabalha mesmo parada no trânsito. Eu posso fazer tudo em minha empresa pelo BlackBerry, diz. Posso fotografar o produto, fazer o upload das fotos para o Facebook, receber pedidos, mandar e receber faturas, e assim por diante. A maioria dos meus clientes têm serviços bancários móveis em seus telefones e assim, fazem o pagamento pelo celular também. Tudo isso foi possível para Avriliawati graças ao avanço das comunicações. Na década de 1990, a Indonésia estava muito atrasada e, devido aos baixos investimentos em telecomunicações, muita gente não tinha telefone. Em 1991 o país tinha o mesmo número de linhas por habitante que a China sete para cada mil pessoas. Uma década depois, havia na China 140 linhas para cada mil habitantes, e, na Indonésia, apenas um quarto disso. Assim, quando apareceram os celulares, no final da década, eles encontraram um excelente mercado na Indonésia. Quando as mensagens de texto SMS surgiram, em 2000, foram também adotadas rapidamente: o telefone celular foi o primeiro dispositivo de comunicação para muitos indonésios, e eles queriam aproveitá-lo ao máximo. De fato, os indonésios eram os segundos maiores usuários de SMS, atrás apenas dos filipinos. Da mesma forma, o uso da Internet foi inicialmente prejudicado pelas limitações da rede cabeada no país, pois também aí não houve grandes investimentos. Assim, foi preciso esperar que a web estivesse pronta A Indonésia conta com a segunda maior base de usuários do Facebook (mais de 40 milhões, atrás somente dos Estados Unidos). 17

18 Jakarta Quase metade dos usuários de Internet na Indonésia acessam a rede a partir de seus celulares. para o acesso sem fio, por telefones móveis mais inteligentes. Até 2007, a Indonésia esteve atrás de países menores como a Malásia e a Tailândia em número de usuários de Internet. Mesmo sendo um país mais rico, questões regulatórias dificultaram a implementação dos serviços 3G. Naquele ano, iniciaram-se as operações da Internet móvel, recebida com entusiasmo na Indonésia. Em dois anos, o acesso à Internet, na Indonésia, ultrapassou o de seus dois vizinhos do sudeste asiático mesmo com um número irrisório de usuários de banda larga fixa (menos de um para cada 100 pessoas em 2008, em contraste com cinco para cada 100 pessoas na Malásia). Segundo dados da consultoria de Internet Nielsen, quase metade de todos os usuários de Internet na Indonésia acessam a rede a partir de seus celulares em Cingapura, essa proporção é de 35%, e na Malásia de 21%. Parte da razão para isso é o preço: o empresário indonésio de telefonia móvel, Andy Zain diz que a Indonésia tem um dos menores custos se não o menor de transmissão móvel de dados móveis. levando em conta que cidade vive em perpétuo congestionamento de trânsito. Jacarta tem muito mais habitantes que seus planejadores imaginavam, e não há vias suficientes para acomodar um trânsito em que, durante o dia, se movimentam mais de 12 milhões de pessoas. À noite, quando muita gente já voltou do trabalho para suas casas em zonas próximas, a cidade ainda abriga 9,6 milhões de pessoas o que a torna a décima maior cidade do mundo ultrapassando, hoje, do dinheiro público, o governo de Jacarta abandonou, no final de setembro de 2011, um projeto que previa a construção do primeiro monotrilho da cidade. As obras dos pilares e fundações chegaram a ser iniciadas, mas desde 2007 estavam suspensas. O governo diz que vai estudar alternativas, mas mesmo que o trabalho começasse amanhã, nada estaria pronto antes de Enquanto isso, Jacarta torna-se pioneira na mobilidade da força de trabalho. O jornalista e empresário Budi Putra, por exemplo, aceitou Os indonésios aprenderam a superar as limitações impostas pela infraestrutura e por políticas governamentais, e utilizam bastante a tecnologia disponível quando podem pagar por ela. Eles podem não ter computador em casa, e podem não ter conexão à Internet de banda larga. Podem nem ter o celular mais avançado do mercado: o empresário Zain reconhece que cerca de 80% dos telefones celulares vendidos custam menos de 120 dólares. Mas os indonésios estão acostumados a aproveitar o máximo daquilo que têm. O telefone celular está, em suma, abrindo portas para os indonésios. São pequenos, portáteis, confiáveis e estão sempre conectados. E a massa crítica criou um ecossistema de outros serviços: os serviços bancários on-line cresceram consideravelmente no ano passado, de acordo com a comscore: entre janeiro de 2010 e janeiro de 2011, o número de acessos a sites de bancos on-line aumentou 72%, o que representa, de longe, o maior salto no sudeste asiático. O blogueiro Rama Mamuaya, que escreve sobre negócios, estima que haja mais de 700 startups na Indonésia, entre as quais as mais notáveis são aquelas que se desenvolvem O maior problema de Jacarta é a falta de vias de trânsito, o que torna difícil a ida ao trabalho. Assim, o trabalho remoto e os escritórios virtuais se tornaram imprescindíveis. as projeções feitas para daqui a 14 anos. Se incluirmos os subúrbios e as regiões metropolitanas, temos uma população de aproximadamente 28 milhões de habitantes. O maior problema da cidade de Jacarta sempre foi a locomoção. De acordo com o Jakarta Globe, as vias de locomoção correspondem a 6,2% da área de Jacarta, contra 15 a 20% de cidades como Nova Iorque, Tóquio e Cingapura. E a situação está piorando: de acordo com números oficiais, a extensão disponível para tráfego deve aumentar apenas 25% entre 1994 e 2014, enquanto o número de veículos terá mais que dobrado. O resultado são enormes engarrafamentos: em 2000, levava-se 60% mais tempo para se ir de um ponto a outro no distrito empresarial, no centro da cidade, que 15 anos antes. Não há mesmo sinais de melhoria. Depois de sete anos e investimentos de bilhões de rúpias um cargo executivo na Yahoo! mediante a condição de poder trabalhar a partir de qualquer lugar. Muitas pessoas estão se tornando freelancers, diz ele. Se os empregadores não permitirem que elas trabalhem de maneira remota, elas podem trabalhar por conta própria. Mee Kim, uma coreana que dirige uma rede regional de salas de reunião e escritórios temporários com sede em Jacarta, diz que as empresas estão demorando a permitir que seus funcionários trabalhem com flexibilidade de horários e remotamente. Contudo ela percebe uma crescente demanda pelos seus serviços de escritórios virtuais, prestando suporte para empresas pessoais: ela pode fornecer um endereço para correspondência e uma secretário para atender chamadas, por exemplo. Aluguel de escritório e salários são responsáveis pela maior parte dos custos operacionais. Os smartphones e a Internet são 18 Megacidades

