AULA 06: Fundamentos da Computação - ABIN

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AULA 06: Fundamentos da Computação - ABIN"

Transcrição

1 AULA 06: Fundamentos da Computação - ABIN Sumário 1. Metodologia das aulas Conteúdo programático e planejamento das aulas (Cronograma) Principais processadores de Mercado Concluindo Questões comentadas Questões utilizadas na aula Olá Concurseiros, Vamos continuar os estudos para o Concurso da ABIN, especificamente para o Cargo de Oficial Técnico de Inteligência. 1. Metodologia das aulas a) Ao longo do curso teremos aulas expositivas, descritivas e de contexto prático, de forma a tornar o estudo o mais eficiente possível; b) Recomendo que a leitura do presente material, seja compreendida conforme o roteiro exposto na imagem abaixo... Página 1 de 36

2 2. Conteúdo programático e planejamento das aulas (Cronograma). O Conteúdo programático está distribuído conforme foi estabelecido pelo Edital, sendo que adequei assuntos correlacionados ou interligados, em uma mesma aula, para otimizar a compreensão por parte do leitor. Aula Conteúdo a ser trabalhado Aula 0 (Demonstrativa) 19/06/2016 Contextualização; Organização e Arquitetura de Computadores. Aula 1 24/06/2016 Representação de dados, Sistemas de Numeração e codificação Aula 2 24/06/2016 Conversão de base e aritmética computacional. Aula 3 30/06/2016 Componentes de um computador: Hardware (aspectos gerais, memória, Processador) Aula 4 30/06/2016 Componentes de um computador: Hardware (Sistemas de Entrada, saída e armazenamento. Barramentos de E/S) Aula 5 05/07/2016 Componentes de um computador: Software Conceitos de organização e gerenciamento de arquivos e pastas; Instalação de programas e periféricos em microcomputadores Aula 6 05/07/2016 Características dos principais processadores do mercado. Vamos trabalhar? Página 2 de 36

3 3. Principais processadores de Mercado Falar de marcas, modelos e fabricantes de processadores é algo que considero um pouco preocupante porque a gente pode se perguntar o que será que pode cair na prova sobre esse assunto? Na verdade, creio que caia na prova que vc virá a fazer pouquíssima coisa a respeito do que temos no mercado atual. O mais importante, quanto a isso sera vc estar ligado no context geral e nao se prender exatamente a marcas ou modelos. Vc pode ser questionado quanto a isso: - O que a Intel trouxe de benefícios? - O que a AMD tem de diferente? - Quais as novidades a cada evolução? - Exite uma predominância de Mercado de um ou outro fabricante, de acordo com o nicho (jogos, programação, design )? Sempre observando as características e não as marcas necessariamente! Página 3 de 36

4 Falamos de processador, portanto temos que lembrar dos Soquetes! Soquetes são entradas que as placas-mãe possuem para instalação dos processadores. Existem diversos tipos, cada um deles é específico para cada fabricante ou modelo da unidade de processamento que será instalada. Confira abaixo os padrões mais utilizados atualmente e suas respectivas família de chips. Tipo de Soquete LGA755/T 939 LGA1150/H3 LGA1155/H2 LGA1156/H1 LGA1366/ B AM2 / AM2+ AM3 Compatível com processadores Intel Celeron Intel Core 2 Duo / Extreme / Quad Intel Pentium 4 / D / Dual Core / Extreme Intel Xeon AMD Athlon 64 / FX / X2 AMD Dual-core Opteron AMD Sempron Intel Core i3/ i5 / i7 Intel Pentium Dual-core Intel Xeon Intel Core i7 / i7 Extreme Edition Intel Xeon AMD Athlon 64 / FX / X2 AMD Sempron AMD Phenom AMD Phenom II X4 AMD Athlon II AMD Phenom II X2 / X3 / X4 / X6 AMD Sempron / Sempron X2 Fabricante dos processadores Intel AMD Intel Intel AMD AMD FM1 AMD Dual-Core A / 3400 AMD AMD Dual-Core A / 3400 FM1 upga AMD Triple-Core A AMD Quad-core A / 3650K Black Edition AMD Página 4 de 36

5 AMD Quad-core A / 3870K Black Edition AMD Dual-Core A / 5300 / 6300 AMD Dual-Core A6 5400K Oficial Técnico de Inteligência - ABIN FM2 AMD Quad-Core A / 5600K / 6500 / 6600K AMD Quad-Core A / 6700 / 5800K / 6790K / 6800K AMD Será que temos mais tipos de soquetes no mercado? Com certeza sim! Será que temos que saber todos eles para a prova? Com certeza não! Antes mais importante do que hoje, temos as características abaixo: Single-core ou multi-core: esta característica indica a quantidade de núcleos de processamento que um processador pode ter, podendo variar de apenas um núcleo até mais de oito núcleos. Quanto maior o número de cores, maior é a capacidade de processar tarefas simultaneamente e acelerar as aplicações do PC. Arquitetura 32 ou 64 bits: essa característica remete à capacidade de processamento de informações do processador. Apenas chips com arquitetura de 64 bits é possível que o PC aproveite quantidades superiores a 3GB de RAM, além de processarem blocos maiores de dados de maneira mais rápida. Compatibilidade com overclock: esta é uma técnica utilizada para aumentar a velocidade nominal do processador e conceder um desempenho extra ao usuário. Processadores que possuem esta capacidade são identificados como Unlocked, no caso de Intel, ou Black Edition, para AMD. No entanto, hoje são fatores tão comuns no mercado que a gente nem precisa observar tanto esses itens. Hoje não existe mais processador que não seja multi-core. Dual, tri ou quad e até octa core! 32 ou 64 bits? O mercado vai cada vez mais expulsar o que não for 64 bits! Quanto ao overclock, prática comum para usuários avançados ou para gamers, é preciso estar ciente de que a exigência excessiva de processamento dos chips podem fazer com que esses componentes se desgastem mais rápido, além de obrigar o usuário a equipar a máquina com sistemas de resfriamentos mais eficientes. Mas todas as CPUs de hoje praticamente tem essa possibilidade. Página 5 de 36

6 Vamos a um mergulho na história dos processadores, acompanhando as evoluções em suas características. Dentro do mundo do PC, tudo começou com o 8088, lançado pela Intel em 1979 e usado no primeiro PC, lançado pela IBM em Depois veio o 286, lançado em 1982, e o 386, lançado em O 386 pode ser considerado o primeiro processador moderno, pois foi o primeiro a incluir o conjunto de instruções básico, usado até os dias de hoje. Lançado em 1985, serviu de base para desenvolvimento de modelos mais avançados, tais como, 486 Pentium, Pentium Pro, Pentium II, da Intel. Foi muito utilizado com o MS-DOS, e Windows 3.1. Bugs: Primeiras versões, as de 16 MHz, teve alguns problemas que somente em 1990 os erros foram corrigidos SX (a sigla SX representava single Word ) foi criado como forma de baratear os custos de montagem das placas. Baixo desempenho era o principal problema desse processador e acessava somente até 16Mb de memória RAM DX (a sigla DX representava Double Word ) Em ambos modelos podemos utilizar coprocessadores, respectivamente SX e DX. Foi criado nesta época o Cachê de memória, um circuito especial que é tão rápido quanto o processador para trabalhar com as informações rapidamente, já que os módulos de memória começaram a ficar mais lenta do que o processador. Ai veio a Linha 486, que ficou conhecida como a linha-mãe de todas as demais dos processadores... O processador 486 tinha somente 6 novas instruções no processador a mais que o 386, porém era muito mais rápido porque muito dos periféricos que antes eram externos ao processador, agora estavam dispostos dentro do encapsulamento do processador DLC Criado apenas algumas relações de instruções em relação ao 386, porém utilizava a mesma pinagem. A única vantagem de se utilizar o 486DLC ao 386 é que ele possuía 1Kb de cachê de memória interno. interno SX Versão de baixo custo, que não possui o coprocessador matemático 80486DX 50 Foi desenvolvido a partir do aumento da frequência de operação do microprocessador, porém as primeiras placas que foram desenvolvidas para este novo Página 6 de 36

7 processador tinham componentes novos, recém construídos para aceitar velocidade maior, por isso apresentavam-se muitos problemas, tais como, sobreaquecimento, constantes travamentos e resets DX2 Foi criado como solução para os problemas do antigo modelo, trabalhava a 50 MHz, porém utilizava o conceito da multiplicação de clock, o que significa que na pratica o clock da placa era de 25 MHz e o processador trabalhava internamente com 2X 25, ou seja, 50 MHz. Outro modelo muito conhecido é o 486DX2-66 que trabalha com clock de 33 MHz e o mesmo conceito do anterior com clock de 25 MHz DX4 Foi lançado com este nome como forma de marketing da Intel, pois trabalhava internamente com multiplicação de clock X3 (vezes 3), ou seja, os modelos 486DX4-75 utilizavam clock de 25 X 3 e o 486DX4-100 utilizava clock de 33 X 3. Um problema desse tipo de processador é que a velocidade de processamentos de dados é 3 vezes maior que a velocidade de leitura ou escrita da memória RAM, o que resultou o aumento da memória cachê para 16 Kb. Trabalho com 3.3V em lugar dos 5V utilizados até então para outros modelos. Os processadores do fabricante AMD, tais como, o Am5x86 são similares ao 486 da Intel. Trabalham com multiplicação de clock x 4 (vezes quatro), então os modelos Am5x utiliza clock de 33 Mhz x 4, e o Am utiliza clock de 40 Mhz x 4. A cyrix também é outro fabricante de processadores que criou os modelos Cx5x de clock 33 Mhz x 3 e o modelo Cx5x de clock 40 Mhz x 3. Todos estes modelos de 486 eram compatíveis com o 5 86 utilizam um padrão de pinagem conhecido como soquete 3. Por isso todas as placas mães para esses processadores tem que ter este tipo de soquete. O 486 passou a utilizar um padrão de cachê de memória interno conhecido como cachê de memória L1 e outro externo conhecido como cachê de memória L2, o qual tornou-se padrão. Página 7 de 36

8 Os processadores da família AMD seguiram a linha de multiplicação de clock de 40 Mhz,(186DX2-80, e 486DX4-120), são alimentados em 5V, somente os que tem especificado no corpo do processador a marcação 3V é que devem ser alimentados com 3,3 Volts. Foram muito utilizado com Windows 3.1 e Windows 95 em suas primeiras versões. Nessa linha do tempo, vem então os famosos Pentium... O Pentium em termos de software funcionava igual aos 386 e 486, tem os mesmos modos de operação. Características que tornaram o Pentium mais rápido que o 486: Cache interno L1 de 16Kb, dividido em dois, um de 8Kb para armazenamento de dados e outro de 8 Kb para instruções. A divisão fazia com que o cache seja mais rápido. Cache L1 write back: utilizava o cachê tanto para ler como para escrever na memória RAM. Previsão de desvio: Quando um programa chega a um desvio condicional o Pentium já carrega no cachê as rotina possíveis a serem utilizadas, aumentando o desempenho. Arquitetura super escalar com dupla canalização: ele processa duas instruções com o mesmo pulso de clock como se fosse dois 486 trabalhando em paralelo. Coprocessador matemático mais rápido: 3 a 5 vezes mais rápido que o do 486 DX. Encapsulamento: O Pentium utilizava encapsulamento de cerâmica cinza e os modelos mais recentes passaram a utilizar o encapsulamento PPGA (plastic pin grid array), de cor preto. Frequência de operação: A frequência máxima da placa-mãe é de 66 (66,6 Mhz), este é o limite imposto pela Intel no decorrer do projeto Pentium. Modelos iniciais eram os Pentium 60 e 66:, que são classificados como sendo diferentes dos demais modelos, pois não permitem multiplicação de clock e são alimentados com 5V. Estes processadores tem nome-código P5. Os demais processadores que surgiram em seguida tem nome-código P54C. Estes processadores utilizam placa-mãe soquete 4. Dali vieram os Pentium MMX: Inclui um novo conceito chamado SIMD (single mode, multiple data instrução única para múltiplos dados) que permite que vários dados Página 8 de 36

