Abertura do Mercado Brasileiro de Telecomunicação Móvel para Venda Direta no Varejo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Abertura do Mercado Brasileiro de Telecomunicação Móvel para Venda Direta no Varejo"

Transcrição

1 Abertura do Mercado Brasileiro de Telecomunicação Móvel para Venda Direta no Varejo - Fabricantes, operadoras e varejo inseridos no processo de abertura Prof. David Stewien

2 INTRODUÇÃO O mercado brasileiro em telefonia celular nasceu no começo dos anos 90, com alto investimento de empresas estatais em tecnologia analógica de transmissão diante de um mercado ávido por novidades e liberdade de comunicação, e como uma ótima alternativa para milhares de pessoas, que até então não tiveram a possibilidade de possuir um telefone de linha fixa. O telefone móvel se desenvolveu rapidamente e assim foi criada a Agência Nacional de Telecomunicações, a ANATEL, para implementar a política nacional de telecomunicações, ocorrendo leilões para novas bandas de freqüência de transmissão em âmbito nacional. Os anos se passaram, e com isso as privatizações e as mudanças tecnológicas e mercantis aconteceram com intensidade e velocidade, sendo que diversos investimentos estrangeiros e nacionais, tornaram o telefone celular o maior fator de mudança cultural e socioeconômica do fim do século XX e do começo do século XXI. Ao mesmo tempo, vivenciamos um crescimento fantástico do varejo brasileiro e mundial, transformando a forma mercantil de diversos setores do cotidiano. O telefone celular se insere nesta transformação, dando início ao futuro mercantil do celular no Brasil e no mundo. O COMEÇO DA TELEFONIA CELULAR NO BRASIL No começo da década de 90, o Brasil registrou o nascimento do telefone celular. A tecnologia analógica permitiu que os usuários pudessem falar com alguma qualidade em trânsito. Este fato transformou a vida de 2,7 milhões de pessoas no Brasil até o ano de Porém, eram poucas as pessoas que dispunham de até 3000 dólares para poder comprar uma linha telefônica móvel e o aparelho, além de terem que aguardar a sua vez em filas de espera pela linha. As empresas prestadoras de serviços eram estatais e únicas em cada região, e os aparelhos

3 chegavam ao Brasil através de distribuidores e ainda sem a presença dos fabricantes. O mercado era comprador e a venda de qualquer produto era garantida. Após a criação da ANATEL, em 1997,verificou-se uma grande revolução da telefonia celular no Brasil. Teve inicio sua privatização e foram leiloadas novas bandas de freqüências para as mesmas regiões. Muito capital estrangeiro entrou no mercado brasileiro e alguns grupos nacionais se lançaram a dominar este mercado cada vez mais crescente de prestação de serviços, chamados de Operadoras de Telefonia Móvel. Os fabricantes de celulares também se estabeleceram no País, construíram fabricas, gerando empregos e aumentando a oferta de produtos, além de iniciar uma guerra pela liderança da preferência do consumidor. Novas formas mercantis foram criadas e muitas palavras novas foram adicionadas ao vocabulário, sendo que a principal delas foi o subsídio. O subsídio é uma forma de apoio monetário, concedida por uma instituição/entidade/pessoa a outra individual ou coletiva, no sentido de fomentar o desenvolvimento de uma determinada atividade desta ou o desenvolvimento da própria - (Wikipédia). As operadoras passaram a comprar o aparelho celular dos fabricantes e subsidiaram o produto ao consumidor, fazendo com que o produto final habilitado ou pronto para falar custasse até por R$1,00 dependendo do plano da operadora. M odelo Tradicional de Venda de Celulares no Brasil Foco Principal VAREJO Lojas Lojas de Especializadas departam ento LOW END OPERADORA Lojas especializadas Gerais Lojas de Eletronicos MID END Hyper & Super Outros HIGH END

4 O mercado presenciava uma novidade, onde o dono do preço final do celular não era o varejo, nem o fabricante, e sim a Operadora do Serviço embarcado no aparelho celular. As operadoras, para ganharem o maior número de assinantes, fizeram de tudo para reduzir o preço ao consumidor, gerando assim uma corrida ao telefone celular, que atingiu uma marca histórica em 2003, com apenas 13 anos de vida, ultrapassando o número de assinantes de telefonia fixa no Brasil com mais de 46 milhões de celulares contra cerca de 40 milhões de telefones fixos. O Celular não era mais uma oportunidade, e sim uma realidade, que a maioria dos varejos já havia optado por ter em suas lojas. MUDANÇAS TECNOLÓGICAS Em curto espaço de tempo ocorreram diversas mudanças tecnológicas na telefonia celular. Desde a tecnologia analógica, que surpreendeu o mundo pela forma prática e com mobilidade para falar ao telefone, uma sopa de letrinhas surgiu para o cotidiano do profissional de telefonia celular: TDMA, CDMA, GSM, GPRS, EDGE, DTM e mais recentemente, WCDA ou 3G, HSDPA etc. A evolução tecnológica é entendida em gerações, sendo que estamos iniciando a 3º geração, onde falar se tornou menos importante e a convergência de várias funcionalidades e conectividade é o futuro do celular e desejo do seu usuário. E v o lu ç ã o d a s T e c n o lo g ia s d e T e le fo n ia C e lu la r e m G e r a ç õ e s 1 º G e ra ç ã o 2 º G e ra ç ã o 2,5 º G e ra ç ã o 3 º G e ra ç ã o A n a ló g ic a T D M A / C D M A / G S M G S M / G P R S / E D G E W C D A / H S D P A F a la r M o b ilid a d e F a la r M o b ilid a d e M e n s a g e m d e T e x to H a b ilita ç ã o p o r c h ip M e n s a g e m d e te x to F o to M e n s a g e m T ra n s fe rê n c ia d e D a d o s E v ita C lo n a g e m A c e s s o In te rn e t V íd e o c o n fe rê n c ia T V T ra n s fe rê n c ia d e D a d o s e m b a n d a L a rg a Y o u T u b e E -m a il

5 O importante de tudo isso é saber como estas mudanças tecnológicas ajudaram o consumidor a ter mais opções e funcionalidades para o dia a dia. A principal mudança tecnológica, do celular do ponto de vista mercantil, foi o lançamento da tecnologia GSM, que proporcionou a venda não somente do celular, mas também do Chip de habilitação do serviço, fazendo com que o ponto de venda se tornasse mais dinâmico e rentável para o varejo. AS OPERADORAS Já em 2005 o Brasil apresentava uma base instalada de 86,2 milhões de celulares (www.teleco.com.br). As operadoras disputam, assim como os fabricantes, o mesmo espaço junto aos consumidores. Muitos destes consumidores já estão comprando seus segundo ou terceiro celular, querendo sempre um produto mais evoluído tecnologicamente, que apresentasse uma câmera mais moderna ou um design mais fino e elegante. Com o crescimento da base das operadoras e com o subsídio dos aparelhos de telefonia celular, além do enorme investimento de instalação de antenas e softwares para cobrir todo o território nacional, as operadoras começam a sofrer perdas com o custo da operação e seus respectivos sócios fazem pressão para resultados lucrativos. OS FABRICANTES Os fabricantes de celulares, que investiram milhões em fábricas no país, viram que sua atuação limitada às parcerias com as operadoras, e sentem a falta de contato mais próximo ao varejo e ao consumidor. Com a diminuição do subsídio dado pelas operadoras e o respectivo aumento e estabilização dos preços, o consumidor que tinha como referência determinante em sua compra, o preço e o design de celulares, passou a procurar celulares que apresentassem mais qualidade técnica e funcionalidades agregadas.

