Circuitos elétricos e Grandezas elétricas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Circuitos elétricos e Grandezas elétricas"

Transcrição

1

2 Energia AQUECIMENTO ILUMINAÇÃO ENERGIA ELÉTRICA COMUNICAÇÕES TRANSPORTES

3 Energia e correntes elétricas Distribuição da energia elétrica As linhas de alta tensão permitem o transporte da energia elétrica desde as centrais elétricas até aos locais de distribuição. Linhas de alta tensão junto a central elétrica

4 Corrente elétrica A corrente elétrica consiste no movimento orientado de partículas com carga elétrica. Essas partículas podem ser : eletrões nos METAIS iões em SOLUÇÕES CONDUTORAS (eletrolíticas) eletrões e iões em GASES IONIZADOS

5 Corrente elétrica Em METAIS Condutor metálico: ELETRÕES Iões da rede metálica No dos metais, a corrente elétrica é um movimento orientado de eletrões. Correntes elétricas em metais: - quadro elétrico de uma casa.

6 Corrente elétrica Em SOLUÇÕES CONDUTORAS Solução aquosa de NaCl: ÁGUA IÕES Cl Na + Na + Cl Cl Na + Nas soluções condutoras, as partículas da corrente elétrica são iões. Corrente elétrica no corpo humano: - no interior existe uma solução condutora.

7 Corrente elétrica Em GASES IONIZADOS Lâmpada fluorescente: IÕES A B C ELETRÕES No caso dos gases ionizados, as partículas da corrente elétrica são iões. Correntes elétricas em gases ionizados: A - relâmpago B - lâmpada fluorescente C - plasma

8 Bons e maus condutores elétricos Bons condutores elétricos Cobre Grafite Facilitam a passagem da corrente elétrica Água do mar Água mineral

9 Bons e maus condutores elétricos Maus condutores elétricos (ou isoladores elétricos) Madeira Cortiça Dificultam a passagem da corrente elétrica Plástico Borracha

10 Bons e maus condutores elétricos Materiais onde pode existir corrente elétrica são bons condutores elétricos. Mas existem materiais onde as partículas com carga elétrica não se podem mover de modo orientado. São maus condutores elétricos. MATERIAIS Bons condutores elétricos Maus condutores elétricos

11 Circuitos elétricos Para haver corrente elétrica é preciso um circuito elétrico, ou seja, um caminho por onde circulam as partículas com carga elétrica (eletrões ou iões). Um circuito elétrico é formado por vários componentes por onde circula a corrente elétrica.

12 Circuitos elétricos - interruptor fechado ocorre passagem da corrente elétrica. - interruptor aberto não ocorre passagem da corrente elétrica.

13 Existem dois tipos de componentes elétricos num circuito: Fonte ou gerador de tensão Fornece energia ao circuito. Tem um polo positivo e um polo negativo (terminais positivo e negativo). Recetor Recebe a energia elétrica da fonte de tensão e transforma-a noutra forma de energia: luz, movimento, etc. As suas extremidades chamam-se terminais.

14 TABELA I ALGUNS SÍMBOLOS UTILIZADOS NA REPRESENTAÇÃO DE CIRCUITOS ELÉTRICOS Para facilitar a representação dos circuitos e tornar os esquemas mais universais, usam-se símbolos elétricos para representar cada um dos diferentes elementos.

15

16 Para representar esquematicamente um circuito elétrico, usamos os símbolos dos componentes presentes no circuito: Circuito elétrico Representação esquemática

17 Grandezas elétricas: diferença de potencial elétrico (d.d.p.) Num condutor metálico os eletrões têm um movimento desordenado. Eletrões de condução (a verde) Condutor metálico Não existe nenhuma direção preferencial para o movimento dos eletrões.

18 Grandezas elétricas: diferença de potencial elétrico Se atuarem forças elétricas os eletrões têm um movimento ordenado. Gerador de tensão Polo positivo (+) Polo negativo (-) Gerador de tensão: origina forças elétricas, transferindo-lhes energia, o que origina corrente elétrica. F e Condutor metálico

19 Grandezas elétricas: diferença de potencial elétrico Se atuarem forças elétricas os eletrões têm um movimento ordenado. Os eletrões, apesar das suas frequentes colisões F e com os iões, acabam por se deslocar ao longo do condutor, num movimento afetado por essas colisões. Diferença de potencial O gerador fornece uma diferença de potencial, U, ao condutor a que está ligado.

20 Grandezas elétricas: diferença de potencial elétrico GERADORES DE TENSÃO CONTÍNUA Os geradores que fornecem uma diferença de potencial praticamente constante são chamados geradores de tensão contínua. Originam correntes contínuas. Eletrões movem-se no mesmo sentido. Traço curto Traço comprido Polo - Polo + Símbolo dos geradores num esquema de circuito As pilhas e baterias são exemplos de geradores de tensão contínua

21 Grandezas elétricas: diferença de potencial elétrico (U) Diferença de potencial nos terminais de um condutor, U: U = E Q Unidades do Sistema Internacional (SI): Diferença de potencial ( U ) volt (V) Energia ( E ) joule ( J ) Carga elétrica ( Q ) coulomb (C) sempre múltiplo da carga do eletrão Q eletrão = 1, C Voltímetro analógico. Aparelho que mede a diferença de potencial.

22 A tensão ou diferença de potencial mede-se com um aparelho chamado voltímetro, que pode ser analógico ou digital. O voltímetro digital faz parte de um aparelho com mais funções chamado multímetro. Representação simbólica de um voltímetro: Voltímetros

23 Medição da d.d.p num circuito A medição da d.d.p. realiza-se com um voltímetro, que se instala em em paralelo. Durante a instalação de um voltímetro, para que ocorra deflexão do ponteiro para a direita, deve-se ligar: O terminal positivo do voltímetro ao terminal positivo da lâmpada. O terminal negativo do voltímetro ao terminal negativo da lâmpada.

24 Múltiplos e submúltiplos do volt A diferença de potencial representa-se por U e a sua unidade SI é o volt (V), em homenagem a Alessandro Volta. Denominação Símbolo Relação com o volt Múltiplos quilovolt kv 1 kv = 1000 V Unidade S.I. volt V Submúltiplos milivolt mv 1 mv = 0,001 V Exemplo Converte os seguintes valores de diferença de potencial para a respetiva unidade SI. a) 12 kv =? V b) 436 mv =? V c) 0,5 kv =? V d) 7,56 mv =? V

25 As tomadas das nossas casas fornecem uma tensão de 230 V. Tomada Assim, os equipamentos elétricos que compramos vêm preparados para funcionar com a tensão de 230 V com uma tensão inferior não funcionam e com uma tensão superior queimam-se.

26 Sentido da corrente elétrica Qual o sentido do movimento dos eletrões? Sentido real da corrente elétrica Os eletrões movem-se do polo negativo para o polo positivo. O sentido em que se movem os eletrões no seu movimento orientado chama-se sentido real da corrente. Sentido real

27 Sentido da corrente elétrica Qual o sentido do movimento dos eletrões? Sentido convencional da corrente elétrica As cargas (positivas) movem-se do polo positivo para o polo negativo. Por convenção ainda se utiliza o sentido convencional da corrente elétrica. Sentido convencional

28 Sentido convencional da corrente elétrica Sentido real do movimento dos eletrões num circuito elétrico Pólo negativo ( ) Pólo positivo (+) Sentido convencional da corrente elétrica num circuito elétrico Pólo positivo (+) Pólo negativo ( )

29 Grandezas elétricas: corrente elétrica Secção reta do condutor Quantos mais eletrões atravessarem uma secção reta de um condutor, por unidade de tempo, mais intensa será a corrente elétrica. A corrente elétrica (símbolo I) é uma grandeza escalar que se define como a carga que atravessa uma secção reta de um condutor por unidade de tempo.

30 Grandezas elétricas: corrente elétrica I = Q t Unidades do Sistema Internacional (SI): Corrente elétrica ( I) ampere (A) Intervalo de tempo ( t ) segundo( s) Carga elétrica ( Q ) coloumb(c) sempre múltiplo da carga do eletrão Q eletrão = 1, C Amperímetro analógico. Aparelho que mede a corrente elétrica.