9 de poucos bits sejam manipulados simultaneamente. Outras mudanças: Cachê L1 maior: 32 Kb dividido em dois de 16 Kb, um para dados e outro para instruções, Tensão de alimentação: 2,8 V, Previsão de desvio melhorada. soquete 7. Estes modelos de Pentium utilizavam o mesmo tipo de placa-mãe, denominada Pentium Pro: Foi projetado especificamente para ser utilizado em micros servidores de rede, ele incorpora uma série de alterações em relação ao Pentium comum. Utilizava a tecnologia RISC ( Reduced introduction set computing Computação utilizando conjunto reduzido de instruções). A arquitetura do Pentium pro é super escalar em tripla canalização: executa Três instruções simultaneamente. Para que ele continuasse compatível com todos os programas existentes, foi adicionado um decodificador CISC à sua entrada. Dessa forma, ele aceitava programas CISC, porem os processa em seu núcleo RISC. A partir deste modelo todos os processadores Pentium passam a utilizar a tecnologia RISC em seu núcleo, apenas utilizando um decodificador CISC que converte as instruções dos programas a serem executados, eliminando a incompatibilidade com os programas atuais. O cachê L2 (externo) foi integrado ao processador. O Pentium II utiliza o núcleo do Pentium pro e a tecnologia MMX, possui um novo tipo de encapsulamento, sendo acondicionado em um cartucho. Suas características: Cachê L2: o cache L2 não esta integrado dentro do processador, mas sim no cartucho SEC, ao lado do processador, e trabalha com metade de frequência de operação do processador. Cache L1 maior: passou a ser de 32 Kb, dividido em dois de 16 Kb. Barramento externo: a partir do modelo 350 Mhz trabalha externamente a 100 Mhz, enquanto os modelos até 333 Mhz trabalham a 66 Mhz. Celeron: É um modelo de Pentium II de baixo custo, possui todas as características do Pentium II, com execução as alterações do circuito cache L2. Pentium II Xeon: Foi construído especificamente para servidores de rede, e é considerado um Pentium pro MMX, possui alto desempenho. Possui o dobro da altura do processador Pentium II convencional, trabalha externamente a 100 Mhz. Possui: Cache L2 trabalha a mesma velocidade do processador. Página 9 de 36

10 Oficial Técnico de Inteligência - ABIN Permite multiprocessamento simétrico com até quatro processadores. Acesso até a 64 Gb de memória. Possuía um novo modelo de soquete chamado slot 2, também conhecido como Slot de 330 contatos, exigindo assim um novo modelo de placa-mãe. Pentium III: Você encontrava dois tipos de Pentium II no mercado: o tradicional, em forma de cartucho que usa placas-mãe do tipo slot 1, a mesma do Pentium II -, e o novo modelo em forma de soquete, chamado FCPGA ( flip chip pin grid array) que utiliza placasmãe do tipo soquete 370, a mesma usada pelo Celeron PPGA. Pentium III Xeon: Utiliza a mesma tecnologia do Pentium II Xeon adicionadas as tecnologias MMX2. Existiam dois modelos disponíveis, um com tecnologia de 0,25 um que trabalha externamente a 100 Mhz e outro com tecnologia de 0,18 que trabalha externamente a 133 Mhz. Vamos falar um pouco dos Processadores AMD agora... A AMD é uma fabricante de processadores como a Intel, que vem crescendo muito no mercado de vendas de processadores. Na verdade são 2 das maiores empresas do mundo. E sim, continuam crescendo! Os processadores AMD deram um pulo muito grande a partir do processador K6, devido a AMD ter comprado a empresa pouco conhecida NEXGEN, estava de olho no seu Know-how que tinha um projeto de um novo processador que iria se chamar Nx686, com a compra da empresa, a AMD a transformou no AMD K6 que ficou muito conhecido. Os processadores AMD K5 e o AMD K6 foram os processadores que despontaram, depois vieram tecnologias mais novas como o processador ATHLON. AMD K5 foi o primeiro de destaque. O AMD K5 tinha as seguintes características: Arquitetura super escalar em quatro canalização Cache de memória interno (L1) de 24Kb, dividido em um de 8 Kb para dados e outro de 16 para instruções Compatibilidade com soquete 7 Frequência de operação: O K5 utilizava um esquema de multiplicação similar ao Pentium. Porém devemos tomar cuidado na hora da configuração da placa-mãe, pois a frequência de operação do processador não é a que esta estampada. Página 10 de 36

11 Oficial Técnico de Inteligência - ABIN Placa-mãe: A placa-mãe utilizada pelo processador AMD K5 é a mesma do Pentium clássico, ou seja, padrão soquete 7. AMD K6-II: Esse processador também chamado de K6 3D, seu nome-código era um K6 com algumas novidades muitos importantes. Barramento externo de 100 Mhz: primeiro processador da AMD a romper o limite de Mhz. Era necessário uma placa-mãe soquete 7 capaz de trabalhar a 100 Mhz (MMX). A escolha de um bom chip-set como VIA MVP3 era fundamental. Unidade MMX super escalar em dupla canalização: com, isso duas instruções MMX podiam ser executadas simultaneamente em um único pulso de clock. Tecnologia 3D NOW!: 21 novas instruções MMX. Para utilizar essas instruções, os programas deveriam ser compilados exclusivamente para o K6-II ou então escritos para o Directx 6.0 instalado no micro. AMD K6-III: O processador K6-III, também conhecido como K6 3D+ ou sharptooth, seu nome-código é um K6-II com desempenho superior, por ser o primeiro processador não- Intel para pc s a utilizar cachê L2 integrado dentro do processador, trabalhava na mesma frequência de operação do processador, a exemplo do que ocorria com os processadores Pentium PRO, Celeron-A, Pentium II Xeon, Pentium III Xeon. As principais novidades do K6-III são: Cachê L2 integrado: similarmente ao Pentium Pro, o K6-III tinha um cachê L2 de 256 Kb integrado dentro do próprio processador. Com isso o Cache trabalhava na mesma frequência interna do processador, ou seja, no caso de um K6-III de 400 Mhz, o cache L2 trabalhava a 400 Mhz e não a 100 Mhz como o K6-II. Ou 66 Mhz, como no K6 comum Cache L3 na placa-mãe: essa é uma inovação no mundo dos pc s. além dos dois cachês que estão integrados dentro do próprio processador (L1 e L2), o K6-II permite a utilização de um terceiro cache de memória na placa-mãe, aumentando ainda mais o desempenho do micro. Na verdade, esse cache externo existente nas placa-mãe soquete 7 Soquete 7: um dos grandes trunfos desse processador era a compatibilidade com a plataforma soquete 7 (na verdade super 7, pois ele opera externamente a 100 Mhz) Página 11 de 36

12 Oficial Técnico de Inteligência - ABIN Frequência de operação: O K6-III trabalha externamente a 100 Mhz, multiplicando esse clock para obter sua frequência de operação interna. Ai vieram os AMD K7 ATHLON... A AMD iniciou o ano 2000 rompendo, pela primeira vez no mundo dos microprocessadores, a significativa barreira dos Mhz. No dia 6 de janeiro, a equipe formada pela AMD, compaq e Kryo tech apresentou uma máquina presario, MOTORIZADA com um processador Athlon trabalhando a 1 Ghz. É claro que esse computador é um mero protótipo de laboratório e tal velocidade só foi alcançada graças as técnicas de refrigeração fornecidas pela Kryo Tech. Mas não deixa de ser um grande feito e, por isso, vamos analisá-lo um pouco: O principal problema para uma CPU rodar com um Clock elevado é o seu aquecimento. Quanto maior a velocidade, maior a quantidade de calor gerado no interior do semi-condutor. Se for providenciado um mecanismo eficiente para a remoção desse calor, então é possível atingir altas velocidades. E é exatamente isso que foi feito com esse computador onde, é claro, só a CPU roda 1 Ghz, todo o resto trabalha nas velocidades usuais. Voltando a navega um pouco mais nos Processadores Intel, temos o Pentium D. O Pentium D é a junção de dois processadores Pentium 4. Muitos usuários pensam que o Pentium D é um processador de núcleo duplo excelente, porém a história é um pouco diferente. Assim como acontecia com o Pentium 4, tudo se repetiu no Pentium D. A Intel precisava colocar dois núcleos com uma frequência muito alta para conseguir um bom desempenho. A memória cache dos Pentium D é razoavelmente suficiente, porém como a Intel parou de investir neste tipo de CPU, atualmente os valores de memória e até a própria velocidade destes processadores não proporcionam bons resultados em games e aplicativos pesados. Aí vieram os Pentium Extreme Edition. Pelo nome não parece, mas os tais Pentium Extreme Edition são processadores de duplo núcleo também. A diferença entre estes e os Pentium D é, basicamente, que o Extreme Edition é um processador com dois Pentium 4 Extreme Edition trabalhando em conjunto. Com um desempenho um pouco melhor, algumas tecnologias a mais que auxiliam no trabalho pesado, este processador ganhou pouca fama, pois logo foi substituído por outros modelos. Página 12 de 36

13 O Pentium 4 Extreme Edition trabalhava com a tecnologia HT (a qual simulava dois processadores num só), a qual permitia um ganho de até 30% em múltiplas tarefas. Como o Pentium Extreme Edition é uma evolução, ele traz dois núcleos que operam com a tecnologia HT. Sendo assim, os dois núcleos do Pentium Extreme Edition simulam dois núcleos virtuais, de modo que o processador disponibiliza quatro núcleos para o sistema. Vc já deve ter ouvido falar em Core 2 Duo... Os Core 2 Duo estiveram entre os processadores mais cobiçados para jogos. Se comparado com os antigos processadores de dois núcleos da empresa, os novos Core 2 Duo mostravam uma superioridade incrível. O grande motivo da diferença em desempenho é o novo sistema de núcleo da Intel, até então, revolucionário. Os antigos Pentium D trabalhavam com uma linha de processamento idêntica a dos Pentium 4, já os tais Core 2 Duo funcionam com a nova tecnologia Core. Com uma frequência (velocidade) mais baixa, um pouco mais de memória interna, modos mais eficiente de compartilhamento de recursos e alguns outros detalhes, os Core 2 Duo são os processadores mais potentes no ramo dos Dual Core, até aquele momento. O Intel Core 2 Duo era indicado para jogos de última geração, edição de imagem e vídeo, programas matemáticos ou de engenharia e tarefas que requisitem alto processamento. Tivemos também os Pentium Dual Core. O Pentium Dual Core surgiu praticamente na mesma época do Core 2 Duo. Tendo a arquitetura (sistema interno de peças) baseada no Core 2 Duo, o Pentium Dual Core trouxe apenas algumas limitações. O tão falado FSB (barramento frontal) tem velocidade menor, a memória interna (cache) do processador é menor e os modelos disponíveis trazem clocks (velocidades) mais baixos. Para o usuário que procura apenas navegar na internet e realizar tarefas simples, este processador era uma excelente escolha, visto que a relação custo-benefício dele é uma das melhores quando se fala em processadores Intel de duplo núcleo. Aí o top de mercado daquela ocasião era o Core 2 Quad. Descendentes dos Core 2 Duo, os novos Core 2 Quad nada mais eram do que processadores com quatro núcleos e um sistema interno muito semelhante aos seus antecessores. Ainda novos no mercado, os Core 2 Quad apresentavam desempenho relativamente alto, porém em algumas tarefas eles perdiam para os Dual Core. O grande problema nos Quad Core (termo adotado para falar Página 13 de 36

