SIARS ACES LINHA DIRECTA N. 2

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SIARS ACES LINHA DIRECTA N. 2"

Transcrição

1 Questões da Semana 1 Indicadores solicitados no âmbito do Relatório Anual de Acesso a Cuidados de Saúde Relatórios SIARS a utilizar para o preenchimento do quadro pág.12 Com o objectivo de responder às diversas questões que têm sido colocadas e para uniformizar os critérios de preenchimento, sugerimos que sejam utilizados os seguintes mapas do SIARS para obter os dados solicitados. Consultas de Medicina Geral e Familiar * Consultas de Saúde infantil/ Saúde materna/ familiar Relatório SIARS Local Observações Atento às Notas Técnicas insertas na Portaria nº 1529/2008 de 26 de Consultas 1as e seguintes Consultas>SINUS Dezembro. As consultas urgentes não estão incluídas; Consultas 1as e seguintes Consultas>SINUS Adicionar ao relatório o atributo programa de saúde disponível na caixa do lado esquerdo objectos do relatório Vigilância de doentes diabéticos / hipertensos Nº de Consultas por programa de saúde Consultas> SAM O relatório devolve o total de consultas (1ª coluna) e o nº de 1as no ano (utilizadores) Consultas médicas no domicílio Domicílios médicos Consultas>SINUS Consultas de enfermagem no domicílio Contactos de Enfermagem em Domicílios SAPE Diferenças entre nº de consultas em programas de Saúde SAM e SINUS Na Linha directa 1 foram analisadas e explicadas as diferenças entre totais de consultas SINUS e SAM (Na ARS Norte em 2009 existem registos médicos de consultas e registos administrativos, diferença que nos parece aceitável). No entanto, vários ACES questionaram nos acerca das diferenças entre o nº de consultas em Programas de Saúde SINUS e SAM. Na verdade, os valores são bastante distintos, o que seria de prever, atendendo a que o registo SINUS é administrativo e que todas as consultas ocorridas em horário normal ficam adstritas a programas de saúde (específicos ou não como o caso da saúde de adultos). O registo SAM, efectuado pelo médico, deverá corresponder a uma verdadeira consulta em programa de vigilância. No entanto, apesar de os dois registos, terem forçosamente de apresentar valores diferentes, encontramos algumas incoerências nos registos SAM, pelo que, para o preenchimento deste relatório, se optou, em algumas situações, pelos 1

2 registos SINUS. Todas as consultas de vigilância não associadas aos programas de saúde tradicionais surgem no SIARS agrupadas na categoria Programa Especifico CS, correspondendo a mais de 50% de todas as consultas de vigilância. Seria interessante futuramente tipificar os problemas de saúde associados a estas consultas. Por outro lado, ao analisar o nº de consultas em programa de vigilância de Saúde Infantil por grupo etário verificámos que quer o total de consultas, quer a média de consultas por utilizador são muito inferiores ao recomendado. Estas questões vão ser analisadas e logo que sejam esclarecidas serão informados por esta via. 2 Indicadores oficiais A USF Baltar colocou algumas questões relacionadas com os indicadores oficiais, indicando algumas diferenças relativamente aos valores obtidos por outras fontes. É difícil aquilatar as diferenças mencionadas porque não sabemos a forma como foi feita localmente a pesquisa. No SIARS estes indicadores cumprem os requisitos emanados pela Missão de Cuidados de Saúde Primários. 2

3 Indicador 6.4 Percentagem de grávidas com revisão de puerpério efectuada: Que grávidas foram consideradas no cálculo: todas as inscritas na USF ou apenas as vigiadas na USF? Até quando consideram validada a consulta de puerpério? Às 6 semanas pós parto ou entre as 4 6 semanas pós parto? Critérios de inclusão: Numerador: Denominador; Ter consulta de revisão de puerpério realizada até 6 semanas (42 dias) após a data do parto. Denominador; Ter uma inscrição na Unidade Funcional (USF/UCSP) no período em análise; Ser mulher; Ter pelo menos um destes diagnósticos sinalizado como activo na sua lista de problemas (classificação ICPC W78, W79. W84); Ter compromisso de vigilância em Saúde Materna no período em análise; Ter completado 6 semanas (42 dias) após a data de parto, no período em análise. Indicador 5.13 Percentagem de inscritos com peso e altura registado nos últimos 12 meses (vigilância infantil): Quais os critérios: são consideradas todas as crianças ou apenas as vigiadas na USF? Critérios de inclusão: Numerador: Denominador Ter registo de peso e altura no mesmo dia no período de 12 meses prévios a completar 2 anos. Denominador: Ter uma inscrição na Unidade Funcional (USF/UCSP) no período em análise; Ter completado 2 anos no período em análise; Ter compromisso de vigilância em Saúde Infantil no período em análise. Indicador 5.13 Percentagem de hipertensos com registo de IMC nos últimos 12 meses; Critérios de inclusão: Numerador: Denominador; Ter registo de IMC nos últimos 12 meses; Se utente tiver menos de 20 anos o registo de altura deve ter sido efectuado há menos de 2 anos em relação ao período de tempo em análise. Denominador: Ter uma inscrição na Unidade Funcional (USF/UCSP) no período em análise; 3

4 Ter este diagnóstico sinalizado como activo na sua lista de problemas (classificação ICPC = K86 ou K87); Ter compromisso de vigilância na Unidade Funcional (USF/UCSP) no programa de Hipertensão. As fórmulas de cálculo de todos os indicadores oficiais estão disponíveis em: saude.pt/portals/0/calculo%20indicadores_2009.pdf 3 Médicos que não pertencem às Unidades de Saúde A USF do Mar pede que sejam corrigidos nos dados do SIARS os médicos que estão "atribuídos" à USF. Mais concretamente, o Dr. Oliveira Branco, o Dr. Miguel Fernandes e a Dr.ª Isabel Hora, não pertencem à USF do Mar. Dois dos médicos mencionados já não aparecem nos dados de 28 de Fevereiro de O Dr. Manuel Fernandes ainda aparece no relatório ainda que com apenas um inscrito. Estes erros nada têm que ver com o SIARS, o problema está na fonte, o SINUS, onde existem estas listas residuais que têm que ser eliminadas. Na 1ª informação mensal será enviada uma lista de todos os casos que necessitam de validação e correcção. 4

