AVALIAÇÃO DA ATUAÇÃO DA ANATEL NA QUALIDADE DA TELEFONIA MÓVEL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AVALIAÇÃO DA ATUAÇÃO DA ANATEL NA QUALIDADE DA TELEFONIA MÓVEL"

Transcrição

1 AVALIAÇÃO DA ATUAÇÃO DA ANATEL NA QUALIDADE DA TELEFONIA MÓVEL Auditoria Operacional (TC /2015-5) Relator: Ministro Bruno Dantas Brasília, setembro de 2016

2 CONTEXTUALIZAÇÃO Acessos ao serviço de telefonia móvel no Brasil Acessos em serviço; milhões Crescimento (%) 900,00% 800,00% 700,00% 600,00% 500,00% 400,00% 300,00% 200,00% 100,00% 0,00% Fonte: Elaboração própria, a parar de dados do site da Anatel.

3 CONTEXTUALIZAÇÃO Assuntos mais demandados no Sistema Nacional de Defesa do Consumidor (Sindec) 14,00% 13,40% 12,00% 10,00% 7,99% 9,17% 8,89% 9,50% 8,00% 6,00% 4,00% 2,00% 0,00% Telefonia Celular Telefonia Fixa/Cartão de Crédito Banco Comercial/Cartão de Crédito Fonte: Elaboração própria, a parar de dados do site do Sindec.

4 ACHADOS É preciso garanar e aumentar a transparência de informações essenciais para a melhor compreensão pelo consumidor sobre o serviço de telefonia móvel e seus direitos. Há que se alinhar os requisitos de qualidade do serviço de telefonia móvel ualizados pela Anatel à percepção do consumidor. Deve-se fortalecer e aprimorar os mecanismos de acompanhamento e fiscalização da qualidade da telefonia móvel ualizados pela Anatel.

5 Necessidade de se garanar e aumentar a transparência de informações essenciais para a melhor compreensão pelo consumidor sobre o serviço de telefonia móvel e seus direitos Ø indicadores de qualidade ualizados pela Anatel; Ø funcionamento do serviço SMP e ofertas; Ø alterações feitas pelas operadoras sobre os planos de dados de SMP inicialmente considerados ilimitados;

6 Necessidade de se garanar e aumentar a transparência de informações essenciais para a melhor compreensão pelo consumidor sobre o serviço de telefonia móvel e seus direitos Ø impacto na tarifação e cobrança dos serviços de SMP causado por limitações geográficas; Ø parâmetros referentes à cobertura do serviço móvel: mapas de cobertura disponibilizados pelas operadoras; parâmetro mínimo de cobertura do município.

7 Necessidade de se alinhar os requisitos de qualidade do serviço de telefonia móvel ualizados pela Anatel à percepção do consumidor Ø Ausência de aferição efeava da percepção e da saasfação do usuário pela Anatel

8 Necessidade de se alinhar os requisitos de qualidade do serviço de telefonia móvel ualizados pela Anatel à percepção do consumidor Ø Ausência de aferição efeava da percepção e da saasfação do usuário pela Anatel Grande lapso temporal entre as pesquisas, impedindo comparação da evolução histórica; Deficiências processuais que comprometeram a validade do resultado esperado; Indicadores mensurados e instrumentos da Anatel não conseguem capturar a percepção do usuário.

9 Necessidade de se alinhar os requisitos de qualidade do serviço de telefonia móvel ualizados pela Anatel à percepção do consumidor Ø Deficiências na elaboração e extração dos indicadores e parâmetros para acompanhar a qualidade da telefonia móvel Inadequação e deficiências das metodologias de acompanhamento da qualidade da telefonia móvel Falhas na extração dos indicadores de qualidade do SMP Inadequação das metas quanto à especificidade da região avaliada

10 Necessidade de se alinhar os requisitos de qualidade do serviço de telefonia móvel ualizados pela Anatel à percepção do consumidor Ø Fragilidade no processo de extração e medição dos indicadores de qualidade da internet móvel; Ø Deficiências do Indicador de Desempenho de Atendimento (IDA); Ø Ausência de estudo atualizado para embasar o parâmetro mínimo de cobertura; Ø Interpretação e aplicabilidade dos disposiavos do Regulamento Geral de Direitos do Consumidor de Serviços de Telecomunicações (RGC) por instrumento inadequado e de baixa publicidade.

11 Deve-se fortalecer e aprimorar os mecanismos de acompanhamento e fiscalização da qualidade da telefonia móvel ualizados pela Anatel Fiscalização e extração de dados das redes Futuros Termos de Ajustamento de Conduta (TAC) Fiscalizações da Enadade Aferidora da Qualidade (EAQ) Planos de Melhoria da Qualidade (PMQ) Planos de Monitoramento de Redes Pesquisa de Qualidade Percebida e de Saasfação Processos de Acompanhamento e Monitoramento (PAC) Entre outros procedimentos internos

12 Deve-se fortalecer e aprimorar os mecanismos de acompanhamento e fiscalização da qualidade da telefonia móvel ualizados pela Anatel Ø Deficiências na fiscalização da qualidade do SMP Baixa atuação nos problemas referentes à cobrança; Foco excessivo da fiscalização no cálculo e conferência de indicadores, havendo uma sobreposição de ações da agência; Falta de padronização na metodologia de extração de dados.

13 Deve-se fortalecer e aprimorar os mecanismos de acompanhamento e fiscalização da qualidade da telefonia móvel ualizados pela Anatel Ø Fragilidades e inconsistências dos Planos de Melhoria da Qualidade (PMQ) Inadequação dos critérios ualizados para definir as cautelares que moavaram o PMQ; Ausência de fiscalização de todas as ações previstas no plano Baixa efeavidade do plano de melhoria nos resultados Imposição de novos critérios incomparveis com o PMQ e com o Regulamento de Qualidade do SMP

14 MONITORAMENTO DE ACÓRDÃOS ANTERIORES Ø Foram atendidas 93,9% das recomendações e determinações feitas pelo TCU ainda pendentes de atendimento Ø Restaram apenas duas recomendações não implementadas integralmente pela Anatel, as quais foram contempladas na presente auditoria.

