Diploma legal. Convindo regulamentar tais procedimentos; 1 / 7

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Diploma legal. Convindo regulamentar tais procedimentos; 1 / 7"

Transcrição

1 O Decreto n.º 13/10, de 10 de Fevereiro faz a regulamentação ao Decreto-Lei n.º 17/09, de 26 de Junho (que regula a Formação do Pessoal Angolano no Sector Petrolífero) nomeadamente do recrutamento, integração, formação e desenvolvimento do pessoal angolano, bem como da contratação de pessoal estrangeiro para a execução de operações petrolíferas em Angola, tendo entrado em vigor a 10 de Fevereiro de Este diploma inclui regras adicionais, em particular, sobre o contrato-programa, os planos de desenvolvimento de recursos humanos e a contratação de trabalhadores estrangeiros. Com maior relevância, refira-se que este diploma contém um modelo do contrato-programa a ser celebrado entre o Ministério dos Petróleos e as empresas do sector petrolífero. Diploma legal Considerando que o Decreto-Lei n.º 17/09, de 26 de Junho, define as regras e os procedimentos a serem observados no recrutamento, integração, formação e desenvolvimento de pessoal angolano e na contratação de pessoal estrangeiro para a execução de operações petrolíferas em Angola; Convindo regulamentar tais procedimentos; 1 / 7

2 Nos termos das disposições combinadas do n.º 3, do artigo 114.º, da Lei Constitucional, e do artigo 22.º do Decreto-Lei n.º 17/09, de 26 de Junho, determino: CAPÍTULO I Disposições Gerais ARTIGO 1.º Objecto O presente decreto-executivo tem por objecto regulamentar a aplicação do previsto no Decreto-Lei n.º 17/09, de 26 de Junho, relativamente ao recrutamento, integração, formação e desenvolvimento de pessoal angolano e a contratação de pessoal estrangeiro para a execução das operações petrolíferas em Angola. ARTIGO 2.º Definições Sem prejuízo do disposto no artigo 2.º do Decreto-Lei n.º 17/09, de 26 de Junho e salvo se de outro modo for expressamente indicado no próprio texto, as palavras e expressões usadas no presente diploma têm o seguinte significado, sendo que as definições no singular se aplicam igualmente no plural e vice-versa: a) Petróleo - o petróleo bruto, o gás natural e todas as outras substâncias hidrocarbonetadas que possam ser encontradas e extraídas, ou de outro modo obtidas e arrecadadas, a partir da área de concessão petrolífera, tal como definido na Lei n.º 10/04, de 12 de Novembro; b) Plano de Carreira Profissional - a sucessão/promoção de postos ou categorias respeitantes a uma determinada função que é ocupada pelo trabalhador ao longo do exercício da sua actividade profissional; c) Carreira Profissional - o percurso pela sucessão de níveis de evolução, em que o desempenho profissional dos titulares de uma função é considerado base formativa para o desempenho de funções de nível imediatamente superior, sendo esta progressão geralmente 2 / 7

3 associada a maior compensação; d) Decreto-Lei, o Decreto Lei n.º 17/09, de 26 de Junho. ARTIGO 3.º Âmbito de aplicação 1. Estão abrangidas pelo presente diploma as seguintes empresas: a) todas as empresas de direito estrangeiro e as de direito angolano, cujo capital social seja detido maioritariamente por pessoas singulares ou colectivas estrangeiras, que exerçam em território nacional actividades de prospecção, pesquisa, avaliação, desenvolvimento e produção de petróleo bruto e de gás natural, bem como as actividades de refinação e tratamento de petróleo bruto e de gás natural, de armazenagem, de transporte, de distribuição e comercialização de produtos, seus derivados; b) todas as empresas de direito estrangeiro e as de direito angolano, cujo capital social seja maioritariamente detido por pessoas singulares ou colectivas estrangeiras, que no desempenho das suas actividades em território nacional, prestem serviços às empresas referidas na alínea anterior por período igual ou superior a um ano, consecutivo ou intercalado, independentemente do bloco, área de concessão ou do segmento de actividade onde o serviço é realizado. 2. Não estão abrangidas pelo cumprimento do disposto no presente diploma, as seguintes empresas: a) empresas sedeadas no estrangeiro que forneçam materiais, equipamentos e quaisquer outros produtos às empresas operadoras de blocos ou áreas de concessão; b) empresas de prestação de serviços e as construtoras de estruturas ou similares que realizam a totalidade ou a maior parte do trabalho, fora de Angola; c) empresas cujo objecto social não se reporte directamente à actividade petrolífera. 3. As empresas petrolíferas não operadoras, que detenham participação financeira num determinado bloco ou área de concessão bem como as empresas subcontratadas para prestação de serviços, apenas estão sujeitas à obrigação de pagar a verba que lhes competir nos termos dos artigos 12.º e 13.º do decreto-lei. ARTIGO 4.º Igualdade de direitos A igualdade de direitos prevista no artigo 5.º, do Decreto - Lei n.º 17/09, de 26 de Junho, deve ser entendida como o princípio de igual tratamento aos trabalhadores que detenham a mesma categoria profissional e exerçam funções idênticas nas empresas abrangidas pelo presente diploma, conferindo aos angolanos protecção legal contra a discriminação ao nível do emprego e das condições de trabalho, do salário, subsídios e dos benefícios sociais, consubstanciados nas regalias e vantagens concedidas pelas empresas a título de incremento adicional ao salário, bem como da assistência médica, medicamentosa e outras. 3 / 7

4 CAPÍTULO II Recursos Humanos ARTIGO 5.º Recrutamento e integração do pessoal angolano Tendo em vista a angolanização do sector petrolífero nacional, as empresas abrangidas devem preencher os quadros de pessoal, em todas as categorias e funções, com cidadãos angolanos devidamente capacitados. ARTIGO 6.º Contrato programa 1. O contrato programa, a que se refere o artigo 6.º do decreto-lei é celebrado entre o Ministério dos Petróleos e cada uma das empresas operadoras que seja parte nos contratos petrolíferos de consórcio, partilha de produção e serviço com risco, bem como as empresas titulares de licença de prospecção e as demais constantes do artigo 3.º do presente diploma. 2. Sem prejuízo do disposto no n.º 2 do artigo 6.º do decreto-lei, o Ministério dos Petróleos deve celebrar com as empresas já em actividade no sector petrolífero, o respectivo contrato programa no prazo de 90 dias, contados da data de publicação do presente diploma, propondo para o efeito, o paradigma do contrato a celebrar. 4 / 7

