Caderno de Prova. Prefeitura Municipal de São José Secretaria Municipal da Administração. Concurso Público Edital 001/2014/GAB

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Caderno de Prova. Prefeitura Municipal de São José Secretaria Municipal da Administração. Concurso Público Edital 001/2014/GAB"

Transcrição

1 Prefeitura Municipal de São José Secretaria Municipal da Administração Concurso Público Edital 001/2014/GAB Caderno de Prova maio de maio das 14 às 17 h 3 h de duração* 40 questões 1S15 Geógrafo Confira o número que você obteve no ato da inscrição com o que está indicado no cartão-resposta. * A duração da prova inclui o tempo para o preenchimento do cartão-resposta. Instruções Para fazer a prova você usará: este caderno de prova; um cartão-resposta que contém o seu nome, número de inscrição e espaço para assinatura. Verifique, no caderno de prova, se: faltam folhas e a sequência de questões está correta. há imperfeições gráficas que possam causar dúvidas. Comunique imediatamente ao fiscal qualquer irregularidade. Atenção! Não é permitido qualquer tipo de consulta durante a realização da prova. Para cada questão são apresentadas 5 (cinco) alternativas diferentes de respostas (a, b, c, d, e). Apenas uma delas constitui a resposta correta em relação ao enunciado da questão. A interpretação das questões é parte integrante da prova, não sendo permitidas perguntas aos fiscais. Não destaque folhas da prova. Ao terminar a prova, entregue ao fiscal o caderno de prova completo e o cartão-resposta devidamente preenchido e assinado.

2 .

3 Prefeitura Municipal de São José Conhecimentos Gerais (15 questões) Língua Nacional 10 questões 1. Sobre o texto é correto afirmar: Leia o texto. Ele é um poema e cada linha é chamada verso. A voz das coisas E Juca ouviu a voz das coisas. Era um brado: Queres nos deixar, filho desnaturado? ( ) Juca olhou a floresta: os ramos, nos espaços, pareciam querer apertá-lo entre os braços: Filho da mata, vem! Não fomos nós, ó Juca, o arco do teu bodoque, as grades da arapuca, o varejão do barco e essa lenha sequinha que de noite estalou no fogo da cozinha? Depois, homem já feito, a tua mão ansiada não fez, de um galho tosco, um cabo para a enxada? Não vás lhe disse o azul Os meus astros ideais Num forasteiro céu tu nunca os verás mais. Hostis, ao teu olhar, estrelas ignoradas hão de lampejar como pontas de espadas. Suas irmãs daqui, em vão, ansiosas, logo irão te procurar com seus olhos de fogo calcula, agora, a dor destas pobres estrelas correndo atrás de quem anda fugindo delas Metotti Del Picchia. Juca Mulato. 1. As estrelas correrão atrás de um forasteiro que lhes foge do brilho e calor. 2. Coisas inanimadas, como os ramos e o céu, falam com Juca. 3. Aquele céu que Juca deixaria foi chamado forasteiro porque era diferente dos outros que conheceria. 4. As palavras floresta, ramos, arco, bodoque, estrelas, céu, dentre outras, contextualizam o texto na natureza, exaltando-a. 5. A expressão era um brado pode ser entendida como um clamor da natureza para que Juca permanecesse ali. Assinale a alternativa que indica todas as afirmativas corretas. a. ( ) São corretas apenas as afirmativas 1 e 2. b. ( ) São corretas apenas as afirmativas 1 e 4. c. ( ) São corretas apenas as afirmativas 2, 3 e 5. d. ( X ) São corretas apenas as afirmativas 2, 4 e 5. e. ( ) São corretas apenas as afirmativas 3, 4 e Assinale a alternativa correta. a. ( X ) Queres nos deixar, filho desnaturado? (a expressão sublinhada é um vocativo) b. ( ) Num forasteiro céu tu nunca os verás mais. (a palavra sublinhada é um artigo e retoma o termo meus astros ideais no verso 11 do poema) c. ( ) Correndo atrás de quem anda fugindo delas. (a palavra sublinhada é um objeto direto) d. ( ) O varejão do barco e essa lenha sequinha. (a palavra sublinhada é um adjunto adverbial) e. ( ) Em pareciam querer apertá-lo há o uso de uma próclise na colocação pronominal. Página 3

4 Secretaria Municipal da Administração 3. Sobre pontuação, analise as afirmativas abaixo. 1. A vírgula nos versos 2 e 5 do texto foram usadas pelo mesmo motivo. 2. As vírgulas usadas nos versos 3, 13 e 17 do texto justificam-se para isolar adjunto adverbial deslocado. 3. As aspas no texto foram usadas para marcar a fala dos personagens e poderiam ser trocadas por travessão em outro tipo de texto. 4. Em Filho da mata, vem!, a vírgula é optativa. 5. Os dois pontos no verso 4 foram usados para substituir uma vírgula. Estão corretas apenas: a. ( ) São corretas apenas as afirmativas 2 e 4. b. ( ) São corretas apenas as afirmativas 2 e 5. c. ( ) São corretas apenas as afirmativas 3 e 4. d. ( X ) São corretas apenas as afirmativas 1, 2 e 3. e. ( ) São corretas apenas as afirmativas 1, 4 e Observando os termos sublinhados na coluna 2, relacione corretamente as colunas 1 e 2 abaixo: Coluna 1 Coluna 2 1. adjunto adverbial 2. agente da passiva 3. complemento nominal ( ) Fiquei ouvindo por longo tempo. ( ) As colheitas foram levadas pela chuva. ( ) Fala-se bastante de fiscalização. ( ) Os ecologistas protestaram contra a queima da floresta. ( ) Agiu contrariamente ao pensamento. Assinale a alternativa que indica a sequência correta, de cima para baixo. 5. Analise a frase abaixo: Deves informar engenheiros a fiscalização, marcada para o próximo sábado, partir das 8h, verificará também obediência nova lei ambiental. Assinale a alternativa que completa corretamente as lacunas do texto. a. ( ) aos ; que ; à ; à ; à b. ( X ) aos ; que ; a ; a ; à c. ( ) aos ; de que ; a ; à ; a d. ( ) os ; de que ; à ; a ; a e. ( ) os ; que ; à ; a ; à 6. Assinale a alternativa que apresenta correta classificação do vício de linguagem presente na oração. a. ( ) Mandem-se já a encomenda. (ambiguidade) b. ( ) Ele teve uma surpresa inesperada. (cacófato) c. ( ) O rapaz viu o incêndio do prédio. (pleonasmo) d. ( ) Vossa Mercê me permite uma observação? (eco) e. ( X ) Fazem dois anos que viajamos a aquela cidade. (solecismo) 7. Assinale a frase cuja concordância verbal está correta. a. ( ) Foste vós que aceitaste o desafio. b. ( ) Hão de haver outras oportunidades, não as perca. c. ( X ) Bateu seis horas o relógio central daquela praça. d. ( ) Dois Riachos situam-se em uma cidade catarinense. e. ( ) Os Estados Unidos fez parceria com outros países. a. ( ) b. ( ) c. ( X ) d. ( ) e. ( ) Página 4

5 Prefeitura Municipal de São José 8. Nas frases abaixo, substitua o objeto direto ou indireto (sublinhado) pelo pronome correspondente: 1. O diretor pretende falar com você. 2. Fizeste os trabalhos durante a tarde? 3. Informaremos as autoridades no tempo certo. 4. Põe as cartas sobre a mesa. 5. Sempre aspirei ao cargo de supervisor. Assinale a alternativa que apresenta a correta sequência, de cima para baixo. a. ( ) vos ; los ; as ; as ; lhe b. ( ) vos ; os ; las ; as ; a ele c. ( ) lhe ; los ; las ; nas ; a ele d. ( X ) lhe ; os ; las ; nas ; a ele e. ( ) lhe ; os ; as ; nas ; a ele 9. Sobre a redação de um ofício, assinale a alternativa que apresenta uma afirmação correta. a. ( ) O vocativo de um ofício enviado a uma autoridade, cujo tratamento é Vossa Senhoria, é: Digníssimo Senhor. b. ( ) A frase: Solicito vosso parecer o mais breve possível está corretamente redigida para compor a redação de um ofício. c. ( X ) A linguagem deve ser formal sem ser rebuscada, pois as comunicações que partem de órgãos públicos devem ser compreendidas por todo e qualquer cidadão brasileiro. d. ( ) Vossa Senhoria e Vossa Excelência são tratamentos indicados para ofícios enviados a qualquer tipo de autoridade. e. ( ) Atenciosamente é o tratamento indicado para ofícios, pois são documentos que circulam entre autoridades de alta hierarquia nos poderes Legislativo, Executivo e Judiciário. 10. Se na expressão acesso à medicina preventiva a expressão medicina preventiva fosse pluralizada, assinale a alternativa que corresponderia à correta escrita dessa expressão. a. ( ) Acesso à medicinas preventivas b. ( X ) Acesso a medicinas preventivas c. ( ) Acessos à medicinas preventivas d. ( ) Acesso as medicinas preventivas e. ( ) Acesso para às medicinas preventivas Noções de Informática 5 questões 11. Assinale a alternativa que descreve corretamente o recurso Bloqueio de Rastreamento, que pode ser acionado a partir da Guia Revisão do software MS Word 2013 em português. a. ( X ) Visa impedir que outros autores desativem o controle de alterações do documento. b. ( ) Visa impedir que outros autores editem o documento. c. ( ) Visa impedir que outros autores editem e/ou imprimam o documento. d. ( ) Visa desativar as informações sobre origem do documento, como data e autor, para impedir que o documento possa ser rasteado. e. ( ) Visa desativar as informações de localização do documento, de forma a impedir que cópias do documento em diversos computadores possam ser rastreadas. 12. São todas formas válidas de restrições de edição do MS Word 2013 em português: 1. Sem alteração (somente leitura) 2. Comentários 3. Alterações controladas Assinale a alternativa que indica todas as afirmativas corretas. a. ( ) É correta apenas a afirmativa 1. b. ( ) São corretas apenas as afirmativas 1 e 2. c. ( ) São corretas apenas as afirmativas 1 e 3. d. ( ) São corretas apenas as afirmativas 2 e 3. e. ( X ) São corretas as afirmativas 1, 2 e 3. Página 5

