Tratamento de Incidentes de Segurança em Redes de Computadores. GRA - Grupo de Resposta a Ataques

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Tratamento de Incidentes de Segurança em Redes de Computadores. GRA - Grupo de Resposta a Ataques"

Transcrição

1 Tratamento de Incidentes de Segurança em Redes de Computadores GRA - Grupo de Resposta a Ataques Palestrante: Indiana Belianka Kosloski de Medeiros 30/09/2004

2 ASPECTOS GERENCIAIS ESTRUTURA DE SEGURANÇA SERPRO Unidades de Relacionamento com Clientes - NEGÓCIO DIRETORIA Alinhamento Estratégico Unidades de Produtos e Serviços INFRA CSO Comitê de Segurança Comunicação Empresarial Universidade Corporativa BISOs GRA CESE Grupo de Contingência

3 MISSÃO ESTRATÉGICA DO G.R.A Prover a proteção e a defesa dos sitios de governo sob gestão do SERPRO, visando o tratamento de incidentes de segurança causados por tentativas de ataques e acessos indevidos aos sistemas, aplicações e serviços de rede. Foco em Pessoas, processos e padrões Alcançar a meta de nenhuma invasão realizada com sucesso em sites sob gestão do SERPRO. EVOLUÇÃO DAS ATIVIDADES Origem do G.R.A: Ambiente Internet (1999) Prioridade no processo de monitoração (reativo) Aprendizado na análise da invasão (reativo) Evolução para o processo de análise de vulnerabilidades (proativo) Expansão para o ambiente Intranet (2001) Foco na análise de vulnerabilidades Ambiente Intranet coorporativo (2001); Ambiente Intranet específicos de clientes (2002); Foco no tratamento de incidentes na Intranet ( SERPRO e clientes) Ambiente Intranet coorporativo (2002); Foco em IDC (2003/2004) Monitoração de Tentativas de invasão em ambiente Intranet (2003) Monitoração Gigabit de tronco IDC (2004) Banco de Logs, Analise de correlação, Estudo de código (2004)

4 AÇÕES E PRIORIDADES DO G.R.A 1º Coordenar tratamento de Incidentes 2º Gerenciar segurança(pró-ativa) 3º Têndencias de Ataques 4º Avaliar Vulnerabilidades 5º Propor e Recomendar ações de Segurança 6º Consultoria 7º Novas Técnologias e Serviços 8º Interação Externa 9º Assistir demais áreas (Cultura e capacitação) 10º Apoiar Processo de Educação (comunidade) PROCESSOS Monitoração e tratamento especializado de incidentes de segurança. Coordenação do tratamento de incidentes; Gerenciamento e monitoração 24 X 7 da segurança dos sistemas Internet Avaliação de tendências de ataques; Aplicação de mecanismos de avaliação de vulnerabilidade. O G.R.A realiza testes de segurança para sistemas e serviços disponíveis em rede, de forma a detectar riscos e falhas de segurança. Propor e recomendar ações para corrigir a vulnerabilidade detectada.

5 SUBPRODUTOS DE PROCESSOS Banco de conhecimentos (arquivamento de todos os casos desde 1999) Banco de armazenamento de eventos (histórico de coletas e logs); Indicadores mensais por Data center e por rede isolada(zdm) Parecer de segurança das análises de vulnerabilidades efetivadas; Parecer de análise forense para sistemas invadidos; Consultoria Projeto de segurança Capacitação técnica e participação de fóruns internos PADRONIZAÇÃO (METODOLOGIA) Documentação e scripts Formulários de descrição de subprocessos Avaliação de Vulnerabilidades, de segurança G.R.A. Formulários de formatação de resultados ( anexos a metodologia) Script de atendimento pela CAS (central de atendimento de serviços do SERPRO) TODA ENTRADA OU SAIDA DE DADOS DO G.R.A É PADRONIZADA Metodologias de apoio ao processo TAP-A ( Técnicas Avançadas de procedimentos de Auto Defesa ) TAP-B ( Técnicas Avançadas de procedimentos Básicos Equipamentos) TAP-C ( Técnicas Avançadas de procedimentos Comportamentais )

6 ASPECTOS TECNICOS O INCIDENTE Internet Exploração Remota Quem está seguro? 65+% vulneráveis Exploração via RAS Exploração Interna 75% vulneráveis; 95+% vulneráveis com duas explorações 100% vulneráveis Fonte: Cisco Secure Consulting Engagements,

7 E os problemas aumentam... Code Red Internet Security Violations Tequila Jerusalem Michelangelo Good Times Anna Kournikova Melissa & ILOVEYOU Badtrans Nimda Fonte: CERT Coordination Center Carnegie Mellon Páginas Hackeadas CIA HOMEPAGE DOJ HOMEPAGE USAF HOMEPAGE 11/29/96

8 Programas maliciosos Cavalos de Tróia Programas maliciosos Cavalos de Tróia

9 Programas maliciosos Cavalos de Tróia Programas maliciosos Cavalos de Tróia

10 Programas maliciosos Internet Worm Alta capacidade de propagação Aproveita vulnerabilidades (falhas de implementação) de vários softwares Ex.: Code Red, Lion e Slapper ASPECTOS TECNICOS O TRATAMENTO

11 Elementos de Segurança em Redes Segurança em Perímetros Monitoração & Detecção de Intrusão Privacidade dos dados & Criptografia Autenticação & Identidade Digital Gerência de Conteúdo & Anti-virus Diretórios & Gerência de Senhas Gerência de Banda Passante Políticas de Segurança Policy e-commerce seguro: Segurança em Perímetros $ Certificate Server Hacker Authority Farm Message IDS Corporate Network Internet Manufacturing Firewall Router Service Provider Scanner Policy Server Policy Manager Message Supplier Retail Customer

12 e-commerce seguro: Monitoração Server Farm Hacker Certificate Authority Message IDS Corporate Network Internet Manufacturing Alert! Firewall Router Service Provider Policy Server Policy Manager Scanner Vulnerability Report Message Supplier Retail Customer Detecção de Intrusos Eventos de interesse Conjunto de eventos Eventos observáveis Eventos relativos à segurança

13 Detecção de Intrusos Eventos de interesse Equilíbrio entre falsas positivas e falsas negativas; Direcionamento do sensor para garantir a detecção de EOI; Efeitos da limitação do IDS e da capacidade de detecção. Detecção de Intrusos Limites da observação Eventos em outras redes; Indisponibilidade do sensor; Falta de suporte ao protocolo sendo usado no ataque; Volume alto de pacotes.

