1. APRESENTAÇÃO 2. CARACTERÍSTICAS ELÉTRICAS 1. APRESENTAÇÃO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1. APRESENTAÇÃO 2. CARACTERÍSTICAS ELÉTRICAS 1. APRESENTAÇÃO"

Transcrição

1 smart CCM

2 1. APRESENTAÇÃO 1. APRESENTAÇÃO Os Centros de Controle de Motores de Baixa Tensão, modelo smart CCM são unidades modulares padronizadas, desenvolvidas em conformidade com a norma IEC 61439, garantindo com isso os mais altos padrões de exigência adotados mundialmente. O projeto engloba o que existe de melhor quanto à tecnologia de painéis elétricos de baixa tensão, permitindo grande facilidade de montagem, instalação, manutenção e operação do painel. Os CCM s da Arteche foram concebidos de modo a dar opções de montagem a seus clientes, tendo como variantes: CCM Compartimentado: é aquele onde equipamentos de proteção e manobra de cada carga estão montados em compartimentos separados dentro do painel (gavetas) que podem ser fixos ou extraíveis. O sistema de extração de gavetas possui como padrão: Sistema convencional: operador extrai a gaveta mediante abertura da porta. Opcional: Sistema 4 posições: operador desloca a gaveta da posição inserida até a posição de teste e da posição de teste para a posição extraída com a porta do módulo fechada. CCM Inteligente: CCM extraível, onde os equipamentos internos estão conectados a uma rede de comunicação e automação, possibilitando diagnósticos, partidas, paradas, isolação de faltas, alarmes, etc. 2. CARACTERÍSTICAS ELÉTRICAS CARACTERÍSTICAS NOMINAIS DO smart CCM BT Tensão nominal Un (V) 690 V Tensão de operação Ue (V) 480 / 440 V Tensão de isolamento Ui (V) 600 V Tensão nominal de impulso Uimp 8,0 kv Corrente nominal In (A) Até 3200 A Corrente suportável de curta duração Icw (kaef) 65 ka Valor de pico da corrente suportável lpk (ka) 143 ka (in factor 2,2) Duração da corrente suportável t (s) 1,0 Frequência nominal f (Hz) 50 / 60 Fator de diversidade nominal RDF (PU) 1 Corrente admissível sob condições de arco Ip arc (kaef) 50 Duração admissível do arco Tarc (S) 0,3 Altitude (m) 2000 Categoria de sobretensão IV 2 smart CCM Apresentação

3 3. CARACTERÍSTICAS MECÂNICAS 3. CARACTERÍSTICAS MECÂNICAS CARACTERÍSTICAS MECÂNICAS Possibilidade de entrada e saída de cabos Por cima ou por baixo Número máximo de gavetas fixas ou extraíveis por coluna 11 Forma de extração da gaveta Altitude máxima de operação Forma construtiva Manual por alavanca 2000 m 3B (4B opcional) Grau de proteção IP42 (1) Instalação Espessura das chapas da estrutura e divisórias Altitude máxima de operação Interior 14 MSG 2000 m Cor Munsel 6.5 (2) > 1. Outros sob consulta > 2. Outras cores, sob consulta 4. DIMENSIONAL Conexão com o barramento de transição 2. Conexão com o barramento de distribuição 3. Barramento de distribuição 4. Compartimento das gavetas, modulação 1M até 3M 5. Tampa de alívio 6. Compartimento cabos comando smart CCM Características mecânicas 3

4 5. DIMENSIONAL E CORRENTE MÁXIMA DOS MÓDULOS 5. DIMENSIONAL E CORRENTE MÁXIMA DOS MÓDULOS MÓDULO TIPO ALTURA DO MÓDULO NÚMERO MÁXIMO DE MÓDULOS POR COLUNA 1M fixo ou extraível ,5M fixo ou extraível M fixo ou extraível ,5M fixo ou extraível M fixo ou extraível ,5M fixo M fixo Limitados pelo valor de corrente suportável pela garra de força (250A), os valores de potência máxima são referenciados para sistemas de partida direta com tensão de operação 440/480V. Outros sistemas de partida e tensão deverão ter suas potências alteradas conforme cada tamanho de módulo. 2. Maior que 4M, somente sob consulta. smart CCM 4 smart CCM Dimensional e corrente máxima dos módulos

5 6. VANTAGENS 6. VANTAGENS O smart CCM destaca-se no mercado internacional baseado nas seguintes carcaterísticas: a) Possibilidade de extração do módulo em 04 posições (opcional) Posição inserida: tomadas de força assim como de comandos conectadas. Porta do módulo está bloqueada para abertura. Posição teste: tomadas de comando conectadas, tomadas de força desconectados. Porta do módulo está bloqueada para abertura. Posição extraída: tomadas de força e comandos desconectadas. Nessa posição é permitida a abertura da porta do módulo para a remoção total da gaveta do seu compartimento. Posição removida: módulo totalmente retirado da coluna. A B Gaveta com sistema de extração 4 posições: a) Gaveta removida b) Detalhe da gaveta inserida no modulo b) Sistema de aterramento do módulo (opcional) De modo a garantir a segurança operacional, os módulos podem contar com o sistema de aterramento da saída de força. O acionamento somente é permitido se o módulo está na posição extraída. c) Resistência a arco elétrico (configuração opcional) Para garantir as mais severas condições de operação, o smart CCM foi submetido ao ensaio de arco elétrico em todos os seus compartimentos (módulos fixos e extraíveis, entrada de cabos, barramentos). Além da garantia de segurança ao operador, devido ao confinamento do arco no interior do painel, o smart CCM foi qualificado em todos os critérios de ensaios previstos pela IEC TR61641, obtendo com isso a certificação de proteção a pessoas e também a qualificação de operação do conjunto com operação limitada após o arco, ou seja, o painel poderá continuar operando (com restrições) até posterior manutenção do sistema, não sendo necessária com isto a parada de operação na ocorrência de um arco interno no painel. d) Requisitos de segurança O disjuntor somente poderá ser manobrado com o plug de entrada totalmente inserido ou extraído. A porta somente poderá ser aberta com o disjuntor desligado e na posição teste. O módulo possui dispositivo que indica a posição inserida e teste. O disjuntor e o módulo somente poderão ser manobrados com a porta totalmente fechada. smart CCM Vantagens 5

