Relatório de Estágio Mestrado Integrado em Medicina OBESIDADE NOS CUIDADOS DE SAÚDE PRIMÁRIOS. Marta Alexandra Araújo Oliveira da Silva

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Relatório de Estágio Mestrado Integrado em Medicina OBESIDADE NOS CUIDADOS DE SAÚDE PRIMÁRIOS. Marta Alexandra Araújo Oliveira da Silva"

Transcrição

1 Relatório de Estágio Mestrado Integrado em Medicina OBESIDADE NOS CUIDADOS DE SAÚDE PRIMÁRIOS Marta Alexandra Araújo Oliveira da Silva Orientador Maria Helena Cardoso Pereira da Silva Co-Orientador Cecília Ferreira de Almeida Porto 2009

2 Resumo A obesidade é definida por um IMC 30 e está associada a inúmeras co-mobilidades. A sua prevalência a nível mundial tem aumentado dramaticamente nas últimas décadas, sendo tão elevada que a OMS considera esta doença a epidemia global do século XXI. Em Portugal a obesidade também constitui um sério problema de saúde pública. Neste sentido, realizei um estágio extra-curricular, com a duração total de aproximadamente 400 horas, inserido na área dos Cuidados de Saúde Primários, que teve como principais objectivos implementar uma estratégia de redução de peso em utentes obesos no contexto dos cuidados de saúde primários, bem como iniciar um programa de rastreio de co-morbilidades associadas à obesidade. Foram rastreados 174 utentes, dos quais resultaram 30 obesos que participaram no programa. Este consistiu em reuniões individuais que tinham por objectivos uma educação terapêutica, abordando temas como estilos de vida saudáveis, co-morbilidades associadas à obesidade e benefícios da perda de peso; e o rastreio de co-morbilidades existentes nos doentes obesos. Durante o estágio, tive ainda a oportunidade de participar em actividades no âmbito da saúde pública relacionadas com a prevenção da obesidade. Com o objectivo de avaliar a eficácia das estratégias implementadas, desenvolvi ainda, em paralelo, um projecto de investigação que tem por tema Obesidade e excesso de peso: eficácia da abordagem ao nível dos cuidados de saúde primários. Este estágio excedeu por completo as minhas expectativas em termos de ganhos profissionais e principalmente pessoais. Permitiu-me desenvolver competências na área da comunicação e da liderança e aprofundar conhecimentos relativos à obesidade. Fui ainda confrontada com a necessidade de me adaptar à população-alvo. De todas as vivências, a que mais me marcou foi, sem dúvida alguma, a adaptação à responsabilidade. Foi um trabalho gratificante, que contribuiu enormemente para me preparar para o exercício profissional autónomo e responsável das minhas actividades futuras como médica. II

3 Agradecimentos Gostaria de agradecer à Dra. Helena Cardoso pela orientação e motivação, à Dra. Cecília Almeida pelos esforços incansáveis que tornaram possível a concretização do estágio, à Dra. Odete Pinho pelo apoio e disponibilidades constantes e aos funcionários do Centro de Saúde de Castelo de Paiva (enfermeiros, administrativos e auxiliares) sem a colaboração dos quais a implementação do estágio teria sido impossível. Queria ainda agradecer aos meus pais pelo apoio, disponibilidade, paciência e motivação que demonstraram ao longo de todo este percurso. III

4 Abreviaturas CV - cardiovasculares DCV Distúrbios cardiovasculares DM2 Diabetes tipo 2 EAM Enfarte agudo do miocárdio HTA Hipertensão arterial IMC Índice de massa corporal OMS Organização Mundial de Saúde ONG s Organizações não-governamentais ONSA Observatório Nacional de Saúde PC Perímetro Cintura RMF Recomendações Médico de Família RR Riscos Relativos SPEO Sociedade Portuguesa para o Estudo da Obesidade TA Tensão Arterial IV

5 Índice Geral Resumo... II Agradecimentos. III Abreviaturas... IV I - Introdução Teórica a Obesidade 1 - Classificação Epidemiologia. 3 - Etiologia Consequências da Obesidade. 5 - Benefícios da perda de peso Custos da Obesidade 8 - Estratégias de Combate à Obesidade 8 - Definição do Problema.. 14 II Desenvolvimento 15 A. Actividades Realizadas. 15 B. Conhecimentos Adquiridos e Vivências Emocionais Experimentadas. 17 III Conclusões. 20 IV Bibliografia. 22 V Anexos 28 V

A Doença Cardiovascular e a Evidência da Consulta de Enfermagem

A Doença Cardiovascular e a Evidência da Consulta de Enfermagem A Doença Cardiovascular e a Evidência da Consulta de Enfermagem XXXII Congresso Português de Cardiologia Enf.ª Patrícia Alves UCIC CHVNGaia/Espinho,Epe Abril 2011 PATOLOGIA CARDIOVASCULAR Principal causa

Leia mais

REGISTO BIOGRÁFICO CLÍNICO - PROJETOS SAÚDE EM DIA

REGISTO BIOGRÁFICO CLÍNICO - PROJETOS SAÚDE EM DIA REGISTO BIOGRÁFICO CLÍNICO - PROJETOS SAÚDE EM DIA Projeto: Data da : Professor Responsável: Enfermeiras Técnicos: Ana Cardoso; Daniela Santos Data da : 15-04-2014 Data da : 15-04-2014 IMC /m2 IMC /m2

Leia mais

19/04/2016. Profª. Drª. Andréa Fontes Garcia E -mail:

19/04/2016. Profª. Drª. Andréa Fontes Garcia E -mail: Profª. Drª. Andréa Fontes Garcia E -mail: andrea@salesiano-ata.br 1 A Obesidade Definida como doença crônica caracterizada pelo excesso de peso corporal Decorre na maior parte dos casos de um desequilíbrio

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Paço de Arcos. Projeto. Clube de Nutrição

Agrupamento de Escolas de Paço de Arcos. Projeto. Clube de Nutrição Agrupamento de Escolas de Paço de Arcos Projeto Clube de Nutrição julho de 2013 1. Enquadramento A Obesidade é provavelmente o maior problema, relacionado com a saúde, que a sociedade moderna apresenta.

Leia mais

O que é a obesidade? Nas doenças associadas destacam-se a diabetes tipo II e as doenças cardiovasculares.