31 Medição da corrente elétrica num circuito A medição da corrente elétrica realiza-se com um amperímetro, que se instala em série. Quando se liga um amperímetro deve-se: Ligar o seu terminal positivo ao terminal positivo do circuito. Ligar o seu terminal negativo ao terminal negativo do circuito.

32 Múltiplos e submúltiplos da unidade ampere A corrente elétrica representa-se por I e a sua unidade SI é o ampere (A), em homenagem a André-Marie Ampère. Denominação Símbolo Relação com o ampere Exemplo Múltiplo quiloampere ka 1 ka = 1000 A Unidade S.I. ampere A Submúltiplo miliampere ma 1 ma = 0,001 A Converte os seguintes valores de corrente elétrica para a respetiva unidade SI. a) 27 ka =? A b) 12,6 ma =? A c) 0,003 ka =? A

33 Corrente contínua e corrente alternada Corrente elétrica Contínua (DC ou CC) (O sentido da corrente elétrica mantém-se constante) Alternada (AC ou CA) (O sentido da corrente elétrica varia ciclicamente)

34 Corrente contínua e corrente alternada CORRENTE CONTÍNUA O valor da corrente contínua é constante ao longo do tempo. O movimento dos eletrões dá-se sempre no mesmo sentido. É simbolizado pela sigla CC ou DC. Símbolo nos aparelhos de medida: Numa corrente contínua, o valor da corrente elétrica é constante.

35 Corrente contínua e corrente alternada CORRENTE ALTERNADA O valor da corrente elétrica varia periodicamente ao longo do tempo. O movimento dos eletrões dá-se ora num sentido, ora em sentido oposto. É simbolizado pela sigla CA ou AC. Símbolo nos aparelhos de medida: Numa corrente alternada, o valor varia periodicamente

36 Corrente contínua e corrente alternada Conversão da corrente alternada em contínua Há aparelhos que transformam a corrente alternada em contínua e vice-versa, que são designados transformadores. AC U = 230 V Transformadores DC U << 230 V O carregador do telemóvel e o carregador do computador portátil convertem corrente alternada em corrente contínua e reduzem a diferença de potencial (U).

37 Resistência elétrica de um condutor As colisões entre os eletrões de condução e os iões oferecem resistência ao movimento orientado de eletrões. ELETRÃO DE CONDUÇÃO IÃO METÁLICO CONDUTOR METÁLICO A maior ou menor dificuldade que os eletrões encontram durante o seu movimento, é medida por uma grandeza física chamada resistência elétrica.

38 Resistência elétrica de um condutor Os condutores caracterizam-se por uma grandeza chamada resistência elétrica. Resistência elétrica de um condutor (símbolo R): Indica a maior ou menor oposição que o condutor oferece ao movimento dos eletrões. A sua unidade no SI é o ohm (símbolo Ω). Define-se como o quociente entre a tensão nos terminais do condutor, U, e a corrente elétrica que o percorre, I : É representada num circuito por um dos seguintes símbolos:

39 Medição direta da resistência elétrica Resistência elétrica mede-se diretamente com um ohmímetro usualmente integrado num multímetro

40 Múltiplos e submúltiplos da unidade ohm A resistência elétrica representa-se por R e a sua unidade SI é o ohm ( ), em homenagem a Georg Simon Ohm. Denominação Símbolo Relação com o ohm Exemplo Múltiplo quilo-ohm k 1 k = 1000 Unidade S.I. ohm Submúltiplo miliohm m 1 m = 0,001 Converte os seguintes valores de resistência elétrica para a respetiva unidade SI. a) 0,5 k =? b) 500 m =? c) 0,025 k =?

41 Resistência elétrica de um condutor Resistência elétrica, R: Unidades no SI: R U I Ω V A (ohm) (volt) (ampere) Representa-se num circuito pelos símbolos: Resistência constante Resistência variável

42 Lei de Ohm Verifica-se experimentalmente que, em muitos materiais, incluindo a maioria dos metais, a resistência, R, permanece constante, a uma dada temperatura, para uma ampla gama de tensões aplicadas ao condutor. Este comportamento é conhecido como Lei de Ohm e os condutores designam-se por condutores óhmicos. Os condutores óhmicos são também conhecidos por condutores lineares, pois o gráfico da corrente elétrica, em função da diferença de potencial elétrico, isto é, a curva característica do condutor, é uma reta que passa pela origem do referencial. Lei de Ohm A temperatura constante, existe uma razão constante entre a diferença de potencial elétrico aplicada a um condutor e a corrente elétrica que o percorre. R U constante

43 Lei de Ohm Condutor óhmico Segue a Lei de Ohm: U e I são diretamente proporcionais; - a resistência não depende da tensão aplicada, sendo sempre a mesma (a temperatura constante). Exemplo: condutores metálicos

44 Lei de Ohm Condutor não óhmico Não segue a Lei de Ohm: U e I não são diretamente proporcionais; -a resistência não é constante, dependendo da tensão aplicada. Exemplo: certos componentes de aparelhos eletrónicos (computadores, etc.)

45 Resistência elétrica de um condutor A resistência elétrica depende, entre vários fatores, do material do condutor. Essa dependência caracteriza-se pela grandeza resistividade. Resistividade: medida da oposição de um material ao fluxo da corrente elétrica. o seu símbolo é o ρ. a unidade SI é o ohm metro (Ω m).

46 Resistência elétrica de um condutor Resistividade Consoante o valor da sua resistividade, um material condutor pode ser classificado em mau condutor, semicondutor ou bom condutor. Maus condutores Semicondutores Bons condutores Aumento da resistividade

47 Resistência elétrica de um condutor Resistividade METAIS Variação da resistividade com a temperatura Aplicações elétricas Muito bons condutores A resistividade aumenta com o aumento da temperatura. Fabrico de fios elétricos.

48 Resistência elétrica de um condutor Resistividade LIGAS METÁLICAS: Variação da resistividade com a temperatura Aplicações elétricas Muito bons condutores A resistividade varia muito pouco com a temperatura. Fabrico de resistências padrão.

49 Resistência elétrica de um condutor Resistividade SEMIMETAIS: germânio e silício Variação da resistividade com a temperatura Aplicações elétricas Bons condutores A resistividade varia, mesmo quando há pequenas variações da temperatura; diminui com o aumento da temperatura. Fabrico de termístores, que são sensores de temperatura.

50 Resistência elétrica de um condutor Resistividade A resistividade varia com a temperatura, no entanto, essa variação depende da estrutura química do material condutor. Resistividade, ρ/ωm a 20 C: Metais: 10 8 a 10 7 Ligas metálicas: Semicondutores: 10 5 a 10 2 Vidro: a Resistividade de um material Varia com a temperatura e, por isso, a resistência do respetivo condutor também varia com a temperatura.

51 Resistência elétrica de um condutor A resistência de um condutor depende, para além da resistividade que o constitui, da sua geometria. Comprimento do condutor, l Área da secção reta, A Resistência de um condutor Depende do material (resistividade) e da geometria.

52 Resistência elétrica de um condutor Resistência de um condutor em forma de fio R = ρ l A Unidades no SI: R ρ l Ω Ω m m A m 2 A resistência é diretamente proporcional ao comprimento, para uma determinada área de secção reta. A resistência é inversamente proporcional à área de secção reta, para um determinado comprimento. A constante de proporcionalidade é a resistividade do material.