6 6. VANTAGENS O módulo possui guilhotina que impede o acesso ao barramento vertical quando a gaveta está removida. e) Opcionais do painel Micro de posição. Sistema de aterramento. Compartimentação na saída (forma 4B). A prova de arco interno. Sistema de inserção de 04 posições. 7. NORMAS O smart CCM busca por meio de atendimento aos requisitos da IEC tornar-se um produto qualificado quanto aos aspectos de operacionalidade, segurança e garantia técnica do equipamento e materiais que o constituem. Abaixo os ensaios nos quais o painel foi submetido e aprovado, conforme a IEC e também a IEC TR Item Subitem Ensaio IEC IEC Verificação da resistência dos materiais e peças Resistência à corrosão - Severidade A Resistência dos materiais isolantes ao calor anormal Resistência dos materiais isolantes ao calor anormal Ensaio de suspensão 10.3 Verificação do grau de proteção 10.4 Verificação das distâncias de isolamento 10.5 Ensaio de proteção contra choques elétricos e integridade do circuito de proteção Ensaio de efetividade da continuidade do sistema de aterramento do circuito de proteção Ensaio de curto circuito no circuito de proteção 10.9 Ensaios de propriedades dielétricas Ensaio de tensão a frequência industrial Ensaio de impulso atmosférico Ensaio de elevação de temperatura Ensaio de curto circuito Ensaio de temperatura em conjunto completo, barramento geral e barramento de distribuição Verificação de resistência ao curto por ensaio Ensaios mecânicos 6 smart CCM Normas

7 IEC TR Critérios ensaiados Classificação do painel Critério n 1 - não haver a abertura de portas, tampas ou coberturas do CONJUNTO. Critério n 2 - não haver o arremesso à distância de partes do CONJUNTO que possam causar perigo (isto inclui grandes partes ou aquelas que tenham pontas ou bordas cortantes, como por exemplo, janelas de inspeção, dispositivos de alívio de sobrepressão, placas de cobertura, etc.). Critério n 3 - não haver perfurações nas paredes de livre acesso do CONJUNTO. Critério n 4 - não haver queima dos indicadores instalados verticalmente (indicadores incendiados pela queima de tintas ou adesivos estão excluídos desta avaliação). Critério n 5 - permanecer a efetividade do circuito de proteção (aterramento) das partes acessíveis do CONJUNTO. Critério n 6 - haver o confinamento do arco na área definida onde ele se iniciar e não haver a propagação para outras áreas do painel. Proteção de pessoas e do CONJUNTO. Critério n 7 - permitir a operação de emergência das áreas do CONJUNTO onde não ocorreu o arco, após a falta ter sido interrompida e após ter sido feito o isolamento ou a desmontagem das unidades funcionais afetadas pertencentes à área definida onde o arco ocorreu. Proteção de pessoas e do CONJUNTO com operação posterior limitada. IEC TR smart CCM Normas 7

8 Moving together Atualizações: ARTECHE_CT_smART_CCM_PT_A0 ARTECHE

CCM. Centro de Controle de Motores Conjunto de manobra e controle de baixa tensão. Painéis metálicos fabricados em aço carbono.

CCM. Centro de Controle de Motores Conjunto de manobra e controle de baixa tensão. Painéis metálicos fabricados em aço carbono. Centro de Controle de Motores Conjunto de manobra e controle de baixa tensão Painéis metálicos fabricados em aço carbono. Definição ( montado): é uma combinação de dispositivos e equipamentos de manobra,

Leia mais

xenergy Painéis TTA até 5000A Novembro, Eaton Corporation. All rights reserved.

xenergy Painéis TTA até 5000A Novembro, Eaton Corporation. All rights reserved. xenergy Painéis TTA até 5000A Novembro, 2011 2011 Eaton Corporation. All rights reserved. Posicionamento Alta Tensão Média Tensão Geração Baixa Tensão 400 690 V Residencial / Comercial Indústria Sistema

Leia mais

LINHA Bt100. Conjunto de Manobra e Controle de Baixa Tensão. Bt100

LINHA Bt100. Conjunto de Manobra e Controle de Baixa Tensão. Bt100 LINHA LINHA CARACTERÍSTICAS CONSTRUTIVAS Dimensões Altura: 2200mm., Largura: 700/900/1100mm., Profundidade: 400/600/800mm. Outras configurações conforme consulta; Estrutura fabricada em chapa de 1,90mm.

Leia mais

GE Industrial Solutions. Fix-o-Rail. Quadros de embutir e sobrepor. GE imagination at work

GE Industrial Solutions. Fix-o-Rail. Quadros de embutir e sobrepor. GE imagination at work GE Industrial Solutions Fix-o-Rail Quadros de embutir e sobrepor GE imagination at work Fix-o-Rail Quadros de distribuição de baixa tensão em conformidade com a Norma NBR IEC 60439-3. Fix-o-Rail são quadros

Leia mais

Motores Automação Energia Tintas. Automação Conjunto de Manobra e Controle de Média Tensão

Motores Automação Energia Tintas. Automação Conjunto de Manobra e Controle de Média Tensão Motores Automação Energia Tintas Automação Conjunto de Manobra e Controle de Média Tensão Os CMC s (Conjuntos de Manobra e Controle em M.T.) da WEG, são montados e testados em fábrica para tensões de 2,3

Leia mais

CCM. Centro de Controle de Motores Conjunto de manobra e controle de baixa tensão. Painéis metálicos fabricados em aço carbono.

CCM. Centro de Controle de Motores Conjunto de manobra e controle de baixa tensão. Painéis metálicos fabricados em aço carbono. Centro de Controle de Motores Conjunto de manobra e controle de baixa tensão Painéis metálicos fabricados em aço carbono. Definição ( montado): é uma combinação de dispositivos e equipamentos de manobra,

Leia mais

MATERIAIS PARA REDES APARELHAGEM AT E MT

MATERIAIS PARA REDES APARELHAGEM AT E MT MATERIAIS PARA REDES APARELHAGEM AT E MT Disjuntores AT/MT Características complementares Elaboração: DNT Homologação: conforme despacho do CA de 2007-02-13 Edição: 2ª. Substitui a edição de DEZ 1987 Emissão:

Leia mais

Proteção de sistema contra falha de isolamento Três níveis de sensibilidade: 100/300/500mA Conformidade IEC , EN , IEC

Proteção de sistema contra falha de isolamento Três níveis de sensibilidade: 100/300/500mA Conformidade IEC , EN , IEC Proteção de sistema contra falha de isolamento Três níveis de sensibilidade: 100/300/500mA Conformidade IEC 60947-2, EN60947-2, IEC 61009-1 ELCB - Disjuntor Diferencial Residual Os disjuntores Diferencial

Leia mais

Usina de Inovações Brasil Novembro 2008 SIPLUX E SIVACON S4

Usina de Inovações Brasil Novembro 2008 SIPLUX E SIVACON S4 Usina de Inovações Brasil Novembro 2008 SIPLUX E SIVACON S4 Painéis de distribuição e Centro de Controle de Motores para todas as aplicações em Baixa Tensão. O que se espera de um painel de Baixa tensão?