5 3. O contrato programa, a que se referem os números anteriores deve obedecer ao modelo constante do anexo ao presente diploma. ARTIGO 7.º Plano de carreira profissional 1. O plano de carreira profissional deve ser concebido de forma a que sejam plenamente alcançadas as metas fixadas no contrato programa a celebrar com cada uma das empresas abrangidas pelo presente diploma, tendo em vista a angolanização do sector petrolífero nacional. 2. Para efeitos do número anterior, o plano de carreira profissional do pessoal angolano deve ter em conta o seguinte: a) o número de trabalhadores angolanos existentes no quadro de pessoal das empresas, ao nível de técnicos e quadros de chefia e direcção; b) o número de trabalhadores estrangeiros existentes no quadro de pessoal das empresas, ao nível de técnicos e quadros de direcção e chefia, que devem ser progressivamente substituídos mediante a capacitação científica e técnico-profissional de trabalhadores angolanos; c) as normas, princípios e directrizes reguladoras do sistemático desenvolvimento científico e técnico-profissional dos trabalhadores angolanos, de acordo com os perfis de cada cargo ou função, bem como para correcta avaliação do seu comportamento perante o trabalho, consubstanciado na assiduidade e cumprimento disciplinado das tarefas inerentes ao cargo ou função que exerça, tendo em vista a ascensão/promoção no quadro do pessoal da empresa. ARTIGO 8.º Contratação de pessoal estrangeiro 1. A contratação de pessoal estrangeiro nos termos do decreto-lei, só pode ser feita mediante prévia autorização do Ministério dos Petróleos a requerimento da empresa interessada. 2. Para efeitos do disposto no número anterior, o requerimento deve fazer-se acompanhar dos elementos probatórios de que no mercado nacional de trabalho, não existem cidadãos angolanos suficientes e disponíveis com a qualificação e a experiência exigidas para o exercício do cargo ou função em causa, nomeadamente: a) anúncio público sobre a existência de vagas, com a descrição do cargo ou função a exercer e indicação das habilitações académicas e experiência técnico-profissional exigidas; b) declaração a emitir pelos Centros de Emprego e Formação Profissional do Ministério da Administração Pública, Emprego e Segurança Social, sobre a inexistência e/ou não 5 / 7

6 disponibilidade de cidadãos angolanos no mercado nacional de trabalho com a qualificação e experiência exigida nos anúncios públicos relativos às vagas para os cargos ou funções a preencher no quadro de pessoal das empresas. 3. Na apreciação do pedido e respectiva documentação, o Ministério dos Petróleos deve ter em conta o grau de cumprimento dos seguintes instrumentos: a) o contrato programa celebrado com a empresa requerente, devidamente actualizado nos termos do n.º 6 do artigo 6.º do decreto-lei; b) os planos de desenvolvimento de recursos humanos da empresa, aprovados pelo Ministério dos Petróleos. ARTIGO 9.º Manutenção do vínculo laboral após formação O trabalhador que beneficiar de formação ou aperfeiçoamento técnico-profissional de elevado nível obriga-se, mediante acordo celebrado com a empresa, a manter o vínculo laboral pelo período de tempo estabelecido nos termos e condições previstos pela Lei Geral do Trabalho, Lei n.º 2/00, de 11 de Fevereiro. CAPÍTULO III Disposições Finais ARTIGO 10.º Fiscalização O Ministério dos Petróleos, por intermédio da Direcção Nacional dos Recursos Humanos e do Gabinete de Inspecção, deve realizar periodicamente acções de fiscalização e inspecção às empresas abrangidas no sentido de verificar a conformação da sua actuação com as normas legais aplicáveis. ARTIGO 11.º Base de dados 6 / 7

7 A base de dados a que se refere o artigo 21.º do decreto-lei, deve ser criada e estar devidamente operacional no prazo de 90 dias, contados da data de publicação do presente diploma. ARTIGO 12.º Entrada em vigor Este decreto-executivo entra em vigor na data da sua publicação. Publique-se Luanda, aos 3 de Fevereiro de O Ministro, José Maria Botelho de Vasconcelos. 7 / 7

o presente diploma tem por objecto regulamentar a gestão dos recursos pesqueiros existentes nas águas juridicionais de Angola.

o presente diploma tem por objecto regulamentar a gestão dos recursos pesqueiros existentes nas águas juridicionais de Angola. MINISTÉRIO DAS PESCAS E AMBIENTE Decreto Executivo n." 48/98 de 28 de Agosto Havendo necessidade de estabelecer o ordenamento dos recursos pesqueiros nacionais; No uso da faculdade que me é conferida pela

Leia mais

Decreto n.º 6/01 de 19 de Janeiro - Regulamento sobre o Exercício da Actividade Profissional do Trabalhador Estrangeiro Não Residente

Decreto n.º 6/01 de 19 de Janeiro - Regulamento sobre o Exercício da Actividade Profissional do Trabalhador Estrangeiro Não Residente Decreto n.º 6/01 de 19 de Janeiro - Regulamento sobre o Exercício da Actividade Profissional do Trabalhador Estrangeiro Não Residente e-mail: geral@info-angola.com portal: www.info-angola.com Página 1

Leia mais

Regime sobre exercício das actividades de construção civil e obras públicas, projectos de obras e de fiscalização de obras

Regime sobre exercício das actividades de construção civil e obras públicas, projectos de obras e de fiscalização de obras ABR 2016 Regime sobre exercício das actividades de construção civil e obras públicas, projectos de obras e de fiscalização de obras O Decreto Presidencial n.º 63/16, de 29.03.2016, estabelece o Regime

Leia mais

Legislação. para a Exploração de Postos de Enchimento de Gás Natural Carburante.

Legislação. para a Exploração de Postos de Enchimento de Gás Natural Carburante. Princípios e Bases do Sector do Gás Natural Decreto-Lei n.º 66/2010: Estabelece o procedimento aplicável à extinção das tarifas reguladas de venda de gás natural a clientes finais, com consumos anuais

Leia mais

ORIENTAÇÃO DE GESTÃO N.º 3/2013

ORIENTAÇÃO DE GESTÃO N.º 3/2013 ORIENTAÇÃO DE GESTÃO N.º 3/2013 Por alteração da Orientação de Gestão da Orientação de Gestão n. º 1/2012 (06-01-2012), n.º 1/2010 (29-03-2010) e da Orientação de Gestão n.º 7/2008 (21-01-2009) REGRAS

Leia mais

Projecto de Decreto Regulamentar Avaliação de Desempenho Docente

Projecto de Decreto Regulamentar Avaliação de Desempenho Docente Projecto de Decreto Regulamentar Avaliação de Desempenho Docente Uma avaliação dos professores justa, séria e credível, que seja realmente capaz de distinguir o mérito e de estimular e premiar o bom desempenho,

Leia mais

DL 495/ Dez-30 CIRC - Sociedades Gestoras de Participações Sociais (SGPS) - HOLDINGS

DL 495/ Dez-30 CIRC - Sociedades Gestoras de Participações Sociais (SGPS) - HOLDINGS DL 495/88 1988-Dez-30 CIRC - Sociedades Gestoras de Participações Sociais (SGPS) - HOLDINGS SOCIEDADES HOLDING Artigo 1º (sociedades gestoras de participações sociais) 1 As sociedades gestoras de participações

