Edição: Escola Profissional Abreu Callado/GAEP Periodicidade: trimestral Nº 9 outubro dezembro

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Edição: Escola Profissional Abreu Callado/GAEP Periodicidade: trimestral Nº 9 outubro- 2014 - dezembro - 2014"

Transcrição

1 Edição: Escola Profissional Abreu Callado/GAEP Periodicidade: trimestral Nº 9 outubro dezembro

2 09 Dia d o Dip loma - Pág.4 nº Índice 3.EDITORIAL.9 Pág n e owe l l a H 4.DIA DO DIPLOMA 5.RECEÇÃO AO CALOIRO 6.ANIMADOR SOCIOCULTURAL 6.Atividades do curso 7. Olhar de Novo... faz pensar! 8. Vertentes de política social Dia M undi al de o Bu P re v llyin ençã g- Pá o con g. 17 tra 8.Testemunho de uma aluna 9.Halloween 9.Visita de Estudo ao Centro Histórico de Avis 10.TURISMO AMBIENTAL E RURAL 10.Turismo e Tradição 11.A importância da Geografia 12.Aula Prática: Fungos 13.Itinerário Turístico Natal na Escola 14.GESTÃO DE EQUIPAMENTOS INFORMÁTICOS - Pág Aula de Experiências 15.Oficina de Manutenção e Repa ração de Computadores 16.Visitas de Estudo Feira Profis s i o n a l d e E - c o m m e r c e / E n o ve + 17.Programa de Educação para a Saúde Jornal A Torre 17.Dia Mundial de Prevenção com t r a o B u l l yi n g 17.Gabinete de Informação e Apoio de Educação para a Saúde 18.N ATAL N A ESCO L A. 2 a sn o vam ição á J ed 9ª

3 A partir da descoberta da escrita, que substituiu a transmissão oral ou gestual entre os indivíduos e as populações que povoaram a Terra desde o alvor dos humanos, e após estabelecidos mecanismos e materiais para registo dos ensinamentos passados de geração em geração, que começaram na pré-história pelo registo na pedra e prosseguem até hoje com a utilização das cada vez mais sofisticadas tecnologias da informação o passo seguinte, foi naturalmente criar um conceito de estrutura física cujo funcionamento garantisse a transmissão /ensino de conhecimentos às gerações seguintes sem perder a sua autenticidade. E chegamos assim às primeiras escolas, que remontam às épocas babilónica, egípcia, suméria, chinesa, fenícia, grega, romana, árabe, e tantas outras que se cruzaram nas rotas do planeta e foram divulgando o que sabiam fundamentalmente através da escrita. A escola passou assim a ser o lugar por excelência onde se ensinava e se aprendia, adquirindo sempre mais conhecimentos úteis à evolução da humanidade -- logo apontando para o progresso futuro das gerações. E eis aqui a relação estreita e indissolúvel entre escola e futuro: aprendemos na escola, para melhorar a nossa capacidade de enfrentar e rodear as dificuldades que a vida tem para nos surpreender no futuro. E a Escola Profissional Abreu Callado é (pretende ser e deve ser) um elo dessa corrente de aprendizagem que leva diversas formas de conhecimento até aos seus alunos, de maneira a que possam dele usufruir num futuro não muito longínquo, quando terminem os seus Cursos e se lancem na aventura profissional ou optem por ir mais longe, no ensino superior. A escola a de hoje ou a de onde vieram antes -- é assim parte indissociável do futuro de cada um, e este moldá-lo-ão à medida das suas ambições, dos seus objetivos de vida e do sucesso que dela queiram tirar. Não há futuro sem escola, nos tempos de hoje. O século XXI trouxe com ele a exigência e a indispensabilidade de fazer da escola um caminho obrigatório para qualquer futuro: e este passa incontornavelmente pelo sucesso que se consiga na vida escolar. Para os alunos da EPAC, se escolheram este caminho e esta escola, não há segundas vias para chegar ao fim e dizer (pelo menos pensar ) com satisfação mal contida: cheguei aqui, porque entendi o valor da escola na construção do meu futuro. É isso que esperamos da vossa parte, e para isso acontecer contarão também com o contributo da escola que escolheram e que os acolheu com os olhos postos no vosso futuro. Que o futuro vos seja depois fácil e leve, porque a escola sê-lo-á na medida da vossa entrega agora à vontade de aprender. Não deixem para terceiras oportunidades o que está ao vosso alcance aqui e agora! 3 O Presidente do Conselho Diretivo

4 No dia 15 de Setembro de 2014, foi assinalado O Dia do Diploma, cerimónia realizada na Escola Profissional Abreu Callado. Neste dia, para além de terem sido entregues os diplomas aos alunos que concluíram o curso no ano letivo 2013/2014, foi também dado a conhecer o melhor aluno da Escola que terminou o seu Curso em 2013/14, e ao qual foi atribuído o Prémio de Mérito, agraciando-o assim porque soube revelar de forma brilhante as suas capacidades individualmente. Esse aluno foi ainda premiado com um computador portátil. A cerimónia, foi dirigida pelo Presidente do Conselho Diretivo, Dr. António Calado. Decorreu num ambiente de muita satisfação e emotividade, contando com a participação do Presidente do Municipio de Avis, do Presidente da União de Freguesias de Benavila e Valongo e do Comandante do Destacamento da GNR e Ponte de Sor. Durante a cerimónia, foram proferidas, palavras de felicitação e reconhecimento aos alunos e foram deixadas várias mensagens de incentivo para o futuro. Prof. José Lourenço 4

5 No passado dia 1 de outubro festejou-se, mais uma vez, o Dia do Caloiro. Esta comemoração teve como objetivo a integração dos novos alunos no meio escolar, mostrando-lhe o espírito de amizade, companheirismo e interajuda que, tão bem, caracterizam a Escola Profissional. O evento, organizado pela Associação de Estudantes em parceria com o GAEP, contou com a colaboração dos cursos de Animador Sociocultural VII e Animador Sociocultural VIII, que abrilhantaram a festa. Os caloiros aderiram às pequenas brincadeiras (batismo do caloiro e eleição do caloiro do ano) com entusiasmo, evidenciando grande satisfação pelo início de um novo caminho que irão percorrer ao longo dos três anos de formação. Caloiros!... Aproveitem bem o que a Escola Profissional Abreu Callado tem para vos oferecer e lembrem-se que o vosso futuro só depende de vós. Prof.ª. Dina Rato 5

6 Como é de tradição, no dia 11 de n o v e m b r o c o m e m o r a - s e o D i a d e S.Martinho. Os alunos do Curso de Animador Sociocultural VIII juntaram-se à festa no Centro de Convívio e Apoio Social Engº João Antunes Tropa, participando alegremente com diferentes animações, principalmente as diferentes canções que adaptaram, coreografaram e cantaram Foi uma tarde de festa, além da intergeracionalidade promovida, o que é sempre uma mais valia para a formação técnica destes futuros profissionais da Animação Sociocultural. Nas disciplinas de Área de Estudo da Comunidade e Animação Sociocultural foram desenvolvidas diferentes atividades, em contexto de sala de aula. Destacam-se a Importância da Família, pela turma do 1º ano, Saber Ser, Saber e Saber Fazer, na turma do 2º ano e a Saúde Mental e as Comunidades Emigrantes pelos alunos do 3º ano. Prof.ª Ana Luísa 6

7 No passado dia 27 de novembro o 2º ano do Curso de Animador Sociocultural foi a Évora, numa visita de estudo, no âmbito da disciplina de Expressão Dramática. Esta visita consistiu em assistir a um espetáculo de teatro realizado pela companhia Baal17, Olhar de Novo, no auditório da Delegação Regional de Educação do Alentejo. Antes de iniciar a representação houve um breve momento de socialização e oportunidade de conhecer novas pessoas. Este teatro foi realizado apenas por três raparigas e o material que utilizaram foi muito escasso. Embora este tenha sido reduzido não retirou mérito às três personagens nem à mensagem que pretendiam transmitir. O teatro começou com três amigas normais, de idades compreendidas entre os 13 e 16 anos. Tinham conversas atuais sobre os rapazes, sobre a família, a forma de pensar e agir. Quando tudo parecia correr bem, uma das personagens, Sofia decidiu ridicularizar e humilhar uma rapariga da escola dizendo que ela era lésbica. Carolina e Inês enfrentaram Sofia porque ela não deveria ter dito isso, visto que nem a conhecia e gerouse um conflito entre elas, e assim foi continuando a história, até que quando terminou a representação os alunos podiam decidir o desfecho da atuação. Muitos alunos intervieram e uma aluna até subiu ao palco e fez uma pequena representação. A mensagem transmitida diz-nos que podemos fazer a diferença no meio de um conflito. Quando as situações não estão certas devemos saber dizer não. Não podemos julgar as pessoas pelo que dizem, ou pelo que ouvimos dizer sobre elas. Este tipo de intrigas ocorre muito, hoje em dia, tanto em meios escolares, como no quotidiano de cada um. Acho que todos deveríamos parar e refletir antes de falar algo que possa prejudicar o outro porque nunca sabemos o que a outra pessoa poderá sentir. Um espetáculo que nos fez refletir sobre a prevenção e combate ao bullying. Uma experiência a repetir! Aluna Irina Ribeiro 7