15 OBRIGADO

Auditoria Operacional Avaliação da Atuação da Anatel na Qualidade da Telefonia Móvel Visão Geral do Relatório e seus achados

Auditoria Operacional Avaliação da Atuação da Anatel na Qualidade da Telefonia Móvel Visão Geral do Relatório e seus achados Auditoria Operacional Avaliação da Atuação da Anatel na Qualidade da Telefonia Móvel Visão Geral do Relatório e seus achados 46º Encontro Tele.Síntese Brasília, 6/12/2016 Avaliação da Atuação da Anatel

Leia mais

ENTIDADE AFERIDORA DA QUALIDADE DA BANDA LARGA EDUARDO LEVY

ENTIDADE AFERIDORA DA QUALIDADE DA BANDA LARGA EDUARDO LEVY ENTIDADE AFERIDORA DA QUALIDADE DA BANDA LARGA AUDIÊNCIA PÚBLICA SENADO FEDERAL COMISSÃO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA, INOVAÇÃO, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA EDUARDO LEVY BRASÍLIA, 22 DE MARÇO DE 2012 Banda Larga

Leia mais

COMISSÃO DECIÊNCIA ETECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA COMISSÃO DEINTEGRAÇÃONACIONAL, DESENVOLVIMENTO REGIONAL E DA AMAZÔNIA AUDIÊNCIA PÚBLICA

COMISSÃO DECIÊNCIA ETECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA COMISSÃO DEINTEGRAÇÃONACIONAL, DESENVOLVIMENTO REGIONAL E DA AMAZÔNIA AUDIÊNCIA PÚBLICA COMISSÃO DECIÊNCIA ETECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA COMISSÃO DEINTEGRAÇÃONACIONAL, DESENVOLVIMENTO REGIONAL E DA AMAZÔNIA AUDIÊNCIA PÚBLICA DEBATE: OPERADORAS DE TELEFONIA MÓVEL EM DESTAQUE NOS RANKINGS

Leia mais

A QUALIDADE DOS SERVIÇOS SOB OUTROS OLHARES

A QUALIDADE DOS SERVIÇOS SOB OUTROS OLHARES A QUALIDADE DOS SERVIÇOS SOB OUTROS OLHARES 46º Tele.Síntese Brasília ANIBAL DINIZ Conselheiro da Anatel e Presidente do CDUST 06/12/2016 Dimensão do setor 2 Mais celulares do que gente: 252 milhões de

Leia mais

Ministério das Comunicações

Ministério das Comunicações Ministério das Comunicações Acessos dez/2010 a mar/2014 Internet móvel (3G+4G) 454% Cidades com cobertura 3G de 824 para 3.253 295% 2 Crescimento da banda larga móvel por região Período: dez/2010 a mar/2014

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC /2015-5

TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC /2015-5 GRUPO I CLASSE V Plenário TC 023.133/2015-5 [Apenso: TC 016.100/2016-6]. Natureza: Auditoria de Natureza Operacional. Órgão/Entidade: Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Responsável: João Batista

Leia mais

Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática Senado Federal

Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática Senado Federal Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática Senado Federal Brasília, 24/09/2013 Marcelo Barros da Cunha - SefidEnergia Estrutura atual do TCU: controle da desestatização e da regulação

Leia mais

O SETOR DE TELECOMUNICAÇÕES

O SETOR DE TELECOMUNICAÇÕES O SETOR DE TELECOMUNICAÇÕES AUDIÊNCIA PÚBLICA CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA EDUARDO LEVY BRASÍLIA, 15 DE MAIO DE 2012 Fonte: Telebrasil mais de 324 milhões

Leia mais

PROJETO DE REVISÃO DO MODELO DE GESTÃO DA QUALIDADE. 46º Encontro Telesíntese Nilo Pasquali ANATEL

PROJETO DE REVISÃO DO MODELO DE GESTÃO DA QUALIDADE. 46º Encontro Telesíntese Nilo Pasquali ANATEL PROJETO DE REVISÃO DO MODELO DE GESTÃO DA QUALIDADE 46º Encontro Telesíntese Nilo Pasquali ANATEL Conceito de Qualidade Atual Restrito aos indicadores regulamentares que não mais refletem a percepção do

Leia mais

Agenda. Volume e complexidade da regulamentação. Análise de Impacto Regulatório. Custo Regulatório. Consultas Públicas

Agenda. Volume e complexidade da regulamentação. Análise de Impacto Regulatório. Custo Regulatório. Consultas Públicas Agenda Volume e complexidade da regulamentação Custo Regulatório Análise de Impacto Regulatório Consultas Públicas Defesa de Lei e da Regulamentação Lei das Antenas Termo de Ajustamento de Conduta (TAC)

Leia mais

Qualidade dos Serviços de Telecomunicações

Qualidade dos Serviços de Telecomunicações Qualidade dos Serviços de Telecomunicações Senado Federal Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática 24 de setembro de 2013 Agenda Contextualização do Setor Qualidade Indicadores

Leia mais

Ilmo. Sr. Bruno Carvalho Ramos Superintendente de Serviços Privados da Agência Nacional de Telecomunicações

Ilmo. Sr. Bruno Carvalho Ramos Superintendente de Serviços Privados da Agência Nacional de Telecomunicações Carta Idec 375 / 2012 / Coex São Paulo, 31 de julho de 2012. Ilmo Sr. João Rezende Presidente da Agência Nacional de Telecomunicações joao.rezende@anatel.gov.br presidencia@anatel.gov.br Ilmo. Sr. Bruno

Leia mais

48º Encontro Telesíntese A qualidade dos serviços de Telecom, as regras atuais, uma avaliação. Ponderações sobre as novas metas

48º Encontro Telesíntese A qualidade dos serviços de Telecom, as regras atuais, uma avaliação. Ponderações sobre as novas metas TIM BRASIL Rio de Janeiro, 19 de Julho de 2017 48º Encontro Telesíntese A qualidade dos serviços de Telecom, as regras atuais, uma avaliação. Ponderações sobre as novas metas Evolução dos Regulamentos

Leia mais

Qualidade dos Serviços de Telecomunicações

Qualidade dos Serviços de Telecomunicações Qualidade dos Serviços de Telecomunicações a 41º ERP Campo Grande/MS Fabrício G. M. Lopes GERENTE panorama do setor + celulares do que gente: 236 milhões de acessos Cerca de 41 milhões de telefones fixos

Leia mais

EAQ Entidade Aferidora da Qualidade de Banda Larga Workshop 5: Qualidade da Banda Larga no Brasil