19 as ferramentas mais poderosas e eficientes em operações unipessoais. E os próprios engarrafamentos criam oportunidades de negócio. Motoristas driblam a lei dos três em um (segundo a qual um passageiro deve levar pelo menos três passageiros no carro, ao passar por áreas restritas) levando jockeys crianças, adolescentes e mães que ficam à beira da estrada, e cobram para completar o número necessário de passageiros. Motociclistas se oferecem para levar passageiros do ponto de ônibus até o escritório ou até suas casas. Vendedores cruzam as ruas vendendo de tudo desde água mineral até cigarros e martelos para motoristas presos em intermináveis congestionamentos. Atualmente há vários serviços via Twiter para que as pessoas informem umas às outras sobre os engarrafamentos. Koprol obteve tanto sucesso conectando usuários de seu serviço a pessoas à sua volta no mesmo shopping, ou no mesmo bairro que foi comprado pela Yahoo! em A desenvolvedora de aplicativos móveis, SeaTech Mobile, criou recentemente um programa para a maior e mais conceituada empresa de táxis de Jacarta, a BlueBird, permitindo não só que os usuários peçam um táxi, mas que possam utilizar o GPS do carro para rastrear sua localização. Outro serviço relacionado ao trânsito é o GO-JEK, que, em parceria com 200 mototaxistas (chamados ojek) gerencia reservas por telefone e mensagens de texto para o transporte de passageiros, entrega de pacotes e de outros serviços. Enquanto os ojeks têm, em geral, uma aparência desleixada e não inspiram muita confiança, os da GO-JEK usam uma jaqueta com logo e capacete, além de cobrarem preços fixos. Mais uma diferença? Seus passageiros não são a tradicional clientela dos ojeks pessoas que vão do ponto de ônibus para seus escritórios ou para suas casas mas, em sua maioria, clientes corporativos. Isso mostra como o empreendedorismo em pequena escala, surgido de uma necessidade, migrou para a era digital e para o mundo empresarial. A minha empresa diz o co-fundador Nadiem Makarim à agência de notícias AFP existe porque falta infraestrutura. Jacarta Renda média por habitante 8,7 Nova York = 100 Custo de vida 84 Nova York = 100 Índice de habitabilidade 55 Ideal = 100 Aluguel de escritório por m 2 USD $142 Extensão da rede de transporte coletivo 0,19 Em termos da área da cidade, km/km2 Rede de transporte público de melhor qualidade 0,19 km/km2 Telefones fixos por 100 habitantes 15,8 Assinantes de celulares (país) Pós e pré-pago Assinantes 3G (país) Velocidade 3G Alta Assinantes de banda larga fixa (país) Usuários de serviços bancários on-line (país) n/d Usuários de Facebook Usuários de Tweeter Economist Intelligence Unit Ltd. Todos os direitos reservados. Embora tenham sido feitos todos os esforços para a verificação dessas informações, nem The Economist Intelligence Unit Ltd nem suas afiliadas podem aceitar responsabilidades ou arcar com prejuízos decorrentes do uso dessa informação por qualquer pessoa. 19

20 Jakarta São essas redes que permitem à população de Jacarta lidar com a imprevisibilidade e com as frustrações decorrentes de morar e trabalhar na cidade. Representam também a chance de complementar salários relativamente baixos. Indonésios: sociáveis por natureza, mais ainda com a ajuda das redes Não há dúvidas de que a sociabilidade faz parte da cultura da Indonésia. Assim, quando apareceram as mídias sociais, as mensagens de texto e os s foram substituídos pelas formas mais novas e mais comunitárias de contato. Dev Yusmananda, que trabalha como consultor de transformação tecnológica e telecomunicações em Jacarta, faz a seguinte análise: As pessoas na Indonésia já não começam sua comunicação com uma perspectiva bidirecional, mas considerando um meio público, passando à comunicação privada quando necessário. E isso não é uma característica padrão do e do SMS. Os indonésios não são somente a segunda maior população no Facebook do mundo, mas também são uma das populações mais sociáveis do planeta. O indonésio usuário do Facebook tem, em média, 199 amigos, de acordo com um relatório da TNS. E isso se deve em grande parte à telefonia móvel: de acordo com a Saling Silang, empresa de pesquisa com sede em Jacarta, 43% dos tweets na Indonésia são postados através do UberTwitter, um aplicativo muito popular entre os usuários do BlackBerry. Redes sociais e telefones celulares que permitem acesso a elas são de uso obrigatório para todo cidadão de Jacarta que se preze. Diz Maryam Jamiella, 25 anos, funcionária pública: Você tem que ter um BlackBerry, porque todo mundo tem e é através dele que as pessoas mantêm contato. Se você não tiver, ficará socialmente isolado, será um excluído. A primeira pergunta que as pessoas fazem é qual é o PIN do seu BlackBerry? São essas redes que permitem à população de Jacarta lidar com a imprevisibilidade e com as frustrações decorrentes de morar e trabalhar na cidade. Representam também a chance de complementar os baixos salários que a maioria das pessoas que trabalham em escritórios recebe. Os grupos de mensagem do BlackBerry (BBM) são redes fechadas através das quais amigos de escola ou colegas de escritório podem manter contato. Mas também são redes que possibilitam vendas. Astrid Anastasia, por exemplo, trabalha para a Nokia em Jacarta e mora em Bogor, uma cidade a 40 km ao sul. Durante suas viagens de ida para o trabalho e volta para casa, e também durante seu tempo livre, ela usa seu BlackBerry e seu netbook para venda de passagens aéreas on-line. Ela monitora promoções especiais através de aplicativos do seu BlackBerry e anuncia as ofertas para amigos e clientes através dos seus grupos BBM. Seus colegas de escritório estão todos fazendo algo semelhante, conta ela. Eles trabalham como revendedores de produtos como bolsas, roupas, sapatos e artigos para bebês, que anunciam ao lado de suas fotos no BBM ou no Facebook onde postam as informações atualizadas dos produtos e sempre conquistam clientes. Para alguns, isso já se tornou mais do que uma atividade paralela. Ivan Chandra é advogado em uma empresa e baterista da Urban Vibe, uma banda de soul de três integrantes, mas a maior parte de sua renda vem da venda do cajón, um instrumento de percussão em formato de caixa, feito por ele em uma oficina em Bogor. Ele administra todos os pedidos através de uma combinação de BlackBerry e iphone. Eu posso fazer quase tudo com o meu celular: ler s; telefonar; atualizar o site; buscar informações relacionadas à minha área de atuação, como comparar preços; expor os produtos; informar custos de frete, se for necessário enviar o produto para o exterior. Eu posso atender a pedidos onde quer que eu esteja, através desses dois aparelhos. A namorada dele também tem um negócio paralelo vende peças de vestuário através de grupos BBM. Algumas dessas atividades crescem e se tornam o principal meio de vida das pessoas. Ligwina Hananto, uma jovem usando hijab, formada pela Curtin University of Tecnology, da Austrália, usa o Twitter para promover sua empresa de consultoria financeira. Seus seminários têm as entradas esgotadas apenas pelos anúncios no Twitter. Quando escreveu um livro, tuitou sobre ele aos seus seguidores: o livro desapareceu das livrarias e já foi reimpresso quatro vezes. Ela atribui seu sucesso aos pioneiros na adoção de tecnologias como seu marido aos problemas de infraestrutura que forçam os indonésios a se adaptar, e à cultura local. Os indonésios adoram se reunir, não importa o meio, diz ela. Costumava ser em cafés; depois veio o bate-papo via rádio e a época do IRC (Internet Relay Chat, uma primeira forma de bate-papo on-line). Então surgiriam o Faceboook e o Twitter. É por isso que as redes sociais crescem tão rapidamente aqui 20 Megacidades