5 Novos desenvolvimentos Consultas>SINUS> Consultas 1as e seguintes Foi disponibilizado o atributo Programa de Saúde no relatório Consultas 1as e seguintes de Consultas SINUS. A coluna Não especificado corresponde às consultas de revisão de puerpério. Para efeitos de preenchimento do Relatório Anual de Acesso a Cuidados de Saúde, estas consultas devem ser adicionadas às seguintes. 5

6 Consultas>SAM>Acessibilidade ao médico de família Foi criado um novo relatório com dados sobre registos médicos de consultas (SAM) Acessibilidade ao médico de família, que seguramente será um óptimo instrumento de gestão. Neste relatório podem ser observadas, para cada médico, o número e % de consultas realizadas aos seus utentes, aos utentes de outros médicos e aos utentes sem médico de família. Removendo o atributo médico, é possível observar a informação global por Extensão/USF, Centro de Saúde e ACES. Num futuro próximo será disponibilizado um outro relatório com a taxa de utilização por médico de família.. 6

REUNIÃO DE CONTRATUALIZAÇÃO. Data 22/07/2008 Hora de início: 18,00 h Hora de fim: 20,00 h

REUNIÃO DE CONTRATUALIZAÇÃO. Data 22/07/2008 Hora de início: 18,00 h Hora de fim: 20,00 h REUNIÃO DE CONTRATUALIZAÇÃO ACTA Nº1/2008 ADENDA Data 22/07/2008 Hora de início: 18,00 h Hora de fim: 20,00 h Participantes: Conselho Directivo Enf. Isabel Oliveira Depart. Contratualização: Dr.ª Manuela

Leia mais

Responsável. USF Monte Caparica Américo Varela. Data Início Actividade CS Costa de Caparica Luís Marquês. ACES Almada

Responsável. USF Monte Caparica Américo Varela. Data Início Actividade CS Costa de Caparica Luís Marquês. ACES Almada Responsável Monte Caparica Américo Varela Data Início Actividade 01-05-2008 CS Costa de Caparica Luís Marquês ACES Almada Data Início Modelo B 01-05-2008 ARS Lisboa e Vale do Tejo Rui Portugal Utentes

Leia mais

CONTRATUALIZAÇÃO NOS ACES

CONTRATUALIZAÇÃO NOS ACES CONTRATUALIZAÇÃO NOS ACES Margarida Aguiar USF Valongo (coordenadora) Reunião Nacional de Directores Executivos dos ACES 6 de Março 2009- Peniche margarida.abreu.aguiar@gmail.com Contratualização Peça

Leia mais

Bolsa de. Objetivos Individuais

Bolsa de. Objetivos Individuais Carreira Especial de Enfermagem Avaliação de Desempenho Biénio 2015 2016 Bolsa de s Individuais Sumário s Individuais de Realização pg. 03 s Individuais de Qualidade pg. 11 s Individuais de Aperfeiçoamento

Leia mais

- Unidade de Saúde Familiar S. João de Ovar Modelo A

- Unidade de Saúde Familiar S. João de Ovar Modelo A CARTA DE COMPROMISSO - Unidade de Saúde Familiar S. João de Ovar Modelo A O Agrupamento dos Centros de Saúde (ACES) Baixo Vouga III, representado pelo seu Director Executivo, Dr. Manuel Sebe e a Unidade

Leia mais

- Unidade de Saúde Familiar da BARRINHA - Modelo B

- Unidade de Saúde Familiar da BARRINHA - Modelo B CARTA DE COMPROMISSO - Unidade de Saúde Familiar da BARRINHA - Modelo B O Agrupamento dos Centros de Saúde (ACES) BAIXO VOUGA III, representado pelo seu Director Executivo, Dr. MANUEL SEBE e a Unidade

Leia mais

CARTA DE COMPROMISSO

CARTA DE COMPROMISSO A Administração Regional de Saúde (ARS), representada pelo seu Presidente, Dr. e a Unidade de Saúde Familiar (USF), representada pelo seu Coordenador, Dr., constituída com base na homologação pelo Conselho

Leia mais

Manual delta.online. Barómetro de Ideias

Manual delta.online. Barómetro de Ideias Página 1 Índice O nome delta.online...1 Login...2 Perfis de utilização...3 Menus...4 Impressão ou exportação...4 Filtros...5 Quadros globais...7 Ordenação de resultados...8 Filtros unidades observação...9

Leia mais

CARTA DE COMPROMISSO

CARTA DE COMPROMISSO A Administração Regional de Saúde (ARS) do Centro, representada pelo seu Presidente, Dr. João Pedro Pimentel e a Unidade de Saúde Familiar (USF) São Julião, representada pelo seu Coordenador, Dr. José

Leia mais

Plataforma / SIARS / 30 de Maio de 2015 Isabel Barbosa

Plataforma  / SIARS / 30 de Maio de 2015 Isabel Barbosa Plataforma SIM@SNS SIM@SNS / SIARS / MIM@UF 30 de Maio de 2015 Isabel Barbosa 1 Agenda Agenda Enquadramento Caraterização (SIM@SNS / SIARS / MIM@UF) Evolução da plataforma SIM@SNS 2 Enquadramento Plataforma

Leia mais

SIARS ACES LINHA DIRECTA N

SIARS ACES LINHA DIRECTA N Sumário: 1- Dúvidas mais frequentes - Médico desconhecido nos indicadores de faturação - Utentes não frequentadores 2- Novos desenvolvimentos - Pasta Saúde Pública - Número de episódios Doenças agudas

Leia mais

o Agrupamento dos Centros de Saúde (ACES) Pinhal Litoral 11,representado pela Presidente do Conselho

o Agrupamento dos Centros de Saúde (ACES) Pinhal Litoral 11,representado pela Presidente do Conselho CARTA DE COMPROMISSO Unidade de Saúde Familiar Condestável Modelo A o Agrupamento dos Centros de Saúde (ACES) Pinhal Litoral 11,representado pela Presidente do Conselho Clínico, Dra. Maria Isabel Poças

Leia mais

Principais correcções efectuadas

Principais correcções efectuadas GIAE Versão 2.0.8 Janeiro de 2011 Com o objectivo de unificar a versão em todos os módulos do GIAE, incluindo o GestorGIAE, todos os módulos são actualizados para a versão 2.0.8. Muito Importante: Antes

Leia mais

Resumo da monitorização mensal da atividade assistencial no SNS julho

Resumo da monitorização mensal da atividade assistencial no SNS julho Resumo da monitorização mensal da atividade assistencial no SNS julho 2015 www.acss.min-saude.pt Monitorização do Serviço Nacional de Saúde http://benchmarking.acss.min-saude.pt/benchmarking.aspx 2 Monitorização