6 Os grandes fabricantes viram então à oportunidade de prover o abastecimento direto do varejo com produtos que pudessem ser utilizados por todas as operadoras, sem restrição de serviços, diminuindo assim o custo operacional. O VAREJO Com o desenvolvimento da telefonia móvel no Brasil, grandes varejos nacionais de diversos segmentos partiram para a venda do produto em suas lojas, agregando ao seu negócio um faturamento adicional que muitas vezes chegava a superar a do segmento que o mesmo está estabelecido. No começo, as operadoras trataram de desembolsar milhões de reais para obter a exclusividade em cada varejo, provocando concorrência entre os mesmos, usando as marcas das operadoras. Com o passar dos anos e a introdução de mudanças tecnológicas, este modelo foi descontinuado, fazendo com que os varejos passassem a ter vários balcões de operadoras em suas lojas, trazendo mais alternativas de compra para o cliente. Tudo isso também foi facilitado por uma situação financeira louvável que o país atravessa, com aumento de crédito disponível no mercado. Dentro desta conjuntura, os varejos partiram para o cartão de crédito de bandeira própria, em parceria com diversas instituições financeiras, oferecendo os telefones celulares em até dez prestações, tornando possível para a população em geral adquirir produtos caros, altamente desejados. A ABERTURA DO MERCADO PARA VENDA DIRETA Vários fatores acima apresentados, tais como: lançamento da tecnologia GSM, maior sortimento de telefones celulares, disponibilidade de crédito, concorrência entre as operadoras e amadurecimento do consumidor, mostram a importância da venda direta do fabricante ao varejo, porém havia a necessidade de uma forma mercantil que pudesse atender a todos os envolvidos neste mercado.

7 Em um mercado de muitos bilhões de reais, não é fácil agradar a todos, ainda mais quando se chega a uma taxa de penetração de 63% da população nacional com mais 120 milhões de celulares vendidos (ANATEL - Alguns fabricantes e operadoras saíram na frente proporcionando uma nova revolução mercantil do celular no Brasil. Eles lançaram o telefone desbloqueado ou open. Este telefone é um aparelho que pode receber o chip de serviços de qualquer operadora, não havendo prejuízo, nem para a provedora do serviço nem para o consumidor. Este produto seria distribuído não mais pelas operadoras ao varejo, mas sim pelos próprios fabricantes, e o varejo por sua vez possuiria somente um produto ou código dentro do seu estoque, diminuindo com isso o risco de excesso ou obsolescência. Diante disto, o custo operacional para todos diminuiu e as oportunidades de negocio e o sortimento dos produtos cresceu, fazendo com que o consumidor passe a ter mais opções e uma melhor qualidade dos produtos. Venda Direta ao Varejo OPERADORAS VAREJO Lojas especializadas Lojas de Departamentos Lojas especializadas Lojas de Eletronicos Gerais Hyper & Super Outros LOW END TOP Contas Principais ACCOUNTS DISTRIBUIDORES Specialized Stores Premium Specialized Electronic Stores Stores Popular Electronic Stores Hiper&Supermarket CANAIS DIRETOS NEW CHANNELS FORMATS BRAND NEW ACTIVATION CHANNELS Lojas especializadas Lojas especializadas Gerais Hyper & Super Internet Call Call Center/ Center/ ATs ATs VAREJO Concept Concept Stores Stores Nokia Booth Sport Stores Game Stores Nich Stores Jewelry Stores Lojas de Departamentos Lojas de Eletronicos Outros MID END HIGH END Foco Principal

8 Atualmente, os fabricantes possuem equipes de atendimento ao varejo, assim como, de atendimento às operadoras, onde os mesmos maximizam as oportunidades de negócio, triangulando as vendas e aumentando a lucratividade para toda a cadeia, com redução de custos, preços competitivos e com um maior sortimento de produtos no Brasil, da mesma forma que acontece no mercado Europeu. Os varejos brasileiros passam um processo de profissionalização, não permitindo mais o romantismo. O momento é de grandes empresas, que lutam diariamente por mais capilaridade e rentabilidade. Treinamento de pessoas, investimento em informática, modernização dos pontos de vendas, desenvolvimento de marca e gerenciamento do estoque, faturamento e lucratividade diários são alguns dos alicerces de sustentação deste crescimento. O telefone celular faz parte direta deste crescimento. Cada vez mais presente em diversos seguimentos do varejo: Móveis, eletroeletrônicos, lojas de departamento, farmácias, informática, etc., vem se destacando pelo alto valor agregado do produto, elevando o faturamento das empresas e gerando uma infinidade de empregos. Nos últimos anos, diversos formatos e canais foram introduzidos nos varejos brasileiros: Lojas menores, de conveniência e e-commerce ou lojas na internet, se mostraram adaptadas a uma forma mais moderna de compra do consumidor. No e-commerce houve a fusão de dois grandes varejos: o Submarino e a Americanas.com, com isso, verificou-se uma corrida do varejo convencional à internet. Neste ano, foi anunciada a entrada no varejo on-line de três pesos pesados: Carrefour, WalMart, Casas Bahia e muitos outros estão próximos de terem seus respectivos sites de vendas. O e-commerce é bem mais barato que o comércio tradicional, o que permite oferecer preços melhores. "Mas hoje o consumidor está muito mais maduro, utiliza os sites de comparação de preços e acaba imprimindo a oferta da internet para negociar na loja. Por isso, não pode haver muita disparidade nos preços dos produtos, principalmente se for da mesma empresa", explica Patrícia Vance, coordenadora da pesquisa do Programa de Administração de Varejo (Provar) da Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo (FEA/USP),

