I Simpósio Luso-Alemão sobre a qualificação

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "I Simpósio Luso-Alemão sobre a qualificação"

Transcrição

1 I Simpósio Luso-Alemão sobre a qualificação profissional em Portugal: Oportunidades e desafios SANA Lisboa Hotel A Educação e o Sistema Nacional de Qualificações Gonçalo Xufre Silva Presidente do Conselho Diretivo da Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional 24 de novembro 2014

2 Sistema Nacional de Qualificações: O princípio Em Portugal, o Sistema Nacional de Qualificações (SNQ) teve o seu início com a Resolução do Conselho de Ministros n.º 173/2007, de 7 de novembro, que, para além de aprovar o projeto de decreto-lei que o institui: aprova a Reforma da Formação Profissional; aprova o projeto de decreto-lei que estabelece os princípios do Sistema de Regulação de Acesso a Profissões (SRAP).

3 A Reforma da Formação Profissional Coloca a qualificação no centro das opções de desenvolvimento do país; Define linhas estratégicas para a qualificação dos recursos humanos; Estabelece uma agenda de reforma para a formação profissional.

4 A agenda de reforma para a formação profissional pretendeu: Levar a cabo a Iniciativa Novas Oportunidades; Responder aos objetivos e preocupações expressos no acordo tripartido de 2006, impondo alterações profundas na área da formação profissional; Garantir que toda a formação assegura uma progressão escolar e profissional; Aumentar a relevância desta formação para a modernização empresarial; mediante uma reforma centrada em 5 linhas fundamentais.

5 As 5 linhas fundamentais da agenda de reforma para a formação profissional 1 - Estruturar uma oferta relevante e certificada Criação do Catálogo Nacional de Qualificações; Aplicação do princípio da dupla certificação; Expansão e consolidação do dispositivo de Reconhecimento e Validação de Competências.

6 As 5 linhas fundamentais da agenda de reforma para a formação profissional (continuação) 2 - Reformar as instituições e a regulação da formação Reforma do então Sistema Nacional de Certificação Profissional, criando a separação entre a certificação da formação e reconhecimento de adquiridos (Sistema Nacional de Qualificações - SNQ) e a regulação de acesso às profissões regulamentadas (Sistema de Regulação de Acesso a Profissões SRAP); Clarifica e reforça o papel da Agência Nacional para a Qualificação (ANQ), organismo que antecedeu à ANQEP.

7 As 5 linhas fundamentais da agenda de reforma para a formação profissional (continuação) 3 - Definir prioridades e modelos de financiamento adequados 4 - Promover a qualidade da formação 5 - Facilitar o acesso e promover a procura de formação

8 Regime Jurídico do Sistema Nacional de Qualificações (SNQ) decretolei n.º 396/2007, de 31 de dezembro Define as estruturas que asseguram o seu funcionamento: ANQ (que antecedeu à ANQEP); O Conselho Nacional da Formação Profissional e os Conselhos Setoriais para a Qualificação; Os Centros Novas Oportunidades (que antecederam aos Centros para a Qualificação e o Ensino Profissional); Os estabelecimentos de ensino básico e secundário; Os centros de formação e de reabilitação profissional de gestão direta e protocolares; Outras entidades com estruturas formativas certificadas; Empresas que promovam a formação dos seus trabalhadores ou outras entidades que concorram para o mesmo fim; As instituições de ensino superior.

9 Cria os seguintes instrumentos: O Quadro Nacional de Qualificações, tendo em conta os níveis do Quadro Europeu de Qualificações; O Catálogo Nacional de Qualificações; A Caderneta Individual de Competências.

10 O Quadro Nacional de Qualificações Em vigor, em Portugal, desde 1 de outubro de 2010, estrutura-se em 8 níveis de qualificação, cada um definido por um conjunto de indicadores que especificam os resultados de aprendizagem correspondentes às qualificações nesse nível, em termos de conhecimentos, aptidões e atitudes.

11 O Quadro Nacional de Qualificações (continuação) Cada nível é definido por um conjunto de indicadores que deverão especificar os resultados de aprendizagem correspondentes às qualificações desse mesmo nível. É um instrumento de referência único que permite classificar todas as qualificações produzidas no sistema educativo e formativo nacional independentemente das vias de acesso (formal, não formal e informal).

12 O Catálogo Nacional de Qualificações É um instrumento de gestão estratégica das qualificações de nível não superior integradas no Sistema Nacional de Qualificações. Para cada qualificação apresenta: Perfil Profissional Missão Atividades Competências Referencial de Formação Formação de Base/ Sociocultural e Científica Formação Tecnológica Referencial de RVCC Escolar Profissional

13 O Catálogo Nacional de Qualificações (continuação) Todas as qualificações encontram-se estruturadas em Unidades de Formação de Curta Duração (UFCD) que podem ser mobilizadas para a aquisição de uma qualificação que responda, de forma mais adequada, às necessidade de qualificação das entidades empregadoras. Todas as UFCD são capitalizáveis, possibilitando a sua certificação autónoma, a gestão de ritmos individualizados de formação e uma maior flexibilidade na construção e percursos de qualificação à medida.

14 O Catálogo Nacional de Qualificações (continuação) Este instrumento é atualizado através da atuação dos Conselhos Setoriais para a Qualificação e de um Modelo Aberto de Consulta. Atualmente existem 16 CSQ: - Agroalimentar; - Artesanato e Ourivesaria; - Comércio e Marketing; - Construção Civil e Urbanismo; - Cultura, Património e Produção de Conteúdos; - Energia e Ambiente; - Indústrias Químicas, Cerâmicas, Vidro e Outras; - Informática, Eletrónica e Telecomunicações; - Madeira, Mobiliário e Cortiça; - Metalurgia e Metalomecânica; - Moda; - Serviços às Empresas - Serviços Pessoais; - Saúde e Serviços a Comunidade; - Transportes e Logística; - Turismo e Lazer.

15 A Caderneta Individual de Competências Regista todas as competências que o seu titular adquiriu ou desenvolveu ao longo da vida, referenciadas ao CNQ, das correspondentes ações de formação que lhes deram origem, bem como das restantes ações de formação concluídas que não se reportem a referenciais incluídos neste Catálogo. O registo destas competências é efetuado pelas entidades formadoras ou pelos Centros para a Qualificação e o Ensino Profissional (CQEP), através do Sistema de Informação e Gestão da Oferta Educativa e Formativa (SIGO). É disponibilizada em formato eletrónico, num site criado especificamente para o efeito, ao qual podem aceder os indivíduos (mediante autenticação eletrónica), bem como as entidades formadoras e os CQEP.