53 Resistência elétrica de um condutor Pode-se concluir que: Fios do mesmo material e com a mesma espessura: tem maior resistência o fio de maior comprimento. R = ρ l A l R Fios do mesmo material e com o mesmo comprimento: tem maior resistência o fio de menor espessura. R = ρ l A A R Fios de diferentes materiais com o mesmo comprimento e espessura: tem maior resistência o fio do material com maior resistividade. R = ρ l A ρ R

54 Resistência elétrica de um condutor filiforme De dois condutores do mesmo material e com a mesma área de secção reta, tem maior resistência o que tiver maior comprimento. R 1 R 2 = 1 2 De dois condutores do mesmo material e com o mesmo comprimento, tem maior resistência o que tiver menor área de secção reta. R 1 R 2 = A 2 A 1

55 Resistência elétrica de um condutor O valor da resistência elétrica das resistências identifica-se através de um código de quatro cores. Exemplo

56 Resistência elétrica de um condutor EXEMPLO Variação da resistência num reóstato. B A C O reóstato é constituído por um condutor de determinado comprimento e um cursor que se move ao longo do condutor: A corrente percorre o fio enrolado apenas entre os pontos A e B O cursor B desliza entre A, resistência zero, e C, resistência máxima.

57 Resistência variável O reóstato (resistência variável) é um componente elétrico composto genericamente por um fio condutor enrolado, sobre o qual existe um cursor móvel.

58 Resistência variável Ciência, tecnologia e sociedade As resistências variáveis são usadas para controlar o volume de som em aparelhos de som, rádios e televisões. Também servem para alterar o brilho de telemóveis, aparelhos de GPS e computadores. Ou, podem funcionar como reguladores de luz, por exemplo nas salas de cinema.

59 Atividade Circuitos elétricos e Grandezas elétricas 1 Considere a tabela com os valores da resistividade de alguns materiais. Indique, justificando, o material que conduz melhor a corrente elétrica. Material Ferro Cobre Tungsténio Constantan Resistividade ρ/ωm 9, , ,

60 Atividade Circuitos elétricos e Grandezas elétricas 1 Considere a tabela com os valores da resistividade de alguns materiais. Indique, justificando, o material que conduz melhor a corrente elétrica. RESOLUÇÃO O material que melhor conduz a corrente elétrica é o que apresenta uma menor resistividade, pois esta é diretamente proporcional à resistência elétrica. Assim, o melhor condutor é o cobre. Material Ferro Cobre Tungsténio Constantan Resistividade ρ/ωm 9, , ,

61 Atividade Circuitos elétricos e Grandezas elétricas 2 Calcule o valor da resistência elétrica de um fio de cobre de 40 m de comprimento e 0,25 mm 2 de área de secção transversal. Material Ferro Cobre Tungsténio Constantan Resistividade ρ/ωm 9, , ,

62 Atividade Circuitos elétricos e Grandezas elétricas 2 Calcule o valor da resistência elétrica de um fio de cobre de 40 m de comprimento e 0,25 mm 2 de área de secção transversal. RESOLUÇÃO Dados: l = 40 m A = 0, 25 mm 2 A = 0, = 2, m 2 ρ cobre = 1, Ω m (da tabela) R = ρ l A R = 1, , R 2,7 Ω Material Ferro Cobre Tungsténio Constantan Resistividade ρ/ωm 9, , ,

63 Síntese de conteúdos Uma corrente elétrica é um movimento orientado de portadores de carga elétrica, através de um circuito fechado. Uma corrente elétrica diz-se contínua quando os portadores de carga elétrica se deslocam sempre no mesmo sentido e diz-se alternada quando mudam periodicamente de sentido. A corrente elétrica, I, é a carga elétrica que passa, por unidade de tempo, através de uma secção reta de um condutor. A diferença de potencial elétrico ou tensão elétrica, U, entre os terminais de um condutor, percorrido por uma corrente elétrica, é a energia elétrica transferida para o condutor por unidade de carga elétrica que o atravessa.

64 Síntese de conteúdos A resistência elétrica, R, de um condutor é igual ao quociente entre a diferença de potencial elétrico, U, aplicada aos terminais do condutor e a corrente elétrica, I, que o percorre R U A resistência elétrica, R, de um condutor homogéneo e filiforme é diretamente proporcional ao seu comprimento,, e inversamente proporcional à área, A, da sua secção reta, dependendo o seu valor do material de que é feito. R= r A Verifica-se experimentalmente que, para variações de temperatura não muito elevadas, a resistividade, ρ, de muitos condutores, varia linearmente com a temperatura, θ.

65 Diagrama de conteúdos

Diferença de potencial e intensidade de corrente elétrica. Maria do Anjo Albuquerque

Diferença de potencial e intensidade de corrente elétrica. Maria do Anjo Albuquerque Diferença de potencial e intensidade de corrente elétrica Nas fontes de energia vem escrito o valor da sua diferença de potencial. A diferença de potencial de uma fonte de energia relaciona-se com a energia

Leia mais

O que é um circuito eléctrico?

O que é um circuito eléctrico? SISTEMAS ELÉCTRICOS E ELECTRÓNICOS A produção em larga escala é recente e revolucionou por completo o nosso dia-a-dia A electricidade é tão antiga como o Universo! O que é um circuito eléctrico? Éum conjunto

Leia mais

ELETRICIDADE. Eletrodinâmica. Eletrostática. Eletromagnetismo

ELETRICIDADE. Eletrodinâmica. Eletrostática. Eletromagnetismo ELETRICIDADE Eletrodinâmica Eletrostática Eletromagnetismo Átomo Núcleo Prótons carga positiva (+e). Nêutrons carga neutra. Eletrosfera Eletrons carga negativa (-e). Carga Elétrica Elementar e = 1,6 x

Leia mais

RESISTOR É O ELEMENTO DE CIRCUITO CUJA ÚNICA FUNÇÃO É CONVERTER A ENERGIA ELÉTRICA EM CALOR.

RESISTOR É O ELEMENTO DE CIRCUITO CUJA ÚNICA FUNÇÃO É CONVERTER A ENERGIA ELÉTRICA EM CALOR. Resistores A existência de uma estrutura cristalina nos condutores que a corrente elétrica percorre faz com que pelo menos uma parte da energia elétrica se transforme em energia na forma de calor, as partículas

Leia mais

AULA 02 PRIMEIRA LEI DE OHM APOSTILA 1 FSC-C

AULA 02 PRIMEIRA LEI DE OHM APOSTILA 1 FSC-C AULA 02 PRIMEIRA LEI DE OHM APOSTILA 1 FSC-C DIFERENÇA DE POTENCIAL (DDP) CRIAR UMA DIFERENÇA ENTRE DOIS PONTOS. NUM DOS PONTOS HÁ EXCESSO E NO OUTRO FALTA DE ELETRONS QUANTO MAIOR A DIFERENÇA, MAIOR VAI

Leia mais

Resistência elétrica e lei de Ohm. Maria do Anjo Albuquerque

Resistência elétrica e lei de Ohm. Maria do Anjo Albuquerque Resistência elétrica e lei de Ohm O que é a resistência elétrica? É uma grandeza física que caracteriza os condutores elétricos; Representa-se pela letra R; Traduz a oposição que um condutor oferece à

Leia mais

Componentes eletrónicos. Maria do Anjo Albuquerque

Componentes eletrónicos. Maria do Anjo Albuquerque Componentes eletrónicos Motherboard de um computador e respetivos componentes eletrónicos Alguns componentes eletrónicos Características dos díodos de silício São o tipo mais simples de componente eletrónico

Leia mais

Cap. 3 Resistência Elétrica e Lei de Ohm

Cap. 3 Resistência Elétrica e Lei de Ohm Cap. 3 Resistência Elétrica e Lei de Ohm Instituto Federal Sul-rio-grandense Curso Técnico em Eletromecânica Disciplina de Eletricidade Básica Prof. Rodrigo Souza 3.1 Resistência Elétrica Resistência Elétrica

Leia mais

Corrente elétrica, potência, resistores e leis de Ohm

Corrente elétrica, potência, resistores e leis de Ohm Corrente elétrica, potência, resistores e leis de Ohm Corrente elétrica Num condutor metálico em equilíbrio eletrostático, o movimento dos elétrons livres é desordenado. Em destaque, a representação de

Leia mais

CARGA ELÉTRICA E CORRENTE ELÉTRICA

CARGA ELÉTRICA E CORRENTE ELÉTRICA CARGA ELÉTRICA E CORRENTE ELÉTRICA 1- CARGA ELÉTRICA AULA 20 Como sabemos, os átomos são constituídos por várias partículas elementares e, para o nosso estudo, interessa o elétron o próton e o nêutron.