14 Detecção de Intrusos IDS Distribuídos Submissão de logs a um site centralizado; Análise mais completa tendo em vista o volume de dados; Iniciativa para a identificação do atacante. Detecção de Intrusos Padronização na detecção de ataques Common Vulnerabilities and Exposures (CVE); Desenvolve um sistema de nomeação comum; Serve de enciclopédia para a descrições de vulnerabilidades;

15 Detecção de Intrusos Papel do IDS em uma defesa em Perímetros Auditoria de Segurança; Violações da Política de Segurança; Detecção de ataques internos e externos; Complementa outros elementos de segurança. Necessidades de integração de Grupos de resposta a Ataques Tratamento de incidentes (Brasil X Outros Paises) Intercambio de Conhecimento e Eventos Aderência ao projeto INOC-DBA (resposta rápida) Convênios e Parcerias no Tratamento de Incidentes Analise de código Analise Forense Gestão dos Sistemas de Segurança de Informação Ações Efetivas para o Tratamento de Incidentes Identificação / bloqueio de origem das tentativas de ataques

16 CONTATOS COM O G.R.A CENTRAL DE ATENDIMENTO SERPRO Telefone (abertura de tickets via ferramenta corporativa) INOC DBA Fone IP : 10954*800

Segurança da Informação

Segurança da Informação Segurança da Informação Aspectos a Serem Considerados Rodrigo Rubira Branco rodrigo@firewalls.com.br O que é a Firewalls? - Empresa Especializada em Segurança; - Profissionais Certificados; - Atenta a

Leia mais

TEORIA GERAL DE SISTEMAS

TEORIA GERAL DE SISTEMAS TEORIA GERAL DE SISTEMAS Vulnerabilidade dos sistemas e uso indevido Vulnerabilidade do software Softwares comerciais contém falhas que criam vulnerabilidades na segurança Bugs escondidos (defeitos no

Leia mais

www.ricardokleber.com ricardokleber@ricardokleber.com @ricardokleber

www.ricardokleber.com ricardokleber@ricardokleber.com @ricardokleber Estruturando um A Experiência do Ricardo Kléber www.ricardokleber.com ricardokleber@ricardokleber.com @ricardokleber umsetembro CSIRT de 2013 2o Fórum BrasileiroEstruturando de CSIRTS 17 de Antes de mais

Leia mais

e Uso Abusivo da Rede

e Uso Abusivo da Rede SEGURANÇA FRAUDE TECNOLOGIA SPAM INT MALWARE PREVENÇÃO VÍRUS BANDA LARGA TROJAN PRIVACIDADE PHISHING WIRELESS SPYWARE ANTIVÍRUS WORM BLUETOOTH SC CRIPTOGRAFIA BOT SENHA ATAQUE FIREWAL BACKDOOR COOKIES

Leia mais

Segurança da Informação Segurança de Redes Segurança de Sistemas Segurança de Aplicações

Segurança da Informação Segurança de Redes Segurança de Sistemas Segurança de Aplicações Segurança da Informação Segurança de Redes Segurança de Sistemas Segurança de Aplicações Símbolos Símbolos: S 1, S 2,..., S n Um símbolo é um sinal (algo que tem um caráter indicador) que tem uma determinada

Leia mais

Apresentação do Curso

Apresentação do Curso Apresentação do Curso 26/9/2004 Prof. Rossoni, Farias 1 Programa da Disciplina Ementa de disciplina: SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Conceitos básicos: ameaças, avaliação de riscos e política de segurança. Segurança

Leia mais

PLANO DIRETOR DE SEGURANÇA

PLANO DIRETOR DE SEGURANÇA PLANO DIRETOR DE SEGURANÇA Dezembro de 2006 REGOV 1.0 6/12-2006 - 2 - Índice Apresentação...3 1. Introdução... 4 2. Análise de... 6 3. Domínios de... 7 MECANISMOS DE PROTEÇÃO DA REDE GOVERNAMENTAL... 8

Leia mais

EMBRATEL- Business Security. Provedor de Serviços Gerenciados de Segurança (MSSP*) *Managed Security Services Provider

EMBRATEL- Business Security. Provedor de Serviços Gerenciados de Segurança (MSSP*) *Managed Security Services Provider EMBRATEL- Business Security Provedor de Serviços Gerenciados de Segurança (MSSP*) *Managed Security Services Provider Daniela Ceschini Especialista em Segurança da Informação 1 AGENDA Panorama e desafios

Leia mais

Baseline de Segurança da Informação

Baseline de Segurança da Informação Diretoria de Segurança Corporativa Superintendência de Segurança da Informação Baseline de Segurança da Informação Avaliação de Fornecedor E-mail Marketing SUMÁRIO: 1. SEGURANÇA DA REDE:... 3 2. PATCHES

Leia mais

Auditoria e Segurança da Informação GSI536. Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU

Auditoria e Segurança da Informação GSI536. Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU Auditoria e Segurança da Informação GSI536 Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU Tópicos Motivação; Características; Histórico; Tipos de detecção de intrusão; Detecção de intrusão baseada na rede; Detecção

Leia mais

Edilberto Silva - www.edilms.eti.br

Edilberto Silva - www.edilms.eti.br Baseado no material dos profs.: Márcio D avila / FUMEC Mauro Sobrinho / Unieuro Mehran Misaghi / SOCIESC Edilberto Silva edilms@yahoo.com / www.edilms.eti.br Sumário Tecnologias e Afins Servidores Redes