14 a respeito de qualquer processador de quatro núcleos) era a falta de programas aptos a trabalhar com os quatro núcleos. Além disso, o custo destes processadores ainda não era aceitável, ou seja, ideal para os usuários domésticos. Core 2 Extreme Quad Core foi uma evolução deles. Apesar da grande performance apresentada pelos Core 2 Quad, a Intel conseguiu criar um processador quase idêntico com maior velocidade. Apresentando dois modelos com a velocidade de clock superior, a Intel criou estes processadores especificamente para gamers e usuários fanáticos por overclock. Vale ressaltar que há processadores Core 2 Extreme de dois e quatro núcleos. Ao comprar um Core 2 Extreme é importante averiguar se o processador é de dois ou quatro núcleos. Agora temos o poderoso Intel Core i7... A última palavra em tecnologia é o Core i7. Esta linha de processadores da Intel opera com quatro núcleos, velocidade semelhante a dos Core 2 Quad e quantidade de memória cache parecida. As mudanças são diversas, começando pelo suporte de memória DDR3 e abrangendo até o modo de comunicação com os outros itens do PC. O i7 traz a tecnologia HT, a qual simula múltiplos núcleos e tende a aumentar o desempenho significativamente para aplicações que trabalhem com a divisão de processamento. Segundo o site da Intel, estes novos processadores podem simular até oito núcleos, isso se o sistema operacional for compatível com a tecnologia. A performance do Core i7 é sem dúvida superior a qualquer outro processador, no entanto talvez não seja uma boa ideia comprar estes processadores agora, visto que não há programas que exijam tamanho poder de processamento esse era um anúncio que existia há pouquíssimos anos, dos sites especializados... Hoje isso não é verdade! Página 14 de 36

15 Com certeza não vai cair em sua prova, nem é meu objetivo aqui ensinar procedimentos de montagem e manutenção, mas é imprescindível que estudemos a teoria toda focando o contexto prático. E em dado momento o contexto nos leva ao hardware propriamente dito. Na imagem acima temos o soquete sendo preparado para receber o encaixe da CPU. Ali está a pasta térmica, conforme necessário como procedimento padrão. Na imagem a seguir, é possível observar um processador da AMD, com o respectivo indicador para o encaixe. Uma vez feito isso, o processadores está ok. Vem o procedimento de instalação do cooler, enfim... foge ao nosso contexto já. O fato importante aí é que saibamos os porquês do soquete e das questões que envolvem energia, calor, etc. Mais à frente veremos a respeito. Página 15 de 36

16 Acho ser importante que vc dê uma paradinha aqui, ou ao final da leitura deste material, acesse o site da Intel, observando os modelos mais recentes de mercado. Fique atento ao fato de que não é necessário decorar nada a respeito de quais são exatamente os modelos de momento, ok? Apenas se atente ao contexto... as evoluções que a Intel proporcionou ao mundo... assim como as que a AMD veio a proporcionar. Agora vamos navegar um pouco mais sobre a empresa AMD. Principalmente concorrente da Intel. Ressalto mais uma vez que o profissional de TI tem que ter ciência de que são 2 grandiosíssimas empresas, que disputam metro a metro o mercado. Não tem nenhuma muito melhor ou pior. A briga é acirrada. A AMD foi fundada em 1969, construindo seu escritório central no estado da Califórnia, EUA. Em 1970, a empresa lançou seu primeiro produto, o AM2501, um chip que fazia cálculos lógicos. Foi o começo de uma estrada de sucesso, que pode ser observada hoje, já que a empresa faz frente aos processadores mais poderosos da Intel, inclusive causando muita polêmica sobre qual das duas empresas fabrica os melhores equipamentos. Os dizeres abaixo são os que vinham em processadores da AMD, parecidos com sua concorrente, apenas com pequenas variações. Clock - frequência em Hertz na qual o processador trabalha. Black Edition - edição de um processador que possui o multiplicador desbloqueado, facilitando o overclock. HyperTransport - é o barramento do processador, algo criado pela Intel. A AMD não utiliza a notação FSB (Front Side Bus) em seus processadores. Página 16 de 36

17 O motivo das rivalidades atuais à la Brasil X Argentina entre AMD e Intel, e também entre os usuários que preferem uma ou outra marca, não é completamente sem fundamento. A explicação está no fato de que, no início da década de 1980, a IBM tinha somente um fornecedor de chips, que era a Intel. Isso ia de encontro às políticas da empresa, e fez com que a IBM cobrasse uma atitude da Intel. Assim, em 1982, a AMD firmou um contrato com a Intel para se tornar a segunda fornecedora de chips licenciada para a IBM. Até hoje, apesar de não conhecerem esse fato, muitos usuários discutem aos tapas, defendendo a AMD e afirmando que seus processadores são melhores que os da Intel. Por outro lado, os fãs da Intel argumentam que a AMD começou à sombra da Intel, e lá permanecerá. A verdade é que o primeiro processador da AMD era uma cópia perfeita do Intel 8080 (tecnologia anterior à x86), criado através de engenharia reversa. Era só o início das cópias, já que a AMD, como segunda fornecedora de chips da IBM, faria processadores idênticos aos modelos da Intel que ainda seriam lançados. Para cada processador x86 lançado pela Intel, um correspondente idêntico era fabricado pela AMD: o Am286 era idêntico ao Intel 80286; o Am386 era idêntico ao 80386, e assim por diante, mas somente até certo momento... A história da briga (briga de verdade) entre AMD e Intel durou vários anos, com direito a processos e quebras de contrato. A empresa já era fabricante de chips antes de começar a fazer processadores, mas como nosso foco é o cérebro do PC, começaremos pelos chips fabricados para entrar na luta pelo domínio do mercado da tecnologia x86. O primeiro processador da AMD a fazer sucesso foi o Am386, lançado em Como já mencionamos, ele era um clone perfeito do da Intel. Surpreendentemente ou não, o Am386 vendeu milhões de unidades em questão de meses. Estava dada a largada para a competição do mercado de processadores. Em seguida, vieram o Am486 e o Am5x86, que se mostraram perfeitos como alternativas baratas para os processadores Intel, que eram um pouco mais poderosos, mas muito mais caros. Página 17 de 36

18 Estes três modelos de processador Am386, Am486 e Am5x86 foram todos desenvolvidos através de engenharia reversa, o que se tornava um processo inviável conforme o passar do tempo. Era chegada a hora de a AMD tomar uma atitude, e ela tomou: abandonou a engenharia reversa e lançou mão do know-how adquirido nos anos de sombra da Intel para lançar seu primeiro processador, criado completamente do início pela equipe da empresa. Nascia o K5. É praticamente impossível encontrar uma pessoa no mundo que não conheça o herói Super-Homem, dos quadrinhos. O Super-Homem é indestrutível e invencível, certo? Errado! Existe uma arma que pode acabar com a existência do homem de aço, que é a Criptonita. O que isso tem a ver com o assunto? Tudo! Considere a Intel como o Super-Homem dos processadores, em conjunto com o fato de a AMD ter usado o nome K como referência à palavra Kriptonite. Ou seja, com o lançamento da série K, a AMD estaria ameaçando a então hegemonia da Intel no mercado. Por isso a ideia de usar K na nomenclatura dos próximos... veio o K5. O K5 foi o primeiro processador x86 desenvolvido totalmente pela AMD, sem qualquer cópia dos processos e códigos da Intel. Lançado em 1996, o K5 chegou para competir com a primeira versão do Pentium. Ele era superior ao Pentium em vários aspectos, mas não possuía Página 18 de 36

19 instruções MMX, que a Intel recém lançara nos processadores Pentium MMX. O K5 estava disponível em clocks de 75 a 133MHz. Aí veio o K6. Ainda em 1996, a AMD comprou a NexGen, outra fabricante de chips, adquirindo também os direitos de fabricação dos processadores x86 daquela empresa. Com muito investimento e liberdade, os ex-funcionários da NexGen e recém contratados da AMD criaram o K6, que foi lançado em O K6 foi lançado para entrar na competição com o Pentium II, e se deu muito bem, pois encaixava em qualquer máquina com suporte ao processador da Intel, e custava muito menos. Quem já mexia com computadores na época do K6 deve se lembrar muito bem da quantidade de PCs que vinha com um processador AMD, ao invés de um Intel. O sucesso do K6 foi tão grande que a AMD ganhou força e começou a ser um concorrente de peso, além de uma ótima alternativa aos caros chips da Intel. O K6 possuía instruções MMX e utilizava o Socket-7, ou seja, o mesmo dos processadores da Intel com os quais concorria. Houve margem para a AMD lançar K6-2. Depois do K6, os usuários que gostavam de economizar foram brindados com uma evolução, o K6-2, que obteve aceitação altíssima do mercado e dos consumidores. Ele também foi lançado para competir com o Pentium II, e Página 19 de 36

20 foi o primeiro processador a vir com instruções SIMD (Single Instruction, Multiple Data), rebatizadas de 3DNow! pela AMD. A nova tecnologia aumentava o desempenho do processador, mas não obteve muito sucesso. Veio o Athlon... Apesar de ainda manter internamente o K para se referir às gerações de seus processadores, na sétima geração (K7), a AMD começou a dar nomes comercialmente mais atrativos aos seus processadores. Era chegada a era dos nomes chiques, e o Athlon foi o que a inaugurou, em Em 2001, foi lançado o Athlon XP. O Athlon conseguiu ganhar dos processadores Intel, em desempenho, sendo o primeiro processador da história a ter o clock chegando à casa dos Gigahertz, como forma de competir com o Pentium III. Isso mesmo! Até então a casa decimal da frequência dos computadores não passava do GHz e quem inovou foi a AMD! As velocidades de clock do Athlon, variavam dos 1333 a 1533 MHz, com nomes de modelo como e Apesar de não fazer oficialmente referência ao Windows XP, o nome Athlon XP foi automaticamente associado àquela versão do Windows, já que ambos foram lançados na mesma época. Oficialmente, o XP dos processadores significava Extreme Performance. Vieram os Duron e os Sempron. No ano 2000, havia se criado um novo mercado de processadores de baixo custo, alternativos aos mais caros, com desempenho ideal para a informática do dia a dia. O representante da AMD foi o Duron, que era essencialmente um Athlon de menor capacidade. Posteriormente, foi lançado o Sempron em substituição ao Duron, para assumir o mercado de processadores de baixo custo. Portanto havia os tops de mercado e os alternativos, mais baratos... Um bom exemplo disso foram as lan-house espalhadas pelo Brasil equipadas com processadores desse tipo, em máquinas que saíam por preço bem acessível. Inicialmente, o Sempron tinha os mesmos recursos que o Athlon XP, mas evoluiu até chegar ao patamar que se encontra hoje, acompanhando as novas gerações de microarquitetura. Poderia se definir o Sempron como o grande coringa dos processadores, devido à grande quantidade de modelos gerada por causa dessa evolução. Página 20 de 36