16 Os Centros para a Qualificação e o Ensino Profissional CQEP Ao terem adquirido a valência de informação, orientação e encaminhamento de jovens e adultos para soluções de qualificação ou para o reconhecimento de competências (Portaria n.º 135-A/2013, de 28 de março), os CQEP assumem um papel preponderante na operacionalização e funcionamento do Sistema Nacional de Qualificações. Funcionam em rede (redes locais para a qualificação), estabelecendo parcerias a nível local, entre escolas, centros de formação, centros de emprego, associações, municípios, autarquias, empresas, etc.

17 Os Centros para a Qualificação e o Ensino Profissional CQEP (continuação) Ocupam assim uma posição privilegiada na transição dos jovens da escola para o mercado de trabalho e na definição de trajetórias de qualificação, numa perspetiva de aprendizagem ao longo da vida. São portanto entidades que interligam todas as estruturas que integram o SNQ português. 17

18 Apostar na qualificação é projetar o futuro! Obrigado!

A resposta do Sistema Nacional de Qualificações na área da segurança e saúde

A resposta do Sistema Nacional de Qualificações na área da segurança e saúde A resposta do Sistema Nacional de Qualificações na área da segurança e saúde Gonçalo Xufre Silva Presidente do Conselho Diretivo da Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional 9 de maio

Leia mais

DIREÇÃO REGIONAL DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL DIVISÃO DE ENCAMINHAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE COMPETÊNCIAS

DIREÇÃO REGIONAL DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL DIVISÃO DE ENCAMINHAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE COMPETÊNCIAS DIREÇÃO REGIONAL DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL DIVISÃO DE ENCAMINHAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE COMPETÊNCIAS O que são? Centros para a Qualificação e o Ensino Profissional Os CQEP são estruturas do Sistema Nacional

Leia mais

Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social BASES PARA UM ACORDO DE REFORMA DA FORMAÇÃO PROFISSIONAL

Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social BASES PARA UM ACORDO DE REFORMA DA FORMAÇÃO PROFISSIONAL BASES PARA UM ACORDO DE REFORMA DA FORMAÇÃO PROFISSIONAL Considerando os Parceiros Sociais e o Governo que: A aposta estratégica na qualificação da população Portuguesa enquanto instrumento crítico para

Leia mais

SIGO. Sistema Integrado de Informação e Gestão da Oferta Educativa e Formativa. Fórum Estatístico 2016 Lisboa, 13 de setembro de 2016

SIGO. Sistema Integrado de Informação e Gestão da Oferta Educativa e Formativa. Fórum Estatístico 2016 Lisboa, 13 de setembro de 2016 Sistema Integrado de Informação e Gestão da Oferta Educativa e Formativa Fórum Estatístico 2016 Lisboa, 13 de setembro de 2016 sigo@dgeec.mec.pt Paula Ferreira 1 Em Dezembro de 2005 foi constituído um

Leia mais

PROGRAMA OPERACIONAL TEMÁTICO POTENCIAL HUMANO

PROGRAMA OPERACIONAL TEMÁTICO POTENCIAL HUMANO PROGRAMA OPERACIONAL TEMÁTICO POTENCIAL HUMANO 2007-201 Apresentação da Proposta ÍNDICE 1 O PROBLEMA 2 A ESTRATÉGIA 4 PLANO DE FINANCIAMENTO 1 1 O PROBLEMA Taxa de emprego Emprego em média e alta tecnologia

Leia mais

A sua aprendizagem poderá ser reconhecida como conhecimento... Será um ponto de partida e não um ponto de chegada!

A sua aprendizagem poderá ser reconhecida como conhecimento... Será um ponto de partida e não um ponto de chegada! A sua aprendizagem poderá ser reconhecida como conhecimento... Será um ponto de partida e não um ponto de chegada! Iniciativa Novas Oportunidades Objectivos: Elevar o nível de qualificação da população

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA

APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA AGENDA AS 5 MARCAS DO POPH I EIXOS PRIORITÁRIOS II ARRANQUE DO PROGRAMA III I AS 5 MARCAS DO POPH AS 5 MARCAS DO POPH 1 O MAIOR PROGRAMA OPERACIONAL DE SEMPRE 8,8 mil M 8,8 Mil

Leia mais

Iniciativa Novas Oportunidades. Julho de Av. 24 de Julho, nº Lisboa Telf.: Fax:

Iniciativa Novas Oportunidades. Julho de Av. 24 de Julho, nº Lisboa Telf.: Fax: Iniciativa Novas Oportunidades Julho de 2010 1 Índice A. Iniciativa Novas Oportunidades...3 B. A rede nacional de Centros Novas Oportunidades...4 C. Protocolos de cooperação no âmbito da Iniciativa Novas

Leia mais

Vias de conclusão do ensino secundário Decreto-Lei nº 357/2007

Vias de conclusão do ensino secundário Decreto-Lei nº 357/2007 Vias de conclusão do ensino secundário Decreto-Lei nº 357/2007 Objectivo? A quem se destina? Vias de Conclusão do Nível Secundário de Educação Que entidades? Como se operacionaliza? Objectivo Criar uma

Leia mais

CONSELHO CIENTÍFICO-PEDAGÓGICO DE FORMAÇÃO CONTÍNUA APRESENTAÇÃO DE ACÇÃO DE FORMAÇÃO

CONSELHO CIENTÍFICO-PEDAGÓGICO DE FORMAÇÃO CONTÍNUA APRESENTAÇÃO DE ACÇÃO DE FORMAÇÃO CONSELHO CIENTÍFICO-PEDAGÓGICO DE FORMAÇÃO CONTÍNUA APRESENTAÇÃO DE ACÇÃO DE FORMAÇÃO An 2-A Formulário de preenchimento obrigatório, a anexar à ficha modelo ACC 2 N.º /2009 1. DESIGNAÇÃO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO

Leia mais

O POTENCIAL HUMANO PARA de NOVEMBRO 2012

O POTENCIAL HUMANO PARA de NOVEMBRO 2012 O POTENCIAL HUMANO PARA 2013 28 de NOVEMBRO 2012 O POTENCIAL HUMANO PARA 2013 ORIENTAÇÕES ESTRATÉGICAS PARA O FUTURO - CAPITAL HUMANO PARA O CRESCIMENTO E O EMPREGO CONTRIBUTO DO POPH (ANOS 2013 E 2014)