6 Secretaria Municipal da Administração 13. Assinale a alternativa que descreve corretamente o suplemento PowerPivot do MS Excel a. ( ) Não há um suplemento denominado PowerPivot no MS Excel b. ( X ) Possui recursos que permitem executar uma análise avançada de dados, agregando funções de Business Intelligence (BI). c. ( ) É a interface de integração do MS Excel com o MS Powerpoint e permite transformar as planilhas em apresentações. d. ( ) É componente do MS Powerpoint e não do MS Excel e permite incluir planilhas em apresentações com recursos multimídia. e. ( ) É um recurso mais avançado que tem como objetivo a transposição dos dados (pivot), o que resulta em uma nova perspectiva de análise. 15. São todas funções de texto do MS Excel 2013 em português: 1. Concatenar 2. Esquerda 3. Exato 4. Valor Assinale a alternativa que indica todas as afirmativas corretas. a. ( X ) São corretas as afirmativas 1, 2, 3 e 4. b. ( ) São corretas apenas as afirmativas 1, 2 e 4. c. ( ) São corretas apenas as afirmativas 1, 2 e 3. d. ( ) São corretas apenas as afirmativas 3 e 4. e. ( ) São corretas apenas as afirmativas 1 e São todas formas válidas de proteção de documento disponibilizados pelo software MS Word 2013 em português através do recurso Arquivo Informações Proteger documento. 1. Marcar o documento como final e torná-lo somente leitura. 2. Adicionar uma assinatura digital ao documento para garantir sua integridade. 3. Aplicar uma criptografia com senha ao documento para protegê-lo. Assinale a alternativa que indica todas as afirmativas corretas. a. ( ) É correta apenas a afirmativa 1. b. ( ) São corretas apenas as afirmativas 1 e 2. c. ( ) São corretas apenas as afirmativas 1 e 3. d. ( ) São corretas apenas as afirmativas 2 e 3. e. ( X ) São corretas as afirmativas 1, 2 e 3. Página 6

7 Prefeitura Municipal de São José Conhecimentos Específicos (25 questões) 16. A Geografia tem a função de levar o homem a uma reflexão profunda sobre o mundo e sobre as transformações das sociedades local e global. O trabalho do geógrafo é de observar as transformações realizadas pela sociedade no Planeta Terra e associá- -las com os diversos fenômenos ocorridos na natureza. Na linguagem geográfica, os conceitos-chave devem ser entendidos como pré-requisito para a análise dos fenômenos geográficos. Com relação aos conceitos-chave da Geografia, é correto afirmar: a. ( ) O conceito geográfico associado ao plano do indivíduo, do cotidiano e do vivido é o espaço natural. b. ( ) Região é o conceito geográfico associado a uma área onde existem relações de poder e dominação no uso do espaço. c. ( X ) Lugar representa o espaço cotidiano; paisagem é a porção do espaço que vejo e sinto; espaço geográfico é o espaço transformado; território é o espaço de poder, e região, o espaço diferente. d. ( ) Espaço Geográfico é o conceito geográfico associado a tudo aquilo que a visão alcança e é interpretado pelo nosso conhecimento pessoal. e. ( ) Paisagem é o conceito geográfico associado ao espaço transformado pela ação do homem e seu trabalho através de processos históricos e unidos por uma complexa rede de relações. 17. As técnicas de extração de informações numa base de dados armazenada num SIG podem ser subdivididas em técnicas de manipulação e técnicas de análise de dados. As funções de manipulação de dados referem-se às técnicas que envolvem o manuseio de objetos para um propósito particular. Dentre as principais técnicas de manipulação de dados podemos citar: a. ( ) mudança de projeção, tabulação cruzada, remoção de distorções e ajuste ou calibração. b. ( X ) mudança de projeção, mudança de escala, remoção de distorções e a rotação e/ou translação de coordenadas. c. ( ) mudança de escala, correção geométrica, operadores de vizinhança e a rotação e/ou translação de coordenadas. d. ( ) mudança de projeção, mudança de escala, correção geométrica, ponderação e reclassificação. e. ( ) mudança de escala, remoção de distorções, correção geométrica e a ponderação e/ou reclassificação de coordenadas. Página 7

8 Secretaria Municipal da Administração 18. Dentre as técnicas de extração de informações numa base de dados armazenada num SIG, as funções de análise de dados referem-se às técnicas que envolvem os princípios gerais de sobreposição e cruzamento de dados. Sobre as operações de análises de dados mais comuns nos SIGs, é correto afirmar: a. ( ) Ajuste ou calibração é a fase da simulação onde os parâmetros devem ser identificados e avaliados. b. ( ) A reclassificação é feita geralmente quando se objetiva converter dados espaciais, representados segundo um determinado sistema de projeção cartográfica, para outro sistema de projeção. c. ( ) A rotação/translação de coordenadas consiste em rotacionar o mapa em relação aos sistemas de coordenadas, ou seja, simplesmente acrescentar um dado valor nas coordenadas dos pontos. d. ( X ) Através do mapa e do banco de dados georreferenciados num SIG, podem-se fazer consultas, pois as informações são referenciadas espacialmente através de um sistema de coordenadas. e. ( ) As técnicas de análises de dados geográficos consistem em operações espaciais aplicadas a um ou mais planos de informações, utilizando-se a álgebra linear para a intersecção de dois ou mais conjuntos. 19. Na cartografia digital, ainda que existam várias maneiras de representar os dados espaciais, quase todas as variações produzidas são sobre dois tipos básicos de estruturas de dados no computador. A respeito dessas estruturas de dados, é correto afirmar: a. ( X ) A principal diferença entre as estruturas de dados raster e vetorial está no modelo de espaço que cada uma pressupõe. b. ( ) Como a estrutura raster usa um plano tridimensional, ela pode representar vários atributos do mundo real por vez. c. ( ) Como a estrutura raster usa um plano bidimensional, ela necessita de um conjunto de planos superpostos para representação do mundo real. d. ( ) As estruturas vetoriais se baseiam em um espaço contínuo, que se comporta segundo postulados da geometria analítica digital, enquanto que as estruturas raster dividem o espaço geográfico em elementos discretos, requerendo a adoção de uma geometria euclidiana. e. ( ) A estrutura de dados vetorial ou estrutura poligonal é um formato que se consegue mediante o uso de uma malha quadriculada regular sobre a qual se constrói, célula a célula, o elemento que está se representando. Página 8

9 Prefeitura Municipal de São José 20. Todos os mapas e/ou cartas são representações aproximadas da superfície terrestre. São aproximadas porque a Terra, esférica, é desenhada sobre uma superfície plana. A elaboração de um mapa/carta consiste em um método pelo qual se faz corresponder a cada ponto da superfície terrestre, como sendo um ponto no mapa. Para se obter esta correspondência utilizam-se os sistemas de projeções cartográficas, sobre os quais, é correto afirmar: a. ( ) As projeções conformes ou isogonais, equivalentes ou isométricas e equidistantes são exemplos de classificação de projeções quanto ao tipo de superfície adotada. b. ( ) As projeções planas ou azimutais, cilíndricas, cônicas e poliédricas são exemplos de projeções quanto ao tipo de deformação da superfície. c. ( ) Na projeção equivalente ou isométrica, o mapa é construído imaginando-o situado num plano tangente ou secante a um ponto na superfície da Terra. d. ( ) Nas projeções equidistantes, a superfície a ser representada é dividida em um grande número de quadriláteros suficientemente pequenos para que, em cada um, as deformações fiquem restringidas a valores admissíveis. e. ( X ) Os sistemas de projeções cartográficas são analisados pelo tipo de superfície adotada e pelo grau de deformação da superfície. 21. Para determinarmos as coordenadas geográficas de um ponto qualquer sobre um mapa, devemos estar cientes de que nosso trabalho é o de achar o valor do paralelo e o valor do meridiano que passam sobre aquele ponto, que constituem a anotação básica do seu sistema de coordenadas. Sobre a determinação das coordenadas geográficas, é considerada válida a seguinte definição básica: a. ( ) Longitude é o valor angular do arco de meridiano compreendido entre o Equador e o paralelo do lugar de referência. Será sempre Leste ou Oeste. b. ( X ) Numa visão em qualquer dos polos geográficos, os paralelos são vistos como círculos concêntricos, sendo que o Equador é a linha mais externa. c. ( ) Latitude é o valor angular do arco de paralelo compreendido entre o meridiano de Greenwich e o meridiano do lugar de referência, considerado sempre sobre o plano do equador. É sempre Norte ou Sul. d. ( ) O meridiano superior é o meridiano que se encontra diametralmente oposto ao meridiano de origem. É aquele que contém o zênite de um lugar. e. ( ) O meridiano inferior refere-se à linha norte-sul da rede geográfica que passa pelo local ao qual se faz a referência; é aquele que contém o zênite de um lugar. Página 9

10 Secretaria Municipal da Administração 22. Sabemos que uma escala é uma proporção entre duas dimensões, a real e a do desenho, correspondentes entre si. Essa proporção pode ser indicada de várias maneiras, havendo, porém, duas formas já consagradas e adotadas em qualquer trabalho técnico. Com relação aos modos de representar a escala, é correto afirmar: a. ( ) A escala de um mapa é uma relação logarítmica entre duas dimensões, desenho e objeto real. b. ( ) Toda escala é expressa por uma fração. Essa fração é chamada escala gráfica, e sua representação no desenho chama-se escala numérica. c. ( ) Escala é a relação que existe entre os comprimentos de um desenho e seus correspondentes no objeto; portanto, escala não pode ser considerada como uma razão de semelhança. d. ( X ) A escala de um mapa deverá ser sempre expressa por uma fração, pois representa uma relação de dois valores (real e desenho) de mesma significação. e. ( ) Os comprimentos considerados no desenho são chamados distâncias naturais e os considerados no objeto são chamados distâncias gráficas. 23. Entende-se por rede geográfica o conjunto formado por paralelos e meridianos, ou seja, pelas linhas de referência que cobrem o globo terrestre, com a finalidade de permitir a localização precisa de qualquer ponto sobre uma superfície, bem como orientar a confecção de mapas. Sobre sistemas de coordenadas geográficas, é correto afirmar: a. ( X ) O plano de cada meridiano contém o eixo da Terra e todos eles têm como ponto comum os polos verdadeiros. b. ( ) As linhas dispostas no sentido Leste-Oeste recebem o nome de meridianos, enquanto que as dispostas no sentido Norte-Sul são denominadas paralelos. c. ( ) Paralelos são semicircunferências de círculos máximos, cujas extremidades são os dois polos geográficos da Terra. d. ( ) Meridianos são circunferências que têm seus planos, em toda sua extensão, a igual equidistância do plano do Equador, sendo sempre transversais ao eixo da Terra. e. ( ) Meridiano de origem é aquele tomado como base para determinação dos hemisférios Norte e Sul. A partir dele temos 360 graus tanto para leste como para oeste. Página 10