9 em entrevista dada a Gazeta Mercantil do dia 06/02/2008. Patrícia Vance acredita que isso deve ser corrigido com o tempo, quando os varejistas começarem a compartilhar as margens de cada canal de venda. Para que os varejos tradicionais e de e-commerce sejam competitivos, os fabricantes de celulares determinam uma tabela de preço de ponta igual para os diferentes canais. CONCLUSÃO Em 2007, mais 47 milhões de celulares foram vendidos no Brasil (ANATEL e e em neste ano, espera-se um crescimento do mercado de celular e sua respectiva participação no varejo. Ainda não há uma estatística conclusiva no sobre a participação da venda direta de celulares, porém a estimativa é chegar a níveis europeus nos próximos anos, aonde a participação chega a ser aproximadamente de 40% do total de celulares vendidos. Fabricantes, operadoras e varejos estão prontos a realizar este crescimento, assim como o consumidor está ávido por novidades tecnológicas, convergências e serviços que continuem facilitando e mudando o dia a dia de suas vidas. SITIOGRAFIA AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ANATEL. Disponível em TELECO Informações em Telecomunicações. Disponível em GSM ARENA Informações em Telecomunicações. Disponível em

4 A Telefonia Móvel no Brasil

4 A Telefonia Móvel no Brasil 4 A Telefonia Móvel no Brasil 4.1 Breve Histórico da Telefonia Móvel O uso da telefonia móvel teve início no Brasil no final de 1990. Em 30 de dezembro deste ano o Sistema Móvel Celular (SMC) começou a

Leia mais

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA APRESENTAÇÃO CORPORATIVA Julho de 2011 Mercado Brasileiro de Telecomunicações Oi: Perfil, Cobertura e Estratégia Resultados Operacionais e Financeiros Aliança com a Portugal Telecom e Aumento de Capital

Leia mais

Economia Móvel América Latina 2013 Sumário Executivo

Economia Móvel América Latina 2013 Sumário Executivo Economia Móvel América Latina 2013 Sumário Executivo Economia Móvel América Latina 2013 A GSMA representa os interesses da indústria mundial de comunicações móveis. Presente em mais de 220 países, a GSMA

Leia mais

A EDIÇÃO PAULISTA DA ECONOFARMA ESTÁ DE VOLTA. -feira

A EDIÇÃO PAULISTA DA ECONOFARMA ESTÁ DE VOLTA. -feira A EDIÇÃO PAULISTA DA ECONOFARMA ESTÁ DE VOLTA -feira EM 2014, A ECONOFARMA RETORNA COM UM NOVO OLHAR SOBRE O VAREJO FARMACÊUTICO CENÁRIO ATUAL O varejo nacional projeta otimismo de crescimento para os

Leia mais

TÍTULO: COMERCIO ELETRÔNICO (E-COMMERCE) CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO

TÍTULO: COMERCIO ELETRÔNICO (E-COMMERCE) CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO TÍTULO: COMERCIO ELETRÔNICO (E-COMMERCE) CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES): EBERSON EVANDRO DA SILVA GUNDIN, PAULO

Leia mais

Telefonia Móvel: do Analógico ao 3G+

Telefonia Móvel: do Analógico ao 3G+ Telefonia Móvel: do Analógico ao 3G+ Guilherme Pimentel Diretor TIM Regional Sul 10 de Setembro de 2008 Tecnologia de celular, capaz de trafegar dados em alta velocidade É a banda larga móvel Videochamada,

Leia mais

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO NET FONE VIA EMBRATEL PLANO ALTERANTIVO N 036 - LC

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO NET FONE VIA EMBRATEL PLANO ALTERANTIVO N 036 - LC PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO NET FONE VIA EMBRATEL PLANO ALTERANTIVO N 036 - LC Empresa Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. EMBRATEL. Nome do Plano Plano NET FONE VIA EMBRATEL PAS 036 Modalidade

Leia mais

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO NET FONE VIA EMBRATEL PLANO ALTERNATIVO N 095-LC

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO NET FONE VIA EMBRATEL PLANO ALTERNATIVO N 095-LC Empresa PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO NET FONE VIA EMBRATEL PLANO ALTERNATIVO N 095-LC Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. EMBRATEL. Nome do Plano Plano NET FONE VIA EMBRATEL PAS 095-LC Modalidade

Leia mais

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO 088-LC

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO 088-LC PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO 088-LC Empresa Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. EMBRATEL. Nome do Plano Via Fone Fale Simples Modalidade do STFC Local. Descrição Resumida A adesão a este plano

Leia mais

Se eu tenho o serviço de Voz sobre Internet, para quem posso ligar?

Se eu tenho o serviço de Voz sobre Internet, para quem posso ligar? 1 Conheça o sistema de Voz sobre IP (ou VOIP) O que é Voz sobre IP / Voz sobre Internet Protocolo? R. Voz sobre IP permite que você faça ligações telefônicas utilizando uma rede de computadores, como a

Leia mais

NET, Claro e Embratel se unem para transformar a oferta de telecomunicações e entretenimento no Brasil

NET, Claro e Embratel se unem para transformar a oferta de telecomunicações e entretenimento no Brasil NET, Claro e Embratel se unem para transformar a oferta de telecomunicações e entretenimento no Brasil Empresas investem na integração das suas redes e lançam a mais completa oferta convergente de serviços

Leia mais

Nos últimos anos, o setor de seguros brasileiro vem sofrendo uma. série de transformações. Algumas delas podem ser visualizadas na

Nos últimos anos, o setor de seguros brasileiro vem sofrendo uma. série de transformações. Algumas delas podem ser visualizadas na Visão das Seguradoras: Uma análise da distribuição de seguros no Brasil Francisco Galiza Mestre em Economia (FGV), membro do Conselho Editorial da FUNENSEG, catedrático pela ANSP e sócio da empresa "Rating

Leia mais

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO Fale Light PLANO ALTERNATIVO N 068 - LC

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO Fale Light PLANO ALTERNATIVO N 068 - LC PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO Fale Light PLANO ALTERNATIVO N 068 - LC Empresa Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. EMBRATEL. Nome do Plano Plano Fale Light PAS 068 Modalidade do STFC Local. Descrição

Leia mais

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO NET FONE FALE FIXO LOCAL PLANO ALTERANTIVO N 107 - LC

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO NET FONE FALE FIXO LOCAL PLANO ALTERANTIVO N 107 - LC PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO NET FONE FALE FIXO LOCAL PLANO ALTERANTIVO N 107 - LC Empresa Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. EMBRATEL. Nome do Plano Plano NET FONE FALE FIXO LOCAL PAS 107 - LC

Leia mais

7. As Entrevistas. A seguir pode ser verificado o resumo das respostas dessas entrevistas:

7. As Entrevistas. A seguir pode ser verificado o resumo das respostas dessas entrevistas: 102 7. As Entrevistas Nesse item foram entrevistados 6 diretores da empresa, que, de alguma forma, estiveram envolvidos no processo de lançamento e consolidação da Oi no mercado. Como pode ser visto no