8 No âmbito da disciplina de Sociologia, módulo 6, Vertentes de Política Social, os alunos do curso de Animador Sociocultural VII, desenvolveram uma atividade que tinha como base a Declaração Universal dos Direitos do Homem. Realizaram uma canção cuja letra foi elaborada com alguns artigos da referida Declaração. O aluno João Martins, com a ajuda da sua guitarra, cantou esta canção e um grupo de alunos acompanharam-no com uma dança. No dia do caloiro, 1 de outubro, apresentaram aos seus colegas a sua atividade, apelando também à solidariedade e união entre TODOS. Prof.ª Helena Pires Sou aluna desta Escola, uma escola, na minha opinião, diferente. Vim para este estabelecimento de ensino o ano passado. Mesmo não conhecendo ninguém, comecei a ter novos amigos, com os quais partilhava momentos de boa disposição, entre ajuda, brincadeiras No entanto, por razões pessoais tive de anular a matrícula e sair do curso. Testemunho de uma Aluna Este ano letivo, surgiu a oportunidade de regressar para esta Escola e matriculei-me novamente no Curso de Animador Sociocultural. Estou a adorar, temos imensas atividades e disciplinas práticas como a expressão plástica, a expressão musical, a expressão dramática, onde brincadeiras se tornam o nosso objeto de estudo, o que faz com que o saber se junte ao saber fazer, de uma forma muito mais atrativa Enquanto turma somos muito unidos e tentamos sempre ajudarmo-nos. Em suma, ainda bem que regressei, porque apesar de estar praticamente a 100km de casa, as experiências que vivo durante a semana compensam as saudades que tenho da minha família 8 Aluna Paula Carapeto

9 EPAC DUNGEON, a masmorra que surgiu a partir da criatividade das mentes tenebrosas dos mais temíveis alunos conduziu visitantes a um susto inicial até sangue e muitos gritos! Incansáveis alianças foram cimentadas e uma vez mais a profecia cumpriu-se, os Candies-Eaters ressuscitaram e com eles, um exército de seguidores que habilmente trocavam candies que prometiam fazer vitoriosos quem mais rapidamente conseguisse atingir o número mágico. Tal creepy batalha ficou conhecida como CANDIES CRASH! Until next year Prof.ª Elisabete Pereira Com a participação dos alunos do curso de Animador Sociocultural IX, no âmbito da disciplina de Área de Integração e tendo como referência as matérias lecionadas no tema a Identidade Regional, realizou-se no dia 24 de novembro uma visita de estudo ao Centro Histórico de Avis, a qual teve como principal objetivo relacionar as matérias do referido tema com o património cultural existente no centro histórico, uma das marcas da identidade local e regional. A visita iniciou-se com a contextualização histórica que teve como referência o facto de Avis ter sido sede de uma das mais importantes Ordens Religiosas e Militares e de ter dado o nome a uma das mais longas e emblemáticas dinastias portuguesas, iniciada com o reinado de D. João I, Mestre da Ordem de Avis, e referenciada como Dinastia de Avis. Seguidamente, foi realizado o percurso, que incluiu as ruinas do Convento de S. Bento de Avis, cuja origem remonta ao século XIII, a cisterna quatrocentista, o Pelourinho, a casa de Teresa Lourenço (mãe de D. João I) e as ruinas do antigo castelo, do qual subsistem três das suas seis torres. Finalmente é de realçar o interesse manifestado por todos os alunos durante a visita. Prof. José Ramiro Caldeira 9

10 É cada vez mais evidente a utilização crescente da Cultura por parte do Turismo, para a transformar num produto consumível como qualquer outro. Um dos elementos de cultura que tende cada vez mais a transformar-se em produto turístico é a tradição. Tradição, no sentido lato do termo, é a herança social transmitida através de gerações, desde a sua origem até ao presente. Esta foi-se formando a partir do somatório de elementos (locais e regionais) que no seu conjunto constituem a tradição nacional. Assim, podemos considerar como principais constituintes da tradição: tradições orais, como mitos, lendas; a música e a dança; a cultura material, por exemplo: vestuário, habitações, cerâmica, gastronomia, doçaria; a tecnologia ou as técnicas tradicionais; as estruturas sociais, económicas e políticas de longa duração; as crenças, e as superstições; a arte popular, entre outros. Apesar de alguns destes constituintes, com o andar do tempo, nem sempre serem transmitidos de forma fiel e livre de outros interesses que não sejam os da preservação (por vezes discutível) da memória individual ou coletiva e sendo alguns destes elementos pertencentes à denominada tradição inventada, como as marchas populares ou os ranchos folclóricos, todos são potenciais produtos culturais para o consumo turístico. Prof. José Ramiro Caldeira 10

11 Nos dias de hoje, a Geografia é uma ciência atual e imprescindível, para melhor compreensão do que acontece no mundo, marcado por profundas transformações que acentuam a mutualidade e a imprevisibilidade. Viver numa sociedade cada vez mais global, em constante transformação, torna-se mais difícil, para cada pessoa, saber localizarse, reconhecer o que em cada momento é importante, de forma a saber valorizar a diversidade, aceitar a mudança e gerir de forma autónoma e consciente a sua própria realidade. A educação geográfica desempenha um papel importante na preparação dos jovens para a vida, através das descobertas que promove, fornece-lhes uma informação objetiva sobre o mundo atual, estimulando atitudes críticas, o debate de ideias e a tomada de decisões - em suma, pretende-se uma educação para a cidadania. A disciplina de Geografia insere-se na componente de formação científica do curso profissional de Técnico de Turismo Ambiental e Rural e visa proporcionar aos jovens aprendizagens científicas de base que permitam conhecer o território português, de modo a desenvolver nos alunos o espírito crítico e interventivo como cidadãos atentos. Desde algum tempo, a atividade turística tem sido encarada como um dos caminhos para o desenvolvimento e tem desempenhado um papel relevante na economia nacional. Portugal é um país com elevado potencial turístico, dadas as suas características naturais e culturais. Cabe aos futuros técnicos de turismo promover a imagem do Destino Portugal e mais especificamente, da região de Portalegre, como uma oferta turística sustentável, diversa e de grande qualidade. As regiões periféricas têm no turismo um meio inesgotável para promover a sua integração territorial. O território é o palco principal onde se desenvolve a atividade turística, daí que este tem de ser visto como um recurso finito. O património natural e o arquitetónico, bem como as suas populações e as suas identidades devem ser preservados e valorizados. Neste sentido, a atividade turística deve, por isso, regular-se por um caminho onde a sustentabilidade do território seja uma preocupação constante. Prof.ª Sandra Conde 11

12 No Curso de Turismo Ambiental e Rural, na disciplina de Ambiente e Desenvolvimento Rural, a parte prática é uma das componentes chave para a aprendizagem de conceitos, aliada ao facto de a Escola possuir uma envolvência rural muito rica. Uma das atividades realizada foi a identificação de cogumelos, que pertencem ao grupo dos Fungos. Os Fungos podem estabelecer diferentes relações ecológicas, desempenhando um papel essencial no funcionamento e equilíbrio dos ecossistemas. Muitos são decompositores indispensáveis, outros estabelecem relações simbióticas com diferentes organismos mas também os há parasitas, que causam doenças variadas em plantas e animais. Os Fungos Saprófitos decompõem cadáveres, as folhas mortas, as fezes e outros materiais orgânicos, reciclando assim elementos químicos como o carbono, o azoto e o fósforo, sob a forma de compostos minerais que podem ser utilizados por outros organismos. Muitos destes seres decompõem materiais orgânicos importantes para o Homem (pão, frutos e outros alimentos, papel, estruturas de madeira, tecidos, entre outros), causando prejuízos consideráveis. Alguns são comestíveis, mas muitas espécies de Fungos são venenosas, podendo causar a morte. Existem numerosos Fungos que têm importante valor económico devido às suas aplicações industriais. São disso exemplo as leveduras usadas no fabrico de cerveja, do vinho e pão, por exemplo; outros Fungos usados na confecção de queijos como o Roquefort, Camembert e Brie; há Fungos que atuam na fermentação de uma mistura de grãos de soja e trigo, essencial para a produção de óleo de soja; e na indústria farmacêutica, por exemplo, eles são usados na produção de antibióticos. No entanto, pode dizer-se que os Fungos tanto podem beneficiar os outros organismos como constituir verdadeiras pragas. Depois de colher as amostras, os alunos fizeram as preparações para poderem analisá-los no microscópio. Prof.ª Sandra Ferreira 12