11 Prefeitura Municipal de São José 24. Existe uma grande variedade de medidas possíveis de serem obtidas utilizando os sistemas de informações geográficas. Com relação ao tema, é correto afirmar: a. ( ) No caso de dados no formato vetorial, a precisão das medidas é limitada pelo tamanho da célula. Já no caso de dados no formato raster, a precisão de medidas é limitada à precisão da localização dos dados armazenados. b. ( ) A medida de perímetro é uma das técnicas de cálculo muito utilizadas nos projetos de engenharia para o cálculo dos volumes de aterro e de corte de uma seção transversal. c. ( X ) Os principais tipos de medidas possíveis de serem obtidas através dos SIGs são as medidas de distâncias, perímetro, área e volume. d. ( ) O cálculo da medida de perímetro para dados no formato raster é feito multiplicando-se o número total de pixels pela área do pixel, e para dados do formato vetorial, é feito a partir das coordenadas dos pontos que delimitam a área de interesse. e. ( ) As medidas de distâncias através dos SIGs são importantes em muitas circunstâncias, pois possibilitam determinar a distância entre duas linhas, dois pontos, e a área de um polígono. 25. Os sensores instalados nos satélites para Detecção Remota possuem uma série de particularidades que determinam as características ou resoluções das imagens. Sobre estas características, é correto afirmar: a. ( ) Os diferentes tipos de superfícies, naturais ou não, podem ser identificadas com base nas suas assinaturas espectrais, pois respondem de uma mesma maneira à radiação eletromagnética. b. ( ) A resolução espacial consiste no ciclo de repetição, ou seja, no intervalo de tempo que decorre entre duas aquisições sucessivas de imagens da mesma porção da superfície terrestre, pelo mesmo sensor. c. ( ) A resolução espectral pode ser definida como a quantidade mínima de energia requerida para incrementar o valor de um pixel em um nível digital (ND). d. ( ) Os satélites com órbita quase equatoriais podem captar muito mais imagens de altas latitudes do que das zonas polares, dado que as trajetórias da órbita passam todas muito próximas dos polos. e. ( X ) A resolução espacial é uma medida da distância angular ou linear menor, que pode captar um sensor remoto da superfície terrestre, e é representada por um pixel. Página 11

12 Secretaria Municipal da Administração 26. O tipo de produto mais comum fornecido pelos satélites de observação da Terra é uma imagem digital do tipo raster, na qual cada pixel tem associado a si um ou vários valores numéricos (níveis digitais) que resultam da energia média recebida dentro de uma determinada banda espectral. Tendo isto em conta, podem ser adquiridos os seguintes tipos de imagens: a. ( ) Imagem multiespectral (MS), Imagem booleana, Imagem fusionada (PS), Imagem pancromática (PAN) e Imagem estéreo. b. ( X ) Imagem multiespectral (MS), Imagem hiperespectral, Imagem fusionada (PS), Imagem pancromática (PAN) e Imagem estéreo. c. ( ) Imagem multidimensional (MS), Imagem bundleana, Imagem fusionada (PS), Imagem pancromática (PAN) e Imagem estéreo. d. ( ) Imagem pancromática (PAN), Imagem multiespectral (MS), Imagem hiperespectral, Imagem fusionada (PS), e Modelos digitais de elevação (DEMs). e. ( ) Imagem multidimensional (MS), Imagem hiperespectral, Imagem booleana, Imagem pancromática (PAN) e Modelos digitais de elevação (DEMs). 27. Sensoriamento remoto, detecção remota ou ainda teledetecção é a expressão usada na língua portuguesa que é a tradução literal do termo inglês Remote Sensing. Refere-se à ciência, técnica e inclusivamente arte de obtenção de informação (imagens) de forma remota da superfície terrestre, sem que haja contacto direto com esta, com o auxílio de sensores presentes em plataformas orbitais ou satélites, aviões. A Detecção Remota também inclui todo o trabalho realizado, a posterior, com estas imagens, desde o processamento à interpretação dos resultados. Considerando a existência de uma linguagem própria para o seu desenvolvimento, com relação aos conceitos-chave usualmente empregados, é correto afirmar: a. ( ) Assinatura espectral é a relação entre a quantidade de radiação incidente e radiação refletida por uma determinada superfície. b. ( ) Pixel é um instrumento que detecta radiação eletromagnética e tem a capacidade de registrá-la, convertendo-a a valores digitais (ND), daí resultando normalmente uma imagem. c. ( X ) Shape é um formato vetorial de armazenamento e representação de dados espaciais que inclui a localização dos elementos representados e a definição dos atributos a si associados. d. ( ) Shape é um formato de representação de dados espaciais ordenados segundo uma estrutura matricial de células ou pixels, no qual cada um destes elementos é representado espacialmente de acordo com as suas coordenadas horizontal (x) e vertical (y). e. ( ) Assinatura espectral é uma imagem captada pelo sensor de um satélite de forma regular, com dimensão (largura e comprimento) predeterminada. Página 12

13 Prefeitura Municipal de São José 28. O estudo da Geografia deve obedecer às regras metodológicas dessa ciência. Sobre os princípios científicos da Geografia, que servem de base para sua pesquisa, ensino e estudo, é correto afirmar: a. ( X ) O princípio da analogia ou da Geografia Geral é aquele que permite a generalização dos fatos semelhantes (Ritter e Vidal de La Blache). b. ( ) O princípio da analogia ou interação é aquele em que é preciso identificar as relações locais e interlocais, pois os fatos nunca estão isolados e, sim, ligados entre si (Brunhes). c. ( ) O princípio de extensão é aquele em que o fato tem caráter dinâmico, daí a necessidade do conhecimento do passado para a exploração do presente e previsão de sua evolução futura (Brunhes). d. ( ) O princípio da atividade é aquele por meio do qual se devem buscar as causas e examinar as possíveis consequências dos fatos examinados (Humboldt). e. ( ) O princípio da analogia ou da Geografia Geral é aquele em que o fato tem caráter dinâmico, daí a necessidade do conhecimento do passado para a exploração do presente e previsão de sua evolução futura (Brunhes). 29. Os primeiros registros de conhecimentos geográficos se encontram em relatos de viajantes, como o grego Heródoto, no século V a.c. A percepção dos gregos sobre a Terra era bastante avançada, e filósofos como Pitágoras e Aristóteles acreditavam que ela tinha a forma esférica. Até o século XIX, a Geografia consistia em um conhecimento disperso; tratava-se de um conhecimento meramente descritivo das paisagens observadas pelos viajantes das grandes navegações. No século XIX ocorreu a sistematização dos conhecimentos geográficos. A Geografia surge como uma ciência a serviço do Estado. Sobre as correntes históricas da Geografia, é correto afirmar: a. ( ) Na Nova Geografia, também descrita como teorética-qualitativa, os modelos matemáticos servem para analisar o espaço, através da aplicação de questionários e pesquisas semiestruturadas. b. ( ) A Geografia crítica prevaleceu até os anos de 1970, e caracterizava-se por ser descritiva e empírica, tendo como principais correntes o determinismo e o possibilismo. c. ( ) A Geografia tradicional ou clássica prevaleceu até os anos de 1950, e promoveu um aprofundamento das questões sociais, uma análise das contradições sociais no espaço, baseada em explicações socioeconômicas, ideias marxistas, e crítica ao modo de produção capitalista. d. ( X ) A Nova Geografia, também descrita como teorética-quantitativa, surgiu no Pós 2ª Guerra Mundial, onde o cenário de destruição fez com que os geógrafos buscassem novas formulações para superar a crise econômica capitalista. e. ( ) Na Geografia da percepção se considera que a cultura, além de resultado e condição da existência humana, é um componente do espaço geográfico. O espaço geográfico é resultado das relações entre os homens e deles com a natureza; ao mesmo tempo eles constroem cultura e fazem parte dela. Página 13

14 Secretaria Municipal da Administração 30. Vários satélites modernos possuem a capacidade de reorientar para qualquer direção (off-nadir) o sensor durante o processo de aquisição de imagens, captando franjas adjacentes numa só passagem. Este fator traduz-se num incremento da largura de varredura operacional do satélite, o que por sua vez supõe um aumento importante da capacidade de aquisição de imagens por parte dos satélites que integram esta tecnologia. Uma definição considerada correta sobre os tipos de imagens de detecção remota é: a. ( ) A imagem pancromática (PAN) é aquela obtida mediante a fusão de uma imagem multiespectral com uma pancromática. A sigla PAN advém da expressão inglesa pan-sharpened. b. ( ) A imagem multiespectral (MS) é caracterizada por possuir informação associada a um elevado número de bandas espectrais, obtidas sobretudo para estudos de identificação e classificação de alta precisão. c. ( ) A imagem estéreo é caracterizada por possuir informação associada a um elevado número de bandas espectrais, obtidas sobretudo para estudos de identificação e classificação de alta precisão. d. ( ) A imagem hiperespectral consiste num conjunto de duas imagens da mesma zona captadas com diferentes ângulos de visão, normalmente empregadas para gerar Modelos Digitais do Terreno (MDT). e. ( X ) A imagem fusionada (PS) é aquela obtida mediante a fusão de uma imagem multiespectral com uma pancromática. A sigla PS advém da expressão inglesa pan-sharpened. 31. No estudo sobre a forma da Terra, devemos considerar primeiramente que a visão que se tem de nosso planeta desde o espaço cósmico é a de um globo, não se apercebendo o achatamento polar. Portanto, a forma elipsoidal de que se fala possuir a Terra não pode ser tida como perceptível aos olhos de quem a observa do cosmos. Na realidade, devemos considerar que para efeitos práticos de estudo da rede geográfica, a Terra é tida como um globo perfeito, sem diferenças nas medidas dos eixos polar e equatorial. Nesse sentido, sobre as referências básicas para os sistemas de coordenadas e geodésicos, deve-se considerar que: a. ( X ) A representação gráfica da linha física ou real, demarcatória da interface Terra-Atmosfera, demonstraria um objeto com uma superfície bastante irregular. b. ( ) A representação real da linha demarcatória da interface Terra-Atmosfera não seria prejudicial para o estabelecimento de uma rede de medidas para fins de mapeamento. c. ( ) O geoide é uma superfície regular, gerada em razão do movimento de rotação da Terra em torno de seu eixo menor, seguindo o nível médio do mar e estendendo-se imaginariamente por entre o relevo terrestre. d. ( ) A elipsoide é uma superfície que segue o nível médio do mar, levando em consideração o campo gravimétrico terrestre, o que lhe dá uma conformação um tanto ondulada. e. ( ) A eclíptica é uma superfície regular, gerada em razão do movimento de rotação da Terra em torno de seu eixo menor, seguindo o nível médio do mar e estendendo-se imaginariamente por entre o relevo terrestre. Página 14