Leia mais

ASSISTENTE TÉCNICO, ASSISTENTE OPERACIONAL, TÉCNICO DE INFORMÁTICA E VIGILANTE DA NATUREZA 1. ENQUADRAMENTO

ASSISTENTE TÉCNICO, ASSISTENTE OPERACIONAL, TÉCNICO DE INFORMÁTICA E VIGILANTE DA NATUREZA 1. ENQUADRAMENTO MATRIZ PARA PONDERAÇÃO CURRICULAR PARA OS ANOS DE 20 E 206 de acordo com o disposto no artigo 4.º da Lei n.º 66-B/2007, de 28 de Dezembro. ENQUADRAMENTO A presente matriz de avaliação tem por base a ponderação

Leia mais

Ministério da Comunicação Social;

Ministério da Comunicação Social; Ministério da Comunicação Social Decreto Executivo N. 75 / 2007 de 2 de Julho Convindo regulamentar o funcionamento do Gabinete de Inspecção do Ministério da Comunicação Social; Nestes termos, ao abrigo

Leia mais

ACUMULAÇÃO DE FUNÇÕES

ACUMULAÇÃO DE FUNÇÕES ACUMULAÇÃO DE FUNÇÕES Ex.mo(a) Senhor(a) Nome n.º, com relação jurídica de emprego público por tempo indeterminado/termo resolutivo desta Câmara Municipal, com a carreira/categoria de e afeto ao setor,

Leia mais

Lei n.º 3/2009, de 13 de Janeiro. A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte:

Lei n.º 3/2009, de 13 de Janeiro. A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte: Lei n.º 3/2009, de 13 de Janeiro Regula os efeitos jurídicos dos períodos de prestação de serviço militar de antigos combatentes para efeitos de atribuição dos benefícios previstos nas Leis n. os 9/2002,

Leia mais

Lei n.º 20/2012, de 14 de maio. A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea g) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte:

Lei n.º 20/2012, de 14 de maio. A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea g) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte: Lei n.º 20/2012, de 14 de maio A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea g) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte: Artigo 1.º Objeto 1. A presente lei altera a Lei n.º 64-B/2011, de

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 244/XI/1.ª

PROJECTO DE LEI N.º 244/XI/1.ª Grupo Parlamentar PROJECTO DE LEI N.º 244/XI/1.ª ALTERA O DECRETO-LEI N.º 89/2009, DE 9 DE ABRIL, REFORÇANDO A PROTECÇÃO NA PARENTALIDADE DOS TRABALHADORES ABRANGIDOS PELO REGIME CONVERGENTE Exposição

Leia mais

Exmo. Senhor (Nome e morada)

Exmo. Senhor (Nome e morada) Exmo. Senhor (Nome e morada) Na sequência da reclamação apresentada em (data de apresentação da reclamação), do acto de processamento do seu vencimento, relativo ao mês de Janeiro de 2011, e em resposta

Leia mais

GUIA PRÁTICO MEDIDAS ESPECÍFICAS E TRANSITÓRIAS DE APOIO E ESTÍMULO AO EMPREGO

GUIA PRÁTICO MEDIDAS ESPECÍFICAS E TRANSITÓRIAS DE APOIO E ESTÍMULO AO EMPREGO GUIA PRÁTICO MEDIDAS ESPECÍFICAS E TRANSITÓRIAS DE APOIO E ESTÍMULO AO EMPREGO REDUÇÃO DE TAXA CONTRIBUTIVA APOIO À REDUÇÃO DA PRECARIEDADE NO EMPREGO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO

Leia mais

AVISO N.º 06/2012 de 29 de Março

AVISO N.º 06/2012 de 29 de Março Publicado no Diário da República, I série, nº 61, de 29 de Março AVISO N.º 06/2012 de 29 de Março Considerando a necessidade de se estabelecer os padrões para o exercício do serviço de remessas de valores

Leia mais

Despacho n.º B/99

Despacho n.º B/99 ENTIDADE REGULADORA DO SECTOR ELÉCTRICO Despacho n.º 21496-B/99 O Decreto-lei n.º 195/99, de 8 de Junho, estabelece o regime aplicável às cauções nos contratos de fornecimento aos consumidores dos serviços

Leia mais

HIGIENE E SEGURANÇA NO TRABALHO

HIGIENE E SEGURANÇA NO TRABALHO Qualificação dos Profissionais da Administração Pública Local HIGIENE E SEGURANÇA NO TRABALHO Formadora - Magda Sousa MÓDULO 1 NORMATIVOS LEGAIS OBJECTIVO Interpretar e aplicar a legislação, regulamentos

Leia mais

MINISTÉRIO DO AMBIENTE E RECURSOS NATURAIS. Decreto-lei n.º 147/95 de 21 de Junho

MINISTÉRIO DO AMBIENTE E RECURSOS NATURAIS. Decreto-lei n.º 147/95 de 21 de Junho MINISTÉRIO DO AMBIENTE E RECURSOS NATURAIS Decreto-lei n.º 147/95 de 21 de Junho A empresarialização dos sistemas multimunicipais e municipais de captação, tratamento e distribuição de água para consumo

Leia mais

Ministério da Agricultura e Desenvolvimento Rural

Ministério da Agricultura e Desenvolvimento Rural Ministério da Agricultura e Desenvolvimento Rural Decreto executivo n.º 1/06 de 9 de Janeiro Havendo necessidade de regulamentar o funcionamento, estruturação e organização do Secretariado Executivo do

Leia mais

SINDICALISMO LIVRE INDEPENDENTE

SINDICALISMO LIVRE INDEPENDENTE Sindicato Nacional dos Professores Licenciados pelos Politécnicos e Universidades SINDICALISMO LIVRE INDEPENDENTE Sindicato Nacional dos Professores Licenciados pelos Politécnicos e Universidades ACORDO

Leia mais

REGULAMENTO DE CONTRATAÇÃO DE PESSOAL DOCENTE, ESPECIALMENTE CONTRATADO, AO ABRIGO DO ARTIGO 8.º DO ECPDESP DO INSTITUTO POLITÉCNICO DO PORTO

REGULAMENTO DE CONTRATAÇÃO DE PESSOAL DOCENTE, ESPECIALMENTE CONTRATADO, AO ABRIGO DO ARTIGO 8.º DO ECPDESP DO INSTITUTO POLITÉCNICO DO PORTO REGULAMENTO DE CONTRATAÇÃO DE PESSOAL DOCENTE, ESPECIALMENTE CONTRATADO, AO ABRIGO DO ARTIGO 8.º DO ECPDESP DO INSTITUTO POLITÉCNICO DO PORTO ARTIGO 1.º PESSOAL ESPECIALMENTE CONTRATADO 1. Podem ser contratados

Leia mais

RESOLUÇÃO 020/2016 CEPE/UNESPAR

RESOLUÇÃO 020/2016 CEPE/UNESPAR Aprova o Regulamento do Regime de Trabalho de Tempo Integral e Dedicação Exclusiva TIDE aos docentes da Universidade Estadual do Paraná - UNESPAR. Considerando a necessidade de regulamentação do regime

