INTEGRANDO A TECNOLOGIA J2ME NO ÂMBITO ACADÊMICO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INTEGRANDO A TECNOLOGIA J2ME NO ÂMBITO ACADÊMICO"

Transcrição

1 INTEGRANDO A TECNOLOGIA J2ME NO ÂMBITO ACADÊMICO Ramon R. Rabello, Pedro J. Treccani, Thienne M Johnson Universidade da Amazônia, Av Alcindo Cacela, 287, Belém, PA CEP ABSTRACT This article intends to show, through a software solution for mobile devices, the need of integration of the Java technology for devices in the academic context. Such solution has as objective that facilitates and automates the teacher's daily task of updating their students' frequencies, and that updating will be accomplished remotely of a mobile device directly for the academic database. Key-words: J2ME; Mobility; Java; Mobile devices. RESUMO Este artigo pretende mostrar, por meio de uma solução de software para dispositivos móveis, uma alternativa de integração da tecnologia Java para micros dispositivos no âmbito acadêmico. Tal solução tem como objetivo facilitar e automatizar a tarefa cotidiana do docente de atualizar as freqüências de seus alunos, sendo que essa atualização será realizada remotamente de um dispositivo móvel diretamente para a base de dados acadêmica. Palavras-chaves: J2ME; Mobilidade; Java; Dispositivos Móveis. 1. INTRODUÇÃO A qualquer hora, em qualquer lugar, as pessoas sentem a necessidade de estarem informadas, quer seja por meio de jornais televisivos quer seja por uma simples consulta em uma página de notícias na Rede Mundial de Computadores. Atualmente, já é cotidiano poder checar sua caixa de s pelo celular no momento que estiver andando pelas ruas ou atualizar sua agenda de compromissos direta para o servidor de sua empresa. A mobilidade aliada à tecnologia sem fio trouxe para o mercado um novo paradigma de comunicação: a comunicação móvel sem fio. Este artigo tem como objetivo discutir a necessidade de integração da tecnologia J2ME (linguaguem Java para computação móvel) no âmbito acadêmico A tecnologia J2ME, além de fornecer todos os recursos (conectividade, persistência de dados) para o desenvolvimento do sistema em questão, a portabilidade foi o motivo primordial na adoção desta tecnologia. Sendo assim, a aplicação irá funcionar independente de plataforma, bastando somente que o dispositivo (que pode ser um PDA ou um celular) suporte a configuração e o perfil desejado.

2 Este artigo está dividido em 7 partes. A seção 1 mostrou a introdução deste trabalho. Na seção 2, são mostradas as tecnologias disponíveis para aplicações móveis, os problemas enfrentados no desenvolvimento para dispositivos móveis e restrições das aplicações móveis. A seção 3 mostra a tecnologia J2ME, o conceito de configuração e perfil. Na seção 4, é realizada a descrição do sistema como um todo, e suas funcionalidades; os padrões de projetos utilizados. A seção 5 mostra a parte de modelagem do sistema, apresentando alguns diagramas da UML. A seção 6 demonstra os testes realizados, e finalmente, na seção 7 mostra as conclusões. 2. TECNOLOGIAS PARA APLICAÇÕES MÓVEIS Ultimamente, As empresas vêm investindo maciçamente nas tecnologias para dispositivos sem fio. O resultado disso foi o surgimento de várias tecnologias disponíveis para o desenvolvimento de aplicações móveis, como SMS (Simple Message Service), MMS (Multimedia Message Service), BREW (Binary Runtime Enviroment for Wireless) e J2ME (Java 2 Micro Edition). Ainda há outras tecnologias como WAP (Wireless Application Protocol) que aliada ao WML (Wireless Markup Language) permite que o usuário visualize determinado conteúdo da Web, como se estivesse em uma página da Web, só que seu conteúdo é formatado e otimizado especificamente para dispositivos móveis. Para os Palms e PDAs existe ainda o suporte à linguagem C++, que pode ser utilizada para o desenvolvimento de aplicações para esses dispositivos. 2.1 RESTRIÇÕES DAS APLICAÇÕES MÓVEIS Programar para dispositivos móveis requer um pouco de cautela, haja vista as limitadas configurações da maioria dos dispositivos. Restrições como poder de processamento baixo, capacidade de memória limitada e escassez de recursos gráficos devem permear o pensamento do desenvolvedor no momento em que estiver escrevendo sua aplicação móvel J2ME. Em dispositivos celulares mais antigos, por exemplo, não há suporte para cores. Porém, há anos que os fabricantes de dispositivos já estão produzindo telefones celulares com suporte a cores. Com a evolução da tecnologia, hoje é comum perceber um celular com suporte de 262 mil cores. Outro fator restritivo é o limite da tela na maioria dos dispositivos. Pro exemplo, em um celular, que possui uma resolução de pixels (96 x 128), se torna complicado

3 tentar exibir um simples nome completo de uma pessoa, ou o endereço da mesma. 3. TECNOLOGIA J2ME J2ME (Java 2 Platform Micro Edition) é uma especificação da plataforma Java que foi projetada para suportar aplicações desenvolvidas para dispositivos móveis sem fio, como PDAs, pagers, telefones celulares, entre outros. Nesta especificação estão inclusos máquinas virtuais Java (JVM) e um conjunto de padrões da Java API desenvolvido pelo Java Community Process (JCP). Embora a J2ME tenha sido desenvolvida para dispositivos móveis, ela ainda dá suporte para uma amigável e flexível Interface Gráfica com Usuário (GUI), um modelo de segurança robusto, um conjunto de protocolos de redes embutidos e um extenso suporte para aplicações simples e aplicações que utilizam o conceito de redes. 3.1 CONFIGURAÇÕES A especificação J2ME implementa a idéia de configuração e perfil. De acordo com a Sun Microsystems (2002), uma configuração diz respeito a dispositivos que possuem restrições e limitações de recursos, como poder de processamento, de memória e de capacidade gráfica. Esta é composta por um conjunto de bibliotecas e uma máquina virtual que varia para cada ambiente J2ME. A versão móvel de Java dá suporte a dois tipos de configurações, denominadas CLDC (Connected Limited Device Configuration) e CDC (Connected Device Configuration). CLDC refere-se a dispositivos como telefones celulares, PDAs (Personal Data Assistent), pagers, etc. Para que um dispositivo pertença a esta configuração, este deve possuir as seguintes restrições: Um processador de 16 ou 32 bits com uma velocidade de clock de 16 MHz ou mais; Pelo menos 160 KB de memória não volátil alocada para as bibliotecas e a máquina virtual da CLDC; A configuração CLDC ainda dá suporte a pacotes opcionais, que são o Wireless Messaging API(WMA) para implementar recursos de envio e recebimento de mensagens como SMS, MMS; e o Media Mobile API (MMA), que possui recursos de multimídia, como vídeo, áudio, streaming, etc. e sejam adicionados para agregar determinada funcionalidade.