15 Prefeitura Municipal de São José 32. Existem diversas modalidades de perícia, que se definem pelas especificidades do objeto a ser periciado e pela área de conhecimento que as fundamentam, todas com procedimentos comuns regulamentados pelo Código de Processo Civil (CPC). A perícia ambiental é também um meio de prova utilizada em processos judiciais, sujeita à mesma regulamentação, com a mesma prática forense, mas que irá atender a demandas específicas advindas das questões ambientais, onde o principal objeto é o dano ambiental ocorrido, ou o risco de sua ocorrência. Sobre a prática da perícia ambiental, é correto afirmar: a. ( ) O perito é um profissional legalmente habilitado, idôneo e especialista, convocado e nomeado pelo juiz, e de sua inteira confiança para realizar uma perícia, sem a necessidade de comprovar sua especialidade profissional. b. ( ) O perito judicial é o profissional legalmente habilitado, indicado e contratado pela parte para orientá-la, assistir os trabalhos periciais em todas as fases da perícia e, quando necessário, emitir seu parecer técnico. c. ( X ) O perito é um auxiliar da justiça que assessora o juiz na formação de seu convencimento, quando as questões em pauta exigem conhecimentos técnicos ou científicos específicos para elucidação dos fatos. d. ( ) A atividade pericial ambiental não está vinculada à legislação tutelar do meio ambiente, designada Legislação Ambiental, que regulamenta a proteção ambiental nos níveis federal, estadual e municipal. e. ( ) De acordo com o art. 433 do Código de Processo Civil (CPC), o laudo é o resultado técnico subscrito pelo assistente técnico, enquanto que o parecer é o trabalho subscrito apenas pelo perito. 33. No âmbito de uma perícia ambiental, para a constituição da prova pericial, são formulados quesitos, que são perguntas ou questões formuladas ao perito, e assistentes técnicos, concernentes aos fatos da causa, que constituem o objetivo da perícia. O juiz incumbe as partes (autor e réu) de apresentar quesitos. Os quesitos podem, ainda, ser formulados pelo promotor de justiça e pelo juiz, sendo que também ao juiz compete indeferir aqueles que julgar impertinentes. Em função dos prazos legalmente estabelecidos para sua apresentação, os quesitos são assim designados: a. ( ) Quesitos originários: os formulados fora dos prazos legais; quesitos suplementares: aqueles formulados posteriormente, mas antes da perícia; quesitos intempestivos: são os apresentados no prazo da lei; quesitos elucidativos: os apesentados em audiência, para esclarecer dúvidas sobre o laudo. b. ( ) Quesitos elucidativos: os formulados fora dos prazos legais; quesitos intempestivos: os apresentados em audiência, para esclarecer dúvidas sobre o laudo; quesitos originários: são os apresentados no prazo da lei; quesitos suplementares: aqueles formulados posteriormente, mas antes da perícia. c. ( ) Quesitos intempestivos: os apresentados em audiência, para esclarecer dúvidas sobre o laudo; quesitos originários: são os apresentados no prazo da lei; quesitos suplementares: aqueles formulados posteriormente, mas antes da perícia; quesitos elucidativos: os formulados fora dos prazos legais. d. ( ) Quesitos suplementares: os apresentados em audiência, para esclarecer dúvidas sobre o laudo; quesitos originários: os formulados fora dos prazos legais; quesitos intempestivos: quesitos elucidativos: aqueles formulados posteriormente, mas antes da perícia. e. ( X ) Quesitos originários: são os apresentados no prazo da lei; quesitos suplementares: aqueles formulados posteriormente, mas antes da perícia; quesitos intempestivos: os formulados fora dos prazos legais; quesitos elucidativos: os apresentados em audiência, para esclarecer dúvidas sobre o laudo. Página 15

16 Secretaria Municipal da Administração 34. As mensurações típicas efetuadas no espaço geográfico referem-se a linhas, áreas e pontos. Entendemos por mensuração a atribuição de um número à qualidade de um objeto ou fenômeno segundo regras definidas. O processo de atribuição de números a qualidades de objetos forma a escala de mensuração. Sobre níveis ou escalas de mensuração, é correto afirmar: a. ( ) A escala de razão refere-se a um nível de mensuração em que a escala tem todas as características de uma escala de intervalo, mas os intervalos entre os valores associados são conhecidos e cada observação pode receber um valor numérico preciso. b. ( X ) A escala de razão é a mais precisa de todas, referindo-se a um nível de mensuração em que a escala tem todas as características de uma escala de intervalo, sendo que o ponto zero é uma origem verdadeira. c. ( ) A escala de intervalo é utilizada quando os fenômenos ou observações são passíveis de serem arranjados segundo uma ordem, isto é, segundo a grandeza ou preferência, onde a extensão de cada intervalo sucessivo é constante. d. ( ) A escala ordinal é um tipo de mensuração essencialmente qualitativa e usada na maioria das vezes como simples processo classificatório, na identificação das várias classes em que um determinado fato ou fenômeno possa ser decomposto. e. ( ) A escala ordinal é um tipo de mensuração que permite apenas uma distinção ou uma classificação do fato ou fenômeno em pauta, apenas localizando-o, onde o zero indica ausência do fenômeno. 35. Para se entender o que é um sistema de informação geográfica, é necessário conhecer a definição de alguns conceitos básicos, que são normalmente empregados pela comunidade que trabalha com esta tecnologia. Sobre esses conceitos básicos, é correto afirmar: a. ( ) Os dados são os elementos ou objetos tomados como unidades básicas para a coleta das informações e as entidades relacionam-se com os atributos que caracterizam e fornecem significado à unidade estudada. b. ( ) Um dado é definido como o significado que o ser humano atribui a um conjunto de informações, utilizando-se de processos preestabelecidos para a sua interpretação. c. ( ) Uma informação é um símbolo utilizado para a representação de fatos, conceitos ou instruções em forma convencional ou preestabelecida e apropriada para a comunicação, interpretação ou processamento por meios humanos ou automáticos. d. ( X ) Como informação geográfica considera-se o conjunto de dados cujo significado contém associações ou relações de natureza espacial, dados esses que podem ser representados de forma gráfica, numérica e alfanumérica. e. ( ) O número de informações mensuradas fornece a base para melhor caracterização de área através do cruzamento das informações. Página 16

17 Prefeitura Municipal de São José 36. A cartografia digital transmite a ideia de automação de projetos com o auxílio de computador e outros equipamentos conexos, enquanto que os sistemas de informação geográfica transmitem a ideia de análise, modelagem e simulação desses projetos automatizados. Em relação a essas definições e seu entendimento, é correto afirmar: a. ( ) Um CAD é um sistema de informação dotado de tecnologia que automatiza tarefas até então realizadas manualmente e facilita a realização de análises complexas, através da integração de dados de diversas fontes. b. ( ) Um CAD permite integrar em uma única base de dados informações representando vários aspectos de estudo de uma região, a entrada de dados de diversas formas, combinar dados de diferentes fontes, gerando novos tipos de informações, e gerar relatórios e documentos gráficos de diversos tipos. c. ( ) Um CAD possui funções que permitem a representação precisa de linhas e formas, podendo ser utilizado na digitalização de mapas e cartas, sem restrições no que diz respeito à atribuição de outras informações às entidades espaciais. d. ( ) Os objetivos dos CADs são idênticos aos dos SIGs, portanto os SIGs podem ser utilizados em conjunto com os CADs. e. ( X ) A diferença de um SIG (Sistema de Informação Geográfica) e um CAD (Desenho Auxiliado por Computador) consiste basicamente no fato de que o último é um instrumento de desenho digital e não um sistema de processamento de informação espacial. 37. Dentro do desenvolvimento de novas tecnologias, o termo geoprocessamento vem sendo muito empregado por profissionais que trabalham com informações referenciadas espacialmente na superfície terrestre. Sobre essas novas geotecnologias de representação temática, é correto afirmar: a. ( ) Geoprocessamento pode ser entendido como sendo o conjunto de procedimentos e técnicas destinadas à manipulação numérica de imagens digitais cuja finalidade é corrigir distorções das mesmas e melhorar o poder de discriminação dos alvos. b. ( ) Geoprocessamento é tornar conhecidas as coordenadas de uma imagem ou um mapa ou qualquer outra forma de informação geográfica num dado sistema de referência. c. ( X ) Geoprocessamento pode ser definido como sendo o conjunto de tecnologias destinadas à coleta e ao tratamento de informações espaciais, assim como ao desenvolvimento de novos sistemas e aplicações, com diferentes níveis de sofisticação. d. ( ) O processamento digital de imagens pode ser entendido como sendo a tecnologia destinada à captação, à organização e ap desenho de mapas. e. ( ) Sistemas de Posicionamento Global são sistemas destinados à aquisição, ao armazenamento, à manipulação, à análise e à apresentação de dados referenciados espacialmente. Página 17

18 Secretaria Municipal da Administração 38. Um Sistema de Informação Geográfica (SIG) é um sistema destinado à entrada, ao armazenamento, à manipulação, à análise e à visualização de dados geográficos ou espaciais. Com relação às principais formas de representação de entidades espaciais, é correto afirmar: a. ( X ) Locais com risco de erosão, tipos de vegetação e estradas e rios podem ser representados num SIG, respectivamente por pontos, polígonos ou áreas e linhas. b. ( ) Na forma de representação por áreas, valores numéricos (quantidades) referentes a um determinado atributo devem necessariamente passar por um processo de transformação, da escala nominal para uma escala de razão, antes de serem inseridos na base de dados de um SIG. c. ( ) Os elementos pontuais abrangem todas as entidades geográficas que podem ser perfeitamente posicionadas por um único par de coordenadas x, y, z. Sua localização no espaço é feita considerando uma superfície plana. d. ( ) Os dados geográficos ou espaciais são representados por pontos, linhas, polígonos e pelo tempo, aos quais são associados atributos, isto é, características das feições que os representam. e. ( ) Os elementos lineares são na verdade um conjunto de pelo menos dois pontos, sem a necessidade de se armazenar as coordenadas, informações ou atributos que indiquem de que tipo de linha se está tratando. 39. A reflectância dos materiais varia com o comprimento de onda. O registro gráfico da reflectância ao longo do espectro eletromagnético fornece uma curva que descreve as propriedades radiométricas de um determinado material. Esta curva típica de cada material é chamada de assinatura espectral e constitui um padrão para a identificação dos alvos de estudo por sensoriamento remoto. Com relação ao comportamento espectral das superfícies, é correto afirmar: a. ( ) As folhas são os elementos da vegetação que mais contribuem para o sinal detectado. As propriedades espectrais de uma folha são função de sua cor, tamanho e do ângulo de incidência da radiação. b. ( X ) Nas áreas construídas verifica-se, para a maioria dos materiais, um ligeiro aumento da reflectância do visível para o infravermelho próximo, sendo que o concreto destaca-se pela reflectância relativamente alta em relação ao asfalto. c. ( ) A água apresenta um comportamento espectral distinto conforme o seu estado físico. No estado líquido apresenta uma refletância alta entre 0,38 e 0,90 µm, comportamento que não é afetado pela concentração de materiais em suspensão e dissolvido e pela profundidade. d. ( ) As combinações e os arranjos dos materiais constituintes dos solos não definem o seu comportamento espectral, sendo que os principais fatores são a sua cor, o ângulo de incidência da radiação, a granulometria e a umidade. e. ( ) Na curva espectral média da vegetação sadia, observa-se que até 0,7 µm a refletância é alta devido à absorção causada pelos pigmentos, com uma pequena redução na faixa do verde. De 0,7 µm a 1,3 µm a refletância é baixa devido à interferência da estrutura celular. Página 18

19 Prefeitura Municipal de São José 40. O satélite e sensor mais adequado às nossas necessidades são principalmente determinados pela resolução espacial e espectral requerida pelo nosso trabalho ou estudo, sem esquecer obviamente a componente orçamental. Uma vez definidos estes parâmetros, o seguinte passo será realizar o pedido da imagem dirigido a alguma empresa especializada na sua distribuição, no qual devem-se considerar os requisitos básicos: a. ( ) Zona de estudo, janela de aquisição, prioridade de pedido; percentagem de nebulosidade, ângulo mínimo, resolução espectral e nível de elevação. b. ( ) Zona de sombra, janela de aquisição, prioridade de pedido; percentagem de radiação, ângulo máximo, resolução eletromagnética e nível de processamento. c. ( ) Zona de cobertura, janela de radiação, número de bandas; percentagem de nebulosidade, ângulo máximo, resolução radiométrica e banda sintética. d. ( X ) Zona de estudo, janela de aquisição, prioridade de pedido; percentagem de nebulosidade, ângulo máximo, resolução radiométrica e nível de processamento. e. ( ) Zona de estudo, janela de aquisição, prioridade de pedido; percentagem de nebulosidade, ângulo mínimo, resolução multiespectral e nível de ortorretificação. Coluna em Branco. (rascunho) Página 19

20 Página em Branco. (rascunho)

21 Página em Branco. (rascunho)

22 Página em Branco. (rascunho)

23 .

