ADAPTAÇÃO DO INSTRUMENTO SERVQUAL PARA MENSURAÇÃO DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS DE PÓS-VENDAS EM EMPRESAS AUTOMOBILÍSTICAS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ADAPTAÇÃO DO INSTRUMENTO SERVQUAL PARA MENSURAÇÃO DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS DE PÓS-VENDAS EM EMPRESAS AUTOMOBILÍSTICAS"

Transcrição

1 ISSN ADAPTAÇÃO DO INSTRUMENTO SERVQUAL PARA MENSURAÇÃO DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS DE PÓS-VENDAS EM EMPRESAS AUTOMOBILÍSTICAS Denise Luciana Rieg, Fernando Cesar Leandro Scramim, Camila Silva dos Santos, Henrique Antunes (Centro Universitário Fundação Santo André) Resumo: O objetivo deste artigo é apresentar uma adaptação do instrumento SERVQUAL desenvolvida para mensurar a qualidade dos serviços de pós-vendas em empresas automobilísticas. Tal adaptação foi realizada com base em trabalhos acadêmicos sobre o assunto, bem como em entrevistas realizadas com gerentes e clientes (concessionárias) deste tipo de serviço. O resultado obtido foi um questionário com dezoito questões distribuídas em três dimensões da qualidade. O cálculo do coeficiente Alpha de Cronbach foi empregado para analisar a consistência interna das três dimensões propostas indicando o nível de confiabilidade do questionário. O instrumento SERVQUAL adaptado foi utilizado para conduzir um survey com 111 concessionárias localizadas em todo o Brasil, clientes do pós-vendas tomado como unidade amostral. Pelos resultados obtidos, pode-se verificar que o pós-vendas pesquisado não têm satisfeito seus clientes em relação às três dimensões analisadas: presteza, comunicação e credibilidade e segurança. Em uma visão mais específica, observou-se que os itens pertencentes a essas dimensões que mais geram insatisfação aos clientes referem-se: ao tempo de resposta à ordem de serviço e ao pedido de reembolso via sistema concessionária pós-vendas da montadora; e à confiabilidade (cumprimento do prazo de entrega/realização dos serviços). Palavras-chaves: Qualidade em Serviços; Instrumento SERVQUAL; Pós-vendas; Setor automobilístico.

2 1 Introdução Tanto no mercado nacional como no internacional, fornecer serviços que satisfaçam as necessidades e expectativas dos clientes tem sido a preocupação central das empresas nos últimos tempos. Isto porque a qualidade do serviço prestado ao cliente vem cada vez mais se tornando uma alternativa de diferenciação, sejam para empresas de serviços ou empresas de manufatura que comercializam um pacote formado por produto e serviço. No caso das atividades de pós-vendas, por exemplo, cada vez mais as empresas manufatureiras reconhecem a importância estratégica competitiva de tais atividades de serviços, pois se tratam de uma prática de marketing cujo foco é a retenção e a fidelização de clientes (MILAN & RIBEIRO, 2003; KHAKSAR et al., 2011). Apesar da reconhecida importância estratégica das atividades de pós-vendas, como salientam Borchardt, Sellitto & Pereira (2008), a literatura é escassa de trabalhos voltados à gestão de suas operações, incluindo à avaliação da qualidade do serviço prestado aos seus clientes. São muitas as técnicas desenvolvidas para avaliar a qualidade dos processos de prestação de serviços. O instrumento SERVQUAL (PARASURAMAN, ZEITHAML & BERRY, 1988) é uma das técnicas desenvolvida para este propósito e está entre aquelas mais utilizadas e referenciadas na literatura. Embora inicialmente proposto pelos seus criadores como passível de utilização para avaliação da qualidade para todo e qualquer serviço, a discussão ainda em pauta na literatura, é sobre a necessidade de adaptações desse instrumento às especificidades de cada tipo de serviço de modo que o mesmo se verifique como uma ferramenta útil de gestão (GONÇALVES & BELDERRAIN, 2012). Neste sentido, o objetivo deste artigo é desenvolver uma escala para mensurar a qualidade de serviços de pós-vendas em montadoras, com base no instrumento SERVQUAL. Além da contribuição para as discussões a respeito das adaptações necessárias ao Instrumento SERVQUAL, destaca-se ainda, na justificativa da realização do presente trabalho, a importância de se avaliar os serviços prestados por setores de pós-vendas, devido à escassez de trabalhos sobre o tema, como mencionado acima. Neste sentido, inicia-se o artigo com uma breve apresentação sobre qualidade em serviços e sobre a técnica SERVQUAL. Na seção três, descreve-se o procedimento metodológico adotado na pesquisa. Na seção seguinte, apresenta-se o estudo que traz a adaptação e a aplicação da técnica 2

3 SERVQUAL no setor de pós-vendas da montadora pesquisada. Por último, apresentam-se as conclusões do artigo. 2 Referencial teórico Segundo Corrêa & Caon (2012), os serviços se caracterizam por serem intangíveis, serem produzidos e consumidos simultaneamente e terem o cliente como o elemento que dispara o processo de prestação de serviço. Outro aspecto apontado por Parasuraman, Zeithaml & Berry (1985) é a heterogeneidade dos processos de serviços, devido principalmente à sua interação com o cliente. Como apontado pelos mesmos autores, todas essas características têm impacto na gestão da qualidade das operações de serviços, entendida como sendo a discrepância entre as expectativas dos clientes e a percepção destes em relação aos diversos aspectos que compõem o processo de prestação de serviços (CORRÊA & CAON, 2012). A intangibilidade, por exemplo, impossibilita a avaliação do serviço antes da compra. Esta característica, aliada à simultaneidade da produção e consumo do serviço, também faz com que o cliente não avalie somente o resultado final do serviço, mas todo o seu processo, com base em vários atributos ou dimensões da qualidade (atendimento, competência, custos, flexibilidade, velocidade, etc.) Para a avaliação da qualidade do processo de prestação do serviço, são várias as técnicas possíveis. Em Johnston & Clark (2008), Santos & Varvakis (2002) e Cauchick Miguel & Salomi (2004) são apresentadas algumas dessas técnicas. Aqui, faz-se apenas uma apresentação sucinta do instrumento SERVQUAL. Tendo como base o modelo de satisfação de Oliver (1980), Parasuraman, Zeithaml & Berry (1985) propuseram um modelo para mensuração da qualidade em serviços no qual esta é função da diferença entre a expectativa do cliente e a sua apreciação do serviço prestado. A partir do referido modelo, Parasuraman, Zeithaml & Berry (1988) desenvolveram o Instrumento SERVQUAL que se constitui em um questionário composto por 22 itens distribuídos em 5 dimensões da qualidade para serviços: 1) Confiabilidade - capacidade de realizar um serviço de forma confiável e precisa e que apresente conformidade com a experiência anterior; 2) Presteza pronto atendimento, personalização e cortesia no atendimento; 3

4 3) Segurança competência, cortesia e habilidade dos funcionários em transmitir segurança/credibilidade; 4) Empatia atenção especializada aos clientes e fácil contato (acessibilidade) e comunicação com os clientes; 5) Tangíveis a aparência de tudo que é visível ao cliente: instalações físicas, equipamentos, funcionários e materiais de comunicação. O instrumento SERVQUAL tem duas colunas relacionadas aos 22 itens de análise, uma referente às expectativas do cliente e outra referente à percepção do cliente quanto ao serviço prestado. Ambas são avaliadas através de uma escala do tipo Likert com sete pontos, sendo 1 equivalente a discordo fortemente e 7 a concordo fortemente. A diferença (Gap) entre as médias das respostas obtidas para expectativa e para percepção é que resultarão no índice de satisfação dos clientes para cada item analisado (MIGUEL & SALOMI, 2004). 3 Método O presente trabalho, de caráter exploratório e quantitativo, fez uso da metodologia de levantamento amostral tipo survey para alcançar seus objetivos (CAUCHICK MIGUEL, 2007). O caso analisado é referente ao setor de pós-vendas de uma empresa automobilística de origem europeia, cujo escritório central está localizado no ABC paulista. A referida empresa produz automóveis pequenos e médios, vans (furgões), ônibus e caminhões. No Brasil, possui fábrica desde o final da década de 90. A empresa está entre as montadoras mais premiadas e sua Assistência Técnica está há 06 anos no TOP 3 de satisfação na pesquisa "Os eleitos" da Revista Quatro Rodas da Editora Abril. Há mais de 200 concessionárias da marca em todo o Brasil, as quais são os clientes do setor de pós-vendas sendo pesquisado neste trabalho. O setor de pós-vendas tem a função de garantir a qualidade do produto da empresa e a qualidade do reparo realizado pela rede de concessionários. O mesmo trabalha em interface com o departamento de engenharia, catalogando e identificando os defeitos de produto já comercializados para garantir a qualidade do produto final. 4

5 Atualmente o setor de pós-vendas é composto de 25 integrantes, sendo eles, dois estagiários, dois correspondentes de incidentologia, um representante de recall (Responsável pelo controle de recall), um perito, oito analistas de Garantia, oito analistas técnicos (cotech e techline) que desenvolvem suas atividades atendendo em todo o Brasil, um supervisor e um gerente. Para atendimento e suporte à rede de concessionários, os analistas de garantia atendem por região: Analista 1 - Regional 1 (região sul do país) com 66 concessionárias; Analista 2 Regional 2 (Estado de São Paulo) com 60 concessionárias; Analista 3 Regional 3 (região sudeste do país, exceto o Estado de São Paulo) com 54 concessionárias, Analista 4 - Regional 4 (regiões norte e centro oeste do país) com 37 concessionárias e Analista 5 - Regional 5 (região nordeste do país) com 23 concessionárias. Primeiramente, para a adaptação do instrumento SERVQUAL às especificidades do setor de pós-vendas de empresas automobilísticas, foram realizadas entrevistas com funcionários do setor e com gerentes de concessionárias clientes, bem como a análise de trabalhos acadêmicos sobre o assunto. Com base nas conversações estabelecidas e no material analisado, questões foram inseridas no instrumento SERVQUAL original. Por outro lado, questões que ali figuravam e que foram consideradas não relevantes para o caso estudado ou que poderiam não ser facilmente compreendidas pelos respondentes foram excluídas ou retrabalhadas e outras questões foram inseridas. Ao total, foram inicialmente propostas vinte e nove questões distribuídas em oito dimensões da qualidade: tangível, confiabilidade, presteza, segurança, empatia, produto, competência do vendedor e negociação. Com exceção das três últimas dimensões, conceituadas abaixo, todas as demais são adaptadas do instrumento SERVQUAL original. Após adaptação do instrumento SERVQUAL e condução de teste piloto (ainda visando o aprimoramento do instrumento e redimensionamento do tamanho da amostra), foi realizado o levantamento amostral tipo survey junto aos clientes da concessionária utilizada como fonte prática de investigação através da aplicação do instrumento SERVQUAL adaptado. Ressalta-se que não foi feito um estudo de caso com o setor de pós-vendas da empresa analisada, mas sim um levantamento junto aos seus clientes (concessionárias). Assim, o setor de pós-vendas da montadora é a unidade amostral e seus clientes os elementos amostrais. Os questionários (SERVQUAL adaptado) foram aplicados entre junho e agosto de 2013 por um dos analistas e coautor deste trabalho via correio eletrônico. Cabe destacar que ao enviar o questionário por entrava-se em contato com o cliente e explicava-se o conteúdo e forma de preenchimento do mesmo. Quando necessário, o questionário foi preenchido integralmente com o auxilio do analista. 5