Leia mais

Março/2005 Prof. João Bosco M. Sobral

Março/2005 Prof. João Bosco M. Sobral Plano de Ensino Introdução à Segurança da Informação Princípios de Criptografia Segurança de Redes Segurança de Sistemas Símbolos: S 1, S 2,..., S n Um símbolo é um sinal (algo que tem um caráter indicador)

Leia mais

LANDesk Security Suite

LANDesk Security Suite LANDesk Security Suite Proporcione aos seus ativos proteção integrada a partir de uma console única e intuitiva que integra múltiplas camadas de segurança. Aplique políticas de segurança à usuários e dispositivos

Leia mais

Aspectos de Segurança na Internet: Evolução e Tendências Atuais

Aspectos de Segurança na Internet: Evolução e Tendências Atuais Aspectos de Segurança na Internet: Evolução e Tendências Atuais NIC BR Security Office nbso@nic.br http://www.nic.br/nbso.html Cristine Hoepers cristine@nic.br Klaus Steding-Jessen jessen@nic.br COMDEX

Leia mais

Bem Vindos! Palestrante: Rodrigo Ribeiro Montoro. Analista de Segurança da BRconnection

Bem Vindos! Palestrante: Rodrigo Ribeiro Montoro. Analista de Segurança da BRconnection Bem Vindos! Palestrante: Rodrigo Ribeiro Montoro Analista de Segurança da BRconnection POR GENTILEZA, MANTENHAM SEUS CELULARES DESLIGADOS DURANTE A APRESENTAÇÃO. OBRIGADO! Gerenciando Riscos em Comunicação

Leia mais

Segurança na Rede Local Redes de Computadores

Segurança na Rede Local Redes de Computadores Ciência da Computação Segurança na Rede Local Redes de Computadores Disciplina de Desenvolvimento de Sotware para Web Professor: Danilo Vido Leonardo Siqueira 20130474 São Paulo 2011 Sumário 1.Introdução...3

Leia mais

Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW. Free Powerpoint Templates Page 1

Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW. Free Powerpoint Templates Page 1 Segurança na Web Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW Page 1 Quando você conecta sua rede doméstica ou corporativa a internet, tudo o que está além da sua rede é literalmente o fim do mundo

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA

MINISTÉRIO DA FAZENDA MINISTÉRIO DA FAZENDA Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional PGFN Departamento de Gestão Corporativa - DGC Coordenação-Geral de Tecnologia da Informação - CTI CATÁLOGO DE SERVIÇOS DE TECNOLOGIA Infraestrutura

Leia mais

1 Introdução 1.1. Segurança em Redes de Computadores

1 Introdução 1.1. Segurança em Redes de Computadores 1 Introdução 1.1. Segurança em Redes de Computadores A crescente dependência das empresas e organizações modernas a sistemas computacionais interligados em redes e a Internet tornou a proteção adequada

Leia mais

Implantação de política de segurança e Sistemas de Detecção e Prevenção de Intrusos IDS/IPS.

Implantação de política de segurança e Sistemas de Detecção e Prevenção de Intrusos IDS/IPS. Implantação de política de segurança e Sistemas de Detecção e Prevenção de Intrusos IDS/IPS. Humberto dos Santos Curso de Especialização de Redes e Segurança de Sistemas semipresencial Pontifícia Universidade

Leia mais

Integração entre o PROSEG e o PSGIS Uma abordagem no. tratamento de incidentes de segurança da informação. Parte 2. Elaboradores:

Integração entre o PROSEG e o PSGIS Uma abordagem no. tratamento de incidentes de segurança da informação. Parte 2. Elaboradores: Integração entre o PROSEG e o PSGIS Uma abordagem no tratamento de incidentes de segurança da informação Parte 2 Elaboradores: - Cristiane Gomes e Thiago Moraes/SUPGS - João Emílio e Maria do Carmo/COGSI

Leia mais

TEORIA GERAL DE SISTEMAS

TEORIA GERAL DE SISTEMAS TEORIA GERAL DE SISTEMAS Vulnerabilidade dos sistemas e uso indevido Roubo de identidade Hackers e cibervandalismo Roubo de informações pessoais (número de identificação da Previdência Social, número da

Leia mais

Segurança da Internet no Brasil e Atuação do CERT.br Cristine Hoepers

Segurança da Internet no Brasil e Atuação do CERT.br Cristine Hoepers Segurança da Internet no Brasil e Atuação do CERT.br Cristine Hoepers Centro de Estudos, Resposta e Tratamento de Incidentes de Segurança no Brasil - CERT.br Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação Segurança da Informação Professor: Cleber Schroeder Fonseca cleberfonseca@charqueadas.ifsul.edu.br 8 1 SEGURANÇA EM REDES DE COMPUTADORES 2 Segurança em redes de computadores Consiste na provisão de políticas

Leia mais

Metodologia de Monitoração

Metodologia de Monitoração Metodologia de Monitoração Remota de Logs de Segurança Carlos Henrique P. C. Chaves Lucio Henrique Franco Antonio Montes {carlos.chaves,lucio.franco,antonio.montes}@cenpra.gov.br Sumário Análise de Logs

Leia mais

A utilização das redes na disseminação das informações

A utilização das redes na disseminação das informações A utilização das redes na disseminação das informações Elementos de Rede de computadores: Denomina-se elementos de rede, um conjunto de hardware capaz de viabilizar e proporcionar a transferência da informação

Leia mais

S e g u r a n ç a. d a. I n f o r m a ç ã o 2007

S e g u r a n ç a. d a. I n f o r m a ç ã o 2007 S e g u r a n ç a d a I n f o r m a ç ã o 2007 Uma corrente não é mais forte do que seu elo mais fraco. Tem medo de ataques? Tranque sua rede numa sala!. Só gerenciamos aquilo que medimos, só medimos aquilo

Leia mais

FAE São José dos Pinhais

FAE São José dos Pinhais FAE São José dos Pinhais Detecção de Intrusos PR.GOV.BR Hermano Pereira Agenda Segurança na Rede PR.GOV.BR Sistemas de Detecção de Intrusão Segurança da Informação e Gerência de Eventos Soluções da Equipe

Leia mais

3. ( ) Para evitar a contaminação de um arquivo por vírus, é suficiente salvá-lo com a opção de compactação.