Leia mais

EXPECTATIVAS, GESTÃO E AÇÕES DOS EMPRESÁRIOS DO COMÉRCIO VAREJISTA PARA O NATAL DE 2013 MACAPÁ - 2013

EXPECTATIVAS, GESTÃO E AÇÕES DOS EMPRESÁRIOS DO COMÉRCIO VAREJISTA PARA O NATAL DE 2013 MACAPÁ - 2013 EXPECTATIVAS, GESTÃO E AÇÕES DOS EMPRESÁRIOS DO COMÉRCIO VAREJISTA PARA O NATAL DE 2013 MACAPÁ - 2013 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 POPULAÇÃO... 3 4 COLETA DE DADOS... 3 5 RESULTADOS... 4 Ilustração 1 -

Leia mais

Capítulo 2 Sistemas Rádio Móveis

Capítulo 2 Sistemas Rádio Móveis Capítulo 2 Sistemas Rádio Móveis 2.1. Histórico e Evolução dos Sistemas Sem Fio A comunicação rádio móvel teve início no final do século XIX [2], quando o cientista alemão H. G. Hertz demonstrou que as

Leia mais

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO 093-LC

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO 093-LC PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO 093-LC Empresa Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. EMBRATEL. Nome do Plano Plano 093 Local Modalidade do STFC Local. Descrição Resumida A adesão a este plano de serviço

Leia mais

Algar Telecom lança TV por assinatura via satélite

Algar Telecom lança TV por assinatura via satélite Algar Telecom lança TV por assinatura via satélite Com investimentos de mais de R$ 160 milhões, empresa amplia seu portfólio de serviços São Paulo, 20 de maio de 2010 A Algar Telecom, empresa de telecomunicações

Leia mais

Fundamentos da Computação Móvel

Fundamentos da Computação Móvel Fundamentos da Computação Móvel (O Mercado Mobile no Brasil) Programação de Dispositivos Móveis Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto

Leia mais

Nori Lermen Quer Revolução no ATM

Nori Lermen Quer Revolução no ATM Nori Lermen Quer Revolução no ATM Em entrevista exclusiva à Relatório Bancário, o novo presidente da ATP, Nori Lermen, revelou as intenções da empresa brasiliense em ir além do fornecimento de serviços

Leia mais

7 Passos Para a Criação de Uma Boa Loja Virtual. Índice

7 Passos Para a Criação de Uma Boa Loja Virtual. Índice 2 Índice Introdução... 3 Passo 1 Entender o que é Venda Online e E-commerce... 4 Passo 2 Entender o Mercado de Comércio Eletrônico... 5 Passo 3 Canais de Venda... 6 Passo 4 Como identificar uma Boa Plataforma

Leia mais

Comércio Eletrônico em Números

Comércio Eletrônico em Números Comércio Eletrônico em Números Evolução do E-commerce no Brasil 23 milhões é um grande número. 78 milhões 23 milhões Enorme potencial de crescimento no Brasil Mas fica pequeno se comprarmos com o número

Leia mais

Você já comprou roupa pela internet? 1,5% INTERNET VAREJO PELA UMA ANÁLISE SOBRE AS VENDAS DE O VAREJO ON-LINE NO BRASIL

Você já comprou roupa pela internet? 1,5% INTERNET VAREJO PELA UMA ANÁLISE SOBRE AS VENDAS DE O VAREJO ON-LINE NO BRASIL UMA ANÁLISE SOBRE AS VENDAS DE VAREJO PELA INTERNET O VAREJO ON-LINE NO BRASIL Você já comprou roupa pela internet? Estatisticamente, é bastante improvável, pois apesar de as roupas liderarem as compras

Leia mais

* Dados referentes ao PIB estimado para o ano de 2014

* Dados referentes ao PIB estimado para o ano de 2014 A Cielo é uma credenciadora de pagamentos eletrônicos. Talvez você a conheça pelas suas máquinas de cartão, presentes no comércio de Norte a Sul do Brasil. Essa é mesmo a função primordial da companhia:

Leia mais

CONTACT CENTER. Serviços Especializados e Profissionalização do Mercado no Brasil

CONTACT CENTER. Serviços Especializados e Profissionalização do Mercado no Brasil CONTACT CENTER Serviços Especializados e Profissionalização do Mercado no Brasil Cenário Nos últimos dez anos, o desenvolvimento das tecnologias de informação permitiu um forte crescimento do setor de

Leia mais

Tema 3 O BNDE e a inserção brasileira no capitalismo industrial

Tema 3 O BNDE e a inserção brasileira no capitalismo industrial Faculdade de Comunicação e Artes Habilitação em Jornalismo Tema 3 O BNDE e a inserção brasileira no capitalismo industrial Economia Brasileira Professora Eleonora Bastos Horta Dayse dos Santos Frederico

Leia mais

Vantagens competitivas e estratégicas no uso de operadores logísticos. Prof. Paulo Medeiros

Vantagens competitivas e estratégicas no uso de operadores logísticos. Prof. Paulo Medeiros Vantagens competitivas e estratégicas no uso de operadores logísticos Prof. Paulo Medeiros Introdução nos EUA surgiram 100 novos operadores logísticos entre 1990 e 1995. O mercado para estas empresas que

Leia mais

Sr. Secretário de Estado do Empreendorismo e da Inovação, caríssimos convidados, minhas senhoras e meus senhores, muito bom dia.

Sr. Secretário de Estado do Empreendorismo e da Inovação, caríssimos convidados, minhas senhoras e meus senhores, muito bom dia. Sr. Secretário de Estado do Empreendorismo e da Inovação, caríssimos convidados, minhas senhoras e meus senhores, muito bom dia. Bem-vindos à Conferência da ANACOM. Antes de mais gostaria de agradecer

Leia mais

Aula 7 Aplicações e questões do Comércio Eletrônico.

Aula 7 Aplicações e questões do Comércio Eletrônico. Aula 7 Aplicações e questões do Comércio Eletrônico. TENDÊNCIAS NO COMÉRCIO ELETRÔNICO Atualmente, muitos negócios são realizados de forma eletrônica não sendo necessário sair de casa para fazer compras

Leia mais

O mercado de e-commerce e como torná-lo mais rentável usando o marketing digital. Julia Lopes - gerente de parcerias de canais

O mercado de e-commerce e como torná-lo mais rentável usando o marketing digital. Julia Lopes - gerente de parcerias de canais O mercado de e-commerce e como torná-lo mais rentável usando o marketing digital Julia Lopes - gerente de parcerias de canais Dados de e-commerce no Brasil dimensionando o mercado Faturamento do e-commerce

Leia mais

I Fórum Lusófono de Comunicações. Abril. 2010

I Fórum Lusófono de Comunicações. Abril. 2010 I Fórum Lusófono de Comunicações Abril. 2010 Evolução do Setor de Telecomunicações no Brasil Pré-Privatização Monopólio estatal Poucos investimentos Baixa qualidade dos serviços 98 Grande demanda reprimida