EAQ Entidade Aferidora da Qualidade de Banda Larga Workshop 5: Qualidade da Banda Larga no Brasil EAQ Entidade Aferidora da Qualidade de Banda Larga Workshop 5: Qualidade da Banda Larga no Brasil 21 de maio de 2013 Workshop de Qualidade da Banda Larga 1. Introdução 2. A origem 3. Infraestrutura e Cadeia

Leia mais

48º Encontro Tele Síntese

48º Encontro Tele Síntese 48º Encontro Tele Síntese Novas premissas, um único objetivo: qualidade dos serviços de Telecomunicações 19 de Julho de 2017 AGENDA Acompanhamento de qualidade setor regulado Atual regulamento de qualidade

Leia mais

Arrecadação e utilização dos fundos de telecomunicações (Fistel, Fust e Funttel)

Arrecadação e utilização dos fundos de telecomunicações (Fistel, Fust e Funttel) Arrecadação e utilização dos fundos de telecomunicações (Fistel, Fust e Funttel) Conselho de Comunicação Social do Congresso Nacional Brasília, 10/5/2017 Secretaria de Fiscalização de Infraestrutura Hídrica,

Leia mais

OS REGULAMENTOS ATUAIS, UM BALANÇO

OS REGULAMENTOS ATUAIS, UM BALANÇO OS REGULAMENTOS ATUAIS, UM BALANÇO PLANEJAMENTO REGULATÓRIO METAS DE QUALIDADE Revisão Regulatória RGC e RGQ 6 Dezembro de 2016 O MODELO ATUAL DE REGULAMENTAÇÃO ESTÁ DANDO CERTO? É EFETIVO? Todas as obrigações

Leia mais

Transparência e controle social dos TACs: o caso Telefônica

Transparência e controle social dos TACs: o caso Telefônica Transparência e controle social dos TACs: o caso Telefônica Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor Brasília, 19 de dezembro de 2017 Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor Entidade civil sem

Leia mais

Senado Federal Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática 08 de outubro de 2013

Senado Federal Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática 08 de outubro de 2013 Marco Regulatório Senado Federal Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática 08 de outubro de 2013 Panorama do Setor Em 1997, na corrida pelo usuário, a telefonia fixa era o destaque

Leia mais

61º Painel Telebrasil Impactos da revisão da regulamentação de qualidade

61º Painel Telebrasil Impactos da revisão da regulamentação de qualidade TIM BRASIL Brasília, 19 de Setembro de 2017 61º Painel Telebrasil Impactos da revisão da regulamentação de qualidade Carlos Franco Diretor de Relações Regulatórias Evolução dos Regulamentos de Qualidade

Leia mais

COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR PROJETO DE LEI Nº 4.078, DE Autor: Deputado Giroto. Relator: Deputado José Carlos Araújo

COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR PROJETO DE LEI Nº 4.078, DE Autor: Deputado Giroto. Relator: Deputado José Carlos Araújo COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR PROJETO DE LEI Nº 4.078, DE 2012 Obriga os estabelecimentos que comercializem terminais de telefonia ou procedam à sua ativação a dispor de exemplares da regulamentação

Leia mais

TCU: Fiscalização e Responsabilização (accountability)

TCU: Fiscalização e Responsabilização (accountability) TCU: Fiscalização e Responsabilização (accountability) Seminário Governança e Gestão de Hospitais de Atendimento Público no Brasil Rio de Janeiro, 20/10/2014 Marcelo Chaves Secretário de Controle Externo

Leia mais

Lei de Acesso a Informação pelos Conselhos de Fiscalização do Exercício Profissional

Lei de Acesso a Informação pelos Conselhos de Fiscalização do Exercício Profissional Lei de Acesso a Informação pelos Conselhos de Fiscalização do Exercício Profissional Engenheiro Civil José Gilberto P. Campos Superintendente de Integração do Sistema CONFEA Observações Os Conselhos de

Leia mais

Superintendência de Relações com Consumidores. Elisa Leonel Superintendente

Superintendência de Relações com Consumidores. Elisa Leonel Superintendente Superintendência de Relações com Consumidores Elisa Leonel Superintendente Mais celulares do que gente: 280 milhões de acessos em serviço ¾ dos brasileiros com mais de 10 anos têm aparelho celular, aponta

Leia mais

Acórdão: 2.127/2017-Plenário Relator: Ministro-Substituto Marcos Bemquerer

Acórdão: 2.127/2017-Plenário Relator: Ministro-Substituto Marcos Bemquerer Acórdão: 2.127/2017-Plenário Relator: Ministro-Substituto Marcos Bemquerer 1. POR QUE FAZER? CONSTITUIÇÃO FEDERAL Art. 70 e 71 Cabe ao Tribunal de Contas da União (TCU) a fiscalização contábil, financeira,

Leia mais

Audiência Pública Comissão Especial Projeto de Lei 6.789, de 2013. Agosto de 2015

Audiência Pública Comissão Especial Projeto de Lei 6.789, de 2013. Agosto de 2015 Audiência Pública Comissão Especial Projeto de Lei 6.789, de 2013 Agosto de 2015 PRESENÇA A América Móvil (AMX) tem atuação em 28 países Operações Fixa e Móvel Operação Móvel Operação MVNO ACESSOS POR

Leia mais

TELECOMUNICAÇÕES NO BRASIL

TELECOMUNICAÇÕES NO BRASIL TELECOMUNICAÇÕES NO BRASIL AUDIÊNCIA PÚBLICA NA CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA CARLOS DUPRAT BRASÍLIA, 05 DE MAIO DE 2015 1. O crescimento da demanda 2.