O que é a obesidade? Nas doenças associadas destacam-se a diabetes tipo II e as doenças cardiovasculares. obesidade O que é a obesidade? A obesidade é considerada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) a epidemia do século XXI! O excesso de peso e a obesidade são diferentes graus de uma doença em que se verifica

Leia mais

Estudo de prevalência da hipertensão arterial, excesso de peso e obesidade no concelho de Vizela em

Estudo de prevalência da hipertensão arterial, excesso de peso e obesidade no concelho de Vizela em Estudo de prevalência da hipertensão arterial, excesso de peso e obesidade no concelho de Vizela em 2007-2010 Guimarães A. Unidade de Saúde Familiar Physis, Vizela, Portugal Resumo Este estudo teve como

Leia mais

Projecto MobES, Mobilidade e Envelhecimento Saudável

Projecto MobES, Mobilidade e Envelhecimento Saudável Projecto MobES, Mobilidade e Envelhecimento Saudável Projecto MobES - JUSTIFICAÇÃO Aumento da Esperança Média de Vida associa-se a: Prevalência de doenças crónicas; Custos na saúde. Inatividade Física

Leia mais

Estratégias para a Saúde

Estratégias para a Saúde Estratégias para a Saúde V.1) Cadernos do PNS Acções e Recomendações Promoção da Cidadania em Saúde (Versão Discussão) ESTRATÉGIAS PARA A SAÚDE V.1) CADERNOS DO PNS - ACÇÕES E RECOMENDAÇÕES PROMOÇÃO DA

Leia mais

Alimentação* Nova Roda dos Alimentos. As recomendações para a população portuguesa, em termos nutricionais, são as seguintes:

Alimentação* Nova Roda dos Alimentos. As recomendações para a população portuguesa, em termos nutricionais, são as seguintes: Alimentação* Nova Roda dos Alimentos A roda dos alimentos é um instrumento de educação alimentar largamente conhecido pela população portuguesa dada a sua utilização desde 1977 na campanha Saber comer

Leia mais

Memoria Final de Curso

Memoria Final de Curso Memoria Final de Curso Elaborado por Ana Marta Dias Mendes Aluno nº 200691283 Orientador: Dr.ª Elsa Feliciano Barcarena Novembro 2010 Universidade Atlântica Memória Final de Curso Elaborado por Ana Marta

Leia mais

Sociedade Portuguesa para o

Sociedade Portuguesa para o Prevalência e Monitorização da Obesidade e do Controlo do Peso Prevalência da Obesidade Índice de Massa Corporal (IMC) Excesso de Peso 25-30 kg/m 2 Obesidade >30 kg/m 2 Exemplo: Mulher com 1,65 m 68-82

Leia mais

SERVIÇO DE PSICOLOGIA CLÍNICA. Hospital de Sousa Martins Unidade Local de Saúde da Guarda, E.P.E.

SERVIÇO DE PSICOLOGIA CLÍNICA. Hospital de Sousa Martins Unidade Local de Saúde da Guarda, E.P.E. Hospital de Sousa Martins Unidade Local de Saúde da Guarda, E.P.E. Actividades Avaliação psicológica / psico-pedagógica; Intervenção psicoterapêutica; Aconselhamento psicológico; Intervenção em crise;

Leia mais

Qualidade de Vida 02/03/2012

Qualidade de Vida 02/03/2012 Prof. Dr. Carlos Cezar I. S. Ovalle Descreve a qualidade das condições de vida levando em consideração fatores como saúde, educação, expectativa de vida, bem estar físico, psicológico, emocional e mental.

Leia mais

GRUPO COPPA: ATIVIDADE INTERDISCIPLINAR NO PATOLOGIAS ASSOCIADAS BRIGITTE OLICHON LUMENA MOTTA REGINA BOSIO

GRUPO COPPA: ATIVIDADE INTERDISCIPLINAR NO PATOLOGIAS ASSOCIADAS BRIGITTE OLICHON LUMENA MOTTA REGINA BOSIO GRUPO COPPA: ATIVIDADE INTERDISCIPLINAR NO CONTROLE DA OBESIDADE E PATOLOGIAS ASSOCIADAS BRIGITTE OLICHON LUMENA MOTTA REGINA BOSIO Introdução Obesidade Brasil EPIDEMIA 40% em sobrepeso 12,7% adultos obesos

Leia mais

Carla Alexandra Vieira da Silva Pedrosa

Carla Alexandra Vieira da Silva Pedrosa Carla Alexandra Vieira da Silva Pedrosa Assistente Convidada a 30% Habilitações Académicas Formação Pré-Graduada Licenciatura em Ciências da Nutrição FCNAUP (1998) subordinada ao tema Iodo, Tiróide e Insuficiência

Leia mais

TRATAMENTO DE FERIDAS E VIABILIDADE TECIDULAR (MAR 2016) PORTO

TRATAMENTO DE FERIDAS E VIABILIDADE TECIDULAR (MAR 2016) PORTO TRATAMENTO DE FERIDAS E VIABILIDADE TECIDULAR (MAR 2016) PORTO A gestão e tratamento de feridas é um processo complexo e exige a intervenção de uma equipa multidisciplinar. É essencial que os profissionais

Leia mais

Segurança Alimentar. Pós-Graduação. 45 ECTS //

Segurança Alimentar. Pós-Graduação. 45 ECTS // Pós-Graduação Segurança Alimentar 45 ECTS // www.esb.ucp.pt Nesta pós-graduação estudam-se os perigos, riscos, metodologias e legislação com que a segurança alimentar é confrontada na atualidade, numa

Leia mais

Curso de de Modificação de hábitos de vida. Organização: Dra. Ivone Ferreira. Dia 7-2 das 17h00 às 19h00

Curso de de Modificação de hábitos de vida. Organização: Dra. Ivone Ferreira. Dia 7-2 das 17h00 às 19h00 Curso de de Modificação de hábitos de vida Organização: Dra. Ivone Ferreira Dia 7-2 das 17h00 às 19h00 Moderador: Dra. Ivone Ferreira - Assistente Hospitalar graduada de Medicina Interna, Responsável da

Leia mais

Dra Eliane Guimarães Área de Gestão de Saúde PROGRAMA PARA VIVER MELHOR

Dra Eliane Guimarães Área de Gestão de Saúde PROGRAMA PARA VIVER MELHOR Dra Eliane Guimarães Área de Gestão de Saúde PROGRAMA PARA VIVER MELHOR Área de Gestão de Saúde Estrutura Organizacional Área de Gestão de Saúde Núcleo Técnico Administrativo Unidade Saúde Corporativa

Leia mais

CEVALOR. AEP Seminário. 02 de Abril de 2008 CEVALOR. Breves reflexões sobre a GRH

CEVALOR. AEP Seminário. 02 de Abril de 2008 CEVALOR. Breves reflexões sobre a GRH AEP Seminário 02 de Abril de 2008 Breves reflexões sobre a GRH - Programas de desenvolvimento dos recursos humanos não estão interligados com a estratégia - Recursos Humanos geridos como centros de custo

Leia mais

O que é o programa Liderança Para a Mudança (LPM)?