Bleez Agência Digital... 3. Quem sou eu... 4. Introdução... 5. Quanto o ecommerce cresceu no Brasil... 7. Quem está comprando no ecommerce...

Bleez Agência Digital... 3. Quem sou eu... 4. Introdução... 5. Quanto o ecommerce cresceu no Brasil... 7. Quem está comprando no ecommerce... Sumário Bleez Agência Digital... 3 Quem sou eu... 4 Introdução... 5 Quanto o ecommerce cresceu no Brasil... 7 Quem está comprando no ecommerce... 10 Por que os brasileiros estão comprando mais... 12 O

Leia mais

Economia Móvel América Latina 2013 Sumário Executivo

Economia Móvel América Latina 2013 Sumário Executivo Economia Móvel América Latina 2013 Sumário Executivo Economia Móvel América Latina 2013 A GSMA representa os interesses da indústria mundial de comunicações móveis. Presente em mais de 220 países, a GSMA

Leia mais

Embratel e uma das Maiores Empresas Agroindustriais do País

Embratel e uma das Maiores Empresas Agroindustriais do País EMBRATEL CASE Embratel e uma das Maiores Empresas Agroindustriais do País O Portfólio de TI da Embratel a Serviço da Agroindústria A convergência de serviços de TI e telecom se consolida como fenômeno

Leia mais

O Impacto Sócio-Econômico da Banda Larga

O Impacto Sócio-Econômico da Banda Larga Instituto de Inovação com TIC O Impacto Sócio-Econômico da Banda Larga [ Flávia Fernandes Julho/2010] Banda Larga Internet A Internet supera a produtividade combinada do telefone, transporte e eletricidade

Leia mais

Este tutorial apresenta uma visão das aplicações atuais e futuras para Internet Móvel.

Este tutorial apresenta uma visão das aplicações atuais e futuras para Internet Móvel. Aplicações Atuais e Futuras para Internet Móvel Este tutorial apresenta uma visão das aplicações atuais e futuras para Internet Móvel. Michel Castaldelli Michel Castaldelli é diretor do Ericsson Mobility

Leia mais

INFORME PORQUE TELEFÓNIA EM NUVEM?

INFORME PORQUE TELEFÓNIA EM NUVEM? INFORME PORQUE TELEFÓNIA EM NUVEM? Porque a Voz na Nuvem? 2 Índice Introdução... 3 Baixo Custo... 4 REQUISITOS MÍNIMOS DE CAPITAL... 4 EQUIPAMENTOS GENÉRICOS... 4 UTILIZAÇÃO DE MAIORES RECURSOS... 4 DESPESAS

Leia mais

Fundamentos da Computação Móvel

Fundamentos da Computação Móvel Fundamentos da Computação Móvel (O Mercado Mobile no Brasil) Programação de Dispositivos Móveis Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto

Leia mais

Perspectivas para o setor de TI. BM&F Bovespa. 26 de junho de 2013 BRASSCOM

Perspectivas para o setor de TI. BM&F Bovespa. 26 de junho de 2013 BRASSCOM Perspectivas para o setor de TI BM&F Bovespa 26 de junho de 2013 BRASSCOM Associados BRASSCOM 1 Mercado Mundial de TI Crescimento Mercado TI BRASIL (2012/2011) 10,8% Crescimento Mercado TI Mundo (2012/2011)

Leia mais

ENTREVISTA COM ADMILSON MONTEIRO GARCIA, DIRETOR EXECUTIVO DO BANCO DO BRASIL

ENTREVISTA COM ADMILSON MONTEIRO GARCIA, DIRETOR EXECUTIVO DO BANCO DO BRASIL ENTREVISTA COM ADMILSON MONTEIRO GARCIA, DIRETOR EXECUTIVO DO BANCO DO BRASIL Por Cláudio Fristchak e André Soares QUEM É O BANCO DO BRASIL O Banco do Brasil foi o primeiro banco a operar no Brasil e,

Leia mais

O Mercado americano de Tecnologia 2014/2015

O Mercado americano de Tecnologia 2014/2015 O Mercado americano de Tecnologia 2014/2015 1. Considerações Gerais Os Estados Unidos, maior potência mundial e tecnológica, apresenta projeções cada vez mais otimistas. Desde 2008, no estouro da crise

Leia mais

Mercado mobile, setor bancário e oportunidades de negócio. Copyright 1997-2013 MJV Tecnologia & Inovação. Todos os direitos reservados.

Mercado mobile, setor bancário e oportunidades de negócio. Copyright 1997-2013 MJV Tecnologia & Inovação. Todos os direitos reservados. Mercado mobile, setor bancário e oportunidades de negócio Copyright 1997-2013 MJV Tecnologia & Inovação. Todos os direitos reservados. 1 Este artigo é baseado em estatísticas recentes e discute, brevemente,

Leia mais

Faz sentido o BNDES financiar investimentos em infraestrutura em outros países?

Faz sentido o BNDES financiar investimentos em infraestrutura em outros países? Faz sentido o BNDES financiar investimentos em infraestrutura em outros países? Marcos Mendes 1 O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) tem financiado a construção de infraestrutura

Leia mais

Teste de Qualidade Web based para Banda Larga FAQs

Teste de Qualidade Web based para Banda Larga FAQs Teste de Qualidade Web based para Banda Larga FAQs Pergunta O que é o teste de velocidade? Quem é o público alvo? O que oferece? Como funciona? Por onde é o acesso? Resposta Um teste de qualidade de banda

Leia mais

Mobile Device Management MDM. SAP Forum, Fev2014.