Leia mais

Linha de Quadros BELBOX. Apresentação

Linha de Quadros BELBOX. Apresentação Apresentação A Linha de Quadros Belbox possui ampla aplicação em projetos para os segmentos industrial, comercial e predial. Sua versatilidade possibilita a utilização como quadros para distribuição, comandos

Leia mais

Disjuntor Tripolar a Vácuo de MT Série HAF

Disjuntor Tripolar a Vácuo de MT Série HAF Disjuntor Tripolar a Vácuo de MT Série HAF Tensão Nominal (kv) 7,2 12 15 24 Capacidade de interrupção nominal ka Capacidade de estabelecimento ka 80 100 1 80 100 1 80 100 12,5 16 20 0A HAF10414 HAF10514

Leia mais

Distribuição e proteção de circuitos elétricos de baixo tensão Correntes nominais ajustáveis Correntes nominais até 1600A Disparador eletrônico de

Distribuição e proteção de circuitos elétricos de baixo tensão Correntes nominais ajustáveis Correntes nominais até 1600A Disparador eletrônico de Distribuição e proteção de circuitos elétricos de baixo tensão Correntes nominais ajustáveis Correntes nominais até 1600A Disparador eletrônico de sobrecorrente para sobrecarga e curto circuito Conformidade

Leia mais

QUADROS DE DISTRIBUIÇÃO. Quadro de distribuição de embutir Número de filas. Capacidade em módulos de 18mm

QUADROS DE DISTRIBUIÇÃO. Quadro de distribuição de embutir Número de filas. Capacidade em módulos de 18mm O quadro de distribuição (para uso interno) foi desenvolvido para instalação de dispositivos modulares DIN no setor residencial. Design ergonômico e facilidade de instalação. Com porta opaca, opções de

Leia mais

Fonte Bivolt 24 Vdc / 5 A

Fonte Bivolt 24 Vdc / 5 A Descrição do Produto A fonte de alimentação é uma solução para aplicações de uso geral no que se refere a alimentação de controladores programáveis, sensores e comando de quadro elétricos. Tem uma saída

Leia mais

CENTRO DE CONTROLE DE MOTORES (CCM) CCM GAVETA

CENTRO DE CONTROLE DE MOTORES (CCM) CCM GAVETA CCM GAVETA Aplicações Os CCMs BT GIMI são utilizados nos mais diversos segmentos do mercado: Químico e Petroquímico Siderurgia e Metalurgica Papel e Celulose Mineração e Cimento Alimentos e Bebidas Características

Leia mais

Consultoria Energética. menos custo, mais energia

Consultoria Energética. menos custo, mais energia Consultoria Energética menos custo, mais energia Os quadros eléctricos constam de um conjunto de diversos aparelhos de protecção e manobra agrupados numa ou mais colunas adjacentes. A Ibérica Eco-Racional

Leia mais

Motores Energia Automação Tintas. Disjuntores em Caixa Moldada

Motores Energia Automação Tintas. Disjuntores em Caixa Moldada Motores Energia Automação Tintas Tabela de Escolha Linha DWA - Disparadores Termomagnéticos Modelos Tripolares (versões de 2 e 4 pólos sob consulta) DWA160 DW161 Vca 690 690 690 690 690 Tensão Nominal

Leia mais

ACW Disjuntor em Caixa Moldada ACW. Motores I Automação I Energia I Transmissão & Distribuição I Tintas

ACW Disjuntor em Caixa Moldada ACW. Motores I Automação I Energia I Transmissão & Distribuição I Tintas ACW Disjuntor em Caixa Moldada ACW Motores I Automação I Energia I Transmissão & Distribuição I Tintas Disjuntor em Caixa Moldada ACW Com design moderno, compacto e disponíveis em 4 frames e correntes

Leia mais

/sonarengenharia

/sonarengenharia A Sonar Engenharia, empresa atuante nos setores de ELÉTRICA e GÁS, possui em seu quadro profissionais graduados em Engenharia Elétrica, Engenharia Mecânica, Eletrotécnica e Engenharia de Segurança no Trabalho.

Leia mais

Conjuntos de manobra e controle de potência

Conjuntos de manobra e controle de potência 26 Capítulo XII Conjuntos de manobra e controle resistentes aos efeitos de um arco interno - Descritivo Por Luiz Felipe Costa* Em continuidade ao tema abordado nos dois capítulos anteriores, este trabalho

Leia mais

MATERIAIS PARA REDES APARELHAGEM AT E MT

MATERIAIS PARA REDES APARELHAGEM AT E MT MATERIAIS PARA REDES APARELHAGEM AT E MT Disjuntores AT 72,5 kv Características Elaboração: DNT Homologação: conforme despacho do CA de 2007-02-13 Edição: 2ª. Substitui a edição de DEZ 1995 Emissão: EDP

Leia mais

RETROFIT RECEBIMENTO E ENTREGA DE PRODUTOS CONTROLE DE REVISÃO

RETROFIT RECEBIMENTO E ENTREGA DE PRODUTOS CONTROLE DE REVISÃO Elaborado por José Carlos de Andrade Visto Aprovado por José Francisco Campos Moreira Visto CONTROLE DE REVISÃO Revisão Data Item Natureza das alterações 0 09/04/2005 - Emissão inicial 1 21/09/2005 2 24/06/2006

Leia mais

Motores Automação Energia Tintas. Disjuntores em Caixa Moldada

Motores Automação Energia Tintas. Disjuntores em Caixa Moldada Motores Automação Energia Tintas da Tabela de Escolha Tensão Nominal Modelos Tripolares (versões de 2 e 4 pólos sob consulta) DWA 160 DW 161 Un Vca 690 690 690 690 690 Vcc 250 250 250 250 250 Corrente

Leia mais

Painéis de Média Tensão

Painéis de Média Tensão Painéis de Média Tensão ARCO INTERNO APROVADO 20kA/1s CEPEL - RJ Sumário Apresentação... 2 Principais Componentes... 3 Células de Entrada/Saída e Transição... 4 Células de Seccionamento... 5 Células de