Leia mais

O que é um circuito eléctrico?

O que é um circuito eléctrico? SISTEMAS ELÉCTRICOS E ELECTRÓNICOS A produção em larga escala é recente e revolucionou por completo o nosso dia-a-dia A electricidade é tão antiga como o Universo! O que é um circuito eléctrico? Éum conjunto

Leia mais

NOME: N O : TURMA: PROFESSOR: Glênon Dutra

NOME: N O : TURMA: PROFESSOR: Glênon Dutra Circuitos Elétricos DISCIPLINA: Física NOME: N O : TURMA: PROFESSOR: Glênon Dutra DATA: NOTA: ASS: - Circuito Simples: Esquema: Bateria: Corrente elétrica i Resistência: i = corrente elétrica V = d.d.p.

Leia mais

Corrente elétrica pode ser entendida como sendo a quantidade de elétrons que atravessa a secção de um condutor em um segundo.

Corrente elétrica pode ser entendida como sendo a quantidade de elétrons que atravessa a secção de um condutor em um segundo. Corrente, Tensão, Resistência, Potência e Freqüência. Conceitos Básicos Mesmo pensando somente em Informática, temos que conhecer algumas grandezas elétricas básicas. Essas grandezas são: Corrente, tensão,

Leia mais

ANALOGIA ENTRE INTENSIDADE DE CORRENTE ELÉCRICA E CAUDAL DE UM LÍQUIDO

ANALOGIA ENTRE INTENSIDADE DE CORRENTE ELÉCRICA E CAUDAL DE UM LÍQUIDO ANALOGA ENTRE NTENSDADE DE CORRENTE ELÉCRCA E CADAL DE M LÍQDO Exemplo de revisão do conceito de caudal: Para medir o caudal de uma torneira, podemos encher um balde com água e medir o tempo que o balde

Leia mais

Grupo: Ederson Luis Posselt Geovane Griesang Ricardo Cassiano Fagundes

Grupo: Ederson Luis Posselt Geovane Griesang Ricardo Cassiano Fagundes Curso: Ciências da computação Disciplina: Física aplicada a computação Professor: Benhur Borges Rodrigues Relatório experimental 02: Medida de tensão contínua e medida de tensão alternada; Grupo: Ederson

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS 01 3º ANO PROF. FELIPE KELLER ELETROSTÁTICA

LISTA DE EXERCÍCIOS 01 3º ANO PROF. FELIPE KELLER ELETROSTÁTICA LISTA DE EXERCÍCIOS 01 3º ANO PROF. FELIPE KELLER ELETROSTÁTICA 1 (UNIFESP) Um condutor é percorrido por uma corrente elétrica de intensidade i = 800 ma. Conhecida a carga 19 elétrica elementar, e = 1,6

Leia mais

Eletricidade e magnetismo

Eletricidade e magnetismo Eletricidade e magnetismo Circuitos elétricos Prof. Luís Perna 014/15 Corrente elétrica Qual a condição para que haja corrente elétrica entre dois condutores A e B? Que tipo de corrente elétrica se verifica?

Leia mais

CORRECÇÃO 1. Indica três regras de segurança e de prevenção de acidentes na utilização de equipamento eléctrico.

CORRECÇÃO 1. Indica três regras de segurança e de prevenção de acidentes na utilização de equipamento eléctrico. 4 DISCIPLINA C.F.Q. 9ºANO Março 2011 CORRECÇÃO 1. Indica três regras de segurança e de prevenção de acidentes na utilização de equipamento eléctrico. Não manusear equipamentos eléctricos com as mãos molhadas,

Leia mais

Conceitos Básicos de Teoria dos Circuitos

Conceitos Básicos de Teoria dos Circuitos Teoria dos Circuitos e Fundamentos de Electrónica Conceitos Básicos de Teoria dos Circuitos T.M.lmeida ST-DEEC- CElectrónica Teresa Mendes de lmeida TeresaMlmeida@ist.utl.pt DEEC Área Científica de Electrónica

Leia mais

Circuitos eléctricos Profª Helena Lança Ciências Físico-Química 9ºano

Circuitos eléctricos Profª Helena Lança Ciências Físico-Química 9ºano Profª Helena Lança Ciências Físico-Química 9ºano Um circuito eléctrico é um caminho por onde passa a corrente eléctrica. É constituído obrigatoriamente por um gerador e um receptor, podendo-se também intercalar

Leia mais

O símbolo usado em diagramas de circuito para fontes de tensão é:

O símbolo usado em diagramas de circuito para fontes de tensão é: Circuitos Elétricos Para fazer passar cargas elétricas por um resistor, precisamos estabelecer uma diferença de potencial entre as extremidades do dispositivo. Para produzir uma corrente estável é preciso

Leia mais

Medida da resistência elétrica

Medida da resistência elétrica Medida da resistência elétrica 1 Fig.31.1 31.1. No circuito da Fig. 31.1 o amperímetro e o voltímetro são reais (isto é, R A 0 e R V ). Eles fornecem, respectivamente, as leituras i e U. Podemos afirmar

Leia mais

Corrente elétricas. i= Δ Q Δ t [ A ]

Corrente elétricas. i= Δ Q Δ t [ A ] Corrente elétricas A partir do modelo atômico de Bohr, que o define pela junção de prótons, nêutrons e elétrons, é possível explicar a alta condutividade dos metais, devida à presença dos elétrons livres.

Leia mais

Exercícios 6 1. real 2. Resp: 3. o sentido convencional Resp: 4. Resp: 5. (a) (b) (c) Resp: (b) (c) Resp:

Exercícios 6 1. real 2. Resp: 3. o sentido convencional Resp: 4. Resp: 5. (a) (b) (c) Resp: (b) (c) Resp: Exercícios 6 1. A corrente elétrica real através de um fio metálico é constituída pelo movimento de: a) Cargas positivas do maior para o menor potencial. b) Cargas positivas. c) Elétrons livres no sentido

Leia mais

Etapa 1: Questões relativas aos resultados Lei de Ohm. 1.1 A partir dos dados tabelados, calcule o valor médio da resistência do resistor.

Etapa 1: Questões relativas aos resultados Lei de Ohm. 1.1 A partir dos dados tabelados, calcule o valor médio da resistência do resistor. Respostas Questões relativas ao resultado Etapa 1: Questões relativas aos resultados Lei de Ohm 1.1 A partir dos dados tabelados, calcule o valor médio da resistência do resistor. Resposta: O valor encontrado

Leia mais

Fundamentos de Eletrônica

Fundamentos de Eletrônica 6872 - Fundamentos de Eletrônica Elvio J. Leonardo Universidade Estadual de Maringá Departamento de Informática Bacharelado em Ciência da Computação 2014 Roteiro Revisão Matemática Função matemática, função

Leia mais

Eletrodinâmica. CORRENTE ELÉTRICA é o movimento ordenado dos portadores de cargas elétricas, ou seja, um fluxo de cargas elétricas.

Eletrodinâmica. CORRENTE ELÉTRICA é o movimento ordenado dos portadores de cargas elétricas, ou seja, um fluxo de cargas elétricas. Corrente Elétrica Eletrodinâmica Nos condutores metálicos, existe, movimentando-se desordenadamente uma verdadeira nuvem de elétrons, os elétrons livres. Em certas condições, esses elétrons podem ser colocados

Leia mais

Professora Bruna CADERNO 3. Capítulo 11 Intensidade da Corrente Elétrica. Página - 228

Professora Bruna CADERNO 3. Capítulo 11 Intensidade da Corrente Elétrica. Página - 228 CADERNO 3 Capítulo 11 Intensidade da Corrente Elétrica Página - 228 INTENSIDADE DA CORRENTE ELÉTRICA Agora que aprendemos o que é uma corrente elétrica, aprenderemos como determinar a sua intensidade,

Leia mais

INSTITUTO SÃO JOSÉ - RSE LISTA PREPARATÓRIA PARA PROVA DO TERCEIRO TRIMESTRE

INSTITUTO SÃO JOSÉ - RSE LISTA PREPARATÓRIA PARA PROVA DO TERCEIRO TRIMESTRE 1. (Unesp) Mediante estímulo, 2 10 íons de K atravessam a membrana de uma célula nervosa em 1,0 milisegundo. Calcule a intensidade dessa corrente elétrica, sabendo-se que a carga elementar é 1,6 10 ª C.