Leia mais

C Â M A R A M U N I C I P A L D E B A R C E L O S

C Â M A R A M U N I C I P A L D E B A R C E L O S O presente regulamento visa dar cumprimento ao disposto no artigo 5.º do REGULAMENTO INTERNO DE SEGURANÇA, HIGIENE E SAÚDE NO TRABALHO do MUNICIPIO DE BARCELOS. Pretende-se estabelecer as prescrições mínimas

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Terça-feira, 8 de setembro de Série. Número 138

JORNAL OFICIAL. Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Terça-feira, 8 de setembro de Série. Número 138 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Terça-feira, 8 de setembro de 2015 Série Suplemento Sumário SECRETARIA REGIONAL DA INCLUSÃO E ASSUNTOS SOCIAIS Portaria n.º 161/2015 Estabelece a Medida Incentivo

Leia mais

Decreto-Lei n.º 172/99 de 20 de Maio *

Decreto-Lei n.º 172/99 de 20 de Maio * Decreto-Lei n.º 172/99 de 20 de Maio * O presente decreto-lei estabelece o regime jurídico dos warrants autónomos, regulando a sua emissão no mercado nacional, prevendo a admissão à negociação em mercado

Leia mais

4042 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N.o de Julho de 2004 N.o de Julho de 2004 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A 4041

4042 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N.o de Julho de 2004 N.o de Julho de 2004 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A 4041 4042 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N.o 154 2 de Julho de 2004 N.o 154 2 de Julho de 2004 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A 4041 Declaração de Rectificação n.o 60/2004 Para os devidos efeitos, se declara que

Leia mais

NOVO REGIME DOS ESTÁGIOS PROFISSIONAIS

NOVO REGIME DOS ESTÁGIOS PROFISSIONAIS NOVO REGIME DOS ESTÁGIOS PROFISSIONAIS No âmbito do acordo tripartido para um novo sistema de regulação das relações laborais, das políticas de emprego e da protecção social, celebrado entre o Governo

Leia mais

REGULAMENTOS ESPECÍFICOS

REGULAMENTOS ESPECÍFICOS Programa Operacional Factores de Competitividade Deliberações CMC POFC: 16/07/2008 Assistência Técnica do POFC Entrada em vigor DA ÚLTIMA ALTERAÇÃO em 17/07/2008 Artigo 1.º Objecto O presente regulamento

Leia mais

Portaria nº 1288/2005, de 15 de Dezembro

Portaria nº 1288/2005, de 15 de Dezembro Diploma consolidado Portaria nº 1288/2005, de 15 de Dezembro O Decreto-Lei nº 156/2005, de 15 de Setembro, que institui a obrigatoriedade de existência e disponibilização do livro de reclamações a todos

Leia mais

MINISTÉRIOS DAS FINANÇAS E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E DA ECONOMIA E DA INOVAÇÃO

MINISTÉRIOS DAS FINANÇAS E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E DA ECONOMIA E DA INOVAÇÃO 5672 Diário da República, 1.ª série N.º 158 18 de Agosto de 2008 MINISTÉRIOS DAS FINANÇAS E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E DA ECONOMIA E DA INOVAÇÃO Portaria n.º 896/2008 de 18 de Agosto Na sequência da publicação

Leia mais

TEXTO INTEGRAL. 1.º Âmbito

TEXTO INTEGRAL. 1.º Âmbito DATA: 15 de Dezembro de 2005 NÚMERO: 239 SÉRIE I-B EMISSOR: Ministérios da Justiça e da Saúde DIPLOMA: Portaria n.º 1288/2005 SUMÁRIO: Aprova o modelo, edição, preço, fornecimento e distribuição do livro

Leia mais

Decreto n.º 19/94 Acordo de Cooperação em Matéria de Protecção Civil entre o Governo da República Portuguesa e o Governo do Reino de Marrocos

Decreto n.º 19/94 Acordo de Cooperação em Matéria de Protecção Civil entre o Governo da República Portuguesa e o Governo do Reino de Marrocos Decreto n.º 19/94 Acordo de Cooperação em Matéria de Protecção Civil entre o Governo da República Portuguesa e o Governo do Reino de Marrocos Nos termos da alínea c) do n.º 1 do artigo 200.º da Constituição,

Leia mais

Decreto-Lei n.º 361/98, de 18 de Novembro *

Decreto-Lei n.º 361/98, de 18 de Novembro * Decreto-Lei n.º 361/98, de 18 de Novembro * De harmonia com princípios constitucionalmente previstos e tendo em conta o estabelecido no artigo 70.º da Lei n.º 28/84, de 14 de Agosto, foi instituído o regime

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 236/IX ENQUADRAMENTO DE PESSOAL DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA RELATIVO À EVENTUALIDADE DE DESEMPREGO. Exposição de motivos

PROJECTO DE LEI N.º 236/IX ENQUADRAMENTO DE PESSOAL DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA RELATIVO À EVENTUALIDADE DE DESEMPREGO. Exposição de motivos PROJECTO DE LEI N.º 236/IX ENQUADRAMENTO DE PESSOAL DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA RELATIVO À EVENTUALIDADE DE DESEMPREGO Exposição de motivos O Tribunal Constitucional (TC), mediante iniciativa do Provedor

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. Proposta de Lei n.º 18/XII. Exposição de Motivos

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. Proposta de Lei n.º 18/XII. Exposição de Motivos Proposta de Lei n.º 18/XII Exposição de Motivos Nos últimos anos, os serviços e órgãos da administração directa e indirecta do Estado, bem como as Regiões Autónomas e as autarquias locais, têm, no âmbito

Leia mais

COMPENSAÇÃO DEVIDA PELA CESSAÇÃO DO CONTRATO DE TRABALHO LEI N.º 69/2013, DE 30 DE AGOSTO

COMPENSAÇÃO DEVIDA PELA CESSAÇÃO DO CONTRATO DE TRABALHO LEI N.º 69/2013, DE 30 DE AGOSTO PÓS-TROIKA O QUE MUDOU NOS DESPEDIMENTOS? Autora: Sofia Pamplona, Associada na TELLES. COMPENSAÇÃO DEVIDA PELA CESSAÇÃO DO CONTRATO DE TRABALHO LEI N.º 69/2013, DE 30 DE AGOSTO 1 CONTRATO DE TRABALHO CELEBRADO

Leia mais

AVISO N.º 07/2013 de 22 de Abril ASSUNTO: CONSTITUIÇÃO, FUNCIONAMENTO E EXTINÇÃO DE CASAS DE CÂMBIO

AVISO N.º 07/2013 de 22 de Abril ASSUNTO: CONSTITUIÇÃO, FUNCIONAMENTO E EXTINÇÃO DE CASAS DE CÂMBIO Publicado no Diário da República, I série, nº 74, de 22 de Abril AVISO N.º 07/2013 de 22 de Abril ASSUNTO: CONSTITUIÇÃO, FUNCIONAMENTO E EXTINÇÃO DE CASAS DE CÂMBIO Havendo necessidade de adequar as regras