13 A turma do 1º ano do Curso de Técnico de Turismo Ambiental e Rural, da Escola Profissional Abreu Callado, realizou no passado dia 25 de novembro uma atividade prática, planeada e organizada pelos alunos do Curso. Essa atividade consistiu em pôr em prática um itinerário de âmbito turístico, na vila de Fronteira. Os alunos tinham como principal tarefa desenhar a carvão os recursos turísticos mais emblemáticos da vila. Esta dinâmica foi desenvolvida com bastante entusiasmo por parte dos alunos. Na vila de Fronteira existem vários monumentos dignos de registo, como a igreja Matriz (de 1594), as Igrejas do Espírito Santo (datada de 1573) e do Senhor dos Mártires (século XVIII), a Capela de Nossa Senhora da Vila Velha, o edifício dos Paços do Concelho, o pelourinho, entre outros. Em Fronteira encontra-se também, o casario branco de coloridas faixas, e moradias senhoriais do século XVIII mostrando ao tempo as riquezas agrícolas da região. Como equipamento dos tempos modernos, foi também visitado o Centro de Interpretação da Batalha de Atoleiros, uma visita que se revelou bastante interativa. Prof. José Lourenço 13

14 Em disciplinas de caráter prático, como são os casos da Física e da Química, é necessário perceber que ciência é tudo o que nos cerca e por isso tornase essencial que os alunos compreendam a influência do desenvolvimento científico e técnico nas nossas vidas e no ambiente onde estamos inseridos. No âmbito do módulo Hidrostática e Hidrodinâmica, sob o tema da água, foram realizadas várias atividades práticas de modo a responder a questões da vida quotidiana. Para estudar o Princípio de Arquimedes foi realizada uma atividade experimental, baseada naquele Princípio : Também foi exemplificado aos alunos o funcionamento de um submarino: Um corpo mergulhado total ou parcialmente num fluido recebe, da parte deste, uma impulsão vertical, de baixo para cima, igual ao peso do volume de fluido deslocado pelo corpo. Com as atividades práticas, os alunos mostram-se interessados e motivados, apreendendo os conceitos teóricos e relacionando-os à nossa vida. Prof.ª Sandra Ferreira 14

15 No decorrer do 1º período, os alunos do Curso de Técnico de Gestão de Equipamentos Informáticos I - 3º ano, no âmbito da disciplina de Instalação e Manutenção de Equipamentos Informáticos, construíram uma oficina de reparação de computadores na sala de aula. Solicitouse aos alunos do referido Curso, assim como a professores da Escola, que trouxessem equipamentos informáticos danificados, nomeadamente computadores fixos e portáteis - e nas segundas-feiras do mês de novembro e dezembro, a sala do Curso Profissional Técnico de Gestão de Equipamentos Informáticos transformou-se num centro de reparação de computadores. O procedimento de reparação do equipamento passou pelas seguintes fases: análise, identificação, apresentação de soluções e resolução de problemas ou avarias do computador. Uma das soluções encontradas e aplicadas para solucionar avarias a nível do hardware do equipamento, foi adicionar massa térmica entre o processador e o cooler. A função da massa térmica é auxiliar na transferência de calor, sendo que a ausência da mesma causa o sobreaquecimento do equipamento, e consequentemente a avaria dos componentes. Para isso os alunos realizaram a desmontagem do computador; em algumas situações removeram o pó acumulado do equipamento; adicionaram a massa térmica entre processador e cooler; e procederam à montagem do equipamento. Noutras situações, a avaria era a nível do software, e os alunos optaram por formatar o equipamento, ou apenas realizar uma limpeza ao sistema operativo. Assim, através de atividades desenvolvidas nas aulas práticas de Instalação e Manutenção de Equipamentos Informáticos, os alunos conseguiram apreender e aplicar os conhecimentos necessários para reparar um equipamento informático, sendo bastante útil na vida profissional dos nossos alunos. Prof.ª Maria Adélia Coelho 15

16 No passado dia 23 de outubro, o Curso de Técnico de Gestão de Equipamentos Informáticos I, juntamente com as professoras Adélia Coelho e Helena Pires, visitaram (no Centro de Congressos de Lisboa) a Feira Profissional de ecommerce, Marketing Online, Hosting & Cloud Social Media, Mobile e Internet of Things. Nesta Feira estiveram presentes vários expositores desta área e também se realizarm fóruns, seminários e workshops que trouxeram ao evento mais de 100 oradores nacionais e internacionais. O eshow é o evento fundamental do setor, não só excelente para se partilharem as novas soluções e serviços que as empresas apresentam, como também é uma oportunidade para se falar sobre todas as questões pertinentes ao comércio eletrónico. Foi muito gratificante perceber que os nossos alunos conheceram novas tecnologias e também novas oportunidades de negócio por via do comércio eletrónico. Prof.ª Helena Pires No dia 13 de novembro, os alunos do Curso de Técnico de Gestão de Equipamentos Informáticos I deslocaram-se à vila de Alter do Chão, para visitar a Feira de Emprego e Empreendedorismo promovida pelo Instituto Politécnico de Portalegre em colaboração com o Município local. Esta visita decorreu no âmbito da disciplina de Área de Integração. Os alunos tiveram oportunidade de visitar os vários stands expostos, que incluíam entidades de formação e representantes do tecido empresarial da região. Esta Feira tem como objetivo principal contribuir para a fixação dos jovens no Alentejo (sobretudo nesta zona), proporcionando ofertas e procura de emprego, estágios profissionais e novas formas de transformar ideias em negócios. Pretendeu-se também com esta iniciativa, dar a conhecer diferentes ofertas de formação, apresentar programas de apoio à c r i a ç ã o d o p r ó p r i o e m p r e g o (empreendedorismo) e apresentar casos de sucesso na criação de empresas. É importante salientar que a EPAC também marcou presença, com um stand e a participação de um grupo de alunos do Curso de Animador Sociocultural, que fez um excelente trabalho no que respeita à promoção e divulgação dos Cursos existentes na Escola, bem como na dinamização e animação do local. Prof.ª Helena Pires 16

17 No dia 1 de outubro, no período da manhã, comemorou-se o Dia Mundial de Prevenção contra o Bullying. Em colaboração com a G.N.R. Escola Segura de Ponte Sor realizou-se uma Sessão de Informação sobre Prevenção da Violência. A comunidade estudantil esteve presente demonstrando muita atenção e interesse no tema. Partilharam-se histórias e a turma de Animador Sociocultural VIII, no âmbito da disciplina de Área de Estudo da Comunidade, módulo 5 A Escola como factor de Desenvolvimento Pessoal e Social, desenvolveu um momento de animação, o qual ocorreu durante a Sessão de Informação. Foi retratado a rejeição e a exclusão social na juventude, formas graves de violência psicológica e, consequentemente, a baixa auto estima, os comportamentos auto destrutivos e as tentativas de suicídio. Parabéns aos alunos desta turma, em especial à Ana Isabel Augusto e ao Luís Filipe Pereira Prof.ª Ana Luísa Baptista Foi com muito entusiasmo que acolhemos a ideia de sermos nós, os alunos, a decorar o gabinete. Escolhemos dois elementos por cada turma e começámos a obra criativa, entre figuras geométricas e vocábulos para refletir Esperemos que toda a comunidade escolar goste e o utilize!!! Os Alunos: Ana Painho, Ariana Rosa, Andreia Vilas Boas, Iasmina Szasz, Rute Aleixo, Neide Raposo, Patrícia Botas, Joana Guerra, Filipe Rosa. 17