Leia mais

SERVIÇOS DE TELEFONIA

SERVIÇOS DE TELEFONIA SERVIÇOS DE TELEFONIA NO BRASIL CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE FISCALIZAÇÃO, FINANCEIRA E CONTROLE SÉRGIO KERN BRASÍLIA, 03 DE DEZEMBRO DE 2015 Números do Setor de Telecomunicações 275 milhões de celulares

Leia mais

Avaliação Trimestral do Plano Nacional de Ação de Melhoria da Prestação do Serviço Móvel Pessoal. Fevereiro/2013 a Abril/2013

Avaliação Trimestral do Plano Nacional de Ação de Melhoria da Prestação do Serviço Móvel Pessoal. Fevereiro/2013 a Abril/2013 Avaliação Trimestral do Plano Nacional de Ação de Melhoria da Prestação do Serviço Móvel Pessoal Fevereiro/2013 a Abril/2013 Evolução de acessos da Telefonia Móvel e indicação da evolução de tecnologias

Leia mais

Tele.Síntese 48. Qualidade dos serviços de Telecom, Regras atuais e propostas para sua evolução. Telefônica Brasil Assuntos Regulatórios Julho/2017

Tele.Síntese 48. Qualidade dos serviços de Telecom, Regras atuais e propostas para sua evolução. Telefônica Brasil Assuntos Regulatórios Julho/2017 Tele.Síntese 48 Qualidade dos serviços de Telecom, Regras atuais e propostas para sua evolução Telefônica Brasil Assuntos Regulatórios Julho/2017 Um dos pilares da estratégia de negócio da Telefônica são

Leia mais

Telefonia Móvel. Audiência Pública da Comissão de Defesa do Consumidor Requerimentos 03/2011 e 05/ de março de 2011

Telefonia Móvel. Audiência Pública da Comissão de Defesa do Consumidor Requerimentos 03/2011 e 05/ de março de 2011 Telefonia Móvel Audiência Pública da Comissão de Defesa do Consumidor Requerimentos 03/2011 e 05/2011 24 de março de 2011 Sumário Base de clientes Investimentos Empregos gerados Competição Preço dos serviços

Leia mais

Os avanços do código de defesa do consumidor nos 25 anos. Março/2016. Kleber José Trinta Moreira e Lopes Coordenador-Geral

Os avanços do código de defesa do consumidor nos 25 anos. Março/2016. Kleber José Trinta Moreira e Lopes Coordenador-Geral Os avanços do código de defesa do consumidor nos 25 anos Março/2016 Kleber José Trinta Moreira e Lopes Coordenador-Geral Quem somos Secretaria Nacional do Consumidor - Senacon Ligada ao Ministério da Justiça

Leia mais

Análise da Contratação de Serviços de Atendimento ao Cliente de TI no Setor Público Utilizando a IN 02 e a IN 04: O Caso da CHESF

Análise da Contratação de Serviços de Atendimento ao Cliente de TI no Setor Público Utilizando a IN 02 e a IN 04: O Caso da CHESF Análise da Contratação de Serviços de Atendimento ao Cliente de TI no Setor Público Utilizando a IN 02 e a IN 04: O Caso da CHESF Daniel Câmara Gadê de Vasconcelos Engenheiro de Computação Especialista

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (Março/15) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (Maio/15) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

Aferição da qualidade pelo Usuário e defesa dos seus direitos

Aferição da qualidade pelo Usuário e defesa dos seus direitos Aferição da qualidade pelo Usuário e defesa dos seus direitos 5º Seminário FIESP de Telecomunicações Mariana Alves 07 de agosto de 2013 Sobre o Idec Organização não governamental fundada em 1987, sem fins

Leia mais

APRIMORAMENTO DA GESTÃO ADEQUAÇÃO DOS MECANISMOS DE GOVERNANÇA DA INSTITUIÇÃO

APRIMORAMENTO DA GESTÃO ADEQUAÇÃO DOS MECANISMOS DE GOVERNANÇA DA INSTITUIÇÃO APRIMORAMENTO DA GESTÃO ADEQUAÇÃO DOS MECANISMOS DE GOVERNANÇA DA INSTITUIÇÃO Acompanhamento das demandas e processos oriundos dos órgãos de controle externo (PRAZOS) Organização, segurança e eficiência

Leia mais

A qualidade dos serviços de telecom. Elisa Leonel SUPERINTENDENTE

A qualidade dos serviços de telecom. Elisa Leonel SUPERINTENDENTE A qualidade dos serviços de telecom Elisa Leonel SUPERINTENDENTE ENTREVISTAS Pesquisa de Satisfação e Qualidade Percebida da Anatel AMOSTRA SORTEADA PELA ANATEL 140 MIL CONSUMIDORES NÍVEL DE SATISFAÇÃO

Leia mais

Avaliação Trimestral do Plano Nacional de Ação de Melhoria da Prestação do Serviço Móvel Pessoal. Agosto, Setembro e Outubro/2012

Avaliação Trimestral do Plano Nacional de Ação de Melhoria da Prestação do Serviço Móvel Pessoal. Agosto, Setembro e Outubro/2012 Avaliação Trimestral do Plano Nacional de Ação de Melhoria da Prestação do Serviço Móvel Pessoal Agosto, Setembro e Outubro/2012 Superintendência de Serviços Privados Anatel Brasília/DF Fevereiro/2013

Leia mais

Agenda Regulatória Nilo Pasquali Superintendente de Planejamento e Regulamentação SPR Maio/2018

Agenda Regulatória Nilo Pasquali Superintendente de Planejamento e Regulamentação SPR Maio/2018 Agenda Regulatória 2017-2018 Nilo Pasquali Superintendente de Planejamento e Regulamentação SPR Maio/2018 Processo de regulamentação na Anatel Aprovação da Agenda Regulatória Implementação e Monitoramento

Leia mais

Sumário. Informações gerais do contrato. Abrangência do Estudo. Principais produtos. Análise contábil e indicadores de desempenho

Sumário. Informações gerais do contrato. Abrangência do Estudo. Principais produtos. Análise contábil e indicadores de desempenho Sumário Informações gerais do contrato Abrangência do Estudo Principais produtos Análise contábil e indicadores de desempenho Contratos de publicidade Índice de qualidade do serviço de transporte Sistema

Leia mais

Reunião Comitê de TI. Acompanhamento do PDTI

Reunião Comitê de TI. Acompanhamento do PDTI Reunião Comitê de TI Acompanhamento do PDTI Agenda Aprovação da Ata Apresentação PDTI: Metas já planejadas Como acompanhar a execução das metas Direcionamentos para execução do PDTI Deliberações: Padronização

Leia mais

Telecomunicações no Brasil Oportunidades, Avanços e Desafios para o Novo Governo

Telecomunicações no Brasil Oportunidades, Avanços e Desafios para o Novo Governo Humberto Pontes Chefe da Assessoria Técnica - Anatel Junho/2019 Telecomunicações no Brasil Oportunidades, Avanços e Desafios para o Novo Governo Agenda 1 2 3 4 5 Anatel Panorama Setorial Desafios do Setor