3. ( ) Para evitar a contaminação de um arquivo por vírus, é suficiente salvá-lo com a opção de compactação. 1. Com relação a segurança da informação, assinale a opção correta. a) O princípio da privacidade diz respeito à garantia de que um agente não consiga negar falsamente um ato ou documento de sua autoria.

Leia mais

Daniel Moreno. Novatec

Daniel Moreno. Novatec Daniel Moreno Novatec Novatec Editora Ltda. 2015. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida a reprodução desta obra, mesmo parcial, por qualquer processo, sem prévia

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br. Prof. José Maurício S. Pinheiro - UGB - 2009

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br. Prof. José Maurício S. Pinheiro - UGB - 2009 PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br Auditoria i e Análise de Segurança da Informação Segurança e Confiabilidade Prof. José Maurício S. Pinheiro - UGB - 2009 Dados e Informação Dado é a unidade básica

Leia mais

OBJETIVO DA POLÍTICA DE SEGURANÇA

OBJETIVO DA POLÍTICA DE SEGURANÇA POLÍTICA DE SEGURANÇA DIGITAL Wagner de Oliveira OBJETIVO DA POLÍTICA DE SEGURANÇA Hoje em dia a informação é um item dos mais valiosos das grandes Empresas. Banco do Brasil Conscientizar da necessidade

Leia mais

Objetivos deste capítulo

Objetivos deste capítulo 1 Objetivos deste capítulo Identificar a finalidade de uma política de segurança. Identificar os componentes de uma política de segurança de rede. Identificar como implementar uma política de segurança

Leia mais

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E b o o k E x c l u s i v o SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO P r i n c í p i o s e A p l i c ações Especialista em Serviços Gerenciados de S e g u r a n ç a de Perímetro Sumário Princípios Conceito P.3 Breve Histórico

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS 5ª. Série Segurança de Redes CST em Redes de Computadores A Atividade Prática Supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensino-aprendizagem desenvolvido

Leia mais

GTS.15 Grupo Técnico em Segurança de Redes Marco Antônio Abade

GTS.15 Grupo Técnico em Segurança de Redes Marco Antônio Abade GTS.15 Grupo Técnico em Segurança de Redes Marco Antônio Abade sobre o Autor Bacharel em Análise de Sistemas pela Universidade de Ribeirão Preto e Pós-graduado em Segurança da Informação pelo ITA Instituto

Leia mais

Copyright 2012 EMC Corporation. Todos os direitos reservados.

Copyright 2012 EMC Corporation. Todos os direitos reservados. 1 IMPLEMENTAÇÃO DO GERENCIAMENTO DE SEGURANÇA AVANÇADA Gerenciando riscos para um mundo digital confiável e sustentável Nak Y. Kwak Brazil & SOLA nak.kwak@rsa.com 2 Agenda Corporação avançada Ameaças avançadas

Leia mais

Hardening de Servidores

Hardening de Servidores Hardening de Servidores O que é Mitm? O man-in-the-middle (pt: Homem no meio, em referência ao atacante que intercepta os dados) é uma forma de ataque em que os dados trocados entre duas partes, por exemplo

Leia mais

VIII Fórum de Auditoria Segurança da Informação VIII. Fórum Estadual de Auditoria. Cláudio Reginaldo Alexandre. Cláudio Reginaldo Alexandre

VIII Fórum de Auditoria Segurança da Informação VIII. Fórum Estadual de Auditoria. Cláudio Reginaldo Alexandre. Cláudio Reginaldo Alexandre VIII Fórum Estadual de Auditoria 1 Panorama Atual Leitura dos Números 2 Fonte: http://www.nbso.nic.br 3 Origem dos Incidentes 2008 Mês Total worm (%) dos (%) invasão (%) aw (%) scan (%) fraude (%) jan

Leia mais

Segurança e Proteção da Informação. Msc. Marcelo Carvalho Tavares marcelo.tavares@unir.br

Segurança e Proteção da Informação. Msc. Marcelo Carvalho Tavares marcelo.tavares@unir.br Segurança e Proteção da Informação Msc. Marcelo Carvalho Tavares marcelo.tavares@unir.br 1 Segurança da Informação A informação é importante para as organizações? Por que surgiu a necessidade de se utilizar

Leia mais

Aula 03 Malware (Parte 01) Visão Geral. Prof. Paulo A. Neukamp

Aula 03 Malware (Parte 01) Visão Geral. Prof. Paulo A. Neukamp Aula 03 Malware (Parte 01) Visão Geral Prof. Paulo A. Neukamp Mallware (Parte 01) Objetivo: Descrever de maneira introdutória o funcionamento de códigos maliciosos e os seus respectivos impactos. Agenda

Leia mais

Cartilha de Segurança para Internet

Cartilha de Segurança para Internet Comitê Gestor da Internet no Brasil Cartilha de Segurança para Internet Parte VII: Incidentes de Segurança e Uso Abusivo da Rede Versão 3.1 2006 CERT.br Centro de Estudos, Resposta e Tratamento de Incidentes

Leia mais

Introdução a Segurança de Redes Segurança da Informação. Filipe Raulino filipe.raulino@ifrn.edu.br

Introdução a Segurança de Redes Segurança da Informação. Filipe Raulino filipe.raulino@ifrn.edu.br Introdução a Segurança de Redes Segurança da Informação Filipe Raulino filipe.raulino@ifrn.edu.br Objetivos Entender a necessidade de segurança da informação no contexto atual de redes de computadores;

Leia mais

A Problemática da Gestão de Logs

A Problemática da Gestão de Logs SIEM Rogério Reis Agenda A Problemática da Gestão de Logs A Solução: SIEM SIEM: Uma plataforma para operações de segurança SIEM: Uma plataforma para operações de conformidade Uma Visão Geral da Tecnologia