Leia mais

Chave Seccionadora Abertura Sob Carga Isolada em SF6. Power Quality

Chave Seccionadora Abertura Sob Carga Isolada em SF6. Power Quality Chave Seccionadora Abertura Sob Carga Isolada em SF6 Power Quality Introdução As chaves de abertura sob carga isoladas em SF6, modelo JK-Arteche foram projetadas para atender as crescente exigências do

Leia mais

MQ5 CHAVE DE TRANSFERÊNCIA AUTOMATIZADA (ABERTURA SEM CARGA) MANUAL DE FUNCIONAMENTO

MQ5 CHAVE DE TRANSFERÊNCIA AUTOMATIZADA (ABERTURA SEM CARGA) MANUAL DE FUNCIONAMENTO MQ5 CHAVE DE TRANSFERÊNCIA AUTOMATIZADA (ABERTURA SEM CARGA) MANUAL DE FUNCIONAMENTO Chave de transferência automatizada - série MQ5 Um Tipo e significado MQ5 o tipo de controle (I; 0; II) o número de

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA N ODMN-VIT-ET SOFT-START PARA CONTROLE DE PARTIDA E PARADA DE MOTORES DE INDUÇÃO DE BAIXA TENSÃO ABRIL DE 2015

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA N ODMN-VIT-ET SOFT-START PARA CONTROLE DE PARTIDA E PARADA DE MOTORES DE INDUÇÃO DE BAIXA TENSÃO ABRIL DE 2015 SOFT-START PARA CONTROLE DE PARTIDA E PARADA DE MOTORES DE INDUÇÃO DE BAIXA TENSÃO ABRIL DE 2015 1/6 1 Descrição Soft-starter de baixa tensão trifásico para controle de partida e parada suaves de motor

Leia mais

MATERIAIS PARA REDES APARELHAGEM AT E MT

MATERIAIS PARA REDES APARELHAGEM AT E MT MATERIAIS PARA REDES APARELHAGEM AT E MT Disjuntores MT 36 kv Características Elaboração: DNT Homologação: conforme despacho do CA de 2007-02-13 Edição: 2ª. Substitui a edição de DEZ 1987 Emissão: EDP

Leia mais

INVERSOR DE EMERGÊNCIA SLIM

INVERSOR DE EMERGÊNCIA SLIM INVERSOR DE EMERGÊNCIA SLIM O Inversor de Emergência SLIM trata-se de um dispositivo que deve ser acoplado juntamente com um reator, transformando as luminárias fluorescentes em sistemas de iluminação

Leia mais

SOLUÇÕES EM QUALIDADE DE ENERGIA Soluções em média e alta tensão

SOLUÇÕES EM QUALIDADE DE ENERGIA Soluções em média e alta tensão SOLUÇÕES EM QUALIDADE DE ENERGIA Soluções em média e alta tensão 2 Moving together 1. PAINÉIS METÁLICOS, FILTROS DE HARMÔNICOS E BANCOS DE CAPACITORES 1. PAINÉIS METÁLICOS, FILTROS DE HARMÔNICOS E BANCOS

Leia mais

DISJUNTORES. Funções. b Proteção contra curtos-circuitos b Proteção dos cabos contra sobrecargas 1P. Disjuntores. 2P Disjuntores.

DISJUNTORES. Funções. b Proteção contra curtos-circuitos b Proteção dos cabos contra sobrecargas 1P. Disjuntores. 2P Disjuntores. 5 ka 127/230 V - 3 ka 230/400 V NOVIDADE NOVIDADE NOVIDADE DISJUNTORES b Proteção contra curtos-circuitos b Proteção dos cabos contra sobrecargas 2 A - EZ9F33102 4 A - EZ9F33104 6 A EZ9F13106 EZ9F33106

Leia mais

Características Técnicas Série Quasar

Características Técnicas Série Quasar Descrição do Produto A Série Quasar é uma linha de painéis tipo CCMi (centro de controle de motores inteligente) para baixa tensão e correntes até 3150 A, ensaiados conforme a norma NBR/IEC 60439-1 - TTA

Leia mais

MATERIAIS PARA REDES APARELHAGEM AT E MT

MATERIAIS PARA REDES APARELHAGEM AT E MT MATERIAIS PARA REDES APARELHAGEM AT E MT Disjuntores MT 17,5 kv Características Elaboração: DNT Homologação: conforme despacho do CA de 2007-02-13 Edição: 2ª. Substitui a edição de DEZ 1987 Emissão: EDP

Leia mais

Centro de Controle de Motores e Distribuição de Cargas Centerline Características de segurança

Centro de Controle de Motores e Distribuição de Cargas Centerline Características de segurança Centro de Controle de Motores e Distribuição de Cargas Centerline 2500 Características de segurança Filosofia de segurança Com mais de 100 anos de experiência em controle de motores, o Centro de Controle

Leia mais

Ensaios de tipo e de rotina Por Luiz Felipe Costa*

Ensaios de tipo e de rotina Por Luiz Felipe Costa* 46 Capítulo V Ensaios de tipo e de rotina Por Luiz Felipe Costa* Além de todos os cuidados mencionados em capítulos anteriores quanto a interação de um equipamento com o sistema elétrico, em que ele vai

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO PARA MESA DE PASSADORIA THEOBOARD 03 CONFORME NORMAS DA NR-12

MANUAL DE INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO PARA MESA DE PASSADORIA THEOBOARD 03 CONFORME NORMAS DA NR-12 MANUAL DE INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO PARA MESA DE PASSADORIA THEOBOARD 03 CONFORME NORMAS DA NR-12 SINAIS DE ATENÇÃO! Atenção! Alta Voltagem 230/240V Atenção! Superfície quente! Vapor quente ou líquido. Atenção!

Leia mais

Instalações Elétricas de BT I. Odailson Cavalcante de Oliveira

Instalações Elétricas de BT I. Odailson Cavalcante de Oliveira Instalações Elétricas de BT I Odailson Cavalcante de Oliveira NBR 5410 Evolução: Primeira edição em 1941 (Norma Brasileira para Execução de Instalações Elétricas). Segunda edição em 1960. Terceira edição

Leia mais

VBWK Módulo de Entrada em MT para Instalações em Alvenaria. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas

VBWK Módulo de Entrada em MT para Instalações em Alvenaria. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas VBWK Módulo de Entrada em MT para Instalações em Alvenaria Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Solução Integrada para Instalações em Alvenaria O kit de entrada em média tensão VBWK

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DOCUMENTAÇÃO (LEGAL) REGULAMENTAR E NORMATIVA APLICÁVEL REGRAS DAS INSTALAÇÕES ELÉCTRICAS DE BAIXA TENSÃO - Portaria 949-A/2006 de 11 de Setembro DIRECTIVA DE BAIXA TENSÃO 2006/95/CE - Decreto-lei 6/2008,

Leia mais

Dados Técnicos. DADOS DE ENTRADA Fronius Galvo 2.0-5. Potência CC máxima para cos φ=1. Máx. corrente de entrada. Min.