6 Aplicou-se a pesquisa a uma amostra de 111 concessionárias, considerando um intervalo de confiança de 95%, um erro máximo associado de 7% (ARA, MUSETTI & SCHNEIDERMAN, 2003). A realização deste survey permitiu o cumprimento de duas análises. A primeira análise é a do coeficiente Alpha de Cronbach (HORA, MONTEIRO & ARICA, 2010). Este coeficiente permite estimar a confiabilidade de um questionário aplicado em uma dada pesquisa, uma vez que mede a correlação entre respostas dadas pelos respondentes às questões que compõem esse questionário. O coeficiente Alpha de Cronbach (α) é calculado a partir da variância dos itens individuais e da variância da soma dos itens de cada avaliador de todos os itens de um questionário que utilizem a mesma escala de medição, conforme a seguinte equação: ) (2) onde: Si 2 é a variância do item i, St 2 é variância da soma dos itens observados ou a variância total do questionário, K é o número de perguntas ou itens do questionário. O valor do α varia entre 0 e 1. Embora este coeficiente seja largamente usado para medir a confiabilidade de um instrumento, ainda não há consenso na literatura acerca da interpretação dos seus valores (HORA, MONTEIRO & ARICA, 2010). Freitas & Rodrigues (2005) sugerem a classificação da confiabilidade de um dado questionário, a partir do cálculo do coeficiente Alpha de Cronbach, de acordo com os limites apresentados na Tabela1. Tabela 1 - Classificação da confiabilidade a partir do coeficiente Alpha de Cronbach Confiabilidade Muito Baixa Baixa Moderada Alta Muito Alta Valor de α α 0,30 0,30 < α 0,60 0,60 < α 0,75 0,75 < α 0,90 α > 0,90 Fonte: FREITAS & RODRIGUES (2005, p. 4) 6

7 Como exposto por Hair et al. (1998) os valores de α entre 0.60 e 0,70 podem ser aceitos para pesquisas exploratórias. A segunda análise que a realização do survey permitiu foi a identificação dos itens mais críticos nos serviços prestados pelo setor de pós-vendas pesquisado, segundo a percepção de seus clientes e, consequentemente, a identificação de oportunidades de melhorias, conforme apresentado na seção seguinte. 4 Avaliação do desempenho dos serviços prestados pelo setor de pós-vendas utilizando-se o instrumento SERVQUAL 4.1 Adaptação da escala SERVQUAL Como exposto na seção 2, o instrumento SERVQUAL é composto por um questionário originalmente formado por 22 itens distribuídos em cinco dimensões da qualidade: confiabilidade, tangíveis, empatia, segurança e presteza, respectivamente. Utiliza-se uma escala de 1 a 7 para avaliar cada item. Para a aplicação do instrumento neste estudo, foi preciso adaptá-lo de acordo com o setor de pós-vendas, sendo necessário avaliar aspectos específicos da prestação de serviço deste setor. Assim, na elaboração do questionário utilizado, houve a adequação dos itens avaliados, o acréscimo de duas novas dimensões, e a retirada da dimensão Tangíveis. As duas dimensões inseridas foram Competência e Comunicação/Assistência via sistema. O acréscimo da dimensão Comunicação/Assistência via sistema se deu devido ao fato da comunicação entre os clientes e a montadora, ser feita totalmente via sistema. Por sua vez, a inclusão da dimensão Competência (relacionada aos técnicos que solucionam os problemas) deve-se ao fato de que para a prestação desse tipo de serviço o bom nível de conhecimento técnico dos funcionários que realizam as visitas técnicas às concessionárias é aspecto imprescindível, pois estes são responsáveis pela resolução dos problemas trazidos pelos clientes (concessionárias). Deste modo, baseando-se nas pesquisas sobre o tema e em entrevistas com profissionais da área, o questionário presente no Quadro 1 foi desenvolvido. Como pode ser visto, a adaptação ao instrumento SERVQUAL proposta inicialmente contém 27 (vinte e sete) itens para avaliação, distribuídos em 6 (seis) dimensões, como segue: 7

8 Competência, apresentando 2 (dois) itens; Comunicação/Assistência via sistema com 8 (oito) itens; Empatia com 4 (quatro) itens; Segurança, contendo 4 (quatro) itens; Presteza com 5 (cinco) itens; e Confiabilidade, contendo 4 (quatro) itens. Quadro 1 Instrumento SERVQUAL adaptado para o setor de pós-venda Dimensão Item EXPECTATIVA (E) DESEMPENHO (D) Confiabilidade Presteza Segurança Empatia 1 Quando o setor de pós-vendas das montadoras promete fazer algo em certo tempo deveria fazê-lo. 2 Quando os clientes têm algum problema com o setor de pós-vendas das montadoras, ele deveria ser solidário e deixá-los seguros. Quando o setor de pós-vendas da Empresa promete fazer algo em certo tempo, realmente o faz. Quando você tem algum problema com o setor de pós-vendas da Empresa, ele é solidário e o deixa seguro. 3 Ele deveria fornecer o serviço no tempo prometido. O setor de pós-vendas da Empresa fornece o serviço no tempo prometido. 4 Ele deveria manter seus registros de forma correta. O setor de pós-vendas da Empresa mantém seus registros de forma correta. 5 Não seria de se esperar que ele informasse os clientes exatamente quando os serviços fossem executados. 6 Não é razoável esperar por uma disponibilidade imediata dos funcionários do setor de pós-vendas das montadoras. 7 Os funcionários do setor de pós-vendas das montadoras têm que estar sempre disponíveis em ajudar os clientes. 8 O tempo decorrido entre a geração da OS e a visita técnica do funcionário do pós-vendas da montadora deve ser curto. 9 O tempo de duração das visitas dos técnicos do pós-vendas das montadoras deve ser suficiente para o entendimento do problema a ser tratado. 10 Clientes deveriam ser capazes de acreditar nos funcionários do pósvendas dessas empresas. 11 Clientes deveriam ser capazes de se sentir seguros na negociação com os funcionários do setor de pós-vendas dessas empresas. O setor de pós-vendas da Empresa não informa exatamente quando os serviços serão executados. Você recebe serviço imediato dos funcionários do setor de pós-vendas da Empresa. Os funcionários do setor de pós-vendas da Empresa não estão sempre dispostos a ajudar os clientes. O tempo decorrido entre a geração da OS e a visita técnica do funcionário do pós-vendas da Empresa é curto. Em geral, o tempo de duração das visitas dos técnicos do pós-vendas da Empresa é suficiente para o entendimento do problema a ser tratado. Você pode acreditar nos funcionários do pós-vendas da Empresa. Você se sente seguro em negociar com os funcionários do setor de pósvendas da Empresa. 12 Seus funcionários deveriam ser educados. Funcionários do setor de pós-vendas da Empresa são educados. 13 Seus funcionários deveriam obter suporte adequado da empresa para cumprir suas tarefas corretamente. 14 Não seria de esperar que o setor de pós-vendas dessas empresas desse atenção individual aos clientes. 15 Não se pode esperar que os funcionários dêem atenção personalizada aos clientes. 16 É absurdo esperar que os funcionários saibam quais são as necessidades dos clientes. 17 É absurdo esperar que o setor de pós-vendas destas empresas tenha os melhores interesses de seus clientes como objetivo. 18 O sistema de comunicação concessionária pós-vendas da montadora (sistema para gerar OS e para encaminhamento do processo de reembolso) deve ser de fácil acesso. 19 O sistema de comunicação concessionária pós-vendas da montadora deveria transmitir segurança/ credibilidade. Os funcionários do setor de pós-vendas da Empresa obtêm suporte adequado da empresa para cumprir suas tarefas corretamente. O setor de pós-vendas da Empresa não dá atenção individual a você. Os funcionários do setor de pós-vendas da Empresa não dão atenção pessoal. Os funcionários do setor de pós-vendas da Empresa não sabem das suas necessidades. O setor de pós-vendas da Empresa não tem os seus melhores interesses como objetivo. O sistema de comunicação concessionária pós-vendas da Empresa (sistema para gerar OS e para encaminhamento do processo de reembolso) é de fácil acesso. O sistema de comunicação concessionária pós-vendas da Empresa transmite segurança/ credibilidade. Comunicação/ Assistência via sistema Comp etênci a 20 As informações contidas no sistema de comunicação concessionária pós-vendas da montadora devem ser claras e objetivas. 21 Deve ser prático o uso do sistema de comunicação concessionária pósvendas da montadora. 22 O sistema de comunicação concessionária pós-vendas da montadora deveria ter uma estética agradável. 23 Deveria ser rápida a resposta à OS e ao pedido de reembolso via sistema concessionária pós-vendas da montadora. 24 Os funcionários das concessionárias deveriam receber treinamento adequado para usar o sistema de comunicação concessionária pósvendas da montadora. 25 Deveria haver múltiplas opções para as concessionárias entrarem em contato com o setor de pós-vendas das montadoras, quando necessário. 26 Os seus funcionários (técnicos que realizam as visitas técnicas às concessionárias) deveriam ter nível de conhecimento técnico (competência) adequado aos problemas a serem analisados por eles nas As informações contidas no sistema de comunicação concessionária pós-vendas da Empresa são claras e objetivas. O uso do sistema de comunicação concessionária pós-vendas da Empresa é prático. O sistema de comunicação concessionária pós-vendas da Empresa tem uma estética agradável. A resposta à OS e ao pedido de reembolso via sistema concessionária pós-vendas da Empresa é rápida. Os funcionários da sua concessionária receberam treinamento adequado para usar o sistema de comunicação concessionária pós-vendas da Empresa. Há variedade de opções para entrar em contato com o setor de pósvendas da Empresa, quando necessário. Os técnicos do pós-vendas da Empresa (que realizam as visitas técnicas às concessionárias) têm nível de conhecimento técnico (competência) adequado aos problemas a serem analisados por eles em sua 8