Leia mais

Estudo de prevalência da hipertensão arterial, excesso de peso e obesidade no concelho de Vizela em

Estudo de prevalência da hipertensão arterial, excesso de peso e obesidade no concelho de Vizela em Estudo de prevalência da hipertensão arterial, excesso de peso e obesidade no concelho de Vizela em 2007-2010 Guimarães A. Unidade de Saúde Familiar Physis, Vizela, Portugal Resumo Este estudo teve como

Leia mais

Caracterização do ACES LISBOA NORTE

Caracterização do ACES LISBOA NORTE Caracterização do ACES LISBOA NORTE 2013 ACES Lisboa Norte Quem somos e onde estamos Missão Prestar Cuidados de Saúde Primários de qualidade, com eficiência e eficácia, à população da sua área geográfica

Leia mais

Apresentação aos novos Médicos MGF

Apresentação aos novos Médicos MGF Apresentação aos novos Médicos MGF Diretor Executivo Gonçalves André TORRES VEDRAS 31-05-2016 PLANO DE EXPOSIÇÃO Caracterização Geral do ACES Oeste Sul Resultados Impacto da Contratualização no desempenho

Leia mais

Com a linha dos Cuidados Bordamos a Saúde

Com a linha dos Cuidados Bordamos a Saúde Com a linha dos Cuidados Espere o melhor de nós Queremos tratá-lo com respeito. Queremos que tenha acesso a cuidados de saúde de qualidade. Compreendemos que queira recusar um acto médico ou que queira

Leia mais

Praceta Recarei de Cima, Leça do Balio, Matosinhos Telefone: ; Fax:

Praceta Recarei de Cima, Leça do Balio, Matosinhos Telefone: ; Fax: CARTAA DE QUALIDADE UNIDADE DE SAÚDE FAMILIAR PORTA DO SOL Praceta Recarei de Cima, 56 4465-339 Leça do Balio, Matosinhos Telefone: 220969178; Fax: 220969179 e-mail: usf.portadosol@ulsm.min-saude.pt Horário

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE 1.º CHEQUE-DENTISTA

UTILIZAÇÃO DE 1.º CHEQUE-DENTISTA GUIA DO UTILIZADOR DO SISO UTILIZAÇÃO DE 1.º CHEQUE-DENTISTA Data: 30-06-2008 Versão: 1.0 Sumário: Guia do utilizador do SISO para Estomatologistas e Médicos Dentistas, relativo à utilização do 1.º Cheque-Dentista,

Leia mais

Movimento. Assistencial das. Unidades de Saúde. Área Funcional de Estatística - Núcleo de Estudos e Planeamento. Paula Cunha NEP-Estatística

Movimento. Assistencial das. Unidades de Saúde. Área Funcional de Estatística - Núcleo de Estudos e Planeamento. Paula Cunha NEP-Estatística 2013 Movimento Assistencial das Unidades de Saúde Área Funcional de Estatística - Núcleo de Estudos e Planeamento Paula Cunha NEP-Estatística Ficha Técnica Título Movimento Assistencial das Unidades de

Leia mais

ANEXO I PLANO DE AVALIAÇÃO REGIÃO CENTRO

ANEXO I PLANO DE AVALIAÇÃO REGIÃO CENTRO PROGRAMA NACIONAL DE VACINAÇÃO ANEXO I PLANO DE AVALIAÇÃO REGIÃO CENTRO SUPORTES DE RECOLHA DE DADOS PROGRAMA VACINAÇÃO - Projecto A excelência na vacinação - 2.ª actualização - 2007 ANEXO I SUPORTES DE

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DA CONTRATUALIZAÇÃO EM CUIDADOS DE SAÚDE PRIMÁRIOS

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DA CONTRATUALIZAÇÃO EM CUIDADOS DE SAÚDE PRIMÁRIOS RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DA CONTRATUALIZAÇÃO EM CUIDADOS DE SAÚDE PRIMÁRIOS UNIDADES DE SAÚDE FAMILIAR (USF) E UNIDADES DE CUIDADOS DE SAÚDE PERSONALIZADOS (UCSP) ANO 2012 Departamento de Planeamento e Contratualização,

Leia mais

Principais correcções efectuadas

Principais correcções efectuadas GIAE Versão 2.1.0 15 Março de 2011 Com o objectivo de unificar a versão em todos os módulos do GIAE, incluindo o GestorGIAE, todos os módulos são actualizados para a versão 2.1.0. Muito Importante: Antes

Leia mais

Guia do Utente PELA SUA SAÚDE! QUEREMOS QUE TENHA ACESSO A CUIDADOS DE SAÚDE DE QUALIDADE

Guia do Utente PELA SUA SAÚDE! QUEREMOS QUE TENHA ACESSO A CUIDADOS DE SAÚDE DE QUALIDADE Avª Afonso III, Lote 1 100-0 Lisboa T. 21 810 10 10 Fax. 21 812 21 Transportes públicos: Carris 42 e 18 A paragem é em frente á USF. PELA SUA SAÚDE! QUEREMOS QUE TENHA ACESSO A CUIDADOS DE SAÚDE DE QUALIDADE

Leia mais

Anexo1: Melhoria contínua de qualidade - melhoria do controlo metabólico nos doentes vigiados na consulta multidisciplinar de diabetes da USF..

Anexo1: Melhoria contínua de qualidade - melhoria do controlo metabólico nos doentes vigiados na consulta multidisciplinar de diabetes da USF.. Relatório de Atividades Ano de Unidade de Saúde Familiar do Monte de Caparica ACES Almada Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo - IP Ministério da Saúde Fevereiro de 2011 Unidade de

Leia mais

MINISTÉRIOS DAS FINANÇAS E DA SAÚDE

MINISTÉRIOS DAS FINANÇAS E DA SAÚDE 7004-(22) Diário da República, 1.ª série N.º 252 30 de dezembro de 2013 MINISTÉRIOS DAS FINANÇAS E DA SAÚDE Portaria n.º 377-A/2013 de 30 de dezembro A reforma dos Cuidados de Saúde Primários, iniciada

Leia mais

Manual de Utilizador

Manual de Utilizador Manual de Utilizador Introdução Este manual de utilizador tem por objectivo a introdução ao programa de gestão de um campeonato de voleibol aos seus utilizadores. Para isso, a informação será organizada