4 3.2 PERFIS Um perfil é um conjunto de padrões de APIs que oferece suporte para uma gama de dispositivos que são construídos sobre uma determinada configuração (SUN MICROSYSTEMS, 2002). A combinação de um perfil com uma configuração forma uma aplicação em J2ME. A seguir será explicado em mais detalhes o perfil suportado pela configuração CLDC: o MIDP. MIDP (Mobile Information Device Profile) é o perfil suportado pela CLDC e possui as seguintes características: Suporte para interface gráfica com o usuário (GUI): A interface GUI é otimizada para o tamanho da tela, variados métodos de entradas (teclado de telefones celulares, eventos em telas touchscreen, entradas por pequenos teclados QWERTY, etc); Extensiva Conectividade: O perfil MIDP proporciona ao desenvolvedor maior flexibilidade no desenvolvimento de aplicações cliente/servidor, implementando padrões de protocolos como o HTTP, HTTPS, sockets e datagramas por meio do framework GCF (Generic Connection Framework), além de serviços Short Message Service (SMS), GSM e CDMA implementada pela WMA API; Há ainda os perfis suportados pela configuração CDC, que são: Foundation Profile: perfil para dispositivos que utilizam redes. Não possui suporte gráfico e suporta alta capacidade; Personal Basis e Personal Profile: base para dispositivos com suporte gráfico e alta capacidade; Como a aplicação em questão foi projetada baseada na CLDC e MIDP, esta configuração e este perfil serão mais explorados. 3.3 MÁQUINA VIRTUAL K A KVM foi projetada para ser a menor e mais eficiente possível, e ainda permanecer rápida para as linguagens Java. Com a memória sendo normalmente um recurso precioso em dispositivos pequenos de recursos restritos, a base de tempo de execução é de apenas 60 kilobytes,aproximadamente. (MUCHOW, 2004). E o termo K da sigla KVM surgiu para fazer alusão aos poucos kilobytes necessários para que a máquina virtual execute uma aplicação na configuração CLDC.

5 4. O SISTEMA DOCENTE MOBILE O sistema Docente Mobile foi desenvolvido na plataforma Java baseada na especificação J2ME, configuração CLDC 1.0 e perfil MIDP 1.0. Tal sistema tem como funcionalidade facilitar e automatizar a tarefa do docente de atualizar as freqüências de seus alunos. Por meio de uma interface com um outro sistema o Docente On-line (já em uso pela Instituição), o educador pode atualizar remotamente todas as freqüências de seus alunos que antes estavam gravadas internamente em um dispositivo móvel sem fio. Além de permitir a gravação de informações discentes, o diário de classe virtual também permite que o educador possa pesquisar, no registro interno do dispositivo, informações de seus alunos pelo nome e matrícula. A funcionalidade de persistência de dados no dispositivo é implementada pelo RMS (Record Management System Sistema de Gerenciamento de Registro). Para cada mês, o sistema se encarrega de avisar o professor de que o dia limite chegou e este deve enviar as freqüências para o servidor, evitando assim que o docente não se preocupe em saber qual o último dia de atualizar as freqüências. Para realizar o papel de servidor, foi utilizado o contêiner web Tomcat e criado um projeto web que faz a interface com o sistema utilizado pelos docentes da universidade. Nesse projeto, foram criados pacotes que contêm os beans, representando as classes de negócios e de acesso a banco de dados; e um servlet que seleciona a ação a ser processada e posteriormente enviada ao dispositivo sem fio. No servlet estão implementadas todas as regras de negócio necessárias para estabelecer de forma transparente a conexão com o dispositivo móvel. Por meio da GCF (Generic Connection Framework Estrutura de Conexão Genérica), a MIDlet interpreta as requisições e respostas vindas do servlet remoto. A comunicação do dispositivo móvel com o servidor é realizada por meio do protocolo HTTP (HyperText Transfer Protocol) que é implementado pela classe HttpConnection. A vantagem de se utilizar o protocolo HTTP é que qualquer tecnologia do lado do servidor, como Servlets, CGI, JSP, PHP, ASP pode ser utilizada. A fim de melhorar o desempenho e permitir que o usuário continue realizando outras tarefas enquanto dados são recebidos pelo dispositivo, o envio e recebimento de dados foram implementados em uma linha de execução separada que, na plataforma Java, pode ser representada pela classe Thread. 4.1 PADRÕES DE PROJETO A MIDlet utilizou o conceito de padrões de projetos a fim de melhorar a

6 modularidade do sistema, adaptar o sistema à ações mais complexas do mundo real e permitir que futuras alterações sejam realizadas sem muitos custos. Considerando a limitada capacidade de recursos dos dispositivos móveis (principalmente os celulares), para a aplicação móvel foi utilizado o padrão de projeto Singleton, que garante que uma classe tenha apenas uma instância e fornece um ponto de acesso global a ela (METSKER, 2002). A utilização de padrões de projeto, por mais que diminua o grau de acoplamento entre os módulos do sistema, estes devem ser utilizados com cuidado quando se estiver trabalhando com desenvolvimento para aplicações para dispositivos móveis, pois na maioria das vezes um padrão de projeto utiliza várias classes para solucionar determinado problema. Todavia, o crescimento do número de classes implica no aumento do tamanho da aplicação e, conseqüentemente, na redução do desempenho da aplicação. 4.2 INTERFACE GRÁFICA COM O USUÁRIO (GUI) O perfil MIDP, por mais que seja restrito em recursos referentes aos componentes gráficos, disponibiliza uma amigável interface gráfica com o usuário (GUI). A MIDlet utiliza vários componentes deste perfil com a finalidade de realizar a comunicação visual com o usuário. Esses componentes são representados pelas seguintes classes: Form, que se assemelha a um formulário de aplicação. Dentro dos Forms, foram adicionados componentes TextField, para entrada de texto (informar o login e a senha, por exemplo); Alert, para mostrar o progresso ou resultado de determinada operação; Command, que representa a ação ou comando que o usuário quer realizar (como gravar ou enviar as freqüências dos alunos, por exemplo). Segundo Muchow (2004, p.78), o modo mais simples de pensar em um objeto Command é como um botão, algo que você pressiona ou seleciona. Para representar as opções de seleção que o usuário escolher (como a turma a qual deseja listar os alunos, o tipo de pesquisa) e as caixas de seleção, (para representar o status da freqüência dos alunos se ele está presente ou ausente) foi utilizado o componente ChoiceGroup. A classe DateField, que representa um tipo abstrato de calendário, foi utilizada para a escolha do dia em que se deseja gravar as freqüências dos alunos. A seguir, na Figura 1, é mostrado a tela seleção de turmas com os compoentes ChoiceGroups representando as turmas disponíveis para o docente.

7 Figura 1. Tela de Seleção de Turmas. 5. MODELAGEM DO SISTEMA Para realizar a modelagem do sistema a linguagem UML (Unified Modeling Language) foi utilizada. A seguir, serão mostrados o diagrama de caso de uso para a realização da conexão da MIDlet com o servidor web; e o diagrama de seqüência, para demonstrar os passos necessários para que o professor grave as freqüências de seus alunos. Todos os diagramas a seguir foram criados com o software de modelagem JUDE Community Diagrama de Casos de Uso Este diagrama é muito utilizado no momento em que se deseja mostrar as funcionalidades que o sistema dispõe. Na Figura 2, é mostrado o caso de uso para realizar a conexão com o servidor remoto. Figura 2. Diagrama de Caso de Uso.