9 concessionárias. concessionária. 27 As informações recebidas dos técnicos do pós-vendas das montadoras (que realizam as visitas técnicas às concessionárias) devem ser claras e objetivas. As informações recebidas dos técnicos do pós-vendas da Empresa (que realizam as visitas técnicas às concessionárias) são claras e objetivas. (1) (2) (3) (4) (5) (6) (7) Discordo Fortemente Fonte: Autores Concordo Fortemente Segue análise da confiabilidade deste questionário proposto Aplicação e análise de confiabilidade do questionário Após a aplicação do questionário apresentado no Quadro 1, por meio do software EXCEL, foi calculado o coeficiente Alpha de Cronbach para cada uma das suas seis dimensões, com o objetivo de medir a confiabilidade do mesmo. Esperava-se, inicialmente, que os coeficientes α apresentassem valores maiores que 0,60, como indicado por Hair et al. (1998). Entretanto, como mostra a Tabela 1, os valores variaram entre -0,006 e 0,82. O questionário foi então reexaminado e reformulado visando o ajuste dos coeficientes. Tabela1 Valores do Alpha de Cronbach Dimensões α expectativa α desempenho Confiabilidade 0,82 0,48 Presteza -0, ,49 Segurança 0,17 0,24 Empatia -0,6-0,62 Comunicação 0,16 0,52 Competência 0,31 0,01 Fontes: Autores 9

10 As alterações consistiram em eliminar itens com pouca correlação, fazer a rotação de itens e agrupar dimensões. Assim, definiu-se um questionário mais enxuto, contendo 18 questões, distribuídas em três dimensões: presteza, comunicação e credibilidade e segurança. O novo questionário é apresentado no Quadro 2. Na nova dimensão denominada Presteza, foram incluídas as questões 13 e 15 do questionário anterior, pertencentes, respectivamente, às dimensões Segurança e Empatia. A dimensão Presteza apresenta agora cinco itens. A dimensão Comunicação teve as questões 19, 20, 22 e 25 retiradas, passando a conter apenas 4 questões. Quadro 2 Instrumento SERVQUAL readaptado para o setor de pós-vendas Dimensão Item EXPECTATIVA (E) DESEMPENHO (D) Presteza Comunicação Credibilidade e Segurança 1 Não seria de se esperar que ele informasse os clientes exatamente quando os serviços fossem executados. 2 Não é razoável esperar por uma disponibilidade imediata dos funcionários do setor de pós-vendas das montadoras. 4 Não se pode esperar que os funcionários dêem atenção personalizada aos clientes. 5 Seus funcionários deveriam obter suporte adequado da empresa para cumprir suas tarefas corretamente. 6 O sistema de comunicação concessionária pósvendas da montadora (sistema para gerar OS e para encaminhamento do processo de reembolso) deve ser de fácil acesso. 7 Deve ser prático o uso do sistema de comunicação concessionária pós-vendas da montadora 8 Deveria ser rápida a resposta à OS e ao pedido de reembolso via sistema concessionária pós-vendas da montadora. 9 Os funcionários das concessionárias deveriam receber treinamento adequado para usar o sistema de comunicação concessionária pós-vendas da montadora. 10 Clientes deveriam ser capazes de acreditar nos funcionários do pós-vendas dessas empresas.. 11 Clientes deveriam ser capazes de se sentir seguros na negociação com os funcionários do setor de pósvendas dessas empresas. O setor de pós-vendas da empresa não informa exatamente quando os serviços serão executados. Você recebe serviço imediato dos funcionários do setor de pós-vendas da Empresa. Os funcionários do setor de pós-vendas da Empresa não dão atenção pessoal. Os funcionários do setor de pós-vendas da Empresa obtêm suporte adequado da empresa para cumprir suas tarefas corretamente. O sistema de comunicação concessionária pósvendas da Empresa (sistema para gerar OS e para encaminhamento do processo de reembolso) é de fácil acesso O uso do sistema de comunicação concessionária pós-vendas da Empresa é prático. A resposta à OS e ao pedido de reembolso via sistema concessionária pós-vendas da Empresa é rápida. Os funcionários da sua concessionária receberam treinamento adequado para usar o sistema de comunicação concessionária pós-vendas da Empresa. Você pode acreditar nos funcionários do pósvendas da Empresa. Você se sente seguro em negociar com os funcionários do setor de pós-vendas da Empresa. 12 Seus funcionários deveriam ser educados. Funcionários do setor de pós-vendas da Empresa são educados. 13 Quando o setor de pós-vendas das montadoras promete fazer algo em certo tempo deveria fazê-lo. 14 Quando os clientes têm algum problema com o setor de pós-vendas das montadoras, ele deveria ser solidário e deixá-los seguros. Quando o setor de pós-vendas da Empresa promete fazer algo em certo tempo, realmente o faz. Quando você tem algum problema com o setor de pós-vendas da Empresa, ele é solidário e o deixa seguro. 15 Ele deveria fornecer o serviço no tempo prometido. O setor de pós-vendas da Empresa fornece o serviço no tempo prometido. 16 Os seus funcionários (técnicos que realizam as Os técnicos do pós-vendas da Empresa (que 10

11 visitas técnicas às concessionárias) deveriam ter nível de conhecimento técnico (competência) adequado aos problemas a serem analisados por eles nas concessionárias. 17 As informações recebidas dos técnicos do pósvendas das montadoras (que realizam as visitas técnicas às concessionárias) devem ser claras e objetivas realizam as visitas técnicas às concessionárias) têm nível de conhecimento técnico (competência) adequado aos problemas a serem analisados por eles em sua concessionária. As informações recebidas dos técnicos do pósvendas da Empresa (que realizam as visitas técnicas às concessionárias) são claras e objetivas. 18 Ele deveria manter seus registros de forma correta. O setor de pós-vendas da Empresa mantém seus registros de forma correta. (1) (2) (3) (4) (5) (6) (7) Discordo Fortemente Concordo Fortemente Fonte: Autores Por fim, uma nova dimensão foi criada a partir da junção das dimensões Segurança, Confiabilidade e Competência, denominada Credibilidade e Segurança, constituídas por nove itens. No novo arranjo do questionário, a dimensão Presteza relaciona-se com as informações dos serviços prestados, a disponibilidade imediata dos funcionários, a atenção dos mesmos para com os clientes e o suporte adequado para cumprir corretamente as tarefas. A dimensão Comunicação está relacionada com a facilidade de acesso do sistema de comunicação, sua praticidade, treinamento dos funcionários para sua utilização e rápida resposta do sistema quanto aos serviços solicitados. E a dimensão Credibilidade e Segurança refere-se ao nível de conhecimento técnico que os funcionários que realizam as visitas técnicas deveriam ter, clareza das informações passadas por eles, a credibilidade e educação dos funcionários, cumprimento de prazos estabelecidos, armazenagem correta de registros e a solidariedade no tratamento de dúvidas e problemas trazidos pelos clientes. A partir dessa nova configuração, os coeficientes α foram recalculados, apresentando bons índices (α 0,6), o que indica a confiabilidade do questionário. A Tabela 2 mostra os resultados dos coeficientes α expectativa e α desempenho para as três dimensões que compõem o questionário. Tabela 2 Coeficientes do Alpha de Cronbach Dimensões α expectativa α desempenho Presteza 0,71 0,91 11

12 Comunicação 0,60 0,60 Credibilidade e Segurança 0,74 0,70 Fonte: Autores As análises realizadas referentes mensuração da qualidade do serviço prestado pelo setor de-pós-vendas investigado por meio deste instrumento SERVQUAL adaptado são apresentados na próxima seção. 4.2 Análise dos resultados e proposição de ações de melhorias A Tabela 3 apresenta os valores da Expectativa Média (E), do Desempenho Médio (D) e do Gap Médio (D - E) para cada dimensão e critério avaliados, calculados por meio do software EXCEL. Tabela 3 Dimensões da qualidade em serviço Itens de cada questão Percepção Expectativa GAP Média Desvio Padrão Média Presteza 4,5 α= 0,91 1 5,36 α= 0,71 0,7 Desvio Padrão 1. Informação de serviços executados 3,19 1,31 4,86 0,65-1,7 2. Disponibilidade Imediata dos funcionários 4,32 0,85 5,59 0,49-1,3 3. Funcionários sempre disponíveis 5,24 1,09 5,45 0,55-0,2 4.Atenção Personalizada 5 0,93 5,18 1,25-0,2 5. Suporte adequado 4,72 0,83 5,71 0,56-1 P-E Comunicação 3,95 α=0,60 1,25 6,09 α=0,60 0,51 6. Fácil acesso ao sistema 4,3 1,21 5,93 0,43-1,6 7.Prático sistema de comunicação 4,05 1,68 6,22 0,61-2,2 8. Resposta rápida do sistema 2,78 1,31 5,96 0,35-3,2 9. Treinamento adequado dos funcionários 4,69 0,79 6,26 0,65-1,6 Credibilidade e Segurança 4,76 α= 0,70 1 5,48 α= 0,74 0, Credibilidade dos empregados 4,79 1,72 5,43 0,77-0,6 11. Clientes devem confiar nos colaboradores 5,26 1,05 5,49 0,68-0,2 12. Cordialidade dos colaboradores 5,6 0,49 4,46 0,58 1, Fazer algo no tempo prometido 2,47 1,2 5,36 1,38-2,9 14. Solidariedade dos empregados para com os clientes 5 1,53 5,36 0,71-0,4 12