24 FEPESE Fundação de Estudos e Pesquisas Socioeconômicos Campus Universitário UFSC Florianópolis SC Fone/Fax: (48)

INTRODUÇÃO À CARTOGRAFIA. Prof. Rogério da Mata

INTRODUÇÃO À CARTOGRAFIA. Prof. Rogério da Mata INTRODUÇÃO À CARTOGRAFIA A importância dos pontos de referência Pontos Cardeais: são pontos principais utilizados como padrão de localização ou pontos de referência. Através deles é possível localizar

Leia mais

LABORATÓRIO DE GEOPROCESSAMENTO DIDÁTICO. Professora: Selma Regina Aranha Ribeiro

LABORATÓRIO DE GEOPROCESSAMENTO DIDÁTICO. Professora: Selma Regina Aranha Ribeiro LABORATÓRIO DE GEOPROCESSAMENTO DIDÁTICO Professora: Selma Regina Aranha Ribeiro Estagiários: Ricardo Kwiatkowski Silva / Carlos André Batista de Mello ESCALAS - AULA 3 Precisão Gráfica É a menor grandeza

Leia mais

Características Básicas dos Mapas

Características Básicas dos Mapas Características Básicas dos Mapas Localização e Atributos Localização: dada por suas posições no espaço (coordenadas) bidimensional ou tridimensional. Atributos: qualidades ou magnitudes, ou variável temática,

Leia mais

FACULDADE DE ENGENHARIA DE MINAS GERAIS SENSORIAMENTO REMOTO E AEROFOTOGRAMETRIA REVISÃO DE CONTEÚDO. Prof. Marckleuber

FACULDADE DE ENGENHARIA DE MINAS GERAIS SENSORIAMENTO REMOTO E AEROFOTOGRAMETRIA REVISÃO DE CONTEÚDO. Prof. Marckleuber FACULDADE DE ENGENHARIA DE MINAS GERAIS SENSORIAMENTO REMOTO E AEROFOTOGRAMETRIA - 2011 REVISÃO DE CONTEÚDO Prof. Marckleuber -Diferença: Imagem de satélite X fotografia aérea -Satélite X Sensor X Radar

Leia mais

Curso de Geomática Aula 2. Prof. Dr. Irineu da Silva EESC-USP

Curso de Geomática Aula 2. Prof. Dr. Irineu da Silva EESC-USP Curso de Geomática Aula Prof. Dr. Irineu da Silva EESC-USP Sistemas de Coordenadas Determinar a posição de um ponto, em Geomática, significa calcular as suas coordenadas. Calcular as coordenadas de um

Leia mais

Projeções Cartográficas

Projeções Cartográficas CARTOGRAFIA Projeções Cartográficas Uma projeção cartográfica nada mais é do que o resultado de um conjunto de operações que permite representar no plano, por meio de paralelos e meridianos, os fenômenos

Leia mais

PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS

PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS O QUE SÃO AS PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS? Os sistemas de projeções constituem-se de uma fórmula matemática que transforma as coordenadas geográficas, a partir de uma superfície esférica,

Leia mais

Cartografia GEOGRAFIA DAVI PAULINO

Cartografia GEOGRAFIA DAVI PAULINO Cartografia GEOGRAFIA DAVI PAULINO Curvas de Nível Mapas temáticos Representação de fenômenos e suas diversidades: Qualitativas: Representa os diferentes elementos cartográficos Ex: Rios, cidades, industrias,

Leia mais

Cartografia I. BRITALDO SILVEIRA SOARES FILHO Departamento de Cartografia Centro de Sensoriamento Remoto

Cartografia I. BRITALDO SILVEIRA SOARES FILHO  Departamento de Cartografia Centro de Sensoriamento Remoto Cartografia I BRITALDO SILVEIRA SOARES FILHO britaldo@csr.ufmg.br www.csr.ufmg.br Departamento de Cartografia Centro de Sensoriamento Remoto Introdução Histórico da Cartografia definição, história e evolução.

Leia mais

Sistemas de Projeções Cartográficas:

Sistemas de Projeções Cartográficas: Sistemas de Projeções Cartográficas: Todos os mapas são representações aproximadas da superfície terrestre. Isto ocorre porque não se pode passar de uma superfície curva para uma superfície plana sem que

Leia mais

1) Em se tratando de questões de natureza cartográfica, assinale o correto.

1) Em se tratando de questões de natureza cartográfica, assinale o correto. 1) Em se tratando de questões de natureza cartográfica, assinale o correto. a) A realização de mapeamentos temáticos muito detalhados requer a utilização de produtos de sensoriamento remoto de alta resolução

Leia mais

O DESAFIO DOS SENSORES REMOTOS NO INVENTÁRIO DE BIOMASSA SÓLIDA. José Rafael M. Silva; Adélia Sousa; e Paulo Mesquita

O DESAFIO DOS SENSORES REMOTOS NO INVENTÁRIO DE BIOMASSA SÓLIDA. José Rafael M. Silva; Adélia Sousa; e Paulo Mesquita O DESAFIO DOS SENSORES REMOTOS NO INVENTÁRIO DE BIOMASSA SÓLIDA José Rafael M. Silva; Adélia Sousa; e Paulo Mesquita 1 A Detecção Remota e uma técnica que nos permite obter informação sobre um objecto

Leia mais

Caderno de Prova. Professor de Educação Física. Prefeitura Municipal de Florianópolis Secretaria Municipal de Educação

Caderno de Prova. Professor de Educação Física. Prefeitura Municipal de Florianópolis Secretaria Municipal de Educação Prefeitura Municipal de Florianópolis Secretaria Municipal de Educação Concurso Público Edital 00/ http://educa.fepese.org.br Caderno de Prova outubro de outubro das 5 às 8 h h de duração* questões S5

Leia mais

CARTOGRAFIA. (do grego chartis = mapa e graphein = escrita) é a ciência que trata da concepção, produção, difusão, utilização e estudo dos mapas.

CARTOGRAFIA. (do grego chartis = mapa e graphein = escrita) é a ciência que trata da concepção, produção, difusão, utilização e estudo dos mapas. CARTOGRAFIA (do grego chartis = mapa e graphein = escrita) é a ciência que trata da concepção, produção, difusão, utilização e estudo dos mapas. ELEMENTOS DE UM MAPA. Escala: é a proporção entre o tamanho

Leia mais

CARTOGRAFIA CURSINHO TRIU- MARÇO 2016

CARTOGRAFIA CURSINHO TRIU- MARÇO 2016 CARTOGRAFIA CURSINHO TRIU- MARÇO 2016 NAVEGAR É PRECISO 2500 A.C. uma das primeiras representações de mapa, produzido na região da mesopotâmia. NAVEGAR É PRECISO Mapa do Salmo (1260) e Mappe-Monde (1707),

Leia mais

REPRESENTAÇÃO CARTOGRÁFICA

REPRESENTAÇÃO CARTOGRÁFICA REPRESENTAÇÃO CARTOGRÁFICA PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS DEFINIÇÃO... Projeção cartográfica corresponde à representação de uma superfície esférica num plano. CLASSIFICAÇÃO QUANTO AO MÉTODO PROJEÇÃO CILÍNDRICA

Leia mais

CONCEITOS DE CARTOGRAFIA ENG. CARTÓGRAFA ANNA CAROLINA CAVALHEIRO

CONCEITOS DE CARTOGRAFIA ENG. CARTÓGRAFA ANNA CAROLINA CAVALHEIRO CONCEITOS DE CARTOGRAFIA ENG. CARTÓGRAFA ANNA CAROLINA CAVALHEIRO CAMPO LARGO, 15 DE ABRIL DE 2013 Cartografia Cartografia é o conjunto de estudos e operações científicas, artísticas e técnicas, baseado

Leia mais

Colégio Santa Dorotéia

Colégio Santa Dorotéia Colégio Santa Dorotéia Área de Ciências Humanas Disciplina: Geografia Série: 6 a - Ensino Fundamental Professora: Cristiane Mattar Geografia Atividades para Estudos Autônomos Data: 25 / 4 / 2016 Aluno(a):

Leia mais

DISSERTATIVA. DSE Supervisor Escolar CADERNO DE PROVA. Instruções. Atenção!