Leia mais

DECRETO N.º 189/IX DEFINE O REGIME JURÍDICO DA ASSISTÊNCIA NOS LOCAIS DESTINADOS A BANHISTAS. Artigo 1.º Objecto

DECRETO N.º 189/IX DEFINE O REGIME JURÍDICO DA ASSISTÊNCIA NOS LOCAIS DESTINADOS A BANHISTAS. Artigo 1.º Objecto DECRETO N.º 189/IX DEFINE O REGIME JURÍDICO DA ASSISTÊNCIA NOS LOCAIS DESTINADOS A BANHISTAS A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, para valer como

Leia mais

CONTRATAÇÃO PÚBLICA. 27 de Outubro RAUL MOTA CERVEIRA

CONTRATAÇÃO PÚBLICA. 27 de Outubro RAUL MOTA CERVEIRA Auditório SIBS CONTRATAÇÃO PÚBLICA 27 de Outubro RAUL MOTA CERVEIRA PASSAPORTE PARA MOÇAMBIQUE Enquadramento Legal Regulamento da Contratação de Empreitadas de Obras Públicas, Fornecimento de Bens e Prestação

Leia mais

Regulamento do Cartão Municipal do Idoso

Regulamento do Cartão Municipal do Idoso Regulamento do Cartão Municipal do Idoso Preâmbulo Considerando a importância crescente do papel das autarquias locais, no âmbito do apoio às populações, a Câmara Municipal de Grândola atenta que está

Leia mais

AVISO DE RECRUTAMENTO FEB

AVISO DE RECRUTAMENTO FEB AVISO DE RECRUTAMENTO FEB 12 de Dezembro de 2013 1/6 2/6 1. OBJECTIVO a. O presente concurso visa dotar o sistema de operações de proteção e socorro com o efetivo aprovado para os elementos da Força Especial

Leia mais

Instrução n. o 9/2016 BO n. o

Instrução n. o 9/2016 BO n. o Instrução n. o 9/2016 BO n. o 7 15-07-2016 Temas Supervisão Normas Prudenciais Índice Texto da Instrução Texto da Instrução Assunto: Autorização para a utilização de modelos internos para cálculo dos requisitos

Leia mais

Impacto das alterações ao Código do Trabalho na vida das Organizações

Impacto das alterações ao Código do Trabalho na vida das Organizações Impacto das alterações ao Código do Trabalho na vida das Organizações ÍNDICE 01 Acórdão n.º 602/2013, de 20 de Setembro, do Tribunal Constitucional Consequências 02 Lei n.º 69/2013, de 30 de Agosto Compensações

Leia mais

INFORMAÇÃO TÉCNICA N.º 37/2013

INFORMAÇÃO TÉCNICA N.º 37/2013 INFORMAÇÃO TÉCNICA N.º 37/2013 Regulamento dos deveres de prevenção e combate ao branqueamento de vantagens de proveniência ilícita e ao financiamento do terrorismo no setor comercial Índice 1.Introdução...

Leia mais

Instituto Politécnico de Setúbal. Edital. Abertura de concurso documental para professor coordenador

Instituto Politécnico de Setúbal. Edital. Abertura de concurso documental para professor coordenador Instituto Politécnico de Setúbal Edital Abertura de concurso documental para professor coordenador 1 Nos termos da alínea a) do n.º 1 do artigo 6º do Regulamento de Recrutamento e Contratação do Pessoal

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Segunda-feira, 7 de outubro de Série. Número 139

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Segunda-feira, 7 de outubro de Série. Número 139 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Segunda-feira, 7 de outubro de 2013 Série Sumário SECRETARIA REGIONAL DO AMBIENTE E RECURSOS NATURAIS Portaria n.º 97/2013 Regula os procedimentos e matérias afins

Leia mais

ENCONTRO NACIONAL DE QUADROS DA SEGURANÇA SOCIAL

ENCONTRO NACIONAL DE QUADROS DA SEGURANÇA SOCIAL ENCONTRO NACIONAL DE QUADROS DA SEGURANÇA SOCIAL PLANO DE IMPLEMENTAÇÃO DO ESTATUTO ORGÂNICO JESUS MAIATO Director Nacional de Segurança Social do MAPTSS Benguela. 22. Maio 2014 INSTALAÇÃO DOS NOVOS DEPARTAMENTOS

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 242/XI/1.ª

PROJECTO DE LEI N.º 242/XI/1.ª Grupo Parlamentar PROJECTO DE LEI N.º 242/XI/1.ª ALTERA O DECRETO-LEI N.º 91/2009, DE 9 DE ABRIL, REFORÇANDO O REGIME DE PROTECÇÃO NA PARENTALIDADE DO SISTEMA PREVIDENCIAL E DO SUBSISTEMA DE SOLIDARIEDADE

Leia mais

Deliberação n.º 515/2010, de 3 de Março (DR, 2.ª série, n.º 50, de 12 de Março de 2010)

Deliberação n.º 515/2010, de 3 de Março (DR, 2.ª série, n.º 50, de 12 de Março de 2010) (DR, 2.ª série, n.º 50, de 12 de Março de 2010) Define os elementos que devem instruir a notificação, a efectuar ao INFARMED, I. P., do exercício da actividade de distribuição por grosso de dispositivos

Leia mais

REGULAMENTO PARA O RECRUTAMENTO DO DIRECTOR DA ESCOLA SECUNDÁRIA DE JOSÉ AFONSO, LOURES

REGULAMENTO PARA O RECRUTAMENTO DO DIRECTOR DA ESCOLA SECUNDÁRIA DE JOSÉ AFONSO, LOURES REGULAMENTO PARA O RECRUTAMENTO DO DIRECTOR DA ESCOLA SECUNDÁRIA DE JOSÉ AFONSO, LOURES Objecto O presente regulamento, elaborado nos termos e ao abrigo do disposto nos artigos 21.º a 23.º do Decreto Lei

Leia mais

Regulamento de Comunicação de Irregularidades (Whistleblowing)

Regulamento de Comunicação de Irregularidades (Whistleblowing) Regulamento de Comunicação de Irregularidades (Whistleblowing) REGULAMENTO DE COMUNICAÇÃO DE IRREGULARIDADES 1 Princípios Gerais A Caixa Económica Montepio Geral, nos termos do Regime Geral das Instituições

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO APROVADO 16 de Maio de 2011 O Presidente, (Paulo Parente) ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO REGULAMENTO DE EQUIPARAÇÃO A BOLSEIRO Artigo 1.º Objecto O presente regulamento define as condições da atribuição

Leia mais

Instituto Politécnico de Setúbal. Edital. Abertura de concurso documental para professor coordenador

Instituto Politécnico de Setúbal. Edital. Abertura de concurso documental para professor coordenador Instituto Politécnico de Setúbal Edital Abertura de concurso documental para professor coordenador 1 Nos termos da alínea a) do n.º 1 do artigo 6º do Regulamento de Recrutamento e Contratação do Pessoal

Leia mais

IMPOSTO SOBRE O RENDIMENTO DAS PESSOAS SINGULARES (IRS)