Leia mais

Princípios de Eletricidade Magnetismo

Princípios de Eletricidade Magnetismo Princípios de Eletricidade Magnetismo Corrente Elétrica e Circuitos de Corrente Contínua Professor: Cristiano Faria Corrente e Movimento de Cargas Elétricas Embora uma corrente seja um movimento de partícula

Leia mais

INTRODUÇÃO AOS CIRCUITOS ELÉTRICOS

INTRODUÇÃO AOS CIRCUITOS ELÉTRICOS INTRODUÇÃO AOS CIRCUITOS ELÉTRICOS Circuito Elétrico Está associado à: Presença de corrente elétrica: agente que transfere energia da fonte (pilha) para o aparelho (lâmpada). O que é necessário para se

Leia mais

Aula 6.1 Conteúdo: Eletrodinâmica corrente elétrica e seus efeitos, corrente contínua e alternada, relacionados a com a cultura indígena.

Aula 6.1 Conteúdo: Eletrodinâmica corrente elétrica e seus efeitos, corrente contínua e alternada, relacionados a com a cultura indígena. Aula 6.1 Conteúdo: Eletrodinâmica corrente elétrica e seus efeitos, corrente contínua e alternada, relacionados a com a cultura indígena. Habilidades: Entender a corrente elétrica como fluxo de elétrons

Leia mais

1-Eletricidade básica

1-Eletricidade básica SENAI 1 1-Eletricidade básica 1.1 - Grandezas Elétricas: 1.1 - Carga Elétrica, Tensão Elétrica, Corrente Elétrica, Resistência Elétrica; 1.2 - Leis de Ohm: 1.2.1-1 a Lei de Ohm 1.2.2 múltiplos e submúltiplos

Leia mais

Transformações da energia elétrica. Maria do Anjo Albuquerque

Transformações da energia elétrica. Maria do Anjo Albuquerque Transformações da energia elétrica A passagem da corrente elétrica nos condutores produz efeitos cuja aplicabilidade prática É IMPORTANTÍSSIMA. Identifica os efeitos magnéticos, químicos e térmico que

Leia mais

Um circuito DC é aquele cuja alimentação parte de uma fonte DC (do inglês Direct Current), ou em português, CC (corrente contínua).

Um circuito DC é aquele cuja alimentação parte de uma fonte DC (do inglês Direct Current), ou em português, CC (corrente contínua). Um circuito DC é aquele cuja alimentação parte de uma fonte DC (do inglês Direct Current), ou em português, CC (corrente contínua). Como vimo anteriormente, para que haja fluxo de corrente pelo circuito,

Leia mais

em série e aplica à associação uma ddp de 220V. O que é 0,5A. Calcule a resistência elétrica R L da lâmpa- acontece com as lâmpadas? da.

em série e aplica à associação uma ddp de 220V. O que é 0,5A. Calcule a resistência elétrica R L da lâmpa- acontece com as lâmpadas? da. FÍSIC - ELETICIDDE - SSOCIÇÃO DE ESISTOES S ESPOSTS ESTÃO NO FINL DOS EXECÍCIOS.. Um resistor de e um resistor de são associados 9. Um resistor de resistência elétrica tem dissipação em série e à associação

Leia mais

Notas de Aula ELETRICIDADE BÁSICA

Notas de Aula ELETRICIDADE BÁSICA Notas de ula ELETICIDDE ÁSIC Salvador, gosto de 2005. . Conceitos ásicos Fundamentais Estrutura tômica figura.0 é a representação esquemática de um átomo de ohr. Elétron () Núcleo( ou 0) Este átomo é composto

Leia mais

Unidade 8. Eletricidade e Magnetismo

Unidade 8. Eletricidade e Magnetismo Unidade 8 Eletricidade e Magnetismo Eletrostática e Eletrodinâmica Os fenômenos elétricos estão associados aos elétrons. Cargas Elétricas As cargas elétricas podem ser positivas ou negativas Cargas opostas

Leia mais

Apostila de Física 26 Resistores

Apostila de Física 26 Resistores Apostila de Física 26 Resistores 1.0 Definições Efeito térmico ou efeito joule: Transformação de energia elétrica em energia térmica. Choque dos elétrons livres contra os átomos dos condutores. Causa elevação

Leia mais

Sala de Estudos FÍSICA Lucas 3 trimestre Ensino Médio 2º ano classe: Prof.LUCAS Nome: nº Sala de Estudos Geradores, Receptores e Potência Elétrica

Sala de Estudos FÍSICA Lucas 3 trimestre Ensino Médio 2º ano classe: Prof.LUCAS Nome: nº Sala de Estudos Geradores, Receptores e Potência Elétrica Sala de Estudos FÍSICA Lucas 3 trimestre Ensino Médio 2º ano classe: Prof.LUCAS Nome: nº Sala de Estudos Geradores, Receptores e Potência Elétrica 1. (Espcex (Aman) 2013) A pilha de uma lanterna possui

Leia mais

Escola E.B. 2,3 / S do Pinheiro

Escola E.B. 2,3 / S do Pinheiro Escola E.B. 2,3 / S do Pinheiro Ciências Físico Químicas 9º ano Movimentos e Forças e Circuitos Eléctricos 1.º Período 1.º Unidade 2010 / 2011 Momento de Força 1 - Para abrir uma porta, exerce-se no puxador

Leia mais

ELETROTÉCNICA ENGENHARIA

ELETROTÉCNICA ENGENHARIA Aquino, Josué Alexandre. A657e Eletrotécnica : engenharia / Josué Alexandre Aquino. Varginha, 2015. 50 slides; il. Sistema requerido: Adobe Acrobat Reader Modo de Acesso: World Wide Web 1. Eletrotécnica.

Leia mais

Avaliação sobre Corrente Elétrica

Avaliação sobre Corrente Elétrica Avaliação sobre Corrente Elétrica Maria Christina O conceito de corrente elétrica em meios diferentes foi construído pelos alunos? O que falta? Objetivo da avaliação: Avaliar o progresso dos alunos na

Leia mais

I = corrente elétrica medida em Ampères (A) t = tempo em segundos

I = corrente elétrica medida em Ampères (A) t = tempo em segundos Eletrodinâmica ELETRODINÂMICA: Carga Elétrica: Q = n.e Corrente Elétrica: I = Q / t Q = carga elétrica medida em Coulombs (C) n = número de elétrons ou prótons e = carga de um elétron = 1,6 10-19 Coulombs

Leia mais

Potência e Energia Elétrica

Potência e Energia Elétrica Potência e Energia Elétrica Para qualquer máquina, em particular, para os aparelhos elétricos, definimos potência como a taxa de transformação ou conversão de energia na forma de calor outra forma de energia,

Leia mais

MÓDULO 1 Noções Básicas de Eletricidade

MÓDULO 1 Noções Básicas de Eletricidade Técnico de Gestão de Equipamentos Informáticos ESCOLA SECUNDÁRIA DE TOMAZ PELAYO SANTO TIRSO 402916 MÓDULO 1 Noções Básicas de Eletricidade Eletrónica Fundamental Prof.: Erika Costa Estrutura da Matéria

Leia mais

FÍSICA (ELETROMAGNETISMO) CORRENTE ELÉTRICA E RESISTÊNCIA

FÍSICA (ELETROMAGNETISMO) CORRENTE ELÉTRICA E RESISTÊNCIA FÍSICA (ELETROMAGNETISMO) CORRENTE ELÉTRICA E RESISTÊNCIA FÍSICA (Eletromagnetismo) Nos capítulos anteriores estudamos as propriedades de cargas em repouso, assunto da eletrostática. A partir deste capítulo