Leia mais

Universidade do Algarve Faculdade das Ciências e Tecnologias Redes de Telecomunicações 2005/2006. Relatório não técnico. Dieta para adultos

Universidade do Algarve Faculdade das Ciências e Tecnologias Redes de Telecomunicações 2005/2006. Relatório não técnico. Dieta para adultos Universidade do Algarve Faculdade das Ciências e Tecnologias Redes de Telecomunicações 2005/2006 Relatório não técnico Dieta para adultos Docente: Profª Drª Ana Isabel Leiria Discentes: Laurinda Fernandes

Leia mais

Objectivos da Qualidade

Objectivos da Qualidade Objectivos da Ano: 2008 Rev: 01 Objectivo da Aumentar adesão dos utentes ao rastreio do cancro do colo do útero cobertura (exames realizados) 4699 mulheres Aumentar adesão dos utentes ao rastreio do cancro

Leia mais

AVALIAÇÃO DA ATIVIDADE CONTRATUALIZADA EM CUIDADOS DE SAÚDE PRIMÁRIOS

AVALIAÇÃO DA ATIVIDADE CONTRATUALIZADA EM CUIDADOS DE SAÚDE PRIMÁRIOS 2006- DEPARTAMENTO DE CONTRATUALIZAÇÃO AVALIAÇÃO DA ATIVIDADE CONTRATUALIZADA EM CUIDADOS DE SAÚDE PRIMÁRIOS ANÁLISE 2006- VERSÃO FINAL DO RELATÓRIO DE ATIVIDADES APÓS ANÁLISE E REVISÃO PELO DC DAS RECLAMAÇÕES

Leia mais

1. Introdução. 2. Acesso ao Portal - Código de Estabelecimento de Ensino

1. Introdução. 2. Acesso ao Portal - Código de Estabelecimento de Ensino Manual do Portal MyEscola 1. Introdução 2. Acesso ao Portal 3. Formulário de Login 4. Recuperação de Password 5. Portal 1. Mensagens 2. Documentos 3. Escola 4. Alunos 5. Professores 6. Horário 7. Calendário

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL SOBRE O ACESSO A CUIDADOS DE SAÚDE

RELATÓRIO ANUAL SOBRE O ACESSO A CUIDADOS DE SAÚDE RELATÓRIO ANUAL SOBRE O ACESSO A CUIDADOS DE SAÚDE As entidades prestadoras de cuidados de saúde devem publicar e divulgar, até 31 de Março de cada ano, um relatório circunstanciado sobre o acesso aos

Leia mais

CÁLCULO DE INDICADORES DE DESEMPENHO

CÁLCULO DE INDICADORES DE DESEMPENHO UN. SAÚDE FAMILIAR E UN. CUIDADOS DE SAÚDE PERSONALIZADOS CÁLCULO DE INDICADORES DE DESEMPENHO CRITÉRIOS A OBSERVAR NA SUA IMPLEMENTAÇÃO 3 de Setembro de 2009 Versão revista a 19 de Fevereiro de 2010 Conteúdo

Leia mais

Portal do Mandatário. Perguntas Frequentes

Portal do Mandatário. Perguntas Frequentes Portal do Mandatário Perguntas Frequentes O que posso fazer através do Portal do Mandatário? Como posso entrar no Portal do Mandatário? Qual a diferença entre Os meus Processos e As minhas Peças Processuais?

Leia mais

Melhoria Contínua da Qualidade no ACES Lisboa Norte

Melhoria Contínua da Qualidade no ACES Lisboa Norte Melhoria Contínua da Qualidade no ACES Lisboa Norte Dos registos clínicos: médicos e de enfermagem Qualidade e segurança do doente Lucília Martinho médica, presidente da CQSD Maria Teresa Antunes enfermeira

Leia mais

Candidatura on-line Instruções operacionais de preenchimento

Candidatura on-line Instruções operacionais de preenchimento NOTA PRÉVIA A candidatura ao Programa Nacional de Financiamento a projectos pelo INR, I.P. efetua-se exclusivamente online, através da plataforma web disponível no separador Programas e Projetos em www.inr.pt.

Leia mais

Quadro de Avaliação e Responsabilização (QUAR) SIADAP 1 - Ministério da Saúde

Quadro de Avaliação e Responsabilização (QUAR) SIADAP 1 - Ministério da Saúde MISSÃO DO ORGANISMO : Garantir à população da região de saúde do Norte o acesso a cuidados de saúde de qualidade, em tempo útil e a custos socialmente comportáveis, adequando os recursos disponíveis às

Leia mais

CONTRATUALIZAÇÃO COM AS UNIDADES DE SAÚDE FAMILIARES

CONTRATUALIZAÇÃO COM AS UNIDADES DE SAÚDE FAMILIARES MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE AGÊNCIAS DE CONTRATUALIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE SAÚDE CONTRATUALIZAÇÃO COM AS UNIDADES DE SAÚDE FAMILIARES 2006 MODELO 1 E RRE JUNHO de 2006 In the context

Leia mais

Violeta Alarcão, Milene Fernandes, Elisa Lopes, Carlota Lavinas, Paulo Nicola, Evangelista Rocha HIPERTENSO MEDICADO

Violeta Alarcão, Milene Fernandes, Elisa Lopes, Carlota Lavinas, Paulo Nicola, Evangelista Rocha HIPERTENSO MEDICADO Identificação do melhor método de amostragem de hipertensos medicados entre imigrantes dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) e não-imigrantes seguidos nos Cuidados de Saúde Primários

Leia mais

RECURSOS HUMANOS EM MEDICINA GERAL E FAMILIAR:

RECURSOS HUMANOS EM MEDICINA GERAL E FAMILIAR: RECURSOS HUMANOS EM MEDICINA GERAL E FAMILIAR: SITUAÇÃO ACTUAL E PERSPECTIVAS DE FUTURO PAULA SANTANA HELENA PEIXOTO 27º Encontro Nacional de Clínica Geral, Vilamoura, Março de 2010 Objectivos do Estudo

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE NATAÇÃO DO ALENTEJO REGULAMENTO REGIONAL DE COMPETIÇÕES NATAÇÃO PURA

ASSOCIAÇÃO DE NATAÇÃO DO ALENTEJO REGULAMENTO REGIONAL DE COMPETIÇÕES NATAÇÃO PURA ASSOCIAÇÃO DE NATAÇÃO DO ALENTEJO REGULAMENTO REGIONAL DE COMPETIÇÕES NATAÇÃO PURA ÉPOCA 2015/2016 DISPOSIÇÕES GERAIS 1 Introdução: O documento que se apresenta regulamentará todas as provas de Atletas