21 Em 2005, a AMD lançou o Sempron com tecnologia 64 bits, baseada no Athlon 64. Mais uma vez, o processador compartilhava características, mas tinha outras reduzidas para deixar o chip mais barato e adaptá-lo ao mercado low-end. O Athlon 64 é um dos membros da nova geração (K8) de processadores, que começaram a chegar com a tecnologia 64 bits incorporada. Essa geração também teve uma mudança na forma como o barramento do sistema funciona, recebendo a tecnologia HyperTransport. A tecnologia 64 bits foi desenvolvida inicialmente para o mercado de servidores, mas logo chegou às mãos dos usuários finais, em processadores domésticos o Athlon 64 é baseado no processador para servidores Opteron. Daí vieram os processadores Athlon 64 X2. Pouco tempo depois de lançar o Athlon 64, a AMD criou seu primeiro processador com 2 núcleos, que é o Athlon 64 X2. Trata-se de um processador com dois núcleos do Athlon 64 no mesmo chip. Como ficou redundante mencionar a tecnologia 64 bits, já que ela passou a estar presente na maioria dos processadores, a AMD parou de usar o 64 no nome dos processadores, renomeando as novas edições para Athlon X2 somente, para representar a quantidade de núcleos. Outro ponto revolucionário foi essa sacada de marketing da AMD! A décima geração de processadores da AMD foi o Phenom, que possui uma gama enorme de modelos e características diferentes. Os modelos Phenom, por exemplo, estavam disponíveis em versões com 3 ou 4 núcleos. Seu sucessor, o Phenom II, foi lançado em 2008, já com suporte à memória DDR3 e conector AM3. O Phenom II é um dos mais rápidos processadores da AMD, com cache L3 de 6 MB, em contrapartida aos 2 MB do seu antecessor. O Phenom II pode chegar até a frequência nominal de 3.4 GHz, e é o primeiro capaz de suportar condições extremas de overclock, o que deixou muito felizes os entusiastas da área, na época de seu lançamento. CPUs anteriores simplesmente paravam de funcionar a temperaturas muito baixas quando se usavam os sistemas de resfriamento instalados pelos praticantes de overclock. O Phenom II superou esse problema e, portanto, suporta níveis elevadíssimos de overclock. Seus modelos possuem 2, 3 ou 4 núcleos. Depois da fusão da AMD com a ATI, ambas as empresas se beneficiaram da experiência de cada uma para melhorarem seus equipamentos. Página 21 de 36

22 A AMD está apostando alto na fusão de CPU e GPU em um só componente mas com núcleos dedicados somente a gráficos e outros dedicados às outras informações. com a Intel. Isso foi com certeza o principal fator de crescimento e concorrência pau a pau Falando novamente de processadores de mercado em geral, não mais apenas de uma fabricante ou de outra, vimos o que querem dizer as letras K e AM, assim como o X2, o quad e o dual... Mas vejamos agora mais terminologias. Veja as imagens a seguir: Ali são mostrados 2 modelos de CPU como são anunciados nos sites de vendas e da fabricante. Perceba que cada modelo de processador é referenciado a partir de um conjunto de números, formando um código. A melhor forma de entender o que tem de bom em cada um e uma análise comparativa, seria consultando diretamente o site da fabricante. Podemos descrever as principais variações possíveis: T: componentes com o TDP reduzido. São processadores com melhor eficiência energética. Além de consumir menos energia, esses modelos liberam menor quantidade de calor... ainda veremos mais sobre esse tal TDP. E: os chips indicados com essa letra garantem economia de energia acima de tudo. É justamente por essa razão que eles trabalham com as menores frequências; S: modelos especiais que oferecem maior desempenho. Tais componentes trazem clocks de base e de turbo mais elevados e garantem poderio extra em todas as atividades; R: componentes com maior poderio gráfico. As CPUs Intel Core com a terminologia R trazem GPUs Intel Iris Pro graphics; Página 22 de 36

23 M: linha de produtos mobile. Processadores com essa letra são específicos para notebooks e ultrabooks; em chips mobile; energia; Q: essa letra indica se um processador é quad-core. Ela referencia tal característica U: são CPUs do tipo Ultra Low Power, ou seja, que requisitam pouquíssima X: os chips mais avançados da Intel são do tipo extreme. Geralmente, os chips X contam com mais recursos (núcleos, threads, clock, cache, etc.) para oferecer desempenho máximo; Y: são os processadores mais econômicos. Eles consomem menos energia do que componentes do tipo U. Vamos observar as imagens abaixo, foram retiradas do site da Intel. Página 23 de 36

24 Ali é possível ver a descrição para cada uma das linhas de mercado que essa fabricante já lançou, inclusive categorizando, conforme exponho algumas abaixo: Linha de uso comum (em desktops e laptops) Linha de uso em servidores (Xeon) Linha de menor dimensão e consumo de energia (Atom, para netbooks) O TDP (Energia Térmica de Projeto) mencionada anteriormente, indica a quantidade máxima de energia liberada pela CPU. Tal valor também revela qual deve ser a capacidade de dissipação do sistema de refrigeração. Vale ficar ligado para não confundir o TDP com o consumo de energia do chip. Quanto à memória, temos uma informação que pode ser de grande valia também... os atuais processadores Intel contam com três níveis de memória cache. O nível L1 é dividido em 2 partes: instruções e dados. Cada parte é dividida em dois, algo que propicia melhores resultados para as atuais arquiteturas da fabricante. Em anúncios sobre um processador por exemplo, o valor de memória cache na L1 que se lê é mostrado somando os valores, por isso você vê 128 KB (instruções) KB (dados), mas o certo seria 64 KB x KB x 2. O nível de cache L2 é composto por módulos que são utilizados de forma separada por cada núcleo. É por isso que um processador de 2 núcleos conta com 2 x 256 KB de cache L2, da mesma forma que um chip de 4 núcleos utiliza 4 x 256 KB. Página 24 de 36

25 A memória cache L3 é dividida entre todos os núcleos e armazena dados que podem ser úteis a todos os cores. Como você deve imaginar, quanto maior o cache L3, maior será o desempenho do processador. Assim como nos processadores da Intel, os da AMD estão todos no site oficial da fabricante. E aqui, conforme a imagem abaixo, a categorização é até mais clara. Observe que a AMD destaca placas gráficas para 3 categorias distintas, além de processadores para desktop, para notebook e para servidores. Além de séries especiais. Clicando em um daqueles itens de menu é possível fazer um comparativo. Página 25 de 36

26 E voltando ao site da Intel, vc pode também fazer análise comparativa entre modelos específicos, conforme a necessidade. Neste exemplo acima, peguei a linha do i7 mais moderno até o momento (6ª geração) e detalhei os 13 modelos dele para dispositivos portáteis. Na imagem abaixo navego apenas nos 4 modelos para desktop dessa linha i7. Além delas existem mais 5 modelos próprios para dispositivos móveis, conforme indicado pela própria fabrincante. E não tem jeito. A melhor fonte para acompanhar os modelos atuais é essa! Página 26 de 36

27 E se vc quiser comparar CPUs de uma marca e de outra? Oficial Técnico de Inteligência - ABIN Uma boa prática é justamente olhar nos 2 sites (ADM e Intel) e fazer uma análise a seu modo. Outra boa prática é verificar em sites especializados. Existe uma infinidade de comparações por aí. Como essa da imagem abaixo. Página 27 de 36

28 O que há de mais importante ali? Oficial Técnico de Inteligência - ABIN Vc sabe dizer qual o melhor? Será que o melhor é o mais barato? Ou será que o melhor é o que tem clock mais rápido? Ou o determinante é o número de núcleos? Qual a melhor resposta para isso? Indique o conjunto de fatores ali apresentados. Ali temos muita informação importante. É um bom exercício de fixação para vc. Na imagem abaixo temos uma avaliação feita por outro site, considerando fatores que foram testados. Aí as informações são bem menos relevantes porque vc apenas lê algo que alguém está dizendo, sem poder tirar suas conclusões. Creio ser mais importante para seus estudos, análise como a da imagem anterior Página 28 de 36

29 4. Concluindo... Convido você agora a observar algumas das funcionalidades vistas até aqui, em poucos minutos, em casa ou no trabalho, no momento que for oportuno. Como falado lá no início do material, em Informática é fundamental a prática, porém com o tempo corrido para a prova, dentro do seu processo de estudos, já seria o bastante uma análise rápida do contexto prático, ou seja, pense: como isso se aplica na prática? e já será algo muito funcional. Entender isso é fundamental, mesmo não havendo tempo para praticar muito. Logo após isso, indico que passe pelas questões ao final do material. Observe seu desempenho, acompanhando os respectivos comentários. Página 29 de 36

30 5. Questões comentadas 1. (FCC/DPERS/TECNICO DE APOIO ESPECIALIZADO/2013) A Intel tradicionalmente divide a família de processadores Core em três segmentos, em uma destas divisões estão o a) Core Duo 2, Core Duo 3 e Core Duo 4. b) Core 2 Quad, Core 5 Quad e Core Extreme. c) Pentium Dual Core I, Pentium Dual Core III e Pentium Dual Core IV. d) Core i3, Core i5 e Core i7. e) Celeron 3 Core, Celeron 5 Core e Celeron 7 Core. Comentários As linhas que a Intel utiliza para categorização de seus produtos são: Atom, Celeron, Pentium, Intel Core i3, Intel Core i5, Intel Core i7 e Intel Core i7 Extreme. Facílima né... GABARITO: D 2. (VUNESP/TJSP/Técnico de Tecnologia da Informação/2013) Observe os processadores da Intel listados a seguir: I. Intel Core i3 II. Intel Core i5 III. Intel Core i7 Assinale a alternativa que traz V (verdadeiro) para o(s) processador(es) que possui(em) a característica Turbo Boost e F (falso) para aquele(s) que não a possui(em). a) I (V), II (F) e III (V). b) I (V), II (V) e III (V). c) I (V), II (F) e III (F). d) I (V), II (V) e III (F). e) I (F), II (V) e III (V). Comentários Página 30 de 36