Leia mais

Operadoras planejam novo tipo de cobrança de internet via celular

Operadoras planejam novo tipo de cobrança de internet via celular Operadoras planejam novo tipo de cobrança de internet via celular Franquia extra em vez de \'velocidade reduzida\' fará com que usuário tenha que contratar pacote adicional Matéria publicada em 20 de Outubro

Leia mais

OBJETIVOS ESTRATÉGICOS AGENDA REGULATÓRIA DE 2007

OBJETIVOS ESTRATÉGICOS AGENDA REGULATÓRIA DE 2007 OBJETIVOS ESTRATÉGICOS AGENDA REGULATÓRIA DE 2007 José Leite Pereira Filho Conselheiro 2 de Junho de 2007 Conteúdo OBJETIVOS ESTRATÉGICOS 1. UNIVERSALIZAÇÃO 2. COMPETIÇÃO 3. QUALIDADE 4. EXCELÊNCIA REGULATÓRIA

Leia mais

Qualidade da Telefonia Móvel (SMP) Relatório de Indicadores de Desempenho Operacional

Qualidade da Telefonia Móvel (SMP) Relatório de Indicadores de Desempenho Operacional Qualidade da Telefonia Móvel (SMP) Relatório de Indicadores de Desempenho Operacional 2014 Superintendência de Controle de Obrigações - SCO Gerência de Controle de Obrigações de Qualidade - COQL Brasília,

Leia mais

SERVIÇOS DE INTERNET BRASIL EM 2016 E TELEFONIA NO AUDIÊNCIA PÚBLICA NA COMISSÃO DE LEGISLAÇÃO PARTICIPATIVA DA CÂMARA DOS DEPUTADOS

SERVIÇOS DE INTERNET BRASIL EM 2016 E TELEFONIA NO AUDIÊNCIA PÚBLICA NA COMISSÃO DE LEGISLAÇÃO PARTICIPATIVA DA CÂMARA DOS DEPUTADOS SERVIÇOS DE INTERNET E TELEFONIA NO BRASIL EM 2016 AUDIÊNCIA PÚBLICA NA COMISSÃO DE LEGISLAÇÃO PARTICIPATIVA DA CÂMARA DOS DEPUTADOS BRASÍLIA, 17 DE OUTUBRO DE 2017 ALEXANDER CASTRO Os serviços de telecomunicações

Leia mais

PLS 181/2014. Audiência Pública Senado Federal. Brasília, 02 de dezembro de 2014 Eduardo Levy

PLS 181/2014. Audiência Pública Senado Federal. Brasília, 02 de dezembro de 2014 Eduardo Levy PLS 181/2014 Audiência Pública Senado Federal Brasília, 02 de dezembro de 2014 Eduardo Levy Histórico das teles atesta a garantia da inviolabilidade da intimidade, da vida privada e do sigilo das comunicações

Leia mais

Explorando as Oportunidades dos Serviços de Dados. Expo Money Brasília

Explorando as Oportunidades dos Serviços de Dados. Expo Money Brasília Explorando as Oportunidades dos Serviços de Dados Expo Money Brasília Conhecendo a TIM Aniversário de 15 anos de Listagem TIM: Uma Gigante Brasileira Crescimento Orgânico Receita Bruta (R$ Bi) 27,8 Base

Leia mais

P A I N E L T E L E B R A S I L T E L E F Ô N I C A B R A S I L M a i o 2018

P A I N E L T E L E B R A S I L T E L E F Ô N I C A B R A S I L M a i o 2018 P A I N E L T E L E B R A S I L 2018 T E L E F Ô N I C A B R A S I L M a i o 2018 0 O S E T O R D E T E L E C O M U N I C A Ç Õ E S INVESTIU FORTEMENTE NOS ÚLTIMOS ANOS CONTRIBUINDO PARA O DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Audiência Pública Comissão de Defesa do Consumidor. Pós-venda de aparelhos de Telefonia móvel celular

Audiência Pública Comissão de Defesa do Consumidor. Pós-venda de aparelhos de Telefonia móvel celular Audiência Pública Comissão de Defesa do Consumidor Pós-venda de aparelhos de Telefonia móvel celular Brasília, 04 de maio de 2011 Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica sociedade civil

Leia mais

RESULTADOS DO PROGRAMA BANDA LARGA NAS ESCOLAS

RESULTADOS DO PROGRAMA BANDA LARGA NAS ESCOLAS RESULTADOS DO PROGRAMA BANDA LARGA NAS ESCOLAS Instituto de Tecnologia & Sociedade do Rio (ITS Rio) Novembro 2015 O PBLE - Programa Banda Larga nas Escolas foi implementado em 2008 com o objetivo de conectar

Leia mais

Governança Pública: O Desafio do Brasil

Governança Pública: O Desafio do Brasil Governança Pública: O Desafio do Brasil Os rumos do Brasil e a importância da Governança na Economia Moderna Augusto Nardes Ministro do TCU Tribunal de Contas da União Principais Atividades do TCU Parecer

Leia mais

Painel 9 Indicadores aplicáveis à gestão e políticas públicas de Resíduos sólidos

Painel 9 Indicadores aplicáveis à gestão e políticas públicas de Resíduos sólidos Painel 9 Indicadores aplicáveis à gestão e políticas públicas de Resíduos sólidos Indicadores da política de Resíduos sólidos e a Agenda 2030: Perspectivas no contexto paraibano ADRIANA F. DO RÊGO INDICADORES

Leia mais

REGULAÇÃO DO SANEAMENTO BÁSICO NO BRASIL A visão do segmento privado

REGULAÇÃO DO SANEAMENTO BÁSICO NO BRASIL A visão do segmento privado REGULAÇÃO DO SANEAMENTO BÁSICO NO BRASIL A visão do segmento privado 16 de setembro de 2015 Fundada em 1996 Com objetivo inicial de promover a participação das empresas privadas no setor de água e esgoto

Leia mais

Auditoria Interna AUDITORIA DE CONFORMIDADE. Relatório de Auditoria nº 19/2017

Auditoria Interna AUDITORIA DE CONFORMIDADE. Relatório de Auditoria nº 19/2017 Relatório de Auditoria nº 19/2017 Auditoria Interna AUDITORIA DE CONFORMIDADE Relatório de Auditoria nº 19/2017 PROGRAMA DE AUDITORIA: 20/2017 MACROPROCESSO: 01. Controles da Gestão PROCESSO: 01.01. Controles