18 A Escola Profissional Abreu Callado voltou a assinalar a efeméride do Natal, com uma festa promovida pelos seus alunos para toda a comunidade escolar. A celebração foi no passado dia 16 de dezembro (final do primeiro período letivo) e teve início às 09h:30m com um programa muito variado, que a todos cativou. Contou com uma manhã de práticas desportivas: futsal, ténis de mesa, matraquilhos, entre outros. À tarde subiram ao palco vários alunos da escola para a interpretação de uma peça teatral alusiva a esta época festiva, execução de diferentes coreografias e cânticos de Natal. A festa também contou com a participação especial do coro dos utentes do Centro de Convívio e Apoio Social Eng.º João Antunes Tropa. Profª. Ana Milho 18

19 19

20 Tel /Fax Numero Verde :

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCABIDECHE ESCOLA BÁSICA 2,3 DE ALCABIDECHE Sede

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCABIDECHE ESCOLA BÁSICA 2,3 DE ALCABIDECHE Sede AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCABIDECHE ESCOLA BÁSICA 2,3 DE ALCABIDECHE Sede 1. Identificação DEPARTAMENTO: Pré-Escolar PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES - PROPOSTA DE ACTIVIDADES ANO LECTIVO - 2010 / 2011 Coordenador(a):

Leia mais

INED PROJETO EDUCATIVO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO MAIA

INED PROJETO EDUCATIVO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO MAIA INED INSTITUTO DE EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO PROJETO EDUCATIVO MAIA PROJETO EDUCATIVO I. Apresentação do INED O Instituto de Educação e Desenvolvimento (INED) é uma escola secundária a funcionar desde

Leia mais

Plano Anual de Atividades 2014-2015 Departamento de Ciências Humanas

Plano Anual de Atividades 2014-2015 Departamento de Ciências Humanas Visita de estudo Geografia Conhecer o funcionamento de uma unidade industrial; Reconhecer a importância da atividade industrial na economia. Geografia e Alunos do 9º Ano Unidade Industrial 2ºPeríodo Visita

Leia mais

5ª Edição do Projeto "Energia com vida"

5ª Edição do Projeto Energia com vida 5ª Edição do Projeto "Energia com vida" Maria Isabel Junceiro Agrupamento de Escolas de Marvão No presente ano letivo 2014-15, quatro turmas do Agrupamento de Escolas do Concelho de Marvão (8º e 9º anos),

Leia mais

Cidadãos do Amanhã Empreendedorismo Jovem. Seminário EUROACE «Cooperação e desenvolvimento rural. Experiências e perspectivas para 2014-2020»

Cidadãos do Amanhã Empreendedorismo Jovem. Seminário EUROACE «Cooperação e desenvolvimento rural. Experiências e perspectivas para 2014-2020» Seminário EUROACE «Cooperação e desenvolvimento rural. Experiências e perspectivas para 2014-2020» 29.Abril.2014 Idanha-a-Nova DUECEIRA GAL/ELOZ. Entre serra da LOusã e Zêzere Histórico > projecto cooperação

Leia mais

BOAS FÉRIAS, LÊ, JOGA E DIVERTE-TE!

BOAS FÉRIAS, LÊ, JOGA E DIVERTE-TE! JUNHO 2014 BOAS FÉRIAS, LÊ, JOGA E DIVERTE-TE! Caros leitores e leitoras, A presente edição é a última do Jornal Caça Notícias do Agrupamento de Escolas Roque Gameiro, mas não se preocupem, continuarão

Leia mais

Educação para a Cidadania linhas orientadoras

Educação para a Cidadania linhas orientadoras Educação para a Cidadania linhas orientadoras A prática da cidadania constitui um processo participado, individual e coletivo, que apela à reflexão e à ação sobre os problemas sentidos por cada um e pela

Leia mais

(Só faz fé a versão proferida)

(Só faz fé a versão proferida) Exmo. Senhor Presidente do Centro Desportivo e Cultural de Londres, Exmo. Senhor Embaixador, Exmo. Senhor Cônsul Geral, Exmo. Senhor Adido Social, Exmo. Senhor Conselheiro das Comunidades Madeirenses,

Leia mais

Externato Cantinho Escolar. Plano Anual de Atividades

Externato Cantinho Escolar. Plano Anual de Atividades Externato Cantinho Escolar Plano Anual de Atividades Ano letivo 2014 / 2015 Pré-escolar e 1º Ciclo Ação Local Objetivos Atividades Materiais Recursos Humanos Receção dos Fomentar a integração da criança

Leia mais

25 de Abril de 2015 Comemoração dos 41 anos da Revolução dos Cravos

25 de Abril de 2015 Comemoração dos 41 anos da Revolução dos Cravos 25 de Abril de 2015 Comemoração dos 41 anos da Revolução dos Cravos Intervenção da Deputada Municipal do PSD Célia Sousa Martins Senhora Presidente da Assembleia Municipal, Senhor Presidente da Câmara

Leia mais

2011/2012. CÂMARA MUNICIPAL ALENQUER-Divisão de Ambiente

2011/2012. CÂMARA MUNICIPAL ALENQUER-Divisão de Ambiente PLANO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL 2011/2012 CÂMARA MUNICIPAL ALENQUER-Divisão de Ambiente 2011/2012 Índice: Introdução Ações de Sensibilização: Ateliers: Datas Comemorativas: Visitas de Estudo: Concursos: Projetos:

Leia mais

Edição: Escola Profissional Abreu Callado / GAEP Periodicidade: trimestral Nº 11 Abril 2015 - Junho - 2015

Edição: Escola Profissional Abreu Callado / GAEP Periodicidade: trimestral Nº 11 Abril 2015 - Junho - 2015 Edição: Escola Profissional Abreu Callado / GAEP Periodicidade: trimestral Nº 11 Abril 2015 - Junho - 2015 nº11 Animador Sociocultural Índice Turismo Ambiental e Rural 3. EDITORIAL 4. ANIMADOR SOCIOCULTURAL

Leia mais

À DESCOBERTA DE UMA NOVA

À DESCOBERTA DE UMA NOVA ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE VELAS À DESCOBERTA DE UMA NOVA NOVA ILHA INTERCÂMBIO 5º C DAS VELAS/ 5ºC DE VILA FRANCA DO CAMPO Introdução Uma vez que o arquipélago dos Açores é composto por nove ilhas,

Leia mais

COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA JARDIM DE INFÂNCIA Nº1 PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES ANO LETIVO 2014/2015 PROJETO: CHUVA DE CORES

COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA JARDIM DE INFÂNCIA Nº1 PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES ANO LETIVO 2014/2015 PROJETO: CHUVA DE CORES COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA JARDIM DE INFÂNCIA Nº1 PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES ANO LETIVO 2014/2015 PROJETO: CHUVA DE CORES INTRODUÇÃO «Será a emergência do sentido e conteúdo curricular

Leia mais

Promover a sensibilização ambiental nos nossos centros comerciais no Brasil

Promover a sensibilização ambiental nos nossos centros comerciais no Brasil Promover a sensibilização ambiental nos nossos centros comerciais no Brasil Sonae Sierra O nosso compromisso para com o ambiente vai das nossas próprias operações até às ações dos nossos visitantes e lojistas.

Leia mais

PRÉ-ESCOLAR PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES. Vale Mourão 2014 / 2015 PROJETO: CHUVA DE CORES

PRÉ-ESCOLAR PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES. Vale Mourão 2014 / 2015 PROJETO: CHUVA DE CORES COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA PRÉ-ESCOLAR PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES Vale Mourão 2014 / 2015 PROJETO: CHUVA DE CORES INTRODUÇÃO «Será a emergência do sentido e conteúdo curricular que permitirá

Leia mais

COMPETÊNCIAS E SABERES EM ENFERMAGEM

COMPETÊNCIAS E SABERES EM ENFERMAGEM COMPETÊNCIAS E SABERES EM ENFERMAGEM Faz aquilo em que acreditas e acredita naquilo que fazes. Tudo o resto é perda de energia e de tempo. Nisargadatta Atualmente um dos desafios mais importantes que se

Leia mais

Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias 2015

Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias 2015 Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias 2015 Índice 1. Objetivos gerais:... 4 2. Objetivos específicos:... 5 3. Estratégias Educativas e Pedagógicas... 6 4. Atividades Sócio-Educativas... 7

Leia mais

Cerimónia Oficial da XIII - Edição do Festival Músicas do Mundo 22 de Julho 2011. Caros Sineenses Visitantes e participantes do F.M.