Leia mais

Matriz Portugal 2020 Candidaturas diretas a efetuar pelas IPSS

Matriz Portugal 2020 Candidaturas diretas a efetuar pelas IPSS Revisão 1 : 31/08/2016 PO PO Concurso para apresentação de candidaturas - Melhorar o acesso aos serviços sociais (Açores) Melhorar o acesso aos serviços sociais Melhoria das infraestruturas de saúde Adaptação

Leia mais

Agrupamento de Escolas Dr. Vieira de Carvalho SERVIÇO DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO

Agrupamento de Escolas Dr. Vieira de Carvalho SERVIÇO DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO 1 OBJECTIVOS Os cursos profissionais são uma modalidade de ensino que pretende desenvolver competências pessoais e profissionais específicas para o exercício de uma profissão a partir de uma preparação

Leia mais

Escola Secundária 3EB Dr. Jorge Correia Tavira Direcção Regional de Educação do Algarve CENTRO NOVAS OPORTUNIDADES

Escola Secundária 3EB Dr. Jorge Correia Tavira Direcção Regional de Educação do Algarve CENTRO NOVAS OPORTUNIDADES Regulamento Artigo 1º Definição O Centro Novas Oportunidades é uma estrutura que tem como missão proporcionar a todos os adultos uma oportunidade de qualificação e de certificação, de nível básico ou secundário,

Leia mais

R E G I Ã O A U T Ó N O M A D A M A D E I R A GOVERNO REGIONAL. Portaria n.º /2016

R E G I Ã O A U T Ó N O M A D A M A D E I R A GOVERNO REGIONAL. Portaria n.º /2016 Portaria n.º /2016 No âmbito da Nova Estratégia Europeia para o emprego e crescimento, Europa 2020, constam várias iniciativas emblemáticas, das quais se destaca a Agenda para novas qualificações e novos

Leia mais

Quadro Europeu de Qualificações. um instrumento de transparência e de aprendizagem ao longo da vida

Quadro Europeu de Qualificações. um instrumento de transparência e de aprendizagem ao longo da vida Quadro Europeu de Qualificações um instrumento de transparência e de aprendizagem ao longo da vida Teresa Duarte Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional, IP. 22 março de 2013 Quadro

Leia mais

Promover condições de empregabilidade das pessoas com deficiências e incapacidades, visando a consagração do direito de exercício pleno da cidadania.

Promover condições de empregabilidade das pessoas com deficiências e incapacidades, visando a consagração do direito de exercício pleno da cidadania. Formação Profissional para Pessoas ou Grupos com Necessidades Especiais Práticas do Centro de Reabilitação Profissional da CERCIPENICHE Cooperativa de Educação e Reabilitação de Cidadãos Inadaptados de

Leia mais

Orientação Escolar e Profissional. 9.º Ano e Agora. Serviço de Psicologia e Orientação. Psicóloga Eduarda Seabra

Orientação Escolar e Profissional. 9.º Ano e Agora. Serviço de Psicologia e Orientação. Psicóloga Eduarda Seabra Orientação Escolar e Profissional 9.º Ano e Agora Serviço de Psicologia e Orientação Psicóloga Eduarda Seabra Dossier Informação Escolar e Profissional Pág.1 1 Natureza dos Cursos Científico-Humanísticos

Leia mais

9º Ano E agora? PRINCIPAIS PERCURSOS POSSÍVEIS

9º Ano E agora? PRINCIPAIS PERCURSOS POSSÍVEIS 9º Ano E agora? PRINCIPAIS PERCURSOS POSSÍVEIS 9º Ano E agora? 1 - CURSOS CIENTÍFICO-HUMANÍSTICOS Vocacionados para o prosseguimento de estudos Duração de 3 anos 10º, 11º e 12ºanos Sujeitos a 4 eames nacionais:

Leia mais

PROTOCOLO ENTRE A POLÍCIA DE SEGURANÇA PÚBLICA E A SECRETARIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA

PROTOCOLO ENTRE A POLÍCIA DE SEGURANÇA PÚBLICA E A SECRETARIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA PROTOCOLO ENTRE A POLÍCIA DE SEGURANÇA PÚBLICA E A SECRETARIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA 1. Preâmbulo Face ao actual modelo de profissionalização e aos imperativos de modernização organizacional, técnica

Leia mais

Sistema Educativo Português 2011/2012

Sistema Educativo Português 2011/2012 Sistema Educativo Português 011/01 Objectivos Promover a auto - exploração (interesses, capacidades e valores profissionais) Auto Conhecimento; Explorar o Mundo das Profissões; Explorar as oportunidades

Leia mais

9.º ano, o ano antes da grande mudança! O que ter em conta antes de escolher! Maio, 2014

9.º ano, o ano antes da grande mudança! O que ter em conta antes de escolher! Maio, 2014 9.º ano, o ano antes da grande mudança! O que ter em conta antes de escolher! Maio, 2014 Percursos possíveis para o ensino secundário O Cursos científico-humanísticos Vocacionados para o prosseguimento

Leia mais

ESCOLA PORTUGUESA de MACAU RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO

ESCOLA PORTUGUESA de MACAU RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO ESCOLA PORTUGUESA de MACAU RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO ANO LETIVO 2014/2015 I Enquadramento legal 1.1. Enquadramento jurídico da Escola Portuguesa de Macau Despacho Conjunto ME/MNE n.º 79/1997, de 24 de

Leia mais

Organização do Sistema Nacional de Educação e Formação Técnica Profissional de Cabo Verde

Organização do Sistema Nacional de Educação e Formação Técnica Profissional de Cabo Verde Organização do Sistema Nacional de Educação e Formação Técnica Profissional de Cabo Verde Ministério da Educação e Ensino Superior Ministério da Qualificação e Emprego 1 Ensino Ensino Superior Superior

Leia mais

Plano de Atividades de 2015 do Centro de Relações Laborais

Plano de Atividades de 2015 do Centro de Relações Laborais Plano de Atividades de 2015 do Centro de Relações Laborais A. ENQUADRAMENTO GERAL 1. O CRL foi criado, no seguimento de acordos de concertação social, para apoio técnico à negociação coletiva. É um organismo