Leia mais

O Regulamento de Inscrição prevê que o candidato a inscrição na OA, no âmbito do processo de admissão por estágio, frequente obrigatoriamente:

O Regulamento de Inscrição prevê que o candidato a inscrição na OA, no âmbito do processo de admissão por estágio, frequente obrigatoriamente: REGULAMENTO DE INSCRIÇÃO O actual modelo da formação de apoio ao estágio de admissão à Ordem dos Arquitectos (OA) resulta da implementação do REGULAMENTO DE INSCRIÇÃO (RI), aprovado em 12 de Setembro de

Leia mais

Figura XX - Folha de Rosto com informações sumarizadas a partir de registros anteriores

Figura XX - Folha de Rosto com informações sumarizadas a partir de registros anteriores Figura XX - Folha de Rosto com informações sumarizadas a partir de registros anteriores 6.3.2 SOAP Fonte: SAS/MS. O SOAP, mais conhecido como nota de evolução, registra de forma objetiva e estruturada

Leia mais

Ministério das Finanças Instituto de Informática. Departamento de Sistemas de Informação. Descontos para a A.D.S.E.

Ministério das Finanças Instituto de Informática. Departamento de Sistemas de Informação. Descontos para a A.D.S.E. Ministério das Finanças Instituto de Informática Departamento de Sistemas de Informação Descontos para a A.D.S.E. Versão 6.0-2009 ÍNDICE 1 OBJECTIVO 3 2 TRATAMENTOS PRÉVIOS 3 2.1 Situação Remuneratória

Leia mais

DIAGNÓSTICO DE SITUAÇÃO DE SAÚDE DO ACES

DIAGNÓSTICO DE SITUAÇÃO DE SAÚDE DO ACES RELATÓRIO ANUAL SOBRE O ACESSO A CUIDADOS DE SAÚDE DIAGNÓSTICO DE SITUAÇÃO DE SAÚDE DO ACES O Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Santo Tirso / Trofa abrange uma área de 212 Km2, com 32 freguesias e

Leia mais

O coração e os Cuidados de Saúde Primários

O coração e os Cuidados de Saúde Primários O coração e os Cuidados de Saúde Primários XIX Jornadas de Cardiologia de Santarém Albertina Mendonça Óbidos, 01 de novembro 2013 Promover a articulação entre CSP e Cuidados Hospitalares Dar a conhecer

Leia mais

Investigação em serviços de saúde

Investigação em serviços de saúde Ministério da Saúde Cuidados de Saúde Primários Portugal Coordenação Estratégica Investigação em serviços de saúde Cuidados de saúde primários 2011-2015 Índice Tópicos Pág. Nota inicial.... 02 Prioridades

Leia mais

GUIA PRÁTICO DO E-SHOP

GUIA PRÁTICO DO E-SHOP GUIA PRÁTICO DO E-SHOP Este guia prático pretende mostrar como aceder e colocar uma encomenda no e-shop. Após o registo do utilizador, o carrinho de compras fica imediatamente activo. No entanto, os preços

Leia mais

PROJECTO DE REGULAMENTAÇÃO FUNDO DE ACIDENTES DE TRABALHO RECEITAS E REEMBOLSOS ÀS EMPRESAS DE SEGUROS. CAPÍTULO I Disposições gerais

PROJECTO DE REGULAMENTAÇÃO FUNDO DE ACIDENTES DE TRABALHO RECEITAS E REEMBOLSOS ÀS EMPRESAS DE SEGUROS. CAPÍTULO I Disposições gerais PROJECTO DE REGULAMENTAÇÃO FUNDO DE ACIDENTES DE TRABALHO RECEITAS E REEMBOLSOS ÀS EMPRESAS DE SEGUROS CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo 1.º Objecto 1 A presente Norma Regulamentar tem por objecto estabelecer

Leia mais

Índice. Página 1 de 32 :: https://fenix.iscte.pt/ C7.01 (ext )

Índice. Página 1 de 32 :: https://fenix.iscte.pt/ C7.01 (ext ) Índice 1 1. Operações de Alunos... 3 1.1. Matricular aluno... 3 1.2. Visualizar alunos... 7 1.2.1. Visualizar dados pessoais... 8 1.3. Matrículas do aluno... 9 1.3.1. Detalhes da matrícula... 9 1.3.1.1.

Leia mais

Manual de Instruções Formulário online

Manual de Instruções Formulário online Lista de Técnicos com Formação Regulamentada em Protecção Integrada, Produção Integrada e Modo de Protecção Biológico Manual de Instruções Formulário online O Formulário de Inscrição apresenta 2 etapas

Leia mais

Estágio Clínico do 6º Ano, 2016/2017. I. Caracterização Geral

Estágio Clínico do 6º Ano, 2016/2017. I. Caracterização Geral Estágio Clínico do 6º Ano, 2016/2017 I. Caracterização Geral 1. O Estágio Clínico do 6º Ano tem a duração de 36 semanas e decorre em Hospitais e Centros de Saúde associados ao ensino clínico, nas seguintes

Leia mais

Regulamento Interno de Funcionamento do Gabinete de Estágios e Saídas Profissionais

Regulamento Interno de Funcionamento do Gabinete de Estágios e Saídas Profissionais Regulamento Interno de Funcionamento do Gabinete de Estágios e Saídas Profissionais ESCS 2015 Índice Preâmbulo... 2 Disposições Gerais.. 2 Artigo 1º - Objecto e âmbito de aplicação...2 II Modelo Organizacional...3

Leia mais

Como Efetuar o Relatório Único - entrega em 2015?