8 Para que o docente possa realizar a conexão com o servlet, são necessários os seguintes passos: 1. Na tela de Autenticação, o docente informa o login e a senha que são os mesmos do sistema Docente On-line; 2. Clicar no comando de conectar e esperar o resultado da conexão; 2.1 Caso a conexão seja realizada com sucesso, o docente poderá escolher a turma para qual deseja gravar as freqüências; 2.2 Caso ocorra algum erro durante a realização da conexão - como usuário e senha inválida ou servidor fora do ar - a aplicação informará sobre o erro que ocorreu e retornará para a tela de autenticação para que o docente possa entrar com as informações novamente. 5.2 Diagrama de Seqüência O diagrama de seqüência é muito interessante, pois mostra qual o fluxo das mensagens entre os objetos participantes do modelo. A Figura 3 mostra todo o processo de gravação das freqüências, desde a seleção dos alunos presentes até a sua gravação interna no dispositivo. Figura 3. Diagrama de Seqüência. 1. Na tela de lista de alunos, o docente pode editar a freqüência de cada aluno ou pode selecionar todos de uma vez, em caso de presença total. Ao ter selecionado uma das opções de seleção, o professor seleciona o comando de gravação. 2. As freqüências dos alunos são retornadas como um array de String 3. Os nomes dos alunos são retornados como um array de String

9 4. As matrículas dos alunos são armazenadas em um array de String 5. A data escolhida é formata para o padrão brasileiro. 6. Um objeto da classe RMSAluno é criado. Esse objeto será responsável por ações de armazenamento e recuperação das informações dos alunos. 7. As informações dos alunos são armazenadas no dispositivo interno por meio do RMS. 8. O registro de alunos é fechado. 6. TESTES Para que pudesse ser realizada a comunicação do sistema móvel com o sistema servidor, vários testes foram realizados (testes de interfaces, de conexão, de desempenho). Para isso, foi utilizado o simulador Sun Java Wireless Toolkit 2.3, que é uma ferramenta de desenvolvimento do J2ME que vem empacotada com um simulador que pode imitar vários telefones móveis, assim como PDAs e pagers.(muchow, 2004). Este simulador permite que o programador configure seu ambiente de desenvolvimento a fim de prever qual seria o comportamento de uma aplicação J2ME rodando em um dispositivo móvel real. Variáveis reais como capacidade de armazenamento, velocidade de processamento e velocidade da rede podem ser configuradas. 7. CONCLUSÃO O sistema Docente Mobile foi desenvolvido acima de tudo para auxiliar o profissional docente na ação rotineira e um tanto quanto custosa de atualizar diariamente as freqüências de seus alunos. O projeto ainda não foi adotado pela Instituição, portanto poderá futuramente fazer parte do contexto acadêmico. O projeto está em sua primeira versão. Futuramente, se pretende incorporar ao sistema mais funções de sua versão Web, como lançamento de notas, aviso dos dias das avaliações e outras funções relevantes ao contexto acadêmico; porém sempre levando em consideração os limites dos recursos dos dispositivos. AGRADECIMENTO Agradecemos antes de tudo a Deus, que está sempre nos orientando em nossos caminhos da vida. À professora Thienne, orientadora deste artigo e do projeto Docente

10 Mobile, por ter-nos dado a oportunidade de conhecer mais afundo a tecnologia J2ME que, até então, não fazia parte do nosso contexto. Ao coordenador do curso de Ciência da Computação, professor Cláudio Alex Jorge da Rocha, por ter disponibilizado os laboratórios para que os testes pudessem ser realizados. E finalmente, à Universidade da Amazônia, por ter nos permitido acesso às referencias bibliográficas. REFERÊNCIAS Muchow, John, 2004.Core J2ME Tecnologia & MIDP. Pearson Makron Books, São Paulo. Sun Microsystems, 2002.Connected Limited Device Configuration (CLDC); JSR 30, JSR 139 Overview. Disponível em: java.sun.com/products/cldc/overview.html. Acesso em 03 abr Sun Microsystems, Mobile Information Device Profile (MIDP); JSR 37, JSR 118 Overview. Disponível em: java.sun.com/products/cdc/overview.html. Acesso em: 03 abr Metsker, Steven J., Padrões de Projeto em Java. Bookman, São Paulo.

Java ME e suas principais tecnologias de conectividade. Gracieli Begia Mateus

Java ME e suas principais tecnologias de conectividade. Gracieli Begia Mateus Java ME e suas principais tecnologias de conectividade Gracieli Begia Mateus Telefones Celulares no Mundo Fonte: UIT e Wireless Intelligence (Ovum/GSM Association) Posição do Brasil no Mundo Principais

Leia mais

J2ME PLATAFORMA DE DESENVOLVIMENTO JAVA PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS

J2ME PLATAFORMA DE DESENVOLVIMENTO JAVA PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS J2ME PLATAFORMA DE DESENVOLVIMENTO JAVA PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS Ana Paula Carrion 1, Késsia Rita da Costa Marchi 1, Jaime Willian Dias 1 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil anapaulacarrion@hotmail.com,

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UMA FERRAMENTA UTILIZANDO A TECNOLOGIA J2ME

DESENVOLVIMENTO DE UMA FERRAMENTA UTILIZANDO A TECNOLOGIA J2ME DESENVOLVIMENTO DE UMA FERRAMENTA UTILIZANDO A TECNOLOGIA J2ME Ana Paula A. ZANELATO 1 Eliezer Gomes Paraganba FILHO 2 Emerson Silas DÓRIA 3 RESUMO: Este artigo pretende apresentar a tecnologia J2ME (linguagem

Leia mais

Uma Introdução ao. Computação Móvel (MAC5743/MAC330) Prof. Alfredo Goldman Monitores: Rodrigo Barbosa Daniel Cordeiro

Uma Introdução ao. Computação Móvel (MAC5743/MAC330) Prof. Alfredo Goldman Monitores: Rodrigo Barbosa Daniel Cordeiro Uma Introdução ao J2ME Computação Móvel (MAC5743/MAC330) DCC-IME-USP Prof. Alfredo Goldman Monitores: Rodrigo Barbosa Daniel Cordeiro Visão Geral do Java 2 (1) A plataforma Java 2 engloba três elementos:

Leia mais

Marcus Vinicius Cruz Xavier. Rascunho do trabalho de conclusão de curso

Marcus Vinicius Cruz Xavier. Rascunho do trabalho de conclusão de curso Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Informática e Estatística Curso de Bacharelado em Ciências da Computação Marcus Vinicius Cruz Xavier Rascunho do trabalho de conclusão de curso Título

Leia mais

Programação para Dispositivos Móveis. Prof. Wallace Borges Cristo

Programação para Dispositivos Móveis. Prof. Wallace Borges Cristo Programação para Dispositivos Móveis Prof. Wallace Borges Cristo Acesso a informação Notícias, Ringtones, Vídeos Messenger/Chat Jogos Acesso a instituições financeiras M-commerce (Mobile Commerce) Aplicações

Leia mais

BrokerCell: programando celular com J2ME para cotar papéis na Bovespa

BrokerCell: programando celular com J2ME para cotar papéis na Bovespa BrokerCell: programando celular com J2ME para cotar papéis na Bovespa Nairon Neri Silva 1, Luís Augusto Mattos Mendes(Orientador) 1 1 Ciência da Computação - Universidade Presidente Antônio Carlos (UNIPAC)

Leia mais

UMA ABORDAGEM SOBRE J2ME

UMA ABORDAGEM SOBRE J2ME UMA ABORDAGEM SOBRE J2ME Júlio César Jardim Júnior 1, Elio Lovisi Filho (Orientador) 1 1 Ciência da Computação Universidade Presidente Antônio Carlos (UNIPAC) Rua Palma Bageto Viol, s/n Barbacena - MG.