Leia mais

ANÚNCIO PARA PARTICIPAÇÃO NO LEVANTAMENTO E CARACTERIZAÇÃO DA REDE DE INFRAESTRUTURAS TECNOLÓGICAS

ANÚNCIO PARA PARTICIPAÇÃO NO LEVANTAMENTO E CARACTERIZAÇÃO DA REDE DE INFRAESTRUTURAS TECNOLÓGICAS ANÚNCIO PARA PARTICIPAÇÃO NO LEVANTAMENTO E CARACTERIZAÇÃO DA REDE DE INFRAESTRUTURAS TECNOLÓGICAS PROCESSO DE MAPEAMENTO DAS INFRAESTRUTURAS TECNOLÓGICAS NACIONAIS 9 de agosto de 2016 Página 1 de 6 Índice

Leia mais

CURSOS CIENTÍFICO-HUMANÍSTICOS

CURSOS CIENTÍFICO-HUMANÍSTICOS OFERTA FORMATIVA NÍVEL SECUNDÁRIO CURSOS CIENTÍFICO-HUMANÍSTICOS Os Cursos Científicos- Humanísticos destinam -se a jovens com o 9º ano de escolaridade ou equivalente que desejam prosseguir estudos 2 CURSO

Leia mais

5º Painel Formação e a sua evolução: A formar há cinco décadas, para onde vai a formação em Portugal

5º Painel Formação e a sua evolução: A formar há cinco décadas, para onde vai a formação em Portugal Publicação apoiada pelo projeto PEst-OE/EGE/UI4056/2014 UDI/IPG, financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia, pelo qual agradecemos. 5º Painel Formação e a sua evolução: A formar há cinco décadas,

Leia mais

Oferta Formativa Ensino Secundário

Oferta Formativa Ensino Secundário Oferta Formativa 2012017 Ensino Secundário Que caminho seguir Cursos gerais Cursos profissionais INTERESSES APTIDÕES EMPREGABILIDDAE O teu futuro profissional começa agora Faz uma escolha ponderada e consciente

Leia mais

Índice. Formações Modulares. Cursos do Ensino Secundário Recorrente Módulos Capitalizáveis. Centro Novas Oportunidades

Índice. Formações Modulares. Cursos do Ensino Secundário Recorrente Módulos Capitalizáveis. Centro Novas Oportunidades Índice Candidaturas Acesso a cursos EFA Entidades promotoras/ formadoras Diagnóstico e encaminhamento Avaliação Certificação e Protocolos Equipa pedagógica Habilitações dos docentes Língua estrangeira

Leia mais

ALV em PME Um guia de apoio CEPCEP, UCP Parceiro no projeto COPELLL

ALV em PME Um guia de apoio CEPCEP, UCP Parceiro no projeto COPELLL / ALV em PME Um guia de apoio CEPCEP, UCP Parceiro no projeto COPELLL Projecto financiado com o apoio da Comissão Europeia. A informação contida nesta publicação (comunicação) vincula exclusivamente o

Leia mais

Instituto Superior de Ciências Empresariais e do Turismo

Instituto Superior de Ciências Empresariais e do Turismo Instituto Superior de Ciências Empresariais e do Turismo DESDE 1990 O ISCET Instituto Superior de Ciências Empresariais e do Turismo é um estabelecimento de ensino superior politécnico, criado em 25 de

Leia mais

Quadro jurídico no sistema educativo português

Quadro jurídico no sistema educativo português I Simpósio Luso-Alemão sobre a Qualificação Profissional em Portugal - Oportunidades e Desafios Isilda Costa Fernandes SANA Lisboa Hotel, Av. Fontes Pereira de Melo 8, Lisboa 24 de novembro 2014 Contexto

Leia mais

Multilinguismo, Competitividade e Mercados de Trabalho EUROPASS

Multilinguismo, Competitividade e Mercados de Trabalho EUROPASS Multilinguismo, Competitividade e Mercados de Trabalho EUROPASS Denise Castilho de Matos Moura 5 de Dezembro 2014 Divisão de Relações Externas : Divisão de Relações Externas: O QUE É O EUROPASS Cinco documentos

Leia mais

c U R S o S P R o F i S S i o n A i S esfdferreira.wordpress.com

c U R S o S P R o F i S S i o n A i S esfdferreira.wordpress.com c U R S o S P R o F i S S i o n A i S esfdferreira.wordpress.com AGUALVA - SINTRA AUxiliAR de SAúde eletrónica AUToMAÇão e computadores MAnUTenÇão industrial VARiAnTe MecATRÓnicA AUToMÓVel TURiSMo ViTRiniSMo

Leia mais

Seminário: FORMAÇÃO DE FORMADORES NO ÂMBITO DO USO SUSTENTÁVEL DE PRODUTOS FITOFARMACÊUTICOS. 1 de Abril de 2016 quina@dgadr.pt

Seminário: FORMAÇÃO DE FORMADORES NO ÂMBITO DO USO SUSTENTÁVEL DE PRODUTOS FITOFARMACÊUTICOS. 1 de Abril de 2016 quina@dgadr.pt Seminário: FORMAÇÃO DE FORMADORES NO ÂMBITO DO USO SUSTENTÁVEL DE PRODUTOS FITOFARMACÊUTICOS Santarém, Auditório da ESAS Joaquina Fonseca 1 de Abril de 2016 quina@dgadr.pt PAINEL I : REGULAMENTAÇÃO RELATIVA

Leia mais

Formação Algarve PROGRAMA FORMAÇÃO ALGARVE

Formação Algarve PROGRAMA FORMAÇÃO ALGARVE PROGRAMA FORMAÇÃO ALGARVE Em que consiste Concessão de um apoio financeiro à renovação, à conversão de contratos de trabalho a termo ou à celebração de novos contratos de trabalho com ex-trabalhadores

Leia mais

Boas práticas. Vias de Conclusão e Certificação do Ensino Secundário

Boas práticas. Vias de Conclusão e Certificação do Ensino Secundário Jornadas de Formação Profissional Boas práticas Região Autónoma da Madeira Vias de Conclusão e Certificação do Ensino Secundário (Decreto lei nº 357/2007 de 29 de Outubro) Os melhores RUMOS para os Cidadãos

Leia mais

SESSÃO DE APRESENTAÇÃO Cursos Técnicos Superiores Profissionais TeSP

SESSÃO DE APRESENTAÇÃO Cursos Técnicos Superiores Profissionais TeSP Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 SESSÃO DE APRESENTAÇÃO Cursos Técnicos Superiores Profissionais TeSP Identidade, Competitividade, Responsabilidade Lezíria do Tejo Alto Alentejo Alentejo