Dados Técnicos. DADOS DE ENTRADA Fronius Galvo 2.0-5. Potência CC máxima para cos φ=1. Máx. corrente de entrada. Min. Dados Técnicos DADOS DE ENTRADA Fronius Galvo 2.0-5 Potência CC máxima para cos φ=1 2,650 W Máx. corrente de entrada 16.6 A Máx. tensão de entrada 24.8 A Faixa de tensão MPP 165 V Min. tensão de entrada

Leia mais

Harmonia e robustez em qualquer ambiente. com quadros modulares. Pragma

Harmonia e robustez em qualquer ambiente. com quadros modulares. Pragma Harmonia e robustez em qualquer ambiente com quadros modulares Pragma Personalizável? Muito, muito personalizável Pragma, o quadro que se integra a qualquer ambiente Pragma, a nova oferta de quadros modulares

Leia mais

Water Cooled Motor refrigerado à água

Water Cooled Motor refrigerado à água Motores I Automação I Energia I Transmissão & Distribuição I Tintas Water Cooled Motor refrigerado à água Baixo nível de ruído Fácil manutenção Baixo custo operacional Motores Water Cooled Os motores refrigerados

Leia mais

Relé de disparo extra rápido RJ-4XR4. Manual do usuário

Relé de disparo extra rápido RJ-4XR4. Manual do usuário Relé de disparo extra rápido RJ-4XR4 Manual do usuário 651601452 Rev: V4 Data: 04/11/2013 Electrotécnica Arteche Smart Grid, S.L. DOCUMENTO DE USO RESTRITO. Fica proibida a reprodução total ou parcial

Leia mais

Manual de instruções

Manual de instruções Manual de instruções Carregador de Bateria Monofásico Versão: 4 Sumario 1. Descrição---------------------------------------------------------------------- 3 1.1 Composição Básica----------------------------------------------

Leia mais

Novas Chaves Seccionadoras de Baixa Tensão ABB

Novas Chaves Seccionadoras de Baixa Tensão ABB Folheto Técnico Novas Chaves Seccionadoras de Baixa Tensão ABB Chaves Seccionadoras Sob Carga Linha OT - 200...400 A Chaves Seccionadoras Sob Carga com Base Fusível Linha OS - 200 e 250 A OT 200...400

Leia mais

Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações

Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações Normas, Testes e Certificações de Painéis Elétricos FOTO DO PALESTRANTE (a organização tem a foto) Fernando Costa fernando.costa@rittal.com.br

Leia mais

SAFETY Tecnologia de Safety Passivo

SAFETY Tecnologia de Safety Passivo SAFETY Tecnologia de Safety Passivo Fiação SAFETY MVK Metálico Cube67 MASI67 / MASI68 02 O MÓDULO SAFETY Combinados de forma inteligente, módulos de rede de campo e saídas seguras de acordo com as exigências

Leia mais

3M Terminal Contrátil a Frio QT-II Série 5620

3M Terminal Contrátil a Frio QT-II Série 5620 3M Terminal Contrátil a Frio QT-II Série 5620 Corpo Isolador em Borracha de Silicone Classe Tensão 3,6/6 kv a 8,7/15 kv Ambientes Internos Boletim Técnico Março 2014 Descrição do produto Os conjuntos de

Leia mais

LINHA Bt200. Conjunto de Manobra e Controle de Baixa Tensão. Bt200

LINHA Bt200. Conjunto de Manobra e Controle de Baixa Tensão. Bt200 LINHA LINHA CARACTERÍSTICAS CONSTRUTIVAS Dimensões Altura: 2400mm., Largura: 600/700/800mm., Profundidade: 600/800mm. Outras configurações conforme consulta; Estrutura fabricada em chapa de 2,65mm. (12MSG),

Leia mais

Anexo V - Quadro de Saída do No-Break para Iluminação do Plenário QSNB-ILUM-PLENÁRIO

Anexo V - Quadro de Saída do No-Break para Iluminação do Plenário QSNB-ILUM-PLENÁRIO Anexo V - Quadro de Saída do No-Break para Iluminação do Plenário QSNB-ILUM-PLENÁRIO APRESENTAÇÃO Quadro de sobrepor ou autoportante, padrão TTA, composto de tantas caixa(s) e cela(s) para cabos quanto

Leia mais

INVERSOR DE EMERGÊNCIA

INVERSOR DE EMERGÊNCIA INVERSOR DE EMERGÊNCIA O Inversor de Emergência trata-se de um dispositivo que deve ser acoplado juntamente com um reator, transformando as luminárias fluorescentes em sistemas de iluminação normal e emergência.

Leia mais

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE BAIXA TENSÃO

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE BAIXA TENSÃO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE BAIXA TENSÃO A norma brasileira para instalações elétricas de baixa tensão é a NBR 5410 Fixa as condições que as instalações de baixa tensão devem atender; Primeira edição de 1941;

Leia mais

Easy9 A melhor escolha

Easy9 A melhor escolha Easy9 A melhor escolha Segurança Conforto Praticidade > PROTEÇÃO DA INSTALAÇÃO Disjuntores modulares Easy9 A oferta de disjuntores modulares Easy9 é destinada ao comando e à proteção da instalação elétrica

Leia mais

Modelo CSL de 15kV e 20kV Seccionador Unipolar

Modelo CSL de 15kV e 20kV Seccionador Unipolar Modelo CSL de 15kV e 20kV Seccionador Unipolar Documento sujeito a alterações. Moving together 2 1. PLICÇÕES 1. PLICÇÕES s chaves a óleo tipo CSL são projetadas para chaveamento de banco de capacitores,

Leia mais

Entre (F / N), (F / PE) e (F / PEN) Tecnologia de proteção. Varistor de Óxido de Zinco - MOV Tempo de resposta

Entre (F / N), (F / PE) e (F / PEN) Tecnologia de proteção. Varistor de Óxido de Zinco - MOV Tempo de resposta VC L Dispositivo de Proteção contra Surtos (DPS) com tecnologia de proteção baseada na utilização de varistor de óxido de zinco (). -Três locais para marcadores/identificadores; -Encaixe em trilho ( linha