Como Efetuar o Relatório Único - entrega em 2015? Como Efetuar o Relatório Único - entrega em 2015? A regulamentação do Código do Trabalho criou uma obrigação única a cargo dos empregadores, de prestação anual de informação sobre a atividade social da

Leia mais

manual de navegação [área reservada a entidades gestoras]

manual de navegação [área reservada a entidades gestoras] manual de navegação [área reservada a entidades gestoras] 2 1 1 O presente manual aborda as noções gerais de navegação na área de acesso reservado às entidades gestoras e não dispensa a consulta das instruções

Leia mais

Regulamento da Aplicação Informática do Gabinete de Estágios e Saídas Profissionais da Universidade de Aveiro

Regulamento da Aplicação Informática do Gabinete de Estágios e Saídas Profissionais da Universidade de Aveiro Regulamento da Aplicação Informática do Gabinete de Estágios e Saídas Profissionais da Universidade de Aveiro O Gabinete de Estágios e Saídas Profissionais (GESP) está integrado na Divisão dos Serviços

Leia mais

PLANO NACIONAL DE SAÚDE E SUA IMPLEMENTAÇÃO LOCAL

PLANO NACIONAL DE SAÚDE E SUA IMPLEMENTAÇÃO LOCAL PLANO NACIONAL DE SAÚDE E SUA IMPLEMENTAÇÃO LOCAL 19 de setembro de 2016 Palácio dos Marqueses da Praia e de Monforte Parque da Cidade Loures Médico SP, Chefe de Serviço. Responsável pelo PLS Loures Odivelas

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DAS UNIDADE DE SAÚDE PÚBLICA PARA ATRIBUIÇÃO DE IDONEIDADE FORMATIVA PARA O INTERNATO MÉDICO DE SAÚDE PÚBLICA

CARACTERIZAÇÃO DAS UNIDADE DE SAÚDE PÚBLICA PARA ATRIBUIÇÃO DE IDONEIDADE FORMATIVA PARA O INTERNATO MÉDICO DE SAÚDE PÚBLICA Ordem dos Médicos / Ministério da Saúde Formação Médica Pós-Graduada: Internatos Médicos CARACTERIZAÇÃO DAS UNIDADE DE SAÚDE PÚBLICA PARA ATRIBUIÇÃO DE IDONEIDADE FORMATIVA PARA O INTERNATO MÉDICO DE SAÚDE

Leia mais

P L A N O D E A C Ç Ã O

P L A N O D E A C Ç Ã O A d m i n i s t r a ç ã o R e g i o n a l d e S a ú d e d o N o r t e, I. P. A C E S E n t r e D o u r o e Vo u g a I I A v e i r o N o r t e P L A N O D E A C Ç Ã O 2 0 1 6-2 0 1 8 Aprovado em Conselho

Leia mais

MODELO FORMATIVO. DATA DE INíCIO / FIM / HORARIO 1ª sessão - 16:00 às 22:00 2ª sessão - 9:00 às 14:00 INVESTIMENTO FORMADOR

MODELO FORMATIVO. DATA DE INíCIO / FIM / HORARIO 1ª sessão - 16:00 às 22:00 2ª sessão - 9:00 às 14:00 INVESTIMENTO FORMADOR ANáLISES CLíNICAS: DA COLHEITA à INTERPRETAçãO (MAI 2016) LISBOA A interpretação de exames laboratoriais é uma realidade incontestável do dia-a-dia dos enfermeiros. Mas será que todos os enfermeiros estão

Leia mais

Câmara Municipal de Penacova

Câmara Municipal de Penacova Câmara Municipal de Penacova Pen@cova Net.ureza Normas de utilização e funcionamento I Disposições Gerais Norma 1 Definição 1. O Espaço Internet de Penacova define-se como local destinado aos cidadãos

Leia mais

Instituto Superior de Engenharia de Lisboa

Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Departamento de Engenharia de Electrónica de Telecomunicações de Computadores Guia de utilização do Moodle (Versão 1.6.2) Vista do Professor Versão 2.0 Outubro

Leia mais

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES 2011

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES 2011 ACES FEIRA ENTRE DOURO E VOUGA I / FEIRA- AROUCA ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DE SAÚDE DO NORTE, IP. RELATÓRIO DE ACTIVIDADES 2011 UNIDADE DE SAÚDE FAMILIAR FAMÍLIAS Índice 1. Introdução 4 2. Actividade Geral

Leia mais

CARTEIRA DE SERVIÇOS USF Lavradio

CARTEIRA DE SERVIÇOS USF Lavradio CARTEIRA DE SERVIÇOS USF Lavradio Elaborado por: Dr.ª Alda Monteiro; Dr.º Fernando Refacho Data: Julho de 2015 A Rever: Julho 2016 Aprovado: Conselho Geral 1. Introdução A Carteira de Serviços é um documento

Leia mais

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES 2013

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES 2013 ACES FEIRA ENTRE DOURO E VOUGA I / FEIRA- AROUCA ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DE SAÚDE DO NORTE, IP. \ RELATÓRIO DE ACTIVIDADES 2013 UNIDADE DE SAÚDE FAMILIAR FAMÍLIAS 1 2 Índice 1. Introdução 6 2. Actividade

Leia mais

GABINETE DO CIDADÃO R E G U L A M E N T O I N T E R N O

GABINETE DO CIDADÃO R E G U L A M E N T O I N T E R N O R E G U L A M E N T O I N T E R N O NOVEMBRO 2009 Regulamento Interno Í N D I C E CAPÍTULO I----------------------------------------------------------------------------------------------- 1 DISPOSIÇÕES

Leia mais

UNIDADE'DE'SAÚDE'FAMILIAR'CONDEIXA'

UNIDADE'DE'SAÚDE'FAMILIAR'CONDEIXA' ACES Baixo Mondego ARS Centro, IP UNIDADE'DE'SAÚDE'FAMILIAR'CONDEIXA'!! Relatório!de!Atividades!2013! Março de 2014 Relatório de Atividades 2013 1 Índice Introdução... 4 1. Caracterização da USF..... 5

Leia mais

Regulamento Prémio Hipocoagulação 2016

Regulamento Prémio Hipocoagulação 2016 1 Regulamento Prémio Hipocoagulação 2016 A Associação de Internos de Medicina Geral e Familiar (AIMGF), em colaboração com a Bayer Portugal, SA, criaram um prémio anual, de forma a desenvolver a investigação

Leia mais

GRUPO TÉCNICO DE FERIDAS

GRUPO TÉCNICO DE FERIDAS Ministério da Saúde Administração Regional de Saúde do Algarve, IP GRUPO TÉCNICO DE FERIDAS grupotecnicodeferidas@arsalgarve.min-saude.pt Estudos Estudo realizado na Região em 2005 (CC Infecção/Centro

Leia mais

Nos termos da alínea a) do nº 2 do artigo 2º do Decreto Regulamentar nº 14/2012, de 26 de janeiro, emite-se a seguinte:

Nos termos da alínea a) do nº 2 do artigo 2º do Decreto Regulamentar nº 14/2012, de 26 de janeiro, emite-se a seguinte: ASSUNTO: PALAVRAS-CHAVE: PARA: CONTACTOS: NÚMERO: 005/2013 DATA: 10/04/2013 Programa Nacional de Prevenção de Acidentes. Projeto Bebés, Crianças e Jovens em Segurança. Formulário de Candidatura Transporte

Leia mais

Informática na Saúde E-SAUDE PCE RSE RSE PCE

Informática na Saúde E-SAUDE PCE RSE RSE PCE Informática na Saúde RIS E-SAUDE RSE PCE PCE RSE RIS Rede de Informação da Saúde É uma rede privada multimédia do Ministério da Saúde. Esta rede interliga as diversas redes locais existentes, que, por

Leia mais

GUIÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DO CURRICULUM VITAE (CV)

GUIÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DO CURRICULUM VITAE (CV) GUIÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DO CURRICULUM VITAE (CV) 1 O documento designado como curriculum vitae é um misto de CV e de PERFIL DE PRÁTICA. A OM tem mais do que um modelo (publicações de 14/09/2012 e

Leia mais

AAC1/2016 GABINETE DO COMANDO. Aviso Abertura Concurso N.º 1/2016. Data Páginas 26/10/ / 6

AAC1/2016 GABINETE DO COMANDO. Aviso Abertura Concurso N.º 1/2016. Data Páginas 26/10/ / 6 26/10/2016 1 / 6 Gilberto Manuel Salgado Baptista Gonçalves, Comandante do Corpo de Bombeiros faz público, que se encontra aberto o de Ingresso na Categoria de Estagiário da Carreira de Bombeiro Voluntário

Leia mais

Discurso do Presidente do Conselho Diretivo da ARS-Norte Visita às USF Aldoar e Lordelo do Ouro ACES Porto Ocidental

Discurso do Presidente do Conselho Diretivo da ARS-Norte Visita às USF Aldoar e Lordelo do Ouro ACES Porto Ocidental Discurso do Presidente do Conselho Diretivo da ARS-Norte Visita às USF Aldoar e Lordelo do Ouro ACES Porto Ocidental Porto, 29 de setembro de 2015 Exmºs Senhores Ministro da Saúde Caros Colegas do Conselho

Leia mais

Normas de qualidade de serviço para os serviços postais de pagamento eletrónico

Normas de qualidade de serviço para os serviços postais de pagamento eletrónico UPU UNIÃO POS TAL UNIVERSA L Normas de qualidade de serviço para os serviços postais de pagamento eletrónico Berna 2014 Lis 2 Índice Página 1. Introdução 3 2. Campo de aplicação 3 3. Referências normativas

Leia mais

MOVIMENTO ASSISTENCIAL DAS UNIDADES DE SAÚDE

MOVIMENTO ASSISTENCIAL DAS UNIDADES DE SAÚDE MOVIMENTO ASSISTENCIAL DAS UNIDADES DE SAÚDE 2010 2010 Actualizado em 09/2011 Actualizado em 09/2011 DEP ÁREA FUNCIONAL DE ESTATÍSTICA FICHA TÉCNICA Título Movimento Assistencial das Unidades de Saúde

Leia mais

Conselho de Arbitragem

Conselho de Arbitragem Associação de Futebol de Coimbra Conselho de Arbitragem FUTSAL Normas Para Classificação de Árbitros Para conhecimento geral seguidamente se publicam as Normas de Classificação para os Árbitros de Futsal,

Leia mais

USF S. Gonçalo de Amarante Rua Nova S. Gonçalo, Amarante

USF S. Gonçalo de Amarante Rua Nova S. Gonçalo, Amarante A. IDENTIFICAÇÃO DA ENTIDADE Designação Agrupamento de Centros de Saúde de Tâmega I Baixo Tâmega Localização da sede site Rua Nova S. Gonçalo, 4600-093 Amarante 255 431 374 / 255 432 188 / 255 432 341

Leia mais

Manual de Apoio. Inscrição no Internato Médico. Concurso IM Departamento de Recursos Humanos Manual de Apoio Inscrição no Internato Médico

Manual de Apoio. Inscrição no Internato Médico. Concurso IM Departamento de Recursos Humanos Manual de Apoio Inscrição no Internato Médico Manual de Apoio Inscrição no Internato Médico Concurso IM 2017 Página 1 de 14 Capítulo Departamento de Recursos Humanos 1 1. Estrutura do Manual Página 2 de 14 1.1 Introdução O presente manual descreve

Leia mais

R E G U L A M E N T O. Visitas dos Delegados de Informação Médica ao Hospital Distrital da Figueira da Foz, EPE. Preâmbulo

R E G U L A M E N T O. Visitas dos Delegados de Informação Médica ao Hospital Distrital da Figueira da Foz, EPE. Preâmbulo R E G U L A M E N T O Visitas dos Delegados de Informação Médica ao Hospital Distrital da Figueira da Foz, EPE Preâmbulo Nos termos e para os efeitos previstos no ponto número 15 do Despacho n.º 2837/2004,

Leia mais

QUANTOS ADOECEM E MORREM?

QUANTOS ADOECEM E MORREM? QUANTOS ADOECEM E MORREM? Medidas de frequência de doenças Razão, proporções, índice. Indicadores epidemiológicos de morbidade: Conceitos e exemplos de incidência e prevalência. O Enfoque epidemiológico

Leia mais

Guia do utilizador Catálogo Aleph

Guia do utilizador Catálogo Aleph Guia do utilizador Catálogo Aleph Fundação Universidade do Porto Faculdade de Letras Biblioteca Central Laura Gil Marlene Borges Miguel Simões Porto Julho 2009 1 UM GUIA PERTO DE SI NA SUA ESTANTE ON-LINE

Leia mais

1. POPULAÇÃO RESIDENTE

1. POPULAÇÃO RESIDENTE 1. POPULAÇÃO RESIDENTE No fim do ano de 2007 a estimativa da população residente de Macau era de 538 0, tendo-se verificado um aumento de 24 700 pessoas em comparação com o número estimado no fim do ano

Leia mais

Avaliação da Satisfação dos Clientes 2014

Avaliação da Satisfação dos Clientes 2014 Avaliação da Satisfação dos Clientes 2014 Sumário Avaliação da Satisfação dos Clientes 2014 Este relatório enquadra-se dentro dos objectivos previstos pelo normativo de certificação da qualidade ISO 9001:2008,

Leia mais

Plano de Intervenção Avaliadores

Plano de Intervenção Avaliadores Plano de Intervenção Avaliadores Apresentam-se algumas especificidades do processo SIADAP 2012 visando o esclarecimento da abordagem a prosseguir pelos Avaliadores. Para obter esclarecimentos adicionais

Leia mais

QUALIFICAÇÃO/AVALIAÇÃO FORNECEDORES/PRODUTOS

QUALIFICAÇÃO/AVALIAÇÃO FORNECEDORES/PRODUTOS QUALIFICAÇÃO/AVALIAÇÃO FORNECEDORES/PRODUTOS Santin e Cavalcanti (2004) afirmam que não existe um procedimento óptimo para avaliar e qualificar os fornecedores e as empresas desenvolvem diferentes procedimentos

Leia mais

Estatísticas de saúde. Certificados de óbito.