Cerimónia Oficial da XIII - Edição do Festival Músicas do Mundo 22 de Julho 2011. Caros Sineenses Visitantes e participantes do F.M. Câmara Municipal Presidência Cerimónia Oficial da XIII - Edição do Festival Músicas do Mundo 22 de Julho 2011. Caros Sineenses Visitantes e participantes do F.M.M de Sines Bem vindos à nossa grande festa

Leia mais

Plano de Desenvolvimento do Alto Minho

Plano de Desenvolvimento do Alto Minho Plano de Desenvolvimento do Alto Minho Síntese dos focus group preparatórios sobre o tema Como tornar o Alto Minho uma região resiliente 1. Sustentabilidade 2. Coesão 3. Flexibilidade e adaptabilidade

Leia mais

Sala: 4 anos (2) Educadora: Luísa Almeida

Sala: 4 anos (2) Educadora: Luísa Almeida Sala: 4 anos (2) Educadora: Luísa Almeida SETEMBRO Regresso à escola/adaptação Facilitar a adaptação/readaptação ao jardim de infância Negociar e elaborar a lista de regras de convivência Diálogo sobre

Leia mais

COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA PRÉ-ESCOLAR PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES PROJETO: CHUVA DE CORES

COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA PRÉ-ESCOLAR PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES PROJETO: CHUVA DE CORES COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA PRÉ-ESCOLAR PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES PROJETO: CHUVA DE CORES INTRODUÇÃO «Será a emergência do sentido e conteúdo curricular que permitirá distinguir e recriar

Leia mais

EDUCAÇÃO PARA A CIDADANIA

EDUCAÇÃO PARA A CIDADANIA EDUCAÇÃO PARA A CIDADANIA Ano lectivo 2014/2015 Introdução A Educação para a Cidadania é um processo ao longo da vida. Começa em casa e no meio próximo das crianças com as questões da identidade, relações

Leia mais

]ÉÜÇtÄ wt XávÉÄt. Nossas ações durante o ano de 2013. Informativo Anual das ações da ESCOLA MUNICIPAL DR. ANTÔNIO RIBEIRO. Leitura livre.

]ÉÜÇtÄ wt XávÉÄt. Nossas ações durante o ano de 2013. Informativo Anual das ações da ESCOLA MUNICIPAL DR. ANTÔNIO RIBEIRO. Leitura livre. ]ÉÜÇtÄ wt XávÉÄt Informativo Anual das ações da ESCOLA MUNICIPAL DR. ANTÔNIO RIBEIRO. ANO 2013-1ª EDIÇÃO A equipe gestora está sempre preocupada com o desempenho dos alunos e dos educadores, evidenciando

Leia mais

Relatório da atividade de Halloween 31 de outubro

Relatório da atividade de Halloween 31 de outubro SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E CULTURA DIREÇÃO REGIONAL DA EDUCAÇÃO ESCOLA BÁSICA INTEGRADA CANTO DA MAIA PONTA DELGADA Relatório da atividade de Halloween 31 de outubro Para a realização desta

Leia mais

Escola Profissional de Tecnologia Psicossocial do Porto

Escola Profissional de Tecnologia Psicossocial do Porto Missão A Escola Profissional de Tecnologia tem como missão prestar serviços educativos de excelência aos seus alunos, qualificando-os para o exercício profissional e para o prosseguimento de estudos, no

Leia mais

Visão. Missão. Valores. Escola Profissional de Tecnologia Psicossocial do Porto

Visão. Missão. Valores. Escola Profissional de Tecnologia Psicossocial do Porto Missão A Escola Profissional de Tecnologia tem como missão prestar serviços educativos de excelência aos seus alunos, qualificando-os para o exercício profissional e para o prosseguimento de estudos, no

Leia mais

Transcriça o da Entrevista

Transcriça o da Entrevista Transcriça o da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Ex praticante Clarice Local: Núcleo de Arte Grécia Data: 08.10.2013 Horário: 14h Duração da entrevista: 1h COR PRETA

Leia mais

Nº 22 - Agosto 2013 - GRATUITO. newsletter E I P D A AGENDA. copywright Escola Intercultural, empresa municipal

Nº 22 - Agosto 2013 - GRATUITO. newsletter E I P D A AGENDA. copywright Escola Intercultural, empresa municipal Nº 22 - Agosto 2013 - GRATUITO newsletter copywright Escola Intercultural, empresa municipal E I P D A ENSINO INTERVENÇÃO PARCERIAS DESENVOLVIMENTO AGENDA 01 EDITORIAL Somos o que fazemos É tempo de férias

Leia mais

RELATÓRIO. Oficina de Formação

RELATÓRIO. Oficina de Formação RELATÓRIO Oficina de Formação Exploração e construção de situações de aprendizagem da matemática com programação em Scratch no pré escolar e no 1º ciclo do ensino básico Formadores: Miguel Figueiredo e

Leia mais

DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I FORTALECENDO SABERES CIÊNCIAS NAT. CIÊNCIAS HUM. CONTEÚDO E HABILIDADES DESAFIO DO DIA. Conteúdo:

DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I FORTALECENDO SABERES CIÊNCIAS NAT. CIÊNCIAS HUM. CONTEÚDO E HABILIDADES DESAFIO DO DIA. Conteúdo: CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I Conteúdo: - Alguns aspectos que interferem na saúde das pessoas - Saúde como Direito Constitucional dos brasileiros

Leia mais

Brincar, expressando emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades;

Brincar, expressando emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades; INFANTIL I OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL Desenvolver uma imagem positiva de si, atuando de forma cada vez mais independente, com a confiança em suas capacidades e percepção de suas limitações:

Leia mais

FREIXO MARCO DE CANAVESES

FREIXO MARCO DE CANAVESES PROJETO EDUCATIVO FREIXO MARCO DE CANAVESES TRIÉNIO 2012-2015 Conteúdo 1. Caracterização da Escola Profissional de Arqueologia... 2 1.1. Origem e meio envolvente... 2 1.2. População escolar... 2 1.3. Oferta

Leia mais

ENSINAR CIÊNCIAS FAZENDO CIÊNCIA

ENSINAR CIÊNCIAS FAZENDO CIÊNCIA ENSINAR CIÊNCIAS FAZENDO CIÊNCIA Antonio Carlos Pavão Quero saber quantas estrelas tem no céu Quero saber quantos peixes tem no mar Quero saber quantos raios tem o sol... (Da canção de João da Guabiraba

Leia mais

CQEP Centro para a Qualificação e Ensino Profissional

CQEP Centro para a Qualificação e Ensino Profissional CQEP Centro para a Qualificação e Ensino Profissional Em março de 2014, o Centro para a Qualificação e o Ensino Profissional (CQEP) da Escola Secundária de Felgueiras iniciou a sua missão de informar,

Leia mais

INTERVENÇÃO DO SENHOR SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO NO SEMINÁRIO DA APAVT: QUAL O VALOR DA SUA AGÊNCIA DE VIAGENS?

INTERVENÇÃO DO SENHOR SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO NO SEMINÁRIO DA APAVT: QUAL O VALOR DA SUA AGÊNCIA DE VIAGENS? INTERVENÇÃO DO SENHOR SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO NO SEMINÁRIO DA APAVT: QUAL O VALOR DA SUA AGÊNCIA DE VIAGENS? HOTEL TIVOLI LISBOA, 18 de Maio de 2005 1 Exmos Senhores ( ) Antes de mais nada gostaria

Leia mais

Parlamento dos Jovens

Parlamento dos Jovens Parlamento dos Jovens Nos passados dias 4 e 5 de maio, jovens do 3º ciclo de todo o país e fora da Europa encontraram-se no Palácio de São Bento, em Lisboa, no seguimento dos trabalhos relativos ao projeto

Leia mais

pelouro da educação, cultura, desporto e juventude CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

pelouro da educação, cultura, desporto e juventude CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO ORDEM DE TRABALHOS.6ª reunião CME Leitura e aprovação da ata da reunião anterior; Balanço do 1º período do ano letivo 2011/12; Intervenção do representante do Ministério

Leia mais

Há cabo-verdianos a participar na vida política portuguesa - Nuno Sarmento Morais, ex-ministro da Presidência de Portugal

Há cabo-verdianos a participar na vida política portuguesa - Nuno Sarmento Morais, ex-ministro da Presidência de Portugal Há cabo-verdianos a participar na vida política portuguesa - Nuno Sarmento Morais, ex-ministro da Presidência de Portugal À margem do Fórum promovido pela Associação Mais Portugal Cabo Verde, que o trouxe