13 15. Cumprimento de prazos estabelecidos 2,74 1,2 5,67 0,47-2,9 16. Conhecimento técnico adequado 5,81 0,72 6,21 0,66-0,4 17. Informações claras e objetivas 5,76 0,5 6,06 0,43-0,3 18. Manter registros de forma correta 5,4 0,54 5,31 0,79-0,1 Fonte: Entrevistas realizadas Analisando a Tabela 3, observa-se que as três maiores médias, em expectativa, encontramse nas dimensões Credibilidade e Segurança e Comunicação. O maior valor é referente ao treinamento adequado dos funcionários para utilização do sistema de comunicação (6,26), o segundo maior valor está na praticidade na utilização do sistema (6,22), ambos na dimensão Comunicação. Por fim, a terceira maior média, (6,21), diz respeito ao nível de conhecimento técnico dos funcionários que irão analisar os problemas nas concessionárias. Com esses dados, pode-se notar que o cliente valoriza mais os aspectos relacionados à eficácia da utilização do sistema de comunicação, tanto no preparo dos funcionários, quanto em um sistema de fácil acesso, e na capacidade técnica dos colaboradores para análise dos problemas. Ainda em expectativa, as menores médias encontradas (4,46 ; 4,86 ; 5,18) estão nas dimensões Credibilidade e Segurança e Presteza, em relação à cordialidade dos funcionários, à atenção personalizada dada aos clientes e à informação exata de quando os serviços são executados. Quanto à percepção, as maiores médias encontram-se na dimensão Credibilidade e Segurança, (5,81) no nível de conhecimento técnico dos funcionários, (5,6) na cordialidade dos colaboradores e (5,76) na clareza e objetividade das informações recebidas dos técnicos do pósvendas que realizam as visitas técnicas às concessionárias. As menores médias encontradas, em percepção, (2,47 ; 2,74 ; 2,78) estão nas dimensões Comunicação e Credibilidade e Segurança, o que implica no tempo de resposta do sistema de comunicação e o cumprimento de prazos estabelecidos, execução de tarefas no tempo prometido. A qualidade do serviço prestado é calculada pela diferença entre percepção e expectativa (gap). Como já exposto, os valores positivos dos gaps significam que o serviço prestado foi satisfatório, e os negativos indicam que a qualidade do serviço foi insatisfatória. Ao analisar a tabela, nota-se que apenas 1 item apresenta gap positivo, na dimensão Credibilidade e Segurança, referente à questão 12, cordialidade dos colaboradores, onde os clientes tinhas expectativa relativamente baixa. Os itens restantes apresentam gaps negativos, sendo os piores (-3,18 ; -2,93 ; -2,89), encontrados em Comunicação na questão 8, resposta 13

14 rápida do sistema e na dimensão Credibilidade e Segurança, nas questões 13 e 15, relacionadas ao cumprimento de prazos estabelecidos e execução de tarefas no tempo prometido. Como todos os itens analisados, com exceção do item 12, causam insatisfação às concessionárias clientes, uma maneira de priorizá-los para constituírem uma estratégia de melhoria em curto prazo é fazer uma análise conjunta dos itens que geram alta expectativa (equivalentes aos itens mais importantes para as concessionárias clientes) e dos itens com os maiores gaps negativos. Essa relação é apresentada no Gráfico 1. No eixo x têm-se os níveis de expectativa dos clientes e no eixo y, o gap entre expectativa e percepção em relação aos itens analisados. No canto inferior direito do referido gráfico estão aqueles itens mais críticos (maiores expectativas e maiores gaps negativos), como segue: itens 2, 5, 6, 7 e 9, correspondentes, respectivamente, à disponibilidade imediata dos funcionários do setor de pós-vendas da montadora, obtenção de suporte adequado para os colaboradores cumprirem corretamente as tarefas, fácil acesso do sistema de comunicação concessionária pós-vendas da montadora, praticidade no uso do sistema de comunicação e treinamento adequado para utilização do sistema. Gráfico 1 Mapa de oportunidades Legenda 1. Informação de serviços executados 10. Credibilidade dos empregados 2. Disponibilidade Imediata dos funcionários 11. Clientes devem confiar nos colaboradores 3. Funcionários sempre disponíveis 12. Cordialidade dos colaboradores 14

15 4.Atenção Personalizada 13. Fazer algo no tempo prometido 5. Suporte adequado 14. Solidariedade dos empregados para com os clientes 6. Fácil acesso ao sistema 15. Cumprimento de prazos estabelecidos 7.Prático sistema de comunicação 16. Conhecimento técnico adequado 8. Resposta rápida do sistema 17. Informações claras e objetivas 9. Treinamento adequado dos funcionários 18. Manter registros de forma correta Fonte: Entrevistas realizadas Referente a estes itens, sugere-se que a empresa desenvolva estratégias de melhorias da qualidade do serviço direcionadas a eles, para que alcancem melhor desempenho em curto prazo. Para trabalhar sobre o aspecto da disponibilidade imediata dos funcionários, pode-se identificar a demanda de serviços solicitados e a quantidade de funcionários disponíveis para o recebimento dos mesmos, avaliando assim, a capacidade de atendimento e, com estes dados, tornar possível um ajuste da capacidade para atender à expectativa do cliente. O cumprimento correto das tarefas de cada processo depende do suporte adequado disponibilizado para tal. Equipamentos com fácil localização, busca de dados eficiente, treinamento e nível de conhecimento específico de acordo com o exigido para a execução das tarefas, são fatores que devem ser analisados de forma intensa e adequados para cada tipo de atividade. Para gerar facilidade no acesso ao sistema de comunicação, pode-se realizar uma nova configuração do layout do sistema, deixando informações mais claras e objetivas, evidenciando os portais de acesso mais utilizados pelos clientes. Isso implica também na praticidade do uso do sistema de comunicação, onde as solicitações podem ser feitas de maneira mais rápida e as informações direcionadas a áreas específicas. Outra forma de otimizar o processo de comunicação via sistema, seria a troca de fornecedor deste serviço, ou seja, a substituição do sistema atual por outro, com perspectivas visuais de fácil entendimento e sistema de troca de informações mais simplificado, por exemplo. Uma forma de melhorar a utilização do sistema de comunicação é realizar treinamentos periodicamente, visando à atualização de possíveis modificações no sistema, eliminação de dúvidas frequentes, garantindo assim a disseminação das informações e nível de conhecimento equivalente entre os funcionários. 15

16 5 Conclusões Objetivou-se, neste artigo, apresentar uma proposta de adaptação do instrumento SERVQUAL para avaliação da qualidade percebida pelos clientes (concessionárias) do setor de pós-vendas de empresas automobilísticas. O resultado apresentado foi um questionário com dezoito questões distribuídas em três dimensões da qualidade: presteza, comunicação e credibilidade e segurança. A confiabilidade do instrumento SERVQUAL adaptado foi medida através do cálculo do coeficiente Alpha de Cronbach para cada uma das três dimensões que compõem o questionário, obtendo-se valores de α superiores a 0,6 que são aceitos como indicativos de consistência interna em pesquisas exploratórias. Acredita-se que, ao se disponibilizar esse instrumento para avaliar os aspectos da qualidade em serviços referentes ao setor de pós-vendas de empresas automobilísticas, foi possível também contribuir para o avanço das discussões a respeito das adaptações necessárias ao Instrumento SERVQUAL. Além disso, por fazer uso de um ferramental estatístico que corroborou com as conclusões obtidas, acredita-se que os determinantes da qualidade identificados podem ser, em sua maioria, utilizados por outras montadoras. Em relação à avaliação da qualidade dos serviços prestados pelo setor de pós-vendas estudado, em uma visão geral, observou-se através da análise do gap médio que a mesma não tem satisfeito seus clientes em relação às três dimensões analisadas. Em uma visão mais específica, observou-se que os itens pertencentes a essas dimensões que mais geram insatisfação aos clientes referem-se: ao tempo de resposta à OS e ao pedido de reembolso via sistema concessionária pósvendas da montadora; à confiabilidade (cumprimento do prazo de entrega/realização dos serviços). Com base nos resultados obtidos, sugeriram-se ações de melhorias, entretanto, um plano de ações mais detalhado fugiria ao escopo deste trabalho, pois implicaria na elaboração de uma estratégia de operações de serviços para a empresa e, portanto, o desenvolvimento de uma nova pesquisa com base na metodologia de pesquisa-ação. Referências Bibliográficas ARA, A. B; MUSETTI, A. V. & SCHNEIDERMAN, B. Introdução à Estatística. Editora Blucher, São Paulo, 1ª Edição, BORCHARDT, M.; SELLITTO, M.; PEREIRA, G. Serviços de pós-venda para produtos fabricados em base tecnológica. Produção Online, v. 8, n. 1, p. 1-25,

17 CAUCHICK MIGUEL, P. A. Estudo de caso na engenharia de produção: estruturação e recomendações para sua condução. Revista Produção, v. 17, n. 1, p , Jan./Abr CAUCHICK MIGUEL, P. A. C. & SALOMI, G. E. Uma revisão dos modelos para medição da qualidade em serviços. Revista Produção v. 14 n CORRÊA, H. L. & CAON, M. Gestão de serviços. São Paulo, editora Atlas, FREITAS, A. L. P.; BOLSANELLO, F. M. C. e VIANA, N. R. N. G. Avaliação da qualidade de serviços de uma biblioteca universitária: um estudo de caso utilizando o modelo Servqual. Ci. Inf. [online], vol.37, n.3, pp , GONÇALVES, T. J. M. &BELDERRAINM. C. N.Avaliação da qualidade em lanhousesatravés da adaptação do instrumento SERVQUAL. Revista Produção Online, Florianópolis, SC, v.12, n. 1, p , jan./mar HAIR JR., J. F.; ANDERSON, R. E.; TATHAM, R. L.; BLACK, W. C. Multivariate data analysis. Upper Saddle River, New Jersey: Prentice Hall, HORA, H. R. M.; MONTEIRO, G. T. R.; ARICA, J. Confiabilidade em questionários para qualidade: um estudo com o coeficiente de alpha de cronbach. Revista Produto & Produção, vol. 11, n. 2, p , jun KHAKSAR, S. M. S.; NAWASER, K; JAHANSHAHI, A. A. & KAMALIAN, A. R. The relation between after-sales services and entrepreneurial opportunities: case study of iran- khodro company. African Journal of Business Management Vol. 5(13), pp , 4 July, JOHNSTON, R. & CLARK, G. Administração de operações de serviço. São Paulo, Ed. Atlas, MILAN, G. S. & RIBEIRO J. L. D. A Influência do departamento de pós-vendas na retenção de clientes: um estudo qualitativo em uma empresa de medicina de grupo. Revista Gestão & Produção, v.10, n.2, p , ago PARASURAMAN, A.; ZEITHAML, V. A.; BERRY, L. L. SERVQUAL: a multiple-item scale for measuring consumer perceptions of service qualityions for future research. Journal of Retailing. V.64, n.1, PARASURAMAN, A.; ZEITHAML, V. A.; BERRY, L. L. A conceptual model of service quality and its implications for future research. Journal of Marketing, v. 49, n. 4, p , SANTOS, L. C. & VARVAKIS, G. SERVPRO: uma técnica para a gestão de operações de serviços. Revista Produção v. 12 n