Leia mais

Soluções de Segurança da Informação para o mundo corporativo

Soluções de Segurança da Informação para o mundo corporativo Soluções de Segurança da Informação para o mundo corporativo (para cada problema, algumas soluções!) Rafael Soares Ferreira Diretor de Resposta a Incidentes e Auditorias rafael@clavis.com.br Conceitos

Leia mais

Marcos Bentes. Projeto de Segurança Escopo do Trabalho. www.modulo.com.br. mbentes@modulo.com.br. Líder em Segurança para Redes, Internet e Intranet

Marcos Bentes. Projeto de Segurança Escopo do Trabalho. www.modulo.com.br. mbentes@modulo.com.br. Líder em Segurança para Redes, Internet e Intranet www.modulo.com.br Projeto de Segurança Escopo do Trabalho Marcos Bentes mbentes@modulo.com.br. 5a. Pesquisa Nacional sobre Segurança da Informação. Perfil das Empresas Pesquisadas (148) 14% 15% 8% Privada

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação Segurança da Informação 1 Agenda Sistemas de Detecção de Intrusão 2 1 Sistemas de Detecção de Intrusão Os sistemas de detecção de intrusão ou IDS (Intrusion Detection Systems) são dispositivos de monitoramento

Leia mais

Faculdade Lourenço Filho Disciplina: Comércio Virtual PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS. Tipos de Defesas

Faculdade Lourenço Filho Disciplina: Comércio Virtual PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS. Tipos de Defesas Segurança Aulas : Terças e Quintas Horário: AB Noite [18:30 20:20hs] Slide: 1 nº Defesas Externas IPS, IDS Proteger a rede e os hosts Manter ameaças externas longe da rede interna Defesas Internas Tipos

Leia mais

Dom o ín í i n o i o d e d Con o h n e h cim i ent n o o 3 To T p o o p l o o l g o i g a i s e I D I S Carlos Sampaio

Dom o ín í i n o i o d e d Con o h n e h cim i ent n o o 3 To T p o o p l o o l g o i g a i s e I D I S Carlos Sampaio Domínio de Conhecimento 3 Topologias e IDS Carlos Sampaio Agenda Topologia de Segurança Zonas de Segurança DMZ s Detecção de Intrusão (IDS / IPS) Fundamentos de infra-estrutura de redes Nem todas as redes

Leia mais

Firewall. Professor: João Paulo de Brito Gonçalves Disciplina: Serviços de Redes. Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática

Firewall. Professor: João Paulo de Brito Gonçalves Disciplina: Serviços de Redes. Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática Firewall Professor: João Paulo de Brito Gonçalves Disciplina: Serviços de Redes Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática Firewall (definições) Por que do nome firewall? Antigamente, quando as casas

Leia mais

Proteção no Ciberespaço da Rede UFBA. CPD - Divisão de Suporte Yuri Alexandro yuri.alexandro@ufba.br

Proteção no Ciberespaço da Rede UFBA. CPD - Divisão de Suporte Yuri Alexandro yuri.alexandro@ufba.br Proteção no Ciberespaço da Rede UFBA CPD - Divisão de Suporte Yuri Alexandro yuri.alexandro@ufba.br Agenda Segurança o que é? Informação o que é? E Segurança da Informação? Segurança da Informação na UFBA

Leia mais

Auditoria e Segurança de Sistemas: Apresentação da Disciplina

Auditoria e Segurança de Sistemas: Apresentação da Disciplina Auditoria e Segurança de Sistemas: Apresentação da Disciplina Adriano J. Holanda http://holanda.xyz 4 de agosto de 2015 Ementa Segurança em informática como fator crítico de sucesso nas empresas; Planos

Leia mais

Diretoria Executiva de Controles Internos e Risco Operacional

Diretoria Executiva de Controles Internos e Risco Operacional Diretoria Executiva de Controles Internos e Risco Operacional Seminário de Segurança da Informação 2014 Painel "A dinâmica do cenário de ameaças à rede interna frente a um contexto GRC e às novas ferramentas

Leia mais

Empresa FIREWALLS. IDS x IPS. http://www.firewalls.com.br. Matriz: Bauru/SP Filial 1: Florianopolis/SC

Empresa FIREWALLS. IDS x IPS. http://www.firewalls.com.br. Matriz: Bauru/SP Filial 1: Florianopolis/SC Empresa FIREWALLS IDS x IPS Matriz: Bauru/SP Filial 1: Florianopolis/SC O que é a Firewalls? - Empresa Especializada em Segurança; - Profissionais Certificados; - Atenta a Padrões Internacionais; - Parceira

Leia mais

Novas Ameaças na Internet e Iniciativas do CERT.br e CGI.br para Combatê-las

Novas Ameaças na Internet e Iniciativas do CERT.br e CGI.br para Combatê-las Novas Ameaças na Internet e Iniciativas do CERT.br e CGI.br para Combatê-las Klaus Steding-Jessen jessen@cert.br Centro de Estudos, Resposta e Tratamento de Incidentes de Segurança no Brasil CERT.br http://www.cert.br/

Leia mais

GESTÃO DA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

GESTÃO DA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Sistema de Informação e Tecnologia FEQ 0411 Prof Luciel Henrique de Oliveira luciel@uol.com.br Capítulo 6 GESTÃO DA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO PRADO, Edmir P.V.; SOUZA, Cesar A. de. (org). Fundamentos de

Leia mais

Exercícios da Parte II: Segurança da Informação Walter Cunha PSI

Exercícios da Parte II: Segurança da Informação Walter Cunha PSI Exercícios da Parte II: Segurança da Informação Walter Cunha PSI 1. (CESGRANRIO/Analista BNDES 2008) NÃO é uma boa prática de uma política de segurança: (a). difundir o cuidado com a segurança. (b). definir

Leia mais

SOLUÇÕES AMBIENTE SEGURO SEUS NEGÓCIOS DEPENDEM DISSO!