Leia mais

Ação de Formação OFERTAS CURRICULARES DIVERSIFICADAS: UMA NOVA REALIDADE ESCOLAR PARA TODOS OS DOCENTES

Ação de Formação OFERTAS CURRICULARES DIVERSIFICADAS: UMA NOVA REALIDADE ESCOLAR PARA TODOS OS DOCENTES Ação de Formação OFERTAS CURRICULARES DIVERSIFICADAS: UMA NOVA REALIDADE ESCOLAR PARA TODOS OS DOCENTES Programa para a disciplina de oferta complementar do AER (ensino básico): Educação para a Cidadania

Leia mais

Projeto Ludoteca do Turismo: atuação em escolas de Pelotas

Projeto Ludoteca do Turismo: atuação em escolas de Pelotas Projeto Ludoteca do Turismo: atuação em escolas de Pelotas Carmen Maria Nunes da Rosa 1. Universidade Federal de Pelotas Resumo: O presente trabalho trata das atividades, desenvolvidas pelo projeto Elaboração

Leia mais

Eventos. Eixo I Emprego, Formação e Qualificação. Acção: Bom Porto

Eventos. Eixo I Emprego, Formação e Qualificação. Acção: Bom Porto Eventos Eixo I Emprego, Formação e Qualificação Acção: Bom Porto - Gabinete de Empregabilidade e Empreendedorismo: Uma das acções do projecto consiste na criação de um Gabinete de atendimento na área da

Leia mais

Teatro com Teias e Histórias

Teatro com Teias e Histórias Teatro com Teias e Histórias 3 em Pipa Associação de Criação Teatral e Animação Cultural Organização de um grupo de voluntários que, integrados num projecto comunitário de vertente artística, actuam junto

Leia mais

PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE

PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE Sérgio Dal-Ri Moreira Pontifícia Universidade Católica do Paraná Palavras-chave: Educação Física, Educação, Escola,

Leia mais

Plano Anual de Atividades

Plano Anual de Atividades Plano Anual de Atividades Objetivos Atividades Responsáveis Datas Recursos Avaliaçõe s Promover o convívio entre os elementos da comunidade educativa Proporcionar momentos de alegria e partilha Recepção

Leia mais

Projecto Integrado da Baixa da Banheira

Projecto Integrado da Baixa da Banheira Projecto Integrado da Baixa da Banheira 1. INTRODUÇÃO O Projecto Integrado da Baixa da Banheira nasce de uma parceria entre a Câmara Municipal da Moita e o ICE tendo em vista induzir as Associações da

Leia mais

PLANO EDUCATIVO MUNICIPAL

PLANO EDUCATIVO MUNICIPAL MUNICÍPIO DE VOUZELA PLANO EDUCATIVO MUNICIPAL 2014/2015 Designação da Formação Toxicodependências Programa de Respostas Integradas As Crianças Marcam a Diferença! Natação 1º Ciclo Prolongamento de Horário

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIDADADE LITORAL NORTE/OSÓRIO GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA - LICENCIATURA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIDADADE LITORAL NORTE/OSÓRIO GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA - LICENCIATURA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIDADADE LITORAL NORTE/OSÓRIO GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA - LICENCIATURA CLAINES KREMER GENISELE OLIVEIRA EDUCAÇÃO AMBIENTAL: POR UMA PERSPECTIVA DE RELAÇÕES ENTRE

Leia mais

COLÉGIO INTERNATO DOS CARVALHOS

COLÉGIO INTERNATO DOS CARVALHOS COLÉGIO INTERNATO DOS CARVALHOS Ensino Básico 2º e 3º Ciclo e Cursos Secundários Científico-Tecnológicos Resultados Escolares Ano Letivo 211/212 1. Introdução Cada jovem, rapaz ou rapariga, que escolhe

Leia mais

Reflexão. A Música, as Canções e a utilização de instrumentos na Educação. Aluna: Ana Isabel Araújo Olim

Reflexão. A Música, as Canções e a utilização de instrumentos na Educação. Aluna: Ana Isabel Araújo Olim 1 Reflexão A Música, as Canções e a utilização de instrumentos na Educação Aluna: Ana Isabel Araújo Olim As escolas, ao longo do ano letivo, trabalham várias temáticas sociais. O infantário Donamina, para

Leia mais

CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL

CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL Curso: Tecnologia Social e Educação: para além dos muros da escola Resumo da experiência de Avaliação do Programa "Apoio

Leia mais

Projeto Educativo de Escola

Projeto Educativo de Escola -- Escola Secundária da Ribeira Grande Projeto Educativo de Escola 2013-2016 Projeto apreciado em reunião de Conselho Pedagógico do dia 2 de maio de 2013 B Escola Secundária da Ribeira Grande - Projeto

Leia mais

Por fora podemos ser diferentes, mas por dentro somos todos iguais.

Por fora podemos ser diferentes, mas por dentro somos todos iguais. CONCLUSÕES DO III CONGRESSO APRESENTAÇÃO DOS RELATORES Por fora podemos ser diferentes, mas por dentro somos todos iguais. Tomás, 9 anos Projecto Intervir em Marvila na EB1 Dr. João dos Santos Painel 1

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES 2015/2016. Associação Sénior de Odivelas

PLANO DE ATIVIDADES 2015/2016. Associação Sénior de Odivelas PLANO DE ATIVIDADES 2015/2016 Associação Sénior de Odivelas A Universidade Sénior de Odivelas é um projecto inovador que tem por base a promoção da qualidade de vida dos seniores de Odivelas, fomentando

Leia mais

Questões - Festas populares do mês de junho

Questões - Festas populares do mês de junho Questões - Festas populares do mês de junho 1. Descreva os elementos característicos da Festa Junina presentes nas imagens. Abertura de São João 2011, no Pelourinho http://commons.wikimedia.org/wiki/file:s%c3%a3o_jo%c3%a3o_no_pel%c3%b4_2.jpg

Leia mais

ATUAÇÃO DO PIBID NA ESCOLA: (RE) DESCOBRINDO AS PRÁTICAS LÚDICAS E INTERDISCIPLINARES NO ENSINO FUNDAMENTAL

ATUAÇÃO DO PIBID NA ESCOLA: (RE) DESCOBRINDO AS PRÁTICAS LÚDICAS E INTERDISCIPLINARES NO ENSINO FUNDAMENTAL ATUAÇÃO DO PIBID NA ESCOLA: (RE) DESCOBRINDO AS PRÁTICAS LÚDICAS E INTERDISCIPLINARES NO ENSINO FUNDAMENTAL Adriana do Nascimento Araújo Graduanda Pedagogia - UVA Francisca Moreira Fontenele Graduanda

Leia mais

PROJETO TERRA CHÃO - DANÇA E ARTE

PROJETO TERRA CHÃO - DANÇA E ARTE PROJETO TERRA CHÃO - DANÇA E ARTE 1. JUSTIFICATIVA A região do Baixo Tocantins apresenta-se na área cultural e artística, é um grande celeiro de talentos, que vem enraizado culturalmente em nosso povo,

Leia mais

Escola Profissional do Sindicato do Escritório e Comércio da Região Autónoma dos Açores. Projeto Educativo. Educar para a Cidadania

Escola Profissional do Sindicato do Escritório e Comércio da Região Autónoma dos Açores. Projeto Educativo. Educar para a Cidadania Escola Profissional do Sindicato do Escritório e Comércio da Região Autónoma dos Açores Projeto Educativo Educar para a Cidadania Preâmbulo O Projeto Educativo é o documento que consagra a orientação educativa

Leia mais

Oferta Formativa E depois do 9.º Ano Ano Letivo 2012/2013 (Concelho de Guimarães) Serviço de Psicologia e Orientação (Paulo Rodrigues)

Oferta Formativa E depois do 9.º Ano Ano Letivo 2012/2013 (Concelho de Guimarães) Serviço de Psicologia e Orientação (Paulo Rodrigues) Oferta Formativa E depois do 9.º Ano Ano Letivo 2012/2013 (Concelho de Guimarães) Serviço de Psicologia e Orientação (Paulo Rodrigues) 9.º Ano!!!!!!! E agora? F Cursos (áreas) Científico- Humanísticos

Leia mais

Projetos de Voluntariado no Concelho de Odemira

Projetos de Voluntariado no Concelho de Odemira Projetos de Voluntariado no Concelho de Odemira Inscreva-se! Uma mão, um amigo Casa do Povo de Relíquias Através da realização de atividades lúdicas, visitas domiciliárias, apoio na alimentação e acompanhamento

Leia mais

Avaliação do Projecto Curricular

Avaliação do Projecto Curricular Documento de Reflexão Avaliação do Projecto Curricular 2º Trimestre Ano Lectivo 2006/2007 Actividade Docente desenvolvida Actividade não lectiva Com base na proposta pedagógica apresentada no Projecto

Leia mais

ÁREAS DE CONTEÚDO: O QUE SÃO? COMO SE DEFINEM?