Leia mais

Roteiro. Linguagens, plataformas e ambientes de Desenvolvimento. Desenvolvimento de Aplicações para DM. Java. Linguagem C

Roteiro. Linguagens, plataformas e ambientes de Desenvolvimento. Desenvolvimento de Aplicações para DM. Java. Linguagem C Desenvolvimento de Aplicações para Dispositivos Móveis José de Ribamar Martins Bringel Filho Mestre em Ciência da Computação (UFC) bringel@cenapadne.br Roteiro Overview das Plataformas e Linguagens J2ME

Leia mais

Agregador de feeds RSS para dispositivos móveis

Agregador de feeds RSS para dispositivos móveis Agregador de feeds RSS para dispositivos móveis Disciplina: Computação Móvel Professor: Mauro Nacif Rocha Data: 27/02/2007 Hadriel Toledo Lima 50290 Juliana Pinheiro Campos 47683 Luis Felipe Hussin Bento

Leia mais

SyncEasy Aplicativo para sincronização de arquivos entre dispositivos móveis e computadores utilizando metadados

SyncEasy Aplicativo para sincronização de arquivos entre dispositivos móveis e computadores utilizando metadados SyncEasy Aplicativo para sincronização de arquivos entre dispositivos móveis e computadores utilizando metadados Acadêmico: Bernardo Marquardt Müller Orientador: Prof. Dr. Mauro Marcelo Mattos Roteiro

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS Aluno: Fábio Bicalho de Araujo Orientador: Marco Antonio Grivet Matoso Maia Introdução Um fato da atualidade: o mundo está se tornando cada vez mais

Leia mais

Manual de Operação Aplicativo ClickIt

Manual de Operação Aplicativo ClickIt Manual de Operação Aplicativo ClickIt Rev. 1.1 Agosto/2010 GSControl Automação Ltda. Rua Washington Luiz, 675 ITC Conjunto 1101 Centro Porto Alegre RS CEP 90010-460 Telefone: (51)3026-0945 / (51)3287-2167

Leia mais

Java. para Dispositivos Móveis. Thienne M. Johnson. Novatec. Desenvolvendo Aplicações com J2ME

Java. para Dispositivos Móveis. Thienne M. Johnson. Novatec. Desenvolvendo Aplicações com J2ME Java para Dispositivos Móveis Desenvolvendo Aplicações com J2ME Thienne M. Johnson Novatec Capítulo 1 Introdução à computação móvel 1.1 Computação móvel definições Computação móvel está na moda. Operadoras

Leia mais

UM FRAMEWORK PARA DESENVOLVIMENTO DE

UM FRAMEWORK PARA DESENVOLVIMENTO DE UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CENTRO DE INFORMÁTICA UM FRAMEWORK PARA DESENVOLVIMENTO DE APLICATIVOS EM WINDOWS MOBILE. PROPOSTA DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO Aluno:

Leia mais

MAGREGISTER 1.0: GERADOR DE INTERFACES DE COLETAS DE DADOS PARA PDA S. Acadêmico: Gilson Chequeto Orientador: Adilson Vahldick

MAGREGISTER 1.0: GERADOR DE INTERFACES DE COLETAS DE DADOS PARA PDA S. Acadêmico: Gilson Chequeto Orientador: Adilson Vahldick MAGREGISTER 1.0: GERADOR DE INTERFACES DE COLETAS DE DADOS PARA PDA S Acadêmico: Gilson Chequeto Orientador: Adilson Vahldick Roteiro Introdução Objetivos do trabalho Fundamentação teórica Desenvolvimento

Leia mais

Linguagem de Programação JAVA. Professora Michelle Nery Nomeclaturas

Linguagem de Programação JAVA. Professora Michelle Nery Nomeclaturas Linguagem de Programação JAVA Professora Michelle Nery Nomeclaturas Conteúdo Programático Nomeclaturas JDK JRE JEE JSE JME JVM Toolkits Swing AWT/SWT JDBC EJB JNI JSP Conteúdo Programático Nomenclatures

Leia mais

I N T R O D U Ç Ã O W A P desbloqueio,

I N T R O D U Ç Ã O W A P desbloqueio, INTRODUÇÃO Para que o Guia Médico de seu Plano de Saúde esteja disponível em seu celular, antes de mais nada, sua OPERADORA DE SAÚDE terá de aderir ao projeto. Após a adesão, você será autorizado a instalar

Leia mais

Desenvolvimento de Aplicações Móveis com J2ME. Andrea foi a primeira colocada no I Concurso Teleco de Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC) 2005.

Desenvolvimento de Aplicações Móveis com J2ME. Andrea foi a primeira colocada no I Concurso Teleco de Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC) 2005. Desenvolvimento de Aplicações Móveis com J2ME Andrea Rodrigues de Amorim 1º Colocado I Concurso Teleco de TCC's 2005 Andrea foi a primeira colocada no I Concurso Teleco de Trabalhos de Conclusão de Curso

Leia mais

7 Utilização do Mobile Social Gateway

7 Utilização do Mobile Social Gateway 7 Utilização do Mobile Social Gateway Existem três atores envolvidos na arquitetura do Mobile Social Gateway: desenvolvedor do framework MoSoGw: é o responsável pelo desenvolvimento de novas features,

Leia mais

PROTÓTIPO DE UM DIÁRIO DE CLASSE EM DISPOSITIVOS MÓVEIS UTILIZANDO J2ME

PROTÓTIPO DE UM DIÁRIO DE CLASSE EM DISPOSITIVOS MÓVEIS UTILIZANDO J2ME UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS CURSO DE CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO BACHARELADO PROTÓTIPO DE UM DIÁRIO DE CLASSE EM DISPOSITIVOS MÓVEIS UTILIZANDO J2ME FABIANO ROSA BLUMENAU

Leia mais

Arquiteturas para implantação de aplicações móveis wireless

Arquiteturas para implantação de aplicações móveis wireless Arquiteturas para implantação de aplicações móveis wireless Este tutorial apresenta uma visão geral da arquitetura para implantação de aplicações móveis wireless. Eduardo Tude Engenheiro de Teleco (IME

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM APLICATIVO DO TIPO SECRETÁRIO VIRTUAL PARA A PLATAFORMA ANDROID

DESENVOLVIMENTO DE UM APLICATIVO DO TIPO SECRETÁRIO VIRTUAL PARA A PLATAFORMA ANDROID DESENVOLVIMENTO DE UM APLICATIVO DO TIPO SECRETÁRIO VIRTUAL PARA A PLATAFORMA ANDROID Maik Olher CHAVES 1 ; Daniela Costa Terra 2. 1 Graduado no curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

Leia mais

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server Noções de 1 Considerações Iniciais Basicamente existem dois tipos de usuários do SQL Server: Implementadores Administradores 2 1 Implementadores Utilizam o SQL Server para criar e alterar base de dados

Leia mais

Aplicações Móveis: Gestão de Estacionamento em Shoppings

Aplicações Móveis: Gestão de Estacionamento em Shoppings Aplicações Móveis: Gestão de Estacionamento em Shoppings O conteúdo deste tutorial foi obtido do artigo de autoria da Kelly Lima Borges da Silva e da Linéia Bulhões Souza Rizzuto para a etapa de classificação

Leia mais

Como dito anteriormente, a JCP especificou dois grupos para a J2ME conforme as necessidades dos dispositvos, chamadas Configurações:

Como dito anteriormente, a JCP especificou dois grupos para a J2ME conforme as necessidades dos dispositvos, chamadas Configurações: 1 TECNOLOGIA J2ME A J2ME, Java Micro Edition, é uma tecnologia que permite o desenvolvimento de aplicações Java para dispositivos com poder de processamento, vídeo e memória limitados. Possui uma coleção

Leia mais

FRAMEWORK PARA SUPERVISÓRIO DE SISTEMA AUTOMATIZADO VIA CELULAR

FRAMEWORK PARA SUPERVISÓRIO DE SISTEMA AUTOMATIZADO VIA CELULAR 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 FRAMEWORK PARA SUPERVISÓRIO DE SISTEMA AUTOMATIZADO VIA CELULAR Uiliam Nelson Lendzion Tomaz Alves 1, Munif Gebara Junior 2 RESUMO: O grande número de

Leia mais

Tecnologia Java. Daniel Destro do Carmo Softech Network Informática daniel@danieldestro.com.br

Tecnologia Java. Daniel Destro do Carmo Softech Network Informática daniel@danieldestro.com.br Tecnologia Java Daniel Destro do Carmo Softech Network Informática daniel@danieldestro.com.br Origem da Tecnologia Java Projeto inicial: Oak (liderado por James Gosling) Lançada em 1995 (Java) Tecnologia

Leia mais

Digifort Mobile Manual Version 1.0 Rev. A

Digifort Mobile Manual Version 1.0 Rev. A Digifort Mobile Manual Version 1.0 Rev. A 2 Digifort Mobile - Versão 1.0 Índice Parte I Bem vindo ao Manual do Digifort Mobile 1.0 5 1 Screen... Shots 5 2 A quem... se destina este manual 5 3 Como utilizar...