Leia mais

COLÉGIO MARISTA - PATOS DE MINAS 3º ANO DO ENSINO MÉDIO Professoras: Bleidiana e Rose 1ª RECUPERAÇÃO AUTÔNOMA DE FÍSICA

COLÉGIO MARISTA - PATOS DE MINAS 3º ANO DO ENSINO MÉDIO Professoras: Bleidiana e Rose 1ª RECUPERAÇÃO AUTÔNOMA DE FÍSICA COLÉGIO MAISTA - PATOS DE MINAS 3º ANO DO ENSINO MÉDIO - 2013 Professoras: Bleidiana e ose 1ª ECUPEAÇÃO AUTÔNOMA DE FÍSICA OTEIO DE ESTUDO - QUESTÕES Estudante: Turma: Data: / / OTEIO DE ESTUDO Capítulo

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO UNIVERSITÁRIO NORTE DO ESPÍRITO SANTO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO UNIVERSITÁRIO NORTE DO ESPÍRITO SANTO 22 4.2 Experimento 2: Resistência e Resistores, Voltagem, Corrente e Lei de Ohm 4.2.1 Objetivos Fundamentar os conceitos de resistência e resistor. Conhecer o código de cores, utilizado para especificar

Leia mais

Apostila de Física 25 Corrente Elétrica

Apostila de Física 25 Corrente Elétrica Apostila de Física 25 Corrente Elétrica 1.0 Definições Gerador elétrico: Mantém entre seus terminais (pólos) uma diferença de potencial elétrico. Pólo positivo Maior potencial. Pólo negativo Menor potencial.

Leia mais

Nome Nº turma Data / /

Nome Nº turma Data / / Ciências Físico-Químicas 9º Ano Corrente Eléctrica FICHA DE TRABALHO Nome Nº turma Data / / Produção de energia eléctrica À escala industrial, a corrente eléctrica (corrente alternada) produz-se, principalmente,

Leia mais

ELETRICIDADE: CIRCUITOS ELÉTRICOS Experimento 1 Parte II: Medidas de corrente elétrica, tensão e resistência em circuitos de corrente

ELETRICIDADE: CIRCUITOS ELÉTRICOS Experimento 1 Parte II: Medidas de corrente elétrica, tensão e resistência em circuitos de corrente OBJETIVOS 9 contínua NOME ESCOLA EQUIPE SÉRIE PERÍODO DATA Familiarizar-se com o multímetro, realizando medidas de corrente, tensão e resistência. INTRODUÇÃO Corrente elétrica FÍSICA ELETRICIDADE: CIRCUITOS

Leia mais

2º Experimento 1ª Parte: Lei de Ohm

2º Experimento 1ª Parte: Lei de Ohm 2º Experimento 1ª Parte: Lei de Ohm 1. Objetivos: Verificar a lei de Ohm. Determinar a resistência elétrica através dos valores de tensão e corrente. 2. Teoria: No século passado, George Ohm enunciou:

Leia mais

DETERMINAÇÃO DA RESISTÊNCIA INTERNA DE UMA PILHA

DETERMINAÇÃO DA RESISTÊNCIA INTERNA DE UMA PILHA TLHO PÁTCO DETEMNÇÃO D ESSTÊNC NTEN DE UM PLH Objectivo Este trabalho compreende as seguintes partes: comparação entre as resistências internas de dois voltímetros, um analógico e um digital; medida da

Leia mais

FÍSICA - 2 o ANO MÓDULO 17 ELETRODINÂMICA: CORRENTE ELÉTRICA, RESISTORES E LEI DE OHM

FÍSICA - 2 o ANO MÓDULO 17 ELETRODINÂMICA: CORRENTE ELÉTRICA, RESISTORES E LEI DE OHM FÍSICA - 2 o ANO MÓDULO 17 ELETRODINÂMICA: CORRENTE ELÉTRICA, RESISTORES E LEI DE OHM A B FALTA DE CARGAS NEGATIVAS EXCESSO DE CARGAS NEGATIVAS A V A + - B V B U = V A - V B E A B U = V A - V B A + - B

Leia mais

CIRCUITOS ELETRICOS I: RESISTORES, GERADOR E 1ª LEI DE OHM CIÊNCIAS DA NATUREZA: FÍSICA PROFESSOR: DONIZETE MELO Página 1

CIRCUITOS ELETRICOS I: RESISTORES, GERADOR E 1ª LEI DE OHM CIÊNCIAS DA NATUREZA: FÍSICA PROFESSOR: DONIZETE MELO Página 1 Diretoria Regional de Ensino de Araguaína Colégio Estadual Campos Brasil Tocantins - Brasil Um circuito elétrico pode ser definido como uma interligação de componentes básicos formando pelo menos um caminho

Leia mais

t RESOLUÇÃO COMECE DO BÁSICO

t RESOLUÇÃO COMECE DO BÁSICO t RESOLÇÃO COMECE DO BÁSICO SOLÇÃO CB. 01 Para ser resistor ôhmico o gráfico deve ser linear. Neste caso, a linearidade se observa no trecho BC. SOLÇÃO CB. 0 ' r '. i ( Equação 10 7 r'.4 4r 48 do receptor)

Leia mais

GERADORES E RECEPTORES:

GERADORES E RECEPTORES: COLÉGIO ESTADUAL JOSUÉ BRANDÃO 3º Ano de Formação Geral Física IV Unidade_2009. Professor Alfredo Coelho Resumo Teórico/Exercícios GERADORES E RECEPTORES: Anteriormente estudamos os circuitos sem considerar

Leia mais

TRANSFORMADOR CONCEITOS TEORICOS ESSENCIAIS

TRANSFORMADOR CONCEITOS TEORICOS ESSENCIAIS EXPERIÊNCIA TRANSFORMADOR OBJETIVOS: - Verificar experimentalmente, o funcionamento de um transformador; - Conhecer as vantagens e desvantagens dos transformadores. CONCEITOS TEORICOS ESSENCIAIS O transformador

Leia mais

LISTA DE RECUPERAÇÃO DE FÍSICA 1º SEMESTRE 3º ANO

LISTA DE RECUPERAÇÃO DE FÍSICA 1º SEMESTRE 3º ANO Maceió - Alagoas FÍSICA TIO BUBA LISTA DE RECUPERAÇÃO DE FÍSICA 1º SEMESTRE 3º ANO Professor(a): JOÃO CARLO ( BUBA) 01) O campo elétrico gerado em P, por uma carga puntiforme positiva de valor +Q a uma

Leia mais

Sala de Estudos FÍSICA Lucas 3 trimestre Ensino Médio 2º ano classe: Prof.LUCAS Nome: nº Sala de Estudos Leis de Ôhm e Resistores

Sala de Estudos FÍSICA Lucas 3 trimestre Ensino Médio 2º ano classe: Prof.LUCAS Nome: nº Sala de Estudos Leis de Ôhm e Resistores Sala de Estudos FÍSICA Lucas 3 trimestre Ensino Médio 2º ano classe: Prof.LUCAS Nome: nº Sala de Estudos Leis de Ôhm e Resistores 1. (Unicamp 2013) O carro elétrico é uma alternativa aos veículos com motor

Leia mais

U = R.I. Prof.: Geraldo Barbosa Filho AULA 06 CORRENTE ELÉTRICA E RESISTORES 1- CORRENTE ELÉTRICA

U = R.I. Prof.: Geraldo Barbosa Filho AULA 06 CORRENTE ELÉTRICA E RESISTORES 1- CORRENTE ELÉTRICA AULA 06 CORRENTE ELÉTRICA E RESISTORES 1- CORRENTE ELÉTRICA Movimento ordenado dos portadores de carga elétrica. 2- INTENSIDADE DE CORRENTE É a razão entre a quantidade de carga elétrica que atravessa

Leia mais

CAMPO ELÉTRICO. Uma carga elétrica Q produz ao seu redor uma região afetada por sua presença denominada campo elétrico. Criado por cargas elétricas.