Leia mais

Gabinete de Gestão Financeira

Gabinete de Gestão Financeira Gabinete de Gestão Financeira Í N D I C E Pág. ORÇAMENTO DO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO PARA 2 0 0 8 EVOLUÇÃO DA DESPESA CONSOLIDADA - 2007 / 2008 2 DESPESA CONSOLIDADA SEGUNDO A CLASSIFICAÇÃO ECONÓMICA 3 EVOLUÇÃO

Leia mais

Cursos Técnicos Superiores Profissionais PARECER TÉCNICO

Cursos Técnicos Superiores Profissionais PARECER TÉCNICO Cursos Técnicos Superiores Profissionais PARECER TÉCNICO Junho de 2014 Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional, IP ÍNDICE GERAL Nota introdutória 3 Pág. 1. Identificação dos elementos

Leia mais

ESPAÇO CAPITAL HUMANO

ESPAÇO CAPITAL HUMANO ESPAÇO CAPITAL HUMANO PROGRAMAÇÃO 14 a 17 de abril POCH 1 www.poch.portugal2020.pt Espaço Capital Humano B1 ILHA 1 Sucesso Escolar B2 4 B3 Ilha 4 Qualidade e Inovação B4 B5 B6 Espaço Interativo B7 B8 Ilha

Leia mais

Plano de Formação

Plano de Formação Plano de Formação 2013-2015 Índice NOTA INTRODUTÓRIA... 2 PÚBLICO-ALVO... 2 OBJETIVOS GERAIS... 2 EXPLICITAÇÃO DO LEVANTAMENTO DE NECESSIDADES... 3 ÁREAS PRIORITÁRIAS DE FORMAÇÃO... 3 ORGANIZAÇÃO DA FORMAÇÃO...

Leia mais

Políticas Públicas para Educação Profissional e Tecnológica (EPT) no Brasil

Políticas Públicas para Educação Profissional e Tecnológica (EPT) no Brasil Políticas Públicas para Educação Profissional e Tecnológica (EPT) no Brasil Marcelo Machado Feres Secretário de Educação Profissional e Tecnológica SETEC Ministério da Educação São Paulo, 01 de setembro

Leia mais

1.Organização do Sistema Educativo-Formativo Português 3. 2.Modalidades de educação e formação para jovens 4

1.Organização do Sistema Educativo-Formativo Português 3. 2.Modalidades de educação e formação para jovens 4 Índice: 1.Organização do Sistema Educativo-Formativo Português 3 2.Modalidades de educação e formação para jovens 4 2.1. Cursos de Educação e Formação (CEF) 5 2.2. Cursos Profissionais 7 2.3. Sistemas

Leia mais

Europass-Curriculum Vitae

Europass-Curriculum Vitae Europass-Curriculum Vitae Informação pessoal Apelido(s) / Nome(s) próprio(s) Morada Correio(s) electrónico(s) Maria Neves Rua do Passal, Nº 46, 1º D, 9500-096 Ponta Delgada Telemóvel 936602762 / 926592751

Leia mais

O ENSINO DE ENFERMAGEM EM PORTUGAL

O ENSINO DE ENFERMAGEM EM PORTUGAL O ENSINO DE ENFERMAGEM EM PORTUGAL Missão na Universidade de Cabo Verde Praia, 9 de Abril de 2008 Maria da Conceição Bento Até 1988 Curso de Enfermagem Geral Habilitavam: Prática Clínica de Cuidados de

Leia mais

Volta de Apoio ao Emprego 2016 MEDIDAS ATIVAS DE EMPREGO

Volta de Apoio ao Emprego 2016 MEDIDAS ATIVAS DE EMPREGO Volta de Apoio ao Emprego 2016 MEDIDAS ATIVAS DE EMPREGO Centro de Emprego de Vila Nova de Famalicão 15 de Junho de 2016 Objetivo Contexto: - O que é o Instituto do Emprego e Formação Profissional, I.P.

Leia mais

Agrupamento de Escolas Júlio Dantas

Agrupamento de Escolas Júlio Dantas Agrupamento de Escolas Júlio Dantas Proposta de Oferta Formativa 2016/2017* Largo Prof Egas Moniz, Apartado 302 8601 904 Lagosl Telefone: 282 770 990 Email: info @ aejd.pt http://www.aejd.pt/ * A abertura

Leia mais

Moçambique. informação de negócios. Oportunidades e Dificuldades do Mercado

Moçambique. informação de negócios. Oportunidades e Dificuldades do Mercado Moçambique informação de negócios Oportunidades e Dificuldades do Mercado Outubro 2008 Índice 1. Oportunidades 03 1.1 Tecnologias de Informação e Comunicação 03 1.2 Formação Profissional 03 1.3 Produtos

Leia mais

Cooperativismo Social no Brasil: Conceitos, Desafios e Propostas

Cooperativismo Social no Brasil: Conceitos, Desafios e Propostas Cooperativismo Social no Brasil: Conceitos, Desafios e Propostas LEONARDO PINHO COORDENADOR COOPERATIVISMO SOCIAL UNISOL BRASIL DIRETOR DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE SAÚDE MENTAL (ABRASME) EXECUTIVA DA REDE

Leia mais

DECRETO N.º 238/XII. A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte: Artigo 1.

DECRETO N.º 238/XII. A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte: Artigo 1. DECRETO N.º 238/XII Estabelece o regime de acesso e de exercício da profissão de auditor de segurança rodoviária, de emissão dos respetivos títulos profissionais e de acesso e exercício da atividade de

Leia mais

PROPOSTA DE MEMORANDO DE ENTENDIMENTO ENTRE A UNYLEYA - EDUCAÇÃO EFORMAÇÃO A DISTÂNCIA, SA E O INSTITUTO NACIONAL DE ADMINISTRAÇÃO, I.P.

PROPOSTA DE MEMORANDO DE ENTENDIMENTO ENTRE A UNYLEYA - EDUCAÇÃO EFORMAÇÃO A DISTÂNCIA, SA E O INSTITUTO NACIONAL DE ADMINISTRAÇÃO, I.P. , ~.> ~.) I INSTITUTO NACIONAL -l.l.í!sj DE ADMINISTRAÇÃO. I-p. PROPOSTA DE MEMORANDO DE ENTENDIMENTO ENTRE A UNYLEYA - EDUCAÇÃO EFORMAÇÃO A DISTÂNCIA, SA E O INSTITUTO NACIONAL DE ADMINISTRAÇÃO, I.P.