O que é o programa Liderança Para a Mudança (LPM)? O que é o programa Liderança Para a Mudança (LPM)? O Liderança para a Mudança é um programa de aprendizagem activa para o desenvolvimento dos enfermeiros como líderes e gestores efectivos num ambiente

Leia mais

Objectivos da Qualidade

Objectivos da Qualidade Objectivos da Ano: 2008 Rev: 01 Objectivo da Aumentar adesão dos utentes ao rastreio do cancro do colo do útero cobertura (exames realizados) 4699 mulheres Aumentar adesão dos utentes ao rastreio do cancro

Leia mais

REORGANIZAÇÃO DAS LICENCIATURAS DA U. M.

REORGANIZAÇÃO DAS LICENCIATURAS DA U. M. CAc P 1-02/03 REORGANIZAÇÃO DAS LICENCIATURAS DA U. M. 1. Introdução A expansão da rede do Ensino Superior Público e Privado, que ocorreu nas décadas de 80 e 90, trouxe como consequência, aliás previsível,

Leia mais

PERFIL NUTRICIONAL E PREVALÊNCIA DE DOENÇAS EM PACIENTES ATENDIDOS NO LABORATÓRIO DE NUTRIÇÃO CLÍNICA DA UNIFRA 1

PERFIL NUTRICIONAL E PREVALÊNCIA DE DOENÇAS EM PACIENTES ATENDIDOS NO LABORATÓRIO DE NUTRIÇÃO CLÍNICA DA UNIFRA 1 PERFIL NUTRICIONAL E PREVALÊNCIA DE DOENÇAS EM PACIENTES ATENDIDOS NO LABORATÓRIO DE NUTRIÇÃO CLÍNICA DA UNIFRA 1 TEIXEIRA, Giselle 2 ; BOSI, Greice 2 ; FONTOURA, Ethiene 2 ; MUSSOI, Thiago 2 ; BLASI,

Leia mais

Na hipertensão arterial

Na hipertensão arterial Erros frequentes na prática clínica como evitá-los? Na hipertensão arterial - Novembro de 2013 - Liliana Marta Serviço de Cardiologia, Hospital de Santarém Hipertensão Arterial Importante problema de saúde

Leia mais

INSEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL DE TRABALHADORES DA CONSTRUÇÃO CIVIL DE JOÃO PESSOA - PB

INSEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL DE TRABALHADORES DA CONSTRUÇÃO CIVIL DE JOÃO PESSOA - PB INSEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL DE TRABALHADORES DA CONSTRUÇÃO CIVIL DE JOÃO PESSOA - PB Lindemberg Medeiros de Araújo Evi Clayton de Lima Brasil TRANSIÇÃO NUTRICIONAL: CAUSAS, SIGNIFICADOS, EFEITOS

Leia mais

CNC-CENTRO DE NEFROLOGIA DE CANINDÉ

CNC-CENTRO DE NEFROLOGIA DE CANINDÉ CNC-CENTRO DE NEFROLOGIA DE CANINDÉ Praça Frei Aurélio 1397,Centro-Canindé-Ce CEP:62.700-000 Fone:(85)3343-1826 Fax:(85)3343-1838 E-mail:cnccaninde@yahoo.com.br RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NO

Leia mais

Adesão a um Programa de Reabilitação Cardíaca: quais os benefícios e impacto no prognóstico?

Adesão a um Programa de Reabilitação Cardíaca: quais os benefícios e impacto no prognóstico? REUNIÃO CONJUNTA DOS GRUPOS DE ESTUDO DE CUIDADOS INTENSIVOS CARDÍACOS E DE FISIOPATOLOGIA DO ESFORÇO E REABILITAÇÃO CARDÍACA Compliance to a Cardiac Rehabilitation Program: what are the benefits and impact

Leia mais

Programa da Qualidade Política Geral

Programa da Qualidade Política Geral O Hospital Pulido Valente definiu como MISSÂO: Programa da Qualidade Política Geral 1. O Hospital é o estabelecimento de referência para a população envolvente, para as especialidades de que dispõe, desenvolvendo

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS ASSESSORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS REITORIA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS ASSESSORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS REITORIA PLANO DE TRABALHO Identificação Aluno (a): Bruna Beatriz da Rocha Curso: Educação Física Coordenador (a) no IF:Flaviana Alves Toledo Instituição de Destino: Instituto Politécnico da Guarda Coordenador

Leia mais

Coordenação do Internato Complementar de Saúde Pública PROGRAMA DO INTERNATO COMPLEMENTAR DE SAÚDE PÚBLICA

Coordenação do Internato Complementar de Saúde Pública PROGRAMA DO INTERNATO COMPLEMENTAR DE SAÚDE PÚBLICA Coordenação do Internato Complementar de Saúde Pública PROGRAMA DO INTERNATO COMPLEMENTAR DE SAÚDE PÚBLICA Coordenação do Internato Complementar de Saúde Pública PROGRAMA DO INTERNATO COMPLEMENTAR DE SAÚDE

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA FUNDAMENTAL PROF.ª FRANCISCA AGUIAR 7 ANO PROF.ª JUCIMARA BRITO

EDUCAÇÃO FÍSICA FUNDAMENTAL PROF.ª FRANCISCA AGUIAR 7 ANO PROF.ª JUCIMARA BRITO EDUCAÇÃO FÍSICA 7 ANO PROF.ª JUCIMARA BRITO FUNDAMENTAL PROF.ª FRANCISCA AGUIAR CONTEÚDOS E HABILIDADES Unidade I Tecnologia: Corpo, Movimento e Linguagem na Era da Informação 2 CONTEÚDOS E HABILIDADES