Leia mais

Explorando as Oportunidades dos Serviços de Dados. Expo Money Belo Horizonte

Explorando as Oportunidades dos Serviços de Dados. Expo Money Belo Horizonte Explorando as Oportunidades dos Serviços de Dados Expo Money Belo Horizonte Conhecendo a TIM 15 anos de Listagem na Bolsa TIM: Uma Gigante Brasileira Crescimento Receita Bruta (R$ Bi) 27,8 Base de Clientes

Leia mais

A Inclusão Financeira em Moçambique: Situação Actual e Oportunidades

A Inclusão Financeira em Moçambique: Situação Actual e Oportunidades A Inclusão Financeira em Moçambique: Situação Actual e Oportunidades CONFERÊNCIA SOBRE SERVIÇOS FINANCEIROS DIGITAIS FSD MOÇAMBIQUE 28 DE MAIO DE 2018 5/28/2018 1 Estrutura 1. Contextualização 2. Situação

Leia mais

Boletim Sindec. Secretaria Nacional do Consumidor

Boletim Sindec. Secretaria Nacional do Consumidor 2012 Boletim Sindec Secretaria Nacional do Consumidor Introdução O Boletim Sindec 2012 é a publicação da Secretaria Nacional do Consumidor - Senacon que apresenta uma breve análise sobre as demandas de

Leia mais

O PAPEL DA REGULAÇÃO NA EXCELÊNCIA DA GESTÃO DOS SERVIÇOS DE SANEAMENTO

O PAPEL DA REGULAÇÃO NA EXCELÊNCIA DA GESTÃO DOS SERVIÇOS DE SANEAMENTO O PAPEL DA REGULAÇÃO NA EXCELÊNCIA DA GESTÃO DOS SERVIÇOS DE RICARDO HÜBNER Engº Civil Especialização Gestão Ambiental Msc. Engª Ambiental O PAPEL DA REGULAÇÃO NA EXCELÊNCIA DA GESTÃO DOS SERVIÇOS DE A

Leia mais

REGULAMENTO - Promoção Nextel 3G. Planos de Voz Pós Pago promocionais: Nextel 3G 150, Nextel 3G 300, Nextel 3G 500, Nextel 3G 800 e Nextel 3G

REGULAMENTO - Promoção Nextel 3G. Planos de Voz Pós Pago promocionais: Nextel 3G 150, Nextel 3G 300, Nextel 3G 500, Nextel 3G 800 e Nextel 3G REGULAMENTO - Promoção Nextel 3G de Voz Pós Pago promocionais: Nextel 3G 150, Nextel 3G 300, Nextel 3G 500, Nextel 3G 800 e Nextel 3G 2.500. Estes planos são comercializados pela NEXTEL TELECOMUNICAÇÕES

Leia mais

Fórum Alô, Brasil! Estimular e fortalecer a participação social nas telecomunicações. Brasília, 26 de abril de 2011 Ana Beatriz Souza

Fórum Alô, Brasil! Estimular e fortalecer a participação social nas telecomunicações. Brasília, 26 de abril de 2011 Ana Beatriz Souza Fórum Alô, Brasil! Estimular e fortalecer a participação social nas telecomunicações Brasília, 26 de abril de 2011 Ana Beatriz Souza Quem somos? 2 Sindicato que representa todas empresas que operam no

Leia mais

Termo de Ajustamento de Conduta Telefônica Vivo. Telefônica Brasil Estratégia Regulatória 19/12/2017

Termo de Ajustamento de Conduta Telefônica Vivo. Telefônica Brasil Estratégia Regulatória 19/12/2017 Termo de Ajustamento de Conduta Telefônica Vivo 19/12/2017 Proposta de TAC da TFN vai além da construção de acessos de banda larga de alta velocidade, com projetos distribuídos por todo o Brasil Municípios

Leia mais

Resumo de Notícias. Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Telecomunicações e Operadoras de Mesas Telefônicas no Estado do Espírito Santo

Resumo de Notícias. Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Telecomunicações e Operadoras de Mesas Telefônicas no Estado do Espírito Santo 13/09/2016 - Instituto Telecom Nossa Opinião Proposta indecente A gravíssima crise política que o país atravessa, com um governo antitrabalhador dando continuidade ao golpe com medidas absurdas como o

Leia mais

O Compartilhamento de Infraestrutura e o Programa Nacional de Banda Larga

O Compartilhamento de Infraestrutura e o Programa Nacional de Banda Larga Encontro de Provedores Regionais O Compartilhamento de Infraestrutura e o Programa Nacional de Banda Larga Belo Horizonte, julho de 2013 Banda larga fixa vs. móvel: demanda crescente por infraestrutura...

Leia mais

Banda Larga Móvel no Brasil: Cenário Regulatório, Espectro de Radiofrequências, Mercado, Perspectivas e Desafios

Banda Larga Móvel no Brasil: Cenário Regulatório, Espectro de Radiofrequências, Mercado, Perspectivas e Desafios Banda Larga Móvel no Brasil: Cenário Regulatório, Espectro de Radiofrequências, Mercado, Perspectivas e Desafios Maximiliano Martinhão Secretário de Telecomunicações Brasília, 3 de junho de 2013 Espectro

Leia mais

REGULAMENTO. Plano Meu Nextel Controle 70.

REGULAMENTO. Plano Meu Nextel Controle 70. REGULAMENTO. Estes planos são comercializados pela NEXTEL TELECOMUNICAÇÕES Ltda., prestadora do Serviço Móvel Especializado SME, doravante denominada simplesmente NEXTEL, situada na Alameda Santos, no

Leia mais

Parecer de Dirigente do Controle Interno

Parecer de Dirigente do Controle Interno Parecer de Dirigente do Controle Interno Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno Parecer: 201700407 Unidade Auditada: Telecomunicações Brasileiras

Leia mais

REGULAMENTO. Plano Meu Nextel Controle 30 II e Plano Meu Nextel Controle 70.