Leia mais

O varejo e a era da disrupção

O varejo e a era da disrupção 10Minutos Varejo Total Retail 2015 - Pesquisa anual da PwC com os consumidores O varejo e a era da disrupção Destaques Os consumidores estão definindo sua própria abordagem de relacionamento com o varejo,

Leia mais

Algar Telecom registra lucro de R$ 71 milhões em 2009

Algar Telecom registra lucro de R$ 71 milhões em 2009 Algar Telecom registra lucro de R$ 71 milhões em 2009 EBITDA atingiu a soma de R$ 391 milhões no ano passado São Paulo, 24 de março de 2010 A Algar Telecom, empresa de telecomunicações do Grupo Algar,

Leia mais

The Director s Report: The State of ecommerce in Brazil. Por Lariza Carrera, Executive Director, etail Brazil

The Director s Report: The State of ecommerce in Brazil. Por Lariza Carrera, Executive Director, etail Brazil The Director s Report: The State of ecommerce in Brazil Por Lariza Carrera, Executive Director, etail Brazil etailbrazil.com 2014 O mercado está se ajustando a uma realidade multi-canal não excludente,

Leia mais

Abril/2012. Apresentação PAGGO

Abril/2012. Apresentação PAGGO Abril/2012 Apresentação PAGGO AGENDA 1. Histórico da Oi Paggo 2. Nova Paggo 1. Portfólio de Produtos 2. Vantagens da Paggo 3. Formalização de novos mercados AGENDA 1. Histórico da Oi Paggo 2. Nova Paggo

Leia mais

Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática CCTCI Câmara dos Deputados. Plano Nacional de Banda Larga

Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática CCTCI Câmara dos Deputados. Plano Nacional de Banda Larga Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática CCTCI Câmara dos Deputados Plano Nacional de Banda Larga Brasília, 30 de março de 2010 ABRAFIX Associaçã ção o Brasileira de Concessionárias

Leia mais

REGULAMENTO PROMOÇÃO NOV/09 a JUL/10

REGULAMENTO PROMOÇÃO NOV/09 a JUL/10 REGULAMENTO PROMOÇÃO NOV/09 a JUL/10 1. OBJETIVO: o presente Regulamento tem por objetivo estabelecer as relações entre as EMPRESA(S) CTBC Telecom S/A, CTBC Celular S/A e CTBC Multimídia Data Net S/A,

Leia mais

4 Mercado setor de telecomunicações

4 Mercado setor de telecomunicações 4 Mercado setor de telecomunicações Nesta sessão é apresentada uma pequena visão geral do mercado de telecomunicações no Brasil, com dados históricos dos acontecimentos mais relevantes a este trabalho,

Leia mais

R$ 281 milhões de ebitda 52

R$ 281 milhões de ebitda 52 R$ 281 milhões de ebitda 52 Líder e pioneira em seu mercado, a Ultragaz evoluiu em 2009 na implementação de programas de eficiência operacional destinados ao mercado domiciliar, o UltraLevel, e ao mercado

Leia mais

Wagner K. Arendt Coordenador de TI FCDL/SC

Wagner K. Arendt Coordenador de TI FCDL/SC Wagner K. Arendt Coordenador de TI FCDL/SC sua empresa na Internet A criação de um site é uma regra geral para empresas que querem sobreviver em um mercado cada vez mais agressivo e um mundo globalizado,

Leia mais

Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária 2013 O Setor Bancário em Números

Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária 2013 O Setor Bancário em Números Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária 2013 O Setor Bancário em Números Um sistema financeiro saudável, ético e eficiente é condição essencial para o desenvolvimento econômico, social e sustentável do

Leia mais

Aprenda a Trabalhar com Telemensagens

Aprenda a Trabalhar com Telemensagens Aprenda a Trabalhar com Telemensagens 2 Incluindo dicas de Cestas, Flores, Presentes e Internet Do Iniciante ao Profissional www.as2.com.br 1 Aprenda a Trabalhar com Telemensagens FASCÍCULO 2 Adquira o

Leia mais

TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE O NOVO PROGRAMA SER PORTOBELLO SHOP

TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE O NOVO PROGRAMA SER PORTOBELLO SHOP TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE O NOVO PROGRAMA SER PORTOBELLO SHOP 2015 O ANO DO NOVO Após uma década reconhecendo diversos Especificadores por todo o Brasil, chegou a hora de inovar e tornar o Programa

Leia mais

Impactos da nova regulação de meios de pagamento para o setor supermercadista Em 3 aspectos principais: aceitação, emissor e empregador

Impactos da nova regulação de meios de pagamento para o setor supermercadista Em 3 aspectos principais: aceitação, emissor e empregador Impactos da nova regulação de meios de pagamento para o setor supermercadista Em 3 aspectos principais: aceitação, emissor e empregador 25 de Abril de 2014 1 Somos uma consultoria especializada em Varejo

Leia mais

Mapa de Conectividade

Mapa de Conectividade Mapa de Conectividade BRASSCOM Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação 1 Cenário Brasil Banda Larga Móvel e Fixa Em julho de 2013, o número de acessos em banda larga

Leia mais

5. Empresa em Estudo Oi

5. Empresa em Estudo Oi 80 5. Empresa em Estudo Oi Este capítulo retrata a Oi, primeira empresa a oferecer a tecnologia GSM no Brasil, a sua origem, os serviços oferecidos, o lançamento e a escolha da marca. 5.1. A Empresa Holding

Leia mais

1) Lançamento. 2) Conteúdo

1) Lançamento. 2) Conteúdo HIGHLIGHTS Apoio: Patrocinador: Realização: Versão Resumida a íntegra do Ranking é um benefício dos associados IBEVAR, entre em contato através do email contato@ibevar.org.br para maiores informações.

Leia mais

Sua loja na internet, um mercado com mais de. milhões. de pessoas. em todo o território nacional. www.sec-ecommerce.com.br

Sua loja na internet, um mercado com mais de. milhões. de pessoas. em todo o território nacional. www.sec-ecommerce.com.br Sua loja na internet, um mercado com mais de 80 milhões de pessoas em todo o território nacional www.sec-ecommerce.com.br E-Commerce no Brasil Crescimento consistente Potência mundial em e-commerce. Enquanto

Leia mais

EXP Digital, desenvolvendo soluções personalizadas para sua empresa alcançar a melhor performance no mundo virtual.