Mobile Device Management MDM. SAP Forum, Fev2014. Mobile Device Management MDM SAP Forum, Fev2014. A EMBRATEL ENTREGA Porque é a mais completa operadora de Telecomunicações e TI Referência e líder na oferta de serviços de telecomunicações em toda a América

Leia mais

Barômetro. Cisco. Banda Larga. Análise de mercado

Barômetro. Cisco. Banda Larga. Análise de mercado Barômetro Cisco Banda Larga da Análise de mercado Barômetro Cisco da Banda Larga Índice Introdução Introdução...2 Metodologia...3 Barômetro Cisco da Banda Larga...3 Definições...4 Banda Larga no Mundo...4

Leia mais

A perspectiva de Operadoras Competitivas de Telecomunicações

A perspectiva de Operadoras Competitivas de Telecomunicações 24 de Março de 2011 As exigências de infraestrutura de TIC para a Copa do Mundo e Olimpíada no Brasil Desafios e Oportunidades na construção do IBC. A perspectiva de Operadoras Competitivas de Telecomunicações

Leia mais

* Dados referentes ao PIB estimado para o ano de 2014

* Dados referentes ao PIB estimado para o ano de 2014 A Cielo é uma credenciadora de pagamentos eletrônicos. Talvez você a conheça pelas suas máquinas de cartão, presentes no comércio de Norte a Sul do Brasil. Essa é mesmo a função primordial da companhia:

Leia mais

O que é comércio eletrônico?

O que é comércio eletrônico? COMÉRCIO ELETRÔNICO O que é comércio eletrônico? O comércio eletrônico ou e-commerce é a compra e venda de mercadorias ou serviços por meio da Internet, onde as chamadas Lojas Virtuais oferecem seus produtos

Leia mais

COMO CONQUISTAR CLIENTES COM APLICATIVOS PARA CELULAR

COMO CONQUISTAR CLIENTES COM APLICATIVOS PARA CELULAR COMO CONQUISTAR CLIENTES COM APLICATIVOS PARA CELULAR CONTEÚDO 1 2 3 4 5 6 Por que as empresas precisam estar conectadas ao mundo mobile Como os aplicativos mobile podem atrair mais clientes. Como os aplicativos

Leia mais

Produção de textos online. O modelo de consumo de uma nova era

Produção de textos online. O modelo de consumo de uma nova era Produção de textos online O modelo de consumo de uma nova era Introdução Novas tecnologias, ou mesmo o aprimoramento daquelas já existentes, tem transformado o modo como são consumidos os conteúdos disponibilizados

Leia mais

CONTENTS. 2010 SkyWave Mobile Communications, Inc. www.skywave.com. www.skywave.com 2 V.012010

CONTENTS. 2010 SkyWave Mobile Communications, Inc. www.skywave.com. www.skywave.com 2 V.012010 CONTENTS Introdução... 3 O que é Monitoramento Remoto?... 4 Selecionando Equipamento de Monitoramento Remoto... 6 Selecionando Tecnologias de Comunicação... 6 Escolhendo uma Solução de Monitoramento...

Leia mais

Oi WiFi. Cenário Atual. O que é a tecnologia wi-fi?

Oi WiFi. Cenário Atual. O que é a tecnologia wi-fi? Oi WiFi Material de Apoio a Vendas Empresarial R1 Oi WiFi Cenário Atual Cada vez mais as pessoas procuram estar sempre conectadas à internet em todos os lugares, como bares, restaurantes, shoppings, aeroportos

Leia mais

A Intel espera uma redução de 20% nos custos de audioconferências com solução de comunicações unificadas

A Intel espera uma redução de 20% nos custos de audioconferências com solução de comunicações unificadas Microsoft Office System Estudo de caso da solução do cliente A espera uma redução de 20% nos custos de audioconferências com solução de comunicações unificadas Visão geral País ou região: Estados Unidos

Leia mais

SISTEMAS PARA INTERNET

SISTEMAS PARA INTERNET Unidade II SISTEMAS PARA INTERNET E SOFTWARE LIVRE Prof. Emanuel Matos Sumário Unidade II Comércio Eletrônico Tecnologia de Comércio Eletrônico Categorias do Comércio Eletrônico M-commerce Comércio eletrônico

Leia mais

panorama do mercado brasileiro de Cloud Comput

panorama do mercado brasileiro de Cloud Comput panorama do mercado brasileiro de Cloud Comput Cloud Conf 2012 Agosto de 2012 Sobre a Frost & Sullivan - Consultoria Global com presença nos 4 continentes, em mais de 25 países, totalizando 40 escritórios.

Leia mais

Atividade Capitulo 6 - GABARITO

Atividade Capitulo 6 - GABARITO Atividade Capitulo 6 - GABARITO 1. A Internet é uma força motriz subjacente aos progressos em telecomunicações, redes e outras tecnologias da informação. Você concorda ou discorda? Por quê? Por todos os

Leia mais

SYSTIMAX Solutions. imvisiontm. Gestão de Infraestrutura. Simplificada.

SYSTIMAX Solutions. imvisiontm. Gestão de Infraestrutura. Simplificada. SYSTIMAX Solutions imvisiontm. Gestão de Infraestrutura. Simplificada. 1 Toda rede deve ser administrada. A questão é COMO? A visão: Conseguir o sucesso comercial a partir de uma melhor administração de

Leia mais

Computação em nuvem. Mudança da função e da importância das equipes de TI O PONTO DE VISTA DOS EXECUTIVOS SOBRE A NUVEM.

Computação em nuvem. Mudança da função e da importância das equipes de TI O PONTO DE VISTA DOS EXECUTIVOS SOBRE A NUVEM. O PONTO DE VISTA DOS EXECUTIVOS SOBRE A NUVEM O ponto de vista dos executivos sobre a nuvem Janeiro de 2015 Computação em nuvem Mudança da função e da importância das equipes de TI Janeiro de 2015 1 Capacitação

Leia mais

Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária 2013 O Setor Bancário em Números

Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária 2013 O Setor Bancário em Números Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária 2013 O Setor Bancário em Números Um sistema financeiro saudável, ético e eficiente é condição essencial para o desenvolvimento econômico, social e sustentável do

Leia mais

Coca-Cola Enterprises adota software e serviços da Microsoft para unificar sua força de trabalho

Coca-Cola Enterprises adota software e serviços da Microsoft para unificar sua força de trabalho Microsoft Online Services Soluções para clientes - Estudo de caso Coca-Cola Enterprises adota software e serviços da Microsoft para unificar sua força de trabalho Visão geral País ou região: Mundial Setor:

Leia mais

GESTÃO FINANCEIRA para FICAR NO Azul

GESTÃO FINANCEIRA para FICAR NO Azul GESTÃO FINANCEIRA para ficar no azul índice 03 Introdução 04 Capítulo 1 O que é gestão financeira? 06 Capítulo 2 Gestão financeira e tomada de decisões 11 13 18 Capítulo 3 Como projetar seu fluxo financeiro