31 A Tecnologia Intel Turbo Boost 2.01 permite automaticamente que os núcleos do processador trabalhem mais rapidamente do que a frequência operacional nominal quando estiverem operando abaixo dos limites especificados para energia, corrente e temperatura. A grande inovação desta tecnologia é o aumento da performance sem exageros, exatamente quando o usuário precisa de mais desempenho e sem extrapolar os limites da capacidade do processador. Para determinar essa necessidade, o Turbo Boost considera quatro parâmetros: número de núcleos ativos, consumos estimados de corrente e energia e temperatura do processador. Qualquer um destes parâmetros pode fazer com que o turbo entre em ação. Alguns exemplos de produtos da Intel que contam com esta tecnologia: Processador Intel Core i7 Extreme Edition (para desktops e laptops) Processador Intel Core i7 (para desktops e laptops) Processador Intel Core i5 (somente desktops) Gabarito: E. 3. (IPEFAE/CISMARPA/AUXILIAR - TI/2015) Em um inventário de equipamentos de informática está descrita a seguinte configuração de um computador: Processador Intel Core i5 3330; 8GB de Memória DDR3;Placa Mãe GA-B75M-D3H; HD 1TB 7200RPM; Placa de Vídeo R9 270X 4GB 256 bits. A partir destes dados, é possível afirmar que: a) 7200 RPM é a medida do clock do processador. b) D3H é o tipo de memória compatível com a placa mãe. c) O computador possui 8GB de memória RAM. d) O sistema operacional a ser instalado deve ser do tipo 256 bits. Comentários A alternativa A fala de velocidade de HD, a B fala de um modelo da placa-mãe e a D fala de S.O., portanto nos resta a C, que fala de memória, corretamente. Gabarito: C. Página 31 de 36

32 4. (FCC/DPERR/ANALISTA DE SISTEMAS/2015) Nos processadores quad-core baseados na microarquitetura Nehalem, como os da geração Core i7, cada núcleo possui um cache de memória L2 padrão de 256 KB, havendo um cache de memória L3 a) não compartilhado de 2 MB, para cada núcleo. b) compartilhado entre todos os núcleos. c) de 1024 KB para cada núcleo. d) de 512 KB para cada núcleo. e) diferente para cada par de núcleos. Comentários O texto pode confundir, mas quando se falar em memória cache L3 é COMPARTILHADA entre todos os núcleos, seja ela de 1MB ou de 8 MB. Gabarito: B. 5. (FGV/SUSAM/ANALISTA DE SISTEMAS/2014) número de núcleos que pode ser encontrado em um processador Intel Core i7 para PCs é, somente a) 2 b) 4 c) 6 d) 2 OU 4 e) 4 OU 6 Comentários Conforme visto na aula, essa variação depende basicamente do modelo do processador e vimos também que existe uma infinidade de versões de um mesmo processador. No caso do i7, é possível encontrar modelos com 2 ou 4 núcleos. Gabarito: D. 6. (FCC/TRT2REGIAO/ANALISTA JUDICIARIO-TECNOLOGIA DA INFORMACAO/2014) Processadores possuem diversas características específicas, dentre elas, Página 32 de 36

33 a) processadores quad core são sempre mais rápidos que processadores dual core. b) processadores AMD podem usar soquetes AM2, AM2+ ou AM3. c) em teoria, quanto menos memória cache o processador tiver, mais rápido ele será. d) os processadores da Intel possuem um recurso chamado de hyper-threading que simula sempre quatro processadores por núcleo de processamento. e) processadores Intel podem usar soquetes DDi 366, DDi 766, DDi 1366 e DDi 1366 Plus. Comentários Um processador AMD pode utilizar diversos soquetes, dentre eles nós podemos citar : AM2 : Possui 940 pinos mas é diferente do Soquete 940. AM2+ : Possui 938 pinos (fisicamente igual ao Soquete AM2/AM2+, porém com 2 pinos a menos). AM3 : Possui 942 pinos. Utilizado com processadores AM3 e da linha AMD FX.. Gabarito: B. 7. (FCC/TRT16REGIAO/ANALISTA JUDICIARIO-TECNOLOGIA DA INFORMACAO/2014) As principais variáveis em uma organização de processadores multicore são o número de núcleos no chip, o número de níveis da memória cache e a quantidade de memória cache que é compartilhada. Neste contexto, o processador Intel Core i7, introduzido em 2008, implementava 4 processadores x86 SMT (Simultaneous Multithreading), cada um com a) cache L2 dedicada e uma cache L3 compartilhada. b) cache L1 dedicada e cache L2 compartilhada. c) cache L1 compartilhada de 8MB e cache L2 dedicada, de 2MB. d) caches L1, L2 e L3 dedicadas. e) caches L1, L2 e L3 compartilhadas. Comentários Cada núcleo sempre terá seu próprio cache L1 e L2. O cache L3 quase sempre será compartilhado entre todos os núcleos. Isso vale para processadores Intel e AMD. Sempre que bater L3 lembre de que ela é compartilhada! Gabarito: A. Página 33 de 36

34 6. Questões utilizadas na aula 1. (FCC/DPERS/TECNICO DE APOIO ESPECIALIZADO/2013) A Intel tradicionalmente divide a família de processadores Core em três segmentos, em uma destas divisões estão o a) Core Duo 2, Core Duo 3 e Core Duo 4. b) Core 2 Quad, Core 5 Quad e Core Extreme. c) Pentium Dual Core I, Pentium Dual Core III e Pentium Dual Core IV. d) Core i3, Core i5 e Core i7. e) Celeron 3 Core, Celeron 5 Core e Celeron 7 Core. 2. (VUNESP/TJSP/Técnico de Tecnologia da Informação/2013) Observe os processadores da Intel listados a seguir: I. Intel Core i3 II. Intel Core i5 III. Intel Core i7 Assinale a alternativa que traz V (verdadeiro) para o(s) processador(es) que possui(em) a característica Turbo Boost e F (falso) para aquele(s) que não a possui(em). a) I (V), II (F) e III (V). b) I (V), II (V) e III (V). c) I (V), II (F) e III (F). d) I (V), II (V) e III (F). e) I (F), II (V) e III (V). 3. (IPEFAE/CISMARPA/AUXILIAR - TI/2015) Em um inventário de equipamentos de informática está descrita a seguinte configuração de um computador: Processador Intel Core i5 3330; 8GB de Memória DDR3;Placa Mãe GA-B75M-D3H; HD 1TB 7200RPM; Placa de Vídeo R9 270X 4GB 256 bits. A partir destes dados, é possível afirmar que: a) 7200 RPM é a medida do clock do processador. b) D3H é o tipo de memória compatível com a placa mãe. c) O computador possui 8GB de memória RAM. d) O sistema operacional a ser instalado deve ser do tipo 256 bits. Página 34 de 36

Organização & Manutenção de. Computadores. Aula 05. Placa-Mãe (Motherboard) Parte 2

Organização & Manutenção de. Computadores. Aula 05. Placa-Mãe (Motherboard) Parte 2 Organização & Manutenção de Computadores Aula 05 Placa-Mãe (Motherboard) Parte 2 SOCKETS Socket Local para encaixe do processador; Socket x Processador; Socket 2 Tipos: PROCESSADORES Processadores Encapsulamentos

Leia mais

Arquitetura de computadores

Arquitetura de computadores Arquitetura de computadores Arquitetura de Microprocessadores Curso Profissional de Técnico de Gestão e Programação de Sistemas O Computador Hardware Unidades Funcionais de um Sistema Informático Dispositivos

Leia mais

Microprocessadores II - ELE 1084

Microprocessadores II - ELE 1084 Microprocessadores II - ELE 1084 CAPÍTULO III PROCESSADORES P7 a P9 3.1 Gerações de Processadores Sétima Geração (P7) AMD: Athlon; Intel: Pentium 4; Oitava Geração (P8) Tecnologia Hyper-Threading (HT);

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES TECNOLOGIAS EM REDES DE COMPUTADORES Semestre 2015.2 Prof. Dsc. Jean Galdino PROCESSADOR AULA 05 O processador é o cérebro do micro; Processa a maior parte das informações;

Leia mais

Aula 03 Organização de computadores PROCESSADORES INTRODUÇÃO. 18/04/2016 Prof. Dsc. Jean Galdino 1

Aula 03 Organização de computadores PROCESSADORES INTRODUÇÃO. 18/04/2016 Prof. Dsc. Jean Galdino 1 Arquitetura de Computadores Aula 03 Organização de computadores PROCESSADORES INTRODUÇÃO 18/04/2016 Prof. Dsc. Jean Galdino 1 PROCESSADOR O processador é o cérebro do micro; Processa a maior parte das

Leia mais

Manutenção de Computadores Montagem de microcomputadores: Entendendo melhor os processadores. Professor: Francisco Ary

Manutenção de Computadores Montagem de microcomputadores: Entendendo melhor os processadores. Professor: Francisco Ary Manutenção de Computadores Montagem de microcomputadores: Entendendo melhor os processadores Professor: Francisco Ary Introdução O processador é um dos componentes mais importantes (e geralmente o mais

Leia mais

Hardware. Organização Funcional de um. Computador. Arquitetura de Multiprocessadores. UCP Unidade Central de Processamento AMD. Sistema Central CPU

Hardware. Organização Funcional de um. Computador. Arquitetura de Multiprocessadores. UCP Unidade Central de Processamento AMD. Sistema Central CPU Hardware UCP Unidade Central de Processamento AMD Disciplina: Organização e Arquitetura de Computadores Prof. Luiz Antonio do Nascimento Faculdade Nossa Cidade Organização Funcional de um Computador Unidade

Leia mais

MONTAGEM E MANUTENÇÃO DE COMPUTADORES

MONTAGEM E MANUTENÇÃO DE COMPUTADORES Álvaro Elias Flôres alvaro.flores@sc.senai.br MONTAGEM E MANUTENÇÃO DE COMPUTADORES Introdução A atividade de um computador pode ser definida por um modelo simples: Introdução Na etapa de processamento

Leia mais

Técnicas de Manutenção de Computadores

Técnicas de Manutenção de Computadores Técnicas de Manutenção de Computadores Professor: Luiz Claudio Ferreira de Souza Memória Ram RAM é a sigla para Random Access Memory (memória de acesso aleatório). Este tipo de memória permite tanto a

Leia mais

3. Unidade Central de Processamento

3. Unidade Central de Processamento 3. Unidade Central de Processamento Um microprocessador é um chip responsável por buscar e executar instruções e dados existentes na memória RAM. Vai de regra as instruções são bastante simples, como por

Leia mais

PROCESSADORES Unidade de Controle Unidade Aritmética e Lógica efetua memória de alta velocidade registradores Program Counter Instruction Register

PROCESSADORES Unidade de Controle Unidade Aritmética e Lógica efetua memória de alta velocidade registradores Program Counter Instruction Register PROCESSADORES Um computador digital consiste em um sistema interconectado de processadores, memória e dispositivos de entrada e saída. A CPU é o cérebro do computador. Sua função é executar programas armazenados

Leia mais

HARDWARE Montagem e Manutenção de Computadores Instrutor: Luiz Henrique Goulart 15ª AULA OBJETIVOS: PROCESSADORES EVOLUÇÃO / GERAÇÕES BARRAMENTO (BITS) FREQÜÊNCIA (MHZ) OVERCLOCK ENCAPSULAMENTO APOSTILA

Leia mais

PROF. MARCEL SANTOS SILVA

PROF. MARCEL SANTOS SILVA PROF. MARCEL SANTOS SILVA No final do século XIX os computadores mecânicos, que realizavam cálculos através de um sistema de engrenagens, acionado por uma manivela ou outro sistema mecânico qualquer. O

Leia mais

Wafer de silício 99,9999% puro Tudo começa com o wafer de silício em seu estado original: Cilindo Silício. Wafer

Wafer de silício 99,9999% puro Tudo começa com o wafer de silício em seu estado original: Cilindo Silício. Wafer Processadores Processo Fabricação Wafer de silício 99,9999% puro Tudo começa com o wafer de silício em seu estado original: Cilindo Silício Wafer Processadores Processo Fabricação Várias etapas de processo

Leia mais

4a. Geração VLSI 1980 à????