ÁREAS DE CONTEÚDO: O QUE SÃO? COMO SE DEFINEM? ÁREAS DE CONTEÚDO: O QUE SÃO? COMO SE DEFINEM? As Áreas de Conteúdo são áreas em que se manifesta o desenvolvimento humano ao longo da vida e são comuns a todos os graus de ensino. Na educação pré-escolar

Leia mais

Uma globalização consciente

Uma globalização consciente Uma globalização consciente O apelo a uma globalização mais ética tornou se uma necessidade. Actores da globalização como as escolas, devem inspirar por estes valores às responsabilidades que lhes são

Leia mais

Conhecer, sentir e viver a Floresta

Conhecer, sentir e viver a Floresta Projeto de Sensibilização e Educação da População Escolar Conhecer, sentir e viver a Floresta 2011-12 Floresta, Fonte de Vida Guia das Atividades - - Dia de S. Martinho, Castanhas e Castanheiros - Dia

Leia mais

Génios de palmo e meio Brincar com a ciência!

Génios de palmo e meio Brincar com a ciência! Plano Anual de Atividades 2014/15 Génios de palmo e meio Brincar com a ciência! Continuamos a apostar nos nossos alicerces de: Aprender a ser: o que pressupõe o desenvolvimento da autonomia, do discernimento

Leia mais

ANEXO III PROGRAMAÇÃO ARTÍSTICA LINHAS ORIENTADORAS E OBJETIVOS

ANEXO III PROGRAMAÇÃO ARTÍSTICA LINHAS ORIENTADORAS E OBJETIVOS ANEXO III PROGRAMAÇÃO ARTÍSTICA LINHAS ORIENTADORAS E OBJETIVOS CENTRO CULTURAL VILA FLOR A programação do Centro Cultural Vila Flor deverá assentar em critérios de qualidade, diversidade, contemporaneidade

Leia mais

OBJETIVOS DO PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2013-2014. Promover a participação dos Encarregados de Educação no processo de ensino e aprendizagem dos alunos

OBJETIVOS DO PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2013-2014. Promover a participação dos Encarregados de Educação no processo de ensino e aprendizagem dos alunos OBJETIVOS DO PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2013-2014 Promover o sucesso académico Reforçar a organização, coordenação e articulação curricular Promover a participação dos Encarregados de Educação no processo

Leia mais

ECONOMIA SOCIAL PORTUGUESA: PAPEL NO PÓS-TROIKA GERIR UMA FUNDAÇÃO É UM COMPROMISSO PARA O FUTURO

ECONOMIA SOCIAL PORTUGUESA: PAPEL NO PÓS-TROIKA GERIR UMA FUNDAÇÃO É UM COMPROMISSO PARA O FUTURO GERIR UMA FUNDAÇÃO É UM COMPROMISSO PARA O FUTURO Citação de Dr. Emílio Rui Vilar 2 Tempo de mudanças sociais Estamos no início de um século que se adivinha difícil e instável nos seus Problemas Globais

Leia mais

PROGRAMA ESCOLA + Voluntária

PROGRAMA ESCOLA + Voluntária PROGRAMA ESCOLA + Voluntária 1. Apresentação O voluntariado é considerado como uma atividade inerente ao exercício de cidadania que se traduz numa relação solidária para com o próximo, participando de

Leia mais

Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias

Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias Índice 1. Objetivos gerais:... 4 2. Objetivos específicos:... 5 3. Estratégias Educativas e Pedagógicas... 6 4. Atividades Sócio-Educativas... 7 5. Propostas

Leia mais

Projeto Pedagógico e de Animação

Projeto Pedagógico e de Animação Projeto Pedagógico e de Animação 1 - Memória Descritiva 2 Identificação e Caracterização da Instituição Promotora 3 - Objetivos Gerais 4 - Objetivos Específicos 5 - Princípios educacionais 6 Metodologias

Leia mais

Dreamshaper, Jovens empreendedores construindo o futuro.

Dreamshaper, Jovens empreendedores construindo o futuro. Dreamshaper, Jovens empreendedores construindo o futuro. E.E. Prof. José Pereira Éboli Sala 12 - Sessão 2 Professor(es) Apresentador(es): Meire Regina de Almeida Siqueira Maria Regina Nunes de Campos Realização:

Leia mais

Agenda 21 Local de Arganil 3ª Sessão do Fórum Participativo

Agenda 21 Local de Arganil 3ª Sessão do Fórum Participativo Agenda 21 Local de Arganil 3ª Sessão do Fórum Participativo 22 de Fevereiro 2010 Índice Índice PARTE I SÍNTESE DO 2º FÓRUM PARTICIPATIVO (10 minutos) PARTE II SÍNTESE DA ESTRATÉGIA DE SUSTENTABILIDADE

Leia mais

Quem faz a diferença? E.E.E.I. Olímpio Catão Sala 10 - Sessão 1

Quem faz a diferença? E.E.E.I. Olímpio Catão Sala 10 - Sessão 1 Quem faz a diferença? E.E.E.I. Olímpio Catão Sala 10 - Sessão 1 Professor(es) Apresentador(es): responsável: Simone da Silva de Paula corresponsável: Lucilene Fernandes Realização: Foco O Projeto Quem

Leia mais

Acesso à Educação para Filhos de Imigrantes Folheto Informativo

Acesso à Educação para Filhos de Imigrantes Folheto Informativo Acesso à Educação para Filhos de Imigrantes Folheto Informativo 1 INTRODUÇÃO O Alto Comissariado para a Imigração e Minorias Étnicas em colaboração com o Secretariado Entreculturas elaborou esta brochura

Leia mais

8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM

8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM CORRENTES DO PENSAMENTO DIDÁTICO 8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM Se você procurar no dicionário Aurélio, didática, encontrará o termo como feminino substantivado de didático.

Leia mais

A ideia inicial é tornar o conteúdo mais dinâmico, menos descritivo e valorizar mais as pesquisas, as atividades lúdicas, artísticas, investigativas

A ideia inicial é tornar o conteúdo mais dinâmico, menos descritivo e valorizar mais as pesquisas, as atividades lúdicas, artísticas, investigativas A ideia inicial é tornar o conteúdo mais dinâmico, menos descritivo e valorizar mais as pesquisas, as atividades lúdicas, artísticas, investigativas e as representações subjetivas sobre os conceitos estudados.

Leia mais

Externato Paroquial de Colares

Externato Paroquial de Colares Fazer uma escultura é muito simples, é só arranjar um bloco de pedra e depois tirar o que estiver a mais. ( ) Educar uma criança é um processo muito simples, é só arranjar uma criança e depois deixa-la

Leia mais

REGULAMENTO DO CENTRO DE ATIVIDADES E RECURSOS CAR

REGULAMENTO DO CENTRO DE ATIVIDADES E RECURSOS CAR REGULAMENTO DO CENTRO DE ATIVIDADES E RECURSOS CAR INDÍCE A) Noção... 2 B) Objetivos... 2 C) Destinatários... 2 D) Serviços do Centro de Atividades e Recursos (C.A.R.)... 2 E) Atividades... 3 F) Condições

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL: Educando gerações para repensar, reduzir, reaproveitar e reciclar EDSON MANOEL DA SILVA

EDUCAÇÃO AMBIENTAL: Educando gerações para repensar, reduzir, reaproveitar e reciclar EDSON MANOEL DA SILVA 1 EDUCAÇÃO AMBIENTAL: Educando gerações para repensar, reduzir, reaproveitar e reciclar Introdução EDSON MANOEL DA SILVA O projeto de Educação Ambiental realizado na Escola Antônio Firmino, rede municipal

Leia mais

Transcrição de Entrevista n º 22

Transcrição de Entrevista n º 22 Transcrição de Entrevista n º 22 E Entrevistador E22 Entrevistado 22 Sexo Masculino Idade 50 anos Área de Formação Engenharia Electrotécnica E - Acredita que a educação de uma criança é diferente perante

Leia mais

5- Cite, em ordem de preferência, três profissões que você mais gostaria de exercer: 1º 2º 3º