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO Nº 57

COMUNICADO TÉCNICO Nº 57 Página 1 de 14 COMUNICADO TÉCNICO Nº 57 ALTERAÇÃO DO PADRÃO DE CONJUNTOS BLINDADOS PARA LIGAÇÃO DE CLIENTES ATENDIDOS EM MT Diretoria de Engenharia e Serviços Gerência de Engenharia da Distribuição ELABORADO

Leia mais

Série Quasar. Quadro Geral de Baixa Tensão Quadro de Distribuição Centro de Controle de Motores Inteligente. www.altus.com.br

Série Quasar. Quadro Geral de Baixa Tensão Quadro de Distribuição Centro de Controle de Motores Inteligente. www.altus.com.br Série Quasar Quadro Geral de Baixa Tensão Quadro de Distribuição Centro de Controle de Motores Inteligente www.altus.com.br Na medida exata para seu negócio Modular: ampla variedade de configurações para

Leia mais

Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações

Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações Normas, Testes e Certificações de Painéis Fabricio Gonçalves fabricio.goncalves@rittal.com.br fabricio.goncalves@gmail.com Para que servem

Leia mais

TTW01 Painéis Totalmente Testados

TTW01 Painéis Totalmente Testados Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas TTW01 Painéis Totalmente Testados TTA/PTTA Painéis Totalmente Testados * NBR IEC 60439-1/3 * Painéis Totalmente Testados Sumário Introdução

Leia mais

SUPRESSOR DE TRANSIENTE E ANTI-SURGE PROFIBUS-DP

SUPRESSOR DE TRANSIENTE E ANTI-SURGE PROFIBUS-DP MANUAL DO USUÁRIO SUPRESSOR DE TRANSIENTE E ANTI-SURGE PROFIBUS-DP SUP303 S U P 3 0 3 M P smar www.smar.com.br Especificações e informações estão sujeitas a modificações sem prévia consulta. Informações

Leia mais

Inversor modular de comando motorizado de 63 a 160 A HIC 400A

Inversor modular de comando motorizado de 63 a 160 A HIC 400A Inversor modular de comando motorizado de 6 a 60 A HIC 00A Inversor modular de comando motorizado com alto poder de fecho em curto-circuito (Icm) versão: P Ith (0 C) de 6 a 60 A n 0/00 V IP 0 Função: Asseguram

Leia mais

Principais características DADOS TÉCNICOS Características elétricos Características mecânicas

Principais características DADOS TÉCNICOS Características elétricos Características mecânicas Botões de Comando e Sinalização Ø 22mm HB2-E (Plastico) A linha de Botões de comando e Sinalizações HB2-E com seu design moderno, alta confiabilidade e baixo custo, com grandes variedades de configurações,

Leia mais

Tipo Contator de Potência

Tipo Contator de Potência Fabricante de relés e temporizadores desde 1954 Tipo Contator de Potência Características Contator de Potência Contatos NA com abertura > 3mm com dupla abertura Energização contínua para bobina e contatos

Leia mais

GE Energy Management Industrial Solutions. Dilos/Fulos/Fulos Plus. Chaves Seccionadoras sob Carga Chaves Seccionadoras sob Carga com Base Fusível

GE Energy Management Industrial Solutions. Dilos/Fulos/Fulos Plus. Chaves Seccionadoras sob Carga Chaves Seccionadoras sob Carga com Base Fusível GE Energy Management Industrial Solutions Dilos/Fulos/Fulos Plus Chaves Seccionadoras sob Carga Chaves Seccionadoras sob Carga com Base Fusível 2 Dilos/Fulos Chaves rotativas sob carga Dilos, Fulos e Fulos

Leia mais

Características Técnicas Característica do Corpo Materiais Invólucro Zamak injetado pintado Alumínio e plástico injetado 10A 380V

Características Técnicas Característica do Corpo Materiais Invólucro Zamak injetado pintado Alumínio e plástico injetado 10A 380V Chaves Fim de Curso - Linha ME/TZ Metálica Principais Características * 1 entrada de cabos. * Grau de proteção IP 64. * Cabeçotes intercambiáveis entre todos os corpos. * Longa vida mecânica. * Conformidades

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS COMENTADAS SOBRE NR 13

PERGUNTAS E RESPOSTAS COMENTADAS SOBRE NR 13 PERGUNTAS E RESPOSTAS COMENTADAS SOBRE NR 13 O que são vasos e caldeiras para fins de aplicação da NR 13? Caldeiras a vapor são equipamentos destinados a produzir e acumular vapor sob pressão superior

Leia mais

Motores Energia Automação Tintas

Motores Energia Automação Tintas Motores Energia Automação Tintas Automação Minidisjuntores MDW Disjuntores em Caixa Moldada Predial DWP Interruptores Diferenciais Residuais RDW Dispositivo de Proteção Contra Surto SPW Índice Minidisjuntores

Leia mais

3.5 mm distância entre pinos 1 contato 12 A Para c.i. ou base série 95 A2 A

3.5 mm distância entre pinos 1 contato 12 A Para c.i. ou base série 95 A2 A .3 =.7.3 =.7.3 =.7 Série 4 - Mini relé para circuito impresso 8 - - 6 A Características 4.3 4.5 4.6 e contatos - Baixo perfil (altura 5.7 mm) 4.3 - contato A (3.5 mm de distância entre pinos dos contatos)

Leia mais

BR03 SECCIONADORAS KNS, KNF E KNT.

BR03 SECCIONADORAS KNS, KNF E KNT. BR03 SECCIONADORAS KNS, KNF E KNT www.krausnaimer.com.br Seccionadoras KNS Produzidas de acordo com as normas IEC 60947-3, as seccionadoras da Kraus & Naimer, são compactas e resistentes. Fabricadas com

Leia mais

Para isolação e conversão de tensões e correntes alternadas senoidais em sinais padronizados.

Para isolação e conversão de tensões e correntes alternadas senoidais em sinais padronizados. Transmissores CA/CC Para isolação e conversão de tensões e correntes alternadas senoidais em sinais padronizados. As Vantagens A classe de precisão é de 0,5 não há necessidade de reajustar as faixas comutáveis.