CAMPO ELÉTRICO. Uma carga elétrica Q produz ao seu redor uma região afetada por sua presença denominada campo elétrico. Criado por cargas elétricas. CAMPO ELÉTRICO Uma carga elétrica Q produz ao seu redor uma região afetada por sua presença denominada campo elétrico. Campo Elétrico Criado por cargas elétricas. Representado por linhas de campo. Grandeza

Leia mais

Aluno: Disciplina: FÍSICA. Data: ELETROSTÁTICA

Aluno: Disciplina: FÍSICA. Data: ELETROSTÁTICA LISTA DE EXERCÍCIOS ELETRICIDADE ENSINO MÉDIO Aluno: Série: 3 a Professor: EDUARDO Disciplina: FÍSICA Data: ELETROSTÁTICA 1) (Unicamp-SP) Duas cargas elétricas Q 1 e Q 2 atraem-se quando colocadas próximas

Leia mais

0.1 Introdução Conceitos básicos

0.1 Introdução Conceitos básicos Laboratório de Eletricidade S.J.Troise Exp. 0 - Laboratório de eletricidade 0.1 Introdução Conceitos básicos O modelo aceito modernamente para o átomo apresenta o aspecto de uma esfera central chamada

Leia mais

Agrupamento de Escolas da Senhora da Hora

Agrupamento de Escolas da Senhora da Hora Agrupamento de Escolas da Senhora da Hora Curso Profissional de Técnico de Gestão de Equipamentos Informáticos Informação Prova da Disciplina de Física e Química - Módulo: 4 Circuitos elétricos. Modalidade

Leia mais

FÍSICA 12 Marília Peres. A corrente eléctrica é um movimento orientado. só ocorre se houver diferença de potencial.

FÍSICA 12 Marília Peres. A corrente eléctrica é um movimento orientado. só ocorre se houver diferença de potencial. CIRCUITOS ELÉCTRICOS FÍSICA 12 1 CORRENTE ELÉCTRICA A corrente eléctrica é um movimento orientado de cargas eléctricas através de um condutor e só ocorre se houver diferença de potencial. O sentido convencional

Leia mais

Capítulo 02. Resistores. 1. Conceito. 2. Resistência Elétrica

Capítulo 02. Resistores. 1. Conceito. 2. Resistência Elétrica 1. Conceito Resistor é todo dispositivo elétrico que transforma exclusivamente energia elétrica em energia térmica. Simbolicamente é representado por: Assim, podemos classificar: 1. Condutor ideal Os portadores

Leia mais

Física Experimental II. Instrumentos de Medida

Física Experimental II. Instrumentos de Medida Física Experimental II Instrumentos de Medida Conceitos Básicos I 1. Corrente Elétrica: chamamos de corrente elétrica qualquer movimento de cargas de um ponto a outro. Quando o movimento de cargas se dá

Leia mais

Agrupamento de Escolas Padre Himalaia EBI/ JI de Távora Físico-Química

Agrupamento de Escolas Padre Himalaia EBI/ JI de Távora Físico-Química Agrupamento de Escolas Padre Himalaia EBI/ JI de Távora Físico-Química Trabalho realizado por: -José Eduardo Pinto Amorim Nº9 9ºA O que é um circuito eléctrico? A corrente eléctrica chega até nós através

Leia mais

Física C Extensivo V. 5

Física C Extensivo V. 5 GABAITO Física C Extensivo V. 5 Exercícios 0) a) = 4 + = 6 Ω 06) = Ω b) V = 48 = 6 i = A c) = = 4. = V V = V =. = 6 V d) P = P = 4. = 6 w P = P =. = 08 w e) P total = P + P = 44 w f) gerador ideal P fornecida

Leia mais

Aluno. Resposta do exercício - Questões de concurso

Aluno. Resposta do exercício - Questões de concurso Aluno Resposta do exercício - Questões de concurso 1) (PETROBRÁS 2008) Qual a potência, em, dissipada na carga 17,2Ωquando esta consome uma corrente de 0,5 A? (A) 9,0 (B) 6,0 (C) 4,6 (D) 4,3 (E) 3,0 Sabendo

Leia mais

PR1 FÍSICA - Lucas 1 trimestre Ensino Médio 3º ano classe: Prof.LUCAS Nome: nº Sala de Estudos Corrente Elétrica e Leis de Ôhm

PR1 FÍSICA - Lucas 1 trimestre Ensino Médio 3º ano classe: Prof.LUCAS Nome: nº Sala de Estudos Corrente Elétrica e Leis de Ôhm PR1 FÍSICA - Lucas 1 trimestre Ensino Médio 3º ano classe: Prof.LUCAS Nome: nº Sala de Estudos Corrente Elétrica e Leis de Ôhm 1. (Uerj 2016) Aceleradores de partículas são ambientes onde partículas eletricamente

Leia mais

Fundamentos de Eletrônica

Fundamentos de Eletrônica 6872 - Fundamentos de Eletrônica Lei de Ohm Última Aula Elvio J. Leonardo Universidade Estadual de Maringá Departamento de Informática Bacharelado em Ciência da Computação Associação de Resistores Análise

Leia mais

SIMULADO DE CORRENTE ELÉTRICA

SIMULADO DE CORRENTE ELÉTRICA SIMULADO DE CORRENTE ELÉTRICA 1 T.1 (MACK) Dois fios, A e B, constituídos por massas iguais do mesmo cobre, são submetidos à mesma diferença de potencial e mantidos à mesma temperatura. O fio A tem o dobro

Leia mais

RESISTORES. 1.Resistencia elétrica e Resistores

RESISTORES. 1.Resistencia elétrica e Resistores RESISTORES 1.Resistencia elétrica e Resistores Vimos que, quando se estabelece uma ddp entre os terminais de um condutor,o mesmo é percorrido por uma corrente elétrica. Agora pense bem, o que acontece

Leia mais

1. Arthur monta um circuito com duas lâmpadas idênticas e conectadas à mesma bateria, como mostrado nesta figura:

1. Arthur monta um circuito com duas lâmpadas idênticas e conectadas à mesma bateria, como mostrado nesta figura: 1. Arthur monta um circuito com duas lâmpadas idênticas e conectadas à mesma bateria, como mostrado nesta figura: Considere nula a resistência elétrica dos fios que fazem a ligação entre a bateria e as

Leia mais

Propriedades elétricas em Materiais

Propriedades elétricas em Materiais FACULDADE SUDOESTE PAULISTA Ciência e Tecnologia de Materiais Prof. Msc. Patrícia Correa Propriedades elétricas em Materiais PROPRIEDADES ELÉTRICAS CONDUTIVIDADE e RESISTIVIDADE ELÉTRICA ( ) É o movimento

Leia mais

Aula 9 Dispositivos semicondutores Diodos e aplicações

Aula 9 Dispositivos semicondutores Diodos e aplicações ELETRICIDADE Aula 9 Dispositivos semicondutores Diodos e aplicações Prof. Marcio Kimpara Universidade Federal de Mato Grosso do Sul 2 Material semicondutor Alguns materiais apresentam propriedades de condução

Leia mais

wlad 2. O gráfico abaixo apresenta a medida da variação de potencial em função da corrente que passa em um circuito elétrico.

wlad 2. O gráfico abaixo apresenta a medida da variação de potencial em função da corrente que passa em um circuito elétrico. 1. Suponha um fio cilíndrico de comprimento L, resistividade ρ 1 e raio da seção transversal circular R. Um engenheiro eletricista, na tentativa de criar um fio cilíndrico menor em dimensões físicas, mas

Leia mais

Experimento II Lei de Ohm

Experimento II Lei de Ohm Experimento II Lei de Ohm Objetivos específicos da Semana II O objetivo principal da experiência da Semana II, sobre a Lei de Ohm, é estudar elementos resistivos, tais como um resistor comercial e uma

Leia mais

O USO DO SIMULADOR PhET PARA O ENSINO DE ASSOCIAÇÃO DE RESISTORES. Leonardo Dantas Vieira