SOLUÇÕES AMBIENTE SEGURO SEUS NEGÓCIOS DEPENDEM DISSO! SOLUÇÕES AMBIENTE SEGURO SEUS NEGÓCIOS DEPENDEM DISSO! O ambiente de Tecnologia da Informação (TI) vem se tornando cada vez mais complexo, qualquer alteração ou configuração incorreta pode torná-lo vulnerável

Leia mais

Hackers. Seus dados podem ser inúteis, mas seu computador em si pode ainda ser um recurso valioso.

Hackers. Seus dados podem ser inúteis, mas seu computador em si pode ainda ser um recurso valioso. Firewalls Hackers Gostam de alvos fáceis. Podem não estar interessados nas suas informações. Podem invadir seu computador apenas por diversão. Para treinar um ataque a uma máquina relativamente segura.

Leia mais

Ameaças e Contramedidas de Host

Ameaças e Contramedidas de Host Prof. Hederson Velasco Ramos Prof. Henrique Jesus Quintino de Oliveira quintino@umc.br Fonte: http://www.antispam.br/ Monitoramento (PortScan) Exemplos de monitoramento são varreduras de porta, varredura

Leia mais

Material de Apoio Ameaças e Mecanismos de Proteção

Material de Apoio Ameaças e Mecanismos de Proteção Material de Apoio Ameaças e Mecanismos de Proteção (Aula 02) Parte 01: Ameaças 2 Malware Sumário Definição de Malware Descrição de Códigos Maliciosos Engenharia Social Referências 3 Malware Definição de

Leia mais

DESVIO DE TRÁFEGO MALICIOSO DESTINADO A REDES DE PRODUÇÃO PARA UMA HONEYNET

DESVIO DE TRÁFEGO MALICIOSO DESTINADO A REDES DE PRODUÇÃO PARA UMA HONEYNET DESVIO DE TRÁFEGO MALICIOSO DESTINADO A REDES DE PRODUÇÃO PARA UMA HONEYNET lucio@lac.inpe.br Antonio Montes montes@lac.inpe.br Laboratório Associado de Computação e Matemática Aplicada Instituto Nacional

Leia mais

Avaliação de Vulnerabilidades. O que eu preciso saber?

Avaliação de Vulnerabilidades. O que eu preciso saber? Avaliação de Vulnerabilidades O que eu preciso saber? Mito 1 Estamos protegidos, já possuímos um bom firewall e também sistemas IDS/IPS. Realidade A implementação dessas ferramentas muitas vezes levam

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação Segurança da Informação Segurança e Vulnerabilidades em Aplicações Web jobona@terra.com.br Definição: Segurança Segundo o dicionário da Wikipédia, o termo segurança significa: 1. Condição ou estado de

Leia mais

Mestrado em Segurança da Informação e Direito no Ciberespaço

Mestrado em Segurança da Informação e Direito no Ciberespaço Escola Naval Mestrado em Segurança da Informação e Direito no Ciberespaço Segurança da informação nas organizações Supervisão das Politicas de Segurança Computação em nuvem Fernando Correia Capitão-de-fragata

Leia mais

Gerenciamento de Redes de Computadores. Introdução ao Gerenciamento de Redes

Gerenciamento de Redes de Computadores. Introdução ao Gerenciamento de Redes Introdução ao Gerenciamento de Redes O que é Gerenciamento de Redes? O gerenciamento de rede inclui a disponibilização, a integração e a coordenação de elementos de hardware, software e humanos, para monitorar,

Leia mais

Conceitos e Melhores Práticas para Compliance, Segurança e Operação de Redes. Marcos Nehme RSA System Engineer Manager, Latin America & Caribbean

Conceitos e Melhores Práticas para Compliance, Segurança e Operação de Redes. Marcos Nehme RSA System Engineer Manager, Latin America & Caribbean Conceitos e Melhores Práticas para Compliance, Segurança e Operação de Redes Marcos Nehme RSA System Engineer Manager, Latin America & Caribbean Desafios da Segurança nos dias atuais Segurança da Informação

Leia mais

Segurança Física e Segurança Lógica. Aécio Costa

Segurança Física e Segurança Lógica. Aécio Costa Segurança Física e Segurança Lógica Aécio Costa Segurança física Ambiente Segurança lógica Programas A segurança começa pelo ambiente físico Não adianta investir dinheiro em esquemas sofisticados e complexos

Leia mais

SISTEMAS BRASILEIRO EM INFORMÁTICA CNPJ:

SISTEMAS BRASILEIRO EM INFORMÁTICA CNPJ: Dados da Empresa Dados da SYSTEMBRAS SISTEMAS BRASILEIRO EM INFORMÁTICA CNPJ: 00.000.000/0001-00 Rua Paramoti, 04 Vila Antonieta SP Cep: 03475-030 Contato: (11) 3569-2224 A Empresa A SYSTEMBRAS tem como

Leia mais

Informação: o principal ativo de um negócio

Informação: o principal ativo de um negócio WHITE PAPER Informação: o principal ativo de um negócio Gestão de dados se tornou ponto crucial para sobrevivência das instituições, mas poucas ainda mantêm programa de treinamento em segurança. Fiscalização

Leia mais

Monitoramento de rede como componente essencial no conceito da segurança de TI

Monitoramento de rede como componente essencial no conceito da segurança de TI Monitoramento de rede como componente essencial no conceito da segurança de TI White Paper Author: Daniel Zobel, Head of Software Development, Paessler AG Publicado em: dezembro 2013 PÁGINA 1 DE 8 Conteúdo

Leia mais

Nova Prestech.net. Gerenciamento de Segurança da Informação com Software Livre. Consultoria e Soluções em Informática. http://www.prestech.com.