Leia mais

Série 41 - Mini relé para circuito impresso A. Características SÉRIE

Série 41 - Mini relé para circuito impresso A. Características SÉRIE Série 41 - Mini relé para circuito impresso 8-12 - 16 SÉRIE 41 Características 41.31 41.52 41.61 1 e 2 contatos - Baixo perfil (altura 15.7 mm) 41.31-1 contato 12 (3.5 mm de distância entre pinos dos contatos)

Leia mais

CERTIFICADO DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2008

CERTIFICADO DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2008 EMPRESA 08 de maio de 1971 - O Engº Paschoal Graziano, com vasta experiência no mercado de eletroeletrônica, e o filho Engº Nunziante Graziano Neto, com a garra e a determinação de um jovem engenheiro,

Leia mais

TERMINADOR ATIVO PROFIBUS-DP

TERMINADOR ATIVO PROFIBUS-DP MANUAL DO USUÁRIO TERMINADOR ATIVO PROFIBUS-DP AT303 A T 3 0 3 M P smar www.smar.com.br Especificações e informações estão sujeitas a modificações sem prévia consulta. Informações atualizadas dos endereços

Leia mais

TECNOLOGIAS APLICÁVEIS AOS PAINÉIS ELÉTRICOS DE MÉDIA TENSÃO ISOLADOS A GÁS SF6

TECNOLOGIAS APLICÁVEIS AOS PAINÉIS ELÉTRICOS DE MÉDIA TENSÃO ISOLADOS A GÁS SF6 TECNOLOGIAS APLICÁVEIS AOS PAINÉIS ELÉTRICOS DE MÉDIA TENSÃO ISOLADOS A GÁS SF6 CONSIDERAÇÕES INICIAIS Esta apresentação tem por foco tecer algumas considerações voltadas para as tecnologias do gás SF6

Leia mais

Principais características DADOS TÉCNICOS Características elétricos Características mecânicas

Principais características DADOS TÉCNICOS Características elétricos Características mecânicas Botões de Comando e Sinalização Ø 22mm HB2-E (Plastico) A linha de Botões de comando e Sinalizações HB2-E com seu design moderno, alta confiabilidade e baixo custo, com grandes variedades de configurações,

Leia mais

2 Materiais e Equipamentos Elétricos Capítulo 9 Mamede

2 Materiais e Equipamentos Elétricos Capítulo 9 Mamede 2 Materiais e Equipamentos Elétricos Capítulo 9 Mamede 1 De modo geral para a especificação de materiais e equipamentos, é necessário conhecer: Tensão nominal; Corrente Nominal; Frequência nominal; Potência

Leia mais

Dispositivos de proteção contra surtos - DPS

Dispositivos de proteção contra surtos - DPS contra surtos - Os dispositivos de proteção contra surtos () são destinados à proteção das instalações elétricas e dos equipamentos elétricos e eletrônicos contra os efeitos diretos e indiretos causados

Leia mais

SOLDA DE CORTE PLASMA 40

SOLDA DE CORTE PLASMA 40 *imagens meramente ilustrativas SOLDA DE CORTE PLASMA 40 Manual De Instruções 1. DADOS TÉCNICOS MÁQUINA DE CORTE PLASMA 40 Modelo Plasma 40 Corrente nominal 40A Tensão em vazio máxima 280V Ciclo de trabalho

Leia mais

Apresentado por Hilton Moreno

Apresentado por Hilton Moreno Apresentado por Hilton Moreno Cuidando dos seus bens mais valiosos. Um projeto de conscientização e orientação sobre a necessidade de modernizar as instalações elétricas, minimizando os riscos de acidentes,

Leia mais

Contatores e combinações de contatores

Contatores e combinações de contatores Dispositivo /06/0 :8 Page 86 es e combinações de contatores es para manobra de motores es 3RT Schütze und Schützkombinationen s a S2 Circuito auxiliar Dados nominais dos contatos auxiliares conforme IEC

Leia mais

CALHAS TÉCNICAS FICHA TÉCNICA SÉRIE 10 - MOLDURAS (SELEÇÃO DE CALHAS) CALHAS. 12x7 (IK05) 12x7 Adesiva (IK05) 16x10. 16x10 Adesiva.

CALHAS TÉCNICAS FICHA TÉCNICA SÉRIE 10 - MOLDURAS (SELEÇÃO DE CALHAS) CALHAS. 12x7 (IK05) 12x7 Adesiva (IK05) 16x10. 16x10 Adesiva. TÉCNICAS SÉRIE 0 - MOLDURAS (SELEÇÃO DE ) Interiores Comp. Útil (Su) (m) (S:,4),5mm,5mm 4mm 6mm x7 (IK05) x7 Adesiva (IK05) 000 CBR 000 FBR 0x5,0 6, 44 5 5 4 3 6x0 6x0 Adesiva 000 CBR 000 FBR x8,0 86 8

Leia mais

Diego Amaral, 16 de Outubro de 2015 PPHV Para raios Workshop

Diego Amaral, 16 de Outubro de 2015 PPHV Para raios Workshop Diego Amaral, 16 de Outubro de 2015 PPHV Para raios Workshop Conteúdo Treinamento Para raios de Alta Tensão. Overview - O que é? - Para que serve?. Portfólio ABB - Para raios de baixa tensão - Para raios

Leia mais

ECOM EMPRESA DE CONSTRUÇÕES, CONSULTORIA E MEIO AMBIENTE LTDA.

ECOM EMPRESA DE CONSTRUÇÕES, CONSULTORIA E MEIO AMBIENTE LTDA. PROJETO DE INSTALAÇÕES ELETRICAS DE BAIXA TENSÃO MERCADO DO SÃO JOAQUIM BAIRRO SÃO JOAQUIM, TERESINA - PI TERESINA PI AGOSTO/2014 MEMORIAL DESCRITIVO INST. ELÉTRICAS DE BAIXA TENSÃO 1.0 IDENTIFICAÇÃO Obra:

Leia mais

QUADROS DE DISTRIBUIÇÃO

QUADROS DE DISTRIBUIÇÃO QUADROS DE DISTRIBUIÇÃO perfeitos para o seu projeto www.alumbra.com.br beleza e segurança agora em uma linha completa em uma instalação elétrica, toda escolha é muito importante: seja na etapa de infraestrutura,

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO Nº 21 PROCEDIMENTOS PARA HOMOLOGAÇÃO DE CON- JUNTOS BLINDADOS PARA UTILIZAÇÃO EM SEE

COMUNICADO TÉCNICO Nº 21 PROCEDIMENTOS PARA HOMOLOGAÇÃO DE CON- JUNTOS BLINDADOS PARA UTILIZAÇÃO EM SEE 1 COMUNICADO TÉCNICO Nº 21 PROCEDIMENTOS PARA HOMOLOGAÇÃO DE CON- JUNTOS BLINDADOS PARA UTILIZAÇÃO EM SEE 2 1. OBJETIVO Comunicar os procedimentos que devem ser adotados para homologação de conjuntos blindados