Leia mais

Desembaraço. Informações da indústria como você nunca viu

Desembaraço. Informações da indústria como você nunca viu Desembaraço Informações da indústria como você nunca viu Introdução É uma ferramenta dominada pela geração Y, mas que foi criada pela geração X. Ela aproxima quem está longe e tem distanciado quem está

Leia mais

Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016

Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016 COMUNICADO No: 58 Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016 10 de dezembro de 2015 (Genebra) - A International Air Transport Association (IATA) anunciou

Leia mais

Panorama Mundial (2013)

Panorama Mundial (2013) Panorama Mundial (2013) Produção mundial alcançou US$ 444 bilhões em 2013; Mesmo com os efeitos da crise internacional, registra 85% de crescimento desde 2004, a uma taxa média de 7% ao ano; 54% da produção

Leia mais

Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio. slide 1

Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio. slide 1 Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio slide 1 Objetivos de estudo Quais os principais componentes das redes de telecomunicações e quais as principais tecnologias de rede? Quais os principais

Leia mais

Guia definitivo de ferramentas de Planejamento para Micro Empreendedores Individuais

Guia definitivo de ferramentas de Planejamento para Micro Empreendedores Individuais Guia definitivo de ferramentas de Planejamento para Micro Empreendedores Individuais Introdução O Brasil já tem 4,7 milhões de microempreendedores individuais, segundo dados de janeiro de 2015 da Receita

Leia mais

USE O PODER DA NUVEM. VEJA COMO A NUVEM PODE TRANSFORMAR SEUS NEGÓCIOS.

USE O PODER DA NUVEM. VEJA COMO A NUVEM PODE TRANSFORMAR SEUS NEGÓCIOS. USE O PODER DA NUVEM. VEJA COMO A NUVEM PODE TRANSFORMAR SEUS NEGÓCIOS. A computação em nuvem é uma mudança de paradigma no gerenciamento de TI e de datacenters, além de representar a capacidade da TI

Leia mais

Como medir a velocidade da Internet?

Como medir a velocidade da Internet? Link Original: http://www.techtudo.com.br/artigos/noticia/2012/05/como-medir-velocidade-da-suainternet.html Como medir a velocidade da Internet? Pedro Pisa Para o TechTudo O Velocímetro TechTudo é uma

Leia mais

Pesquisa. Intenção de

Pesquisa. Intenção de Pesquisa SPC BRASIL: Intenção de Compras para o Natal Novembro/2013 Pesquisa do SPC Brasil revela que brasileiros pretendem gastar mais e comprar mais presentes neste Natal Se depender dos consumidores

Leia mais

7 Passos Para a Criação de Uma Boa Loja Virtual. Índice

7 Passos Para a Criação de Uma Boa Loja Virtual. Índice 2 Índice Introdução... 3 Passo 1 Entender o que é Venda Online e E-commerce... 4 Passo 2 Entender o Mercado de Comércio Eletrônico... 5 Passo 3 Canais de Venda... 6 Passo 4 Como identificar uma Boa Plataforma

Leia mais

Comércio eletrônico 05/05/15. Objetivos de estudo. Qual o papel do e- commerce nos negócios e quais as aplicações mais importantes?

Comércio eletrônico 05/05/15. Objetivos de estudo. Qual o papel do e- commerce nos negócios e quais as aplicações mais importantes? Escola Superior de Gestão e Tecnologia Comércio eletrônico Mercados digitais, mercadorias digitais Prof. Marcelo Mar3ns da Silva Objetivos de estudo Qual o papel do e- commerce nos negócios e quais as

Leia mais

Quem somos. Não somos o esperado, VAMOS MAIS ADIANTE!

Quem somos. Não somos o esperado, VAMOS MAIS ADIANTE! Bem Vindos Não importa sua necessidade, a MindFi tem soluções completas e especializadas para seu negócio. Prestamos serviços tecnológicos com excelência em atendimento e monitoramento para que seu estabelecimento

Leia mais

MOBILE MARKETING. Prof. Fabiano Lobo

MOBILE MARKETING. Prof. Fabiano Lobo MOBILE MARKETING Prof. Fabiano Lobo - Conforme estipulado no Termo de Uso, todo o conteúdo ora disponibilizado é de titularidade exclusiva do IAB ou de terceiros parceiros e é protegido pela legislação

Leia mais

USE O PODER DA NUVEM. VEJA COMO A NUVEM PODE TRANSFORMAR SEUS NEGÓCIOS.

USE O PODER DA NUVEM. VEJA COMO A NUVEM PODE TRANSFORMAR SEUS NEGÓCIOS. USE O PODER DA NUVEM. VEJA COMO A NUVEM PODE TRANSFORMAR SEUS NEGÓCIOS. A computação em nuvem é uma mudança de paradigma no gerenciamento de TI e de datacenters, além de representar a capacidade da TI

Leia mais

Inovação na nuvem. A próxima grande história de sucesso da TI. IDC InfoDoc, oferecido pela SAP Abril de 2014

Inovação na nuvem. A próxima grande história de sucesso da TI. IDC InfoDoc, oferecido pela SAP Abril de 2014 Inovação na nuvem A próxima grande história de sucesso da TI IDC InfoDoc, oferecido pela SAP Abril de 2014 Nuvem = Plataforma de inovação O principal fator para a adoção de soluções em nuvem é a mudança

Leia mais

COMÉRCIO ELETRÔNICO UM BREVE HISTÓRICO

COMÉRCIO ELETRÔNICO UM BREVE HISTÓRICO UM BREVE HISTÓRICO COMÉRCIO ELETRÔNICO O comércio sempre existiu desde que surgiram as sociedades. Ele é dito como o processo de comprar, vender e trocar produtos e serviços. Inicialmente praticado pelos

Leia mais

A GP no mercado imobiliário

A GP no mercado imobiliário A GP no mercado imobiliário A experiência singular acumulada pela GP Investments em diferentes segmentos do setor imobiliário confere importante diferencial competitivo para a Companhia capturar novas

Leia mais

USE O PODER DA NUVEM. VEJA COMO A NUVEM PODE TRANSFORMAR SEUS NEGÓCIOS.

USE O PODER DA NUVEM. VEJA COMO A NUVEM PODE TRANSFORMAR SEUS NEGÓCIOS. USE O PODER DA NUVEM. VEJA COMO A NUVEM PODE TRANSFORMAR SEUS NEGÓCIOS. A computação em nuvem é uma mudança de paradigma no gerenciamento de TI e de datacenters, além de representar a capacidade da TI

Leia mais

Usando a nuvem para melhorar a resiliência dos negócios

Usando a nuvem para melhorar a resiliência dos negócios IBM Global Technology Services White Paper IBM Resiliency Services Usando a nuvem para melhorar a resiliência dos negócios Escolha o provedor de serviços gerenciados certo para mitigar riscos à reputação

Leia mais

TIC em Grandes Eventos - Brasil. Copyright IDC. Reproduction is forbidden unless authorized. All rights reserved.