Leia mais

Tutorial Java ME. Deixe o JME surpreender você também! Porque programar com 1 GB de RAM é fácil!! Neto Marin

Tutorial Java ME. Deixe o JME surpreender você também! Porque programar com 1 GB de RAM é fácil!! Neto Marin Deixe o JME surpreender você também! Porque programar com 1 GB de RAM é fácil!! Neto Marin Apresentação Experiência com Java desde 2002 (SCJP): Atuando com mobilidade desde 2005 P&D do Mobile Sys da Softway

Leia mais

EIMOBILE INSTITUIÇÕES DE ENSINO MOBILE

EIMOBILE INSTITUIÇÕES DE ENSINO MOBILE UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITÉCNICO TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS EIMOBILE INSTITUIÇÕES DE ENSINO MOBILE por Miguel Aguiar Barbosa Trabalho de curso II submetido como

Leia mais

Módulo I - Introdução. Faculdade Christus Sistemas de Informação 17/09/2010. Carlos Eugênio Torres Engenheiro de Informática http://cetorres.

Módulo I - Introdução. Faculdade Christus Sistemas de Informação 17/09/2010. Carlos Eugênio Torres Engenheiro de Informática http://cetorres. Módulo I - Introdução Aula 2 Carlos Eugênio Torres Engenheiro de Informática http://cetorres.com Faculdade Christus Sistemas de Informação 17/09/2010 Graduado em Ciência da Computação pela UFC, Brasil

Leia mais

SISTEMA DE CONTROLE DE DADOS CLIMÁTICOS NA WEB NO AUXILIO À AGRICULTURA RESUMO SYSTEM CONTROL OF CLIMATIC DATA IN THE WEB TO ASSIST THE AGRICULTURE

SISTEMA DE CONTROLE DE DADOS CLIMÁTICOS NA WEB NO AUXILIO À AGRICULTURA RESUMO SYSTEM CONTROL OF CLIMATIC DATA IN THE WEB TO ASSIST THE AGRICULTURE SISTEMA DE CONTROLE DE DADOS CLIMÁTICOS NA WEB NO AUXILIO À AGRICULTURA CAROLINE VISOTO 1 EDUARDO RUBIN 2 THIAGO X. V. OLIVEIRA 3 WILINGTHON PAVAN 4 JOSÉ MAURÍCIO CUNHA FERNANDES 5 CRISTIANO ROBERTO CERVI

Leia mais

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1 DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1 SUMÁRIO DEFINIÇÃO DE REQUISITOS 4 1. INTRODUÇÃO 4 1.1 FINALIDADE 4 1.2 ESCOPO 4 1.3 DEFINIÇÕES, ACRÔNIMOS

Leia mais

Sistema Gerenciador de Conteúdo OpenCms: um caso de sucesso no CEFET-MG

Sistema Gerenciador de Conteúdo OpenCms: um caso de sucesso no CEFET-MG Sistema Gerenciador de Conteúdo OpenCms: um caso de sucesso no CEFET-MG Marco T. A. Rodrigues*, Paulo E. M. de Almeida* *Departamento de Recursos em Informática Centro Federal de Educação Tecnológica de

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS Aluno: Fábio Bicalho de Araujo Orientador: Marco Antonio Grivet Matoso Maia Introdução Um fato da atualidade: o mundo está se tornando cada vez mais

Leia mais

INTRODUÇÃO E CONFIGURAÇÃO DO PRIMEFACES MOBILE EM APLICAÇÕES JSF

INTRODUÇÃO E CONFIGURAÇÃO DO PRIMEFACES MOBILE EM APLICAÇÕES JSF INTRODUÇÃO E CONFIGURAÇÃO DO PRIMEFACES MOBILE EM APLICAÇÕES JSF Guilherme Macedo, Jaime Willian Dias Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil guilhermemacedo28@gmail.com, jaime@unipar.br Resumo.

Leia mais

BlackBerry Mobile Voice System Versão: 5.0 Service pack: 1. Visão geral técnica e dos recursos

BlackBerry Mobile Voice System Versão: 5.0 Service pack: 1. Visão geral técnica e dos recursos BlackBerry Mobile Voice System Versão: 5.0 Service pack: 1 Visão geral técnica e dos recursos SWD-1031491-1025120324-012 Conteúdo 1 Visão geral... 3 2 Recursos... 4 Recursos para gerenciar contas de usuário

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA COMPUTAÇÃO MÓVEL CONTROLE DE GASTOS PARA ORÇAMENTO DOMÉSTICO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA COMPUTAÇÃO MÓVEL CONTROLE DE GASTOS PARA ORÇAMENTO DOMÉSTICO UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA COMPUTAÇÃO MÓVEL CONTROLE DE GASTOS PARA ORÇAMENTO DOMÉSTICO Fred Paulino Ferreira, Leonardo Couto, Renato Maia, Luiz G. Montanha Departamento

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA. Pizzaria Manão

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA. Pizzaria Manão UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA Pizzaria Manão Emilio Gonçalves 41281 Fabrício Luís Santos da Silva 50293 Filipe Ribeiro Nalon 50295

Leia mais

Acadêmico: Marciane Schotten Prof. Orientador: Ricardo Alencar de Azambuja

Acadêmico: Marciane Schotten Prof. Orientador: Ricardo Alencar de Azambuja PROTÓTIPO DE UMA APLICAÇÃO MÓVEL PARA LOCAÇÃO DE VEÍCULOS UTILIZANDO J2ME Acadêmico: Marciane Schotten Prof. Orientador: Ricardo Alencar de Azambuja Roteiro da apresentação Introdução Objetivos Fundamentação

Leia mais

J2ME, Uma Platarfoma de programação para Dispositivos Móveis

J2ME, Uma Platarfoma de programação para Dispositivos Móveis J2ME, Uma Platarfoma de programação para Dispositivos Móveis Jesseildo F. Gonçalves 07/10/2010 Jesseildo F. Gonçalves () 07/10/2010 1 / 50 1 Introdução ao J2ME História Arquitetura do J2ME MIDLets 2 RMS:

Leia mais

World Wide Web e Aplicações

World Wide Web e Aplicações World Wide Web e Aplicações Módulo H O que é a WWW Permite a criação, manipulação e recuperação de informações Padrão de fato para navegação, publicação de informações e execução de transações na Internet

Leia mais

SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE. Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl

SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE. Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl Roteiro de apresentação Introdução Objetivos Fundamentação Teórica Workflow Processo

Leia mais

1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO

1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO 1 ÍNDICE 1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO... 3 1.1 REQUISITOS BASICOS DE SOFTWARE... 3 1.2 REQUISITOS BASICOS DE HARDWARE... 3 2 EXECUTANDO O INSTALADOR... 3 2.1 PASSO 01... 3 2.2 PASSO

Leia mais

PROTÓTIPO DE APLICATIVO PARA DISPOSITIVO MÓVEL (PDA) USANDO A TECNOLOGIA J2ME E BANCO DE DADOS

PROTÓTIPO DE APLICATIVO PARA DISPOSITIVO MÓVEL (PDA) USANDO A TECNOLOGIA J2ME E BANCO DE DADOS PROTÓTIPO DE APLICATIVO PARA DISPOSITIVO MÓVEL (PDA) USANDO A TECNOLOGIA J2ME E BANCO DE DADOS Acadêmico: Robson Luis da Silva Orientador: Alexander R. Valdameri Roteiro Introdução Objetivos Fundamentação

Leia mais

Sistema de gerenciamento, controle e auditoria de computadores e usuários em uma rede local.