EXP Digital, desenvolvendo soluções personalizadas para sua empresa alcançar a melhor performance no mundo virtual. EXP Digital, desenvolvendo soluções personalizadas para sua empresa alcançar a melhor performance no mundo virtual. Somos uma empresa especializada em soluções voltadas ao segmento digital como: criação,

Leia mais

A empresa digital: comércio e negócios eletrônicos

A empresa digital: comércio e negócios eletrônicos Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Administração Tecnologia e Sistemas de Informação - 06 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti

Leia mais

A ERA DIGITAL E AS EMPRESA

A ERA DIGITAL E AS EMPRESA A ERA DIGITAL E AS EMPRESA Em 1997 o Brasil já possuia 1,8 MILHÕES de usuários Brasil O 5 Maior país em extensão territorial Brasil 5 Vezes campeão do Mundo Brasil O 5 Maior país em número de pessoas conectadas

Leia mais

TIM Participações S.A. Resultados do 1T06. 5 de Maio de 2006

TIM Participações S.A. Resultados do 1T06. 5 de Maio de 2006 TIM Participações S.A. Resultados do 5 de Maio de 2006 1 Principais realizações Desempenho do Mercado Desempenho Financeiro 2 Status da Reestruturação Corporativa Principais realizações Melhorando a Estrutura

Leia mais

Orbitall. Autora: Carolina Fernandes Corrêa Leite. Orientadora: Profa. Ms. Ana Maria Santiago Jorge de Melo. Universidade Presbiteriana Mackenzie

Orbitall. Autora: Carolina Fernandes Corrêa Leite. Orientadora: Profa. Ms. Ana Maria Santiago Jorge de Melo. Universidade Presbiteriana Mackenzie Orbitall Autora: Carolina Fernandes Corrêa Leite Orientadora: Profa. Ms. Ana Maria Santiago Jorge de Melo Universidade Presbiteriana Mackenzie Introdução O setor de cartões de crédito tem crescido a taxas

Leia mais

Tutorial NEGER Telecom COMO IMPLANTAR REDES WIFI EM VEÍCULOS

Tutorial NEGER Telecom COMO IMPLANTAR REDES WIFI EM VEÍCULOS Tutorial NEGER Telecom COMO IMPLANTAR REDES WIFI EM VEÍCULOS Julho/2010 Objetivo Este tutorial tem como objetivo fornecer informações técnicas e recomendações na utilização de roteadores 3G para implantação

Leia mais

Bleez Agência Digital... 3. Quem sou eu... 4. Introdução... 5. Quanto o ecommerce cresceu no Brasil... 7. Quem está comprando no ecommerce...

Bleez Agência Digital... 3. Quem sou eu... 4. Introdução... 5. Quanto o ecommerce cresceu no Brasil... 7. Quem está comprando no ecommerce... Sumário Bleez Agência Digital... 3 Quem sou eu... 4 Introdução... 5 Quanto o ecommerce cresceu no Brasil... 7 Quem está comprando no ecommerce... 10 Por que os brasileiros estão comprando mais... 12 O

Leia mais

Tecnologia da Informação. Prof. Odilon Zappe Jr

Tecnologia da Informação. Prof. Odilon Zappe Jr Tecnologia da Informação Prof. Odilon Zappe Jr Vantagens e Desvantagens do Comércio Eletrônico Vantagens Aumento do número de contatos da empresa com fornecedores e com outras empresas do mesmo ramo, e

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD 1 de 9 Desde o nascimento do telemóvel e o seu primeiro modelo vários se seguiram e as transformações tecnológicas que estes sofreram ditaram o nascimento de várias gerações. O Motorola DynaTac 8000X é

Leia mais

O que é comércio eletrônico?

O que é comércio eletrônico? COMÉRCIO ELETRÔNICO O que é comércio eletrônico? O comércio eletrônico ou e-commerce é a compra e venda de mercadorias ou serviços por meio da Internet, onde as chamadas Lojas Virtuais oferecem seus produtos

Leia mais

Brasileiro faz plano de banda larga dos EUA

Brasileiro faz plano de banda larga dos EUA Brasileiro faz plano de banda larga dos EUA 4 de outubro de 2009 O brasileiro Carlos Kirjner, nomeado pelo presidente Barack Obama para o cargo de conselheiro do diretor-geral da Comissão Federal de Comunicações

Leia mais

Apresentação dos Resultados 2T06

Apresentação dos Resultados 2T06 Apresentação dos Resultados 2T06 Aviso Legal Esta apresentação contém considerações futuras referentes às perspectivas do negócio, estimativas de resultados operacionais e financeiros, e às perspectivas

Leia mais

Brasil, potência no e-commerce

Brasil, potência no e-commerce Brasil, potência no e-commerce CONTEXTO GLOBAL E REGIONAL 10º mercado em termos mundiais Maior e mais maduro mercado da AL Potencial de crescimento elevado Um país que compra cada vez mais online CONTEXTO

Leia mais

Comércio na internet: muito mais que e-commerce

Comércio na internet: muito mais que e-commerce Comércio na internet: muito mais que e-commerce Sophia Mind A Sophia Mind Pesquisa e Inteligência de Mercado é a empresa do grupo de comunicação feminina Bolsa de Mulher voltada para pesquisa e inteligência

Leia mais

Circular de Oferta 5102/ sto Ago

Circular de Oferta 5102/ sto Ago Circular de Oferta Agosto / 2015 Índice Introdução 03 Quem Somos 04 Como funciona o negócio 05 Vantagens de ser constituir uma agência 06 Produtos e serviços 07 Ferramentas de apoio 08 Atividades desempenhadas

Leia mais

Prof. Marcelo Mello. Unidade IV DISTRIBUIÇÃO E

Prof. Marcelo Mello. Unidade IV DISTRIBUIÇÃO E Prof. Marcelo Mello Unidade IV DISTRIBUIÇÃO E TRADE MARKETING Trade Marketing é confundido por algumas empresas como um conjunto de ferramentas voltadas para a promoção e a comunicação dos produtos. O

Leia mais

Perspectivas & Oportunidades do Mercado Segurador frente aos Novos Consumidores. Marco Antonio Rossi Presidente

Perspectivas & Oportunidades do Mercado Segurador frente aos Novos Consumidores. Marco Antonio Rossi Presidente Perspectivas & Oportunidades do Mercado Segurador frente aos Novos Consumidores Marco Antonio Rossi Presidente AGENDA I O Universo dos Novos Consumidores 2 O Mundo do Seguros 3- Perspectivas e Oportunidades

Leia mais

Introdução ao E-Commerce. São Paulo (11) 4063 0165 Porto Alegre (51) 3092 0102 Recife (81) 4062 9373

Introdução ao E-Commerce. São Paulo (11) 4063 0165 Porto Alegre (51) 3092 0102 Recife (81) 4062 9373 Introdução ao E-Commerce ecommerce não é site NÃO É UM SITE, É UMA EMPRESA A DIFERENÇA: FIQUE ATENTO ÀS MÉTRICAS VISITAS E COMENTÁRIOS X RECEITA E MARGEM NÃO É FEELING, É MULTIDISCIPLINARIDADE ecommerce

Leia mais

Teleconferência e Webcast de Resultados 2T12

Teleconferência e Webcast de Resultados 2T12 Teleconferência e Webcast de Resultados 2T12 Quarta-feira, 15 de agosto de 2012 Horário: 12:00 p.m. (Brasil) - 11:00 a.m. (US EDT) Telefone: +55 (11) 4688.6361 - Código: B2W Webcast: www.b2winc.com/webcast2t12

Leia mais

Pesquisa sobre Logística no E-commerce Brasileiro 2013

Pesquisa sobre Logística no E-commerce Brasileiro 2013 Pesquisa sobre Logística no E-commerce Brasileiro 2013 www.brazilpanels.com.br www.abcomm.com.br www.ecommerceschool.com.br Apoio: INTRODUÇÃO A Logística foi escolhida para ser o tema do primeiro estudo

Leia mais

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Telecomunicações Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Rede de Telefonia Fixa Telefonia pode ser considerada a área do conhecimento que trata da transmissão de voz através de uma rede de telecomunicações.