TIC em Grandes Eventos - Brasil. Copyright IDC. Reproduction is forbidden unless authorized. All rights reserved. TIC em Grandes Eventos - Brasil Copyright IDC. Reproduction is forbidden unless authorized. All rights reserved. As Mega Tendências de TI no Brasil para 2011 se aplicam também para a Copa Consolidação,

Leia mais

- GUIA DO EMPRESÁRIO - Lucros Bons e Lucros Ruins

- GUIA DO EMPRESÁRIO - Lucros Bons e Lucros Ruins - GUIA DO EMPRESÁRIO - Lucros Bons e Lucros Ruins Planeta Contábil 2008 Todos os Direitos Reservados (www.planetacontabil.com.br) 1/5 Lucros Bons e Lucros Ruins Podemos pensar que lucrar é sempre bom,

Leia mais

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Rafael D. Ribeiro, M.Sc,PMP. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br @ribeirord Pesquisa e Propagação do conhecimento: Através da Web, é possível

Leia mais

Tendências de Recrutamento no Brasil. As 3 tendências de recrutamento que você precisa saber para 2015 3 o relatório anual

Tendências de Recrutamento no Brasil. As 3 tendências de recrutamento que você precisa saber para 2015 3 o relatório anual Tendências de Recrutamento no Brasil As 3 tendências de recrutamento que você precisa saber para 2015 3 o relatório anual Introdução Para vencer em 2015, os líderes de negócios e atração de talentos precisam

Leia mais

Entrevistado: Almir Barbassa Entrevistador: - Data:11/08/2009 Tempo do Áudio: 23 30

Entrevistado: Almir Barbassa Entrevistador: - Data:11/08/2009 Tempo do Áudio: 23 30 1 Entrevistado: Almir Barbassa Entrevistador: - Data:11/08/2009 Tempo do Áudio: 23 30 Entrevistador- Como o senhor vê a economia mundial e qual o posicionamento do Brasil, após quase um ano da quebra do

Leia mais

Uma nova perspectiva sobre a experiência digital do cliente

Uma nova perspectiva sobre a experiência digital do cliente Uma nova perspectiva sobre a experiência digital do cliente Redesenhando a forma como empresas operam e envolvem seus clientes e colaboradores no mundo digital. Comece > Você pode construir de fato uma

Leia mais

Nori Lermen Quer Revolução no ATM

Nori Lermen Quer Revolução no ATM Nori Lermen Quer Revolução no ATM Em entrevista exclusiva à Relatório Bancário, o novo presidente da ATP, Nori Lermen, revelou as intenções da empresa brasiliense em ir além do fornecimento de serviços

Leia mais

I Fórum Lusófono de Comunicações. Abril. 2010

I Fórum Lusófono de Comunicações. Abril. 2010 I Fórum Lusófono de Comunicações Abril. 2010 Evolução do Setor de Telecomunicações no Brasil Pré-Privatização Monopólio estatal Poucos investimentos Baixa qualidade dos serviços 98 Grande demanda reprimida

Leia mais

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010 Metodologia Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Através de e-survey - via web Público Alvo: Executivos de empresas associadas e não associadas à AMCHAM Amostra: 500 entrevistas realizadas Campo: 16

Leia mais

Introdução ao Subsistema Multimídia IP (IMS) Conceitos básicos de IMS e terminologia

Introdução ao Subsistema Multimídia IP (IMS) Conceitos básicos de IMS e terminologia Introdução ao Subsistema Multimídia IP (IMS) Conceitos básicos de IMS e terminologia Introdução Formalmente, o IP Multimedia Subsystem (IMS) é definido como:... um novo 'domínio' principal da rede (ou

Leia mais

Internet of Things. utilizá-la em diversos tipos de negócios.

Internet of Things. utilizá-la em diversos tipos de negócios. Internet of Things 10 formas de utilizá-la em diversos tipos de negócios. INTRODUÇÃO As interfaces Machine to Machine (M2M) estão facilitando cada vez mais a comunicação entre objetos conectados. E essa

Leia mais

Este documento provê informação atualizada, e simples de entender, para o empreendedor que precisa iniciar ou avaliar suas operações online.

Este documento provê informação atualizada, e simples de entender, para o empreendedor que precisa iniciar ou avaliar suas operações online. Os segredos dos negócios online A Internet comercial está no Brasil há menos de 14 anos. É muito pouco tempo. Nesses poucos anos ela já mudou nossas vidas de muitas maneiras. Do programa de televisão que

Leia mais

fornecendo valor com inovações de serviços de negócios

fornecendo valor com inovações de serviços de negócios fornecendo valor com inovações de serviços de negócios A TI é grande. Tantos bits no universo digital quanto estrelas em nosso universo físico. é arriscada. Dois terços dos projetos de TI estão em risco,

Leia mais

NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES

NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES 1. Conectando a Empresa à Rede As empresas estão se tornando empresas conectadas em redes. A Internet e as redes de tipo Internet dentro da empresa (intranets), entre uma

Leia mais

COMO COBRAR POR UM TRABALHO DE ORGANIZAÇÃO?

COMO COBRAR POR UM TRABALHO DE ORGANIZAÇÃO? COMO COBRAR POR UM TRABALHO DE ORGANIZAÇÃO? O GUIA COMPLETO Afinal qual é a forma correta de cobrar pelo meu trabalho? Qual o valor justo? Devo cobrar barato para ganhar o cliente ou devo cobrar caro para

Leia mais

Barômetro Cisco de Banda Larga 2.0

Barômetro Cisco de Banda Larga 2.0 Barômetro Cisco de Banda Larga 2.0 Brasil Junho de 2013 Preparado para Copyright IDC. Reproduction is forbidden unless authorized. All rights reserved. Agenda Introdução Descrição do projeto Resultados

Leia mais

2011 012 Pta e t s e o qui f Mo sa s b o i b lre Sur e a Sivte uyação da Mobilidade

2011 012 Pta e t s e o qui f Mo sa s b o i b lre Sur e a Sivte uyação da Mobilidade 2012 2011 Pesquisa State of Mobile sobre a Survey Situação da Mobilidade Resultados do Brasil Copyright 2012 Symantec Corporation. Todos os direitos reservados. Symantec, o logo Symantec e o logo Checkmark

Leia mais

A nova classe média vai às compras

A nova classe média vai às compras A nova classe média vai às compras 18 KPMG Business Magazine Cenário é positivo para o varejo, mas empresas precisam entender o perfil do novo consumidor Nos últimos anos o mercado consumidor brasileiro