IMPOSTO SOBRE O RENDIMENTO DAS PESSOAS SINGULARES (IRS) ALTERAÇÕES AO IRS, IRC, IMPOSTO DO SELO E LGT A Lei 55-A/2012, de 29 de Outubro introduziu alterações relevantes no Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Singulares (IRS), Imposto sobre o Rendimento das

Leia mais

MINUTA DE CONTRATO DE GESTÃO ACESSO E PERMANÊNCIA DA ACTIVIDADE DE INSPECÇÃO TÉCNICA A VEÍCULOS

MINUTA DE CONTRATO DE GESTÃO ACESSO E PERMANÊNCIA DA ACTIVIDADE DE INSPECÇÃO TÉCNICA A VEÍCULOS MINUTA DE CONTRATO DE GESTÃO ACESSO E PERMANÊNCIA DA ACTIVIDADE DE INSPECÇÃO TÉCNICA A VEÍCULOS O primeiro outorgante, o Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres, I.P., doravante designado

Leia mais

MINISTÉRIOS DAS FINANÇAS E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E DA ECONOMIA E DA INOVAÇÃO. Portaria n.º 1288/2005 de 15 de Dezembro

MINISTÉRIOS DAS FINANÇAS E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E DA ECONOMIA E DA INOVAÇÃO. Portaria n.º 1288/2005 de 15 de Dezembro MINISTÉRIOS DAS FINANÇAS E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E DA ECONOMIA E DA INOVAÇÃO Portaria n.º 1288/2005 de 15 de Dezembro O Decreto-Lei n.º 156/2005, de 15 de Setembro, que institui a obrigatoriedade de

Leia mais

Decreto-Lei nº 323/95, de 29 de Novembro

Decreto-Lei nº 323/95, de 29 de Novembro Decreto-Lei nº 323/95, de 29 de Novembro A última reformulação do sistema poupança-emigrante foi efectuada pelo Decreto- Lei nº 140-A/86, de 14 de Junho. Desde essa data, o regime cambial português sofreu

Leia mais

Conselho Geral e de Supervisão REGULAMENTO INTERNO COMISSÃO DE VENCIMENTOS

Conselho Geral e de Supervisão REGULAMENTO INTERNO COMISSÃO DE VENCIMENTOS Conselho Geral e de Supervisão REGULAMENTO INTERNO COMISSÃO DE VENCIMENTOS Aprovado em 18 de Junho de 2015 REGULAMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE VENCIMENTOS ÍNDICE Instituição da Comissão de Vencimentos...

Leia mais

DESPACHO N. GR.03/05/2011

DESPACHO N. GR.03/05/2011 DESPACHO N. GR.03/05/2011 Regulamento Estatuto de Trabalhador-Estudante da Universidade do Porto No uso da competência que me é consagrada na alínea o) do n 1 do artigo 400 dos Estatutos da Universidade

Leia mais

O TRANSPORTE FERROVIÁRIO EM ANGOLA - SITUAÇÃO ACTUAL E PERSPECTIVAS DE DESENVOLVIMENTO

O TRANSPORTE FERROVIÁRIO EM ANGOLA - SITUAÇÃO ACTUAL E PERSPECTIVAS DE DESENVOLVIMENTO A MISSÃO DO REGULADOR FERROVIÁRIO HOJE E NUM CONTEXTO DE UMA REDE ONDE PODERÃO CIRCULAR MÚLTIPLOS OPERADORES FERROVIÁRIOS DECRETO PRESIDENCIAL 195/10 SEMINÁRIO O TRANSPORTE FERROVIÁRIO EM ANGOLA - SITUAÇÃO

Leia mais

Sistema Fiscal Moçambicano GARANTIAS GERAIS E MEIOS DE DEFESA DO CONTRIBUINTE PAGAMENTO DE DÍVIDAS TRIBUTÁRIAS A PRESTAÇÕES COMPENSAÇÃO DAS DÍVIDAS

Sistema Fiscal Moçambicano GARANTIAS GERAIS E MEIOS DE DEFESA DO CONTRIBUINTE PAGAMENTO DE DÍVIDAS TRIBUTÁRIAS A PRESTAÇÕES COMPENSAÇÃO DAS DÍVIDAS Sistema Fiscal Moçambicano GARANTIAS GERAIS E MEIOS DE DEFESA DO CONTRIBUINTE PAGAMENTO DE DÍVIDAS TRIBUTÁRIAS A PRESTAÇÕES COMPENSAÇÃO DAS DÍVIDAS TRIBUTÁRIAS GARANTIAS GERAIS E MEIOS DE DEFESA DO CONTRIBUINTE

Leia mais

O INVESTIMENTO EM MINERAÇÃO FACE AO CÓDIGO MINEIRO

O INVESTIMENTO EM MINERAÇÃO FACE AO CÓDIGO MINEIRO O INVESTIMENTO EM MINERAÇÃO FACE AO CÓDIGO MINEIRO Francisco Queiroz Advogado Professor de Direito Económico Redactor Coordenador do Código Mineiro I REGRAS E PRINCÍPIOS GERAIS DO INVESTIMENTO MINEIRO

Leia mais

1802 Diário da República, 1.ª série N.º de Março de 2009

1802 Diário da República, 1.ª série N.º de Março de 2009 1802 Diário da República, 1.ª série N.º 56 20 de Março de 2009 actualiza o regime jurídico de protecção social na eventualidade desemprego. Artigo 2.º Prorrogação 1 É prorrogada, por um período de seis

Leia mais

INSTRUTIVO N.º 02/2012

INSTRUTIVO N.º 02/2012 INSTRUTIVO N.º 02/2012 Considerando que o Banco Nacional de Angola é a instituição competente para autorizar a constituição e proceder à supervisão das casas de câmbio, nos termos da Secção I do Capítulo

Leia mais

Instituto Politécnico de Setúbal. Edital. Abertura de concurso documental para professor coordenador

Instituto Politécnico de Setúbal. Edital. Abertura de concurso documental para professor coordenador Instituto Politécnico de Setúbal Edital Abertura de concurso documental para professor coordenador 1 Nos termos da alínea a) do n.º 1 do artigo 6º do Regulamento de Recrutamento e Contratação do Pessoal

Leia mais

Carreiras e Quadro de Pessoal dos Serviços da Assembleia da República 1

Carreiras e Quadro de Pessoal dos Serviços da Assembleia da República 1 Carreiras e Quadro de Pessoal dos Serviços da Assembleia da República 1 Resolução da Assembleia da República n.º 39/96, de 27 de novembro (Declaração de Rectificação n.º 5/97, de 28 de janeiro) e com as

Leia mais

CÓDIGO DAS SOCIEDADES COMERCIAIS

CÓDIGO DAS SOCIEDADES COMERCIAIS CÓDIGO DAS SOCIEDADES COMERCIAIS EDIÇÃO DE BOLSO (6.ª Edição) Actualização N.º 1 Código das Sociedades Comerciais 2 TÍTULO: AUTORES: CÓDIGO DAS SOCIEDADES COMERCIAIS EDIÇÃO DE BOLSO Actualização N.º 1