Leia mais

13ª EDIÇÃO OUT 2013 F/RADAR PANORAMA DO BRASIL NA INTERNET

13ª EDIÇÃO OUT 2013 F/RADAR PANORAMA DO BRASIL NA INTERNET 13ª EDIÇÃO OUT 2013 F/RADAR PANORAMA DO BRASIL NA INTERNET AGENDA METODOLOGIA PANORAMA GERAL GRANDES APRENDIZADOS F/RADAR METODOLOGIA TÉCNICA Pesquisa quantitativa, com abordagem pessoal em pontos de fluxo

Leia mais

Transparência e Internet, as Telecomunicações apoiando a Administração Pública Case Prefeitura de São Paulo

Transparência e Internet, as Telecomunicações apoiando a Administração Pública Case Prefeitura de São Paulo Transparência e Internet, as Telecomunicações apoiando a Administração Pública Case Prefeitura de São Paulo Data:17 de Julho de 2009 Índice 01 Evolução da Internet - História (comercialização dos Backbones)

Leia mais

IBM FlashSystem Atendendo ao pedido de desempenho no setor de telecomunicações

IBM FlashSystem Atendendo ao pedido de desempenho no setor de telecomunicações IBM Systems and Technology Group Abril de 2013 White Paper de Liderança em Ideias Inovadoras IBM FlashSystem Atendendo ao pedido de desempenho no setor de telecomunicações 2 IBM FlashSystem Atendendo ao

Leia mais

REVISTA ELETROLAR NEWS, a única b2b do segmento, com freqüência de 45 dias e 20.000 exemplares auditados pelo IVC.

REVISTA ELETROLAR NEWS, a única b2b do segmento, com freqüência de 45 dias e 20.000 exemplares auditados pelo IVC. REVISTA ELETROLAR NEWS, a única b2b do segmento, com freqüência de 45 dias e 20.000 exemplares auditados pelo IVC. FEIRA ELETROLAR SHOW, evento anual B2B que reúne a indústria e o varejo, mais de 1.000

Leia mais

Nosso Planeta Mobile: Brasil

Nosso Planeta Mobile: Brasil Nosso Planeta Mobile: Brasil Como entender o usuário de celular Maio de 2012 1 Resumo executivo Os smartphones se tornaram indispensáveis para nosso cotidiano. A difusão dos smartphones atinge 14% da população,

Leia mais

Ganhe Dinheiro na Internet

Ganhe Dinheiro na Internet Prof. Dr. José Dornelas www.planodenegocios.com.br Bem-vindoà versão de demonstração do curso! Vocêpoderá conferir alguns vídeos do curso antes de efetuar sua compra Prof. Dr. José Dornelas www.planodenegocios.com.br

Leia mais

Tecnologia de redes celular GSM X CDMA

Tecnologia de redes celular GSM X CDMA Tecnologia de redes celular GSM X CDMA GSM (Global Standard Mobile) GSM (Global Standard Mobile) Também baseado na divisão de tempo do TDMA, o GSM foi adotado como único sistema europeu em 1992, e se espalhou

Leia mais

FÁBRICA DE SOFTWARE FÁBRICA DE PROJETOS DE SOFTWARE FÁBRICA DE PROJETOS FÍSICOS

FÁBRICA DE SOFTWARE FÁBRICA DE PROJETOS DE SOFTWARE FÁBRICA DE PROJETOS FÍSICOS FÁBRICA DE SOFTWARE Quem somos A Fábrica de Software da Compugraf existe desde 1993 e atua em todas as etapas de um projeto: especificação, construção, testes, migração de dados, treinamento e implantação.

Leia mais

MIDIA KIT. Aqui você fica atualizado. www.noticiasdealagoinhas.com.br

MIDIA KIT. Aqui você fica atualizado. www.noticiasdealagoinhas.com.br MIDIA KIT Aqui você fica atualizado. www.noticiasdealagoinhas.com.br Sobre nosso site O Notícias de Alagoinhas hoje é o portal mais completo da cidade. Somos um Canal de comunicação online que integra

Leia mais

Tecnologias para comercialização de seguros e previdência por Meios não Presenciais

Tecnologias para comercialização de seguros e previdência por Meios não Presenciais Tecnologias para comercialização de seguros e previdência por Meios não Presenciais Palestrante: Marco Aurélio Damiani Palestrante Formação Acadêmica Engenheiro de Produção Mecânica com Especialização

Leia mais

Marcelo José de Sousa, diretor de logística da TGestiona, fala sobre e-commerce

Marcelo José de Sousa, diretor de logística da TGestiona, fala sobre e-commerce 21 de Julho de 2009 Marcelo José de Sousa, diretor de logística da TGestiona, fala sobre e-commerce A Internet, já há algum tempo, é parte integrante da vida de muitas pessoas, que passam horas conectadas

Leia mais

Eficiência Operacional. Maximizar os relacionamentos. Foco estratégico. Novo foco estratégico

Eficiência Operacional. Maximizar os relacionamentos. Foco estratégico. Novo foco estratégico Estratégias de Relacionamento com clientes Marcelo Amorim Panorama Atual Agenda Tendências, Desafios e Globalização Sindrome da caixa de água Relacionamento com Clientes Gerenciamento de Riscos Novas tendências

Leia mais

Cartões Private Label

Cartões Private Label Cartões Private Label Quando implementar? Como ativar? Por que ir além? Walter Rabello Quando Implementar Como Ativar Por que Ir além O que é Private Label? Para quem trabalha no mercado de cartões: Cartão

Leia mais

EVOLUÇÃO DO MERCADO DE TELEFONIA MÓVEL

EVOLUÇÃO DO MERCADO DE TELEFONIA MÓVEL EVOLUÇÃO DO MERCADO DE TELEFONIA MÓVEL METODOLOGIA O estudo foi realizado utilizando a metodologia Desk Research com base nos dados da ANATEL Agência Nacional de Telecomunicações e IBGE Instituto Brasileiro

Leia mais

INTERNET HOST CONNECTOR

INTERNET HOST CONNECTOR INTERNET HOST CONNECTOR INTERNET HOST CONNECTOR IHC: INTEGRAÇÃO TOTAL COM PRESERVAÇÃO DE INVESTIMENTOS Ao longo das últimas décadas, as organizações investiram milhões de reais em sistemas e aplicativos

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA EMPRESA

APRESENTAÇÃO DA EMPRESA APRESENTAÇÃO DA EMPRESA Sumário 1. Quem somos 2. Nossa missão 3. O que fazemos 3.1. Nossos Serviços 3.2. Nossos Produtos 4. Solução de PABX IP - NetPBX 4.1. Solução de PABX IP 4.2. Solução de Billing 5.