Leia mais

Nosso Planeta Mobile: Brasil

Nosso Planeta Mobile: Brasil Nosso Planeta Mobile: Brasil Como entender o usuário de celular Maio de 2012 1 Resumo executivo Os smartphones se tornaram indispensáveis para nosso cotidiano. A difusão dos smartphones atinge 14% da população,

Leia mais

Capítulo 03 Mercados regionais

Capítulo 03 Mercados regionais Capítulo 03 Mercados regionais As organizações decidem atuar no mercado global quando sabem que o crescimento externo será maior do que o interno. Nesse sentido, a China é um dos mercados para onde as

Leia mais

www.brasilitplus.com

www.brasilitplus.com www.brasilitplus.com (((internetdascoisas))) BRASSCOM Inteligência de Mercado www.brasscom.org.br BRASSCOM Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação 1 (Seu carro com

Leia mais

ROI COMO SABER DEFINITIVAMENTE O RESULTADO DAS AÇÕES DE MARKETING DO SEU E- COMMERCE. Por: Alexandre Maldonado

ROI COMO SABER DEFINITIVAMENTE O RESULTADO DAS AÇÕES DE MARKETING DO SEU E- COMMERCE. Por: Alexandre Maldonado ROI COMO SABER DEFINITIVAMENTE O RESULTADO DAS AÇÕES DE MARKETING DO SEU E- COMMERCE Por: Alexandre Maldonado Autor do site Marketing para E- commerce www.marketingparaecommerce.com.br TERMOS DE RESPONSABILIDADE

Leia mais

Apostila. Comércio Eletrônico. e-commerce. Professor: Edson Almeida Junior. Comércio Eletrônico

Apostila. Comércio Eletrônico. e-commerce. Professor: Edson Almeida Junior. Comércio Eletrônico Apostila Comércio Eletrônico e-commerce Professor: Edson Almeida Junior Material compilado por Edson Almeida Junior Disponível em http://www.edsonalmeidajunior.com.br MSN: eajr@hotmail.com E-Mail: eajr@hotmail.com

Leia mais

Ofereça um atendimento de alto nível e surpreenda

Ofereça um atendimento de alto nível e surpreenda Ofereça um atendimento de alto nível e surpreenda Para profissionais do mercado imobiliário por Índice Introdução... 2 Seja o primeiro a responder... 3 Mantenha seu material em ordem... 4 Tenha o necessário

Leia mais

CORRESPONDENTES. Uma Inovação Brasileira

CORRESPONDENTES. Uma Inovação Brasileira CORRESPONDENTES Uma Inovação Brasileira JUNHO - 2007 Brasil Desafio das dimensões continentais ÁREA Brasil Desafio das dimensões continentais DENSIDADE DEMOGRÁFICA Brasil Desafio das dimensões continentais

Leia mais

Resumo executivo. Metodologia. versus RESUMO EXECUTIVO DO EMC PRIVACY INDEX

Resumo executivo. Metodologia. versus RESUMO EXECUTIVO DO EMC PRIVACY INDEX Privacidade versus Conveniência Resumo executivo As manchetes sobre privacidade na Internet estão fomentando um debate sobre quanto de acesso governos e empresas devem ter a atividades, comunicações e

Leia mais

Agosto. São Paulo Brasil. connectedsmartcities.com.br

Agosto. São Paulo Brasil. connectedsmartcities.com.br 03 a 05 Agosto 2015 São Paulo Brasil connectedsmartcities.com.br Por que Connected Smart Cities? As grandes e modernas cidades são, talvez, as mais importantes realizações do homem, por serem responsáveis,

Leia mais

5 motivos para gerenciar sua frota na nuvem

5 motivos para gerenciar sua frota na nuvem 5 motivos para gerenciar sua frota na nuvem 2 ÍNDICE >> Introdução... 3 >> O que é software na nuvem... 6 >> Vantagens do software na nuvem... 8 >> Conclusão... 13 >> Sobre a Frota Control... 15 3 Introdução

Leia mais

Start Up. Relatório: Startups

Start Up. Relatório: Startups Start Up Introdução O conceito de inovação é amplamente utilizado no setor de tecnologia para aperfeiçoar a gestão de negócios, gerar maior rentabilidade em projetos e dinamizar os recursos existentes

Leia mais

Estratégia para Investimentos Diretos Estrangeiros no Mercado do Leste Asiático. ~ Japão, China e ASEAN ~

Estratégia para Investimentos Diretos Estrangeiros no Mercado do Leste Asiático. ~ Japão, China e ASEAN ~ Estratégia para Investimentos Diretos Estrangeiros no Mercado do Leste Asiático ~ Japão, China e ASEAN ~ Palavras-chaves Leste Asiático o Centro de Crescimento do Mundo Integraçã ção o Progressiva das

Leia mais

Questão em foco: Colaboração de produto 2.0. Uso de técnicas de computação social para criar redes sociais corporativas

Questão em foco: Colaboração de produto 2.0. Uso de técnicas de computação social para criar redes sociais corporativas Questão em foco: Colaboração de produto 2.0 Uso de técnicas de computação social para criar redes sociais corporativas Tech-Clarity, Inc. 2009 Sumário Sumário... 2 Introdução à questão... 3 O futuro da

Leia mais

agility made possible

agility made possible RESUMO DA SOLUÇÃO DO PARCEIRO Soluções de garantia do serviço da CA Technologies você está ajudando seus clientes a desenvolver soluções de gerenciamento da TI para garantir a qualidade do serviço e a

Leia mais

POR QUE OFERECER UM ATENDIMENTO MULTICANAL?

POR QUE OFERECER UM ATENDIMENTO MULTICANAL? POR QUE OFERECER UM ATENDIMENTO MULTICANAL? Por que oferecer um atendimento multicanal? Este livro reúne em uma única fonte dicas para inovar na experiência com clientes, de um jeito simples e prático;

Leia mais

Prof. Cláudio Conceitos e-commerce PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

Prof. Cláudio Conceitos e-commerce PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Cláudio Conceitos e-commerce PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Intranet e Extranet Rede privada baseada na mesma tecnologia utilizada na internet, sendo sua única diferença o objetivo por trás

Leia mais

O futuro do YouTube - VEJA.com

O futuro do YouTube - VEJA.com Entrevista O futuro do YouTube 29/08/2009 10:49 Por Leo Branco Nesta semana, Chad Hurley, de 32 anos, um dos criadores do YouTube, esteve no Brasil e falou a VEJA sobre o futuro do maior site de vídeos

Leia mais

O Desafio do Aumento da Produtividade na Indústria para Conquistar um Mercado Global

O Desafio do Aumento da Produtividade na Indústria para Conquistar um Mercado Global O Desafio do Aumento da Produtividade na Indústria para Conquistar um Mercado Global Jorge A r bache U n i v e r s i d a d e d e B r a s í l i a S E M P E X 2 0 1 4 M a c e i ó, 2 2 / 5 / 2 0 1 4 0,45

Leia mais

O / 4 FAIXA ETÁRIA SEXO 1.5% 0.2% 6.1% 0.2% 13.5% 25.8% 52.6% 407 entrevistas foram realizadas nos dias 27 e 28 de janeiro de 2010. Feminino.