4a. Geração VLSI 1980 à???? 4a. Geração VLSI 1980 à???? A Microsoft tenta criar um novo padrão de micros: o MSX (Microsoft Extended), - já que havia diversos micros com diversos "padrões" Com o apoio total de diversas grande empresas

Leia mais

Conceitos sobre Computadores

Conceitos sobre Computadores Conceitos sobre Computadores Prof. UNESP - São José do Rio Preto Linguagem Computacional Neste tópico veremos: Os Componentes físicos dos computadores O hardware: principais partes dos computadores atuais.

Leia mais

Sumário. Velocidade do processador. Velocidade do processador. Velocidade do processador. Velocidade do processador. Manutenção de Hardware.

Sumário. Velocidade do processador. Velocidade do processador. Velocidade do processador. Velocidade do processador. Manutenção de Hardware. Manutenção de Hardware Sumário CPU Clock Interno e Externo Palavra binária Cronologia dos processadores Multiplicação de clock Tipos de soquetes e famílias de processadores Tecnologias proprietárias de

Leia mais

Sumário. Manutenção de Hardware. Clock

Sumário. Manutenção de Hardware. Clock Manutenção de Hardware CPU Reinaldo Gomes reinaldo@cefet-al.br Clock Interno e Externo Sumário Palavra binária Cronologia dos processadores Multiplicação de clock Tipos de soquetes e famílias de processadores

Leia mais

Sistemas Computacionais e Hardware. Disciplina: Informática Prof. Higor Morais

Sistemas Computacionais e Hardware. Disciplina: Informática Prof. Higor Morais Sistemas Computacionais e Hardware Disciplina: Informática Prof. Higor Morais 1 Agenda Sistema Computacional O Computador e seus componentes Hardware 2 Unidade de entrada Unidade de saída Unidade de Processamento

Leia mais

Na segunda aula vamos falar sobre o Processador, funcionamento e seus tipos.

Na segunda aula vamos falar sobre o Processador, funcionamento e seus tipos. AULA 2 Na segunda aula vamos falar sobre o Processador, funcionamento e seus tipos. 1. PROCESSADOR O Processador (CPU) é um chip normalmente que serve para realizar todas as tarefas feitas pelo computador..

Leia mais

ESTRUTURA COMPUTACIONAL

ESTRUTURA COMPUTACIONAL ESTRUTURA COMPUTACIONAL +55 31 3116-3911 I Sumário Organograma... 3 Especificações de segurança... 4 Micros... 5 Hardwares 1... 5 Placa mãe (MotherBoard)... 5 Processador... 5 Memória Ram... 5 HD... 5

Leia mais

Programador/a de Informática

Programador/a de Informática 481040 - Programador/a de Informática UFCD - 0770 Dispositivos e periféricos Sessão 2 SUMÁRIO Tipos de motherboard; Processador e Tecnologias de Microprocessador; Registos Internos; Dissipadores e Ventoinhas;

Leia mais

Arquitetura e Organização de Computadores

Arquitetura e Organização de Computadores Arquitetura e Organização de Computadores Identificar os recursos de Hardware necessários para execução do software planejado na unidade curricular de Programação Orientada a Objetos e Laboratório de Redes

Leia mais

Barramentos internos/externos

Barramentos internos/externos Barramentos Uma das características principais de um processador são os seus barramentos. Os barramentos são auto-estradas por onde circula a informação, seja no interior do CPU ou do interior para o exterior,

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS PRONATEC

FACULDADE PITÁGORAS PRONATEC FACULDADE PITÁGORAS PRONATEC DISCIPLINA: ARQUITETURA DE COMPUTADORES Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos carlos@oficinadapesquisa.com.br www.oficinadapesquisa.com.br Objetivos Ao final desta apostila,

Leia mais

Aula 03. Processadores. Prof. Ricardo Palma

Aula 03. Processadores. Prof. Ricardo Palma Aula 03 Processadores Prof. Ricardo Palma Definição O processador é a parte mais fundamental para o funcionamento de um computador. Processadores são circuitos digitais que realizam operações como: cópia

Leia mais

Objetivos. Arquitetura x86. Evolução dos Microprocessadores com arquitetura x86. Universidade São Judas Tadeu. Introdução à Computação

Objetivos. Arquitetura x86. Evolução dos Microprocessadores com arquitetura x86. Universidade São Judas Tadeu. Introdução à Computação Universidade São Judas Tadeu Prof. André Luiz Ribeiro Prof. Jorge Luis Pirolla Introdução à Computação Microprocessadores e Arquitetura (2) - FEDELI, Ricardo D.; POLLONI, Enrico G.; PERES, Fernando E.

Leia mais

Memórias Row Address Strobe Column Address Strobe

Memórias Row Address Strobe Column Address Strobe um chip de memória é um exército de clones, formado por um brutal número de células idênticas, organizadas na forma de linhas e colunas, de forma similar a uma planilha eletrônica. O chip de memória em

Leia mais

Programador/a de Informática

Programador/a de Informática 481040 - Programador/a de Informática UFCD - 0770 Dispositivos e periféricos Sessão 4 SUMÁRIO Memórias Primárias RAM ROM Cache Comunicam diretamente com o processador; Armazenam pequenas quantidades de

Leia mais

Computadores e Programação (DCC/UFRJ)

Computadores e Programação (DCC/UFRJ) Computadores e Programação (DCC/UFRJ) Aula 3: 1 2 3 Abstrações do Sistema Operacional Memória virtual Abstração que dá a cada processo a ilusão de que ele possui uso exclusivo da memória principal Todo

Leia mais

Montagem e Manutenção Processadores

Montagem e Manutenção Processadores Montagem e Manutenção Processadores Processador Cérebro Computacional Evolução dos Computadores 1ª Geração => Válvulas (1945-1955) ENIAC: Tinha 19.000 válvulas Pesava 30 toneladas Área de150 m 2 Evolução

Leia mais

CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA

CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA 1 CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA Montagem e Manutenção de Computadores Prof.: Denis Willian de Moura Diniz PROCESSADORES PARTE II 2 ULA UNIDADE LÓGICA E ARITMÉTICA A ULA - Arithmetic Logic Unit - que em

Leia mais

Hardware: Componentes Básicos. Sistema de Computador Pessoal. Anatomia de um Teclado. Estrutura do Computador. Arquitetura e Organização

Hardware: Componentes Básicos. Sistema de Computador Pessoal. Anatomia de um Teclado. Estrutura do Computador. Arquitetura e Organização Hardware: Componentes Básicos Arquitetura dos Computadores Dispositivos de Entrada Processamento Dispositivos de Saída Armazenamento Marco Antonio Montebello Júnior marco.antonio@aes.edu.br Sistema de

Leia mais

16ª AULA OBJETIVOS: MEMÓRIAS EVOLUÇÃO FREQÜÊNCIA TECNOLOGIA BARRAMENTO TEMPO/ACESSO ARMAZENAMENTO BANCO DE MEMÓRIA APOSTILA PÁGINA: 176 A 186.

16ª AULA OBJETIVOS: MEMÓRIAS EVOLUÇÃO FREQÜÊNCIA TECNOLOGIA BARRAMENTO TEMPO/ACESSO ARMAZENAMENTO BANCO DE MEMÓRIA APOSTILA PÁGINA: 176 A 186. HARDWARE Montagem e Manutenção de Computadores Instrutor: Luiz Henrique Goulart 16ª AULA OBJETIVOS: MEMÓRIAS EVOLUÇÃO FREQÜÊNCIA TECNOLOGIA BARRAMENTO TEMPO/ACESSO ARMAZENAMENTO BANCO DE MEMÓRIA APOSTILA

Leia mais

INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA

INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA 1 Conteúdo 1. Tipos de computadores 2. Representação da informação 3. Hardware Hardware (componentes de um computador) Gabinete Placa-mãe Unidade Central de Processamento 2 1)

Leia mais

PROCESSADORES. INTEL x AMD

PROCESSADORES. INTEL x AMD PROCESSADORES INTEL x AMD 1 Microprocessadores Definição: Um microprocessador é um circuito integrado digital que realiza operações matemáticas e lógicas para cumprir determinada tarefa de acordo com uma

Leia mais

Processador. Colégio Serrano Guardia Módulo III Suporte Técnico e Redes William Andrey de Godoy

Processador. Colégio Serrano Guardia Módulo III Suporte Técnico e Redes William Andrey de Godoy Processador 1 Colégio Serrano Guardia Módulo III Suporte Técnico e Redes Processador ou CPU É o cérebro do computador, responsável principalmente por executar os comandos (processamento) e carregar (manipular)

Leia mais

Montagem e Configuração

Montagem e Configuração Montagem e Configuração ÍNDICE CAPÍTULO 1 CONCEITOS BÁSICOS... 09 HISTÓRICO... 11 TIPOS DE COMPUTADORES... 13 CAPÍTULO 2 COMPONENTES EXTERNOS... 17 COMPONENTES INTERNOS... 21 CAPÍTULO 3 ROM BIOS... 31

Leia mais

Organização Básica de Computadores. Organização Básica de Computadores. Organização Básica de Computadores. Organização Básica de Computadores

Organização Básica de Computadores. Organização Básica de Computadores. Organização Básica de Computadores. Organização Básica de Computadores Ciência da Computação Arq. e Org. de Computadores Processadores Prof. Sergio Ribeiro Composição básica de um computador eletrônico digital: Processador Memória Memória Principal Memória Secundária Dispositivos

Leia mais

Técnicas de Manutenção de Computadores

Técnicas de Manutenção de Computadores Técnicas de Manutenção de Computadores Professor: Luiz Claudio Ferreira de Souza Processadores É indispensável em qualquer computador, tem a função de gerenciamento, controlando todas as informações de

Leia mais

Organização de Computadores. CPU: Evolução dos Processadores. (Material Complementar)

Organização de Computadores. CPU: Evolução dos Processadores. (Material Complementar) Organização de Computadores CPU: Evolução dos Processadores (Material Complementar) 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a leitura da bibliografia básica.

Leia mais

Técnico em Informática - Instalação e Manutenção de Computadores PROCESSADORES

Técnico em Informática - Instalação e Manutenção de Computadores PROCESSADORES Técnico em Informática - Instalação e Manutenção de Computadores PROCESSADORES Processador... 2 Clock... 5 Multiplicador de clock / FSB... 6 Memória Cache... 6 Processador O processador é o cérebro do

Leia mais

A Intel e a AMD são os mais conhecidos fabricantes de processadores ambos tiveram a sua evolução em termos de fabrico de processadores

A Intel e a AMD são os mais conhecidos fabricantes de processadores ambos tiveram a sua evolução em termos de fabrico de processadores A Intel e a AMD são os mais conhecidos fabricantes de processadores ambos tiveram a sua evolução em termos de fabrico de processadores De seguida mencionamos a evolução de ambos os fabricantes Intel 8086

Leia mais

O que é um computador?