O USO DO SIMULADOR PhET PARA O ENSINO DE ASSOCIAÇÃO DE RESISTORES. Leonardo Dantas Vieira Universidade Federal de Goiás - Regional Catalão Instituto de Física e Química Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física Mestrado Nacional Profissional em Ensino de Física O USO DO SIMULADOR PhET PARA

Leia mais

NOÇÃO DE MEDIDA. O ato de medir está sempre associado ao ato de comparar. Utilizamos como base de comparação uma unidade de medida,

NOÇÃO DE MEDIDA. O ato de medir está sempre associado ao ato de comparar. Utilizamos como base de comparação uma unidade de medida, NOÇÃO DE MEDIDA O ato de medir está sempre associado ao ato de comparar. Utilizamos como base de comparação uma unidade de medida, Medir uma dada grandeza consiste em comparar o seu valor com a respetiva

Leia mais

Electromagnetismo. Campo Magnético:

Electromagnetismo. Campo Magnético: Campo Magnético: http://www.cartoonstock.com/lowres/hkh0154l.jpg Campo Magnético: Existência de ímans Corrente eléctrica A bússola é desviada http://bugman123.com/physics/oppositepoles large.jpg Observação

Leia mais

Prof. Antônio Carlos Santos. Aula 3: Circuitos Ceifadores (limitadores de tensão)

Prof. Antônio Carlos Santos. Aula 3: Circuitos Ceifadores (limitadores de tensão) IF-UFRJ Laboratório de Física Moderna Eletrônica Prof. Antônio Carlos Santos FIW362 Curso de Licenciatura em Física Aula 3: Circuitos Ceifadores (limitadores de tensão) Este material foi baseado em livros

Leia mais

Curso Profissional Técnico de Eletrónica, Automação e Comando

Curso Profissional Técnico de Eletrónica, Automação e Comando Curso Profissional Técnico de Eletrónica, Automação e Comando Disciplina de Eletricidade e Eletrónica Módulo 1 Corrente Contínua Trabalho Prático nº 2 Verificação da lei de Ohm Trabalho realizado por:

Leia mais

Disciplina: Eletrificação Rural. Unidade 2 Conceitos básicos de eletricidade voltados às instalações elétricas.

Disciplina: Eletrificação Rural. Unidade 2 Conceitos básicos de eletricidade voltados às instalações elétricas. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE SOLOS E ENGENHARIA AGRÍCOLA Disciplina: Eletrificação Rural Unidade 2 Conceitos básicos de eletricidade voltados às instalações

Leia mais

Princípios de Circuitos Elétricos. Prof. Me. Luciane Agnoletti dos Santos Pedotti

Princípios de Circuitos Elétricos. Prof. Me. Luciane Agnoletti dos Santos Pedotti Princípios de Circuitos Elétricos Prof. Me. Luciane Agnoletti dos Santos Pedotti Resistência, Indutância e Capacitância Resistor: permite variações bruscas de corrente e tensão Dissipa energia Capacitor:

Leia mais

A busca constantes da qualidade e a preocupação com o atendimento ao cliente estão presentes nas ações do SENAI.

A busca constantes da qualidade e a preocupação com o atendimento ao cliente estão presentes nas ações do SENAI. Sumário Introdução 5 Resistores ajustáveis 6 Resistores ajustáveis de fio 7 Trimpot 8 Características dos resistores ajustáveis 10 Simbologia 12 Potenciômetros 13 Funcionamento 13 Simbologia 14 Tipos de

Leia mais

TAREFA DE FÍSICA Prof. Álvaro 3ª Série

TAREFA DE FÍSICA Prof. Álvaro 3ª Série TAREFA DE FÍSICA Prof. Álvaro 3ª Série Site 02 01 - (Mackenzie SP) No circuito desenhado abaixo, a intensidade de corrente elétrica contínua que passa pelo resistor de 50 é de 80 ma. A força eletromotriz

Leia mais

Capacitores e Indutores (Aula 7) Prof. Daniel Dotta

Capacitores e Indutores (Aula 7) Prof. Daniel Dotta Capacitores e Indutores (Aula 7) Prof. Daniel Dotta 1 Sumário Capacitor Indutor 2 Capacitor Componente passivo de circuito. Consiste de duas superfícies condutoras separadas por um material não condutor

Leia mais

Aluno turma ELETRÔNICA ANALÓGICA AULA 01

Aluno turma ELETRÔNICA ANALÓGICA AULA 01 Aluno turma ELETRÔNICA ANALÓGICA AULA 01 Capítulo 1 Semicondutores A área de estudo que chamamos de eletrônica abrange uma grande área, sistemas analógicos, sistemas digitais, sistemas de comunicação,

Leia mais

A T E C T e r t ú l I a P e d a g ó g I c a / M a n u e l T e I x e I r a E l e c t r I c I d a d e p a r a T ó t ó s Slide.

A T E C T e r t ú l I a P e d a g ó g I c a / M a n u e l T e I x e I r a E l e c t r I c I d a d e p a r a T ó t ó s Slide. A T E C T e r t ú l I a P e d a g ó g I c a / M a n u e l T e I x e I r a E l e c t r I c I d a d e p a r a T ó t ó s 2 5 0 7-2 0 1 2 Slide. 2 Introdução ü Matéria é tudo aquilo que possui massa e ocupa

Leia mais

Aula 01 Propriedades Gerais dos Materiais

Aula 01 Propriedades Gerais dos Materiais Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Engenharia Elétrica Materiais Elétricos - Teoria Aula 01 Propriedades Gerais dos Materiais Clóvis Antônio Petry, professor. Florianópolis, setembro

Leia mais

Médio. Física. Exercícios de Revisão I

Médio. Física. Exercícios de Revisão I Nome: n o : Médio E nsino: S érie: T urma: Data: 3 a Prof(a): Ivo Física Exercícios de Revisão I Exercícios referentes aos capítulos 5 e 6 (livro 3). As resoluções dos exercícios (1 a 7) devem ser fundamentadas

Leia mais

Aula 6 Corrente Alternada e Corrente Contínua

Aula 6 Corrente Alternada e Corrente Contínua INTODUÇÃO À ENGENHI DE COMPUTÇÃO PONTIFÍCI UNIVESIDDE CTÓLIC DO IO GNDE DO SUL FCULDDE DE ENGENHI Professores velino Francisco Zorzo e Luís Fernando lves Pereira ula 6 Corrente lternada e Corrente Contínua

Leia mais

1ª LISTA DE EXERCÍCIOS SOBRE CORRENTE ELÉTRICA Professor Alexandre Miranda Ferreira

1ª LISTA DE EXERCÍCIOS SOBRE CORRENTE ELÉTRICA Professor Alexandre Miranda Ferreira 1ª LISTA DE EXERCÍCIOS SOBRE CORRENTE ELÉTRICA Professor Alexandre Miranda Ferreira www.proamfer.com.br amfer@uol.com.br 1 (UECE adaptada ) Em um fio metálico, a aplicação de uma d.d.p. entre seus extremos

Leia mais

QUESTÕES DE FÍSICA A RESUMO BIMESTRAL AULA 25 A 32

QUESTÕES DE FÍSICA A RESUMO BIMESTRAL AULA 25 A 32 Processo Avaliativo AVP - 3º Bimestre/2016 Disciplina: Física 2ª série EM A Data: Nome do aluno Nº Turma Atividade Avaliativa: entregar a resolução de todas as questões. ATENÇÃO: Esta lista é o trabalho

Leia mais

Eletrodinâmica. Circuito Elétrico

Eletrodinâmica. Circuito Elétrico Eletrodinâmica Circuito Elétrico Para entendermos o funcionamento dos aparelhos elétricos, é necessário investigar as cargas elétricas em movimento ordenado, que percorrem os circuitos elétricos. Eletrodinâmica

Leia mais

No circuito em questão, temos a resistência interna da fonte, a resistência da carga e a resistência do fio.

No circuito em questão, temos a resistência interna da fonte, a resistência da carga e a resistência do fio. Os resistores são provavelmente os componentes mais utilizados em todos os tipos de circuitos eletrônicos, desde pequenos circuitos eletrônicos, como rádios, gravadores, etc. até computadores mais sofisticados.

Leia mais