TÍTULO: IMPLANTAÇÃO DE SGQ ISO 9001 NO BRASIL: UM ESTUDO SOBRE O SERVIÇO DE CONSULTORIA

TÍTULO: IMPLANTAÇÃO DE SGQ ISO 9001 NO BRASIL: UM ESTUDO SOBRE O SERVIÇO DE CONSULTORIA TÍTULO: IMPLANTAÇÃO DE SGQ ISO 9001 NO BRASIL: UM ESTUDO SOBRE O SERVIÇO DE CONSULTORIA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA

Leia mais

SERVQUAL Aplicado à Avaliação de Serviços Mecânicos em Veículos

SERVQUAL Aplicado à Avaliação de Serviços Mecânicos em Veículos SERVQUAL Aplicado à Avaliação de Serviços Mecânicos em Veículos Roxana M. Martínez Orrego Raquel Cymrot Daniel A. de Oliveira Barbosa Emiliana R. Beraldo RESUMO Neste artigo apresentam-se e discutem-se,

Leia mais

Emprego do SERVQUAL na avaliação da Qualidade de Serviços de Tecnologia da Informação: uma análise experimental

Emprego do SERVQUAL na avaliação da Qualidade de Serviços de Tecnologia da Informação: uma análise experimental XXVI ENEGEP - Fortaleza, CE, Brasil, 9 a 11 de Outubro de 006 Emprego do SERVQUAL na avaliação da Qualidade de Serviços de Tecnologia da Informação: uma análise experimental André Luís Policani Freitas

Leia mais

Estudo da satisfação dos estudantes de graduação da UFPE no campus Caruaru

Estudo da satisfação dos estudantes de graduação da UFPE no campus Caruaru Estudo da satisfação dos estudantes de graduação da UFPE no campus Caruaru Sharlene Neuma Henrique da Silva 1 Isys Pryscilla de Albuquerque Lima 2 Moacyr Cunha Filho 2 Maria Cristina Falcão Raposo 3 1

Leia mais

EMPREGO DO SERVQUAL NA AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE SERVIÇOS DE UMA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA

EMPREGO DO SERVQUAL NA AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE SERVIÇOS DE UMA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA ! "#$ " %'&)(*&)+,.- /10.2*&4365879&4/1:.+58;.2*=?5.@A2*3B;.- C)D 5.,.5FE)5.G.+ &4- (IHJ&?,.+ /?=)5.KA:.+5MLN&OHJ5F&4E)2*EOHJ&)(IHJ/)G.- D - ;./);.& EMPREGO DO SERVQUAL NA AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE

Leia mais

XXVI$ENANGRAD$ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $

XXVI$ENANGRAD$ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ XXVIENANGRAD AVALIAÇÃO DA QUALIDADE NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS NA AMAZÔNIA SETENTRIONAL: UM LEVANTAMENTO ACERCA DO ABASTECIMENTO DE ÁGUA NA REGIÃO CENTRAL DE BOA VISTA Juliana Matos Eduardo Codevilla Soares

Leia mais

Como vai a Governança de TI no Brasil? Resultados de pesquisa com 652 profissionais

Como vai a Governança de TI no Brasil? Resultados de pesquisa com 652 profissionais Fórum de Governança Tecnologia e Inovação LabGTI/UFLA Como vai a Governança de TI no Brasil? Resultados de pesquisa com 652 profissionais Pamela A. Santos pam.santos91@gmail.com Paulo H. S. Bermejo bermejo@dcc.ufla.br

Leia mais

Exacta ISSN: 1678-5428 exacta@uninove.br Universidade Nove de Julho Brasil

Exacta ISSN: 1678-5428 exacta@uninove.br Universidade Nove de Julho Brasil Exacta ISSN: 1678-5428 exacta@uninove.br Universidade Nove de Julho Brasil Mitsuo Fujii, Carlos Alberto; Cauchick Miguel, Paulo Augusto; Araujo Calarge, Felipe Qualidade de serviços na manutenção de utilidades:

Leia mais

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex...

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... (/artigos /carreira/comopermanecercalmosob-pressao /89522/) Carreira Como permanecer calmo sob pressão (/artigos/carreira/como-permanecer-calmosob-pressao/89522/)

Leia mais

MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE

MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE Revisão: 07 Data: 05.03.09 Página 1 de 7 Copia controlada MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE José G. Cardoso Diretor Executivo As informações contidas neste Manual são de propriedade da Abadiaço Ind. e Com.

Leia mais

A qualidade na prestação de serviços de calibração de instrumentos em laboratório de metrologia

A qualidade na prestação de serviços de calibração de instrumentos em laboratório de metrologia A qualidade na prestação de serviços de calibração de instrumentos em laboratório de metrologia Resumo Renato Gallina (Centro Universitário da FEI) gallina@fei.edu.br Roberto G. Rotondaro (Depto Eng. Produção

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA Autor: Jeferson Correia dos Santos ARTIGO TÉCNICO INOVAÇÃO NA GESTÃO DE PÓS-VENDAS: SETOR AUTOMOTIVO RESUMO A palavra inovação tem sido atualmente umas das mais mencionadas

Leia mais

XXXIII ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUCAO

XXXIII ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUCAO VALORAÇÃO DA PERCEPÇÃO E SATISFAÇÃO DOS USUÁRIOS DE TRANSPORTE PÚBLICO COLETIVO URBANO, EM TERMOS DE QUALIDADE EM SERVIÇOS PRESTADOS POR UMA EMPRESA DE VIAÇÃO, NA CIDADE DE ARACAJU - SE: UM ESTUDO DE CASO

Leia mais

MODELO DE GESTÃO PARA ORGANIZAÇÕES PRESTADORAS DE SERVIÇOS DE SAÚDE

MODELO DE GESTÃO PARA ORGANIZAÇÕES PRESTADORAS DE SERVIÇOS DE SAÚDE 1 MODELO DE GESTÃO PARA ORGANIZAÇÕES PRESTADORAS DE SERVIÇOS DE SAÚDE Cristina Diamante Elizabeth Maria Lazzarotto Lorena Moraes Goetem Gemelli 1 INTRODUÇÃO: Na maioria das organizações de saúde, os profissionais

Leia mais

A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES DE UMA TRANSPORTADORA DA CIDADE DE SÃO PAULO: UM ESTUDO DE CASO

A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES DE UMA TRANSPORTADORA DA CIDADE DE SÃO PAULO: UM ESTUDO DE CASO 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES DE UMA TRANSPORTADORA DA CIDADE DE SÃO PAULO: UM ESTUDO DE CASO Marcelo Cristian Vieira 1, Carolina Zavadzki Martins 2,Gerliane

Leia mais

Global Productivity Solutions Treinamento e Consultoria em Seis Sigma. Seis Sigma em Serviços: desafios e adequações necessárias

Global Productivity Solutions Treinamento e Consultoria em Seis Sigma. Seis Sigma em Serviços: desafios e adequações necessárias Global Productivity Solutions Treinamento e Consultoria em Seis Sigma Seis Sigma em Serviços: desafios e adequações necessárias A importância do Seis Sigma e da Qualidade em serviços As empresas de serviços

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS GESTÃO POR COMPETÊNCIAS STM ANALISTA/2010 ( C ) Conforme legislação específica aplicada à administração pública federal, gestão por competência e gestão da capacitação são equivalentes. Lei 5.707/2006

Leia mais

RELATÓRIO GERAL AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2014

RELATÓRIO GERAL AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2014 RELATÓRIO GERAL AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2014 2014 Dados da Instituição FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DO SUL DE MINAS - FACESM Código: 508 Faculdade privada sem fins lucrativos Estado: Minas Gerais

Leia mais

25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1

25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 RECURSOS HUMANOS EM UMA ORGANIZAÇÃO HOSPITALAR COM PERSPECTIVA DE DESENVOLVIVENTO DO CLIMA ORGANIZACONAL: O CASO DO HOSPITAL WILSON ROSADO EM MOSSORÓ RN

Leia mais

QUALIFICAÇÃO DAS EMPRESAS DE PROJETO DE ARQUITETURA

QUALIFICAÇÃO DAS EMPRESAS DE PROJETO DE ARQUITETURA QUALIFICAÇÃO DAS EMPRESAS DE PROJETO DE ARQUITETURA Silvio Burrattino MELHADO Engenheiro Civil, Professor da Escola Politécnica da USP. Av. Prof. Almeida Prado, travessa 2, n 271, CEP 05508-900 São Paulo

Leia mais

A PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS PROFISSIONAIS DA AREA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1

A PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS PROFISSIONAIS DA AREA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1 A PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS PROFISSIONAIS DA AREA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1 Tatiana Pereira da Silveira 1 RESUMO O objetivo deste trabalho é apresentar os resultados da

Leia mais

Avaliação Econômica. O Processo de Seleção de Diretores nas Escolas Públicas Brasileiras

Avaliação Econômica. O Processo de Seleção de Diretores nas Escolas Públicas Brasileiras Avaliação Econômica O Processo de Seleção de Diretores nas Escolas Públicas Brasileiras Objeto da avaliação: adoção de diferentes mecanismos para a seleção de diretores de escolas públicas brasileiras

Leia mais

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE PERCEBIDA EM EMPRESAS DE TELECOMUNICAÇÕES DA CIDADE DO RECIFE: UM ESTUDO DE CASO

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE PERCEBIDA EM EMPRESAS DE TELECOMUNICAÇÕES DA CIDADE DO RECIFE: UM ESTUDO DE CASO AVALIAÇÃO DA QUALIDADE PERCEBIDA EM EMPRESAS DE TELECOMUNICAÇÕES DA CIDADE DO RECIFE: UM ESTUDO DE CASO Rebecca Pires dos Santos (UFPE) rebecca.piress@hotmail.com Marcella Brito Galvao (UFPE) marcella_brito@yahoo.com.br

Leia mais

Gestão da qualidade em serviços: Aplicação do instrumento SERVQUAL em supermercados

Gestão da qualidade em serviços: Aplicação do instrumento SERVQUAL em supermercados Centro Universitário Fundação Santo André Faculdade de engenharia Eng. Celso Daniel Relatório Final Gestão da qualidade em serviços: Aplicação do instrumento SERVQUAL em supermercados Aluna: Fabiana Miki