Nova Prestech.net. Gerenciamento de Segurança da Informação com Software Livre. Consultoria e Soluções em Informática. http://www.prestech.com. Consultoria e Soluções em Informática Gerenciamento de Segurança da Informação com Software Livre http://www.prestech.com.br Victor Batista da Silva Santos victor@prestech.com.br +55 21 8762-6977 +55 21

Leia mais

Conteúdo. Introdução. Introdução Segurança da Informação Barreiras de segurança Exemplos Conclusão Bibliografia

Conteúdo. Introdução. Introdução Segurança da Informação Barreiras de segurança Exemplos Conclusão Bibliografia Segurança da informação FATEC Americana Tecnologia em Análise de Sistemas e Tecnologias da Informação Diagnóstico e solução de problemas de TI Prof. Humberto Celeste Innarelli Segurança da informação 1

Leia mais

O processo de ataque em uma rede de computadores. Jacson R.C. Silva

O processo de ataque em uma rede de computadores. Jacson R.C. Silva <jacsonrcsilva@gmail.com> O processo de ataque em uma rede de computadores Jacson R.C. Silva Inicialmente, se conscientizando... É importante ter em mente os passos que correspondem a um ataque Porém,

Leia mais

Mecanismos para Controles de Segurança

Mecanismos para Controles de Segurança Centro Universitário de Mineiros - UNIFIMES Sistemas de Informação Segurança e Auditoria de Sistemas de Informação Mecanismos para Controles de Segurança Mineiros-Go, 12 de setembro de 2012. Profª. Esp.

Leia mais

Fortaleza Digital. Aker FIREWALL UTM. Sua empresa mais forte com uma solução completa de segurança digital.

Fortaleza Digital. Aker FIREWALL UTM. Sua empresa mais forte com uma solução completa de segurança digital. Aker FIREWALL UTM Fortaleza Digital Sua empresa mais forte com uma solução completa de segurança digital. Ideal para o ambiente corporativo, com o Aker Firewall UTM você tem o controle total das informações

Leia mais

Programas Maliciosos. 2001 / 1 Segurança de Redes/Márcio d Ávila 182. Vírus de Computador

Programas Maliciosos. 2001 / 1 Segurança de Redes/Márcio d Ávila 182. Vírus de Computador Programas Maliciosos 2001 / 1 Segurança de Redes/Márcio d Ávila 182 Vírus de Computador Vírus de computador Código intruso que se anexa a outro programa Ações básicas: propagação e atividade A solução

Leia mais

Segurança de Redes. em Ambientes Cooperativos. Emilio Tissato Nakamura Paulo Lício de Geus. Novatec

Segurança de Redes. em Ambientes Cooperativos. Emilio Tissato Nakamura Paulo Lício de Geus. Novatec Segurança de Redes em Ambientes Cooperativos Emilio Tissato Nakamura Paulo Lício de Geus Novatec capítulo 1 Introdução A necessidade de segurança é um fato que vem transcendendo o limite da produtividade

Leia mais

João Bosco Beraldo - 014 9726-4389 jberaldo@bcinfo.com.br. José F. F. de Camargo - 14 8112-1001 jffcamargo@bcinfo.com.br

João Bosco Beraldo - 014 9726-4389 jberaldo@bcinfo.com.br. José F. F. de Camargo - 14 8112-1001 jffcamargo@bcinfo.com.br João Bosco Beraldo - 014 9726-4389 jberaldo@bcinfo.com.br José F. F. de Camargo - 14 8112-1001 jffcamargo@bcinfo.com.br BCInfo Consultoria e Informática 14 3882-8276 WWW.BCINFO.COM.BR Princípios básicos

Leia mais

ANEXO XII INFRAESTRUTURA E SEGURANÇA. A finalidade desse Anexo é apresentar a infraestrutura e a segurança requeridas para a execução do Contrato.

ANEXO XII INFRAESTRUTURA E SEGURANÇA. A finalidade desse Anexo é apresentar a infraestrutura e a segurança requeridas para a execução do Contrato. 1 ANEXO XII INFRAESTRUTURA E SEGURANÇA 1. FINALIDADE A finalidade desse Anexo é apresentar a infraestrutura e a segurança requeridas para a execução do Contrato. 2. INFRAESTRUTURA PARA REALIZAÇÃO DOS SERVIÇOS

Leia mais

Bruno Anselmo Guilhen. Complemento MPU MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO. TÉCNICO DE INFORMÁTICA Conhecimentos Básicos e Específicos.

Bruno Anselmo Guilhen. Complemento MPU MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO. TÉCNICO DE INFORMÁTICA Conhecimentos Básicos e Específicos. Bruno Anselmo Guilhen Complemento MPU MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO TÉCNICO DE INFORMÁTICA Conhecimentos Básicos e Específicos Nível Médio 2010 Vestcon Editora Ltda. Todos os direitos autorais desta obra

Leia mais

Políticas de Segurança de Sistemas

Políticas de Segurança de Sistemas Políticas de Segurança de Sistemas Profs. Hederson Velasco Ramos Henrique Jesus Quintino de Oliveira Estudo de Boletins de Segurança O que é um boletim de segurança? São notificações emitidas pelos fabricantes

Leia mais

Segurança Operacional na EDP; porque importa vigiar a segurança da infra-estrutura IT

Segurança Operacional na EDP; porque importa vigiar a segurança da infra-estrutura IT Segurança Operacional na EDP; porque importa vigiar a segurança da infra-estrutura IT Direção de Sistemas de Informação 30 de Janeiro, 2013 Contexto da Segurança na EDP 2 O contexto da Segurança na EDP

Leia mais

Gerência de Redes Segurança

Gerência de Redes Segurança Gerência de Redes Segurança Cássio D. B. Pinheiro cdbpinheiro@ufpa.br cassio.orgfree.com Objetivos Apresentar o conceito e a importância da Política de Segurança no ambiente informatizado, apresentando

Leia mais

Em informática, um vírus de computador é um software malicioso que vem sendo desenvolvido por programadores que, tal como um vírus biológico, infecta

Em informática, um vírus de computador é um software malicioso que vem sendo desenvolvido por programadores que, tal como um vírus biológico, infecta Em informática, um vírus de computador é um software malicioso que vem sendo desenvolvido por programadores que, tal como um vírus biológico, infecta o sistema, faz cópias de si mesmo e tenta se espalhar