Estatísticas de saúde. Certificados de óbito. Estatísticas de saúde. Certificados de óbito. A maior parte da informação que obtemos sobre os óbitos vem dos certificados de óbito (ver anexo da aula prática). Por acordo internacional, os óbitos são

Leia mais

Rede Nacional de Vigilância de Morbidade Materna Grave. Frederico Vitório Lopes Barroso

Rede Nacional de Vigilância de Morbidade Materna Grave. Frederico Vitório Lopes Barroso Rede Nacional de Vigilância de Morbidade Materna Grave Frederico Vitório Lopes Barroso Morbidade Materna Grave Nos últimos anos, as mulheres que sobrevivem a complicações graves da gestação, near miss,

Leia mais

QUESTIONÁRIO APLICADO AOS EXPOSITORES

QUESTIONÁRIO APLICADO AOS EXPOSITORES QUESTIONÁRIO APLICADO AOS EXPOSITORES Introdução O presente documento baseia-se numa pesquisa exploratória de uma amostra representativa dos expositores que responderam aos questionários aplicados on-line

Leia mais

1º Encontro HIPOCOAGULAÇÃO. Realidade na UCSP de Delães. (ACES do AVE III V.N. Famalicão) Auditório do Hospital de Magalhães Lemos, EPE.

1º Encontro HIPOCOAGULAÇÃO. Realidade na UCSP de Delães. (ACES do AVE III V.N. Famalicão) Auditório do Hospital de Magalhães Lemos, EPE. 1º Encontro HIPOCOAGULAÇÃO Realidade na UCSP de Delães (ACES do AVE III V.N. Famalicão) Auditório do Hospital de Magalhães Lemos, EPE 6 Abril 2011 HIPOCOAGULAÇÃO - Realidade Portuguesa EM PORTUGAL Doenças

Leia mais

Avaliação da Satisfação dos Clientes 2015

Avaliação da Satisfação dos Clientes 2015 Avaliação da Satisfação dos Clientes 2015 Sumário Avaliação da Satisfação dos Clientes 2015 Este relatório enquadra-se dentro dos objectivos previstos pelo normativo de certificação da qualidade ISO 9001:2008,

Leia mais

Acesso VALORES APURADOS PELA MEO TABELA 3: OFERTAS DESTINADAS A CLIENTES RESIDENCIAIS Parâmetros Indicadores a enviar no âmbito de cada parâmetro Unidade Observações Ano 2016 Valor apurado 1.a) Demora

Leia mais

PROCEDIMENTO Comunicação com os Utentes Versão: 02 Fevereiro 2013

PROCEDIMENTO Comunicação com os Utentes Versão: 02 Fevereiro 2013 1. OBJECTIVO Uniformizar as formas de comunicação com os utentes e manter atualizada a informação disponibilizada. 2. ÂMBITO Este procedimento aplica se a todos os sectores da USF, desde o momento em que

Leia mais

CIRCULAR INFORMATIVA CONJUNTA N.º 07 / 2016 / DGS / SPMS

CIRCULAR INFORMATIVA CONJUNTA N.º 07 / 2016 / DGS / SPMS CIRCULAR INFORMATIVA CONJUNTA N.º 07 / 2016 / DGS / SPMS Assunto: Processo de desmaterialização da referenciação para Urgência reforço de procedimento Para: Administrações Regionais de Saúde (ARS), Hospitais

Leia mais

SERVIÇOS DE VALOR ACRESCENTADO BASEADOS NO ENVIO DE MENSAGEM

SERVIÇOS DE VALOR ACRESCENTADO BASEADOS NO ENVIO DE MENSAGEM SERVIÇOS DE VALOR ACRESCENTADO BASEADOS NO ENVIO DE MENSAGEM REGISTO PARA O EXERCÍCIO DA ATIVIDADE Pessoa Singular matriculada como Comerciante em Nome Individual (Decreto-Lei n.º 177/99, de 21 de maio,

Leia mais

Processador de Texto (Word)

Processador de Texto (Word) Processador de Texto (Word) DATAS A definir (assim que seja atingido o número mínimo de inscrições) HORÁRIO Pós-Laboral, à 2ª, 3ª e 5ª, das 19h00 às 23h00 ou Sábado, das 9h30 às 13h00 e das 14h30 às 18h00

Leia mais

GIAE VERSÃO SETEMBRO DE 2011

GIAE VERSÃO SETEMBRO DE 2011 GIAE VERSÃO 2.1.2 8 SETEMBRO DE 2011 Com o objectivo de unificar a versão em todos os módulos do GIAE, incluindo o GestorGIAE, todos os módulos são actualizados para a versão 2.1.2. Muito Importante: Antes

Leia mais

CÁLCULO DE INDICADORES DE DESEMPENHO

CÁLCULO DE INDICADORES DE DESEMPENHO UN. SAÚDE FAMILIAR E UN. CUIDADOS DE SAÚDE PERSONALIZADOS CÁLCULO DE INDICADORES DE DESEMPENHO CRITÉRIOS A OBSERVAR NA SUA IMPLEMENTAÇÃO 3 de Setembro de 2009 Conteúdo Enquadramento... 1 Processo de cálculo

Leia mais

CARTA DA QUALIDADE. Morada Rua Bartolomeu Dias 316 Unidade de Saúde Soares dos Reis, piso Mafamude Vila Nova de Gaia

CARTA DA QUALIDADE. Morada Rua Bartolomeu Dias 316 Unidade de Saúde Soares dos Reis, piso Mafamude Vila Nova de Gaia CARTA DA QUALIDADE A Carta da Qualidade da USF Saúde no Futuro é uma declaração de compromisso dos profissionais desta Unidade com os cidadãos que nela estão inscritos. É para eles que a organização e

Leia mais