DISSERTATIVA. DSE Supervisor Escolar CADERNO DE PROVA. Instruções. Atenção! CADERNO DE PROVA DISSERTATIVA Prefeitura de Florianópolis Secr. Mun. de Educação/Secr. Mun. da Administração Concurso Público Edital n o 009/05 http://educa05.fepese.org.br Instruções Confira o número

Leia mais

Professora: Jordana Costa

Professora: Jordana Costa Professora: Jordana Costa Cartografia Cartografia, segundo a ABNT é definida como: A arte de levantamento, construção e edição de mapas e cartas de qualquer natureza. Função principal: Representar a realidade

Leia mais

Secretaria Municipal de Educação

Secretaria Municipal de Educação Secretaria Municipal de Educação Processo Seletivo (edital 002/2006) Caderno de Prova Educação Básica na Rede Municipal de Ensino e Entidades Conveniadas Matemática (9908) Disciplina 2 Secretaria Municipal

Leia mais

Definição de sensoriamento remoto. Professor: Enoque Pereira da Silva

Definição de sensoriamento remoto. Professor: Enoque Pereira da Silva Definição de sensoriamento remoto Professor: Enoque Pereira da Silva Definição de sensoriamento remoto Sensoriamento remoto é um termo utilizado na área das ciências aplicadas que se refere à obtenção

Leia mais

Introdução ao Processamento de Imagens Digitais Aula 01

Introdução ao Processamento de Imagens Digitais Aula 01 Introdução ao Processamento de Imagens Digitais Aula 01 Douglas Farias Cordeiro Universidade Federal de Goiás 06 de julho de 2015 Mini-currículo Professor do curso Gestão da Informação Formação: Graduação

Leia mais

PRINCÍPIOS DE CARTOGRAFÍA BÁSICA

PRINCÍPIOS DE CARTOGRAFÍA BÁSICA PRINCÍPIOS DE CARTOGRAFÍA BÁSICA VOLUME No. 1 (Capitulos 1 a 7) da Série PRINCÍPIOS DE CARTOGRAFÍA Editor Coordenador: Paul S. Anderson Incluindo Capítulos Traduzidos do Livro Maps, Distortion and Meaning

Leia mais

Nome: Nº: Turma: Este caderno contém questões de: Português Matemática História Geografia Ciências - Inglês

Nome: Nº: Turma: Este caderno contém questões de: Português Matemática História Geografia Ciências - Inglês Nome: Nº: Turma: Este caderno contém questões de: Português Matemática História Geografia Ciências - Inglês 1 Os exercícios podem ser feitos no livro. Exercícios gramaticais, proposto pelo livro Gramática

Leia mais

Conceitos Básicos mapa

Conceitos Básicos mapa Cartografia Conceitos Básicos Entende-se por mapa a representação gráfica convencional, geralmente plana e em pequena escala, de áreas relativamente extensas, como acontece nos mapas dos atlas. Para tal,

Leia mais

SIMULADO DE GEOGRAFIA CURSINHO UECEVEST (ORIENTAÇÃO, FUSOS HORÁRIOS E CARTOGRAFIA) PROFESSOR RAONI VICTOR./DATA: 29/08/15

SIMULADO DE GEOGRAFIA CURSINHO UECEVEST (ORIENTAÇÃO, FUSOS HORÁRIOS E CARTOGRAFIA) PROFESSOR RAONI VICTOR./DATA: 29/08/15 SIMULADO DE GEOGRAFIA CURSINHO UECEVEST (ORIENTAÇÃO, FUSOS HORÁRIOS E CARTOGRAFIA) PROFESSOR RAONI VICTOR./DATA: 29/08/15 1. A distribuição de energia solar, ou insolação, depende dos movimentos de rotação

Leia mais

APLICAÇÃO DE SIG NO GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS: LOCALIZAÇÃO DE ÁREA PARA ATERRO SANITÁRIO

APLICAÇÃO DE SIG NO GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS: LOCALIZAÇÃO DE ÁREA PARA ATERRO SANITÁRIO APLICAÇÃO DE SIG NO GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS: LOCALIZAÇÃO DE ÁREA PARA ATERRO SANITÁRIO Ilka Soares Cintra (1) Professora Assistente do Departamento de Cartografia do Instituto de Geo- Ciências

Leia mais

Aula 2 Sistemas de Coordenadas & Projeções Cartográficas. Flávia F. Feitosa

Aula 2 Sistemas de Coordenadas & Projeções Cartográficas. Flávia F. Feitosa Aula 2 Sistemas de Coordenadas & Projeções Cartográficas Flávia F. Feitosa Disciplina PGT 035 Geoprocessamento Aplicado ao Planejamento e Gestão do Território Junho de 2015 Dados Espaciais são Especiais!

Leia mais

GLONASS Sistema idêntico ao GPS, mas projetado e lançado pela Rússia.

GLONASS Sistema idêntico ao GPS, mas projetado e lançado pela Rússia. Sumário UNIDADE TEMÁTICA 1 Movimentos na Terra e no Espaço. 1.1 - Viagens com GPS Funcionamento e aplicações do GPS. Descrição de movimentos. Posição coordenadas geográficas e cartesianas. APSA GPS e Coordenadas

Leia mais

CAPÍTULO 5 RESULTADOS. São apresentados neste Capítulo os resultados obtidos através do programa Classific, para

CAPÍTULO 5 RESULTADOS. São apresentados neste Capítulo os resultados obtidos através do programa Classific, para CAPÍTULO 5 RESULTADOS São apresentados neste Capítulo os resultados obtidos através do programa Classific, para as imagens coletadas no verão II, período iniciado em 18/01 e finalizado em 01/03 de 1999,

Leia mais

Verificação de Aprendizagem. Assunto: Projeções Cartográficas

Verificação de Aprendizagem. Assunto: Projeções Cartográficas Verificação de Aprendizagem Assunto: Projeções Cartográficas 1. A questão refere-se às imagens abaixo. Fonte: DUARTE, Paulo Araújo. Fundamentos de Cartografia. Florianópolis: Editora UFSC, 2002. Em relação

Leia mais

Universidade Federal do Rio Grande do Sul Instituto de Física Departamento de Astronomia. Fundamentos de Astronomia e Astrofísica

Universidade Federal do Rio Grande do Sul Instituto de Física Departamento de Astronomia. Fundamentos de Astronomia e Astrofísica Universidade Federal do Rio Grande do Sul Instituto de Física Departamento de Astronomia Fundamentos de Astronomia e Astrofísica Prof. Rogério Riffel Por que estudamos astronomia? Por que estudamos astronomia?

Leia mais

Professor Thiago Espindula - Geografia. Cartografia

Professor Thiago Espindula - Geografia. Cartografia Cartografia A Cartografia é a ciência que se presta à análise ou à criação de representações da Terra. A origem da palavra vem do fato das grandes representações do planeta serem feitas por cartas (mapas).

Leia mais

LISTA DE EXERCICIOS I TOPOGRAFIA I

LISTA DE EXERCICIOS I TOPOGRAFIA I LISTA DE EXERCICIOS I TOPOGRAFIA I 1-Em um mapa cuja escala é 1:2.500.000, duas cidades estão separadas, em linha reta, por 5 centímetros. A distância real (no terreno) entre essas duas cidades é a) 50

Leia mais

html. Acesso em: 1 jun [Adaptado] Marque V para as afirmações verdadeiras e F para as afirmações falsas.

html. Acesso em: 1 jun [Adaptado] Marque V para as afirmações verdadeiras e F para as afirmações falsas. EXERCÍCIOS DE CARTOGRAFIA (GABARITO NO FINAL) 1. A escala é um dos atributos fundamentais de um mapa, pois estabelece a correspondência entre as distâncias representadas e as distâncias reais da superfície

Leia mais

Sistemas de Informações Geográficas

Sistemas de Informações Geográficas Sistemas de Informações Geográficas Aula 2 Assuntos: # Revisão em estatística # Revisão em informática # Revisão em sensoriamento remoto # # Histórico do SIG Geotecnologias Sensoriamento Remoto Geoprocessamento

Leia mais

Detecção Remota. Aquisição de dados. Sistema Modelo de Detecção Remota ICIST. Energia Electromagnética. Interacções com a Atmosfera

Detecção Remota. Aquisição de dados. Sistema Modelo de Detecção Remota ICIST. Energia Electromagnética. Interacções com a Atmosfera Aquisição de dados Como recolher informação geográfica? Fotografia Aérea Métodos topográficos GPS Processo que permite extrair informação de um objecto, área ou fenómeno, através da análise de dados adquiridos

Leia mais

Geografia. Aula 02. Projeções Cartográficas A arte na construção de mapas. 2. Projeções cartográficas

Geografia. Aula 02. Projeções Cartográficas A arte na construção de mapas. 2. Projeções cartográficas Geografia. Aula 02 Projeções Cartográficas A arte na construção de mapas 2. Projeções cartográficas 2.1. Como representar figuras tridimensionais em um plano sem que ocorra deformidades? É possível eliminar

Leia mais

- Banco de Dados Inglês Técnico 40

- Banco de Dados Inglês Técnico 40 Curso Técnico Subsequente em Meteorologia CÂMPUS FLORIANÓPOLIS MATRIZ CURRICULAR 1 o Semestre Carga horária total: 400h Unidade Curricular C/H Semestral PréRequisito Meteorologia Fundamental 60 Física

Leia mais

Processamento Digital de Imagens

Processamento Digital de Imagens Processamento Digital de Imagens Conceitos Básicos CPGCG/UFPR Prof. Dr. Jorge Centeno Realidade e imagem Uma imagem é a representação pictórica de um aspecto da realidade. Uma imagem não é idêntica à cena

Leia mais

Sistema de Coordenadas Geográficas Índice 1. Introdução... 3 2. Simulador... 3 2.1 Latitude... 4 2.2 Longitude... 6 2.3 Alavancas... 8 2.4 Régua... 9 2.5 Movendo o Globo como um todo... 10 1. Introdução

Leia mais

rofa Lia Pimentel TOPOGRAFIA

rofa Lia Pimentel TOPOGRAFIA rofa Lia Pimentel TOPOGRAFIA TOPOS significa lugar GRAPHEN significa descrição Pode-se dizer que a TOPOGRAFIA é a ciência que trata do estudo da representação detalhada de uma porção da superfície terrestre.

Leia mais

GEOPROCESSAMENTO. Apresentação da disciplina. Prof. Luiz Henrique S. Rotta

GEOPROCESSAMENTO. Apresentação da disciplina. Prof. Luiz Henrique S. Rotta 1 GEOPROCESSAMENTO Apresentação da disciplina Prof. Luiz Henrique S. Rotta POR QUE UTILIZAR GEOPROCESSAMENTO? A informação ambiental é espacial por natureza. O padrão de distribuição: de um poluente sobre

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE GEOGRAFIA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE GEOGRAFIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE GEOGRAFIA Nome: Nº 1 a. Série Data: / / Professores: Fabiana, Adriana, Nelson Nota: (valor: 1,0) 1º bimestre A - Introdução Neste bimestre, sua média foi inferior a 6,0 e você

Leia mais

FACULDADE SUDOESTE PAULISTA CURSO - ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA- TOPOGRAFIA

FACULDADE SUDOESTE PAULISTA CURSO - ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA- TOPOGRAFIA FACULDADE SUDOESTE PAULISTA CURSO - ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA- TOPOGRAFIA EXERCÍCIO DE REVISÃO 1. Com base nos seus conhecimentos, complete a lacuna com a alternativa abaixo que preencha corretamente

Leia mais

Introdução à Computação Gráfica

Introdução à Computação Gráfica Computação Gráfica - Aula 1 (atualizada em 21/10/2015) glaucius@pelotas.ifsul.edu.br Introdução à Computação Gráfica Computação Gráfica Conceito É a área da Ciência da Computação que estuda a geração,

Leia mais

CARTOGRAFIA GERAL. Por que o ser humano já na Pré-História construía estas representações?