Leia mais

Engenharia de Software II: Criando a Declaração de Escopo. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br

Engenharia de Software II: Criando a Declaração de Escopo. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Engenharia de Software II: Criando a Declaração de Escopo Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Sumário Desenvolvendo o Plano de Gerenciamento do Projeto. Coletando Requisitos. Declarando

Leia mais

Sistema de informação como instrumento de programas de qualidade

Sistema de informação como instrumento de programas de qualidade Sistema de informação como instrumento de programas de qualidade José A. M. Xexéo 1, Ana Regina C. da Rocha 1, Álvaro Rabelo Alves Júnior 2,3 J. R. Blaschek 4 [1] Programa de Engenharia de Sistemas e Computação,

Leia mais

Avaliação da Qualidade em Bibliotecas e Serviços de Informação metodologias e instrumentos

Avaliação da Qualidade em Bibliotecas e Serviços de Informação metodologias e instrumentos Avaliação da Qualidade em Bibliotecas e Serviços de Informação metodologias e instrumentos Departamento de Matemática Aplicada Biblioteca Luiza Baptista Melo lbmelo@fc.up.pt I Jornadas GABUP Reitoria da

Leia mais

Método servqual: um estudo de satisfação em uma escola de idiomas

Método servqual: um estudo de satisfação em uma escola de idiomas Método servqual: um estudo de satisfação em uma escola de idiomas Leonardo Francisco Figueiredo Neto (UFMS) lffneto@nin.ufms.br Leandro Sauer (UFMS) sauer@uol.com.br Gerusa Rodrigues Cruvinel Borges (UFMS)

Leia mais

AVALIAÇÃO DE SERVIÇOS DE SAÚDE AUDITIVA SOB A PERSPECTIVA DO USUÁRIO: PROPOSTA DE INSTRUMENTO

AVALIAÇÃO DE SERVIÇOS DE SAÚDE AUDITIVA SOB A PERSPECTIVA DO USUÁRIO: PROPOSTA DE INSTRUMENTO AVALIAÇÃO DE SERVIÇOS DE SAÚDE AUDITIVA SOB A PERSPECTIVA DO USUÁRIO: PROPOSTA DE INSTRUMENTO Armigliato ME; Prado DAG; Melo TM; Lopes AC; Martinez MANS; Amantini RCB; Bevilacqua MC. Palavras-chaves: Avaliação

Leia mais

1. PRÁTICA EFICAZ DE GESTÃO EDUCACIONAL Gestão do ciclo completo de relacionamento com o aluno SRM da Universidade Feevale

1. PRÁTICA EFICAZ DE GESTÃO EDUCACIONAL Gestão do ciclo completo de relacionamento com o aluno SRM da Universidade Feevale RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO 1. PRÁTICA EFICAZ DE GESTÃO EDUCACIONAL Gestão do ciclo completo de relacionamento com o aluno SRM da Universidade Feevale 1.1 Histórico da Prática Eficaz Por meio do Departamento

Leia mais

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE EM SERVIÇOS BANCÁRIOS: UM ESTUDO DE CASO EM BANCOS COMERCIAIS

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE EM SERVIÇOS BANCÁRIOS: UM ESTUDO DE CASO EM BANCOS COMERCIAIS AVALIAÇÃO DA QUALIDADE EM SERVIÇOS BANCÁRIOS: UM ESTUDO DE CASO EM BANCOS COMERCIAIS Reginaldo Freitas de Amorim Filho (UFPE) regamorimjr@gmail.com fagner jose coutinho de melo (UFPE) fagner_especial@yahoo.com.br

Leia mais

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS DE UMA AGÊNCIA DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS DE UMA AGÊNCIA DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS DE UMA AGÊNCIA DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA CAROLINA FERREIRA RAMOS (UENF ) carol_fr@hotmail.com Andre Luis Policani Freitas (UENF ) policani@uenf.br O cenário econômico

Leia mais

Palavras-chave: startups, gerenciamento de pessoas em projetos, processos do PMBOK.

Palavras-chave: startups, gerenciamento de pessoas em projetos, processos do PMBOK. PMBOK NA GESTÃO DE RH EM STARTUPS AUTORES Elaine Cristhina Castela Oyamada Henrique Spyra Gubert Juliana da Costa e Silva Juliana Theodoro de Carvalho Leitão Ricardo Takeshita ORIENTADOR Fábio Judice CURSO

Leia mais

AUTOR: DAVID DE MIRANDA RODRIGUES CONTATO: davidmr@ifce.edu.br CURSO FIC DE PROGRAMADOR WEB VERSÃO: 1.0

AUTOR: DAVID DE MIRANDA RODRIGUES CONTATO: davidmr@ifce.edu.br CURSO FIC DE PROGRAMADOR WEB VERSÃO: 1.0 AUTOR: DAVID DE MIRANDA RODRIGUES CONTATO: davidmr@ifce.edu.br CURSO FIC DE PROGRAMADOR WEB VERSÃO: 1.0 SUMÁRIO 1 Conceitos Básicos... 3 1.1 O que é Software?... 3 1.2 Situações Críticas no desenvolvimento

Leia mais

Utilização dos processos de RH em algumas empresas da cidade de Bambuí: um estudo multi-caso

Utilização dos processos de RH em algumas empresas da cidade de Bambuí: um estudo multi-caso III Semana de Ciência e Tecnologia do IFMG campus Bambuí II Jornada Científica 9 a 23 de Outubro de 200 Utilização dos processos de RH em algumas empresas da cidade de Bambuí: um estudo multi-caso Sablina

Leia mais

CAPITULO 4 A ARQUITETURA LÓGICA PARA O AMBIENTE

CAPITULO 4 A ARQUITETURA LÓGICA PARA O AMBIENTE CAPITULO 4 A ARQUITETURA LÓGICA PARA O AMBIENTE A proposta para o ambiente apresentada neste trabalho é baseada no conjunto de requisitos levantados no capítulo anterior. Este levantamento, sugere uma

Leia mais

Um Modelo de Indicadores de Desempenho em e-commerce Pré-projeto

Um Modelo de Indicadores de Desempenho em e-commerce Pré-projeto Universidade Federal de Santa Catarina Programa de Pós-Graduação em Eng. e Gestão do Conhecimento Um Modelo de Indicadores de Desempenho em e-commerce Pré-projeto Rafael Tezza Introdução Clientes de e-commerce

Leia mais

Avaliação da Qualidade do Congresso Brasileiro de Informática em Saúde de 2004

Avaliação da Qualidade do Congresso Brasileiro de Informática em Saúde de 2004 Avaliação da Qualidade do Congresso Brasileiro de Informática em Saúde de 2004 Evandro Eduardo Seron Ruiz Departamento de Física F e Matemática tica Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Ribeirão

Leia mais

(Docentes, Não-Docentes, Alunos e Encarregados de Educação) NOTA IMPORTANTE Esta apresentação não dispensa e leitura do Relatório da Função Manuel Leão. Tendo como preocupação fundamental a procura da

Leia mais

Adriano Marum Rômulo. Uma Investigação sobre a Gerência de Projetos de Desenvolvimento de Software em Órgãos do Governo do Ceará com Base no MPS-BR

Adriano Marum Rômulo. Uma Investigação sobre a Gerência de Projetos de Desenvolvimento de Software em Órgãos do Governo do Ceará com Base no MPS-BR Adriano Marum Rômulo 2014 Uma Investigação sobre a Gerência de Projetos de Desenvolvimento de Software em Órgãos do Governo do Ceará com Base no MPS-BR Agenda I. Introdução II. Referencial Teórico III.

Leia mais

3 Metodologia e Objeto de estudo

3 Metodologia e Objeto de estudo Metodologia e Objeto de estudo 36 3 Metodologia e Objeto de estudo Neste capítulo, através da explanação da metodologia de pesquisa e do objeto de estudo, serão definidas as questões centrais de estudo,

Leia mais

ESTUDOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE EM UMA EMPRESA DE CONSULTORIA EM ENGENHARIA CIVIL

ESTUDOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE EM UMA EMPRESA DE CONSULTORIA EM ENGENHARIA CIVIL ESTUDOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE EM UMA EMPRESA DE CONSULTORIA EM ENGENHARIA CIVIL ANA LAURA CANASSA BASSETO (UTFPR) alcanassa@hotmail.com Caroline Marqueti Sathler (UTFPR)

Leia mais

ANÁLISE IMPORTÂNCIA-DESEMPENHO APLICADA À AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE SERVIÇO DE UMA ACADEMIA DE GINÁSTICA

ANÁLISE IMPORTÂNCIA-DESEMPENHO APLICADA À AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE SERVIÇO DE UMA ACADEMIA DE GINÁSTICA ANÁLISE IMPORTÂNCIA-DESEMPENHO APLICADA À AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE SERVIÇO DE UMA ACADEMIA DE GINÁSTICA Carolina Gimenes Ferreira (USP) carolina.gf@outlook.com Catharina Teston Vasconcelos (USP) catharinavas@gmail.com

Leia mais

Importância do GED. Implantação de um Sistema de GED

Importância do GED. Implantação de um Sistema de GED Implantação de um Sistema de GED Gerenciamento Eletrônico de Documentos Importância do GED O GED tem uma importante contribuição na tarefa da gestão eficiente da informação; É a chave para a melhoria da

Leia mais

Implantação. Prof. Eduardo H. S. Oliveira

Implantação. Prof. Eduardo H. S. Oliveira Visão Geral A implantação de um sistema integrado de gestão envolve uma grande quantidade de tarefas que são realizadas em períodos que variam de alguns meses a alguns anos, e dependem de diversos fatores,

Leia mais

4 Metodologia da Pesquisa

4 Metodologia da Pesquisa 79 4 Metodologia da Pesquisa Este capítulo se preocupa em retratar como se enquadra a pesquisa de campo e como foram desenvolvidas as entrevistas incluindo o universo pesquisado e a forma de analisá-las

Leia mais

PERCEPÇÕES DE PROFISSIONAIS DE RECURSOS HUMANOS REFERENTES À AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO HUMANO NAS ORGANIZAÇÕES

PERCEPÇÕES DE PROFISSIONAIS DE RECURSOS HUMANOS REFERENTES À AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO HUMANO NAS ORGANIZAÇÕES 26 a 29 de outubro de 2010 ISBN 978-85-61091-69-9 PERCEPÇÕES DE PROFISSIONAIS DE RECURSOS HUMANOS REFERENTES À AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO HUMANO NAS ORGANIZAÇÕES Jaqueline Reinert Godoy 1 ; Talita Conte Ribas

Leia mais

6 Modelo proposto: projeto de serviços dos sites de compras coletivas

6 Modelo proposto: projeto de serviços dos sites de compras coletivas 6 Modelo proposto: projeto de serviços dos sites de compras coletivas A partir do exposto, primeiramente apresentam-se as fases discriminadas no modelo proposto por Mello (2005), porém agora direcionadas

Leia mais

IT Service Management Foundation Bridge based on ISO/IEC 20000

IT Service Management Foundation Bridge based on ISO/IEC 20000 Exame simulado IT Service Management Foundation Bridge based on ISO/IEC 20000 Edição Novembro, 2013 Copyright 2013 EXIN All rights reserved. No part of this publication may be published, reproduced, copied

Leia mais

CONCLUSÕES. Conclusões 413

CONCLUSÕES. Conclusões 413 CONCLUSÕES Conclusões 413 Conclusões 414 Conclusões 415 CONCLUSÕES I - Objectivos do trabalho e resultados obtidos O trabalho realizado teve como objecto de estudo a marca corporativa e a investigação

Leia mais

Como levantar o ciclo de serviço:

Como levantar o ciclo de serviço: CONSTRUÇÃO DE QUESTIONÁRIOS PARA MEDIÇÃO E MONITORAMENTO DA SATISFAÇÃO DE CLIENTES CICLO DE SERVIÇO : A base do questionário é um roteiro que contém os principais incidentes críticos do ciclo de serviço.