Leia mais

Serra do Saber. Formação Pedagógica Inicial de Formadores

Serra do Saber. Formação Pedagógica Inicial de Formadores Formação Pedagógica Inicial de Formadores Fundamentação Este curso apresenta de uma forma clara e recorrendo a uma metodologia teórico-prática, os conhecimentos necessários para a formação de formadores

Leia mais

PREVENÇÃO DE DOENÇAS CARDIOVASCULARES

PREVENÇÃO DE DOENÇAS CARDIOVASCULARES PREVENÇÃO DE DOENÇAS CARDIOVASCULARES Dra Fabrícia de Oliveira Assis Cantadori Cardiologista do HUJM Cuiabá, maio de 2015 UFMT PREVENÇÃO É procurar e utilizar métodos para prevenir doenças e/ou suas complicações,

Leia mais

Fatores relacionados a prevalência e exclusividade do Aleitamento Materno em Portugal nos primeiros 6 meses de vida

Fatores relacionados a prevalência e exclusividade do Aleitamento Materno em Portugal nos primeiros 6 meses de vida Fatores relacionados a prevalência e exclusividade do Aleitamento Materno em Portugal nos primeiros 6 meses de vida Alarcão V, Ferreira I, Simões R, Fernandes M, Nicola P 17 de Outubro de 2012 Projeto

Leia mais

Promoção da Saúde em meio Escolar: das aprendizagens à ação

Promoção da Saúde em meio Escolar: das aprendizagens à ação Promoção da Saúde em meio Escolar: das aprendizagens à ação Graça Simões de Carvalho CIEC Centro de Investigação em Estudos da Criança Instituto de Educação Universidade do Minho Promoção da Saúde em meio

Leia mais

Desenvolvendo o Pensamento Matemático em Diversos Espaços Educativos A MATEMÁTICA EM SITUAÇÕES QUE ENGLOBAM ALIMENTAÇÃO E SAÚDE

Desenvolvendo o Pensamento Matemático em Diversos Espaços Educativos A MATEMÁTICA EM SITUAÇÕES QUE ENGLOBAM ALIMENTAÇÃO E SAÚDE A MATEMÁTICA EM SITUAÇÕES QUE ENGLOBAM ALIMENTAÇÃO E SAÚDE Modelagem e Educação Matemática (MEM) GT 4 Ângela Tereza Silva de SOUZA Universidade Federal da Paraíba anjinhatereza@hotmail.com RESUMO Neste

Leia mais

Organizar a Consulta de Pé Diabético. Ana Luisa Marques da Costa

Organizar a Consulta de Pé Diabético. Ana Luisa Marques da Costa Organizar a Consulta de Pé Diabético Ana Luisa Marques da Costa Se doente diabético, com problema no pé,deve ter acesso a cuidados do pé, por uma equipa multidisciplinar. Avaliação por equipa multidisciplinar

Leia mais

Formador: Fátima Bernardo. Importância, Objectivos e Fundamentos da Segurança e Saúde no Trabalho

Formador: Fátima Bernardo. Importância, Objectivos e Fundamentos da Segurança e Saúde no Trabalho Importância, Objectivos e Fundamentos da Segurança e Saúde no Trabalho 1 CONCLUINDO A SST e a defesa do trabalhador, da comunidade e do meio ambiente Na promoção da segurança e saúde no trabalho o indivíduo

Leia mais

Projecto de Enfermagem para o Prestador de Cuidados

Projecto de Enfermagem para o Prestador de Cuidados Unidade de Cuidados na Comunidade-1º Ano de Vida Projecto de Enfermagem para o Prestador de Cuidados Dilma Pereira Raquel Azevedo Enfermeiras Especialistas em Enfermagem Comunitária Projecto de Enfermagem

Leia mais

CURRICULUM VITAE Licenciatura em Sociologia, realizada na Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, com média final de 15 valores.

CURRICULUM VITAE Licenciatura em Sociologia, realizada na Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, com média final de 15 valores. CURRICULUM VITAE ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO Mónica Catarina do Adro Lopes Nacionalidade: Portuguesa Naturalidade: Leiria B.I: 11580295 Contribuinte: 214859487 Data de nascimento: 02/12/78 Estado civil:

Leia mais

ANO LETIVO 2013/2014. ESTUDO DO IMC (Índice de Massa Corporal) Avaliação Final

ANO LETIVO 2013/2014. ESTUDO DO IMC (Índice de Massa Corporal) Avaliação Final ANO LETIVO 2013/2014 ESTUDO DO IMC (Índice de Massa Corporal) Avaliação Final Índice O que é o IMC? Objetivo do Estudo Procedimentos do Estudo Amostra Utilizada Apresentação dos Resultados Principais Conclusões

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO, DO ANO DE 2005

PLANO DE ACÇÃO, DO ANO DE 2005 PLANO DE ACÇÃO, DO ANO DE 2005 O ano de 2005 é o último ano de vigência do I Plano Estratégico para o Desenvolvimento da. Assim sendo, este Plano de Acção constitui, de certa forma, o encerrar de um ciclo

Leia mais

NÍVEIS DE PREVENÇÃO. Ana Catarina Peixoto R. Meireles. Médica Interna de Saúde Pública Unidade Operativa de Saúde Pública P

NÍVEIS DE PREVENÇÃO. Ana Catarina Peixoto R. Meireles. Médica Interna de Saúde Pública Unidade Operativa de Saúde Pública P NÍVEIS DE PREVENÇÃO Conceito e Relação com as Funções do Médico de Saúde PúblicaP Ana Catarina Peixoto R. Meireles Médica Interna de Saúde Pública P Unidade Operativa de Saúde Pública P de Braga Reunião

Leia mais

Medicina preventiva em cães

Medicina preventiva em cães Medicina preventiva em cães Os animais saudáveis desempenham um papel muito importante na atividade da clínica durante um tempo de vida médio de 12 anos, o animal é levado à consulta 10 a 15 vezes por

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO MULTISECTORIAL DE EMERGÊNCIA/TRAUMA PERÍODO Maputo 11 de Novembro de 2015

PLANO ESTRATÉGICO MULTISECTORIAL DE EMERGÊNCIA/TRAUMA PERÍODO Maputo 11 de Novembro de 2015 PLANO ESTRATÉGICO MULTISECTORIAL DE EMERGÊNCIA/TRAUMA PERÍODO 2015-2018 Maputo 11 de Novembro de 2015 Conteúdo 1. Conceitos Básicos 2. Contextualização 3. Análise da situação e Justificação 4. Visão e