Leia mais

Fórum Concelhio Para a Promoção da Saúde

Fórum Concelhio Para a Promoção da Saúde Fórum Concelhio Para a Promoção da Saúde CASCAIS SAUDÁVEL 1. Contexto SÓCIO-POLÍTICO: Saúde na ordem do dia Envelhecimento da população Sustentabilidade do SNS Transferência de competências para as Autarquias

Leia mais

Audiovisuais e Produção dos Media. - Técnico/a de Multimédia

Audiovisuais e Produção dos Media. - Técnico/a de Multimédia Audiovisuais e Produção dos Media - Técnico/a de Multimédia Área de formação Curso de formação 213. Audiovisuais e Produção dos Media Técnico/a de Multimédia Nível de qualificação do QNQ 4 Plano Curricular

Leia mais

Certificação Florestal

Certificação Florestal Certificação Florestal Factor de Diferenciação Certificação Florestal 1 - A Certificação Florestal Objectivos Vantagens 2 - Dois Esquemas de Certificação Florestal PEFC FSC 3 - Estatísticas a nível Mundial

Leia mais

O Mar no próximo QFP

O Mar no próximo QFP O Mar no próximo QFP 2014-2020 Fórum do Mar José Manuel Fernandes Deputado ao Parlamento Europeu Estratégia Europa 2020 A guia das próximas perspectivas financeiras Estratégia Europa 2020 2020 Crescimento

Leia mais

CURSOS ARTISTICOS ESPECIALIZADOS

CURSOS ARTISTICOS ESPECIALIZADOS CURSOS ARTISTICOS ESPECIALIZADOS Telf: 234 340 220 * Fax: 234 343 272 * info@aesbernardo.pt * www.aesbernardo.pt Página 1 de 11 OBJETIVOS Os cursos artísticos especializados têm como objetivos proporcionar

Leia mais

PORTAL NETFORCE SISTEMA ONLINE DE INFORMAÇÃO DA FORMAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE FORMADORES.

PORTAL NETFORCE SISTEMA ONLINE DE INFORMAÇÃO DA FORMAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE FORMADORES. PORTAL NETFORCE SISTEMA ONLINE DE INFORMAÇÃO DA FORMAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE FORMADORES http://netforce.iefp.pt 1 PORTAL NETFORCE SISTEMA ONLINE DE INFORMAÇÃO DA FORMAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE FORMADORES NetForce

Leia mais

Na União Europeia e países europeus (I):

Na União Europeia e países europeus (I): O princípio da CPD diz-nos que as políticas nos vários setores devem contribuir ativamente para os objetivos de luta contra a pobreza e de promoção do desenvolvimento ou, pelo menos, não prejudicarem esses

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE EMÍDIO NAVARRO

ESCOLA SECUNDÁRIA DE EMÍDIO NAVARRO A melhor maneira de prever o futuro é criá-lo. Peter Drucker A escola é uma âncora de identidades e temperamentos, modelando-se numa diversidade de expectativas, desígnios e projetos. A ESEN acolhe estas

Leia mais

BIBLIOTECAS ESCOLARES

BIBLIOTECAS ESCOLARES PLANO DE AÇÃO BIBLIOTECAS ESCOLARES Agrupamento de Escolas da Moita 1 As Bibliotecas Escolares assumem, para além das funções informativa, educativa, cultural e recreativa, o papel de adjuvante do aluno,

Leia mais

ESPAÇOS DO CIDADÃO Decreto-Lei n.º 74/2014, de 13 de maio

ESPAÇOS DO CIDADÃO Decreto-Lei n.º 74/2014, de 13 de maio ESPAÇOS DO CIDADÃO Decreto-Lei n.º 74/2014, de 13 de maio De forma a garantir que a prestação digital de serviços públicos não implica a exclusão de quem não saiba ou não possa utilizar os serviços públicos

Leia mais

Mapa de Pessoal do Turismo de Portugal, I.P. - Serviços Centrais

Mapa de Pessoal do Turismo de Portugal, I.P. - Serviços Centrais Mapa de Pessoal do Turismo de Portugal, I.P. - Serviços Centrais Cargo/Carreira/categoria Atribuições / Competências/Actividades Nº de postos Planeados Nº de postos de trabalho providos Observações (Universo

Leia mais

Excelentíssimo Senhor Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira, Excelentíssimas Senhoras e Senhores Deputados,

Excelentíssimo Senhor Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira, Excelentíssimas Senhoras e Senhores Deputados, Excelentíssimo Senhor Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira, Excelentíssimas Senhoras e Senhores Deputados, É presente, hoje, a esta Assembleia, o diploma que adapta à Região Autónoma da Madeira,

Leia mais

Deveres do empregador no que respeita à Formação Profissional

Deveres do empregador no que respeita à Formação Profissional Formação Profissional O QUE DIZ A LEI Deveres do empregador no que respeita à Formação Profissional Contribuir para a elevação da produtividade e empregabilidade do trabalhador, nomeadamente proporcionando-lhe

Leia mais

SESSÃO SOLENE DE ABERTURA DO ANO LETIVO 2015/2016

SESSÃO SOLENE DE ABERTURA DO ANO LETIVO 2015/2016 No passado dia 29 de outubro, pelas 10 horas, nas instalações do IPTrans em Loures teve lugar a Sessão Solene de Abertura do Ano Letivo. Num momento marcado por uma forte mudança institucional, com a participação,

Leia mais

CTCP projetos QUALIFICAÇÃO FORMAÇÃO PME

CTCP projetos QUALIFICAÇÃO FORMAÇÃO PME CTCP projetos QUALIFICAÇÃO FORMAÇÃO PME PROGRAMA DE FORMAÇÃO E CONSULTORIA NAS PMEs DO CLUSTER DO CALÇADO O Programa Formação PME é constituído por ações de consultoria e de formação ajustadas a micro,

Leia mais

Inovação Produtiva PME Qualificação das PME

Inovação Produtiva PME Qualificação das PME Sistema de Incentivos Inovação Empresarial e Empreendedorismo Qualificação das PME Investigação e Desenvolvimento Tecnológico (I&DT) Inovação Empresarial e Empreendedorismo Qualificação e Internacionalização

Leia mais

Titular de CET e de CTeSP /2017

Titular de CET e de CTeSP /2017 Acesso CTesP e CET Mestrado Integrado em Engenharia do Ambiente Lic. em Biologia e Geologia Lic. em Geologia Lic. em Matemática Lic. em Física Lic. em Ciências do Mar Lic. em Meteorologia, Oceanografia

Leia mais

Instituto Superior de Ciências Empresariais e do Turismo

Instituto Superior de Ciências Empresariais e do Turismo Instituto Superior de Ciências Empresariais e do Turismo DESDE 1990 O ISCET Instituto Superior de Ciências Empresariais e do Turismo é um estabelecimento de ensino superior politécnico, criado em 25 de

Leia mais

Regulamento. Artigo 1º. Definição

Regulamento. Artigo 1º. Definição Centro para a Qualificação e o Ensino Profissional do Agrupamento de Escolas Francisco de Holanda Regulamento Artigo 1º Definição O Agrupamento de Escolas Francisco de Holanda é a entidade Promotora do

Leia mais

NCE/10/01956 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/10/01956 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/10/01956 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Instituto Politécnico Do Porto A.1.a.