Sistema de gerenciamento, controle e auditoria de computadores e usuários em uma rede local. Sistema de gerenciamento, controle e auditoria de computadores e usuários em uma rede local. Thiago Magalhães B. Rodrigues¹, Wanderson Carvalho Bragança¹, Ronivaldo Veloso Pugas¹ ¹Curso de Bacharelado

Leia mais

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1 DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1 SUMÁRIO DEFINIÇÃO DE REQUISITOS 4 1. INTRODUÇÃO 4 1.1 FINALIDADE 4 1.2 ESCOPO 4 1.3 DEFINIÇÕES, ACRÔNIMOS

Leia mais

Desenvolvimento de Sistemas Móveis em Java com J2ME/MIDP. Jorge H. C. Fernandes

Desenvolvimento de Sistemas Móveis em Java com J2ME/MIDP. Jorge H. C. Fernandes Desenvolvimento de Sistemas Móveis em Java com J2ME/MIDP Jorge H. C. Fernandes Desenvolvimento J2ME/MIDP Agenda Plataforma e Edições Java 2 J2ME - Java 2 Micro Edition MIDP - Mobile Information Device

Leia mais

Sistemas Distribuídos Capítulos 3 e 4 - Aula 4

Sistemas Distribuídos Capítulos 3 e 4 - Aula 4 Sistemas Distribuídos Capítulos 3 e 4 - Aula 4 Aula passada Threads Threads em SDs Processos Clientes Processos Servidores Aula de hoje Clusters de Servidores Migração de Código Comunicação (Cap. 4) Fundamentos

Leia mais

Introdução a Servlets

Introdução a Servlets Linguagem de Programação para Web Introdução a Servlets Prof. Mauro Lopes 1-31 21 Objetivos Iniciaremos aqui o estudo sobre o desenvolvimento de sistemas web usando o Java. Apresentaremos nesta aula os

Leia mais

Banco de Dados de Músicas. Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho

Banco de Dados de Músicas. Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho Banco de Dados de Músicas Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho Definição Aplicação Web que oferece ao usuário um serviço de busca de músicas e informações relacionadas, como compositor, interprete,

Leia mais

Motorola Phone Tools. Início Rápido

Motorola Phone Tools. Início Rápido Motorola Phone Tools Início Rápido Conteúdo Requisitos mínimos... 2 Antes da instalação Motorola Phone Tools... 3 Instalar Motorola Phone Tools... 4 Instalação e configuração do dispositivo móvel... 5

Leia mais

BlackBerry Mobile Voice System

BlackBerry Mobile Voice System BlackBerry Mobile Voice System Versão: 5.0 Service pack: 2 Testes de verificação SWD-980801-0125102730-012 Conteúdo 1 Visão geral... 4 2 Tipos de telefones e contas de usuário... 5 3 Verificando a instalação

Leia mais

DMS Documento de Modelagem de Sistema. Versão: 1.4

DMS Documento de Modelagem de Sistema. Versão: 1.4 DMS Documento de Modelagem de Sistema Versão: 1.4 VERANEIO Gibson Macedo Denis Carvalho Matheus Pedro Ingrid Cavalcanti Rafael Ribeiro Tabela de Revisões Versão Principais Autores da Versão Data de Término

Leia mais

MODEM USB 3G+ WM31. Manual do Usuário

MODEM USB 3G+ WM31. Manual do Usuário MODEM USB 3G+ WM31 Manual do Usuário 2 Conteúdo 1 Introdução... 3 2 Descrição da Interface do Cliente... 5 3 Conexão... 7 4 SMS... 10 5 Contatos... 14 6 Estatística... 18 7 Configurações... 19 8 SIM Tool

Leia mais

Projeto Arquitetural do IEmbedded

Projeto Arquitetural do IEmbedded Universidade Federal de Campina Grande Centro de Engenharia Elétrica e Informática Departamento de Sistemas e Computação Disciplina: Projeto I Professora: Francilene Garcia Equipe: Carolina Nogueira de

Leia mais

Programação para Internet II

Programação para Internet II Programação para Internet II Aulas 01 e 02 Prof. Fernando Freitas Costa http://blog.fimes.edu.br/fernando nando@fimes.edu.br Conteúdo Programático Instalação e configuração básica do Eclipse Indigo e do

Leia mais

Otimização de Código na Criação de Animação Gráfica para Dispositivos Móveis, utilizando J2ME

Otimização de Código na Criação de Animação Gráfica para Dispositivos Móveis, utilizando J2ME Otimização de Código na Criação de Animação Gráfica para Dispositivos Móveis, utilizando J2ME Fábio Ottoni Júlio 1, Lívia Márcia Silva 1 1 Departamento de Ciência da Computação DCC Universidade Presidente

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS DEVELOPMENT OF SOFTWARE FOR MOBILE DEVICES 8º CICLO DE PALESTRAS DE INFORMÁTICA DA FAI

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS DEVELOPMENT OF SOFTWARE FOR MOBILE DEVICES 8º CICLO DE PALESTRAS DE INFORMÁTICA DA FAI DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS DEVELOPMENT OF SOFTWARE FOR MOBILE DEVICES ROBERTO JUNDI FURUTANI 1 JOSÉ LUIZ VIEIRA DE OLIVEIRA 2 8º CICLO DE PALESTRAS DE INFORMÁTICA DA FAI Resumo

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA JNC MOBILE 2.0. Anderson Buon Berto Gilberto Torrezan Filho. Florianópolis - SC 2005/1

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA JNC MOBILE 2.0. Anderson Buon Berto Gilberto Torrezan Filho. Florianópolis - SC 2005/1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA JNC MOBILE 2.0 Anderson Buon Berto Gilberto Torrezan Filho Florianópolis - SC 2005/1 1 Sumário 1 Introdução 3 2 Denição do Problema 3 3 Trabalhos Correlatos 4 4 Solução

Leia mais

Desenvolvimento de um Framework de Jogos 3D para Celulares

Desenvolvimento de um Framework de Jogos 3D para Celulares Desenvolvimento de um Framework de Jogos 3D para Celulares Fabrício Brasiliense Departamento de Informática e Estatística(INE) Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) Campus Universitário Trindade-

Leia mais

O Uso da Tecnologia da Informação em Dispositivos Móveis.