Leia mais

PROGRAMA DE UNIDADE CURRICULAR

PROGRAMA DE UNIDADE CURRICULAR Unidade Curricular: Curso: OPÇÃO: Problemática da Doença Oncológica Licenciatura em Enfermagem Ano Lectivo 2012-2013 Ano Curricular 2º e 3º Semestre 1º Nº de Ects 3 Equipa Pedagógica: Regente/Coordenador

Leia mais

Jogo e Motricidade Infantil. Helena Santa Clara

Jogo e Motricidade Infantil. Helena Santa Clara Jogo e Motricidade Infantil Helena Santa Clara MOTRICIDADE INFANTIL Objectivos Gerais Observação Objectivos Específicos Campos de Intervenção Temáticas Matérias Situação / Tarefa Avaliação MOTRICIDADE

Leia mais

Relação entre a Ingestão de Café e a Saúde

Relação entre a Ingestão de Café e a Saúde Licenciatura em Ciências da Nutrição Relação entre a Ingestão de Café e a Saúde Volume II Anexos Elaborado por Gilda Maria Pimentel Brandão Aluna nº 201092225 Orientador Interno: Prof. Doutora Suzana Paz

Leia mais

AS PARCERIAS NO PROGRAMA ECO-ESCOLA

AS PARCERIAS NO PROGRAMA ECO-ESCOLA AS PARCERIAS NO PROGRAMA ECO-ESCOLA ESCOLA ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DO NORDESTE Lília Bergantim [1], Lúcia Carreiro [2] & Natália de Abreu [3] [1] lilia.bergantim@gmail.com [2] lucia_mr_carreiro@hotmail.com

Leia mais

Desenvolvimento de competências em leitura funcional

Desenvolvimento de competências em leitura funcional Balula 2010 Desenvolvimento de competências em leitura funcional João Paulo Balula jpbalula@esev.ipv.pt Paulo Martins Plano Introdução Objectivos Percurso didáctico Materiais/Instrumentos Tratamento dos

Leia mais

CURSO DE AUXILIAR DE ACÇÃO MÉDICA / ASSISTENTE OPERACIONAL

CURSO DE AUXILIAR DE ACÇÃO MÉDICA / ASSISTENTE OPERACIONAL CURSO DE AUXILIAR DE ACÇÃO MÉDICA / ASSISTENTE OPERACIONAL O amor á profissão pode torná-lo um bom profissional, mas só um diploma pode formar um profissional completo 1. OBJECTIVOS GERAIS O curso Profissional

Leia mais

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL. Dra. Helena Maia Nutricionista

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL. Dra. Helena Maia Nutricionista ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL Dra. Helena Maia Nutricionista OBJECTIVOS Obesidade: Riscos, prevalências e tipos Nutrição / Nutrientes Roda dos Alimentos Alimentação Mediterrânica IMC Conclusão RISCOS RELACIONADOS

Leia mais

Prazo Normal - entre e Prazo Tardio - entre e Inscrição Normal ( ) 99.00

Prazo Normal - entre e Prazo Tardio - entre e Inscrição Normal ( ) 99.00 TREINO PARA PERDA DE MASSA GORDA (OUT 2016) - PORTO A perda de peso é uma das principais razões para as pessoas se inscreverem num ginásio ou iniciarem a prática de exercício físico, pelo que cabe ao profissional

Leia mais

SÍNDROME DE INSULINO-RESISTÊNCIA, SÍNDROME METABÓLICA: DEFINIÇÕES

SÍNDROME DE INSULINO-RESISTÊNCIA, SÍNDROME METABÓLICA: DEFINIÇÕES Síndrome de insulino-resistência, síndrome metabólica: definições 15 SÍNDROME DE INSULINO-RESISTÊNCIA, SÍNDROME METABÓLICA: DEFINIÇÕES Sandra Paiva Serviço de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo; Hospital

Leia mais

O que é doença? Doença é: Como as doenças acontecem? Qual o padrão das doenças? Quais os tipos de doenças?

O que é doença? Doença é: Como as doenças acontecem? Qual o padrão das doenças? Quais os tipos de doenças? CURSO DE BACHARELADO EM EDUCAÇÃO FÍSICA E SAÚDE - EACH/USP Disciplina de Fundamentos da Atividade Física Docente responsável: Alex Antonio Florindo (aflorind@usp.br) Roteiro da aula 1. Conceito de doença;

Leia mais

Reunião Plenária da Comissão Nacional com as CRSMCA. Anfiteatro do Infarmed Lisboa 20 de Novembro de 2013

Reunião Plenária da Comissão Nacional com as CRSMCA. Anfiteatro do Infarmed Lisboa 20 de Novembro de 2013 Reunião Plenária da Comissão Nacional com as CRSMCA Anfiteatro do Infarmed Lisboa 20 de Novembro de 2013 CRSMCA M. Cândida Rebelo Presidente Alda P. Luís Benvinda Bento Representante do CD Helena Cargaleiro

Leia mais

CDS / Partido Popular

CDS / Partido Popular N.º: 588-VIII Proc.º: 50.04.04.34 Data: 16.04.2008 do Governo Senhora e Senhores Membros do Governo Uma jovem inglesa enfrentou a oposição da família e teve sérias dificuldades em os convencer que cuidar

Leia mais

Julian Perelman Escola Nacional de Saúde Pública

Julian Perelman Escola Nacional de Saúde Pública Prevenção e tratamento do VIH/SIDA nos migrantes e não migrantes: alguns aspectos económicos Julian Perelman Escola Nacional de Saúde Pública (com a colaboração de Alexandre Carvalho e Helena Vaz, Coordenação

Leia mais

Se é possível cuidar, recuperar e integrar as pessoas internadas, dependentes com incapacidade funcional, sem a ENFERMAGEM DE REABILITAÇÃO?