CARTOGRAFIA GERAL. Por que o ser humano já na Pré-História construía estas representações? LABORATÓRIO DE GEOPROCESSAMENTO DIDÁTICO Professora: Selma Regina Aranha Ribeiro Estagiários: Ricardo Kwiatkowski Silva / Carlos André Batista de Mello CARTOGRAFIA GERAL 1 CARTOGRAFIA: DEFINIÇÕES Por que

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CÁLCULO DAS PROBABILIDADES E ESTATÍSTICA I

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CÁLCULO DAS PROBABILIDADES E ESTATÍSTICA I UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CÁLCULO DAS PROBABILIDADES E ESTATÍSTICA I Departamento de Estatística Tarciana Liberal CONCEITOS FUNDAMENTAIS DE ESTATÍSTICA O que a Estatística significa para você? Pesquisas

Leia mais

2. Observe atentamente o mapa PLANISFÉRIO FUSOS HORÁRIOS.

2. Observe atentamente o mapa PLANISFÉRIO FUSOS HORÁRIOS. SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR SARGENTO NADER ALVES DOS SANTOS SÉRIE/ANO: 6ª Ano

Leia mais

DATA: 07 / 05 / 2014 I ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE GEOGRAFIA 6.º ANO/EF

DATA: 07 / 05 / 2014 I ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE GEOGRAFIA 6.º ANO/EF SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA UNIDADE DATA: 07 / 05 / 204 I ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE GEOGRAFIA 6.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: PROFESSOR(A): VALOR:

Leia mais

A REPRESENTAÇÃO DO ESPAÇO. A Geografia Levada a Sério

A REPRESENTAÇÃO DO ESPAÇO.  A Geografia Levada a Sério 1 Mapa É a representação dos elementos de um determinado espaço na superfície plana, tornando-se um importante instrumento de orientação e de localização; O mapa de Ga-Sur é o mapa mais antigo que se tem

Leia mais

Espaço Geográfico. Página 1 com Prof. Giba

Espaço Geográfico. Página 1 com Prof. Giba Espaço Geográfico As sociedades humanas desenvolvem, durante sua História, modos próprios de vida. Estes decorreram da combinação de formas de subsistência material - com culturas diversas -, de diferentes

Leia mais

Seção e encurtamento

Seção e encurtamento A U L A Seção e encurtamento Introdução Em desenho técnico busca-se, sempre, a forma mais simples, clara e prática de representar o maior número possível de informações. Você já viu como a representação

Leia mais

Sistemas de cotagem. Observe a vista frontal de uma peça cilíndrica formada por várias partes com diâmetros diferentes.

Sistemas de cotagem. Observe a vista frontal de uma peça cilíndrica formada por várias partes com diâmetros diferentes. A UU L AL A Sistemas de cotagem Você já sabe que, embora não existam regras fixas de cotagem, a escolha da maneira de dispor as cotas no desenho técnico depende de alguns critérios. Os profissionais que

Leia mais

FUNDAMENTAL. PARTE 1

FUNDAMENTAL. PARTE 1 FUNDAMENTAL PARTE 1 www.ceejamax.com 1 ÍNDICE INTRODUÇÃO...págs. 03 ESPAÇO GEOGRÁFICO E PAISAGEM... 03 LEITURA DAS PAISAGENS... 04 REPRESENTAÇÕES DO ESPAÇO GEOGRÁFICO... 06 MAPA ANTIGO E MAPA ATUAL...

Leia mais

Sistemas de Informações Geográficas

Sistemas de Informações Geográficas Sistemas de Informações Geográficas Aula 3 Assuntos: # Revisão em geodésia # Georreferenciamento # Representação do mundo real no computador # Formatos vetorial e matricial # Modelo conceitual de banco

Leia mais

Aula 4 Leitura e Interpretação de Desenhos Pearson Education do Brasil. Todos os direitos reservados.

Aula 4 Leitura e Interpretação de Desenhos Pearson Education do Brasil. Todos os direitos reservados. Aula 4 Leitura e Interpretação de Desenhos slide 1 reservados. Definição e Pré- Requisitos Ler um desenho significa entender a forma espacial do objeto representado O principal pré-requisito para fazer

Leia mais

Cartografia Digital e Geoprocessamento

Cartografia Digital e Geoprocessamento Cartografia Digital e Geoprocessamento Processo/ Fenômeno Dado Espacial/ Geodado Espaço Geográfico Redução de Dimensionalidade Espaço (Representado) Mapas Representações Computacionais De ALGUMAS Dimensões

Leia mais

Comentários e Exemplos sobre os Temas e seus Descritores da Matriz de Matemática de 4ª Série Fundamental

Comentários e Exemplos sobre os Temas e seus Descritores da Matriz de Matemática de 4ª Série Fundamental Comentários e Exemplos sobre os Temas e seus Descritores da Matriz de de 4ª Série Fundamental TEMA I ESPAÇO E FORMA A compreensão do espaço com suas dimensões e formas de constituição são elementos necessários

Leia mais

Engenheiro de Tráfego

Engenheiro de Tráfego Prefeitura Municipal de São José Secretaria Municipal da Administração Concurso Público Edital 001/2014/GAB http://2014saojose.fepese.org.br Caderno de Prova maio 18 18 de maio das 14 às 17 h 3 h de duração*

Leia mais

Estatística Descritiva: organização dos dados 1 SÉRIES ESTATÍSTICAS

Estatística Descritiva: organização dos dados 1 SÉRIES ESTATÍSTICAS Universidade Estadual de Alagoas UNEAL Campus II Santana do Ipanema Curso: Zootecnia. Disciplina: Estatística Básica. Professor: Wellyngton Chaves Monteiro da Silva Estatística Descritiva: organização

Leia mais

M A P A S G E O G R A F I A. Noções de Cartografia para estudantes do 6º Ano. Prof. José Gusmão Rodrigues

M A P A S G E O G R A F I A. Noções de Cartografia para estudantes do 6º Ano. Prof. José Gusmão Rodrigues M A P A S Noções de Cartografia para estudantes do 6º Ano G E O G R A F I A Prof. José Gusmão Rodrigues Clique com o mouse sobre o título desejado ou vá clicando enter para ver a apresentação completa

Leia mais

PLANO DE CURSO I EMENTA

PLANO DE CURSO I EMENTA Disciplina: Leituras Cartográficas e Interpretações Estatísticas I Carga horária total: 75 H PLANO DE CURSO I EMENTA Definições e esboço histórico da cartografia; Representações da Terra; Coordenadas;

Leia mais

TÓPICOS DA MATRIZ DE REFERÊNCIA DE LÍNGUA PORTUGUESA ENSINO FUNDAMENTAL ( DE ACORDO COM SAEB)

TÓPICOS DA MATRIZ DE REFERÊNCIA DE LÍNGUA PORTUGUESA ENSINO FUNDAMENTAL ( DE ACORDO COM SAEB) TÓPICOS DA MATRIZ DE REFERÊNCIA DE LÍNGUA PORTUGUESA ENSINO FUNDAMENTAL ( DE ACORDO COM SAEB) I. PROCEDIMENTOS DE LEITURA Localizar informações explícitas em um texto. Inferir o sentido de uma palavra

Leia mais

Conteúdo do Exame de Admissão para o 6º Ano do Ensino Fundamental

Conteúdo do Exame de Admissão para o 6º Ano do Ensino Fundamental Conteúdo do Exame de Admissão para o 6º Ano do Ensino Fundamental MATEMÀTICA 1) NÚMEROS NATURAIS, SISTEMAS DE NÚMERAÇÃO DECIMAL E NÚMEROS RACIONAIS 1.1) Números Naturais Reconhecimento de números naturais

Leia mais

Fundamentos de Informação Geográfica

Fundamentos de Informação Geográfica Fundamentos de Informação Geográfica Compilação de Exames e Frequências 1) Relativamente ao método de observação GNSS, explique o que entende por RTK. No método de observação RTK são transmitidos em tempo

Leia mais

Se a Terra é esférica, como meu mapa é plano?

Se a Terra é esférica, como meu mapa é plano? Se a Terra é esférica, como meu mapa é plano? Dificuldade elementar da Cartografia : representar a Terra : transpor 3D para 2D : desprezar a curvatura da superfície real para representação Operação matemática

Leia mais

FITZ, P. R. Geoprocessamento sem complicação. São Paulo: Oficina de Textos, p.

FITZ, P. R. Geoprocessamento sem complicação. São Paulo: Oficina de Textos, p. RESENHAs 158 PERSPECTIVA, Erechim. v.34, n.126, junho/2010 FITZ, P. R. Geoprocessamento sem complicação. São Paulo: Oficina de Textos, 2008. 160 p. José Cristian Sobolevski Acadêmico de Geografia Estagiário

Leia mais

MATRIZES DE REFERÊNCIA COMPETÊNCIAS E HABILIDADES QUE SERÃO AVALIADAS: ENSINO FUNDAMENTAL I ANOS INICIAIS

MATRIZES DE REFERÊNCIA COMPETÊNCIAS E HABILIDADES QUE SERÃO AVALIADAS: ENSINO FUNDAMENTAL I ANOS INICIAIS MATRIZES DE REFERÊNCIA COMPETÊNCIAS E HABILIDADES QUE SERÃO AVALIADAS: ENSINO FUNDAMENTAL I ANOS INICIAIS II. Implicações do Suporte, do Gênero e /ou do Enunciador na Compreensão do Texto Estabelecer relação

Leia mais

Informe A: Carta Geográfica Georeferenciada do Jardim Botânico de Cubatão

Informe A: Carta Geográfica Georeferenciada do Jardim Botânico de Cubatão CONSULTORIA (EQUIPE 3) JARDIM BOTÂNICO DE CUBATÃO Atendendo ao Termo de Referência BR-T1117/BID Desenvolvimento de métodos e modelos de manejo e recuperação ambiental em áreas degradadas por reassentamento

Leia mais

Avaliação de métodos de classificação para o mapeamento de remanescentes florestais a partir de imagens HRC/CBERS

Avaliação de métodos de classificação para o mapeamento de remanescentes florestais a partir de imagens HRC/CBERS http://dx.doi.org/10.12702/viii.simposfloresta.2014.131-592-1 Avaliação de métodos de classificação para o mapeamento de remanescentes florestais a partir de imagens HRC/CBERS Juliana Tramontina 1, Elisiane

Leia mais

APLICAÇÕES NA GEOMETRIA ANALÍTICA

APLICAÇÕES NA GEOMETRIA ANALÍTICA 4 APLICAÇÕES NA GEOMETRIA ANALÍTICA Gil da Costa Marques 4.1 Geometria Analítica e as Coordenadas Cartesianas 4. Superfícies 4..1 Superfícies planas 4.. Superfícies limitadas e não limitadas 4.3 Curvas

Leia mais

Ano: 6º Turma: 6.1 e 6.2

Ano: 6º Turma: 6.1 e 6.2 COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Paralela 2ª Etapa 2014 Disciplina: Geografia Professor (a): Fernando Parente Ano: 6º Turma: 6.1 e 6.2 Caro aluno, você está recebendo o conteúdo

Leia mais

TUTORIAL. Imagens CBERS-4 5m: conheça este sensor e aprenda a realizar o download dessas imagens no site do INPE QGIS.