Leia mais

Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado Federal. JOÃO REZENDE Presidente da Anatel Anatel

Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado Federal. JOÃO REZENDE Presidente da Anatel Anatel Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado Federal JOÃO REZENDE Presidente da Anatel Anatel Brasília/DF Maio/2013 15 anos de LGT Em 1997, na corrida pelo usuário, a

Leia mais

Sistema Corporativo de Tele-Medição de Energia Elétrica. Eng. Eduardo Caldas Cardoso ELO Sistemas e Tecnologia eduardo@elotek.com.

Sistema Corporativo de Tele-Medição de Energia Elétrica. Eng. Eduardo Caldas Cardoso ELO Sistemas e Tecnologia eduardo@elotek.com. 21 a 25 de Agosto de 2006 Belo Horizonte - MG Sistema Corporativo de Tele-Medição de Energia Elétrica Eng. Eduardo Caldas Cardoso ELO Sistemas e Tecnologia eduardo@elotek.com.br RESUMO A tele-medição de

Leia mais

PRODUÇÕES AUDIOVISUAIS COMO UM PRODUTO DE INCENTIVO A FAVOR DAS ENTIDADES DA TV COMUNITÁRIA

PRODUÇÕES AUDIOVISUAIS COMO UM PRODUTO DE INCENTIVO A FAVOR DAS ENTIDADES DA TV COMUNITÁRIA 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( X ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA PRODUÇÕES AUDIOVISUAIS COMO UM

Leia mais

Destaques do trimestre

Destaques do trimestre Resultados 3T12 Destaques do trimestre 1 Empresa integrada é líder no índice de satisfação do cliente 2 Líder indiscutível nos segmentos de maior receita com foco na geração de valor 3 Melhora sequencial

Leia mais

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO 1 BUSINESS GAME UGB Eduardo de Oliveira Ormond Especialista em Gestão Empresarial Flávio Pires Especialista em Gerencia Avançada de Projetos Luís Cláudio Duarte Especialista em Estratégias de Gestão Marcelo

Leia mais

Itaú Unibanco Banco Digital Pedro Donati

Itaú Unibanco Banco Digital Pedro Donati Itaú Unibanco Banco Digital Pedro Donati Agenda Evolução digital Construindo um banco digital Evolução digital 90% dos dados de hoje foram criados apenas nos dois últimos anos 10% de todas as fotos do

Leia mais

Resultados 3T14_. Relações com Investidores Telefônica Brasil S.A. Novembro de 2014.

Resultados 3T14_. Relações com Investidores Telefônica Brasil S.A. Novembro de 2014. Resultados 3T14_ Novembro de 2014. Disclaimer Esta apresentação pode conter declarações baseadas em estimativas a respeito dos prospectos e objetivos futuros de crescimento da base de assinantes, um detalhamento

Leia mais

Felipe Morais @plannerfelipe O CENÁRIO DO E-COMMERCE BRASILEIRO

Felipe Morais @plannerfelipe O CENÁRIO DO E-COMMERCE BRASILEIRO Felipe Morais @plannerfelipe O CENÁRIO DO E-COMMERCE BRASILEIRO ESPECIALISTA EM PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DIGITAL Autor do livro PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DIGITAL (Ed. Brasport) Autor do Blog do Planejamento

Leia mais

livrarias. No Brasil, o mercado livreiro é um dos melhores do mundo.

livrarias. No Brasil, o mercado livreiro é um dos melhores do mundo. Universidade Castelo Branco O PROCESSO DE EVOLUÇÃO DO E-COMMERCE DA SARAIVA RUAN CAÍQUE DE JESUS SIMAS Orientação: Prof.ª Carla Mota. Rio de Janeiro, jun. 2014 Introdução O comercio varejista brasileiro

Leia mais

COMPUTADOR CELULAR/TABLET CAIXA ELETRÔNICO SMART TV. os benefícios da cooperativa estão sempre por perto.

COMPUTADOR CELULAR/TABLET CAIXA ELETRÔNICO SMART TV. os benefícios da cooperativa estão sempre por perto. Com o os benefícios da cooperativa estão sempre por perto. Veja o que o cooperado pode fazer usando o celular, o computador e os caixas eletrônicos. Com o SicoobNet, o associado tem acesso a conta de onde

Leia mais

Comércio eletrônico 05/05/15. Objetivos de estudo. Qual o papel do e- commerce nos negócios e quais as aplicações mais importantes?

Comércio eletrônico 05/05/15. Objetivos de estudo. Qual o papel do e- commerce nos negócios e quais as aplicações mais importantes? Escola Superior de Gestão e Tecnologia Comércio eletrônico Mercados digitais, mercadorias digitais Prof. Marcelo Mar3ns da Silva Objetivos de estudo Qual o papel do e- commerce nos negócios e quais as

Leia mais

Poucas inovações na história da humanidade reúnem tantos benefícios potenciais quanto o Comércio Eletrônico (também conhecido como e-commerce).

Poucas inovações na história da humanidade reúnem tantos benefícios potenciais quanto o Comércio Eletrônico (também conhecido como e-commerce). Poucas inovações na história da humanidade reúnem tantos benefícios potenciais quanto o Comércio Eletrônico (também conhecido como e-commerce). A natureza global da tecnologia, a oportunidade de atingir

Leia mais

Fortaleza, 4 de novembro de 2013.

Fortaleza, 4 de novembro de 2013. Fortaleza, 4 de novembro de 2013. Discurso do Ministro Alexandre Tombini, Presidente do Banco Central do Brasil, no V Fórum Banco Central sobre Inclusão Financeira Senhoras e senhores, boa tarde a todos.

Leia mais

SOBRE A CALLIX. Por Que Vantagens

SOBRE A CALLIX. Por Que Vantagens Callix PABX Virtual SOBRE A CALLIX Por Que Vantagens SOBRE A CALLIX Por Que Vantagens Por Que Callix Foco no seu negócio, enquanto cuidamos da tecnologia do seu Call Center Pioneirismo no mercado de Cloud

Leia mais