Se é possível cuidar, recuperar e integrar as pessoas internadas, dependentes com incapacidade funcional, sem a ENFERMAGEM DE REABILITAÇÃO? Se é possível cuidar, recuperar e integrar as pessoas internadas, dependentes com incapacidade funcional, sem a ENFERMAGEM DE REABILITAÇÃO? É, mas não com a mesma qualidade.. (Mark Twain) AGRADECIMENTOS

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE LISBOA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA DA SAÚDE DE LISBOA

INSTITUTO POLITÉCNICO DE LISBOA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA DA SAÚDE DE LISBOA INSTITUTO POLITÉCNICO DE LISBOA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA DA SAÚDE DE LISBOA FUNDAMENTAÇÃO DA ÁREA CIENTÍFICA DE ORTOPROTESIA LISBOA ABRIL DE 2011 1 ENQUADRAMENTO A Ortoprotesia é uma área cientifica

Leia mais

Impacto do Grau de Controlo da Asma na Utilização de Cuidados de Saúde em Portugal

Impacto do Grau de Controlo da Asma na Utilização de Cuidados de Saúde em Portugal Unidade de Epidemiologia Instituto de Medicina Preventiva Faculdade de Medicina, Universidade de Lisboa Impacto do Grau de Controlo da Asma na Utilização de Cuidados de Saúde em Portugal Violeta Alarcão,

Leia mais

-Mato. Projecto Corta- Grupo Repo. ortagem. Actividade Refe. Escola Secundária de Pinheiro e Rosa. Curso Tecnológico de Desporto

-Mato. Projecto Corta- Grupo Repo. ortagem. Actividade Refe. Escola Secundária de Pinheiro e Rosa. Curso Tecnológico de Desporto 11º H Projecto Corta- -Mato Grupo Repo ortagem Actividade Refe erente 3 Professor responsável: André Ramos Realizado por: Carmen Pereira Daniel Sousa Natacha Domingos Nicolau Cardoso Priscila Domingos

Leia mais

ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO ORGANOGRAMA

ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO ORGANOGRAMA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO ORGANOGRAMA ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DAS ATIVIDADES ESTÁGIOSUPERVISIONADO INTEGRADO AO TRABALHO DE CURSO Colegiado: -Validar o

Leia mais

FACULDADE SANTA TEREZINHA - CEST COORDENAÇÃO DO CURSO DE NUTRIÇÃO PLANO DE ESTÁGIO

FACULDADE SANTA TEREZINHA - CEST COORDENAÇÃO DO CURSO DE NUTRIÇÃO PLANO DE ESTÁGIO FACULDADE SANTA TEREZINHA - CEST COORDENAÇÃO DO CURSO DE NUTRIÇÃO PLANO DE ESTÁGIO 2013.1 DADOS DO ESTÁGIO CÓDIGO ÁREA CARGA HORÁRIA PERÍODO HORÁRIO Nutrição Social 230h 7 7h30 às 12h30 SUPERVISOR(A) Eliete

Leia mais

Índice. Índice de Figuras. Índice de Tabelas. Lista de Abreviaturas. Resumo e Palavras-chave. 1. Introdução Objetivos 6

Índice. Índice de Figuras. Índice de Tabelas. Lista de Abreviaturas. Resumo e Palavras-chave. 1. Introdução Objetivos 6 Índice Índice de Figuras iii Índice de Tabelas iv Lista de Abreviaturas v Resumo e Palavras-chave vii 1. Introdução 1 2. Objetivos 6 3. Materiais e Métodos 8 4. Resultados e Discussão 10 5. Conclusão 17

Leia mais

ORIGINAL: INGLÊS DECLARAÇÃO DE BRAZZAVILLE SOBRE A PREVENÇÃO E O CONTROLO DAS DOENÇAS NÃO TRANSMISSÍVEIS NA REGIÃO AFRICANA DA OMS

ORIGINAL: INGLÊS DECLARAÇÃO DE BRAZZAVILLE SOBRE A PREVENÇÃO E O CONTROLO DAS DOENÇAS NÃO TRANSMISSÍVEIS NA REGIÃO AFRICANA DA OMS ORIGINAL: INGLÊS DECLARAÇÃO DE BRAZZAVILLE SOBRE A PREVENÇÃO E O CONTROLO DAS DOENÇAS NÃO TRANSMISSÍVEIS NA REGIÃO AFRICANA DA OMS ORIGINAL: INGLÊS Nós, os Ministros da Saúde e Chefes de Delegação da Região

Leia mais

Fisiopatologia Respiratória na Obesidade Mórbida. Implicações Perioperatorias

Fisiopatologia Respiratória na Obesidade Mórbida. Implicações Perioperatorias Introdução A obesidade constitui um dos problemas de saúde mais importantes das sociedades desenvolvidas Na Espanha os custos econômicos com a obesidade representam 6,9% do gasto sanitário O índice de

Leia mais

Centro de Estudos do Laboratório de Aptidão Física de São Caetano do Sul Sul - CELAFISCS

Centro de Estudos do Laboratório de Aptidão Física de São Caetano do Sul Sul - CELAFISCS Participantes DRS-1 Grande São Paulo; DRS-2 Araçatuba; DRS-4 Baixada Santista; DRS-7 Campinas; DRS-11 Presidente Prudente; DRS-14 São João da Boa Vista; Diretoria de Ensino Regional de Cubatão; Secretaria

Leia mais

PROGRAMA. Combate à obesidade: Da prescrição ao comportamento Dr. Manuel Rosas, Psicólogo, Camara Municipal de Viana do Castelo

PROGRAMA. Combate à obesidade: Da prescrição ao comportamento Dr. Manuel Rosas, Psicólogo, Camara Municipal de Viana do Castelo PROGRAMA Quinta-feira, 04 de Junho de 2015 8:30 Abertura do secretariado 9:00 Workshops Intervenção Breve em alcoolismo Dr. Luís António Pacheco Oliveira, Assistente graduado de MGF, Centro de Respostas

Leia mais

Cantinas Escolares Saudáveis

Cantinas Escolares Saudáveis PROMOÇÃO DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NO AMBIENTE ESCOLAR: Cantinas Escolares Saudáveis Patrícia Constante Jaime Coordenadora-Geral de Alimentação e Nutrição/DAB/SAS/MS Fortaleza, 25 de outubro de 2012 TÓPICOS

Leia mais

ÉTICA NA PRÁTICA CLÍNICA

ÉTICA NA PRÁTICA CLÍNICA BIOÉTICA E ÉTICA MÉDICA Da bioética à ética médica: princípios, fundamentos e normativas Ética e deontologia A RELAÇÃO TERAPÊUTICA O DOENTE O doente e a tomada de decisão Consentimento informado Privacidade

Leia mais

Pé Diabético Epidemiologia Qual a dimensão do problema?