5- Cite, em ordem de preferência, três profissões que você mais gostaria de exercer: 1º 2º 3º 18. DICAS PARA A PRÁTICA Orientação para o trabalho A- Conhecimento de si mesmo Sugestão: Informativo de Orientação Vocacional Aluno Prezado Aluno O objetivo deste questionário é levantar informações para

Leia mais

AULA CRIATIVA DE HISTÓRIA - FOLCLORE

AULA CRIATIVA DE HISTÓRIA - FOLCLORE AULA CRIATIVA DE HISTÓRIA - FOLCLORE Mesmo não acreditando na Educação Criativa, o professor pode fazer uma experiência para ver o resultado. É o caso da professora deste relato. Glorinha Aguiar glorinhaaguiar@uol.com.br

Leia mais

DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ARTÍSTICA EDUCAÇÃO FÍSICA _7º ANO_A

DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ARTÍSTICA EDUCAÇÃO FÍSICA _7º ANO_A DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ARTÍSTICA EDUCAÇÃO FÍSICA _7º ANO_A Ano Letivo: 0/03. Introdução A Educação Física, enquanto área curricular estabelece um quadro de relações com as que com ela partilham

Leia mais

SUPLEMENTO I SÉRIE ÍNDICE. Ministério da Educação e Ciência. Quarta-feira, 26 de setembro de 2012 Número 187

SUPLEMENTO I SÉRIE ÍNDICE. Ministério da Educação e Ciência. Quarta-feira, 26 de setembro de 2012 Número 187 I SÉRIE Quarta-feira, 26 de setembro de 2012 Número 187 ÍNDICE SUPLEMENTO Ministério da Educação e Ciência Portaria n.º 292-A/2012: Cria uma experiência-piloto de oferta formativa de cursos vocacionais

Leia mais

plano anual de educação ambiental

plano anual de educação ambiental plano anual de educação ambiental 2009/2010 complexo de educação ambiental da quinta da gruta PROGRAMA SÉNIOR Grelha Resumo Sector Designação Opção I - Atelier Entrelaçando Opção II - Atelier de Olaria

Leia mais

Vamos Vestir o Mar Nível de ensino: Articulação Curricular: 5.º ano Ciências Naturais

Vamos Vestir o Mar Nível de ensino: Articulação Curricular: 5.º ano Ciências Naturais Vamos Vestir o Mar Nível de ensino: 5.º, 6.º, 7.º, 8.º e 9.º ano As atividades desta ficha deverão ser realizadas de forma interdisciplinar Articulação Curricular: 5.º ano Ciências Naturais no domínio

Leia mais

PES Promoção e Educação para a Saúde

PES Promoção e Educação para a Saúde (A PREENCHER PELA COMISSÃO DO PAA) Atividade Nº AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE FRAGOSO Projeto PES Promoção e Educação para a Saúde Equipa Dinamizadora: Alice Gonçalves e Rosa Rêgo Ano letivo 2014/2015

Leia mais

visão global do mundo dos negócios

visão global do mundo dos negócios Senhor Primeiro Ministro Senhor Ministro da Saúde Senhor Presidente da AM Senhor Presidente do CA da Lenitudes Senhores Deputados Srs. Embaixadores Srs. Cônsules Senhores Vereadores e Deputados Municipais

Leia mais

PROPOSTA DE PROGRAMA DE ACÇÃO PEDAGÓGICA SOBRE ARQUITECTURA, CIDADE E TERRITÓRIO PARA CRIANÇAS ANDREIA SALAVESSA

PROPOSTA DE PROGRAMA DE ACÇÃO PEDAGÓGICA SOBRE ARQUITECTURA, CIDADE E TERRITÓRIO PARA CRIANÇAS ANDREIA SALAVESSA PROPOSTA DE PROGRAMA DE ACÇÃO PEDAGÓGICA SOBRE ARQUITECTURA, CIDADE E TERRITÓRIO PARA CRIANÇAS ANDREIA SALAVESSA OLHAR PARA VER OBJECTIVOS O desafio passa por analisar o meio construído segundo as suas

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FERNANDO PESSOA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FERNANDO PESSOA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FERNANDO PESSOA Regulamento do Curso Vocacional Artes e Multimédia Ensino Básico 3º ciclo Artigo 1.º Âmbito e Enquadramento O presente regulamento estabelece as diretrizes essenciais

Leia mais

FREGUESIA DE ARRUDA DOS VINHOS

FREGUESIA DE ARRUDA DOS VINHOS FREGUESIA DE ARRUDA DOS VINHOS lano de Activida e es Orçamento PPI 2012 À INTRODUCÃO Para cumprimento do disposto na alínea a) do n 2 do artigo 34 da lei n 169/99 de 18 de Setembro, na redacção que lhe

Leia mais

Calendarização Atividade Objetivos Responsáveis Destinatários 1º PERÍODO

Calendarização Atividade Objetivos Responsáveis Destinatários 1º PERÍODO 1 Calendarização Atividade Objetivos Responsáveis Destinatários 1º PERÍODO Setembro Acolhimento das crianças - Integração e adaptação das crianças ao Centro Infantil Setembro Reunião de Pais e Encarregados

Leia mais

Cerimónia de Assinatura Protocolo AICEP/CRUP

Cerimónia de Assinatura Protocolo AICEP/CRUP Cerimónia de Assinatura Protocolo AICEP/CRUP Lisboa, 10 janeiro 2014 António Rendas Reitor da Universidade Nova de Lisboa Presidente do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas Queria começar

Leia mais

Agradeço aos conselheiros que representam todos os Associados do Estado, o que faço na pessoa do Conselheiro Decano, João Álfaro Soto.

Agradeço aos conselheiros que representam todos os Associados do Estado, o que faço na pessoa do Conselheiro Decano, João Álfaro Soto. Agradecimentos: Cumpre-me inicialmente agradecer a toda Diretoria Executiva, especialmente ao Teruo, por confiarem no meu trabalho e me darem toda a autonomia necessária para fazer o melhor que fui capaz

Leia mais

Exmo. Presidente do município da Murtosa, Joaquim Santos Baptista; - na sua pessoa uma saudação aos eleitos presentes e a esta hospitaleira terra!

Exmo. Presidente do município da Murtosa, Joaquim Santos Baptista; - na sua pessoa uma saudação aos eleitos presentes e a esta hospitaleira terra! Exmo. Presidente do município da Murtosa, Joaquim Santos Baptista; - na sua pessoa uma saudação aos eleitos presentes e a esta hospitaleira terra! 1 Exmo. Diretor-Geral da Educação, em representação do

Leia mais

ANÁLISE SWOT DO ENSINO SUPERIOR PORTUGUÊS

ANÁLISE SWOT DO ENSINO SUPERIOR PORTUGUÊS ENCONTRO DA COMISSÃO SECTORIAL PARA A EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO CS/11 ANÁLISE SWOT DO ENSINO SUPERIOR PORTUGUÊS OPORTUNIDADES, DESAFIOS E ESTRATÉGIAS DE QUALIDADE APRESENTAÇÃO DO TRABALHO GT2 - Ensino Superior

Leia mais

Projeto Intervir em Marvila Responsável do Executivo: Jorge Máximo (Secretário e Responsável do Pelouro da Economia e Sociedade)

Projeto Intervir em Marvila Responsável do Executivo: Jorge Máximo (Secretário e Responsável do Pelouro da Economia e Sociedade) Projeto Intervir em Marvila Responsável do Executivo: Jorge Máximo (Secretário e Responsável do Pelouro da Economia e Sociedade) Coordenadora: Joana Gonçalves Equipa Técnica: David Rodrigues Marina Fernandes;

Leia mais

O dia foi dos mais novos

O dia foi dos mais novos O dia foi dos mais novos Diversas atividades marcaram ontem as comemorações do Dia da Criança em Ponta Delgada, com cerca de 3050 meninos. Cidade ganhou colorido especial PÂGINAS2E3 Diversas atividades

Leia mais

PLANTANDO NOVAS SEMENTES NA EDUCAÇÃO DO CAMPO

PLANTANDO NOVAS SEMENTES NA EDUCAÇÃO DO CAMPO PLANTANDO NOVAS SEMENTES NA EDUCAÇÃO DO CAMPO Alunos Apresentadores:Aline Inhoato; Rafhaela Bueno de Lourenço; João Vitor Barcelos Professor Orientador: Mario Ubaldo Ortiz Barcelos -Email: muobubaldo@gmail.com

Leia mais