REGULAMENTO. Plano Meu Nextel Controle 30 II e Plano Meu Nextel Controle 70. REGULAMENTO Controle 30 II e. Estes planos são comercializados pela NEXTEL TELECOMUNICAÇÕES Ltda., prestadora do Serviço Móvel Especializado SME, doravante denominada simplesmente NEXTEL, situada na Alameda

Leia mais

:PRESIDENTE DA REPÚBLICA :PROCURADOR-GERAL FEDERAL

:PRESIDENTE DA REPÚBLICA :PROCURADOR-GERAL FEDERAL AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE POR OMISSÃO 37 DISTRITO FEDERAL RELATOR : MIN. RICARDO LEWANDOWSKI REQTE.(S) :CONSELHO FEDERAL DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL ADV.(A/S) :CLAUDIO PACHECO PRATES LAMACHIA

Leia mais

Anexo II. Ações a serem desenvolvidas durante o exercício 2014

Anexo II. Ações a serem desenvolvidas durante o exercício 2014 Anexo II Ações a serem desenvolvidas durante o exercício 2014 1.01/14 Elaborar o Relatório Anual de Atividades de Auditoria Interna - RAINT 2013 2.01/14 Relatório de Gestão 2013 e Parecer de contas 2013

Leia mais

REGULAMENTO Plano Meu Nextel Controle 30 PJ e Plano Meu Nextel Controle 150 PJ e Plano Meu Nextel Controle 300 PJ e Plano Meu Nextel Controle 500 PJ

REGULAMENTO Plano Meu Nextel Controle 30 PJ e Plano Meu Nextel Controle 150 PJ e Plano Meu Nextel Controle 300 PJ e Plano Meu Nextel Controle 500 PJ REGULAMENTO Plano Controle 30 PJ e Plano Controle 150 PJ e Plano Controle 300 PJ e Plano Controle 500 PJ Estes planos são comercializados pela NEXTEL TELECOMUNICAÇÕES Ltda., prestadora do Serviço Móvel

Leia mais

REGULAMENTO. Promoção Nextel 3G 800

REGULAMENTO. Promoção Nextel 3G 800 REGULAMENTO Promoção Nextel 3G 800 Esta promoção é comercializada pela NEXTEL TELECOMUNICAÇÕES Ltda., prestadora do Serviço Móvel Pessoal SMP, doravante denominada simplesmente NEXTEL, situada na Alameda

Leia mais

PROJETO PILOTO COPEL DISTRIBUIÇÃO E OSISOFT PARA MONITORAMENTO DE EQUIPAMENTOS E GESTÃO DE ATIVOS

PROJETO PILOTO COPEL DISTRIBUIÇÃO E OSISOFT PARA MONITORAMENTO DE EQUIPAMENTOS E GESTÃO DE ATIVOS - Optional Industry Icon (see slide # 12)- PROJETO PILOTO COPEL DISTRIBUIÇÃO E OSISOFT PARA MONITORAMENTO DE EQUIPAMENTOS E GESTÃO DE ATIVOS Lincoln Weigert Venancio, Eng 23/05/2018 - Optional Prospect

Leia mais

Audiência Pública na Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática. Brasília, 30 de junho de 2015

Audiência Pública na Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática. Brasília, 30 de junho de 2015 Audiência Pública na Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática Brasília, 30 de junho de 2015 Associados p. 2 Associados Institucionais Setor de Tecnologia de Informação e Comunicação

Leia mais

Práticas de Auditoria

Práticas de Auditoria Práticas de Auditoria Análise de dados, uso de ferramentas CAAT, testes exploratórios Exames físicos, documentais, entrevistas, etc Avaliação contínua, forte automação, padrões, métricas, ponto de alerta,

Leia mais

TC / Natureza: Acompanhamento. Entidade: Agência Nacional de Telecomunicações Anatel. Interessado: Tribunal de Contas da União.

TC / Natureza: Acompanhamento. Entidade: Agência Nacional de Telecomunicações Anatel. Interessado: Tribunal de Contas da União. TC- 020.460/2008-3 Natureza: Acompanhamento. Entidade: Agência Nacional de Telecomunicações Anatel. Interessado: Tribunal de Contas da União. DECISÃO Trata-se de acompanhamento dos trabalhos desenvolvidos

Leia mais

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS E DO CAPITAL. Março de 2013.

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS E DO CAPITAL. Março de 2013. Março de 2013. CONTEÚDO I. INTRODUÇÃO... 3 II. ESTRUTURA ORGANIZACIONAL... 3 III. RISCO DE MERCADO... 3 IV. RISCO DE CRÉDITO... 4 V. RISCO OPERACIONAL... 4 VI. GERENCIAMENTO DE CAPITAL... 6 VII. RESPONSABILIDADES

Leia mais

A estrutura normativa e os

A estrutura normativa e os A estrutura normativa e os padrões de auditoria da INTOSAI Ministro Benjamin Zymler Presidente do Brasil Buenos Aires, 30/06/2011 Conteúdo INTOSAI INTOSAI Exemplo Brasil 3 1 Quadro de normas da INTOSAI

Leia mais

Copyright Pricez Ltda. Todos os direitos reservados

Copyright Pricez Ltda. Todos os direitos reservados Copyright Pricez Ltda. Todos os direitos reservados 1 2 Apresentação: Vencedores do Prêmio Pricez Melhor Oferta Natal 2012 Sumário executivo: Revisão detalhada dos ganhadores: Melhor valor à recarga Pré

Leia mais

Política - Gerenciamento do Risco Operacional dos Fundos de Investimento Geridos pelo Sicredi

Política - Gerenciamento do Risco Operacional dos Fundos de Investimento Geridos pelo Sicredi Política - Gerenciamento do Risco Operacional dos Fundos de Investimento Geridos pelo ÍNDICE 1. OBJETIVO... 3 2. DEFINIÇÕES... 3 2.1 Aspectos metodológicos... 3 2.1.1 Avaliação de riscos e controles...