TUTORIAL. Imagens CBERS-4 5m: conheça este sensor e aprenda a realizar o download dessas imagens no site do INPE QGIS. TUTORIAL Imagens CBERS-4 5m: conheça este sensor e aprenda a realizar o download dessas imagens no site do INPE QGIS www.processamentodigital.com.br O Processamento Digital é um Canal de Conteúdo GEO oferecido

Leia mais

Geoprocessamento GEOMÁTICA SIG SIG

Geoprocessamento GEOMÁTICA SIG SIG GEOMÁTICA Geomática - Ciência e tecnologia para obtenção, análise, interpretação, distribuição e uso da informação espacial. Abrangência: Geoprocessamento SIG Sensoriamento Remoto GPS Cartografia Automatizada

Leia mais

I - Introdução à Simulação

I - Introdução à Simulação 1 I - Introdução à Simulação Simulação é, entendida como a imitação de uma operação ou de um processo do mundo real. A simulação envolve a geração de uma história artificial de um sistema para a análise

Leia mais

UNICAP Universidade Católica de Pernambuco Laboratório de Topografia de UNICAP - LABTOP Topografia 1. Modelos Terrestres

UNICAP Universidade Católica de Pernambuco Laboratório de Topografia de UNICAP - LABTOP Topografia 1. Modelos Terrestres UNICAP Universidade Católica de Pernambuco Laboratório de Topografia de UNICAP - LABTOP Topografia 1 Modelos Terrestres Recife, 2014 Superfície Terrestre A litosfera (do grego "lithos" = pedra) é a camada

Leia mais

DISCIPLINA: Ciências Naturais CÓDIGO DA PROVA: 10. Ensino Básico: 3.º CICLO ANO DE ESCOLARIDADE: 9.º

DISCIPLINA: Ciências Naturais CÓDIGO DA PROVA: 10. Ensino Básico: 3.º CICLO ANO DE ESCOLARIDADE: 9.º DISCIPLINA: Ciências Naturais CÓDIGO DA PROVA: 10 Ensino Básico: 3.º CICLO ANO DE ESCOLARIDADE: 9.º O presente documento divulga informação relativa à prova de equivalência à frequência do 3.º Ciclo da

Leia mais

Vantagens e limitações dos RGB s

Vantagens e limitações dos RGB s Universidade de Aveiro Departamento de Física Detecção Remota Vantagens e limitações dos RGB s Soraia Romão nº50402 Vantagens A fusão de diferentes canais pode destacar características atmosféricas e da

Leia mais

Geometria Analítica. Geometria Analítica 28/08/2012

Geometria Analítica. Geometria Analítica 28/08/2012 Prof. Luiz Antonio do Nascimento luiz.anascimento@sp.senac.br www.lnascimento.com.br Conjuntos Propriedades das operações de adição e multiplicação: Propriedade comutativa: Adição a + b = b + a Multiplicação

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE. Professor: João Carmo

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE. Professor: João Carmo INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE Professor: João Carmo ELEMENTOS DO DESENHO TÉCNICO Os desenhos no papel continuam a ter importância, em particular para a fabricação,

Leia mais

Lista de Carnaval

Lista de Carnaval SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR SARGENTO NADER ALVES DOS SANTOS SÉRIE/ANO: 7ª TURMA(S):

Leia mais

ESCALA DE PROFICIÊNCIA DE MATEMÁTICA 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

ESCALA DE PROFICIÊNCIA DE MATEMÁTICA 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL ESCALA DE PROFICIÊNCIA DE MATEMÁTICA 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL Nível* Nível 1: 125-150 Nível 2: 150-175 Nível 3: 175-200 Nível 4: 200-225 Descrição do Nível - O estudante provavelmente é capaz de: Determinar

Leia mais

A escala de Língua Portuguesa para o 3º ano do Ensino Médio

A escala de Língua Portuguesa para o 3º ano do Ensino Médio A escala de Língua Portuguesa para o 3º ano do Ensino Médio LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANO DO ENSINO MÉDIO (continua) 1 225-250 2 250-275 3 275-300 4 300-325 Nesse nível, o estudante pode ser capaz de identificar

Leia mais

NAVEGAÇÃO. d. O Pontão de Santa Cruz dos Navegantes fica no Hemisfério Sul.

NAVEGAÇÃO. d. O Pontão de Santa Cruz dos Navegantes fica no Hemisfério Sul. NAVEGAÇÃO 1. HEMISFÉRIOS a. Nosso planeta terra pode ser imaginariamente cortado ao meio. b. Como uma laranja pode ser cortada no sentido de espremedor como no sentido de fatias. c. Cada metade é chamada

Leia mais

TUTORIAL. Aprenda a importar um arquivo DWG no programa. ArcGIS.

TUTORIAL. Aprenda a importar um arquivo DWG no programa. ArcGIS. TUTORIAL Aprenda a importar um arquivo DWG no programa ArcGIS www.processamentodigital.com.br O Processamento Digital é um Canal de Conteúdo GEO oferecido pela HEX Tecnologias Geoespaciais Inovadoras,

Leia mais

Desenho Técnico. Desenho Mecânico. Eng. Agr. Prof. Dr. Cristiano Zerbato

Desenho Técnico. Desenho Mecânico. Eng. Agr. Prof. Dr. Cristiano Zerbato Desenho Técnico Desenho Mecânico Eng. Agr. Prof. Dr. Cristiano Zerbato Introdução O desenho, para transmitir o comprimento, largura e altura, precisa recorrer a um modo especial de representação gráfica:

Leia mais

Competências e Habilidades - Concurso de Bolsas 2015/2016. Ensino Médio e Fundamental. Ensino Fundamental (6º Ano )

Competências e Habilidades - Concurso de Bolsas 2015/2016. Ensino Médio e Fundamental. Ensino Fundamental (6º Ano ) Ensino Fundamental (6º Ano ) Língua Portuguesa Em Língua Portuguesa (com foco em leitura) serão avaliadas habilidades e competências, agrupadas em 9 tópicos que compõem a Matriz de Referência dessa disciplina,

Leia mais

ESCOLA BÁSICA DE MAFRA 2016/2017 MATEMÁTICA (2º ciclo)

ESCOLA BÁSICA DE MAFRA 2016/2017 MATEMÁTICA (2º ciclo) (2º ciclo) 5º ano Operações e Medida Tratamento de Dados Efetuar com números racionais não negativos. Resolver problemas de vários passos envolvendo com números racionais representados por frações, dízimas,

Leia mais

9º Encontro Técnico DER-PR

9º Encontro Técnico DER-PR Técnicas de Sensoriamento Remoto aplicadas a rodovias. 9º Encontro Técnico DER-PR Sensoriamento Remoto É definido como, o conjunto de técnicas e equipamentos, utilizados para obter informações sobre um

Leia mais

O presente documento dá a conhecer os seguintes aspetos relativos à prova:

O presente documento dá a conhecer os seguintes aspetos relativos à prova: DISCIPLINA: Ciências Naturais CÓDIGO DA PROVA: 10 CICLO: 3º ANO DE ESCOLARIDADE: 9º 1. Introdução O presente documento visa divulgar as caraterísticas da prova de exame de equivalência à frequência da

Leia mais

Uso de geotecnologias livres para o mapeamento das plantações de Eucalipto, Nossa Senhora do Socorro-SE

Uso de geotecnologias livres para o mapeamento das plantações de Eucalipto, Nossa Senhora do Socorro-SE http://dx.doi.org/10.12702/viii.simposfloresta.2014.210-469-2 Uso de geotecnologias livres para o mapeamento das plantações de Eucalipto, Nossa Senhora do Socorro-SE Janisson B. de Jesus 1, Dráuzio C.

Leia mais

Prova Escrita de GEOGRAFIA

Prova Escrita de GEOGRAFIA INFORMAÇÃO ------------------------------------------------------------------------------------------------------- PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DO ENSINO BÁSICO Prova Escrita de GEOGRAFIA Prova 018

Leia mais

Geografia para Técnico do IBGE Aula Demonstrativa Gratuita. Professor Leandro Signori

Geografia para Técnico do IBGE Aula Demonstrativa Gratuita. Professor Leandro Signori Geografia para Técnico do IBGE Aula Demonstrativa Gratuita Professor Leandro Signori Conteúdos constantes no edital Noções básicas de cartografia: Orientação: pontos cardeais; Localização: coordenadas

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DAS PERSPECTIVAS TIPOS DE PERSPECTIVAS

CLASSIFICAÇÃO DAS PERSPECTIVAS TIPOS DE PERSPECTIVAS Figura 37. Relatividade (litografia) 1953. M. C. Escher (1898 1970) A característica fundamental de esta litografia é a sua perspectiva ambígua: A sala pode rodar à volta do centro e pode conter até três

Leia mais

Sensoriamento Remoto I Engenharia Cartográfica. Prof. Enner Alcântara Departamento de Cartografia Universidade Estadual Paulista

Sensoriamento Remoto I Engenharia Cartográfica. Prof. Enner Alcântara Departamento de Cartografia Universidade Estadual Paulista Sensoriamento Remoto I Engenharia Cartográfica Prof. Enner Alcântara Departamento de Cartografia Universidade Estadual Paulista 2016 Informes! 1) Data da prova #1: 09/05/2016 1) Conteúdo? até a aula anterior

Leia mais

PESQUISA OPERACIONAL. UNIDADE 1 Introdução à Pesquisa Operacional. Prof. Me. Carlos Guimarães

PESQUISA OPERACIONAL. UNIDADE 1 Introdução à Pesquisa Operacional. Prof. Me. Carlos Guimarães PESQUISA OPERACIONAL UNIDADE 1 Introdução à Pesquisa Operacional Prof. Me. Carlos Guimarães Objetivo Introduzir o tema Pesquisa Operacional por meio da apresentação: Da sua origem; Das sociedades profissionais

Leia mais

Prova Prática de Geometria Descritiva A pontos

Prova Prática de Geometria Descritiva A pontos EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho Prova Prática de Geometria Descritiva A 10.º e 11.º Anos de Escolaridade Prova 708/2.ª Fase Critérios de Classificação 7 Páginas

Leia mais

Competência Objeto de aprendizagem Habilidade

Competência Objeto de aprendizagem Habilidade 3ª Geografia 3ª Ano E.F. Competência Objeto de aprendizagem Habilidade 1.- Geografia: C 1: Categorias da Geografia Compreender a Geografia como ciência do espaço geográfico, reconhecendo-se, de forma crítica,

Leia mais