Leia mais

b)terem já constituída uma relação jurídica por tempo indeterminado; c)sejam detentores da escolaridade mínima obrigatória.

b)terem já constituída uma relação jurídica por tempo indeterminado; c)sejam detentores da escolaridade mínima obrigatória. Procedimento concursal comum com vista ao preenchimento a 6 postos de trabalho da carreira /categoria de assistente operacional, do mapa de pessoal do Hospital do Arcebispo João Crisóstomo Cantanhede 1

Leia mais

Portaria nº 1288/2005, de 15 de Dezembro

Portaria nº 1288/2005, de 15 de Dezembro Portaria nº 1288/2005, de 15 de Dezembro O Decreto-Lei nº 156/2005, de 15 de Setembro, que institui a obrigatoriedade de existência e disponibilização do livro de reclamações a todos os fornecedores de

Leia mais

Regulamento de Inscrição Municipal de Associação Cultural de Sintra IMACS

Regulamento de Inscrição Municipal de Associação Cultural de Sintra IMACS Regulamento de Inscrição Municipal de Associação Cultural de Sintra IMACS ( Com a alteração constante do Parecer da Comissão Permanente de Assuntos Sociais da Assembleia Municipal de Sintra ) 23 DE NOVEMBRO

Leia mais

GUIA PRÁTICO ATENDIMENTO PARA CONTRA-ORDENAÇÕES INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO ATENDIMENTO PARA CONTRA-ORDENAÇÕES INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO ATENDIMENTO PARA CONTRA-ORDENAÇÕES INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Atendimento para Contra-Ordenações (CO1 v1.01) PROPRIEDADE Instituto da Segurança Social, I.P. AUTOR

Leia mais

TERMOS E CONDIÇÕES No âmbito dos presentes Termos e Condições, as seguintes palavras assumem o significado apresentado:

TERMOS E CONDIÇÕES No âmbito dos presentes Termos e Condições, as seguintes palavras assumem o significado apresentado: TERMOS E CONDIÇÕES A Nanny Agency Portugal desenvolve a sua actividade com base nas condições definidas pelo presente documento. Por forma a proteger os seus interesses, leia atentamente este documento.

Leia mais

Propostas na área do Trabalho e Segurança Social

Propostas na área do Trabalho e Segurança Social Propostas na área do Trabalho e Segurança Social Proposta de Alteração PROPOSTA DE LEI N.º 103/XII ORÇAMENTO DO ESTADO PARA 2013 Capítulo I Aprovação do Orçamento Artigo 7.º Transferências orçamentais

Leia mais

Conselho Regulador da Entidade Reguladora para a Comunicação Social. Directiva 1/2008. Sobre publicações periódicas autárquicas.

Conselho Regulador da Entidade Reguladora para a Comunicação Social. Directiva 1/2008. Sobre publicações periódicas autárquicas. Conselho Regulador da Entidade Reguladora para a Comunicação Social Directiva 1/2008 Sobre publicações periódicas autárquicas Lisboa 24 de Setembro de 2008 Conselho Regulador da Entidade Reguladora para

Leia mais

Decreto-Lei n. 279/97 de 11 de Outubro

Decreto-Lei n. 279/97 de 11 de Outubro Decreto-Lei n. 279/97 de 11 de Outubro Definição... 2 Natureza... 2 Sede... 2 Denominação... 2 Objecto... 2 Constituição... 3 Estatutos... 3 Inscrição no Registo Nacional de Clubes e Federações Desportivas...

Leia mais

REGULAMENTO DOS CONCURSOS ESPECIAIS

REGULAMENTO DOS CONCURSOS ESPECIAIS Página 1 de 5 Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1.º (Objeto) O presente regulamento fixa os procedimentos relativos aos concursos especiais para acesso e ingresso no ensino superior, nos termos da lei.

Leia mais

Lei n.º /2015. de de

Lei n.º /2015. de de Lei n.º /2015 de de Considerando o impacto significativo que as alterações do comportamento do preço do barril de petróleo no mercado internacional têm, ao nível das finanças públicas e do mercado cambial,

Leia mais

NORMA REGULAMENTAR N.º 6/2007-R, DE 27 DE ABRIL EMPRESAS DE SEGUROS MARGEM DE SOLVÊNCIA E FUNDO DE GARANTIA

NORMA REGULAMENTAR N.º 6/2007-R, DE 27 DE ABRIL EMPRESAS DE SEGUROS MARGEM DE SOLVÊNCIA E FUNDO DE GARANTIA NORMA REGULAMENTAR N.º 6/2007-R, DE 27 DE ABRIL EMPRESAS DE SEGUROS MARGEM DE SOLVÊNCIA E FUNDO DE GARANTIA Com a entrada em vigor do novo Plano de Contas para as Empresas de Seguros são alteradas algumas

Leia mais

Código Cooperativo. CAPÍTULO III - Capital Social, Jóia e Títulos de Investimento. Lei n.º 51/96 de 7 de Setembro

Código Cooperativo. CAPÍTULO III - Capital Social, Jóia e Títulos de Investimento. Lei n.º 51/96 de 7 de Setembro Código Cooperativo CAPÍTULO III - Capital Social, Jóia e Títulos de Investimento Lei n.º 51/96 de 7 de Setembro Alterada pelos DL n.º 343/98 de 6 de Nov., DL n.º 131/99 de 21 de Abril e DL n.º 108/2001

Leia mais

e interesses dos consumidores em Portugal Vital Moreira (CEDIPRE, FDUC)

e interesses dos consumidores em Portugal Vital Moreira (CEDIPRE, FDUC) Regulação dos serviços públicos e interesses dos consumidores em Portugal Vital Moreira (CEDIPRE, FDUC) Sumário 1. Os beneficiários dos serviços públicos 2. O impacto da liberalização dos serviços públicos

Leia mais

Regulamentação. Guia informativo para Contratados

Regulamentação. Guia informativo para Contratados Regulamentação Guia informativo para Contratados Férias Os trabalhadores têm direito a um período de férias remuneradas em cada ano civil, nos termos previstos no Código do Trabalho (Lei n.º 7/2009, de

Leia mais

Título de Emissão de Gases com Efeito de Estufa

Título de Emissão de Gases com Efeito de Estufa Título de Emissão de Gases com Efeito de Estufa TE GEE.273.01 II Nos termos do Decreto-Lei n.º 233/2004, de 14 de Dezembro, com as alterações introduzidas pelos Decretos-Lei n.º 243-A/2004, de 31 de Dezembro,

Leia mais

Ex. m.ºs Senhores Subdirectores- Gerais Directores de Serviços Directores de Finanças Representantes da Fazenda Pública. Assunto:

Ex. m.ºs Senhores Subdirectores- Gerais Directores de Serviços Directores de Finanças Representantes da Fazenda Pública. Assunto: Classificação: 000.01.09 DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DO IMPOSTO SOBRE O RENDIMENTO DAS PESSOAS COLECTIVAS Ofício n.º: Processo: Entrada Geral: N.º Identificação Fiscal (NIF): Sua Ref.ª: Técnico: João Sousa Cód.