O que é um computador? O que é um computador? É uma máquina capaz de variados tipos de tratamento automático de informações ou processamento de dados. Exemplos de computadores incluem os relógios de forma geral, o ábaco, a régua

Leia mais

20/08/2013. Software e Hardware. Prof. Rogério Ferreira. Software

20/08/2013. Software e Hardware. Prof. Rogério Ferreira. Software Software e Hardware Prof. Rogério Ferreira Software 2 1 SOFTWARE São os programas usados para obter os resultados esperados pelo computador. São divididos em: software básico, aplicativos e utilitários.

Leia mais

Modelos de Computadores

Modelos de Computadores Modelos de Computadores Computadores para uso mais básico: Office, editores de texto, etc. INSPIRON SMALL DESKTOP (FABRICANTE DELL) Componentes Configuração de R$2.854,00 Configuração de R$2.626,00 Processador

Leia mais

Memória é um dispositivo capaz de armazenar informação. Logo, podemos dividir dos dispositivos que podem armazenar dados em Quatro tipos:

Memória é um dispositivo capaz de armazenar informação. Logo, podemos dividir dos dispositivos que podem armazenar dados em Quatro tipos: Memória Memória é um dispositivo capaz de armazenar informação Logo, podemos dividir dos dispositivos que podem armazenar dados em Quatro tipos: Memória Principal ROM RAM Memória Secundária Disco rígidos,

Leia mais

História. Pioneiros AMD

História. Pioneiros AMD História Pioneiros AMD Marco na História 1969 AMD estabelece sede em Sunnyvale, Califórnia. 1970 AMD lança seu primeiro contador Lógico. 1982 A pedido da IBM, AMD assina um acordo para servir como uma

Leia mais

PROCESSADOR. Montagem e Manutenção de Microcomputadores (MMM).

PROCESSADOR. Montagem e Manutenção de Microcomputadores (MMM). PROCESSADOR Montagem e Manutenção de Microcomputadores (MMM). INTRODUÇÃO O processador é o C.I. mais importante do computador. Ele é considerado o cérebro do computador, também conhecido como uma UCP -

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES MÓDULO 4

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES MÓDULO 4 ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES MÓDULO 4 Índice 1. História da Arquitetura de Computadores - Continuação..3 1.1. Terceira Geração Circuitos Integrados (1965 1980)... 3 1.2. Quarta Geração Integração em Larga

Leia mais

COMPUTADORES PC 20/9/2010 CRONOGRAMA INFORMÁTICA PREF. MUNICIPAL DE JAGUARÃO - RS O COMPUTADOR, INDEPENDENTE DO TIPO: MAINFRAME NOTEBOOK PALMTOP

COMPUTADORES PC 20/9/2010 CRONOGRAMA INFORMÁTICA PREF. MUNICIPAL DE JAGUARÃO - RS O COMPUTADOR, INDEPENDENTE DO TIPO: MAINFRAME NOTEBOOK PALMTOP INFORMÁTICA PREF. MUNICIPAL DE JAGUARÃO - RS Prof.: MARCIO HOLLWEG Email: mhollweg@terra.com.br MSN: marciohollweg@hotmail.com Twitter: @mhollweg SMS: (041) 8854-3722 Site: www.marciohollweg.com.br CRONOGRAMA

Leia mais

Arquitetura de Computadores Chipset

Arquitetura de Computadores Chipset 1 é o nome dado ao conjunto de chips (set significa conjunto, daí o seu nome) usado na placa-mãe. Nos primeiros PCs, a placa-mãe usava circuitos integrados discretos. Com isso, vários chips eram necessários

Leia mais

Instalando Componentes Processador

Instalando Componentes Processador Processador Prof. Paulo Cesar F. De Oliveira, BSc, PhD 1 Instalando Componentes Seção 1.1 Processador 17/03/14 P C F de Oliveira 2014 2 Instalando Componentes ² Processador ² Instalado na PM ² Determina

Leia mais

Introdução à Informática

Introdução à Informática Introdução à Informática Unidade 6 - Placa-mãe Curso Técnico em Informática SUMÁRIO PLACA-MÃE... 3 FABRICANTES... 3 PLACA-MÃE ON-BOARD... 3 PLACA-MÃE OFF-BOARD... 4 PADRÕES DE PLACAS-MÃE... 4 PADRÃO AT...

Leia mais

Escolhi este processador pois como e um computador para trabalhos leves creio q não necessitara de um processamento elevado.

Escolhi este processador pois como e um computador para trabalhos leves creio q não necessitara de um processamento elevado. Processador: Intel Core I3 4170 3.70GHz Escolhi este processador pois como e um computador para trabalhos leves creio q não necessitara de um processamento elevado. Clock: 3.7 GHz Cache L2: 3MB Núcleos

Leia mais

Estudo da placa de prototipagem Intel Galileo Gen2. Apostila de acompanhamento para o aluno.

Estudo da placa de prototipagem Intel Galileo Gen2. Apostila de acompanhamento para o aluno. Estudo da placa de prototipagem Intel Galileo Gen2 Apostila de acompanhamento para o aluno. 1 Conteúdo Conteúdo... 2 1. Introdução... 3 2. Informações Gerais... 3 3. Componentes da Placa... 4 4. Especificações

Leia mais

Descubra o que significa o termo DDR e as principais versões desta memória

Descubra o que significa o termo DDR e as principais versões desta memória Descubra o que significa o termo DDR e as principais versões desta memória Atualmente, ao comprar qualquer memória existente mercado, além da questão do tamanho (em GB), todos os pentes exibem a sigla

Leia mais

Conceitos sobre Computadores

Conceitos sobre Computadores Conceitos sobre Computadores Prof. Adriano Mauro Cansian Prof. Leandro Alves Neves UNESP - São José do Rio Preto Linguagem Computacional Neste tópico veremos: Os Componentes físicos dos computadores O

Leia mais

O Computador: é qualquer dispositivo eletrônico que pode armazenar, manipular e enviar dados processados de volta ao usuário através dos dispositivos

O Computador: é qualquer dispositivo eletrônico que pode armazenar, manipular e enviar dados processados de volta ao usuário através dos dispositivos Introdução a Microinformática/ Novembro/2008 - Aula 3 Telecelula Comércio de Equipamentos Eletrônicos ltda. www.teleclula.com.br daniel.santana@telecelula.com.br O Computador: é qualquer dispositivo eletrônico

Leia mais

1.3. CONCEITOS BÁSICOS DE INFORMÁTICA

1.3. CONCEITOS BÁSICOS DE INFORMÁTICA 1.3. CONCEITOS BÁSICOS DE INFORMÁTICA Informática pode ser considerada como significando informação automática, ou seja, a utilização de métodos e técnicas no tratamento automático da informação. Para

Leia mais

Processador. Processador

Processador. Processador Departamento de Ciência da Computação - UFF Processador Processador Prof. Prof.Marcos MarcosGuerine Guerine mguerine@ic.uff.br mguerine@ic.uff.br 1 Processador Organização básica de um computador: 2 Processador

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores I

Organização e Arquitetura de Computadores I Organização e Arquitetura de Computadores I Memória Cache Slide 1 Introdução Tamanho Função de Mapeamento Política de Escrita Tamanho da Linha Número de Memórias Cache Cache em Níveis Slide 2 Introdução

Leia mais

Hardware Conceitos Básicos. Introdução*à*Informática 14

Hardware Conceitos Básicos. Introdução*à*Informática 14 Hardware Conceitos Básicos Introdução*à*Informática 14 Hardware Conceitos Básicos Componentes principais de um computador Introdução*à*Informática 15 Hardware Conceitos Básicos CPU (Unidade Central de

Leia mais

30/5/2011. Sistemas computacionais para processamento paralelo e distribuído

30/5/2011. Sistemas computacionais para processamento paralelo e distribuído Arquitetura de Computadores Sistemas computacionais para processamento paralelo e distribuído Prof. Marcos Quinet Universidade Federal Fluminense UFF Pólo Universitário de Rio das Ostras - PURO Processamento

Leia mais

Informática Sistemas Operacionais Aula 5. Cleverton Hentz

Informática Sistemas Operacionais Aula 5. Cleverton Hentz Informática Sistemas Operacionais Aula 5 Cleverton Hentz Sumário Introdução Fundamentos sobre Sistemas Operacionais Gerenciamento de Recursos Interface Com Usuário Principais Sistemas Operacionais 2 Introdução

Leia mais

Capítulo 2 Livro do Mário Monteiro Componentes Representação das informações. Medidas de desempenho

Capítulo 2 Livro do Mário Monteiro Componentes Representação das informações. Medidas de desempenho Capítulo 2 Livro do Mário Monteiro Componentes Representação das informações Bit, Caractere, Byte e Palavra Conceito de Arquivos e Registros Medidas de desempenho http://www.ic.uff.br/~debora/fac! 1 2

Leia mais

Capítulo 2. AMD K6, K6-2, K6-III Super 7 Cyrix MII / 6x86 / 6x86MX Super 7 ou Socket 7 AMD K5, Pentium, Pentium MMX Socket 7

Capítulo 2. AMD K6, K6-2, K6-III Super 7 Cyrix MII / 6x86 / 6x86MX Super 7 ou Socket 7 AMD K5, Pentium, Pentium MMX Socket 7 Processadores Capítulo 2 O processador e o seu soquete Existem vários processadores para PCs. A maioria deles são produzidos pela Intel e AMD. É preciso levar em conta que cada processador exige um tipo

Leia mais

2ª Lista de Exercícios de Arquitetura de Computadores

2ª Lista de Exercícios de Arquitetura de Computadores 2ª Lista de Exercícios de Arquitetura de Computadores 1. Descreva as funções desempenhadas pelos escalonadores de curto, médio e longo prazo em um SO. 2. Cite três motivos pelos quais o controle do processador

Leia mais

AULA 2. Prof.: Jadiel Mestre. Introdução à Informática. Introdução à Informática Componentes de um Sistema de Informação

AULA 2. Prof.: Jadiel Mestre. Introdução à Informática. Introdução à Informática Componentes de um Sistema de Informação AULA 2 Prof.: Jadiel Mestre. Componentes de um Sistema de Informação Os componentes de um sistema de informação são divididos em três partes 2 1 Componentes físicos do computador Dispositivos de Entrada/Saída

Leia mais

Os computadores ditigais podem ser classificados em 5 grupos distintos:

Os computadores ditigais podem ser classificados em 5 grupos distintos: Informática A informática engloba toda atividade relacionada ao uso dos computadores, permitindo aprimorar e automatizar tarefas em qualquer área de atuação da sociedade. Informática é a "Ciência do tratamento

Leia mais

ENIAC (Electronic Numerical Integrator Analyzer and Computer)

ENIAC (Electronic Numerical Integrator Analyzer and Computer) No final do século XIX os computadores mecânicos, que realizavam cálculos através de um sistema de engrenagens, acionado por uma manivela ou outro sistema mecânico qualquer. PROF. MARCEL SANTOS SILVA O

Leia mais

Arquitetura de Sistemas Operativos

Arquitetura de Sistemas Operativos Arquitetura de Sistemas Operativos Sistemas Operativos 2011/2012 1 Introdução Gestão de Programas Introdução Os sistemas operativos gerem um conjunto de funções básicas que têm evoluído ao longo dos tempos.