O / 4 FAIXA ETÁRIA SEXO 1.5% 0.2% 6.1% 0.2% 13.5% 25.8% 52.6% 407 entrevistas foram realizadas nos dias 27 e 28 de janeiro de 2010. Feminino. A TERCEIRA EDIÇÃO DA CAMPUS PARTY BRASIL, REALIZADA EM SÃO PAULO ENTRE OS DIAS 25 E 31 DE JANEIRO DE 2010, REUNIU QUASE 100 MIL PARTICIPANTES PARA DISCUTIR AS TENDÊNCIAS DA INTERNET E DAS MÍDIAS DIGITAIS.

Leia mais

NCR CONNECTIONS. CxBanking

NCR CONNECTIONS. CxBanking CxBanking NCR CONNECTIONS Nossa soluc a o multicanal permite aos bancos implementar rapidamente servic os empresariais personalizados em canais fi sicos e digitais. Um guia de soluções da NCR Visão geral

Leia mais

7 dicas para. melhorar. a performance do seu e-commerce

7 dicas para. melhorar. a performance do seu e-commerce 7 dicas para melhorar a performance do seu e-commerce Índice 03 Introdução 04 A invasão mobile 07 Mídias Sociais 10 OmniChannel: Sua empresa está preparada? 12 Marketing de conteúdo para e-commerce 14

Leia mais

Bolsa de Valores de Tóquio A Bolsa de Valores de Tóquio é a mais antiga do Japão, tendo sido estabelecida em 1878 (Foto: Cortesia de Getty Images)

Bolsa de Valores de Tóquio A Bolsa de Valores de Tóquio é a mais antiga do Japão, tendo sido estabelecida em 1878 (Foto: Cortesia de Getty Images) Economia A Economia do Japão em uma Era de Globalização Bolsa de Valores de Tóquio A Bolsa de Valores de Tóquio é a mais antiga do Japão, tendo sido estabelecida em 1878 (Foto: Cortesia de Getty Images)

Leia mais

Uma abordagem estratégica para atender à demanda de Nuvem

Uma abordagem estratégica para atender à demanda de Nuvem White paper Para provedores de nuvem Uma abordagem estratégica para atender à demanda de Nuvem Introdução: os novos desafios dos clientes estimulam a adoção da nuvem Em um ambiente de negócios dinâmico,

Leia mais

Prof. Juliano Heinzelmann Reinert

Prof. Juliano Heinzelmann Reinert Prof. Juliano Heinzelmann Reinert 1 Juliano Heinzelmann Reinert, M.Sc., MBA, COBIT, CCTT. Professor (pós-graduação em governança e GP), Instrutor/consultor pela BEWARE (sul), Sócio-diretor de empresa PROJECT

Leia mais

CIOs da região Ásia-Pacífico interessados em. liderar o setor de big data e da nuvem

CIOs da região Ásia-Pacífico interessados em. liderar o setor de big data e da nuvem 8 A pesquisa indica ênfase na criação de valor, mais do que na economia de custos; o investimento em big data, na nuvem e na segurança é predominante CIOs da região Ásia-Pacífico interessados em liderar

Leia mais

mudanças nos modelos de negócios do setor automobilístico, impulsionadas pelas pesquisas de novas tecnologias energéticas e de segurança.

mudanças nos modelos de negócios do setor automobilístico, impulsionadas pelas pesquisas de novas tecnologias energéticas e de segurança. AUTOMOTIVE Mudança de rumos Pressões dos consumidores por praticidade e economia, somadas à necessidade de adaptação dos veículos ao planejamento urbano, criam um cenário desafiador para a indústria automobilística

Leia mais

Rede IPTV DX - Clubes Desportivos

Rede IPTV DX - Clubes Desportivos White Paper 24 de Setembro de 2014 Rede IPTV DX - Clubes Desportivos Alcançando e realizando o potencial do torcedor móvel IPTV Móvel para Clubes Desportivos - DX - 1 O negócio de mídia e venda para torcedores

Leia mais

Nosso Planeta Mobile: Brasil

Nosso Planeta Mobile: Brasil Nosso Planeta Mobile: Brasil Como entender o usuário de celular Maio de 2013 1 Resumo executivo Os smartphones se tornaram indispensáveis para nosso cotidiano. A difusão dos smartphones atinge 26 % da

Leia mais

7 dicas rápidas de marketing digital para você sair na frente! MARKETING DIGITAL

7 dicas rápidas de marketing digital para você sair na frente! MARKETING DIGITAL DICAS PARA DIVULGAR SUA EMPRESA E AUMENTAR AS VENDAS NO FIM DE ANO 7 dicas rápidas de marketing digital para você sair na frente! MARKETING DIGITAL Sumário Apresentação Capítulo 1 - Crie conteúdo de alta

Leia mais

Questão em foco: Mobilidade no PLM. Reduzindo as barreiras à inovação e à tomada de decisões de engenharia

Questão em foco: Mobilidade no PLM. Reduzindo as barreiras à inovação e à tomada de decisões de engenharia Questão em foco: Mobilidade no PLM Reduzindo as barreiras à inovação e à tomada de decisões de engenharia Tech-Clarity, Inc. 2011 Índice Introdução da questão... 3 O valor da mobilidade para a engenharia...

Leia mais

ESTRATÉGIA ECONÔMICA LEAPFROG DO SÉCULO XXI: O RIO GRANDE DO SUL TORNA-SE O LUGAR MAIS SUSTENTÁVEL E INOVADOR DA AMÉRICA LATINA ATÉ 2030

ESTRATÉGIA ECONÔMICA LEAPFROG DO SÉCULO XXI: O RIO GRANDE DO SUL TORNA-SE O LUGAR MAIS SUSTENTÁVEL E INOVADOR DA AMÉRICA LATINA ATÉ 2030 ESTRATÉGIA ECONÔMICA LEAPFROG DO SÉCULO XXI: O RIO GRANDE DO SUL TORNA-SE O LUGAR MAIS SUSTENTÁVEL E INOVADOR DA AMÉRICA LATINA ATÉ 2030 Um relatório para o Governo do Estado do Rio Grande Sul (AGDI) e

Leia mais