Leia mais

ESTRUTURA E ASPECTOS. 3S Networks. Tecnologia alinhada ao seu negócio

ESTRUTURA E ASPECTOS. 3S Networks. Tecnologia alinhada ao seu negócio ESTRUTURA E ASPECTOS 3S Networks. Tecnologia alinhada ao seu negócio A 3S Networks surgiu com a proposta de oferecer as mais avançadas soluções tecnológicas a empresas dos setores privado e público, atuamos

Leia mais

Segurança e Informação Ativo de ouro dessa nova era Aula 01. Soraya Christiane / Tadeu Ferreira

Segurança e Informação Ativo de ouro dessa nova era Aula 01. Soraya Christiane / Tadeu Ferreira Segurança e Informação Ativo de ouro dessa nova era Aula 01 Soraya Christiane / Tadeu Ferreira Informação É o ativo que tem um valor para a organização e necessita ser adequadamente protegida (NBR 17999,

Leia mais

NORMA TÉCNICA PARA IMPLEMENTAÇÃO DE MECANISMOS DE SEGURANÇA EM SISTEMAS UNIX. Referência: NT-AI.01.05.01. Data: 16/09/1998

NORMA TÉCNICA PARA IMPLEMENTAÇÃO DE MECANISMOS DE SEGURANÇA EM SISTEMAS UNIX. Referência: NT-AI.01.05.01. Data: 16/09/1998 NORMA TÉCNICA PARA IMPLEMENTAÇÃO DE MECANISMOS DE SEGURANÇA EM SISTEMAS UNIX Referência: NT-AI.01.05.01 http://intranet.unesp.br/ai/regulamentos/nt-ai.01.05.01.pdf Data: 16/09/1998 STATUS: EM VIGOR A Assessoria

Leia mais

reputação da empresa.

reputação da empresa. Segurança premiada da mensageria para proteção no recebimento e controle no envio de mensagens Visão geral O oferece segurança para mensagens enviadas e recebidas em sistemas de e-mail e mensagens instantâneas,

Leia mais

Tratamento de incidentes de segurança na Rede Acadêmica Brasileira

Tratamento de incidentes de segurança na Rede Acadêmica Brasileira Tratamento de incidentes de segurança na Rede Acadêmica Brasileira Frederico Costa Atanaí Sousa Ticianelli Centro de Atendimento a Incidentes de Segurança CAIS Rede Nacional de Ensino e Pesquisa RNP Agenda

Leia mais

EN-3611 Segurança de Redes Sistemas de Detecção de Intrusão e Honeypots Prof. João Henrique Kleinschmidt

EN-3611 Segurança de Redes Sistemas de Detecção de Intrusão e Honeypots Prof. João Henrique Kleinschmidt EN-3611 Segurança de Redes Sistemas de Detecção de Intrusão e Honeypots Prof. João Henrique Kleinschmidt Santo André, novembro de 2015 Sistemas de Detecção de Intrusão IDS Sistemas de Detecção de Intrusão

Leia mais

Elvis Pontes INTRODUÇÃO

Elvis Pontes INTRODUÇÃO Tecnologias de Sistemas de Detecção e Prevenção de Intrusão (IDP) aplicados em ambientes de rede de dados híbridas: avaliação das necessidades e seleção das ferramentas Elvis Pontes OBJETIVO Este artigo

Leia mais

SEGURANÇA EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO: um estudo comparativo sobre os programas e sistemas de firewall

SEGURANÇA EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO: um estudo comparativo sobre os programas e sistemas de firewall SEGURANÇA EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO: um estudo comparativo sobre os programas e sistemas de firewall Mônica Gonçalves de Mendonça, Edson Aparecida de Araújo Querido Oliveira, Vilma da Silva Santos, Paulo

Leia mais

Conceitos de Segurança Física e Segurança Lógica. Segurança Computacional Redes de Computadores. Professor: Airton Ribeiro Fevereiro de 2016-1

Conceitos de Segurança Física e Segurança Lógica. Segurança Computacional Redes de Computadores. Professor: Airton Ribeiro Fevereiro de 2016-1 Segurança Computacional Redes de Computadores Professor: Airton Ribeiro Fevereiro de 2016-1 1 2 Compreende os mecanismos de proteção baseados em softwares Senhas Listas de controle de acesso - ACL Criptografia

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Competências Analista 1. Administração de recursos de infra-estrutura de tecnologia da informação 2.

Leia mais

ORIGEM Departamento de Segurança da Informação e Comunicações

ORIGEM Departamento de Segurança da Informação e Comunicações 07/IN01/DSIC/GSIPR 01 15/JUL/14 1/9 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Gabinete de Segurança Institucional Departamento de Segurança da Informação e Comunicações DIRETRIZES PARA IMPLEMENTAÇÃO DE CONTROLES DE ACESSO

Leia mais

Sumário: Segurança da Informação Segurança nos Sistemas operativos M Ó D U L O 1

Sumário: Segurança da Informação Segurança nos Sistemas operativos M Ó D U L O 1 Escola Secundária Alberto Sampaio 2012/2013 Sumário: Segurança da Informação Segurança nos Sistemas operativos 2 Gestão de I/O Categorias Controladores Memória Secundária Interface Homem-Máquina Drivers

Leia mais

Manual. Honeypots e honeynets

Manual. Honeypots e honeynets Manual Honeypots e honeynets Honeypots No fundo um honeypot é uma ferramenta de estudos de segurança, onde sua função principal é colher informações do atacante. Consiste num elemento atraente para o invasor,

Leia mais

Segurança de Redes & Internet

Segurança de Redes & Internet Boas Práticas Segurança de Redes & Internet 0800-644-0692 Video Institucional Boas Práticas Segurança de Redes & Internet 0800-644-0692 Agenda Cenário atual e demandas Boas práticas: Monitoramento Firewall

Leia mais