Leia mais

PROGRAMA SIMPLEX 2016 CAMÕES, I.P.

PROGRAMA SIMPLEX 2016 CAMÕES, I.P. PROGRAMA SIMPLEX 2016 CAMÕES, I.P. Acelerador da Inovação dos Serviços 1 ESTRATÉGIA Modernização administrativa transversal às áreas de atuação do Camões, I.P. 2 PROJETO DE REESTRUTURAÇÃO E MODERNIZAÇÃO

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO. EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR, ENSINOS BÁSICO e SECUNDÁRIO. NOTA INTRODUTÓRIA Ano letivo 2016/2017

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO. EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR, ENSINOS BÁSICO e SECUNDÁRIO. NOTA INTRODUTÓRIA Ano letivo 2016/2017 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR, ENSINOS BÁSICO e SECUNDÁRIO NOTA INTRODUTÓRIA Ano letivo 2016/2017 Sendo a avaliação um «processo regulador do ensino, orientador do percurso escolar

Leia mais

Principais funções do Gestor e do Coordenador de Formação. Não podemos prever o futuro mas podemos construí-lo!

Principais funções do Gestor e do Coordenador de Formação. Não podemos prever o futuro mas podemos construí-lo! Principais funções do Gestor e do Coordenador de Formação Não podemos prever o futuro mas podemos construí-lo! ENQUADRAMENTO A formação profissional surge como um dos instrumentos indispensáveis para o

Leia mais

(Portaria nº266/2012, de 30 de agosto)

(Portaria nº266/2012, de 30 de agosto) (Portaria nº266/2012, de 30 de agosto) dezembro, 2013 CARTA DE MISSÃO (Portaria n.º 266/2012, de 30 de agosto) Nome do Diretor Carlos Alberto Martins Carvalho Escalão 9º Unidade Orgânica : Agrupamento

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTOR DE FORMAÇÃO

PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTOR DE FORMAÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTOR DE FORMAÇÃO.Certificado pela ANEF-Associação Nacional de Entidade Formadoras.Certificação CEPESE-DGERT-CNAEF-Área 345 Gestão e Administração Nível 6 ENQUADRAMENTO E OBJETIVOS DO

Leia mais

Focus Group. Clusters Transfronteiriços: Competitividade, Inovação e Internacionalização

Focus Group. Clusters Transfronteiriços: Competitividade, Inovação e Internacionalização Focus Group Clusters Transfronteiriços: Competitividade, Inovação e Internacionalização VISÃO SISTÉMICA DO CLUSTER: CLUSTERS / FILEIRAS TRADICIONAIS Madeira / papel (presença da Europac Kraft Viana); Automóvel

Leia mais

Escola Secundária José Saramago Mafra. Plano Estratégico

Escola Secundária José Saramago Mafra. Plano Estratégico Escola Secundária José Saramago Mafra Plano Estratégico 2014/2015 Preâmbulo O Plano Estratégico para 2014/2015 visa dar cumprimento ao disposto no artigo 15º do despacho normativo nº 6/2014, de 26 de maio.

Leia mais

Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências: uma visão da realidade

Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências: uma visão da realidade RECONHECIMENTO, VALIDAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE COMPETÊNCIAS NO ALENTEJO: UMA VISÃO DA REALIDADE Bravo Nico 1 Luísa Carvalho 2 Lurdes Nico 3 Joana Silva 4 Introdução A presente comunicação insere-se na linha

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DA COMUNIDADE ESCOLAR. Ano Letivo 2015/2016 EPRM ESCOLA PROFISSIONAL DE RIO MAIOR, LDA., EM

CARACTERIZAÇÃO DA COMUNIDADE ESCOLAR. Ano Letivo 2015/2016 EPRM ESCOLA PROFISSIONAL DE RIO MAIOR, LDA., EM CARACTERIZAÇÃO DA COMUNIDADE ESCOLAR Ano Letivo 215/216 RL.FIJ.1. 1/1 ANO LETIVO 215/216 INDICE 1. ENQUADRAMENTO... 3 2. ALUNOS... 4 2.1. Género... 4 2.2. Distribuição pelas Idades... 4 2.3. Proveniência

Leia mais

VOLTA DE APOIO AO EMPREGO

VOLTA DE APOIO AO EMPREGO VOLTA DE APOIO AO EMPREGO CIDADE DAS PROFISSÕES A CIDADE DAS PROFISSÕES É UM ESPAÇO GRATUITO DE INFORMAÇÃO E CONSULTORIA SOBRE A VIDA PROFISSIONAL E O MUNDO DO TRABALHO PROMOVIDO PELA CÂMARA MUNICIPAL

Leia mais

Deliberação n.º 83 /2015. Regulamento Interno da CIC Portugal 2020

Deliberação n.º 83 /2015. Regulamento Interno da CIC Portugal 2020 Deliberação n.º 83 /2015 Regulamento Interno da CIC Portugal 2020 A CIC Portugal 2020, na reunião ordinária de 21 de dezembro de 2015, deliberou, nos temos da alínea q) do n.º 2 do artigo 10.º do Decreto-Lei

Leia mais

A problemática dos jovens testemunhos: Projeto SALM Promoção do emprego jovem, competências e mercado de trabalho

A problemática dos jovens testemunhos: Projeto SALM Promoção do emprego jovem, competências e mercado de trabalho A problemática dos jovens testemunhos: Projeto SALM Promoção do emprego jovem, competências e mercado de trabalho Toolkits - Serviços sociais e turismo senior: dirigido a jovens, empregadores, técnicos

Leia mais

FUNDAÇÃO PROJETO PESCAR

FUNDAÇÃO PROJETO PESCAR FUNDAÇÃO PROJETO PESCAR Av. Sertório, 1988 Portão 8 91020-000 - Porto Alegre - RS Fone/Fax: (51) 3337-7400 E-mail: pescar@via-rs.net Site: www.projetopescar.org.br Missão Missão Promover oportunidade para