Leia mais

Sistema de Distribuição de Energia Elétrica com Barramentos Blindados para Edifícios de Uso Coletivo com Medição Centralizada

Sistema de Distribuição de Energia Elétrica com Barramentos Blindados para Edifícios de Uso Coletivo com Medição Centralizada Sistema de Distribuição de Energia Elétrica com Barramentos Blindados para Edifícios de Uso Coletivo com Medição Centralizada Barramentos Blindados Novemp - Tipos de Barramentos - Vantagens - Sistema Modular

Leia mais

EVENTO BUS WAY ACE/CELESC

EVENTO BUS WAY ACE/CELESC EVENTO BUS WAY ACE/CELESC DISJUNTORES Definição Disjuntor Disjuntor: dispositivo de seccionamento automático para proteção de circuitos elétricos. Normas Vigentes no Brasil * NBR NM 60898:2004 (em processo

Leia mais

Painéis do tipo SIMOSEC até 24 kv, isolados a ar, ampliáveis

Painéis do tipo SIMOSEC até 24 kv, isolados a ar, ampliáveis Painéis do tipo SIMOSEC até 24 kv, isolados a ar, ampliáveis Painéis de média tensão Totally Integrated Power SIMOSEC Catálogo HA 41.43 Edição Setembro 2015 siemens.com/medium-voltage-switchgear Figuras

Leia mais

Sistema TermoMistura

Sistema TermoMistura Sistema TermoMistura ESTABILIZADOR DE TEMPERATURA Linha MGE- 90 Aquecedores para Molde Sistema sem reservatório com bomba Sistema de troca direta ( Alta Vazão de água Alto poder de refrigeração ) O estabilizador

Leia mais

Motores de indução trifásicos e dispositivos de acionamento. Motores de indução trifásicos e dispositivos de acionamento

Motores de indução trifásicos e dispositivos de acionamento. Motores de indução trifásicos e dispositivos de acionamento Motores de indução trifásicos e dispositivos de acionamento Motores de indução trifásicos e dispositivos de acionamento - Tipos e características de motores trifásicos; -. Introdução com rotor gaiola de

Leia mais

POSTOS DE COMANDO EM POLIAMIDA Tamanhos 1, 2 e 3 (segurança aumentada)

POSTOS DE COMANDO EM POLIAMIDA Tamanhos 1, 2 e 3 (segurança aumentada) POSTOS DE COMANDO EM POLIAMIDA Tamanhos 1, 2 e 3 (segurança aumentada) NA98603-24 Atmosferas explosivas Zonas 1 e 2, 21 e 22 - Grupos IIA, IIB e IIC Grau de proteção: IP 66 IEC 60529, CENELEC EN 60529

Leia mais

1 contato, 10 A Material dos contatos AgNi + Au Conexão a parafuso Montagem em trilho 35 mm (EN 60715) 7.xxx.5050

1 contato, 10 A Material dos contatos AgNi + Au Conexão a parafuso Montagem em trilho 35 mm (EN 60715) 7.xxx.5050 Série 49 - Relé modular de interface 8-10 - 16 A SÉRIE 49 Características 49.31-50x0 49.52/72-50x0 1 e 2 contatos - relé modular de interface Contatos com 5 µm de ouro para comutação de cargas de baixa

Leia mais

Partida de Motores Elétricos de Indução

Partida de Motores Elétricos de Indução Partida de Motores Elétricos de Indução 1 Alta corrente de partida, podendo atingir de 6 a 10 vezes o valor da corrente nominal. NBR 5410/04: a queda de tensão durante a partida de um motor não deve ultrapassar

Leia mais

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC ENSAIO

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC ENSAIO ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO Norma de Origem: NIT-DICLA-016 Folha: 1 Total de Folhas: 10 RAZÃO SOCIAL/DESIGNAÇÃO DO LABORATÓRIO INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS DO ESTADO DE SÃO

Leia mais

Tomadas e Plugues - Série PRE 63 A Segurança Aumentada

Tomadas e Plugues - Série PRE 63 A Segurança Aumentada Tomadas e s - Série PRE 63 A IK10 Aplicações Tomadas e plugues são utilizados com dispositivos elétricos portáteis ou xos como: Dispositivos para soldagem; sistemas de iluminação; transportadores; aquecedores;

Leia mais

Fonte de soldagem MIG-MAG

Fonte de soldagem MIG-MAG Fonte de soldagem MIG-MAG Linha Industrial - MB 450 LD/DW Linha Nacional e Internacional Merkle Fontes de soldagem MIG-MAG Fontes de soldagem MIG pulsadas Fontes de soldagem TIG DC Fontes de soldagem TIG

Leia mais

(atualizada em 11/2006) NBR 5667-1:06 Hidrantes urbanos de incêndio de ferro fundido dúctil - Parte 1 - Hidrantes de Coluna NBR 5667-2:06 Hidrantes urbanos de incêndio de ferro dúctil - Parte 2 - Hidrantes

Leia mais

Termo de Homologação do Pregão Eletrônico Nº 00014/2015

Termo de Homologação do Pregão Eletrônico Nº 00014/2015 13/01/2016 COMPRASNET O SITE DE COMPRAS DO GOVERNO Pregão Eletrônico Termo de Homologação do Pregão Eletrônico Nº 00014/2015 Às 16:55 horas do dia 28 de dezembro de 2015, após constatada a regularidade

Leia mais

Painéis do tipo SIMOSEC até 24 kv, isolados a ar, ampliáveis

Painéis do tipo SIMOSEC até 24 kv, isolados a ar, ampliáveis www.siemens.com/medium-voltage-switchgear Painéis do tipo SIMOSEC até 24 kv, isolados a ar, ampliáveis Painéis de média tensão Catálogo HA 41.43 2014 Answers for infrastructure and cities. Figuras novas

Leia mais

Luminária de emergência a led de alta potência substitui outras luminárias de emergência a led de baixa eficiência e baixa durabilidade da bateria.

Luminária de emergência a led de alta potência substitui outras luminárias de emergência a led de baixa eficiência e baixa durabilidade da bateria. DESCRIÇÃO Luminária de emergência a led de alta potência substitui outras luminárias de emergência a led de baixa eficiência e baixa durabilidade da bateria. APLICAÇÕES Indicada para todas as áreas prediais,

Leia mais