Pé Diabético Epidemiologia Qual a dimensão do problema? Pé Diabético Epidemiologia Qual a dimensão do problema? Sessão Clínica Hospital Fernando Fonseca Amadora - 2012 Rui Carvalho Coordenador GEPED Consulta Multidisciplinar de Pé Diabético Serviço de Endocrinologia,

Leia mais

CURSO DE FORMAÇÃO ESPECIALIZADA EM EDUCAÇÃO ESPECIAL:

CURSO DE FORMAÇÃO ESPECIALIZADA EM EDUCAÇÃO ESPECIAL: CURSO DE FORMAÇÃO ESPECIALIZADA EM EDUCAÇÃO ESPECIAL: Domínio Cognitivo e Motor (Código A71) Educadores de Infância e Professores dos 1º, 2º e 3º ciclos do ensino básico e do ensino secundário Curso de

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular METODOLOGIAS ESPECÍFICAS DE INTERVENÇÃO EM GERONTOLOGIA SOCIAL. Ano Lectivo 2013/2014

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular METODOLOGIAS ESPECÍFICAS DE INTERVENÇÃO EM GERONTOLOGIA SOCIAL. Ano Lectivo 2013/2014 1. Unidade Orgânica UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA Programa da Unidade Curricular METODOLOGIAS ESPECÍFICAS DE INTERVENÇÃO EM GERONTOLOGIA SOCIAL Serviço Social (2º Ciclo) Ano Lectivo 2013/2014 2. Curso

Leia mais

X Ciclo de Sábados- Falando Com Quem Faz Santarém, 12 de março

X Ciclo de Sábados- Falando Com Quem Faz Santarém, 12 de março X Ciclo de Sábados- Falando Com Quem Faz Santarém, 12 de março isabelfernandeslopes@gmail.com SUMÁRIO» Conceito NEE/ NEEcp» Medidas educativas -Adequações do processo de ensino e de aprendizagem CEI» Construção

Leia mais

Burnout: Prevenção. Rui Gomes Universidade do Minho Escola de Psicologia

Burnout: Prevenção. Rui Gomes Universidade do Minho Escola de Psicologia Burnout: Prevenção Rui Gomes rgomes@psi.uminho.pt www.psi.uminho.pt www.ardh-gi.com Alguns aspetos introdutórios 2 Stress ocupacional Custa às empresas americanas 300 biliões de dólares/ano em absentismo,

Leia mais

GUIÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DO CURRICULUM VITAE (CV)

GUIÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DO CURRICULUM VITAE (CV) GUIÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DO CURRICULUM VITAE (CV) 1 O documento designado como curriculum vitae é um misto de CV e de PERFIL DE PRÁTICA. A OM tem mais do que um modelo (publicações de 14/09/2012 e

Leia mais

CONSERVATÓRIO DE MÚSICA CALOUSTE GULBENKIAN DE BRAGA

CONSERVATÓRIO DE MÚSICA CALOUSTE GULBENKIAN DE BRAGA CONSERVATÓRIO DE MÚSICA CALOUSTE GULBENKIAN DE BRAGA PLANO DE MELHORIA 2014 / 2016 ÍNDICE Introdução 3 Resultados da Avaliação Externa 4 Ações a contemplar no Plano de Melhoria 5 Conclusão 7 2 Introdução

Leia mais

INFO. Hospital Garcia de Orta cria. Primeira Unidade de Hospitalização Domiciliária do País. Comemoração do Dia Mundial da Saúde na UCC Seixal

INFO. Hospital Garcia de Orta cria. Primeira Unidade de Hospitalização Domiciliária do País. Comemoração do Dia Mundial da Saúde na UCC Seixal INFO Hospital Garcia de Orta cria Primeira Unidade de Hospitalização Domiciliária do País O Hospital Garcia de Orta (HGO) é o primeiro Hospital em Portugal a implementar uma Unidade de Hospitalização Domiciliária

Leia mais

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE DOENÇA METABÓLICA

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE DOENÇA METABÓLICA O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE DOENÇA METABÓLICA ENTENDENDO a doença metabólica A doença metabólica, também chamada de síndrome metabólica ou ainda de plurimetabólica, em geral faz parte de um conjunto de

Leia mais

efr ENTIDADES FAMILIARMENTE RESPONSÁVEIS

efr ENTIDADES FAMILIARMENTE RESPONSÁVEIS Promovemos a sustentabilidade do seu negócio Júlio Faceira Guedes XZ Consultores, SA O MODELO DE GESTÃO efr ENTIDADES FAMILIARMENTE RESPONSÁVEIS Porto, 08 de Maio de 2012 O modelo de gestão efr 1. O que

Leia mais

O Valor de Diagnóstico Diagnóstico Precoce e prevenção Antonio Vergara

O Valor de Diagnóstico Diagnóstico Precoce e prevenção Antonio Vergara O Valor de Diagnóstico Antonio Vergara O valor de Diagnóstico em beneficio do paciente O Valor do Diagnóstico Valor Clínico O Valor de Diagnóstico Industria dos Diagnósticos Valor de Inovação IVD da despensa

Leia mais

Encontro Ministerio da Saúde e Segurança Social. Relatório referente aos trabalhos do dia 09/08/2016 5ª Sessão dos Trabalhos

Encontro Ministerio da Saúde e Segurança Social. Relatório referente aos trabalhos do dia 09/08/2016 5ª Sessão dos Trabalhos Encontro Ministerio da Saúde e Segurança Social Relatório referente aos trabalhos do dia 09/08/2016 5ª Sessão dos Trabalhos A saúde mental nos CSP Moderadoras Dra Marina e Dra Raquel Estrela Dr José Teixeira

Leia mais

BOAS PRÁTICA EM GESTÃO DE ENFERMAGEM

BOAS PRÁTICA EM GESTÃO DE ENFERMAGEM BOAS PRÁTICA EM GESTÃO DE ENFERMAGEM 2º Congresso APEGEL - 2011 DESAFIO PARA O 3º CONGRESSO ESTRATÉGICO Competências Enfermeiro Gestor Normas e Indicadores TÁTICO Por nível OPERACIONAL ESTRATÉGICO PRÁTICA

Leia mais

Utilização de diretrizes clínicas e resultados na atenção básica b

Utilização de diretrizes clínicas e resultados na atenção básica b Utilização de diretrizes clínicas e resultados na atenção básica b à hipertensão arterial Construindo Estratégias e Avaliando a Implementação de Diretrizes Clínicas no SUS Edital 37/2004 CNPq ENSP/FIOCRUZ

Leia mais

NCE/10/01956 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/10/01956 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/10/01956 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Instituto Politécnico Do Porto A.1.a.