O Uso da Tecnologia da Informação em Dispositivos Móveis. O Uso da Tecnologia da Informação em Dispositivos Móveis. Ronaldo Ribeiro Fernandes 1, Ana Paula L. Marques Fernandes 2, Antonio Carlos M. da Silva 3, Marcelo Oliveira Araújo 4 1 ITEC AL ronaldosmo@hotmail.com,

Leia mais

Programação de Computadores - I. Profª Beatriz Profº Israel

Programação de Computadores - I. Profª Beatriz Profº Israel Programação de Computadores - I Profª Beatriz Profº Israel A linguagem JAVA A linguagem Java O inicio: A Sun Microsystems, em 1991, deu inicio ao Green Project chefiado por James Gosling. Projeto que apostava

Leia mais

Aula 03 - Projeto Java Web

Aula 03 - Projeto Java Web Aula 03 - Projeto Java Web Para criação de um projeto java web, vá em File/New. Escolha o projeto: Em seguida, na caixa Categorias selecione Java Web. Feito isso, na caixa à direita selecione Aplicação

Leia mais

DESENVOLVIMENTO EM DISPOSITIVOS MÓVEIS UTILIZANDO BANCO DE DADOS

DESENVOLVIMENTO EM DISPOSITIVOS MÓVEIS UTILIZANDO BANCO DE DADOS DESENVOLVIMENTO EM DISPOSITIVOS MÓVEIS UTILIZANDO BANCO DE DADOS Leandro Guilherme Gouvea 1, João Paulo Rodrigues 1, Wyllian Fressatti 1 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil leandrog.gouvea@gmail.com,

Leia mais

Java. para Dispositivos Móveis. Thienne M. Johnson. Novatec. Desenvolvendo Aplicações com J2ME

Java. para Dispositivos Móveis. Thienne M. Johnson. Novatec. Desenvolvendo Aplicações com J2ME Java para Dispositivos Móveis Desenvolvendo Aplicações com J2ME Thienne M. Johnson Novatec Sumário Agradecimentos...13 Sobre a autora...14 Prefácio...15 Apresentação...16 PARTE I Introdução a Java para

Leia mais

Diamond Powder - um framework Java ME para coleta de dados

Diamond Powder - um framework Java ME para coleta de dados Artigo GUJ.com.br Diamond Powder - um framework Java ME para coleta de dados Autor Renato Bellia: é formado em Engenharia de Computadores, trabalha com Java EE a mais de 08 anos, e atualmente está utilizando

Leia mais

Manual de Utilização do Sistema GRServer Cam on-line (Gerenciamento de Câmeras On-line)

Manual de Utilização do Sistema GRServer Cam on-line (Gerenciamento de Câmeras On-line) Manual de Utilização do Sistema GRServer Cam on-line (Gerenciamento de Câmeras On-line) Criamos, desenvolvemos e aperfeiçoamos ferramentas que tragam a nossos parceiros e clientes grandes oportunidades

Leia mais

Processos (Threads,Virtualização e Migração de Código)

Processos (Threads,Virtualização e Migração de Código) Processos (Threads,Virtualização e Migração de Código) Roteiro Processos Threads Virtualização Migração de Código O que é um processo?! Processos são programas em execução. Processo Processo Processo tem

Leia mais

dispositivos móveism

dispositivos móveism Departamento de Informática em Saúde Universidade Federal de São Paulo X Congresso Brasileiro de Informática em Saúde Informática em Saúde e Cidadania 14-18 Outubro 2006 Florianópolis SC Brasil Clinic

Leia mais

Interfaces Dinâmicas e Adaptativas para Celulares

Interfaces Dinâmicas e Adaptativas para Celulares Interfaces Dinâmicas e Adaptativas para Celulares Flavio Henrique Cardoso de Freitas, Silvano Maneck Malfatti Faculdade Católica do Tocantins (FACTO) Palmas TO Brasil {flaviohcf,silvanomalfatti}@hotmail.com

Leia mais

DESENVOLVIMENTO COM JAVA EE E SUAS ESPECIFICAÇÕES

DESENVOLVIMENTO COM JAVA EE E SUAS ESPECIFICAÇÕES DESENVOLVIMENTO COM JAVA EE E SUAS ESPECIFICAÇÕES Hugo Henrique Rodrigues Correa¹, Jaime Willian Dias 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil hugohrcorrea@gmail.com, jaime@unipar.br Resumo.

Leia mais

Intranets. FERNANDO ALBUQUERQUE Departamento de Ciência da Computação Universidade de Brasília 1.INTRODUÇÃO

Intranets. FERNANDO ALBUQUERQUE Departamento de Ciência da Computação Universidade de Brasília 1.INTRODUÇÃO Intranets FERNANDO ALBUQUERQUE Departamento de Ciência da Computação Universidade de Brasília 1.INTRODUÇÃO As intranets são redes internas às organizações que usam as tecnologias utilizadas na rede mundial

Leia mais

SISTEMA DE CONTROLE INTERNO DE FLUXO DE CAIXA DO SETOR DE APOIO FINANCEIRO (ULBRA GUAÍBA)

SISTEMA DE CONTROLE INTERNO DE FLUXO DE CAIXA DO SETOR DE APOIO FINANCEIRO (ULBRA GUAÍBA) SISTEMA DE CONTROLE INTERNO DE FLUXO DE CAIXA DO SETOR DE APOIO FINANCEIRO (ULBRA GUAÍBA) Alessandra Lubbe 1 Alexandre Evangelista 2 Jeandro Perceval 3 José Ramiro Pereira 4 Luiz Gustavo Mahlmann 5 RESUMO

Leia mais

Prime: uma solução Java para acesso móvel a informações utilizando GSM/GPRS

Prime: uma solução Java para acesso móvel a informações utilizando GSM/GPRS Prime: uma solução Java para acesso móvel a informações utilizando GSM/GPRS RENATO BARBOSA MIRANDA VALESKA PIVOTO PATTA MARCONDES Inatel - Instituto Nacional de Telecomunicações ICC - Inatel Competence

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE APLICATIVOS PARA CELULAR JAVA 2 MICRO EDITION

DESENVOLVIMENTO DE APLICATIVOS PARA CELULAR JAVA 2 MICRO EDITION DESENVOLVIMENTO DE APLICATIVOS PARA CELULAR JAVA 2 MICRO EDITION Robison Cris Brito Centro Federal de Educação Tecnológica do Paraná Unidade de Pato Branco robison@pb.cefetpr.br RESUMO Engana-se quem acha

Leia mais

BlackBerry Mobile Voice System

BlackBerry Mobile Voice System BlackBerry Mobile Voice System Comunicações móveis unificadas O BlackBerry Mobile Voice System (BlackBerry MVS) leva os recursos do telefone do escritório aos smartphones BlackBerry. Você pode trabalhar

Leia mais

mobile PhoneTools Guia do Usuário

mobile PhoneTools Guia do Usuário mobile PhoneTools Guia do Usuário Conteúdo Requisitos...2 Antes da instalação...3 Instalar mobile PhoneTools...4 Instalação e configuração do telefone celular...5 Registro on-line...7 Desinstalar mobile

Leia mais

Estudo comparativo entre tecnologias Java: Applet e JWS.

Estudo comparativo entre tecnologias Java: Applet e JWS. Estudo comparativo entre tecnologias Java: Applet e JWS. Clara Aben-Athar B. Fernandes¹, Carlos Alberto P. Araújo¹ 1 Centro Universitário Luterano de Santarém Comunidade Evangélica Luterana (CEULS/ULBRA)

Leia mais

Arquitectura de Sistemas Computacionais

Arquitectura de Sistemas Computacionais Arquitectura de Sistemas Computacionais Práticas 2004-2005 Prof. Dr. Paulo Sampaio Departamento de Matemática e Engenharias UNIVERSIDADE DA MADEIRA A plataforma Nokia Series 60 Optimizado para Symbian

Leia mais

Engenharia de Requisitos Estudo de Caso

Engenharia de Requisitos Estudo de Caso Engenharia de Requisitos Estudo de Caso Auxiliadora Freire Fonte: Engenharia de Software 8º Edição / Ian Sommerville 2007 Slide 1 Engenharia de Requisitos Exemplo 1 Reserva de Hotel 1. INTRODUÇÃO Este

Leia mais

Manual Easy Chat Data de atualização: 20/12/2010 16:09 Versão atualizada do manual disponível na área de download do software.