Leia mais

Padrão de Gestão e Transparência do Terceiro Setor 2016

Padrão de Gestão e Transparência do Terceiro Setor 2016 O que é o Padrão de Gestão e Transparência Padrão de Gestão e Transparência O Padrão de Gestão e Transparência (PGT) 2013-2014 é um conjunto de práticas e ações recomendadas para as organizações sem fins

Leia mais

PROPOSTA DE MELHORIA OBJETIVO

PROPOSTA DE MELHORIA OBJETIVO Secretaria de Estado de Gestão e Planejamento / SEGPLAN Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Estado de Goiás / SEMARH PROCESSO 002 Outorga de Direito de Uso dos Recursos Hídricos Sob Domínio

Leia mais

REGULAMENTO. Nextel 3G Smart Blackberry 2.500

REGULAMENTO. Nextel 3G Smart Blackberry 2.500 REGULAMENTO Planos de Voz Pós Pago promocionais: Nextel 3G Smart Blackberry 150, Nextel 3G Smart Blackberry 300, Nextel 3G Smart Blackberry 500, Nextel 3G Smart Blackberry 800 e Nextel 3G Smart Blackberry

Leia mais

AS MUDANÇAS NOS LIMITES DE FREQUÊNCIAS PARA A TELEFONIA CELULAR. Conselheiro OTAVIO LUIZ RODRIGUES JR. ANATEL

AS MUDANÇAS NOS LIMITES DE FREQUÊNCIAS PARA A TELEFONIA CELULAR. Conselheiro OTAVIO LUIZ RODRIGUES JR. ANATEL AS MUDANÇAS NOS LIMITES DE FREQUÊNCIAS PARA A TELEFONIA CELULAR Conselheiro OTAVIO LUIZ RODRIGUES JR. ANATEL As mudanças nos limites de frequências para a telefonia celular 1 Introdução 2 Comparação internacional

Leia mais

PLANO ESTRUTURAL DE REDES DE TELECOMUNICAÇÕES PERT 2018

PLANO ESTRUTURAL DE REDES DE TELECOMUNICAÇÕES PERT 2018 PLANO ESTRUTURAL DE REDES DE TELECOMUNICAÇÕES PERT 2018 PAINEL TELEBRASIL 2018 Sessão Temática 13 Novas Tecnologias: Uma Esperança Ameaçada Brasília, 22 de maio de 2018. Anatel Conselheiro Aníbal Diniz

Leia mais

NOVO MARCO LEGAL DAS TELECOMUNICAÇÕES

NOVO MARCO LEGAL DAS TELECOMUNICAÇÕES NOVO MARCO LEGAL DAS TELECOMUNICAÇÕES SÃO PAULO, 21 DE JULHO DE 2017 FIESP LGT 20 ANOS EDUARDO LEVY A Federação Brasileira de Telecomunicações é composta por 8 sindicatos, representando toda a cadeia dos

Leia mais

Nextel 3G Smart Blackberry 800 Nextel 3G BB /PÓS/SMP Nextel 3G Smart Blackberry Nextel 3G BB /PÓS/SMP

Nextel 3G Smart Blackberry 800 Nextel 3G BB /PÓS/SMP Nextel 3G Smart Blackberry Nextel 3G BB /PÓS/SMP REGULAMENTO Planos de Voz Pós Pago promocionais: 150, 300, 500, 800 e Nextel 3G Smart Blackberry 2.500. Estes planos são comercializados pela NEXTEL TELECOMUNICAÇÕES Ltda., prestadora do Serviço Móvel

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE AUDITORIA INTERNA RAINT 2017

RELATÓRIO ANUAL DE AUDITORIA INTERNA RAINT 2017 RELATÓRIO ANUAL DE AUDITORIA INTERNA RAINT 2017 Auditoria Interna Auditoria Interna Janeiro/2018 Sumário Apresentação... 2 1. Trabalhos realizados conforme Plano Anual... 3 2. Demais trabalhos realizados...

Leia mais

Diretrizes e programas prioritários do Ministério das Comunicações

Diretrizes e programas prioritários do Ministério das Comunicações Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática (CCTCI) Diretrizes e programas prioritários do Ministério das Comunicações Paulo Bernardo Silva Ministro de Estado das Comunicações Brasília,

Leia mais

REGULAMENTO - Promoção Nextel 3G Ctr

REGULAMENTO - Promoção Nextel 3G Ctr REGULAMENTO - Promoção Nextel 3G Ctr Planos de Voz Pós Pago promocionais: Nextel 3G Controle 30, Nextel 3G Controle 70, Nextel 3G Controle 150, Nextel 3G Controle 300 e Nextel 3G Controle 500 Estes planos

Leia mais

Plano Geral de Metas de Qualidade -PGMQ STFC. Curso de Regulação e Defesa do Consumidor Brasília - Outubro 2009

Plano Geral de Metas de Qualidade -PGMQ STFC. Curso de Regulação e Defesa do Consumidor Brasília - Outubro 2009 Plano Geral de Metas de Qualidade -PGMQ STFC Curso de Regulação e Defesa do Consumidor Brasília - Outubro 2009 Diretrizes Gerais para a Abertura do Mercado de Telecomunicações (abril de 1997) O novo modelo

Leia mais

Sumário - Boletim Sindec 2015

Sumário - Boletim Sindec 2015 Sumário - Boletim Sindec 2015 Apresentação O Boletim Sindec 2015 é a publicação da Secretaria Nacional do Consumidor - Senacon que apresenta uma breve análise sobre as demandas de consumo levadas aos Procons

Leia mais

REGULAMENTO - Promoção Nextel 3G Smart

REGULAMENTO - Promoção Nextel 3G Smart REGULAMENTO - Promoção Planos de Voz Pós Pago promocionais: 150, 300, 500, 800 e 2.500. Estes planos são comercializados pela NEXTEL TELECOMUNICAÇÕES Ltda., prestadora do Serviço Móvel Pessoal SMP, doravante

Leia mais

49º Tele.Síntese Brasília

49º Tele.Síntese Brasília 49º Tele.Síntese Brasília Critério populacional para a escolha de novos inves3mentos em telecomunicações: a pesquisa do IPEA 22 de agosto de 2017 Flávia Lefèvre Guimarães flavia@lladvogados.com.br A Cons6tuição

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ATO Nº 1.522, DE 4 DE MARÇO DE 2013

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ATO Nº 1.522, DE 4 DE MARÇO DE 2013 AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ATO Nº 1.522, DE 4 DE MARÇO DE 2013 O CONSELHO DIRETOR DA AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES, no uso das atribuições que lhe foram conferidas pelo art. 22 da Lei

Leia mais

Modelo Brasileiro de Avaliação da Conformidade de Produtos para Telecomunicações

Modelo Brasileiro de Avaliação da Conformidade de Produtos para Telecomunicações Superintendência de Radiofrequência e Fiscalização Gerência de Certificação Modelo Brasileiro de Avaliação da Conformidade de Produtos para Telecomunicações Brasília, Brasília, 04 de 17 setembro de agosto

Leia mais