Leia mais

AVISO Nº 08/2011 de 15 de Julho

AVISO Nº 08/2011 de 15 de Julho AVISO Nº 08/2011 de 15 de Julho Havendo a necessidade de estabelecer regras complementares à regulação do processo de instrução do pedido de constituição, bem como estabelecer os requisitos mínimos de

Leia mais

ESTATUTO DO TRABALHADOR- CÓDIGO DO TRABALHO ESTUDANTE CAPÍTULO I SECÇÃO II. Preâmbulo. Subsecção VIII. Trabalhador-Estudante. Artº 17º.

ESTATUTO DO TRABALHADOR- CÓDIGO DO TRABALHO ESTUDANTE CAPÍTULO I SECÇÃO II. Preâmbulo. Subsecção VIII. Trabalhador-Estudante. Artº 17º. ESTATUTO DO TRABALHADOR- CÓDIGO DO TRABALHO ESTUDANTE (Lei nº 99/2003, de 27 de Agosto) CAPÍTULO I SECÇÃO II Preâmbulo Subsecção VIII Trabalhador-Estudante Artº 17º Trabalhador-estudante O disposto nos

Leia mais

Circular das finanças com esclarecimentos relativos à Sobretaxa extraordinária IRS 2011

Circular das finanças com esclarecimentos relativos à Sobretaxa extraordinária IRS 2011 Circular das finanças com esclarecimentos relativos à Sobretaxa extraordinária IRS 2011 As Finanças estão a dar destaque à sua recente circular nº23/2011 de 3 de Outubro relativa à Sobretaxa extraordinária

Leia mais

REGULAMENTO DE APOIOS SOCIAIS

REGULAMENTO DE APOIOS SOCIAIS REGULAMENTO DE APOIOS SOCIAIS NOTA JUSTIFICATIVA (art.º 116.º do Código do Procedimento Administrativo) Considerando que: Cada vez mais é imprescindível a intervenção da freguesia no âmbito da Acção Social,

Leia mais

REGULAMENTO PARA A FREQUÊNCIA DE UNIDADES CURRICULARES ISOLADAS NA ESTBARREIRO/IPS

REGULAMENTO PARA A FREQUÊNCIA DE UNIDADES CURRICULARES ISOLADAS NA ESTBARREIRO/IPS REGULAMENTO PARA A FREQUÊNCIA DE UNIDADES CURRICULARES ISOLADAS NA ESTBARREIRO/IPS (Documento aprovado na 7ª Reunião do Conselho Técnico-Científico da ESTBarreiro/IPS, de 20 de Outubro de 2010) CAPÍTULO

Leia mais

INSTRUTIVO N.º 18/2016 de 08 de Agosto

INSTRUTIVO N.º 18/2016 de 08 de Agosto INSTRUTIVO N.º 18/216 de 8 de Agosto ASSUNTO: PRESTAÇÃO DE INFORMAÇÃO SOBRE A COMPOSIÇÃO DOS FUNDOS PRÓPRIOS E RÁCIO DE SOLVABILIDADE Havendo necessidade de regulamentar o envio de informação a ser prestada

Leia mais

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL CÓDIGO DE IDENTIFICAÇÃO DO PROCESSO Código da publicitação do procedimento Referência a que se candidata 1 Código de candidato A preencher pela entidade

Leia mais

Emitente: CONSELHO DIRECTIVO. Norma Regulamentar N.º 21/2002-R. Data: 28/11/2002. Assunto:

Emitente: CONSELHO DIRECTIVO. Norma Regulamentar N.º 21/2002-R. Data: 28/11/2002. Assunto: Emitente: CONSELHO DIRECTIVO Norma Regulamentar N.º 21/2002-R Data: 28/11/2002 Assunto: POLÍTICA DE INVESTIMENTO DOS FUNDOS DE PENSÕES - REGRAS DE COMPOSIÇÃO DO PATRIMÓNIO E MECANISMOS DE DEFINIÇÃO, IMPLEMENTAÇÃO

Leia mais

Grupo Parlamentar. Projecto de Lei n.º 197/X

Grupo Parlamentar. Projecto de Lei n.º 197/X Grupo Parlamentar Projecto de Lei n.º 197/X Altera o Decreto-Lei n.º 259/98 de 18 de Agosto, repondo a justiça social na atribuição do subsídio nocturno, altera o Decreto-Lei n.º53-a/98, de 11 de Março,

Leia mais

Regulamento específico Assistência Técnica FEDER

Regulamento específico Assistência Técnica FEDER Regulamento específico Assistência Técnica FEDER Capítulo I Âmbito Artigo 1.º Objecto O presente regulamento define o regime de acesso aos apoios concedidos pelo Programa Operacional de Assistência Técnica

Leia mais

6736-(2) DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

6736-(2) DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO 6736-(2) DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 231 2-10-1999 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Decreto-Lei n. o 393-A/99 de 2 de Outubro O Decreto-Lei n. o 296-A/98, de 25 de Setembro, alterado pelo Decreto-Lei n. o

Leia mais

INSTRUÇÃO N.º 9/ (BO N.º 3, ) MERCADOS Mercados Monetários

INSTRUÇÃO N.º 9/ (BO N.º 3, ) MERCADOS Mercados Monetários INSTRUÇÃO N.º 9/2012 - (BO N.º 3, 15.03.2012) Temas MERCADOS Mercados Monetários ASSUNTO: Mercado de Operações de Intervenção (M.O.I.) O Banco de Portugal, no uso da competência que lhe é atribuída pelos

Leia mais

PREÇOS DE TRANSFERÊNCIA

PREÇOS DE TRANSFERÊNCIA PREÇOS DE TRANSFERÊNCIA Parte Geral Legislação Específica Convenções para Evitar a Dupla Tributação Convenção 90/436/CEE Acordos prévios sobre preços de transferência Conceito de Preços de Transferência

Leia mais

Novo Modelo de Formação

Novo Modelo de Formação Novo Modelo de Formação Conhecimento Melhoria Aperfeiçoamento Fomentar e favorecer a aquisição de conhecimentos Melhoria da qualidade de intervenção dos treinadores Promover o aperfeiçoamento qualitativo

Leia mais

A Regulamentação do Mercado de Valores Mobiliários Uma Perspectiva Geral (Parte III)

A Regulamentação do Mercado de Valores Mobiliários Uma Perspectiva Geral (Parte III) A Bolsa de Valores Na parte final do artigo anterior caracterizámos o mercado secundário de valores e, neste âmbito, apresentámos a definição basilar da bolsa de valores, como uma entidade que tem por

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE CONSELHO DIRETOR

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE CONSELHO DIRETOR FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE CONSELHO DIRETOR Resolução n.º 01, de 14 de fevereiro de 2008 A Presidente do Conselho Diretor da Fundação Universidade Federal do Acre, em exercício, no uso das atribuições

Leia mais