Leia mais

Uma Análise da Confiabilidade da Aplicação de um Questionário na Equipe de TI de uma Instituição de Saúde

Uma Análise da Confiabilidade da Aplicação de um Questionário na Equipe de TI de uma Instituição de Saúde Uma Análise da Confiabilidade da Aplicação de um Questionário na Equipe de TI de uma Instituição de Saúde Aluna: Karina Aparecida da Cruz Pinto Orientadora: Ms. Maria Ludovina Aparecida Quintans Sistemas

Leia mais

5 Conclusão e Considerações Finais

5 Conclusão e Considerações Finais 5 Conclusão e Considerações Finais Neste capítulo são apresentadas a conclusão e as considerações finais do estudo, bem como, um breve resumo do que foi apresentado e discutido nos capítulos anteriores,

Leia mais

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Planejamento do Gerenciamento das Comunicações (10) e das Partes Interessadas (13) PLANEJAMENTO 2 PLANEJAMENTO Sem 1 Sem 2 Sem 3 Sem 4 Sem 5 ABRIL

Leia mais

O IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DE UM SOFTWARE DE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE PROJETOS NAS EMPRESAS

O IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DE UM SOFTWARE DE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE PROJETOS NAS EMPRESAS O IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DE UM SOFTWARE DE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE PROJETOS NAS EMPRESAS Nadia Al-Bdywoui (nadia_alb@hotmail.com) Cássia Ribeiro Sola (cassiaribs@yahoo.com.br) Resumo: Com a constante

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE

ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE Módulo 15 AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO E DA INSATISFAÇÃO DOS CLIENTES Objetivo: Ao final desta aula, você deverá saber (1) sobre os fatores que causam a satisfação

Leia mais

(LOQ4208) Processos da Indústria de Serviços

(LOQ4208) Processos da Indústria de Serviços Processos da Indústria de Serviços (LOQ4208) 10 Síntese Curso CRONOGRAMA - CURSO Data Assunto Detalhamento 8/mar Op. Serviço EC: Cumbuca 2 grupos (10%) 15/mar Op. Serviço EC: Cumbuca 2 grupos (10%) 22/mar

Leia mais

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional.

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Empresa MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Nossa filosofia e oferecer ferramentas de gestão focadas na

Leia mais

Biblioteca Henrique Schulz Biblioteca HEV Campus II Política de desenvolvimento de coleções

Biblioteca Henrique Schulz Biblioteca HEV Campus II Política de desenvolvimento de coleções Biblioteca Henrique Schulz Biblioteca HEV Campus II Política de desenvolvimento de coleções INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE INDAIATUBA - IESI INDAIATUBA/SP 2 SUMÁRIO 1 POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES...

Leia mais

A Qualidade do Serviço da Polícia Militar no Município de Juiz de Fora

A Qualidade do Serviço da Polícia Militar no Município de Juiz de Fora A Qualidade do Serviço da Polícia Militar no Município de Juiz de Fora Juliana Maioli Laval Bernardo jmlbernardo@gmail.com UFF Mara Telles Salles marasalles.uff@gmail.com UFF Resumo:O objetivo principal

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Marketing Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Marketing. 1. Introdução Os Projetos

Leia mais

OS DESAFIOS DA COMUNICAÇÃO E DO MARKETING NA NOVA ECONOMIA

OS DESAFIOS DA COMUNICAÇÃO E DO MARKETING NA NOVA ECONOMIA OS DESAFIOS DA COMUNICAÇÃO E DO MARKETING NA NOVA ECONOMIA Agenda do Futuro Iniciativa do Grupo TV1 criada em 2008 para gerar conhecimento e incentivar a reflexão sobre as mudanças em curso na Comunicação

Leia mais

A Estratégia na Gestão de Serviços em uma Grande Empresa de Telefonia na Cidade de São Paulo: um Estudo de Caso na Empresa Xyz

A Estratégia na Gestão de Serviços em uma Grande Empresa de Telefonia na Cidade de São Paulo: um Estudo de Caso na Empresa Xyz A Estratégia na Gestão de Serviços em uma Grande Empresa de Telefonia na Cidade de São Paulo: um Estudo de Caso na Empresa Xyz Marcelo Rabelo Henrique marcelo@mrhenriqueconsult.com.br Unicastelo José Abel

Leia mais

7.1 Introdução. Monitoramento e Avaliação 427

7.1 Introdução. Monitoramento e Avaliação 427 7.1 Introdução O processo de monitoramento e avaliação constitui um instrumento para assegurar a interação entre o planejamento e a execução, possibilitando a correção de desvios e a retroalimentação permanente

Leia mais

RELATÓRIO TREINAMENTO ADP 2013 ETAPA 01: PLANEJAMENTO

RELATÓRIO TREINAMENTO ADP 2013 ETAPA 01: PLANEJAMENTO RELATÓRIO TREINAMENTO ADP 2013 ETAPA 01: PLANEJAMENTO 1. Apresentação geral Entre os dias 15 e 18 de Abril de 2013 foram realizados encontros de quatro horas com os servidores e supervisores da Faculdade

Leia mais

SOFTWARE PARA GERENCIAMENTO DE REBANHOS BOVINOS: DESENVOLVIMENTO E AVALIAÇÃO PELA SOFTHOUSE

SOFTWARE PARA GERENCIAMENTO DE REBANHOS BOVINOS: DESENVOLVIMENTO E AVALIAÇÃO PELA SOFTHOUSE SOFTWARE PARA GERENCIAMENTO DE REBANHOS BOVINOS: DESENVOLVIMENTO E AVALIAÇÃO PELA SOFTHOUSE Marcelo Pereira Barbosa Email: mpbbarbosa@bol.com.br Vínculo: Professor da Escola Técnica Estadual "Lauro Gomes"

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Recursos Humanos Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos 1.

Leia mais

5 Conclusão e discussões

5 Conclusão e discussões 5 Conclusão e discussões O presente estudo procurou entender melhor o universo dos projetos de patrocínio de eventos, principalmente com o objetivo de responder a seguinte questão: quais são as principais

Leia mais

Portfolio de cursos TSP2

Portfolio de cursos TSP2 2013 Portfolio de cursos TSP2 J. Purcino TSP2 Treinamentos e Sistemas de Performance 01/07/2013 Como encantar e fidelizar clientes Visa mostrar aos participantes a importância do conhecimento do cliente,

Leia mais

CRITÉRIOS COMPETITIVOS E MATRIZ IMPORTÂNCIA VERSUS DESEMPENHO: ESTUDO DE CASO EM UMA EMPRESA DE CALL CENTER LOCALIZADA NA CIDADE DE SÃO PAULO

CRITÉRIOS COMPETITIVOS E MATRIZ IMPORTÂNCIA VERSUS DESEMPENHO: ESTUDO DE CASO EM UMA EMPRESA DE CALL CENTER LOCALIZADA NA CIDADE DE SÃO PAULO CRITÉRIOS COMPETITIVOS E MATRIZ IMPORTÂNCIA VERSUS DESEMPENHO: ESTUDO DE CASO EM UMA EMPRESA DE CALL CENTER LOCALIZADA NA CIDADE DE SÃO PAULO Denise Luciana Rieg (CUFSA) riegsc@yahoo.com Fernando Cezar

Leia mais

Prof. Marcelo Mello. Unidade III DISTRIBUIÇÃO E

Prof. Marcelo Mello. Unidade III DISTRIBUIÇÃO E Prof. Marcelo Mello Unidade III DISTRIBUIÇÃO E TRADE MARKETING Canais de distribuição Canal vertical: Antigamente, os canais de distribuição eram estruturas mercadológicas verticais, em que a responsabilidade

Leia mais

INQUÉRITO REALIZADO A ALUNOS LABORATÓRIO DE CÁLCULO. Trabalho realizado por Lucília Rodrigues Macedo

INQUÉRITO REALIZADO A ALUNOS LABORATÓRIO DE CÁLCULO. Trabalho realizado por Lucília Rodrigues Macedo INQUÉRITO REALIZADO A ALUNOS LABORATÓRIO DE CÁLCULO 2010 Trabalho realizado por Lucília Rodrigues Macedo ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. METODOLOGIA... 3 3. APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS... 4 1. RESULTADOS

Leia mais

4. QUALIDADE PERCEBIDA EM SERVIÇOS

4. QUALIDADE PERCEBIDA EM SERVIÇOS 4. QUALIDADE PERCEBIDA EM SERVIÇOS O CONCEITO DE QUALIDADE Existem várias definições para o termo qualidade na literatura, não havendo um consenso entre os diversos autores. Garvin (1984) agrupou as várias

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS

SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS 1 SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS John F. Eichstaedt, Toni Édio Degenhardt Professora: Eliana V. Jaeger RESUMO: Este artigo mostra o que é um SIG (Sistema de Informação gerencial) em uma aplicação prática

Leia mais

LB Marketing O verdadeiro foco no cliente PROPOSTA DE PROJETO DE AUDITORIA DE ATENDIMENTO AO CLIENTE NO PDV

LB Marketing O verdadeiro foco no cliente PROPOSTA DE PROJETO DE AUDITORIA DE ATENDIMENTO AO CLIENTE NO PDV LB Marketing O verdadeiro foco no cliente PROPOSTA DE PROJETO DE AUDITORIA DE ATENDIMENTO AO CLIENTE NO PDV Santa Maria-RS, Março de 2012 2 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1. MÉTODO DE PESQUISA CLIENTE OCULTO...