Manual Easy Chat Data de atualização: 20/12/2010 16:09 Versão atualizada do manual disponível na área de download do software. 1 - Sumário 1 - Sumário... 2 2 O Easy Chat... 3 3 Conceitos... 3 3.1 Perfil... 3 3.2 Categoria... 4 3.3 Ícone Específico... 4 3.4 Janela Específica... 4 3.5 Ícone Geral... 4 3.6 Janela Geral... 4 4 Instalação...

Leia mais

Descrição Geral da Mobile Media

Descrição Geral da Mobile Media Descrição Geral da Mobile Media Mobile Media (YOUNG, 2005) é uma LPS composta por aplicações que manipulam músicas, vídeos e fotos para dispositivos móveis, como celulares e palm tops. Ela provê suporte

Leia mais

Índice. Para encerrar um atendimento (suporte)... 17. Conversa... 17. Adicionar Pessoa (na mesma conversa)... 20

Índice. Para encerrar um atendimento (suporte)... 17. Conversa... 17. Adicionar Pessoa (na mesma conversa)... 20 Guia de utilização Índice Introdução... 3 O que é o sistema BlueTalk... 3 Quem vai utilizar?... 3 A utilização do BlueTalk pelo estagiário do Programa Acessa Escola... 5 A arquitetura do sistema BlueTalk...

Leia mais

ROTEIRO PARA TREINAMENTO DO SAGRES DIÁRIO Guia do Docente

ROTEIRO PARA TREINAMENTO DO SAGRES DIÁRIO Guia do Docente Conceito ROTEIRO PARA TREINAMENTO DO SAGRES DIÁRIO Guia do Docente O Sagres Diário é uma ferramenta que disponibiliza rotinas que facilitam a comunicação entre a comunidade Docente e Discente de uma instituição,

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Especialização em Desenvolvimento de Aplicações Web com Interfaces Ricas EJB 3.0 Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 10 Persistência de Dados

Leia mais

1. Introdução ao Campus Virtual 1.1. Introdução

1. Introdução ao Campus Virtual 1.1. Introdução 1. Introdução ao Campus Virtual 1.1. Introdução Este tutorial tem a finalidade de guiar o aluno, dando orientações necessárias para o acesso, navegação e utilização das ferramentas principais. Um ambiente

Leia mais

Projeto OBAA. Relatório Técnico RT-OBAA-07 Grupo Agentes e Ontologias. Proposta de Federação de Repositórios de Objetos Educacionais.

Projeto OBAA. Relatório Técnico RT-OBAA-07 Grupo Agentes e Ontologias. Proposta de Federação de Repositórios de Objetos Educacionais. Edital MCT/FINEP/MC/FUNTTEL Plataformas para Conteúdos Digitais 01/2007 Projeto OBAA Relatório Técnico RT-OBAA-07 Grupo Agentes e Ontologias Proposta de Federação de Repositórios de Objetos Educacionais

Leia mais

AMBIENTE VIRTUAL DE APOIO AO ALUNO Pesquisa em andamento: resultados preliminares

AMBIENTE VIRTUAL DE APOIO AO ALUNO Pesquisa em andamento: resultados preliminares AMBIENTE VIRTUAL DE APOIO AO ALUNO Pesquisa em andamento: resultados preliminares Denis Lacerda Paes 1 ; Angelo Augusto Frozza 2 RESUMO O trabalho apresentado visa desenvolver uma aplicação baseada em

Leia mais

Sistemas Operacionais Aula 03: Estruturas dos SOs. Ezequiel R. Zorzal ezorzal@unifesp.br www.ezequielzorzal.com

Sistemas Operacionais Aula 03: Estruturas dos SOs. Ezequiel R. Zorzal ezorzal@unifesp.br www.ezequielzorzal.com Sistemas Operacionais Aula 03: Estruturas dos SOs Ezequiel R. Zorzal ezorzal@unifesp.br www.ezequielzorzal.com OBJETIVOS Descrever os serviços que um sistema operacional oferece aos usuários e outros sistemas

Leia mais

JOGO DA MEMÓRIA PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS GAME OF MEMORY TO MOBILE DEVICES

JOGO DA MEMÓRIA PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS GAME OF MEMORY TO MOBILE DEVICES JOGO DA MEMÓRIA PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS GAME OF MEMORY TO MOBILE DEVICES Célia Hirata Aoki - celia@unisalesiano.edu.br Prof. M.Sc. Anderson Pazin - pazin@unisalesiano.edu.br RESUMO As fortes expansões

Leia mais

SISTEMA DE AGENDAMENTO E GERENCIAMENTO DE CONSULTAS CLÍNICAS

SISTEMA DE AGENDAMENTO E GERENCIAMENTO DE CONSULTAS CLÍNICAS SISTEMA DE AGENDAMENTO E GERENCIAMENTO DE CONSULTAS CLÍNICAS Pablo dos Santos Alves Alexander Roberto Valdameri - Orientador Roteiro da apresentação Introdução Objetivos Motivação Revisão bibliográfica

Leia mais

Hardware (Nível 0) Organização. Interface de Máquina (IM) Interface Interna de Microprogramação (IIMP)

Hardware (Nível 0) Organização. Interface de Máquina (IM) Interface Interna de Microprogramação (IIMP) Hardware (Nível 0) Organização O AS/400 isola os usuários das características do hardware através de uma arquitetura de camadas. Vários modelos da família AS/400 de computadores de médio porte estão disponíveis,

Leia mais

Versão 1.0 Janeiro de 2011. Xerox Phaser 3635MFP Plataforma de interface extensível

Versão 1.0 Janeiro de 2011. Xerox Phaser 3635MFP Plataforma de interface extensível Versão 1.0 Janeiro de 2011 Xerox Phaser 3635MFP 2011 Xerox Corporation. XEROX e XEROX e Design são marcas da Xerox Corporation nos Estados Unidos e/ou em outros países. São feitas alterações periodicamente

Leia mais

Programação para a Internet. Prof. M.Sc. Sílvio Bacalá Jr sbacala@gmail.com www.facom.ufu.br/~bacala

Programação para a Internet. Prof. M.Sc. Sílvio Bacalá Jr sbacala@gmail.com www.facom.ufu.br/~bacala Programação para a Internet Prof. M.Sc. Sílvio Bacalá Jr sbacala@gmail.com www.facom.ufu.br/~bacala A plataforma WEB Baseada em HTTP (RFC 2068) Protocolo simples de transferência de arquivos Sem estado

Leia mais

MODEM USB LTE. Manual do Usuário

MODEM USB LTE. Manual do Usuário MODEM USB LTE Manual do Usuário 2 Conteúdo Manual do Usuário... 1 1 Introdução... 3 2 Descrição da Interface do Cliente... 4 3 Conexão... 7 4 SMS... 10 5 Contatos... 14 6 Estatística... 18 7 Configurações...

Leia mais

Sistemas Distribuídos. Professora: Ana Paula Couto DCC 064

Sistemas Distribuídos. Professora: Ana Paula Couto DCC 064 Sistemas Distribuídos Professora: Ana Paula Couto DCC 064 Processos- Clientes, Servidores, Migração Capítulo 3 Agenda Clientes Interfaces de usuário em rede Sistema X Window Software do lado cliente para

Leia mais

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Goiânia, 16/09/2013 Aluno: Rafael Vitor Prof. Kelly Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Objetivo Esse tutorial tem como objetivo demonstrar como instalar e configurar o IIS 7.0 no Windows Server

Leia mais

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Goiânia, 16/09/2013 Aluno: Rafael Vitor Prof. Kelly Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Objetivo Esse tutorial tem como objetivo demonstrar como instalar e configurar o IIS 7.0 no Windows Server

Leia mais