Leia mais

Bits internos e bits externos. Barramentos. Processadores Atuais. Conceitos Básicos Microprocessadores. Sumário. Introdução.

Bits internos e bits externos. Barramentos. Processadores Atuais. Conceitos Básicos Microprocessadores. Sumário. Introdução. Processadores Atuais Eduardo Amaral Sumário Introdução Conceitos Básicos Microprocessadores Barramentos Bits internos e bits externos Clock interno e clock externo Memória cache Co-processador aritmético

Leia mais

Placa mãe seus componentes. Prof. Emiliano S. Monteiro

Placa mãe seus componentes. Prof. Emiliano S. Monteiro Placa mãe seus componentes Prof. Emiliano S. Monteiro Northbridge e southbridge Gigabyte GA-K8N51GMF-9 (rev. 1.0) Socket para um processador AMD Athlon 64 3800+ 2.4ghz 939p Fabricante Família/Geração

Leia mais

Kbyte: Mbyte: Gbytes:

Kbyte: Mbyte: Gbytes: MEMÓRIA PRINCIPAL MEMÓRIA PRINCIPAL O computador possui dispositivos que permitem armazenar dados, instruções e resultados. A esses dispositivos dá-se o nome de memórias, existem dois tipos de memórias:

Leia mais

Hardware Avançado. Laércio Vasconcelos Rio Branco, mar/2007 www.laercio.com.br

Hardware Avançado. Laércio Vasconcelos Rio Branco, mar/2007 www.laercio.com.br Hardware Avançado Laércio Vasconcelos Rio Branco, mar/2007 www.laercio.com.br Avanços recentes em Processadores Chipsets Memórias Discos rígidos Microeletrônica Um processador moderno é formado por mais

Leia mais

LIC. Organização e Estrutura Básica Computacional. Prof. Marcelo Costa Oliveira 2006, Marcelo Costa oliveira

LIC. Organização e Estrutura Básica Computacional. Prof. Marcelo Costa Oliveira 2006, Marcelo Costa oliveira LIC Organização e Estrutura Básica Computacional Prof. Marcelo Costa Oliveira licufal@gmail.com História 1946 Inventado o 1º computador eletrônico de grande porte ENIAC Universidade da Pensilvania: 18.000

Leia mais

Editor s Day Reinaldo Affonso. Nov, INTEL CONFIDENTIAL, FOR INTERNAL USE ONLY

Editor s Day Reinaldo Affonso. Nov, INTEL CONFIDENTIAL, FOR INTERNAL USE ONLY Editor s Day 2011 2 INTEL CONFIDENTIAL, FOR INTERNAL USE ONLY Reinaldo Affonso Nov, 19-2011 Ted Hoff Bill Gates - USA today - 1999 Estava no colegial quando li sobre processadores em um artigo que meu

Leia mais

Ferramentas para Programação em Processadores Multi-Core

Ferramentas para Programação em Processadores Multi-Core Ferramentas para Programação em Processadores Multi- Prof. Dr. Departamento de Informática Universidade Federal de Pelotas Sumário Introdução Programação multithread Ferramentas de programação Prática

Leia mais

O que é um microprocessador?

O que é um microprocessador? MICROPROCESSADORES O que é um microprocessador? É um circuito integrado com milhares, ou mesmo milhões, de transistores, que estão interligados por superfinos traços de alumínio. Os transistores trabalham

Leia mais

Microprocessadores II - ELE 1084

Microprocessadores II - ELE 1084 Microprocessadores II - ELE 1084 CAPÍTULO III OS PROCESSADORES 3.1 Gerações de Processadores 3.1 Gerações de Processadores Primeira Geração (P1) Início da arquitetura de 16 bits CPU 8086 e 8088; Arquiteturas

Leia mais

Universidade Tuiuti do Paraná Faculdade de Ciências Exatas Hardware. Arquitetura básica de Processadores. Profº André Luiz andreluizsp@gmail.

Universidade Tuiuti do Paraná Faculdade de Ciências Exatas Hardware. Arquitetura básica de Processadores. Profº André Luiz andreluizsp@gmail. Universidade Tuiuti do Paraná Faculdade de Ciências Exatas Hardware Arquitetura básica de Processadores Profº André Luiz andreluizsp@gmail.com 1 Microprocessador Ao comprar um desktop ou notebook, quase

Leia mais

Introdução à Informática

Introdução à Informática Introdução à Informática Objetivo Apresentar conceitos gerais utilizados em informática. 2 Estrutura Conceitos de Hardware Conceitos de Software Armazenamento de dados (unidades de medidas) Redes de computadores

Leia mais

Hardware. Objetivos da aula. Fornecer exemplos de processadores Intel. Esclarecer as diferenças e as tecnologias embutidas nos processadores Intel.

Hardware. Objetivos da aula. Fornecer exemplos de processadores Intel. Esclarecer as diferenças e as tecnologias embutidas nos processadores Intel. Hardware UCP Unidade Central de Processamento Características dos processadores Intel Disciplina: Organização e Arquitetura de Computadores Prof. Luiz Antonio do Nascimento Faculdade Nossa Cidade Objetivos

Leia mais

29/3/2011. Primeira unidade de execução (pipe U): unidade de processamento completa, capaz de processar qualquer instrução;

29/3/2011. Primeira unidade de execução (pipe U): unidade de processamento completa, capaz de processar qualquer instrução; Em 1993, foi lançada a primeira versão do processador Pentium, que operava a 60 MHz Além do uso otimizado da memória cache (tecnologia já amadurecida) e da multiplicação do clock, o Pentium passou a utilizar

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS 01 INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA

LISTA DE EXERCÍCIOS 01 INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA Informática Aplicada 2009.2 Campus Angicos LISTA DE EXERCÍCIOS 01 Professor: Araken de Medeiros Santos INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA 1. Cite alguns problemas que o uso de válvulas provocava nos computadores

Leia mais

FTC Faculdade de Tecnologia e Ciências Engenharia Civil 1º Semestre. Conceitos Básicos. Rafael Barbosa Neiva

FTC Faculdade de Tecnologia e Ciências Engenharia Civil 1º Semestre. Conceitos Básicos. Rafael Barbosa Neiva FTC Faculdade de Tecnologia e Ciências Engenharia Civil 1º Semestre Conceitos Básicos Rafael Barbosa Neiva rafael@prodados.inf.br SUMÁRIO Introdução e conceitos básicos Hardware Software 2 Tecnologia da

Leia mais

CENTRAL PRCESSING UNIT

CENTRAL PRCESSING UNIT Processador O processador, também chamado de CPU ( CENTRAL PRCESSING UNIT) é o componente de hardware responsável por processar dados e transformar em informação. Ele também transmite estas informações

Leia mais

Processadores clock, bits, memória cachê e múltiplos núcleos

Processadores clock, bits, memória cachê e múltiplos núcleos Processadores clock, bits, memória cachê e múltiplos núcleos Introdução Os processadores (ou CPUs, de Central Processing Unit) são chips responsáveis pela execução de cálculos, decisões lógicas e instruções

Leia mais

Manutenção Básica de Computadores João Paulo F. Guimarães

Manutenção Básica de Computadores João Paulo F. Guimarães Manutenção Básica de Computadores João Paulo F. Guimarães Fontes Corrente Contínua e Alternada No computador Tensão contínua Corrente contínua Na tomada Tensão alternada Corrente alternada Manutenção básica

Leia mais

HARDWARE COMPONENTES DO COMPUTADOR

HARDWARE COMPONENTES DO COMPUTADOR 2009 HARDWARE COMPONENTES DO COMPUTADOR Breve descrição dos componentes físicos do computador. Sónia Rodrigues 07 09 2009 HARDWARE 2 ÍNDICE 1. HARDWARE... 3 2. MOTHERBOARD... 4 3. PROCESSADOR... 5 4. MEMÓRIAS...

Leia mais

Introdução à Ciência da Computação

Introdução à Ciência da Computação 1 Universidade Federal Fluminense Campus de Rio das Ostras Curso de Ciência da Computação Introdução à Ciência da Computação Professor: Leandro Soares de Sousa e-mail: leandro.uff.puro@gmail.com site:

Leia mais

2 Arquitetura de Computadores

2 Arquitetura de Computadores 2 Arquitetura de Computadores Definição 1. Um computador é uma máquina composta de um conjunto de partes eletrônicas e eletromecânicas, com capacidade de coletar, armazenar e manipular dados, além de fornecer

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE INFORMÁTICA. INF Benchmark de Memória e Chipset

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE INFORMÁTICA. INF Benchmark de Memória e Chipset UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE INFORMÁTICA INF01 112 2010 Benchmark de Memória e Chipset me: Samuel Salamon Identificação: 173255 Turma: C Passo 1 Executeo programa SiSoftware Sandra

Leia mais

Hardware Central de Cursos Professor Pimentel

Hardware  Central de Cursos Professor Pimentel Hardware Central de Cursos Professor Pimentel Geral Quem perguntou? X X X 1 --- 2, 3, 4, 5 O que é?... é bastante utilizado, principalmente na área de computação, e se aplica à unidade central de processamento,

Leia mais

Hardware. Componentes Básicos e Funcionamento

Hardware. Componentes Básicos e Funcionamento 1 Hardware 2 2 Componentes Básicos e Funcionamento 1 Hardware 3 Conjunto de dispositivos elétricos/eletrônicos que englobam a CPU, a memória e os dispositivos de entrada/saída de um sistema de computador

Leia mais

Capítulo 14. Expandindo as portas de comunicação 8031 com a PPI Interface PPI 8255

Capítulo 14. Expandindo as portas de comunicação 8031 com a PPI Interface PPI 8255 Capítulo 14 Expandindo as portas de comunicação 8031 com a PPI 8255 Como discutido ao longo do livro, o 8031 deixa 8 bits para controle genérico de dispositivos. Em situações nas quais se necessita um

Leia mais

Tabela de soquetes para CPU

Tabela de soquetes para CPU Tabela de soquetes para CPU Soquete Número de Pinos Soquete 0 168 Soquete 1 169 Exemplos de Processadores Compatíveis 486 DX 486 DX 486 DX2 486 SX 486 SX2 Soquete 2 238 486 DX 486 DX2 486 SX 486 SX2 Pentium

Leia mais

Microcomputadores. É época de Natal. Um pai sai em busca dos presentes, entre eles o do filho, o tão ansiado videogame.

Microcomputadores. É época de Natal. Um pai sai em busca dos presentes, entre eles o do filho, o tão ansiado videogame. A UU L AL A Microcomputadores É época de Natal. Um pai sai em busca dos presentes, entre eles o do filho, o tão ansiado videogame. Um problema A onda agora são os videogames, os CD-ROMS, equipamentos de

Leia mais

Componentes de um PC. Professor Leonardo Cabral da R. Soares

Componentes de um PC. Professor Leonardo Cabral da R. Soares Componentes de um PC Professor Leonardo Cabral da R. Soares Fonte de alimentação A função da fonte é transformar a corrente alternada, que chega em nossas tomadas, em corrente contínua (AC) já nas tensões

Leia mais