Leia mais

Testes de Diagnóstico

Testes de Diagnóstico INOVAÇÃO E TECNOLOGIA NA FORMAÇÃO AGRÍCOLA agrinov.ajap.pt Coordenação Técnica: Associação dos Jovens Agricultores de Portugal Coordenação Científica: Miguel de Castro Neto Instituto Superior de Estatística

Leia mais

A MOBILIDADE INTELIGENTE e INCLUSIVA

A MOBILIDADE INTELIGENTE e INCLUSIVA A MOBILIDADE INTELIGENTE e INCLUSIVA Os Projetos de Lisboa para 2020 Teresa Almeida A MOBILIDADE INTELIGENTE e INCLUSIVA Os Projetos de Lisboa para 2020 1. O Quadro Europeu 2. O Quadro Municipal 3. As

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Identidade, Competitividade, Responsabilidade Lezíria do Tejo Alto Alentejo Alentejo Central Alentejo Litoral Baixo Alentejo Planeamento Estratégico Regional

Leia mais

** As inscrições também decorrem no Centro Multicultural R. José Augusto Seabra, n.º 19-D Benfica (junto à estação CP) tel.

** As inscrições também decorrem no Centro Multicultural R. José Augusto Seabra, n.º 19-D Benfica (junto à estação CP) tel. INSTITUIÇÃO CURSOS TIPO CONDIÇÕES DE ACESSO 15 /24 Anos (comum a todos) **Centro de Educação e Formação Profissional da Aldeia de Santa Isabel Av. dos Combatentes Albarraque Tel: 219 155 900 www.scml.pt

Leia mais

Gostaria de manifestar todo o nosso reconhecimento aos Senhores Ministro da Economia e do Emprego e Secretário

Gostaria de manifestar todo o nosso reconhecimento aos Senhores Ministro da Economia e do Emprego e Secretário SESSÃO DE LANÇAMENTO DO MOVIMENTO PARA O EMPREGO FCG (SALA DIRECÇÕES) - 23.05.2013, 15H30 Senhor Ministro da Economia e do Emprego Senhor Secretário de Estado do Emprego Senhores Deputados Senhor Presidente

Leia mais

REORGANIZAÇÃO DAS LICENCIATURAS DA U. M.

REORGANIZAÇÃO DAS LICENCIATURAS DA U. M. CAc P 1-02/03 REORGANIZAÇÃO DAS LICENCIATURAS DA U. M. 1. Introdução A expansão da rede do Ensino Superior Público e Privado, que ocorreu nas décadas de 80 e 90, trouxe como consequência, aliás previsível,

Leia mais

EDUCAÇÃO, TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: CULTURA, CIÊNCIA, TECNOLOGIA, SAÚDE, MEIO AMBIENTE DOCUMENTO REFERÊNCIA

EDUCAÇÃO, TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: CULTURA, CIÊNCIA, TECNOLOGIA, SAÚDE, MEIO AMBIENTE DOCUMENTO REFERÊNCIA EIXO III EDUCAÇÃO, TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: CULTURA, CIÊNCIA, TECNOLOGIA, SAÚDE, MEIO AMBIENTE DOCUMENTO REFERÊNCIA SUGESTÃO Desde os anos 1980, observam-se transformações significativas

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO (APROVADOS EM CP 2014/2015)1 1.º Introdução A avaliação constitui um processo regulador do ensino, orientador do percurso escolar e certificador dos conhecimentos adquiridos

Leia mais

FOLHA INFORMATIVA Nº5

FOLHA INFORMATIVA Nº5 FOLHA INFORMATIVA Nº5 Observatório Regional de Lisboa e Vale do Tejo O Sistema de Ensino e Formação na Região de Lisboa O reforço da qualificação da população constitui um dos principais desafios estratégicos

Leia mais

ACORDO ENTRE AS CONFEDERAÇÕES COM ASSENTO NA COMISSÃO PERMANENTE DE CONCERTAÇÃO SOCIAL, VISANDO A FORMAÇÃO PROFISSIONAL

ACORDO ENTRE AS CONFEDERAÇÕES COM ASSENTO NA COMISSÃO PERMANENTE DE CONCERTAÇÃO SOCIAL, VISANDO A FORMAÇÃO PROFISSIONAL ACORDO ENTRE AS CONFEDERAÇÕES COM ASSENTO NA COMISSÃO PERMANENTE DE CONCERTAÇÃO SOCIAL, VISANDO A FORMAÇÃO PROFISSIONAL A formação profissional constitui um instrumento fundamental para combater o défice

Leia mais

O nosso tempo é caracterizado por um acelerado processo de transformações e de mudanças, algumas com profundas incidências

O nosso tempo é caracterizado por um acelerado processo de transformações e de mudanças, algumas com profundas incidências O conceito de formação profissional O nosso tempo é caracterizado por um acelerado processo de transformações e de mudanças, algumas com profundas incidências sobre a existência e sobre o futuro da pessoa

Leia mais

Relatório de Atividade Letivo 2013/2014

Relatório de Atividade Letivo 2013/2014 Divisão de Assuntos Sociais Núcleo de Apoio Psicoeducativo Relatório de Atividade Ano Letivo 2013/2014 A. Equipa Técnica Clara Cabrita Ciências da Educação Cristina Martins Ensino Especial Élia Ramos Psicologia

Leia mais

COMPRAR A PORTUGAL FILEIRA TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO JAN 2016

COMPRAR A PORTUGAL FILEIRA TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO JAN 2016 COMPRAR A PORTUGAL FILEIRA TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO JAN 2016 PERFIL 3 INDICADORES CHAVE 4 VANTAGENS 5 COMPETITIVAS SETORES 6-9 DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE 7 TELECOMUNICAÇÕES 8 SERVIÇOS,

Leia mais

Sessão de Divulgação TAGUS2020 Ribatejo Interior. Diversificação de Atividades na Exploração Agrícola e Bolsa Nacional de Terras

Sessão de Divulgação TAGUS2020 Ribatejo Interior. Diversificação de Atividades na Exploração Agrícola e Bolsa Nacional de Terras Sessão de Divulgação TAGUS2020 Ribatejo Interior Diversificação de Atividades na Exploração Agrícola e Bolsa Nacional de Terras A nossa Visão Potenciar o máximo aproveitamento e utilização do território

Leia mais