Leia mais

Auditoria como ferramenta de gestão de fornecedores durante o desenvolvimento de produtos

Auditoria como ferramenta de gestão de fornecedores durante o desenvolvimento de produtos Auditoria como ferramenta de gestão de fornecedores durante o desenvolvimento de produtos Giovani faria Muniz (FEG Unesp) giovanifaria@directnet.com.br Jorge Muniz (FEG Unesp) jorgemuniz@feg.unesp.br Eduardo

Leia mais

Scania Serviços. Serviços Scania.

Scania Serviços. Serviços Scania. Serviços Scania Scania Serviços. Serviços Scania. Tudo o que o você precisa para cuidar Tudo bem do o que seu o Scania, você precisa em um para só lugar. cuidar bem do seu Scania, em um só lugar. SERVIÇOS

Leia mais

PRINCÍPIOS DA QUALIDADE E MODELOS DE GESTÃO

PRINCÍPIOS DA QUALIDADE E MODELOS DE GESTÃO INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DO ESPÍRITO SANTO FACASTELO Faculdade De Castelo Curso de Administração Disciplina: Qualidade e Produtividade PRINCÍPIOS DA QUALIDADE E MODELOS DE GESTÃO 1 Profa.: Sharinna

Leia mais

AUDITORIA DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS (Subestações de Alta e Extra Alta Tensão )

AUDITORIA DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS (Subestações de Alta e Extra Alta Tensão ) GMI/021 21 a 26 de Outubro de 2001 Campinas - São Paulo - Brasil GRUPO XII GESTÃO DA MANUTENÇÃO AUDITORIA DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS (Subestações de Alta e Extra Alta Tensão ) João Carlos Santos Schneider

Leia mais

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE PERCEBIDA NO SETOR DE SAÚDE SUPLEMENTAR

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE PERCEBIDA NO SETOR DE SAÚDE SUPLEMENTAR AVALIAÇÃO DA QUALIDADE PERCEBIDA NO SETOR DE SAÚDE SUPLEMENTAR RAISSA CORREA DE CARVALHO (UFPE ) RAISSA_CORREA@HOTMAIL.COM ALINE AMARAL LEAL (UFPE ) alineleal10@hotmail.com Jordania Louse Silva Alves (UFPE

Leia mais

CAPÍTULO 5 CONCLUSÕES, RECOMENDAÇÕES E LIMITAÇÕES. 1. Conclusões e Recomendações

CAPÍTULO 5 CONCLUSÕES, RECOMENDAÇÕES E LIMITAÇÕES. 1. Conclusões e Recomendações 153 CAPÍTULO 5 CONCLUSÕES, RECOMENDAÇÕES E LIMITAÇÕES 1. Conclusões e Recomendações Um Estudo de Caso, como foi salientado no capítulo Metodologia deste estudo, traz à baila muitas informações sobre uma

Leia mais

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0 Autor: Marco Polo Viana. Bloco Suprimentos

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0 Autor: Marco Polo Viana. Bloco Suprimentos Bloco Suprimentos Controle de Produção PCP Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo Controle de Produção PCP, que se encontra no Bloco Suprimentos. Todas informações aqui disponibilizadas

Leia mais

2.10 Um Framework para Avaliação da Implantação do MR MPS em Grupos Cooperados de Empresas

2.10 Um Framework para Avaliação da Implantação do MR MPS em Grupos Cooperados de Empresas 2.10 Um Framework para Avaliação da mplantação do MR MPS em Grupos Cooperados de Empresas Rafael Prikladnicki (PUCRS) rafaelp@pucrs.br Odisnei Galarraga odisnei@swprocess.com.br Agenda 1. Contexto, objetivos

Leia mais

Gestão de Relacionamento com o Cliente CRM

Gestão de Relacionamento com o Cliente CRM Gestão de Relacionamento com o Cliente CRM Fábio Pires 1, Wyllian Fressatti 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil pires_fabin@hotmail.com wyllian@unipar.br RESUMO. O projeto destaca-se

Leia mais

QUALIDADE DE SERVIÇO EM UM PONTO DE VENDA À VAREJO: UMA ANÁLISE DE PERFORMANCE E IMPORTÂNCIA SOB O PONTO DE VISTA DO CLIENTE

QUALIDADE DE SERVIÇO EM UM PONTO DE VENDA À VAREJO: UMA ANÁLISE DE PERFORMANCE E IMPORTÂNCIA SOB O PONTO DE VISTA DO CLIENTE QUALIDADE DE SERVIÇO EM UM PONTO DE VENDA À VAREJO: UMA ANÁLISE DE PERFORMANCE E IMPORTÂNCIA SOB O PONTO DE VISTA DO CLIENTE Kissila Goncalves Lourenco (ISECENSA) kissilagl@hotmail.com Henrique Rego Monteiro

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE GRADUAÇÃO EM BIBLIOTECONOMIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE GRADUAÇÃO EM BIBLIOTECONOMIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE GRADUAÇÃO EM BIBLIOTECONOMIA ALINE CRISTINA DE FREITAS ANA CLÁUDIA ZANDAVALLE CAMILA RIBEIRO VALERIM FERNANDO DA COSTA PEREIRA

Leia mais

Estudo de Caso da Implantação do Nível G do MPS.BR em Uma Empresa

Estudo de Caso da Implantação do Nível G do MPS.BR em Uma Empresa Estudo de Caso da Implantação do Nível G do MPS.BR em Uma Empresa Dayana Henriques Fonseca 1, Frederico Miranda Coelho 1 1 Departamento de Ciência da Computação Universidade Presidente Antônio Carlos (UNIPAC)

Leia mais

UM MODELO PARA AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE SERVIÇOS DE SUPORTE DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

UM MODELO PARA AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE SERVIÇOS DE SUPORTE DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO XXX ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Maturidade e desafios da Engenharia de Produção: competitividade das empresas, condições de trabalho, meio ambiente. São Carlos, SP, Brasil, 12 a15 de outubro

Leia mais

Qualidade de Processo de Software Normas ISO 12207 e 15504

Qualidade de Processo de Software Normas ISO 12207 e 15504 Especialização em Gerência de Projetos de Software Qualidade de Processo de Software Normas ISO 12207 e 15504 Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br Qualidade de Software 2009 Instituto

Leia mais

Endomarketing: um estudo de caso em uma agência de uma instituição financeira de Bambuí- MG

Endomarketing: um estudo de caso em uma agência de uma instituição financeira de Bambuí- MG Endomarketing: um estudo de caso em uma agência de uma instituição financeira de Bambuí- MG Bruna Jheynice Silva Rodrigues 1 ; Lauriene Teixeira Santos 2 ; Augusto Chaves Martins 3 ; Afonso Régis Sabino

Leia mais

Eixo Temático ET-04-007 - Gestão Ambiental em Saneamento

Eixo Temático ET-04-007 - Gestão Ambiental em Saneamento 270 Eixo Temático ET-04-007 - Gestão Ambiental em Saneamento LEVANTAMENTO DA TUBULAÇÃO DE CIMENTO-AMIANTO NA REDE DE DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA DO MUNICÍPIO DE PRINCESA ISABEL - PARAÍBA Maria Auxiliadora Freitas

Leia mais

Processos Gerenciais

Processos Gerenciais UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Processos Gerenciais Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Processos Gerenciais. 1.

Leia mais

A QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO E SATISFAÇÃO: UM ESTUDO MULTI-CASOS COM OS FUNCIONÁRIOS DAS EMPRESAS DO SISTEMA S

A QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO E SATISFAÇÃO: UM ESTUDO MULTI-CASOS COM OS FUNCIONÁRIOS DAS EMPRESAS DO SISTEMA S A QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO E SATISFAÇÃO: UM ESTUDO MULTI-CASOS COM OS FUNCIONÁRIOS DAS EMPRESAS DO SISTEMA S Marcos Henrique Pazini (Pós-Graduado da UNICENTRO), Sílvio Roberto Stefano (Orientador),

Leia mais

Glossário Apresenta a definição dos termos, siglas e abreviações utilizadas no contexto do projeto Citsmart.

Glossário Apresenta a definição dos termos, siglas e abreviações utilizadas no contexto do projeto Citsmart. Apresenta a definição dos termos, siglas e abreviações utilizadas no contexto do projeto Citsmart. Versão 1.6 15/08/2013 Visão Resumida Data Criação 15/08/2013 Versão Documento 1.6 Projeto Responsáveis

Leia mais

INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE PARA INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR: O

INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE PARA INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR: O IV Simpósio sobre Gestão Empresarial e Sustentabilidade: Negócios Sociais e seus Desafios 24 e 25 de novembro de 2015 Campo Grande-MS Universidade Federal do Mato Grosso do Sul INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE

Leia mais

Uma proposta de Processo de Aquisição de Software para uma Instituição Federal de Ensino

Uma proposta de Processo de Aquisição de Software para uma Instituição Federal de Ensino Universidade Federal do Pará Campus Universitário de Castanhal Faculdade de Sistemas de Informação Uma proposta de Processo de Aquisição de Software para uma Instituição Federal de Ensino Elisiane M. Soares,

Leia mais

PESQUISA DE SATISFAÇÃO PARTICIPANTES

PESQUISA DE SATISFAÇÃO PARTICIPANTES PESQUISA DE SATISFAÇÃO PARTICIPANTES Brasília, janeiro/2011 Objetivos específicos da pesquisa 2 Avaliar a quantidade e a qualidade da rede credenciada. Avaliar os serviços oferecidos: o Plano CASSI Família

Leia mais

AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DO CLIENTE NOS SERVIÇOS SAGRA ONLINE

AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DO CLIENTE NOS SERVIÇOS SAGRA ONLINE AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DO CLIENTE NOS SERVIÇOS SAGRA ONLINE Relatório de Apreciação Ref.ª IT 08/82/2007 1. Introdução No Centro Operativo e de Tecnologia de Regadio (COTR) a qualidade é encarada como

Leia mais