Leia mais

Relatório do Curso Desastres e Desenvolvimento- Maputo, 4 a 8 de Abril 2009

Relatório do Curso Desastres e Desenvolvimento- Maputo, 4 a 8 de Abril 2009 Relatório do Curso Desastres e Desenvolvimento- Maputo, 4 a 8 de Abril 2009 1. Introdução Entre os dias 04 a 08 de Maio de 2009 realizou-se em Maputo, no Residencial Hoyo-Hoyo o Curso Desastres e Desenvolvimento.

Leia mais

USF Villa Longa: Equipa empenhada em «trabalhar na capacitação do doente»

USF Villa Longa: Equipa empenhada em «trabalhar na capacitação do doente» 2016-09-16 12:59:19 http://justnews.pt/noticias/usf-villa-longa-equipa-empenhada-em-trabalhar-na-capacitacao-do-doente USF Villa Longa: Equipa empenhada em «trabalhar na capacitação do doente» É sob o

Leia mais

Plano de Ação Plano de Ação 2012

Plano de Ação Plano de Ação 2012 Plano de Ação PLANO DE AÇÃO DOCUMENTO ELABORADO PELO: da Rede Social do Concelho do CONTACTOS: Câmara Municipal do Rede Social do Concelho do Av. Dr. Francisco Sá Carneiro 2550-103 Tel. 262 690 100/262

Leia mais

Parecer sobre Referenciais para a Promoção e Educação para a Saúde (PES)

Parecer sobre Referenciais para a Promoção e Educação para a Saúde (PES) Parecer sobre Referenciais para a Promoção e Educação para a Saúde (PES) Sociedade Portuguesa de Educação Física Conselho Nacional das Associações de Professores e Profissionais de Educação Física O documento

Leia mais

Melhoria Contínua da Qualidade no ACES Lisboa Norte

Melhoria Contínua da Qualidade no ACES Lisboa Norte Melhoria Contínua da Qualidade no ACES Lisboa Norte Dos registos clínicos: médicos e de enfermagem Qualidade e segurança do doente Lucília Martinho médica, presidente da CQSD Maria Teresa Antunes enfermeira

Leia mais

ENCONTRO DE TRABALHOS DO MINISTÉRIO DA SAÚDE E DA SEGURANÇA SOCIAL CIDADE VELHA 8 A12 AGOSTO DE 2016

ENCONTRO DE TRABALHOS DO MINISTÉRIO DA SAÚDE E DA SEGURANÇA SOCIAL CIDADE VELHA 8 A12 AGOSTO DE 2016 ENCONTRO DE TRABALHOS DO MINISTÉRIO DA SAÚDE E DA SEGURANÇA SOCIAL CIDADE VELHA 8 A12 AGOSTO DE 2016 O PAPEL DA ENFERMAGEM NA ABORDAGEM DAS DOENÇAS CRÓNICAS O Concelho Dos Mosteiros Estende-se por uma

Leia mais

Gestão dos Projectos Bartolomeu Soto

Gestão dos Projectos Bartolomeu Soto Banco Mundial Governo de Moçambique Gestão dos Projectos Bartolomeu Soto Revisão do Desempenho da Carteira de Projectos (CPPR) 18 de Setembro de 2009 Assuntos Críticos a Considerar Desafios e Recomendações

Leia mais

OBJECTIVOS ESPECÍFICOS / COMPETÊNCIAS A ADQUIRIR PELOS FORMANDOS

OBJECTIVOS ESPECÍFICOS / COMPETÊNCIAS A ADQUIRIR PELOS FORMANDOS ESTRUTURA PROGRAMÁTICA DO CURSO MÓDULOS OBJECTIVOS ESPECÍFICOS / COMPETÊNCIAS A ADQUIRIR PELOS FORMANDOS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS Acolhimento dos formandos e Apresentação do Curso A entidade formadora;

Leia mais

CARTA DE MISSÃO. Ministério da Saúde. Serviço/Organismo: Administração Regional de Saúde do Norte. Cargo: Vice-presidente do Conselho Diretivo

CARTA DE MISSÃO. Ministério da Saúde. Serviço/Organismo: Administração Regional de Saúde do Norte. Cargo: Vice-presidente do Conselho Diretivo CARTA DE MISSÃO Ministério da Saúde Serviço/Organismo: Administração Regional de Saúde do Norte Cargo: Vice-presidente do Conselho Diretivo Período da Comissão de Serviço: 2016-2020 1. Missão do Organismo

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO CURSO: CURSO DE ELECTROCARDIOGRAFIA SANTO TIRSO 30 DE MAIO PARA ENFERMEIROS

APRESENTAÇÃO DO CURSO:  CURSO DE ELECTROCARDIOGRAFIA SANTO TIRSO 30 DE MAIO PARA ENFERMEIROS CURSO DE ELECTROCARDIOGRAFIA PARA ENFERMEIROS SANTO TIRSO 30 DE MAIO www.workapt.com APRESENTAÇÃO DO CURSO: «As recentes alterações no estilo de vida dos portugueses, levou ao aumento exponencial de doenças

Leia mais

PLANO DE CURSO. Formação para Profissionais. PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL

PLANO DE CURSO. Formação para Profissionais.  PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL PLANO DE CURSO PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL Formação para Profissionais + 2.000 Cursos Disponíveis A Melhor e Maior Oferta de Formação em Portugal + 1.300 Cursos na

Leia mais

CARTA DE COMPROMISSO

CARTA DE COMPROMISSO A Administração Regional de Saúde (ARS), representada pelo seu Presidente, Dr. e a Unidade de Saúde Familiar (USF), representada pelo seu Coordenador, Dr., constituída com base na homologação pelo Conselho

Leia mais

CARTA DE COMPROMISSO

CARTA DE COMPROMISSO A Administração Regional de Saúde (ARS) do Centro, representada pelo seu Presidente, Dr. João Pedro Pimentel e a Unidade de Saúde Familiar (USF) São Julião, representada pelo seu Coordenador, Dr. José

Leia mais